Total de visualizações de página

sexta-feira, dezembro 02, 2016

Zenaldo, confirmado por mais 4 anos conforme a vontade popular


Agora Zenaldo, bola pra frente. Nos eleitores fizemos nossa parte. Agora é com você... A Nação Jurunense quer exterminar e mostrar a sua cara com a conclusão da Macrodrenagem. O PSM do Guamá, melhorar. Aquela entrada, por exemplo, horrível. Os médicos voltar a atender os pacientes condignamente. O BRT, agilizar. Coloca gente para trabalhar, pois o povo quer trabalho. O Japão deu exemplo de como se trabalha: uma cratera recentemente surgiu engolindo quase tudo, porém, em menos de uma semana, acho que nem a TV sabia onde havia acontecido o problema.
Vamos que vamos Zenaldo!

terça-feira, novembro 29, 2016

MOÇA COM DEPRESSÃO VEM FAZENDO CORRETO AS ORAÇÕES E SE MELHORANDO EM MENOS DE UMA SEMANA.


ORAÇÃO DA CIGANA ROSA VERMELHA
Salve o Sol, a Natureza, o Orvalho da Manhã! Salve Deus todo Poderoso, que me dá a felicidade de tomar a bênção a toda Natureza. Salve o Vento, o Sol, a Chuva, as Nuvens, as Estrelas e a Lua!
Salve as forças das Águas, a Terra, a Areia e o Solo Fértil! Que belo seja seu remédio! O pão que parto a mesa, seja multiplicado! O Trigo que carrego comigo, seja minha prosperidade. O Universo me abrace.
E que os quatro elementos: Terra, Água, Fogo e Ar, me dem. as forças necessárias para todas as dificuldades de minha vida. Meus caminhos sejam abertos, hoje e sempre, com toda a pureza dos Elementais e dos Anjos Mensageiros de Deus.
Assim seja!




Ainda pouco fui buscar a minha filha no trabalho quando perguntei ao guardador de carros como estava a cunhada dele que está com depressão. Ele disse-me que estava tudo bem, e que ela estava orando corretamente o livro Auto Ajuda que mandei ele entregar à ela.
Ele disse-me que ela até dias atrás não acreditava em nada e tampouco na vida, pois devido a inúmeros problemas, chegou a estar pensando em atentar contra a própria vida. Ela ora normalmente, quantas vezes for necessário ao dia e vem se melhorando.
Ela em sua Fé, é quem vem conseguindo se melhorar com a ajuda de Deus, Jesus e os Espíritos de Luz, além é claro, do seu Mentor Espiritual.

"A felicidade através do amor" - Eutanásia - A história de Tadeu Merlin ...

Quantos desencarnem ocorre diariamente? Até nós desencarnamos todos os dias e nos damos conta, e pior, reencarnamos novamente...








Se tiveres coragem de ler o que escrevi, leia...
Senão pule e busque flores, ah, as flores também
 desencarnam diariamente, coletivamente e
não damos a mínima. Até nós mesmos
desencarnamos e voltamos sorrindo...



Ao longo da história do homem já ocorreram incontáveis situações de desencarne coletivos. Ações da natureza como terremotos, tsunamis, erupções vulcânicas levaram incontáveis pessoas ao desencarne. E na história recente temos presenciado situações de desencarne por outras razões, como naufrágios, acidentes aéreos como aconteceram com os nossos irmãos, do time da Chapecó, de Santa Catarina. Acidentes automobilísticos, incêndios, desabamentos, ocupação inadequada de áreas de risco como áreas costeiras sujeitas a tsunamis, encostas de morros, e outras.
Paramos para pensar hoje, por exemplo, que ao contrário deste acidente com o avião que conduzia o time da Chapecó, quantos partiram deste mundo, no exato momento em que o avião caiu? Certamente, um número muito maior. Porém, nos nós abstemos somente no time e confrades de imprensa.
O ir e vim entre nós mesmos aqui na Terra e o Mundo Espiritual é comum. Os hospitais públicos só no Brasil pararam para rever a tragédia diária? Os desencarnes coletivos acontecem diariamente. Vocês hão de me perguntar e até me criticar agora: estás faltando com a verdade. Não estais sendo humano menosprezando os rapazes que tinham um futuro pela frente. Mas volto a repetir: temos que entender o ir e vir determinado por Deus, e aceitar e rezar pela chegada de cada um em seu respetivo local, que passarão por processo de recuperação, pois eles nem sabem que partiram deste mundo. Cabe a nós nos prepararmos, e oramos sem esse sentimento de alguém é ocupado e se tivesse feito isso antes não teria acontecido. Mas aconteceu! Aceitamos os desígnios de Deus com sabedoria.
Ou você não sabe que diariamente, todas as noites parte do Planeta Terra, enquanto uns trabalham a noite, outra parte morre todos os dias? É! Nós morremos todos os dias. Muitos não retornam, mas muitos voltam para continuar a se melhorar, pois os que partiram no sono, também cumpriram sua meta comprometida consigo mesmo antes mesmo de retornar à Terra para buscar se evoluir. Ah, o Pai Nosso oriento a todos, não pode ser rezado da forma como os atletas rezaram: mais rápido do que os carros de Fórmula Um. Façamos devagar. A noite do dia 28 estive na missa de um irmão, Adyr, na Igreja de São Sebastião, no bairro da Sacramenta, na hora de rezar o Pai Nosso, a oração que Jesus nos ensinou, ele, o padre estava a uma velocidade igual a dos atletas. A ansiedade, talvez os deixaram assim, pois precisavam cumprir metas de conquistas dentro de campo e o Pai Nosso ficara em segundo plano. Os adversários deles poderiam estar orando mais lento, quem sabe?! Ah, mas não estou dizendo que foi a reza do Pai Nosso tipo F-1 que os levou ao desencarne. Mas que chegou a hora, chegou, paciência.
Sabe lá, só neste tempo em que escrevia este texto, mil vezes esse número das vítimas da queda do avião estão chegando do OUTRO LADO? E não dizemos nada! Não lamentamos nada! Portanto, oremos por todos nós, que ainda estamos aqui neste mundo de provas e expiações, pois a TERRA É UMA ESCOLA, por que somos MAL EDUCADOS; A TERRA é uma PRISÃO, porque todos nos SOMOS DEVEDORES. A TERRA é um HOSPITAL, porque TODOS NÓS SOMOS DOENTES... Oremos, mas devagar...
Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o Vosso Nome./// Venha a nós o Vosso Reino. /// Seja feita a Vossa vontade, assim na Terra como no Céu. /// O pão nosso de cada dia nos daí hoje. /// Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. /// E não nos deixei cair em tentação, mas livrai-nos do mal. // Porque Vós Sóis o Poder e a Glória para sempre.
Assim seja!


Será que ao invés de estarmos criticando o fato de como eles desencarnaram, em pleno sucesso. Belos jovens, inteligentes, talvez? Será que eles pelo sucesso que estavam fazendo, estão nos planos de Deus no mundo de regeneração que já estamos vivendo, e as transformações acontecem a todos os instantes?
 

terça-feira, novembro 22, 2016

LEIA NESTAS POSTAGENS:Estudantes da rede estadual produzem 16 jingles sobre formas de prevenção da Aids












Fundação Cultural realiza no Curro Velho oficina de confecção de artigos natalinos
Desenvolver as habilidades artísticas dos participantes, possibilitando uma qualificação que pode resultar em oportunidade de emprego e geração renda. Com esse objetivo, a Fundação Cultural do Pará (FCP) promove até 16 de dezembro a “Oficina de Produção de Artigos Natalinos”, no Núcleo Curro Velho. Ministrado pela artesã Rita Furtado, instrutora de artesanato há 25 anos, o curso é realizado de segunda a sexta-feira, das 09 às 12 h.
A oficina tem 13 participantes, selecionados entre os melhores alunos de outros cursos promovidos pelo Núcleo de Prática de Ofício e Produção da FCP. “Eu não sabia que a oficina seria com costura, mas quando chegamos apresentaram os tecidos e outros materiais, e a instrutora teve toda a paciência de nos ensinar como costurar. Está sendo muito bom para cada um de nós, pois estamos aprendendo de fato como confeccionar os arranjos natalinos”, disse Bruna Pantoja, 18 anos, moradora de Ananindeua, município da Região Metropolitana de Belém.
Segundo Rita Furtado, “a oficina de arranjos natalinos é justamente para que o aluno venha a aprender a técnica de como fazer um arranjo de materiais e produtos simples”. Para a instrutora, “é gratificante para cada um deles, porque a oficina não só ensina a produzir uma peça, mas várias técnicas, desde o pegar da agulha, o manuseio da máquina, como costurar em papel e tecido, pontos de caseado etc. Para os alunos está sendo um leque de oportunidades, porque além das técnicas que estão aprendendo também podem desenvolver outros produtos, tanto para eles como para suprir a necessidade do projeto”, ressaltou.
Os arranjos e presentes natalinos confeccionados na oficina serão comercializados pelo Mercado do Curro Velho, que possui três pontos de vendas: um no Bairro do Telégrafo, no final da Travessa Djalma Dutra; outro na Casa das Artes (na Praça Justo Chermont, 236, Bairro Nazaré), e na Casa da Linguagem (Avenida Nazaré, 31, Nazaré).
Nas lojinhas da Fundação Cultural do Pará o público encontra vários produtos das oficinas, como serigrafia, pinturas, cestaria, cartonagem, cerâmica e brinquedos em madeira.

Texto:
Andreza Gomes

Pro Paz oferece colônia de férias para crianças e adolescentes em dezembro e janeiro
A Fundação Pro Paz oferta programação para crianças e adolescentes que ficarão em Belém durante os meses de dezembro e janeiro. Nos polos do Pro Paz nos Bairros do Mangueirão e da Universidade Federal do Pará (Ufpa) serão oferecidas atividades de arte, cultura, esporte e lazer para garantir um entretenimento saudável com atividades educativas que trabalham os valores da cultura de paz para ocupar o tempo ocioso das férias. As atividades são voltadas para crianças e adolescentes entre 8 e 18 anos.
A colônia acontecerá em dois períodos: o primeiro inicia na próxima segunda-feira (5) e vai até o dia 16 de dezembro; o segundo período acontece de 26 de janeiro a 1º de março. As atividades variam entre esportes, gincanas, pinturas, cinema, teatro, música e dança. No polo do Mangueirão a colônia funcionará de segunda a sexta, de 9h as 10h30, já no polo da UFPA, as atividades acontecerão de segunda a sexta-feira, de 8h30 as 10h30 e também de 14h30 as 16h30.

“O objetivo é atender tanto os nossos alunos, que vão ficar ociosos neste tempo de férias, quanto outras crianças que ainda não estão com a gente, mas que nesse período também ficam sem atividades, já que muitos não viajam. Em nossos polos os pais sabem que os filhos  estão seguros, se divertindo e aprendendo um pouco mais sobre valores importantes”, afirmou a coordenadora do Pro Paz nos Bairros, Mônica Altman.
Serviço: As vagas estão abertas e para se inscrever o aluno deve comparecer ao polo mais próximo da sua casa, acompanhado do seu responsável com um documento de identificação. As inscrições acontecem enquanto as vagas estiverem disponíveis. O polo do Mangueirão fica no Estádio Olímpico do Pará, no Portão A1, na avenida Augusto Montenegro Km 3, S/N. Já o polo da UFPA fica localizado na avenida Tucunduba, S/N, Campus III, no bairro do Guamá.

Texto:
Mayara Albuquerque

Operação “Boas Festas 2016” reforça a segurança em todo o Estado
Na manhã desta sexta-feira, 2, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) lançou, na praça da Bandeira, no bairro da Campina, a Operação “Boas Festas 2016”, a ser realizada até o dia 2 de janeiro de 2017, em consonância às festividades do Natal e do Réveillon. A intensificação do policiamento a pé, em viaturas e motocicletas, em lanchas ou mesmo pelo ar com uso de helicópteros em áreas comerciais que apresentam grande fluxo de consumidores, caso dos shoppings, conglomerados de lojas e feiras é uma das medidas estratégicas das ações integradas dos órgãos de Segurança Pública.
O objetivo das forças de segurança é garantir a rapidez no atendimento de possíveis ocorrências relacionadas à criminalidade. Pelos números divulgados pela Segup em janeiro de 2016, referente à Operação “Boas Festas 2015”, 427 pessoas foram detidas, enquanto que em 2014, 63 casos foram contabilizados. Na operação a Segup também apreendeu 120 quilos de drogas e 147 armas de fogo. 
A Polícia Militar oficializou o uso da rede de proteção aos estabelecimentos comerciais, auxiliado por aplicativo de celular, pelo qual os donos de lojas poderão trocar informações com os comandantes da PM de cada área de atuação, sobretudo na área metropolitana e prevenir, assim, assaltos e furtos. Outra novidade neste ano é o uso de drones como equipamento de monitoramento.
“Vamos fazer todo o esforço de manter a tranquilidade dos cidadãos, já que neste período, com o recebimento do 13º salário é o momento de maior fluxo de pessoas e de dinheiro na área comercial”, sintetizou o titular da Segup, general Jeannot Jansen.
A Operação “Boas Festas 2016” será desenvolvida, de forma conjunta, por integrantes dos órgãos do Sistema de Segurança: Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Departamento de Trânsito do Estado (Detran), Centro Integrado de Operações (CIOP), Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves”, Grupamentos Aéreo e Fluvial, Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), juntamente com órgãos municipais de segurança de Belém, Ananindeua e Marituba. O trânsito será organizado pelo Detran, como forma de diminuir os registros de acidentes. 
Várias autoridades da área de segurança estiveram presentes, dentre elas os secretários adjuntos de gestão Operacional, coronel Hilton Benigno; de Inteligência e Análise Criminal, delegado Rogério Morais; diretor do departamento Geral de Operações, coronel Sérgio Alonso; delegado geral, Rilmar Firmino; comandante do CBM, coronel Zanelli Nascimento, diretor do Ciop, coronel Heyder Calderaro, além do presidente do Sindicato do Comércio Varejista e dos Lojistas de Belém, Joy Colares. A entidade fez a distribuição de cartilhas com orientações de segurança aos consumidores, trabalho realizado em parceria com a PM.
Durante o lançamento, as dezenas de agentes, entre policiais militares, civis, bombeiros militares, guardas municipais, agentes de trânsito do estado e do município, além de integrantes de pilotos do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), estiveram de prontidão, ao lado de recursos do aparato da operação, caso de veículos, motocicletas, quadriciclos e até o helicóptero bi-turbina EC 145, com capacidade para 11 pessoas, que na próxima semana estará em ação na cidade de Altamira.
Na capital, os centros comerciais terão reforço do policiamento ostensivo, entre eles os bairros Cidade Velha, Campina, Jurunas, Reduto, Nazaré, Guamá, Umarizal, Fátima, Canudos e Terra Firme. O policiamento também será intensificado nas áreas de comércio de Ananindeua, Marituba, Santa Bárbara e Benevides, assim como interior do estado. Devido à maior circulação de dinheiro por conta da época natalina, a operação planejou ações de prevenção de roubos a agências bancárias e centros lotéricos. 
No período de realização da Operação Boas Festas, permanecerão as ações de policiamento das operações Hypnus, Lei Seca, Duas Rodas e Barreira. Haverá a intensificação nas abordagens a pessoas, carros particulares, ônibus e motocicletas, em locais estratégicos identificados pela Secretaria de Inteligência e Análise Criminal da Segup, por meio de ligações para o Disque Denúncia (181) ou via Centro Integrado de Operações (Ciop) 190.
“Você deve ser discreto no transporte de seus pertences, sobretudo valores em dinheiro, celular e joias. São essas coisas que temos que avaliar na hora de irmos fazer nossas compras. Quem tiver cartão de débito, use, pois evita usar dinheiro em espécie”, orientou o coronel Sérgio Alonso, diretor do Departamento Geral de Operações.
Em decorrência do período das férias escolares em dezembro, a população da capital se desloca, com maior frequência, para o interior do Estado a fim de aproveitar as festas de final de ano. Por isso, as forças de segurança estarão atuando em localidades como distritos de Mosqueiro, Outeiro e Icoaraci, Ilha de Cotijuba, além dos municípios de Abaetetuba (Beja), Barcarena (praia do Caripi), Salinópolis, Santa Maria do Pará, Altamira, Marabá, Redenção e Santarém. 
A Polícia Civil reforçará as ações para atender a demanda de ocorrência no Centro Comercial de Belém, e também nos balneários de Salinas, e em Mosqueiro e Outeiro, na área metropolitana. Na área comercial de Belém, a Seccional do Comércio terá o reforço de mais uma equipe formada por escrivão, investigador e um funcionário administrativo, todos para atender os registros de ocorrência durante o horário de expediente e aos finais de semana de dezembro. “Estamos atentos e prevenidos para atuar com equipes em possíveis ações relacionadas à agências bancárias, além disso estamos reforçando o atendimento nas delegacias de centros comerciais”, relatou o delegado geral Rilmar Firmino.
Bombeiros - Os militares do Corpo de Bombeiros farão o reforço nas ações de prevenção nos dias 24 e 25 de dezembro e de 30 de dezembro a 2 de janeiro de 2017, justamente nas festas de final de ano (Natal e Réveillon) nas praias de Outeiro, Cotijuba, Mosqueiro, Salinas (Atalaia, Farol Velho, Maçarico e Corvina), Marudá, Crispim e Algodoal. No total, o CBM contará com um efetivo de 248 homens com atuação em serviços de prevenção e combate a incêndios, de proteção, busca e salvamento, além de atendimento pré-hospitalar e proteção nos balneários, caso dos guarda-vidas, além de ações na “Operação Estrada”.
Trânsito - O Detran contará com 158 agentes e vai contar com o apoio operacional de 30 viaturas e 20 motocicletas e atuará nos distritos de Mosqueiro, Outeiro e nas cidades de Salinópolis, Soure, Bragança, Marapanim, Marudá, Conceição do Araguaia, Tucuruí, Barcarena, Marabá, Redenção, Itaituba e Castanhal.
Câmeras - No videomonitoramento do Centro Integrado de Operações trabalham profissionais de segurança pública, que operam as 190 câmeras distribuídas estrategicamente na RMB com o objetivo de monitorar atitudes suspeitas, gerar flagrantes, além de complementar as operações de segurança pública. 

Texto:
Sérgio Chêne

1º Grupamento de Busca e Salvamento dos Bombeiros completa 17 anos
Na manhã desta sexta-feira (2) ocorreu a cerimônia de comemoração do 17º aniversário do Grupamento de Busca e Salvamento (1ºGBS), que fica localizado na Rodovia Arthur Bernardes, Miramar, em Belém. O quartel tem atualmente 48 militares, dos quais 45 praças e três oficiais. O grupamento é considerado um dos mais operacionais da corporação por atender diversos tipos de ocorrências. Foram 711 neste ano nas áreas de incêndio e salvamento.
“Foi com muita alegria que recebi a minha nomeação para comandar este grupamento, uma unidade histórica para o nosso Corpo de Bombeiros, que nasceu no ano de 1999 com a necessidade de agrupar nossos especialistas em salvamento em altura, salvamento terrestre, mergulhador de resgate e guardas vidas, e que completou nesse 24 de novembro 17 anos de bons serviços prestados a sociedade”, disse o comandante do 1º GBS, major Luiz Arthur.
Durante a cerimônia foram entregues para nove militares as medalhas de dez e 20 anos de bons serviços. Ela condecora bombeiros militares do Estado e reconhece publicamente os bons serviços prestados à prevenção de acidentes em geral, à segurança e à tranquilidade da população.
“No dia 24 de novembro de 1999, o comandante geral da época, coronel Cupertino Corrêa, me incumbiu de vir para esse grupamento com militares especializados, e nos esforçamos para prestar um bom serviço à sociedade. Sei que nossos esforços vão ficar na história da corporação. Tenho orgulho de ser o primeiro comandante do 1º GBS, e mesmo atualmente estando na reserva, ministro palestra e treinamento na área operacional. Esse quartel foi um dos sonhos que realizei na minha carreira bombeiro militar”, disse o coronel Mario Moraes.
“Hoje comemoramos 17 anos do 1º GBS, e desde a inauguração do quartel os militares são dedicados e com bom conhecimento profissional. É perceptível o esforço do efetivo na busca incansável e diária de se manter fisicamente bem, pois precisam continuar fazendo a diferença no serviço operacional. O GBS não é uma unidade dos bombeiros que atua somente com ocorrências de incêndio, e sim em outras áreas, o que exige que os militares se especializem ainda mais”, frisou o comandante geral dos bombeiros, coronel Zanelli Nascimento.
O 1º Grupamento de Busca e Salvamento é uma unidade especializada do Corpo de Bombeiros que atua em diversas áreas, entre elas: busca e resgate em área de selva; busca e resgate em estrutura colapsada; salvamento em altura, terrestre e veicular; e produtos perigosos.
Foi criado em 24 de novembro de 1999 em convênio com a Companhia Docas do Pará (CDP) e pelo Decreto Estadual nº 3.763. Surgiu da necessidade de estabelecer a descentralização e especialização dos órgãos de execução do Corpo de Bombeiros, dando suporte às unidades operacionais existentes e diminuindo, assim, o tempo resposta nas ocorrências de grande complexidade.

Texto:
Roclane Damasceno



Com o filme "Crô", Sejudh debate em escola pública o trabalho escravo contemporâneo
Na manhã desta sexta-feira (2), cerca de 40 estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental, da Escola Estadual Zulima Vergolino Dias, assistiram à comédia “Crô”, que aborda de forma lúdica o trabalho escravo contemporâneo em uma indústria de confecções. A programação integra o projeto Direitos Humanos em Cena, promovido pela Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh). Durante todo o mês de novembro, o projeto realizou rodas de conversa e palestras, e exibiu filmes com a temática do trabalho escravo em três escolas públicas.
A atividade contou com a participação do advogado Leonardo Barra, membro da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PA). A partir da abordagem do filme, ele orientou os alunos sobre como diferenciar o trabalho escravo na antiguidade e nos dias atuais.
“No Brasil, o trabalho escravo antigamente era conceituado como uma força de trabalho – negra ou indígena -, que era coagida e privada de liberdade. Hoje, temos uma nova concepção de trabalho escravo, que é aquele que não respeita as leis trabalhistas. O perfil geral das vítimas do trabalho escravo contemporâneo é de pessoas que não possuem instrução ou perspectiva de carreira profissional e, por conta da necessidade, acabam se submetendo a situações ilegais de trabalho”, informou o advogado.
Prevenção - O projeto Direitos Humanos em Cena é organizado pela Coordenadoria de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e ao Trabalho Escravo da Sejudh, e promove a cada mês discussões sobre um assunto relacionado ao tráfico de pessoas nas escolas atendidas.
Para a temática de novembro, o projeto foi dividido em três etapas: palestra sobre conceitos do trabalho escravo, roda de conversa abordando a prevenção e rede de atendimento, e exibição de filme. Além da Escola Zulima Vergolino Dias, localizada na Cidade Nova II, em Ananindeua (Região Metropolitana de Belém), as ações do projeto são realizadas de forma alternada nas escolas Dona Helena Guilhon, no Conjunto Satélite, e Benjamin Constant, no Bairro do Reduto, na capital.
Objetivos atingidos - Na avaliação da assistente social Jeanete Gomes, da Sejudh, os objetivos da discussão sobre trabalho escravo dentro do projeto foram atingidos. “A gente conseguiu fazer com que os alunos entendessem essa diferença entre o trabalho escravo que eles viram nos livros de história e o que ainda existe hoje. Além disso, eles conseguiram relacionar o trabalho escravo com as outras temáticas que a gente discutiu ao longo do ano, como o trabalho infantil e o tráfico de pessoas”, frisou a assistente social.
Ela ressaltou a importância de parceiros como a OAB-PA, o Tribunal Regional do Trabalho, o Ministério Público Federal e a Faculdade de Direito da Universidade Federal do Pará (UFPA) na execução das ações em novembro.
Realidade próxima - Após a exibição do filme, os estudantes esclareceram dúvidas sobre o trabalho escravo contemporâneo, debateram e trocaram experiências com a equipe do projeto. Para o aluno Adrian Felipe Sena, 14 anos, a abordagem do filme ajuda a entender que o trabalho escravo não é uma realidade distante. “Este mês, o projeto me mostrou que o trabalho escravo não é só em garimpos, fazendas e carvoarias do interior. Ele pode acontecer aqui na cidade, como em construções irregulares que contratam trabalhadores sem assinar carteira e sem garantir direitos básicos de salário e segurança”, destacou.
A professora de Língua Portuguesa Luciana Sousa, da Escola Zulima Vergolino, disse que, a partir do projeto Direitos Humanos em Cena, os alunos estão percebendo com mais facilidade as violações aos direitos que podem ocorrer no dia a dia deles. “Vejo que os nossos alunos estão mais atentos para o respeito às diferenças de gênero e sexualidade, além de conhecerem mais sobre violência e formas de denúncia. Percebo que esse empoderamento tem sido muito importante para eles, pois alguns até mesmo se perceberam como vítimas de violações e puderam procurar ajuda a partir desse trabalho desenvolvido pela Sejudh”, informou a educadora.

Texto:
Leba Peixoto










Empresa defende estudo de plantas amazônicas no Pará
Já faz tempo que a biodiversidade da Amazônia está sob as lentes da biomedicina e farmacologia. Agora, a potencialidade medicinal das plantas amazônicas deve ser estudada na própria região de origem, é o que defende a empresa Vita Derm Hipoalergênica, especializada em produtos dermatológicos. A proposta foi apresentada ao governador Simão Jatene pelo Dr. Marcelo Schuman, presidente da Vita Derm, durante o encontro realizado na manhã desta sexta-feira, 2, no Palácio do Governo.
“Conversei com o governador sobre o desenvolvimento de produtos da Amazônia no Pará, para que a gente pudesse fazer ingredientes ativos e produtos cosméticos de uma maneira simples e possível, que não implique grandes recursos. A ideia é criar uma indústria escola, em espaços universitários, para arregimentar alunos, professores e moradores da região que conhecem a floresta como poucos”, explicou o Dr. Marcelo Schulman que também propôs a realização de atividades acadêmicas que possam fortalecer a troca de experiências.
“A minha proposta é realizar um Fórum Científico Acadêmico em março ou abril de 2017, para acadêmicos e profissionais da engenharia química, farmácia, fisioterapia, nutrição, cosmetologia, estética, medicina e dermatologia, porque todas têm, como princípio comum, a manutenção da saúde, da qualidade de vida, da preservação, da terapia, do acompanhamento de auxilio a saúde”, revelou o especialista ao dizer que o cosmético passa a ser uma ferramenta de saúde que cura e que, ao mesmo tempo, previne. A proposta também inclui a realização de um encontro nacional, no segundo semestre, voltado para manipulação e fabricação medicamentosa com insumos amazônicos.
O Dr. Marcelo Schulman acredita que a Amazônia deve estar no centro das atenções mundiais, no que se refere a farmacologia. “Temos que aprofundar os estudos dos produtos regionais como o muru-muru, pequi, cupuaçu, castanha do Pará, para verificar quais ativos tem em quantidade que a gente pudesse aferir a eficácia e eficiência desses ativos quando colocados na pele, dentro de um cosmético, para ver o resultado que eles exercem, suas características e propriedades e colocar isso para o mundo inteiro. O mundo fala da Amazônia, então a gente tem que trabalhar com isso”, reiterou.
A proposição da Vita Derm foi bem recebida pelo governador Simão Jatene que direcionou a empresa para discutir o assunto junto ao secretário Alex Fiúza, da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet). O professor e empresário Dr. Marcelo Schulman trabalha há mais de 30 anos no ramo de biocosméticos e desenvolvimento de cosméticos. É fundador presidente da Vita Derm Hipoalergênica, coordenador do curso de Estética e Cosmético na faculdade Oswaldo Cruz, em São Paulo e desenvolveu o primeiro curso de estética superior do mundo, na Anhembi Morumbi. O especialista também integra o grupo internacional de bioengenharia cutânea.

Texto:
Dani Filgueiras

“Capacete de aço” abre a programação de dezembro do Cine Alexandrino Moreira
O longa-metragem “Capacete de aço”, dirigido por Samuel Fuller em 1951, que aborda a Guerra da Coreia, abre a programação de dezembro do Cine Alexandrino Moreira na próxima segunda-feira (5), às 19 h, na Casa das Artes. Drama de guerra é o principal tema dos filmes do diretor, roteirista e produtor norte-americano Samuel Fuller, morto em 1997. Considerado um marginal em meio ao sistema dos grandes estúdios, às vezes trabalhando com atores desconhecidos e orçamentos limitados, o diretor soube como poucos explorar o poder da linguagem cinematográfica.
“Capacete de aço”, rodado em apenas 10 dias, legendado e em preto e branco, tem duração de 85 minutos e classificação indicativa para maiores de 16 anos. O filme mostra, no desenrolar da Guerra da Coreia, a trajetória de sargento Zack e um jovem órfão, que se juntam a um grupo de soldados norte-americanos. Eles procuram abrigo em um templo budista, onde pensavam que estariam a salvo. Na luta diária pela sobrevivência em meio ao conflito, eles se deparam com questionamentos morais e de identidade étnica, colocando em xeque conceitos como tolerância e respeito.
No elenco estão Steve Brodie, Gene Evans (no papel do sargento Zack), Robert Hutton, Richard Loo, Sid Melton e James Edwards.
Serviço: Exibição do filme “Capacete de Aço” no Cine Alexandrino Moreira, na próxima segunda-feira (5), às 19 h, na Casa das Artes – ao lado da Basílica Santuário de Nazaré. Entrada franca. Realização: Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA).

Texto:
Andreza Gomes

Sessão Especial discute segurança na navegação e drama das vítimas de escalpelamento no Pará
Discutir a erradicação dos acidentes por escalpelamento de ribeirinhos nos rios da Amazônia foi o objetivo da Sessão Especial proposta pelo deputado Raimundo Santos, nesta quinta-feira (01/12)...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Dina Santos

Detran divulga prazo para recebimento de processos de transferência de jurisdição
O Departamento de Trânsito do Estado (Detran) publicou nesta sexta-feira (02), no Diário Oficial do Estado, a Portaria de número 3617, que define o prazo para recebimento de processo de veículos referente à mudança de jurisdição interestadual, procedimento que ocorre todos os anos devido o fim do exercício do calendário do ano de 2016.
De acordo com o documento, os processos de mudança de jurisdição de outras Unidades da Federação para o Estado do Pará só poderão ser recebidos nas unidades do Detran da capital e interior até o dia 16 de dezembro. A necessidade de estipular prazo para a realização se deve ao fim do exercício fiscal deste ano. Portanto, condutores que necessitem do procedimento devem ficar atentos a fim de não perderem o prazo estabelecido para solicitar a realização do serviço junto ao Detran, caso contrário, será preciso aguardar a abertura do próximo ano fiscal, com possibilidade de reajuste das taxas de serviços. Também é aconselhável não deixar para a última hora.

Texto:
Aldirene Gama

NAC capacita detentas do Centro de Recuperação Feminino em curso de maquiagem e cabelo
Um grupo de 13 detentas do Centro de Reeducação Feminino participou este semana de um curso de automaquiagem e penteados para cabelos oferecido pela Secretaria de Estado de Assistência Social Trabalho Emprego e Renda (Seaster) em parceria com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe). A ação foi promovida pelo Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC) do governo, com aulas ministradas na Escola de Governança Pública do Estado do Pará.
As detentas integram o Coral Timbres, da Susipe, e o curso buscou capacitá-las a cuidarem de sua própria maquiagem e cabelo para as apresentações públicas e também melhorar a autoestima do grupo. Dayane Pereira, 23 anos, já tinha alguma experiência com maquiagem, mas conta que durante a capacitação recebeu dicas valiosas. “Eu já tinha trabalhado em um salão e por isso tinha alguma noção, mas não sabia muito sobre preparação da pele e da utilização do primer, um tipo de fixador. Também aprendi aqui sobre a limpeza dos pincéis e como isso faz diferença no resultado final. Gostei muito de participar” contou.
Na oficina, as internas aprenderam técnicas de preparação da pele, utilização correta dos produtos de maquiagem, aplicação de sombra, técnicas de acabamento, aparência pessoal e higiene, postura durante apresentações e penteados práticos. O secretário adjunto da Seaster, Everson Costa, lembrou que o curso é o primeiro passo para um futuro melhor e para novas oportunidades de trabalho e renda a essas mulheres. “A nossa expectativa é que vocês, de posse desse conhecimento inicial, possam se especializar mais e que essa primeira certificação seja um caminho para que vocês possam empreender e viver de forma digna” afirmou.
A primeira-dama do Estado, Ana Jatene, participou do encerramento do curso e presenteou as integrantes do Coral com novas túnicas para as apresentações do grupo, além de um kit de maquiagem. O novo vestuário foi disponibilizado pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel). “Para essa ação, nós contamos com uma grande rede de voluntariado e esperamos que cada uma de vocês também possa repassar os conhecimentos que aprenderam aqui para outras mulheres, porque nossa sociedade só irá melhorar quando passarmos a nos ver no outro. É importante que vocês se vejam como um exemplo de superação e de transformação”, afirmou Ana Jatene.
Ao final do evento o Coral Timbres fez uma apresentação especial com as novas túnicas. Também estiveram presentes no encerramento do curso, a diretora geral do NAC, Daniele Khayat, e a secretária de Estado de Esporte e Lazer, Renilce Nicodemos.

Texto:
Timoteo Lopes

“Baile” da Eslováquia na estreia do Torneio Quatro Nações assusta adversárias
A Eslováquia fez uma estreia marcante e assustou as adversárias no Torneio Quatro Nações Feminino de Handebol. Na partida de abertura da competição, que será disputada até sábado (03), em Belém, a equipe europeia dominou totalmente o jogo e goleou a equipe do Uruguai por 29 a 15. Para o baile ficar completo, as eslovacas ainda tiveram fôlego para dançar um pouco de balé depois do jogo, para delírio da torcida presente na Arena Guilherme Paraense, o “Mangueirinho”. Logo em seguida, as seleções de Brasil e Cuba entraram em quadra para completar a rodada dupla, certamente já avisadas por seus "olheiros" do poderio eslovaco.
Com uma defesa bem armada, quase sempre se fechando com as seis jogadoras posicionadas na proteção ao gol, a Eslováquia não abriu mão em nenhum momento de sua sólida postura tática, tocando a bola com velocidade até abrir espaços na zaga adversária.
Aos cinco minutos de jogo, o time já abria uma diferença de 5 a 1, e aos oito o placar marcava 8 a 1. Na metade do primeiro tempo, as uruguaias descontaram, mas aos 16 a Eslováquia aumentou a vantagem em mais um ataque bem armado e concluído com a atacante livre, sem marcação.
A equipe europeia diminuiu o ritmo de jogo e permitiu às sul-americanas alcançar um certo equilíbrio em termos de posse de bola. Mas era uma posse ilusória, que não conseguia romper o cinturão da defesa europeia. Aos 22, a Eslováquia aumentou para 13 a 3, de pênalti. Um minuto depois, 14 a 3. Aos 26, o Uruguai conseguiu uma boa penetração na zaga eslovaca e diminuiu. Dois minutos depois, fez o quinto gol. Quase aos 29, o Uruguai marcou o sexto e parecia que nascia ali uma reação. Mas o time europeu tratou de fazer 15 a 6 logo em seguida e esfriou os ânimos das jogadoras celestes.
No segundo tempo, foi o Uruguai que saiu na frente, fazendo o sétimo gol aos dois minutos e dominando a partida. Mas no minuto seguinte o time europeu ampliou pra 16 e fez 17 aos quatro. O Uruguai fez o oitavo gol em rápido contra-ataque, mas a Eslováquia logo marcou 18 a 9. As uruguaias lutavam muito e com bastante garra ainda conseguiram fazer mais gols, mesmo assim as eslovacas ampliaram pra 26 a 15. Aos 24 minutos, a goleira uruguaia fez uma defesa milagrosa com o pé esquerdo. Muito superior taticamente, a Eslováquia controlava o jogo do jeito que queria, enquanto o Uruguai lutava com todas as forças para tentar evitar uma goleada ainda maior. Mas não teve jeito, a equipe europeia fez mais três gols e definiu a vitória por 29 a 15.

Texto:
Antonio Darwich

Imetropará expõe equipamentos e orienta frequentadores na Feira Pará Negócios
O Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará) participa da 5ª edição da Feira Pará Negócios, que oferece oportunidades para novos empreendimentos, realizada no Hangar – Convenções e Feiras da Amazônia até o próximo domingo (4), das 16 às 22 h. O Imetropará está expondo balanças e produtos da área de avaliação da conformidade e pré-medidos, e uma equipe de metrologistas informa aos frequentadores do evento as formas de atuação do órgão em todo o Estado.
O presidente do Imetropará, Jorge Rezende, diz que a participação do Instituto na Feira Pará Negócios é uma oportunidade de mostrar a importância do órgão. “Através do exercício da Metrologia Legal e da avaliação da conformidade dos produtos, buscamos dar credibilidade aos serviços prestados e segurança nas relações de consumo”, ressalta.

Texto:
Ana Caroline

Projetos incentivam a descoberta da literatura amazônica por alunos da rede pública
Na Escola Estadual Santo Afonso, localizada na Rodovia Arthur Bernardes, em Belém, estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental foram incentivados a descobrir os encantos da literatura amazônica a partir de filmes e pequenos vídeos sobre a cultura regional. Ao final das atividades em sala de aula, os estudantes escreveram sobre as lendas que mais instigaram o imaginário.
O incentivo à leitura de obras produzidas na Amazônia com auxílio de recursos audiovisuais fez parte do projeto de iniciação científica “Da Literatura Brasileira de Expressão Amazônica ao Audiovisual: um convite à leitura de obras produzidas no anfiteatro amazônico”, desenvolvido por Evelim Mendes, 21 anos, e Jayna Karolyne de Souza Santos, 22 anos, acadêmicas do curso de Licenciatura em Língua Portuguesa da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e integrantes do Grupo de Pesquisa Culturas e Memórias Amazônicas (Cuma).
Elas compartilharam a experiência e os resultados do projeto na tarde de quinta-feira (1º), em uma das mesas-redondas do XI Seminário Anual do Cuma, realizado na Sala de Recitais do Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE) da Uepa. Com o projeto, Evelim Mendes e Jayna Santos identificaram que as escolas pouco ensinam sobre a literatura amazônica. “Os professores estão mais preocupados em ensinar gramática. Então, vai do professor ter esse interesse em ensinar além disso”, ressaltou Evelim Mendes.
Imagens da infância - “Olhares, Olhares... e Outros Rostos Familiares” foi outro projeto apresentado no Seminário, de autoria do acadêmico de Licenciatura em Língua Portuguesa e integrante do Cuma, Isaac Alexandre Magalhães. O projeto, que envolve fotografia, começou após Isaac ganhar de presente uma câmera digital e sair fazendo imagens aleatórias de pessoas nos municípios paraenses de Belém e Ananindeua, e ainda em Brasília (DF) e Goiânia (GO). Ao olhar os detalhes das imagens, viu no olhar das pessoas memórias que lhe lembravam a infância.
“Comecei a tirar retratos a esmo. Percebi uma coisa que unia todas as fotos. Eram os olhares. Pensei em como isso pode trazer boas lembranças para as pessoas. Percebi que as fotografias nos trazem memórias”, contou.
Convidado para a conferência de abertura, o professor associado da Universidade Federal do Pará, Fábio de Castro, abordou a “Memória e Experiência Social na Amazônia”, propondo os seguintes questionamentos: o que poder ser conceituado como memória em uma sociedade com internet? De que forma a internet transforma o que compreendemos como memória? O professor também questionou o que é memória em uma sociedade periférica e colonizada.
Produção - No primeiro dia de programação do Seminário foram apresentados outros projetos desenvolvidos pelo Cuma em 2016, como “Lamparina Acesa: Literatura Acessível”; “Amazônia na Tela”; “O Cinema vai à Escola Vera Simplício: Uma Análise da Recepção entre Alunos do Ensino Fundamental”; “Percurso da Literatura nas Águas Barrentas da Educação”, e “Da Memória Escrita à História das Brincadeiras, das Festas Culturais e da Passagem de Olinda em Narrativas Orais de Idosos”. No encerramento houve a performance do grupo de poetas Griot.
Nesta sexta-feira (2), o Seminário prossegue com outras mesas-redondas para apresentação de projetos em andamento ou concluídos em 2016 pelo Cuma. O evento é aberto ao público.
A programação do segundo dia do XI Seminário Anual do Cuma esta disponível em http://www.uepa.br/sites/default/files/folder_cuma_contracapa.jpg

Texto:
Renata P.

Sefa e UFPA levam educação fiscal para a Ilha de Mosqueiro
O Grupo Estadual da Educação Fiscal do Pará encerra nesta sexta-feira (2) o evento Ciência na Ilha, coordenado pela Universidade Federal do Pará (UFPA), e iniciado nesta quinta-feira (1º) na Escola Estadual Padre Eduardo, no Distrito de Mosqueiro, pertencente a Belém. O tema “Educação Fiscal incentivando a cidadania” é abordado pelas servidoras Marinea do Socorro Carvalho dos Santos e Maria do Socorro Bittencourt, que trabalha com educação fiscal.

O “Ciência na Ilha” é um evento do Instituto de Educação Matemática e Científica da UFPA e tem como objetivo promover o intercâmbio de saberes entre pesquisadores e membros das comunidades ribeirinhas, por meio de oficinas e exposições.
“O Programa Educação Fiscal incentivando a cidadania leva até a comunidade a discussão sobre a importância da exigência da nota fiscal, considerando que somos todos consumidores, e os impostos estão em tudo que consumimos. A nota fiscal é um dos instrumentos de fortalecimento da cidadania, e os tributos contribuem para a melhoria dos serviços públicos”, destaca Marinea Carvalho.

Texto:
Ana M. Pantoja

Seleção brasileira de handebol estreia com vitória no Mangueirinho
A Seleção Brasileira de Handebol Feminino estreou no II Torneio Quatro Nações, disputado na Arena Guilherme Paraense, o “Mangueirinho”, em Belém, com a vitória de 51 a 9 diante de Cuba na noite desta quinta-feira (1°). Cerca de 3,5 mil pessoas acompanharam a partida, válida pela primeira rodada. As meninas do Brasil voltam à quadra nesta sexta-feira (2), às 19h30, e, no sábado (3), às 10h, no encerramento da competição.
Antes do início da partida, uma apresentação de carimbó animou o público. Depois foi feito um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do voo da Chapecoense e a Fidel Castro, chefe de Estado de Cuba, que morreu na última segunda-feira (28). A armadora Duda Amorim também foi homenageada por completar 150 jogos na equipe. A primeira-dama do Estado, Ana Jatene, assistiu ao jogo.
“Amo handebol e, claro, não perderia essa oportunidade por nada. Soube que o torneio seria aqui em Belém pelo Facebook e fiquei muito feliz. Receber a seleção brasileira em uma arena como o Mangueirinho é uma honra, pois esse lugar já nos enche de orgulho”, disse a universitária Valdenize Araújo, que compareceu à arena com mais três amigas.
Duda Amorim destacou a animação da torcida. “Jogar pela seleção é sempre especial e em uma arena como essa é fácil. O calor da torcida nos encantou. Eles apoiam o tempo inteiro, e isso nos motiva do início ao fim. A torcida pode esperar nossa evolução com a nova geração”, disse.
Admiração – A estreia da seleção também foi marcada pela realização de um sonho. Um time de 24 atletas de handebol, com idades entre 13 e 17 anos, de Breves, no arquipélago do Marajó, e Rondon do Pará, no sudeste do Estado, assistiu pela primeira vez a um jogo da equipe brasileira. Na véspera da estreia, as atletas das escolas Odísia Corrêa Farias, de Breves, e da Escola Estadual Dionísio Bentes de Carvalho, de Rondon do Pará, assistiram ao treino e conheceram as atuais campeãs mundiais.
Uma das atletas era Jaciara Moraes, que estava encantada pela atmosfera da arena. “Esse lugar é incrível. É muito confortável, mas, em breve, espero não estar na arquibancada, mas sim na quadra, representando meu país e Estado. Participar disso é um sonho realizado”, contou.
Tabela de jogos (horário de Brasília):
Sexta-feira (2/12)
19h - Eslováquia x Cuba
21h30 - Brasil x Uruguai
Sábado (3/12)
11h - Brasil x Eslováquia
13h - Cuba x Uruguai
Serviço: II Torneio Quatro Nações de Handebol Feminino. Até sábado (3), na Arena Guilherme Paraense/ Ginásio Mangueirinho (Rodovia Augusto Montenegro, 524). Entrada: um quilo de alimento não perecível. Transmissão: SporTV.

Texto:
Sérgio Moraes

Estudantes da rede estadual produzem 16 jingles sobre formas de prevenção da Aids
O Dia Mundial de Combate à Aids - 1º de Dezembro – motivou em Belém a mobilização de estudantes do Ensino Médio de escolas públicas estaduais no II Concurso de Jingles de Prevenção à Aids, organizado pelas secretarias de Estado de Saúde Pública (Sespa) e de Educação (Seduc). A final do concurso ocorreu no auditório da Escola Estadual de Ensino Técnico Anísio Teixeira, no Bairro do Umarizal, reunindo estudantes de 13 escolas, que participaram da apresentação de 16 jingles sobre a temática.
O jingle vencedor é de autoria de um grupo de estudantes da Escola Vilhena Alves, seguido dos trabalhos apresentados por alunos das escolas Eneida de Moraes e Justo Chermont. Os primeiros colocados no concurso foram premiados, respectivamente, com um smartphone e a gravação de vídeo em uma emissora de televisão; um tablet e uma bicicleta.
Joseane Figueiredo, diretora de Ensino Médio e Profissionalizante da Seduc, representando a secretária de Estado de Educação, Ana Claudia Hage, destacou que "a Secretaria de Educação se sente honrada em participar dessa mobilização pela prevenção da Aids", acrescentando que "essa campanha tem como ferramenta estratégica o fato de que são jovens falando para jovens, e isso é muito positivo".
Na avaliação da hepatologista Deborah Crespo, da Sespa, "se a gente quer modificar toda uma geração, nada melhor do que trabalhar com o jovem, na conscientização, no esclarecimento. O jovem traz essa energia, essa criatividade, como se constata por meio dos jingles, mensagens a serem difundidas em todas as redes sociais, ou seja, todos unidos nessa luta contra a Aids". A médica informou que o Pará registra 10 mil pessoas vivendo com o vírus HIV e usando medicamentos. No Brasil, são 827 mil infectados.
Conscientização - Como a doença ainda não tem cura, a prevenção requer muita informação. "A melhor forma de você se proteger é o uso do preservativo. O jovem tem a liberdade de escolha, mas ele precisa ter a conscientização e a responsabilidade com a sua saúde e com quem se relaciona", frisou Deborah Crespo.
Como ressaltaram técnicos envolvidos no concurso, os jovens costumam pensar que nada vai atingi-los, mas essa ideia acaba colocando meninos e meninas, e também adultos, em risco de contrair o HIV. Daí ser essencial o uso de preservativo nas relações sexuais.
Linguagem direta - O secretário de Estado de Saúde Pública, Vítor Mateus, enfatizou que, estatisticamente, os jovens estão muito expostos a contrair a doença. "O grupo de 15 a 29 anos é o que está tendo a maior quantidade de casos, e a gente precisa ter uma linguagem direta com eles, usando a criatividade. Esse concurso entre as escolas é uma ação em que o jovem é o agente de prevenção", ressaltou.
A primeira edição do concurso de jingles foi realizada no ano passado. A coordenação do concurso vai gravar os trabalhos vencedores para divulgação nas escolas e em rádios. "A prevenção começa contigo", enfatizou Edgar Barra, da Organização Não Governamental (ONG) Rede de Jovens convivendo com HIV.
A solenidade contou ainda com as participações de representantes da Secretaria Municipal de Educação de Belém (Semec) e de técnicos envolvidos na campanha.

Texto:
Eduardo Rocha

Jatene representa o Norte em reunião no Planalto sobre medidas de ajuste
O governador Simão Jatene representou os Estados da região Norte durante encontro com o presidente da República, Michel Temer, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, nesta quinta-feira (1), no Palácio do Planalto. Além de Jatene, foram chamados pelo presidente os governadores Luiz Fernando Pezão (RJ – Região Sudeste); Raimundo Colombo (SC – Região Sul), Rodrigo Rollemberg (DF – Região Centro-Oeste) e Wellington Dias (PI – Região Nordeste). 
Após o encontro, os governadores reafirmaram o compromisso e a necessidade dos Estados em fazer ajustes para redução de despesas e medidas para garantir o equilíbrio da previdência. A crise econômica causou ainda mais impacto nas contas públicas, uma vez que, entre outros fatores, a arrecadação diminuiu. Alguns Estados estão com dificuldade até para pagar a folha do funcionalismo.
Na reunião desta quinta, o ponto mais objetivo, segundo os governadores, foi a separação da discussão sobre a liberação da receita da multa da repatriação da necessidade de adoção de medidas de ajuste fiscal. E, além disso, o foco definido no controle de gastos para os próximos anos e a necessidade de buscar equilíbrio da previdência. 
Durante entrevista coletiva ao final do encontro, os governadores Simão Jatene e Wellington Dias disseram que o governo tem interesse, inclusive, de repartir, ainda este ano, o valor da multa pela repatriação (R$ 5 bilhões) com os Estados. Para Jatene, a reunião foi bastante produtiva.
Ajustes – “Avançamos cada vez mais, a cada encontro, na restauração da federação brasileira”, disse Jatene. “Antes, tínhamos Estados em dificuldades, cada um tentando resolver o problema a seu modo. Agora temos 27 Estados tentando recuperar a federação brasileira”, concluiu o governador, ressaltando que o que foi acertado é que as discussões (multa da repatriação e ajustes) não podem estar atreladas.
“Independente desses recursos, o fato é que os Estados precisam fazer os ajustes para controle de gastos e discutir a questão previdenciária. Os governadores não vão fazer isso porque alguma instituição determinou ou pediu, e sim porque precisa ser feito, para que os Estados continuem pagando seus compromissos e prestando serviços à sociedade”, disse. “Certamente deverá ser adotado um teto de gastos pelos Estados pelo prazo de dez anos, e os termos disso vamos ainda avançar, mas o fato é que precisa ser feito”, apontou.
No último dia 22, governo federal e Estados anunciaram um pacto nacional pelo equilíbrio das contas públicas. O anúncio foi feito após reunião no Palácio do Planalto, em Brasília, que também contou com a participação do presidente Michel Temer, ministros da área econômica e governadores. O encontro foi marcado para discutir a crise financeira nos estados.
Com o novo encontro, os governadores formulam uma carta conjunta, em que devem reafirmar o compromisso em adotar medidas de ajuste, inclusive com um Novo Regime Fiscal Estadual, com foco no controle dos gastos públicos e na busca pelo equilíbrio atuarial da Previdência dos Estados.

Texto:
Pascoal Gemaque

Grupo Charme Caboclo apresenta espetáculo nesta sexta na Estação
Nesta sexta-feira (2), o grupo Charme Caboclo apresenta o show “Negada”, no projeto Pôr do Som, da Estação das Docas. A programação é gratuita e começa às 18h30, na orla do Armazém 3. “Este show é em homenagem ao Dia da Consciência Negra, comemorado no último dia 20 de novembro. Vamos apresentar o que tem de melhor do ritmo negro, como o maculele, obaluaê, pretinhas de angola e lundu”, diz a diretora do grupo, Rita Sena.
O repertório da apresentação inclui ainda danças como siriá, farinhada e carimbó. O grupo vai apresentar ainda o trabalho autoral “Vem pro Pará”, que fala sobre gastronomia, turismo e cultura. O projeto Pôr do Som é promovido pela organização social Pará 2000, que administra a Estação das Docas. A programação completa está no site www.estacaodasdocas.com.br.

Texto:
Fernanda Scaramuzzini

Congresso debate no HOL a ampliação dos cuidados a pacientes em estado terminal
Especialistas, mestres e doutores do norte e de outras regiões do Brasil debatem a promoção de políticas de saúde que atenda com dignidade pacientes com câncer em estágio avançado e respectivos familiares no I Congresso Multidisciplinar em Cuidados Paliativos, realizado em Belém até esta sexta-feira (2). A programação, aberta na quarta-feira (30), celebra os 15 anos do Serviço do Hospital Ophir Loyola (HOL) e pretende expandir a filosofia paliativista e incentivar reflexões e práticas de qualidade para o atendimento integral ao paciente do Sistema Único de Saúde (SUS) ou do sistema de saúde suplementar.
A filosofia paliativista tem por finalidade melhorar a qualidade de vida dos pacientes e familiares, aliviando o sofrimento físico, psíquico, social e espiritual. Os cuidados são direcionados principalmente para as pessoas com doenças avançadas, que estejam em lenta ou rápida progressão para o óbito, como oncológicos, geriátricos com demências ou doenças crônico-degenerativas, Aids, sequelados neurológicos e acometidos por falências funcionais (insuficiências hepática, renal, cardíaca e pulmonar).
A filosofia, o ensino e alguns serviços paliativistas surgiram no Brasil nos anos 1980, mas existem poucos centros especializados no mundo. Alberto Ferreira, diretor clínico do Hospital Ophir Loyola, acredita que o Congresso Multidisciplinar destaca a essência desse cuidado visando à adesão dos profissionais. “Em maior número, os serviços estão localizados na Região Sudeste, quase todos em instituições privadas. Nós precisamos formar mais pessoal especializado, através de programas de pós-graduação lato sensu, residências médicas e de outras áreas que fazem interface com a medicina paliativa”, afirmou o diretor.
Demandas específicas - Por ano, estima-se que 650 mil brasileiros necessitem de cuidados paliativos (CP), e 80% desse total são pacientes com câncer, segundo a Fundação do Câncer. Na oncologia, esses pacientes e familiares passam a ter demandas específicas em função do sofrimento, e devem ser encaminhados para serviços especializados. Para eles, as medidas terapêuticas (sejam com intenção curativa ou paliativa), como cirurgia, quimioterapia e radioterapia, não conseguem mais controlar ou estabilizar o crescimento do tumor.
A maioria dos diagnósticos de câncer é realizada em estágios avançados por falta de uma detecção precoce, ressaltou Pâmela Viana, chefe do Serviço de Cuidados Paliativos Oncológicos (CCPO) do HOL. “Existe a dificuldade de acesso aos serviços de saúde, assim como as pessoas costumam buscar por atendimento somente quando já estão fragilizadas pelos sintomas, geralmente em estado avançado da doença e necessitando de assistência diferenciada”, reiterou.
Realidade - O geriatra Franklin Santana Santos, um dos principais estudiosos do assunto no Brasil, abordou o cenário atual dos cuidados paliativos na conferência de abertura. Segundo ele, descobriu-se há cerca de 50 anos a possibilidade de intervenções para que os doentes possam morrer com dignidade, mas as pessoas acabam desassistidas, vivendo os últimos dias com muita dor e sofrimento. Esse quadro se agrava devido à inexistência de legislação sobre os cuidados necessários e à carência de profissionais capacitados.
“Para mudar a realidade, o primeiro passo é aumentar as discussões em todos os Estados e formar recursos humanos para assistir àqueles que estão enfrentando a finitude da vida. A temática não está nas diretrizes curriculares nacionais de graduação, não só dos cursos de medicina, mas de outros cursos da área de saúde. As faculdades têm uma visão eminentemente curativa das doenças, porém temos avançado na pós-graduação de profissionais já formados”, informou o geriatra.
Franklin Santos explicou ainda que a dor física dos pacientes é apenas um dos componentes da dor total, que envolve sofrimento de motivação psicológica, espiritual e social. “Uma significativa parcela dos pacientes morre com dor, sendo que há medicações analgésicas para tratar praticamente todos os tipos de dores. Numa escala de 0 a 10, os pacientes com dor forte acima de 7 necessitam de opioides, como a morfina, mas o acesso é muito pouco. Os médicos têm medo de prescrever e o governo não tem uma política de fornecimento desses medicamentos para a população”, acrescentou.
Assistência integral - Ao contrário do que muitos acreditam, muito ainda pode ser feito por pacientes com doenças em estágios avançados. Uma assistência ativa e integral deve ser ofertada em internação hospitalar, atendimento ambulatorial e domiciliar, para melhorar a qualidade de vida.
Em 2001, o Hospital Ophir Loyola deu um grande passo na medicina do Pará com a criação da Clínica de Cuidados Paliativos Oncológicos, um serviço responsável pelo controle da dor e demais sintomas do câncer, por iniciativa da então diretora da instituição, Graça Soutelo, homenageada na abertura da programação.
Ela contou que a ideia inicial era levar um pouco de conforto e atenção aos pacientes em estágio terminal por residentes e enfermeiros. Na época não havia especialista em oncologia, mas a equipe participou de uma formação no Instituto Nacional do Câncer (Inca). “Estou me sentindo como uma mãe que comemora a colação de grau do filho. Só tenho a agradecer por aqueles que fizeram o serviço evoluir de uma forma tão bonita”, declarou Graça Soutelo.
Atualmente, a assistência é realizada por uma equipe multidisciplinar constituída de médicos, enfermeiros, assistentes sociais e psicólogas, com apoio de nutricionistas, farmacêuticos e terapeutas ocupacionais, que atuam no alívio do sofrimento para portadores de câncer avançado, oferecendo todo o suporte de procedimentos hospitalares especializados e de exames de imagem e laboratoriais.
O Serviço de Visita Domiciliar (SAD) é um cuidado necessário, já que as pessoas assistidas ficam tão debilitadas pelo câncer que não conseguem mais ir ao hospital. O serviço fornece todos os medicamentos padronizados na farmácia do HOL, materiais e insumos necessários, além de cuidados paliativos, como curativos de feridas, escaras e alívio da dor.
De janeiro a outubro de 2016 foram internados 113 pacientes na Clínica de Cuidados Paliativos Oncológicos. Nesse mesmo período, o hospital fez 520 visitas domiciliares por meio do SAD a pacientes em cuidados paliativos.

Texto:
Leila Cruz

Adolescentes que cumprem medida socioeducativa participam de mostra de talentos
As ações desenvolvidas com adolescentes e jovens que cumprem medidas socioeducativas emocionaram o público na 2ª Mostra de Talentos da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), nesta quinta-feira (1), na Casa de Plácido, Centro Social de Nazaré, em Belém. Formado principalmente por familiares, amigos e profissionais que atuam na socioeducação, os mais de 300 presentes assistiram a um espetáculo de encenação do Natal, além de apresentações musicais, dança, moda, exposição e venda de artesanatos, resultados das oficinas e cursos desenvolvidos nas unidades.
Com o tema “Ressignificar é preciso, ressignificar é possível, ressignificar é o caminho”, o evento é a culminância das atividades do projeto Ressignificando Caminhos na Socioeducação, que desde 2015 proporciona oportunidade de transformação na vida dos meninos e meninas em conflito com a lei. “A gente se preparou bastante para esse momento. Todo dia tinha ensaio, às vezes na unidade, noutras no Apoena. É uma chance de mostrar para minha mãe que estou mudando. Quando sair daqui, quero construir móveis para vender e ajudar minha família”, disse um socioeducando bolsista da ação socioambiental Terra Viva.
Mais de 60 adolescentes internos das unidades da Região Metropolitana de Belém, Marabá e Santarém participaram do evento, que segundo o presidente da Fasepa, Simão Bastos, superou as expectativas. “A 2ª Mostra Talentos da Fasepa demonstra todo o trabalho desenvolvido nas unidades do Estado. Superamos as expectativas no sentido de demonstração de resultados, buscando o protagonismo dos socioeducandos, na construção de diálogos com os próprios adolescentes”, destacou.
Resultados – A mãe de um socioeducando do município de Conceição do Araguaia, no sudeste do Pará, foi para o evento e falou da importância do trabalho da fundação na vida do filho, que cumpre medida socioeducativa de internação. “Viajei 1,1 mil quilômetros para prestigiar o trabalho que a Fasepa faz com meu filho. Só tenho a agradecer a todos que me receberam com carinho e me deram forçar para superar todas essas situações que estou vivendo. Meu filho desenvolve várias atividades que ajudam a abrir portas”, relatou.
Além dos familiares, representantes do sistema de justiça, responsáveis também por fiscalizar o trabalho da fundação, estiveram presentes, como o promotor de Justiça Natanael Cardoso Leitão. “Esperamos com isto ter a transformação de vidas dos adolescentes, com protagonismo, e que voltem ao convívio familiar com uma nova perspectiva. É muito importante lembrar que o adolescente que está aqui faz parte da sociedade. Ele não pode ficar à margem. Todos têm uma responsabilização socioeducativa a cumprir e devem se assumir como colaboradores da ressocialização”, defendeu o promotor.
A presidente do Conselho Estadual de Assistência Social do Pará, Maria de Nazaré Machado, lembrou que o trabalho socioeducativo pode garantir grandes transformações na vida dos socioeducandos. “Não estou encantada apenas com o trabalho e criatividade dos adolescentes, mas sim de ver como a gente consegue realizar coisas, que parecem pequenas, mas têm um grande significado para os internos. Esse trabalho garante a inclusão social e a cidadania. Ele expressa aquilo que realmente é feito dentro das unidades socioeducativas e mostra as práticas exitosas da Fasepa”, avaliou.
A Fasepa é a instituição responsável por coordenar e executar a política estadual de atendimento socioeducativo a adolescentes e jovens com prática de ato infracional, bem como dos familiares, orientados pela doutrina da proteção integral. Atualmente, existem 15 espaços socioeducativos no Estado, 12 na região metropolitana, dois em Santarém e um em Marabá. A fundação atende a média de 450 adolescentes e jovens sentenciados a cumprirem medidas de internação.

Texto:
Luciana Kellen

Hospital Regional em Paragominas realiza em dezembro ações de prevenção ao HIV
Quase 100 pessoas participaram do lançamento da campanha “Blitz todos contra o HIV” nesta quinta-feira (1º de dezembro), em alusão ao Dia Mundial de Combate à Aids. A iniciativa é do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) do Hospital Regional Público do Leste (HRPL), localizado no município de Paragominas, no nordeste paraense. A ação, que envolve funcionários, usuários e acompanhantes, se estenderá até o final deste mês, abordando temas relacionados à educação e saúde, sob a ótica da prevenção e do combate à doença.
A campanha foi lançada nas áreas de atendimento do hospital, que oferece assistência de média e alta complexidade aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), e nos demais setores do HRPL, com palestras ministradas pelas enfermeiras Jeane Moraes, do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), e Cristiane Sena, do Núcleo de Epidemiologia (NE). A organização distribuiu preservativos e laços vermelhos.
Nas palestras, as profissionais da unidade informaram as várias formas de contágio e transmissão do vírus HIV, que pode atingir crianças, profissionais da saúde, gestantes, idosos e jovens. Por isso, o uso de preservativos nas relações sexuais é fundamental para evitar o contágio, que também pode acontecer devido ao compartilhamento de alicate de unha e seringas, na amamentação e durante o parto.
Pioneirismo - Dados do Ministério da Saúde mostram que o Brasil foi um dos primeiros países, dentre os de baixa e média renda, a dispor de tratamento gratuito pelo SUS para pessoas com Aids, a partir de 1996. Enquanto isso, a maioria dos países no mesmo patamar aguardava financiamento internacional para atender seus doentes.
Hoje, o Brasil tem uma das maiores coberturas de tratamento antirretroviral (Tarv) entre os países de baixa e média renda, com mais da metade (64%) das pessoas que vivem com HIV recebendo Tarv – segundo dados mais atuais do Ministério da Saúde –, enquanto a média global em 2015 foi de 46%, conforme dados compilados pelo Unaids (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids).
As principais informações sobre HIV no Brasil constam do relatório mais recente do Unaids – Lacunas na Prevenção -, lançado em julho deste ano. Segundo estimativas sobre HIV/Aids para o Brasil em 2015, havia 830 mil pessoas vivendo com HIV, e deveriam ocorrer mais 44 mil novas contaminações pelo vírus, enquanto o número de mortes relacionadas à Aids foi estimado em 15 mil.
Interação - De acordo com Merciana Ceretta, responsável pelo Núcleo de Educação Permanente (NEP) do hospital, a campanha despertou o interesse dos participantes. “Houve muita interação com  o público, que tirou suas dúvidas a respeito do assunto”, informou, adiantando que outras ações para a comunidade serão desenvolvidas até o final do ano.
O Hospital Regional do Leste oferece 70 leitos (20 de UTI) e dispõe de clínica médica e cirúrgica, nas especialidades neurologia/ neurocirurgia, traumatologia/ortopedia, cirurgia geral e suporte de anestesia, além de consultas ambulatoriais em cardiologia, clínica cirúrgica, clínica médica, oncologia, neurologia/neurocirurgia, urologia, ginecologia, endocrinologia, mastologia, traumatologia/ortopedia.
Serviço: O Hospital Regional do Leste fica na Rua Adelaide Bernardes, s/n, no Bairro Nova Conquista, em Paragominas. Mais informações pelos telefones (91) 3739-1046/ 3739-1253/ 3739-1102.

Texto:
Vera Rojas

Operação integrada combate transporte irregular no sudeste do Pará
Entre a última segunda (28) e quarta-feira (30), a Agência de Regulação e Controle dos Serviços Públicos do Estado (Arcon), em parceria com a Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal (PRF), participou de uma operação integrada de fiscalização de transporte rodoviário no sudeste paraense, tendo como ponto de concentração a cidade de Marabá. Foram expedidos onze autos de infração e apreendidos oito veículos irregulares.
Com a colaboração da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), ligada à PM, e do Departamento de Trânsito do Estado (Detran), a operação começou na última segunda, na barreira da Rodovia BR-155. No dia seguinte, a concentração começou às 5h, na Rodovia PA-150, no trecho entre Marabá e Nova Ipixuna, pela manhã, e à tarde, na BR-222, próximo à Vila São Raimundo. No último dia da operação, as atividades começaram às 7h30, no trevo de entrada da cidade de Goianésia do Pará. Ainda na operação, que teve a participação de 20 agentes, o Detran, integrado à Arcon e à PRE, apreendeu uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa, no Terminal Rodoviário de Tucuruí.
O diretor geral da Arcon, Bruno Guedes, disse que operações como essa serão constantes. “Uma ação integrada entre os órgãos envolvidos oportuniza maior amplitude nas abordagens durante esse tipo de operação. Tem ainda o condão de conscientizar a população para que não use transporte clandestino", disse.
Para o diretor de Fiscalização e Normatização da Arcon, Karim Zaidan, operações integradas e planejadas como essa têm um resultado muito positivo. “Já havíamos recebido denúncias sobre transporte irregular de passageiros em Marabá e localidades próximas. É importante frisar que operações integradas são mais eficazes, pois cada órgão envolvido trabalha em sua especificidade, como por exemplo, a Arcon, que fiscaliza se os veículos estão autorizados ou não a transportar passageiros. A operação foi planejada com a participação do todos, desde Belém, até a visita que fizemos na semana passada a Marabá”, avaliou.

Texto:
Dedé Mesquita

Uepa e USP promovem debate sobre Língua, Discurso e Estilo para alunos de Letras
Os desafios da criação e manutenção de um Doutorado Insterinstitucional (Dinter) foram debatidos na abertura do I Colóquio: Língua, Discurso e Estilo, no auditório Paulo Freire, no Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE), da Universidade do Estado do Pará (Uepa), em Belém, na tarde de quarta-feira (30). O evento, que termina nesta quinta-feira (1º), foi idealizado para marcar o encerramento das disciplinas do Dinter.
Durante todo o dia de hoje, professores da Universidade de São Paulo (USP), parceira do doutorado, e os doutorandos da Uepa participam de debates e mesas-redondas para expor suas pesquisas em andamento.
O primeiro dia do colóquio ocorreu na Sala de Recitais do CCSE. Apesar da proximidade das férias universitárias para os cursos de Licenciatura em Letras, os estudantes compareceram massivamente ao evento. “Nossos estudantes sempre se mostram muito interessados em todos os eventos que promovemos. Esse auditório lotado só nos incentiva a pensar em outras programações para eles”, disse Socorro Cardoso, coordenadora do curso e coordenadora acadêmica do Dinter de Letras. Toda a programação conta com tradução simultânea em Libras, realizada pelas intérpretes da instituição.
Socorro Cardoso falou sobre a criação do doutorado na Uepa. “É uma luta muito grande criar um doutorado insterinstitucional nos estados do Norte, pois os custos são muito altos. Éramos poucos doutores no curso quando iniciamos as tentativas de criação deste Dinter. Foram quatro anos para conseguir concretizar a ideia. Conseguimos, com a  ajuda da USP, que todas as aulas fossem realizadas aqui, o que reduziu e muito os custos envolvidos”, informou. A coordenadora agradeceu à professora doutora Elis Cardoso, coordenadora acadêmica do Dinter da USP, parceira da Uepa no doutorado e no evento, por aderir ao projeto.
Desafios - Elis Cardoso ministrará a conferência “Léxico e estilo: os efeitos de sentido dos jogos lexicais na poesia moderna e contemporânea”, que encerra no fim da tarde desta quinta-feira a programação do colóquio. “Esse evento é importante não apenas para alunos do Dinter, mas também para os alunos da graduação, pois estes terão contato em primeira mão com as pesquisas realizadas atualmente na área”, ressaltou.
A professora doutoranda Suely Pinheiro representou os alunos do Dinter e mencionou os desafios de ser professor nos tempos atuais. “Apesar de tudo isso que está acontecendo, estamos aqui hoje para estimular os alunos de Letras e mostrar que não estamos desistindo. Temos sobrevivido e nos fortalecido em cada situação”, afirmou Suely Pinheiro.
O professor doutor Álvaro Caretta, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que proferiu a palestra “Gêneros e Estilos”, destacou a importância do evento. “Meu pai nasceu em Belém e já estive aqui diversas vezes como turista. Entretanto, vir aqui para trazer conhecimento, trocar ideia e compartilhar saberes é muito gratificante. A circulação do conhecimento é necessária e me sinto muito grato em estar aqui hoje”, declarou.
A programação prossegue com mesas-redondas, reunindo os doutorandos da USP – via Skype - e da Uepa. 
Programação de quinta-feira (1º/12):
08 às 09h30Mesa IIAnálise do Discurso e Pragmática
O metadiscurso interpessoal nos Relatórios Acadêmicos dos alunos de Letras de Paragominas (PA) - Dinair Barbosa de Freitas
Um Brasil dividido: uma análise crítica do discurso das postagens políticas no Facebook durante o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff - Josane Daniela Freitas Pinto
Discurso e identidades: a construção discursiva das identidades do endogrupo e do exogrupo em interações “Menores Infratores” - Denílson de Souza Silva
Mediadora: Profa. Dra. Zilda Gaspar Oliveira de Aquino
09h30 às 11 h - Mesa III: O Estilo no texto literário
Escolha lexical e expressividade em O Estranho, de Max Martins - Wenceslau Otero Alonso Jr.
Criação neológica na obra de Paes Loureiro - Raphael Bessa Ferreira
O estilo na obra de Arnaldo Antunes: reflexões iniciais - Sandra Mina Takakura
Mediadora: Profa. Dra. Elis de Almeida Cardoso
11 às 12h30 Mesa IV: Língua Portuguesa e Etimologia
O processo de derivação prefixal do português: um estudo semântico-histórico - Rosana Siqueira de Carvalho
Português vernacular brasileiro falado pelos Tembé do Guamá: análises iniciais - Mara Sílvia Jucá Acácio
O horizonte de retrospecção de Jerônimo Soares Barbosa para conceituar o verbo na Grammatica Philosophica da Língua Portugueza (1822) - Jordana Tavares Silveira Lisboa
Mediadora: Profa. Dra. Marli Quadros Leite
12h30 às 15 h – Intervalo
15 às 17 h - Mesa VEnsino e aprendizagem de português para falantes de outras línguas
A importância do desenvolvimento da consciência intercultural em
aprendizes de PLE: um relato de caso - André Monteiro Diniz
O desenvolvimento de uma consciência intercultural de parceiros na modalidade em tandem a partir de experiências no aplicativo Hello Talk - Érika Suellem Castro da Silva
Flexão e concordância de gênero do PB na produção escrita dos alunos do PEC-G/UFPA - Jessiléia Guimarães Eiró
Formação inicial de professores indígenas: algumas reflexões sobre o português como língua adicional - Antônia Zelina Negrão de Oliveira
Mediadora: Profa. Dra. Maria Helena da Nóbrega
17 às 18 h - Conferência de encerramento
Léxico e estilo: os efeitos de sentido dos jogos lexicais na poesia moderna e contemporânea - Profa. Dra. Elis de Almeida Cardoso (USP)

Texto:
Renata P.

Unacon Tucuruí fez mais de 1,3 mil exames para diagnóstico do câncer de próstata
A Unidade de Alta Complexidade em Oncologia Dr. Vítor Moutinho (Unacon), em Tucuruí, no sudeste paraense, encerrou as ações de educação em saúde do Novembro Azul, na última quarta-feira (30), com saldo de 1.389 teste rápidos para diagnóstico precoce do câncer da próstata em homens dos municípios de Breu Branco, Goianésia do Pará e Novo Repartimento, além de Tucuruí.
Durante todo o mês também ocorreram outras ações, como palestras, caminhada, distribuição de material educativo sobre o tema e repasse de informações aos públicos interno e externo, com o objetivo de contribuir para redução do números de casos desse tipo de câncer que, segundo o Instituto Nacional do Inca (Inca), deve atingir mais de 60 mil no Brasil, em 2016.
A médica oncologista da Unacon Ana Paula Borges explica como é feito o teste rápido (PSA). Trata-se de um exame de sangue simples e que serve para diagnosticar alterações na próstata, como prostatite, hipertrofia benigna ou câncer. Se houver alguma alteração, o usuário passa pelo exame de toque retal, que, dependendo do diagnóstico, é encaminhado ou não para o oncologista da unidade.
Referência para tratamento de câncer na região, a Unacon tem equipe especializada que trata diretamente, com atendimento seguro, de qualidade e humanizado, de 24 pacientes com neoplasia maligna de próstata. As ações executadas em novembro foram conduzidas pelo Grupo de Trabalho de Humanização com o apoio do Núcleo de Educação Permanente. No dia 8 de novembro, houve palestra sobre câncer de próstata ministrada pela médica Ana Paula para funcionários da Eletronorte. Dia 9, a Unacon recebeu doações de 140 lenços da empresa, que foram doados aos pacientes em processo de quimioterapia na unidade.
No dia 10, ocorreu reunião com líderes comunitários para agendamento do exame de PSA. No dia 21, começou a coleta para exame PSA. A programação continuou no dia 27, com palestra sobre câncer de próstata no Centro de Saúde da Terra Prometida, ministrada pela enfermeira Ângela Barbosa e pela assistente social Dóris Brenda. No dia 29, a Unacon fez treinamento com usuário e acompanhantes sobre a importância da higienização das mãos. A ação de educação em saúde foi conduzida pela enfermeira Tathi Beliche e pela funcionária do Serviço de Atendimento ao Usuário Bárbara Thami.
A Unacon Tucuruí é uma unidade de saúde do governo do Estado, administrada pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Funciona em frente ao Hospital Regional, na Vila Permanente. Mais informações pelos telefones (94) 3778-4928 e 3778-4599.

Texto:
Vera Rojas

Imetropará inicia fiscalização de radares da BR-316 e BR-010
O Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará) inicia, nesta quinta-feira (1), uma operação conjunta com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) que irá verificar os radares de controle de velocidade existentes na BR-316 e BR-010. Além dos radares fixos, também passarão por fiscalização os equipamentos móveis de verificação de velocidade.
De acordo com o presidente do Imetropará, Jorge Rezende, a ação visa garantir a segurança nas estradas e redução dos acidentes, durante o período de final de ano. “Os órgãos são responsáveis por garantir as condições adequadas de segurança de circulação nas vias, mas também é preciso que a população faça sua parte e respeite os limites de velocidade e as regras de direção, só assim a paz no trânsito será alcançada. Vale lembrar, que é muito importante fazer a revisão do veículo antes de pegar a estrada, realizar o alinhamento e balanceamento”, pontua Rezende.
Ao todo, serão quase trinta dias de ação, 42 equipamentos fixos verificados e 5 equipamentos móveis. “O carro do Imetropará equipado com o cronotacógrafo passa em cada uma das faixas monitoradas pelo menos 10 vezes, em velocidades que variam de 30 a 100 km/h. Este aparelho dá a velocidade real do carro ao passar pelo radar, então essa medida é comparada a do equipamento, verificando se a velocidade registrada está correta”, salientou o presidente.
O Imetropará verifica os radares de velocidade em todo o Estado da Pará. Conforme a Portaria Inmetro 544/2014, a aferição é obrigatória uma vez por ano ou toda vez que o equipamento passar por reparo. Depois da verificação é emitido um laudo e somente após este procedimento o equipamento está liberado para funcionamento.
A aferição no radar leva em média de vinte minutos à uma hora, dependendo do número de faixas que o radar fiscaliza. A ação envolverá os fiscais do Imetropará, uma equipe da empresa responsável pelo radar e agentes da PRF. Para evitar acidentes, durante o procedimento de verificação, conforme necessidade, a passagem na via fiscalizada será bloqueada para pedestres e veículos.

Texto:
Ana Caroline

Hospital Regional de Marabá abre vagas no serviço de atendimento ao usuário
A Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar vai contratar coordenador e auxiliar administrativo para o Serviço de Atendimento ao Usuário do Hospital Regional do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso, em Marabá. Os interessados devem encaminhar currículo até a próxima segunda-feira (5) para o e-mail rh@hrspprosaude.org.br, informando no título da mensagem a vaga desejada.
Para participar da seleção para o cargo de coordenador é necessário ser graduado em Relações Públicas ou Hotelaria e ter conhecimento do pacote Office. É desejável especialização em Administração Hospitalar ou Gestão em Serviços de Saúde. Os requisitos para a vaga de auxiliar administrativo são: ensino médio completo e conhecimento do pacote Office. É desejável que o candidato tenha experiência em atendimento ao público.
Pertencente ao Governo do Estado e administrado pela Pró-Saúde, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Hospital Regional do Sudeste do Pará tem 115 leitos. O foco do atendimento é nas especialidades de neurocirurgia, traumatologia, ortopedia e cirurgia geral.

Texto:
Aretha Fernandes

Profissionais de segurança pública recebem certificado de formação em curso superior
Na manhã desta quinta-feira (1), 155 profissionais da área de segurança pública foram certificados pelo Instituto de Ensino de Segurança Pública do Pará (IESP). A cerimônia aconteceu no auditório do Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (Ciaba).
Setenta e nove oficiais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros receberam os certificados de formação no Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais CAO/2016, com Especialização em Defesa Social e Cidadania. O curso teve a carga total de 400 horas/ aula, concluídas em dez meses, e teve como objetivo formar profissionais da área de segurança pública levando em consideração a atual complexidade da sociedade brasileira e seus múltiplos problemas referentes às questões sociais, econômicas e políticas.
O Capitão da Polícia Militar do Pará, José João Corrêa, foi o primeiro lugar do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais. “Está sendo uma transição que vai me dar oportunidade de ascender a uma função maior e também representa a possibilidade de voltar ao convívio com as pessoas que estiveram com a gente no curso de formação em novas formas de atuação e, acima de tudo, uma perspectiva muito grande de melhora profissional”, disse o Capitão. Seu artigo de conclusão foi sobre a questão do policial militar que é acusado de violar os direitos humanos, propondo soluções e ideias que possam evitar isso.
Já o Curso Superior de Polícia e Bombeiro Militar, Especialização em Gestão Estratégica e Defesa Social, formou 76 oficiais da PM e CBMPA e teve carga de 380 horas/ aula, também concluídas em dez meses. O curso permitiu acesso na escala hierárquica de oficiais dentro da instituição, sendo requisito para os oficiais superiores (majores e tentes coronéis) atingirem o último posto: o de coronel.
Antes da criação do Instituto de Ensino de Segurança Pública do Pará, os cursos de aperfeiçoamento eram feitos fora do Estado. “É fundamental que a gente comece a construir em nosso próprio Estado, aspectos de nossa segurança pública, conhecendo e aprimorando técnicas que se enquadrem dentro da nossa realidade, com as nossas dimensões geográficas e atentando para questões que envolvem problemas sociais de nossa região”, disse o Tenente Coronel Leno do Carmo, da Polícia Militar do Pará, primeiro lugar no Curso Superior de Polícia e Bombeiro Militar.
O Curso Superior teve 14 disciplinas, sendo cinco teóricas e a maioria de gestão financeira, orçamentária e de pessoas. O trabalho de conclusão de curso do Tenente Coronel Leno foi sobre o uso das armas de baixa letalidade como uma ação que, além de visar a segurança pública, pode garantir a proteção dos direitos humanos e a preservação da vida.
Com mais esses cursos de formação, o IESP reforça a importância de sua criação, com os profissionais da área se qualificando dentro de sua própria realidade, em vez de buscar conhecimentos técnicos fora do Pará. “Às vezes os problemas de gestão são comuns, apesar de serem de instituições e estados diferentes, e a troca de experiências inter estadual trouxe soluções inovadoras, mas, sem dúvida, a gente tem que se preparar para responder as peculiaridades da nossa região e do nosso Estado”, destacou o Tenente Coronel Alisson Monteiro, diretor do Instituto de Ensino de Segurança Pública do Pará.
Entre as autoridades presentes estavam o Comandante Geral da PM, Coronel Roberto Campos; o Comandante Geral em exercício do Corpo de Bombeiros do Pará, Coronel Augusto Sérgio de Almeida e o Secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Jeannot Jansen. “Hoje, esses profissionais da segurança pública venceram uma nova etapa. Ganharam maturidade profissional e estão preparados para a gestão e a atividade de policiais ou bombeiros. Com isso, ganha a sociedade e o sistema de segurança pública tem que retribuir à altura do investimento realizado pela sociedade”, ressaltou o secretário Jansen.
Criado pela Lei nº 6.257, de 17 de novembro de 1999, o IESP é um órgão de atuação especial, subordinado diretamente ao Secretário de Estado de Segurança Pública, que possui gestão acadêmica própria, autonomia didática, científica e disciplinar.
A finalidade do IESP é promover formação técnico-profissional, graduação, qualificação permanente em nível de aperfeiçoamento e pós-graduação aos agentes do Sistema de Segurança Pública e Defesa Social (Polícia Militar do Pará, Polícia Civil do Pará, Corpo de Bombeiros Militar do Pará, Departamento de Trânsito do Estado do Pará, Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará e Centro de Perícias Científicas 'Renato Chaves').

Texto:
Syanne Neno

Prazo para licenciamento de veículos com placas de finais 70, 80 e 90 termina nesta sexta
Os proprietários de veículos com placas de final 70, 80 e 90 que ainda não regularizaram o licenciamento de 2016 têm até esta sexta-feira (2) para evitar o pagamento de multa. Segundo a Diretoria de Tecnologia e Informática (DTI) do Detran, os veículos com estas terminações somam 49.632 em todo estado, sendo que a maior parte deles (cerca de 10.546) circula no município de Belém, seguido por Ananindeua (onde estão 2.887) e Marabá (com 2.485 veículos). 
O atraso implica em multa no valor de R$ 9,08, em cima da taxa devida ao Detran, por até 30 dias de atraso. Este tipo de infração, segundo o que determina o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é classificada como gravíssima e pode render ao condutor sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação, além de remoção do veículo.
O Detran oferece medidas que visam diminuir o tempo usado para licenciar o veículo. Os proprietários podem acessar o site do órgão (www.detran.pa.gov.br) e emitir o boleto, onde já estão inclusas as taxas do IPVA, que é o imposto cobrado pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa).
De posse do boleto do licenciamento, o usuário pode pagar as taxas via internet ou procurar qualquer agência bancária ou caixa eletrônico para efetuar o pagamento. O usuário que possuir conta corrente que ofereça internet banking pode efetuar o pagamento do licenciamento on line, sem precisar sair de casa. Através do site é possível consultar o orçamento do licenciamento e saber previamente qual o valor deverá ser pago.

Texto:
Aldirene Gama

Comitiva do Suriname visita unidades produtivas em Castanhal e Santa Izabel do Pará
Durante toda esta quinta-feira (01), uma equipe da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) estará acompanhando a visita de uma comitiva internacional do Suriname interessada na aquisição de conhecimentos acerca das atividades agroecológicas desenvolvidas no estado. O intercâmbio técnico começou com um café da manhã no Escritório Regional de Castanhal e seguiu com uma série de visitas a propriedades rurais de agricultores assistidos pela Emater na comunidade 3 de Outubro, em Castanhal, onde os surinameses conheceram todo o processo de fabricação de farinha de mandioca, desde os sistemas de plantio, com condições ideais de espaçamentos, consórcios e espécies, até a etapa de extração de fécula.
A programação inclui ainda visita à comunidade Manoel Sebastião, em Santa Izabel do Pará, onde é desenvolvido o sistema de produção de farinha de tapioca. O intercâmbio tem como objetivo fomentar a cooperação internacional com o Suriname, que já desenvolve um zoneamento da produção agrícola enriquecido por experiências estrangeiras, de nações com clima e solo assemelhados aos de lá.
A equipe da Emater é liderada pelo diretor técnico Rosival Possidônio, acompanhado pelo engenheiro florestal Márcio Nagaish, da Coordenadoria Técnica; pela supervisora da Emater em Castanhal, Norma Iracema Silva da Rosa; pelo técnico em agropecuária Enéas de Andrade Fontes, e pelo tecnólogo em alimentos Carlos Marcelo Costa Pinto, que informaram sobre operações e tecnologias utilizadas.

Texto:
Edna Moura

Apresentação do Pará 2030 encerra encontro da Jucepa
A apresentação do “Planejamento Estratégico do Estado do Pará – Pará 2030” marcou o encerramento do 9º Encontro Estadual de Unidades Desconcentradas da Jucepa na manhã dessa quarta-feira (30), na sede da Junta Comercial do Pará. A exposição foi feita pelo secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Adnan Demahcki, a uma plateia composta por representantes das UDs da Jucepa em todo o estado. 
Participaram do evento coordenadores de 19, das 23 Unidades Desconcentradas e, durante o encontro foram promovidas mesas redondas temáticas com os diversos setores da instituição, tanto para promover a integração da equipe quanto para apresentar e debater serviços, padronização de procedimentos, modernização e novidades nos fluxos processuais, instruções normativas e estrutura tecnológica, entre outros.
Essa integração e a oportunidade dos funcionários conhecerem uma das principais ações do governo do Estado foi salientada pela presidente da Jucepa. “Estamos reunidos com os integrantes do interior, onde muita coisa do Pará 2030 acontece. É um momento muito rico de integração e de troca de opiniões. O programa é rico e dinâmico, por isso é interessante que todos o conheçam”, comentou Cilene Sabino.
Em sua apresentação, o secretário Adnan Demahcki ressaltou a importância do programa como forma do Estado manter o equilíbrio financeiro em que se encontra e criar os alicerces para um sólido crescimento econômico. "A economia do Pará está nos trilhos em relação aos outros estados do Brasil. Mas, podemos crescer mais. Nenhum estado tem as condições logísticas do nosso; nenhum tem um clima mais apropriado para o agronegócio; nenhum tem uma província mineral como a nossa, uma das maiores do mundo. Resta fazer com que essa riqueza beneficie a população”, completou.
Programa - O “Pará 2030” apresentado aos representantes de vários setores produtivos, mostra as iniciativas tomadas pelo governo do Estado para, em 15 anos, promover o desenvolvimento da economia e, com isso, melhorar a condição de vida dos paraenses. “Hoje, o PIB per capita do paraense é pouco mais da metade da média nacional. O esforço tem que ser coletivo, dos órgãos oficiais aos empresários e à sociedade, para chegar à média nacional”, afirmou o secretário. Hoje, o PIB per capita do Pará é de R$ 15,2 mil, ao passo que a média nacional é de R$ 26,5 mil.

Texto:
Tylon Maués

Jogos do II Torneio Quatro Nações de Handball seguem o horário de verão
Quem for assistir aos jogos do II Torneio Quatro Nações de Handball Feminino, que começam nesta quinta-feira (01), em Belém, deve ficar atento aos horários das partidas. Como os jogos serão transmitidos pelo canal fechado Sport Tv, as disputas vão seguir o horário oficial de Brasília. Mas, como o Pará não entra nesta programação, elas serão sempre uma hora antes do anunciado pela tabela.
Desta forma, os jogos serão nos seguintes horários:
Horário de Belém
Quinta-feira (1)
15h - Uruguai x Eslováquia
17h45 - Brasil x Cuba
Sexta-feira (2)
18h - Eslováquia x Cuba
20h30 - Brasil x Uruguai
Sábado (3)
10h - Brasil x Eslováquia
12h - Cuba x Uruguai
Serviço: II Torneio Quatro Nações de Handebol Feminino
Datas: 1, 2 e 3 de dezembro
Local: Ginásio Mangueirinho - Rodovia Augusto Montenegro, 524 - Castanheira
Entrada: um quilo de alimento não perecível
Transmissão: SporTV

Texto:
Bianca Teixeira

Premiações atestam eficiência na gestão compartilhada de hospitais no Pará
As boas práticas de gestão e os projetos que ampliam sentidos e aprimoram esforços de humanização em hospitais públicos paraenses vêm conquistando novos e seguidos reconhecimentos nacionais - que só reafirmam um modelo de administração da saúde no Estado com o apoio de organizações sociais de saúde (OSSs), por meio de contratos firmados com a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa). No último dia 17 de novembro, o Hospital Público Estadual Galileu, de Ananindeua, o Hospital Regional Público do Marajó (Breves), o Hospital Regional Público do Leste (Paragominas) e o Hospital Geral de Tailândia conquistaram o primeiro e segundo lugares em três categorias do prêmio “Ser Humano ABRH-PA”, concedido durante congresso paraense da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), em Belém.
As iniciativas que garantiram a primeira colocação ao hospital Galileu venceram em duas categorias. Na categoria responsabilidade social e organizacional, o destaque foi o projeto “Visita virtual a pacientes”, que facilita o contato de pessoas internadas com parentes através da ajuda da telefonia e da informática. Na categoria gestão de pessoas, o mérito foi dado ao trabalho realizado no hospital pelo projeto “Pesquisa de clima organizacional como ferramenta para a melhoria contínua na prática de gestão de pessoas”. As premiações habilitam o Galileu a concorrer à premiação nacional na área, que a ABRH fará em 2017. O Galileu é gerido hoje pela OSS Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar.
Na categoria referente a práticas de inovação, o Hospital Regional Público do Marajó, o Hospital Regional Público do Leste e o Hospital Geral de Tailândia foram reconhecidos pelos seus esforços em controlar a emissão de gases que têm impactos sobre o efeito estufa – problema climático que eleva a temperatura do planeta, a cada ano, e tem significativos impactos ambientais. Os três hospitais são administrados no Pará por outra organização social de saúde, o Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH).
Esse trabalho do INDSH nos hospitais paraenses acabou também merecendo um selo de certificação ligado a protocolo internacional, o chamado Selo Ouro, outorgado no Brasil pelo Centro de Estudos de Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV). A certificação recentemente conferida é referente a relatórios apresentados sobre a gestão de 2015 nessas unidades hospitalares, geridas pelo INDSH. Apenas um seleto grupo de 136 empresas e instituições de vários ramos de atuação mereceram a certificação. A redução de gases ligados ao efeito estufa é uma das metas do Acordo de Paris, ratificado em 2015 por mais de 190 países.
 Compromissos - “O INDSH tem visão e valores muito bem centrados em alguns aspectos, como o desenvolvimento social. Nosso lema é o respeito à vida, e esse selo confirma um compromisso com a sustentabilidade que exige responsabilidade com a emissão de gases e faz parte desse compromisso. Não podemos existir sem ter uma responsabilidade com o que a gente faz, principalmente no século 21. Vale lembrar que essa premiação da FGV só foi dada a três instituições brasileiras: o hospital Sírio Libanês, o hospital Albert Einstein e o INDSH”, pondera Adriano de Lima, 37, administrador, pós-graduado em logística empresarial e diretor de operações do INDSH no Pará.
 O INDSH atua desde 2010 no Estado. É responsável hoje pela gestão de cinco importantes centros de atendimento no Pará: além do Hospital Regional Público do Marajó, em Breves, do Hospital Geral de Tailândia e do Hospital Regional Público do Leste, em Paragominas, ainda cuida da gestão do Centro Hospitalar Jean Bitar, em Belém, e da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), de Tucuruí. “Esta primeira etapa de nossa certificação é como se fosse uma contabilidade, com mapeamento de todos os processos que envolvem a emissão de gases ligados ao efeito estufa. Assim sabemos o que se emite de gases. A segunda etapa, agora, é justamente implantar ações para diminuir esses impactos”, esclarece Lima.
Saúde e pessoas - “Temos, nesse momento, uma paciente cuja mãe está na Alemanha. Ela está internada há meses e elas não se veem há mais de dez anos. Porém, hoje se falam quase todos os dias. Outro dia, um paciente conseguiu falar com o pai que estava no Ceará e com um irmão do interior, ao mesmo tempo. O pai tocava violão para os dois. Foi muita emoção. A alegria dos pacientes é nítida. E nós sabemos como isso reflete na saúde deles”, diz Saulo Mengarda, diretor geral do Hospital Galileu, gerido pela OSS Pró-Saúde.
Administrador por formação, Saulo comemora os bons resultados do projeto “Visita Virtual”. Com a ajuda de notebooks e de celulares, essa ação permite que pacientes consigam falar, de seus leitos de internação, com até nove pessoas de localidades diferentes, ao mesmo tempo. “Sabemos que há limites, pois estamos lidando, em grande parte, com pacientes que fazem parte de uma parcela da população menos favorecida. Mas são fatos como esses que fazem valer esse esforço”.
 Todos os pacientes internados no Galileu são informados sobre a existência do serviço. A partir daí é feita uma triagem dos que podem ter acesso ao programa. Há cuidados especiais. O equipamento é higienizado para que não haja contaminações. E além do contato ao vivo, mensagens encaminhadas por áudio e vídeo também podem ser acessadas a qualquer momento. Em um ano, mais de cem pacientes já contaram com os serviços. O projeto completará um ano em dezembro.
 Apostas em gestão - Para leigos, é fácil imaginar que um hospital é feito só por médicos e enfermeiros. Mas a idéia da profissionalização da gestão da saúde é justamente essa: ela mostra que um hospital é muito mais que isso, argumenta diretor geral do Hospital Galileu.
 “E os hospitais são uns dos maiores desafios da administração, justamente por terem várias coisas dentro de uma só. Por vezes eles se parecem com um hotel, mas são lugares para onde as pessoas não vêm por vontade própria, para lazer. Elas o procuram em momentos difíceis, o que faz com que naturalmente já cheguem insatisfeitas. E nós temos que mudar esse cenário, prestando o melhor serviço possível”, defende Saulo Mengarda. “E para que se consiga isso, são necessárias diversas ferramentas de administração, para que se possa ter uma melhoria contínua de processos, incluindo treinamentos, pesquisas de satisfação e outras”.
 Esse é o pano de fundo para a outra iniciativa do hospital de Ananindeua que mereceu atenção e reconhecimento em premiação recentemente feita pela ABRH. A chamada “Pesquisa de Clima Organizacional” é anônima, com questionário dirigido a funcionários via internet. Lá, várias perguntas relacionadas a impressões sobre satisfação no ambiente de trabalho podem ser respondidas. Assim se tem acesso a opiniões dos funcionários sobre conforto, salários e benefícios, relação com chefias e muitos outros tópicos gerais e temas específicos. “Assim, podemos avaliar resultados e gerar planos de ação para cada ponto. De 73%, o Galileu conseguiu elevar para 86% o índice a satisfação de seus trabalhadores. Isso mostra que as ações que elencamos tiveram bons resultados”, pontua Mengarda.
Avanços - O administrador OSS Pró-Saúde ressalta: esse cuidado junto ao patrimônio humano dos hospitais se alia radicalmente a outro que é essencial para os avanços da qualidade de atendimento: a busca por certificações de seus serviços.
 Vale lembrar que em maio o Pará ganhou destaque nacional no ranking de excelência em atendimento em saúde que é ordenado, periodicamente, pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) – entidade que é uma das mais respeitadas referências independentes para avaliação de serviços de saúde do País.
De 2.987 hospitais públicos que atendem ao Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil, apenas 10 se destacaram este ano na mais recente lista da entidade, por oferecer um elevado padrão de atendimento à população - identificado pela certificação ONA 3, a mais alta do gênero, e que significa ‘Acreditado com Excelência’. Entre esses estão o Hospital Regional Público da Transamazônica, de Altamira, e o Hospital Regional do Baixo Amazonas, de Santarém. Mais recentemente, o Hospital Galileu também obteve sua primeira certificação ONA 1 – que significa ‘Acreditado’. Todos esses hospitais paraenses são geridos hoje pela OSS Pró-Saúde.
Desde 1999 a ONA realiza avaliações com padrões estabelecidos pelo Sistema Brasileiro de Acreditação e do Manual Brasileiro de Acreditação. Verifica a qualidade em todas as áreas de atividades dos hospitais, aferindo infraestrutura, serviços de internação e controle de infecções, higienização e outros itens. Os focos das avaliações são a qualidade de atendimento, a gestão de processos, a segurança oferecida aos pacientes e os resultados econômicos, assistenciais e de desenvolvimento de seus serviços. Além das avaliações ONA 1  e ONA 3, há ainda os certificados ONA 2 (‘Acreditado Pleno’).
 Caminhos - “O próprio Ministério da Saúde já reforçou recentemente: o caminho agora é melhorar a gestão, porque novos recursos não virão para a saúde pública. Então temos que melhorar a administração e seguir os bons exemplos. Nesse sentido, as administrações de hospitais por organizações sociais permitem gestões mais profissionais, dinâmicas e efetivas. O que também faz com que sejamos mais cobrados”, pontua o administrador Saulo Mengarda, da OSS Pró-Saúde, avaliando a importância de experiências como a que o Pará está fazendo, para que o País possa ter novos bons horizontes para a gestão da saúde pública.
O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) é uma unidade hospitalar de retaguarda que serve de exemplo desse modelo. Prestando atendimento médico em cardiologia, traumato-ortopedia e clínica médica, ele segue avançando: há dois meses, iniciou a oferta do serviço de alta complexidade em traqueoplastia. Há um ano e meio, já havia se tornado referência em atendimento para cirurgias de alongamento e reconstrução óssea. Nos planos futuros, uma das metas do hospital de Ananindeua é subir o nível de acreditação. “Em 2017 queremos obter o ONA 2. Para 2018, o nível ONA 3, de que Altamira e Santarém já dispõem”, adianta Mengarda.  
 “Nem cinco por cento dos hospitais do Brasil se empenham em tentar obter acreditações. E isso é fundamental. O primeiro nível é o da segurança do paciente, que é uma obrigação básica”, pondera Adriano de Lima. O diretor de operações do INDSH no Pará também confirma que, após diagnóstico feito por consultoria, estão sendo elaborados planejamentos estratégicos para cada unidade gerida pela OSS no Estado. “Em 2017 queremos acreditar no mínimo dois hospitais com a certificação ONA 1. Fora isso, continuará o esforço de qualificação do pessoal. Profissionais satisfeitos resultam em atendimentos melhores e pacientes satisfeitos”, diz ele.
Lima defende ainda que, no Pará, os bons avanços conquistados pela gestão da saúde, através de parcerias com organizações sociais, se multiplicam por conta de um cenário favorável hoje desfrutado frente à atual administração pública estadual. “Esse é um ganho que deriva do apoio que esse tipo de administração da saúde pública ganhou no Estado. Criou-se um ambiente para que isso fosse possível”, avalia Lima.
 “As OSSs foram criadas para serem parceiras de boas políticas públicas. Eu acredito muito nisso. Podemos ajudar muito, mas quem afinal vê a necessidade da população é o ente público. Sobre o como fazer, é claro que damos mais agilidade em relação à burocracia, ao que pode fazer a máquina, como compras, contratações e outras coisas. E isso quer dizer que a administração direta vai acabar? Não. De forma alguma. Há necessidade de espaço para esses dois tipos de administração, até para que tudo possa ser melhor avaliado e conduzido”, pondera o gestor ligado ao INDSH.

Texto:
Lázaro Magalhães

Segup envia reforço e fecha o cerco a assaltantes da Prosegur em Redenção
O Sistema Estadual de Segurança Pública deslocou uma equipe de policiais civis e militares para o município de Redenção, no sudeste do Pará, para reforçar o policiamento na cidade e atuar nas investigações sobre a tentativa de assalto à sede da empresa de segurança privada Prosegur. O grupo embarcou na madrugada desta quinta-feira (01), em duas aeronaves. O efetivo reúne policiais da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e militares da Companhia Independente de Operações Especiais (COE), da PM, que atuarão junto ao efetivo da região. O helicóptero do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) conduziu os militares da COE e também vai atuar no apoio às buscas aos assaltantes.
A tentativa de assalto teve início por volta de 23h30, quando cerca de 20 homens com armas de grosso calibre usaram explosivos para tentar invadir a empresa que atua no transporte e guarda de valores em dinheiro usados para abastecer agências bancárias na região. O prédio fica no centro de Redenção. Com a explosão, parte do muro da frente do prédio foi destruído. Os bandidos tambem acionaram explosivos na área interna do prédio. Diversos estilhaços da explosão atingiram imóveis vizinhos.
A Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência e fechou a saída da cidade para evitar a fuga do grupo. Após a explosão, os criminosos desistiram do assalto e com o apoio de seis veículos, entre carros e motos, tomaram a direção da PA-287, que dá acesso ao município de Conceição do Araguaia. Houve troca de tiros com os assaltantes por cerca de uma hora e meia ainda na saída da cidade. Para deter a ação dos policiais eles queimaram um dos carros e pegaram uma estrada vicinal, a dois quilômetros da sede de Redenção, onde outro carro foi queimado. "Eles deixaram o local sem conseguir levar dinheiro da empresa. Homens das polícias Civil e Militar estão na área fazendo o cerco para capturá-los", informou o delegado Antônio Miranda, superintendente da Polícia Civil em Redenção.
O inquérito será presidido pela equipe da Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos (DRRB), vinculada à DRCO, que vai permanecer em Redenção para apurar os fatos. A Polícia Civil já acionou a perícia criminal no local. Este é o segundo assalto a uma unidade da empresa ocorrido no semestre. Em setembro, o prédio da Prosegur em Marabá foi alvo de bandidos armados, que conseguiram roubar valores em dinheiro. Quatro criminosos já foram presos e as investigações sobre o caso continuam.

Texto:
Walrimar Santos

Sespa lança cartilha com orientações sobre o “Pré-Natal do Parceiro”
Com intuito de estimular a população masculina a fazer exames com regularidade e atentar para a importância do acompanhamento à gestação das parceiras, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) lançou nesta quarta-feira (30), no auditório da Secretaria de Planejamento, Coordenação e Finanças (Seplan), o guia “Pré-Natal do Parceiro”, programa criado pelo Ministério da Saúde que incentiva a realização de exames de rotina, testes rápidos, atualização da carteira vacinal e a participação do homem nas atividades educativas dos serviços de saúde.
Participaram do evento profissionais de saúde da região do Rio Caetés - que abrange 16 municípios paraenses -, de Belém, Ananindeua e do Distrito Sanitário de Saúde Indígena (DSEI), em Altamira. O evento faz parte das atividades já iniciadas pela Coordenação Estadual de Saúde do Homem em outras localidades, como na região do Carajás e Lago do Tucuruí.
O representante do 4º Centro Regional de Saúde, Antônio Marcos, ressaltou a importância de inserir o programa nas ações conjuntas desenvolvidas nos municípios de abrangência. “Esse trabalho vai integrar os homens e despertá-los para a atenção à saúde, além de promover a participação do parceiro no pré-natal da gestante. Primeiramente as atividades acontecerão de forma interna, com treinamentos, e posteriormente disseminaremos as ações aos profissionais que atuam na atenção básica”, destacou.
Segundo o coordenador estadual de Saúde do Homem, Carlos Sales Júnior, o Pré-Natal do Parceiro é um programa oportuno, pois é o momento em que o homem está mais suscetível devido à questão familiar. “Envolve uma criança e a relação do parceiro com a gestante. A ideia é implantar de forma mais efetiva a política de saúde do homem, mesmo com parcela de adesão mínima, mas com tendência a crescer e garantir a implantação de um serviço atuante. Os municípios e as regionais de saúde serão fundamentais nesse processo”, reforçou Sales Júnior.
Uma das estratégias adotadas é a inserção do programa também em comunidades indígenas por meio dos DSEIs. “Há uma orientação do Ministério da Saúde para que também seja implantado o Programa de Saúde do Homem nesses distritos. Esse trabalho vai levar em consideração a cultura de cada etnia. Já promovemos a primeira capacitação para os multiplicadores e agora, com o lançamento do guia, vamos intensificar o trabalho”, afirmou Andrea Neves, do  Distrito Sanitário de Saúde Indígena Guamá Tocantins.
O evento fez parte da programação do Novembro Azul. Este ano, profissionais da Sespa estão atendendo convites de instituições públicas e privadas para ministrar oficinas sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, criada e estimulada pelo Ministério da Saúde, e palestras sobre câncer de próstata, câncer de pênis, HPV, hipertensão arterial e diabetes.
O público-alvo é formado por homens jovens e adultos, entre 20 e 59 anos, que no país somam quase 55 milhões. Na prática, o programa recomenda o seguinte: ao chegar à unidade de saúde, o parceiro pode ser atendido por um profissional de saúde e realizar exames, como sorologia para hepatites B e C, HIV e sífilis, diabetes, colesterol e pressão arterial, além de receber informações sobre o risco e a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DST). Caso necessário, serão solicitadas consultas complementares e também realizados outros exames preventivos.
(Com informações de Mozart Lira)

Texto:
Edna Lima

Em visita ao TCE, presidente da Alepa aprova auditoria nos dois poderes
O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), deputado Márcio Miranda, esteve em reunião nesta quarta-feira (30/11), no gabinete do presidente do Tribunal de Contas do Estado do Pará (TCE/PA), conselheiro Luis Cunha, em cumprimento ao ciclo de visitas que vem realizando com o objetivo de esclarecer  às instituições públicas sobre as informações divulgadas na imprensa sobre a política salarial do Legislativo Estadual, publicadas de forma equivocada com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério do Trabalho e Emprego...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Mara Barcellos


Vitória do Pará no Supremo obriga Congresso a regulamentar lei Kandir em 12 meses
Por 11 votos a 0, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) julgaram procedente a ação movida pelo Estado do Pará e determinaram ao Congresso Nacional a definição de critérios e regras de compensação aos Estados exportadores pelas perdas decorrentes da desoneração das exportações, conforme previsto na Lei Kandir. O STF reconhece, assim, que houve omissão do Congresso em relação ao tema.
A Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) 25 teve como relator o ministro Gilmar Mendes, que ancorou seu relatório em alguns pontos considerados “fundamentais” para a solução do caso, como o reconhecimento de uma mora legislativa (um atraso na tomada de decisão por parte do Congresso Nacional) que precisa ser corrigida e a fixação de prazo – 12 meses – para que o Congresso legisle a respeito do assunto a contar desta decisão.
Na sessão da última quinta-feira, 24, nenhum ministro se manifestou contrário à ação proposta pelo Estado do Pará, mas ficou aberta a discussão sobre o prazo que seria dado ao Congresso para que regulamente a Lei Kandir. O relator propôs que, expirado um prazo de 12 meses, a tarefa de regulamentar a matéria deve ser entregue ao Tribunal de Contas da União (TCU) a fim de fixar regras de repasse e providenciar a previsão orçamentária, cabendo ao Conselho Fazendário (Confaz) a distribuição entre os estados.
O ministro Marco Aurélio restringiu a decisão ao reconhecimento da inconstitucionalidade, e o ministro Teori Zavascki manteve o prazo de 12 meses, mas não atribuiu a tarefa ao TCU, deixando tal discussão para depois de expirado o prazo. Em praticamente todas as manifestações, os ministros do Supremo elogiaram a iniciativa do governo paraense que, segundo a maioria dos membros da Corte Suprema, visa beneficiar não somente à população paraense, mas a de todos os estados que sofrem com a perda de recursos pela não cobrança do ICMS em sua totalidade.
Entenda mais
A ação movida pelo Governo do Pará e subscrita por 16 Estados e pelo Distrito Federal pede ao STF que determine ao Congresso Nacional a definição de critérios e regras de compensação aos Estados exportadores pelas perdas decorrentes da desoneração das exportações, conforme previsto na Lei Kandir. A ação já recebeu encaminhamento favorável também da Procuradoria Geral da República (PGR).
Quando criada, a Lei definiu que a compensação seria regulamentada em lei complementar, o que não ocorreu. Há quase duas décadas, a compensação acaba sendo feita pelo Governo Federal em índices bem menores do que as perdas decorrentes pela não cobrança de impostos dos produtos exportados. Estudo da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) estima que o Pará deixou de arrecadar cerca de R$ 67,5 bilhões nas últimas décadas e a compensação enviada pela União ficou bem abaixo desse valor.

Texto:
Pascoal Gemaque

Bravíssimo traz concerto "Canta Brasil" ao Museu do Estado
O programa educativo de música “Bravíssimo!” apresenta o concerto didático “Canta Brasil!”, do Madrigal João Bôsco Castro, no dia 6 de dezembro, às 20h, na Sala das Artes do Museu do Estado do Pará. O concerto é uma promoção do governo do Estado por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), do Sistema Integrado de Museus e do MEP. A entrada é gratuita.
O Madrigal João Bôsco Castro é um grupo vocal independente, formado no ano de 2012, a partir do reencontro de integrantes do antigo Madrigal da Universidade Federal do Pará (UFPA). Seu nome é uma homenagem àquele que foi o seu principal regente, o professor e maestro João Bôsco da Silva Castro. São 21 cantores, sob a direção do cantor lírico e professor da Escola de Música da UFPA, Milton Monte.

Texto:
Governo do E. do Pará

Peça "Edipo Rei" volta ao Museu do Estado do Pará
O teatro está de volta ao Museu do Estado do Pará. Durante quatro dias, será encenada a segunda temporada do espetáculo “Édipo Rei”. A promoção é da Escola de Teatro e Dança da UFPA em parceria com o MEP. As apresentações serão de 01 a 04 de dezembro, em duas sessões, às 18h30 e às 20h30, com entrada gratuita. 

Texto:
Governo do E. do Pará

Fórum estadual discute impactos causados pelo uso de agrotóxicos
A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) participou do Fórum Estadual de Combate aos Impactos Causados pelos Agrotóxicos, promovido pelo Ministério Público do Estado (MPE). O evento faz parte da II Semana Nacional de Mobilização no Combate aos Impactos Causados pelos Agrotóxicos, que começou na última segunda-feira (28) e segue até sábado (3). Participam do encontro 29 instituições federais, estaduais e municipais e parceiros. Entre temas discutidos estão a agroecologia e produção orgânica; fiscalização; impactos à saúde; impactos ao meio ambiente; análise e rastreabilidade; e pesquisa e extensão.
Durante a solenidade de abertura, o secretário adjunto de Gestão e Regularidade Ambiental da Semas, Thales Samuel Belo, disse que o problema dos impactos causados pelos agrotóxicos é uma demanda que não se restringe a um caráter local, nem nacional, mas internacional. “O tema preocupa toda sociedade e órgãos ligados a essa gestão. A sociedade aguarda um retorno dos órgãos responsáveis, não apenas de ação de controle e poder de polícia ambiental, mas de ações como essas do fórum que envolva a sociedade e vá a campo para saber o que vem sendo usado, mobilizado, transportado e comercializado no Estado”, disse.
O representante da Procuradoria Geral do Estado (PGE), Estevam Sampaio, disse que o tema precisa cada vez mais ser discutido. “É importante o trabalho em conjunto na questão do agrotóxico. Às vezes podemos dizer que o produto é bonito e interessante, mas mal sabemos o que muitas vezes está escondido atrás daquele produto e que pode trazer danos à saúde. Que possamos ter um fórum produtivo e que depois, quando terminarmos, tenhamos melhores articulações no Estado”, frisou.
A gerente de Projetos Minerais Não-Metálicos da Semas, Adna Cardoso, participou da solenidade de abertura e destacou a parceria do órgão ambiental nas ações da semana de mobilização. “A Semas coordena, desde 2015, a comissão temática de meio ambiente do fórum. Debater esse assunto é de extrema importância para a conscientização dos produtores em usar de forma adequada os agrotóxicos e destinar corretamente, por exemplo, as embalagens vazias para evitar contaminações e impactos ao meio ambiente”, comentou.
A promotora de Justiça e coordenadora do Fórum Estadual de Combate aos Impactos Causados pelos Agrotóxicos, Fabia Melo-Fournier, destacou as estratégias que o Ministério Público e órgãos vêm adotando acerca da temática, no âmbito nacional. “Estamos trabalhando as articulações com a elaboração de notas técnicas e estudos, que são relacionadas à normatização da matéria no Brasil. Preparamos as notas para encaminhar ao legislativo, e também temos procurado trazer e divulgar os estudos sobre os agrotóxicos, porque um dos objetivos do fórum é facilitar o acesso do cidadão à informação, fazendo uma troca dos dois lados”, ressaltou.
O Fórum Estadual de Combate aos Impactos Causados pelos Agrotóxicos surgiu em 2014 com o objetivo de conscientizar e debater as preocupações relacionadas ao efeito dos agrotóxicos na natureza e na saúde humana, e este ano teve como tema a agroecologia, uma forma de produção de alimentos agrícolas sem o uso de veneno.
As atividades da Semana de Mobilização consistem em rodas de conversa, palestras e ações de conscientização que ocorrem durante toda a semana em diversos municípios do Estado. O último dia da programação terá panfletagem, palestras, exposições de painéis científicos e feira de produtos orgânicos na Praça Batista Campos, em Belém. Mais informações sobre a programação no site www.mppa.mp.br. (Com informações do MPE)

Texto:
Naiana G. F. M. Santos

Seduc capacita profissionais de educação em três polos do Mundiar
Professores, coordenadores e supervisores do projeto Mundiar - projeto da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) desenvolvido em parceria com a Fundação Roberto Marinho para corrigir a distorção escolar idade/ano e reduzir a repetência e evasão escolar de alunos da rede pública de ensino - participam, no período de 28 deste mês até 2 de dezembro, de uma formação levada a três polos do estado: Marabá, Santarém e Castanhal. Ao todo, estão em sala de aula 218 profissionais de educação, sendo 160 professores (75 de Marabá, 41 de Santarém e 44 de Castanhal), além de supervisores e coordenadores do projeto.
A professora Sanny de Souza, de Conceição do Araguaia, participa da formação, que é ministrada por consultores da Fundação Roberto Marinho no polo Marabá. Ela ressalta que é unidocente do projeto desde que foi implantado em 2014, mas participa das formações porque elas sempre trazem muitas inovações para serem desenvolvidas em sala de aula. “Sou uma educadora que me sinto realizada, pois somente nas minhas turmas mais de 30 estudantes concluíram o Ensino Médio e outros 28 irão fechar esse ciclo no início de 2107. Muitos deles estão no ensino superior ou no mercado de trabalho graças à metodologia de ensino que utilizamos, que tornou o aprendizado mais atrativo e deu a eles uma disposição que não tinham antes do Mundiar”, destacou.
O Mundiar utiliza a metodologia de ensino telessala, com televisão, aparelho de DVD e uma coletânea de teleaulas divididas de acordo com os componentes curriculares previstos na matriz de ensino do programa. Há uma diversidade de atividades dinâmicas e projetos de interação entre as disciplinas com orientação de um unidocente em sala de aula. Atualmente, o Pará tem 34 mil alunos matriculados no Mundiar.
Para a representante da coordenação estadual do Mundiar na formação das turmas em Marabá, Fabíola Fonseca, somente neste polo estão professores de 26 municípios e três Unidades Regionais de Ensino (4ª, 15ª e 16ª). “A formação é ministrada por consultores da Fundação Roberto Marinho com todo o suporte da Seduc, que garante a logística para os participantes. Coordenadores e supervisores cumprem carga de 24 horas e professores de 40 horas”, destacou .
Segundo a coordenadora do Mundiar na 4ª Unidade Regional de Educação (URE), Elisabeth Mota, 32 escolas vinculadas a essa unidade tem turmas do Mundiar. “São mais de mil estudantes em 102 turmas e a previsão é que iniciemos 2017 com matrículas novas em 51 destas turmas, pois é uma metodologia de ensino que tem trazido de volta às salas de aula estudantes que tinham perdido o ânimo pelos estudos. O projeto inclusive tem se destacado na 4ª URE e tem ocorrido uma procura espontânea muito grande por novas matrículas em decorrência dos bons resultados e boas referências”, enfatizou.
 A supervisora Lidiane Andrade, que atua em Marabá, ressalta que a formação é de essencial importância para o aperfeiçoamento da prática dos coordenadores e supervisores que, dessa forma, podem melhor orientar os unidocentes. A cada formação aprendemos atividades diferenciadas, que muitas vezes apontam soluções simples para muitas questões às quais nem atentávamos, e são essas dinâmicas de aprendizado que vamos aprendendo e socializando entre os professores”.
As consultoras da Fundação Roberto Marinho Lúcia Valois e Andrea Loureiro, que estão na formação no polo Marabá, destacam que a formação continuada dos profissionais de educação que atuam no Mundiar garante suporte pedagógico nas salas de aula. “São desenvolvidos componentes de disciplinas que serão ministradas em sala de aula com disciplinas como Sociologia, Geografia e percurso livre de Língua Portuguesa, para despertar no aluno o hábito e o gosto pela leitura, assim como para desmitificar a Matemática, trazendo para o aprendizado um aspecto mais lúdico e mais prazeroso”. Ao final da formação a Fundação Roberto Marinho entrega os livros didáticos que serão utilizados pelos alunos no próximo módulo do Mundiar.

Texto:
Kátia Aguiar

PM reúne lojistas para discutir destalhes da operação Boas Festas
A Polícia Militar reuniu nesta quarta-feira (30) os comandantes de batalhões de Belém, representantes de lojistas, empresários e representantes dos principais shopping centers da região metropolitana para apresentar uma prévia da operação Boas Festas, que será divulgada oficialmente na sexta-feira (2). Os principais pontos de maior fluxo de comércio da cidade terão policiamento reforçado, no período de 2 de dezembro a 2 de janeiro, com ronda de carros, motos, cães, cavalaria e policiamento a pé.
“Vamos cobrir os grandes centros até os shopping centers. Todos os locais que concentrem lojistas atenderemos com o reforço do policiamento. Chamamos os lojistas aqui também para saber a melhor forma de atender ao público em horários críticos, como a entrada e o horário de fechamento dos estabelecimentos. Já tínhamos um planejamento, e ele bateu exatamente com essa necessidade. Os detalhes deverão ser todos divulgados ainda nesta sexta (2)”, disse o diretor do Departamento Geral de Operações da PM, coronel Sérgio Alonso.
Entre as principais áreas a receber reforço estão as avenidas Pedro Miranda, Presidente Vargas, Braz de Aguiar e Tamandaré, além do Terminal Rodoviário de São Braz, Ver-o-Peso, shoppings e áreas comerciais do distrito de Icoaraci. Para o sindicato dos lojistas, a operação garante mais conforto e segurança aos consumidores, principalmente no período mais próximo ao Natal.
“Aqui vemos a inteligência da instituição sendo colocada em prática, e o resultado nos agradou bastante, pois a operação atende a todos os pontos que são de maior fluxo de pessoas neste período do ano. Vamos auxiliar esta ação imprimindo dez mil cartilhas, que ajudarão a polícia no trabalho de orientação do cidadão”, disse o presidente do Sindicato do Comércio Varejista e dos Lojistas de Belém, Joy Colares.
O número de policiais a ser destacado para a operação ainda será divulgado, mas a expectativa é que o atendimento às ocorrências se torne mais rápido pelo aumento do efetivo nos locais, pela rapidez do 190 e pelos grupos de WhatsApp que serão criados entre lojistas e a Polícia Militar.

Texto:
Diego Andrade

Jucepa comemora 140 anos de fomento à economia do Estado
Integração e digitalização. É com essas duas metas em vista que a Junta Comercial do Pará (Jucepa) chega aos 140 anos de fundação. Mais que o registro de uma empresa, a Jucepa tem o desafio de ser um órgão de fomento da economia do Estado. Para isso tem modernizado seus serviços com o intuito de oferecer aos empreendedores um ambiente de negócios célere e seguro. “O futuro é planejável no rumo da digitalização, o que vai trazer ainda mais celeridade com economia processual e, por consequência, o fomento da economia”, afirma a presidente Cilene Sabino.
“A Jucepa é o alicerce sob o qual estamos construindo um registro mercantil forte e seguro para todo o Estado. Porém, não ficamos somente no campo do registro e estamos nos transformando em agentes fomentadores do desenvolvimento econômico”, reforça o vice-presidente Mauro Leônidas. A data será celebrada na noite desta quarta-feira (30), a partir das 20h, na sede da Associação Comercial do Pará (ACP), em Belém, em cerimônia que vai homenagear, com o “Mérito Registro do Comércio”, instituições e personalidades com importantes contribuições ao registro mercantil.
Fundada em 30 de novembro de 1876, por meio de um decreto assinado pela Princesa Isabel, então Regente do Império que substituía o pai, o Imperador Dom Pedro II, a Jucepa foi inicialmente denominada Junta Comercial da Província do Pará e substituía o antigo Tribunal do Comércio. Transformada em Autarquia Estadual em 1973, a Jucepa teve então como uma de suas primeiras sedes o prédio do Solar da Beira, no Mercado do Ver-o-Peso.
De lá para cá muita coisa mudou. Como bem lembra a servidora Dilma Menezes, na casa há 40 anos. “É uma longa trajetória de experiências e mudanças. Cresci e fiz muitas amizades dentro da Jucepa. Hoje, vendo o desenvolvimento tecnológico e lembrando da época em que fazíamos tudo manualmente, carimbando papeis... é muito bom ver a simplificação do trabalho, que se tornou muito mais ágil. Estou vendo a Jucepa caminhar para uma evolução tecnológica onde não vamos mais usar papeis”, diz.
Não sem motivo a Jucepa carrega o lema “História e Modernidade Caminhando Juntas”. Sem esquecer seu passado, que acaba de ser resgatado em uma obra premiada com um dos mais importantes prêmios da literatura brasileira – “Marcas do Tempo”, livro que reúne estampas e logomarcas registradas da Junta Comercial entre os anos de 1895 e 1922, eleito um dos vencedores do Prêmio Jabuti – a Jucepa investe para que o futuro seja promissor. “Estamos buscando a certificação ISO para melhorar nossos procedimentos e servir ao usuário cada vez melhor e com qualidade”, conta a presidente, ressaltando que a meta é colocar a Junta Comercial do Pará entre as cinco melhores do Brasil.
Integração
Um dos maiores desafios da Jucepa em seus 140 anos é promover a integração dos 144 municípios paraenses à rede que simplifica o registro de empresas no Estado, o sistema Integrador Pará. Hoje, 58% das empresas ativas no Pará são atendidas pelo Integrador e 17 municípios assinaram o convênio para adesão. Ampliar essa rede e tornar o registro empresarial cada vez mais simples, célere e eficiente é o desafio para os próximos anos. “A passagem de números representativos de décadas sempre resultam em uma reflexão sobre o caminho percorrido e as alternativas para a manutenção ou correção de rumos. Para mim é uma satisfação presidir tão importante autarquia e servir ao público buscando a melhoria continua”, finaliza a presidente da Jucepa.

Texto:
Anna Peres

Jovens egressos da Fasepa conquistam vagas no mercado de trabalho
Em meio aos desafios relacionados à inserção de adolescentes e jovens egressos do sistema socioeducativo no mercado do trabalho, a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) faz reuniões regulares com os que trabalham no Supermercado Formosa por meio do Programa Bolsa Aprendiz. O encontro do mês de outubro ocorreu na última segunda-feira (28), no auditório da fundação, dando continuidade às ações de acompanhamento e orientações aos jovens e familiares.
A iniciativa faz parte da parceria da Fasepa com o Ministério Público do Trabalho (MPT), em conjunto com instituições públicas e empresas da iniciativa privada. O objetivo é auxiliar na qualificação dos jovens para o mercado de trabalho oferecendo o primeiro emprego, com foco na formação cidadã.
“Estou trabalhando há um mês, e está sendo muito bom porque hoje tenho mais consciência e responsabilidade do que quero na vida. Recebi essa oportunidade, esse voto de confiança, e pretendo crescer profissionalmente e ajudar minha família. É bom estar aqui participando desse encontro porque a gente se sente melhor e com mais força para mudar de vida”, declarou um jovem de 18 anos, que está há seis meses em liberdade assistida e participa do projeto.
As reuniões com os jovens e familiares ocorrem mensalmente e fazem parte de um conjunto de ações para acompanhar e debater aspectos positivos e negativos dentro das dinâmicas de trabalho, como assiduidade, responsabilidade, respeito, organização, metas, linguagen e aparência, entre outros. O encontro teve a exibição de vídeos motivacionais, roda de conversa usando conceitos das práticas restaurativas e troca de experiências entre os participantes.
A coordenadora de de Regionalização e Municipalização da Fasepa, Elinete Santos, disse que onze adolescentes trabalham somente no Formosa. “É importante para que possamos reintegrá-los à sociedade. Eles têm não só a oportunidade do aprendizado profissional, mas também condições de serem cidadãos de bem. Acompanhamos o jovem egresso durante um ano, quando ele recebe progressão de medida ou quando ele tem encerramento da medida socioeducativa. Fazemos as visitas domiciliares, acompanhamos as famílias e damos os encaminhamentos necessários para que ele trilhe uma carreira profissional”, disse.
O Programa Bolsa Aprendiz garante ao jovem os mesmos direitos trabalhistas de um trabalhador assalariado convencional. Além disso, o jovem precisa ter boas notas e frequência em sala de aula. O jovem tem a carga horária de meio período, carteira de trabalho assinada, meio salário mínimo e auxílio transporte. Trabalha por um ano, dependendo do rendimento. Após esse período, pode ser contratado para integrar o quadro funcional da empresa, de acordo com a necessidade.

Texto:
Alberto Passos

Seleção de Handebol planta árvore no Mangueirinho e deixa legado ambiental
Acostumadas a tomar açaí como fonte de energia, antes ou depois dos treinos, as integrantes da Seleção Brasileira Feminina de Handebol, que está em Belém para o II Torneio Quatro Nações, tiveram uma experiência diferente. Na manhã desta quarta-feira (30), elas plantaram uma muda de açaí na área externa da Arena Guilherme Paraense, o Mangueirinho. “Por onde passa a Seleção Brasileira de Handebol, tanto a feminina quanto a masculina, tenta deixar um legado. Não só do esporte, divulgando a modalidade, mas também mostrando que estamos preocupados com a causa do meio ambiente”, disse a diretora de Marketing da Confederação Brasileira de Handebol, Glória Sperandio.
Campeã mundial em 2013 e considerada a melhor jogadora do mundo em 2014, a armadora Duda é uma das mais entusiasmadas no consumo de açaí. Como boa parte dos sulistas, a catarinense costuma tomar o fruto misturado a leite condensado, granola e banana. Em  Belém, ela ficou encantada ao ver que os paraenses tomam açaí com peixe. Mais experiente do grupo, com 30 anos, a atleta foi escolhida para plantar a muda, junto com a mais nova, Bruna, 20 anos. “Foi muito simbólico porque o açaí, pelo que a gente acabou de saber, é um fruto que germina rápido, e o nosso objetivo aqui nesse ginásio, que é um dos melhores que conheci, é inspirar bastante gente para entrar no esporte. Foi uma experiência diferente e muito gratificante”, disse Duda.
O secretário de Estado de Comunicação, Daniel Nardin, recebeu os agradecimentos do presidente da Confederação Brasileira de Handebol, Manoel Oliveira, e falou da satisfação do governo de abrir as portas da Arena Guilherme Paraense pela primeira vez a uma competição oficial. “O Mangueirinho esta aí não só para receber vocês e grandes eventos, mas também para inspirar histórias, sabendo que vocês servem de exemplo para muitas crianças”.
A Seleção Brasileira Feminina de Handebol é a melhor colocada das Américas e ocupa o 13º lugar no ranking mundial, entre mais de 200 países. Depois de ficar entre as oito melhores na Olímpíada Rio 2016, o grupo disputa em Belém a primeira competição depois dos jogos olímpicos. O II Torneio Quatro Nações começa nesta quinta-feira (1), na Arena Guilherme Paraense, com a participação de Brasil, Uruguai, Cuba e Eslováquia.
Qualidade – Desde o dia 24 na capital paraense, a delegação brasileira está encantada com a recepção do público e com o novo ginásio poliesportivo, inaugurado em outubro deste ano. O coro de elogios à estrutura da Arena Guilherme Paraense e ao apoio recebido do Governo do Estado foi reforçado pelo presidente da Confederação Brasileira de Handebol, Manoel Oliveira, que chegou na tarde desta terça-feira a Belém e quer continuar fazendo do Mangueirinho o palco de grandes competições disputadas pelas seleções. “Esse torneio em Belém será apenas o primeiro de muitos. Já pensamos no próximo Pan-Americano aqui. Ele servirá como seletiva para o campeonato mundial. O que nos despertou para essa ideia é a qualidade da arena, que com certeza está entre as melhores do Brasil”, destacou.
“A federação vem trabalhando junto à confederação há algum tempo, e a gente vem amarrando algumas ações. Assim como tivemos esse torneio aqui, o Pan-Americano é um sonho que pode se tornar real”, reiterou a presidente da Federação Paraense de Handebol, Lúcia Martins.
Público para essa e outras competições no futuro não vai faltar. A torcida paraense vem marcando presença nas arquibancadas da Arena Guilherme Paraense desde o primeiro treino da seleção, na última segunda-feira. Acompanhada da mãe, Patricia Furtado, a pequena Luiza, 11 anos, aluna da Escola Nossa Senhora de Lourdes, em Icoaraci, é mais do que uma fã entusiasmada do esporte: quer virar jogadora de handebol.“ Desde o início, quando soube que a Seleção Brasileira de hHandebol viria para cá, fiquei ansiosa. Só de ver essas meninas treinando aqui, pertinho de mim, é uma grande emoção, e me motiva ainda mais a treinar e ser igual a elas”.
Até a próxima competição no Mangueirinho, a árvore de açaí já deve estar germinando. Como símbolo de uma seleção que passou pela Arena Guilherme Paraense e deixou frutos. Fora e dentro das quadras.

Texto:
Syanne Neno

Governador recebe gestores da Aspas e da Câmara de Comércio e Indústria Nipo-Brasileira
O governador Simão Jatene foi convidado a participar da solenidade de entrega do Troféu Fornecedor Destaque 2016, oferecido pela Associação Paraense de Supermercados (Aspas), como reconhecimento ao desempenho das empresas que investem em qualidade de produtos e serviços e na excelência das relações comerciais com o setor supermercadista. O convite foi entregue pelo presidente da Aspas, José Santos de Oliveira, durante o encontro realizado na manhã desta quarta-feira (30), no Palácio do Governo.
“O setor supermercadista é um grande empregador e gera empregos em todo o Pará. Temos muito orgulho em poder contribuir com o desenvolvimento do estado”, destacou José Santos de Oliveira, presidente da Aspas, ao informar que o setor também foi atingido pela crise econômica que o país atravessa, mas que tem se mantido firme diante dos desafios de desenvolvimento.
O governador Simão Jatene lembrou que a administração pública, em diferentes aspectos, se compara à administração das empresas, que precisam se planejar e se reestruturar para diminuir os prejuízos causados pela crise econômica. “O Estado precisa investir, manter estruturas, pagar pessoal, tal como o setor privado. Constantemente avaliamos nossas contas para saber de que forma podemos melhorar os nossos gastos a fim de manter a máquina funcionando”, exemplificou.
Serão homenageadas com o Troféu Fornecedor Destaque 2016 as empresas CCGL, Dismelo, Distribuidora Castelo, Facepa, Frimesa, Josapar, Mariza Alimentos, Ocrim e Okajima Distribidora. O evento será realizado na sede Campestre da Assembleia Paraense, no dia 3 de dezembro. Na mesma noite será empossada a nova diretoria da Aspas, eleita para o Biênio 2016-2018, tendo à frente o empresário Jorge Maria Portugal dos Santos, também presente no encontro.
A reunião contou ainda com a participação do presidente da Câmara de Comércio e Indústria Nipo-Brasileira do Pará (INBP), Fernando Yamada - que na ocasião entregou ao governador o convite para a festa de confraternização da Câmara de Comércio e Indústria Nipo-Brasileira do Pará (INBP) - e dos empresários Yozo Yamamoto, Eduardo Yamamoto, Tomoaki Kishimoto e Shoji Yamanaka.

Texto:
Dani Filgueiras

Iasep prorroga a suspensão de genitores
A direção do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) prorrogou para o final de janeiro a suspensão dos segurados genitores com pendência de documentação junto ao órgão, prevista para ocorrer nesta quarta-feira (30). A decisão de prorrogação levou em consideração as solicitações de servidores que ainda estão com documentação sob análise da gestão do plano.
“Para que não se coloque em risco o segurado que está se regularizando, vamos analisar caso a caso a situação cadastral desses genitores, num esforço concentrado para atender especialmente aqueles que residem distante da capital”, afirma o gerente de Cadastro do Iasep, Renato César.
Antes de realizar efetivamente as suspensões, o Iasep deverá publicar uma nova lista de segurados, retirando da situação de irregularidade os dependentes com documentação recentemente validadas pelo setor de Cadastro. A documentação exigida são as certidões dos genitores, emitidas pelo INSS, Igeprev e regime previdência municipal onde estão residindo.
Mais informações sobre o recadastramento podem ser obtidas no site do Instituto (iasep.pa.gov.br) ou pelos telefones (91) 4006-7991 / 4007-7929 / 4006-7964 / 4006- 79514006- 7941, de 8h as 15h.
Onde obter as certidões em Belém:
INSS - Avenida Nazaré, 79 - Nazaré. Telefone:(91) 3216-5159.
Igeprev - Av. Serzedelo Corrêa, 122 - Nazaré. Telefone: (91) 3198-1700.
Ipamb - Av. Almirante Barroso, 2070 - Marco. Telefone: (91) 3084-1320

Texto:
Ettiene Angelim

Serrarias flagradas com madeira ilegal são interditadas
Desde setembro a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), com apoio do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), vem desenvolvendo a Operação Tentáculos, de fiscalização ambiental, com base no mapeamento feito pela Gerência de Monitoramento do órgão estadual, que detectou irregularidades na exploração florestal na região sudeste do Pará.
Nesta terça-feira (29),  fiscalização aconteceu no município de Abel Figueiredo, onde foram interditadas cinco serrarias que, juntas, somavam 2000m³ de madeira de espécies variadas exploradas ilegalmente, o equivalente a quase 90 caminhões cheios de tora. A ação, que prossegue até o final do ano, resultou no fechamento de outras nove serrarias no município de Dom Eliseu e na apreensão de 1500 m³ de madeira em toras de espécies nobres como ipê, maçaranduba e angelim, entre outras, além de motosserras, carregadeiras e caminhões que faziam transporte ilegal dos produtos florestais.
Até agora, os principais ilícitos flagrados são a falta de documentação legal, ausência do Cadastro de Consumidores de Produtos Florestais (Ceprof) no sistema do órgão ambiental do Pará e do Cadastro Ambiental Rural (CAR) dos imóveis.

Texto:
Naiana G. F. M. Santos

Plano Existir terá espaço na Pará Negócios
Data da Pauta:
01/12/2016 18:00:00
Expira em:
04/12/2016 21h00
Local:
Hangar Convenções e Feiras da Amazônia
Endereço:
Avenida Dr. Freitas, s/n - Marco
Contatos:
Ascom NAC: Erika Torres (99101-6568)

Demonstrações da Língua Brasileira de Sinais (Libras), números de mágica, apresentações artísticas e musicais, contação de histórias, conversa com paratletas medalhistas, novidades tecnológicas e orientação para a inserção da pessoa com deficiência no mercado de trabalho. Essas são apenas algumas das atrações levadas pelo Plano Estadual de Ações Integradas à Pessoa com Deficiência (Existir) ao estande do Núcleo de Articulação e Cidadania na feira Pará Negócios. O evento terá início nesta quinta-feira (01) e prosseguirá até o dia 4 de dezembro, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia.
Além das ações do Plano Existir, no estande do NAC estarão expostos os artesanatos feitos por detentas da Cooperativa de Trabalho Arte Feminina Empreendedora - Coostafe, a primeira do país formada exclusivamente por mulheres presas; e pelos adolescentes custodiados pela Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa).
O público também poderá adquirir artesanato confeccionado nas oficinas do Curro Velho. Haverá ainda um espaço pra as crianças e jovens conhecerem o projeto Livro Solidário, coordenado pela Imprensa Oficial do Estado, que tem como objetivo incentivar a doação de livros entregues a comunidades carentes por meio dos Espaços de Leitura. E para os amantes da jardinagem, a opção são as  mudas de plantas ornamentais e envasados levados ao espaço pela Emater.
Pará Negócios - Promovida pela Associação Comercial do Pará (ACP), a quinta edição da Pará Negócios tem como slogan “Tudo em um só lugar”, e visa integrar empresas de diversos setores da região Norte em um intercâmbio de negócios e de tendências de mercado, em âmbito nacional e internacional. O evento tem o apoio do Conselho de Jovens Empresários (Conjove), Conselho da Mulher Empresária (CME) e do Conselho das Câmaras Setoriais da ACP.
Com 185 expositores e uma programação que concentra 70 palestras e cursos, a feira estará aberta para visitação a partir das 16h do dia 1º de dezembro, com cerimônia oficial de abertura programada para as 18h. A meta da organização é superar os números da edição anterior, que recebeu mais de 32 mil visitantes e gerou cerca de R$ 8 milhões em negócios. Os ingressos para a feira custam R$ 10,00, com meia entrada para estudantes (R$ 5,00). Algumas programações possuem valor diferenciado. Já a programação técnica será realizada de 8h as 12h e de 14h as 21h.Mais detalhes no site http://www.paranegocios.com.br/programacao.

Texto:
Erika Torres

Nota de Esclarecimento: Ações do Detran em Mãe do Rio
O Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran) informa que as ações que estão sendo desenvolvidas em Mãe do Rio atendem a uma recomendação do Ministério Público do município para que o órgão intensificasse sua atuação, no sentido de fiscalizar e combater as irregularidades no trânsito da cidade. Os agentes do Detran estão no município desde o último domingo (27) participando de operações com essa finalidade. Um veículo com registro de furto e roubo já foi apreendido pelos agentes.
Com relação aos incidentes ocorridos no municío na noite da última terça-feira (29), o Detran esclarece que as ações de fiscalização do órgão tem como objetivo principal tirar das ruas veículos irregulares ou sem condições de trafegabilidade, e lembra que é missão dos agentes de trânsito de todo o país fazer com que a legislação de trânsito seja cumprida, mas que a busca por um trânsito seguro é responsabilidade de todos: órgãos do Sistema Nacional de Trânsito e sociedade.
Quanto a possíveis excessos na condução da fiscalização por parte dos agentes, o Detran orienta os cidadãos a formalizarem, junto à Corregedoria do órgão, através dos links 'Fale Conosco' ou 'Ouvidoria', ambos disponíveis no site detran.pa.gov.br; uma denúncia para que sejam apuradas as condutas e tomadas as devidas providências.
O Detran informa também que não compactua com atos de violência e que qualquer situação que fuja à legalidade será devidamente apurada e, sendo configurados atos irregulares, submetida às medidas cabíveis.

Texto:
Aldirene Gama

Deputado pede celeridade nas investigações da morte de professora em São João da Ponta
A violência contra a mulher perdura e parece não ter data para acabar...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Ana L. Campos

Comissão de Constituição e Justiça aprova Projeto de Lei sobre serviços farmacêuticos

Hoje foi aprovado, na Comissão de Constituição e Justiça -CCJ, Projeto de Lei do deputado Milton Campos, que dispõe sobre os serviços farmacêuticos e os procedimentos de apoio permitidos em farmácias e drogarias no Estado do Pará...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Patrícia Baía





GOVERNO DO ESTADO: Nota de pesar
O Governo do Estado do Pará lamenta, com profundo pesar, a tragédia ocorrida na madrugada desta terça-feira (29), durante viagem da delegação da Associação Chapecoense de Futebol até a cidade de Medellín, na Colômbia, onde seria disputada a final da Copa Sul-Americana. Entre os atletas estava o jogador paraense Lucas Gomes, natural de Bragança. 
O Governo do Estado, através da Secretaria de Esporte e Lazer (Seel), já fez contato com familiares do jogador para prestar solidariedade e colocar as equipes do Estado à disposição para atuar no que for necessário. A Coordenação de Relações Internacionais do Governo do Estado do Pará (Cori) também já iniciou contato com o Ministério de Relações Exteriores para agilizar qualquer eventualidade.
Em nota, o governador Simão Jatene também prestou solidariedade aos familiares das vítimas. Ao encerrar a mensagem, o governador desejou ainda que “o exemplo de determinação de Lucas e tantos outros esportistas permaneça vivo entre todos nós, continuando a inspirar tantas crianças e jovens pelo país”.

Texto:
Governo do E. do Pará

Detentas produzem bonecas que serão doadas a crianças carentes no Natal
Entregar presentes no Natal não é mais uma exclusividade do Papai Noel. No Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua, região metropolitana de Belém, detentas que fazem parte da Cooperativa Social de Trabalho Arte Feminina Empreendedora (Coostafe), da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), confeccionaram com exclusividade 100 bonecas de pano, que estão à venda em uma exposição do Tribunal de Justiça do Estado (TJE). Os brinquedos serão doados para crianças carentes de uma comunidade no bairro do Aurá, no próximo dia 3 de dezembro, em programação natalina solidária na sede campestre da Associação dos Magistrados do Estado (Amepa). 
As bonecas estão sendo vendidas ao valor de custo de R$ 10. A venda também ajuda as internas do CFR a gerar renda para o sustento da família. “É uma dupla ajuda, porque além de divulgar o trabalho das detentas, ainda contemplará as crianças que estão sem brinquedos no Natal”, explica a diretora do CRF, Carmem Botelho.
O trabalho começou em 2013. Mais de 200 detentas já passaram pela Coostafe, o que tem ajudado a dar nova perspectiva para outras internas. “Em três anos, nenhuma das mulheres que participaram do projeto voltou para a cadeia”, diz a diretora. A primeira cooperativa de mulheres presas do Brasil é formada por detentas com bom comportamento. “Também é necessário demonstrar vontade para aprender”, destaca.
“A gente montou uma equipe para fazer as bonecas e nos dedicamos nesse trabalho. Queríamos que tudo ficasse muito bonito, pois sabemos que essa boneca vai fazer uma criança feliz. Eu me sinto muito feliz com isso. Tenho vários netos e sinto falta deles. Chega a doer a saudade, então ajudando essas crianças, é como se os estivesse ajudando”, disse a detenta Maria do Socorro Cruz, 53 anos.
Para a coordenadora de Cerimonial do TJE, Nadime Dahas, a parceria com a Susipe é um convite à solidariedade. “Estamos felizes com essa iniciativa das detentas do CRF. Além das bonecas estão sendo produzidos outros produtos natalinos, também feitos pelas mãos das detentas da cooperativa”, destacou. Peças artesanais, como tapetes, jogos americanos, bonecos de biscuit e decoração natalina também estão à venda na exposição do TJE, assim como 40 telas produzidas pelos detentos do Projeto Libert’Art, promovido pela Arquidiocese, por meio da Pastoral Carcerária, também em parceria com a Susipe.
“Nossa produção na Coostafe tem sido intensa para o Natal. Estamos desde o começo do mês trabalhando nessas peças, mas fazemos tudo com muito carinho e dedicação, pois o Natal é uma época importante. Sinto muita falta da minha família. O trabalho é uma forma de ocupar a cabeça e também de ajudar pessoas que precisam”, disse a detenta Rude de Souza Reis. A exposição de bonecas, artesanatos e das telas de pintura ficará no prédio sede do TJE, em Belém, até o dia 2 de dezembro. (Com informações da Ascom TJE)

Texto:
Timoteo Lopes

Ferramentas de gestão ambiental são apresentadas à Embaixada dos EUA
As ações e os dispositivos de gestão ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Programa Municípios Verdes (PMV) e Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Pará (Ideflor-bio) foram temas de reunião, na última segunda-feira (28), com membros da Embaixada dos Estados Unidos. O objetivo foi mostrar como o Pará tem avançado na busca pela sustentabilidade com as ferramentas implantadas nos últimos anos, em encontro na sede da Coordenadoria de Relações Internacionais do governo.
O secretário adjunto de Gestão e Regularidade Ambiental da Semas, Thales Belo, enfatizou o objetivo de tornar públicas as informações ao explicar como funcionam o Cadastro Ambiental Rural (CAR), o Programa de Regularização Ambiental (PRA), o Sistema Integrado de Monitoramento e Licenciamento Ambiental (Simlam), a Lista do Desmatamento Ilegal (LDI) e o Portal da Transparência. Ele também deu destaque às iniciativas do Pará que olham para o futuro da sustentabilidade, como os boletins de queimadas, o Sisflora 2.0 (Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais) e o Programa de Redução de Emissão de Gases do Efeito Estufa Provenientes do Desmatamento e da Degradação Florestal (Pregeed).
A gestão participativa com apoio da sociedade também foi apresentada a partir do aplicativo Governo Digital, no qual cidadãos podem denunciar irregularidades ambientais, evitando desmatamentos, queimadas e ajudando a resolver dilemas com ajuda da tecnologia. Sobre a descentralização da gestão ambiental, Thales Belo também falou sobre as caravanas ambientais de capacitação da Semas, que tem ajudado os municípios a exercerem com autonomia a gestão nas cidades. Dos 144 municípios do Estado, 107 já são aptos a fazer a gestão independente.
Parcerias com órgãos como a ONU Habitat e a importância da Assessoria de Inteligência de Segurança Corporativa da Semas também foram assuntos do debate com os membros da embaixada dos EUA. Houve ainda espaço para relatar as experiências bem sucedidas em ações policiais que coibiram crimes ambientais e prenderam criminosos, cinco delas no último ano. “Nosso trabalho contempla várias áreas de atuação com investimentos em tecnologia e inteligência, fazendo a socioeconomia e a regularidade ambiental caminharem juntas, com internalização, integração e sustentação”, avaliou o secretário, que também demonstrou todo o sistema organizacional de setores da Semas.
Gerando benefícios ambientais, sociais e econômicos, o Ideflor-bio atua na proteção das terras e na regulamentação do acesso as áreas florestais no Estado. O instituto teve metas e resultados expostos pelo presidente, Thiago Valente, que explicou como funcionam a arrecadação de fundos, o apoio aos pequenos produtores e as causas sociais do trabalho. A coordenadora de gestão ambiental do PMV, Juliane Moutinho, também apresentou as diretrizes do programa, que tem mais de 100 municípios cadastrados e 15 com o selo de Município Verde.
A equipe da embaixada dos EUA se demonstrou impressionada com o empenho que está guiando o funcionamento das ferramentas ambientais do Estado. Randy Fleitman, diplomata recém-chegado ao Brasil, considera esse tipo de encontro de extrema relevância. “Os Estados Unidos e o Brasil enfrentam os mesmos desafios em relação ao combate de más práticas ambientais, emissões de carbono e mudanças climáticas. Precisamos trabalhar juntos desenvolvendo políticas que façam jus aos acordos que fizemos em Paris (na COP-21). O compromisso do Brasil e do Pará com o desmatamento líquido zero deve ser protagonista dessas ações. Foi muito bom vir aqui para aprender sobre os esforços do Estado. Estou mais esperançoso após conhecer tudo sobre esse trabalho árduo”, avaliou.
Participaram ainda do encontro os assessores Maria Theresa Slaudeman, Joshua Edington, David Fangergreen e o diplomata Hady Elneil; o secretário adjunto de Gestão Administrativa e Tecnologias da Semas, Claudio Lima, e o diretor de Tecnologia da Informação, Cássio Rodrigues, além da coordenadora de Relações Internacionais do Governo, Larissa Chermont. A atividade faz parte da vontade da Semas e do Governo do Pará em trocar experiências, conhecimentos e expertise sobre a administração dos recursos naturais e da Amazônia. Recentemente, membro do governo da Indonésia também tiveram a chance de conhecer o trabalho ambiental do Estado.

Texto:
Naiana G. F. M. Santos

Fundação Pro Paz e Sedap ofertam curso de chocolateria no Mangueirão
O polo Mangueirão do Pro Paz nos Bairros ofertou nesta terça-feira (29) um curso gratuito de chocolateria para pessoas que moram em bairros localizados no entorno do projeto, a maioria pais de crianças e adolescentes entre 8 e 18 anos atendidas pela fundação. A oficina, que vai até quarta (30), é resultado da parceria entre a Fundação Pro Paz, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e o chef chocolatier paraense De Mendes, referência gastronômica nacional por desenvolver produtos criados a partir de cacau nativo ou selvagem, cultivado por comunidades tradicionais amazônicas, como quilombolas, indígenas e ribeirinhos.
O curso mostra como produzir pequenos brindes a partir de chocolate de origem amazônica, e panificação, com técnicas para produção de chocotone (panetones com chocolate), amplamente comercializados durante o Natal. Foram ofertadas e preenchidas 30 vagas, 20 para a comunidade atendida pelo projeto e dez para o público externo.
A vontade de aprender foi o que levou a dona de casa Shirley Oliveira, 30, a procurar os cursos oferecidos às famílias atendidas pela Fundação Pro Paz. Moradora do distrito de Icoaraci e com um filho de 10 anos matriculado nas atividades do polo Mangueirão, ela já ganha dinheiro produzindo sandálias e adereços de cabelo estilizados, técnica que também aprendeu no Pro Paz. “Sempre quis trabalhar com alimentos, principalmente com doces. O curso vai ajudar a incrementar a renda em casa e melhorar nossa festa de fim de ano”, disse.
Para a autônoma Adriana Moraes, que já produz bolos e chocolates para venda, o curso é uma oportunidade de enriquecer a técnica. “Já participei de um curso de comidas típicas aqui no polo e foi muito proveitoso. O curso é importantíssimo, pois muitos pais vão aproveitar para ganhar dinheiro e oferecer uma vida melhor aos filhos”, opinou. Outro participante é Michael Gomes, 30, morador da Cabanagem e pai de filhos matriculados no projeto. “Trabalho com venda de salgados. Não poderia perder a oportunidade de participar de um curso com um profissional como esse”, frisou.
Segundo o chef De Mendes, o objetivo da parceria com a Fundação Pro Paz e a Sedap é criar oportunidades de geração de renda para a população e contribuir com a divulgação dos insumos de excelente qualidade encontrados na Amazônia. “São noções básicas das técnicas do chocolate, mas que podem fazer com que essas famílias iniciem a produção de produtos em casa, usando chocolate da região. Além do mais, estamos ajudando a divulgar como são valiosos os produtos encontrados na nossa terra”, detalhou.
Para a secretária adjunda da Sedap, Eliana Zacca, “esta é a consolidação de uma importante parceria da secretaria com a Fundação Pro Paz no sentido de oferecer alternativas para geração de renda a famílias em situação de vulnerabilidade social, como parte do programa de desenvolvimento da cadeia produtiva do cacau e chocolate que tem, entre as ações, melhorar a qualidade do chocolate artesanal produzido no Estado apresentando novas técnicas de produção e estimulando o uso de matéria prima local”.
Para a coordenadora do Pro Paz nos Bairros, Mônica Altman, os cursos também têm o objetivo de disseminar a cultura de paz por meio do fortalecimento familiar. “Além da oportunidade de geração de renda, queremos oferecer a esses pais e mães iniciativas que melhorem a qualidade de vida das famílias por meio das atividades da fundação. Daí a importância de unir forças com a Sedap e profissionais como o De Mendes para fazer isso de forma especial”, pontuou.
O chef De Mendes tem graduação em Química Industrial, Engenharia Química e licenciatura em Química. É especialista em Ciências Ambientais, Tecnologia de Polpa de Frutos, Gestão de Qualidade na Indústria de Alimentos e Tecnologia de Produtos de Origem Animal, além de pós-graduado em Chocolataria Gourmet na Escola Castelli de Chocolataria (RS). Também é mestre em Química de Produtos Naturais e Tecnologia de Alimentos. Nos últimos dez anos, o profissional estuda a Amazônia e seus insumos em expedições em busca de cacau nativo e outras especiarias da floresta que tenham uso tradicional, a partir de indicativos de comunidades de populações tradicionais.

Texto:
Nil Muniz

Seminário em Altamira discute os danos causados pelo uso de drogas
A Coordenadoria de Prevenção, Tratamento e Redução de Danos do Consumo de Drogas (Cenpren) da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) participou na última segunda-feira (28) do seminário “Drogas, redução de danos, direitos humanos e saúde” em Altamira, sudoeste do Pará.
O evento foi promovido pela Secretaria Nacional de Política Sobre Drogas do Ministério da Justiça, em parceria com a Prefeitura de Altamira. Na ocasião, a técnica em Cidadania e Direitos Humanos da Sejudh, Elayne Romário, participou de uma discussão sobre intersetorialidade no cuidado ao usuário de drogas.
Para ela, o seminário foi importante para integrar o trabalho das organizações que atuam na prevenção e redução de danos causados por uso de drogas. “Com o debate, avançamos na integração das nossas políticas públicas de Estado com as do município de Altamira. Essas ações resultarão na redução de danos, no cuidado e na proteção dos direitos humanos de pessoas que usam drogas”, avaliou.
Para fortalecer a articulação entre a sociedade civil organizada e o poder público nas esferas municipais e estaduais, haverá nesta quarta-feira (30) uma reunião para discutir a implantação do Conselho Municipal Sobre Drogas de Altamira (Comad). Com o objetivo de acelerar a efetivação do conselho municipal, a reunião contará com uma equipe do Conselho Estadual Sobre Drogas (Coned), órgão colegiado e autônomo vinculado à Sejudh.
“O Coned fará uma sensibilização no município, dando esclarecimentos necessários para a efetivação do Comad, que é um órgão imprescindível para o controle social das políticas sobre drogas”, explicou Elayne Romário, que também é conselheira do Coned. Na reunião, ela vai representar o conselho estadual junto com a assistente social Ana Chama.

Texto:
Leba Peixoto

Municípios recebem equipamentos para reforçar a gestão ambiental
Representantes dos municípios paraenses de Bannach, Bom Jesus do Tocantins, Prainha, Rio Maria, Santo Antônio do Tauá, São Domingos do Araguaia e Viseu estiveram em Belém nesta terça-feira (29) para receber equipamentos da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), no Parque Estadual do Utinga.
Cada prefeitura recebeu duas motocicletas e quatro capacetes, adquiridos pela Semas com recursos do Fundo Estadual de Meio Ambiente (Fema). O objetivo é dar mais suporte à gestão ambiental local e desenvolver atividades, como promover educação ambiental e ações de monitoramento e fiscalização.
Os prefeitos Sidney Moreira, de Bom Jesus do Tocantins, e Cristiano Vale, de Viseu, agradeceram pela parceria com o governo na concessão dos equipamentos e comentaram que as ferramentas serão importantes para o desenvolvimento das atividades das secretarias de meio ambiente locais. O secretário de agricultura e presidente do conselho de meio ambiente de São Domingos de Araguaia, Lourival Barbosa, também elogiou a ação do governo do Estado. “Nossa secretaria já está habilitada. Nossos técnicos já estão capacitados. Receber esses equipamentos vai nos ajudar muito no andamento das atividades”.
A ação faz parte do projeto de Fortalecimento da Gestão Ambiental Integrada entre o Governo do Pará e municípios. Este ano, foram entregues, anteriormente, outras 25 motocicletas, adquiridas pelo Fundo Amazônia com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES). A previsão é que em 2017 a Semas continue fornecendo equipamentos para outros 107 municípios, aptos para exercer a gestão ambiental local.

Texto:
Naiana G. F. M. Santos


Sespa lança programa “Pré-natal do parceiro” em alusão à campanha “Novembro Azul”
Nesta quarta-feira, 30, a partir das 8 horas, profissionais que compõem a Coordenação Estadual de Saúde do Homem da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) farão o lançamento do programa “Pré-natal do parceiro”, como parte das estratégias do guia homônimo lançado em agosto deste ano pelo Ministério da Saúde. O objetivo é orientar o homem a exercer a paternidade desde o planejamento reprodutivo do casal, passando pela fase do pré-natal, parto e atenção às crianças, por meio da realização de exames de rotina, de testes rápidos, da atualização da carteira vacinal e da participação nas atividades educativas nos serviços de saúde.
O coordenador estadual de Saúde do Homem, Carlos Sales Júnior, informa que o lançamento do programa acontecerá no auditório da Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan) e marcará o início de uma proposta de pré-natal para os homens, a ser discutida e pactuada com os gestores municipais para ser implantada nos serviços de atenção básica mantidos pelas prefeituras. De acordo com informações do Ministério da Saúde, o programa já foi adotado por municípios como São Paulo, Rio de Janeiro, São Luís, Salvador, Goiânia, Maceió e Teresina, como parte da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH).
O público alvo é formado por homens jovens e adultos, entre 20 e 59 anos, que fazem parte do escopo de cerca de 55 milhões pelos quais a política é responsável no país. Na prática, o programa recomenda o seguinte: ao chegar à unidade de saúde, o parceiro pode ser atendido por um profissional de saúde e realizar exames, como sorologia para hepatite B e C, HIV e sífilis, diabetes, colesterol e pressão arterial, além de receber informações sobre o risco e a prevenção das doenças sexualmente transmissíveis (DST). Caso necessário, serão solicitadas consultas complementares e também a realização de outros exames preventivos.
“Será preciso um empenho grande dos municípios pela adesão ao programa”, diz Carlos Sales Júnior, ao lembrar que a iniciativa pode contribuir para reduzir a transmissão vertical da sífilis e do HIV e preparar o homem para a prática efetiva da paternidade, visto que o guia orienta apoio à parceira durante toda a gestação, além dos cuidados básicos com o recém-nascido, como as orientações que favorecem à amamentação, conforme as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).
Serviço - O evento acontecerá nesta quarta-feira, 30, de 8 as 12 horas, no auditório da Seplan, situado na avenida Doca de Souza Franco, esquina com a travessa Boaventura da Silva. Para mais informações, a Coordenação Estadual de Saúde do Homem atende pelo e-mail cesh.sespa@gmail.com.

Texto:
Mozart Lira

Lideranças comunitárias participam de oficina de Educação Fiscal
Na manhã desta terça-feira (29), vinte lideranças comunitárias de bairros de Belém e Ananindeua, participaram da oficina “Educação Fiscal - um convite à cidadania”, ministrada pela servidora Marinea Carvalho, da Secretaria da Fazenda (Sefa), que atua no Grupo de Educação Fiscal. Promovido pelo Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), do Governo do Pará, o curso destina-se à capacitação do terceiro setor.
“A oficina serve pra gente refletir sobre o nosso papel, como agimos e como isso influencia no coletivo, de um modo geral. Nos faz pensar sobre a participação de cada um nas mudanças que queremos para o mundo, no espírito de solidariedade e de nacionalidade. Quem não conhece o trabalho de quem atua nas comunidades tem uma visão errada dessas ações. Se a sociedade não entender para que servem os tributos a sua função social se perde. O cidadão precisa compreender que deveres e direitos andam juntos”, disse Marinea.
A oficina foi ministrada no auditório da Governadoria, do Palácio do Governo, e expôs os fundamentos da cidadania como instrumento de participação social e de controle das atividades do Estado, para despertar na comunidade a consciência de que este é um direito civil e político de todos. “Também foi uma oportunidade para refletirmos sobre a tributação e sua função social e a gestão de recursos públicos”, explicou a coordenadora do Grupo de Educação Fiscal, Zilda Benjamim.
A apresentação foi feita utilizando dinâmicas que tornaram o encontro mais interativo e proporcionaram maior integração entre os participantes. Alessandra Souza, que atua como assistente social na Associação Filantrópica Icuí Solidário (AFIS), avaliou a iniciativa do NAC como muito positiva. “Interessante poder conhecer outras organizações e pessoas que desenvolvem trabalhos diferentes dos nossos. Isso ajuda a formar uma rede de organizações na qual podemos nos apoiar e nos fortalecer. Achei o conteúdo interessante, as reflexões levam a gente a sair da zona de conforto”, explicou.
Nesta quarta-feira (30), a mesma oficina será ministrada para um novo grupo de lideranças comunitárias que fazem parte de entidades da Organização da Sociedade Civil (OSC`s). A intenção do NAC é ampliar a oferta de cursos para a comunidade, em parceria com a Sefa. “Esse foi apenas o pontapé inicial dessa parceria para que em 2017 possamos desenvolver novos cursos e qualificar mais pessoas do terceiro setor”, contou Eliane Andrade, da coordenadoria de Qualificação Comunitária do NAC.

Texto:
Erika Torres

Iesp certifica 155 profissionais da área de segurança pública
Data da Pauta:
01/12/2016 09:00:00
Expira em:
01/12/2016 14h00
Local:
Auditório CIABA - Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar
Endereço:
Rodovia Arthur Bernardes, nº 245 - Pratinha
Contatos:
Camila Magno: 98172-5711

Setenta e nove oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Pará recebem nesta quinta-feira (01), os certificados de formação no Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais CAO/2016, com Especialização em Defesa Social e Cidadania, e no Curso Superior de Polícia e Bombeiro Militar CSP BM/2016, com Especialização em Gestão Estratégica e Defesa Social. A solenidade de formatura será no auditório do Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (CIABA), às 9h.
O Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais tem como objetivo formar profissionais da área de segurança pública, tendo em vista a atual complexidade da sociedade brasileira e seus múltiplos problemas referentes às questões sociais, econômicas e políticas. A cada ano, o curso avança no sentido de promover uma educação cada vez mais integrada e que contemple as vertentes éticas, políticas, administrativas, jurídicas e operacionais da atuação desses profissionais.
A curso teve carga total de 400 horas/aula, concluídas em dez meses. Nos primeiros lugares da classificação por desempenho no curso ficaram:
1º: Capitão QOPM José João de Azevedo Corrêa, da Polícia Militar do Pará;
2º: Capitão QOPM Jacson Barros Sobrinho, da Polícia Militar do Pará;
3º: Capitã QOPM Priscila do Nascimento Viana, da Polícia Militar do Pará.
O Curso Superior de Polícia e Bombeiro Militar, Especialização em Gestão Estratégica e Defesa Social, está ligado à Coordenadoria de Ensino Superior do Iesp e permite acesso na escala hierárquica de oficiais dentro da instituição, sendo requisito para os oficiais superiores (majores e tenentes coronéis) atingirem o último posto (coronel). A turma foi composta por 76 oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Pará e somou carga de 380 horas/aula, concluídas em dez meses. Os destaque por desempenho ficaram com:
1º Lugar: Ten Cel QOPM Leno Márcio Barros do Carmo, da Polícia Militar do Pará;
2º Lugar: Ten Cel QOPM Robson Augusto Boulhosa Bezerra, da Polícia Militar do Pará;
3º Lugar: Ten Cel QOPM Benedito Tóbias Sabbá, da Polícia Militar do Pará.
Entre as autoridades confirmadas no evento estão o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Jeannot Jansen da Silva Filho; o diretor do Iesp, Ten. Cel Alisson Gomes Monteiro; o comandante geral da PM, Roberto Luiz de Freitas Campos; e o comandante geral em exercício do Corpo de Bombeiros do Pará, Cel. BM Augusto Sérgio Lima de Almeida.
Serviço: Formatura do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais CAO/2016, Especialização em Defesa Social e Cidadania, e do Curso Superior de Polícia e Bombeiro Militar CSP BM/2016, Especialização em Gestão Estratégica e Defesa Social. Dia 01/12, às 9h, no auditório do Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (CIABA), localizado na rodovia Arthur Bernardes, nº 245 - Pratinha (Icoaraci).
Sugestão de entrevistas:
- Secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Jeannot Jansen da Silva Filho
-  Diretor do IESP, Ten. Cel Alisson Gomes Monteiro
- Oficias concluintes do curso

Texto:
Camila Magno

Alepa se solidariza com familiares e amigos de vítimas de acidente aéreo na Colômbia
A Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) deseja força às famílias e amigos das dezenas de brasileiros que perderam a vida no trágico acidente na Colômbia...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Rogério Paiva

STF Retoma julgamento de ação que pede regulamentação da Lei Kandir
Data da Pauta:
30/11/2016 14:00:00
Expira em:
30/11/2016 18h00
Local:
Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF)
Endereço:
Praça dos Três Poderes – Brasília
Contatos:
Pascoal Gemaque – (61) 9 8250 4587

O Supremo Tribunal Federal retoma nesta quarta-feira (30), o julgamento da ação movida pelo Estado do Pará que pede ao STF que determine ao Congresso Nacional a definição de critérios e regras de compensação aos Estados exportadores pelas perdas decorrentes da desoneração das exportações, conforme previsto na Lei Kandir. O julgamento foi iniciado na semana passada e até agora oito dos onze ministros já se pronunciaram, sendo seis por meio de voto, todos a favor do estado do Pará. 
Nesta quarta-feira, deverão ser proferidos oficialmente os votos dos ministros Ricardo Lewandowski e Celso de Mello e da ministra presidente do STF, Carmem Lúcia. O procurador-geral do Estado, Ophir Cavalcante Júnior, e toda a equipe da Procuradoria do Estado em Brasília acompanharão a sessão, que tem início marcado para as 14 horas.Todas as sessões do STF são transmitidas pela TV Justiça, Rádio Justiça e no canal do STF no YouTube.

Texto:
Bruna C.

Polícia Militar orienta lojistas sobre segurança durante festas de fim de ano
Data da Pauta:
30/11/2016 10:00:00
Expira em:
30/11/2016 12h00
Local:
Sede do Comando de Policiamento da Capital
Endereço:
Tv. Vileta, 1832 (Entre Duque de Caxias e Visconde de Inhaúma) - Marco
Contatos:
Ascom PM: Cristiani Sousa (98474-2672)

Com a aproximação das festas de fim de ano, o fluxo de pessoas pelo centro comercial de Belém aumenta consideravelmente. A maior circulação de dinheiro no comércio exige máxima atenção dos ógãos de segurança pública e de lojistas. Por isso, a Polícia Militar, representantes do Sindlojas, empresários e representantes de shopping centers participarão de uma reunião para tratar de assuntos relacionados à segurança no centro comercial neste fim de ano.
Durante o encontro, além das orientações de segurança, será lançado o projeto de "Rede de Segurança", criado a partir de um aplicativo de mensagens instantâneas


Texto:
Cristiani Sousa

Sistema de Segurança Pública apresenta resultados da "Operação Tapera"
A Polícia Civil divulgou, nesta segunda-feira (28), durante coletiva à imprensa, os resultados da "Operação Tapera", realizada nos últimos sete dias, na região do rio Gurupi, divisa do Pará com o Maranhão. A operação do Sistema Estadual de Segurança Pública resultou na destruição de mais de 175 mil pés de maconha e na apreensão de 90 mil mudas da erva, mais de 15 quilos de sementes, dez quilos de maconha seca e já beneficiada e cinco prensas usadas no preparo da droga para o tráfico, além de duas armas de fogo. Ao todo, 42 roças de maconha foram localizadas nos seis dias de operação.
A operação abrangeu as cidades de Cachoeira do Piriá, Nova Esperança do Piriá, Viseu e Garrafão do Norte. Do total de roças localizadas, 32 estavam na região de Cachoeira do Piriá, e somam uma área equivalente a 100 campos de futebol. Foi a maior apreensão de drogas realizada este ano. A coletiva contou com as presenças do secretário de Segurança Pública do Pará, Jeannot Jansen; do delegado geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino; dos diretores operacionais da Polícia Civil, Silvio Maués e João Bosco Rodrigues; do diretor da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), delegado Hennison Jacob; do diretor do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, Orlando Salgado, e do coronel Leão Braga, comandante de Missões Especiais da PM.
Iniciada no último dia 21, a ação policial envolveu mais de 50 agentes de segurança pública, entre policiais civis e militares, peritos criminais e equipes do Grupamento Aéreo, que utilizaram helicópteros para sobrevoar a região e localizar as roças da droga no meio da mata. Segundo o delegado Hennison Jacob, um suspeito de ser responsável pelo cultivo na região já foi identificado. "Ele chegou a ser preso recentemente, em flagrante, com 40 quilos de maconha, mas foi solto", detalha, ao salientar que as investigações vão continuar para prendê-lo. Ele ressalta que os donos dos terrenos onde estavam as plantações serão chamados para prestar explicações.
As áreas onde foram encontradas as plantações de maconha ficam na região do Alto Rio Guamá, às margens do rio Gurupi, e estão localizadas em propriedades particulares. O trabalho policial contou com apoio do Grupamento Aéreo do Maranhão, que também estava fazendo o mesmo trabalho no lado do estado vizinho. A meta da operação foi erradicar o cultivo da erva na região e identificar os responsáveis pelos plantios. De acordo com o delegado geral, por ser constituído de um terreno bastante fértil a área é propícia para o cultivo da erva na região.
Foram encontrados nesses roçados materiais usados no plantio, como baldes, galões para transporte de combustível e barracas de lonas plásticas montadas nas plantações. Foram apreendidas ainda armas de fabricação caseira, conhecidas como "bofetes", usadas em armadilhas no meio da mata. O secretário de Segurança Pública destacou, durante a coletiva, a integração dos órgãos do Sistema de Segurança Pública para o sucesso da operação, que contou com apoio do Governo do Estado do Maranhão, e adiantou que em razão da grande extensão da área usada para o cultivo da droga, outras operações deverão ser realizadas.
Jansen pontuou também o trabalho desenvolvido pela Denarc, unidade policial recém inaugurada para atuar de forma específica na repressão ao tráfico de drogas no Estado. "A Denarc deixa de ser uma promessa de uma nova etapa no combate ao tráfico de drogas para ser uma realidade", frisou.

Texto:
Walrimar Santos

Oficina de Educação Fiscal faz um convite à cidadania
Data da Pauta:
29/11/2016 09:00:00
Expira em:
30/11/2016 9h00
Local:
Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC)
Endereço:
Avenida Doutor Freitas, 2531 - Marco
Contatos:
Ascom Sefa: 3323-4210

Nos dias 29 e 30 de novembro será realizada no Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), do governo do Estado, a Oficina de Educação Fiscal, um convite à cidadania, ministrada pela servidora Marinea Carvalho, da Secretaria da Fazenda (Sefa), que atua no Grupo de Educação Fiscal.
O evento é aberto à comunidade e tem o objetivo de apresentar os fundamentos da cidadania como instrumento de participação social e de controle das atividades do Estado, além de despertar a consciência da cidadania como um direito civil e político de todos, e alertar para a importância da participação do cidadão no controle social do Estado. “Também é uma oportunidade para refletirmos sobre a tributação e a gestão de recursos públicos. Falamos, por exemplo sobre a função social do tributo”, explica a coordenadora do Grupo de Educação Fiscal, Zilda Benjamim.
Os temas que serão abordados no encontro são: "O que é cidadania?", "Construindo a cidadania" e "Instrumentos da cidadania". A apresentação vai ser feita utilizando dinâmicas, para tornar o encontro mais interativo e proporcionar maior integração entre os participantes.

Texto:
Ana M. Pantoja

Governo inicia processo licitatório para obras do BRT Metropolitano
Nesta terça-feira, 29, o Governo do Estado inicia o processo licitatório para a reestruturação da BR-316 e a construção do BRT Metropolitano, com a publicação da Licitação Pública Internacional N.º 001/2016 – NGTM. O Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM) é o órgão responsável pelo processo licitatório e pela execução e implantação do empreendimento e, portanto, receberá as propostas dos licitantes para a execução das obras.
A partir da publicação de início da licitação, as empresas interessadas em participar do projeto podem obter o Edital de Licitação, através do cadastro e download no site http://www.ngtm.com.br
A licitação será conduzida por meio de procedimentos e diretrizes aplicáveis para Aquisições Financiadas por Empréstimos ODA do Japão e, está aberta a todas as licitantes de países-fonte elegíveis. O diretor geral do NGTM, Cesar Meira, explica que a partir de agora, as empresas interessadas têm 50 dias para entregar suas propostas.
As propostas devem ser entregues na sede do NGTM, até às 9h (horário local) do dia 17 de janeiro de 2017, acompanhadas por uma garantia no valor de R$10.500.000,00 (dez milhões e quinhentos mil reais). Mais informações poderão ser obtidas na sede do NGTM, na avenida Gentil Bittencourt, 1.539, ou através do telefone (91) 3110-8450.
“Considerando o tempo que as empresa têm para elaborar suas propostas, somadas ao período de julgamento, incluindo recursos e demais procedimentos legais, a previsão é de que dentro de seis meses, ou seja, em julho do próximo ano, iniciaremos as obras, na rodovia BR 316”, informa o diretor, ao explicar que o projeto beneficiará os moradores de toda a Região Metropolitana de Belém.
O início do processo licitatório foi possível depois que o presidente Michel Temer assinou, no último dia 9, a autorização cedendo um trecho da BR-316 ao Governo do Pará. Há mais de um ano e meio que o governo do Estado vinha negociando essa concessão com o governo Federal. O governador Simão Jatene, principal articulador da concessão, sempre expôs à União a necessidade da estadualização desse trecho.
Com a concessão pela União, o trecho de 16,3 quilômetros que vai do Entroncamento até Benevides, na interseção com a entrada de Benfica, além da Alça Viária, poderá ser administrado pelo Estado, que executará obras para melhorar o fluxo do tráfego no perímetro.
Mobilidade - Encerrados os trâmites licitatórios e, após assinatura do contrato com a empresa vencedora da licitação, o governo do Estado começará os trabalhos na rodovia. As obras já contam com recursos da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), com contrapartida do Estado e incluem: duas pistas, sendo uma em cada sentido, com quatro faixas em cada uma delas (uma exclusiva para o BRT). Haverá nova iluminação de LED, nova drenagem, pavimentação, calçadas arborizadas, ciclovias bidirecionais nas duas extremidades, 13 passarelas por sentido para travessia de pedestres, paisagismo, enfim, uma nova via que vai mudar a cara desse trecho da BR-316.
O diretor Cesar Meira destaca que não será cobrado pedágio e que com a cessão de uso desse perímetro, o governo passa a ser responsável pela manutenção da via e o governo federal, pela fiscalização. Meira também frisa que nunca foi investido um valor tão considerável em obras de mobilidade no Pará. Junto com o BRT Metropolitano essas obras representam um investimento de mais de R$ 1 bilhão.
O BRT Metropolitano representa um investimento na ordem de R$ 530 milhões. Ele faz parte de um sistema que foi pensado para trabalhar integrado com outros projetos executados pelo governo do Estado, como a avenida Independência (orçada em R$120 milhões), já concluída; a duplicação da avenida Perimetral (R$ 77 milhões), cuja primeira fase já foi executada e entregue e a segunda está em andamento e o prolongamento da avenida João Paulo II (R$ 300 milhões) que está em andamento com previsão de entrega para o segundo semestre de 2017. 
"Esse é o maior programa de mobilidade urbana executado até hoje, não só pela complexidade das obras, mas também pelo montante muito expressivo, pois nunca foi investido um valor como este na mobilidade urbana, principalmente em um momento de crise como este que o país vive. Esse conjunto de obras vai trazer mais qualidade de vida não só para a população da região metropolitana de Belém, mas para todos aqueles que trafegam pela via”, avalia Cesar Meira.
No fim de 2013, o NGTM deu início ao processo licitatório internacional para a elaboração do projeto executivo e execução do gerenciamento da obra do BRT Metropolitano e, em fevereiro de 2014 foi assinado o contrato com o Consórcio Troncal, vencedor desse certame. O consórcio é constituído por quatro empresas, duas brasileiras e duas japonesas. O projeto executivo já foi concluído e o prazo de execução dessa obra é de 19 meses.

Texto:
Manu Viana

Crianças e adolescentes atendidos pelo Pro Paz participam de aula com Seleção de Handebol
O estudante Gabriel Silva, 17 anos, pisou na Arena Guilherme Paraense, o Mangueirinho, pela segunda vez, nesta segunda-feira (28). A primeira foi na inauguração, em outubro, quando estava na plateia, já a segunda vez foi totalmente diferente: dentro da moderna quadra atuando como jogador de handebol. Um momento especial para o adolescente que, enquanto atuava como goleiro, era observado de perto pela atleta da Seleção Feminina de Handebol, a catarinense Duda, considerada a melhor jogadora do mundo, em 2014.
Gabriel faz parte do projeto Pro Paz nos Bairros, Polo Mangueirão, há 9 anos. Além dele, outras 49 crianças e adolescentes atendidas pelo projeto, participaram da programação com a Seleção de Handebol que está em Belém para a disputa do II Torneio Quatro Nações. A competição será realizada de 1 a 3 de dezembro, na Arena Guilherme Paraense, e terá a participação de Cuba, Eslováquia e Uruguai.
O estudante da Escola Estadual Costa e Silva sonha em se tornar um jogador de handebol. “Me sinto um privilegiado por estar aqui, jogando nesse ginásio novo e tão bonito. Aprendi muito sobre regras e agora fiquei ainda mais estimulado pra tentar virar um jogador de handebol”, disse o jovem.
As crianças e adolescentes da Fundação Pro Paz tiveram uma hora de oficina teórica e prática com o auxiliar técnico da Seleção, Alex Aprile. O Torneio Quatro Nações abre oficialmente o calendário da Seleção Feminina de Handebol após os Jogos Olímpicos Rio 2016, quando terminou entre as oito melhores equipes do mundo. Das 16 atletas da seleção que vieram a Belém, oito estiveram nas Olimpíadas. A equipe passa por uma renovação, sob o comando do técnico dinamarquês Morten Souback e se prepara para o Pan-americano do ano que vem, ainda em local indefinido.
Após o primeiro dia de treinos para o torneio em Belém, a comissão técnica  se dedicou aos ensinamentos com a garotada. A prática é recorrente em todas as cidades brasileiras por onde a seleção passa, com um projeto social local escolhido. “Pra nós é um prazer ter esse tipo de contato com a população de Belém e saber que a gente deixou uma semente de motivação”, disse o técnico da seleção brasileira.
“Nosso maior objetivo, além de aproximar as crianças de seus ídolos, é popularizar o handebol além da escola, onde eles têm uma prática informal. Estamos felizes por terem nos recebido muito bem aqui, junto ao Governo do Estado, com uma organização fantástica, nesse ginásio maravilhoso que é o Mangueirinho”, disse a supervisora da Seleção, Rita Orsi.
“Esse dia eles vão levar pra vida toda. Essas crianças têm no Pro Paz um porto seguro, não é mais a segunda casa deles e sim a primeira. A partir dessa experiência com a Seleção Brasileira, essas crianças vão fortalecer a confiança e a autoestima para o futuro”, comemorou a coordenadora do Pro Paz Mangueirão, Shirley Santos.
Ingressos - Seis mil ingressos estão à disposição do público para serem trocados por um quilo de alimento não perecível, em dez pontos de Belém. A troca começou na manhã desta segunda-feira e vai até o dia 30 de novembro, das 8 às 12h e das 14 às 18h.
O estudante Lucas Silva, 18 anos, tentou jogar futebol, mas não deu certo. Hoje virou um espectador apaixonado de esportes. Chegou bem cedo ao Mangueirinho, um dos pontos de troca, para garantir dois ingressos para o torneio, na quinta e sexta-feira. “É muito legal ter essa oportunidade. Já vim para inauguração e agora já estou ansioso também para o jogo de vôlei, pela Super Liga e também pretendo ver outros esportes aqui”, disse.
Na Sede Social do Paysandu, outro dos dez postos de troca. O ex-jogador da Seleção Paraense de Handebol, Mauro Begot, também cumpria a missão. Ele veio de Salvaterra, na região do Marajó, para trocar cinco quilos de alimento por cinco ingressos para toda a família prestigiar o jogo de sábado, provavelmente a final do torneio. “É muito importante o Governo do Estado organizar esses jogos, para estimular os jovens  que sentiam a falta de atrações”, disse. A empolgação é compartilhada pela esposa, Rosália Begot: “É muito interessante também por ser de caráter beneficente. Além de assistirmos a um jogo de alto nível, vamos contribuir com a população”, finalizou.


Texto:
Syanne Neno

Marituba recebe campanha da Cosanpa para regularização de débitos
A campanha Conta em Dia, da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), vai estar nesta terça-feira (29) na Associação de Moradores do Conjunto Marituba 1, na Travessa SN 7, Quadra L, para atender os clientes que estão em atraso com a conta de água e querem negociar o débito. O atendimento vai até sexta-feira, 2 de dezembro, no horário de 9h às 16h; no sábado, 3, haverá ação social em Marituba para emissão da segunda via da carteira de identidade e corte de cabelo, entre outros serviços. A partir do dia 5, os inadimplentes terão o serviço interrompido. A campanha Conta em Dia vai até o fim do ano, com descontos de até 90% na conta principal e retirada de juros, multas e atualizações monetárias. Mais informações no site www.cosanpa.pa.gov.br.

Texto:
Andrea Cunha

Pró-Saúde contrata profissionais para o Hospital Regional de Santarém
A Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar está com vagas abertas para quatro cargos no Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, oeste do Pará. Os interessados devem enviar currículo para trabalheconosco@hrbaprosaude.org.br, informando o cargo desejado no assunto do e-mail. Para todas as funções é garantido vale-transporte.
Cargos:
Farmacêutico
Atividade: atuar nas atividades de dispensação de medicamentos quimioterápicos e para tratamento de dor, bem como orientação quanto ao uso dos remédios;
Requisito: ensino superior completo em Farmácia. Conhecimento técnico acerca de controle de estoque, em especial medicamentos da Portaria 344 e Antibióticos;
Cargas horária: 180 horas mensais.
Telefonista
Atividade: fazer e receber ligações internas e externas; cumprir normas e regulamentos do hospital; emitir relatórios administrativos;
Requisito: ensino médio completo ou cursando ensino superior;
Carga horária: 180 horas mensais.
Enfermeiro
Atividade: prestar serviço assistencial de enfermagem hospitalar.
Requisito: ensino superior completo em Enfermagem; registro atualizado no Conselho Regional de Enfermagem do Pará;
Carga horária: 220 horas mensais.
Técnico de Enfermagem
Atividade: prestar serviço assistencial de enfermagem hospitalar;
Requisito: ensino médio completo; curso técnico em Enfermagem; registro atualizado no Conselho Regional de Enfermagem do Pará;
Carga horária: 180 horas mensais.

Texto:
Joab Ferreira

Seaster oferece curso sobre economia solidária para servidores do Estado
Com o objetivo de aprofundar as discussões sobre economia solidária com técnicos e gestores públicos, a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), em parceria com a Escola de Governança Pública do Pará (EGPA), promove nesta semana o curso “Empreendedorismo da economia solidária: novo desafio frente à realidade”. A capacitação começou nesta segunda feira (28), no auditório da secretaria, e teve a presença de servidores de diversos órgãos e instituições.
Participaram do curso funcionários da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema), secretarias de Estado de Saúde Pública (Sespa) e de Educação (Seduc) e Universidade do Estado do Pará (Uepa), além da própria Seaster.
A coordenadora do curso, Rosana Rodrigues, falou sobre a oportunidade que deveria ser aproveitada pelos servidores participantes e sobre a importância da pontualidade e da frequência, que são fundamentais para se obter aprendizados reais. “O curso foi solicitado pela Seaster, porque a secretaria viu a necessidade de qualificar os servidores e fazer com que eles se tornem multiplicadores dessa ideia”, disse.
“No empreendedorismo, o indivíduo busca uma atividade para garantir renda, lucro. Na economia solidária, também existe empreendedorismo, mas com uma lógica diferente. Ela contempla grupos como artesãos, quilombolas, assentamentos e comunidades rurais que precisam se organizar. Essa política proporciona isso, mas também visa a autogestão e uma harmonia em busca de um objetivo comum, com distribuição de renda igualitária”, pontuou o secretário adjunto da Seaster, Everson Costa. Ele ainda atentou para o fato de que somente 34% dos trabalhadores têm relações formais de trabalho no Pará. Nesse contexto, a economia solidária seria uma alternativa.
Herlem Ferro, mestra em economia social solidária e desenvolvimento sustentável, ficou responsável por ministrar o conteúdo do curso e, após uma breve contextualização acerca do surgimento e da história da economia solidária, enfatizou que essa política não pertence a nenhum partido político. “Ao contrário do que se pensa, a economia solidária não está atrelada a esse ou àquele partido. Ela surgiu da necessidade dos trabalhadores de se organizarem”, explicou. Emanuel Santos, da Fasepa, falou sobre a expectativa em relação ao curso: “Espero agregar mais conhecimento e ser um multiplicador desses valores”.

Texto:
Inara Soares

Aluno do Pro Paz é destaque nas Paralímpiadas Escolares
Gabriel Figueiredo, 16 anos, mais conhecido como Gabrielzinho, é figura conhecida nas piscinas do polo Pro Paz UFPA. Há cinco anos, quando iniciou as atividades no núcleo, ele sonhava em ser jogador de futebol, mas começou a se destacar na piscina e foi incentivado pelos treinadores da Fundação a investir nesse talento. E agora começa a colher os resultados desse investimento. Gabriel foi um dos representantes do Pará nas Paralimpíadas Escolares 2016, realizadas este mês, em São Paulo, e de onde trouxe para o estado quatro medalhas: três de prata uma de bronze.
Gabrielzinho integrou a delegação paraense composta de 101 pessoas, sendo 64 atletas, que competiram nas modalidades de goalball, bocha adaptada, natação, atletismo, futebol de 7, tênis de mesa e judô. As Paraolimpíadas Escolares são organizadas pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Ministério do Esporte e Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE), e este ano contou com a participação de 24 estados mais o Distrito Federal, reunindo 903 atletas paralímpicos. 
Em São Paulo, Gabriel mostrou porque é uma promessa da natação paralímpica paraense. Foi segundo lugar nos 100 metros costa, nos 50 metros livres e nas quatro modalidades, além de conquistar um terceiro lugar nos 100 metros livres. Depois da comemoração no pódio, o discurso já estava na ponta da língua: "Dedico essas medalhas primeiramente ao Pro Paz, que me ajudou a realizar sonhos e me possibilitou conhecer lugares que eu nunca imaginei visitar. O programa dá oportunidades para vários jovens com histórias parecidas com a minha, pessoas que poderiam viver isoladas, mas que, ao contrário, são integradas à comunidade e estimuladas a superar seus limites”, disse.
A história de Gabriel é parecida com a de muitos outros jovens atletas: em razão da baixa estatura (menos de 1,50 m), resultado de uma deficiência nas duas pernas causada por um acidente que comprometeu o desenvolvimento dos membros inferiores, ele poderia estar fadado a permanecer em uma cadeira de rodas a vida inteira. Mas desde criança Gabrielzinho se recusou a aceitar sua condição e encontrou no esporte uma ferramenta de condicionamento que o ajudou a fortalecer os músculos e o transformou em um exímio nadador.
O atetla treina há cinco anos no polo do Pro Paz nos Bairros da Universidade Federal do Pará (UFPA) e coleciona vitórias em competições estaduais. O objetivo agora, segundo ele, é participar das paraolimpíadas mundiais, em Tóquio. “Estou focado em treinar para as seletivas da paralímpíada nacional que acontecerão no Rio de Janeiro e, se tudo der certo, quero chegar as paralímpiadas em Tóquio. Quero mostrar pra outros jovens como eu que nenhum sonho é impossível, basta acreditar”, finalizou.

Texto:
Mayara Albuquerque





EU JÁ COMPREI O MEU INGRESSO ANTECIPADO. E VOCÊ, VAI FICAR DE FORA?



Governo abre licitação para contratar organizadora do concurso da Susipe
A Secretaria de Estado de Administração (Sead) vai contratar empresa ou instituição especializada para prestar serviços de planejamento e execução do concurso público da Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe). O edital de concorrência pública (do tipo técnica e preço) foi publicado no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (28).
Este será o segundo concurso público da Susipe para agentes prisionais e com vagas ainda para cargos administrativos (nível médio) e técnicos em gestão penitenciária (nível superior). A organizadora escolhida vai publicar o edital do certame e ficará responsável pela elaboração, impressão e aplicação das provas, que devem ocorrer em 2017.
“O primeiro concurso para agentes prisionais foi em 1980, e de lá para cá não houve mais nenhum. Hoje só temos dois servidores concursados em atividade dessa época. Então esperávamos há muito tempo por este concurso, e para que ele saísse do papel, foram necessárias várias modificações na Lei n° 6.688/ 2004, pois ela exigia apenas nível médio do agente, e com a nova Lei 8.322/ 2015 já exigimos cursos de capacitação e qualificação, entre outras necessidades para o cargo”, explica o diretor de Gestão de Pessoas da Susipe e também membro da comissão especial de licitação, Saidy dos Santos.
A Lei n° 8.322, que moderniza e reestrutura a Susipe, foi publicada em dezembro de 2015 no Diário Oficial do Estado. A elaboração da lei foi iniciada ainda no ano de 2011, com a finalidade de modernizar o sistema penitenciário para as condições atuais, já que a lei anterior, de 2004, não abrangia as mudanças ocorridas ao longo dos anos. O texto original, ainda na forma do Projeto de Lei nº 272/ 15, apresentado à Assembleia Legislativa, foi aprovado, por unanimidade, pelos 31 deputados estaduais. Com a nova lei, após o concurso, todos os agentes prisionais no Pará terão porte de arma e passarão a ser responsáveis pela segurança das unidades prisionais do Estado.
"Até março de 2017 já estaremos publicando o edital do concurso público, porque temos que observar todos os prazos decorrentes do processo licitatório, que são prazos legais. Exatamente quando se tem uma licitação por técnica e preço, o nível de seleção é bem mais amplo e exige cuidado maior”, explica a titular da Sead, Alice Viana.
Seleção – A prova para agente prisional será dividida em duas fases. A primeira será composta de prova objetiva de conhecimentos específicos, avaliação psicológica , exame médico, prova de aptidão física e investigação social. A segunda fase terá o curso de formação profissional, no Instituto de Ensino e Segurança do Pará (Iesp), com carga horária mínima prevista de 400 horas.
"Demos mais um passo importante para o concurso, e a partir da própria qualificação da estrutura organizacional da Susipe, que passou a contar com uma Corregedoria mais forte e atuante. Com a atualização da legislação em relação ao processo de seleção dos profissionais, teremos uma qualificação bem maior, tanto do ponto de vista da organizadora, como do processo de escolha dos candidatos que estarão aptos a ingressar no sistema, inclusive com um curso de formação bem mais amplo e extenso como parte do processo de seleção desses profissionais", ressalta Alice Viana.
A previsão é que o concurso deva abrir, inicialmente, 500 vagas para o cargo de agente prisional, além de vagas para assistente administrativo (nível médio) e técnicos em gestão penitenciária (nível superior) com formação em serviço social, psicologia, pedagogia, medicina, arquitetura e engenharia civil, entre outras. A Sead ainda não definiu o quantitativo de vagas para os quadros administrativo e técnico.
A licitação do concurso da Susipe será aberta no dia 16 de janeiro de 2017, às 10h (pelo horário de Brasília), no auditório da Sead, em Belém. A íntegra do edital está disponível no portal eletrônico de compras do Governo do Estado do Pará, na página www.compraspara.pa.gov.br. Até o concurso, a Susipe continuará a contratação de servidores temporários, em processos seletivos simplificados, com base nas leis complementares estaduais 7/ 91 e 77/ 2011. Mais informações: processoseletivo.susipe.pa.gov.br.

Texto:
Timoteo Lopes


Sessão Especial homenageia contador e apresenta Frente Parlamentar da Contabilidade
A Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) realizou na manhã desta segunda-feira (28/11), uma Sessão Especial em homenagem ao Dia do Contador, comemorado no dia 22 de setembro...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Dina Santos
www.alepa.pa.gov.br

Revista Veja destaca o controle das contas e a estabilidade financeira do Pará
Não é das melhores a situação financeira de diversos Estados da federação. Em tempos de crise, saber gerir com austeridade e responsabilidade os recursos públicos e traçar estratégias para se manter diante da instabilidade é fundamental. É o que vem acontecendo com o Pará. O Estado ganhou destaque na edição desta semana da revista “Veja”, em situação de equilíbrio das contas diante do cenário de calamidade pública decretado pelo Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.
A matéria, assinada pelos jornalistas Giuliano Gandalini e Marcelo Sakate, aponta que mesmo com a ajuda financeira do governo Federal, que deve dividir uma parcela de R$ 4 bilhões arrecadados com a repatriação de dinheiro do exterior, os Estados ainda enfrentarão sérias dificuldades. Estima-se que 20 devem atrasar o 13º salário de servidores neste fim de ano, fora as demais despesas com fornecedores.
Os efeitos da crise também atingiram o Pará, no entanto, o governo estadual já vinha adotando medidas de contenção de despesas que hoje permitem ao Estado continuar honrando compromissos e pagando em dia o salário do funcionalismo. Esta situação garantiu ao Estado a classificação da situação fiscal com a nota B+, a melhor entre todos os Estados e o Distrito Federal, segundo avaliação de crédito feita pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Ministério da Fazenda.
O Tesouro avalia a capacidade de pagamento das dívidas estaduais com notas que variam entre A+ (excelente) e D– (pior). Nenhum Estado aparece nesses extremos, mas Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul – que recentemente decretou estado de calamidade pública –, estão entre as piores avaliações, com índice D. Governos com notas C e D não recebem autorização para novos financiamentos.
Além do corte de despesas, com redução de secretarias – como no caso do Rio Grande do Sul, que deve passar de 20 para 17, e privatização de estatais – a revista também destaca a necessidade de ajustes mais profundos nas contas públicas dos Estados, entre elas a reforma do regime previdenciário dos servidores.
Para o economista Darcy Francisco Carvalho, entrevistado da revista e autor do estudo “Por que os Estados não se equilibram orçamentariamente”, as medidas são corretas, porém insuficientes. “Se aprovadas, vão amenizar o desequilíbrio. O problema maior está na previdência estadual, mas, para corrigi-la, é preciso que haja mudança federal, na Constituição”, afirmou.
Trabalho – Na última semana, o governador Simão Jatene e demais gestores estaduais estiveram reunidos com o presidente Michel Temer para discutir estratégias para o maior controle de gastos. Na oportunidade também foi criado um fórum permanente, com câmaras técnicas e secretarias, em que serão avaliadas e fechadas propostas coletivas com o governo federal no que diz respeito à reforma previdenciária e à busca por financiamento de investimentos, levando em consideração a realidade de cada Estado.
“Isso foi pactuado pelos governadores e passa a ser um instrumento permanente com as equipes, que deverão reunir-se permanentemente com técnicos do governo federal para, acima de tudo, rediscutirem a federação brasileira”, afirmou Simão Jatene. Para o governador, o pacto firmado tem como vantagens ser suprapartidário. “Ele coloca as populações dos Estados e seus interesses acima de diferenças e cores de bandeiras dos partidos e aceita que as dívidas existem e precisam ser pagas, mas não de forma homogênea”, destacou.
Saiba mais:

Texto:
Lidiane Sousa

Jucepa integra unidades do interior e aprimora atendimento ao usuário
Representantes das unidades desconcentradas da Junta Comercial do Pará (Jucepa) de todo o Estado estão em Belém para participar do 9º Encontro Estadual de Unidades Desconcentradas da Jucepa, que vai de segunda (28) a quarta-feira (30), na sede da Junta Comercial, em Belém. “O objetivo é promover a uniformidade dos procedimentos e, com isso, melhorar o atendimentos ao cliente, além é claro de integrar a equipe. Isso é muito importante para a qualidade do serviço que prestamos”, afirmou a presidente da Jucepa, Cilene Sabino, durante a abertura do encontro.
Participam do evento coordenadores de 19 das 23 unidades desconcentradas, que funcionam como coordenadorias regionais da Jucepa e permitem que o registro das empresas passe a ser feito na própria cidade. Na prática, isso representa mais facilidade para a regularização das atividades empresariais nos municípios e, consequentemente, leva à melhoria da arrecadação de 30% a 40%, tanto para o Estado quanto para os municípios.
O encontro, que ocorre até duas vezes por ano, promove a aproximação entre a sede, em Belém, e as unidades no interior do Estado, para tratar justamente da unificação dos procedimentos de abertura, alteração e encerramento de empresas, bem como dos procedimentos administrativos para o bom funcionamento das unidades. “É uma grande troca de experiências entre coordenadores de unidades e sede, para que se aproximem. Isso se reflete no atendimento, com mais agilidade no fluxo dos processos”, garante a diretora do Registro Mercantil, Iêda Lúcia Carvalho.
Durante os três dias de evento ocorrem mesas redondas temáticas com os diversos setores da instituição, tanto para promover a integração da equipe quanto para apresentar e debater serviços, padronização de procedimentos, modernização e novidades nos fluxos processuais, instruções normativas e estrutura tecnológica, entre outros.
Coordenador da unidade desconcentrada de Santarém, uma das mais movimentadas do Estado em termos de entrada de processos, Enok Rego participa dos encontros desde a primeira edição. Para ele, é uma oportunidade de atualização. “A legislação, por exemplo, está sempre mudando, e precisamos estar atualizados para repassar isso ao cliente. Aqui é o lugar ideal para isso. Os encontros têm contribuído muito para a melhoria do atendimento nas unidades da Jucepa no interior do Estado”, enfatiza.

Texto:
Anna Peres

Banpará expande rede e consolida bom desempenho no cenário nacional
O Banco do Estado do Pará (Banpará) inaugurou nesta segunda-feira (28) a primeira agência no município marajoara de Melgaço. É a oitava agência aberta desde 2010 no arquipélago e a 66ª unidade - somando-se também os postos de atendimento - instalada desde que se iniciou um esforço estratégico para ampliar e fortalecer a rede de atendimento do banco em todo o Estado, de forma a contribuir com o desenvolvimento das mais diversas localidades do Pará. Somente em Melgaço vivem 26,1 mil habitantes, que agora passam a contar com todos os serviços que a instituição oferece.
A expansão da rede atesta a saúde financeira e o bom desempenho do banco estadual no cenário nacional. Até fevereiro de 2017 a previsão é que mais seis unidades sejam instaladas, totalizando 114 e 97 municípios atendidos. A meta do Banpará é alcançar todos os 144 municípios paraenses com pelo menos uma agência até o final de 2019.
Um balanço geral do crescimento do banco estadual expõe o avanço da sua presença em todo o Estado, num cenário onde, recentemente, grandes instituições financeiras, como o Banco do Brasil, tendem a fechar agências para reduzir custos e investir em outras frentes de atendimento. Em dezembro de 2010, o Banpará tinha apenas 42 agências instaladas em 57 dos 144 municípios paraenses. Ao final de 2016, terá um saldo de 109 agências instaladas (um avanço de 257% em unidades de atendimento) em um total de 93 municípios do Estado (um crescimento de abrangência da presença do banco no Pará de 161%).
Em contraste a esse cenário, o Banco do Brasil anunciou no último dia 21, que 402 agências serão fechadas, 379 serão transformadas em postos de atendimento e 31 superintendências em diversos municípios serão encerradas. Com a reorganização, quatro agências serão fechadas no Pará - todas em Belém. A reestruturação de agências e o estabelecimento de um plano de aposentadoria incentivada pelo BB quer gerar uma economia anual de R$ 3,798 bilhões. A instituição bancária mais antiga do País diz que as mudanças fazem parte do plano para ampliar o seu atendimento por meios digitais.
Avanços – Além da abertura de novas agências, uma das prioridades do Banpará até 2018 é também modernizar as instalações já existentes – inclusive com a transformação de postos de atendimento em agências. O banco hoje investe firmemente na ampliação, modernização e revitalização das unidades que já funcionam em 92 dos 144 municípios do Pará.
Mais de R$ 7,6 milhões foram investidos em locações e reformas de imóveis, aquisição de mobiliário, máquinas e equipamentos. Nos últimos cinco anos foram instaladas 67 novas agências, incluídas todas as ainda previstas para serem abertas e entregues até o final deste ano.
Nesse contexto, além de regiões como o sul e sudeste paraenses, que já contam com 80% de cobertura da rede bancária estadual, o Banpará estabeleceu o arquipélago do Marajó como uma de suas prioridades de investimentos. Em 2010, o banco tinha unidades apenas em Afuá, Breves e Salvaterra. Com a ampliação da rede de atendimento, Anajás, Muaná, Soure, Curralinho e Melgaço já foram contempladas. Ponta de Pedras, Cachoeira do Arari e Portel serão os próximos municípios a receberem uma agência bancária. Até o final de 2018 espera-se que todos os 14 municípios do arquipélago já tenham suas próprias agências do Banpará.
“Esse esforço de expansão é percebido muito claramente nos municípios em que o banco inaugura agências, onde elas ainda não existiam. Em um ano nota-se a mudança no comércio e na economia locais, porque, além de levar crédito, serviços e inclusão bancária à população e às empresas instaladas, a presença do banco faz com que o dinheiro circule naquele município. Um servidor deixa de receber seu salário em outro município e o dinheiro passa a circular na cidade em que ele vive”, pontua Jorge Antunes, diretor de crédito e fomento do Banpará.
Por sua vez, o esforço do Banpará em atendimento oferecido para além das agências, que já se converte em novos serviços via internet e celular, inclui a instalação de uma agência para atendimento totalmente digital – aos moldes que nenhuma instituição bancária ainda oferece hoje no País - prevista para 2017. Será como em várias agências que muitos bancos do exterior já oferecem. Nelas, o cliente pode realizar diversos serviços, da emissão automática de um novo cartão a acesso a talões de cheques, sem necessitar de nenhum funcionário. A nova agência está planejada para funcionar no bairro do Umarizal, em Belém.
Solidez - O avanço refletido na ampliação do número de agências do Banpará se soma a bons números gerais da saúde administrativa da instituição estadual. Entre dezembro de 2010 e setembro de 2016, as operações de crédito do banco cresceram 401%, enquanto o lucro líquido avançou 152% (de R$ 71,3 milhões, em 2010, para R$ 108,6 milhões acumulados até setembro de 2016, com previsão de alcançar R$ 224 milhões até o fechamento do ano).
Da mesma forma, o ativo total e o patrimônio líquido do Banpará cresceram 293% entre 2010 e setembro de 2016. De R$ 264,1 milhões contabilizados em 2010, o patrimônio líquido do banco poderá chegar a R$ 860 milhões até o fim de 2016. Da mesma maneira, o ativo total do Banpará, que era de R$ 2,02 bilhões em 2010, poderá chegar a R$ 6,05 bilhões até o fim de 2016. A previsão é que o patrimônio líquido alcance a marca de R$ 1 bilhão ainda em 2018.
“E se queremos estar presente em todo o Estado, é justamente para alavancar essas economias deficitárias. A agência que será inaugurada em Melgaço é um exemplo. O município é o que tem um dos menores IDHs (Índice de Desenvolvimento Humano) do Brasil. O retorno financeiro de uma agência, para que se tenha de volta o investimento que foi feito para sua abertura, deve ser de 15 anos, mas não estamos preocupados com isso, e sim em oferecer crédito àquela localidade”, pondera o diretor-presidente do Banpará, Augusto Amorim.
Para Amorim, a lógica deve ser essa: que outras agências, que têm bom desempenho financeiro, ajudem a promover esse esforço. “Somos um banco estadual. Nossa missão maior é promover o desenvolvimento do Pará”. Em patrimônio líquido e em ativos, o Banpará já figura como a segunda maior instituição bancária do país, mas em termos de operações, expansões e de rentabilidade a acionistas ele está à frente de todos os bancos estaduais, até de grandes bancos nacionais, atesta o presidente.
Com 55 anos de funcionamento, o Banpará hoje contribui com cerca de R$ 80 milhões repassados anualmente aos cofres do Estado - que é o seu maior acionista, e para o qual são repassados 40% dos lucros ao ano. “O Banpará conseguiu fazer uma grande virada em termos de gestão desde 2010, e isso em muito se deve à postura do atual governo, de valorizar a autonomia enquanto instituição financeira e de fomento, e à capacidade das carreiras técnicas dentro do banco”, avalia Amorim.

Texto:
Lázaro Magalhães

Diretores de hospitais debatem planejamento em oficina da Sespa
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) iniciou nesta segunda-feira (28), na Escola de Governança do Pará (EGPA), a segunda oficina com gestores de hospitais públicos e conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS) para debater o processo de implantação do Plano Diretor Hospitalar do Pará, que vem sendo feito por meio de metodologia aplicada por técnicos do Laboratório de Inovação em Planejamento, Gestão, Avaliação e Regulação de Políticas, Sistemas Redes e Serviços de Saúde (Ligress), do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital do Coração (Hcor), a partir do protocolo do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS).
A reunião com os gestores corresponde à fase seguinte do ciclo de sete oficinas promovidas ao longo do ano para diretores de Centros Regionais de Saúde e técnicos dos setores de planejamento e de atenção básica da Sespa e de secretarias municipais. O objetivo é repensar a organização dos hospitais a fim de que se tornem resolutivos o suficiente para suportar demandas nos próximos 25 anos. Na ocasião, os participantes estão sendo capacitados para a aplicação do censo das unidades de saúde do Estado, da capital e do interior, incluindo as do serviço privado que mantêm convênio com o SUS, bem como na aplicação do pré-teste de instrumento.
O objetivo é montar um banco de dados atualizado, no qual estejam condensadas informações como número de unidades hospitalares existentes, leitos e serviços, entre outros. O censo será feito em duas etapas, a primeira feita com questionários que serão respondidos pelos gestores, e a segunda, in loco, pela equipe do Ligress.
De acordo com informações do Hcor, trata-se de um processo gradativo iniciado em 2011, quando foi feito o diagnóstico geral dos serviços hospitalares em todo o país com foco no número de leitos, tipologia de oferta versus necessidades sociais em saúde, perfis da estatística hospitalar, qualidade, segurança do paciente e regulação interna e externa. De forma simultânea, as discussões já vêm sendo feitas nos Estados do Amazonas e Espírito Santo.
O trabalho no laboratório será feito em cima de oito objetos específicos, que passam pelas reais necessidades da população residente na área, e pelos serviços essenciais, como centros de reabilitação, ambulatórios com especialidades e fluxos, além da readequação de políticas públicas que visem reduzir segmentos da saúde pública que são impactados pela violência, seja por meio do crime e de acidentes.
Conduzida pelas técnicas do Hcor Tatiana Onekura e Michele Escobar, a oficina teve a participação da secretária adjunta de Estado de Saúde, Heloisa Guimarães, que participou da primeira fase do trabalho, cujo segundo dia de atividades será marcado por visitas ao Centro Hospitalar Jean Bittar, Hospital Público Estadual Galileu, Hospital Ophir Loyola e Hospital de Clinicas Gaspar Vianna.
Prevista para ser concluída ao longo de 2017, a ação gradativa terá suporte técnico já oferecido pelo Hcor, que vai trazer, também em próximas oficinas, experiência de outros países onde estão implantados sistemas semelhantes que já superaram entraves, resultando em respostas que a região precisava.

Texto:
Mozart Lira

Instituto Carlos Gomes dá início ao processo seletivo da Musicalização
Candidatos inscritos no Processo seletivo 2016 da Musicalização lotaram o Instituto Estadual Carlos Gomes (IECG) na manhã desta segunda-feira (28). O teste é aplicado para crianças, adolescentes e jovens na faixa entre 07 e 19 anos. O estudante Elias Andrade, 7 anos, escolheu uma música da igreja que frequenta para cantar, chamada “Eu Estou Alegre”. E disse que ficou muito satisfeito com a prova. “O meu teste foi ótimo, eu consegui fazer tudo direitinho, exatamente como ensaiei”, comemorou.
O pai, Jonatas Andrade, está na expectativa para o resultado. “O Instituto Estadual Carlos Gomes tem uma expressão muito boa no meio musical e como o Elias tem vontade de tocar piano, a gente quer que ele tenha essa base do IECG. Já é o segundo ano que ele participa do teste e eu espero que dessa vez dê certo. Eu estou um pouco nervoso, mas ele, ao contrário, está bem tranquilo. Agora é esperar o resultado”.
Todos os exames estão sendo realizados no prédio do Instituto Carlos Gomes, localizado na Avenida Gentil Bittencourt, e prosseguem até o dia 2 de dezembro. Mais de 90 professores de música do IECG foram escalados para atuar nas Bancas Examinadoras incumbidas de avaliar os candidatos. Nesta segunda, alguns candidatos perderam o teste porque chegaram atrasados. Por isso, os inscritos devem ficar atentos ao horário da prova e comparecer com pelo menos 30 (trinta) minutos de antecedência.
O Processo Seletivo da Musicalização, que seleciona alunos para os programas A (7 a 9 anos), B (10 a 14 anos) e C (15 a 19 anos) é realizado uma vez por ano. Como a seleção não exige conhecimento prévio de um instrumento ou de teoria musical, o candidato será avaliado observando critérios de afinação, coordenação motora, percepção auditiva e reprodução sonora.
As inscrições para a Musicalização foram realizadas exclusivamente pela internet, por meio do site da FCG (www.fcg.pa.gov.br), no período de 17 a 21 de outubro. De acordo com a Coordenação Pedagógica do IECG, 3.934 candidatos se inscreveram para fazer o teste e 2.405 tiveram as inscrições homologadas. Este ano, foram ofertadas 400 vagas. O resultado será divulgado no dia 19 de dezembro. A matrícula dos novos alunos será realizada a partir do dia 16 de janeiro de 2017.
Confira as datas das provas de acordo com o programa e sua respectiva faixa etária:
Programa A (07 a 09 anos) - 28 e 29/11/2016
Programa B (10 a 14 anos) - 30/11 e 01/12/2016
Programa C (15 a 19 anos) - 02/12/2016

Texto:
Rosa Cardoso

Alunos dos polos Pro Paz nos Bairros Sacramenta celebram o Natal
A bailarina Ana Clara Azevedo, 12 anos, formada na Fundação Pro Paz e selecionada recentemente pela Escola de Teatro Bolshoi no Brasil, foi a estrela da festa de Natal do projeto Pro Paz nos Bairros, realizada na manhã desta segunda-feira (28), no polo Sacramenta. “Estou muito feliz por fazer parte dessa festa linda, pois foi um ano muito especial para mim, para minha família e para meus outros amigos que também foram selecionados pelo Bolshoi. Esse foi o melhor presente de Natal que nós poderíamos ter recebido”, declarou.
A festa, que contou com a participação de aproximadamente 100 crianças e adolescentes atendidos pelo projeto, teve a participação de pais, arte-educadores, professores e a visita do Papai Noel, que distribuiu brindes e posou para fotografias. Uma extensa programação foi preparada para a festa, com apresentações artísticas de dança e atividades de futebol, basquete, pingue-pongue e brincadeiras como cama elástica.
Para Cinthia Lopes, 38, moradora do bairro e mãe da pequena Rebeca, de três anos, o projeto Pro Paz nos Bairros trouxe um novo sentido à vida da menina, que há três meses freqüenta as aulas de dança na turma Baby Class - o primeiro passo a iniciação da criança no balé.
“A festa de Natal representa muito para as famílias e a Rebeca está muito feliz, pois este ano adotou o Pro Paz como sua segunda família”, comentou a dona de casa. Segundo ela, o formato educativo, lúdico e divertido do ensino da dança usado no Pro Paz ajudou a fortalecer a educação da menina. “Ela está mais criativa, educada e se envolvendo cada dia mais com a arte. Só tenho a agradecer ao Pro Paz por tudo isso”, reiterou.
Agenda
As comemorações de Natal serão realizadas até o dia 02 de dezembro em todos os polos do Pro Paz: UFPA (29/11), UFRA (30/11), Mangueirão (01/12) e IESP (02/12). As Unidades Integradas Pro Paz (UIPPs) da Terra Firme e do Distrito Industrial também terão programação especial natalina, no dia 02.

Texto:
Nil Muniz

Humanização e Segurança do Paciente são temas do I Congresso da Santa Casa
Data da Pauta:
30/11/2016 08:00:00
Expira em:
02/12/2016 20h00
Local:
Hangar - Convenções e Feiras da Amazônia
Endereço:
Avenida Doutor Freitas, s/n - Marco
Contatos:
Camila Santos: 98354-6042

De 30 de novembro a 02 de dezembro será realizado no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia o I Congresso da Santa Casa do Pará. O evento tem como público-alvo profissionais da saúde e áreas afins e a programação inclui atividades como oficinas, cursos, palestras e conferências, entre outras. As inscrições seguem até o dia 30 de novembro. O congresso é organizado pela Santa Casa do Pará, Sociedade Paraense de Pediatria (Sopape), Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa) e Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).
O evento possibilitará um intercâmbio entre os profissionais participantes e também servirá para divulgar resultados de trabalhos de pesquisas de profissionais da saúde, compartilhar avanços e propor meios de aplicar resultados e/ou produtos de pesquisa para benefício da sociedade.
Entre as atividades previstas estão conferências, mesas redondas e apresentações de trabalhos. Além disso, será realizado dentro do congresso o IV Simpósio de Hepatologia da Amazônia, conduzido pela Coordenação Estadual de Hepatites Virais da Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa).
Profissionais de todo país marcaram presença nesta primeira edição do Congresso da Santa Casa do Pará. Alguns nomes confirmados na programação são o de Adélia Quadros (ENSP/Fiocruz/Rio de Janeiro-RJ), Fernando Paragó, do Núcleo Central de Segurança do Paciente (Organização Pró-saúde/São Paulo-SP), José Eymard Moraes de Medeiros Filho (Prof. UFPB/Sociedade Brasileira de Hepatologia) e Helder Ikegami (FSCMP/Hosp. Amazônia), entre outros.
Ao final de cada dia de Congresso haverá, também, atividades culturais que incluem as apresentações do Coral Saúde e Vida e de Mayara Cavalcante, ex-participante do The Voice Kids.

Texto:
Gabriela Ramos

Militares e servidores civis participam de curso sobre tripulação de embarcações
O curso "Tripulação de Embarcações de Estado no Serviço Público", destinado a militares e servidores civis, começou nesta segunda-feira (28), no auditório da Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA). A capacitação resulta da parceria entre a EGPA e a Marinha do Brasil, por meio do 4º Distrito Naval.
O capitão-de-mar-e-guerra Francisco Dantas de Almeida Filho, chefe do Estado Maior do 4º Distrito Naval, sediado em Belém, disse na solenidade de abertura que "é uma satisfação para a Marinha esta formação em parceria com a Escola de Governança. Estaremos implementando o curso de maneira diferente, desta vez ofertando a capacitação para militares e servidores civis do Estado. Ele normalmente é feito na Capitania dos Portos da Amazônia Oriental, mas estaremos ao longo da semana ministrando aulas teóricas aqui na sede da EGPA, e as aulas práticas acontecerão na patromoria (onde ficam as embarcações utilizadas na inspeção naval) da Capitania dos Portos, na sexta-feira pela manhã".
Sobre a parceria com o 4º DN, o diretor-geral da Escola de Governança, Ruy Martini Santos Filho, considerou "fundamental destacarmos a dimensão deste curso. Trata-se de uma parceria importante entre o Estado e a União, possibilitando uma formação com qualidade nítida, sem custos para o Estado". Segundo ele, a grande procura pelo curso motivou a formação de novas turmas para o príóximo ano.
Cerca de 50 servidores de órgãos como Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado Pará (Ideflor-bio), Polícia Militar (PM), Corpo de Bombeiros Militar do Pará (CBM) e Casa Militar participam do curso, que visa capacitar os participantes para a condução de pequenas embarcações de órgãos públicos. Os instrutores são vinculados ao 4º DN.
O conteúdo abrange temas como "Sobrevivência no Náufrago", "Regulamento Internacional para Evitar Abalroamento no Mar (Riepam); "Primeiros Socorros"; "Navegação, Motores a Diesel"; "Marinharia, Estabilidade de Embarcações" e "Combate a Incêndio de Embarcações".

Texto:
Livia Alfaia

Igreja de São João Batista recebe recital de música antiga
Três professores do Instituto Estadual Carlos Gomes (IECG) apresentarão um recital de música antiga na Capela de São João Batista, no bairro da Cidade Velha, em Belém. A apresentação será na próxima quarta-feira (30), às 19h, com entrada franca.
O recital dos professores Acácio Cardoso (Flauta Doce), Luiz Carlos Tavares (Flauta Doce) e Leandra Vital (Cravo) dará ênfase à música barroca e contará com a participação especial da violoncelista Conceição Fernandes. “Nós vamos tocar música barroca e ilustrar como eram tocados os instrumentos antigos, como as peças eram interpretadas naquela época”, disse o flautista Luiz Carlos Tavares.
Música Antiga - O movimento de música antiga em Belém encontrou abrigo no IECG pelas mãos do flautista Luiz Carlos Tavares, professor de flauta doce do Instituto, que desenvolve este trabalho desde a década de 70. Foi ele quem criou o Trio de Música Antiga da instituição, grupo artístico que através do resgate dessa música contribui para a formação de jovens, amplia plateia através de concertos e agrega patrimônio ao Estado, pois graças a este trabalho a FCG investe na aquisição de instrumentos musicais de época.
A Igreja de São João Batista foi escolhida para abrigar o concerto por ter sido construída em estilo barroco e representar um dos patrimônios históricos da cidade. Esta será a primeira vez que os professores se apresentam nesta igreja. “É um sonho para mim tocar nessa igreja, pois ela é histórica e de extrema importância para a cidade de Belém”, contou Luiz Carlos Tavares.
Acácio Cardoso participa do “Trio de Música Antiga da FCG” e também integra grupos de formação de música antiga em Belém. Atualmente coordena o Flautas Doces da Amazônia, grupo artístico da FCG formado por alunos dos cursos básico e técnico em música. Graduado em Licenciatura em Música pela Universidade Federal do Pará (UFPA) começou os estudos musicais em Ponta de Pedras, onde nasceu, e depois veio para a capital para estudar Flauta Doce no IECG, formando-se no curso Técnico em Flauta Doce, em 2006. "A música antiga é de um período que não é contemplado por essas grandes orquestras porque geralmente os instrumentos dessa época tem uma sonoridade menor. Esse tipo de música é ideal para ser tocado nesses espaços, como igrejas e palácios, por isso a ideia de fazer o concerto na Igrejinha de São João’, explica Acácio Cardoso.
Igreja de São João Batista - Também chamada de São Joãozinho, é uma construção colonial situada na Praça do Líbano, mais conhecida como Largo de São João. Construída em estilo barroco, a pequena igreja foi projetada pelo arquiteto Antônio José Landi e é considerada a joia da arquitetura do italiano, por ser a mais diferente, pelo tamanho, porte e harmonia. Foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1941 e está localizada no conjunto dos bairros Cidade Velha e Campina, área também tombada pelo Iphan em 2012 por seu valor arquitetônico, urbanístico e paisagístico. A Igreja foi totalmente restaurada em 2013.
Serviço: Recital ‘Trio de Música Antiga’
Data:  30 de novembro (quarta-feira)
Hora: 19 horas
Local: Capela de São João Batista - Rua João Diogo, s/n - Cidade Velha
Entrada Franca

Texto:
Rosa Cardoso

Direção Viva: Oncológico Infantil promove educação no trânsito
Data da Pauta:
30/11/2016 09:30:00
Expira em:
30/11/2016 0h00
Local:
Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo
Endereço:
Travessa 14 de Abril, nº 1394 – São Brás 
Contatos:
Ascom: Elisângela Soares (98179-1976 / Ana Maria Negreiros (98886-0079)

O Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo abre as portas para o encerramento da campanha 'Direção Viva: você consciente, trânsito mais seguro!', que atua em favor da conscientização no trânsito. A ação foi promovida pelos hospitais públicos do Pará administrados pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). A programação iniciou no dia 18 deste mês com missa, palestras, rodas de conversa, além de um memorial para lembrar as vítimas de acidentes no tráfego. As atividades da campanha encerrarão no dia 30, às 9h30.
No Hospital Oncológico Infantil a ação educativa será em parceria com o Departamento Nacional de Trânsito no Pará, que levará uma apresentação teatral para orientar, de forma lúdica, crianças e adolescentes sobre os riscos da imprudência no trânsito. Os responsáveis e acompanhantes dos pacientes também receberão orientações sobre segurança voltadas a condutores, pedestres e ciclistas.
Dados - Nos últimos três anos, mais de 35 mil vítimas foram atendidas em quatro hospitais públicos do Pará: Metropolitano de Urgência e Emergência, Hospital Galileu, Hospital Regional do Sudeste do Pará e o Hospital Regional Público da Transamazônica. As unidades hospitalares públicas, gerenciadas pela Pró-Saúde no Pará, à exceção do Hospital Oncológico Infantil, atendem vítimas de traumas, sendo a maioria, por acidentes de trânsito.

Texto:
Elisângela Soares

Seleção Brasileira feminina de handebol visita o Hospital Oncológico Infantil
Elas chegaram a Belém dois dias antes, mas um dos pedidos principais das jogadoras da Seleção Brasileira de Handebol assim que pisaram na cidade foi visitar, no sábado (26), o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, que trata e cuida de crianças e adolescentes com câncer na capital paraense.
A equipe veio ao Pará disputar o II Torneio Quatro Nações, que vai reunir entre os dias 01 e 03 de dezembro, as seleções de Brasil, Cuba, Uruguai e Eslováquia. As brasileiras chegaram no último dia 24 e no sábado deram uma paradinha nos treinos para a visita ao hospital. 'O trabalho dessas meninas é intenso, extenuante e tem uma pressão intensa por resultado, mas ao mesmo tempo tem um forte valor humano. Em cada lugar por que passamos procuramos deixar uma mensagem para as pessoas, especialmente as crianças e jovens, de esperança e de força. E nos hospitais essa missão é ainda mais importante, tanto para nós quanto para os pacientes, porque todos estamos buscando a mesma coisa: melhorar", declarou a supervisora da seleção, Rita Orsi.
Para os acompanhantes dos pacientes, a visita representou uma dose extra de otimismo. 'Minha filha estava meio tristinha hoje e essa visita deu uma boa animada nela, e em mim também", comentou Andréia de Sousa, mãe de uma paciente. As jogadoras percorreram os leitos e ao término da visita se reuniram com as crianças na brinquedoteca do hospital. Um dos trabalhos da comissão técnica com as jogadoras é a motivação musical. Em todos os treinos há uma música, que as acompanha nas competições. 'A gente se emocionou muito e isso nos faz ver o quanto reclamamos de tudo na vida, até de uma machucado no dedo. Aí a gente chega aqui e vê que isso não é nada. Vemos que para eles cada dia é uma luta. Depois daqui com certeza vamospensar duas vezes antes de nos queixarmos da vida', refletiu a ponta Samira Rocha, pernambucana que joga atualmente na França e autora da letra da canção que acompanhou as atletas nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, esse ano.
Além das muitas memórias afetivas que ficaram da visita, uma camisa autografada por toda a comitiva da Seleção Brasileira foi deixada de lembrança. 'Além de marcar esse dia, a camisa é um símbolo de que estamos na luta e desejamos que todos perseverem em suas batalhas pessoais', declarou a supervisora da seleção.
O Brasil estreia no II Torneio Quatro Nações dia 1º de dezembro, às 18h45, contra a seleção de Cuba.

Texto:
Elisângela Soares






Alexandra Loras fala sobre empoderamento em seminário nacional legislativo no Pará
Alexandra Loras é ex-consulesa da França em São Paulo, empresária, consultora de empresas e autora de livros...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Andreza Batalha

Cegos disputam torneio de dominó e xadrez adaptados na Biblioteca Arthur Vianna
Jogar xadrez e dominó sem ver as peças, movimentos e oportunidades já é possível com peças e tabuleiros adaptados. Nesta quarta-feira (23), na Fundação Cultural do Pará (FCP), a Seção Braile da Bilioteca Pública Arthur Vianna promoveu um torneio desses dois jogos, como parte da programação do aniversário de 42 anos da seção. A comemoração inclui ainda palestras, apresentações culturais, mostras de vídeos com audiodescrição e premiação aos vencedores dos torneios e concurso de redação. A programação, que começou na segunda-feira (21) e terminará na sexta-feira (25), é totalmente gratuita.
“Meu primo me ensinou a jogar xadrez com um jogo que não era adaptado. Eu imaginava o tabuleiro, as peças e as jogadas, depois dizia o que deveria ser feito. Agora, com o adaptado é melhor”, explicou Fábio Pinheiro, que pratica xadrez há oito anos e participou do torneio desse jogo na biblioteca. Para ele, ser cego é apenas um detalhe, e não um impeditivo. “Não enxergo, mas vejo tudo. Jogo bem. Me vencer é difícil”, disse ele.
O tabuleiro adaptado de xadrez – confeccionado no Instituto José Álvares de Azevedo, escola de habilitação e reabilitação do Estado para auxiliar pessoas cegas e com limitações visuais - foi feito para tornar o jogo prático para os deficientes visuais. As colunas são marcadas nas laterais e parte superior com indicações em braile, por ordem alfabética e numérica. As casas pretas do tabuleiro são enrugadas, para que os jogadores consigam diferenciá-las das brancas, assim como as peças pretas têm um barbante amarrado assinalando a diferença. Para evitar a derrubada acidental das peças, um pequeno metal é usado para prendê-las à superfície.
Sem dificuldade - Na sala da Seção Braile, onde o torneio de dominó foi disputado, a estudante de Jornalismo Taiane Martins e a parceira de jogo, Irlaneide Brito, se classificaram para a semifinal da disputa. Taiane contou que começou a jogar dominó com um vizinho, acompanhado de sua filha e sobrinha, e a atividade acabou virando um hobby. “Eu adoro jogar. Não tenho nenhuma dificuldade. É simples quando se pratica”, afirmou.
Taiane Martins já foi atleta de atletismo e golbol, esporte pelo qual fez parte do time do Instituto Álvares de Azevedo nas Paralimpíadas Escolares de São Paulo, em 2012. “Eu faço tudo só. Sou uma pessoa normal. Vou à Universidade, frequento meu estágio, jogo... Minha rotina é normal”, garantiu a estudante.
Para Irlaneide Brito, pessoas como Taiane são um exemplo. “Conheço a Taiane há muito tempo. Ela é frequentadora daqui (Seção Braile). Quem a conhece se encanta em ver como ela é independente”, declarou.
“Ver o envolvimento deles com o que proporcionamos é um motivo de orgulho. Dar acesso à educação e cultura de forma diversificada, rica e intensa à população é um dever do Estado. A Seção Braile é democrática. A programação é montada de acordo com as sugestões que eles fazem”, informou Giselle Arouck, diretora de Leitura e Informação da FCP.
Palestras e atrações culturais - A programação alusiva aos 42 anos da Seção Braile da Biblioteca Pública Arthur Vianna continua nesta quinta-feira (24) e na sexta-feira (25), na sede da Fundação Cultural, na Avenida Gentil Bittencourt, 650.
Na tarde de quinta-feira haverá, às 14 h, a palestra “Sexualidade e saúde para pessoas com deficiência visual”, e às 16 h mostra de vídeos com audiodescrição.
Na sexta-feira, às 14 h, a palestra abordará o tema “Educação e acessibilidade no trânsito”. Às 15 h haverá a premiação do concurso de redação, torneio de dominó e xadrez; às 15h30, apresentação cultural “Clave do carimbó”, e, às 16 h, do Coral Cantaste, do Instituto Álvares de Azevedo. Mais informações: (91) 3202-4310 ou www.fcp.pa.gov.br.

Texto:
Sérgio Moraes

Hospital Regional de Santarém vai integrar projeto para segurança do paciente
O Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, no oeste do Pará, foi um dos 15 hospitais de todo o Brasil a serem selecionados pelo Ministério da Saúde para participarem do projeto “Paciente Seguro - Implantação do Programa Nacional de Segurança do Paciente”, que faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), lançado em 2009, pelo governo federal. A unidade é gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).
Único hospital público do Pará a ser selecionado para o programa, o Hospital Regional do Baixo Amazonas foi representado pelo diretor geral, Hebert Moreschi, e pelo diretor operacional da Pró-Saúde no Pará, Paulo Czrnhak, que assinaram o termo de adesão nesta quarta-feira (23), na capital gaúcha. O projeto será desenvolvido pelo Hospital Moinhos dos Ventos, de Porto Alegre (RS).
O programa consiste em desenvolver ferramentas e técnicas e qualificar o processo educativo e formador nos hospitais para a implantação do Programa de Segurança do Paciente, além do aperfeiçoamento contínuo destes instrumentos ao apoiar a implantação e qualificação das instituições. “Vamos participar de um programa que vai nos auxiliar a desenvolver essas ferramentas e que vai agregar e ajudar nas práticas e rotinas assistenciais. Os profissionais do hospital vão participar de treinamentos, que serão ministrados pelo Hospital Moinhos de Vento, referência no Brasil em serviços de saúde”, explica a assessora de Qualidade do HRBA, Veruska Ramalheiro.
Entre as instituições que vão integrar o programa, estão hospitais públicos e filantrópicos que fazem procedimentos de alta complexidade e são referências regionais. Apenas três unidades da região Norte foram aceitas. A seleção foi feita com base na manifestação de interesse dos hospitais e critérios técnicos, como número e perfil de leitos, localização geográfica, vínculo com o SUS e atividades prévias em qualidade, segurança e educação. “Estamos bem animados, porque vamos estar vinculados a uma instituição de renome e excelência, participando de um programa do Ministério da Saúde. A ideia é que o hospital vire referência, no SUS, em segurança do paciente”, diz Veruska.
Segundo Paulo Czrnhak, a segurança do paciente é o pilar para a oferta de um serviço público de saúde com qualidade. “Acreditamos que para se fazer saúde com excelência, é necessário investir na humanização do processo e na segurança do paciente, de forma que todos os envolvidos preocupem-se em ofertar, com amor e cuidado, um tratamento digno, que garanta a recuperação do usuário e, assim, seu retorno efetivo ao lar. Paciente seguro é a garantia de um tratamento efetivo”, destacou o diretor.
O diretor geral do hospital destaca a importância de participar do programa: “Temos a certeza de que a participação no Proadi vai contribuir de forma significativa para a evolução dos nossos serviços e melhoria da nossa assistência,  mas principalmente, para que nosso paciente seja cada vez melhor atendido. Já somos referência no atendimento de alta complexidade no Norte do país e seremos, também, referência em segurança do paciente”, afirma Moreschi.
O Hospital Regional de Santarém é uma unidade de saúde pública e gratuita pertencente ao Governo do Pará, administrada pela Pró-Saúde. A unidade atende casos de média e alta complexidades e presta serviço 100% pelo SUS, sendo referência no Norte do Brasil em tratamento de câncer. A instituição atende a população estimada de 1,1 milhão de pessoas, residentes em 20 municípios do oeste do Pará. Foi o primeiro hospital público do Norte a conquistar o certificado ONA 3 – Acreditado com Excelência.

Texto:
Joab Ferreira

Ideflor-bio intensifica fiscalização para garantir o defeso na região sudeste
Uma operação de fiscalização ambiental, destinada a garantir o cumprimento do período do defeso 2016/2017, resultou na apreensão de quase 700 quilos de pescado no município de Breu Branco, no sudeste paraense. O trabalho dos fiscais da Gerência da Região Administrativa de Tucuruí (GRTUC), do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), foi realizado de 18 a 21 de novembro, abrangendo ainda os municípios de Goianésia do Pará e Tucuruí,
O objetivo foi garantir a proteção de organismos aquáticos nas fases mais vulneráveis, como a época da reprodução e de maior crescimento, a fim de assegurar a renovação dos estoques de pescado.
O período do defeso começou em 1º de novembro deste ano e terminará em 28 de fevereiro de 2017, proibindo a pesca comercial na bacia Araguaia-Tocantins e no Mosaico de Unidades de Conservação – Lago de Tucuruí, além da comercialização e transporte de pescado, salvo com apresentação de documentos, como declaração de estoque, guia de transporte e nota fiscal do produto.
A apreensão da carga de pescado, no último dia 19, ocorreu quando a equipe da GRTUC abordou na Rodovia PA-263 – que corta os três municípios cobertos pela operação - um veículo que transportava espécies de tucunaré, tucunaré furiba, tucunaré sarandagem, pescada e mapará. O proprietário, que não portava nota fiscal, teve a carga apreendida e foi conduzido à Delegacia de Polícia de Breu Branco, para lavrar auto de infração. Após pagamento de fiança, no valor de R$ 2.667,23 (referente a três salários mínimos), o motorista foi liberado e aguarda julgamento em liberdade.
Doação - Por ser altamente perecível, a carga foi considerada de interesse social e doada a moradores carentes dos bairros da Cohab, Santa Mônica e Nova Matinha. A ação contou com a colaboração de integrantes do 13º Batalhão de Polícia de Tucuruí, vinculado ao Comando de Policiamento Regional (CPR 4).
O período de defeso e outras medidas de ordenamento pesqueiro são essenciais para que a pesca seja sustentável, garantindo emprego e renda aos que dependem, direta ou indiretamente, dessa atividade na região.

Texto:
Denise Silva

Hospital Galileu participa da campanha pela redução de acidentes
“Sofri acidente quando tinha 17 anos. Perdi um amigo e sou fruto de um milagre, pois sobrevivi para contar essa história e reconstruir uma vida mais responsável”, diz o jovem Wanderson Carvalho, 18 anos, que em 2014 foi vítima de acidente de moto. Ele andava na garupa, sem capacete, em Rondon do Pará, sudeste do Estado. Assim como ele, outras vítimas de acidentes de trânsito fazem tratamento no Hospital Público Estadual Galileu, em Belém, que nesta quarta-feira (23) promoveu programação da campanha “Direção Viva”.
A programação começou às 9h, com celebração religiosa em memória às vítimas de acidentes de trânsito. Em seguida houve palestra com a participação da representante do Movimento Vida Pará, Deuzarina dos Santos Lopes. Ela sensibilizou os usuários com um relato pessoal, de quando perdeu a irmã, há quatro anos, em um acidente ocasionado por imprudência no trânsito. Deuzarina também falou sobre como funciona o Vida Pará e aconselhou os usuários a redobrar a atenção no trânsito.
“Só quem já passou por uma situação como a minha sabe a intensidade da dor que sentimos. Minha irmã tinha apenas 19 anos, com toda a vida pela frente, que foi interrompida pela irresponsabilidade de um motorista embriagado”, contou. Além dela, a mãe e outra irmã também são assíduas no movimento, bem como diversas famílias de Belém, que têm histórias parecidas e que tentam encontrar um conforto após a perda de um ente querido.
A campanha “Direção Viva: você consciente, trânsito mais seguro”, ocorre nos hospitais públicos do Estado gerenciados pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Segundo o diretor geral do Hospital Galileu, Saulo Mengarda, a conscientização deve ser constante.
“Nesta campanha usamos como exemplos depoimentos de pessoas que sofreram acidentes de trânsito. Umas foram vítimas e outras, por alguma imprudência, vieram a se acidentar. O objetivo é mostrar à população que isso pode acontecer com qualquer um, principalmente com aqueles que não adotam as medidas de segurança, como o uso de capacete e do cinto de segurança e a não ingestão de álcool antes de dirigir”, disse o diretor.
Atualmente, o Hospital Galileu atende cerca de 80% das vítimas de trauma ortopédico, muitas oriundas de acidentes de trânsito. Do início do ano até outubro, a unidade já registrou 3.078 atendimentos na clínica de ortopedia. Em 2015 esse número chegou a 3.499, e em 2014, foi de 1.417. Todos os pacientes com esse perfil são transferidos do Hospital Metropolitano.
Nos últimos três anos, mais de 35 mil vítimas foram atendidas em quatro hospitais públicos do Pará. No Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, que atende média e alta complexidades em traumas, são 4.940 atendimentos a vítimas de acidente de trânsito, 2.413 a motociclistas, no período de janeiro a outubro de 2016. O restante são colisões (1.527), atropelamentos (778) e acidentes de bicicleta (222). No ano passado, a unidade, localizada em Ananindeua, registrou 7.499 atendimentos a vítimas de acidente de trânsito, 3.315 de acidentes de moto.
Em média, um paciente vítima de acidente de moto gera custo de internação na ordem de R$ 7,2 mil no Hospital Metropolitano. Considerando os últimos três anos, a unidade de saúde estima que o impacto foi de cerca de R$ 80 milhões aos cofres públicos específicos ao tratamento destinado a vítima de acidentes de moto. Recursos públicos que poderiam ser investidos no tratamento de patologias naturais, como acidente vascular cerebral, clínica médica e saúde do idoso.
A campanha Direção Viva no Hospital Galileu segue até o fim de novembro, com orientações aos usuários. O hospital é uma unidade de retaguarda que faz atendimento médico de baixa e de média complexidades em cardiologia, traumato-ortopedia e clínica médica. É mantido pelo Governo do Estado e gerenciado pela Pró-Saúde. A unidade tem o certificado da Organização Nacional de Acreditação (ONA 1) – Acreditado.

Texto:
Izabelle de Mesquita

Arcon apreende seis veículos em operação integrada com a PRF em Altamira
A Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Pará (Arcon) fez fiscalização integrada com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) no posto da BR-230, km 625, em Altamira, sudoeste do Pará, entre segunda (21) e quarta-feira (23). A ação conta com quatro agentes da Arcon e é acompanhada pelo diretor de normatização e fiscalização da agência, Karim Zaidan. A operação foi planejada e executada com base em denúncias.
Foram abordados cerca de 80 ônibus de transporte complementar e convencional de passageiros, a maior parte das empresas que fazem o deslocamento dos funcionários da obra da usina de Belo Monte. Seis veículos foram apreendidos: três convencionais, dois micro-ônibus e uma van. Estes foram encaminhados para o pátio do Terminal Rodoviário de Altamira.
“Monitoramos, em parceria com a PRF, um grande número de ônibus, vans e micro-ônibus que circulavam no trecho e constatamos algumas irregularidades, principalmente com relação à ausência de documentos que são necessários para as empresas fazerem o transporte de passageiros na modalidade de frete. Fiscalizamos também questões de segurança como condições de pneus, parabrisas e superlotação”, explica Karim Zaidan.
“A operação foi excelente como forma de prevenir e orientar as empresas que tiveram ônibus apreendidos, para que busquem a regularização junto à Arcon. É importante destacar o apoio da PRF, que foi fundamental para o sucesso da operação”, continuou.

Texto:
Vanessa Pinheiro

Unacon Tucuruí faz teste rápido para diagnóstico do câncer da próstata
A Unidade de Alta Complexidade em Onocologia Dr. Vítor Moutinho (Unacon), de Tucuruí, no sudeste paraense, está oferecendo teste rápido para diagnóstico do câncer da próstata. Até terça-feira (22), já havia sido feito 80 exames de Antígeno Prostático Específico (PSA). Mais 30 serão feitos nesta quarta (23). A ação faz parte do movimento Novembro Azul, em combate a esse câncer, que deve atingir mais de 60 mil homens no Brasil ainda este ano.
A unidade está atendendo o agendamento, sem deixar de atender a demanda espontânea de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que moram na região, onde vivem 1,8 milhão de pessoas. Referência para tratamento de câncer, a Unacon trata atualmente de 24 pacientes com neoplasia maligna de próstata. Eles têm à disposição o acolhimento de uma equipe multidisciplinar especializada para garantir atendimento seguro, de qualidade e humanizado.
A programação do Novembro Azul ocorre desde o início do mês. No dia 10, houve reunião com os líderes comunitários e coordenação da atenção básica para apoio na divulgação da ação com o levantamento de informações sobre a demanda de pessoas dentro do perfil estabelecido pelo Ministério da Saúde. Dia 11, funcionários da Eletronorte fizeram a entrega de 140 lenços arrecadados durante campanha do Outubro Rosa, que serão doados às pacientes em tratamento na unidade.
No dia 18, a médica oncológica Ana Paula Borges ministrou palestra sobre câncer da próstata aos funcionários da Eletronorte. O Novembro Azul da Unacon será encerrado dia 28, às 9h, com café da manhã para os pacientes e funcionários, visando maior integração e fortalecimento das ações em prol da saúde pública. A Unacon Tucuruí é uma unidade de saúde do governo do Estado, administrada pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Funciona em frente ao Hospital Regional, na Vila Permanente. Mais informações pelos telefones (94) 37784599 e 3778-4926.

Texto:
Vera Rojas

Hospital Regional de Altamira promove campanha de educação no trânsito
Em outubro de 2015, o pedreiro Rogilo Viana Lima, 39 anos, pilotava sua moto na BR-230 em alta velocidade e sob efeito de álcool. O resultado foi um grave acidente. Até hoje, após mais de um ano, o paciente, que não tem familiares em Altamira, no sudoeste do Pará, ainda continua internado no Hospital Regional Público da Transamazônica. “Meu maior desejo é voltar para casa, andar e trabalhar. Quero voltar a ser produtivo para minha família em Breu Branco. Infelizmente, esse episódio aconteceu comigo. Se pudesse voltar atrás, faria tudo diferente”, diz.

A mesma situação é vivenciada pela autônoma Ancleta Soares de Almeida, 59 anos, que também sofreu acidente de trânsito quando dirigia sua motocicleta no último dia 17. Mesmo respeitando todas as exigências do Código de Trânsito Brasileiro, como o uso de capacete, sinalização e habilitação em dia, ela não conseguiu evitar uma ultrapassagem mal feita por outro motociclista, que estava com luz alta. Ancleta perdeu o equilíbrio e caiu em um bueiro na Rua Ozório de Freitas.
A vítima de acidente de trânsito faz parte agora de uma alarmante estatística do país. No Brasil, a cada 22 minutos, uma pessoa morre vítima de acidente de trânsito. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), anualmente, em todo o mundo, mais de um milhão de pessoas morrem nessas condições. Nos últimos três anos, mais de 35 mil vítimas foram atendidas em quatro hospitais públicos do Pará. No Hospital da Transamazônica, os números mostram aumento no atendimento desse perfil de usuário. De janeiro a outubro deste ano, foram 663 internações de pacientes vítimas de acidentes de trânsito, contra 603 em 2014 e 637 em 2015.
Conscientização – Para inibir esse aumento e conscientizar a sociedade quanto à segurança na direção e às sequelas geradas por traumas, os hospitais públicos do Pará gerenciados pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), promovem neste mês a campanha “Direção viva: você consciente, trânsito mais seguro!”. O Hospital Regional de Altamira abriu a campanha na terça-feira (22), com um bate-papo. A recepção foi ornamentada com balões brancos e cartazes. A programação, que vai até o fim do mês, terá palestras e rodas de conversas para funcionáros e usuários.

Hoje, mais de 60% dos leitos do hospital são ocupados por vítimas de acidente de trânsito. A unidade é referência para nove municípios na região do Xingu/ Transamazônica e atende a população de 500 mil habitantes. O diretor administrativo e financeiro, Mailson Martins, defende a importância das campanhas de conscientização para a educação da população, atitude que gera a prevenção e a mudança de comportamento. “Esses usuários são, na maioria, adultos produtivos que têm família e são força econômica no orçamento doméstico. Quando se acidentam, perdem a fonte de renda e passam por necessidades. Alguns chegam até a ficar com sequelas permanentes”, explica.

Pertencente ao Governo do Estado e administrado pela Pró-Saúde, o Hospital Regional da Transamazônica dispõe de 95 leitos e atende casos de média e alta complexidades em várias especialidades.

Texto:
Thaís Portela

150 anos do Goledi são celebrados com Sessão Solene, revista sobre o Parlamento e exposição na Alepa
Os 150 anos do Museu Paraense Emílio Goeldi, foram celebrados com uma Sessão Solene, nesta quarta-feira (23/11), no plenário “Newton Miranda” na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), em Belém...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Mara Barcellos
www.alepa.pa.gov.br


Servidores vão mostrar aprendizado musical levado às repartições públicas
Nesta quinta-feira (24), os corais institucionais da Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan), Secretaria de Estado de Administração (Sead) e da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa) estarão reunidos em um recital sob regência dos professores Jessé Pinon (piano) e Eliane Fonseca (canto coral).
Na apresentação, eles vão mostrar o resultado do trabalho e todo o acompanhamento feito pela Coordenação de Pesquisa e Extensão da Fundação Carlos Gomes (FCG) junto a esses grupos, formados por servidores públicos. De acordo com Ana Maria Adade, que coordena esse trabalho pela FCG, o objetivo é proporcionar o bem estar dos funcionários por meio do canto coral.
O recital com os três corais será realizado na sala Ettore Bosio, às 11h. A programação é aberta ao público.
O Coral da Seplan foi criado em 2010, com o objetivo de integrar os servidores em uma ação que valorizasse os talentos individuais. Desde então a formação inicial passou por várias modificações, mas sempre mantendo-se em atividade, e contando com a parceria da Fundação Carlos Gomes, que cede um profissional do canto para o preparo vocal dos integrantes.
Para a apresentação desta quinta-feira, o grupo vai se apresentar com sete coralistas e executar as peças “Noite Azul”, “Estão voltando as flores”, Noite Feliz” e “Um Poema de Amor”.
Serviço: Recital com a participação de Corais da Seplan, Sead e Prodepa. Dia 24 de novembro, às 11h, na sala Ettore Bosio, da Fundação Carlos Gomes. Entrada franca.

Texto:
Rosa Cardoso

Comitê de Humanização da Santa Casa recebe homenagem no Hemopa
O Comitê de Humanização da Santa Casa do Pará foi homenageado nesta terça-feira (22), na Fundação Hemopa, durante a programação da Semana do Doador Voluntário de Sangue, por ser exemplo no estado em ações de captação de doadores. Por meio de uma palestra, a coordenadora do Comitê de Humanização, Clévia Dantas, que é Terapeuta Ocupacional, mostrou a experiência exitosa desse trabalho e recebeu certificação em nome do Comitê e da Fundação Santa Casa.
Na ocasião, voluntários do Comitê de Humanização percorreram as instalações do Hemopa para parabenizar os servidores e além de reforçar as doações voluntárias, fizeram seus cadastros como doadores de medula em prol dos pacientes da Santa Casa do Pará.

Texto:
Gabriela Ramos

Grupo de servidores da Sefa vai doar sangue na Semana da Saúde e Qualidade de Vida
Na tarde desta quinta-feira (24), um grupo de 26 servidores da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) vai participar do evento "Instituição Cidadã”, promovido pela Fundação Hemopa, em comemoração ao Dia do Doador de Sangue - 25 de Novembro. Todos vão doar sangue a partir das 13 horas, dentro da programação da Semana da Saúde e Qualidade de Vida, realizada pela Sefa de 22 a 25 de novembro.
Doador de sangue desde 1979, o servidor Anídio Moutinho vai repetir o gesto. "Acho que todo mundo precisa ou pode precisar, e isso pode ajudar a salvar vidas", declarou. Para José Carlos Damasceno, doador eventual, doar sangue "é a oportunidade de ajudar alguém".
A Semana da Saúde e Qualidade de Vida visa estimular a busca por hábitos saudáveis. Na abertura da Semana houve a palestra “Administre seu dinheiro de forma consciente”, ministrada por Sônia Reis, do Sesi (Serviço Social da Indústria). O objetivo foi orientar sobre os servidores sobre organização da renda familiar, a fim de obter equilíbrio financeiro.
Nesta quarta-feira (23), a programação teve o Programa “Cozinha Brasil”, do Sesi, com aulas práticas sobre aproveitamento integral dos alimentos e aumento do potencial nutritivo.
No dia 24 haverá palestras sobre prevenção de doenças cardiovasculares, com a médica Sônia Conte Cristino, presidente da Associação de Cardiologia do Pará, e sobre doença peridontal como fator de risco para as cardiopatias, com o fiscal de receitas estaduais Walmiro Costa, que tem mestrado em Odontologia. A Semana será encerrada na sexta-feira com aula de ritmos, ministrada pelo professor Gilson Moura.

Texto:
Ana M. Pantoja

Hemopa homenageia doador de sangue e reforça a importância da doação regular
Data da Pauta:
25/11/2016 08:00:00
Expira em:
25/11/2016 18h00
Local:
Sede Hemopa
Endereço:
Tv. Padre Eutíquio, 2109 (acesso pela Serzedelo Corrêa com Caripunas)
Contatos:
Ascom Hemopa: 3241-1811 // Vera Rojas: 98300-0599 / Pâmela Assunção: 98253-1783

Nesta sexta-feira (25), de 7h30 as 18h, a Fundação Hemopa fará uma programação dedicada integralmente aos doadores voluntários de sangue, que ajudam a manter o estoque do hemocentro e asseguram o atendimento da demanda transfusional. A atividade marca o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, tema de uma campanha do Ministério da Saúde (MS) aberta no último dia 19, destinada a fidelizar o doador para garantir abastecimento contínuo da rede de hemoterapia do país, que atualmente é composta por 32 hemocentros estaduais que coordenam 530 serviços de coletas.
Em Belém, a campanha “Todo dia é dia de Doar sangue” se estenderá até o dia 25, com uma meta de coleta diária de 250 doações, sendo que no sábado a meta será de 400 coletas.
No Pará, o serviço é coordenado pelo Hemopa, que mantém os Hemocentros Regionais de Marabá, Santarém e Castanhal; os Hemonúcleos de Altamira, Abaetetuba, Tucuruí, Redenção e Capanema e as Agências Transfusionais, com total de 43 unidades distribuídas em todo o estado, e um índice de 2.2% da população doadora sangue - acima da média nacional, que é de 1,8%.
Do total de doações efetivadas no Pará, 46% são de repetição, sendo 34.8% do sexo feminino e 65.2% de homens. Os jovens respondem por 41% do público doador. Já a dos tipo espontânea correspondem a 62,3% e de primeira vez se mantêm em 25,7%.
De acordo com o MS, em 2015, cerca de um milhão de pessoas doaram sangue pela primeira vez, o que representa 38% do total das doações. Já outras 1,6 milhão de pessoas, ou 62% do total, retornaram para doar. Durante o período, foram realizadas 3,7 milhões de coletas de bolsa de sangue no país, resultando em 3,3 milhões de transfusões.
Apesar disso, os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) e da Hemorrede Pública Nacional encontram-se com os estoques no limite, apresentando dificuldades na manutenção dos estoques estratégicos e necessitando de mais doadores. E no Pará não é diferente, apesar dos cerca de 100 mil doações feitas anualmente. Além da rede hospitalar, com mais de 200 estabelecimentos vinculados, o hemocentro tem a responsabilidade de garantir atendimento transfusional para mais de 13 mil pacientes hematológicos atendidos regularmente pela instituição.
A campanha nacional de doação de sangue do Ministério da Saúde tem como slogan “Doar sangue é compartilhar vida” e ressalta a importância dessa ação, ao destinar R$ 617,2 milhões à hemorrede brasileira. Os recursos foram destinados ao fortalecimento da rede nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) para a modernização das unidades, qualificação dos profissionais e processos de produção.
Programação comemorativa em homenagem ao doador de sangue
De 21 a 25, o Hemopa estará com uma programação comemorativa ao Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, que prevê a entrega de preservativos, camisetas e cartões de parabéns aos colaboradore, além de lanche especial, música ambiente, Caravana Solidária, atrações musicais e orientações sobre educação em saúde. Até o momento, 10 instituições confirmaram participação na campanha “ Instituição Cidadã", que encaminha servidores ao hemocentro para reforço do estoque técnico.
O Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue (25 de novembro) será celebrado na sede do Hemopa, de 8h às 16h, com apresentação dos cantores Alcyr Guimarães, Jorginho Gomes, Beto e Leno, Coral Eva Anderson, Coral Tamba Tajá, paródia musical com alunos da Escola de Ensino Fundamental e Médio Tenente Rêgo Barros, exposição de entidades voluntárias, caravanas solidárias e os tradicionais parabéns em homenagem aos doadores.
Ano passado a campanha contou com a participação de 1.963 doadores, resultando em 1.650 coletas que ajudaram a salvar cerca de 6.600 pacientes internados na rede hospitalar. Este ano, a meta diária será de 250 coletas.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, assinado e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280 8118.

Texto:
Vera Rojas

Espetáculo que destaca importância da inclusão será encenado na UIPP Terra Firme
Data da Pauta:
26/11/2016 20:00:00
Expira em:
26/11/2016 21h00
Local:
UIPP Terra Firme
Endereço:
Rua Celso Malcher
Contatos:
Nathalia Petta (98383-9999) // Mayara Albuquerque (99907-0751)

Um espetáculo diferente será encenado neste sábado (26), na UIPP da Terra Firme. A produção retrata os anseios, frustrações e superações da vida de uma jovem cega que encontrou no teatro uma ferramenta de superação. E quem dá vida a esse personagem é a protagonista desta história, Gláucia Ferreira, portadora de baixa visão, artista e professora de artes cênicas. Em "A menina que dá com a cara nas paredes” ela relata sua maneira peculiar de "ver" o mundo, resultado de um trabalho acadêmico que busca contribuir para a divulgação de conhecimentos sobre o atendimento à diversidade, com enfoque nas condições necessárias à acessibilidade e inclusão educacional das pessoas com deficiência no Ensino Regular e Superior. 
O espetáculo, que tem a direção de Otávio Freire, será encenado às 20h. 

Texto:
Nathalia Petta

Evento marca encerramento anual das contas de 2016
Data da Pauta:
06/12/2016 09:00:00
Expira em:
06/12/2016 12h00
Local:
Centur
Endereço:
Avenida Gentil Bitencourt, 650 - Batista Campos
Contatos:
Ana Márcia Pantoja (Ascom Sefa): 3323-4210

No dia 6 de dezembro o governo do Estado vai reunir os técnicos para apresentar as normas do encerramento das contas públicas estaduais de 2016, consolidadas na Portaria Conjunta nº 1004, publicada em 23/11/2015, elaborada em conjunto pela Secretaria da Fazenda (Sefa), Secretaria de Planejamento (Seplan), Secretaria de Administração (Sead) e Auditoria Geral do Estado (AGE). No encontro também serão apresentas informações sobre o novo padrão de contabilidade aplicada ao setor público.
A programação iniciará com a palestra sobre “Novo Padrão de Contabilidade Aplicada ao Setor Público”, com Bruno Ramos Mangualde, coordenador de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação, da Secretaria do Tesouro Nacional. Também serão abordados os temas “Encerramento do Exercício de 2016”, com o diretor de Gestão Contábil e Fiscal do Governo, Hélio Goes; e “Integração de Sistemas visando às Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público”, com Wagner Capelli, coordenador do Sistema Integrado de Administração Financeira Estadual. O evento é voltado a servidores públicos.

Texto:
Ana M. Pantoja

Militares celebram os 134 anos do Corpo de Bombeiros do Pará
Nesta quinta-feira, 24, o Corpo de Bombeiros Militar do Pará (CBMPA) completa 134 anos de fundação. A semana de comemorações começou com um culto ecumênico, realizado na última segunda-feira, 21, no Comando Geral. “Esse aniversário simboliza  a construção de uma instituição permanente, responsável pela segurança da sociedade. Temos o que comemorar porque nesses 134 anos evoluímos no nosso propósito de salvar vidas”, disse o Coronel Zanelli Nascimento, comandante do Corpo de Bombeiros.
Durante esses 134 anos, foram construídas muitas histórias de dedicação e amor à profissão. Uma delas, inspirada pela arte, é a do major Klebson Loair, que desenha desde os 12 anos de idade e pela terceira vez foi o responsável em produzir o convite de aniversário da corporação.
No convite deste ano foi usada uma arte que ele fez para os 130 anos da corporação, em 2012. O desenho mostra a transição entre o Comando Geral antigo, na rua João Diogo, na Campina, e o atual, na avenida Júlio Cesar. “Essa obra carrega um pouco da gente, do que a gente sente em trabalhar aqui. Muito bom ter sido lembrado pra resgatar essa arte que fiz com tanto carinho e dedicação”, disse o major, que em 30 anos de pintura já vendeu mais de 300 quadros para amigos e companheiros de trabalho do CBMPA.
Em breve, major Eloair pretende montar uma exposição com telas mostrando o dia a dia do Corpo de Bombeiros, com grandes ocorrências e fatos marcantes em sua carreira de 21 anos. Em 2003, o major restaurou duas telas históricas que lembram a pior tragédia entre membros da corporação. Uma delas estava rasgada e a outra sumiu quando foi mandada para o restaurador. As duas telas originais homenageiam os quatro bombeiros mortos e 11 feridos num incêndio e desabamento da casa Frank da Costa, ocorrido em 1902. O armazém ficava na travessa Campos Sales.
Um dos quadros mostrava o trabalho dos bombeiros no combate as chamas que ameaçavam outros prédios. O outro, o que sumiu, mostrava a operação rescaldo, no momento em que visitavam o local o Intendente Antônio Lemos e outras autoridades. Foi aí que o então Tenente Loair entrou em cena. Ele usou fotografias de jornais antigos para pintar uma nova tela, mantendo as mesmas cores e tonalidades da original, baseando-se na outra tela, que foi rasgada e também reproduzida.
Música - É através da música que o capitão Clerison Costa também demonstra seu amor ao ofício de bombeiro. Regente da banda do CBMPA há 4 anos, ele se orgulha de comandar um patrimônio da corporação. “Ser regente dessa banda tem um significado enorme para mim porque ela é um instrumento social que leva arte e cultura para o povo paraense. A música ajuda a trazer a cadência da nossa tropa militar e é muito gratificante fazer parte dessa história como a banda de bombeiros mais antiga do Brasil”, comemora o capitão.
O Comandante do Corpo de Bombeiros reforça a importância desses trabalhos, que acabam sendo um espelho da essência da corporação. “Existem duas palavras que movem o Corpo de Bombeiros: amor e solidariedade. Partindo dessas palavras, a gente engloba também o meio artístico com oficiais dedicados à música, ao desenho e outras atividades. Tudo isso só fortalece o que a gente se dispõe a fazer pela sociedade”, ressaltou o comandante Zanelli.
As comemorações pelo aniversário seguem durante a semana. No período de 21 a 25 de novembro, a Diretoria de Serviços Técnicos e o Centro de Atividades Técnicas promovem o evento “Bombeiro na Comunidade” em comunidades carentes de Belém. Nos dias 21 e 22, o Curso de Combate a Incêndio reuniu porteiros e moradores de residenciais.
Já a solenidade cívico-militar que marcará o aniversário será realizada nesta quinta-feira, 24, no pátio do quartel do Comando Geral. Na ocasião, haverá desfile de tropas e entrega de medalhas aos militares com mais de 20 anos de serviços prestados à corporação.
Também fazem parte da programação o Baile das Espadas, dia 25, no Grêmio Literário e Recreativo Português e a 1ª Exposição de Artes e Coleção de Miniaturas. Durante o período será intensificada a campanha de prevenção a afogamentos nos 25 municípios paraenses nos quais o CBMPA atua. A campanha é uma ação inédita entre o Corpo de Bombeiros brasileiro e a partir do ano que vem, se tornará uma campanha nacional, em parceria com a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa).

Texto:
Syanne Neno

Operação policial destroi dez plantações de maconha na divisa do Pará com o Maranhão
Uma operação policial realizada no nordeste paraense resultou na destruição de dez plantações de maconha e na apreensão de 1,5 mil pés da erva, além de 500 mudas, cinco quilos de sementes e parte da droga já beneficiada. Denominada de Tapera, a ação teve início na última segunda-feira (21) e prossegue ao longo desta semana. O primeiro balanço parcial, divulgado hoje, corresponde aos dois primeiros dias da operação, que envolve a participação de 30 policiais da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) e das Superintendências da Polícia Civil nas Regiões Integradas de Segurança Pública Guamá (3ª RISP) e Caeté (6ª RISP), além de 12 policiais militares do Comando de Operações Especiais (CME), três peritos criminais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e duas equipes - compostas por oito agentes - do Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Pará (Graesp) no apoio com helicópteros para sobrevoo e localização dos roçados na região.
Segundo o delegado Hennison Jacob, diretor da Denarc, as áreas identificadas com roçados de maconha durante os levantamentos estão localizadas na região entre os rios Piriá e Gurupi, na divisa do Pará com o Maranhão. Ele explica que essa foi apenas uma das etapas da operação. "A ação policial vai prosseguir por outros municípios do Pará objetivando a localização e eliminação de plantações de maconha, bem como a identificação e prisão dos responsáveis por esses cultivos ilegais", explica.
Até o momento nenhuma prisão foi feita, pois ao perceber a chegada dos policiais às áreas de plantação os responsáveis abandonaram os locais, deixando para trás equipamentos e utensílios de trabalho, como baldes, galões para transporte de combustível e até um motor do tipo motobomba. Dentro de um dos campos de cultivo, localizado no meio da mata, os policiais encontraram fábricas clandestinas de armas artesanais, conhecidas como "bofetes", que são usadas em armadilhas instaladas para afastar possíveis invasores. No local, também havia cartuchos de arma de fogo que seriam usados nessas armas. Os pés de maconha encontrados foram retirados e em seguida queimados junto com os objetos usados no cultivo da droga. 
Para localizar as áreas de plantação no meio da mata, os policiais contam com apoio de helicópteros, já que os terrenos são de grande extensão. Toda operação conta com apoio da Secretaria de Segurança Pública, da Delegacia Geral da Polícia Civil, Comando Geral da Polícia Militar e Centro de Perícias Científicas Renato Chaves.

Texto:
Walrimar Santos

Projeto quer merenda escolar especial e diferenciada para crianças com diabetes no Pará
Quando o assunto é diabetes muitos pensam que é uma doença relacionada a idosos...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Dina Santos

Retificação: STF julga ação do Pará que cobra regulamentação da Lei Kandir
Atenção redações,
Pedimos a substituição do texto enviado anteriormente sobre o mesmo assunto por este último, que traz as informações mais precisas. Agradecemos a colaboração de todos.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Está na pauta de julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) desta quarta-feira (23) uma ação que determina ao Congresso Nacional que defina critérios e regras de compensação aos Estados exportadores pelas perdas decorrentes da desoneração das exportações, conforme previsto na Lei Kandir. Quando criada, a Lei definiu que a compensação seria regulamentada em lei complementar, o que não ocorreu. A sessão será transmitida em tempo real, a partir das 14h (horário de Brasília), pela TV Justiça, Rádio Justiça e no canal do STF no YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=3mPzioimRWw).
Há quase duas décadas, a compensação acaba sendo feita pelo Governo Federal em índices bem menores do que as perdas decorrentes pela não cobrança de impostos dos produtos exportados. Estudo da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa) estima que o Pará deixou de arrecadar cerca de R$ 67,5 bilhões nas últimas décadas e a compensação enviada pela União ficou bem abaixo desse valor. 
A lei complementar deve ainda compensar os estados exportadores pelas perdas com as exportações de produtos primários e semi-elaborados, saldo comercial, créditos decorrentes da aquisição de bens de capital e créditos relativos à cobrança nas etapas anteriores do processo de produção dos bens e serviços exportados, o que não aconteceu até agora. Diante da omissão, o Pará entrou com a ação que hoje será julgada e que já recebeu parecer favorável da Procuradoria Geral da República e é subscrita por 16 Estados, incluindo o Distrito Federal.
Se o Pará pudesse exigir o ICMS sobre os produtos exportados entre os anos de 1996 e 2015, teria arrecadado um total de R$ 29.638.582.682,77 (vinte e nove bilhões, seiscentos e trinta e oito milhões, quinhentos e oitenta e dois mil, seiscentos e oitenta e dois reais e setenta e sete centavos). No entanto, a compensação paga pela União no mesmo período totalizou apenas R$ 7.601.431.752,84 (sete bilhões, seiscentos e um milhões, quatrocentos e trinta e um mil, setecentos e cinquenta e dois reais e oitenta e quatro centavos), acarretando um prejuízo (perda líquida) de R$ 22.037.150.929,93 (vinte e dois bilhões, trinta e sete milhões, cento e cinquenta mil, novecentos e vinte e nove reais e noventa e três centavos).
O julgamento da ação no STF está marcado para começar às 14 horas (horário de Brasília). O relator é o ministro Gilmar Mendes. O procurador-geral do Estado, Ophir Cavalcante Júnior, fará a sustentação oral pelo Estado do Pará.
Para ver a íntegra da ação, clique aqui.

Texto:
Pascoal Gemaque

Banpará inaugura agência no município de Terra Santa
O Banco do Estado do Pará, presente em Terra Santa, no oeste do Pará, desde maio de 1997 com um posto de atendimento, entregou na última semana à população do município uma nova e confortável agência bancária. Agora os clientes passam a contar com amplo espaço, equipamentos com tecnologia de ponta, mais comodidade, segurança e a conveniência de ter reunidos em um único lugar todos os serviços prestados pela instituição financeira.
Segundo o diretor de Crédito e Fomento do Banpará, Jorge Antunes, a instalação da nova agência na cidade garante mais investimentos para as empresas locais, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte. “O Banco tem como objetivo oferecer, além de comodidade e segurança aos clientes e funcionários, oportunidades para a implantação de novos empreendimentos e incentivo ao desenvolvimento econômico do município”, enfatiza.
Pedagogo e cliente do Banpará desde 2003, Raimundo de Jesus Conceição falou que além da melhoria do espaço físico, a nova agência Terra Santa vai agregar muito mais valor aos empreendimentos locais. "Tenho o hábito de sempre consultar o meu gerente para analisar o mercado e fazer as melhores aplicações. Antes nós tínhamos um posto pequeno e, agora, além do conforto, contamos com uma equipe de funcionários maior e mais preparada, o que reflete na qualidade no atendimento”, diz.
“Receber as instalações da agência Terra Santa nos traz um sentimento de orgulho e realização. Isso confirma o valor que o Banco dá aos seus funcionários e clientes e renova a motivação para o trabalho do dia-a-dia”, comemora o gerente geral Lucenildo Gemaque.
A Agência Terra Santa, que já atende todas as normas de acessibilidade e sustentabilidade ambiental, está localizada na Travessa Nossa Senhora das Graças, n° 100, Bairro Centro, e funciona para atendimento ao público no horário de 9h as 14h e de 8h as 18h.

Texto:
Renan Lobato

Ação do Pará contra desoneração das exportações poderá ser julgada pelo STF nesta quarta
Está previsto para esta quarta-feira, às 14h, o julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) de uma ação que pode começar a devolver ao Pará perdas que já somam quase R$ 30 bilhões. Trata-se de Ação Direta de Inconstitucionalidade por omissão, proposta pelo governador do Pará, Simão Jatene, que questiona a falta de uma compensação financeira em benefício dos estados exportadores, como é o caso do próprio Pará.
Há mais de 13 anos, o Poder Legislativo se comprometeu a elaborar uma lei complementar que compensasse o Estado pelas perdas com as exportações de produtos primários e semi-elaborados, saldo comercial, créditos decorrentes da aquisição de bens de capital e créditos relativos à cobrança nas etapas anteriores do processo de produção dos bens e serviços exportados, o que não aconteceu até agora. Diante da omissão, o Pará entrou com a ação que hoje será julgada.
Se o Estado do Pará pudesse exigir o ICMS sobre os produtos exportados entre os anos de 1996 e 2015, teria arrecadado um total de R$ 29.638.582.682,77 (vinte e nove bilhões, seiscentos e trinta e oito milhões, quinhentos e oitenta e dois mil, seiscentos e oitenta e dois reais e setenta e sete centavos). No entanto, a compensação paga pela União no mesmo período totalizou apenas R$ 7.601.431.752,84 (sete bilhões, seiscentos e um milhões, quatrocentos e trinta e um mil, setecentos e cinquenta e dois reais e oitenta e quatro centavos), acarretando um prejuízo (perda líquida) de R$ 22.037.150.929,93 (vinte e dois bilhões, trinta e sete milhões, cento e cinquenta mil, novecentos e vinte e nove reais e noventa e três centavos).
O relator do julgamento é o ministro Gilmar Mendes. O procurador-geral do Estado, Ophir Cavalcante Júnior, fará a sustentação oral pelo Estado do Pará. A sessão será transmitida em tempo real pela TV Justiça, Rádio Justiça e no canal do STF no YouTube.

Texto:
Pascoal Gemaque

Sinduscon, TJE e Pro Paz unem forças para combater a violência doméstica
Data da Pauta:
25/11/2016 07:00:00
Expira em:
25/11/2016 10h00
Local:
Conjunto Habitacional dos Paricás
Endereço:
Icoaraci
Contatos:
Mayara Albuquerque/Nathalia Petta (Ascom Pro Paz): 99907-0751/ 98383-9999

O governo do Estado, por meio da Fundação Pro Paz, assina no próximo dia 25 um Termo de Cooperação Técnica com o Sindicato da Indústria da Construção do Estado do Pará (Sinduscon) e o Tribunal de Justiça do Estado do Pará para intensificar a prevenção e o combate à violência de gênero. A partir dessa parceria serão oferecidas palestras sobre o tema a trabalhadores da construção civil. O Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher marca uma série de ações a serem desenvolvidas no que se definiu como os “16 dias de ativismo”, uma mobilização mundial pelo fim da violência contra a mulher.
A assinatura do acordo será às 7h, no canteiro de obras do conjunto habitacional Quinta dos Paricás, em Icoaraci, com a presença de autoridades e de um público de mais de 600 trabalhadores da construção civil. No Pará, os projetos em que atuam conjuntamente os três organismos mobilizados em torno do Termo de Cooperação são o “Mutirão nos Bairros” e o “Mãos à Obra: Trabalhadores no Combate à Violência contra a Mulher”. Ambos estão interligados e vinculados a ações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do próprio Supremo Tribunal Federal (STF) em curso no Brasil inteiro. Já o “Mutirão nos Bairros” é uma ação do TJE-PA que visa a dar celeridade a processos que estão esperando apreciação nas varas de violência contra a mulher. 
De acordo com o Sinduscon, a ideia de ofertar palestras aos trabalhadores da construção civil surgiu de um levantamento de necessidades feito pela Central de Serviços da entidade, e a violência contra a mulher foi um dos temas escolhidos pelos próprios operários.

Texto:
Mayara Albuquerque

Comissões de Justiça e Finanças da Alepa aprovam projetos que facilitam acesso à justiça
Uma reunião conjunta das comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) aprovou nesta terça-feira (22/11), Projetos de Lei que vão garantir meais acesso da população à justiça...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Avelina Castro

Deputados criam Comissão de Estudos para debater a inovação tecnológica no Pará
O deputado Dirceu Ten Caten presidirá a Comissão Temporária de Estudos que vai tratar de questões de Inovação, Tecnologia e Propriedade Intelectual no Estado do Pará,  instalada  nesta quinta-feira (22/11), na Assembleia Legislativa (Alepa)...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Mara Barcellos

Governadores fecham pacto de austeridade pelo crescimento
Após reunião com o presidente Michel Temer e equipe técnica, que durou cerca de cinco horas, no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta terça-feira (22), e que contou com presença de 24 Estados e o Distrito Federal, os governadores decidiram criar um fórum permanente, com câmaras técnicas e secretarias, em que serão avaliadas e fechadas em conjunto propostas coletivas com o governo federal em principalmente três pontos: maior controle de gastos, reforma previdenciária e busca por financiamento de investimentos. Todas as medidas deverão ainda observar a realidade de cada Estado.
Em coletiva com a imprensa ao final do encontro, o governador do Pará, Simão Jatene, afirmou que as reuniões desta semana foram produtivas e que finalmente se propõe um pacto efetivo entre os Estados para enfrentamento da crise. “Finalmente tocamos em alguns assuntos fundamentais para buscar a melhoria das condições financeiras dos Estados”, disse. Os temas, segundo o governador, são de natureza estrutural: o controle de gastos, a reforma da previdência e a criação de mecanismos de financiamento para a retomada do crescimento.
“Isso foi pactuado pelos governadores e passa a ser um instrumento permanente com suas equipes, que deverão reunir-se permanentemente com técnicos do governo federal para, acima de tudo, rediscutirem a federação brasileira”, disse Simão Jatene. Para o governador, o pacto firmado nesta terça tem como vantagens ser suprapartidário – “coloca as populações dos Estados e seus interesses acima de diferenças e cores de bandeiras dos partidos” – e aceita que “as dívidas existem e precisam ser pagas, mas não de forma homogênea”. Para Jatene, o maior feito deste encontro “é unir, num primeiro momento, estados e a União”, disse.
No Palácio do Planalto, além dos governadores, também participaram da reunião o presidente do Senado, Renan Calheiros e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e os ministros Henrique Meirelles (Fazenda), Dyogo de Oliveira (Planejamento), a secretária do Tesouro, Ana Paula Vescovi, e o secretário-executivo da Fazenda, Eduardo Guardia. Antes do encontro no Palácio do Planalto, os governadores já tinham feito uma reunião prévia, pela manhã, na residência oficial do Governo do DF, em Águas Claras, Brasília.
Já no primeiro encontro havia sido definida a união dos Estados para colocar em prática um pacto federativo real para discutir as dívidas de cada um como um problema só. Para isso, com o foco em austeridade e crescimento, será criado um Fórum Permanente de Governadores, onde serão criadas câmaras técnicas, que terão como pressupostos trabalhar pelo controle de gastos, a retomada do crescimento e a busca por financiamentos externos para mais investimentos, os três pontos elencados como principais. 
Reequilíbrio das contas
No Palácio do Planalto também estiveram presentes os líderes do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR), e no Senado, Aloysio Nunes (PSDB-SP).  Durante toda a tarde, os governadores enfatizaram a necessidade urgente de serem tomadas medidas para reequilibrar as contas públicas, uma vez que vários governos sequer estão com caixa para pagamento do funcionalismo em dia.
Os casos mais críticos são os do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul. O governador do Rio de janeiro, Luís Fernando Pezão, classificou como "excelente" o encontro. "É o que posso adiantar. Acho que é uma oportunidade de discutirmos um embrião de um pacto federativo. É uma série de medidas que ajudam os estados", disse.
Num dos intervalos da reunião, o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, disse que o governo federal concordou em repartir com os Estados também a arrecadação com a multa aplicada contra os contribuintes que aderiram à chamada "repatriação". Até então, o governo tinha concordado somente em dividir com os estados o dinheiro arrecadado com o Imposto de Renda cobrado na "repatriação". Governadores, porém, alegam ter direito também a parte da multa e, diante da resistência do governo Temer, entraram com processo no Supremo Tribunal Federal (STF) para exigir os recursos. O montante, segundo os governadores, é de cerca de R$ 5,2 bilhões, dos R$ 46,8 bilhões obtidos com a repatriação. Segundo Colombo, o acordo fechado prevê que os Estados retirem as ações que tramitam no STF reivindicando o repasse.
Veja, abaixo, a nota na íntegra distribuída para a imprensa ao final do encontro do presidente Michel Temer com os governadores:
Nota à imprensa
Reunidos hoje em Brasília, governadores de Estados, o presidente da República, Michel Temer, os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira, bem como os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia e do Senado federal, Renan Calheiros, decidiram construir um grande pacto nacional pelo equilíbrio das contas públicas que compreende:
Unidade absoluta da ação da União e dos Estados no ajuste fiscal proposto pelo governo federal, assim como aquelas medidas já apresentadas e outras que serão propostas sobre a Reforma da Previdência;
Que os governadores formalizarão, com número necessário de apoio dos deputados federais, emenda a PEC da Reforma da Previdência a ser apresentada pela União com vistas a constarem no texto as obrigações previdenciárias aplicadas pelos estados e pelo Distrito Federal;
A partir desta quarta-feira (23), os secretários de Fazenda elaborarão, com a Secretaria do Tesouro Nacional, proposta de ajuste dos estados a ser apresentada, na próxima semana, por um grupo de governadores representando as regiões, ao Ministro da Fazenda, para detalhar as propostas limitadoras dos gastos nos Estados;
O compromisso com o corte de gastos foi também acordado unanimemente entre os governos dos Estados e a União;
Em face dessas providências, serão formatados instrumentos jurídicos necessários ao acordo a ser formulado perante o Supremo Tribunal Federal;
Todas essas medidas buscam construir ambiente favorável à recuperação econômica e ao retorno do desenvolvimento no mais curto espaço de tempo possível.

Texto:
Pascoal Gemaque

Criação do Mosaico Gurupi vai reforçar a proteção da Terra Indígena Alto Rio Guamá
Proposto com o objetivo de fortalecer a gestão e o combate a crimes nas áreas protegidas, o Mosaico de Áreas Protegidas da Região do Rio Gurupi também visa promover uma ação conjunta de recuperação nessas áreas, onde a floresta foi desmatada ou degradada. Neste mês, representantes da Diretoria de Gestão da Biodiversidade, do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), participaram da primeira reunião para criação do Mosaico Gurupi, localizado na divisa dos estados do Pará e Maranhão.
A criação deste mosaico é coordenada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), em parceria com o Museu Paraense Emílio Goeldi, e visa favorecer a proteção e a gestão integrada de cinco terras indígenas, dentre elas a Terra Indígena Alto Rio Guamá (Tiarg), situada no Pará, e uma unidade de conservação federal, a Reserva Biológica (Rebio) do Gurupi.
Este amplo território, composto por áreas protegidas, é o último grande bloco de florestas ainda com integridade ambiental da Área de Endemismo Belém (AEB), uma ampla região biogeográfica, que aloja espécies da biodiversidade amazônica que ocorrem exclusivamente no local. Das oito áreas de endemismo que existem na Amazônia, esta é a mais devastada e ameaçada do ponto de vista de perda da biodiversidade.
O Ideflor-bio desenvolve um trabalho de apoio à gestão ambiental e territorial na Terra Indígena Alto Rio Guamá, localizada nos municípios paraenses de Paragominas, Santa Luzia do Pará e Nova Esperança do Piriá, que abrigam mais de 30 espécies da flora e da fauna ameaçadas de extinção no Estado, como os macacos cuxiú (Chitopotes satanas) e o caiarara (Cebus kaapori), classificados como criticamente ameaçados de extinção.
Esta Terra Indígena tem sofrido impactos socioambientais profundos e irreversíveis devido ao desmatamento promovido por invasores não indígenas e pela extração ilegal de madeira. Essa situação de pressão e ameaças observada na Terra Indígena Alto Rio Guamá, na fronteira com a Terra Indígena Alto Turiaçu e com a área de amortecimento da Rebio Gurupi, não é diferente das áreas protegidas vizinhas, localizadas no Maranhão.

Texto:
Denise Silva

Pará tem a quarta maior delegação das Paralimpíadas Escolares 2016
Com uma equipe de 101 pessoas, sendo 64 atletas, o Pará participou nesta terça-feira (22), da cerimônia de abertura das Paralimpíadas Escolares 2016 realizada no Anhembi Parque, em São Paulo. A competição é organizada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Ministério do Esporte e Confederação Brasileira do Desporto Escolar (CBDE), e este ano contará com a participação de 24 estados mais o Distrito Federal, reunindo 903 atletas paralímpicos.
Além de uma vitrine para muitos atletas, as Paralimpiadas Escolares proporcionam um momento de integração e de celebração, já que para muitos deles estar ali é uma vitória, da superação por meio do esporte. Durante os dias de competição eles compartilham não apenas o espírito olímpico, mas incontáveis histórias de vida que são verdadeiros exemplos de determinação. Dos que já convivem com as limitações físicas desde o nascimento aos que tiveram que aprender a lidar com elas por conta de acidentes ou sequelas deixadas por alguma doença, em todos habita a força e a certeza que podem ultrapassar barreiras e mostrar que tudo é possível quando se acredita.
E foi essa alegria e força de vomtade que deram o tom da cerimônia de abertura das Paralimpíadas Escolares 2016. O atleta Karlos Wenicios junto com o seu guia Matheus Monteiro foram os porta-bandeiras do Pará. Cego desde o nascimento, Karlos é aluno na Unidade de Ensino Especializada Álvares de Azevedo e já coleciona medalhas no atletismo. "Ano passado ganhei três e este ano quero ganhar muitas mais, porque gosto muito de competir", contou.
Já a atleta de natação Jaqueline dos Santos Camilo, natural de Marabá, nasceu com má formação nas pernas, o que a impossibilitava de andar. Com o apoio da família, ela então decidiu fazer uma cirurgia para retirar os membros inutilizados e usar próteses. "No hospital os médicos me despertaram para a possibilidade de praticar esporte, sugerindo que seria uma boa escolha a partir dali, então comecei a praticar natação. Já treino há três anos e posso afirmar que o esporte mudou completamente a minha vida", relata Jaqueline, que também gosta de dançar e é treinada pelo professor Arionaldo Reis, no Projeto Marabá Paralimpico, da 4ª Unidade Regional de Educação (URE).
Os atletas do Pará competirão nas modalidades de goalball, bocha adaptada, natação, atletismo, futebol de 7, tênis de mesa e judô. Em 2015, o Pará conquistou o 4º lugar no quadro de medalhas, com 17 de ouro, 14 de prata e 13 de bronze, totalizando 44. Esses resultados positivos foram alcançados em virtude das melhorias e avanços conquistados na Educação Especial, que incluem a oferta de Educação Física Adaptada para alunos com deficiência na rede pública de ensino, a integração e o envolvimento das famílias na preparação dos atletas, a garantia de atendimento por profissionais habilitados, a parceria do Núcleo de Esporte e lazer (NEL) com o Comitê Paralímpico Brasileiro e a formação continuada de profissionais das redes de ensino municipal e estadual sobre Educação Física Adaptada.
O esporte ajuda na prevenção e reabilitação da capacidade física dos estudantes com deficiência visual, física e intelectual, melhorando a funcionalidade do corpo, promovendo a reinserção social, ajudando a superar as limitações e melhorando a autoestima desses jovens. A coordenadora do Núcleo de Esporte e Lazer (NEL) da Seduc, Ana Glória Guerreiro, destaca o apoio que o Estado tem dado às causas e políticas sociais de inclusão voltadas à pessoa com deficiência. "O governo do Estado tem mostrado muito empenho em nos ajudar, mesmo diante desse momento de crise que o país está vivendo conseguimos garantir a viagem de todos os nossos atletas paralímpicos. Além de colaborar de todas as formas para a inclusão dos nossos atletas, para quem o esporte escolar é muito importante, pois com os excelentes resultados que vem alcançando, muitos alunos estão conseguindo bolsas e, assim, garantindo mais autonomia e recursos para continuarem com os treinamentos".
O vice-presidente do Comitê Paralimpico Brasileiro (CPB), Ivaldo Brandão, também falou dos avanços no esporte Paralímpico Escolar paraense. "Vemos que existe uma política muito forte na área do esporte voltado às pessoas com deficiência no Pará. Em pouco tempo o estado absorveu a filosofia do esporte adaptado e do esporte escolar e abriu muitas oportunidades, o que tem trazido resultados muito positivos", destacou.

Texto:
Eliane Cardoso

Contemplados no Prêmio Expressões Artísticas da FCP participam de mostra
Será aberta nesta quarta-feira (23), às 19h, na Galeria Theodoro Braga, a Mostra do Prêmio Expressões Artísticas, da qual participam 15 artistas iniciantes contemplados no edital do Programa Seiva 2016, da Fundação Cultural do Pará (FCP). O público poderá conferir fotografias, pinturas, instalação, cerâmicas e design.
O fotógrafo Rafael Fernando Chaves, 27, participa pela primeira vez de um edital de incentivo à cultura. Para ele, o programa Seiva proporcionou compartilhar o seu olhar e a vida das pessoas pela fotografia. “É muito importante entender nossa cidade, esses trabalhos diários que as pessoas desenvolvem no centro histórico. É um sentimento atemporal”, diz Rafael, que conheceu as técnicas da fotografia nas Oficinas Curro Velho.
Ele expõe 15 fotografias com a técnica da cianotipia e o tema “Belém 400 anos – sentimentos atemporais azuis”. As imagens fazem um passeio pelo centro histórico, que começa na Catedral e segue pela Feira do Açaí, pedra do peixe, Mercado de Peixe e Mercado de Carne. “Quis mostrar que essa vivência com as pessoas, no Ver-o-Peso, no centro histórico, veio propiciar o que é o Ver-o-Peso para eles não somente como símbolo histórico, mas como algo que dá sentido em suas vidas”.
O coletivo Guaí, formado por seis universitários de Artes Visuais da Universidade Federal do Pará (UFPA), também participa da mostra com a instalação “Cartotraços”. Segundo Edmar Pinheiro, o objetivo da obra é instigar o público. “Fizemos a obra inspirada no mapa de Belém, na cartografia, hidrografia. São três peças: o papel, a borracha e o acetato. Cada uma representa um momento histórico de Belém”, detalha.
A artista Jéssica Calandrine, 22, do coletivo Guaí, espera que o público perceba que a instalação conta um pouco da história da capital paraense. “Gostamos muito das questões sociais e pensamos nesta obra para instigar sobre uma reflexão da nossa cidade”, conclui.
Serviço: Mostra Seiva Prêmio Expressões Artísticas 2016. Quarta (23), às 19h, na Galeria Theodoro Braga, do Centur. Entrada franca.

Texto:
Andreza Gomes

Pro Paz, Sinduscon e TJE unem forças para combater a violência doméstica
A Fundação Pro Paz, o Sindicato da Indústria da Construção do Pará (Sinduscon) e o Tribunal de Justiça do Estado (TJE) assinam, na sexta-feira (25), às 7h, no canteiro de obras do conjunto habitacional Quinta dos Paricás, em Icoaraci, termo de cooperação técnica que vai intensificar a prevenção e o combate à violência de gênero. A partir da medida, serão oferecidas palestras sobre o tema para trabalhadores da construção civil. A data simbólica, Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher, marcará uma série de ações a ser desenvolvida em “16 dias de ativismo”, mobilização mundial pelo fim da violência contra a mulher.
A assinatura terá a presença de mais de 600 trabalhadores da construção civil. No Pará, os projetos que no momento envolvem os três organismos trabalhando em conjunto são o “Mutirão nos Bairros” e o “Mãos à obra: trabalhadores no combate à violência contra a mulher”. Ambos estão interligados e vinculados a ações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do próprio Supremo Tribunal Federal (STF) em curso no Brasil inteiro. O primeiro é uma ação do TJE que visa a dar celeridade a processos que estão esperando apreciação nas varas de violência contra a mulher. De acordo com o sindicato, as palestras surgiram de um levantamento de necessidades da central de serviços, e a violência contra a mulher foi um dos temas escolhidos pelos próprios trabalhadores.
Riane Freitas, pedagoga do setor multidisciplinar das varas de violência contra a mulher do tribunal, explica que foi numa edição anterior do mutirão que ficou constatada a grande incidência de violência doméstica nas famílias de trabalhadores da construção. “No setor multidisciplinar das varas de violência contra a mulher, identificamos que havia um índice grande de casos em que a agressão ocorria no período em que o operário da construção civil recebia a quinzena. A partir dessa constatação, percebemos a necessidade de um projeto voltado para esse público”, relatou.
“Havíamos tentado o contato direto com as construtoras, sem sucesso. Daí veio a parceria com o Sinduscon, que abriu as portas pra que a gente pudesse conversar com esses trabalhadores. Com a erradicação da violência de gênero, além de a sociedade e a mulher que antes era vitimada serem beneficiadas, ganha o Judiciário, que tem uma redução na demanda processual, e ganha o empregador, que não tem que dispensar o funcionário pra audiência, não tem que perder o profissional porque foi preso", afirma.
A gestora da Central de Serviços do Sinduscon, Eliana Veloso Farias, explica como se dará a participação do sindicato na promoção dessas palestras: “Faremos encontros em canteiros diferentes nos dias 21, 23, 25, 28 e 30 de novembro, além do dia 2 de dezembro. Serão seis encontros no formato de participação integrada entre técnicos de Pro Paz, abordando sobre aspectos psicossociais da violência doméstica, e Tribunal de Justiça, que tratará sobre a mesma temática sob o ponto de vista legal”.
O presidente da Fundação Pro Paz, Jorge Bittencourt, destaca o papel da conscientização no combate à violência contra a mulher. “A Fundação Pro Paz, integrada às entidades que formam o Sistema de Segurança Pública, criou o Pro Paz Mulher para evitar que a vítima peregrine por atendimento. Daí a importância de trabalharmos em parceria com o TJE, que nos ajuda a garantir as medidas protetivas que evitam revitimização de pessoas que vivem sob ameaça. Por outro lado, ter o Sinduscon como parceiro fortalece o trabalho de conscientização do agressor em potencial ou inconsciente, levando informação e quebrando paradigmas, de forma que ele possa se perceber como agressor. É uma parceria que beneficia diretamente a sociedade e nos faz ter a certeza de que estamos no caminho certo: o de servir a sociedade”. (Com informações da Ascom Sinduscon)

Texto:
Mayara Albuquerque

Ato-show fortalece ações nas escolas pela valorização da cultura negra no Brasil
A escola, assim como a família, deve participar do debate sobre a discriminação racial, possibilitando a todos os estudantes o acesso a informações sobre a história e a cultura da população negra, e sua relação direta com a formação do Brasil. Por essa razão, a Coordenadoria de Educação para Promoção da Igualdade Racial (Copir), da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), e o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) promoveram no último domingo (20), Dia Nacional da Consciência Negra, um ato-show para marcar a data e fortalecer a luta dos cidadãos negros por seus direitos e políticas públicas de enfrentamento ao racismo no País, em particular na formação de alunos da rede pública.
O ato-show ocorreu no Parque Zoobotânico do MPEG, e chamou a atenção de visitantes e pesquisadores da instituição. “A Copir atua na implantação da Lei nº 10.639 nas escolas públicas estaduais, em particular em escolas funcionando em comunidades quilombolas, estas em parceria com secretarias municipais de Educação. Essa lei determina a inclusão da história e cultura afro-brasileira nos currículos da Educação Básica”, informou a coordenadora da Copir, Creusa Santos. No evento, houve apresentações do grupo Cobra Venenosa – Carimbó  e Poesia, do  Distrito de Icoaraci, e Coletivo Casa Prata: Musicalidade e Dança, do Bairro de Canudos.
O Pará é um dos estados com maior número de comunidades quilombolas - 523 comunidades em 45 municípios. Ao longo deste ano, 300 projetos sobre essa temática foram desenvolvidos nas escolas estaduais, culminando no período que antecedeu o dia 20 de Novembro, data em homenagem a Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, referência na luta contra a escravidão.
Olhar a própria história - Para os estudantes negros, conhecer a história e a cultura dos seus ancestrais é essencial para que possam ter um novo olhar sobre a própria história. Além da formação continuada de professores e eventos organizados em escolas nos municípios pela Seduc, desde o ano passado comunidades escolares passaram a dispor de duas ações - os projetos Trilhas e Tela Negra - no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi.
Segundo Lúcia Santana, chefe do Serviço de Educação do MPEG, a instituição possui um vasto acervo sobre a cultura negra, e intensifica, desde o ano passado, um debate sobre os tipos de preconceito contra cidadãos negros. Nesse contexto, por iniciativa da estagiária Tainá Coutinho Jorge, surgiu o projeto Trilhas, em que líderes de religiões de matriz africana trocam experiências com o público sobre como as árvores do Parque Zoobotânico se inserem na cultura afro-brasileira. Foi feito um vídeo sobre o projeto e disponibilizado para as escolas.
Outro projeto em andamento é o Tela Quente, que exibe vídeos e documentários ao público, em especial estudantes, no Parque Zoobotânico. São ministradas oficinas e os alunos têm acesso à programação do projeto. “Nós queremos intensificar esta parceria do Museu com a Seduc”, destacou Lúcia Santana.
Jogos africanos - Estudantes da Escola Estadual Padre Francisco Berton, do Bairro do Tapanã, levaram para o evento 13 jogos africanos, identificados por meio do projeto Jogos ao redor do Mundo, coordenado pelo professor Guilherme Trindade. “Trouxemos jogos como o Argola Africana, Nó Africano e Bola Africana”, informou a estudantes Paula Rodrigues, 14 anos, do 8º ano do Ensino Fundamental. Para ela, “ações como essa aqui, no Museu, contribuem para a gente aprender a conviver. Somos todos irmãos, seres humanos. O racismo, então, é absurdo e injusto”.
O professor e pesquisador da Universidade Federal do Pará, Assunção Amaral, coordenador do programa Universidade no Quilombo e do grupo de estudos sobre cultura e história negra, ressaltou que “as ações do Movimento Negro e nas escolas têm avançado e contribuído para uma compreensão mais nítida, completa da participação do negro na história do Brasil, e também para o debate e a busca de políticas públicas”.
Mobilização - Os impactos da discriminação racial atingem os cidadãos negros de todas as idades. Para enfrentar esse problema, o professor Vinícius Darlan, incentivado pela parceria com a Copir, desenvolve campanha de conscientização contra o racismo nas escolas estaduais Ademar de Vasconcelos, em Salvaterra, e Gasparino Batista, em Soure, ambas no Arquipélago do Marajó.
O projeto “A Intervenção Pedagógica Semana Integrada ao Racismo”, coordenado pelo professor Vinícius, ganhou o 7º Prêmio Nacional Educar para Igualdade Racial e de Gênero, do Centro de Estudos das Relações de Trabalho, de São Paulo (SP). 
O professor destacou que “o aluno com baixa autoestima, atingido pelo racismo, não quer estudar. A discriminação chega ao ponto de o estudante abandonar os estudos e a escola”. 
O ato-show, incluindo o projeto Sarau Cabaça da Existência, fomentou a reflexão sobre a contribuição da cultura negra no cotidiano dos cidadãos brasileiros.

Texto:
Eduardo Rocha

Alepa discute projetos sobre telefonia e estágio para pessoas com deficiência em órgãos públicos
Como parte do processo democrático, os parlamentares debateram amplamente a pauta da Sessão Ordinária desta terça-feira (22/11)...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Andreza Batalha

Alepa aprova Banda de Música do Corpo de Bombeiros do Pará como Bem de Natureza Imaterial
Criada em 1890 através de decreto do então Governador Justo Chermont, a Banda de Música do Corpo de Bombeiros Militar do Pará surgiu para proporcionar entretenimento durante as festas da corporação , mas logo os acordes começaram a ser ouvidos em comemorações civis nos coretos de praças de Belém...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Sâmia Maffra







Setur promove curso de manipulação de alimentos para moradores do Combu
A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) promove o curso de Boas Práticas e Manipulação de Alimentos até sexta-feira (25), de 9h ao meio-dia e de 13h às 16h, no auditório do Instituto de Desenvolvimento Florestal e Biodiversidade do Pará (Ideflor-bio). O curso é direcionado aos moradores da Ilha do Combu e tem a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Ideflor-bio.
O objetivo é aprimorar as técnicas para o preparo dos alimentos e levar maior qualidade aos serviços de alimentos e bebidas já ofertados em restaurantes, bares e similares, para melhor atender aos visitantes e à população local, promovendo o desenvolvimento econômico e social.
A capacitação promovida pelo Programa Estadual de Qualificação Profissional do Turismo (Peqtur) levanta as necessidades de qualificação no trade, municípios e parceiros, oferecendo aos profissionais dos diversos segmentos do turismo uma ferramenta capaz de aumentar a eficiência, aprimorar a qualidade dos serviços prestados e ampliar a competitividade, com vistas a integrar o produto turístico e contribuir para o desenvolvimento do setor no Estado.
Ao todo, 300 pessoas já foram qualificadas no curso, que inclui a prática de manipulação do açaí, nos municípios de Nova Timboteua, Capanema, Bragança, Peixe-Boi, São Francisco do Pará e Tracuateua. Para a promoção dos cursos, a Setur tem a parceria da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac). “O Estado precisa capacitar profissionais, seja para que exerçam a função de trabalhador, seja para empreenderem como empregador de outras pessoas, movimentando a economia e gerando emprego e renda”, diz o titular da Setur, Adenauer Góes.

Texto:
Israel Pegado

Alunos da rede pública debatem melhorias para a educação no Fórum de Agentes Jovens
Juventude e protagonismo, violência e direitos humanos, diversidade cultural e cultura digital são temas presentes no dia a dia da juventude, e que foram debatidos no "Fórum de Agentes Jovens de Belém e Ananindeua", promovido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em parceria com o Instituto Unibanco, nesta terça-feira (22), no auditório da Computer Hall.
O Fórum reuniu aproximadamente 300 alunos do 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio, de 30 escolas da rede pública estadual de Belém e Ananindeua, na Região Metropolitana, para discutir, trocar experiência e redigir uma carta-compromisso, que auxiliará as ações pedagógicas nas instituições de ensino. Os temas foram selecionados pelos próprios alunos em discussões prévias, realizadas nas escolas desde julho deste ano.
Os temas foram discutidos em mesas-redondas, plenárias e programação cultural. "O objetivo é trazer o aluno para o centro das discussões e torná-lo protagonista de todas as  ações. Ao voltar as suas escolas, eles desenvolverão os pontos da agendas através de ações que discutiram", explicou Mychele Silva, coordenadora do Projeto Jovem de Futuro na Seduc.
O Fórum está inserido na metodologia "Agente Jovem", uma estratégia de mobilização estudantil, que estimula e apoia ações que envolvam os alunos e ajudem a diminuir a evasão escolar, estimulando a participação na escola de ações que contribuiam para a melhoria do ambiente escolar.
Protagonismo - Gabriela Carmo, 19 anos, aluna da Escola Estadual Frei Daniel, no Bairro do Guamá, afirmou ser uma protagonista juvenil, já que busca “conhecimento para empoderar” outros alunos da sua comunidade escolar. “Protagonizar é poder ajudar a escola, mudar, tentar melhorar e envolver todos os alunos. Um protagonista jovem tem maior condição de chegar e envolver todos em busca de uma sociedade melhor", ressaltou.
Para Renato Lobato, 18 anos, aluno do 3º ano na Escola Estadual Teodora Bentes, no Distrito de Icoaraci, a sociedade tenta impor seus conceitos aos alunos sem ouvir o que é melhor para eles. "Esta é uma grande oportunidade de falarmos o que queremos e o que pensamos, o que é melhor para o nosso futuro”, declarou. 
O Jovem de Futuro é uma tecnologia educacional voltada ao aprimoramento contínuo da gestão escolar, com o objetivo de melhorar o resultado da aprendizagem dos estudantes do Ensino Médio. Iniciado em 2008, o projeto já foi implantado em 10 estados e, até 2015, havia beneficiado 1,6 milhão de estudantes do Ensino Médio, em 2,5 mil escolas estaduais.
O projeto é desenvolvido com as secretarias de Estado de Educação, oferecendo assessoria técnica, formação aos profissionais de educação, análises educacionais, instrumentos e tecnologias de apoio à gestão escolar e metodologias pedagógicas. Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí e Pará já desenvolvem o PJF.
E agora? - Para pensar junto com os alunos quais os próximos passos após a conclusão do Ensino Médio, o Instituto Unibanco desenvolveu o guia "E Agora?", com orientações sobre qual profissão seguir, como entrar na universidade, como pagar universidade particular etc.
O guia traz também alternativas de carreiras, para que o aluno tenha acesso às informações necessárias para tomar uma decisão acertada na hora de definir seu futuro. O guia foi distribuído para os alunos do 3º ano das escolas que desenvolvem o projeto.

Texto:
Márcio Flexa

Credcidadão entrega R$ 20 mil em microcrédito para empreendedores de Vigia
Nesta terça-feira (22), em Belém, o Credcidadão fez a entrega de microcrédito no valor de R$ 20 mil para sete microempreendedores de Vigia, nordeste do Pará. Na cidade as atividades mais exploradas são lanchonetes, pinturas, venda de água, plantação de pimenta e confecções. Segundo a diretora do Credcidadão, Tetê Santos, para ser atendido o solicitante precisa estar sem restrições junto ao Serasa/ SPC. Também é necessário morar no Estado há pelo menos dois anos e ter mais de 18 anos.
As linhas de crédito convencionais são individual, com um avalista; a solidária, concedida a um grupo de três a cinco pessoas, com atividades independentes, pertencentes a uma organização social; e a associativa, concedida a um grupo de pessoas que desenvolvem uma única atividade, como mototaxistas. Há ainda o crédito especial, para maiores de 65 anos, portadores de necessidades especiais, integrantes de programas sociais do governo do Estado ou egressos do sistema penal.
O Credcidadão tem por objetivo incentivar a geração de trabalho e renda entre os microempreendedores com necessidades financeiras. O programa usa uma metodologia específica, baseada no relacionamento direto, com orientação educativa sobre plano e gestão de negócio para crescimento e sustentabilidade da atividade econômica. Na última segunda (21), o Credcidadão fez entrega em Salvaterra, no Marajó, para sete microempreendedores. Na quarta (23), quinta (24) e sexta-feira (25), o Credcidadão fará a entrega em mais quatro municípios: Ananindeua, Ipixuna do Pará, Paragominas e Viseu.

Texto:
Carolina Gantuss

Nove municípios do Pará recebem lancha para auxiliar ações de assistência social
Representantes do Governo do Pará, por intermédio da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), e do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), assinaram nesta terça-feira (22) o Termo de Doação das lanchas da assistência social com 15 municípios dos estados do Pará, Maranhão e Amapá. No Pará, receberam as lanchas as prefeituras de Salvaterra, Chaves, Abaetetuba, Limoeiro do Ajuru, Afuá, Muaná, Bragança, Maracanã e Viseu.
Participaram da solenidade de entrega prefeitos reeleitos e eleitos, secretários de Estado e municipais, e profissionais de assistência social. Cada lancha tem capacidade para transportar até 12 pessoas, sendo dois tripulantes.
A lancha social tem a finalidade de levar serviços do Sistema Único de Assistência Social (Suas) às comunidades ribeirinhas e costeiras. Elas serão utilizadas para transportar equipes volantes dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e realizar a busca ativa das famílias que vivem em situação de vulnerabilidade e risco social, residentes em comunidades com espalhamento ou dispersão populacional, para que sejam incluídas no Cadastro Único dos programas sociais.
Compromisso - “Esse equipamento vai trazer para os municípios que mais precisam a possibilidade de realizar a busca ativa e de garantir o atendimento efetivo, levando em conta as especificidades da nossa região. As lanchas são oceânicas, então são capazes de realmente chegar aos municípios que nós temos dificuldade de acesso. A entrega dessas lanchas reforça o compromisso entre os entes da Federação, e garante que a assistência social chegue aonde precisa chegar. Essa é mais uma alternativa fundamental para a região amazônica, para que possamos garantir o direito de todos”, ressaltou Izabela Jatene, secretária Extraordinária de Integração de Políticas Sociais, que representou o governador Simão Jatene.
Para o titular da Seaster, Heitor Pinheiro, o veículo é fundamental para que as equipes volantes dos Cras ampliem a atuação com as famílias e comunidades que vivem em regiões ribeirinhas, de forma mais regular e sistemática. “A partir de agora nós, da Secretaria, temos um papel fundamental de monitoramento e acompanhamento dos serviços que estarão sendo executados com o apoio da lancha”, explicou.
Segundo o prefeito de Muaná, Murilo Guimarães, o município já possui uma embarcação que presta serviços para famílias em situação de vulnerabilidade, mas a lancha vai ampliar os serviços de assistência social. “As equipes volantes usarão os equipamentos para chegar às famílias mais distantes, onde vive uma parcela da população ainda não inclusa nas políticas públicas. Com isso, realizaremos a busca ativa e levaremos essas políticas a todos os cidadãos”, informou.
Ponte para inclusão - Segundo a secretária Nacional de Assistência Social, Maria do Carmo Brandt, a lancha é mais um equipamento da assistência que auxilia na execução das políticas públicas. “Já temos nos estados da Amazônia 123 lanchas fluviais. Pela nossa avaliação, tem sido um instrumento para chegarmos com a assistência social aos municípios mais longínquos e levar os serviços socioassistenciais”, destacou.
“Levando em consideração as especificidades da região amazônica e a dificuldade de acesso a determinadas localidades, com a entrega dessas lanchas estamos atingindo famílias isoladas e vulneráveis, que sempre tiveram a ausência do acesso a serviços públicos. As embarcações são uma ponte da assistência social para esta população que se encontra excluída”, disse Alberto Beltrame, secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Social.
O MDS firmou parceria com a Marinha do Brasil visando a construção das embarcações, o fretamento do equipamento até o município beneficiado e o treinamento dos pilotos.

Texto:
Inara Soares

Professores recebem formação para atender jovens em medidas socioeducativas
Começou nesta terça-feira (22) a “Formação em direitos humanos: enfrentamento da vulnerabilidade social na rede pública estadual de ensino”, destinada a professores e outros profissionais para aperfeiçoar o atendimento a adolescentes e jovens que cumprem medidas sócioeducativas. A abertura da programação ocorreu no auditório do campus BR da Universidade da Amazônia (Unama).
"Essa é uma formação inédita e específica para os profissionais de educação para o atendimento de alunos em cumprimento de medida socioeducativa tanto em meio aberto quanto em meio fechado; abrimos 200 vagas e 380 se inscreveram para a formação de 180 horas, com três momentos presenciais e o restante das aulas sendo a distância", disse a titular da Coordenadoria de Educação de Jovens e Adultos (Ceja), Núlcia Odaléa Azevedo.
O curso será ministrado até o fim do primeiro trimestre de 2017 e é viabilizado por meio da parceria da Ceja com o Centro de Formação de Profissionais da Educação Básica do Pará (Cefor) e o envolvimento direto dos parceiros no sistema de atendimento a esse conjunto de estudantes, como a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), Ministério Público do Estado, Universidade Federal do Pará (UFPA), Secretaria Municipal de Educação (Semec) e Fundação Papa João XXIII.
Na Grande Belém, professores da Escola Estadual Antônio Carlos Gomes da Costa atuam em sete unidades de atendimento socioeducativo da Fasepa. Nesses locais, os adolescentes e jovens recebem aulas sobre conteúdos do ensino fundamental e médio. "Observamos que esses jovens são extremamente inteligentes e aplicados nos estudos. Acredito que faltou orientação, entre outros fatores relacionados à vulnerabilidade social, para que eles cometessem delitos", destacou a diretora da Escola Antônio Carlos Gomes da Costa, Regina Guimarães.
Nesse contexto de desafios, a iniciativa da formação dos profissionais de educação na rede pública estadual de ensino se destina tanto aos adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas nas unidades da Fasepa quanto nas escolas estaduais. Na formação, os professores assimilam novas metodologias de ensino e legislação específica e dispõem de trocas de experiência, entre outras ações.
Um grupo de oito professores atua na formação iniciada nesta terça. "A Secretaria de Educação atua na inclusão de adolescentes e jovens. Essa formação de profissionais é estrutural para que se possa viabilizar ações que fortaleçam o ensino-aprendizagem englobando todos os estudantes, inclusive, os adolescentes e jovens em cumprimento de medidas sócioeducativas", afirmou o secretário adjunto de Ensino da Seduc, José Roberto Silva.
Como relatou a coordenadora de Atendimento Socioeducativo da Fasepa, Francinei Pessoa, são 480 adolescentes e jovens cumprindo medidas soócioeducativas no Estado, dos quais 80% estão inseridos na rede estadual de ensino. A maioria dos adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas no Estado estava fora da escola há cinco anos.
A formação faz parte das ações estratégicas do Cefor na rede estadual, ressaltou o coordenador do centro, Carlos Miranda. Um dos instrutores do curso, Marcos Santos, observou que o grande desafio é tornar as aulas e a escola atraentes aos alunos, para poderem progredir na formação como cidadão.

Texto:
Eduardo Rocha

Divulgado resultado preliminar da prova de capacitação física do concurso da Polícia Civil
A Secretaria de Estado de Administração (Sead) e a Polícia Civil do Pará publicaram no Diário Oficial do Estado de segunda-feira, 21, o edital com o resultado preliminar da prova de Capacitação Física do concurso público que oferece vagas de nível superior para os cargos de investigador, escrivão e papiloscopista da Polícia Civil. Os candidatos podem interpor recurso contra o resultado a partir desta terça-feira, 22, até a quarta-feira, 23, em link específico no site da Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab).
A prova foi realizada no período de 4 a 6 de novembro, na Universidade do Estado do Pará (Uepa), em Belém. O concurso prosseguirá com a realização do Exame Médico, Exame Psicológico e Investigação Criminal e Social. As remunerações, atualizadas, são de R$ 5.204,05, com acréscimo de auxílio-alimentação no valor de R$ 650 para todos os cargos.

Texto:
Mário Costa

Encontros debatem desafios para o controle da tuberculose no Pará
Profissionais de saúde passaram a se reunir desde esta terça-feira (22), em Belém, no 1º Seminário do Comitê Estadual de Tuberculose, para tratar dos progressos e desafios no controle da tuberculose no Estado, situação que tem se tornado alarmante também no restante do país, em decorrência da associação da doença com o HIV. Organizado pela Coordenação Estadual do Programa de Controle da Tuberculose, o evento ocorre no auditório do Centro Integrado de Inclusão e Cidadania (Ciic), com desdobramento em forma de oficinas de nivelamento para técnicos dos Centros Regionais de Saúde (CRS), nesta quarta (23) e quinta-feira (24), na Escola Técnica do SUS.
No seminário foram abordados o avanço no controle da coinfecção TB-HIV e as metas para o controle da doença já aprovadas em 2015 pela Assembleia Mundial da Saúde, devido ao número de mortes prematuras por tuberculose associada a doenças crônicas não transmissíveis, causadas por fatores de risco, como o consumo de tabaco e o uso nocivo do álcool, que comprometem a eficiência do tratamento, além da dieta inadequada e inatividade física.
A coordenadora do Programa Estadual de Combate à Tuberculose, Lúcia Monteiro, considera o encontro como um espaço de propagação de informações sobre a doença, com ênfase na prevenção e no incentivo ao doente para a continuação do tratamento, que dura cerca de seis meses. Além da equipe do Pará, participaram das discussões técnicos da Coordenação Estadual de Controle de Tuberculose de São Paulo e do Programa Nacional de Controle da Tuberculose do Ministério da Saúde, além de membros da sociedade civil organizada.
Conduzido por participantes da organização não-governamental (ONG) Ecos Comunicação em Sexualidade, de São Paulo, um importante tópico na programação do seminário foi a discussão em torno da Lei 13.019/ 2014, sobre o novo Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, aprovada em 2014 e que está vigorando desde 23 de janeiro de 2016 em âmbito nacional e estadual. Para os municípios, as novas regras entrarão em vigor apenas a partir de 1º de janeiro de 2017.
O objetivo do novo marco regulatório é fortalecer a relação entre o poder público e as organizações não governamentais, no sentido de simplificar e desburocratizar a realização de convênios entre governo e organizações da sociedade civil, segundo informou Lucas Seara, representante da Ecos no evento. A nova lei também prevê mais respaldo e segurança jurídica no trabalho, além de trazer mais transparência na destinação dos recursos públicos.
As oficinas de nivelamento que ocorrerão na Escola Técnica dos SUS reforçarão o debate a título de capacitação dos profissionais envolvidos, de forma a habitá-los sobre técnicas de rotina que devem aplicadas em serviços de saúde e atualizá-los sobre os mais diversos assuntos sobre a tuberculose. Mais informações pelo telefone (91) 4006-4809.

Texto:
Mozart Lira

Campanha marca homenagens do Hemopa Castanhal pelo Dia do Doador
Em sintonia com o hemocentro coordenador, em Belém, o Hemocentro Regional de Castanhal (HRC), no nordeste do estado, promove campanha “Todo dia é dia de doar sangue”, que começou dia 19 e termina na próxima sexta-feira (25), em homenagem ao Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, comemorado em todo o país. No primeiro dia da campanha com coleta de sangue, foram efetuadas 42 doações de sangue que. A meta da ação é de 250 coletas no período da ação estratégica.
A programação da semana conta atividades socioeducativas, show de artistas locais, sorteios de brindes, distribuição de camisetas, preservativos e lanche especial aos doadores. A ação estratégica foi aberta no último dia 19 com o passeio ciclístico “Pedalando pela Vida”, que levou centenas de participantes às principais ruas da cidade Modelo, reforçando a mensagem de incentivo a esse ato solidário. A programação foi animada pela cantora Tais Porpino e pelo palhaço Tio Tucupi.
A responsável técnica pelo hemocentro regional, Sandra Lobato, ressalta que a campanha visa reforçar o estoque de sangue da unidade, responsável por garantir o atendimento integral da demanda da rede hospitalar de 48 municípios da região. “A população sempre atende nosso apelo para aderir às campanhas destinadas à impulsionar o número de doações voluntárias e garantir o atendimento a pacientes que necessitam da transfusão para sobreviver”, afirma a médica.
De acordo com a assistente social Arinete Silva, a campanha tem o apoio de instituições públicas e privadas ligadas ao setor do comércio e da indústria de Castanhal.
Programação da Semana do Doador de Sangue
O segundo dia da campanha, 21, contou com a parceria dos cantores Diana de Lima e Gil Sanches. Nesta terça (22), animam o público Gleydson Silva e Paulinho Salviani. As atrações do dia 23 serão Fábio Sertanejo, Wallyson Gama e Lirla Maria. No dia 24 será a vez de Robertinho Skema Miragem e da dupla Beto e Leno. Dia 25, Tais Porpino, Andrey Viana e a Banda 50 graus encerram a programação.
Serviço: O Hemopa Castanhal está localizado na Travessa Floriano Peixoto, Alameda Rita de Cássia, Conjunto Maria Alice, c/ B-2 e B-3. Mais informações pelo fone (91) 3412-4400.

Texto:
Vera Rojas

Pro Paz Enem leva aulão egressos da Fábrica Esperanca
Até o inicio de dezembro o Pro Paz Enem estará levando aulões preparatórios ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para alunos custodiados nas casas penais do Estado. A iniciativa, colocada em prática por meio da Fundação Pro Paz, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e a Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), busca garantir a esse público a oportunidade de rever e tirar dúvidas sobre o conteúdo do Enem, que será aplicado a pessoas privadas de liberdade nos dias 6 e 7 de dezembro. As aulas serão ministradas dentro das unidades prisionais. Este ano mais de mil presos devem fazer as provas em todo o Pará.
Na tarde de segunda-feira (21), as aulas foram levadas à Fábrica Esperança, Centro de Recuperação Feminino (CRF), Centro de Triagem Metropolitana, em Ananindeua, e para os Presidios Estaduais Metropolitano I e II. Nesta terça (22), as aulas serão no Centro de Detenção Provisória de Icoaraci (CDPI), Centro de Recuperação Feminino (CRF) e Presidio Metropolitano I. O cronograma segue até o dia 3 de dezembro.
Wagner Gomes Rodrigues, colaborador da Fábrica Esperança e um dos alunos que fará a prova do Enem este ano, destacou a importância dos "aulões". “A aula foi muito boa porque além do conteúdo programatico os professores explicaram como a prova funciona. Isso é muito interessante pra gente,