Total de visualizações de página

terça-feira, fevereiro 07, 2017

Produção industrial paraense foi a única a crescer em 2016, aponta IBGE



Produção industrial paraense foi a única a crescer em 2016, aponta IBGE


A produção industrial do Pará voltou a registrar resultados positivos em 2016. Segundo balanço do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado nesta terça-feira (7), o Estado foi o único a apresentar crescimento (9,5%) no acumulado do último ano. A informação foi destaque nos principais jornais e agências de notícias do país, como “Folha de S. Paulo”, “IstoÉ”, “Valor Econômico” e Agência Brasil.
Ainda de acordo com o levantamento, em dezembro 2016 o setor industrial mostrou redução de 0,1% em comparação ao mesmo mês em 2015. Dos 14 locais pesquisados, seis apontaram resultados negativos. Bahia (-9,3%) e Goiás (-9,0%) tiveram os recuos mais intensos, seguidos de Mato Grosso (-2,3%), a região Nordeste (-0,8%), São Paulo (-0,6%), maior parque industrial do país, e Rio de Janeiro (-0,4%).
Neste cenário de comparação, o Pará se destaca com taxa positiva de 10,1%. Também apresentaram crescimento o Paraná (6,5%), Santa Catarina (6,3%), Pernambuco (5,6%), Ceará (3,4%), Rio Grande do Sul (3,3%), Amazonas (3%), Minas Gerais (2,2%) e Espírito Santo (2,1%).
Entre os fatores que contribuíram para os bons resultados da produção industrial paraense está o esforço do Estado na dinamização da economia por meio da atração de investidores e verticalização das cadeias produtivas, bases do Programa Pará 2030. O plano estratégico do Governo do Pará, que têm como base a sustentabilidade, já está em pleno desenvolvimento, incentivando a geração de emprego e renda em todas as regiões paraenses.
Articulações – Durante a elaboração do programa foram diagnosticadas 23 oportunidades de valor e eleitas 14 cadeias produtivas prioritárias em função dos seus fortes potenciais econômicos. Entre os setores contemplados estão a agricultura familiar sustentável, grãos, logística, verticalização do pescado, turismo e gastronomia, produção e verticalização do açaí, entre outros. O plano se desdobra em 70 iniciativas, 280 ações e 1,4 mil marcos de implementação que serão fundamentais para estimular a economia e melhorar os indicadores socioeconômicos paraenses.
Entre as mais recentes articulações do governo está o acordo com a Norsk Hydro para a implantação do primeiro Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (TGNL) no Estado, no município de Barcarena. O terminal vai fornecer, em médio prazo, o gás natural como um serviço público, a princípio para as indústrias e frota de veículos local, e será importante para a atração de novos negócios para o parque industrial paraense. Ainda este ano, também foi firmada parceria para implantação de complexo agroindustrial em Itaituba, pela empresa Gorski Integradora, que já atua no estado do Mato Grosso nos campos de logística de transportes e do agronegócio.
A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e o grupo Mejer Agroflorestal também firmaram um protocolo de intenções para a implantação de uma indústria de fécula de mandioca no município de Bonito, região nordeste do Estado. Quando instalada e em operação, a indústria será a única existente no Pará, e promoverá a geração de emprego e renda para a população da região nordeste.
Leia matérias nacionais sobre o tema:
Produção industrial só cresceu no Pará em 2016, diz IBGE
Produção industrial cresce em 10 dos 14 locais pesquisados pelo IBGE
Produção industrial cresce em 10 dos 14 locais pesquisados pelo IBGE
Texto:
Lidiane Sousa


Governo entrega ambulâncias e equipamentos de saúde a 18 municípios
Uma cerimônia concorrida, com a presença de prefeitos, secretários de Estado e deputados, no Palácio de Governo, marcou nesta terça-feira (7) a entrega de 18 ambulâncias, uma ambulancha e equipamentos de saúde para 18 municípios paraenses. A cerimônia foi a primeira de 2017 a receber representantes de lideranças comunitárias, de administrações municipais, do Legislativo e do Executivo para a assinatura de termos de compromisso e responsabilidade para a entrega das chaves e documentações dos veículos e equipamentos de saúde – resultado de R$ 1.995.904,45 investidos pelo Executivo, com recursos viabilizados por emendas parlamentares.
Presidida pelo governador em exercício Zequinha Marinho, a cerimônia foi para muitos novos prefeitos o primeiro encontro oficial com dirigentes Legislativo e do Executivo após assumirem mandatos. Participaram da entrega também o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Márcio Miranda; o chefe da Casa Civil da Governadoria, José Megale; a secretária adjunta da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Heloísa Guimarães, e a nova titular da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), Ana Cunha.
Apoio – A entrega de equipamentos, ambulâncias e ambulancha atendeu aos municípios de Curuçá, Mocajuba, Bragança, Jacundá, Itaituba, Breves, Cachoeira do Piriá, Uruará, Dom Eliseu, Palestina do Pará, São Félix do Xingu, Cametá, Oriximiná, Acará, Maracanã, Garrafão do Norte, Marapanim e Alenquer.




Ao todo, foram repassados às administrações municipais uma ambulancha, 15 ambulâncias tipo A (de pequeno porte e destinadas a transporte de paciente sem risco de vida), três ambulâncias tipo B (destinadas ao suporte básico e transporte de pacientes em risco de vida e sem necessidade de intervenção no local), dois aparelhos de raio-x, uma mesa cirúrgica e um aparelho cardioversor (que pode restaurar o ritmo cardíaco).
“Esta cerimônia trata de equipamentos que resgatam a dignidade de seres humanos em várias localidades. Entregamos itens que reforçam a segurança do transporte em saúde de urgência e emergência nesses municípios. Agora, o que pedimos é que as administrações olhem com carinho pela atenção básica em saúde, que é ação fundamental dos municípios, para que menos casos precisem se usar desses veículos”, disse Heloísa Guimarães, citando avanços significativos conquistados pelo Estado em 2016, como a queda do índice de mortalidade infantil.
União – Representando as 18 administrações municipais contempladas pela cerimônia, o prefeito de Alenquer, Juraci de Souza, ressaltou que todas as administrações municipais passam hoje pelas mesmas dificuldades em período de crise e problemas econômicos do país. “Muitos prefeitos receberam administrações caóticas, mas estamos de cabeça erguida, pois, com a ajuda do governo e parlamentares, vamos trabalhar juntos, de forma aguerrida, para dar cada vez mais dignidade à população do Estado”.
“Nosso município sempre mereceu atenção especial nesse atual governo de Simão Jatene. Daremos bom uso a essa nova ambulância. Nunca é demais ter acesso a mais um equipamento como esse. A saúde agradece”, avaliou o prefeito de Bragança, Raimundo Nonato de Oliveira.
“Ações como essas podem parecer pequenas se vistas isoladamente, mas juntas significam muito para a saúde do Estado. Já são mais de 200 ambulâncias entregues nessa legislatura. Em parceria com o Executivo e em sintonia com as necessidades de comunidades e municípios do Pará, cumprimos um papel de ajudar o Estado. O Pará foi o último Estado brasileiro a entrar na crise, e o fez de forma mais tranquila, com condições dadas pelo Legislativo”, disse o presidente da AL, Márcio Miranda.
O deputado citou ainda a aprovação recente de medidas de austeridade e ajustes nas contas do governo – e a condição do Pará como um dos poucos estados que ainda seguem investindo em saúde e outros setores mesmo frente à crise. “No momento de crise, não faltamos com o governo e com os municípios”, asseverou.
“Diante das dificuldades de vários Estados vizinhos, poder ainda entregar equipamentos como esses significa muito a se comemorar. A atenção básica à saúde é fundamental, principalmente num momento em que o Pará se organiza para atender melhor a média e alta e complexidade no interior. Como cidadão do interior que sou, sei o quanto pode significar uma ambulância, o quanto ela faz diferença”, assinalou Zequinha Marinho.
Texto:
Lázaro Magalhães


Pará bate a marca de 1 milhão de turistas pelo terceiro ano seguido
Mais de um milhão de turistas e R$ 700 milhões foram gerados com a atividade turística no Pará em 2016. Pelo terceiro ano seguido, mesmo diante do cenário de crise nacional, o Pará repetiu a marca superior a um milhão de visitantes. O fluxo de turistas estrangeiros também cresceu. Estes foram os principais números apresentados pela Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), nesta terça-feira (7), para a imprensa e membros do trade turístico.
“Sem os empresários não existem estatísticas de qualquer atividade econômica. As estatísticas são importantes para compreensão do turismo e contribuem muito para a definição de políticas públicas. São pesquisas embasadas em critérios técnicos e metodologias aplicadas por instituições renomadas, como a Fipe, FGV, Mtur, Dieese e também por consultorias contratadas para a formulação e elaboração de estudos”, disse o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes. “Os números norteiam estratégias do Governo do Estado e também da iniciativa privada”, afirmou.
Ao todo, no ano passado, o Pará recebeu 1.030.359 turistas, 916.267 nacionais e 114.092 internacionais. Houve queda de 8% no fluxo de turistas nacionais, mas aumentou em 6% o fluxo de turistas internacionais. O crescimento de turistas estrangeiros no Pará é resultado da estratégia do Governo do Estado de atrair e consolidar voos internacionais, como as rotas para Lisboa (Portugal), Miami (Estados Unidos), Caiena (Guiana Francesa) e Paramaribo (Suriname).
“O Estado tem tido uma política bastante agressiva na captação de novas oportunidades de acessibilidade internacional. Então hoje temos voos diretos para a Europa, Estados Unidos e Caiena, que é uma ponte com a França metropolitana e Paramaribo, que promove uma integração muito grande não somente com o Caribe, mas também com a Holanda”, disse Adenauer.
Outro aspecto positivo da atividade turística paraense foi a temporada de cruzeiros marítimos, que registrou 24.736 passageiros, mostrando crescimento desde 2013, com turistas vindos de países como Itália, EUA, Inglaterra, Alemanha, França, Japão e Reino Unido.
O supervisor técnico do Dieese, Roberto Sena, destacou a parceria de 18 anos na produção de números consistentes e também deu ênfase nas fontes buscadas para a obtenção de números sólidos. Ele avaliou de maneira positiva os números diante do atual cenário do país. “São três anos sem crescimento. Menos emprego, menos renda e menos viagens, e ainda com taxa de juros elevados”, pontuou, ao falar do decréscimo no número de turistas nacionais. Ainda assim, ele disse acreditar no início da retomada da atividade econômica a partir do segundo semestre de 2017, o que pode vir a favorecer o Círio de Nazaré, principal produto turístico paraense.
Texto:
Israel Pegado


Atendimento em domicílio do Iasep transforma histórias de vida dos pacientes
Claudia Santos, 36 anos, largou o emprego de servidora pública municipal depois que Clarissa, sua filha, então com 10 anos, contraiu uma pneumonia. Clarissa nasceu com paralisia cerebral. A irmã gêmea foi a óbito ainda no ventre da mãe. Como eram da mesma placenta, a bebê que morreu prejudicou o desenvolvimento da outra gêmea.
Com o agravamento do quadro de Clarissa, provocado pela pneumonia, o pai da menina, servidor do Estado, procurou o Assist Lar, oferecido pelo Instituto de Assistência aos Servidores do Estado do Pará (Iasep). O programa existe desde 2007 para os segurados que estão em fase crônica, sem condições de locomoção, que necessitam da troca de curativos, acompanhamento psicológico e serviços médicos. Uma equipe multidisciplinar formada por médico, enfermeiro, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo, assistente social, fisioterapeuta e nutricionista está disponível diariamente para atender às demandas, em visitas marcadas de acordo com a necessidade de cada paciente.
A vida de Clarissa mudou desde que passou a receber o atendimento em domicílio. “Antes desse atendimento em casa, eu vivia com a Clarissa na emergência e ela sempre voltava gripada de lá. A qualidade de vida da minha filha melhorou 100%, ela nunca mais gripou, engordou 10 quilos, não grita mais de dor nas pernas e não tem mais a salivação excessiva, que foi combatida com exercícios em casa com a fonoaudióloga. Esse plano foi um marco na nossa vida”, disse a mãe.
Diferente da pequena Clarissa, Iracy Ramos tinha uma vida bastante ativa. Foi costureira, cozinheira da sede social do Clube do Remo e tinha uma vida normal até 2007, quando começou a apresentar os primeiros sinais do Mal de Parkinson e Alzheimer. Hoje, com 70 anos, dona Iracy necessita de dedicação 24 horas de duas de seus cinco filhos. “Larguei meu emprego de doméstica, em 2010, para cuidar da minha mãe. Mas depois que descobrimos esse serviço do Iasep, em 2015, nosso trabalho passou a ser menos pesado. E o que é melhor,  com o atendimento em casa da fisioterapeuta e fonoaudióloga, temos muita esperança de nossa mãe voltar a falar e andar. Pelo menos vontade, ela demonstra”, disse a filha, que carrega o mesmo nome da mãe: Iracy.
Iracy e Clarissa estão entre os 440 segurados atendidos pelo Assist Lar, que recebem um minucioso atendimento dentro de suas próprias casas. “Nossa equipe que faz a visita não se restringe ao laudo médico. Se algum deles detectar a necessidade de um outro tratamento, com qualquer um de nossos especialistas, ele também é colocado em prática”, informa Márcia Lemos, gerente do programa Assist Lar.
A importância desse serviço é garantir ao segurado a comodidade de receber o atendimento em domicílio, já que muitos não têm a possibilidade de se locomover até um hospital ou clínica para fazer fisioterapia. O servidor que precisar ter atendimento médico em casa deve levar até o plano um laudo emitido por um médico, o RG, contracheque e um comprovante de residência para dar entrada no pedido. A resposta sai no máximo em uma semana. Depois da autorização, uma equipe do Iasep vai até a casa do paciente para avaliar a situação e iniciar o tratamento.
O Instituto de Assistência aos Servidores do Estado do Pará possui hoje 245 mil segurados e 500 credenciados, entre clínicas e hospitais. O plano disponibiliza 52 mil consultas por mês, 30 mil exames, 12 mil atendimentos de urgência, 2.200 internações, 650 cirurgias e 482 atendimentos oncológicos.
“A tendência é melhorar o nosso atendimento, com esse reajuste que vai de 6 a 9%, porque nossa arrecadação já era insuficiente. O plano não tinha aumento desde 2006 e precisávamos equilibrar nossa arrecadação, que era de 44 milhões, enquanto os custos eram da ordem de 50 milhões”, disse Lorena Bandeira, coordenadora de gestão em saúde do Iasep.
Texto:
Syanne Neno

Detran apreende placas e tarjetas comercializadas de maneira irregular em Belém
Cerca de 120 placas de veículos e aproximadamente 160 tarjetas que estavam sendo comercializadas ilegalmente em estabelecimentos que fabricam e vendem chaves foram apreendidas no final da tarde desta segunda-feira (6), por uma equipe de policiais militares que integra a Unidade de Segurança Orgânica do Departamento de Trânsito do Estado (Detran), em parceria com o servidores do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Denominada de “Operação Chaveiro”, a ação se deu no Conjunto Panorama XXI e nos bairros do Bengui, Cabanagem e Pedreira, em Belém.
O comércio clandestino destas placas e tarjetas foi informado ao Detran por meio de denúncia feita ao setor de Renavam. Todo material recolhido será encaminhado à delegacia do bairro da Marambaia, para os devidos procedimentos. O coordenador da Unidade de Segurança, major Glauco Medeiros, afirma que as ações de fiscalização sobre o comércio ilegal destes itens de segurança serão intensificadas. “O usuário deve contribuir com a sociedade e ficar atento na hora de adquirir a placa de seu veículo, para sua própria segurança", afirma.
Ao procurar um estabelecimento para aquisição de placas, o condutor deve verificar se o mesmo tem permissão para a venda do material. A autorização para a comercialização é expedida pelo Detran após prévia análise realizada pela gerência do Renavam. "A regularidade da empresa deve ser verificada por meio do alvará de funcionamento e portaria de credenciamento expedidos pela direção geral do Detran, que devem estar afixadas em local visível”, explica o gerente do Renavam Fernando Reis explica.
O Detran alerta os proprietários de veículos que, segundo o artigo 221 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), portar no veículo placas de identificação em desacordo com as especificações e modelos estabelecidos pelo Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) é considerada infração média que tem como medida administrativa a retenção do veículo para regularização e apreensão das placas irregulares, além de multa no valor de R$ 130,16. Incide na mesma penalidade aquele que confecciona, distribui ou coloca, em veículo próprio ou de terceiros, placas não autorizadas pela regulamentação.
Texto:
Aldirene Gama

Pará tem menor redução do PIB entre todos os Estados, aponta estudo
O jornal “O Globo”, em matéria publicada nesta segunda-feira (6), divulgou estudo da Tendências Consultoria Integrada que aponta o efeito da crise no Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados. Na pesquisa, o Pará foi o único com ganho em 2015 (0,3) e com o menor índice de retração (-1,0) em 2016. Trata-se do melhor resultado entre todas as 27 unidades da Federação.
A pesquisa revela que os dois últimos anos fizeram a economia de todas as 27 unidades da federação encolher, sendo que em 12 delas e no Distrito Federal, o retrocesso foi maior. Os valores registrados são menores do que os de 2010. O Amazonas apresentou a maior queda acumulada de PIB (12,2%) nos anos de 2015 e 2016 e o Espírito Santo ficou com o segundo pior desempenho no biênio, 11,5%.
Ainda de acordo com o levantamento, os impactos da recessão foram sentidos tanto as regiões mais ricas do Sudeste e do Sul, como estados do Nordeste. As perdas mais significativas foram registradas em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais, no Rio Grande do Sul e Paraná, no Amazonas, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e na Bahia, além do Distrito Federal. Os números oficiais dos PIBs estaduais são medidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mas os últimos dados disponíveis são de 2014.
Segundo o economista ouvido na reportagem, Adriano Pitoli, este cenário é reflexo da má condução da política econômica brasileira. “Os Estados que tinham uma dinâmica econômica atrelada às políticas do governo, que eram insustentáveis, de estímulo ao consumo, de um BNDES agigantado e de investimentos puxados por estatais, como a Petrobras, terão de fazer um esforço maior para voltar a se recuperar. É o caso de Pernambuco e do Rio de Janeiro”, afirmou Pitoli.
Ainda segundo o periódico, mesmo com o panorama desfavorável dos últimos anos, em 2017 as previsões do PIB são positivas. A economia de todas as regiões do país deve sofrer uma ligeira expansão, com destaque para o Norte, com estimativa de crescimento de 2,9%, seguido da região Nordeste, com 2%; Centro-Oeste, com 1,4%; Sudeste com 0,5% e Sul com 0,4%.
Mesmo sendo o único Estado brasileiro com o menor índice de retração, o Governo do Estado sempre esteve atento aos efeitos da crise nacional no Pará. Em 2016, atuou fortemente na criação e intensificação de políticas públicas que garantam a geração de emprego e renda, especialmente na área econômica com a crise, através do Programa Pará 2030. Entre as ações em diversos setores, está o foco em estimular o setor produtivo na indústria, agropecuária, entre outras, desonerando atividades econômicas, simplificando licenciamentos, qualificando profissionais e estimulando o turismo, entre outras ações.
O governo também se manteve cauteloso na adoção de medidas que garantissem a austeridade nas finanças públicas, entre elas está a redução de 20% nos gastos de órgãos e entidades estaduais. Todo esse esforço, intensificado em 2016, se fez necessário para que o Estado hoje continue pagando o salário dos servidores, integral e em dia, e investindo em setores essenciais para o desenvolvimento do Estado.
Leia a matéria na íntegra:
Recessão faz economia de 12 estados e do DF retroceder seis anos
Texto:
Lidiane Sousa


Sejudh oferece capacitação a taxistas sobre os direitos LGBT
Data da Pauta:
07/02/2017 10:00:00
Expira em:
07/02/2017 11h30
Local:
Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) Guamá
Endereço:
Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, Belém (em frente ao segundo portão da UFPA)
Contatos:
Leba Peixoto (Ascom Sejudh): 98141-7110/ 98867-2991

De terça a quinta-feira (9), a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) promove a capacitação de 90 taxistas da Cooperativa dos Taxistas da Doca (Cooperdoca), com o objetivo de sensibilizar a categoria quanto ao respeito às pessoas LGBT,especialmente travestis e transexuais. A ação ocorre das 10h às 11h30, na Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) Guamá, localizada em frente ao segundo portão da Universidade Federal do Pará (UFPA).
A capacitação é coordenada pela Gerência de Livre Orientação Sexual (Glos) da Sejudh, em parceria com entidades como Pro Paz , Defensoria Pública, Delegacia de Crimes Discriminatórios e Homofóbicos e Movimento LGBT do Pará. A ação foi definida em reunião em outubro do ano passado, motivada após agressão a uma travesti de 16 anos, na madrugada do dia 20 do mesmo mês, no bairro do Umarizal, em Belém.
Texto:
Leba Peixoto


Sefa agenda visitas para contribuintes do ITCD
Agora a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) agenda as visitas de contribuintes que precisam realizar os serviços relacionados ao Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD). São eles: protocolo de processo para avaliação do valor devido de ITCD; recebimento do Documento de Arrecadação Estadual (DAE) para pagamento do ITCD e para o recebimento do laudo de avaliação do imposto.  
O atendimento é feito de forma presencial na rua Gentil Bittencourt, 2566, entre rua Castelo Branco e José Bonifácio, em Belém. O agendamento é feito pelo call center Sefa, 0800.725.5533.
Desde o ano passado, a secretaria ampliou o atendimento por agendamento, passando a atender com hora marcada as demandas para o plantão fiscal. O serviço é realizado pelo grupo da Carreira da Administração Tributária (CAT), das Unidades de Coordenação Regional de Belém, Coordenação Especial de IPVA/ITCD e Coordenação Especial das Micro e pequenas empresas.
Além do ITCD, os assuntos para os quais o usuário poderá agendar o atendimento são a orientação tributária sobre o Simples Nacional, situações específicas a respeito da legislação do IPVA, ICMS e do ITCD, e consulta sobre a situação econômico-fiscal. Segundo o diretor de Assuntos estratégicos da Sefa, Augusto Miranda, a medida visa agilizar o atendimento ao contribuinte.
Agendamento
A coordenadora do Atendimento da Sefa, Tânia Braga, informa que o primeiro nível do call center finaliza o atendimento quando a busca é por informações. Nos casos de orientações gerais quanto a legislação, o atendimento será realizado pelo plantão fiscal virtual, e em situação específica de empresa interessada, ou que envolva dados resguardados pelo sigilo fiscal, por exemplo, a situação econômico-fiscal, cadastrais do contribuinte, será feito o agendamento para o atendimento presencial.
Para saber quais são os documentos necessários para receber o atendimento relacionado ao ITCD, o usuário deve consultar a página da Sefa na internet, na área Orientações, no endereço  http://www.sefa.pa.gov.br/index.php/orientacoes/1430-itcd
Texto:
Ana M. Pantoja


des Aegypti com apoio de prefeituras
A secretarias de Estado de Saúde Pública (Sespa) e a Extraordinária de Integração de Políticas Sociais (Seeips) reuniram nesta sexta-feira (3), no auditório da Casa Civil da Governadoria do Estado, prefeitos e secretários de saúde dos municípios de Belém, Ananindeua, Marituba, Castanhal, Benevides, Santa Bárbara do Pará, Santa Izabel do Pará, Abaetetuba e Barcarena. O objetivo foi debater ações de contenção ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela.
Participaram do encontro os secretários de Saúde Pública, Vítor Mateus, e de Integração de Políticas Sociais, Izabela Jatene, além de representantes da Sespa, Seeips e gestores da segurança pública. Foram apresentados materiais informando sobre os sintomas e consequências da doença e as melhores formas de prevenção. Na próxima semana, será montado um cronograma com as próximas reuniões que ocorrerão em outros 12 Centros Regionais de Saúde do Estado.
“Esse é um alerta que a Sespa está dando, uma preocupação que o Governo do Estado precisa ter, logo no início do ano, quando essas doenças começam a aparecer. Assim que elas surgem, se não tiverem controle, um bloqueio bem feito, podem se expandir e virar uma epidemia. Então nós, enquanto órgão de saúde pública, temos a obrigação de fazer esses alertas”, disse a secretária adjunta de Gestão em Políticas em Saúde da Sespa, Heloísa Guimarães.
Durante o encontro, foram apresentadas estatísticas sobre as doenças causadas pelo Aedes Aegypti. Segundo dados da Sespa, somente em janeiro deste ano, foram 86 casos confirmados de dengue, um de zika e dois de febre chikungunya. Os números apontam queda em relação a janeiro do ano passado, quando foram registrados 191 casos confirmados de dengue, um de chikungunya e cinco de zika.
Outra medida adotada pela Sespa foi a implantação da Sala de Situação, que tem articulado parcerias com o Exército Brasileiro nas ações de combate ao mosquito. Os soldados já estão em ação nos municípios de Belém, Ananindeua, Marituba, Marabá, Tucuruí, Sapucaia e Rio Maria, e esta semana também passaram a reforçar a vigilância epidemiológica em Xinguara, que está em estado de alerta, depois que duas mortes causadas por uma forma mais severa de chikungunya foram confirmadas. Os agentes do Exército foram treinados para atuar nas ações educativas junto à população.
Ações integradas
A mobilização estadual envolvendo diretamente prefeituras e secretarias de saúde municipais traz novas iniciativas, como a que vai ocorrer em Santa Izabel. Os agentes de leitura da Celpa que atuam na cidade vão ser treinados e capacitados para usar um aplicativo com o qual poderão informar as autoridades de saúde locais sobre possíveis focos do mosquito Aedes Aegypti.
A iniciativa de convocar as prefeituras na força-tarefa de combate ao mosquito foi elogiada pelas lideranças municipais. “A partir dessa ação conjunta há um envolvimento ainda maior. Quando você chama os prefeitos para conhecerem o problema, há uma mobilização efetiva, e isso é muito importante. Trabalhar com o apoio do gestor faz toda a diferença”, disse a secretária de Saúde de Santa Izabel, Débora Jares.
O engajamento das prefeituras foi evidente durante o encontro. “Desmarquei vários compromissos para estar aqui, porque o combate ao mosquito é de grande importância. É fundamental o prefeito participar desse envolvimento, para que ele possa agir também. Às vezes, o secretário não tem a autonomia que nós temos enquanto prefeitos. Essa foi uma grande iniciativa do Governo do Estado, e nós estamos aí, como parceiros, para ajudar”, declarou o prefeito de Castanhal, Pedro Coelho.
A secretária extraordinária de Integração de Políticas Sociais destacou a importância das políticas públicas de saúde nas ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti. “É fundamental essa reunião mobilizando a região metropolitana de Belém, que tem grande responsabilidade na questão da prevenção, que é o nosso maior foco. Se estivermos unidos na saúde, educação, segurança e defesa civil, podemos evitar que muitos casos de doença aconteçam e tragam conseqüências tão graves nas vidas das pessoas. Todos nós temos responsabilidades. Se as instituições estiverem trabalhando unidas e integradas, isso fica mais fácil”, ressaltou Izabela Jatene.
“Estivemos aqui para elaborar ações estratégicas de governo para combater o Aedes Aegypti. A ideia é, junto com as Forças Armadas, fazer uma ação integrada e conjunta para potencializar resultados e diminuir a exposição da população às doenças transmitidas pelo mosquito. Tivemos resultados muitos significativos na redução de casos e agora estamos intensificando o trabalho”, afirmou Vitor Mateus.
Texto:
Syanne Neno



Taxistas participam de curso sobre os direitos da comunidade LGBT
A Gerência de Proteção à Livre Orientação Sexual (Glos) da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) iniciou nesta terça-feira (7) uma capacitação para a Cooperativa dos Taxistas da Doca (Cooperdoca) com o objetivo de sensibilizar e capacitar a categoria quanto ao respeito às pessoas LGBTs, especialmente travestis e transexuais. O evento ocorreu na Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) Guamá.
A ação foi definida em reunião entre a Glos e a cooperativa em outubro do ano passado, depois que uma travesti de 16 anos foi agredida, na madrugada do dia 20 do mesmo mês, por um grupo de pessoas. Taxistas estavam presentes na ocasião.
Para o presidente da Cooperdoca, Luiz Medeiros, é dever de todo cidadão saber dos direitos de todos, principalmente, da comunidade LGBT, que sofre ainda sofre com preconceito. “Capacitar-se e se informar é importante não só para nós, taxistas, mas também para toda a população. Aprender a lidar com as pessoas, com as diferenças, é essencial para o convívio em sociedade”, afirma.
A capacitação continua nesta quarta (8) e quinta-feira (9) e envolve 90 taxistas da cooperativa, que serão instruídos a respeito de conceitos, especificidades e reconhecimentos dos direitos da comunidade LGBT. O curso, que dá direito a certificado, tem a parceria de entidades como Pro Paz Diversidade, Defensoria Pública, Delegacia de Crimes Discriminatórios e Homofóbicos e Movimento LGBT do Pará.
Segundo a coordenadora do Pro Paz Diversidade, Beatriz de Almeida, a capacitação é uma forma de combate à discriminação. “O objetivo é esclarecer e sensibilizar os taxistas em relação às pessoas LGBT. Isso é essencial nos dias de hoje em nosso país, pois o Brasil tem um altíssimo índice de assassinatos de homossexuais. Para que o caso da travesti agredida não se repita, necessitamos conscientizar”, destaca.
O taxista Ismael Nogueira, que atua na profissão há mais de dez anos, reconhece que é necessário saber lidar com todos os públicos de maneira igual. “Se capacitar e se informar sobre as pessoas LGBT não é somente para nós, taxistas, e sim para a população com um todo. O que ocorreu foi um caso isolado, e estamos aqui para nos redimir. Queremos mostrar que somos uma categoria que procura sempre melhorar cada vez mais o atendimento”, diz.
Rafael Ventimiglia, membro do Conselho Estadual de Diversidade Sexual, entidade vinculada à Sejudh, discutiu com os taxistas sobre orientação sexual e as diferenças entre sexo, sexualidade e gênero. “Falar sobre esse assunto é fundamental para conscientizarmos a categoria que lida com a população de maneira direta. Eventos como esse são importantes para nós, pois eles garantem que os direitos da comunidade LGBT sejam reconhecidos, e importantes para eles, que aumentam a qualidade e a transparência dos serviços”, destaca.
O coordenador da Glos, Beto Paes, agradeceu pela presença dos taxistas no evento, o que, para ele, mostra o grande interesse em se conscientizarem sobre os direitos LGBT. “Isso mostra que eles estão dando um passo à frente e buscando conhecimento. É gratificante saber que essa categoria quer melhorar os serviços perante a comunidade LGBT e a população como um todo”.
Texto:
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...