Total de visualizações de página

terça-feira, janeiro 05, 2016

Jovem Embaixador do Pará segue para viagem de 21 dias nos Estados Unidos





Sespa equipa comitê que vai atuar no combate ao mosquito Aedes Aegypti
O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), está adquirindo inseticidas, mosquiteiros, carros e vários outros insumos e equipamentos que irão ajudar no combate ao mosquito Aedes Aegypti no Estado. O investimento faz parte do plano de ação criado para combater o avanço das doenças causadas pela picada do inseto: febre amarela, dengue, zika vírus e chikungunya.
No dia 17 de dezembro, foi publicada no Diário Oficial do Estado portaria criando o Grupo Técnico Condutor, de caráter consultivo, a fim de auxiliar na definição de diretrizes estaduais de vigilância, prevenção e controle das emergências para o enfrentamento das doenças, e no acompanhamento e avaliação de ações desenvolvidas pela Sespa e instituições envolvidas. “O governo federal decretou estado de emergência nacional, e com isso todos os Estados precisaram criar medidas próprias de combate ao mosquito também”, explica o secretário de saúde, Vitor Mateus.
O comitê é composto por pessoas, vinculadas a instituições públicas e privadas, envolvidas em eventos de enfrentamento das quatro doenças no Pará. Fazem parte deste projeto: Diretoria de Vigilância em Saúde, Departamento de Controle de Doenças Transmissíveis por Vetores, Departamento de Epidemiologia, Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), Assistência Pré-Hospitalar e Hospitalar, Coordenação Estadual de Mobilização Social, Diretoria de Políticas de Atenção Integral à Saúde, Laboratório Central do Estado (Lacen) e Instituto Evandro Chagas. O Exército também deve participar da campanha.
Coordenação – Buscando executar ações que freiem o avanço do mosquito no Estado, o Grupo Técnico está responsável por elaborar protocolos e fluxogramas e programar planos diretores, preventivos, de contingência e de ação da área da saúde para atuação em situações de emergências.
Ainda segundo a portaria, é de responsabilidade da equipe apoiar os municípios na estruturação das vigilâncias em saúde; elaborar um Plano de Ação; fazer o monitoramento, acompanhamento e avaliação da atuação no enfrentamento ao mosquito; manter atualizadas e disponíveis informações relacionadas às situações de saúde no âmbito estadual da febre amarela, dengue, zika vírus e chikungunya; além de implantar um banco de dados e elaborar os mapas temáticos quanto às ameaças, vulnerabilidade e riscos decorrentes desses vírus.
Ao todo, 100 agentes da Sespa estão responsáveis em supervisionar os serviços dos agentes de endemias dos municípios dando suporte, treinamento e orientações. O combate ao Aedes Aegypti, que pretende quebrar o ciclo do mosquito, deverá ser feito em duas etapas: a primeira ficará responsável em eliminar o inseto no estágio da larva. Este processo será durante o período chuvoso. Na época de menos chuva, o plano atacará o mosquito na fase de alado, ou seja, quando o Aedes Aegypt está na fase de jovem para adulto.
Vitor Mateus destaca ainda que cidades como Parauapebas e Altamira, apontadas pelo monitoramento da Sespa como áreas vermelhas de incidência das doenças, vão receber atenção redobrada no combate ao inseto.
Prevenção – Os vírus da dengue, chikungunya e zika levam a sintomas parecidos, como febre e dores musculares, mas as doenças têm gravidades diferentes, sendo a primeira a mais perigosa. A dengue, que pode ser provocada por quatro sorotipos diferentes do vírus, é caracterizada por febre repentina, dores musculares, falta de ar e moleza. A forma mais grave da doença é caracterizada por hemorragias e pode levar à morte.
O chikungunya caracteriza-se principalmente pelas intensas dores nas articulações. Os sintomas duram entre dez e 15 dias, mas as dores articulares podem permanecer por meses e até anos. Complicações sérias e morte são muito raras. Já a febre por zika vírus leva a sintomas que se limitam a, no máximo, sete dias, sem deixar sequelas. Não há registro de casos de morte provocados pela doença no Pará. O tratamento para a zika é apenas paliativo, de suporte e de correção de sequelas. Logo, é preciso diminuir a incidência do mosquito transmissor. A Sespa também deixa claro que a preocupação com a zika segue os mesmos procedimentos em relação à dengue e chikungunya.
Recomendações – O Ministério da Saúde confirmou a relação entre o vírus zika e o surto de microcefalia no Nordeste do país. A confirmação foi possível a partir da identificação do Instituto Evandro Chagas, que detectou a presença do vírus em amostras de sangue e tecidos do recém-nascido que morreu no Ceará com suspeita da doença. Aos gestores e profissionais de saúde, a Sespa orienta que todos os casos de microcefalia sejam notificados imediatamente por meio de um formulário eletrônico e que também sejam reforçadas as ações de prevenção e controle vetorial em áreas urbanas e peri-urbanas, conforme estabelecido nas Diretrizes Nacionais de Programa Nacional de Controle da Dengue.
É importante que as gestantes mantenham o acompanhamento e as consultas de pré-natal nos serviços de saúde. Além disso, a orientação é que elas evitem o consumo de bebidas alcoólicas ou qualquer outro tipo de drogas, não usem medicamentos sem orientação médica e evitem contato com pessoas com febre ou infecções. A vulnerabilidade do feto tem maior risco no primeiro trimestre de gestação.
A microcefalia não é um agravo novo. Trata-se de uma má formação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Na atual situação, a investigação da causa é importante para identificar oportunamente a associação com o zika, e imediatamente tomarem-se as medidas de controle.
Texto:
Bianca Teixeira
Fone:(91) 9 9146-6211
E-mail automático. Por favor, não responda.


Jovem Embaixador do Pará segue para viagem de 21 dias nos Estados Unidos
Embarca para Brasília na tarde desta terça-feira (5) o jovem embaixador do Pará, Ruan Magalhães Rodrigues, de 17 anos, que integra o grupo de 50 estudantes selecionados para representar o Brasil nos Estados Unidos pelo Programa Jovens Embaixadores. Ruan Rodrigues é estudante do 3º ano do Ensino Médio da Escola Técnica Estadual Magalhães Barata e embarca para os Estados Unidos na próxima sexta-feira (8).
A passagem de quatro dias por Brasília também faz parte do programa de intercâmbio e inclui visita para conhecer a Embaixada dos Estados Unidos, organizadora do programa, e para tirar o visto de 21 dias em que passará no território norte-americano.
A primeira parada será em Washington D.C., no Distrito de Columbia, para conhecer a Casa Branca, sede do poder executivo e residência oficial do presidente dos Estados Unidos. Depois, ele segue num grupo pequeno para a cidade portuária de Seattle, sede do Condado de King, considerada a 15ª maior área metropolitana dos Estados Unidos, onde terá a oportunidade de vivenciar um pouco mais sobre a cultura local ao se hospedar numa casa de uma família norte-americana.
Nos preparativos para a viagem, Ruan Rodrigues disse que será a primeira vez que visitará os Estados Unidos. Nesses 21 dias em Washington e Seattle, o jovem quer aproveitar ao máximo a experiência. “É uma honra muito grande representar o meu Estado. Quando voltar, quero repassar tudo o que aprendi para os jovens da minha comunidade. Existem muitos jovens com potencial e eu estarei representando esses jovens no programa”, disse o estudante, que mora no bairro do Tapanã, com os pais, um irmão de 22 anos e a irmã de oito anos.
Desde os 12 anos, Ruan desenvolve um trabalho de evangelização na Igreja Quadrangular, oferecendo aulas de músicas a crianças e jovens, coordenando missões de arrecadação de alimentos e roupas para comunidades carentes, além de tocar e cantar nos cultos evangélicos.
Estudante da Língua Inglesa desde os nove anos, quando ganhou bolsa integral de um cursinho particular, Ruan se candidatou pela primeira vez para a seletiva do “Jovens Embaixadores” em 2014, ficando como semifinalista do programa. A pontuação lhe valeu a experiência de uma semana em Brasília no English Immersion USA Program (EIP). “Essa experiência foi fundamental para que eu tentasse de novo em 2015 e fosse selecionado para viajar para os Estados Unidos”, comentou o jovem.
A inscrição para o processo seletivo do Programa ocorreu em abril. O resultado foi divulgado em outubro de 2015. O programa é uma iniciativa da Embaixada dos Estados Unidos, em parceria com o setor público e privado brasileiro e americano, para beneficiar estudantes das escolas públicas pertencentes à camada socioeconômica menos favorecida, que falem o inglês fluentemente, tenham perfil de liderança, prestem serviço voluntário e sejam exemplos em suas comunidades.
Texto:
Julie Rocha


Acervo musical do Museu da Imagem e do Som será trilha sonora do Forte do Presépio
Durante o mês de janeiro, o Museu da Imagem e do Som (MIS-PA) fará uma homenagem aos 400 anos de Belém, através da música. Com o projeto “Circuito Musical: Trilhas Amazônicas”, que neste mês será realizado no Museu do Forte do Presépio, o MIS oferece ao público trilha sonora com acervo que lembrará os quatro séculos de uma paisagem musical da capital paraense e da Amazônia.
O Circuito Musical: Trilhas Amazônicas” começa nesta qurta-feira, 6, no Museu do Forte do Presépio, e segue até o final de janeiro, durante o horário de visitação do Forte, de terça a sexta-feira, das 10h às 15h; sábados, domingos e feriados, de 9h às 13h.
Segundo a diretora do MIS-PA, Dayseane Ferraz, esta é uma oportunidade para divulgar os diferentes ritmos da região Amazônica. “Procuramos dialogar o popular e o erudito, fazendo com que as músicas escolhidas possam chegar, tanto aos ouvidos de uma criança, quanto à memória afetiva de um idoso. Entendendo a música como um patrimônio cultural a ser preservado, MIS propõe ao público revisitar sons do passado e do presente fazendo uma homenagem a vários compositores e intérpretes paraenses”, afirma. 
Wilson Fonseca, Altino Pimenta, Salomão Habib, Nilson Chaves, Walter Bandeira, Fafá de Belém, Jane Duboc, Paulo André e Ruy Barata, Lia Sophia, Vital Lima,  Iva Rothe entre outros, são vozes que já estão selecionadas para compor a trilha musical do Forte do Presépio. “Teremos também peças de compositores paraenses dos séculos XIX e XX, como General Gurjão, com Ave Maria, Raymundo de Araújo Pinheiro com Lamento Negro e Waldemar Henrique com peças que em suas partituras, destacam as lendas amazônicas”, antecipa Dayseane.
Serviço: “Circuito Musical: Trilhas Amazônicas”, em homenagem aos 400 anos de Belém. Realização do Museu da Imagem e do Som (MIS-PA). Local: Museu do Forte do Presépio. End: Praça Frei Caetano Brandão, s/n – Cidade Velha. Informações: (91) 4009-8826/8828.
Texto:
Camille Nascimento


Procon alerta sobre itens abusivos em listas de material escolar
Com o início do ano, os pais já estão a procura dos itens da lista escolar. E para isto, a Diretoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) do Pará está reforçando a divulgação da lista de material escolar de 2016, que foi formada a partir da mediação entre pais e escolas sobre itens de real necessidade para utilização durante o ano letivo. A lista foi definida em novembro de 2015 e tem como principal objetivo evitar exigências indevidas de materiais de uso individual e coletivo.
O conteúdo foi dividido em produtos proibidos, produtos com restrições nos pedidos e produtos de uso exclusivamente individual. Entre os proibidos estão alguns itens bem conhecidos do público, como papel higiênico, algodão, papel para impressora, caneta para quadro branco, giz e esponja para pratos, entre outros. Nos itens de uso individual deve er garantida a compra apenas de uma unidade de cada produto para a utilização específica de cada aluno, como por exemplo, escova de dentes, creme dental, prato, talher, etc.  
“Essa lista garante uma forma do consumidor no Estado do Pará cobrar das escolas apenas os itens necessários. Existem listas diferentes para cada Estado. A escola nada mais é do que uma empresa prestadora de serviços e, neste processo, ela precisa atender ao cliente de maneira adequada. A escola não pode exigir produtos de marca ou fora desta lista e também não pode negar a matrícula para um aluno que não tenha todos os itens comprados. Isto está definido por Lei”, orienta Moyses Bendahan, diretor do Procon/PA.
Denúncias - Para que o Procon dúvidas no número 151 de segunda à sexta, 8h às possa fazer a fiscalização dos casos de abuso em listas escolares é necessário que os pais denunciem por meio do telefone ou na sede da instituição. O Procon recebe denúncias e esclarece 14h. O consumidor também pode ligar para o (91) 98134-9789, que é exclusivo para denúncias e funciona 24h. “Existem muitos casos informais. As pessoas sabem que a lista foi abusiva, mas não denunciam. Dessa forma não podemos fazer nada. Temos vários canais para que isso ocorra e estamos aqui para ajudar”, incentiva o diretor.
Para acessar a lista de material escolar completa clique aqui.
O que diz a Lei:
1- É considerada prática abusiva a não efetivação de matrícula ou imposição de qualquer sanção por motivos de recusa de entrega de material escolar listado como proibido por este órgão. (Art.39, inciso I do CDC).
2- É considerado prática abusiva exigir do consumidor produtos de marcas específicas ou determinar que a compra de outros produtos seja feita no próprio estabelecimento educacional. (Art.6, II inciso do CDC).
3- O consumidor tem o direito de escolher entre comprar os produtos da lista de materiais escolar fornecido pela Instituição educacional ou efetuar o pagamento de “valor/taxa” disponibilizada pela mesma (desde que sejam discriminados valores e produtos adquiridos) sendo vedada a imposição do seu pagamento de forma exclusiva. (Art.6, incisos II e III, art. 31 do CDC).
4- A solicitação de maiores quantidades dos itens desta lista deverá ser apresentada com justificativa. (art. 39, inciso V do CDC).
Texto:
Diego Andrade


CredCidadão beneficiou mais de 2 mil micro e pequenos empreendedores no Pará
Num pequeno ateliê de 3x4m no distrito de Outeiro, em Belém, a costureira Josineide da Costa Favacho, de 38 anos, faz roupas dos mais variados tamanhos e modelos há 15 anos. Todos os dias ela acorda cedo para tecer e modelar os tecidos até a peça final, para então fazer a venda. “Faço roupas variadas. São roupas de academia, calças, bermudas, camisetas e o que o cliente pedir. Faço tudo com muito amor e dedicação, pois foi a profissão que escolhi”, diz com orgulho a costureira.
Em seu ateliê, a Josineide possui seis máquinas de costura e muito tecido. E nos últimos dias, o trabalho tem sido redobrado. Isto porque, recentemente, ela foi uma das beneficiadas pelo CredCidadão. “Sempre foi difícil conseguir empréstimo porque sou autônoma, e para nós é difícil até mesmo tirar cartão de crédito. Quando soube das facilidades para conseguir o CredCidadão, fui correndo me informar. E está aí, foi muito rápido. Além de aquecer meu negócio, pude ajudar na marcenaria do meu marido”, conta Josineide.
Casada com Carlos Vinicius do Nascimento Favacho , 47 anos, Josineide tem dois filhos. O dinheiro do CredCidadão serviu para a costureira comprar várias peças de tecido, que abasteceram seu armário, além de comprar madeira para a marcenaria do marido, e de sobra, comprar equipamentos para a loja do filho mais velho que trabalha com rebobinação. Um benefício para toda a família. “Sou marceneiro há 18 anos e nunca vi algo parecido com esse crédito. Foi graças a essa oportunidade que voltei a trabalhar. Nunca perdi a fé. Esse dinheiro veio pra nos trazer um bom benefício, com certeza”, disse Carlos.
Antes, devido às dificuldades, o marceneiro contou que precisou fechar o seu negócio, pois não tinha recurso para comprar matéria prima. “Eu já tinha perdido a esperança de reabrir a marcenaria, pois a prioridade era a costura da minha esposa. Mas quando fomos agraciados com o empréstimo fiz uma limpeza, conversei com o pessoal que trabalhava comigo e vamos reerguer novamente, foi só o ‘ponta pé’. Agora, só nos resta trabalhar mais”, finalizou.
Balanço
Ao longo de 2015, o CredCidadão desenvolveu atividades com a linha de microcrédito para atender pequenos empreendedores de diversos segmentos, com o objetivo de reduzir a pobreza e a desigualdade social. No total, 1.923 empreendedores foram atendidos na linha convencional de crédito, em diversas regiões do Estado, e mais de 150 na linha mototaxista. Os resultados é fruto do investimento feito pelo Governo do Estado no apoio aos micro e pequenos empreendedores. E neste sentido, o CredCidadão funciona como um forte instrumento de estratégia da política de concessão de crédito acessível e adequado para desenvolver o empreendedorismo, proporcionando o crescimento e a consolidação de micro e pequenos empreendimentos.
“Foi um ano bastante produtivo para nós. A missão do CredCidadão é oferecer oportunidades para gerar negócios lucrativos no combate à crise econômica do país, além de gerar emprego e renda, e com isso estamos muito felizes, pois mesmo diante da forte crise brasileira, não medimos esforços para levar adiante as ações do programa. Só temos a agradecer e parabenizar os beneficiados”, diz a gerente do Credcidadão, Tete Santos, destacando ainda que, em 2015, o programa atuou em todos os municípios da Rota Turística Belém-Bragança, da Região do Capim e do Marajó, num investimento total de cerca de R$ 6 milhões.
O CredCidadão é vinculado à Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), com parceria direta do Banco do Estado do Pará (Banpará), atuando em conjunto com vários órgãos do Governo do Estado, prefeituras e entidades da sociedade civil. O CredCidadão atua nos municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), em cumprimento a metodologia de trabalho adotada pelo Governo do Pará, que ainda tem como base o cruzamento com o Índice de Progresso Social (IPS).
Texto:
Tatiane Dias


Solenidade militar marca passagem de Comando no Corpo de Bombeiros do Pará
Data da Pauta:
06/01/2016 09:00:00
Expira em:
06/01/2016 11h00
Local:
Quartel do Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Pará
Endereço:
Avenida Júlio César, nº 3000 - Bairro Val-de-Cans
Contatos:
Capitão Fàbio Costa (98899-6416)

O Corpo de Bombeiros Militar do Pará realiza nesta quarta-feira, 6, a cerimônia cívica militar de passagem de comando. O Coronel Zanelli Antonio Melo toma posse no cargo em substituição ao Coronel Nahum Fernandes. Durante a solenidade, que terá a presença de autoridades civis e militares, haverá desfile da tropa e das viaturas da corporação.
Texto:
Roclane Damasceno


Susipe divulga balanço da saída temporária das festas de fim de ano
A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) informa que dos 1.238 detentos beneficiados pela Justiça com a saída temporária para as festas de fim de ano, 1.030 já retornaram às unidades prisionais paraenses, o que representa 16,8% de evasão do total. Na Região Metropolitana de Belém, a Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel (CPASI), em Santa Izabel, foi a unidade prisional que registrou o maior número de não retornos; dos 477 detentos liberados, 145 não voltaram no prazo determinado pela Justiça. Já no interior, o Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura (CRASHM), em Santarém, teve o maior número de presos evadidos; dos 143 detentos que obtiveram o benefício, 13 não retornaram ao centro de detenção. Todos os 208 detentos que não retornaram no prazo previsto pela Justiça já passam a ser considerados foragidos e quando recapturados voltam a cumprir o restante da pena no regime fechado.
Texto:
Timoteo Lopes


Curro Velho inicia 2016 com oficinas alusivas aos 400 anos de Belém
As oficinas do Curro Velho iniciam o ano de 2016 com o ciclo de atividades que fazem alusão aos 400 anos de Belém e colaboram para o desfile do Grêmio Recreativo Escola de Samba Crias do Curro Velho. Cerca de 150 brincantes, entre crianças e jovens, de 7 a 18 anos, são aguardados para participar da apresentação tocando e cantando a história da cidade das mangueiras.
O período de inscrições para quem deseja desfilar tocando na Bateria da Escola de Samba ocorre entre os dias 4 e 18 de janeiro, de segunda a sexta, das 15h às 18h. Este também é horário das aulas, que devem ocorrer até o dia 27 de janeiro, também de segunda a sexta. O desfile será no dia 30, a partir das 9h, com saída da Praça Brasil e chegada no Núcleo de Oficinas Curro Velho, que fica no bairro do Telégrafo, próximo à Avenida Pedro Álvares Cabral.
De acordo com percussionista e instrutor da bateria do Curro Velho, Muka de Souza, nesse período de carnaval, as oficinas de percussão são as mais procuradas pelas crianças e jovens. “E como este ano Belém completa 400 anos, o nosso tema de carnaval foi pensado na história da capital. O samba-enredo é do músico e compositor Paulinho Moura, que fala da cidade, seus bairros, artistas. O nosso propósito é trazer as crianças e jovens para o samba cultural do Curro”, ressalta.
O carnaval das Crias do Curro Velho surgiu em 1993, que, inicialmente, era realizado com instrumentos formados de latas, tampinhas e materiais reutilizáveis que ganharam destaques por causa da inovação. Hoje a escola de samba tem acessórios que competem com grandes agremiações, que desfilam e tocam pelas ruas de Belém. Outras oficinas também devem iniciar nos próximos finais de semana – 9 e 16 de janeiro – para compor o corpo cênico e de dança do desfile.
Serviço: Inscrições para a bateria das Crias do Curro Velho, de 04 a 18 de janeiro, das 15h às 18h. Gratuitas. Informações: (91) 3184-9112.
Texto:
Laís Azevedo


Arcon deixa de atender demandas sobre energia elétrica
A partir desta segunda-feira, 4, Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), alegando problemas de ordem orçamentária, suspendeu contratos e parcerias com a maioria das agências de regulação em todo o território nacional, inclusive com a de Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon-PA). Em consequência dessa decisão, o setor de Ouvidoria local não mais receberá as reclamações e denúncias dos usuários sobre energia elétrica no estado do Pará.
Dessa maneira, a Arcon deixará de atender aos usuários, presencialmente, em sua sede no bairro de Batista Campos, e não mais responderá pelo atendimento ao telefone 0800 727 0167, o que passa a ser competência da ANEEL, em nível nacional. Quem tiver alguma denúncia ou reclamação sobre o serviço da concessionária de energia elétrica no Estado também pode acessar o site da ANEEL (www.aneel.gov.br).
À Arcon caberá agora somente a orientação aos usuários para que acessem os canais da Ouvidoria da ANEEL, em nível nacional. 
Texto:
Dedé Mesquita


Governador em exercício participa da cerimônia de 108 anos da 8ª Região Militar
O governador do Estado em exercício, Zequinha Marinho, participou na noite desta segunda-feira, 4, das comemorações pelos 108 anos de criação do Comando da 8ª Região Militar. A cerimônia foi realizada no Forte do Presépio, no Complexo Feliz Lusitânia, em Belém, local que marca o início das atividades militares na Amazônia brasileira e fundação da capital paraense.
Zequinha Marinho ressaltou a contribuição da instituição para a cidade e para a Amazônia como um todo. "Essa comemoração acontece no momento em que Belém completa 400 anos e nos ajuda a lembrar uma história fantástica que não se resume apenas à conquista da terra, mas à manutenção das nossas fronteiras, função de extrema importância não só para o Estado, mas para todo o país", afirmou.
Durante a solenidade, os convidados assistiram a uma apresentação teatral, utilizando o próprio espaço e canhões do Forte, que mostrou a atuação dos primeiros militares para defender Belém da chegada de navios invasores pela Baia do Guajará. "Pudemos voltar no tempo e termos uma noção de toda a luta e dificuldades enfrentadas, além da determinação e coragem extraordinária desses homens. É importante reviver tudo isso e amar mais a nossa  terra, dar sequência naquilo que nossos antepassados puderam fazer para que hoje Belém e o Pará tenham destaque no contexto nacional", acrescentou o governador em exercício.  
"Me sinto muito honrado em poder fazer a celebração no local onde começou a história de Belém, que em breve estará comemorando seus 400 anos, e da 8º Região. Diante de toda a história, vale ressaltar a visão estratégica dos portugueses que, já naquela época estabeleceram este Forte guarnecendo a Baía do Guajará. Eles sabiam que quem domina a foz, domina o rio. E assim iniciou, a partir de Belém e de seus arredores, a saga pela conquista e desenvolvimento da Amazônia", disse o General de Divisão Humberto Francisco Madeira Mascarenhas, Comandante da 8ª Região.
A 8ª RM, também denominada de "Região Forte do Presépio", é um Grande Comando Logístico, enquadrado pelo Comando Militar do Norte, que apoia o emprego da tropa. A instituição contribui na área de logística e administração de suas Organizações Militares para proteção e posse de áreas estratégicas para a defesa da Amazônia brasileira. "A logística determina a permanência no combate. Continuarmos trabalhando juntos em prol dos interesses do Brasil e do estado do Pará", enfatizou o General Madeira.
Para o general Oswaldo de Jesus Ferreira, comandante Militar do Norte, o Comando é uma base de sustentação importante para toda as atividades militares. "Chegamos nos pontos mais distantes da nossa região em função no trabalho incessante daqueles que estão aqui para apoiar a parte operacional. Isso é a base para que possamos cumprir as missões primordiais estabelecidas pelas forças armadas: a responsabilidade da defesa do nosso país", finalizou o general. 
Na oportunidade, vinte personalidades civis e militares que contribuíram para o desenvolvimento da instituição receberam o diploma de “amigo da 8ª Região Militar”. Entre elas está o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Luiz Fernandes da Rocha; o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, o desembargador Raimundo Holanda Reis; o conselheiro do Tribunal de Contas do Pará, Cipriano Sabino, e a diretora geral da Escola de Magistratura do Estado do Pará, Luzia Nadja Guimarães Nascimento. O evento também contou com a presença de representantes de entidades civis e militares do Estado, entre eles o Vice-almirante, Alípio Jorge, comandante do 4º Distrito Naval, e o Major-Brigadeiro, Paulo Borba, titular do 1º COMAR (Comando Aéreo Regional).
Texto:
Lidiane Sousa


Descontos de IPVA para placas de finais 01 a 31 encerram no dia 7
Quinta-feira, dia 7 de janeiro, é o prazo limite para os descontos do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) válido para os proprietários de carros com finais de placas 01 a 31, que não tenham multas de trânsito. A data final para licenciamento destes veículos, junto ao Detran, será dia 4 de março. O pagamento integral do IPVA, dois meses antes do prazo final do licenciamento, para veículos que não tem multas de trânsito, garante o benefício do IPVA Cidadão.
Os descontos são de 15% do valor do imposto para o carro que está há dois anos sem multa; 10% para quem não recebeu multas no ano passado e 5% nas demais situações, ressaltando-se que os mesmos não tem carátercumulativo. O proprietário de veículo tem, ainda, a opção de antecipar o pagamento do IPVA em até três parcelas, sem desconto.
No Portal de Serviços da Secretaria da Fazenda (Sefa) na internet é possível consultar as datas de pagamento e os valores, bem como optar pela quitação integral ou parcelada, além de emitir o Documento de Arrecadação Estadual (DAE), item IPVA Antecipação. Para a consulta é necessário ter o número da placa e do Renavan. Vale lembrar que se o contribuinte receber notificação de multas de trânsito após o recolhimento em cota única, perderá o desconto.
O pagamento do DAE é feito na rede bancária autorizada (Banpará, Banco da Amazônia, Bradesco, Banco do Brasil, Itaú e Caixa Econômica Federal, CEF) e casas lotéricas. Nos casos em que não houver antecipação do recolhimento do imposto, o IPVA deverá ser pago no boleto de licenciamento anual do Detran. Do total do valor de IPVA arrecadado, 50% ficam para o Estado e 50% são destinados ao município onde o veículo é licenciado.
Serviço: Mais informações pelo Call Center Sefa (0800 725 5533) ou no site www.sefa.pa.gov.br, área do Manual de Atendimento.
Texto:
Ana M. Pantoja


Pro Paz nos Bairros retoma atividades no dia 7
O Pro Paz nos Bairros abre nesta segunda-feira, 4, as inscrições para os interessados em participar das atividades do projeto. A programação é aberta a crianças e jovens na faixa de 8 a 18 anos e contempla as áreas de cultura, arte, esporte e lazer. As inscrições podem ser feitas até o dia 6 nos cinco polos do projeto: Sacramenta, IESP, Mangueirão, UFRA, UFPA.
Andreza Cunha tem 11 anos, já participa do Pro Paz nos Bairros e pretende continuar com as atividades este ano. "Entrei para o projeto no ano passado e isso fez toda a diferença na minha vida. Antes eu não ligava muito pras coisas, não tinha muito  interesse nos estudos e passava muito tempo vendo televisão ou na rua. Depois que entrei para o projeto tudo mudou”, conta a menina.
“O Pro Paz nos bairros proporciona maior aproveitamento do tempo junto com as crianças. Acreditamos que quanto mais elas estiverem envolvidas nas atividades e recebendo formação, maior o aprendizado e os resultados para a promoção da paz. Por isso, começamos o ano convocando as crianças e famílias”, explica Fabize Muinhos, coordenadora geral do Pro Paz nos Bairros.
A disseminação da cultura de paz, ressaltada por Fabize, é o foco principal do projeto do Governo do Estado, executado por meio meio da Fundação Pro Paz. As aulas ofertadas nos polos acontecem no contraturno escolar e ajudam a manter as crianças e adolescentes longe das ruas e da violência. Eles participam de atividades nas áreas de Educação (Linguagem e Matemática de forma diversificada, lúdica e prazerosa); Arte e Cultura (Percussão, Circo, Música, Dança, Hip Hop); Esporte e Lazer (Futebol de campo, Futsal, Vôlei, Basquete, Natação, Atletismo, Artes Marciais, Capoeira), além de oficinas formativas e rodas de conversa, que estimulam a fomação cidadã dos alunos.
“Esse ano vamos estar mais próximos das famílias e das comunidades, de forma a envolvê-las ainda mais em nossas atividades. Além disso, o projeto garante acesso a outras políticas e programas do Governo do Estado, como o Cheque Moradia e o Credcidadão”, completa a coordenadora.
Integrante do Polo Mangueirão, Andreza tem nas aulas de futebol e de percussão as atividades preferidas, porém quando o assunto são os planos para o futuro ela mostra que está determinada a ir bem mais além. "Meu maior sonho é ser médica”. Mas pra isso tem que estudar muito, fazer cursinho e faculdade”.
Pro Paz nos Bairros
O projeto é apenas um dos muitos oferecidos pela Fundação Pro Paz e já mudou a vida de muitas crianças e adolescentes. As inscrições para novos e antigos alunos estarão abertas nos dias 04, 05 e 06 de janeiro. Para se matricular, o jovem deve estar acompanhado de um responsável e portando os seguintes documentos: duas fotografias 3x4, originais e cópias da carteira de identidade (RG) do responsável, da certidão de nascimento ou RG do aluno a ser matriculado, do comprovante de residência e da declaração de matrícula escolar. As aulas terão início no dia 07 de janeiro.
Todos os polos do Pro Paz nos Bairros contam com uma equipe de professores e técnicos que trabalham com ênfase na formação de valores como respeito, igualdade, lealdade, compromisso e disciplina. As crianças e adolescentes ainda recebem acompanhamento de uma equipe multiprofissional, formada por pedagogo e psicólogo, disponíveis tanto para os alunos como para suas famílias.
Entre os parceiros do projeto estão a Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural (Ufra), Instituto de Ensino e Segurança do Pará (Iesp), Secretaria de Educação (Seduc) por meio do Núcleo de Esporte e Lazer (NEL), Secretaria de Esporte e Lazer (Seel), Secretaria de Segurança Pública (Segup) e Corpo de Bombeiros.
Dança
Além do Pro Paz nos Bairros, a Fundação Pro Paz mantém outras iniciativas voltadas à disseminação da cultura de paz por meio da oferta de atividades socioeducativas e físicas às crianças e jovens que vivem nas áreas de periferia. Um deles é o projeto “Criança que dança é mais feliz”, executado em parceria com a Companhia de Dança Ana Unger, que disponibiliza 160 bolsas integrais do Curso de Ballet Clássico e Jazz na Escola de Danças Ana Unger, Unidade Cidade Nova, a crianças e adolescentes de baixa renda entre 7 a 16 anos.
As inscrições para o projeto começam no dia 05 de janeiro. Para conseguir a bolsa, as crianças precisam passar por uma avaliação. Os alunos selecionados são divididos em turmas que funcionam durante toda a semana na unidade da Companhia de Dança Ana Unger localizada no conjunto Cidade Nova, em Ananindeua.

Serviço: Projeto Pro Paz nos Bairros - Inscrições abertas nos dias 04, 05 e 06 de janeiro, nos cinco polos da RMB. 
IESP: Rodovia BR-316, km 13, s/n, região central de Marituba
Mangueirão: Rodovia Augusto Montenegro, km 3
Sacramenta: Praça Dorothy Stang, entre as avenidas Senador Lemos e Pedro Álvares Cabral
UFPA: Campus III da Universidade Federal do Pará, Rua do Tucunduba, s/n
UFRA: Universidade Federal Rural da Amazônia, Avenida Perimetral, 2.501, Terra Firme
Texto:
Nathalia Petta


Escolas estaduais preparam homenagens para os 400 anos de Belém
Belém comemora 400 anos de fundação no próximo dia 12 janeiro e recebe diversas homenagens de professores, diretores, estudantes e servidores das escolas públicas estaduais que aproveitaram o ano letivo de 2015 para trabalharem temáticas ligadas à história, geografia e cultura da capital paraense. As homenagens pelo aniversário da cidade se estenderão durante o ano, com exposições, pesquisas, danças e outros eventos programados nas escolas.
As homenagens iniciam logo após o recesso de fim de ano, no dia 4 de janeiro, quando alunos e professores da Escola Estadual General Gurjão, na Cidade Velha, vão montar uma boneca gigante para celebrar os 400 anos de Belém. A “Dona Belém”, como será chamada, ficará em exposição no pátio da escola a partir do dia 8 de janeiro e terá vestes regionais com vários bolsos para que os alunos depositem mensagens e opiniões a respeito da cidade.
“Belém 400 anos, Belém por mim: diálogos entre amores, afetos e histórias” é o tema da exposição fotográfica que será montada pelos alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dr. Justo Chermont, no bairro da Pedreira. A exposição será lançada no dia 18 de janeiro, no hall da instituição, e visa retratar paisagens urbanas, símbolos tradicionais e patrimônios materiais e imateriais em registros fotográficos coloridos e em preto e branco.
“A idéia é que os alunos dos três turnos da escola e também os professores possam se envolver nessa empreitada, demonstrando seu amor pela cidade e prestando essa bela homenagem, além de dar sua parcela de contribuição para preservação da memória e enaltecimento da Metrópole da Amazônia”, explica o professor de Arte, Nilson Damasceno, que idealizou a exposição.
A proposta é que a partir das câmeras dos aparelhos celulares, os alunos consigam captar as imagens com base na relação de afeto com a cidade e nas histórias vividas em Belém. Ele explica ainda que também será realizada uma pesquisa visual e textual, inspirada em trechos de músicas, contos, poesias e outras fontes literárias de escritores paraenses. “A idéia central é prestar uma homenagem a nossa querida Cidade das Mangueiras pelo olhar e sensibilidade de nossos alunos, a partir da utilização de um recurso que é muito freqüente no cotidiano desses estudantes: o aparelho celular, completou.
Na Escola Estadual Maroja Neto, no bairro da Pedreira, a professora de Língua Portuguesa Tânia Monteiro prepara, na primeira semana de janeiro, uma programação com mural e recital de poesias para apresentar a coletânea de poemas criados por 60 alunos das turmas de Ensino Fundamental e Médio da instituição. A programação é parte do projeto “Belém 400 anos”, trabalhado desde outubro de 2015 no espaço pedagógico e nas salas de aula.
“Eles ficaram livres para trabalhar as temáticas diversas relacionadas a Belém e abordaram muito a gastronomia, a cultura, as tradições, a Ilha de Mosqueiro e também fizeram críticas relacionadas ao lixo e aos cuidados que a cidade necessita”, disse a professora.
A programação está prevista para ocorrer no dia 12 de janeiro, a partir das 19h, na sede da instituição, com recitais de poemas, apresentações de danças e shows, além de degustação de comidas típicas.  
Também preparam eventos alusivos aos 400 anos de Belém os professores da Escola Estadual Norma Morhy, no bairro da Cremação, que devem fazer uma pesquisa com os alunos do 5º do Ensino Fundamental sobre os governos que Belém já teve nesses 400 anos de fundação. O resultado será exposto na homenagem da instituição sobre aniversário de Belém, marcada para o dia 15 de janeiro, que envolverá os 208 estudantes da instituição.
Localizada no corredor da Avenida Almirante Barroso, a escola Pedro Amazonas Pedroso, também vai homenagear a “Cidade Morena” com o Auto do Pedroso, que trará uma programação voltada para os 400 anos de Belém. Segundo a diretora da escola, Dirce Correa, o calendário de atividades ainda será fechado.
A equipe pedagógica da Escola Paranatynga Barata optou por uma homenagem antecipada e, durante todo o ano letivo de 2015, trabalhou a temática dos 400 anos de Belém com os alunos da instituição. O projeto “Belém 400 anos, quem te conhece, te ama”, teve duas culminâncias, em junho e em dezembro, envolvendo os 513 alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental. “Por conta do aniversário de Belém, os professores sugeriram que se fizesse um estudo sobre a história e cultura da cidade. Daí, a gente trabalhou texto, música e dramatização em todas as disciplinas”, explica a vice-diretora Joyce Botelho.
Texto:
Julie Rocha


Histórias de superação mostram a importância do apoio de programas estaduais
Casados há 27 anos, Azenati e Amilton Rabelo vão começar 2016 com a certeza de poder realizar um sonho antigo: morar em casa própria. O casal está entre as 58.961 famílias já contempladas pelo programa Cheque Moradia, do governo do Estado. A nova residência já está sendo construída e quando estiver pronta vai abrigar também os três filhos, um deles casado.
Antes do benefício, todos compartilhavam uma casa de altos e baixos feita de madeira, pequena e com pouca estrutura. Agora a família Rabelo pode alimentar a esperança de viver com mais conforto e em melhores condições. “O Cheque Moradia permitiu que a gente realizasse esse sonho. Finalmente vamos poder ter uma casa decente”, comemora Azenati, que trabalha vendendo açaí para ajudar o marido, mestre de obras. 
O ano também começa com um gosto diferente para o metalúrgico aposentado Sérvulo Belo, de 56 anos. No início de 2015 ele foi diagnosticado com câncer de próstata e desde então direcionou seus esforços para uma única missão: se curar. “Sou acostumado a fazer exames preventivos periodicamente. Foi em um deles que descobri a doença, felizmente ainda em estágio inicial”, relembra.
Do diagnóstico à alta do tratamento passaram-se seis meses. Foi próximo do Natal, mais precisamente no dia 23 de dezembro, que Sérvulo entrou na sala de cirurgia do Hospital Ofir Loyola, em Belém, e ganhou uma nova oportunidade. “No início foi um choque muito grande. Pra muita gente, câncer está associado à morte. Mas pra mim não, eu penso diferente. Assim que soube, fui atrás do que precisava para vencer essa doença”, conta.
Ao lado da esposa e dos três filhos, Sérvulo vê no ano novo uma oportunidade de fazer tudo diferente. Segundo ele, o câncer o fez renascer e para 2016 as metas já foram estabelecidas: fazer atividade física, mudar a alimentação e continuar o tratamento até ter a certeza de que o câncer desapareceu. 
Quem também colocou a saúde no topo da lista dos pedidos para 2016 foi a pequena Ana Luiza Monte Palma Monteiro, de 11 anos. No ano passado, ela conseguiu fazer o tão esperado transplante de medula óssea para tratar a anemia falciforme de que é portadora desde bebê.
A doença foi descoberta quando ela tinha apenas 11 meses de vida. Elizangela Monteiro, mãe da menina, conta que aos seis meses Ana Luiza passou a apresentar sintomas como palidez e inchaço pelo corpo. Preocupada, procurou os médicos que a diagnosticaram com o problema. Desde então, começou a luta da família. Moradores de Bragança, eles se mudaram para Belém onde tiveram um acompanhamento intensivo do Hemopa.
No dia 30 de janeiro de 2015, Ana Luiza finalmente passou por um transplante para receber a medula da irmã mais velha, Maria Luana, de 14 anos. “Fiquei muito feliz de poder ter tido a chance de ajudar a salvar a vida dela”, conta a jovem.
Com a nova perspectiva que ganhou, a família comemora a chegada de 2016 com o sentimento de gratidão e fé renovada. Superados os momentos de tensão e medo, o que eles desejam agora é vida nova. Por tudo o que viveram e tiveram que enfrentar, seu Luiz, dona Elizangela, Ana Luiza e Maria Luana são unânimes na escolha do primeiro dos votos de Ano Novo estendido a todos: saúde!
Texto:
Bianca Teixeira


Novas pontes garantem a integração entre regiões no Pará
O segundo semestre de 2015 foi marcado pela entrega de três importantes conexões do modal rodoviário previstas no projeto de infraestrutura e integração do governo do Estado. As pontes sobre o Rio Curuá, de Igarapé-Miri e do Moju ajudaram a levar à população mais qualidade de vida, conectando regiões e colaborando para o desenvolvimento dos municípios localizados nas áreas de abrangência dessas obras.
“O Pará é o segundo maior Estado em estensão territorial, mas o maior em área útil, por isso os esforços empreendidos aqui acabam sendo maiores em razão das distâncias e do custo das obras. No entanto, conseguimos executar projetos de grande importância para regiões como o oeste paraense, onde a ponte sob o Rio Curuá fará a integração dos municípios de Alenquer, Monte Alegre, Prainha, Óbidos e Oriximiná. Na região nordeste temos a ponte Igarapé-Miri, que integra a Calha Leste e Oeste da hidrovia do Tocantins", ressalta o secretário de Transportes do Estado, Kleber Menezes.
Já em relação à ponte do Moju, apesar de se tratar de uma obra de recuperação do trecho destruído, Menezes lembra que foi necessário um trabalho intensivo e minucioso para que a estrutura da ponte fosse preservada e o impacto ambiental fosse o menor possível. “Precisamos de um longo tempo para planejar esta reforma, pois era necessário preservar a parte que estava de pé e ao mesmo tempo não causar nenhum dano ambiental. Quando a operação de retirada das línguas pendentes, que exigiu todo um plano de contingenciamento, foi concluída, a reforma foi resolvida em seis meses e hoje temos uma obra de qualidade muito superior a que existia anteriormente. Além disso, a ponte é parte crucial da conexão da Região Metropolitana de Belém com a PA-150, uma das espinhas dorsais que nos liga até o sul do Pará”, argumenta o secretário.
Sobre as pontes:
Igarapé-Miri – Entregue à população pelo governador Simão Jatene, em 12 de setembro de 2015, a ponte Igarapé-Miri, que leva o nome do ex-secretário Clóvis Mácola, é a primeira de grande porte da região do Baixo Tocantins. A expectativa é de que, ao reduzir o tempo de viagem, a nova estrutura mude a realidade dos moradores dos municípios daquela região, como Abaetetuba, Barcarena, Acará, Moju, Mocajuba, Cametá, Baião e de Igarapé-Miri.
Ao todo, são 560 metros de extensão e 200 metros de rampa. Além disso, o projeto inclui tecnologia de iluminação solar e um sistema de proteção dos pilares para evitar possíveis impactos com embarcações. Com essa obra, o governo do Estado já soma mais de 300 milhões investidos na implantação e recuperação das pontes de madeira e concreto em todo o Pará.
Rio Curuá – Resultado de um investimento de R$ 13.789.813,11, a ponte localizada na rodovia PA-254, no município de Alenquer, oeste do Estado, foi entregue no dia 26 de setembro de 2015. Com uma estrutura de 370 metros de extensão e aproximadamente nove de largura, a obra permite a integração de Alenquer com outros municípios da região, de Prainha até Oriximiná, além de viabilizar o escoamento da produção agrícola e extrativista dos municípios que integram a Calha Norte.
“Antes a balsa era a única alternativa de transporte disponível e a gente tinha muita dificuldade, principalmente durante a cheia do rio, pois a balsa não dava conta de carregar os carros por causa da correnteza. Agora nós temos acesso à travessia a qualquer hora e o nosso produto pode chegar a outros municípios e até Estados próximos. Por isso acredito que vamos ganhar muito ainda com essa ponte aqui no nosso município”, aposta o agricultor Antônio Adelcio Gomes, 42, que vende parte de sua produção de mandioca, farinha e banana para os municípios de Alenquer e Óbidos.
A ponte sobre o rio Curuá conta com pavimentação, sinalização horizontal, vertical e pontos refletivos. Toda a base foi pavimentada, assim como os dois acessos, de 100 metros cada, nas laterais.
Rio Moju – A última ponte entregue em 2015, no dia 19 de dezembro, demandou um esforço intensivo do grupo de trabalho coordenado pelo governo do Estado, que envolveu diversos órgãos, para acelerar os serviços desde que a ponte foi interditada, em março de 2014. O longo prazo de execução se justificou pelo cuidado especial com o meio ambiente.
Pontes são destruídas e reconstruídas com rapidez em outros cenários, com o uso corrente de dinamite. Essa hipótese, porém, foi descartada desde o começo pelo próprio governador Simão Jatene, que recomendou aos técnicos envolvidos a solução de menor impacto ambiental possível, ainda que mais demorada.
“Nem sempre damos valor ao que temos. Foi só depois que perdemos a ponte, que nos demos conta da importância que ela tem para todos nós”, avaliou João Nunes, que mora em Moju há mais de 30 anos. O marceneiro, assim como toda a população daquela região, ansiava pela conclusão da obra. “Vivemos momentos bem críticos depois do acidente que resultou na interdição da ponte. Sabemos que a administração não teve culpa, mas foram dias complicados. Mas hoje felizmente podemos comemorar o fim dos nossos problemas.”
O projeto de recuperação da ponte incluiu a construção de defensas de proteção dos pilares e  ampliação da sinalização náutica com um número maior de boias para orientar os navegantes. A ponte do Moju foi inteiramente repavimentada e também recebeu iluminação com lâmpadas de led, que permite ter uma visão melhor do corpo da estrada. Em toda a extensão, de 868 metros, há postes com placas de energia solar, o que garante mais economia e sustentabilidade.
Texto:
Diego Andrade


Cahill é o primeiro bebê de 2016 nascido na Santa Casa
“Não existe melhor forma de começar o ano. Entramos juntos e com o pé direito em 2016”, comemorou Marineide Correa Siqueira, 33 anos, que deu à luz o pequeno Cahill Gabriel, às 1h43 desta sexta-feira, 1º. Apesar de ter vindo ao mundo um poquinho antes do previsto, o menino nasceu de parto normal pesando 2,465 kg e medindo 49 cm.
Mãe de Felipe, de 17 anos, e de Cauã, de 9, Marineide diz que o caçula veio para trazer ainda mais alegria à família nesse inicio de ano. “Apesar de ter outros dois filhos, a emoção de dar à luz é a mesma. Apesar de ter passado algumas horas em trabalho de parto justamente na virada do ano, em que eu pensava que ia estar com a minha família, pois o parto não estava previsto pra hoje, a chegada do Cahill com certeza foi a maior benção que eu recebi”, declarou.
Quem acompanhou a mãe durante todo o trabalho de parto foi a cunhada, Elaine Martins, que definiu o momento como "inesquecível". “Vim com a minha cunhada para o hospital, mas não imaginava que ela daria à luz justamente na virada do ano. Acompanhei todo o parto, entrei na sala junto com ela e vi o momento em que meu sobrinho chegou ao mundo. Além de ele ter nascido em uma data tão especial, esse dia vai ficar marcado para sempre na minha memória”, contou, emocionada.
A escolha pelo nome do filho, conta Marineide, foi um capítulo a parte. Desde que ela e o marido, Maycon Costa, 28 anos, descobriram que seria um menino, ele decidiu que daria ao caçula o nome do jogador Gary Cahill, do time inglês Chelsea. “Meu marido é fã desse jogador e como ele gosta muito de futebol fez questão de fazer essa homenagem. Quem sabe um futuro jogador não vem por ai”, brinca a mãe.
A enfermeira responsável pelo plantão, Ana Negrão, disse que mesmo tendo nascido ao oitavo mês de gestação, o bebê apresenta boas condições de saúde e logo terá alta. “Ele está com todos os reflexos perfeitos, já está mamando e apesar de ter nascido com 37 semanas é um bebê saudável e logo logo estará em casa”, garante.
Durante a virada do ano foram realizados, entre normais e cesáreas, sete partos. A Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará é referência em gestação de alto risco, com atendimento 24 horas, auxiliado por equipes especializadas no atendimento a gestantes que apresentam algum problema de saúde identificado nos exames de pré-natal. A Maternidade realiza cerca de 3.700 atendimentos e 850 partos por mês.
Texto:
Andréa França


Saída de Belém cresce no fim de ano com nova lancha para o Marajó
Desde segunda-feira (28), o movimento de saída de Belém no Terminal Hidroviário para o feriado do fim de ano já teve aumento de 50% em relação ao que era esperado. “Existia a perspectiva de três mil passageiros por dia, mas esse número subiu para 4,5 mil pessoas desde segunda-feira e deve ser intensificado durante o dia 31”, diz o gerente administrativo do terminal, Axel Sanches. O destino mais procurado é a Ilha do Marajó, por 85% dos passageiros. Em segundo lugar, aparece Macapá, com 10%.
O aumento no movimento foi ocasionado pela implantação da lancha rápida com destino ao Marajó. A passagem na embarcação, que desembarca em Soure, custa R$ 48 reais. A viagem é diária, de segunda a domingo, no horário das 8h. Os horários das saídas dos navios do Terminal Hidroviário rumo ao Marajó permanecem inalterados durante o feriado e fim de semana: às 6h30 e 14h30.
Além do Marajó e Macapá, que são os destinos mais procurados, o Terminal Hidroviário tem linhas funcionando diariamente, de 5h às 20h, de segunda a sábado, e das 6h às 19h, no domingo, para Cametá e 28 municípios do Baixo Amazonas até chegar a Santarém. Para atender o aumento na demanda das viagens, foi colocado um barco extra para cada embarcação, em cada horário. A medida é uma exigência da Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon) e da Capitania dos Portos, para evitar a superlotação.
Em 18 meses, o Terminal Hidroviário de Belém não registrou nenhum acidente em suas dependências. “Nosso esquema operacional está reforçado, com as equipes de manutenção, conservação e vigilância redobradas. São três equipes atuando em cada plantão”, ressalta o gerente.
Estradas – A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) também reforçou o esquema de fiscalização e segurança dos motoristas que estão saindo em direção aos balneários. São 93 agentes rodoviários espalhados nos 15 postos em todo o Pará. As rodovias com destino a Salinópolis, Mosqueiro e Marajó vão ter viaturas a mais durante os dias 31, 1, 2 e 3 de janeiro: três em Salinas, uma em Mosqueiro e uma no Marajó. A expectativa para o movimento de saída é de 40 mil veículos para Salinas e 40 mil para Mosqueiro, somente nos dias 31 e 1.
Um acidente grave foi registrado na manhã desta quarta-feira (30), envolvendo dois veículos, um caminhão baú e uma basculante, à altura do km 58 da Alça Viária. A colisão foi frontal. Três pessoas morreram: o motorista da basculante e dois passageiros do caminhão baú, que seguia no sentido Barcarena. Segundo informações da Assessoria de Imprensa da Polícia Militar, o motorista do caminhão baú foi levado consciente, mas ferido, para um hospital particular em Belém e os corpos, encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML). O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Barcarena.
No local onde ocorreu o acidente, viaturas do Batalhão de Polícia Rodoviária da PM e do efetivo de policiamento de Barcarena orientam o trânsito e fazem o isolamento da área desde o momento do ocorrido. O Corpo de Bombeiros do Pará também esteve presente no local. Mesmo ferido, o motorista do caminhão baú informou que tentou desviar de uma van que parou deliberadamente próximo ao acostamento, mas na hora a basculante que vinha em sentido contrário não conseguiu desviar. A batida provocou incêndio na cabine do motorista.
Texto:
Syanne Neno




Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...