Total de visualizações de página

quarta-feira, agosto 31, 2016

PARÁ: Detentas fazem doação de cabelos para vítimas de escalpelamento





Governo trabalha pela humanização das prisões femininas no Pará
Potencializar a integração de serviços e discutir políticas públicas às mulheres custodiadas pela Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe). Esta foi a pauta de visita técnica da secretária de Estado de Integração de Políticas Sociais, Izabela Jatene, nesta segunda-feira (29), ao Centro de Reeducação Feminino (CRF), em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém (RMB).
Acompanhada pelo superintendente da Susipe, André Cunha, a delegada Liane Martins, corregedora geral da Polícia Civil, e equipe técnica da Seeips e Fundação Pro Paz, Izabela Jatene percorreu as instalações do CRF, a Unidade Materno-Infantil (UMI), o ateliê onde as presas produzem o artesanato da Cooperativa Social de Trabalho Arte Feminina Empreendedora (Coostafe) e a Unidade Básica de Saúde.
Maria Juceli, custodiada no CRF Ananindeua, que vem sendo inserida socialmente por meio das atividades da Coostafe, fala com alegria do sucesso de vendas de produtos comercializados pela cooperativa junto a outras 25 mulheres. "Temos vendido bastante em feiras e eventos, como uma ocorrida semana passada na Universidade Federal do Pará (UFPA). Agora também temos a loja e já recebemos encomendas até do Rio de Janeiro e Fortaleza”, disse.
Maternidade – Raiana Braga, 20 anos, de Santarém, contou como vem sendo acolhida na Unidade Materno-Infantil de Ananindeua. Grávida do segundo, ela cumpre pena por tráfico de drogas há três meses. "O acolhimento é muito bom. Nunca imaginei que pudesse receber o apoio que venho recebendo aqui. Aprendi artesanato, e ainda ganho uma renda com isso. A expectativa é sair logo daqui, reencontrar minha família e ter uma vida nova", declarou.
Localizada próxima ao CRF, a Unidade Materno-Infantil que dispõe de 14 leitos. O acompanhamento é feito por uma equipe multidisciplinar de saúde. O espaço abriga atualmente sete internas grávidas e três detentas que acabaram de dar à luz. A iniciativa foi reconhecida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) como projeto-modelo para o sistema prisional brasileiro.
Para a titular da Seeips, a privação de liberdade é necessária para o cumprimento da pena, para que a lei seja cumprida, mas é papel do Estado garantir a humanização e o tratamento às mulheres e filhos. “A integração dos serviços dentro da Susipe já vem sendo executada naturalmente, mas pode ser fortalecida. A superintendência atua na geração de emprego e renda por meio da cooperativa, tem uma unidade de saúde dentro do CRF e ainda garante o respeito à primeira infância na Unidade Materno-Infantil”, observou.
Para André Cunha, o panorama do sistema carcerário feminino no Pará é muito melhor hoje do que há cinco anos. "Os avanços foram significativos, principalmente em relação à mulher grávida com a construção da UMI, hoje uma referência no país. Além da expansão de vagas, temos melhorado o tratamento penal com projetos de saúde, educação e geração de trabalho dentro e fora do cárcere. Integrados à Seeips vamos conseguir fazer muito mais", detalhou Cunha.
Atualmente, a Susipe custodia 686 mulheres em todo o Estado. São 447 em Ananindeua, 39 em Marituba, 12 em Santa Izabel, 101 em Marabá, duas em Itaituba, 55 em Santarém, 12 em Altamira e 18 em Redenção. Outras 101 mulheres da Região Metropolitana de Belém, que estão sob custódia do Estado, mas em prisão domiciliar, são acompanhadas por monitoração eletrônica, por meio de tornozeleiras.
A superintendência tem ampliado o atendimento à população carcerária feminina com a construção de outras duas unidades prisionais nos municípios de Vitória do Xingu e Santarém, além de uma unidade prisional em Marituba, que ainda está em processo de licitação. No total, mais de 620 novas vagas devem ser criadas a partir desses novos locais.

Texto:
Nil Muniz


Detentas fazem doação de cabelos para vítimas de escalpelamento
Resgatar a autoestima e a esperança das mulheres que perderam o couro cabeludo em acidentes de motor. Esse foi o objetivo da campanha lançada no Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua, região metropolitana de Belém, em parceria com a Organização Não Governamental dos Ribeirinhos Vítimas de Acidentes de Motor (Orvam), Instituto Embeleze e Instituto Sob um Novo Olhar (Isno), em alusão ao Dia Nacional de Combate e Prevenção ao Escalpelamento, comemorado no último domingo (28) em todo país. No total, 40 detentas participaram da ação.
A Orvam tem o objetivo de acolher pessoas que sofreram acidentes de motor de barco e perderam o couro cabeludo e sobrevive apenas de doações. Hoje, na sede da entidade, são produzidas perucas para distribuição às 122 integrantes. “É um trabalho de conscientização para mostrar às mulheres presas que existem vários tipos de prisão, e talvez a pior seja a prisão da alma, que é o que as mulheres escalpeladas sofrem após o acidente. É a primeira vez que esse tipo de ação ocorre no CRF, e é gratificante ver que o exemplo de doação está vindo de dentro da cadeia”, destacou a diretora do CRF, Carmem Botelho. Além do corte de cabelo, as detentas fazeram limpeza de pele e design de sobrancelhas.
“Fiquei feliz em praticar um ato de bondade. A gente que tem filho pensa que poderia ser com eles e que também ia querer contar com a solidariedade do próximo. Gostava muito do meu cabelo grande, que já vinha deixando do mesmo tamanho há muito tempo, mas como é por uma boa causa, resolvi aceitar o corte, e não me arrependo. Quando ele crescer, quero participar de novo”, disse a detenta Thalia Rabelo, 19 anos.
Para o instrutor de corte do Instituto Embeleze Peter Mendes, a experiência foi inesquecível. “Trouxemos sete profissionais que são alunos do curso de corte de cabelo para participar da ação e estamos muito felizes com o resultado. É gratificante ajudar o próximo com o meu trabalho, e ainda mais ver essas pessoas fazendo um gesto tão bonito como esse”, frisou.
Sensibilidade – Para confeccionar uma peruca são necessários de dez a 12 metros de cabelos costurados, o que equivale de quatro a cinco cortes de pessoas diferentes. O comprimento ideal é 30 centímetros para se obter o bom aproveitamento. O preço médio da peruca – que dura dois anos no máximo – é R$ 1,2 mil, inviável para as vítimas, cuja maioria é humilde e de origem ribeirinha. “Ficamos sensibilizados com a atitude das detentas. Isso mostra que qualquer pessoa pode ser solidária, independente da condição em que se encontra. É uma questão de valorização do ser humano, de acreditar que ele ainda tem chances de mudar”, destacou a presidente da Orvam, Maria Cristina dos Santos.
O escalpelamento é o arrancamento brusco e acidental do couro cabeludo humano, por meio de diversas formas. Na região amazônica, os acidentes são provocados, mais comumente, por motores de barcos de pequeno porte, como as “voadoras”. Ao se aproximarem do motor, as vítimas têm os cabelos puxados, enrolados e arrancados pelo eixo sem a proteção adequada. Este ano, quatro acidentes foram registrados no Pará.
Serviço: A Orvam fica Avenida João Paulo II, Lote 134, entre as ruas Mariano e Coração de Jesus, no Castanheira. O atendimento é toda segunda, quarta e sexta-feira, no horário de 8h às 17h. Contato: (91) 98155-5911.

Texto:
Timoteo Lopes


Pronunciamento Aécio Neves
 
Senado Federal
Brasília - 30-08-16


"Hoje, o Brasil pode dizer sim, temos democracia, respeitamos a Constituição e vamos punir quem não a respeitou. O que vai ficar de todo esse episódio é um país mais forte, mais respeitado interna e internacionalmente, porque cumpriu a lei. O que vai ficar de tudo isso é um país com esperança, um país que volta a acreditar no seu futuro, um país onde as pessoas de bem se reúnem, independente da sua convicção ideológica, dos credos que praticam, mas que acreditem que, juntos, somos capazes de superar esse tempo negro que vivemos nos últimos anos", afirmou o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, em pronunciamento, ao avaliar o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, debatido pelo Senado desde maio passado.

Ao fazer uso da palavra às vésperas do julgamento definitivo do impeachment da presidente da República, marcado para esta quarta-feira (31/08), Aécio disse que os brasileiros devem escrever uma nova história para o país.

"Minha palavra final é de agradecimento aos milhões e milhões de brasileiros que vêm nos acompanhando nessa jornada, e a eles, especialmente aos brasileiros, uma palavra de confiança e de esperança, vamos juntos e vamos permitir que o Brasil e os brasileiros escrevam uma nova história ética, honrada e competente, onde a verdade, e apenas ela, prevaleça na boca e na voz dos seus governantes", afirmou.

Leia aqui íntegra do pronunciamento do senador Aécio Neves.

SEM REVISÃO

Senhor presidente desta sessão, ministro Ricardo Lewandowski, senhoras e senhores senadores, brasileiros e brasileiras que nos assistem neste instante. A minha primeira palavra presidente Lewandowski é dirigida a V.Exa. Não tenho dúvidas que no momento em que esta histórica sessão for no futuro revisitada por estudiosos, por brasileiros, e talvez também por estudiosos de outros países, restará reservado, e tenha certeza disso, o lugar de destaque para a condução de V.Exa. Com equilíbrio, mas sobretudo com autoridade que não vem do tom mais elevado da voz, nem do uso discricionário do regimento, ou dos códigos seja de Processo Penal ou Civil, ao qual recorreu em vários momentos desta sessão. Autoridade que vem do compromisso de V.Exa. com a democracia e com o cumprimento da Constituição. Me sinto honrado de poder ter participado desta sessão sob a presidência de V.Exa.

E venho hoje neste momento derradeiro, de um momento dos mais graves da vida nacional, não para condenar um partido político. Não para julgar a biografia de uma presidente da República, biografia que respeito. Estamos aqui sr. presidente, srs. e sras. Senadores, no momento em que o Senado se transforma em órgão judiciário, para, como juízes dessa causa, julgarmos a conduta da sra. Presidente da República. O que o Brasil espera que possamos dizer nas próximas horas é se, efetivamente, a presidente cometeu crime de responsabilidade e violou a Constituição. Sabe V.Exa. e sabemos todos nós que a nossa Constituição funciona no sistema de freios e contrapesos exatamente para que um poder não se sobreponha sobre um outro. Em todas as constituições democráticas, vamos encontrar ali instrumentos que possam impedir que os governantes se transformem em governantes totalitários e naveguem acima da legislação.

Felizmente, a Constituinte de 88, e me orgulho imensamente dela ter participado, estabeleceu de forma muito clara, quais as responsabilidades, quais os direitos, mas também quais os deveres daquele que assume como presidente da República. Violar a lei Orçamentária não é permitido porque se está violando a Constituição. Na verdade, no momento em que se viola também a Lei de Responsabilidade Fiscal, se comete efetivamente crime de responsabilidade.

O que estamos assistindo nesses últimos dias de debates acalorados nesta Casa, é uma absoluta inversão de valores. Não tendo a coragem, e não vimos isso aqui ontem, infelizmente, de assumir os seus erros e a gravidade dos atos cometidos, a sra. presidente da República acusa a oposição como fator desestabilizador do seu governo. Quiséramos nós poder ter esta força, não para desestabilizar, mas para ajudar o governo a corrigir rumos. Não, não é a oposição que é responsável pelos delitos cometidos. Não tendo como atacar o primoroso e extraordinário histórico relatório do senador Anastasia, o atacam, o acusam. Não podendo acusar aqui ou debater ou mesmo responder a extraordinária ação da acusação de alguma forma conduzida pela doutora Janaina e também pelo doutor Reali, buscam desqualificar a doutora Janaína. O Brasil reverenciará por muitos e muitos anos V. Exa. pelo papel extraordinário e corajoso que teve ao permitir ao Brasil ter uma nova chance. 

Chega ao cúmulo, e hoje foi o que mais nós ouvimos. Atacam a imprensa como se fosse ela a responsável pelos desatinos que tomaram conta do país. E, por último, ao não terem argumentos para confrontar o trabalho precioso e extremamente qualificado do procurador do Tribunal de Contas Júlio Marcelo, buscam atacá-lo. O denunciam. Mas não. Nada superará a verdade. Absolutamente nada falará mais alto do que os autos que aqui hoje estamos julgando. E fazemos, relator Anastasia, esse julgamento apenas em relação a duas questões.

Apenas a duas questões: os decretos ilegais e os empréstimos fraudulentos, e fazemos isso porque o artigo 86 da nossa Constituição, no seu parágrafo quarto, e que precisará ser corrigido, impede a senhora presidente da República de responder por crimes ocorridos ou cometidos anteriormente à sua posse nesse segundo mandato. Porque, se assim não fosse, senador Caiado, a lista de crimes seria muito mais extensa. Porque, na verdade, as duas consequências distintas dessas ilegalidades estão claras. Uma é o processo judicial, o qual a presidente da República responde e, acredito eu, terá como consequência o seu afastamento definitivo da presidência da República. Mas existe uma outra consequência, muito mais perversa e danosa, e sobre ela o senador Cássio aqui hoje já discorreu.

A consequência desses atos ilegais foi a perda de credibilidade do país, foi o aprofundamento da crise econômica, com seus reflexos na vida cotidiana dos brasileiros. A consequência mais perversa dos atos da senhora presidente da República são os 12 milhões de desempregados, 5 milhões apenas após a sua eleição. São 60 milhões de brasileiros com suas prestações atrasadas, as 8 milhões de famílias que retornam às classes D e E. São os cortes nos programas sociais do governo - o programa de creches em 90%, o Minha Casa, Minha Vida em mais de 70%. A face mais perversa desses crimes cometidos está na inflação de alimentos de mais de 16%, senador Amorim, apenas nos últimos 12 meses. Aquele prato de comida que a presidente, através do seu marqueteiro João Santana, dizia que a oposição ia tirar da mesa dos trabalhadores, já não existe mais, pela irresponsabilidade desse governo.

Me lembro que, na campanha de 2014, em inúmeros debates apontei à presidente que a inflação estava renitente e continuaria a subir. Ela disse que estava próxima de zero e não havia nenhuma medida a tomar. Alertei para o baixíssimo crescimento da nossa economia naquele ano, que acabou nos levando à maior recessão da nossa história republicana. E a presidente dizia que não acreditava naqueles números. Disse à presidente, no dia 20 de outubro, a uma semana da eleição, que as pedaladas fiscais que ela estava patrocinando eram um crime de responsabilidade, e ela ainda iria responder por aquilo. Ela desdenhou. Porque existia algo que prevalecia. Existia, no grupo que governava o país, uma prioridade acima de qualquer outra: vencer as eleições.

E, por isso, se apoderaram do Estado nacional, com a sensação da impunidade, de estarem acima da lei. Pois bem: o tempo passou, e a resposta está aí. Foram os brasileiros, sim, que nas ruas disseram que esse governo não tinha mais legitimidade para nos governar, porque venceu as eleições com inverdades e com ilegalidades, e continuou governando cometendo crimes. Agora, é hora de nós olharmos para a frente. Termos generosidade para com os brasileiros, principalmente aqueles que menos têm. E pensarmos no dia de amanhã, no dia seguinte. O Brasil precisa de um conjunto de reformas estruturantes que demandarão, do próximo governo, coragem, ousadia e determinação.

Nós estaremos ao seu lado para construir no Brasil, a partir dessa nova agenda, um tempo de esperança, um tempo de confiança. Portanto, senhor presidente, senhoras e senhores senadores, não é um dia feliz para nenhum brasileiro, mas eu vou para minha casa nesta madrugada, presidente Lewandowski, absolutamente tranquilo, como um brasileiro que se dispôs a disputar as eleições, perdeu as eleições, aceitou, ao contrário do que dizem, sim o resultado das eleições, mas não que as ilegalidades continuassem a ser produzidas e patrocinadas por esse governo. Hoje, o Brasil pode dizer sim, temos democracia, sim, respeitamos a Constituição, e vamos punir quem não a respeitou.

O que vai ficar de todo esse episódio é um país mais forte, mais respeitado interna e internacionalmente, porque cumpriu a lei.

O que vai ficar de tudo isso é um país com esperança, um país que volta a acreditar no seu futuro, um país onde as pessoas de bem se reúnem, independente da sua convicção ideológica, dos credos que praticam, mas que acreditem que juntos nós somos capazes de superar esse tempo negro que vivemos nos últimos anos.

A minha palavra final é de agradecimento aos milhões e milhões de brasileiros que vêm nos acompanhando nessa jornada, e a eles, especialmente aos brasileiros, uma palavra de confiança e de esperança, vamos juntos e vamos permitir que o Brasil e os brasileiros escrevam uma nova história ética, honrada e competente, onde a verdade, a verdade e apenas ela, prevaleça na boca e na voz dos seus governantes.

PSDB - Comissão Nacional - Avenida L2 Sul, quadra 607,
Edifício Metrópolis, cobertura 2 - CEP 70200-670 - Brasília-DF
Fone: (0xx61) 3424-0500 - Fax: (0xx61) 3424-0515 - tucano@psdb.org.br
© Copyright 2012 - PSDB - Partido da Social Democracia Brasileira. Todos os direitos reservados.


Mais de 160 presos provisórios têm direito de votar no pleito de outubro
Graças à parceria entre a Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), 165 presos provisórios vão votar nas eleições municipais deste ano, a maioria pela primeira vez. São detentos dos centros de recuperação de Breves, Paragominas, Redenção e Tomé-Açu.
O voto é assegurado a detentos que cumprem pena em situação provisória, isto é, que não têm condenação criminal. A condição de encarcerado, porém, dificulta o processo pela falta de documentação e até mesmo o número mínimo de internos interessados. Para viabilizar a ação nos presídios do Estado, um termo de cooperação técnica foi firmado entre Susipe, TRE, Ministério Público Eleitoral (MPE), Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção Pará, e Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fasepa), já que jovens privados de liberdade também serão atendidos.
Para o superintendente da Susipe, André Cunha, a parceria garante a efetivação da cidadania ao encarcerado. “É muito importante poder implementar seções eleitorais em unidade prisionais, levando o exercício do voto para presos provisórios. É uma forma de exercer a cidadania”, diz.
Em maio deste ano, a Justiça Eleitoral do Pará fez, nas casas penais, alistamentos, revisão e transferência de títulos eleitorais. Presos provisórios que chegaram às prisões após o trabalho e estavam com a situação eleitoral em dia tiveram até o dia 29 de julho para transferir o título para a seção eleitoral especial que será instalada nos centros de detenção.
A Resolução nº 23.461/ 2015, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determina que essas seções só podem ser instaladas em unidades prisionais onde há o mínimo de 20 eleitores aptos a votar, e desde que esses centros de detenção ofereçam as condições adequadas de segurança. 
A Susipe fez o levantamento das casas penais que poderiam receber as seções eleitorais e facilitou a comunicação entre o TRE e a direção das unidades prisionais do interior do Estado. “Identificamos as unidades que têm presos com interesse em votar e também o espaço adequado para garantir o bom funcionamento das urnas e de todo o processo”, explica o diretor de Administração Penitenciária da Susipe, Willams Chagas.
Para o presidente do TRE-PA, desembargador Raimundo Holanda Reis, o direito ao voto é a garantia de cidadania aos detentos. “O TRE faz a sua parte, com a colaboração das instituições. Sabemos da árdua missão que temos para que, no dia 2 de outubro, estejamos prontos e possamos chegar a todos os lugares e levar a eleição ao sistema penitenciário”, afirma.

Texto:
Timoteo Lopes


Entrevista coletiva - presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves - Brasília - 30-08-16


Assuntos: votação impeachment, Senado Federal, day after, governo Temer.

Sobre declarações dos senadores
O que assistimos nos estertores deste processo, na verdade é uma certa inversão de valores. Já compreendendo que a presidente será afastada no dia de amanhã pelos crimes cometidos, busca a base que ainda resiste ao seu lado - e eu a saúdo por isso, um gesto de lealdade é sempre um gesto nobre-, mas invertem totalmente os valores. Não podendo combater os argumentos do relatório do senador Anastasia, atacam o senador Anastasia.

Não tendo argumentos para combater ou para, de alguma forma desmontar o relatório e as argumentações do procurador Júlio Marcelo, atacam o procurador, representam contra o procurador. Não tendo a coragem - e não teve ontem, infelizmente - a presidente para assumir os seus erros, os gravíssimos crimes cometidos, ataca a oposição. Como se fosse a oposição a responsável pela desestabilização do seu governo.

Ontem, o Brasil perdeu uma oportunidade de ver a presidente da República reconhecendo os seus erros e, quem sabe, permitindo ao seu partido um discurso diferente no dia seguinte. Para nós, a preocupação maior já não é mais esse processo. Ele será decidido pelo afastamento da presidente da República pela gravidade dos crimes cometidos. Agora nossa grande preocupação é o dia seguinte.

O Brasil precisa readquirir a capacidade de crescer, de voltar a gerar empregos e, sobretudo, esperança para as pessoas. Portanto a estabilidade política é essencial. E para isso também é fundamental que as relações políticas se mantenham no limite do aceitável. O bom combate sempre é bem vindo, mas é preciso que haja respeito, sobretudo a essa Casa. Fala-se muito dos votos obtidos pela presidente da República - 54 milhões de votos. Eu tive 51 milhões de votos. Mas o voto não é um salvo-conduto que permite a quem os recebeu cometer crimes e ficar impune.

A grande lição que sairá de todo esse processo é de que no Brasil qualquer cidadão, em especial o presidente da República, está obrigado a cumprir a lei. Isso é que é essencial. E é para isso que estamos aqui. Para cumprir a Constituição, virar essa página e permitir que o Brasil volte a se encontrar com o seu futuro. 

Essas representações podem ter algum impacto concreto no processo de impeachment? 

É muito importante que essa Casa, primeiro, se respeite. Em relação a essas representações, nada (de concreto). É um factoide como tantos outros que foram feitos até aqui. Fala-se muito, como eu disse, nos votos. Apenas os senadores que na última votação, os 59 que votaram favoravelmente à admissibilidade do processo de impeachment da presidente da República, somados, representam cerca de 115 milhões de votos.

Portanto, o que está sendo decidido aqui é algo que respeita na plenitude a democracia. Aqueles que estão aqui se manifestando têm legitimidade para fazê-lo. Eu respeito aqueles que defendem a presidente da República, mas é preciso que haja respeito àqueles que pensam diferentemente, e que acham que a Lei nesse país é para ser cumprida por todos. 

Como fica o PSDB no governo atual? No day after, com o aumento dos ministros do STF.

Temos uma agenda dura pela frente e temos que ter coragem para enfrentá-la, em especial o governo, que, na minha avaliação, deverá assumir após a votação de amanhã. Essa agenda não comporta dúvidas, muito menos ambiguidades. O que tenho ouvido do vice-presidente, hoje presidente interino Michel Temer, é a sua compreensão de que para livrar o Brasil da catástrofe que foi a gestão do PT, medidas estruturantes terão que ser encaminhadas, inclusive várias delas ainda esse ano.

Na avaliação do PSDB, não é mais hora de novos gastos. É hora, ao contrário, de reduzir o peso do Estado e termos políticas públicas melhor qualificadas, mas sobretudo, sinalizar para o futuro de que queremos o equilíbrio das contas públicas e ater o equilíbrio da própria Presidência. 

O presidente sim, mas na bancada do PMDB isso já está sendo conversado? 

Temos conversado. Essa é a posição do PSDB, não posso falar pela bancada do PMDB, mas eu espero que o day after seja um momento novo desse governo, onde não haja mais ambiguidades. 

É importante o presidente Temer se posicionar contra o aumento salarial do STF? 

Esperamos que ele faça isso, é a nossa expectativa.

PSDB - Comissão Nacional - Avenida L2 Sul, quadra 607,
Edifício Metrópolis, cobertura 2 - CEP 70200-670 - Brasília-DF
Fone: (0xx61) 3424-0500 - Fax: (0xx61) 3424-0515 - tucano@psdb.org.br
© Copyright 2012 - PSDB - Partido da Social Democracia Brasileira. Todos os direitos reservados.




Elenco e equipe técnica de 'Turandot' são apresentados em coletiva
Antes mesmo da estreia, marcada para o dia 21 de setembro, às 20h, a ópera “Turandot”, de Giacomo Puccini, próxima atração do XV Festival de Ópera do Theatro da Paz, já tem uma caraterística marcante: está repleta de paraenses nos papeis principal. Nomes como Andrey Mira (baixo barítono), Antônio Wilson (tenor), Idaías Souto (baixo) e Andrew Lima (tenor) e as sopranos Lanna Bastos e Juliane Lins são destaque no espetáculo, que terá ainda Eliane Coelho, considerada a maior soprano brasileira na atualidade, Richard Bauer, os solistas do Teatro Municipal de São Paulo, Sávio Sperandio (baixo), Homero Velho (barítono) e Giovanni Tristacci (tenor), além do tenor Mauro Wrona.

A ópera narra a história do príncipe Calaf (o tenor Richard Bauer), da princesa Turandot, filha do imperador (a soprano Eliane Coelho) e da escrava Liú (as sopranos paraenses Luciana Tavares e Kézia Andrade). A princesa, por vingança por terem matado uma de suas ancestrais, não quer saber de se apaixonar e propõe que aquele que desejar desposá-la deverá responder a três enigmas. Aqueles que não adivinharem terão as cabeças cortadas.

O elenco foi apresentado nesta terça-feira (30), durante entrevista coletiva no Theatro da Paz, da qual fez parte a equipe do cenógrafo Roni Hirsch. O cenário de “Turandot” será baseado no tangram, jogo lúdico de montar chinês, composto de sete partes, que juntas formam inúmeras figuras. “Vamos ter uma espécie de cortina formada pelas cabeças que foram cortadas a mando da princesa Turandot. Elas são feitas em miriti”, explicou o cenógrafo, ao mostrar a maquete da ópera. Os figurinos são assinados pelo uruguaio Adán Martinez, o visagismo é do paraense André Ramos e a preparação do Coro Infanto Juvenil ficou por conta de Lys Nardoto.

O diretor cênico da ópera, Caetano Vilela, ressaltou que “Turandot” é um espetáculo grandioso, típico dos grandes teatros de óperas do mundo. Em alguns momentos, contará com cerca de 130 a 140 pessoas somente no palco. “’Navio Fantasma’ e ‘Mephistófolis’, que dirigi aqui, também são óperas grandiosas, um desafio para a direção, pela quantidade de pessoas, mas no ‘Turandot’ isso fica bem evidente, porque as pessoas vão estar todas divididas em castas no palco”, antecipou.

A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP), que este ano completa 20 anos de fundação, integra o espetáculo, acrescida de mais 20 músicos paraenses, levando o conjunto todo a quase 90 integrantes, sob a regência do maestro titular, Miguel Campos Neto, enquanto o Coro Lírico do Festival de Ópera do Theatro da Paz está sendo preparado por Vanildo Monteiro.

Programação – A ópera “Turandot” será apresentada nos dias 21, 23, 25 de 27 de setembro, sempre às 20h, no Theatro da Paz. Os ingressos começam a ser vendidos na quinta-feira (1º de setembro), a partir das 9h, na bilheteria do teatro. Antes da apresentação da ópera de Puccinni, no dia 3 de setembro, às 17h, o diretor cênico Caetano Vilela fará uma palestra sobre direção, aberta ao público. No dia 20, às 19h, haverá a palestra “Turandot – A Última Ópera de Puccini”, com o coordenador artístico do festival, Gilberto Chaves.

No dia 27 de setembro, junto com a última récita de “Turandot”, haverá o lançamento da obra biográfica “Carlos Gomes, Sou e Sempre Serei: O Tonico de Campinas”, do historiador campinense Jorge Alves de Lima, em quatro volumes, que vão resgatar em definitivo o artista. O lançamento será às 19h, no hall de entrada do Theatro da Paz, com a presença do autor. O festival lança também os DVDs com as óperas “Mefistófele” e “Othelo”, que foram encenadas em 2014. O Festival de Ópera do Theatro da Paz é promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult).

Serviço: Ópera “Turandot”. Valores dos ingressos: R$ 80 (plateia, varanda, frisa e camarote de 1ª), R$ 40 (camarote de 2ª) R$ 20 (galeria) e R$ 10 (paraíso). Venda de ingressos somente a partir de quinta, 1º de setembro, na bilheteria do Theatro da Paz.

Texto:
Alexandra Cavalcanti


Aprovada Semana da Libertação dos Escravos na Amazônia
A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) aprovou, nesta terça-feira (30/08), um Projeto de Lei Ordinária nº 99/2016, que institui no calendário histórico, cultural e turístico do Pará a Semana da Libertação dos Escravos na Amazônia...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Avelina Castro


Projeto Mundiar faz encontro com 100 gestores de escolas públicas
O professor doutor em Avaliação Cipriano Luckesi proferiu palestra nesta terça-feira (30) no encontro que reuniu cerca de 100 gestores de escolas públicas do polo Castanhal inseridas no Projeto Mundiar, da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). “Fui reprovado por quatro vezes até que, aos 14 anos de idade, um professor unidocente de português do Mundiar mudou para sempre minha vida”, disse. O projeto, que tem apoio da Fundação Roberto Marinho, objetiva corrigir a distorção idade-ano entre estudantes do ensino fundamental e médio no Pará, usando a tecnologia de telessala como forma de “encantamento” dos jovens. Mais de 34 mil estudantes paraenses já foram atendidos.
Bacharel em Teologia pela Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Luckesi é autor de referência nacional para professores que buscam transformar a vida de pessoas com a educação. “Quando aquele professor de Português me ensinou a ler e escrever, usando a metodologia do positivismo, que sempre me pedia para reescrever, dizendo que ficou boa a redação, mas que poderia ficar melhor, chegava a escrever dez vezes sobre o assunto, mas muito feliz. Passei a aplicar esse conhecimento em todas as outras áreas do aprendizado e nunca mais repeti uma série”, contou.
A experiência de apaixonar-se pelo aprendizado também foi vivida pela estudante Layse Santos, 20, que contou sua experiência em sala de aula como aluno do Mundiar. “Eu já havia repetido série por três anos no ensino fundamental. Minha maior adversária no aprendizado era a timidez excessiva, que me bloqueava. Estranhei no início a metodologia, pois tínhamos o tempo todo de apresentar trabalho para a turma, interagindo com os colegas, mas minha professora mudou minha vida, quando com muita dedicação mostrou que tudo poderia ser diferente. Hoje me sinto preparada para fazer o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e ser uma professora de História no futuro”, disse.
Integração – Segundo o coordenador estadual do Mundiar, Marcos Lopes, o evento cumpriu o objetivo de fortalecer a parceria pedagógica entre a Seduc e os gestores escolares, estabelecendo vínculos relacionais e de comunicação favoráveis ao bom funcionamento do projeto. “Promovemos um espaço de diálogo sobre o projeto, fortalecendo a importância de o gestor conhecer a metodologia telessala e apoio às ações nas unidades escolares, além de assegurar a compreensão da estrutura e funcionamento do trabalho visando garantir integração entre gestores e demais atores do ambiente escolar”, detalhou.
A diretora Claudinete Santos, da Escola Mestre Lucindo, de Capanema, disse que a metodologia do Mundiar reduziu o abandono aos estudos na unidade escolar. “Vamos formar este ano três turmas, quase 100 alunos no ensino médio e fundamental, e a tendência é aumentar o número de turmas, pois é uma forma de aprendizado que realmente prende a atenção do aluno. Ele se torna muito mais dedicado aos estudos”, frisou.
O encontro também possibilitou a compreensão da metodologia telessala e dos pressupostos que embasam ou processo avaliativo por meio de interfaces de informação. Participaram do evento gestores que fazem parte das Unidades Regionais de Educação (UREs) 1, 8, 9, 14, 17 e 18.

Texto:
Kátia Aguiar


Pará pode ganhar Comenda do Mérito do Agronegócio
O deputado Sidney Rosa apresentou, na sessão ordinária desta terça-feira (30/08), o Projeto de Resolução que cria a Comenda do Mérito do Agronegócio do Estado do Pará...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Andreza Batalha


Pro Paz emite documentos no Distrito Industrial em Ananindeua
A Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) do Distrito Industrial, em Ananindeua, região metropolitana de Belém, promove ação de cidadania até quarta-feira (31), com atendimento de 8h ao meio-dia. Entre os serviços oferecidos gratuitamente estão emissão da carteira de trabalho e de certidão de nascimento e atendimento jurídico. Somente nesta terça-feira (30) foram emitidas 55 carteiras de trabalho e 17 certidões de nascimento.
A dona de casa Dulce Maria, 46 anos, foi até a UIPP para tirar a carteira de trabalho para o filho Paulo Victor, 14 anos. Para ela, a ação do Pro Paz é importante, principalmente, por conta da facilidade de conseguir documentos. “Já tentei tirar essa carteira várias vezes e não consegui. São poucas senhas e muita burocracia”, disse. “Agora vou esperar pela próxima ação do Pro Paz para mudar a minha carteira de identidade”.
Para Sirlene Araújo, 44 anos, a ação do Pro Paz leva benefícios para a comunidade. “Em muitas coisas as dificuldades são enormes para emitir um documento, e com uma ação dessa a população agradece. Trouxe o meu filho para tirar a carteira de trabalho dele, até porque ter o documento em mãos é um incentivo para procurar trabalho”, explicou.
O coordenador do Pro Paz Cidadania, Delkson Roberto, disse que a Central de Abastecimento do Pará (Ceasa) vai receber uma ação emergencial na próxima quinta-feira (1 de setembro). “Os trabalhadores da Ceasa estão precisando urgente de documentação, por isso o Pro Paz vai levar ao local a ação de cidadania”, explica.
As próximas ações do Pro Paz Cidadania serão no dia 17 de setembro, no Batalhão da Polícia Militar; entre os dias 26 e 29, na UIPP do Distrito; e no dia 27, na Igreja Batista de Ananindeua.

Texto:
Nathalia Petta


Poder Legislativo e Ministério Público do Pará lançam "Guia aos eleitores"
A Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPE) lançaram nesta terça-feira (30/08), durante Sessão Ordinária, o “Guia aos eleitores – perguntas e respostas sobre as eleições municipais de 2016”...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Andreza Batalha


Alepa e Segurança Pública vão discutir violência crescente contra policiais
O presidente da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), deputado Márcio Miranda, articulou com o Governo do Estado uma reunião com  o Sistema de Segurança Pública e Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Pará (ACSPMBM)...

Leia o texto completo no site. Clique aqui.

Texto:
Andreza Batalha


Sespa celebra 10 anos do CAPS Marajoara
Uma extensa programação está comemorando os 10 anos de existência do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPS) Marajoara, vinculado à Secretaria de Estado de Saúde Pública. Como parte do calendário, será realizado a partir desta quarta-feira (31) até o dia 1º de setembro o seminário “Discutindo práticas de cuidado em álcool e outras drogas no Estado do Pará”, no auditório do Fórum Cível, no bairro da Cidade Velha, em Belém.
A comemoração de aniversário do CAPS começou na última segunda-feira (29) com uma programação interna voltada para usuários e seus familiares. Com o apoio de uma equipe multiprofissional, o CAPS Marajoara funciona 24 horas por dia e dispõe de doze leitos de observação e internação para desintoxicação e repouso para um período de até 14 dias no sistema de acolhimento noturno, além de serviços de assistência terapêutica, avaliação nutricional, visitas domiciliares, atividades educativas e recreativas - como oficinas, palestras, grupos de apoio, entre outros - para o período diurno. A instituição conta ainda com 115 profissionais, porém voluntários também atuam colaborando com o atendimento e acolhimento dos usuários nos grupos de apoio.
Inaugurado em 29 de agosto de 2006, ainda sob o nome de Centro de Cuidados a Dependentes Químicos (CCDQ), o Centro foi o primeiro da região Norte a oferecer internação aos usuários de álcool e outras drogas. Em 2012 foi habilitado junto ao Ministério da Saúde como CAPS AD III (24h). “Hoje, oferece acolhimento diurno e noturno e atua na formação acadêmica e profissional na área da saúde”, assinala a coordenadora do serviço, Marilda Fernandes. “A comemoração do aniversário ressalta a importância do serviço para a comunidade e será celebrada com uma programação cultural e científica, com a participação dos usuários, familiares, profissionais de saúde, ensino, pesquisa e extensão, além de músicos e outros artistas locais”, completa.
No decorrer do seminário serão discutidos temas como “A Política de Cuidado Integral ao Usuário de álcool e outras drogas”, “Estratégias do Cuidado e Práticas de Redução de Danos” e “Problematização das questões legais sobre Drogas”. Além de membros da Coordenação Estadual de Saúde Mental, estarão debatendo profissionais do Ministério da Saúde, da Secretaria Nacional sobre Drogas e outros órgãos engajados nas experiências acumuladas ao lado dos dez anos da Unidade.
Além do seminário, outro momento festivo será o show “Amor à vida”, que será realizado no dia 13 de setembro, no teatro Margarida Schivasappa, do Centur, às 19 horas. Com artistas do CAPS, o roteiro do espetáculo incluirá música, teatro e poesia. Para tanto, será cobrado o valor simbólico de R$ 10 por ingresso que será investido na realização de projetos de capacitação e geração de renda dos usuários do serviço. Os ingressos poderão ser adquiridos antecipadamente no CAPS Marajoara, na Coordenação Estadual de Saúde Mental e no dia do evento na bilheteria do teatro.
Serviço: O CAPS Marajoara está situado no Conjunto Cohab Gleba I, WE 2, Nº 451, em frente à Seccional da Marambaia. Fone: 3231-4443.

Texto:
Mozart Lira


Equipe de Governança discute implementação das ações do Pará 2030
O SIDESS - Sistema de Desenvolvimento Econômico, Social e Sustentável - do Pará 2030 teve na última segunda-feira (29) sua primeira reunião oficial com a presença dos 15 dirigentes de secretarias e órgãos estaduais, para discutir as ações de implementação do Planejamento Estratégico, que tem metas e prazos precisos até 31 de dezembro de 2018, data que encerra o mandato do governador Simão Jatene.
Cada um dos dirigentes recebeu cópias dos acordos de resultados, firmados em 29 de junho passado junto ao governador por ocasião do lançamento do Pará 2030. O compromisso é seguir à risca o planejamento. Eles escolheram os nomes que vão compor os Grupos de Trabalho (GT) de fomento às 13 cadeias produtivas priorizadas pelo projeto. O encontro avançou pela tarde de ontem no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá), cuja gestão conta com recursos do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet).
Antes da reunião liderada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Adnan Demachki, os dirigentes realizaram uma espécie de tour no PCT conhecendo os processos de engenharia aplicados à pesquisa tecnológica a serviço do setor produtivo na Amazônia. O Parque conta com laboratórios modernos e tem parcerias com empresas locais e nacionais para o trabalho com foco no empreendedorismo inovador e na transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos. O PCT será um instrumento para disponibilizar ciência e tecnologia às cadeias econômicas do Pará 2030.
Após a visita ao PCT, os integrantes do SIDESS conheceram as iniciativas do presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Estado do Pará (Codec), Olavo das Neves, em prol da atração de investimentos e novos negócios para economia paraense. Em seguida, foi a vez do presidente do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Daniel Lopes mostrar o que o órgão vem fazendo para acelerar o processo de regularização fundiária.
"O tema da regularização fundiária é transversal. A fim de aumentar a área titulada com segurança para a expansão de projetos produtivos, o Iterpa investe em maior tecnologia, moderniza suas rotinas internas e em breve ganhará nova sede, para atender melhor suas necessidades", observou o titular do Iterpa. A Codec também terá nova sede na avenida Dr. Moraes, no bairro de Nazaré.
A próxima reunião oficial do Sistema de Desenvolvimento Econômico, Social e Sustentável será em outubro. Na pauta, a palestra ''O Pará Profissional no contexto do Pará 2030'', do secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet), Alex Fiúza de Melo. Além de Adnan Demachki, Alex Fiúza, Olavo das Neves e Daniel Lopes, participaram do encontro, os secretários e dirigentes da Sedap, Setur, Fapespa, Ideflor, Programa Municípios Verdes (PMV), Seaster, Secom, Seips, Setran, Semas e Seplan.

Texto:
Valéria Nascimento


Exposição "Detalhes da Fé" é inaugurada na Prodepa
Com 34 anos de profissão, o fotógrafo Adenaldo Gomes realiza pela primeira vez uma exposição itinerante. “Detalhes da Fé” foi apresentada pela primeira vez, na manhã desta terça-feira, 30, durante a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré à sede da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa). As 75 fotos foram dispostas pelo percurso que a imagem peregrina fez dentro da Empresa. As imagens, registradas durante a procissão do Círio 2015, fazem parte de um acervo com 160 fotos selecionadas entre os mais de 1400 registros feitos pelo fotógrafo.
Aden Gomes, como é conhecido, é natural de Benevides, município da região metropolitana de Belém. Fotógrafo de eventos, somente há algum tempo ele resolveu se dedicar à fotografia artística. Independente, Aden se utiliza do que chama de autopatrocínio. Ele escolheu a Prodepa para mostrar a exposição inédita, por ter prestado serviço na empresa por mais de 20 anos. xParte do acervo de imagens do órgão foi registrado por ele.
Após esta primeira mostra, o fotógrafo pretende realizar outras dentro do Pará até o final do ano, e a partir de 2017 viajar pelo País com a exposição itinerante, percorrendo espaços públicos de grande circulação de pessoas, como a Praça da Sé em São Paulo, por exemplo.

Texto:
Nátia Machado


Retificação: Setur e Dieese divulgam números do Círio e bandeira da Romaria Fluvial
PS: Favor corrigir o local escolhido para a divulgação da pesquisa.
O número de turistas que vem a Belém por ocasião do Círio de Nazaré, a receita gerada pela festividade, o perfil deste visitante, os meios de hospedagem e transportes utilizados, entre outros dados, serão apresentados para a imprensa, membros do trade de turismo e sociedade em geral, durante a divulgação da Pesquisa de Demanda Turística do Círio de Nazaré, na manhã desta quinta-feira (1º), às 9 horas, na Sala Belém, do Hangar Convenções e Feiras da Amazônia.
O trabalho de levantamento estatístico é realizado, anualmente, pela Secretaria de Estado de Turismo (Setur) em parceria com o Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Socioeconômicos (Dieese-PA).
O relatório mostra o número de turistas que vieram ao Pará por conta da festividade religiosa, quanto esse turista injeta na economia paraense, qual a sua proveniência ou destino de origem, ocupação profissional, faixa de renda, onde preferencialmente se hospeda, o meio de transporte mais utiliza, como obtém informações do evento, entre outros dados relevantes para o conhecimento da festa e do Círio como evento cultural, religioso e principal produto de atração turística do Pará.
Bandeira e Agenda - Na ocasião, também será apresentada a bandeira de identificação das embarcações que participarão do Concurso de Embarcações da Romaria Fluvial. O item será entregue pela Setur e Capitania dos Portos para as embarcações que se inscreverem.
Por fim, também será divulgada a Agenda de Turismo do Círio 2016, com datas de treinamento de voluntários, receptivos aos turistas nos principais portões de entrada, exposições, funcionamento de espaços públicos, press trip com jornalistas de fora do estado, entre outras ações.
O trabalho envolveu diversas instituições parceiras, como a Diretoria da Festa de Nazaré, Espaço São José Liberto, Igama, OS Pará 2000, Pastoral do Turismo (Pastur), Secretaria de Estado de Cultura (Secult)/Sistema Integrado de Museus (SIM), Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Coordenadoria Municipal de Turismo de Belém (Belemtur), Infraero, Sinart, Companhia de Portos e Hidrovias (CPH), Capitania dos Portos, Companhia Independente de Policiamento Turístico do Pará (Ciptur/PM), Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa), Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran), Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema), prefeituras de Marituba e Ananindeua.

Texto:
Israel Pegado


Feira da Beira reúne diversas linguagens artísticas às margens do Rio Guamá
O cenário é a Baía do Guajará e as energias da Lua Nova vão receber o público que vai participar da Feira da Beira nesta sexta-feira, 2 de setembro, a partir das 17h.
A “Feira da Beira”, tradicional programação promovida pela Fundação Cultural do Pará (FCP), por meio das Oficinas Curro Velho, é realizada desde o início da década de 1990, promovendo continuamente a mostra dos resultados de trabalhos produzidos nas Oficinas Curro Velho e de produções culturais independentes. “Uma atmosfera de convívio, troca de ideias, valores, expressão e representação estética do acontecimento em arte”, ressalta o diretor de Interação Cultural da FCP, Walter Figueiredo.
A programação começa às 17h com a Mostra das Oficinas de violão, teclado e canto popular. Na sequência, o público vai conhecer um pouco das vivências de Carimbó dentro do espaço Curro Velho. Em todo o prédio será possível conferir a Exposição de Artes Visuais, com o resultado das Oficinas Curro Velho, além da tão esperada feirinha de produtos artístico-culturais.
Nas artes cênicas, a programação apresenta “Os 7 desafios de João”, espetáculo de iniciação artística encenado pelos participantes das oficinas de teatro. Na mesma linguagem, o Projeto Camapu exibe a peça “Borbô, o Espetáculo da Transformação”, teatro de marionetes que aborda o tema da mutação natural, da transformação da lagarta em borboleta.
Na música, o show do projeto Pará-Caribe e Quarteto K-Ximbinho, vai expor o resultado dos laboratórios de criação musical. O projeto consiste na troca de experiência com os ritmos paraenses e caribenhos, onde se tem o foco na criação, criatividade e em um fazer musical intenso. O trabalho foca num repertório autoral e oferece aprendizado em contrabaixo, banjo, instrumentos de sopro, percussão e canto, destinado a músicos profissionais e estudantes de música.
Um dos momentos mais esperados do evento é o Desfile de Figurinos - Design e Estampa com Técnica de Gravura em Tecido “Estética da Sedução”, que vai apresentar os trabalhos desenvolvidos durante as oficinas de gravura em tecido, ministradas pela artista e professora Carla Beltrão.
CD
Ainda na programação musical a Feira será o palco do Pré-Lançamento do CD Nego Jó e banda “E Aí Negão?”, um momento especial onde o público vai conhecer um pouco do balanço e do swing dessa banda autoral que traz “letras simples em melodias dançantes”, como detalha o próprio artista.  “É um trabalho pop, com muito reggae, rock, ska e black music. É para quem gosta de dançar”, diz Nego Jó. A banda é forma por Thiago Belém (bateria); Augusto “Babu” Castro (baixo) e Nego Jó (teclado e trombone).
Sobre o projeto Feira da Beira, Nego Jó, que já foi instrutor de teclado nas oficinas Curro Velho, diz que o momento é uma oportunidade para a comunidade do entorno, menos favorecida pelas programações culturais da cidade, conhecer um pouco do que é a produção cultural do Curro Velho. “É um momento de miscigenação cultural e integração das artes que fazem esse circuito”, diz.
Música caribenha, carimbó, guitarrada, merengue, lambada e um pouco de MPB. É o projeto Pedrinho Callado e Coletivo Carimbada, que encerra a noite, reunindo diversos artistas de expressão regional. “São ritmos que traduzem a cultura paraense, numa verdadeira 'policromia musical'. E tem tudo a ver com a Feira da Beira, um projeto que congrega várias possibilidades, de expressão da identidade, linguagem artística e economia da cultura. A Feira agrega e expande. O público que vai pelo artesanato, conhece a música e vice-versa”, destaca  Pedrinho Callado.
Programação
17h – Mostra das Oficinas de Violão, Canto Popular e Teclado
18h – Resultado de Vivências de Carimbó
18h30 – Os 7 Desafios de João – EspetáculoTeatral de Iniciação Artística
18h30 – Estética da Sedução - Desfile de Figurinos. Design e Estampa com Técnica de Gravura em Tecido
19h – Show Pará-Caribe e o Quarteto K-Ximbinho. Resultado dos laboratórios de criação musical
20h - Borbô, o Espetáculo da Transformação – Teatro de Marionetes – Projeto Camapu
21h30 – Pré-Lançamento do CD Nego Jó e Banda E Aí Negão?
22h30 - Show de Pedrinho Callado e Coletivo Carimbada
Entrada Franca
*Colaboração: Danielle Ferreira, jornalista

Texto:
Andreza Gomes


Show tributo celebra 75 anos de Walter Bandeira
O cantor Walter Bandeira será lembrado nesta quarta-feira (31) com um grande show em homenagem ao artista que, se vivo fosse, estaria completando 75 anos. O show tributo faz parte da série de eventos que foram programados pelo ‘Projeto Walter 75’, idealizado pela arqueóloga Edithe Pereira, amiga pessoal de Walter, para celebrar a grande voz da Amazônia. O Tributo vai reunir mais de 20 artistas, entre cantores e instrumentistas, que fizeram parte da trajetória musical do cantor, além de jovens artistas que tem Walter Bandeira como uma inspiração musical.
As cantoras convidadas são Andrea Pinheiro, Lucinha Bastos, Nana Reis e Natalia Matos. O time de artistas que farão o tributo tem ainda os cantores Adilson Alcântara, Marcoh Monteiro, Eloy Iglesias, Hélio Rubens, Pedrinho Cavalero, Olivar Barreto, Maca Maneschy e a participação especial do pianista Paulo José Campos de Melo nas músicas ‘Jura Secreta’ (Abel Silva e Suely Costa) e ‘Fulgor’ (Pedrinho Cavalero e Jorge Andrade). 
O show tributo será realizado no teatro Margarida Schivasappa (Centur), às 20h. Os ingressos estão sendo vendidos ao preço de 40 reais, se comprados antecipadamente, e 50 reais na hora do show. Estudantes pagam meia entrada.
A direção musical do espetáculo é do contrabaixista Adelbert Carneiro, que acompanhou todo esse movimento musical do qual Walter Bandeira fez parte, embora na época fosse um jovem músico iniciante. Contudo, ele lembra que teve contato com vários artistas que marcaram a cena musical paraense nos anos 80 e 90 e que fazem parte do show. "A proposta é relembrar um tempo áureo de Belém, do Grupo Gema e do próprio Walter Bandeira, uma época de grande efervescência e qualidade musical’, lembra.
O repertório escolhido para o show foi baseado em uma pesquisa feita pelo professor Advaldo Castro, quando foi bolsista do antigo Instituto de Artes do Pará, hoje Casa das Artes, e conta a trajetória do Gema, grupo de música instrumental que acompanhou Walter Bandeira. A pesquisa vai virar um livro que será publicado pela Imprensa Oficial do Estado (IOE) com lançamento previsto para novembro deste ano.
De acordo com Adelbert Carneiro, foram escolhidas músicas mais cantadas e que ficaram marcadas na voz de Walter. “'Geni’ e ‘New York, New York’ estão no repertório porque são a cara dele.”
Da nova geração de interpretes, o show terá a participação da cantora Nanna Reis, que escolheu para a homenagem a música ‘13º andar’, uma das últimas composições gravadas e de autoria de Walter. 
A Banda que acompanhará os interpretes no palco do teatro Margarida Schivasappa é formada pelos músicos do Gema, formado por Joao bererê (bateria), Dadadá (percussão), Adelbert Carneiro (baixo), Jacinto kawage, Nego Nelson (violão) e Bob Freitas (guitarra). Haverá ainda participações especiais de instrumentistas que em algum momento integraram o Grupo Gema como Sagica (bateria), Calibre (baixo) e Pardal (harmônica e violino).
Para Adelbert Carneirol, será um momento para festejar a música paraense de boa qualidade. "Tocar com esses músicos é um grande prazer para mim. É uma satisfação enorme dividir o palco com músicos de tão alto nível técnico. É um som que permanece vivo até hoje e que faz parte da história da música paraense’, comenta.
O percussionista Paulinho Assunção, responsável pela produção musical do show, garante que o público vai se emocionar e que estão reservadas algumas surpresas. "Vai ser um momento de relembrar essa grande personalidade que era o Walter, uma pessoa que era muito querida por todos. Vai ser uma festa em homenagem não apenas ao artista, mas à pessoa ímpar que ele foi, o que ele significou para todos nós."
A comemoração será com muita música, como ele gostava, mas não na intimidade. "Ele era alheio a fazer festa nesse dia e gostava de ficar em casa. Dizia logo que não estava para ninguém. Costumava comemorar o aniversário em casa com a família", lembra Simone Bandeira. Desta vez a festa vai ser com direito a amigos, canções que tanto marcaram a trajetória do artista, fãs e fortes emoções.
WALTER 75 - O Show Tributo para celebrar Walter Bandeira faz parte do Projeto Walter 75, que prevê uma série de eventos comemorativos pela data de nascimento do cantor. O Projeto tem apoio cultural da Universidade Federal do Pará - por meio do Museu da UFPA e Oficina de Criação (FACOM/UFPA) -, Governo do Pará - via Fundação Carlos Gomes, TV, Rádio e Portal Cultura, Imprensa Oficial do Estado (IOE) -, Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) e RR Pneus.
Serviço: Show Tributo "Walter 75". Dia 31, às 20h, no Theatro Margarida Schivasappa (Centur). Ingressos: R$ 40, 00 (antecipado) / R$ 50, 00 (na bilheteria, na hora do show) / Meia entrada para estudantes.

Texto:
Rosa Cardoso


Parque Estadual do Charapucu tem Conselho Gestor renovado
A equipe do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Pará (Ideflor-Bio) visitou as comunidades do interior e do entorno do Parque Estadual do Charapucu (PEC), para a escolha e aprovação do novo Conselho Gestor da área. Foram escolhidos 12 membros governamentais e 12 membros não-governamentais, que terão o papel de promover e facilitar o diálogo entre a sociedade e a gestão da Unidade de Conservação. Os membros foram indicados legitimamente e iniciarão os trabalhos em setembro deste ano.
O Parque Estadual do Charapucu é uma Unidade de Proteção Integral, de 65.181,94 hectares, de gestão do Ideflor-bio, que localiza-se no município de Afuá, no Arquipélago do Marajó, conhecido por seus moradores como “Veneza da Ilha do Marajó”, por apresentar diversos canais e palafitas. As principais atividades da população local são a pesca, extração vegetal e agricultura.

Texto:
Denise Silva


Cosanpa cancela manutenção de rede de esgoto na Gentil Bittencourt
A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) informa que a manutenção programada para esta quarta-feira (31), para substituir parte da rede coletora de esgoto da Avenida Gentil Bittencourt, foi cancelada em razão da não autorização, por parte da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) para a interdição da via. A Cosanpa está negociando junto ao órgão municipal de trânsito uma nova data para realizar a manutenção.

Texto:
Andrea Cunha


Desfile escolar levará mais de 60 mil alunos às ruas de Belém
Mais de 60 mil alunos de 200 escolas devem ir às ruas nos desfiles da Semana da Pátria deste ano. As bandas escolares que chamam a atenção do público, por conta do ritmo, animação e alegria, possuem uma rotina intensa de ensaios meses antes dos desfiles nos bairros, que começam nesta terça-feira, 30, pelo distrito de Icoaraci. As bandas das escolas Avertano Rocha, Teodora Bentes e Frei Daniel já estão afinadas para uma grande semana de apresentações.
A banda da Escola Avertano Rocha, localizada em Icoaraci, é uma das mais tradicionais de Belém e possui um currículo muito extenso e de sucesso que representa os seus mais de 30 anos de existência. O grupo chegou a parar por 20 anos, voltou à ativa em 2006, em 2009 foi campeão na categoria fanfarra e em 2010 campeão Norte e Nordeste na categoria Fanfarra. Em 2010 a banda se torna musical e em 2015 se consagra vice-campeã estadual na categoria.
A banda atualmente possui 63 integrantes, formada por estudantes, ex-estudantes e pessoas da comunidade. “A banda é muito forte e sempre está se renovando, mesmo enfrentando momentos difíceis se manteve de pé. A música é um importante instrumento para tirar os jovens da rua, ajuda a transformar vidas e queremos que esses jovens levem esses ensinamentos adiante”, destacou Dennison Souza, um dos regentes.
O estudante Rafael Carvalho, que toca clarinete, disse que a música é uma de suas paixões e que pretende fazer faculdade em Música. “A música é muito importante para mim, inspira minha vida, pretendo me profissionalizar na área. Me sinto realizado na música e participar de uma banda tão linda como a da Avertano é muita honra”.
A Escola Estadual Teodora Bentes, também de Icoaraci, começou com a banda de fanfarra em 2008, em 2010 se tornou musical, conquistando o 3º e 2º lugar no paraense de bandas musicais, hoje continua em destaque entre as bandas escolares e possui 45 integrantes.
A banda da Escola Estadual Frei Daniel, localizada no bairro do Guamá, já desenvolve suas atividades há sete anos e os integrantes estão animados e concentrados para os desfiles. Além de participar do desfile da sua escola, o grupo vai acompanhar outras instituições de ensino na semana da pátria, com um repertório variado.
Adriel Nascimento, um dos regentes da banda, fala da preparação para o desfile. “Vamos fazer um bom desfile, estamos com ensaios intensos há dois meses. Todos os integrantes estão participando com muito empenho e dedicação, dando o melhor de si e fazendo de tudo para representar bem a escola”.
“Estou muito feliz em participar da banda, é o meu primeiro desfile e tenho certeza que a escola vai fazer uma ótima participação”, disse Jhonatan Santos, aluno do Ensino Médio da Frei Daniel. A banda, além de ser composta por estudantes da escola, dá oportunidade para pessoas da comunidade fazerem parte do grupo, numa perspectiva inclusiva e social, como é o caso de Nazareno Almeida da Silva, o qual possui síndrome de Down e já participa há algum tempo.
O desfile nos bairros iniciou em 2013, sendo que cada Unidade Seduc na Escola (USE) organiza seus próprios desfiles nos seus respectivos bairros, por meio do Núcleo de Esporte e Lazer da Seduc (NEL), facilitando a participação de alunos e comunidade do entorno das escolas, evitando problemas no trânsito decorrentes da grande concentração de público.
Segundo Ana Glória Guerreiro, coordenadora do NEL, esse novo sistema ajuda as escolas a se organizarem melhor, fazendo com que a comunidade conheça com mais profundidade os seus projetos pedagógicos. “As escolas têm a oportunidade de levar os seus projetos para conhecimento da comunidade, pois esta é a mais interessada no que acontece no local onde seus filhos estudam. Além disso, não precisam se deslocar de onde moram, além de participarem mais de um dia que é muito importante para a nossa pátria”.
A coordenadora disse ainda que a participação de alunos e de escolas aumentou com a descentralização, além de ter fomentado o comércio local. “Antes poucas escolas participavam do desfile, apenas 48, hoje esse número é muito maior, chegando a 60 mil alunos. A comunidade vai prestigiá-los e a iniciativa agradou muito os comerciantes locais, pois eles melhoram a renda das famílias”, destacou Ana Glória Guerreiro.

Texto:
Eliane Cardoso


Fórum Nacional de Secretários de Estado de Administração
Data da Pauta:
01/09/2016 09:00:00
Expira em:
02/09/2016 12h00
Local:
Atrium Quinta das Pedras Hotel Belém
Endereço:
Rua Dr. Assis, 834. Cidade Velha
Contatos:
Ana Carla Sodré – (61) 99131-8680/ Mariana Pereira – (61) 98116-3520

Nos dias 1 e 2 de setembro, no Atrium Quinta das Pedras Hotel Belém, a capital do estado será sede do 101º Fórum Nacional de Secretários de Estado da Administração. Promovido pelo Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração (Consad), o encontro tem o apoio institucional do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado da Administração (Sead).
A cerimônia de abertura contará com a participação do governador do Estado, Simão Jatene, da presidente do Consad e titular da Sead, Alice Viana, além de um representante do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, secretários de Estado de Góias e do Acre e demais conselheiros.
Essa é a segunda vez que Belém sedia uma edição do evento, que promove o compartilhamento de experiências em Gestão Pública, disseminação de boas práticas de governança e articulação política em torno da agenda de gestão. Em 2013, foi organizado aqui o 91º Fórum Consad. 

Texto:
Mário Costa


Defensoria Pública realiza mutirão de reconhecimento de paternidade nesta quarta
O Núcleo de Atendimento Especializado à Família (Naefa) da Defensoria Pública do Estado do Pará realiza nesta quarta-feira, 31, o Mutirão de Reconhecimento de Paternidade, que vai disponibilizar exames de DNA, DST’s, palestras sobre doenças sexualmente transmissíveis, distribuição de preservativos e atendimentos de beleza para os assistidos. A ação será realizada no Núcleo de Atendimento Referencial (Nare) e no 2º andar do prédio-sede da Defensoria Pública do Estado, no horário das 8h às 14h, no bairro da Campina.
O Mutirão de Reconhecimento de Paternidade fará 100 atendimentos, que serão divididos em reconhecimento de paternidade voluntário, quando o pai da criança decide registrar o menor sem que seja provado que ele é o pai, e exame de DNA, nos casos em que o pai tem dúvida quanto à paternidade.
A ação tem parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), que vai oferecer palestras sobre doenças sexualmente transmissíveis, no 4º andar do prédio da Defensoria Pública, e distribuir preservativos no dia do evento, e também do Instituto Embelleze Belém - Centro, que participa disponibilizando aos participantes cortes de cabelo e tratamentos de beleza, na unidade do bairro da Campina.
Os interessados em participar do Mutirão de Paternidade devem comparecer ao prédio-sede da Defensoria Pública do Estado do Pará, localizado na TV. Padre Prudêncio, 154, bairro da Campina, centro de Belém, portando cópias e originais de carteiras de identidade, CPF e comprovantes de residência dos pais e certidão de nascimento do menor a ser reconhecido. E para os que farão exame de DNA é necessária a presença da criança.

Texto:
Gerlando Klinger


Reunião na Seaster discute o Marco Legal da Primeira Infância
A Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) fez nesta segunda feira (29) reunião com a presença da diretora de Proteção Social Especial da Secretaria Nacional de Assistência Social, Renata Ferreira, que falou sobre o Marco Legal da Primeira Infância e os desafios da implementação dessa política. O público era formado por secretários municipais de assistência social da região metropolitana de Belém e de outros municípios convidados, além de técnicos da Seaster.
O Marco Legal da Primeira Infância é uma lei que visa o desenvolvimento de crianças desde a gestação até o sexto ano de vida, por meio de uma séria de programas e serviços sociais que favoreçam o fortalecimento dos vínculos familiares. A legislação coloca as crianças dessa faixa etária no topo lista de prioridades das políticas de assistência social. No entanto, segundo Renata Ferreira, a novidade está na intersetorialidade da política.
Com a aprovação do Marco Legal da Primeira Infância, em 8 de março de 2016, o Brasil passou a ser o primeiro país da América Latina a reconhecer a importância da criança e valorizar a primeira fase da vida. “O grande desafio está em olhar para o que estamos fazendo e articular meios de juntar as políticas de saúde, assistência social e educação em prol de um atendimento que possa fortalecer os vínculos dessa criança com a mãe e os familiares. Não dá mais para trabalhar sem a ideia de intersetorialidade no escopo da primeira infância”, disse a diretora.
Segundo ela, os primeiros mil dias de vida da criança são importantes para o desenvolvimento cerebral. Sendo assim, promover qualidade no relacionamento familiar da criança nessa fase deve ser compromisso do Sistema Único de Assistência Social (Suas). “Devemos reconhecer a demanda da política de assistência social nesses cuidados quando há situação de vulnerabilidade social. O assistente social precisa adentrar o ambiente da família de maneira que possa despertar o interesse dos familiares pela criança”, defendeu.
O titular da Seaster, Heitor Pinheiro, falou sobre as experiências bem-sucedidas no Estado e disse que existe uma linha de cuidados voltados à primeira infância. “A intersetorialidade nos desafia a estar conversando sempre. Por isso, a ideia da secretaria é estar em diálogo constante para saber o que já tem sido feito e decidir o que precisa ser alinhado”, pontuou.
A secretária de Assistência Social de Abaetetuba, Rita Abreu, chamou a atenção para as peculiaridades e dinâmica social da região amazônica. “É preciso deixar de pensar a política com o olhar de quem está em Brasília, e a Amazônia de maneira diferenciada”, frisou. Renata Ferreira disse que se sensibilizou com a informação de que algumas pessoas demoraram 36 horas em viagem de barco para chegarem  à reunião. “Não dá mais para fazer política sem levar em consideração as especificidades de cada região. Posso assumir o compromisso de uma agenda compartilhada para que encontremos soluções para essas demandas”, concluiu.

Texto:
Inara Soares


Atletas atendidos pela Seduc vão conduzir a tocha paralímpica
Belém recebe na próxima sexta-feira (2) a Tocha Paralímpica, um dos maiores símbolos da competição, que ocorre no Rio de Janeiro, entre os dias 7 e 18 de setembro. Entre os condutores está Luiz Gustavo de Andrade, medalhista na bocha das Paralimpíadas Escolares 2015, em Natal (RN), que é um dos paratletas atendidos pelo Núcleo de Esporte e Lazer (NEL) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).
A paratleta Dayane Vitória Espíndola, medalha de ouro na bocha adaptada nas Paralimpíadas Escolares, vai ler a mensagem do governo do Estado na partida saída da tocha, no Polo Pro Paz. Belém será a segunda cidade a receber o fogo paralímpico, depois de Brasília. A chegada à capital paraense está prevista para as 10h30, no Aeroporto Internacional de Belém.
A tocha vai passar ainda pelo Serviço de Atendimento Básico em Reabilitação (Saber), Centro Integrado de Inclusão e Cidadania (Ciic), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Belém (Apae), NEL e Ginásio Altino Pimenta, onde começa o revezamento. A Seduc promove a prática do esporte e do lazer, por meio da Coordenação da Educação Física e do Desporto Escolar, nas escolas estaduais e nos polos esportivos do Pro Paz.
A coordenadora do NEL, Ana Glória Guerreiro, diz que as ações desenvolvidas promovem a solidariedade, autoestima, respeito ao próximo, facilidade na comunicação e tolerância, além de auxiliar no combate a doenças oriundas do sedentarismo e hábitos de vida inadequados, à evasão escolar, ao uso de drogas e à criminalidade.
Inclusão - O Núcleo de Esporte e Lazer da Seduc criou uma alternativa de atendimento que identifica alunos com dificuldades passíveis de serem minimizadas ou superadas na área da educação física adaptada. O Clube Escola Paralímpico contempla as necessidades dos estudantes com dificuldades específicas, tendo por base a prática de esporte adaptado, que permite o acesso às práticas esportivas possibilita o alcance da capacidade total de adaptação na sociedade.
O clube desenvolve atividades nas modalidades bocha, futebol de 7, atletismo, judô, goalbal, natação e vôlei sentado. Entre as atividades anuais do NEL voltadas para este público estão os Jogos Escolares Paralímpicos do Pará, que existem há 12 anos e que têm obtido resultados positivos em todas as modalidades das Paralimpiadas.
Um exemplo é o aluno José Márcio, convocado pela Seleção Brasileira de Goalball, que vai disputar a Paralimpíada Rio 2016. Ele estudou na Unidade Especializada Álvares de Azevedo e na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Vilhena Alves. Há dois anos, foi convocado e passou a morar no Rio de Janeiro, onde é paratleta oficial da seleção.
Graças ao trabalho do NEL, o Pará já é considerado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro referência de talentos no esporte. De 2011 a 2014, os paratletas paraenses conquistaram 105 medalhas de ouro, 82 de prata e 82 de bronze nas Paralimpíadas Escolares Nacionais. O melhor resultado ocorreu em 2013, com a conquista de 111 medalhas. Este ano, 59 paraenses já foram selecionados para participar das Paralimpíadas Escolares Nacionais, no Rio Grande do Norte, entre 23 e 28 de novembro.
Determinação – O revezamento da tocha paralímpica sai da Avenida Visconde de Souza Franco em direção ao Complexo Feliz Lusitânia, onde ocorrerá a cerimônia de celebração e acendimento da pira paralímpica. Ao todo, serão 50 condutores, em um percurso de dez quilômetros.  Assim que deixar a capital paraense, a tocha segue para Natal, São Paulo e Joinville (SC). Em seguida, a chama será enviada para o Rio de Janeiro, onde ocorrem os jogos, a partir de 7 de setembro.
Em todo o Brasil, 285 paratletas representarão o Brasil na competição, disputando medalhas em mais de 20 modalidades esportivas. Cada cidade será representada por um tema. O de Belém é determinação. A tocha é um atrativo à parte. Com relevos sinuosos, de forma a representar os altos e baixos que cada atleta paralímpico enfrenta na vida, a textura quadrangular faz referência aos quatro valores paralímpicos: coragem, determinação, inspiração e igualdade, que também estão impressos em braile no objeto.
Percurso do revezamento: Avenida Visconde de Souza Franco (Doca), Rua Boaventura da Silva, Avenida Generalíssimo Deodoro, Avenida Braz de Aguiar, Avenida Serzedelo Corrêa, Rua dos Tamoios (Praça Batista Campos), Travessa Padre Eutíquio, Rua João Diogo, Rua Coronel Fontoura, Praça Dom Pedro II e Feliz Lusitânia.

Texto:
Márcio Flexa


FCP divulga lista provisória de habilitados para prêmio de difusão artística
A Fundação Cultural do Pará (FCP) divulgou nesta segunda-feira (29), no Diário Oficial do Estado, a lista provisória de habilitados no Prêmio de Produção e Difusão Artística 2016. Além dos 30 selecionados, foi publicada a lista de cadastro reserva com dez nomes. A premiação está agora na fase de recursos, antes de divulgar o resultado final. O edital tem como objetivo contemplar até 30 projetos artísticos voltados para a produção e difusão artística da cultura paraense. Os selecionados receberão R$ 15 mil, cada. Ao todo foram 189 inscrições, nas cinco áreas disponíveis (visual, cênica, musical e design), com predominância nas linguagens visual e musical. Segundo a FCP, as equipes jurídica, de planejamento e auditoria participam da elaboração do edital, cujos jurados são respeitados no meio artístico, idôneos e competentes nas respectivas áreas de atuação e diferentes linguagens. Mais informações pelo e-mail premioseivacasadasartes.fcp@gmail.com ou pelo telefone (91) 4006-2929.

Texto:
Andreza Gomes


Rede de fibra ótica chega ao município de Santa Maria do Pará
Data da Pauta:
31/08/2016 10:30:00
Expira em:
31/08/2016 13h00
Local:
Praça Matriz de Santa Maria do Pará
Endereço:
Avenida Santa Maria, esquina com Avenida Bernardo Sayão
Contatos:
Nátia Machado (Ascom Prodepa): 3344-5263/ 98895-5994

Mais um município paraense será conectado por fibra ótica à rede corporativa governamental. Na próxima quarta-feira (31), o presidente da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado (Prodepa), Theo Pires, e o secretário de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica, Alex Fiúza, inauguram oficialmente o trecho da infovia Santa Maria do Pará-Castanhal, com 52,6 quilômetros, uma parceria da Prodepa com o Banco do Estado do Pará (Banpará).
A chegada da fibra ótica a Santa Maria compõe o plano do Governo do Pará de conectar mais municípios do Estado a uma internet confiável e de baixo custo. As instituições beneficiadas com as infovias ampliarão o uso da internet em tempo real, intensificando atividades, como a troca de informações entre órgãos. Para marcar a inauguração, a Praça Matriz receberá um hotzone, ponto de acesso livre à internet, com capacidade para até 200 conexões simultâneas. Na ocasião será montado um pequeno infocentro com alguns computadores para que a população possa navegar na internet durante o evento.
Sugestão de entrevistados:
Theo Pires, presidente da Prodepa
Alex Fiúza, titular da Sectet

Texto:
Nátia Machado


Seaster capacita técnicos de assistência social dos municípios
Começou nesta segunda-feira (29), na Escola de Governança Pública do Pará (EGPA), a segunda fase do programa Capacita Suas com o curso “Indicadores para acompanhamento e diagnóstico do Suas e do BSM (Brasil sem Miséria)”. A capacitação, promovida pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), vai até sexta-feira (2) reunindo técnicos da Seaster e gestores do Sistema Único de Assistência Social (Suas) do polo Tocantins, para a implementação das ações dos planos estratégicos.
A palestrante do curso, Maria Lúcia, diz que a capacitação vai permitir que os participantes visualizem melhor a conquista dos resultados, dentro da política da assistência social. “Os indicadores permitem que se criem soluções mais efetivas para as questões sociais que vigoram no Brasil. Sendo uma política estratégica, tem que se estabelecer metas, e não se pode estabelecer metas sem que estejam estabelecidos os indicadores”, afirma.
Assistente social do município de Barcarena, Maria Simone definiu a importância do momento para o município: “É atualizar os indicadores que norteiam as ações dentro do nosso território, além de identificar avanços, correções de problemas e outras avaliações”, disse. Para a coordenadora de Gestão do Trabalho da Seaster, Maristela Santos, o Capacita Suas supre a necessidade de formação continuada. “O curso cumpre uma tarefa muito importante para nós em termos de construção e manutenção de indicadores, pois permite avaliar e acompanhar todas as ações sociais que temos no Estado”, concluiu.
“O Capacita Suas vem, por meio do trabalho das pessoas que estão aqui, de uma capacitação permanente e da leitura da realidade que vivemos, tentar elaborar essas políticas em comum acordo com os indicadores que temos. A leitura dos indicadores nunca é demais, porque ela vem atrelada a uma boa proposta, que é de se fazer uma boa política, de promover e chegar com a máxima eficiência e eficácia aos serviços que pretendemos fazer”, ressaltou o secretário adjunto da Seaster, Everson Costa.
A segunda fase do programa começou em julho deste ano, em Castanhal, quando foram certificados 38 trabalhadores. Em agosto foi a vez dos polos de Parauapebas, com 43 técnicos certificados, Xinguara, com 30, e Redenção com 47 concluintes.

Texto:
Inara Soares


Governo do Estado lança plano de combate ao trabalho infantil
O Fórum Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Trabalho do Adolescente (FPETIPA) lançou, na manhã desta segunda-feira, 29, no auditório do Fórum Cível, em Belém, o Plano Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador.
Atualmente, o estado do Pará possui 224 mil crianças que integram as estatísticas do trabalho infantil. Para elaborar ações de enfrentamento a essa realidade, o Fórum Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil elaborou o plano, com ideias debatidas durante mais de 20 anos de existência do Fórum, que conta com a participação de 43 entidades, do âmbito governamental e sociedade civil.
O Plano Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil é um documento inédito que obedece a uma diretriz nacional, voltada para erradicar o trabalho dos menores. O plano teve uma construção coletiva. O Governo do Estado chamou os órgãos da esfera federal, municipal e órgãos da sociedade civil para identificar as responsabilidades e sinalizar o que deveria ser feito.
Os principais articuladores do FPETIPA, que ajudaram a elaborar o Plano, são a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), Secretaria Estadual de Educação (Seduc), Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (SEJUDH), Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), Ministério Público do Estado e Universidade da Amazônia (Unama)
O plano tem sete eixos de atuação. Entre eles, o secretário de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, Heitor Pinheiro, que também é secretário-executivo do Fórum, destaca dois: a importância da prevenção permanente, trabalhando com as famílias no sentido de eliminar o pensamento de que “é melhor trabalhar do que roubar” e o eixo da comunicação, com campanhas de conscientização veiculadas tanto na zona urbana, quanto na rural.
Entre as ações que o Governo do Estado pretende implantar para reforçar o plano está a capacitação de servidores públicos na educação, saúde e assistência social. “Temos que  capacitar o agente público para identificar a situação do menor trabalhador. O professor pode identificar uma situação de um menor em trabalho não declarado, assim como um médico ou um atendente de enfermagem. Então, nós estamos trabalhando de forma contundente um eixo de qualificação para que os nossos profissionais façam o registro e a denúncia e essa situação não tenha prosseguimento”, disse Heitor Pinheiro.
Outra ação fundamental apontada pelo titular da Seaster é investir nas políticas de educação, principalmente com as escolas em tempo integral e os espaços de esporte e lazer, garantidos pela Fundação Pro Paz.
Simão Bastos, presidente da Fasepa e do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e Adolescente, que teve participação efetiva na construção do plano, disse que o plano ratifica 20 anos de construções e debates do Fórum Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Trabalho do Adolescente, com estratégias, seja da sociedade civil ou Governo do Estado, na perspectiva de erradicação do trabalho infantil. “Esse direcionar do plano fará com que todos os interessados que militam na causa possam ter os seus compromissos estabelecidos”, destacou.
Durante a entrega do plano, 15 municípios estiveram representados. Manoel Barbosa, secretário de assistência social no município de Gurupá, destacou a importância da mobilização. “Meu município tem uma área rural muito extensa, com mais de 900 menores em situação de trabalho. É muito importante que o Governo do Estado esteja chamando a responsabilidade de todos os municípios, com uma disposição coletiva nessa ação de fundamental importância que é a erradicação do trabalho infantil”, disse o secretário municipal.
A integração de forças e diretrizes em busca de um mesmo objetivo também foi destacada pelo secretário adjunto de ensino da Secretaria de Estado de Educação, José Roberto Silva. “Esse plano contribui especialmente também para o Pacto pela Educação no Pará e mostra a integração de diversas secretarias do Estado no combate a erradicação do trabalho infantil”, ressaltou o secretário adjunto.

Texto:
Syanne Neno





Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...