Total de visualizações de página

domingo, novembro 13, 2016

Detran apreende em operação em Icoaraci veículo que tinha sido roubado



Comunidade de Outeiro conhece trabalho das forças de segurança do Estado
Na manhã do último sábado (12), as forças de segurança estaduais e da cidade de Belém promoveram atividades sociais no estacionamento da Praia Grande, no distrito de Outeiro. A programação foi coordenada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) e reuniu as polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) e Grupamento Aéreo (Graesp), entre outras instituições.
“Temos duas estratégias a cumprir com esse tipo de ação. Primeiro é ocupar para transformar essa área em território de paz; depois mostrar, nesses estandes, o que os órgãos de segurança têm a oferecer à população”, destacou o comandante de Policiamento da Capital, tenente-coronel Luiz Carlos Rayol.
A comunidade teve a oportunidade de ouvir o som da banda de música do Corpo de Bombeiros e conheceu o trabalho de monitoramento do Centro Integrado de Operações (Ciop) e os detalhes de equipamentos usados pelo Batalhão de Choque da PM. As crianças aproveitaram para se divertir com jogos educativos oferecidos por agentes do Departamento de Trânsito do Estado (Detran). Muita gente esteve atenta às explicações sobre os Veículos Aéreos Não-Tripulados. Um equipamento esteve em exposição no estande do Graesp, assim como um computador com um programa de simulação.
Quem gostou muito da programação foi Edenilza da Silva, 26. Ela é mãe de Izabela, que se divertia com outras crianças no estande do Detran. “Não fazia ideia que o departamento tinha esse tipo de orientação para a população. Espero que se repita”, disse ela, que mora em Itaiteua, em Outeiro.
Com uma unidade móvel, o CPC Renato Chaves despertou a curiosidade dos visitantes, que puderam ver de perto vários materiais de papiloscopia, como luz forense, pó revelador digital e GPS para a localização de crime de difícil acesso. Nazaré Ramos, 55, ficou satisfeita com o esclarecimento dado por um perito. “Fiquei sabendo que não posso fazer exame de corpo de delito depois de certo tempo, não sabia”, contou a moradora do bairro Carmelândia.
Texto:
Sérgio Chêne

Centro Jean Bitar promove ações alusivas ao dia mundial do diabetes
Nesta segunda-feira (14), o Centro Hospitalar Jean Bitar, em parceria com o Centro de Diabetes e Endocrinologia do Pará (Cedepa), promoverá ações de educação e saúde em comemoração alusiva ao Dia Mundial do Diabetes, que este ano tem como tema “Diabetes, uma doença invisível”. O objetivo é alertar a população sobre o problema que atinge mais de 400 milhões de pessoas no mundo, mais de 13 milhões no Brasil e mais de 400 mil no Pará.
Os números de casos da doença preocupam, tendo em vista que um em cada onze adultos no mundo apresenta diabetes; estima-se que a metade não saiba que tem a doença e, por isso, não esteja em tratamento. Daí a importância da educação para combater o mal.
Segundo o endocrinologista Fernando Flexa Ribeiro Filho, que faz parte da organização do evento no Jean Bitar, os principais fatores de risco para o desenvolvimento do diabetes são a obesidade e o sedentarismo. “Pessoas com casos de diabetes na família devem redobrar o cuidado com a alimentação e praticar atividade física”, recomenda. O médico alerta para o fato de essa ser uma doença silenciosa. Por isso é importante pelo menos uma vez ao ano verificar a dosagem de glicose no sangue. “Os pacientes diabéticos devem, independente de sintomas, fazer acompanhamento regular com a equipe de saúde e o tratamento de forma adequada”, informa.
Referência no Estado para doenças endócrinas, como o diabetes, o Centro Jean Bitar fez, desde maio de 2016, mais de mil consultas especializadas em endocrinologia. Além disso, o hospital também é referência estadual para a cirurgia bariátrica, indicada para pacientes com obesidade grave e diabetes de difícil controle. O centro faz a média mensal de dez procedimentos desse tipo.
O encanador Antônio Carlos Oliveira Nonato, 53, já vivenciou as situações adversas da doença e, por isso, procurou atendimento médico especializado para obter qualidade de vida. Com diabetes há 15 anos, antes de conseguir atendimento no Jean Bitar, ele disse que passou por muitas dificuldades. Há dois anos em tratamento, ele retorna para avaliação a cada 45 dias. A esposa dele, Eliana Lima Nonato, está satisfeita com o atendimento. “Quando ele chegou ao hospital pela primeira vez, achei que ia perder meu marido, mas ao acompanhar o atendimento comparei o serviço oferecido com o hospital da rede privada, com boas instalações e ambiente higiênico”, relembra.
A programação comemorativa começa, no dia 14, com diversas atividades educativas, incluindo palestras e distribuição de material didático sobre o tema. No dia 20, de 8h às 11h, na Praça Brasil, haverá verificação de glicemia capilar e pressão arterial.
O Centro Jean Bitar presta assistência de média e alta complexidade aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Dispõe de 60 leitos de internação e dez leitos de terapia intensiva e é referência estadual para procedimentos de endoscopia digestiva alta e colonoscopia, cirurgia gastrointestinal e algumas especialidades clínicas, como endocrinologia, reumatologia, geriatria e pneumologia. Para atendimento no hospital é necessário o encaminhamento de uma Unidade Básica de Saúde (UBS), com o agendamento pela Central de Regulação do Estado.
Serviço: O Centro Hospitalar Jean Bitar fica na Rua Cônego Jerônimo Pimentel, Umarizal, em Belém. Mais informações: (91) 3239-3800.
Texto:
Vera Rojas

Emater na Rota mostrou potencialidades produtivas do nordeste paraense
Bragança, no nordeste paraense, teve dois dias de intensa programação na segunda edição do programa Emater na Rota, evento da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) inserido no Projeto Rota Turística Belém-Bragança. A programação começou na manhã de sexta-feira (11) e se encerrou no último sábado (12), com a exposição e comercialização de produtos.
Foram feitas homenagens aos agricultores alusivas ao cinquentenário da Emater e aos sete anos da Feira do Agricultor Familiar. Na feira foi apresentada uma variedade de produtos da agricultura, da pesca e do artesanato, produções culinárias e produtos da Unidade Demonstrativa de Bragança (UDB). Parceiros apoiaram a programação, que apresentou um leque de atividades contextualizadas na Rota Turística Belém-Bragança e na qual foram demonstradas potencialidades produtivas, extrativistas, turísticas e culturais, do trecho bragantino da antiga Estrada de Ferro.
Além de visitas, acessos às histórias, vivências e observações in loco das inúmeras belezas naturais, entre outras atividades, o visitante teve esclarecimentos presenciais de extensionistas rurais que integraram as equipes de trabalho em cada atividade.
Dois roteiros foram percorridos no primeiro dia da programação: o Curumim e o da Estrada de Ferro. No roteiro Curumim houve visita à UDB, permitindo aos participantes conheceram a horta, o minhocário, o criatório de ovelhas e os espaço de apicultura e de cultivos de mandioca e macaxeira, gerenciados pela Emater.
No Roteiro da Estrada de Ferro o participante viu a exposição fotográfica e documental do Museu da Marujada, fez o antigo percurso do trem, deu uma parada na Estação Ferroviária Benjamim Constant e ouviu um pouco das experiências locais.
Texto:
Edna Moura

Detran apreende em operação em Icoaraci veículo que tinha sido roubado
Agentes de fiscalização do Departamento de Trânsito do Estado (Detran) apreenderam um veículo na noite da última sexta-feira (11), durante a Operação Cavalo de Tróia, no distrito de Icoaraci. A ação foi deflagrada pela Secretaria de Estado Segurança Pública e Defesa Social (Segup).
O Detran atuou com 50 agentes se trânsito, da capital e interior. "Estamos com um contingente que está em Belém participando de cursos de capacitação, e essa foi uma oportunidade de colocarem em prática tudo o que foi absorvido durante as aulas", diz o diretor técnico e operacional do Detran, Walmero Costa.
A apreensão da moto ocorreu durante abordagem da equipe de moto-patrulhamento do Detran, depois de o condutor avançar a preferencial em atitude suspeita. Após a verificação do chassi e motor, o agente fez consulta à base de dados e constatou que, além de constar a ocorrência de furto e roubo, a moto estava com placa clonada. A polícia foi acionada e o suspeito encaminhado à delegacia do distrito.
Ainda na mesma operação, outro condutor abordado na Estrada do Maracuera, próximo à ponte de acesso à Ilha de Outeiro, não atendeu a ordem de parada e tentou empreender fuga. Ao ser abordado, foi identificado que se tratava de veículo com ocorrência de furto e roubo. O cidadão infrator foi encaminhado à delegacia e enquadrado no crime de receptação, artigo 180 do Código Penal.
Na ocasião, a dona foi acionada e contou que o veículo foi roubado com uso de arma de fogo no último domingo (6) durante a saída de uma festa. Emocionada ela fez questão de cumprimentar a equipe. "Assim que percebemos a importância de operações como essa. Muita gente se sente incomodada, mas certamente deve ser por estarem usando o veículo com alguma irregularidade", disse a mulher, que pediu para não ser identificada.
Walmero Costa informou que a operação Cavalo de Tróia será deflagrada também em municípios do interior de forma intensificada e específica de combate a furto, roubo e fraudes veiculares.
Texto:
Aldirene Gama

Belém recebe etapa final do Grand Prix Infraero de Judô para Cegos
Belém foi sede de mais um grande evento voltado para atletas portadores de deficiência. Depois do goalball, foi a vez do judô ganhar destaque na etapa final do Grand Prix Infraero de Judô para Cegos, promovido pela Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV) e organizado em parceria com a Associação de Cegos do Pará (Ascepa), Associação Souza Filho de Artes Marciais (Asfam) e Federação Paraense de Judô (Fepaju). O governo do Estado apoia o evento por meio do Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), que doou 70 quimonos aos atletas, e também da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), com a entrega de 150 uniformes.
O evento termina no fim da tarde deste sábado (12). O Pará já se destacou nas primeiras categorias. Os paraenses garantiram medalhas em quase todos os pódios da categoria iniciante do campeonato. A equipe da Unidade Educacional especializada José Álvares de Azevedo ficou em terceiro lugar no quadro de medalhas, com dois ouros e uma prata.
O governador Simão Jatene esteve presente para prestigiar os atletas e abrir o campeonato acompanhado da primeira-dama, Ana Jatene. Ele destacou a importância de dar oportunidade para que todos, seja qual for a condição, possam desenvolver suas habilidades, capacidades e sonhos. “Uma sociedade é tão ou mais moderna quanto mais garante e cria condições para o desenvolvimento de todos, pois independente de qualquer situação, todos merecem a oportunidade de crescer e tornar os seus sonhos reais. É nisso que o governo investe para que todos possam ter uma sociedade cada vez mais justa, igualitária e feliz. O que temos hoje aqui é um resultado desta oportunidade”, disse.
As disputas pelo pódio na categoria adulta envolvem 13 divisões de peso – sete no masculino e seis no feminino – e também a categoria iniciante, em que muitos atletas são revelados todos os anos. Judocas de 14 Estados mais o Distrito Federal estão inscritos na competição, somando 200 atletas ao todo, 50 do Pará. Entre os participantes estão nomes que representaram o Brasil nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, inclusive os medalhistas Antônio Tenório, Wilians Araújo, Lúcia Teixeira e Alana Maldonado.
Antônio Tenório, 46, é um atleta paraolímpico paulista que já tem seis medalhas olímpicas, das quais quatro de ouro, e inúmeras vitórias em campeonatos nacionais e internacionais. “Temos aqui atletas do Brasil inteiro. Apresentaremos bons combates para testarmos as nossas habilidades. É bom deixar claro que todos somos capazes, e aqui estes atletas mostrarão os resultados das oportunidades que lhe foram dadas pela Asfam e pelo governo, que trabalharam tanto para que este evento ocorresse”, frisou.
A carreira de Tenório, assim como ocorre com outros atletas, acaba por se tornar uma inspiração para que os jovens entrem no esporte. Um exemplo é o judoca Thiego Marques, 17, de Parauapebas, no sudeste do Pará. Com baixa visão, há sete anos ele conheceu Tenório, e desde então vem se dedicando ao esporte. Hoje ele já acumula na carreira cinco campeonatos brasileiros e o vice-campeonato mundial na categoria leve nos Estados Unidos. Os bons resultados fizeram com que fosse convocado a participar da seletiva para os jogos Parapan-Americanos de 2017.
Esse é o primeiro ano que o Pará recebe o evento e o quarto consecutivo que garante a participação de atletas na competição. No ano passado a Asfam ficou em primeiro lugar no quadro geral de medalhas, com três ouros, uma prata e dois bronzes. A associação desenvolve o projeto Dorinha, que garante a pessoas com deficiência a oportunidade de praticar um esporte, no caso o judô. Atualmente, 150 pessoas são beneficiadas pela iniciativa, entre elas crianças com autismo, paralisia cerebral, síndrome de Down, deficientes visuais e físicos.
Ana Cecília Moreira Silva é coordenadora da Asfam, uma associação quer recebe apoio da Seel e NAC. Lá são atendidas 75 pessoas com diversos tipos de deficiência, além de 100 jovens em situação de risco. “Fazemos um trabalho essencial de inclusão destes jovens que, por meio da convivência e do judô, conseguem se desenvolver e se sentir mais inseridos na sociedade. Todos os dias vemos mudanças impressionantes em cada um deles, pois temos deficientes visuais, físicos, pessoas com síndrome de down, entre outros, e eles aprendem a conviver e trilhar o próprio caminho. Alguns destes atletas já estão se tornando instrutores e ajudam a manter este trabalho. Hoje temos 50 jovens participando do Granpix e o Estado tem sido maravilhoso, pois o apoio da Seel e do NAC é a base para que tudo isso seja possível”, afirma Ana Cecília.
Estado se destaca no cenário paralímpico
O Pará é considerado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro uma referência em novos talentos e um dos principais polos do esporte paralímpico. Por meio da política inclusiva do Plano Existir e com apoio do NAC, o Estado tem alcançado bons resultados e reconhecimento. Em abril desse ano, o Estado recebeu pela primeira vez o Campeonato Centro-Norte de Goalball, uma preliminar do torneio nacional, que ocorre em Jundiaí (SP), entre os dias 18 e 23 setembro. Na seletiva estadual, a equipe paraense masculina conseguiu se classificar para a etapa brasileira. Em junho, Belém foi escolhida pelo comitê organizador dos Jogos Paralímpicos para representar a região Norte do país no revezamento da tocha paralímpica, que ocorreu em 2 de setembro.
O coordenador da seleção brasileira de judô paraolímpico, Jaime Bragança, destaca a importância do Pará ser sede do campeonato como forma de popularizar ainda mais o esporte no Brasil. “É muito importante trazer um evento desse ao Pará e ser recebido da forma como fomos recebidos, com todo apoio e estrutura necessários do governo, que colaborou para que estes atletas viessem competir aqui. Temos acompanhado o crescimento dos atletas paraenses não só no judô, mas também em esportes como goalball, e temos certeza que teremos grandes atletas representando o Estado aqui”, assinalou.
Willims Silva, ganhador da medalha de prata nos jogos paralímpicos deste ano, também esteve no evento e falou da importância de nunca desistir: “O judô foi um meio que tive para alcançar meus sonhos. Sempre sonhei e me dediquei para conseguir participar e ganhar uma medalha numa paralimpíada, e por isso é importante que a gente não desista. Fico feliz de poder compartilhar um pouco da minha história com esses jovens e incentivar para que eles continuem sempre treinando, trabalhando para conseguir alcançar os seus objetivos”, incentivou.
Texto:
Diego Andrade

Livro de estampas da Jucepa é um dos vencedores do prêmio Jabuti
“Marcas do Tempo”, obra que reúne mais de 700 imagens, entre estampas e logomarcas registradas na Junta Comercial do Pará (Jucepa) entre os anos de 1895 e 1922, é um dos vencedores do Prêmio Jabuti 2016. A obra publicada este ano numa parceria entre Jucepa e Secretaria de Estado de Cultura (Secult), com apoio da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), ficou com o terceiro lugar na categoria projeto gráfico. A premiação ocorre no próximo dia 24 de novembro, no Teatro do Parque Ibirapuera, em São Paulo.
“Ter uma obra do Pará, uma obra que leva a marca do Governo do Estado, entre os finalistas, já era uma honra e motivo de muito orgulho. E, agora, estar entre os três primeiros, ser um dos vencedores do Prêmio Jabuti é uma satisfação imensa. Isso nos engrandece, e é um momento muito importante para a cultura e para a história do Pará”, afirmou a presidente da Junta Comercial, Cilene Sabino. “Trabalhos técnicos são até possíveis, mas apaixonados são fruto dessa sinergia de toda a administração estadual”, disse o secretário de Cultura, Paulo Chaves.
“Marcas do Tempo – Registro das Marcas Comerciais do Pará 1895-1922” foi lançado na programação da XX Feira Pan-Amazônica do Livro já cercado de muita expectativa, tamanha a qualidade editorial do material. Com 412 páginas, a obra compõe um álbum ilustrado da história comercial de Belém entre o fim do século XIX e início do século XX. “Uma das nossas preocupações, além de manter o máximo de qualidade das imagens que seriam usadas, foi fazer essa contextualização do material. Com isso, além de conhecer as logomarcas, inclusive de marcas, produtos e serviços tradicionais da época, o livro oferece a possibilidade de conhecer um pouco mais do vocabulário e dos costumes daquele período”, explica Paulo Maurício Coutinho, diretor do Núcleo de Editoração e Memória da Secult e responsável, junto com Lorena Sousa, também da Secretaria de Cultura, pelo design e editoração do livro.
A ideia da publicação surgiu dentro da Jucepa, por meio do Projeto Memória do Registro Mercantil, iniciativa coordenada por Orlando Carneiro com o objetivo de resgatar a história da instituição, que completa 140 anos de existência no próximo dia 30 de novembro. “O Prêmio Jabuti de Literatura é inegavelmente a maior premiação que temos na arte dos livros aqui no Brasil. Obviamente saber que ‘Marcas do Tempo’ é uma das obras premiadas nos dá uma alegria muito grande. É a finalização de uma etapa, de um processo, de um projeto, mas também o início de outra, já que depois desse livro de estampas vamos lançar dois outros voltados para a história”, adianta Carneiro.
As logomarcas estampadas no livro correspondem a um dos períodos mais áureos da economia paraense: o Ciclo da Borracha e o consequente crescimento do comércio e da indústria local.
O Prêmio Jabuti é promovido pela Câmara Brasileira do Livro (CDL). Criado em 1958, é considerada a mais tradicional premiação de livros no Brasil. O maior diferencial em relação a outros prêmios de literatura é a abrangência: além de valorizar escritores, o prêmio destaca a qualidade do trabalho de todas as áreas envolvidas na criação e produção de um livro. As obras são analisadas por um corpo de jurados especializados e a contagem dos votos é feita em sessões abertas ao público e dividida em duas etapas. Na primeira, são selecionadas as dez melhores obras em cada umas das 27 categorias; na segunda, são definidos os três primeiros lugares de cada categoria.
Texto:
Anna Peres

Pro Paz e atleta Érica Paes oferecem aulas de defesa pessoal para mulheres
Na última sexta-feira (11) ocorreu o lançamento do projeto “Eu Sei Me Defender”, parceria da Fundação Pro Paz com a atleta Érica Paes, que oferta aulas de defesa pessoal para mulheres vítimas de violência atendidas pelo projeto. Também foram oferecidas vagas para a sociedade em geral.
“A gente vive em uma sociedade machista. Não me sinto segura ao andar pelas ruas, pelo contrário, me sinto violada ao receber invertidas de homens que muitas vezes são desrespeitosos, então tenho medo. Vi no curso uma oportunidade em aprender técnicas para que eu possa me sentir mais segura. Para que eu saiba me defender”, afirmou a estudante Waldeleia Farias, 24 anos, matriculada no curso.
“Já fui vítima de violência doméstica e de duas tentativas de estupro, a primeira ainda com 16 anos que, felizmente, foram frustradas devido ao meu conhecimento técnico marcial. Vi no projeto uma oportunidade de ensinar essas técnicas para que outras mulheres se defender também. Elaborei o curso pensando em situações cotidianas que as mulheres passam diariamente. Só quem é mulher sabe o quanto muitas se sentem inseguras, e quero colaborar para que isso mude”, afirmou Érica Paes. Paraense e primeira mulher da BTT (Brazilian Top Team), ela agora compõe a equipe XGYM, a mesma de Anderson Silva. As aulas são ministradas por ela e por sua equipe.
O curso ocorre toda terça e quinta-feira, às 16h, no auditório do Pro Paz Mulher (Travessa Mauriti, 2.394, Marco). As aulas são gratuitas e têm a duração de quatro meses. Quem tiver mais de três ausências será desligada, dando oportunidade para outra mulher participar. Na primeira turma foram ofertadas dez vagas para vítimas de violência que são atendidas pelo Pro Paz Mulher e 30 vagas para a sociedade em geral. As inscrições para o curso foram feitas pelo site da Fundação Pro Paz e se esgotaram em apenas 48 horas.
Para o presidente da Fundação Pro Paz, Jorge Bittencourt, o projeto vem para empoderar mulheres e trabalhar outro viés do Pro Paz Mulher, que é a prevenção. “Essa parceria com a atleta vem para acrescentar muito ao serviço que prestamos. Queremos com esse curso que as mulheres possam se defender de situações de risco do cotidiano. É mais uma parceria que o Governo do Estado busca para auxiliar nesta luta, que é o combate à violência contra a mulher”, explicou.
“A luta, o esporte de forma geral, diferente do que muitos pensam, é uma forma de prevenção, de se trabalhar a cultura de paz. Não buscamos com isso incitar a violência, pelo contrário, queremos trabalhar o fortalecimento pessoal dessa mulher. Um curso como esse vem para fortalecer nossas mulheres, para permitir que elas se empoderem sobre o seu corpo. O curso aqui é só o início, esperamos estender esta parceria para diferentes locais do Estado”, afirmou a secretária extraordinária de Políticas de Integração, Izabela Jatene.
O lançamento do projeto também teve a apresentação da cantora e compositora Livia Mendes, que se apresenta no meio musical com a proposta de um projeto autoral, falando de assuntos do universo feminino e com letras que são como um grito de liberdade à causa. “Estou honrada em participar de um projeto como esse e de colaborar para esta causa. Mais do que amparar a mulher, ele vem para oferecer um serviço de prevenção para nós. Espero levar a arte para esta iniciativa como a Érica, atleta aqui do nosso Estado, está trazendo o esporte”, disse.
O Pro Paz Mulher agrega, em um mesmo espaço, delegacia, Polícia Militar, assistência social e psicóloga, atendimento médico, perícia, Ministério Público e Tribunal de Justiça. O serviço é o único do país que oferta tratamento integrado à mulher da capital e também do interior, por meio do Pro Paz Integrado, localizado nas regiões Xingu, Lago, Baixo Amazonas, Bragantina e Marajó. A rede conta também com o atendimento nas unidades da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), em todas as regiões.
Texto:
Mayara Albuquerque

Parfor Uepa reúne estudantes para discutir a educação na Amazônia
O Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) promove na próxima segunda-feira (14) roda de saberes com o tema “Amazônia: Território e Lutas”, das 8h às 20h, no Auditório Paulo Freire, do Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE), que fica na Travessa Djalma Dutra, s/n. As inscrições são gratuitas.
O Parfor, em parceria com a Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (Fase) e o Fórum da Amazônia Oriental (Faor) promovem o evento para oportunizar o diálogo entre academia, educadores, povos e comunidades tradicionais com reflexões e relatos de experiência em torno das lutas e resistências no território amazônico.
O público-alvo do evento é formado pelos alunos do Parfor Uepa e demais membros da comunidade acadêmica em geral. A participação no evento renderá um certificado com carga horária de 12 horas. Os interessados podem se inscrever na internet ou no local do evento. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail coordparforuepa@yahoo.com.br ou pelo telefone 3299-2232.
Desde 2009 o Parfor Uepa é responsável em formar e graduar professores da educação básica da rede pública de ensino. O programa formou, até este ano, 1.409 alunos-professores. Atualmente são ofertados onze cursos de licenciatura. São 1,5 mil alunos distribuídos em 53 turmas em 22 municípios do Estado.
Texto:
Fernanda Martins

Sespa faz simpósio para discutir diagnóstico e tratamento das hepatites
No dia 30 deste mês o Hangar Convenções e Feiras da Amazônia recebe o IV Simpósio de Hepatologia da Amazônia, que ocorre durante a programação do I Congresso da Santa Casa de Misericórdia. O objetivo é reunir profissionais de saúde para discutir diagnóstico precoce, o manejo adequado dos eventos adversos e as mais recentes conquistas para o tratamento das hepatites virais no Pará.
Conduzido pela Coordenação Estadual de Hepatites Virais da Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa), o simpósio terá a participação de especialistas que abordarão a situação atual das hepatites no Pará e no Brasil; os avanços, estratégias e as perspectivas alusivas às políticas públicas, aos modelos de atenção, ao diagnóstico e tratamento - com ênfase às novas drogas, aos cuidados com pacientes renais crônicos e acometidos de HIV/ Aids, além do cenário envolvendo aspectos do câncer de fígado e transplante hepático.
O dia inteiro de painéis vai mobilizar profissionais oriundos dos órgãos públicos de saúde do Estado do Pará e do Ministério da Saúde, além de universidades públicas, como a Universidade Federal do Pará (UFPA) e Universidade do Estado do Pará (Uepa), e privadas, órgãos de pesquisas, como o Instituto Evandro Chagas, entidades representativas e organizações não governamentais.
Segundo a coordenadora estadual de Hepatites Virais, Cisalpina Cantão, o ponto de partida das discussões do Simpósio será o combate à subnotificação de casos da doença por meio de estratégias que visam à maior adesão ao teste rápido e, em caso de sorologia positiva, ao tratamento disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Quanto mais cedo se descobre que tem hepatite, melhor para o indivíduo. O diagnóstico precoce será decisivo para o sucesso da terapia”, explica.
Atuam também na organização do simpósio as equipes técnicas da Santa Casa de Misericórdia do Pará, Instituto Evandro Chagas e do Amazônia Transplantes. Apoiam o evento a Sociedade Brasileira de Hepatologia, o Banco Social de Doação de Órgãos, do Conselho de Responsabilidade Social da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), Bristrol-Myers Squibb, Alexion e Bayer.
Centro e trinta vagas estão abertas gratuitamente para quem se interessar em participar só do simpósio. Informações pelo telefone (91) 4006-4810, mas as inscrições podem ser feitas pelo e-mail cehv.sespa@hotmail.com.
Texto:
Mozart Lira

Fenômeno da Superlua poderá ser visto de graça no Planetário do Pará
Para dar aos belenenses a oportunidade de melhor percepção do fenômeno da Superlua, que não ocorre há 70 anos, o Planetário e Centro de Ciências da Universidade do Estado do Pará (Uepa) abre as portas das 18h às 22h desta segunda-feira (14), colocando os telescópios à disposição do público gratuitamente.
A lua cheia é objeto de inspiração para poetas e apaixonados e faz sucesso também nas redes sociais. Os admiradores do satélite da Terra terão um dia especial na próxima segunda. “Essa não é apenas uma Superlua, e sim uma ‘super Superlua’. Além de a lua estar mais perto da Terra, a Terra estará mais próxima do sol, fazendo com que haja um aumento no tamanho da lua avistada no céu e também no brilho”, explica o técnico em Física do Planetário, Victtor Takeshi.
A distância média entre a Terra e a lua é de 384.403 quilômetros. Assim como os planetas descrevem uma trajetória elíptica ao redor do sol, a lua descreve a mesma trajetória ao redor da terra. Nesse caso, quando o satélite natural se localiza no ponto mais próximo da terra (perigeu), na fase cheia, a 347 mil quilômetros, ocorre a Superlua regular. Ou seja, o fenômeno acontece quando a lua está completamente iluminada pelos raios solares na menor distância possível do planeta Terra. A coincidência que marca a próxima Superlua é a de que a Terra também se encontrará mais perto do sol.
A atividade no Planetário começa às 18h, com uma demonstração feita por Takeshi, para explicar o fenômeno do ponto de vista físico para os presentes. A observação da lua terá início às 19h, quando as pessoas poderão ver a Superlua em três telescópios. A programação é gratuita. O Planetário e Centro de Ciências do Pará fica na avenida Augusto Montenegro, próximo ao Mangueirão.
Texto:
Fernanda Martins

Hospital Regional em Paragominas implanta Núcleo de Epidemiologia
O Hospital Regional Público do Leste, em Paragominas, nordeste do Pará, é a primeira unidade hospitalar administrada pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano no Estado a criar o Núcleo Hospitalar de Epidemiologia, que será responsável pela coleta, análise e interpretação sistemática de dados de saúde essenciais para o planejamento e implementação de práticas integradas à disseminação de informação, em tempo adequado ao desenvolvimento assistencial da saúde dos usuários.
Com o núcleo, o hospital passará a planejar o uso das medicações fornecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para tratamento de doenças de notificação compulsória. Segundo o diretor de Enfermagem, Clóvis Guse, a partir deste momento, os funcionários terão o esquema vacinal atualizado, a partir do apoio de parcerias com os órgãos de vigilância em saúde das esferas de governo. Para a criação do núcleo, o hospital firmou parceria com vários órgãos.
Antecedendo a implantação do núcleo, os parceiros fizeram visita técnica ao hospital no começo deste mês. Na ocasião foram definidas as competências e responsabilidades de todas as partes envolvidas no processo. “Temos um balanço positivo sobre o mais novo serviço que estreitou relações entre o hospital e a vigilância em saúde estadual, regional e municipal, visando o atendimento de qualidade ao usuário, atenção à saúde do funcionário e indicadores de epidemiologia para elencar estratégias de controle e prevenção de doenças e agravos”, disse o diretor de Enfermagem.
O Hospital Regional do Leste (que fica na Rua Adelaide Bernardes, s/n, no bairro Nova Conquista) oferece 70 leitos – 20 de unidade de terapia intensiva (UTI) – e dispõe ainda de clínica médica e cirúrgica, nas especialidades de neurologia/ neurocirurgia, traumatologia/ortopedia, cirurgia geral e suporte de anestesia, além de consultas ambulatoriais em cardiologia, clínica cirúrgica, clínica médica, neurologia/ neurocirurgia, urologia, ginecologia, endocrinologia, mastologia, traumatologia/ortopedia. Informações pelos telefones (91) 3739-1046, 3739-1253 e 3739-1102.
Texto:
Vera Rojas

Mangal das Garças e Estação funcionam no feriado de Proclamação da República
A organização social Pará 2000 informa o horário de funcionamento do Mangal das Garças e da Estação das Docas no feriado prolongado da Proclamação da República. Neste sábado (12), domingo e na terça-feira (15), o Mangal abre das 9h à 18h; na segunda-feira (14), estará fechado para manutenção. Na Estação os horários são: 10h às 3h, no sábado; 9h à meia-noite no domingo; e 10h às 22h, na segunda e terça-feira.
Texto:
Fernanda Scaramuzzini

Centro Jean Bitar investe em tecnologia e retoma cirurgias por vídeo
O Centro Hospitalar Jean Bitar retomou o procedimento de cirurgia laparoscópica, método cirúrgico minimamente invasivo que agiliza o atendimento. O procedimento em vídeo garante, entre outros benefícios aos pacientes, menor trauma cirúrgico e sangramento intra-operatório, menos dor pós-operatório, diminuição da quantidade de analgésicos após a cirurgia e recuperação mais rápida. Isso sem contar com menor tempo de internação, reduzindo, inclusive, a taxa de infecção.
Especialista em cirurgia geral, o diretor clínico do hospital, Luiz Nazareno França de Moura, 51, explica que os equipamentos laparoscópicos sofreram o desgaste natural do tempo, e a substituição exigiu a suspensão temporária do procedimento, desde abril. Agora, o Jean Bitar faz a média diária de duas cirurgias por vídeo. “É uma tecnologia que evolui rapidamente. Hoje os cirurgiões podem acessar praticamente todos os órgãos do corpo humano com câmeras e monitores em vídeo”, afirma.
A paciente Jovelina Araújo Vaconcelos, 59, que passou pelo procedimento, destaca a segurança e a rapidez na recuperação da cirurgia de colecistectomia videolaparoscopia, com retirada de pedra na vesícula, feita em 1 de novembro e com alta médica no dia seguinte. “Estou muito bem graças aos médicos do Jean Bitar. Já estou em casa com minha família, com quem vou passar um Natal mais feliz”, diz.
Com 70 leitos, o Jean Bitar mantém o título de único laboratório de habilidades videolaparoscópicas da região, além de ser referência estadual para endoscopia digestiva, endocrinologia, reumatologia, geriatria, pneumologia e clínica médica, que é essencial para a assistência de média e alta complexidade do perfil de serviços do hospital, que atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).
Luiz Nazareno França de Moura, que também é especialista em cirurgia do aparelho digestivo, coloproctologia e terapia nutricional, frisa os investimentos da atual gestão do hospital, que não apenas substituiu os antigos equipamentos, como também adquiriu outras tecnologias, viabilizando cirurgias mais especializadas como a de colo e estômago. No entanto, ele observa a importância da avaliação criteriosa para a indicação do procedimento.
Com o resgate do serviço, o diretor clínico informa que as cirurgias estão sendo efetivadas de acordo com a demanda, tendo em vista que o hospital dispõe de ensino e pesquisa junto aos residentes de Medicina, que passarão a fazer parte desse tipo de procedimento. “Futuramente as cirurgias serão todas em vídeo”.
Para o diretor executivo do Jean Bitar, Giovani Merenda, o retorno do serviço aos usuários foi um desafio superado com planejamento de ações e de recursos destinados para aquisição dos equipamentos necessários para dar suporte e segurança aos pacientes e à equipe de profissionais, durante as cirurgias com vídeo. “Estamos destinando esforços para oferecer o que há de melhor aos nossos pacientes e, isso inclui recursos humanos, tecnologia, estrutura hospitalar e humanização”, enumera. O Centro Hospitalar Jean Bitar fica na Rua Cônego Jerônimo Pimentel, Umarizal, em Belém. Mais informações: (91) 3239-3800.
Texto:
Vera Rojas

Marinha do Brasil reconhece trabalho de controle de endemias do Estado
Com o objetivo de prestar agradecimentos e reconhecimento aos serviços prestados à Marinha do Brasil, foi concedida na última sexta-feira (11) a Medalha Amigo da Marinha. O diretor do Departamento de Controle de Endemias da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Bernardo Cardoso, representou a instituição ao ser condecorado no Dia Nacional do Amigo da Marinha. Durante a cerimônia foram homenageadas 26 personalidades da cidade de Belém.
“A Sespa, por meio do Departamento de Controle de Endemias, vem prestando relevantes serviços à Marinha, de atendimentos médicos a ensinamentos por meio de capacitações no combate à dengue, zika, chikungunya e malária aos serviços de acompanhamento feitos nos rios às comunidades ribeirinhas do Estado, principalmente da Ilha do Marajó. O objetivo desse acompanhamento é verificar onde existe foco de determinada patologia para ser combatida”, explicou Bernardo Cardoso.
Durante o ano foram executadas diversas ações de controle vetorial ao Aedes aegypti, envolvendo órgãos, secretarias, instituições como Bombeiros, Exército e Aeronáutica, universidades e ONGs. A Marinha do Brasil recebeu cursos e capacitações da Sespa para disseminar as informações à população.
“A condecoração é o reconhecimento e o agradecimento da Marinha a autoridades e instituições que têm contribuído para divulgação não só da importância da Marinha de guerra, mas de todas as atividades marítimas, todos os elementos do poder marítimo, para o crescimento do nosso país”, disse o vice-almirante Alípio Jorge, comandante do 4º Distrito Naval.
Os números do 14º Informe Epidemiológico da Sespa sobre os casos de dengue, zika e febre chikungunya registrados no Pará mostram que, em 2016, até o dia 17 de outubro, foram contabilizados 6.052 casos de dengue, 2,2 mil de zika e 420 de febre chikungunya. As ações de combate à dengue são competência dos municípios, que devem cumprir metas. Entre os procedimentos que devem ser feitos estão vistorias domiciliares por agentes de controle de endemias.
Paralelamente, a Sespa faz o monitoramento dos 144 municípios, que receberam o incentivo do Ministério da Saúde para vigilância, prevenção e controle da dengue, e orienta as prefeituras sobre o uso correto de inseticidas (larvicidas e adulticidas). A secretaria também promove visitas técnicas aos municípios para assessoramento das ações do programa da dengue, além de apoiar a capacitação para o atendimento de casos de febre chikungunya e zika.
Quando há necessidade, a Sespa faz o controle vetorial, como bloqueio de transmissão viral nas localidades, e articula ações com órgãos municipais de saneamento e limpeza urbana, tendo em vista a melhoria da coleta e destinação adequada de resíduos sólidos. Também são realizadas ações educativas e de mobilização, para incentivar a participação da população no controle da dengue.
Texto:
Carla Fischer

Mundiar faz encontro para traçar metas para o próximo período letivo
A universitária do curso de serviço social Fabiana Freitas, 21, há dois anos só tinha como perspectiva de futuro concluir o ensino médio. Como já havia repetido o oitavo ano do ensino fundamental, tinha entrado para as estatísticas da distorção ano/ série quando decidiu concluir os estudos na Escola Estadual Augusto Montenegro usando a metodologia de ensino Mundiar, projeto da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) em parceria com a Fundação Roberto Marinho que visa minimizar esse quadro e combater a evasão escolar.
O projeto usa o sistema de ensino Telessala, com televisão e aulas em DVD no programa de atividades de interação entre disciplinas. “Com a metodologia de ensino, que tem uma unidocente que nos orienta a entender as disciplinas, vivenciamos uma nova forma de aprendizado, e com o estimulo da nossa professora Ester Braga, ganhamos também muita vontade de ir adiante e entrar para uma faculdade. Somente da minha sala fomos sete aprovadas no vestibular em 2014. Não quero parar por aqui. Depois de graduada vou continuar estudando e seguir em especializações em outros cursos”, detalhou Fabiana.
Atualmente o Pará tem 34 mil alunos matriculados no ensino público na metodologia Mundiar. Segundo o coordenador estadual do projeto, Marcos Lopes, os resultados positivos da ação, implantada em 2014, se refletem no grande número de alunos aprovados no vestibular.
Para definir as estratégias do programa para 2017 e aumentar o número de alunos matriculados e motivados a continuar os estudos, a Seduc promoveu, no auditório da faculdade Estacio-FAP, na quinta (10) e sexta-feira (11), reunião geral do projeto com o objetivo de socializar as ações desenvolvidas junto às escolas e a mobilização para matrícula de turmas ano letivo 201.
“Também alinhamos as orientações em relação ao funcionamento do projeto, da implementação da metodologia telessala, do cumprimento do calendário letivo e das demais tarefas. No primeiro momento o encontro envolveu 20 coordenadores do Mundiar da região metropolitana de Belém, mas a formação chegará a todos os municípios que têm a metodologia de ensino por videoconferências para otimizar os indicativos da modalidade de ensino”, detalhou Marcos Lopes.
A coordenadora do Mundiar da 1ª Unidade Seduc na Escola (USE 1), Natali Costa, explica os principais resultados do projeto nas escolas da unidade. “Os números apresentados mostram redução da evasão escolar e principalmente alunos aprovados em vestibulares, o que nos dá muita satisfação. Em 2014 foram 14, o que nos dá muito mais estimulo para continuar trabalhando no Mundiar”.
Texto:
Kátia Aguiar

Obras vão possibilitar a visitação de sítios arqueológicos em Monte Alegre
Ocorreu na última quinta-feira (10) a cerimônia para assinatura da ordem de serviço para a construção do complexo de musealização de dois sítios arqueológicos na Serra da Lua e Pedra do Mirante, do Parque Estadual de Monte Alegre, gerido pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado (Ideflor-bio).
O evento, organizado pelo Ideflor-bio e pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), ocorreu no auditório da Escola Tecnológica de Monte Alegre e teve a participação do presidente do Ideflor-bio, Thiago Valente, além de outras autoridades do Estado e locais e comunidades. O documento foi assinado pela Semas e pela empresa Peixoto Engenharia Ltda., responsável pelas obras do complexo, que devem ser concluídas em 14 meses.
O objetivo do complexo de musealização é proporcionar à população a possibilidade de visitar os dois sítios arqueológicos, com acesso controlado, e criar um centro de visitantes para dar apoio à visitação ao Parque Estadual de Monte Alegre, contribuindo para a preservação. Espera-se que a população do entorno do parque, municípios vizinhos, escolas municipais e estaduais e turistas regionais, nacionais e estrangeiros sejam frequentadores do local.
Segundo o gerente do Parque Estadual de Monte Alegre, Otávio Peleja de Sousa, a economia do município será desenvolvida, principalmente, para as comunidades do entorno. “Elas poderão aproveitar para gerar renda, o que promoverá um desenvolvimento pautado nas premissas da sustentabilidade”, explicou.
Dentre vários sítios, o parque foi contemplado tendo como base a avaliação técnica de especialistas, considerando as condições de acesso, importância do patrimônio a ser exposto, condições de conservação, situação e vulnerabilidade, análise da paisagem e seu entorno, exame do potencial e da região em que está situado, existência de infraestrutura local, interesse da população do entorno do sítio, além da possibilidade de fomento à economia sustentável.
Com as obras, as estruturas do sítio Serra da Lua contarão com escada para subida, paradouros no sopé da serra, na metade da subida e no platô em frente ao painel principal, trilha com guarda corpo e interpretação com quatro estações. O sítio Pedra do Mirante contará com guarda corpo, piso elevado, área coberta para proteção do sol, além de estacionamento, guaritas de vigilância e centro de visitantes.
Texto:
Denise Silva

Em Gurupá, Polícia Civil investiga crime cometido contra mulheres em redes sociais

A Polícia Civil do Pará instaurou inquérito policial para investigar denúncias de cyberbullying, crime cometido por meio de redes sociais, no município de Gurupá, no Arquipélago do Marajó. Moradores da cidade tiveram fotos pessoais usadas indevidamente em montagens, conhecidas na internet como "memes", e divulgadas por meio de grupos de WhatsApp e em páginas no Facebook.
Dois suspeitos da autoria das montagens foram conduzidos coercitivamente, por ordem judicial, para prestar depoimento nesta sexta-feira (11), à Delegacia do município. Com eles, policiais civis e militares apreenderam nove aparelhos de telefonia móvel, um tablet e sete pendrives, além de três computadores portáteis e um monitor. Os objetos apreendidos serão periciados para apurar se foram usados nas postagens.
Constrangimento - Segundo o delegado titular da Polícia Civil de Gurupá, Geraldo Pimenta, a investigação teve início depois que três mulheres, moradoras da cidade, procuraram a Delegacia para denunciar o crime cometido em redes sociais. Elas mostraram ao policial civil os "prints" das montagens postadas em que suas imagens, postadas em páginas pessoais no Facebook, foram usadas indevidamente em memes do tipo "expectativa x realidade", em que duas fotos eram postadas lado a lado para serem comparadas.
Em uma das fotos, em que estava a palavra "expectativa", foram usadas fotos de mulheres em propagandas de festas de música eletrônica (rave), expostas na internet, e ao lado, na montagem, foi usada uma foto em que as três moradoras da cidade aparecem em um evento ocorrido no município, com a palavra "realidade". Os memes foram compartilhados em redes sociais e em grupos de WhatsApp de moradores de Gurupá, até chegarem ao conhecimento das vítimas. "As montagens tinham como objetivo causar constrangimento às pessoas", afirmou o delegado. 
Ainda de acordo com Geraldo Pimenta, os dois suspeitos foram identificados e tiveram os mandados de condução coercitiva expedidos pela Justiça de Gurupá, para serem ouvidos no inquérito policial. Em depoimento, eles negaram a autoria das montagens, mas admitiram que receberam os memes em um grupo de WhatsApp e compartilharam as montagens em outros grupos. Após os depoimentos, os suspeitos foram liberados. Outras duas pessoas são investigadas sob suspeita de envolvimento no crime virtual.

Texto:
Walrimar Santos

Cineclube Alexandrino Moreira exibe 'Amargo Triunfo' na próxima segunda
O filme “Amargo Triunfo”, de Nicholas Ray, está na programação do Cineclube Alexadrino Moreira, da Fundação Cultural do Pará (FCP), nesta segunda-feira (14). A sessão começa às 19h e tem entrada franca, na Casa das Artes (Praça Justo Chermont, 236, ao lado da Basílica Santuário, em Nazaré).
Ambientado durante a Segunda Guerra Mundial, o longa conta a história de Major Brand (Curd Jürgens), covarde e indeciso das forças armadas que recebe, sem merecer, uma condecoração por bravura em combate. Mas o fato da indicação ter partido de um charmoso e destemido Capitão Leith (Richard Burton) que no passado foi amante de sua mulher transforma a honraria em fonte de ódio e desejo de vingança.
O filme de 102 minutos é considerado por muitos à frente de seu tempo, por conter questionamentos morais, como era costume de Nicholas Ray. Após a projeção será feito um debate promovido pela Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA).
Texto:
Andreza Gomes

Governo e Alepa entregam 21 ambulâncias para reforçar atendimento na Atenção Básica
O Pará é um dos três Estados brasileiros que destinam investimentos à Atenção Básica nos municípios. É uma decisão de governo fundamental para a manutenção da assistência à saúde no Pará, e que nesta sexta-feira (11) foi reforçada com a entrega de 21 ambulâncias e uma ambulancha para municípios de diversas regiões. Os veículos foram entregues pela manhã, em cerimônia no Palácio do Governo, com a presença do governador Simão Jatene, de gestores municipais, deputados e secretários estaduais e municipais.
O investimento é superior a R$ 1,8 milhão. O recurso destinado a equipamentos para o atendimento na Atenção Básica é fruto de uma parceria do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), com a Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa).
Para o governador Simão Jatene, a iniciativa de planejar em conjunto com o Parlamento a destinação dos recursos é um ganho social muito importante. “Cada vez mais o Executivo estadual ficará com os grandes projetos, que são mais complexos, mas nem por isso deixam de ser importantes os atendimentos das demandas pontuais dos municípios, em que os próprios deputados, organizadamente, terminam sendo os grandes protagonistas através da apresentação das suas emendas de forma unificada. O que está acontecendo é que se está dando uma melhor qualidade para a aplicação, para o gasto, e isso, no momento de crise, é muito importante”, avaliou Simão Jatene, reiterando que os recursos vêm do contribuinte.
“É por isso que eu festejo não só o avanço, no sentido de que isso contribui pra ajudar a melhorar o atendimento da população, mas também a possibilidade dessa articulação e melhor utilização dos recursos, através de uma parceria clara e bem definida entre Legislativo e Executivo estadual, que contribui para melhorar o atendimento da população na área da saúde”, ressaltou o governador.
Novas demandas - A parceria do Governo do Pará com a Alepa acontece cotidianamente desde 2013. Até hoje, já foram entregues 170 ambulâncias, informou o secretário de Estado de Saúde Pública, Vítor Mateus. “Essa é uma grande contribuição que o Estado está dando aos municípios, para que a gente consiga ter na atenção primária questões que são fundamentais para preservar a saúde das pessoas”, afirmou o secretário, acrescentando que o Estado deve incrementar a relação com o Legislativo na área de saúde, apresentando aos deputados outras demandas nessa área.
“Nós estamos criando uma nova estratégia, uma nova relação com o Parlamento. Vamos fazer uma exposição das carências de material e equipamentos em cada região, em cada município, e a partir daí cada deputado vai poder identificar e encaminhar essas emendas. A gente quer ter o entendimento dos deputados, para que eles, através das suas emendas, possam atender essas necessidades da assistência da rede municipal, que vai ser beneficiada”, explicou Vitor Mateus. Segundo ele, a medida vai atender a população de forma mais efetiva.
O presidente da Alepa, Márcio Miranda, disse que para o Parlamento do Pará é muito importante estreitar, ainda mais, as relações com o Executivo, a fim de potencializar o uso dos recursos públicos. ''Nós, parlamentares, visitamos todos os municípios. Há demanda de toda espécie, e é muito difícil para o deputado fazer a escolha de qual item colocar na emenda. Esse projeto nos ajuda a identificar as demandas para discutir com o Executivo e, em conjunto, alcançar um resultado que deixe o município bem posicionado”, destacou Márcio Miranda, para quem o estreitamento da relação leva a classe política a pensar coletivamente. “Para nós está muito bom esse nível do programa e o nível da relação com o Governo do Pará”, afirmou.
Beneficiados - As emendas parlamentares de autoria dos deputados estaduais Márcio Miranda, Cilene Couto, Sidney Rosa, Thiago Araújo, Miro Sanova, Carlos Bordalo, Coronel Neil, Eduardo Costa, Eraldo Pimenta, Iran Lima, Luis Seffer, Raimundo Belo e Renato Ogawa, que proporcionaram a compra das ambulâncias, beneficiaram diretamente os municípios de Ananindeua, Augusto Corrêa, Aurora do Pará, Baião, Belém, Bom Jesus do Tocantins, Castanhal, Igarapé-Miri, Inhangapi, Moju, Paragominas, Peixe-Boi, São Geraldo do Araguaia, São João de Pirabas, Tomé-Açu, Ulianópolis, Uruará, Xinguara e Afuá (este com a ambulancha).
Salvar vidas - Para o prefeito Nilton Farias, do município de Baião, a ambulância vai contribuir para salvar vidas. “Nós entendemos que é uma grande iniciativa do governo do Estado. É uma política pública acertada, viabilizada pela Assembleia Legislativa e que, portanto, muito importante pro povo de Baião. Eu acho que, realmente, é uma grande obra. Nós estamos muito agradecidos, e o objetivo principal de todas essas ações é salvar vidas e melhorar a saúde do nosso povo”, declarou.
A prefeita de Augusto Corrêa, Romana Reis, destacou a importância da ambulância para o município. “É uma atitude muito importante por parte do governador do Estado estabelecer políticas públicas dessa natureza, para que a população seja atendida nos mais longínquos municípios, como é o caso de Augusto Corrêa, onde ainda há uma deficiência de ambulâncias. Aquilo que parece muito pequeno é um ato grandioso pratoda população do Pará”, ressaltou Romana Reis.
Texto:
Dani Filgueiras

Palestra em congresso da Uepa orienta como envelhecer de maneira saudável
Atividade física, alimentação equilibrada e controle do estresse podem prolongar a vida do indivíduo. A afirmação é do presidente de honra da Rede Euroamericana de Motricidade Humana, Estélio Dantas, que proferiu a primeira palestra do IX Congresso Euroamericano de Motricidade Humana, nesta sexta-feira (11). Promovido em parceria pela Universidade do Estado do Pará (Uepa) e a Faculdade Cosmopolita, o evento traz a Belém profissionais da América Latina e Europa para debater o tema “Envelhecimento saudável: aspectos multidisciplinares de intervenção”. O congresso segue até domingo (13), na Faculdade Cosmopolita e no campus III da Uepa.
Os avanços da pesquisa científica trazem cada vez mais novidades para garantir uma velhice saudável e ativa para os seres humanos. “Algumas pessoas lamentam a chegada da velhice, porém, envelhecer é um privilégio negado para muitos”, ressaltou Dantas, explicando o que ocorre com o avançar da idade. “A cada sete anos, uma pessoa renova todas as suas células; aos 70 anos, ela produziu dez cópias de si. É como ter uma foto original e fazer a fotocópia, e depois uma cópia desta e assim por diante. Na décima, a resolução não será a mesma da original”, resumiu.
Não há ainda um método para prevenir as marcas externas do tempo. Entretanto, cabelos grisalhos e rugas estão longe de ser decreto de uma vida limitada, dependente e sedentária. “Pesquisas comprovam que não há idade limite para adotar a prática de exercícios físicos, ou para mudar a alimentação, buscar hobbies e fontes de lazer. É possível retardar o processo de envelhecimento biológico e outros danos causados durante a vida”, orientou.
O sedentarismo é tido atualmente como um dos maiores vilões do envelhecimento saudável. Para se ter ideia, sete horas ininterruptas de inatividade causam mal equivalente a fumar um cigarro. Por isso, o presidente ressaltou a importância da prática de atividades físicas. “Treino de resistência (musculação), aeróbico (caminhada, dança e lutas) e alongamento devem ser feitos com certa frequência. Quando falamos em musculação, por exemplo, é óbvio que a pessoa idosa praticará o exercício em uma intensidade adequada. Temos um grupo de pesquisa que acompanha a prática de capoeira por pessoas da terceira idade”, contou.
Ele comentou ainda a reação em cadeia positiva que a atividade física pode criar na vida das pessoas na melhor idade. “O idoso que tem autonomia, tem mais qualidade de vida. Desta forma, ele se torna uma pessoa mais feliz e acaba colhendo outros benefícios. Além disso, a prática dessas atividades normalmente é feita em grupo, o que estimula a socialização, outro fator importante para uma vida mais salutar”, concluiu.
Quem ainda quiser participar do congresso pode se inscrever no site do evento. Para os estudantes é cobrada a taxa de R$ 100, que dá direito a três minicursos; para profissionais o valor é R$ 150. O congresso terá na programação o simpósio temático, em que intelectuais e científicos designados pelas universidades-membro da Rede Euroamericana de Motricidade Humana e convidados pela comissão científica apresentarão temas em conferência.
Haverá também atividades institucionais, que serão um espaço dedicado à secretaria geral da rede, com ações paralelas ao congresso. A parte científica terá a apresentação das investigações e experiências profissionais, feitas pelo corpo docente e discente das universidades filiadas. A programação completa pode ser vista aqui.
Texto:
Fernanda Martins

Começa em Paragominas a edição 2016 do Painel de Bandas de Música
Maestros e instrumentistas com vasta experiência em bandas sinfônicas, além de docentes de Instituições de Ensino Superior (IES) em Música, integram a equipe de 11 professores que participam da edição 2016 do Painel de Bandas de Música. O evento começou nesta sexta-feira (11), às 09 h, na Faculdade de Ensino Superior de Paragominas, município do sudeste do Pará, onde estão sendo realizadas as oficinas musicais.
O encerramento será no próximo dia 15, feriado da Proclamação da República, às 10 h, com um concerto que reunirá alunos e professores, apresentando o repertório trabalhado em sala de aula com diversos instrumentos musicais. 
Este ano, mais de 350 pessoas se inscreveram para participar do Painel. Foram ofertadas 30 vagas em cada um dos cursos de capacitação em instrumentos de percussão e sopro (flauta, clarineta, saxofone, trompa, trompete, trombone, bombardino e tuba), e oferecidas oficinas de percepção musical, instrumentação e arranjo, reparo e manutenção de instrumentos de sopro, prática de conjunto e regência de banda. 
O evento é uma parceria entre a Fundação Nacional de Artes (Funarte) e a Fundação Carlos Gomes (FCG), que desde 2011 promovem os cursos em municípios do interior do Estado. Graças à parceria, já foram realizados cursos nos municípios de Vigia de Nazaré e Bragança, na região nordeste, e Ponta de Pedras e Salvaterra, no Arquipélago do Marajó.
Os músicos de renome nacional ministram aulas durante os cinco dias de duração do Painel. Ao final, eles fazem apresentações, divididos em classes de instrumentos, e também integrando as bandas sinfônicas formadas especialmente para o Painel.
Referências dos professores que participam este ano do Painel de Bandas de Música em Paragominas.
Mônica Giardini (Regência) - Doutora e mestre pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), com formação em Piano, e bacharel em Violão e Pedagogia Plena. Estudou Regência Orquestral e de Banda. Foi assistente na Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo entre os anos 1988 e 1990. Participou como regente em diversas conferências e congressos de Bandas Sinfônicas no Brasil, África do Sul e Argentina. É regente titular da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo (BSJESP) e atua como clinician (professora e conferencista) do Sopro Novo Bandas, da Yamaha do Brasil, tendo escrito e publicado o Caderno de Regência, coleção deste projeto.
Dario Sotelo (Regência) - Formado em Piano, Violino e Viola, é mestre em Regência Orquestral pela City University (em Londres). Foi regente da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí (SP). Atualmente, é regente da Banda Sinfônica e professor de Regência Instrumental em Tatuí. Atuou com importantes grupos sinfônicos e camerísticos, e nos mais importantes festivais de música em atividade no País. Criou a Conferência Ibero-Americana de Compositores, Arranjadores e Regentes de Banda Sinfônica em Tatuí, e foi o coordenador geral e artístico nos anos de 2002 e 2004, e do IV e V Congresso Ibero-Americano de Compositores, Arregladores y Directores de Banda Sinfônica e Ensembles, na Espanha, em 2008 e 2013. 
João Victor Bota (Arranjo) - Graduado em Composição pelo Instituto de Artes da Universidade de Campinas (Unicamp) e mestre em Música pela mesma instituição, onde, desde 2013, desenvolve seu doutorado sob orientação da professora doutora Denise Garcia. De 2009 a 2013, atuou como professor de Orquestração, Análise Musical e  Percepção e Solfejo na Escola de Música do Estado de São Paulo (Emesp). Em 2010, foi premiado pelo Concurso Funarte de Composição Clássica. De 2005 até 2012 trabalhou como técnico em transcrições musicais junto aos Corpos Artísticos do Município de Cubatão (SP). Desenvolveu, em 2005, um DVD-Rom didático de Instrumentação e Orquestração, como parte integrante do projeto de Iniciação Científica na Unicamp.
Fábio Adour (Percepção Musical) - Iniciou seus estudos de Violão erudito em 1991, sob orientação de Nicolas de Souza Barros e, posteriormente, de Turíbio Santos. Bacharel em Violão pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), concluiu, em março de 1999, o Mestrado em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), defendendo a dissertação “Sobre a Composição para Violão”. Aos 26 anos já tem uma grande experiência didática. Outras atividades ainda ampliam o seu universo musical. É compositor, tendo algumas de suas obras executadas nos mais recentes panoramas e bienais da música brasileira contemporânea.
Luis Caldana (Percussão) - Formado em Tímpanos, Percussão e Acessórios pelo Conservatório de Tatuí e graduado pela Faculdade Asseta, frequentou aulas com alguns dos principais percussionistas brasileiros. Atuou em oito diferentes edições do Festival de Inverno de Campos do Jordão (SP) e no Projeto Pró Bandas (1997 a 2007). Ministrou cursos em eventos internacionais, incluindo Estados Unidos, México, Hungria e Costa Rica. Atualmente, é coordenador da área de Percussão Erudita e do Grupo de Percussão de Tatuí, timpanista da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí e professor da Escola Livre de Música, em Itapetininga (SP).
Cleber Campos (Percussão) - É doutor pelo Núcleo Interdisciplinar de Comunicação Sonora (Nics-Unicamp), desenvolve pesquisa com ênfase na interação dos instrumentos de percussão e processos tecnológicos, no contexto da música contemporânea. Atuou como professor efetivo de percussão erudita na Universidade Adventista de São Paulo (Unasp) e no Conservatório Dramático e Musical de Tatuí "Dr. Carlos de Campos" (CDMCC). Como intérprete, atuou em concertos de âmbito internacional, ao lado de importantes percussionistas. Atualmente, é professor de Percussão Erudita e Bateria da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e coordenador do curso de Pós-Graduação "Lato Sensu" em Práticas Interpretativas dos Séculos XX e XXI.
Carlos Rieiro (Clarinete) – Natural de Buenos Aires, Argentina, Rieiro é formado em Capacitação Artística e Professorado em Clarinete pelo Instituto Superior de Música de Buenos Aires. Foi convidado para participar como professor nos seguintes festivais: Internacional de Inverno de Campos do Jordão (SP); Inverno de Londrina (PR), Internacional de Gramado (RGS). Ganhou vários concursos, como o de Jovens Solistas da Rádio Nacional de Buenos Aires e Música de Câmara da Camerata Bariloche da Argentina.
Rodrigo Capistrano - Diplomado em Saxofone e pós-graduado em Música de Câmara pela “Escola de Música e Belas Artes do Paraná”. É autor de pesquisa musicológica intitulada “O repertório brasileiro para saxofone na música de câmara” (1° trabalho acadêmico realizado sobre este tema). Em 2005, a convite do Itamaraty, apresentou-se e ministrou workshop na Escola de Artes da Universidade de Gana (África). Desde 1993 tem atuado como saxofonista convidado na Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP), em concertos e gravações. Já atuou como solista à frente da Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, Orquestra Sinfônica do Paraná, Orquestra à Base de Corda (CMPB de Curitiba), Orquestra Filarmônica Juvenil da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo e Banda Sinfônica da Embap. Atualmente, é professor de Saxofone e Música de Câmara da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap-Unespar).
Gilvando Silva (Trombone) - Mestre em Práticas Interpretativas (Trombone) pela  Universidade Federal da Paraíba. É membro fundador e presidente da Associação Brasileira de Trombonistas (ABT). Exerceu a função de trombonista titular na Orquestra  Sinfônica Jovem da Paraíba de 1989 a 1994, na Sinfônica da Paraíba de 1994 a 1998 e da Orquestra Metalúrgica Filipéia de 1989 a 1996. É fundador do Quarteto de Trombones da Paraíba desde 1990, no qual participou de importantes eventos no Brasil e no exterior. Atualmente, desenvolve suas atividades artístico-culturais no Quarteto de Trombones da Paraíba, no Sexteto Potiguar e no Grupo PotiBones  da Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (EMUFRN) e como professor de Trombone nos cursos Técnico e Bacharelado da Escola de Música da UFRN.
Naílson Simões (Trompete) - É professor titular da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), onde desenvolve intensa atividade acadêmica nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. Fez mestrado em 1986, em Boston, e doutorado em 1991, em Washington D.C., nos Estados Unidos. Ajudou na difusão e influência da Escola de Trompete de Boston em quase todo o território nacional. Foi membro das orquestras Sinfônicas de Recife (PE), Estadual de São Paulo (SP), Paraíba, Filarmônica do Norte-Nordeste (PB) e Municipal de Campinas. Em 1980 fundou o Quinteto Brassil, com o qual gravou três CD’s. É membro do Art Metal e Banda Anacleto de Medeiros, coordenador do Grupo de Trompetes da Unirio e do Quinteto Unirio Metais. Participa dos projetos “Escola Portátil de Música” e “Volta Redonda-Cidade da Música”.
Texto:
Rosa Cardoso

Emater apresenta a estudantes a importância da alimentação saudável
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) participou nesta sexta-feira (11), com a presença de estudantes da rede pública, na Praça Batista Campos, da culminância de uma programação alusiva ao Dia Mundial da Alimentação. Participaram também outros parceiros, a partir de articulação do Ministério Público do Estado. O evento tratou de novas práticas de alimentação diante das alterações climáticas no planeta.
A chefe do escritório da Emater em Belém, Edigleuma Oliveira, disse que mais de 600 alunos de oito escolas da rede pública movimentaram “um momento de intensa reflexão coletiva, em que nós extensionistas rurais demonstramos que estamos fazendo a nossa parte. A nossa parte é ajudar na produção de alimentos de qualidade”. Ela coordenou o trabalho demonstrativo de 12 extensionistas rurais do escritório de Belém presentes na ação.
A ação foi constituída de explanações e mostras diversas que ressaltaram a importância da alimentação sustentável, chamando a atenção dos participantes para a questão do aproveitamento integral de alimentos, a fim de evitar o desperdício, principalmente de alimentos vegetais, como frutas e verduras. Houve também apresentação de produtos orgânicos, distribuição de cestas de alimentos de produtores assistidos pela Emater e distribuição de cerca de 500 mudas de hortaliças (couve e alface). Também foram distribuídos sucos de laranja e cenoura.
Texto:
Edna Moura

Grupo Engole Choro se apresenta na próxima quarta no Margarida Schivasappa
O Engole Choro, grupo musical paraense, que trabalha com difusão do ritmo choro, comemora o terceiro aniversário com apresentação no Teatro Margarida Schivasappa na próxima quarta-feira (16), dentro do projeto Pauta Livre, da Fundação Cultural do Pará (FCP). O espetáculo se chama “Chorinhos e Chorões” e tem como objetivo exaltar produções regionais. O show contará com a homenagem de compositores da terra, como Luiz Pardal, Adamor Ribeiro e Albert Cordeiro, considerados mestres do gênero no Pará.
O conjunto, formado por cinco pessoas, foi criado em outubro de 2013 e começou com os encontros de alunos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) que apreciavam o gênero musical e se reuniam para estudar o ritmo e composições. As primeiras apresentações foram pela própria universidade. Logo depois os músicos ingressaram na oficina e na orquestra do projeto Choro do Pará, da FCP.
Outros ritmos populares como o baião, polca e lundu também compõem o repertório do Engole Choro. Sobre a apresentação do dia 16, o músico Kauê Lobato diz que o grupo está com grandes expectativas: “Estamos ansiosos”. Ele também falou do edital Pauta Livre, que faz parte do Programa Seiva de Incentivo à Cultura e à Arte da FCP. “É uma iniciativa interessante da fundação e é muito importante para a produção da cultura local”.
Serviço: Show "Chorinhos e Chorões". Quarta-feira (16), às 20h, no Teatro Margarida Schivasappa (Avenida Gentil Bittencourt, 650, Nazaré). Ingressos: R$ 15.
Texto:
Andreza Gomes

Sejudh implanta programa de prevenção ao uso de drogas na Ilha de Outeiro
A Coordenadoria de Prevenção, Tratamento e Redução de Danos do Consumo de Drogas (Cenpren) da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) concluiu nesta sexta-feira (11) a implantação do Programa Educativo sobre Drogas para Jovens na Assistência Social – PedJovem no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Outeiro, distrito de Belém.
Por meio da ação piloto, a Sejudh capacitou os servidores do Cras para trabalharem com a metodologia de intervenção do PedJovem, que trata de forma educativa da prevenção e redução de danos causados pelo uso de álcool e outras drogas para adolescentes em situação de vulnerabilidade social.
A técnica em cidadania e direitos humanos da Sejudh, Elayne Romário, explica que o objetivo da capacitação é expandir o PedJovem e ampliar o atendimento de prevenção ao uso de drogas no Pará. “Como a Sejudh tem limitações de espaço e quantidade de pessoal, a solução que pensamos para expandir o atendimento aos jovens é qualificar os Centros de Referência em Assistência Social, lugares estratégicos para alcançarmos o nosso público por conta da capilaridade em diversos municípios e bairros e também porque o Cras é a porta de entrada para o acesso do cidadão aos programas de benefícios e assistência social do governo”, explicou.
A partir da ação piloto no Cras Outeiro, a Cenpren vai avaliar os resultados e elaborar um plano de capacitação educativa que estenda ação para outras localidades do Pará a partir do ano que vem. A ação tem a parceria da Polícia Civil, Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma) e Faculdade de Serviço Social da Universidade Federal do Pará (UFPA).
Para o coordenador do Cras de Outeiro, Nadilson Neves, a implantação do PedJovem vai aperfeiçoar o atendimento. “Prestamos uma assistência ampla, mas a demanda por um trabalho especificamente voltado ao uso de drogas tem crescido. A capacitação vai nos ajudar a aperfeiçoar o atendimento a essa demanda, pois quando as organizações se unem para atuar com um mesmo foco, a tendência é o fortalecimento das ações relacionadas ao uso de drogas, que é uma necessidade cada vez maior aqui na ilha de Outeiro”, disse.
Texto:
Leba Peixoto

Pré-matrícula de novos alunos da rede pública de ensino começa na segunda-feira
Cerca de 250 mil novas vagas estão sendo ofertadas pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para novos alunos que queiram ingressar no ano de 2017 na rede estadual de ensino. O período de pré-matrícula neste ano começa na próxima segunda-feira, 14, e termina no dia 1º de janeiro de 2017 e podem ser realizadas pelo portal da Seduc no endereço www.seduc.pa.gov.br ou pelo 0800 280 0078, no horário de 8 as 18h, de segunda a sexta-feira.
A pré-matrícula é destinada para alunos que irão estudar pela primeira vez na rede estadual de ensino, oriundos de escolas públicas ou privadas. Para realizar a pré-matrícula pela internet ou pela Central de Atendimento os interessados devem informar os seguintes dados: nome completo, data de nascimento, nome da mãe e endereço completo. Também é preciso informar se é atendido por algum programa social, como Bolsa Família, ou se recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC), no caso de alunos com deficiência.
A coordenadora de Matrícula da Seduc, Suely Domont, fala da importância da família se antecipar e não deixar para última hora a inscrição do aluno. “É importante que os responsáveis não deixem para os últimos momentos para garantirem a reserva de vaga para os seus filhos, pois nos últimos dias a procura é muito grande e acaba deixando o sistema mais lento, por isso o calendário é extenso para justamente garantir com tranquilidade o acesso de todos”, alertou.
A coordenadora também citou a grande oferta de vagas pelo Governo do Estado. “Em virtude dos investimentos feitos em construções de escolas e espaços ampliados, o Governo sempre garante um grande número de vagas, atendendo a demanda da rede estadual e garantindo o atendimento integral do aluno que ingressará na rede estadual”, detalhou.
Confirmação - Para confirmar a matrícula, fase mais importante do processo, os alunos ou responsáveis deverão comparecer à escola na qual se inscreveram, no período de 2 a 4 de janeiro, portando os seguintes documentos: Certidão de nascimento ou casamento (original e cópia); Histórico Escolar ou ressalva (original); Comprovante de residência (cópia); duas fotos 3x4 (idênticas e recentes); Certificado (original e cópia) ou Atestado de Conclusão do Ensino Fundamental (original e cópia) para os alunos que cursarão o Ensino Médio; Comprovante de trabalho para o aluno do período noturno.
A confirmação de matrícula de novos alunos com deficiência será feita no dia 2 de janeiro, mediante a apresentação dos documentos obrigatórios, e de documento que comprove a deficiência do estudante. A não apresentação deste documento não impede o aluno de efetivar a matrícula.

O dia 3 de janeiro está reservado para a confirmação de matrícula dos novos alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental e da 1ª à 4ª etapa da Educação de Jovens e Adultos (EJA) Ensino Fundamental. No dia 4 será a confirmação de matrícula dos estudantes do 1º ao 3º ano do Ensino Médio Regular e 1ª e 2ª etapa do EJA Médio. De 12 a 13 de janeiro será efetuada a matrícula, na própria escola, de novos alunos sem a pré-matrícula e de estudantes com deficiência.
Para os alunos que já fazem parte da rede estadual, a rematrícula é automática. O processo de remanejamento e transferência desses alunos será realizado a partir do resultado final do ano letivo de 2016, previsto para o final de fevereiro. O início do ano letivo de 2017 está previsto para o mês de março.
Dúvidas frequentes:
Período de Matrícula
A rede estadual de ensino vai iniciar o período de pré-matrícula de 14 de novembro a 1ª de janeiro, podendo ser realizada via internet pelo www.seduc.pa.gov.br - 24h por dia, ou pelo 0800 280 0078, de segunda a sexta-feira, de 8 as 18h.
Quem pode se matricular
A pré-matrícula é destinada para aluno que irá estudar pela primeira vez na rede estadual de ensino, oriundo de escola pública ou privada.
Diferença entre pré-matrícula e matrícula
A pré-matrícula serve para que os pais ou responsáveis garantam a reserva de vaga para a escola na qual o seu filho queira estudar ou que esteja mais acessível para a família. Mas a matrícula só é confirmada quando é realizada diretamente na escola para a qual o estudante foi inscrito.
Ensino Fundamental em séries ou de 9 anos
A Secretaria de Educação já está com todo o Ensino Fundamental de nove anos implantado, assim a denominação é 1º ano do Ensino Fundamental, ou 2ª ano e assim por diante, não existindo mais a nomenclatura de séries, como era conhecido antes 1ª série ou 2ª série, por exemplo.
Processo de pré-matrícula 2017
O processo de pré-matrícula 2017 continua sendo realizado da mesma forma de como ocorreu em 2016, com vagas suficientes para atender a todos os estudantes que queiram ingressar na rede estadual de ensino, sendo feito de forma muito organizada e tranquila.
Oferta de vagas para alunos com deficiência
A rede estadual de ensino assegura vaga para todos os estudantes com deficiência, com muitas turmas inclusivas na rede estadual. Esses estudantes têm direito a duas vagas, uma matrícula de escolarização e outra na sala de recursos multifuncionais, garantindo o pleno desenvolvimento das pessoas com deficiência.
Texto:
Eliane Cardoso

Concerto mostra evolução do canto lírico em Belém
Alunos de canto do Instituto Estadual Carlos Gomes e de outras instituições de ensino da música no Pará tiveram a oportunidade de demonstrar tudo o que aprenderam no concerto de encerramento do II Encanta - Encontro de Canto da Amazônia, realizado na noite desta quinta-feira (10) , na Igreja Santo Alexandre, em Belém. O concerto teve a participação de cantores iniciantes e também de profissionais experientes no cenário da música erudita local.
Os participantes cantaram em conjunto algumas cenas de óperas famosas como ‘La Traviata’, de Verdi, e ‘Carmem’, de Bizet. Eles foram acompanhados do pianista João William, professor da Universidade do Estado do Amapá. Mas o momento mais esperado da noite foi a apresentação da soprano portuguesa Ana Ester Neves, que ministrou masterclass de canto para uma turma formada por 25 alunos. No concerto, a soprano fez dueto com o cantor lírico paraense Idaías Souto e com a soprano Kézia Andrade.
A estudante Madelene Ferreira, aluna de canto lírico da Escola de Música da UFPA (EMUFPA), foi uma das pessoas que participou do masterclass do encontro. Admiradora de Carmem Monarcha, começou a cantar há apenas seis meses e estava entusiasmada com o fato de poder se apresentar ao lado de grandes talentos. “Para mim foi uma experiência gratificante, pois aprendemos técnicas que não conhecíamos e vamos levar isso para uma vida inteira. Além disso, é um sonho realizado cantar aqui nesse local. Com pouco tempo de carreira eu já tive oportunidades importantes e únicas como essa, de compartilhar conhecimento com pessoas extraordinárias que todo dia nos ensinam um novo modo de cantar”.
O tenor João Carlos Prata, aluno do Instituto Estadual Carlos Gomes há três anos, fez a sua estreia no Encanta. “É a primeira vez que participo e realmente foi uma grande experiência para nós, cantores. Isso motiva a gente a crescer, a buscar a perfeição vocal e a técnica perfeita. Além disso, essa experiência de ter como professora Ana Ester Neves foi única. Como ela é professora de canto e teatro, trouxe para o masterclass a questão do corpo, de cantar com ele, e sentir a emoção que a música realmente passa.”
Quem assistiu ao concerto ficou impressionado com a técnica dos cantores e com as belas vozes do canto lírico local. “O concerto foi fantástico, a gente vê que são alunos muitos jovens, porém muito bem preparados. Nada melhor do que ouvir uma boa música clássica, que toca o nosso coração e nossa alma, para fechar a semana. Ainda não conhecia o trabalho da soprano, foi uma grata surpresa para a noite de hoje”, comentou o engenheiro Ederson Santos.
A cantora lírica Jena Vieira, que coordena o Ópera Estúdio, projeto de extensão da Fundação Carlos Gomes, ressaltou que o trabalho de expressão corporal foi a grande novidade desta edição do Encanta. “Os alunos ficaram maravilhados, pois a Ana Ester Neves trouxe o que ninguém ainda tinha trazido para Belém, que é o trabalho de expressão e consciência corporal em cena. Nas óperas, apesar de ter os solistas, o trabalho todo é feito em equipe, então ela deu mais atenção para essa questão de conjunto desde o primeiro dia. E plantou uma semente nos alunos, somando à técnica vocal deles, a consciência corporal que ela trouxe do teatro, já que ela lida com atores”
Texto:
Rosa Cardoso

Festival Música na Estrada é aberto em Belém ao som de Beethoven
A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) abriu na noite de quinta-feira (10) a etapa Belém da sexta edição do Festival Música na Estrada. No programa, peças de Ludwig van Beethoven, executadas pelo pianista Thiago Bertoldi, solista convidado.
Este ano, o Festival Música na Estrada promove um intercâmbio musical unindo a OSTP, sob a batuta do regente Miguel Campos Neto, e a Orquestra Amazonas Filarmônica, regida por Marcelo de Jesus. Por isso, a OSTP executará o mesmo programa apresentado no Theatro da Paz no próximo dia 20, no Teatro Amazonas, em Manaus (AM), e a Filarmônica se apresenta em Belém, no dia 24 deste mês.
O programa da OSTP teve a abertura de Egmont, Op. 84; o Concerto para Piano e Orquestra, Nº 3, Op. 37; e a Sinfonia Nº 7 em Lá Maior, Op. 92. Para o maestro Miguel Campos, a escolha por Beethoven para os dois concertos foi bem natural. “Beethoven é um compositor que, na minha avaliação, se encaixa perfeitamente no repertório de uma orquestra do tamanho e da qualidade da OSTP. Além disso, eu tenho uma conexão forte com esse repertório, e considero que o ‘Mestre de Bonn’ foi o maior sinfonista de todos os tempos. Acho de suma importância que uma orquestra que persegue a excelência queira mostrar isso ao executar as obras principais de Beethoven”, avaliou o maestro.
Evolução - O Música na Estrada teve início em 2011, ainda modesto, mas sempre buscando a interação entre os músicos e artistas da região Norte. Desde o ano passado, o projeto se transformou em festival, e passou a contemplar outras artes além da música, como a dança. A direção artística é de Fernando Ramos, português da cidade de Aveiro, que adotou o Brasil como lugar de trabalho.
A empresa que produz todo o festival é a Kommitment Produções, que conta com a apresentação da Lei de Incentivo à Cultura, por meio do BNDES e da Caixa Cultural, patrocínio da Estácio e Cateno, apoio local dos governos estaduais, e no Pará, por meio da Secretaria de Cultura (Secult).
“Há seis anos começamos ainda modestos, mas hoje já estamos alcançando sete cidades da região Norte e vamos chegar a Brasília. Para nós, é uma imensa satisfação poder proporcionar chances ao público, porque o que vemos é que as pessoas anseiam por esse tipo de espetáculo, mas o que lhes faltam são oportunidades”, disse Fernando Ramos.
Fernando fala ainda sobre o intercâmbio musical entre as orquestras de Belém e Manaus. “É um momento muito especial esse, quando temos a oportunidade de levar a OSTP, no ano em que ela completa vinte anos de fundação, para um concerto em outro estado. Estamos muito felizes em proporcionar a essa orquestra a oportunidade de mostrar seu repertório de excelência para um público de fora do Pará”, completa o produtor.
A noite de quinta-feira também foi bem especial para o pianista Thiago Bertoldi. Além de poder tocar mais uma vez com o maestro Miguel Campos Neto, com quem já mantém uma parceria musical, o pianista teve um espectador atento: o pai, Roberval. “Fica até difícil de controlar a emoção”, disse Thiago. “Moro há sete anos em Budapeste e há dois anos eu não via o meu pai. Ele veio do Tocantins para me ver e assistir ao concerto. É uma felicidade muito grande”, avaliou.
Bertoldi se mostrou entusiasmado com os músicos da OSTP. “É muito gratificante voltar a Belém e tocar com esses músicos. Eles são, na média, muito jovens, e a energia e o carinho com que eles nos recebem são contagiantes. É sempre uma alegria renovada estar em Belém e no Theatro da Paz”, disse o pianista.
O Festival Música na Estrada continua em Belém até o dia 24 deste mês. A Amazônia Jazz Band, com participação especial do saxofonista carioca Marcelo Martins, sob a regência de Nelson Neves, se apresenta no dia 22, no teatro Margarida Schivasappa, do Centur. O Festival traz também a dança, com o Corpo de Dança do Amazonas, que apresentará o programa “Sagração da Primavera”, também no Schivasappa, dia 23.
E no dia 24, o Theatro da Paz recebe no palco a Amazonas Filarmônica, sob a regência de Marcelo de Jesus Toda a programação é gratuita.
Texto:
Dedé Mesquita

APA Algodoal recruta Agentes Ambientais Voluntários
Estão abertas as inscrições para seleção de candidatos a Agentes Ambientais Voluntários na Área de Proteção Ambiental (APA) de Algodoal-Maiandeua, no município de Maracanã. O edital de notificação foi publicado pela Gerência da Região Administrativa do Nordeste Paraense (GRNE), do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), nesta sexta-feira (11).
A seleção objetiva difundir a importância das Unidades de Conservação, ampliando a cultura do voluntariado como expressão de responsabilidade ambiental, capacitação, vivência e ética solidária. Qualquer pessoa acima de 18 anos poderá concorrer à vaga, preferencialmente estudantes em nível técnico, ensino superior ou pós-graduação, nas áreas de turismo, ciências sociais, biológicas e afins. O Serviço Voluntário não gera vínculo empregatício, remuneração (vide lei 9.608/98), obrigação de natureza trabalhista, previdenciária ou afim, nem poderá substituir cargo ou função prevista no quadro funcional do Ideflor-bio.
As atividades dos Agentes Ambientais Voluntários na APA Algodoal serão realizadas no período de 28 de dezembro de 2016 a 02 de janeiro de 2017, coordenadas pelo gerente da Área de Proteção Ambiental Algodoal-Maiandeua. Neste período, os agentes serão orientados quanto à execução de projetos voltados para o lazer, recreação, conscientização ambiental, realização de ações de educação ambiental direcionadas ao ecoturismo, proteção dos recursos naturais, culturais, patrimônio arqueológico, uso público, efetividade de gestão, além de promover a formação de agentes ambientais voluntários, formando multiplicadores, realizando atividades de informação e sensibilização aos visitantes.
Os voluntários serão estimulados com experiências práticas, de forma qualificada, nas ações referentes à conservação do meio ambiente, integração comunitária, educação ambiental, recepção e sensibilização de turistas quanto às questões ambientais e desenvolvimento sustentável da APA, além de promover o apoio técnico e operacional das ações estratégicas contidas no Plano de Manejo da Unidade de Conservação e avaliar a efetividade das ações.
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 28 de novembro, por intermédio do envio dos documentos exigidos, que devem ser enviados em 01 (um) único arquivo, em formato PDF, para o e-mail grne.ideflorbio@gmail.com, identificando no assunto da mensagem “Agentes Ambientais Voluntários em Unidade de Conservação”. O edital completo pode ser acessado no site do Ideflor-bio, no link http://ideflorbio.pa.gov.br/2016/11/11/apa-algodoal-recruta-agentes-ambientais-voluntarios/.
Documentos necessários para a inscrição:
– Requerimento de Inscrição
– Registro Geral de Identidade ou documento equivalente com foto, válido em todo o território nacional;
– CPF;
– Comprovante de Residência;
– Currículo Vitae ou Lattes;
– Cópia de vínculo acadêmico.
Texto:
Denise Silva

Bloco de Oficinas da Fundação Cultural do Pará encerra o ano na região do Carajás
Entre os dias 21 e 25 de novembro, o Bloco de Oficinas da Fundação Cultural do Pará estará na região do Carajás para o último módulo de 2016. Serão realizadas oficinas de Elaboração de Projetos Culturais e Sociais, Gestão e Tecnologia da Informação em Bibliotecas, Mediação de Leitura, Contação de História e Restauro de Acervo Bibliográfico. A ação de qualificação é direcionada para servidores que atuam em bibliotecas e outros espaços de órgãos públicos, além de produtores culturais.
A região de integração do Carajás engloba municípios como Marabá, Canaã dos Carajás, Piçarra, Eldorado dos Carajás, Brejo Grande do Araguaia, entre outros. A sede neste bloco de oficinas será no município de Parauapebas. “Convidamos as pessoas da comunidade em geral também para participarem, estudantes e interessados. Serão 40 horas de atividades, divididas pela turma da manhã e pela turma da tarde”, informa a coordenadora do bloco, Vilma Lacerda.
A coordenadora comenta sobre a expectativa da realização do último bloco de oficinas de 2016 pelo interior do estado. “A expectativa está muito grande, até porque estamos tendo um bom retorno e o apoio do prefeito e gestores locais. A infraestrutura já está toda montada, os locais, tudo previamente organizado. O nosso objetivo como um todo é fomentar cada vez mais a cultura e a leitura em nosso Estado, além de formar multiplicadores. Em cada município que passamos divulgamos as ações da FCP na área do fomento, da cultura e da leitura pelo Pará”, afirma.
Serviço:
Bloco de Oficinas na Região de Integração do Carajás, entre os dias 21 e 25 de novembro, em Parauapebas.
Texto:
Andreza Gomes

Fortalecimento da gestão da APA Triunfo do Xingu é pauta de reuniões
O município de São Félix do Xingu foi palco de reuniões que tiveram como temas ações de conservação ambiental e de fortalecimento das cadeias produtivas na Área de Proteção Ambiental (APA) Triunfo do Xingu, visando a integração entre Estado, Município e União. Os encontros foram realizados pela Gerência da Região Administrativa do Xingu do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), nesta quinta-feira (10).
Na sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Saneamento (Semma), o assunto foram os focos de desmatamento da APA e a importância da validação desses pontos para a proposição de ações conjuntas para o combate ao desmatamento na região. Na ocasião, a gerente do Ideflor-bio, Maria Bentes, expôs ao secretário e ao chefe da Fiscalização da Semma, que o instituto dispõe um Núcleo de Geotecnologias, que realiza o monitoramento do desmatamento nas Unidades de Conservação Estaduais. “Também discutimos sobre o Projeto de Assentamento Pombal, que apresenta taxas elevadas de desmatamento, o que torna importante uma integração com o Incra, para realização de ações conjuntas”, contou.
Em reunião com membros do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Alan Melo, chefe executor da Unidade Avançada Xingu, expôs a situação atual do assentamento, e que são necessários recursos para fomento a projetos voltados para agricultura, além da importância do estabelecimento de um Acordo de Cooperação Técnica entre os órgãos, para somar esforços na busca de alternativas de renda e propostas para redução dos conflitos agrários locais. “Essa integração é imprescindível, visto que os Projetos de Assentamento são de responsabilidade do Incra e qualquer atuação do Ideflor-bio no seu interior requer alinhamento com o órgão federal”, explicou a gerente da APA Triunfo do Xingu.
Também foi realizada reunião com a presidência do Sindicato dos Produtores Rurais de São Félix do Xingu, quando foi conversado sobre a dificuldade de licenciar projetos nas propriedades da APA, devido à necessidade de se fazer a regularização ambiental e fundiária na Unidade de Conservação. Diante dessa problemática, o Ideflor-bio priorizou a elaboração do Plano de Gestão da unidade, que indicará em seu zoneamento as aptidões da área para conservação e desenvolvimento econômico.
As sedes da Emater, Campax, Adafax e Imaflora também foram visitadas, com o objetivo de repactuação para reativação de um Comitê Técnico para monitoramento de 23 projetos socioambientais e agropecuários sustentáveis na APA Triunfo do Xingu e Projeto de Assentamento do Pombal, que faz parte do Programa Ação Xingu Terra Verde, realizado pelo Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) e The Nature Conservation (TNC), em parceria com Ideflor-bio e apoio do Fundo Vale e Norad (Agência Norueguesa para Cooperação Internacional).
Todas as reuniões servirão como bases norteadoras do planejamento operacional para 2017, que está sendo construído com as contribuições de várias entidades governamentais e não governamentais.
Texto:
Denise Silva

Polícia Militar apreende maconha em Moju
Cento e vinte e oito tijolos de maconha foram apreendidos na madrugada desta sexta-feira (11) durante uma abordagem feita por uma guarnição do Batalhão de Policiamento Rodoviário a um veículo que passava pelo posto de fiscalização do município de Moju, à altura do Km 9 da PA-150. Ao serem alertados para reduzir a velocidade e parar no acostamento, os ocupantes abandonaram  o veículo e fugiram pelo mato.
"Dentro do carro havia uma caixa de som grande com dois autofalantes pequenos, fato que chamou a atenção dos policiais. Ao abrir o equipamento foram localizados 128 volumes com maconha prensada", relata o tenente-coronel Sérgio Fialho, comandante do BPRV. O material está sendo conduzido, juntamente com o veículo, à Divisão de Narcóticos (DENARC), para os procedimentos legais. Os policias do Batalhão Rodoviário continuam com as buscas aos acusados.
Texto:
Cristiani Sousa



Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...