Total de visualizações de página

sábado, maio 23, 2015

O RANCHO PASSA POR UMA METAMORFOSE


O mundo regenerativo se aplica a todos os segmentos da vida humana, e também dentro de instituições, seja ela qual for. O ato negativo é permitido por Deus com aval de Jesus, assim como as doenças e os sofrimentos, para que o Homem se desperte e saiba que, há necessidade de mudanças, seja ela qual for o segmento. O País passa por isso e sentimos na pele.

A Escola passa por averiguações do Ministério Público, acionada que foi pelo ex-presidente do Rancho, Jackson Santarém. Se ele está sua razão, só após as investigações que irão sentenciar o que errado, se comprovado for. Mas se não houver errado, também será corrigido algo que ocasionou tal ou tais fatos.
O importante é que, se subtraia desta metamorfose por que passa a Escola, uma nova era e que ambos os todos que estejam envolto neste casulo, saiam com a vida renovada e se respeitando cada vez mais. Não se deixarem principalmente “emprenhar” ou “impregnar” por atos e pensamentos negativos, que acabam por fomentar e incentivar atos errôneos na vida pessoal e de uma instituição.

Que a parábola de Jesus: “Morto o cão, acaba a raiva” não seja levada para atos de violência, mesmo que seja em pensamento, pois é o ato mais errôneo. É chegada a hora de todos os envolvidos na questão sente para aparar as rédeas, envergarem as espadas da luta benéfica, mas contra as negatividades, ,´pois o mais ferido nesta questão toda, certamente é a comunidade, que alheia aos bastidores, só quer sua Escola, no caso o Rancho sempre prestativa como sempre esteve e vem sendo ao longo dos seus 80 anos, uma instituição beneficente, além de vir trazendo alegria a todos, principalmente aos moradores de lá.

Pensem nisso!

Jorge Mesquita                        
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...