Total de visualizações de página

terça-feira, novembro 10, 2015

Uma manhã de CARIDADE e SOLIDARIEDADE Na Associação Espírita CASA DO CAMINHO






Como acontece uma vez por mês, o Projeto Consolar, da Associação Espírita Casa do Caminho, que é coordenado pelas amigas e irmãs em Jesus, Suely, Rosângela e Yuki, sob a direção dos irmãos Pedro Martins, Miguel e Romeu, foi realizado na manhã desta terça-feira, dia 10 de novembro, mais uma distribuição de cestas básicas para 80 famílias carentes cadastradas no Projeto.
É um dia realmente excepcional, quando para quem participa, sai dali aliviado por mais um dever comprido perante o seu semelhante. Mas ainda para quem ajuda o Projeto Consolar, fazendo mensalmente suas doações, a começar por um quilo de alimento não perecíveis, que ao final de cada mês são montadas cestas básicas, mas bem recheadas, e sem querer comparar, mas comparando sim, com mais ingredientes das que a televisão acabou de mostrar, com a empresa responsável pelo desastre ambiental ocorrido em Barcarena. Infelizmente, fica o registro comparativo.






FESTA DE FINAL DE ANO: Precisamos de Padrinhos






Na manhã de hoje, um dia festivo na Casa do Caminho, localizada no bairro de Batista Campos, começou com um café servido às famílias: café, nescau e pau. Em seguida a irmã Suely deu as boas vindas às famílias e pediu a atualização do cadastro de todas, já que se aproxima o final de ano, e o próximo passo do Projeto Consolar, será o de realizar a festa das mesmas. A atualização cadastra é para fazer o acompanhamento de cada integrante da família, principalmente seus dependentes menores como, por exemplo: a idade, o tamanho da roupa e do calçado; verificar o boletim de cada um, para fazer o comparativo ao que aconteceu ano passado, quando todos receberam seus padrinhos um fato material escolar.

PALESTRA: com Jorge Mesquita
Quem sou eu?



Agora, foi com grata satisfação que mais uma vez foi feito convite a esse amigo que vós escreve para ministrar palestra às famílias carentes. Estas belas senhoras as quais adotei como minha mãe.  Gosto de estar com elas e falar com elas sobre a Doutrina Espírita. O mais interessante neste contato, é que ali ente elas, existe uma diversificação de religião: católica, evangélico, umbandista, etc, e adotaram a Doutrina Espírita como suporte de entendimento e esclarecimento religioso e da Palavra de Jesus, através do Evangelho Segundo o Espiritismo.
O tema abordado na manhã de hoje, foi diversificado, pois falei sobre o “EU’. Quem sou? De Onde vim? O estou fazendo aqui e para onde vou. Falei sobre a Natureza que começa a se defender das agressões sofridas. Falamos sobre o amor ao próximo, e o significado da Terra para Deus, Jesus e para nós mesmos. Falei sobre a violência que estamos vivendo e sentindo na pele. Falei sobre a responsabilidade da família para com a atual situação. Falei também da Moratória assumida por Jesus em defesa de nós, e que tem data para terminar: no próximo dia 20 de julho de 2019.

O QUE A CASA DO CAMINHO ATRAVÉS DO PROJETO CONSOLAR OFERECE ÀS FAMÍLIAS

Foi solicitada às respectivas famílias para que elas participem mais das atividades do Centro Espírita, que possui outros serviços à elas como médico, odontológico, exames de vistas. Além das atividades normais do Centro, de segunda a sábado, começando com o sr. Pedro Martins, na segunda-feira, das 18 às 19h com aula espiritual e passes. Na segunda e quinta pela manhã, atendimentos especiais para tratamento do câncer, das 9 às 12h; na terça-feira, das 9 às 12h, estudos evangélicos; ainda na terça e quarta a partir das 16h, atendimento de maca e passes; na quinta, como já citei, das 9 as 12h, tratamento especial para quem tem câncer. A partir das 18h, atendimento com médiuns e passes e no auditório da CASA, palestras e desenvolvimentos mediúnicos e na sexta-feira, das 9 às 12h estudos evangélicos e a partir das 18h, atendimento com médiuns e passes e no auditório, palestras e estudos mediúnicos.
No sábado pela manhã das 9 às 12h, estudos evangélicos para crianças, e palestras para os pais. A partir das 14h, atendimentos em gerais, para aquelas pessoas que não puderem ir a Casa durante a semana: atendimento em maca, com médiuns e passes, além de palestras e estudos mediúnicos no auditório da CASA. A CASA DO CAMINHO tem também trabalho especial para adolescentes, nas terças e quartas à noite e sábado à tarde.

DISTRIBUIÇÃO DAS CESTAS E ROUPAS




Finalizando, foram distribuídas as destas básicas assim como as roupas às famílias. Realmente foi uma manhã muito magnífica para todos e principalmente para Deus, Jesus, Maria, Bezerra de Menezes e Camilo Salgado e todos os espíritos que nos auxiliam no dia a dia naquela CASA DOS ESPÍRITOS que um dia será nossa, assim que passamos par O OUTRO lado, consciente do dever cumprido AQUI DESTE LADO.
Até a próxima.

 NOTÍCIAS PELO ESTADO DO PARÁ


Mototaxistas de todo Estado ganham isenção de IPVA a partir de 2016
Mais de 22 mil mototaxistas, em 119 municípios do Estado, devem ser beneficiados com a isenção total do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de seus veículos de trabalho. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (10), pelo chefe da Casa Civil, José Megale. A medida publicada no Diário Oficial do Estado passa a valer a partir de 1º de janeiro de 2016.
“Estamos fazendo a isenção do IPVA dos mototaxistas. No momento em que o país vive uma crise, em que os governos pensam em criar novos impostos, como a CPMF, vem o governo do Estado exatamente no sentido contrário, fazendo a isenção desse imposto. Para sair do processo de crise, temos que dinamizar a economia, e fazer isso é criar novas condições para se produzir, para se trabalhar. É isso que eles terão a partir de agora”, disse Megale.
Segundo o presidente da Federação dos Mototaxistas e Motofretes do Pará (Fedemmopa), Raimundo Nonato Alves, a iniciativa representa uma vitória de anos de luta. “Esse é um compromisso do governador, que desde 2010 vem tentando fazer a regulamentação da isenção do IPVA. Direito a todos os trabalhadores que forem renovar o alvará e fazer o licenciamento da moto junto ao Detran. É um imposto de que o Estado abre mão para que possamos ter a legalidade. É uma vitória de mais de 15 anos de luta da categoria”, afirmou.
O anúncio foi marcado ainda pela entrega de 30 motocicletas para trabalhadores que atuam em Belém, com recursos do Credcidadão, programa de microcrédito do Governo do Pará que impulsiona micro e pequenos empreendimentos, gerando economia, emprego e renda. Os números da iniciativa em todo o Estão são animadores. “Em 2015, R$ 3,2 milhões já foram destinados ao financiamento de empreendimentos em todo o Estado, R$ 1 milhão somente aos mototaxistas. A intenção é aumentar ainda mais esse incentivo em 2016”, disse a diretora geral do programa, Tetê Santos.
Somente na capital paraense existem 1.650 mototaxis legalizados, e a intenção é ampliar o número para mais mil. “Nesses três últimos anos já foram liberadas, em todo o Estado, 820 motos, e agora é a vez de Belém. Essas são apenas as primeiras de muitas outras entregas que esperamos receber na capital. É um benefício muito grande em termos de custo/ benefício, pois é um financiamento com juros pequenos, linha rápida e crédito barato. Facilidades que nos ajudam a dar melhores condições para transporte para a população e para os trabalhadores até mesmo porque temos um grande projeto de renovação da frota”, acrescentou o presidente da federação que representa a categoria.
“Nessa primeira entrega para trabalhadores de Belém estamos contemplando 30 pessoas, mas até o fim do ano estaremos entregando mais 21 motocicletas para os que atuam na capital”, acrescentou Tetê Santos.
Mudanças – A legalidade dos trabalhadores não é apenas uma questão de ordem, mas de melhoria de vida. Entre os que foram contemplados com as novas motocicletas está Jonatas da Cruz Viana. Há quatro anos na profissão, ele conta que se ajustar às normas foi fundamental para o exercício da profissão. “Nós que somos legalizados temos uma despesa muito alta, e esse benefício, da moto e da isenção do IPVA, é uma despesa a menos. Já fui clandestino, mas me legalizei e espero que muitos, ao verem esses incentivos, também busquem a legalidade, pois isso melhora os nossos serviços e a confiança da população ao usar um transporte como o nosso. Governo e prefeitura estão dando todo apoio para isso. E tem espaço para todos”, relatou.
Quem também comemora o crédito é Agostinho de Góes Cardoso, que trabalha no bairro do Jurunas. Ele conta que há seis anos trabalha como mototaxista, mas que só de dois anos para cá procurou se legalizar. Um ajuste que fez diferença até na vida pessoal, já que vem do trabalho a única fonte de renda da família. “Nossa classe sempre foi muito discriminada, então governo prefeitura estão nos dando essa credibilidade, e a gente espera que o poder público continue fazendo isso para todos. Agora posso trabalhar de forma honesta, sem ter medo de ser parado pela fiscalização na rua”, contou.
A Prefeitura de Belém, junto com os programas Fundo Ver-o-Sol e Credcidadão, fez no mês de agosto a primeira reunião com as 17 associações de Belém e região metropolitana. O objetivo foi cadastrar e beneficiar a categoria, qualificando os profissionais e garantindo a segurança.
Ao longo de 2015, 642 empreendedores já foram contemplados em todo o Estado, em atividades como mercadinhos, sorveterias, restaurantes, papelarias e panificadoras. Além de mototaxistas, batedores de açaí também podem receber o crédito, que pode ser solicitado por qualquer pessoa maior de 18 anos que more no Pará há pelo menos dois anos. Quem já está no mercado de trabalho ou queira iniciar uma iniciativa também pode fazer a solicitação.
Texto:
Lidiane Sousa


Emater participa da promoção do VI Simpósio Brasileiro do Abacaxi
A cidade de Conceição do Araguaia, no sudeste do Estado, promove de quarta (11) a sexta-feira (13) o VI Simpósio Brasileiro da Cultura do Abacaxi. O evento, que aborda a importância da estruturação da cadeia produtiva do abacaxi, terá a presença de produtores e pesquisadores de todo o país. O Pará é o terceiro maior produtor mundial do fruto. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) participa da organização do evento, que apresentará os últimos lançamentos em tecnologia na região.
A programação terá palestras, mesas redondas, apresentações de trabalhos científicos, exposições de equipamentos e insumos, confecções gastronômicas e apresentações culturais. A Emater compõe mesas de trabalhos e integra diversas comissões instaladas para promover o evento. O presidente da Emater, Paulo Amazonas Pedroso, será um dos debatedores da mesa redonda em que estarão presentes o vice-governador Zequinha Marinho e o secretário de Estado de Agricultura, Hildegardo Nunes.
Texto:
Edna Moura


Recuperação da ponte Moju Cidade avança com içamento das últimas vigas
A primeira viga metálica do módulo 5 da Ponte Moju Cidade, a 120 quilômetros de Belém, no nordeste do Pará, foi içada nesta terça-feira (10). A peça restaura definitivamente a integridade do elevado, pois logo após a soldagem começa a construção da laje sobre a qual será assentada a nova pista.
Nos últimos dias foram feitos o macaqueamento vertical (movimentação da estrutura para que ela retorne ao nível e prumo) e o traslado na estrutura remanescente do módulo 6 (lado Abaetetuba) e módulo 5 (lado Moju), para posicioná-la de acordo com o projeto original, além do lançamento das duas vigas metálicas, lançamento de pré-lajes e armação da ferragem da laje do tabuleiro do módulo 6 (lado Abaetetuba).
“Hoje (terça-feira), após três meses de trabalhos diuturnamente, constatamos que tudo que foi dimensionado e determinado está apresentado no atual estágio de andamento da obra, com a conclusão e liberação do tráfego para o fim de dezembro”, diz o fiscal da Secretaria Estadual de Transportes (Setran), Paulo Mariano.
Para os próximos dias estão previstos o lançamento da segunda e última viga metálica do módulo 5, serviços de solda e travamento, lançamentos das pré-lajes correspondentes, armação da ferragem da laje do tabuleiro dos módulos 5 e 6, até a concretagem dos tabuleiros. Para isso, 130 homens trabalham de forma contínua, obrigando a empreiteira a revezar equipes 24 horas por dia.
“Quando da retirada da primeira língua, no fim do mês de junho, a estrutura ‘respirou’, e com a conclusão da remoção em três partes da outra língua, tivemos a certeza de que o restante da estrutura atingida poderia ser aproveitada com total segurança. Durante os estudos, foi feito o acompanhamento topográfico em toda a estrutura e verificamos as correções que seriam necessárias”, detalha o fiscal da Setran.
A ponte Moju Cidade precisou ser restaurada após um acidente ocorrido em 24 de março de 2014, quando uma balsa carregada com 900 toneladas de dendê bateu e destruiu uma coluna da estrutura.
Texto:
Tatiane Dias


Prodepa lança novo site do Instituto de Terras do Pará
O novo site do Instituto de Terras do Pará (Iterpa) foi divulgado na segunda-feira (9), durante o seminário “Avanços e Perspectivas da Regularização Fundiária do Pará”, que ocorreu no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia. Desenvolvido pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa), o novo portal segue um padrão de layout aplicado em todos os sites do Governo do Estado. Ainda contanto com os mesmo serviços, ele agora tem responsividade, ou seja, é flexível a qualquer aparelho eletrônico, seja computador, smartphone ou tablet, o que facilita a leitura, além de ser acessível aos deficientes visuais. O gerente de Engenharia de Sistemas da Prodepa, Evandro Paes, afirma que os sistemas têm interface mais interativa e agradável ao usuário. “Esse layout e interface tem agradado muita gente e muitos órgãos tem nos procurado para trabalhar com isso. Hoje, a Iterpa tem um portal fácil de se navegar em qualquer aparelho”. O site pode ser acessado no endereço http://www.iterpa.pa.gov.br/.
Texto:
Nátia Machado


Representantes da Sedap participam do Congresso Brasileiro de Mandioca
O Governo do Pará pretende trazer para Belém o XVII Congresso Brasileiro de Mandioca. Para defesa do projeto, a diretora adjunta da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), Eliana Zacca, segue nesta quarta-feira (11) para o Paraná, onde o evento bianual ocorre, até sexta-feira (13), em Foz do Iguaçu. Técnicos da Sedap também participam do congresso para obter subsídios no sentido de tornar Belém a capital da mandioca em 2017.
A mandioca é importante cultura socioeconômica no Pará, que tem escala de produção, mas baixa produtividade. O congresso em Belém será uma grande oportunidade para atualizar as técnicas de produção nivelando o conhecimento com o restante do país e auxiliando no aumento da cadeia de valor e diversificação de produtos. O Pará será mostrado como grande produtor nacional e como destino turístico.
O Pará é o maior produtor de mandioca do Brasil, com cinco milhões de toneladas, 90% cultivadas por agricultores familiares em pequenas propriedades rurais. A área plantada de 340 mil hectares abrange todos os 144 municípios do Estado, gerando em torno de 300 mil empregos com a produção de raízes, farinha, maniva, tapioca, tucupi e outros derivados. O principal produto é a farinha de mesa, consumida internamente e também exportada para os outros Estados do Norte e Nordeste.
O governo do Estado, por meio da Sedap, incentiva o desenvolvimento da cadeia produtiva com a distribuição de máquinas e implementos agrícolas como plantadeiras, roçadeiras, grades e tratores. Orientação técnica e repasse de material genético de maior produtividade, fertilizantes e corretivos de solo. Apoia a pesquisa para identificação de espécies com alta produtividade e tolerante às pragas.
No processamento da produção o apoio é com a implantação de casas de farinha padronizadas com o mínimo de danos ambientais e à saúde dos trabalhadores, distribuição de kits para modernização e orientando sobre boas práticas de produção. Na comercialização o Estado facilita a inclusão dos produtos nos programas dos governos federal, estadual e municipal e orienta sobre as formalidades legais para participação nos programas governamentais. O apoio se dá ainda na divulgação da gastronomia baseada em iguarias feitas com produtos da mandioca.
Texto:
Leni Sampaio


Uepa inaugura museu da escola de enfermagem com acervo de 50 objetos
Vestimentas das primeiras enfermeiras, quadros com momentos marcantes do curso, peças em inox, vidro e porcelana e muita história para contar ao longo dos 71 anos da enfermagem no Pará. Todo esse regaste de objetos e documentos históricos integra o Museu da Escola de Enfermagem Magalhães Barata, inaugurado na manhã desta terça-feira (10), no campus IV da Universidade do Estado do Pará (Uepa), no bairro do Guamá, em Belém.
O museu abre as portas à comunidade acadêmica e aos visitantes como o primeiro do Norte do país. Trata-se de um marco na história da graduação mais antiga da Uepa. Os mais de 50 objetos catalogados começaram a ser reunidos há dez anos, durante as comemorações de 60 anos da escola. Na época, foi organizado o Memorial "Edilma Massarandura", hoje atual museu, em homenagem à estudante de enfermagem vítima de acidente de trânsito.
"Nosso museu não vai se limitar ao espaço físico que hoje se inaugura. Nossa escola como um todo guarda muita história. Nosso sonho é hoje uma realidade muito importante para nós que amamos a escola e amamos a enfermagem. Ele vai servir de espaço não só para alunos, mas para toda a sociedade. O espaço é nosso", disse a professora Simone Beverly Nascimento.
Além da guarda e exibição de coleções de interesse artístico, cultural e científico, o museu é mais um espaço para o desenvolvimento do ensino, pesquisa e extensão em enfermagem. Para a aluna do mestrado em enfermagem e egressa da Uepa Dianne Costa, trata-se também de um ambiente de recordação familiar, pois mãe e tia também se formaram na tradicional escola. "A boneca com as vestimentas e a lâmpada são os dois maiores ícones da enfermagem, e já estava implícito na minha família. O museu resgata essa história, traz grandes contribuições com a trajetória da implantação e a vivência para consolidar a enfermagem no Pará. Resgata também o nome Magalhães Barata, que é uma referência não só regional, mas nacional", enfatizou.
O reitor da Uepa, Juarez Quaresma, destacou a importância histórica da escola e a necessidade de investir na recuperação do local. "Por que um museu? Porque é com a história que se aprende, e a história da enfermagem ensina todos os cursos da área da saúde nesse Estado, porque é pioneira. Se o museu é uma realidade, a geração futura tem obrigação de estudar, e vocês, alunos, têm um grande acervo para contar história e gerar trabalho de conclusão de curso e tese de mestrado", afirmou.
"Temos um prédio antigo, que nos dá muito orgulho. Se perguntarmos aos acadêmicos, professores e aos servidores se querem sair dessa 'casa velha', todos dirão não. A nossa casa faz parte da nossa identidade, e é nela que aprendemos a ciência e a arte de cuidar das pessoas e da sociedade", frisou a coordenadora do curso de enfermagem da Uepa, Terezinha Vieira.
Além da inauguração do museu, a programação dos 71 anos da graduação e da escola seguiu com mesa redonda sobre Ética na Enfermagem, com a presença do presidente do Conselho Regional de Enfermagem (Coren) e professor da Uepa, Mário Antônio Vieira.
Texto:
Renata P.


Arcon acompanha obras de melhoria no Terminal de Rodoviário de Belém
A Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Pará (Arcon) participou de reunião na manhã desta terça-feira (10), no Ministério Público do Estado (MPE), para verificar o andamento dos acordos firmados em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado em 9 de julho, referente à acessibilidade no Terminal Rodoviário de Belém.
Segundo o diretor de Normatização e Fiscalização da Arcon, Karim Zaidan, a Arcon, como órgão de fiscalização e interveniente no TAC, acompanha o processo e busca “atuar de maneira conjunta, para que o terminal se torne um espaço adequado para a sociedade”.
A Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico (Sinart) apresentou as reformas que executa no terminal, como instalação de piso tátil, melhoria no sistema de iluminação, reforma nos banheiros e instalação de plataforma elevatória. Sobre as escadas rolantes - paralisadas há mais de um ano - foi esclarecido que as novas unidades já se encontram no Terminal e serão instaladas até dezembro.
Os promotores de Justiça de Defesa das Pessoas com Deficiência e dos Idosos Adriana Simões e Rodier Barata reiteraram a necessidade de adequação do local, mostrando fotografias tiradas nas vistorias que precederam a assinatura do TAC, as quais mostram vê poluição visual, instalação elétrica precária, lixeiras cheias e problemas de acessibilidade. Eles também criticaram o sistema de estacionamento, que até então não tinha tempo de tolerância sem cobrança.
Os representantes do MPE apresentaram um projeto à Sinart com alterações na área externa do terminal, dando um prazo de 15 dias para análise. A Secretaria Municipal de Economia (Secon) acrescentou que o comércio e as placas de publicidade nessa área prejudicam a mobilidade e estão em desacordo com o código de postura de Belém. Ao final da reunião, foi marcada para o mês de dezembro uma visita conjunta, entre Arcon, MPE, Secon e Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), assim como nova reunião para tratar do trânsito na área do terminal.
Além da Arcon, Sinart, Secon e Semob, estavam presentes representantes da Procuradoria Geral do Estado (PGE), Departamento de Trânsito do Pará (Detran) e dos Conselhos do Idoso e da Pessoa com Deficiência.
Os acordos têm prazo máximo de doze meses para serem cumpridos e se dividem em 25 cláusulas. A Sinart deve promover a acessibilidade a idosos, deficientes e pessoas com dificuldade de locomoção; fazer a manutenção arquitetônica; instalar novas escadas rolantes e plataformas elevatórias; adequar as condições de iluminação e ventilação e as calçadas externas, facilitando a circulação de pedestres; e fazer melhorias na gestão do lixo.
Texto:
Vanessa Pinheiro


Começa nesta quarta venda de ingressos para jogo Brasil e Estados Unidos
A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) começa a vender, a partir desta quarta-feira (11), os ingressos para o jogo amistoso entre Brasil e Estados Unidos. Serão 35 mil ingressos, ao preço de R$ 80 (cadeira) e R$ 40 (arquibancada), com meia-entrada a R$ 40 e R$ 20, respectivamente. Os pontos de venda serão os estádios do Clube do Remo (Baenão), Paysandu (Curuzu), Mangueirão e a sede da Federação Paraense de Futebol (FPF), localizada na Rua Paes e Souza, no bairro do Guamá.
A logística para venda dos ingressos foi desenhada na manhã desta terça-feira (10), durante reunião no Estádio Olímpico do Pará. Participaram do encontro a diretora Cláudia Moura, da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), Eduardo Stellet, da CBF, e Guilherme Salzer, da FPF. A expectativa do representante da CBF é de casa cheia, considerando o amor da torcida paraense pelo futebol. A venda dos ingressos será no horário de 9h às 17h. O Brasil enfrenta os Estados Unidos no dia 15 deste mês, em partida amistosa a partir das 17h.
A Seleção Brasileira Olímpica está no Recife (PE), onde, na manhã desta terça-feira (10), fez o primeiro treino com trabalho no campo, mas com a equipe dividida. No campo do CT do Sport, na segunda-feira (9), os jogadores trabalharam por cerca de uma hora, entre academia e gramado. Os jogadores Gabriel Barbosa, Lucas Silva, Felipe Anderson e Fabinho fizeram treinamento na academia com o preparador físico Marcos Seixas e o fisioterapeuta Bruno Mazziotti.
Em seguida, divididos entre aqueles que atuaram mais minutos no fim de semana e os que não se desgastaram tanto, o time foi para o campo. Os mais descansados fizeram um exercício em campo reduzido, comandado pelo técnico Rogério Micale e o auxiliar André Luis Ferreira, enquanto o restante do elenco deu voltas no entorno do gramado. Nesta quarta-feira (11), a Seleção Brasileira Olímpica enfrenta os Estados Unidos, às 20h (21h de Brasília), na Ilha do Retiro. Antes, nesta terça-feira, o time voltou ao CT do Sport para mais um treinamento, novamente às 17h.
Para receber a Seleção Olímpica, a Seel prepara o Mangueirão revitalizando pintura, gramado e rede de internet, entre outros pontos da logística. A titular da Seel, Renilce Nicodemos, diz que o jogo da Seleção é um presente aos torcedores paraenses, que sempre demonstraram amor pelo futebol. A CBF quer ver o torcedor e familiares no estádio. “Queremos sim uma torcida familiar, uma vez que a Seleção Brasileira Olímpica é feita por jovens atletas que vão precisar desse carinho para criar ambiente favorável até a Olimpíada, em 2016. Estamos confiantes que os torcedores do Pará vão prestigiar a Seleção”, disse Eduardo Stellet. (Com informações do site da CBF)
Texto:
Selma Amaral


Política contra o desmatamento no Pará é destaque em publicação internacional
Nos últimos 10 anos o Pará reduziu o desmatamento em 79%, segundo informações do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), do Ministério de Ciência e Tecnologia. Os avanços na preservação da floresta e as ações do governo do Estado para desenvolver a economia, preservando o meio ambiente, foram destaques no debate com pesquisadores e especialistas sobre o tema ‘A Amazônia de hoje e como protegê-la’, realizado na manhã desta terça-feira, 10, no Hotel Radisson, em Belém. O governador Simão Jatene participou do encontro que marcou o lançamento da revista norte-americana Americas Quarterly (AQ).
De acordo com o relatório do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal (Prodes) 2014, divulgado em agosto deste ano, entre os meses de agosto de 2003 e julho de 2004 o Pará foi o responsável pela degradação de uma área de 8.870 km², no mesmo período de 2013 para 2014 foram 1.887 km². Os números também mostram uma redução de 20% do desmatamento se comparados com o calendário de 2013 (agosto de 2012 a julho de 2013), que registrou 2.346 km² de área desmatada. Em toda a Amazônia Legal, a taxa de redução foi de 15% (5.012 km²) em relação ao calendário de 2013, no qual foram contabilizados 5.891 km² de desflorestamento no bioma.
O estudo também apresentou o desmatamento por município, e confirmou que os que possuem o selo verde do Estado mantiveram a degradação controlada, com índices abaixo dos registrados em 2013 e inferiores aos valores estabelecidos pelo Ministério do Meio Ambiente. O município de Santana do Araguaia ficou em 20º no ranking do Estado, com 23.9 km² desmatados; Óbidos ficou em 23º, com 22,9 km²; Paragominas ficou em 27º, com 20 km²; Tailândia em 38º, com 9,7 km²; Brasil Novo em 39º, com 8,8 km²; Dom Eliseu em 46º, com 5,8 km²; e Ulianópolis em 59º, com 2,9 km² de desmatamento. Cerca de 60 municípios paraenses apresentaram desmatamento considerado “zero”, com números inferiores a um quilômetro quadrado.
“O desmatamento é consequência de uma forma equivocada de como se vê a Amazônia”, afirmou o governador Simão Jatene ao explicar a forma dicotômica como a região é vista. “A Amazônia não é inferno verde e nem celeiro do mundo. Não é almoxarifado e nem santuário. Ela é uma região que tem um potencial econômico fantástico, com uma biodiversidade ímpar e que precisa ser compreendida nessa sua complexidade e é isso que a gente precisa trabalhar”, defendeu o chefe do Executivo Estadual que acredita ser necessária a quebra de alguns preconceitos relacionados à Amazônia.
Diante da escolha entre produzir ou preservar, o governador foi enfático ao resguardar a necessidade de se encontrar um padrão de desenvolvimento e de ocupação da região amazônica que seja capaz de compatibilizar as duas coisas. “Nós não temos que optar por nada. O Pará tem 23 milhões de hectares de áreas antropizadas e isso é uma área gigantesca em qualquer lugar do mundo, se nós dermos uma utilização melhor para essa área, sem avançar sobre a floresta, nós podemos mudar profundamente a economia desse estado e essa é a nossa grande busca. Então o desmatamento zero não é uma frase de efeito, é algo que é concreto, que é possível”, garantiu.
O Pará vem cumprindo seu papel no desenvolvimento de políticas para diminuição da degradação ambiental. Entre as iniciativas está o Programa Municípios Verdes (PMV), criado em 2011 com objetivo de combater o desmatamento no Estado, fortalecer a produção rural sustentável por meio de ações estratégicas de ordenamento ambiental e fundiário e também de gestão ambiental. As ações são focadas no monitoramento, na implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e na estruturação da gestão ambiental dos municípios participantes.
Na opinião de Brian Winter, vice presidente da Americas Society of the Americas e editor chefe da publicação Americas Quarterly, é importante comemorar as iniciativas do governo do Pará em defesa da preservação da Amazônia. Para ele, o Estado é um exemplo que deve ser seguido. “Todos nós temos que ajudar e cuidar da Amazônia, mas as soluções para essa região têm que partir daqui, e não de pessoas de fora. O ‘Municípios Verdes’ é uma importante ação que está sendo executada aqui no Pará, que deve ser exemplo para o país e para o mundo”, avaliou Winter que disse que o lançamento da edição especial da Americas Quarterly sobre a Amazônia é uma “humilde contribuição” para fomentar esse debate.
Desafios - Nos últimos 10 anos, o estado atuou em diversas frentes para combater o desmatamento. Após monitorar e identificar os principais gargalos na área do meio ambiente, o desenvolvimento sustentável na região ou a transição para uma Amazônia 3.0 é uma das principais missões do Governo. Há muito a ser feito, mas passos largos foram dados pela administração estatal, municipal e pela própria sociedade de 2003 a 2014. Vale ressaltar que essa cadeia começou a mudar nos chamados Cadastros Rurais (CAR). Em 2009, o Pará tinha apenas 400 CAR e, no ano passado, esse número chegou a 160 mil.
“Essas são as importantes bases que precisam ser construídas para a governança deste setor. O Programa Municípios Verdes faz o diálogo com os diferentes atores, e isso é fundamental. Nós ainda temos mais de um milhão de quilômetros quadrados de florestas públicas não destinadas, que equivalem a quatro estados de São Paulo. Isso ainda é um prato cheio para o desmatamento especulativo e para a grilagem de terra”, afirmou o pesquisador sênior e Co-Fundador do Imazon, Beto Veríssimo.
O Programa Municípios Verdes, um braço importante da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), foi lançado em março de 2011, com a proposta de fortalecer a produção rural, por meio de ações estratégicas de ordenamento ambiental e fundiário e também na estruturação da gestão ambiental nos municípios participantes. Atualmente, 107 municípios do estado do Pará aderiram ao programa e se comprometeram a cumprir um plano de sete metas estabelecidas pelo PM.
As obrigações compreendem, entre outras coisas, a manutenção da taxa anual de desmatamento abaixo de 40 km², possuir mais de 80% da área municipal cadastrada no CAR e não fazer parte da lista do Ministério do Meio Ambiente dos municípios que mais desmatam a Amazônia. Por enquanto, 11 receberam o certificado de “Município Verde”: Paragominas, Dom Eliseu, Ulianópolis, Tailândia, Brasil Novo, Óbidos, Santana do Araguaia, Cumaru do Norte, Canaã dos Carajás, Santa Maria das Barreiras e Xinguara.
“Existem muitos desafios para conter a degradação florestal ilegal, a grilagem de terra. O problema é que precisamos parar de importar para a Amazônia modelos de desenvolvimento adotados em outras regiões, outras florestas, são outras realidades. Acho que a solução para os nossos problemas vêm da realidade local desses municípios”, declarou o procurador da república, Bruno Valente.
Olhar internacional - A revista norte-americana "Americas Quarterly (AQ)", principal publicação dedicada à política, negócios e à cultura no ocidente, com foco especial na América Latina, fez uma edição especial com o tema “A Amazônia hoje: como ela está mudando e como protegê-la”. Em destaque, os desafios, problemas e projetos que contribuem para a diminuição do desmatamento na região por meio de um modelo de desenvolvimento mais eficiente. A revista, que também tem versão on-line, alcança mais de 17 mil leitores com a edição impressa e tem cerca de 40 mil visualizações mensais.
Fundada em 2007, em Nova Iorque, a premiada revista e seu site são publicações independentes da Americas Society/Council of the Americas, entidades que há mais de 50 anos se dedicam ao diálogo no ocidente. Em suas pautas são abordados assuntos como saúde, tráfico e criminalidade transnacional, pobreza, desigualdade e a mobilidade social, além de liberdade de expressão, extração de recursos naturais, sustentabilidade e imigração. Entre os membros do Conselho Editorial da Americas Quartely estão os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Ricardo Lagos, Ernesto Zedillo e Alejandro Toledo, bem como as principais vozes no mundo dos negócios, jornalismo, finanças e academia.
(Com informações de Natália Mello - Ascom PMV)
Texto:
Dani Filgueiras


Pro Paz nos Bairros realiza inscrições na Região Metropolitana de Belém
Os cinco polos do Pro Paz nos Bairros estão com vagas disponíveis. O projeto atende crianças e adolescentes com atividades nas áreas de esporte, lazer, arte e cultura, tendo como formato pedagógico a complementação escolar - no horário diferenciado ao da escola, o que cria alternativas saudáveis e de continuidade educacional nos períodos ociosos. Desde 2011, quando foi criado, o projeto já atendeu mais de 10 mil jovens.
Atualmente, existem cinco polos em funcionamento na Região Metropolitana de Belém (RMB): Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão), Praça Dorothy Stang (Sacramenta) e Instituto de Ensino em Segurança Pública do Estado (Iesp), em Marituba. As matriculas são gratuitas e variam em atividades para crianças, adolescentes e voltadas para a comunidade.
Em pesquisa realizada pela equipe estatística da Fundação com os alunos que frequentam os polos, a maioria relatou que projeto teve influência positiva na mudança de seu comportamento em sua família (75,6%), e na sua escola (64,5%). Entre as principais mudanças relatadas estavam: passou a ficar menos tempo na rua (27,5%); tornou-se uma pessoa mais educada (6,3%), melhorou as notas na escola (4,4%), teve novas oportunidades de interação (4,4%), entre outros.
Através das atividades de esporte, arte, lazer e cultura, os profissionais da Fundação Pro Paz implementam conceitos da cultura de paz e da não-violência como o companheirismo, respeito e colaboração mútua entre os alunos. O objetivo é colaborar não somente no desenvolvimento físico destes alunos, mas também na construção e desenvolvimento de sua identidade, mudando seu comportamento não somente dentro do polo, como também em seu ambiente escolar e familiar.
“O Gustavo ficava muito ocioso em casa, só queria saber de ficar no celular e no videogame. Fiquei sabendo pela minha mãe do projeto e resolvi trazê-lo aqui. Ele já participa desde o início do ano e adora as aulas de caratê e jiu-jitsu. Pra gente é muito bom saber que nossas crianças estão aqui, seguras, tendo acesso a diversas atividades”, afirmou a dona de casa Sônia Aviz, 34 anos, moradora do bairro do Benguí.
Todos os alunos que frequentam o Pro Paz nos Bairros recebem uniforme, lanche, material didático e esportivo e acompanhamento psicopedagógico por meio de profissionais orientados ao atendimento não só dos alunos, mas dos familiares.  Entre oferecidas nos polos estão, para crianças e adolescentes: Futebol, Basquete, Vôlei, Natação, Atletismo, Tênis de Mesa, Tênis de Quadra, Capoeira, Jiu-jitsu, Judô, Caratê, aulas de dança contemporânea, dança de salão, Ballet, Hip-Hop, Teatro, Percussão, Artes Plásticas, Informática e Reforço Escolar em Português e Matemática. O projeto conta ainda com atividades voltadas para a comunidade como Hidroginástica, Condicionamento Físico, Ginástica Aeróbica, Dança de Salão e  Pilates de solo.
Para se matricular, o jovem pode procurar o polo mais próximo de casa, acompanhado de um representante legal, e apresentar os seguintes documentos: duas fotografias 3x4 e cópias da carteira de identidade (RG) do responsável, da certidão de nascimento ou RG do aluno a ser matriculado, do comprovante de residência e de declaração de matrícula escolar. Não é possível se matricular pela internet ou por telefone; é fundamental o comparecimento dos interessados no polo escolhido.
Os polos:
UFPA: está localizado na Rua do Tucunduba, s/n, próximo ao campus III da UFPa, no Guamá. Atende alunos dos bairros do Guamá, Terra Firme e Jurunas, incluindo a comunidade do Riacho Doce.
UFRA: está localizado na Avenida Perimetral, nº 2501, no bairro da Terra Firme e atende alunos dos bairros de Canudos, Terra Firme, Curió-Utinga, Guamá e localidades do entorno.
Mangueirão: fica na Rodovia Augusto Montenegro, km 3, e atende os bairros do Bengui, Mangueirão, Cabanagem, Parque Verde, Tapanã, Tenoné, Pratinha I e II.
Sacramenta: fica localizado na praça Dorothy Stang, entre as Avenidas Senador Lemos e Pedro Álvares Cabral e atende os bairros do Barreiro, Marambaia, Val de Cans, Telégrafo e Souza.
IESP: localizado na região central de Marituba, na Rodovia BR-316, km 13, s/n; são atendidos os alunos do município de Marituba.
Texto:
Mayara Albuquerque


Espetáculos encerram programação 2015 no Curro Velho
Ao todo são cinco espetáculos que reúnem a produção de artistas experientes e iniciantes, e mostram o resultado de oficinas inéditas pela Fundação Cultural do Pará (FCP), como as de espetáculo musical e dança inclusiva. Esta última já fez sua apresentação, com o espetáculo “Do Nosso Jeito”, fruto da oficina que levava o universo da dança para pessoas com diferentes limitações e habilidades físicas. O próximo será o espetáculo circense “Depois da Meia-Noite”, com apresentação no Curro Velho, dias 12, 13 e 14 de novembro, sempre às 18h30, com entrada franca.
“Ele é um espetáculo que aborda o suspense e o terror, mas também estimula o diálogo com o público. É bem divertido e para todas as idades!”, já convida Jorge Cunha, coordenador de Linguagem Corporal da FCP. O espetáculo é fruto de três meses de produção durante a oficina de Técnicas Circenses. Os alunos-atores realizam a apresentação no picadeiro do Curro Velho, contando sua história cheia de fantasia e terror.
A outra oficina de linguagem inédita, sobre teatro musical, apresenta como resultado o espetáculo “O Fantasma da Ópera”, nos dias 19 e 20 de novembro, sempre às 19h, no Teatro Waldemar Henrique, com entrada franca. “A maioria dos alunos já possuía iniciação em alguma linguagem – dança, canto, atuação – e a partir da oficina tiveram contato com as demais linguagens, algo necessário para musicais. Tudo será baseado no original e já conhecido espetáculo ‘O Fantasma da Ópera’, muito bem elaborado e ensaiado pelos professores Thays Reis, Carmem Mourão e Carlos Venturiere”, adianta Jorge Cunha.
Pelo projeto “Laboratório de Artes Cênicas”, o espetáculo de conclusão do curso, realizado ao longo de três meses, será "Viagem ao Centro do Mundo" e ganha destaque por envolver alunos já experientes do Curro Velho, atuando em toda a construção do espetáculo. “Foi um longo processo criativo, em que eles puderam experimentar a direção, cenografia, figurino, dramaturgia. Tudo sob a orientação de professores especializados em cada uma dessas áreas. A própria seleção deles é por currículo e precisam apresentar iniciação em algumas linguagens através de oficinas do Curro Velho”, explica o coordenador.
A apresentação dos alunos do Laboratório de Cênicas será nos dias 27, 28 e 29, sempre às 18h30, no teatro Curro Velho, com entrada franca, encerrando assim a programação do mês de novembro.
Por último, “Uma Selfie de Natal” será o auto de despedida da programação 2015 do Curro Velho, sendo apresentado dias 11 e 12 de dezembro, sempre Às 18h30, com a participação de crianças entre 7 e 14 anos,que integram as oficinas de iniciação artística. Toda a encenação se dará na nave (entrada) do Curro Velho e falará sobre Belém e seus “pregões”, trabalhadores como o tapioqueiro, o carvoeiro, “pessoas que se observava na cidade e que viraram poemas do professor Paulo Nunes (Unama), posteriormente musicados por José Maria – que também assina a direção musical do auto de natal”, conta Jorge Cunha.
Participação Solidária
O auto “Uma Selfie de Natal” será um presente para a comunidade no entorno do Curro Velho e um convite a todos os paraenses que queriam celebrar as festas de final de ano com muita arte e cultura. Como um presente, não será cobrado ingresso ou taxas, mas a organização pede que as pessoas aproveitem a ida ao espetáculo para doar um brinquedo. “Seja novo ou usado, não importa o valor, que seja doado com carinho. Não é uma exigência para que as pessoas possam assistir ao auto, mas um pedido das crianças. Quem puder colaborar, estaremos recebendo os brinquedos para distribuir às crianças da comunidade”, explica Jorge Cunha.
Programação Completa:
“Depois da Meia-Noite”
Galpão de Circo do Curro Velho;
Dias 12, 13 e 14 de novembro, sempre às 18h30;
Entrada franca.

“O Fantasma da Ópera”
Teatro Margarida Schivasappa (térreo do Centur);
Dias 19 e 20 de novembro, sempre às 19h;
Entrada franca.

"Viagem ao Centro do Mundo": resultado do Projeto “Laboratório de Artes Cênicas”
Teatro do Curro Velho;
Dias 27, 28 e 29 de novembro, sempre às 18h30;
Entrada franca.

“Uma Selfie de Natal”
Nave do Curro Velho;
Dias 11 e 12 de dezembro, sempre Às 18h30;
Entrada franca (*Quem desejar, pode doar um brinquedo).
Texto:
Laís Azevedo


Oficina orienta sobre Marco Regulatório do Terceiro Setor
Na manhã desta terça-feira, 10, representantes de cinco municípios de Região Metropolitana de Belém participaram do primeiro dia da oficina sobre o Marco Regulatório do Terceiro Setor. O curso, que ocorrerá até amanhã, 11, no auditório da Faculdade da Amazônia (FAAM), é promovido pelo Núcleo Paulus de Formação, Pesquisa e Disseminação Social e conta com a parceria do Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC) e da prefeitura de Ananindeua.
A oficina foi pensada para orientar gestores municipais e representantes de Organizações da Sociedade Civil (OSC) sobre o passo a passo para a implantação da Lei (13.019/2014), prevista para entrar em vigor no início do ano que vem e que vai modificar a forma como são feitas as parcerias entre o poder público, rede privada e entidades de assistência social. O objetivo é proporcionar ao participante o conhecimento e vivência prática da nova lei e preparar os entes públicos e as OSCs para a atender os novos dispositivos legais.
Irecê Faro, que é agente comunitária de saúde em Santa Izabel e vice-presidente da Comunidade Jardim Miraí, no município, veio em busca de mais conhecimento. “Estou cursando faculdade de Assistência Social e atuando diretamente com comunidades. Acredito que a nova lei veio para mudar para melhor o trabalho desenvolvido pelas associações”, disse Irecê.
O Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil tem o objetivo de aperfeiçoar o ambiente jurídico e institucional relacionado às OSCs e as relações de parceria com o Estado. Ele começou a ser elaborado em 2011, quando foi criado um Grupo de Trabalho Interministerial para elaborar propostas e análises sobre o tema. Em 2014, a Lei n. 13.019/ 2014 foi aprovada estabelecendo o novo regime jurídico das parcerias voluntárias entre a administração pública e as organizações da sociedade civil, por meio dos termos de fomento e de colaboração, mas ainda não entrou em vigor.
De acordo com Mariano Galdino, responsável pela Coordenação de Apoio às Organizações da Sociedade Civil da Secretaria de Assistência Social de Santa Izabel, 114 OSC são cadastradas pela coordenação e 74 recebem apoio diretamente como orientações sobre administração, contabilidade e articulações de parcerias. “Esse curso vai contribuir para elucidar a atuação de muitas organizações e como elas poderão agir depois que a Lei do Terceiro Setor passe a vigorar”, conta Marinaldo.
Durante a cerimônia de abertura estiveram presentes Luzineide Farias, Secretaria Adjunta da Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster); Meive Piacesi, Assessora de Planejamento do NAC; Lenice Antunes Secretaria de Assistência Social de Ananindeua; e Aurimar Pacheco, coordenador da Paulus. A oficina é oferecida sem custos pela Paulus.
Durante os dois dias de oficina a advogada Carla Regina de Oliveira, que é especialista no Terceiro Setor e há mais de 15 anos atua na área em São Paulo, fará um panorama da nova Lei do Terceiro Setor. Para ela, as mudanças serão positivas, mas trabalhosas. “O Terceiro Setor avançou muito nos últimos anos. Durante a oficina vamos abordar desde as áreas de atuação até a prestação de contas. A nova Lei vai facilitar a transparência das parcerias dificultando favorecimentos políticos, já que haverá chamamento público para as ações. Mas, por outro lado, as Organizações precisarão se profissionalizar. É importante também diversificar a fonte de renda e não depender apenas do poder público”, disse a advogada.
O Núcleo de Articulação e Cidadania, criado pela Lei Estadual nº 8.096, de 1º de janeiro de 2015, vinculado à Casa Civil da Governadoria, tem por finalidade articular e estimular parceria entre os três setores da sociedade civil, visando o desenvolvimento de ações integradas de combate às desigualdades sociais baseadas na responsabilidade social e voluntariado; além de contribuir para a promoção, fortalecimento e desenvolvimento do terceiro setor no que diz respeito à organizações e projetos sociais, através da organização, qualificação e fomento visando a auto sustentabilidade das entidades desse setor no Pará.
Até o final do ano novas parcerias resultarão em mais cursos de qualificação para comunidades. “Queremos levar conhecimento para que essas organizações possam se desenvolver e, fazendo sua parte, ajudar o Estado a crescer”, disse Meive Piacesi, Assessora de Planejamento do NAC. 
Texto:
Erika Torres


Sejudh divulga programação especial pelo fim da violência contra a mulher
A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), por meio da Coordenadoria Estadual de Integração de Políticas para as Mulheres (Ceipm), divulga a programação completa da campanha “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher”, que consiste em uma intensa mobilização pelo fim da violência praticada às mulheres através de ações de caráter preventivo e educativo, visando uma mudança social, cultural e comportamental.
A abertura oficial será na quinta-feira (19), no Espaço São José Liberto, às 16h, com distribuição de panfletos com o tema central da campanha para o ano de 2015: “Tome atitude, quebre o silêncio. Denuncie a violência contra a mulher!”. O evento de abertura será fechado para autoridades e imprensa, no entanto, as demais atividades serão abertas ao público. 
A programação conta com palestras educativas e rodas de discussão sobre a Lei Maria da Penha nas escolas; sessão de cinema; seminário sobre Direitos Humanos da Pessoa Idosa; workshop com o tema ‘Traçando Identidade’; Encontro de remanescentes quilombolas do município do Acará pelo fim da violência contra a mulher; seminário pelo dia de combate a AIDS; seminário sobre a “campanha do laço branco: homens pelo fim da violência contra a mulher”; e a Ação Cidadania que disponibilizará vários serviços com atendimento preferencial às mulheres.
De acordo com a Coordenadora Estadual de Integração de Políticas para Mulheres, Maria Trindade Tavares, o objetivo da campanha é reforçar e expandir a mensagem de não tolerância à perpetuação de todas as formas de violência contra as mulheres. “A campanha dos ‘16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher’ vem para aprofundar e debater a forma e o grau de crueldade em que vem ocorrendo os atos de extrema violência contra as mulheres. Esperamos firmar encaminhamentos que permitam uma grande mobilização desenvolvendo ações preventivas/educativas de enfrentamento a essa violência”, disse a titular da Ceipm.
PROGRAMAÇÃO
19/11 (quinta- feira)
Lançamento da Campanha “16 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra a Mulher”
Local: Espaço São José Liberto.
Horário: 16h
Como participar: O evento é fechado para autoridades e imprensa. 
23 e 24/11 (segunda e terça-feira)
Curso de Formação de Multiplicadores: Dialogando sobre a aplicabilidade da Lei n° 11.340, 07/11/2006 - Maria da Penha.
Local: SENAC. Av. Serzedelo Correa, n° 279
Horário: 8h às 12h.
Como participar: Efetuar inscrição preenchendo formulário disponível no site da Sejudh (www.sejudh.pa.gov.br).
24/11 (terça- feira)
Feminicídio: Maria da Penha nas escolas
Locais: Aud. do NIED; Escola Estadual Vilhena Alves; Escola Estadual Deodoro de Mendonça
Horário: 8h às 17h
Como participar: Evento exclusivo para os alunos das escolas estaduais.
26/11 (quinta- feira)
SEMINÁRIO: Direitos Humanos de Pessoa Idosa no Contexto Atual.
Local: Aud. do Sindicato dos Médicos. Rua Boaventura Silva, 999 – Nazaré.
Horário: 8h às 12h.
Como participar: Efetuar inscrição preenchendo formulário disponível no site da Sejudh (www.sejudh.pa.gov.br), ou pessoalmente no dia do evento.
27/11 (sexta- feira)
SESSÃO DE CINEMA. Filme: Loucas pelo fim da violência
Local: Cine Olympia – Av. Presidente Vargas, em frente a praça da República.
Horário: 15h.
Como participar: O evento é aberto ao público.
28/11 (Sábado)
SEMINÁRIO e WORKSHOP: Trançando Identidade
Local: Hotel Goldmar – Av. Pedro Alvares Cabral
Horário: 8h às 22h
Como participar: O evento é aberto ao público.
28 e 29/11 (Sábado e domingo)
Encontro de Remanescentes Quilombolas do Município do Acará: Pelo Fim da Violência Contra a Mulher.
Local: DIA 28 - Comunidade Quilombola de Vila de Formosa. Dia 29 – Quilombola do 19 do Massadranduba.
DIA 29 – Tarde – Comunidade Quilombola do Ipitinga Miri
Zona Rural, Alto Acará.
Horário: 8h às 17h.
Como participar: O evento é aberto ao público.
30/11 (segunda feira)
Feminicídio: Maria da Penha nas escolas
Local: SENAI – Trav. Quintino Bocaiuva, 1588, próximo a Av. Nazaré.
Horário: 8h às 17h.
Como participar: Evento exclusivo para os alunos das escolas estaduais.
01/12 (terça-feira)
Seminário pelo Dia de Combate a AIDS
Local: Auditório da Faculdade da Amazônia – FAAM. Rod. BR 16, K 7, 590.
Horário: 8h às 12h.
Como participar: O evento é aberto ao público.
01 e 02/12 (terça e quarta-feira)
Feminicídio: Maria da Penha nas escolas
Local: Aud. do NIED; Escola Estadual Vilhena Alves; Escola Estadual Deodoro de Mendonça
Horário: 8h às 17h.
Como participar: Evento exclusivo para os alunos das escolas estaduais.
02/12 (quarta-feira)
Culminância Maria da Penha nas Escolas
Local: UFRA – Polo PROPAZ. Av. Presidente Tancredo Neves, 2501 - Terra Firme.
Horário: 8h
Como participar: O evento é aberto ao público.
03/12 (quinta-feira)
Seminário: Campanha do Laço Branco: Homens Pelo Fim da Violência Contra a Mulher.
Local: Auditório da UNAMA da Alcindo Cacela.
Horário: 14h às 18h.
Como participar: Efetuar inscrição pessoalmente na COMBEL/Prefeitura de Belém.
10/12 (quinta-feira)
Ação Cidadania, preferencialmente, para mulheres
Local: Pça São Domingos de Gusmão – Rua São Domingos - Terra Firme
Horário: 8h às 13h.
Como participar: O evento é aberto ao público.
Texto:
Thays D. Rosario


Susipe fecha parceria e garante novas vagas de trabalho a detentos em Santarém
A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) fechou mais um convênio para gerar emprego e renda aos internos. Desta vez, a parceria foi feita com a empresa de construção civil MM de Oliveira Junior – EPP, que irá utilizar a mão de obra de 22 detentos, do regime semiaberto, na atividade de servente de obras durante a construção do Centro de Recuperação Feminino (CFR) de Santarém.
“Eu acredito que é muito importante buscar no trabalho que desenvolvemos as questões sociais, e quando eu soube que existia essa possibilidade aqui na Susipe vi que era uma boa oportunidade para começar a inserir essa mão de obra em nossas atividades. Além disso, creio que o apenado seja um profissional mais motivado, tendo em vista que ele está buscando reinserção no mercado de trabalho, e em função disso vamos ganhar também qualidade e produtividade”, avaliou o diretor da empresa, Manuel Oliveira Junior.
Pelo trabalho, os detentos irão receber a remuneração de ¾ do salário mínimo, como determinado pela Lei de Execuções Penais (LEP), terão remissão de um dia de pena a cada três dias trabalhados e ainda o beneficio a contribuição previdenciária de 11% do salário mínimo vigente garantindo o seus direitos.
O superintendente da Susipe, coronel André Cunha, comemora a parceria. “A assinatura de mais esse convênio é um satisfação muito grande para nós. Esse já é o 24º convênio da Susipe para gerar emprego aos custodiados e esperamos que este número continue crescendo nos próximos meses”, afirmou.
A parceria é a décima nona com empresas privadas e totaliza a geração de 478 vagas de trabalho para os internos da Susipe. “O Estado através da Susipe consegue disponibilizar mais vagas de trabalho aos internos, que é um dos esteios da reinserção social. É nossa obrigação promover educação e trabalho e estamos cumprindo com essa obrigação. O resultado disso é a meta que já estamos próximos de atingir, de mais de 500 vagas de emprego geradas e 27 convênios firmados, no total, para esse ano”, garantiu o diretor do Núcleo de Reinserção Social (NRS), Ivaldo Capeloni.
Texto:
Timoteo Lopes




Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...