Total de visualizações de página

terça-feira, maio 10, 2016

Pará possui dois entre os 10 melhores hospitais públicos do Brasil, aponta ranking nacional da ONA






LEIA MATÉRIA NESTE BLOCO


Governador celebra 400 anos de Belém em navio da Marinha do Brasil
Representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário estadual participaram de um encontro na manhã desta terça-feira (10), a bordo do Navio de Desembarque de Carros de Combate (NDCC) “Garcia D’Avila, a convite da Marinha do Brasil, em homenagem aos 400 anos de Belém. O encontro contou com a presença do governador Simão Jatene; do prefeito Zenaldo Coutinho; do Almirante de Esquadra Paulo Cezar de Quadros Küster, diretor de navegação; do Vice-Almirante Alípio Jorge Rodrigues da Silva, comandante do 4º Distrito Naval, entre outros.
As autoridades presentes conheceram toda a estrutura da embarcação, que aportou na capital paraense na madrugada desta terça-feira depois de participar de uma missão de paz no Haiti. “Estamos felizes em receber os representantes dos três poderes estaduais no navio da esquadra. É muito significativo passar por Belém no momento dos seus 400 anos, assim como é muito gratificante receber as autoridades que têm feito com que a Marinha se sinta efetivamente parte do Estado”, afirmou o Vice-Almirante Alípio Jorge. O navio foi apoiar a tropa brasileira no Haiti levando pessoal e material, e deve ficar em Belém até a próxima quinta-feira (12), quando segue para o Rio de Janeiro.
Durante o encontro, o governador Simão Jatene ressaltou a importância da atuação da Marinha nos rios da Amazônia. “Essa é uma instituição com um alcance muito importante, que chega aos locais mais distantes da nossa região, fiscalizando e protegendo o território. A presença da Marinha nos dá a noção de brasilidade e faz parte da história do próprio Estado, tão bem servido pelas águas”, ressaltou Jatene.
Para o comandante do 4º Distrito Naval, a integração cada vez maior entre a instituição das forças armadas e o governo do Pará garante a sua atuação mais forte em todo o território. “É importante que a Marinha conheça os projetos do governo e o governo conheça também o trabalho da Marinha para que possamos somar esforços. Temos muitas necessidades, muitas demandas e precisamos trabalhar em conjunto, pois só assim teremos eficiência nas nossas atividades, sempre contribuindo para o desenvolvimento da região. E cada vez mais o país precisa disso”, destacou o Vice-Almirante. 
A Marinha desenvolve atividades que vão desde as de caráter militar tradicional, de patrulha dos rios, do mar, de preparação de defesa do país contra ameaças estrangeiras, até as ações voltadas para as atividades marítimas como segurança da navegação, salvaguarda da vida humana no mar e prevenção da poluição hídrica.
Também participaram do encontro o Major-Brigadeiro-do-Ar Carlos Minelli de Sá, Comandante do I Comar; o comandante da embarcação Juarez Cardoso Filho; o conselheiro Luis Cunha, presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE); a desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento, representante do Tribunal de Justiça do Estado (TJE); da presidente da Sociedade Amigos da Marinha (Soamar), Milva Cabral Rebelo; o juiz auditor José Maurício Pinheiro de Oliveira, da Justiça Militar Federal; o Coronel Fernando Augusto Dopazo Noura, Chefe do gabinete Militar da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) e o Tenente Coronel César Maurício de Abreu Mello, Chefe da Casa Militar do Estado. 

Texto:
Lidiane Sousa


Adepará participou do evento Parceiros no Campo em Xinguara
A Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) esteve presente no 1º Itinerante – Rede de Agronegócio – Parceiros No Campo, no último dia 6, na Comunidade Paraíso do Araguaia, em Xinguara, no sul do Pará. O evento teve como público-alvo produtores rurais e foi promovido pela Rede de Parceiros, composta por Sebrae, Emater, Adepará, secretarias municipais de Desenvolvimento Rural e de Meio Ambiente e Turismo e ainda empresas privadas de assistência técnica e extensão rural. A Adepará foi representada pelos técnicos da Unidade Local de Sanidade Agropecuária de Xinguara. À Adepará coube abordar os temas “Uso correto e seguro de agrotóxicos” e “Programa de Inspeção Artesanal – Animal e Vegetal”. Participaram do 1º Itinerante o gerente regional de Xinguara, Daniel Cappellari, a médica veterinária Elizabeth Patrícia Lopes Rendeiro e o agente de defesa agropecuária Deydiston Gomes de Bastos. Ao todo, cerca de 60 pessoas de Paraíso do Araguaia e de comunidades próximas (Vale do Araguaia, Maringá, Monte Castelo, Travessão, Escalada, Guerobal) participaram do evento.

Texto:
Tylon Maués


Atendimento do Pará no setor de hepatites é destaque em documentário
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) participou das gravações do documentário sobre o novo tratamento produzido pelo Departamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST/ Aids) e Hepatites Virais do Ministério da Saúde. As filmagens ocorreram entre os dias 25 e 27 de abril, em Abaetetuba, no Baixo Tocantins. O Pará é o único Estado da região Norte a participar do filme, que será lançado no Aids2016 – Conferência Internacional sobre HIV/ Aids, em julho deste ano, na África do Sul.
O encontro, considerado o mais importante no mundo sobre a epidemia que em 2013 matou 1,5 milhão de pessoas, reúne a cada dois anos especialistas, cientistas, políticos e ativistas. “O documentário será exibido no espaço para falar sobre hepatites. Visitamos pessoas que fizeram tratamento para hepatite C no interior do Estado e conseguiram se curar. Graças à boa gestão, a população do Estado tem acesso aos medicamentos. Hoje, cerca 400 pessoas fazem tratamento no Pará”, informa a coordenadora estadual de Hepatites Virais, Cisalpina Cantão.
Segundo a secretária adjunta da Sespa, Heloísa Guimarães, antes o tratamento para hepatites era muito agressivo. “Hoje ele é menos evasivo, o que proporciona qualidade de vida aos pacientes, que tomam os remédios via oral em casa. Isso foi uma revolução na saúde do Estado”, diz. Participaram das filmagens do documentário duas famílias de Abaetetuba e uma de Belém. Também será exibido no filme o Centro de Referência na Santa Casa.
Dados – Com as ações de incentivo ao diagnóstico precoce, entre 2007 a 2014 o Pará registrou 2.211 casos do tipo B e 871 ocorrências de hepatite C. No ano passado, foram confirmados 439 casos do tipo A, 390 do tipo B e 203 do tipo C. “Precisamos fazer a promoção da saúde no sentido de prevenção. Então é preciso ter muito cuidado no uso de seringas e também na manicure. Os adolescentes devem ter mais responsabilidades e praticar sexo seguro, com camisinha”, ressalta Heloísa Guimarães.
Segundo a coordenação estadual de DST/ Aids, 8.642 pessoas são usuárias de medicamento para HIV em todo Pará; dessas, 8.485 são adultos e 137 crianças. No Pará, os serviços disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para testagem e tratamento estão aos poucos sendo descentralizados da capital. Ao todo, são 21 serviços de tratamento (quatro em Belém), além de 74 postos de testagem no Pará. A lista dessas unidades está disponível no site aids.saude.pa.gov.br, no item Rede de Serviços, em que o internauta pode acessar o endereço dos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) e os Serviços de Atendimento Especializado (SAE).
A Conferência Internacional de Aids ocorrerá em Durban, na África do Sul. Vai ser a segunda vez que esta cidade sul-africana recebe o evento. Na primeira, em 2000, na 13ª edição do evento, o país ainda discutia se o HIV transmitia ou não a Aids, e não existia acesso aos antirretrovirais. Hoje a realidade do continente africano é outra. Cerca de nove milhões, o que representa cerca de 56% dos soropositivos na África sub-saariana, recebem tratamento.

Texto:
Carla Fischer


Governo do Pará regulamenta Portal de Regularização Ambiental
A Instrução Normativa do Portal da Regularização Ambiental do Pará foi assinada nesta terça-feira (10), pelo secretário de Estado de Meio Ambiente, Luiz Fernandes Rocha, durante reunião no Palácio do Governo. A formalização ocorreu durante encontro extraordinário do Comitê Gestor, promovido pelo Programa Municípios Verdes (PMV) e Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).
O portal tem a finalidade de monitorar via satélite áreas desmatadas no Estado após o marco regulatório do Código Florestal (ou seja, áreas com passivo ambiental após o dia 22 de julho de 2008). O objetivo é produzir informações claras sobre procedimentos e critérios de regularização de propriedades cujo desmatamento foi detectado pelo portal, que é aberto para consulta pública.
Para o secretário de Meio Ambiente, que conduziu a reunião, ferramentas como o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o Programa de Regularização Ambiental atuam no Estado como políticas públicas que possibilitam a regularização do empreendedor, visando a proteção da floresta e o combate ao desmatamento. “A regularização feita intensamente pela Semas acelera a descentralização municipal no que diz respeito à gestão ambiental. Promovemos encontros em vários municípios, contemplando todas as regiões do Estado e, dessa forma, podemos dar continuidade no enfrentamento ao desmatamento no Pará”, destacou.
Na ocasião, as ações e experiências exitosas do Estado, como a implementação do Sistema de Integração da Gestão Ambiental Municipal (Sigam), foram divididas com uma comitiva do Governo do Amazonas, representada pelo secretário adjunto de Meio Ambiente, Antônio Menezes; pelos assessores técnicos Akis Alves e Giuliano Piotto Guimares; pela chefe do Departamento de Gestão Ambiental e Territorial, Neila Maria Cavalcante da Silva; e pelo procurador do Ministério Público Federal (MPF) Rafael da Silva Rocha. A troca de experiências foi considerada positiva pelos presentes.
“Damos a vocês os parabéns por conseguirem fazer a migração do Sicar – Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural e melhorar o sistema. Hoje vocês têm uma ferramenta de regularização ambiental mais completa. Estou encantado que vocês já estão implantando o Programa de Regularização Ambiental. Ainda estamos discutindo como fazer isso no Amazonas”, disse o secretário adjunto de Meio Ambiente do Amazonas, Antônio Menezes de Andrade.
Para o secretário extraordinário do Programa Municípios Verdes, Justiniano Netto, o momento é oportuno para ambos os governos. “Como o governador Simão Jatene costuma dizer, o PMV é um programa da sociedade, não do Governo do Pará, então a gente está aqui para somar e ir trabalhando no diálogo e articulação com os municípios sobre o que está sendo feito e no que podemos focar para aumentar a regularização, mas também alavancar a produção baseada em práticas responsáveis com o meio ambiente”.
A opinião é compartilhada pelo procurador do MPF do Pará Daniel Azeredo. “A regularização ambiental jamais pode ser um entrave para o desenvolvimento. Estamos em um cenário muito próximo de atingir um equilíbrio entre a produção e a preservação do meio ambiente. Para o produtor, é segurança jurídica para desenvolver sua atividade econômica”, afirmou.
Migração – A gerente de Planejamento da Semas, Maximira Silva, e o diretor de Geotecnologias da secretaria, Vicente Sousa, explicaram aos presentes sobre a migração do CAR para o Sistema de Cadastro Ambiental Rural do Pará (Sicar). A mudança traz mais celeridade aos cadastros e facilita o processo para o produtor rural que tem interesse aderir ao CAR. Anteriormente, o cadastro era feito no Sistema Integrado de Licenciamento e Monitoramento Ambiental (Simlam). Em 2014, por decreto, foram iniciados os procedimentos para a implementação do Sicar, que agora é o sistema responsável pela realização do cadastro, já em funcionamento.
A Semas começou a fazer no mês de abril a capacitação de técnicos das secretarias municipais de meio ambiente dos municípios paraenses de Barcarena, Abaetetuba, Moju, Baião, Igarapé-Miri e Acará para a execução do CAR. A expectativa é que haja um acréscimo de áreas inscritas no cadastro, possibilitando maior acesso a políticas públicas, pelos produtores rurais e pelos municípios paraenses. (Colaborou Naiana Gaby, da Ascom Semas)

Texto:
Natália Mello


Detran orienta motoristas para reajuste das multas de trânsito

O condutor paraense terá os próximos seis meses para se adaptar a uma nova realidade no trânsito. As novas alterações previstas no Código Brasileiro de Trânsito (CTB). Entre as quais, o reajuste nos valores das multas de trânsito previstas para vigorar a partir de novembro deste ano.
O reajuste do valor de todas as categorias de multas foi publicado no Diário Oficial da União, na última quinta-feira (5). Os percentuais variam de 53,2% a 66,12% e poderão ser revistos anualmente, com base no Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA).
A última atualização das multas básicas aconteceu em 2002 através de uma resolução que fixou o valor atual em reais. O aumento nos valores que aconteceram desde então, foram para infrações consideradas mais perigosas e por meio de um fator multiplicador.
A mudança objetiva punir com mais rigor, condutores que teimam em desobedecer as leis de trânsito causando danos físicos e materiais a si mesmo ou aos demais condutores e transeuntes. Assim, quanto mais grave a infração mais pesadas serão as multas. O valor previsto, por exemplo, para quem for pego disputando racha ou forçando a ultrapassagem em estradas será de R$ 2.934,70, com o critério de infração gravíssima com fator multiplicador de 10 vezes.
O condutor que se negar a fazer o teste de bafômetro, exame clínico ou perícia para verificar a presença de álcool ou drogas no corpo também poderá pagar o valor máximo. A multa dobra em caso de reincidência em menos de 12 meses chegando a R$ 5.869,40. “Acreditamos que somente sentindo no bolso a atitude de algumas pessoas possa enfim mudar”, frisa o diretor Técnico e Operacional do Departamento de Trânsito do estado (Detran), Valter Aragão.
Além da fiscalização necessária para cobrar as novas medidas, o Detran vai intensificar as ações de educação de trânsito nas vias paraenses. “É muito importante esse tipo de ação, pois esclarece e em muitos casos muda a atitude do condutor e da população”, afirma Diego Valente, coordenador de Educação no Trânsito da instituição.
Infrações que antes eram entendidas como médias agora passam a ter outro caráter. O motorista que for flagrado falando ou teclando o telefone, agora terá uma punição gravíssima. Assim, a multa que antes era considerada média e equivalia a R$ 85,13 passará para R$ 293,47.
Aragão observa ainda que a nova redação do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) adicionou a palavra "manuseando" para repreender também quem manda mensagens de texto ou fica de olho nas redes sociais enquanto dirige.
Já os condutores que sob qualquer pretexto forem flagrados estacionando em vagas reservadas para idosos e deficientes sem a credencial que comprove sua condição, serão multados por infração gravíssima.
Confira os novos valores de multas:
Infração leve
- Passa de R$ 53,20 para R$ 88,38
Infração média
- Passa de R$ 85,13 para R$ 130,16
Infração grave
- Passa de R$ 127,69 para R$ 195,23
Infração gravíssima
- Passa de R$ 191,54 para R$ 293,47

Texto:
Aldirene Gama


Estudante pode usar notas do Enem para obter certificado da educação básica
No processo de inscrição ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que prossegue até o dia 20 deste mês, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) encaminha a Certificação de Conclusão da Educação Básica para estudantes que pretendem terminar os estudos por meio do Enem. Para isso, no Estado funcionam duas unidades certificadoras: a própria Seduc e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA).
“Ao fazer a inscrição, o estudante deve solicitar que as notas do Enem sejam usadas para certificar a educação básica e fazer a opção por uma das instituições certificadoras”, explica o secretário adjunto de Ensino da Seduc, Roberto Silva. O estudante deve ter no mínimo 18 anos completos na data da primeira prova do exame. As provas do Enem 2016 estão agendadas para os dias 5 e 6 de novembro.
Somente estão isentos do pagamento de taxa os estudantes que cursam o último ano do ensino médio. Informações sobre certificação relacionada ao Enem 2016 podem ser obtidas pelos estudantes e interessados em geral pelo telefone (91) 3201-5029. A diretora do Ensino Médio e Educação Profissional da Seduc, Josiane Figueiredo, e o coordenador do Ensino Médio da secretaria, Jaime Ramos, atuam na mobilização de estudantes do ensino médio, nos municípios paraenses, para fazerem o quanto antes a inscrição ao Enem 2016.
A inscrição é feita no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep): www.portal.inep.gov.br. Até as 9h30 desta terça-feira (10), o total de inscritos ao Enem 2016 no país já passava de um milhão, segundo o Inep.

Texto:
Eduardo Rocha


Lutadora Érica Paes coordena ensino de artes marciais no Pro Paz
A lutadora Érica Paes será a nova coordenadora de artes marciais do Pro Paz nos Bairros. A parceria surgiu do desejo da atleta em participar do projeto do Governo do Estado, que trabalha com a inclusão social de crianças e adolescentes residentes em áreas vulneráveis com atividades de esporte, cultura, arte e lazer.
Paraense e primeira mulher da BTT (Brazilian Top Team), Érica Paes agora compõe a equipe XGYM, a mesma de Anderson Silva. Atleta que começou a carreira ainda na infância, aos 12 anos, ela vê nas crianças do Pro Paz a possibilidade de descobrir novos talentos, em um trabalho que vai, sobretudo, tirar esses jovens da situação de vulnerabilidade social.
“Eu já vinha fazendo esse trabalho no Rio de Janeiro, e agora, graças a essa parceria com o Pro Paz, posso realizar este trabalho aqui, na minha terra. Quero ajudar a tirar estas crianças do mundo da violência por meio dos ensinamentos da cultura de paz que fazem parte do esporte. Como aconteceu comigo um dia, quero dar oportunidades para elas”, afirma.
Regiane Pereira, 14 anos, aluna do Pro Paz nos Bairros da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), conta que não perde as aulas de Érica Paes. “É muito bom ter uma atleta como ela nos ensinando, alguém que também nasceu aqui e ficou tão famosa, ganhando tantos torneios. Espero aprender bastante”, diz. A atleta dá aulas para os alunos do Pro Paz duas vezes por mês, em todos os polos. Durante os outros dias, uma equipe de professores se encarrega dos treinos.
Criado para despertar nas crianças e jovens o interesse pela construção de uma cultura de paz coletiva, oportunizando o aprendizado e o acesso a diversas atividades de arte, cultura e lazer, o Pro Paz nos Bairros atende a faixa etária de 8 a 18 anos em sedes chamadas polos. Neles, crianças e jovens são acolhidos por professores e equipe técnica e estimulados a resgatar valores como respeito, igualdade, lealdade e compromisso, usando para isso de atividades de integração, inclusão e socialização.
Nos polos do projeto são desenvolvidas atividades nas áreas de educação (linguagem e matemática), arte e cultura (percussão, circo, música, dança e hip hop), esporte e lazer (futebol de campo, futsal, vôlei, basquete, natação, atletismo, artes marciais e capoeira), além de atividades voltadas para o estímulo ao exercício pleno da cidadania, como oficinas formativas e rodas de conversa.

Texto:
Mayara Albuquerque


Grupo português volta olhar para ações sociais do Pacto Pela Educação e Pro Paz
A EDP – Energias de Portugal S. A., que através da EDP Brasil está investindo em geração de energia em território paraense, está buscando integrar as ações sociais desenvolvidas pelo Estado nas ações realizadas pela empresa que é uma das dez maiores operadoras do setor energético da Europa. Na manhã desta terça-feira (10), no palácio do Governo, os representantes da EDP tomaram conhecimento sobre projetos como o Pacto pela Educação e o Pro Paz, além de trocarem informações com o governador Simão Jatene para efetivação de parcerias na área social.
Na ocasião, o governador Simão Jatene falou da diretriz estadual de fomentar empreendimentos no Pará que respeitem o meio ambiente e gerem renda para a população. “Vivemos um momento especial que vai exigir que cada um faça uma revisão da forma de ver e pensar a Amazônia. Precisamos definir como vai se dá a apropriação da natureza por parte do homem e qual o valor que se deixa no território para as pessoas que aqui vivem”, explicou Jatene ao defender o rompimento do ciclo de economia exclusivamente extrativista.

Na Europa o grupo investe em ações filantrópicas e culturais através da Fundação EDP. Aqui no Brasil, o Instituto EDP é que desenvolve ações de promoção à cidadania, cultura, esporte e educação, áreas que devem ser priorizadas pela empresa nas ações desenvolvidas pelo instituto no Pará. Nuno Rebelo de Sousa, Relações Institucionais e Gestão de Stakeholders, explicou que o grupo está fortalecendo o relacionamento com todas as partes interligadas ao grupo no Brasil.
“Procuramos falar com o maior número de parceiros para entender de que forma essas parcerias têm se desenvolvido e como podemos melhorar isso”, contou Sousa que disse que está fazendo uma pesquisa das ações realizadas pela empresa nesse setor, com intuito de identificar as melhores práticas. “Temos investido para estar no top dos rankings de qualidade como Dow Jones, índices de sustentabilidade e certificações de qualidade mundiais, por isso é fundamental que a gente conheça os nossos parceiros e fortaleça esse tipo de parceria que estamos buscando com o governo do Pará”, reiterou.
No Pará, a EDP – Energias de Portugal S. A. é responsável pelo empreendimento da hidrelétrica de São Manoel, localizada no município de Jacareacanga, na fronteira do Pará com o Mato Grosso, que começou a ser construída em agosto de 2014, avaliada em R$ 2,7 bilhões; e da usina Santo Antônio do Jari, que está sendo construída em Monte Dourado, no município de Almeirim, na divisa com o Amapá, cuja obra iniciou em 2011 e tem investimento de R$ 1,2 bilhão.
O encontro também teve a presença do gestor executivo da EDP Eduardo Santarelle, do proprietário da Guerreiro Comunicação e Marketing, Péricles Guerreiro; e da diretora geral do Núcleo de Acompanhamento e Monitoramento da Gestão, Gabriela Landé.

Texto:
Dani Filgueiras


Parauapebas celebra 28 anos de emancipação e desenvolvimento
O município de Parauapebas, no sudeste paraense, completa 28 anos de emancipação nesta terça-feira, 10, e já é considerado um dos que mais cresce no país e que mais contribuem com a balança comercial brasileira. Localizada no centro da maior reserva mineral do mundo, a Serra dos Carajás, Parauapebas ocupa, desde 2012, o segundo lugar no ranking de cidades com maior Produto Interno Bruto (PIB) do Pará, ficando atrás somente da capital, Belém. Por conta disso, segue atraindo investimentos governamentais e privados nos mais diversos setores, além de um fluxo incessante de trabalhadores em busca das ofertas de emprego. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município tem uma população estimada em 189.921 habitantes distribuídos em sete mil quilômetros quadrados.

Nascida e criada no município, a ex-miss Parauapebas Jamila Azevedo, de 27 anos, não esconde a admiração por sua cidade-natal. "Se tivesse um sobrenome, o de Parauapebas deveria ser progresso. Para mim é uma das melhores cidades para se viver e só tem a crescer. É acolhedora, tem gente do Brasil inteiro e foi uma honra representá-la em um concurso de beleza, pois é isso que o interior precisa: aparecer e ser bem representado”, diz ela, que representou o município no Concurso Miss Pará em 2013 e hoje contribui para o desenvolvimento do qual tanto se orgulha atuando com projetos sociais.
Saúde
Ainda neste semestre, Parauapebas passará a contar com um Hospital Regional que será gerenciado por meio de um consórcio intermunicipal envolvendo, além da própria sede, as cidades de Canaã dos Carajás, Eldorado dos Carajás e Curionópolis, em parceria com o Governo do Estado.
Em visita ao novo hospital, o secretário de Estado de Saúde, Vítor Mateus, destacou a importância esse empreendimento. "É uma obra grandiosa, com estrutura invejável. Nosso objetivo é fortalecer a parceria estado-municípios para que possamos oferecer um serviço de qualidade e excelência à população de toda essa região”. O novo hospital será dotado de 152 leitos, unidade para tratamento de hemodiálise, UTI adulta, pediátrica e neonatal, salas de pré-parto, parto e puerpério (PPP), Centro Cirúrgico e atendimento de urgência e emergência, distribuídos em cinco andares, incluindo o subsolo.
Transporte
Resultado de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Transporte (Setran) e a Prefeitura de Parauapebas, foi inaugurada em 10 de março deste ano a duplicação da Rodovia PA-160, que abrange uma extensão de 10 quilômetros dentro da zona urbana do município, sendo 7,1 km ligando a Estrada Faruk Salmen até a PA-275 (viaduto) e outros 2,9km até o Loteamento Amazonas, sentido Canaã dos Carajás.
Segurança
Em agosto de 2015, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) entregou a nova Seccional Urbana da cidade. As instalações, localizadas na Rodovia Faruk Salmen, bairro Canadá, passaram por uma reforma total orçada em R$ 554.507,38, e também receberam novos mobiliários e equipamentos, avaliados em R$ 50 mil. 
A nova Seccional conta com 20 salas, vestiários, banheiros públicos, alojamentos e espaço de custódia para presos. No local também funciona, em espaços anexos, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), e a Superintendência Regional de Carajás, que abrange os municípios de Curionópolis, Canaã dos Carajás e Eldorado dos Carajás.
Aniversário
Além de Parauapebas, também comemoram aniversário nesta terça-feira, 10, os municípios de Bom Jesus do Tocantins, Brejo Grande do Araguaia, Cachoeira do Arari, Concórdia do Pará, Curionópolis, Dom Eliseu, Garrafão do Norte, Ourilândia do Norte, Pacajá, Parauapebas, Santa Maria das Barreiras, São Geraldo do Araguaia, São João de Pirabas, São João do Araguaia, Tailândia e Tucumã.

Texto:
Thays D. Rosario


Executivo entrega LDO à Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária do Legislativo
O presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária, deputado Junior Hage (PDT), informou que a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) já foi entregue pelo Poder Executivo ao Poder Legislativo.
A partir do dia 17 de maio começa o prazo para que os deputados entreguem à Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária as emendas para compor a LDO. O deputado Junior Hage enfatizou que o prazo final para entrega das emendas será o dia 30 de maio e não deverá haver prorrogação.
PLENÁRIO - Na sessão desta terça-feira (10/05), os parlamentares discutiram e encaminharam o Projeto de Resolução 26/2015, que dispõe sobre a criação da Frente Parlamentar de apoio aos assuntos relacionados às ciências Contábeis e o profissional de contabilidade no Estado do Pará, de autoria do deputado Iran Lima. A votação do projeto deverá acontecer na sessão ordinária desta quarta-feira (11/05).


Texto:
Andreza Batalha


Quatorze Índios Kayapó concluem o Ensino Médio
Quatorze indígenas da etnia Kayapó, das aldeias Baú e Kamaú, localizadas no município de Novo Progresso, no sudoeste paraense, concluíram o Ensino Médio regular e participaram da cerimônia de formatura na quinta-feira, 5, na aldeia Baú. A terra Indígena Baú é parte do território tradicional da comunidade indígena Kayapó-Mekrãgnoti-Baú e está localizada no extremo sul do município de Altamira, Estado do Pará.
A cerimônia contou com representantes de instituições que trabalham diretamente com os indígenas e demais convidados pelos caciques e comunidades indígenas. O coordenador da Educação Indígena, Mydjere Kayapó, que é da mesma etnia dos formandos, comentou que formar alunos indígenas dentro da própria aldeia é uma vitória. “Eu não tive esta oportunidade e tive que deixar meu povo para ir até a escola. Hoje o Ensino Médio vem até a aldeia e nós temos mais oportunidades para estudar. Nós não precisamos sair da aldeia para entrar na universidade”, explicou o coordenador.
Em todo o Pará são aproximadamente mil alunos indígenas do Sistema de Organização Modular de Ensino (Some) de 29 aldeias localizadas em 29 municípios paraenses. Ao todo são cerca de 16 mil alunos em território paraense. Destes, 14 mil estão matriculados no Ensino Fundamental, que é municipalizado.
Ainda há 406 índios Gavião em escolas de São Jesus do Tocantins e outros 276 Tembé em Santa Luzia do Guamá, que são alfabetizados na língua portuguesa, mas também estudam na língua mãe Teneateara.
O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), desde 2003 já formou aproximadamente 300 professores indígenas que são habilitados para atuar no ensino da educação infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental. Este número vem somar aos de 72 indígenas das etnias Tembé, Gavião e Suruí Aikewara, que se formaram em Licenciatura Intercultural Indígena e que estão habilitados para atuar no ensino Fundamental e Médio.

Texto:
Márcio Flexa


Arcon alerta sobre prazo final de negociações de dívidas de operadores
A próxima segunda-feira, 16 de maio, é o último dia para que os operadores do transporte intermunicipal, terrestre e hidroviário, ajustem suas pendências financeiras junto à Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon-PA), podendo, inclusive, solicitar parcelamento desses débitos. Mas não haverá prorrogação desse prazo.
A Diretoria de Controle Financeiro (DIC) da Arcon está à disposição para essas negociações até o dia 16, último prazo para que sejam feitos os acordos. Os operadores podem agendar uma visita através do número (91) 9 8803-8629, e assim regularizar pendências em condições especiais, evitando a suspensão de serviços e inscrição dos débitos na Dívida Ativa.

Texto:
Dedé Mesquita


Polícia Militar vai às escolas e previne contra o uso de drogas
“Mais do que atuar no trabalho repressivo contra as drogas no nosso Estado, a Polícia Militar quer atuar também no preventivo”. A afirmação é do tenente coronel Edson Lamego, comandante responsável pelo projeto “24ª BPM vai à escola” que leva os militares para dentro das salas de aula, mostrando de forma clara aos alunos os efeitos destrutivos das drogas nos mais variados aspectos. O projeto é vinculado ao Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), gerido pelo Governo do Estado com o objetivo de atuar na prevenção ao uso de drogas entre crianças e adolescentes.
Na quarta-feira (4), a escola estadual Ruth dos Santos Almeida, no conjunto Maguari, em Belém, foi mais uma das escolas daquela área a receber a visita da PM, que além de ministrar a palestra educativa, levou também a cadela “Lola”, treinada para auxiliar no trabalho de busca de entorpecentes. A atuação do cão farejador prendeu a atenção de todos, desde alunos até professores e gestores.

Ainda segundo o tenente coronel Edson Lamego, a maioria dos homicídios ocorridos nos bairros do Tapanã, Pratinha, Benguí e proximidades está relacionado ao tráfico de drogas, e desses casos, 60% envolvem crianças e adolescentes. “Não podemos nos conformar ao ver nossas crianças e adolescentes sendo assassinados diariamente por uma ligação com o tráfico de drogas. Estamos aqui para mostrar aos alunos o conceitual do que é a droga e todos os malefícios que ela causa, não somente para o usuário como também para a família. Acreditamos que atingindo esse público, os índices de violência e homicídios cairão significativamente nesta localidade”, disse o comandante.
A vice-diretora da escola Ruth dos Santos Almeida, Leila Souza, agradeceu pela visita da PM e espera que a iniciativa se reflita na vida dos alunos dentro e fora da escola. “Com entendimento dos malefícios que a droga traz, esperamos que a conscientização junto aos nossos alunos seja alcançada, e que inclusive eles repassem esse conhecimento uns para os outros, indo além dos muros da escola”, salientou.
Para Sildomar Rodrigues, professor na escola Ruth dos Santos e coordenador do projeto "Droga na Escola", quanto mais cedo a criança for conscientizada sobre os males que o uso de entorpecentes traz, menores serão as chances daquela criança cair no mundo do vício. “Aqui temos alunos nas faixas etárias de 10 até mais de 18 anos, e é essencial que haja um bate-papo com eles sobre esse assunto na presença de um profissional, para que então sejam instruídos e se tornem capazes de dizer não a esse grande problema social”, explicou.
A estudante Pâmela Brandão, 18 anos, esclareceu suas dúvidas com relação às drogas e pretende repassar o conhecimento adquirido. “Com tudo o que foi dito, creio que estou apta para me auto defender das propostas futuras, além de poder repassar o que aprendi para outras pessoas. Para mim, esta ação vai ajudar na formação do caráter de todos os alunos desta escola”, opinou.

Texto:
Thays D. Rosario


Coleção reúne produção de alunos participantes do Sarau Literário
A Imprensa Oficial do Estado lançará durante a Feira Pan-Amazônica do Livro o Baú do Sarau. Trata-se de uma coletânea de cinco livros que sintetizam o que ocorreu durante a edição 2015 da programação, realizada pela IOE e pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult) nas escolas dotadas dos Espaços de Leitura implantados por meio do projeto Livro Solidário. Duas dessas obras – O Menino que Gosta de Cortar Papel e A Floresta Maldita – foram escritas pelos alunos da Escola Estadual Panorama XXI, que em 2007 registrava IDEB abaixo da média nacional e conseguiu reverter esse índice a partir de ações de enriquecimento e melhoramento das atividades pedagógicas.
O Sarau acabou por despertar vários talentos na escola, como o do aluno Antônio Marcos da Silva, de 11 anos, que é autista e inspirou o livro “O menino que gosta de cortar papel”, escrito por Caio Gustavo, Lucas Alves, Kleberson Santos e Jhony Cristian. “Tinha dias que ele chegava alegre, conversador, e outros, meio arredio. E foi essa convivência com o jeito de ser dele, suas limitações e sua lição de vida que os alunos decidiram relatar, até porque ela trouxe um aprendizado para todos”, conta a professora Luciana Brito. A arte gráfica do livro foi feita pelo próprio Antônio Marcos, cuja maior habilidade é produzir todo tipo de figura com recortes de papel, principalmente dinossauros, suas prediletas, e que ainda se encontram expostas na escola.
“Estamos apresentando ao público uma coletânea que traz entre os títulos um livro cujo mote é a questão da educação inclusiva, uma vez que o personagem principal é um aluno autista que foi recebido e acolhido por professores e alunos de uma escola pública e onde conseguiu apresentar progresso e ser estimulado a acreditar em seu potencial. Portanto, difundir essa obra é uma das formas que encontramos para mostrar ao público que é possível conviver  com as diferenças e fazer delas um grande aprendizado para todos”, reforça Carmen Palheta, coordenadora do projeto Livro Solidário. As demais obras do Baú do Sarau falam um pouco de cada momento do sarau por meio de texto, fotografias e ilustrações.
As alunas Gisele Pinheiro e Evily Hamilla Vermonth escreveram uma história de suspense intitulada ‘A floresta maldita’, que relata uma série de acontecimentos que se passam durante uma viagem de férias. A história ficou tão bem amarrada que surpreendeu até a escritora mineira Stella Maris Rezende, convidada a participar do Sarau. "A escrita e a literatura são libertadoras. A palavra tem muito poder, é mágica e transporta as pessoas para um mundo mais interessante”, diz ela.
Para Carmen Palheta, o intuito da coleção é deixar registrado o talento como forma de incentivar cada vez mais crianças e adolescentes a redescobrirem nos livros a certeza de que a leitura, assim como a arte, tem o poder de libertar, edificar e instruir o homem para a vida. A organização da coletânea reforçou o agradecimento aos autores convidados para o Sarau Literário: Stella Maris; Ignácio de Loyola Brandão; Maurício Leite e Bia Bedran.
Sarau na Feira
Além do lançamento do Baú do Sarau, o público vai conferir, no mesmo espaço do Hangar, a versão enxuta de todos os saraus literários deste ano nas escolas. O sarau vai reunir a produção dos alunos e também dos adolescentes socioeducandos da Fasepa que participaram do evento Literário.
Serviço: Lançamento da coleção Baú do Sarau, dia 3 de junho, às 16h, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia. Entrada franca.

Texto:
Ronaldo Quadros


Sedap apresenta Pró-Açai para produtores da região nordeste do Estado
A Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) vai participar, na próxima sexta-feira, 13, do II Encontro da Cadeia Produtiva do Açaí, organizado pelo Sindicato Rural de Castanhal e pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater), que apresentará aos produtores rurais da região nordeste paraense o Pró-Açaí – Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Açaí no Estado. O programa vem sendo executado pela Sedap e tem como meta aumentar a produção do fruto nos próximo anos, incorporando o cultivo em áreas de terra firme irrigadas.
O Pró-Açaí será apresentado pelo gerente de fruticultura da Sedap, o engenheiro agrônomo Geraldo Tavares, na palestra de abertura do evento, que vai ocorrer no Parque de Exposição Pedro Coelho da Mota, em Castanhal. A programação do encontro conta ainda com palestras sobre os temas Nutrição e Adubação; Sistema de Irrigação e Cultivo do Açaí Irrigado em Terra Firme. Também serão ministradas palestras sobre o mercado do açaí, com a participação das empresas Açaí Santa Helena e Grupo Petruz.
Eduardo Kataoka, diretor de eventos do Sindicato Rural de Castanhal, diz que  a expectativa é que o encontro repita o sucesso do ano passado, quando o evento reuniu mais de 500 participantes, de 61 municípios da região.

Texto:
Simone Romero


Emater realiza cronograma para implantação de SAF’s em áreas de assentamentos
A partir de encontro realizado na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) com representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará) definiu uma equipe constituída por quatro extensionistas rurais, que iniciou o acompanhamento técnico para implantação de Sistemas Agroflorestais (SAF’s) em áreas de assentamentos.
A equipe está visitando até esta terça-feira, 10, os Programas de Assentamentos João Batista, em Castanhal; Luís Carlos Prestes, em Irituia e Carlos Lamarca, em Capitão Poço. As visitas aos projetos de assentamento iniciaram no dia 6 deste mês, num cronograma que contemplará seis assentamentos, em cinco municípios, totalizando 18 hectares de SAF’s a serem implantados.
A equipe da Emater é constituída pelos engenheiros agrônomos Thiago Leão, Jorge Gibson e Valdeides Lima e pelo engenheiro ambiental Sérvio Thúlio. Ela visitou o Asssentamento Abril Vermelho, no município de Santa Bárbara, no dia 6, oportunidade em que ficou acordado, junto com as lideranças, um retorno para o dia 16 deste mês, a fim de definirem juntos as áreas experimentais, espécies e arranjos que irão ser trabalhadas. Todavia, pode-se antecipar que as culturas do açaí, cacau e cupuaçu, como já são cultivadas pelos assentados, comporão os arranjos produtivos locais.
E no dia 17, a equipe estará visitando os PA’s Mártires de Abril e Elizabeth Teixeira, em Mosqueiro. Este último, inclusive, já tem um Diagnóstico Rural Participativo (DRP) realizado pela Emater nos dias 28 e 29 de abril, quando foi feita pesquisa participativa, na qual 23 membros titulares dos lotes e 40 familiares refletiram sobre as formas de relação social e sobre os tratos culturais produtivos dos trabalhadores com a terra. Na oportunidade, eles procuraram entender mais sobre suas vocações naturais nas cadeias produtivas dentro do contexto ambiental do assentamento.

Texto:
Edna Moura


Detran capacita mototaxistas de Itaituba
A Coordenadoria de Educação do Detran Pará promove a segunda etapa do Curso Especializado para Mototaxistas e Motofretistas em Itaituba, no oeste do estado. A capacitação iniciou nesta segunda-feira, 9, e segue até o dia 4 de junho, beneficiando 380 profissionais. A primeira etapa do curso foi realizada em dezembro do ano passado e capacitou 180 profissionais que hoje atuam no municípoio devidamente certificados.
O curso atende a Resolução nº 410, de 02 de agosto de 2012, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que regulamenta o curso especializado obrigatório destinado a profissionais que atuam no transporte de passageiros (mototaxista) e com entrega de mercadorias (motofretista), que exerçam atividades remuneradas na condução de motocicletas e motonetas.
O objetivo geral é capacitar os mototaxistas no âmbito de educação para o trânsito. Para a coordenadora do curso Gisélia Pereira. “No decorrer das aulas os profissionais percebem que a padronização das ações da categoria em relação à prestação dos serviços gera, consequentemente, atitudes de segurança no trânsito, como prevê a Resolução”.
Será considerado aprovado no curso o participante que tiver 100% de frequência e, no mínimo, 70% de acerto nas questões teóricas e na avaliação prática. Em caso de reprovação, o participante terá prazo máximo de 30 dias para passar por nova avaliação. O curso abordará os seguintes tópicos:
- Ética e Cidadania na atividade profissional
- Segurança e Saúde
- Noção básica de legislação
- Gestão do risco sobre duas rodas
- Atendimento ao cliente
- Transporte de pessoas /Cargas

Texto:
Aldirene Gama




Pará possui dois entre os 10 melhores hospitais públicos do Brasil, aponta ranking nacional da ONA
Vítima de um acidente grave, o vendedor Cícero Oliveira da Silva, 62 anos, chegou desacordado ao hospital, em Altamira. Teve que passar por uma cirurgia delicada na perna. Sua vida corria risco. "Não sou daqui e estava sozinho. Foram três meses dentro do hospital. Lembro que uma equipe veio conversar comigo e me acolheu. Eles estavam todo tempo cuidando de mim, zelando pela minha saúde e até mesmo aturando meus momentos de tristeza. Afinal, ninguém é de ferro. E eu nunca imaginei que receberia um tratamento como esse dentro de um hospital público".
O relato, feito em tom de agradecimento, vem de um dos cerca de 31,6 mil pacientes que todos os dias passam pelo Hospital Regional Público da Transamazônica, em Altamira. É mais uma das histórias que exemplificam um modelo de atendimento que deu certo, e que esta semana rendeu ao Pará um destaque nacional no ranking de excelência em atendimento em saúde, que é ordenado periodicamente pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) – organização não-governamental que é uma das mais respeitadas referências independentes para avaliação de serviços de saúde do País.
De 2.987 hospitais públicos que atendem ao Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil, apenas 10 se destacaram na mais recente lista da ONG, por oferecer um elevado padrão de atendimento à população – aferido por um certificado de excelência concedido pela entidade. Entre esses modelos de qualidade de serviços e da gestão da saúde pública, além do Hospital Regional Público da Transamazônica, foi incluído também o Hospital Regional do Baixo Amazonas, de Santarém. 
Entre os melhores do País
O ranking dos 10 melhores do País listado pela Organização Nacional de Acreditação significa que esses são os únicos hospitais públicos de todo o Brasil que receberam a nota máxima entre as unidades de saúde que foram avaliadas em todo o território nacional - conferida pela certificação ONA 3 (que significa ‘Acreditado com Excelência’). Vários outros hospitais são avaliados pela entidade em todo o Brasil todos os anos. As demais certificações têm graus menores para esse reconhecimento, de acordo com demais desempenhos: há ainda os certificados ONA 2 (‘Acreditado Pleno’) e ONA 1 (‘Acreditado’).
Entidade não-governamental e sem fins lucrativos, fundada em 1999, a ONA realiza avaliações que seguem padrões estabelecidos pelas normas do Sistema Brasileiro de Acreditação e do Manual Brasileiro de Acreditação. A ONG verifica a qualidade em todas as áreas de atividades dos hospitais. Visitas e avaliações aferem itens como infraestrutura, internação, controle de infecções, higienização e outros processos envolvidos na assistência aos pacientes. Os focos gerais das avaliações são a qualidade de atendimento, a gestão de processos, a segurança oferecida aos que são atendidos e os resultados econômicos, assistenciais e de desenvolvimento de seus serviços.
Desse modo, fazer parte da lista dos 10 mais bem avaliados da ONA significa que os dois hospitais paraenses figuram hoje num cenário privilegiado de patamar de qualidade em todo o Brasil. Além deles, todos os demais citados na lista da Organização Nacional de Acreditação estão sediados na região Sudeste: sete outros são de São Paulo e o último restante é do Rio de Janeiro (ver lista completa abaixo).
Modelos de atendimento
"Esse resultado é muito relevante, principalmente frente ao quadro das grandes diferenças e dificuldades logísticas regionais do Brasil", avaliou Paulo Viol, gerente de operações da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, a Organização Social de Saúde (OSS) que hoje é responsável pela administração dos dois hospitais paraenses que figuram no ranking máximo da ONA.
O Hospital Regional Público da Transamazônica, situado em Altamira, e o Hospital Regional do Baixo Amazonas, de Santarém, são vinculados à Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), mas são gerenciados pela OSS Pró-Saúde desde que foram criados, em 2008, por meio de um contrato de gestão firmado com a Sespa. A meta do Governo era criar núcleos regionais que começassem a descentralizar o atendimento em saúde no Estado - e ajudassem o Pará a sair da lógica perversa que abarrota os serviços públicos de saúde da capital.
"Atribuímos esse bom resultado a um plano que completa nove anos. Todos esses hospitais já surgiram com núcleos de trabalho voltados para a qualidade e em busca de sistemas de acreditação para avaliação de seus serviços. E a isso se somou uma grande parceria, fortalecida por uma política de Estado que se dispôs a implementar, no Pará, um modelo de boa gestão que é muito semelhante ao da iniciativa privada", destaca Paulo Viol.
O gerente de operações da Pró-Saúde ressalta: a cultura de avaliação sistematizada dos serviços, aliada ao modelo de gestão por contratos firmados com Organizações Sociais de Saúde, é o melhor caminho para se eliminar os estigmas dos problemas de atendimento que marcam hoje a saúde pública do Brasil. Um espelho dessa equação está no próprio ranking de excelência divulgado pela ONA: todos os dez integrantes da lista dos melhores hospitais públicos do Brasil são geridos por Organizações Sociais de Saúde.
“Nos Estados Unidos, esse tipo de rotina de avaliação está presente em 70% dos estabelecimentos. No Brasil, sabe-se que ainda só 4% dos hospitais públicos têm seus serviços aferidos por processos de certificação, embora esse seja um modelo que representa uma solução para os problemas de atendimento pelo SUS”, avalia Viol. “Faltam incentivo e custeio de projetos nesse sentido por parte da União. Os impactos desse modelo poderiam ser bem mais profundos para a saúde pública no Brasil”.
Avaliação leva em conta 1,7 mil itens
A acreditação conferida pela ONA é válida por três anos. A avaliação é de caráter voluntário: os hospitais que querem se tornar referência no setor de saúde se oferecem e se programam para receber instituições especializadas em mensurar o nível dos serviços prestados. Ao longo de visitas - que podem durar até três dias - e através da análise de documentos, avaliadores verificam mais de 1,7 mil itens antes de outorgar a certificação.
Nesse esforço, outros hospitais administrados pela OSS Pró-Saúde já buscam a certificação de seus serviços. O Hospital Galileu, de Ananindeua, e o Hospital Oncológico Infantil, já possuem núcleos de trabalho criados para isso. Esta semana o Hospital Galileu recebe a visita de uma comissão de avaliação ligada à ONA. A aferição, iniciada na segunda-feira (9), segue até esta quinta-feira (12). Estima-se que o resultado da avaliação possa ser conhecido em 40 dias. “Queremos seguir o mesmo caminho traçado pelos hospitais regionais de Santarém e Altamira, acreditando a qualidade de seus serviços de atendimento”, adianta Paulo Viol, gerente de operações da OSS Pró-Saúde.
Em entrevista recentemente publicada, por ocasião da divulgação do ranking dos 10 melhores hospitais públicos a ostentarem a certificação ONA 3, a superintendente da ONA, Maria Carolina Morenos, lembrou que muitos hospitais públicos deixam de procurar o selo de acreditação porque se consideram muito abaixo do padrão exigido. "Além da valorização do próprio funcionário do hospital, quando o local conquista o selo, os pacientes conseguem sentir na prática a qualidade dos serviços", pondera Morenos. “Em uma unidade acreditada, o risco de ocorrer um evento adverso é menor. O hospital que atinge o nível máximo de excelência é uma unidade que se preocupa com a segurança do paciente".
É isso que parece se refletir na sensação de acolhimento de Luiz Djalma da Silva Ramos, 61 anos. Ramos depende rotineiramente do Hospital Regional Público da Transamazônica para realizar atendimentos em hemodiálise. “O Hospital Regional é a minha segunda casa. Aqui tenho amigos e todo o apoio para minha saúde física e mental. As pessoas que nos atendem estão acima do profissionalismo. Eles fazem algo a mais que a medicina pode dar. Isso é calor humano, e não tem preço. É uma alegria ver um hospital como esse, que é público, com tanta qualidade de pessoas e de estrutura, cuidando de todos sem fazer distinção”.
A trajetória de evolução dos serviços do HRPT de Altamira é uma prova de que avaliar serviços constantemente - como parte de uma política firme de gestão estabelecida internamente - ajuda a melhorar sempre os atendimentos. Ainda em 2010, ele se tornou o primeiro hospital público das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste a receber uma certificação da Organização Nacional de Acreditação, com o selo ONA 1 (Acreditado). O Hospital Regional de Altamira depois foi certificado como ONA 2 (Acreditado Pleno), em 2012. Agora, atingiu a certificação ONA 3 (Acreditado com Excelência). Vale lembrar: as certificações são concedidas somente às unidades hospitalares que atendem a criteriosos processos de segurança do paciente e do funcionário, e que mantêm uma gestão integrada.
Prestes a completar 10 anos de funcionamento, em dezembro deste ano, o Hospital Regional Público da Transamazônica hoje é referência no atendimento gratuito à saúde para cerca de 600 mil habitantes dos nove municípios da Região de Integração do Xingu (Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu).
Qualidade plena em Santarém
Certificado este ano também com o selo ONA 3, o grau máximo de qualidade de atendimento aferida pela organização não-governamental, o Hospital Regional do Baixo Amazonas Dr. Waldemar Pena (HRBA), de Santarém, também já havia sido reconhecido anteriormente pela sua gestão e qualidade de atendimento. Já ganhou o prêmio nacional da Federação Brasileira dos Administradores Hospitalares e ostenta títulos como "Hospital Amigo do Meio Ambiente" e "Hospital Carinho", além de ter sido apontado como referência em gestão e qualidade pela III Conferência Latino-Americana da Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis, realizada na Argentina.
Com residência médica em 13 especialidades, o HRBA de Santarém presta hoje atendimentos que incluem cirurgia geral e cirurgia avançada, infectologia, medicina intensiva e obstetrícia, ginecologia, anestesiologia e cancerologia cirúrgica e clínica, além de clínica médica, neurocirurgia, ortopedia, traumatologia e pediatria.
“Durante todo o tempo em que eu estou aqui sempre fui bem tratada. Me acolheram super bem. Em Belém, o tratamento foi muito bom, mas aqui é melhor ainda. E é bom porque posso me tratar no local onde eu moro, não preciso sair daqui”, sorri Alcione Mendonça, de 26 anos. Natural de Itaituba, Alcione mora em Santarém e tem no HRBA o apoio para realizar sessões de quimioterapia de duas em duas semanas. A luta, iniciada em novembro de 2015, é contra um linfoma de Hodgkin, tipo de câncer que se origina no sistema linfático.
Pastor de Oriximiná, Gelzimar Oliveira, de 48 anos, é um dos 36,4 mil pacientes que diariamente contam com os serviços do HRBA - muitos deles oriundos de várias localidades da região, em busca de atendimento de referência em Santarém. No caso de Oliveira, mais um entre os milhares de pacientes que podem contar com consultas e exames com apoio de oncologistas no hospital regional.
Gelzimar precisa realizar uma biópsia. E frente a um desafio tão inquietante para a sua saúde, o pastor resume com serenidade o quão importante é, para a tranquilidade dos que dependem de cuidados médicos, o esforço de se oferecer acesso universal a atendimento em saúde gratuito e de qualidade a milhares de pessoas do Baixo Amazonas e de vários outros rincões do interior do Estado. “Todas as vezes que eu precisei de atendimento aqui no Regional fui atendido de uma forma muito especial. Hoje eu precisei de exames e também fui bem atendido. Não tenho nada do que reclamar daqui. A gente se sente mais seguro ao saber que está em um hospital com qualidade”, sorri.

Texto:
Governo do E. do Pará


Hospital Galileu é avaliado para processo de certificação da ONA
O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) recebe esta semana a visita de uma equipe de avaliadores da Fundação Carlos Alberto Vanzolini, entidade que está realizando a análise dos processos hospitalares da unidade para a obtenção da certificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA), com foco na segurança assistencial e estrutural dos pacientes.
A direção geral do HPEG e a equipe de colaboradores confiam no trabalho que vêm realizando para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) atendidos na unidade. "A busca pela melhora contínua é o foco do trabalho realizado pelo HPEG e o processo para a certificação ONA verifica se os processos realizados no hospital estão de acordo com o preconizado pela ONA", comentou o diretor geral, Saulo Mengarda.
A expectativa é grande. A enfermeira do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), Carla Luciana Queiroz da Silva, está confiante e enfatiza a importância deste momento para o Hospital Galileu. “Acredito que a assistência de qualidade e com segurança é imprescindível em uma instituição hospitalar. A visita da Fundação Vanzolini vem para somar e nos mostrar o andamento dos nossos processos e o quanto conseguimos crescer, desde a inauguração do hospital”, disse.
Carla reitera que o momento também está sendo um aprendizado para todos. “Tenho certeza que todas as equipes, colaboradores e gestores estão se empenhando muito na prestação de uma assistência segura baseada nas boas práticas”, finalizou.
O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) é uma unidade hospitalar de retaguarda que realiza atendimento médico de baixa e média complexidades em cardiologia, traumato-ortopedia e clínica médica. É mantido pelo Governo do Estado e gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa).

Texto:
Rosana Magno


Cine Líbero Luxardo exibe filmes italianos na programação desta semana
O Cine Líbero Luxardo, que funciona no Centur, exibe a partir desta quarta-feira (11) dois títulos do cinema italiano. Os filmes “Mia Madre” e “A Juventude” serão exibidos nas sessões das 18 e das 20 h, e prosseguem até domingo (15). O Projeto Plateia, uma iniciativa da Fundação Cultural do Pará (FCP), oferece na primeira quarta-feira de exibição dos filmes a gratuidade para estudantes, que não pagam ingresso mediante a apresentação da carteira de meia-entrada.
“Geralmente essas sessões lotam”, ressalta Nádia Alves, assistente administrativa do Cine Líbero Luxardo. “Depende também da faixa etária do filme, mas geralmente são universitários que costumam vir pelo Projeto Plateia”, acrescenta.
Drama existencial - “Mia Madre” (1h47min, 2015) é o projeto mais recente do diretor Nanni Moretti, que conta a história de Margherita (Margherita Buy), uma diretora de cinema prestes a iniciar as filmagens de sua mais nova obra, que será protagonizada por Barry Hughins (John Turturro). O filme mostra Margherita dividida entre seus afazeres como cineasta e os problemas em casa, um término recente de relacionamento e sua mãe, Ada (Giulia Lazzarini), internada em um hospital, com pouco tempo de vida. O filme aborda especialmente o drama da espera da morte, com o próprio diretor interpretando um dos personagens.
“A Juventude” (2h04min, 2016), do diretor Paolo Sorretino, tem a participação de Michael Caine (Fred) no papel principal. Ao lado de Caine, Harvey Keitel vive Mick. Os dois, com quase 80 anos, são muito amigos e estão passando férias em um luxuoso hotel. Fred é maestro e compositor aposentado, e Mick um cineasta ainda em atividade. Enquanto um trabalha o roteiro de seu último filme, o outro não quer nem pensar em voltar para a música. Durante as férias, Fred e Mick recordam da juventude e paixões da infância.
Serviço: Cinema italiano no Cine Líberto Luxardo. De 11 a 15 de maio. Ingresso: R$ 10,00, com direito à meia-entrada para estudantes. O Cine Líbero Luxardo fica na Avenida Gentil Bittencourt, 650, térreo do prédio do Centur.

Texto:
Andreza Gomes


Mais de 27 mil carteiras de gratuidade já foram emitidas no Pará
A carteirinha de aposentado do suboficial da Marinha, Humberto Melo, 47 anos, ainda cheira a nova. Depois de dedicar 30 anos da sua vida às forças armadas, hoje, ele só quer saber de curtir sua aposentadoria, adquirida por tempo de serviço, ao lado dos filhos. Quem comemora esta nova fase é Esthefany Melo, 17 anos, a filha caçula do militar. “Ela foi a minha maior motivadora para tirar a carteirinha. Se antes, já vivíamos no cinema, agora então!”, enfatiza Humberto.
O suboficial fez valer o seu direito e procurou a Secretaria Estadual  de Cultura (Secult) para solicitar a carteira de gratuidade. Ela é oferecida a idosos, pessoas com deficiências e aposentados. Segundo a Secult, 27.205 carteiras já foram emitidas, sendo 441 só no período de janeiro a abril deste ano.
Humberto conta que ficou sabendo do serviço de emissão de carteira de gratuidade através do irmão, que também já está aposentado. “Ele me explicou como deveria fazer. Fui lá na Secult e tudo foi muito rápido, sem burocracia nenhuma. No mesmo dia já saí com a minha carteirinha”, recorda.
Ao mostrar o documento, a pessoa tem acesso gratuito à cinema, teatro, shows e estádios de futebol. Porém, vale ressaltar que fica a critério de cada estabelecimento estipular a quantidade de ingresso a ser disponibilizado. “A carteira vale para todo o estado do Pará. Deixamos a cargo dos lugares essa quantidade, sempre prezando por regras que garantam a segurança das pessoas”, afirma Jane Santos, gerente de material da Secult.  
Para tirar a carteira de gratuidade basta se dirigir até a Av. Generalíssimo Deodoro, nº 657, entre rua Boaventura da Silva e rua Domingos Marreiros, em Belém, e é realizada de segunda a quarta-feira, de 9 as 12h. Para mais informações: 4009-8718.
Para retirar a carteira são necessários alguns documentos:
Idosos
- Carteira de identidade e cópia;
- Comprovante de residência e cópia;
- 02 fotos iguais, coloridas e recentes no tamanho 3x4
Pessoas com deficiências:
-Carteira de identidade e cópia;
- Comprovante de residência e cópia;
- 02 fotos iguais, coloridas e recentes no tamanho 3x4;
- Laudo médico conclusivo e cópia
Aposentados:
- Carteira de identidade e cópia;
- Comprovante de residência e cópia;
 - 02 fotos iguais, coloridas e recentes no tamanho 3x4;
- Carta de concessão de aposentadoria e cópia

Texto:
Bianca Teixeira


Seduc orienta estudantes para inscrição ao Enem 2016
Começa nesta segunda-feira, 9, o prazo das inscrições ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2016), que poderão ser feitas, exclusivamente pela internet, das 10 horas de hoje até as 23h59 do dia 20, pelo site portal.inep.gov.br. A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) orienta os estudantes da rede pública estadual a fazerem a sua inscrição o quanto antes para evitar atropelos no final do prazo. As Unidades Seduc na Escola (USEs) da região metropolitana de Belém, as Unidades Regionais de Educação (UREs) nos demais municípios e as direções de escola estão integradas na preparação dos alunos do Ensino Médio que farão as provas do Enem 2016, nos dias 5 e 6 de novembro.
Os estudantes também vão poder participar de simulados online em plataformas de estudos como o 'Hora do Enem' e outras. No primeiro dia de prova do Exame Nacional, as questões serão de Ciências da Natureza (Física, Química e Biologia) e de Ciências Humanas (História, Geografia, Sociologia e Filosofia). Já no segundo dia, além da redação, os candidatos resolverão itens de Matemática e Linguagens (Português, Língua Estrangeira, Literatura, Artes e Educação Física).
Atenção
“É necessário que os estudantes atentem para o fato de que a inscrição é uma etapa essencial no processo do Enem, ou seja, no acesso aos cursos do ensino superior. Por isso alertamos para que os candidatos preencham corretamente os dados solicitados, em especial o término do período letivo em 2016. Por meio do Enem, os alunos têm acesso, inclusive, aos programas de apoio aos estudantes nesses cursos superiores”, reforça a diretora de Ensino Médio e Educação Profissional da Seduc, Josiane Figueiredo.
No ato da inscrição, os candidatos precisam informar um número de celular ou de telefone fixo válido, bem como cadastrar um endereço eletrônico (e-mail), que não poderá ser usado por outro participante.
Haverá atendimento especializado para pessoas com deficiência ou necessidades específicas, de acordo com solicitação a ser feita pelo próprio interessado no sistema de inscrições. É necessário apresentar documento comprobatório, legível, com o nome completo do participante; o diagnóstico com a descrição da condição que motivou o pedido de atendimento; a assinatura e a identificação do médico ou profissional especializado, com o número do registro no Conselho Regional de Medicina ou no conselho de classe.
Travestis e transexuais que pretendem ser identificados pelo nome social devem fazer a inscrição normalmente, no período estabelecido no edital, de 9 a 20 de maio. Entretanto, para usar o nome social, precisam encaminhar cópia de documento de identificação, foto recente e formulário, disponível on-line, preenchido, entre os dias 1º e 8 de junho, na página do exame na internet. A edição do Exame este ano terá identificação biométrica. Estudantes maiores de 18 anos podem obter a certificação do Ensino Médio por meio do Enem.

Texto:
Eduardo Rocha



Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...