Total de visualizações de página

segunda-feira, junho 16, 2014

Uepa inscreve até o dia 23 para programa de iniciação científica




Não deu, mas tudo bem

 OBS: As fotos serão publicadas mais tarde, em virtude de um problema técnico

O empate com sabor de vitória entre Brasil e México, na terça-feira, dia 16, foi comemorado com muito pagode na casa do casal Jango e Teresa Vidal. A Corrente Pra Frente foi Nota 10.Aconteceu até o retorno do pagode Mestre Cavalo, que se recuperou de uma ‘bug’ no coração e outros órgãos. Orações foram emanadas antes da festa para o irmão Zé Roberto, que hoje, quarta-feira está passando por delicado procedimento de operação.
Zé Roberto é ex-presidente do Rancho,  diretor financeiro de Jango Vidal, presidente do Rancho, a quem direcionamos orações para breve regresso em nosso convívio. Para isso, pedimos ao Pai Maior, as liberações dois irmãos espirituais, Camilo Salgado e Bezerra de Menezes para intercederem junto aos médicos aqui na Terra, para que tudo ocorra bem, não só ao Zé Roberto, que tudo deve ocorrer bem, desde que ele tenha merecimento, assim como todos que estão internados em hospitais espalhados por este mundo de Nosso Deus.

Fé em seus corações!
Assim seja!




Doença Falciforme em debate no Hemopa
“É muito triste saber que pessoas saudáveis e que podem doar não estão se interessando em dar a sua colaboração. É um ato importante que salva vidas”. A declaração é de Arcilena Sousa, 41, portadora de anemia falciforme, que faz acompanhamento no Hemopa há mais de 30 anos. Ela precisa vir pelo menos uma vez do município de Ananindeua até Belém para fazer infusão de sangue tipo O Positivo fenotipado.
Arcilena é um dos alvos da programação alusiva ao “Dia Mundial de Conscientização e Sensibilização das Pessoas com Doença Falciforme (DF)”, que a Fundação Centro de Hemoterapia do Pará (Hemopa) realiza nesta quarta-feira, 18, das 8h às 15h, reunindo aproximadamente 100 pessoas, entre pacientes e familiares.
Instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), a data é celebrada em 19 de junho, que esse ano coincide com o feriado de Corpus Christi, daí a comemoração antecipada no Hemopa, onde atualmente, existe cadastro com atendimento ativo de 13.667 pacientes. Desses, 729 são portadores de DF, que recebem tratamento especializado com a equipe multidisciplinar da Coordenadoria de Atendimento Ambulatorial (Coamb) do hemocentro.
Durante o dia serão debatidos os seguintes temas: “Prevenção de úlcera de perna”; “O papel da pedagogia junto aos pacientes com DF. Experiências do Projeto Vida- Educa”; “Saúde Bucal” e “Fisioterapia com pacientes portadores de DF”. As palestras, reuniões e rodas de conversa acontecerão na sala de espera do ambulatório e na sala de estar do hemocentro. Os participantes do evento também receberão kits com produtos de higiene pessoal arrecadados entre os servidores do Hemopa, que participaram de uma campanha interna promovida pela Gerência de Serviço Social.
A DF é uma das doenças genéticas e hereditárias mais comuns no Brasil. É causada por uma modificação no DNA, que em vez de produzir a hemoglobina A, de adulto, em seu lugar gera outra hemoglobina chamada S. Esta mutação ocorreu no continente africano e apresenta altas incidências na África, Arábia Saudita e Índia.
De acordo com o Ministério da Saúde, todos os anos 3.500 crianças brasileiras nascem com anemia falciforme e outras 200 mil com o traço falciforme. A doença é mais comum na população afrodescendente. Para diagnosticar a anemia falciforme o principal exame a ser feito é o famoso teste do pezinho.
Os principais sintomas são: anemia crônica, icterícia (cor amarelada na parte branca dos olhos), mãos e pés inchados, dor nos punhos e tornozelos (frequente até os dois anos de idade) e crises de dores em músculos, ossos e articulações. Quando as crises de dor são frequentes, é necessário acompanhamento médico.
Por isso é importante que os pacientes sejam acompanhados por equipes multidisciplinares com hematologistas, nutricionistas, psicólogos, fisiatras, enfermeiros, pedagogos, fisioterapeutas, odontólogos, assistentes sociais, técnicos e auxiliares.
O ambulatório de pacientes funciona na sede da Fundação Hemopa, localizada na Travessa Padre Eutíquio, 2109, de segunda a sexta-feira, das 7h às 17 h. Mais informações pelo Alô Hemopa: 0800 280 8118.
Texto:
Mário Costa
Fone:


Torcedores se reúnem na Estação para assistir ao jogo do Brasil
O projeto Copa nas Docas transmitiu, nesta terça-feira, 17, o segundo jogo do Brasil na Copa do Mundo. Dezenas de pessoas escolheram a Estação das Docas para assistir a disputa contra o México, que acabou com o placar de zero a zero.
A transmissão ao vivo ocupou telões e TVs instaladas nos Armazéns 1 e 2 e no Terminal Fluvial. Famílias e grupo de amigos se reuniram no complexo esportivo para acompanhar a disputa e aproveitar as opções dos restaurantes e bares do complexo, que ofereceram cardápios variados regados a chopes e tira-gostos.
A contadora Brena Gama, 30 anos, e as amigas escolheram a Estação pela comodidade, conforto e segurança. “Combinamos e nos reunimos para assistir ao jogo aqui porque a Estação é um lugar tranquilo e seguro, além do mais tem essa vista privilegiada, que só torna o programa ainda mais agradável”, comentou.
O Copa nas Docas é uma programação da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), via Organização Social Pará 2000 e locatários da Estação das Docas. Na próxima segunda-feira, 23, o complexo volta a receber o público para a partida Brasil x Camarões, que será transmitida ao vivo, a partir das 17h.
Texto:
Camila Barros







O trabalhador brasileiro que recebe até dois salários mínimos tem direito ao abono salarial (PIS) equivalente a 724,00. Deve requerer até 30 de junho. O governo, com dificuldades de caixa, vem escondendo esse direito e desinformando os trabalhadores. (Eduardo - Assessoria)



ATENÇÃO! AVISO IMPORTANTE!

 O MEC, por meio do Prêmio Professores do Brasil, premia os educadores em todo o Brasil. Na sua 8ª edição, 8 trabalhos serão escolhidos em cada região do país, com prêmios de R$ 6 mil e R$ 5 mil para as melhores experiências pedagógicas desenvolvidas ou em desenvolvimento por professores de escolas públicas.

Inscrições até 15 de setembro.
Saiba mais em http://premioprofessoresdobrasil.mec.gov.br/





Brasil esbarra no goleiro Ochoa
e empata por 0 x 0 com México



Por Eduardo Simões
FORTALEZA (Reuters) - O goleiro Guillermo Ochoa, da seleção mexicana, garantiu o segundo empate em 0 x 0 da Copa do Mundo no Brasil com uma grande atuação que impediu a seleção brasileira de conseguir sua segunda vitória no torneio, nesta terça-feira.
O resultado deixa as duas equipes empatadas com 4 pontos na liderança do Grupo A do Mundial, embora o Brasil leve vantagem no saldo de gols.
"Muita força física, muito trabalho de bola, uma ou outra chance para cada lado. No final, o 0 x 0 espelha o que foi esse jogo, bem disputado", disse o técnico Luiz Felipe Scolari após a partida no estádio Castelão, em Fortaleza.
"A equipe vem bem, só que nós também estamos enfrentando seleções com boa qualidade...(A liderança) não torna um bom resultado, porque a vitória nos classificaria, mas temos que saber respeitar o adversário, que também é muito bom", completou.
A seleção, que venceu a Croácia por 3 x 1 na estreia, entrou em campo contra os mexicanos defendendo uma sequência de dez jogos invicta --a última derrota havia sido em amistoso contra a Suíça em agosto-- e embalada pela torcida no Castelão, que repetiu o feito de quase um ano atrás ao cantar o hino nacional à capela, e dessa vez "agarradinho", como havia pedido o capitão Thiago Silva em entrevista coletiva na segunda.


Goleiro mexicano Ochoa defende cabeceio de Thiago Silva.
REUTERS/Mike Blake

A partida começou com uma "guerra de torcidas" com brasileiros e mexicanos, que compareceram em bom número, disputando quem fazia mais barulho no Castelão.
E os primeiros minutos foram difíceis para o Brasil, que não conseguia armar jogadas e via os mexicanos partindo em velocidade em direção ao gol de Julio Cesar.
Mas as coisas começaram a clarear para a seleção aos 11 minutos, quando Oscar cruzou para Fred marcar, só que em posição irregular. Três minutos mais tarde, foi a vez de Marcelo colocar a bola na área e Paulinho quase superar o goleiro Ochoa.
O México ameaçou a defesa brasileira pela primeira vez aos 23, quando Peralta entrou driblando na retaguarda brasileira, mas a zaga afastou o perigo. Logo na sequência, Herrera disparou de longa distância por cima do gol de Julio Cesar.





Aos 26, o goleiro mexicano começou a trabalhar. Daniel Alves cruzou da direita, obrigando Ochoa a fazer grande defesa em ótimo cabeceio de Neymar. Nove minutos depois, Neymar cobrou escanteio na cabeça de Fred, obrigando o arqueiro mexicano a trabalhar novamente.
O México respondeu aos 41, quando Vazquez mandou de fora da área e a bola passou bem perto da trave esquerda do goleiro brasileiro.
Mas a melhor chance de um primeiro tempo sem gols aconteceu a dois minutos do fim. Thiago Silva ajeitou a bola no peito para Paulinho dentro da área, mas Ochoa, mais uma vez, evitou o gol brasileiro.
MUDANÇAS NO TIME
O segundo tempo começou com uma mudança no time do Brasil. O técnico Felipão tirou Ramires, que começou o jogo no lugar do lesionado Hulk, e colocou Bernard em campo tentando dar mais ofensividade à equipe.
E Bernard mostrou a que veio logo aos três minutos da segunda etapa, quando avançou pela direita e cruzou, mas a zaga mexicana afastou por cima do gol antes que a bola chegasse à cabeça de Neymar.
Cinco minutos mais tarde, o México teve sua primeira chance no segundo tempo, quando Guardado chutou de longe, mas o chute foi desviado pela defesa brasileira. Logo na sequência, Vazquez voltou a levar perigo ao gol de Julio Cesar com um chute de longa distância, que à essa altura era a principal arma mexicana.
Arma que novamente usada pelos mexicanos aos 11, quando Herrera mandou novamente por cima da meta brasileira.
Sem conseguir armar jogadas, o Brasil só voltou a ameaçar o gol de Ochoa novamente aos 18, quando cobrança de falta de longa distância de Neymar passou perto do gol mexicano.
Aos 22 minutos, Felipão decidiu colocar Jô no lugar de Fred e, na sequência, Neymar quase abriu o placar para o Brasil de perna esquerda, mas foi impedido por Ochoa.
O Brasil seguia pressionando e, aos 30, Bernard deu belo passe para Jô, mas o atacante bateu cruzado à esquerda do gol de Ochoa.
A seis minutos do fim, Felipão fez sua última tentativa de vencer a partida ao colocar Willian no lugar de Oscar.



 Aos 41, Thiago Silva cabeceou com força, dentro da pequena área, mas Ochoa fez novamente um milagre para garantir a inviolabilidade do gol mexicano.
Já nos acréscimos, o México quase conseguiu sair com a vitória depois que um chute de longa distância de Guardado assustou Julio Cesar e, novamente, logo depois quando Jimenez, que saiu do banco, obrigou o goleiro brasileiro a fazer grande defesa.








FICHA TÉCNICA
BRASIL 0 x 0 MÉXICO
 
BRASIL - Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz, Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Oscar (Willian), Ramires (Bernard); Fred (Jô) e Neymar. Técnico: Luiz Felipe Scolari

MÉXICO - Guillermo Ochoa; Francisco Rodríguez, Rafael Marquez, Hector Moreno; Paul Aguilar, Hector Herrera (Fabian), Andres Guardado, Jose Juan Vazquez, Miguel Layun; Giovani dos Santos (Jiménez) e Oribe Peralta (Javier "Chicharito" Hernández). Técnico: Miguel Herrera.

CARTÕES AMARELOS - Ramires e Thiago Silva (Brasil); Aguilar e Vazquez (México).
ÁRBITRO - Cüneyt Çakir (Fifa/Turquia).
RENDA - Não disponível.
PÚBLICO - 60.342 pagantes.
LOCAL - Arena Castelão, em Fortaleza (CE).
Esse foi o segundo 0 x 0 do Mundial, após Nigéria e Irã não conseguirem marcar em seu confronto na segunda-feira.
O Brasil volta a campo agora no dia 23, em Brasília, contra Camarões.







Hemopa volta a convocar doadores para restaurar estoque de sangue
A Fundação Hemopa convoca antigos e novos doadores de sangue para ajudar a restaurar o estoque do hemocentro, frente às constantes dificuldades com a redução de aproximadamente 30% das coletas efetivadas na sede da instituição, em Belém, provocada pelo período festivo da quadra junina, aliada à Copa do Mundo 2014. Nesta quinta-feira, 19, no feriado de Corpus Christi, a coleta de sangue funcionará, excepcionalmente, de 7h30 às 12h.
Para a assistente social da Captação de Doadores, Lilian Bouth, o reduzido comparecimento de candidatos à doação está atingindo todos os hemocentros da hemorrede. No Pará, o Hemopa vem realizando ações paralelas para reforçar o estoque de sangue, como as campanhas externas em parceria com instituições públicas e privadas, além de contar com o apoio do corpo técnico da rede hospitalar na sensibilização de familiares e amigos de pacientes internados nos mais de 200 hospitais paraenses.
“Estamos vivenciando uma imensa lacuna entre a demanda e a oferta de sangue. Enfrentamos uma  série de dificuldades com períodos festivos, que elevam o número de intercorrências hospitalares, especialmente em hospitais de urgência/emergência. A necessidade transfusional só aumenta. Já o número de coletas está em queda”, avisou a técnica de captação de doadores.
Sensível à causa da doação de sangue, a biomédica Iami Raiol Borges, 22, comemorou na terça-feira (17), seu aniversário na sede do Hemopa, pelo quinto ano consecutivo. A ação solidária contou com a presença de vários amigos. Com tipo de sangue O Positivo, a jovem doadora é também uma incentivadora desse ato. ‘’Doar sangue é um ato de solidariedade. É tão simples quanto importante’’, afirma a aniversariante, que doa sangue regularmente.
Uma das convidadas de Iami era a técnica de enfermagem Paula Caroline Lopes de Conceição, 28, que preparou-se para estrear como a mais nova doadora do Hemopa. Enquanto aguardava ansiosamente sua vez para atendimento na triagem clínica, Paula Caroline falou da satisfação em saber que ajudará muitas pessoas. ‘’É minha primeira doação. É espontânea. Atendi um convite da minha amiga. Doar sangue e saber que vou salvar vidas é gratificante’’.
Outro exemplo de responsabilidade social com a causa da doação de sangue é a pedagoga Lidia Helena Souza Sobral, 29, que efetuou sua primeira doação, também nesta terça-feira. “Estou feliz de poder doar. Estava ansiosa também, mas a felicidade é bem maior”, confessou a jovem doadora, que faz parte de um segmento que ainda precisa aumentar sua participação no processo da doação de sangue. Das coletas efetivadas no Pará, 70% são homens e 30% do sexo feminino.
Lidia Helena vivenciou na própria pele a necessidade de transfusão de sangue para um parente. Ela doou para uma tia que vai passar por cirurgia. “Imaginava que não pudesse doar, pois tive hepatite na infância, por esse motivo sempre estimulei familiares e amigos pelas redes sociais para que comparecessem ao Hemopa”.
Ela própria já precisou de sangue em duas ocasiões, numa delas, a mobilização foi tão grande que bateu recorde de doadores e foi parabenizada. “Sangue é algo que recebemos de graça e muita gente precisa. Por isso, procuro ajudar a quem precisa, pois sei o valor que esse gesto tem”.
Quem pode doar: pessoas com peso mínimo de 50 quilos; ter entre 18 e 69 anos. Também podem ser aceitos candidatos à doação de sangue com idade entre 16 e 17 anos, com o consentimento formal do responsável legal.
Serviço:
A sede do Hemopa funciona na Travessa Padre Eutíquio, 2.109. Alô Hemopa: 08002808118.

Texto:
Vera R. Rojas


Uepa inscreve até o dia 23 para programa de iniciação científica
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) recebe até o próximo dia 23 propostas para o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – Ensino Médio (PIBIC-EM). As inscrições devem ser encaminhadas, pelo protocolo central da Uepa, à Diretoria de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp). Para as inscrições, serão necessárias versões impressas dos documentos exigidos em edital, entre eles, o formulário de inscrição de proposta e o plano de trabalho para o bolsista.
Os docentes ou técnicos do quadro permanente da Uepa, interessados em submeter propostas, devem obedecer a alguns critérios, entre eles, ter experiência compatível com a função de orientador e formador de recursos humanos; acompanhar os bolsistas durante todo o desenvolvimento do projeto e indicar a escola a qual o discente estará vinculado, no caso de propostas aprovadas nos campi fora da capital; e participar das atividades de avaliação dos programas de bolsas de iniciação científica da Uepa, apresentando relatórios parciais e finais.
O programa tem por objetivo despertar a vocação científica e incentivar talentos potenciais entre estudantes do ensino médio. Por isso, os bolsistas deverão estar regularmente matriculados em escola pública ou privada no Pará. Entre outras atividades, eles também deverão apresentar relatórios das atividades desenvolvidas ao longo de doze meses, no período de agosto de 2014 a julho de 2015. O valor da bolsa é de R$ 100 mensais.
As propostas submetidas serão julgadas por uma comissão de avaliação, indicada pela Diretoria de Pesquisa da Propesp. Entre os aspectos analisados estão a contribuição para despertar a vocação científica e incentivar talentos potenciais entre estudantes do ensino médio; viabilidade de execução da proposta; produção científica do pesquisador e produção técnica do pesquisador.
Em caso de recursos contra o resultado, estes deverão ser encaminhados eletronicamente, até 48 horas após a divulgação e detalhar os pontos considerados insatisfatórios, preferencialmente com comprovações. Após a divulgação do resultado final, o orientador contemplado deverá encaminhar a Propesp pelo e-mail propesp@uepa.br, no período de 21 a 27 de julho de 2014, a ficha cadastral com todos os dados do bolsista, incluindo informações sobre conta bancária em nome exclusivo do bolsista. Mais informações na Diretoria de Pesquisa da Propesp, pelo telefone (91) 3233-4138 ou e-mail propesp@uepa.br.

Texto:
Ize Sena



Santa Casa recebe doações de livros para renovar acervo da Instituição
Servidora da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará há quase 10 anos, a psicóloga Cândida Almeida recorre aos livros disponíveis na biblioteca da Instituição para ampliar os seus conhecimentos, sempre que julga necessário. “Trabalho na clínica médica e sempre procuro revistas relacionadas ao Conselho Federal de Psicologia”, disse.
Assim como Cândida, a residente da Santa Casa em enfermagem, Bruna Larissa, também usa recorrentemente o espaço para fazer pesquisas, também por meio da internet. “Eu gosto da biblioteca da Santa Casa porque é um lugar tranquilo”, afirmou a estudante formada pela Universidade do Estado do Pará.   
Palco de consultas para o público interno e externo, a biblioteca da Santa Casa está em processo de renovação do seu acervo. A ideia é, por meio de doações, atualizar o estoque que conta com aproximadamente 1.400 livros da área da saúde, além de trabalhos desenvolvidos por estudantes dentro da Instituição. Cândida e Bruna garantiram que vão doar livros para contribuir com o processo.
De acordo com Joyce Nascimento, servidora lotada na biblioteca, o espaço atende cerca de 20 pessoas por dia das 8h às 19h. E são aproximadamente 60 livros que saem por empréstimo mensalmente.
Lizomar Moia, diretoria de ensino e pesquisa da Santa Casa, informa que a Fundação aceita doações de livros de todas as áreas da saúde. Para ela, a integração de assistência e ensino dentro da maior maternidade pública do Pará é uma realidade. “Iremos renovar o espaço da biblioteca, que irá para outro local dentro da Fundação. A ideia parte da premissa da valorização do ensino e pesquisa. Quanto maior a qualidade do ensino, melhor o atendimento. É esta a lógica que a Santa Casa entende como correta”, frisou.   
Serviço: Para doar livros da área da saúde, basta se dirigir a biblioteca da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, das 8h às 19h. O hospital fica localizado na Rua Bernal do Couto, entre Generalíssimo e 14 de Março.   

Texto:
Nilson Cortinhas


Aluna de escola estadual representa o Pará no Parlamento Juvenil no Mercosul
A estudante Joyce Cristina Moraes de Almeida, 16 anos, do segundo ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Maria Antonieta Serra Freire, em Icoaraci, foi escolhida como a representante paraense no Parlamento Juvenil do Mercosul. Ela foi selecionada pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) juntamente com outros dois alunos, Wilcles de Souza e Aline Passos, ambos da Escola Estadual de Ensino Médio Professor José Edmundo Queiroz, para representar o Pará na etapa final de seleção dos alunos que fazem parte da delegação brasileira.
Ao todo, foram 81 alunos, de várias regiões do Brasil, que tiveram bom desempenho escolar, liderança e experiência de participação social e puderam ser inscritos na terceira etapa do Parlamento Juvenil do Mercosul, que ocorreu no início deste mês, em Gramado (RS). O parlamento juvenil é um encontro que discute temáticas de interesse comum e com foco na formação política e cidadã da juventude brasileira. A inscrição dos alunos coube à secretaria de educação de cada Estado.
Joyce Cristina chegou ao Parlamento Juvenil do Mercosul pelo destaque nas etapas iniciais que ocorreram nas escolas do Estado. Com mandato de dois anos, Joyce deverá participar de reuniões com estudantes das escolas estaduais para ouvi-los. “Farei anotações das problemáticas e inquietações dos alunos e, com esse resultado, montaremos um plano de ação”, diz, explicando que o parlamentar é um mediador. “Levamos o que acontece até o Mercosul. Lá, discutiremos o projeto montado, a partir das reuniões com os estudantes aqui das escolas do Estado e, se for aceito, o projeto tem a possibilidade de virar lei”.
A aluna passou por uma seleção estadual e, depois, por seleção nacional, na qual ela foi votada pelos 81 alunos que concorreram à vaga na delegação do Brasil. Os alunos votaram entre si para escolher 27 representantes e, para isso, observaram quem se destacava durante as apresentações, os debates e dinâmicas que ocorreram em Gramado.
Para Luiza Araújo, da Secretaria Adjunta de Ensino da Seduc), a participação da aluna será uma experiência única. “Isso interfere de forma positiva, pois é uma responsabilidade grande, é a voz do Pará no Mercosul. Ela vai ouvir e levar as ideias para outros lugares. Será um estímulo para outros alunos participarem dos programas voltados para educação e cidadania”, afirma.
No âmbito político, o Parlamento do Mercosul foi criado em 2005 e iniciou atuação em 2007. É integrado por 18 representantes de cada país do bloco e, no caso do Brasil, é composto por deputados e senadores das cinco regiões. O estatuto do Parlasul prevê eleições diretas dos membros e representação proporcional ao número de eleitores de cada país. É formado por estudantes do ensino médio dos países que integram o bloco, que são Argentina, Brasil, Colômbia, Paraguai, Uruguai e Venezuela, além de Bolívia e Colômbia, países associados. O foco é a formação política e cidadã da juventude.

Texto:
Silvia Leão


Seel promove arraial junino do programa Vida Ativa na Terceira Idade
Nesta quarta-feira, 18, será realizado o 'Arraiá' do Vida Ativa, na sede da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Asalp),localizada na rodovia Mário Covas, passagem São Jorge, s/n, em Ananindeua. 
O evento, marcado para às 9 horas, é uma atividade do programa Vida Ativa na Terceira Idade da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel). A entrada para o arraial junino é uma cartela de bingo, com direito a muitos prêmios, ao preço de R$ 5,00. 
Participaram da festa todos os polos do programa: Asalp, Grêmio Literário Português, Clube do Remo, Estádio Olímpico Pará (Mangueirão) e Hospital Abelardo Santos, além da Tuna Luso Brasileira.
A programação vai ser bem variada com desfile e eleição de Miss Caipira, apresentação dos grupos de dança do projeto Vida Ativa e brincadeiras típicas da época junina.

Texto:
Dedé Mesquita
 

Campeãs se apresentam no encerramento do Arraial de Todos os Santos

As quadrilhas e misses vencedoras nos concursos juninos do Arraial de Todos os Santos, da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (FCPTN), retornaram na noite desta segunda-feira, 16, para a festa de premiação e apresentação das campeãs, na Praça do Povo (térreo do Centur). O evento iniciou às 18h e reuniu brincantes e diversas famílias para celebrar o encerramento da programação.
Por volta das 20h, quem entrava na arena era campeã da categoria “adulto”, a quadrilha “Encanto da Juventude”, que se apresentou com toda a alegria de ser mais uma vez campeã. “Estamos aqui todos os anos, sempre recebendo a nota máxima. Já perdemos as contas de quantas vezes fomos a campeã. Sabemos apenas que foi mais de dez vezes!”, conta o presidente-fundador e coreografo da “Encanto”, Tom Vilhena.
O desfile das misses em suas diversas categorias também emocionou. Ariane Brabo, de apenas 10 anos, ganhou como Miss Mulata Cheirosa, na categoria “mirim”. Tímida, ela aguardava o momento de mais uma vez apresentar-se. “Eu vim pela quadrilha Matutinhos da Cremação. Fiquei um pouco tímida. Era muita gente, mas consegui dançar bem e fiquei surpresa quando ganhei”, conta.
A jovem Samara Matos, de 22 anos, foi bicampeã como Miss Simpatia, na categoria “adulto”, e chamava a atenção com sua glamourosa roupa branca. “Dancei e ganhei ano passado com uma quadrilha diferente – hoje ganhei pela Romance Matuto. E esse ano foi ainda mais emocionante. Gosto muito do arraial aqui do Centur”, declarou. Ano que vem, Samara diz não saber se volta a dançar. Ela é estudante de Dança da UFPA, e no próximo ano conclui seu TCC sobre quadrilhas juninas, seu assunto favorito.
Entre as dez primeiras colocadas nas categorias mirim e adulto das quadrilhas juninas, as notas foram idênticas – nota máxima em todos os quesitos. Para o desempate, o Centur realiza o mesmo método que é realizado pela Fundação Cultural do Município de Belém (FUMBEL), o sorteio entre as que empataram. Já sem a pressão do concurso, todos os presentes na noite de ontem dançaram e desfilaram com a leveza e a alegria da vitória.
“A alegria dessa noite se deve também a alegria do dever cumprido, de ter conseguido colocar a quadrilha na rua, com a ajuda dos brincantes, das famílias e da comunidade a que viemos representar. Depois vem a alegria do espetáculo, do público que aplaudiu, dos jurados que valorizaram nosso esforço”, declarou o coreografo Tom Vilhena.
Resultados - A coordenadora do Arraial, Fafá Pinheiro, afirma que o esforço dos grupos é visível e que por isso todos mereciam ser campeões. “Os coreógrafos do Pará são os melhores do Brasil, você não vê coreografias tão criativas assim em outros estados. Além disso, tem os estilistas que também arrebentam. Considero ainda, que esse foi o ‘arraial da paz’, onde as famílias compareceram e curtiram todos os dias”, avaliou.
Destaque também foi o trabalho dos servidores da FCPTN que estiveram todos os dias ajudando a organizar o evento e receber o público. Durante o último dia, todos estavam presentes e ainda, com duas convidadas de honra no palco da premiação: a professora Iracy Lola, que acompanha o arraial do Centur há 28 anos; e a coreografa Aline Dias, do Centro de Dança e Fitness Ana Unger.
Receberam troféus, os primeiros colocados nas categorias de quadrilha adulto e mirim; assim como, o primeiro lugar das misses Caipira, Simpatia e Mulata Cheirosa (adulto e mirim) e a Miss Caipira Mix. Receberam também troféus, os melhores marcadores, figurinistas e coreógrafos (adulto e mirim). As primeiras três colocadas nas categorias de Miss receberam ainda faixas designando sua colocação e categoria.
As 10 melhores quadrilhas juninas adulto e as 10 melhores quadrilhas juninas mirim, os dois melhores marcadores (adulto e mirim), os dois melhores coreógrafos (adulto e mirim), os dois melhores figurinistas (adulto e mirim), o primeiro lugar das categorias Miss Caipira, Mulata Cheirosa e Simpatia (adulto e mirim), bem como a Miss Caipira Mix com maior pontuação, receberam ainda um valor pecuniário, a título de premiação, entregue pelos convidados especiais da noite e membros da organização do concurso.
O “Arraial de Todos os Santos” é uma realização da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves em parceria com o Governo do Estado.

CLASSIFICAÇÃO GERAL - ARRAIAL DE TODOS OS SANTOS / 2014 - XI CONCURSO ESTADUAL DE QUADRILHAS JUNINAS
QUADRILHAS ADULTAS
1º - ENCANTO DA JUVENTUDE - GUAMÁ
2º - FORRÓ SANFONADO - ANANINDEUA
3º - TRADIÇÃO JUNINA DO BENGUI - BENGUI
4º - MENSAGEIRO DO AMOR - PEDREIRA
5º - RAINHA DA JUVENTUDE - CREMAÇÃO
6º - CORAÇÃO JUNINO - ABAETETUBA
7º - BALÃO DE OURO - MANGUEIRÃO
8º - FUZUÊ JUNINO - PEDREIRA
9º - ROSA VERMELHA – TERRA FIRME
10º - IMPACTO JUNINO - ICOARACI

MISS CAIPIRA ADULTO
1º - REINO DE SÃO JOÃO - GUAMÁ
2º - MENSAGEIROS DO AMOR - PEDREIRA
3º - REVELAÇÃO JUNINA DE SOURE - SOURE

MISS SIMPATIA ADULTO
1º - ROMANCE MATUTO - MONTESE
2º - IMPACTO JUNINO - ICOARACI
3º - TRADIÇÃO JUNINA DO BENGUI - BENGUI

MISS MULATA CHEIROSA ADULTO
1º - SANTA LUZIA - JURUNAS
2º - RAINHA DA JUVENTUDE - CREMAÇÃO
3º - ENCANTO TROPICAL - TAPANÃ

MISS MIX
LUANDA BRANCHE

COREÓGRAFO
REINO DE SÃO JOÃO - GUAMÁ

FIGURINO
RAINHA DA JUVENTUDE - CREMAÇÃO

MARCADOR
BALÃO DE OURO - MANGUEIRÃO

QUADRILHAS MIRINS
1º - PÉ DE MOLEQUE - ICOARACI
2º - REVELAÇÃ DA CREMAÇÃO - CREMAÇÃO
3º - RAÍZES DA FURACÃO  - OUTEIRO
4º - REVELAÇÃO JUNINA - ABAETETUBA
5º - MATUTINHOS DA CREMAÇÃO - CREMAÇÃO
6º - FLOR JUNINA - JURUNAS
7º - CHUVA DE CHEIRO  -  TERRA FIRME
8º - AMOR CAIPIRA - CREMAÇÃO
9º - EXPRESSÃO JUNINA - BENGUI
10º FLOR DE JUNHO -  ABAETETUBA

MISS CAIPIRA MIRIM
1º - BUSCAPÉ MIRIM - BENGUI - BENGUI
2º - REVOLUÇÃO MIRIM - BENGUI
3º - MATUTINHOS DA CREMAÇÃO  - CREMAÇÃO

MISS SIMPATIA MIRIM
1º - CRIANÇAS QUE BRILHAM – TERRA FIRME
2º - FRUTOS DOS ÍDOLOS - MOSQUEIRO
3º - SEDUÇÃO JUNINA - SALVATERRA

MISS MULATA CHEIROSA MIRIM
1º - MATUTINHOS DA CREMAÇÃO  - CREMAÇÃO
2º - SEDUÇÃO JUNINA - SALVATERRA
3º - FLOR JUNINA  -  JURUNAS

COREÓGRAFO
BUSCAPÉ MIRIM  - BENGUI

FIGURINO
PÉ DE MOLEQUE - ICOARACI

MARCADOR
CHUVA DE CHEIRO – TERRA FIRME

Texto:
Luiz Flávio





Escritor e operador de turismo português reforçam ações de intercâmbio entre os dois países
O escritor português António de Abreu Freire; o operador de turismo da Lusotravel, Jorge Santos, e o diretor da Casa de Cultura de Portugal, Ricardo Magalhães, estão em visita oficial à capital paraense desde o dia 6, quando chegaram a Belém para participar da XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro. A agenda de compromissos dos intelectuais envolveu diversas atividades, todas inspiradas no turismo do Pará, com foco principalmente nos segmentos religioso, literário, de cultura e de natureza.
Durante a participação de Antônio Freire na Feira do Livro, o autor autografou as obras “Introdução à Literatura de Cordel” e “Diário de Bordo”. Esta última foi lançada em 2007 e nela Freire dedica relevante espaço às aventuras de Antônio Vieira no Brasil, especialmente na Amazônia. Em capítulo intitulado “Da Bahia ao Pará” descreve exatamente o cotidiano de Vieira e ilustra as páginas com imagens e informações sobre a arquitetura de Belém; vida cotidiana dos paraenses que vivem em áreas ribeirinhas e urbana; mostra o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, com destaque especial para a Romaria Fluvial, idealizada em 1972 pelo ex-presidente da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), jornalista Carlos Rocque; a orla de Belém, vista a partir do Complexo Ver-o-Peso; Escadinha da CDP e Feliz Lusitânia, que abriga o Forte do Presépio (Forte de Castelo), marco da história da conquista de Belém pelos portugueses em 1616, quando da chegada ao Pará do expedicionário Francisco Caldeira Castelo Branco. O escritor dedica um espaço especial ao campus da Universidade Federal do Pará (UFPA), Theatro da Paz e à Ilha do Combu, entre outros aspectos que somam 129 páginas.
Para escrever “Diário de Bordo”, que tem cerca de 600 páginas e aproximadamente 200 fotos, o autor passou um mês em Belém, em outubro de 2007. Antonio de Abreu Freire justifica sua busca por intercâmbio com o Pará: “que brasileiros conheçam melhor Portugal e os portugueses melhor o Brasil”, reforçou o autor, ao afirmar que “grande parte da imigração portuguesa no Brasil veio ao estado do Pará” e que “o fluxo de turismo e interesse pelo estado é recíproco”.
Jorge Santos, gerente da Lusotravel, operadora de turismo localizada no município de Ilhavo, em Portugal, também acompanha o escritor em Belém, com objetivo de fechar negócios e parcerias relacionas à comercialização de produtos turísticos do Pará na Europa. A empresa busca ainda intercâmbio com o segmento de turismo cultural e religioso, motivo de uma reunião, na manhã desta quinta-feira, dia 12, como Padre José Ramos das Mercês, pároco da Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré.
O representante da Casa de Portugal no Brasil, que reside em São Paulo, tem uma relação estreita com Belém, onde esteve em outubro do ano passado participando do Círio de Nazaré, que tem divulgado através da entidade que representa como um produto turístico importante na relação entre a Europa e o Brasil. Os três intelectuais, que foram recebidos esta semana na sede da Paratur pelos gerentes de Promoção, Carlos Figueira, e de Captação de Eventos, Ariane Mathne, retornam para Portugal nesta sexta-feira, dia 13.

Texto:
Benigna Soares






Estamos seguindo para a casa do casal Jango e Teresa Vidal para mais uma corrente pra frente contra os mexicanos pela Copa do Mundo







Como acontece há sete Copas do Mundo, mais uma vez estamos repetindo a corrente pra Frente Brasil na casa do casal Jango e Teresa Vidal. No jogo de estreia contra a Croácia, a corrente funcionou e o Brasil venceu de 3 x 1.  Na tarde de hoje, novamente a rapaziada estará chegando na residência de Jango, ele que é presidente da Escola de Samba Rancho Não Posso Me Amofiná, bicampeão do carnaval paraense e responsável até agora pelo único título conquistado pelo Paysandu em 2014, o de campeão do carnaval cuja a Escola homenageou o Paysandu em seu centenário.
Jango e Teresa Vidal promoverão aquele pagode gostoso com integrantes da Bateria Show do Rancho, um gostoso churrasco e aquele banho de piscina.
Ah, a rapaziada tem que ir de verde e amarelo, como começou, é um estilo de superstição que vem dando certo. Eu vou com a minha camisa com a logo marca da Doutrina Espírita.

Vamos nessa Brasil!

Arriba Brasil!




Brasil 0  México 0
NÃO DEU!




Uepa lançará revista eletrônica para divulgar trabalhos de alunos
Professores do curso de pedagogia da Universidade do Estado do Pará (Uepa) abrem seleção para a chamada dos artigos que vão compor a primeira edição da Revista Eletrônica Murupiíra. A publicação tem o propósito de divulgar e estimular o conhecimento científico, gerar debate e implantação de propostas metodológicas e possibilitar a troca de experiências pedagógicas.

“A ideia de construção da revista surgiu a partir das reuniões com os professores dos estágios supervisionados, pois sentimos a necessidade em divulgar os trabalhos de pesquisa e extensão dos alunos e professores da Uepa, muitos feitos com a comunidade”, diz a professora e editora chefa da revista, Diana Ferreira. A primeira edição da revista, com lançamento previsto para o segundo semestre, trará como tema “Formação de professores: perspectivas teóricas e os desafios nas práticas educativas”.

Docentes e discentes de graduação e pós-graduação da Uepa, pesquisadores, gestores de instituições de ensino superior e professores da rede pública poderão submeter textos até o próximo dia 6 de julho. Com periodicidade semestral, cada publicação será organizada por temáticas pré-definidas pelo conselho editorial, abordando questões atuais sobre a educação. Mais informações: www.uepa.br.

Texto:
Ize Sena


Mestrado em enfermagem da Uepa divulga resultado de seleção
O programa de pós-graduação em enfermagem – mestrado da Universidade do Estado do Pará (Uepa) divulgou o resultado final do processo seletivo 2014. Os recursos podem ser interpostos na Escola de Enfermagem Magalhães Barata, até as 16 horas desta terça-feira (17). Foram ofertadas oito vagas – que foram preenchidas –, para duas linhas de pesquisa: “Enfermagem em saúde pública e epidemiologia de doenças na Amazônia” e “Educação e tecnologias de enfermagem para o cuidado em saúde a indivíduos e grupos sociais”. O objetivo da pós-graduação é a formação de profissionais para o atendimento na região amazônica. Mais informações no site www.uepa.br.

Texto:
Ize Sena


Prodepa investe em segurança da internet com novo equipamento
A Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa) atualizou o equipamento de segurança da internet com a aquisição de um novo firewall, que melhorou o controle de acesso de todos os seus clientes a determinados serviços da web para evitar ataques virtuais. O firewall define o que pode entrar e sair da rede do Estado, fazendo a filtragem e a proteção dos pacotes.
O novo equipamento, chamado UTM, engloba várias tecnologias importantes, entre elas a funcionalidade IPS, responsável pela prevenção de intrusão. O IPS analisa todo o pacote que está sendo enviado a partir de um registro prévio no sistema, verificando se há algum possível ataque. Caso ele constate que há, o aplicativo bloqueia o pacote ou dá um alarme para os funcionários da Prodepa, que, dependendo da situação, podem intervir manualmente.
“O IPS é uma das principais funções que temos agora. De uma maneira geral, se for um ataque muito conhecido, o firewall o bloqueia imediatamente, e se não for, ele pode gerar um alerta, nos avisar o que está acontecendo e pedir uma interação humana para que possamos averiguar se é um tráfego legítimo ou não”, diz o analista de sistemas da Prodepa Matheus Vianna.
O firewall, que pode ser tanto de software (programa) quanto de hardware (equipamento), teve atualização nesses dois sentidos. Houve a compra de dois equipamentos novos, que são redundantes, ou seja, se algo acontecer com um deles, o outro sozinho consegue suprir a demanda do Estado. O antigo não aguentava a demanda total da rede, e esse novo está somente com uso de cerca de 10% da capacidade. Sendo assim, a rede do Estado ainda pode crescer bastante que a Prodepa conseguirá suprir a demanda.
Além do novo firewall, a Prodepa também firmou contrato com a Embratel em relação ao Anti-DDOS, que tem o objetivo de impedir que um serviço no sistema fique indisponível, evitando ataques de dentro e de fora do país. O DDOS ataca enviando informações muito maiores do que aquilo que se pode suprir de demanda, causando a inundação da rede com informação inútil, deixando o sistema muito lento ou inoperante. A solução disso passa pelas operadoras de telecomunicações, que são as únicas que resolvem esse tipo de ataque.
O pacote, antes de chegar à Prodepa, será inspecionado pelo sistema de proteção da operadora que, dependendo da situação, poderá bloqueá-lo, evitando a ocupação do canal da empresa com lixo eletrônico. “Somos o primeiro cliente do Norte a aderir a esse sistema da Embratel. Nesse sentido, estamos protegidos. Se passar alguma coisa, a gente tem um contato mais direto com a equipe de segurança da operadora, que imediatamente bloqueia o ataque. Antigamente o contato era mais demorado, e o ataque continuava durante horas”, reitera Matheus Vianna.
Proteção – Hoje, a Prodepa tem a capacidade de detectar uma quantidade bem maior de eventos que prejudicariam o sistema. “Estamos iniciando uma campanha para informar nossos clientes para que os mesmos possam corrigir esses problemas e evitem situações futuras. O trabalho de prevenção do sistema é o firewall. Também mantemos o parque moderno, licenciado e com o software de antivírus atualizado”, garante o gerente da Divisão de Segurança Digital da Prodepa, Sávio Alves.
Aliado a tudo isso, a Prodepa já tem mecanismos para se adequar ao Marco Civil da Internet. Antes não havia onde armazenar as informações, pelo grande conteúdo. Em conjunto com o firewall, foi comprado um servidor de armazenamento de log, que guarda os registros das conectividades, o que o Marco Civil coloca como obrigatório. A Prodepa pode armazenar os chamados logs de conexão, isto é, pode apenas saber em que site o usuário esteve, mas sem saber o que fez, preservando o sigilo.
“Hoje conseguimos fazer esse armazenamento por termos um servidor de 20 terabites que armazena esses dados para nós. Conseguimos segurar dados do Estado tranquilamente por mais de dois ou três anos, sendo que o Marco Civil obriga esse armazenamento durante um ano, ou seja, também temos escalabilidade do ponto de vista de armazenamento. Isso é o que engloba todo esse projeto que inclui o firewall”, conclui Matheus Vianna.

Texto:
Nátia Machado


Obras no Mangueirão restringem acesso ao estádio por 60 dias
O acesso ao Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, está suspenso por pelo menos 60 dias, em função das obras de construção civil em curso no local. Segundo a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), a circulação no estádio não é possível porque há máquinas pesadas sendo operadas e porque foi aplicado no gramado, que está sendo substituído, um produto herbicida altamente tóxico. Caso equipes de reportagem precisem usar o estádio para imagens e entrevistas ou outras atividades, as solicitações devem ser encaminhadas para o e-mail ascomseel22@gmail.com ou pelos telefones (91) 3201-2322 ou (91) 8883-5649. Os pedidos serão analisados de acordo com parecer dos responsáveis pela obra. Leia matéria completa sobre a reforma no Mangueirão na Agência Pará de Notícias.

Texto:
Dedé Mesquita

Estado recebe reforço de 385 novos policiais civis
O Diário Oficial do Estado publicou nesta terça-feira, 17, a lista com o nome dos 385 novos policiais civis do Pará.  Os novos profissionais que já concluíram o curso de formação Técnico-Profissional da Academia da Polícia Civil, no Instituto de Ensino de Segurança do Pará (Iesp), em Marituba, devem começar a atuar logo após a formatura, programada para o dia 24 de junho, às 9h, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém. “Serão formadas 14 turmas, incluindo os cargos de delegados, investigadores, papiloscopista e escrivães, que ao longo de quatro meses passaram por intensas atividades práticas e teóricas de qualificação”, explica a delegada Liane Martins, diretora da Academia da Polícia Civil do IESP.
Aluna do curso de formação para delegados, a advogada Rafaela Lacerda, 30 anos, se diz feliz com a decisão profissional e afirma que está pronta para seguir na carreira que sempre sonhou. “Ser delegada era um sonho antigo, que foi adiado por muito tempo, mas agora, graças a Deus, eu consegui realizar. Por isso, a minha expectativa é a melhor possível. Eu me sinto preparada para atuar na profissão, não apenas pela minha identificação com a carreira, mas principalmente por conta da formação de excelência que eu tive aqui”, garante a futura policial.
Ex-contador da Polícia Civil, Emerson Menezes, 38, aluno do curso de papiloscopia, também conta as horas para a formatura. “Para mim, ser policial civil é a realização de um sonho. Mesmo trabalhando na instituição, embora em outra área, eu não me sentia completamente satisfeito. Mas agora vai ser diferente. Eu vou seguir a carreira policial de fato, dentro da área da papiloscopia, que é a função que mais me identifico. E com isso, passo a honrar cada vez mais o nome da instituição, sempre a serviço da sociedade“, ressalta o formando.
Ao todo, serão formados 145 delegados, 131 investigadores, 19 papiloscopistas e 90 escrivães. O curso de formação Técnico-Profissional realizado pela Acadepol é a última etapa do concurso público da Policia Civil, iniciado no ano passado. Com aulas diárias em dois turnos, os novos policiais passaram por capacitações nas áreas de resolução de conflitos; criminologia; armamento, munição e tiro; Direitos Humanos; relações interpessoais; fundamentos de Polícia Comunitária, Atendimento Pré-Hospitalar e Gestão por Resultados, totalizando 680 horas de aula.
Segundo a delegada Liane Martins, essa é a maior turma de policiais civis dos últimos dez anos. A diretora da Acadepol avalia como positivo os resultados do curso de formação e afirma que o sucesso das aulas é graças ao planejamento realizado pela instituição. “A poucos dias da conclusão do curso, a nossa sensação é a de dever cumprido. Conseguimos manter o nível de qualificação esperado, oferecendo um corpo docente especializado e uma estrutura técnica dentro das exigências das escolas de segurança pública nacional. Por isso, não tenho dúvida quanto ao preparo desses novos policiais para atuar de forma capacitada”, afirma a delegada.

Texto:
Adison Ferrera








Servifest elege nesta quarta representantes da etapa de Santarém
O Festival de Música do Servidor Público do Pará (Servifest), que está na 13ª edição, finaliza nesta quarta-feira (18) a etapa regional em Santarém, no oeste paraense. Doze canções foram selecionadas, mas apenas três finalistas serão eleitas para disputar a etapa final, que ocorre em Belém, em novembro deste ano. O festival é organizado pela Escola de Governo do Pará (EGPA), com a parceria da prefeitura.
Os finalistas da etapa regional representam seis órgãos municipais e três estaduais. "Eles são de três municípios: Santarém, Altamira e Vitória do Xingu. Selecionamos doze para a final da etapa. Três serão escolhidos para a final em Belém. Depois dessa fase, vamos fazer a etapa de Salvaterra, na região do Marajó", explica a coordenadora do Departamento de Valorização da Cidadania do EGPA, Andreia Cavalero.
O festival foi regionalizado há dois anos, para fortalecer a participação dos servidores públicos do interior do Estado. Os candidatos finalizaram na tarde desta segunda-feira (16) os ensaios com a banda oficial do evento, na Casa de Cultura. Cada participante teve 30 minutos para o ensaio.
"Este ano temos uma novidade, que será a premiação por etapa. Antes premiávamos somente no final do evento. Nessa etapa de Santarém, os três primeiros colocados receberão premiação, assim como também o melhor intérprete e o melhor arranjo", anuncia a coordenadora do Servifest.
Os doze intérpretes subirão ao palco da Praça Mirante de Santarém, na orla da cidade, nesta quarta-feira. O Servifest integra ainda a programação de aniversário de Santarém, que neste domingo (22) festejará 353 anos de fundação. Também são parceiros do evento a Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, a TV Cultura do Pará e a Secretaria Municipal de Cultura de Santarém.
O Servifest proporciona espaço para os talentos musicais que atuam no serviço público estadual e municipal do Pará. "Estamos valorizando o artista que é servidor", diz Andreia Cavalero. Funcionário da Superintendência do Sistema Penal (Susipe) em Santarém, Guilherme Carvalho Canto compôs e interpreta a canção "Efeito Capitalismo". Ansioso, ele destaca a oportunidade e a valorização de talentos que dispõem de poucas oportunidades. "É um espaço que temos para mostrar nossos trabalhos e faturar uma premiação. Estou esperançoso", afirma o candidato.
Ordem de apresentação das canções selecionadas:
1º - Vamos Viver Nossa História – Moisés Mota – Semed/ Santarém
2º - Profecia Moderna – Anthymio Wanzeller Figueira Filho – Seminfra/ Santarém
3º - Terreiro de Alucina – Wander Barbosa de Andrade – Seduc/ Santarém
4º - O Lugar do Meu Coração – Jefferson Silva Santos – Seminfra/ Santarém
5º - No Baque Toque Tambor – Eduardo Henrique Chaves Dias – Semc/ Santarém
6º - Como Te Esquecer – Silvia Ivone de Sousa Vieira – Semad/ Santarém
7º - Efeito Capitalismo – Guilherme Carvalho Canto – Susipe/ Santarém
8º - Vim Pra Ficar – Francisco Carneiro de Sousa – Cosanpa/ Santarém
9º - Olhe Para o Céu – Geones Jackson Vieira de Sousa – Prefeitura de Vitória do Xingu
10º - O Criador – Cledson Coelho de Menezes Bezerra – Sefin/ Santarém
11º - Lembrança de Nós Dois – Juliano da Silva Teixeira – Sefin/ Santarém
12º - Lua Minha – Oziel Mendes Oliveira – Prefeitura de Altamira

Texto:
Alailson Muniz


Centro de Saúde Escola completa 33 anos de serviços à comunidade
O Centro de Saúde Escola (CSE) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) completa nesta terça-feira (17), 33 anos de funcionamento. Localizado no bairro do Marco, em Belém, o Centro reúne 212 profissionais, entre médicos, professores, residentes e estagiários, que realizam aproximadamente 18 mil atendimentos mensais. Em comemoração ao aniversário, será oferecido um café da manhã para os funcionários no local.
A unidade de saúde oferece serviços à população desde os primeiros dias de vida de uma criança, com a imunização de doenças voltadas para esta fase, até atendimento especializado, por meio da Unidade de Ensino Assistência de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Ueafto). Na atenção básica, o CSE recebe, diariamente, crianças e adultos de Belém e de outros municípios do Pará, que buscam atendimento médico e realização de exames.
Para a dona de casa Cristina Santos, de 32 anos, o Centro representa uma referência, um local que ela pode levar as suas duas filhas, de nove e quatro anos, quando precisa de atendimento médico. “As meninas tomam todas as vacinas aqui, e sempre que precisam de acompanhamento venho pra cá. Eu só tenho a agradecer, pois sempre fui bem atendida, e aqui é um local que posso contar pra momentos mais importantes”, frisou a dona de casa.
 Já a técnica de enfermagem Joana Barbosa, de 77 anos, considera a unidade de saúde a extensão da sua casa. “Eu gosto muito de trabalhar com doenças de controle e gosto do meu serviço, me sinto bem aqui, me sinto em casa. Conheço todo mundo e já considero como parte da minha família este lugar”, afirmou a funcionária, que é mais antiga do Centro.
 O CSE é subordinado administrativamente ao Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da Uepa, mas recebe orientações da Central de Regulação da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), quanto à marcação de consultas e encaminhamento de pacientes. Por meio da Secretaria, a Universidade também integra os programas de tratamento e prevenção da Tuberculose, Hanseníase e Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs).
 A unidade de saúde é composta pelos anexos: Unidade Materno Infantil (UMI), Ambulatório de Dermatologia, Laboratórios de Analises Clínicas, Laboratório de Pesquisa em Apoio Diagnóstico (Lapad) e pela Ueafto, todos vinculados à diretoria do CCBS e cadastrados no Sistema Único de Saúde (SUS).
Entre os profissionais que fazem parte do CSE estão os ginecologistas, neurologistas, cardiologistas, endocrinologistas, pneumologistas, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, pediatras, mastologistas, nutricionistas, odontólogos, dermatologistas, otorrinolaringologistas e ortopedistas.
Serviço:
 O Centro Saúde Escola é ligado ao Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)/ Campus II da Uepa e funciona de segunda a sexta, das 7h às 19h. A sala de vacinas funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h. O Centro Saúde Escola fica localizado na Avenida Rômulo Maiorana, 2558 – Marco. Telefones (91) 3246 9911 / 3228 0510.

Texto:
Cacau Bastos




Gastronomia do Pará é destaque no Círio de Nazaré de Brasília
Os brasilienses vão celebrar este ano mais uma edição do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, tradicionalmente festejada em todo o Brasil, mas que ganha repercussão maior em Belém do Pará, no segundo domingo do mês de outubro. No Distrito Federal, o Círio de Nazaré completa 41 anos em 2014 e há décadas conta com apoio promocional da Companhia Paraense de Turismo (Paratur). Este ano, com objetivo de promover o turismo paraense ao longo da programação do Círio, a Paratur vai expor a gastronomia do Pará, que integra a tradição do almoço do Círio.
O Círio de Brasília será realizado este ano entre os dias 11 e 14 de setembro, pela Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, que fica em um dos principais bairros da capital federal, Lago Sul. A Imagem de Nazaré recebe mobiliza as festividades milhares de pessoas, incluindo os paraenses que residem no Distrito Federal. Durante a programação religiosa acontecem festividades, quermesses, tendas de evangelização, shows pirotécnicos, apresentações musicais e celebrações eucarísticas.
Muito comercializados no Círio de Nazaré em Belém, a maniçoba, vatapá, pato no tucupi e outras comidas que fazem parte do cotidiano do paraense são sabores que fazem sucesso e terão destaque na edição do Círio em Brasília. Vale ressaltar que todos os ingredientes da gastronomia são comprados em Belém e levados para a capital federal.
O Círio de Nazaré de Brasília tem o apoio do Governo do Pará desde a criação da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, em 1974, e há mais de 10 anos a Paratur continua reafirmando essa parceria.
Texto: Denilton Resque, sob a supervisão da jornalista Benigna Soares

Texto:
Benigna Soares


Emater inaugura Laboratório de solos em Bragança
A Empresa de Assistência Técnica de Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) inaugura nesta segunda-feira, 16, às 9 horas, em Bragança, nordeste do estado, o Laboratório de Análises de Solos, instalado para atender agricultores familiares, auxiliando no plantio de determinadas culturas, com destaque para o feijão caupi e a mandioca, carros-chefe da agricultura familiar na região bragantina.
No laboratório serão analisadas a fertilidade do solo, determinação de PH, macros e micros nutrientes, o que permitirá se fazer um diagnóstico do que de fato a planta necessita para ter a melhor produção possível, como forma de fortalecer a agricultura familiar. A estimativa é que, quando em funcionamento, o laboratório tenha a capacidade de fazer 3 mil análises por ano.
O laboratório de solos deverá se tornar referência na região e no estado. Produtores locais, em geral, fazem análise de solo em um laboratório em Goiânia (GO), onde o custo médio é de R$ 140, por análise, o que já representará uma economia para o agricultor. O ganho é também por conta do aumento da produtividade, que pode chegar a 100%, com a recomendação correta para o plantio da cultura.
Também será reinaugurado o Centro de Treinamento Agroecológico Inovação Tecnologia e Pesquisa Aplicada do Nordeste Paraense (UDB) da Emater, em Bragança, que passou por obras de reforma e ampliação para a melhoria no atendimento. A UDB é referência na região em produção agroecológica e capacitação em prol da agricultura familiar.
As obras foram de reforma nos antigos alojamentos, na vacaria e nos laboratórios de beneficiamento de frutas e de leite e de construção do novo bloco administrativo – com a instalação de uma loja para comercialização de produtos feitos pela UDB e do laboratório de solos. Para o coordenador da UDB, Thessyo Nirlano dos Santos, o principal benefício é a melhoria da infraestrutura e, consequentemente, do trabalho, tendo em vista que o local é um ambiente não só de produção, mas também de capacitação, como reuniões e visitas técnicas, cursos, oficinas, palestras, entre outras atividades. Só em 2013 a UDB recebeu algo em torno de mil visitantes e participantes de treinamento. A UDB tem capacidade para receber 60 participantes por evento.
Na unidade há duas agroindústrias de beneficiamento de frutas, com capacidade de processar mil quilos de frutas por dia, e de leite com capacidade de beneficiar 150 litros diários. Um diferencial nesse trabalho é que todos os resíduos (cascas e caroços) são reaproveitados para compostagem orgânica.
A UDB tem uma produção de adubo orgânico, técnica que é repassada aos agricultores familiares durante as visitas e uma horta orgânica, que abastece a alimentação na unidade. A pecuária leiteira é baseada na maneira convencional, com pastejo rotacionado e sistema agrossilvopastoril. “Dessa forma, o agricultor pode ver que ele pode produzir melhor, com gado e madeira. Além disso, o leite produzido abastece a agroindústria e o esterco do gado é utilizado na produção de adubo orgânico”, ressalta Thessyo. A unidade conta, ainda, com a produção de mel (meliponicultura), criação de tambaqui (piscicultura) no açude revitalizado pela Emater e produção de mudas de frutíferas. No próximo ano serão plantadas 4 mil mudas de açaí para abastecer a agroindústria.

Texto:
Paula Portilho


Comércio varejista paraense apresenta resultado positivo no índice de volume de vendas em abril
O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) disponibiliza nesta quinta-feira (12), por meio de sua diretoria de socioeconomia, os principais resultados do Comércio Varejista no estado do Pará, referentes ao mês de abril de 2014, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
De acordo com os dados sistematizados pelo Idesp, o Comércio Varejista paraense em abril de 2014, se comparado ao mesmo mês de 2013 na análise sem ajuste sazonal, apresentou variação positiva de 4,7% do Índice de Volume de Vendas (IVV) e de 8,4% do Índice de Receita Nominal (IRN). Apesar de positiva, a variação do IRN foi menor que a do mesmo período do ano anterior (14,6%). Naquele momento, o comércio varejista ainda sofria os efeitos dos incentivos fiscais do governo federal para os produtos da “linha branca” (fogão, geladeira, condicionador de ar etc.), medida encerrada no segundo semestre de 2013.
Já o índice do Comércio Varejista com ajuste sazonal, no comparativo ao mês anterior (março de 2014), registrou comportamento de desaceleração das vendas, pelo segundo mês consecutivo, fechando o período com variação negativa do IVV de 1,87%. Da mesma forma, o IRN apresentou recuo de 1,97%. Em parte, o resultado do Comércio Varejista em abril, na análise mês a mês, é explicado pelo comportamento da inflação, que registrou em abril a segunda maior variação no ano (0,52%).
A dinâmica do Comércio Varejista produz efeitos na arrecadação de ICMS do Estado. Nesse sentido, mesmo o IVV e o IRN apresentando recuo no mês de abril, o ICMS arrecadado no Comércio Varejista, segundo o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), em abril foi de 7% (R$ 64,134 milhões), ou seja, maior na comparação com o mês de março (R$ 59,938 milhões).
Com relação ao mesmo período do ano anterior, abril de 2013, a arrecadação do ICMS no Comércio Varejista cresceu 6,45%. Ainda segundo o Confaz, o montante de arrecadação do ICMS do Comércio Varejista em abril de 2014 representou, no setor terciário, 22,74% de participação. No montante arrecadado entre todos os setores, o Comércio Varejista participou com 9,21%.

Texto:
Fernanda Graim


Manifestações juninas são oferecidas pelo Governo do Estado na capital e no interior
Depois de meses de ensaios e muita dedicação, o mês mais esperado pelos integrantes de quadrilhas juninas finalmente chegou e, com ele, diversas programações oferecidas pelo Governo do Estado já estão sendo realizaas em vários locais na capital e no interior do estado. A Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (FCPTN-Centur), por exemplo, iniciou a programação desde o dia 1° deste mês, com a festa Arraial de Todos os Santos, onde acontece o Concurso de Quadrilhas Juninas 2014.
Nesta sexta-feira, 13, começam as definições dos campeões, que este ano contou com apresentações de 80 conjuntos juninos. Além das quadrilhas, o “Arraial” conta com apresentações de outros 26 grupos de expressões populares, divididos entre Parafolclórico, Pássaros e Cordões. No sábado, 14, serão encerradas as apresentações das quadrilhas e no dia seguinte, domingo, 15, será feita a apuração dos campeões. A grande premiação será na segunda-feira, 16, e terá a apresentação das quadrilhas vencedoras.
Entre os participantes, a expectativa é grande. Participante do concurso há vários anos, a auxiliar de limpeza Rosemarie Conceição Coelho, 27 anos, aguarda ansiosamente pelo dia do grande resultado. Ela e seus oito irmãos participam da quadrilha “Rainha da Juventude”, do bairro da Cremação, há 14 anos. “Na minha família, o mês de junho é mais esperado do que o Natal, o Carnaval e até a Copa. Ficamos o ano inteiro esperando por este momento”, conta.
Ela diz que todos levam o concurso muito a sério e para obter bons resultados, os ensaios começam em março, três meses antes do mês de junho. “Ensaiamos todos os dias de segunda a segunda, sempre depois do expediente de trabalho, ou depois da aula. É uma questão de amor. Não tem tempo ruim, o importante é fazer bonito no dia”, comenta Rosemarie. Ela parabeniza a organização e seriedade do concurso. “Assim como nós levamos a sério, percebemos que o Governo também tem uma atenção especial com os eventos juninos e todos são muito organizados. Para participar é preciso apresentar documentos e os menores de idade precisam de orientação dos pais. Isto é muito legal porque é um incentivo a mais para que o nosso empenho seja cada vez maior”.
Lucinnha Bastos, diretora de Interação Cultural da FCPTN, destaca  a importância do evento. “O Arraial de todos os Santos é uma grande festa popular, com uma das maiores demandas do Estado. Este ano teremos a apresentação em torno de 150 quadrilhas juninas. Além disso, tentamos mostrar um mix das manifestações folclóricas do nosso estado a partir da apresentação das quadrilhas, Cordões de Bichos e Pássaros Juninos, envolvendo todas essas atrações num único momento no arraial para garantir a diversão do público”.
Outras opções
Além do Arraial de Todos os Santos, oferecido pelo Centur, a população pode contar com outras manifestações juninas. O Instituto de Artes do Pará (IAP) realiza em São Félix do Xingu e Ipixuna, o curso de composição coreográfica para quadrilhas, num resultado que deve ser apresentado ainda neste mês de junho. Em Ipixuna, a partir do dia 13 de junho, a coreógrafa Leiliane Correa ministra a oficina de composição coreográfica. A oficina segue até o dia 20 de junho e as inscrições podem ser feitas na Secretaria de Cultura do município.
Leiliane conta que pretende trabalhar com o público um pouco da teoria das composições coreográficas antes da prática. “Além de trabalhar todo o processo de como compor uma coreografia, pretendo também fazer uma abordagem sobre o processo da composição coreográfica, que envolve também música, figurino e maquiagem”, ressalta.
Além da teoria, a oficina será voltada para a temática folclórica, muito presente na cultura de Ipixuna. “Espero que a oficina tenha um bom rendimento com o público. Já tive contato com eles e sei um pouco da cultura local, o que vai ajudar bastante no desenvolvimento do trabalho”, conclui Leiliane.
Promovida pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult), outra programação junina que mantém viva a tradição dos bois de máscaras no Estado é a “Paixão do Boi”. Ao todo, 27 grupos se apresentam nos dias 14, 15, 20, 21, 22 e 27 de junho na orla do Armazém 3, na Estação das Docas. Toda a programação é gratuita.

Texto:
Bruna C.


Núcleo de Produção Audiovisual do Pará lança Web TV e catálogo virtual
Na última terça-feira (10), o Núcleo de Produção Digital do Instituto de Artes do Pará (IAP) apresentou ao público a Web TV e o catálogo virtual, que reúne os títulos do acervo próprio. Elaborado a partir da necessidade de sistematizar as produções, o catálogo agora oferece ao público a melhor visualização dos filmes. Como formato virtual, ele também permite que novos títulos sejam inseridos sistematicamente.
Em quase dois anos fazendo o processo de catalogação, o núcleo reuniu 295 títulos, entre animações, ficções e documentários de média e curta duração, dando origem à “Mostra Pará”, uma programação que circula por diversas cidades, em parceria com prefeituras, associações e a sociedade civil organizada, com projeções ao ar livre, que geraram um público de mais de dez mil espectadores em cerca de 100 cidades paraenses, sempre de forma gratuita.
A publicação abrange também as mostras “Parazinho” e “Pirilampo”, direcionadas para o público infanto-juvenil, sendo esta última uma parceria com a Fundação Curro Velho. Dentre os títulos que compõem as mostras, estão produções das cidades de Santarém, Santarém Novo, Canaã dos Carajás, Castanhal, Vigia, Marabá, Chaves, Bragança, Anajás, Santa Isabel, Parauapebas, Capanema, Marapanim, Gurupá, Ponta de Pedras, Monte Alegre, Salvaterra, Cachoeira do Arari e Óbidos, além do distrito de Mosqueiro, em Belém.
O catálogo também reúne outros 300 títulos de obras nacionais de várias regiões do Brasil e de países latino-americanos, como Cuba, em parceria com a Escola Internacional de Cinema e TV de Cuba - San Antonio de los Baños. Após o lançamento, foram exibidos os curtas “All You Need Is Love”, de Wagner Depintor (SP), e “Custo do Progresso”, de Carlos Alexander (Canaã dos Carajás – PA).
O Núcleo de Produção Digital do IAP foi implantado em 2006, como programa da Rede Olhar Brasil, com a finalidade de incentivar a produção e o desenvolvimento de estudos e pesquisas na área do audiovisual em diversas linguagens, suportes, formatos e plataformas. O formato do núcleo foi criado pela Associação Brasileira de Documentaristas Nacional, que o propôs para a Secretaria de Audiovisual, do Ministério da Cultura, o viabilizou em edital.
O núcleo é direcionado a todas as capitais brasileiras. No Pará, ele é gerido pelo IAP e a Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa), tendo como cogestores o Instituto de Ciências da Arte da Universidade Federal do Pará (UFPA), Associação Fotoativa e Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas . O catálogo virtual e a Web TV podem ser vistos nos seguintes links: http://npdwebtv.wordpress.com/ e http://issuu.com/raissaaf/docs/cat__logo_5/5?e=12315261/8220572.

Texto:
Danielle Franco


Setur e Prefeitura de Santarém firmam convênios para desenvolver o turismo na região
A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e a Prefeitura de Santarém firmaram nesta quarta-feira (11) dois convênios com o objetivo de promover o desenvolvimento turístico do polo Tapajós: Plano Estratégico Turístico dos Municípios de Santarém e Belterra e para construção de banheiros públicos acessíveis em uma balsa que ficará ancorada no entorno da vila de Alter do Chão. A assinatura dos convênios ocorreu durante a entrega dos certificados dos 107 capacitados pelo Programa Estadual de Qualificação no Turismo (Peqtur).
Segundo o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes, a elaboração do plano voltado para o turismo local foi uma iniciativa que partiu do prefeito de Santarém, Alexandre Von. “Do ponto de vista estratégico, o prefeito colocou no pacote Santarém e Belterra, tendo em vista a proximidade entre os dois municípios e algumas ações conjuntas que podem ser desenvolvidas em sinergia”, disse.
Alexandre Von explicou que haverá uma integração com as diretrizes e prioridades do desenvolvimento do turismo no Pará, além de condições para definição de uma estratégia na captação de investimentos públicos e privados. “O improviso dá lugar a uma estratégia que abrirá mais oportunidades, atraindo os investimentos no turismo, fortalecendo a economia e a geração de emprego e renda no município e na região”, afirmou.
O prefeito destacou ainda a parceria que vai dotar a vila de Alter do Chão, principalmente os frequentadores da ilha, de infraestrutura adequada no que diz respeito ao uso de banheiros. O prefeito lembrou que esta foi uma reivindicação apresentada pelos comunitários e pela Associação dos Empreendedores de Turismo da Vila de Alter do Chão, durante a reunião de planejamento ocorrida no início da gestão.
A secretária de Turismo de Santarém, Irene Belo, afirmou que o governo municipal cumpre seu papel em viabilizar a formulação e em priorizar estrutura adequada à vila, uma demanda requisitada pela população e pelo trade turístico. Adenauer Góes também recebeu da Polícia Militar em Santarém o compromisso para a reativação do policiamento turístico no município, que recebe um grande número de visitantes ao longo de todo ano.

Texto:
Israel Pegado


Centro de Terapia Renal Substitutiva da Santa Casa realiza programação voltada para a Copa
O pequeno Weno Lobato, de apenas quatro anos, realiza sessões de hemodiálise na Santa Casa três vezes por semana. Em função da necessidade do tratamento, a família de Weno, que é de Abaetetuba, se mudou para Belém. Apaixonado por futebol, a criança foi uma das estrelas da festa alusiva à Copa do Mundo, realizada pela Fundação, por meio do Centro de Terapia Renal Substitutiva. “Eu acho que o Brasil vai ganhar de 4 a 0. Gosto do Neymar”, disse Weno. “Ele adora futebol. E a Santa Casa, que nos acolhe bem, faz este tipo de programação e, com certeza, o Weno se sente bem e ainda mais à vontade”, disse a mãe Mariza Lobato.
A terapeuta ocupacional Fernanda Lobato, explicou que a ideia da equipe do Centro de Terapia Substitutiva é relacionar o momento hospitalar com o sentimento coletivo, próprio do trabalho em equipe. “Estamos fazendo uma analogia no sentido de que a parceria traz o sucesso, de que a união da família e do grupo de assistência do Hospital é importante para que eles vençam. Precisamos ter um grupo coeso, como o Brasil na Copa do Mundo”, disse Fernanda.
Atualmente, 25 pacientes, em três turnos, fazem tratamento de hemodiálise na Santa Casa, como Guilherme Pessoa, de cinco anos. Fã do futebol do meia-atacante Hulk, titular da seleção brasileira, Guilherme era um dos mais animados. Usava uma máscara e estava vestido à caráter como um jogador da equipe verde e amarela. “O Brasil vai fazer cinco gols”, disse, arrancando gargalhada da equipe médica da instituição e do seu pai, Moisés Pessoa, que acompanhava a programação. “Ele gosta de futebol, acompanha os jogos. E a Santa Casa está atenta a este gosto”, garante Moisés.
Weno e Guilherme farão parte de equipes que vão participar de uma espécie de gingana, com pontuação para os trabalhos mais bem elaborados sobre a Copa do Mundo e o espírito de união entre os povos. Quem vencer a gincana ganhará uma bola brazuca, símbolo da Copa do Mundo do Brasil. A programação foi acompanhada pela diretora da Associação dos Renais Crônicos e Transplantados do Pará, Belina Soares. “Estamos sempre nesta parceria, ajudando como podemos, para fazer a nossa parte”, falou Belina.
Além do Centro de Terapia Renal Substitutiva, algumas alas do Hospital entraram no clima da Copa. Servidores estão trabalhando vestidos de verde e amarelo.

Texto:
Nilson Cortinhas


Fapespa assina convênio de 20 milhões com a Capes
Qualificar a atuação docente, estimular a cooperação acadêmica e oferecer melhor infraestrutura para a realização de estudos no estado do Pará é a proposta do Governo do Estado, que por meio da Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa) firmou um acordo de cooperação técnico-científica com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para apoiar ações que estimulem a formação de recursos humanos qualificados para a pesquisa na Amazônia Paraense.
Serão destinados mais de R$ 20 milhões para apoiar projetos de programas de pós-graduação stricto sensu das Instituições de Ensino Superior públicas do Pará. O presidente da Fapespa, Mário Ribeiro, destacou que “este é o maior contrato entre a Capes e uma fundação de amparo à pesquisa no Brasil”. Desse montante, mais de R$ 16 milhões são oriundos da Capes e cerca de R$ 4 milhões do tesouro do Estado.
A execução do acordo se dará a partir de nove metas estabelecidas no contrato entre as duas instituições. Para isso, serão lançados pela Fapespa, ainda no segundo semestre deste ano, cerca de sete editais para a seleção de projetos de pesquisa de pós-graduação, para a contratação ao longo de 2015.
A primeira ação será de apoio a projetos Minter e Dinter, Mestrado e Doutorado Interinstitucionais, aprovados previamente pela Capes, com aporte total de recursos estimado em R$ 660 mil. A segunda meta será apoiar a infraestrutura de pesquisas mediante o financiamento complementar ao Programa Pró-Equipamentos Institucional, que fomenta propostas para atender as necessidades de equipamentos destinados à melhoria de estrutura de pesquisas científicas e tecnológicas das pós-graduações no estado do Pará.
O convênio também vai incentivar o pós-doutorando paraense com o repasse de taxas de bancadas no valor de R$ 1,4 mil, dados pela Fundação, somados à bolsa de R$ 4,1 mil, oferecida pela Capes, totalizando R$ 5,5 mil, para o custeio de despesas mensais compatíveis para cada projeto de pesquisa. Além disso, na ação de mais uma meta haverá a ampliação de 11 novas bolsas de pós-doutorado e de cinco para Pesquisador Visitante Sênior.
Para as cotas de bolsas destinadas aos doutores recém-contratados nas universidades do Pará, será destinado um montante de R$ 2,5 milhões, sendo R$ 1,5 milhão de recursos financeiros oriundos da Capes e R$ 1 milhão da Fapespa. Destaque-se que a ampliação de bolsas de doutorado e de mestrado também está prevista no acordo firmado entre as instituições.
Em mais uma ação dentro das nove metas estabelecidas com o intuito de contribuir à consolidação de grupos já existentes de pesquisadores e à cooperação acadêmica, a Capes destinará cotas de recursos às bolsas de doutorado para docentes, num total de R$ 1 milhão. Caberá a Fapespa, sempre por meio de editais, o custeio necessário para o translado do bolsista e do orientador para o acompanhamento dos trabalhos.
Todas essas ações propostas ao aumento do quadro de doutores, além daqueles já formados nas instituições sediadas no Estado, viabilizarão uma aceleração no desenvolvimento da Amazônia Paraense, ao fortalecer e elevar nível das pesquisas que resultem em qualidade de vida para os paraenses.
(Com colaboração de Karina Lan’Arc)

Texto:
Simone de Campos


Ribeirinhos de Portel recebem crédito para mandioca e açaí
Com o apoio do escritório local da  Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), 80 ribeirinhos de Portel, no Marajó, receberam, no começo do mês, crédito rural do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para aplicar no plantio e beneficiamento da mandioca e no manejo de açaizais nativos.
Os contratos do Pronaf foram assinados com o Banco da Amazônia. Trinta deles, voltados à cultura da mandioca, são da linha AF, no valor individual de R$ 8,8 mil, e os outros 50 são destinados a produtores de açaí, constituindo a segunda parcela da linha Floresta, no valor de R$ 3,88 mil. A primeira parcela do crédito nessa modalidade, que totalizou R$ 5 mil, saiu ano passado. As famílias são moradoras das margens dos rios Acutipereira, Pacajá, Anapu e Camarapi.
De acordo com a Emater, o  investimento na mandioca, que inclui a reforma das casas de farinha, pode repercutir em um aumento imediato de produtividade de cerca de 30%. “Essa perspectiva está diretamente relacionada com a adubação química orientada. O trato adequado das lavouras também permite um produto de melhor qualidade”, diz o chefe do escritório local da Emater em Portel, o técnico em Agropecuária Jocimar Mendonça.
Quanto aos açaizais, o manejo pode aumentar a  produção em cerca de 50%. “Quando diminuímos o número de toiceras, em média de 20 para no máximo quatro, diminuímos a concorrência entre as plantas por nutriente e ainda propiciamos a abertura de teto solar. Tudo isso é resultado do aperfeiçoamento do sistema extrativista”, explica Mendonça.

Texto:
Aline Miranda


Emater retoma atuação em quilombo de Monte Alegre
O escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Monte Alegre, no Baixo Amazonas, está retomando a atuação no quilombo Passagem, depois de anos de afastamento. “Uma das principais dificuldades era o acesso. Eles se localizam em um ramal muito adentrado na PA-254, perto de Santarém. Agora que a rodovia está sendo asfaltada, teremos muito mais oportunidade de visitas técnicas e acompanhamento”, explica o engenheiro ambiental da Emater Elianai Cardoso.
Dia 27 de maio, uma reunião com a Direção da Associação dos Remanescentes de Quilombo da Passagem (Arqpassagem), na qual a Emater já realizou um levantamento socioeconômico e produtivo preliminar, sinalizou as primeiras ações em relação às 70 famílias quilombolas, que vivem sobretudo de extrativismo de açaí e pesca artesanal.
Outras 130, que não são reconhecidas como quilombolas, também receberão atendimento. Ainda este semestre, a Emater deve voltar à comunidade para emitir declarações de aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – Pronaf, de modo que os agricultores possam ter acesso a crédito rural e a mercados governamentais como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Algumas das atividades com grande potencial de financiamento imediato seriam a criação de pequenos animais (galinhas e porcos) e o cultivo de mandioca.

Texto:
Aline Miranda


Governo dá pontapé inicial para a construção do Hospital Regional do Nordeste do Pará
O governador Simão Jatene assinou na noite desta quarta-feira (11), em Castanhal, a ordem de serviço no valor de R$ 83 milhões para a construção do Hospital Regional do Nordeste do Pará. A obra, que atende a uma reivindicação histórica da região, além de dar resolução local para a grande demanda por serviços de saúde em média e alta complexidade, também ajuda a desafogar e melhorar o atendimento na região metropolitana. A mesorregião do nordeste paraense é formada por 49 municípios com uma população estimada em mais de 1,6 milhão de habitantes.
O Hospital Regional de Castanhal terá um total de 230 leitos, sendo 40 de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Será uma das mais modernas unidades hospitalares do Estado, com suporte para diversas especialidades, como clínica médica, cirurgia, pediatria, materno-infantil e traumatologia, e equipada para tratamento de casos de câncer e neurocirurgia. Além do atendimento hospitalar, o Regional de Castanhal vai funcionar como um centro de ensino e pesquisa. A Universidade Federal do Pará (UFPA), que cedeu o terreno ao governo do Estado para a construção da obra, pretende implantar no local a residência médica em várias especialidades.
Os recursos de que trata a licitação, vencida pelo Consórcio Saúde Castanhal, referem-se apenas às obras físicas. No prazo de dois anos, tempo estimado para a conclusão dos trabalhos, ainda devem ser destinados mais cerca de R$ 50 milhões para equipar o hospital com suporte de tecnologia de ponta. “O custo médio anual de manutenção de um hospital é equivalente ao custo de construção. Portanto, será de mais de R$ 130 milhões. Por isso, é preciso que a sociedade esteja presente, fiscalizando e acompanhando de perto a gestão, como temos feito nos demais regionais”, convocou o secretário de Saúde, Hélio Franco.
Ao apresentar a obra, no auditório lotado da Câmara Municipal de Castanhal, o secretário lembrou que o Pará é um dos poucos Estados brasileiros a investir em saúde mais do que a lei determina (em 2013, os gastos totais com a função saúde no orçamento estadual passaram de 13%, cerca de R$ 1,5 bilhão). O Pará é também, segundo Hélio Franco, o único Estado a descentralizar os serviços de saúde na dimensão que foi feita essa descentralização.
“Se considerarmos os cinco hospitais regionais já existentes (Metropolitano, Redenção, Marabá, Santarém e Altamira), juntamente com o de Breves, o de Castanhal, cuja obra se inicia hoje, e o de Itaituba, com a construção já em andamento, além dos hospitais municipais requalificados, o Pará chegará em breve a uma cobertura de mais de 80% da demanda em todas as regiões do nosso imenso território”, acrescentou Hélio Franco.
Avanços – O investimento em saúde também reforçou o atendimento na região metropolitana, que ainda dá suporte à demanda do nordeste do Pará até que o Regional de Castanhal fique pronto. Desde 2011, mais cinco hospitais foram erguidos, adquiridos ou estão em fase final: Galileu, Oncológico Infantil, Nova Santa Casa, Jean Bitar e Abelardo Santos. Enquanto no Brasil o número de leitos cai, o Pará encerrará 2014 totalizando mais de mil novos leitos. No total, são 17 mil leitos atendendo ao Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o Estado.
Acertadas as contas com a infraestrutura hospitalar, conquistadas novas alternativas de financiamento e compreendidas as transições da sociedade e suas consequências, oferece-se um novo tempo aos gestores da saúde, em que seja mais importante prevenir do que remediar, fundamento próprio da atenção primária, um dos grandes nós do sistema e o foco principal do Estado a partir de agora, segundo Hélio Franco.
O Pará investiu em 2013, na atenção primária, quase R$ 75 milhões. As ações de prevenção foram determinantes, por exemplo, para uma queda expressiva na mortalidade infantil, cujo coeficiente caiu de 18,16 em 2010 para 16,43 em 2013. O Pará foi ainda o único Estado brasileiro a implantar o Sistema de Informação da Dengue em todos os municípios. Com isso, o número de casos confirmados da doença caiu de 13.127 em 2012 para 7.341 em 2013.
Enquanto registrou-se em 2012 mais de 92 mil ocorrências de malária, no ano passado houve apenas 28,2 mil casos, uma redução de 70%. Hoje, o Ministério da Saúde considera que 90,9% dos municípios paraenses são de baixo risco para a malária. Ou seja: mais de 6,5 milhões de pessoas estão protegidas do risco de adoecer.
Todas as 13 endemias de ocorrência frequente no Pará estão sob conbtrole. A Doença de Chagas teve redução de 29,9% e com  a implantação do teste rápido para a população humana e canina em todos os municípios a incidência da leishmaniose também caiu.
Municípios – As mudanças no perfil epidemiológico paraense serão ainda mais sentidas pelos municípios com a implantação dos serviços de atenção primária e a dotação de infraestrutura hospitalar, como se dá agora no nordeste paraense. Não por acaso, prefeitos de nove municípios da região compareceram à solenidade em que o governador assinou a ordem de serviço para a construção do Hospital Regional de Castanhal.
“O governo do Estado está promovendo uma revolução silenciosa na área de saúde, ao descentralizar os serviços como nunca foi feito em nenhum Estado deste país”, acentuou o vice-governador Helenilson. Após ser saudado pelas maiores lideranças políticas da região e pelos prefeitos presentes à mesa, Simão Jatene fez questão de ressaltar que é ele quem deve agradecer aos prefeitos, líderes e especialmente à sociedade pela oportunidade que tem de entregar obras necessárias ao desenvolvimento do Pará.
“Quando começamos a discutir a ideia de se implantar os hospitais regionais, muita gente chamou atenção para a dificuldade. A ideia eram cinco hospitais, que fizemos com muito esforço. Hoje, com o de Castanhal e o de Itaituba, chegaremos ao oitavo”, destacou o governador. “Se antes era o Pará que exportava doentes, porque não tinha capacidade para atendê-los, hoje são os outros Estados que mandam pessoas para serem atendidas aqui, pela qualidade do nosso atendimento”, concluiu.

Texto:
Paulo Silber


Paes de Carvalho estimula alunos e amplia atividades educativas
Sair da rotina, conhecer lugares nunca dantes visitados, aprender in loco sobre temas não tão comuns à sala de aula. Assim professores estimulam seus alunos e os ajudam a se encontrar com conteúdos curriculares ampliados. A Escola Estadual de Ensino Médio Paes de Carvalho é uma das participantes do Programa Ensino Médio Inovador/ Jovens de Futuro (Proemi/JF) e foi selecionada para participar de gravações de vídeos sobre a aplicação das metodologias do programa, em Belém.
A equipe do Instituto Unibanco, que mantém o programa Jovens de Futuro e atua em parceria com a Seduc no âmbito do Pacto pela Educação do Pará, acompanhou a ação educativa da turma de 1º ano do Ensino Médio, em visita no início de junho aos Museus do Estado com o acompanhamento de dois professores estaduais.
O Proemi/JF trabalha proposta de reestruturação curricular das escolas. Atividades extra-classe compõem o cotidiano escolar dos participantes do projeto. A metodologia indicada para gravação foi “Entendendo o Meio Ambiente Urbano”, onde os alunos puderam fazer visitas a espaços públicos e verificar a influência do homem nesse espaço.
Roseniro Lopes dos Santos, professor articulador, junto com Daniel Pereira, professor de Estudos Amazônicos, foi quem planejou a atividade e explicou que os alunos fariam visitas aos Museus do Estado, no entorno da escola, promovendo o acesso a ambientes diferentes de sua realidade. “A escola, nessa atividade, que não foi programada para esse dia de filmagem, mas a realiza de maneira cotidiana, promove visitas a espaços como a Feira do Ver-o-Peso, o Complexo Feliz Lusitânia, além de uma oficina de Educação Patrimonial no Forte do Castelo”, conta o coordenador.
Para o professor, o retorno dessas atividades é imediato. “Em encontros com psicólogos, a fala recorrente dos alunos é sempre ‘nunca participei’, ‘nunca fui’ e eles se referem às visitas aos museus. Então, sair do espaço da escola, ir para outro ambiente, segura o aluno na escola. E é isso que faz o Proemi/JF ajudar na ação educativa”, relata Roseniro.
A escola foi escolhida pela Gestora Local do Proemi/JF, Luciana Lima, pelo caso de sucesso do colégio Paes de Carvalho em utilizar as metodologias do programa. “Os vídeos serão usados nas formações sobre as metodologias e disponibilizados para professores, gestores e supervisores de escolas parceiras do Proemi/JF de diversas regiões do Brasil”, explica Felipe Souza, do setor de Comunicação do Instituto Unibanco, que acompanhou as gravações em Belém.
Felipe ressaltou que em cada região do Brasil se gravou um tipo de metodologia do Programa. “Não vai se repetir. Serão sete vídeos, com sete metodologias, uma diferente para cada lugar do Brasil”, garante. O vídeo vai ser usado em educação à distância, no ambiente virtual do Instituto Unibanco. Após a conclusão da produção do material, o vídeo é enviado para a escola, disponibilizado no youtube e no ambiente virtual do Instituto Unibanco.
Proemi/JF
O Programa Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro (ProEMI/JF) é um dos 38 projetos do Pacto pela Educação. Uma parceria público privada entre o Ministério da Educação (MEC), cinco secretarias Estaduais de Educação e o Instituto Unibanco, tem como objetivo aumentar o desempenho escolar dos estudantes e diminuir os índices de evasão por meio de uma nova forma de gestão escolar. Além disso adota o uso de metodologias específicas para melhorar a proficiência dos alunos nas disciplinas de português e matemática.
A ideia é, até 2016, universalizar o programa nas escolas públicas de Ensino Médio do Pará e em mais quatro estados, atendendo cerca de 2.500 unidades de ensino e mais de 2 milhões de alunos.
O Pacto pela Educação do Pará é um esforço liderado pelo Governo do Estado e conta com a integração de diferentes setores e níveis de Governo, da comunidade escolar, da sociedade civil organizada, da iniciativa privada e de organismos internacionais, com o objetivo de promover a melhoria da qualidade da educação no Pará e, assim, tornar o Estado uma referência nacional na transformação da qualidade do ensino público. Sua meta é aumentar em 30% o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) em todos os níveis: Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio, num período de 5 anos. Para isso, o Pacto conta com parceiros como o Instituto Unibanco, que já formalizou o compromisso de empresa parceira no Pacto pela Educação do Pará.

Texto:
Silvia Leão


Centro de Reeducação Feminino em Ananindeua terá berçário para detentas grávidas
Mais de 80% das obras do novo berçário do Centro de Reeducação Feminino (CRF), em Ananindeua, já estão concluídas. O projeto que irá atender as detentas grávidas na unidade prisional é resultado de uma parceria entre a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) e o Departamento Penitenciário Nacional (Depen). O novo espaço terá 12 leitos para internas grávidas e seus bebês.
No total, já foram investidos R$ 490.776,24 na construção do espaço. A obra aguarda agora liberação da Caixa Econômica Federal para a finalização do espaço. “No local serão construídos mais dois banheiros, além do paisagismo e um parquinho para as crianças. O berçário terá uma estrutura completa, que beneficiará mãe e a criança. Terá um lactário, espaço para a retirada do leite materno; além de uma área para cuidar tanto da saúde das crianças e da mães que acabaram de ter seus bebês”, explicou o engenheiro civil Sandro Aguiar, da Divisão de Engenharia e Arquitetura (DEAR), da Susipe.
A existência de um berçário em Presídios Femininos é uma determinação da Lei 7.210/84, em seu art. 83, parágrafo 2º, que institui que os estabelecimentos penais destinados às mulheres devem disponibilizar um espaço adequado, onde as condenadas possam cuidar de seus filhos, inclusive amamentá-los, até seis meses de idade, no mínimo.
A obra vai garantir o tratamento penal às internas, de acordo com a Política Nacional de Atenção às Mulheres Encarceradas. Hoje, a Susipe custodia quase 700 mulheres em todo o Estado. Na Região Metropolitana de Belém, há mais de um ano já funciona a Unidade Materno-infantil, que fica próxima ao CRF. O local, com 14 leitos, atende as internas grávidas e seus bebês e assegura todo o suporte necessário no acompanhamento pré-natal, com serviços de pediatria, odontologia, terapia ocupacional, enfermagem, nutrição e atendimento psicossocial.
“Esse berçário é mais uma forma de garantirmos o direito à maternidade e à infância, além da saúde, educação, trabalho e assistência jurídica das mulherese apenadas, entre outros. Nós sabemos a importância que os filhos têm no processo de ressocialização das detentas. A UMI tem sido um grande exemplo de que a convivência das mulheres com os filhos as fazem querer mudar”, conclui a diretora do CRF, Carmem Botelho.

Texto:
Timoteo Lopes




Emater inaugura nova unidade agroecológica em Bragança
Técnicos, agricultores e autoridades estiveram presentes, nesta segunda-feira (16), na reinauguração das dependências da Unidade Didático-Agroecológica de Bragança, no nordeste do Pará. O espaço de 100 hectares, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater), é um centro difusor de tecnologias e referência em produção agroecológica e capacitação técnica e de agricultores familiares.
A unidade foi totalmente revitalizada e ampliada. Antigos alojamentos de madeira deram espaço a construções em alvenaria. Também foram construídos novos espaços, como lavabos e sala de apoio à imprensa, e o auditório foi revitalizado. Todas as dependências da unidade foram climatizadas e contam com pontos de internet. Para melhorar o desenvolvimento do trabalho, um novo trator modelo 4x4 foi adquirido, acompanhando uma plantadeira de grãos.
Durante o ato também foram apresentadas as dependências do laboratório de solos, espaço que homenageia o engenheiro agrônomo Celso Gibson e é o primeiro do Pará. O laboratório tem capacidade para analisar três mil amostras por ano. Para conseguir fazer análises que indicam o solo adequado para cada tipo de cultura, ou identificar as necessidades dos solos de suas propriedades, os agricultores precisavam encaminhar as amostras para outros Estados do país.
“O laboratório abre a possibilidade de melhorar nossa produção e até de introduzir culturas novas como a batata inglesa, tudo com melhor qualidade”, disse o presidente da Associação dos Agricultores e Agricultoras da Rodovia Montenegro, Samuel Lima. O laboratório foi totalmente estruturado e recebeu equipamentos que obedecem a padrões de laboratórios de referência em diversas regiões do Brasil. "Estamos em processo de regularização do laboratório, aguardando apenas a liberação das licenças, uma delas da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema)”, complementou a presidente da Emater, Cleide Amorim.
Durante a inauguração também foram entregues quatro toneladas de sementes de feijão BR3 tracuateua, que vão beneficiarão agricultores familiares de diversos municípios do Pará, desde o oeste até o sul do Estado. A Emater é o único órgão do Pará que produz a semente do feijão – conhecido também como caupi –, certificado pelo Ministério da Agricultura.

Texto:
Iolanda Lopes


PM reforça a segurança em Belém durante a partida entre Brasil e México
A Polícia Militar já está pronta para garantir a segurança nas ruas de Belém durante a partida entre Brasil e México pela Copa do Mundo, nesta terça-feira (17). Além dos pontos de maior concentração, como o Portal da Amazônia e a Doca de Souza Franco, a operação também se estenderá para as ruas e bares próximos desses locais. A PM também estará presente na Avenida João Paulo II e nos distritos de Outeiro e Icoaraci, onde há grande concentração de torcedores. São 100 homens, com o apoio de 30 guardas municipais.
Segundo o tenente coronel Roberto Campos, comandante do Comando de Policiamento da Capital (CPC), a operação desta terça será ampliada. “A nossa atuação no último dia 12, durante o primeiro jogo do Brasil foi tranquila, e não tivemos nenhuma ocorrência grave. Nossa presença foi mais forte no Portal da Amazônia e Doca, mas percebemos a necessidade de ampliar a operação, principalmente em alguns bairros e ruas com maiores concentração de bares. A expectativa é que o público nas ruas aumente a cada novo jogo da Seleção Brasileira”, diz.
Após a primeira operação, durante Brasil e Croácia – que teve a participação de 80 policiais militares e o apoio de 30 homens da Guarda Municipal de Belém –, a PM percebeu que também era preciso fazer uma ação contra a poluição sonora causada pelos sons automotivos. “Logo após o jogo, muitas pessoas começaram a estacionar seus carros para ligar o aparelho de som ao máximo, e acabaram exagerando. Isso causa uma grande poluição sonora na área. Vamos fazer o possível para evitar o problema, principalmente no Portal da Amazônia, Doca e em Icoaraci”, esclarece o comandante.

Texto:
Diego Andrade



Documentário sobre Mosqueiro produzido pela TV Cultura entra em cartaz no Olympia
O documentário “Mosqueiro: Ilha dos Sabores”, produzido pela TV Cultura do Pará, entra em cartaz no Cine Olympia, com sessões gratuitas, de 20 a 22 e de 27 a 29 de junho, sempre às 17h30. Com direção de Roger Paes, o filme integra a faixa Cultura.Doc da emissora, que garante a realização de projetos audiovisuais sobre a cultura paraense.
Localizada a 67 quilômetros de Belém, a ilha traz uma conotação gastronômica no próprio nome: Mosqueiro surgiu da mistura de “moqueio”, técnica de conservação de carnes de caça e pescaria baseada na defumação, com “musquira”, forma de cortar a carne a ser defumada – saberes indígenas que constituem traços da formação histórica, social e cultural da ilha.
Baía do Sol, Paraíso, Marahú, Carananduba, São Francisco, Ariramba, Murubira, Porto Artur, Chapéu Virado, Farol, Prainha, Praia Grande e Praia do Bispo formam mais de 17 quilômetros de praias de água doce. Além de apresentar alguns desses locais e suas preciosidades gastronômicas, o documentário conta histórias de pessoas que têm na gastronomia o principal meio de vida.
“Atentos aos sabores da ilha, percorremos as trilhas que levam aos personagens que participam desse roteiro gastronômico. Por meio de suas histórias, conhecemos a vida e as singularidades do local. Queremos mostrar a dinâmica dos moradores que precisam se profissionalizar para servir os visitantes, desde a busca por ingredientes até a preparação e venda dos produtos”, explica Roger Paes.
A partir desses personagens, o público vai conhecer iguarias como o camarão no bafo, o urucum engarrafado, as tapioquinhas, o mingau de banana, o pastelzinho, o peixe frito, o doce Adelaide, entre outras delícias que tornaram-se referência e estão no cotidiano dos moradores.
Lançado em março deste ano, “Mosqueiro: Ilha dos Sabores” tem trilha sonora original criada pelos músicos Allan Carvalho e Ronaldo Silva. O documentário termina com um banquete, onde o diretor oferece à equipe a oportunidade de experimentar novas possibilidades gastronômicas com ingredientes colhidos ao longo do trajeto. “Selecionamos ingredientes por onde passamos para montar um almoço criativo, finalizando assim o nosso trabalho e convidando o espectador a visitar Mosqueiro, um lugar cheio de histórias fascinantes, alegre e saborosamente surpreendente”, finaliza Roger Paes.
Ficha técnica
Direção, roteiro e apresentação: Roger Paes
Produção: Felipe Cortez
Direção de Fotografia: André Mardock e Jacob Serruya
Edição, arte e finalização: Éder Pampolha
Som Direto: Agostinho Soares
Assistente e iluminador: Luciano Mourão
Auxiliar de Câmera: Luciano Mourão
Assistente de Produção: Marcella Cabral
Motoristas: João Filho e Márcio Borges
Trilha: Allan Carvalho e Ronaldo Silva
Serviço: “Mosqueiro: Ilha dos Sabores”, de Roger Paes/ TV Cultura. Exibição dias 20, 21, 22, 27, 28 e 29 de junho, às 17h30, no Cine Olympia. Entrada franca.

Texto:
Marcia Carvalho


Pará Criativo oferece consultoria em elaboração de projetos culturais
Entre o dia 25 deste mês e 14 de julho, a Incubadora Pará Criativo abre nova turma de consultoria em elaboração de projetos culturais, com a produtora Tânia Santos. Voltada para agentes e produtores culturais, gestores de projetos e empreendedores criativos, a consultoria busca proporcionar o aprimoramento de conhecimentos relacionados às estratégias de mercado, além de explorar o passo a passo para a elaboração de projetos sólidos.
A consultoria auxilia ainda o empreendedor a pensar nos objetivos gerais e específicos de seus projetos, bem como no plano de trabalho, cronograma e orçamento, itens necessários para a execução de suas ideias. Segundo a coordenadora de Empreendedorismo e Inovação da Incubadora Pará Criativo, Andrea Vieira, a principal dificuldade daqueles que procuram a incubadora está na elaboração de projetos. “Muitos têm ideias interessantes, mas não sabem como transformar as ideias em ações”, afirma.
Os interessados devem enviar carta de intenção com breve resumo sobre a sua ideia ou projeto e um currículo resumido para o e-mail paracriativocursos@gmail.com. As inscrições são gratuitas e 30 vagas são ofertadas.
Tânia Santos tem graduação em ciências econômicas pela Universidade da Amazônia (Unama) e é especialista em elaboração de projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), de São Paulo. Também é mestre em teoria econômica e coordenadora de Inovação Tecnológica da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti).
Serviço: consultoria em elaboração de projetos culturais, com Tânia Santos. Dia 25 deste mês, palestra de abertura, das 18h30 às 21h30, na sala Multimeios do Instituto de Artes do Pará (IAP), que fica na Praça Justo Chermont, 236. Entre os dias 26 de junho e 14 de julho, serão feitos os atendimentos Individuais, das 14h às 17h, a partir de agendamento prévio. Os atendimentos terão duas horas de duração. Mais informações: 4006-2930.

Texto:
Juliane Frazão





Arrastão do Pavulagem alegra domingo na Praça da República
Brincantes e espectadores participaram, na manhã deste domingo, 15, do Arrastão do Pavulagem, cujo cortejo teve início na Escadinha da Estação das Docas e terminou na Praça da República. Tradicional evento do folclore paraense, o Arrastão acontece há 27 anos, sempre com novos adeptos. O colorido das roupas e chapéus e o som do ritmo do boi-bumbá encantam quem está aproveitando o domingo no centro de Belém e fica difícil resistir. O número de pessoas cresce até a Praça da República e lá a festa continua, misturando os tradicionais visitantes da feira de artesanato e os brincantes do Pavulagem.
O cortejo começou por volta das 10 horas com a chegada dos bois Pavulagem e Malhadinho, em um barco que sai da Praça Princesa Izabel, no bairro do Condor. Enquanto aguardam a chegada dos bois, os brincantes participam da Roda Cantada. Segundo um dos coordenadores do grupo, o músico Júnior Soares, cerca de 700 brincantes participam da roda e, somado ao público que se junta ao Arrastão, são mais de duas mil pessoas que participam do evento até a Praça da República. “Isso aqui já é uma festa tradicional do povo paraense. Ninguém resiste ao ritmo e à festa que os bois fazem por onde passam”, afirmou.
Foi pensando em manter viva a tradição do folclore e da música paraense que Soraia Marques decidiu participar há três anos do Arrastão, juntamente com o marido e as duas filhas. “Eu assisti a apresentação deles uma vez e me encantei. Quis que as minhas filhas entrassem em contato desde cedo com a tradição da cultura paraense e, hoje em dia, elas adoram e ficam ansiosas esperando pelas apresentações do Pavulagem”, contou.
Segundo Sônia, que faz parte do grupo de percussão do Arrastão, as filhas conhecem bem o que é samba de cacete, carimbo, quadrilha, o xote paraense e o Boi. “Esses ritmos são ensinados para os participantes do Arrastão”, frisou. A família participa de todos os momentos do Arrastão, que incluem o Cordão do Peixe-boi, no início do ano; o desfile dos bois, em junho, e da festa do Círio de Nazaré.
Maria de Fátima Castro, moradora do bairro do Telégrafo, também é fã do Arrastão. “Já faz tanto tempo que acompanho que nem me lembro mais. Mas com certeza são mais de dez anos”, disse ela, que estava acompanhada da filha e da pequena neta, de apenas dois anos.
A festa foi acompanhada de perto por homens da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal e ainda por uma ambulância da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Márcio Marinho e Luciane Barbosa estavam coordenando os trabalhos na ambulância. Segundo eles, nenhum registro foi feito na concentração. “Hoje tudo é festa. Esperamos que até o final seja assim. Mas caso precise, a ambulância é equipada para atender urgência e emergência, com médico, enfermeira e técnico de enfermagem”, afirmou Marinho, lembrando que a parceria com o grupo Pavulagem já tem dez anos.
A ambulância, uma viatura do Bombeiros e viaturas da PM acompanharam o cortejo até a Praça da República. O evento tem o apoio ainda da Fundação Santa Casa.

Texto:
Janise Abud






Governo firma acordo para atrair novos negócios ao Pará
O governo do Estado e a Galp Energia formalizaram, em Belém, um protocolo de novos negócios, com o objetivo de atrair fornecedores estratégicos para o Pará. A assinatura ocorreu na seda da Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), nesta sexta-feira, 13, e contou com a presença do administrador executivo da multinacional portuguesa, Carlos Manuel Pina. Pelo governo, assinou o protocolo a titular da Seicom, Maria Amélia Enríquez, acompanhada do adjunto da pasta, Rodrigo Garcia, que participa desde o início do processo de atração de novos investidores para o Pará.
Resultado de uma missão de negócios empregada pelo Estado, o protocolo do Plano de Atração de Novos Negócios foi assinado três meses depois da visita de uma comitiva paraense à Portugal. A ideia é que, através da parceria com a iniciativa privada, a rede de investimentos e negócios cada vez mais se dê forma estratégica para o Pará. Com o protocolo, eles se comprometem a indicar fornecedores estratégicos para que o Pará, por meio da Seicom, faça a parte de atração desses fornecedores que hoje não estão no estado. Para isto, o governo empregará esforços em relação ao ambiente de negócios para que ele se implante.
Sobre a importância deste acordo, Rodrigo Garcia explica: “É um dos compromissos da Seicom agregar valor à produção, adensar a cadeia produtiva. E entendemos que uma empresa ancora como a Galp - que tem a pretensão de plantar 60 mil hectares até o final de 2015, iniciando uma nova esmagadora em Tailândia (nordeste do Estado) - poderá nos ajudar neste processo, indicando quais são os fornecedores estratégicos que podem vir ao Pará ou prestar serviço para o Estado, ou agregar valor à produção”.
A Galp é focada em biocombustível, porém há como se agregar valor à palma de outras formas, como na indústria alimentícia, cosméticos e biocombustível. Como o co-business da Galp é o biocombustível, a expectativa é de que ela poderá indicar outras empresas que venham agregar valor à produção paraense, como a da palma, por exemplo. O acordo inicia com a indicação de ao menos cinco “fornecedores críticos”. São chamados fornecedores críticos os fornecedores que são imprescindíveis para que a própria empresa funcione.
“Para a Galp, esse acordo também é importante, pois uma vez que façamos a atração desses fornecedores críticos para o Pará, que ainda não existem no estado, eles, enquanto empresa, reduzem custos, pois não será mais necessário que se busque esses serviços fora do Pará. É uma via de mão dupla. E nós geramos, cada vez mais, emprego e renda aqui, ao conseguirmos introduzir novos produtos e serviços dentro do mercado paraense”, explica Garcia.
A Galp Energia é a primeira empresa a assinar o Plano de Atração de Novos Negócios que está fora do setor mineral. A partir de agora, a atuação do plano se expande para o segmento do agronegócio. A perspectiva é de que ele alcance futuramente todos os setores da produção (agronegócio, mineração, indústria de transformação e outros).
“Ninguém melhor do que a própria iniciativa privada para conhecer os elos da sua cadeia de fornecimento de produtos. Ela sabe quem são seus fornecedores e seus clientes. Cabe a nós, como política pública, viabilizar para que esses fornecedores indicados possam se implantar no estado e, assim, trazer desenvolvimento”, acrescenta o adjunto da Seicom.
Oportunidade
A Galp Energia é uma empresa portuguesa que tem parceria com a Petrobrás. Juntas, elas formaram a Belém Bioenergia. E ambas precisam do biocombustível limpo para sua produção. Neste cenário, o Pará é uma faixa geográfica privilegiada, tanto pelos aspectos de aptidão de solo quanto da variação climática, tornando-se uma zona muito propícia para o cultivo da palma, com produtividade altíssima. Expandir para 60 mil hectares e, até 2015, gerar mais de 6 mil empregos a partir da agricultura familiar, são alguns dos objetivos das multinacionais no estado.
Para Maria Amélia Enríquez, o Pará tem todas as condições para se consolidar em um lugar de destaque na economia brasileira. “Você tem hoje condições de logística, de minérios e de áreas. Sem dúvidas, se realmente forem implantadas políticas públicas importantes e estruturantes, em duas ou três gerações o Pará vai ser um dos estados economicamente mais importantes do Brasil”, afirma, acrescentando que a principal missão da secretaria é desenvolver a base produtiva e a agregação de valor. “Nesse sentido, iniciativas como esta avançam na nossa história e criam boas perspectivas para a geração de emprego e renda para a população do estado”, conclui.
Carlos Manuel Costa Pina, representante da empresa, também ressaltou a importância do acordo “É uma honra assinar esse protocolo com o Governo do Pará, através da Seicom. A Galp não está com expectativa de curto prazo, estamos com expectativa de parceria de longo prazo. Estamos trazendo objetos de investimentos que contribuem também com a geração de renda para a camada da população que estará no nosso objetivo também. Por isso, estou convencido de que vamos ter grandes oportunidades para as empresas que vamos ajudar a instalar aqui para o Pará, e será uma boa oportunidade de desenvolvimento para todos nós”, disse.

Texto:
Andrea L. Amazonas

Já circulando o Volume 9 da Revista MEDIUNIDADE. Informações? (91) 8860-7670



Curuçá e Terra Alta recebem Cheque Moradia e investimentos em infraestrutura
Curuçá e Terra Alta, no nordeste paraense, são os mais novos municípios beneficiados pelo programa Cheque Moradia, do governo do Estado. Na tarde desta sexta (13), o governador Simão Jatene visitou as duas cidades para entregar 86 cheques do programa habitacional, que em dez anos já mudou a vida de mais de 40 mil famílias no Pará.
Em Curuçá, além do Cheque Moradia – programa coordenado pela Companhia de Habitação do Pará (Cohab) –, Jatene também assinou a ordem de serviço para a implantação de dez quilômetros de asfalto no município, incluindo as zonas urbana e rural, e entregou uma viatura especializada e 48 uniformes para a Guarda Municipal, em um parceria entre a prefeitura e a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup).
“Para o povo do Curuçá, essas ações promovidas pelo governo são de extrema importância, pois mostram na prática a presença do Estado no nosso município”, destacou o subcomandante da Guarda Municipal, Pablo da Silva.
Morador de uma comunidade rural de Curuçá, o pescador Hamilton Paixão foi um dos 42 beneficiados pelo programa habitacional no município. Emocionado, ele disse que agora vai realizar um sonho de infância. “O meu maior desejo era morar em uma casa de alvenaria digna. Isso era um sonho que eu tinha desde pequeno, mas, graças ao programa, esse sonho agora é uma realidade. Uma realidade que certamente vai mudar minha vida”, disse.
Durante a cerimônia de entrega dos cheques – acompanhada por grupos de carimbó do município –, Simão Jatene parabenizou todos os beneficiados e afirmou que ações como essas só são possíveis graças à ajuda da população. “As pessoas sempre dizem ‘obrigado’ durante a entrega do Cheque Moradia, mas o obrigado mesmo deve ser dito pelo Estado, sempre. É o governo que deve agradecer a cada um de vocês pela contribuição, pois essas coisas só acontecem porque as pessoas pagam os impostos. São os impostos dessas pessoas que transformam esse programa em realidade”, ressaltou o governador.
Realização – Após os cumprimentos protocolares em Curuçá, o governador seguiu para a cidade de Terra Alta, onde entregou mais 40 cheques moradia e assinou duas ordens de serviço, uma para a implantação do sistema de abastecimento de água do município, no valor de R$ 835 mil, e outra para a execução do asfaltamento de quatro quilômetros de vias públicas. “Não tenho dúvida que, com o apoio do governo do Estado, essas obras vão mudar completamente a vida da população de Terra Alta”, afirmou o prefeito do município, Gilvandro Nascimento.
Beneficiada por um cheque no valor de R$ 7,8 mil, referente à primeira parte do programa habitacional, a aposentada Rosilda Ferreira quebrou o protocolo e dançou no momento em que recebia a ordem de pagamento das mãos do governador. “Ter uma casa própria era um sonho antigo, que eu já tinha até perdido as esperanças de realizar, mas com essa graça que recebi do programa Cheque Moradia, eu não poderia comemorar de outra forma. A minha dança foi para agradecer e mostrar para todo o povo de Terra Alta o quanto estou feliz e sorrindo à toa”, revelou.
Com a entrega dos cheques em Curuçá e Terra, cresce para 114 o número de cidades beneficiadas pelo programa no Estado. Com dez anos de existência, o Cheque Moradia é hoje uma das cinco ações prioritárias da política habitacional do governo do Estado, por meio da Cohab. Ao longo de uma década, o programa se tornou um importante instrumento de combate ao déficit e inadequação habitacional, proporcionando às famílias paraenses a possibilidade de construir, reformar ou ampliar sua habitação, por meio de transferência de renda.

Texto:
Adison Ferrera


Mesa redonda coloca grafite e "pixo" em debate no IAP
Na próxima quarta-feira, 18, o Instituto de Artes do Pará e o Projeto Biizu, da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), realizam a mesa redonda “URBANO – A arte de rua de Belém”. A mesa vai colocar em debate o grafite e o "pixo", e a sua caracterização como arte. O bate-papo será realizado no teatrinho do IAP, a partir das 19h e será mediado pelo professor e pesquisador Luizan Pinheiro, com participação de Rodrigo “Geléia” da ACN crew, George “Negão” da Cosp Tinta crew, Fernando de Pádua, professor e grafiteiro, e Bruno BO, antropólogo e professor.
Além de tratar do reconhecimento do grafite e do pixo como uma manifestação artística, o bate-papo fará uma abordagem sobre a memória do grafite em Belém, retratando o início do movimento dos pichadores e grafiteiros na cidade. Também será abordado o surgimento das primeiras crews, suas principais características como arte e a relação desta manifestação como ferramenta de educação.
George Carvalho, artista do Cosp Tinta crew, acredita que a iniciativa possibilita aos próprios artistas do movimento dos grafiteiros e pichadores o reconhecimento de que o grafite veio para harmonizar as divergências entre os diversos grupos. “É importante enxergar no grafite um movimento que possibilite ver a rua como um espaço de arte a céu aberto”, conclui.
Para o professor Luizan Pinheiro, o cenário do grafite em Belém ainda consegue manter sua força como arte de rua, devido ao surgimento das crews e dos artistas independentes que fazem parte do movimento dos grafiteiros como Cosp Tinta, ACN, K-Xorro, Metal, Marcelo Bocão, Ed e Catatal, estilos, ideologias e ações que podem ser vistos nas paredes de Belém.
Serviço:
Mesa redonda: “URBANO – A arte de rua de Belém”, com participação de Rodrigo “Geléia” (ACN crew), George “Negão” (Cosp Tinta crew), Fernando de Pádua e Bruno BO e mediação de Luizan Pinheiro.
Data: Dia 18 (qurata-feira)
Hora: 19h
Local: Teatrinho do Instituto de Artes do Pará – Praça Justo Chermont, 236.
Realização: Instituto de Artes do Pará e Projeto Biizu

Texto:
Danielle Franco


Curso da Adepará reforça a importância do combate à exploração ilegal de madeira
Com objetivo de combater a comercialização ilegal de madeira no Pará, a Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) promoveu esta semana o curso de Anatomia e Identificação de Madeira, voltado para engenheiros agrônomos, engenheiros florestais e técnicos agropecuários. Durante oito dias, os profissionais aprenderam técnicas para identificação de madeiras comerciais e de espécies regionais durante o trabalho nos postos de fiscalização.
A partir da capacitação, os técnicos vão aperfeiçoar o trabalho de controle do transporte das madeiras que são beneficiadas no Pará, principalmente onde o fluxo é intenso. A ação visa garantir a qualidade do produto adquirido pelo consumidor, bem como mais um subsidio governamental na elaboração de políticas públicas para combater o comércio ilegal.
“Eles poderão fazer a identificação da metragem e espécie da madeira por meio da sua estrutura anatômica e macroscópica. Com isso, o consumidor ganhará porque estará recebendo a madeira que realmente solicitou, e o Estado terá mais uma ferramenta na hora de tomar medidas para coibir o desmatamento não autorizado, além do comércio ilegal”, explica o engenheiro florestal Eduardo Freire, da Gerência de Certificação e Identificação de Madeira da Adepará.
Ele reitera que o curso é o primeiro passo para atender a demanda pela madeira paraense. “Hoje o Estado de São Paulo é o maior consumidor de madeira da Amazônia, sendo que a maioria é oriunda de solo paraense. Nossa meta é reforçar o controle da madeira que sai do Estado”, afirma.
O curso foi ministrado por pesquisadores, especialistas e engenheiros de vários órgãos do Brasil, entre eles, o engenheiro florestal Filogênio da Rocha, do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado do Mato Grosso. “Um momento muito importante para troca de experiências. O Pará está de parabéns pela implementação da atividade que tem um cunho de defesa do consumidor e defesa do meio ambiente”, disse.
O engenheiro agrônomo Jorge Góes destacou a importância do curso para sua formação. “O curso preparou os técnicos para a fiscalização ambiental. Tenho agora uma maior bagagem para o reconhecimento das espécies”, frisou. No total, o evento teve a participação de 25 servidores da Adepará, lotados em diferentes municípios.

Texto:
Claudiane Santiago


Detran inicia semana de visitação a veículos que serão leiloados em Belém
Começa nesta segunda-feira (16) a semana de visitação aos veículos recolhidos no parque de retenção do Departamento de Trânsito do Pará (Detran), em Belém. Durante este período, os interessados têm a possibilidade de verificar de perto as condições dos veículos que foram apreendidos e serão levados a leilão público, a ocorrer entre os dias 24 e 27 deste mês.
O período de visitação se estende até a próxima sexta-feira (20), sempre a partir das 9 horas, nos dois parques localizados na Rodovia Augusto Montenegro. No total, o Detran levará à hasta pública 1.356 veículos (recuperáveis e sucata) recolhidos em Belém. O leilão ocorrerá na Avenida Tavares Bastos, 1.583.
O presidente da comissão de leilão, José Luiz Marques, informa que não será necessário cadastro prévio, devendo os interessados apresentar o RG e CPF quando forem acessar o parque de retenção (durante a semana de visitação) e nos dias de realização da hasta.

Texto:
Edson Matoso


Sema recebe contribuições para a Municipalização da Gestão Ambiental
Até o dia 24 deste mês, o site da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) estará recebendo contribuições para a nova resolução sobre a Municipalização da Gestão Ambiental, que substituirá as Resoluções 079/2009 e 089/2011. Qualquer pessoa ou instituições interessadas podem enviar sugestões que visem à melhoria, a eficácia e a eficiência do processo de gestão ambiental a nível local.
A poluição e a degradação ambiental no Estado do Pará têm como causa principal a forma insustentável do uso de seus recursos naturais, aliados às questões estruturais, a falta de implementação efetiva da Política Nacional e Estadual de Meio Ambiente, as limitações de infraestrutura dos órgãos ambientais, a baixa eficiência tecnológica, a falta de informações e de capacitação técnica dos profissionais e a ineficiente gestão dos diversos órgãos públicos, além da reduzida consciência e valorização ambiental da população em geral.
A descentralização da gestão ambiental é um fator importante para acompanhar e garantir o desenvolvimento, de forma a preservar os recursos naturais do Pará. Nessa perspectiva, o Conselho Estadual de Meio Ambiente do Pará (Coema) sancionou e vem sancionando dispositivos legais, através de Resoluções, que visam ordenar o processo de municipalização da gestão ambiental, garantindo que os municípios adquiram um perfil que lhes permitam atuar, com eficiência, no conhecimento, avaliação e gerenciamento das questões ambientais.
O Coema sancionou as Resoluções nos 079/2009 e 089/2011, as quais dispõem sobre o processo de habilitação para que os municípios possam exercer a gestão ambiental municipal, assim como definir as tipologias de impacto ambiental local, seus portes e potenciais poluidores/degradadores.
Transcorrido algum tempo de implementação desse processo, governos, gestores, técnicos e até produtores estão exigindo mais responsabilidade ambiental e a sociedade civil, valorizando os produtos ecológicos. O Coema, buscando desenvolver mais autonomia aos municípios, aperfeiçoando o processo de municipalização da gestão ambiental, elaborou em conjunto com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), proposta de substituição aos dispositivos legais vigentes. Após receber as contribuições do público interessado, o documento será publicado no Diário Oficial do Estado e passará a ser aplicado como Lei.

Texto:
Káthia Oliveira


Obras de prolongamento da Avenida Brasil em Redenção já atingem 20% do cronograma
Um sonho antigo da população de Redenção, o prolongamento da Avenida Brasil – principal eixo de interligação da sede do município da mesorregião do sudeste paraense - está prestes a se tornar realidade. As obras, iniciadas no mês de maio, durante visita do governador Simão Jatene à cidade, seguem em ritmo intenso, a pedido do próprio chefe do Executivo Estadual. Em menos de um mês, os trabalhos de rebaixamento e terraplanagem já atingem os cinco quilômetros previstos no projeto – serão duas pistas de dois quilômetros cada e mais um canteiro central. Cerca de 20% da obra já foram concluídos, de acordo com a Terra Santa, empresa local que executa a pavimentação da avenida.
Orçado em mais de R$ 3 milhões, o prolongamento irá ligar o centro de Redenção à saída da cidade, pela BR-155, rodovia federal que se estende até Marabá, conectando-se com a PA-150. A pavimentação da avenida vai do Centro Cultural até o córrego “Acaba-Saco”, facilitando, principalmente, o acesso ao Hospital Regional, cujo entorno também será urbanizado. A obra prevê a construção de duas vias, na mesma largura da avenida no centro da cidade, e mais quatro pontes sobre os córregos existentes na área, bem como a implantação de um novo projeto paisagístico em todo aquele setor.
O cabelereiro Clóvis Rezende, 43, conta que esperava por esse momento há mais de 10 anos, desde quando se mudou para o Setor Oeste, onde está sendo construído o novo trecho da avenida. “Esse trecho, onde acaba a pista, dificultava muita coisa para todos nós. Digo não só como um dos moradores do setor, mas como morador da cidade. Todos nós somos obrigados a dar uma volta para chegar do outro lado, porque não há condições de seguirmos direto. Desde quando me mudei para cá é assim, mas sempre tive esperança de que isso fosse mudar. E agora está acontecendo”, festeja.
Para a estudante Ana Paula Martins, 20, que mora exatamente no trecho avenida que será pavimentado, a obra significa um novo capítulo na história da cidade. “A importância é enorme porque essa obra dá acesso ao principal hospital da região. Eu mesma sempre via a ambulância tendo que dar a volta. Sem dúvida vai ser muito mais fácil com a abertura desse trecho”, opina.
Além disso, ela conta que se sente particularmente privilegiada. “Moro bem no meio do trecho, então vai ser uma melhoria e tanto. Aqui era uma área com muito mato, onde a falta de iluminação deixava todos que moram aqui muito inseguros. Eu mesmo morria de medo, porque era mais fácil para os bandidos andarem por aqui do que pras pessoas de bem”, relata.
A expectativa é de que os trabalhos sejam concluídos em 90 dias, antes mesmo do prazo contratual, estabelecidos em 150 dias. Segundo engenheiro responsável pela obra, João Pedro Sampaio, uma força tarefa está sendo realizada para a conclusão do projeto. “Além dessa parte preliminar de limpeza, estamos abrindo alguns trechos da rua que estavam bloqueados, ou seja, onde a avenida acabava, para que possamos iniciar de fato a pavimentação até depois do hospital, como forma de conectar o centro da cidade àquele setor”, informa.
Detalhamento da obra:
Pavimentação de 5km da Avenida Brasil, em Redenção
Início: maio de 2014
Previsão de término: 150 dias
Andamento: 20%
Valor global: R$ 3.079.950,33
Empresa Responsável: Terra Santa Construtora e Incorporadora
Secretaria Responsável: Secretaria de Obras Públicas (Seop)

Texto:
Amanda Engelke


Projeto Horta Escolar incentiva cultivo de hortaliças nas escolas do Baixo Amazonas
Capacitar os alunos das comunidades do entorno do Parque Estadual Monte Alegre (Pema), na região do Baixo Amazonas, para o cultivo de hortaliças nas escolas e em suas comunidades é o principal objetivo do projeto “Horta Escolar”, desenvolvido pelos técnicos Elineuza Trindade e Raimundo Raiol, da Diretoria de Áreas Protegidas, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).
O projeto tem a finalidade de intervir na cultura alimentar e nutricional dos alunos da rede municipal de ensino, nas comunidades do entorno do Parque. “A ideia do projeto é sensibilizar o aluno para as questões ambientais, despertando seu interesse pela natureza; apontar os benefícios de uma alimentação saudável, e incentivá-los a colocar em prática, nas suas próprias casas, o que aprenderem com o desenvolvimento da atividade na escola”, explica Elineuza.
A Horta Escolar também promove o resgate do cultivo da terra, gerando uma reflexão sobre a importância do consumo de alimentos frescos e sem agrotóxicos, a preservação do meio ambiente e o incentivo à possibilidade de expansão das hortas para os quintais das casas dos alunos.
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e a Secretaria Municipal de Agricultura (Semagri) de Monte Alegre também são parceiras da Sema no projeto, disponibilizando um técnico agrícola com experiência de campo na implantação e condução de hortas domésticas e comunitárias. O técnico da Emater, por exemplo, teve participação direta na fase de planejamento e ajuste do projeto, após as visitas realizadas para levantamento de espaço disponível e reconhecimento da realidade local de cada escola.
As hortas estão sendo implantadas nas escolas comunidades de Lages, Paytuna, Santana, Ererê, Maxirá e Maxirazinho. Em todas as escolas procurou-se selecionar uma área bem próxima do prédio, porém distante de fossas e esgotos, tomando cuidado também para que o local do canteiro fosse arejado e recebesse a luz solar direta, uma vez que o excesso de sombra pode comprometer o desenvolvimento das hortaliças.
Devido ao pouco espaço físico disponível, na maioria das escolas optou-se pelo planejamento de apenas um canteiro por unidade educacional, para servir como demonstração das técnicas de cultivo de hortaliças. O cultivo foi direcionado para somente três espécies de plantas olerícolas, sendo uma folhosa (couve) e duas utilizadas como tempero (cebolinha e coentro).

Texto:
Káthia Oliveira


Sefa e empresas reúnem para acertar detalhes sobre a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica
Representantes da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefa) estiveram reunidos nesta sexta-feira, 13, com as sete empresas que vão participar do projeto piloto da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica - NFC-e, que vai substituir a Nota Fiscal de Venda ao Consumidor, modelo 2 e o Cupom Fiscal.
“A NFC-e vai ser utilizada nas vendas presenciais ou para entrega em domicílio ao consumidor final, exceto os casos em que a emissão de NF-e tradicional, modelo 55, seja obrigatória. Este documento será emitido e armazenado eletronicamente, e sua existência ficará restrita ao ambiente digital. A validade jurídica é garantida pela assinatura digital do emitente e pela Autorização de Uso, concedida pela Secretaria de Estado da Fazenda”, explica o coordenador da Célula de Automação Fiscal da Sefa, João Guilherme Koury.
A expectativa da Sefa é de que a emissão dos documentos eletrônicos inicie em julho. Até o momento as empresas já emitiram mais de 300 NFC-e em ambiente de testes. "Estamos confiantes de que vai dar certo, e que a emissão da NFC-e vai reduzir procedimentos e diminuir os arquivos em papel”, afirmou Cesar Eluan, representante da Sol Informática, empresa que já está fazendo os testes e emitindo no ambiente de homologação. “Para nós a NFC-e vai reduzir custos e melhorar o atendimento, além de ser um diferencial por mostrar ao consumidor que estamos investindo em tecnologia e fazendo uma parceria com a Sefa”, explicou o contador Jorge Ney, representante da empresa Festa Color.
A habilitação dos estabelecimentos para emissão de NFC-e será regulamentada por ato do secretário de Estado da Fazenda e poderá ser voluntária, durante o período do projeto piloto, este ano. Sete empresas contribuintes do ICMS se ofereceram para participar do piloto: Lojas Big Ben, Oplima, Sol Informática, Supernorte, supermercado e restaurante; Lojas Visão, Festa Color e Supermercado Estrela Dalva.
Serviço: Mais informações sobre o projeto piloto da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica pelo número 0800 725 553.

Texto:
Ana M. Pantoja


Segup garante formação acadêmica a 390 policiais civis
A Polícia Civil divulga no próximo dia 17 os nomes dos novos policiais civis – delegados, escrivães, investigadores e papiloscopistas - que concluíram o Curso de Formação Técnico Profissional, segunda etapa do concurso público da corporação. A lista da classificação final será publicada no Diário Oficial do Estado. Nesta sexta-feira, 13, as atividades acadêmicas do Curso de Formação foram concluídas com palestras no auditório da Delegacia Geral, em Belém. Ao todo, 390 novos policiais civis assistiram as exposições sobre temas diversos, como combate aos crimes fluviais, Plano de Redução da Criminalidade, segurança e mídia.
A programação contou com a presença do secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, e do delegado geral, Rilmar Firmino de Sousa. Entre os palestrantes estiveram representantes da Corregedoria Geral da Polícia Civil, Grupamento Aéreo do Estado e Grupamento Fluvial de Segurança Pública. O curso termina no próximo dia 24, com a formatura dos novos policiais civis em solenidade a ser realizada no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia.
O secretário Luiz Fernandes Rocha falou aos novos alunos sobre as ações desenvolvidas pelo Governo do Estado em prol da melhoria da Segurança Pública, e mostrou imagens de novas delegacias que já foram entregues, entre os anos de 2011 e 2014, em diversos municípios como Igarapé-Açu, Cachoeira do Arari e Santarém. Destacou, especialmente, a importância da boa conduta dos policiais no exercício da atividade diária e a incorporação dos novos policiais civis ao efetivo do Estado, que definiu como "um marco histórico para o Pará". "Agora haverá um delegado em cada município do Estado", disse ele, ressaltando a importância dos novos profissionais para a melhoria da qualidade do serviço prestado ao público, uma vez que se trata de pessoas capacitadas, aptas a desenvolver um excelente trabalho junto à população.
Para o formando Anderson Dilarin, 26 anos, o curso foi de extrema importância para o bom desempenho profissional. “O curso foi muito proveitoso e interessante, principalmente, por envolver a parte operacional e o estágio supervisionado. Quando começar a trabalhar espero ter o melhor desempenho possível", disse ele, que é papiloscopista e atuará na área de perícias e identificação criminal. Já William Lopes, 27 anos, acadêmico do curso para delegado, destacou o aperfeiçoamento profissional que a grade curricular e o estágio oferecem, além de citar a importância das palestras. “São valiosas para conhecer e entender a estrutura e o funcionamento da Polícia Civil. Assim como os demais colegas, espero poder contribuir de forma positiva com o Estado e a sociedade”, enfatiza.
Para o professor da área de Papiloscopia e Perícia Papiloscópica, Doriedson Silva, os alunos saem do curso preparados para exercer suas respectivas funções. "Trata-se de turmas diferenciadas, onde os alunos tiveram que demonstrar um bom desempenho intelectual”, assevera. Segundo ele, durante o curso foram desenvolvidas diversas atividades práticas, como fichamento criminal, retrato falado e estágio supervisionado.

Texto:
Walrimar Santos


Detran leva às ruas de Belém a 'Operação Copa do Mundo'
O Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran) iniciou na manhã de ontem, 12, a Operação 'Copa do Mundo', que inclui uma série de ações programadas para os dias de jogos do Brasil pela Copa, com a finalidade de conscientizar os condutores de veículos.
Concentrada na confluência das avenidas Pedro Álvares Cabral e Visconde de Souza Franco, a ação contou com a presença de oito agentes de educação e quatro de fiscalização, que fizeram abordagens preventivas, distribuíram material educativo e alertaram condutores e passageiros para os cuidados neste período de fluxo intenso e de comemorações nas ruas.
A coordenadora da ação, Queise de Jesus, ressaltou um problema recorrente nesses períodos festivos: a direção alcoolizada. “É um período de comemoração no país inteiro, então é preciso ressaltar que o bom senso e a prudência são os melhores conselheiros neste caso. Se você quer comemorar, a primeira coisa a fazer é procurar não dirigir sob o efeito de bebidas. Entregue a direção a alguém que não bebeu e curta a Copa com responsabilidade. Assim, você estará ajudando a fazer um trânsito mais tranquilo e seguro“.
Cerca de 200 carros foram abordados durante a manhã. A expectativa é contribuir para a diminuição dos acidentes de trânsito no período dos jogos da Copa do Mundo. A próxima ação será realizada no dia 17, antes do jogo entre Brasil e Camarões, também na Avenida Doca de Souza Franco.

Texto:
Edson Matoso





Casamentos comunitários unem 410 casais em Bagre, Portel e Novo Repartimento
A Defensoria Pública do Estado do Pará realizou quatro grandes casamentos comunitários nos municípios de Portel e Bagre, na região do Marajó, e Novo Repartimento, no sudeste paraense, nos últimos dia 13 e 14 de junho. As cerimônias contaram com o apoio das prefeituras e cartórios locais e oficializaram a união de 410 casais.
Em Portel, dois casamentos comunitários aconteceram na sexta-feira, 13, e no sábado, 14. A divisão da cerimônia em duas etapas ocorreu em respeito às questões religiosas. O primeiro casamento coletivo foi realizado na Igreja Matriz e, o segundo, na Assembleia de Deus. Cada evento uniu 50 casais.
Em Bagre, o casamento ocorreu no Ginásio Poliesportivo Municipal e regularizou a situação de 200 casais. O evento entrou para a história da cidade, pois foi a primeira vez que o município realizou um casamento comunitário.
Para o defensor público, Diogo Eluan, a ação em Portel e Bagre representou um marco em sua carreira e na própria instituição. Emocionado, ele falou sobre momento ímpar que foi contribuir para a legalização da relação dos casais inscritos. “Com o trabalho de lidar diariamente com a população, observamos uma grande demanda para a realização do casamento. A decisão de fazer as cerimônias foi a maneira que encontramos de ajudar nos sonhos destas pessoas e facilitar o andamento de futuros procedimentos na Justiça, como pedidos de pensão e habilitação junto ao INSS”, contou.
Segundo Diogo Eluan, o baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) local é um grande fator que dificulta a oficialização de uniões. “Há casais que vivem juntos há mais de trinta anos, mas por questões financeiras priorizam o sustento da família ao pagamento das custas de cartório para o casamento civil”, completou.  Diante desta realidade, a Defensoria arcou com todas as despesas cartorárias, enquanto as prefeituras municipais se responsabilizaram pela logística e cerimonial.
Tudo foi programado para celebrar as uniões. Cada detalhe foi pensado com o objetivo de agradar aos casais e familiares presentes, desde a decoração (que contou com tapete vermelho para entrada dos noivos) até a recepção calorosa e entrega de brindes.
Novo Repartimento
Já a Defensoria Pública em Novo Repartimento realizou o Casamento Comunitário para 110 casais. O evento aconteceu no Espaço Cultural do município, em parceria com a prefeitura local, beneficiando casais dos assentamentos Tuerê e Rio Gelado, e das comunidades do Polo Pesqueiro, Villa Divinópolis e Maracajá.
A defensora pública Jacqueline Loureiro informou que a cidade possui um número alto de pessoas que não teriam condições financeiras de arcar com uma cerimônia civil. Por esse motivo o órgão abriu inscrições para os casais em sua sede, encaminhou os documentos ao cartório dentro de um curto prazo e habilitou os noivos para o grande dia.
Segundo Jaqueline Loureiro, o casamento coletivo tem grande importância para esses casais, que passam a ter a situação devidamente legalizada, com a segurança de todos os direitos que competem a uma união civil. O casal Antonio Alves e Rosilene Conceição foi um dos beneficiados. Juntos há 26 anos, eles não tinham condições de arcar com as despesas da cerimônia. "Foi muito importante esse casamento realizado pela Defensoria. Minha esposa e eu estamos muitos felizes pela iniciativa", comentou o noivo.
Esta é a quinta programação de casamento comunitário promovida pela Defensoria Pública no Pará em 2014, totalizando 515 casais beneficiados. Em maio, durante a Ação Cidadã realizada em comemoração ao Dia do Defensor Publico (17 de maio), 105 casais puderam oficializar a união, no Centur.

Texto:
Micheline Ferreira


Artesanato e acessórios inspirados na Copa são destaque no São José Liberto
Inspirado na biodiversidade do país e na emoção que o futebol promove no povo brasileiro, o grupo de artesãos do Programa Polo Joalheiro do Pará produziu peças e objetos a partir da diversidade do artesanato tradicionalmente comercializado no Espaço São José Liberto (ESJL). Os produtos, criados por designers, empreendedores criativos, empresas e mestres artesãos, estão sendo comercializados na Casa do Artesão e no Aeroporto Internacional de Belém.
São camisetas adultas e infantis com estampas lúdicas e originais; bolsas; carteiras; chaveiros; imãs; cata-ventos; blocos de notas; brinquedos e outros objetos utilitários e decorativos, confeccionados com sementes, miçangas, palha, miriti, escamas, resina, madeira e cheiro-do-Pará, personalizados com a marca da brasilidade, fazendo alusão ao campeonato mundial. As peças são resultado da criatividade e originalidade local.
Entre os produtos artesanais estão em destaque os trabalhos feitos com miçangas da Associação Indígena das tribos Mebêngôkre – Kayapó e Me à yry Tekrejarôti-re: colares nas cores da bandeira nacional, destacando o verde e amarelo, além de chaveiros no formato do uniforme da seleção brasileira com suas numerações.
Já a criadora e mestra em Ciências Ambientais, Carmen Américo, que assina as peças da Amazônia & Cia, produziu maxicolares utilizando escamas, sementes, fibras, folhas secas e gemas minerais brutas. Segundo ela, apesar dos acessórios terem a simbologia das cores do Brasil e referendarem o evento, eles são atemporais.
“O processo criativo foi inspirado no amplo conceito de brasilidade que considera os elementos das cores da bandeira e os significados que são atemporais. São peças que podem ser incorporadas como acessórios de moda não só no período da Copa, como em outras ocasiões”, identifica. Além da beleza, os colares têm o acréscimo do valor social, pelo diferencial do processo de produção.
Carrmen Américo explica que o projeto da empresa engloba o aproveitamento de resíduos “para o empoderamento de meninas e mulheres ribeirinhas”, que depois de consumir as frutas e os peixes, coletam as escamas e sementes e também participam das etapas de produção das peças.
Dentro do tema, o artesão Guilherme Júnior, especialista em macheteria (artesanato em madeira), também criou peças para a coleção. "Criei as peças pela necessidade do momento e do evento. Meus produtos foram solicitados e escolhidos pelo Sebrae Nacional para o Projeto Brasil Original, que levou peças de todos os estados para as cidades-sede da Copa. Minhas peças foram mandadas para Shopping Amazonas, em Manaus, e para São Paulo (SP). Mandei kits de machetaria com pen drive, porta cartão e estojo, e já recebi uma ótima notícia de que já foram quase todos vendidos", comemora.
Criação - A diretora do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) e do ESJL, Rosa Helena Neves, falou da ideia da criação da coleção temática. “A Copa do Mundo é um evento esportivo, turístico, cultural e econômico, que agrega diálogo entre as diversidades culturais dos países participantes e promove diversão e cultura. Por ser também um evento tradicional, o futebol é tão complexo. Nosso artesanato comunica tudo isso e foi concebido a partir da nossa identidade: fala de tradição, inovação e diversidade calcada no esplendoroso DNA brasileiro”, explicou a diretora.
“Eu adoro futebol e carimbó. Juntar esses dois mundos demanda muita criatividade. Têm muitas peças bonitas na coleção, como colares delicados e charmosos e a como a camiseta com o desenho das dançarinas do carimbo (criação da artesã Gisele Moreira, da empresa Arte Papa Xibé). É a mistura do futebol com a natureza”, completou.
A Casa do Artesão é um espaço de exposição e comercialização de produtos de oito setores criativos: artesanato, cultura indígena, artes visuais, publicações e mídias impressas, acessórios de moda e gastronomia. No local, podem ser encontrados, ainda, produtos de expressões culturais, audiovisuais, literárias, produtos alimentícios típicos, além de criações culturais e funcionais.
Os acessórios de moda, produtos artesanais e manualidades são criados e produzidos por mestres artesãos e empreendedores criativos de 45 municípios do Estado do Pará, contemplando diversas tipologias, onde se destacam a cerâmica, cuia, cestaria, sucata marinha, tururí, encauchados, miriti, balata, fibras, madeira e outras.
Joias e artesanatos do Espaço São José Liberto também podem ser encontrados na exposição “Pará Copa”, montada no terraço panorâmico do Aeroporto Internacional de Belém até o dia 31 de julho, das 8h da manhã às 2h da madrugada, em uma realização é do Sebrae/PA, com apoio do Igama, da Seicom e do Governo do Pará.
Serviço: A variedade de produtos artesanais e acessórios de moda com temática da Copa do Mundo 2014 está sendo comercializa na Casa do Artesão do ESJL durante o período do mundial. A visitação ao espaço está com horário diferenciado nos dias de jogos do Brasil. Já estão definidas as seguintes mudanças: no dia 17 de junho, das 9h às 13h; e no dia 23, das 9h às 14h. Nos demais dias o funcionamento continua com o horário normal: de terça a sábado, das 9h às 19h; domingos e feriados, das 10h às 18h.

Texto:
Luiz A. P. L. Viana


Nota Fiscal Cidadã realiza primeiro sorteio no interior do Estado
O sétimo sorteio do Programa Nota Fiscal Cidadã será realizado no dia 24 de junho, na Estação Cidadania de Marabá, no sudeste do Estado. É a primeira vez que o sorteio será realizado fora da Região Metropolitana de Belém. “Isso exigiu vários testes prévios, para garantir que o sorteio aconteça normalmente”, informou a coordenadora do Programa, e fiscal de receitas da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefa) Rutilene Garcia. O sorteio vai acontecer às 16 horas.
A coordenadora convida os moradores de Marabá para assistirem o sorteio. “Fazemos questão de mostrar como ele é feito, para tirar possíveis dúvidas dos consumidores. Também vamos levar arte-educadores que animam os bonecos representando a nota e o cupom fiscal, da ONG Rádio Margarida, para interagir com as pessoas, e mostrar a importância de pedir documentário fiscal. Temos também uma parceria com alguns estabelecimentos comerciais, inclusive com o shopping da cidade, para fazer divulgação estimular as inscrições entre consumidores”.  
A premiação da Nota Fiscal Cidadã é por bilhete, por isso vários consumidores podem ganhar mais de um prêmio. O Programa realiza quatro sorteios anuais, com sete faixas de prêmios: um prêmio de R$20 mil, um de R$12mil e outro de R$ 5 mil; 35 prêmios de R$ 500,00; 175 prêmios de R$ 200,00; 876 prêmios de R$ 100,00; e 4.207 prêmios de R$ 50,00. O valor total da premiação corresponde a até 5% do valor arrecado em imposto pelos estabelecimentos enquadrados no Programa.
Para maiores informações ligue para o 0800.725.5533 ou acesse o site www.sefa.pa.gov.br/nfc.

Texto:
Ana M. Pantoja


Cooperativa do Centro de Reeducação Feminina comercializa artesanto em Marituba
O trabalho produzido por internas da Cooperativa de Arte Feminina Empreendedora (Coopafe) chegou neste domingo (14), a mais uma praça da Região Metropolitana de Belém (RMB). Desta vez, as peças produzidas pelas detentas do Centro de Reeducação Feminina (CRF), de Ananindeua, chegaram à Feira de Artesanato da Praça Matriz de Marituba. Os trabalhos já são expostos nas Praças da República e Batista Campos, em Belém, e na Praça da Bíblia, em Ananindeua.
A ideia de vender o artesanato no município surgiu de uma parceria entre a Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe) e a prefeitura de Marituba, através da Secretaria de Trabalho Emprego e Renda. “Sabemos que 20 internas que participam da Coopafe são aqui do município. Trazê-las para expor aqui faz parte do processo de ressocialização e da valorização da arte na cidade”, conta Núbia Farias, representante da Secretaria que coordenou a estreia da Cooperativa na Praça Matriz de Marituba.
O primeiro dia de exposição no município também foi uma novidade para a interna Elisângela Santos, de 28 anos. Integrante da Coopafe desde sua criação, em outubro de 2013, Elisângela nunca havia saído do Centro de Recuperação para vender o trabalho que faz. "Há dois anos e sete meses eu não saía do presídio. Está tudo muito mudado e estou com um frio na barriga", contou.
Condenada por tráfico de entorpecentes e associação ao tráfico, ela cumpre pena de cinco anos de reclusão desde 2011, e antes de entrar na Cooperativa, nunca havia feito nenhum artesanato. "Minha primeira peça foi feita de crochê e hoje eu já faço de tudo um pouco", diz Elisângela.
A participação das internas na Cooperativa e a saída delas para a comercialização das peças são permitidas pela Justiça, desde que apresentem bom comportamento e sejam assíduas no trabalho. Somente cumprindo esses requisitos é que elas passam a integrar o time de aproximadamente 30 mulheres que trabalham oito horas por dia, de segunda a sexta-feira no CRF, e se revezam aos finais de semana para expor nas feiras da RMB. Para a agente penitenciária Ana Paula Pinto, que acompanhou as internas na praça, “o trabalho dá o incentivo que elas precisam para seguir a vida e mudar suas histórias”.
Marinete da Silva, 27 anos, também cumpre pena por tráfico de entorpecentes e associação ao tráfico. Presa há quatro anos, ela concilia o trabalho na Coopafe com o estudo dentro do CRF.  Ela diz que as duas atividades mudaram a sua vida. "Não só comigo, mas a participação na Cooperativa deu um novo sentido na vida de muitas internas dentro do presídio. Trabalhar e estudar são novas oportunidades", pondera.
A Cooperativa de Arte Feminina Empreendedora recebe encomendas de qualquer pessoa interessada pelos trabalhos expostos. A cooperativa foi criada a partir da Política Nacional de Atenção às Mulheres em Situação de Privação de Liberdade e Egressas do Sistema Prisional do país, que garante o acesso ao trabalho para internas com o desenvolvimento de ações que incluam a formação, entre outras, de redes cooperativas e economia solidária. A ação é inédita no sistema penitenciário brasileiro e tem o incentivo do Governo do Pará.

Texto:
Timoteo Lopes


Terminal Hidroviário de Belém movimentou mais de 26 mil pessoas no primeiro mês de funcionamento
Prestes a completar um mês de operação – a obra foi entregue pelo governo do Estado no último dia 23 –, o Terminal Hidroviário do Porto de Belém “Luiz Rebelo Neto” já recebeu cerca de 26 mil pessoas nesse período, entre passageiros e visitantes. A expectativa da administração do espaço é de que até o final deste mês 60 mil pessoas tenham passado pelo local, que terá esquema especial de funcionamento no feriado de Corpus Christi, a ser comemorado na próxima quinta-feira, 19. “Vamos aumentar o contingente dos órgãos relacionados ao embarque e desembarque de passageiros, como é o caso dos guardas portuários, e ampliar o horário de funcionamento do terminal”, explica o gerente administrativo do empreendimento, Axel Sanches.
Segundo Sanches, o esquema especial será repetido durante todo o mês de julho, durante as férias escolares, quando o número de passageiros deverá aumentar consideravelmente, também em função da implementação da nova linha, que vai ligar Belém a Mosqueiro e vice-versa. A previsão é de que ela comece a funcionar no início de julho.
“Estamos também procurando outras empresas interessadas em implantar novas linhas e mesmo aquelas que fazem as linhas já existentes, para que os usuários tenham cada vez mais opções e possam escolher o melhor serviço”, completa o gerente, acrescentando que, atualmente, embarcações de cinco empresas partem e chegam ao novo Terminal Hidroviário de Belém, oferecendo os seguintes trajetos, de ida e volta: Belém-Camará (Marajó); Belém-Manaus e Belém-Macapá.
O horário de funcionamento do espaço, atualmente, é das 5h às 20h. Durante o período de férias, o intervalo será das 4h às 21h. Nesse tempo, os órgãos fiscalizadores presentes no Terminal estarão trabalhando em caráter educativo, para esclarecer aos frequentadores e usuários do sobre as legislações pertinentes, por exemplo, ao embarque e desembarque de cargas e de crianças, que contam com legislações específicas. Postos da Polícia Turística e da Companhia Paraense de Turismo (Paratur) também atendem aos que necessitam de informações mais detalhadas.
Além disso, recepcionistas e técnicos especializados transitam pelos salões de embarque e desembarque para direcionar e dar informações aos passageiros sobre os serviços disponíveis no Terminal. É possível, por exemplo, utilizar uma urna para fazer sugestões, críticas e solicitações à administração do espaço. Ela está disponível no guarda-volumes do Terminal. “Esse tipo de iniciativa também pode ser feita através do email chpterminal@gmail.com e dos telefones (91) 8080-1817 ou 9944-1520, que são da administração do terminal”, cita.
A doméstica Tânia Silva, de 35 anos, ficou impressionada com as novas instalações do Terminal Hidroviário de Belém. Ela, que mora no município de Soure, no arquipélago do Marajó, vem à capital anualmente, sempre no mês de junho, para acompanhar a filha, de 17 anos, nas apresentações da quadrilha Revelação Junina, que participa de uma série de concursos desse tipo de grupo folclórico. Depois de quase uma semana fora de casa, e exibições em Belém e Moju, no nordeste do Estado, Tânia e o grupo retornaram nesta segunda-feira, 16, para casa. “A viagem ficou muito melhor com esse novo Terminal. Está mais bonito, mais organizado e limpo, o que nos traz mais conforto e segurança”, opina.
A mesma ideia tem a conterrânea de Tânia, a dona de casa Bernadete Nascimento, de 46 anos. Ela chegou a Belém, vinda de Soure, também na manhã desta segunda-feira e ficou satisfeita com o que viu. “Trouxe a minha mãe do Marajó para fazer um tratamento na capital e, sem dúvida, essa recepção foi maravilhosa. Esperamos ter outros terminais desse nível em todo o estado”, conclui.  

Texto:
Elck Oliveira


Nesta segunda tem apresentação das campeãs no Centur
Neste domingo, 15, foi realizada no Cine Líbero Luxardo a apuração do XI Concurso Estadual de Quadrilhas Juninas (Categoria Adulto e Mirim) e os concursos de Miss Caipira, Miss Simpatia, Miss Mulata Cheirosa e Miss Caipira Mix. O evento começou às 10h, com a presença de representantes de todas as categorias, e encerrou por volta das 12h, com a banda Forró do Bacana tocando na Praça do Povo.
Nesta segunda-feira (16), as vencedoras retornam para a festa de encerramento do Arraial de Todos os Santos. O evento será realizado na Praça do Povo (térreo do Centur), a partir das 18h, com a participação especial da Quadrilha Junina Ballética, do Centro de Danças Ana Unger.
A Quadrilha Junina dos Servidores do Centur também irá se apresentar, a partir das 18h30, dando um show de alegria e celebrando o sucesso do Arraial. Logo em seguida, às 19h, terá inicio a premiação e desfile do 1º lugar das Misses: Mix, Caipira, Mulata e Simpatia. E também a premiação e apresentação das três primeiras colocadas nos concursos de Quadrilhas Mirim e Adulta. O “Arraial de Todos os Santos” é uma realização do Governo do Estado do Pará, por meio da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves.

Texto:
Luiz Flávio


Programa vai unificar dados dos presos no Pará
A Defensoria Pública do Pará e a Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) começaram a definir, nesta segunda-feira, 16, a integração e consolidação de dados sobre a população carcerária do Pará. As informações qualitativas, completas e detalhadas sobre os presos vão compor o sistema conhecido como Infopen Pará, que deve ser lançado em setembro deste ano e que também contará com a adesão do Tribunal de Justiça do Estado (TJE-PA).
O Infopen é um modelo baseado no sistema utilizado pelo Estado do Espírito Santo e que contém dados pessoais, processuais, de visitantes, saúde e educação do detento, segundo o superintendente da Susipe, André Cunha. A Defensoria seria uma das instituições a alimentar o programa com os dados do atendimento realizado, além de também ser beneficiada com a alimentação que será feita pelo Tribunal de Justiça sobre alvarás, decisões judiciais e até mesmo informações da Susipe sobre recaptura, por exemplo.
André Cunha informou que a Susipe já vai começar a trabalhar em um Termo de Cooperação a ser firmado com a Defensoria e o Tribunal de Justiça para formalizar a integração de dados no Infopen Pará. Antes, porém, as áreas técnicas vão acertar a melhor forma de migração de informações e dados para alimentar o programa. A assinatura deve ocorrer no prazo máximo de um mês.
A reunião aconteceu no Gabinete da Defensoria Pública, com a participação do Defensor Público Geral, Luis Carlos de Aguiar Portela; de André Cunha, da Susipe; do diretor Metropolitano, José Adaumir Arruda; Alessandro Oliveira, coordenador de Políticas Criminais Metropolitano; do chefe de Gabinete, Bruno Braga, além de técnicos da área de Tecnologia da Informação, tanto da Susipe quanto da Defensoria.
A maior vantagem apontada por André Cunha é que o Infopen Pará tem a capacidade de gerar relatórios, além de reunir dados confiáveis de todos os agentes envolvidos na questão penitenciária no Estado. O novo sistema vai, ainda, gerar alertas de progressão de penas. O Defensor Público Geral, Luis Carlos de Aguiar Portela, informou ao superintendente do Sistema Penal que já a partir de julho a Defensoria do Pará, pela primeira vez em 31 anos, vai ter um defensor público designado para cada casa penal do Estado. Esse avanço só vai ser possível em razão da movimentação que está ocorrendo na carreira desde abril deste ano e que será concluída até o próximo dia 10 de julho.
Portela disse que a Defensoria vem tomando uma série de medidas para ampliar e melhorar o atendimento ao preso assistido pela instituição e avaliou como válida a proposição de unificar os dados dos detentos no Estado. “Com dados e estatísticas mais completas poderemos subsidiar o trabalho dos defensores”, concluiu. O diretor Metropolitano também vê como “viável e oportuno” compactuar as informações em um único sistema, porque possibilitará que a Defensoria tome medidas mais ágeis em favor dos presos atendidos pela instituição. “O sistema é positivo para todos os atores do sistema”, disse.
Durante o encontro, a Susipe sugeriu, ainda, a criação de vagas para estágio de estudantes de Direito, pela Defensoria, dentro das casas penais da Região Metropolitana. A sugestão foi bem recebida, mas deve passar por análises jurídica e orçamentária, segundo o Defensor Público Geral.

Texto:
Micheline Ferreira


Sema anuncia licenças para seixeiros de Ourém
Na última sexta-feira, 13, o secretário de Estado de Meio Ambiente, José Alberto Colares, esteve reunido com representantes de seixarias do município de Ourém para apresentar a situação de cada projeto do setor protocolado na Sema.
Colares garantiu a celeridade dos processos que já estavam em andamento, desde que cada um dos interessados colabore com a pronta resposta das notificações e faça o repasse de informações complementares para a conclusão dos processos. Em duas semanas, a maior parte dos 34 processos na Secretaria já estarão com suas licenças autorizadas.
Na reunião, Colares explicou aos representantes do segmento que até o dia 20 serão autorizadas 10 licenças de operação para seixarias de Ourém.

Texto:
Káthia Oliveira


Seicom realiza Oficina Técnica para Elaboração do Plano de Desenvolvimento ao APL de Moda e Design
Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom) promove nos dias 18 e 20 de junho a Oficina Técnica para Elaboração do Plano de Desenvolvimento ao Arranjo Produtivo Local (APL) de Moda e Design, voltada aos empreendedores criativos, às microempresas, às instituições sociais e acadêmicas, entre outros integrantes do setor. A palestra será ministrada pelo consultor da Fundação Vanzolini Universidade de São Paulo (USP), Rodrigo Villa, às 9h, no auditório do Espaço São José Liberto, em Belém. E para alinhar ações, nesta segunda-feira, 16, haverá uma reunião técnica com os representantes das instituições que integram o coletivo intersetorial do APL de Moda e Design e consultoria da Fundação Vanzolini.
A Seicom tem o papel de coordenadorar os Arranjos Produtivos Locais (APLs) de Economia Criativa do Pará, classificação essa recebida por meio da participação no Edital 03/2013 do Ministério de Desenvolvimento da Indústria e Comercio Exterior (MDIC), que tem entre suas funções a de elaborar o Plano de Desenvolvimento da APL de Moda Criativa da Região Metropolitana.
Com o apoio do MDIC, a Secretaria pretende estimular a estrutura produtiva dos setores da Moda e Design e propiciar um ambiente sociocultural nos territórios, que determine sobretudo as condições do empreendedorismo, do desenvolvimento local e, ainda, desenvolva a capacidade de inovação, aprendizado e qualificação profissional das regiões do estado.

Texto:
Juliana Pinheiro


Circuito das Artes chega a Santa Isabel
A edição 2014 do Circuito das Artes vai percorrer os cinco municípios da Região Metropolitana de Belém levando oficinas e mostras culturais para centenas de pessoas que residem em bairros periféricos. Em abril, o projeto esteve em Ananindeua; em maio passou por Marituba, e neste mês chega a Santa Izabel do Pará.
As atividades em Santa Izabel do Pará estão sendo desenvolvidas em nove escolas municipais e estaduais e em dois centros comunitários dos bairros Americano, Triângulo, Santa Terezinha, Juazeiro, Divinéia, Jurunas, Santa Lucia I, Bairro Novo e Centro. As oficinas – ofertadas gratuitamente – abrangem todos os segmentos artísticos.
No dia 09 de junho iniciaram as primeiras oficinas: duas de dança de rua, uma de dança regional e uma de reciclagem de garrafas tipo pet e papietagem (técnica artesanal em que se utiliza papel recortado e cola para dar forma a uma escultura ou objeto).
Os espaços que recebem as primeiras atividades do Circuito das Artes no município são a Associação Comunitária de Americano, Escola Municipal Professora Marilete Ferreira da Silva, Escola Municipal Professor Doracy Leal, Escola Municipal Professor Simplício Ferreira de Souza.
E entre essas primeiras oficinas, uma se destaca: a de grafiti, na Escola Estadual Antonio Lemos, que consiste na realização de aulas práticas e teóricas, onde os alunos aprendem técnicas de grafitagem, noções de desenho artístico, tags (assinaturas) e utilização de sprays.
Os alunos, assim como toda a comunidade, terão a oportunidade de ver, ao final do curso, a montagem dos painéis resultantes do planejamento coletivo e dos trabalhos desenvolvidos para mudar a paisagem da “Praça do Skate”. O encerramento das atividades será a partir das 9h do dia 28, e reúne apresentações de grupos de dança de rua e Bboys.
Ao final de cada mês de atividades, o projeto realiza a mostra de resultados e em Santa Izabel não será diferente. O evento será aberto ao público em geral e está previsto para o próximo dia 28 (sábado), na Praça da Bandeira, em Santa Izabel, onde todos terão a oportunidade de prestigiar os resultados das oficinas e conhecer os jovens talentos locais.
Encerrando a programação, heverá show musical com Caçulinha do Forró e Banda. Além disso, a “Caravana da Leitura”, projeto sob coordenação da Diretoria de Leitura e Informação da FCPTN, integrará a programação de encerramento com contação de histórias, teatro de fantoches, dramatizações, brincadeiras populares e jogos literários. O projeto em Santa Izabel do Pará conta com a parceria da Prefeitura Municipal, por meio das secretarias municipais de Cultura, Educação e Transportes.
A realização do Circuito das Artes é da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (FCPTN/Centur), Secretaria Especial de Estado de Promoção Social, Governo do Pará e Ministério da Cultura, com patrocínio da Vale e Banpará (através da Lei Rouanet).

Texto:
Luiz Flávio


Reforma e ampliação da delegacia de Rio Maria entram em fase final
Com quase R$ 500 mil em investimentos, a Delegacia de Rio Maria, no Sul do Pará, está sendo inteiramente reformada e ampliada para oferecer melhores condições de atendimento à população e à equipe de policiais civis que atuam no município. Com a obra, a unidade passará a ter o dobro de espaço que tinha antes dos serviços, passando de 188 para 356 m² de área construída. Entre as novidades, está a construção de três alojamentos, três banheiros e uma copa/cozinha. Mais de 80% das obras estão concluídas. A previsão é de que a unidade seja entregue ainda neste mês. 
De acordo com o mestre de obras da empresa VISATEC Construções Ltda., Marcelino Ferreira, responsável pela obra, a parte “grossa” dos serviços já foram executadas, restando apenas o acabamento do telhado, a colocação de esquadrias, portas e janelas, e a finalização da pintura. “As partes de colocação do piso interno e da garagem, e de revestimento e forro já estão 100% concluídas. As instalações hidráulicas e de esgoto também estão finalizadas. Já quanto a parte elétrica, está faltando apenas colocação das luminárias. Fora isso, temos 80% do telhado e 50% da pintura”, detalha.
Além da construção de novos espaços, toda a unidade está recebendo reformas e readaptações de espaços, como forma de dar mais funcionalidade às instalações, que contarão com salas de mediação de conflitos, de reconhecimento, dos investigadores e do escrivão, do delegado e do diretor (com banheiro), além de duas celas, recepção e três banheiros (feminino, masculino e para portador de necessidades especiais). A Polícia Militar também terá uma sala reservada dentro da unidade, dentro da política de integração dos órgãos de segurança adotada pelo governo.
Para o delegado José Orimaldo Farias, que esteve à frente da delegacia até maio passado, a reforma trará benefícios importantes para a população. “Com a nova delegacia nós vamos ter como melhor atender a população não só de Rio Maria, mas também de Floresta do Araguaia e de Bannach, que também são atendidas pela delegacia de Rio Maria. Antes, o espaço era pequeno e, atualmente também, porque estamos funcionando em uma casa alugada para que obra possa ser executada. Com ela pronta, o atendimento vai ter um salto de qualidade”, afirma.     
O carpinteiro Jessé Pereira, 61, que mora próximo da unidade de polícia, diz que a expectativa da comunidade é positiva. “De quando cheguei aqui – há cerca de 30 anos – para cá tem melhorado bastante, sobretudo recentemente. A gente vê que tá melhorando e que, no geral, a cidade ainda é bastante tranquila quanto a roubo. Mas é sempre bom ter cautela com a criminalidade. Por isso, esse reforço da ampliação da delegacia é muito bem-vindo para toda a cidade”, diz.    
Segundo o delegado, cerca de dez ocorrências são registradas por dia, com o aumento de casos no final de semana. “Em relação a municípios vizinhos, como Xinguara, Redenção e São Félix do Xingu, Rio Maria ainda pode ser considerado um município calmo. Geralmente as ocorrências são flagrantes e de casos da Lei Maria da Penha”, afirma. Daí a importância dessa nova unidade na conscientização, para situações de mediação de conflitos e do trabalho no fortalecimento do combate à violência doméstica.
Detalhamento da obra:
Reforma e ampliação da Delegacia de Rio Maria
Início: Março de 2013
Previsão de término: Junho de 2014
Andamento: 80%
Valor: R$ 483.900,00
Empresa responsável: VISATEC Construção Civil Ltda.
Secretária responsável: Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop)
Endereço: Rua 22 – Jardim Maringá

Texto:
Amanda Engelke


Hospital de Tailândia agiliza pronto atendimento com classificação de risco
Com o aperfeiçoamento da gestão do risco clínico desenvolvido pelo Hospital Geral de Tailândia (HGT), os usuários têm atendimento agilizado de acordo com a potencial gravidade do caso e não pela ordem de chegada ao setor de Pronto Atendimento. Isso significa mais qualidade na assistência básica e de média complexidade aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), que têm no único hospital da cidade a intervenção de profissionais da enfermagem que promovem o encaminhamento do paciente de forma mais precisa e imediata.
De acordo com o diretor Executivo do HGT, Izair Polack, a classificação de risco integra a proposta de uma política de assistência eficaz. “É um processo que pressupõe a determinação de agilidade no atendimento a partir da análise, sob a óptica de protocolo pré-estabelecido, do grau de necessidade do usuário, potencial de gravidade ou de agravamento da queixa apresentada, proporcionando atenção centrada na nível de complexidade, determinando o ordenamento do atendimento”, explicou, revelando que até o final deste mês, as informações geradas pelo novo serviço vai subsidiar a criação de um Indicador que vai revelar o perfil epidemiológico de atendimento no hospital.
O atendimento decorre logo após o acolhimento do usuário, que já acontece na recepção. Lá, enfermeiros contam com o auxílio de técnicos de enfermagem, que verificam o estado geral do paciente, queixa principal, sinais vitais e breve exame físico. Tudo isso antecedendo o atendimento médico.
Segundo Izair, os casos de emergências são priorizados e direcionados para sala própria. A identificação da gravidade é sinalizada por etiqueta colorida autoadesiva ou marcação com giz de cera, no espaço superior direito da Ficha de Sistematização da Assistência de Enfermagem, utilizada na sala de Classificação de Risco, e que imediatamente é anexada à ficha de atendimento de emergência.
O usuário apontado com a etiqueta vermelha significa atendimento de emergência com risco de morte. A cor amarela sinaliza caso de urgência, lembrando que as condições do estado de saúde pode agravar sem o atendimento em até 30 minutos. Aqueles que ganham a etiqueta de cor verde têm caso de saúde pouco urgente. Já os usuários com etiqueta azul são encaminhados pelo serviço social do HGT para atendimento na Unidade Básica de Saúde do município.
O diretor Executivo do hospital, aponta alguns dos principais benefícios do serviço: redução dos riscos decorrentes de eventual morosidade no atendimento, organização do fluxo de pacientes, gerenciamento do tempo de espera, melhora contínua no atendimento de Emergência e Urgência, além de promover melhores condições de trabalho à equipe interdisciplinar.
“Nos primeiros 30 dias de funcionamento do serviço foi possível perceber uma melhora significativa no fluxo de atendimento aos usuários da Emergência que tornou-se mais dinâmico e eficaz, diminuindo o tempo de espera e melhorando a satisfação do público”, destacou.
O HGT presta assistência básica e de média complexidade. Com disponibilidade de 56 leitos, que inclui uma Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) com leitos adulto e pediátrico. Lá, os usuários podem contar com as especialidades de clínica médica, pediatria, cirurgia geral, ginecologia/obstetrícia, ortopedia/traumatologia, radiologia, anestesiologia, oftalmologia, cardiologia e endocrinologia. 

Texto:
Vera Rojas


Hospital de Tailândia agiliza pronto atendimento com classificação de risco
Com o aperfeiçoamento da gestão do risco clínico desenvolvido pelo Hospital Geral de Tailândia (HGT), os usuários têm atendimento agilizado de acordo com a potencial gravidade do caso e não pela ordem de chegada ao setor de Pronto Atendimento. Isso significa mais qualidade na assistência básica e de média complexidade aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), que têm no único hospital da cidade a intervenção de profissionais da enfermagem que promovem o encaminhamento do paciente de forma mais precisa e imediata.
De acordo com o diretor Executivo do HGT, Izair Polack, a classificação de risco integra a proposta de uma política de assistência eficaz. “É um processo que pressupõe a determinação de agilidade no atendimento a partir da análise, sob a óptica de protocolo pré-estabelecido, do grau de necessidade do usuário, potencial de gravidade ou de agravamento da queixa apresentada, proporcionando atenção centrada na nível de complexidade, determinando o ordenamento do atendimento”, explicou, revelando que até o final deste mês, as informações geradas pelo novo serviço vai subsidiar a criação de um Indicador que vai revelar o perfil epidemiológico de atendimento no hospital.
O atendimento decorre logo após o acolhimento do usuário, que já acontece na recepção. Lá, enfermeiros contam com o auxílio de técnicos de enfermagem, que verificam o estado geral do paciente, queixa principal, sinais vitais e breve exame físico. Tudo isso antecedendo o atendimento médico.
Segundo Izair, os casos de emergências são priorizados e direcionados para sala própria. A identificação da gravidade é sinalizada por etiqueta colorida autoadesiva ou marcação com giz de cera, no espaço superior direito da Ficha de Sistematização da Assistência de Enfermagem, utilizada na sala de Classificação de Risco, e que imediatamente é anexada à ficha de atendimento de emergência.
O usuário apontado com a etiqueta vermelha significa atendimento de emergência com risco de morte. A cor amarela sinaliza caso de urgência, lembrando que as condições do estado de saúde pode agravar sem o atendimento em até 30 minutos. Aqueles que ganham a etiqueta de cor verde têm caso de saúde pouco urgente. Já os usuários com etiqueta azul são encaminhados pelo serviço social do HGT para atendimento na Unidade Básica de Saúde do município.
O diretor Executivo do hospital, aponta alguns dos principais benefícios do serviço: redução dos riscos decorrentes de eventual morosidade no atendimento, organização do fluxo de pacientes, gerenciamento do tempo de espera, melhora contínua no atendimento de Emergência e Urgência, além de promover melhores condições de trabalho à equipe interdisciplinar.
“Nos primeiros 30 dias de funcionamento do serviço foi possível perceber uma melhora significativa no fluxo de atendimento aos usuários da Emergência que tornou-se mais dinâmico e eficaz, diminuindo o tempo de espera e melhorando a satisfação do público”, destacou.
O HGT presta assistência básica e de média complexidade. Com disponibilidade de 56 leitos, que inclui uma Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) com leitos adulto e pediátrico. Lá, os usuários podem contar com as especialidades de clínica médica, pediatria, cirurgia geral, ginecologia/obstetrícia, ortopedia/traumatologia, radiologia, anestesiologia, oftalmologia, cardiologia e endocrinologia. 

Texto:
Vera Rojas


Consep realiza 2ª Reunião Itinerante na sede da OAB
O Conselho Estadual de Segurança Pública (Consep) realizou a 2ª reunião itinerante da entidade, dentro do Ciclo de Eventos Consep/2014, em comemoração aos 18 anos do colegiado, na última semana, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil/Seção Pará (OAB-PA), na Praça Barão do Rio Branco, bairro da Campina, em Belém. O encontro ocorreu no Plenário “Aldebaro Klautau” e foi conduzido pelo conselheiro e presidente do Consep, Luiz Fernandes Rocha, secretário Estadual de Segurança Pública e Defesa Social.
Além dos integrantes do Consep, participaram do evento diversos membros da OAB local, do Conselho Nacional e de subseções do interior do Pará, com destaque para os municípios de Itaituba e Parauapebas, além de líderes comunitários do bairro da Terra Firme, e familiares do jovem Anderson Rafael, assassinado por linchamento, recentemente.
Após a abertura realizada por Luiz Fernandes, o presidente da OAB-PA, Jarbas Vasconcelos, deu início ao seu pronunciamento, demonstrando sua preocupação com a violência no Estado e destacando o recente levantamento que os advogados da Coordenação de Acompanhamento do Sistema Carcerário do Conselho Federal da OAB realizaram em penitenciárias localizadas no interior do Estado e na Central de Triagem da Região Metropolitana (RMB).
Jarbas Vasconcelos comentou ainda a violência que os advogados e defensores de direitos humanos tem sofrido, relacionando o assassinado dos advogados Dácio Antônio Gonçalves Cunha e Leda Marta Lucyk, ex-dirigente da Ordem. Dácio Cunha foi morto em 2013. A advogada Leda Marta foi morta junto com a sua filha, no município de Itatituba. O mandante do crime está preso. “Quando os advogados começam a ser vítimas de violência, devido à sua profissão, a sociedade também é violentada”, disse o titular da OAB-PA.
Ele apresentou aos conselheiros da entidade diversas sugestões para a área, já encaminhadas ao governador do Estado, entre elas a criação da Secretaria de Estado de Administração Prisional; a desativação imediata das celas containeres que, segundo o advogado, estão em desacordo com a Lei de Execução Penal; a criação imediata de um mutirão carcerário em todo o Estado, tendo em vista a baixa assistência jurídica aos presos por parte da Defensoria Pública; o retorno dos policiais, hoje servindo em gabinetes militares dos poderes Legislativo e Judiciário e em outros tribunais, para o exercício de suas funções de polícia ostensivas nas ruas.
Em resposta ao presidente da OAB, o titular da Segup disse concordar, em parte, no que se refere aos índices de criminalidade, “fato que não é exclusivo do Pará”.
Avanços
“Sobre ao Mapa da Violência, de autoria do professor Júlio Jacob, que nós acompanhamos de forma constante e minuciosa, em 2007, o Pará ocupava o 3º lugar. Já, em 2013, o Estado aparece na 7º posição, num trabalho hercúleo de todos os órgãos que integram o Sistema Estadual de Segurança Pública e Defesa Social. Apesar do reduzido número de servidores, temos trabalho de forma integrada com as instituições que desenvolvem as políticas públicas do Governo”, acrescentou Luiz Fernandes Rocha.
“Trabalho há muitos anos na segurança pública e venho acompanhando a área há bastante tempo. Em todos os municípios paraenses temos feito um trabalho de reestruturação de equipamentos, inclusive dando respostas em nível nacional. Estas ações, realizadas com base em medidas estruturantes, como a prevenção social da violência e da criminalidade, a redução da impunidade e o combate intensivo ao tráfico de drogas, são monitoradas diariamente”, disse.
“Entendo que ainda há subnotificações, no entanto, no que se refere aos crimes de homicídios, nós afirmamos que não existe subnotificação. A resolutividade dos inquéritos policiais é de 100% e o trabalho da Corregedoria da Policia Civil é intenso e rigoroso. Sem contar a atuação da Ouvidoria do Sistema de Segurança Pública, que é pioneira no Brasil”, ressaltou.
Ele informou, ainda, que outro importante trabalho, que também está sendo executado, é a análise criminal dos crimes violentos e de roubo e furto. “O Pará foi reconhecido pelo Conselho Nacional de Justiça como o Estado com maior índice de resolutividade nos crimes”, frisou.
“O Governo do Estado está arcando com custos de mais de 50% das obras e investindo hoje mais de R$ 100 milhões na criação de novas vagas no Sistema Penitenciário, com obras em 94 municípios. Já são mais de R$ 500 milhões já investidos na área de segurança”, informou.
Luiz Fernandes Rocha disse que, a partir do próximo mês de julho, todos os municípios do Estado terão delegados de polícia. Destacou, que, no que se refere às mortes dos advogados, a polícia está investigando todos os casos, mas que nem todos podem ser solucionados, de imediato, por falta de provas diversas, inclusive as testemunhais. “Assim como os advogados levam anos para analisar um processo, a polícia também tem limitações e a análise das provas e dos autos tem seu tempo e suas limitações”, acrescentou.
Palestra
Em seguida, houve a palestra “Drogas e Direitos Humanos no Brasil”, ministrada pelo representante do Conselho de Psicologia no Conselho sobre Drogas do Estado do Pará (Coned), Arthur Nascimento Barbedo Couto. Ele disse que a Redução de Danos (RD) é uma perspectiva para lidar com as questões associadas ao uso de drogas.
“Em meio aos diversos programas e perspectivas que, de forma hegemônica, apesar de ineficazes, se norteiam na abstinência do usuário de álcool e outras drogas, a RD vem se destacando. Desde o seu surgimento, por lidar de forma objetiva, concreta, respeitosa e pragmática com os problemas associados ao uso de drogas nos mais diversos contextos”, explicou.
Em seguida, o diretor do Núcleo de Gestão por Resultados, da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), tenente-coronel BM Luiz Fernando Cajango, falou sobre o Programa de Redução da Criminalidade (PREC). O programa é um dos trabalhos de maior importância estratégica para a Segup, uma vez que se destina ao controle e ao combate à criminalidade no Estado do Pará.
O encontro foi encerrado com uma apresentação sobre o tema “A infância e a Adolescência”, realizada pelo juiz de Direito da Vara de Execução de Medidas Socioeducativas, do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE-PA), Vanderley de Oliveira Silva.
O magistrado disse que, em janeiro deste ano, a presidente do TJE, desembargadora Luzia Nadja Nascimento, instalou, a 3ª Vara da Infância e Juventude da Comarca de Belém. A nova Vara tem competência extensiva a todo o Estado para processar e julgar a execução das medidas protetivas e socioeducativas de internação e semiliberdade, previstas no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). E, em 6 de fevereiro, também foi instalada a 4ª Vara da Infância e Juventude de Belém.
“Com a instalação destas duas novas unidades judiciárias, o Pará se destaca como um dos poucos Estados a contar com várias unidades para a área da infância e juventude, incluindo a Vara de Crimes contra Criança”, destacou.
Ele ressaltou a importância das Varas criadas, considerando a elevada demanda e a necessidade de imprimir maior agilidade na tramitação dos feitos relativos à infância e juventude, proporcionando maior acesso à Justiça, tornando-a cada vez mais próxima do jurisdicionado.
“As 3ª e 4ª Varas vem desafogar o expediente da 2ª Vara da Infância e Juventude, a qual processava e julgava não só os feitos relativos a matérias de conhecimento, mas também de execução processual. Atualmente, a Vara conta com 3.372 processos em andamento e outros 2.077 julgados, que estão em execução. Com isso, a 3ª Vara terá competência ainda para processar e julgar a execução das medidas socioeducativas de Prestação de Serviços à Comunidade e Liberdade Assistida”, finalizou o juiz.
Conselho
 O Conselho Estadual de Segurança Pública (Consep) foi criado a partir da Lei nº 5.944, de 2 de fevereiro de 1996. O conselho faz parte da estrutura organizacional básica da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), como órgão superior de deliberação colegiada.
Presidido pelo secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, o Consep tem como missão institucional discutir e decidir sobre as políticas públicas e as ações da área de Segurança Pública no Pará e o seu funcionamento. O colegiado é composto por quinze membros, sendo sete conselheiros natos.
Integram a estrutura atual do Consep, o secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, comandante geral da Polícia Militar, comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar, delegado geral da Polícia Civil, diretor superintendente do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran), superintendente do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) e o diretor geral do Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves”.
A sociedade civil também participa da entidade, por meio dos representantes da Ordem dos Advogados do Brasil-Seção Pará (OAB-PA), Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SPDDH), Centro de Defesa da Criança e do Adolescente/Emaús (Cedeca), Centro de Defesa e Estudo do Negro do Pará (Cedenpa), além de dois representantes do poder Legislativo e um representante de entidades de classes dos órgãos que compõem o Sieds.
A partir da publicação da Lei nº 7.584, de 28 de dezembro de 2011, que dispõe sobre a reestruturação organizacional do Sistema Estadual de Segurança Pública e Defesa Social e da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), o Consep passou a contar, também, com representantes do Ministério Público e do poder Judiciário.

Texto:
Lene Alves


Hemopa convoca voluntários no Dia Mundial do Doador de Sangue
Neste sábado, 14, é comemorado o Dia Mundial do Doador Voluntário de Sangue. Mas a hemorrede brasileira não tem muito a festejar, devido ao reduzido estoque de sangue, tendo em vista que apenas 1.8% da população doa sangue, quando a Organização Mundial de Saúde estima uma médica necessária entre 3% a 5% para atendimento satisfatório da demanda transfusional. No Pará, a média é de 2.2%, mas ainda precisa aumentar mais e atender a meta estipulada.
Além do reduzido número de comparecimento na sede do hemocentro, em Belém, que atualmente chega a 40%, o serviço de Captação de Doadores está traçando estratégias para enfrentar o feriado prolongado na próxima semana, o que acaba provocando uma reação inversa com aumento da demanda hospitalar causada pelos excessos cometidos em dias festivos e feriados.
Segundo o Ministério da Saúde (MS), o crescimento de diversas áreas da saúde pública, como transplantes, cirurgias e atendimentos de urgências e o importante papel do sangue doado na garantia desse processo, exige a necessidade imperativa de aumentar o número de voluntários da doação no Brasil.
No Pará, a professora Jéssica Banhos da Costa, 24, doa sangue há cinco anos. ‘’Doar sangue é um ato de solidariedade. Temos sangue em abundância e doá-lo não custa nada, pelo contrário, é ótimo”, afirma a professora. Jéssica relembra que seu pai precisou de uma transfusão por conta de um AVC, mas que as pessoas tinham medo de doar sangue para ajudá-lo ‘”Foi muito complicado, mas acredito que o Dia Mundial do Doador de Sangue é um incentivo para este ato de amor”, ressaltou a jovem doadora.
O policial militar Jeysson Kallebe de Sousa Oliveira, 24, que pratica esse ato há seis anos, contou que a avó já precisou de sangue por causa de uma cirurgia no estômago. “Minha avó precisou receber sangue porque foi operada no estômago. Ela já precisou, mas a qualquer momento pode ser eu. Doar sangue é importante porque todo dia, muitas pessoas precisam de transfusão e o Dia Mundial do Doador de Sangue é uma homenagem legal a quem salva vidas dessa forma”, disse o PM.
Na ala ambulatorial do Hemopa estava Natália Carvalho da Silva, de seis anos de idade, e que há quatro anos recebe tratamento devido à anemia falciforme. Acompanhando a filha, estava a mãe Iozete Carvalho da Silva, 39. Enquanto brincava com bonecas, Natália recebia uma bolsa de concentrado de hemácias. Sua genitora afirma que a rotina de Natália é normal graças às doações de sangue. “O doador faz com que pessoas que precisam de transfusão renasça. E a Natália é uma dessas que renasce, graças as doações”, disse agradecida.
Campanha - Neste sábado, 14, o Hemopa encerrou a campanha “O futebol corre em nossas veias. A generosidade também. Doe sangue”. Iniciada no dia 7 deste mês, a campanha não conseguiu atingir a meta de 300 doações/dia.
Quem pode doar sangue: Qualquer pessoa com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menores de 18 anos somente com autorização dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado. 
Para cadastro de doadores de medula óssea: estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: O Hemopa funciona na Tv. Padre Eutíquio, 2109. Alô Hemopa: 08002808118.

Texto:
Vera R. Rojas
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...