Total de visualizações de página

segunda-feira, agosto 18, 2014

Sistema de Segurança Pública capacita profissionais para atendimento social na Delegacia Geral









Defensoria do Pará é a primeira a ter Código do Consumidor em braille
A Defensoria do Pará é a primeira do Brasil a ter um exemplar do Código de Defesa do Consumidor em braille à disposição de pessoas portadoras de deficiência visual ou baixa visão. O primeiríssimo exemplar foi ofertado pela Tim Celular ao Núcleo de Defesa do Consumidor da instituição. O gerente nacional de Qualidade, Ricardo Alves, informou que esta primeira iniciativa pretende atender a esta parcela de consumidores que nem sempre pode acessar os próprios direitos. Ele classificou, ainda, como ação de responsabilidade social da empresa, que inicialmente imprimiu 200 exemplares.
O sistema Braille é um processo de escrita e leitura baseado em 64 símbolos em relevo, resultantes da combinação de até seis pontos dispostos em duas colunas de três pontos cada. Pode-se fazer a representação tanto de letras, como algarismos e sinais de pontuação. Ele é utilizado por pessoas cegas ou com baixa visão, e a leitura é feita da esquerda para a direita, ao toque de uma ou duas mãos ao mesmo tempo.
O Código do Consumidor em braille já está disponível no Núcleo do Consumidor da Defensoria Pública, que fica no terceiro andar do prédio-sede, à Travessa Padre Prudêncio, 154. A Tim também se comprometeu em encaminhar novo exemplar da lei, que em breve poderá ser consultada na biblioteca da Escola Superior da Defensoria Pública.
O coordenador do NUCON, defensor público Arnoldo Péres, informou que por iniciativa da operadora de telefonia móvel, também já se desenha uma nova parceria. Segundo ele, a Tim Celular manifestou interesse de criar um canal direto de contato com a instituição do Pará, através de um telefone que poderá ser acessado internamente para dar respostas mais rápidas ao consumidor insatisfeito.
O objetivo da Tim, de acordo com Ricardo Alves, é reduzir as ações judiciais e ampliar o trato extrajudicial com a Defensoria, o que vai proporcionar mais agilidade na resolução de problemas com a operadora.


Texto:
Micheline Ferreira


Sistema de Segurança Pública capacita profissionais para atendimento social na Delegacia Geral
A Polícia Civil vai sediar nesta quarta-feira, 19, a partir das 10h30, uma capacitação para os profissionais que atuam no atendimento social à comunidade nas Unidades Policiais da capital, Região Metropolitana e interior do Estado. O evento, denominado "Segurança Pública e a Construção Coletiva da Paz Social", será realizado no auditório da Delegacia Geral e deve reunir mais de 50 pessoas, entre assistentes sociais, psicólogos, policiais e servidores administrativos, entre eles, os que trabalham nas Unidades Integradas Pro Paz (UIPP).
O objetivo é prestar orientações aos integrantes da rede de atendimento social na Polícia Civil para atender com qualidade a população que busca os serviços oferecidos pelo Sistema de Segurança Pública. A capacitação vai contar com profissionais da Assessoria Policial e da Diretoria de Prevenção Social da Violência e da Criminalidade (Diprev); da Secretaria de Estado de Segurança Pública e de Defesa Social (Segup); do Conselho de segurança Pública do Pará (Consep); do Núcleo de Pacificação e Prevenção da Violência (Nuprev) da Polícia Civil; da Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV) e do Programa Educacional de Resistência as Drogas e a Violência (Proerde).
A coordenadora do Nuprev, assistente social Graciane Almeida, explica que a capacitação será realizada durante todo o dia, visando aumentar a rede de atendimento social à comunidade, principalmente no interior do Estado. Segundo ela, foram firmadas parcerias com prefeituras municipais para sessão de profissionais do serviço social que atuam em Centro de Referência em Assistência Social (Cras), para atuar nas UIPPs.
"Já contamos com profissionais para atuar nas Unidades Integradas Pro Paz que já têm experiência em atendimento à famílias e casos que envolvem crianças e adolescentes, e que precisam de orientação para prestar o atendimento no âmbito da segurança pública", informou. Ainda conforme Graciane Almeida, a capacitação também deverá contar com a presença de estudantes universitários de cursos de serviço social de faculdades conveniadas com a Polícia Civil para estágio. "Temos atualmente 62 estagiários nas delegacias, seccionais e divisões da Polícia Civil", detalha a assistente social.
Esse é a terceira capacitação realizada com os profissionais do atendimento social. No mês passado, a programação teve a presença do secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, na Seccional Urbana do Guamá, em Belém. Na ocasião, estiveram presentes policiais civis e pessoas da área do atendimento social, de Belém e de cidades do interior do Pará, como Eldorado dos Carajás, Abaetetuba e Igarapé-Miri. As palestras contaram com as informações prestadas pela Delegacia de Proteção ao Idoso; pela Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data); e representantes do Proerd, da PM do Pará; Conselhos Comunitários de Segurança Pública (Conseg's) e as assistentes sociais da Polícia Civil, Graciane Almeida e Luzia Matos.

Texto:
Walrimar Santos


Comunidade acadêmica da Uepa debate desigualdades de gênero
Na próxima segunda-feira (25) os alunos do curso de Pedagogia da Universidade do Estado do Pará (Uepa) promovem o I Seminário "Escola, Gênero e Orientação Sexual: perspectivas educacionais para a construção da cidadania". Na ocasião, serão discutidas questões acerca da diversidade sexual e a importância da desconstrução de discursos discriminatórios nas relações de gênero (homem e mulher), além fomentar o posicionamento das escolas em seu papel social no que diz respeito à construção da cidadania. O evento será realizado das 9h às 18h, no auditório da Reitoria, no bairro Telégrafo, em Belém.
Para realizar a inscrição é necessário enviar um e-mail para escoladiv@gmail.com, com as seguintes informações: nome completo; instituição da qual faz parte e número de telefone. A taxa de inscrição custa R$ 10,00, e o pagamento deve ser realizado no momento do credenciamento, no mesmo dia do seminário.
No primeiro momento do evento serão discutidos estudos sobre sexualidade e os impactos na educação. Estes temas serão abordados a partir das teorias de Michel Foucault, filósofo francês que produziu obras como a História da Loucura até A História da Sexualidade. O filósofo nasceu em 1926 e morreu em 1984.
Serão abordados, também, temas como Movimentos Sociais – Educação e Garantia dos Direitos Sexuais, com a participação do representante do Movimento Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT), Jairo Santos, e com a Pró-Reitora de Extensão da Uepa, Marize Duarte. A coordenadora do curso de pedagogia, Zanete Gusmão, falará sobre o tema central do seminário.
Outras informações pelos telefones: (91) 8308 6668/ 8942 2590

Texto:
Janine Bargas


Tucuruí recebe a Caravana Mostra Pará do IAP
Mais de 150 pessoas estiveram presentes no Centro de Convenções de Tucurí para as exibições dos filmes da Mostra Pará, do Núcleo de Produção do IAP. A programação contou com duas sessões, sendo a primeira destinada ao público infantil, com a Mostra Parazinho. O professor Edson Moreira levou suas filhas, sobrinha e vizinhas para conferir a mostra. “Logo que vi a divulgação percebi que a programação tem um cunho educativo, então eu fiz questão de trazer as crianças para que elas aprendam um pouco mais sobre a cultura do nosso Estado”, ressaltou.
Segundo o professor, o município também têm boas histórias que necessitam ser resguardadas. “A história de Tucuruí é muito rica, só que precisa ser mais cultivada e pesquisada, pra ser divulgada através do teatro ou do cinema, por exemplo. Creio que a caravana pode ajudar no incentivo à produção audiovisual local, pois o município precisa deste tipo de motivação para a realização de programações que ressaltem um pouco dos costumes da cidade”, acrescentou.
Morador de Tucuruí há mais de 30 anos, o historiador Roosevelt dos Santos conta que esta é a primeira vez que uma programação leva produções do Pará para a cidade. “Já recebemos outras programações de cinema ao ar livre aqui na cidade, mas com produções do nosso estado é a primeira vez”, relata.
Idealizada pelo Núcleo de Produção Digital do Instituto de Artes do Pará, a Caravana Mostra Pará proporciona o acesso gratuito às produções audiovisuais do Estado. Realizada de forma itinerante, a caravana está circulando por 13 municípios do sudeste paraense. Com uma vasta programação, a seleção de filmes inclui ficções, documentários e animações, em gêneros como drama e comédia, totalmente produzidos em solo paraense. A próxima escala da caravana é no município de Breu Branco, no dia 19 de agosto.
Serviço:
Caravana Mostra Pará nos municípios do sudeste do Estado
Data: 17 de agosto a 19 de setembro
Horário: 19h
Entrada franca
Datas da Caravana
Breu Branco – 19/8/14
Goianésia do Pará – 21/8/14
Marabá – 23 e 24/8/14
Parauapebas – 27 e 28/8/14
Sapucaia – 30 e 31/8/14
Xinguara -2/9/14
Rio Maria – 4/9/14
Redenção – 6 e 7/9/14
Conceição do Araguaia – 9 e 10/9/14
Abel Figueiredo – 13 e 14/9/14
Rondon do Pará – 16/9/14
Dom Eliseu – 18 e 19/14

Texto:
Danielle Franco


Uepa realiza Feira de orientação Vocacional
A Universidade do Estado do Pará começou nesta segunda-feira, 18, pelo município de Marabá, no sudeste do Estado, a programação da Feira de Orientação Vocacional 2014, na qual apresentará aos jovens que pretendem ingressar na instituição os detalhes sobre os seus Processos Seletivos e cursos de graduação ofertados. Em Belém, a Feira ocorrerá no dia 28 de agosto, das 9h às 17h, no ginásio do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Nos demais municípios onde a Uepa possui campi, a programação possui calendário específico.
A Feira tem como objetivo aproximar os pais, os professores e os estudantes do Ensino Médio da realidade do Ensino Superior, contribuindo para a transição de um nível a outro e para a escolha da carreira. “A nossa expectativa é de que haja uma grande participação das escolas e da comunidade. Temos a preocupação de fazer a divulgação de nossos cursos, de nossos investimentos, de tudo que oferecemos. Queremos manter esse diálogo com a comunidade”, afirma a titular da Diretoria de Acesso e Avaliação da Uepa, Léa Costa.
A Uepa oferece, atualmente, 25 cursos de graduação nas áreas da Educação, Saúde e Tecnologia em cinco campi na capital e em outros 15 municípios paraenses.
Confira o calendário e a programação:
Marabá – 18 e 19/08
- Palestras
- Visitação de estandes
- Aplicação de Teste Vocacional
Altamira – 19 e 20/08
- Oficinas
- Exibição de filmes
- Realização de inscrições nos Processos Seletivos da Uepa
- Palestras
- Mesas redondas
Cametá – 20/08
- Exposição de vídeos do programa Caminhos da Uepa
- Orientação e oficinas inscrições nos Processos Seletivos da Uepa
Paragominas – 20/08
- Exposição
- Apresentação de vídeos
- Experiência de laboratório, Teste Vocacional
Tucuruí – 21 e 22/08
- Palestras
- Oficinas
São Miguel do Guamá – 23/08
- Apresentação do perfil e da função do profissional das áreas de Biologia, Física, Química, Matemática, Filosofia, Letras e Pedagogia
- Visitação de estandes
- Teste Vocacional
- Palestras
Conceição do Araguaia – 25 a 29/08
- Divulgação nas escolas estaduais
- Exposição sobre os Cursos, rádio universitária
- Palestras
- Evento acadêmico cultural
- Oficina de danças
Moju – 26 e 27/08
- Palestras
- Exposições
- Oficinas
- Teste Vocacional
Barcarena – 28 e 29/08
- Palestras
- Demonstração de Experiências
Salvaterra – 28 e 29/08
- Palestras
- Comunicação Visual (demonstrações, estandes, painéis, apresentações de slides)
- Momentos motivacionais, questionários
Castanhal – 29/08
- Palestras
- Teste vocacional
- Oficinas
- Exposições
Santarém – 29/08
- Apresentação cultural
- Visitas aos laboratórios
- Atividades técnicas
Igarapé-Açu – 1º a 5/09
- Mesa Redonda
- Oficinas
- Palestras
Serviço:
Feira de Orientação Vocacional da Uepa
Data: 28/07/2014 (em Belém)
Local: Ginásio do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Av. Almirante Barroso, entre Tv. Perebebuí e Dr. Freitas. Bairro do Marco. Belém-PA. (Entrada pelo portão da Perebebuí).
Hora: das 9h às 17h

Texto:
Janine Bargas


Simpósio tem como tema problemas socioambientais da Amazônia na Uepa de Marabá
Para discutir os problemas socioambientais da Amazônia Oriental, professores e alunos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) participarão do I Simpósio Multidisciplinar da Uepa Marabá, no sudeste paraense, de 22 a 24 de outubro deste ano. O período de submissão de trabalhos iniciou no dia 13 de agosto e segue até 15 de setembro.
A Comissão Científica do Simpósio aceitará trabalhos nas áreas de Educação, Tecnologia e Produção e Saúde nas sessões de Apresentação Oral e Apresentação em Poster. Para submeter as propostas, os interessados devem enviar os trabalhos para o e-mail: trabalhossimposiouepamaraba@outlook.com, até às 18h do dia 15 de setembro, de acordo com as normas de publicação.
Os critérios de seleção dos trabalhos são: observância à formatação prescrita; coerência da conclusão com o desenvolvimento; originalidade dos argumentos e da abordagem; grau de reflexividade; consistência técnica e qualidade da pesquisa. 
O Simpósio faz parte da V Semana Acadêmica do campus de Marabá. Para o professor Vítor Martins, coordenador administrativo do campus, trata-se de uma oportunidade de envolver a comunidade acadêmica e dar atenção às realidades regionais. “Pretendemos integrar os acadêmicos, professores, técnicos administrativos e a comunidade em geral para confraternizar e discutir diferentes temáticas nos âmbitos das áreas de atuação dos cursos ofertados pela instituição”, afirma.
Confira as normas de publicação e a programação no site www.uepa.br
Cronograma
Submissão de trabalhos: de 13 de agosto a 15 de setembro
Divulgação / notificação por e-mail dos trabalhos aprovados para publicação: 22 de setembro
Período de inscrição no evento objetivando garantir a publicação do trabalho aceito para publicação (após divulgação dos trabalhos aceitos será disponibilizada via e-mail uma ficha de inscrição): 23 de setembro a 10 de outubro
Período de inscrições de não autores: (Realizada na secretaria do Campus VIII – Uepa Marabá e no dia do evento no setor de credenciamento): 13 de agosto até a data do evento
Serviço:
I Simpósio Multidisciplinar da Uepa Marabá: As problemáticas Socioambientais na Amazônia Oriental
Data: de 22 a 24 de outubro de 2014
Local: Universidade do Estado do Pará, Campus de Marabá. Av. Hiléia Agrópolis do INCRA (ao lado do INCRA), s/n, Bairro Amapá.
Informações: (94) 3324 3400

Texto:
Janine Bargas


Quinze escolas recebem projeto piloto Rádio-Escola
Um projeto piloto que dará oportunidade aos alunos das escolas públicas do Estado do Pará de colocarem em prática o conhecimento, a criatividade, o talento e, acima de tudo, ser um instrumento pedagógico para interação com professores, gestores e comunidade em geral. Essa é a proposta do projeto Rádio-Escola, anunciado pela Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) e Secretaria de Estado de Educação do Pará (Seduc). 
Inicialmente, o projeto será realizado, em caráter experimental, nas escolas Honorato Filgueiras, Pinto Marques, Dr. Freitas, Aldebaro Klautau, Costa e Silva, Jorge Lopes Raposo, Hilda Vieira, Magalhães Barata, Jarbas Passarinho, Nedaulina Viana, Regina Coely, Izabel Amazonas, Maria Araújo de Figueiredo, Maria Helena Valente Tavares e Palmira Gabriel.
A Rádio-Escola é um desdobramento do Biizu, projeto desenvolvido pela Secom, por meio da Diretoria de Comunicação Popular, que nos últimos três anos tem promovido oficinas de capacitação para estudantes das escolas públicas em diversas áreas, como rádio, fotografia, grafite, entre outros. Ao longo desta semana, a Diretoria de Comunicação Popular da Secom realizará um diagnóstico nas escolas, verificando se todas possuem os equipamentos e estão aptas para o uso e o que será necessário para que a Rádio-Escola comece a funcionar nas instituições.
O próximo passo, após o levantamento, será a seleção das escolas para os dias de oficinas de capacitação, previstos para o período de 8 a 13 e 15 a 20 de setembro; 20 e 25 de outubro e 17 a 22 de novembro. A expectativa é de que a Rádio-Escola comece a operar até o início de 2015. O professor Wagner Barros, diretor da Escola Honorato Filgueiras, localizada em Mosqueiro, avaliou como positiva a iniciativa. “Eu vejo o projeto da Rádio-Escola como uma grande contribuição para os alunos, uma vez que eles precisam de qualificação. Nossa escola já tem um estúdio climatizado e também está inclusa no projeto Mais Educação, então isso só veio somar ao desenvolvimento dos alunos e de toda comunidade escolar”, pontuou.
O secretário de Comunicação do Estado, Daniel Nardin, ressaltou que a parceria com a Seduc visa incrementar o projeto “Pacto pela Educação”, conduzido pelo Governo do Estado. “Como a Seduc já dispõe de equipamentos, via MEC, a Secom entra com a outra parte, que é o treinamento e a qualificação, através das oficinas do Biizu. A diferença, agora, é que temos um foco definido, que é fazer funcionar a rádio-escola, para que os alunos tenham não só o treinamento, mas possam por em prática o conhecimento que receberam. É a comunicação não só como instrumento de divulgação, mas também de transformação da sociedade através da educação”, avaliou.
A ideia, segundo Nardin, é de que, futuramente, a Secom faça parceria com a Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa) para que a Rádio Cultura veicule os programas produzidos pelas escolas. Os programas terão cunho pedagógico, com temas voltados à cidadania, meio ambiente, saúde, entre outros.

Texto:
Fabiana Gomes


Município de Oriximiná ganhará Escola Tecnológica
A população de Oriximiná e municípios vizinhos passará contar com uma escola profissionalizante a partir do dia 19 deste mês. A instituição, que tem capacidade para atender 1.440 estudantes, abre as atividades com a oferta de dois cursos - agropecuária e mineração – aproveitando as demandas e oportunidades de geração de emprego e renda naquela região. A cerimônia de inauguração com a presença dos secretários especiais de Proteção Social, Adnan Demacki, e Promoção Social, Alex Fiúza de Mello, e do Professor Marcos Ximenes, que representará a Secretaria de Educação do Pará (Seduc). O processo seletivo para os novos alunos deverá ser realizado até o final deste ano.
Além dessas aulas específicas, como explica Socorro Marques, coordenadora de Educação Profissionalizante da Seduc, serão programados cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) com 160 horas até dezembro. A implantação da escola foi possível graças a uma parceria entre o governo do Estado, responsável pela coleta de dados socioeconômicos regionais e formatação do projeto pedagógico, e o Governo Federal, via Programa Brasil Profissionalizado, que ficou a cargo da instalações físicas, equipamentos e mobiliários.
Técnicos da Seduc atuam na sensibilização de lideranças empresariais e da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) para agregar atividades produtivas e cursos paralelos à Escola Tecnológica em Oriximiná. A construção da EETEPA naquele município segue o padrão do Ministério da Educação: 12 salas de aula, seis laboratórios básicos (Biologia, Química, Física, Matemática, Línguas e Informática), auditório, biblioteca, teatro de arena, refeitório, área de vivência, quadra poliesportiva coberta e dois grandes laboratórios especiais para preparação de jovens para o mercado de trabalho, a partir das especificidades regionais.
Missão institucional
As escolas tecnológicas estão inseridas no universo das mais de mil escolas da rede estadual de ensino atendendo cerca de 650 mil estudantes em 144 municípios paraenses, e oportunizam a formação profissional de jovens e adultos. Até o momento existem 17 estabelecimentos desse tipo funcionando no Estado. De acordo com o planejamento da Seduc, mais nove escolas tecnológicas estão em construção.
O Pará tem sete escolas tecnológicas: em Belém estão as escolas “Francisco de Azevedo”, em Icoaraci; Colégio “Paes de Carvalho”, Instituto de Educação do Pará (IEEP), Colégio “Deodoro de Mendonça”; Escola “Anísio Teixeira”, Escola “Magalhães Barata” e Escola “Francisco Nunes”; em Marituba estão a “Dom Aristides Pirovano” e “Juscelino Kubitschek”; em Santa Izabel a “Albertina Leão”; CIEBT em Cametá e mais as escolas de Paragominas, Salvaterra, Tailândia, Monte Alegre, Itaituba e Vigia.
O Estado tem demonstrado alta capacidade na geração de empregos formais, liderando, inclusive, a contratação de trabalhadores na Região Norte nos últimos 12 meses, de acordo com dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômico. Pelo levantamento do Dieese-PA, o Estado apresentou o número recorde de 6.025 empregos formais no mês de junho, e de janeiro a junho de 2104 contabilizou 15.406 empregos gerados. Nos últimos 12 meses, o Pará gerou 30.034 empregos.
Mas os especialistas da área econômica e educacional apontam a necessidade de o Estado continuar investindo na qualificação da mão de obra para aproveitar a oferta de empregos formais no território paraense. Nesse contexto, as escolas tecnológicas estaduais e o ensino regular na rede pública estadual têm importância estratégica para a formação do alunado paraense.
Os cursos ofertados nas escolas tecnológicas são definidos de acordo com os Arranjos Produtivos Locais (APLs), que identificam as necessidades de mão de obra para cada região de integração no Estado.

Texto:
Eduardo Rocha


Pacto pela Educação instala comitê municipal em Abaetetuba
O Pacto pela Educação do Pará instala, nesta quarta-feira, 20, o Comitê Municipal de Abaetetuba. Com adesão do município ao Pacto sobem para 16 os comitês municipais instalados, além dos 13 comitês regionais, que compõem o sistema de governança do programa, que até 2017 vai aumentar em 30% o Índice de Desenvolvimento Educação Básica (Ideb) no Pará.
Com as presenças do secretário de Estado de Educação, José Seixas Lourenço; do secretário municipal de Abaetetuba, Jeferson Felgueiras; a prefeita de Abaetetuba, Francineti Maria Carvalho; do gestor do Pro Paz,  Simão Bastos, e autoridades dos municípios da região, acontecem ainda a assinatura do Termo de Adesão ao Pacto, documento que formaliza a parceria com o município e representantes da sociedade civil.
Uma extensa programação que acontece desde a véspera, dia 19, inclui oficinas para 120 especialistas de educação dos municípios de Abaetetuba, Barcarena, Cametá, Acará, Moju e Igarapé-Miri, com vistas à instalação de comitês municipais do Pacto naqueles municípios. Da oficina também resultará a elaboração do Plano de Ação do Comitê Municipal de Abaetetuba.
Ainda no dia 20 acontecem, em Abaetetuba, eventos do Programa de Prevenção e Combate às Drogas (Proerd), da Polícia Militar; Projeto Escola da Vida (PEV), do Corpo de Bombeiros; e lançamento do Pro Paz nos bairros.
Serviço: Instalação do Pacto Municipal de Abaetetuba, dias 19 e 20 de agosto, no auditório do Colégio São Francisco Xavier, à Avenida 15 de Agosto esquina Padre Luis Varela ao lado da Praça da Conceição, em Abaetetuba.

Texto:
Jimena F. Beltrão


Marudá recebe Jogos Indígenas em setembro
A cidade de Marudá, distrito de Marapanim, vai sediar de 4 a 10 de setembro deste ano a quarta edição dos Jogos Tradicionais Indígenas do Pará. O lançamento oficial do evento, feito na noite do último sábado, 16, em Marudá, marca a retomada de uma programação que visa difundir não apenas as práticas esportivas desses povos, mas a tradição e a cultura indígena paraense.
A cerimônia foi aberta com um vídeo que mostrou as três edições do Jogos Tradicionais já realizadas no Pará - a primeira vez em Tucuruí, em 2004; a segunda em Altamira, em 2005, e a terceira em Conceição do Araguaia, na praia da Gaivota, em 2006. Uma versão dos Jogos, feita em caráter nacional, foi realizada há 14 anos, na praia do Crispim, também em Marapanim.
Os Jogos Tradicionais Indígenas do Pará são uma promoção do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) e parceria com o Comitê Intertribal Indígena, com apoio da Paratur, Setur, Prodepa e patrocínio de Caixa Econômica e Celpa.
O secretário de Estado de Promoção Social, Alex Fiuza de Melo, destacou a importância do evento. "Tenho a honra de fazer o lançamento destes Jogos. Esse é um evento de muitas nuances que precisam ser percebidas. Aqui teremos não apenas a valorização da cultura e do esporte de nossos irmãos indígenas, mas um importante incremento na área do turismo e na geração de renda para os moradores de Marudá", avaliou.
"Desenvolver e mostrar como o esporte se desenvolve entre os indígenas é uma das missões do Comitê Intertribal Indígena", explicou Marcos Terena, o representante dos povos indígenas brasileiros junto à Organização das Nações Unidas (ONU) e integrante da entidade. "O que vamos ver aqui são tradições que se renovam a cada edição dos Jogos, como esta aqui. Ressaltamos que o caráter não é competitivo e, sim, de celebração. Aqui veremos a força e a garra de cada etnia", disse Terena.
O princípio da celebração está presente na forma como os indígenas serão premiados nos Jogos. Todos os atletas receberão a mesma medalha, sem distinção de primeiro, segundo ou terceiro lugar. O mesmo vale para os troféus, iguais para todas as etnias, e que foram apresentados ao público durante o lançamento oficial dos Jogos Tradicionais.
Terena também lembrou os presentes que o caráter de congraçamento dos Jogos continua com as duas etnias convidadas: os Xerente, do Mato Grosso, e os Pataxó, da Bahia, que não participam das disputas. Os primeiros são os campeões brasileiros do futebol indígena e, por isso, farão um jogo amistoso com uma equipe de futebol de Marapanim. Já os Pataxó farão demonstrações de suas danças e rituais, como os que eles mostraram à Seleção Alemã de futebol durante a preparação dos jogadores para a Copa do Mundo 2014.
Preparativos - Na manhã de sábado, 16, houve uma reunião entre assessores da Seel e Carlos Terena, responsável pelo regulamento dos Jogos, onde muitos detalhes foram acertados. Foram definidos, por exemplo, os tempos para a disputas de futebol. O feminino terá tempo de 15 minutos e o masculino, 20, sendo que na final de futebol, os tempos ganham mais cinco e dez minutos, respectivamente.
O tempo da corrida de fundo será de cinco mil metros, percorridos pelas ruas de Marudá. Os instrumentos para o arremesso de lança foram exibidos e avaliados pelos irmãos Terena, que deram opiniões e sugeriram as mudanças a serem feitas.
Ainda na manhã de sábado, Carlos Terena conheceu os campos de futebol da cidade, onde os jogos de futebol serão realizados. As finais masculina e a feminina serão no Estádio Municipal de Marapanim. Outro local visitado foi a localidade de Vista Alegre, onde serão realizadas as provas dos esportes aquáticos de natação e de canoagem. As disputas de canoagem terão a participação da ONG paraense Argonautas, que já organiza esse tipo de provas em todo o Pará e em outros Estados.
As ocas para hospedagem dos cerca de 600 indígenas de 13 etnias paraenses e das duas convidadas já estão prontas. Elas foram construídas em um sítio localizado entre Marapanim e Marudá, escolhido propositadamente para que eles fiquem mais à vontade e mais próximos das condições em que vivem normalmente. Já a área de convivência,  com três ocas maiores, fica na praia da orla de Marudá. As obras continuam em ritmo acelerado.
Credenciamento - A partir desta segunda-feira, 18, repórteres, fotógrafos e estudantes do último ano de Comunicação Social já podem acessar o site dos IV Jogos Tradicionais Indígenas para fazer seu credenciamento para a cobertura jornalística do evento. O procedimento é necessário a todos e será feito até o dia 2 de setembro. O endereço é www.seel.pa.gov.br/jogosindigenas, link "imprensa". Outras informações podem ser obtidas pele telefone (91) 3201-2322.

Texto:
Dedé Mesquita







Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...