Total de visualizações de página

terça-feira, fevereiro 19, 2013

O Estado do Pará está de luto: faleceu o ex-governador ALMIR GABRIEL




  


Detran não funcionará para atendimento ao público nesta quarta-feira
Em razão do luto oficial de sete dias decretado pelo Governo do Estado do Pará pelo falecimento do ex-governador Almir Gabriel, ocorrido na manhã de terça-feira, 20, o expediente nos órgãos estaduais foi facultado nesta quarta, 20. Assim sendo, não haverá atendimento ao público durante todo o dia de hoje no Departamento de Trânsito (Detran). O expediente será normalizado nesta quinta-feira, 21.


Governador Simão Jatene se emociona no velório de Almir Gabriel
Bastante emocionado, o governador Simão Jatene chegou ao velório do amigo e ex-governador Almir Gabriel, no Palácio Lauro Sodré, por volta das 17h30 desta terça-feira, 19. Acompanhado pelo prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, o chefe do Executivo Estadual preferiu não falar com os jornalistas. Mais cedo, durante a aula magna que proferiu na Universidade do Estado do Pará (Uepa), por ocasião da abertura do ano letivo daquela instituição, ele já havia manifestado pesar pela morte de Almir Gabriel. Nesta quarta-feira, 20, Jatene vai acompanhar o sepultamento do ex-governador, previsto para o final da manhã, em um cemitério de Castanhal, na região nordeste do Estado. O cortejo fúnebre sai do Palácio Lauro Sodré às 9h.
Iniciado por volta das 14h30 de ontem, o velório do ex-governador do Estado, Almir Gabriel, recebeu, durante a tarde inteira, a visita de diversas autoridades. Três ex-governadores do Pará (Alacid Nunes, Aurélio do Carmo e Carlos Santos), secretários de Estado, artistas, representantes de entidades, associações, movimentos sociais e partidos políticos fizeram questão de dar o último adeus àquele que é considerado um dos maiores líderes políticos da história recente do Pará.
O presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Alepa), deputado Márcio Miranda, esteve no local no início da tarde e retornou à noite. Definiu Gabriel como um homem de “muitas batalhas” e “disputas quase impossíveis”. O parlamentar lembrou do ex-governador como um excelente administrador, que precisou tomar decisões difíceis para sanar o Estado, mas, também, como alguém generoso, equilibrado e de poucos medos. “Fica o exemplo do homem público e da pessoa generosa, que nunca perdeu o inconformismo”, destacou, acrescentando que pretende lançar um livro com depoimentos de parlamentares paraenses sobre a convivência com Almir Gabriel. “Hoje, logo que soubemos da notícia da morte, os deputados subiram ao palanque e começaram a contar passagens interessantes que viveram com o ex-governador. Aí, me surgiu a ideia do livro”, completou.
O também deputado Gabriel Guerreiro, falou sobre a longa amizade com Almir, a quem conheceu ainda como médico, em meados da década de 80. “Como cirurgião, ele operou a minha mãe e, nessa época, ficamos amigos. Mais tarde, fui eleito deputado e lutei para ele ser nomeado prefeito de Belém, o que acabou acontecendo. Ainda trabalhamos juntos na Constituinte de 1988, onde ele teve um papel destacado”, contou. Para Guerreiro, as principais características do ex-governador eram a coragem e a fidelidade aos seus princípios: “Ele era um homem de tomar decisões e não tergiversava sobre princípios. Ele simplesmente não colocava em debate aquilo em que acreditava”.
A mesma opinião tem o desembargador decano do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE), Milton Nobre. Ele é o único desembargador ainda em atividade nomeado por Almir Gabriel. “Sou o único desembargador do Tribunal que foi nomeado, ainda no século passado, pelo doutor Almir. Lembro dele como um homem público sério, honesto, competente e muito apaixonado pelas coisas em que acreditava, o que era um grande virtude. Almir perseguia os objetivos dele e isso fica como um grande exemplo para futuro”, ressaltou.
Muitos ex-colegas, servidores e pessoas que trabalharam com Almir Gabriel nos cargos públicos que ele ocupou fizeram questão de se despedir do líder político. O ex-governador Alacid Nunes, de 88 anos, foi um deles. Durante uma das suas gestões, Almir Gabriel foi seu secretário de Saúde. “O Almir foi um secretário de Saúde eficiente, que conseguiu colocar a Secretaria em uma situação muito boa, graças ao tino administrativo dele e aos bons relacionamentos que mantinha em Brasília, onde trabalhou durante algum tempo. Depois de secretário, ele se firmou na política do Pará e chegou a ser prefeito de Belém, por uma indicação minha, o que é motivo de grande orgulho pra mim”, frisou.
O engenheiro Amaro Klautau, secretário de Esporte no governo de Almir Gabriel, se disse orgulhoso por ter tido a chance de ajudá-lo a implementar obras tão importantes para o Pará. “Almir Gabriel criou, inovou e levou a imagem positiva do Pará ao mundo inteiro com grandes obras, que reduziram desigualdades sociais, como foi o caso da macrodrenagem, ou que encurtaram caminhos, como a Alça Viária. Sem dúvida, ele deixou um grande legado para o futuro do Pará”, avaliou.
Da mesma forma, o atual secretário de Estado de Saúde, o médico Hélio Franco, que trabalhou com Almir Gabriel durante os seus oito anos à frente do Executivo Estadual paraense (entre 1995 e 2002), lembra do ex-governador como um homem entusiasmado e exigente, que cobrava resultados impactantes em prol da população. “Nem todo mundo sabe, mas o doutor Almir teve a coragem de fazer algo que pouca gente teve: acabou com o problema dos hospícios no Estado, pelo que foi muito criticado, mas estava certíssimo. Hoje, todo o pessoal da luta antimanicomial no Brasil reconhece isso. Além de tudo, Almir Gabriel também foi um grande artífice da tríade da Seguridade Social, que é composta por assistência, previdência e saúde, na Constituição Brasileira. Todos os artigos que tratam desse tema tiveram participação decisiva do doutor Almir Gabriel e certamente a história vai fazer esse reconhecimento”, explicou.

Texto:
Elck Oliveira-Secom


Almir Gabriel é inspiração para a classe política paraense
Mais do que amigo e colega de trabalho em determinadas ocasiões, o médico e ex-governador do Pará, Almir Gabriel, tornou-se uma grande referência para homens e mulheres que, como ele, decidiram abraçar a vida pública. Sua trajetória, baseada no trabalho incansável e na paixão pelos ideais em que acreditava, agora, serve de inspiração e exemplo para a classe política do Estado e do País.
Foi o que disse, por exemplo, o deputado estadual José Megale. Ele destacou a capacidade de ousar, que marcou as duas gestões de Almir Gabriel à frente do Governo do Pará. “Sem dúvida, ele foi um visionário, alguém que teve a capacidade de estabelecer uma nova economia no Estado, através de estradas, obras estruturantes, que priorizaram, por exemplo, o turismo. Estão aí obras como o Mangal das Garças e a Estação das Docas, entre tantas outras, que não nos deixam mentir. O povo paraense teve a chance de acreditar de novo nos seus governantes a partir de Almir Gabriel. Por isso, a classe política sempre o respeitou, independentemente de ser aliada ou não”, analisou.
O deputado Ítalo Mácola, que foi chefe da Casa Civil do então governador Almir Gabriel, definiu-o como “um vitorioso”, tanto na carreira como médico quanto na vida pública. “Ele foi médico bastante famoso e de muita competência. Também foi um secretário de Saúde de muita competência. Como prefeito de Belém, mudou a cara da cidade e, como senador, escreveu uma página importante da vida dele quando discutiu a saúde na constituinte. E, como governador, foi um dos maiores administradores que conheci na minha vida, deixando a sua marca não só na infraestrutura do Pará, mas também na administração pública, mudando e modernizando tudo. Muitas das coisas em que acredito hoje, de como um homem público deve ser, vieram dos ensinamentos do doutor Almir Gabriel”, frisou.
O ex-secretário especial de Defesa Social na segunda gestão de Almir e procurador de Justiça, Manoel Santino, contou que ingressou na política por incentivo de Almir. Para ele, o Pará “perdeu um dos seus mais ilustres filhos”. “Exemplo de dignidade, de honra e de trabalho”.
A mesma consternação manifestou a jornalista e ex-vice-governadora do Estado, Valéria Pires Franco. “Além da saudade, fico com a gratidão, pois ele me deu oportunidade muito grande, de viver uma experiência muito interessante na minha vida. Ele foi um ‘paizão’ para muitas pessoas e eu acho que fui uma delas”, destacou.
Lembranças parecidas tem o atual prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro. À época em que foi prefeito de Ananindeua pela primeira vez, Almir Gabriel era o governador do Estado. Pioneiro lembra que o então governador costumava chamar os prefeitos para conversas constantemente. “Nessas conversas, ele nos tratava muito mais como amigo e pai, chamando a atenção para os nossos deslizes. Era, definitivamente, um homem de tomar posição, além de honesto, correto e compromissado com o desenvolvimento do Estado do Pará”, concluiu.
Já o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, recordou as últimas conversas que teve pessoalmente com o ex-governador, ainda este ano, antes da última internação de Almir Gabriel. “Ele estava muito debilitado fisicamente, mas mantendo o brilho nos olhos e apresentando sugestões para a prefeitura de Belém. Ele dizia que não podíamos ser gestores da mesmice, mas sim da inovação e ousadia. Essa, então, é a mensagem que ele vai deixar pra mim, ao lado do exemplo de vida de alguém que se dedicou muito à coisa pública”, ressaltou.
Homenagens
Durante toda a tarde desta terça-feira (19), órgãos de Estado, partidos políticos, associações, entidades de classe, instituições públicas e privadas, personalidades, amigos e familiares fizeram questão de prestar homenagem ao ex-governador do Pará, através do envio de flores. Até por volta das 19h, mais de 60 coroas estavam depositadas no hall de entrada do palácio Lauro Sodré, onde o corpo de Almir Gabriel estava sendo velado.
Entre as mais destacadas, estavam a do ex-governador e empresário cearense Tasso Jereissati; a da Fundação Mário Covas (Almir Gabriel foi candidato a vice-presidente do Brasil na chapa de Covas nas eleições de 1989); a da executiva nacional do PSDB e a da cantora Fafá de Belém.

Texto:
Elck Oliveira-Secom


Pagamento dos servidores do Estado começa na próxima sexta-feira
O Governo do Estado inicia nesta sexta-feira, 22 o pagamento dos servidores públicos da administração direta e indireta referente ao mês de fevereiro de 2013. Segundo o cronograma divulgado pela Secretaria de Estado de Administração (Sead), os inativos militares e pensionistas civis e militares serão os primeiros a receber os seus vencimentos. O cronograma de pagamento encerra no dia 28, com os servidores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), da capital e do interior. Consulte abaixo o calendário completo:

Cronograma de Pagamento de Fevereiro de 2013

Dia 22 (sexta-feira) - Inativos militares e pensionistas civis e militares;

Dia 25 (segunda-feira) - Inativos civis e pensões especiais/ Sead;

Dia 26 (terça-feira) - Auditoria, Casa Civil, Casa Militar, Consultoria Geral, Defensoria Pública, Gabinete da Vice-governadoria, Procuradoria Geral, NAF, Secretarias Especiais, Sepaq, Secti, Sead, Sefa, Sepof, Sagri, Sema, Secult, Sedurb, Seel, Seicom, Sejudh, Seop, Sespa, Seter, Seas, Setran, Secom e Setur;

Dia 27 (quarta-feira) - Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Segup, Adepará, Arcon, Asipag, CDI, Ceasa, Cohab, CPC Renato Chaves, Detran, EGPA, Emater, Fundação Carlos Gomes, Fundação Tancredo Neves, Fundação Curro Velho, Fasepa, Funtelpa, Fapespa, Hospital de Clínicas, Hospital Ophir Loyola, Hemopa, Instituto de Artes do Pará, Imetropará, Iasep, Igeprev, Imprensa Oficial, Iterpa, Jucepa, Paratur, Prodepa, Santa Casa, Susipe, Uepa, Ideflor, Idesp, Loterpa, Companhia de Portos e Hidrovias e Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano;

Dia 28 (quinta-feira) - Seduc

Texto:
Renan Malato-Sead
Fone: (91) 3289-6219 / (91) 8883-2885


Alimentos impulsionaram inflação em janeiro na RMB
O grupo Alimentação e Bebidas foi um dos principais impulsionadores da inflação registrada na Região Metropolitana de Belém (RMB). É o que aponta o boletim de Índice de Preços ao Consumidor, elaborado pelo Instituto de Desenvolvimento, Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp). Os dados divulgados mostram que durante o mês de janeiro deste ano as variações de preços dos bens e serviços que compõem o orçamento das famílias residentes na RMB, com rendimentos entre um e oito salários mínimos, registrou taxa de 1,61%.
O índice está 0,55% pontos percentuais acima do que foi registrado no mês anterior (dezembro/2012), quando a mesma taxa foi de 1,06%. Para as famílias com rendimento entre um e quarenta salários mínimos o índice da infalação ficou em 1,40%. Nos últimos doze meses (fevereiro/12 a janeiro/13) a taxa calculada foi de 13,52%, ficando 5,23 pontos percentuais acima do resultado observado no período anterior (fevereiro/11 a janeiro/12), de 8,29%.
O grupo que apresentou a maior variação em janeiro deste an foi Educação, Leitura e Papelaria (5,59%), influenciado pelos reajustes ocorridos no subgrupo Educação (6,95%). A tendência de alta se deve ao período de renovação das matrículas escolares e dos gastos com material escolar. A segunda maior taxa foi observada no grupo Alimentação e Bebidas (3,00%), que é o de maior representatividade, com participação de 34% no orçamento familiar.
O aumento na taxa nesse grupo pode ser explicada, em parte, pelas condições climáticas que afetaram as produções agrícolas dos maiores centros geradores desses itens, o período de entressafra de alguns produtos e os altos custos dos fretes para Belém, que influenciou consideravelmente a alta dos preços no setor alimentício. Foram verificadas altas nos preços médios de produtos de grande relevância para o belenense, como farinha de mandioca (9,47%); Peixes e Crustáceos (6,10%) – con destaque para a tainha (12,66%), pescada (10,43%) e caranguejo (5,84%); e ainda um dos alimentos mais consumidos pelo belemense: o açaí ( 21,59%).
Vale ressaltar que o subgrupo Alimentação Fora do Domicílio também teve participação importante no comportamento geral da inflação. A variação mensal foi de 1,64%, com destaque para almoço e jantar fora de casa (13,16%), leite, café com leite (12,77%) e cafezinho (3,82%).
Além disso, a altas relacionadas ao grupo Alimentação e Bebidas tiveram forte influência no valor da Cesta Básica do mês de janeiro que foi de R$ 254,32, correspondendo a 37,51 % do salário mínimo vigente (R$ 678,00), apresentando variação de 6,39% em relação ao mês anterior, quando essa taxa ficou em 0,18%.
Os demais grupos que tiveram variação positiva foram Despesas e Serviços Pessoais (1,87%); Vestuário (1,84%); Móveis e Equipamentos Domésticos (1,66%); Saúde e Cuidados Pessoais (0,95%). Outros grupos que registraram variações negativas foram Habitação (0,42%), Transporte (0,58%) e Comunicação (1,17%).
No grupo Despesas e Serviços Pessoais a taxa de 1,87% foi pressionada por vários itens, entre os quais emprego doméstico (9,00%), funeral (11,28%) e cigarros (11,62%). Em Vestuário, a taxa de 1,84% decorreu, em grande medida, da elevação dos preços de roupas Femininas (2,56%), Infantis (3,45%), Acessórios (3,90%) e Calçados (6,52%).
Em Móveis e Equipamentos Domésticos, a taxa de 1,66% foi resultante da elevação nos preços médios em itens como  Equipamentos Eletrônicos (6,35%). No grupo Saúde e Cuidados Pessoais a taxa de 0,95%, reflete os aumentos em medicamento (2,95%) que influenciou significativamente a taxa final do grupo devido à expressiva participação desse item no orçamento familiar (3,30%).
No grupo Habitação, a taxa negativa de 0,42% foi atenuada pela redução no preço médio do gás de cozinha (-4,12%). Em Transportes, a taxa de -0,58% foi em função de alguns itens com maior participação e que registraram taxas negativas, como serviços de táxi (6,53%), redução esta em função do retorno ao uso da bandeirada normal. Por fim, no grupo Comunicação, a baixa de -1,17% foi influenciada pelos itens: TV por assinatura (-1,57%), aparelho telefônico convencional (-2,00%) e aparelho telefônico celular (-9,20%).

Texto:
Fernanda Graim-Idesp

 





Nota de Falecimento
A Secretaria de Comunicação do Governo do Estado (Secom) informa, com pesar, o falecimento do ex-governador do Estado do Pará, Almir José de Oliveira Gabriel, na manhã desta terça-feira, 19 de fevereiro, em Belém. O corpo será velado no Palácio Lauro Sodré, onde receberá as homenagens oficiais como chefe de Estado. 

O sepultamento será no túmulo da família Gabriel, em Castanhal. Em sua carreira política, Almir Gabriel passou pelos cargos de prefeito de Belém, senador da República e governador do Pará por duas vezes, destacando-se como uma das maiores lideranças políticas do Estado. 




Morre em Belém o ex-governador
do Pará, Almir Gabriel


 Secretaria de Comunicação do Governo do Estado (Secom) informa, com pesar, o falecimento do ex-governador do Estado do Pará, Almir José de Oliveira Gabriel, na manhã desta terça-feira, 19 de fevereiro, em Belém. O corpo será velado no Palácio Lauro Sodré, onde receberá as homenagens oficiais como chefe de Estado. 
O sepultamento será no túmulo da família Gabriel, em Castanhal. Em sua carreira política, Almir Gabriel passou pelos cargos de prefeito de Belém, senador da República e governador do Pará por duas vezes, destacando-se como uma das maiores lideranças políticas do Estado. 

Texto:
Ádna Figueira-Secom

Simão Jatene lamenta morte do ex-governador Almir Gabriel



O govenador do Estado, Simão Jatene, lamentou a morte do morte do ex-governador Almir Gabriel e pediu um minuto de silencio, durante a aula magna que ministra, neste momento, na Universidade do Estado do Pará (Uepa), em Belém. Almir  faleceu na manhã desta terça-feira, 19, aos 80 anos, em um hospital particular de Belém, onde estava internado desde o início de fevereiro. Há alguns anos o político vinha lutando contra um edema e um enfisema pulmonar, agravados, ao longo do tempo, pelo tabagismo. O velório acontecerá no Palácio Lauro Sodré, no bairro da Cidade Velha, a partir das 14 horas. O enterro será na quarta-feira, 20, em Castanhal, cidade natal do ex-governador. O cortejo deverá sair de Belém às 9 horas.
Ao iniciar sua aula no auditório da Uepa, Simão Jatene citou o escritor Ernest Hemingway ao comentar o falecimento do ex-governador Almir Gabriel. “Nenhum homem é uma ilha isolada. Somos parte de um continente. A morte de cada ser humano me enfraquece, porque sou parte da humanidade”, afirmou. “Confesso que pensei seriamente em não ministrar esta aula, mas tenho certeza, pelo o que conhecia do Gabriel, que ele preferia que eu continuasse”, acrescentou.
Formado em Medicina pela Universidade Federal do Pará (UFPA), com especialização em Cardiologia, Almir Gabriel exerceu dois mandatos consecutivos como chefe do Executivo Estadual, depois de vencer duas disputas em segundo turno, derrotando Jarbas Passarinho e Jader Barbalho. Governou o Pará entre os anos de 1995 e 2002, sendo sucedido pelo atual governador Simão Jatene, à época em seu primeiro mandato. Em 2006, Almir concorreu novamente ao governo do Estado, sendo derrotado por Ana Júlia Carepa (PT).
Os oitos anos à frente da administração do Estado foi marcado por obras de infraestrutura e pelo início da revitalização turística da capital paraense. Entre elas está o projeto que levou energia firme de Tucuruí para o oeste paraense, batizado como Tramoeste; a Alça Viária, complexo de pontes e estradas que interliga a Região Metropolitana ao interior do Pará; a macrodrenagem da Bacia do Una, a construção do Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão), do Aeroporto Internacional, do Complexo Feliz Lusitânia, e da Estação das Docas, em Belém; o porto de Vila do Conde, em Barcarena; e a recuperação de grande parte da malha viária do Estado.
Almir Gabriel também foi um dos fundadores, no final da década de 80, ao lado do ex-presidente Fernando henrique Cardoso e de outros políticos do país, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), do qual se desfiliou em 2009. Ainda esteve à frente da Prefeitura de Belém entre os anos de 1983 e 1986, e foi um dos representantes do Pará no Senado Federal, além de dirigir o Hospital Barros Barreto, em Belém, e a Divisão Nacional de Pneumologia Sanitária do Ministério da Saúde. Concorreu em 1989, como vice à presidência da República, na chapa encabeçada por Mário Covas.

Texto:
Amanda Engelke-Secom





PSDB lamenta falecimento
de Almir Gabriel


O PSDB lamenta profundamente o falecimento do ex-governador do Pará Almir Gabriel, ocorrido na manhã desta terça-feira (19), em Belém. Gabriel, que governou o estado por duas vezes, teve papel fundamental no desenvolvimento da região, lutando por mais investimentos em infraestrutura e melhorando a qualidade de vida do povo paraense.
Seu caráter irretocável e espírito de liderança estão arraigados nos princípios do PSDB, partido que ajudou a fundar em 1988, com outras lideranças como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o ex-governador Mário Covas.
Também foi profunda sua contribuição por maior justiça social a todos os brasileiros, uma vez que Almir Gabriel foi senador constituinte e relator do texto da Ordem Social, presente na Constituição Federal Brasileira de 1988.
Expressamos nossa solidariedade aos familiares e à população do Pará.


Brasília (DF), 19 de fevereiro de 2013
Deputado federal Sérgio Guerra
Presidente Nacional do PSDB








Médico que acompanhou Almir Gabriel explica causas da morte do ex-governador
O médico e primo de Almir Gabriel, José Guataçara Correa Gabriel, foi quem o acompanhou desde o início de sua doença. Ele explicou que o cigarro prejudicou muito o quadro do político paraense. Segundo Guataçara, o pulmão do ex-governador já estava todo comprometido e por apresentar um quadro sério de enfisema pulmonar, o coração dele também foi atingido, o que causou insuficiência cardíaca e, consequentemente, a falência múltipla dos órgaos.
Guataçara explicou que Almir foi internado várias vezes, mas foi no último dia 3 de fevereiro que sua situação se agravou e ele já não conseguia mais respirar. “Fizemos a entubação dele devido a insuficiência respiratória. Mesmo assim, o quadro foi piorando, o coração entrou em falência e ontem a noite ele apresentou um quadro de hemorragia digestiva. Tentamos de tudo, mas, pela manhã, às 8h, ele não resistiu e faleceu”.
Como médico, amigo e parente de Almir Gabriel, Guataçara lamentou a perda do ex-governador. Na opinião dele, Almir Gabriel foi um homem que fez muito pelo Estado do Pará. “Sem dúvida hoje o Pará é visto como antes e depois de Almir Gabriel. Todos nós paraenses devemos reconhecer a importância e o legado que ele deixou para o nosso estado”, concluiu.
O velório de Almir Gabriel acontecerá no Palácio Lauro Sodré, no bairro da Cidade Velha, a partir das 14 horas. O enterro será na quarta-feira, 20, em Castanhal, cidade natal do ex-governador. O cortejo deverá sair de Belém às 9 horas.

Texto:
Bruna Campos-Secom


Almir Gabriel deixa legado de obras que contribuíram para o desenvolvimento do Estado

Alça Viária, ponte "Almir Gabriel" sobre o rio Guamá


Alça Viária, ponte "Almir Gabriel" . Na foto, Almir com o
 ex-presidente Fernando Henrique Cardoso


Na foto: Dr. Almir Gabriel e Dra. Socorro Gabriel, na Estação das Docas


Jogo Brasil X Argentina na noite desta quarta-feira (28),
no Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão).


Os 396 anos da capital paraense são celebrados nesta quinta-feira, 12, com a valorização da história e da cultura da cidade. Os canhões do Forte do Presépio, na Cidade Velha, voltaram a disparar, mas desta vez para saudar o aniversário da capital do Estado.


Aeroporto internacional de Belém.



Mangal das Garças


Vista aérea do Complexo Feliz Lusitânia.



Estação das Docas – um dos mais bonitos cartões postais de Belém


Construída no século XVII, a Igreja de Santo Alexandre já fez parte de um convento jesuíta, e atualmente abriga o Museu de Arte Sacra do Pará, cujo acervo é formado por cerca de 300 peças barrocas. A igreja Integra o complexo Feliz Lusitânia, um conjunto de construções históricas que fazem parte do marco da fundação de Belém.


Estação das Docas – um dos mais bonitos cartões postais de Belém


Construída no século XVII, a Igreja de Santo Alexandre já fez parte de um convento jesuíta, e atualmente abriga o Museu de Arte Sacra do Pará, cujo acervo é formado por cerca de 300 peças barrocas. A igreja Integra o complexo Feliz Lusitânia, um conjunto de construções históricas que fazem parte do marco da fundação de Belém.



O Governo do Pará decretou, nesta terça-feira, 19, luto oficial de sete dias pelo falecimento de um dos políticos mais importantes da história do estado do Pará. O legado deixado pelo ex-governador Almir Gabriel foi de fundamental importância para o desenvolvimento do estado. Projetos Tramoeste e Luz no Campo; novo aeroporto internacional de Belém; reformulação da orla do Maçarico (Salinópolis); reforma e construção de 900 escolas; conclusão do Hospital de Clínicas; interiorização da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) estão entre as obras realizadas durante seus dois governos.
Foi durante sua gestão também que foram abertos e asfaltados mais de quatro mil quilômetros de estradas troncais e 20 mil quilômetros de estradas vicinais; o projeto Feliz Lusitânia, que mudou a paisagem do centro histórico de Belém; a Macrodrenagem da Bacia do Una; recuperação do Forte do Presépio e da Santa Casa; construção da Estação das Docas, do Planetário do Pará, do Estádio Olímpico do Pará, do Parque da Residência e da Alça Viária. Este é apenas um resumo das principais obras que o ex-governador Almir Gabriel, morto na manhã desta terça-feira (19), deixou para o Estado do Pará.
Filho de um imigrante libanês com uma professora primária, Almir Gabriel veio ao mundo em Castanhal, na região nordeste do Estado. Nascido em 18 de agosto de 1932, transferiu-se para Belém no final dos anos 40 para cursar o primário, o ginásio e o científico, os correspondentes, à época, do que seriam hoje os ensinos fundamental e médio. Aos 17 anos, com a perda do pai, passou a dividir as horas de aula e os deveres de classe com o balcão da loja dele, em Castanhal. Àquela altura, já era um dedicado estudante de medicina da Universidade Federal do Pará (UFPA), onde se formaria anos mais tarde. Tornou-se cirurgião dos mais respeitados e compromissado servidor público da saúde.
Foi diretor do hospital Barros Barreto e também atuou na Divisão Nacional de Pneumologia Sanitária do Ministério da Saúde. Um dos fundadores do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), foi secretário de Saúde e, depois, de Segurança no segundo governo Alacid Nunes, deixando sempre um rastro de competência nas instituições em que serviu. Assim foi, também, como prefeito de Belém, senador constituinte da república, candidato a vice-presidente do Brasil, e, por duas vezes consecutivas, governador do Estado do Pará (entre os anos de 1995 e 2002). Ao longo de sua trajetória, o respeito pela administração, o uso correto do dinheiro público, a ética, a paciência, o discernimento, o trabalho inesgotável, a coragem e a honestidade transformam-no em um ícone da história política do Pará.
Conhecido também pela personalidade forte, Almir Gabriel faleceu aos 80 anos, em decorrência de um enfisema pulmonar. Sem mandato político há seis anos e filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), vinha enfrentando diversas internações médicas nos últimos meses. Um dos seus últimos atos, no início deste ano, quando ainda em casa, onde gostava de cultivar flores – especialmente as orquídeas – foi um reencontro com o atual governador, Simão Jatene, amigo de longa data. Dias antes, Almir havia recebido, também em casa, o atual prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho. Na ocasião, fotos publicadas na internet chamaram a atenção do público para a aparência do ex-governador, que aparecia muito magro e abatido. Casado com Raquel Gabriel, Almir deixa os filhos Almir José, Haifa, Sâmia e Marcelo, frutos do primeiro relacionamento com Socorro Gabriel.

Texto:
Elck Oliveira-Secom



Nota à Imprensa
Prefeitura Municipal de Belém
  
O prefeito Zenaldo Coutinho decretou luto oficial de três (3) dias no município devido ao falecimento do ex-prefeito de Belém, ex-senador da República e ex-governador do Pará Almir José de Oliveira Gabriel.
Consternado e emocionado, o prefeito Zenaldo Coutinho lembrou que Almir Gabriel foi um dos maiores líderes políticos do Pará e que deixou um legado inestimável para o Estado.
Zenaldo Coutinho, que iniciou sua carreira política em 1982, rememorou sua longa convivência com Almir Gabriel na vida pública. Então deputado estadual, Coutinho foi líder do primeiro governo de Almir Gabriel (1995-1998) na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) e também presidente do Poder Legislativo naquele período. “Tivemos uma convivência muito próxima, produtiva e na qual eu absorvi muito conhecimento para a minha própria vida pública”, declarou Zenaldo.
Além da política, o prefeito Zenaldo Coutinho lembrou que tinha relações de amizade com o ex-governador e com família dele e que a perda de um amigo como Almir Gabriel é ainda mais dolorosa para ele.
“Almir Gabriel era um homem íntegro, um grande paraense, um grande brasileiro, foi um prefeito e um governador que deixou muitas realizações e muitas obras. Almir inspira a todos nós - a mim particularmente - que trabalhamos.
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...