Total de visualizações de página

quarta-feira, março 12, 2014

Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes em Breves








Detran oferece serviço de habilitação no interior
A terceira caravana de 2014 do Detran Itinerante, promovida pelo Departamento de Trânsito do Pará, oferecerá atendimento para serviço de habilitação em municípios do Arquipélago do Marajó, do sul e nordeste do Pará, a partir desta quinta-feira (13) até 29 de março. O projeto, supervisionado pela Coordenadoria do Núcleo de Ciretrans (CNCIR), realiza a ação com o objetivo de facilitar o acesso da população aos serviços do órgão, e possibilitar ao cidadão a aquisição da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).
O atendimento itinerante iniciará em São Félix do Xingu e será encerrado em Xinguara, no sul do Pará. O Detran Itinerante é composto por três fases. A primeira corresponde aos exames médico e psicológico, a segunda à prova de legislação (teórica) e a terceira ao exame de trânsito (prova prática). A Coordenadoria definiu o seguinte calendário de atendimentos para março:
Municípios que receberão a segunda fase: São Félix do Xingu (13 e 14), Cachoeira do Arari (14), Salvaterra (15), Soure (16), Conceição do Araguaia (15 e 16), Anajás (20 e 21), Santana do Araguaia ((20 e 21), Tucumã (22 e 23), Portel (23, 25 e 26), Breves (28 e 29) e Xinguara (29).
Municípios que receberão a terceira fase: Igarapé-Miri (15 e 16), Bragança (15 e 16) e Santa Izabel do Pará (22 e 23).
Todos os atendimentos são realizados na sede da Circunscrição de Trânsito (Ciretran) dos municípios, das 8 às 12 h e das 14 às 18 h.

Texto:
Edson Matoso


Ensino musical transforma a realidade de muitos paraenses
Aos 66 anos, a aposentada Geralda Menezes está prestes a realizar o sonho de infância. Se tornar uma tecladista profissional. “Eu sempre fui apaixonada por música, desde que me entendo por gente. Mas, infelizmente, por uma série de motivos, esse desejo acabou sendo adiado por muitos anos. E somente agora, com a chegada da aposentadoria é que eu vou finalmente concretizar”, ressalta dona Geralda.
Caloura do curso de musicalização do Instituto Estadual Carlos Gomes, em Belém, a aposentada pretende aplicar os ensinos recebidos em sala de aula nas apresentações de recitais da igreja Nossa Senhora das Graças, em Belém. “Levar o meu aprendizado para tocar na igreja é uma forma de prestar conta com a minha comunidade e usar os meus ensinamentos em favor de um bem comum”, afirma a futura tecladista.
Coordenador da escola de música Cristo Redentor, no bairro da Cabanagem, em Belém, Paulo Roberto Barra, 27, descobriu a paixão pela melodia quando ainda era criança. E, hoje já é uma referência de musicalização na comunidade onde mora. “Eu sou fruto de um projeto que deu certo. Eu entrei na escola de música Cristo Redentor, quando tinha apenas 12 anos. Foi aqui que eu descobri a paixão pelos instrumentos, pela harmonia e pelo poder de transformação que a música proporciona”.
Há 15 anos na entidade, o jovem coordena atualmente o projeto, realizado em parceria com a Fundação Carlos Gomes, que oferece ensino de música gratuito para 360 pessoas da comunidade. “Apesar da maioria dos nossos alunos serem de crianças e adolescentes, o público da escola é muito diversificado. Temos aqui idosos, adultos, gente de todas as idades. E o objetivo do projeto é um só. Proporcionar o ensino de instrumentos e teoria musical aos moradores da Cabanagem”, explica Paulo.
Segundo ele, o projeto já formou centenas de jovens e, inclusive, já encaminhou ex-alunos para cursos de aperfeiçoamento no exterior. “A prova que esse projeto está dando certo é ver ex-alunos estudando em faculdades de músicas no Brasil e fora do País, como é o caso de três alunos daqui que atualmente cursam mestrado em música em Portugal”, ressalta o jovem coordenador, que também é estudante de Música, na Universidade do Estado do Pará (Uepa).
De acordo com a professora Valdecíria Lamego, coordenadora do curso de Licenciatura em Música, da Uepa, a instituição tem investido na política de ampliação do ensino de música em todo o Estado. Além de Belém, a universidade também oferece o curso nos campus do município de Vigia de Nazaré e Santarém. “A ideia é estender o curso para diversos polos da Uepa, proporcionando a oportunidade de musicalização para um número cada vez maior de pessoas”, garante a educadora.
Além da Uepa, outra referência do ensino de música no Estado é a Fundação Carlos Gomes, que oferece atualmente cursos de musicalização nos níveis Fundamental, Técnico e Superior. “Graças a um intenso trabalho do nosso corpo docente e da proatividade dos alunos, a Fundação Carlos Gomes conseguiu ao longo dos anos se tornar uma das maiores referências de ensino musical no País, potencializando talentos e contribuindo para a qualidade da educação musical no Estado”, relata Cláudio Trindade, diretor de ensino da FCG.
Na última semana de fevereiro, durante um curso intensivo de aperfeiçoamento para estudantes de canto e piano, promovido pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), a música erudita paraense foi elogiada por dois importantes nomes da musica clássica do país. Em visita a Belém, o cantor lírico Eduardo Janho-Abumrad e o pianista João Moreira Reis, destacaram a promoção  e talento dos músicos paraenses. “Fiquei muito emocionado ao constatar quantos cantores talentosos tem o Pará. Todos os inscritos no master [curso intensivo de aperfeiçoamento], sem exceção, foram atentos e responderam com muita presteza e inteligência às minhas orientações. Espero sinceramente que o Festival de Ópera do Theatro da Paz continue a aproveitar os cantores que já estão com nível para tal”, ressaltou Eduardo Janho-Abumrad.
Para o pianista João Moreira Reis, que também tocou no recital do curso de aperfeiçoamento promovido pela Secult, o nível dos músicos paraenses está muito acima da média. “Foi uma satisfação muito grande participar do recital junto com os pianistas, na Igreja de Santo Alexandre. Os alunos de canto foram outra grande satisfação, jovens artistas de muito talento e atenção exemplar”, destacou. 

Texto:
Adison Ferrera


Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes em Breves
A Polícia Civil, por meio da Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV), divulgou, nesta quarta, 12, os resultados da Operação Upiara III, realizada em Breves, na ilha do Marajó. Ao todo, a Polícia Civil abriu quatro inquéritos policiais para apurar denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes na região. Em um dos casos, a equipe de policiais civis fez a prisão em flagrante de Jeremias de Oliveira, conhecido como Jereca, acusado de estupro de vulnerável. A vítima foi uma criança que morava em sua casa. Ele também é acusado de abusar sexualmente de outras crianças, na faixa de 7 a 12 anos de idade.
A operação é resultado da parceria entre a Polícia Civil e Grupamento Fluvial do Estado para garantir o atendimento psicossocial às vítimas. "Contamos também com o apoio e participação do Programa Pró-Paz Integrado, da Secretaria de Estado de Assistência Social, órgãos municipais e locais como CREAS (Centro de Referência Especializado em Assistência Social), CRAS (Centro de Referência em Assistência Social) e do Conselho Tutelar", detalha a delegada Simone Edoron Machado Araújo, diretora de atendimento a grupos vulneráveis da Polícia Civil.
A equipe sob coordenação da delegada Sílvia Mara Tavares, da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e Adolescente (Deaca), esteve no município por dez dias. No período, foi realizado um levantamento de casos de violência sexual contra crianças e adolescentes. Os policiais civis visitaram localidades da região, como Vila Corcovado; Vila Global; Vila Mainard; Comunidade Bom Jesus no Rio Aturiá; Comunidade do Rio Jaburu; Comunidade do Rio Jupatituba; Vila São Miguel dos Macacos no Rio dos Macacos; Comunidade do Rio Jipuuba no furo da Ilha Grande de São Miguel dos Macacos; Comunidade de Santana dos Macacos e sede do distrito de São Miguel dos Macacos, em Breves.
A  operação visa, além do atendimento à vítima, a repressão ao crime, o levantamento dos casos, a apuração das denúncias, a formação e orientação dos integrantes da rede de proteção e das família das vítimas. Dessa forma, salienta a delegada, a operação envolve toda a rede de serviços e de proteção para enfrentamento à violação de direitos. O trabalho faz parte de um planejamento de ações de prevenção, atendimento e repressão aos crimes sexuais contra crianças e adolescentes no arquipélago do Marajó. A ação é coordenada e desenvolvida pela delegada Simone Edoron Machado Araújo, diretora de Atendimento a Grupos Vulneráveis. Entre setembro de 2012 e novembro do ano passado, a equipe de policiais civis da DAV esteve em Chaves, Afuá, Anajás, entre outras localidades, no Marajó. O nome "Upiara" vem do Tupi-Guarani, que significa "aquele (a) que cuida".


Texto:
Walrimar Santos


Emater discute ações com técnicos de 46 municípios
Sessenta técnicos, de 46 municípios das regiões oeste e sul do Pará, participam até esta quinta-feira (13) da reunião de gestores promovida pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), para discutir as ações realizadas no triênio 2011/2013, que oferecem assistência técnica e extensão rural a comunidades rurais.
Nesta quarta-feira (12), a administradora de empresas Ana Rodrigues, professora da Universidade Federal do Pará (UFPA), abordou o trabalho desenvolvido pela Emater, seu planejamento e suas estratégias de ação, a fim de motivar ainda mais os profissionais que atuam no campo.
Entre os exemplos desse trabalho está o Escritório Regional de Altamira, que atende a nove municípios, e responde por mais de 70% do Cadastro Ambiental Rural (CAR) realizado em todo o Estado.
Em 2011, pouco mais de 4 mil famílias foram atendidas pelo Escritório de Altamira, e em 2013 esse número ultrapassou 6.500 atendimentos. Nos municípios vinculados ao Escritório Regional foram realizadas ações nas áreas de beneficiamento animal e vegetal, beneficiamento de leite e polpa de frutas, manejo de ordenha, filetagem de pescado e crédito rural. Todos os municípios do Escritório de Altamira integram a Região do Xingu, área de influência da Hidrelétrica de Belo Monte.
No Escritório Regional de Conceição do Araguaia, no sul do Pará, que congrega 15 municípios, foram realizados mais de 10 mil atendimentos a famílias de agricultores. Os municípios elaboraram quase 700 projetos técnicos, o que resultou na contratação de mais de R$ 33,5 milhões, financiados pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).
Só em 2013, mais de 130 toneladas de produtos foram comercializadas por famílias agricultoras. Por meio do Programa Nacional de Apoio à Merenda Escolar (PNAE) e do Programa Nacional de Aquisição de Alimentos (PAA), 255 famílias acessaram os programas com a intermediação da Emater, no sul do Pará. A empresa é formada por 12 regionais, instaladas nos 144 municípios paraenses.

Texto:
Iolanda Lopes


Simão Jatene participa de inauguração de complexo industrial em Benevides
O Pará ganhou, nesta quarta-feira, 12, um novo complexo industrial localizado no município de Benevides, na Região Metropolitana de Belém. Batizado de Ecoparque, o empreendimento, idealizado e construído pela empresa de cosméticos Natura – que também instalou no local a sua primeira fábrica de sabonetes da região –, tem área total de 172 hectares, que podem e devem ser ocupados pelos mais diferentes tipos de indústrias, da alimentícia à farmacêutica. A ideia da Natura é que outras empresas, alinhadas com o princípio da sustentabilidade e compromissadas com o desenvolvimento da região, possam se juntar a ela no espaço (a fábrica da companhia ocupa menos de 10% da área total). Em outubro deste ano já chega a primeira: é a alemã Symrise, do ramo de fragrâncias, aromas e ingredientes cosméticos.
O governador Simão Jatene acompanhou a cerimônia de inauguração do complexo, que fica a cerca de 35 quilômetros de Belém. Na solenidade, também estiveram presentes fundadores e diretores da Natura, secretários de Estado, cientistas e estudiosos da biodiversidade brasileira, além de representantes do governo federal e municipal de Benevides e  outros convidados. “A inauguração deste espaço representa um passo importante na superação do grande desafio amazônico, que é produzir de forma sustentável. Posso dizer que mais do que um empreendimento, o que estamos vendo aqui é um conceito, uma ideia de que é possível sim produzir na Amazônia de forma ambientalmente correta, pensando o ambiente não apenas no sentido restrito, mas de forma global, integrando o homem", destacou o governador. Jatene especifica ainda, que "o que está acontecendo hoje vem muito na direção do que estamos discutindo no Estado, de que precisamos fazer uma tripla revolução: pelo conhecimento, pela produção e por novas formas de gestão e governança. Fico muito feliz em participar desse momento por entender que o grande desafio do Pará é reduzir pobreza e desigualdade e, certamente, projetos como este têm esse condão. Por outro lado, um empreendimento tão grandioso não teria se instalado num local onde não houvesse perspectiva, o que demonstra que o Estado tem um ambiente seguro para os negócios e condições objetivas de receber empresas desse porte e, assim, contribuir para o desenvolvimento de todos”, ressaltou Simão Jatene.
A mesma opinião tem o diretor presidente da Natura, Alessandro Carlucci, que ressaltou a importância da parceria entre empresariado, sociedade e entes públicos, como governos e municípios, para a viabilização de empreendimentos como esse. Segundo ele, no caso do Pará, o interesse e a disponibilidade demonstrados pelo governo do Estado desde o nascimento do projeto até a sua concretização foram fundamentais para a tomada da decisão a respeito da implantação do Ecoparque aqui. “É sempre importante repetir que estamos muito motivados e entusiasmados com esse empreendimento, mas temos a total consciência de que qualquer iniciativa que queira ajudar no desenvolvimento sustentável da Amazônia tem que ser feita por um conjunto de atores empenhados em promover esse desenvolvimento, por isso, os entes públicos foram e continuam sendo muito importantes para qualquer iniciativa que queiramos fazer aqui”, pontuou.
Para Carlucci  o Ecoparque é um convite para que outras empresas, não necessariamente apenas as que têm algum tipo de relação com a Natura, possam usufruir de toda a infraestrutura montada no local e, ao mesmo tempo, alavancar a compra de insumos da biodiversidade local produzidos por famílias e comunidades organizadas. “O Ecoparque é um bom exemplo de projeto sustentável porque traz benefícios econômicos, ambientais e sociais. Através dele, vamos ampliar a compra de insumos, o que vai estimular economicamente a região, dar oportunidade de emprego e renda, melhorar a nossa logística de distribuição, ou seja, quando nos preocupamos com os temas socioambientais acreditamos que conseguimos aumentar o valor econômico também”, completou.
Antes do descerramento da fita que marcou oficialmente a inauguração da fábrica de sabonetes da Natura e, consequentemente, do Ecoparque, a vice-presidente de Operações e Logística da empresa, Josie Romero, apresentou alguns detalhes do projeto. Segundo ela, a Natura já atua há mais de dez anos na Amazônia e trabalha atualmente com 25 comunidades parceiras em toda a região e mais de 2,5 mil famílias envolvidas. Apenas no ano passado, a empresa investiu algo em torno de R$ 3,4 milhões na compra de matérias-primas.
Especificamente sobre a fábrica de sabonetes implantada no local, Josie esclareceu que em 2007 a Natura instalou, também em Benevides, uma saboaria, que continua em operação, mas que, aos poucos, será completamente absorvida pelo novo empreendimento, incluindo sua mão de obra. A saboaria não finalizava o sabonete, produzia apenas a massa do sabonete, que era concluído na região sudeste. Na nova fábrica, até o final deste ano, terão sido gerados 250 postos de trabalho diretos e mais 250 indiretos. E até o final de 2015, a fábrica vai ser responsável pela confecção de 80% de todos os sabonetes da Natura. A capacidade de produção da fábrica será de 220 milhões de barras (unidades) de sabonete e de 400 toneladas de óleos fixos naturais anualmente. A primeira leva de sabonetes totalmente produzidos na fábrica do Pará sai nesta quinta-feira, 13, de Benevides para distribuição por todo o País. O investimento no empreendimento foi de R$ 178 milhões.


Texto:
Elck Oliveira


Comitê municipal do Pacto pela Educação instituído em Belém
O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, implantou o comitê municipal do Pacto pela Educação, na manhã desta quarta-feira, 12, no auditório do Centro Integrado de Governo. A partir de Belém, outros 12 municípios paraenses instalarão, até abril, comitês responsáveis por potencializar os investimentos do Pacto pela Educação nessas localidades.
O Comitê Municipal de Belém é composto por um representante da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), secretários municipais (Educação, Assistência Social, Saúde, Meio Ambiente, Cultura, Esporte e Lazer, entre outros), empresas, um representante do Conselho Municipal de Educação e de outros conselhos (Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, Conselho Tutelar) e lideranças locais. No município o comitê terá o papel de acompanhar de perto a implementação dos programas e projetos do Pacto pela Educação, interagindo junto aos Comitê Regional e Estadual do Pacto. “O Pacto é um conjunto de pactos menores visando a junção de esforços em prol do alcance da meta estipulada de aumentar em 30% o Ideb do Pará nos próximos 5 anos. Neste contexto, essa rede de comitês promove esse esforço coletivo em prol da melhoria da educação básica no Pará. E esse momento de implantação do comitê municipal é especialmente importante porque é no município que temos a materialização das ações e das necessidades. Assim o Pacto estará aterrissando onde as coisas realmente acontecem”, declarou a diretora do Instituto Synergos, parceiro estratégico do Pacto pela Educação do Pará, Wanda Engel.
O secretário Estadual de Educação, José Seixas Lourenço, destacou a importância de Belém ser o primeiro município a instalar o comitê. “Belém terá um papel catalizador nesse processo e será referência para os demais municípios, até mesmo porque concentra mais de 30% das escolas da rede estadual. Estamos iniciando com os municípios polos dos 13 comitês regionais, que já estão em funcionamento, mas até dezembro pretendemos expandir o número de comitês para mais municípios”, explicou o secretário.
Um dos membros do Comitê Municipal de Belém, Márcio Sena, representante da Fundação Telefônica Vivo, disse que a partir de agora as ações que já são desenvolvidas nas escolas serão potencializadas. “Acreditamos no Pacto pela Educação do Pará e já estamos observando o impacto do conjunto de ações que esse movimento está provocando nas escolas. Continuaremos apoiando no que for necessário, pois temos a consciência do papel transformador da educação.
Integração - O Pacto pela Educação é um esforço liderado pelo Governo do Estado e conta com a integração de diferentes setores e níveis de governo, da comunidade escolar, da sociedade civil organizada, da iniciativa privada e de organismos internacionais, que tem como meta elevar o Índice de Educação Básica (Ideb) do Pará em 30%, nos próximos 5 anos. O Pacto prevê um investimento de cerca de 350 milhões de dólares na educação básica do Estado. O investimento está sendo aplicado na infraestrutura das escolas estaduais, na melhoria da qualidade do ensino e no aperfeiçoamento da gestão de escolas e da Seduc.
O prefeito de Belém disse que o Pacto coloca a educação na centralidade da administração pública. “Não é possível pensarmos em políticas públicas setorialmente. É fundamental integrarmos a administração pública e toda a sociedade em prol da educação, com metas monitoradas voltadas para a sua melhoria, pois só teremos uma sociedade desenvolvida, se tiver acesso a uma educação pública de qualidade. Por isso que esse esforço materializado pelo pacto, entre entes federativos, sociedade civil organizada e instituições públicas e privadas é tão importante para que a educação em nosso Estado possa dar a volta por cima”, ressaltou Zenaldo Coutinho.

Texto:
Danielly Gomes


Projeto de gestão do Hospital do Baixo Amazonas é destaque em revista
O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) foi destaque na HEALTHCARE IT, Revista da Philips, na edição de fevereiro deste ano, devido à implantação de um projeto piloto de gestão de organização de saúde, o TASY, que acabou com o uso das planilhas tradicionais e iniciou a implantação de um sistema integrado de gestão. O projeto é de responsabilidade da Área de Tecnologia da Informação (TI) do HRBA, e inicialmente foi implantado no Serviço de Nutrição e Dietética (SND). O texto publicado na revista, assinado por Gisélle G. Olimpio, está disponível na versão impressa, com uma tiragem de 3.000 exemplares, e também no site www.healthcareit.com.br, com link de página: http://www.cilatam.philips.com.br/pageflip/11/ 

Texto:
Amarildo Sena


Sessões de cinema mudo e música nas terças-feiras do Cine Olympia
O escurinho do Cinema Olympia ganha um toque especial todas as segundas terças-feiras do mês, com o projeto “Música e Cinema”, que rememora os tempos do cinema mudo em sessões com música ao vivo. Nesta terça-feira, 11, foi realizada a primeira sessão do projeto em 2014, com o filme “Carlitos Repórter”, de Charles Chaplin.
O projeto, que é uma parceria da Fundação Carlos Gomes (FCG) e Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel) e  Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA), começou em janeiro de 2013 em uma sessão especial em comemoração ao aniversário da capital paraense. No aniversário do Cinema Olympia, em abril do mesmo ano, a parceria voltou a acontecer e não parou mais, como informou  o superintendente da FCG, Paulo José Campos de Melo. “Começou como uma homenagem para Belém e continuamos homenageando não só a cidade, como o cinema. O bom é ver que duas instituições, governo e prefeitura, pegam bens culturais de grande originalidade como o cinema e o filme mudo, e tornam acessível para o grande público. Já tivemos sessões que foi necessário fechar as portas, porque a platéia superou a lotação do cinema”, contou Paulo José Campos de Melo.
A ideia de resgatar o cinema mudo “é fantástica”, na opinião da pesquisadora Cristina Sena. “Quando eu conto para as pessoas que assisti a um filme mudo acompanhado com música ao vivo tocada pelo diretor da Fundação Carlos Gomes, ninguém acredita. O pessoal de outros Estados que falo do projeto, acha tudo muito inusitado. Eu acho lindo. Saio daqui feliz”, ressalta.
O militar de reserva, Eurico da Silva, disse que não perdeu nenhuma sessão do projeto “Música e Cinema”. Cinéfilo de carteirinha ele acha que Belém conseguiu manter circuitos importantes de cinema com o Cine Líbero Luxardo, no Centur, e o Cine Estação, na Estação das Docas. “ Esta sessão de cinema mudo no Olympia é maravilhosa. A gente sempre sai da sala com vontade de ver mais. Eu vou sempre ao cinema e acho que estamos bem servidos com sessões de filmes antigos e também do cinema europeu. E o melhor é que essas sessões são gratuitas ou com preços simbólicos”, enfatizou Eurico da Silva.
Para Nazaré Moraes, gerente do Cine Olympia, as sessões do projeto são uma oportunidade de resgatar a história do Olympia e do cinema mudo. “Entre 1912 e 1930 todos os filmes eram mudos e as sessões eram como a de hoje, acompanhadas por um pianista que dava voz ao filme. Na época era a elite paraense que frequentava o cinema. Mesmo depois de um século, os filmes mudos continuam muito atuais e atraem um público diversificado, de saudosistas a crianças. É muito bom acompanhar isso de perto”, explicou.
Marco Antônio Moreira, crítico de cinema, conta que o modelo está sendo copiado em outros Estados, principalmente no eixo Rio/São Paulo. “Temos notícias que outros cinemas estão promovendo sessões de filmes mudos com acompanhamento musical ao vivo, seguindo o modelo do projeto. A iniciativa parte principalmente dos Cines Clubes, então somos a única cidade até o momento com um cinema que promove esse tipo de sessão”, afirmou.
Serviço: O Cinema Olympia funciona de terça-feira a domingo, com sessões às 18:30h. A entrada é franca.

Texto:
Dani Filgueiras




  Big Ben explica término de atividades

O serviço que inicialmente cobria somente áreas do Pará, posteriormente expandiu para outros estados, como Piauí, Maranhão e Amapá, e acabou se tornando importante para quem não queria perder horas em enormes filas de casas lotéricas ou agências bancárias, pois a existência dessa alternativa acabava dividindo a demanda de clientes e, assim, melhor os assistindo, porque podiam pagar suas contas sem muito transtorno de espera.
A empresa Big Ben explicou os motivos que acarretaram no encerramento do serviço. “A decisão do encerramento do Big Serviços se deu por questões comerciais, que estrategicamente não é o foco do nosso negócio no segmento farma. Além disso, o aumento da demanda do atendimento estava causando alguns transtornos operacionais nos pontos de vendas onde oferecíamos os serviços, como segurança e congestionamento de filas nas lojas, chegando a ocasionar prejuízos financeiros em nossos negócios”, explicou em nota a gerente de marketing da Big Ben, Leci Brito.
“Ressaltamos que a decisão foi tomada por todos estes importantes motivos. Mas as Drogarias Big Ben continuarão oferecendo os melhores serviços de saúde para os nossos clientes e a sociedade”, ressaltou.
A nota afirma que a diretoria está avaliando a possibilidade de reativar a prestação de serviços futuramente. “Em respeito à população, fica registrado o nosso apelo para que as instituições responsáveis pelos serviços bancários ofereçam estrutura necessária para atender as necessidades dos usuários”, explicou Leci Brito.
(Diário do Pará)


Profissionais de São Paulo debatem a criação de Hotel Ciência em Belterra
A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) promove o seminário “Hotel Ciência: o uso da arquitetura da madeira contemporânea”, na manhã desta quinta-feira, 13, das 8h às 17h, no auditório Historiador Paulo Almada, na sede da secretaria. O evento contará com a participação de três profissionais de engenharia e arquitetura, vinculados à organização Ama Brasil, vindos especialmente de São Paulo para discutir a criação do hotel turístico em Belterra, município do pólo Tapajós.
Após a abertura de apresentação do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) realizada pelo secretário de Turismo, Adenauer Góes, o professor universitário e secretário-adjunto, Álvaro do Espírito Santo, falará sobre a concepção inovadora do Hotel Ciência.
Pela manhã, a programação prossegue com as palestras “Tecnologia Construtiva e Aplicações” ministrada pelo engenheiro Hélio Olga de Souza, “Projeto de Condomínio Sustentável” pela arquiteta Cristina Xavier e “Conceitos e Linguagens da nova arquitetura da madeira” com o arquiteto Marcelo Aflalo.
Já no período da tarde, o arquiteto Alcyr Meira falará sobre “Obras em madeira ou mistas no Pará”, enquanto que a equipe da Rede de Biomassa Florestal abordará o tema “Manejo e Economia Florestal no Pará”.
Serviço – A Setur está localizada na Av. Gentil Bittencourt, nº 43  - Batista Campos.



Texto:
Israel Pegado


Obras no Colosso do Tapajós continuam dentro do cronograma e ampliam normas de segurança
A revitalização do Estádio Colosso do Tapajós, em Santarém, município do oeste paraense, continua sendo realizada de acordo com o cronograma inicial. Apenas as obras em altura – toda atividade executada acima de dois metros do nível inferior, com risco de acidente - foi paralisada para ampliação dos procedimentos de segurança, previstos na Norma Regulamentadora nº 35 (NR-35), recomendada pela equipe de fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Os fiscais realizaram uma vistoria de rotina no último dia 27 de fevereiro, e recomendaram os procedimentos, que já estão sendo executados pelo setor de engenharia responsável.
Segundo a engenharia chefe da obra, Anny Taketomi, todos os trabalhadores continuam executando tarefas em outros setores do projeto de construção, e todos utilizam os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Desde seu início, nenhum acidente foi registrado na obra, que prioriza as normas de segurança.
O que foi detectado pelos fiscais não foi a ausência, e sim a necessidade de ampliação dos requisitos da NR-35, que trata sobre trabalho em altura e define medidas de proteção para os trabalhadores nessas condições.
“Apenas alguns procedimentos a mais, referentes à NR-35, estão sendo realizados. Nunca tivemos nenhum acidente na obra. A vistoria foi de rotina. Eles avaliaram que alguns pontos tinham que ser expandidos. As demais atividades ainda estão sendo realizadas, e nenhum trabalhador parou suas atividades. A finalização da obra também não foi prejudicada", garantiu Anny Taketomi.
Os trabalhos na parte inferior da obra consistem na limpeza, construção de guarda corpo de alvenaria, pilares e levantamento de espaços de uso, como o bar, banheiros e depósito. Também estão sendo produzidas as formas pré-moldadas dos pilares, que servirão para construir as arquibancadas.
"O andamento da obra não foi prejudicado, pois redirecionamos as ações. Estamos aproveitando para adiantar o projeto de arquitetura. Nossas atividades estão em andamento em setor sem risco de altura", ressaltou a engenheira.
O novo Colosso do Tapajós – obra que resulta de um investimento de R$ 18 milhões feito pelo governo do Estado - ganhará centro de treinamento para atletas, vestiários, banheiros para o público, espaço para restaurantes, áreas para lanchonetes, novo sistema de iluminação, amplo estacionamento e elevador, que servirá a pessoas com necessidades especiais e para o acesso à tribuna de honra e à cabine de imprensa. A previsão para conclusão da obra, que já está com 38% concluídos, é dezembro de 2014. A realização é gerenciada pela Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop).

Texto:
Alailson Muniz


IAP realiza oficina Vídeoclipe e Olhar em Castanhal
Entre os dias 17 e 22 de março o município de Castanhal recebe o diretor, editor e video-maker Júnior Braga, que ministra a oficina de videoclipe. A iniciativa é uma parceria entre o Instituto de Artes do Pará (IAP), Pará Criativo e Fundação Cultural de Castanhal (Funcast).
A oficina para a realização de videoclipes vai englobar desde a pré-produção, produção e pós-produção, com uma abordagem centrada da discussão do olhar do realizador, como ponto de partida para qualquer projeto audiovisual, trabalhando teoria e prática. O público alvo são videomakers e interessados em audiovisual de um modo geral. Como resultado serão produzidos quatro videoclipes de bandas musicais de Castanhal.
O ministrante Júnior Braga é graduado em Comunicação Social, habilitação em jornalismo pela Universidade Federal do Pará. Possui experiência como produtor executivo em diversos documentários em Belém e Recife. Dirigiu e editou comerciais, institucionais, documentários e videoclipes em produtoras como a Amazônia Digital (PA), 3D Produções (PA), REC Produções (PE), Imagem Produções (PA), Malagueta Filmes (BA) e na TV Cultura do Pará.
Ao longo da semana, serão abordadas a história, linguagem e as possibilidades do videoclipe, roteiro e decupagem. Além da realização da gravação, montagem e edição de quatro clipes de bandas do município de Castanhal.
Programa
- Videoclipe: história, linguagem e possibilidades;
- Produção (pré-produção, produção, pós-produção);
- Pré-produção e Roteiro;
- Produção, gravações e procedimentos;
- Pós-produção e decupagem;
- Montagem e edição.
Serviço:
Oficina "Videoclipe e Olhar" com Júnior Braga, em Castanhal
Período: 27 a 30 de março
Horário: 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas
Vagas: 25 pessoas
Inscrições Gratuitas
FUNCAST
Rua Senador Lemos, 749 - Centro
(91) 3711-7137
Maiores Informações:


Mutirão da Defensoria Pública atenderá mais de 200 detentos do PEM II
A Defensoria Pública do Pará realizará um mutirão para atender 212 presos provisórios do Presídio Estadual Metropolitano II (PEM II), em Americano, no município de Santa Izabel do Pará (Região Metropolitana de Belém). O mutirão ocorrerá nos dias 17, 18, 19 e 20 de março (de segunda a quinta-feira), e tem como principal objetivo oferecer a liberdade provisória ou perdão judicial aos detentos que têm direito a esses benefícios.
Defensores públicos de toda a Região Metropolitana estão convocados para atender os presos provisórios, informou o diretor Metropolitano, José Arruda. “O intuito é minimizar os efeitos negativos da superpopulação carcerária para sociedade e, consequentemente, diminuir o gasto do Estado com a situação”, acrescentou.
Só em 2013, a Defensoria deu entrada em 512 pedidos de Perdão Judicial de Pena, mais conhecido por Indulto, dos quais 373 foram deferidos pela Justiça do Estado. Para o defensor José Arruda, a ação é uma política importante para garantir a desobstrução do fluxo carcerário. “Ao contrário do que muitos pensam, as medidas que possibilitam o Perdão Judicial ou a Liberdade Provisória podem ser positivas para o sistema penitenciário, haja vista o baixo nível de reincidência”, afirmou.
A iniciativa da Diretoria Metropolitana da Defensoria é uma extensão do trabalho realizado nas casas penais da Região Metropolitana de Belém. Além do Canal Direto, que é o atendimento por videoconferência, a instituição participa do projeto que prevê a criação de uma sala especial com curso preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), destinado às detentas do Centro de Recuperação Feminino (CRF), e de um estudo que promoverá a criação de totens, com um sistema que forneça ao detento todas as informações relevantes de sua situação prisional, semelhante ao dispositivo de videoconferência utilizado pelo Núcleo Avançado de Atendimento Criminal (Nacri), da Defensoria.
Em 2014, a Defensoria Pública já efetivou 86 pedidos de indultos. De acordo com José Arruda, os presos que podem receber o "perdão" são aqueles que já cumpriram um terço de uma pena de até oito anos, e que não tenham cometido nenhuma transgressão.
A Defensoria do Pará atua em oito presídios com atendimento presencial e, desde 2010, a instituição trabalha nos processos encaminhando os pedidos dos apenados, e também realiza os mutirões em todo o Complexo Penitenciário de Americano.
Casos em que a Justiça decide pela Liberdade Provisória (Indulto)
Para conseguir a concessão desse benefício, o defensor público analisa o histórico do detento, avaliando critérios, como bom comportamento dentro do presídio. 
Nos casos em que a conduta do preso for considerada positiva, o defensor poderá solicitar o pedido de Liberdade Provisória, ou até o Perdão Judicial.

Texto:
Thaiana Amorim


Defensoria de Tucuruí integra força-tarefa em favor de famílias atingidas pela cheia
A Defensoria Pública de Tucuruí acompanha de perto a situação das famílias desabrigadas e atingidas pela enchente do rio Tocantins. De acordo com levantamento concluído nesta quarta-feira, 12, até o momento, 125 famílias sofreram danos e perdas com a cheia do rio. Ainda nesta quarta, a Defensoria Pública de Tucuruí deve se reunir com a Defesa Civil Municipal para avaliar o que está sendo feito em favor dessas famílias, que aguardam o início dos trabalhos de reparos aos danos causados pela enchente.
O defensor público Renato Mendes informou que a instituição atuará conjuntamente com a Defesa Civil e está aguardando mais informações para tomar a medida jurídica que for possível para garantir os direitos dessas famílias. “Somente a partir dessas novas informações será possível traçar um plano de ação”, contou.
A Defensoria Pública já recorreu também à Polícia Militar da cidade para ajuda na desocupação e controle das áreas afetadas. A Eletronorte também foi acionada pela instituição para ajudar e somar na resolução do problema das cheias. “Ainda há previsão de encher mais ainda o nível do rio, mas já estamos com um trabalho preventivo para minimizar os danos e possivelmente realocar famílias que possam ser prejudicadas com a cheia. Contamos também com os serviços da Eletronorte para conter o mais rápido possível novas enchentes” explicou o defensor Renato Mendes.

Texto:
Micheline Ferreira


Emater desenvolve método alternativo para controle da vassoura de bruxa em Santa Bárbara
Um projeto desenvolvido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), em Santa Bárbara, Região Metropolitana de Belém, trabalha a substituição da copa do cupuaçuzeiro para o controle da vassoura de bruxa, doença que pode dizimar a plantação. A atividade técnica ocorre na propriedade do agricultor João de Almeida, na comunidade São João Batista, na zona rural do município.
O processo trabalha a enxertia para a emissão de novos brotos, introduzidos a partir de material das variedades Codajás e Manacapuru, tolerantes à doença, adquiridos por meio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Segundo dados da Emater, o agricultor já tem o plantio há pelo menos 12 anos, porém sentenciado a ser extinto por conta da alta contaminação da doença no cupuaçuzeiro.
O trabalho de enxertia vai eliminar totalmente a doença. O pomar vai sofrer uma poda gradativa para surgirem novos brotos e em seguida todos os ramos antigos serão eliminados para o surgimento de uma nova copa para a árvore. A nova produção comercial começa já em 18 meses, a partir da enxertia, uma vez que foi aproveitado o tronco da árvore anterior.
A expectativa da Emater é que a partir do terceiro ano da formação da nova planta a produtividade do cupuaçuzeiro já seja maior em 40%. “Da forma em que as fruteiras se encontravam, por hectare plantado, o agricultor colhia 800 quilos da fruta. Já nessa primeira produção ultrapassaremos uma tonelada e assim em diante” disse Carlos Roberto de Mattos, técnico da Emater.

Texto:
Iolanda Lopes


Defensoria ganha mais um parceiro no resgate da cidadania de pessoas em situação de rua
A Defensoria Pública do Pará ganhou mais um parceiro para o projeto que objetiva resgatar ou criar a documentação civil das pessoas em situação de rua. O novo parceiro é o Instituto de Identificação da Polícia Civil, que em reunião realizada nesta terça-feira, 11, atendeu a solicitação de apoio formulada pelas defensoras públicas Anelyse Freitas e Felícia Fiuza, do Núcleo de Defesa de Direitos Humanos (NDDH).
O diretor do instituto, Ricardo Paula, confirmou um fluxo de atendimento diferenciado para as demandas encaminhadas pelo NDDH. O acordo garante ampliação na confecção de documentos para pessoas em situação de rua e possibilita a produção de segunda via do documento, através da pesquisa de registros no banco de dados da Polícia Civil.
De acordo com a defensora pública Anelyse Freitas, o resgate da cidadania dos moradores de rua é um tipo de trabalho que precisa ser realizado em conjunto: “É válido ressaltar a importância de parcerias para aumentar o alcance do projeto e garantir que estas pessoas também sejam vistas como sujeitos de direito”, disse.
O projeto empreendido pela Defensoria Pública oferta assistência jurídica ao morador de rua, nos principais polos de concentração deste público. Segundo Anelyse Freitas, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas); a Casa da Sopa e o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP) são os locais onde ocorre o atendimento, além da própria sede do NDDH, localizada na travessa Campos Sales.
"O morador de rua também pode vir diretamente à Defensoria. Neste caso, a pessoa não enfrenta a burocracia rotineira para ser atendida. Basta procurar a instituição e o acolhimento será imediato”, afirmou. A partir de documentos como certidão de nascimento, carteira de identidade e CPF, os moradores de rua podem até mesmo acessar direitos como o Benefício de Prestação Continuada (BPC), que garante o pagamento de um salário mínimo aos portadores de deficiência, transtorno mental ou maiores de 65 anos.
Todas as pessoas em situação de rua conquistam o direito de ter de volta a cidadania de forma gratuita. Todos os documentos são emitidos sem o pagamento de multas, taxas ou emolumentos, o que é válido, inclusive, para certificado de reservista e título eleitoral.
O projeto conta com uma rede de assistência estruturada entre as entidades responsáveis pela emissão ou acervo de registros e outras que lidam diretamente com o público-alvo, como a Secretaria de Estado de Assistência (Seas); Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa); Fundação Papa João XXII (Funpapa); Secretaria Municipal de Saúde (Sesma).

Texto:
Thaiana Amorim


Emater capacita 30 mulheres em Augusto Corrêa
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) certificou 30 mulheres, de duas comunidades da zona rural de Augusto Corrêa, município do nordeste do Estado, que concluíram o curso de bordado, crochê e pintura. Quinze mulheres capacitadas são esposas de pescadores da comunidade de Peri-mirim, e as outras pertencem à comunidade quilombola Peroba. A capacitação em artesanato faz parte de um trabalho voltado à geração de renda, realizado pelo escritório local desde 2009, e que já beneficiou 120 famílias, em oito comunidades do município. A expectativa da Emater é que, com essa capacitação, as mulheres tenham um acréscimo de 20% na renda familiar.

Texto:
Paula Portilho


Seicom inicia cursos de capacitação na área mineral em Marabá
Marabá será o primeiro município do Pará a receber o curso de capacitação na área da Mineração, uma iniciativa da Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), por meio dos Programas Mineração Sustentável e Territórios com Mineração, que objetiva orientar os servidores municipais a como executar os procedimentos efetivos de monitoramento e fiscalização das atividades em suas respectivas regiões.
Os cursos serão ministrados no miniauditório da Câmara Municipal e a expectativa é que pelo menos 20 servidores do município, já previamente convidados, participem. Os cursos ofertados são: Legislação ambiental e legislação minerária; Governança para a sustentabilidade; Inovação, competitividade e desenvolvimento local; Fiscalização, metodologia de apuração, arrecadação da CFEM, TFRM e Multa; Transformação mineral e ordenamento da mineração social no Estado do Pará. A programação iniciará no próximo dia 18, às 8h30. Mais informações pelo email gabineteseicom@gmail.com.

Texto:
Juliana Pinheiro


Pará terá curso de aperfeiçoamento em Gestão de Restaurantes
Com o objetivo de formar recursos humanos qualificados e comprometidos para o mercado de trabalho de restaurantes, preenchendo uma lacuna existente no cenário local, representantes da Secretaria de Estado de Turismo (Setur), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-PA) e Faculdade Maurício Nassau organizam a primeira turma do curso de aperfeiçoamento em Gestão de Restaurantes. Uma reunião na sede da Setur, nesta terça-feira (11), definiu os termos da parceria.
“Esse curso é uma proposta que parte, inicialmente, da necessidade do nosso mercado gastronômico de capacitar profissionais para o gerenciamento dos nossos restaurantes numa parceria da Setur, Abrasel e Faculdade Maurício de Nassau”, afirma o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes.
A formação terá carga total de 80 horas, abrangendo profissionais das áreas de Nutrição, Gastronomia, Hotelaria, Turismo, Administração, diretores e gerentes de restaurantes comerciais ou institucionais. Entre as disciplinas previstas no conteúdo programático do curso estão Gestão de Pessoas e Qualidade de Atendimento; Gestão da Logística e Cadeia de Suprimento para Restaurantes; Controle de Qualidade e Boas Práticas de Manipulação de Alimentos; Gestão de eventos em Restaurantes; Fundamentos para Gestão de Restaurantes e Processos Operacionais em Restaurantes.
“Belém é uma cidade comercial. E esse boom de restaurantes está esvaindo mão de obra não só técnica e especializada, mas com capacidade de gerenciamento. O curso representa um upgrade dentro da própria empresa. Hoje, o dono acaba sobrecarregado pela falta do suporte desse profissional”, explica o presidente da Abrasel-PA e chef de cozinha, Fábio Sicília.
O profissional acredita, ainda, na importância da utilização dos inúmeros temperos, frutas e recursos culinários existentes no Pará frente a imposição da produção gastronômica industrial, pois acredita que este é o diferencial e originalidade da cozinha paraense. “Eu prefiro valorizar os ingredientes da terra. Eu posso ao invés de usar o amido de milho num prato, substituí-lo pela goma da mandioca, por exemplo, com o mesmo efeito. Temos que cultivar a paixão pelos nossos produtos. A meu ver, o grande boom do açaí é porque se trata de uma paixão do paraense”, completa Sicília.
Para o secretário-adjunto de Turismo, Álvaro do Espírito Santo, o curso representa um ganho não só turístico, mas social. “Essa é uma parceria que vai atender tanto ao turista que vem nos visitar quanto ao consumidor local com o benefício de um serviço de qualidade”, concluiu.

Texto:
Israel Pegado


Campanhas externas seguem este mês para elevar número de coletas
Desde o início deste mês a Fundação Hemopa está realizando campanhas externas em parceria com instituições públicas e privadas, num esforço em conjunto para manter o estoque de sangue do hemocentro, que atende a demanda transfusional no Estado. Em campanhas realizadas nos dias 7, 8 e 11, houve o comparecimento de 230 voluntários e 39 novos cadastros de doadores de medula óssea.
A unidade móvel do hemocentro permanece até às 15h desta quarta-feira, 12, na avenida Presidente Vargas, em frente ao prédio do Banco do Brasil. A próxima campanha está agenda para o dia 15, em parceria com o “Projeto Vidas por Vidas”, da Igreja Adventista do Bengui, de 8h às 15h, na Alameda Ananindeua. No dia 18, a ação será realizada na Base Naval, na rodovia Artur Bernardes, S/N, de 8h às 15h, em Val de Cans, e nos dias 19 e 20, em parceria com o Hospital Metropolitano, na BR-316, S/N, de 8h às 17h, no bairro Jaderlândia, em Ananindeua.
O cronograma será encerrado no dia 29, novamente no “Projeto Vidas por Vidas”, no Bengui, de 8h às 15h. Todos os locais agendados têm como meta atingir 100 coletas de bolsas de sangue/dia. A titular da Gerência de Captação de Doadores, a assiste social Juciara Farias, informa que instituições interessadas em compor parceria com o hemocentro devem entrar em contato pelo telefone: 3224.5048, de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h; e aos sábados até às 17h. “Quanto mais parceria o Hemopa firmar, muito mais vidas poderemos salvar, através do voluntariado da doação de sangue habitual”, comentou.
Quem pode doar sangue:
Candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menores de 18 anos somente poderão doar com autorização por escrito dos pais ou responsáveis. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Serviço:
O Hemopa funciona na travessa Pe. Eutíquio, 2109. Maiores informações pelo fone: 3214-1811/08002808118

Texto:
Vera R. Rojas


Pará estreia com estande próprio e ônibus turístico na Bolsa Internacional de Turismo
Foi aberta oficialmente às 10 horas desta quarta-feira, 12, na FIL (Parque das Nações), a 26ª Feira Internacional de Turismo de Lisboa - BLT. O Pará é um dos mais fortes representantes do turismo brasileiro no evento, que reúne cerca de 65 mil pessoas. O Governo do Estado, representado pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur) e uma comitiva de cerca de 20 agentes de viagens, artistas de Belém, captadores de investimentos ligados à Seicom, entre outros, apresentam durante os quatro dias do evento os principais segmentos turísticos do Pará: cultura, natureza, sol e praia, eventos e negócios, encontrados nas regiões turísticas de Belém, Marajó, Tapajós, Amazônia Atlântica, Araguaia Tocantins e Xingu.
Além do fortalecimento da presença do Pará em Portugal, com a adesão do empresariado às ações promocionais planejadas pela Paratur visando ampliar a comercialização de produtos durante a programação, danças regionais despertam a atenção do público, com apresentações de carimbó, lundu, siriá e outros ritmos pelo grupo Mistura Regional. A inovação deste ano ficou por conta de um ônibus, plotado com imagens amazônicas que representam as manifestações culturais, a floresta, as praias de rio, o Círio de Nazaré e ainda a marca turística do Pará, com o slogan "A Obra-Prima da Amazônia".
No ônibus estão sendo apresentados vídeos sobre a cultura, as danças, a arquitetura, a natureza e outros segmentos do turismo do Pará. A iniciativa da Paratur resulta de parceria com a empresa EcoDesign Europe, a TV Globo Portugal e conta com apoio do Sistema Integrado de Museus (SIM), do Instituto de Artes do Pará (IAP), entre outros. Dentro do automóvel também acontecem dinâmicas e experiências sensoriais em que os visitantes podem experimentar a emoção de estar na Amazônia, ouvindo sons de rios e pássaros, por exemplo. Dois animadores ambientais interagem com o público, interpretando as lendas da Amazônia, entre elas a do Muiraquitã. Essências perfumadas foram colocadas em um difusor elétrico para perfumar o autocarro, ampliando as formas de interação dos visitantes com a Amazônia.
“Nossa presença na BTL, aqui em Portugal, tem como objetivo consolidarmos o Pará como destino turístico prioritário no tarifário dos suppliers e buyers da Europa, que compram a Amazônia. França, Espanha, Itália, Alemanha, Inglaterra e Portugal estão recebendo nossas ações promocionais com esse objetivo. A presença do empresariado paraense aqui também é um avanço em nossas estratégias de comercialização da grade de produtos turísticos do Pará”, explicou Marcelo Mendes, presidente da Paratur, que coordena, em Portugal, a participação do Pará na BTL.
Estratégias
A programação da BTL nesta quarta-feira começou às 10 horas e segue até as 20 horas e o Pará atua em diversas frentes de trabalho. No estande da Paratur, espaço de 72m², é feito o atendimento direto aos suppliers (fornecedores) e buyers (compradores) que comercializam produtos da Amazônia. A promoção é feita pela equipe institucional da Paratur, que tem como principal instrumento o roteiro Pará: A Obra-Prima da Amazônia em 8 dias e 7 noites, em que Belém, Marajó e Tapajós são oferecidos como destinos internacionais.
Já a comercialização direta dos roteiros e pacotes turísticos está sendo realizada no estande e na visitação aos estandes dos outros destinos pelos cerca de 12 empresários que atuam na área de receptivo turístico, ligados à Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABav), do Pará, que acompanham a Paratur no evento.
“Turismo: A Indústria do Sorriso” é o tema da 26.ª edição da Feira Internacional de Turismo de Lisboa, realizada pela Fundação AIP, através da AIP – Feiras Congressos e Eventos, na FIL (Parque das Nações). O evento é uma homenagem à hospitalidade, à simpatia e à arte de bem receber, um dos pontos fortes do turismo nacional, numa edição onde o segmento Meeting Industry (MI) e o programa de Hosted Buyers têm especial destaque.
Além de fortalecer o relacionamento comercial do Pará com empresas como a TAP Linhas Aéreas, que inaugura em junho um voo direto de Lisboa para Belém, a Paratur visualiza no evento captar a participação de suppliers, buyers e grandes marcas do turismo mundial na Feira Internacional de Turismo da Amazônia (Fita), que será realizada de 21 a 23 de maio na Estação das Docas, em Belém.
Em 2013 a BTL contou com a presença de 65 mil visitantes, dos quais 2.500 eram profissionais estrangeiros e 350 hosted buyers de 25 países. A BTL 2014, instalada numa área de 30.000m2, conta com mais de 1.000 empresas e entidades presentes, das quais cerca de 100 participam pela primeira vez. O evento ocupa três pavilhões e zona exterior do Parque das Nações.  Os dois primeiros dias de BTL são reservados aos profissionais do setor do turismo. De 14 a 16 o público em geral também terá acesso à feira.

Texto:
Benigna Soares


Sepaq entrega 20 mil alevinos para projetos de piscicultura em Curuçá e Santa Isabel do Pará
A Associação de Mulheres da Vila de Murajá, comunidade que fica no município de Curuçá, recebeu nesta terça-feira, dia 11, 12 mil alevinos de tambaqui da Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura (Sepaq). E nesta quarta-feira, 12, a Sepaq fez a entrega de oito mil alevinos de tambaqui para comunidades que desenvolvem a piscicultura no município de Santa Isabel do Pará.
Os alevinos serão usados no projeto de piscicultura que está sendo realizado pela associação em tanques escavados, onde os peixes serão criados em cativeiro. “O resultado dessa produção vai gerar emprego e renda para nossa comunidade e também teremos uma fonte de alimentação garantida”, disse José Levi Melo de Sousa, responsável pelo projeto.
A entrega dos alevinos aconteceu na Estação de Aquicultura “Orion Nina Ribeiro”, em Terra Alta, onde a Sepaq trabalha com reprodução das espécies em grande escala. De lá, uma equipe da secretaria seguiu até a comunidade Murajá. Os próprios representantes da Associação de Mulheres de Murajá ajudaram os técnicos da secretaria no recolhimento dos alevinos de dentro do lago.
O trabalho para desenvolver a piscicultura em comunidades de Curuçá está sendo feito pela Sepaq em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater). Técnicos da Emater vão auxiliar as seis pessoas que vão trabalhar diretamente com a criação dos peixes da Associação de Mulheres de Murajá.

Texto:
Christian Emanoel


Mostra especial apresenta oito filmes cubanos no IAP
Na segunda-feira, 17, o Instituto de Artes do Pará (IAP), através do Núcleo de Produção Digital, apresenta a Mostra Especial 25 Anos da EICTV – Escuela Internacional de Cine y TV de Santo Antonio de Los Baños. São oito filmes em média e curta-metragem exibidos no Cineclube Alexandrino Moreira, às 19h. A exibição será com o áudio original em espanhol e sem legenda. A censura é de 18 anos.
Realizada pela primeira vez em Belém, a mostra vai exibir produções dos jovens realizadores de Cuba. O objetivo da mostra é aproximar o olhar do público de Belém com as produções cubanas contemporâneas. Os filmes, que variam entre ficção e documentário, são: “Bajo Habana”, “Cuerpo de Mujer”, “El Espino”, “Vecino”, “Yotuveun cerdo llamadoRubiel”, “Assepsia”, “Le Illusion” e “Yo Dual”.
“Bajo Habana” é uma ficção de TerencePiardSomohano, lançado em 2013. O curta conta a história de dois rapazes que decidem visitar seu amigo, sem saber que serão envolvidos em uma situação inusitada. Já a ficção “Cuerpo de Mujer”, conta a história de uma relação amorosa entre duas mulheres. As personagens existem em um espaço de contenção, silêncios e vozes íntimas. Elas estabelecem entre si um obscuro fluxo de medos e desejos que não podem satisfazer completamente. A direção é de Clara Albinati. O filme foi lançado em 2010.
Com de direção de Théo Court, a ficção “El Espino” que foi lançada em 2004, conta a vida de três personagens nascidos em um deserto solitário. Um homem, uma menina e um velho. Os personagens decidem fugir sem destino, onde nem eles mesmos sabem o que pode acontecer. Samuel é um imigrante em busca de uma vida melhor. Em sua recém chegada a uma capital, ele descobre que seu vizinho de cima é bastante exigente quanto ao silêncio. Para não prejudicar a si mesmo, Samuel diminui os sons que produz em casa dramaticamente, até não saber mais se o vizinho está no andar de cima ou dentro da sua cabeça. A ficção, intitulada “Vecino”, é do dietorArgenis Mills.
Da direção de Jaime Rosales, o curta “Yotuveun cerdo llamadoRubiel”, lançado em 1998, conta a história de Pedro. Um velho que tem apenas duas posses em sua vida: uma coleção de discos de Maria Callas e um porco chamado Rubiel. Marta vive em uma pequena vila de Cuba.  Sua vida consiste em cozinhar e lavar suas roupas em uma velha máquina de lavar. Mas nada é o que parece e, com a chegada de uma equipe de filmagem iremos descobrir alguns segredos. O documentário “Assepsia” foi lançado em 2010 e é dirigido por Gustavo Vinagre.
“Le Illusion”, que também é dirigido por Gustavo Vinagre, mostra o encontro entre um cineasta e seu pai ausente, exilado há 14 anos em Londres. Ao longo do documentário são exibidas imagens desenquadradas e obscuras, em nenhum momento se mostra os personagens. A ênfase se dá no reencontro entre pai e filho. O documentário foi lançado no ano de 2008.
O documentário “Yo Dual” de Alana Simões, lançado em 2007, retrata a vida de um artista cubado que enfatiza aspectos como a dualidade da sua personalidade e a dualidade da vida em seu país.

Parceria - Nos últimos dois anos, as provas da EICTV em Belém vêm sendo realizadas em parceria com o IAP. A ideia de trazer a prova para Belém veio com o intuito de oportunizar e facilitar o acesso dos estudantes da região Norte à Escola de Cuba. Em 2013, dois jovens estudantes paraenses foram selecionados para a EICTV.
Para o coordenador do Núcleo de Produção Digital (NPD), Afonso Gallindo, esta primeira mostra dos filmes cubanos fortalece não apenas a parceria com o IAP, mas principalmente "faz com que as pessoas olhem para a produção da América Latina e vejam o que está sendo produzido pelos alunos da escola de Cuba”.
Além dos filmes que compõem esta primeira exibição, uma nova grade também já está confirmada para exibição ainda neste semestre. Para mais informações sobre a EICTV acesse: www.eictvpara.blogspot.com.br; www.eictvbrasil.blogspot.com.br

Serviço:
Mostra Especial 25 Anos da EICTV – Escuela Internacional de Cine y TV de Santo Antonio de Los Baños:
-“Bajo Habana” - 13’25
“Cuerpo de Mujer” - 10’25"
“El Espino” - 19’
“Vecino” - 11’09"
-“Yotuveun cerdo llamadoRubiel” - 12’40"
“Assepsia” - 5’54"
“Le Illusion” - 23’57"
“Yo Dual” - 14’50"
Dia: 17 de março, às 19h
Local: Teatrinho do IAP
Censura: 18 anos
Entrada franca.

Texto:
Dani Franco


Coletiva do IPC de fevereiro
O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) realiza coletiva à imprensa nesta quinta-feira (13), às 10 horas, para apresentação dos resultados da pesquisa de Índice de Preços ao Consumidor (IPC) referente ao mês de fevereiro de 2014. O levantamento mensal, realizado pelo instituto, mede a variação de preços de produtos e serviços que compõem o orçamento das famílias com rendimentos entre um e oito salários mínimos residentes na Região Metropolitana de Belém (RMB).
Sugestão de entrevistada:
Augusta Pereira – coordenadora do Núcleo de IPC do Idesp

Texto:
Solange Cruz


Kamara Kó Galeria promove exposição e lançamento do catálogo “Imagética”
A Kamara Kó Galeria de fotografia, em parceria com o Governo do Estado do Pará e a Secretaria Especial de Promoção Social, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, promove nesta quarta-feira, 12, às 19h, no Museu Histórico do Estado do Pará, a exposição e o lançamento do catálogo “Imagética”, que reúne obras de artistas pertencentes ao acervo da instituição. A coleção é marcada por diferentes proposições estéticas da linguagem, além de apresentar técnicas distintas. 
A coordenadora da galeria, Makiko Akao, explica que o catálogo é um instrumento de divulgação da produção contemporânea. “É como se fosse um portfólio, não é uma publicação de livro de arte. Tanto é que procuramos colocar obras diferenciadas de cada artista, e não uma linha de ensaio, justamente para difundir os diversos segmentos de trabalhos dos artistas”, explica. O público poderá adquirir o catálogo.
A exposição e a publicação têm curadoria da curadora e pesquisadora em arte Marisa Mokarzel e de Makiko Akao e apresenta obras de: Alberto Bitar, Alexandre Sequeira, Anita Lima, Armando Queiroz, Bob Menezes, Cláudia Leão, Danielle Fonseca, Flavya Mutran, Guy Veloso, Ionaldo Rodrigues, Keyla Sobral, Mariano Klautau Filho, Miguel Chikaoka, Octavio Cardoso, Pedro Cunha, Roberta Carvalho e Walda Marques. “A exposição foi pensada para a feira de fotografia SP-Foto, realizada em agosto de 2013, em São Paulo.
Por conta disso, apresenta a proposta da diversidade entre os fotógrafos. O foco mais evidente é dar visibilidade a obras destinadas a uma feira de fotografia. Já o catálogo apresenta a documentação condensada de obras de artistas que tem carreiras consistentes, e densidade em suas proposições”, explica Marisa Mokarzel. 
O Secretário de Estado de Cultura, Paulo Chaves Fernandes, em texto feito especialmente para o catálogo, destaca que a busca por experiências estéticas é uma das características dos artistas.  “Vejo nesta coleção de fotógrafos paraenses, na contramão da mesmice que invade a fotografia, a procura de um novo caminho onde o fazer fotográfico interfere no real, seja pelo olhar apurado e surpreendente da cena, seja na manipulação com os infinitos recursos que a informática oferece”, descreve. 
O catálogo tem textos em português e em inglês, e ainda pequena biografia dos 17 artistas. Além disso, é ilustrado com as novas obras do acervo da Kamara Kó. Com 151 páginas, confeccionado em papel couché e capa dura, a publicação apresenta 121 obras da recente produção contemporânea fotográfica paraense.
Sugestão de entrevistados:  Marisa Mokarzel e de Makiko Akao, curadoras da exposição, fotógrafos e público presente. 
Serviço
Abertura da exposição e lançamento do catálogo “Imagética” ocorrerá no dia 12 de março, às 19h, no Museu Histórico do Estado do Pará (Palácio Lauro Sodré, na Praça D. Pedro II, s/n – Cidade Velha). Visitação: de 13 a 28 de março, de terça a sexta, das 10h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 14h. Entrada franca. Informações: 4009-8805 / 8838 - MEP / Kamara Kó Galeria - 8107-8710
Ascom/MHEP

Texto:
Amanda Engelke


Biblioteca Pública Arthur Vianna investe na formação de bibliotecários
Maior biblioteca pública e de maior destaque do estado do Pará, a Biblioteca Pública Arthur Vianna, localizada no segundo andar da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (FCPTN) possui um rico e diversificado acervo que engloba hoje 800 mil volumes, compreendendo periódicos (jornais e revistas), trabalhos acadêmicos, folhetos periódicos, vinil, CD's, DVD's, material em braile e até brinquedos.
A fundação possui em seu quadro funcional 30 profissionais bibliotecários atuando nas diversas gerências da Diretoria de Leitura e Informação (DLI) e que cuidam desse valioso material. Para a bibliotecária Suzana Tota, gerente de processos técnicos da fundação, é fundamental a valorização do profissional, através de treinamentos e capacitação na área, o que vem sendo feito na atual gestão da FCPTN. Recentemente a equipe participou de um treinamento sobre o Pérgamo, sistema que gerencia o acervo da biblioteca dentro de um encontro regional ocorrido no Centur, promovido pela desenvolvedora do sistema.
Para a bibliotecária Liliane Rabelo “ser bibliotecário é tentar administrar o que a humanidade possui de mais importante: a informação”. Já o técnico bibliotecário Alexandre Siqueira diz que na busca de conhecimento e informação, o bibliotecário é sempre a solução nas grandes bibliotecas públicas como a Arthur Vianna. “O bibliotecário não tem futuro! Nós somos o futuro”, pondera Adriana Costa.
“Ser bibliotecário é um privilégio de poder trabalhar diretamente com a informação e ter a possibilidade de ser o mediador da mesma, levando o acesso aos diversos usuários no processo do conhecimento”, destaca o estagiário de biblioteconomia Taly Ruby. Já para Demóstenes Vergolino, a profissão é única e possibilita sempre a chance de aumentar o conhecimento e a oportunidade de disseminar o aprendizado. “Ser bibliotecário é, acima de tudo, nunca dizer não a um pedido de informação. Recebemos e atendemos aqui milhares de pessoas. Nosso nome é dedicação”, avalia Isaías Valdez. “Ser bibliotecário é: ter o poder transformador na vida das pessoas”, finaliza Marinilde Chaves.

Texto:
Luiz Flávio


Strobo é atração do Projeto Parque Musical no Coreto do Parque
O projeto Parque Musical, da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), traz o duo de música eletrônica Strobo para agitar a noite de quinta-feira, 13, no Coreto do Parque da Residência, em Belém. Formado em janeiro de 2011, pelos músicos Arthur Kunz e Léo Chermont, o Strobo tem o objetivo de aliar à música instrumental, a uma roupagem pop, utilizando-se da tecnologia para misturar timbres sintéticos e acústicos sem restrição. A apresentação começa a partir das 18h, com entrada franca.
 Em pouco tempo de existência a banda já tem dois discos lançados, “Strobo” (2011) e “Delírio Cromático” (2012), vários clipes, gravou o programa “Experimente” da emissora Multishow e foi finalista do Movimento Hotspot. Além disso, a banda tocou na edição 2012 do Festival Abril pro Rock, no projeto “Som em 4 tempos” da Sala Funarte (RJ), no Festival de Inverno de Garanhuns, Virada Cultural Paulista 2013, no Conexão Rio (Circo Voador) e na Feira da Música de Fortaleza e indicada como banda revelação do 20° Prêmio Multishow. Com isso tem sido chamada para diversos outros festivais e shows no Brasil.
Em um ano e meio de caminhada, o Strobo já rodou boa parte do país tocando em festivais em Manaus, Recife e Roraima, e shows no Rio de Janeiro, São Paulo, Acre e tem conquistado o público belenense.
Donos de uma inquietude marcante, os músicos estão sempre em busca de sonoridades, novas estéticas visuais e timbres, criando a particularidade do Strobo, onde a pesquisa de ritmo é o maior diferencial. “A idéia de tocar no Coreto, um lugar aberto, é bem legal, é diferente”, ressalta o guitarrista Léo Chermont, que fala também sobre o próximo passo da banda, já no segundo semestre: o lançamento do seu 3º álbum, “Mamãe quero ser pop”, que promete ser crítico. Antes de partir para este trabalho, o Strobo ainda se apresentará em São Paulo, no dia 17 de março, no projeto “Instrumental Sesc”, “o show no Coreto do Parque traz um aperitivo do que será o show em São Paulo”, afirma Léo Chermont.
O baterista Athur Kunz comenta sobre a novidade desta apresentação: a participação do rapper paraense Bruno B.O, “com a união de sons pretendemos unir o público do Parque da Residência ao público da banda”.
A apresentação no Coreto do Parque da Residência é uma realização do projeto Parque Musical, iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), que visa formar parceria entre  teatro e artistas. Retomado há cerca de três anos, o projeto já contou com a participação de vários nomes nacionais como Tiê, Vitor Ramil, Antônio Nóbrega, Lobão e o escritor e jornalista Nelson Mota.
Serviço: Projeto Parque Musical – Banda Strobo. Dia 13 de março, às 18h. Local: Coreto do Parque da Residência. End: Av. Governador Magalhães Barata, 830 – São Brás. Fones: (91) 4009-8720/8721. Entrada franca.

Texto:
Alexandra Cavalcanti


Maestro italiano se apresenta em Belém regendo a OSTP
A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) promove, nesta sexta-feira, 14 de março, seu terceiro concerto da temporada 2014. A regência estará a cargo do italiano Alessandro Sangiorgi, maestro com extensa carreira internacional e passagens, como convidado, residente ou titular, por algumas das principais orquestras brasileiras, como Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) e as orquestras dos teatros municipais de Rio de Janeiro e de São Paulo.
Essa será a primeira direção do maestro em Belém. Em fevereiro passado, ele esteve na cidade colaborando com a OSTP, como examinador da audição seletiva para ingresso de músicos. Sangiorgi afirma viver a expectativa, dessa vez, para o encontro com o público paraense. “Estou bastante empolgado com este meu primeiro concerto em Belém, meu primeiro contato com a orquestra foi muito bom, a orquestra é muito boa; o Theatro é lindo e a acústica excelente”.
O músico garante ainda que a orquestra possui características ímpares. “Conhecia o trabalho da OSTP virtualmente, pelas notícias de colegas e amigos que já estiveram por aqui. Chamava-me atenção a juventude e, ao mesmo tempo, a seriedade dos músicos e a atenção nos ensaios. Sem dúvida será uma belíssima apresentação”, reforça Alessandro.
Com esse concerto, os realizadores, Secult e Academia Paraense de Música, dão sequência ao cumprimento das atrações prometidas para a atual temporada, que incluem, entre outras atividades, a visita de maestros e instrumentistas de prestígio, bem como o incentivo aos integrantes da Orquestra para que atuem como solistas.
Desta vez, o 1º trompetista Elielson Gomes irá solar à frente da OSTP em mais uma ação do Projeto Solista SOL, patrocinado pela Sol Informática. Elielson é integrante da Orquestra desde 2005 e ressalta a expectativa de sua apresentação. “Para mim é uma honra tocar uma peça jamais tocada pela OSTP, Torelli, sob a regência de um maestro italiano”, diz.
O programa traz ao público a abertura da ópera “O Empresário teatral”, de Mozart; a sonata para trompete, cordas e contínuo, de Giuseppe Torelli e a Sinfonia 104, de Haydn, última e das mais celebradas do compositor, considerado o pai dessa forma musical.
Segundo o gerente de música da Secult, João Augusto Ó de Almeida, no ano em que a OSTP completa 18 anos, a direção artística planejou preencher algumas lacunas existentes. “Ouviremos neste concerto um compositor do barroco e os dois maiores nomes do classicismo para, no seguinte, mergulharmos na música brasileira e, depois, encararmos o 1º Mahler, em maio, dedicando um concerto à música russa, em junho. O repertório da OSTP se amplia na medida do desenvolvimento que vem experimentando nos últimos anos e, com a orquestra, o público que a acompanha e vai incorporando ao seu universo sonoro as grandes obras que tem a oportunidade e o privilégio de ouvir ao vivo”.
Serviço:
Apresentação da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP), com regência do maestro italiano Alessandro Sangiorgi. Dia 14 de março, às 20h. Local: Theatro da Paz. End: Av. da Paz, s/n – Campina. Fones: (91) 4009-8158/8759. Entrada franca, com distribuição de ingressos na bilheteria do Theatro, a partir das 9h do dia do concerto.

Texto:
Alexandra Cavalcanti


Unidade Materno Infantil da Susipe oferece palestras para internas
Faltando poucos dias para completar um ano de existência, a Unidade Materno Infantil (UMI) da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) iniciou, nesta terça-feira (11), o evento em comemoração à Semana da Mulher e ao desenvolvimento do bebê. A programação foi aberta com orientações e palestras com temas abordando aleitamento materno, alimentação saudável e as principais necessidades da infância para desenvolver a coordenação motora, afetiva e cognitiva do bebê, além da prevenção das doenças sexualmente transmissível (DST) e as causada pelo Papilomavírus Humano, o HPV.
Atualmente 12 internas, sendo oito com bebês e quatro ainda em gestação estão custodiadas na unidade. Para a gestora da UMI, Nazaré Costa, o momento é de grande satisfação para todos. “Poder reunir mães e futuras mães nessa programação é especial para nós, já que o momento serve para falar sobre assuntos pertinentes e esclarecer dúvidas que muitas delas têm”.
Ela destaca ainda a receptividade das internas a cada novo projeto. “Há meses atuando como gestora percebo que a cada nova ação elas ficam mais abertas e participativas, é uma experiência única, a programação abre espaço para que as mães possam tirar dúvidas sobre como cuidar de seus bebês e com esse conhecimento a mais reforçar a auto estima na maternidade, deixando elas mais atentas e cuidadosas”, disse.
Para a palestrante e pediatra da Susipe, Mara Botelho, que há 3 meses acompanha as internas, as dicas foram muitas. “É um momento que a gente vem proporcionar um conhecimento e mostrar a importância do vínculo afetivo, do carinho, da amamentação, do cuidar do bebê, da alimentação da mãe durante a gravidez e pós-parto, além da alimentação do bebê após seis meses”, conta.
De acordo com a médica, essas atividades voltadas ao cuidado com a primeira infância são fundamentais para essas mães encarceradas. “O objetivo é que as mamães e futuras mamães partilhem dúvidas, experiências e aprendam tudo sobre o mundo da gravidez e da maternidade e que esclareçam todas as fases do desenvolvimento e do crescimento”, destacou Mara.
Entre os fatores que beneficiam o desenvolvimento saudável dos bebês estão: o sono, alimentação saudável, o carinho, a importância do toque, a massagem infantil, além de um ambiente estimulante para a criança brincar. As ações desenvolvem no bebê as capacidades cognitivas, motoras, socioafetivas e também de linguagem. Por isso o investimento nesse período garante à criança o direito de ser saudável, viver em segurança e um vínculo maior com a mãe.
Para a interna Rubinete Meireles, que aos 25 anos é mãe de três filhos e há 10 meses vive a experiência da maternidade no cárcere, a pequenina Maria Clara, de cinco meses, traz novidades todos os dias. “É uma oportunidade de conhecimento, já que a minha filha vem crescendo e necessitando de mais cuidados, por isso aproveitei para tirar minhas dúvidas sobre a minha alimentação e a dela”, comentou.
Jucirene Alves, 21 anos, é mãe de Heloise Cristina, de nove meses, e diz que vai mudar a alimentação da filha depois do que aprendeu na palestra. “A principal mensagem que ficou nesse primeiro dia de palestras foi a importância de cuidar do bebê desde a gestação até o crescimento, já que a minha bebê tem alergia, os iogurtes, sucos artificiais e outros biscoitinhos com conservantes serão cortados da alimentação dela, pode ser que a alergia melhore”, afirmou a mãe.
Pedro Botelho, estudante de enfermagem, fechou o primeiro dia de palestras com as informações e orientações sobre as doenças sexualmente transmissíveis (DST) e HPV, principalmente por meio da relação sexual. A doença é responsável por cerca de 90% dos casos de câncer de colo uterino, o segundo tipo de câncer mais frequente em mulheres. Estima-se que no Brasil, aproximadamente 685 mil pessoas são infectadas pelo vírus a cada ano e 4.800 mulheres morrem em decorrência do câncer de colo do útero.
“É fundamental e mais eficaz a prevenção da doença, por isso estamos fazendo essas ações para despertar essas mulheres a fazerem os exames, já que a doença tem crescido assustadoramente”, comentou o estudante. A programação segue até a próxima quinta-feira, 13, com palestras sobre higiene íntima e local, verificação de pressão arterial, glicemia, orientações de saúde, cortes de cabelo e manicure. Na sexta-feira (14) será celebrada uma missa em comemoração ao aniversário da unidade.

Texto:
Timoteo Lopes


Primeira reunião do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil - LIGABOM/2014
Acontece no período de 13 a 14 de março de 2014, no HANGAR – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém, a primeira reunião do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil – LIGABOM 2014.
A abertura do evento será no dia 13 de março (quinta-feira), às 9h, no auditório do Hangar e contará com a presença de todos os comandantes-gerais dos Corpos de Bombeiros dos estados da federação e do Distrito Federal, e demais autoridades civis e militares convidadas.
O conselho foi criado em 2008 e é um órgão colegiado composto pelos Corpos de Bombeiros Militares de todo país e representante legítimo desta classe, junto a diversos órgãos em todas as esferas, mas especialmente junto à federação.
Dentre as finalidades do conselho, destacam-se:
- Participar da formulação, acompanhamento e avaliação das políticas e diretrizes nacionais relacionadas com a segurança pública, defesa civil, defesa social e atividades específicas dos Corpos de Bombeiros Militares, propondo medidas e ações, colaborando ainda nas suas implementações;
- Acompanhar, em articulação com os órgãos competentes, a implementação da política nacional de segurança pública, defesa civil e defesa social e contribuir para correspondente formulação de ações em nível regional;
- Promover estudos e pesquisas interdisciplinares nas áreas de Segurança Pública, prevenção, combate incêndio, busca e salvamento, perícia de incêndio, socorro em emergências médicas pré-hospitalar e outros;
Neste evento da LIGBOM/2014, nos dias 13 e 14, no horário de 9h às 17h, os temas a serem tratados serão voltados para a Política Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares na Segurança Púbica, subsidiados pelas finalidades do conselho.
O atual presidente do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil é o coronel BM Lioberto Ubirajara Caetano de Souza – comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Rondônia.
O evento contará com o apoio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) e do Corpo de Bombeiros Militar do Pará.

Texto:
Carlos Reis


Ceasa funciona em novo horário para beneficiar usuários
Com o objetivo de regularizar o funcionamento do mercado e facilitar o acesso da população, as Centrais de Abastecimento (Ceasa) do Pará opera, há uma semana, em novo horário. O Entreposto, que antes funcionava de 22h às 8h, agora funciona das 0h às 10h, desde a última quarta-feira, 5. O novo horário de comercialização atende a deliberação realizada em um plebiscito feito pelos permissionários em setembro do ano passado. Porém, há diversas exceções à regra. No caso dos clientes, é possível adentrar as Centrais a partir das 23h30, sendo que a saída não pode exceder às 12h. Dessa forma, os consumidores terão mais tempo para realizar as compras com tranquilidade.
De acordo com o presidente da Ceasa, Carlos Augusto Barbosa, a medida vem solucionar um antigo problema, que envolve os caminhões frigoríficos. Esses veículos, que muitas vezes passavam vários dias nas Centrais, tumultuavam o espaço e impediam clientes e produtores de estacionar. Com o novo horário, esses caminhões deverão entrar às 20h e permanecer, no máximo, por até 48 horas no local. Caminhões com mercadoria hortifrutigranjeira entrarão às 20h e sairão até às 10h do dia seguinte. Os táxis e kombis poderão ter acesso ao mercado no horário de 23h30 às 12h.
“A tabela com os horários diferenciados tem como finalidade organizar e regulamentar as políticas internas de funcionamento do mercado, visto que hoje não existem regras claras, principalmente para a saída de funcionários, fornecedores e caminhões. Sem dúvida, será um enorme avanço para todos. Com essa tabela de horários definida, os consumidores poderão, por exemplo, programar melhor as compras”, diz o presidente. Ainda segundo ele, a divulgação da mudança vem sendo realizada com a distribuição de panfletos e cartazes informativos para os permissionários e clientes.
Carlos Augusto Barbosa também ressalta que o novo horário não se trata de uma ação isolada. A medida faz parte de cronograma de ações que visam manter a ordem e o funcionamento do mercado. De acordo com o presidente, para garantir o controle e segurança dos permissionários e consumidores, já no proximo mês, também será implantado um novo sistema de acesso às Centrais, composto por catracas biométricas e carteiras.
Para o comerciante Maurício Daguer, as medidas beneficarão todos os usuários. Sobre o novo horário, o comerciante destaca que o ajuste permitirá uma melhor organização para a comercelização das mercadorias. “Com a mudança, teremos mais tempo para descarregar e arrumar os produtos dentro do estabelecimento. Quando o cliente chegar a mercadoria já estará disponível para comercialização. O público e nós ganhamos com essa melhoria”, opina.

Texto:
Fabiana Otero


   ESTAÇÃO CIDADANIA JURUNAS ABRE AS PORTAS PARA AJUDAR A DRT. A DEMANDA FOI GRANDE E O POVO FICOU NO SOL ESCALDANTE.












Em virtude das obras que estão sendo realizadas no prédio da Delegacia Regional do Trabalho (DRT), no Centro Comercial, e com previsão de término – segundo informações – dentro de um mês, a Estação Cidadania, no bairro do Jurunas, começou a receber na manhã desta quarta-feira, as pessoas que procuram por serviços, como: Seguro Desemprego; Recursos e Desemprego.

A demanda de pessoas é grande, prova disso, que a direção da Estação Cidadania estipulou atender inicialmente (isso hoje) 30 pessoas e mais 10 prioridades. As demais estão sendo agendas para os dias seguintes, também obedecendo aos números de atendimentos (30 e 10). Os agendamentos são feitos pela própria pessoa, mediante a apresentação da Carteia de Identidade e os demais documentos.

1° DIA: Hoje, quarta-feira, a demanda de pessoas foi bastante grande. O salão de espera é pequena no prédio da Estação Jurunas e por isso, muitas pessoas ficaram do lado de fora aguardando sua vez de entrar para ser atendido e posteriormente agendamento. O Sol nesta quarta-feira foi o principal concorrente das pessoas que necessitavam de benefícios da DRT.

Maiores informações, as pessoas podem utilizar o fone da Estação Cidadania: (91) 3239-3750.

Texto e Fotos: CORREIO JURUNENSE, A Nação Jurunense em Revista
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...