Total de visualizações de página

terça-feira, março 18, 2014

Estado inicia negociação da data-base de servidores em 31 de março





Paixão de Cristo de Barcarena será na orla do município e vai impulsionar o turismo
A já tradicional encenação da Paixão de Cristo de Barcarena, município localizado na região turística Araguaia Tocantins, este ano tem mais uma novidade. Será encenada na Praça da Matriz da sede municipal, em espaço cenográfico na orla turística da cidade. A confirmação é do idealizador e organizador do evento, Arildo Poça, que esteve na Companhia Paraense de Turismo (Paratur), na tarde da última terça-feira, 18, apresentando à diretora de Marketing, Jacqueline Alves, a versão 2014 do evento, que vai acontecer entre os dias 17 e 14 de abril.
A encenação da Paixão de Cristo é uma dos espetáculos mais tradicionais da Semana Santa e uma das mais importantes expressões da cultura religiosa em todo o mundo. A narrativa dos últimos dias de Jesus tem o condão de atrair um grande público nas cidades que mantêm essa tradição, sendo um grande agente impulsionador do turismo. Em Barcarena, a versão amazônica do espetáculo é encenada há mais de 30 anos e atrai um número cada vez maior de visitantes à cidade.
Desde 2001 a Companhia Paraense de Turismo (Paratur) dedica apoio institucional e promocional ao espetáculo teatral,  denominado “Paixão de Cristo, Paixão da Amazônia”, encenado pelo grupo Chama, sob a direção de Arildo Poça, que além de dar vida aos personagens da narrativa é também o ator que representa Jesus Cristo no espetáculo. O elenco, aliás, é todo formado por pessoas da comunidade, o que dá um caráter mais popular ao evento. Os números envolvidos são de uma superprodução com cerca de 350 pessoas, entre os quais, mais de 130 atores, cerca de 200 figurantes, 10 palcos distintos, um grande sistema de som, luz, efeitos especiais e outros recursos tecnológicos utilizados. Tudo isso ao ar livre, tendo a Amazônia como cenário. 
As encenações, este ano, estão confirmadas para acontecerem nos dias 17 e 18 às 20 horas e dia 19 às 21 horas. Toda a programação terá cobertura do Grupo Amazon Sat, especialmente pelos programas da TV e Portal Amazon Sat, do estado do Amazonas. A cobertura resulta de parceria do grupo com a Companhia Paraense de Turismo, através da qual recebem cobertura jornalística os principais eventos culturais dos 23 municípios prioritários do Plano Ver-o-Pará (Plano Estratégico de Turismo do Pará).
“Essa parceria é muito importante para o grupo Chama e para o município de Barcarena, que tem nesta época a oportunidade de expressar sua cultura e dar visibilidade ao turismo. A Paratur sempre esteve conosco e esse apoio é fundamental”, disse Arildo Poça. Ele ainda informou que o evento já foi encenado em diversos espaços, como o Centro Cultural de Barcarena, o Cabana Clube, mas que o grande projeto é a construção da Cidade Cenográfica da Paixão de Cristo, como aconteceu na comunidade de Fazenda Nova, em Nova Jerusalém, no estado de Pernambuco.
“Trabalhamos estes anos todos com esse objetivo. A Cidade Cenográfica será construída em um terreno com mais de 20 mil metros que já adquirimos. Agora buscamos investidores para essa obra, que certamente vai fortalecer o turismo em Barcarena”, reitera Arildo. Para a edição 2014, o evento conta com apoio da paróquia local e da prefeitura municipal, além da Paratur e da Secretaria de Estado de Turismo do Pará (Setur), por meio do projeto Incubadora de Eventos, que busca fortalecer a competitividade e incrementar o fluxo de turistas no local onde eles acontecem.
Opções - Os visitantes que forem a Barcarena na Semana Santa não terão apenas o espetáculo da Paixão de Cristo como opção de entretenimento. O município oferece ótimas alternativas de lazer, como as praias do Caripi, na Vila dos Cabanos, Itupanema, na Vila de Itupanema, e do Conde, na Vila de mesmo nome. Para quem busca por tranqüilidade e contato com a natureza, a praia do Sirituba, na ilha de Trambioca, oferece um clima bucólico e águas mornas e claras. Um passeio pelos rios e igarapés soma-se aos atrativos locais, que também permite visitas ao patrimônio histórico, trilhas e outras atividades. A principal referência de hospedagem é o Hotel Samaúma, construído no alto de uma centenária samaumeira, árvore típica da Amazônia. 
É possível chegar em Barcarena em um hora e meia por via rodoviária, partindo de Belém pela BR-316 através da Alça Viária (PA-150). Outra opção são os barcos ou lanchas que saem de hora em hora, de domingo a domingo, dos portos localizados na rua Siqueira Mendes, no bairro da Cidade Velha, em Belém, ou ainda do Porto do Foca, localizado no Complexo do Ver-o-Peso, também na capital paraense.
A "Paixão da Amazônia" vem se consolidando no calendário religioso e turístico no Pará. O apoio da Companhia Paraense de Turismo (Paratur) é determinado pelo Plano Estratégico de Turismo do Pará “Ver-o-Pará”, lançado no final de 2011, que aponta a cultura e a natureza como importantes insumos para o desenvolvimento social e econômico do Estado, a partir do turismo.
 "O apoio da Paratur a Paixão de Cristo, seja em Barcarena ou em outros municípios, tem como objetivo dar visibilidade aos produtos turísticos do Pará, fortalecendo ainda mais cada município para assim cumprirmos a meta principal do Plano Ver-o-Pará, de tornar o estado o destino líder em turismo até 2020. É importante ressaltar que a "Paixão da Amazônia" vem se consolidando no calendário religioso e turístico no Pará reforçando que a cultura e a natureza são importantes insumos para o desenvolvimento social e econômico do Estado a partir do turismo”, afirma o presidente da Paratur, Marcelo Mendes

Texto:
Benigna Soares


Campanhas do Hemopa chegam ao Metropolitano e Pátio Belém

Desde o início do mês, até ontem, 18, a Fundação Hemopa realizou   cinco campanhas externas em parceria com várias instituições, o que totalizou 412 comparecimentos de doadores de sangue e 136 novos cadastros de medula óssea. O cronograma prossegue nesta quinta-feira, 20, no estacionamento do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, na BR-316, S/N, no bairro Jaderlândia, em Ananindeua, de 8h às 17h. A ação que teve início no dia 19, faz parte das comemorações pelos 8 anos de serviços prestados pelo hospital e tem a meta de 100 coletas diárias.
Em uma parceria inédita no dias 21 e 22, o hemocentro promoverá campanha  externa em parceria com o Shopping  Pátio Belém, na Trav. Padre Eutíquio, 1078, de 14h às 21h, no terceiro piso. Antônio Carlos Maziviero, gerente de marketing do estabelecimento comercial, diz entender a importância do Hemopa para a sociedade, e da sociedade para o Hemopa, pois ambos se interligam através de ações de solidariedade. “Por essa razão, trazer o hemocentro para dentro do shopping é aproximar ainda mais essa parceria, tornando visível a seriedade e o profissionalismo de toda equipe que faz o dia a dia do paraense mais seguro e saudável”, destacou.
Para ele, cabe ao Pátio Belém apoiar ações de responsabilidade social, entre elas, em favor da doação de sangue. “Vamos estimular a participação do público que vem ao shopping, com os mais diversos propósitos, a também doar sangue”, prometeu.
A gerente de Captação de Doadores, a assistente social Juciara Farias, agradece e parabeniza todas as instituições que apoiam e promovem a doação de sangue. “A rede de voluntariado tem que ser crescente e comr a maior diversidade dos setores da sociedade. Nosso muito obrigada a todos”.
As instituições interessadas em compor parceria com o hemocentro devem entrar em contato pelo telefone: 3224.5048, de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h; e aos sábados até às 17h. “Quanto mais parcerias o Hemopa firmar, muito mais vidas poderemos salvar através do voluntariado da doação de sangue habitual”, comentou.
As campanhas continuam nos dias 26 e 27, no shopping Castanheira, na BR-316, de 10h às 19h e no dia 29, novamente em parceria com o “Projeto Vida por Vidas”, da Igreja Adventista do Bengui, na Alameda Ananindeua, 13, de 8h às 15h. 

Texto:
Vera R. Rojas


Paratur realiza pesquisas com turistas em São Paulo e Minas Gerais
A Companhia Paraense de Turismo (Paratur) está desenvolvendo uma série de ações que visam tornar o Pára líder em turismo na Amazônia até 2020. Para alcançar esta meta são necessárias políticas e ações de marketing, capazes de posicionar o destino nos mercados nacionais e internacionais. Uma das estratégias é levantar o perfil dos turistas nos principais mercados, o que começou a ser realizado nesta quarta-feira (19), pela Gerência de Inteligência de Mercado da Paratur.
Os primeiros destinos emissores a serem pesquisados são Belo Horizonte, em Minas Gerais, e a cidade de São Paulo, informou a gerente Gabriele Santiago, que está na capital paulista coordenando o levantamento. “Esse conhecimento é adquirido através de dados e informações que nem sempre estão disponíveis em órgãos oficiais e entidades setoriais, sendo necessária, portanto, a coleta de dados qualitativos por meio de pesquisa. Tais dados e informações são essenciais para o planejamento de ações voltadas à comunicação e promoção turística do Estado, e que são fundamentais para que gestores dos nossos projetos e parceiros institucionais possam exercer de maneira eficiente suas atividades a partir do conhecimento da realidade”, informou a gerente da Paratur.
Gabriele Santiago explicou ainda que o levantamento, executado pela empresa Foco Opinião e Pesquisa, contratada pela Paratur por meio de licitação, em São Paulo, acontece nos dias 19 e 20. Na capital mineira será realizado nos dias 26 e 27 deste mês.
Acompanhamento - Todo o trabalho tem acompanhamento da empresa de consultoria espanhola Chias Marketing, responsável pela concepção e implementação do Plano Ver-o-Pará,  que dá as diretrizes do planejamento, desenvolvimento, fomento,  promoção e marketing do turismo paraense, executados pela Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e Paratur, desde 2011.
“A metodologia utilizada será a Técnica Focus Group: pequeno grupo de pessoas estimulado por um facilitador especialmente treinado. Os entrevistados, que são consumidores, se sentem totalmente à vontade para expressarem seus sentimentos e sensações em relação aos estímulos e temas propostos na pesquisa qualitativa”, disse Gabriele.
Em 2012, o Pará recebeu um fluxo de quase 99 mil turistas, dos quais cerca de 76 mil visitaram o Pará somente em outubro, motivados pelo Círio de Nazaré. Deste total, 5,14% eram originários de Minas Gerais, e 12,84% vieram de São Paulo. A pesquisa tem como objetivo analisar, cuidadosamente, o nível de satisfação desses consumidores, e fazer com que sua permanência no Estado, e a aquisição de produtos e serviços na cadeia produtiva do turismo, que envolve mais de 50 atividades, seja ainda maior no Pará, que em 2013 atraiu cerca de 1 milhão de visitantes, e arrecadou com o turismo aproximadamente R$ 600 milhões.
Tereza Jacqueline Alves, diretora geral de Marketing da Paratur, explicou que as pesquisas visam conhecer o perfil do turista potencial da cidade de São Paulo e Belo Horizonte, o interesse em conhecer a Amazônia, os principais segmentos de interesse, principais comportamentos e hábitos em relação às viagens de lazer e viagens por congressos e eventos dentro do Brasil, e ainda identificar as ferramentas de promoção e comunicação mais adequadas aos potenciais turistas.

Texto:
Benigna Soares
Bandas de Música do Pará recebem instrumentos de sopro da Funarte
Músicos paraenses receberam nesta quarta-feira (19), no Espaço São José Liberto (ESJL), 41 instrumentos de sopro, garantidos por meio de editais da Fundação Nacional de Artes (Funarte), do Ministério da Cultura (MinC), voltados ao projeto de bandas da mantido pela fundação. Grupos artísticos dos municípios de Belém, Altamira, Anajás, Colares, Igarapé-Açu, Paragominas, São Caetano de Odivelas e Vigia de Nazaré ganharam instrumentos de sopro, como trombone, trompete, trompa, sax, clarinete e bombardino.
A coordenadora do projeto de bandas da Funarte, Rosana Lemos, explicou que o objetivo deste apoio é propiciar a melhoria da qualidade técnica e artística das bandas de música, e detalhou os critérios de escolha dos grupos agraciados com o fomento. “Os instrumentos são destinados às bandas por meio de seleção de editais, lançados pela fundação. Os projetos inscritos pelos grupos são avaliados por uma comissão julgadora, formada por músicos de todas as partes do país, que atribui pontuações. A quantidade de pontuações determina a quantidade instrumentos que cada banda vai receber”, acrescentou.
Para serem selecionadas, as bandas devem ser constituídas sob a forma de instituição pública ou privada sem fins lucrativos, com estatuto e/ou regimento interno registrado em cartório. Também é necessário possuir Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), na Receita Federal do Brasil, há pelo menos seis meses, estando em pleno funcionamento por igual período.
Os grupos Banda Musical da cidade de Altamira, Banda Sol do Marajó (Anajás), Banda Marcial Afinações Celestiais (Belém), Clube Musical Lira Nova (Colares), Banda de Música Talentos de Iguaçu (Igarapé-Açu), Banda Municipal Professor Daniel Nascimento (Paragominas), Banda de Música Rodrigues dos Santos (São Caetano de Odivelas) também receberam instrumentos. O município de Vigia de Nazaré, com larga tradição em bandas, foi o que reuniu o maior número de grupos na entrega, representado pelo Clube Musical União Vigiense, Clube Musical 31 de Agosto e Banda Som 25, do distrito de Porto Salvo.
Critérios - “O julgamento dos projetos é minucioso. Os critérios são avaliados com muito cuidado, de maneira a não cometer injustiças. No Pará, das 13 bandas inscritas, 11 foram agraciadas com os equipamentos. Esperamos que nos próximos editais da Funarte outras bandas possam se adequar aos quesitos e também ganhar os benefícios”, ressaltou José Vale, maestro da Banda Sinfônica Maestro Vale (uma das beneficiadas pelo projeto), de Vigia, que também integrou a comissão julgadora da Funarte, em maio de 2013.
Na ocasião da entrega, o secretário Especial de Estado de Promoção Social, Alex Fiúza de Melo, representando o governador Simão Jatene, destacou a importância de projetos como este para o Estado do Pará. “A Funarte está de parabéns pelo critério de mérito na concessão destes instrumentos, tomando como base o esforço dos grupos artísticos. Também gostaria de parabenizar, em nome do governador, a cada um de vocês, que ajudam a disseminar arte, cultura e cidadania nos quatro cantos deste imenso Estado”, disse ele.
Segundo o superintendente da Fundação Carlos Gomes, o pianista Paulo José Campos de Melo, a parceria entre governo do Estado e Funarte tem possibilitado a manutenção dos painéis de bandas no Pará, que já beneficiam cerca de 700 pessoas, um dos maiores números de participação do país.
“Esta parceria tem dado frutos muito bons, inclusive com diversos paraenses convocados para as comissões de editais. Isso possibilita que mostremos nossa realidade para a Funarte. Nosso objetivo é incluir mais 19 municípios no programa de bandas em 2015. Já estamos com editais de aquisição de instrumentos para orquestras sinfônicas em andamento. Acredito que ainda este semestre as comissões possam julgar propostas apresentadas”, adiantou Paulo José.
Cidadania - O professor de Música e maestro Artemis Rocha, 49 anos, falou com entusiasmo dos instrumentos que a Associação Musical Afinações Celestiais, localizada no bairro da Sacramenta, em Belém, passará a utilizar. “Este ano vamos completar 17 anos à frente do projeto, e temos alunos de todas as faixas etárias, inclusive idosos. Temos cerca de 60 alunos na sede, mais aproximadamente 300 distribuídos em outros cinco núcleos. Nosso objetivo é fazer um trabalho social. Damos oportunidade a crianças e adolescentes em situação de risco, que ganham oportunidade de estudar e serem inseridos na sociedade. Estamos muito felizes com essa iniciativa da Funarte, por meio da Fundação Carlos Gomes, que nos possibilita receber três instrumentos, avaliados em cerca de R$ 50 mil. Dificilmente conseguiríamos comprá-los”, afirmou o professor.
Para Márcio Cardoso, 42 anos, presidente e maestro da Banda de Música Rodrigues dos Santos, de São Caetano de Odivelas, na região nordeste, uma das mais antigas do Pará (em atividade há 133 anos), ter projetos deste tipo representa um avanço no apoio à arte e cultura no Estado. “Já fomos agraciados, anteriormente, com alguns instrumentos. Desta vez, recebemos mais quatro (tuba, trombone, trompa e bombardino), que vão ser importantíssimos no sentido de ampliar o nosso atendimento no município. Atualmente, temos 60 componentes fixos na nossa banda, e atendemos cerca de 300 alunos em escolas públicas, com ensino gratuito de música e cidadania. A Funarte e a Fundação Carlos Gomes estão de parabéns por nos proporcionarem este avanço”, ressaltou o maestro.

Texto:
Nil Muniz


Uepa participa de projeto voltado à saúde de caminhoneiros
Durante toda esta quarta-feira, 19, os caminhoneiros que trafegaram pela Rodovia BR-316, à altura do município de Benevides, Região Metropolitana de Belém, tiveram uma atenção especial. O projeto Comandos de Saúde nas Rodovias, realizado em todo o País pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), que contou com a parceria da Universidade do Estado do Pará (Uepa) para as ações em território paraense, avaliou as condições de saúde dos caminhoneiros e de suas famílias que os acompanham nas estradas.
Em 5 horas de ação, 95 pessoas receberam atendimentos como a aferição da pressão arterial, detecção de tipo sanguíneo, além da medição de colesterol, triglicerídeos e testes de esforço, força e visão. Alunos da UEPA das áreas da saúde, ambiental e da tecnologia estiveram envolvidos na ação em um trabalho integrado.
Para a coordenadora do Projeto pela Uepa, professora Gleicy Karen Abdon Alves Paes, trata-se de uma oportunidade de cuidar da saúde oferecida a esses profissionais, que passam longos períodos viajando. “Nossa intenção é ajudar na melhoria da qualidade de vida dos caminhoneiros de carga, contribuindo para a redução dos índices de acidentes nas estradas federais”, ressaltou.
Este é o segundo ano da participação da Uepa no projeto que é realizado desde 2006. De acordo com o agente da PRF, Adalberto Reis, esta foi a primeira de quatro ações a serem desenvolvidas em 2014, oferecendo de 20 a 25 serviços. “É uma ação preventiva, na qual oferecemos orientação aos caminhoneiros. Os que apresentaram problemas nos exames foram medicados imediatamente, e os casos mais graves foram encaminhados a postos de saúde”, afirmou.
O projeto conta ainda, com a parceria do Corpo de Bombeiros, Secretaria Municipal de Saúde de Benevides e Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa).


Texto:
Janine Bargas


Vila de Fordlândia é destaque em artigo de guia turístico da Inglaterra
“Pedacinho dos Estados Unidos, na década de 1920, transplantado para o coração da floresta amazônica”. Assim a jornalista inglesa Kiki Deere, do guia de turismo “Rough Guides”, define a vila de Fordlândia, no oeste do Pará. A jornalista foi recebida em Belém, em fevereiro passado, pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur), que apoiou a reportagem nos principais municípios das regiões turísticas de Belém, Amazônia Atlântica, Marajó e Tapajós.
Além de incluir inúmeros serviços e atrativos turísticos do Pará no Guia, Kiki escreveu um artigo especial sobre a história da borracha em Fordlândia, comunidade hoje pertencente ao município de Belterra, erguida na Amazônia pelo industrial norte-americano Henry Ford, criador da Ford Motor Company e pioneiro na montagem em série de automóveis.
Ele pretendia extrair látex para a produção da borracha que abasteceria sua indústria automobilística nos Estados Unidos. Com a Ford Company, Henry Ford se tornou um dos homens mais ricos do mundo nos anos 1930.
Em seu artigo, Kiki relata o momento histórico da “Belle Époque”, que deixou à Amazônia, em especial ao Pará, um tesouro arquitetônico, como o Theatro da Paz, em Belém, e Fordlândia, em Belterra.  Ela descreve com detalhes a arquitetura local, as fábricas de borracha abandonadas, a rotina dos moradores, e ainda conta uma lenda urbana que circula entre os habitantes da vila: que os americanos também explorariam ouro na região.
Diversas ações de promoção são feitas pelo governo do Estado na região. Para Belterra, a Secretaria de Estado de Turismo (Setur) também projetou a construção de um Hotel Ciência, em que a atividade turística seria desenvolvida comercialmente de forma sustentável, tendo como principal segmento a natureza da região, que integra a Floresta Nacional do Tapajós (Flona).
A íntegra da matéria de Kiki Deere está no site http://www.roughguides.com/article/fordlandia-abandoned-city/

Texto:
Benigna Soares


Estado inicia negociação da data-base de servidores em 31 de março
Começam no final deste mês as negociações entre governo do Estado e sindicatos de servidores públicos estaduais referentes à data-base da categoria, em abril. A data-base é o período em que, anualmente, são revistos os Contratos ou Convenções Coletivas de Trabalho para a fixação de índices de correção salarial, e debatidas as cláusulas sociais.
A secretária de Estado de Administração, Alice Viana, recebeu na manhã de terça-feira (19), no auditório da Sead (Secretaria de Estado de Administração), 15 representantes de entidades sindicais, com os quais marcou para 31 de março  o início das negociações.
A reunião aconteceu em clima cordial. Os sindicalistas reafirmaram os itens da pauta de reivindicações encaminhada à Sead e, embora o movimento deste ano seja unificado, alguns deles expuseram sua preocupação com assuntos específicos dos órgãos em que trabalham.
A secretária registrou a expectativa de cada um a respeito da futura negociação, respondeu ponto a ponto as observações específicas dos servidores e fez as ponderações necessárias diante da proposta de antecipação das negociações, apresentada pelos sindicatos.
"Existem limitações de natureza econômica, financeira e legal, na atual conjuntura, que devem ser analisadas com cuidado diante da pauta apresentada. Essa análise já está sendo feita e, certamente, no dia 31 de março já teremos condições de lhes dar pelo menos algumas respostas. A partir daí, as negociações prosseguem até que esgotemos todos os itens, como sempre temos feito", disse Alice Viana.
Os representantes dos servidores concordaram com a data proposta, e as duas partes se comprometeram a, já na primeira reunião, montar um calendário de negociações.
Marcos Fontelles, dirigente da Central dos Trabalhadores do Brasil, ressaltou que existe, tanto do lado dos servidores quanto do governo, "o pressuposto da boa-fé". Ele observou, porém, que a ansiedade dos sindicatos pela antecipação da data-base se deve a duas características peculiares da pauta deste ano: "Ela é muito extensa e unificada". 
"Seria temeroso antecipar a data-base, pois nós nem terminamos ainda a análise da pauta. Isso demanda tempo. Nem mesmo foi fechada a inflação do período de abril do ano passado a março deste ano, que é fundamental para a fixação do possível reajuste. Temos apenas uma expectativa, que está em torno de 5,5% a 6%", argumentou Alice Viana. Foi fixado, então, de comum acordo, o dia 31 de março como ponto de partida para as negociações. 
Aumento real - A inflação oficial, medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é o parâmetro mais importante na negociação dos itens econômicos. No ano passado, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) foi de 6,5%. A partir dele, fixou-se o reajuste dos servidores estaduais, que ficou em 7%, com garantia de ganho real.
“Desde o início da atual gestão do Estado a política de remuneração dos servidores públicos tem se pautado pela elevação dos valores, sem acúmulo de perdas em decorrência da inflação”, enfatizou  a secretária de Administração.

Texto:
Paulo Silber


Defensoria promove debate sobre dependência afetiva da mulher vítima de violência
Começa nesta quinta-feira (20) o I Encontro de Dependência Afetiva e Violência Doméstica e Familiar contra Mulher, promovido pelo Núcleo de Atendimento Especializado à Mulher (Naem), da Defensoria Pública, e a Clínica de Psicologia da Universidade Federal do Pará (UFPA). O evento se estenderá até sexta-feira (21), no auditório da Defensoria Pública, em Belém.
O projeto foi idealizado em 2012 e já se transformou em Programa de Atenção Interdisciplinar à Mulher em Situação de Dependência Afetiva e Violência Baseada no Gênero (Prodavig). O defensor geral do Estado, Luís Carlos Portela, abrirá o encontro, que também reunirá professores da UFPA, psicólogos, a equipe do Naem e a coordenação do Prodavig.
A primeira mesa redonda contará com a participação da professora Silvia Canaan Stein, que também estará ao lado da psicóloga Clotilde Sant’ Ana no debate sobre o tema “Psicoterapia comportamental individual e de grupo para mulheres em situação de dependência afetiva e de violência conjugal”.
A psicóloga Mislene Lima e a assistente social Helena de Cássia irão discutir sobre o comportamento de mulheres em situação de violência nos relacionamentos. A Dependência Econômica e Violência Doméstica e Familiar será a temática abordada pelas assistentes sociais Fabíola Barbosa e Helena de Cássia Neves.
O professor Marcelo Galvão falará sobre a Inserção da Violência Baseada no Gênero nos Mestrados de Segurança Pública da UFPA e da Universidade de Cabo Verde, além de outras possibilidades de cooperação internacional.
No segundo dia de encontro haverá relatos de casos clínicos e de experiência de atendimento psicossociais do Prodavig, com palestras sobre dependência afetiva e autocuidado. A psicóloga Silvia Canaan Stein também participará do debate sobre a vitimização e a autonomia da mulher em situação de alienação parental, violência moral e psicológica.
Políticas públicas, direitos humanos e movimentos sociais, também vão estar em destaque durante a programação do encontro. Mulheres que são atendidas pelo Prodavig farão relatos de suas experiências no encerramento da programação.
Programação completa do encontro:
- 20 de março - quinta-feira
8h30 - Abertura:  com Luís Carlos Portela - defensor público geral do Pará;  Antônio Roberto Figueiredo Cardoso – diretor da Escola Superior da Defensoria Pública; Arleth Guimarães – coordenadora do Núcleo de Atendimento Especializado à Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, e Silvia Canaan Stein – professora da UFPA e coordenadora do  Programa de Atenção Interdisciplinar à Mulher em Situação de Dependência Afetiva e Violência Baseada no Gênero
8h50 – Mesa redonda
- O efeito da intervenção em grupo sobre o repertório comportamental de mulheres em situação de violência nas relações amorosas - psicóloga Mislene Lima Silva e a assistente social Helena de Cássia Neves
- Psicoterapia comportamental individual e de grupo para mulheres em situação de dependência afetiva e de violência conjugal - Silvia Canaan Stein e a psicóloga Clotilde Sant'Ana
 - Dependência Econômica e Violência doméstica e familiar contra a mulher: Relato de uma experiência em um grupo de atendimento social na clínica de psicologia da UFPA -  assistentes sociais Fabíola Barbosa e Helena de Cássia Neves
10 as 10h30 - Intervalo
10h30 - Atenção psiquiátrica a mulheres em situação de dependência afetiva e/ou violência doméstica e familiar na Clínica de Psicologia da UFPA - psiquiatra Rita de Cássia Souza
- Inserção da Temática da Violência Baseada no Gênero nos Mestrados de Segurança Pública da UFPA e da Universidade de Cabo Verde e outras possibilidades de cooperação internacional - professor Marcelo Galvão Baptista
- Artes Marciais: Laboratório de Aptidões Físicas em parceria com o Prodavig - professor Ítalo Campos
11h30 as 12 h – Debate
 21 de março - sexta-feira
8h30 - Relatos de casos clínicos e de experiências de atendimentos psicossociais do Prodavig
Dependência afetiva e o autocuidado: déficits de responsabilização e de autonomia em uma mulher em situação de violência doméstica - Aline Maués, Flávia Almeida e Silvia Canaan Stein
Da vitimização à autonomia: uma mulher em situação de alienação parental, violência moral e psicológica - Iana Teixeira, Bellany Barbosa Lopes e Silvia Canaan Stein
Políticas públicas, direitos humanos e movimentos sociais: relato de experiência de um grupo de atendimento social para mulheres em situação de dependência afetiva e/ou violência doméstica - Camila Coimbra, Jaqueline Souza, Zenildo Costa, Fabíola Barbosa e Helena de Cássia Neves
Do sofrimento à resiliência: relato de experiência de um grupo psicoterapêutico de mulheres em situação de dependência afetiva e/ou de violência doméstica - Stéphanie Corrêa, Silvia Canaan Stein e Clotilde Sant'Ana
09h30 - Relato de experiências de mulheres atendidas pelo programa.
10 h - Debate
10h30 as 11 h - Intervalo
11h as 12 h – Encerramento
Mesa composta pelos representantes do Naem, Clínica de Psicologia da UFPA, Neah, Pro Paz Mulher, Deam, Vara de Juizado de Violência Doméstica e Familiar, Promotoria de Justiça de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher e Coordenadoria Estadual de Promoção dos Direitos da Mulher

Texto:
Micheline Ferreira


Santa Casa prestou o devido atendimento à vítima de acidente de trânsito
Ana Carla do Carmo Farias, 26 anos, vítima de acidente de trânsito na última segunda-feira (17), na Avenida Almirante Barroso, foi primeiramente levada, por uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), ao Hospital Santa Casa do Pará, por estar com 7 meses de gravidez. Com vários traumatismos, a paciente foi avaliada pela equipe médica da Santa Casa, que constatou os batimentos cardíacos do feto e não detectou sangramento vaginal, perda de líquidos ou outro sinal de parto.
Devido ao estado gravíssimo de Ana Carla, ela foi encaminhada, na própria ambulância do Samu, ao Pronto Socorro Municipal, instituição apropriada ao atendimento de politraumatizado. No dia seguinte (18), uma equipe de médico, assistente social e técnico de enfermagem da Santa Casa foi ao Pronto Socorro examinar a paciente, que estava entubada e medicada com drogas vasoativas, quando foi constatada a ausência de batimento cardíaco do feto. Uma ultrassonografia foi realizada, confirmando o óbito do feto.
A equipe da Santa Casa orientou que a cesariana para retirada do feto fosse feita no próprio Pronto Socorro, para evitar o transporte da vítima até a Santa Casa. Mas devido à falta de condições para realizar o procedimento no PS, Ana Carla foi levada para a Santa Casa e submetida à cesariana para retirada do feto, já que a suspeita de trauma raquimedular impediu a indução do parto normal.
Durante a cirurgia, os médicos constataram que ela apresentava contusões no baço, rim e fígado, e acabou tendo duas paradas cariorrespiratórias, sendo imediatamente levada para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). A Santa Casa disponibilizou todos os recursos existentes para preservar a vida da paciente, mas Ana Carla não resistiu aos múltiplos ferimentos e morreu nesta quarta-feira (19). O corpo de Ana Carla passará por autópsia no Instituto Médico-Legal.

Texto:
Alessandro Borges


Pará é destaque no diário Público de Portugal
As belezas do Estado do Pará são destaque de reportagem especial do Diário Português Publico. Atendendo convite da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), dois jornalistas portugueses participaram, entre os dias 16 a 20 de janeiro deste ano, do Programa de Press Trip (viagem de familiarização de jornalistas especializados em turismo), organizado pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur). A repórter Alexandra Prado e o fotógrafo Nelson Garrido tiveram a oportunidade de registrar importantes aspectos da cultura, natureza, sol e praia, eventos e negócios, segmentos fortes do turismo paraense. Em Belém, por exemplo, conheceram o Complexo Ver-o-Peso, a ilha do Combu e se deliciaram com a gastronomia local.
A reportagem especial do Publico já pode ser conferida no site da publicação e mostra aos cidadãos portugueses e de outros países, imagens que só a Amazônia paraense tem. No jornal eles relatam a experiência de tomar o tacacá e ficar com a boca dormente pelo jambu. A jornalista chega a dizer que o Estado é uma “despensa mágica”, se referindo à abundância na gastronomia.
Alimento típico paraense e que não falta em muitas casas na hora do almoço, o açaí também foi experimentado. Dona Prazeres foi a personagem encontrada na ilha do Combu que apresentou à Alexandra um sabor tipicamente local, inhame frita (regionalmente conhecida como mandioca) com pirarucu. A equipe também passeou pela Ilha e teve o privilégio de ver de perto a samaumeira, uma das maiores árvores amazônicas.
"A Paris n’América”, esse é o titulo dado pela jornalista portuguesa ao retratar a capital paraense na reportagem e que destaca a época que Belém viveu no auge da borracha, a conhecida “Belle Époque”. Muito da arquitetura paraense foi edificada sob a visão de Paris. Até os materiais vinham da França. O Parque Zoobotanico do Museu Paraense Emílio Goeldi, Mangual das Garças, Basílica de Nazaré, Theatro da Paz e o Complexo Feliz Lusitânia também foram citadas por Alexandra.
Vale ressaltar que a partir de junho, a TAP (Empresa de Transporte Aéreo de Portugal) começa a operar voos comerciais direto para Belém, partindo de Lisboa, “abrindo a porta” para a Europa. O presidente da Paratur, Marcelo Mendes, que esteve em Portugal entre 12 e 16 deste mês, representando o Pará na Bolsa Internacional de Turismo de Lisboa (BTL), elogiou a publicação.
“De excelente qualidade a reportagem da Alaxandra Prado e do Nelson Garrido. É resultado dos investimentos que a Paratur vem fazendo na divulgação do nosso turismo", afirmou. Só nos últimos três meses, o Pará foi tema de publicações que foram feitas na revista italiana Turismo & Attualità; na “Prestigieux Univers”, da França; no guia turístico “Stefan Loose Travel Handbücher ‘Brasilien’”, lançado em dezembro na Alemanha e premiado pela ITB, maior feira comercial e promocional de turismo daquele país; do guia turístico inglês “Rough Guides” e de outros veículos de Portugal, entre outras publicações internacionais, que somam-se à publicações diárias nos veículos de comunicação do Brasil.
"O trabalho de divulgação é concomitante com o recebimento, no Pará, de jornalistas especializados em turismo e com a participação da Paratur nas feiras e eventos desses destinos visando a promoção, captação de eventos e aplicação de ferramentas de marketing e inteligência de mercado, visando a busca da liderança do Pará como destino prioritário em turismo na Amazônia", completa Marcelo Mendes.

Texto:
Benigna Soares


Cineclube da Uepa exibe "Dersu Uzala", de Akira Kurosawa
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) apresenta nesta sexta-feira (20) o longa-metragem Dersu Uzala, do diretor Akira Kurosawa. A programação faz parte do projeto de extensão Cineclube Uepa 2014. O filme será exibido no auditório da Reitoria, localizado no bairro do Telégrafo, as 17 h, com entrada franca. Após a exibição do filme haverá debate entre os membros da Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA), da Academia Paraense de Ciências (APC) e o público.
A intenção do projeto é utilizar o cinema como recurso pedagógico, importante para a relação ensino-aprendizagem, além de destacar o cinema como ciência e promover a integração entre professores, servidores, alunos e toda a comunidade externa, por meio de um debate crítico sobre problemas da sociedade. “A exibição de filmes também é um ato educativo, congregando todas as artes. Esse processo de educação possibilita ao público visualizar representações da realidade e debater sobre elas”, afirmou a pró-reitora de Extensão da Uepa, Marize Duarte.
A novidade deste ano é que, além da capital, o filme será exibido em todos os campi da Universidade. “Conseguimos ampliar o projeto e levar a todos os campi, uma forma de gerar discussões sobre a amizade, afetividade e as relações humanas, questões que estão presentes no filme Dersu Uzala”, acrescentou Marize Duarte.
O filme conta a história de um explorador (líder de uma expedição de levantamento topográfico na Sibéria) do exército russo, resgatado na Sibéria por um caçador nanai (Dersu Uzala), que passa a lhe servir de guia, dando início a uma forte amizade.
Quando o explorador decide levar o caçador para a cidade, seus costumes se confrontam de forma esmagadora com o modo de vida burocrático urbano, fazendo-o questionar diversos padrões da sociedade.

Texto:
Ize Sena


Estados se organizam para receber novo financiamento do BID
A representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil, Daniela Carrera Marquis; o chefe da divisão de gestão fiscal e municipal do BID, Vicente Fretes Cibilis e Maria de Fátima Cartaxo participarão, nesta quinta-feira, dia 20, da reunião do pre-Confaz, que antecede a reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) que será realizado na sexta-feira, dia 21, em Teresina, Piauí. Eles vão tratar, com os secretários estaduais de Fazenda, do novo financiamento para modernização das administrações fazendárias, o Profisco II, no valor de cerca de um bilhão de dólares.
O novo empréstimo foi tema de debates durante reunião da Comissão de Gestão Fazendária (Cogef), realizada em Palmas, no dia 14 de março. O secretário da Fazenda do Pará e coordenador dos estados no Conselho Nacional de Política Fazendária, José Tostes Neto, anunciou que os estados brasileiros deverão contar com o empréstimo a partir de 2015.
“As atividades das Secretarias Estaduais de Fazenda têm o objetivo de garantir os recursos necessários para os investimentos públicos e aumentar os benefícios ao cidadão, que são de obrigação do Estado. Para tanto há necessidade, em todos os estados, de aprimorar as administrações tributárias e financeiras; melhorar o controle de gasto público, com readequação das receitas, e controlar as dívidas estaduais”, afirmou Tostes.
Profisco
Em fevereiro foi realizada uma visita ao BID, em Washington, por representantes do Confaz, da Cogef e do Grupo de Gestores das Finanças Estaduais (Gefin). Ficou acertado que, para a definição conceitual do novo financiamento do BID, serão organizados três seminários: um para a área tributária, outro para a área financeira e um para a área de capacitação. O seminário sobre Administração Financeira e Dívida Pública está programado para abril.
Em reuniões preliminares realizadas no Brasil, foi elaborada a proposta de que o Profisco II compreenda quatro componentes: Sefaz Nacional, Administração Financeira, Gestão da Dívida Pública e Capacitação: estruturação do Instituto de Estudo Fiscal, IEF. Vicente Fretes, do BID, disse que a criação do IEF é muito importante, porque não existe nenhum instituto desta natureza na América Latina.

Texto:
Ana M. Pantoja


Emater participa de reunião sobre educação ambiental e agricultura familiar
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) participa nesta quinta-feira, 20, às 8 horas, de reunião do comitê gestor do Programa de Educação Ambiental para a Agricultura Familiar (PEAAF), na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), para discutir a implantação do programa através de uma oficina que será realizada em Castanhal, nordeste do estado, envolvendo 16 municípios da região, prevista para a primeira quinzena de abril. Participarão da reunião os mais de 25 órgãos e entidades ligadas ao setor.

Texto:
Paula Portilho


Sepaq apresenta metas para 2014 na reunião do Conselho Estadual de Desenvolvimento da Pesca
A instalação do escritório regional em Breves, na Ilha do Marajó, foi uma das metas já cumpridas este ano pela Secretaria de Pesca e Aquicultura do Estado (Sepaq) apresentada nesta quarta-feira, 19, para os integrantes do Conselho Estadual de Desenvolvimento Sustentável da Pesca e Aquicultura (Coepaq). A 11ª reunião do Coepaq, que foi presidida pela secretária-adjunta de Pesca e Aquicultura, Lucia Miranda, também foi marcada pelo anúncio da instalação de outros quatro escritórios regionais este ano. Eles vão funcionar em Altamira, Marabá, Cametá e Salinópolis.
Entre as metas da Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura está a capacitação de 1.600 pessoas este ano, entre pescadores, piscicultores, catadores de caranguejo e ostreicultores. Esse trabalho é feito através de cursos e da assistência técnica feita pelos engenheiros de pesca da Sepaq. A doação de alevinos, concessão de basquetas para o transporte de caranguejo e instrumentos usados na aquicultura também fazem parte das ações que a Sepaq pretende levar para 600 trabalhadores da área em 2014.
No que se refere à Feira do Pescado, a meta é realizar ações em 135 pontos de venda, incluindo a grande ação do projeto “Peixe pra Valer”, nos dias 16 e 17 abril, em 40 municípios do Estado, com o objetivo de garantir o abastecimento durante a Semana Santa. A Sepaq também investe em obras de infraestrutura nas Estações de Aquicultura de Terra Alta, Curuçá e Santarém, assim como na construção do Mercado de Peixe em Alenquer e viveiros em São Geraldo do Araguaia.
A coleta de informações sobre a produção pesqueira no Pará é outra prioridade da Sepaq em 2014. A secretaria pretende ampliar em 25% o Sistema Institucional de Informações, garantindo mais transparência nas estatísticas sobre o pescado produzido no Estado.
Ainda durante a reunião, a Sepaq apresentou aos membros do conselho, o planejamento para venda de peixe a preços mais acessíveis durante a Semana Santa. No momento a secretaria está na fase de negociação com os fornecedores desse pescado. E até semana que vem deverá ser publicado o decreto que proíbe a saída do pescado do Pará no período de 1º a 18 de abril.
Participaram da reunião do Coepaq representantes da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), Emater, Associação dos Aquicultores, Adepará, Sindicato das Indústrias de Pesca do Estado do Pará e Sepaq.

Texto:
Christian Emanoel


Uepa altera leituras obrigatórias para os Processos Seletivos 2015
Novo conteúdo especifica poemas a serem lidos e inclui autores regionais. Os conteúdos das demais disciplinas permanecem inalterados. Provas estão marcadas para os dias 23 e 24 de novembro e 14 de dezembro.
As leituras obrigatórias do Programa de Ingresso Seriado (Prise) e do Processo Seletivo (Prosel) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) foram modificadas. A alteração no conteúdo programático da disciplina Literatura foi a única mudança feita pela Uepa para a seleção de novos estudantes no próximo ano. A mudança foi baseada no conteúdo oficial da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), aplicado aos alunos do Ensino Médio da rede pública de ensino.
“Para o conteúdo de Literatura foram definidos exatamente quais os poemas de cada autor que deverão ser lidos, acrescido das obras de autores regionais, entre eles, José Veríssimo, publicada pela Editora da Uepa (Eduepa) em 2013, e o escritor Paes Loureiro”, destacou a diretora de Acesso e Avaliação da Uepa, Lea Costa.
Ainda de acordo com a Diretoria Acesso e Avaliação da Uepa, em cada fase da seleção serão usados textos dos três gêneros: lírico, épico e dramático. Todas as habilidades e competência foram adequadas ao novo conteúdo. As leituras indicadas estão disponíveis no www.uepa.br
Seleção - Os Processos Seletivos 2015 da Uepa estão marcados para os dias 23 e 24 de novembro e 14 de dezembro. Na primeira etapa, os candidatos terão cinco horas para responder a 56 questões objetivas de conhecimentos gerais nas áreas de Química, Matemática, Física, Biologia, Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Portuguesa, História e Geografia.
A segunda etapa do certame é composta por 60 questões objetivas de conhecimentos gerais e Língua Estrangeira. Já na terceira e última fase dos Processos Seletivos 2015, os candidatos responderão a 54 questões objetivas, incluindo Língua Estrangeira, e uma redação valendo 30 pontos.


Texto:
Ize Sena


Economia gerada por produtos da floresta é debatida em seminário
A ausência de informações consistentes sobre os sistemas de extração e comercialização dos Produtos Florestais não Madeireiros (PFNM) no Estado foi o que motivou a parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) e o Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor). Da parceria foi realizada uma pesquisa sobre o assunto em seis regiões de integração do Pará (Baixo Amazonas, Guamá, Rio Caeté, Xingu, Marajó e Tocantins).  O estudo foi publicado há dois anos e, nesta quinta-feira (20), às 9 horas, o Idesp aborda o assunto novamente na primeira edição deste ano da série de seminários “Diálogos sobre Desenvolvimento”.
O foco do debate serão as “Dinâmicas das cadeias de comercialização dos produtos florestais não madeireiros (PFNM) no Pará”. A pesquisa demonstrou que no entorno da extração dos produtos da floresta existe uma economia invisível, com grande movimentação de mão de obra e geração de renda contribuindo sobremaneira para a valorização dos ativos florestais como alternativa sustentável ao desenvolvimento da região.
As informações do estudo embasaram as ações do Ideflor em projetos de desenvolvimento florestal. “Os relatórios do estudo nos orientam para indicar quais produtos podem ser incluídos em Arranjos Produtivos Locais, que são firmados com as comunidades em diferentes regiões do Estado. Conhecer a dinâmica dos produtos florestais não madeireiros nos permite indicar, o cacau, por exemplo, na região Xingu”, destaca Edson Cruz Barbosa, coordenador da Gerência de Promoção da Economia do Ideflor.
De acordo com a servidora do Idesp que participou da pesquisa, Ellen Claudine, cada uma dessas regiões possuem suas especificidades em relação aos produtos e muitos dos municípios têm um potencial grande para produção, mas acabam limitados por pequenos detalhes, como falta de uma logística adequada. Ela aponta ainda que durante a realização da pesquisa, o que mais chamou a atenção foi o interesse internacional por produtos que, em sua maioria, são desconhecidos pelos paraenses.
Além disso, a publicação dos seis relatórios sobre cada uma das regiões pesquisadas, deu subsídios para que o Idesp repassasse a experiência a instituições de pesquisas do Amapá e Maranhão, assim como continuar o trabalho nas demais regiões de integração, com a cooperação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).
Serviço:
As inscrições para o seminário são gratuitas e podem ser realizadas enviando os dados pessoais (nome, telefone, e-mail e formação) para comunicacao@idesp.pa.gov.br ou no dia do evento. O Instituto emitirá certificado de presença para os participantes. O seminário ocorrerá na sede do IDESP, localizado na Rua Municipalidade, 1461, entre Dom Pedro I e Pedro Álvares Cabral.
* Com informações de Fernanda Graim, do Idesp

Texto:
Flávia Ribeiro


Cosanpa faz reparo de vazamento em canal
Os técnicos da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) chegaram cedo ao canal da rua José Leal Martins, esquina da travessa Mauriti, para fazer o reparo de um vazamento dentro do canal. A maior dificuldade é que os profissionais precisam ficar dentro da água porque a tubulação danificada está submersa. Eles terão que retirar a tubulação quebrada e encaixar uma peça chamada de bipartida, que vai permitir que o fluxo da água pela rede volte ao normal. O dano na tubulação, que ocorreu no começo da tarde desta terça-feira, 18,  foi ocasionado, acidentalmente, pelo serviço de limpeza no canal, realizado por uma empresa contratada pela Secretaria de Saneamento de Belém. Segundo informações dos funcionários da Prefeitura que estão no local fazendo a limpeza manual do canal, a máquina utilizada atingiu uma parte de concreto do canal, que caiu e rachou a tubulação. Os moradores do entorno dessa área estão sem água desde ontem, mas a previsão é que o serviço seja finalizado ainda nesta quarta-feira, 19. A Cosanpa reforça, também, que o problema nada tem a ver com o início da duplicação da avenida Perimetral.

Texto:
Andrea Cunha


Defensoria inaugura Regional do Tocantins em Abaetetuba
A Defensoria Pública do Estado do Pará inaugura nesta sexta-feira, 21, às 10 horas, o novo prédio da Regional do Tocantins. A regional faz parte de um programa de descentralização das ações da instituição no interior do Estado, com a oferta de assistência jurídica gratuita para todo e qualquer cidadão com renda inferior a 1,5 salário mínimo.
A regional de Abaetetuba vai atender as populações dos municípios de Abaetetuba e suas 73 ilhas, mais Barcarena, Moju, Acará, Igarapé-Miri, Baião, Limoeiro do Ajuru e Cametá. A nova sede é um marco na qualidade tanto do ambiente de trabalho quanto em conforto para o assistido, segundo realçou o defensor público Geral, Luis Carlos Portela. “Estamos crescendo com os pés no chão. Nosso objetivo é que todos os polos do Estado tenham um núcleo, uma unidade da Defensoria”, sublinhou.
Cada defensor da regional terá seu próprio gabinete devidamente equipado, com mais espaço para atuação da equipe técnica e estagiários. São seis gabinetes, secretaria, setor de triagem, sala para o Núcleo de Atendimento Especializado à Criança e Adolescente (Naeca), além de área de serviço, copa, depósito e banheiros adaptados para pessoa com deficiência. “O novo prédio oferece mais dignidade para o trabalho dos defensores, além de proporcionar atendimento humanizado para nossa clientela”, declarou o coordenador de Abaetetuba, defensor público Caio Fávero Ferreira.
Ele ressaltou que a nova estrutura possibilita que sejam feitas reuniões com a população, palestras e até cursos. “Os benefícios da nova sede são incomparáveis”, pontuou. A expectativa é de que o número de atendimentos aumente na mesma proporção do conforto, pois haverá mais espaço físico. Muito embora o coordenador reconheça que muito já é feito ali. “Nossa demanda já é muito grande”, constatou. A nova sede fica na rua Lauro Sodré, esquina com a travessa 15 de Agosto, bairro Centro.
Esta será a segunda unidade regional entregue à população do Pará pelo defensor Luis Carlos Portela. A primeira sede inaugurada em seu mandato foi a Regional do Baixo-Amazonas, em Santarém. O diretor de Interior, defensor público Alexandre Bastos, informou que outras duas regionais estão em fase final de obras e serão inauguradas ainda neste semestre nos municípios de Breves, no Marajó, e Tucuruí, na região do Baixo-Tocantins.
Serviço:
Inauguração da nova sede da regional Tocantins da Defensoria Pública do Estado
Data: 20 de março - 10h
Local: RUA Lauro Sodré, S/N, esquina com a travessa 15 de agosto - Centro

Texto:
Micheline Ferreira


Rotina de atendimento na Santa Casa inspira livro que será lançado nesta sexta
Servidores da Fundação Santa Casa, os cardiologistas Tadeu Daibes e Sérgio Brito lançarão a segunda edição do livro "Manual de Eletrocardiograma", nesta sexta-feira, 21, no refeitório do prédio centenário, a partir das 9h. A primeira edição do livro surgiu após um curso de eletrocardiograma realizado em 1989, na Santa Casa, que é uma Instituição credenciada para ensino e pesquisa. O livro não especifica casos, embora situações vivenciadas na Santa Casa tenham servido como base para o estudo.
Maria do Carmo Sarmento, precursora do eletrocardiograma em Belém, também foi utilizada como fonte. "Fizemos um elo com o nosso aprendizado e o conhecimento de vários médicos, como nossos professores, que nos ensinaram e orientaram", disse Tadeu Daibes. Murilo Morhy, médico cardiologista e professor universitário, assina o prefácio do livro. Além de Tadeu e Sérgio, Antônio Carlos e Nelson Gama também ministraram o curso e são citados como co-autores.
A necessidade dos estudantes de analisar corretamente um exame de eletrocardiograma foi o que motivou o projeto. Tadeu cita dois pontos primordiais para a utilização do exame: o diagnóstico de infarto e de arritmia. De acordo com os autores do livro, pelo fato de não trazer imagens, o exame é de difícil compreensão. "É fácil realizar o traçado, o difícil é analisar", garante Tadeu, complementado por Sérgio Daibes. "O eletrocardiograma foi um exame criado há mais de 100 anos e, mesmo diante de toda a tecnologia, continua muito importante. É um exame imprescindível, sendo de interpretação difícil. O paciente não tem noção da importância do eletro, mas o médico sabe".
Sérgio Brito assegurou que a produção do livro levou em conta um aspecto fundamental: a didática do aprendizado. "Colocamos as coisas de maneira didática porque sabemos que o exame é de difícil interpretação".

Texto:
Nilson Cortinhas


Encontro define a aquisição de guarda-corpos para os jogos da Copa Verde no Mangueirão
Na manhã desta terça-feira, 18, foi realizada uma reunião no Centro Integrado do Governo (CIG), envolvendo o secretário de Promoção Social, Alex Fiúza; a titular da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer do Pará, Renilce Nicodemos; a diretora do Estádio Olímpico do Pará (EOP), Claudia Moura; o vice-presidente da Federação Paraense de Futebol (FPF), Maurício Bororó, além dos dirigentes dos Clubes do Remo e Paysandu e representantes do Ministério Público do Estado.
O objetivo do encontro foi definir os responsáveis pela aquisição dos “guarda-corpos” – grade de proteção utilizada nas bilheterias de entrada do estádio, que visa garantir a segurança dos torcedores durante os jogos - para a partida da semifinal da Copa Verde.
Na ocasião, ficou estabelecido que a Secretaria Estadual de Esporte e Lazer (Seel) e os clubes do Remo e Paysandu irão custear o equipamento de segurança. “Acredito que esta decisão seria a mais justa no momento, assim, garantimos a segurança e bem estar do acesso dos torcedores ao Mangueirão”, ressaltou a secretária da Seel, Renilce Nicodemos.
Tendo em vista campeonatos futuros, a proposta foi apontada pelos representantes do Ministério Público para redefinir as responsabilidades do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), da Federação Paraense de Futebol (FPF) e dos clubes do Remo e Paysandu.

Texto:
Luana Valente


Emater estende até 3 de abril campanha de alimentos e roupas para agricultores de Oeiras
A arrecadação de alimentos e roupas para 50 famílias de quatro comunidades rurais ribeirinhas de Oeiras do Pará, no nordeste do Estado, que vêm sofrendo com mais um inverno rigoroso, conjugado com a entressafra do açaí e com a época do defeso das espécies que servem de subsistência para essas famílias, foi estendida até  3 de abril.
A campanha está sendo promovida pelo  escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão  Rural do Estado do Pará (Emater) e tinha 13 de março como prazo original de recebimento das doações.  As famílias são consideradas abaixo  da linha da  pobreza e moram em casas de madeira sem paredes e, por ora, passam até fome. Tudo será entregue em um mutirão em 5 de abril. 
“Como grande parte do nosso  primeiro período da campanha incluiu o carnaval, o impacto da divulgação e os resultados foram menores do que era possível. Acreditamos que o volume arrecadado pode até dobrar, com essa extensão do prazo”, explica  o chefe do escritório local da Emater, o engenheiro agrônomo Manoel Azevedo.
Qualquer pessoa pode doar roupas, lençóis, cobertores, toalhas e alimentos  não-perecíveis. As doações  podem ser deixadas na sede da Emater, no Km 12 da BR – 316, em Marituba, durante  o  horário comercial, e nos escritórios da Empresa nos municípios de Oeiras,  Cametá, Breves e Curralinho.
Dependendo da  quantidade, é possível a própria  Emater  buscar as  doações. Mais informações pelos telefones (91) 3299-3419 e (91) 8887-6155


Texto:
Aline Miranda


Montagem experimental de La Traviata estreia no palco do Theatro da Paz
Estreia nesta quarta-feira, 19, às 20h, no Theatro da Paz, a montagem experimental da ópera La Traviata. Com elenco e equipe técnica totalmente paraense, o espetáculo faz uma fusão de ópera com cinema mudo. "É uma montagem única", diz Jena Vieira, diretora cênica. A montagem paraense, que agora chega ao Theatro da Paz, tem direção musical e regência de Ronaldo Sarmanho e duração de aproximadamente 1h45. Encenada em três atos, a ópera de Verdi é intercalada com cenas do filme mudo "Camille", de 1920. Tanto o filme quanto a ópera são baseados no romance "A Dama das Camélias", do escritor francês Alexandre Dumas Filho.
No total, 37 pessoas participam do espetáculo, entre elenco e equipe técnica. A soprano Dione Colares interpreta Violeta, uma cortesã; o tenor Antonio Wilson é Alfredo, por quem ela se apaixona, e Idaias Souto vive o pai de Alfredo, que não aceita o romance do filho. Também integram o elenco, veteranos do canto lírico paraense como Milton Monte e Ione Carvalho, e jovens iniciantes como Dhulyan Contente e Andrew Lima.
Aos 21 anos, Dhulyan Contente interpreta a dama de companhia de Violeta. "Não é um papel principal, mas também exige complexidade. Está sendo emocionante interpretar Aninna", revela a estudante de canto lírico, que este ano foi selecionada durante uma audição para participar do Ópera Estúdio, projeto da Fundação Carlos Gomes que teve início em fevereiro com o propósito de formar profissionais nessa área. "É uma preparação para o palco, não apenas para cantar, mas também para interpretar. Todo cantor deveria fazer", comenta.
O espetáculo foi apresentado em Belém, pela primeira vez, no ano passado, durante o XXVI Festival Internacional de Música do Pará, que homenageou o centenário da morte de Giuseppe Verdi. A apresentação no Teatro Cláudio Barradas teve grande sucesso de público. Este ano, já integrou a programação do 36º Curso Internacional de Verão de Brasília.
Em todas as apresentações o pianista Paulo José Campos de Melo, superintendente da Fundação Carlos Gomes, executa uma versão reduzida da partitura da ópera e faz improvisações ao piano, nos momentos do espetáculo em que há a interação com as cenas do filme mudo. "Ele é uma orquestra no palco. Sem ele não tem espetáculo", comenta Nandressa Nunez, produtora da montagem paraense.
La Traviata
A ópera “La Traviata”, que em português significa “A mulher caída”, é do compositor italiano Giuseppe Verdi com libreto (textos adaptados para ópera) de Francesco Maria Piave. La Traviata foi produzida em Veneza e se tornou uma das mais populares e uma das mais interpretadas em todo o mundo até hoje.
Giuseppe Verdi foi um dos maiores compositores de óperas do período romântico italiano. É considerado o maior compositor nacionalista da Itália e um dos mais influentes do século XIX. Além de La Traviata, ele também compôs Rigoletto, Nabuco, Aida, ll Trovattore, entre tantas outras. O público que quiser conferir a montagem paraense pode retirar os ingressos na bilheteria do teatro nos dias do espetáculo, a partir de 9h da manhã.
Ficha técnica
Regência e preparação do coro (Ronaldo Sarmanho)
Direção Cênica (Jena Vieira)
Pianista (Paulo José Campos de Melo)
Pianista assistente (Ana Maria Adade)
Diretor de Palco (Claudio Bastos)
Design de luz (Sonia Lopes)
Figurinista - Nilo Nuñez e Mirian Bayah
Confecção de figurinos: Gorete Araujo
Visagismo (Omar Junior)
Violetta (Dione Colares)
Alfredo (Antonio Wilson)
Germont (Idaias Souto)
Aninna (Dhulyan Contente)
Flora (Ione Carvalho)
Barão e médico (Milton Monte)
Gaston (Andrew Lima)
Secretaria do coro (Cristina Viana)
Produção (Nandressa Nunez)
Contra regra - Michele Ferreira
Operador de imagem - Gilda Maia
Cenógrafo- Ribamar Diniz
Serviço:
La Traviata
Data: 19 e 20 de março
Hora: 20h
Local: Theatro da Paz
Entrada franca com retira de ingressos nos dias do espetáculo a partir de 9h

Texto:
Rosa Cardoso


Rubem Braga é tema de Sarau Literário da Feira Pan-Amazônica do Livro
Considerado o maior cronista brasileiro, Rubem Braga (1913-1990) será o tema do I Sarau Literário, que integra a programação da XVII Feira Pan-Amazônica do Livro, promovida pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult). O evento será realizado nesta quinta-feira, 20, no Teatro Gasômetro, no Parque da Residência, às 19h. A entrada é franca.
O jornalista e escritor João Carlos Pereira será o palestrante e vai abordar a importância do centenário do escritor, comemorado no ano passado. “Ele reinventou a moderna crônica brasileira, criada por João do Rio, enquanto crônica literária. Rubem Braga reinventou e deu um novo formato à crônica moderna. É um mestre e criador do gênero. Não dá para falar de crônica sem falar dele”, disse.
Rubem Braga é considerado por muitos o maior cronista brasileiro desde Machado de Assis. Nascido em Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, foi no Rio de Janeiro que iniciou a faculdade de Direito, mas acabou se formando na capital mineira, depois de ter participado, como repórter dos Diários Associados, da cobertura da Revolução Constitucionalista. Seu primeiro livro, “O Conde e o Passarinho”, foi publicado em 1936, quando o autor tinha 22 anos.
João Carlos afirma que durante o Sarau fará uma abordagem didática sobre a vida e obra desse cronista. “Será uma palestra voltada para todos os públicos”, ressaltou. Além do professor João Carlos Pereira, o sarau terá participação do grupo de teatro Companhia do Sarau, com intervenções artísticas e apresentação de Betty Dopazo. O Sarau Literário tem como principal foco a valorização da cultura brasileira e da literatura nacional e integra a programação da XVIII Feira Pan Amazônica do Livro, que ocorre em Belém, do dia 30 de maio a 8 de junho.
Autor
Nascido no dia 12 de janeiro de 1913, filho de Raquel Coelho Braga e Francisco Carvalho Braga, dono do Jornal “Correio do Sul”, começou no jornalismo escrevendo crônicas para o jornal “Diário da Tarde” e trabalhou como repórter no “Diários Associados”. Mudou-se para o Recife, onde colaborou no “Diário de Pernambuco”. No Rio de Janeiro fundou o jornal “Folha do Povo” que defendia a Aliança Nacional Libertadora. Lançou seu primeiro livro de crônica aos 22 anos, “O Conde e o Passarinho”. Em 1944, o segundo, “O Morro do Isolamento”.
Durante a Segunda Guerra Mundial, foi correspondente de guerra na Europa, pelo “Diário Carioca”, e escreveu o livro “Com a FEB na Itália”. Após a guerra, voltou ao Brasil e morou em Recife, Porto Alegre e São Paulo. Em 1961, tornou-se embaixador do Brasil no Marrocos, logo após ter publicado “Ai de ti Copacabana”. Em 1968, com Fernando Sabino e Otto Lara Resende, fundou a editora Sabiá. Rubem Braga ficou marcado por escrever crônicas de estilo poético, misturando lirismo e acontecimentos do dia a dia.
No início da década de 1980, colaborou no caderno cultural Folhetim, da Folha de S. Paulo. Morreu na cidade do Rio de Janeiro, em 19 de dezembro de 1990, com mais de 62 anos de jornalismo.
Serviço:
?Sarau Literário sobre a vida e obra do cronista Rubem Braga. Dia 20 de março, no Teatro Gasômetro, no Parque da Residência, na Av. Magalhães Barata, 830. São Braz, às 19h. A entrada é franca.

Texto:
Alexandra Cavalcanti


Agricultores de Breu Branco são contemplados com recursos do Pronaf
Doze famílias da comunidade Chico Sousa, zona rural de Breu Branco, sul do estado, foram contempladas com recursos que totalizam R$ 30 mil, oriundos do Programa Nacional de Fortalecimento a Agricultura Familiar (Pronaf), na linha B, para incentivo à mandiocultura consorciada com o cultivo de milho e arroz. Os recursos foram viabilizados pelo Banco da Amazônia, por meio de projetos técnicos elaborados pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater).
De acordo com o técnico em agropecuária da Emater, José Ribeiro da Silva, os recursos – cada família recebe R$ 2.500 - se destinam à aquisição de implementos para a melhoria de infraestrutura nas propriedades. “Os agricultores irão comprar fornos, ralador, caixas de água e motores para melhorar o trabalho e, consequentemente, aumentar a produtividade”, explica. A expectativa é que a produção da mandioca aumente em 40% num período de dois anos.
Na comunidade de Chico Sousa vivem 38 famílias que praticam a agricultura de subsistência e a criação de pequenos animais. A cultura de mandioca com foco para produção de farinha é destaque, abastecendo o próprio mercado e dos municípios circunvizinhos, como Tucuruí, Goianésia e Novo Repartimento. No local a Emater atende aos agricultores familiares com orientação para a melhoria das atividades produtivas e também com acesso ao crédito rural. “Outras dez famílias da comunidade também deverão ser contempladas com o recurso até o final do mês”, ressalta o técnico.

Texto:
Paula Portilho


Exposição incentiva o combate ao desperdício de água
Em alusão ao Dia Mundial da Água, comemorado no dia 22 de março, a Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) realiza uma exposição sobre o percurso que a água faz, desde a captação no rio até a distribuição nas residências. A exposição também mostra a importância de não se desperdiçar água; as obras de implantação e ampliação da rede de tratamento de água e esgoto que estão sendo realizadas pelo Estado e o panorama das ações sociais da companhia.
A exposição, que pelo segundo ano consecutivo é realizada no Parque Shopping, foi aberta ao público na manhã desta terça-feira, 18. Para a engenheira de pesca Rafaela Araújo, uma das primeiras pessoas a prestigiarem a mostra, a iniciativa é uma importante ferramenta de informação e conscientização, principalmente no que diz respeito à preservação da água.
“Acho plausível essa exposição porque mostra para a sociedade o mecanismo de abastecimento de água na nossa cidade e o papel de cada um no combate ao desperdício. Descobri que é possível visitar a empresa e ver de perto como a água é tratada, antes de chegar às casas. Isso é muito importante, principalmente para as pessoas que estão se graduando em áreas como a minha, que está intimamente ligada a esse tema”, destacou Rafaela Araújo, engenheira de pesca.
O vigilante Francival Souza e a costureira Andicleia Furtado deram uma pausa nas compras para conferir a exposição. “Está muito interessante. É bom a população ter acesso a esse tipo de informação. Só quando a gente tem conhecimento real das coisas é que a gente passa a dar o devido valor. Acho que esse trabalho mostra pra todos a importância da gente cuidar do que é nosso e também cobrar melhoria das autoridades”, assegurou Andicleia Furtado.
Francival Souza afirma que o casal toma medidas simples para evitar o desperdício de água em casa, como fechar a torneira enquanto escovam os dentes ou ensaboam a louça e cuidar para que as torneiras e chuveiros não fiquem pingando. Para ele, pequenas atitudes refletem na economia e na garantia da manutenção do fornecimento de água para todos.
“Eu já conhecia o processo de tratamento da água, pois trabalhei na Cosanpa e tive a oportunidade de aprender. O que me impressiona no dia a dia é que a maioria das pessoas não se dá conta do quanto desperdiça água com besteira. Essa água desperdiçada vai fazer falta no futuro”, disse Francival Souza.
A técnica social da Cosanpa, Daiana Monteiro, explica que o foco principal da exposição é trabalhar ações de combate ao desperdício e aproximar a Cosanpa do grande público, para que a população conheça o trabalho que é desempenhado pela empresa, incluindo as ações de cidadania, como a capacitação profissional dos moradores dos bairros onde são realizadas obras de água e esgoto.
“Este ano ganhamos um espaço maior de exposição no shopping, com isso pudemos ampliar a nossa ação e chamar mais a atenção do nosso público. É bom ver que as pessoas estão interessadas em entender como o trabalho da Cosanpa funciona e ver que nós também desenvolvemos ações em outras áreas”, contou Daiana Monteiro, técnica social da Cosanpa.
Daiana Monteiro conta, ainda, que nos dias 20, 21 e 22, a exposição ganhará uma programação especial para as crianças. O combate ao desperdício será apresentado de forma lúdica com um teatro de fantoches, que se apresentará sempre às 18h. Atualmente, 48% da água tratada pela Cosanpa é desperdiçada. Boa parte desse desperdício acontece por causa da rede de distribuição, que é bastante antiga e desgastada. Para combater esse dano, a Cosanpa criou o Programa de Redução de Perdas, que tem como foco a substituição de 83km de rede na zona central de Belém, beneficiando bairros como Nazaré, Reduto, Umarizal e Cidade Velha.
Serviço:
Exposição pelo Dia Mundial da Água
Data: de 18 a 22 de março
Local: Parque Shopping - Rodovia Augusto Montenegro, 4300
Hora: 10h às 18h

Texto:
Dani Filgueiras


Banpará lança edital para Concurso Público
O Banco do Estado do Pará (Banpará) lançou, na terça-feira, 18, o edital para o Concurso Público, visando o preenchimento de vagas e formação de cadastro reserva para os cargos de Médico do Trabalho, Contador e 60 vagas para Técnico Bancário. As inscrições já estão abertas e vão  até o dia 10 de abril, no site da Inaz do Pará (http://www.paconcursos.com.br/), organizadora da seleção. A taxa cobrada é de R$ 50,00 (técnico) e R$ 85,00 (demais cargos). Podem requerer isenção do pagamento pessoas hipossuficientes e pessoas com deficiência.
Os candidatos hipossuficientes deverão estar inscritos no CadÚnico e requerer a isenção da taxa via internet, indicando o NIS e a declaração de que é membro de família de baixa renda. O candidato portador deficiente deve enviar a solicitação em envelope, via Sedex, com data máxima de postagem até o dia 21 de março. A solicitação deverá ser enviada para Avenida Magalhães Barata, 651, Edifício Belém Office Center, Sala 14, São Braz, CEP: 66.063-240, tendo em sua capa o título "Banpará-PNE", com os documentos citados no edital. A relação dos candidatos que tiveram a inscrição deferida será divulgada no dia 1º de abril.
A prova objetiva para nível superior abordará Conhecimentos Básicos (Português, Raciocínio Lógico e Noções de Informática), com 20 questões, e Conhecimentos Específicos com 40 questões. Para o cargo de técnico bancário, o exame será composto por Conhecimentos Básicos, com acréscimo da disciplina Noções de Atualidade, serão 25 questões, e Conhecimento Específico (Matemática Financeira, Atendimento e Noções de Ética e Conhecimentos Bancários), com 35 questões. A prova objetiva está prevista para o dia 18 de maio, com quatro horas de duração. Os técnicos farão prova em Belém, Castanhal, Marabá e Santarém, enquanto as avaliações para o nível superior serão apenas em Belém. 
Os candidatos de nível superior aprovados na primeira fase terão avaliação de títulos, devendo acessar, no período de 23 a 26 de maio o site da organizadora, imprimir o formulário de Avaliação de Títulos anexando-o aos documentos exigidos no edital. O formulário e os documentos deverão ser encaminhados para o endereço citado, indicando como referência no envelope “Títulos – Banpará”, com a data da postagem até o dia 4 de junho. O concurso será válido por um ano, podendo ser prorrogado por mais um, e nesse período mais aprovados poderão ser convocados.

Texto:
Yedda Bevilacqua


Exposição "Os Mestres da Casa do Artesão”
"Os Mestres da Casa do Artesão” é a exposição que o Espaço São José Liberto realiza em homenagem aos padroeiros dos artesãos, São José, e ao Dia do Artesão, comemorado em 19 de março. A mostra será aberta nesta quarta-feira, 19, às 18h, na área expositiva do Coliseu das Artes do espaço e mostrará o trabalho de oito tipologias, representadas por oito mestres artesãos, produtores cadastrados no Programa Polo Joalheiro do Pará, que representarão os demais artesãos paraenses. A mostra segue até o dia 23 de março e tem como intuito dar mais visibilidade aos produtores que comercializam no espaço, proporcionando aos visitantes mais conhecimentos sobre os profissionais, seus produtos e técnicas. A entrada é franca!

Texto:
Luiz A. P. L. Viana


Defensoria realiza vistoria técnica para implantar totem em presídio
A equipe técnica do Núcleo de Tecnologia da Informação da Defensoria Pública do Estado do Pará estará nesta quinta-feira, 20, realizando vistoria e levantamento no Presídio Estadual Metropolitano II (PEM II), para avaliar a infraestrutura do local. A unidade prisional vai receber o totem com o sistema que vai disponibilizar o extrato da pena do preso do Pará, com todas as informações atualizadas sobre a situação prisional do detento nas próprias casas penais.
O projeto funcionará no PEM II em caráter experimental até o fim do mês de maio, através de um projeto piloto off line. O equipamento ficará disponível nas dependências do presídio para o acesso de todos os apenados, seja assistido ou não pela Defensoria. O diretor Metropolitano da Defensoria Pública do Estado, defensor público José Audamir Arruda, acredita que o projeto vai além do atendimento jurídico. “A intenção é garantir o acesso à informação sem discriminação”, garantiu.
O desenvolvimento do sistema está sendo feito pelo Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) da Defensoria e, segundo o coordenador da área, defensor público Fábio Rangel, o piloto servirá para a avaliação do programa, que posteriormente deverá atender a todas as unidades penitenciárias da Região Metropolitana de Belém (RMB).
As informações processuais que estarão disponíveis no totem também vão assegurar ao apenado que os dados ali compilados são passíveis de alteração e modificação, já que a pena tanto pode diminuir (casos de bom comportamento) quanto poderá aumentar. A consulta acontecerá por meio do cadastro individual de usuário (login), que garantirá a individualidade e privacidade na hora de acessar a informação.
O acesso às informações por meio da tecnologia é mais uma novidade da parceria entre Defensoria e Superintendência do Sistema Penal (Susipe) e garante o pioneirismo da região Norte em ações dessa natureza. “Temos o conhecimento de que apenas o Complexo Penitenciário da Papuda executava um projeto como esse”, revelou a diretora do Núcleo de Execução Criminal da Susipe, Geane Salzer. “Acreditamos no potencial dessa parceria com a Defensoria Pública, que desde o sistema de videoconferências, conhecido como Canal Direto, vem se ampliando cada vez mais”, pontuou.
Além de fornecer informações referentes ao tempo de pena a ser cumprido, as datas de audiências futuras e a possibilidade de progressão de pena, o totem também subsidiará os apenados e presos provisórios sobre seus direitos. “A ideia é que a pessoa possa ter mais conhecimento sobre a própria situação e coletivizar tais informações no ambiente”, assegurou o coordenador do NTI, Fábio Rangel.
A Defensoria Pública do Pará também realiza, até a próxima quinta-feira, 20, no PEM II, um grande mutirão, cuja meta é verificar o caso de cada preso provisório que está na unidade. O trabalho pretende identificar aqueles que têm o direito de liberdade provisória ou perdão judicial. A iniciativa é da Diretoria Metropolitana da instituição e deve atender mais de 200 presos.

Texto:
Micheline Ferreira


Emater faz diagnóstico em comunidade de Mosqueiro
Nesta quarta-feira, 19, o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Belém dá continuidade ao trabalho de diagnóstico social e econômico junto a pescadores artesanais da comunidade Baía do Sol, na Ilha de Mosqueiro. De posse dos dados, o órgão irá elaborar a Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento a Agricultura Familiar (Pronaf), a DAP, para que 70 famílias tenham acesso ao Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), conhecido como Minha Casa Minha Vida Rural. Posteriormente o documento também servirá para financiamento da pesca local através do Pronaf.

Texto:
Paula Portilho


Bonecos do In Bust divertem crianças no Espaço São José Liberto
Crianças e adultos se divertiram com a apresentação do grupo de teatro de bonecos In Bust.  A peça “Fio de Pão – A Lenda da Cobra Norato” foi apresentada pelos atores na tarde deste domingo, 16, como parte da programação infantil do Espaço São José Liberto (ESJL). A peça é um cordel para teatro de bonecos e a promoção é do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom) e do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama).
Há mais de uma década os espetáculos do In Bust fascinam e divertem pessoas de todas as faixas etárias. A peça que conta a história da Cobra Norato, uma das lendas mais famosas do folclore paraense, que estreou em 1997, sendo considerada um marco na pesquisa desenvolvida pelo In Bust sobre a utilização do boneco popular na dramaturgia do teatro com bonecos.
De acordo com o ator Paulo Nascimento, a peça, composta inicialmente por quatro atores em cena, não teve grandes mudanças durante todo o tempo que tem sido encenada. “A gente só adaptou e continua fazendo e as crianças curtindo. O que modifica é na hora de fazer porque o roteiro é o mesmo, os improvisos são os mesmos”, contou.
O ator Anibal Pacha, coordenador do grupo teatral, falou sobre a parceria firmada com o ESJL para o evento. “Somos praticamente vizinhos do espaço porque o Casarão dos Bonecos, nossa sede, fica aqui na (Avenida) 16 de novembro. Já participamos de várias programações aqui e a gente adora o público daqui, que vem ávido e interage. É uma ótima programação. É importantíssimo reabilitar o espaço para essas atividades”, disse o ator.
A produtora cultural carioca Roberta Shevan levou sua filha, Fernanda. Apesar de estar morando há dois meses na cidade, ela contou que a filha já conhecia a lenda, contada pelos professores da sua escola. “É um belo espetáculo para crianças e adultos. Iniciativas como essas deviam acontecer mais vezes porque são muito interessantes”, falou a produtora.  
Também acompanhada pela filha, Bianca, a jornalista Enize Vidigal também elogiou a peça. “Eu não conhecia o espetáculo. Minha filha adorou. Ela é muito interativa, tentou pegar nos bonecos. E essa interação dos atores com o público é muito bacana, essa coisa de jogar água, bolacha e ter uma aproximação com o público é muito legal”, observou a jornalista.
Participaram do espetáculo, ainda, a atriz Adriana Cruz e Cristina Costa, responsável pela sonoplastia e produção do grupo teatral.  
Folclore - A história da peça resgata de forma criativa o "causo" da cabocla atraída por um “cobrão embruxado”, que pariu duas cobras: Caninana, a má, e Norato, que só quer encontrar quem o desencante para virar gente. As cobras são os bonecos de luva, que contracenam com fantoches, manés-côcos (personagens) e brinquedos de miriti - artesanato típico do Estado do Pará. A encenação mistura a lenda com o cotidiano da família, que causa uma identificação direta com o público.
A direção do Espaço São José Liberto tem criado e resgatado projetos voltados para o público infantil, atendendo às demandas da comunidade. Sobre a programação, Carmem Macedo, gerente de Eventos do São José Liberto, ressaltou que a retomada das programações infantis fazem parte das iniciativas previstas para este ano.
Ao final do espetáculo, Carmem Macedo, gerente de Eventos do Espaço São José Liberto, convidou o público para prestigiar, no dia 20 de abril, o espetáculo infantil “Pinóquio”, também com o In Bust. Ela também divulgou a programação do dia 30 de março, que é apresentação de grupos parafolclóricos do Estado, dentro do Projeto Ritmos do Pará, do Espaço São José Liberto. As programações são gratuitas.

Texto:
Luciane Fiuza


Hospital Geral de Tailândia agiliza atendimento com programa de classificação de risco
Garantir mais agilidade e qualidade no atendimento. Esse é o principal objetivo de um minucioso trabalho que está sendo desenvolvido com vistas à reestruturação do Sistema de Atendimento e Classificação de Riscos dos usuários atendidos pelo Hospital Geral de Tailândia (HGT), no nordeste do Estado. O trabalho ainda efetiva o encaminhamento do paciente para a Unidade Básica de Saúde (UBS) do município, a partir do perfil do diagnóstico, feito ainda na triagem e ganha cores, de acordo com a gravidade ou não do caso.
A coordenadora de atendimento do hospital, a psicóloga Soraya Braga Albim, explica o atual processo de atendimento está provocando uma significativa melhora na assistência. Ao chegar ao hospital, o paciente é identificado e, se apresentar condições clínicas, ele preenche formulário de primeiro atendimento, que é feito por um enfermeiro. Em seguida, o profissional verifica temperatura, pressão arterial, glicemia, entre outros, para então receber a devida classificação de risco: Verde - baixo risco e pode aguardar, Azul - recebe encaminhamento para a UBS, Amarelo - tem prioridade de atendimento na frente do verde, Vermelho - o estado é grave e passa direto para atendimento de urgência/emergência.
Manoel da Silva, de 76 anos, deu entrada no HGT com fratura no colo do fêmur. Sem família e nem amigos, ele passou cerca de quatro meses no HGT recebendo tratamento, que incluiu uma cirurgia, a colocação de prótese e fisioterapia. Ao saber, por amigos, do paradeiro de Manoel, a aposentada Sheila Oliveira Barbosa, 56, agradeceu a todos do hospital pelo tratamento destinado ao seu amigo, que vivia pelas ruas da cidade, até conhecê-la. “Se não fosse esse hospital, o atendimento e o carinho de todos, não sei o que aconteceria com ele”, refletiu.
A doméstica Rosângela Pereira, 31, residente em Tailândia, recorreu ao atendimento do HGT para seu filho de 13 anos, que sofreu agressão física. “Graças a Deus temos esse hospital aqui. Meu filho chegou quase sem fôlego, foi atendido imediatamente, fez raio X e ultrassom. Não sei se ele será operado, mas estou muito satisfeita com a atenção que recebemos”, afirmou a mãe que estava aflita, mas horas depois, soube que o filho não iria passar pela cirurgia. Apenas ficaria em observação por mais um dia.
Eficácia - Dos 2,3 mil atendimentos que passaram pelo novo sistema de classificação de risco, somente no mês passado, 1, 9 mil foram enquadrados na cor verde, 245 no amarelo, 58 no vermelho e 97 na cor azul. “Então podemos observar que a grande maioria do atendimento foi de baixo risco, o que evidencia a importância do papel da triagem no hospital”, pontuou Soraya Albim.
“O mais importante é que todos são atendidos. Aqueles em que o caso não é para atendimento no hospital, além de dispor de encaminhamento, recebem orientações sobre a situação pelo Serviço Social do hospital”, detalhou. Ela ainda ressaltou que, anteriormente, o atendimento era sobrecarregado porque os usuários se deslocavam diretamente para o HGT, por se tratar de um hospital “de portas abertas”. “Agora, a triagem é efetiva e eficaz”, acrescentou a Soraya.
Responsável pela assistência básica e de média complexidade dos usuários do nordeste paraense, o HGT, que é administrado pelo governo do Estado, em parceria com o Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), melhora a cada dia os serviços oferecidos com a disponibilidade de 56 leitos e com as especialidades de clínica médica, pediatria, cirurgia geral, ginecologia/obstetrícia, ortopedia/traumatologia, radiologia, anestesiologia, oftalmologia, cardiologia e endocrinologia. O HGT dispõe ainda de uma Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) com 10 leitos (adulto e pediátrico)
Os usuários também contam com a realização de exames de mamografia, endoscopia, ultrassom, eletrocardiograma, raio X, exame de laboratório. Outros equipamentos foram adquiridos, como o de vídeoendoscopia, ultrassonografia e eletrocardiograma. 
Serviço: O Hospital Geral de Tailândia fica na Avenida Florianópolis, s/n, no Bairro Novo. Mais informações pelo fone (91) 3752-1273.

Texto:
Vera Rojas


Hospital Regional do Marajó garante maior segurança transfusional
A necessidade de criação do Comitê Transfusional Multidisciplinar foi reconhecida pela direção do Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), localizado na cidade de Breves, para garantir maior segurança transfusional aos usuários e profissionais que administram o processo, com a disponibilização do produto de qualidade, através de sua Agência Transfusional (AT). O local atende os usuários vinculados ao 8° Centro Regional de Saúde (CRS), que é composto pelos municípios de Bagre, Curralinho, Anajás, Portel, Melgaço e Gurupá, todos do Arquipélago do Marajó.
Administrado pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), que é uma Organização Social qualificada pela Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa), o HRPM está atendendo a Resolução da Diretoria Colegiada 153 (RDC 153), do Ministério da Saúde (MS), que regulamenta todo o processo relativo à produção e utilização de hemoderivados e a adoção de estratégias para minimizar os riscos associados à transfusão. Essa normatização diz ainda que as unidades de saúde que possuem serviço de hemoterapia nas suas dependências deverão constituir o comitê para monitorar a prática transfusional da instituição.
Segundo a diretora técnica Ligia Martucci, em 2013, o hospital efetivou uma média mensal de 71 unidades de hemocompoententes, disponibilizados pela Fundação Hemopa, cuja prescrição, preparação e administração exigem trabalho coletivo e de qualidade, visando maior segurança no processo e a proteção do paciente e dos profissionais que atuam na área.
“Vamos promover reuniões periódicas com colaboradores e representantes dos municípios pactuados, que também receberão treinamento continuamente”, ressaltou a médica. Lígia ainda informou que, ao participar da reunião ordinária do Conselho Municipal de Saúde, em Breves, repassou a informação da criação do Comitê Transfusional Multidisciplinar do HRPM, destacando seus objetivos e benefícios aos usuários dos serviços, através do uso seguro e racional do sangue, assim como também, a prática da hemovigilância e a educação continuada.
O HRPM atende as patologias de média e alta complexidade, onde os pacientes recebem atendimentos nas mais diversas especialidades e com disposição de 50 leitos, unidades de urgência e emergência, além de 7 leitos de UTI para adulto, 5 leitos de UTI Pediátrica e 5 leitos na UTI Neonatal.
Membros Comitê Transfusional Multidisciplinar do HRPM:
Presidente: Dra. Lígia Maria Martucci Guimarães (Diretora técnica do HRPM).
Vice-Presidente: biomédico Milton Ferreira Júnior(Coordenador da Agência Transfusional – HRPM)
1ª Secretária – pedagoga Rosangela da Silva Ramos Gonçalves (Coordenadora do (Núcleo de Educação Permanente- NEP).
2ª Secretária- enfermeira Gildeane Aquino Brito (Enf. UTI neonatal) e Coordenadora de enfermagem no Hospital Municipal de Breves.
Auxiliar- técnica em Patologia Clínica Adriana Sales (lotada no Laboratório de Análises Clínicas e Agencia transfusional).
Auxiliar- Téc. Em Segurança do Trabalho José Teotônio Neto (Coordenador do SESMT).
Serviço: O Hospital Regional do Marajó dispõe de atendimento ambulatorial de segunda a sexta-feira, de 7 às 18 horas. O hospital está localizado na avenida Rio Branco, 1.266, Centro. Mais informações: (91) 3783-2140/ 3783-2127.

Texto:
Vera Rojas


Emater incentiva a criação de pescado em tanque escavado em Goianésia
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão  Rural do Estado do Pará (Emater) começa a apresentar os resultados das atividades desenvolvidas com aquicultura e pesca na modalidade tanque escavado, desenvolvidos em Goianésia do Pará, município do sudeste do Estado. O trabalho desenvolvido no município faz parte da estratégia de diversificação da produção, como forma geradora de renda para as famílias que viviam basicamente da pecuária leiteira. 
O projeto, iniciado em junho do ano passado, já alcança a implantação 32 tanques escavados em dez propriedades rurais e beneficia 16 famílias, sendo a principal espécie trabalhada o tambaqui. Por cada tanque foram depositados mil alevinos, com a produção média esperada, por tanque, de duas toneladas de pescado por ciclo, que é de 12 meses. Para a produção de cada mil alevinos, o investimento é pouco maior que R$ 11 mil, mas o lucro por atividade ultrapassa os 70%.
As famílias integrantes do projeto foram identificadas por meio de capacitação, com cursos de duração de 40h para posterior visita e levantamento topográfico para a instalação dos tanques, que ocorre em parceria com a prefeitura municipal.
Segundo José Luiz Lopes, técnico da Emater, a principal motivação para a diversificação da produção no município é garantir a melhoria da qualidade de vida das famílias, além da segurança alimentar e a geração de renda. Por cada família, a expectativa é que com a comercialização do pescado em um ano, o aumento na renda chegue a 40%. “O mercado é promissor para a atividade, especialmente para  atender a região de Tucuruí e Marabá, maiores centros consumidores do produto”, afirma Lopes.
A ideia da Emater é inserir novas famílias no projeto, disseminando a tecnologia para outras 35 famílias, aproveitando os recursos topográficos e hídricos das propriedades rurais, identificadas com a aptidão a partir de visita técnica. Por cada unidade de tambaqui o piscicultor recebe até R$ 12,00.

Texto:
Iolanda Lopes


Obras na nova Perimetral não param e interdição está programada para esta terça
A partir da próxima terça-feira, 18, o tráfego de veículos será impedido na avenida Perimetral, entre as ruas Celso Malcher e Mauriti. O acesso ficará permitido apenas a moradores da área. Seis linhas de ônibus terão o itinerário alterado. Uma exceção foi aberta para a linha Alcindo Cacela-Domingos Marreiros, utilizada pelos alunos, professores e funcionários do colégio de aplicação da Universidade Federal do Pará. Somente esses coletivos terão permissão para prosseguir até o NPI e, de lá, retornar para seu destino. Optou-se por fechar a rua trecho a trecho, em períodos de 45 a 60 dias, permitindo a definição de desvios que não comprometam a mobilidade das pessoas de uma vez só em toda a extensão da avenida.
"Todo esse planejamento demonstra a nossa preocupação em reduzir ao máximo o impacto da interdição para a comunidade local e para os cidadãos que costumam transitar nessa via. De qualquer maneira, a interrupção é necessária para o andamento da próxima etapa da obra, que vai mudar radicalmente a paisagem daquele local e proporcionar um grande avanço na implantação do Sistema Integrado de Transporte da Região Metropolitana de Belém", diz o secretário estadual de Integração e Desenvolvimento, Luciano Dias.
A interdição é uma medida de segurança, adotada para proteger os trabalhadores, a população do entorno e os pedestres e motoristas que passam por ali. Haveria duas situações de risco, caso essa decisão não fosse tomada. A primeira é a possibilidade de desmoronamento das laterais da rede-tronco do sistema de drenagem. Isso porque, para assentar os tubos com até 1,20m de diâmetro que compõem o tronco, os operários cavam um duto paralelo ao traçado da avenida, onde encaixam peça por peça. No final de cada seção, marcada pelos pontos de visita (as chamadas bocas-de-lobo, utilizadas para o posterior acesso das equipes de manutenção da rede), eles fecham o duto, formando uma via subterrânea por onde escorrem as águas pluviais para serem lançadas lá adiante em outro sistema ou canal.
"Este terreno é de uma constituição muito ruim. Nunca teve uma rede de drenagem ou esgoto. Por isso, a absorção de água pela terra é muito grande e o solo fica ainda mais frágil", explica o engenheiro Domingos Tabosa. "O trecho onde vamos trabalhar a partir de terça-feira é o que exige mais cuidados. O impacto do trânsito intenso de veículos nas margens da rede-tronco poderia causar acidentes, como o desmoronamento das laterais enquanto os operários trabalham lá dentro", acrescenta. "Não podemos brincar com segurança. Ou é zero ou é 100%. Aqui, é 100%".
Outras medidas de segurança são o escoramento das paredes do duto com placas de aço e a completa substituição do solo subjacente à avenida, na profundidade de um metro, por todos os cinco quilômetros em que é feita a intervenção. São usadas, para isso, modernas técnicas de engenharia e materiais que permitem proteger o terreno das infiltrações, aumentar a capacidade de suportar carga, consolidar a base e a sub-base e elevar a resistência à tração.
Além disso, ninguém espera que o fluxo de veículos seja normal numa área repleta de operários e equipamentos. "São 40 pessoas atuando em duas frentes de trabalho, de forma quase ininterrupta, todos os dias da semana. Só paramos para comer e dormir", garante o encarregado Antônio Lopes. "Trabalhamos com máquinas pesadas, caminhões, escavadeiras e retroescavadeiras. Imagina isso tudo disputando espaço com ônibus, carros, motos e caminhões que circulam normalmente pela Perimetral. Seria o caos!", ressalta o engenheiro Tabosa.
Integração - Todo esse cuidado que cerca a obra de duplicação da Perimetral se justifica também porque a avenida passa a compor o Sistema Integrado de Transporte da Região Metropolitana de Belém, previsto no Projeto Ação Metrópole, como um corredor preferencial para o tráfego de veículos pesados. A via fará a conexão entre as avenidas Almirante Barroso, João Paulo II e Bernardo Sayão, criando uma alternativa de escoamento do trânsito que desafoga, sobretudo, a Almirante Barroso e suas transversais.
É como se a Perimetral tivesse sido promovida. Quando foi construída, nos anos 70, imaginou-se que ela atrairia a ocupação da área de influência da Bacia do Tucunduba para longe das margens dos canais, evitando o assoreamento das vias fluviais. Não deu certo. A intensa migração daquela época criou bolsões de pobrez justamente próximo aos cursos de água antropizados ou não.
Dá-se agora à Nova Perimetral, duplicada e urbanizada, com solo e pista reforçados, sinalização adequada, proteção a ciclistas e pedestres, três nobres missões: reduzir congestionamentos, conduzir o tráfego pesado e permitir a cerca de 300 mil moradores dos bairros que lhe têm como referência (Guamá, Terra Firme e Marco) a sensação de pertencimento a uma metrópole redesenhada pelas obras estruturantes do Governo do Estado. Depois da Nova Perimetral, a cidade nunca mais vai virar as costas para aquela periferia.
Moro aqui há 20 anos e nunca vi um projeto tão importante como esse nessa área. O governo veio aqui, explicou tudo, e a gente apoia sim, porque é um benefício pra todo mundo", comenta a comerciante Valda Santos, cuja taberna fica em frente ao campus da Universidade Federal Rural da Amazônia.
De fato, os bairros que compõem a área de baixadas de Belém sempre foram caracterizados pela carência e estigmatizados pela violência. "Agora, eu vou ter ainda mais orgulho de ter nascido e me criado na Terra Firme", completa Antônio Lopes, morador da área, protagonista da obra e testemunha da transformação.
VIAS ALTERNATIVAS A PARTIR DA INTERDIÇÃO
1. As linhas de ônibus UFPA-Icoaraci, Tapanã-UFPA, Curuçambá-UFPA, UFPA- Cidade Nova VI, Alcindo Cacela (José Malcher) e UFPA-Tamoios vão desviar o trecho em obras tanto na saída do terminal, como no retorno, por um corredor alternativo formado pelas ruas São Domingos, Celso Malcher, Silva Rosado, as travessas Francisco Monteiro e Mauriti e a avenida João Paulo II. Apenas a linha Alcindo Cacela-Domingos Marreiros será mantida até o NPI, já que ela serve estudantes e professores da instituição.
2. Veículos particulares no sentido da UFPA dobram na Tv. Mauriti até chegar na Av. João Paulo II no sentido São Brás. Ao chegar próximo à Tv. Antônio Baena, o motorista deverá usar o retorno e, no outro lado da via, acessar a Tv. Francisco Monteiro, de onde segue até a Av. Cipriano Santos para retomar à Perimetral, após o trecho em obras.
3. No sentido oposto, da UFPA para a João Paulo II, o desvio deverá ser feito pela Cipriano Santos até a Francisco Monteiro, seguindo para a João Paulo II, tanto no sentido São Brás como no sentido da Dr. Freitas.
4. Veículos de carga vão trafegar pela Augusto Correa até a Barão de Igarapé-Miri, seguindo até a José Bonifácio e depois Almirante Barroso.

Texto:
Paulo Silber


Escola Tecnológica de Vigia beneficiará cerca de 3 mil estudantes
O município de Vigia de Nazaré, no nordeste paraense, contará em breve com uma das maiores escolas tecnológicas e profissionalizantes do Estado. A obra, construída pelo Governo do Pará, em parceria com o governo federal, através do Programa Brasil Profissionalizado, deve beneficiar cerca de três mil estudantes. Com uma área de 15 mil metros quadrados, o prédio possui uma estrutura adequada para dar o máximo de acessibilidade aos portadores de necessidades especiais, como elevadores, espaços adaptados e rampas de acesso.
Orçado em R$ 7 milhões, o projeto já está com 99% das obras concluídas. A escola, localizada na entrada da cidade, conta com 12 salas de aula, biblioteca, auditório com capacidade para 200 pessoas, ginásio poliesportivo com arquibancada e vestiários, área para recreação, anfiteatro, refeitório, banheiros, sala dos professores, secretaria, diretoria, cozinha, estacionamento, guarita de segurança, pátio interno, laboratórios de informática, laboratórios de línguas e os laboratórios específicos para os cursos ofertados.
“Todo o projeto da escola segue uma padronização nacional de escolas profissionalizantes. A estrutura do prédio foi pensada em fornecer qualidade, tanto para os alunos, quanto para a comunidade. Um exemplo disso é a posição do auditório, que diferente de outros prédios, fica na parte da frente da escola, proporcionando que a comunidade também usufrua do espaço, sem precisar se deslocar por todo o prédio”, explica Napoleão Resque, engenheiro responsável pela obra.
A construção da Escola Técnica de Vigia faz parte da política de ampliação dos centros de educação profissionalizante do Estado. Segundo Socorro Marques, coordenadora de Educação Profissional da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), até o final do ano, o Governo do Pará deve entregar onze novas escolas técnicas. “Vigia será a primeira a ser entregue. Fora isso, estamos construindo centros profissionalizantes em Santarém, Tucuruí, Barcarena, Xinguara e mais seis municípios espalhados por todas as regiões do Pará”, afirma a coordenadora da Seduc.
De acordo com ela, a escola deve ofertar, inicialmente, 1,5 mil vagas, ainda neste semestre. Os primeiros cursos oferecidos pelo centro educacional serão: Processamento de Pescado e Técnico em Meio Ambiente. Os cursos foram escolhidos após um Fórum de Escolas Técnicas realizado no município, que discutiu com a comunidade quais as principais demandas da região. “Após dialogar com os moradores da área se chegou à conclusão que os cursos de Processamento de Pescado e Técnico em Meio Ambiente eram os que mais atendiam a demanda da comunidade naquele momento, principalmente por conta da forte produção de pescado, que é base da economia na região”, ressalta Socorro Marques.
Além de atender a demanda do município onde foi instalada, a escola vai beneficiar alunos de cidades próximas à Vigia, como Colares, Santo Antônio do Tauá e São Caetano de Odivelas. A obra, prevista para ser entregue ainda este mês, segue com os últimos retoques. “Estamos na fase final do projeto. Para atingirmos os 100 % de conclusão, falta apenas a instalação elétrica e o acabamento dos vestiários e laboratórios específicos”, informa o engenheiro responsável pela obra.
Detalhamento da obra:
Início: Agosto de 2013
Previsão de Conclusão: Março de 2014
Andamento da obra: 99%
Valor: R$ 7 milhões
Empresa Responsável: Artemil Construções e Comércio Ltda.
Secretaria Responsável: Secretaria de Estado de Educação (Seduc)

Texto:
Adison Ferrera


Nova agência do Iasep proporciona mais qualidade e conforto para segurados em Bragança
Funcionário público da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) em Bragança, município do nordeste do Pará, Elton de Souza foi um dos primeiros segurados do Instituto de Assistência Social do Estado do Pará (Iasep) a usufruir do novo espaço da agência no município. O prédio, que passou, recentemente, por obras de reforma e adequação, orçadas em R$ 147.057,39, conta agora com uma estrutura muito mais ampla para atender os servidores do Estado. Além dos serviços de pintura, instalação elétrica, refrigeração dos locais de atendimento, readequação da fachada e ampliação da recepção, o local também foi todo adequado para dar mais acessibilidade aos segurados portadores de necessidades especiais.
Com cinco salas - uma para o uso exclusivo da Secretaria de Estado de Administração (Sead), recepção, cozinha e dois banheiros, a nova estrutura da agência foi elogiada pelos segurados que procuram o atendimento do Iasep no município. “Quem usava o serviço antes da reforma, sem dúvida nenhuma, percebeu o quanto os serviços melhoraram na agência. Pois, agora, além de um espaço maior para atendimentos, o prédio também dispõe de um conforto visível, tanto para quem é atendido, como para quem trabalha no local”, ressalta Elton, que utiliza os serviços da agência desde 2011.
Segundo Maria Lucia Souza, diretora de Assistência à Saúde do Instituto, a obra faz parte da política de reforma e readequação do Iasep, que está reestruturando todas as 26 agências do órgão no Estado. “Além da agência de Bragança, a diretoria vem intensificando a reforma de todos os prédios do Instituto, espalhados por diversas regiões do Pará. O objetivo desse projeto é proporcionar mais qualidade no nosso atendimento, através de espaços com mais acolhimento e conforto para funcionários e segurados”, afirma.
Com trinta anos de existência, esta foi a primeira vez que a agência de Bragança passou por um grande projeto de reforma e adequação. O prédio, localizado no centro da cidade, atende atualmente cerca de dez mil servidores públicos. Além dos segurados do próprio município, a agência também beneficia todas as cidades da região bragantina, como é o caso dos municípios de Capanema, Augusto Corrêa, Tracuateua, Bonito e Vizeu.  
De acordo com Daniel Monteiro, gerente regional do Iasep em Bragança, apesar de quase nove meses de reforma, os atendimentos na agência não foram interrompidos em nenhum momento durante a obra. “Como o prédio atende cerca de seis mil segurados apenas em Bragança, fora os municípios vizinhos, a nossa maior preocupação era paralisar as nossas atividades por conta das obras. Mas graças ao planejamento da nossa equipe, todos os atendimentos seguiram normalmente durante a reforma e nenhuma atividade foi paralisada”, explica o gerente.
Detalhamento da obra:
Início: junho de 2013
Previsão de conclusão: março de 2014
Valor: R$ 147.057,39
Andamento da obra: 100%
Empresa responsável: J.E Mendes da Silva – Construtora
Secretaria responsável: Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (IASEP)

Texto:
Adison Ferrera






  Ka Ka Ka Ka, tem empresa de comunicação ‘doidinha da silva’

Acredito que de tão aperreado como estão, tentando eleger seu candidato ao cargo maior no Estado, nas próximas eleições, chamando jacaré de cobra; tartaruga de arraia; papagaio de periquito; enfim...

Não encontrando mais quem ‘apertar’, e munidos de gravações telefônicas deve dizer que Jango Vidal, nas eleições passadas pediu votos para seus amigos: Zezé Di Camargo e Luciano, Leonardo; Roupa Nova; Jerry Adriani; Zeca Pagodinho; Tom Kleber; Dominguinhos do Estácio; Dudu Nobre; Fundo de Quintal; Roberta Miranda; Agnaldo Timóteo, tantos outros artistas nacionais e até internacionais. Ah, ia esquecendo, a querida Ângela Maria, que cantou, elogiou e encantou a todos em seu show na sede do Rancho.

Ora me compre um bode e me traga o troco de cabrito.

Vamos fazer um jornalismo sério e confiante, pois em pensar que ali trabalhei por 9 anos, só lamento a falta de credibilidade que o mesmo está amargando. Falando com um amigo empresário do Jurunas que vende o mesmo jornal, ele disse ainda pouco que chega 10 exemplares é devolvido 11 no dia seguinte.

O que é isso? É uma prova de que o povo já não é mais burro como pensam.




LEIAM AINDA NESTA EDIÇÃO...

- Encontro sobre educação abre inscrições
- "Nota Fiscal Cidadã" distribui mais de R$ 387 mil em prêmios para quase 5 mil consumidores
- Governo paga primeira parcela do campeonato paraense 2014
- Ópera La Traviata volta aos palcos de Belém no Theatro da Paz
- Parecer pode ajudar travestis e transexuais a mudar prenome
- Mais de 40% das mulheres presas no Pará estão estudando
 - Aberto prazo para correção de pendências em projetos da Lei Semear
- Bandas de Música do Pará vão receber instrumentos musicais durante solenidade em Belém





Seicom realiza Curso Básico de Exportação no Sebrae
O Curso Básico de Exportação que ocorrerá, na sede do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Pará (Sebrae/PA), dia 26 de março, às 8h, é resultado de uma parceria do Governo do Pará e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), com o apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex/Brasil), Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Pará (CIN) e do Sebrae.
Para participar é preciso acessar a ficha de inscrição preenchida, que está disponibilizada no link abaixo, e enviar ao email dmai@seicompa.com.br. As vagas são limitadas e estarão abertas as inscrições até o dia 24 de março, às 15h. O curso é destinado à capacitação de artesãos, candidatos originários de empresas de pequeno porte, funcionários de associações comerciais, sindicatos, cooperativas e instituições similares. O foco é proporcionar aos participantes uma visão básica dos procedimentos envolvidos no processo de exportação e das oportunidades representadas pela internacionalização da empresa. As aulas serão ministradas por um instrutor do MDIC em 8 horas de aula.



Texto:
Juliana Pinheiro


Uepa divulga resultado de entrevista para Mestrado Ensino em Saúde
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) divulgou nesta terça-feira (18), no site www.uepa.br, a relação dos candidatos aptos à entrevista do processo seletivo para o Mestrado Profissional Ensino em Saúde na Amazônia (Mestrado ESA). São ofertadas 20 vagas pela instituição.
Dos 27 candidatos convocados para a entrevista, realizada no dia 14 de março, no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), 26 foram aprovados. A seleção recebeu 139 inscritos. Destes, 43 faltaram à primeira etapa. Entre os inscritos, estão candidatos de Santarém (município do oeste paraense) e dos Estados de São Paulo, Maranhão, Amapá e Tocantins.
O resultado final será divulgado no próximo dia 21, no site da Fadesp e/ou da Uepa, e no quadro de avisos da Secretaria do Mestrado ESA, localizada no CCBS/Campus II (Travessa Perebebuí, nº 2623, bairro do Marco/Bloco B, 1º andar). Os selecionados desempenharão as atividades curriculares no período de 24 meses, integralizando 30 créditos com uma carga horária de 450 horas.
O Mestrado é direcionado à formação de profissionais com capacidade técnico-científica para atuar e produzir conhecimento na área de saúde, com enfoque na região amazônica, capaz de influenciar o ensino, buscando a melhoria de qualidade. O candidato deve ter formação superior e atividade docente na área de saúde, preferencialmente com atuação no Sistema Único de Saúde (SUS).
O curso contempla duas linhas de pesquisa: Gestão e planejamento em ensino na saúde na Amazônia, e Fundamentos e metodologias em ensino na saúde na Amazônia. A seleção é dividida em três etapas: a prova escrita, que aconteceu no dia 31 de janeiro, a apresentação de documentos e, por último, a entrevista.
Serviços: Para mais informações está disponível o fone (91) 3277-5988 e o e-mail mestradoesauepa@gmail.com. O CCBS está localizado na Travessa Perebebuí, 2623, entre Almirante Barroso e Avenida Romulo Maiorana.

Texto:
Ize Sena


Setur apoia produção cinematográfica e espetáculo teatral
A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) irá apoiar com apoio logístico e operacional as gravações do longa metragem Amores Líquidos e a encenação do espetáculo teatral ao ar livre Paixão de Cristo, tradicionalmente realizado em Barcarena. Na manhã desta terça-feira,18, o secretário de Estado de Turismo, Adenaues Góes, recebeu representantes de ambas as produções artísticas.
Os produtores de cinema Ofir Figueiredo e Moana Mendes estão em Belém montando a rede de articulação para as filmagens  de Amores Líquidos, que serão realizadas em setembro deste ano, com a direção de Jorane Castro. O projeto foi contemplado em 2013 no edital de Produção Cinematográfica de Baixo Orçamento do Ministério da Cultura (MinC). Esse é primeiro longa-metragem de ficção paraense, desde que o paulista Líbero Luxardo fez "Brutos Inocentes" em 1979.
A trama de Amores Líquidos é uma produção da Cabocla Filmes em parceria com REC Produtores Associados, produtora de Recife (PE). O filme será rodado em localidades do polo turístico Amazônia Atlântica ao longo do caminho entre Belém e Salinópolis. O enredo conta a história de três mulheres: a divorciada Nara, que não aceita a separação; Léa, a amiga dela descolada; e a manicure Léa, evangélica que quer contar ao noivo, o DJ Maluquinho da Aparelhagem, que está grávida, mas não sabe como fazer isso. “Os principais atrativos da Amazônia, sejam de natureza ou de cultura, estão no Pará. Não se discute a importância dos filmes para a promoção e divulgação de um destino turístico. Aliás, existe a tese de que nos Estados Unidos, com a poderosa indústria cinematográfica e a produção de filmes em Hollywood, que mexem com o imaginário das pessoas, tem uma grande alavanca para o crescimento do turismo norte-americano”, afirma o secretário Adenauer Góes.
O produtor Ofir Figueiredo explica que após ser finalizado, o filme percorrerá o chamado tour dos festivais, sendo exibido em cidades como Gramado (RS), Cuiabá (MT), Brasília (DF), Rio de Janeiro, São Paulo, entre outras. Ele contou também que haverá uma reunião com um grupo de jornalistas para apoio e divulgação da produção junto a empresários locais.
Teatro – O espetáculo teatral Paixão de Cristo, em Barcarena, é um dos seis eventos existentes no interior do Estado, apoiado pela Setur por meio do projeto Incubadora de Eventos, que busca fortalecer a competitividade e incrementar o fluxo de turistas no local onde eles acontecem.
O diretor e produtor da peça, Arildo Poça, garantiu apoiou ao projeto que já desenvolve em parceria com os órgãos de turismo desde 2001, e que contará com o envolvimento de mais de 350 profissionais e uma grande estrutura de cenário, iluminação, figurinos, áudio, dentre outros equipamentos de estrutura cênica. “O nosso grande forte é a encenação. São cenas que tocam as pessoas, pois são feitas todas ao vivo, no calor do dia e do momento”, contou ele que hoje trabalha na construção da cidade cenográfica permanente, em terreno superior a 20 mil metros quadrados.



Texto:
Israel Pegado


EGPA divulga resultado da 2ª etapa de processo seletivo para pós-graduação
A Escola de Governo do Estado do Pará (EGPA) divulgou em seu site, nesta terça-feira (18), o resultado da segunda etapa do processo seletivo para os cursos de pós-graduação (lato sensu), destinados a servidores públicos estaduais. O edital com as notas e a classificação final já está disponível na página de acompanhamento do certame, no endereço www.egpa.pa.gov.br. O resultado será publicado no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (19). Os interessados em entrar com recurso contra o resultado devem procurar o setor de Protocolo da EGPA, entre os dias 19 e 21 de março.
São oferecidas 270 vagas - 45 por curso -, em especializações nas áreas de Gestão de Pessoas, Gestão Pública, Gestão Orçamentária e Financeira, Gestão Estratégica, Direito do Estado e Gestão de Projetos na Administração Pública. Estes cursos estão sendo ofertados gratuitamente aos servidores públicos estaduais efetivos, com financiamento do Tesouro Estadual.
A segunda e última etapa consistiu na análise da Carta de Intenção, valendo 10 pontos. A avaliação teve caráter subjetivo, considerando critérios como a área de pesquisa, a fundamentação teórica, a capacidade de interpretação e exposição do tema proposto, a abrangência do tema a ser desenvolvido e sua contribuição para a melhoria da qualidade do serviço público, além da experiência profissional acumulada, formação e atividades desenvolvidas relacionadas aos objetivos do curso. Para ser aprovado, o candidato precisou alcançar a nota mínima de sete pontos (7,0).
Soma de pontos - A classificação final dos candidatos, no limite do número de vagas ofertadas, se deu de acordo com a soma da pontuação nas duas etapas, sendo exigido o mínimo de 14 pontos. Nos casos em que o número de selecionados foi inferior ao de vagas, foram classificados os candidatos com o mínimo de 10 pontos na soma final. De acordo com o cronograma, o resultado final do processo seletivo, com a lista dos aprovados, está previsto para o próximo dia 28.
As aulas começam no dia 7 de abril, em Belém, na modalidade presencial modular, ministradas pela Universidade Estácio de Sá/FAP, com carga total de 390 horas.
Os módulos serão realizados ao longo de 10 meses, havendo mais 60 dias para elaboração do artigo, ao final do curso. As aulas ocorrerão no regime de uma semana por mês, sendo que os módulos de 30 horas obedecerão ao horário de 8 as 12 h, e os módulos de 40 h serão em horário integral (das 8 às 12 e das 14 às 18 h).
Serviço: Mais informações sobre o processo seletivo de pós-graduação/2014 podem ser obtidas pelo telefone (91) 3214-6843 ou na página de acompanhamento da seleção, no site www.egpa.pa.gov.br. A EGPA fica na Avenida Almirante Barroso, 4314, bairro Souza, em Belém.

Texto:
Daniele Brabo


Susipe começa capacitação de internos do PEM III com curso de mecânica de motores
Uma turma, formada por 15 detentos do Presídio Estadual Metropolitano (PEM II), no Complexo Penitenciário de Marituba (município da Região Metropolitana de Belém), iniciou na segunda-feira (17) o curso de Mecânica de Motores a Diesel. Este é o primeiro grupo de internos a receber qualificação profissional neste ano, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), voltado à ampliação dos cursos de educação profissional e tecnológica. No Pará, o programa oferecerá mais de 4 mil vagas para presos e egressos do Sistema Penitenciário do Estado. 
De acordo com a coordenadora de Educação do PEM II, Cleidiane Nunes, o objetivo do projeto é promover a ressocialização dos detentos com a capacitação profissional. “O maior desafio dessas atividades é despertar as competências profissionais nesses presos. O nosso principal papel é que eles sintam o desejo da educação e, realmente, aproveitem essa oportunidade, e que quando saírem da unidade estejam prontos para ingressar no convívio social, minimizando a reincidência prisional", destacou.
Para o diretor do presídio, Carlos Alberto do Carmo, o papel do sistema é proporcionar ao detento a oportunidade de ressocialização. “Criamos várias maneiras através das atividades laborativas, como cursos, aulas e trabalho. É um momento de investir e proporcionar para ele a oportunidade da continuação dos estudos, pois além da condição de preso, antes de entrar no sistema ele tinha direitos e condições de exercer papéis de cidadania”, ressaltou. 
Estratégia - Nessa primeira etapa, as aulas acontecem na sala de aula da unidade. O curso é realizado por um dos parceiros do Pronatec, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). “O curso será realizado em duas etapas. Nesse primeiro momento, estamos conhecendo o interno e trabalhando a parte comportamental e de humanização, através de dinâmicas e estratégias, a fim de resgatar a busca do seu bem estar social, da autoestima, da cidadania e da ética, além de ser uma oportunidade de avaliar o perfil do interno, como ele se posiciona em relação aos outros”, informou Fádia Mauad, professora do Senai.
Um dos concluintes do Ensino Médio na unidade, que agora faz o curso de qualificação profissional de Mecânica de Motores, o interno Wilhames Simões, 24 anos, cumpre prisão no regime fechado há dois anos. Ele disse que a qualificação é uma possibilidade para conquistar uma profissão, e assim trilhar novos caminhos.
“Para mim é muito gratificante ter essa oportunidade. Estou aproveitando todos os benefícios que a unidade e os órgãos competentes passam pra a gente. É muito bom poder realizar essa qualificação. Vou me empenhar bastante. É um curso que me valoriza como pessoa e beneficia com a remição de pena. Terei um diploma que poderá me ajudar a arrumar um trabalho, pois pretendo sair e seguir carreira”, contou.
Segundo Cleidiane Nunes, o número de internos ainda é pequeno, por questões de documentação. “A procura é grande, mas como o programa é federal, além do cronograma tem grandes restrições. É preciso que o preso esteja devidamente matriculado, e com os documentos necessários para participar da formação. A equipe de educação faz a triagem dos cumpridores que desejam participar dos cursos, com base nos critérios de escolaridade, aptidão e disponibilidade de tempo para participar do curso, além de demonstrar interesse e produtividade”, acrescentou.
Critérios - De acordo com as determinações exigidas pelo Pronatec, participam do projeto detentos a partir dos 18 anos, que possuem o primeiro grau completo, CPF e RG, e passaram por uma avaliação psicossocial nas unidades, para saber se estão aptos a frequentar o curso. Frequência e bom rendimento também são obrigatórios.
Atualmente, 1.180 presos no Pará estudam, dos quais 33 estão matriculados em cursos profissionalizantes. No primeiro semestre, o governo federal vai destinar mais de 1,3 mil vagas para pessoas que estejam em regime fechado, aberto e semi-aberto, e para egressos da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe). A conclusão do curso, que tem a duração de dois meses, está prevista para abril, totalizando 180 horas de estudo.
O Pronatec oferecerá certificação profissional, além de beneficiar o preso com a remição de um dia de pena, a cada doze 12 horas de curso, e ainda uma bolsa-auxílio no valor de R$ 8,00 por de dia de aula e vale-transporte para presos do semi-aberto se deslocarem até as unidades de estudo. "Essa oportunidade é o recomeço da minha segunda chance”, concluiu Wilhames Simões.

Texto:
Timoteo Lopes


TV Cultura lança documentário sobre os sabores da Ilha de Mosqueiro
Uma expedição gastronômica pela maior ilha de Belém, a bucólica Mosqueiro, é mostrada no documentário “Mosqueiro: Ilha dos Sabores”, produzido pela TV Cultura do Pará, que será lançado na próxima sexta-feira (21), às 20 h, na Estação Gasômetro, no Parque da Residência. Com direção de Roger Paes, o projeto integra a faixa Cultura.Doc e estreia no domingo (23), às 19 h, na programação da emissora.
Localizada a 67 km da capital paraense, a ilha traz uma conotação gastronômica em seu próprio nome: Mosqueiro surgiu da mistura das expressões “moqueio”, técnica de conservação de carnes de caça e pescaria baseada na defumação, com “musquira”, forma de cortar a carne a ser defumada. Saberes indígenas que constituem traços da formação histórica, social e cultural da ilha.
Baía do Sol, Paraíso, Marahú, Carananduba, São Francisco, Ariramba, Murubira, Porto Artur, Chapéu Virado, Farol, Prainha, Praia Grande e Praia do Bispo formam mais de 17 km de praias de água doce na ilha, que possui quase 50 mil habitantes. Além de apresentar alguns desses locais e suas preciosidades gastronômicas, o documentário mostra histórias de pessoas que têm na gastronomia o principal meio de sobrevivência.
“Atentos aos sabores da ilha, percorremos as trilhas que levam aos personagens que participam desse roteiro gastronômico. Por meio de suas histórias, conhecemos a vida e as singularidades do local. Queremos mostrar a dinâmica dos moradores que precisam se profissionalizar para servir os visitantes, desde a busca por ingredientes até a preparação e venda dos produtos”, explica Roger Paes.
A partir desses personagens, o público vai conhecer iguarias como o camarão no bafo, o urucum engarrafado, as tapioquinhas, o mingau de banana, o pastelzinho, o peixe frito, o doce Adelaide, entre outras delícias que se tornaram referência e estão no cotidiano dos moradores.
“Mosqueiro: Ilha dos Sabores” tem trilha sonora original dos músicos Allan Carvalho e Ronaldo Silva. O documentário termina com um banquete, onde o diretor oferece à equipe a oportunidade de experimentar novas possibilidades gastronômicas, com ingredientes colhidos ao longo do trajeto.
“Selecionamos ingredientes por onde passamos para montar um almoço criativo, finalizando assim o nosso trabalho, e convidando o espectador a visitar Mosqueiro, um lugar cheio de histórias fascinantes, alegre e saborosamente surpreendente”, finaliza Roger Paes.
Ficha técnica
Direção, roteiro e apresentação: Roger Paes
Produção: Felipe Cortez
Direção de Fotografia: André Mardock e Jacob Serruya
Edição, arte e finalização: Éder Pampolha
Som Direto: Agostinho Soares
Assistente e iluminador: Luciano Mourão
Auxiliar de Câmera: Luciano Mourão
Assistente de Produção: Marcella Cabral
Motoristas: João Filho e Márcio Borges
Trilha: Allan Carvalho e Ronaldo Silva
Serviço: Documentário “Mosqueiro: Ilha dos Sabores”. Lançamento na próxima sexta-feira (21), às 20 h, no Teatro Gasômetro (Parque da Residência - Avenida Magalhães Barata, entre 3 de Maio e 14 de Abril). Entrada franca. Exibição na TV Cultura no próximo domingo (23), às 19 h.

Texto:
Marcia Carvalho


Pará lidera geração de empregos em toda região Norte
De acordo com estudo elaborado e publicado nesta semana pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/Pará), o Pará continua liderando a geração de empregos na região Norte. No mês passado (fevereiro), em todo o Estado, foram feitas 31.504 admissões, contra 29.519 desligamentos, gerando um saldo positivo de 1.985 postos de trabalho no setor formal, isto é, com carteira assinada, o que corresponde a um aumento de 0,25% em relação ao mês de janeiro de 2014. Os dados estão baseados em informações oficiais do Ministério do Trabalho e Emprego, através do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).
Os números colocaram, mais uma vez, o Pará na liderança dentro da região Norte, seguido do Tocantins, que ficou na segunda posição, com saldo de 1.184 postos de trabalho. No total da região Norte, foram 73.718 admissões contra 70.593 desligamentos, gerando um saldo positivo de 3.125 postos de trabalhos, o que representa um acréscimo médio de 0,17%.
No Pará, os setores que apresentaram os melhores desempenhos foram: Comércio, com saldo positivo de 1.599 postos de trabalhos, seguido do setor de Serviços, com saldo positivo de 1.340 postos de trabalho; Serviços de Utilidade Pública, com saldo de 452 postos; Indústria de Transformação, com 305 novos empregos formais e Agropecuária, com 254 postos de trabalho.
Ainda de acordo com os dados analisados pelo Dieese, com base no levantamento realizado pelo Ministério do Trabalho, nos últimos doze meses, entre março de 2013 e fevereiro de 2014, o Estado do Pará apresentou um saldo positivo de 24.467 postos de trabalho, já que o número de admissões (398.819) superou o de demissões (374.352), representando um crescimento de 3,22%. O resultado no Pará, nesta linha de análise, também coloca o Estado acima da média de crescimento de postos de trabalho na região Norte, que foi de 2,83%.
Indústria – Segundo o estudo, até mesmo o setor da indústria, que vinha apresentando recessão nos últimos meses, voltou a crescer. De acordo com o Dieese/Pará, nos dois primeiros meses de 2014 houve um saldo positivo de empregos formais no comparativo entre admitidos e desligados, com crescimento de 0,11%. Foram feitas no setor em todo o Pará 7.336 admissões contra 7.234 desligamentos, gerando um saldo positivo de 102 postos de trabalhos, diferentemente do que aconteceu, por exemplo, nos dois primeiros meses do ano passado, quando o setor apresentou decréscimo na geração de empregos formais.
Foram feitas, naquela oportunidade 7.447 admissões contra 8.250 desligamentos, gerando um saldo negativo de 803 postos de trabalhos. “A nossa avaliação é de que, a partir agora, o Estado volte a crescer, pois, tradicionalmente, nos meses de dezembro e janeiro, a geração de empregos cai, puxada para baixo pelo setor da construção civil, até por conta do período de chuvas do inverno amazônico. Daqui para a frente, a tendência é que o saldo seja sempre positivo, inclusive na indústria, que enfrentou um período difícil no ano passado, em função da crise mundial, que afetou os principais compradores dos nossos produtos de exportação”, detalhou o supervisor técnico do Dieese/Pará, Roberto Sena. 


Texto:
Elck Oliveira


STF suspende liminares concedidas a madeireiras autuadas pela Sema
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, analisou a Suspensão de Segurança nº 4888, solicitada pelo Governo do Pará, e determinou a suspensão de liminares concedidas pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJE) em mandados de seguranças impetrados por madeireiros, contra a decisão da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) de não permitir o acesso de 54 madeireiras ao Sistema de Comercialização de Produtos Florestais (Sisflora), por causa de fraudes.
A Sema autuou, em 2013, a Tecniflora Ltda., situada no município de Anajás, no Arquipélago do Marajó, e interditou o Plano de Manejo Florestal da empresa devido à comercialização e uso de 151.819 metros cúbicos de madeira ilegal, exploradas em áreas não autorizadas. Outras empresas dos municípios paraenses de Breves, Moju, Portel, Tucuruí, Tailândia, Trairão, Uruará, Inhangapi e Belém também foram flagradas em comércio fraudulento.
No pedido de Suspensão de Segurança, o governo estadual considera que as liminares favorecem as graves irregularidades cometidas pelas empresas citadas nos autos, as quais declararam ter adquirido madeira de área comprovadamente inexplorada, e que a suspensão do acesso também foi provocada pela constatação de que as empresas têm madeira de origem não comprovada em seus pátios de estocagem.
De acordo com o secretário de Meio Ambiente do Pará, José Alberto Colares, as poucas toras de madeira no pátio, somadas à área ínfima explorada no Plano de Manejo Florestal Sustentável (PMFS) – 5% da área indicada no Plano - confirmam que as árvores exploradas eram insuficientes para sustentar a comercialização detectada no sistema informatizado que controla o comércio e transporte de produtos florestais da Sema. “A empresa passou a vender papéis com créditos madeireiros fictícios. Essas falsas Guias Florestais foram abastecer 54 indústrias madeireiras, que utilizaram os documentos fraudados para ‘esquentar’ os estoques de madeira de origem desconhecida que mantinham em seus pátios”, explica o secretário.
Na investigação da fraude foram utilizados os recursos da sala de monitoramento, que permite à Sema acompanhar, pelas imagens de satélites, as operações dos planos de manejo. Os sinais de anormalidades foram detectados e a fiscalização foi acionada para uma inspeção no local, com utilização de helicóptero, para chegar à área de difícil acesso.
Fiscalização - A fiscalização da Sema confirmou a ilegalidade com a comparação da exploração realizada na área e a comercialização de créditos e emissão de Guias Florestais, verificação de número de pátios de estocagem, infraestrutura geral, alojamentos, construção de estradas primárias e secundárias, ramais de arrastes e outros itens. A equipe verificou também que os mapas indicavam algumas unidades de trabalho que não condiziam com a real localização de campo.
A emissão de 830 Guias Florestais mostra 33 declaradas por via rodoviária, em área unicamente fluvial. Imagens de satélite revelam áreas intocadas, de onde deveriam ter saído toras de madeira, análises de tempo de entregas de grandes volumes de madeira, entre municípios, em tempo incompatível, e outras irregularidades, que incluem ainda a inexistência física de empresas compradoras. Diante da situação, a Sema também bloqueou as empresas no Sistema de Cadastro de Consumidores de Produtos Florestais (Ceprof).
Decisão - O presidente do STF destacou que a motivação utilizada pelos relatores dos mandados de segurança foi amparada em suposta inobservância do contraditório, mas frisou que a Sema agiu preventivamente para impedir a comercialização do volume de madeira relativo ao empreendimento da madeireira, e notificou as empresas para que apresentassem a documentação comprobatória da origem do material.
“Nesse contexto, é importante sublinhar as origens comuns das impetrações: confrontados com a necessidade de comprovação da origem perante a autoridade administrativa, as empresas adquirentes da madeira optaram por impetrar mandado de segurança, obtendo, em seguida, as decisões liminares cuja suspensão ora se almeja. Do que se extrai dos documentos trazidos aos autos, portanto, a oportunidade de contraditório administrativo foi preterida pelas empresas”, enfatizou o ministro Joaquim Barbosa.

Texto:
Káthia Oliveira


Governo paga primeira parcela do campeonato paraense 2014
O Governo do Pará, por meio da Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa), repassou na segunda-feira (17), à Federação Paraense de Futebol (FPF), a primeira parcela do contrato de transmissão do Campeonato Paraense de Futebol 2014. Serão repassados, este ano, quase R$ 3 milhões para a Federação, relativos aos direitos de transmissão dos jogos pela TV Cultura.
Em 2014, o Banco do Estado do Pará (Banpará) aumentou em 20% os valores repassados aos clubes, e ainda pagará a premiação de R$ 120 mil ao campeão paraense. A Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) arca com os custos de transporte, hospedagem e alimentação para os times visitantes.
A primeira parcela, no valor de R$ 1,4 milhão, foi repassada à FPF, e esta repassará as cotas aos clubes. O repasse feito na segunda-feira foi referente à transmissão do Campeonato Paraense (Parazão) 2014.
A presidente da Funtelpa, Adelaide Oliveira, explicou que o contrato feito com os clubes permite o parcelamento, e que a segunda parcela deve ser repassada em maio, totalizando um investimento de quase R$ 3 milhões. “Nós transmitimos, em média, 38 jogos do campeonato. Os jogos mais importantes também transmitimos pelo portal, por aplicativo de celulares e pela Cultura FM. Estamos alcançando um número muito grande de pessoas que não podem acompanhar as partidas nos estádios”, informou.
Sucesso - Adelaide Oliveira também destacou a importância das transmissões para as cidades onde os jogos são realizados. “O futebol paraense tem grandes torcidas, e a gente sempre vê grandes festas onde os jogos acontecem. A transmissão não tira público do estádio. Ela é um acréscimo para a pessoa que não pode se locomover por algum motivo, ou que está longe de onde vai ser realizado o jogo. A transmissão também ajuda na formação do futuro torcedor, e a parceria tem sido um sucesso”, reiterou.
O Banpará, neste ano, está pagando em parcelas, até dezembro, R$ 2,2 milhões em patrocínio nas camisas dos clubes, e ainda vai pagar R$ 120 mil para o campeão paraense patrocinado pela instituição.
Com essas ações, e mais os R$ 5 milhões anunciados pelo governo do Estado para a reforma do gramado do Estádio Olímpico do Pará (o Mangueirão), além de pintura externa e interna e compra de novas catracas eletrônicas, o investimento do Executivo no futebol paraense ultrapassa os R$ 10 milhões.

Texto:
Antenor Filho


"Nota Fiscal Cidadã" distribui mais de R$ 387 mil em prêmios para quase 5 mil consumidores
O primeiro sorteio deste ano do Programa Nota Fiscal Cidadã, realizado nesta terça-feira (18), no auditório da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), em Belém, premiou 4.934 pessoas. Foram distribuídos 5.296 prêmios, que totalizam R$ 387.636,04. Participaram 89.210 consumidores, com 1.608.613 bilhetes. Para a geração dos bilhetes foram contabilizados 1.031.579 documentos fiscais. “A premiação é por bilhete, por isso vários consumidores foram premiados em mais de um bilhete”, explicou a coordenadora do Programa, Rutilene Garcia.
Os vencedores dos três primeiros prêmios são Maria Paula da Silva, moradora do bairro Castanheira, que ganhou R$ 20 mil; José Ribamar Magalhães, residente no bairro Mangueirão, que ganhou R$ 12 mil, e Francisco Caetano Mileo, morador do bairro de Batista Campos, que ganhou R$ 5 mil. “Para o consumidor cadastrado saber se tem bilhete premiado deve fazer uma consulta no site, usando seu CPF e senha”, informou a coordenadora.
O secretário de Estado da Fazenda, José Tostes Neto, disse que o sexto sorteio do programa alcançou o maior montante de premiação até agora - mais de R$ 387 mil. Este crescimento expressa o aumento do volume das notas e cupons fiscais emitidos com CPF.
Segundo ele, o programa estimula o hábito dos consumidores exigirem notas e cupons fiscais. O secretário ressaltou, ainda, que o “Nota Fiscal Cidadã” vai atuar de forma integrada ao novo projeto que a Sefa implantará este ano, de emissão de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e), eliminando a emissão de documento fiscal em papel. 
O Programa Nota Fiscal Cidadã tem sete faixas de premiação: um prêmio de R$ 20 mil, um de R$ 12 mil e um de R$ 5 mil; 35 prêmios de R$ 500,00; 175 prêmios de R$ 200,00; 876 prêmios de R$ 100,00, e 4.207 prêmios de R$ 50,00.  O valor total da premiação corresponde a até 5% do valor arrecado em impostos pelos estabelecimentos enquadrados no programa.
O “Nota Fiscal Cidadã” é um programa de estímulo à cidadania fiscal. Para participar é preciso se cadastrar no site e solicitar, nas compras em estabelecimentos comerciais vinculados ao programa, a emissão de notas e cupons fiscais com CPF. A cada R$ 100,00 em compras é gerado um bilhete para participar dos sorteios trimestrais. Mais informações podem ser obtidas pelo 0800.725.5533 ou no site www.sefa.pa.gov.br/nfc.

Texto:
Ana M. Pantoja


Pacto Pela Educação do Pará e Instituto Unibanco se reúnem para avaliar o Projeto Jovem de Futuro
O Comitê Gestor Estadual do Projeto Jovem de Futuro (PJF) do Programa Ensino Médio Inovador (Proemi) reuniu-se, nesta terça-feira, 18, no Centro Integrado de Governo (CIG), com líderes do Pacto Pela Educação do Pará, com o objetivo de avaliar o desempenho do programa no estado e definir novas metas para o ano de 2014.
O PJF foi lançado em 2012, por meio de uma parceria entre o Governo do Estado, Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Assuntos Estratégicos do Governo Federal e Instituto Unibanco, com o objetivo de reduzir a evasão escolar e a defasagem idade-série, assim como reforçar o currículo escolar nas disciplinas de português e matemática e na formação de professores, levando em consideração o aumento no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).
“Essa reunião é muito importante, pois o PJF é o carro chefe do Ensino Médio no estado, pois foca no desempenho das escolas e hoje estão sendo discutidas novas estratégias para melhorar o desenvolvimento do programa nas escolas”, disse a coordenadora estadual do PJF, Keline Araújo.
Já para Ricardo Henriques, superintendente do Instituo Unibanco, esse encontro é essencial para a formulação de novas metas para o programa no estado. “O Comitê Estadual do PJF atua no monitoramento do programa, assim, juntamente com representantes da Seduc, conseguiremos fazer uma avaliação qualitativa dos projetos que estão sendo desenvolvidos e quais as principais dificuldades”, reiterou ele.
Dentre as principais pautas discutidas estavam: Sistema PDDE interativo, construção de estratégias para tornar o Sistema de Gestão de Projeto (SGP) rotina no acompanhamento da execução do Projeto de Reestruturação Curricular (PRC), definição de utilização de metodologias fora da execução do Proemi/PJF, entrega de metodologias apenas para escolas do ciclo, definição da aplicação da metodologia entre Jovens em todas as escolas de Ensino Médio, monitoramento Físico Financeiro, posicionamento do Proemi dentro do contexto do Pacto, entre outras.
“Esses encontros acontecem com muita frequência e têm como foco expor os trabalhos de ambas as partes que atuam no desenvolvimento do PJF, assim alinhando posicionamentos e ações pontuais para um melhor desenvolvimento do programa dentro do estado”, enfatizou Licurgo Brito, secretário adjunto de ensino da Seduc.

Texto:
Eliane Cardoso


Governo começa a definir critérios para a Lista de Desmatamento Ilegal
O Programa Municípios Verdes (PMV), juntamente com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), iniciou as discussões para a criação da Lista do Desmatamento Ilegal (LDI) do Pará, prevista no Decreto 838/2013, publicado em setembro de 2013, que estabelece limitação administrativa sobre as áreas ilegalmente desmatadas no Estado.
A LDI tem como objetivo frear o processo de desmatamento especulativo, identificado recentemente na região sudoeste do Estado, tornando essas áreas bloqueadas. O secretário estadual Justiniano Netto, coordenador do PMV, explica que para as áreas consideradas bloqueadas os órgãos públicos estaduais não mais poderão conceder quaisquer tipos de licenças ou serviços. "O Iterpa não concederá mais títulos de terra, a Sefa não mais emitirá nota fiscal avulsa, a Adepará não mais expedirá a Guia de Transporte Animal (GTA), o Banpará não poderá realizar financiamentos, a administração pública não fará qualquer tipo de contrato e nem concederá qualquer incentivo fiscal”, comentou.
A lista, já em elaboração, usará alguns critérios, dentre eles o tamanho da área desmatada, o período ou ano da ocorrência do desmatamento, a categoria da área protegida e as regiões ou municípios críticos para o combate ao desmatamento; e levará em conta as autuações estaduais e municipais, por meio dos relatórios de verificação em campo do desmatamento; as autuações federais, através das ações do Ibama; e também as imagens de satélite dos polígonos desmatados processadas por três órgãos: Sema, Ibama e Prodes, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).
A partir dessas informações, será construído um sistema digital, pelo qual os órgãos públicos estaduais poderão emitir o Certificado de Conformidade Ambiental (CCA) de uma determinada área antes de conceder a ela qualquer licença ou benefício. “Esse instrumento consultivo deverá ser utilizado pelos órgãos do Estado antes que sejam emitidas licenças, autorizações, serviços ou outros tipos de benfeitorias que possibilitem o funcionamento de atividades causadoras do desmatamento”, afirmou Hildemberg Cruz, secretário adjunto da Sema.
Os critérios da LDI começaram a ser definidos durante encontro que contou com a participação do secretário adjunto da Sema e o secretário Justiniano Netto, na última semana, durante a primeira reunião do Comitê Técnico da Lista do Desmatamento Ilegal e que contou, ainda, com a participação de representantes do Ministério Público Federal e Estadual, Ibama, Inpe, Imazon e Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup).
Dinâmica
O Estado do Pará está atuando para impedir o aumento do desmatamento, sobretudo na região sudoeste, que acontece, em sua maioria, sobre terras públicas devolutas, que são áreas ainda não destinadas pelo poder público, seja estadual ou federal. Trata-se de um desmatamento especulativo fundiário, onde o infrator avança sobre a floresta pública, desmata e nela implanta alguma atividade produtiva, geralmente a pecuária, para tentar justificar a ocupação da área.
A operação ocorre no período chuvoso para escapar à fiscalização, devido à incidência de nuvens que dificultam a detecção do desmatamento por satélite. Quando o alerta de desmatamento ocorre, normalmente no período de seca, o dano já foi causado e a fiscalização dificilmente encontra o responsável no local. Passado algum tempo, o real interessado e mandante do desmatamento tenta dar ares de legalidade à sua atividade e legitimar a ocupação.
Para isso, ele abre um cadastro sanitário na Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) e passa a ter acesso à Guia de Transporte Animal (GTA); busca a inscrição junto à Secretaria de Fazenda para a emissão de Notas Fiscais que acobertem sua produção; faz a declaração de Imposto Territorial Rural e começa a recolher impostos; e, por fim e principalmente, ingressa com o pedido de regularização no órgão fundiário competente (Terra Legal ou Iterpa).
O objetivo, ao final, é estabelecer o domínio sobre a área e obter a titulação do imóvel rural. Ou seja, transformar o apossamento criminoso da área pública em uma propriedade privada. Para combater este tipo de prática é que o estado fará o uso da limitação administrativa, por meio da criação da Lista do Desmatamento Especulativo (LDI). “Queremos mandar uma mensagem muito clara para esse agente criminoso, que insiste neste tipo de desmatamento: o Estado do Pará não mais legitimará ou autorizará qualquer atividade em áreas identificadas como desmatadas. E qualquer licença ou titulação que tenha sido expedida poderá ser revogada”, finaliza Netto.

Texto:
Raphael Pacheco


PM cria estação de coleta seletiva
Desde a sexta-feira, 14, a Polícia Militar do Pará iniciou a coleta seletiva de lixo orgânico, por meio de uma estação instalada nas dependências do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), em Belém. A iniciativa, que é fruto da parceria da PM com a ONG “No olhar” e conta ainda com o apoio do Juizado Especial Criminal de Meio Ambiente, tem como objetivo conscientizar e orientar o grande público que participa das trilhas e caminhadas no Parque Estadual do Utinga, para a educação ambiental e o cuidado com o meio ambiente.
A estação, que foi produzida a partir de placas de material reciclado utilizado em caixinhas de leite, tem caráter motivacional para o compromisso com a natureza e sua preservação. Diferenciar o que é reciclável do que não é, bem como saber acondicionar os materiais de maneira correta é resultado de uma orientação bem conduzida e de conduta responsável de todos, afirma o comandante do BPA, tenente coronel Mauro Pinheiro, que destaca ainda vários elementos desta ação pedagógica, como o folder com orientações sobre coleta seletiva. “Para entregar os resíduos sólidos recicláveis, o que é bem fácil e prático, basta dirigir-se ao Batalhão de Polícia Ambiental e depositar no posto de Coleta Seletiva que fica na unidade e assim contribuir para um mundo melhor”, completa o comandante da unidade.

Texto:
Leno Carmo


Lançamento do residencial Quinta dos Paricás é adiado
Em virtude da visita oficial da presidente Dilma Rousseff ao Pará, foi transferido o lançamento do empreendimento habitacional "Quinta dos Paricás", que estava programado para esta quarta-feira, 19, no Hangar. A Companhia de Habitação (Cohab) irá informar a nova data da cerimônia posteriormente. A presidente Dilma Rousseff cumprirá agenda em Belém, de anúncio de investimentos do PAC2 Mobilidade Urbana e lançamento de edital do derrocamento do Pedral do Lourenço e entrega de máquinas, no município de Marabá.
O empreendimento Quinta dos Paricás, localizado na Estrada do Maracacuera, onde funcionava a Eidai do Brasil, numa área de mais de um milhão de metros quadrados, às margens do igarapé Ananin, a poucos minutos da rodovia Augusto Montenegro e do centro de Icoaraci, será referencial para a área da habitação, com cerca de 7.000 unidades habitacionais.
À frente do empreendimento está a Cohab. Com quase 50 anos de atuação, a companhia já garantiu casa própria para mais de 80 mil famílias, cerca de 400 mil pessoas que realizaram o sonho de morar bem, com qualidade e dignidade.
Segundo o presidente da Cohab, João Barral, "o Quinta dos Paricás é um projeto inovador, referência para o desenvolvimento urbano sustentável da cidade, somente possível pela ação do Governo do Pará, que desapropriou a área e a repassou à Companhia de Habitação, justamente para garantir moradia digna e vida melhor para famílias paraenses", afirmou.
"Mais do que um conjunto, o Quinta dos Paricás é um empreendimento com infraestrutura completa e um novo conceito de morar bem. Além de saneamento, urbanização, segurança, esporte e lazer, conta com equipamentos públicos como creches, escolas, posto de saúde, centros comerciais e de serviços", informou ainda o titular da Cohab.

Texto:
Rosa Borges


Campanha de doação de sangue no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência
O Hemopa realiza, em parceria com o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, nesta quarta-feira (19) e quinta-feira (20), a 6ª campanha de doação de sangue e medula óssea do Hospital Metropolitano. A ação faz parte da comemoração do 8º aniversário do hospital e ocorrerá no estacionamento do Metropolitano.

Texto:
Vera R. Rojas


Defensoria vai fazer atendimento aos desabrigados em Marabá
A regional de Carajás da Defensoria Pública do Estado planeja para o próximo sábado, 21, uma força-tarefa em favor de 60 famílias desabrigadas pela cheia do rio Tocantins, em Marabá, no sudeste paraense. A força-tarefa foi decidida depois que o coordenador da Regional de Carajás, defensor público José Erickson Rodrigues, fez visita técnica, nesta terça-feira, 18, a um dos barracões na entrada da chamada Velha Marabá.
Este será um projeto piloto para atendimento das principais demandas por assistência jurídica entre os desabrigados. A ideia é estender e efetuar o mesmo atendimento para todos os cinco barracões e ginásio poliesportivo que atualmente servem como dormitórios para as mais de 1.300 pessoas que tiveram de sair de suas casas, em razão da enchente que alagou áreas inteiras do município.
Na tarde desta terça-feira, o coordenador da regional vai voltar ao barracão com a equipe técnica da Defensoria Pública para fazer uma triagem dos atendimentos do próximo sábado. Ele informou, no entanto, que há demandas que vão desde reconhecimento de paternidade, ação de alimentos, ação de execução de pensão alimentícia, entre outros. “Vamos levar os serviços da Defensoria Pública para esses cidadãos. Estamos planejando às pressas, mas vamos atender neste sábado e em outros finais de semana também”, salientou.
José Erickson identificou, também, conversando com os desabrigados, que as crianças do barracão precisam de atendimento médico. “Já informei à Secretária Municipal de Assistência Social de Marabá, Bia Cardoso, sobre esta demanda e ela ficou de providenciar pediatras junto à Secretaria Municipal de Saúde”, observou. De acordo com o defensor público, a maioria das famílias que está em abrigo da Prefeitura de Marabá também precisa de documentos e assistência para solicitação de benefícios concedidos pelo governo federal específicos para os atingidos por enchentes. A força-tarefa vai contar com a atuação de até três defensores públicos.

Texto:
Micheline Ferreira


Seduc prorroga prazo para professor se inscrever no Projeto Pará
A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) prorrogará até o dia 21 de março, as inscrições para o Processo Seletivo Interno Simplificado para professores efetivos, que tem como objetivo a seleção de 212 professores mediadores do Ensino Fundamental e 336 professores do Ensino Médio para atuar no Projeto Pará: Programa de defasagem idade-ano, em parceria com a Fundação Roberto Marinho. As inscrições são gratuitas, no site da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) www.seduc.pa.gov.br.
O processo prevê a seleção de professores licenciados, que estejam ou não em regência de classe, habilitados nas áreas de Educação (Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias; Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias e Ensino Religioso) para trabalhar como mediadores do conhecimento e em regime de unidocência, com carga horária de 200 horas mensais dedicadas, exclusivamente, ao Projeto Pará, no Ensino Fundamental ou no Ensino Médio, sendo 50% da carga horária destinada ao planejamento e registro do projeto.
Esse professor será mediador, entre a tecnologia telessala e os alunos, em todas as disciplinas, no nível de escolaridade escolhido. O pré-requisito para participar da seleção é que seja professor do quadro efetivo da Seduc, ser habilitado em qualquer licenciatura com disponibilidade de carga horária (200h) para atuar como mediador nas áreas de Educação, entre outras habilidades previstas no edital.
A seleção será realizada por meio de currículum vitae, preenchido on line, no site da Seduc, levando em consideração os critérios de pontuação definidos no edital e também as informações apresentadas pelo candidato na ficha de inscrição. O resultado será divulgado no site da Seduc.

Texto:
Danielly Gomes


Enfermeiros do Ophir Loyola e Jean Bitar farão Curso de Atendimento na Parada Cardiorrespiratória
Profissionais de enfermagem do Hospital Ophir Loyola,Centro Hospitalar Jean Bitar e Núcleo de Acolhimento ao Enfermo Egresso do HOL passarão por Curso de Atendimento na Parada Cardiorrespiratória (PCR), nos dias 19 e 20 de março. A educação continuada visa a melhoria dos conhecimentos e habilidades para as medidas de ressuscitação logo após o diagnóstico do paciente, evitando sequelas irreversíveis ou o óbito.
A capacitação de recursos humanos é fundamental para a organização e sistematização da prática na instituição. Este treinamento teórico e prático capacita para a prestação de uma assistência precoce, não somente para salvar a vida, mas também para possibilitar a sobrevivência com qualidade após a PCR, sem agravos à saúde. Desenvolve ainda a destreza manual, técnica e científica específica no atendimento de PCR nas Unidades de Urgência e Emergência em Saúde.

Texto:
Leila Cruz


Defensoria de Icoaraci realiza mutirão de atendimento nos dias 18 e 21
A Defensoria Pública de Icoaraci está realizando, nesta terça-feira, 18, mutirão para agilizar o atendimento das demandas de ações cíveis, principalmente das pessoas que desejam solicitar pensão alimentícia. Para a próxima sexta-feira, 21, mais um mutirão está programado para desafogar a grande demanda.
A coordenadora da unidade, defensora pública Franciara Lemos, está à frente da ação e explica que o objetivo é diminuir o tempo de espera da fila virtual, gerada pelos agendamentos realizados na Central de Agendamentos, o Disque Defensoria - 129. “Esses mutirões são realizados normalmente às sextas, porém quando verificamos que a demanda está muito grande, como agora, nós realizamos esse serviço”, informou.
Segundo ela, cerca de 70% das pessoas que procuram a Defensoria Pública de Icoaraci solicitam pensão alimentícia. Já os 30% restantes, atendimentos e ações diversas. A média diária de pessoas que buscam pelo serviço é de 35. Quando há mutirão, o número de assistidos dobra. Inclusive, quem chega sem agendamento prévio, também é atendido nesse tipo de ação.
O trabalho em Icoaraci está sendo feito pela equipe formada pelo defensor público João Paulo Neto, estagiários e a coordenadora, Franciara Lemos. Para Franciara, “ao mesmo tempo em que é cansativo, é recompensador, pois vemos que nosso objetivo está sendo alcançado, que é o de proporcionar o melhor atendimento à população, além de deixar espaço para mais pessoas que precisam do serviço fazer uso dele”. O horário de atendimento ocorre das 8h às 14 horas. A Defensoria de Icoaraci fica na rua Manoel Barata, 1279, bairro Ponta Grossa.

Texto:
Micheline Ferreira


Interdição da Perimetral é feita sem incidentes
A parceria entre a Secretaria de Estado de Integração Regional, Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Seidurb) e a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) foi decisiva para a tranquilidade verificada nesta terça-feira (18), primeiro dia da interdição da avenida Perimetral.
Pela manhã, não houve grandes dificuldades no escoamento do tráfego de veículos pelo corredor alternativo indicado pela Semob. Como já sabiam da interdição e dos detalhes da obra, graças a uma intensa divulgação, muitos motoristas evitaram passar por aquele trecho. Os carros que necessariamente tinham de transitar por ali também estavam orientados pela sinalização e pelos agentes da Semob. Nenhum incidente foi verificado.
Os veículos que trafegam pela Perimetral em direção à UFPA dobram na Tv. Mauriti até chegar na Av. João Paulo II no sentido São Brás. Ao chegar próximo à Tv. Antônio Baena, o motorista usa o retorno e, no outro lado da via, acessa a Tv. Francisco Monteiro, de onde segue até a Av. Cipriano Santos para retomar a Perimetral após o trecho em obras. Já para os carros que vão da UFPA para a João Paulo II o desvio é feito pela Cipriano Santos ou Celso Malcher até a Francisco Monteiro, seguindo para a João Paulo II, tanto no sentido São Brás como no sentido da Dr. Freitas, e dali ao destino.
Com o fechamento da Perimetral, esse trecho de 600 metros que vai da Celso Malcher até a Mauriti terá suas obras intensificadas, inclusive com a contratação de mais operários e a extensão da jornada de trabalho. Em 60 dias, será entregue completamente pronto: será feita a implantação da rede-tronco de drenagem, a substituição do solo, a terraplenagem e a duplicação.
“A interdição foi solicitada porque esse trecho tem um solo muito frágil e era iminente o risco de acidentes. A pista já estava começando a fissurar”, explica o engenheiro de campo Arimateia Teixeira. As fissuras no asfalto, na borda do duto de três metros de profundidade aberto para assentamento dos tubos da rede-tronco de drenagem, são provocadas pela dinâmica do deslocamento de carga ocorrido durante a passagem de carros pesados.
O deslocamento transversal, num ângulo de 45 graus, causa um impacto suficiente para ruir as laterais do túnel escavado, já que o solo é muito frágil. “Um acidente desses poderia comprometer a obra e até provocar vítimas fatais”, adverte Arimateia. Outro risco é o fato de o perímetro em obras estar localizado entre duas adutoras da Cosanpa que vêm direto do Bolonha. A tubulação da margem esquerda da pista tem 60 cm de diâmetro. A do lado direito tem 70 cm. "Imagine a vazão de água por essa rede. A quantidade e a velocidade da água são consideráveis. O rompimento de uma dessas tubulações geraria um vazamento com até 20 metros de altura. Para contê-lo, meia Belém teria de ficar sem água. Daí a obra de duplicação da Perimetral ser tão cercada de cuidados", complementou.
Novo subsolo
Um serviço de extrema importância é a substituição do solo subjacente à pista. Segundo Rui Sales, engenheiro da Seidurb responsável pela fiscalização da obra, somente no perímetro da Lomas Valentinas até a João Paulo II isso não será necessário. Mas em todo o trecho da Celso Malcher até a Lomas será retirado 1,5m de profundidade do solo original.
Entre 1m e 1,20m, esse vão será preenchido por um “colchão” de areia e seixo, que se aproveita das chuvas do período para uma compactação por adensamento. Abaixo, de 30cm a 50cm, serão usados materiais modernos e técnicas de engenharia apropriadas para criar uma camada adstringente, que ajude a compactar ainda mais o solo e torne-o resistente à tração e refratário a infiltrações.
Após a duplicação, a Perimetral vai ficar com 21 m de largura, 7 metros para cada pista de rolamento, mais ciclovias, canteiro central e calçadas. Todo o trabalho de urbanização será feito de acordo com um projeto de paisagismo já definido.
A duplicação da Perimetral é uma das obras estruturantes do Sistema Integrado de Transporte da Região Metropolitana de Belém, previsto no Projeto Ação Metrópole, executado pelo Governo do Estado, uma das mais importantes intervenções urbanas já realizadas nesta capital. Depois da obra, a Perimetral estará pronta para receber o tráfego de veículos pesados e servir de conexão entre as avenidas de acesso a Belém (Almirante Barroso e João Paulo II) e a via periférica de ligação com o Centro, a Bernardo Sayão.
Além de desafogar o trânsito na Almirante Barroso e criar um corredor apropriado ao tráfego de caminhões, a duplicação da Perimetral também promoverá uma mudança radical na paisagem dos três bairros que têm a avenida como referência - Guamá, Marco e Terra Firme -, beneficiando 300 mil pessoas.

Texto:
Paulo Silber


Roteiro Integrado
O setor de Turismo da Embaixada do Brasil em Buenos Aires solicitou da Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e da Paratur informações sobre possibilidades de viagens rodoviárias e fluviais entre Belém e o Amapá (AP), principalmente em ferry boat, passando pelo Oiapoque até a Guiana Francesa e Suriname. As informações atendem demanda de grupo de turistas que quer fazer esse caminho, que faz parte do Roteiro Integrado da Amazônia, desde meados de 2005, pela equipe da Paratur. O grupo argentino pretende, dessa forma, visitar diversos estados do Brasil.


Texto:
Benigna Soares


Hospital Metropolitano completa oito anos de serviços prestados à população
O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, gerenciado pela Pró-Saúde - Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, completou oito anos de serviços prestados à população do Pará. A data foi comemorada nesta segunda-feira, 17. Referência em trauma e queimados de média e alta complexidade, o Metropolitano foi inaugurado no dia 17 de março de 2006. O hospital atende pacientes das regiões Metropolitana de Belém, Marajó, Tocantins e do nordeste do Estado. “O Metropolitano é um hospital que requer alto custo. É também o principal hospital da Amazônia que trata trauma. Não temos demandas oriundas das regiões sul e sudeste por conta dos hospitais regionais situados em cidades estratégicas, também de boa resolutividade”, completou Helio Franco.
Durante a cerimônia, o secretário informou que neste mês será inaugurado o Hospital Público Estadual Galileu, localizado na rodovia Mário Covas, também no município de Ananindeua, que servirá de retaguarda para o Metropolitano, para o tratamento de pacientes que passaram por cirurgia ortopédica de longa permanência.
Com a ampliação do número de instituições que participarão do Processo Seletivo Unificado para os Programas de Residência Médica do Estado, da Universidade do Estado do Pará (Uepa), neste ano, o Metropolitano ofertou vagas nas áreas específicas de cirurgia geral, cirurgia do trauma, ortopedia e medicina de urgência. O hospital também já oferece a residência multiprofissional desde 2012, nas áreas de fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, enfermagem e psicologia. Vale lembrar que, em 2012, o Metropolitano foi contemplado com o S.O.S Emergências, uma ação estratégica do Governo Federal para a qualificação da gestão e do atendimento em grandes hospitais que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
Em 2013, o hospital registrou 9.923 altas hospitalares, fez 16.751 consultas ambulatoriais, atendeu 29.596 urgências e realizou 11.239 cirurgias. A maior demanda do hospital ainda são os acidentes envolvendo motocicletas, que representam 70% dos casos atendidos. O diretor geral do hospital, Rogério Kuntz, disse que ao longo destes oito anos o hospital tem se destacado pelos serviços prestados à população.
Ele disse que o grau de satisfação dos usuários em relação ao atendimento feito pela instituição de saúde foi de 95%. “Esse é um grau de satisfação considerado excelente. Priorizamos um trabalho diferenciado, prezando sempre a qualidade. Nossa missão é aprimorar os serviços e estimular nosso quadro de funcionários para que se sintam motivados para o bom desempenho de suas funções, dentro das conformidades”, afirmou o diretor.
O hospital dispõe de 198 leitos, sendo 171 de internação e 27 de UTI, e cinco salas cirúrgicas. É um hospital de alta e média complexidade com assistência  em ortopedia/traumatologia, neurologia, unidades de tratamento em queimados e intensivo adulto e pediátrico. Entre as especialidades atendidas estão, nefrologia, oftalmologia e otorrino.
O evento de comemoração pelos oito anos do Metropolitano contou, também, com a presença da secretária adjunta de Saúde, Heloísa Guimarães; além da cogestora da secretaria, Eunice Begot e da diretora de Desenvolvimento de Redes Assistenciais em Saúde da Sespa, Rita Facundo.

Texto:
Edna Sidou


Resultados da BTL 2014
Entre os resultados imediatos da participação do Pará na BTL (Bolsa Internacional de Turismo de Lisboa, de 12 a 16 deste mês, está a confirmação de um fam tur com 12 agentes de viagens associados à operadora de turismo da Europa Sol Trópico. O roteiro, de 8 dias e 7 noites, que vai incluir Belém e o Marajó, começa no próximo dia 28 e tem suporte aéreo da companhia TAP.

Texto:
Benigna Soares


Elenco faz ensaio geral da ópera La Traviata no Theatro da Paz
O elenco da ópera "La Traviata", que será encenada esta semana em Belém, em duas apresentações, fará ensaio geral nesta terça-feira, 18, às 20h, no Theatro da Paz, com figurino e cenário. O espetáculo é uma promoção do Governo do Estado, por meio da Fundação Carlos Gomes (FCG), e poderá ser visto nos dias 19 e 20 de março, às 20h.
A montagem de "La Traviata", do compositor italiano Giuseppe Verdi, tem elenco totalmente paraense e figurino, cenário e direção musical, artística e cênica assinada por profissionais do Estado. Idealizado pela cantora lírica paraense Jena Vieira, que assina a direção cênica, o espetáculo mistura a linguagem da ópera com o cinema mudo. Os três atos da ópera de Giuseppi Verdi, uma das mais populares do mundo, são encenados intercalados com cenas do filme mudo "Camille" (1921). Tanto a ópera quanto o filme foram baseados no romance "A Dama das Camélias", do escritor francês Alexandre Dumas Filho.
O pianista Paulo José Campos de Melo fará a execução da partitura original da ópera, além de improvisações durante a exibição do filme mudo. A soprano Dione Colares interpreta Violeta, uma cortesã que vive um relacionamento amoroso com Alfredo, personagem interpretado pelo tenor Antonio Wilson. O pai de Alfredo, vivido pelo barítono Idaias Souto, não aceita o romance entre o filho e uma cortesã e convence Violeta a abandonar Alfredo para preservar a reputação da família.
Sugestão de Entrevistados:
Jena Vieira (8873-6539)
Ronaldo Sarmanho (diretor musical)
Dione Colares (8826 -7129 / 8252 -1642)

Texto:
Rosa Cardoso


Sepaq orienta pescadores sobre transporte do caranguejo
Pescadores artesanais de caranguejo de nove reservas extrativistas marinhas do Pará participam de um curso sobre o transporte do caranguejo, que está sendo ofertado pela Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura (Sepaq) em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.
A primeira turma está recebendo as aulas esta semana no município de Viseu, nordeste do Estado. Os cinquenta pescadores fazem parte das comunidades de Fernando Belo, Limondeua e Centro Alegre. Eles estão aprendendo na prática como acomodar os crustáceos de forma sustentável, conforme prevê a Instrução Normativa Nº 9 do Ministério da Pesca, que estabeleceu uma nova modalidade para o transporte terrestre e aquaviário do caranguejo-uçá nos estados do Pará, Maranhão, Piauí e Ceará. Ela foi publicada no final do ano passado.
Entre as novidades está o uso de basquetas, caixas de plástico vazadas nas laterais e nos fundos. Elas possuem ainda cinco lâminas de espuma de acolchoamento para acomodação dos caranguejos. Em cada basqueta cabem de 80 a 100 animais, divididos em quatro camadas. Esse novo método evita em quase 95% a morte dos animais durante o transporte feito do local da captura até os centros de venda, como feiras livres e mercados. O uso das basquetas será obrigatório a partir de 2015.
Ao longo deste ano, a Sepaq espera capacitar 450 pescadores artesanais. “Os cursos que serão realizados nas áreas de manguezais pretendem conscientizá-los sobre a importância de colocar em prática o novo método de transporte, que vai proporcionar menos desperdício e mais economia”, explica o Secretário Estadual de Pesca e Aquicultura, André Pontes.

Texto:
Christian Emanoel


Marabá recebe orientações preventivas sobre tráfico de pessoas e exploração sexual
A Coordenação de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Exploração Sexual – atrelada à Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) -  inicia nesta terça-feira (18), um ciclo de palestras preventivas no município de Marabá. A ação de conscientização é realizada em parceria com o projeto "Escola da Vida", programa social administrado pelo Comando Geral do Corpo de Bombeiros do Pará. O término do ciclo de palestras será dia 21.
O projeto “Escola da Vida” trabalha há mais de 20 anos atendendo jovens e adolescentes que estão em nível de vulnerabilidade e está instalado em 14 municípios paraenses. Essa parceria é considera viável para propagar e enfrentar a exploração sexual e o tráfico de pessoas, deixando um alerta para os moradores de Marabá sobre a gravidade deste crime. As oficinas preventivas têm como público alvo os adolescentes da cidade, as famílias e os instrutores da projeto que, ao longo da semana,  irão participar de uma rodas de conversas, dinâmicas e trabalhos em grupo.

Texto:
Leba Peixoto


Técnicos do Hospital Regional do Marajó visitarão município de Bagre
A direção do Hospital Regional Público do Marajó (HRPM) dará continuidade à programação de visita técnica às localidades vinculadas ao 8° Centro Regional de Saúde (8° CRS), que é composto pelos municípios de Breves, Bagre, Curralinho, Anajás, Portel, Melgaço e Gurupá. A ação teve início em fevereiro, com visita ao município de Melgaço. Nesta quarta-feira, 19, será a vez de Bagre receber a comitiva, que também é composta por representantes do 8° CRS.
A programação tem o objetivo estreitar as relações entre o hospital e o sistema de saúde dos municípios pactuados, além de recolher informações sobre as peculiaridades e eventuais dificuldades dos municípios dessa área do Marajó.
Segundo a diretora técnica do HRPM, Ligia Martucci, a situação será oportuna para expor as metas e as probabilidades do hospital, destacando o apoio do Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), que administra a instituição em parceria com o Governo do Estado, para melhorar cada vez mais o atendimento à população usuária dos serviços.
A visita, que contará com parceria da Polícia Militar, que cederá o transporte fluvial para a equipe técnica, sairá de Breves às 8h. A ação terá início com visita à Secretaria Municipal de Saúde, seguindo para a Unidade Básica de Saúde (UBS) e o Hospital Municipal. Logo após, os técnicos participarão de reunião na Câmara Municipal com médicos da localidade, para encerrar as atividades do dia.
De acordo com Ligia Martucci, os assuntos abordados na visita serão similares aos que foram tratados em Melgaço: divulgar os serviços prestados pelo HRPM, repassar orientação quanto ao uso de TFD (Transferência Fora do Domicílio), definir os perfis e a forma de transferência dos usuários até o HRPM.
O HRPM oferece atendimento nas mais diversas especialidades, com disposição de 50 leitos, unidades de urgência e emergência, além de sete leitos de UTI para adulto, cinco leitos de UTI Pediátrica e outros cinco leitos na UTI Neonatal. O hospital ainda oferece clínicas integradas com as especialidades de obstetrícia, cirurgia, ortopedia, oftalmologia, cardiologia, clínica médica, além de exames laboratoriais por imagem e métodos gráficos.
O hospital oferece também centro cirúrgico e obstétrico com três salas cirúrgicas, uma para reanimação, um ambiente de pós-operatório e uma sala pré-operatório. O usuário ainda dispõe de uma unidade de ambulatório com cinco consultórios, o que agiliza o atendimento.
Serviço
O Hospital Regional do Marajó dispõe de atendimento ambulatorial de segunda à sexta-feira, de 7h às 18h. O hospital está localizado na avenida Rio Branco, 1.266, Centro. Mais informações: (91) 3783-2140/ 3783-2127.

Texto:
Vera Rojas


PM ofertará 850 vagas para cursos de cabos e sargentos
O comandante Geral da Polícia Militar do Pará, coronel Daniel Borges Mendes, torna público a aprovação do Governo do Pará para a realização do concurso interno para os Cursos de Formação de Cabos e de Formação de Sargentos de 2014. Ao todo, serão ofertadas 850 vagas, somando ambos os cursos, as quais serão preenchidas após aprovação no certame, a ser efetivado de acordo com as condições definidas em edital que será disponibilizado até o final deste mês de março. Os requisitos e condições para o processo serão publicados nos veículos de imprensa oficial e reproduzidos no portal da Polícia Militar.

Texto:
Leno Carmo


Emater orienta controle biológico no combate a cigarrinha-das-pastagens em Anapu
Pecuaristas de Anapu, na Transamazônica, estão recebendo orientação do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) para combater sem pesticidas industriais a incidência de cigarrinha nas pastagens, uma praga que atinge cerca de 20% das propriedades do município e que suga os nutrientes do capim.  A recomendação é aplicar, como controle biológico, um fungo específico, metarhizium anisopliae, cuja presença elimina em definitivo a existência e a proliferação de insetos, preservando a saúde do solo e do gado, que se alimenta da vegetação.
A prática também é considerada financeiramente acessível: meio quilo de um preparado laboratorial do fungo, que tem que ser importado de Marabá e custa R$ 15,  é eficaz para o tratamento definitivo de até cinco hectares. Uma demonstração técnica, inclusive para fins de observação, aconteceu no último 27 de fevereiro, para seis produtores, em um hectare de variedade “brisanta”, da Fazenda Mata Verde, localizada no km 138 da rodovia. O fungo é borrifado com uma bomba comum.
“Dividimos o hectare em três parcelas: uma sem aplicação, uma com 60 gramas de fungo e uma com 90 gramas. Queremos mostrar para os agricultores a vantagem da aplicação e testar a quantidade ideal para a realidade do solo de Anapu. Até esta sexta-feira [21] já indicaremos os resultados”, explica o engenheiro agrônomo Carlos  Eduardo Souza.
Cada produtor presente na primeira demonstração já recebeu substância suficiente para o uso nos próprios lotes. Uma outra demonstração deve acontecer até o fim desta semana, agora em um assentamento federal, Surubim. A proposta da Emater é gradativamente facilitar o entendimento das vantagens do processo por parte dos  produtores e a negociação entre esses e os laboratórios fabricantes.

Texto:
Aline Miranda


Mutirão da UIPP no Distrito Industrial registra mais de 600 atendimentos
A emissão de 130 carteiras de trabalho, 227 carteiras de identidade, 93 CPFs, 75 encaminhamentos para certidões de nascimento, fotografias para documentos de 105 pessoas e mais 57 atendimentos jurídicos foram oferecidos à população do bairro Distrito Industrial, no município de Ananindeua (Região Metropolitana de Belém), no último sábado (15), pela Unidade Integrada Pro Paz (UIPP).
O mutirão também ajudou pessoas sem disponibilidade de horário para tirar documentos básicos nos dias de semana, como o morador do Distrito Industrial, Moisés Israel, 37 anos, que aproveitou o final de semana para tirar a 3ª via da carteira de identidade. Como mora perto da UIPP, Moisés foi rapidamente retirar seu novo documento.
“A minha carteira de identidade estava muito velha. Meu cunhado avisou hoje sobre esse atendimento e aproveitei para tirar meu documento. Como trabalho o dia todo, fica difícil tirar um dia para buscar a documentação. Já que eu moro no Distrito Industrial, foi rápido que cheguei aqui e rápido também para pegar meu novo documento”, declarou.
O autônomo Robson dos Santos estava há cinco anos sem a certidão de nascimento, que foi perdida durante uma viagem para o interior do Estado. Robson chegou cedo ao local e tirou o encaminhamento para a segunda via do documento. “Confesso que não me preocupava tanto em tirar uma nova certidão de nascimento, mas isso sempre me incomodava, porque não sabia quando podia precisar. Soube ontem desse atendimento aqui no bairro e, como era final de semana, acordei mais cedo para ser atendido”, disse.
Segundo o coordenador do mutirão, Vagno Silva, o objetivo da UIPP foi atendido, pois todos os atendimentos tiveram suas metas ultrapassadas. “Sem dúvida, as nossas expectativas foram superadas. A população respondeu ao chamado e compareceu em bom número, pois superamos os atendimentos que estavam planejados. Toda a programação seguiu tranquilamente e sem problemas. Todos que passaram por aqui foram atendidos”, afirmou.
No próximo dia 22 é a vez da população do bairro da Terra Firme receber o mutirão de emissão de documentos. Todos os serviços ofertados no Distrito Industrial serão disponibilizados na UIPP da Terra Firme, que fica na Avenida Celso Malcher, esquina com a passagem Ligação. O mutirão de cidadania é uma realização da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP), em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), Defensoria Pública do Estado e Polícia Civil.

Texto:
Tiago Furtado


Governo vai oferecer bolsas integrais para aulas de dança
A partir do próximo dia 24 (segunda-feira), 200 crianças e adolescentes de baixa renda serão beneficiados pelas ações do convênio celebrado entre o Instituto de Artes do Pará (IAP) e o Centro de Dança Ana Unger, para viabilizar o Projeto “Criança que Dança é Mais Feliz”. O projeto oferece bolsas integrais para aulas de dança clássica, jazz, teatro, circo, hip hop e dança para portadores de deficiências.
Durante uma semana, professores do Centro de Dança Ana Unger selecionarão os candidatos, das 15 às 18 h, no Ginásio de Esportes de Ananindeua, conhecido como “Abacatão”. As aulas iniciarão em abril, e a bolsa vai vigorar durante todo o ano de 2014. “Vamos iniciar as audições no próximo dia 24, e, assim que concluirmos, as aulas começarão”, garantiu Ana Unger.
De acordo com o presidente do Instituto de Artes do Pará, Fábio Souza, a intenção em patrocinar o projeto surgiu com a descoberta de meninos e meninas com desenvoltura para a dança, nas ações realizadas nos polos do Programa Pro Paz nos Bairros, gerenciados pelo IAP. “Nós entendemos que esses talentos precisam ser desenvolvidos, por isso a decisão em patrocinar”, ressaltou Fábio Souza.
Projeto – No final de 2013, a menina Maíra Eduarda Alcântara, então com 10 anos, subiu pela primeira vez ao palco do Theatro da Paz. Numa estreia dupla, como integrante de uma apresentação de dança e ainda como solista, a bailarina se apresentou no espetáculo de final de ano da Companhia de Dança Ana Unger. Maíra foi uma das crianças selecionadas entre os cinco polos do Pro Paz nos Bairros que, numa ação inédita, se apresentava dentro do corpo de dança da Companhia.
Durante dois meses, professores do Centro de Dança trabalharam com alunos dos polos do Pro Paz nos Bairros especialmente para a apresentação. Três anos antes, Ana Unger já havia selecionado uma primeira bailarina para ingressar na companhia: Vitória Silva, vinculada ao polo Pro Paz da UFPA, hoje com 11 anos. Ambas, Maíra e Vitória são bolsistas integrais da companhia, onde ficarão até concluir os estudos.
A experiência bem sucedida com os alunos do Pro Paz e os talentos descobertos em Maíra e Vitória impulsionaram o novo projeto. Assim foi elaborado o projeto “Criança que Dança é Mais Feliz”, para beneficiar 200 crianças e adolescentes, de 06 a 18 anos, que receberão bolsas integrais fornecidas pelo governo do Estado, via Secretaria Especial de Promoção Social e IAP. Entre as modalidades de dança oferecidas estão a clássica, dança de salão, hip hop e até teatro e circo.
Para participar, a criança ou adolescente precisa estar regularmente matriculado em uma escola da rede municipal ou estadual e comprovar a renda familiar de até 2 salários mínimos.
Serviço: Projeto “Criança que Dança é Mais Feliz”. Audições de 24 a 28 de março de 2013, no Ginásio de Esportes João Paulo II (Abacatão), das 15 às 18 h. Mais informações sobre as inscrições pelo fone (91) 3275 8233. Realização: Governo do Pará, por meio da Secretaria de Especial de Estado de Promoção Social, do Instituto de Artes do Pará e Programa Pro Paz. Apoio: Prefeitura de Ananindeua/Secretaria de Cultura, Esporte, Lazer e Juventude. Parceria: Centro de Dança Ana Unger.

Texto:
Dani Franco


Ceasa garante cumprimento de acordo firmado com servidores
A direção das Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa) garante que sempre se manteve aberta ao diálogo com os servidores e sua entidade representativa, o Sindicato dos Trabalhadores do Setor Público Agropecuário e Fundiário do Pará (Stafpa). No início de março, mesmo sem agenda prévia, houve uma reunião com o presidente da associação dos servidores, para informar sobre o cumprimento das cláusulas do acordo coletivo. Por isso, a direção não vê motivos para a paralisação de servidores, iniciada no último domingo (16).
Quanto às condições de trabalho na instituição, a direção informa que já está investindo em infraestrutura, ampliando o sistema de abastecimento de água, com a aquisição de uma nova bomba e a perfuração de poço artesiano, a fim de dobrar o fornecimento de água, de 400 mil para 800 mil litros por dia. Sobre a limpeza dos banheiros e do mercado, outra queixa dos servidores, a direção garante que é feita diariamente.
Das quatro cestas básicas concedidas no acordo coletivo firmado com os trabalhadores, a Ceasa já repassou duas aos servidores, além de parte do auxílio alimentação. Para concluir o repasse das últimas duas cestas e do auxílio alimentação restante, a Ceasa encaminhou ofício à Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof), solicitando ajuste no orçamento, para que possa cumprir todo o acordo. 

Texto:
Fabiana Otero


Prefeitura de Marabá vai garantir vagas de emprego para detentos
A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe) firmou nesta segunda-feira, 17, uma parceria que vai garantir emprego para 30 detentos nas secretarias municipais da Prefeitura de Marabá. A assinatura do convênio com a prefeitura da cidade aconteceu na Câmara Municipal e contou com a presença do prefeito João Salame, de vereadores, representantes do Tribunal de Justiça e Ministério Público do Estado, e internos que farão parte do projeto.
Denominado “Libertação: Liberdade, Trabalho e Ação”, o convênio vai beneficiar internos de regime semiaberto custodiados no Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (CRAMA). Os detentos realizarão atividades laborativas diversas, de acordo com o grau de instrução, profissionalização e disponibilidade de vagas ofertadas pela administração municipal.
Agnaldo Reis, de 36 anos, será um dos internos beneficiados pelo projeto. Cumprindo pela há três anos, ele disse estar feliz em poder trabalhar fora do presídio. “Faltam oito meses para eu ganhar minha liberdade e esse trabalho vai ajudar a mostrar que mudei de vida”, contou o detento que foi condenado por tráfico de drogas, mas antes de ser preso possuía um negócio próprio. “Quando sair quero remontar minha oficina de manutenção elétrica e cuidar da minha família, pois sei como é difícil conseguir uma oportunidade sendo um ex-presidiário”, afirma.
Os internos vão receber remuneração de ¾ do salário mínimo vigente, conforme o artigo 29, da Lei de Execução Penal (LEP) 7.210, além da remissão de um dia pena, a cada três dias de trabalho. Marabá é o terceiro município do Pará a absorver mão-de-obra carcerária, depois dos municípios de Santa Izabel e Belém. “Esse convênio é bom para os internos e bom para a cidade de Marabá. Esse projeto é uma excelente oportunidade para por em prática um trabalho social. Eu estou confiando que cada detento vai aproveitar e mostrar para toda a sociedade que mudaram e merecem novas oportunidades”, informou o prefeito João Salame.
Atualmente, a Susipe tem 19 convênios com empresas públicas e privadas ofertando emprego para 341 internos, que somados a outros tipos de contratos garantem trabalho para quase 1.800 detentos no Pará, um aumento de cerca de 90% somente nos últimos dois anos. “Não existe prisão pérpetua e pena de morte no Brasil. Temos que ter consciência que os presos um dia voltarão para a sociedade e por isso é preciso prepará-los para que voltem melhor à sociedade”, ressaltou disse o superintendente da Susipe, André Cunha.
Os internos começam a trabalhar já na semana que vem e a intenção é expandir projetos de reinserção social como esse para outros municípios do Estado. “Já há interesse de cidades como Abaetetuba, Paragominas e Tome-Açu em usar os detentos nos serviços municipais. Vamos entrar em contato para ajustar detalhes e expandir parcerias,” explicou a gerente da Divisão de Trabalho e Produção da Susipe, Izabel Pounçadilha.

Texto:
Timoteo Lopes


UIPP da Terra Firme oferece vacina contra HPV
Nesta terça-feira (18), a partir de 10 h, a Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) da Terra Firme oferece vacinação contra o HPV (papilomavírus humano), para meninas de 11 a 13 anos de idade, das comunidades próximas à unidade. A imunização protege contr o câncer de colo do útero, terceiro tipo de câncer mais frequente entre as mulheres. Serão disponibilizadas 100 doses da vacina, que combate quatro subtipos de vírus (6, 11, 16 e 18). Os subtipos 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo do útero no mundo. A programação na UIPP faz parte da campanha nacional, que começou no dia 10 de março, com a meta de imunizar 256,2 mil adolescentes no Pará em 2014.
De acordo com dados do Ministério da Saúde, até o último domingo (16), 15.692 meninas haviam sido vacinadas contra o HPV no Pará. O papilomavírus humano é transmitido pelo contato direto com a pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido de mãe para o bebê, na hora do parto.
A vacina contra HPV garante proteção de 98% contra o câncer de colo do útero, e tem sua segurança reforçada pelo Conselho Consultivo Global sobre Segurança de Vacinas, da Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo estimativa da OMS, 290 milhões de mulheres no mundo são portadoras da doença, sendo 32% infectadas pelos tipos 16 e 18.

Texto:
Tiago Furtado


Balcão de Direitos leva certidão de nascimento a cinco municípios
O Programa Balcão de Direitos, da Defensoria Pública do Pará, realiza até o próximo dia 31 uma grande ação para combater o sub-registro de nascimento no Pará. Nos próximos 14 dias, a expectativa é emitir pelo menos seis mil certidões de nascimento, em cinco municípios do Estado.
Breves, no Arquipélago do Marajó, é a primeira cidade a receber os técnicos do programa. No município, o Balcão de Direitos pretende emitir 3.500 certidões de nascimento, na faixa etária de zero a 11 anos de idade. A preocupação dos técnicos do Balcão é chegar às localidades mais distantes, por isso a ação se concentrará em 14 comunidades, entre ilhas, braços de rio e vilarejos.
O coordenador do programa, Jucemir Siqueira, informou ainda que outra equipe técnica já está no município de Itupiranga, no sudeste, para começar nesta terça-feira (18) nova ação de combate ao sub-registro de nascimento nos municípios de Itupiranga, Curionópolis, São Geraldo do Araguaia e Brejo Grande do Araguaia, até 31 de março. A meta nessas cidades é registrar mais 2.500 crianças e jovens.
O combate ao sub-registro de nascimento, realizado pela Defensoria Pública do Pará, é fruto de um convênio com a Secretaria Nacional de Direitos Humanos, vinculada ao Ministério da Justiça, que pretende erradicar o sub-registro de nascimento no Pará até março de 2015.

Texto:
Micheline Ferreira


Seduc e Simineral lançam concurso de redação sobre mineração sustentável
Estão abertas as inscrições para o concurso de redação promovido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e o Sindicato das Indústrias de Mineração do Estado do Pará (Simineral). Com o tema “Mineração Sustentável. Um legado para a nossa gente”, o certame é voltado a estudantes da rede pública de ensino. As inscrições podem ser feitas até o dia 18 de abril, no site da Secretaria de Educação (www.seduc.pa.gov.br).
A intenção da parceria entre a Seduc e o Simineral é estimular a produção textual de alunos da rede pública estadual de ensino, a fim de desenvolver o senso crítico em relação à área mineral, de grande importância no Pará.
Poderão participar estudantes matriculados regularmente nas escolas da rede pública estadual de ensino; que estejam cursando do 5º ao 8º ano do Ensino Fundamental Maior (regular, EJA e Profissionalizante), ou estar cursando o Ensino Médio (regular, EJA e Profissionalizante). Se for menor de idade, precisa da autorização dos pais ou responsáveis. Os professores também poderão participar como orientadores.
O gênero textual definido para o concurso de redação é o texto dissertativo argumentativo, com o mínimo de 20 e o máximo de 30 linhas, sobre a temática .“Mineração Sustentável. Um legado para a nossa gente”. Todas as informações sobre o certame estão disponíveis na minuta do Edital, bem como seus anexos, para consulta e impressão no site da Seduc.
Os vencedores receberão como prêmios tablet, netbook, celular smartphone e máquina fotográfica digital. Serão premiados também os professores orientadores, com um tablet, e as escolas com um Datashow. O resultado será divulgado no dia 13 de junho.

Texto:
Danielly Gomes


Quarto período de defeso do caranguejo-uçá vai até 22 de março
Começa nesta segunda-feira (17), e se estende até o próximo dia 22, o quarto período de defeso do caranguejo-uçá, para proteção do crustáceo contra a captura predatória, na época da reprodução. Já aconteceram outros três períodos, desde o início do ano. O próximo, e último de 2014, será entre os dias 31 de março e 5 de abril.
A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) amplia a fiscalização durante o defeso, quando fica proibido a captura, o transporte, o beneficiamento, a industrialização, o armazenamento e a comercialização do caranguejo, devido ao fenômeno conhecido como “andada” – quando machos e fêmeas saem das galerias e andam pelo manguezal para o acasalamento.
Quem infringir essa norma cometerá crime ambiental, podendo ser multado e ter o produto apreendido. Para vender o caranguejo nesse período, o comerciante deve ter uma declaração de estoque, emitida pelos institutos Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) ou Chico Mendes para a Biodiversidade (ICMbio).
As informações da declaração de estoque comprovam que o caranguejo foi capturado antes do período de reprodução. O vendedor que não portar essa declaração poderá ser levado à delegacia e responder a um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO). Quem não possuir o documento, para cada grupo de 100 caranguejos apreendidos, será cobrada uma multa de R$ 400,00, por desrespeito ao período de defeso.

Texto:
Káthia Oliveira


Programa Cheque Moradia abre inscrições para servidores da Seduc
Servidores efetivos (ativos ou inativos) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) que desejam construir ou reformar seu imóvel, com o auxílio do Cheque Moradia, poderão se inscrever no período de 17 março a 8 de maio, para as ações de 2014 do programa. Nesta primeira etapa, as inscrições atenderão servidores que residam na Região Metropolitana de Belém, e que estejam dentro dos critérios estabelecidos.
Para se inscrever, o servidor deverá ligar para um dos cinco polos disponibilizados pela Secretaria e marcar data e horário, no período de 10 de março a 06 de maio. Ao marcar a data, o servidor receberá orientações quanto à hora e o local de sua inscrição. Após esse procedimento, o servidor levará todos os documentos exigidos, em original e cópia, para efetivar a inscrição.
Entre os critérios estabelecidos estão: Não haver recebido o Cheque Moradia em anos anteriores (nesta ou em outra secretaria), ter renda bruta familiar de até três salários mínimos (somados com todos os que habitam a residência) e ter condições de custear a mão de obra.
Programa - O Cheque Moradia é um programa desenvolvido pelo governo do Estado, gerenciado pela Companhia de Habitação do Pará (Cohab), e realizado em parceria com as secretarias estaduais. Trata-se de um programa de transferência direta de renda, cujo objetivo é combater a pobreza e as desigualdades sociais, ao atender a parcela da sociedade que dificilmente teria acesso à moradia.
O programa contribuiu também para movimentar a economia do Estado, com o aumento das vendas de materiais de construção, e possibilitou ainda a criação de novos empregos e ocupações por meio da construção civil.
Desde 2003, quando foi criado, somente na Seduc o Cheque beneficiou mais de 7,5 mil servidores, em 48 municípios, totalizando um investimento de R$ 20 milhões. O valor para cada servidor é diferenciado e disponibilizado conforme a necessidade dos serviços. Segundo a coordenadora do Cheque Moradia na Seduc, Érika Monteiro, o programa visa, além de promover o acesso à moradia, “garantir melhorias na qualidade de vida, aumentando a autoestima do servidor”.
Locais de Inscrição:
Belém
Secretaria de Estado de Educação (Seduc)
Endereço: Rodovia Augusto Montenegro, KM-10
Setor: Cheque Moradia- Térreo
Telefones: (91)3201-5076/ 3201-5138
Ananindeua
USE 14: Escola Raymundo Vera Cruz
Endereço: Rodovia BR-316, KM-08- Centro
Telefone: (91)3255-1591/ 9626-4884/8171-8928
Use 15: Escola Luiz Nunes Direito
Endereço: Conjunto Cidade Nova IV, WE-36
Telefone: (91) 3263-8188
Mosqueiro/Santa Bárbara do Pará
USE 19: Escola Inglês de Souza
Endereço: Rua Tenente Coronel José do Ó, Vila
Telefone: (91) 3771-2878/8747-7536
Santa Izabel do Pará
URE 11: Escola Antônio Lemos
Endereço: Av. Antônio Lemos, 1652
Telefone: (91) 3744-1592/ 3744-1599/ 9164-3819/8816-7836

Texto:
Danielly Gomes


Empresários do interior do Estado conhecem o Tecnova Pará
Os municípios interessados em participar do Programa de Incentivo à Inovação em Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, o Tecnova, Pará têm até o dia 27 de março para participar do Edital 003/2014. De 10 a 13 deste mês, cinco deles, do interior paraense (Marabá, Santarém, Altamira, Tucuruí e Paragominas) receberam equipes da Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa) e da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), para a divulgação do programa. O próximo município a receber a reunião de apresentação do Tecnova Pará será Itaituba, nesta terça-feira, 18.
Em Marabá, no sudeste do Estado, aproximadamente 30 pessoas participaram e tiraram dúvidas acerca do programa. O evento ocorreu no auditório da sede do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com a presença de Márcia Macedo, da Secti, e Francisco Batista, da Fundação Amazônia Paraense.
Ainda na mesma região, em Tucuruí, estiveram presentes cerca de 20 microempresários na reunião. Inicialmente, eles ligaram a proposta do edital apenas como uma melhoria de serviços que poderiam ser agregados em seus produtos, mas ao final, já sensibilizados, conduziram outros donos de empresas com potenciais produtos inovadores, como foi o caso do mecânico e produtor rural Trajano. Ele criou uma máquina para colher açaí e outros frutos cuja frutificação se dá em grandes alturas. Como o produto já é uma inovação poderá participar da concorrência ao edital, para requerer melhorias, tornando-o viável para comercialização e para possibilitar exatamente o que o Tecnova Pará propõe, maior competitividade ao mercado e melhorias para a cadeia produtiva local.
O coordenador de inovação da Fapespa, Francisco Ramos, que esteve presente em reuniões de alguns municípios, disse que os empresários têm muito interesse em inovar, mas possuem certa dificuldade de identificar seus produtos ou serviços como inovação e, ainda, de colocá-los no formato de projeto para a concorrência do edital do Tecnova Pará. “Nós vimos orientando os empresários a buscarem apoio de parceiros nas universidades e instituições com expertise em projetos, para orientá-los com a apresentação das propostas. Não adianta somente ter a ideia, tem que saber apresentá-la para a concorrência”, recomendou Ramos.
Com o Tecnova, o governo visa promover o aumento das atividades de inovação e a competitividade das microempresas e da economia da região e do país, ao apoiar o desenvolvimento de produtos e processos inovadores, por meio da concessão de recursos econômicos às empresas.
Certame - Os proponentes, que desejarem submeter projetos ao Edital, deverão acessar a página do SigFapespa. A seleção das propostas será realizada a partir de análises e avaliações comparativas. O resultado preliminar da submissão das propostas está previsto para o dia 04 de abril. Já a divulgação do resultado final deverá ocorrer a partir de 17 de abril. As informações detalhadas do Tecnova Pará estão no http://www.sig.fapespa.pa.gov.br/index.php?id=3&acao=4&edital_id=402.



Texto:
Simone de Campos


Pai Legal nas Escolas começa atividades em 2014
O projeto Pai Legal nas Escolas chega, na próxima quinta-feira, 20 de março, à Escola Municipal de Ensino Fundamental Ernestina Rodrigues, no bairro de São Brás. Esta será a primeira ação do projeto em 2014, sob a coordenação do Núcleo Especializado de Atendimento à Família (Naefa), da Defensoria Pública do Estado.
Segundo a coordenadora do projeto, Rosilene Barros, o “Pai Legal nas Escolas” pretende atender famílias que buscam o reconhecimento de paternidade extrajudicial de crianças, sem que a demanda chegue à Justiça. A equipe técnica do projeto vai começar o atendimento a partir das 7h30. Serão feitas palestras nos dois turnos para esclarecer sobre a importância de garantir à criança o direito de ter o reconhecimento da paternidade e a inclusão do nome do pai na certidão e nascimento.
A partir das palestras e da identificação de pessoas que querem resolver a situação amigavelmente, as famílias serão encaminhadas ao edifício-sede da Defensoria Pública para a coleta de material ao exame ou, se for o caso, apenas proceder ao reconhecimento voluntário. Além de disponibilizar atendimento e informações no turno da manhã, o projeto também vai atender no final do turno da tarde, para que as mães que trabalham possam ter acesso aos esclarecimentos também no horário de saída dos estudantes. Segundo Rosilene, o objetivo é facilitar para as famílias.
A próxima escola que vai receber o projeto será o Preventório Santa Terezinha, localizado na avenida Almirante Barroso. “A nossa ida às escolas tem oportunizado um reconhecimento voluntário muito grande, sem o exame, o que nos leva a pensar que o que falta é informação e sensibilização. Por alguma mágoa, as mães não procuram os direitos de seus filhos e o reconhecimento voluntário é muito bom para a criança”, disse a coordenadora do Pai Legal.
O programa já está atuando em Santarém, com os cadastros de novas famílias. A unidade regional da Defensoria de Santarém atua no sentido de divulgar esse tipo de atendimento para as localidades vizinhas. 
Serviço:
Projeto Pai Legal nas Escolas – reconhecimento voluntário de paternidade ou com exame de DNA gratuito, na sede da Defensoria Pública em Belém
Dia: 20 de março
Horas: a partir de 7h30
Local: Passagem Alberto Engelhard, nº 286 (Vila Teta) - São Brás

Texto:
Micheline Ferreira


Idesp realiza seminário sobre economia gerada por produtos da floresta
A ausência de informações consistentes sobre os sistemas de extração e comercialização dos produtos florestais não madeireiros (PFNM) no Estado foi o que fez o Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) realizar uma pesquisa sobre o assunto em seis regiões de integração (RI): Baixo Amazonas, Guamá, Rio Caeté, Xingu, Marajó e Tocantins). O estudo foi publicado há dois anos e, na próxima quinta-feira, 20, às 9 horas, o Instituto aborda o assunto novamente na primeira edição deste ano da série de seminários “Diálogos sobre Desenvolvimento”.
O foco do debate serão as “Dinâmicas das cadeias de comercialização dos produtos florestais não madeireiros (PFNM) no Pará”. A pesquisa demonstrou que, no entorno da extração dos produtos da floresta, existe uma economia invisível, com grande movimentação de mão-de-obra e geração de renda, contribuindo sobremaneira para a valorização dos ativos florestais como alternativa sustentável ao desenvolvimento da região.
Agora o que se pretende com o seminário é rediscutir os resultados dos relatórios gerados com o trabalho, além de verificar sua aplicação pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (IDEFLOR), que foi parceiro do Idesp na realização da pesquisa em cinco das seis RIs citadas (exceto Tocantins). Assim como debater, com os demais interessados no assunto, alternativas para melhorar a cadeia produtiva e ampliar a geração de renda.
De acordo com a servidora do Instituto que participou da pesquisa, Ellen Claudine, cada uma dessas regiões possuem suas especificidades em relação aos produtos e muito dos municípios tem um potencial grande para produção, mas acabam limitados por pequenos detalhes, como falta de uma logística adequada. Ela aponta ainda que durante a realização da pesquisa, o que mais chamou a atenção foi o interesse internacional por produtos que, em sua maioria, são desconhecidos pelos paraenses.
Além disso, a publicação dos seis relatórios sobre cada uma das RIs pesquisadas, deu subsídios para que o Idesp repassasse a experiência a instituições de pesquisas do Amapá e Maranhão, assim como continuar o trabalho nas demais regiões de integração, com a cooperação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).
Serviço: As inscrições para o seminário são gratuitas e podem ser realizadas enviando os dados pessoais (nome, telefone, e-mail e formação) para comunicacao@idesp.pa.gov.br ou no dia do evento. O Instituto emitirá certificado de presença para os participantes. O seminário ocorrerá na sede do IDESP, localizado na Rua Municipalidade, 1461, entre Dom Pedro I e Pedro Álvares Cabral.

Texto:
Fernanda Graim


Bandas de Música do Pará vão receber instrumentos musicais durante solenidade em Belém
O presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Guti Fraga, estará em Belém nesta quarta-feira (19), para participar da solenidade de entrega de instrumentos musicais para bandas de música de vários municípios paraenses. A cerimônia de entrega será realizada às 15h, no Polo Joalheiro, que funciona no Espaço São José Liberto, na Praça Amazonas. Os grupos artísticos do Pará que irão receber os instrumentos musicais foram contemplados no prêmio Funarte de Bandas de Música no ano passado. Ao todo, 11 bandas de música de Belém e regiões do estado irão receber instrumentos de sopro como trombone, trompete, trompa, sax, clarinete e bombardino.
A Fundação Carlos Gomes (FCG) é parceira da Funarte nesse trabalho de apoio e valorização desses grupos musicais e estará representada no evento pelo superintendente, pianista Paulo José Campos de Melo. A solenidade contará com a presença de representantes de bandas de música do interior do estado que vieram a Belém para receber o prêmio. O Prêmio Funarte de Apoio a Bandas de Música realizado em 2013 beneficiou, com recursos do Fundo Nacional de Cultura, 187 bandas de cinco regiões do país, com 751 instrumentos.
Sugestão de Entrevistados:
Guti Fraga (Presidente da Funarte)
Paulo José Campos de Melo (superintendente FCG)
Integrantes de bandas de música do Pará

Texto:
Rosa Cardoso


Levantamento social vai definir ação da Defensoria no Parque Betel
No período 24 de março a 24 de abril, a equipe técnica do Núcleo de Defesa de Direitos Humanos (NDDH) da Defensoria Pública do Estado vai fazer o levantamento social de todas as famílias do Parque Betel, no bairro de Águas Lindas, em Ananindeua (Região Metropolitana de Belém), para identificar quais delas pretendem aderir ou não à proposta de aquisição de uma unidade habitacional no conjunto de prédios, que será erguido no terreno pela construtora Servpred.
A defensora pública Anelyse Freitas informou que o atendimento será feito na Escola Municipal Olga Benário, de 9h às 13 horas, de segunda a sexta-feira, por uma equipe multidisciplinar formada por assistente social, psicóloga e pedagoga do NDDH.
O levantamento social foi definido durante audiência pública realizada no sábado, 15, e reuniu 107 pessoas da área. Parte das famílias demonstrou interesse em ser indenizada com a aquisição do apartamento, mas outra parte prefere, ou a indenização pelo imóvel, ou permanecer no local. Segundo a defensora, os que preferem a permanência na área são aqueles que trabalham na catação de lixo no Aterro Sanitário do Aurá e que precisam de espaço para fazer o trabalho de separação do material coletado.
De acordo com Anelyse Freitas, o resultado do levantamento social também será confrontado com o relatório já realizado pela empresa que adquiriu o terreno. A maior preocupação da Defensoria, disse ela, é assegurar que as 40 famílias tenham a garantia da prioridade na aquisição de imóveis pela construtora, que deve construir empreendimento pelo programa Minha Casa Minha Vida.
As famílias do Parque Betel ocuparam a área em setembro de 2012 e, um ano depois, recorreram à Defensoria Pública para que obtivessem o direito de permanecer no local. O primeiro encontro com os moradores da área aconteceu em fevereiro deste ano e a expectativa é de que a solução para o impasse ocorra até o final do mês de abril.

Texto:
Micheline Ferreira


Boa parte dos pacientes atendidos pelo Hospital Ophir Loyola chega sem encaminhamento adequado
O escurecimento da urina levou o pescador José Pinheiro, 68 anos, a consultar um clínico no Hospital de Augusto Corrêa, município em que reside. Após visualizar o exame de ultrassom, o médico informou que José deveria passar por cirurgia na próstata. “Os outros exames não tinha como fazer lá, o mais perto era em Bragança. Eu liguei para meu sobrinho, que não teve dúvidas, disse pra vir para o Hospital Ophir Loyola, em Belém”, conta. A situação vivenciada pelo pescador ilustra boa parte da demanda assistida pelo Centro de Alta Complexidade em Oncologia do Pará (Cacon) de forma espontânea.
A chefe do Serviço Social do Ophir Loyola, Lucilene Assunção, explica que quando o fluxo normal de atendimento do SUS  não é seguido, acaba por ocasionar uma superlotação na ponta final da assistência. “Muitos pacientes vêm com malas prontas dos municípios de origem, sem o benefício de Tratamento Fora de Domicílio (TFD) e nenhuma orientação ou documentos necessários para uma internação. A intenção deles é chegar aqui e se internar. Geralmente é na alta complexidade que o paciente ainda vai investigar os sintomas, quando os municípios (atenção básica) deixam de cumprir com o importante papel de prevenir e diagnosticar o câncer”, afirma a assistente social.
A Política Nacional de Atenção Oncológica do Ministério da Saúde, publicada em março de 2005, prega a necessidade de integração da atenção básica às médias e altas complexidades. A proposta é facilitar o acesso às instâncias de atenção e controle do câncer, às tecnologias e serviços hospitalares. O documento aponta a necessidade de uma maior articulação do Ministério com as secretarias municipais e estaduais para uma melhor organização das linhas de cuidados ao doente oncológico, em todos os níveis de atenção e atendimentos.
Segundo a psicóloga Patrícia Martins, da Coordenação Estadual de Atenção Oncológica, cabe à alta complexidade o estadiamento (internação) e a conduta terapêutica. “A atenção básica deve fazer o diagnóstico precoce, encaminhar e referenciar os exames especializados para a média complexidade e, posteriormente, se comprovado o câncer, para as Unidades de Alta complexidade em Oncologia (Unacon’s) ou Centros de Alta Complexidade em Oncologia - Cacon”, enfatiza.
Martins destaca que quando um município não atende os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde provoca um “inchaço” nos hospitais especializados, como, por exemplo, o Hospital Ophir Loyola, que pelo perfil de referência, deveria atender somente os doentes com diagnóstico clínico ou com diagnóstico fechado de câncer. “Ocorrem alguns entraves no fluxo de referência. Muitas vezes o paciente já chega diretamente na alta complexidade por conta dos déficits nos encaminhamentos, ou já com a doença agravada. Os pacientes não vêm encaminhados das Unidades de Saúde e encontram dificuldades para serem atendidos”.
Os fluxos de atendimentos e os estabelecimentos de referências das redes de atenção devem ser acompanhados pelas autoridades sanitárias, conforme o Instituto Nacional do Câncer. Primeiro o usuário deve passar por consulta e solicitação de exames para o diagnóstico dos sintomas com um clínico geral. Somente com uma biópsia confirmada deve ser feito o agendado para o Ophir Loyola pela Secretaria Municipal de Saúde do município de origem. Se o paciente tiver uma biópsia positiva também pode se dirigir ao hospital para ser assistido por demanda espontânea.
“Há situações em que a biópsia não é possível, como no rim, por exemplo. Mas a partir de uma tomografia pode ser detectada uma massa expansiva. Com este exame, o paciente pode comparecer ao hospital por demanda espontânea para que seja avaliado por uma médica e encaminhado ao especialista”, explica a assistente Social do HOL. O ideal, segundo ela, é que o paciente sempre venha marcado pela Secretaria de Saúde e com o TFD garantido, já que as secretarias municipais possuem vagas para o HOL através do Sistema Nacional de Regulação do SUS (Sisreg).
Outra maneira de iniciar o tratamento no Ophir Loyola é através da internação em outro hospital, com uma biópsia confirmada para câncer. Neste caso o paciente é encaminhado via Central de Leitos/ Sesma. A Central do município entra em contato com a Central de Belém, que referencia e repassa a demanda para o HOL. Conforme a disponibilidade de leito o paciente é transferido.
Cadastro
Na primeira consulta no Cacon, o oncologista solicita alguns exames para detectar a fase de tumoração. “Geralmente, dependendo do estado clínico do paciente, tipo e localização do câncer, o especialista solicitará a cirurgia, encaminhará para rádio ou quimioterapia”, explica a assistente social.
Após a consulta, se confirmada a referência, o paciente é cadastrado e recebe uma carteirinha branca (documento de garantia de direitos na assistência, como o acesso à Unidade de Atendimento Imediato, durante intercorrências provenientes do câncer, entre outros). Também é emitida uma guia médica para que o paciente agende o retorno e exames dentro do próprio ambulatório do hospital. Este também é recebido pelo serviço social, que passa as orientações sobre a assistência e direitos do paciente oncológico.
Em seguida o usuário é recebido pelo Serviço de Psicologia. “O acolhimento psicológico é diferenciado e acolhedor. Assistimos o paciente e o familiar se estiver presente. Acolhemos toda aquela angústia após o recebimento do diagnóstico, pois até então a pessoa vem com a esperança que não seja câncer. Depois deste acolhimento o paciente é direcionado para um psicólogo no ambulatório, mesmo sem passar por internação ou cirurgia”, explica a chefe da Psicologia, Rivonilda Graim.
O Sistema Nacional de Regulação (Sisreg) é acessado online. Foi criado pelo Departamento de Informática do Ministério da Saúde. A finalidade é agilizar e garantir qualidade ao processo de regulação nacional, para um maior controle do fluxo e utilização dos recursos e gerencia de todo o complexo regulatório, desde a rede básica à internação hospitalar.
A médica Graça Jacob, da coordenação do Ambulatório do Ophir Loyola, afirma que quando as pessoas saem das Unidades de Saúde trazem a guia de referência e contra-referência nas mãos e comparecem ao hospital. “A consulta deveria ser marcada através do Sisreg em cada município do Pará. Neste sistema todas as referências, como o HOL, disponibilizam as consultas de primeira vez nas devidas especialidades para um sistema único do Estado”.
Graça Jacob acredita que para a melhor eficácia do Sisreg, é necessário mais treinamento e capacitação para a operacionalização do sistema. “Pela continuidade de situações que chegam ao hospital, acredito na necessidade de reiteração dos treinamentos”, ressalta.

Texto:
Leila Cruz


Trabalho de conscietização envolve Santa Casa e Hospital de Clínicas
Neste domingo, 17, a menina Marina Morena, de seis anos, brincava na Praça da República quando, conduzida pela sua mãe, foi aprender lições de alimentação saudável. "Estou aprendendo sobre isso na minha escola, adoro tomar sucos, adoro tomar açaí", disse. Marina fez parte de um trabalho de conscientização sobre o Dia Mundial do Rim, lembrado no último dia 13. A ação, que tratou sobre doenças renais, foi coordenada pelo Governo do Estado, por meio da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará e do Hospital de Clínicas Gaspar Vianna.
Na Praça da República, panfletos e banners foram utilizados para alertar acerca de uma doença silenciosa. A médica Monick Calandrine, gerente do Centro de Terapia Substitutiva Pediátrica da Santa Casa, esclareceu que a programação tem um caráter preventivo. "O mundo todo faz ações alusivas à necessidade de prevenção da doença renal, uma vez que já foi considerada a epidemia do século, então, sabemos que várias doenças vão deflagar em uma perda progressiva da funçâo renal. A ação, portanto, tem um caráter preventivo", falou. Além disso, dicas foram repassadas por profissionais, que também mediram a pressão e o nível de glicose dos usuários. No final, a equipe de trabalho registrou 320 atendimentos.
Pressão alta, inchaço, anemia, palidez, fraqueza, náuseas, vômitos frequentes, sangue na urina, dor renal e infecções urinárias são sintomas de doenças renais. A alimentação com excesso de açúcar e outros produtos que acabam deixando os níveis de colesterol e triglicerídeos altos são fatores que prejudicam o funcionamento dos rins, cujas funções são eliminar impurezas do organismo, controlar a quantidade de água no corpo e regular a pressão arterial.
A Santa Casa foi responsável pelo repasse das informações acerca de nefrologia infantil, uma das especilidades do hospital. "No caso específico da Santa Casa, por meio do seu serviço de nefrologia pediátrica, a responsabilidade é conduzir esta informação para o público infantil, para que a população saiba que existem tipos de doenças infantis que podem causar doença renal", complementou Monick.
O Centro de Terapia Renal Substitutiva Pediátrica da Santa Casa foi inaugurado em 2011, transformando-se no primeiro serviço paraense especializado no atendimento de crianças e adolescentes (menores de 18 anos) com patologias renais, agudas e crônicas. O setor é composto por uma equipe multiprofissional, que prioriza o atendimento especializado e humanizado. A capacidade de atendimento é de sete pacientes por turno. Atualmente, há 26 crianças fazendo tratamento de hemodiálise na Fundação. 

Texto:
Nilson Cortinhas


Defensoria Pública cobra uso de elevador hidráulico nos ônibus
Para garantir o direito da pessoa com deficiência, o Núcleo de Defesa de Direitos Humanos (NDDH) da Defensoria Pública do Pará está cobrando da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) a qualificação e treinamento de motoristas de transporte coletivos na utilização dos elevadores hidráulicos dos veículos que fazem o transporte público urbano na capital. A defensora pública Felícia Fiuza encaminhou ofício para a Semob requerendo um curso de qualificação no uso desses equipamentos, uma vez que a maioria dos motoristas declarou, informalmente, que não sabia manusear o elevador hidráulico.
De acordo com Felícia Nunes, a defensoria pública já ofereceu um prazo para que o treinamento acontecesse. Agora, segundo ela, é o momento de cobrar essa atualização profissional, que vai permitir que centenas de pessoas com deficiência possam utilizar, sem restrições, o transporte público coletivo. Além de oficiar o órgão que cuida do sistema de transporte e trânsito de Belém, a defensora pretende ainda sensibilizar o sindicato das empresas que operam o sistema, o Setransbel. Hoje, Belém possui uma frota de 1860 veículos operando na Região Metropolitana (RMB), pertencentes a 27 empresas privadas.

Texto:
Micheline Ferreira


Segurança ostensiva e campanhas marcam o maior clássico do futebol paraense no Mangueirão
Na tarde deste domingo, 16, além do maior clássico do futebol paraense pela semifinal da Copa Verde, o Estádio Olímpico do Pará jornalista Edgar Proença recebeu também campanhas pela paz nos campos de futebol e de prevenção de doenças, como a Aids. Para a segurança dos quase 22 mil torcedores, o Sistema de Segurança Pública do Pará mobilizou cerca de 1200 policiais militares, 49 viaturas, realizando ronda ostensiva, além de 30 homens a cavalo. O efetivo contou, também, com o policiamento civil, equipes do Corpo de Bombeiros, agentes do Departamento de Trânsito (Detran), Guarda Municipal de Belém, Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) e uma unidade de Juizados do Tribunal de Justiça do Estado (TJE).
Para estimular a paz no esporte paraense, antes do início da partida, o jogador do Paysandu, Yago Pikachu, e o jogador do Remo, Dadá, vestiram a camisa que simboliza a Campanha Pacto de Paz e, assim, transmitiram a relevante mensagem aos torcedores. “É importante aproveitarmos este clássico em que se concentra um grande número de torcedores, para disseminar a promoção da paz no esporte”, ressaltou a secretária de Estado de Esporte e Lazer, Renilce Nicodemos.
Enquanto a bola rolava no gramado, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) promoveu uma ação, por meio da Coordenação do Programa Municipal de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e Aids, voltada à conscientização da prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. Na ocasião, agentes da Sesma distribuíram panfletos explicativos e preservativos masculinos e femininos. “A capital paraense ainda possui uma considerável incidência de doenças sexualmente transmissíveis, por isso, precisamos aproveitar este espaço de sociabilidade para conscientizar as pessoas sobre a importância do uso do preservativo como estratégia de prevenção”, explica coordenador municipal de referência em DST e Aids, Roberto Paes.
O confronto disputado entre o Remo e Paysandu garantiu muita emoção aos torcedores. O gol que definiu o placar foi marcado no início do segundo tempo, através de um cruzamento certeiro de Heverton, que marcou o primeiro e único gol da partida, encerrando o placar com 1 a 0.  O próximo duelo entre Remo e Paysandu está marcado para domingo, 23, às 19h30, no Estádio Olímpico jornalista Edgar Proença, o Mangueirão.

Texto:
Luana Valente


Santa Casa acolhe 50 novos residentes
A Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, por meio da Coordenação de Residência Médica, fez o acolhimento de 50 novos residentes. O evento ocorreu nesta segunda-feira, 17, na sala de treinamento da Instituição. Várias palestras ocorreram para ambientar os residentes em um hospital que atende 100% ao Sistema Único de Saúde.
A presidente da Santa Casa, Ana Conceição Matos Pessoa, abriu a cerimônia e falou sobre o funcionamento da maior maternidade do Pará.  Um dos membros da diretoria colegiada do Sindicato dos Médicos (Sindmepa), João Gouvêia, também participou da roda de discussão. Para ele, o residente é uma peça fundamental por se tratar de um médico em aperfeiçoamento. "Enquanto sindicato, nós fazemos um trabalho de aproximação com estudantes, desde a universidade. O residente já é um médico, mas por estar entrando na área agora, ele precisa de orientação sobre ética médica, por exemplo. Nós agradecemos a iniciativa da Santa Casa, que pode ser tomada como exemplo para outros hospitais", disse Gouvêia.  
O assessor jurídico do Sindmepa, Eduardo Sizo, proferiu palestra acerca do tema “Medidas preventivas para o profissional não ser vítima de denúncias na área civil, criminal ou disciplinar”. "Em geral, a relação do médico com o meio jurídico é conturbada, o médico procura o meio jurídico em denúncias. Isto  é uma situação que pode ser contornada, pois temos mecanismo para uma ação preventiva. Nós estamos á disposição dos residentes", falou o advogado.       
O presidente do Conselho Regional de Medicina, Antônio Jorge, também conversou com os residentes sobre os direitos do médico e considerou viável a discussão sobre o atendimento médico realizado no Pará. "O maior desafio do conselho é fazer uma espécie de retrato do que já acontecendo no interior do Estado e conversar com os gestores para melhorar a estrutura do profissional e, consequentemente, o serviço prestado por este médico".
O médico Benedito Maués, servidor da Santa Casa, também dividiu conhecimento a respeito de temas como o fluxo de prontuários.
A seleção dos residentes foi um processo conduzido pela Universidade do Estado do Pará e intermediado pela Santa Casa e outros hospitais da rede pública estadual, como Hospital de Clínicas. Um dos selecionados foi Orlando Farias, que se especializará na área de ginecologia. Sobre o desafio de participar da estrutura da maior maternidade do Pará, o residente se diz disposto e preparado. "Residência é prática e quanto mais prática tiver, ótimo. Estou preparado".  

Texto:
Nilson Cortinhas


Aberto prazo para correção de pendências em projetos da Lei Semear
A gerência do Programa de Incentivo à Cultura Semear já tabulou todos os projetos inscritos no Edital 2014: foram 256 projetos protocolados. Desse total, apenas 18 estão totalmente regulares, restando 238 que apresentaram pendências, ou cerca de 93% do total de inscrições. Os projetos que necessitam de correção terão até as 18h da próxima segunda-feira (24), para adequar o projeto ao edital. Todos os projetos pendentes serão notificados por email a partir desta segunda-feira (17) e também podem ser visualizados no Sistema de Gestão de Projetos Culturais do Programa Semear (SGPSemear), disponível em http://www.leisemear.fcptn.pa.gov.br.
O programa Semear ofereceu este ano incentivo cultural a projetos com orçamento de até R$ 200 mil. No edital, o proponente inscreve o projeto e, se o mesmo for aprovado, recebe o Certificado de Habilitação, que possibilita aos patrocinadores financiarem até 80% da proposta, sob a forma de renúncia fiscal. Os 20% restantes serão provenientes dos recursos próprios do patrocinador. Apenas um projeto pode ser inscrito por pessoa física ou jurídica. O edital do Programa de Incentivo à Cultura Semear foi publicado no dia 6 de janeiro deste ano.
Em 2013, mais de 300 projetos foram inscritos no programa. Destes, 174 foram aprovados e 41 foram captados. Neste ano, a novidade é que todo o andamento do processo de inscrição poderá ser acompanhado pelo produtor ou artista, que devem ficar atentos a eventuais notificações que a proposta receba (como apresentação de outros documentos ou alterações necessárias para analisar a viabilidade do projeto). A partir da data de notificação, o produtor terá cinco dias úteis para realizar as alterações ou apresentar os documentos solicitados.
Após a aprovação da proposta, o produtor terá prazo de 12 meses para captar o recurso e, concluída a captação, o prazo máximo para execução será também de 12 meses. As áreas contempladas pelo programa são: Linguagem Visual; Intervenção em bens móveis e imóveis de relevante interesse artístico e cultural; Linguagem Sonora; Linguagem Corporal; Literatura, acervos bibliográficos, bibliotecas e museus.

Texto:


Setran alerta condutores sobre o tráfego na PA-279
A Secretaria de Estado de Transportes (Setran) alerta os condutores que trafegam na PA-279, na região sudeste do Estado, no trecho compreendido entre os municípios de Ourilândia e Tucumã, sobre a formação de cratera na margem da rodovia. A erosão foi causada pelo rompimento de barragem de uma fazenda localizada ao longo da rodovia. O período de chuvas intensas na região e o volume de água da barragem colaboraram para o surgimento da erosão, que ultrapassou a pista de rolamento.
A Setran está monitorando a situação e informa que não há risco de comprometimento no tráfego de veículos, entretanto o cuidado deve ser maior. O local está sinalizado para que condutores redobrem a atenção na rodovia. Segundo o diretor de Transportes Terrestres da Setran, Osmar Sampaio, os serviços na PA serão executados após a estiagem das chuvas na região.

Texto:
Maísa Portal


Campus da Uepa em Marabá realiza I Semana do Cérebro
Começa nesta segunda-feira (17) e segue até o dia 21 deste mês, a I Semana do Cérebro realizada por professores e alunos da Universidade do Estado do Pará (Uepa), no Campus de Marabá, sudeste do Estado. A programação faz parte de uma campanha global, que envolve instituições de ensino, pesquisa e hospitais para ressaltar conhecimentos ligados à Neurociência.

Em Marabá, durante as manhãs, os alunos de Biomedicina estarão em escolas do ensino fundamental e médio, promovendo atividades lúdicas e palestras que ajudem os alunos a compreender a estrutura e o funcionamento do cérebro, além de alertar para a importância dos estilos de vida para a saúde cerebral. À tarde, sempre a partir das 14h, filmes serão exibidos no auditório da Uepa, seguidos de debates, assim como palestras de professores da do campus sobre temas relativos ao sistema nervoso central. A programação é aberta ao público.

Para o professor da Uepa e membro da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento, e do Zebrafish Neuroscience Research Consortium, Caio Maximino de Oliveira, trata-se de uma oportunidade de popularizar o conhecimento sobre um dos órgãos mais importantes do corpo humano. “O cérebro é o centro de controle que organiza toda nossa vida interior e exterior, do ritmo respiratório ao pensamento,  da intenção à ação, as emoções mais primárias e as mais sublimes. Além de organizar funções essenciais para a sobrevivência - movimentos,  ritmos respiratórios e cardíacos,  até mesmo o trânsito intestinal”, ressalta.
Internacional - A Semana do Cérebro (Brain Awareness Week) é um evento internacional para divulgar os benefícios do estudo sobre o cérebro, coordenado pela Dana Alliance for Brain Initiatives e a European Dana Alliance for the Brain.

No Brasil, os primeiros eventos da aconteceram no ano de 2010, no Rio de Janeiro, por iniciativa de várias instituições e universidades. Em 2011, professores e pós-graduandos da Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto aderiram à proposta do evento. A partir de 2012, a Semana do Cérebro passou a ser articulada nacionalmente, com apoio da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento (SBNeC).
A programação completa da I Semana do Cérebro, em Marabá, está disponível em www.uepa.br.

Texto:
Janine Bargas


Região do Tapajós recebe o 1º Diálogo para Elaboração da Agenda de Desenvolvimento Territorial
A Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom) iniciou o ciclo de Diálogos para Elaboração da Agenda de Desenvolvimento Territorial das regiões do Estado do Pará. Itaituba, município polo da região de Tapajós, localizada a 890 Km de Belém, sediou o 1º Diálogo para Elaboração da Agenda de Desenvolvimento Territorial com uma ampla discussão a respeito dos entraves e gargalos regionais.
O evento contou com a participação dos principais atores dos setores produtivos da região, sociedade civil, instituição de ensino, organizações não governamentais, representantes de projetos de responsabilidade social corporativo, além dos representantes dos governos municipal e estadual. Realizado no polo do Instituto Federal do Pará em Itaituba, nos dias 13 e 14 de março, o debate teve a apresentação de um diagnóstico socioeconômico regional, realizado pela Associação dos Terminais Portuários e Estações de Carga da Hidrovia Tapajós (Atap) e pelo Consórcio do Tapajós, composto por seis municípios: Itaituba, Trairão, Rurópolis, Aveiro, Novo Progresso e Jacareacanga, o qual ainda continuará em atualização por conta das previsíveis mudanças no cenário atual.
“Ainda existirão mudanças no cenário prospectivo dos portos, da hidrelétrica e da mineração prevista para a região. Por isso é preciso desenvolver o canal de diálogo entre os entes operacionais locais para elencar as necessidades e capacitar mão de obra para receber os grandes projetos”, enfatizou a secretária da Seicom em exercício, Maria Amélia Enriquez, ao representar o secretário de Estado de Indústria, Comércio e Mineração, David Leal.
O fortalecimento da gestão pública municipal, a elaboração da carteira de projetos estruturantes, a capacitação de mão de obra e o fortalecimento dos pequenos e micro negócios foram os principais eixos discutidos no encontro. A equipe da Seicom evidenciou as ferramentas que contribuirão à promoção do desenvolvimento local, com a apresentação do programa ParaCrescer, o Plano Estadual de Atração de Novos Negócios e a necessidade de implantação dos projetos estratégicos.
“Estamos priorizando a instalação do Sistema S (Seter, Senac, Senai, Senar, Senat) para a qualificação profissional e empresarial, a qual subsidiará a economia local na disponibilização de mão de obra e fornecedores aos grandes projetos que têm proporções nacionais na região do Tapajós”, finalizou o secretário Municipal de Meio Ambiente, Mineração e Produção de Itaituba, Valfredo Marques.
Participaram também do encontro, a prefeita de Itaituba, Eliene Nunes; o presidente do Consórcio Tapajós, Raulien Queiróz; o secretário Especial de Energia do Pará, Nícias Ribeiro; o superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequenas Empresas do Pará (Sebrae/PA), Vilson Schuber e a assessora de Planejamento da Secretaria Especial de Estado de Proteção e Desenvolvimento Social, Dalva Vasconcelos, entre outras autoridades.

Texto:
Juliana Pinheiro


Seduc divulga aprovados no Processo Seletivo das Escolas Tecnológicas
A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) divulgou, nesta segunda-feira, 17, o resultado final do Processo Seletivo, de 2014, da Rede de Escolas Tecnológicas do Pará. A listagem com o nome dos candidatos homologados e aprovados está disponível no site da Seduc (www.seduc.pa.gov.br). Neste ano, foram disponibilizadas 7.120 vagas, das quais 3.320 para a modalidade Ensino Médio Integrado (EMI), 1.960 para o Ensino Médio Proeja e as demais 1.840 para o Subsequente.
Entre as novidades do Processo Seletivo está a adoção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de avaliação, com 45% das vagas destinadas aos candidatos que realizaram o Enem. Outros 45% foram destinadas aos candidatos que não realizaram o Exame e 10% destinadas às pessoas com deficiência.
No site da Seduc estão disponíveis duas listagens. A lista de candidatos homologados, ou seja, com o nome em ordem alfabética de todos os candidatos que preencheram corretamente as informações solicitadas no ato da pré-matrícula, e estão concorrendo às vagas disponíveis. Além da listagem de candidatos aprovados no Processo Seletivo 2014, por município, escola, curso e turno.
Os candidatos classificados que não foram aprovados deverão permanecer atentos ao site da Seduc, pois caso não haja a confirmação da matrícula até o dia 3 de abril, será divulgada uma nova lista de candidatos aprovados, em 2ª chamada.
No dia 2 de abril será divulgado novo edital para o preenchimento das 783 vagas remanescentes do Processo Seletivo 2014. Serão 554 para o Ensino Médio Integrado e 229 para o Proeja.

Texto:
Danielly Gomes


Empreendimento habitacional "Quinta dos Paricás" será lançado nesta quarta
Será nesta quarta-feira, 19, às 9 horas, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém, o lançamento do empreendimento habitacional "Quinta dos Paricás", que o Governo do Estado, por meio da Companhia de Habitação do Pará (Cohab) apresentará a so ierdade paraense. O empreendimento, localizado na Estrada do Maracacuera, numa área de mais de um milhão de metros quadrados, às margens do igarapé Ananin, a poucos minutos da Rodovia Augusto Montenegro e do centro de Icoaraci, será um referencial para a área da habitação.
Segundo o presidente da Cohab, João Barral, "o Quinta dos Paricás é  um projeto inovador, referência para o desenvolvimento urbano sustentável da cidade, somente possível pela ação do Governo do Pará, que desapropriou a área e a repassou à Companhia de Habitação, justamente para garantir moradia digna e vida melhor para famílias paraenses".
Ainda segundo Barral, "mais do que um conjunto, o Quinta dos Paricás é um empreendimento com infraestrutura completa e um novo conceito de morar bem. Além de saneamento, urbanização, segurança, esporte e lazer, conta com equipamentos públicos como creches, escolas, posto de saúde, centros comerciais e de serviços", acrescentou o titular da Cohab.
A gerente estratégica de Fomento Habitacional da Cohab, Cláudia Zaidan, explica a ousada proposta de construção do Quinta dos  Paricás. "Além das inovações, cada um dos conjuntos terá padrão diferenciado de imóveis, com opções de casas térreas de dois ou três quartos, sobrados e apartamentos, possibilitando que as famílias com renda até R$ 5.500,00 possam acessar os financiamentos".
Durante a cerimônia de lançamento, que contará com a presença do governador Simão Jatene e do presidente da Caixa Econômica, Jorge Hereda, além da apresentação do projeto, será assinado o contrato com a empresa responsável pela construção das primeiras 1.720 unidades habitacionais do novo empreendimento.

Texto:
Rosa Borges


Semana da Água destaca os investimentos da Cosanpa no Pará.
Em comemoração ao Dia Mundial da Água será realizado o evento: Semana da Água 2014, organizado pela Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa). O evento acontecerá entre os dias 18 e 22 de março, nos horários das 10h às 18h, no Parque Shopping. Durante a realização do evento serão distribuídos panfletos educativos, realizações de peças teatrais, além de banners sobre: ações de combate ao desperdício, investimento e ampliação de abastecimento de água no Pará, entre outros. O evento tem como objetivo promover a conscientização de alguns problemas existentes no mundo, como o desperdício de água. E estimular atitudes simples e hábitos sustentáveis, que são peças fundamentais para evitar o desperdício.
Sugestões de Entrevistado:
Fernando Martins – diretor de Mercado da Cosanpa

Texto:
Andrea Cunha


Vozes da região trocam experiências em evento de Contadores de História
A formação da cultura amazônica é fortemente cercada de contos, relatos orais e histórias contadas por inúmeros povos indígenas, ribeirinhos e outras culturas tradicionais. Com o tema “Nem te conto – Um encontro de muitas vozes”, a segunda edição do “Encontro de Contadores de Histórias da Amazônia” vai inserir o público paraense nesse rico universo e possibilitar ricas experiências na área.
O evento, que ocorre de 20 a 22 deste mês, será realizado na Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (Centur) que apóia o encontro coordenado pelo Movimento de Contadores de História da Amazônia (Mocoham). “A meta é congregar muitas vozes, partilhar saberes, histórias, poesias, canções e afeto diante a histórias amazônicas”.
O II Encontro de Contadores de História da Amazônia coincide com o Dia Internacional do Contador de Histórias, comemorado no dia 20 de março. É uma data de celebração mundial e coincide com o início da primavera no hemisfério Norte e do outono no hemisfério Sul. Contadores de toda a Amazônia estarão presentes, além de outras regiões, com perspectiva de participação de 500 pessoas.
Durante três dias de programação, o encontro vai proporcionar debates teóricos, mesas redondas, relatos de experiência entre os contadores, educadores, arte-educadores, professores de educação básica, pedagogos, bibliotecários, estudantes, pais e público em geral, além de oficinas mediadas por convidados da região Norte e outros Estados, que apresentarão suas experiências na contação de histórias amazônicas, com participação de grupos regionais e presença de escritores nacionais.
A contação de histórias ocorrerá no espaço Hall Ismael Nery (térreo do Centur). No Cine Líbero Luxardo será realizado o “II Festival Pororoca de Histórias”. O evento também marca as comemorações pelos 143 anos da Biblioteca Pública Arthur Vianna, que vai realizar as atividades de palestras, mesas redondas. As inscrições poderão ser feitas diretamente na gerência da Biblioteca Pública Arthur Vianna, no 2° andar, das 13h às 18h.
Serviço:
II Encontro dos contadores de histórias da Amazônia - "Nem te conto – Um encontro de muitas vozes”
Data: 20 a 22/03
Local: Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, Avenida Gentil Bittencourt, 650, Nazaré
II Festival Pororoca de Histórias
Data: 20 a 22/03
Local: Cine Líbero Luxardo (Centur)
Entrada Franca (Distribuição de ingressos 30 min. antes das sessões)

Texto:
Luiz Flávio


Mutirão no PEM II começa nesta segunda
Começa nesta segunda-feira, 17, e se estende até o próximo dia 20, o mutirão para avaliar a situação de 212 presos provisórios do Presídio Estadual Metropolitano II (PEM II), em Americano, município de Santa Isabel do Pará. A Defensoria Pública do Estado vai atender neste primeiro dia cerca de 30 presos com processos que tramitam na comarca de Marituba. A principal ação do mutirão é identificar casos em que os detentos têm o direito de liberdade provisória ou até mesmo o perdão judicial.
Na terça-feira, 18, o atendimento será feito aos presos provisórios cujos processos estão em tramitação em Benevides. Também são cerca de 30 detentos e a situação será avaliada pela Defensoria Pública. Já na quarta-feira, 19, uma grande força-tarefa será realizada por três defensores públicos para atender a maior demanda do mutirão do PEM II. Mais de 120 presos do município de Ananindeua passarão pela análise criteriosa da Defensoria.
No último dia de atendimento, a quinta-feira, 20 de março, os mais de 20 presos da capital terão seus processos avaliados pela Defensoria Pública. O diretor Metropolitano, José Adaumir Arruda, acredita que a ação vai ajudar na redução da população carcerária, na medida em que processo por processo será analisado e a situação de cada preso pode ser resolvida ali mesmo. “Vamos verificar situações como excesso de prazo. Se isso estiver configurado, vamos solicitar revogação da prisão preventiva e até entrar com pedido de Habeas Corpus”, declarou Arruda, reiterando que o processado só pode ficar preso nas situações previstas em lei e desde que a Justiça não possa adotar outras medidas cautelares.
A iniciativa da Diretoria Metropolitana da Defensoria é uma extensão do trabalho que tem sido realizado nas casas penais da Região Metropolitana de Belém. Além do Canal Direto, que é o atendimento através de videoconferência, a instituição participa do projeto que prevê a criação de uma sala especial com curso preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para as detentas do Centro de Recuperação Feminino (CRF) e de um estudo que promoverá a criação de totens com um sistema que forneça ao detento todas as informações relevantes de sua situação prisional, semelhante ao dispositivo de videoconferência utilizado pelo Núcleo Avançado de Atendimento Criminal (Nacri) da Defensoria.
Em 2014, a Defensoria Pública já deu entrada em 86 pedidos de indultos. De acordo com José Arruda, os presos que podem receber este "perdão" são aqueles que já cumpriram um terço de uma pena de até oito anos e que não tenham cometido nenhuma falta. A Defensoria do Pará atua em oito presídios com atendimento presencial e desde 2010 a instituição trabalha nos processos fazendo os pedidos de direito dos apenados, mais os mutirões, em todo o Complexo Penitenciário de Americano. 
Só no último ano, a Defensoria chegou a dar entrada em 512 pedidos de Perdão Judicial de Pena, o chamado Indulto, dos quais 373 foram deferidos pela Justiça do Estado. Para o defensor José Arruda, a ação é uma política importante para garantir a desobstrução do fluxo carcerário: “Ao contrário do que muitos pensam, as medidas que possibilitam o Perdão Judicial ou Liberdade Provisória podem ser positivas para o sistema penitenciário, haja vista o baixo nível de reincidência”, afirmou.

Texto:
Micheline Ferreira


Emater reúne equipe técnica em Santarém para discutir gestão
Começa nesta terça-feira (18) e vai até na próxima quinta (20), o  encontro de gestores que a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) realizará das 8h às 18h30, no Tapajós Center Hotel, em Santarém, oeste paraense,  para discutir o resultado das ações no triênio 2011/ 2013, alcançado no atendimento de assistência técnica e extensão rural, junto às famílias em todo o Estado e também o crescimento da empresa, no período.
Essa é a quarta e última etapa do processo que já ouviu técnicos de 118 municípios nas regiões nordeste, sul e sudeste paraense, que formam as regionais de Castanhal, São Miguel do Guamá, Capanema, Marabá, Conceição do Araguaia, Altamira, Marajó e agora ouve técnicos de 26 municípios das regionais de Santarém, Tapajós e Médio Amazonas.  A Emater, presente em todos os municípios do Pará, é formada por 12 regionais.
Durante o encontro os técnicos apresentarão resultados de ações de êxito, realizadas nas regiões, especificamente no que diz respeito à gestão.  A atividade técnica será momento para discutir as ações que serão realizadas durante a Feira da Agricultura Familiar da Amazônia Legal (Agrifal). O evento está no seu terceiro ano de realização e tem proposta de qualificar agricultores e técnicos em um intercâmbio de informações com técnicos e agricultores dos Estados da Amazônia Legal. Além de expor e comercializar a produção agrícola das famílias, a feira terá este ano uma versão regionalizada, a começar por Santarém.
Todas as ações propostas durante os encontros de gestores constarão de um documento de encaminhamentos de ações que serão implantadas nos municípios, a partir das suas necessidades. “A ideia é implantar as ações, fortalecer as atividades, aumentar a produtividade no campo e melhorar a qualidade de vida das famílias”, disse Cleide Amorim, presidente da Emater, que lidera o encontro, que também conta a presença do diretor técnico da empresa, Humberto Reale.




Texto:
Iolanda Lopes


Polícia Civil desarticula pontos de tráfico de drogas em Abaetetuba
A Polícia Civil, por meio da Superintendência Regional do Baixo Tocantins e do Núcleo de Apoio à Investigação de Abaetetuba (NAI), prendeu em flagrante, nesta segunda, 17, pelos crimes de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo, Manuel Maria Maués dos Santos, de apelido "Manheco"; Joelton Leno Ferreira da Costa, de apelido "Leno"; Josicleide Ferreira da Costa, conhecida por "Di", e Edivanilce dos Santos, de apelido "Diva".
As prisões foram realizadas, durante a operação policial denominada "Pororoca", visando cumprir mandados de busca e apreensão em casas usadas como pontos de guarda e comércio de drogas, na cidade de Abaetetuba, nordeste paraense. Quatro equipes da Polícia Civil deslocaram-se aos alvos. Nos locais, foram apreendidos um revólver calibre 38; cerca de 200 gramas de cocaína; pedras de óxi de cocaína e outras diversas "petecas" de dois tipos de drogas.
Segundo o delegado Délcio Santos, que coordenou as investigações, a operação policial teve por foco as chamadas "bocas-de-fumo" e os traficantes que atuam no bairro Algodoal, em Abaetetuba. "Tínhamos denúncias de que eles vinham dominando o tráfico de drogas no bairro. Finalmente demos a resposta necessária", salienta.
Entre os presos, "Manheco" e a companheira dele, Josicleide Costa, já tinham passagem pela Polícia Federal pelo crime de tráfico de drogas. Durante a operação, os dois foram flagrados com a maioria das drogas apreendidas e com a arma de fogo. Josicleide foi abordada no momento em que tentava se livrar da droga, na tentativa de escapar da prisão em flagrante. Por sua vez, "Manheco", ao ser preso, estava convalescente de um tiro. Ele foi baleado há duas semanas, após se envolver em uma troca de tiros com criminosos do bairro Francilândia.
Na ocasião, foi morto um homem de apelido "Mão Branca", morador do bairro, onde era acusado de atuar como traficante e assaltante. Segundo o delegado Marco Antônio Oliveira, titular da Superintendência Regional do Baixo Tocantins, "Manheco" será ouvido em depoimento quanto ao homicídio. Ele é suspeito de ser o autor dos disparos. 
Já, em outra casa, onde moram "Leno" e "Diva", os policiais apreenderam as 200 gramas de cocaína, que estavam escondidos em um fundo falso no armário. "A mulher ainda tentou enganar os policiais, para tentar escapar do flagrante. Como já investigávamos o tráfico no local há algum tempo, a gente já tinha informação de que havia drogas na residência", detalhou o delegado Mac Dowell Fortes, do NAI, que também participou da operação. O trabalho investigativo segue as diretrizes do delegado-geral, Rilmar Firmino, e do diretor de Polícia do Interior, delegado João Bosco Rodrigues.

Texto:
Walrimar Santos


Região turística do Tapajós é destaque da revista francesa Prestigieux Univers
A revista francesa “Prestigieux Univers”, especializada em turismo e que descreve como arte a vida e os hábitos de viajar, publicou matéria especial este mês em que mostra a exuberância e os encantos da Amazônia paraense encontrados na região do Tapajós. A reportagem é assinada pelo jornalista francês Eric Pasquier, que visitou Belém e Santarém entre 12 e 14 de setembro do ano passado à convite da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), acompanhado pela repórter Dominique Humbert, que visitou também a capital paraense e Santarém entre 12 e 25 de setembro.
A visita de familiarização de Eric e Dominic teve apoio da Paratur e da agência de receptivo de Santarém Amazon Dream Turismo. Os dois visitaram Santarém e Alter do Chão, como parte do roteiro “Pará, Obra Prima da Amazônia”, elaborado pela Paratur.
A bordo do navio “Amazon Dream”, que tem parceria com a Paratur, a jornalista Dominique Humbert navegou pelos rios da região do Tapajós revelando imagens da população local e destacou a beleza da vila de Alter-do-Chão, em Santarém. Além de retratar a vida dos ribeirinhos e tribos indígenas, a fauna e a flora, a hidrografia e outros atrativos da região, que tem os segmentos de cultura, natureza, sol e praia entre os mais fortes oferecidos aos turistas.
Em Belém, o jornalista Eric Pasquier conheceu alguns produtos turísticos oferecidos pela Paratur, entre eles o complexo do Ver-o-Peso, Estação das Docas, Complexo Feliz Lusitânia,  Mangual das Garças e Polo Joalheiro. Os dois são correspondentes de importantes veículos de comunicação da Europa, a exemplo do La Vie, VSD, Paris Match, Horizons Voyages, Prestigieux, l’Evénement e diversas revistas de turismo, nas quais o material sobre o Pará ainda será divulgado.
Confirma aqui a reportagem de Eric Pasquier neste link

Texto:
Benigna Soares


Mais de 40% das mulheres presas no Pará estão estudando
Há quatro anos Giovanna Roque não sabia ler nem escrever. Para sustentar os três filhos, ela trabalhava em uma feira na cidade de Itabatinga, no Amazonas. Em 2010 foi presa pela Polícia Federal quando tentava transportar drogas para a capital paraense. Grávida, ela teve o quarto filho dentro do Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua.
Condenada há quase 15 anos de prisão e longe da família, Giovanna disse que foi o momento mais difícil da vida. “Eu entrei em depressão na cadeia. Não sabia o que fazer depois que tive meu bebê e precisei entregá-lo à minha família. Não via meus filhos e isso estava me matando. Em uma conversa com as psicólogas e assistentes sociais, elas me incentivaram a estudar. Foi então que me interessei e comecei a frequentar as aulas”, conta a interna.
O incentivo foi fundamental para mudar a vida da detenta, que começou com a alfabetização e rápido concluiu o Ensino Fundamental. Hoje, na primeira série do Ensino Médio, a matéria preferida de Giovanna é química. “Eu tenho certeza que se tivesse estudado quando era criança minha história seria completamente diferente. Eu estaria com meus filhos acompanhando o desenvolvimento deles”. Com a expectativa de estar livre em cinco anos, ela faz planos para quando sair do CRF. “Com o que aprendi aqui dentro quero arranjar um bom emprego para sustentar meus filhos, vou continuar os estudos e cursar uma faculdade”, conta.
No Pará, o CRF é a unidade prisional com maior número da população carcerária em atividades educacionais; seguido do Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura (CRASHM), em Santarém; e do Centro de Recuperação Regional em Paragominas. No cenário nacional, as detentas custodiadas no Pará também são destaque, visto que 41,62% das mulheres presas estão envolvidas em atividades educacionais no Estado, número superior à média nacional, que é de 10,02%.
“O CRF se destaca nas matrículas das atividades educacionais ofertadas, resultando no sucesso das ações desenvolvidas e no próprio interesse das internas em participar dos projetos”, diz Aline Mesquita, gerente da Divisão de Educação Prisional da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe).
Em 2013, o Pará chegou a ter 13,33% do total de detentos custodiados frequentando as aulas regularmente dentro do cárcere, à frente de estados como São Paulo (7,2%) e Rio de Janeiro (7,9%). Hoje, a Susipe tem 27 (das 42) unidades prisionais com salas de aula e mais de 10 internos cursam nível superior, através do Prouni. No ano passado, quase 700 internos participaram do Enem para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL), com o objetivo de obter o certificado de conclusão do Ensino Médio. A Susipe também oferece vagas na educação prisional através de programas do governo Federal como o Procap, o Encceja, o Projovem e o Programa Brasil Alfabetizado, por exemplo. Em 2014, o Pará já tem cerca de 5 mil vagas garantidas pelo Pronatec, para cursos profissionalizantes aos internos.
A educação também ajuda a diminuir o tempo na prisão. A cada 12 horas de frequência escolar, os internos têm um dia diminuído na pena, conforme a Lei de Execuções Penais. Professora do CRF, Ieda Cristina Seawright diz que o ensino dentro de uma unidade prisional deve ser humanizado e que a educação é fundamental. “No cárcere, as pessoas precisam mais do que aprender sobre matemática e geografia, elas precisam de compreensão, novos valores morais e éticos. Tento transmitir isso com trabalho em equipe e interdisciplinaridade. Sempre que possível trago um texto para que possamos ler e juntas refletir sobre o assunto”, explica a professora, que se diz emocionada com a evolução das alunas. “É muito gratificante quando elas aprendem coisas novas e vêm conversar comigo sobre isso. Sinto que meu trabalho está sendo bem feito”, diz Ieda.
Aprendizado que está sendo muito bem aproveitado por Sandra Santos, de 60 anos, que cursa a segunda etapa do ensino fundamental. Há três anos no CRF por envolvimento com o tráfico, ela conta que não sentava em uma sala de aula há 30 anos, desde que concluiu a quarta série do Ensino Fundamental. “Me sinto bem e feliz depois que comecei a estudar. A principal mudança foi no meu humor, agora trato as pessoas bem e isso é fundamental para uma vida melhor. O pouco que aprendi aqui quero ensinar aos meus sete bisnetos, além de ajudar minha mãe de 87 anos. Nunca é tarde para aprender”, conclui a interna.

Texto:
Timoteo Lopes


Parecer pode ajudar travestis e transexuais a mudar prenome
O Núcleo de Defesa de Direitos Humanos (NDDH) da Defensoria Pública do Estado vai coordenar grupo de trabalho para elaborar parecer jurídico que seja a base para ações de redesignação de nome próprio para transexuais e travestis, a partir e até 18 anos. O parecer jurídico será trabalhado conjuntamente durante todo o mês de março pela Defensoria, OAB-PA e Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh). A expectativa é de consolidar o parecer até 30 de março, para que as três instituições façam a entrega do documento à Corregedoria do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE-PA).
O parecer será produzido em cima do artigo 56 da Lei Federal 6015/73, conhecida como Lei de Registros Públicos. O artigo diz que “o interessado, no primeiro ano após ter atingido a maioridade civil, poderá, pessoalmente ou por procurador bastante, alterar o nome, desde que não prejudique os apelidos de família, averbando-se a alteração que será publicada pela imprensa”. O objetivo é ajudar travestis e transexuais que atingirem a maioridade para que obtenham a mudança do prenome para o nome como são conhecidos, na certidão de nascimento.
O grupo de trabalho foi definido em reunião realizada no dia 10 de março, com a participação da defensora pública Felícia Fiuza; do advogado Diogo Monteiro, coordenador de Proteção à Livre Orientação Sexual da Sejudh; da advogada Rosemeiry Pereira, da Comissão da Diversidade da OAB-PA e de Adam Muller, diretor do Movimento LGBT e coordenador de Transexuais e Travestis da entidade.
Diogo Monteiro destacou que o parecer vai ajudar a processar a modificação do nome pelo “apelido notório”, que é o nome com o qual o travesti ou transexual se identifica e é identificado. Já a defensora Felícia Fiuza reforça que a ação de redesignação vai atender apenas os assistidos a partir e até 18 anos, ou seja, o pedido pode ser feito por aquele que completou a maioridade (18 anos) até a véspera de completar 19 anos.

Texto:
Micheline Ferreira


Ópera La Traviata volta aos palcos de Belém no Theatro da Paz
A montagem experimental da ópera La Traviata, com elenco e equipe técnica totalmente paraense, volta aos palcos de Belém para duas apresentações, que serão realizadas nesta quarta-feira, 19, e quinta-feira, 20. Desta vez, o espetáculo será apresentado às 20 horas, no Theatro da Paz.
Idealizada pela cantora lírica paraense Jena Vieira, que trabalhou com a direção desse tipo de espetáculo nos Estados Unidos, a montagem faz uma mistura inusitada de ópera com cinema mudo. As cenas da ópera são intercaladas com a exibição do filme mudo ‘Camille’(1920), tanto a ópera quanto o filme são baseados no romance ‘A Dama das Camélias’, do escritor francês Alexandre Dumas Filho.
A direção musical e regência são de Ronaldo Sarmanho. No elenco estão algumas das mais belas vozes do canto lírico paraense: Dione Colares, Antônio Wilson e Idaías Souto. “Eles têm voz própria para o papel e, por isso, foram escolhidos para participar da montagem”, comenta Jena Vieira.
Na ópera, a soprano Dione Colares interpreta Violeta, uma cortesã que vive um relacionamento amoroso com Alfredo, personagem interpretado pelo tenor Antônio Wilson. O pai de Alfredo, vivido pelo barítono Idaías Souto, não aceita o romance entre o filho e uma cortesã, e convence Violeta a abandonar Alfredo para preservar a reputação da família.
O espetáculo foi apresentado em Belém, pela primeira vez, no ano passado, durante a programação do XXVI Festival Internacional de Música do Pará, que homenageou o centenário da morte de Giuseppe Verdi. A apresentação da peça foi realizada no Teatro Cláudio Barradas e teve grande sucesso de público, recebendo convites para ser montada fora do Estado.
Em janeiro deste ano, o espetáculo integrou a programação do 36º Curso Internacional de Verão de Brasília. Na capital federal, a montagem foi realizada com alunos que participavam do curso, mas manteve a direção cênica de Jena Vieira e a participação especial do pianista Paulo José Campos de Melo, superintendente da Fundação Carlos Gomes e responsável pela execução da partitura original da ópera e das improvisações ao piano, nos momentos do espetáculo em que há a interação com as cenas de cinema mudo.
A diretora cênica conta que quem compareceu ao Teatro Plínio Marcos, da Funarte, ficou encantado. “Os professores estrangeiros que participaram do evento ficaram impressionados com a originalidade da montagem e com as improvisações ao piano. O espetáculo foi muito elogiado”, lembrou Jena.
A ópera “La Traviata”, que em português significa “A mulher caída”, é do compositor italiano Giuseppe Verdi com libreto (textos adaptados para ópera) de Francesco Maria Piave. A apresentação, que ganhará os palcos do Theatro da Paz, é dividida em três atos com 1h45 de duração. A entrada é franca, com retirada de ingressos na bilheteria do teatro nos dias do espetáculo, a partir de 9h da manhã.
SERVIÇO:
‘LA TRAVIATA’
Datas: 19 e 20 de março
Hora: 20h
Local: Theatro da Paz
Entrada Franca com retirada de ingressos nos dias do espetáculo a partir de 9h.

Texto:
Rosa Cardoso


Encontro sobre educação abre inscrições
Em busca de discutir didáticas e práticas na diversidade cultural, o grupo de pesquisa Sociedade, Ciência e Ideologia, juntamente com o Departamento de Educação Geral da Universidade do Estado do Pará (Uepa), realizará o II Encontro Regional de Didática e Prática de Ensino da Amazônia (Erdipea). O evento ocorrerá entre os dias 23 e 25 de abril e está com as inscrições abertas.
Os interessados em participar devem preencher e enviar o formulário de inscrição, disponível no site do Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE) da Uepa, até o dia 23 de abril, junto com o comprovante de pagamento da taxa de inscrição, para o e-mail erdpe.uepa@gmail.com. Para a apresentação de trabalhos, em forma de pôsteres, comunicação oral, relatos de experiência e resumos, a inscrição segue até o dia 24 de março. Para se inscrever, os estudantes devem pagar uma taxa de R$ 40 e os professores e demais profissionais, o valor de R$ 80.
A troca de informações entre os profissionais das áreas de Licenciatura e Educação sobre as vivências relacionadas às didáticas e práticas de ensino está entre os objetivos do evento. Para a professora e coordenadora do encontro, Josevett Miranda, “o evento serve para que possamos estar, a todo tempo, renovando as nossas práticas nas salas de aula, sempre com um novo olhar para a educação do século XXI. É preciso acompanhar todos estes processos de mudanças que existem na área, além de propiciar esta troca de experiências, onde os participantes demonstram a aplicabilidade e como tem melhorado os níveis de ensino”.
O Erdipea abrange a prática educativa em ambientes não escolares, como a área médica, empresarial e ambiental. A primeira edição aconteceu em 2011 e contou com 400 participantes, além da presença da professora da Universidade de Brasília (UNB), Ilma Alencastro Veiga, que discutiu duas dimensões pedagógicas, a didática e a prática de ensino.
Este ano, o encontro contará com a presença do professor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), José Carlos Libâneo, que também já atuou como docente da Universidade Federal de Goiás (UFG). Formado em Filosofia e especializado em Educação Escolar Brasileira, o professor é mestre e doutor em educação, além de possuir diversas publicações nas áreas de aceleração escolar, educação de adolescentes e adultos, democratização da escola pública e outras.
O encerramento do Erdipea deste ano conta com o show intitulado Cantos Amazônicos, do professor e cantor Edelmiro Soares, onde serão apresentadas obras de artistas da Amazônia, como Nilson Chaves e Waldemar Henrique.

Texto:
Ize Sena

 
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...