Total de visualizações de página

segunda-feira, setembro 07, 2015

Morre o ex-governador Alacid Nunes, aos 90 anos


Ex-governador Alacid Nunes é enterrado com honras de Chefe de Estado
Maria Auxiliadora Gama, 75 anos, chegou cedo ao Palácio Lauro Sodré. Queria acompanhar os últimos momentos do velório do ex-governador Alacid Nunes e, depois, seguir o cortejo rumo ao Cemitério Santa Izabel, onde o corpo do político foi enterrado, no começo da tarde desta segunda-feira (7). “Meu marido falecido, Haroldo Julião, foi secretário de Segurança Pública no primeiro Governo de Alacid. Eles eram muito amigos. Quando meu marido faleceu, Alacid acompanhou tudo, ficou sempre prestando apoio à nossa família. Por isso, estou aqui hoje, para retribuir”, disse.
A gratidão de Maria se misturava aos sentimentos de extremo respeito e admiração por parte de todos que compareceram ao enterro do ex-governador. O corpo de Alacid Nunes saiu do Palácio Antônio Lemos por volta do meio-dia, em um carro do Corpo de Bombeiros. Na chegada ao Cemitério Santa Izabel, recebeu honras militares de Estado, com cadetes da PM dando uma salva de três tiros. Na hora em que foi enterrado, em um jazigo da família, mais uma salva, dessa vez com 19 tiros.
Entre centenas de pessoas presentes à despedida, estava o senador Flexa Ribeiro, que lembrou a lealdade do ex-governador. “Alacid fez muitos amigos e foi amigo  permanente dessas pessoas. O Pará perde hoje um grande filho e fica devendo a ele, por tudo o que Alacid sempre fez para melhorar avida de todos”, afirmou. O ex-deputado Gerson Peres foi líder do Governo de Alacid Nunes, no primeiro mandato, e enalteceu o trabalho do político. “Ele foi um dos governadores que mais investiram na construção e recuperação de escolas. Foi uma grande perda para todos”, assinalou.
O secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Jeannot Jansen, lembrou o exemplo militar que foi o coronel Alacid Nunes. “Nunca ouvi nada que pudesse desabonar a conduta de Alacid Nunes enquanto homem público. Ele foi um político muito habilidoso, mesmo em um momento extremamente delicado para o país. Foi um político do qual todos falavam bem”, afiançou. Ex-secretário de Saúde, Hélio Franco também enfatizou a honestidade de Alacid Nunes. “Mesmo quem tinha pensamentos políticos diferentes dos dele sempre o respeitou”, concluiu.
Texto:
Syanne Neno


Governo e Prefeitura decretam
luto oficial pela morte de
ex-governador
Alacid da Silva Nunes foi vítima
de um infarto na noite do último
sábado, 5. Corpo está sendo
velado
neste domingo, 6, no Palácio
Lauro Sodré, em Belém.

O Governo do Estado e a Prefeitura de Belém decretaram luto oficial de três dias em memória ao ex-governador Alacid da Silva Nunes, que morreu vítima de um infarto na noite do último sábado (5), no município de Soure, no arquipélago do Marajó. O corpo já está em Belém e será velado durante a tarde deste domingo (6) no Palácio Lauro Sodré, que atualmente abriga o Museu do Estado.
O ex-governador, que completaria 91 anos no próximo dia 25 de novembro, passava o fim de semana em sua fazenda no Marajó quando, por volta das 22h, sentiu fortes dores no peito e nas costas. Socorrido por familiares, entre eles o filho, Hildegardo Nunes, secretário estadual de Agricultura e Pesca, Alacid não resistiu até a chegada do atendimento médico.
O político, que exerceu os cargos de prefeito de Belém, foi duas vezes governador do Estado, e outras duas, deputado federal.
Trajetória
Formado pela Academia Militar das Agulhas Negras, Escola de Educação Física do Exército e Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, no Rio de Janeiro, Alacid Nunes foi comandante da Zona Militar Norte, em Recife, em 1960; secretário de Segurança no então Território Federal do Amapá, em 61; e de 61 a 64, de volta a Belém, onde nasceu, chefiou a 28ª Circunscrição de Recrutamento, foi delegado do Comando Militar da Amazônia e presidente da Comissão de Abastecimento Regional da VIII Região Militar.
Ele foi nomeado prefeito de Belém em 1964, ano em que a ditadura militar se instalou no país. Um ano depois, Nunes renunciou ao cargo para concorrer às eleições para governador do Pará. Elegeu-se pela UDN numa acirrada disputa. Governou o Estado de 1966 a 1971, afastando-se da política até 1974, período em que dirigiu uma fábrica de cimento em Capanema.
Voltou para ser eleito deputado federal e, quatro anos mais tarde, ser reconduzido ao poder executivo, governando o Pará pela segunda vez, de 1979 a 1983. A partir daí, só disputou novo pleito em 1990, elegendo-se novamente deputado federal.



Nunes ingressou na carreia política ao ser
nomeado prefeito de Belém em 1964, ano em que
a ditadura militar se instalou no Brasil.



Morre o ex-governador Alacid Nunes, aos 90 anos










Faleceu por volta das 22 horas de sábado (05), o ex-governador do Pará, Alacid da Silva Nunes, aos 90 anos. Ele estava com familiares em uma fazenda nas proximidades de Soure, no Marajó, quando sofreu um infarto fulminante.
De acordo com a nora do ex-governador, Zinda Nunes, esposa do ex-vice-governador do Pará, Hildegardo Nunes, não houve tempo para prestar os primeiros socorros.
"A fazenda fica distante cerca de uma hora do centro da cidade. Ele sentiu fortes dores no peito e nas costas, antes de sofrer o infarto. Infelizmente, não foi possível fazer nada", descreveu.
Após a confirmação, o falecimento de Alacid Nunes rapidamente virou assuntos nas redes sociais entre admiradores, empresários e políticos locais.
O corpo do ex-governador foi conduzido para Belém na manhã deste domingo (06).
VELÓRIO
O corpo de Alacid Nunes foi preparado para o velório após ser trazido de Soure para Belém, na manhã deste domingo (6).
As homenagens começaram a partir das 14h no Palácio Lauro Sodré, sede do governo do estado, no bairro da Cidade Velha, em Belém.
O corpo do ex-governador será velado durante toda a madrugada até a manhã desta segunda-feira (7), onde por volta das 11h da manhã será sepultado no cemitério Santa Izabel, no bairro do Guamá.
TRAJETÓRIA
Alacid da Silva Nunes nasceu em Belém, no dia 25 de novebro de 1924, e seguiu carreira militar no Rio de Janeiro, onde frequentou, dentre outras instituições, a Academia Militar das Agulhas Negras, e foi comandante da Zona Militar Norte, em Recife (PE), no ano de 1960.
No ano seguinte, foi secretário de Segurança e chefe de Polícia do Estado do Amapá, e retornou para Belém onde graduou no curso de Economia, pela Universidade Federal do Pará (UFPA).
Entre os anos 1961 e 1964, foi chefe da 28ª Circunscrição de Recrutamento, delegado do Comando Militar da Amazônia e presidente da Comissão de Abastecimento Regional da VIII Região Militar.
Naquele mesmo ano de 1964 foi nomeado prefeito de Belém, mas renunciou ao cargo para concorrer a governador do Pará nas eleições do ano seguinte. Venceu e cumpriu seu primeiro mandato de 1966 a 1971.
Após exercer o cargo, dirigiu a Fábrica de Cimento do Brasil S/A, em Capanema, nordeste paraense, até 1974, quando foi eleito deputado federal.
Anos mais tarde, por decisão do então presidente Ernesto Geisel, em 1978, foi empossado governador do Estado do Pará, cumprindo o seu segundo mandato, de 1979 a 1983.
Naquele último ano, passou a apoiar a candidatura do deputado federal Jader Barbalho como seu sucessor ao governo.
Jader foi eleito ao derrotar o empresário Oziel Carneiro, que era apoiado pelo então senador Jarbas Passarinho, que por sua vez tinha o apoio do presidente João Figueiredo.
Finalmente, foi membro do Conselho de Administração da Companhia Vale do Rio Doce, entre 1985 e 1990, durante a presidência de José Sarney, e, em 1990, foi eleito deputado federal, enquanto o filho, Hildegardo Nunes, foi eleito vice-governador do Pará, em 1998, no pleito que reelegeu o governador Almir Gabriel.
(DOL)

Corpo de ex-governador é velado em Belém

Familiares, amigos, políticos e população de Belém participam na tarde deste domingo do velório do ex-governador do Pará, Alacid Nunes, que faleceu na noite deste sábado (5), vítima de um infarto.
O evento ocorre desde às 14h, no Palácio Lauro Sodré, no bairro da Cidade Velha, e já contou com a presença de dezenas de pessoas.
Diversos parentes prestam às últimas homenagens ao político, incluindo o seu filho, Hildegardo Nunes, ex-vice governador do Estado e atual secretário estadual de Agricultura e Pesca.
Outras personalidades políticas, como o governador Simão Jatene, também participaram do velório. Durante a manhã, Jatene ainda decretou luto oficial de três dias no Estado em honra à memória de Alacid. A prefeitura de Belém também decretou luto oficial pelo mesmo período.
O corpo deverá permanecer no local até a manhã desta segunda-feira (7), quando seguirá para sepultamento no cemitério de Santa Izabel, no bairro do Guamá.
(DOL com informações de Alexandre Cunha/Diário do Pará)


Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...