Total de visualizações de página

quarta-feira, outubro 29, 2014

O PARÁ NÃO PODE PARAR







Governador Simão Jatene fala sobre o novo mandato em entrevista
Um dia após o pleito que o reelegeu governador do Pará para um mandato de mais quatro anos, Simão Jatene (PSDB), cumpriu uma extensa agenda de entrevistas aos veículos de comunicação da capital na manhã desta segunda-feira, 27. O chefe do Executivo Estadual esteve nas principais emissoras, onde falou sobre o resultado das Eleições, a expectativa para o novo exercício administrativo, os desafios que ele traz e, em particular, fez questão de agradecer a todos os paraenses pela terceira vitória conquistada nas urnas, neste domingo, 26.
A primeira entrevista do dia foi concedida, ainda na residência oficial, ao apresentador do programa Balanço Geral, da TV Record, René Marcelo. Em um clima descontraído, Jatene falou sobre o resultado das eleições, que segundo ele representam um recado importante da população à gestão estadual; os compromissos assumidos em campanha, a missão de governar um estado com características culturais e econômicas tão diversas e sobre o que ele definiu como os principais desafios de seu governo: a redução da pobreza e das desigualdades.
Da residência oficial o governador seguiu para os estúdios do SBT Belém, onde foi entrevistado pelo apresentador Valdo Souza, à frente do programa SBT Pará. À emissora, o governador reeleito reiterou seu compromisso de lutar pelo reconhecimento do potencial que o Pará tem no cenário econômico brasileiro e que, segundo ele, poderia assegurar o fortalecimento de vários setores que ainda são providos única e exclusivamente com recursos próprios, como a saúde e a educação.
O compromisso seguinte foi na TV Liberal, onde Simão Jatene participou do Jornal Liberal 1ª Edição, apresentado pela jornalista Priscilla Castro. O programa abriu espaço para perguntas feitas por telespectadores da emissora em todo o Estado.  
Entre as expectativas para este terceiro mandato, o govenador ressaltou que espera poder articular iniciativas com o governo federal apesar da presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) ter apoiado seu adversário político no Pará. "A ideia é unificar o Brasil para contribuir com as bases. Não vejo problemas com a Dilma, eu respeito e espero reciprocidade", disse.
O governador voltou a falar sobre o pacto federativo, que por meio da desoneração de exportações, gera saldo na balança comercial sem garantir riqueza para a população do estado. "O Pará tem contribuído para o desenvolvimento do Brasil, mas não tem tido o retorno disso. Não dá pra sermos o segundo maior saldo da economia e termos indicadores precários."
Jatene também informou que fez um balanço da sua atuação política, e acredita que será mais fácil fazer obras no segundo mandato. "Tenho o princípio de que, a todo tempo é preciso avaliar os acertos e os erros, e rediscutir a estrutura organizacional do estado. Tivemos dificuldade para equilibrar as contas, mas agora está mais fácil."
Em resposta aos questionamentos feitos pelos telespectadores, Jatene discorreu sobre vários assuntos, como a saúde pública, cultura e segurança. “Vamos dar continuidade a todas as obras, ampliar ainda mais o número de hospitais e os serviços que eles prestam à população, além de construir os centros de integração de governo, que atuarão como subsedes do governo em todas as regiões do Pará, unindo cada vez mais o Estado".

Texto:
Antenor Filho


Emater garante à etnia Tembé acesso a programas habitacionais e produtivos
Cerca de mil indígenas da etnia Tembé, da tribo residente na região do Alto Rio Guamá, no nordeste paraense, recebem apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) para inclusão em políticas públicas e projetos produtivos. No último dia 23, no município de Santa Luzia do Pará, na região nordeste, a Emater entregou 98 documentos, que garantem acesso ao Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), o “Minha Casa, Minha Vida”. Nesta quinta-feira (30), lideranças indígenas seguem para o município de São João de Pirabas, onde conhecerão projetos de piscicultura.
Em Santa Luzia do Pará, técnicos da Emater entregaram 98 Declarações de Aptidão do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAPs/ Pronaf), que permitem o acesso a várias políticas públicas, como o programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida”, e ao crédito rural.
“Além de conseguirem casas para morar, em um momento próximo, eles poderão financiar os projetos produtivos de piscicultura para criação de tambaqui, aracu e tilápia, como foi externado na reunião da última quinta-feira. Mas nossa primeira meta é fornecer informações. Em breve, um curso será ministrado para cinco representantes de cada aldeia, que se transformarão em multiplicadores”, informou Jairo Eiras, supervisor regional da Emater em Capanema, no nordeste paraense.
As informações aos indígenas precisam ser consolidadas. Para isso, na manhã desta quinta-feira (30), as lideranças indígenas conhecerão um projeto de piscicultura que vem dando bons resultados, na propriedade de Sergio Lindermann, no município de São João de Pirabas. No local são criados pirarucus em cativeiro, com tecnologia diferenciada. No prazo de um ano, em 30 metros quadrados de lâmina d’água, 500 pirarucus alcançam uma produtividade de cinco toneladas de pescado.
Ainda como forma de auxiliá-los na melhoria de renda e segurança alimentar, a supervisão da Emater em Capanema entregou, durante a visita, mil mudas de banana, da variedade BRS Conquista, cedidas pela Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri). A distribuição foi organizada pela Associação do Grupo Indígena Tembé das Aldeias Sede e Ituaçu (Agitasi).
A tribo do Alto Rio Guamá tem cerca de mil índios, distribuídos por 13 aldeias. A área, protegida pelo governo federal, tem cerca de 280 mil hectares e envolve parte dos municípios de Garrafão do Norte, Capitão Poço, Ourém, Santa Luzia do Pará, Cachoeira do Piriá e Viseu.

Texto:
Kenny Teixeira


Estação das Docas e Mangal das Garças abrem normalmente domingo
A Estação das Docas funciona normalmente neste domingo (2), feriado do Dia de Finados, no horário 9h à meia-noite. O Mangal das Garças também estará aberto, no horário de 9h às 18h. Ambos os espaços têm entrada franca. Informações: 3212-5525.

Texto:
Camila Barros


Casa da Linguagem prepara semana de debates sobre Belém
Fazer abordagens reflexivas, instigantes e propor discussões sobre as diversas transformações pelas quais a cidade de Belém passou nestes últimos anos é a meta do seminário “Belém 400 anos: a cidade como um texto aberto”, em que estudiosos de diversas temáticas vão apresentar palestras e promover círculos de debates com o público. O circuito ocorrerá no período de 3 a 7 de novembro, na Casa da Linguagem, unidade da Fundação Curro Velho.
Na abertura do encontro, no próximo dia 3 de novembro, às 17h, a doutora em História Social e professora da Universidade Federal do Pará (UFPA) Maria de Nazaré Sarges vai expor a palestra “A cidade e seus moradores: Belém no tempo da borracha”, que discorre sobre os processos de modernização, urbanização e construção da Belém do inicio do século XX.
“Tento mostrar ao público a importância de obras do período áureo da borracha, mas sem esquecer que a cidade é habitada por indivíduos que sofrem reações diante dessas mutações que Belém enfrenta nesse período. As mudanças que ocorrem e como os moradores são impactados no momento em que há a explosão da exportação da borracha”, comenta a professora.
No segundo dia, o arquiteto Antônio Lamarão, especialista em desenvolvimento de áreas Amazônicas, vai discursar sobre “Diretrizes para requalificação do Centro Histórico de Belém”. Constituído pelos bairros Cidade Velha, Reduto e Campina (Comércio), o centro da capital paraense abriga o maior comércio a céu aberto do Estado e, devido isso, sofre alterações e impactos na sua geografia.
“Nessa palestra sempre faço um breve resumo sobre as transformações ocorridas ao longo tempo para introduzir o momento atual. Propomos metas e soluções às deficiências causadas pela ação do homem, tanto a arquitetura, quanto a urbanização, como ocupações irregulares de camelôs, estacionamentos, depois deste levantamento, estudamos alternativas viáveis à preservação da memória”, adianta o arquiteto, que é mestre em Planejamento do Desenvolvimento pela UFPA.
No decorrer da semana, também serão apresentadas as palestras “Belém na literatura: a cidade como personagem e metáfora”, de Paulo Nunes, doutor em Literaturas de Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) Minas. O quinto dia será para apresentação da doutora em História Social pela PUC-SP Ivone Xavier Almeida, com o tema “A multicultural Belém a caminho dos 400 anos”. As atividades serão encerradas pelo jornalista e especialista em gastronomia e turismo Fernando Jares Martins, ministrando o seminário “Bembelém – Cidade agora deslendada”.
A atividade faz parte do projeto “Viação Curro Velho”, idealizado pela fundação e que, por meio de oficinas, encontros e atividades, está promovendo uma programação em alusão ao aniversário de 400 anos de Belém e tem por objetivo expor o espaço urbano como um registro de memórias coletivas, dando à cidade a forma de um dispositivo de transmissão de informação que é difundida com o passar dos anos.
A programação é gratuita e voltada a universitários, alunos do ensino médio e o público em geral que tenha curiosidade em conhecer mais sobre a história da cidade de Belém. As rodas literárias ocorrerão na Casa da Linguagem, a partir das 17h, na Avenida Nazaré, 31, esquina com Avenida Assis de Vasconcelos. Mais informações pelo telefone 3184-9127 e 8895-1334.

Texto:
Andreza Gomes


Segurança integrada do Pará e Amapá é tema de encontro na Segup
Representantes de órgãos de segurança pública dos Estados do Pará e Amapá se reuniram na manhã desta quarta-feira (29), em Belém, para discutir ações integradas de planejamento. O encontro, que ocorreu no auditório da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), é uma iniciativa do Conselho de Segurança Pública do Meio Norte (Comen), que tem como principal meta o combate à criminalidade interestadual, por meio da integração das forças policiais da União e dos Estados participantes.
“Essa reunião é para definir uma proposta operacional denominada operação ‘Segurança Sem Limites’, no Pará e Amapá. O principal objetivo é estender ações de policiamento, fiscalização e cidadania a uma região limite entre os dois Estados”, explica o presidente do Comen e secretario de Estado de Justiça e Segurança Pública do Amapá, Nixon Kenedy Monteiro.
Para o delegado Dilermando Dantas, diretor do Grupamento Fluvial de Segurança Pública do Pará, a integração entre os órgãos de segurança dos dois Estados facilita o trabalho de atuação da polícia. “A importância da integração é sem igual. No caso especifico de atuação nos rios da região amazônica, já somamos diversos resultados positivos com o trabalho conjunto com a Polícia do Amapá. Quanto mais integrado for o trabalho do sistema de segurança, melhor será o resultado de nossas ações”, afirmou o delegado.
O encontro técnico do Comen se estende até quinta-feira (30), quando ocorrem as discussões de planejamento da operação “Segurança sem Limites”. A operação terá a participação dos seguintes órgãos: Segup, Polícia Militar, Polícia Civil, Departamento de Trânsito do Pará (Detran), Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, Corpo de Bombeiros, Grupamento Aéreo de Segurança Pública, Grupamento Fluvial de Segurança Pública, Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Marinha do Brasil, Receita Federal e Centro Gestor do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Texto:
Adison Ferrera


Curralinho e São Sebastião da Boa Vista recebem oficina de elaboração de projetos culturais
No período de 20 a 24 de outubro, os municípios de Curralinho e São Sebastião da Boa Vista, na Ilha do Marajó, sediaram a oficina “Elaboração de Projetos Culturais”, ministrada pela produtora cultural Carmen Ribas, levada por meio do Pará Criativo. A ação contou com o apoio da Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó (Amam), Instituto de Artes do Pará (IAP), Representação Regional Norte do Ministério da Cultara (RRN/MinC) e Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Manuel de Vera Cruz Sá.
Este foi o segundo módulo da oficina no polo Marajó. Em setembro, Afuá recebeu o primeiro, ministrado por Alexandre Sequeira. O terceiro, também ministrado por Carmen Ribas, será em Cachoeira do Arari, ainda este ano. A Regional Norte do MinC acompanhou as ações para falar sobre o Sistema Nacional de Cultura e os editais do ministério que estão em andamento.
Nos dois municípios a atividade reuniu um público bastante heterogêneo, que incluiu funcionários públicos municipais, artistas e professores. Alguns deles já estão envolvidos com projetos e buscam aprofundar conhecimentos, como é o caso do diretor cultural da Secretaria de Cultura de Curralinho, Zaqueu Ribeiro. “Trabalho diretamente na formatação de projetos e uma das principais dificuldades que percebo está na captação de verbas para eventos culturais. A oficina nos apresentou os itens e ferramentas necessárias para a elaboração de projetos mais sólidos”, avalia.
Outros desenvolviam atividades culturais, mas ainda não tinham familiaridade com a elaboração de projetos, como o decorador Fábio Silva Lavareda. “Tenho um grupo de quadrilha e um bloco de carnaval, e minha principal motivação ao buscar a oficina foi entender os meios de captação de recursos. Agora sei como organizar as as idéias para poder iniciar um projeto”, afirma.
Representantes da educação também estiveram presentes, como a professora do Ensino médio, Luciane Farias. Recentemente nomeada coordenadora de um projeto em implantação na escola em que trabalha, Luciane quis entender como elaborar um projeto para a área educacional. “O programa no qual trabalho tem a possibilidade de ser financiado pelo MEC, mas, para isso, a escola tem que apresentar um projeto. Gostei bastante do que a Carmen nos passou na oficina, esse é o tipo de conhecimento de extrema utilidade para todos que trabalham com projetos, em diferentes áreas", argumenta.
A diretora da escola que recebeu a ação, Deusilene Miranda, também avaliou positivamente o resultado da oficina no município. “No interior, a produção de projetos culturais é muito acirrada, aqui muitas vezes o individual prevalece sobre o coletivo. Além das questões práticas relacionadas à elaboração de projetos, a oficina trabalhou bastante a interação entre os grupos e isso teve um impacto muito positivo. A nossa contrapartida, enquanto instituição de ensino, é fazer com que o nosso aluno socialize com os demais segmentos da própria escola e da sociedade os conhecimentos adquiridos”, fala.
O coordenador do grupo de hip hop Freestyle Marajó Crew, João Batista, não participou da oficina, mas contou com apoio dos colegas para desenvolver o trabalho do seu grupo. “Comecei a treinar hip hop sozinho aqui na escola e, com o tempo, os meninos foram se interessando. Hoje a minha turma conta com 25 alunos, fazemos apresentações na cidade e já estivemos em Portel também. O principal desafio que enfrento é manter o interesse dos meninos por esse trabalho, e pra isso quero organizar batalhas de hip hop entre os municípios do Marajó. Agora mais do que nunca sei que uma das maneiras de concretizar isso é botar tudo no papel”, avalia.

Texto:
Juliane Frazão


Encontro na Sespa discutirá aspectos sobre planejamento reprodutivo
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio da Coordenação Estadual de Saúde da Mulher, realizará nesta quinta-feira, 30, o segundo encontro com os coordenadores de Planejamento Reprodutivo dos Centros Regionais de Saúde (CRS) vinculados à Sespa, com a finalidade de traçar metas de trabalho em relação às políticas de saúde para as mulheres A atividade acontecerá a partir das 9 horas, na biblioteca do Nível Central da Secretaria, em Belém.
Segundo a coordenadora estadual de Saúde da Mulher, Conceição Carneiro, o objetivo do encontro será de avaliar as estratégias pactuadas no primeiro encontro, ocorrido em outubro de 2013, e discutir temas abordados na Videoconferência do Ministério da Saúde, ocorrida no dia 29 de agosto deste ano, para que se possa montar novas estratégias conjuntas que melhorem a qualidade do Programa Planejamento Reprodutivo em todos os municípios do Estado. “Nosso trabalho orienta-se pelo desenvolvimento de ações preventivas e educativas e pela garantia do acesso igualitário às informações, meios, métodos e técnicas disponíveis para regulação da fecundidade”, explica Conceição, em nota oficial sobre o evento.
O documento refere também que as ações da Coordenação foram implantadas em todos os municípios paraenses abrangendo a capacitação de profissionais de saúde da atenção básica, a educação em saúde em todas as unidades de saúde, a aquisição e a disponibilização, via Ministério da Saúde, dos seguintes medicamentos e métodos contraceptivos: Pílula Combinada; Pílula de Emergência; Minipílula; Injetável Mensal; Injetável Trimestral; Dispositivos Intra - Uterinos – DIU; Diafragma e Anéis Medidores; Preservativos masculinos e femininos, que são distribuídos pelo Programa de DST/AIDS.
Com duração de oito horas, o encontro tem o compromisso de formar multiplicadores de conhecimentos em cada um dos municípios de abrangência dos Centros Regionais. “Analisaremos os assuntos que serão colocados em pauta pelos participantes sob o ponto de vista da garantia dos direitos reprodutivos e ao planejamento familiar, além de promover o fortalecimento da atenção à saúde”, explica Conceição Oliveira.
Serviço: II Encontro entre os Coordenadores do Planejamento Reprodutivo dos 13 CRS vinculados à Sespa inicia às 9 horas na biblioteca do Nível Central da Secretaria, situada na travessa Presidente Pernambuco, 489, entre as avenidas Conselheiro Furtado e Gentil Bittencourt. Mais informações pelo fone (91) 4006-4293.

Texto:
Mozart Lira


Lançado o edital de apoio a doutores recém-contratados
As Instituições de Ensino Superior (IES) e instituições de pesquisa já podem submeter propostas ao Edital nº 016/2014 – Apoio a Doutores Recém-Contratados. O certame foi lançado pela Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa), juntamente com a Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), nesta quarta-feira, 29, no Diário Oficial do Estado.
Com esse Edital, a Fapespa e a Capes buscam fortalecer o desenvolvimento da pesquisa científica, tecnológica e de inovação ao apoiar os pesquisadores recém-contratados em IES e instituições de pesquisa, por meio da concessão de apoio financeiro em custeio e bolsas de iniciação científica para até 20 projetos.
Para isso, os recursos financeiros destinados às propostas aprovadas são de um total de R$ 1 milhão, sendo R$ 650 mil provenientes da Capes e R$ 350 mil da Ação de Incentivos a Projetos de Pesquisa em Ciência e Tecnologia da Fapespa. Dessa forma, serão concedidos, pela Fundação, financiamentos às instituições para até sete projetos de pesquisa de doutores recém-contratados, com o valor máximo de R$ 50 mil cada, sendo R$ 30 mil para despesas de custeio e R$ 20 mil às bolsas de Iniciação Científica, que serão no valor de R$ 400,00.
Já a Capes concederá recursos financeiros às despesas de custeio de até 13 projetos de pesquisa no valor máximo de R$ 50 mil, para cada um, que serão repassados por meio do Auxílio a Pesquisador. Cada instituição poderá apresentar uma única proposta contendo até cinco candidatos para o apoio a doutores recém-contratados. As propostas submetidas ainda passarão por três etapas de seleção: enquadramento; análise de mérito e classificação de propostas; e homologação de resultados.
Serviço: Mais informações podem ser obtidas na Diretoria Científica da Fapespa pelo e-mail dicet@fapespa.pa.gov.br ou pelo telefone (91) 3323-2564. Para consultar o Edital nº 016/2014 – Apoio a Doutores Recém-Contratados, acesse o link: http://www.sig.fapespa.pa.gov.br/index.php?id=3&acao=4&edital_id=418.

Texto:
Simone de Campos


Imprensa Oficial do Estado doa livros para a campanha "Livro Viajante" da Infraero
O Governo do Estado, por meio da Imprensa Oficial do Estado (IOE), doou 400 livros de autores paraenses para a campanha "Livro Viajante", desenvolvida pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). A ação, que faz parte das comemorações pelo Dia Nacional do Livro, foi realizada nesta quarta-feira, 29, no Aeroporto Internacional de Belém. Até a próxima quarta-feira, os passageiros poderão retirar gratuitamente um ou mais exemplar dos mais de mil disponíveis em vários pontos dos terminais, com o compromisso de, depois de ler, devolver a obra em algum aeroporto da empresa para que outras pessoas possam ler também.
A ajudante de cozinha Maria Robere Barbosa, de 35 anos, que junto com o filho, Flávio Barbosa da Silva, havia chegado de São Luiz (MA) e esperava para embarcar para Altamira, aproveitou o tempo entre uma conexão e outra pra botar a leitura em dia. Com um livro de poemas na mão, ela aprovou a iniciativa da Infraero, em parceria com o projeto Livro Solidário da IOE. “Foi uma surpresa muito boa encontrar esses livros pra distrair a mente e esperar o nosso próximo voo”, contou. “Mais iniciativas como essa deveriam acontecer, pois é uma forma de incentivar o hábito da leitura”, constatou.
A professora Vitória Maria Leite, que esperava um amigo que vinha de outro estado, levou o pequeno Artur, de cinco anos, pra conhecer o projeto. “Ele gosta muito de ler, e eu e o pai dele, lemos muito pra ele. É uma forma de incentivá-lo a gostar cada vez mais dos livros”, pontuou. Artur pegou um dos exemplares do livro “Aventuras da Bíblia” editado pela Sociedade Bíblica do Brasil, doados para o projeto Livro Solidário.
“Além desses exemplares nós selecionamos vários outros de autores paraenses para compor o acervo do Livro Viajante como uma forma de divulgar a literatura que é produzida no nosso estado”, contou a técnica do Livro Solidário, Lucila Girão. “É uma forma de fazer com que pessoas de todo o Brasil conheçam as belezas do Pará por meio dos livros dos nossos escritores”, concluiu.
Segundo o superintendente regional da Infraero, Abibe Ferreira Júnior, a leitura é uma ferramenta de inclusão social, “por isso é importante disponibilizar a leitura para a população”, pontuou. “E os passageiros que pegam esses exemplares, mesmo que não devolvam, vão ter momentos de lazer por meio dos livros. Entre um voo e outro, dá tempo de fazer uma boa leitura. Isso torna a viagem mais tranquila e um livro é sempre uma boa companhia”, atestou.
A coordenadora do Livro Viajante, Odilene Amazonas, disse que qualquer pessoa pode contribuir com o projeto, que está em sua segunda edição.  “Se você tem um livro que queira doar pode deixá-lo em qualquer balcão da Infraero, ou pode ligar para o telefone 3210-6017, que vamos buscá-lo”, esclareceu.

Texto:
Ronaldo Quadros


Fwd: The New York Times publica matéria sobre culinária paraense
O jornal americano The New York Times publicou no último sábado (25), uma matéria sobre a diversidade da culinária exótica amazônica. De autoria do renomado jornalista Simon Romeiro, correspondente do The New York Times no Brasil desde 2011, a reportagem leva o título "Comida Ousada, Da Boca da Amazônia Para a Sua", (título original "Daring Fare, From Amazon's Mouth to yours"), e aborda o uso dos ingredientes e frutas exóticas como o bacuri, cupuaçu, uxi, açaí e até as típicas mangas paraenses na criatividade gastronômica. Os peixes amazônicos de água doce também foram destaque na matéria. Com o apoio do restaurante paraense Remanso do Bosque, o The New York Timesacompanhou desde a compra do pescado no mercado do Ver-o-Peso ás quatro da manhã, até o seu tradicional consumo, acompanhado de açaí sem açucar, coletado por ribeirinhos diretamente da Ilha do Combú.

O chef paraense Thiago Castanho, foi a principal fonte da reportagem. Ele que é dono do restaurante Remanso do Bosque, enfatiza que a Amazônia tem todos os recursos e potenciais para produzir cozinha de primeira classe mundial, falta apenas imaginação.



"Pão" de tapioca com camarão seco e queijo, uma criação
do Chef paraense Thiago Castanho

LEIA MAIS

Americas | Belém Journal

Daring Fare, From the Amazon’s Mouth to Yours


BELÉM, Brazil — To start things off right at Thiago Castanho’s laboratory of Amazonian culinary revelations, take a sip of his signature cocktail, which blends cachaça, made from sugarcane, and jambu, an herb with analgesic properties whose flowers look like yellow and pink eyeballs. Sit back and let the jambu create a pleasant tingling sensation on the tongue.
Then on to the food. Try the cassava flat bread with dried shrimp, or a cheese made from the milk of water buffalos from Marajó, an island at the mouth of the Amazon River. Move on to plates like smoked mapará, a fish that tastes like eel, and then finish things up with a dessert of cupuassu fruit prepared with a sprinkling of flour made from manioc and the fruit of babassu palms, and Mr. Castanho’s ambitions grow clear. He wants to show the world that a bounty of little-known ingredients found in the Amazon has the potential to turn the cuisine of Latin America’s largest nation on its head.
“When people think of the Amazon, they envision the expanses of rain forest, maybe some settlements here and there,” said Mr. Castanho, a reserved 26-year-old who dresses like a surfer and speaks almost in a whisper.

“They forget that human beings have lived in the Amazon for thousands of years, experimenting throughout that time with the ingredients at their grasp,” he said in an interview at his restaurant, Remanso do Bosque. “It’s a little subversive, I know, but I think it’s time for the rest of the world to be exposed to some of these sublime creations.”
A more conventional route for an ambitious Brazilian chef would have been to open yet another restaurant in São Paulo, Brazil’s largest city and dining capital, where tattooed celebrity chefs have gathered in such large numbers that Julio Bernardo, an acerbic food critic and blogger, is gaining celebrity status for taking them down a notch.
But while Mr. Castanho studied at a culinary school in Campos do Jordão, an outpost of faux-Swiss chalets in the hills of southeast Brazil, he opted to return to his home city, Belém, a bustling Amazonian river outpost with a metropolitan population of 2.2 million more than 1,500 miles to the north of São Paulo’s concrete canyons.
Mr. Castanho has become one of Brazil’s most innovative chefs as he pioneers a culinary renaissance in Belém, a once-thriving center of the Amazon rubber trade that went into a long decline in the 20th century, remaining a backwater in the view of many Brazilians.
“Thiago comes around here some days, always bargaining for the freshest catch,” said Brasiliana da Silva, 53, a fishmonger in Belém’s riverside market, the Ver-o-Peso, where boats yield offerings each morning around 4 such as tambaqui, the large omnivorous freshwater fish whose barbecued ribs alone make a succulent feast.
“No one is more curious or demanding than Thiago,” Ms. da Silva said. “He’s always looking for something new.”
Few places in Brazil offer the fixings for terroir cuisine quite like Ver-o-Peso, named for the large scales on which harvests from points across the Amazon are weighed. Here, fish of all shapes and sizes are sold next to rain forest fruits like the sweet-and-sour tasting bacuri (resembling a rounded papaya) or the greenish egg-shaped uxi.
Ver-o-Peso is also where Mr. Castanho comes to buy açaí, the dark purple berrylike fruit which is a staple in this part of the Amazon. Before dawn each morning on the market’s cobblestone wharf, wholesalers sell baskets of fresh açaí harvested by families in villages near Belém.
While beachgoers in Rio de Janeiro generally consume açaí in smoothies, mixing its frozen pulp with sugar or other sweeteners, Mr. Castanho hews to tradition here, using the fruit to make an unsweetened thick cream with an earthy taste, or combining it with manioc flour to sprinkle on fresh fish.
Beyond the market, the inspiration for many of Mr. Castanho’s dishes comes from the streets of Belém, a four-century-old city where the jungle constantly seems to be seeking to reclaim its dominance.
So many mangoes, for instance, drop from Belém’s trees that drivers complain of mechanics profiting from repairing cars damaged by falling fruit. Vines envelop abandoned graffiti-splattered colonial homes, making it seem as if parts of the city have been allowed to evolve into elegant ruins even as contemporary high-rises soar above them. Mr. Castanho grew up in the lower rungs of the restaurant business, delivering pizzas for his father’s pizzeria in Belém. But he was immersed in Belém’s cooking traditions when his parents opened Remanso do Peixe, a restaurant serving food from Pará, the immense Amazonian state that is almost twice the size of Texas.
After attending culinary school, Mr. Castanho moved across the Atlantic to Lisbon to work for Vitor Sobral, the chef known for reinvigorating Portuguese cuisine, before returning to Belém to open Remanso do Bosque.
Eating at Remanso do Bosque isn’t cheap. But while its 12-course tasting menu costs about $65 per person, the 130-seat restaurant was full on a recent Friday night. In less than three years, it has climbed into the ranks of Latin America’s top-rated restaurants.
“Thiago is seizing the idea that the future of cooking may rest more in the diversity of ingredients than in technical experimentation, and that the Amazon is uniquely endowed to go down this path,” said Carlos Alberto Dória, a sociologist who writes widely about Brazil’s food traditions.
Sometimes this quest for innovation involves forays into the Amazon rain forest surrounding Belém. On one such recent trip by boat on the Guamá River to the Ilha do Combu, a forested island of peach-palms where riverbank families eke out an existence collecting fruits like pupunha and açaí, Mr. Castanho waded through swarms of mosquitoes called carapanãs.
“A little bit of sacrifice is worth it,” said Izete dos Santos Costa, 49, a farmer on the island who grows organic cacao and sells it to Mr. Castanho. After he began making chocolate desserts from the cacao, her harvests became coveted by chefs in distant São Paulo.
With deforestation rising again and huge dams under construction in Brazil’s Amazon, Mr. Castanho views the growth of demand for foods from the rain forest as a potential shift providing a more sustainable way to develop parts of the vast region, starting with the organic cacao grown on the Ilha do Combu.
“Why should the Swiss be such giants in the world of chocolate when Switzerland doesn’t grow any cacao?” he asked. “We have all the ingredients we need in the Amazon to produce world-class cuisine,” he continued. “Maybe all that’s needed to take things to the next level is some imagination.”

Plantão para entrega de kits da Corrida e Caminhada do Servidor
A Secretaria de Estado de Administração (Sead) informa que, mesmo com expediente facultado nesta sexta-feira (31), através do decreto estadual nº 1.155, estará de plantão das 9h às 16h, para fazer a entrega dos kits da III Corrida e Caminhada do Servidor.

Texto:
Thays D. Rosario


Segunda maior do Norte, biblioteca pública Arthur Vianna preserva memória através da leitura
Mesmo com o passar do tempo e as diversas mudanças nas plataformas de leitura (do papel para as telas de computadores, smartphones e tablets), o livro ainda é uma das principais fontes de educação, cultura e informação na sociedade, por isso ele é celebrado nesta quarta-feira, 29, data que marca o Dia Nacional do Livro.
Na Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, a valorização do livro e da leitura está presente no dia a dia dos servidores e do público que frequenta a instituição. O próprio prédio do Centur foi construído para abrigar a centenária Biblioteca Pública Arthur Vianna, considerada a instituição cultural mais antiga em funcionamento no Estado do Pará, além de ser a segunda maior biblioteca da região Norte.
A biblioteca Arthur Vianna guarda um acervo de aproximadamente 780 mil volumes (boa parte dele composta por livros). Algumas obras encontradas no local são extremamente raras como “Rimas varias”, de Luís de Camões, datado de 1685. Para o diretor de Leitura e Informação da Fundação Tancredo Neves, Sérgio Massoud, cuidar desse acervo é preservar não apenas a memória, mas também o futuro da sociedade paraense. “Qualquer caminho profissional, de crescimento, de aprendizado na vida passa necessariamente pela leitura”, comenta Sérgio.
“O livro fortalece o raciocínio das pessoas. A leitura é o melhor exercício mental que uma pessoa pode fazer, para o exercício intelectual do ser humano. Todos os países desenvolvidos no mundo dão ao livro e à leitura uma importância primordial dentro da sociedade”, complementa.
A gerente da Biblioteca Pública Arthur Vianna, Ruth Selma, também considera o livro como objeto primordial para o desenvolvimento de qualquer civilização. “O livro está presente em todos os aspectos da vida cotidiana: no estudo, no lazer, na vida prática. Podemos dizer que ele é de fundamental importância para o crescimento intelectual dos indivíduos, além de contribuir para o desenvolvimento das sociedades”, considera Ruth.
Projetos
Além de cuidar da guarda do acervo, a instituição também possui projetos permanentes que buscam promover a literatura paraense e aumentar o número de leitores no Estado, como o Edital Literário Dalcídio Jurandir, o “Mais Bibliotecas” (que instala e moderniza bibliotecas públicas em todos os municípios paraenses) e o “Caravana da Leitura” (que leva contação de história e promoção da leitura para todas as regiões do Pará).
Só neste ano, por exemplo, o “Caravana da Leitura” alcançou dez municípios paraenses (como Bujaru, Tracuateua, Santarém, Oriximiná e Igarapé-Açu), além dos distritos de Mosqueiro e Icoaraci. Aproximadamente 3.300 usuários foram atendidos nas ações que visam aproximar jovens e adultos do mundo da leitura.
“O projeto pode abrir esse universo do livro para as crianças, por exemplo. Elas passam a perceber que o livro pode ser um mundo maravilhoso, que elas ainda não conhecem. É fazer com que o leitor e o livro se encontrem”, comenta Denise Franco, gerente em exercício da Gerência de Promoção da Leitura da Fundação.
Além de levar a leitura para os jovens, o Caravana também atinge um público adulto que começa a ter mais interesse pelos livros. “É constante vermos a mãe sentar ao lado da criança e também fazer a leitura com ela”, conta Denise.
Ruth Selma também ressalta a importância do contato com o livro, para pessoas de qualquer idade. “Para a criança, o livro é um mundo de descobertas, para o jovem uma nova paixão e para o adulto o conhecimento para sua vida cotidiana ou mesmo formação”, conclui a gerente da Biblioteca Arthur Vianna.
Uma das mais recentes ações da Fundação Tancredo Neves para cuidado com o livro foi a oficina de Restauração de Livros, ministrada pelo professor Waldinei Romano, e promovida pela Gerência de Processos Técnicos. A primeira edição do evento ocorreu durante o mês de setembro e abordou as formas de intervenção em livros danificados, além mostrar como ferramentas e materiais para restauração são acessíveis e o quanto essa atenção é necessária para qualquer acervo.

Texto:
Luiz Flávio


‘Marajó in Badalação’ no teatro Waldemar Henrique
Nesta sexta-feira, 31, a cantora Olyvia Magno grava o DVD "Marajó in Badalação", às 19h30, no Teatro Experimental Waldemar Henrique. O show vai reunir vários elementos e ritmos regionais que refletem a cultura marajoara. “Para a preparar esse show procurei estudar os ritmos de maior influência no Marajó, que resultou numa mistura bem dançante marcada pela cumbia, lambada, merengue, guitarrada, carimbó e muito mais. Os ritmos serão ainda relacionados com os quatro elementos da natureza - terra, água, ar e fogo”, destaca.
A cantora também adianta que além das apresentações musicais, o show terá performances de um poeta convidado, e outras feitas por ela mesma: “O poeta, que também é meu amigo pessoal, Juracy Siqueira, fará uma atuação especial que narra a história do boto. Mas o show terá outras performances feitas por mim”. A gravação do DVD também contará com a participação do grupo de cultura regional "Moara", do grupo de dança "Merengueiros da Saudade" e do cantor Handerson de Deus.
Apesar dos 19 anos de carreira, Olyvia fará sua estreia no Teatro Waldemar Henrique. “A expectativa não poderia ser melhor, pois terei a chance de reunir vários amigos. Além disso, estamos com um projeto de levar este show para outros 16 estados. Então a gravação será o início de uma nova fase”, comemora a cantora.
A realização do projeto conta com o patrocínio do Banco da Amazônia, Sesc Pará, Conexão Vivo e do Governo do Estado - por meio da Lei Semear - e Prefeitura de Belém - por meio da Lei Tó Teixeira e Guilherme Paraense.
Serviço: Gravação do DVD ‘Marajó in Badalação’. Dia 31/10, às 19h30, no Teatro Waldemar Henrique (Praça da República). Ingresso: R$ 20. Informações: (91) 9997-8958 / 8307-7975 / 8135-2356.

Texto:
Luiz Flávio


Hospital incentiva higienização de mãos para reduzir riscos de infecções
Para lembrar o Dia Mundial de Lavar as Mãos, comemorado em 15 de outubro, o Hospital Regional Público do Leste (HRPL), em Paragominas, iniciou, na segunda-feira, 27, a campanha de higienização das mãos, que se estenderá até esta sexta-feira, 31, com o objetivo de prevenir e controlar a disseminação de infecções.
Segundo a coordenadora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), a enfermeira Leyde Dayane de Oliveira, a ação envolverá os 240 colaboradores e todo o fluxo de atendimento do hospital, incluindo a recepção central do hospital, usuários ambulatoriais, visitantes, acompanhantes e pacientes internados. “A higienização das mãos deve ser praticada por toda equipe e usuários, sempre ao iniciar e ao término de uma atividade. É uma tarefa simples e muito eficaz”, observou.
Para a enfermeira, esse treinamento orienta as pessoas da importância da lavagem das mãos no dia a dia e na vida dos profissionais da área da saúde. “As mãos são o principal veículo de transmissão de micro-organismos de um indivíduo para outro. O simples ato de lavar as mãos de forma correta torna-se a principal medida de controle no desenvolvimento de infecções”, informou.
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), transformar a lavagem das mãos em um hábito frequente pode salvar mais vidas do que qualquer vacina ou intervenção médica, reduzindo as mortes por diarréia em 50% e as mortes por infecções respiratórias agudas em 25%. O Dia Mundial de Lavagem de Mãos foi criado em 2008. A ideia é que nesse dia, em mais de 60 países, sejam desenvolvidas atividades que sensibilizem as crianças à higiene das mãos.
De acordo com a organização Global Hand Washing, esse dia foi criado com três objetivos principais: apoiar uma cultura global de lavagem das mãos com sabão, chamar a atenção dos governantes para a importância desta atividade e aumentar a conscientização sobre os seus benefícios.
Inaugurado em agosto deste ano, o HRPL tem o desafio de atender quase meio milhão de pessoas da região do Capim, que dependem da assistência de média e alta complexidade, oferecida por equipe multiprofissional capacitada. 
Serviço:
O HRPL fica na Rua Adelaide Bernardes, s/n, bairro Nova Conquista, em Paragominas. Mais informações pelos telefones (91) 3739-1046, 3739-1253 e 3739-1102

Texto:
Vera R. Rojas


Projeto de agricultura capacita detentos para o mercado de trabalho
Cultura sazonal (plantio de feijão) e fabricação de ração para animais são as atividades do projeto de agropecuária “Lavoro”, que tem a participação de 10 internos da Colônia Agrícola Penal de Santa Izabel (CPASI). A iniciativa é resultado de um convênio entre a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), campus Castanhal, e visa a reinserção social dos detentos por meio do trabalho e capacitação em atividades agropecuárias.
O interno Daniel Moraes, 25 anos, há cinco meses trabalha com a cultura sazonal, e já aprendeu técnicas como plantio, cuidado com o solo, fecundação, tipos de feijão e irrigação. A primeira produção já obteve bons resultados, com a colheita de duas mil toneladas de feijão, que serão utilizadas na alimentação dos alunos do campus do IFPA em Castanhal. "Quando cheguei aqui não tinha ideia sobre a técnica da Agropecuária. Eu fazia algo intuitivo, mas com a orientação dos técnicos agrícolas estou empolgado com o trabalho, que demanda muitos cuidados e técnica. Como vim do interior, eu já fazia algumas dessas atividades, mas agora estou me profissionalizando", diz Daniel.
Ele também acredita que o aprendizado servirá como oportunidade de trabalho no futuro. “É um tempo novo, de aprender e projetar o futuro. Durante estar preso aprendi coisas tão banais que estão fazendo a diferença, como ter uma rotina, obedecer às regras e entender que, tudo o que erramos, podemos fazer de novo. Hoje sei como lidar com esse novo trabalho, e espero fazer disto uma fonte de renda”, afirma.
Além dos plantios de feijão, milho, mandioca e arroz, os detentos trabalham com criação de porcos, bois, ovelhas, cabras e aves, e com o cultivo de hortaliças e fabricação de ração animal. Toda a produção é destinada ao próprio campus. Em média são distribuídas diariamente aos alunos mais de mil refeições.
Oportunidades - Segundo Sávio Morais, coordenador de Apoio ao Projeto de Pesquisa e Produção da IFPA do Campus Castanhal, os participantes do projeto são preparados para novos caminhos no mercado de trabalho. "O que leva a contratar a mão de obra carcerária é poder fortalecer esse vínculo de oportunidades, e entender que o erro aconteceu, mas que essas pessoas precisam receber motivação e uma nova direção de trabalho, sem muitas barreiras. Muitos chegam aqui e não têm noção da área. A comissão de acompanhamento, por meio dos técnicos agrícolas, orienta e distribui as atividades em cada área, tendo vivência em cada setor. Quando acabam, se eles tiverem interesse, a gente indica para novas empresas relacionadas a atividade. É uma oportunidade que garante um diferencial para o mercado de trabalho", ressalta Sávio Morais.
As oficinas são estabelecidas em rodízio pela IFPA, e cada detento passa em média três semanas em cada uma das áreas para o aprendizado. Todos recebem três quartos do salário mínimo - remuneração mínima, de acordo com a Lei de Execuções Penais (LEP), além de alimentação e condução fornecidas pela Susipe.
Para Guilherme da Silva, diretor do CPASI, a iniciativa trouxe vários benefícios para a unidade. “Muitos já estão a caminho da saída, e o trabalho é um gás para que essas pessoas possam retomar o que ficou para trás, e entender que o trabalho é um caminho do bem. As mudanças foram perceptíveis, e eles não têm mais o tempo ocioso. Esse tempo é ocupado com as atividades dos projetos laborais, como este, de agropecuária em Castanhal. São internos que não dão mais trabalho, e realmente querem uma nova chance. O próprio relacionamento entre eles melhorou. Estão mais educados e pacientes”, afirma.
O interno José Augusto Macedo, 30 anos, casado e com dois filhos, trabalha no campus da IFPA desde agosto. "Trabalhar aqui representa um novo começo na minha vida. Ao chegar aqui pela primeira vez fiquei olhando tudo, até meio espantando com a mudança de ambiente, com novas pessoas me encorajando, me tratando com respeito e não me discriminando. E isso sem falar do Instituto, que é um espaço ótimo para trabalhar, e de aproximar o meu sonho antigo, que é ter uma profissão. Com certeza, é um lugar para refletir e ter estímulo para recomeçar a estudar, pois parei na 3ª série do Ensino Fundamental", conta ele.
Convênios - Segundo levantamento feito pela Susipe em setembro deste ano, 2.013 internos custodiados no sistema penitenciário do Estado trabalham com direito à remuneração, desenvolvendo atividades por meio de 22 convênios firmados com instituições públicas ou privadas. Já outros 381 internos trabalham no sistema de contratação direta por empresas públicas e privadas. Todos recebem o benefício da remição de pena e são remunerados, de acordo com a Lei de Execução Penal (LEP).
Isabel Ponçadilha, gerente da Divisão de Trabalho e Produção da Susipe (DTP), destaca a importância que o trabalho de reinserção tem para os detentos. "É uma oportunidade de capacitação, para garantir uma vaga no mercado de trabalho. O mais importante é que o programa exige que a empresa conceda um certificado ao apenado, para que ele realmente saia do sistema com uma profissão e possa ser reinserido como cidadão, sem ser discriminado por sua antiga condição", destaca a gerente.

Texto:
Timoteo Lopes


Café com Planejamento - A Política Pública de Ciência e Tecnologia
Nesta quinta feira, 30, às 9h, será realizado mais um Café com Planejamento, organizado pela Diretoria de Planejamento Estratégico - Diplae/Sepof. O evento objetiva apresentar, debater e refletir sobre temáticas atuais que influenciam as políticas públicas. O tema abordado será "A Política Pública de Ciência e Tecnologia, com palestra ministrada por Alberto Cardoso Arruda, secretário Adjunto de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação".
O Plano Diretor vem para fortalecer a inserção competitiva do Pará no cenário nacional, visando à melhoria dos indicadores socioeconômicos do estado. As estratégias apresentadas buscam gerar e aplicar o conhecimento científico em nosso Estado, de modo a aperfeiçoar o aproveitamento das potencialidades naturais e humanas locais. A ideia é a formulação de um ambiente de cooperação que favoreça a implementação de ações coordenadas e políticas públicas em CT&I, capazes de responder, efetivamente, aos desafios do desenvolvimento sustentável de nosso Estado, com o aproveitamento de suas principais potencialidades e sua transformação em vantagens competitivas.
O objetivo principal é democratizar o acesso ao conhecimento científico, por meio de diversas atividades realizadas pelos órgãos governantes e por instituições de ensino e pesquisa de todo o país. E apresentar a missão de desenvolver economicamente o Pará por meio do conhecimento, da aplicação da ciência e da tecnologia na inovação de processos e produtos e no aproveitamento racional das enormes potencialidades da biodiversidade amazônica.
O palestrante é Químico Industrial formado pela Universidade Federal do Pará e Doutorado em Química Orgânica pela Universidade Federal de São Carlos. Professor Associado 4 da Universidade Federal do Pará, atuando na graduação e no Curso de Pós-graduação em Química como professor, pesquisador e orientador. Na UFPA coordena a Central de Extração, unidade de pesquisa e serviços vinculada ao Instituto de Ciências Exatas e Naturais. Foi consultor do Centro de Biotecnologia da Amazônia - CBA e do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos - CGEE. Atualmente exerce a função de secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Pará. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Química dos Produtos Naturais, atuando principalmente nos seguintes temas: Produção de extratos vegetais, cromatografia e espectroscopia. Atua como membro do projeto Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Pesquisa Translacional em Saúde e Ambiente na Região Amazônica INPeTAm.
Com mais uma inovação o Café com Planejamento será transmitido ao vivo a partir das 9h, pelo site: www.protv.pa.com.br

Texto:
Juliana Rossetti


Alunos da Uepa desenvolvem aplicativo para público LGBT
Alunos do 6º semestre do curso de Bacharelado em Design,da Universidade do Estado do Pará (Uepa) no município de Paragominas, nordeste paraense, propuseram a criação de um aplicativo destinado ao movimento de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros (LGBT). Felipe Cardoso, Gisseli Gaigher, Jessica Rodrigues, Mayara Guedes, Raiane Lopes e Thaissa Sá criaram a interface do aplicativo com o objetivo de promover a socialização irrestrita e facilitar a interação entre o público LGBT.  
“Hi” é o nome do aplicativo criado nas aulas da disciplina Empreendedorismo II. Na proposta, os interessados precisam se inscrever, criar um perfil e identificar a orientação sexual. O “Hi” informa ao usuário a distância em que está outra pessoa que tenha o aplicativo. Ele contém um filtro de busca e permite que os usuários compartilhem fotos, áudios e vídeos.
De acordo com a equipe, não havia um “lugar”, mesmo que virtual, em que o público LGBT não fosse segmentado. A proposta é ajudar a combater a intolerância. A interface do aplicativo foi inspirada no tema contemporâneo de extremismo e desrespeito ao próximo. “A violência contra os homossexuais é ainda, infelizmente, patente. A homofobia tem sido atacada de frente no Brasil. Porém, por mais que muito já tenha sido alcançado pela comunidade LGBT, há muito ainda pelo que lutar”, afirma o aluno Felipe Cardoso.
Necessidade - Na fase de teste, a equipe aplicou 100 questionários, 60 deles pelas redes sociais, e o restante pessoalmente. O grupo percebeu a necessidade que o público LGBT tem desses aplicativos, em função da exclusão social. A proposta da equipe é que as pessoas se conheçam, conversem e se encontrem, sem sofrer nenhum tipo de preconceito imposto pela sociedade. “A gente queria fazer algo em que essas pessoas pudessem conhecer outras pessoas sem serem reprimidas. Nós pensamos em fazer um bem social, mesmo que virtualmente”, informa Felipe.
Aliar teoria e prática à produção de um projeto, e agregar conhecimento e amadurecimento profissional, é fundamental para a trajetória acadêmica, afirma o professor Thiago Azevedo, um dos orientadores da equipe. “Os alunos ficam mais seguros, porque lidam com problemas reais do mercado de trabalho e aprendem a passar por obstáculos, para que se possa concluir o produto proposto”, ressalta.
Em busca de patrocínios e parcerias, a equipe participou do projeto “Desafio Universitário: Inove+”, destinado a estudantes de instituições de ensino superior do Pará. O “Desafio” consiste em encontrar ideias inovadoras, que foram desenvolvidas em um ambiente educacional e colaborativo. Das 40 ideias apresentadas ao “Inove+”, nove foram selecionadas, e o “Hi” é uma delas.
Agora, a equipe de trabalho desenvolverá um protótipo do aplicativo para ser apresentado, em breve, à comissão julgadora do “Inove+”. O grupo, único da Uepa, concorrerá aos prêmios de primeiro, segundo e terceiro lugares, e ainda ao Prêmio Superação.

Texto:
Ize Sena


HOL inscreve para 1° Simpósisio de Técnicos e Tecnólogos em Radiologia
O Hospital Ophir Loyola inscreve para o 1° Simpósio de Técnicos e Tecnólogos em Radiologia da Divisão de Radioterapia. Devido à carência de cursos específicos para manter a atualização necessária dos conhecimentos cotidianos e acompanhamento dos avanços tecnológicos, o simpósio visa oportunizar aos profissionais da área, a troca de conhecimentos e experiências vivenciadas entre os serviços que oferecem tratamento radioterápico no Estado do Pará.
Desde o ano de 2006, a Divisão de Radioterapia do HOL investe na qualificação de profissionais nesta área, através de treinamento em serviço, que tem duração de cinco meses, com conteúdo teórico-prático, sendo referencial para instituições públicas e privadas do Pará na seleção de mão de obra qualificada.
A radioterapia é uma das modalidades de tratamento do câncer que necessita cada vez mais de profissionais especializados para oferecer assistência com qualidade, segurança e precisão. Os avanços tecnológicos observados nos últimos anos na região Norte, em especial Belém, como a aquisição de máquinas de última geração, aumentam a necessidade de recursos humanos com qualificação adequada.
A programação será realizada no dia 8 de novembro, de 8h às18h, no auditório Luiz Geolás. Podem se inscrever para o simpósio, técnicos, tecnólogos, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, médicos, físicos, residentes, alunos dos cursos técnicos de radiologia e demais profissionais interessados na área de radioterapia.
As inscrições são realizadas de segunda a sexta-feira, em horário comercial, na Divisão de Eventos Científicos/ HOL, localizada na Avenida Magalhães Barata, nº 992. O Investimento é de R$ 40, para profissionais de nível superior e de R$ 20 para profissionais de nível médio e alunos de cursos de técnicos e tecnólogos em Radiologia. É necessário apresentar crachá ou carteira de curso. Mais informações pelo telefone (91) 3265-6748.

Texto:
Leila Cruz


HRPL distribui manual do usuário´com informações sobre atendimento
A busca pela melhoria contínua da gestão do Hospital Regional Público do Leste (HRPL), em Paragominas, no nordeste paraense, cumpriu mais uma etapa com a elaboração e distribuição do Manual do Usuário, que contém as informações mais relevantes sobre o atendimento prestado no hospital, visando uma assistência segura e estadia confortável.
O documento traz informações relevantes sobre a rotina no HRPL, como horários de visita e refeições. Há também orientações sobre o processo correto de lavagem de mãos, que visa a prevenção e controle das infecções nos serviços de saúde, para a maior segurança e qualidade da atenção prestada.
A distribuição do manual está sendo efetivada pela equipe multiprofissional do HRPL, em todos os seus setores, com aplicação de orientações individuais aos usuários, que inclui pacientes internados e acompanhantes.
O HRPL oferece mão de obra especializada na assistência de média e alta complexidade. Com a responsabilidade de garantir atendimento para cerca de 500 mil pessoas de 11 municípios da região do Capim, o HRPL dispõe de 80 leitos em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Urgência/Emergência, com uma estrutura para atendimento em clínica médica, cardiologia, clínica cirúrgica, endocrinologia, mastologia, neurocirurgia/neurologia, anestesiologista, ginecologia, urologia/oncologia e traumatologia/ortopedia.
Todos esses serviços têm suporte de apoio diagnóstico e terapêutico com análises clínicas, raios-x, tomografia, mamografia, ultrassonografia, holter, eletroencefalograma, eletrocardiograma, ecocardiograma e Mapa.
Serviço:
O HRPL fica na rua Adelaide Bernardes S/N, bairro Nova Conquista, em Paragominas. Mais informações pelos fones: (91) 3739-1046, 3739-1253 e 3739-1102

Texto:
Vera R. Rojas


Policiais civis assistem a seminário sobre crimes financeiros
A Polícia Civil e o Banco do Brasil promovem até quarta-feira (29) seminário sobre crimes financeiros, voltado a policiais civis. O evento tem a presença de mais de 30 profissionais que atuam na área de inteligência policial, combate ao crime organizado e superintendências do interior do Estado. Os policiais civis assistem a palestras da chefe do Setor de Recuperação de Ativos e Lavagem de Dinheiro do Banco do Brasil, Elaine Silva, e do coordenador nacional dos Laboratórios de Lavagem de Dinheiro do Ministério da Justiça, Roberto Zaina. Segundo o delegado André Costa, diretor da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), o objetivo é qualificar os profissionais sobre as novas técnicas de investigação de crimes financeiros e lavagem de dinheiro.

Texto:
Walrimar Santos


Dois centros prisionais de Belém receberão recursos do Ministério da Saúde
Uma portaria do Ministério da Saúde, publicada no último dia 20 de outubro, no Diário Oficial da União (DOU), aprovou a adesão de Belém à Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP). Com isso, o Centro de Recuperação do Coqueiro (CRC) e o Centro de Detenção Provisória de Icoaraci (CDPI) vão receber recursos financeiros para compra de materiais técnicos e insumos, destinados ao trabalho das equipes de saúde nas unidades, e à contratação de profissionais. A previsão é que os recursos sejam disponibilizados até dezembro deste ano.
Cada unidade prisional receberá R$ 23.605,73. A Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) será a responsável pela administração do recurso, liberado após o cadastramento das equipes que atuarão nos dois presídios, no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (SCNES). Um médico e dois auxiliares de saúde bucal serão contratados pelo município para completar a equipe.
De acordo com o Ministério da Saúde, a estratégia permite que o serviço de saúde no sistema prisional passe a ser referência da Rede de Atenção à Saúde do SUS (Sistema Único de Saúde), qualificando a atenção básica no âmbito prisional como a principal porta de entrada do sistema. Além da capital paraense, a portaria contemplou os municípios de Canoas e São Gabriel (RS), Araguatins do Tocantins, Miracema do Tocantins, Dianópolis, Babaçulândia, Lajeado e Pedro Afonso (TO), Rialma (GO), Manaus (AM), Mossoró (RN) e Alto Alegre do Maranhão (MA), além dos Estados de Alagoas, Pernambuco e da Bahia.
Direitos - A gerente da Divisão de Saúde Prisional da Susipe, Ivone Rocha, explica que a portaria garante direitos fundamentais previstos em lei aos presidiários. “Os detentos que farão parte dos programas de saúde do MS terão garantidas as suas referências para consultas e exames especializados. Essa parceria é fundamental para que possamos encaminhar os detentos para o atendimento necessário, uma vez que a Susipe depende da rede pública de saúde para a realização de consultas e exames médicos destes internos”, explica Ivone Rocha.
O Pará foi um dos primeiros Estados a aderir à nova política. No dia 22 de abril, o Termo de Adesão e Qualificação do Estado do Pará na PNAISP foi apresentado e assinado, em uma reunião técnica entre a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) e a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). O requisito para a implementação é que a unidade prisional possua equipe de saúde básica para cadastrar no SCNES ou estar vinculada a uma unidade de saúde da cidade onde está.
A política entrou em vigor em janeiro deste ano, com o objetivo de garantir o acesso de pessoas privadas de liberdade do sistema prisional ao cuidado integral do SUS. Dentre as medidas de atuação, a PNAISP prevê que as ações de saúde nas unidades prisionais serão oferecidas por equipes multidisciplinares, visando uma maior abrangência de cobertura da atenção básica (saúde bucal, saúde mental, hipertensão e diabetes, DST (Doença Sexualmente Transmissível)/HIV e outras doenças), além da inclusão dos trabalhadores dos serviços penais nas ações de promoção de saúde, preventivas e educativas referentes à política.
As próximas unidades prisionais já cadastradas para receber os recursos do Ministério da Saúde são os Centros de Recuperação Penitenciário I, II e III; a Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel (CPASI); a Central de Triagem Metropolitana I e o Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, localizados no Complexo Penitenciário de Santa Izabel. “Atualmente, as 41 unidades prisionais do Pará estão cadastradas na PNAISP, mas só receberão recursos após cadastro das equipes de saúde prisional do SCNES. A expectativa é que até 2016 todas as unidades estejam habilitadas para receber os recursos. Vamos cadastrar equipes também nas unidades prisionais de Ananindeua e Marituba (municípios da Região Metropolitana de Belém)”, garante a gerente de saúde prisional da Susipe.

Texto:
Timoteo Lopes


Festival de Música da Uepa inscreve até 7 de novembro
O Núcleo de Arte e Cultura da Universidade do Estado do Pará (Uepa) abre inscrições aos interessados em participar do II Festival de Música Popular, aberto a servidores e alunos. Para participar, o candidato deve preencher e entregar a ficha de inscrição e até duas músicas inéditas, em português, na Pró-Reitoria de Extensão (Proex), até o próximo dia 7 de novembro, no horário de 9h às 14h. No primeiro momento serão selecionadas 24 músicas pela comissão julgadora. No dia 17 de novembro, serão divulgadas as doze finalistas.
A cerimônia que vai definir as composições ganhadoras, além de melhor intérprete e melhor arranjo, ocorrerá no dia 27 de novembro, no Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE). A premiação será com instrumentos musicais e a gravação das três primeiras músicas ganhadoras em estúdio da Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa). Mais informações pelo e-mail femuepa@gmail.com ou pelos telefones 8895-5990, 8209-0494 e 3299-9300. O edital está disponível no site www.uepa.br.

Texto:
Ize Sena


Cineclube Uepa exibe "Um Golpe do Destino" e promove debate com o público
O Projeto Cineclube, da Universidade do Estado do Pará (Uepa), apresenta nesta quinta-feira (30) a história de um médico que recebe o diagnóstico de câncer, no filme "Um Golpe do Destino", do diretor americano Randa Haines.A sessão será às 16 h, no auditório da Reitoria, localizada no bairro do Telégrafo, em Belém, com entrada franca.
Após a exibição do longa-metragem será realizado debate entre os membros da Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA) e da Academia Paraense de Ciências (APC) com o público. “Aprimorar e refinar o gosto, especialmente dos alunos, pelo cinema é uma das propostas do Cineclube da Uepa. O projeto começou tímido, mas aos poucos vai crescendo o número de admiradores fiéis. Até o momento tem sido um sucesso a cada exibição”, afirmou a pró-reitora da Uepa, Mariane Franco.
A intenção do projeto é utilizar o cinema como recurso pedagógico, importante para a relação ensino-aprendizagem, destacar o cinema como ciência e promover integração entre professores, servidores, alunos e toda a comunidade externa, por meio de um debate crítico sobre os problemas sociais retratados no filme.
Jack McKee, médico conceituado, é diagnosticado com câncer, e sua vida sofre uma reviravolta. Ele passa a ver sua vida do ponto de vista de um paciente. Isso acaba mudando a maneira como trata seus próprios pacientes.
Serviço: Exibição do filme "Um Golpe do Destino". Nesta quinta-feira (30), as 16 h, na Reitoria da Uepa - Rua do Una, 156, bairro Telégrafo – Belém. Entrada franca.

Texto:
Ize Sena


Uepa promove semana acadêmica em São Miguel do Guamá
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) promove, até sexta-feira (31), a XII Semana Acadêmica do campus de São Miguel do Guamá, que vai discutir a relação entre o profissional do futuro e as tecnologias contemporâneas. A proposta é suscitar discussões a partir dos eixos temáticos da pedagogia, filosofia, matemática, química, biologia e letras. O tema é “Os desafios do ensino universitário: a pesquisa e a extensão como paradigmas da formação docente”. Além dos alunos, a comunidade externa também é convidada a participar para debater acerca das possibilidades e reflexões do papel do professor do futuro. “Os universitários estão incluídos de forma direta e ativa na construção da imagem e da programação da semana acadêmica, pois vão ministrar palestras e, também, minicursos”, diz o coordenador geral do campus, Wladirson Lonny da Silva Cardoso.

Texto:
Ize Sena


Fapespa e Capes lançam edital para bolsas destinadas a pesquisador visitante
A Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa) lançou nesta terça-feira (28) o Edital nº 015/2014, referente a Bolsas de Pesquisador Visitante Sênior (PVS) e Taxas de Bancada, destinado às Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), participantes do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), do Estado do Pará. O certame é realizado pela Fapespa, em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).
O Edital nº 015/2014 tem como principal objetivo apoiar o desenvolvimento da pesquisa científica, tecnológica e de inovação (CT&I) no Pará, por meio do fortalecimento dos programas de pós-graduação stricto sensu, com a presença de pesquisadores renomados e com grande experiência acadêmica em CT&I.
Serão liberados mais de R$ 1,6 milhão para o financiamento das bolsas, sendo um pouco mais de R$ 1 milhão provenientes da Capes, e R$ 600 mil da Fapespa. Os pesquisadores selecionados poderão receber até cinco bolsas na modalidade Pesquisador Visitante Sênior, no valor mensal de R$ 8.905,42 cada, concedidas pelas Capes, e até 12 taxas de bancada, no valor máximo de R$ 50 mil cada, que serão pagas em duas parcelas anuais pela Fapespa.
As submissões das propostas podem ser feitas a partir de 3 de novembro até as 17 h do dia 06 de fevereiro de 2015, como está previsto no Edital nº 015/2014. Mais informações estão disponíveis no site www.sig.fapespa.gov.br

Texto:
Simone de Campos


Uepa orienta fiscais que vão atuar nos processos seletivos
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) divulgou a lotação dos servidores que prestarão serviço nos processos seletivos 2015 – Prise e Prosel. A consulta pode ser feita no site sistemas.uepa.br/pagamentos. A reunião na qual serão dadas as orientações aos ficais e assessores ocorre nesta quinta-feira (30), no local de lotação. Os lotados nas escolas Professor Orlando Bitar, Pedro Amazonas Pedroso, David Salomão Muffarej, Ieep,Colégio Moderno e Colégio Santa Rosa participam da reunião em horário e data distintos. Segundo a Uepa, a participação dos fiscais na reunião é imprescindível à confirmação da participação no trabalho.

Texto:
Janine Bargas


Sistema avaliará em novembro desempenho em Português e Matemática
Serão aplicadas nos próximos dias 26 e 27 de novembro, simultaneamente em todo o Estado, as provas de Português e Matemática do SisPAE 2014 (Sistema Paraense de Avaliação Educacional). O exame acontece em todos os níveis de ensino nas redes municipais e na estadual, e produz informações que orientam processos de decisão, com acompanhamento sistemático das ações desenvolvidas para melhorar a educação pública no Estado. A avaliação, realizada pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), mede o aprendizado, identificando fatores socioeconômicos e culturais inerentes à realidade do ensino no Pará. No site da Seduc, gestores, professores, alunos e famílias, e todos os envolvidos na educação, podem acompanhar as ações previstas no SisPAE 2014 no www.seduc.pa.gov.br.
Com metodologia mais rigorosa que a utilizada para medir o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o Sistema Paraense de Avaliação Educacional (SisPAE) mapeia cientificamente e mostra os problemas que afligem a educação estadual. Os resultados do SisPAE 2013 indicam que o desempenho em Língua Portuguesa e em Matemática precisa melhorar, tanto no Ensino Fundamental quanto no Ensino Médio.
Referendo - “O SisPAE propõe reflexões e análises pedagógicas dos indicadores e resultados, e referenda políticas de educação e ações voltadas à melhoria do desempenho dos estudantes do Ensino Fundamental e Médio”, destaca o secretário de Estado de Educação, José Seixas Lourenço. Para ele, a metodologia do SisPAE “é capaz de relacionar o desempenho com o contexto sociocultural dos alunos e educadores, ao caracterizar a educação paraense, atribuindo-lhe identidades no currículo, nos planos escolares e de gestão”.
Em 2013, avaliação abrangeu 172 mil estudantes, de 70 municípios, que haviam aderido ao SisPAE - mais da metade dos 326.556 alunos da 4ª e da 8ª séries do Ensino Fundamental e das três séries do Ensino Médio. Em 2014, com a adesão de 141 dos 144 municípios paraenses ao Sistema, a abrangência da avaliação deve atingir um milhão de alunos.
No SisPAE 2013, a principal constatação foi a de que entre alunos do 4º ano, a proficiência em Língua Portuguesa, dos cerca de 70% dos alunos avaliados, está entre os padrões avançado e adequado. Os 30% restantes encontram-se nos níveis básico e abaixo do básico, indicando habilidades que ainda serão desenvolvidas. Esses resultados indicam que se precisa atuar diretamente na apropriação do sistema de escrita, na capacidade de interpretação, no estabelecimento de relação de causa e conseqüência, e no tratamento da informação textual.
“Será no SisPAE 2014 e 2015, e no Ideb 2015, que se observarão um desempenho melhorado e a elevação dos índices de aprendizagem, como efeito de diversos projetos que compõem a abordagem do Pacto pela Educação do Pará no enfrentamento de temas fundamentais, como os que apontam o SisPAE. Alfabetização na Idade Certa, Aprender Mais, Coordenação de Pais, além da metodologia Entre Jovens, do Estudar Vale a Pena, do ProEnem e da Educação para o Mundo do Trabalho são apenas algumas dessa iniciativas”, informa o secretário José Seixas Lourenço.
Contextual - Como fatores internos e externos à escola interferem na aprendizagem é outra vertente da avaliação do SisPAE. O Sistema 2013, acrescenta Seixas Lourenço, indica que “escolas onde o clima escolar é mais favorável ao aprendizado, onde os atores se sentem mais satisfeitos e pertencentes, motivados e com um melhor diálogo, os estudantes apresentam, em média, melhores resultados na avaliação”.
O SisPAE prioriza a avaliação continuada e subsidia dois campos de ação: um é a necessidade de ações voltadas para que o estudante se veja e seja visto pela sociedade em um contexto de mudanças individuais e sociais, a partir da escola. O outro é a relação entre proficiência e desempenho dos alunos com fatores contextuais, como a condição socioeconômica, o clima escolar, a gestão escolar e as atitudes e práticas pedagógicas, além das expectativas e das condições de atendimento.
Uma abordagem descentralizada e transparente da gestão também contribui para o aprendizado, e o Pará tem avançado como pioneiro em eleição direta para diretor e vice-diretor de escolas públicas estaduais, a partir da Lei Estadual 7.855, de 14 de maio de 2014, e, também, tem como prática de gestão a eleição de membros de conselhos escolares.

Texto:
Jimena F. Beltrão


Emater garante recursos do Pronaf para agricultores de Piçarra
Na próxima semana, 43 famílias agricultoras que residem no município de Piçarra, no sudeste paraense, receberão recursos, que totalizam R$ 107.500,00, oriundos do Programa Nacional de Fortalecimento à Agricultura Familiar (Pronaf), para incentivo à horticultura e à criação de pequenos animais. Os recursos foram garantidos pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), mediante a elaboração de projetos de financiamento e viabilizados pelo Banco da Amazônia.
De acordo com o engenheiro agrônomo Antônio Barros Neto, chefe do escritório da Emater em Piçarra, o objetivo do crédito rural é garantir a segurança alimentar e a geração de excedente para comercialização. “Cada família receberá R$ 2.500,00, destinados à aquisição de insumos e melhoria de barracão para incrementar a criação de aves e suínos, além do cultivo de hortaliças”, explica Antônio Neto. Cada beneficiário da Linha B do Pronaf tem o prazo de um ano e meio para quitação do empréstimo.
As famílias pertencem às comunidades Boa Vista, Lote 8, Marcilenense, Cabral, Luvilândia e Vila Itaipava. Em Piçarra, a Emater atende a 200 famílias, que têm como principais atividades econômicas a pecuária mista (corte e leite), pesca artesanal, mandiocultura (voltada para a produção de farinha), criação de pequenos animais e horticultura.

Texto:
Paula Portilho


Sead entrega kits para a Corrida e Caminhada do Servidor até quinta-feira
A Secretaria de Estado de Administração (Sead) entregará até esta quinta-feira (30) os kits para os participantes da III Corrida e Caminhada do Servidor. O kit contém camiseta, sacola, boné e outros acessórios. A corrida acontecerá no próximo sábado (1º), com largada às 7 h, no Parque Estadual do Utinga. Todas as 1.500 vagas para o evento foram preenchidas.
“É uma enorme satisfação ver que os servidores aderiram com fidelidade a este projeto, criado pela atual gestão. Todas as vagas foram preenchidas rapidamente, o que mostra a credibilidade neste evento. Teremos um número expressivo de servidores de vários órgãos, sendo uma oportunidade para as pessoas se reunirem num ambiente interessante, como é o Parque do Utinga. É uma grande festa em comemoração ao Dia do Servidor Público, e ele merece essa homenagem”, afirma Sandra Henderson, diretora de Gestão de Políticas de Saúde Ocupacional da Sead.
A servidora Susana Barbosa dos Santos, lotada na Secretaria de Estado de Educação (Seduc), foi a terceira colocada na Corrida do Servidor no ano passado, e diz que o seu objetivo é chegar em primeiro lugar este ano. “Para mim, a Corrida do Servidor é uma das mais importantes do circuito paraense, por isso venho treinando o ano inteiro para a corrida. Ano passado eu fiquei em 3º lugar, e o meu objetivo este ano é tirar em 1º, na minha categoria. Estou bastante confiante”, declara Susana.
Também servidora da Seduc, Edivânia Oliveira diz que não espera ficar entre os primeiros colocados, por ser a primeira vez que vai participar de um evento esportivo. “Irei participar da modalidade caminhada, com o objetivo principal de viver momentos de descontração com os colegas da escola onde leciono”, informa Edivânia.
Os kits são entregues na sede da Sead, com a apresentação do comprovante de inscrição e a cópia do último contracheque, e mais dois quilos de alimento não perecível ou um quilo de alimento e um brinquedo novo, das 09 às 16 h. Os alimentos e brinquedos arrecadados serão doados a instituições de caridade.
O regulamento da corrida e caminhada está disponível no site da Sead e pelo telefone (91) 3194-1084. O evento tem o patrocínio do Banco do Estado do Pará (Banpará) e a parceria de entidades governamentais e não governamentais, além de apoio da Federação Paraense de Atletismo (Fpat).
A programação é alusiva ao Dia do Servidor, comemorado em 28 de Outubro. A Sead fica na Travessa do Chaco, 2.350, na esquina com a Avenida Almirante Barroso.

Texto:
Thays D. Rosario


Novo site Sefa amplia acessibilidade dos usuários
O site da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) na internet está com novo layout, que segue o modelo padrão do governo federal, atendendo às principais recomendações de acessibilidade indicadas para web e de e-gov, ou governo eletrônico. A acessibilidade visa incluir a pessoa com deficiência na participação de atividades como o uso de produtos, serviços e informações.
No site há atalhos de navegação padronizados e a opção para alterar o contraste e o tamanho da fonte, ferramentas que facilitam a navegação das pessoas com deficiência. A disposição do conteúdo também foi alterada para facilitar a navegação, agregando assuntos de interesse de servidor, empresa e cidadão. No Portal de Serviços, a Sefa oferece 85 opções de serviços informatizados. Alguns, como a emissão de certidões fiscais, são de acesso público e outros, voltados para contribuintes do ICMS, são acessados mediante cadastro prévio. Acesse e conheça: www.sefa.pa.gov.br.

Texto:
Ana M. Pantoja


Comen discute planejamento de operação interestadual
O Conselho de Segurança Pública do Meio Norte (Comen) vai realizar uma reunião técnica, nesta quarta-feira (29) e quinta-feira (30), na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), em Belém. A reunião terá início às 9h, com a manifestação do presidente do Comen e secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública do Amapá, Nixon Kenedy Monteiro.
Durante o encontro técnico do Comen será discutido o planejamento da operação “Segurança sem Limites”, que será realizada de forma integrada por diversas instituições dos estados do Pará e Amapá. Ao longo da operação as forças de segurança pública vão desenvolver ações de policiamento, fiscalização e cidadania em áreas de fronteira do Amapá e Pará, consideradas vulneráveis para o acesso e a prática de diversos crimes. O objetivo é reduzir os índices de ocorrências de crimes como o tráfico de drogas, de armas de fogo, munições e explosivos, contrabando, pirataria, evasão de divisas, comercialização ilegal de veículos, tráfico de pessoas, crimes ambientais e desmatamento ilegal, além de assistir socialmente a população local mais necessitada.
Segundo os coordenadores, a operação visa a integração das ações de polícia, fiscalização e cidadania entre os órgãos que integram o Comen e outras instituições do Pará e Amapá, potencializando a capacidade de atuação em áreas de abrangência do Conselho e dos órgãos estaduais e federais. As ações que serão desenvolvidas também têm o objetivo de preservar a ordem pública e o respeito ao ordenamento jurídico, com ações preventivas e repressivas, a fim de garantir a proteção do patrimônio e da população.
O planejamento e as estratégicas para a execução da operação serão apresentados pelos coordenadores do Grupo Especial de Diagnóstico e Monitoramento (GDM) da Segup, delegado Nilton Jorge Barreto Atayde e Antônio Cláudio Fernandes Farias. O coronel PM Nilson Soares da Silva, coordenador estadual Comen, no Amapá, vai apresentar a proposta de planejamento operacional daquele Estado.
Na quinta-feira (30), o grupo finalizará as discussões sobre o planejamento da Operação “Segurança sem Limites”. A operação terá a participação dos seguintes órgãos: Segup, Polícia Militar, Polícia Civil, Departamento de Trânsito do Pará (Detran), Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves”, Corpo de Bombeiros, Grupamento Aéreo de Segurança Pública, Grupamento Fluvial de Segurança Pública, Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Marinha do Brasil, Receita Federal e Centro Gestor do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Texto:
Lene Alves


Palestra na Jucepa marcará o Outubro Rosa 2014
A Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa) vai promover uma ação alusiva ao movimento Outubro Rosa, sobre a importância da prevenção e a descoberta precoce do câncer de mama. O Movimento internacional Outubro Rosa foi criado com a finalidade de promover a conscientização sobre o câncer de mama. Uma palestra sobre o assunto será proferida para os servidores, pela farmacêutica e gestora administrativa do laboratório Sabin, Priscila Braga, nesta quinta-feira, 30, das 8h15 às 10h30, no auditório Adalberto Acatauassú Nunes, na sede da Jucepa, localizada na Av. Magalhães Barata 1234, Ed. Princesa Isabel. A iniciativa é do Projeto Escola do Registro Mercantil e do setor de Psicossocial da Jucepa e pretende fortalecer a multiplicação de informações por meio de ações educativas e preventivas da doença.

Texto:
Diane Maués


I Festival Amazônico de Corais
Será realizado às 20h desta terça-feira, 28, no Teatro Margarida Schiwazappa, no Centur, o I Festival Amazônico de Corais. O evento, idealizado pelo maestro Jeremias Progenio e realizado pela Musicalis terá entre as atrações o Grupo Vox, com o show “Em Cantos do Norte”, no qual mostrarão as influências dos três troncos étnicos: índio, negro e branco, na composição da música e cultura.
Entre os corais participantes estão: Coral da Guarda de Nazaré; Coral Tamba-Tajá, dos Correios; Coral do Tribunal de Contas do Estado (TCE); Coral Saúde e Vida, da Santa Casa; Coral do Bolonha; Coral da Sococo; Coral Canto Pará, do INSS; Coral Viva la Vida e Coral da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa).

Texto:
Alessandro Borges


Projeto fará revisões de questões para Enem e vestibular da Uepa
Nos dias 29 e 30 de outubro ocorre mais uma edição do projeto “Cinema, Música e História no Vestibular”, promovido pela Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves em parceria com os professores Bruno Magalhães e Márcio Araújo. As aulas ocorrem no Auditório do Centro de Eventos Ismael Nery (1º andar do Centur).
Na quarta-feira (29), a partir das 16h, o projeto irá trabalhar diversos períodos da história brasileira desde a proclamação da República até a ditadura militar. O professor Bruno Magalhães irá abordar temáticas como a Guerra de Canudos, Revolta da Vacina e Era Vargas, chegando até a ditadura militar implantada em 1964.
Bruno explica que o foco das aulas da próxima semana serãos os exercícios preparatórios para as provas do Enem e da Universidade do Estado do Pará (Uepa), que ocorrem na primeira metade de novembro. “A nossa ideia é aplicar o maior número de exercícios para fixar mais o conteúdo. Pela proximidade das provas, essa é a hora de dar um retoque na preparação dos alunos. Mostraremos trechos de documentários e responderemos muitas dúvidas. A programação tem hora para começar, mas não para terminar”, comenta Bruno.
Já na quinta-feira, 30, o projeto começa às 15h e abordará assuntos de história geral como a formação dos estados totalitários, o nazifacismo e a relação dessas temáticas com a Primeira e Segunda Guerras Mundiais.
Serviço: O projeto “Cinema, música e história no vestibular” será realizado nos dias 29 e 30 de outubro, às 16h e 15h, respectivamente, no Auditório do Centro de Eventos Ismael Nery (1º andar do Centur). A entrada é franca. Mais informações: 3202-4332 / 8135-0343 (Bruno Magalhães)

Texto:
Luiz Flávio


Projeto Cinema para curtir apresenta a Lista de Schindler, Lincoln e o Solista
O projeto "Cinema Para Curtir" será realizado este mês no auditório Aloísio Chaves (anexo da Fonoteca, localizado no 3° andar do Centur), entre 14h e 18h. Nesta quarta-feira, 29, o público poderá conferir "A Lista de Schindler". O filme, dirigido por Steven Spielberg, é baseado no romance “Schindler's Ark”, de Thomas Keneallyum. Ele conta a história de Oskar Schindler (Liam Neeson), um empresário alemão que salvou a vida de mais de mil judeus durante o Holocausto. Sucesso de bilheteria e vencedor de 7 Oscars, é considerado pela crítica como um dos melhores filmes já feitos.
Já na quinta-feira, 30, é a vez de "Lincoln". Baseado no livro “Team of Rivals: The Genius of Abraham Lincoln”, de Doris Kearns Goodwin, o filme, dirigido e produzido por Spielberg traz Daniel Day-Lewis no papel principal: o 16º presidente norte-americano, Abraham Lincoln. Ambientado durante a Guerra Civil norte-americana, o personagem encontra-se em meio a sérias batalhas, incluindo a tentativa de passar uma emenda à Constituição dos Estados Unidos que acabaria com a escravidão dos negros. Lançado em 2012, o filme foi indicado a 12 Oscars e venceu 2 (melhor ator e melhor design de produção).
Por último, dia 31, o "Cinema Para Curtir" exibe "O Solista". Dirigido por Joe Wright e lançado em 2009, traz Robert Downey Jr no papel do jornalista Steve Lopez, e Jamie Foxx como um morador de rua esquizofrênico, Nathaniel Ayers. Os dois se tornam grandes amigos e têm suas vidas para sempre mudadas.
Serviço:
Cinema para Curtir
Programação: A lista de Schindler (dia 29); Lincoln (dia 30); e O Solista (dia 31)
Local: Auditório Aloísio Chaves (anexo da Fonoteca, 3º andar do Centur)
Hora: 14h às 18h
Entrada franca

Texto:
Luiz Flávio


Fonoteca apresenta “Quintais da Amazônia" de Márcio Montoril
O músico e compositor Márcio Montoril apresenta dia 29 de outubro o show “Quintais da Amazônia”, dentro do projeto “Quarta às Quatro”, com entrada franca. A apresentação começa às 17h, na Fonoteca Satyro de Melo, localizada no 3º andar da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (Fcptn/Centur), misturando ritmos como o carimbó, a cúmbia e a lambada. No repertório, músicas como “Uirapuru”, “Boto Sonso Maroto” e “Carimbó do Porto”.
O show “Quintais da Amazônia” surgiu a partir de um projeto homônimo, criado em 2013 com o objetivo de levar a cultura regional a alunos de escolas públicas, por meio de obras de compositores, músicos e poetas regionais. Cerca de 250 alunos de cinco escolas de Belém e Ananindeua participam atualmente do projeto.
O músico apresenta o show “Quintais da Amazônia” ao lado da banda base formada por Bruno Benitez (guitarra), Beto Taynara (contrabaixo), Lenilson (teclados e cordas), Thiago D’Albuquerque (bateria) e Bruno Mendes (percussão).
Montoril é natural de Macapá e, atualmente, um dos compositores que tem seu nome garantido no cenário musical paraense. Tem 40 músicas gravadas em CDs sendo que uma destas – Canto de Atravessar, uma parceria com Jorge Pimentel - atingiu sucesso nacional ao ser gravada pela Banda Calypso.
Serviço: Show “Quintais da Amazônia”. Dia 29 de outubro, às 17h, na Fonoteca Satyro de Melo (3º andar do Centur). Entrada Franca. Informações: (91) 8317-9794.

Texto:
Luiz Flávio


Diretor de escola paraense premiada terá capacitação no Reino Unido
O diretor Manoel Carlos Guimarães, da Escola de Ensino Fundamental e Médio São Francisco Xavier, no munícipio de Abaetetuba, participando de um curso de aperfeiçoamento em gestão escolar no conceituado National College for Teaching & Leadership, na cidade de Nottingham, Inglaterra, no período de 30 de outubro a 19 de novembro. 
O treinamento é oferecido à Escola São Francisco Xavier por ter sido uma das quatro vencedoras no Pará do Prêmio de Gestão Escolar (PGE) 2013, que proporcionou aos diretores vencedores a participação no Programa de Mobilidade para Professores no Reino Unido. A coordenadora estadual do PGE, Mabel Falcão, assessora técnica da Secretaria Adjunta de Ensino (SAEN), da Secretaria de Estado de Educação, também passou 11 dias nos Estados Unidos, assimilando novos conhecimentos em gestão, para intercâmbio e capacitação das ações administrativas e pedagógicas nas unidades escolares do Estado.
Organizado pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), o Prêmio de Gestão Escolar busca reconhecer projetos inovadores e gestões de qualidade na educação básica da rede pública de ensino brasileiro. O Programa é realizado pela Capes em parceria com o Conselho Britânico.
Uma das medidas para solucionar o gargalo em que se encontra o sistema educacional brasileiro é se discutir um novo currículo. “É preciso investir na formação continuada dos profissionais da educação, garantir infraestrutura e recursos didático-pedagógicos com qualidade tecnológica, valorizando os profissionais com uma jornada de trabalho em que estejam inclusos o momento para as avaliações, o planejamento e a articulação da escola com a comunidade”, ressaltou Manoel Carlos Guimarães.
Gestão participativa - De acordo com o diretor, na gestão do ensino, a escola São Francisco Xavier faz o monitoramento de todos os alunos e de seus rendimentos, avalia os resultados e ressignifica o currículo com a participação dos docentes; e também realiza o conselho de classe e decide com os alunos propostas para a melhoria do ensino”.
Na Escola São Francisco Xavier há um trabalho participativo entre a instituição e a família dos alunos. “Em nossa escola estimulamos o envolvimento de todos, com responsabilidade e compromisso. É o trabalho que ultrapassa os muros da escola, que envolve os sujeitos do processo educacional na dinâmica da sociedade", diz Manoel Carlos. E para que isso se torne realidade, reforça, é necessário que a escola trabalhe com um currículo que represente a singularidade destes sujeitos, a cultura, as relações de poder, a sua história e promova ações que ultrapassem a sala de aula com atividades culturais, integração com a comunidade, ações educativas e formativas.
Excelência na formação - O National College for Teaching & Leadership foi criado em 2000 e é a primeira escola em todo o mundo voltada unicamente para o desenvolvimento profissional de líderes escolares. Reconhecido internacionalmente pela excelência em desenvolvimento de liderança e suporte escolar, apoia a formação de gestores em diversos países, como Inglaterra, Índia, Austrália e China.
O programa premiado de auto avaliação da São Francisco Xavier envolveu todos os segmentos da escola e culminou em um dossiê, que consiste em um instrumento de sensibilização, motivação e orientação para o avanço da gestão escolar, sobretudo nas questões que estabelecem a melhoria dos níveis de aproveitamento dos alunos.
“No dossiê foram expressas cinco dimensões de avaliação: a gestão de resultados educacionais; a gestão participativa; a gestão pedagógica; a gestão de pessoas; e a gestão de serviços e recursos. Em cada uma delas procuramos descrever de forma analítica e comentada as ações práticas e processos que evidenciam o atendimento aos indicadores de qualidade”, diz Manoel Carlos.

Texto:
Silvia Leão


Escola Estadual grava programa do Canal Futura
O programa “Sala Debate Especial”, gravado na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Jaderlândia, em Ananindeua, na sexta-feira, 24, sobre as ideias e anseios dos jovens, será exibido nesta terça-feira (28), às 20h20 (horário de Belém), no Canal Futura, e, em seguida, no site www.futura.org.br. A Escola Jaderlândia funciona na rua “G”, Quadra 11, do Conjunto Jaderlândia, e a gravação do “Sala Debate Especial”, em parceria com o Instituto Unibanco, começou com o jornalista e apresentador Thiago Gomide, fazendo a seguinte provocação: “Afinal, o que querem os jovens do Brasil?”. Vinte estudantes do 3º ano do Ensino Médio participaram da gravação do programa sobre o tema “Pluralidade de Juventudes e seus Anseios".
A partir desse subtema, que integra o tema central do “Sala Debate Especial” - “Juventude, Educação e Enem (Exame Nacional do Ensino Médio)", os estudantes interagiram com Thiago Gomide acerca dos anseios dos mais de 50 milhões de jovens brasileiros. Do debate, que teve uma hora de gravação na área central da Escola Jaderlândia, participaram também o coordenador da Área de Educação da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais do Instituto de Pesquisas Aplicadas (Ipea), Paulo Roberto Corbucci; o historiador e educador popular do Instituto Unipop (Universidade Popular), Diego Souza Teófilo, e o professor de Geografia da Escola Jaderlândia, Orlando Abraão.
A diretora da escola, Elizabeth Aguiar; a diretora da Unidade Seduc na Escola (USE), Dulcedéia Furtado Barbosa, conhecida como “professora Betinha’; o diretor de Ensino Médio e Profisonalizante, George Castro, e o analista socioeducacional do Instituto Unibanco, André Sobrinho, acompanharam os trabalhos, que mobilizaram 20 técnicos.
A escolha sobre a Escola Jaderlândia para participar do programa se deu em virtude dos projetos desenvolvidos por essa unidade escolar em prol do alunado, como parte do programa Pacto pela Educação do Pará, incluindo o Ensino Médio Inovador e Jovem de Futuro (ProEMI/JF). Entre as ações da escola estão o projeto Escola Aberta, realizado em parceria com a Marinha do Brasil, pelo qual os estudantes dispõem no contraturno de ações esportivas e educativas na Estação de Rádio; ProEnem de preparação ao Exame; e reforço de Língua Portuguesa e Matemática no programa Mais Educação e ProEmi/JF.
Desafios
No programa foram abordados ângulos diversos da cidadania dos jovens no Brasil, como a diversidade. Ao contrário do que se costuma pensar, como foi dito durante a gravação do programa, os jovens indígenas, quilombolas e da periferia das cidades têm perfis diferenciados, únicos que precisam ser identificados e considerados para a definição de políticas públicas. “Em uma sala de aula antes de tudo o professor deve ouvir os alunos, os jovens, para se estabelecer uma parceria objetivando a relação ensino-aprendizagem”, afirmou o professor Orlando Abraão.
“Eu noto que o jovem da periferia é muito discriminado, porque se diz logo que o jovem pobre é bandido ou traficante e a jovem pobre é garota de programa”, afirma Lucas Menezes Silva, 17 anos, filho de pai metalúrgico e mãe de manicure/pedicure, ao lado de Tainara Lameira de Abreu, 19 anos. Eles participam do programa do Canal do Futura. Filha única da assistente administrativa Léia Galvão, Tainara quer se formar em Fisioterapia e Nutrição. “Somente estudando e poderei ter uma carreira profissional, a escola é fundamental na minha vida”, afirmou.
Outros aspectos em discussão entre estudantes e debatedores a serem conferidos no programa são a evasão escolar; o preparo dos professores para lidar com a diversidade dos jovens como estudantes em sala de aula e não apenas com o aluno-padrão; modernização tecnológica das unidades escolares no País; a escola como ambiente atraente, indispensável para os estudantes; acesso ao mercado de trabalho; relação emprego x remuneração; empreendedorismo jovem; geração “nem estuda nem trabalha” e preparação ao Enem.
“O que mais me chamou a atenção aqui nesta escola (com 780 alunos e 25 professores em três turnos) foi a mobilização contra a evasão escolar”, afirmou Thiago Gomide, após a gravação do programa . O “Sala Debate Especial” conta com programas em Belém, Fortaleza (CE) , Goiânia (GO) e Rio de Janeiro (RJ).

Texto:
Eduardo Rocha


HRPL investe em capacitação para melhorar atendimento
O Hospital Regional Público do Leste (HRPL), em Paragominas, investe na formação dos colaboradores em busca da melhoria contínua dos serviços oferecidos a uma população estimada em 500 mil habitantes da região do Capim, que depende da assistência de média e alta complexidade. Dentro da programação de treinamentos, foram realizados cursos Logística e Compras, Treinamento de Ingresso de Enfermagem e curso para elaboração do Manual do Usuário. Para o diretor Executivo, Adriano de Lima, os investimentos destinados à capacitação têm foco na qualificação profissional dos colaboradores do hospital e que vai repercutir diretamente no atendimento ao público.
Equipado com tecnologia de ponta e equipe multiprofissional capacitada, o HRPL oferece atendimento nas mais diversas especialidades e têm à disposição 80 leitos de internação, Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e unidades de urgência e emergência. O hospital conta, ainda, com uma estrutura de atendimento hospitalar com clínica médica, cardiologia, clínica cirúrgica, endocrinologia, mastologia, ginecologia, urologia, oncologia, traumatologia, ortopedia, neurocirurgia e neurologia.

Texto:
Vera R. Rojas


Ação Imetro para Todos - Criança Segura
Nesta quinta-feira, 30, o Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará), em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi) e o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), promoverá na Praça Batista Campos o evento: #Imetroparatodos – Criança Segura, de 9h às 12h, com programação gratuita e aberta ao público.
A ação tem como principal objetivo alertar aos pais e aos cuidadores sobre os principais riscos que as crianças estão submetidas no dia a dia e como podem ser evitados acidentes, bem como conscientizar as crianças, por meio de brincadeiras, sobre formas de prevenir acidentes, cuidados com o meio ambiente e direito dos consumidores.
Na oportunidade, também será montada uma “Central de Acidentes de Consumo” permitindo apresentar à sociedade informações sobre regulamentação de produtos infantis, como brinquedos, chupetas, bicicletas infantis, dentre outros, e o Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac).
De acordo com o Inmetro, a maioria dos acidentes domésticos ou de situações de rotina poderiam ser evitados se houvesse maior conhecimento sobre precauções e ações simples de prevenção, como a verificação da presença do selo de segurança do Inmetro. Os artigos infantis apresentam o maior índice de relatos, representando 15% do total, de acordo com dados do banco de acidente de consumo do instituto.
Poderão participar alunos das escolas de Belém dos jogos educativos que abordarão a temática do evento, permitindo a interação entre as crianças e os adultos, dentre eles: “jogo dos sete erros”, “jogo da vida montado no chão”; “roleta de conhecimentos” e “jogos de colorir”, com faixa etária entre 5 e 12 anos e responsáveis.

Texto:
Ana Caroline


Jucepa instala Unidade Desconcentrada em Bragança
O município de Bragança, no nordeste do Pará, que recentemente completou 401 anos, ganhou uma Unidade Desconcentrada da Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa). A unidade representa mais uma etapa do cumprimento do planejamento estratégico da nova estrutura da Jucepa e funcionará em uma sala com toda infraestrutura no prédio da Secretaria Municipal de Administração da Prefeitura de Bragança. A parceria demonstra o empenho de ampliar a presença da Jucepa em todas as regiões do estado.
A cidade bragantina, com cerca de 120 mil habitantes, pertence a mesorregião do nordeste paraense, a 220 km de distância de Belém. A instalação da Unidade Desconcentrada de Bragança tornou-se necessária pelo quantitativo de 2.415 empresas ativas no município e de 7.156 empresas ativas na microrregião bragantina. O município se destaca como o maior polo pesqueiro do Pará, exportando sua produção principalmente para as capitais do Nordeste e também todo o estado do Pará. Há ainda grande atividade pecuária, agricultura e extrativismo de caranguejos.
Para o presidente da Jucepa, Paulo Sérgio Pinheiro, a Junta vem observando um aumento expressivo do percentual de constituições de novos negócios nas Unidades. "O desempenho das Unidades Desconcentradas da Jucepa nos principais polos de integração regional é crescente. Os registros feitos até setembro de 2014 chegaram a 5.438 constituições, o que corresponde a 68,95% de todos os registros de empresas realizados na Jucepa. Outro benefício é que as informações sobre o Registro Mercantil estarão ainda mais perto dos contadores e dos empreendedores".
Recentemente, a Jucepa contemplou as regiões sul e sudeste com novas unidades. "E agora chegamos à Bragança, na região nordeste do estado, depois de já estarmos em Castanhal e Capanema. Com a UD de Bragança, somamos 17 Unidades”, explica Paulo Pinheiro. A Jucepa também já possui Unidades em Abaetetuba, Ananindeua, Altamira, Capanema, Castanhal, Canaã dos Carajás, Itaituba, Marabá, Novo Progresso, Paragominas, Paraupebas, Redenção, Rondon do Pará, Santarém, Tucuruí e Xinguara”.
O secretário de Administração de Bragança, José Osvaldo Rufino, ressaltou como fundamental a importância da chegada da Unidade da Jucepa. “Implementamos no ano passado a Casa do Emprendedor e agora com a Jucepa será mais uma injeção de ânimo, mais uma transformação na economia de Bragança. Não haverá mais o deslocamento desnecessário para outros municípios. Estamos incentivando o primeiro passo, estimulando novos empreendedores a formalizar suas empresas aqui mesmo, gerando emprego e renda, então é um momento muito importante a instalação desta Unidade da Junta Comercial no município”.
O Prefeito Nelson Magalhães afirma que “ A instalação da Jucepa vem atender a ansiedade de muitos bragantinos, que há anos esperam por isso, pois antes era preciso se deslocar até Capanema ou Belém para fazer a regularização de empresas. Todo o potencial de desenvolvimento tem que estar mais próximo de Bragança, pois muitos deixam de se regularizar pela distância que os órgãos têm da cidade. Agora este convênio vem contribuir para o avanço de Bragança. Agradecemos a oportunidade e a parceria de poder contar com a Jucepa aqui no município".
A Unidade Desconcentrada da Junta Comercial do Estado do Pará terá na coordenação a servidora Ana Débora Ramos e funcionará na Casa do Empreendedor, na Tv. 9 de Setembro, s/n, prédio do antigo Seminário da Diocese de Bragança.

Texto:
Diane Maués








Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...