Total de visualizações de página

quinta-feira, outubro 23, 2014

PM discute plano de cargos e carreira em reunião com policiais de Itaituba








COLIGAÇÃO MUDA BRASIL

NOTA OFICIAL

É lamentável a onda de terrorismo que assola a reta final da campanha pela Presidência da República. Chegou ao cúmulo de eleitores receberem mensagens mentirosas em seus celulares, vinculando a continuação de programas sociais, como o Bolsa Família, à eleição da candidata oficial. O caso foi denunciado pelo jornal O Globo nesta quinta-feira.

Esse é apenas um exemplo das diversas inverdades espalhadas Brasil afora, que vão na contramão do espírito democrático que deveria prevalecer na disputa pela Presidência.

Essa é uma tática guiada pelo medo e pelo desespero de quem teme perder cargos no governo federal. Ao invés de discutir propostas e fazer um debate sobre como enfrentar os desafios do Brasil nos próximos quatro anos, preferem usar a população brasileira como marionetes.

Temos certeza de que os eleitores, cansados desse terrorismo, saberão dar a resposta nas urnas no próximo domingo e escolherão a melhor proposta para garantir que tenhamos um governo digno e honrado,  à altura da população brasileira.


Carlos Sampaio
Coordenador jurídico da Coligação Muda Brasil


COLIGAÇÃO MUDA BRASIL

Agenda 24-10-14
 O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, estará no Rio de Janeiro (RJ), nesta sexta-feira (24/10), onde, à noite, participa de debate promovido pela Rede Globo.


Susipe certifica detentos que concluíram cursos do Pronatec
Internos do Presídio Estadual Metropolitano II (PEMII) receberam, nesta quinta-feira (23), certificação dos cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Trinta detentos concluíram os cursos de pedreiro de alvenaria estrutural e mecânico de motores a diesel, ministrados dentro da unidade prisional.
Alunos do curso de violão da unidade fizeram uma apresentação musical durante a cerimônia de certificação. Familiares dos internos participaram do evento e ficaram emocionados ao acompanhar um clipe com fotos feitas durante as aulas. Maria Luiza da Silva fez questão de estar ao lado do marido, o detento Antônio da Silva, nesse momento tão especial para o casal. "Feliz em ver que uma porta se abriu para ele, mesmo estando preso", disse.
O detento afirmou estar orgulhoso em concluir o curso de pedreiro. "Antes de ser preso, eu trabalhava como vendedor ambulante, e nunca fiz nenhum curso, porque priorizava o trabalho. Só aqui dentro do presídio consegui estudar e aprender coisas que posso usar quando sair daqui. Além de uma conquista, é um novo começo”, definiu.
Os internos tiveram aulas práticas e teóricas sobre normas e procedimentos técnicos de qualidade, segurança, higiene e saúde. Eles aprenderam todo o processo de uma construção, desde a fundação, levantamento de alvenaria e acabamento final. Os detentos saem prontos para atuar na área de construção civil, que é um dos setores que mais crescem no país. Atualmente, um pedreiro habilitado ganha, em média, R$ 978, mais adicionais.
O diretor do PEM II, Carlos Alberto, ressaltou a importância da educação na ressocialização. "Nesse momento, não vejo esses homens como presos, mas sim como alunos que decidiram descruzar os braços e buscar melhorias na vida. Fazemos questão de trazer a família para esse momento e mostrar para todos que é possível vencer na vida mesmo estando preso”, afirmou.
Oportunidades – A educação prisional no Pará é destaque no cenário brasileiro. A média nacional de presos estudando em todo o país é de 10%, enquanto no Estado é de 11,9%. Nesse ranking, o Pará fica à frente de Estados como Minas Gerais (11,1%), Santa Catarina (7,8%), Rio de Janeiro (7,5%), São Paulo (5,7%) e Rio Grande do Sul (7,8%), conforme indicam os dados sobre educação levantados pelo Ministério da Justiça, em 2013.
Foi através de projetos desenvolvidos e orientados pela Divisão de Educação Prisional da Superintendência do Sistema Penal (Susipe) que o número saltou de 1.180 internos envolvidos com atividades educacionais em 2011 para os mais de três mil atuais, um aumento equivalente a mais de 175% no período.
Ao todo, 92 professores formam o corpo docente atuante com educação prisional no Pará. O número contempla profissionais da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e também das secretarias municipais. Os mais de três mil internos atendidos contam com 63 salas de aula, 35 delas localizadas em unidades da Região Metropolitana de Belém e 28 em unidades do interior do Estado. O direito ao estudo dentro do cárcere é garantido pela Lei de Execução Penal. A cada doze horas contabilizadas em atividades educacionais, o interno é beneficiado com um dia de remissão de pena.
"Estamos muito felizes com os resultados da educação prisional este ano. Conseguimos mais de quatro mil vagas para capacitação profissional dos detentos, pelo Pronatec, e já certificamos 473 internos. Essa é uma oportunidade única de fazer um curso que custa cerca de R$ 800 lá fora e que é exatamente igual ao ministrado aqui dentro. Hoje o sistema prisional está focado em garantir uma educação para os internos que querem qualificação e mudança de vida", concluiu a gerente de Divisão de Educação Prisional, Aline Mesquita.

Texto:
Timoteo Lopes


Comitiva da Martinica conhece a produção de joias no Estado
O grupo de nove joalheiros da Martinica, ilha no Caribe cujo território é da França, iniciou na tarde da última quarta-feira (22) as visitas técnicas às unidades produtivas e de comercialização de joias do Pará. A programação segue até sexta-feira (24), sob a orientação da representante do conselho regional da Martinica no Brasil e adida de cooperação junto à Embaixada da França em Brasília, ManuellaToussay. A agenda faz parte do projeto que subsidiará a implantação de um polo joalheiro na Martinica usando o modelo paraense como base.
A comitiva conheceu o Museu de Gemas do Pará e as lojas de joias, lapidação e ourivesaria do Polo Joalheiro do Pará, entre elas a Una, experiência de loja incubadora existente no Espaço Criativo e de Comercialização São José Liberto. Visitaram também a Casa do Artesão e o Coliseu das Artes, que fica no anfiteatro do complexo.
Marcelo Monteiro é um dos sete membros do Consórcio de Joias do Pará e também dono da ourivesaria Ourogema, que recebeu visita da comitiva. “Na Martinica, eles usam mais o ouro. Quem atua em joalheria tem que ter criatividade, e só com o tempo vai se aperfeiçoando. A ideia da parceria é muito interessante, porque vai fomentar e promover a questão de cooperação, fazendo os joalheiros do território francês produzirem joias com mais qualidade e criatividade, como é feito no Espaço São José Liberto”, disse Dalmsô Barbosa, ao observar a unidade produtiva Ourogema nesta quinta-feira (23).
Barbosa tem dupla nacionalidade (brasileira e francesa), é ourives há 26 anos e o único lapidador da Martinica. Fez o curso em 1980 e hoje é considerado o melhor ourives da região. Só não atua como lapidador pela falta de matéria-prima no território, o que torna a mão de obra de lapidação muito cara. Ele ainda contou que todas as pedras preciosas são importadas já lapidadas. A maioria de suas peças é feita sob encomenda, para atender um público consumidor seleto, que consome joias de luxo.
Marcelo Monteiro, que atua no ramo da joalheria há 35 anos, explicou a diferença entre uma ilha de lapidação, onde ocorre o tratamento da drusa – pedra quase em seu estado bruto – e a ourivesaria, espaço de manuseio e criação de peças em ouro. Ambos os locais são unidades produtivas de joias. “Fazer parte do consórcio é a experiência mais vantajosa que se pode ter, pois unir-se em prol de um objetivo comum, no nosso caso, o de reduzir custos, principalmente, tem sido um ganho”, disse ele ao grupo da Martinica.
Parceria – Em reunião na Federação das Indústrias do Pará (Fiepa) na tarde desta quinta-feira (23), o gestor do Consórcio de Joias do Pará, João Amorim, dono da loja de joias Amorim Mendes, falou sobre a formação do consórcio e ressaltou que a parceria começa com o conhecimento de ambas as partes.
“A comitiva da Martinica descobre uma nova forma de gestão e comercialização. Pensamos para esse projeto um modelo mais consolidado de joint ventures. Até porque seria o resultado mais interessante entre a união de uma empresa e talvez a negociação dos empresários com a Martinica. Eles pretendem gerar uma empresa em solo francês na Martinica para ser trabalhado o modelo usado pelo Polo Joalheiro do Pará”, explicou.
O diretor do Centro Internacional de Negócios (CIN), da Fiepa, Raul Tavares, falou sobre a parceria da instituição neste acordo de cooperação técnica entre o Governo do Pará e a Martinica na questão da promoção de troca de experiências para a potencial implantação de um polo semelhante no território francês.
“Essa parceria se consolidou a partir do momento em que a estrutura do setor produtivo, a Fiepa, e seus sindicatos trazem aquilo que tem de potencial e expertise das empresas locais para as empresas da Martinica, estimulando não só a troca de experiência das indústrias do Pará e das indústrias da Martinica, mas também criando um processo de integração entre as duas partes voltado especificamente para área econômica, que possa gerar negócios para o território francês e para o Estado do Pará”, afirmou Raul Tavares.

Texto:
Juliana Pinheiro


Aécio lamenta baixo nível da campanha adversária

"Isso não honra ninguém. Isso não dignifica a política", alerta o candidato

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, lamentou, nesta quinta-feira (23/10), no Rio de Janeiro, o baixo nível da campanha promovida pela candidata petista Dilma Rousseff e aliados. Segundo Aécio, os ataques pessoais que ele e sua família vêm sofrendo transformam esta campanha eleitoral em uma das mais sórdidas da história do país e depõem contra sua adversária.

"Para mim, a candidata oficial já é uma derrotada, independentemente do resultado eleitoral, pela campanha que se permitiu fazer, isso não honra ninguém. Isso não dignifica a política", afirmou Aécio em entrevista coletiva à imprensa ao lado da filha mais velha, Gabriela.  Antes da entrevista, ele se reuniu com o cardeal arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, e o senador Francisco Dornelles (PP-RJ).

Em seguida, Aécio acrescentou que "no futuro, essa campanha será estudada e, certamente, será tida como a de mais baixo nível de todas as campanhas que nós tivemos desde a redemocratização".

Aécio citou que houve casos em que pessoas foram presas ao distribuir panfletos com acusações falsas em relação a ele e sua família. O candidato lembrou ainda que há denúncias de pessoas que estão reproduzindo informações falsas sobre seu programa de governo.

"Hoje mesmo há denúncias de telemarketing assustando e aterrorizando pessoas que são beneficiárias do Bolsa Família. Quem age de forma tão sórdida como essa, em primeiro lugar, não está preparado para a democracia e, em segundo lugar, teme o resultado das eleições", afirmou Aécio, reiterando o compromisso de manter e ampliar o Bolsa Família, transformando-o em um programa de Estado.

Figura menor

Questionado sobre os ataques desferidos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em atividades da campanha petista, Aécio lamentou as afirmações do petista, que em sua opinião reduziu-se a uma "figura menor" nesta campanha presidencial.

"É lamentável nós vermos um ex-presidente da República se sujeitando a cumprir um papel de protagonista dessa campanha sórdida e, a meu ver, criminosa do ponto de vista dos ataques", respondeu Aécio.

Aécio lembrou que Lula já fez acusações graves contra os ex-presidentes Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso e até mesmo José Sarney, hoje aliado petista. "Infelizmente, o ex-presidente Lula sai dessa campanha como uma figura menor da política brasileira", afirmou Aécio.

Biografia

O candidato reiterou que sua trajetória de vida é a melhor resposta que pode dar às acusações infundadas de Lula e adversários políticos. "A minha história de vida está aí. Eu, com 22 anos de idade, disputava eleições. Tenho 30 anos de mandatos consecutivos honrados, fiz uma trajetória de vida pública que os mineiros e os brasileiros reconhecem como uma trajetória rara", afirmou ele.

Aécio ressaltou que, aos 24 anos, era um dos jovens líderes da campanha em favor do voto direto dos eleitores para os governantes no Brasil, as Diretas Já. "Com 24 anos, eu estava ajudando a organizar a campanha das Diretas [Já] e depois como um dos coordenadores da eleição de Tancredo Neves, que nos livrou da ditadura e, infelizmente, o Brasil não teve lá o apoio desses que me acusam hoje", disse ele, lembrando que houve recusa do PT de apoiar a candidatura de Tancredo em 1984.

Pesquisas

Ao ser questionado sobre as pesquisas de intenção de voto, Aécio reafirmou seu otimismo e disse que elas servem como estímulo aos aliados e simpatizantes que querem a mudança para o Brasil. "Eu estou muito confiante, o movimento que nós estamos assistindo no Brasil inteiro - e vocês têm sido testemunhas de alguns desses movimentos - é algo avassalador", afirmou.

Segundo Aécio, o desejo de mudança é que vai garantir a vitória nas urnas. "Esse sentimento de mudanças, que eu chamaria de uma certa espiral silenciosa que se forma em todo o Brasil, vai nos levar à vitória no próximo domingo. Isso fica cada vez mais claro quando nós assistimos ao desfecho dessa campanha por parte dos nossos adversários", explicou, numa referência aos ataques petistas.

"E eu convido cada brasileiro, cada brasileira que ainda não tomou a sua decisão, que ainda avalia as propostas dos candidatos, que nos dê a chance de mudar o Brasil, inclusive de requalificação da política", afirmou Aécio. "Eu vou continuar firme para responder a todos os ataques, mas com enorme determinação de apresentar propostas e, vencendo as eleições, governar para todos os brasileiros", acrescentou.


Entrevista do candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves

Rio de Janeiro (RJ) - 23-10-14

Assuntos: ampliação dos horários de creches e pré-escolas; licença-maternidade; eleições; combate às drogas; campanha presidencial

(Seguem trechos)

Fala inicial

Hoje em boa companhia da minha filha Gabriela. Vou dar umas palavras depois eu respondo perguntas. Estamos aí na reta finalíssima desta campanha eleitoral e é hora de nós reafirmarmos compromissos e eu quero hoje, já na antevéspera do segundo turno, reiterar meu compromisso com as mulheres e com a educação no Brasil. No nosso governo, as creches que não foram construídas [neste governo] serão construídas e ficarão abertas até às 20 horas. Todas as creches públicas terão seu horário estendido em razão das modificações claras que existem hoje no cotidiano das famílias, principalmente nas grandes cidades, em razão do trânsito e das dificuldades das pessoas de retirarem seus filhos das creches. É uma demanda que recebi de inúmeras mães Brasil afora, especialmente do Nordeste, e que estamos incorporando ao nosso programa de governo. Da mesma forma, a pré-escola, aquela que atende às crianças até quatro anos, ficará aberta ate às 20 horas. Nós estamos adaptando o horário de funcionamento desses espaços de proteção da criança até um horário mais compatível com a realidade contemporânea das mães e das famílias. Nós sabemos que depois da família, a escola é o segundo local de proteção dessas crianças. Portanto, é possível, sim, fazermos isso de forma absolutamente adequada. Outra questão que eu quero aqui reiterar: vamos garantir uma lei em que a licença-maternidade, no caso de mães que tenham que ficar com seus filhos hospitalizados,  e parto de uma experiência pessoal [quando meus filhos estavam internados] que tive e também uma demanda que recebi de várias mães, mas vamos garantir que a licença-maternidade passe a contar apenas a partir do momento de que o filho que tenha tido algum tipo de problema saia da rede hospitalar. Portanto, vamos estender esse período de licença-maternidade. Assisti pessoalmente inúmeros casos de mães que perderam seu emprego porque seus filhos ficaram um, dois, três meses e em muitos casos até mais meses internados. E, por fim, quero garantir meu compromisso à Nova Escola Brasileira. Uma escola que ensine com currículo do ensino médio regionalizado, flexibilizado, algo que infelizmente não foi feito ao longo de todos esses últimos 12 anos. Nós queremos uma escola que valorize, capacite os professores e que ensine os alunos. [Há também] a proposta do Poupança Jovem, que se insere nesse contexto como um estímulo para que o jovem possa concluir o ensino médio. Poupança Jovem, portanto, a começar pelas regiões mais carentes, mais pobres, onde há uma evasão escolar maior. É uma outra proposta que na verdade complementa esse conjunto de iniciativas de proteção à criança e à mulher.
            

Resultados das últimas pesquisas de intenção de voto

O que vimos no primeiro turno em relação às pesquisas eleitorais foi uma distância muito grande entre a vontade do eleitor e o que as pesquisas manifestavam. Eu vejo essas pesquisas como um estímulo aos nossos companheiros e companheiras que querem mudar. Fiquem aí em alerta e atentos porque temos todas as chances de ganhar. Temos várias pesquisas - de pelo menos três institutos que estão fazendo pesquisas quase que diárias para nós - que nos colocam alguns pontos na frente, mas eu não paro para avaliar pesquisa. Se tivesse feito isso, vocês provavelmente não estariam aqui, me dando o prazer de suas presenças, porque sequer no segundo turno eu estaria. Estou muito confiante. O movimento que estamos assistindo no Brasil inteiro - e vocês têm sido testemunhas de alguns desses movimentos - é algo avassalador. O sentimento por mudança é muito maior do que o sentimento de apoio a uma candidatura ou a um partido político, e esse sentimento de mudança, que eu chamaria de certa 'espiral silenciosa' que se forma em todo o Brasil, vai nos levar à vitória no próximo domingo. Isso fica cada vez mais claro quando nós assistimos ao desfecho dessa campanha, por parte dos nossos adversários. No futuro, essa campanha será estudada e, certamente, será tida como a de mais baixo nível de todas as campanhas que nós tivemos desde a redemocratização. A campanha conduzida pelos nossos adversários é a mais sórdida e mentirosa de todas essas campanhas. Hoje mesmo estão sendo presas pessoas com boletins falsos, com infâmias, com acusações levianas em relação a mim, à minha família. Hoje mesmo há denúncias de telemarketing assustando, aterrorizando pessoas que são beneficiárias do Bolsa Família. Quem age de forma tão sórdida como essa, em primeiro lugar, não está preparado para a democracia e, em segundo lugar, teme o resultado das eleições. Continuarei a fazer a campanha propositiva, a campanha que olha para o futuro. E quero afirmar aqui hoje a vocês, ao lado da minha filha, a verdade vai vencer a mentira. A responsabilidade vai vencer as informações caluniosas e criminosas que vêm sendo disseminadas Brasil afora.

O Brasil não merece ter uma disputa desse nível que os nossos adversários estão propondo. Quero reafirmar a eles que, assim como cheguei ao segundo turno, no domingo que vem [26/10], vamos vencer as eleições e escrever uma nova página na história do Brasil, de decência, de honestidade, de verdade e mesmo de respeito aos adversários. Lamentável o que nós estamos assistindo hoje. Lamentável vermos um ex-presidente da República se sujeitando a cumprir um papel de protagonista dessa campanha sórdida e, a meu ver, criminosa do ponto de vista dos ataques. Portanto, a minha candidatura não representa apenas a possibilidade de vitória de um único partido político, ela representa a possibilidade de nós resgatarmos uma política qualificada, a política que os brasileiros buscam e que esperam dos seus representantes. Tenho absoluta certeza que nessas 48 horas praticamente que nos separam do dia final de campanhas eleitorais, nós vamos estar com nossos companheiros mobilizados Brasil afora.

Combate às drogas

O primeiro passo é exatamente impedir que a droga entre de forma tão facilitada no Brasil a partir das vistas grossas que governos que produzem [essas drogas] ou mesmo matéria-prima [dessas drogas] fazem para a produção em seu território. A Bolívia, por exemplo, produz quatro vezes mais folhas de coca do que usa para o seu consumo nos altiplanos. Isso é uma sinalização clara de que não há ali uma preocupação desses países, e mais do que isso, talvez até uma vista grossa. E o governo do Brasil pelas relações que tem, aceita que isso ocorra. Controlar as nossas fronteiras, com investimentos na Polícia Federal, que tem o pior orçamento de investimentos, o menor dos últimos cinco anos, fortalecer as Forças Armadas para que elas possam, também profissionalizadas e valorizadas, ser o instrumento parceiro da Polícia Federal no controle das nossas fronteiras. Vamos ampliar uma experiência que nós fizemos em Minas Gerais, o Regresso, e a que existe em São Paulo, o Recomeço, onde vamos ampliar Brasil afora as clínicas de recuperação em parceria, não apenas com o setor público, mas em parceria com ONGs, em parceria com igrejas, que podem ajudar o Estado a cumprir esse papel que solitariamente ele não cumpre. E a partir daí, do resgate dessas pessoas, obviamente vai haver a ação repressiva, sobretudo, em torno dos traficantes e não dos usuários, mas dos traficantes. Tenho dito que precisamos ter coragem de enfrentar uma reforma no nosso Código Penal, no nosso Código de Processo Penal para que a sensação de impunidade que hoje se alastra por todo o país possa ser diminuída.

Efeitos dos resultados das pesquisas de intenção de voto sobre a campanha

A minha candidatura não perdeu do segundo turno para cá, pelo contrário, a minha candidatura cresceu do segundo turno pra cá. Ela pode ter tido um crescimento muito vigoroso nos primeiros dias, né? Tenho dito que a mesma tática tentada com Eduardo Campos da desconstrução e depois com Marina [Silva] é tentada comigo. Mas essa será uma eleição, sim, disputada, eu reconheço. Mas nós vamos vencer. Há uma onda muito grande de mudança no país. Meu ânimo não diminuiu um segundo sequer. Essas pesquisas servirão de ânimo e de entusiasmo até para alguns companheiros nossos que achavam que a coisa já caminhava com muita naturalidade. Tive notícias de eventos nesses últimos, nessas últimas 48h sem a minha presença, espontâneos, que nós não vimos desde a campanha das Diretas [Já]. No Marco Zero em Pernambuco, por exemplo, tinha 30 mil pessoas. Em Brasília, na Esplanada [dos Ministérios], milhares de pessoas. Em São Paulo, no Largo da Batata, dezenas e dezenas de milhares de pessoas. Isso não é algo que se vê usualmente em campanhas eleitorais. Isso é muito forte. Isso será avassalador no próximo domingo [das eleições]. Eu convido cada brasileiro, cada brasileira que ainda não tomou a sua decisão, que ainda avalia as propostas dos candidatos, que nos dê a chance de mudar o Brasil. Inclusive de requalificação da política. Vou dizer aqui mais uma vez. Para mim, a candidata oficial já é uma derrotada, independentemente do resultado eleitoral, pela campanha que se permitiu fazer, isso não honra ninguém. Isso não dignifica a política. Vou continuar firme para responder a todos os ataques, mas com enorme determinação de apresentar propostas e vencendo as eleições, governar para todos os brasileiros. Nos aguardem. Domingo estaremos novamente reunidos. E eu, no domingo à noite, estarei falando a vocês como presidente eleito da República.

Agressões do ex-presidente Lula

A minha história de vida está aí: com 22 anos de idade eu disputava eleições. Tenho 30 anos de mandato consecutivos honrados. Fiz uma trajetória de vida pública que os mineiros e os brasileiros reconhecem como uma trajetória rara. Presidi a Câmara dos Deputados e disputei eleições defendendo aquilo em que acreditava. Eu, com 24 anos de idade, estava ajudando a organizar a campanha das Diretas [Já] e, depois como um dos coordenadores da eleição de Tancredo Neves, que nos livrou da Ditadura, e infelizmente não tive lá, o Brasil não teve lá o apoio desses que me acusam hoje.  Pelo o que o ex-presidente da República dizia de outros adversários seus como, por exemplo, o presidente Itamar Franco, o presidente Fernando Henrique Cardoso ou mesmo o de aliados atuais como o ex-presidente Sarney, eu acho que essas acusações soam até como elogio. Mas elas apenas o apequenam. Infelizmente, o ex-presidente Lula sai dessa campanha como uma figura menor da política brasileira. Muito obrigado.


PM discute plano de cargos e carreira em reunião com policiais de Itaituba
Mais de 70 policiais militares de Itaituba, no sudoeste do Pará, participaram de reunião, nesta quinta-feira (23), com o comandante geral da Polícia Militar, coronel Daniel Mendes. O encontro discutiu o plano de cargos e carreira da corporação e os investimentos da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) destinados à capacitação, compra de equipamentos e qualificação dos militares de todo o Pará.
Entre as principais medidas do governo para a valorização da categoria estão a progressão funcional dos militares e a construção de um Centro de Treinamento Especializado para policiais do Estado. "A Lei de Organização Básica (LOB) da Polícia Militar foi aprovada este ano e surgiu da necessidade da corporação ter um amparo legal para se reestruturar de acordo com as necessidades do Estado. Dentro do pacote de ação do governo, aumentamos o efetivo policial e passamos a ter uma melhor estrutura para atender as realidades de cada município”, disse o comandante.
“Com mais sargentos, cabos, soldados e oficiais, naturalmente então conseguimos atender a um anseio antigo da corporação, que é a questão da progressão funcional. Somente este ano,  já promovemos mais de mil policiais e já temos um concurso para mais 860 militares, que deverão ser promovidos até o fim do ano, garantindo um plano de carreira à corporação", continuou o coronel Daniel Mendes.
Em 2014, mais de doze mil novos armamentos foram adquiridos pela PM, além de 742 viaturas, 51 embarcações e nove aeronaves, para reforçar a segurança pública do Estado, que conta hoje com um contingente de quase 16 mil policiais.
"Estou há mais de 20 anos na corporação, e esta é a primeira vez que vejo um comandante geral da PM vir a Itaituba discutir com a tropa a questão de um plano de carreira com a promoção por tempo de serviço, desejo antigo de todos nós. É muito bom saber que o Estado está investindo na gestão pessoal da PM. O comandante também anunciou a construção de um Centro de Treinamento para os policiais, o que é de grande importância para todos nós", afirmou o cabo Adenilson Cruz.
Para o comandante geral da PM, está é mais uma forma de valorizar o policial. "Já conseguimos alguns benefícios à corporação, como o aumento do tíquete-alimentação de R$ 150 para R$ 350, a garantia do auxílio fardamento, que já consta no contracheque, e o risco de vida aos policiais do Estado, que antes era de 50% e até o fim deste ano será de 100%. Outra forma de valorizar o policial é justamente incentivar o militar para que ele tenha uma promoção, abrindo vagas para que outros possam ser também beneficiados com a progressão funcional", frisou o coronel Daniel Mendes.
Prevenção – O comandante geral da PM também visitou um projeto piloto desenvolvido por policiais militares de Itaituba com cerca de 300 crianças e adolescentes carentes do município. O projeto Bom Menino investe na formação cidadã e na prevenção à criminalidade.
"O trabalho é totalmente voluntário e já ocorre há 19 anos. Aqui eles aprendem instruções militares, educativas e profissionalizantes com uma formação cívica, mas principalmente cidadã”, conta a sargento PM Maria Rodrigues, instrutora do projeto.
O pequeno Antonio Lucas de apenas 8 anos, participa há dois anos do projeto e já sabe o que quer para o futuro. “Quando eu crescer quero ser policial, que nem ele”, diz o menino, referindo-se ao comandante geral da PM. “É muito gratificante vermos crianças como o Antonio Lucas valorizando a disciplina e a ética desde muito cedo. Certamente, elas vão levar esse conhecimento para o resto da vida, e terão mais estrutura para dizer não às drogas e à violência. Queremos ver novos policiais como eles na corporação. Que sirvam de um belo exemplo, não só as crianças, mas os policiais que voluntariamente atuam no projeto”, concluiu o comandante geral da PM.

Texto:
Timoteo Lopes


Uepa aplica teste de proficiência em inglês em novembro
Oportunidade e qualificação. Definições certas para o futuro dos alunos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) que desejam estudar no exterior. Pensando no desenvolvimento acadêmico e nas oportunidades obtidas no mercado de trabalho, a Uepa agora é mais um centro aplicador do teste de proficiência de língua inglesa reconhecido mundialmente, o Toefl/ ITP.
As inscrições se encerram no dia 3 de novembro e podem ser feitas pelo site www.isf.mec.gov.br. As vagas são limitadas. Podem participar do exame alunos de graduação de qualquer área de conhecimento da Uepa. O Toefl é reconhecido por nove mil instituições de ensino superior, universidades e agências em mais de 130 países, incluindo Canadá, Reino Unido e Estados Unidos. O teste de proeficiência faz parte do Programa Inglês sem Fronteiras. Foi elaborado pelo Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação Superior (Sesu) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior (Capes).
O intuito é promover oportunidades de acesso, principalmente, para o Programa Ciência sem Fronteiras e outras seleções afins. “O exame não só dá oportunidade de inscrição em programas como o Ciência sem Fronteiras, mas também permite aos alunos uma avaliação diagnóstica do nível de conhecimento da língua inglesa que eles têm”, afirma o representante do Inglês sem Fronteiras da Uepa, Denilson Silva. A prova ocorre no dia 8 de novembro, às 14h, no auditório do curso de educação física, no Centro de Ciências Biológicas e de Saúde (CCBS).

Texto:
Ize Sena


Avançam obras de construção da ponte sobre o Rio Igarapé-Miri
As obras da primeira ponte de concreto armado na Rodovia PA-151 avançam sobre o Rio Igarapé-Miri, na região do Baixo Tocantins. Cerca de 65% dos trabalhos já estão concluídos. O governo do Estado está investindo quase R$ 60 milhões na estrutura, que terá 569,50 metros de extensão, beneficiando os municípios de Mocajuba, Cametá, Baião e Igarapé-Miri. Também foram finalizados os estudos técnicos para a construção de outra ponte sobre o Rio Mil, diminuído o tempo da travessia das balsas no caminho para Cametá.
Segundo o engenheiro Luís Duarte, 170 operários trabalham na obra, e 80% são da própria localidade. Eles foram capacitados pela empresa Construbase Engenharia Ltda. “Esta é uma forma de transmitirmos os conhecimentos técnicos para os trabalhadores locais, gerando emprego e renda”, explica.
No momento estão sendo feitos os trabalhos de lançamentos de vigas, recepção do tabuleiro e reforço do terreno com estacas pré-fabricadas. “Está sendo iniciado o aterro dos dois encontros, tanto do lado de Igarapé-Miri quanto do lado de quem vai em direção a Meruú, elevando o terreno para receber a cabeceira da ponte”, detalha. As fundações da ponte terão 13,5 metros de altura, para permitir a navegabilidade do rio, que tem tráfego intenso de embarcações.
A ponte terá um tabuleiro com seção transversal de dez metros, composto de 14 vãos. Os dois extremos terão comprimento de 39,95 metros, e os doze centrais, que correspondem aos vãos de navegação, 40,8 metros. A construção vai melhorar o acesso aos municípios que atualmente usam as travessias feitas por balsas rebocáveis sobre o Rio Igarapé-Miri.
“Será usada a técnica de terra armada, para execução do aterro de cabeceira da ponte, com a finalidade de diminuir o volume de aterro e causar menor impacto ambiental nas áreas próximas às cabeceiras da ponte” completa o engenheiro.
O caminhoneiro Antônio Cardoso, 49 anos, de Rondônia, diz que a ponte trará mais rapidez e economia para quem depende destas vias para trabalhar. “A ponte vai beneficiar quem precisa passar por aqui”, reforça, afirmando que o Pará está na frente no que diz respeito à conservação das estradas. “Dos Estados do Norte, o Pará está com as estradas em melhores condições”, atesta.
O produtor de açaí Manoel da Silva atravessa todos os dias o rio para levar sua produção de açaí para Igarapé-Miri. “Com a ponte essa viagem ficará mais barata”, calcula. O município de Igarapé-miri é o maior produtor de açaí do Brasil, com produção anual de cerca de nove mil toneladas.

Texto:
Márcio Flexa


Uepa divulga resultado do exame habilitatório de música
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) divulga nesta quinta-feira (23) o resultado do exame habilitatório de música dos processos seletivos 2015. Os candidatos considerados habilitados atingiram no mínimo 20% (seis pontos) do total da prova, que valia 30 pontos. Quem não se habilitou concorrerá a uma vaga no curso de segunda opção, escolhido no ato da inscrição. Todos devem imprimir os cartões de inscrição definitivos a partir do dia 28 de outubro, no site www3.uepa.br/seletivo/2015/index_2015_.html.
Este ano, a Uepa oferta 70 vagas para o curso de licenciatura em música para Belém e Santarém. Pelo Prise, foram registrados 70 candidatos inscritos e pelo Prosel, 502. Exatos 437 candidatos faltaram ao exame em Belém, e 41 em Santarém – todos foram automaticamente eliminados.

As provas objetivas serão aplicadas nos dias 16 e 17 de novembro e 7 de dezembro, todas das 8h às 13h. A primeira etapa do Prise e do Prosel será composta por 56 questões referentes ao conteúdo da primeira série do ensino médio; a segunda etapa terá 60 questões relacionadas à segunda série do ensino médio; e a terceira são a redação e mais 54 questões objetivas.

A Uepa oferece 2.916 vagas, 1.310 somente para Belém. Nos processos seletivos 2015, a universidade destina 30% do total de vagas a alunos oriundos da rede pública de ensino ou bolsistas integrais em instituições particulares, localizadas no Pará.

Texto:
Ize Sena


Uepa promove a Semana do Livro no campus de Paragominas
Promover o acesso à informação e à difusão de bens científicos e culturais. Esses são alguns dos objetivos da I Semana do Livro e da Biblioteca, que ocorre entre os dias 22 e 24 de outubro, na Biblioteca Nara Ozele, localizada no campus da Universidade do Estado do Pará (Uepa) em Paragominas, no nordeste paraense.
A programação, que é gratuita e aberta para todos os públicos, conta com palestras, oficinas, minicursos e momentos culturais. Farão parte das mesas de debates assuntos como sexualidade na adolescência, normalização de trabalhos acadêmicos, noções básicas de design e sustentabilidade.

“Uma das nossas ações com o evento é oferecer mais cultura e conhecimento para a comunidade externa, uma forma de interagir e aproximar os moradores do município com os servidores, alunos e professores da Uepa”, afirma o coordenador do campus, Aldeci Costa.

A iniciativa de promover o evento surgiu a partir do projeto de sustentabilidade que revitalizou o espaço físico da Biblioteca Nara Ozele. Cadeiras feitas de garrafas pets,; balcões revestidos de folhas de jornais e revistas e até espaço de convivência ornamentado com pneus reciclados fazem parte da nova decoração.

Texto:
Ize Sena


Escola Maroja Neto lança campanha contra depredação e violência entre alunos
Estudantes da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio “Maroja Neto”, localizada na Avenida Pedro Miranda, no bairro da Pedreira, aliam criatividade à produção de textos e imagens, com o objetivo de livrar o ambiente escolar de depredação e da violência entre os alunos. Na quarta-feira (22), a escola lançou a Campanha de Preservação do Espaço Escolar, mobilizando as turmas para criação de anúncios publicitários, que serão afixados nas dependências da escola, e para a realização de outras ações destinadas à conscientização da comunidade educacional. Participaram do lançamento da campanha técnicos do Projeto Florestabilidade, uma parceria da Fundação Roberto Marinho e da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).
A campanha surgiu diante da necessidade de modificar o cenário de depredação no ambiente escolar, identificada pelos estudantes das turmas 402 do Ensino Fundamental e 102 do Ensino Médio. Essa percepção do cenário negativo na escola se deu a partir do conteúdo debatido no Projeto “Sala de Leitura: um foco nos temas transversais”, e nas aulas da disciplina Língua Portuguesa, ministradas pela professora Tânia Monteiro.
Diagnóstico - “Nós verificamos que o ensino da Língua Portuguesa, assim como de outras disciplinas, não pode ser efetuado de forma dissociada, distante do contexto no qual está inserido o estudante. A Língua Portuguesa dialoga com todas as áreas da sociedade, em particular com a questão ambiental, e essas duas áreas estão muito presentes no dia a dia da escola. Assim, os estudantes fizeram um diagnóstico do que vinha ocorrendo na escola, como carteiras, portas, cadeiras, janelas depredadas, poluição sonora com celulares nos corredores perto das salas de aula e a questão do lixo”, ressaltou a professora.
A partir desse diagnóstico, os estudantes começaram a agir. Eles se reuniram e confeccionaram anúncios publicitários, trabalhando os conceitos e práticas desse gênero de texto. Além dos anúncios, os alunos anunciaram a campanha, visando conscientizar os colegas de escola para contribuírem com a preservação do ambiente escolar. Tânia Monteiro destacou que, “quando não se quebra uma carteira ou cadeira em uma escola, está se preservando a floresta, porque não se precisará repor cadeiras e carteiras feitas de madeira”.
Adesões - Durante o lançamento da campanha, os estudantes percorreram as salas de aula e outras dependências da escola para sensibilizar alunos, professores, gestores e funcionários sobre a importância da campanha. Mas como adianta a professora, “outras turmas de alunos e professores, vendo essa mobilização, já estão aderindo à campanha, o que é muito bom para a escola”.
A campanha tem o aval da diretora Margareth Andrade e a adesão dos professores Adilson Cordeiro, Lucimar Moraes e Tarcilene Reis, que trabalham a temática em suas turmas de Ensino Fundamental e Educação Especial. Os estudantes usam as redes sociais para divulgar a campanha, enfatizando que todos ganham com um ambiente escolar saudável.
Alguns dos anúncios publicitários feitos pelos alunos podem ser conferidos no blog da Escola “Maroja Neto”: http://escolaestadualmarojaneto.blogspot.com.br/

Texto:
Silvia Leão


Hemopa promove workshop sobre Doença Falciforme
Com destaque para a necessidade do diagnóstico precoce, buscando melhor tratamento e orientação das pessoas com Doença Falciforme, teve início na manhã desta quinta-feira (23) o Workshop de Doença Falciforme e Sobrecarga de Ferro: Uma Nova Visão. O evento se estende até sexta-feira (24), reunindo mais de 100 participantes, entre profissionais e acadêmicos de saúde, além de pacientes que debatem aspectos gerais da doença, desde o acesso à informação até a oferta de tratamentos especializados disponíveis.
O ortopedista e traumatologista Gildásio Daltro, que ministrou palestra sobre “Terapia Celular no Tratamento das Lesões Ósseas na Anemia Falciforme”, também defendeu a disseminação do conhecimento nas unidades básicas de saúde, para que se tenha maior rapidez no diagnóstico e atendimento às pessoas com a doença. Há dez anos ele coordena uma bem-sucedida pesquisa com células tronco, que chega a 95% de êxito, fazendo com que com pacientes deixem de usar bengalas e muletas, parem de sentir dor e voltem a caminhar normalmente.
“São mais de 300 pessoas já tratadas, todas com excelente resultado, mas para isso, a atenção básica deve funcionar, com todos os envolvidos tendo consciência do agravo e que o tratamento só será eficaz se a lesão estiver no início. Para isso, devem ser feitos exames físicos e por imagem. O procedimento é minimamente invasivo, e o paciente passa de 48 a 72 horas no hospital, com o uso de bengala por 21 a 30 dias. Após isso, a vida segue normal”, declarou o doutor em cirurgia, que chefia uma equipe de composta por dez multiprofissionais.
A presidente do Hemopa, Luciana Maradei, deu boas-vindas aos cerca de 100 participantes do evento, entre acadêmicos, profissionais e especialistas paraenses e de outros Estados brasileiros. “Aproveite essa oportunidade de ensinar e aprender sobre doença falciforme, tendo em vista que a grande incidência da doença, na população brasileira, já provoca sérios problemas de saúde pública no Brasil”, alertou a médica, informando que atualmente o país tem um cadastro com 3,5 mil pessoas com o mal. No Pará, esse registro chega a 711 pessoas, nas mais diversas variações da doença, que precisam de cuidados e atendimento médicos especiais.
Luciana Maradei informou ainda que o workshop será transmitido aos profissionais dos Hemocentros Regionais de Marabá, Castanhal e Santarém, e Hemonúcleos de Abatetutba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema. “É necessário mostrar a importância do primeiro atendimento de pessoas com doença falciforme, enfatizando que o diagnóstico precoce é essencial para a melhor qualidade de vida dessas pessoas. A prevenção ainda é melhor alternativa”, ressaltou, destacando que o Hemopa faz ação preventiva em doadores identificados com traços falciformes, que recebem aconselhamento genético, juntamente com suas respectivas famílias.
Em seguida, o secretário de Estado de Saúde Pública, Hélio Franco, lembrou que a saúde pública do Pará enfrenta muitas dificuldades devido às dimensões geográficas e com uma população de aproximadamente um milhão de ribeirinhos. Para ele, o processo educacional é muito importante em seus vários aspectos da área da saúde.
“Temos que acabar com o analfabetismo, porque há casos na saúde que dependem de outras políticas”, disse o secretário, apontando ainda o alto índice de acidentes de trânsito que provocam perdas para as famílias das vítimas e custos ao Estado, que acaba provocando sérios problemas sociais. Ele disse ainda que a Sespa está criando o Grupo de Trabalho de Doenças Raras, e certamente o Hemopa participará desse grupo.
Programação – A programação da manhã foi encerrada com a palestra “Transfusão Crônica em Pediatria”, com a médica pediatra e hematologista da Fundação Hemopa Fernanda Guedes. À tarde, o Hemopa ofereceu consultas médicas para 30 pessoas com doença falciforme, em que são avaliadas lesões ósseas e úlceras de perna, além de roda de conversa com psicólogas e pacientes.
O segundo dia do evento contará com a mesa redonda Abordagem Multiprofissional no Acompanhamento da Úlcera de Perna em DF e palestras como Sobrecarga de Ferro; A saúde Bucal na Qualidade de Vida da Pessoa com DF; O Uso da Medicina Tradicional Chinesa na DF, além da oficina de Úlceras de Perna em DF, entre outras.
O Workshop de Doença Falciforme e Sobrecarga de Ferro: Uma Nova Visão conta com a participação de representantes da Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Estadual do Pará (Uepa), Hospital Universitário João de Barros Barreto, Universidade Federal da Bahia, Hospital Adventista de Belém, Ministério da Saúde e tem o patrocínio da Novartis.
Serviço: o ambulatório de pacientes funciona na sede da Fundação Hemopa, na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, de segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 17h. Alô Hemopa: 0800-2808118/ www.hemopa.pa.gov.br.

Texto:
Vera R. Rojas


Unidade administrativa da Seicom em Itaituba já está funcionando
Itaituba, município do sudoeste paraense, já dispõe de uma unidade administrativa da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), que objetiva promover o desenvolvimento integral, com a interiorização das ações governamentais nos setores da Indústria, Comércio, Serviços e Mineração. Já estão em funcionamento as unidades administrativas da Seicom em Marabá (no sudeste), desde 2013, e em São Félix do Xingu (no sul), inaugurada em setembro. Para atender as demandas oriundas dos municípios da Região do Tapajós está funcionando o escritório da unidade de Itaituba, localizado no prédio anexo ao aeroporto, onde funciona a Diretoria de Indústria e Comércio, ligada à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Produção.
As unidades também atuam como agências de desenvolvimento regional, e têm a competência de aprimorar e executar as ações previstas no Decreto nº 45.936, que regulamenta a Taxa de Controle, Monitoramento e Fiscalização das Atividades de Pesquisa, Lavra, Exploração e Aproveitamento de Recursos Minerários (TFRM), e também trata do Cadastro Estadual (CERM), nos termos da Lei nº 19.976/2011.
Na unidade foi assinado o documento que formalizou a parceria da The Nature Conservancy (TNC) - uma organização sem fins lucrativos, que já atua em 28 países e possui uma larga experiência em dialogar com a iniciativa privada para trabalhar de acordo com a necessidade local -, a Prefeitura de Itaituba e a Seicom.
O Termo de Cooperação Técnica, aliado ao plano de trabalho conjunto, pretende assegurar a execução efetiva do Plano de Desenvolvimento Regional, por meio da execução dos projetos estruturantes, e instituiu também a busca pelo desenvolvimento da região, o que viabilizou inicialmente a execução de ações contidas no Plano de Mineração do Estado do Pará.
Diagnóstico - O município de Itaituba, localizado a 890 km de Belém, já recebeu as primeiras iniciativas, que incluem a produção de um diagnóstico de capacidades de gestão e a instituição da governança, para direcionar uma agenda de desenvolvimento que identifique os gargalos a serem solucionados. Esse trabalho foi iniciado em março deste ano, com base no primeiro Diálogo para Elaboração de Agenda Pró-Desenvolvimento Territorial.
A segunda edição do evento aconteceu antes da inauguração da nova unidade administrativa, que contou com a palestra da titular da Seicom, Maria Amélia Enríquez, autora do livro “Mineração: Maldição ou Dádiva?”, e participação de Andrea Coelho, representante do Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp). “É de extrema relevância evidenciar a importância da política mineral e os desdobramentos do Plano Estadual de Mineração, que estão mostrados na execução das ações levadas a todos os municípios mineradores”, enfatizou Maria Amélia Enríquez, na solenidade de inauguração.
“Agradeço à equipe da Seicom, que com muito esforço agora tem uma base fixa no município. E é um prazer receber esse reforço no enfrentamento dos desafios. Não só na mineração, mas na construção dos portos e das hidrelétricas. Atualmente, Itaituba é um dos seis municípios com maior escala de impacto social, econômico e ambiental do Brasil”, disse a prefeita Eliene Nunes.
“O Plano Estadual de Mineração engloba todos os programas elaborados por mais de 1.300 pessoas, em 13 oficinas realizadas nos municípios estratégicos do Pará. Esse programa busca o diálogo com a comunidade, lideranças na área de mineração e gestores municipais, para que possamos cada vez mais saber construir ações que visem o desenvolvimento sustentável da atividade minerária”, explicou a coordenadora de Desenvolvimento Socioambiental da Seicom, Marjorie Neves.

Texto:
Juliana Pinheiro


Contadores de história participam de colóquio na Uepa
No Brasil, 45% da população costuma ler entre três a quatro livros por ano. Com o intuito de levar aos cidadãos o conhecimento acerca das literaturas universais que o Projeto de Extensão Grupo Griot, na linha Contadores de Histórias, encerrou nesta quinta-feira (23) o II Colóquio de Contadores de História da Universidade do Estado do Pará (Uepa), iniciado na quarta-feira (22), na Sala de Recitais do Centro de Ciência Sociais e Educação (CCSE), no bairro do Telégrafo, em Belém.
O nome é oriundo da França, mas o significado é mundial. O Griot significa Homem Memória. Criado em 1999, o grupo é composto por alunos e ex-alunos da Uepa, e integra o Núcleo de Pesquisas Culturais e Memórias Amazônicas (Cuma). O contador de história é a pessoa que narra histórias literárias em locais públicos ou em programações específicas. Hospitais, escolas, universidades, praças e ônibus são lugares onde os voluntários costumam se apresentar.
De acordo com a criadora do projeto de extensão Griot, Renilda Rodrigues Bastos, “o público se envolve e se encanta com a palavra e com a performance do contador. Em tempos de informação  rápida, a importância da presença do contador de história é fundamental. O contador de histórias olha no olho e troca experiências a partir da narrativa descrita”.
A temática das lendas amazônicas faz lembrar as histórias contadas na infância. Andreza Alcolumbre, aluna do curso de Letras da Uepa, é uma das componentes do grupo. Segundo ela, “ser contadora de histórias é continuar com uma tradição secular e poder usar a voz, para atingir o próximo de forma que sinta prazer em nos escutar”.
As atividades do primeiro dia de evento iniciaram às 15 h, com palestras e debates acerca do contador de histórias contemporâneo. O segundo dia do Colóquio teve rodas de histórias em verso e a exposição de grupos com a temática sobre a profissionalização e a formação do contador de histórias, além de rodas de contação de histórias. O repertório do Colóquio foi baseado no autor Antônio Juraci Siqueira.

Texto:
Ize Sena


Assentamento em Cumaru do Norte terá criação de peixe em cativeiro
Oito famílias agricultoras do Projeto de Assentamento Mata Verde, no município de Cumaru do Norte, no sul do Pará, estão recebendo orientação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) para criar peixe em cativeiro, a fim de diversificar a produção, que está baseada na pecuária leiteira. No Projeto de Assentamento foram construídos 12 tanques escavados. A expectativa é produzir 12 toneladas de tambaqui até novembro de 2015, possibilitando um incremento de 30% na renda familiar dos produtores.
De acordo com o técnico em Agropecuária e coordenador do escritório local da Emater, Leandro Gomes dos Santos, cada tanque escavado - com 1.200 metros quadrados – terá capacidade para 1.200 peixes. O povoamento dos alevinos está previsto para o próximo mês. “A expectativa é que cada família produtora alcance uma renda anual de R$ 20 mil com a nova atividade. O quilo do tambaqui está sendo comercializado a R$ 10,00 no mercado local”, informou o coordenador.
A introdução da piscicultura iniciou com o levantamento das áreas e o trabalho de preparação dos produtores para a construção dos tanques, sob o acompanhamento do técnico em Aquicultura da Emater, Rafael Ribeiro Moraes. A expectativa é que os produtores tenham acesso, já em 2015, a recursos do Programa Nacional de Fortalecimento à Agricultura Familiar (Pronaf) para investimento na produção.

Texto:
Paula Portilho


Polícia Civil promove ações de prevenção ao câncer de mama
A Polícia Civil, por meio da Diretoria de Atendimento ao Servidor (DAS), promove nesta sexta-feira (24) uma programação voltada aos servidores públicos da corporação e à comunidade. O evento é alusivo à campanha Outubro Rosa, realizada em todo o Brasil com o objetivo de alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. Às 09 h, no auditório A, da Delegacia-Geral da Polícia Civil, acontecerá uma palestra sobre o tema "Prevenção do Câncer de Mama", ministrada pela psicóloga Patricia Santos Martins, coordenadora estadual de Atenção Oncológica. Além da palestra, a DAS vai promover, no hall do auditório da Delegacia-Geral, ações voltadas à saúde do servidor, como verificação de pressão arterial e de teste de glicemia.

Texto:
Walrimar Santos


Expediente nos órgãos estaduais é facultado na segunda-feira
Em função do encerramento das comemorações alusivas à Festividade de Nazaré, com a procissão do Recírio, a Secretaria de Estado de Administração (Sead) informa que, de acordo com o Ofício Circular nº 060/2014, de 23 de outubro de 2014, fica facultado, na próxima segunda-feira (27), o expediente nos órgãos e instituições da administração direta e indireta do Poder Executivo estadual.
Os serviços essenciais, como arrecadação, saúde e defesa social, não serão afetados pelo decreto. Os servidores dessas áreas trabalharão em regime de escala, para assegurar o atendimento à população.

Texto:
Luciana Benicio


Emater orienta famílias de Santa Maria do Pará para diversificação da produção
No município de Santa Maria do Pará, na região nordeste, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) está orientando 91 famílias, de 24 comunidades, para que possam diversificar a produção rural e sair da faixa que estabelece a renda per capita inferior a R$ 70,00. A atividade faz parte do Programa Brasil Sem Miséria, desenvolvido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e Ministério do Desenvolvimento Agrário. Até ao final de novembro, os técnicos da Emater emitirão os laudos da aplicação da primeira parcela do recurso, para posterior liberação da segunda parcela.
Muitas das 91 famílias contempladas com os recursos do programa - a primeira parcela, no valor de R$ 1.400,00, foi liberada em 17 de setembro – já iniciaram os investimentos em suas atividades. A produtora Rosângela Félix, 34 anos, já havia tentado trabalhar com horticultura, mas acabou desistindo. Após receber a orientação técnica da Emater, hoje ela se emociona ao ver os canteiros cheios de hortaliças e folhosas.
Para a técnica social Edna Sucupira, que nesta fase realiza os laudos e a prestação de contas do recurso aplicado, disse que casos como o de Rosângela Félix são emblemáticos. “Ela deixou de regar os canteiros com mangueira e agora tem a irrigação por gotejamento, já instalada na área. A Rosângela já teve uma melhoria de 100%, e com certeza deixará, em breve, a faixa de extrema pobreza, já que ela quer aumentar a produção ainda mais”, informou.
Dos projetos aprovados, a maioria (cerca de 90%) está voltada para a mandiocultura, muito comum na região. “Dos 91 projetos, 77 são para o cultivo de mandioca, sete para criação de pequenos animais, seis para hortas e um para criação de pescado”, contou Edna Sucupira.
O único projeto de piscicultura é do produtor Lucivaldo da Silva, da comunidade São Pedro. Ele já havia iniciado a atividade, mas não conseguiu avançar. “Agora, ele já está produzindo tilápia e tambaqui, e continua recebendo orientação técnica. Já realizamos a visita técnica e vamos finalizar o laudo dele. Em breve, ele receberá a segunda parcela do recurso, no valor de R$ 1 mil”, disse a técnica social.

Texto:
Kenny Teixeira


Encontro de Percussão prossegue até sexta com workshops, masterclass e concertos
O VI Encontro de Percussão da FCG, também chamado 'A Festa do Ritmo', proporciona o encontro da música percussiva feita no Pará com o trabalho de artistas de várias regiões do país. A troca de experiência é um dos objetivos do evento, que é realizado anualmente pela Fundação Carlos Gomes.
Na manhã desta quinta-feira, 23, a programação contou com um workshop do baterista Diego Scliar (RJ), que abriu a primeira noite do encontro, e com a apresentação musical do grupo paraense de percussão ‘Árvore Ar’. Formado pelos músicos Rafael Barros, José Maria Bezerra, João Paulo Cavalcante e Franklin Furtado, o grupo se dedica a pesquisa de ritmos amazônicos com destaque para o som tipicamente paraense, como o carimbó e a guitarrada. O grupo surgiu em 2008 e desde então tem feito apresentações nos principais eventos culturais realizados no Estado.
Na apresentação, o ‘Árvore Ar’ mostrou nove composições de autoria dos músicos que integram o grupo e também de outros artistas da terra. Ao final, os músicos que estavam na plateia foram chamados ao palco para tocar um carimbó.
A programação do festival prossegue na noite desta quinta-feira, 23, às 19h, com a apresentação do percussionista Fernando Rocha, que é professor de percussão da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) com doutorado em música pela McGill University (Montreal, Canadá), onde realizou pesquisa em performance de obras para percussão e recursos eletrônicos.
O artista, que também tem mestrado em Música pela UFMG e Bacharelado em Percussão pela Unesp, irá ministrar um masterclass de percussão na sexta-feira, 24, às 15h30, na sala de Percussão do Conservatório Carlos Gomes. Nessa oficina, os músicos poderão entrar em contato com o trabalho do percussionista, que é diretor do grupo de Percussão da UFMG e se dedica à performance de música contemporânea, participando, como solista e membro de grupo de câmara, de inúmeros festivais internacionais.
O VI Encontro de Percussão começou no último dia 21, reunindo percussionistas de várias regiões do país e também do México. Além de apresentações musicais estão sendo realizados workshops sobre o ensino da música percussiva e masterclasses de música eletrônica e bateria. A programação termina nesta sexta-feira, 24, com um concerto de encerramento do percussionista mexicano Evaristo Aguilar e convidados que participaram da semana de atividades artísticas e pedagógica. A apresentação será às 19h, na sala Ettore Bosio, e tem entrada franca.
Serviço:
Concerto Fernando Rocha
Data: 24 de Outubro
Hora: 19h
Loca: Ettore Bosio (Gentil Bittencort, 909)
Concerto de Encerramento
Evaristo Aguilar e Grupo de Percussão da Universidade Autônoma de Taumalipas (México)
Data: 24 de outubro
Hora: 19h
Local: Ettore Bosio (IECG – Gentil Bittencourt 909 )
Entrada Franca.

Texto:
Rosa Cardoso


Estado inicia pagamento dos salários de outubro na próxima segunda-feira
O funcionalismo público do Pará, da administração direta e indireta, começa a receber os salários de outubro na próxima segunda-feira (27). Segundo o cronograma divulgado pela Secretaria de Estado de Administração (Sead), os inativos militares e pensionistas civis e militares serão os primeiros a receber. O pagamento será encerrado no próximo dia 31 (sexta-feira), com os servidores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), da capital e do interior. Abaixo, o calendário de pagamento:
Dia 27/10 (segunda-feira) - Inativos militares e pensionistas civis e militares;
Dia 28/10 (terça-feira) – Inativos civis e pensões; especiais/Sead.
Dia 29/10 (quarta-feira) - Auditoria, Casa Civil, Casa Militar, Consultoria Geral, Defensoria Pública, gabinete da Vice-Governadoria, Procuradoria Geral, NAF, Secretarias Especiais, Sepaq, Secti, Sead, Sefa, Sepof, Sagri, Sema, Secult, Sedurb, Seel, Seicom, Sejudh, Seop, Sespa, Seter, Seas, Setran, Secom e Setur.
Dia 30/10 (quinta-feira) - Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Segup, Adepará, Arcon, Asipag, CDI, Ceasa, Cohab, CPC Renato Chaves, Detran, EGPA, Emater, FCG, Fundação Tancredo Neves, FCV, Fasepa, Funtelpa, Fapespa, Hospital de Clínicas, Hospital Ophir Loyola, Hemopa, IAP, Imetropará, Iasep, Igeprev, Imprensa Oficial, Iterpa, Jucepa, Paratur, Prodepa, Santa Casa, Susipe, Uepa, Ideflor, Idesp, Loterpa, CPH e NGTM.
Dia 31/10 (sexta-feira) – Seduc, capital e interior

Texto:
Luciana Benicio


Ophir Loyola realiza ação alusiva ao movimento Outubro Rosa
Para chamar a atenção para a importância da prevenção e detecção precoce do câncer de mama e do útero, tipos mais frequentes em mulheres, o Hospital Ophir Loyola promoveu nesta quinta-feira (23), de 8h às 13h, uma ação de saúde alusiva ao Movimento Outubro Rosa. Cerca de 820 pessoas estiveram na programação, que trouxe orientações sobre exames preventivos, sintomas, fatores de risco, tratamento do câncer e disponibilizou serviços de verificação de pressão arterial e teste de glicemia.
Ano passado, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontou 740 novos casos de câncer de mama no Pará, destes, 550 foram assistidos no Hospital Ophir Loyola, em Belém. Até o final de 2014, o Inca estima 830 casos novos deste tipo de neoplasia no Estado, sendo 360 destes somente na capital. De janeiro a agosto deste ano, o HOL já atendeu 316 casos novos de câncer de mama, o segundo mais incidente no Pará, ficando atrás apenas do câncer do colo do útero.
As taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas em todo o Brasil. Embora existam meios de detecção precoce, tais como exame clínico, autoexame, mamografia e ultrassonografia, ainda falta conhecimento, divulgação e conscientização suficientes para que a população use estes meios de prevenção. “Os dados são preocupantes e alertam para o desenvolvimento de projetos educativos e políticas de saúde que garantam o acesso ao diagnóstico e tratamento precoce”, afirmou Rosário Fernandes, coordenadora da Divisão de Prevenção do Câncer do hospital.
Moradora do município de Capitão Poço, Oneide Oliveira, 45, luta contra a doença desde 2007. Ela não tinha o hábito de passar por consultas médicas e exames preventivos, descobriu o câncer por acaso. “Um dia estava na fazenda do meu irmão, fazia muito frio e resolvi cruzar os braços, então senti um caroço no lado do seio e levei um susto, porque não sentia dor. Foi necessário perder uma parte do meu seio direito para entender o quanto é importante cuidar da saúde”, disse.
Os avanços nos métodos de diagnóstico fazem com que o índice de cura para casos em fase inicial do câncer de mama possam chegar a 95%, segundo afirma a mastologista Camila Macedo. “O risco da doença aumenta com a idade, por isso a partir dos 40 anos, a mulher deve realizar o exame de mamografia anualmente. Já as mulheres com histórico familiar de câncer de mama ou câncer de ovário devem consultar um médico para definir quando iniciar a prevenção”, explicou.
A especialista também orienta a mulher a ficar atenta para eventuais alterações nas mamas, tais como um caroço acompanhado ou não de dor, pele com vermelhidão ou parecida com uma casca de laranja, pequenos caroços na região embaixo dos braços e nas axilas. “Nem sempre essas alterações são sintomas do câncer, por isso é necessário que cada mulher conheça bem o seu corpo e caso identifique algo estranho, deve procurar um médico imediatamente para uma avaliação”, alertou.
A programação pelo Outubro Rosa continua nesta sexta-feira (24), de 9h30 às 12h, para as pacientes e acompanhantes no Serviço de Radioterapia do HOL. Haverá palestras sobre o autoexame e mamografia, a dramatização “Um toque de amor”, apresentação da bailarinas Ana Botafogo e Clara Pinto, grupo de capoeira e jiu-jtisu formado por mulheres, serviços de maquiagem e manicure, apresentação da música "La Vie En Rose" pelo cantor lírico francês Eric Baliros e outras atrações.

Texto:
Leila Cruz


Setur e Secti lançam aplicativo móvel de atrativos turísticos nesta quinta-feira
A Secretaria de Estado de Turismo (Setur), em conjunto com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), faz o lançamento do aplicativo móvel de turismo “Vem Pro Pará”, na tarde desta quinta-feira 23, às 14 horas, no auditório “Historiador Paulo Almada”, na sede da própria Setur. O app já está disponível para download na Play Store do Google.
O novo aplicativo tem como objetivo principal divulgar as informações sobre atrativos existentes e os serviços turísticos ofertados no Estado do Pará. A interface e funcionalidade do aplicativo foram desenvolvidas a partir de uma parceria entre a Setur e professores e estudantes da Tecnologia da Informação da Universidade Federal do Pará (UFPA). “É uma ferramenta a serviço do turismo e do turista no Pará”, afirma o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes.
Além de contemplar os mais conhecidos e importantes atrativos turísticos do Estado, o aplicativo “Vem Pro Pará” traz também informações a respeito da rota turística e cultural Belém-Bragança, que vem sendo trabalhada pela Setur com a colaboração e parceria da Secretaria de Estado de Transportes (Setran), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e prefeituras municipais das 13 cidades situadas ao longo do percurso da antiga estrada de ferro.

Texto:
Israel Pegado


Gigante mundial do mercado de fertilizantes confirma investimento de R$ 150 milhões em Barcarena
Com ritmo de produção industrial crescendo em 10,6%, bem acima da média negativa nacional, o Pará continua recebendo a confirmação de novos investimentos nos municípios do interior. Esta semana, a Timac Agro Brasil, multinacional francesa dedicada à produção e comercialização de fertilizantes, confirmou em reunião com representantes do governo do Estado a instalação de uma sede na área industrial de Barcarena.
A reunião que selou o novo investimento, da ordem de R$ 150 milhões, foi realizada na Companhia de Desenvolvimento Industrial do Pará (CDI), com a participação de representantes da Timac, da CDI, Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom) e da Secretaria Especial de Produção do Estado (Sedip), e marcou a assinatura do termo para a aquisição da área onde a empresa implantará a sua unidade local, na antiga extensão da comunidade Dom Manoel.
A empresa estima geração inicial de cerca de 360 novos postos de trabalho diretos, logo na etapa de operação da nova fábrica de fertilizantes, prevista para iniciar em 2016. Na reunião foi confirmado ainda que cerca de 130 famílias que deixarão a área onde o empreendimento será instalado estão sendo beneficiadas com indenização, além de oportunidades de empregos.
Há, no acordo da empresa com o Estado e o município de Barcarena, um compromisso para dar preferência à contratação de mão de obra nas comunidades próximas do empreendimento, que serão qualificadas para o desenvolvimento das atividades operacionais. Outro compromisso para a implantação é a preferência pela contratação de serviços locais para compras de insumos e serviços. Para Mônica Nascimento, presidente da CDI/PA, é um momento muito importante para a economia local. “A empresa acaba colaborando com o desenvolvimento daquela região causando um efeito positivo sobre o setor agrícola, além de ajudar a resolver uma forte questão social no município”, analisa.
Com a implantação da empresa, há uma grande expectativa sobre as vantagens sociais e econômicas que serão proporcionadas, como o funcionamento de um polo industrial de nutrição de plantas, único no mundo, que irá fomentar principalmente a agricultura familiar. O empreendimento também garantirá o incremento da economia local com a ampliação do mercado de trabalho, além das atividades de prestação de serviços de transporte de fertilizantes e logística, entre outros.
Para Gregoire Boyen, diretor geral Norte e Nordeste da Timac, o mais importante no investimento é o potencial de crescimento do Estado, considerado por ele um paraíso agrícola. “O Pará tem tudo para ser uma promessa agrícola. Tem qualidade de terras, tem áreas potenciais para desenvolvimento e plantio de vários produtos”, afirma.
Segundo Lucélia Guedes, diretora de Desenvolvimento da Indústria e Atração de Investimentos da Seicom, a expectativa é de novos ganhos para o Estado futuramente. “A empresa também protocolou um pedido de inclusão no Plano de Atração de Novos Negócios através do Selo de Prioridade, onde empreendimentos estratégicos e que sejam de um novo segmento do Estado possam ter prioridade nos trâmites internos do governo. A Timac é mais uma grande empresa que o governo do Estado, por intermédio da Seicom, consegue captar para implantar suas atividades na região, trazendo desenvolvimento e colaborando para a geração de emprego e renda à população paraense”, afirma.
Emprego e Indústria paraense cresce, enquanto média nacional patina
Somente nos últimos dez dias, duas pesquisas divulgadas revelam o bom momento da economia paraense. De acordo com o Ministério do Trabalho, o Estado acumula uma geração de empregos de quase 35 mil novos postos de trabalho no ano, sendo o maior número da região norte e o quarto maior percentual do país, com 4,4%, enquanto que a média nacional de geração de empregos ficou em 2,2% nos primeiros nove meses do ano. Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou estudo que aponta o Pará com crescimento de 10,6% no ritmo da produção industrial no ano, enquanto que a média nacional ficou com índice negativo de três pontos percentuais.
A chegada de novos investimentos, como a instalação confirmada da Timac, em Barcarena, reforça a expectativa de bons investimentos e números ainda melhores nos próximos anos. “Este novo panorama econômico que o Pará atravessa renova os ânimos dos investidores, produzindo reflexos positivos, principalmente, sobre o mercado de trabalho”, explica Maria Amélia Enríquez, secretária de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom). “Há uma conjunção de fatores favoráveis a esse dinamismo: de um lado o esgotamento das oportunidades do Centro Sul do país no que diz respeito ao uso produtivo dos recursos naturais, que ainda é a base da economia paraense, e de outro o ambiente de confiança dos investidores na política e na economia do Estado”, argumenta.
Segundo ela, o ambiente favorável aos novos investimentos e à ampliação de negócios já existentes vem sendo cada vez mais fortalecido. “Isto se dá principalmente pela continuidade de políticas de atração de investimentos e de incentivos produtivos, e a expectativa é de que o aquecimento da economia continue produzindo bons resultados”, explica.
De acordo com a análise da Seicom dois aspectos chamam atenção nos resultados positivos sobre a geração de empregos. “O emprego está mais descentralizado setorialmente e mais descentralizado espacialmente. Do ponto de vista setorial, distintamente de outros meses, mais ramos de atividades se destacam.
Em relação ao mês de setembro, a Construção Civil ainda se manteve como o carro-chefe, com a geração de 2.224 postos de trabalhos, mas retrocedeu em 40% na comparação com outros períodos. Outros segmentos estão se destacando, como a Indústria de Transformação - mecânica, alimentos, bebidas, madeira -,  com a criação de 711 novos postos; a Agropecuária, que ficou entre os setores que apresentaram melhores resultados, com 693 postos, e o setor de Comércio e Serviços com a criação líquida de 830 novos postos, entre outros”, diz a secretária Maria Amélia.
Quanto à distribuição espacial, percebe-se que as novas oportunidades de trabalho não estão mais concentradas na Região Metropolitana de Belém (RMB), como há algum tempo. Hoje a RMB colabora com 19% do saldo, sendo que é o interior do Estado que oferece mais de 80% dos novos postos formais de emprego. “Além de Altamira, temos um forte impulso em Marabá, Castanhal, Paragominas, Santarém e outros polos”, afirma.
De acordo com o secretário especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, David Leal, as obras públicas executadas pelo governo em Belém e no interior do Estado também garantem geração de empregos. “Em todas as regiões temos obras estruturantes sendo tocadas, com recuperação de rodovias, ampliação de hospitais, reforma e construção de escolas, espaços públicos como ginásios, centros de convenções, etc. Isso gera aumento do ritmo de produção industrial, especialmente na Construção Civil, mas puxa também a geração de empregos, tanto na fase de execução das obras como nas etapas posteriores, para garantir o funcionamento desses espaços”, afirma o secretário.
Empresas estão de olho e investindo no interior
No mês de setembro, a partir do esforço concentrado de diversos órgãos do Estado, deu-se o efetivo início, em Marabá, da implantação da fábrica de correias transportadoras (insumo que tornará os setores da mineração e logística ainda mais competitivos em nosso território), com investimento previsto de R$ 92 milhões, geração de 250 empregos diretos e 110 indiretos apenas na fase de instalação.
Há também o caso da implantação da Rexan Amazônia Ltda, no município de Benevides, cujas negociações com o governo do Estado iniciaram em 2011. A indústria já está instalada e em operação desde junho de 2013, produzindo embalagens metálicas (latas em alumínio), com investimentos na ordem de R$ 126 milhões, com 85 empregos diretos e previsão de alcançar 137 até 2017.
Outro caso que é destacado é o investimento no Estado realizado pela Natura, indústria líder no mercado de cosméticos, fragrâncias e higiene pessoal, instalada também no município de Benevides e já em fase pré-operacional. As primeiras negociações junto ao Estado para a instalação do Projeto Ecoparque iniciaram em 2011, com a concessão de benefícios ficais em 2012 e o início da operação em 2014.
O projeto engloba investimentos para um complexo sustentável de empresas, tendo a Natura como âncora. A fábrica já está instalada para a produção de sabonetes, noodles e se prepara para fabricar óleos e manteigas, fazendo a integração de todas as etapas de produção nesse segmento.
Além desses investimentos, o Projeto Ecoparque da Natura prevê a atração de outras empresas participantes da cadeia produtiva, e criação de novos negócios sustentáveis. Em um curto período para uma implantação de indústria, apenas na fase de construção da fábrica, a empresa gerou em torno de 440 empregos indiretos e gera atualmente 228 empregos formais na mesma fábrica de sabonetes.
Os investimentos já realizados giram em torno de R$ 129 milhões, com previsão de atingir a cifra de 168 milhões até 2017. “Além desses, há dezenas de outros empreendimentos em fase de prospecção, instalação e expansão no Estado do Pará que contaram com o apoio e as ferramentas de atração de negócios do governo do Estado”, afirma Maria Amélia.

Texto:
Andrea L. Amazonas


Parque do Utinga recebe a III Corrida e Caminhada do Servidor Público Estadual.
No próximo dia 1º de novembro será realizada a “III Corrida e caminhada do servidor público estadual” no Parque Ambiental do Utinga, em Belém. Estão disponibilizadas 1.500 vagas e as inscrições podem ser realizadas pelo site da Secretaria de Administração do Estado (Sead). O período de inscrições vai até o dia 25 de outubro. Para participar basta doar 2 kg de alimentos não perecíveis ou 1 kg de alimento e 1 brinquedo novo, que serão doados para várias instituições que cuidam de crianças e idosos no Pará. Acesse o site www.sead.pa.gov.br.

Texto:
Andrea Cunha


Radiojornalismo impulsiona escola a prêmio nacional
Fazer uma reportagem sobre a reportagem. Esse é o desafio de um grupo de estudantes e seu professor da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Rio Caeté, de Bragança, no Nordeste do Pará. Eles são integrantes do projeto "Aluno Repórter - A Imprensa na Escola", que trabalha com mídias e reportagem jornalística como ferramentas do aprendizado diário e é finalista do Prêmio Escola Voluntária, da Rede Bandeirantes, em parceria com a Fundação Itaú Social. As últimas semanas têm sido uma verdadeira gincana de atividades para os jovens que formatam trabalho final sobre o projeto a ser finalizado em Brasília (DF), em novembro próximo, como parte do grupo dos 10 melhores projetos voluntários de instituições de ensino do País.
Destinada aos ouvintes de rádio, a reportagem dos alunos da Rio Caeté abrange roteiro específico e entrevistas elaboradas e executadas pelos próprios estudantes, sob a coordenação do professor e radialista Beto Amorim, coordenador do Aluno Repórter. Foi ele quem tomou a iniciativa de inscrever, em julho, o projeto no Prêmio. Em 14 edições do Escola Voluntária essa é a primeira vez que uma escola paraense é finalista. Na avaliação do secretário de Estado de Educação, José Seixas Lourenço, “pelo empenho demonstrado pelos coordenadores e estudantes, sobretudo, essa participação da Rio Caeté já é vencedora em todos os sentidos”.
Até o dia 1º de novembro, quando o roteiro, as entrevistas e a trilha sonora serão encaminhados à comissão organizadora, o grupo terá trabalhado durante quase três semanas para produzir o material. Os trabalhos mobilizam todos os participantes de mais um curso ofertado pelo projeto e que atinge, a cada etapa, em torno de 25 estudantes de várias escolas de Bragança e municípios vizinhos.
Esse é um projeto diferente do que a coordenação do prêmio está acostumada a selecionar. "Eles já fazem rádio," admite o jornalista André Russo, responsável pelo treinamento do grupo durante estada em Bragança este mês. Mas como aprender nunca é demais, o diretor da Escola Rio Caeté, Glauco de Luna Sales, considera a experiência no projeto positiva. “Os alunos envolvidos já apresentam melhora no rendimento” diz e conclui que “a participação no ‘Aluno Repórter’ representa incentivo e estímulo para todos eles”.
Depois de 1º de novembro, um representante dos estudantes e o professor Beto Amorim vão aos estúdios da Rede Bandeirantes em Brasília (DF) para fazer o trabalho de edição e finalização da reportagem, explica André Russo, jornalista da rede. Produto final e concorrente com outros de mais nove estados, a reportagem sobre o projeto paraense e as demais “vão ao ar na segunda semana de novembro pela rede de emissoras Bandeirantes e as parceiras em cada Estado”, conta Luciana Lobo, coordenadora do Prêmio, que acompanhou o treinamento em Bragança e nas demais cidades em todo o Brasil.
Para além do conceito de voluntariado como atividade cidadã e de atendimento de alcance social cujo público principal atingido é formado por alunos de escolas da região, o projeto “Aluno Repórter - A Imprensa na Escola” atua fundamentado na diversidade cultural, étnica e na inclusão social. Assim, como proposta de trabalho com jovens em situação de risco, oriundos de áreas vulneráveis à violência, surge em um dos municípios mais antigos do Pará, a já quatrocentona Braganca, no Nordeste do Pará, a iniciativa de “treinar estudantes no uso de meios de comunicação para aperfeiçoar suas capacidades, aguçar percepções de mundo e preparar cidadãos para o convívio em sociedade”, diz o professor Beto Amorim.
Com 25 participantes, o projeto oferece a oportunidade de formação e cidadania, promovendo inclusão para jovens. Alice Crystina de Sousa Portilho, 14 anos, aluna da 8ª série, já participa de outras iniciativas de inclusão, como a banda de sua escola “Yolanda Chaves”, mas também compõe o grupo do Aluno Repórter.
Adultos que retornam à vida escolar para concluir e obter a educação formal também têm vez. Rosenir Ferreira Cardoso, Itapuia para os seus pares Tembé, é indígena nascida entre os Tembé da região do Alto Rio Guamá, no município de Capitão Poço, no Nordeste do Pará, “Eu nunca tinha estudado em toda a minha vida”. Aos 40 anos, “Índia” como é por muitos chamada, mora na Vila Manuel dos Santos às proximidades da sede do município de Bragança. Até os 40 anos “nunca tinha entrado numa escola”.
Rosenir Cardoso integra a turma de 2014 do Projeto Aluno Repórter, do Núcleo de Tecnologia Educacional de Bragança (NTE) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e da Fundação Educadora de Comunicação, mantida pela Diocese de Bragança. Rosenir cumpre a agenda do projeto junto com jovens como Kleberson Silva e Marcelo Vinícius Lemos de Morais, alunos do 3º ano do Ensino Médio da “Rio Caeté” e componentes da equipe de produção da reportagem ao Escola Voluntária.
Em uma verdadeira cerimônia de Oscar, com a participação da apresentadora Renata Fan, os vencedores serão conhecidos em 25 de novembro em São Paulo, na sede do Centro Cultural Itaú, na avenida Paulista. São R$ 20 mil para o primeiro prêmio; R$ 15 mil para o segundo prêmio; e R$ 10 mil para o terceiro. A Rede Bandeirantes e a Fundação Itaú Social escolhem também um Educador de Destaque dentre os professores que orientam seus alunos nos projetos selecionados do Pará ao Rio Grande do Sul. O professor escolhido como destaque receberá um notebook.

Texto:
Jimena F. Beltrão


História e cultura do povo Assurini é tema de conferência
Benzedeiras, parteiras, rituais religiosos, educação indígena e bebidas típicas da etnia indígena Assurini foram alguns dos assuntos debatidos pela professora Benedita de Moraes Pinto com a comunidade acadêmica e externa na conferência de abertura do IV Seminário do Grupo de Pesquisa História da Educação da Amazônia (Gheda).
Doutora em história social pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Estado de São Paulo e professora do Programa de Pós-Graduação em Educação e Cultura no campus da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Cametá, Benedita de Moraes ressaltou, ainda, aspectos da cultura e dos costumes da etnia e as formas de educação na Amazônia.
“A educação entre o povo Assurini ocorre formalmente e informalmente. O objetivo desse momento foi mostrar a visão dessa população indígena e qual significado da educação para eles. O desafio é construir um processo educativo que esteja sempre resgatando e revivendo aspectos como esse da história amazônica, como o Grupo Gheda faz”, afirmou a professora Benedita de Moraes.
O evento foi realizado ao longo desta quarta-feira, 22, no auditório do Centro de Ciências Sociais e Educação, localizado no bairro do Telégrafo. A programação conta também com mais duas mesas redondas: "Instituições educativas na Amazônia: redes de sociabilidade" e "Sociabilidade: diálogo entre história, educação e antropologia", que oportunizam a disseminação do conhecimento científico e o resultado das pesquisas desenvolvidas pelo o grupo.
“Esse momento contribui muito para minha formação. Discutir sobre o povo Assurini não só fomenta a produção de conhecimento, como também amplia nossos conhecimentos como aluno e agrega a universidade ao resgate da história indígena”, salientou a graduanda do Curso de Licenciatura em Ciências da Religião, Maria Auxiliadora da Silva.
Exposição de livros e outras publicações do Gheda poderão ser visualizadas pelos participantes. O evento é gratuito e aberto à toda a comunidade. Mais informações no site http://www.gheda.tk/

Texto:
Ize Sena


Pecuaristas de Viseu receberão mais de R$ 300 mil em crédito até o fim do mês
Seis pecuaristas de Viseu, no nordeste do Estado, devem receber um total de mais de R$ 300 mil ainda este mês para investir na compra de matrizes e reprodutores com aptidão para corte e na construção de currais e cercas. Os projetos, elaborados pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão do Estado do Pará (Emater), que tramitam no Banco do Brasil, são da linha Mais Alimentos, do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).
As famílias a serem beneficiadas têm, em média, 25 cabeças de gado mestiço. De acordo com o chefe interino do escritório local da Emater em Viseu, o auxiliar administrativo Benedito Pinto, em cerca de dois anos a inserção de animais melhorados geneticamente no rebanho já vai evidenciar alta na produtividade. 

Texto:
Aline Miranda


Emater, Embrapa e Sebrae capacitam técnicos em tecnologia para a cadeia leiteira
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Serviço Brasileiro de Apoio ao Micro e Pequeno Empreendedor (Sebrae) são parceiros na capacitação de técnicos de 10 municípios da região sudeste do Pará, em Marabá, para o curso de tecnologia para a cadeia produtiva do leite com base em pastagem.
A formação, que reúne 38 técnicos, trata de diversos assuntos inerentes à cadeia produtiva do leite, como pastejo rotacionado, seleção e melhoramento da genética do leite. “Com isso pretendemos contribuir com as boas práticas da bovinocultura de leite. Apesar das regiões sul e sudeste serem responsáveis pela maior produção de leite no Estado, ainda têm práticas precárias nesse aspecto”, diz o pesquisador da Embrapa, Daniel Mangas.
Segundo a médica veterinária da Emater, Yale da Glória, a tecnologia será uma das ferramentas que a Emater vai utilizar junto às 500 famílias que estão sendo atendidas pela Emater em 10 municípios da região, entre eles, São Domingos do Araguaia, Piçarra e Eldorado do Carajás, que estão incluídos na chamada pública do leite, por meio do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).
A capacitação será encerrada nesta quinta-feira, 23, com uma visita à propriedade agrícola familiar do senhor Márcio Iop, no município de São Domingos do Araguaia. Atendido pela Emater, Iop é referência em produtividade leiteira, chegando a retirar até 12 litros de leite por ordenha na propriedade. Número quase quatro vezes superior à média da região, que é de 3,5 litros/dia por animal.

Texto:
Iolanda Lopes


Governo leva ações de segurança e meio ambiente ao distrito de Castelo dos Sonhos
O distrito de Castelo dos Sonhos, no município de Altamira, recebeu nesta quarta-feira (23), uma Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) e as primeiras licenças ambientais para a prática da atividade garimpeira na região, que fica localizada na BR-163, próximo da divisa entre Novo Progresso, no Pará, e Guarantã do Norte, no Mato Grosso.
O pacote de ações faz parte das políticas públicas implementadas pelo Governo do Estado para garantir segurança e desenvolvimento econômico sustentável aos mais de 15 mil habitantes da localidade. A inauguração da Unidade Integrada do Pro Paz foi realizada pelo delegado geral de Polícia Civil do Estado, Rilmar Firmino; o delegado de Polícia do Interior, João Bosco Júnior e o comandante geral da Polícia Militar do Pará, coronel Daniel Mendes, representando a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup).
A construção da UIPP teve um investimento total de R$ 1,3 milhão e irá garantir o atendimento à população de Castelo dos Sonhos, com a integração dos serviços de atendimento das Polícias Civil e Militar na região. O novo prédio conta, também, com uma central de monitoramento que irá reforçar a segurança da região. “Nos últimos quatro anos, o Governo já investiu cerca de 550 milhões de reais na segurança pública do Estado. Mas, a questão não é apenas de infraestrutura. Todo esse investimento faz parte de um planejamento estratégico, com estabelecimentos de metas e avaliação dos indicadores de índices de criminalidade, no enfrentamento à criminalidade e à violência”, afirma o comandante geral da PM, coronel Daniel Mendes.
A UIPP de Castelo dos Sonhos é a 31ª inaugurada no Pará. “Esta é uma região estratégica, principalmente pelas atividades econômicas desenvolvidas ao longo da BR 163. É um sonho, realmente, chegarmos tão longe. Nós estamos construindo 75 Unidades Integradas do Pro Paz em todo o Estado, além de reformas de delegacias, reformas de quartéis e construção de unidades prisionais”, reitera o delegado geral de Polícia Civil do Pará, Rilmar Firmino.
Legalização
Cerca de 100 garimpeiros e produtores rurais do distrito de Castelo dos Sonhos participaram, ainda, de um ato público para a entrega das primeiras licenças ambientais destinadas à prática da mineração na região. A legalização da atividade garimpeira foi um compromisso firmado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) com as cooperativas do setor.
“No ano passado, nós fizemos uma reunião com todos os garimpeiros da região e formatamos um parâmetro para ordenamento ambiental da exploração de minérios na região para garantir a legalização da atividade. Essa normatização passa pelo registro das máquinas e equipamentos, cadastro ambiental, reposição topográfica e florestal do terreno, controle do resíduo da mineração, pagamento de impostos e principalmente a legalidade do ouro vendido, para que possamos ter um desenvolvimento sustentável”, explica José Colares, secretário de Estado de Meio Ambiente.
Para a presidente da Associação de Produtores Rurais do Vale do Garça, Nelci Rodrigues, a iniciativa impulsionará a economia local ao garantir que os garimpeiros trabalhem de forma legal dentro das conformidades determinadas pelos órgãos de fiscalização ambiental. “É uma forma de gerarmos emprego e renda de uma forma sustentável à população que vive da atividade no garimpo e assim garantir melhorias para toda a nossa comunidade. Daqui em diante trabalharemos com tranquilidade, para que Castelo dos Sonhos cresça dentro da legalidade”, afirma a presidente.
Atualmente, mais de duas mil pessoas vivem do garimpo em Castelo dos Sonhos. “Nós já temos duas cooperativas que empregam cerca 900 garimpeiros cada e que estão trabalhando em parceria com o Estado para garantir a legalização da atividade e segurança do seu patrimônio com a regularidade desta prática, o que vai gerar emprego e renda de forma sustentável”, garante José Colares.
O presidente de uma das cooperativas de garimpeiros de Castelo dos Sonhos, acredita que a medida beneficiará a todos. “É através da legalização que cada órgão define a sua participação, tanto na esfera municipal, estadual e federal. Com a prática regulamentada teremos uma maior credibilidade do garimpo e poderemos proporcionar a quem está legalizado um trabalho planejado com um impacto mínimo ao meio ambiente e com restauração da área de extração, seja dentro de um trabalho de psicultura, fruticultura ou até reflorestamento. É uma atividade que pode proporcionar riquezas ao Estado e a União”, conclui Gilson Camboim.

Texto:
Timoteo Lopes


Ação do Imetropará alerta sobre riscos para crianças
Na próxima quinta-feira, 30 de outubro, o Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará), em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi) e o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), promoverá, na Praça Batista Campos, o evento: #Imetroparatodos – Criança Segura, de 9h às 12h, com programação gratuita e aberta ao público.
A ação tem como principal objetivo alertar aos pais e aos cuidadores sobre os principais riscos que as crianças estão submetidas no dia a dia, e como podem ser evitados acidentes, bem como conscientizar as crianças, por meio de brincadeiras, sobre as formas de prevenção. Alunos das escolas de Belém, com faixa etária entre 5 e 12 anos e seus responsáveis, participarão de jogos educativos que abordarão a temática do evento, permitindo a interação entre as crianças e os adultos, dentre eles: “jogo dos 7 (sete) erros”, “jogo da vida montado no chão”;  “roleta de conhecimentos”  e “jogos de colorir”.

Texto:
Ana Caroline


Hospital Regional do Leste faz campanha do Outubro Rosa na Praça Matriz de Paragominas
O Hospital Regional Público do Leste (HRPL), em Paragominas, nordeste pararense, realiza campanha do Outubro Rosa, nesta quinta e sexta-feira, 23 e 24, a partir das 9h, com repasse de informações, distribuição de material educativo e oferta de serviços com encaminhamento para exame papnicolau (exame que verifica alterações nas células do colo do útero) e citologia mamaria, em parceria com a Prefeitura de Paragominas.

Texto:
Vera R. Rojas


Setur e Secti lançam aplicativo de atrativos turísticos no estado
A Secretaria de Estado de Turismo (Setur), em conjunto com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), faz o lançamento do aplicativo móvel de turismo “Vem Pro Pará”, na tarde desta quinta-feira (23), às 14 horas, no auditório “Historiador Paulo Almada”, na sede da própria Setur.
O novo aplicativo tem como objetivo principal divulgar as informações sobre atrativos existentes e os serviços turísticos ofertados no Estado do Pará. A interface e funcionalidade do aplicativo foram desenvolvidas a partir de uma parceria entre a Setur e professores e estudantes da tecnologia da informação da Universidade Federal do Pará (UFPA).
Além de contemplar os mais conhecidos e importantes atrativos turísticos do estado, o aplicativo “Vem Pro Pará” traz também informações a respeito da rota turística e cultural Belém-Bragança, que vem sendo trabalhada pela Setur com a colaboração e parceria da Secretaria de Estado de Transportes (Setran), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e prefeituras municipais das 13 cidades situadas ao longo do percurso da antiga estrada de ferro.
Serviço:
Auditório “Historiador Paulo Almada”, da Secretaria de Estado de Turismo, localizada na Av. Gentil Bittencourt, 43, Batista Campos, nesta quinta-feira (23), às 14 horas

Texto:
Israel Pegado


Setran avança na etapa final de reconstrução da ponte sobre o Rio Moju
A Secretaria de Estado de Transporte (Setran) avança na reconstrução da ponte Cidade Moju, no município de Moju, nordeste paraense. Com a última etapa da obra, a estrutura pertencente ao complexo de pontes da Alça Viária, interditada em março deste ano após ser atingida por uma balsa, segue com a retirada de escombros para posterior colocação de pilares e conseguinte recuperação total.
Segundo o engenheiro da Setran Jorge Andrade, responsável pela fiscalização dos serviços, a última etapa dos trabalhos, iniciada nesta quarta-feira (22), terá três fases. “A primeira consiste na retirada dos escombros submersos. A segunda é a retirada dos lingotes pendurados na estrutura, e a terceira e última será a reconstrução do pilar atingindo e a implantação das vigas de ferro e concreto para a restauração completa da ponte”, explica.
Um grupo de 120 funcionários da construtora Paulitec, empresa responsável pela obra, se reveza nos trabalhos. ”A retirada dos escombros submersos dependia da conclusão do plano de segurança feito pela empresa vencedora da licitação. Desde o dia 15 deste mês uma equipe de mergulhadores já trabalha com a limpeza dos entulhos para facilitar o corte e a retirada desses materiais de dentro da água”, afirma Jorge Andrade.
Segundo ele, a fase final de reconstrução da ponte é resultado dos avanços obtidos na etapa anterior. “No projeto inicial, conseguimos implantar os dois pilares sustentáveis e dar mais suporte à ponte. Sem essas estruturas metálicas erguidas nos dois lados da obra, não tínhamos como retirar os escombros e iniciar a segunda fase do projeto”, ressalta o engenheiro.
No canteiro de obras montado ao lado da ponte, uma balsa, dois rebocadores e uma lancha garantem a estrutura do serviço. Enquanto os mergulhadores cortam parte dos escombros submersos com a ajuda de uma maquina de fio diamantado (tecnologia usada para cortar blocos de concretos e metal com mais precisão), dois guindastes instalados na balsa – um com capacidade para 80 e outro para 75 toneladas – se revezam para retirar os entulhos da água. Segundo o engenheiro Tiago Garcia, da Paulitec, a retirada de todos os escombros do rio segue as normas ambientais do projeto.
“Desde o início de formulação do projeto de reconstrução da ponte, a Setran sempre se preocupou com o aspecto ambiental da obra. Por isso, tivemos o cuidado de seguir as normas ambientais para que nenhum escombro da estrutura atingida fique submerso no rio. Por essa razão, a reconstrução do novo pilar só será feita quando toda a limpeza de entulhos terminar e tivermos certeza que todos os escombros foram retirados da água”, ressalta Tiago Garcia.
Travessia - Enquanto o tráfego permanece interditado nesse perímetro da Alça Viária, o serviço de travessia de veículos continua sendo feito gratuitamente por três balsas, operadas em regime de revezamento. Segundo os órgãos de segurança pública responsáveis pela fiscalização do serviço, a maior embarcação tem capacidade para 50 veículos grandes, e as menores suportam 40 carros grandes e pequenos.
Para garantir maior segurança aos motoristas e moradores da área que usam o serviço, além de equipes da Setran, funcionários do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Defesa Civil e Corpo de Bombeiros atendem a população no local.

Texto:
Adison Ferrera


Pará vai receber material para incremento da produção de citrus
Os produtores de laranja do Pará vão receber um reforço da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), para o incremento do setor. Até o fim deste ano começam a chegar os germoplasmas de citrus capazes de melhorar a qualidade da produção de laranja e limão do Estado. O material consiste em plantas preparadas para receber enxertos de outras variedades com o fim de obter cultivares resistentes às doenças e aumentar a produtividade nas áreas de plantio.
Os novos porta-enxertos ou cavalos, como são chamadas essas plantas, serão fornecidos pelo Centro de Mandioca e Fruticultura Tropical da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) de Cruz das Almas, na Bahia, onde o gerente de fruticultura da Sagri, Geraldo Tavares, esteve nesta semana para negociar a parceria. Além do fomento à produção de citrus, a ação pretende enquadrar o Pará na Instrução Normativa nº 54/ 2013, do Ministério da Agricultura.
A lei determina que em quatro anos toda muda de citrus seja produzida em espaços telados para que fique protegida do ataque de insetos transmissores de doenças. As principais são a Pinta Preta e Cancro Citrus e Greening (HLB), que ainda não chegaram ao Pará. O material que virá da Bahia será trabalhado na Unidade Agropecuária da Sagri, no município de Capitão Poço, nordeste do Estado, maior produtor paraense de laranja.
As plantas serão selecionadas de acordo com a adaptação ao clima, e a distribuição das mudas enxertadas será a partir de 2016. As vantagens desse novo material genético é a resistência às doenças, maior produtividade, melhor qualidade dos frutos e, no caso do limão, a possibilidade de duplicar a longevidade da planta. Hoje, a doença Gomose limita a produção do limoeiro em sete anos, quando a expectativa de vida da árvore é de 15 anos.
Com o aumento da produção, o Pará poderá subir no ranking nacional, em que hoje ocupa a sétima posição, com 196 mil toneladas. A laranja paraense tem o mais alto teor de açúcar entre as produzidas no Brasil, por isso é bastante procurada especialmente durante a entressafra nas regiões Nordeste, Sul e Sudeste do país, onde é misturada ao suco concentrado para atender a exigência do mercado externo.

Texto:
Leni Sampaio


"Me deem seu voto e confiança que darei a vocês o maior governo da história desse país", diz Aécio em Belo Horizonte
O som de milhares de vozes bradando, em uníssono, o Hino Nacional e palavras de ordem como "eu acredito!" encheram a Praça da Estação, em Belo Horizonte (MG), na noite desta quarta-feira (22/10), durante ato de apoio à candidatura de Aécio Neves, da Coligação Muda Brasil, à Presidência da República. Cercado por apoiadores e pelas bandeiras de todos os Estados brasileiros, Aécio prometeu a seus eleitores realizar "o maior governo da história desse país".
"Minas foi testemunha da minha caminhada, e, portanto, a vocês eu digo, para que o Brasil inteiro nos ouça: no próximo domingo, com a força dos mineiros, serei eleito presidente da República. Serei eleito para honrar Minas, o Brasil, e para mostrar o caminho da verdadeira mudança. Me deem seu voto e sua confiança, que eu darei a vocês o maior governo da história desse país", afirmou.
Aécio destacou que faltam exatos quatro dias para um momento decisivo na história brasileira, onde a população não vai escolher apenas o próximo presidente da República, mas sim em qual país quer viver: "um Brasil honrado, que respeita a sua história e constrói o seu futuro, ou esse país da vergonha, da mentira e das ofensas em que se transformou a campanha da adversária", a petista Dilma Rousseff.
"São pouquíssimos dias que nos separam da libertação do Brasil. Porque, se há trinta anos, o presidente Tancredo [Neves] nos libertou da ditadura, eu vou libertar o Brasil de um governo que se ocupou do Estado nacional em benefício de um pequeno grupo, em detrimento dos interesses maiores da nossa gente. Não venho para dividir, venho para unir esse país em torno de valores como a ética e a honradez, para unir os brasileiros em torno de um só projeto de desenvolvimento e de justiça social", acrescentou.
'Construção do destino'
Ao lado da mãe, Inês Maria, do senador eleito pelo PSDB, Antonio Anastasia, do governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho (PP), do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), e de lideranças políticas de todo o país, além do compositor Fernando Brant, do cantor Raimundo Fagner, da dupla sertaneja César Menotti e Fabiano, e dos atores Milton Gonçalves e Cláudia Rodrigues, Aécio agradeceu "do fundo do coração" a presença dos milhares de apoiadores no último ato político de sua campanha.
"Agradeço do fundo do meu coração a presença de cada um de vocês aqui hoje. O Brasil pode mudar, e essa mudança está em nossas mãos. Ninguém viu nessa campanha eleitoral o que eu vi, ninguém sentiu a energia que eu senti. Eu já sou um vitorioso. Mas no domingo, o Brasil será o grande vitorioso", disse, muito aplaudido pela multidão.
Aécio destacou ainda que a história se repete: "Sempre que a dificuldade era grande, o Brasil buscava em Minas um líder para construir a mudança. Foi assim com Juscelino [Kubitschek] há 60 anos. Depois, passados 30 anos, coube a outro mineiro, o meu avô Tancredo Neves, nos conduzir ao reencontro com as liberdades e com a democracia. E quase que como uma construção do destino, outros 30 anos se passaram, e eu estou aqui, com os mesmos valores, a mesma coragem e determinação, para dar ao Brasil um governo que seja de todos os brasileiros", salientou.
As cores do Brasil
O candidato da Coligação Muda Brasil convocou ainda os brasileiros para vestirem as cores da bandeira - verde, azul, e amarelo -, no próximo sábado (25/10), e saírem às ruas para pedir pela verdadeira mudança. Para o senador eleito Antonio Anastasia, o próximo domingo (26/10) trará a Aécio "uma vitória retumbante, para calar a boca dos que insistem em falar baixarias contra os mineiros e os brasileiros".
"Nós não toleraremos isso. A resposta virá forte e firme nas urnas. Aécio será o presidente que vai unir o Brasil. Por isso, tire daqui a energia e força necessárias para lutar, e vamos todos juntos. Muda Brasil!", afirmou o senador eleito.
O ator Milton Gonçalves lembrou que o voto é um gesto de responsabilidade com as gerações que estão por vir. "Hoje, quem está aqui é o Milton cidadão, consciente do seu caminho, daquilo que quer dizer. Para mim, a pessoa mais importante desse país é e será Aécio Neves. Temos a responsabilidade, para com os nossos filhos, de trilhar o melhor caminho", avaliou.
O cantor Fabiano Menotti ressaltou que Aécio é o nome certo para conduzir as mudanças que o Brasil precisa. "Tenho certeza que Aécio não vai nos faltar. Estamos com você", afirmou. "Estamos aqui hoje por acreditar em um Brasil melhor", acrescentou o irmão, César. A atriz Cláudia Rodrigues completou: "Acho bom pensarem em votar certo. Votem 45!".
Chave de ouro
Emocionado com a grande festa de apoio a Aécio Neves, o captador de recursos Nilo Santi, de 42 anos, afirmou que o evento fechou "com chave de ouro" a campanha de Aécio em Minas Gerais. "Fiquei muito emocionado. Eu me lembrei de quando eu era criança, da época de Tancredo, quando tínhamos tanta esperança. Me veio o pensamento de que Aécio veio para completar o trabalho que Tancredo não conseguiu, governar esse Brasil", disse.
Para Santi, o país precisa voltar a ser o que era quando o PSDB estava no governo, no período do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso. "O que a gente precisa é de uma equipe de competência, que trabalhe com honestidade, correção, para o Brasil voltar a crescer."
Segundo a consultora de marketing Hosana Santi trabalha com Organizações Não Governamentais (ONGs), a sociedade percebe "a realidade e o desejo de mudança de quem está na ponta".
"Falta apoio do governo, políticas públicas voltadas para o social. Apoiamos Aécio pela sua história, pela vida que a gente conhece. Não queremos mais as mentiras pregadas pela Dilma. Queremos um governo que preze pela decência e competência. E para isso acontecer, a gente chora, reza e faz até promessa", afirmou Hosana.
Veja os depoimentos dos apoiadores de Aécio Neves presentes ao comício em Belo Horizonte:
Júlio Baptista, jogador do Cruzeiro
"É grande a expectativa para domingo. Aécio cresceu nas pesquisas e hoje é o candidato mais forte, demonstrando que é o mais preparado para conduzir o Brasil. Apoiamos Aécio porque acreditamos nele e sabemos que é o melhor para o que Brasil avance ainda mais".
César Menotti, músico
"Estamos cheios de expectativa, aliás, anseio por esse momento há alguns anos, e acredito que Aécio é o 'cara' mais preparado para ser o presidente da República e temos a convicção de que tudo vai dar certo".
Fabiano, músico
"Aécio chegou com tudo para o segundo turno e isso mostra a sua força. Moro em Minas Gerais há quase 20 anos, sei quem é Aécio, sua história, do carinho que minha família tem por ele e tenho certeza que vai ser uma grande mudança para o Brasil. Nossa esperança está depositada nele".
Fernando Brant, compositor
"Vamos vencer as eleições e mudar o Brasil, esta é certeza que tenho para o próximo dia 26 de outubro. Aécio é o nosso líder, se preparou para ocupar este cargo, é íntegro, bom administrador, tem visão e é a favor da liberdade, da cultura. Apenas ele irá recolocar o Brasil nos eixos".
Fagner, cantor e compositor
"Sempre fui adotado pelo povo mineiro e me sinto na obrigação de vir aqui para dar meu apoio, abraço e confiança. Estamos com Aécio nas eleições".
Don e Juan, músicos
"Hoje é um dos momentos mais importantes da minha vida. Este momento é histórico para o Brasil, ter a oportunidade de eleger um brasileiro decente. Meu apoio a Aécio é incondicional, e domingo estamos com o coração esperançosos de que todos nós brasileiros vamos viver novos tempos".
Milton Gonçalves, ator
"Aécio é o mais transparente, uma pessoa nova no poder, que traz ideias claras na política, um projeto, carinho, afeto e desejo de servir ao povo brasileiro".
Cláudia Rodrigues, atriz
"O momento é do Aécio, o Brasil precisa dele para as mudanças adequadas, para dar mais decência e acabar com o que está aí. É isso que a gente precisa".
Lelo Zanneti, músico do Skank
"Aécio foi exemplo de gestão em Minas, é bem preparado. Neste momento de escândalos e corrupção, é necessário mudar e sabemos da sua capacidade e sambemos que ele vai propor bons projetos. Precisamos caminhar e olhar para a frente".
Luiz Carlos Miranda, presidente da Força Sindical Minas  
"Sempre apostei na possibilidade que o povo brasileiro tem de se libertar do PT e das roubalheiras que ocorre por todo o Brasil. Aécio é qualificado e, em Minas Gerais, foi um grande gestor. Por isso, entendemos que Aécio é qualificado para consertar o Brasil. Estamos trabalhando para o que Brasil se liberte das amarras do PT no próximo domingo".
Caroline Caldeira, funcionária pública
"Vim aqui hoje porque sou Aécio 45 e o Brasil precisa de mudança. Chega do que está aí, dessa mesmice. Assisti todos os debates, acho que ele é o que está mais bem preparado. Chega de PT, agora é Aécio".
Tuca Barulli, funcionária pública
"Eu quero que o Aécio ganhe essa eleição porque ele tem as melhores propostas e eu quero mesmo é que tire quem está roubando não admito o voto nas pessoas que vão deixar o brasil continuar nesse roubo, isso tem que terminar, esse assalto no brasil.
Jane Pereira da Costa, auxiliar de serviços gerais
"Acho que a proposta dele está muito boa. Meu pai é aposentado, ele aposentou com cinco salários mínimos e agora recebe dois. O salário dele está muito defasado. Ele era Dilma, agora é Aécio e todo mundo lá em casa é Aécio. A Dilma ficou quatro anos e não fez nada."
Rita Singulane, servidora pública
"Eu tenho um filho de três anos e não quero deixar para o meu filho esse Brasil que não valoriza o dinheiro público, que tem muita corrupção, muita sujeira, só lama. É essas mentiras são um absurdo, não atacam o político Aécio, mas a pessoa do Aécio".
Isaura Malta, funcionária pública
"Meu voto é do Aécio porque acho que ele é o melhor candidato. Minas está abandonada há 12 anos e ele vai olhar por Minas. Ele é visivelmente bem preparado, já vem no Executivo há anos, Dilma está ali porque caiu de paraquedas. Ele tem as propostas dele e os ataques são de quem não tem o que falar".
Silberto Sette, pintor e escultor.
"Sou voluntário desde o início da campanha. Conheço o Aécio há 30 anos, ele se preparou para ser presidente. Ele trabalhou muito bem em Minas Gerais e esses ataques são porque os adversários estão com medo e ficam inventando mentiras. A minha família não vota na Dilma Rousseff, que não honra Minas Gerais. Aécio Neves é o próximo presidente da República, Minas vai dar a resposta nas urnas". 
Marcelo Azevedo, advogado
"Sou brasileiro, acredito na mudança e quem pode fazer é Aécio. É o mais preparado, competente, correto e mineiro".
Maurício Dias, engenheiro
"Hoje é um dia muito importante para o futuro do Brasil, estamos decidindo o nosso destino, e o Aécio é o mais preparado para fazer o Brasil crescer novamente".


Movimento #VemPraRuadia22 reuniu milhares de pessoas em oito capitais do Brasil em apoio a Aécio Neves

Com o chamado #VemPraRuadia22, manifestantes saíram às ruas nesta quarta-feira (22) em sete capitais do Brasil e nos municípios de Ribeirão Preto (SP) e Londrina (PR) para manifestar seu apoio ao candidato a Presidente da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, e resgatar o sentimento de mudança que tomou o Brasil a partir das manifestações de junho de 2013.

Em São Paulo, o ato começou no Largo da Batata, na Zona Oeste de São Paulo, um dos pontos mais populares da capital. De acordo com a Polícia Militar, a manifestação reuniu mais de 10 mil pessoas, que seguiram do Largo da Batata, em caminhada, para a Avenida Brigadeiro Faria Lima, encerrando o ato ao som do Hino Nacional.

Com cartazes, adesivos de Aécio, camisas e bandeiras do Brasil, os manifestantes pediam mudanças no governo e o fim da corrupção no país. A mobilização contou com as presenças do ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, o deputado federal Paulinho da Força (SDD-SP), o ex-coordenador da campanha de Marina Silva, o deputado federal Walter Feldman (PSB-SP), o ex-jogador de futebol Ronaldo Fenômeno e a cantora Wanessa Camargo.

Fernando Henrique discursou, ressaltando que "a classe média e a classe trabalhadora querem mudança". "A mudança não se faz apenas com pessoas jovens. Eu, por exemplo, tenho 83 anos e continuo trabalhando para mudar este país", completou o ex-presidente.
Mais uma vez alvo de ataques do ex-presidente Lula nesta campanha, Fernando Henrique disse estar cansado desse tipo de expediente petista. "Eu estou cansado de ouvir mentiras sobre o meu governo."

Já Walter Feldman enalteceu a espontaneidade da manifestação. "Esse foi um movimento das ruas, nós não organizamos nada, foi tudo feito pelas redes sociais, exatamente no mesmo espírito dos protestos de junho de 2013".

O candidato a presidente pelo PV, Eduardo Jorge, o vereador do PV Gilberto Natalini e o jurista e ex- ministro do governo Lula, Miguel Reali Júnior também discursaram. "O PV foi o primeiro partido que decidiu apoiar Aécio no segundo turno", disse Jorge, que criticou o aparelhamento do governo Dilma.

Também falando de improviso, Ronaldo reafirmou seu desejo de mudar o país com Aécio. "Venho aqui para me juntar a vocês e pedir nada mais do que mudanças", falou à multidão. Paulinho da Força afirmou que se trata de um "movimento cívico em defesa do Brasil".
Atos semelhantes ocorrem simultaneamente em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Brasília, Fortaleza, Recife e Teresina.
Links da mobilização:

sid_reminder=4383311994434879488


Hashtag: #vempraruadia22


"Lula apequena sua biografia com ataques torpes e absurdos", diz Aécio
O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, afirmou nesta quarta-feira (22/10), em Belo Horizonte (MG), que "ignora" os ataques do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para ele, a agressividade do petista é "triste para sua biografia".
"Só quem perde com isso é ele [Lula]. [O ex-presidente] apequena sua biografia com ataques torpes e absurdos", acrescentou Aécio, reagindo às comparações feitas por Lula entre tucanos e nazistas. Lula, durante comício no Recife, disse que "parece que estão agredindo a gente como os nazistas agrediam no tempo da Segunda Guerra".
"O Lula não está disputando a eleição, apenas ignoro. Eu lamento apenas que um ex-presidente da República se permita cumprir um papel tão inexpressivo como esse que ele vem cumprindo no final dessa campanha eleitoral", destacou.
Verdades
O candidato afirmou também que reagirá à campanha de mentiras do PT apresentando propostas e verdade. Para ele, os eleitores é que definirão como querem ver o Brasil no futuro - com base em verdades ou na infâmia.
"Deixo que pessoas respondam nas urnas a todas essas infâmias. A minha campanha é a da verdade. A minha campanha é a da responsabilidade. É uma campanha que busca mudar o Brasil para todos os brasileiros", disse Aécio. "Se o Brasil quiser algo novo, algo vigoroso, algo correto, algo respeitoso, a minha candidatura está aí, à disposição de todos."
Aécio afirmou ainda ser vítima de ataques apócrifos em cartazes, jornais e outros materiais de campanha pelo país. "Hoje mesmo são boletins e jornais apócrifos, anônimos, sendo distribuídos em todo o Brasil, exatamente dando a ideia de que nós poderíamos estar indo na direção da diminuição e do fim dos nossos programas sociais ou da privatização de bancos públicos", afirmou ele.
O candidato reiterou seus compromissos em ampliar os programas de transferência de renda, como o Bolsa Família, e o fortalecimento das instituições públicas e valorização dos servidores. "Esta campanha vai ficar marcada na história do Brasil como a campanha da infâmia por parte dos nossos adversários", ressaltou Aécio.


Aécio reafirma compromissos sociais e econômicos e o fortalecimento do funcionalismo
O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, reafirmou nesta quarta-feira (22/10), em Belo Horizonte (MG), seus compromissos de governo. Aécio garantiu que manterá os programas de transferência de renda, fortalecerá o serviço público com a valorização dos funcionários e adotará uma política de reajuste real do salário mínimo até 2019, além de revisar o Fator Previdenciário.
Aécio citou como prioridades a ampliação do Bolsa Família através do programa Família Brasileira. "O meu dever é tranquilizar os beneficiários do [programa] Bolsa Família porque o Bolsa Família não só vai continuar como vai ser ampliado por meio [do programa] Família Brasileira", afirmou ele durante entrevista coletiva à imprensa em Belo Horizonte.
O candidato reiterou que se empenhará para o fortalecimento dos bancos públicos, mencionando o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Petrobras, a Eletrobras e os Correios. "Temos que tranquilizar os servidores destas instituições que são patrimônio dos brasileiros que serão fortalecidas no nosso governo. Não permitiremos é que elas sejam aparelhadas por partidos políticos", disse.
Aécio ressaltou ainda que estão entre suas prioridades a revisão do Fator Previdenciário e a prorrogação do reajuste real do salário mínimo para 2019. "E em relação aos aposentados o meu compromisso pessoal de encontrar uma fórmula de rever o Fator Previdenciário", afirmou.
Medidas
O candidato também reiterou sua determinação em adotar medidas para incentivar o crescimento econômico e combater a inflação. "Vou fazer o Brasil voltar a crescer. Vou enfrentar a inflação que a presidente da República tem dito que está sob controle e sabemos que não está", afirmou Aécio, lembrando que o eleitorado tem duas opções - as propostas dele e as do atual governo.
Em seguida, o candidato acrescentou: "São dois caminhos. Dois caminhos muito diferentes que se apresentam hoje. O nosso caminho é o caminho da verdade, é o caminho da retomada do crescimento, do controle da inflação e de um tempo de generosidade no governo federal".
Aécio afirmou que sua candidatura é a "única" capaz de fazer o "Brasil a voltar a crescer e resgatar os investimentos a partir da credibilidade". "Por isso a minha preocupação permanente de falar a respeito de contratos, resgate das agências reguladoras e a minha preocupação de falar de previsibilidade porque os investimentos estão indo embora e os investimentos internos não estão acontecendo", ressaltou ele.
O candidato recomendou analisar os indicadores da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que mostram o aumento de desconfiança de empresários e das famílias. O investimento é que gera renda, investimento é que gera emprego", destacou ele.


Polo Joalheiro do Pará servirá de modelo para projeto da Martinica
Nesta quarta-feira (22) teve início um ciclo de palestras no Espaço São José Liberto que compõem a programação de intercâmbio sobre um projeto de cooperação entre os governos da Martinica, departamento ultramarino francês, situado no mar do Caribe, e do Estado do Pará. Formada por nove pessoas, entre elas quatro ourives, uma gerenciadora de projeto e uma assessora na área da capacitação, a comitiva esteve no Espaço São José Liberto para ouvir as experiências que vão contribuir com o projeto de implantação de um polo joalheiro na Martinica inspirado no modelo paraense.
A dinâmica da gestão do Espaço São José Liberto e do Programa de Desenvolvimento do Setor de Gemas e Joias do Pará, conhecido como Polo Joalheiro, foi o tema da primeira palestra proferida, pela diretora executiva do programa e do espaço, Rosa Helena Neves. Essa é a primeira etapa do encontro, que segue até a próxima sexta-feira (24), com ateliês temáticos, reuniões empresariais, intercâmbios e visitas técnicas a unidades produtivas, Museu de Gemas do Pará e lojas de joias do polo, entre elas a Una, experiência de loja incubadora.
Além do modelo de gestão, os visitantes também vão conhecer os diversos setores criativos do espaço, detalhes do funcionamento da cadeia produtiva de gemas e joias e inovações da joalheria artesanal paraense e do artesanato comercializados no espaço.
As experiências bem-sucedidas de gestão do São José Liberto integradas às ações desenvolvidas pelo Polo Joalheiro foram detalhadas por Rosa Helena Neves, que falou sobre a economia criativa como estratégia de desenvolvimento, a partir de um modelo dinâmico e intersetorial de gestão compartilhada entre os setores público e privado e a sociedade, representada pelos setores produtivos de joias, gemas, artesanato, manualidades e moda. “Para que haja a dinamização dessa economia são desenvolvidas ações no âmbito da capacitação, gestão e mercado, integradas à metodologia da economia criativa, que tem como referência a diversidade cultural, a criatividade e a inclusão social e produtiva”, destacou a diretora.
Rosa Neves também frisou a importância da rede de parcerias para o desenvolvimento do Programa Polo Joalheiro, recordando parceiros pioneiros, como o Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM) e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), fundamentais para a consolidação do projeto, que contou, desde o início, com o financiamento do orçamento público estadual, por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom).
Para o presidente do Sebrae, Vilson Schuber, a história do São José Liberto tem muito a ver com o Sebrae. Quando o espaço foi concebido, o Sebrae viu que seria um espaço de crescimento e de acolhimento para o artesanato em suas diversas formas e a ourivesaria, uma forma de incentivar os artesãos e ourives. “Replicar a iniciativa do Espaço São José Liberto Brasil afora é mais uma importante fonte de renda através do turismo. O Sebrae tem todo o interesse e carinho pelo desenvolvimento e crescimento dessa atividade”, frisou.
Criatividade – Baseada no case de sucesso do Polo Joalheiro/ São José Liberto, a estratégia de desenvolvimento do projeto de cooperação entre o Pará e a Martinica começou a ser tratada em agosto deste ano, em reunião entre Manuella Toussay, representante do conselho regional da Martinica no Brasil e adida de cooperação junto à Embaixada da França em Brasília, e a secretária Maria Amélia Enríquez, titular da Seicom, mantenedora do São José Liberto e do Polo Joalheiro, gerenciados pela organização social Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama).
“Essa implantação do Polo Joalheiro na Martinica tem a pretensão de ser uma vitrine de várias áreas: da produção de joias, da cultura e do artesanato da Martinica, mas também das pedras, joias e biojoias do Pará em termos de exportação do Estado para a Martinica. Também temos a pretensão de convidar empresários e ourives que tenham interesse em investir na Martinica nesse setor joalheiro. Eles são bem-vindos para que o Pará tenha essa vitrine no Caribe”, ressaltou Manuella.
“Hoje é a primeira etapa de encontros, intercâmbios e visitas técnicas, que segue até sábado. Vamos conhecer este espaço arquitetônico e ter também visitas técnicas nos ateliês de ourivesaria e de lapidação. Tudo para ter a ideia clara do que é um polo joalheiro. É importante dizer que não existe essa ferramenta lá no Caribe. Isso é muito importante porque, com a implantação na Martinica, a interação com outros países em volta, dos Estados Unidos e da Europa, vai ser maior ainda. O primeiro passo é hoje; depois vamos colher os ‘expertises’ paraenses para eles terem uma avaliação física do espaço e do local onde vai ser implantado esse polo, e vamos continuar esses intercâmbios para afinar o projeto, que deve começar daqui a dois anos”, continuou.
Palestras – Na mesa de abertura do encontro, além de Rosa Helena Neves e Manuella Tossay, estavam o diretor de Geologia e Transformação Mineral da Seicom, Ambrózio Ichihara, e a representante da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), Rosário de Fátima Souza.
Ambrózio Ichihara destacou a importância do evento. “O governo do Estado vê com bons olhos essa experiência de expansão de negócios de gemas e joias para o exterior. A Seicom está dando todo o apoio institucional para que isso aconteça, inclusive complementando com a visita de designers paraenses na Martinica para mostrar a metodologia usada”, asseverou.
O coordenador do Núcleo de Arranjos Produtivos Locais (APL) da Seicom, Marco Antônio Lima, comentou sobre o tema no território criativo. “Há possibilidade de implantar e de reproduzir o modelo de APL desde que se identifique a existência dos os entes produtivos e institucionais necessários para fazer funcionar a dinâmica de um arranjo. O APL é uma aglomeração de entidades produtivas com uma afinidade setorial, ou seja, de um determinado setor econômico, e que interajam com uma série de entes públicos e privados, por exemplo com universidades, centros de treinamento, sindicatos, associações empresariais, de crédito e fomento. O que caracteriza um arranjo é a existência dos agentes e da articulação que é obtida por meio do mecanismo de governança, que é uma espécie de comitê gestor”, disse.
Pierre Kichenama, dono da empresa Bijouterie Kichenama, que está há 30 anos no mercado de joias, veio ao Pará representando joalheiros na Martinica. “Estamos aqui para descoberta, para ver como é, como é feito e se funciona, porque não sabemos muita coisa desse contexto. Descobrir também se seguir esse modelo será rentável para os joalheiros da Martinica, por conta da realidade ser bem diferente aqui no Brasil. Também tem a questão da dimensão, porque o Brasil é enorme, e a Martinica é bem menor que o Pará e abriga uma população de 412 mil habitantes”, concluiu. (Colaboraram Juliana Pinheiro, da Ascom Seicom, e Luciane Fiúza, da Ascom Polo Joalheiro)

Texto:
Andrea L. Amazonas


Hospital de Tailândia reforça ações de prevenção ao câncer de mama
A direção do Hospital Geral de Tailândia (HGT), localizado a mais de 345 quilômetros de Belém, intensificou a campanha Outubro Rosa, dirigida principalmente às mulheres, sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. A campanha educativa começou no dia 14 de outubro, com atividades internas até esta quarta (22) e ações externas na quinta-feira (23), na Praça do Povo. Em todos os eventos são distribuídos laços cor-de-rosa, que simbolizam a luta contra a doença em todo o planeta, folders com orientações sobre o câncer de mama e formas de prevenção. Também são afixados cartazes e fornecidas orientações sobre o acesso ao exame de mamografia. O movimento mundial para prevenção do câncer de mama surgiu na década de 1990, nos Estados Unidos, e hoje é comemorado em dezenas de países.
Segundo o diretor executivo do Hospital, Marcelo Azevedo, a campanha conta com a parceria da Prefeitura Municipal de Tailândia e da Polícia Militar. “Ninguém trabalha sozinho. A composição de parcerias é fundamental para o êxito das ações em favor da saúde pública”, ressaltou, enfatizando que a mobilização é importante para sensibilizar e alertar as pessoas sobre a prevenção da doença - que ainda mata mais de 30 mulheres por dia no Brasil.
Entre as ações realizadas pelo HGT estão orientar os públicos interno e externo sobre a importância do autoexame de mama, por meio de palestras ministradas por profissionais de saúde; informar sobre o acesso a esses serviços na Central de Regulação e Ouvidoria do Município de Tailândia, e aferir o nível de glicemia e a pressão arterial dos participantes.
“Será um mutirão que envolverá a equipe multiprofissional do HGT e profissionais de instituições parceiras”, informou Marcelo Azevedo. Para ele, a mobilização fortalece a parceria com a administração municipal acerca das cotas dos exames de mamografia, o que permite um tratamento menos invasivo e uma maior chance de cura do câncer de mama.
Responsável pela assistência de baixa e média complexidade, o HGT funciona com 56 leitos e as especialidades clínica médica, pediatria, cirurgia geral, ginecologia/obstetrícia, ortopedia/traumatologia, radiologia, anestesiologia, oftalmologia, cardiologia e endocrinologia, além de dispor de uma Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) com 10 leitos (adulto e pediátrico).
Os usuários também contam com exames de mamografia, endoscopia, ultrassom, eletrocardiograma, raio X e exames em laboratório. O HGT tem ainda novos equipamentos para vídeoendoscopia, ultrassonografia e eletrocardiograma. 
Serviço: O Hospital Geral de Tailândia fica na Avenida Florianópolis, s/n, no Bairro Novo. Mais informações pelo fone (91) 3752-3121.

Texto:
Vera Rojas



Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...