Total de visualizações de página

sábado, agosto 04, 2012

Programa Pro Paz será apresentado em Simpósio de Segurança em Nova Iorque




Representantes do Governo do Estado embarcaram na tarde desta sexta-feira (3) para Nova Iorque, nos Estados Unidos, onde representarão o Pará no 21º Simpósio Internacional de Polícia, evento realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU), que tem como objetivo discutir três temas principais: Polícia, Criminalidade e Justiça Juvenil. O Pará tem destaque no encontro, com o Programa Pro Paz Integrado, que será apresentado na programação dos cases de sucesso, indicado como uma das boas práticas a serem seguidas para a redução da criminalidade.

Segundo a coordenadora do Pro Paz, Izabela Jatene, o convite para representar o Pará no simpósio é o reconhecimento de um trabalho que vem trazendo resultados expressivos para a população paraense, fundamentado não apenas no Comitê Gestor do programa, mas também na sociedade civil. “Ter um espaço na ONU para mostrar esse trabalho, e ser apresentado como uma boa prática, é mais que um reconhecimento. Nós vamos mostrar o que o Pará vem fazendo na área da segurança, proteção e promoção social, com a participação efetiva da sociedade”, enfatizou.
O secretário de Estado de Segurança Pública, Luiz Fernandes Rocha, também acompanha a comitiva. Segundo ele, o simpósio é um dos eventos internacionais mais importantes na área de segurança pública, por reunir representantes de vários países e propiciar a troca de experiências positivas. De acordo com o secretário, o Pará terá destaque no evento por apresentar um programa que integra políticas publicas e de segurança. “Através da Diretoria de Prevenção Social da Violência e Criminalidade é possível identificar áreas de risco e vulnerabilidade, disponibilizando dados para subsidiar a execução de políticas públicas que são executadas e coordenadas pelo Pro Paz. O resultado vem dando certo, e por isso o Pro Paz foi convidado para mostrar a experiência no Simpósio da ONU”, explicou Luiz Fernandes.

Núcleo Amazônico - A relação entre o Pará e a Organização das Nações Unidas começou em maio, com a assinatura do memorando para instalação da comissão destinada à criação do Núcleo Amazônico do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC). O escritório, que será instalado em Belém no segundo semestre deste ano, tem como principal objetivo seguir e aplicar as leis brasileiras e as normas das Nações Unidas e das Convenções Internacionais ratificadas pelo Brasil, em matéria de políticas públicas para a melhoria da qualidade de vida da população e a garantia dos direitos humanos na Amazônia paraense, podendo estender-se aos demais Estados da região, por meio de instrumentos legais específicos.

A cooperação técnica firmada entre o Pará e o UNODC será compartilhada por meio da formulação e implementação de estudos, e de projetos e programas nas seguintes áreas: Controle da violência; enfrentamento ao tráfico de drogas, de pessoas e de armas; prevenção pedagógica ao uso de drogas; participação da sociedade civil nos sistemas de polícia e de justiça criminal; regime penitenciário e alternativas à prisão; reinserção social e atenção à saúde da população prisional; valorização do profissional de segurança pública; ações de enfrentamento ao crime organizado; preservação e controle de crimes ambientais; tecnologia e crime; combate ao trabalho escravo e proteção dos direitos humanos.

De acordo com Celina Hamoy, coordenadora do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (Cedeca- Emaús), a instalação do Núcleo no Pará favorecerá não apenas a destinação de recursos para o aprimoramento dos agentes de segurança, mas também a formação desses agentes no trato com os cidadãos. “O Pará sai na frente de outros Estados, a partir do momento que apoia essa iniciativa, favorecendo todas as etapas desse processo. Já instalamos a comissão e estamos trabalhando para a criação do núcleo, que será determinante no enfrentamento de algumas questões em nosso Estado, como tráfico de drogas, tráfico humano e outras questões relacionadas à criminalidade e fronteiras”, concluiu Celina Hamoy.
Texto:
Danielle Ferreira-Secom



Terruá Pará encerra neste
sábado a temporada
no Theatro da Paz



























Na penúltima noite de apresentação do show Terruá Pará, no Theatro da Paz, centenas de pessoas lotaram o teatro para prestigiar a produção musical do Pará. Neste sábado (4), os artistas desta edição do Terruá fazem a última apresentação, que iniciará mais cedo, às 18 horas. A organização do show pede às pessoas que não comprem ingressos de cambistas, já que os ingressos são distribuídos na bilheteria do teatro. A venda é completamente ilegal e a prática não deve ser incentivada.
Quem não conseguir ingressos para assistir no teatro terá duas opções. Acompanhar o show ao vivo, pelo portal www.terruapara.com.br, ou pelo telão instalado em frente ao teatro. O público que ainda não assistiu ao show irá conferir uma seleção de sucessos, resultado do trabalho de artistas como o grupo “Carimbó do Uirapuru”, Paulo André Barata, Sebastião Tapajós, Nilson Chaves,Trio Manari, Orquestra de Violoncelistas da Amazônia, Pio Lobato, Mestre Vieira, Mestre Curica, Dona Onete, Toni Soares, Luê Soares, Almirzinho Gabriel, Felipe Cordeiro, Manoel Cordeiro, Lia Sophia, Mestre Solano, Gang do Eletro, Mestre Laurentino, Gaby Amarantos e Metaleiras da Amazônia - formada pelos músicos Manezinho do Sax, Pantoja e Pipa do Trombone.
A banda base que acompanha os artistas é composta por Luiz Félix Robatto, Pio Lobato e Davi Amorim (guitarra), Adriano Sousa, Vovô e Edvaldo Cavalcante (bateria), MG Calibre (baixo), Esdras Souza (saxofone e flauta transversal), Jade Guilhon (violino e bandolim), Edgar Matos (teclado) e Trio Manari (percussão).
Texto:
Bruna Campos-Secom


Coliseu das Artes recebe no
domingo danças circulares,
afro e regionais
Coreografias que vão dos ritmos afro ao regional carimbó, compõem o estáculo que o Grupo de Expressões Parafolclóricas Uirapuru apresentará neste domingo (4), a partir das 18h, no Coliseu das Artes, no Espaço São José Liberto, com entrada franca. Pela manhã, a partir das 10h, também no Coliseu, acontece mais um encontro das Danças Circulares, que são uma roda de dança de livre expressão, da qual todos podem participar.
A apresentação do "Uirapuru" integra o projeto Ritmos do Pará, criado e desenvolvido pelo Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), instituição gerenciadora do Espaço São José Liberto, via Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom)/Governo do Pará. O projeto abre o Coliseu das Artes para grupos folclóricos, sempre no primeiro e no último fim de semana do mês. Criado há três anos, o projeto foi retomado em julho de 2012, quando se apresentaram os Grupos Parafolclóricos Frutos do Pará e Charme Caboclo.
Para a apresentação deste domingo, o Grupo de Expressões Parafolclóricas Uirapuru mostrará ao público “África”, um dos dois espetáculos apresentados no Festival Nacional de Folguedos, realizado no Piauí, em junho deste ano, quando o grupo representou o Pará junto com o Grupo Moara e o Balé Folclórico da Amazônia.
“África representa muito do que é o nosso trabalho, voltado para as danças de origem negra, seus costumes, sua história de escravidão. Nas coreografias do espetáculo fazemos alusão também aos orixás, como Obaluaê, que representa a terra. Mas vamos incluir também um pouco do nosso repertório regional, como o carimbó, o siriá e a ciranda do Norte”, explica Cláudia Peniche, coordenadora do grupo, criado há 27 anos e que hoje conta com 40 integrantes, entre dançarinos e músicos.
Cláudia ressalta a volta do Projeto Ritmos do Pará, do qual já participou em outras edições. “É uma honra estarmos aqui neste momento de retorno. O Espaço São José Liberto é maravilhoso. A arena é muito boa, porque dá visibilidade para o público de todos os ângulos”, acrescenta.
Danças Circulares – A dança começa a ocupar o Coliseu das Artes a partir das 10h, com as tradicionais rodas que acontecem no espaço, sob a coordenação de Ana Lúcia Rubim, médica, psicoterapeuta e focalizadora de danças circulares. Criado nos anos 1960 pelo coreógrafo e bailarino alemão Bernhard Wosien, o movimento das danças circulares é inspirado nas danças folclóricas de vários povos e ganhou repercussão a partir do norte da Escócia.
Todos podem participar das rodas de dança, que com seus movimentos livres resultam em muitos benefícios ao participante, além de promover uma cultura de paz e união. De acordo com Ana Rubim, as danças circulares visam ampliar o conhecimento em direção ao bem estar físico, mental, emocional, energético e social.
Serviço: Danças Circulares e apresentação do Grupo de Expressões Parafolclóricas Uirapuru. Domingo (5), às 10h (roda) e às 18h (Uirapuru), no Coliseu das Artes, no Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, bairro Jurunas). Entrada franca. Mais informações pelos fones: (91) 3344-3517 e (91) 9310-6189 (Carmem Macedo, coordenadora de Eventos do Igama).
Texto:
Luciane Barros-São José Liberto

Produtores decidem rodar
filme alemão no Pará
O Pará será o cenário do longa metragem alemão "Verloren im Dschungel". O filme é uma história de amor, que em outubro deverá ser rodada em Belém e, possivelmente, nas ilhas de Cotijuba e do Combu, na parte insular da capital paraense. Locações nos municípios de São Caetano de Odivelas (no nordeste do Estado) e Barcarena (na região do Tocantins) também estão sendo avaliadas pela direção e produção do filme, que tem o apoio da Companhia Paraense de Turismo (Paratur).
Os produtores Martin Lehwald e Marcos Kantis, e o diretor Carlo Rola, conversaram na sexta-feira (3) com o secretário Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa, e com o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes, informando que a ideia é mostrar o enredo do filme associado aos encantos da Amazônia.
“Um casal alemão sofre um acidente de avião e a esposa fica perdida na floresta. Após muitas buscas, ele volta para a Alemanha e acaba casando novamente. Mas, cinco anos depois, aqui no Brasil, descobre que a esposa está viva, na Amazônia, vivendo em uma comunidade ribeirinha do Pará. Ele, então, vem ao encontro dela”, adiantou Marcos Kantis.
Para Martin Lehwald, a decisão de gravar no Pará (inicialmente, eles pensaram em filmar no Amazonas), foi tomada em função da receptividade do governo do Estado ao projeto, cujo roteiro passará por adaptações, para se adequar ao cenário local.
O governo do Estado tem todo o interesse em apoiar esse tipo de iniciativa, que valoriza a Amazônia e divulga positivamente o Pará, frisou o secretário Sidney Rosa, ao delegar à presidente da Paratur, Socorro Costa, a missão de conduzir as articulações necessárias para que o Estado apoie a iniciativa.
Socorro Costa ressaltou a importância do filme no contexto da promoção e divulgação do Pará. O filme, segundo os realizadores, será exibido no Brasil, Alemanha e Portugal, para a promoção do destino Pará na Europa. Parte do elenco do filme também poderá ser brasileira, como a atriz Regina Duarte, que está cotada para ser a protagonista.
“O filme representa mais uma ação que pode dar retorno de divulgação positiva ao nosso Estado. Vem ao encontro do trabalho que estamos desenvolvendo", afirmou Socorro Costa. O secretário Adenauer Góes, que em 2011 teve o primeiro contato com os produtores de "Verloren im Dschungel", ratificou o apoio da Secretaria de Estado do Turismo (Setur), por compreender a importância para a promoção, divulgação e o marketing do turismo no Pará, que podem ser inseridos no contexto do filme.
Texto:
Benigna Soares-Paratur


Capacitação para mototaxistas
de Marabá e Santarém
começa no dia 15
O Serviço Social do Transporte e o Serviço Nacional de Apredizagem de Transporte (Sest/Senat), nos municípios de Marabá e Santarém, respectivamente no sudeste e oeste do Pará, já estão credenciados para a realização do curso obrigatório para mototaxistas e motofretistas, estabelecido pela Resolução 350/2010, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). O curso começará no próximo dia 15, informa o Departamento de Trânsito do Pará (Detran). O objetivo é capacitar a categoria na área de educação para o trânsito, difundir informações e padronizar ações que garantam a segurança no trânsito para condutores e passageiros.
Na manhã da última quinta-feira (3), uma comissão de representantes da categoria de mototaxistas se reuniu com Walter Pena, diretor geral do Detran/PA, em Belém, para discutir o início da fiscalização da obrigatoriedade do curso para mototaxistas, que estava prevista para entrar em vigor neste sábado (4).
A Resolução do Contran determina que o curso especializado obrigatório é destinado a profissionais que transportam passageiros (mototaxista) e exercem atividade remunerada na condução de motocicletas (motofretistas). O curso tem carga horária de 30 horas/aula, sendo 20 horas/aula destinadas ao Módulo I (Básico), 5 horas/aula ao Módulo II (Legislação Específica) e 5 horas/aula ao Módulo III (Prática de Pilotagem Profissional).
Raimundo Nonato da Silva, presidente da Federação dos Mototaxistas do Estado do Pará (Fedemmopa), disse que nem todos os mototaxistas já conseguiram realizar o curso obrigatório. “O mototaxista quer cumprir o seu dever e que seus direitos sejam garantidos”, ressaltou.
Na tarde de quinta-feira, o Contran prorrogou até fevereiro de 2013 o prazo para que mototaxistas e motofretistas façam o curso de capacitação. Para Alessandra Andrade, coordenadora de Educação no Trânsito, a intenção do Detran é reduzir o número de acidentes e, para isso, é importante que os mototaxistas e motofretistas realizem o curso. “Vamos mobilizar todos os institutos do 'Sistema S' de capacitação, para que sejam credenciados”, informou. 
Texto:
Edson Matoso-Detran

Jornalistas destacam
Importância de divulgar
o potencial turístico do Pará

Jornalistas de veículos especializados em turismo, que estão em Belém fazendo a cobertura do show Terruá Pará, realizado no Theatro da Paz, se reuniram na sexta-feira (3) com o secretário Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa, e com o secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes. Adalberto de Oliveira, do Jornal Tema, de São Paulo, que circula nos principais aeroportos do Brasil, e Carlos Eduardo Oliveira, correspondente da revista americana Billboard, da Brazilian News, de Londres, e da Revista Gulla, de São Paulo, vieram à capital paraense convidados pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur), para a divulgação do Terruá Pará, evento realizado pela Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa) e Secretaria de Estado de Comunicação (Secom).
“Agradeço à Paratur pela oportunidade de voltar ao Pará, que admiro e tenho muita satisfação em divulgar, em especial a música, que acompanho, e a gastronomia, que aprendi a apreciar com o saudoso chef paraense Paulo Martins”, disse Carlos Eduardo, que em 2004 esteve no Pará, também convidado pela Paratur, para cobrir o Ver-o-Peso da Cozinha Paraense, festival gastronômico que há mais de 10 anos é referência na promoção da culinária do Pará como atrativo turístico.
Ao mencionar o Círio de Nazaré (evento religioso que acontece no segundo domingo de outubro), Adalberto de Oliveira ressaltou a admiração que tem pelo Pará. “Em 2004 publiquei no 'Tema' uma reportagem enviada pela Paratur sobre a inauguração da Estação das Docas, e desde então acompanho o turismo paraense e divulgo as ações da Paratur e do Pará”, contou ele, que fez agora sua primeira viagem a Belém, para divulgar o trabalho musical dos mais de 20 artistas e bandas que fazem o Terruá Pará até este sábado (4).
Texto:
Benigna Soares-Paratur

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...