Total de visualizações de página

segunda-feira, novembro 11, 2013

GOVERNO diz que vem retomando aos poucos as aulas e SINDICATOprolonga mais uma vez a GREVE. ENQUANTO ISSO; Os alunos vão sendo prejudicados...






Não é piada não: SAI DE BAIXO mesmo...

Satélite de uma tonelada cai do espaço em direção à Terra







"Ferrari do espaço" estava em órbita desde 2009
Foto: Divulgação/ESA

O satélite GOCE caiu do espaço neste último domingo (10). Já era previsto que o satélite poderia cair no fim de outubro, pois sua missão chegaria ao fim, uma vez que o combustível acabaria e o satélite começaria a cair em direção da Terra de uma altura de 224 km Em entrevista para o Mashable, um funcionário da agência espacial ESA disse que o satélite se desintegrou na atmosfera e não causou nenhum dano, ao menos não houve nenhum relato.
O satélite foi apelidado de "Ferrari do Espaço", por causa de seu design elegante e aerodinâmico. Além disso, a "espaçonave" tem cerca de 17 metros  1.100 kg do satélite se desintegrou apenas na atmosfera, os 25% restantes atingiram a superfície da Terra, caindo no Oceano Pacífico .
O satélite GOCE de uma tonelada é apenas uma pequena fração de objetos espaciais que caem na Terra. Heiner Klinkrad, chefe do Escritório de detritos espaciais da ESA, disse em um comunicado. "Nos 56 anos de voo espacial, cerca de 15.000 toneladas de objetos espaciais artificiais entram na atmosfera sem causar uma única ferimentos até à data".
O GOCE está em órbita desde 2009 e passou quatro anos mapeando de campos e  oceanos 






DECISÃO NA SÉRIE B DO BRASILEIRÃO

Papão x Palmeiras: Se o Palmeiras vencer será campeão se o Papão vencer pode melhorar sua colocação para evitar o rebaixamento
William Correia São Paulo (SP)

Arte GE.Net




Só uma derrota combinada a uma vitória da Chapecoense impede que o Palmeiras cumpra sua última meta no ano nesta terça-feira. Basta não perder do Paysandu no jogo das 21h50 (de Brasília), em Belém, pela 35ª rodada, para o time conquistar com antecedência o título da Série B do Brasileiro, e é possível até que já entre em campo como campeão.
A Chapecoense enfrenta o Paraná às 19h30 em Curitiba e, se não vencer, já garantirá a taça para o Verdão. Por isso, existe uma quase certeza de festa no Mangueirão, com palmeirenses que moram no Pará, e não veem a equipe de perto desde 2010, já armando a comemoração.
Em campo, o discurso é da busca pelo ponto que falta para o único time com acesso garantido à primeira divisão atingir seu objetivo sem depender de ninguém. “Estamos muito felizes com a campanha e muito perto do título. Queremos corar essa campanha”, comentou Juninho.
No pôster que deve ser o da segunda conquista do clube na Série B, não estarão Valdivia, já à disposição da seleção chilena, e Leandro, que cumpre suspensão por ter sido expulso na vitória de sábado sobre o Joinville, além de Wesley, Vinicius, Vilson, Luis Felipe, Charles e Mendieta, ainda sem condições físicas de atuar.
Na escalação, Alan Kardec volta após cumprir suspensão e será parceiro de Ananias, outra novidade do time. A formação tática será no 3-5-2 que agradou a Kleina, com Marcelo Oliveira na zaga, Wendel e Juninho nas alas e Eguren na marcação, com Márcio Araújo mais solto e Felipe Menezes na incumbência de municiar o ataque.
mais importante, contudo, é que o time mantenha o respeito aos adversários que mostrou durante toda a competição. “Temos um ponto ainda a conquistar. E o Paysandu vai querer os pontos, vai ser difícil”, alertou Kleina.
Do outro lado, o Paysandu vive uma situação de desespero. O time é quem mais tem pontos entre os que estão na zona de rebaixamento, mas está a três pontos do primeiro clube fora da faixa da degola. Uma derrota em casa complicaria ainda mais a situação da equipe que acaba de voltar da terceira divisão.
O técnico Vagner Benazzi não poderá contar com o meia Eduardo Ramos, suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo, e escolherá entre Djalma e Jailton para substituí-lo. As novidades na escalação são a volta do lateral direito Yago Pikachu, que cumpriu gancho na última rodada, e a aparição de Héliton ao lado de Marcelo Nicácio no ataque.
FICHA TÉCNICA
PAYSANDU X PALMEIRAS
Local: estádio do Mangueirão, em Belém (PA)
Data: 12 de novembro de 2013, terça-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Marcos da Silva Brigido (CE) e Elan Vieira de Souza (PE)
PAYSANDU: Matheus; Pikachu, Fábio Sanches, Leonardo Dagostini e Pablo; Zé Antônio, Vanderson, Jailton (Djalma) e Diego Barboza; Héliton e Marcelo Nicácio
Técnico: Vagner Benazzi
PALMEIRAS: Fernando Prass; André Luiz, Henrique e Marcelo Oliveira; Wendel, Eguren, Márcio Araújo, Felipe Menezes e Juninho; Ananias e Alan Kardec
Técnico: Gilson Kleina






Aulas voltam ao normal, na maioria das escolas, com professores temporários
O reforço dos 210 professores temporários contratados pelo Governo do Estado garantiu a volta às aulas na maioria das escolas da rede pública estadual de ensino. Na manhã desta terça-feira, 12, a equipe da Agência Pará de Notícias visitou dez escolas em Belém e Icoaraci e constatou que as aulas estavam sendo ministradas em todas elas. Como 543 professores retomaram as atividades, desde a última segunda-feira, 11, segundo informações da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), o governo do Estado está convocando os estudantes a voltarem às salas para o prosseguimento do ano letivo.
Em Icoaraci, três escolas de abrangência da 12ª Unidade Seduc na Escola (USE 12) - Escola São João Batista, Escola Jorge Lopes Raposo e Escola Fernanda de Souza – tiveram as atividades normalizadas. Na Escola Fernanda Souza, 70% dos professores voltaram a lecionar e os que não retornaram foram substituídos pelos temporários. “Professores e alunos retornaram com força total", garantiu o diretor da escola, Adalberto Santos. "Para nós, já está tudo normal e a partir de agora vamos trabalhar em ritmo total para repor os dias parados”.
Contratado como temporário, o professor de matemática Alex Pantoja comemorou a oportunidade de trabalhar. “Achei esta iniciativa do governo muito boa, pois, além de ajudar os alunos a não perderem mais aulas, também acaba nos ajudando, já que estávamos parados, sem lecionar", afirmou. "Vou me dedicar bastante e fazer o máximo possível para recuperar o tempo perdido”.
Para o estudante Yuri Raphael, 16 anos, a contratação de professores temporários também foi positiva. “Eu estava com muita vontade de voltar a estudar e preocupado principalmente com matemática, porque tenho muita dificuldade", admitiu. "Fiquei aliviado quando vi um professor de matemática na sala de aula, porque assim ele já vai adiantando a matéria e não deixa a gente ficar com o conteúdo tão atrasado”.
Na Escola Castelo Branco, no conjunto Marex, 50% dos professores retornaram às salas e dois professores temporários reforçaram a equipe. “Estamos apenas com duas turmas que estão sem aulas, mas isto já está sendo providenciado e virão novos professores para cá”, disse a diretora Vanessa Rebelo. Mãe de três meninas que estudam na escola, a dona de casa Elaine Pinheiro, de 31 anos, ficou aliviada ao saber que as filhas teriam aulas normalmente. “Essa greve já estava prejudicando muito a educação das minhas filhas. Elas já estavam ficando desmotivadas. Nós sabemos que os professores estão lutando pelo direito deles, mas também queremos que os nossos filhos tenham o direito de estudar”, completou.
A Escola Nossa Senhora da Conceição Aparecida, no bairro da Pedreira, também abriu as portas, logo cedo, para alunos e professores. As sete turmas de ensino fundamental já estão funcionando normalmente. As crianças, que estavam há mais de um mês sem aula, voltaram com muito entusiasmo. “Durante todos esses dias da greve eu ficava em casa estudando, para não esquecer as coisas", disse o menino Luan Pantoja. "Eu gosto muito de estudar e estava torcendo para essa greve acabar”.
A Escola Augusto Meira, localizada na avenida José Bonifácio, também retomou as atividades: todas as turmas estavam em sala, nesta terça. Segundo a direção, 12 professores temporários garantiram o retorno dos estudantes. “A greve foi muito prejudicial aos nossos alunos, mas agora as coisas estão se normalizando", ressaltou a diretora Carmem Lúcia. Além dos 12 temporários, 40 professores efetivos já reiniciaram as aulas. "Nossa maior preocupação, agora, é repor os conteúdos, para não prejudicar os alunos que estão em período do Prise e da Prova Brasil”.
Professora efetiva da escola, Rita Castro disse que resolveu retornar às atividades para não prejudicar mais os alunos. “Acho que, antes de tudo, nós temos que pensar no nosso aluno, que, querendo ou não, já foi muito prejudicado com essa greve. Estou torcendo para que o movimento se encerre de vez em todas as escolas e que nós possamos ajudar ao máximo os nossos alunos. Eu não voltei para fazer gracinha. Voltei com força total para recuperar o tempo perdido”, enfatizou.



Texto:
Bruna Campos-Secom


Iasep Móvel adere ao Novembro azul no combate ao câncer de próstata
O combate ao câncer de próstata é um dos principais objetivos do programa de prevenção Iasep Móvel, que, este mês, aderiu à campanha Novembro Azul, e está intensificando as orientações dirigidas aos segurados que comparecem às consultas e exames oferecidos pelo Instituto de Assistência dos Servidores do Estado (Iasep).
“Os servidores do Iasep Móvel estão com uma camiseta especial, aderindo ao Novembro Azul, para lembrar que o programa tem esse objetivo de promover a prevenção contra o câncer de próstata”, diz o presidente do instituto, Kleber Miranda. Segundo ele, os exames urológicos do Iasep Móvel têm identificado diversos casos de próstata aumentada, “um indício da doença, que pode ser curada quando diagnosticada a tempo”.
Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), anualmente, 60 mil brasileiros são identificados com câncer de próstata. O número é superior aos casos de câncer de mama nas mulheres (que chegam a 52 mil ao ano). Além disso, 90% dos casos de câncer são curáveis e acometem um a cada seis homens no Brasil.
Nas consultas urológicas feitas no Iasep Móvel, os servidores podem fazer o exame do PSA (Antígeno Prostático Específico) e ultrassonografia de abdome total, próstata abdominal e bolsa escrotal. “Além de fazer os exames e receber os resultados na hora da consulta, o segurado recebe toda orientação do urologista sobre a importância de fazer essa prevenção periodicamente”, diz o presidente do Iasep.
O Iasep Móvel também oferece consultas e exames em oftalmologia, fonoaudiologia e odontologia básica, combatendo a cegueira, surdez e problemas bucais. Em oftalmologia, são oferecidos exames de tonometria, fundoscopia, ceratoscopia, motilidade ocular e acuidade visual. Na especialidade fonoaudiologia, são feitos testes de audiometria e das cordas vocais. Os serviços em odontologia básica são: limpeza, aplicação de flúor e extrações de tártaro.
O Iasep Móvel está de terça (12) a quinta-feira (14) na sede do Departamento Estadual de Trânsito (Detran); entre os dias 20 e 22, atende os servidores da Secretaria de Assistência Social (Seas), e de 27 a 29, os da Secretaria da Fazenda (Sefa). Os agendamentos são feitos por ordem de chegada, para qualquer segurado do plano dos servidores do Estado.

Texto:
Ettiene Angelim-IASEP


Susipe e Senac qualificam detentas com curso de unhas decoradas




Quinze internas custodiadas no Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua, região metropolitana de Belém, iniciaram na última segunda-feira (11) o curso de unhas decoradas. A iniciativa é resultado de parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe).
Durante duas semanas, as internas terão aulas sobre técnicas de decoração e desenhos artísticos em unhas. A atividade concede às internas o benefício da remição de pena, além da certificação pelo Senac. No mês de julho, o curso também foi ministrado às internas da Unidade Materno-Infantil (UMI).
Para a instrutora Waltiane Sodré, “o mercado de trabalho de estética na área de unhas artísticas é muito extenso, pois elas podem usar qualquer desenho para decoração, além do fato do material de produção ser de baixo custo e fácil de ser encontrado, possibilitando que elas trabalhem como autônomas”, declara.
Antes de ser presa, Girlane Galvão já exercia o ofício de manicure. Em 2011, ela também participou de um curso de manicure ministrado pelo Senac na unidade. “Eu já sabia trabalhar como manicure, mas decidi fazer o curso para aprender um pouco mais sobre a profissão. Agora, junto com o curso de unhas decoradas posso complementar meu trabalho, pois no futuro penso em montar um salão de beleza e ter meu próprio negócio”, diz.
Letícia Carvalho está presa há dois anos, e nunca havia trabalhado antes com estética, mas sempre teve vontade de aprender. “Estou muito interessada. Sempre gostei de aprender. Quando surge uma oportunidade aqui, aproveito. Além do benefício da remição, posso ter opções de trabalho quando voltar à sociedade”, afirma.
Segundo a diretora do CRF, Carmen Botelho, “o curso proporciona que as internas tenham uma perspectiva de trabalho após o cárcere. A atividade também permite que as detentas possam trabalhar como autônomas em casa, o que possibilita que elas também possam contribuir com a renda mensal da família”, finaliza.

Texto:
Timoteo Lopes-Susipe


Ginásio poliesportivo do Mangueirão terá estrutura para eventos culturais







O Pará deverá ganhar, em novembro de 2014, um novo e moderno espaço para atividades esportivas e culturais. O ginásio poliesportivo, que faz parte do complexo do Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, cujas obras já começaram a ser executadas, terá uma ampla e moderna infraestrutura, capaz de sediar eventos ligados ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), e também grandes acontecimentos culturais, como shows, apresentações e festivais.
De acordo com o secretário adjunto de Estado de Obras Públicas, Marcelo Nagano, o objetivo da obra é ampliar o potencial do Pará para receber eventos de âmbito nacional, uma vez que, além da capacidade para abrigar 12 mil espectadores, o ginásio contará com uma quadra preparada para diferentes modalidades esportivas; palco para espetáculos e toda a infraestrutura de apoio, como camarins, áreas destinadas exclusivamente ao acesso de autoridades e artistas, espaços de monitoramento do público, de atendimento médico e outros serviços.
“Até agora, 12% da obra estão executados. Estamos ainda na fase de escavações das fundações e testes, para verificar se a capacidade delas suporta o que foi projetado pelo engenheiro. Os resultados têm sido excelentes. Mas esse sempre é um momento mais delicado e, por isso, mais lento da obra, já que a parte estrutural é sempre a que pode ter maiores problemas no caso de necessidade de uma intervenção futura. Estamos trabalhando com todo o cuidado, seguindo todas as recomendações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). O que queremos, e vamos ter, é uma estrutura segura para a população”, garante o secretário adjunto.
O engenheiro Luiz Alberto Gomes, do consórcio de empresas que executa a obra, informa que o ginásio será todo climatizado, com uma cobertura formada por telhas termoacústicas, o que oferecerá ainda mais conforto para as pessoas. “Se formos agrupar as cerca de 660 estacas que formarão a estrutura da obra, teremos 16 quilômetros, que é a distância do bairro do Benguí até o centro de Belém. Além disso, usaremos cerca de 22 mil metros cúbicos de concreto e 92 mil metros quadrados de formas. São dados que refletem a grandiosidade dessa obra”, ressalta.
Espaço adequado - O novo cenário já está entusiasmando atletas, como a karateca Daniela Tanaka, 21 anos. Praticante do esporte desde os 06 anos de idade, e integrante da Seleção Brasileira adulta de Karatê, ela acaba de ganhar duas medalhas de ouro e 10 de bronze – nas categorias Kumitê adulto (menos de 60 kg) e Kumitê juvenil – no Circuito Internacional de Karatê, realizado na Itália e na Grécia. Com o resultado, tornou-se tricampeã na categoria adulto.
“Essa obra é de fundamental importância para nós, atletas, porque necessitamos muito de espaços adequados para competições e treinamentos, especialmente na nossa especialidade, que é a luta. Além disso, a partir da conclusão da obra, vamos poder realizar eventos ainda maiores dos que os que já estão sendo trazidos para cá”, diz a atleta, que também participou, com o apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), no ano passado, em Orlando (EUA), de competição em que também foi medalha de ouro na categoria Kumitê adulto. A campeã é atleta do Projeto Bolsa Talento, mantido pela Seel, que oferece uma bolsa mensal a atletas com bons resultados em competições.

Texto:
Elck Oliveira-Secom


Caravana Pro Paz encerra atendimento em Almeirim e segue para Prainha
A Caravana Pro Paz fez nesta terça-feira (12) o último dia de atendimento em Almeirim, no oeste paraense. O mutirão percorre, desde outubro, os 19 municípios da Região de Integração do Baixo Amazonas, ofertando, gratuitamente, serviços de saúde, entre atendimento médico em diversas especialidades, exames e distribuição de medicamentos, e documentação. Com uma população estimada em mais de 33 mil habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE), o município foi o nono da jornada.
Durante três dias, a população teve acesso a consultas médicas nas especialidades de ginecologia, cardiologia, neurologia, pediatria, reumatologia, dermatologia, urologia e clinica médica, com toda a estrutura instalada no ferry boat do projeto – apenas a triagem é feita fora do barco. Os usuários da caravana também tiveram acesso a exames como eletrocardiograma, preventivo do câncer de colo do útero (PCCU) e de próstata (PSA), além de testes rápidos de HIV, hepatite e sífilis. Somente nos dois primeiros dias, foram feitos mais de 17 mil atendimentos médicos.
Na Escola Nossa Senhora da Conceição, estiveram concentrados os serviços de cidadania. Lá, a população tirou a primeira e segunda vias das carteiras de identidade e de trabalho, da certidão de nascimento e do cadastro de pessoa física (CPF), além de receber assistência jurídica. O braçal Sebastião Santos, 55, aproveitou para retirar a segunda via da identidade, já que a primeira ele perdeu durante um naufrágio. “Já estava há mais de um ano sem esse documento”, disse.
O servidor público José Adail da Silva, 60, foi até o local com a companheira Ednalda Cardoso, 32, para reconhecer, legalmente, a filha Aline, de 11 anos. “Nunca tive dúvidas de que ela é minha filha e sempre estive junto dela, mas agora vai ser uma felicidade a mais ela passar a carregar meu sobrenome”, afirmou. Na época do nascimento de Aline, Ednalda explicou que, devido a um desentendimento entre o casal, a filha acabou sendo registrada apenas em seu nome. “No começo, não via muita necessidade de mudar, mas esse é um direito dela também”, disse.
O reconhecimento ou registro de paternidade é um dos serviços ofertados pela Defensoria Pública do Estado durante a caravana. Também são feitas retificações de documentos, emissão de documentação extemporânea, encaminhamentos para atendimentos aos órgãos competentes no próprio município (para processos mais longos, que não podem ser resolvidos na hora, devido à brevidade do atendimento) e até mesmo divórcio, no caso de um processo consensual.
Quinta-feira (14), a caravana inicia o atendimento no município de Prainha, onde permanece por dois dias. Depois segue para Monte Alegre, Alenquer, Curuá, Óbidos, Oriximiná, Terra Santa, Faro, Juruti e Santarém.

Texto:
Amanda Engelke-Secom


Aécio reafirma compromisso do PSDB com distribuição 
mais justa de receitas para Estados e Municípios

“Toda a proposta que iremos construir estará sustentada na refundação da Federação, numa repartição mais justa e mais solidária de recursos tributários com os Estados e com os Municípios”, diz Aécio durante audiência pública na Câmara dos Deputados.

Brasília, 12-11-13

Seguem principais trechos do pronunciamento do presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves
Esta é a Casa dos grandes debates, não apenas do povo. É a Casa da cidadania brasileira. Fiz questão, sabendo deste encontro de municipalistas de todo o Brasil, de vir aqui dizer umas rápidas palavras a cada uma das senhoras e dos senhores sobre uma causa que não é apenas a minha, mas é a causa dos homens de bom senso do Brasil.

Digo, e não é de hoje, que a raiz maior dos graves problemas por que passa o Brasil está na hipertrofia do Presidencialismo, do Estado Brasileiro, e na fragilização dos Municípios e dos Estados.

Estado unitário
O Brasil, na verdade, caminha para se transformar num Estado unitário. Essa é uma questão que deve ser colocada acima dos partidos políticos e das disputas eleitorais. Ou nós enfrentamos com coragem e generosidade a agenda da Federação ou nós cada vez vamos ver mais agravada a situação não apenas de prefeitos e de governantes, mas da população que vive nos Municípios.

A tradição da República brasileira, desde a sua fundação, tem sido quase que de uma sanfona: momentos de grande concentração de receitas da União interrompidos por momentos de alguma descentralização.

Ruy Barbosa, patrono do Senado Federal, dizia que era federalista antes de ser republicano, e dizia que o Império ruíra não apenas por ser império, mas por não ter a visão federalista, por não ter a visão de que um país da dimensão do Brasil precisaria ser administrado de forma descentralizada.

Histórico
Tivemos um grande período de descentralização a partir da Proclamação da República. Foram quatro décadas de distribuição mais generosa de responsabilidades com Estados e com Municípios. Vem a ditadura Vargas nos anos 30, outro momento de concentração de receita nas mãos da União para o início do processo de industrialização do País, que só é interrompido pela Constituinte de 1946, onde vivemos novo momento de descentralização. Depois, vem a ditadura a partir de 1964, outro momento de absurda concentração de responsabilidades e de recursos nas mãos da União e que é interrompido pelo processo de democratização, a partir de 1985, com a recuperação, em especial, a partir da Constituinte, na autonomia dos Estados e Municípios.

Mas o que ocorreu? Ocorreu que o ciclo hiperinflacionário levou novamente acumulação de receitas pela União. As contribuições ganharam vigor, força e foram apropriadas exclusivamente pela União e, obviamente, Imposto de Renda e IPI, que compõem o Fundo de Participação de Estado e Municípios, comparativamente, perderam forças.

Federação
O que estamos assistindo nesse ciclo e nesse momento atual do Brasil? A mais perversa concentração de receitas nas mãos da União de toda nossa história republicana. Hoje não temos Federação no Brasil. Federação é uma palavra solta numa folha de papel. E nós, não apenas do meu partido, mas o movimento que vejo aqui suprapartidário, porque agrega representantes de todas regiões e de todas tendências políticas, a necessidade de termos todos um compromisso claro e definitivo com a pauta da Federação.

PEC 39
Venho aqui como presidente nacional do PSDB dizer que estaremos firmes para votarmos a favor da PEC 39, da companheira senadora Ana Amélia, que repõe as perdas que os Municípios e os Estados tiveram com as sucessivas desonerações propostas pelo governo federal.

PEC 31
Há uma proposta de emenda constitucional de minha autoria tramitando no Congresso Nacional, tramitando no Senado, infelizmente sem o apoio da base do governo, que impede que o governo continue a fazer desonerações na parcela de receitas dos Estados e dos Municípios. Permitimos que a União possa continuar fazendo desonerações quando achar que determinado setor da economia perde competitividade, recebe determinado ataque especulativo, mas não pode mais entrar, podar e usurpar receitas dos Estados e dos Municípios.

Perdas dos municípios
Apenas no ano passado — provavelmente esses números já foram aqui cantados em verso e prova — as perdas foram de cerca de 1 bilhão e 900 milhões, quase 2 bilhões de reais apenas no ano passado; alguma coisa em torno de 8 bilhões de reais nos últimos anos.

Parlamento
Não podemos ficar apenas nessa agenda. Temos que ser mais ousados. Precisamos ter uma pauta que seja a pauta do Parlamento e é por isto que clama a sociedade brasileira: por um Parlamento altivo, que estabeleça a sua pauta e não cumpra apenas a pauta de conveniência do Poder Executivo, que, infelizmente vem orientando as ações não apenas desta Casa, mas do Senado Federal.

Saúde
Caros Prefeitos, caras Prefeitas, V.Exas. se lembrarão de que, no ano de 2002, a União contribuía com alguma coisa em torno de 56% de tudo o que se gastava em saúde pública no Brasil. Passados 10 anos do atual Governo, essa participação caiu para alguma coisa em torno de 46%. Quem complementa essa diferença? Obviamente, os Estados e, principalmente, os Municípios, pela pressão que recebem.

Segurança Pública
Segurança pública é outro drama que inclusive impacta nas atribuições dos Srs. Prefeitos e obviamente nas suas receitas, já que têm de enfrentar a epidemia do crack, já que, com a criminalidade aumentando, têm que tomar providências em várias áreas da administração pública. Hoje, no Brasil, 87% de tudo o que se gasta em segurança pública vêm dos cofres estaduais e municipais. O número é absurdo! E apenas 13% da União, que constitucionalmente responde pela segurança das nossas fronteiras, pelo tráfico de drogas e pelo tráfico de armas.

Refundação da Federação
É preciso termos um grande pacto pela refundação da Federação. Na proposta que nós colocaremos em discussão, para avaliação da sociedade brasileira, a partir do próximo ano, será a sua base.

Toda a proposta que iremos construir estará sustentada na refundação da Federação, numa repartição mais justa e mais solidária de recursos tributários com os Estados e com os Municípios.

É algo curioso, e traz uma enorme distorção, em todos os instantes que nós votamos no Congresso Nacional qualquer medida que onere o poder central, que estabeleça uma despesa nova para o poder central, o que ocorre? Temos que definir qual a receita, qual a fonte que vai suprir aquela nova despesa do governo federal. Pois bem, o governo impõe despesas novas aos municípios. E a fonte, de onde vem?

Isso é injusto, é pouco generoso e, eu diria, é pouco responsável para um país com as dimensões do Brasil, com mais de 5.500 Municípios que precisam de um tratamento mais digno, de um tratamento mais respeitoso.

PSDB
A minha presença aqui hoje tem o objetivo de trazer para vocês, de público, o compromisso de que para nós, do PSDB, fortalecer os Municípios e os Estados, é fortalecer a cidadania, é resgatar a capacidade dos senhores enfrentarem as demandas da saúde, da segurança pública e da educação.

Chega de enrolação! O Brasil quer respostas claras e os senhores estão fazendo o que tem de fazer. Pressionem esta Casa para que a causa municipalista deixe de ser apenas uma carta de intenções e seja realidade na vida dos brasileiros!.


Show Terruá Pará inicia temporada em São Paulo
O que há de mais novo, original e relevante na música paraense, num espetáculo que propõe encontros inusitados entre várias gerações de artistas: é este o charme das apresentações que o show Terruá Pará mostrará em São Paulo, nos dias 13 e 14 de novembro. De volta a São Paulo, o espetáculo leva, desta vez, mais de 50 artistas ao palco do Teatro das Artes, no Shopping Eldorado, em Pinheiros, sempre às 21 horas. São nomes consagrados como os de Nazaré Pereira, Salomão Habib e Mestre Damasceno, ao lado da novíssima safra, representada por Strobo, Gang do Eletro e Felipe Cordeiro, entre outros.
Mais colorida, diversificada e ousada, a terceira edição do Terruá Pará reúne todas as sonoridades, batidas, estilos e cores do Pará. Nesta edição o espetáculo homenageia o maestro Waldemar Henrique e se firma como o mais importante evento da música produzida no estado. Os artistas cumprem, desde segunda-feira, 11, uma agenda de rituais preparatórios para o grande show, entre eles o ensaio geral, a passagem de som e as entrevistas a emissoras locais e nacionais. Em Belém, no dia 1º de novembro, o show reuniu centenas de pessoas. 
Nazaré Pereira, que participa pela primeira vez do show, considera um prazer dividir o palco com os cantores da terra. “São cantores, conterrâneos e amigos que trazem a cultura que eu sempre levo. É um prazer enorme e eu estou felicíssima”, disse ela. E confessou estar com um "friozinho na barriga" por conta da estreia em São Paulo. “Eu sempre sinto, mas tenho certeza absoluta de que o show vai ser genial”, acrescentou.
A Gang do Eletro, o electromelody que saiu de Belém, conquistou o Brasil e promete não deixar ninguém parado, também é uma das atrações. O produtor da banda DJ Waldo Squash, um dos responsáveis pela criação do ritmo e por sua propagação, diz que a expectativa é grande: "Tocar ao lado de grandes amigos é melhor ainda. Tenho certeza que vai ser um grande sucesso, assim como foram os outros terruás", vaticinou. Para ele, o bom da música paraense é que a cada ano as coisas vão se renovando, com muita gente fazendo experiências com sons que saem do Pará. "Eu acredito que quem vier ver o espetáculo vai ver muita coisa moderna e misturada com a tradição”, explicou
Músico, produtor e maestro, Manoel Cordeiro também é uma das atrações do Terruá, Com mais de 40 anos de carreira, ele também acha que o show mostra mais uma vez a São Paulo o que há de melhor na música paraense. “Estamos trazendo o que há de melhor na música do Pará em todas as suas vertentes e isso faz com que o Terruá ganhe muita força, justamente por contemplar todos os segmentos da Música Popular Brasileira feita no Pará", elogiou. A expectativa de Cordeiro é que o público goste, assim como nos outros anos, de uma seleção e de um show agradáveis e competentes.
Este ano participam do Terruá Pará Adamor do Bandolim, Adelbert Carneiro, Arthur Espíndola, Camila Honda, Dan Bordallo, Davi Amorim, Edvaldo Cavalcante, Felipe Cordeiro, Gang do Eletro, Jade Guilhon, Jaloo, João Lemos (Molho Negro), Juca Culatra, Junior Soares (Arraial do Pavulagem), Luê, Luiz Pardal, Trio Manari, Manoel Cordeiro, Marcel Barretto, Marco André, Mestre Damasceno, Nanna Reis, Natália Matos, Nazaré Pereira, Orquestra de Violoncelistas da Amazônia, Pim, Pio Lobato, Príamo Brandão, Rafael Lima, Renan Sanches (ARK), Ronaldo Silva (Arraial do Pavulagem), Salomão Habib, Sammliz, Strobo, Toni Soares,Toninho Nascimento e Zebrabeat.
Serviço – Show Terruá Pará 2013. No Teatro das Artes, no Shopping Eldorado, em Pinheiros, São Paulo. Quarta-feira, 13, e quinta-feira, 14 de novembro, sempre às 21 horas. Os ingressos estão sendo vendidos no local e custam R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia).


Texto:
Antenor Filho-Secom


Polícia Civil desarticula quadrilha que fraudava cartões de banco em vários estados
A Polícia Civil desarticulou um esquema criminoso, nesta terça-feira, 12, com as prisões de oito pessoas integrantes de uma quadrilha especializada na clonagem de cartões eletrônicos por meio de golpes a clientes bancários que utilizam caixas eletrônicos para fazer movimentações financeiras nas contas. Integrantes do bando conseguiam trocar os cartões das vítimas e obter as senhas, para fazer compras e saques. Estima-se que o golpe tenha sido aplicado em diversas cidades das regiões Norte e Nordeste do Brasil, e também do interior de São Paulo, deixando prejuízos superiores a R$ 400 mil. As prisões, ocorridas em Belém, resultam do cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão domiciliar.
Foram presos Edmilson dos Passos Peniche, de apelido “Baiano”; Samuel Lucas de Sousa; Igor Fagner dos Santos Machado; Carlos André Carvalho de Aquino, conhecido por  “Gago”; Rosemary Brito Barroso Machado, conhecida como “Meire”, esposa de Igor; Rozana Kelly Brito Barroso, ex-esposa de “Bodó” e irmã de Rosemary; Márcio Antônio Oliveira de Freitas e Quilder José Albuquerque Valadário, de apelido “Curió”. As equipes policiais saíram ainda de madrugada da sede da Delegacia Geral para dar cumprimento às ordens judiciais, sob comando do diretor de Polícia Especializada, delegado João Bosco Rodrigues, e coordenação dos delegados Beatriz Silveira e Samuelson Igaki, da DPRCT (Divisão de Prevenção e Repressão a Crimes Tecnológicos).
Os acusados foram presos em suas casas, nos bairros da Cidade Nova e Icuí-Guajará, em Ananindeua, Guamá e Marambaia, na capital paraense. As investigações sobre a ação da quadrilha iniciaram há três meses, mas, pelos levantamentos feitos pela equipe da DPRCT a quadrilha vinha agiando há pelo menos um ano. Conforme o delegado Samuelson Igaki, a investigação iniciou a partir do registro de um Boletim de Ocorrência por um servidor público estadual que teve o cartão de crédito trocado por um rapaz, enquanto acessava um caixa eletrônico.
Durante as investigações, os policiais civis descobriram que o rapaz integrava a quadrilha responsável por diversos saques, transferências bancárias e compras. Só na conta da vítima foram movimentados cerca de R$ 20 mil. “Constatamos que se trata de uma quadrilha que age subtraindo valores depositados em contas correntes de instituições bancárias, com aquisições fraudulentas de cartões de crédito, troca e também clonagem destes cartões, que são predominantemente pertencentes a idosos”, explica. A vítima informou, no BO, que a troca do cartão ocorreu no momento em que realizava uma transação bancária, no caixa eletrônico. O servidor público relatou que, no momento em que acessava a máquina, no caixa eletrônico ao lado havia um homem que parecia também acessar o equipamento.
Em determinado momento, o telefone celular da vítima tocou, o que a fez se distrair. Nesse momento, conta o servidor público, o homem fez rapidamente a troca dos cartões. Com o cartão trocado, a vítima tentou realizar a transação bancária, mas o caixa eletrônico recusou o cartão, o que levou a vítima a pensar que se tratava de um problema no banco. Assim, o servidor público desistiu de fazer o saque e deixou o local, para tentar fazer um novo saque mais tarde.
Após algum tempo, a vítima foi surpreendida com uma notificação bancária, acusando que o cartão havia sido usado em várias transferências de dinheiro para outras contas, transações comerciais em valores altos e compras diversas. “Apuramos que, entre as diversas compras efetuadas pela quadrilha, estão computadores, televisores, tablets, celulares, motocicletas, roupas e peças de vestuário, que depois seriam revendidos a preços abaixo do mercado”, detalha o policial civil. Durante as investigações, envolvidos no esquema foram identificados. “Alguns deles já eram conhecidos por participação em práticas criminosas desse tipo. Muitas dessas pessoas já foram presas em outras ocasiões pela Polícia Civil”, explica. Entre os envolvidos nos crimes está Ricardo Ferreira Lima, de apelido “Bodó”, que está foragido.
A quadrilha tinha como modus operandi a abordagem de pessoas, principalmente idosos, nas filas de caixas eletrônicos. Os criminosos se ofereciam para ajudá-las no acesso ao caixa eletrônico, justamente para fazer a troca dos cartões bancários. Depois, desbloqueavam os cartões e os utilizavam para fazer pagamentos por boletos bancários. Aos finais de semana, a quadrilha costumava viajar para outros estados, onde também praticavam os mesmos golpes, como forma de não serem reconhecidos por moradores da cidade e nem pelas câmeras de segurança.
Após obter os cartões das vítimas, os membros da quadrilha cloanavam (copiavam os dados) os cartões bancários, geralmente no próprio hotel da cidade em que se hospedavam. Para isso, utilizavam-se de um computador e um aparelho leitor de trilha magnética (“Card Skimming”), popularmente conhecido como "chupa-cabra". Os equipamentos eletrônicos eram acionados por meio de um programa de um software conhecido como “Mini 123”, que grava os dados em um cartão virgem sem chip, que depois era usado para efetuar os saques, transferências e pagamento de boletos bancários.
A DPCRT também identificou, durante as investigações, que a quadrilha agia em municípios do sul e sudeste do Pará, bem como em outros estados das regiões Norte e Nordeste, preferencialmente nas cidades de Manaus, Macapá, São Luiz, Teresina, Ceará, Aracaju, Natal e Recife. Também há registros de ações da quadrilha nas cidades de São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e Campinas, no interior paulista, e em Teresópolis, no Rio.
Apesar da complexidade da atuação da quadrilha, foi possível apontar qual a atuação de cada um dos envolvidos com o bando. Edmilson Peniche, de apelido “Baiano, era quem chegava cedo às filas de caixas eletrônicos com objetivo de escolher as vítimas, preferenciamente os idosos, que iam sacar o dinheiro de suas aposentadorias. Era nessa ocasião que trocavam os cartões bancários por outros já usados. A quadrilha contava com mulheres, que também se ofereciam para ajudar as vítimas. Cabia também a ele fazer o desbloqueio dos cartões, com uso de equipamento de leitura e gravação de trilhas.
O outro envolvido com o bando, Samuel Lucas de Sousa, é especialista em “chupa-cabras” e no software “mini 123”. Ele conseguia alterar as trilhas e desbloqueá-las, para, em seguida, poder efetuar compras em lojas de departamentos. Por diversas vezes, ele convidou “Baiano” e “Gago” para aplicar o golpe nos caixas eletrônicos. Os três já cometeram o mesmo crime em cidades do Brasil, como São Luís (MA), Teresópolis (RJ) e Recife (PE), entre outras. Igor Fagner dos Santos Machado, outro especialista no “Card Skimming”, também agia no aliciamento de pessoas (laranjas) para obter contas correntes emprestadas para as transferências ilegais de dinheiro.
O preso Carlos André, de apelido “Gago”, atuava junto a "Bodó” e “Baiano” na abordagem às vítimas, a fim de realizar a troca de cartões. Já Rosemary Machado, junto com a irmã, Rozana, eram responsáveis por fazer saques das contas das vítimas em caixas eletrônicos localizados, geralmente, em postos de gasolina. Quilder Valadário era responsável pelo pagamento de boletos, desbloqueio de cartões de outras pessoas, compras e saques, e ainda por conseguir contas correntes de outras pessoas para receber valores em dinheiro adquiridos com a fraude. Ele oferecia um percentual em dinheiro ao dono da conta recebedora do valor desviado.
O oitavo preso, Márcio Freitas, também agia na abordagem aos clientes de bancos e viajava regularmente para o interior do Pará e outros Estados a fim de adquirir os cartões eletrônicos. As investigações continuam para localizar e prender os demais envolvidos com a quadrilha. Após o final da operação, os presos foram ouvidos em depoimento, na sede da Delegacia Geral, e transferidos, ao final da manhã, para unidades do Sistema Penitenciário do Pará. Eles irão responder por furto mediante fraude, estelionato, formação de quadrilha e falsificação de cartão de crédito, todos crimes previstos no Código Penal.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil


Segurança do paciente é debatida na Santa Casa
A implementação do programa nacional de segurança do paciente foi o principal tema debatido, nesta terça-feira, 12, na Santa Casa, em um seminário que contou com a participação de médicos, enfermeiros, psicólogos, além de outros profissionais e estudantes da área da saúde. A ideia é discutir a prática e realização de seis protocolos, lançados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por meio da Resolução da Diretoria Colegiada Número 36, de julho de 2013, que visa acrescentar qualidade no tratamento do usuário.
Encarregado de apresentar o núcleo e plano de segurança do paciente da Santa Casa, o enfermeiro Edilson Calandrine, da assessoria de risco, explicou o que já é uma norma entre os servidores da instituição. "A Santa Casa, como hospital sentinela, já monitora os eventos adversos que acontecem na assistência, envolvendo equipamentos, materiais e o trabalho médico", garantiu. "E também já notifica a Anvisa, assim como faz a parte da educação continuada e correção destes processos".
O protocolo de segurança do paciente envolve seis medidas básicas: identificar corretamente o paciente; melhorar a comunicação entre os profissionais da saúde; melhorar a segurança na prescrição, no uso e administração de medicamentos; assegurar cirurgia em local de intervenção, procedimento e paciente corretos; higienizar as mãos para evitar infecções e reduzir o risco de queda e úlceras por pressão. 
Edilson afirmou que a estrutura moderna e funcional do novo hospital do complexo, a Unidade Materno Infantil Dr. Almir Gabriel, possibilitará a implantação de medidas estratégicas. "A nova Santa Casa, por ser um prédio construído dentro do que é exigido pelo padrão de qualidade, oferece a estrutura física para que possamos implantar os protocolos, o que facilita o nosso trabalho".
Valdirene Miranda, enfermeira e fiscal da Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde do município de Belém (Sesma), foi uma das palestrantes que discutiu o tema sob a ótica de um novo olhar no atendimento.  "A segurança do paciente é um tema presente por conta da aliança mundial que foi feita entre a Organização Mundial da Saúde e todos os países membros. Este acordo traz um novo modelo de assistência e cuidado com o paciente, com os medicamentos", disse. 
A mesa de abertura do evento contou com a presença da presidente da maior maternidade pública do Brasil, Ana Conceição Matos Pessoa. A médica frisou que a Santa Casa está aberta a discussões para aumentar o nível de segurança dos usuários.


Texto:
Nilson Cortinhas-Santa Casa


Filme mudo com o ator paraense Syn de Conde é atração do Olympia
Excepcionalmente esta semana, o projeto Cinema e Música será apresentado nesta quarta-feira, 13, e não na segunda terça-feira do mês, como tem ocorrido desde o início das exibições. A sessão de cinema com acompanhamento musical exibirá o filme “A garota que ficou em casa", uma produção norte-americana de 1919. O filme tem direção de David Griffith, um dos mais importantes diretores do início da história do cinema, e roteiro de Stanner E. V. Taylor e Griffith. O elenco traz uma surpresa para a história do cinema no Pará. Além de Carol Dempster, Adolph Lestina e Francês Park, a produção tem um dos papéis vividos pelo ator paraense Syn de Conde.
‘A garota que ficou em casa’ é um filme mudo pouco conhecido do grande público. Conta a história de um veterano sulista que ao fim da Guerra Civil se refugia na França usando sempre a bandeira confederada. A neta mora com ele e acaba se interessando por dois irmãos engajados no exército para lutar na I Guerra Mundial. O patriarca é contra a participação americana na guerra, e na ausência dos irmãos admirados pela neta, aceita que ela reconheça a estima de um conde francês.
A sessão de cinema terá acompanhamento musical do pianista Paulo José Campos de Melo. O projeto Cinema e Música é fruto de uma parceria entre a Fundação Carlos Gomes e a Fundação Cultural de Belém (Fumbel) e tem apoio da Associação de Críticos de Cinema do Pará (ACCPA).
Serviço: ‘A Garota que ficou em casa’. Sessão de cinema com acompanhamento musical do pianista Paulo José Campos de Melo. Dia 13 de novembro, às 18h30, no Cine Olympia. Entrada franca.

Texto:
Rosa Cardoso-FCG


Campanhas externas prosseguem para restaurar estoque de sangue
A Gerência de Captação de Doadores (Gecad) comemora o saldo positivo que as campanhas externas da Fundação Hemopa tem apresentado, desde o início deste mês, em parceria com várias instituições. Essas ações ajudam a suprir o estoque técnico do hemocentro, que sofreu redução de até 50% no volume de doações.
A programação começou nos dias 5 e 6, em parceria com o shopping Castanheira, totalizando 248 coletas de sangue. No dia 8, a unidade móvel do hemocentro voltou à Avenida Presidente Vargas, no centro de Belém, somando mais 74 bolsas. No dia 9, com o apoio da Igreja Adventista do 7º Dia de Marituba, foram coletadas mais 208 bolsas de sangue e efetuados 35 cadastros de doação de medula óssea. No mesmo dia, a Igreja Adventista de Ananindeua encaminhou voluntários à sede do hemocentro, onde foram efetivadas 137 doações, a que se somaram mais 50 coletas feitas junto a um grupo de voluntários do grupo “Ativistas pela Paz”.
A titular da Gecad, assistente social Juciara Farias, parabenizou a iniciativa de responsabilidade social dessas instituições e aproveitou para convocar a população a também contribuir com as campanhas. "As mobilizações em favor da vida beneficiam diretamente nossos usuários, assim como milhares de pacientes que precisam de transfusões de sangue todos os dias nos hospitais da rede pública abastecidos pelo hemocentro”, comentou.
A programação das campanhas externas da Fundação Hemopa prossegue nesta quarta-feira, 13, das 8 às 16 h, com ação na Escola Madre Celeste, no Distrito de Icoaraci. No dia 14, será realizada campanha com apoio da Escola Madre Celeste, da Cidade Nova VIII, na Estrada da Providência, em Ananindeua, das 8h às 15h.
As coletas externas da unidade móvel continuam no dia 19, na Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), localizada na Avenida Perimetral, das 8 às 16h; e no dia 20, no Hospital Divina Providência, localizado à Rua Dom Aristides, das 8h às 16h. No dia 22, também em parceria com a Igreja Adventista do 7º Dia, a ação acontece no município de Benevides (Região Metropolitana de Belém), das 8h às 16h, e no dia 23, na sede da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), das 8h às 14h.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e funciona para coleta de sangue de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo fone 0800 280 8118.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa


Consulta pública debate DST's, aids e hepatites virais no Norte
O Ministério da Saúde iniciou nesta terça-feira, 12, em Belém, uma consulta à sociedade civil com o objetivo de debater as próximas articulações de prevenção e tratamento das DST's, aids e hepatites virais na região Norte. Ponto de partida para os debates, o novo protocolo de atendimento lançado pelo governo federal em 15 de outubro deste ano quer ampliar o tratamento contra a aids para todos os soropositivos, seja qual for o estágio da doença, com expectativa de expansão para mais de 100 mil pacientes.
O esforço para integrar a atenção básica nas discussões, forçou também a inclusão na pauta de articulações de aconselhamento voltadas para as chamadas populações mais expostas, a exemplo dos homens que fazem sexo com homens (HSH), gays, profissionais do sexo, travestis, mulheres transexuais, usuários de drogas, pessoas privadas de liberdade e pessoas em situação de rua.
O evento acontece até esta quarta, 13, no salão Karajás do Hilton Hotel, com representantes da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), das secretarias de Saúde dos demais Estados da região, além dos municípios e Organizações Não Governamentais. O primeiro dia foi reservado às questões relativas às DST's e aids. Já as ações para as hepatites virais serão foco de discussões nesta quarta-feira.
O diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita, atua como condutor e facilitador da consulta pública. Ele explica que o evento representa uma oportunidade de debater com representantes da sociedade as mais recentes evidências científicas e condutas para a prevenção, observando as realidades regionais e favorecndo ações de prevenção e testagem. “De forma técnica, estamos discutindo a implantação de novos protocolos de tratamento para substituir antigos consensos, a partir de sugestões vindas por diferentes setores da sociedade”, explicou. Consultor da área técnica de Saúde no Sistema Prisional do Ministério da Saúde, Francisco Job Neto tem a missão de incentivar o debate sobre estratégias de saúde pública contra a transmissão das DSTs nos sistemas prisionais.
Dados - As estatísticas no Pará confirmam que, em 2009, 432 pacientes de aids morreram em consequência da doença. Em 2010, o total de óbitos aumentou para 489 e, em 2011, chegou a 513 mortes. Em relação a número de casos, a população masculina ainda é mais vulnerável: em 2011 foram 500 homens com casos notificados, contra 343 mulheres – uma diferença  de quase 36%. Pessoas entre 20 e 59 anos estão no topo da faixa etária de infectados. 
Os dados confirmam que em, 2011, 1.504 pessoas foram diagnosticadas positivamente com o vírus HIV no Pará, sendo 907 homens e 597 mulheres. No ano passado, esse número foi de 1.270, dos quais 761 do sexo masculino e 509 do sexo feminino. A coordenadora estadual de DST/Aids, Deborah Crespo, alerta que 13 municípios não registram sequer um caso de Aids há seis anos – o que configura subnotificação e ausência de busca ativa e articulação para a prevenção. Entre os municípios, Belém lidera, com 1.500 casos, as notificações realizadas entre 2006 e 2011. Estatísticas recentes mostram que mais de 4.800 pessoas com HIV estão em tratamento, das quais cerca de 140 já iniciaram a medicação somente neste ano de 2013, entre gestantes, crianças, parturientes, recém-nascidos e demais pessoas que contraíram a doença através de exposições ocupacionais ou não.
Outro fato preocupante, exposto pelo secretário de Estado de Saúde Pública, Hélio Franco, é a sífilis congênita, doença que pode ser evitada ainda no pré-natal, quando a mulher gestante infectada tem a oportunidade de fazer um tratamento que custa apenas R$ 15, evitando que a criança nasça com a doença e fique internada numa UTI Neonatal por 10 dias recebendo um tratamento que custa R$ 1.500,00 por dia. “Daí a importância de as equipes da Atenção Primária estarem preparadas para atender e orientar as mulheres gestantes”, aconselhou.
De acordo com o Boletim Epidemiológico Sífilis 2012, do Ministério da Saúde, o Pará registrou 986 casos de sífilis em gestantes em 2011 e 465 casos de janeiro a junho de 2012. No que tange à sífilis congênita em menores de um ano de idade, o Estado notificou 436 casos em 2011 e 190 casos de janeiro a junho de 2012. Ao todo, já são 81.059 casos de transmissão vertical da doença entre 1998 a junho de 2012.   
Para o tratamento dos portadores do HIV no Pará estão disponíveis 57 Centros de Testagem e Acolhimento (CTAs), sendo sete na Região Metropolitana de Belém e outros 50 nos municípios. Para casos que demandam internação, o Estado dispõe de 78 leitos, sendo 38 na capital – dos quais 28 leitos são disponibilizados pelo Hospital Universitário João de Barros Barreto, o único em referência no tratamento de HIV-aids no Pará. Há leitos públicos no Hospital de Clínicas Gaspar Viana e na Fundação Santa Casa de Misericórdia. Nos demais municípios, os leitos do SUS estão disponíveis em diferentes hospitais nas cidades de Alenquer, Altamira, Ananindeua, Aurora do Pará, Barcarena, Bragança, Breves, Castanhal, Marabá, Marituba, Novo Progresso, Redenção, Santarém e Tucuruí. 
Estão disponibilizados, na página do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais (www.aids.gov.br), materiais que subsidiam a consulta pública, como vídeo de apresentação da situação atual da epidemia DST/aids e das hepatites virais e as prioridades do departamento, além de materiais de referência e um Instrumento com os principais pontos a serem discutidos presencialmente. Um novo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, com dados atualizazdos sobre as referidas doenças, será divulgado antes do Dia Mundial de Combate de Luta contra a Aids, que acontece a cada primeiro de dezembro.


Texto:
Mozart Lira-Sespa


Oficina de Lutheria da Fundação Curro Velho colhe bons resultados
“Conheci o trabalho do Curro Velho em setembro de 2011, na Feira da Beira. Durante a programação anunciaram que fariam uma oficina de iniciação à Lutheria, foi quando comecei a lidar com instrumentos. Sempre tive admiração por essa arte, mas nunca tive a oportunidade de fazer devido à falta de tempo. Aqui consegui unir o útil ao agradável, e a partir dessa oficina passei a realmente a investir nessa área”, conta o aposentado Armando Soares, 63, um dos primeiros alunos das oficinas de lutheria na Fundação Curro Velho.
A Lutheria foi montada há três anos nos espaços do Núcleo de Prática de Ofícios e Produção e propõe-se a iniciar os alunos na confecção e reparo de instrumentos musicais de corda, como violão, cavaquinho, bandolim. Foram produzidos cerca de 15 instrumentos de corda, entre violões e cavacos, e restaurados outros 30. A Fundação Curro Velho recebe doações de instrumentos musicais de corda que são direcionados para a oficina de Lutheria. O curso tem revelado muitos talentos nessa arte, um deles é o aposentado Armando, que junto com o colega de oficina, Alexandre Brito, pretende implantar, até o final deste ano, uma Lutheria para entrar no mercado e gerar emprego e renda.
Armando conta como teve a ideia de criar sua própria oficina. "No início surgiu a proposta de criarmos uma associação ou cooperativa para englobar todos os profissionais, mas essa ideia perdeu fôlego. Agora, eu e o Alexandre começamos a amadurecer alguns planos, pois ele precisa muito da renda, e eu admiro muito essa arte, por esse motivo tomamos a iniciativa de procurar um espaço. Já temos algum maquinário e uma estrutura que nos permite dar inicio ao projeto ainda esse mês”, explica o aposentado, que tem planos de agregar outros colegas à iniciativa.
Alexandre de Brito, 32 anos, topou junto com Armando criar a Lutheria de intrumentos de corda. Morador do bairro da Marambaia, ele trabalha como motorista e conheceu a fundação por meio da divulgação em jornal. Das opções ofertadas, a lutheria foi a que mais lhe chamou a atenção. “Sempre tive a curiosidade de saber o processo de produção de instrumentos, e por meio de uma nota no jornal soube da oficina de Lutheria, fiz a seleção e passei. Depois de muita conversa, surgiu essa ideia de criar uma oficina junto com meu parceiro, Armando, para dar continuidade ao trabalho, vender para fora, e suprir um espaço que quase não tem”, diz o motorista.
"O objetivo do curso é justamente criar profissionais para atuar na área. A iniciativa deles é muito boa, até porque precisamos de mais profissionais nesse ramo, e o processo de construção de um espaço como esses é longo. A demanda é muito grande, eu tenho 18 anos de mercado e não consigo atender todos os pedidos que recebo, então acho muito boa a ideia de eles começarem seu próprio negócio de lutheria, afinal como dizia meu antigo professor ’tem comida pra todos’”, ressalta o instrutor da oficina de lutheria Paulo Matheus, ao falar de seus alunos.
O gerente de música da Fundação Curro Velho, Paulo Moura, fala sobre o processo da oficina de Lutheria. “Estamos cumprindo nosso papel na formação dos alunos, e estamos com a pespectivas que em 2014 possamos abrir novas turmas de incicação, enquanto essa turma agora vai sair diplomada, porque farão uma espécie de prova, onde contruirão dois instrumentos cada. E pra mim é satisfatório isso, a função do núcleo de produção, não é apenas produzir, na verdade é ensinar ao profissional a ter suas atividades, a criar seu próprio trabalho”, comemora Paulo Moura.

Texto:
Andreza Gomes-FCV


Emater promove Festival do Cacau em Anapu
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) realiza no próximo dia 30 de novembro, na comunidade de Bom Jesus, em Anapu, município da região da Transamazônica, o I Festival do Cacau. O objetivo do evento é divulgar a potencialidade da cadeia produtiva do fruto. Durante a programação será promovido um torneio de quebra de cacau.  


HOL qualifica os trabalhos da residência multiprofissional
Certificado como Hospital de Ensino e Pesquisa, o Ophir Loyola é um campo de especialização e contribui para a formação dos profissionais na área de saúde. Nesta quarta-feira, 13, a instituição promove a Qualificação dos Trabalhos de Conclusão da Residência Multiprofissional em Oncologia / Cuidados Paliativos, de 8h as 18h, no auditório Luiz Geolás. Os programas de residência constituem a modalidade de ensino de pós-graduação, caracterizada por treinamento em serviço, em regime de tempo integral e dedicação exclusiva, segundo as normas e resoluções do Ministério da Saúde.


Secti promove capacitação gratuita para gerenciamento de incubadoras
Um curso gratuito de “Planejamento e gerenciamento de incubadoras de empresas” será ofertado em Marabá, no período de 25 a 27 deste mês, pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), a dirigentes, técnicos e docentes interessados em implantar incubadoras no estado. A capacitação objetiva a qualidade dos programas de incubação de empresas no Pará, com base no conceito geral de uma incubadora - empresas com ideias inovadoras dentro de um ambiente propício para o crescimento de seus negócios. A incubadora agrega diversas vantagens no processo de implantação e consolidação de empresas iniciantes. 

Com vagas limitadas, as inscrições podem ser feitas até o dia 20 deste mês, por meio do envio da ficha de inscrição para o e-mail sicom@maraba.pa.gov.br. Fruto de uma parceria com o Sistema Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e com a Secretaria Municipal de Mineração, Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia (Sicom-Marabá), o evento acontecerá no Hotel Itacaiúnas, sempre das 8 às 19 horas, e todos os participantes receberão certificado.  

O responsável pela capacitação será o colaborador da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Carlos Negrão Bizzotto. A associação reúne cerca de 280 associados, entre incubadoras de empresas, parques tecnológicos, instituições de ensino e pesquisa, órgãos públicos e outras entidades ligadas ao empreendedorismo e à inovação, atuando por meio da promoção de atividades de capacitação, articulação de políticas públicas, geração e disseminação de conhecimentos.

Serviço - Curso “Planejamento e gerenciamento de incubadoras de empresas”.
De 25 a 27 de novembro, em Marabá (Hotel Itacaiúnas - Folha 30, Quadra 14, Lote 01 – Nova Marabá). 
Inscrições pelo e-mail sicom@maraba.pa.gov.br, a partir do envio da ficha de inscrição: http://www.secti.pa.gov.br/sites/default/files/fichamarabá.doc
Mais informações pelos telefones: (91) 4009-2536 ou (94) 8102-4397


Texto:
Igor de Souza-Secti


Identidade regional e novos estilos encerram o 7º Amazônia Fashion Week
A moda paraense vem conquistando nos últimos tempos cada vez mais consumidores e revelando o talento de novos criadores. Uma clara demonstração desse avanço foi o sucesso do Amazônia Fashion Week (AFW), cuja sétima edição foi encerrada na noite de sábado (09), com um desfile no anfiteatro Coliseu das Artes, no Espaço São José Liberto, onde também aconteceu uma feira de moda e artesanato.
Com o tema “Moda em Ação”, o evento é uma realização da Associação de Costureiras e Artesãs da Amazônia (Costamazônia), com patrocínio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Governo do Pará, Faculdade Estácio do Pará (FAP) e outras instituições.
Segundo Felícia Assmar Maia, coordenadora do Curso de Moda da FAP e responsável pela realização do AFW, a escolha do São José Liberto como um dos palcos do evento é estratégica, não só pelo local ser referência no trabalho com segmentos da economia criativa, como artesanato, moda e joalheria, mas também porque promove o mercado da moda dentro e fora do Estado.
A parceria com Espaço São José Liberto, mantido pelo governo do por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom) e do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), tem se fortalecido a cada versão do encontro, considerado a maior vitrine de moda da Região Norte.
Ao apoiar iniciativas desta natureza, destacou Rosa Helena Neves, diretora executiva do espaço, o governo possibilita a divulgação, promoção e comercialização de produtos gerados por empreendedores locais.
Entre as atrações do encerramento do Amazônia Fashion Week estavam as criações de novos produtores. A passarela também abriu espaço para donos de grifes e pessoas que tiveram contato com o design de moda na preparação da coleção “Geração 70”.
Estilo hippie - Um dos momentos mais aplaudidos da noite foi o lançamento da coleção inspirada no estilo hippie. O desfile foi aberto com o resultado do projeto desenvolvido por alunos do Curso de Design de Moda da FAP, em parceria com a Associação do Voluntariado de Apoio à Oncologia (AVAO) e as estilistas Enilda Carriço e Elys Cunha, da Costamazônia.
Os figurinos, criados a partir de retalhos e de material de reciclagem, foram criados por 15 mulheres em tratamento contra o câncer, dentre elas Carmita Rodrigues, Maria Ângela Tavares e Vera Lúcia Barbosa, artesãs que participaram, pela primeira vez, de um desfile de moda.
Para Carmita Rodrigues, que também cria bijuterias, a experiência foi muito gratificante. “A gente vai aprendendo com as professoras para poder chegar até onde chegamos”, disse Vera Lúcia, criadora do vestido de noiva e do buquê reciclado. “A gente não tinha experiência nenhuma. As professoras ensinavam e a gente ia criando a ideia. Costuramos tudo sob medida”, completou Maria Ângela.
A aposentada Maria da Ascenção aprovou os figurinos do desfile. “Estavam lindos, com caimento e acabamento. Dou muito valor a esse trabalho. Precisamos de mais costureiras assim, porque não estamos mais encontrando essas profissionais na cidade. E as modelos mostram como temos pessoas bonitas na nossa terra”, enfatizou.
Terapia – O resultado do trabalho da AVAO também foi conferido em alguns dos 14 estandes montados no local, para comercialização de produtos da Costamazônia e de universitários da FAP. Dorotéia Goulart, voluntária e coordenadora das oficinas de artesanato da AVAO, contou que o trabalho faz parte das atividades de terapia ocupacional, e que o dinheiro das vendas fica integralmente com as mulheres atendidas.
Bijuterias, almofadas e guardanapos bordados foram algumas das peças criadas pela artesã Maria do Nascimento para a feira. “Eu sabia fazer alguma coisa de artesanato, mas aprendi muito mais na AVAO, que é como a nossa família”, disse.
Ana Lúcia Everdosa, artesã da Costamazônia, disse que considera o AFW um espaço importante para divulgar seu trabalho - biojoias feitas com matéria prima diversificada, como resina, escamas de peixe e sementes.    
Identidade – Natureza, cultura e tradição inspiraram estilistas como Fábio Purificação, criador da coleção masculina “Toró”, inspirada na tradicional chuva da tarde de Belém, com base na camisaria e no streetwar moderno. Segundo ele, os “recortes e detalhes dos figurinos fazem a diferença para homens arrojados, que apreciam o novo, mas sem deixar de lado um bom acabamento”.
As universitárias Bianca Lopes e Camila Catane, da nova geração de criadores paraenses, também buscaram inspiração na riqueza e nos costumes da região amazônica para criar a coleção, que une a técnica centenária de curtimento do couro bubalino do Arquipélago do Marajó a elementos estéticos da moda “oitentista” - conhecida como década perdida. As cores usadas foram preto, cinza e diversas tonalidades de azul.
Pela terceira vez participando do Amazônia Fashion Week, Helena Bezerra e Waldirene Ferreira, empresárias e universitárias do 4º semestre do Curso de Moda da FAP, lançaram a coleção “The New Purse” (a nova bolsa), composta por oito bolsas de couro, com três estampas diferentes e exclusivas.
“São bolsas mais descoladas e com estampas exclusivas pintadas à mão, resultado de uma oficina de estamparia em sublimação (técnica de estamparia que se aplica no tecido) promovida pela FAP, em homenagem aos 400 Anos de Belém”, conta Waldirene Ferreira. Para Helena Bezerra, integrante do Programa Polo Joalheiro do Pará, o AFW é “um evento único em Belém e representa a grande vitrine da moda paraense”.
Feras soltas - No desfile também foi lançada a coleção “Solte suas feras”, que reúne 15 carteiras e ecobags criadas por Silvia Valente, aluna da pós-graduação em Gestão de Produção de Vestuário de Moda da FAP. As peças seguem uma tendência que, segundo Silvia, vai e volta: a da estampa “animal print”. “Pensando nas nossas guerras diárias é que idealizamos essa coleção. É um convite para vencer essa luta contra todo tipo de preconceito, desânimo e falta de perspectiva”, reiterou.
Formas que vão do reto ao assimétrico, saias longas, pantalonas, frente única, transparência, blusas com cintura marcada, cores fortes e vibrantes, preto e branco, além de aplicações com pedrarias para “dar um ar mais fashion e sofisticado” são propostas da coleção “Guerreira Urbana Fashion”, criada e confeccionada pelas universitárias Michelle Rodrigues e Roseli Coelho. Segundo elas, os figurinos foram pensados para a mulher que assume várias funções, gosta de se vestir bem e conhece as últimas tendências da moda.
Encerrando a programação da sétima edição da Amazônia Fashion Week, a estilista Rafaella Sakairi apresentou a coleção “O poder da mulher na selva urbana”, que teve produção de Tayná Valle. Os tecidos brancos destacaram inscrições ou detalhes brilhosos. As criações agradaram, especialmente, o público jovem. “Adorei as camisas com desenhos de boca com brilhos”, disse a estudante Nicole Kahwage, que deseja estudar design de moda. 
“A coleção representa o poder da mulher como diva, através da alfaiataria, fluidez dos tecidos, decotes, cortes urbanos, pontos de luz e movimento”, explicou Rafaella Sakari.

Texto:
Luciane Barros-São José Liberto


Feiras do Pescado atraem quase 2 mil pessoas aos pontos de venda
Cerca de 2 mil pessoas passaram pelas duas Feiras do Pescado realizadas pela Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) neste sábado (09), nos municípios de Belém e Ananindeua, na Região Metropolitana. No Quartel do Corpo de Bombeiros da Cidade Nova VI, em Ananindeua, quase 1.200 consumidores aproveitaram para comprar pescado a preços mais baratos. Walvina Valente gostou da economia. “Aqui comprei um camorim por R$ 15,50 o kg. Em outros locais estão vendendo a 18,00 o kg”, informou.
Quem esperou para comprar assistiu à apresentação do grupo de capoeira do Instituto José Álvares de Azevedo. O músico Hemerson Martins participou do show feito para os consumidores. A estudante Renata Cavalo, que foi à Feira do Pescado pela primeira vez, destacou a importância da iniciativa da Sepaq em levar o projeto a Ananindeua.
A Feira do Pescado promovida pela Sepaq também é tema de um trabalho dos estudantes Anderson Aleixo e Maira Souza, do Curso de Engenharia de Pesca. Desde abril eles estão fazendo um levantamento socioeconômico das mulheres que frequentam a feira. “Queremos saber o perfil dessas mulheres e como está o poder aquisitivo delas. Também vamos avaliar o que elas acham da feira”, disse Anderson Aleixo.
Centur – Em mais uma edição da feira realizada no estacionamento do Centur, quase 800 pessoas compraram peixe, camarão e outros produtos oferecidos. Ângela Oliveira comprou pescada amarela, pescada branca e bolinhos de bacalhau. “Gostei muito da organização da feira, e do atendimento”, garantiu.
A aposentada Nazaré Godoy esteve na feira pela primeira vez. Ela, que mora no bairro de Batista Campos, comprou salmão, pescada branca e camarão. “Os preços estavam muito bons, por isso aproveitei”, informou.
O secretário de Estado de Pesca e Aquicultura, André Pontes, esteve nas duas feiras e disse que a meta é expandir o projeto para outros municípios da Região Metropolitana de Belém. “Já estamos estudando a possibilidade de realizar uma feira em Marituba”, acrescentou. André Pontes também adiantou que a Sepaq pretende criar parcerias, para capacitar os funcionários das empresas parceiras do projeto, a fim de garantir um atendimento cada vez melhor à população.

Texto:
Christian Emanoel-Sepaq












Jornalistas brasileiros conhecem o Mangal das Garças





A Organização Social Pará 2000, que administra o Parque Zoobotânico Mangal das Garças, recebeu na manhã da última segunda-feira, 11, a visita de um grupo de jornalistas que estão em Belém para a cobertura dos Jogos Escolares da Juventude. Conduzidos pelos diversos espaços do parque durante o “Roteiro Expresso”, os jornalistas se mostraram curiosos e também encantados com a fauna e flora exuberantes do Mangal, em especial as aves, das mais diversas espécies.
No borboletário, o maior da América do Sul, todos puderam conferir as primeiras horas do vôo de várias espécies como Brancão, Júlia e Ponto de Laranja. As vitórias-régias e o Pavãozinho do Pará também despertaram a curiosidade do grupo durante a visita. “Estudei toda a história das vitórias-régias, fiz o dever de casa e chegar aqui e ver tão de perto é muito bonito, estou encantado”, frisou o jornalista Luiz Almeida, do Distrito Federal.
No Farol de Belém e no espaço do Memorial Amazônico da Navegação eles puderam conhecer um pouco da história da capital paraense. O jornalista Leandro Freitas, que mora atualmente em Roraima, diz que ficou encantado com tudo o que viu. “A cidade tem uma riqueza muito grande, é notável em cada traço das pessoas e na própria geografia a presença dos negros e índios. Belém é uma típica cidade da Amazônia e é a esse bioma que o Mangal nos remete. O Parque é muito bem conservado, você percebe que todos os espaços tem tratamento adequado e os profissionais que atuam aqui são altamente qualificados", comentou.

Texto:
Fernanda Scaramuzzini-Pará 2000


Imagens turísticas do Pará vão integrar a Mostra Amazônia Mundi
Imagens do  Complexo Ver-o-Peso, com suas garrafinhas, ervas e outros objetos exóticos, assim como de outros pontos turísticos de Belém e do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, vão integrar a Mostra Multidisciplinar Amazônia Mundi, uma realização da Fare Arte e do SESC São Paulo, com apoio da Companhia Paraense de Turismo (Paratur) e a colaboração de diversas organizações e especialistas.
O objetivo do evento, que pretende valorizar, ainda, imagens das pessoas que circulam no cotidiano do Ver-o-Peso, é apresentar a Amazônia, onde vivem 25 milhões de pessoas, e suas relações diretas com os visitantes, amenizando a distância entre o espaço amazônico e aqueles cujo conhecimento sobre a região chega de forma distante, mitificada, fragmentada e incompatível, muitas vezes, com a realidade socioambiental.
A participação da Paratur visa reforçar o Estado como “A Obra-Prima da Amazônia”, slogan de promoção da cultura e da natureza paraenses, enquanto destino turístico prioritário na região, que tem entre seus habitantes povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais ribeirinhas.
A mostra já está sendo montada - e abre ao público ainda este mês - no SESC Itaquera, em São Paulo. 


Texto:
Benigna Soares-Paratur


Pará organiza produtores para eventos internacionais do cacau
A elaboração de um projeto para tornar mais eficiente a participação do Pará no Salão Internacional do Chocolate foi discutida nesta segunda-feira, 11, na Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri). A proposta é criar um grupo permanente, de caráter institucional, que estabeleça diretrizes estratégicas para organizar e dar maior destaque à cadeia produtiva do cacau paraense no evento realizado anualmente em Paris, França.
Os produtores serão selecionados e organizados em grupo representativo das zonas produtoras, que será preparado para participar de eventos dessa magnitude. A ideia é aproveitar melhor os espaços do estande brasileiro no salão, com maior visibilidade para atrair o público frequentador da feira. Essa estratégia também dará destaque aos produtos da cadeia produtiva do cacau paraense despertando o interesse dos chocolateiros e fabricantes de chocolates.
“Nosso maior desafio é obter o volume necessário e com qualidade para atender a demanda do mercado externo”, informou o secretário estadual de Agricultura, Hildegardo Nunes. O governo já trabalha na identificação do cacau produzido nas diferentes regiões do Estado e na capacitação dos produtores, em parceria com a Comissão Executiva do Plano da lavoura Cacaueira (Ceplac) e com recursos do Fundo de Desenvolvimento da Cacauicultura do Pará (Funcacau).
O superintendente da Ceplac, Jay Wallace Mota, enfatizou a necessidade de ampliar o quadro de classificadores do cacau. O laudo de classificação atestará a qualidade do produto e fará com que as empresas usem o cacau do Pará na fabricação de chocolates finos e não apenas para fazer manteiga. O produto certificado poderá ser beneficiado com redução no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), outro atrativo para incentivar o aumento da qualidade na produção do cacau com fins de exportação.
A discussão do projeto de participação do Pará em eventos continua no dia 19, em reunião que será realizada na sede do Serviço Nacional de Apoio às Pequenas e Micro Empresas (Sebrae).



Texto:
Leni Sampaio-Sagri


Projeto sustentável do Hangar é apresentado em Feira de Turismo
O maior centro de convenções da Amazônia, o Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém, foi apresentado pela comitiva do Pará que participou do 25º Festuris (Festival do Turismo de Gramado), encerrado no sábado (09). A comitiva foi liderada pela Companhia Paraense do Turismo (Paratur), composta também por empresários do segmento de turismo, Belemtur e secretarias municipais de Turismo. Foi mostrado ao trade de turismo, organizadores de eventos, governo e diversos participantes do segmento, que os equipamentos turísticos do Pará foram projetados de forma sustentável. O Hangar, por exemplo, reaproveita a água da chuva e utiliza iluminação solar no Pavilhão de Feiras.


Parceiros ajudam a aumentar estoque de sangue do Hemopa
Cerca de 400 bolsas de sangue e 35 cadastros de doadores de medula óssea foram conseguidos pela Fundação Hemopa no último sábado (09), com as campanhas externas e a coleta interna, na sede da Fundação. O êxito das campanhas externas resulta da parceria com a Igreja Adventista do Sétimo Dia dos municípios de Marituba e Ananindeua (na Região Metropolitana), e com o grupo Ativistas da Paz, de Belém. O sangue coletado – totalizando 395 bolsas -, é suficiente para atender cerca de 1.580 pacientes adultos.
Na sede da Fundação Hemopa doaram 137 voluntários da Igreja Adventista de Ananindeua. Já os adventistas de Marituba doaram sangue na Escola Emília Clara de Lima, no bairro da Pedreirinha, onde 208 coletas foram feitas e 35 pessoas se cadastraram para a doação de medula óssea. Para a sede do hemocentro também foram encaminhados os voluntários do grupo Ativistas pela Paz, dos quais 50 conseguiram doar.
Segundo a gerente de Captação de Doadores, Juciara Farias, o voluntariado da Igreja Adventista faz parte do projeto “Vida por Vidas”, que é desenvolvido na América do Sul desde 2005, com o objetivo de conscientizar cidadãos para o hábito da doação, visando suprir os estoques de sangue dos hemocentros.
O grupo Ativistas pela Paz é uma associação formada por pessoas dispostas a promover ações contra a violência e em defesa da vida, desde a concepção. “Agradecemos a doação de cada voluntário. Essa união da sociedade é decisiva para o êxito das ações”, afirmou Juciara, destacando a delicada situação do estoque de sangue, que vem sendo reduzido pelo pouco comparecimento de doadores.
A programação de campanhas externas prossegue. No dia 13 (quarta-feira), das 8 às 16 h, haverá ação na Escola Madre Celeste, no distrito de Icoaraci. No dia14, será realizada campanha com apoio da Escola Madre Celeste, da Cidade Nova VIII, na Estrada da Providência, em Ananindeua, das 8 às 15h.
As campanhas externas continuam no dia 19, na Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), das 8 às 16 h, na Avenida Perimetral; no dia 20, no Hospital Divina Providência, das 8 às 16 h, na Rua Dom Aristides; no dia 22, também em parceria com a Igreja Adventista do 7º Dia, será no município de Benevides (na Região Metropolitana), das 8 às 16 h, e no dia 23, na sede da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), das 8 às 14 h.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, e realiza coleta de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 h, e aos sábados, das 7h30 às 17 h. Mais informações pelo fone 0800 280-8118.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa


Reforma em ginásios da Uepa estimula a prática de esporte no Estado





Empenhado em estimular o esporte no Estado, o Governo do Pará investiu, este ano, cerca de R$ 3 milhões na reforma de dois ginásios da Universidade do Estado do Pará (Uepa), o localizado na Avenida Almirante Barroso, dentro do campus II (de Ciências Biológicas e da Saúde) e o que fica na João Paulo II, no campus III (Escola Superior de Educação Física), ambos em Belém. O segundo é considerado o maior ginásio poliesportivo em atividade no Estado e foi totalmente revitalizado com vistas, principalmente, aos Jogos Escolares da Juventude, maior evento de esporte estudantil, que, pela primeira vez, ocorre na região Norte do país.
Segundo o secretário de Estado de Obras Públicas, Joaquim Passarinho, ambos os ginásios foram totalmente restaurados, tendo recebido reparos nas partes de piso, forro, telhado, banheiros, instalações hidráulicas e elétricas, além de pintura. No caso do ginásio da Escola Superior de Educação Física, por exemplo, havia um sério problema de vazamento, pois as calhas antigas não suportavam o volume de água depositado no telhado, sobretudo no período das chuvas. Com isso, a água acabou deteriorando o piso da quadra, que foi totalmente recuperado.
“Além disso, também trabalhamos nas salas que funcionam como apoio aos acontecimentos do ginásio, na pista de atletismo, no parque aquático e em toda a área externa de treinamento. Toda essa recuperação já era necessária e nós, então, aproveitamos a vinda dos Jogos Escolares para entregar a obra, que, sem dúvida, representa um grande legado para o Pará, pois, hoje, temos, dentro do complexo da Uepa, o maior parque esportivo do Estado”, enfatizou.
A conclusão do trabalho era um sonho acalentado há muito tempo, principalmente pelos acadêmicos do curso de educação física da Uepa, conta o professor do curso e ex-coordenador do campus III, Milton Mateus de Souza. “Havia uma necessidade muito grande porque o ginásio da Escola Superior serve como base para as aulas da graduação, além de funcionar como uma zona de escape para as federações amadoras. É o melhor ginásio, o mais bem localizado e, por isso, os aqui são sempre muito bem frequentados”, destacou.
Benefícios – A mesma opinião tem o atual coordenador do campus III, Mauro Henrique Mendes. Segundo ele, atualmente, no local, mais de 700 alunos do curso de graduação, pós-graduação e projetos de extensão na área de educação física fazem uso do ginásio. “Agora, vamos trabalhar para manter esse padrão elevado de qualidade, que está encantando a todos pela beleza e funcionalidade”, detalhou.
É exatamente o que relata a acadêmica Daiane Lima, estudante do último semestre de educação física e árbitra de natação pela Federação Paraense de Desportos Aquáticos. “A revitalização beneficiou a todos. Os atletas, por conta da questão da infraestrutura, bem mais adequada para o aquecimento, provas e todo o protocolo de treinamento; os alunos do curso, que precisam de um bom espaço para as aulas práticas e a comunidade em geral, por poder contar com um empreendimento como esse, que oferece diversos trabalhos para a população. É um incentivo muito grande para todos, mas principalmente para a juventude, que vê o estímulo cada vez mais que está sendo dado para o esporte. A nossa expectativa, com isso, é que surjam mais talentos e que eles sejam reconhecidos”, avalia.
A acadêmica Margarete Almeida, também do último semestre do curso, ressalta o legado que ficará para as próximas gerações de profissionais da área. “No nosso caso, acompanhamos toda a evolução da obra e aguardamos com muita expectativa pela sua conclusão. Temos certeza de que os próximos alunos do curso poderão aproveitar muito mais, principalmente no decorrer das disciplinas práticas, que precisam de um espaço adequado para o melhor rendimento”, frisou.
Previsão de conclusão: novembro 2013
Valor global: R$ 3 milhões
Andamento: 100% concluídos
Empresa responsável: MM Engenharia e Comércio Ltda.
Secretaria responsável: Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop)
Órgão beneficiado: Universidade do Estado do Pará (Uepa)

Texto:
Elck Oliveira-Secom


Cosanpa normaliza abastecimento de água em Ananindeua
O abastecimento de água na área central do município de Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, foi normalizado a partir das 18 horas desta segunda-feira (11). O serviço na adutora foi encerrado às 17h38. A adutora, de 400mm, rompeu na manhã desta segunda-feira, às 7 h, provocando a interrupção no abastecimento. Uma equipe do setor de Eletromecânica, da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), começou logo depois os reparos, e conclui os serviços antes do prazo previsto.


 'Madame Flaubert'. Aguardo o seu

 
Embora o livro ainda não tenha sido oficialmente lançado, meu romance Madame Flaubert já está à venda desde setembro, e alguns leitores fizeram seus comentários.

Há ainda, curiosamente, pessoas que em seu perfil no Facebook indicam Madame Flaubert como um de seus livros favoritos. Mas não me deram nenhum retorno disso. Por quê? Escreva pra mim!

Alguns comentários me foram enviados por e-mail, dois recebi por mensagem direta no Facebook e outros dois descobri no Google.

Foi uma surpresa agradável, especialmente porque os comentários foram todos positivos. Agora, aguardo o seu, que me leu. O que achou? Comente. Aqui no blog, no Face, envie por e-mail - neste caso, só vou publicá-lo com sua autorização.

Mas estou verdadeiramente interessado na opinião de todos. Vamos lá, escreva.

Aos trechos de comentários:
--------------------------------
Antecipei minha ida para a cama. Por favor, não se apressem em conclusões. Deitei-me em companhia do romance Madame Flaubert, do colega blogueiro Antonio Mello.

Gostei da ironia do título e o encomendei à Publisher, do também blogueiro Renato Rovai, por via postal – eletrônica e regular. Paguei trinta reais, incluindo frete, e recebi em menos de cinco dias, em plena greve dos trabalhadores dos Correios. Isso é que é eficiência.


Trama instigante, em estilo e ritmo elétricos, a envolver escritores e/ou roteiristas de novelas e personagens da política, da TV e botequins. Todos mais ou menos frustrados com a trajetória de suas vidas ou o (des)aproveitamento de seus supostos talentos.


Passa-se no Rio da era Collor, ele próprio assinalado, em narrativa que traduz a superficialidade de uma época e de um meio. A  exemplo de Madame Bovary, de Gustave Flaubert, ponto de partida ou inspiração.


Gostei do que li até agora, e já estou quase no fim das 191 páginas. Recomendo. [Fonte]


------------------------------------


AC é um escritor que se afundou na bebida e nas drogas. Sempre alterado, não consegue terminar um romance, onde vem trabalhando com afinco, porém sem sucesso. Antonio (AC) usa elementos da realidade em seu romance, para ele tudo é literatura.

Sempre bêbado, não consegue mais discernir o que é real ou ficção, de certa forma se apoia nos colegas para encontrar um pouco de verdade em sua vida.


Juntamente com seus amigos, ele vai escrevendo seu romance, onde seus personagens são pessoas reais. Ele luta contra ele mesmo, e contra os efeitos das drogas para terminar seu romance. Cada personagem da história tem suas crises, vícios e sonhos. Todos destruídos de uma forma eletrizante. Histórias que vão se ligando na obra, e no fim recebem um mesmo destino.


Antonio Mello utilizou de fatos que nós conhecemos pela mídia, como quando Collor é eleito e depois deposto, como a filha de Glória Perez que morre assassinada pelo ator que trabalhava com ela. De certa forma, em Madame Flaubert o leitor se sente parte da obra, se sente vivo junto com cada personagem ali descrito. Torce e tenta adivinhar qual será o seu destino. [Fonte]


-------------------------------------


O que eu mais gostei foi que o livro foi-me pegando aos poucos e quando eu vi não conseguia mais parar de ler, porque me surpreendia cada vez mais, as coisas vão acontecendo como num quebra-cabeças onde as peças se encaixam. Me surpreendeu, porque sou leitora do blog, gosto do jeito que você escreve, mas no livro é outro nível. Parabéns. [por e-mail]


----------------------------------------


Antonio, acabei de ler seu livro, estou emocionada, arrepiada, com o coração batendo. Há muito tempo não lia um romance que me fizesse não querer parar de ler do começo ao fim. Conheço suas histórias e reconheço: você é mesmo Big. Escreva outros meu caro, essa é a parte que te cabe neste latifúndio, todos os elogios meus (ou os do livro) são poucos pra sua Arte, com A maiúscula mesmo. Parabéns. Sucesso e obrigada por existir em nossa vidas. [mensagem no Face, de pessoa queridíssima]


-----------------------------------------

Bom, Bom demais, por ser Bom, Bom de ler, Bom de "Viajandão", Bom de fazer Bem...Show Mello!! Beijo Grande [de um amigo, diretor de TV e vídeo, na página do romance]


Atleta de Parauapebas conquista medalha de bronze no Xadrez
Mais uma medalha de bronze foi conquistada pela delegação do Pará nos Jogos Escolares da Juventude. A medalha veio na modalidade Xadrez Pensado, e foi ganha pelo atleta Darlane Assunção, do Colégio Pitágoras, localizado na cidade de Parauapebas, no sudeste do Estado. Darlane venceu uma atleta da Paraíba, na competição realizada no Hangar, na manhã deste domingo (10). Com esse resultado, a estudante, que é tricampeã paraense de Xadrez, alcança o melhor resultado do Pará em competições estudantis nacionais na categoria.
“Estou muito feliz com o meu resultado. Já participo há dois anos dessa competição e sempre bati na trave. Agora consegui alcançar essa medalha tão sonhada por mim, pois treino bastante”, contou Darlane, que pretende intensificar os treinos, para o ano que vem ser campeã na categoria. “Irei aperfeiçoar meus treinos e pretendo conquistar a medalha de ouro nos Jogos Escolares do próximo ano”, declarou a estudante.
Para Rodrigo Leal, técnico de Judô da delegação paraense, essa é a conquista de um trabalho de base, pois sempre busca novos meios para aperfeiçoar as técnicas e os treinos. “Jogamos em equipe. Temos um clube em Parauapebas, o Reis e Damas, e estamos sempre descobrindo novos talentos. Estou muito feliz pela conquista de Darlane, e acredito que ela tem um imenso potencial para ser campeã na próxima competição”, afirmou ele.
Segundo Clauber Martins, presidente da Federação de Xadrez do Pará, a atleta está mais tranquila competindo em casa, por isso obteve um excelente resultado. “Ela já participou de outras competições, e hoje estava mais concentrada na disputa”, informou.
Ele também destacou o desenvolvimento do Xadrez nas escolas paraenses. “Nos últimos dois anos nós aumentamos o número de jogadores em 100%. Pulamos de 1.200 competidores para 2.400, e isso se deve a grandes projetos educacionais, como o Xadrez na Escola e o Mais Educação”, enfatizou Clauber.
Pela manhã também aconteceram as finais de Ciclismo e Vôlei, no Portal da Amazônia. Os ciclistas paraenses Walmir da Conceição Silva, da Escola Estadual Estela Maris, da cidade de Soure (no Arquipélago do Marajó), e Danilo Sousa, da Escola Castelo Branco, da cidade de Paragominas (no nordeste), disputaram a competição, mas não ficaram entre os primeiros colocados.

Texto:
Eliane Cardoso-Seduc


Emater promove oficina de Pintura em Tecido
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) promove, de 11 a 22 deste mês, em seu escritório central, em Marituba, Região Metropolitana de Belém, o curso de Pintura em Tecido, das 14 às 18 horas. O curso tem 30 vagas, destinadas a moradoras dos municípios de Marituba, Benevides, Ananindeua e Belém (distrito de Mosqueiro), assistidas pela empresa em um projeto de organização social e geração de emprego e renda.
No curso, as participantes receberão conhecimentos de pintura em tecido para o trabalho artesanal com acessórios domésticos, como toalhas e guardanapos, e ainda em blusas e bolsas. O curso será ministrado pela técnica da Emater, Benedita Pereira de Barros,


Pará fecha o domingo com medalhas de prata na Natação e bronze no Atletismo
A Natação deu mais uma medalha ao Pará nos Jogos Escolares da Juventude. Na tarde deste domingo (10), a atleta Andreza dos Remédios, da Escola Estadual Raimundo Martins Viana, ganhou a medalha de prata, na modalidade 50 metros borboleta. A prova foi disputada no Campus III da Universidade do Estado do Pará (Uepa).
Andreza treina há sete anos, e já participou de competições internacionais, como a Copa Pacífico, ocorrida em Lima, no Peru, onde ganhou a medalha de bronze nos 100 metros borboleta. “Estou muito feliz por mais uma conquista. Treinei muito para conseguir essa medalha, e me sinto muito bem por estar representando meu Estado e minha escola”, declarou.
Os atletas paraenses terminaram a primeira fase dos Jogos Escolares da Juventude com quatro medalhas: uma de prata na Natação, duas medalhas de bronze no Judô e uma de bronze no Xadrez.
As competições individuais terminaram neste domingo, e as competições coletivas começam na terça-feira (12), com as disputas nas modalidades de Futsal, Vôlei, Handebol e Basquete, feminino e masculino.
Bronze - Na manhã de domingo, no Atletismo, o velocista Edilson Meireles, 16 anos, do município de Ulianópolis, no sudeste do Pará, ganhou a medalha de bronze nos 3.000m livres, disputando com 15 atletas, em duas baterias. “Foi difícil. O calor estava imenso e ventando bastante”, disse ele, após receber a medalha.
Edilson Meireles é aluno da Escola Isabel Amazonas, e treina há quatro anos. Para os Jogos Escolares, ele se preparou desde janeiro. “Em 2014 vou representar o Pará em São Paulo, na corrida Cross, que são 4 quilômetros em terra”, adiantou.
Ele é medalhista nos Jogos Escolares Paraenses e no Estadual de Atletismo, ambos realizados no Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão.
O aluno Ulisses Silva Costa, da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dom Antônio Lustosa, no Ceará, ficou em primeiro lugar no salto triplo, com a marca de 15,08m.
Nos 3.000m, Ana Paula Feitosa, da Escola Adelaide Tavares, do Amazonas, ganhou a medalha de ouro, com o tempo de 10m14.28.
Nas outras finais de domingo os campeões foram Jéssica Cândido, no salto em altura, aluna da Escola Orlando França, de São Paulo, com 1,72 m; e Pedro Roberto de Palmar, do Paraná, nos 800m.
Uma equipe da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) acompanhou os três primeiros dias de competições, para atender os atletas nos postos do Mangueirão.
A Polícia Militar garante a segurança durante os Jogos. “Mostramos mais uma vez que nosso Estádio Olímpico tem uma ótima estrutura para receber provas de Atletismo”, ressaltou o secretário de Estado de Esporte e Lazer, Vitor Miranda.

Texto:
Eliane Cardoso-Seduc


Fundação Curro Velho inscreve para o último módulo de oficinas de 2013
Mais de 90 oficinas estão sendo oferecidas à população, pela Fundação Curro Velho, no último módulo deste ano. A partir desta segunda-feira (11) estão abertas as inscrições para as oficinas de arte e ofício, nas mais diversas linguagens artísticas, como teatro, dança, música, artes visuais, fotografia e cinematografia.
Dina Oliveira, superintendente da Fundação Curro Velho, informa que em novembro a instituição receberá três indígenas, das etnias Mebengokrem e Xikrin, que participarão das oficinas. “É mais um intercâmbio étnico e cultural que iremos promover. Os indígenas irão participar das oficinas de iniciação à fotografia e à linguagem cinematográfica. Eles também conhecerão o Núcleo Digital do IAP (Instituto de Artes do Pará) e a TV Cultura. Serão mais de 15 dias de aprendizado e troca de conhecimentos”, reitera Dina Oliveira. As oficinas regulares de novembro terminarão no dia 2 de dezembro.
Premiação - No último mês do ano, a Fundação promoverá a Mostra Cobra Criada, com a divulgação dos 48 vencedores do Prêmio Cobra Criada 2013 – Max Martins. O certame é voltado para alunos e ex-alunos da Fundação Curro Velho, nas linguagens de Artes Visuais, Cênicas, Musical, Verbal e Objetos de Design.
Ao longo de 2013 foram realizados oito módulos de oficinas regulares, com um atendimento de quase 16 mil pessoas, entre alunos da rede pública de ensino, jovens, adultos e portadores de deficiências.

Texto:
Andreza Gomes-FCV


Participantes aprovam infraestrutura do Estado para os Jogos da Juventude
“A estrutura oferecida no Pará não deixa a desejar a nenhum lugar do mundo”, afirmou Edmilson Guimarães, coordenador geral da Confederação Brasileira de Judô, sobre os ginásios e demais locais de provas colocados à disposição das delegações que disputam os Jogos Escolares da Juventude em Belém, até o próximo dia 16 (sábado).
“Os ginásios oferecidos pelo governo são de boa qualidade. O Hangar é uma maravilha. E Belém é uma cidade muito acolhedora. É uma boa experiência, para os atletas e os técnicos que estão participando dos Jogos”, reiterou Edmilson Guimarães.
Os Jogos Escolares da Juventude, maior evento estudantil do país, tem a organização do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), e reúne 13 modalidades, que estão sendo disputadas em diversos espaços da cidade, com total apoio do governo do Pará. No Campus III da Universidade do Estado do Pará (Uepa) estão sendo realizadas as competições de Judô, Natação e Futsal.
A estrutura do Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, também está sendo elogiada pelos participantes das competições de Atletismo, realizadas no local. Gilberto Miranda, treinador da delegação do Paraná, aprovou a logística do evento. “Toda a estrutura, desde o transporte ao local de alimentação, está tudo muito bem organizado. Das últimas competições de Jogos Escolares que participei, esta é uma das melhores”, garantiu.
O atleta Vitor Hugo Figueiredo, 17 anos, do colégio Madre Celeste, é um dos estudantes que representam o Pará no Atletismo. Ele disse estar orgulhoso da infraestrutura oferecida no Mangueirão. “Sediar os Jogos é um incentivo a mais para as pessoas que ainda não praticam esporte na escola. Por ser um evento grande, isso desperta a curiosidade e a vontade dos alunos que ainda não praticam nenhuma modalidade. Já participei de vários eventos desde meu início no atletismo, há cinco anos, e é uma grande emoção ver que o Pará está botando uma grande estrutura para todas as modalidades da competição”, declarou Vitor Hugo.
Convivência - No Hangar Convenções e Feiras da Amazônia estão sendo realizadas as competições de Xadrez. O local também abriga o Centro de Convivência, espaço destinado às refeições e ao lazer dos competidores. Para Maximiliano Cassarote, proprietário da empresa paranaense Comida Caseira, que fornece as refeições servidas no Centro de Convivência, a estrutura e o serviço encontrados no Hangar são fundamentais para a qualidade do atendimento aos atletas. “A infraestrutura do Hangar é ótima. O padrão é muito bom, e todo o pessoal que trabalha aqui está sendo maravilhoso com a nossa equipe”, afirmou Maximiliano Cassarote.
Élcio Morão, coordenador geral de Xadrez, também aprova inteiramente o Hangar. “Os Jogos estão muito bem organizados, a estrutura do Hangar é excelente, uma das melhores que eu já vi. O Estado é bem receptivo, e as pessoas estão trabalhando muito para que tudo saia bem. Eu só tenho elogios e agradecimentos pra fazer”, reiterou,

Texto:
Dani Filgueiras-Secom


Governo corta ponto de grevistas e contrata professores a partir de segunda-feira
Após insistir em uma solução responsável para por fim à greve de trabalhadores em educação, em inúmeras rodadas de negociação, o governo do Pará decidiu cortar o ponto e descontar os dias parados dos grevistas a partir desta segunda-feira (11). Mesmo diante das propostas de acordo destinadas a atender todas as reivindicações da categoria, incluindo a reunião da última sexta-feira (8), entre representantes do governo e do Sintepp (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará), a greve iniciada em setembro foi mantida.
Também nesta segunda-feira, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) começará a chamar novos professores para preencher as vagas dos grevistas, e assim garantir a volta ao ano letivo. Os dias parados serão descontados já na folha de novembro, paga na última semana do mês. O governo garante que os educadores que voltarem ao trabalho nesta segunda-feira não terão descontos nos salários.
A decisão foi tomada em virtude da inflexibilidade do Sintepp durante as rodadas de negociação, inclusive a mediada na última sexta-feira pelo desembargador Ricardo Nunes, do Tribunal de Justiça do Estado (TJE), na qual o governo do Estado apresentou um cronograma de pagamento do retroativo referente ao piso nacional da categoria, mediante análise do crescimento real da arrecadação.
A primeira parcela já seria paga na folha de janeiro de 2014. Em nota oficial publicada neste domingo (10) nos meios de comunicação locais, o governo considera que não há “mais propostas a fazer”, pois chegou ao seu limite orçamentário.
A greve prejudicou estudantes que se preparavam para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e também para os demais processos seletivos destinados ao ingresso no Ensino Superior. “Mesmo diante da reposição dos dias letivos perdidos, a paralisação das aulas acarreta imenso prejuízo à formação educacional dos alunos, descrédito e insatisfação na comunidade quanto ao serviço público oferecido, e transtornos relativos à rotina das famílias dos alunos”, enfatiza o secretário especial de Promoção Social, Alex Fiúza de Mello.
O procurador Geral de Justiça, Marcos Antônio Ferreira das Neves, ressalta que a medida visa o benefício da sociedade. “A medida adotada por esta instituição não cerceia o direito de greve dos professores, mas está voltada à proteção dos direitos da sociedade à educação, e busca resguardar os diretos de crianças, jovens e adultos de frequentar a escola pública e concluir regularmente o ano letivo”, afirmou o procurador, em nota veiculada pela imprensa no dia 1º de novembro.
Avanços – Da pauta inicial de reivindicações apresentada pelos professores, o governo do Estado chegou a atender 90% do que foi solicitado, garantindo até mesmo o pagamento da folha salarial de outubro sem qualquer tipo de desconto em decorrência da greve.
Durante as negociações – e com o acréscimo de itens à pauta original –, o governo assegurou avanços, como a unificação do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) do magistério para todos os especialistas da Educação.
Também foram apresentadas as minutas de dois projetos de lei, um que regulamenta a jornada de trabalho e as aulas suplementares, sem qualquer tipo de perda salarial aos docentes, e outro que vai regulamentar o funcionamento do Sistema de Organização Modular de Ensino (Some). O governo também se comprometeu a efetuar o acréscimo de 25% de hora-atividade já no início do próximo ano letivo, e progredir este percentual para 1/3.
Na última sexta-feira, na reunião de conciliação realizada no TJE, os representantes do governo voltaram a comprovar aos diretores do Sintepp – entidade que lidera a greve -, que não haverá nenhum tipo de perda salarial à categoria com a implantação da lotação por jornada, com hora-atividade. A não redução salarial era um dos principais pontos da pauta apresentada pela categoria ao governo.
Atualmente, o Pará já ultrapassou o limite dos gastos, imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal, para pagamento de pessoal, chegando a 46,65%, enquanto o previsto é 46,17%.
Segundo a secretária de Estado de Administração, Alice Viana, que participou de todas as rodadas de negociação com a categoria, o governo já mostrou que tem toda a vontade política para resolver a questão pelo diálogo, e assim encerrar a greve. “As propostas que apresentamos estão dentro da realidade”, ressalta Alice Viana.
Ela também argumenta que as propostas do governo jamais serão pautadas pela demagogia, e sim pela responsabilidade com a gestão pública. “O retroativo é devido e reconhecido, mas este governo tem como compromisso ser, acima de tudo, responsável com a sociedade paraense. Não podemos descumprir uma lei. Se isso acontecesse, o Pará sofreria sanções, prejudicando novamente a própria sociedade. Por isso, não temos condições de dar, hoje, prazos fechados de pagamento do retroativo, e lá na frente não termos condições de cumprir. Não temos compromisso com a irresponsabilidade”, reitera a secretária.

Texto:
Mauro Neto-Secom


Parauapebas lança planos para incentivar a agricultura familiar e a piscicultura
Parauapebas, município do sudeste do Pará, lançou o Plano Safra de Agricultura Familiar e o Plano Safra de Piscicultura, com o objetivo de criar uma alternativa econômica à extração mineral e melhorar as condições de vida do produtor rural, beneficiando mais de 2 mil famílias de produtores no município. O vice-governador Helenilson Pontes participou do lançamento dos dois planos, que têm no governo do Estado seu principal parceiro, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural ( Emater) e Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq). Na solenidade, realizada no sábado (09), Helenilson Pontes firmou, com a Prefeitura de Parauapebas, um termo de cooperação técnica e fornecimento de insumos.
A meta, segundo o prefeito de Parauapebas, Walmir Mariano, é transformar o município em uma referência na agricultura e piscicultura. O primeiro passo para a implantação dos Planos foi a realização de um Censo Agropecuário Municipal, envolvendo cerca de 1.300 produtores rurais, a fim de identificar e implementar o potencial agropecuário da região. O censo revelou que Parauapebas tem 153,9 mil habitantes, e detém a maior província mineral do planeta, além de contar com uma situação fundiária bem definida, composta por mini e pequenas propriedades, assentamentos da reforma agrária e áreas de colonização. Dos 78.725 hectares de área de Parauapebas, 57 % são de pequenas propriedades, muitas ainda sem energia elétrica.
Os proprietários comercializam a produção nas feiras, e acabam obtendo uma renda insuficiente para manter a família. A falta de planejamento financeiro nas atividades desenvolvidas pelos agricultores familiares gera um endividamento significativo. “Por sermos um município novo, e formado basicamente por assentamentos, buscamos alternativas para sairmos da tutela da mineração, já que o minério é um recurso não renovável”, informou o prefeito Walmir Mariano.
Para fortalecer o setor, o Plano Safra prevê investimentos em mecanização agrícola e distribuição de insumos, assim como o fornecimento de maquinário, para que as famílias possam iniciar a produção.
Tanques - Quanto à piscicultura, a Emater orienta as famílias beneficiadas, e ajuda na construção de tanques para receber os alevinos, que darão início à atividade. Serão construídos 175 tanques, com capacidade para a criação de até 1.200 peixes cada um. Helenilson Pontes ressaltou que Paraupaebas está tendo uma oportunidade histórica de mudar sua base econômica, que é fundada na extração mineral, para uma atividade com base sustentável. “O governo do Pará ratifica o compromisso de que o desenvolvimento do Pará só será possível se tiver base sustentável”, frisou Helenilson Pontes.
Para o diretor geral da Adepará, Mário Moreira, a iniciativa da Prefeitura é um exemplo para os demais municípios brasileiros. “Parabenizo os produtores rurais do município, e digo que, para Estado, este é um grande exemplo, que pode ser levado para outros municípios paraenses”, ressaltou.
Marcelo Catalão, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Paruapebas (Siproduz), explicou que uma das grandes características do homem do campo na região é a vontade de trabalhar e produzir. “Nós sabemos das dificuldades do Estado, mas também reconhecemos os esforços realizados e a presença do Estado nas regiões sul e sudeste. É importante investir na produção, em um momento em que podemos escoar pelas estradas recuperadas tudo aquilo que produzimos”, explicou.
O produtor Antenor dos Santos, 52 anos, é um dos beneficiados com o Plano Safra de Parauapebas. Ele, que possui 10 hectares, chegou ao município na década de 1970, e hoje cria gado e produz laticínios. Ele procurou a prefeitura e está recebendo toda a assistência técnica, apoio que já teve quando construiu um tanque para iniciar a produção. “ Eu já tenho a técnica e a água que desce da serra. Agora é produzir”, afirmou.

Texto:
Marcio Flexa-Vice-Governadoria













Ao todo, 543 professores retomaram as atividades nesta segunda-feira (11). Por isso, o governo do Estado convoca os estudantes da rede pública estadual de ensino a voltarem às salas de aulas para o prosseguimento do ano letivo. O corpo docente também foi reforçado com a contratação de 210 docentes temporários.
“Contar com um quadro de 753 professores em apenas um único dia representa um grande avanço para o Estado. Assim, solicitamos aos estudantes que voltem às aulas, pois eles são a grande razão da educação. Também pedimos aos pais e responsáveis que levem os filhos às escolas, pois as instituições estaduais de ensino estão de portas abertas para os alunos”, afirma o secretário de Estado de Educação, Cláudio Ribeiro. “Estamos às vésperas da Prova Brasil, que será aplicada até o próximo dia 28 de novembro”, acrescentou.
Em muitas instituições de ensino, a greve acabou há pelo menos uma semana. É o caso da Escola Estadual Santa Luzia de Marilac, na rodovia Arthur Bernardes, que funciona diariamente nos três turnos (manhã, tarde e noite) deste a última quinta-feira (7). A instituição tem 31 professores e todos lecionam normalmente.
A Escola Estadual Leonor Nogueira, localizada no conjunto Médice II, também funciona normalmente. A instituição tem 15 professores, dos quais apenas quatro aderiram à greve. Os grevistas permaneceram cerca de duas semanas parados, mas após esse período decidiram retornar às atividades. Segundo a coordenação da instituição, a escola está à espera dos alunos.
O turno da noite da Escola Estadual São João Batista, no distrito de Icoaraci, tem a participação de 95% dos professores. Trata-se de docentes efetivos que decidiram não parar as atividades a fim não prejudicar o calendário letivo dos alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Segundo a direção da instituição, o movimento grevista não ganhou força no período noturno, por isso, os estudantes assistem às aulas normalmente e já concluíram a terceira avaliação.
A Escola Estadual Jorge Lopes Raposo, localizada no distrito de Icoaraci, está com as atividades parcialmente paralisadas. A instituição conta com 35 professores, dos quais doze não aderiram ao movimento grevista. Na semana passada, muitos mostraram interesse em retornar às atividades. Por isso, apenas cinco permanecem em greve atualmente. Apesar disso, tudo está preparado para o retorno dos alunos.
Na Escola Estadual Fernanda de Souza, também situada em Icoaraci, os alunos recebem aulas especiais para preparar os estudantes para a Avaliação Nacional do Rendimento Escolar, também conhecida como Prova Brasil, a ser aplicada até o dia 28 de deste mês.

Texto:
Samilla Batista-Secom


Governador Simão Jatene lamenta a morte de policial e esposa
O governador Simão Jatene apresentou, no programa “Prestando Contas” desta segunda-feira (11), pesar aos familiares do sargento da Polícia Militar Antônio Hélio e a esposa, Feliciana Mota, mortos após serem baleados na última quinta-feira (7), nas ruas do centro comercial de Belém. “Peço a Deus que lhes deem forças para enfrentar este momento difícil”, disse.
O governador lembrou que o fato de o policial ter agido, mesmo estando fora da escala de trabalho, é uma demonstração de que o espírito do verdadeiro policial não está apenas em honrar a farda que usa, mas está presente em seu coração. “O policial não se conteve e expôs a vida para defender o patrimônio e a vida de outra pessoa”, frisou Jatene.
O governador lembrou que já teve oportunidade de comentar com os próprios integrantes da Polícia Militar, em pronunciamentos feitos em solenidades das quais participou, que não raramente a “nossa sociedade é muito complacente em determinadas circunstâncias, e em alguns casos extremamente exigente quando se trata de avaliar o policial e os trabalhadores da segurança pública. Com facilidade reconhece que existe um coração de artista, de atleta, mas muitas vezes não percebe, a não ser em momentos extremos, que existe também no peito do policial um coração, que não se furta de defender com a própria vida a sociedade”, afirmou.
Na edição do programa, Jatene reforçou que o Pará não está entre as quatro unidades federativas do Brasil com o maior número de homicídios, em alusão ao Anuário Estatístico do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), encomendado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública e divulgado semana passada em todo o país.
O governador lembrou que o próprio anuário diz, textualmente  na introdução, que os dados se referem ao país. “Eles reforçam a sensação de que vivemos numa sociedade fraturada e com medo, aflita diante da possibilidade cotidiana de ser vítima  e refém do crime, da violência”, asseverou o governador, ressaltando que, apesar de o Pará não estar nessa lista, não está isento da violência, que é uma realidade em todo o Brasil. “O Pará está fora dessa lista, mas não fora do Brasil. Por isso, enquanto o país não mudar, a luta contra a violência é permanente, um combate diário e é o que estamos fazendo”, ressaltou.
O governador citou, ainda, recente pesquisa feita pela Confederação Nacional do Transportes (CNT), na qual 60%dos brasileiros disseram ter muita preocupação em perder o emprego, mas  92% têm mais preocupação com a violência. “Ou seja, nove em cada dez brasileiros se preocupam com a violência” arrematou.
Nesse momento o que não faltam, como lembrou, são vozes oportunistas que usam o drama alheio com sensacionalismo. “A violência é filha da desigualdade. E não dá para admitir que os mesmos que ajudaram a criar essa desigualdade queiram por puro interesse eleitoreiro usar este momento para tirar proveito e aterrorizar a população”, concluiu o governador.

Texto:
Rose Barbosa-Secom






Professores estaduais são qualificados para alfabetização até 8 anos de idade
Professores da rede pública estadual de ensino, que atuam na Região Metropolitana de Belém, participaram no sábado (09) da 8ª reunião de formação de professores que trabalham no Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic), que visa melhorar a qualidade da alfabetização de crianças até 8 anos de idade. Estão sendo qualificados 1.155 professores em todo o Estado.
Luiz Miguel Queiroz, coordenador do Pnaic no Pará e do Ensino Fundamental, da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), informou que o programa é uma articulação entre os governos federal, estadual e municipal para melhorar os indicadores da alfabetização. Segundo ele, o Pnaic começou a ser implantado no Estado em agosto deste ano.
“O Pnaic tem uma importância significativa para a educação básica do Pará, pois ele possibilita que a criança tenha garantidos, no início da escolarização no Ensino Fundamental, os elementos suficientes para que ela desenvolva um processo alfabetizador com qualidade e, consequentemente, ela ter êxito nos anos posteriores”, ressaltou Luiz Miguel Queiroz.
Cinquenta profissionais passaram por formação na Universidade Federal do Pará (UFPA), com o objetivo de se tornarem aptos a trabalhar na qualificação dos professores da educação básica na condição de orientadores de estudos. Nos encontros são discutidas novas formas de realizar uma alfabetização mais global e atrativa para as crianças.
Ponte - A professora Telma Cristina da Silva, que leciona na Escola Professora Leonor Nogueira, no bairro da Marambaia, aprovou o programa. “Eu enxergo o Pnaic como uma oportunidade de mudar um quadro sensível em que a educação se encontrava. O programa vem não como uma tábua de salvação, mas como uma ponte que leva a trabalhar melhor, a melhorar a prática, tendo em vista o sucesso da criança”, frisou a educadora.
Sônia Veras, professora na Escola Associação dos Moradores do Bairro da Terra Firme, disse que mudou todo o planejamento escolar depois que começou a participar do processo de qualificação do Pnaic, e que se sente segura com essa mudança, por receber total apoio da sua orientadora de estudos.
“Eu estou aprendendo uma nova forma de ensinar. Sempre que tenho dúvidas ligo para minha orientadora e recebo toda a atenção que preciso. Essa formação é muito importante, porque é uma formação que muda a gente, muda o nosso olhar, a nossa maneira de tratar determinados assuntos. O resultado a gente vê na sala de aula, com o desempenho dos alunos”, frisou.
Para Maria Suely de Jesus, professora há 30 anos, e que leciona na Escola Professora Rosa Gattorno, no bairro do Guamá, a qualificação é importante para despertar um novo olhar dentro da sala de aula. “Essa qualificação é de grande importância para todos os professores que participam da educação básica, para melhorar a metodologia na sala de aula. Eu acredito que a educação pode avançar, e se o governo está trabalhando para isso nós todos temos que nos empenhar para que isso possa realmente acontecer”, declarou a professora.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom






Hospital Regional de Conceição do Araguaia realiza 1ª videolaparoscopia
O Hospital Regional de Conceição do Araguaia (HRCA), gerenciado diretamente pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), já começou a fazer cirurgias por meio de videolaparoscopia, representando um avanço na oferta de serviços cirúrgicos na região do Araguaia. Na primeira videolaparoscopia, realizada no dia 4 de novembro, o paciente teve a vesícula retirada com sucesso.
Com 36 anos de existência, o Hospital surgiu a partir de uma antiga Unidade Mista de Saúde. Transformado em Hospital Regional, atende aos 510 mil habitantes dos 15 municípios do sudeste e sul do Estado - Água Azul do Norte, Bannach, Cumaru do Norte, Conceição do Araguaia, Floresta do Araguaia, Ourilândia do Norte, Pau D’Arco, Rio Maria, Redenção, Sapucaia, Santa Maria das Barreiras, Santana do Araguaia, São Félix do Xingu, Tucumã e Xinguara. Dispondo de 49 leitos, o setor de internação hospitalar está dividido entre as Clínicas Obstétrica, Ortopédica, Cirurgia Geral e Cirurgia Videolaparoscópica.
Segundo o diretor do HRCA, Wilson Branco Filho, por estar na divisa com o Estado do Tocantins o Hospital também atende a pacientes dos municípios tocantinenses de Couto Magalhães, Pequizeiro e Juarina, mesmo sem pactuação com o Estado.
Vantagens - Sobre o que representou para o HRCA a implantação da cirurgia por videolaparoscopia, Wilson Branco disse que, “com esse método de cirurgia, a permanência hospitalar torna-se mais curta, reduzindo significativamente a espera dos pacientes pelo procedimento, já que é grande a demanda de cirurgias convencionais no Hospital, assim como a média de ocupação dos leitos”, informou.
Sobre as vantagens desse procedimento, o diretor disse que esse tipo de cirurgia é minimamente invasivo e tem menor índice de infecção de ferida cirúrgica. “Com videolaparoscopia, a permanência hospitalar é mais curta. Para os pacientes são inúmeras as vantagens. No pós-operatório as queixas de dor são mínimas, há melhor resultado estético, com cicatrizes menores, e retorno mais rápido às atividades rotineiras”, detalhou Wilson Branco.
Outros serviços - O HRCA também oferece serviços ambulatoriais e de apoio diagnóstico. No Ambulatório, são disponibilizadas consultas em Cardiologia, Urologia, Dermatologia, Neurologia, Psicologia, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Traumato-Ortopedia, Ginecologia e Obstetrícia e Gastroenterologia.
No que tange ao apoio diagnóstico, na área laboratorial, a instituição disponibiliza exames específicos de Bioquímica, Imunologia, Hematologia, Microbiologia, Coprologia, Urinálise e Micologia. O setor de Bioquímica tem o equipamento automatizado Vitros 250, com capacidade para realizar 800 exames por hora, entre os quais taxa de glicose, lipidograma (dosagens de colesterol e triglicerídeos), bilirrubina e frações.
Em relação ao diagnóstico por imagem e métodos gráficos, na área de Cardiologia o HRCA realiza eletrocardiografia, mapa, Holter e esteira ergométrica; na área de Urologia, exame de PSA (que auxilia o diagnóstico de câncer de próstata); e em Ginecologia e Obstetrícia, exame de ultrassonografia, biópsia e colposcopia.
Para oferecer todos esses serviços à população, o HRCA conta com 269 servidores, entre corpo clínico, área administrativa e demais setores, sendo fundamental para o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) na região.

Texto:
Roberta Vilanova-Sespa






II Simpósio de Ciências Ambientais discute sustentabilidade na Uepa
O programa de mestrado em ciências ambientais da Universidade do Estado do Pará (Uepa) promove, no período de 19 a 21 deste mês, o II Simpósio de Estudos e Pesquisas em Ciências Ambientais na Amazônia, com a temática “Políticas públicas e desenvolvimento sustentável”. As inscrições com envio de trabalhos completos ou resumos serão feitas até quarta-feira (13). Depois dessa data, as inscrições poderão ser feitas de 14 a 19 de novembro, mas sem possibilidade de submissão de trabalhos.
Podem se inscrever estudantes de graduação, pós-graduação e professores, pesquisadores ou outros profissionais. No site da universidade (www.uepa.br) estão disponíveis a ficha de inscrição e programação do simpósio. O objetivo do evento é ampliar as discussões sobre as políticas públicas que contribuam para a promoção do desenvolvimento sustentável da Amazônia, fazendo uma reflexão sobre a atividade dos atores sociais na atualidade.
O simpósio tem caráter interdisciplinar, atendendo 41 áreas temáticas que norteiam todas as atividades desenvolvidas pelos membros do programa. Participantes inscritos que consigam 75% de presença vão receber certificados de frequência de 20 horas.
Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (91) 3131-1914 e 8138-2484, pelo e-mail simpambientais@gmail.com ou diretamente com o coordenador do evento, Altem Nascimento Pontes, pelo e-mail altempontes@hotmail.com.

Texto:
Ize Sena-Uepa


Começam na terça-feira os torneios coletivos dos Jogos Escolares da Juventude
Os torneios de basquetebol, futsal, handebol e voleibol dos Jogos Escolares da Juventude Belém 2013, etapa de 15 a 17 anos, começam nesta terça-feira (12) e prosseguem até o próximo sábado (16). Nessas quatro modalidades, 2.239 atletas disputarão 420 partidas, em 16 ginásios espalhados por Belém. Cerca de 4 mil jovens participam da maior edição da história do evento, considerados os 13 esportes do programa, quatro coletivos e nove individuais (atletismo, ciclismo, ginástica rítmica, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, vôlei de praia e xadrez).
Todos os 26 Estados e o Distrito Federal enviaram representantes para Belém. De acordo com Edgar Hubner, gerente geral de Juventude e Infraestrutura do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e diretor geral dos Jogos Escolares da Juventude, o número recorde de participantes demonstra a confiança na proposta educacional e esportiva desenvolvida pelo Comitê Olímpico. "O projeto dá a oportunidade de jovens de diversas localidades competirem em um evento nacional e com rigorosos padrões de organização. O esporte, como ferramenta de transformação social, é o principal suporte dos Jogos Escolares", frisa Hubner.
Diferentemente das competições individuais, encerradas no último domingo (10), a partir de agora os Estados são divididos em três divisões, de acordo com o desempenho na edição anterior dos Jogos Escolares. A exceção fica com a delegação de Belém, sede do evento, que integra a Terceira Divisão. As duas melhores equipes conseguem o acesso para a divisão acima, enquanto as com menor desempenho são rebaixadas ao final do torneio.
Os torneios masculino e feminino de basquete, em todas as divisões, serão disputados nos seguintes ginásios: Colégio Santa Rosa, Colégio Marista, Sesi/Almirante Barroso e Instituto Federal do Pará (IFPA). No futsal, as partidas serão realizadas também em quatro locais: Campi II e III da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e IFPA.
No handebol, as partidas acontecem no Colégio Gentil, no Centro de Serviços Educacionais do Pará – Colégio Cesep, no IFPA e no Núcleo de Esporte e Lazer (NEL), da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Os jogos de voleibol serão disputados no Ginásio dos Bancários, Colégio Ideal, Colégio Santa Catarina de Sena e Colégio Moderno.
Embaixadores - Com o início das modalidades coletivas, um novo time de Embaixadores dos Jogos Escolares da Juventude chega à capital paraense. A armadora da Seleção Brasileira de basquete e atleta olímpica Adriana Moisés Pinto (Adrianinha), bronze nas Olimpíadas de Sidney 2000, e o ex-jogador da Seleção Brasileira de voleibol Anderson Rodrigues, ouro em Atenas 2004 e prata em Pequim 2008, passam a acompanhar os jovens alunos-atletas, na maior competição esportiva escolar do Brasil.
Os Jogos Escolares da Juventude Belém 2013 são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico Brasileiro, correalizados pelo Ministério do Esporte e Organizações Globo, com patrocínio da Coca-Cola e apoio do Governo do Estado do Pará e da Prefeitura Municipal de Belém. (Texto da Assessoria de Imprensa dos Jogos Escolares da Juventude, em Belém: Daniel Varsano / Danilo Shimada).


Terceirização vai garantir melhor alimentação a internos da Susipe
A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) está dando continuidade ao processo de terceirização do fornecimento da alimentação em todas as 42 unidades prisionais do Estado. A medida visa melhorar a qualidade da alimentação servida aos detentos. No novo modelo, as empresas vencedoras da licitação são responsáveis pela adequação (com reformas) das cozinhas dos centros de detenção, de acordo com as normas da vigilância sanitária, e também devem empregar, no mínimo, 30% da mão de obra carcerária.
Segundo o titular da Susipe, André Cunha, a medida cria novas oportunidades de postos de trabalho dentro da unidade prisional e melhora a questão da logística na alimentação dos internos. “Os postos de trabalho vão proporcionar uma qualificação profissional para esses presos que trabalharem, com isso aumentamos não só a oferta de trabalho, mas também criamos uma janela de qualificação profissional, que faz parte da questão da reinserção social. O alimento produzido no modelo terceirizado também libera a gestão da própria unidade prisional para se dedicar mais a questões comoa reinserção social e a segurança, já que a alimentação passa a ser de responsabilidade da empresa e o Sistema Penitenciário fica então com a tarefa de supervisão desse modelo de contrato. Isso traz a redução do fluxo de licitações, de contratos e de logística com transporte e entrega de alimentos”, declara.
As unidades prisionais do Estado foram divididas em quatro grandes áreas para licitação. A empresa responsável pela terceirização da alimentação das unidades prisionais da Região Metropolitana de Belém iniciou a prestação de serviços no mês de julho. No Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua, a alimentação atualmente é fornecida diretamente pela empresa vencedora da licitação. As obras de reforma da nova cozinha começaram no fim da segunda quinzena de julho e estão em fase de conclusão. A entrega da nova cozinha está prevista já para a próxima segunda-feira (18).
O local será dividido em diversos ambientes seguindo as normas da vigilância sanitária e de acordo com a respectiva etapa de produção dos alimentos. Para o armazenamento de proteínas serão utilizados quatro freezers, sendo um freezer para cada tipo de proteína animal a ser armazenada. O preparo e corte das carnes será realizado por um açougueiro profissional em um ambiente climatizado. Em outra área, também climatizada, será realizado o corte e preparo dos vegetais.
O espaço principal da produção da alimentação das internas contará com utensílios de uma cozinha industrial, como fornos, chapas, fogão de alta pressão e um fogão industrial de 6 bocas.  No último ambiente, os alimentos já prontos serão embalados em marmitas para serem distribuídos para as internas. O lixo será armazenado em um local específico, localizada nos fundos da cozinha para não haver contato com o alimento cru ou já preparado.
Segundo a nutricionista Carla Amoedo, serão servidas diariamente três refeições às internas, com café da manhã (570 por dia), almoço e jantar (1.140 por dia). “As internas do CRF que vão trabalhar na cozinha vão receber capacitação para posteriormente receberem a carteira de manipulação de alimentos. As internas trabalharão como auxiliares de serviços gerais, atuando na limpeza do ambiente, equipamentos e utensílios”, declara a nutricionista.
A diretora do Centro de Recuperação Feminino, Carmem Botelho, diz que a terceirização da cozinha vai proporcionar que as internas sejam contempladas com alimentação de qualidade sem que a direção da unidade precise se preocupar com a demanda do fornecimento, já que isto fica a cargo da empresa contratada. “Apesar de não ficar mais a cargo da direção o fornecimento da alimentação, sempre vai haver uma fiscalização para que se mantenha um padrão de qualidade”, finaliza. Até o fim deste ano, todas as 14 unidades prisionais da Região Metropolitana de Belém já estarão com novas cozinhas em funcionamento para o preparo da alimentação dos internos.

Texto:
Timoteo Lopes-Susipe


Indígenas participarão de oficinas de audiovisual na Fundação Curro Velho
Três jovens indígenas - Panhop Kayapó, Bepto Kayapó e Kango Xikrin - chegaram nesta segunda-feira (11) à sede da Fundação Curro Velho, no bairro do Telégrafo, onde participarão, durante 15 dias, do intercâmbio étnico-cultural promovido pelo Governo do Pará, por meio da FCV.
Segundo Ednaldo Britto, técnico em Gestão Cultural, a ação da Diretoria de Extensão da Fundação Curro Velho integra um trabalho bem mais amplo, desenvolvido pelo governo do Estado. “Esse intercâmbio faz parte do Programa de Igualdade Étnico-Racial executado pelo Estado. Na Fundação Curro Velho trabalhamos no sentido de atender às demandas das populações indígenas, comunidades quilombolas, ribeirinhas e extrativistas”, informou o técnico.
Durante os 15 dias de atividades, os jovens indígenas participarão de duas oficinas de audiovisual - Iniciação à Fotografia, com Joyce Nabiça, e Iniciação à Linguagem Cinematográfica, com Gilberto Mendonça. O intercâmbio prevê ainda uma visita, no próximo dia 21, aos estúdios da TV Cultura do Pará, e no dia 27 ao Núcleo de Produção Digital, do Instituto de Artes do Pará (IAP).
Na manhã desta segunda-feira, os indígenas conheceram várias oficinas de arte e ofício da Fundação Curro Velho, como Serigrafia, Produção de Papel Reciclado, Cestaria e Design de Objetos.
Bepto Kayapó, 28 anos, disse que os três indígenas pretendem aprender a manusear máquinas fotográficas e câmeras de filmagem, “para mostrar as imagens do nosso povo para os mais jovens”.
O intercâmbio étnico-cultural é uma realização do Governo do Pará, por meio da Secretaria Especial de Promoção Social e Fundação Curro Velho, com a parceria da Fundação Nacional do Índio (Funai), da Fundação de Radiodifusão do Pará (Funtelpa) e IAP.

Texto:
Andreza Gomes-FCV


Seicom faz seminário para discutir a logística na região amazônica
A Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), em parceria com a Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), promove o I Seminário de Logística da Amazônia, a partir desta terça-feira (12), no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia. O evento vai discutir resoluções para demandas de infraestrutura no Pará.
“O Corredor Logístico Centro-Norte”, “O Setor de Construção Naval e Offshore Paraense” e “Oportunidades com o novo Marco Regulatório Portuário Brasileiro” são alguns dos assuntos que serão abordados. O seminário é o primeiro evento voltado exclusivamente para o setor de logística na região e deve reunir cerca de 500 pessoas.
Outro tema que também vai ser discutido com o público, e um dos principais do seminário, é a ampliação do Canal do Panamá. A obra deve ser finalizada em 2015 e coloca o Pará no melhor ponto estratégico das Américas, o que auxiliaria o desenvolvimento de uma política de comércio exterior junto aos Estados Unidos, Europa e Ásia. A programação segue até quarta-feira (13), com entrada aberta ao público.

Texto:
Carol Klautal-Pará 2000


Hemopa é o segundo hemocentro a integrar projeto do Ministério da Saúde
Nesta terça-feira (12), a Fundação Hemopa se tornará o segundo hemocentro do país a integrar o projeto “Produção Mais Limpa (P+L)", da Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados (CSSH), do Ministério da Saúde. O Hemopa foi escolhido devido à excelência de sua gestão no Programa Nacional de Qualificação da Hemorrede (PNQH), que coordena o Projeto de Capacitação e Qualificação Técnica da Hemorrede Pública Nacional em Gestão Ambiental, a qual vai iniciar a execução do P+L a partir de um curso de capacitação para técnicos do Hemopa nesta terça-feira, às 8h30, no auditório do hemocentro.
Esta é mais uma iniciativa da CGSH destinada a alcançar a autossuficiência do país em hemocomponentes e hemoderivados, e a qualidade dos serviços relacionados à atenção hemoterápica e hematológica, a fim de atender aos objetivos do P+L - racionalização do uso de insumos, redução dos desperdícios, diminuição da geração de resíduos e dos impactos ambientais, e adequação dos processos gerados pela instituição, em conformidade com a legislação ambiental.
O P+L foi desenvolvido inicialmente no Hemocentro de Ribeirão Preto, em São Paulo, de junho de 2012 a junho de 2013. Dando continuidade ao planejamento, a CGSH selecionou o Hemopa para ser a segunda representante da hemorrede brasileira contemplada com o desenvolvimento do projeto, que será executado por especialistas da Rede de Tecnologias Limpas da Universidade Federal da Bahia (UFBA/Teclim), em parceria com a CGSH.


Curso da Uepa promovem congresso de filosofia e ciências da religião
Estudioso sobre ética e filosofia política, o doutor em filosofia e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Uerj) André Berten ministra a conferência de abertura do I Congresso Regional de Filosofia e Ciências da Religião, nesta terça-feira (12), às 17h30, no auditório do campus I da Universidade do Estado do Pará (Uepa), no bairro do Telégrafo. O evento é uma iniciativa de ambos os cursos de graduação da Uepa.
André Berten falará sobre “Filosofia e ciências da religião: interfaces entre ensino e pesquisa”, tema central do evento. Entre outros tópicos, ele abordará as linhas de pesquisa comuns entre as duas áreas do conhecimento, os interesses de estudo de pesquisadores, os procedimentos éticos nos estudos de ciências da religião e como eles se relacionam no dia a dia das pessoas.
O congresso segue até quinta-feira (14), com mesas redondas, comunicações orais e ainda lançamento de livros. Para as conferências e palestras estão programados encontros com pesquisadores da Uepa, entre eles, Manoel Ribeiro de Moraes Júnior, Saulo de Tarso Cerqueira Baptista, Antonio Jorge Paraense da Paixão e Maria Betânia Barbosa Albuquerque.
A proposta do evento é proporcionar a docentes, discentes, pesquisadores e público em geral um espaço de diálogo, buscando a construção e a produção de conhecimento, articulados ao ensino e à pesquisa na universidade, contribuindo para o avanço da qualidade do ensino na formação de professores. Mais informações sobre o congresso podem ser obtidas pelo site http://sistemas.uepa.br/confilcre/Inicial/ ou pelo telefone (91) 4009-9522 e e-mail crelig.uepa@gmail.com.

Texto:
Ize Sena-Uepa


Emater dá curso de pintura em tecido para grupo de mulheres
Trinta mulheres de comunidades de Marituba, Benevides e Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, e do distrito de Mosqueiro, em Belém, participam do curso de pintura em tecido oferecido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater). A capacitação, iniciada segunda-feira (11), faz parte de um trabalho permanente da empresa junto a essas comunidades como forma de geração de emprego e renda e organização social.
Segundo a técnica da Emater Benedita Pereira de Barros, ministrante do curso, o grupo que participa do treinamento já tem conhecimento básico de artesanato e está aperfeiçoando as técnicas. “No curso, recebem um aprendizado sobre pintura para o acabamento em artigos e acessórios, como guardanapos, toalhas, bolsas e blusas”, explica.
No fim da atividade, no próximo dia 22, o grupo fará a exposição dos trabalhos. “O que elas produzirem durante o curso já servirá como mostra do trabalho”, diz Benedita, enfatizando ainda que o trabalho com o artesanato contribui para a independência financeira dessas mulheres e significa um acréscimo de 30% a 50% na renda familiar.
Ivony Cardoso é agricultora há três anos e participa de atividades de capacitação da Emater. Ela vende seus produtos de artesanato principalmente na própria comunidade, Murunim, em Benevides, garantindo, por mês, entre R$ 300 a R$ 350 no orçamento familiar. “Nessas atividades já aprendi artesanato em fitas, pedraria e confecção de bonecas, e participo de eventos com o apoio da Emater. Com mais este curso, espero aperfeiçoar meu trabalho e conquistar mais mercado”, afirma.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater


Agricultores de Barcarena aprendem técnica de compostagem orgânica
Vinte e cinco agricultores familiares da zona rural de Barcarena, no Baixo Tocantins, receberão informações sobre a produção de compostagem orgânica por meio de demonstração técnica que será feita pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) na manhã desta terça-feira (12). Com o objetivo de recuperar áreas degradadas no município, a empresa implantou em outubro deste ano uma unidade demonstrativa da confecção do produto.
A atividade ocorre a partir das 9 horas, na propriedade do agricultor familiar assistido pela Emater Enoque Oliveira Fonseca, na comunidade Embrasa, onde a unidade foi implantada, mês passado. Moram no local cerca de 50 famílias, que vivem basicamente da agricultura de subsistência, mandiocultura e produção de açaí.
Segundo o técnico da Emater Lauro da Cunha, Barcarena apresenta cerca de 50% de áreas degradadas, o que já dificulta a produção agrícola familiar. Com a unidade demonstrativa, a empresa pretende multiplicar o conhecimento sobre a técnica para que estas áreas sejam recuperadas. “Nossa intenção é mostrar que é possível usar áreas degradadas com o uso da compostagem orgânica, com a qual conseguimos recuperar a constituição físico-quimica do solo”, explica.
A compostagem orgânica resulta de um processo de fermentação de elementos encontrados no meio ambiente e considerados como lixo, tais como folhas e galhos secos e esterco animal. Esse processo de decomposição do material orgânico, que pode ser feito em cada propriedade familiar, será mostrado passo a passo pela equipe da Emater. A expectativa é que áreas sem uso possam voltar a ser produtivas em curto prazo.
Outra vantagem da demonstração prática é o fator econômico. Segundo a Emater, no município uma saca de 25 quilos de compostagem orgânica é comercializada em média por R$ 20. O agricultor que passar a produzir o próprio adubo terá uma economia de pelo menos 30% nas despesas com manutenção das áreas produtivas. “Tomando como exemplo a cultura da pimenta-do-reino, na qual são necessários dois quilos de adubo por pé, o produtor deixa de gastar mais ou menos R$ 2 mil”, exemplifica o técnico.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater


Regulamento técnico da carne de caranguejo está em fase de finalização
Até o fim deste mês, as normas e procedimentos técnicos para extração e manuseio da carne de caranguejo devem ser encaminhados para consulta pública antes da publicação oficial, que está prevista para janeiro de 2014. O diretor técnico da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), Ivaldo Santana, explica que o processo de construção do regulamento técnico é feito por profissionais da Adepará, juntamente com instituições como a Federação de Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa) e Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra).
Uma vez pronto, o regulamento será encaminhado para consulta pública em um prazo de até 30 dias para possíveis ajustes. “A previsão é que, em janeiro de 2014, o regulamento da extração da carne de caranguejo seja publicado. Será um ganho para o próximo ano”, diz o diretor técnico. Ele explica que, a partir de então, os futuros estabelecimentos terão, obrigatoriamente, que se adequar às normas definidas para poder fazer o processamento da carne de caranguejo.
Desde 2009, a comercialização da carne de caranguejo está proibida. A determinação deu-se por conta da forma como essa carne é extraída, sem condições de higiene e sem o tratamento adequado, podendo trazer malefícios ao consumidor. Como uma das atribuições da Adepará é a fiscalização dos produtos de origem animal e vegetal, tratando-se da carne de caranguejo, a intensificação da fiscalização procede para, neste caso, interromper a extração da carne em locais inadequados e a comercialização do produto com risco ao consumidor.
É comum encontrar um cenário de fácil contaminação, com mesas e instrumentos não adequados para manipulação do caranguejo e animais transitando nas proximidades da manipulação, por exemplo. Os municípios do nordeste paraense, por serem grandes produtores de caranguejo vivo, estão sob intensa fiscalização, a exemplo de São Caetano de Odivelas, Bragança, Colares, Vigia e São João da Ponta, entre outros.
Segundo Ivaldo Santana, a Adepará intensifica a fiscalização nos postos fixos e volante para coibir a venda clandestina da carne de caranguejo. O diretor diz ainda que o Ministério Público tem cobrado da Adepará a intensificação da fiscalização volante, a fim de que o produto em trânsito ilegal pelas estradas do Pará seja apreendido e incinerado.
Diante deste cenário, técnicos da Adepará agilizam a finalização do regulamento técnico da carne de caranguejo, que definirá normas que estipularão condições higiênico-sanitárias satisfatórias, a fim de que o consumo seja salutar para o consumidor, sem riscos de doenças. “A sociedade quer muito consumir a carne de caranguejo, afinal, é um importante produto da culinária paraense, mas com garantia. Por isso é preciso garantir o bom trato na manipulação do produto”, diz o diretor.
A regulamentação do processo de produção impõe procedimentos e o cumprimento de etapas. A extração da carne de caranguejo é uma produção que não exige grandes espaços, mas é preciso que haja estabelecimentos com pequenos ambientes adequados para o manuseio, extração e posterior higienização, a fim de evitar qualquer possibilidade de infecção. São necessários ao menos dois ambientes, um para higienização e lavagem e outro para processamento e embalagem.
O regulamento técnico também visa garantir o treinamento de boas práticas junto a toda família que trabalha na extração da carne, além da apresentação da carteira de saúde, a obrigatoriedade no uso de máscaras, luvas e gorros e equipamentos em inox, em prol de uma boa higienização após o uso e estabelecimentos azulejados para facilitar a assepsia diária.
Ivaldo Santana ressalta ainda que todo esse processo passa pela própria conscientização, por parte das famílias, acerca de boas práticas. Isso exigirá qualificação. O treinamento poderá ser oferecido por instituições como o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater).
O diretor da Adepará afirma que há uma resistência a ser rompida. “As famílias ainda preferem trabalhar individualmente, em vez de se organizar em associações de produtores ou cooperativas. Isso precisa mudar”, declara. “Trabalhar individualmente aumenta o custo, principalmente em função das exigências que virão com a regulamentação técnica, mas também existe a expectativa de investimentos por parte de autoridades municipais para viabilizar essa geração de trabalho organizado e renda, a fim de atender um número maior de famílias”, finaliza Santana.

Texto:
Christina Hayne-Adepara


Cresce a demanda por regulamentação de produtos artesanais
O ano de 2014 será o ano do produto artesanal. A afirmação é do diretor da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), Mário Moreira. Os técnicos da agência estão trabalhando na preparação de regulamentos que determinarão os procedimentos e normas adequados à extração, manuseio e transporte de produtos artesanais a fim de que cheguem ao ponto de venda com certificado de qualidade e segurança nutricional.
O diretor técnico da Adepará, Ivaldo Santana, explica que está entre as missões da agência a inspeção e fiscalização de produtos de origem animal e vegetal, assim como suas regulamentações. Entre os produtos artesanais já regulamentados estão o queijo, o camarão salgado e o tucupi.
Com a regulamentação, produtores garantem o registro que atesta a origem e certifica o produto. No segundo semestre deste ano, a Adepará emitiu seis registros, distribuídos em queijo do Marajó (três), queijos de diversos tipos (um), camarão salgado (um) e laticínio (um), enumera o diretor técnico.
Em fase de elaboração do regulamento técnico, estão a maniva pré cozida, a carne de caranguejo, doces em compota (que já tem demanda confirmada) e as polpas regionais. “No caso das polpas de frutos comercializadas, grande parte já tem padrão adequado para venda, mas algumas não possuem o padrão exigido, a exemplo do bacuri”, explica Ivaldo, ressaltando que, por esse motivo, faz-se necessário definir as normas. “A regulamentação garante a qualidade”, afirma.
A farinha de tapioca é um dos produtos que estão na linha de frente pela busca da regulamentação em 2014, pois a demanda é grande e crescente, assim como a carne de caranguejo. Outro regulamento técnico que está a caminho é o direcionado para os hortifrutigranjeiros. Nesse caso, a regulamentação exigirá a venda de produtos minimamente processados, ou seja, os produtos deverão passar por um processo de lavagem e higienização, a exemplo daqueles que são colocados em bandeja de isopor com o papel filme plástico.
A certificação dos produtos agropecuários é um processo que permite ampliar mercados, expandir as vendas, diferenciar e qualificar os produtos, desenvolver a confiabilidade dos consumidores e gerar riquezas para o agronegócio, bem como se tornou um quesito decisivo na relação com os consumidores atentos aos processos produtivos que atendam às normas sanitárias, ambientais e, sobretudo, à origem e qualidade.
Produtos registrados:
Queijaria Mironga - Soure
Queijaria Peua - Soure
Queijaria Prudencinho - Cachoeira do Arari
Queijaria da Fonte (diversos tipos de queijo) - Peixe Boi
Camarão Salgado - Demare Pescados - Curuçá
Laticínios Casp - Vigia
Em fase de regularização:
Água de coco - Belém
Papa Açaí - polpa de açaí - Belém
Kimaniçoba - manica pré-cozida - Inhangapi
Assis Fadul - queijo do Marajó - Soure
Bom do Leite - queijo Minas Frescal - São Francisco do Pará
Vita Leite - queijo Minas Frescal - Tailândia

Texto:
Christina Hayne-Adepara


Emater vai discutir a produção do limão taiti em Monte Alegre
Um aumento de até 30% na produção do limão  taiiti está sendo perseguido por agricultores familiares e técnicos do setor agrícola que se reúnem em Monte Alegre, no oeste paraense, na próxima sexta-feira, para um Dia de Campo que abrangerá os municípios de Almeirim, Alenquer e Prainha. O evento, que começa às 8 horas, no Km 25 da PA-254, deve reunir cerca de 200 participantes.
O Dia de Campo cumpre uma das etapas do programa de fortalecimento da cadeia produtiva em Monte Alegre, responsável pela segunda maior fonte de economia da região. As etapas anteriores do processo incluíram capacitação da equipe técnica e palestras técnicas com os agricultores para tratar especificamente do cultivo do limão.
Em Monte Alegre, a Emater realiza um diagnóstico georreferenciado sobre a cultura do limão: o município possui 220 mil pés do fruto em produção, com 250 produtores dedicados ao cultivo, todos familiares. Em 2013, a safra, que acontece de agosto a novembro, alcançou cerca de 18 toneladas, pelo menos 40% mais que na safra ocorrida no mesmo período de 2012.
Por árvore, Monte Alegre colhe, hoje, 80 quilos do  fruto, durante a safra. Segundo estimativa da Emater esse número deve aumentar em 30% somente com a adoção de tecnologias e práticas adequadas à cultura. “Se os agricultores trabalharem com espaçamento correto, prática de poda e escolha de mudas adequadas, essa produtividade pode aumentar”, diz o técnico da Emater Alain Xavier.
Toda a produção do limão em Monte Alegre tem mercado garantido: os estados do Amazonas e do Amapá são os que mais compram a fruta, comercializada in natura em feiras e supermercados locais. O comércio do limão no município paraense movimenta R$ 17 milhões, anualmente, e garante mais de mil empregos diretos e indiretos. 


Texto:
Iolanda Lopes-Emater


Secretário Especial de Proteção Social visita obras no interior
Em pouco mais de um mês no cargo, o secretário Especial de Proteção Social, Adnan Demachki, esteve nos municípios de Santarém, Itaituba e Tailândia. Nesta  semana, Adnan estará novamente no interior do Estado: dia 12 ele chega a Breves, no Marajó, e dia 13 em Altamira, no sudoeste do Pará. Dessa vez, Demachki irá acompanhado de mais três secretários de estado: Hélio Franco, da Saúde; Heitor Pinheiro, de Assistência Social, e Sávio Mileo, secretário adjunto de Justiça. O objetivo é fiscalizar o andamento de obras e avaliar os serviços prestados à população.



Santa Casa participa do Dia Mundial de Combate ao Diabetes
A Fundação Santa Casa, por meio da Gerência de Saúde do Trabalhador, realiza nesta quinta-feira, 14, ações de alerta pelo Dia Mundial de Combate ao Diabetes. Durante esta data a equipe multiprofissional do hospital vai desenvolver atos como distribuição de materiais educativos, busca de servidores diabéticos nos setores da instituição, além de realizar o teste de glicemia nos servidores que forem até a sala da ‘Saúde do Trabalhador’. O objetivo é promover ações de prevenção às doenças crônicas degenerativas, entre as quais hipertensão arterial e diabetes mellitus.


Fapespa e Sespa fazem avaliação final dos projetos do PPSUS
A Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa) e a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) vão promover, de 18 a 20 deste mês, o Seminário de Acompanhamento e Avaliação Final dos projetos do Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde – PPSUS, que tem apoio do Ministério da Saúde e do CNPq. O público-alvo são os pesquisadores que vão apresentar seus projetos, docentes, alunos, gestores e demais profissionais da área de saúde.
O Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde – PPSUS tem como proposta a descentralização do fomento à pesquisa em saúde do Ministério da Saúde. O apoio financeiro ao desenvolvimento de estudos para resolução de problemas prioritários locais de saúde da população brasileira tem o objetivo de fortalecer a gestão do SUS e de promover o desenvolvimento científico e tecnológico em saúde, em todo o país, por meio de parcerias entre instâncias federais e estaduais de saúde e de ciência e tecnologia, tendo como parâmetro as necessidades reais de saúde da população brasileira.
Para a operacionalização do PPSUS, o Ministério define e delega responsabilidades institucionais a cada um dos parceiros. Algumas etapas do programa, em especial os seminários de avaliação parcial e final dos projetos, requerem estreita cooperação entre a Sespa e a Fapespa, visando alcançar resultados expressivos e manter a excelência das pesquisas fomentadas. Neste evento, a metodologia avaliativa inclui uma banca examinadora composta por consultores locais, da Sespa e de fora do Estado, todos especialistas na área de saúde.
O objetivo do evento é possibilitar a apresentação dos resultados finais dos 43 projetos aprovados por meio do Edital Fapespa/Sespa/Cnpq 2009, frente aos especialistas de saúde, para que se possa iniciar uma discussão sobre a incorporação dos produtos das pesquisas financiadas. Essa busca pela inclusão é alvo do programa, uma vez que as propostas se desenvolveram nos temas previamente definidos como prioritários para a pesquisa em saúde do Estado.
O valor global do convênio firmado em 2009, entre as instituições, foi de R$ 6 milhões, sendo que R$ 2 milhões foram recursos da Fapespa e R$ 4 milhões do CNPq.
Serviço: Seminário de Acompanhamento e Avaliação Final dos Projetos Fapespa e Sespa. De 18 a 20 de novembro de 2013, às 8 horas, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia – Sala Multiuso. As inscrições poderão ser feitas no local do evento. A programação completa pode ser acessada no site da Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa).


Texto:
Simone Campos-Fundação Amazônia Paraense


Sepaq repassará alevinos a piscicultores de São Sebastião da Boa Vista
As comunidades que estão iniciando as atividades na área de piscicultura no município de São Sebastião da Boa Vista, na Ilha do Marajó, vão receber doações de alevinos da Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura (Sepaq). As famílias também terão capacitação e acompanhamento técnico. Isso foi acertado durante uma reunião entre o titular da Sepaq, André Pontes, o vereador Antonio Pinheiro Farias (PP) e o secretário de Pesca e Aquicultura de São Sebastião, Enaldo Soares Magno, na sede do órgão estadual.
A piscicultura em São Sebastião da Boa Vista será feita em tanques escavados que já estão prontos e passam agora pelo processo final de adequações para o início da produção. A previsão é que Sepaq inicie o trabalho no município ainda este mês.


Sagri entrega veículo para beneficiar agricultores familiares na Transamazônica
A Secretaria Estadual de Agricultura (Sagri) entregou nesta segunda-feira, 11, um veículo tipo camionete para atender os agricultores familiares rurais da região da Transamazônica beneficiados pelo Programa “Casas Familiares Rurais", que assegura uma educação diferenciada, envolvendo teoria e prática, para quem atua no campo. A entrega do veículo foi feita pelo titular do órgão, Hildegardo Nunes, ao coordenador da Fundação Viver, Produzir e Preservar, João Batista Uchoa Pereira, durante encontro na própria Sagri, em Belém.
A camionete será utilizada para dar suporte ao programa que hoje atende em torno de 600 alunos, filhos de agricultores dos municípios de Placas, Uruará, Medicilândia, Brasil Novo, Altamira, Senador José Porfírio, Vitória do Xingu, Anapu e Pacajá. O veículo foi adquirido com recursos do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) por meio do projeto “Territórios da Cidadania”, com contrapartida do Governo do Pará. “O veículo dará suporte às casas pedagógicas, sendo importante no acompanhamento do projeto que tem como uma das metas garantir a melhoria da produção agrícola”, disse Hildegardo.


Susipe intercepta tentativa de fuga no CRF em Ananindeua
A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) informa que duas internas do Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua, tentaram fugir da Unidade Prisional, na manhã desta segunda-feira, 11. Mas, a fuga foi interceptada por agentes penitenciários de plantão. As duas internas foram encaminhadas à Seccional da Cidade Nova. Em depoimento à Polícia, elas confirmaram que serraram as barras da grade da cela e que um funcionário contratado por uma empresa terceirizada que executa obras na Unidade Prisional do CRF é quem teria repassado a serra metálica. Um inquérito policial foi aberto para apurar o caso. A Susipe solicitou o afastamento imediato do funcionário até que as investigações sejam concluídas. As internas foram autuadas em flagrante por danos ao patrimônio e irão cumprir medida disciplinar por 10 dias.



Polícia controla princípio de motim no CTMII em Ananindeua
A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) confirma um princípio de motim na Central de Triagem Metropolitano II (CTMII), em Ananindeua. Por volta das 11h30 desta segunda-feira, 11, quatro presos de uma das cela do bloco "A" se recusaram a sair para o banho de sol. Os agentes penitenciários desconfiaram do fato e acionaram homens da Companhia de Operações Especiais (COE) da PM para realizar uma revista no bloco carcerário. O banho de sol foi suspenso em toda a Unidade Prisional por medida de segurança, o que gerou um protesto de outros presos que começaram a atear fogo em colchões. A Polícia precisou efetuar disparos de advertência, mas a situação já está sob controle. Homens da COE fazem, neste momento, uma revista em toda a unidade prisional. A CTMII custodia hoje 254 internos do regime fechado, quando a capacidade é para 144. A Susipe informa que tem intensificado as revistas de rotina em todos os 42 centros de detenção do Estado. O objetivo é coibir a entrada de drogas e celulares nos presídios do Pará.


Seel solicita confirmação da imprensa para o jogo entre Paysandu e Palmeiras
A Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) informa que todos os veículos de comunicação (televisões, rádios, impressos e portais) que farão a cobertura do jogo entre Paysandu e Palmeiras, nesta terça-feira, 12, no Estádio Olímpico do Pará, deverão confirmar presença através do email imprensa@seel.pa.gov.br até às 12h do dia do jogo. A Ascom Seel ressalta que não é necessário confirmar nome da equipe de trabalho, apenas a presença do veículo de comunicação no Estádio para que todos sejam alocados nas cabines de imprensa de forma adequada. A confirmação está sendo feita devido à grande solicitação de cabines por parte da imprensa nacional para a cobertura do jogo.


Delegados de Polícia Civil garantem que não vão parar
Segurança foi o tema do programa de rádio Prestando Contas desta segunda-feira, 11. O governador do Estado do Pará, Simão Jatene, iniciou o programa lamentando os fatos ocorridos na última semana, que culminaram com a morte do sargento Elio Borges e de sua esposa Feliciana, e concluiu a edição lamentando por grupos utilizarem esta tragédia de forma sensacionalista e com notáveis interesses políticos.

No início desta tarde foi a vez do presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia e vice-presidente da Federação Nacional dos Delegados de Polícia, João Moraes, demonstrar indignação ao falar sobre a forma com que a morte de seus colegas policiais têm sido utilizada e tranquilizar a população sobre uma possível paralização geral da Polícia Civil. “As entidades de classe dos delegados de polícia não vão fazer nenhum movimento para beber nos defuntos (Elio e Feliciana), na base familiar dessas pessoas que amamos tanto. Não usaremos a morte de dois colegas para iniciar movimento contra o governo do Estado”, afirmou.

João Moraes ressaltou que as entidades de classe representativas dos delegados de polícia civil deliberaram, em assembleia, que vão aguardar um posicionamenro do governo quanto às reivindicações da categoria, feitas em forma de contra-proposta. “Nosso viés reivindicatório é aguardar um posicionamento do governo e que ele venha com sabedoria, com força e com vigor para a categoria dos delegados. Mas não seremos nós que vamos puxar nenhum movimento contra o governo usando a morte de dois colegas”, retificou.

Ele destacou que apesar de definir como necessárias e verdadeiras as reivindicações dos demais colegas, os delegados de polícia civil não participam do movimento grevista iniciado pelo Sindicato dos Servidores Públicos da Polícia Civil (Sindipol). "A dor das famílias do Hélio e da Feliciana é uma dor que todos nós compartilhamos, mas não vamos transformar isso em causa pública. A causa pública é diminuir a violência pelos métodos científicos que existem e que estão sendo aplicados, mas cuja eficácia ainda não é a esperada. Acreditamos que o secretário de Segurança Pública, o delegado geral e todos os policiais civis têm contribuído para o controle social, mas observamos que a demanda é muito grande e o aparato muito pequeno. As condições de trabalho não são as ideais, ainda que entendamos que o governo quer garantir o melhor para a sociedade”, pontuou.

Sobre a possível paralisação geral da Polícia Civil que está sendo propagada por meio de redes sociais, o presidente do sindicato dos delegados foi claro: “A associação dos delegados e a assembleia geral dos sindicatos, realizada há um mês, deliberou que nós iremos aguardar o governo se posicionar em relação às nossas reivindicações. Os delegados têm associação e têm sindicato e somente estes podem falar em nome da categoria”, afirmou, afastando, assim, a possibilidade de greve geral.

Texto:
Aycha Nunes-Polícia Civil


Santa Casa conclui transferência de prematuros para nova Unidade
Foi concluída hoje a transferência de bebês da Unidade de Tratamento Intensivo do prédio centenário para o novo complexo da Fundação Santa Casa. Trinta recém-nascidos foram remanejados, vinte dos quais, com peso acima de 2,5 kg, ocuparam leitos de uma ala do sétimo andar da Unidade Dr. Almir Gabriel, destinada a tratamento intensivo neonatal (UTI Neo). Outros dez leitos existentes no primeiro andar foram ocupados por bebês com peso inferior a 2,5 kg. Segundo a gerência de Enfermagem da área, 134 bebês estão internados nas UTIs e UCIs do hospital. 
Com o remanejamento, iniciado no último mês, a área de neonatologia que funcionava no antigo prédio passa a dispor de 156 leitos. Uma das coordenadoras da transferência, enfermeira Ana Carolina Paiva, explicou que o trabalho envolve uma equipe composta por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas. Segundo ela, a nova UTI representa um ganho estrutural: "Está disponível uma nova estrutura, moderna, refrigerada, que respeita aspectos como o espaço entre os leitos", elogiou.
O autônomo Endey Bronze, morador de Belém, acompanhou a transferência do seu primeiro filho para a UTI Neo, no sétimo andar. O menino, que nasceu prematuro, há mais de 20 dias, está em fase de acréscimo de peso. Endey enfatizou que o trabalho da equipe da Santa Casa é cuidadoso. "Foi tudo bem e eu tenho certeza de que os médicos estão fazendo a parte deles com cuidado".
A secretária Viviane Tomé, também moradora de Belém, está com seu filho internado na UTI Neo do primeiro andar. "Não tenho dúvidas de que aqui é melhor. O espaço é mais adequado nessa unidade", ponderou. O filho de Viviane nasceu prematuro, há mais de um mês. A mãe visita o bebê todos os dias e fica no hospital das 10 às 18 horas, para acompanhar sua recuperação.



Texto:
Nilson Cortinhas-Santa Casa


Cultivo de horta auxilia no tratamento de pacientes psiquiátricos
O plantio e cultivo de hortaliças, fonte de renda para alguns e excelente forma de conseguir alimentos saudáveis, vem sendo utilizada no tratamento de pacientes psiquiátricos da Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV). Atividades desta natureza são adotadas por diversas instituições que tratam de pacientes com transtornos mentais. O projeto, idealizado pela terapeuta ocupacional Márcia Nunes, conta com o apoio de residentes da Universidade do Estado do Pará (Uepa) e de dois jardineiros da fundação e vai atender aos pacientes do Serviço de Internação Breve (SIB) e Emergência Psiquiatrica da FHCGV.
O objetivo é propiciar aos pacientes uma atividade auxiliar ao seu tratamento, e, dessa forma, dar ênfase à relação terapeuta-paciente, e também à importância do pertencimento a um grupo, a convivência e a comunicação com o outro. Para Márcia Nunes é preciso fazer com que o paciente seja o sujeito do processo, crie autonomia no pensar, tenha capacidade de planejar o próprio trabalho, estimule a memória e possa participar do processo de gestão da horta. Ela acredita que o contato com a terra ajude os pacientes a expressar seus sentimentos. “Muitas vezes os pacientes chegam ao hospital com problemas de memória e atividades como esta podem ajudar a melhorar esse quadro”, disse Márcia.
De acordo com o chefe da Psiquiatria do HC, Dr. Carlos Teixeira, é importante fazer com que pacientes psiquiáricos estimulem suas habilidades motoras e cognitivas e que possam ocupar o tempo com atividades que possibilitem sua reinserção social. “Os pacientes psiquiatricos geralmente tem muita energia e precisamos fazer com que eles usem esse excesso de energi com exercícios físicos, e com atividades lúdicas e sociais. Também é bom que eles se sintam úteis e a contribuição na horta vai proporcionar isso a eles”, ressaltou.
Para participar das atividades na horta os pacientes precisam passar por uma rigorosa triagem onde é verificado se suas condições clínicas não comprometem o seu desempenho. As atividades na horta serão realizadas duas vezes ao dia, durante o horário de lazer dos pacientes.

Texto:
Felipe Gillet-HC


Xingu terá centro de referência para saúde do trabalhador
O Centro de Referência Regional de Saúde do Trabalhador (Cerest) da região do Xingu, no município de Altamira, será entregue à população, nesta quinta-feira. 14, às 9 horas, pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). A solenidade de inauguração encerrará a programação de capacitação para implantação do serviço, que acontecerá nos dias 12 e 13, no auditório da Secretaria Municipal de Saúde de Altamira.
Com a denominação de Cerest Xingu ou Cerest Tranzamazônica, o serviço vai funcionar nas dependências do prédio da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), situado ao lado do principal cemitério de Altamira, e compor a Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador (Renast), formulada entre o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais e municipais de saúde. O propósito é articular, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde dos trabalhadores urbanos e rurais - independentemente do vínculo empregatício e tipo de inserção no mercado de trabalho.
A atuação em Altamira servirá como referencial técnico para os municípios de abrangência, por meio de educação permanente, no sentido de proporcionar suporte na realização de inspeções em ambientes de trabalho e da articulação entre as cidades para o fortalecimento da rede, conforme pontua o informe técnico da Renast, cujos serviços são disponibilizados nos Centros de Referência.
Vinculado à Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Cerest é um polo do SUS destinado a ações que promovam a saúde do trabalhador. Tem como objetivo coordenar e articular as diretrizes da política nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador, por meio da atenção integral à saúde nas zonas urbana e rural.
As ações estão voltadas para a redução de acidentes, doenças ocupacionais e outros agravos relacionados ao trabalho. O Cerest também trabalha com a elaboração de programas de educação e prestação de serviços sociais que orientam indivíduos, famílias e a comunidade sobre seus direitos e deveres. No Pará já existiam quatro: o Metropolitano, em Belém; Araguaia, em Conceição do Araguaia; Baixo Amazonas, em Santarém, e Itacaiúnas-Tocantins, localizado em Marabá. O Cerest dá apoio especializado - em parceria com as vigilâncias sanitárias e outros órgãos - à realização de inspeções em ambientes de trabalho, além de promover capacitações dos trabalhadores do SUS e abordar os aspectos sociais da saúde e da doença.
Funcionários do Ministério da Saúde e da Sespa, por meio das representações do Cerest e do 10º Centro Regional de Saúde, participarão do primeiro dia da programação de capacitação, nesta terça. Entre os temas que serão abordados estão a Saúde do Trabalhador; Projetos Desenvolvidos pelo Cerest Estadual; Gestão da Renast; Gestão do Cerest; Controle Social e plano de atividades para o novo Cerest.



Texto:
Mozart Lira-Sespa


Arrecadação própria cresce, mas repasses caem
A receita própria do Estado do Pará cresceu 7,7% em termos reais, entre janeiro e setembro de 2013 na comparação com o mesmo período do ano anterior. Balanço da Secretaria da Fazenda (Sefa) demonstra que a receita passou de R$ 5,4 bilhões para R$ 6,2 bilhões em nove meses. O ICMS, principal imposto estadual, teve crescimento real de 4% neste período, passando de R$ 5,02 bilhões para R$ 5,56 bilhões. O IPVA cresceu 6,8%. A receita própria representa 64% da receita estadual e a receita transferida 36%. Em comparação com 2012, as receitas transferidas cresceram apenas 2%, em termos reais. Os repasses federais caem a cada ano, colocando as finanças estaduais em risco de desequilíbrio.
Em 2013, a diferença entre o valor estimado do FPE do Pará, e o valor efetivamente repassado será de quase meio bilhão de reais a menos, conta feita com base nos cálculos da Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Em 2011 o Estado recebeu R$ 4,2 bilhões de repasses do FPE. Em 2012 o valor repassado caiu para R$ 4,1 bilhões. A expectativa este ano era alcançar R$ 4,3 bilhões, mas o valor total não deve chegar a R$ 3,9 bilhões. Ou seja, R$ 200 milhões a menos do que em 2012 e R$ 300 milhões a menos do que o Pará recebeu em 2011. A causa da queda é a política de desonerações fiscais promovida pelo governo federal no âmbito do Imposto sobre produtos industrializados (IPI) e do Imposto de Renda.
Outro ponto destacado pelo secretário da Fazenda, José Tostes Neto, neste panorama de instabilidade fiscal é o sucessivo adiamento, pelo governo federal, das transferências do Fundo de estímulo as exportações, que iria compensar as perdas da desoneração das exportações. “O ressarcimento nunca compensou totalmente as perdas dos estados. Ao contrário, a União tem reduzido sistematicamente as compensações. De 1997 a 2012 as perdas pelas exportações desoneradas evoluíram 1009% entre os estados exportadores, mas a compensação cresceu apenas 241%. A cobertura das perdas, que nos primeiros anos de vigência da Lei  Kandir estava em pouco mais de 50%, em 2012 alcançou apenas 11,7%”.
O secretário lembra que a União não editou, até hoje, a medida provisória “destinada a viabilizar os repasses do Auxílio financeiro para Fomento das Exportações, relativos ao exercício de 2013, no valor global de R$ 1.950 milhões, alocados para essa finalidade no Orçamento da União. O repasse do Auxilio contribuiria para reduzir a dificuldade financeira que também é enfrentada pelos municípios, a quem cabe 25% deste recurso diretamente”, argumenta Tostes.
“Os índices fiscais do Pará continuam bons: o superávit primário, que é a arrecadação menos os gastos, indica contas sob controle, bem como o nível de endividamento. As aplicações legais para saúde e educação estão acima dos limites definidos pela lei. Mas há um quadro adverso no país que não pode ser negado. O governo federal admite que há uma crise fiscal em curso, e a União não deve cumprir este ano a meta de superávit primário. Em setembro o setor público no Brasil registrou déficit primário recorde. Esta situação coloca os estados em alerta, porque os orçamentos estão relacionados. Por isso, neste momento, o governo está agindo com extrema cautela para manter a estabilidade financeira, duramente conquistada após os profundos ajustes fiscais promovidos em 2011 e 2012”.
Aplicações
O Poder Executivo não possui um bilhão de reais e novecentos milhões em aplicações financeiras, explica o secretário da Fazenda: “Semana passada houve a divulgação de uma informação equivocada, de que o Estado teria valores superiores a um bilhão e novecentos milhões em aplicações financeiras, disponível para uso imediato. É preciso esclarecer esta questão. Os saldos apresentados na conta do Siafem registram valores aplicados por todos os órgãos da administração pública estadual, que estão em constante fluxo, pelo ingresso de novos valores e redução pelo resgate. Estes valores consolidam as disponibilidades dos três Poderes estaduais, e não somente ao Executivo, e também são recursos vinculados às operações de crédito, convênios diversos, Fundo Nacional de Saúde, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Merenda Escolar, reservas de contingência e outros, que ficam aplicados até o momento da utilização”.
“A maioria destes recursos destina-se a aplicações específicas, ou seja, tem vinculação obrigatória, são o que as pessoas chamam popularmente de recursos ‘carimbados’, e não podem ser disponibilizados pelo Executivo, que não pode utilizar esses valores para destinações outras que não aquelas para os quais estão vinculados”, informa Tostes. “O Estado não dispõe, infelizmente, deste montante para uso imediato. Esta confusão relacionada aos valores pode ser compreensível, pois o orçamento público é um tema pouco conhecido e muito menos compreendido, mas é preciso cuidado para não fazer afirmações que não se sustentam a partir da análise de dados, nem utilizar os números para propagar inverdades”.

Texto:
Ana Márcia Pantoja-Sefa


Concertos Didáticos levam centenas de estudantes ao Theatro da Paz
Crianças e adolescentes de mais de dez escolas públicas da capital e de municípios da Região Metropolitana de Belém tiveram uma manhã divertida ao som de música brasileira e ritmos paraenses, durante mais uma edição do projeto Concertos Didáticos, realizado pela Fundação Carlos Gomes, em parceria com a Seduc, Secult e Theatro da Paz.
Os alunos lotaram a plateia e a varanda do teatro para assistir a atrações como o Trio Raízes, grupo artístico da Fundação Carlos Gomes, que participou pela primeira vez do projeto. Formado por Miguel Neto (saxofone e clarinete), Edivaldo Junior (violão) e Joca Silva (pandeiro), o trio mostrou um repertório eclético passeando por vários gêneros musicais. No decorrer da apresentação, a plateia ajudou a improvisar o repertório porque interagiu com palmas e até cantando as canções mais conhecidas, principalmente quando os músicos tocaram sucessos da Banda Calypso e da cantora Lia Sophia.
O Trio Raízes mostrou a sonoridade de instrumentos como o violão de seis e oito cordas, clarinete, saxofone e pandeiro. A performance inclui até temas de filmes de animação, criando uma empatia direta com o público. O professor Miguel Neto também usou o mesmo recurso e fez os estudantes lembrarem de um personagem conhecido da televisão: a filha mais velha da família Simpson, Lisa, do famoso desenho animado norte-americano, que toca o instrumento.
Ao violão, o professor Edivaldo Júnior tocou clássicos da MPB como ‘Lamentos’, uma das composições mais famosas de Pixinguinha, para comentar sobre um estilo genuinamente brasileiro: o chorinho.
A Escola Estadual de Ensino Fundamental Padre Josimo Tavares, localizada em Benfica, no município de Benevides, levou 85 alunos para o Theatro da Paz. Foi a primeira vez que a escola participou do projeto. Um dos momentos em que a plateia mais interagiu com os músicos foi quando o professor Joca Silva, do Instituto Estadual Carlos Gomes, falou sobre a origem do pandeiro e a importância do instrumento para a música. "O pandeiro começou a ser tocado nas danças ciganas apenas para marcar o tempo, depois foi usado no choro e no maxixe, agora já faz parte das orquestras", explicou. Na sequência, os estudantes ouviram um trecho de ‘Aquarela do Brasil’, de Ary Barroso.
Wesley Hugo, de 16 anos, cursa a oitava série e tem vontade de aprender a tocar violão, mas se encantou com a parte do concerto que falou sobre o pandeiro. ‘Deu pra aprender muita coisa sobre esse instrumento, coisas que eu não sabia’, disse o estudante. Já Mariléia nascimento, de 15 anos, gostou das explanações sobre o violão. "Eu já tenho um violão em casa, mas ainda não sei tocar. Eu gosto muito de cantar MPB e quero aprender para poder dar marcação à voz", disse.
O projeto Concertos Didáticos continuam pela tarde com a apresentação do pianista Robenare Marques e um trio de jazz. Mais de 400 estudantes vão participar da atividade, que tem o objetivo de difundir a educação musical, estimular o interesse de crianças e adolescentes pela música e contribuir para a formação de plateias. Este ano, 12 concertos comentados foram realizados pela Fundação Carlos Gomes no Theatro da Paz.
Serviço: Concerto Didático com Robenare Marques e Trio, às 16h, no Theatro da Paz.

Texto:
Rosa Cardoso-FCG


Observadores de 20 países visitam pontos turísticos de Belém
Um dia inteiro dedicado à releitura da história, da cultura e dos principais atrativos turísticos da capital paraense foi oportunizado pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur) a representantes de cerca de 20 países, jornalistas de 10 estados brasileiros e centenas de atletas que participam, em Belém, dos Jogos Escolares da Juventude. As visitas começaram às 7 horas, pelo Complexo Ver-o-Peso, e seguiram pelo Complexo Feliz Luzitânia, com direito a duas paradas especiais no Palacete Pinho e no Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP).
O presidente da Paratur, Marcelo Mendes, acompanhou o grupo nos principais pontos de visitação e justificou a iniciativa do Governo do Estado: “Nossa parceria com o Comitê Olímpico Brasileiro e com o Núcleo de Esporte e Lazer da Secretaria de Estado de Educação tem como objetivo fortalecer a imagem do Pará enquanto destino turístico prioritário na Amazônia. Esta ação é complementar a outras iniciativas da Paratur de apresentar nacional e internacionalmente nossos produtos turísticos”.
Um pouco da história do período da Belle Époque foi apresentado através da belíssima arquitetura do Palacete Pinho. Já no museu, que guarda um conjunto de obras paraenses na forma de ambientes, pinturas, fotografias e objetos diversos, o diretor Sérgio Melo recepcionou o grupo com uma visita monitorada e uma apresentação de músicas brasileiras, feitas pelo Grupo Quorum na Sala da Descoberta, onde se encontra a obra “A Conquista do Amazonas” , de Antônio Parreira.  
Sérgio Lobato, produtor e também vocalista do grupo camerístico, que tem experiência com o resgate histórico-cultural de Belém, falou da satisfação de receber os observadores internacionais e profissionais de comunicação. “O Grupo Quorum tem uma parceria há sete anos com o museu e esta apresentação é fruto dessa parceria”. E se mostrou feliz de encontrar no grupo um representante de Cuba, país de origem de Maria Antônia Jimenez, ex-regente do grupo. 
Do Museu Histórico os jornalistas seguiram para o Mangal das Garças, Basílica de Nazaré e outros pontos turísticos de Belém, enquanto os observadores internacionais participaram de um river tour e um almoço típico em uma ilha próxima a Belém.
O passeio oferecido pela Paratur aos atletas começou no último domingo e também incluiu os principais pontos turísticos da cidade, em especial o Roteiro Expresso do Mangal das Garças. Até o próximo dia 16, quando se encerram os jogos, serão quatro passeios diários com grupos de 20 atletas em cada ônibus. No roteiro dos press trips e city tours estão a Estação das Docas, o Complexo Ver-o-Peso, o Centro Histórico (Forte do Presépio, Museu do Encontro e Catedral da Sé), Pólo Joalheiro, Praça Batista Campos e Basílica Santuário de Nazaré.
A ação é coordenada pela Diretoria de Marketing da Paratur, Seduc e COB, com apoio da Secretaria de Segurança Pública (Segup) e Transcurumim Transportes Turísticos.


Texto:
Benigna Soares-Paratur


Cine Líbero Luxardo exibe “Frances Ha” a partir desta quarta (13)
O Cine Líbero Luxardo, do Centur, exibe, a partir desta quarta-feira (13), o filme
“Frances Ha”. Os ingressos custam R$ 8, com meia-entrada para estudantes. O longa filme fala sobre Frances, que se joga de cabeça em seus sonhos. Ela deseja muito mais do que tem, mas leva a vida com leveza e alegria. ''Frances Ha'' é uma fábula contemporânea sobre a juventude, a amizade, as relações que se estabelecem nas grandes cidades, fracasso e redenção.
Frances é interpretada por Greta Gerwig. A personagem mora em Nova York, mas na verdade não tem um apartamento. Frances é aluna de uma companhia de dança, mas não é de fato uma bailarina. Ela tem uma melhor amiga, chamada Sophie (Mickey Sumner), mas na verdade elas não estão se falando mais. “Frances Há” tem um quê dos filmes da Nouvelle Vague, movimento artístico do cinema francês, com conversas que acontecem naturalmente entre as personagens, com uma garota inteligente e intensa como protagonista.
A obra é de Noah Baumbach, que já dirigiu filmes como “A Lula e a Baleia”, de 2005. Noah também foi parceiro de Wes Anderson no desenvolvimento dos roteiros de “A vida marinha de Steve Zissou” e “O fantástico Sr. Raposo”. Na trilha sonora, estão David Bowie, Rolling Stones e Paul McCartney, além de faixas de Georges Delerue, compositor que trabalhou em filmes de Truffaut, Godard, Alain Resnais e Louis Malle.
Datas e horários das sessões:
13 e 14/11 (quarta e quinta) - 19h30
16 e 17/11 (sábado e domingo) - 19h
20 a 23/11 (quarta a sábado) - 19h
24/11 (domingo) - 17h e 19h
Excepcionalmente, não haverá sessão no feriado de sexta-feira (15).

Texto:
Luiz Flávio-FCPTN


Curso de Enfermagem da Uepa comemora aniversário e se prepara para os 70 anos
O primeiro curso de graduação na área de saúde no Estado do Pará comemora os 69 anos de existência, avanços em pesquisas e na formação de profissionais. “Esta foi a primeira escola fundada no Estado. Há 69 anos nossa missão é formar profissionais continuamente. A enfermagem é uma tradição e vem se consolidando ao longo dos anos”, destaca a coordenadora do Curso de Enfermagem da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Terezinha Vieira, que ao lado de professores e alunos está à frente da programação de aniversário realizada ao longo desta segunda-feira, 11, no Campus IV da Universidade, no bairro do Guamá.
A programação de aniversário começou com uma cerimônia religiosa e apresentação da lâmpada - ícone do curso em alusão à enfermeira Florence Nightingale – à comunidade acadêmica e convidados. A mesa de abertura contou com a presença do reitor da Uepa, Juarez Quaresma, que destacou a parceria entre os cursos da instituição. “É com alegria que damos início às comemorações dos 70 anos. Tenho uma relação muito próxima por ter trabalhos de pesquisa com professores que compõem este curso. Essa parceria é real e consolidada”, afirmou.
As comemorações seguem durante a tarde desta segunda-feira, com palestras e lançamento da Campanha dos 70 anos da Escola de Enfermagem, além da apresentação da comissão responsável pelos festejos. O objetivo é integrar a comunidade acadêmica e comunidade externa, promover espaço de reflexão e discussão sobre a Enfermagem como profissão essencial na construção da cidadania, e incentivar os cuidados com a saúde e o ambiente por meio de programação específica.
69 anos - A história da Escola de Enfermagem ‘Magalhães Barata’ se confunde com a de seus ex-alunos. Um deles é presidente do Conselho Estadual de Enfermagem, Mario Antonio Vieira. Ele se orgulha pelas lutas em movimentos estudantis e pela influência de parentes que seguiram na mesma profissão. “É uma honra representar o Conselho Regional. Sou ex-aluno desta escola e tenho orgulho de ter feito parte do Centro Acadêmico e lutado, ao lado de outros alunos, para que ela se transformasse em uma universidade pública do Estado”, contou.
Outra ex-aluna é a própria coordenadora do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da Uepa, Ilma Pastana. “Hoje é dia de festa. Estou contente por ser egressa desta casa. Ela fez parte de toda minha formação, da graduação ao doutorado, e fico feliz pelo crescimento”, destaca. Entre os avanços da Enfermagem, ela enumera o primeiro mestrado na área em parceria com a Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e, em Paragominas, a oferta para enfermeiros da especialização em Atenção Primária.
O Curso de Enfermagem possui 484 alunos somente em Belém, mas a graduação é ofertada também em Conceição do Araguaia, Santarém e Tucuruí. Na avaliação do coordenador geral do Centro Acadêmico, Eduardo Barros, a interiorização é um dos assuntos que devem ser debatidos durante o II Encontro Paraense dos Estudantes de Enfermagem, que acontece no dia 14, e cujas inscrições ainda estão abertas.
“O encontro surgiu da necessidade de debater as condições da educação. A gente precisa crescer nesse sentido e os estudantes devem estar inseridos nos espaços de debate e viver mais ativamente”, opina o estudante, que afirma ter escolhido a Enfermagem pela possibilidade de estar mais próximo ao paciente. “O curso contempla a questão biológica e humana. Você olha para o doente e não para a doença e isso me cativa”, finaliza.

Texto:
Ize Sena-Uepa


Tecnologia pode dobrar produção de cacau
Mais de 200 agricultores familiares dos projetos de assentamento Ressaca, Rezende e Itapuama, em Senador José Porfírio, participaram do Dia de Campo promovido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater). A atividade, realizada no  último dia 10, no Projeto de Assentamento Ressaca, a 220 quilômetros da sede do município, no oeste do Pará, oportunizou, aos agricultores e técnicos ligados ao setor agrícola, um debate sobre a cultura do cacau, segunda maior fonte da economia da região 
São mais de dois mil produtores, com mais de três milhões de pés de cacau, mas grande parte das lavouras foi formada a partir de material genético de baixa qualidade o que tem comprometido a produtividade. Foram discutidas práticas de poda e manejo adequado da cultura, a necessidade de melhorar a qualidade do produto e a utilização da estufa para a secagem das amêndoas, além do aperfeiçoamento do sistema de comercialização.
Apesar de produtivas, as lavouras fornecem no máximo um quilo de amêndoa por planta em cada safra. Por isso a Emater quer introduzir material genético de qualidade, para multiplicação nos campos, além de tecnologias adequadas e assistência técnica que aumentem a produtividade. “O propósito da Emater é duplicar a produção, em um espaço médio de tempo”, acentua o técnico da Emater, Josué Cavalcante.

O casal Antonio e Evalda Lopes tem pelo menos três mil pés de cacau. Eles contam que as primeiras árvores do fruto nasceram de sementes coletadas em casa de vizinhos, o que comprometeu a produtividade. “Nós ficamos muito contentes quando participamos de um evento assim, porque podíamos estar produzindo muito mais", disse Evalda. "Nosso sonho é aumentar o plantio e isso será possível, agora, com assistência técnica”.

Segundo a presidente da Emater, Cleide Amorim, para a empresa, parceira do agricultor e incentivadora da organização social das famílias, é importante que o agricultor procure assistência técnica na hora de realizar toda e qualquer atividade produtiva. “Essas tecnologias estão acessíveis aos agricultores", assinala. "Com esse tipo de apoio é possível utilizar materiais de alto padrão de qualidade e melhorar o cacau". 


Texto:
Iolanda Lopes-Emater


Emater organiza mutirão para emissão de DAP em Castanhal
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) realiza na manhã desta terça-feira, 12, no Projeto de Assentamento Copiúba, zona rural de Castanhal, um mutirão para emissão de 40 Declarações de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento à Agricultura Familiar (Pronaf). O objetivo da ação é inserir 40 famílias moradoras do local em políticas públicas como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). No PA Copiúba, as famílias vivem da criação de suínos, horticultura e da fruticultura. 


Idesp apresenta relatório de estrutura do IPC para o Amapá
A coordenadora do Núcleo de Índice de Preços ao Consumidor (IPC) do Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp), Maria Augusta Pereira, está em Macapá (AP), onde permanece até a quinta-feira, 14, para apresentar o relatório dos primeiros resultados construídos com a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) 2007/2008 do IPC da capital amapaense.

O Relatório de Estrutura de Índice de Preços com base na POF é consequência de um Termo de Cooperação técnica firmado entre o Idesp e a Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Tesouro (Seplan) do Amapá. O Termo tem por fim a reestruturação dos grupos e faixas de renda do IPC de Macapá, que obedece aos critérios de rendimento mensal para as faixas de renda de 1 a 6 e de 1 a 40 salários mínimos. A Seplan calcula a inflação na capital amapense desde 1985, e utiliza a POF de 1984 para o cálculo do índice.






Preso em Brasília ex-prefeito paraense indiciado como mandante de duplo homicídio
A Polícia Civil do Pará acaba de prender, em Brasília (DF), o ex-prefeito de Tomé-Açu, Carlos Vinícius de Melo Vieira, um dos indiciados como mandante das mortes do advogado Jorge Pimentel e do empresário Luciano Capácio, em março deste ano. Ele está com mandado de prisão decretado pela Justiça paraense e será recambiado em breve ao Pará. O outro indiciado como mandante do crime é o pai do preso, Carlos Antônio Vieira, que também está com ordem de prisão e permanece foragido.
Dois dos três executores das vítimas permanecem presos, assim como uma pessoa apontada por dar fuga aos pistoleiros. Um quarto envolvido, indiciado como intermediário da contratação dos criminosos, também está com mandado de prisão decretado.
Wellington Ribeiro Marques, 37 anos, e Carlos André Silva Magalhães, 27, indiciados como executores das vítimas, foram presos em 17 de março deste ano, por policiais civis, em uma barreira de fiscalização policial montada na rodovia BR-316, à altura do município de Gurupi, na divisa do Pará com o Maranhão. Ambos já eram foragidos de Justiça e respondem por diversos crimes, a maioria homicídios. Wellington é apontado como pistoleiro profissional, com atuação na região de Paragominas, nordeste paraense, onde é acusado da autoria de, pelo menos, seis homicídios.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil


Dia Mundial em Memória às vítimas de Acidentes de Trânsito
 O terceiro domingo de novembro é dedicado mundialmente à memória das milhões de pessoas feridas ou vitimadas fatalmente por acidentes de trânsito. O Detran-PA lembra a data com uma programação que traz como tema "Da lembrança global à ação global através da Década. Vamos ter vias que são seguras para todos. Vamos fazer 2011-2020 a Década para recordar”, fazendo integração à Década Mundial de Ações para a Segurança do Trânsito, mobilização global criada com o intuito de unir esforços em todo o mundo para reverter os números crescentes de mortes no trânsito.
O objetivo é reunir órgãos governamentais, não governamentais e entidades civis em torno de atividades direcionadas a mobilizações sociais para a reivindicação de ações efetivas e práticas sustentáveis de segurança nas vias. Este ano, o Detran realiza a programação junto com a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) e o Hospital Metropoliano de Urgência e Emergência, contando com a parceria institucional da Sesma, Sespa, IML, Sesan, Semma, Samu, Bombeiros e Polícia Rodoviária Federal, além de entidades da sociedade civil, como o Clube dos Patinadores, Escoteiros, Ong Bicicletada, Aspamoto, Movida e Motoclube, entre outros.
A programação será realizada no domingo, 17, iniciando às 7h, com uma caminhada em homenagem às vítimas de acidentes de trânsito, cuja concentração será na escadinha da Estação das Docas. A caminhada sairá às 8h em direção à Praça Batista Campos, onde haverá um culto ecumênico em homenagem às vítimas e seus familiares, além de programação cultural e estandes dos organismos parceiros.
Os dados mais recentes levantados pelo Detran mostram que no Pará, até maio de 2012 foram registrados 3.559 acidentes em Belém e 9.212 em todo o estado. O número de feridos no trânsito em Belém somam 1.322, sendo 22 vítimas fatais. Em todo o Pará, os casos de vítimas não fatais totalizam 5.009 e o de vítimas fatais 440.


Vazamento deixa centro de Ananindeua sem água
O rompimento de uma adutora da Estação de Água localizada na rua Julia Medeiros, detectado no início da manhã desta segunda-feira, 11, causou a suspensão do abastecimento de água na área central do município de Ananindeua, deixando 2.901 pontos de ligação sem o serviço da Cosanpa. Uma equipe de eletromecânica da companhia já está no local, trabalhando no reparo da tubulação, com 400 mm. A previsão é que o abastecimento de água seja normalizado somente às 18 horas de hoje.



Santa Casa promove seminário sobre segurança do paciente
A Fundação Santa Casa do Pará promove nesta terça-feira, 12, das 09h às 12h, no auditório do hospital, o Seminário sobre Segurança do Paciente. O objetivo é discutir e repassar as informações do Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) e apresentar as estratégias para a implantação do Programa, a partir da organização municipal, estadual, e também dos Núcleos e Planos no serviço de saúde hospitalar.


VI Salão do Livro do Baixo Amazonas supera números do ano passado
Chegou ao fim no último domingo, 10, em Santarém, o VI Salão do Livro do Baixo Amazonas. A edição superou os números de 2012 e foi sucesso de público. Segundo a coordenação, o evento movimentou R$ 1,5 milhão em vendas, contra R$ 1,3 milhão no ano anterior, resultado da comercialização de quase 80 mil livros, e recebeu 112 mil visitantes, dezessete mil a mais que ano passado. Ao todo, foram dez dias de uma intensa programação cultural.
O Salão do Livro é uma promoção da Secretaria Especial de Estado de Promoção Social - via Secretaria de Estado de Cultura (Secult) - em parceria com a Prefeitura de Santarém - por meio da Secretaria Municipal de Cultura. O país homenageado nesta edição foi o “Pará”, retratado no verso “Eu sou de um país que se chama Pará”, da música Porto Caribe, de autoria de Ruy Barata, poeta, compositor, jornalista e escritor santareno homenageado dos eventos literários promovidos pela Secult este ano em torno da programação da XVII Feira Pan-Amazônica do Livro,  que inclui, entre outros eventos, o VI Salão Regional do Livro da Região do Baixo Amazonas.
"Fizemos um Salão que enalteceu o livro. Ele é o protagonista da festa. Pudemos ver o visitante folheando os livros, criando intimidade com ele. Essa aproximação era o nosso principal objetivo. O público cresceu e isso é o resultado direto desse esforço que temos feito para promover a cultura e, em particular, estimular o hábito da leitura junto à população", argumentou a coordenadora do evento, Andressa Malcher, da Secult.
Grandes nomes da literatura nacional passaram pelo Salão do Livro durante os dez dias de programação, entre eles Ignácio Loyola Brandão, Guilherme Fiúza e Stella Maris. O público também contou com atividades como oficinas, laboratórios e seminários, além de diversas atrações culturais, a exemplo da Cia do Tijolo, de São Paulo, que encenou o espetáculo "Cante lá que eu canto cá" e foi bastante aplaudida pelo público.
Escritores regionais também tiveram espaço de destaque no Encontro Literário, entre eles Raimundo Nonato de Pádua Câncio e Annieli Cardoso Valério, de Oriximiná, e Raimunda Brilhante e Jackeline Lima, de Alenquer. O violonista Sebastião Tapajós, outro ilustre santareno, foi tema de livro escrito por Cristovam Sena. Também lançaram livros os escritores santarenos Minael Andrade, Cléo Neves, Anselmo Colares, Ailanda Tavares, Alciane Ayres, além de Carlos Eduardo Tenório Magalhães, de apenas dez anos de idade, considerado o escritor mais novo do evento.
"Os números e o sucesso da programação comprovam que o Salão do Livro vem crescendo a cada ano, num esforço de valorização de todos os escritores e produtores de arte, da literatura e cultura nacional e estadual, que é uma característica de respeito ao regionalismo e estímulo à diversidade literária. Não é a toa que o evento já faz parte do calendário do município de Santarém e do Baixo Amazonas", ressalta Andressa Malcher.
Os escritores também parabenizaram a organização do Salão do Livro. "Eventos como esse devem ser incentivados e estimulados em todo o país, como forma de levar a literatura a todos os lugares e a todos os leitores. Iniciativas assim ajudam a desenvolver a cultura e valorizar os artistas e profissionais", destacou o escritor Guilherme Fiúza, após sessão de autógrafos no estande da Secult.

Texto:
Alailson Muniz-Secom


Hemopa integra projeto nacional de produção mais limpa
A Fundação Hemopa será o segundo hemocentro do País a integrar o projeto “Produção Mais Limpa" (P+L), elaborado pelo Ministério da Saúde, através da Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados, com a meta de racionalizar o uso de insumos, reduzir desperdícios, minimizar a geração de resíduos e diminuir os impactos ambientais, adequando os processos gerados pela instituição à legislação ambiental. 
A seleção é resultado da excelência de gestão do hemocentro paraense junto ao Programa Nacional de Qualificação da Hemorrede, que coordena o Projeto de Capacitação e Qualificação Técnica da Hemorrede Pública Nacional em Gestão Ambiental, e vai iniciar a execução do P+L com um curso de capacitação destinado a técnicos do Hemopa, marcado para esta terça-feira, 12, às 8h30, no auditório do hemocentro.
A iniciativa se soma às providências do CGSH voltadas para a auto-suficiência do País em hemocomponentes e hemoderivados e para a qualidade dos serviços relacionados à atenção hemoterápica e hematológica.
Para a enfermeira Kati Seixas, do Programa de Gestão de Resíduos de Serviço de Saúde do Hemopa, produção mais limpa significa a aplicação contínua de uma estratégia econômica, ambiental e tecnológica integrada aos processos e produtos, a fim de aumentar a eficiência no uso de matérias primas, água e energia, evitando-se a geração de resíduos ou conseguindo benefícios ambientais por meio de sua minimização ou reciclagem. “Essa prática vai nos permitir a obtenção de indicadores de eficiência", observou. Segundo ela, será possível documentar e manter os resultados obtidos, com o objetivo de divulgar a ecoeficiência da produção e a qualidade dos produtos oferecidos.
O P+L foi desenvolvido inicialmente no Hemocentro de Ribeirão Preto, em São Paulo, de junho de 2012 a junho de 2013. A continuidade do projeto no Pará será executada por especialistas da Rede de Tecnologias Limpas da Universidade Federal da Bahia, em parceria com a CGSH.



Curso de Enfermagem da Escola Magalhães Barata comemora 69 anos
A Escola de Enfermagem “Magalhães Barata” (EEMB), que integra o Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade do Estado do Pará (Uepa), organiza nesta segunda-feira, 11, uma programação em comemoração aos 69 anos do Curso de Graduação em Enfermagem. A programação acontecerá no Auditório da própria Escola, localizada no bairro do Guamá.
O Curso de Graduação em Enfermagem da Uepa foi o primeiro da área da saúde implantado no Pará, em 1944. Os profissionais formados na EEMB têm ocupado espaços de trabalho em várias áreas de atuação, dentro e fora do estado. “O currículo vigente é compatível com os currículos desenvolvidos na Europa e América. Tudo isso porque acreditamos que o enfermeiro deve compreender o homem numa visão holística, como ser dinâmico, além de exercer a profissão como prática da assistência, do ensino, da pesquisa e desenvolver o compromisso com a concretização dos princípios norteadores do SUS com vistas à melhoria das condições de vida da população paraense”, destaca a coordenadora do Curso, Terezinha Vieira.
Hoje, são 484 alunos na graduação somente em Belém, mas o curso é ofertado também em Conceição do Araguaia, Santarém e Tucuruí. Em 2010, a Uepa aprovou o primeiro mestrado na área em parceria com a Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Atualmente, são doze alunos cursando a pós-graduação e outros dez concluintes. Na área de Enfermagem, a Uepa também oferece em Paragominas a especialização em Atenção Primária. A turma é formada por 53 enfermeiros.
Além de comemorar o aniversário do Curso, a programação tem o objetivo de integrar a comunidade acadêmica e o público em geral, promover espaço de reflexão e discussão sobre a Enfermagem como profissão essencial na construção da cidadania, e incentivar os cuidados com a saúde e o ambiente por meio de programação específica. A programação, iniciada às 7h30, prevê diversas atividades, como conferências e palestras. A programação está disponível no site www.uepa.br.
Serviço: Comemoração pelos 69 anos do Curso de Enfermagem da Uepa, na Escola de Enfermagem “Magalhães Barata”, localizada na avenida José Bonifácio, no bairro do Guamá.

Texto:
Ize Sena-Uepa





Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...