Total de visualizações de página

sexta-feira, novembro 29, 2013

Petrobras aumenta preço da gasolina em 4% à meia-noite; diesel sobe 8%





CELPA É PARCEIRA DA PREFEITURA DE SANTARÉM PARA AJUDAR A TRAZER A FÁBRICA DE CIMENTO À REGIÃO



Nesta terça-feira, participei de uma reunião realizada na sede da CELPA EQUATORIAL, em Belém, na qual sua diretoria recepcionou representantes da INTERCEMENT, empresa que estuda a viabilidade de instalar a fábrica de cimento em Santarém, seu primeiro empreendimento na Região Norte do Brasil.

No encontro, foram apresentados e esclarecidos os projetos e investimentos previstos para o triênio 2014/2016, destinados a ampliação do sistema de distribuição de energia elétrica no Município de Santarém.

Estiveram presentes na reunião o presidente da EQUATORIAL ENERGIA, Firmino Sampaio, o presidente da CELPA, Nonato Castro, o diretor de distribuição da empresa, Daniel Negreiros, o secretário municipal de planejamento e desenvolvimento, Valdir Matias Jr, e representantes da INTERCEMENT.




HOL inscreve para curso de atualização em Nefrologia
O Hospital Ophir Loyola inscreve para o curso de atualização em Nefrologia “Guidelines em Glomerulopatias”. O curso será ministrado na próxima segunda-feira (2), das 8 às 11 h, pelo médico Rui Toledo Barros, doutor em Nefrologia pela USP (Universidade de São Paulo). A programação é destinada a clínicos, nefrologistas, médicos residentes e acadêmicos de Medicina. Para se inscrever o interessado deve levar um kit de higiene - composto por creme dental, escova de dente, talco e desodorante, ou por sabonete, xampu e condicionador. Mais informações pelo telefone (91) 3265- 6510.


Joias do Espaço São José Liberto participarão da mostra Amazônia Mundi
Joias e artesanato do Espaço São José Liberto integrarão a mostra Amazônia Mundi, que será aberta neste sábado (30), no Sesc Itaquera, em São Paulo (SP). O evento faz parte do calendário oficial da Copa do Mundo 2014, e conta com o financiamento do Sesc-SP e de outras organizações e instituições governamentais. A mostra é organizada pela empresa de produções culturais Fare Arte, e deve reunir cerca de 300 mil estudantes durante os 18 meses de duração do evento, além do público internacional que participará da abertura da Copa.
Da programação da Amazônia Mundi constam espetáculos, exposições e instalações, que abordarão aspectos culturais e socioambientais da região amazônica, a fim de sensibilizar as pessoas para a preservação ambiental.
A joalheria paraense será representada no evento em uma exposição, com 10 peças criadas e produzidas por profissionais do Programa Polo Joalheiro do Pará, que funciona no Espaço São José Liberto. Entre as peças selecionadas pela curadoria do evento estão anéis, brincos, braceletes, colares e pingentes em prata, com matéria prima que destaca a biodiversidade amazônica, como sementes, madeira certificada, cuia pintada, palha da costa, osso de boi, gemas vegetais de açaí e de castanha - inovação do mestre ourives Paulo Tavares, que integra o programa – e gemas minerais, como granada, citrino, quartzo rosa, peridoto e berilo.
Uma das joias expostas, o anel “Seringa”, pode ser usado como pingente e integra a coleção “Digitais da Amazônia”. A peça em prata foi inspirada na forma da semente da seringueira, com destaque para a gema vegetal feita com o pigmento da casca da castanha do Pará.
Inovação - Outra inovação do Polo Joalheiro, a incrustação paraense, poderá ser observada em algumas joias da exposição, como o bracelete “Floresta Urbana” e o pingente em forma de mandala “Estrela de Naiá”. Esta técnica de ourivesaria, desenvolvida pelo ourives Joelson Leão, do Programa Polo Joalheiro, usa pó de gemas e de diversos materiais orgânicos da joalheria local, em um procedimento que aproveita a matéria prima mineral, com resultados especiais de coloração, agregando novos materiais e substituindo a esmaltação. As peças da exposição têm a assinatura dos designers Joseli Limão, Ivete Negrão, Bárbara Müller, Mônica Matos, Marcilene Rodrigues, Helena Bezerra e Izaías Lopes.  
A exposição ocupará cerca de 1.400 m². Nas áreas externa e interna ficarão esculturas e instalações sobre temas como biodiversidade da região, Amazônia habitada, água e clima. O lugar escolhido para a exposição das joias do Polo Joalheiro foi a Vila Amazônica, no local denominado Casa da Borracha, que além de mostrar a importância deste ciclo econômico, pretende ressaltar a utilização da madeira e das gemas vegetais no design da joia paraense.
A Casa da Borracha também mostrará peças do artesanato em balata, feito de uma goma elástica semelhante ao látex da seringueira, que permite a produção artesanal de objetos similares aos de borracha, como miniaturas de animais e árvores. O artesanato é produzido por mestres artesãos de modelagem em balata do município de Monte Alegre, no oeste paraense, vinculados ao São José Liberto, onde expõem suas peças na Casa do Artesão. A miniatura “Búfalo Montado”, criada por Darlindo de Oliveira Pinto, do grupo de balateiros, foi agraciada, em 2012, com o certificado da 3ª edição do Reconhecimento de Excelência da Unesco para os produtos artesanais do Mercosul+.
O Espaço São José Liberto foi convidado pela organização da Amazônia Mundi para participar do evento, que já percorreu, desde 2002, mais de 10 países. A exposição é resultado da parceria firmada entre a Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), o Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) e a Fare Arte, com o objetivo de divulgar produtos de economia criativa do Estado do Pará.

Texto:
Luciane Fiuza


Campanha supera meta de doação no Hemonúcleo de Capanema
Com a coleta de 305 bolsas de sangue, superando a meta dos organizadores, que era conseguir até 200 bolsas, o Hemonúcleo de Capanema – município do nordeste paraense - encerrou nesta sexta-feira (29) mais uma campanha de incentivo à doação, iniciada no último dia 25. As coletas devem atender aproximadamente 1.220 pacientes adultos em dezembro, quando normalmente o Hemonúcleo enfrenta a evasão de doadores, devido às festas de final de ano.
Segundo Luiza Helena Santana, responsável pelo Serviço de Captação de Doadores do Hemonúcleo de Capanema, a mobilização ganhou fôlego com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde, que promoveu uma gincana solidária entre seus funcionários e familiares, desde o dia 18. Com a gincana foram adicionadas mais 101 bolsas à meta da campanha. O Hemonúcleo abastece a rede hospitalar de 16 municípios da Região de Integração do Caeté.
Luiza Helena Santana destacou o resultado final da mobilização, e agradeceu a todos os doadores que aderiram à campanha. “Isso representa a esperança de vida aos pacientes que dependem da transfusão para sobreviver, e também mais tranquilidade aos seus familiares e amigos”. Ela também agradeceu à equipe de profissionais da unidade, que trabalharam para proporcionar um ambiente alegre e uma coleta segura aos doadores.
Exemplos - A doadora Cléo Ribeiro, que por estar com problemas de saúde não pode doar temporariamente, levou seus os dois filhos, Cássia e Cássio Ribeiro, de 16 e 17 anos, respectivamente, para a primeira doação no Hemonúcleo de Capanema. Ela encorajou os filhos durante todo o processo. “É muito gratificante ver meu exemplo ser seguido pelos filhos”, disse Cléo Ribeiro.
Vicente Meirelles, que é doador de repetição, também levou o filho Fernando, 18 anos, para doar pela primeira vez. O Dia do Doador “ficará marcado em nossas vidas”, disse o pai. O jornalista Elson Machado, de uma emissora de televisão local, foi fazer a cobertura do evento e aproveitou para ter sua primeira experiência como doador. “Ele ficou sensibilizado pelos doadores e acabou integrando essa corrente do bem”, disse Luiza Helena.
Serviço: O Hemonúcleo de Capanema fica na Rodovia BR-308 (Transoceânica), KM-0, no bairro São Cristóvão. Mais informações pelo fone (91) 3462-2744.

Texto:
Vera R. Rojas


Estado e União se aproximam para resolver conflitos fundiários no Pará
O governo do Estado e o governo federal estão prestes a fechar um acordo inédito para colocar em prática um programa de regularização fundiária que vai objetivar a resolução de conflitos fundiários no Pará. Na última quinta-feira (28), o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Carlos Guedes, se reuniu com o secretário especial de Estado de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa, e o presidente do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Carlos Lamarão.
Participaram ainda do encontro a coordenadora da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) para a Amazônia Legal, Patrícia Cardoso, e a diretora da Secretaria de Políticas para Comunidades Tradicionais, ligada à Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), da Presidência da República, Bárbara de Oliveira Souza.
Mediado por Sidney Rosa, o encontro teve como mote a resolução dos conflitos em torno de dois mil hectares de terra no município de Cachoeira do Arari, no Marajó, onde um grupo remanescente de uma comunidade quilombola reivindica a posse por usucapião de área pertencente ao produtor rural Liberato de Castro. A Justiça Federal já constatou, em segunda instância, que o proprietário detém os títulos da terra, mas, segundo o Incra e a SPU, praticamente todas as terras do Marajó pertencem à União, pois se tratam de terras de marinha.
“A presidenta Dilma Rousseff está disposta a desapropriar as terras para fins de demanda social, o que implica pagar em dinheiro pela posse e benfeitorias nelas contidas, diferentemente do que ocorre em situação de reforma agrária, em que as desapropriações são pagas com títulos da dívida agrária”, informou Carlos Guedes.
O administrador do consórcio agroflorestal que existe no local, Liberato de Castro, participou da reunião a convite de Sidney Rosa. Ele foi acompanhado pela filha, a prefeita de Ponta de Pedras, Consuelo de Castro. Os dois contaram a Carlos Guedes como se deram os trâmites judiciais e de onde vem a titulação das terras. “Aquelas terras foram compradas pela nossa família em leilão do Império Colonial, na época das sesmarias”, contaram.
Liberato de Castro afirmou que a família nunca teve conflito com a comunidade quilombola que habita às margens do Rio Gurupá, vizinhas às terras. “Eles passaram a invadir as terras incitados por outros agentes políticos”, afirmou. Carlos Guedes disse que a conversa não entraria nesses méritos, pois o importante era a resolução do problema, que começará com uma avaliação da cadeia dominial das terras e deve dar encaminhamento a uma proposta efetiva de desapropriação por parte do governo federal.
“Estou disposto a vender as terras nessas condições, mas preciso de uma proposta concreta para levar aos sócios do consórcio, que são meus irmãos”, disse Liberato de Castro. O secretário especial de Estado de Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento Sustentável, Vilmos Grunvald, disse que a resolução do problema era um mote para uma ação institucional mais próxima entre o Incra e o Iterpa, com vias à resolução dos problemas agrários que travam parte significativa do desenvolvimento do Estado.
“O Pará tem cerca de 120 milhões de hectares, mas destes somente um terço está sob a jurisdição do Estado. É complicado quando o governo do Estado tem tanto poder de comando quanto um órgão de terceiro escalão do governo federal”, afirmou Grunvald. Apesar da “conversa sincera”, os entes federados concordaram que o desenvolvimento dos povos da Amazônia e do Brasil como um todo depende de um entendimento institucional.
“Não se trata aqui de uma disputa entre PSDB e PT”, disse Carlos Guedes. “É verdade que a agenda política por vezes atrapalhou o desenvolvimento institucional”, reiterou Sidney Rosa, “mas temos que avançar para o bem do Estado”. O presidente do Iterpa afirmou que seria interessante que as relações para solução de conflitos agrários pudessem ocorrer sob um “programa guarda-chuva”. Carlos Guedes concordou e lembrou que o Incra já vem contribuindo com o Estado em outras ações, como no Programa Municípios Verdes, em que o Incra reconheceu mais de um milhão de hectares que não pertenciam à União. O programa será encaminhado pelas representações estaduais dos principais órgãos (SPU, Incra e Interpa).

Texto:
andreaamazonas








Concurso da Polícia Civil tem 430 aprovados na prova oral
Foi divulgado e publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, 29, e no endereço http://paginas.uepa.br/concursos - no qual os candidatos podem fazer o acompanhamento individual da seleção -, o resultado definitivo da prova oral do concurso público para provimento de cargos efetivos da Polícia Civil. A prova oral corresponde à penúltima subfase da primeira etapa de seleção. Foram aprovados nesta fase 430 candidatos, divididos entre os cargos de delegado, escrivão, investigador e papiloscopista. Este número representa um índice de 84% de aprovação.
Em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira, 29, o coordenador do concurso - realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Administração (Sead) e da Polícia Civil - Delmo Oliveira, da Universidade do Estado do Pará (Uepa), garantiu que todas as etapas da seleção foram realizadas com tranquilidade e por profissionais capacitados. “A Uepa tem uma expertise quanto à realização de concursos", declarou. "Toda a sociedade paraense conhece a nossa experiência. Nossos processos seletivos do Prise e do Prosel são dos mais concorridos. Temos realizado outros concursos e estamos à disposição para esclarecimentos e para tirar as dúvidas que forem necessárias”.
Um dos pontos esclarecidos pelo professor foi a presença de policiais civis - que atuaram em parceria com a universidade - em todos os locais de prova. “Quando você realiza um concurso para a segurança pública, qualquer que seja a corporação, você está lidando com pessoas que podem vir fazer a prova armados. Os civis não podem recolher a arma, então as polícias nos dão apoio neste sentido. Os policiais não são fiscais, não entram em sala, não transitam pelos corredores. Eles apenas exercem sua função de polícia, na responsabilidade de guardar as armas quando o candidato de submete a avaliação”, explicou Delmo.
O coordenador também enfatizou que, até o momento, a Uepa não foi citada e nem notificada oficialmente sobre qualquer decisão liminar de ação civil pública referente ao concurso da Polícia Civil. A Uepa e a Procuradoria Geral do Estado só irão se manifestar quando forem comunicadas pela Justiça, adiantou. “É importante o Ministério Público acompanhar as ações de concurso e de interesse da sociedade. Afinal, é esse o papel dele. Mas a Universidade e o Governo do Estado estão tranquilos e todas as informações ou solicitações que forem feitas nós estaremos à disposição e prontos para responder”, frisou.
Etapas - A prova oral foi realizada entre 4 a 8 de novembro, em Belém. Os candidatos tiveram que responder às perguntas da banca examinadora sobre direito penal, processual penal, direito administrativo e constitucional. Não foi permitido o uso de nenhum tipo de consulta durante a realização da prova e foram avaliados o domínio do conteúdo, a segurança, a capacidade de argumentação e síntese, a fluência verbal e o emprego correto do padrão culto da língua portuguesa. A prova valeu dez pontos e foi considerado aprovado o candidato que alcançou, no mínimo, a nota sete na pontuação total desta avaliação.
A próxima etapa é a investigação criminal e social, de responsabilidade da Polícia Civil. Será disponibilizada uma ficha de informações confidenciais para fins da investigação criminal e social, no endereço eletrônico paginas.uepa.br/concursos, que deve ser preenchida e anexada aos documentos descritos. Os candidatos devem entregar a documentação específica nos dias 9 e 10 de dezembro, no protocolo da Diretoria de Acesso e Avaliação da Uepa, na Rua do Una, 156, Telégrafo, no horário de 8 às 14 horas, em envelope lacrado e assinado, para posterior encaminhamento à comissão do concurso. Os resultados de possíveis recursos e o resultado final da 1ª etapa do concurso serão divulgados no dia 6 de janeiro.
A seleção para os cargos de delegado, escrivão, investigador e papiloscopista é realizada em duas etapas, ambas de caráter eliminatório. A primeira, realizada sob a responsabilidade da Uepa, abrangeu seis subfases: prova objetiva, prova de capacitação física, exames médicos, exame psicológico, prova oral; e ainda a investigação criminal e social, de caráter eliminatório, sob a responsabilidade da Polícia Civil do Pará.
A prova objetiva de múltipla escolha foi realizada nos municípios de Altamira, Belém, Itaituba, Marabá, Redenção e Santarém. As demais subfases da primeira etapa foram realizadas na capital do Estado.
A segunda etapa corresponde a um curso técnico profissional, de caráter eliminatório e classificatório, que é de responsabilidade da Polícia Civil do Estado do Pará, a ser realizado e ministrado pela Academia de Polícia Civil/Iesp, em suas instalações no Município de Marituba.

Texto:
izesena


Detran faz ação educativa de trânsito no Hospital Metropolitano


O Departamento de Trânsito do Pará (Detran), em parceria com o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, fez nesta sexta-feira (29) ação educativa na ala pediátrica, focando nas crianças que ocupam os leitos do hospital e que foram vitimadas por acidentes, entre eles de trânsito. A atividade focou principalmente no transporte de crianças em motocicletas. O local foi decorado especialmente para receber os pequenos e seus acompanhantes de forma a proporcionar-lhes algumas horas de descontração.
A coordenadora de Educação do Detran, Alessandra Andrade, lembrou que o transporte de menores de 7 anos em motocicletas é expressamente proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), pela exposição ao risco iminente de um acidente e por colocar a vida dos pequenos em perigo. “A lei até permite o transporte de menores em motos, mas é preciso ter idade superior a 7 anos e usar um capacete apropriado para o tamanho do passageiro, de forma a minimizar o risco de lesões. Ainda assim, é preciso que a criança tenha altura apropriada, para que os pés fiquem apoiados na pedaleira e elas consigam ter firmeza nas mãos e braços”, orientou.
O agente de fiscalização Celso Matos também participou da ação, dando dicas e orientações sobre o transporte de crianças em veículos de duas rodas e a obrigatoriedade do uso do capacete e outros equipamentos de segurança. “Muitas vezes, na aparente tentativa de proteger, os pais transportam o menor entre duas pessoas ou no colo de um passageiro adulto. Neste caso, também estão infringindo o artigo 231 do CTB, que estabelece a infração de lotação excedente, já que uma motocicleta deve transportar somente o condutor e um único passageiro”, disse.
A atitude gera multa e media administrativa de retenção do veículo, “mas é claro que colocar a vida de uma criança em risco é o maior dos males”, ponderou Matos, falando ainda sobre a travessia de pedestres. “Uma criança jamais deve transitar em uma via sozinha. É preciso estar sempre acompanhada por um adulto e atravessar na faixa de pedestres. Também não devemos permitir que nossos pais, mães, tios, tias ou qualquer adulto atendam o celular se estiverem dirigindo”, disse.
O diretor do Hospital Metropolitano, Paulo Czrnhak, chamou a atenção para a falta de sensibilidade dos responsáveis que colocam em risco a vida dos menores. “O grande números de leitos ocupados por acidentados no trânsito, no caso das crianças, é resultado da imprudência e falta de sensibilidade de um adulto. É evidente que transportar um menor na garupa de uma moto deixa-o completamente indefeso, em qualquer circunstância, sozinho ou no colo de um adulto”.
Dados do Detran de maio de 2012 indicam que 80 crianças, na faixa de 0 a 12 anos, ficaram feridas em acidentes de trânsito ocorridos em Belém. Destas, 50 eram pedestres, 28 estavam na condição de passageiro e duas eram ciclistas. No caso de vítimas fatais, as ocorrências somam oito mortos na capital (quatro pedestres, um passageiro e três ciclistas).
Em todo o Estado, no mesmo período, 310 crianças de 0 a 12 anos ficaram feridas em acidentes (190 eram pedestres, 101, passageiros e 17 estavam na condição de ciclistas). Quanto ao número de mortos, 40 menores morreram vítimas de acidentes de trânsito, 23 estavam na condição de pedestres, doze eram passageiros e cinco eram ciclistas.

Texto:
edsonmatoso





Uepa promove ação de saúde com serviços gratuitos neste sábado
Consultas pediátricas, atendimentos médicos, avaliações físicas e atividades recreativas. Esses e outros serviços serão oferecidos gratuitamente à população durante a Ação de Educação em Saúde que a Universidade do Estado do Pará (Uepa) promove neste sábado (30), de 8 às 14 horas, na Aldeia Cabana, no bairro da Pedreira. A atividade encerra a programação da X Semana da Saúde, que reuniu mais de mil inscritos, entre alunos, professores, pesquisadores e gestores da área no campus II da Uepa.
Neste sábado, cerca de 200 pessoas estarão envolvidas na ação. Alunos de medicina, enfermagem, terapia ocupacional e fisioterapia estarão à frente dos testes rápidos de HIV e de Hepatite B e C, e das ações de prevenção à hipertensão e diabetes com a verificação de pressão e glicemia, além das atividades de promoção à saúde do trabalhador, avaliação física, avaliação postural e prevenção das parasitoses intestinais.
Os acadêmicos de educação física promoverão aulas de ritmos para os participantes. Outra equipe de servidores da instituição também estará agendando os serviços relacionados à ginecologia, entre eles, a consulta, a mamografia e o exame Papanicolau, conhecido como PCCU. Os alunos de educação e tecnologia se integram à Semana da Saúde com o projeto “Uepa nas Comunidades”, que visa levar à população atividades educativas e promover a integração entre o ensino e a extensão universitária. Entre as ações que serão oferecidas estão as oficinas pedagógicas, brinquedoteca, atividades recreativas e programação cultural.
A ação também conta com a participação da Polícia Civil, para a emissão de carteiras de identidade; da biblioteca móvel do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Hemopa, que fará orientações sobre a doação de sangue. Uma das coordenadoras da semana, Silvia Gatti explica que esse é o momento que fortalece a relação entre a universidade e a comunidade.
“Pela parceria com a Sesma, acordamos que a partir deste semestre a Uepa vai concentrar as ações no Distrito Administrativo da Sacramenta, tornando este o Distrito Escola da Universidade. Estão inclusos os bairros do Telégrafo, Sacramenta, Barreiro, Fátima, Val-de-Cans e Pedreira, por isso escolhemos a Aldeia Cabana. Essas ações são um marco dessa parceria”, destaca.

Texto:
izesena





Palestra sobre câncer de próstata encerra ações do Novembro Azul no Pará
Uma palestra sobre como prevenir e tratar o câncer de próstata marcou o encerramento das atividades da campanha Novembro Azul, na manhã desta sexta-feira (29), no auditório da Imprensa Oficial do Estado (IOE). Os servidores da autarquia “vestiram a camisa da campanha” e participaram do evento, que ressaltou a importância da realização dos exames preventivos.
A palestra foi ministrada pelo urologista Ediney Houat Souza, membro da equipe de especialistas do Hospital Ophir Loyola, referência no tratamento do câncer no Estado. Ele informou sobre o teste de Antígeno Prostático Específico (PSA), que mede os índices dessa enzima no sangue, ajudando a identificar alterações na próstata, e falou da necessidade do exame de toque retal para um diagnóstico seguro.
De acordo com Ediney Houat, o preconceito ainda é um dos principais fatores que inibem a realização periódica dos exames preventivos entre os homens. “Existem muitos mitos que os impedem de ir ao médico, e isso é muito perigoso, pois o câncer de próstata se espalha com muita rapidez, comprometendo órgãos vitais e ossos. Isso eleva significativamente os índices de morte”, alertou.
Segundo o médico, além do histórico familiar, a incidência da doença também está relacionada a fatores ambientais, como o consumo de bebidas alcoólicas, o fumo e os maus hábitos alimentares.
O servidor Carlos Bandeira, 51 anos, não realizava os exames de rotina há anos, e só voltou ao médico após sentir-se mal. “Eu não priorizava a minha saúde, pois achava que não tinha tempo para isso. O susto me serviu de alerta, e agora estou mais disciplinado”, contou.
Após a palestra, o urologista também esclareceu dúvidas dos participantes, tanto do público masculino quanto das mulheres, consideradas aliadas importantes na hora de vencer a resistência dos homens em procurar um profissional.
Doença - A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) esclarece que o câncer de próstata é a manifestação mais comum da doença entre os homens, sendo por isso fundamental que haja o acompanhamento periódico da glândula. A recomendação da SBU, com base em trabalhos científicos publicados nos últimos anos, é que o exame de toque retal seja feito a partir dos 50 anos em homens, sem casos da doença na família, e aos 45 anos em homens com histórico familiar da doença, e também para homens negros.
Os números do câncer de próstata são ainda mais alarmantes que os do câncer de mama, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), que em sua última pesquisa – realizada entre 2012 e 2013 -, apontou 60.180 novos casos de câncer de próstata, contra 52.680 de mama. No Pará, a estimativa do Inca para 2012 era o diagnóstico de 930 novos casos de câncer de próstata.
O tratamento ainda é realizado principalmente no Hospital Ophir Loyola e, de acordo com informações da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), de 2000 a agosto de 2013 foram atendidos mais de 2,5 mil casos de câncer de próstata no Pará.
Novembro Azul - É um movimento realizado pela SBU, em parceria com o Instituto Lado a Lado, para esclarecer a população masculina sobre o tema, além de buscar a superação do preconceito que impede o diagnóstico precoce da doença.
Para o presidente da IOE, Cláudio Rocha, o movimento Novembro Azul, bem como o Outubro Rosa (destinado a combater a doença entre as mulheres), são fundamentais para a mobilização social em torno de temas tão relevantes. “Todas as instituições deveriam aderir a causas como estas, pois se todos fizessem esse trabalho de conscientização e formassem multiplicadores dessa ideia, o preconceito seria menor e, consequentemente, a incidência da doença também”, disse.

Texto:
keilarodrigues


Iasep entrega kits de curativos para segurados com assistência em domicílio



Os segurados do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) começaram a receber nesta sexta-feira (29) os kits completos para curativos. O material é destinado aos inscritos no programa de assistência domiciliar do Iasep (Assit Lar), que leva atendimento ambulatorial à casa dos pacientes recém operados ou com impossibilidade de locomoção. Em 2013, a assistência domiciliar já atendeu 389 segurados do Iasep.
“Meu irmão melhorou muito com esses atendimentos”, diz Luiz Gusmão, irmão do paciente Carlos Gusmão, o primeiro a receber um dos novos kits de curativos do Iasep. Ex-servidor da Secretaria Estadual de Obras Públicas (Seop), Carlos Gusmão sofre com as lesões provocadas por um tiro recebido na coluna e recebe assistência do Iasep em casa.
O Iasep entregou 32 kits, com um total de 11.393 produtos, entre luva, gaze, atadura, avental, micropore, campo, cremes para cicatrização, seringa, sonda de aspiração, sonda uretral e outros materiais para curativos. Os kits serão entregues mensalmente aos segurados que recebem acompanhamento da equipe multidisciplinar do Assist Lar. Até o mês passado, esses materiais eram adquiridos em compras individuais.
Com as saídas feitas a partir da alta médica ou óbito, atualmente o Assit Lar beneficia 317 segurados. Além dos serviços de curativos, feitos por técnicos de enfermagem, o Iasep leva ao domicílio do segurado uma equipe composta por profissionais da fonoaudiologia, psicologia, terapia ocupacional e nutrição. Com o programa, o governo do Estado faz cerca de 150 mil procedimentos ambulatoriais para esses pacientes.
“Hoje, são 317 pacientes com patologias crônicas, acamados e impossibilitados de se deslocar até um ambulatório para fazer um tratamento sequencial”, diz a assistente social Regina Coeli, gerente do programa Assist Lar. Segundo ela, a entrega de curativos feitas com os kits melhora o acesso dos segurados ao benefício e facilita a vida do cuidador, que precisará buscar material apenas uma vez por mês.

Texto:
ETTIENE ANGELIM


Sefa e Procon aumentam fiscalização em lojas de shopping center
Equipes da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) e do órgão de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) fiscalizaram nesta sexta-feira (29) estabelecimentos comerciais em um shopping center, no centro de Belém. Vinte auditores de receitas, incluindo da Receita Federal, e um grupo de servidores do Procon, participaram da ação, verificando a obediência aos direitos do consumidor e fiscalizando equipamentos e documentação. Só a equipe do Procon fiscalizou 30 estabelecimentos e lavrou oito autos de infração.
Segundo o auditor de Receitas Estaduais da Sefa, Mário Neves, coordenador, em exercício, da unidade da Fazenda Estadual em Belém, o objetivo é inspecionar a regularidade cadastral das lojas e o uso de documentário fiscal.
A equipe da Sefa verificou o uso do equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF) e da Transferência Eletrônica de Fundos (TEF), que permite a compra com o devido registro do cupom fiscal. “A Secretaria verificou, nas últimas operações realizadas, que empresas que deveriam utilizar a TEF nas vendas, estavam utilizando somente o equipamento poin of sales (ponto de vendas), que permite a venda com cartão de crédito ou débito, mas não faz o registro do documentário fiscal”, explicou Mário Neves.
Foram fiscalizadas 166 lojas e apreendidos 62 equipamentos poin of sales. Dois estabelecimentos foram fechados porque estavam funcionando sem documentário fiscal.
O auditor Romulo Souza informou que durante a operação foi constatado que o equipamento POS de um estabelecimento estava sendo utilizado em outro endereço. Os auditores vão verificar se houve reincidência de irregularidades em lojas já fiscalizadas anteriormente, o que exigirá aprofundamento da ação fiscal.

Texto:
anamar


Evento em Parauapebas debate o Estatuto da Criança e do Adolescente
Terminou nesta quinta-feira, 28, o último Encontro Regional do Movimento pela Valorização do Estatuto da Criança e do Adolescente (Mover), realizado no município de Parauapebas. O evento abriu espaço para um debate com os Operadores do Sistema de Garantia de Direitos da cidade sobre o cumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), e outros temas como drogadição entre os jovens, enfrentamento à violência sexual, orçamento público para políticas de juventude e a garantia de participação de adolescentes e jovens nas políticas públicas do município.
Para o Coordenador do Mover, Antônio Neto, o objetivo traçado com a realização dos encontros foi alcançado. "Foi possível realizar integrações entre as políticas públicas que possibilitarão uma maior proteção a crianças e adolescentes, além de reforçar o sistema que garante os direitos dessa parcela da população. Acredito que o nosso objetivo foi plenamente alcançado pelo fato de termos a participação de representantes de todos os segmentos que fazem parte desse sistema em todos os encontros realizados. Foram diversos temas tratados durantes os encontros que realizamos em Belém, Itaituba, Paragominas e Redenção e Parauapebas, sem contar o Encontro Estadual do MOVER, que contou com a participação de todos os municípios paraenses", afirmou.
Segundo o presidente do Conselho Municipal de Assistência Social de Parauapebas, Jorge Rodrigues, a realização do Encontro Regional do MOVER em Parauapebas era aguardado com grande expectativa pelos Operadores do Sistema, pois eventos como esse ajudam a qualificá-los para melhor atender crianças e jovens. "Sempre esperamos por um encontro como esse, aqui em Parauapebas, porque é uma oportunidade de obtermos cada vez mais informações que ajudarão a combater a violação de direitos em nosso município. É a oportunidade de termos um conselho tutelar mais forte, por exemplo", declarou.
O Encontro Regional do Mover em Parauapebas segue até está quita-feira, 28, onde os participantes apresentarão propostas que possam garantir um melhor atendimento aos jovens e também o cumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente no município. Já está confirmada para 2014 a realização de mais três encontro regionais, em Castanhal (março), Tucuruí (abril) e Bragança (maio), atingindo assim os 144 municípios paraenses.
O Movimento pela Valorização do Estatuto da Criança e do Adolescente é um projeto do programa Pro Paz, que integra os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e os organismos de controle social, como os conselhos de direitos e as organizações não governamentais, para promover o fortalecimento da rede de proteção a crianças e adolescentes.

Texto:
Tiago Furtado


Hospital Geral de Tailândia amplia serviços e garante atendimento de qualidade à população
“Essa é a melhor obra de todos os tempos na nossa região”, afirmou Sheila Cristina Evangelista, moradora do município de Tailândia, sobre o Hospital Geral de Tailândia (HGT), que desde julho deste ano passou a ser administrado pelo Governo do Estado, através do Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), especializado em administração hospitalar. A mudança na administração proporcionou uma grande mudança em toda a estrutura de atendimento do hospital, que passou por uma reforma na estrutura física e inclusão de serviços com novas especialidades médicas e realização de cirurgias.
A enfermeira Andreza Silva, que trabalha no hospital desde a época em que a gestão era municipal, conta que o número de atendimento na emergência continua o mesmo, mas o atendimento tem mais qualidade. O serviço ambulatorial não existia, e agora conta com endocrinologista, cardiologista, pediatra, oftalmologista, ginecologista, trauma ortopedista e cirurgia geral.
A oferta de exames também é novidade. “Hoje temos exames de mamografia, endoscopia, ultrassom, eletrocardiograma, raio X, exame de laboratório, nada disso nós tínhamos antes", afirma Andreza. Todos os aparelhos de exames por imagem e métodos gráficos passaram por manutenção técnica preventiva. Outros equipamentos foram adquiridos, como vídeo-endoscopia, ultrassom e eletrocardiografia. Para a profissional, o mais importante nas mudanças foi a realização de cirurgias de média complexidade e a criação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), inaugurada no inicio deste mês.
“A única cirurgia que o hospital fazia era cesariana, todos os demais procedimentos eram encaminhados para Belém. Hoje fazemos cirurgia de pequeno e médio portes, temos a UCI, e não precisamos mais enviar o paciente pra Belém. A diferença para a população é muito grande, porque todo o atendimento que ela precisa nós oferecemos aqui”, reiterou Andreza Silva, enfermeira no Hospital Geral de Tailândia.
A Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) possui 10 leitos, sendo sete destinados a pacientes adultos e três para crianças, e funciona em regime semi-intensivo para receber pacientes em estado grave, como foi o caso do jovem Maciano Evangelista, que sofreu um acidente de moto e foi atendido em Tailândia. Para Sheila Cristina Evangelista, irmã do paciente, a nova estrutura do hospital é fundamental para a salvação de vidas. “Se não tivesse esse espaço, ele não resistiria porque ele estava com hemorragia interna e não podia ser movimentado, ou seja, não teríamos como transferi-lo para Belém ou qualquer outro lugar. Graças a Deus e a essa sala de UCI é que meu irmão está vivo. Essa sala salvou a vida do meu irmão e vai salvar muitas outras ainda. Pra mim foi o melhor investimento do Governo nessa região”, disse Sheila Cristina Evangelista.
A qualidade no atendimento surpreendeu o motorista Marcos Pedro Dantas, que fraturou o fêmur após uma queda. Ele conta que queria ir para Belém para receber atendimento, tudo por causa das referencias antigas sobre o hospital, cujo atendimento eraalvo de muitas reclamações. “Quando eu cheguei aqui a coisa foi totalmente diferente, fui bem recebido e o atendimento foi rápido. Fui muito bem tratado nesse hospital, acho que atendimento melhor não pode ter”.
Desde o mês de agosto, o Hospital Geral de Tailândia oferece atendimento médico 24 horas, com dois cirurgiões gerais, três clínicos - sendo um deles com especialização -, um anestesista, um ginecologista-obstetra, um pediatra e um trauma-ortopedista. O pronto-socorro 24 horas conta com 42 leitos distribuídos entre a clínica médica, pediatria, cirurgia geral e obstetrícia de média complexidade. O atendimento do serviço de Urgência e Emergência foi agilizado com a disponibilização de três quartos, com três leitos de observação cada.
O HGT é responsável pelo atendimento em assistência básica e de média complexidade, e realiza mensalmente uma média 13.800 exames complementares, 6.200 atendimentos de Pronto Socorro, 90 partos, 170 cirurgias, 780 consultas ambulatoriais e 360 internações para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) do município e demais localidades da região.
Em janeiro de 2011, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) passou a investir na descentralização e no fortalecimento dos serviços no interior, implantando o Projeto de Requalificação dos Hospitais Municipais e construindo mais três hospitais regionais, para diminuir a demanda sobre os hospitais e pronto-socorros de Belém. O projeto de Requalificação dos Hospitais Municipais prevê a construção, reforma e ampliação de hospitais de pequeno porte no interior e aquisição de equipamentos, para que atendimentos de média complexidade possam ser realizados nos próprios municípios.
O governo do Estado está investindo mais de R$ 656 milhões na ampliação do atendimento de saúde à população. Os projetos estão oferecendo melhores condições de trabalho aos profissionais de saúde, levando a todas as regiões serviços de média e alta complexidade, novas especialidades e procedimentos e instalando mais 1.060 novos leitos hospitalares em todo o Pará.

Texto:
danifilgueiras





Hemopa encerra campanha com saldo positivo de doações
A Fundação Hemopa encerra campanha em homenagem ao Doador Voluntário de Sangue neste sábado, 30, com um culto da Igreja Adventista do 7º Dia, que será celebrado no auditório do hemocentro, às 9h, aberto ao público em geral. A campanha  “Quem ajuda, doa solidariedade. Quem doa sangue, salva vidas” foi aberta no dia 24, com a parceria de várias instituições. Até a última quinta-feira, 28, os comparecimentos somavam 1.920 e as coletas 1.614, número que superou a média diária de 300 bolsas/dia.
A ação estratégica foi desenvolvida de 25 a 29, nos Hemocentros Regionais de Castanhal, Marabá, Santarém; e nos Hemonúcleos de Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema. Em todas as unidades o saldo de doadores foi satisfatório. Na próxima segunda-feira será divulgado o total de coletadas efetivadas.
Para a gerente de Captação de Doadores do Hemopa, a assistente social Juciara Farias, a participação maciça de doadores em todas as unidades da hemorrede estadual deveu-se, sobretudo, ao importante apoio das instituições parceiras, especialmente a imprensa local, que potencializou a divulgação das ações de incentivo à doação de sangue. “Agradecemos primeiramente aos doadores de nosso estado e aos parceiros que reforçam a importância da participação da sociedade no processo da doação de sangue”, destacou, reforçando o convite para aquelas pessoas que ainda não doaram sangue aproveitem este sábado e façam uma boa ação. “Venha e traga um parente ou amigo para ajudar nessa causa”, convocou.
Durante todo o dia haverá lanche especial distribuição de kit com camiseta, panfletos e preservativos para os doadores de sangue.
Quem pode doar sangue: Candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos e peso acima de 50 kg. É necessário apresentar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, o doador deve estar bem alimentado. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três. O resultado dos exames dos doadores podem ser obtidos on line, por meio do site wwW.hemopa.pa.gov.br, em 30 dias após a coleta do sangue.
Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Padre Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 0800 280 8118.

Texto:
Vera R. Rojas


Editora da Uepa reedita obra do escritor paraense José Veríssimo


Costumes, tradições e o dia a dia de um povo estão retratados no livro “Cenas da Vida Amazônica”, do escritor paraense José Veríssimo. A obra, reeditada pela editora da Universidade do Estado do Pará (Pará), será lançada nesta quarta-feira (27), às 17 horas, no hall da Reitoria da instituição, no bairro do Telégrafo.
A obra, de 1886,é dividida em duas partes. A primeira é composta por quatro narrativas: O Boto, O Crime do Tapuio, O Voluntário da Pátria e A Sorte de Vicentina. A segunda parte chama-se Esbocetos e é composta por pequenos casos ou esboços de situações típicas da região amazônica. São eles: O Serão, A Lavadeira, O Lundum, Indo para a Seringa e Voltando da Seringa.
“Trata-se de uma reedição da obra que é referência literária no Pará. Ela faz parte de um dos selos da editora, o Memórias Reeditadas, que se propõe a reeditar obras acadêmicas e literárias. Já fizemos a reedição da obra do Dalcídio Jurandir, Primeira Manhã. A Eduepa também tem se preocupado em reeditar obras que possam também ser úteis nos processos seletivos da universidade”, explica o coordenador da editora, Paulo Murilo Guerreiro.
Em “Cenas da Vida Amazônica”, José Veríssimo incorpora, ao seu método de avaliação, o impressionismo crítico e a valorização do texto, enfatizando tipos e situações que se traduzem em descrições das vidas e dos costumes do povo que habita o norte do Brasil. Narrada pelo autor, a vida é vista em toda a sua amplitude e complexidade social, refletindo os costumes da região e os passos de seus habitantes. O escritor transforma o cotidiano de imagens em linguagem literária.
José Veríssimo Dias Matos nasceu em Óbidos, no oeste do Pará, no ano de 1857, e morreu na cidade do Rio de Janeiro, em 1916. Ele foi escritor, jornalista, educador e crítico literário brasileiro. Iniciou vida acadêmica em Manaus, vindo em seguida para Belém com o intuito de prosseguir os estudos. Nesta cidade, cursou o secundário no Ginásio Estadual Paes de Carvalho. Transferiu-se para o Rio de Janeiro em 1869, matriculou-se no Ginásio Nacional, atual Colégio Pedro II, e, em 1874, ingressou no curso de engenharia da Escola Central (depois Escola Politécnica).
Por problemas com a saúde, interrompeu o curso e voltou a Belém. Manteve atividade intelectual intensa em jornais e revistas desde 1877, quando começou a escrever em O Liberal, do Pará. Também em 1877, publicou o livro de estreia, “Quadros Paraenses”, e três anos depois viajou pela Europa e participou do Congresso Literário Internacional, em Lisboa. De volta ao Pará, criou a Revista Amazônica, que circulou entre 1883 e 1884.
José Veríssimo foi um dos expoentes da crítica literária brasileira na época, ao lado de Sílvio Romero, a quem se opôs por diversas vezes. No campo dos estudos literários, publicou obras como “Que É Literatura? e Outros Escritos” (1907) e “História da Literatura Brasileira” (1916), além de volumes de contos e novelas, como “Cenas da Vida Amazônica” (1886).
É um autor que pertence à chamada Geração de 1870, que assimila influências do pensamento europeu da época, e em especial as do crítico e historiador francês Hippolye Tayne, que em obras como “Filosofia da Arte” procura entender o homem com base nos conceitos de raça, meio social e momento histórico.
Serviço: Lançamento de “Cenas da Vida Amazônica”. Quarta-feira (27), às 17h, no hall da reitoria da Uepa (Rua do Una, 156, s/n, Telégrafo). O livro pode ser adquirido no  quiosque da Eduepa, na Reitoria, e na sede da editora, na rua Dom Pedro I, bairro Umarizal.

Texto:
izesena



Emater incentiva pescadores em Prainha (p/ ser editada na quarta)
Emater incentiva pescadores artesanais em Prainha

Até o final desta semana 87 famílias de pescadores artesanais de Prainha, oeste paraense, serão contempladas com recursos de R$ 2.500, cada uma, através do Programa Nacional de Fortalecimento a Agricultura Familiar (Pronaf) na Linha B, para incentivo a atividade no município. Os investimentos foram viabilizados por meio de projetos técnicos elaborados pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater).  

De acordo com o técnico da Emater, Marlon Duarte, os investimentos – que somados chegam ao montante de R$ 217.500, via Banco da Amazônia – serão utilizados para aquisição de apetrechos de pesca e a estimativa é que com esse incremento a produção aumente em aproximadamente 40%. “Com estes recursos, os pescadores irão comprar canoa, motor rabeta e rede, que são os apetrechos de pesca. Diante disso irão aumentar a produção do pescado”, afirma Duarte. Atualmente, cada família produz, no município três toneladas de pescado por ano, que são comercializadas principalmente para o estado do Amapá e para o distrito de Monte Dourado, em Almeirim.

Além dos projetos para financiamento, a Emater promove palestras aos pescadores esclarecendo sobre conservação e transporte do pescado e ainda sobre questões ambientais referentes a atividade. Em Prainha, a Emater atende a 900 famílias em 42 comunidades. A base econômica é a pecuária mista (corte e leite) seguida pela pesca artesanal com destaque para o acari, tambaqui e curimatã.   

Texto:
Iolanda Lopes


Polícia Civil forma mais uma turma de identificadores civis e criminais
A Polícia Civil concluiu, nesta sexta-feira, 29, a formação da última turma, no ano de 2013, do Curso de Capacitação de Identificadores Civis e Criminais. Foram formados 29 funcionários públicos municipais que atuam em municípios da Região Metropolitana de Belém e no interior do Estado, em órgãos públicos municipais conveniados com a Polícia Civil, para prestar à população o serviço de emissão de carteiras de identidade e fichas criminais.
Ao todo, sete turmas de servidores públicos foram formadas, no ano, totalizando 175 pessoas capacitadas a atuar como identificadores. A entrega dos certificados de conclusão do curso aconteceu no Auditório B da Delegacia Geral, sob presidência do delegado geral, Rilmar Firmino, e da diretora da Academia da Polícia Civil (Acadepol), Liane Martins, entidade responsável pela coordenação do curso..
Todos os servidores treinados estão capacitados a exercer a atividade de identificador, com coleta de dados pessoais e impressões digitais para emissão da carteira de identidade. O treinamento durou duas semanas. Todos os servidores vão retornar a seus municípios com material de confecção do documento, como prontuários de identificação civil. Os identificadores também estão habilitados a fazer a prestação de informações criminais nos municípios. 
Foram ministradas aulas sobre identificação civil, qualidade no atendimento público, necropapiloscopia (coleta de impressão digital de mortos), identificação criminal e redação técnica. Também houve estágio supervisionado no prédio da Delegacia Geral, em Belém. Segundo a delegada Liane Martins, na última turma do ano estiveram presentes funcionários de municípios como Jacundá e Parauapebas, no sudeste do Pará; Trairão, na região oeste; Redenção, no sul do Estado; Baião e Abaetetuba, no nordeste paraense; além de Belém e Ananindeua. Por isso, para ela, o curso possibilita ampliar a possibilidade de emissão do documento de identidade no Pará.
Alguns dos novos identificadores já tinham alguma noção sobre o tema identificação humana. É o caso da funcionária da Câmara Municipal de Ananindeua, Geisiane Lima, de 24 anos. Ela conta que já havia trabalhado no preenchimento de fichas de identificação, durante mutirões de emissão de documentos. “Agora, com o curso, tudo vai ficar mais fácil para o meu trabalho”, avaliou. Já o funcionário da Prefeitura de Parauapebas, Erisson Caynã, de 22 anos, vê no curso uma forma de oferecer mais serviços públicos para a população do município. “A cidade precisa de mais identificadores", destacou. "Agradeço muito por ter sido escolhido para participar do curso”.


Texto:
walrimar




Uepa abre inscrições de resumos para a Revista Multiplicações (FIND)
A Revista Multiplicações, criada em 2004 e que teve sua última publicação em 2007, voltará à ativa. A iniciativa é da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) que, inclusive, já determinou uma data para o lançamento da próxima edição: 19 de dezembro. A publicação tem o objetivo de divulgar e registrar os trabalhos acadêmicos desenvolvidos na Universidade.
A Revista será constituída por programas e projetos vinculados à Proex, que tenham sido aprovados entre os anos 2012 e 2013. As inscrições dos resumos devem ser feitas até o dia 5 de dezembro por meio do e-mail revistamultiplicações.proex@yahoo.com.br. As normas estão disponíveis no www.uepa.br

Serão aceitos textos relacionados a diversos temas, entre eles cultura, educação, saúde, ciência e tecnologia e inovação para a inclusão social, pesca e aquicultura, meio ambiente e recursos naturais, desenvolvimento urbano e rural, redução das desigualdades sociais e combate à extrema pobreza, e geração de trabalho e renda por meio do apoio e fortalecimento de empreendimentos econômicos e solidários.
Somente serão aceitas inscrições realizadas por professores vinculados aos programas e projetos mencionados. A publicação de resumos está condicionada a pareceres de membros do Comitê Editorial ou de colaboradores.
Exige-se para submissão a originalidade do tema, relevância, assim como a consistência e o rigor da estrutura, que deve conter: o tema, o problema, os objetivos, a metodologia, os resultados e as conclusões do estudo. Eventuais modificações de estrutura ou de conteúdo, sugeridas pelos pareceristas ou pela Comissão Editorial só serão incorporadas mediante concordância dos autores.
Os resumos aceitos serão comunicados por e-mail até o dia 13 de dezembro.

Texto:
izesena


Seduc e MPE garantem estágio aos alunos do Ensino Médio
A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPE) assinaram, nesta sexta-feira, 29, um Termo de Cooperação para oferta de estágio pedagógico a alunos do Ensino Médio das escolas públicas estaduais. A intenção é garantir formação profissional aos estudantes e contribuir para a diminuição da evasão escolar nesta etapa de seus estudos.
O estágio será feito nas unidades do Ministério Público, tanto na capital como no interior do Estado. A Seduc vai encaminhar ao MPE a relação das instituições de ensino público estadual aptas a firmar termo de compromisso, informando seus endereços e os nomes de seus diretores. As escolas devem exigir do educando apresentação periódica, pelo prazo de seis meses, de relatório das atividades exercidas no estágio.
O Ministério Público vai ofertar aos estudantes instalações em condições de lhes proporcionar atividades de aprendizagem social, profissional e cultural, além de uma bolsa-estágio mensal e auxílio-transporte durante o período de vinculação com o MPE. O processo de seleção para o estágio deve começar em janeiro de 2014.
Para o procurador geral de Justiça do MPE, Marcos das Neves, esse é um passo importante para ajudar no desenvolvimento da educação no Estado. Ele prevê que alunos dos municípios mais distantes poderão ter acesso ao estágio, o que contribuirá muito com sua formação profissional.
“O Ministério Público tem um compromisso com a educação e com a formação digna dos jovens do Pará. Com esse termo vamos garantir que os nossos estudantes tenham possibilidade de participar desta ação, dando-lhes oportunidade de trabalho”, enfatizou. “Os estudantes também terão a oportunidade de conhecer a realidade do seu município e da sua comunidade”.
Os estudantes interessados no estágio farão suas inscrições nas escolas onde estão matriculados. O pré-requisito para a efetivação da inscrição é a obtenção de nota 7 (sete), no mínimo, em todas as disciplinas até então cursadas. Os critérios para a seleção do estagiário serão: análise curricular, prova escrita (redação) e entrevista.
Para o secretário de Estado de Educação, Claúdio Ribeiro, o Ministério Público está de parabéns pela iniciativa. “Os alunos do Ensino Médio precisam desse acompanhamento e esta ação irá contribuir muito para a diminuição da evasão escolar, pois os estudantes terão uma nova ocupação e passarão a se interessar mais pela escola”, declarou ele. “Serão motivados, pois existirá um recurso para ele se manter na atividade e poderá ajudar sua família, além de conseguir uma formação para o mercado de trabalho”.


Texto:
Eliane Cardoso


Hemopa Capanema supera meta de doações em campanha
O Hemonúcleo de Capanema (Henca) está comemorando o total de 305 bolsas de sangue coletadas durante a campanha realizada entre a última segunda-feira, 25, e esta sexta-feira, 29, em comemoração à Semana do Doador Voluntário. A coleta, que superou em muito a meta de 200 doações, deve ser suficiente para atender aproximadamente 1.220 pacientes adultos, no mês de dezembro, quando normalmente a unidade enfrenta dificuldades com a evasão de doadores.
Segundo a responsável pelo Serviço de Captação de Doadores do Henca, a assistente social Luiza Helena Santana, a mobilização ganhou fôlego com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde, que promoveu gincana solidária entre seus funcionários e familiares, desde o dia 18. A iniciativa somou mais 101 bolsas à campanha, que servirão de reforço no estoque necessário ao abastecimento da rede hospitalar de 16 municípios da região do Caetés.
Bastante satisfeita com o resultado final da mobilização, Luiza agradeceu a todos os doadores que aderiram à campanha. “Isso representa esperança de vida aos pacientes que dependem da transfusão para sobreviver e também mais tranquilidade aos seus familiares e amigos. A doação de sangue significa muito mais que as pessoas imaginam”, comemorou. Ela estendeu seus agradecimentos à equipe de profissionais da unidade que, segundo ela, “foi incansável” para proporcionar um ambiente alegre e segurança na coleta.
Durante a campanha, muitas experiências de solidariedade foram registradas pelo Serviço Social, entre elas a da doadora Cléo Ribeiro, que, por estar enfrentando problemas de saúde, teve impedida sua doação, temporariamente: ela levou seus dois filhos, Cássia e Cássio Ribeiro, de 16 e 17 anos, respectivamente, para a primeira doação. A mãe encorajou os filhos durante todo o processo. Depois abriu um sorriso de satisfação, por ver que seu exemplo foi importante para a decisão deles. ´”É muito gratificante ver meu exemplo ser seguido pelos filhos. É emocionante”, disse Cléo Ribeiro.
Vicente Meirelles, que é doador de repetição, também levou o filho Fernando Meireles, de 18 anos, para sua primeira doação. Eles doaram juntos e o Dia do Doador se tornou a data mais importante da vida deles. “Esse dia ficará marcado em nossas vidas”, disse o pai, com a cumplicidade do filho.
O casal Maria do Socorro Silva e Leônidas Rodrigues Júnior também fez sua parte, doando sangue juntos. A doação foi registrada pelas lentes dos colegas. “Estamos muito felizes, pois sabemos que vamos ajudar a salvar vidas de muitas pessoas".
O jornalista de uma emissora de televisão local, Elson Machado, foi fazer a cobertura do evento e aproveitou a oportunidade para passar pela experiência da primeira doação. “Ele ficou sensibilizado e acabou integrando essa corrente do bem”, comentou Luiza Helena.
Serviço: O Hemopa Capanema fica na Rodovia BR-308, Km Zero, s/n, no bairro São Cristóvão. Mais informações: (91) 3462-2744.


Texto:
Vera R. Rojas


Copa de Jiu-jitsu será realizada neste final de semana
Começa neste sábado, 30, em Belém, a 1ª Copa Reis do Tatame de Jiu-jitsu - Categoria e Absoluto. O campeonato, que será encerrado no domingo, 1 de dezembro, no Ginásio da Tuna, na Avenida Almirante Barroso, é organizado pela Associação Beneficente e Esportiva Arte Suave com o apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).
No sábado, as disputas começam a partir das 9 horas, com os atletas do masculino e feminino de todas as faixas, nas categorias mirim, infantil, infantojuvenil, adulto, master e sênior. No período da tarde acontecem as lutas da categoria Absoluto (disputas sem limite de peso).
No domingo serão realizadas as finais das categorias adulto, master e sênior, masculino e feminino, das faixas preta, marrom, roxa e azul. As disputas vão começar às 9 horas. De acordo com o organizador da Copa, Everton Alfaia, a premiação é um incentivo maior para o atleta praticar o esporte.
“Queremos incentivar as pessoas a praticarem a arte suave", ressaltou. "O aluno que começa na faixa branca, faixa inicial do jiu-jitsu, sabe que no futuro vai participar de outros campeonatos e que para isso será necessário ter condições de comprar um kimono e suplementos”.
Ele lembra que o jiu-jitsu brasileiro é referência mundial e uma das modalidades esportivas que mais cresce no País. A tradução da palavra significa "arte suave" e a luta não permite chutes e socos, mas observa a aplicação de quedas e imobilizações como fundamentos. Os praticantes do jiu-jitsu destacam o desenvolvimento de capacidades físicas e equilíbrio emocional como pontos positivos. “Não só o jiu-jitsu, mas toda arte marcial tem sua doutrina. Ensina o cidadão a ser disciplinado, a ter qualidade de vida e respeito ao próximo”, avalia Alfaia.
O secretário de Esporte e Lazer, Vitor Miranda, assinalou que este é mais um dos eventos esportivos cuja realização a Seel apoia. "Estamos cumprindo nosso objetivo de motivar o esporte paraense, revelando grande talentos”, comentou.                
A Associação Beneficente e Esportiva Arte Suave - Abeas desenvolve há um ano o Projeto Esporte Esperança, por meio do qual crianças e adolescentes carentes do bairro do Jurunas são beneficiados com aulas de jiu-jitsu. “É um trabalho voluntário. Temos que contar com doações de kimonos e de tatame para desenvolver a prática do esporte no bairro", contou Alfaia. "É uma saída para ajudar crianças e adolescentes do bairro em situação de vulnerabilidade e risco social”.


Texto:
Liandro Brito


Circuito das Artes mostra resultados na Praça do Carmo
O Projeto Circuito das Artes vai se despedir do Beco do Carmo, onde realizou oficinas de fotografia, desenho, dança de rua, reciclagem de PET,  grafitagem e audiovisual, direcionadas à comunidade do local, com uma série de atividades programadas para este domingo, dia 1º de dezembro.
A programação de resultados das oficinas, que foram realizadas no Porto Maré, Porto Beiradão (Restaurante Dona Alice), Fórum Landi, Palmeiraço e na Escola Honorato Filgueiras começa a partir das 9 horas. Haverá grafitagem no Beco do Carmo, numa parceria com o Projeto Soul da Rua e participação de aproximadamente 20 grafiteiros. O Soul da Rua é uma iniciativa do Coletivo Cosp Tinta e do Coletivo Casa Preta, com vistas ao fortalecimento da cena do grafite local e regional, sem perder a perspectiva de conscientização acerca de valores sociais e étnico-raciais, através da difusão de outras artes urbanas ligadas à cultura hip-hop e à cultura popular.
À tarde acontecerão visitas ao Beco do Carmo, a partir das 15 horas, e apresentações da Caravana da Leitura e do Grupo de Teatro Itaguari, além de roda de Rima-Rap (frestyle), Cyfer de BBoys (dança de rua), e apresentação do resultado das oficinas de violão popular, dança de rua, fotografia, desenho e reciclagem de pet. Uma oficina de trança também será oferecida ao público que prestigiar o evento.
Para encerrar a programação em clima musical, haverá show do cantor Felipe Cordeiro e banda, na Praça do Carmo, como forma de agradecer a acolhida do projeto pela comunidade. Serão entregues certificados a todos os que participaram das oficinas.
O Projeto Circuito das Artes, uma realização da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, da Secretaria Especial de Promoção Social e do Ministério da Cultura, com patrocínio da Vale e Banpará, já passou pelos bairros do Jurunas, Guamá, Pratinha I, Pratinha II, Marambaia, Tenoné e Terra Firme. Foram realizadas mais de 50 oficinas em diversas linguagens artísticas, como artes plásticas, fotografia, dança de rua e regional, grafitagem, reciclagem, DJ e audiovisual, envolvendo mais de 50 instrutores e com atendimento a mais de 700 alunos das comunidades.
No final do ciclo de oficinas, em cada bairro, aconteceram mostras dos resultados com a realização de fotovarais, projeções audiovisuais, projeções fotográficas, danças regionais, danças de rua, teatro de fantoches, teatro de rua, apresentações de grupos folclóricos das escolas e shows musicais. Além disso, o Circuito das Artes, em parceria com as secretarias de Urbanismo e Saneamento, realizou a limpeza e revisão da iluminação de praças e seu entorno, nos bairros em que esteve presente.
Em 2014, o projeto continuará dirigindo suas ações para bairros periféricos da Região Metropolitana de Belém.


Texto:
Luiz F. M. Costa


Helenilson Pontes elogia o desempenho de atletas paraenses em competições
O vice-governador Helenilson Pontes destacou o papel do esporte como instrumento de inclusão social e ressaltou os investimentos feitos pelo Governo do Estado nessa área como forma de combater a pobreza e as desigualdades em seu discurso, na noite de quinta-feira, 28, durante a assinatura do Termo de Adesão de mais 159 atletas ao Programa Bolsa Talento. A solenidade contou com a presença do titular da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer, Vitor Miranda, do deputado  Federal Wladimir Costa, e da carateca paraense Daniela Tanaka, que representou os demais atletas atendidos pelo projeto.
O programa beneficia atletas em várias modalidades, como basquete, judô, luta romana, vôlei, natação, atletismo, tênis de mesa, esgrima, kung fu e muay thai, entre outras. Todos recebem mensalmente da Seel uma bolsa-auxílio para custeio de gastos com alimentação, transporte, vestuário, equipamentos e outros itens necessários à prática esportiva.
"Vemos aqui atletas paraenses que se destacam nacional e internacionalmente em suas modalidades e que, a despeito de todas as dificuldades, superaram seus desafios e conseguiram resultados expressivos, elevando o nome do Pará. A maior riqueza que o nosso estado possui é o seu povo, e esse mesmo povo precisa ter do que se orgulhar. E os atletas paraenses são uma de nossas fontes de orgulho, nesse sentido o governo tem procurado fazer a sua parte ao beneficiar, por meio desse programa, os talentos da terra, e promover a melhoria da autoestima da população através desses atletas", ressaltou o vice-governador.
O Programa Bolsa Talento foi implantado no Pará em 2000. Sua principal proposta é estimular o desenvolvimento físico, social e psicológico do atleta, trabalhando com as modalidades semi-olímpicas, olímpicas, amadoras e paralímpicas. Com o projeto foi possível manter e aumentar o número de atletas que representam o Pará em competições regionais, nacionais e internacionais. O critério para que o atleta seja atendido e mantido pelo programa é o ranking. As federações esportivas de cada modalidade controlam os relatórios de rendimento do atleta e o enviam regularmente à Seel.
Para o secretário de Esporte e Lazer do Pará, Vitor Miranda, desde  a criação do programa vários os atletas tiveram a oportunidade de desenvolver suas habilidades e superar seus próprios recordes, melhorando seu desempenho a cada competição e mostrando ao Brasil e ao mundo que o esporte paraense tem muito a mostrar. Durante a cerimônia de assinatura do Termo de Adesão ao Bolsa Talento, os atletas receberam uniformes esportivos padronizados para representar o Pará nas competições, além de um kit com a bandeira do Estado, camiseta e botom.
A carateca Daniela Tanaka é um exemplo do sucesso que o programa tem alcançado. Ela já conquistou dez medalhas de bronze e duas de ouro no Circuito Internacional de Karatê, realizado na Itália e na Grécia, e já soma mais de 60 medalhas de ouro ao longo dos cinco anos em que participa do programa. Outros bons exemplos são os da equipe paralímpica de basquete All Star Rodas e as gêmeas do nado sincronizado, Natália e Natasha Pereira, que vem conseguindo resultados expressivos em todas as competiçoes de que participam.
"Dá um orgulho enorme ver estes talentos do nosso estado e atestar a capacidade de superação, dedicação e amor pelo esporte que eles demonstram, apesar de todas as dificuldades que enfrentam", destacou Helenilson Pontes. Em 2014 a previsão da Seel é atender 200 novos atletas por meio do programa.

Texto:
Márcio Flexa


Emater mostra vantagens da avicultura em Conceição do Araguaia
Agricultores familiares e acadêmicos de cursos técnicos foram beneficiados com informações sobre avicultura, através do Dia de Campo promovido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), em Conceição do Araguaia, sul do estado, de terça-feira, 26, até esta quinta-feira, 28. A ação ocorreu no Centro de Treinamento Agroecológico Inovação Tecnológica e Pesquisa Aplicada do Sudeste Paraense.
Participaram dos três dias de programação aproximadamente 120 pessoas, entre agricultores familiares das comunidades de Jocon, Lote 5, Lote 8, Canaranã e Pedreira e alunos de Agronomia e de Agropecuária do Instituto Federal do Pará (IFPA). O público assitiu a palestras sobre a criação de galinha caipira no sistema de semi-confinamento e diversificação e produção de frutíferas consorciadas com aves nos piquetes de pastejos; e fez uma visita a Unidade de Observação de Avicultura. A expectativa é de que os avicultores melhorem a produção e também que o evento atraia o interesse de agricultores que ainda não praticam a atividade. Com relação aos estudantes, formação pelo conhecimento foi o alvo da participação.
Há quatro meses a Emater implantou no município uma Unidade de Observação de Avicultura. Os técnicos fizeram a seleção genética, com três cruzamentos de galinhas caipiras, buscando alcançar um aumento de produtividade na postura dos ovos e ganho de peso do animal. De acordo com o médico veterinário Márcio Silva Heluany, técnico da Emater, o objetivo é fornecer reprodutor melhorado aos pequenos produtores, possibilitando-lhes o acesso à genética melhorada e garantindo a elevação da qualidade na criação de aves. “O projeto já distribui genética melhorada a seis famílias de produtores do município e estamos trabalhando para ampliar a abrangência do projeto”, explicou. O Dia de Campo teve a parceria do Banco da Amazônia.


Texto:
paulaportilho


Hemopa planeja sua programação natalina
A Fundação Hemopa está fechando sua programação natalina, que será realizada nos 11, 12 e 13 de dezembro, com o objetivo de integrar mais efetivamente a instituição, seus funcionários, usuários e a sociedade em geral. A ação contará com a V Feirinha Natalina 2013, com o III Recital de Natal e também com o III Auto de Natal, que será encenado para marcar a confraternização da instituição. A programação será coordenada pelo Serviço de Assistência à Saúde do Servidor.
Nos três dias de programação, sempre das 8 às 14 horas, haverá comercialização de produtos artesanais confeccionados por servidores e seus familiares, na Feirinha Natalina, cuja exposição será montada em frente ao hemocentro, numa área coberta que proporcionará maior conforto aos visitantes. Com vagas limitadas, as inscrições para a feira já estão abertas e vão até o dia 10 de dezembro, das 8 às 14 horas, na sala do Serviço de Assistência à Saúde do Servidor.
O dia 13, a partir das 18 horas, está sendo considerado o ponto alto do evento, por causa do III Recital de Corais de Vozes e também do III Auto de Natal. O Recital de Vozes contará com a participação do Coral do Hemopa, do Coral Vozes da Amazônia, do Banco da Amazônia (Basa), e do Coral São Franscisco de Assis - O cantor da paz, da Igreja dos Capuchinhos.
Nessa mesma noite haverá a apresentação do III Auto de Natal, com elenco formado somente por servidores. Este ano, a peça teatral, com o tema “O verdadeiro sentido do Natal”, terá direção geral da servidora Maria de Lurdes Almeida.
Segundo a psicóloga Suzana Repolho, a ação faz parte do Programa de Valorização do Servidor. A atividade exige a participação de toda a equipe para garantir maior integração e melhor desenvolvimento das ações. “Não estamos medindo esforços para que tudo saia de acordo com o planejado", ressaltou, estendendo o convite à sociedade em geral. "Será um momento de união e de confraternização, por isso contamos com a presença do maior número possível de funcionários, familiares e amigos”.


Texto:
Vera R. Rojas











Do UOL, em São Paul

A Petrobras anunciou que o preço da gasolina vai aumentar 4% e o do diesel sobe 8%. O aumento vale a partir de zero hora deste sábado (30). O percentual de reajuste será aplicado nas refinarias. Nas bombas dos postos, para o consumidor final, os novos preços devem ficar próximos disso.
A Petrobras e o governo estavam estudando o aumento e iriam divulgá-lo na semana passada, mas a decisão foi adiada para agora. Também estava sendo avaliada uma nova metodologia de reajuste automático dos preços dos combustíveis, entre outros temas.
A empresa decidiu não divulgar como será a política de reajustes, que causou atritos entre a presidente Dilma Rousseff e a presidente da companhia, Graça Foster.
O Conselho da estatal aprovou a implementação de uma política de preços, mas "por razões comerciais, os parâmetros da metodologia de precificação serão estritamente internos à companhia", segundo nota distribuída pela empresa.
De acordo com a empresa, essa metodologia de reajuste "pretende assegurar que os indicadores de endividamento e alavancagem da Petrobras retornem aos limites estabelecidos no plano de negócios 2013-2017 em até 24 meses, considerando o crescimento da produção de petróleo e a aplicação da política de preços de combustíveis".
Outro objetivo é "alcançar, em prazo compatível, a convergência dos preços no Brasil com as referências internacionais", disse a Petrobras. A estatal informou ainda que não quer "repassar a volatilidade dos preços internacionais ao consumidor doméstico".


Nova metodologia foi proposta em outubro
Uma nova metodologia de reajuste foi proposta pela Petrobras na reunião de outubro do Conselho. Desde então, o ministro da Fazenda e presidente do Conselho, Guido Mantega, vinha dizendo que seria necessária uma análise mais profunda sobre essa fórmula e que uma decisão sobre o tema não poderia ser tomada de forma rápida.
A Petrobras (PETR3 e PETR4) tinha pedido ao seu Conselho de Administração uma nova política de preços, que previa reajustes automáticos e periódicos de combustíveis, conforme a necessidade de alinhamento com os valores praticados no mercado internacional.
A fórmula desagradou a presidente Dilma porque poderia aumentar a inflação e criar um mecanismo indesejável de indexação (aumentos automáticos sempre que uma determinada situação é atingida).
A indexação foi um dos problemas para o país controlar a hiperinflação que existia até os anos 90.
(Com Reuters)
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...