Total de visualizações de página

domingo, dezembro 01, 2013

Delegado geral é baleado em tentativa de assalto







(Foto: Diário do Pará)

O delegado geral da Polícia Civil do Estado do Pará, Rilmar Firmino, levou um tiro na barriga, na madrugada deste domingo (1º), durante uma tentativa de assalto, no bairro Batista Campos, em Belém.
A tentativa ocorreu por volta de 3h30, na rua dos Mundurucus, próximo à avenida Generalíssimo Deodoro, quando Rilmar Firmino voltava de uma ronda por seccionais e delegacias. Dois homens armados abordaram o veículo dirigido pelo delegado. Um deles atirou contra Firmino e acabou sendo detido após ser atingido por um disparo feito pelo delegado. O outro homem envolvido na tentativa de assalto fugiu e está sendo procurado pela polícia. Um mulher que dava apoio à dupla de assaltantes também foi presa.
No carro do delegado também estavam presentes o irmão de Rilmar e uma capitã da Polícia Militar.
O delegado foi levado para o Hospital Metropolitano de Belém e deve passar por um procedimento cirúrgico ainda na manhã de hoje.
(DOL, com informações de Isaac Sena/Rádio Clube)

E AGORA? Como fica?

Não estaria mais do que na hora de nossos vereadores, deputados estaduais e federais assim como os senadores mexerei nas leis penais, mas de forma concreta e eficaz. Agora, de nada adianta. Agora tem que fazer bem feito, para não continuar favorecendo A ou B e as pessoas de bem principalmente os pobres continuem sofrendo. Pela manhã deste sábado, um operário foi morto no Jurunas, quando o mesmo foi defender um amigo de um assalto e à noite, o delegado...Como fica agora? A Polícia vai às ruas atrás do autor e até mata-lo? Adianta? Quantos outros atos brutais aconteceram no mesmo tempo destes dois atos criminais citados acima? Quantos ainda terão que passar por isso e até ter sua vida ceifada?

Jorge Mesquita – Editor do Blogger do CORREIO JURUNENSE


Delegado geral passa por cirurgias após ser baleado em tentativa de assalto
A Polícia Civil do Pará confirma a tentativa de assalto sofrida na madrugada deste domingo (1) pelo delegado geral, Rilmar Firmino de Souza. Durante a ação criminosa, o delegado geral foi atingido no abdômen com um tiro de revólver calibre .38. Ele foi encaminhado para o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, no qual passou por intervenção cirúrgica para retirada do projétil, que ficou alojado no músculo. A cirurgia durou cerca de 30 minutos, e o quadro clínico é estável, mas Firmino permanecerá internado em observação pelas próximas 24 horas. Durante o dia, será emitido boletim médico atualizando o estado clínico do delegado geral.
O crime ocorreu por volta das 3h30, na Rua dos Mundurucus, próximo à Avenida Generalíssimo Deodoro, quando Rilmar Firmino voltava de uma ronda pelas seccionais e delegacias. Dois homens armados abordaram o veículo dirigido pelo delegado. Um deles atirou contra a autoridade policial e acabou sendo detido após ser atingido por um disparo feito pelo delegado. O outro homem envolvido na tentativa de assalto fugiu e está sendo procurado pela polícia. Um mulher que dava apoio à dupla de assaltantes também foi presa.
O delegado Gilvandro Furtado, diretor da Divisão de Homicídios da Polícia, é quem está responsável pelo inquérito. A delegada geral adjunta, Christiane Ferreira, assumirá interinamente o comando da Polícia Civil do Estado até que Rilmar Firmino se restabeleça completamente.

Texto:
Mauro Neto


Sespa faz caminhada pela prevenção da Aids e da sífilis
Em 2011, 1.504 pessoas residentes no Pará foram diagnosticadas positivamente com o vírus HIV, das quais 907 homens e 597 mulheres. Ano passado, o número foi 1.270, com 761 do sexo masculino e 509 do sexo feminino. Dos 144 municípios paraenses, 13 não registram sequer um caso de Aids há seis anos – o que configura subnotificação e ausência de busca ativa e articulação das secretarias municipais de saúde para a prevenção. Belém ainda lidera, com 1,5 mil casos, as notificações feitas entre 2006 e 2011. Somente no Estado, mais de 4,8 mil pessoas com HIV estão em tratamento, das quais cerca de 140 já iniciaram a medicação somente em 2013.
Os dados foram mais uma vez lembrados pela Coordenação de DST/ Aids da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), que apoiou a caminhada ocorrida neste domingo (1), entre a Estação das Docas e a Praça da República, em Belém, em alusão ao Dia Mundial de Luta contra a Aids e à campanha “É possível nascer no Pará sem sífilis”, que quer sensibilizar a população e os profissionais de saúde da atenção primária para evitar, sobretudo, a sífilis congênita, que é transmitida da mãe para o bebê.
Participante de todas as caminhadas em datas sobre saúde pública, o secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, disse que os grandes desafios para conter tanto a Aids quanto a sífilis estão na melhor orientação em relação à prevenção e no diagnóstico precoce para evitar que um bebê já venha ao mundo com uma das doenças ou mesmo com coinfecção. Tanto é que a meta estadual é reduzir o número de casos de sífilis e sífilis congênita até  2015, conforme preconiza a Organização Mundial de Saúde (OMS).
A coordenadora estadual de DST/ Aids, Deborah Crespo, explicou que o diagnóstico tardio ainda é preocupante e atrapalha no combate à doença, pois cerca de 40% das mortes relacionadas à Aids poderiam ser evitadas se o paciente descobrisse ter o vírus HIV antes do aparecimento dos primeiros sintomas. Em relação à sífilis, ela voltou a ressaltar o papel fundamental dos profissionais de saúde em convencer a população em aderir ao teste rápido.
“A sífilis durante a gestação pode trazer consequências como malformação do feto e aborto. O teste é rápido e o tratamento também pode ser feito de maneira simples, evitando complicações para a criança após o nascimento”, observou a coordenadora, ao lembrar que o teste que detecta a Aids é tão importante quanto medir a pressão ou conferir a taxa de glicose.
Segundo o Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan), de 2009 até o momento, o Pará notificou 4.346 casos de sífilis em gestantes, em 132 municípios, não havendo nenhum caso notificado em apenas doze municípios. No mesmo período, também foram notificados 2.376 casos de sífilis congênita em 116 municípios, havendo, portanto, 28 municípios sem registro da doença.
Os dez municípios com mais casos de sífilis em gestantes notificados nesse período são Marabá (369), Parauapebas (332), Itaituba (244), Belém (216), Santarém (177), Bragança (148), Altamira (129), Tailândia (123), Ananindeua (118) e Tucuruí (117). Os dez municípios com mais casos de sífilis congênita notificados de 2009 a 2013 são Belém (228), Marabá (219), Parauapebas (161), Ananindeua (148), Bragança (133), Marituba (80), Castanhal (77), Itaituba (76), Altamira (74) e Santarém (74).
Não há casos notificados de sífilis em gestantes em doze municípios - Anajás, Bagre, Bannach, Capitão Poço, Faro, Gurupá, Mojuí dos Campos, Nova Timboteua, Palestina do Pará, Peixe-Boi, Santa Cruz do Arari e Santarém Novo. Deborah Crespo ressaltou, no entanto, que não registrar casos de sífilis em gestantes não significa que esses municípios estão sem a doença, uma vez que apenas 60 estão fazendo o teste rápido para detecção de sífilis em gestantes durante o pré-natal. “Dos municípios sem casos registrados, apenas Faro vem fazendo o teste rápido. Na Região Metropolitana de Belém (RMB), por exemplo, apenas Marituba está fazendo o teste”, observou.

Texto:
Mozart Lira


Simão Jatene mostra oportunidades econômicas do Pará em Seminários em Sâo Paulo
A partir desta segunda (2) até quiarta-feira (4), o governador Simão Jatene participa em São Paulo de dois eventos de grande porte que pretendem mostrar ao investidores todo o potencial econômico e o respeito à questão ambiental que vem sendo desenvolvido pelo Governo do Pará nos últimos três anos. Na segunda-feira, Jatene participa, na sede da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), do seminário “Oportunidades de Investimentos no Pará”. O evento, promovido pelo jornal Valor Econômico, abordará a verticalização industrial, apresentando a investidores de outras regiões todas as potencialidades nos setores de infraestrutura, logística, mineral, agronegócio e de energia renovável.
Na quarta-feira, o governador do Pará participa do Forum Estadão de Regiões (Norte), que terá transmissão ao vivo pela internet. Ele será um dos debatedores – juntamente com Confúcio Aires Moura, governador de Rondônia, e Eron Bezerra, secretário de Produção Rural do Amazonas – do painel “Panorama Geral da Região”, que irá tratar dos incentivos e as dificuldades da Zona Franca de Manaus; da mineração e a importância da Transamazônica, além das dificuldades logísticas da região.
Entre outros assuntos, o seminário “Oportunidades de Investimentos no Pará” abordará a possibilidade de verticalização industrial, apresentando a investidores de outras regiões todas as potencialidades nos setores de infraestrutura, logística, mineral, agronegócio e de energia renovável. O objetivo é ampliar a informação para atração de investimentos estratégicos no Estado.
Com 1,2 milhão de quilômetros quadrados e uma população de 7,5 milhões de pessoas, o Pará tem demandas em hidrovias, portos, ferrovias, rodovias, projetos de transmissão de energia e hidrelétricas. Todos esses segmentos devem receber investimentos e oferecem oportunidades para parcerias do governo com a iniciativa privada.
Pela programação, Simão Jatene abre o seminário com o propósito de ressaltar os diferenciais do Estado em termos de economia, energia, turismo, entre outros temas. Na sequência, o diretor titular do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex), da Fiesp, Roberto Gianetti, e o presidente da Alloys, Marcel Popovic, participam de painel sobre mineração.
A infraestrutura existente para o desenvolvimento de projetos de ciência, tecnologia e inovação na Amazônia é o tema da participação do presidente do Parque de Ciência e Tecnologia do Guamá, Antonio Abelém. Os resultados do planejamento logístico do Pará, originados com o Projeto Norte Competitivo, são tema de palestra de Renato Pavan, presidente da Macrologistica. Já a capacidade instalada do setor naval paraense, com destaque para o laboratório de engenharia como diferencial competitivo, integra a apresentação de Fabio Vasconcellos, presidente do Sindicato da Indústria Naval do Pará.
No painel sobre investimentos na região, o secretário de Estado de Indústria, Comércio e Mineração, David Leal, tratará da articulação intragovernamental para facilitar a implantação de empreendimento e incentivos fiscais.

Texto:
Mauro Neto


Helenilson Pontes destaca a importância do setor supermercadista no Pará
O vice-governador Helenilson Pontes parabenizou o setor supermercadista pelo resultado apresentado este ano.  Para ele, o setor serviços é o que mais tem contribuído com o Governo do Pará na luta contra a pobreza e a desigualdade, além de ser o que mais gerou empregos no Estado. O discurso ocorreu durante a festa anual em homenagem aos Fornecedores Destaque 2013, promovida pela Associação Paraense de Supermercados (Aspas).
A cerimônia reconhece o esforço, empenho e parceria das empresas fornecedoras junto aos supermercados paraenses. O governador Simão Jatene compareceu ao jantar. “Muitas vezes lemos na Imprensa a notícia que grandes investimentos estão vindos para o Pará, mas o que mais me alegra não é o tamanho do investimento, e sim a socialização dos resultados destes investimentos", disse Helenilson, criticando o setor exportação que, segundo ele, não deixa resultados ao Pará, apesar do Estado ser um dos maiores contribuintes com a balança comercial brasileira.
Segundo o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Fernando Yamada, este ano o setor supermercadista gerou 35 mil empregos diretos e quatro mil indiretos em 2,8 mil estabelecimentos comerciais no Pará, com faturamento próximo de R$ 7 bilhões. Fernando Yamada explicou que o setor ainda contribui com 10% do Produto Interno Bruto (PIB) paraense. "Somente nesta venda de Natal pretendemos vender 30% mais itens que ano passado", estimou.
Para Helenilson Pontes, o setor de supermercados paraense é formado por homens e mulheres que escolheram o Estado para investir ou ampliar os investimentos. "Como resultado da coragem empreendedora, temos o volume de crescimento superior a outros setores da economia", comentou. Para ele, este resultado serve para combater a desigualdade a e a miséria no Pará, que ainda tem 30% da população abaixo da linha da pobreza.
A Abras reúne, todos os anos, supermercadistas, fornecedores, parceiros e colaboradores para homenagear alguns com a entrega do título de Fornecedores Destaque. Este ano, foram homenageados a Cerpa (Draft), Facepa, Ocrim e Piracanjuba. O prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro, recebeu o título de Supermercadista Honorário, outorgado a personalidades e autoridades do Estado que se dedicam de alguma forma a difundir a atividade. Ano passado, a comenda foi entregue a Helenilson Pontes.

Texto:
Márcio Flexa


Vôlei sentado paraense vence a final nas Paralimpíadas Escolares
O apito final da partida de vôlei sentado entre Pará e Rio de Janeiro na última sexta-feira (29) desencadeou uma comoção coletiva em quadra. Após vencerem os cariocas na final das Paralimpíadas Escolares por 3 sets a 0 – parciais de 25-16, 25-15 e 25-22 – os paraenses caíram no choro e contagiaram o público.
Eles não estavam emocionados apenas pela conquista do quarto título consecutivo, mas também pela homenagem que faziam ao ex-treinador José Renato Oliveira de Oliveira, que morreu em maio deste ano, após levar um tiro em um assalto. “Queríamos muito ganhar este título pelo José Renato, para honrar o nome dele. Muitos aqui começaram no vôlei por causa dele. Eu mesmo conquistei três títulos com ele ao lado da quadra”, contou Maycon Douglas da Silva, 19 anos.
Após a morte do treinador, quem assumiu o time foi Elaine Mesquita, 26 anos. Ela trabalhou como auxiliar técnica de José Renato por dois anos e meio. “Foi muito difícil para todo mundo este ano. Nos primeiros meses após a morte do José Renato, sempre treinávamos e depois chorávamos juntos. Tudo na quadra lembrava e ainda o lembra. Por isso, esse título é tão importante para nós”, afirmou.
Além da caricatura do ex-treinador no uniforme, os jogadores do Pará ainda escreveram cartazes agradecendo por todo o trabalho de José Renato nos últimos anos. O momento de descontração ficou por conta do peixinho dado em quadra pelos jogadores (ritual famoso feito pela seleção brasileira masculina de vôlei olímpico quando ganha um campeonato importante).
As disputas das Paralimpíadas Escolares começaram dia 26 e reuniram cerca de 1,3 mil atletas, de 12 a 20 anos, em dez modalidades (bocha, judô, tênis de mesa, voleibol sentado, futebol de 5 (para cegos), futebol de 7 (paralisia cerebral), goalball, tênis em cadeira de rodas, natação e atletismo).
Segundo a pontuação por modalidade até o dia 28, o judô paraense conquistou duas medalhas de ouro, duas de prata e duas de bronze, com seis medalhas no total. O atleta Thiego Marques da Silva foi o campeão. Na classificação final, o Pará ficou em quarto lugar, com 44 pontos. No tênis de mesa, foram uma medalha de ouro, uma de prata e duas de bronze, com o total de quatro medalhas. Na classificação final, o Pará ficou em quarto lugar com 27 pontos. No atletismo, foram 16 medalhas de ouro, doze de prata e 15 de bronze, com o total de 43. Na classificação final, o Pará somou 330 pontos. Na natação, foram doze medalhas de ouro, 18 de prata e dez de bronze, com o total de 40 medalhas. Na classificação final, o Pará teve 166 pontos. No quadro de medalhas, o Pará vem em quarto lugar, com 93 medalhas.




Uepa encerra Semana da Saúde com ação social na Pedreira
Seria um dia de descanso, mas o último sábado (30) foi movimentado para alunos da Universidade do Estado do Pará (Uepa),  que ofereceram serviços, atividades recreativas e atendimentos de saúde gratuitos a moradores e visitantes do bairro da Pedreira. A Aldeia Cabana foi o local escolhido para o encerramento da X Semana da Saúde, que debateu sobre “Educação e Saúde na Amazônia”.
Um dos serviços mais procurados foi o escovódromo, montado em parceria com estudantes da Universidade Federal do Pará (UFPA). A dona de casa Maria Ribeiro levou os netos Tamires e Fabrício Rocha, de 7 e 11 anos, respectivamente, para participar da ação. "Eu os trouxe para verificar a glicose e diabetes, porque têm comido muito açúcar e consumido muita manteiga. Eu vi que estava tendo a ação e trouxe logo os dois", afirmou.
Patrícia e Larissa Farias, mãe e filha, também aproveitaram o sábado para colocar as vacinas em dia e emitir outra via da carteira de identidade. "A minha identidade rasgou, então o agente de saúde foi lá em casa avisar e eu vim logo em busca do atendimento", explicou a jovem de 18 anos. Para chamar a atenção do público, os alunos não pouparam esforços. Alguns se caracterizam para mostrar às crianças a importância de lavar os alimentos e prevenir contra as parasitoses. Outros apostaram no teatro com fantoche e ainda em jogos lúdicos para desmistificar o ensino da matemática.
A programação seguiu também com consultas pediátricas, testes rápidos de HIV e sífilis e orientações voltadas para a saúde da mulher e da criança. Houve quem também apresentasse ao público resultados de pesquisas feitas neste segundo semestre. Foi o caso das alunas de enfermagem que sugeriram ações frente à poluição sonora de uma escola localizada na Avenida José Bonifácio e acadêmicos do mesmo curso que investigaram o grau de contaminação dos alimentos vendidos na feira do Ver-o-Peso.
Pouco depois do meio-dia, a iniciativa da Uepa encerrou em ritmo de carnaval. Alunos e comunidade estavam envolvidos no som que vinha de materiais alternativos, usados na oficina de produção de instrumentos musicais, promovida pelos alunos do Projeto Pará-Leitura Vai Quem Quer. Baldes, latas de margarina, tampas de garrafa e garrafas pets deram o tom o desfile que finalizou a programação.
"Tivemos mil inscritos e alunos de Marabá, Cametá e Castanhal. Todos eles tiveram bastante participação na programação científica da semana. Aqui na Aldeia Cabana tivemos mais a participação de adultos na retirada de carteira de identidade, 80 no total", destacou a diretora do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Ilma Pastana. Ela adiantou que, por meio das fichas de atendimento, vai analisar qual serviço é mais procurado pelo público para planejar as ações do próximo evento.

Texto:
izesena


Pará recebe mais 64 médicos cubanos pelo programa Mais Médicos
Chegaram neste sábado (30), à Base Aérea de Belém, mais 64 médicos cubanos do segundo ciclo do programa Mais Médicos, que vão atuar em 82 municípios paraenses e três distritos sanitários especiais indígenas no Estado. Outros profissionais chegam a Belém neste domingo (1º) e segunda-feira (2), do total previsto de 176 médicos estrangeiros só neste fim de semana. Na primeira fase, o Pará foi contemplado com 62 cubanos e um brasileiro formado na Argentina, além de 49 brasileiros, dos quais 25 permaneceram no Estado. Até o momento, o Pará já recebeu 266 médicos cubanos.
Os médicos vêm ao Brasil por meio de um acordo de cooperação entre o Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), que integra o programa Mais Médicos. O objetivo é ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país, que não despertaram o interesse de profissionais brasileiros. Os profissionais foram recebidos pelo secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, além de representantes do Ministério da Saúde e da Opas.
Para Helio Franco, a iniciativa do Ministério da Saúde possibilita que os profissionais permaneçam nos municípios, o que dará mais subsídios para a melhoria da qualidade do atendimento básico, principalmente nas localidades de difícil acesso. “Além da humanização, o mais importante é que estes mpédicos vão morar nos municípios, principalmente os que se estabelecerem em áreas rurais. Eles criarão vínculo com a população e ainda vivenciarão a realidade dos locais onde estarão fixados”, destacou.
Também recepcionaram os médicos representantes da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), como a cogestora Maridalva Pantoja; a diretora de Políticas de Atenção Integral à Saúde, Dione Cunha, e a coordenadora da Comissão Estadual Provab e Mais Médicos no Pará, Sônia Bahia. Os cubanos receberão bolsa de R$ 10 mil por mês e ajuda de custo pagas pelo Ministério da Saúde. Os municípios ficarão responsáveis por garantir alimentação e moradia aos profissionais.
Maridalva Pantoja informou que em seis meses será possível observar a evolução das áreas a que chegaram os primeiros médicos cubanos. “Esse é o período em que provavelmente teremos o reflexo do trabalho desses médicos dentro da atenção básica. Vamos observar os impactos, por exemplo, no atendimento ao pré-natal, às doenças endêmicas e também o controle e tratamento das doenças crônicas, como diabetes e hipertensão”, explicou.
O médico cubano Eduardo Ramon, 43 anos, disse que o intuito é contribuir com a melhoria do atendimento à saúde na atenção básica. “Viemos para ajudar e colaborar, para prestar atendimento humanizado nesta área tão importante, que é a saúde da família", afirmou.
Da base aérea, os médicos seguiram em ônibus militar para o Gold Mar Hotel, no bairro do telégrafo, onde permanecem até quinta-feira (5), participando de uma programação de acolhimento, que começa terça-feira (3). Será uma série de apresentações para que conheçam a situação epidemiológica do Estado e o funcionamento da saúde e do Sistema Único de Saúde (SUS). Eles também vão conhecer a realidade da população indígena no Pará, além de receberem um kit com informações sobre cada município. Os médicos serão transportados até os respectivos municípios com o apoio da Marinha do Brasil.

Texto:


Simão Jatene prestigia os 40 anos da Igreja Quadrangular no Pará
Mais de 40 mil pessoas foram ao Estádio Olímpico do Pará, em Belém, na noite deste sábado (30), para participar de um grande culto em comemoração os 40 anos de fundação da Igreja do Evangelho Quadrangular no Pará. A celebração, que teve a participação do governador Simão Jatene e do vice-governador Helenilson Pontes, além dos líderes e fundadores da igreja, reuniu dezenas de caravanas da Região Metropolitana de Belém e de municípios do interior paraense.
Durante o evento, o público foi embalado por uma seleção especial de cânticos e louvores, no início, aqueles que marcaram a história da igreja, depois, os louvores gospel da atualidade embalaram a multidão. No final, o fundador da Quadrangular no Pará, pastor Josué Bengtson, comandou a oração especial pelas quatro décadas de atuação da igreja no Estado. O momento também marcou o batismo de centenas de pessoas na congregação. Uma queima de fogos encerrou a programação.
Atualmente, segundo os líderes da igreja, cerca de 300 mil fiéis paraenses fazem parte da Igreja Quadrangular. Em 1973, quando foi aberta a primeira igreja, no bairro do Reduto, eram apenas 200 pessoas. “Hoje somos 2,4 mil igrejas na capital e no interior, 60 mil líderes e quatro mil pastores. Isto é, sem dúvida, um fenômeno espiritual. Fazer parte dessa história nos emociona muito. Faltam até palavras para poder expressar tudo o que esse momento representa”, disse o vereador e pastor Paulo Queiroz, presidente da Câmara Municipal de Belém.
Crescimento – Quase um ano depois do primeiro culto, o primeiro grande batismo reuniu 1,4 mil pessoas. Também foram fundadas duas igrejas, uma na Pedreira e outra no Jurunas. Em sete anos, eram 52 igrejas, e 25 anos depois, mais de 480. “Nunca paramos de crescer, e é por isso que momentos como esse animam o nosso povo. As pessoas saem daqui sabendo que não estamos sozinhos. Existe uma multidão em todo o Pará fazendo essa mesma festa para a glória de Jesus”, afirmou Josué Bengtson.
Simão Jatene ressaltou que as igrejas têm papel fundamental no bem-estar da sociedade. “O Estado pode chegar até a porta das casas das pessoas, mas ele não deve entrar na casa. A experiência histórica (da ditadura) em que isso aconteceu foi muito dramática no processo civilizatória. A igreja, por sua vez, além da casa, ela entra no coração das pessoas. O que a nossa sociedade precisa é exatamente disso, de estímulo para que o amor supere o ódio, para cada vez mais a solidariedade superar a indiferença. As igrejas pregam exatamente esse princípio, absolutamente fundamental para a construção de uma sociedade melhor”, afirmou.
No Brasil, a Igreja Quadrangular foi fundada em 15 de novembro de 1951, em São João da Boa Vista, São Paulo, pelo missionário da Foursquare Church Gospel, pastor Harold Edwin Williams, auxiliado pelo pastor Jesus Hermirio Vasquez Ramos. Além de Simão Jatene e de Helenilson Pontes, outras autoridades prestigiaram o evento, entre elas os prefeitos de Belém, Zenaldo Coutinho, e de Ananindeua, Manoel Pioneiro.

Texto:
amanda









Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...