Total de visualizações de página

quarta-feira, dezembro 04, 2013

Polícia Civil emite carteiras de identidade para alunos especiais







 

Caratecas paraense apoiados pela Seel são selecionados pelo Bolsa Atleta
A carateca paraense Daniela Tanaka é a primeira colocada do ranking nacional no Ministério dos Esportes contemplada pelo programa Bolsa Atleta. O também carateca paraense Hugo Yamaguchi, outro contemplado, ficou em terceiro lugar na lista dos atletas de modalidades que não fazem parte dos programas olímpicos e paraolímpicos aprovados no âmbito do programa.
Outros 864 atletas brasileiros foram listados, divididos em categorias nacionais e internacionais. O programa federal vai beneficiar atletas com uma bolsa ao longo de 2014 para custear treinos e viagens para representar o Pará e o Brasil pelo mundo. Daniela e Hugo foram selecionados na categoria internacional.
A lutadora já soma mais de 60 medalhas, só de ouro. Há cinco anos ela é campeã paraense invicta de caratê. Chegou a ser eleita, por uma revista online, uma das melhores lutadoras de caratê do mundo. No Circuito Internacional de Caratê, ocorrido na Itália e na Grécia, em agosto, Daniela ganhou dez medalhas de bronze e duas de ouro – nas categorias Kumitê adulto (menos de 60 quilos) e Kumitê juvenil. Com o resultado, ela se tornou tricampeã na categoria adulto. Ela foi a única mulher a representar o Brasil no circuito. “Sou do Pará. Fico com orgulho quando subo no pódio e levanto a bandeira do nosso Estado”, diz.
A campeã é atleta do projeto Bolsa Talento, mantido pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), que apoia com uma bolsa mensal atletas com bons resultados em competições. Para competir na Grécia e Itália, ela recebeu todo o apoio da Seel, que lhe garantiu passagem, hospedagem e alimentação. Esta foi sua segunda viagem internacional com o apoio do Governo do Pará. A primeira foi para Orlando (EUA), em 2012, onde a atleta também foi medalha de ouro na categoria Kumitê adulto.
Hugo Yamaguchi também é atleta do Bolsa Talento, desde 2008. A partir daí, sua carreira deu um grande salto. Segundo ele, o apoio da Seel possibilitou que ele participasse das principais competições no mundo, sempre brigando por títulos. “Minha relação com o governo é ótima. Estamos tendo um contato bem próximo. Agradeço muito à Seel em reconhecer as necessidades dos atletas que disputam grandes competições”, disse.
Para o titular da Seel, Vitor Miranda, o apoio aos atletas paraenses foi fundamental para eles alcançarem grandes resultados. “Acreditamos na Daniela e no Hugo. Com os bons resultados, os apoiamos com o Bolsa Talento e ainda com passagem em competições internacionais. Hoje fico feliz em ver que nossos atletas paraenses estão ganhando apoio federal”, comentou.

Texto:
Liandro Brito


Reforma do IEEP é resgate de história e cidadania para mais de 1,1 mil alunos
Com exatos 142 anos de história e uma inegável contribuição para a formação de milhares de cidadãos paraenses, o Instituto Estadual de Educação do Pará (IEEP) – tradicional colégio localizado no centro de Belém – está, finalmente, ganhando ares de modernidade e se adaptando às necessidades dos tempos atuais, graças a uma completa reforma que está sendo executada pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). As obras estão em fase final e serão concluídas até o fim deste mês, com investimentos que devem ultrapassar a marca de R$ 1 milhão.
Para a diretora da instituição, Luíza Santana, a reforma representa muito mais que apenas melhoria física para a comunidade escolar; significa, também, o resgate de um sentimento de pertencimento, que, aos poucos, estava se apagando. “Eu mesma fui aluna do IEEP, onde me formei como professora normalista. Uma das coisas que mais me marcaram nessa época foi justamente o apreço, a autoestima que era visível em todos que faziam parte da instituição. Isso, com o tempo, foi ficando mais reservado, acreditamos até que em função das próprias condições físicas do colégio. Agora, com essa revitalização, temos certeza que não só o alunado, como também todo o corpo técnico e pedagógico do instituto, vai passar a enxergar e a cuidar da escola de outra maneira”, acredita.
Segundo Luíza, o IEEP estava sofrendo com diversos problemas de infraestrutura, como infiltrações nas paredes, salas de aula com mobiliário quebrado, sujas e quentes, e falta de espaços adequados para a prática de determinadas disciplinas, o que acabava atrapalhando o aprendizado dos alunos. “Além de revitalizar nove salas de aula, que agora inclusive serão refrigeradas, a reforma incluiu a construção de seis novas salas, que serão usadas tanto pela parte administrativa quanto pelo alunado”, destaca a diretora.
Também foram reformados e construídos novos banheiros no prédio anexo, e há a previsão de serem reformados o auditório e todos os banheiros. “Sem dúvida, a obra vai trazer mudanças significativas para os nossos estudantes, que serão acolhidos em salas climatizadas, onde o barulho externo não vai mais prejudicar o aproveitamento escolar. Acreditamos que até o índice de evasão escolar, que era significativo, vai começar a cair a partir do ano que vem”, aponta.
Restauração – O que a diretora da escola conta é reiterado pelos alunos. Segundo a estudante do terceiro ano do ensino médio Rayane Santos, 18 anos, até bem pouco tempo era praticamente impossível estudar com qualidade no IEEP.  “As condições das salas eram realmente precárias. A maioria dos ventiladores, mesas e cadeiras estava quebrada. Houve até caso de alunos que chegaram a cair de cadeiras que não tinham a menor condição de sustentar ninguém”, lembra. Para a jovem, tudo isso agora é passado. “Estou saindo da escola este ano, mas já vejo que tudo está bem melhor agora. Espero que os próximos estudantes possam aproveitar a boa estrutura que terão daqui para a frente”, destaca.
Segundo a engenheira civil da empresa responsável pela obra, Denise Barros, a intervenção teve um caráter de restauração e reforma, já que incluiu tanto o prédio histórico, mais antigo e onde originalmente surgiu a escola, quanto os anexos construídos posteriormente. Foram esses anexos que ganharam novas salas e laboratórios, incluindo dois de informática e um exclusivo para o curso técnico de alimentação escolar, um dos cinco ofertados na perspectiva da educação profissional voltada especialmente para jovens e adultos (Proeja).
“Além do aspecto visual da reforma, que abrange a pintura e novos revestimentos, também fizemos a troca das instalações elétricas, encanamentos e de lógica para a adequação de laboratórios. Agora, estamos providenciando também a adaptação dos espaços para o acesso das pessoas portadoras de necessidades especiais, com a implantação de plataforma e um elevador, bem como a adequação dos banheiros”, ressalta Denise.
Os outros cursos ofertados pela escola são segurança do trabalho, biblioteca escolar, multimeios didáticos e secretariado escolar. Estes últimos procuram perpetuar o antigo papel do IEEP, que no começou oferecia formação em magistério. Também é ofertada a grade normal do ensino médio para os demais alunos que não fazem parte do Proeja. Hoje, no local, há uma média de mais de 1,1 mil alunos matriculados.
A professora e coordenadora do curso técnico em alimentação escolar, Roberta Reis, diz que a reforma é crucial para uma melhora significativa na qualidade dos cursos oferecidos pela instituição, que, apesar dos problemas, continua sendo uma referência educacional no Estado.
“No caso do nosso curso, precisávamos dividir os espaços pedagógicos com outras turmas, o que dificultava muito as atividades, principalmente as mais práticas. Agora, com a reforma, conseguimos construir o laboratório de práticas, voltado principalmente para a alimentação escolar, onde o aluno passará a ter uma visão completa da produção do alimento seguro, que é o nosso maior objetivo, daí a grande expectativa por parte de todos nós”, relata.

Texto:
elckoliveira


Prêmio valoriza trabalho de agentes que colaboram com a EGPA
Sem a colaboração dos Agentes de Desenvolvimento e Capacitação (ADC), a Escola de Governo do Pará (EGPA) não conseguiria divulgar as ações voltadas para qualificação e valorização do servidor. Em reconhecimento ao trabalho destes profissionais, na manhã desta quinta-feira (5) ocorreu a entrega do Prêmio ADC Revelação 2013, que destacou os dois agentes com melhor desempenho durante o ano.
O ADC é o servidor público que, em cada uma das secretarias e entidade do Estado, exerce paralelamente a função de intermediar a comunicação entre os colegas servidores e as ofertas de qualificação profissional propostas pela Escola de Governo. A servidoras Gisele Pina Moia, ADC do Departamento de Trânsito do Pará (Detran), e Maristela Almeida de Souza, ADC da Secretaria de Estado de Administração (Sead), obtiveram as pontuações mais altas na avaliação da comissão do prêmio e foram escolhidas como Revelação de 2013. Ambas foram agraciadas com o valor de R$ 5 mil.
“Esse prêmio representou uma conquista, um reconhecimento por todo o trabalho que fiz na Sead. Enfrentei muitos desafios, mas consegui superá-los e hoje me sinto valorizada e realizada pelo meu trabalho como ADC”, disse Maristela Almeida, referindo-se à dedicação que a função exige, em um trabalho voluntário e de muita responsabilidade.
Também vencedora do prêmio, Gisele Moia atua como ADC há quatro anos. Ela se disse surpresa com o prêmio. “Valeu a pena todo o empenho que a Escola de Governo teve com os ADCs, ao investir em novos treinamentos para nós e em oportunidades para que a gente pudesse fazer um trabalho melhor. Foi o que ajudou a melhorar o meu trabalho, e isto está se refletindo agora, com o reconhecimento. É muito gratificante”, considerou.
Para a escolha do ADC Revelação 2013, todos os agentes titulares e suplentes foram avaliados por uma comissão designada pelo diretor geral EGPA, Ruy Martini. Este grupo observou a atuação do ADC durante o ano, em quesitos como a pró-atividade junto à Escola de Governo, ou seja, a capacidade de lidar com as dificuldades do dia a dia, além do domínio do trabalho, habilidade, atitude e assiduidade nas reuniões periódicas.
“A figura do ADC é fundamental para a Escola de Governo. É ele que permite que as ações cheguem a todos os servidores. A entrega desse prêmio é o reconhecimento do empenho, do compromisso que eles têm com a formação do servidor público. Sem essas pessoas, a EGPA teria uma missão ainda mais difícil”, disse Ruy Martini aos presentes, durante a cerimônia de premiação.
A primeira ação de reconhecimento aos ADCs surgiu em 2011, e desde então todo fim de ano letivo a EGPA presta homenagem a estes colaboradores, como estímulo à eficiência, no desempenho da função. Além disso, em 2013 também foi iniciado um programa de formação voltado exclusivamente para a reciclagem do trabalho dos agentes. Segundo a coordenadora de Desenvolvimento de Habilidades Profissionais, Fátima Machado, a qualificação para eles atende ao novo modelo de Gestão para Resultados, pois a capacitação dos ADCs vai refletir no maior alcance das ações da Escola de Governo para o funcionalismo público.
“Os ADCs estavam há mais de dez anos sem uma capacitação. Alguns não estavam preparados para assumir a função, que exige muito do servidor, já que ele têm que exercer seu trabalho no órgão e ainda ser colaborador da Escola de Governo, ajudando seus colegas a terem acesso às capacitações”, explicou a coordenadora sobre a formação, que ocorreu entre os meses de agosto e outubro e certificou 76 agentes.

Texto:
Daniele Brabo


Estado apresenta o Ação Metrópole ao Conselho de Meio Ambiente
O governo do Estado apresentou nesta quinta-feira (5), ao Conselho Municipal de Meio Ambiente (Consemma), o projeto de mobilidade urbana Ação Metrópole. Participaram da reunião, na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), representantes de órgãos federais, estaduais e municipais.
Na ocasião, representou o governo do Estado o diretor geral do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), César Meira. Ele apresentou os projetos que estão sendo desenvolvidos na área de mobilidade e falou sobre os benefícios ambientais que o projeto de prolongamento da Avenida João Paulo II trará ao Parque Ambiental do Utinga e a toda a Região Metropolitana de Belém (RMB). “Uma grande contribuição que a obra trará para a RMB é a preservação do Parque do Utinga, pois a via funcionará como uma barreira física e sanitária para a Área de Preservação Ambiental (APA) de Belém”, disse.
Além da preocupação ambiental, a concepção do projeto prevê ainda uma composição paisagística, que se harmonizará com a do parque. “A área da nova Avenida João Paulo II será uma das mais belas de Belém e, somada à nova proposta do Parque Estadual, se tornará um ponto de contemplação da natureza, entretenimento, esporte e lazer”, completou César Meira.
O projeto do prolongamento da Avenida João Paulo II também conta com um eficiente sistema de captação de água, proveniente das seis bacias de contribuição, que hoje estão sendo lançadas diretamente no Parque do Utinga, o que diminuirá a contaminação dos mananciais da cidade e reduzirá o índice de doenças causadas por mosquitos, trazendo mais qualidade de vida para a comunidade.
A área do Parque do Utinga vinha passando por problemas consequentes do avanço urbano, como depósito de lixo, despejo de esgotamento sanitário, construção de casas e atividades ilícitas, entre outros. O início das obras de prolongamento da avenida se deu com a autorização oficial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para prospecção arqueológica na área de abrangência da nova via. A licença foi oficializada pela Portaria nº 32, de 25 de julho de 2013.
Trânsito – Na oportunidade, César Meira também falou sobre a preocupação do governo estadual em solucionar o atual cenário de mobilidade urbana de Belém, que sofre com congestionamentos e uma difícil acessibilidade à população. O diretor também destacou os investimentos no setor, que somam mais de R$ 1 milhão, com recursos das três esferas de governo.
“O governo está investindo um grande volume de recursos e trabalhando de forma integrada aos municípios para solucionar este atual cenário urbano, sobretudo, com a implementação do Bus Rapid Transit (BRT), que está sendo implementado de forma integrada com a Prefeitura de Belém para que o projeto atinja sua proposta final. Para isso, também criamos um comitê gestor que discute essas questões e reúne-se periodicamente para a integração técnica dos projetos”, informou.
O conselheiro Edilson Frazão, representante do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea), disse estar satisfeito em saber que o BRT já é uma realidade e que trará grandes benefícios para a população. “Parabenizo pelo projeto e agradeço pela apresentação, pois realmente precisávamos ter conhecimento do andamento da obra. Também fico muito feliz em saber que os governos estadual e municipal estão trabalhando de forma integrada. Como cidadão, tenho grande expectativa pela conclusão deste projeto”, disse.
A pesquisadora da Embrapa Noemi Vianna Leão disse que o órgão também está aberto a contribuir no que for preciso para o projeto da João Paulo II. “Estamos à disposição do NGTM para compartilhar estrutura física e técnica e para guardar sementes e mudas. Sabemos da importância do projeto da João Paulo para proteção do Parque do Utinga, que abriga espécies endêmicas de plantas, e estamos prontos para contribuir com o que for necessário”, destacou.

Texto:
Manu Viana


Cosanpa finaliza reparo em rede danificada por obra na Pedreira
O sistema do nono setor da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) foi religado às 17h50 da tarde desta quinta-feira (5), após o reparo na rede de abastecimento de água feito em caráter de urgência. O vazamento foi provocado pela obra particular de uma locadora. Às 16h20, o sistema teve de ser desligado para receber o serviço, o que prejudicou o abastecimento de água nos bairros Pedreira, Sacramenta, Telégrafo, Barreiro e parte do Marco.
O reparo foi feito pelos técnicos da Cosanpa. Segundo o diretor da companhia, Fernando Martius, o dono da obra que provocou o vazamento vai ter de arcar com alguns dos prejuízos causados. "Será cobrado dele o volume de água desperdiçada e o reparo emergencial", informa. O abastecimento de água já foi normalizado na área.


Texto:
Andrea Cunha


Natal Solidário da Susipe assiste filhos de internos e egressos
Mais de 200 crianças participaram, na última quarta-feira (4), do projeto Natal Solidário, do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe). O evento foi marcado por brincadeiras, oficinas recreativas, dinâmicas, entrega de brinquedos e distribuição de lanches, além de sorteios de brindes e cestas básicas. A festa ocorreu no Serviço Social do Comércio (Sesc), em Belém, e foi promovida pela Divisão de Assistência integrada da Susipe, com o objetivo de resgatar o sentido do Natal para as famílias de internos e egressos.
Segundo a gerente da Divisão de Assistência Integrada, Silvina Cunha, o evento, que já está na nona edição, é um momento de integração familiar entre pais e filhos. “É uma oportunidade para garantir esse direito às crianças. Independente da condição dos pais, elas precisam ter um bom convívio familiar, e temos a obrigação de proporcionar um momento de alegria, diversão e descontração para estas crianças”, afirmou.
O Natal Solidário da Susipe conta com a solidariedade dos próprios funcionários, com a ajuda da iniciativa privada e instituições religiosas. Este ano, o projeto Natal D'Água, da Casa Civil da Governadoria do Estado, foi um dos parceiros da iniciativa, doando parte dos brinquedos que foram doados. “A cada ano, nos aperfeiçoamos, e o sentido de solidariedade vem aumentando ainda mais. As pessoas passaram a olhar este momento com menos preconceito, e percebem o verdadeiro sentido do evento sem discriminar o direito dessas crianças”, destacou Silvinha.
Para a pequena Mariana Santos, 8 anos, o momento foi mágico. “Achei tudo legal. Queria vir aqui mais vezes”, disse a menina. Rosaura Duarte, mãe de um interno e avó de dois netos, já participa há três anos do evento. “A cada ano esse momento de lazer é transformador para nós. É um momento em que eles se divertem e podem estar mais próximos do pai, que é usuário de drogas e tem idas e vindas ao presídio”, comentou.
Joyce Leticia, 25 anos, há seis anos longe do marido, revelou que os momentos de brincadeira com a filha servem de alento para a criança, que sofre com a ausência do pai. “Sempre deixo um momento para ela estar mais próxima dele. Ela espera muito a festinha de Natal e fica perguntando pelo Papai Noel. É um momento mágico para todas as crianças que também recebem os presentes”, disse.
O projeto Natal Solidário da Susipe já atendeu, em nove anos, cerca de mil crianças. "Esse é mais que um trabalho de responsabilidade social. O Natal D’Água atende os ribeirinhos no Pará, mas também contribuímos com causas sociais como a da Susipe. Essas crianças não têm culpa dos erros cometidos pelos pais e merecem sonhar com um Natal melhor. Ano que vem, vamos ser novamente parceiros dessa iniciativa", disse a chefe do Gabinete da primeira-dama do Estado, Daniele Khayat.

Texto:
Timoteo Lopes


Sespa apura circunstâncias da morte de pescador em São Caetano
O secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, solicitou à direção do 2º Centro Regional de Saúde que faça uma sindicância para apurar as circunstâncias da morte do pescador Antônio da Providência Soares, 48 anos, durante atendimento médico na Unidade Mista de Saúde (UMS), gerenciada pela Sespa no município de São Caetano de Odivelas, no nordeste do Pará. O fato levou à revolta da população e à depredação parcial da unidade.
Segundo o médico e diretor clínico da UMS, Paulo Sérgio Brabo, que atendeu ao paciente, Antônio Soares sofria com úlcera traumática antiga no dorso do pé e fazia tratamento há mais de um ano, sem evolução positiva. No dia do episódio, o pescador chegou à unidade queixando-se de dor na lesão infectada. Ele foi medicado com Oxacilina 500 mg e Dexametazona injetáveis.
As informações contidas no prontuário do paciente e a necropsia feita pelo Instituto Médico Legal (IML) serão fundamentais para determinar o que levou à morte de Antônio Soares. Também serão investigados o histórico familiar e a situação social do paciente. Quanto aos prejuízos causados pela depredação, a direção do 2º Centro Regional de Saúde constatou que não houve nenhum dano nos equipamentos existentes na unidade. Foram afetados o telhado, muro, vidraças e grades.
A UMS, que atende a uma população de 16.891 habitantes, oferecendo os serviços de urgência e emergência e assistência ao parto normal, deverá voltar a funcionar normalmente a partir da próxima segunda-feira (9).

Texto:
Roberta Vilanova


Cosanpa repara dano causado por construção particular na Pedreira
A construção de um prédio particular no bairro da Pedreira, em Belém, danificou, no início da tarde desta quinta-feira (5), a rede de abastecimento de água localizada na Avenida Doutor Freitas. No local, está sendo construída uma locadora. A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) foi acionada e imediatamente enviou técnicos para avaliar o dano, que provocou um grande vazamento. Para fazer o reparo emergencial – que ainda não tem previsão de término –, a Cosanpa precisou suspender o fornecimento de água do nono setor por volta das 16h20, prejudicando o abastecimento nos bairros da Pedreira, Sacramenta, Telégrafo, Barreiro e parte do Marco.

Texto:
Andrea Cunha


Polícia Civil emite carteiras de identidade para alunos especiais
A Polícia Civil promoveu, nesta quinta-feira, 5, a emissão gratuita de cerca de 100 carteiras de identidade, durante ação de cidadania, na escola “Professor Astério de Campos”, unidade de ensino especializada em atender crianças e adolescentes com deficiência, localizada na Avenida Almirante Barroso, bairro do Marco, em Belém. Durante toda manhã, alunos, pais de estudantes, professores e comunidade em geral puderam procurar a unidade de ensino para solicitar o documento. A prestação do serviço na própria escola atendeu a pedido feito à delegada-geral adjunta, Christiane Ferreira, para possibilitar que crianças e adolescentes atendidas pudessem ter acesso à emissão do documento no local de ensino.
Diante disso, a Diretoria de Identificação, por meio de seu diretor, Ricardo Paula, providenciou o envio de duas identificadoras – Orlandete Moraes e Josemeire Barreto – para fazer a coleta dos dados e impressões digitais, para confecção dos documentos. A ação contou com a apoio de professores da própria escola que ajudaram no preenchimento das fichas de identificação dos alunos e na comunicação com os alunos deficientes auditivos, por meio da linguagem de libras, também conhecida como língua dos sinais. “Assim, a gente pode deixá-los mais à vontade para o atendimento”, explicou a pedagoga Renata Medeiros, que atua como técnica em Educação na escola.  
O emissão das carteiras de identidade fez parte da programação do "Dia de Ação Solidária" promovido pela direção da instituição de ensino todo final de ano. Os pais dos alunos aprovaram a prestação do serviço de identificação na própria escola. “Para mim foi uma ótima ideia levar a emissão de documentos para escola. Gostei muito do atendimento”, festejou a dona-de-casa Maria Antônia Lima da Silva, 36 anos, mãe de Wesley Lima Costa, 9, e  Maria Amélia Lima Costa, 17, que estuda há um ano na escola.
Já a professora Ana Cristina Chaves Neves da Silva aproveitou para levar os dois filhos, Leonardo, de 4, e Eduardo, de 5 anos, alunos da escola, para emitir as primeiras vias do documento de identidade. Para ela, a ação foi muito boa, pois as crianças já estavam precisando das carteiras. “Foi tudo muito bom, desde a chegada até o atendimento. Precisamos de mais serviços assim”, celebrou. Outras crianças, que por algum motivo, não puderam requerer o documento de identidade, terão os nomes anotados para que, em uma próxima ação de cidadania, sejam atendidos.
ESCOLA A unidade de ensino foi fundada em 21 de outubro de 1960, sob a denominação de Escola de Educação para Surdos, tendo como objetivo o desenvolvimento das potencialidades dos alunos surdos e sua inclusão social. Ela oferece Educação Infantil até o quinto ano do Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos (EJA), Curso Pré-Vestibular, além de Atendimento Educacional Especializado. O endereço da Escola “Professor Astério de Campos” é Avenida Almirante Barroso, nº 2.800, em frente ao prédio do Tribunal de Justiça do Pará.

Texto:
Walrimar Santos


PM reforça atuação preventiva em Bragança
A aproximação da PM com a comunidade tem gerado bons resultados no município de Bragança, contribuindo, também, para o planejamento de ações do policiamento na localidade. Nesta linha de ação, a 5ª Companhia Independente PM, em parceria com a gerência do Banco do Brasil no município, desenvolveu o projeto “Rede Comunitária de Segurança Bancária”, direcionado a clientes e funcionários do estabelecimento, como forma de orientá-los a prevenir crimes que podem ocorrer nas imediações das agências, principalmente em períodos como pagamentos funcionais e os de grande circulação de dinheiro, como as festas de fim de ano, como é o caso das chamadas “saidinhas bancárias” e golpes como o “conto do paco”, além de furtos e roubos a clientes ou mesmo funcionários.
O projeto contempla ações como a distribuição de ímãs de geladeira, contendo os números funcionais da unidade, repasse de dicas simples de prevenção, discussão de medidas protetivas e de integração entre a PM e os estabelecimentos - como no caso da instalação de biombos de proteção próximos aos caixas e disposição de cadeiras próximas ao atendimento. 

Texto:
Leno Carmo


Evento na Sespa celebra campanha dos 16 Dias de Ativismo Feminino
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em parceria com a Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos (SJUDH) realizou nesta quinta-feira, 5, uma programação em alusão à campanha dos 16 Dias de Ativismo Feminino, uma mobilização global que acontece em 159 países, com o objetivo de eliminar todas as formas de violência contra a mulher.
No Brasil, a campanha tem início no dia 20 de novembro, quando se celebra o Dia Nacional da Consciência Negra, com o intuito de destacar a dupla discriminação sofrida pelas mulheres negras. O período compreende algumas datas significativas, como o Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher (25/11), Dia Mundial de Luta Contra a Aids (1°/12), Dia do Laço Branco (6/12) e o Dia Mundial dos Direitos Humanos (10/12).
Durante o evento, houve uma palestra sobre as diversas formas de violência contra a mulher e também a apresentação de uma peça teatral, com o nome “Não provoque: é cor de rosa choque”, com os atores André Reis, Maria Monteiro e Katia Menezes. A encenação, que recebeu o apoio do Instituto de Artes do Pará (IAP), mostrou o dia-a-dia das mulheres que estão em situação de violência doméstica e familiar.  
Segundo Ana Cristina Marques, terapeuta ocupacional da SJUDH, a finalidade é trazer aos servidores uma reflexão sobre a temática do gênero. “As políticas publicas voltadas para as mulheres têm caráter transversal, abrangem várias áreas do poder público. É de fundamental importância ampliar esta discussão em todos os setores. A ideia é mobilizar as pessoas pelo fim da violência contra a mulher”, afirmou.
Para a coordenadora estadual de Saúde da Mulher, Conceição Carneiro, as mulheres vítimas de violência precisam de atenção e apoio dos mais variados setores. Ela disse que é preciso sensibilização para o atendimento e encaminhamento adequado, além das notificações das ocorrências no atendimento às mulheres, na área da saúde. “Precisamos ter um panorama para que possamos pensar em uma política de saúde direcionada para estas mulheres”, concluiu.


Texto:
Edna Sidou


Sepaq promoverá duas feiras do pescado neste sábado
Duas feiras realizadas simultaneamente. Esta é a novidade que a Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura trará para o público neste sábado, 7. A primeira acontecerá no estacionamento do Centro Comunitário da Paróquia de Santo Antonio de Lisboa, na Rua São Miguel, bairro da Cremação, e a outra na Praça da Amizade, que fica na Praia dos Artistas, da Ilha de Outeiro. O horário de atendimento ao público será das 7h às 13h. A ideia é que todos que forem até um desses locais de venda saia de lá com o peixe para o almoço do fim de semana.
Serão colocadas a venda nove toneladas de peixes na feira da Cremação e oito toneladas em Outeiro. Além do Xareu, que estará sendo vendido a apenas R$ 2,00 o quilo, outras quinze espécies de pescado poderão ser encontradas pelos consumidores, além de uma variedade de camarão rosa e bacalhau. O Xaréu que estará na promoção pesa em média de 4 a 8kg e será vendido inteiro. 
Esta é a primeira vez que a Feira do Pescado será realizada no bairro da Cremação e Ilha de Outeiro. Nas duas feiras serão realizadas programações culturais com música e apresentação de grupos de dança.
Serviço: Feira do Pescado, dia 07/12, de 7h às 13h
CREMAÇÃO:
Local: Estacionamento do Centrão, na Rua São Miguel, esquina da Travessa Dr. Moraes
ILHA DE OUTEIRO
Local: Praça da Amizade, na Praia dos Artistas

Texto:
Christian E. Souza


Sespa e IBGE apelam à população para que participe da Pesquisa Nacional de Saúde
O Pará corre o risco de ficar de fora da amostra da Pesquisa Nacional de Saúde encomendada pelo Ministério da Saúde, com prejuízos para os próprios usuários do sistema de saúde, face à recusa de grande parte da população paraense, principalmente na Região Metropolitana de Belém (RMB), em atender a equipe de pesquisadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) encarregada do levantamento dos dados. Por esse motivo, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e o próprio IBGE estão fazendo um apelo à população para que participe da pesquisa. 
O objetivo é colher informações sobre as condições de saúde e os estilos de vida da população em todos os Estados brasileiros, bem como sobre a atenção à saúde, no que se refere ao acesso e uso dos serviços de saúde, às ações preventivas, à continuidade dos cuidados e ao financiamento da assistência de saúde. Os dados vão subsidiar a elaboração das políticas de Saúde Pública e, com base neles, os governos federal, estaduais e municipais terão condições de trabalhar para melhorar a prestação dos serviços oferecidos à população. Sem o mínimo de dados coletados, o Pará pode ficar prejudicado.
A pesquisa está sendo feita por amostragem, ou seja, não é realizada em todos os domicílios do País, mas por meio de uma amostra representativa do conjunto dos lares brasileiros. No Pará, a amostra consiste em 3.410 domicílios, dos quais 2.075 estão situados nos municípios de Belém, Ananindeua, Benevides e Marituba.
Segundo o analista de informações do IBGE, Marco Aurélio Arbage Lobo, trata-se de uma pesquisa domiciliar, realizada com aplicação de um questionário no local de moradia das pessoas, sendo que, em algumas residências, são realizadas medidas antropométricas, com a medição de peso, altura, circunferência do abdome e da pressão arterial, além da realização de exames laboratoriais. Todos os pesquisadores foram treinados pela Coordenação Estadual de Nutrição da Sespa.
De acordo com a coordenadora estadual de Nutrição, Rahilda Tuma, é importante que a população colabore, pois esses dados são fundamentais para conhecer a situação de saúde dos paraenses e permitir que o poder público desenvolva políticas de Saúde de acordo com a realidade de cada Estado. “Atualmente, tomamos como base pesquisas nacionais, que não expressam a realidade paraense. Por isso não podemos perder esta oportunidade de conhecer melhor a situação de saúde e hábitos dos paraenses”, afirmou.
Lobo explicou que, para ter representatividade estatística, ou seja, para que possa retratar fielmente a enorme diversidade da população brasileira, com a necessária dose de credibilidade, é preciso que haja um percentual mínimo de questionários respondidos. "Se o percentual mínimo não for alcançado, os dados não serão divulgados”, alertou o analista.
Conforme Lobo, há dois motivos relevantes para a recusa da pesquisa: o temor da violência - já que as pessoas têm receio de abrir a porta para os pesquisadores, pensando que podem ser bandidos - e a desconfiança de que os dados possam ser divulgados pelo IBGE. Sobre a questão da violência e para tranquilizar a população, Lobo informou que, como medida preventiva, antes de responder à pesquisa, a pessoa pode ligar para o telefone 0800 721 8181 e verificar se o pesquisador está realmente a serviço do IBGE. No que tange ao sigilo das informações, ele garantiu que o IBGE não divulga nenhum dado individual, apenas dados gerais sob a forma de somas e médias de milhares de domicílios, o que torna impossível a individualização da informação. 
“Vocês já ouviram falar que a Justiça quebrou sigilo bancário, sigilo fiscal e sigilo telefônico, mas, com certeza, nunca ouviram falar que quebrou sigilo de informações do IBGE, porque esse sigilo é garantido pela Lei nº 5534/1968”, explicou. “O IBGE tem 77 anos de história e nunca um dado individual foi divulgado”, observou. Lobo informou, ainda, que a pesquisa começou no fim de agosto e se estenderá até 20 de dezembro, daí a necessidade de sensibilizar a população paraense para que receba os pesquisadores do IBGE.
O analista disse que, no Pará, ao contrário da grande maioria dos demais Estados brasileiros, o percentual mínimo não está sendo alcançado, por causa do elevado número de pessoas que se recusam a responder o questionário da PNS, fato que está ocorrendo em cerca de 8% dos lares paraenses, com o problema concentrado na RMB. “O percentual de recusas é de 13% em Belém; 9% em Ananindeua e Marituba; e 15% em Benevides. Enquanto isso, a taxa de recusas no Estado do Amazonas é de apenas 1%, e de 2% em Manaus. No Brasil, como um todo, essa taxa alcança 3%, mas no Pará chega a 8%”, lamentou.
Lobo enfatizou, ainda, que a população será a maior prejudicada, caso não haja a representatividade estatística necessária para divulgação dos dados locais. “O poder público também será afetado, por não poder contar com informações valiosas para o planejamento e a execução de políticas públicas”, alertou.
Serviço: A Unidade Estadual da PNS está localizada na Avenida Serzedelo Corrêa, 331/337, Belém, CEP: 66035-400. Informações: 0800 721 8181.


Texto:
Roberta Vilanova


Aluna de Secretariado da Uepa leva pesquisa a encontro internacional
A estudante do terceiro ano do Curso de Bacharelado em Secretariado Executivo Trilíngue da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Maricilene Isaira Baia do Nascimento, levou o nome da instituição e as pesquisas produzidas no curso para as discussões internacionais. A pesquisa "A informação e suas tecnologia: uma análise descritiva e correlativa das ementas das disciplinas de informática em cursos de Bacharelado em Secretariado Executivo" foi apresentada no Congresso Internacional de Secretariado - Coins 2013, que ocorreu em em novembro, em Campos do Jordão (SP).
A pesquisa foi realizada como atividade da disciplina de Informática, sob a orientação da professora Glaucy Learte da Silva, e procurou fazer um mapeamento da própria disciplina nos cursos de Secretariado Executivo de instituições públicas de todo o país, com uma metodologia quantitativa. “Tivemos muito apoio para a produção do artigo. Fizemos a coleta de dados, entramos em contato com os professores dos cursos, fomos ao portal do Ministério da Educação, mapeamos as universidades e fizemos a pesquisa”, explica Maricilene do Nascimento.
O artigo ficou em primeiro lugar em uma lista de seis trabalhos selecionados, entre os 38 enviados de todo o país à coordenação do evento. O trabalho também será publicado na edição especial da revista científica Gestão e Secretariado - Gesec, organizada pelo Sindicato das Secretárias e Secretários do Estado de São Paulo, neste mês de dezembro.
Para a aluna, a participação em eventos acadêmicos e a divulgação das pesquisas contribuem para o crescimento do curso e da universidade. “É uma forma de levarmos o conhecimento que a universidade produz para fora do Estado. Uma iniciativa para fazer com que o curso apareça mais nas pesquisas e seja reconhecido como um curso de qualidade, com produções e pesquisa de qualidade”, ressaltou.
A aluna Maricilene do Nascimento também recebeu o Prêmio de Excelência Acadêmica ofertado pelo Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE) da Uepa.


Texto:
Janine Bargas


Museu Histórico do Pará receberá obras originais de Cândido Portinari
Belém receberá uma exposição nunca vista antes no Norte do país. Trata-se da exposição “Portinari na Coleção Castro Maya”, que será aberta no Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP), no dia 14 de janeiro de 2014, e ficará na cidade durante dois meses. Com pinturas, desenhos e gravuras realizadas entre os anos de 1938 e 1959, a mostra traz para a capital paraense, 57 obras originais de Cândido Portinari considerado o maior artista da pintura modernista brasileira. “A exposição está vindo para Belém com o apoio do Ministério da Cultura", diz Sérgio Melo, diretor do museu. "Belém é a terceira capital do país a receber esta mostra. Estamos muito felizes com essa grande oportunidade”.
Ele explica que, por se tratar de uma exposição muito valiosa, vários critérios foram estipulados pelo Ministério da Cultura para a escolha das cidades por onde a mostra irá passar. Belém atendeu a todos esses critérios e foi aprovada para receber a exposição, por possuir um museu equipado, aparelhado e com uma equipe multidisciplinar treinada. “O fato de recebermos esta exposição mostra a capacidade do Governo do Pará, através da Secretaria de Estado de Cultura, de manter um bom padrão em seus prédios históricos e, principalmente, o esforço da secretaria em buscar sempre trazer eventos culturalmente e historicamente importantes para todos nós”, enfatizou Sérgio.
Ainda de acordo com ele, um esquema de segurança, dentro e fora do museu, também será montado para a preservação das peças. A Polícia Federal dará apoio inclusive no transporte das obras, que já começam a chegar no dia 20 deste mês.
A exposição trata das relações tecidas ao longo do tempo entre Candido Portinari e Raymundo Ottoni de Castro Maya, que resultou na acumulação do maior acervo público do pintor. A mostra traz as obras de Portinari adquiridas por Castro Maya em leilões, galerias de arte e no próprio ateliê do artista. Os destaques são "Menino com Pião" (1947), "O Sonho" (1938), "Grupo de Meninas Brincando" (1940), "A Barca" e "O Sapateiro de Brodósqui" (1941), "Lavadeiras" (1943) e "Morro n. 11" (1958), além da série "Dom Quixote".
Nascido em 1903, numa fazenda de café em Brodowski, no interior de São Paulo, Portinari manifestou talento para a pintura desde cedo. O artista começou a desenhar aos seis anos e aos nove participou, durante vários meses, dos trabalhos de restauração da igreja de Brodowski, auxiliando pintores italianos. Aos 15 anos, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde frequentou a Escola Nacional de Belas Artes.
Ainda jovem, ganhou um prêmio de pintura que lhe permitiu se aprimorar em Paris, na França. Portinari voltou ao Brasil para registrar imagens ligadas ao povo e foi quem melhor retratou a identidade do trabalhador brasileiro, sendo cultuado por muitos de seus contemporâneos. Mário de Andrade, por exemplo, considerava que o amigo era "a mais útil e exemplar aventura de arte que já se viveu no Brasil".
Foi reconhecido nacional e internacionalmente e virou tema de livros e mostras, dentro e fora do País. Além de desenhos, pinturas e gravuras, Portinari se destacou com seus painéis e murais. Alguns exemplos são o Conjunto Arquitetônico da Pampulha e os painéis que decoram o edifício-sede da Organização das Nações Unidas, em Nova York. A produção de Portinari, ao longo da vida, é estimada em aproximadamente cinco mil obras. O pintor morreu no Rio de Janeiro, em 1962.


Texto:
brunacampos


Governo do Estado investe na reforma da 1ª Companhia da PM, em Salinópolis
O Pará em Obras inicia uma nova etapa, agora com investimentos do Governo do Estado em infraestrutura, no interior do Estado. A primeira região contemplada é o nordeste paraense, com o detalhamento da obra realizada na 1ª Companhia Independente de Polícia Militar do Estado do Pará (1ª CIPM), localizada em Salinópolis, que, já em fase de conclusão, recebe mais de 500 mil reais em reformas. As melhorias fazem parte do projeto do Governo Simão Jatene no sentido de potencializar os serviços do Sistema de Segurança Pública do Pará (SISP), tanto na Região Metropolitana de Belém (RMB) quanto no interior, com o objetivo de garantir melhor combate e prevenção à criminalidade.
A obra da 1ª CIPM, realizada pela Artemil Construções e Comércio Ltda, já recebeu um investimento total de R$ 581.395,43, com revitalização externa, interna e criação de novos espaços, como a sala de mediação de conflitos, onde ocorrem reuniões com a sociedade, o Grupamento Tático Operacional (GTO), responsável pela atuação em eventos pontuais e um redário, alojamento estruturado para acomodar policiais em redes em operações especiais, geralmente deflagradas no veraneio e nas festas de final de ano. Segundo o comandante, major Miguel Freitas, a companhia aguarda novo mobiliário e acabamentos finais para que a obra seja concluída, o que deve acontecer no início de 2014.
A principal conquista, após estes investimentos, segundo o comandante, foi a melhoria nas condições de trabalho do policial militar, o que se reflete diretamente no atendimento à população. “Nossa companhia conta com um efetivo de 140 homens, que atuam não somente em Salinas, mas também em São João de Pirabas, Santarém Novo e agrovilas vizinhas. Também recebemos do Governo do Estado, em julho deste ano, dez viaturas novas, entre as quais uma Unidade Móvel de Perícia, o que potencializa nosso poder de atuação e reduz o tempo de atendimento à população do Salgado”, explicou.
O major destaca como avanço, ainda, a integração da Polícia Militar com a comunidade, que vem recebendo total apoio de entidades de justiça e do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg). “Os investimentos em infraestrutura também refletem no nosso diálogo com a população. O Conseg foi uma ponte importante para que nos reaproximássemos das pessoas, inclusive na mediação de conflitos. Um exemplo disso é nossa atuação no Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência (Proerd), que já nos possibilitou formar mil crianças e adolescentes, somente em 2013”, destaca Miguel Freitas.
Representantes de entidades de classe, como Luiz Antonini, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Salinópolis (Acesa), comemoram iniciativas do Governo do Estado voltadas à segurança pública na região. “No início deste ano um amigo nosso, comerciante, foi assassinado. Nos reunimos com os representantes do Governo do Estado e tivemos nossas solicitações atendidas. Hoje, os policiais de Salinas têm viaturas novas, já podem contar com acomodações reformadas e desenvolvem um trabalho de inteligência na região. Já notamos a significativa diminuição da criminalidade na nossa cidade”, testemunhou.
O segurança privado John Maia, vice-presidente do Conseg de Salinópolis, explica que os investimentos do Governo do Pará na região já resultaram na prisão de assaltantes e traficantes de alta periculosidade. “Com mais estrutura, automaticamente ganhamos mais policiamento e maior atuação dos agentes de segurança. Nosso trabalho integrado com a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) nos ajudou a reaproximar a sociedade dos policiais e a aumentar o número de denúncias. Estamos muito satisfeitos com o trabalho aqui desenvolvido”, apontou.
Desenvolvida sob a responsabilidade da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), a obra, orçada em R$ 581.395,43 e levada a efeito pela Artemil Construções e Comércio Ltda, vai beneficiar as ações da Polícia Militar do Estado do Pará (PMPA) e já se encontra em fase conclusiva, com 80% realizados e entrega prevista para o início de 2014. 


Texto:
Nil Muniz


Emater participa do I Fest Agri em São Domingos do Capim
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) é parceira da realização do I Festival do Agricultor (Fest Agri), que ocorrerá nos dias 21 e 22 (sábado e domingo), na comunidade Bom Jesus, em São Domingos do Capim, nordeste do estado. Durante a programação técnica do evento a Emater promoverá, no sábado, às 8 horas, uma palestra sobre manejo de açaízal nativo e linhas de crédito rural à agricultores familiares da região.

Texto:
paulaportilho


Produtores de banana do Pará receberão mudas de alta produtividade
Mais de mil agricultores familiares do Pará serão atendidos com a distribuição de 100 mil mudas de banana que serão usadas no sombreamento do cacau em diversas regiões do estado. A distribuição foi feita pela Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) às prefeituras e sedes regionais do órgão. Posteriormente, o material será repassado aos produtores.
As bananeiras são das variedades BRS-Conquista e Pakovan-Ken, de alta produtividade e muito resistentes a doenças como a Sigatoka Negra e o Mal do Panamá. As mudas foram cultivadas no laboratório da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) de Cruz das Almas, na Bahia, numa ação do projeto coordenado pela Sagri em conjunto com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac).
Os agricultores que vão receber as mudas foram selecionados pela Ceplac em 40 municípios paraenses, a maioria das regiões sul, nordeste e Transamazônica. O projeto desenvolvido com recursos do Fundo de Desenvolvimento da Cacauicultura do Pará (Funcacau) reúne cacau e banana em sistema consorciado. O plantio começa em janeiro, durante o período das chuvas.

Texto:
Leni Sampaio


Ophir Loyola promove Jornada de Residência em Enfermagem
O Hospital Ophir Loyola realizará nos dias 18, 19 e 20 dezembro a Jornada de Residência em Enfermagem. A programação acontece das 8h às 12h, no auditório Luiz Geolás. Os programas de Residência em Enfermagem do HOL possuem rigor científico e intelectual e são destinados à especialização nas áreas de oncologia, clínica cirúrgica, clínica médica e Centro de Terapia Intensiva. A Jornada trará palestras expositivas como “O Manejo de doenças reumáticas”, “Principais Arritmias cardíacas em pacientes internado no CTI”, “Cuidados intensivos aos pacientes oncológicos e cuidados paliativos no ambiente de terapia intensiva”, entre outros.
A programação integrará conhecimentos entre as especialidades desenvolvidas no HOL e contribuirá com a formação de profissionais, residentes, técnicos e acadêmicos da área. As inscrições podem ser feitas de segunda a sexta-feira, em horário comercial, no Departamento de Eventos Científicos, localizado na Avenida Magalhães Barata, n° 992 - São Brás, a um custo de R$ 20,00 para estudantes e técnicos de Enfermagem, e R$ 30,00 para profissionais de Saúde. Mais informações pelo telefone (91) 3265-6510.


Texto:
Leila Cruz


Emater orienta agricultores a diversificarem a produção em Castelo dos Sonhos
Agricultores familiares do distrito de Castelo dos Sonhos, município de Altamira, no oeste paraense, já começaram a receber informações técnicas sobre a viabilidade do cultivo de hortaliças pelo método da hidroponia. A iniciativa é da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e propõe uma alternativa de renda local, que tem como base econômica a pecuária.
Para trabalhar a ação junto aos agricultores, a Emater utiliza a experiência, bem sucedida, do agricultor familiar Rony Clécio, que há seis meses recebeu financiamento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), cujo projeto técnico tem a assinatura da Emater. A experiência é inédita em Castelo dos Sonhos. O espaço produtivo é utilizado para a realização de palestras e para dar orientações a agricultores que tenham aptidão com o cultivo de hortaliças ou que estejam interessados em trabalhar com a cultura.
O projeto  hidropônico, conforme orientação da Emater, deverá ser expandido e, ao invés do cultivo apenas do alface, também serão incluídas outras folhosas, como couve e agrião, e o plantio de tomate. Hoje o agricultor familiar colhe, por mês, quatro mil pés de alface que abastecem o mercado local. “Queremos incentivar o cultivo como alternativa de renda, além disso, pela ausência dos produtos aqui na localidade, hortaliça tem mercado garantido”, disse Leonardo Sampaio, técnico da Emater.
Segundo Rony Clécio, desde a implantação  do projeto, no último mês de julho, a renda familiar aumentou pelo menos 50%. “Antes eu já trabalhava com hidroponia, mas muito timidamente. Depois que comecei  a receber orientação técnica minha produção triplicou. Agora quero expandir o negócio”, afirmou o agricultor. O projeto com hidroponia deverá ser estendido para outras famílias de agricultores da Região das Chácaras, no perímetro urbano de Castelo dos Sonhos.

Texto:
Iolanda Lopes


Hospital de Tailândia investe na modernização de processos e melhoria da prestação de serviços
“Essa é a melhor obra de todos os tempos já executada em nossa região”, afirmou Sheila Cristina Evangelista, moradora do município de Tailândia, sobre o Hospital Geral de Tailândia (HGT), que desde julho deste ano passou a ser gerido pelo Governo do Estado, via Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), especializado em administração hospitalar. A mudança na administração proporcionou uma grande mudança em toda a estrutura de atendimento do hospital, que passou por uma ampliação na estrutura física e também nos serviços, com a inclusão de novas especialidades médicas e realização de cirurgias.
A enfermeira Andreza Silva, que trabalha no hospital desde a época em que a gestão era municipalizada, conta que o atendimento na emergência ganhou em qualidade e o serviço ambulatorial, que antes não existia, agora conta com endocrinologista, cardiologista, pediatra, oftalmologista, ginecologista, trauma-ortopedista e cirurgia geral.
A oferta de exames também é novidade. “Hoje dispomos de exames de mamografia, endoscopia, ultrassom, eletrocardiograma, raio X, exame de laboratório, coisas que a gente não tinha antes”, conta Andreza . Todos os aparelhos de exames por imagem e métodos gráficos passaram por manutenção técnica preventiva. Outros equipamentos foram adquiridos, como o de vídeoendoscopia, ultrassom e eletrocardiograma. Para a profissional, a principal mudança foi a realização de cirurgias de média complexidade e a criação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), inaugurada no inicio deste mês.
“A única cirurgia que a gente fazia no hospital era cesariana, as outras demandas eram todas encaminhadas para Belém. Hoje fazemos cirurgia de pequeno e médio porte, temos a UCI e não precisamos mais enviar o paciente para se tratar fora daqui. A diferença para a população é muito grande, porque todo o atendimento que ela precisa agora é oferecido aqui”, reiterou Andreza Silva, enfermeira no Hospital Geral de Tailândia.
A Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) possui 10 leitos, sendo sete adultos e três infantis, funcionando em regime semi-intensivo para receber pacientes em estado grave, como foi o caso do jovem Maciano Evangelista, que sofreu um acidente de moto e foi atendido em Tailândia. Para Sheila Cristina Evangelista, irmã do paciente, a nova estrutura do hospital foi o que determinou sua sobrevivência. “Se não tivesse esse espaço, ele não resistiria porque estava com hemorragia interna e não podia ser removido pra Belém ou qualquer outro lugar. Graças a Deus e a essa sala de UCI é que meu irmão está vivo. Essa sala salvou vidas e continuará salvando. Pra mim foi a melhor aplicação do Governo nessa região”, disse Sheila.
Desde o mês de agosto, o Hospital Geral de Tailândia oferece atendimento médico 24 horas, com dois cirurgiões gerais, três clínicos, sendo que um deles com especialização; um anestesista, um ginecologista/obstetra, um pediatra e um trauma ortopedista. O pronto-socorro 24 horas conta com 42 leitos distribuídos entre a clínica médica, pediatria, cirurgia geral e obstetrícia de média complexidade. O serviço de Urgência/Emergência ganhou agilidade com a distribuição do atendimento em três quartos, com três leitos de observação cada.
O HGT é responsável pelo atendimento de assistência básica e de média complexidade, e realiza mensalmente uma média 13.800 exames complementares, 6.200 atendimentos de Pronto-socorro, 90 partos, 170 cirurgias, 780 consultas ambulatoriais e 360 internações, para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) do município e demais localidades da região.
Em janeiro de 2011, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) passou a investir na descentralização e no fortalecimento dos serviços no interior, implantando o Projeto de Requalificação dos Hospitais Municipais e construindo mais três hospitais regionais, para diminuir a demanda sobre os hospitais e pronto-socorros de Belém. O Projeto de Requalificação dos Hospitais Municipais prevê a construção, reforma e ampliação de hospitais de pequeno porte no interior e aquisição de equipamentos, para que atendimentos de média complexidade possam ser realizados nos próprios municípios.
O governo do Estado está investindo mais de R$ 656 milhões na ampliação do atendimento de saúde à população. Os projetos estão oferecendo melhores condições de trabalho aos profissionais de saúde, levando a todas as regiões serviços de média e alta complexidade, novas especialidades e procedimentos e instalando mais 1.060 novos leitos hospitalares em todo o Pará.

Texto:
danifilgueiras


Professor do Estado é premiado pela Academia Paraense de Letras
O professor Andersen Medeiros foi premiado com Menção Honrosa no concurso literário da Academia Paraense de Letras (APL) no gênero infanto-juvenil, por seu livro “Histórias do 'Seo' Minuca”, no qual o escritor narra, através do personagem Seo Minuca, sete histórias populares contadas após as noites de chuva. Medeiros, que integra o corpo docente da rede estadual de ensino, receberá a premiação no próximo dia 13 de dezembro, na sede da APL, localizada na rua João Diogo,  
Escritor há 21 anos, ele é autor de cinco livros. O primeiro deles, “O Ratinho e a Cadela”, foi lançado pela Editora Metro Cúbico, com apoio da Caixa Econômica Federal, em Manaus. O segundo livro, cujo título é “A Lenda da Chuva Vespertina de Belém”, teve direito a ilustrações de J. Bosco e foi premiado pelo Instituto de Artes do Pará (IAP) em 2002. Esta obra, também traduzida para o inglês e para o espanhol, virou música e teatro de bonecos.
Em 2008, Medeiros lançou “Mapinguari, o Guardião da Floresta”, pela Editora Estudos Amazônicos. “Anani, a Árvore que Chora” foi lançado em 2012, também com ilustrações de J. Bosco e apoio da Editora Estudos Amazônicos.
Nas escolas estaduais, Andersen Medeiros atua há dez anos como professor de Língua Portuguesa, trabalhando turmas das escolas Celina Deo Tetto, Agostinho Monteiro e Zulina Vergolino Dias, todas em Ananindeua. “Essa premiação tem como ponto fundamental, para mim, a valorização do meu trabalho como autor, tendo em vista que o reconhecimento da Academia Paraense de Letras é muito importante para a credibilidade do trabalho de qualquer escritor”, declarou ele.


Texto:
Eliane Cardoso


Idosos competem na pista de atletismo do Mangueirão
Cerca de 200 idosos competiram, na manhã desta quinta-feira, 5, nas provas de 100 metros rasos, revezamento 4x25 metros e caminhada (marcha atlética) de 200 metros, na pista de atletismo do Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, no segundo dia dos Jogos de Integração do Programa Vida Ativa na Terceira Idade.
O atleta Ederaldo Santos, de 65 anos, foi medalha de ouro na caminhada masculina. Ele é professor aposentado de Educação Física e participa do programa há 5 anos. A prática de atividades físicas o ajudou a superar uma trombose hereditária e, mesmo após o implante de um marca-passo, o atleta não desanimou.
“Com a atividade física, pude fazer amigos e ter companhia, além de me manter ativo”, disse. Santos, que competiu pelo núcleo Grêmio Recreativo e Literário Português. Ele também é professor colaborador do Vida Ativa nos núcleos do Conjunto Maguary e Satélite, ministrando aulas de alongamento e ginástica aeróbica.
Já o carioca Jorge Costa, de 60 anos, competiu nos 100 metros rasos e nos 200 metros da marcha atlética. Também professor de Educação Física aposentado, ele mora em Belém desde o mês de maio e conheceu o Programa Vida Ativa através da imprensa. Costa compete nos Jogos representando o núcleo Grêmio Literário, onde pratica hidroginástica.
A valorização do esporte, no lugar que mais ama depois de sua terra natal, fez com que tecesse muitos elogios ao Governo do Pará. Dando o exemplo de uma alimentação rica em frutas, ele se diz orgulhoso de influenciar o filho de 11 anos no desejo de ingressar na vida esportiva. “Fico feliz em ver essas programações que incentivam o esporte e repasso os ensinamentos pro meu filho”, comentou o professor.
No meio das comemorações, a atleta Márcia Franco, de 77 anos, que levou medalha de ouro na caminhada, não segurava os elogios: “Está sendo um espetáculo", comentou. "Estou amando as provas. A gente desenvolve nosso corpo com as atividades”.
Nesta sexta-feira, 6, os jogos serão finalizados com as provas de natação, que acontecem na Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa do Pará. A programação começa às 8h30. Após as competições, haverá um baile de encerramento e a escolha do rei e da rainha dos Jogos.


Texto:
Liandro Brito


Campanha externa da Fundação Hemopa no Colégio CEI.
O Colégio CEI, em parceria com a Fundação Hemopa, promoverá uma campanha externa com o apoio da unidade móvel do hemocentro neste sábado, 7, das 8h às 16h, onde espera atingir a meta de 100 coletas. As campanhas externas do Hemopa prosseguem nos seguintes locais, datas e horários:
Dias 10 e 11 - Shopping Castanheira (BR-316), das 10h às 19h;
Dias 12 e 13 - Escola Tereza Dávila (Rua Decouville, 951, Marituba), das 8h às 15h.

Texto:
Sérgio Moraes


Natal das crianças da comunidade ribeirinha do entorno da Ceasa-PA
As Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa-PA) realizam no dia 19 deste mês, a partir das 9h, o Natal das crianças ribeirinhas que moram no entorno da Ceasa. O evento, promovido pelo Núcleo de Planejamentos e Projetos (NPP) da Ceasa, já é tradicional e beneficia crianças e adolescentes do entorno, que recebem presentes doados pelos funcionários das Centrais, em meio a uma grande festa com a presença de Papai Noel, brincadeiras e distribuição de lanches.

Texto:
Nayara Ferraz


Imprensa Oficial do Estado promove Seminário de Certificação Digital
A Secretaria Especial de Gestão e a Imprensa Oficial do Estado (IOE) realizam no próximo dia 12 de dezembro, às 9h, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, o Seminário de Certificação Digital. O objetivo do evento é discutir o funcionamento da certificação digital, as vantagens e possibilidades de utilização da tecnologia no dia a dia de cada um.
O Seminário terá como convidado e palestrante o analista de Sistemas e gerente de Produtos de Tecnologia da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo (Imesp), João Paulo Foini. Ele vai falar sobre como o cidadão pode ganhar mais tempo com o uso do Certificado Digital. O evento será direcionado a gestores de órgãos governamentais, desenvolvedores de softwares, empresários e demais pessoas interessadas no tema.
Carteira de Identidade eletrônica
O certificado digital funciona como uma carteira de identidade eletrônica que garante autenticidade na identificação das partes envolvidas em transações feitas por meio virtual. Emissões de Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ), de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), CPF e CNPJ eletrônicos (e-CPF e e-CNPJ), são alguns dos serviços que podem ser realizados via certificado digital.
Informações e inscrições: (91) 4009-7832 (vagas limitadas)
Credenciamento da imprensa:
Ascom IOEPA - Keila Rodrigues
E-mail: keilar.jornalismo@gmail.com
Fone: (91) 8325-0865 ou 4009-7847

Texto:
keilarodrigues


Cosanpa participa da I Feira da Conciliação
A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) vai disponibilizar uma equipe de servidores da Diretoria de Mercado e das quatro Unidades de Negócios da capital, para a realização da I Feira da Conciliação, promovida pelo Tribunal de Justiça do Estado, através da Coordenação dos Juizados Especiais. No próximo sábado, 7, quem está com algum débito ou outra qualquer pendência relacionada ao serviço de abastecimento de água terá a possibilidade de resolver o problema de forma consensual.
A Assessoria Jurídica da Cosanpa vai disponibilizar o atendimento em duas fases: a primeira, pré-processual, para 09 clientes que cadastraram reclamações antes da realização do evento, com audiências já marcadas para a Feira da Conciliação, inclusive tendo propostas de acordo colocadas à sua disposição. A segunda fase é para demanda espontânea, de consumidores que desejam obter informações sobre abastecimento de água ou hidrômetros, negociar um débito ou outro qualquer caso. Dessa forma, a solução de muitas reclamações vai ganhar celeridade.
A expectativa da companhia é atender uma média de 300 pessoas durante a Feira. “Nós vamos acessar o sistema da Cosanpa e analisar o cadastro do  consumidor. Se ele estiver regular, sem nenhuma problema, pode negociar débito na hora e fazer acordo para a solução imediata ou posterior do problema”, explica a assessora jurídica, Nazaré Pereira. Ela ressalta que as reclamações que não tiverem solução durante o evento, ainda encontrarão possibilidade de conciliação num segundo momento. É que a Coordenação dos Juizados vai providenciar o cadastramento dessas reclamações e seu encaminhamento para a Casa da Justiça, onde haverá audiências de conciliação. Neste segundo momento, a empresa será  intimada a comparecer e tentar resolver a pendência.
Para o diretor de Mercado da Cosanpa, Fernando Martins, a participação na I Feira da Conciliação é a oportunidade de dizer aos clientes em atraso com as faturas de água/esgoto ou outro qualquer problema, que a companhia está aberta a negociações. “Vai ser possível, por exemplo, verificar o porquê do débito, se o débito é realmente pertinente, prestar esclarecimentos sobre a cobrança e possibilitar o parcelamento de dívidas", enfatizou. Será feita uma avaliação da reclamação do consumidor e depois serão colocadas em prática ações da empresa para solução dos conflitos. “É um momento muito especial, de fácil comunicação e direta com o cliente”, anunciou Martins.
A equipe da Cosanpa que vai participar da I Feira da Conciliação será formada por três advogados, quatro servidores das Unidades de Negócios e duas servidoras da Gerência de Produtos e Serviços, encarregadas de receber os consumidores. A feira será realizada das 8 às 16 horas, neste sábado, 7, no Ginásio de Educação Física da Uepa, localizado na Avenida João Paulo II, em Belém. 


Texto:
Andrea Cunha


Susipe apresenta nova tornozeleira para monitoramento eletrônico de presos
A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) apresentou, nesta quarta-feira, 4, durante reunião ordinária do Conselho Estadual de Segurança Pública (Consep), realizada na Delegacia Geral da Polícia Civil, a tornozeleira eletrônica que será utilizada dentro do novo Sistema de Monitoramento Eletrônico para presos do estado. A apresentação foi feita pelo titular da Susipe, André Cunha, e por Carlos Santiago, representante da empresa paulista contratada, por meio de licitação, para fornecer o equipamento, na presença dos integrantes do Consep, composto por integrantes de órgãos governamentais e entidades que representam a sociedade, sob presidência do secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha. O sistema começa a ser utilizado ainda este mês.
O equipamento, explica André Cunha, permite que presos dos regimes aberto e semiaberto, na Região Metropolitana de Belém (RMB) passem a cumprir prisão domiciliar na qual serão monitorados com o uso das tornozeleiras eletrônicas. O novo sistema foi aprovado por meio de resolução do Consep e é previsto na Lei de Medidas Cautelares (Lei 12.403/2011), para controlar movimentação de detentos visando a fiscalização do cumprimento das medidas determinadas pela Justiça.
Carlos Santiago explica que o equipamento é composto por uma pequena peça que será afixada no tornozelo do detento. Com ela será possível monitorar, com a ajuda de um GPS, a localização exata do apenado durante o cumprimento do regime domiciliar. "É um aparelho à prova d´água, discreto, com carga à bateria com 24 horas de duração, 260 gramas de peso, não causa alergia à pele, nem choque e é confortável para uso", detalha.
O sinal é captado por um chip inteligente que busca a operadora de celular mais próxima. “Os dados coletados pelo GPS são enviados para a central de monitoramento com informações sobre o local onde está o preso”, explica. Segundo André Cunha, em caso de tentativa de burlar o equipamento ou se o detento sair da área de prisão domiciliar determinada pela Justiça, o núcleo gestor responsável por monitorar o equipamento registrará a ocorrência no Sistema de Gestão Penitenciário e deverá comunicá-la à Polícia e ao juiz que determinou a medida cautelar, para conhecimento e início da busca do preso. Se o apenado tentar sair da área geográfica determinada pela Justiça, a tornozeleira irá emitir um alerta vibratório e também um sinal de luz em cores por meio de uma tela de led.
Considerado inovador no Pará, o novo sistema vai possibilitar a desativação da Casa do Albergado, que atualmente custodia 65 presos do regime aberto, obrigados, por ordem judicial, a se recolherem no local pelo período noturno. Todos os internos dessa Unidade Prisional passarão a cumprir prisão domiciliar acompanhada por meio do monitoramento eletrônico. A ferramenta também será utilizada por presos do regime semi-aberto que estejam trabalhando ou durante o período de benefício da saída temporária.

Texto:
Walrimar Santos


Polícias Civil e Militar apreendem armas e munição na zona rural de Placas
As Polícias Civil e Militar apreenderam quatro armas e dezenas de munições durante operação conjunta realizada nesta quinta-feira, 5, na zona rural de Placas, oeste paraense, sob o comando do delegado Ariosnaldo da Silva Vital Filho. A ação policial ocorreu na comunidade Sombra Santa, às margens do Rio Curua-úna, localizada próximo ao município de Santarém. Na ocasião, foi preso em flagrante o vaqueiro Hildebrando Ferreira de Carvalho, 31 anos, natural de Pedreira, no Maranhão. Ele vai responder por crimes de porte e posse irregular de arma de fogo e de munições. O armamento foi encontrado durante incursão pela estrada conhecida como Vicinal do Km 140, na área de invasão Gleba do Léo, em Sombra Santa.
A prisão de Hildebrando foi feita pela equipe formada pelos investigadores Hércules dos Santos Araújo, Marcos Aldrin Amorim e Fagner dos Anjos e os policiais militares, cabo Edimilson Alves e soldado Diego Alessandro. Ao ser abordado, ele tentou reagir atirando contra os policiais, mas acabou rendido.
Os policiais fizeram revista na casa do preso e ali encontraram quatro armas de fogo (duas espingardas calibres 16 e 28; um rifle calibre 22 com sete munições intactas e uma arma caseira calibre 20 municiada, também intacta) e, entre as munições deflagradas, dez cápsulas de calibre 22; oito de calibre 38; 21 cartuchos de calibre 16; quatro munições de calibre 28; três munições de calibre 20, além de duas munições intactas de calibre 28 e uma munição de calibre 16 carregadas artesanalmente. Tudo será encaminhado para perícia.
Segundo o delegado, as investigações tiveram início após denúncias de moradores locais sobre disparos constantes com armas de fogo, ameaças e espancamentos de pessoaspor parte do vaqueiro. “Ele costumava andar armado naquela redondeza causando medo aos colonos”, explica o delegado. Ao ser ouvido em interrogatório, Hildebrando Carvalho negou as denúncias e alegou que andava armado por causa da existência de onças que costumam atacar o gado e outras criações de animais na região. De acordo com Ariosnaldo da Silva Vital Filho, o procedimento de flagrante já foi comunicado ao fórum de Uruará para apreciação e julgamento da autoridade judiciária.

Texto:
Walrimar Santos


Ophir Loyola inscreve para Jornada de Residência em Enfermagem
O Hospital Ophir Loyola realizará nos dias 18, 19 e 20 dezembro, a Jornada de Residência em Enfermagem, das 8 às 12 horas, no Auditório Luiz Geolás. Os Programas de Residência em Enfermagem do HOL possuem rigor científico e intelectual e são destinados à especialização nas áreas de oncologia, clínica cirúrgica, clínica médica e Centro de Terapia Intensiva. A jornada trará palestras expositivas como “O manejo de doenças reumáticas”, “Principais arritmias cardíacas em pacientes internados no CTI” e “Cuidados intensivos aos pacientes oncológicos e cuidados paliativos no ambiente de terapia intensiva”, entre outras.
A programação integrará conhecimentos entre as especialidades desenvolvidas no HOL e contribuirá com a formação de profissionais, residentes, técnicos e acadêmicos da área. As inscrições serão realizadas de segunda a sexta-feira, em horário comercial, no Departamento de Eventos Científicos, localizado na Avenida Magalhães Barata, 992 - São Brás. Investimento: R$20,00, para estudantes e técnicos de enfermagem, e R$ 30,00, para profissionais de Saúde. Mais informações pelo telefone (91) 3265-6510.


Texto:
Leila Cruz


Projeto Bombeiro Vai à Escola forma 393 estudantes de Cametá
O Corpo de Bombeiros encerrou mais uma etapa do projeto O Bombeiro Vai à Escola, com a formatura de 393 estudantes da rede pública de Cametá, no nordeste do Pará. Os alunos receberam, durante um ano, noções de cidadania, educação ambiental e combate a incêndio, em uma ação educativa que ajuda a formar novos cidadãos e prepará-los para atuar em casos de emergência.
Os estudantes aprenderam ainda sobre direitos constitucionais, primeiros socorros, meio ambiente e proteção ambiental. O projeto pretende desenvolver atividades extracurriculares e a prevenção de acidentes domésticos no dia a dia. Os alunos também conheceram a rotina dos bombeiros no quartel local, verificando equipamentos e viaturas.
O projeto em Cametá foi criado no fim do ano de 2012, atendendo os estudantes do quinto ao nono ano do município. “Os bombeiros de Cametá se empenham muito no projeto, pois é uma cidade carente de tudo. Até para o bombeiro chegar ao local do incêndio é difícil devido à falta de asfalto e saneamento básico”, disse o major bombeiro Raimundo Quaresma, lembrando que o conhecimento das técnicas de salvamento pode fazer a diferença entre a vida e a morte.
A formatura teve a simulação de um desmaio e de um atendimento primário de salvamento, mostrando na prática o aprendizado repassado pelos bombeiros. “O projeto é de suma importância dentro do lar e em qualquer situação na vida dessas crianças. Nosso objetivo é expandir esse projeto para outros municípios”, informou o coronel Nahum Fernandes, coordenador geral dos projetos sociais do Corpo de Bombeiros.



Polícia Civil apreende medicamentos de venda proibida de Dom Eliseu
A Polícia Civil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Conselho Regional de Farmácia (CRF) divulgaram nesta quarta-feira (4) os resultados de uma operação de fiscalização na área comercial de Dom Eliseu, sudeste do Pará. A ação ocorreu nos últimos dias 2 e 3 e tiveram como alvos estabelecimentos do setor farmacêutico. Durante as abordagens, foram apreendidos diversos medicamentos de venda proibida sem o registro na Anvisa, e outros falsificados.
Parte dos produtos irregulares foi apreendida na drogaria de propriedade de Geniel Oliveira Silva, que foi preso em flagrante. Em outra farmácia, de Adilton Souza dos Santos, os agentes flagraram o local com medicação sem registro na Anvisa e ainda certa quantidade do medicamento abortífero conhecido como Citotec, que tem venda proibida no Brasil. Também na farmácia foi apreendida a quantia de R$ 8 mil, encontrada no interior de um cofre. Os donos das farmácias foram conduzidos para a Delegacia da Polícia Civil em Dom Eliseu, para responder pelos crimes na Justiça.

Texto:
Walrimar Santos


Cohab garante Cheque Moradia para 73 famílias que ocupam residencial
A Companhia de Habitação do Pará (Cohab) já garantiu o atendimento de 73 famílias que ocupam hoje as unidades habitacionais do Residencial Liberdade, no Guamá, por meio do programa Cheque Moradia. A confirmação do atendimento foi dada nesta quarta-feira (4), durante reunião com a direção da Cohab e uma comissão que representa a comunidade. O empreendimento foi ocupado em 2012, quando ainda estava em obras.
A comissão destacou o trabalho da Cohab junto à comunidade no sentido de fazer um levantamento que identificou as famílias que estavam aptas a receber o benefício habitacional, segundo relato de um dos membros, Júnior Sousa. "As negociações com a Cohab já avançaram muito. Foi feito o cadastramento das famílias lá, e assegurado o Cheque Moradia para aquelas que se enquadram no programa, mas agora esperamos negociar com a Funpapa para viabilizar o auxílio aluguel, já que a prefeitura é que tem competência para isso, pois somos cientes de que teremos que sair de lá", disse.
Segundo ele, as famílias estão apreensivas, já que depois de três prorrogações de prazo, a Justiça determinou a desocupação dos apartamentos, o que deverá ocorrer nos próximos dias. Eles relataram que policiais militares já estiveram na área para dar ciência dessa retirada aos ocupantes. "Queremos evitar confrontos desnecessários, e por isso fomos até a Assembleia Legislativa pedir o apoio dos parlamentares, apesar de saber que essa é uma obra do governo federal e que precisa ser concluída", disse Júnior Sousa.
A diretora de Relações com o Cliente da Cohab, Bernardete Costa, relembrou todo o atendimento dado à comunidade, informando que, desde o início do ano, a Cohab vem dialogando com a comissão para dar um encaminhamento mais apropriado, e que o último cadastramento feito em setembro resultou no cadastramento de 276 famílias no programa Minha Casa Minha Vida e de 73 no Cheque Moradia. "Essa famílias estão dentro dos critérios do programa estadual e estão aptas a receberem o benefício. Fomos lá e fizemos esse cadastro, e repassamos ao Judiciário. Nunca nos negamos a atender qualquer representação dessa comunidade", afirmou.
O diretor técnico da Cohab, João Barral, esclareceu que não há como a companhia pedir uma prorrogação de prazo para a desocupação do residencial junto à Justiça, conforme foi solicitado pela comissão. "O governo federal e Caixa Econômica podem suspender os recursos destinados a esse projeto, e temos prazo para concluí-lo. A Cohab poderá até responder por ação de improbidade pelo não uso dos recursos destinados ao empreendimento e não cumprimento de prazo.Portanto, não há como retomarmos as obras e cumprir o prazo sem que haja a desocupação, porque por outro lado, temos as famílias às quais as unidades são destinadas e que também aguardam a entrega das mesmas", informou.
João Barral informou ainda que eles teriam a possibilidade de se inscreverem junto ao Ministério das Cidades para acesso à modalidade Minha Casa Minha Vida Entidades, e que a Superintendência do Patrimônio da União havia se comprometido em conseguir um terreno para construção de unidades que atendessem às famílias que hoje ocupam o residencial.
Os apartamentos ocupados pertencem ao Residencial Liberdade I e II, localizado no bairro do Guamá. Ao todo, o empreendimento, que inclui ainda o Liberdade III, hoje em obras, totaliza 2.336 unidades habitacionais e integra as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na área da habitação.

Texto:
Rosa Borges


Uepa prorroga inscrições de trabalhos para a revista Multiplicações
A seleção de trabalhos a serem publicados na revista “Multiplicações”, da Universidade do Estado do Pará (Uepa), sofreu alterações no cronograma de inscrições, avaliação e publicação, e em algumas regras de formatação dos textos. O prazo para submissão foi prorrogado de 5 para 9 deste mês, e o período de avaliação será entre os dias 10 e 15. A revista será lançada no dia 19 seguinte. O novo calendário e as normas de publicação estão disponíveis no site www.uepa.br.
Serão aceitos resumos críticos de projetos e programas vinculados à Pró-Reitoria de Extensão da Uepa, que tenham sido aprovados nos anos de 2012 e 2013. Como requisito indispensável, os trabalhos devem apresentar originalidade do tema, relevância, consistência e rigor da estrutura. Os trabalhos devem ser enviados para o e-mail revistamultiplicacoes.proex@yahoo.com.br. A comissão enviará para o autor principal a confirmação ou rejeição do resumo, por e-mail, até 16 de dezembro.
Os trabalhos podem estar relacionados a diversas áreas, entre elas, cultura, educação, saúde, ciência e tecnologia e inovação para a inclusão social, pesca e aquicultura, meio ambiente e recursos naturais, desenvolvimento urbano e rural, redução das desigualdades sociais e combate à extrema pobreza, e geração de trabalho e renda por meio do apoio e fortalecimento de empreendimentos econômicos e solidários.
A revista “Multiplicações” foi criada em 2004, mas deixou de ser publicada em 2007. Este ano, o periódico volta a registrar e divulgar os trabalhos acadêmicos desenvolvidos na Uepa.

Texto:
Janine Bargas


Polícia atenderá estudantes com necessidades especiais em escola especializada
Estudantes da Unidade de Ensino Especializada Professor Astério de Campos poderão ter acesso gratuito a serviços de emissão de carteiras de identidade na manhã desta quinta-feira, 5. A diretoria de identificação da Polícia Civil estará no local para o atendimento exclusivo, das 8 às 13 horas. O trabalho faz parte do "Dia de Ação Solidária" promovido pela direção da instituição de ensino. Além da emissão de documentos, será montado um brechó e uma praça de alimentação.
A unidade de ensino foi fundada em 21 de outubro de 1960, sob a nomenclatura de Escola de Educação para Surdos, com o objetivo de desenvolver as potencialidades e promover a inclusão de alunos surdos. Ela oferece Educação Infantil, Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos (EJA) e possui um curso pré-vestibular.

Texto:
Aycha Nunes


PCT Guamá é polo de oportunidades para empresas e pesquisadores paraenses
Oferecer oportunidades para que empreendimentos de pequeno, médio e grande porte transformem pesquisas em produtos ou aprimorem processos produtivos com o apoio de estudos científicos. É esse o objetivo do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá), localizado em Belém, um dos três polos tecnológicos estratégicos para o processo de um novo modelo de desenvolvimento para o Estado do Pará, pautado por uma economia verde de forte base tecnológica e inovadora.
Com investimentos do governo do Estado de mais de R$ 80 milhões, o espaço está com mais de 90% das obras de infraestrutura física concluídas e já se tornou o primeiro em operação dos três parques tecnológicos previstos para implantação no Estado. Os outros são o PCT Tapajós, em Santarém, e o PCT Tocantins, em Marabá.
O PCT Guamá nasceu dentro da Universidade Federal do Pará (UFPA) e foi formalizado por meio de um convênio entre a Secretaria de Estado, Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), a UFPA e a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra). Tem gestão da Fundação de Ciência e Tecnologia Guamá, entidade de direito privado sem fins lucrativos, e conta com aporte financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).
Também tem o apoio da Embrapa Amazônia Oriental, da Eletrobrás/Eletronorte, do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Pará (Sebrae-PA), da Universidade do Estado do Pará (Uepa), do Museu Paraense Emílio Goeldi, da Agência de Inovação da UFPA (Universitec/UFPA), do Núcleo de Inovação Tecnológica do Centro Universitário do Estado do Pará (Cesupa), da Rede de Desenvolvimento de Fornecedores do Pará, da Federação das Indústrias do Estado (Fiepa) e da Secretaria de Estado, Indústria, Comércio e Mineração (Seicom).
Suas áreas prioritárias para negócios e pesquisas de base tecnológica são Biotecnologia, Tecnologia da Informação e Comunicação, Energia, Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral. O Centro de Excelência em Eficiência Energética (Ceamazon), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Laboratório de Alta Tensão, o Instituto Tecnológico Vale (ITV), oito laboratórios vinculados à UFPA, à Ufra e à Embrapa Amazônia Oriental já estão com bases implantadas ou em fase de instalação no Parque, com investimentos que ultrapassam os R$ 364 milhões.
De acordo com o diretor-presidente da Fundação Guamá, Antônio Abelém, o PCT é um ambiente de inovação que aproxima espaços de conhecimento (universidades, centros de pesquisas e ensino) do setor produtivo (empresas), estimulando a transferência de tecnologia e a competitividade entre as empresas, além de criar mecanismos de incubação de empresas inovadoras. “O Parque certamente trará inúmeros benefícios para a sociedade em diferentes áreas, pois, além de facilitar a interação entre empresas de base tecnológica e o conhecimento, tem a perspectiva de atrair outros investimentos importantes para o Estado, como já está fazendo”, destaca.
Além de contribuir para o desenvolvimento de Empresas de Base Tecnológica (EBTs) e para a difusão da ciência, tecnologia e inovação, o Parque também tem papel fundamental na fixação de capital intelectual, colaborando para o desenvolvimento sustentável da região, conforme aponta o professor-adjunto do Instituto de Ciências Biológicas da UFPA, Rommel Ramos. “Hoje, a região Norte ainda está muito aquém de outras regiões do país no que se refere à quantidade de pesquisadores doutores. O problema é que muitos se formam aqui, mas não têm onde atuar, por isso acabam indo embora. Com o advento do Parque, vai se abrir um espaço maior para que as pessoas que se formam aqui possam atuar aqui, o que é muito importante”, ressalta.
Esse ambiente de inovação está aberto a receber, por meio de editais de concessão onerosa de uso, negócios de base tecnológica de pequeno, médio e grande porte, disponibilizando suporte desde o nascimento da ideia até a consolidação do empreendimento. Essas empresas poderão, por exemplo, se alojar no Espaço Inovação, que receberá startups (negócios inovadores e com grandes potenciais econômicos) e laboratórios multifuncionais. As obras desse espaço devem terminar até abril de 2014.
O coordenador do Laboratório de Óleos Vegetais e Derivados, Geraldo Narciso, explica a importância do espaço. “O nosso laboratório estará apto a fazer qualquer análise envolvendo óleos vegetais e seus possíveis tipos de aplicação, como alimentícia, química, cosmética ou farmacêutica, ou seja, é um trabalho extremamente diversificado e qualificado, seguramente equiparado ao realizado em qualquer universidade ou laboratório do mundo inteiro”, observa.
Já o prédio que sediará a Incubadora de Empresas deve ser concluído até o final do ano que vem. Unidades Plug and Play (áreas com infraestrutura pronta para a instalação de empresas) e uma área de serviços, com restaurante, auditório, sala de videoconferência, banco, correio e hotel, completarão este polo tecnológico.
O PCT Guamá já é membro da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e da Associação Internacional de Parques Tecnológicos. Além das empresas/instituições já citadas, o local também abrigará o Laboratório de Qualidade do Leite da Região Norte do Brasil; o Centro Agroalimentar de Compostos Bioativos da Amazônia (CVACBA); o Laboratório de Sensores e Sistemas Embarcados, uma escola técnica profissionalizante vinculada à Secretaria de Estado de Educação (Seduc), o Parafarma, laboratório destinado à pesquisa e ao desenvolvimento de biofármacos no Estado do Pará, e o Centro Avançado de Estudos em Biodiversidade (Ceabio), entre outros.
Em fase de projeto estão o Instituto de Inovação em Tecnologia Mineral do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Laboratório de Geomecânica, Instrumentação e Computação Aplicada à Engenharia, de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias nas áreas de pontes, ferrovias, rodovias e barragens.
No ano passado, durante participação no XXII Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas e XX Workshop Anprotec, realizado no Paraná, o PCT Guamá foi eleito para organizar a edição de 2014 deste que é o mais representativo evento do setor de inovação tecnológica do Brasil, a ser realizado no Hangar, em Belém.
Também em 2012, o Parque tornou-se parceiro da Secti, Ministério da Ciência e Tecnologia, e UFPA no edital de seleção pública para empresas da área de Tecnologia da Informação no Pará interessadas em obter certificação no modelo de Melhoria do Processo de Software Brasileiro (MPS.BR), tornando-as mais competitivas diante do mercado nacional. Entre as quatro empresas selecionadas está a CS – Consoft Consultoria e Sistemas, especialista no desenvolvimento, implantação e treinamento de sistemas na área de gestão.
Para o diretor de relacionamentos comerciais da empresa, que tem 21 anos no mercado paraense, a oportunidade da certificação e o próprio advento do Parque vão incrementar ainda mais o crescimento dessas instituições. “Para obter a certificação, as equipes dessas empresas estão voltando para a Universidade e aí reside a importância da parceria do Parque, que oferece toda a infraestrutura necessária para essa capacitação, que será fundamental para as nossas empresas. Temos que parabenizar e louvar uma iniciativa como essa, que, além de propiciar a geração de tecnologia de ponta, vai fazer com que deixemos de importar muitas coisas. Além disso, para se ter ideia, a nossa oferta de estágio aqui dentro já aumentou em 70% só por conta do processo e o crescimento de pessoal aumentou em 40% dentro de um ano”, cita, acrescentando que a certificação deve ser obtida até o final de 2014.  

* Com informações de Solange Campos, da Ascom do PCT Guamá

Texto:
elckoliveira


Roupa Biocinética produzida por pesquisadores da Uepa é destaque nacional
A Exposição de Projetos e Produtos de Tecnologia Assistiva, que foi aberta no último dia 3, no Palácio do Planalto, em Brasília, tem como um dos destaques o projeto da Roupa Biocinética, desenvolvido pelo Núcleo de Desenvolvimento em Tecnologia Assistiva e Acessibilidade (Nedeta) da Universidade do Estado do Pará (Uepa). O trabalho foi um dos selecionados para compor a mostra, que levou às autoridades públicas as iniciativas de produção tecnológica e inovação do país.
A coordenadora do Nedeta, Ana Irene Oliveira, apresentou o projeto ao ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp. “Isso vem mostrar que estamos sendo reconhecidos nacionalmente. Fomos apresentados como o melhor projeto do país”, destacou. Outra conquista é a aprovação de mais um grande projeto junto ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que abrange outros seis subprojetos, como o desenvolvimento de aplicativos para tablets, aprimoramento de softwares e de ferramentas didáticas no ensino de crianças com deficiência.
Desde 2005, o Nedeta desenvolve atividades de ensino, pesquisa, extensão e inovação. “Articulamos o ensino, porque trabalhamos com alunos da graduação, fazemos pesquisas básicas e aplicadas e ao mesmo tempo em que fazemos pesquisa prestamos serviços à comunidade”, ressaltou Ana Irene.
Atualmente, o núcleo faz parte da Rede Nacional de Tecnologia Assistiva, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, e conta com pesquisadores articulados com outras instituições públicas e privadas locais, nacionais e nacionais, desenvolvendo tecnologia para melhorar a vida das pessoas com deficiência e com prioridade em produtos que sejam mais acessíveis economicamente.
O Núcleo de Desenvolvimento em Tecnologia Assistiva e Acessibilidade fica localizado no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Uepa, na Travessa Perebebuí, 2.623, no bairro do Marco, em Belém.

Texto:
Janine Bargas



Governo do Japão pretende investir no setor de pesca no Pará
A viagem de uma comitiva paraense ao Japão e a realização da I Feira Internacional da Pesca, em Belém, foram os temas de uma reunião realizada nesta quarta-feira, 4, entre o representante da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), engenheiro de pesca Hiroshi Nozawa, e o secretário de Estado de Pesca e Aquicultura, André Pontes. As duas ações de intercâmbio devem acontecer em 2014.
O objetivo da parceria entre Sepaq e Jica é a troca de conhecimentos sobre a produção de pescado no Japão e o trabalho realizado no Pará. “Pretendemos conhecer as novas tecnologias da indústria da pesca japonesa e implantá-las aqui no Estado", explicou o secretário André Pontes. "A ideia é melhorar a qualidade do nosso pescado, que depois poderá ser vendido para o Japão”.
O representante da Jica ressaltou que o Pará já é um grande fornecedor de camarão e peixes ornamentais ao Japão. Mas, segundo ele, os pesquisadores japoneses podem contribuir com o Estado, repassando técnicas modernas de pesca em grandes embarcações. “Queremos trazer nossos navios para os rios e o litoral do Pará e repassar tecnologias de pesca aos produtores locais”, explicou Nozawa.
Ainda segundo o representante da Jica, o mapará, espécie de água doce bastante popular na região do Baixo-Tocantins, desperta interesse da indústria de pesca do Japão, devido à grande quantidade de gordura que apresenta. “Os japoneses costumam consumir essas espécies na época do verão, quando as temperaturas estão altas. O Pará poderá ganhar muito com isso”, acrescentou.
Outra tecnologia que o Japão pretende transferir para o Estado é a de defumação industrial dos peixes, processo que elimina a possibilidade de contaminação das espécies, principalmente as de água doce.
Também foi discutida no encontro a parceria da Jica na I Feira Internacional da Pesca, que a Sepaq planeja realizar no ano que vem, no Hangar, em Belém. Uma comissão será formada, na secretaria, com o objetivo de planejar o evento, incluindo, além da Jica, representantes da Universidade Federal Rural da Amazônia, que também será parceira na realização do evento.
Da reunião na Sepaq também participaram o engenheiro de pesca e professor da Universidade Federal Rural da Amazônia, Lauro Itó, e o diretor de Desenvolvimento da Pesca da Sepaq, Romildo Morais.


Texto:


CPC Renato Chaves lança a primeira revista de Perícia Oficial do Estado
Foi lançada na manhã desta quarta-feira, 4, a primeira revista do Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves”, Revista Evidência. A publicação foi apresentada na sede do próprio Centro, com a presença dos coordenadores e gerentes do Instituto Médico Legal e do Instituto de Criminalística. A data foi escolhida em comemoração pelo Dia do Perito Criminal, servidores do CPC responsáveis por constituir provas técnicas essenciais no auxilio à Justiça.
A revista, elaborada especialmente para a divulgação dos trabalhos periciais e que terá edição semestral, marca os três anos da gestão atual e de um trabalho pautado na missão de garantir os processos periciais precisos e confiáveis, com imparcialidade, além de assegurar a humanização do atendimento dispensado à população, fazendo com que a Perícia Oficial do Estado esteja entre as melhores e mais bem equipadas do Brasil.
A edição traz o balanço dos investimentos feitos pelo CPC e pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (Segup) durante esses anos, além de sua atuação no Estado, relatadas em matérias especiais, e também guarda um espaço para a divulgação pública da produção científica dos servidores do órgão. Para o diretor geral, Orlando Salgado, a revista é um sonho concretizado. “É um marco na história da perícia oficial do estado e, o mais importante, é uma revista dos peritos, para os peritos e feita pelos peritos”, concluiu.
O perito criminal e gerente de Local de Crime, José dos Santos Cordeiro, vê a publicação como uma forma de valorização do trabalho desenvolvido pelos peritos. “Nosso trabalho é extremamente confidencial, mas através da revista, mostraremos para a sociedade o que é e como realizamos as perícias que muitos desconhecem. E isso, para a a categoria, é muito importante”, ressaltou.

Texto:
Ivana B.


Santa Casa e Hemopa fazem campanha para coleta de sangue
A Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará e o Hemopa estão realizando uma campanha com a unidade móvel do hemocentro para coleta de sangue e cadastramento de doadores de medula óssea. O evento ocorre nesta quarta, 4, e quinta-feira, 5, nas dependências da Santa Casa. A meta é obter 80 doações por dia, segundo a assistente social do Hemopa, Alessandra Leite. "No meses de dezembro, janeiro e fevereiro, o estoque de sangue do Hemopa cai, mas as cirurgias e os acidentes continuam acontecendo. A campanha serve como auxílio para equilibrar o estoque", frisou Alessandra.  
Dezesseis servidores do Hemopa, entre técnicos de enfermagem, enfermeiros, médicos, assistentes sociais e administrativos estão envolvidos na campanha móvel. "Nestes momentos de solidariedade, temos que pensar que o consumismo não é tão importante quanto a importância de ajudar a vida de alguém", enfatizou a assistente social.    
A servidora Karla Anyk, que trabalha na gerência de Processamento de Roupa, doou sangue na manhã desta quarta-feira, 4. "Tenho um compromisso com a solidariedade. Sempre doei sangue e espero continuar saudável para continuar doando", afirmou.     
A auxiliar de escritório Maria do Socorro Cruz disse que costumar doar sangue há pelo menos oito anos. Como foi se consultar na Santa Casa, ela aproveitou para cumprir o ritual que já virou tradição. "O que me move é a solidariedade. Vejo necessidade de estar sempre ajudando quem precisa. Não me custa nada e me sinto feliz após a doação", garantiu.  
Para doar sangue, é preciso estar bem de saúde, alimentado, ter no mínimo 50 quilos e idade superior a 18 anos. Pessoas com 16 ou 17 anos só podem doar com autorização do responsável. Outra recomendação é não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação. Também é preciso apresentar carteira de identidade. Após a doação, é recomendável beber bastante líquido, alimentar-se normalmente, além de não praticar esportes radicais e atividades de risco nas primeiras duas horas.
Todo o sangue doado é separado em diferentes componentes (como hemácias, plaquetas e plasmas) e pode beneficiar mais de um paciente. O sangue coletado é utilizado para atender casos de emergência, pacientes internados e pessoas com doenças hematológicas.   


Texto:
Nilson Cortinhas


Poesia emociona e cativa o público em evento no Centur
O público ficou atento a cada palavra declamada pelos poetas que emocionaram durante a última edição do ano do projeto “A Noite é Uma Palavra”. O evento aconteceu nesta terça-feira, 3, às 19h30, no Hall Ismael Nery da Fundação Tancredo Neves, andar térreo do Centur e reuniu os poetas foram Rubens de Almeida, Edgar Macedo, Márcio Galvão, Rita Melém, Daniel Leite, Rui do Carmo, Claudio Cardoso, Geovane Belo, Juraci Siqueira, Renato Gusmão, Izarina Tavares, João de Castro, Eduardo Santos, Sandra Berg, Antônio Eulálio, Francisco Pinto Mendes, Catalina Murchio (interpretando José Villar) e Sônia Alão (interpretando Walcyr Monteiro)..
Além da récita de poemas, o evento promoveu o lançamento dos livros “Uma pitada de amor na educação”, de Francisco Carvalho Lages, e “A História das crianças que plantaram um rio”, de Daniel Leite, com ilustração de Maciste Costa. “Lançar meu livro nessa noite tem gosto de celebração. Estamos todos aqui celebrando a poesia. A literatura é feita para todos”, disse o poeta Daniel Leite. Ouvindo os poetas, o público se comportou como quem degusta um prato delicioso e de sabor novo, participando ativamente de uma iniciativa que, de sonho, se transformou em realidade, tomando como conteúdo principal a poesia.
Segundo a gerente de Promoção Editorial da Fundação, Bella Pinto, pensar em tudo que o projeto alcançou em 2013 é perceber que a literatura deu um passo a mais. “A noite é uma palavra é sobre ver o sonho do escritor realizado. Conseguimos mostrar que o Centur não é apenas uma casa de livros, mas uma casa de escritores”, analisou.
O projeto, que já se firmou para o público e entre os escritores, segue firme no ano que vem, com novidades e mais apresentações de escritores e poetas da terra.


Texto:
Luiz Flávio


Artesãos participam de feira itinerante em órgãos públicos
A Secretaria de Estado de Trabalho, Emprego e Renda (Seter) organizou uma edição da Feira Pop Up de Natal, nesta quarta, 4, e quinta-feira, 5, para alavancar a renda de artesãos e trabalhadores manuais autônomos, que não recebem 13º salário mas, nessa época de final de ano, também enfrentam gastos extras com presentes, decoração e gastronomia. 
A feira acontece no hall do 2º andar do Tribunal de Justiça, no Fórum Cível, bairro da Cidade Velha, lugar onde acontecem as audiências de conciliação. “A feira acontece no meio da Semana da Conciliação do Tribunal, durante a qual deve passar o triplo do número de pessoas que normalmente passa", justifica Atenilda Alencar, coordenadora de artesanato da Seter. Com o fluxo maior, ela avalia que os artesãos consigam lucrar, nos dois dias, até 900 reais.
Promovida pela Seter, a Feira Pop Up de Natal acontecerá até o próximo dia 20 de dezembro em diferentes pontos da cidade, abrindo vitrines para o trabalho de aproximadamente 90 artesãos que produzem peças sugestivas de Natal. Iniciada no dia 25 de novembro, a feira está visitando vários órgãos públicos da capital. A última feira será levada entre os dias 17 e 20 à Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa).
“O artesanato é o ar que respiro. Faz parte da minha vida. Desde criança brincava com miriti. Larguei a profissão de pintor civil e industrial para seguir carreira de artesão como a minha única fonte de renda”, assume Ivan Leal, especializado em artesanato de miriti. 
Mapeamento - Com o intuito de valorizar o artesanato, a Seter realiza, ainda, até o dia 31 de dezembro deste ano, o mapeamento de comunidades quilombolas, em quinze municípios, para inclusão no Sistema de Cadastramento do Artesão Brasileiro (Sicab). Também estão sendo levantadas demandas para a III Feira do Artesanato Paraense e Mundial (Fesarte Pará), que acontecerá em 2014.
O artesanato é reconhecido em áreas como bijuterias, bordados, cerâmica, vidro, gesso, mosaicos, pintura, velas, sabonetes, sachês, caixas variadas, reciclagem, patchwork, metais, brinquedos, arranjos, apliques e uma série de outras técnicas utilizadas para a fabricação de peças.

Texto:
Carla Fischer


Idosos do Vida Ativa iniciam competições dos Jogos de Integração
Competições de vôlei adaptado, queimada, dama, xadrez, baralho e jogo da memória fizeram parte do primeiro dia de provas da quinta edição dos Jogos de Integração do Programa Vida Ativa na Terceira Idade, que aconteceu na manhã desta quarta-feira, 4, no Estádio Olímpico do Pará, Mangueirão.
“Sempre gostei de jogar queimada. Brinco até com meus netos na rua onde moro”, disse a atleta Maria Lúcia, de 62 anos. Ela ganhou a medalha de ouro na queimada, representando o núcleo Assalp, contra o núcleo do Mangueirão. Maria jogou com outras nove amigas no time. Ela pratica hidroginástica, alongamento e dança há mais de cinco anos no Programa Vida Ativa, mantido pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).
“É uma forma de ficarmos mais perto dos nossos amigos e de fazer novas amizades”, comentou sobre a realização dos Jogos. Maria aderiu ao programa para melhorar sua saúde, uma vez que é diabética. “Me sinto bem melhor. Os Jogos são uma ótima iniciativa. A única coisa que a Seel exige da gente é participação”, brincou.
Na competição de dominó, o vencedor foi José Vieira, de 66 anos, do núcleo Grêmio Literário Português. Ele competiu com outros 4 jogadores e venceu todos. Há três anos ele participa dos Jogos e se orgulha de afirmar que ganhou medalha de ouro todas as vezes em que participou. “Acho os Jogos bem criativos e educativos. Aqui conseguimos fazer amigos”, disse. Ele relembrou, ainda, que em 2012 foi medalha de ouro no futsal.
Uma equipe de médicos da Secretaria Executiva de Saúde Pública (Sespa) esteve presente, com o suporte de uma ambulância para atender eventuais casos de emergência. Dez estudantes do curso de Educação Física da Escola Superior Madre Celeste (Esmac) atuaram como árbitros voluntários nas partidas. “Este é um momento de socialização entre todos os que fazem parte do Vida Ativa. Está sendo muito proveitoso e descontraído”, avaliou Kátia Rocha, coordenadora do Programa.
Nesta quinta-feira, 5, a partir das 8h30, acontecem as competições de atletismo, no Mangueirão, com corrida de 25 metros, revezamento e caminhada. Na sexta-feira, 6, último dia das competições, os idosos participam das provas de natação, que acontecem na Assalp, e de atividades aquáticas como pedalada com macarrão, caminhada aquática e pernada com prancha. No final, serão escolhidos o rei e a rainha dos Jogos. 


Texto:
Liandro Brito


Idosos do Vida Ativa iniciam competições dos Jogos de Integração.
Competições de vôlei adaptado, queimada, dama, xadrez, baralho e jogo da memória fizeram parte do primeiro dia de provas da quinta edição dos Jogos de Integração do Programa Vida Ativa na Terceira Idade, que aconteceu na manhã desta quarta-feira, 4, no Estádio Olímpico do Pará, Mangueirão.
“Sempre gostei de jogar queimada. Brinco até com meus netos na rua onde moro”, disse a atleta Maria Lúcia, de 62 anos. Ela ganhou a medalha de ouro na queimada, representando o núcleo Assalp, contra o núcleo do Mangueirão. Maria jogou com outras nove amigas no time. Ela pratica hidroginástica, alongamento e dança há mais de cinco anos no Programa Vida Ativa, mantido pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).
“É uma forma de ficarmos mais perto dos nossos amigos e de fazer novas amizades”, comentou sobre a realização dos Jogos. Maria aderiu ao programa para melhorar sua saúde, uma vez que é diabética. “Me sinto bem melhor. Os Jogos são uma ótima iniciativa. A única coisa que a Seel exige da gente é participação”, brincou.
Na competição de dominó, o vencedor foi José Vieira, de 66 anos, do núcleo Grêmio Literário Português. Ele competiu com outros 4 jogadores e venceu todos. Há três anos ele participa dos Jogos e se orgulha de afirmar que ganhou medalha de ouro todas as vezes em que participou. “Acho os Jogos bem criativos e educativos. Aqui conseguimos fazer amigos”, disse. Ele relembrou, ainda, que em 2012 foi medalha de ouro no futsal.
Uma equipe de médicos da Secretaria Executiva de Saúde Pública (Sespa) esteve presente, com o suporte de uma ambulância para atender eventuais casos de emergência. Dez estudantes do curso de Educação Física da Escola Superior Madre Celeste (Esmac) atuaram como árbitros voluntários nas partidas. “Este é um momento de socialização entre todos os que fazem parte do Vida Ativa. Está sendo muito proveitoso e descontraído”, avaliou Kátia Rocha, coordenadora do Programa.
Nesta quinta-feira, 5, a partir das 8h30, acontecem as competições de atletismo, no Mangueirão, com corrida de 25 metros, revezamento e caminhada. Na sexta-feira, 6, último dia das competições, os idosos participam das provas de natação, que acontecem na Assalp, e de atividades aquáticas como pedalada com macarrão, caminhada aquática e pernada com prancha. No final, serão escolhidos o rei e a rainha dos Jogos. 


Texto:
Liandro Brito


Jatene debate questões amazônicas durante fórum em São Paulo
"A Amazônia e os estados da Região Norte não podem ser pensados de forma isolada. Apesar de apresentar desafios singulares a resolução dos problemas regionais passa pela rediscussão do pacto federativo e pelo entendimento de que o Brasil deve ser pensado de forma integrada." Essa foi a principal mensagem deixada pelo governador Simão Jatene durante a participação no Fórum Estadão Regiões, nesta quarta-feira, 4, na sede do Estadão, em São Paulo.
O Fórum, transmitido ao vivo pela internet via TV Estadão, contou ainda com a participação do governador de Rondônia, Confúcio Aires Moura, e do secretário do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Tocantins, Paulo Massula.
“A Amazônia detém 60% do território brasileiro, comporta 12% da população do País e contribui com apenas 8% do PIB brasileiro. Trata-se de uma distorção: mais da metade do país contribuir com apenas 8% do produto interno bruto nacional. Esses números apontam para a necessidade de se rever o pacto federativo”, afirmou Jatene, diante de uma plateia composta por cerca de 50 jornalistas e colunistas do Estadão e Agência Estado.
“É preciso pensar o Brasil de forma integrada, mas isso não será possível enquanto nós não nos conhecermos e hoje, o que se vê, é que o Brasil não conhece o Brasil”, avaliou o governador. Um exemplo disso é a questão da logística nacional. “O começo já foi errado. Um país de dimensões continentais foi pensado apenas sob o ponto de vista do modal rodoviário, quando na verdade deveria ter a integração de modais. Aí a União constrói uma hidrelétrica como Tucuruí e não faz as eclusas. Faz as eclusas dezenas de anos depois e ainda não resolve o problema da navegabilidade porque não foi feito o derrocamento do Pedral do Lourenço. Então, não estamos conseguindo resolver a essência das questões que entravam o desenvolvimento regional”, afirmou Jatene.
A participação do Pará em debates como os realizados na sede da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) e na sede do Estadão, em São Paulo, esta semana, com a participação de jornalistas e empresários, permite expandir a discussão sobre a Amazônia. “Um dos grandes problemas da Amazônia é que somos ricos em mitos que não colaboram em nada para a implantação de políticas que realmente levam ao desenvolvimento sustentável da região. Por isso precisamos insistir na rediscussão do pacto federativo e lavar essa discussão a todos os fóruns”, afirmou.

Texto:
Simone Romero


Mangal das Garças recebe estudantes de três municípios
O Projeto Visita Monitorada do Parque Zoobotânico Mangal das Garças recebeu, nesta terça-feira, 3, escolas dos municípios de Marituba, Belém e Inhangapi. Considerada um momento único, por estudantes e professores, a visita começou pelo Mirante do Rio. Os monitores do parque contaram aos estudantes um pouco da história da cidade de Belém, desde sua fundação até os dias atuais, e explicaram a eles que uma das funções da vegetação de várzea é filtrar o lixo dos rios .
A visita continuou pelo Memorial Amazônico da Navegação e pelo Viveiro das Aningas, mas foi no borboletário que Jamily Matos, de 9 anos, aluna do quarto ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Suely Falcão, de Marituba, ficou encantada. “Tudo é muito interessante", frisou a estudante. "Esse é o meu primeiro contato tão próximo com uma borboleta e tantos outros animais. O voo delas é lindo, estou maravilhada”.
A professora Daurimar Carvalho, responsável pelo grupo, lembrou que esta é a terceira turma levada por ela para a Visita Monitorada. “Sempre que posso agendo com os meus alunos uma visita ao Mangal. Além de ser um espaço muito bonito, o parque é muito educativo", ressaltou. Ela elogiou a disposição dos monitores em dar informações sobre todos os espaços e sobre o trabalho desenvolvido, de modo a tirar dúvidas sobre as espécies. "Isso enriquece muito o passeio, que vira aula”, avaliou.
Passaram, ainda, pelo Mangal, nesta terça, a Escola Lar de Maria, de Belém, e a Escola Agostinho Moraes de Oliveira, de Inhangapi. A Visita Monitorada do Mangal das Garças está aberta a todas as escolas e grupos de pessoas interessadas, sempre de terça a sexta, nos horários da manhã e da tarde. Para agendar, basta enviar email para: agendamento@mangalpa.com.br e marcar a data.


Texto:
Fernanda Scaramuzzini


Escola de Governo entrega prêmio ADC Revelação nesta quinta-feira (5)
Em reconhecimento à dedicação dos servidores que atuam como Agentes de Desenvolvimento e Capacitação (ADC) nos órgãos da rede pública estadual, a Escola de Governo do Estado do Pará (EGPA) realiza na quinta-feira, 5, às 10h, no auditório da autarquia, a entrega do Prêmio ADC Revelação 2013. Os dois agentes escolhidos pelo melhor desempenho em suas funções durante o ano serão homenageados e receberão R$ 5 mil, cada.
O ADC é o servidor público que, em cada uma das secretarias e entidade do Estado, exerce paralelamente a função de intermediar a comunicação entre seus colegas servidores e divulgar as ofertas de qualificação profissional propostas pela Escola de Governo. É um trabalho voluntário e de muita responsabilidade, pois cabe a eles disseminar e incentivar as ações de capacitação e valorização junto ao funcionalismo público.
Para a escolha dos dois premiados como ADC Revelação 2013, os agentes titulares e suplentes foram avaliados por uma comissão designada pelo diretor geral da EGPA, Ruy Martini, composta por quatro servidores efetivos da autarquia, das coordenadorias e da assessoria pedagógica. Este grupo observou a atuação do ADC durante o ano, em quesitos como a pró-atividade junto à Escola de Governo, ou seja, a capacidade de lidar com as dificuldades do dia-a-dia, além do domínio do trabalho, habilidade, atitude e assiduidade nas reuniões periódicas. Os nomes dos dois agentes que somaram mais pontos no julgamento da comissão serão anunciados no dia da premiação.
Sugestão de Entrevista: Andrea Cordeiro Cavalléro (coordenadora de valorização da cidadania); ADCs vencedores do prêmio; e Raymundo Albuquerque (Diretor de Desenvolvimento e Valorização de Pessoas)

Texto:
Daniele Brabo


Polícia Civil inaugura novo posto de identificação para atender população em Ananindeua
A Polícia Civil inaugurou, na noite desta terça-feira, 3, um novo posto de identificação, localizado no município de Ananindeua, Grande Belém. Situado na Avenida Zacarias de Assunção, em frente à Câmara Municipal de Vereadores, o Posto de Identificação Civil vai atender a população com emissão de carteiras de identidade, de segunda à sexta-feira, das 8h às 14 h. Serão expedidos, em média, 70 documentos por dia. A inauguração contou com as presenças do diretor de Identificação da Polícia Civil, Antônio Ricardo Paula, vereadores de Ananindeua e representantes da comunidade.
Segundo Antônio Ricardo, o novo posto de identificação contará, no atendimento ao público, com cinco profissionais, dos quais, dois servidores da Polícia Civil (papiloscopistas policiais) e três servidores municipais da Câmara de Vereadores, que passaram por treinamento oferecido pela Polícia Civil, para trabalhar na emissão das carteiras de identidade. O diretor de Identificação explica que, para obter atendimento no local é preciso  agendar a emissão do documento civil no gabinete da Câmara de Vereadores de Ananindeua, já que todo o serviço será gerenciado pelo órgão municipal.
Na semana passada, um outro Posto de Identificação Civil já havia sido inaugurado na nova Unidade Integrada Pro Paz (UIPP), situada na Avenida Zacarias de Assunção, bairro do Distrito Industrial, em Ananindeua. Com a inauguração deste último posto da Câmara de Vereadores de Ananindeua, a Polícia Civil passa a contar com 14 locais para emissão de carteiras de identidade só na Região Metropolitana de Belém. Destes, seis emitem os documentos com data de atendimento agendada por meio da internet no endereço agendamento.policiacivil.pa.gov.br. São eles: Posto Central de Identificação na Delegacia Geral da Polícia Civil; Posto do Projeto Estação Cidadania, no bairro do Jurunas; Posto do Projeto Estação Cidadania, no bairro do Guamá; Posto da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP), no bairro da Terra Firme; Posto da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP), no bairro do Distrito Industrial em Ananindeua, e Posto da Seccional Urbana de Marituba. No interior do Estado, o Posto de Identificação de Marabá também atende por meio de agendamento.
Os outros sete postos atendem por ordem de chegada. Além do novo Posto de Identificação na Câmara de Vereadores em Ananindeua, funcionam dessa forma o Posto de Identificação Civil da Casa do Trabalhador, situado na Rodovia BR-316 em frente à primeira passarela de Ananindeua; Posto do Núcleo de Atendimento ao Cidadão (NACI) na Câmara Municipal de Belém; Posto do Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC), anexo à Assembleia Legislativa do Pará; Posto do Projeto Cidadão da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (SEJUDH) em Belém; Posto de Identificação Civil na Seccional Urbana do Distrito de Icoaraci; Posto de Identificação Civil na Delegacia do Distrito de Outeiro e Posto de Identificação Civil na Seccional Urbana do Distrito de Mosqueiro.

Texto:
Walrimar Santos


Cirurgia no Hospital de Marabá salva criança de cegueira
A pequena Isadora Conceição Alves nasceu prematura, após 29 semanas de gestação, pesando apenas 1,050 kg e com um problema grave ao qual os bebês prematuros estão suscetíveis: a retinopatia de prematuridade, que pode causar cegueira irreversível. Os pais de Isadora, que moram no município de São Félix do Xingu, no sul do Pará, procuraram formas de salvar a saúde da filha e conseguiram que a criança fosse encaminhada, via central de regulação, para o Hospital Regional do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso (HRSP), sob gestão da Pró-Saúde ABASH, em Marabá, onde essa história teve um final feliz: a criança foi operada e está com a visão perfeita.
Isadora teve suas retinas submetidas ao procedimento denominado de fotocoagulação a laser. O procedimento é feito na periferia retiniana avascular, segundo explica o oftalmologista Murilo Miranda, especialista em retina que realizou a cirurgia. A cauterização dessa área cessa a produção de fatores angiogênicos, que estimulam a produção de neovasos anormais e patológicos. É o médico quem explica que bebês prematuros estão suscetíveis à doença, em que vasos sanguíneos anormais surgem na periferia da retina, causando hemorragia vítrea e deslocamento da retina, com possibilidade de evolução para uma cegueira irreversível.
O cirurgião esclareceu, também, que se trata de um procedimento de alta complexidade, realizado apenas em centros avançados de oftalmologia, com profissional especializado em retina e treinado para tal procedimento. “A satisfação é enorme de poder contribuir para que esta criança possa ser uma criança com capacidade de ler e brincar e um adulto produtivo e capaz de interagir intensamente com o mundo”, festejou Miranda.
Os pais de Isadora, João Marcos dos Santos Alves e Geane dos Santos Conceição, registraram em uma carta de agradecimento dirigida aos profissionais do HRSP, a felicidade pelo resultado da cirurgia e pela forma como Isadora foi tratada. “Quando fiquei sabendo que minha filha ia ser operada fiquei muito triste e apreensiva, por ser tão pequena. Mas o dr. Murilo me passou uma confiança imensa e após a nossa conversa fiquei mais tranquila”, declarou Geane, na carta enviada ao hospital. Ela destacou que a equipe coordenada pelo oftalmologista atuou com “competência, profissionalismo, atenção e carinho”.


Texto:
chagasfilho


Segunda etapa da Caravana Pro Paz entra na reta final
Com mais de 176 mil atendimentos na área da saúde e depois de percorrer quase 23 municípios, chega à reta final a segunda etapa da Caravana Pro Paz deste ano. A partir desta quarta-feira, 4, a Caravana começa o atendimento em Oriximiná, um dos últimos municípios a serem visitados. Em seguida ela segue para Terra Santa, Faro, Juruti, Óbitos e encerra em Curuá, no dia 22 de dezembro.
A Caravana Pro Paz reúne 200 servidores e leva, com o auxílio do ferry boat do projeto, serviços de saúde e cidadania a diversos municípios paraenses. No barco estão concentrados todos os serviços de saúde do projeto, que oferta atendimento médico em diversas especialidades, além de exames e distribuição de medicamentos. Para ser atendido, o usuário precisa apenas apresentar o cartão do Sistema Único de Saúde (SUS).
Assim que chega ao local onde o barco está ancorado, o usuário passa por duas etapas, antes de ser encaminhado aos consultórios médicos. A primeira delas é a pré-triagem, onde são conferidos peso, altura, pressão arterial e taxa de glicose. Nesta etapa, o paciente também recebe uma pulseira, indicando em qual das especialidades ofertadas na Caravana será o seu atendimento: ginecologia, reumatologia, neurologia, clínica médica, dermatologia, urologia, cardiologia ou pediatria.
Logo em seguida, o usuário é encaminhado para a triagem, onde é feito um cadastro. Nesta etapa é emitido um cartão do Pro Paz para que, na sua próxima passagem pelo programa, os profissionais já tenham um arquivo com a vida clínica e a evolução do paciente. Esse novo cartão também passa a ser uma alternativa para o cidadão, já que ele pode ser apresentado em qualquer unidade da rede pública de saúde, porque nele consta a sua inscrição no SUS.
Investimentos – Na semana passada, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, conheceu de perto o trabalho desenvolvido pela Caravana no município de Santarém e, na ocasião, anunciou o investimento de R$ 20,4 milhões para ampliação das ações da Caravana Pro Paz e para o projeto Olhar Brasil, que vai atuar em parceria com a Caravana Pro Paz Oftalmológica.
Números da Caravana:
Consultas médicas – 65.913
Testes rápidos – 24.898
Procedimentos de diagnósticos – 8.887
Exames laboratoriais – 18.169
Cadeiras de rodas – 885
Receitas atendidas – 24.570
Total de atendimentos saúde – 176.894
Carteiras de trabalho - 9.670
CPF – 11.429
Identidade – 17.467
Certidão de Nascimento – 8.690
Total de documentos - 47.256
Calendário:
Oriximiná – 7 de dezembro
Terra Santa - 9 de dezembro
Faro - 11 de dezembro
Juruti - 13 a 15 de dezembro
Óbidos - 17 a 20 de dezembro
Curuá - 21 de dezembro 

Texto:
brunacampos



Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...