Total de visualizações de página

quarta-feira, abril 16, 2014

A FÉ me fez resistir a tempestade






De sexta-feira passada, dia 11 de abril para hoje, dia 16 do mesmo mês, passei por inúmeros problemas, daqueles de arrepiar até mesmo os cabelos encaracolados. Tropecei em pedras em meu caminho, Observei que realmente amigos são aqueles que realmente vivem com a gente os problemas, não diretamente, mas buscando se fizer presente. Observei que aquele ditado que vale o quanto você pesa, é verdade sim. Quantas vezes formos nota 10 para tais amigos e quando recorri para conversar, tal ‘amigo’ amarelou.
Testei minha paciência depois de rezar a oração abaixo:

“Prece por PACIÊNCIA
Senhor!
Fortalece-nos a fé para que a paciência esteja conosco.
Por tua paciência, vivemos. Por tua paciência, caminhamos.
Auxilia-nos, por misericórdia, a aprender a tolerância, a fim de que estejamos em tua paz. É por tua paciência que a esperança nos ilumina e a compreensão se nos levanta no íntimo da alma.
Agradecemos todos os dons de que nos enriqueces a vida, mas te rogamos que nos resguardes a paciência de uns para com os outros, para que estejamos contigo, tanto quanto estás conosco, hoje e sempre”.
E passei a esperar, é claro, passei a agradecer a Deus pela provação que estava passando e aos poucos, as dores foram passando. Até a topada em uma pedra no caminho de minha vida, ao invés de esbravejar com palavrões, ri e agradeci, pois acordei e enxerguei mais além do horizonte.

Agora, tudo isso com FÉ.

Sobrevivi as imperfeições dos serviços da operadora TIM. Paciência, principalmente quando mais precisava, como hoje por volta das 11 até às 12h precisava fazer uma ligação urgente, foram mais de 50 tentativas que por pouco não descarrega a bateria do celular. O insuportável é ouvir aquela mulher do outro lado da linha, com uma voz rápida, mais veloz que nosso Rubinho Barrichello dizer que não dava para completar a ligação, e poderia deixar o secado sem ter que pagar. Será?











Sefa promove palestra sobre consulta a obrigações tributárias
A Secretaria da Fazenda do Pará (Sefa) promove palestra informativa para empresas e contadores sobre o novo serviço "Consulta a Obrigações", que estará disponível no Portal de Serviços da Secretaria, na internet, a partir do dia 28 de abril. Totalmente informatizado, o novo serviço vai permitir que sócios e contadores autorizados pelas empresas acessem os dados relativos aos débitos de ICMS e omissão de obrigações acessórias. Para acessar o serviço será necessário fazer cadastramento prévio no Portal e utilizar certificação digital. As inscrições podem ser feitas utilizando a ficha que se encontra no site da Secretaria (www.sefa.pa.gov.br) e enviada ao email consultaobrigacoes@sefa.pa.gov.br.
O novo serviço começa a funcionar no dia 28 de abril, pelo Portal de Serviços da Sefa, que possui 85 serviços disponíveis para os cidadãos e as empresas. Para maiores informações ligue 0800.725.5533.


Texto:
Ana M. Pantoja


Inscrições do Mestrado em Enfermagem da Uepa encerram no dia 22
Dia 22 de abril é prazo final para inscrições no processo seletivo do mestrado em Enfermagem da Universidade do Estado do Pará (Uepa). Os interessados devem preencher um formulário eletrônico, disponível no endereço http://cursos.fadesp.org.br/, emitir boleto e efetuar o pagamento de uma taxa de R$ 300,00 até o dia 23 de abril. Ao todo, são oito vagas distribuídas entre as linhas de pesquisa “Enfermagem em saúde pública e epidemiologia de doenças na Amazônia” e “Educação e tecnologias de enfermagem para o cuidado em saúde a indivíduos e grupos sociais”.

Texto:
Ize Sena


Hemopa funcionará parcialmente para coleta de sangue neste final de semana.
A Fundação Hemopa prossegue com o calendário de campanhas externas em parceria com várias instituições. Nesta quarta-feira, 16, a unidade móvel do hemocentro estará na Avenida Presidente Vargas, das 8h às 15h, em frente ao prédio do Banco do Brasil. Dias 23 e 24, a equipe do Hemopa estará no Castanheira Shopping Center, das 10h às 19h; no dia 26, marcará presença na Ação Global que acontece no Sesi Ananindeua, das 8h às 15h; e no dia 30, na Escola Madre Celeste, que fica conjunto Cohab, Gleba III, Rua C, 10, bairro Marambaia, das 8h às 15h.
São ações que fazem retaguarda para abastecimento do estoque estratégico do hemocentro, que sofre com a evasão de doadores voluntários de sangue. Essas coletas também devem suprir o banco de sangue para atendimento transfusional da rede hospitalar, especialmente em virtude do feriado prolongado deste final de semana, quando normalmente as intercorrências hospitalares aumentam em torno de 30%, por conta dos excessos cometidos em datas festivas.
A gerente de Captação de Doadores, assistente social Juciara Farias, informa que neste final de semana o hemocentro funcionará para coleta de sangue nos seguintes dias e horários: Dia 17, expediente normal, de 7h30 as 18h. Dias 19 e 21, de 7h30 às 14h. Não haverá expediente na sexta-feira, 18. No entanto, ela enfatiza que o atendimento transfusional é ininterrupto.
Para aquela parcela da população que se deixará a capital, Juciara Farias informa que o hemocentro tem pontos de coleta de sangue nos seguintes municípios: Castanhal, Marabá, Santarém, Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Capanema e Redenção. “Dá para aproveitar o feriado prolongado e também ajudar a fazer mais feliz a Páscoa de milhares de pacientes”, sugeriu.
Instituições interessadas em compor parceria com o Hemopa devem entrar em contato pelo fone (91) 3224-5048, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h; e aos sábados, até as 17h.
Quem pode doar sangue: Candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos e peso acima de 50 kg. É necessário apresentar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, o doador deve estar bem alimentado. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três. O resultado dos exames dos doadores podem ser obtidos on line, por meio do site wwW.hemopa.pa.gov.br, em 30 dias após a coleta do sangue.
Quem pode fazer cadastro de doação de medula óssea: Homem ou mulher saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos. Necessário portar documento de identidade original e com foto.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Padre Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 0800 280 8118, de 2ª a 6ª-feira, das 8h às 18h; e aos sábados, até as 17h.

Texto:
Vera R. Rojas


Imetropará realiza ações para a Páscoa
Com a chegada da Páscoa, o Instituto de Metrologia do Pará (Imetropará) realiza diversas atividades para garantir que a população tenha acesso a serviços e produtos que estejam de acordo com a conformidade estabelecida pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). O peso dos ovos de chocolates, os brinquedos que estão dentro desses produtos e as balanças de pescados foram alguns dos produtos verificados pelos metrologistas do Imetropará.
Foram 286 amostras de ovos de chocolates analisadas, o que significa que de cada 22 tipos de ovos, 13 produtos foram analisados. Essa quantidade é necessária para dar exatidão às analises do conteúdo nominal x conteúdo efetivo (avalição se o peso do ovo de chocolate está de acordo com o informado na embalagem). Das 22 analisadas, apenas duas foram reprovadas. “É muito difícil encontrar alguma irregularidade na pesagem dos ovos de chocolate. Os fabricantes atendem a legislação metrológica de pesagem, não ocorrendo erro”, disse Anderson Barbosa, gerente de fiscalização de produtos pré-medidos.
Após as análises e identificando erros, um auto de infração é gerado e enviado ao setor jurídico para os devidos enquadramentos legais e homologação do processo. “É importante que o consumidor pese o ovo no próprio supermercado e perceba que o peso final é superior ao indicado na embalagem. Já que será dado o desconto dos brindes que vêm dentro deles e ainda da própria embalagem”, orientou o gerente.
Outra ação realizada pelo órgão foi a Operação Páscoa, que aconteceu em todo o território nacional simultaneamente, iniciou no dia 31 de março e terminou dia 4 de abril. A ação verificava os brinquedos que vêm de brinde nos ovos de chocolate. Foram vistoriados 4.546 produtos e todos aprovados. Os brinquedos estavam de acordo com a conformidade estabelecida pelo Inmetro.
As duas operações citadas acima já foram concluídas, mas a Operação Semana Santa, que verifica as balanças de pesagem dos pescados continua acontecendo em Belém e nas cidades do interior do Estado. “Que no feriado que se aproxima, os consumidores possam sentir segurança nos produtos que irão adquirir. Desde o ovo de chocolate até o peixe que serão consumidos. O Imetropará está à disposição da população para realizar serviços que tenham impacto direto na melhoria de vida de todos nós. Caso alguém se sinta lesado ou tenha sugestões é só entrar em contato com o órgão que estamos prontos para atendê-los”, finalizou Fabrízio Guaglianone, presidente do Imetropará.
O instituto se localiza na avenida Almirante Barroso, 1645, bairro do Marco. O consumidor pode ter acesso às informações do Imetropará, através do site www.imetropara.pa.gov.brwww.facebook.com/imetropara ou pelo @imetro_pa. A ouvidoria do órgão também está funcionando para atender a sociedade, o número é 3217-0539.

Texto:
Bruna Dias


Feirantes do Ver-o-Peso recebem orientações sobre Doença de Chagas
Foi realizado na manhã desta segunda-feira, 14, em Belém, um projeto piloto de panfletagem e teatro de bonecos direcionado aos feirantes do mercado do Ver-o-Peso no intuito de orientá-los sobre os hábitos de higiene em favor da redução dos riscos da transmissão oral da Doença de Chagas. Com apoio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e participação de estudantes da Faculdade de Medicina (Famed) da Universidade Federal do Pará (UFPA), a ação foi conduzida pelas médicas doutoras Dilma Souza e Tereza Sanches, do Programa Interdisciplinar de Doença de Chagas (PIDC), vinculado ao Hospital de Clínicas Gaspar Vianna e ao Hospital Universitário João de Barros Barreto.
A incidência da doença de Chagas no Pará tem se tornado alarmante nos últimos anos porque mais de 80% do número de casos ainda estão concentrados no Estado, de acordo com o Ministério da Saúde. “Por mais que não estejamos no auge da safra, que é de agosto pra frente, realizamos essa mobilização para avaliar a recepção dos feirantes e reacender aquela lembrancinha sobre a doença, que só este ano já registrou 12 casos”, informa Dilma Souza, que também acompanha cerca de 310 pacientes que atualmente fazem tratamento no ambulatório do Programa de Doença de Chagas no hospital Barros Barreto.
Na ocasião, quem passou pelo mercado pode assistir o teatro de bonecos, que contou a história envolvendo a lenda da cobra-grande e do curupira, em que um deles apresenta sintomas da doença depois de comer e ingerir sucos de frutas infectadas pela ação do barbeiro, um dos principais vetores da Doença de Chagas.
Na medida em que a peça estava em cena, transeuntes recebiam dos estudantes da UFPA informações sobre a doença, por meio de panfletos e outras orientações, como o uso correto de uma técnica chamada de “branqueamento”, que tem sido adotada gradativamente pelos batedores de açaí, de acordo com o decreto estadual nº 326, de 24/01/2012, para minimizar a contaminação pelo fruto, cuja alta temporada de colheita acontece já em agosto. Pelo procedimento, o açaí não muda de cor e não tem o gosto alterado.
De acordo com Dilma, os sintomas mais característicos da doença são febre prolongada, sobretudo por mais de sete dias; dor de cabeça e dor nos ossos; dor nas articulações; inchaço no rosto e nas pernas; e manchas vermelhas no corpo, o que faz com que, muitas vezes, seja confundida com a malária, toxoplasmose ou dengue. “Na fase mais aguda, ela acomete o coração, causando cansaço, taquicardia e o derrame do pericárdio, que pode até matar”, explica Dilma.
De autoria dela e da também da médica Rita Monteiro, existe o “Manual de recomendações para diagnóstico, tratamento e seguimento ambulatorial de portadores de doença de Chagas”, que orienta, de forma prática, sobre os cuidados com a doença, desde o diagnóstico, passando pelo tratamento até o seguimento ambulatorial. O documento está disponível na internet, no seguinte endereço: http://www.ufpa.br
Serviço:
Contatos com o Programa Interdisciplinar de Doença de Chagas (PIDC) podem ser feitos pelos fones (91) 3201-6651/3201-6652 e 4005.2569

Texto:
Mozart Lira


Pará vai sediar o IV Simpósio Nacional Trabalho Infantil
Nos dias 15 e 16 de maio acontece, em Belém, o IV Simpósio Nacional Trabalho Infantil e Saúde, que será realizado pelo Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest), vinculado à Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa). Já estão abertas as inscrições para o evento, bem como o envio de trabalhos para exposição.
O evento será destinado aos professores, estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, profissionais da saúde e vinculados ao campo das políticas públicas, além de representantes de lutas e movimentos sociais com interesse na temática relacionada ao combate ao trabalho infantil.
O objetivo do simpósio é fortalecer e construir ações efetivas da rede social de proteção à criança e ao adolescente para prevenção e erradicação do trabalho infantil, visto que os agravos à saúde decorrentes desse tipo de atividade são pouco visíveis, na medida em que suas sequelas aparecem somente na vida adulta. Assim, as estatísticas oficiais acabam não retratando a real dimensão do problema, dificultando o desenvolvimento de políticas de saúde que contribuam para a erradicação do trabalho infantil e a proteção do trabalhador adolescente.
Segundo o Censo 2010, existem no Brasil 3.385.008 crianças e adolescentes, de 10 a 17 anos, em situação de trabalho, o que corresponde a 12,4% do total de crianças e adolescentes nesta faixa etária. 57% das crianças e/ou adolescentes, de 10 a 17 anos, ocupados, trabalham em situação na qual se pode configurar a relação de vínculo empregatício.
Ao considerar a faixa etária de 10 a 15 anos, o percentual de crianças e adolescentes trabalhando com vínculo empregatício reduz para 41%. Do montante de crianças e adolescentes ocupados, apenas 556.119 trabalham com a Carteira de Trabalho e Previdência Social - CTPS assinada. Vale ressaltar que o trabalho só é permitido a partir dos 16 anos. A única exceção é na condição de aprendiz, a partir dos 14 anos.
Serv iço: As inscrições dos trabalhos serão feitas unicamente no site do Simpósio: http://www.saude.pa.gov.br/ivsintispa. Demais dúvidas podem ser tiradas pelos fones (91) 3241-5255, 3241-5051 e 8116-7715. 

Texto:
Mozart Lira


Líderes comunitários de Parauapebas recebem capacitação para elaborar projetos sociais
Começou nesta sexta-feira (11) mais uma edição do projeto Aprender a Empreender, promovido pelo Pro Paz Comunidade em parceria com a Ação Social Integrada do Palácio do Governo (Asipag), que vai capacitar lideranças comunitárias do município de Parauapebas, no sudeste paraense, para que possam criar e gerenciar seus próprios projetos de caráter socioeconômico. O curso vai contar com 39 líderes comunitários e com a presença da Secretaria Municipal de Assistência Social e da Coordenadoria de Relações com a Comunidade.
Os participantes terão a oportunidade de debater sobre as novas perspectivas de projetos sociais, além de contar com orientações de técnicos da Asipag, para que possam buscar recursos públicos para o desenvolvimento dos próprios projetos. O coordenador de Planejamento do Pro Paz, Simão Bastos, disse que o evento vai ajudar as lideranças comunitárias a desenvolver o seu papel de protagonismo com base na cultura de paz.
“Vamos ter a oportunidade de debater com as lideranças comunitárias sobre os principais desafios enfrentados por eles e incentivá-los a criar novos projetos sociais  que possam auxiliar no desenvolvimento da população, além de fortalecer a relação entre o poder públicos e as organizações não-governamentais (ONGs) municipais”, declarou.
O projeto Aprender a Empreender promove o curso de capacitação para lideranças comunitárias até a próxima segunda-feira (14), no auditório da Secretaria Municipal de Assistência Social (Seas).

Texto:
Tiago Furtado


Mais de 1,3 mil estudantes assistem aos Concertos Didáticos da Fundação Carlos Gomes
O grupo Quartenura foi o convidado desta sexta-feira (11) na programação do projeto Concertos Didáticos, da Fundação Carlos Gomes (FCG). Formado por professores do conservatório e por músicos profissionais, o grupo mostrou um repertório bem brasileiro, com muito samba, choro e bossa nova.
Além da MPB, os alunos também puderam ouvir composições eruditas de grandes nomes da música clássica, como Johann Sebastian Bach, tocadas ao violão pelo professor Misael Júnior, além de músicas de Waldemar Henrique, como "Uirapuru" e "Minha Terra", uma das primeiras composições do maestro paraense.
No concerto comentado, os músicos falaram sobre a proposta do grupo de difundir a música genuinamente brasileira e fizeram a plateia cantar clássicos da MPB, como "Carinhoso", de Pixinguinha. Em outra música do compositor brasileiro, o público foi estimulado a acompanhar com palmas os acordes de "1 X 0".
A escola de tempo integral Benjamin Constant levou para o teatro cerca de 70 alunos. As estudantes Larissa Souza, 15 anos, e Ariele Duarte, 13 anos, que estudam música na escola, gostaram muito do concerto. "Foi muito legal, mas da próxima vez queremos ver uma orquestra", disseram as estudantes, que sonham  em tocar piano.
O estudante Henrique Lima, 14 anos, nunca havia ido ao Theatro da Paz.  Ele também estuda música desde o ano passado, e adorou um dos instrumentos tocados pelos músicos do Quaternura. "Achei muito interessante o cavaquinho. Fiquei com vontade de aprender a tocar esse instrumento", revelou o aluno.
A professora de música Mirian das Neves, que acompanhava um grupo de estudantes, contou que esta foi a segunda vez que os alunos da escola onde ela trabalha participaram do projeto. "Acho ótimo esse projeto. É uma oportunidade para os estudantes entrarem em contato com um outro tipo de música", disse.

O projeto Concertos Didáticos é promovido pela Fundação Carlos Gomes, em parceria com as secretarias de Estado de Educação e Cultura (Secult) e Theatro da Paz. A cada mês, um dos grupos artísticos da fundação se apresenta para estudantes de escolas públicas sempre em dois horários, às 10h e 16h. O objetivo é difundir o conhecimento musical entre as crianças, adolescentes e jovens da rede estadual de ensino.

À tarde, quem se apresentou foi o grupo Flauta da Amazônia. Muito entusiasmados e ansiosos em assistir ao concerto, os alunos ficaram em silêncio na hora da apresentação, mas aplaudiram bastante no final de cada música. No total, cerca de 1,3 mil alunos prestigiaram esta edição dos Concertos Didáticos. Pela primeira vez, estudantes das escolas da rede municipal também formaram a plateia da programação. Participaram cinco escolas municipais. O sucesso da programação é tanto que toda a agenda já foi fechada até o dia 7 de novembro, data do último Concertos Didáticos.

Texto:
Rosa Cardoso


Lacen automatiza exame preventivo do câncer de colo de útero
O Laboratório Central do Estado (Lacen) oficializou nesta sexta-feira (11) a implantação do processo automatizado para realização de exames preventivos do câncer de colo de útero (PPCU), tornando-se o primeiro laboratório público a utilizar esse método de exame. O objetivo é melhorar a qualidade das amostras coletadas e agilizar os resultados dos exames. O equipamento, que custou R$ 448 mil, foi adquirido com recursos do Projeto QualiSUS, financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).
O câncer de colo de útero é um sério problema de saúde pública no Pará. De acordo com um relatório do Hospital Ophir Loyola (HOL), de 2009 a setembro de 2010, o câncer de colo de útero foi o mais diagnosticado entre as mulheres atendidas no hospital, correspondendo a 40,5% do total de casos das 10 neoplasias mais frequentes em mulheres. O diagnóstico precoce é fundamental para que esses números diminuam no Estado.
A solenidade contou com a presença do secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco; do diretor do Lacen, Licínio Lira; da promotora de Justiça, Sueli Cruz; de Nazaré Falcão, diretora da Unidade de Referência Materno Infantil (Uremia); da médica citologista do Lacen, Cecília Nahum, além de cogestoras e diretoras da Sespa e servidores do Laboratório.
Helio Franco disse que o Lacen tem respondido às demandas da saúde pública, e frisou a importância de mais este avanço. “Tecnologia, um dia, fica obsoleta, mas o cuidado nunca fica, daí a importância de unir tecnologia com humanização”, ressaltou.
Prevenção - O secretário enfatizou que o diagnóstico e o tratamento são importantes, mas as pessoas precisam valorizar a prevenção. O câncer de colo de útero é uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), porque é causado pelo vírus HPV, transmitido sexualmente, pode ser evitado com o uso de preservativos nas relações sexuais.
Helio Franco informou que a estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é de 830 novos casos de câncer de colo de útero no Pará em 2014, e que 25% dos recursos do Hospital Ophir Loyola (HOL) são destinados ao tratamento desse tipo de câncer. “O diagnóstico precoce tem que ser feito na Atenção Primária, para que menos mulheres cheguem ao hospital com a doença em estágio avançado”, frisou. “Temos que fazer a promoção, prevenção, o diagnóstico e tratamento. Vamos transformar o SUS em um sistema único efetivo de saúde”, concluiu.
Licínio Lira agradeceu o apoio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), da Diretoria de Vigilância em Saúde e da equipe do Projeto QualiSUS, decisivo para que o Lacen pudesse implantar essa nova metodologia de análise. Ele ressaltou que, para adquirir o equipamento, é necessário dispor de profissionais habilitados para utilizá-lo. “Eu não conheço equipe técnica melhor do que a nossa”, afirmou.
Segundo ele, o equipamento é um passo importante para melhorar a qualidade do diagnóstico de câncer de colo de útero no Estado. “Nós queremos ser bons para atender bem à sociedade”, disse Licínio Lira. No Brasil, informou ele, existem 1.889 laboratórios que realizam PCCU, dos quais apenas 144 estão dentro dos critérios do Inca. No Pará, dos 80 laboratórios, apenas o Lacen está de acordo com os indicadores do Instituto Nacional.
Método - Pelo método convencional, o Lacen recebe as lâminas prontas com o material coletado do colo de útero. Agora, é o equipamento que prepara as lâminas a partir das amostras coletadas e colocadas em frascos com líquido especial, o que garante mais qualidade às amostras.
Segundo o biomédico Wagner Miyaura, mestre em Patologia, o equipamento tem capacidade para processar 20 amostras em 45 minutos. O processador também faz a checagem automática da identificação do frasco da paciente com sua lâmina correspondente, evitando troca de amostras, pois combina o código de barras do frasco com a etiqueta da lâmina.
Depois de prontas, as amostras são colocadas num leitor, no qual cada lâmina é lida em 90 segundos, examinando célula a célula, além de grupos de células, e identificando e marcando 22 campos de interesse contendo elementos suspeitos, que são armazenados em um servidor.
Após esse processo entra o citologista para examiná-las, por meio de um microscópio eletrônico. Se células anormais forem identificadas, toda a lâmina deverá ser revisada. Se nenhuma anormalidade for identificada nos 22 campos, a lâmina pode ser libertada como negativa.

Texto:


Polícia Civil apreende mais de 6,5 mil cigarros contrabandeados durante operação em Castanhal
A Polícia Civil apreendeu mais de 6,5 mil maços de cigarros contrabandeados e falsificados durante operação policial, nesta sexta-feira, 11, em Castanhal, nordeste paraense. Sob comando da delegada Rosamalena Abreu, da Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), a ação policial percorreu dez pontos comerciais onde os produtos ilegais eram expostos à venda. Os vendedores foram intimados a comparecer à sede da DIOE, na próxima semana, para prestar depoimento. A operação contou com a presença do diretor da ABCF (Associação Brasileira de Combate à Falsificação), Rodolpho Ramazzini, que veio de São Paulo acompanhar a ação policial. 
Conforme a delegada, a operação é resultado da troca de informações entre a Polícia Civil do Pará, por meio da DIOE, e a ABCF, para combate às falsificações no Estado. De acordo com o levantamento feito pela Associação e repassado à DIOE, cigarros das marcas Convair, Record e Gool, eram comercializadas de forma irregular, na feira de Castanhal, pois são contrabandeadas do Paraguai. “Há casos de falsificação e de produtos sem autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para venda”, detalha. 
De acordo com Rodolpho Ramazzini, o Brasil perde em média R$ 40 bilhões por ano de arrecadação de impostos por conta de falsificações. "Só o Estado do Pará tem um prejuízo de cerca de R$ 75 bilhões por ano por conta da sonegação fiscal causada pela venda desses produtos", salienta. Além disso, detalha o diretor da ABCF, o cigarro falsificado é acima de tudo um problema de saúde pública, pois são de baixo padrão de qualidade e tem seis vezes mais nocivos à saúde que os cigarros originais. Todos os produtos apreendidos irão ficar recolhidos no depósito da Receita Federal, em Belém. Os responsáveis pela venda dos produtos poderão responder por crimes de induzimento de consumidor a erro, fraude no sistema financeiro e crimes contra as relações de consumo.
ENVIAREMOS UMA FOTO POR E-MAIL PARA ESTA MATÉRIA

Texto:
Walrimar Santos


Mais de 700 processos já foram avaliados em mutirão carcerário no interior do Pará
Uma equipe formada por juízes, promotores, advogados da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) e defensores públicos das comarcas que têm unidades prisionais no interior do Pará, participam de um mutirão carcerário, iniciado em março pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF) do Pará, formado por instituições ligadas à execução penal, entre elas a Susipe.
Mais de 740 processos já foram avaliados, em pouco mais de duas semanas de trabalho. Nesta sexta-feira (11), os trabalhos foram encerrados no Centro de Recuperação Regional de Redenção, município a quase 900 km de Belém. Até o final do ano, 16 municípios paraenses com casas penais serão atendidos. O mutirão carcerário já passou pelos municípios de Breves, Itaituba, Santarém, Altamira e Redenção.
Dos quase 12 mil presos custodiados nas 41 unidades prisionais do Estado, 6.386 são sentenciados. "Para o mutirão acontecer, a Susipe providencia a certidão carcerária do interno, a listagem de presos, estrutura a unidade prisional pra receber a equipe do Judiciário, disponibiliza a condução de presos às audiências no Fórum e realiza a pesquisa dos processos. É um trabalho conjunto", informou a diretora do Núcleo de Execução Criminal da Susipe, Geane Salzer.
Para o juiz coordenador do GMF no Pará, Cláudio Henrique Lopes Rendeiro, titular da 1ª Vara de Execuções Penais da capital, o mutirão carcerário contribui para acelerar a análise dos processos penais. "Em dois ou três dias, nós conseguimos realizar um procedimento que levaria seis meses. A finalidade do mutirão é analisar todos os processos de execução penal, inclusive aqueles que não têm pedido, para verificar se há um tipo de benefício que a Lei da Execução Penal garante ao preso, como livramento condicional, saída temporária, indulto, prisão domiciliar e remição de pena, entre outros", afirmou o juiz.
Emoção - Adriano Trindade de Almeida, preso há quase 10 anos no Centro de Recuperação Regional de Redenção, onde cumpre pena no regime semiaberto, estava com o benefício do livramento condicional vencido. Em uma das saídas temporárias, ele fugiu e retornou à unidade prisional por outro delito, do qual acabou absolvido. Com o mutirão, ele garantiu o direito de responder em liberdade. Na hora de ouvir a sentença, Adriano se emocionou. "É um choro de alegria e alívio. Depois de quase 10 anos preso, voltar a ter liberdade é mais que um sonho. Se não fosse o mutirão, eu provavelmente continuaria aqui. Mas agora não volto nunca mais", garantiu.
Em Redenção, o mutirão foi concluído com mais de 100 processos avaliados. O juiz Cláudio Henrique Lopes Rendeiro finalizou os trabalhos com a cerimônia de livramento condicional, que concedeu liberdade a 19 internos da unidade prisional, e também com uma inspeção na casa penal.
Na próxima semana, o mutirão acontecerá no município de Tucuruí, no sudeste paraense. No segundo semestre, presos de outros nove municípios do Estado, além da Região Metropolitana de Belém, serão atendidos. Em 2013, mais de 2 mil processos penais foram avaliados pelo Judiciário paraense, durante o mutirão carcerário realizado pelo GFM do Pará.

Texto:
Timoteo Lopes


Boletins de ocorrência já podem ser registrados por celular ou tablet
Já é possível fazer o registro de boletins de ocorrência pela internet, por meio de dispositivos móveis, como celulares e tablets. No site da Delegacia Virtual, o cidadão pode registrar ocorrências de extravio ou perda de documentos e de telefones celulares, de acidentes de trânsito sem vítimas e, ainda, pode solicitar a emissão da segunda via do BO registrado no site.
O usuário não precisa ir até a Delegacia Geral ou procurar uma delegacia ou seccional para solicitar o carimbo do documento, pois o BO virtual já conta com número de autenticação digital. O uso de dispositivos móveis para registrar boletins pela Delegacia Virtual possibilita ao usuário fazer a ocorrência em qualquer lugar onde estiver.
Basta acessar o endereço da Delegacia Virtual, www.delegaciavirtual.pa.gov.br, e selecionar uma das opções para registro da ocorrência. O próximo passo é preencher os dados pessoais e os da ocorrência. Por fim, o próprio site gera o boletim de ocorrência registrado, que poderá ser enviado ao e-mail pessoal do usuário. Da mesma forma, com um celular ou tablet conectado à internet, é possível fazer o agendamento eletrônico para solicitar a emissão da carteira de identidade.

Texto:
Walrimar Santos


Polícia Militar intensifica operações para reforçar a segurança
A Polícia Militar desenvolve no fim de semana diversas operações visando reforçar a ssegurança da população. De sexta-feira (11) a domingo (13), a PM fará o policiamento com emprego de tropa, tanto na modalidade a pé quanto motorizado, a cavalo e com uso de cães, usando o efetivo de todos os batalhões da capital e contando com o apoio dos demais comandos intermediários, como os comandos de Policiamento Especializado (CPE), da Região Metropolitana (CPRM) e de Missões Especiais (CME), além do Comando de Policiamento da Capital (CPC).
Nesta sexta-feira, estão ativas as operações “Trânsito sem álcool”, com apoio do Departamento de Trânsito do Estado (Detran), para fiscalização de veículos. A PM também faz a abordagem a pessoas e aplica as medidas preventivas que visam coibir crimes como o roubo a ônibus e a motoristas de táxi.
A operação “Barreiras Integradas” tem o apoio da Superintendência de Mobilidade Urbana. Outra ação é “Hypnus”, que consiste na fiscalização a bares e similares, boates e casas noturnas, que verifica a documentação do estabelecimento e coíbe a presença de crianças e adolescentes, além da venda de drogas e o consumo de bebida alcoólicas ao público juvenil. Nesta operação, a PM tem apoio da Polícia Civil, Guarda Municipal de Belém, Vigilância Sanitária, Conselho Tutelar, Secretaria Municipal de Economia (Secon) e Corpo de Bombeiros.
O trabalho no fim de semana compreende ainda uma ação cívico-social em Outeiro, também a partir desta sexta-feira (11), com a expedição de carteiras de identidade e de trabalho, atendimento oftalmológico e odontológico, apresentação das bandas de música da PM e do Corpo de Bombeiros, serviços de fotografia e corte de cabelo.
Além da grande quantidade de eventos, a PM também estará presente na partida válida pelo Campeonato Paraense 2014 entre as equipes do Clube do Remo e Paragominas, no domingo (13), a partir das 16h. Mais de 200 policiais militares estão escalados para garantir a segurança ao torcedor paraense que prestigiará a reabertura do estádio Evandro Almeida, o “Baenão”, que passou por reformas e foi liberado novamente para recepcionar partidas de futebol. No evento desportivo, a PM terá o apoio integrado dos demais órgãos do Sistema de Segurança Pública e da Prefeitura de Belém.

Texto:
Leno Carmo


Emater ajuda a melhorar alimentação do gado de corte
O escritório da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) em Monte Alegre, município do oeste paraense, implantou uma unidade de forragens (capineira) no Sítio Carvalho, pertencente ao casal de agricultores familiares Edilberto Carvalho e Sonira Maria Ferreira, na comunidade de Bacabalzinho, distante 53 km da sede do município. Essa alternativa diminui os custos na propriedade e permite ter, durante o ano, áreas com pastagens dentro do manejo rotativo.
O objetivo é melhorar a alimentação do rebanho bovino de corte. Como a área da propriedade é reduzida, o casal paga aluguel de pastagens para alimentar o rebanho, principalmente no período de estiagem. Edilberto Carvalho disse que já gastou R$ 1.500,00 em quatro meses de aluguel.
A capineira foi implantada em um espaço de 3 mil m², pelos técnicos da Emater Egnaldo Gonçalves e Orcinei Garcia. “Nesse sistema dá para alimentar, por ano, 10 animais, enquanto no outro sistema dava para apenas um animal. Além disso, nessa alternativa podemos evitar o aumento de área para pastagem”, informou Egnaldo  Gonçalves.
No Sítio Carvalho, o casal cria gado para corte, galinha e pato, cultiva mandioca, milho e espécies frutíferas, como muruci, coco, açaí, graviola, cupuaçu e acerola. A produção é comercializada na feira da sede municipal.

Texto:
Paula Portilho


Prodepa apresenta Sistema de Demandas Municipais à Secretaria de Articulação Municipal
A Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa) apresentou, na última quinta-feira (10), o Sistema de Demandas Municipais à equipe da Secretaria Extraordinária de Estado de Articulação Municipal (Seeam) e ao secretário, Sérgio Bacury. A nova ferramenta possibilita que o governo do Estado mantenha contato com as prefeituras de todos os 144 municípios do Pará, para atender as diversas demandas que poderão vir a ser prioridade para a gestão estadual.
O sistema solicitado pela Seeam foi desenvolvido em metodologia ágil – tipo de metodologia de desenvolvimento de software que visa agilizar o trabalho usando mecanismos inovadores, levando em conta sempre a necessidade do cliente. Após 60 dias, a Prodepa entregou o sistema pronto, com um grande nível de qualidade.
Os principais dados armazenados, como status da demanda, quanto será ou foi investido no município em questão, em que porcentagem está a obra, entre outros fatores, serão de grande utilidade para que, caso haja uma visita técnica ou até mesmo uma visita do próprio governador do Estado, exista uma noção do que está ocorrendo naquele município. E, dessa maneira, possa haver respostas mais concretas sobre os questionamentos dos habitantes da cidade acerca das obras.
O padrão usado no Sistema de Demandas é o mesmo usado na Prodepa, com as telas principais da funcionalidade, o campo de pesquisa com os filtros e o resultado que aparece logo abaixo. “A ideia é que no sistema esteja toda a informação numa página só”, disse Elísio Cabral, gerente da Divisão de Sistemas Específicos. Muito do antigo sistema foi recuperado, mas novas ferramentas foram incluídas a pedido da Seeam, que ajudarão ainda mais na organização e acompanhamento das mesmas.
Uma das novas funcionalidades que antes não existia é a numeração de identificação que cada demanda terá, ajudando assim na disposição do sistema. Tornou-se mais fácil e prático encontrar as demandas por cidade, área, órgão ou secretaria especial.
No quesito segurança, duas novas funcionalidade foram bastante ressaltadas durante a apresentação. A primeira ocorre quando o sistema fica fora de uso por algum tempo, efetuando o logoff sozinho e obrigando o usuário a logar novamente. O outro é acerca da escolha dos que terão total acesso as Demandas. “Isso faz parte da segurança do sistema”, afirma Evandro Paes, gerente de Engenharia de Sistemas da Prodepa.
O Sistema de Demandas Municipais gerencia os municípios perante o governo, onde os prefeitos fazem as solicitações e a secretaria analisa se pode ou não virar demanda governamental. “Existia um sistema falho, que não foi desenvolvido pela Prodepa, e dava alguns problemas, a solução foi refazer o sistema como um todo e criar esse Sistema de Demandas”, informa Elísio.
O secretário Sérgio Bacury fez algumas considerações sobre a nova ferramenta e pediu ajustes em poucos recursos, mas no geral, considerou o sistema excelente. “Temos cerca de 2,9 mil informações, imagina trabalhar tudo isso no papel. Não tem como, por isso esse sistema é importante”, declarou. Por enquanto, a equipe da secretaria fará testes para averiguar se existem mais alterações a serem feitas e, por isso, ainda não há uma data definitiva para a entrega total do projeto.

Texto:
Nátia Machado

 
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...