Total de visualizações de página

sábado, dezembro 01, 2012

Rosemary Nóvoas de Noronha era, ou ainda é, amante de Lula?






Montagem publicada nas redes sociais



Na primeira parte deste post, a análise formulada pelo jornalista Reinaldo Azevedo sobre um fato que era do conhecimento de jornalistas e pessoas próximas a Luiz Inácio Lula da Silva. Entretanto, só agora vem a público justamente em matéria da Folha de S. Paulo, portanto um veículo insuspeito por razões óbvias que os leitores atentos entendem. Rosemary Nóvoas de Noronha era, ou ainda é, amante de Lula.

Na seqüência a a primeira parte da análise de Reinaldo Azevedo com link para leitura do epílogo e a reportagem da Folha. Leiam:



Um homem público ter uma amante é ou não assunto relevante? Nos EUA, basta para liquidar uma carreira política, como estamos cansados de saber. Foi um caso extraconjugal que derrubou o todo-poderoso da CIA e quase herói nacional David Petraeus.

Desde quando estourou o mais recente escândalo da República, todos os jornalistas que cobrem política e toda Brasília sabiam que Rosemary Nóvoa Noronha tinha sido — se ainda é, não sei — amante de Lula. Assim define a palavra o Dicionário Houaiss: “Amante é a pessoa que tem com outra relações sexuais mais ou menos estáveis, mas não formalizadas pelo casamento; amásio, amásia”.

Embora a relação fosse conhecida, a imprensa brasileira se manteve longe do caso. Quando, no entanto, fica evidente que a pessoa em questão se imiscui em assuntos da República em razão dessa proximidade e está envolvida com a nomeação de um diretor de uma agência reguladora apontado pela PF como chefe de quadrilha, aí o assunto deixa de ser “pessoal” para se tornar uma questão de interesse público.

Foto que circula pelas redes sociais

O caso, com todos os seus lances patéticos e sórdidos, evidencia a gigantesca dificuldade que Lula sempre teve e tem de distinguir as questões pessoais das de Estado. Como se considera uma espécie de demiurgo, de ungido, de super-homem, não reconhece como legítimos os limites da ética, do decoro e das leis.

Outro dia me enviaram um texto oriundo de um desses lixões da Internet em que o sujeito me acusava de “insinuar”, de maneira que seria espúria, uma relação amorosa entre Rose e Lula. Ohhh!!! Não só isso: ao fazê-lo, eu estaria, imaginem vocês!, desrespeitando Marisa Letícia, a mulher com quem o ex-presidente é casado. Como se vê, respeitoso era levar Rose nas viagens a que a primeira-dama não ia e o contrário.

Mas isso é lá com eles. A Rose que interessa ao Brasil é a que se meteu em algumas traficâncias em razão da intimidade que mantinha com “o PR”. Lula foi o presidente legítimo do Brasil por oito anos. A sua legitimidade para nos governar não lhe dava licença para essas lambanças. 

AQUI A REPORTAGEM NA
ÍNTEGRA DA FOLHA DE S. PAULO: 

 
Montagem circulando pelas redes sociais


A influência exercida pela ex-chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha, no governo federal, revelada em e-mails interceptados pela operação Porto Seguro, decorre da longa relação de intimidade que ela manteve com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Rose e Lula conheceram-se em 1993. Egressa do sindicato dos bancários, ela se aproximou do petista como uma simples fã.

O relacionamento dos dois começou ali, a um ano da corrida presidencial de 1994.

À época, ela foi incorporada à equipe da campanha ao lado de Clara Ant, hoje auxiliar pessoal do ex-presidente. Ficaria ali até se tornar secretária de José Dirceu, no próprio partido.

Marisa Letícia, a mulher do ex-presidente,
 jamais escondeu que não gostava da assessora do marido.

Em 2002, Lula se tornou presidente. Em 2003, Rose foi lotada no braço do Palácio do Planalto em São Paulo, como "assessora especial" do escritório regional da Presidência na capital. Em 2006, por decisão do próprio Lula, foi promovida a chefe do gabinete e passou a ocupar a sala que, na semana retrasada, foi alvo de operação de busca e apreensão da Polícia Federal.
Nesse papel de direção, Rose contava com três assessores e motorista.

Sua tarefa era oficialmente "prestar, no âmbito de sua atuação, apoio administrativo e operacional ao presidente da República, ministros de Estado, secretários Especiais e membros do gabinete pessoal do presidente da República na cidade de São Paulo".

Durante 19 anos, o relacionamento de Lula e Rose se manteve oculto do público.

Em Brasília, a agenda presidencial tornou a relação mais complicada.
Quando a então primeira-dama Marisa Letícia não acompanhava o marido nas viagens internacionais, Rose integrava a comitiva oficial.

Segundo levantamento da Folha tendo como base o "Diário Oficial", Marisa não participou de nenhuma das viagens oficiais do ex-presidente das quais Rosemary participou.

Integrantes do corpo diplomático ouvidos pela reportagem, na condição de anonimato, afirmam que a presença dela sempre causou mal-estar dentro do Itamaraty. Na opinião deles, a ex-chefe do escritório da Presidência em São Paulo não era necessária.

Oficiais da Aeronáutica se preocupavam com o fato de que ela por vezes viajava no avião presidencial sem estar na lista oficial. Em muitas vezes, Rose seguia em voos da equipe que desembarca antes do presidente da República para preparar sua chegada.

Nessas viagens, seguranças que guardavam a porta da suíte presidencial nas missões fora do Brasil registravam ao superior imediato a presença da assessora. Oficiais do cerimonial elaboravam roteiro e mapa dos aposentos de modo a permitir que o presidente não fosse incomodado.

Durante esses quase 20 anos, Rose casou-se duas vezes. Seu primeiro marido, José Cláudio Noronha, trabalhou na Casa Civil do então ministro José Dirceu quando Rosemary assumiu o escritório de São Paulo.

Na chefia do gabinete, ela construiu a fama de pessoa de temperamento difícil. Lula chegou a receber de amigos reclamações dando conta de que ela tratava mal os funcionários.

Um deles descreveu um episódio em que ela teria pedido para serventes limparem "20 vezes" o chão do escritório até que ficasse realmente limpo.

Apesar do temperamento, Rose era discreta e não gostava de contato com a imprensa. Em algumas festas e cerimônias, controlava a porta de salas vips, decidindo quem podia ou não entrar. Também costumava se consultar com o médico de Lula e da presidente Dilma Rousseff, Roberto Kalil.

Rose acompanhou o ex-presidente em algumas internações durante o período em que este se recuperava do tratamento de um câncer no Sírio-Libanês, em São Paulo. Mas só pisava no hospital quando Marisa Letícia não estava por perto.

Na campanha presidencial de 2006, a chefe de gabinete circulou nos debates televisivos que Lula teve com o tucano Geraldo Alckmin.
Ministros e amigos do ex-presidente não negam o relacionamento de ambos. Foi de Lula a decisão de manter Rosemary em São Paulo, conforme relatos de pessoas próximas.
Procurado pela Folha, o porta-voz do Instituto Lula, José Chrispiniano, afirmou que o ex-presidente Lula não faria comentários sobre assuntos particulares. Do site da Folha de S. Paulo http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2012/12/jornal-revela-rosemary-e-lula-eram.html




MENSALÃO: De que tamanho será a pizza desta vez? Eu acredito ainda na Justiça, melhor quando todos estiverem atrás das grades


 OEA pode rever as penas do
STF, diz analista argentino

Com o fim do julgamento do “mensalão”, os advogados dos réus condenados começam a se movimentar para recorrer da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), última instância do Judiciário brasileiro. Um dos caminhos avaliados seria buscar um reexame das sentenças na Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), órgão ao qual as decisões o Brasil se compromete a submeter por ser um dos signatários do Pacto de San Jose.
“Se a Corte Interamericana entender que o julgamento, por alguma razão, não respeitou determinadas garantias e obrigações assumidas pelo Estado brasileiro, ele poderia ter de ser refeito”, acredita o professor argentino de Direito Administrativo Pablo Gutiérrez.
O docente da Universidad Nacional del Comahue, que esteve em São Paulo para realizar uma palestra na sede da Advocacia-Geral da União, na terça-feira 27, é especialista em direitos humanos e em aplicação de  tratados internacionais.


A possibilidade de recorrer à OEA foi aventada diretamente pelo deputado Valdemar Costa Neto, condenado a de 7 anos e 10 meses de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Ele defende o direito do duplo grau de jurisdição em seu julgamento. Uma tese também apoiada pelo ex-ministro da Justiça e advogado de um dos condenados Marcio Thomaz Bastos. Segundo ele, os advogados de outros réus estudam esse caminho após a fase de embargos de declaração no STF. “O réu deve também ter o direito de apelar da decisão ou de tê-la revisada por um segundo tribunal, a dupla instância. Se no sistema interno de cada país isso não é garantido, seria possível apresentar o caso à Corte Interamericana por violações destes direitos”, diz Gutiérrez na entrevista abaixo.
Dois ministros do Supremo se manifestaram sobre o assunto. O relator do caso e presidente do STF, Joaquim Barbosa, chamou a possível ação de tentativa de “enganar o público leigo” e  cinismo” por pensar que poderia ser revertida. Já Marco Aurélio Mello definiu o eventual recurso dos condenados como “direito de espernear”.



Pablo Gutiérrez entende que a OEA exige julgamento em duas instâncias. Foto: Gabriel Bonis
CartaCapital – Alguns réus condenados pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento do “mensalão” estudam a possibilidade de recorrer da sentença à Corte Interamericana de Direitos Humanos. Quais são as possibilidades deles? A OEA costuma analisar esses casos?
Pablo Gutiérrez – Em qualquer julgamento deve haver certas garantias para que ele seja válido e justo, não importando o objeto discutido. Para o funcionamento do sistema, o julgamento deve ser feito por um juiz imparcial, com respeito pleno ao devido processo, ao direito de oferecer provas, em prazo razoável e com a devida fundamentação. O réu deve também ter o direito de apelar da decisão ou de tê-la revisada por um segundo tribunal, a dupla instância. Se no sistema interno de cada país isso não é garantido, seria possível apresentar o caso à Corte Interamericana por violações destes direitos.
CC – O julgamento do “mensalão” ocorre em instância única no STF. Isso poderia abrir espaço para recursos em massa por parte dos condenados à OEA?
PG – O sistema interno está obrigado a garantir uma segunda instância. Caso não a tenha, isso será revisado e controlado na Corte da OEA. O órgão não analisa a sentença, mas se houve ou não alguma violação daquilo que o Estado assumiu conforme o Pacto de San Jose, na Costa Rica. Isso inclui assegurar um julgamento justo e o direito a duas instâncias.
CC – A OEA, caso acionada, analisaria quais aspectos do julgamento?  
PG – No sistema interamericano se avalia se uma pessoa foi julgada com as garantias exigidas pela OEA, como se houve o devido processo. Não se controla se a condenação é justa ou não, mas se o julgamento ocorreu seguindo as obrigações assumidas internacionalmente. Também não se revisa a sentença, ou se volta a julgá-la porque este é um tema de direito interno. É um assunto do Brasil.



CC – O que poderia acontecer em uma eventual condenação do Brasil na OEA por este caso?  
PG – Na Argentina, houve casos de processo já terminados na Justiça que foram submetidos à Corte de Direitos Humanos, nos quais o órgão internacional entendeu não ter ocorrido uma investigação suficiente. Quando a sentença da Corte Interamericana foi anunciada, o Tribunal máximo do país, semelhante ao Supremo Tribunal Federal brasileiro, reabriu o caso. Deixou de lado a “causa julgada” porque é mais importante seguir a sentença da OEA. É uma obrigação do Estado argentino, que assumiu soberanamente cumprir a sentença. É um tema complexo, mas se um país assina um tratado está obrigado a cumpri-lo em todas as suas repartições públicas. Então, se a Corte Interamericana entendesse que o julgamento [do “mensalão”], por alguma razão não respeitou determinadas garantias e obrigações assumidas pelo Estado brasileiro, ele poderia ter que ser refeito.
CC – Em uma eventual sentença neste sentido, o Brasil poderia não cumpri-la sem sanções?
PG – Os países, quando assinam determinados acordos, se obrigam a cumpri-los de boa fé. Caso não o façam, as condenações seguem sendo reiteradas e a Corte Interamericana, junto com a OEA, supervisionem o seu cumprimento. O órgão também realiza boletins sobre quem cumpre ou não as sentenças. Como estamos em um sistema globalizado, no qual os países dependem uns dos outros, é importante saber que alguns organismos internacionais de assistência financeira e econômica não realizam aportes em locais que não respeitam os direitos humanos. Na Europa, para que um país entre na União Europeia é preciso que primeiro adira ao Tratado Europeu de Direitos Humanos, por exemplo. As sanções são interdependentes, seja no sistema de direitos humanos ou em alguns econômicos.
CC – Os condenados poderiam recorrer a outro tribunal internacional além da OEA?
PG – Não creio que haja outro sistema judicial, mas podem existir outras instâncias político-institucionais. Na América Latina, a Corte Interamericana é a última instância jurisdicional em matéria de direito fundamental e direitos humanos.


Brasil estreia contra Japão e encara a Itália em Salvador pela Copa das Confederações

Do UOL, em São Paulo

O Brasil se deu mal no sorteio deste sábado e terá uma espécie de "grupo da morte" pela frente na Copa das Confederações, em 2013. A seleção de Luiz Felipe Scolari, cabeça de chave do grupo A, vai estrear contra o Japão em Brasília, vai até Fortaleza enfrentar o México na segunda rodada e encerra a primeira fase diante da Itália, em Salvador.

VEJA TAMBÉM

Do outro lado, no grupo B, a Espanha terá vida bem mais fácil, apesar da estreia dura diante do Uruguai, rival mais forte da chave, em Recife. Na sequência, no entanto, a atual campeã mundial encara Taiti e um representante africano ainda não definido.
O sorteio, evento de gala da Fifa, com direito a produção global antes e depois da cerimônia, aconteceu no Anhembi, na zona norte de São Paulo. A parte principal do acontecimento, no entanto, foi tumultuada. Convidado especial, o chef Alex Atala se confundiu em um dos sorteios e deixou Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa que comandava o sorteio, visivelmente irritado.
Apesar do imprevisto, no fim de sua participação o cartola ainda teve tempo de brincar com a modelo Adriana Lima, outra convidada do evento, antes de deixar o palco. A festa na capital paulista serve como uma espécie de consolo para a cidade, que está fora do torneio. O Itaquerão, estádio que sediará a abertura da Copa 2014, não ficará pronto a tempo.
Por isso, as sedes da Copa das Confederações, que reúne campeões continentais de todo o mundo, serão Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador. A competição acontecerá em junho do ano que vem. 



Wandick, presidente do Paysandu





Após 38 anos, a oposição vence as

eleições presidenciais no Bicola


Ídolo com a camisa 9 do Paysandu, Vandick, que passou a ser conhecido como o vereador Vandick Lima, terá a missão de seguir com um bom relacionamento com a torcida bicolor longe dos gramados e na presidência do clube.
Após mais de seis horas de apuração de votos, o líder da chapa 'Novos Rumos', que teve 479 votos e uma vantagem de 201 para Victor Cunha, da chapa 'Centenário', conquistou a vitória antes mesmo do término da apuração e, no dia 6 de janeiro de 2013, assumirá a gestão alviceleste até dezembro de 2014. No total, 757 associados participaram do pleito.
'É uma responsabilidade imensa sair do campo, onde fui tão feliz no Paysandu, para a presidência. Sei que, também pelo que fiz pelo clube como jogador, minha missão é difícil. Mas nós nos preparamos para isto e só tenho a agradecer a todos que me apoiaram', declarou o presidente eleito do Papão.
Baiano de Conceição do Coité (BA) e paraense de coração, o vereador reeleito Vandick, de 47 anos, terá a missão de ser o primeiro ex-jogador a sentar na cadeira de presidente do clube, manter o Papão na Série B do campeonato paraense e, principalmente, de não deixar o time voltar à Série C.
Tabu - A vitória de Vandick Lima, que representou a oposição nas eleições, entrou para a história do clube como, além de ser a primeira com a participação dos sócios, ainda quebrou um tabu de 38 anos na história alviceleste.
Esta é a apenas a segunda vez em que a oposição vence as eleições presidenciais no Paysandu. A primeira aconteceu em 1974, com o triunfo de Antônio Couceiro sobre o então presidente Paulo Castro.
Anulação - Vale lembrar que esta eleição segue sob risco de anulação, por funcionar em meio a uma liminar judicial, que cabe recurso e, caso seja derrubada, pode resultar no cancelamento do pleito.
A liminar judicial, aliás, foi impetrada pela chapa 'Novos Rumos' para que cerca de 25 Beneméritos e Grandes Beneméritos, que estavam banidos do processo eleitoral do clube por inadimplência com base no novo estatuto, pudessem votar.
A alegação utilizada pelo jurídico da chapa 'Novos Rumos' junto ao Juiz Mairton Carneiro, da 6ª Vara Cível de Belém, foi de que, como o novo estatuto do clube entrou em vigor neste mês de novembro, os conselheiros não poderiam ser considerados inadimplentes enquanto este mês não acabasse. A data da eleição foi no dia 30 de novembro.
Apoio - O adversário de Vandick Lima nestas eleições, Victor Cunha, declarou, em entrevista ao repórter da rádio Liberal CBN, Agripino Furtado, que se disponibiliza a apoiar o representante da chapa 'Novos Rumos'. 'Acima de tudo, sou Paysandu. Por isso, declaro apoio ao Vandick, porque o Paysandu é maior que qualquer coisa', declarou.

Carlos Fellip (Portal ORM)








Candidata do Pará leva o título de Miss Bumbum



Carine Felizardo, 25, foi eleita a vencedora do Miss Bumbum 2012, em cerimônia realizada na noite desta sexta-feira (30) em São Paulo.
A representante do Pará conquistou, além do título, um prêmio de R$ 5.000 e será a capa da próxima edição da revista "Sexy".
A ex-Latino Andressa Urach, 24, ficou com a segunda posição, e a paulista Camila Vernaglia, 21, com a terceira.
Diretores de televisão, cirurgiões plásticos e a editora da "Sexy" estavam no júri.

(DOL)

 

'Centenário' volta à dianteira e abre 17 votos de vantagem

Apuração das eleições presidenciais do Paysandu chegou à terceira urna

01/12/2012 - 00:22 - Esportes
Em três horas de apuração, a terceira urna das eleições para presidente no Paysandu foi totalmente contablizada e somou uma vantagem de 17 votos ao candidato da chapa 'Centenário', Victor Cunha, em relação ao adversário Vandick Lima, da 'Novos Rumos'.
Ao todo, a eleição ficou distribuída com 107 votos para a chapa de Victor Cunha e 90 para a de Vandick Lima.
Restam ainda outras sete urnas para a divulgação do nome do novo presidente do Paysandu, que assumirá o clube no dia 6 de janeiro de 2013 até dezembro de 2014.
Carlos Fellip (Portal ORM)

 

ANS divulga lista de operadoras de planos de saúde que serão fechadas

Os usuários têm 60 dias para solicitar portabilidade especial de carências para outras operadoras

30/11/2012 - 23:10 - Saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou a lista de operadoras de planos de saúde que terão as atividades encerradas por causa de graves problemas econômico-financeiros e administrativos. Os usuários desses convênios têm até 60 dias para solicitar a portabilidade especial de carências para outras operadoras.
Este tipo de portabilidade, em vigor desde abril de 2011, possibilita ao usuário mudar para um convênio compatível com o anterior em situações especiais. São permitidas as trocas nos seguintes casos: quando a operadora tem o registro cancelado pela ANS, está em processo de falência ou por causa da morte do titular do plano.
Nessas situações, o consumidor tem algumas vantagens, como trocar de plano de saúde independentemente do mês de aniversário do contrato, fica desobrigado de cumprir a permanência mínima no plano e novas carências e o preço do novo plano deve ser igual ou menor que o antigo.
A lista com as operadoras que serão encerradas pode ser conferida aqui.

Operadoras em Fase de Portabilidade Especial

As operadoras de planos de saúde listadas abaixo terão suas atividades encerradas devido a anormalidades econômico-financeiras e administrativas graves.
Assim, para assegurar que a assistência à saúde dos beneficiários dessas operadoras não seja prejudicada, a ANS garante a eles o direito à portabilidade especial de carências.
Portanto, se o seu plano de saúde é comercializado por uma dessas operadoras, guarde com você o documento disponível abaixo e clique aqui para saber como trocar de plano de saúde sem cumprir novos prazos de carência.
 Atenção: o prazo para exercer esse direito é de 60 dias a partir da data da publicação do documento.
 Operadora
Resolução Operacional (RO)
ADMÉDICO - Administração de Serviços Médicos à Empresa Ltda
RO 1329 publicada no Diário Oficial da União em 19/11/2012
Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Valença
RO 1322 publicada no Diário Oficial da União em 12/11/2012
Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Ilhéus
RO 1325 publicada no Diário Oficial da União em 12/11/2012
Health Assistência Médica e Hospitalar S/C Ltda
RO 1324 publicada no Diário Oficial da União em 12/11/2012
CDE - Centro de Diagnóstico Especializado Ltda
RO 1323 publicada no Diário Oficial da União em 12/11/2012
Viver Sis-Sistema Integrado de Saúde Ltda.
RO 1316 publicada no Diário Oficial da União em 05/11/2012
Medical Health Operadora de Planos de Assistência Médica e Odontológica Ltda.
RO 1315 publicada no Diário Oficial da União em 05/11/2012
Administradora Brasileira de Assistência Médica Ltda. - All Saúde
RO 1314 publicada no Diário Oficial da União em 05/11/2012
Dent-Service Assistência Odontológica Internacional Ltda.
RO 1310 publicada no Diário Oficial da União em 19/10/2012
Douramed Assistência Médico Hospitalar Global S/S Ltda.
RO 1311 publicada no Diário Oficial da União em 19/10/2012
Italica Saúde Ltda.
RO 1312 publicada no Diário Oficial da União em 19/10/2012
Operadora Ideal Saúde Ltda.
RO 1307 publicada no Diário Oficial da União em 17/10/2012
Saúde Total Ltda
RO 1300 publicada no Diário Oficial da União em 08/10/2012
Multi Saúde - Assistência Médica e Hospitalar Ltda.
RO 1299 publicada no Diário Oficial da União em 08/10/2012
Odonto Saúde Plano de Saúde Odontológica Ltda.
RO 1303 publicada no Diário Oficial da União em 08/10/2012
TK Plano de Assistência Odontológica S/C Ltda.
RO 1302 publicada no Diário Oficial da União em 08/10/2012
Odonto Fama Ltda.
RO 1301 publicada no Diário Oficial da União em 08/10/2012
Associação Assit e em Defesa dos Direitos dos Com., Ind. Aut. e Trab em Geral
RO 1276 publicada no Diário Oficial da União em 14/09/2012
Oral Health Sistema Integrado de Assistência Odontológica Ltda.
RO 1275 publicada no Diário Oficial da União em 14/09/2012

 Portabilidade Extraordinária
  
Operadora
Resolução Operacional (RO)
Operadora Ideal Saúde Ltda.
RO 1318 publicada no Diário Oficial da União em 05/11/2012

Fonte: Agência Brasil

 

ELEIÇÕES NO PAPÃO: Vice-presidente do Papão se envolve em confusão durante apuração dos votos

 

Polícia Militar foi chamada para 'acalmar os ânimos', na sede social do clube


Uma confusão envolvendo um integrante da chapa 'Novos Rumos', que representa a oposição nestas eleições presidenciais do Paysandu, e o atual vice-presidente do clube, Toninho Assef, acabou com a tranquilidade no pleito.
O desentendimento aconteceu dentro do restaurante, que fica localizado dentro da sede social do Papão e a Polícia Militar teve de ser chamada para acabar com a briga, que chegou, até mesmo, a ter um homem com um pedaço de ferro na mão.
Sem prisões e somente advertências, a eleição segue com a apuração da quarta urna. Até então, a chapa de Victor Cunha, intitulada 'Centenário' segue na frente da 'Novos Rumos', de Vandick Lima.

Carlos Fellip (Portal ORM)

 

Quarta urna é apurada e Victor Cunha segue na ponta

Diferença, porém, caiu de 17 para 13 votos de vantagem

01/12/2012 - 01:11 - Esportes
A apuração das eleições presidenciais do Paysandu chegou à quarta urna e a vantagem de Victor Cunha, da chapa 'Centenário', sobre Vandick Lima, da 'Novos Rumos', caiu de 13 para 17. Ao todo, são 138 votos para Victor e 125 para Vandick.
Restam seis urnas para o término do processo de apuração. A divulgação do resultado está prevista para acontecer por volta das 4h deste sábado (1º).
Conselheiros - Entre os 40 conselheiros que serão eleitos, a mesa apuradora disponibilizou a quantidade de votos dos 11 primeiros. Veja abaixo!

Naif Davis - 40
Clodomir Araújo 35
Raul Aguilera Neto - 35
Abelardo Serra - 34
Otávio Fafiola - 32
Caio Felipe - 31
Mauro Guimarães - 28
Bira Lima - 28
Antônio Pedro - 27
Duma - 27
Toninho Assef Júnior - 20
Carlos Fellip (Portal ORM)




Rancho vai realizar seu 1º
Arrastão visando o Carnaval 2013

Será neste domingo, dia 2 de dezembro, Dia Nacional do Samba, que o Rancho dará o seu pontapé inicial visando a sua preparação para buscar o bicampeonato do carnaval de Belém com a realização do seu primeiro arrastão.
A concentração será a partir das 14h na Praça do Carmo, no bairro da Cidade Velha, local onde estarão acontecendo também uma grande festa alusiva as comemorações do Dia Nacional do Samba. A saída do arrastão está prevista para as 16 horas, pelas ruas daquele Bairro, tendo uma passagem pela orla do Portal da Amazônia.
Em seguida o arrastão seguirá até a sede do Rancho, quando acontecerá o tradicional Pagode do Litrão.

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...