Total de visualizações de página

domingo, setembro 08, 2013

Reunião discute ações para a implantação do Selo Unicef no Pará




Governador interage com usuários de mídias sociais em novo programa


O Governo do Pará estreia nesta segunda-feira (9), às 20 horas, o programa “Governo Digital”, um novo canal de diálogo entre o governador Simão Jatene e a sociedade, por meio das mídias sociais, com debate sobre diversos temas de interesse da população.
No “Governo Digital”, Simão Jatene vai interagir, ao vivo, sobre os mais diversos assuntos, com internautas e jornalistas. A transmissão será feita na fanpage do Governo do Pará no Facebook (www.facebook.com/governodopara) e também pela Rede Cultura de Comunicação, que inclui o Portal Cultura (www.portalcultura.com.br).
“Foi o próprio governador que pediu a criação dessa nova ferramenta. Ele quer interagir e se comunicar com este público. Ele vai estar ao vivo, respondendo sobre tudo. As pessoas podem ir até a fanpage e participar com vídeos e perguntas”, explica o diretor de Comunicação Institucional da Secom, Antonio Neto.
Para participar, basta o usuário acessar a página do Governo do Pará no Facebook e usar o aplicativo que permitirá assistir ao programa e também participar com perguntas e vídeo. Uma plateia formada por jornalistas e usuários de mídias sociais vai estar em um estúdio, que será montado no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, e também poderá interagir durante o programa. O “Governo Digital”, que terá duração de uma hora e meia, não vai ter um tema definido. Os assuntos a serem discutidos serão abordados de acordo com os questionamentos que surgirem na fanpage e na plateia.

Texto:
Antenor Filho-Secom


Hemopa é escolhido para integrar o projeto piloto HemorredeSustentável
A Fundação Hemopa será um dos cinco hemocentros do Brasil a fazer parte do projeto piloto Hemorrede Sustentável, do Ministério da Saúde, que será apresentado na manhã desta segunda-feira (9) pelo engenheiro Humberto Chavier, da equipe do Laboratório de Sustentabilidade Aplicada à Arquitetura e ao Urbanismo (Lasus). Entre os principais objetivos, destacam-se a readaptação predial da hemorrede para reduzir os custos com a energia e os danos ao meio ambiente, além de promover melhorias na qualidade do serviço oferecido aos usuários.
O encontro ocorre no auditório do Hemopa, com a presença de toda a direção, coordenadores, assessores, gerentes e dois servidores de cada setor. Segundo a presidente do Hemopa, Luciana Maradei, o engenheiro vai apresentar a metodologia para o desenvolvimento do projeto e o levantamento dos dados prediais, a partir do consumo de energia. “Isso tudo vai implicar na reabilitação ambiental do hemocentro”, diz.
Assim como nos demais hemocentros escolhidos para participar do projeto piloto, com a execução do Hemorrede Sustentável, a instalação predial do Hemopa será adaptada para aumentar o aproveitamento da luz e ventilação naturais e a arborização externa. Outras medidas serão tomadas, entre elas, a modernização dos sistemas de eletricidade e refrigeração, além da implementação de arborização nas imediações do prédio. Luciana Maradei adianta a possibilidade futura de o projeto ser levado para outras unidades do Estado.
Para o titular da Coordenadoria Geral do Sangue e Hemoderivados do Hemopa, Guilherme Genovês, o objetivo maior do projeto  é garantir a qualidade do sangue e do serviço. Segundo ele, a economia energética gerada por essa inteligência reduzirá os custos e o impacto financeiro para o Estado e, principalmente, dará mais conforto para funcionários e usuários dos serviços.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa


Projeto encaminha detentos ao mercado de trabalho em Santa Izabel
Quinze internos do regime semiaberto, da Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel, estão desde o mês de maio fazendo serviços de revitalização em logradouros públicos do município de Santa Izabel do Pará, por meio do projeto Florescer, fruto de convênio entre a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) e prefeitura local. O objetivo é garantir trabalho remunerado à mão de obra carcerária.
Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente e Serviços Urbanos de Santa Izabel, Juscelino da Cunha, levantamento identifica que bairros necessitam de serviços, além de demandas solicitadas diretamente pela prefeitura. O trabalho dos internos já beneficiou quatro dos doze bairros da cidade. No fim de julho, os internos também contribuíram para a revitalização de duas praças, durante um mutirão de limpeza feito com agentes de limpeza do município, por ocasião do Círio de Santa Izabel.
“Gostaria que, futuramente, pelo fato de o maior complexo penitenciário do Estado ficar em Santa Izabel, que o projeto pudesse ser expandido na cidade. O trabalho dos internos potencializa as ações de revitalização e limpeza dos logradouros públicos, além de valorizá-los como seres humanos, melhorando a autoestima”, diz o secretário.
Os internos participantes do projeto trabalham de segunda a sexta-feira, acompanhados de agentes prisionais e sob a orientação de um servidor municipal, fazendo serviços como limpeza e pintura dos canteiros, varrição, capina, desobstrução de vias e retirada de entulhos. Os uniformes e equipamentos usados são fornecidos pela Prefeitura de Santa Izabel. Os internos participantes são remunerados e têm direito ao benefício da remissão, que consiste na redução de um dia de pena a cada três dias trabalhados.
Reinserção – Fábio Miranda, que há oito meses cumpre pena no regime semiaberto, diz que o projeto é uma oportunidade de assistência à família. “O trabalho me dá uma ocupação e reconhecimento. A maioria dos que trabalham neste projeto tem família, e o que recebemos por aqui serve como ajuda financeira para nossos filhos”, afirma.
A gerente da Divisão de Trabalho e Produção da Susipe, Márcia Gaspar, diz que o trabalho de internos em projetos como o “Florescer” traz benefícios para todos. “Os parceiros de convênios tornam-se socialmente responsáveis no aspecto da reinserção social. O interno, além de ter uma oportunidade de trabalho e renda, também tem a chance de se readaptar ao convívio social, possibilitando que a sociedade, a partir da observação do resultado do trabalho dos detentos, reveja seus conceitos sobre a pessoa presa”, explica.
Antônio Alfaia, que está preso há oito anos, sempre exerceu algum tipo de trabalho nas unidades prisionais, como serviços gerais. Há um ano e dois meses cumprindo pena na colônia, ele já trabalhou com jardinagem, e hoje participa do Florescer. “Essa foi uma oportunidade maravilhosa, pois agora temos uma renda para ajudar a nossa família e também mostrar à sociedade que realmente queremos mudar de vida, pois o preso ainda é muito discriminado”, ressalta.
Dados do mês de julho da Susipe mostram que 1.506 internos trabalham de forma remunerada, dos quais 1.241 cumprem pena em regime fechado e trabalham dentro das unidades prisionais, e 92 são do regime fechado, semiaberto ou aberto, desenvolvendo atividades por meio de doze convênios com instituições públicas ou privadas. Outros 173 internos do regime semiaberto trabalham com contratação direta pelas empresas, sem convênios com a Susipe. Todos recebem o benefício da remissão de pena e são remunerados, de acordo com a Lei de Execução Penal (LEP).

Texto:
Timoteo Lopes-Susipe


Sepaq leva a Feira do Pescado para o distrito de Icoaraci
A dona de casa Nazaré Moreno Ribeiro chegou cedo à sede do Serviço Social do Transporte (Sest), em Icoaraci, para a primeira Feira do Pescado no distrito, neste sábado, 7 de setembro, em pleno feriado da Independência. Ela comprou cerca de seis quilos de peixe, incluindo dourada, gó e piramutaba. “Achei o preço muito bom, e a qualidade do pescado a gente vê que é diferente, é bem tratado”, disse.
Assim como ela, dezenas de pessoas compraram peixe com preços bem mais em conta. Foram colocadas à venda cerca de seis toneladas de pescado in natura (gelado) e também espécies congeladas. Além dos peixes, a população também pode comprar camarão rosa.
O titular da Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq), André Pontes, disse que o governo do Estado vai ampliar o número de feiras desse tipo em toda a região metropolitana de Belém e outras cidades do interior. Ele também ressaltou que a meta é deixar os preços ainda mais baratos. “Trabalhamos com uma tabela de preço bem mais acessível do que todas as outras que existem na cidade. A tendência é reduzir ainda mais o preço nas próximas feiras. As empresas de pesca que quiserem participar conosco vão ter que diminuir os custos para o consumidor”, explicou.
Na Feira do Pescado de Icoaraci foi possível encontrar piramutaba e xareu a R$ 4 (o quilo) e bagre a R$ 4,50. O comerciante Charles Lima levou dez quilos de pescado para casa. “Aqui a gente sente confiança na qualidade do peixe. Compramos sem medo”, disse.
Outra vantagem do pescado vendido na feira é que ele passou por todas as normas de higiene até chegar às mãos dos consumidores. No caso da produção da Águia Pesca vendida em Icoaraci, o peixe tem o Serviço de Inspeção Federal (SIF), do Ministério da Agricultura.
O motorista Paulo Reis, que mora no conjunto Satélite, levou peixe com quantidade para consumir em cerca de duas semanas. “Foi tudo muito tranquilo aqui na feira. Não tenho nada do que reclamar. A organização está de parabéns”, afirmou. A Feira do Pescado é promovida pela Sepaq e tem o apoio do Sindicato da Indústria da Pesca. A próxima será dia 14 deste mês, na Aldeia Cabana, em Belém.

Texto:
Christian Emanoel-Sepaq


Helenilson Pontes entrega em Monte Alegre 21 novas viaturas
O vice-governador Helenilson Pontes entregou nesta sexta-feira (6) em Monte Alegre, no oeste paraense, 21 novas viaturas para a Polícia Militar do município e região. A entrega faz parte do pacote de medidas lançado pelo governo do Estado, que está renovando e ampliando a frota das polícias Civil, Militar, Corpo de Bombeiros e Centro de Perícias Científicas, em todo o Pará.
Os veículos serão distribuídos para a PM dos municípios de Almeirim, Prainha e Monte Alegre, e para o distrito de Monte Dourado, que fica em Almeirim. Além da nova frita, Prainha, Almeirim e Monte Dourado receberão Unidades Integradas Pro Paz (UIPPs). Segundo Helenilson Pontes, esta é mais uma medida do governo de Estado de resgate de compromissos.
"Estamos resgatando compromissos com o povo do oeste do Pará. Além das viaturas, todos os municípios da Calha Norte receberão UIPPs, que têm o objetivo de integrar o trabalho das polícias e prevenir a violência", destacou afirmando que todos os municípios do Estado estão recebendo investimentos na segurança pública. "Hoje estamos no oeste, mas cerimônias como esta ocorrem por todo o Pará, pois a segurança publica é prioridade do governo", frisou.
Segundo Helenilson, o governo está estruturando a segurança pública. “Ao todo, são mais de mil veículos e 80 UIPPs já entregues por todo o Estado", ressaltou o secretário adjunto da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Cláudio Lima. O subcomandante da Polícia Militar do Pará, coronel Walci Queiroz, afirma que a ação ajuda no trabalho das polícias de todo o Estado. "Estruturar a segurança pública é importante, pois isso reforça e dá condições ao trabalho das polícias em ações integradas", ressaltou.

Texto:
Cintya Simões-Vice-Governadoria


Reunião discute ações para a implantação do Selo Unicef no Pará
Representantes do governo do Estado e do Fundações das Nações Unidas para a Infância (Unicef) no Pará reuniram-se na última sexta-feira (6), no Centro Integrado de Governo (CIG), para debater sobre a criação do Comitê Estadual do Selo Unicef - Município Aprovado, projeto de reconhecimento internacional que estimula os municípios a assegurar o direito à cidadania de crianças e adolescentes.
Participaram da reunião o coordenador do escritório do Unicef no Pará, Fábio Atanásio, a integrante do Comitê Gestor do Pro Paz, Izabela Jatene, a presidente da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fasepa), Terezinha Cordeiro, e o secretário de Estado de Assistência Social, Heitor Pinheiro.
Durante a reunião, foi apresentado o projeto desenvolvido pelo Unicef, que, durante quatro anos, apresenta metas e objetivos que devem ser alcançados pelos gestores municipais para que possam garantir a proteção de crianças e adolescentes de diversas cidades do país. Esta é a segunda edição do Selo Unicef na Amazônia; na primeira, em 2009, 555 municípios da Amazônia participaram da iniciativa, com o objetivo de garantir cidadania para crianças e jovens. Em 2012, 120 cidades da região conquistaram o Selo Unicef - Município Aprovado, que garante reconhecimento internacional.
No Pará, 110 municípios aderiram à iniciativa e 18 cidades do Estado conquistaram o selo, entre elas Abaetetuba, Altamira, Castanhal, Marabá, Oriximiná e Parauapebas. Segundo Fábio Atanásio, em 2013 a meta é conseguir 100% de adesão dos municípios paraenses ao projeto. “Temos de criar objetivos para que os municípios possam garantir uma melhor cobertura para crianças e jovens. A proposta do selo é garantir que os municípios inscritos possam conhecer a sua realidade e melhorar as políticas públicas para a juventude”, declarou.
Izabela Jatene declarou que o Selo Unicef - Município Aprovado tem relação direta com a redução dos índices de violência contra os jovens, e com a parceria de diversos órgãos do Estado, a adesão dos municípios paraenses ao projeto tem tudo para ser maior. “Esse trabalho do Unicef reverte os índices de violência contra os jovens, mobilizando o município e sociedade para que possamos garantir um futuro melhor para eles”, afirmou.
Durante a primeira edição do Selo Unicef, a taxa de mortalidade infantil nos municípios certificados caiu 12,7%, no período de 2007 a 2010. O acesso ao pré-natal aumentou 16,4% entre os municípios inscritos na Amazônia, enquanto nos demais municípios brasileiros o aumento foi de 10,1%. No mesmo período, mais de 160 municípios da Amazônia desenvolveram atividades sobre esporte, cidadania e cultura. O lançamento do Selo Unicef - Município Aprovado será dia 5 de novembro, em Belém.

Texto:
Tiago Furtado-Pro Paz

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...