Total de visualizações de página

domingo, setembro 15, 2013





Estação Cidadania ganha agência para atender usuários da Celpa








Um novo serviço está sendo oferecido à população desde esta quinta-feira (12), na Estação Cidadania dos bairros do Jurunas e Guamá, em Belém, gerenciadas pela Secretaria de Estado de Administração (Sead). Agências das Centrais Elétricas do Pará (Celpa) foram inauguradas nesta manhã, em cada unidade, oferecendo aos usuários serviços como solicitação de ligações e religações, troca de titularidade e negociação de débitos. As duas agências devem realizar uma média de 4.500 atendimentos por mês.
Durante a inauguração do serviço na Estação do Jurunas, às 09 h, a titular da Sead, Alice Viana, informou que, em um ano, mais de 160 mil pessoas foram atendidas pelas Estações Cidadania nos bairros do Guamá e Jurunas, em Belém, e no município de Santarém. “Toda vez que agregamos novos parceiros, trazemos mais serviços de qualidade para o cidadão paraense”, ressaltou.
Satisfeito com o atendimento e os serviços oferecidos pela unidade do Jurunas, o usuário Jorge Mesquita participou da inauguração da agência da Celpa. “Moro no Jurunas há 17 anos, e é impressionante ver os serviços que a Estação oferece a todos nós”, declarou.
A secretária Alice Viana, junto com a adjunta, Ruth Pina, e o diretor Comercial da Celpa, Augusto Dantas, também inauguraram o novo serviço da Celpa na Estação Cidadania do Guamá, por volta de 10 h.
Alice Viana destacou o compromisso do governo com a qualidade dos serviços prestados à população, e anunciou o objetivo de ampliar esse atendimento. “A tendência é que, gradativamente, a gente possa expandir a oferta e a prestação de serviços, especialmente para os grandes centros do interior, como Marabá, Parauapebas e Altamira”, ressaltou.
Recentemente, a Estação Cidadania do Guamá foi revitalizada e ganhou um infocentro, do Programa Navegapará. O acesso gratuito à internet integra os mais de 20 serviços já oferecidos na unidade, como a emissão de Carteira de Identidade e Carteira de Trabalho, intermediação para o mercado de trabalho e assistência jurídica. “Só no Guamá, em média, 12 mil pessoas são atendidas por mês. Por isso, essa parceria (governo e Celpa) é muito bem vinda, porque vem somar e contribuir com a diversidade de serviços oferecidos nos espaços”, reiterou a titular da Sead.
Os mesmos serviços referentes ao fornecimento de energia elétrica também estão presentes na Estação Cidadania de Santarém, no oeste do Pará. “Temos por obrigação atender nossos clientes da melhor forma possível, oferecendo mais conforto e praticidade. O Estado tem nos ajudado nesse sentido, realizando uma série de ações conosco”, informou Augusto Dantas.
Sem precisar se deslocar até a central de atendimento da Celpa, localizada no bairro de Nazaré, o usuário Jossean Silva aprovou o novo serviço na Estação, bem perto de sua casa. “Agora ficou mais fácil tratar do parcelamento da minha conta. Antes, eu perdia muito tempo me deslocando até a central. Agora além de economizar tempo, economizo dinheiro”, disse ele.
Serviço:
Estação Cidadania do Guamá, Avenida José Bonifácio, nº 2308. Fones: 3217-4100 / 4009-2750.
Estação Cidadania do Jurunas, Rua São Silvestre, nº 1300, esquina com a Travessa Tupinambás. Fone: 3224-3790.
Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 8 às 14 horas. Os atendimentos podem ser marcados por telefone e pelo site www.estacaocidadania.pa.gov.br

Texto:
Ellen Freitas-Sead


Mais de três mil pessoas são atendidas na Feira do Pescado na Aldeia Amazônica


A grande procura pelos consumidores na Feira do Pescado, realizada neste sábado, dia 14, na Aldeia Amazônica, em Belém, surpreendeu os organizadores do evento. Mais de três mil pessoas foram até o local para comprar o pescado, vendido com preços mais baratos do que é comercializado no mercado externo.
Ao todo foram vendidas mais de cinco toneladas de pescado. Um dos peixes mais procurados foi a pescada amarela. O estoque levado pela empresa Águia Pesca acabou rapidamente. A aposentada Orminda Moraes gastou 80 reais comprando filé de dourada, postas de xaréu e camarão.  “Achei os preços bem acessíveis e aproveitei”, disse ela.
Outra atração da Feira do Pescado foi um show musical do cantor Emerson Martins e do saxofonista Waldez Garcia. Foi a primeira vez que isso aconteceu na programação da feira, que é realizada pela Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura. "Achei muito interessante. Deixa o ambiente mais animado e você nem percebe o tempo de espera na fila”, disse a aposentada Raimunda Gama, do bairro da Marambaia.
Segundo o secretário Estadual de Pesca e Aquicultura, André Pontes, a Sepaq está aberta para receber propostas de indústrias do pescado que queiram participar da feira. “Vamos priorizar os produtores diretos do pescado, que tenham peixes de qualidade e preço baixo”, disse ele.
Ainda segundo André, a tendência das tabelas de preço é baixar ainda mais daqui pra frente. Um dos consumidores da feira na Aldeia Amazônica foi o presidente regional do Senai, Gerson Peres. “Os peixes são ricos em Ômega 3, o que favorece muito a saúde do homem, por isso não deixo faltar peixe nas minhas refeições”, disse ele.
Gerson também elogiou a organização da feira e os preços do pescado. “É muito bom saber que uma pessoa que chega aqui com 4 reais pode levar peixe pra casa”, disse Gerson. A Feira do Pescado, realizada na Aldeia Amazônica, teve o apoio da Defesa Civil Estadual, Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Polícia Militar e Secretaria Municipal de Esportes e Lazer.

Texto:
Christian Emanoel-Sepaq


Festival do Chocolate tem desfile de joias do São José Liberto
“A natureza e a cultura amazônica na joia paraense: uma bela mistura” foi o tema do desfile que o Espaço São José Liberto promoveu nesta sexta-feira (13) durante o I Festival Internacional do Chocolate e Cacau da Amazônia e a Flor Pará 2013. Os eventos acontecem no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, até este domingo, 15.
O público prestigiou e aprovou o desfile de 40 joias e acessórios de moda criados e confeccionados por profissionais do Polo Joalheiro do Pará, mantido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom) e da Organização Social Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama).
As peças refletiram temáticas associadas à diversidade cultural amazônica e espécies botânicas, em especial o cacau e as flores do Pará. As modelos mostraram colares, braceletes, anéis, pulseiras, fivelas e pingentes produzidos com materiais naturais e resíduos óticos e urbanos, em sintonia com tendências mundiais da moda e do setor de joias.
De acordo com Rosa Helena Neves, diretora executiva do Espaço São José Liberto, as peças são obras artísticas que retratam a originalidade, a beleza e a criatividade do design inovador, criado pelos profissionais que participam do Programa Polo Joalheiro do Pará. Segundo ela, são técnicas que, associadas às gemas minerais e orgânicas, à prata e ao ouro, geram uma mistura única e original.
Foi desta mistura que surgiram as joias e acessórios de moda do desfile, que mostrou um pouco dos mistérios e belezas da Amazônia, do seu povo e de sua história. “As inspirações percorreram um longo caminho entre os rios, florestas, festas da cultura popular, cultura indígena marajoara e tapajônica, patrimônio histórico do lugar, lendas amazônicas, fauna e flora brasileira. As técnicas utilizadas no ciclo produtivo desta coleção habitam a tradição da ourivesaria artesanal, aliada ao design inovador de joias, promovido pelos mestres ourives, grupo de designers e micro empresários do Polo Joalheiro do Pará”, explicou Rosa Helena.
Orvalho Transcedente, Folha, Maresia, Helicônia, Pássaro de Paraíso, Relíquia do Marajó, Metamorfose, Pássaro de Fogo, Águas de Lua Cheia, Arte Plumária, Cobra e Floresta Urbana são algumas das peças da coleção. Na composição das joias e acessórios, além de gemas diversas, como ametistas, quartzos, citrinos e diamantes, outras matérias-primas se destacam, dentre elas o chifre de búfalo, osso de boi, cedro, fibra de miriti e gema vegetal de açaí.
Marilda Nunes, ex-primeira dama do Pará, destacou que as impressões sobre o desfile foram as melhores possíveis. “As joias todas são de muito bom gosto e sofisticadas. Estão de parabéns todos os designers do desfile”, disse ela, contando que costuma visitar as lojas do Polo Joalheiro.
A educadora ambiental Terezinha Rezende, que desenvolve projetos com comunidades paraenses na área de aproveitamento de produtos florestais, enfatizou a matéria prima de algumas peças. “Um pensamento da minha área é que a gente agradece tudo que é aproveitado e reutilizado, ajudando a manter a floresta em pé. As joias ficaram lindas com esse acabamento e, principalmente, por mostrarem essa preocupação com a matéria-prima utilizada”, observou Terezinha, destacando a utilização de madeira certificada e outros materias.
Os microempresários e produtores que participaram do desfile foram Fábio Monteiro, Danatureza, Ivete Negrão, Circe Silva, Hanna Mariah, Joiartmiro, Amorimendes, Brilho da Amazônia, Danatureza, HS Criações e Design, Ourogema, Montenegro's, Sila Brasila, Izaias Lopes, Ana Cassia, Joelson Leão, José Odir e D'Sales. E as peças foram assinadas pelos designers Fábio Monteiro, Joseli Limão, Ivete Negrão, Circe Silva, Lídia Abrahim, Argemiro Muñoz, Julia Mendes, Helena Bezerra, Selma Montenegro, Marcilene Rodrigues, Izaias Lopes, Camilla Amarall e João Sales.
A Seicom e o Igama assinaram a produção executiva do desfile. A jornalista especializada em moda Felícia Assmar Maia foi responsável pela concepção do desfile, cuja curadoria das joias e acessórios de moda foi da equipe do Igama: Clarisse Fonseca, Luanna Alysse, Thiago Albuquerque e Rosa Helena Neves.
A realização do I Festival Internacional do Chocolate e Cacau da Amazônia e Flor Pará 2013 é do Governo do Estado, por meio da Sagri, e conta com o apoio do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faepa), Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Instituto de Artes do Pará (IAP), Companhia Paraense de Turismo (Paratur) e outras instituições. A organização é da MVU Promoções e Eventos, empresa baiana do Grupo M21, idealizadora do projeto.
O eventos, abertos na quinta-feira (12), prosseguem até 15 de setembro, das 14 às 22 h, no Hangar. A entrada custa R$ 10,00 (meia para estudantes e crianças até 12 anos). Há gratuidade para idosos acima de 60 anos e portadores de necessidades especiais. Mais informações no site www.festivaldochocolate.com

Texto:
Luciane Barros-São José Liberto


Moradores de Santarém Novo recebem a Caravana Oftalmológica


 
O que mais eu sinto falta em não enxergar direito? O fato de não conseguir mais ler e escrever as cartas que mandava para meus parentes. Essa era a única maneira que tinha para matar a saudade da minha família”. Este é o depoimento do lavrador Laudelino de Almeida Nunes, 74, morador do município de Santarém Novo, nordeste paraense.
Ele, assim como centenas de moradores do município, fizeram na manhã deste sábado, a cirurgia de catarata, oferecida gratuitamente pela Caravana Oftalmológica Pro Paz, uma ação do Governo do Estado, desenvolvida por meio do Pro Paz e da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), que, está na região do Rio Caeté, desde o último domingo, 8.
“Eu sabia que precisava faber essa cirurgia, mas não imaginava quando ia ter condições para pagar e muito menos que um dia ia aparecer uma oportunidade dessa em poder fazer tudo de graça, e o melhor, praticamente na porta da minha casa”, conta seu Laudelino.
Na cidade de Santarém Novo, a caravana ficará durante todo o sábado e em seguida segue para os municípios de primavera e Quatipuru. Durante 38 dias, a caravana vai percorrer 12 municípios da região e irá realizar, além de cirurgias de catarata, consultas oftalmológicas e cirurgias para a correção de problemas como Pterígio (conhecida como carne crescida), estrabismo e astigmatismo.
“Nós temos até agora uma avaliação muito positiva dos atendimentos que estamos realizando em todos os municípios pelos quais já passamos. Aqui em Santarém Novo, o que chamou a atenção foi que o público alvo – os idosos - foi o que compareceu mesmo. Eles atenderam ao nosso chamado e demonstraram que aguardavam muito por uma oportunidade como essa”, afirma Rodrigo Souza, um dos coordenadores da caravana.
Logo nas primeiras horas da ação no município foram realizadas mais de 300 consultas e 200 cirurgias de catarata. A dona de casa Teresinha Silva Souza, 58 anos, e o aposentado Raimundo da Costa, 67 anos, estavam entre os primeiros a chegar ao local para fazer a cirurgia. “Quando ficamos sabendo que íamos poder fazer essa cirurgia aqui quase não acreditamos. Com certeza, depois dessa cirurgia as nossas vidas irão mudar para melhor”, afirma Teresinha.
A Caravana Oftalmológica tem como principal objetivo levar consultas e cirurgias oftalmológicas para a população que não tem acesso a esse tipo de atendimento na região, além de garantir a diminuição da lista de espera de atendimento oftalmológico nos municípios. Para atender aos moradores dos 12 municípios, uma grande estrutura foi montada em duas carretas, uma com consultórios e outra com um centro cirúrgico, ambas com equipamentos de última geração, capazes de realizar cirurgias de alta e média complexidade.
Com capacidade para a realização de 300 cirurgias, mil consultas e cinco mil exames diariamente, a Caravana Oftalmológica Pro Paz vai passar ainda pelos municípios de Primavera, Quatipuru, Traquateua, Bragança, Augusto Corrêa, Cachoeira do Piriá, Maracanã, Curuçá e Colares.
A Caravana Oftalmológica Pro Paz começou a ser realizada no mês de junho na Região do Arquipélago do Marajó, com oito mil consultas e 2600 cirurgias. Durante os meses de julho e agosto, realizou mais de nove mil atendimentos e cerca de três mil cirurgias de catarata na região de integração do Guamá. Para ter acesso ao atendimento, o paciente precisa apenas levar a sua carteira de identidade e a carteira do SUS.
Calendário das Ações
Primavera: 16/09
Quatipuru: 18/09
Tracuateua: 20 e 21/09
Bragança: 23 a 30/09
Augusto Corrêa: 2, 3 e 4/10
Cachoeira do Piriá: 6 e 7/10
Maracanã: 09 e 10/10
Curuçá: 12 e 13/10
Colares: 15/10

Texto:
Bruna Campos-Secom


Ourilândia receberá a maior parcela do ICMS Verde em 2014
Ourilândia do Norte, localizado na região sul do Pará, é o município do estado que receberá a maior parcela do ICMS Verde no próximo ano. É o que garante Justiniano Netto, coordenador do Programa Municípios Verdes. A afirmação foi constatada durante visita à região da Caravana da Produção, realizada no final de agosto em nove municípios do estado.
Dos R$ 35 milhões do ICMS Verde que serão distribuídos em 2014 baseados em critérios ambientais, Ourilândia do Norte receberá cerca de R$ 700 mil. O cálculo do repasse é feito de acordo com três critérios: 50% do montante são divididos de acordo com a porcentagem de propriedades rurais com Cadastro Ambiental Rural (CAR); 25% são para os municípios que cumprem as metas de redução de desmatamento; e 25% para os que possuem Unidades de Conservação (UCs).
Ourilândia já possui 83,1% de suas propriedades inseridas no CAR; em 2012 apresentou uma redução de 58% do desmatamento em relação à média entre os anos de 2007 a 2011; e possui 85% de áreas protegidas e 88% de cobertura vegetal. “Ourilândia está sendo premiada por possuir uma grande área protegida e pelo avanço do CAR. Já possui cerca de 2 mil km² de áreas inseridas no cadastro. O ICMS Verde, no município, deve ser destinado ao fortalecimento da gestão ambiental, como previsto na lei estadual”, comenta Justiniano Netto.
Iniciativa do Governo do Estado lançada em junho deste ano, o ICMS Verde inova usando a distribuição da arrecadação entre os municípios como medida contra o desmatamento ilegal e o fortalecimento da gestão e do ordenamento ambiental. Parte da arrecadação do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) será destinada aos municípios com base em critérios ambientais.
O decreto do governador Simão Jatene estabeleceu que o ICMS Verde chegará a 8% destes 25% até 2016. “A implantação será gradual. Vamos começar com 2% do total de repasse do ICMS - R$ 35 milhões - em 2013. A cada ano, a porcentagem aumentará, até chegar ao teto de 8%, em 2016, distribuindo R$ 140 milhões, conforme critérios ambientais”, explica Justiniano.

Texto:
Raphael Pacheco-Municípios Verdes


Música na Orla leva temas jazzísticos à Estação neste final de semana
A sonoridade do jazz ecoou na Estação das Docas nesta sexta-feira, 13, durante o Música na Orla. A retomada do projeto, idealizado em 2012, contou com apresentações dos grupos Latin Jazz e Algodão Doce, no palco montado na orla dos Armazéns 1 e 2, no complexo turístico.
O Latim Jazz abriu a programação, onde canções famosas como “Billie Jean”, de Michael Jackson, e “Poker Face”, de Lady Gaga, ganharam arranjos jazzísticos. Formado por Felipe Ricardo (saxofone), Daniel Serrão (piano), Joabe Nogueira (bateria) e Luan Lacerda (contrabaixo), o grupo garantiu os aplausos do público.
Em seguida, subiu ao palco o quarteto Algodão Doce. Os músicos Tynnoko Costa (piano), Nego Nelson (violão), Bob Freitas (guitarra) e Dadadá Castro (percussão), apresentaram o jazz tradicional, incluindo peças autorais e composições de autores renomados como Heitor Villa Lobos, João Donato e Durval Ferreira.
O técnico em administração Fadul Júnior, não perdeu a oportunidade de conferir as apresentações da primeira noite do Música na Orla. “No ano passado estive na Estação acompanhando o projeto. Esta é uma oportunidade de conferir boa música da terra. Sempre prestigio as programações que acontecem no espaço, inclusive as semanais, como o folclore”, comentou.
Na plateia, a servidora pública Andréia Carvalho, 38 anos, aprovou a programação. “As apresentações são muito boas, com um repertório maravilho. Daqui fiquei empolgadíssima com as preformances no palco”, contou.
“Queremos levar aos visitantes da Estação uma mostra da produção local, valorizando nossos músicos e a nossa cultura. Durante três dias teremos shows de jazz na orla. Em outubro, daremos continuidade com a coletânea ‘Ritmos do Pará’ e em novembro, com ‘Choro e Samba’, assim como na primeira edição, em 2012”, explicou a presidente da Organização Social Pará 2000, Gabriela Landé.
O projeto Música na Orla é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), em parceria com a Organização Social Pará 2000, que administra a Estação das Docas. Neste final de semana, a programação segue.
Confira:
Dia 14/09 (sábado)
19h – Grupo New Jazz
20h – Grupo Robenare Trio Jazz
Dia 15/09 (domingo)
18h – Grupo Muiraquitã Jazz
19h – Grupo Sax Drive
20h – Grupo Mundo Mambo
Serviço:
“Música na Orla – Coletânea Jazz”. Neste sábado, 14, partir das 19h, na orla dos Armazéns 1 e 2, na Estação das Docas (Av. Boulevard Castilhos França, s/nº - Campina). Informações: (91) 3212.5525 - Entrada gratuita

Texto:
Camila Barros-Pará 2000


Centro de recuperacao de Breves recebe atendimento da Caravana Pro Paz
A população carcerária de Breves recebeu atendimento, na manhã deste sábado (14), da Caravana Pro Paz. Os detentos tiveram acesso a serviços de saúde e documentação. Para tornar possível o atendimento, uma equipe da caravana foi alocada em salas do presídio. Além das consultas, foram distribuidos medicamentos e emitidos documentos, como a carteira de identidade e certidão de nascimento.
Para o diretor do Centro de Recuperação de Breves, capitão Helderley Oliveira, os serviços levados pelo Pro Paz foram muito importantes para os internos. "A saúde é fundamental para eles, mas também o serviço de documentação, principalmente a identidade e certidão de nascimento, porque os internos chegam aqui muitas vezes sem documentação, o que dificulta até para se fazer o registro junto ao setor competente da Susipe. A chegada do Pro Paz veio dar um suporte à casa penal".
Com dores nas costas, o detento Nazareno Gomes foi um dos atendidos. "Eu estava com muita dor, agora espero ficar melhor. O médico passou alguns remédios".
O superintendete do Sistema Penal, coronel André Cunha, falou da importância dessa parceria. "Este é o segundo ano em que a Susipe trabalha em parceria com o Pro Paz para oferecer o atendimento médico aos detentos do município de Breves, durante a caravana. É de fundamental importância esse apoio, pois investimos não só numa nova estrutura prisional, mas também na atenção à saúde dos internos".
A caravana Pro Paz tem como objetivo garantir os direitos da população que não tem acesso a serviços de saúde e documentação. O clínico geral André Luiz Couto foi um dos profissionais desclocados para trabalhar no CRB. Ele falou da oportunidade de ter feito atendimento médico dentro da casa penal. "Foi a primeira vez que eu tive a oportunidade de trabalhar num local desses. Todos nós somos iguais, eles fazem parte da população e também têm direito a receber qualquer tipo de atendimento. Foi muito proveitosa, no sentido de poder levar saúde e fazer a diferença na vida deles", ressaltou.
O Centro de Recuperação de Breves (CRB) foi inaugurado em julho deste ano pelo Governo do Estado. A carceragem, que funcionava na delegacia do município, foi desativada. A nova unidade prisional dispõe de 128 vagas. O novo centro de detenção recebeu um investimento de R$ 4 milhões e tem uma área total de 1.490 metros quadrados.
No total, são 31 celas revestidas com telhado de proteção térmica, sendo 20 celas coletivas para seis detentos; sete celas individuais para internos com nível superior, uma cela para portadores de necessidades especiais (PNE) e ainda três celas reservadas para visitas íntimas. O prédio conta, ainda, com uma área para banho de sol, um ambulatório, dois consultórios médicos (um odontológico e outro clínico geral), um refeitório, uma cozinha, um parlatório e uma sala para os agentes prisionais.

Texto:
Brena Moreira-Pro Paz


Imaginário amazônico é apresentado em projeto na Estação das Docas
O grupo Frutos do Pará apresentou o espetáculo “Amazônia Lendária”, nesta sexta-feira, 13, no projeto Pôr-do-Som. O imaginário amazônico foi o destaque da noite, representados pelas lendas. O público conferiu atento a apresentação na orla da Estação das Docas.
Desde 1992, no bairro da Pedreira, o Frutos do Pará realiza espetáculos folclóricos, a fim de preservar e divulgar a cultura regional. Nesta sexta-feira, a apresentação destacou as lendas da região, tais como Matinta Pereira, Vitória Régia, Boto e Tambatajá. O tradicional carimbó não poderia ficar de fora. O grupo convidou o público para dançar o ritmo, ao final.
A turismóloga paraense Glauce Vitor, 27 anos, acompanhou pela primeira vez o Pôr-do-Som e aprovou o projeto. “Achei muito interessante a apresentação do grupo, pois divulgamos a nossa cultura para os visitantes da Estação, não só o turista, mas também para a população, que muitas vezes não sabe que a programação é realizada”, comentou.
O projeto Pôr-do-Som é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), em parceria com a Organização Social Pará 2000, que administra a Estação das Docas. Na próxima sexta-feira, 20, tem apresentação do Grupo Itaguary, a partir das 18h, na orla do Armazém 3. A entrada é gratuita.

Texto:
Camila Barros-Pará 2000


Grupamento Fluvial encerra Curso de Tripulantes de Embarcações
O Grupamento Fluvial de Segurança Pública (GFLU) realizou, na tarde desta sexta-feira (13), a cerimônia de encerramento do 3º Curso de Tripulantes de Embarcações do Serviço Público, na sede da unidade, localizada na rodovia Arthur Bernardes, em Belém. Os 50 alunos concluintes, entre policiais civis e militares, bombeiros militares e guarda municipais de Ananindeua, receberam conhecimentos náuticos necessários para o desempenho de atividades de pilotagem de embarcações.
Participaram do evento, o secretário adjunto de Gestão Administrativa da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Cláudio Lima; o diretor do GFLU, delegado da PC Dilermando Dantas Júnior; gestores dos órgãos do Sistema de Segurança Pública e oficiais da Marinha do Brasil.
O chefe de Departamento de Ensino Marítimo da Capitania dos Portos, comandante Manoel Fernandes Rendeiro Neto, explicou que durante o curso os alunos receberam instruções sobre salvamento e guarda da vida humana, segurança da navegação, prevenção hídrica dos rios, material de salvatagem (conjunto de equipamentos e medidas de resgate e manutenção da vida após desastres), meteorologia e sobrevivência.
A grande maioria dos agentes de segurança pública que participaram do curso atua no interior do Estado, onde o meio de transporte hidroviário é essencial (nordeste do Pará, região do Baixo Tocantins, municípios do Arquipélago do Marajó, além de servidores da Polícia Civil do Baixo Amazonas, que trabalham na cidade de Almeirim).
“As embarcações nos dão importante apoio para resolver diversos tipos de ocorrências com mais agilidade. Podemos atender melhor, por exemplo, acidentes que são comuns nas áreas ribeirinhas”, explicou o investigador da Polícia Civil de Almerim, Carlos Eduardo Rodrigues Matos.
Para o 1° tenente PM, Lenilson Costa, o transporte hidroviário é essencial para o atendimento nos rios do Estado. “Em virtude do grande número de ocorrências registradas nos rios, é necessário que policiais civis e militares, bombeiros militares e guardas municipais do interior tenham acesso a cursos desta natureza. Receber todo este conhecimento foi de extrema importância pra mim, porque atuo numa região onde os agentes de segurança pública precisam atender a 15 municípios”, afirmou o oficial. O curso teve início no dia 9 de setembro, no auditório do GFLU, com o apoio de equipes de instrução da Marinha do Brasil.

Texto:
Lene Alves-SEGUP


Círio do Corpo de Bombeiros Militar do Pará
O Círio do Corpo de Bombeiros Militar do Pará (CBMPA), em sua décima edição, será realizado nesta segunda-feira (16), das 7h às 12h, no quartel do comando geral do CBMPA, localizado à avenida Júlio Cesar, no município de Belém, e terá como programação a visita da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, que será deslocada em uma trasladação da Basílica-Santuário de Nazaré até o Quartel, com apoio de viaturas da corporação e de uma guarda de honra formada por militares do CBMPA.
A programação é coordenada pelo tenente coronel BM capelão dos bombeiros, Emanuel Duarte, que ministrará uma missa com louvores, no hall de entrada do prédio central do quartel do Comando.
Em 2013, o objetivo central do evento é reunir a família católica do Corpo de Bombeiros e também promover a integração e participação efetiva dos militares, familiares, comunidade em geral e convidados no referido evento, bem como estimular o lado espiritual dos mesmos.


Fórum do Cacau e homenagem marcam o segundo dia do Festival de Chocolate
O segundo dia do Festival Internacional do Chocolate e Flor Pará 2013 foi marcado pelo Fórum do Cacau e Chocolate, que discutiu a produção de cacau no Pará. Durante a programação, o secretário de Agricultura do Estado, Hildegardo Nunes, foi homenageado pelos trabalhadores da agricultura familiar do município de Santa Bárbara e outros que compõem a Região Metropolitana de Belém. Hildegardo Nunes foi contemplado com um Diploma de Reconhecimento, que lhe foi entregue por seus pais Alacid e Marilda Nunes.
A homenagem ao secretário Hildegardo Nunes, organizada pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Pará (Faepa) e pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PA), foi o reconhecimento pelo trabalho de Nunes à frente da agropecuária do Pará.
Hildegardo Nunes ocupa pela segunda vez a Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), sendo que na sua primeira gestão foi criado o Flor Pará, que neste ano está em sua 11ª edição. Hildegardo lembrou dessa iniciativa e mostrou satisfação de estar lançando o I Festival Internacional do Chocolate e Cacau da Amazônia, agora que voltou a dirigir a Sagri.
“Quando lançamos o Flor Pará, pensamos que poderíamos dar mais incentivos ao cultivo de flores no Pará. A feira deu certo e a vemos crescer a cada ano, sempre com muito sucesso. Agora a nossa meta, com o Festival do Chocolate, é que esse segmento possa encontrar a real visibilidade que merece em nível nacional e até internacional”, disse o secretário. “Se Belém é conhecida como a cidade das mangueiras, nosso objetivo, com essa duas feiras, é que ela possa ser também a cidade do chocolate e das flores, a cada edição dos eventos”, completou.
Hildegardo lembrou que o Pará é o segundo maior produtor de cacau do Brasil, mas que apresenta um crescimento anual de 13% em área plantada, ao ano, e 10% na produção de amêndoas de cacau. A estimativa para este ano é que a produção chegue a 88 mil toneladas. “Atualmente, temos 15 mil agricultores que trabalham diretamente na produção de cacau. A nossa meta, em dez anos, é que esse número chegue a 30 mil pessoas, não esquecendo que essa produção é em 80% orirunda da agricultura familiar. Isso é geração de emprego e renda e, principalmente, um fator de desenvolvimento social”, enfatizou Hildegardo.
Na homenagem, o agricultor César da Silva, do assentamento Expedito Ribeiro, que fica em Santa Bárbara, falou em nome de seus colegas de profissão, mostrando a importância do apoio do Governo do Estado, por meio da Sagri, o que os está ajudando a começar a plantação de cacau em suas terras, em regime de cooperativa. “Estamos no início da produção, mas o que sabemos é que podemos ser pequenos, mas com a força dos produtores e com o incentivo recebido, podemos ser maiores”, afirmou.
Fórum
Dentro da programação do fórum, na noite de sexta-feira, foram lançados os livros “Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Seringueira no Estado do Pará” e “Manual da Cacauicultura para Amazônia”, uma iniciativa da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac-PA), em parceria com a Sagri, Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Embrapa e UFPA.
Segundo a secretária adjunta da Sagri, Eliana Zacca, o cultivo do cacau, de açaí e de dendê são os três pilares nos quais o Governo do Estado se apoia para alavancar ainda mais a agricultura no Pará. Jay Wallace, superintendente da Ceplac-PA, disse que o manual vai servir com apoio, principalmente, aos técnicos extensionistas do Estado para que eles se atualizem nas novas pesquisas e tecnologias da produção do cacau.
No espaço de exposição das feiras, muitas novidades são encontradas, como por exemplo, a produção de chocolates do estado do Amapá. A empresa Cunnani tem uma produção de chocolates gourmet que utilizam recheio de frutas regionais como o bacuri. “São chocolates finos, com um designer diferente que se apoiam na pesquisa das belas formas que a natureza amazônica nos proporciona”, disse Klewer Carvalho, sócio e designer da empresa. “A produção já está consolidada na cidade do Amapá e a perspectiva é de expansão, tanto para Belém e outras cidades”, finalizou.
A tarde também foi de aulas no espaço Cozinha Show, promovida pelo Senac e pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-PA), que recebeu um público numeroso e atento. O chef Diego Lozano ministrou o workshop “Bombons exóticos com ingredientes brasileiros”, onde ensinou a receita das geléias de pimentão vermelho e de limão, entre outras. A área de floricultura teve as oficinas de decoração de mesas e festas, arranjos florais com flores tropicais e confecção de buquês de noivas.
À noite, um desfile de joias do Pólo Joalheiro mostrou a diversidade e o talento dos artesãos e designers paraenses, com 19 peças, entre anéis, colares, pingentes e brincos, que homenageiam a flora amazônica, confeccionadas em ouro e prata, com gemas minerais - quartzo verde, granada, berilo e ametista - e matéria-prima característica da região, como a fibra de curauá. O segundo dia da feira foi encerrado com um show de Pardal e Banda, que teve as participações especiais dos cantores Olivar Barreto e Nanna Reis, que mostraram ao público uma seleção de conhecidas músicas paraenses.

Texto:
Dede Mesquita-Sagri


Caravana Pro Paz Cidadania começa atendimentos em Breves
A Caravana Pro Paz Cidadania atracou, nesta sexta-feira (13), no município de Breves, no arquipélago do Marajó. No porto da cidade o atendimento na área da saúde foi bastante procurado. Entre as pessoas beneficiadas pelos serviços e atendimentos oferecidos estava a manicure Maria Rosangela Mendonça, que soube que a caravana ia chegar na cidade pela televisão e não perdeu tempo, desmarcou as clientes e foi em busca de atendimento para ela e as duas filhas.
"Eu já fui no ginecologista, fiz meu preventivo, e minhas filhas foram ao pediatra e dermatologista", contou. Quem também aproveitou para colocar a consulta em dia foi a aposentada Tereza Gomes, de 63 anos, que não ia ao médico há três anos. "Eu não precisava e não ia porque é muito difícil de conseguir um médico aqui. Meu genro me avisou da caravana e eu aproveitei e vim aqui".
O primeiro dia de atendimento em Breves também marcou a primeira consulta da pequena Ana Luiza, de apenas 13 dias de vida, que nasceu no munícipio. A mãe de primeira viagem, Maiara Gomes, de 24 anos, aproveitou logo para levar a filha ao pediatra, assim que a caravana chegou à cidade. "Primeira filha a gente fica preocupada. Ainda bem que tem pediatra aqui e eu consgui consultar logo ela. Saio daqui mais aliviada e com o coração mais tranquilo, por saber que está tudo bem com ela".
O atendimento na área da saúde, como exames, farmácia e consultas médicas está sendo feito todo dentro do barco, que foi ancorado no porto da cidade. Já quem precisou de serviços de documentação recebeu atendimento na escola Miguel Bitar. As salas de aula foram transformadas em postos de emissão de carteiras de identidade e trabalho, CPF e certidão de nascimento.
No mesmo espaço também está funcionando o atendimento jurídico. Raimudo Dasmasceno aproveitou a oportunidade para tirar o CPF e a carteira de trabalho. "Foi rápido. Já estou com os documentos comigo. Muito bom".

Texto:
Brena Moreira-Pro Paz


Profissionais de Segurança Pública recebem diploma de conclusão de curso
Nesta sexta-feira (13), 39 profissionais de segurança Pública receberam no Auditório Benedito Nunes, na UFPA, a certificação de conclusão do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais e Delegados de Polícia com especialização em Gestão e Segurança Ambiental.
O curso, que foi realizado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), por meio do Instituto de Ensino de Segurança Pública do Pará (Iesp), em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA), tem como objetivo promover a segurança pública e refletir sobre o sistema de gestão e segurança ambiental.
A solenidade contou com a presença do tenente coronel, Carlos Emílio Ferreira, diretor do Iesp; do titular da Segup, secretário Luiz Fernandes e da integrante do Comitê Gestor do Pro Paz e paraninfa da turma, Izabela Jatene.
A integrante do Comitê Gestor do Pro Paz, Izabela Jatene, agradeceu a homenagem da turma, que a escolheu como paraninfa, e destacou a posição que o Estado do Pará vem adquirindo na área ambiental, além da integração entre a Universidade e o Estado. “Para mim é uma honra ser paraninfa em um curso que integra a Universidade e o Estado, o que garante um ensino cada vez maior. Cada vez mais o nosso Estado muda a sua imagem na área ambiental, ganhando um destaque internacional”, declarou.
Entre os 39 profissionais que receberam o diploma, 22 são servidores da Polícia Militar do Estado, 13 capitães do Corpo de Bombeiros, dois capitães da Polícia Militar do Distrito Federal e dois peritos criminais do Centro de Perícias Renato Chaves.
Para o Titular da Segup, Luiz Fernandes, o curso garante um maior número de profissionais qualificados na área da segurança pública. “Sabemos da dificuldade em concluir um curso desses devido trabalhar em segurança pública, todos que estiveram aqui tiveram que abrir mão de muita coisa para se dedicar aos estudos, agora é apenas parabenizar os concluintes, que conseguiram passar por esse desafiou”, pontuou.

Texto:
Tiago Furtado-Pro Paz


Estação de Aquicultura de Santarém vai começar a produzir alevinos de Piraracu
O segundo laboratório de pesquisa da Estação de Aquicultura Santa Rosa, em Santarém, no oeste do Estado, vai entrar em funcionamento até o final do ano, para produção de alevinos de Pirarucu. A meta da Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura (Sepaq) é produzir cerca de 100 mil peixes por ano.
De janeiro a agosto de 2012 já foram produzidos 5,8 milhões pós-larvas de alevinos na estação de Santarém. Eles são das espécies Tambaqui, Pirapitinga, Tambatinga, Matrinxã e Curimatá. Já foram distribuídos 805 mil alevinos para piscicultores de toda a região do Baixo-Amazonas e outras cidades, como Tucuruí, no sudeste do Estado.
A Estação Santa Rosa tem 54 tanques onde são produzidos os alevinos. “O aumento da produção das pós-larvas foi necessário para garantir mais rapidez na entrega dos alevinos para os piscicultores atendidos pela regional de Santarém”, explica o secretário adjunto da Sepaq, Edinaldo Ramos, que fez uma visita ao local na semana passada.
A comitiva da Sepaq que esteve no município discutiu estratégias para desenvolver a aquicultura nas comunidades da região. Um dos projetos que devem ser implantados no município é a Feira do Pescado. A ideia é que no final do ano os produtores de todas as associações e colônias se reúnam para vender o pescado na cidade, com peixes in natura. “Não queremos que a feira aconteça somente na Semana Santa e sim em outros períodos do ano”, explica Edinaldo.

Texto:
Christian Emanoel-Sepaq


Avenida Júlio César passa por reparos neste sábado
O elevado Daniel Vingren ficará parcialmente interditado na tarde deste sábado (14) em virtude das obras de ampliação da avenida Júlio César. O elevado será pavimentado e, para isso, fIcará interditado parcialmente no período de 14h às 16h. No período de 16h às 18h, o acesso de veículos ficará totalmente fechado. Como alternativa, os motoristas que vierem da avenida Centenário poderão  dobrar pela direita na Júlio César, pegar o primeiro retorno e seguir no sentido da avenida Almirante Barroso.
Os trabalhos já estão na fase final e com previsão para serem finalizados em duas semanas. A obra é realizada pelo Governo do Estado, por meio do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM) e recebeu investimento superior a R$ 5 milhões. O projeto contempla a recuperação, o alargamento e o recapeamento asfáltico das avenidas Júlio César (em 900 metros de extensão) e Pedro Álvares Cabral (em 260 metros) e a correção geométrica da avenida Senador Lemos.
O projeto de readequação trará benefícios para toda a comunidade da área, incluindo pedestres, motoristas, ciclistas e moradores do entorno. Maior fluidez do trânsito, espaço adequado com faixas exclusivas para ciclistas e pedestres e mais segurança estão entre as consequências da obra. Outra benfeitoria é a redução da emissão de gás carbônico na atmosfera, uma vez que os veículos passarão menos tempo parados na via, antes congestionada.

Texto:
Manu Viana-Ação Metrópole


Fórum discute desafios da cacauicultura paraense
"O incentivo à cacauicultura é um dos três principais compromissos do Governo do Estado na área agrícola, juntamente com as culturas do dendê e do açaí”, afirmou a secretária estadual adjunta de Agricultura, Eliana Zacca, ao participar, nesta sexta-feira, 13, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, do Fórum do Cacau e Chocolate, que ocorre dentro da programação do I Festival Internacional do Chocolate e Cacau da Amazônia e Flor Pará 2013.
Ao falar da prioridade que a Secretaria Estadual de Agricultura (Sagri) vem dando à cacauicultura, Zacca destacou os avanços do setor e dos investimentos feitos para garantir o aumento da produção, a distribuição de sementes e a verticalização do produto. “No ano passado, por exemplo, por conta do trabalho realizado, não faltou semente para quem procurou”, ressaltou, lembrando ainda que no que se refere à industrialização do cacau, o Pará também vem dando grandes saltos, estando prevista a implantação em breve de algumas fábricas de chocolate nos municípios de Santa Bárbara e Tomé-Açu.
No Fórum, os números e os avanços da cacauicultura paraense também foram mostrados por técnicos da Comissão Executiva da Lavoura Cacaueira (Ceplac), com o palestrante Fernando Mendes traçando um perfil desse avanço nos últimos 40 anos. Por meio de um gráfico, mostrou que em 1970, a produção de cacau no Pará era de 1.500 toneladas e que, em 2013, a previsão é de que a safra alcance 88 mil toneladas, com uma produtividade média de 850 quilos por hectare, maior do que a média nacional. “No município de Medicilândia, essa produtividade já ultrapassou 3.500 quilos por hectare”, comemorou, ressaltando a qualidade das amêndoas, desejadas no mercado internacional.
Ao citar os desafios, o técnico enumerou alguns pontos que considera fundamentais para os avanços do setor, entre eles, o aumento da escala de produção, melhoria da qualidade, atrair o segmento industrial, crescimento da participação no mercado e mais atenção da classe política. O técnico Antônio César Zugaibe, também da Ceplac, apresentou números ao cacau no contexto internacional e os avanços da cultura no Brasil, com destaque ao cacau em pó, cujos preços vêm subindo consideravelmente, ganhando mercado no país, sobretudo, por meio de sua aquisição pela merenda escolar.

Texto:
Tânia Monteiro-Sagri


Festival do Chocolate tem desfile de joias do Espaço São José Liberto
O Espaço São José Liberto promove nesta sexta-feira (13), às 19h30, um desfile de joias criadas e confeccionadas por profissionais do Polo Joalheiro do Pará, durante o I Festival Internacional do Chocolate e Cacau da Amazônia e a Flor Pará 2013. Os eventos acontecem no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, até 15 de setembro (domingo).
O desfile mostrará 19 peças, entre anéis, colares, pingentes e brincos, que homenageiam a flora amazônica. Uma delas é o colar "Estrela de Naiá", criado pela designer Lídia Abrahim, com ourivesaria de Alexandre Santiago e produção da empresa HS Criações & Design. Além do design, o diferencial do colar é a incrustação paraense, técnica desenvolvida no Polo Joalheiro, que confere colorido especial às jóias a partir do pó de gemas minerais e orgânicas. 
Entre as peças estão ainda Borboleta Flor, Orquídeas Silvestres, Chuva de Manga, Açaí na Cuia e Palmeiras Choro aos teus Pés. São joias em ouro e prata, com gemas minerais (como quartzo verde, granada, berilo e ametista) e matéria prima característica da região, como a fibra de curauá. 
Exposição - No local, o Espaço São José Liberto, com o apoio da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), também montou um estande de joias e artesanato, e uma  exposição de joias e acessórios de moda. As peças da exposição são inspiradas nos temas dos dois eventos, como as gemas vegetais de chocolate, técnica desenvolvida pelo mestre ourives e artesão Paulo Tavares.
No processo de criação das gemas vegetais, a composição dos pigmentos é 100% natural, tendo como matéria prima cascas, folhas, flores, sementes, frutos e raízes. Os processos, ambientalmente sustentáveis, aproveitam resíduos descartados pela natureza e pelo homem. 
O Espaço São José Liberto é mantido pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom) e da Organização Social Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama)
A realização dos dois eventos é do governo do Estado, por meio da Sagri, e conta com o apoio do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faepa), Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Instituto de Artes do Pará (IAP), Companhia Paraense de Turismo (Paratur) e outras instituições. A organização é da MVU Promoções e Eventos, empresa baiana do Grupo M21, idealizadora do projeto.
O I Festival Internacional do Chocolate e Cacau da Amazônia e a Flor Pará 2013, abertos na quinta-feira (12), prosseguem até 15 de setembro, das 14 às 22 h, no Hangar. A entrada custa R$ 10,00 (meia para estudantes e crianças até 12 anos). Há gratuidade para idosos acima de 60 anos e portadores de necessidades especiais. Mais informações no site www.festivaldochocolate.com

Texto:
Luciane Barros-São José Liberto


Uma solução para a Síria – nosso apelo está crescendo!

Nossa campanha está ganhando fôlego! Mais de 1 milhão de assinaturas, milhares de tuítes e mensagens, e vários diplomatas estão mostrando interesse em nosso apelo após apenas alguns dias de campanha. Vamos fazer nossos números crescerem ainda mais! Veja o e-mail --

Caros amigos,
Descrição: https://mail.google.com/mail/u/0/?shva=1#inbox/1411801acb74fdf0

Há poucas semanas, as crianças nesta foto foram assassinadas com gás enquanto dormiam. Existe uma maneira pacífica de por um fim a estes massacres: o Irã e os EUA precisam sentar-se à mesa de negociações e reunir os dois lados do conflito para chegar a um cessar-fogo. Pela primeira vez, dois presidentes estão mostrando que um diálogo é possível. Vamos dizer a eles que o mundo deseja o começo das negociações que podem salvar vidas já! Assine:

Descrição: Assine a petição
Há poucas semanas, as crianças nesta foto foram assassinadas com gás enquanto dormiam, mas parece que o mundo as esqueceu e se perdeu em um debate entre um ataque aéreo dos EUA na Síria ou fazer nada. Agora há um lampejo de esperança de um fim pacífico para estes massacres.

A guerra sangrenta na Síria tem sido fortalecida pela rivalidade entre o Irã, o principal apoiador de Assad, e os EUA e seus aliados. Mas esse abominável ataque com armas químicas mudou o discurso deles: o novo presidente do Irã condenou o uso de gás e Obama sinalizou que trabalharia com "qualquer um" para solucionar o conflito. Vamos convocar com urgência ambos os líderes para sentar à mesa de negociações e reunir os dois lados do conflito antes que mais vidas sejam perdidas.

Neste exato momento, os tambores da guerra estão soando para a Síria, mas se muitos de nós garantirmos que Hassan Rouhani, presidente do Irã, e Obama saibam que o mundo quer uma diplomacia ousada, podemos acabar com esse pesadelo para milhares de crianças sírias, aterrorizadas pela ameaça de novos ataques de gás. Não temos tempo a perder. Clique agora para juntar-se ao nosso apelo urgente -- quando atingirmos um milhão de assinaturas, entregaremos esta petição diretamente aos dois presidentes:

http://www.avaaz.org/po/solution_for_syria_loc_rb/?byiUoeb&v=29171

A guerra na Síria é uma das mais brutais da nossa geração e o ataque com armas químicas contra civis inocentes é o pior que o mundo já viu nos últimos 30 anos. O mundo tem a obrigação de proteger a população síria do extermínio, mas por dois anos a comunidade internacional ficou vergonhosamente emperrada e fracassou nessa tarefa. Agora, apesar das provas contundentes de que as forças de Assad estão por trás do ataque, os apoiadores da Síria semearam dúvidas quanto a isso e, cautelosa quanto à guerra, a comunidade internacional se mostra insegura quanto a uma intervenção humanitária. Estas negociações são uma nova chance para por um fim ao derramamento de sangue.

Sempre se acreditou que os Estados Unidos nunca iriam querer dialogar com o Irã e que o Irã nunca iria ajudar os EUA a resolver a crise na Síria, mas atualmente há indícios de mudanças e esperança. O presidente Obama pode até lançar um ataque aéreo, mas ele não possui o apoio para declarar guerra e está buscando uma solução de longo prazo. 130 membros do Congresso americano estão pedindo que Obama converse com o Irã. E o apoio de pessoas de todo o mundo a esta saída diplomática pode levá-lo a estabelecer um diálogo.

Ahmadinejad, o ex-presidente do Irã, gastou bilhões com o envio de dinheiro e armas para o regime de Assad. Mas agora o novo presidente, Hassan Rouhani, foi eleito com a promessa de estabelecer vínculos com o Ocidente e é a favor de um acordo político com a oposição síria. O ataque químico está desgastando o apoio do público iraniano ao Assad, despertando memórias dolorosas do ataque de gás do Iraque contra o Irã no início dos anos 80 e fontes internas afirmam que há uma pressão crescente para que o apoio do Irã a Assad seja repensado. Este pode ser o ponto crítico para levar Rouhani à mesa de negociações.

O diálogo não vai fazer com que os horrores parem da noite para o dia, mas não existe uma solução rápida e fácil. Precisamos urgentemente começar um processo que pode por um fim ao assassinato de crianças inocentes e unir a população mundial, ao invés de nos afastarmos uns dos outros ainda mais. Vamos fazer com que os EUA e o Irã comecem o diálogo agora:

http://www.avaaz.org/po/solution_for_syria_loc_rb/?byiUoeb&v=29171

Em Genebra, um roteiro para o processo de paz na Síria já foi iniciado, mas esta é a primeira vez em que há vontade política para deixar de lado todas as diferenças e sentar-se à mesa de negociações. O Irã é o único país no mundo com influência suficiente sobre a Síria para levar a ditadura ao diálogo. A Rússia, outro país que é um aliado essencial do regime de Assad, também disse estar disposta a discutir soluções diplomáticas. E os EUA, com seus aliados no Oriente Médio, pode convencer a oposição síria a juntar-se às negociações.

Foi preciso o horror da Segunda Guerra Mundial para que a ONU e a Declaração Universal dos Direitos Humanos surgissem. Talvez o horror na Síria possa finalmente levar os EUA e o Irã, com seus presidentes moderados, a dialogar sobre suas diferenças de longa data e construir as fundações para uma paz mais duradoura para a Síria e para a região, com consequências para uma série de questões globais, da proliferação de armas nucleares à paz entre Israel e Palestina. A nossa comunidade tem apoiado o povo sírio desde o começo. Agora, mais do que nunca, eles precisam de nós. Vamos dar o nosso melhor.

Com esperança,

Alice, Luis, Ian, Emily, Bissan, Antonia, Ricken, Lisa, Mais e toda a equipe da Avaaz

PS: Muitas campanhas da Avaaz foram criadas por membros da nossa comunidade! Crie agora a sua campanha sobre qualquer tema - local, nacional ou global: http://www.avaaz.org/po/petition/start_a_petition/?bgMYedb&v=23917


Mais informações:

Síria oferece oportunidade para negociações entre EUA e Irã (em inglês)(Al Monitor)
http://www.al-monitor.com/pulse/originals/2013/08/syria-opportunity-iran-us-talks.html

Rouhani reconhece que armas químicas levaram a mortes na Síria (em inglês) (Reuters)
http://www.reuters.com/article/2013/08/24/us-syria-crisis-iran-idUSBRE97N06P20130824

Preocupação com Irã pode levar EUA a intervir na Síria (WSJ)
http://online.wsj.com/article/SB10001424127887323906804579037513562370886.html

EUA planejam ataque de três dias contra a Síria, segundo jornal (RFI)
http://www.portugues.rfi.fr/mundo/20130908-estados-unidos-planejam-ataque-de-tres-dias-contra-siria-segundo-jornal

Cúpula termina com G20 dividido sobre ataque à Síria (DW)
http://www.dw.de/c%C3%BApula-termina-com-g20-dividido-sobre-ataque-%C3%A0-s%C3%ADria/a-17072426

Resistência a ataque cresce e Obama marca anúncio sobre Síria para 3ª-feira (Estadão)
http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,resistencia-a-ataque-cresce-e-obama-marca-anuncio-sobre-siria-para-3-feira-,1072094,0.htm

Não, o Irã não precisa de Assad (em inglês)(The Atlantic)
http://www.theatlantic.com/international/archive/2013/09/no-iran-doesn-t-need-assad/279340/

Governo leva Mostra de Ciência e Cultura ao município de Salinópolis
Salinópolis é o décimo município a receber a Mostra de Ciência e Cultura em 2013, promovida pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti). O evento itinerante, que homenageia o antropólogo Vicente Salles, foi aberto nesta quinta-feira, 12, e prossegue até esta sexta-feira, 13, na Escola Estadual de Ensino Médio Dr. Miguel de Santa Brígida, onde os estudantes e seus familiares poderão interagir e aprender com as diversas produções científicas das instituições de ensino e pesquisa do Pará.
A programação da mostra, que conta com 11 palestras, seis seminários, cinco oficinas e exposições interativas ao ar livre, recebeu elogios dos secretários municipais de Salinópolis durante a abertura do evento. Para a diretora de Planejamento, Administração e Finanças da Secti, Simone Baía, a Mostra “é uma forma de popularizar a Ciência nas comunidades das cidades paraenses, despertando o interesse dos estudantes sobre as diversas áreas científicas e auxiliando-os na escolha da profissão que irão seguir futuramente”.
“A História da Astronáutica” é um dos temas que compõem a programação do evento em Salinópolis. “Astronáutica é a ciência que busca estudar maneiras viáveis de enviar o homem ao espaço, por meio de satélites, foguetes e ônibus espaciais. Na minha palestra eu mostro os marcos históricos dessa prática científica e explico, também, de que forma o Brasil está nesse ramo, pois poucos sabem que o nosso país possui uma base de lançamento, por exemplo”, explica a ministrante da palestra e integrante do Núcleo Astronômico da UFPA, Elciane Ribeiro.
“É uma grande oportunidade para nós de Salinópolis recebermos essa Mostra. Os ministrantes das palestras, por exemplo, trazem algo novo ao nosso cotidiano escolar, pois é bem diferente o aprendizado que eles proporcionam em comparação à forma como nós estamos acostumados a ter em sala de aula”, afirma a estudante do 3º ano do Ensino Médio, Laís Dias.
A Mostra de Ciência e Cultura é uma forma de antecipar e preparar os estudantes paraenses para a Feira Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, que acontecerá no período de 23 a 25 de outubro, no Hangar – Convenções e Feiras da Amazônia. A Feira compõe a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia que, em 2013, tem como tema “Ciência, Saúde e Esporte”. Para mais informações sobre o evento, acesse o site www.semanact.pa.gov.br.
A Mostra de Ciência e Cultura continuará até às 17h desta sexta-feira, 13, em Salinópolis, com entrada gratuita. Em seguida passará por Paragominas e Mosqueiro, em novembro, após a realização da Feira.

Texto:
Igor de Souza-Secti





Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...