Total de visualizações de página

segunda-feira, maio 19, 2014

Estudantes da rede estadual participam do Tour da Taça da Copa





Oficina discute plano para a pecuária de corte do Pará
A elaboração de um mapa de ações voltadas ao desenvolvimento da pecuária de corte paraense é o objetivo da oficina de planejamento participativo que ocorre nesta terça (20) e quarta-feira (21), em Belém. O resultado será um plano estratégico que abordará todos os elos da cadeia produtiva, iniciando a construção do programa de modernização do setor pecuário do Pará.
A promoção é da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) em parceria com o Programa Municípios Verdes e a Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa). A busca do crescimento sustentável vai nortear a discussão dos gargalos, riscos e fragilidades da cadeia produtiva e também das oportunidades de negócios e qualidade dos produtos.
A produção rentável de carne de forma sustentável com ganhos socioambientais e econômicos é o resultado esperado de todo esse processo que foi iniciado em dezembro do ano passado com os produtores rurais de Marabá, que discutiram a Agenda Única da Boa Carne.
Nesse evento foi criado um grupo de trabalho para elaborar propostas de incentivo da sustentabilidade ambiental, social e econômica aplicáveis à cadeia produtiva da pecuária de corte. O grupo é coordenado pela Sagri e formado por entidades dos setores público, privado e organizações não governamentais (ONGs).
A oficina de elaboração do plano estratégico para o desenvolvimento da pecuária de corte do Pará ocorre no auditório da Faepa, das 9 às 17 horas desta terça-feira, e de 9 às 12 horas de quarta.

Texto:
Leni Sampaio


Gaspar Vianna realiza a 25ª Semana de Enfermagem
Nos dias 20 e 21 de maio (terça e quarta-feira), a Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna promove, por meio do Serviço de Enfermagem (Senf) e da Comissão de Educação Permanente de Enfermagem (Cepenf), a 25ª Semana de Enfermagem, que este ano terá como tema “Protagonismo da Enfermagem no Processo do Cuidar”. O evento é voltado para enfermeiros, técnicos e acadêmicos de Enfermagem, e faz parte da programação da 75ª Semana Brasileira de Enfermagem (75ª SBEn), promovida pela Associação Brasileira de Enfermagem.

Texto:
Felipe Gillet


VII Fita começa nesta terça-feira em Belém
Palestras, seminários, congressos, city tour e caminhada até o novo Hidroviário de Belém fazem parte da programação oficial da VII Feira Internacional de Turismo da Amazônia (Fita), realizada de 20 a 23 de maio pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur), com apoio da Secretaria de Estado de Turismo (Setur).
O credenciamento para o evento começa às 8h30 desta terça-feira (20), no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas, e a abertura oficial será às 10 h, com apresentação do Coral Vale Música e as presenças do ministro do Turismo, Vinícius Nobre Lages, do governador do Pará, Simão Jatene, do secretário de Estado de Turismo, Adenauer Góes, do presidente da Companhia Paraense de Turismo, Marcelo Mendes, e de representantes do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), da Confederação Nacional do Turismo e de outras entidades.
Com o tema “Promoção dos Produtos Turísticos Amazônicos e a Qualidade na Prestação dos Serviços”, a Fita tem como objetivo principal a qualificação do trade local, a partir da troca de experiências e da comercialização direta do destino Pará com compradores e fornecedores convidados de vários países. O evento também vai proporcionar a apresentação de Belém como destino prioritário para o segmento de turismo de eventos - a Paratur convidou mais de 20 tomadores de decisão, representantes de entidades de classe que realizam grandes congressos no Brasil.
A programação começará às 10h30 com a palestra “Criando Valores para o Mercado Turístico Encantar o Cliente”, proferida por Luiz Almeida Marins Filho, pós-graduado em Antropologia pela Macquarie University (Austrália) e Universidade de São Paulo (USP).
Programação
20 de maio (terça-feira):
08h30 às 09h45: Credenciamento – Teatro Maria Sylvia Nunes (Estação das Docas)
10 h: Apresentação do Coral Vale Música
11 às 12 h: Palestra de Abertura: “Criando Valores para o Mercado Turístico Encantar o  Cliente”.
Palestrante: Luiz Almeida Marins Filho - pós-graduado em Antropologia pela Macquarie University (Austrália) e Universidade de São Paulo (USP).
II CONGRESSO DE TURISMO, HOSPEDAGEM E GASTRONOMIA DA AMAZÔNIA LEGAL
14 às 16 h: EIXOS TEMÁTICOS
1 - Gastronomia Amazônica
Palestrantes: Álvaro do Espírito Santo (Professor da UFPA e doutorando em Turismo e Cultura pela Universidade de Coimbra) e Fernando  Jares Martins (jornalista especializado em gastronomia e editor do blog Pelas ruas de Belém).
APRESENTAÇÃO DO LIVRO-ÁLBUM “GASTRONOMIA NO PARÁ – O SABOR DO BRASIL”
16h15 às 18 h: Palestra: “Passa Lá em Casa – O Almoço do Círio de Nazaré – O Banquete Amazônico”.
Palestrante Chef Ricardo Frugoli - Graduado em Gastronomia e Mestrando em Hospitalidade na Universidade Anhembi Morumbi, pós-graduando em Cozinha Brasileira peklo Senac, coordenador no Centro de Pesquisa em Gastronomia Brasileira (Universidade Anhembi Morumbi).
21 de maio (quarta-feira):
09 às 10h30:  2 - Organização da Sociedade Civil para a Defesa da Culinária Regional Tradicional
Palestrantes: Chef Eduardo Avelar - fundador da Conspiração Gastronômica – MG (Oscip – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público)
10h45 às 12 h: 3 - Tendências da Gastronomia Internacional.
Palestrante: Bruno Manhães – professor do Senac/SP, bacharel em Turismo e Hospitalidade, mestre em Turismo Internacional com especialização em Educação
VIAGENS E EXPERIÊNCIAS GASTRONÔMICAS: DAS PRÁTICAS  COTIDIANAS AO PRODUTO TURÍSTICO
12 às 14 h: Intervalo.
14 às 16h45: A Internacionalização da Culinária Regional Brasileira
Coordenador: Celso dos Santos Silva – bacharel em Turismo, PhD em Gastronomia e coordenador da Escola de Gastronomia João Dória Jr., da CNTur/SP
Participantes: Rede de Turismo Gastronômico do Pará
22 de maio (quinta-feira):
I SEMINÁRIO DE MÍDIAS SOCIAIS E RESPONSABILIDADE CIVIL DOS AGENTES DE VIAGEM
08 às 09 h: Credenciamento e entrega de material aos participantes da Bolsa de Negócios
09h às 12h: Bolsa de Negócios: Operadoras de Turismo, Agências de Turismo, Hotéis e Companhias Aéreas. (sala Bolsa de Negócios).
08h30 às 09h30: “O Turismo Sustentável e a Construção Verde: Oportunidades e Desafios”
Palestrante: Cristiane Lacerda – engenheira civil (Fumec), diretora-técnica e comercial da empresa EcoConstruct Brazil, especialista em Urbanismo (UFMG), mestranda em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável (UFMG).
09h45 às 10h45: “Mídias Sociais”
Palestrante: Paulo Kendzerski – diretor-presidente da empresa WBI Brasil e especialista em Planejamento Estratégico Digital e Consultor em E-Commerce
11 às 12 h: “O Turismo Amazônico e a disponibilização de conteúdo na web e outros meios de comunicação"
Palestrante: Fábio Brito Ávilla - criador da marca “Empresa das Artes” e autor dos livros "Arvores da Amazônia", "Universo Amazônico” e "Águas da Amazônia"
12 às 14 h: Intervalo
14h30 às 18 h: Bolsa de Negócios: Operadoras de Turismo, Agências de Turismo, Hotéis e Companhias Aéreas (sala Bolsa de Negócios).
14 às 15h30: “Responsabilidade Civil dos Agentes de Viagens – O dever de Indenizar”
Palestrante: Marcelo Oliveira – advogado da Abav nacional
15h45 às 18 h: “Mesa Redonda: Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”
Coordenador: Marcelo Mendes (presidente da Paratur)
Debatedores: Juíza Reijane Oliveira (TJE/PA), Edna Rocha (Abav/PA), Carlos Freire (Abih/PA), Celina Hamoy (Cedeca), Simone Edorom (Polícia Civil), Fábio Sicília (Abrasel/PA)
23 de maio (sexta-feira):
II ENCONTRO COM GESTORES MUNICIPAIS DE TURISMO
09 às 10h30: Conferência de abertura
“Política Pública de Turismo do Pará: Avanços e Desafios”
Palestrante: Adenauer Marinho de Oliveira Góes – secretário de Estado de Turismo
Tema 1: “Programa de Investimento em Turismo-SETUR/Banpará/CrediCidadão”
Palestrantes: Representantes do Banpará e do CrediCidadão
10h45 às 11h45: Tema 2: “Desenvolvimento de Destinos Turísticos: Como transformar destinos emergentes em destinos consolidados?”
Palestrante: Paulo Gaudenzi
12 às 13 h: Tema 3: “Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável – PDITS: Processo de Elaboração”
Palestrantes: Tadeu Monte e Carlos Cappelini
13 às 14h30: Intervalo.
14h30 às 15h30: Tema 4: “Fortalecimento da Gestão Sustentável do Turismo”
Palestrante: Fabiana Oliveira (MTur)
15h45 às 16h45: Tema 5: “Turismo Legal - Qualificação de Serviços”
Palestrante: Representante do MTur
17 h: Caminhada para a inauguração do Terminal Hidroviário “Luiz Rebelo Neto”

Texto:
Benigna Soares


Estudantes da rede estadual participam do Tour da Taça da Copa
Estudantes de 10 escolas públicas estaduais de Belém participam da programação “Tour da Taça da Copa do Mundo Fifa”, realizado pela empresa Coca-Cola, patrocinadora oficial do evento, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Na ocasião, os estudantes terão a oportunidade de ver a Taça de perto, tocá-la e tirar fotos. A Taça passará por todas as capitais dos Estados e do Distrito Federal, e chega a Belém nesta terça-feira (20), ficando em exposição no Espaço São José Liberto.
Participarão da visita alunos de 10 escolas estaduais de Belém que possuem o melhor resultado no último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). As escolas são Madre Zarife Sales, Guajarina de Souza da Silva, Tenoné, Colônia de Fidelis, Caldeira Castelo Branco, Padre Benedito Chaves e Salesiana do Trabalho.
Para Paulo Rocha, coordenador de Evento da empresa Invent Marketing e Promoções, que presta serviços para a Coca-Cola, o objetivo do projeto é ajudar no desenvolvimento da educação.
De acordo com Ana Cláudia Hage, da Diretoria de Educação Infantil e Fundamental (Deinf) da Seduc, "esse projeto representa o reconhecimento do trabalho que as escolas públicas vêm promovendo, e dá condições para que os alunos participem de um evento tão importante, e guardem esse registro na memória”.

Texto:
Danielly Gomes


Susipe vacina a população carcerária do Pará contra gripe
Nesta segunda-feira (19), os 321 internos custodiados no Presidio Estadual Metropolitana II (PEMII), em Marituba, região metropolitana de Belém, receberam a vacina contra a gripe. Os detentos e funcionários do sistema prisional fazem parte do público-alvo da campanha de vacinação deste ano, junto com as crianças de 6 meses a menores de 5 anos, idosos com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde, povos indígenas, gestantes e mulheres com até 45 dias após o parto.
Segundo o Ministério da Saúde, a escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). São priorizados os grupos mais suscetíveis às doenças respiratórias. Ainda segundo o ministério, a vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos.
Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da gripe. A imunização via injeção protege contra os subtipos do vírus influenza – H1N1 e H3N2 e B – e demora cerca de 15 dias para fazer efeito. No Pará, a intenção é vacinar toda a população carcerária custodiada pela Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe).
Até agora, mais de 1,6 mil internos e agentes prisionais de sete presídios em Belém e Ananindeua foram vacinados, e a expectativa é imunizar os mais de doze mil detentos das 41 unidades do Estado. “Já fizemos a solicitação das vacinas para os detentos aos municipios onde estão localizados os presídios. Estamos aguardando a liberação das doses pelas prefeituras para concluírmos a imunização”, explica a Gerente da Divisão de Saúde Prisional da Susipe, Ivone Rocha.
Segundo a Susipe, a vacinação segue diretriz estabelecida pelo Ministério da Saúde, seguindo a política nacional de saúde prisional que tem a finalidade de garantir o direito constitucional à saúde e o acesso com igualdade às ações e serviços dentro dos estabelecimentos penais. O Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário foi instituído em 2003 pelos ministérios da Justiça e da Saúde.

Texto:
Timoteo Lopes


Governo, clubes e Ministério Público definem ações para jogos entre Remo e Paysandu
Definir as ações de segurança pública, principalmente o policiamento, para os próximos jogos entre Clube do Remo e Paysandu, foi o objetivo da reunião realizada na manhã desta segunda- feira (19), no Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão). Representantes dos dois clubes, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, do Ministério Público do Pará e da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) participaram da reunião, que deu prosseguimento aos assuntos tratados no primeiro encontro, que ocorreu na semana passada, na sede do Ministério Público, no bairro da Cidade Velha.
Clube do Remo e Paysandu vão decidir o segundo turno do Campeonato Paraense de Futebol 2014 em duas partidas. A primeira será disputada nesta quinta-feira (22), às 20h30, e a segunda na quarta-feira da próxima semana (28), no mesmo horário. A vantagem é do Paysandu, que joga por dois empates, devido à melhor campanha no segundo turno. Se o Clube do Remo ganhar o returno será o campeão estadual, já que ganhou o primeiro turno. Caso o Paysandu seja o campeão, o Parazão será decidido em mais dois jogos entre Remo e Paysandu, em datas a serem confirmadas.
Os procedimentos definidos para a primeira partida serão adotados também nos jogos seguintes, caso haja necessidade. Durante a reunião também foi definido que os ingressos para o clássico estarão à venda no Mangueirão, na manhã de quarta-feira (21) para os torcedores do Paysandu, e na quinta-feira (22) para os do Clube do Remo, das 09 às 14 h, ou até o término dos ingressos postos à venda. Os ingressos são diferentes para os torcedores dos dois clubes.
A torcida do Paysandu terá acesso somente pela Rodovia Transmangueirão, enquanto a torcida do Remo entrará pela Rodovia Augusto Montenegro.
A “Torcida Remista”, nome da antiga “Remoçada”, está proibida pelo Ministério Público de ingressar no estádio portando qualquer material alusivo à organização. Caso esta determinação não seja cumprida, todo o material será apreendido pela Polícia Militar. Menores de idade não poderão entrar no estádio sem acompanhante e um documento que comprove o parentesco entre eles.
Na manhã da próxima quarta-feira (21) haverá mais uma reunião para concluir o planejamento das ações do Sistema de Segurança destinadas ao clássico RE x PA, no Estádio Olímpico.
Serviço: Decisão do Campeonato Paraense de Futebol 2014 entre Clube do Remo e Paysandu. Primeiro jogo na quinta-feira (22), às 20h30, no Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão). Venda de ingressos das 09 às 14h (ou enquanto durar a cota de ingressos) na quarta-feira (21), no portal B1, para torcedores do Paysandu, e na quinta-feira (22), no portão A2, para torcedores do Clube do Remo.

Texto:
Dedé Mesquita


rça (20) a sexta-feira (23), o Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém, será sede do 52º Encontro Nacional de Coordenadores e Administradores Tributários Estaduais (Encat), evento que reúne servidores fazendários de todos os Estados brasileiros. Nesta segunda-feira (19), na Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), reuniu-se o grupo de trabalho de modernização da fiscalização.
O Encat discute ações integradas para modernizar as ações dos fiscos estaduais. Entre os temas do encontro estarão projetos nacionais, como a Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica (NFC-e); Conhecimento de Transporte Eletrônico; Nota Fiscal Eletrônica; Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônicos; o projeto Brasil ID, de infraestrutura de rastreamento de mercadorias por meio de chip; ações de modernização da fiscalização e o Projeto do Portal Único do Comércio Exterior, que tem a coordenação da Receita Federal.
A reunião técnica será nesta terça (20), das 14 às 19 horas, e quarta-feira (21), das 9 às 13 horas. A reunião do Comitê Gestor Nacional de Documentos Fiscais Eletrônicos também ocorre na quarta. Na quinta (22) e sexta-feira (23), haverá a reunião plenária.
Alguns temas que serão tratados no evento em Belém: Fiscalização do Simples Nacional; uso de dados dos documentos fiscais eletrônicos nas compras públicas; estágio da implantação do Programa Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) no Pará e a Integração com o Programa Estadual Nota Fiscal Cidadã; e uso de Bussiness Inteligency no Monitoramento das Operações com ICMS. Também serão discutidos a criação da Sefaz Nacional, ambiente de compartilhamento de informações digitais entre os Estados; o projeto Nota Fiscal Eletrônica; Recopi, controle de papel imune; e o Conhecimento de Transporte Eletrônico e o Manifesto do Documento Fiscal Eletrônico.

Texto:
Ana M. Pantoja


Internos da Fasepa expõem trabalho artesanal na Praça da República
“Quando o adolescente está num ambiente bacana como esse, faz com que repense em muita coisa pra não cometer um ato (infracional). Eu nunca tinha vindo aqui antes. Hoje, converso como um cidadão de bem com as pessoas”, disse um dos jovens participantes da I Exposição dos Socioeducandos Fasepa, realizada na manhã do último domingo (18), na feira de artesanato montada na Praça da República, centro de Belém.
A ação é uma iniciativa da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), que visa valorizar e estimular o potencial artístico de adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, com atividades pedagógicas e também geradoras de renda.
Com mais de 100 peças em exposição, o público conferiu os trabalhos artesanais feitos pelos internos, como caixas e objetos confeccionados com técnicas de cartonagem, papel reciclado, pintura em tela, colares, pulseiras e sandálias customizadas. Parte da renda obtida com a venda dos produtos é destinada aos internos, e a outra é usada na compra do material utilizado nas oficinas.
Denyeire Fonseca, técnica de referência do Eixo Esporte, Cultura e Lazer, da Diretoria de Assistência Social (DAS) da Fasepa, disse que a equipe buscará incluir a exposição na agenda permanente da feira de artesanato da Praça da República. “Vamos analisar melhor de que maneira faremos isso, se a cada 15 dias ou em todos os domingos”, informou.
Segundo ela, “por ser um ambiente repleto de artesãos, os jovens veem na prática a importância do trabalho que produzem. Além disso, esse momento serve como ferramenta de inclusão social”.
A aposentada Dulce Sila, 61 anos, disse que gostaria de ver o trabalho dos socioeducandos mais vezes na praça, e ressaltou a importância de dar maior visibilidade a esse tipo de ação. “Uma obra só tem significado quando ela é apresentada e divulgada. Do contrário, fica empoeirada, sem sentido e sem vida. Mais pessoas deveriam conhecer o que esses rapazes fazem”, reiterou.
As Unidades de Atendimento Socioeducativo (UASEs) estavam representadas por três internos, sendo dois oriundos de municípios do interior do Estado.

Texto:
Alberto Passos


Internos da Fasepa expõem trabalho artesanal na Praça da República
“Quando o adolescente está num ambiente bacana como esse, faz com que repense em muita coisa pra não cometer um ato (infracional). Eu nunca tinha vindo aqui antes. Hoje, converso como um cidadão de bem com as pessoas”, disse um dos jovens participantes da I Exposição dos Socioeducandos Fasepa, realizada na manhã do último domingo (18), na feira de artesanato montada na Praça da República, centro de Belém.
A ação é uma iniciativa da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), que visa valorizar e estimular o potencial artístico de adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, com atividades pedagógicas e também geradoras de renda.
Com mais de 100 peças em exposição, o público conferiu os trabalhos artesanais feitos pelos internos, como caixas e objetos confeccionados com técnicas de cartonagem, papel reciclado, pintura em tela, colares, pulseiras e sandálias customizadas. Parte da renda obtida com a venda dos produtos é destinada aos internos, e a outra é usada na compra do material utilizado nas oficinas.
Denyeire Fonseca, técnica de referência do Eixo Esporte, Cultura e Lazer, da Diretoria de Assistência Social (DAS) da Fasepa, disse que a equipe buscará incluir a exposição na agenda permanente da feira de artesanato da Praça da República. “Vamos analisar melhor de que maneira faremos isso, se a cada 15 dias ou em todos os domingos”, informou.
Segundo ela, “por ser um ambiente repleto de artesãos, os jovens veem na prática a importância do trabalho que produzem. Além disso, esse momento serve como ferramenta de inclusão social”.
A aposentada Dulce Sila, 61 anos, disse que gostaria de ver o trabalho dos socioeducandos mais vezes na praça, e ressaltou a importância de dar maior visibilidade a esse tipo de ação. “Uma obra só tem significado quando ela é apresentada e divulgada. Do contrário, fica empoeirada, sem sentido e sem vida. Mais pessoas deveriam conhecer o que esses rapazes fazem”, reiterou.
As Unidades de Atendimento Socioeducativo (UASEs) estavam representadas por três internos, sendo dois oriundos de municípios do interior do Estado.

Texto:
Alberto Passos


Produção de mel em Dom Eliseu recebe apoio da Sagri
Apicultores do assentamento Alto Bonito, em Dom Eliseu, no sudeste do Estado, vão fornecer mel em sachê para a merenda escolar do município. A embalagem será feita em equipamento entregue neste fim de semana à Cooperativa dos Produtores de Mel de Dom Eliseu e vai facilitar o consumo do alimento na dose certa pelos alunos da rede municipal de ensino.
O recurso de R$ 42 mil foi repassado pela Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) à prefeitura para aquisição da máquina. O equipamento vai complementar a estrutura de beneficiamento do mel já existente na cooperativa de Alto Bonito, localizada a 100 quilômetros da sede do município. O engenheiro florestal da Sagri Altevir Rezende representou o titular da secretaria, Andrei Castro, no ato de entrega.
O recurso liberado pelo governo do Estado permitiu ainda a compra de 100 novas caixas apícolas e 100 quilos de cera aveolada. A presidente da cooperativa, Maria José Santos, informou que “graças ao apoio da Sagri e da prefeitura a apicultura está gerando renda na comunidade”. A apicultura é uma atividade economicamente viável e sustentavelmente correta, informou Altevir Rezende.
O assentamento Alto Bonito tem 40 famílias produzindo mel, das quais 35 são cooperadas e já fornecem para a merenda escolar. Os estudantes tomam o alimento na colher, mas a partir de junho cada um vai receber o sachê junto com a merenda. O mel é um alimento nutritivo que fornece vitaminas, minerais e outras propriedades que fazem bem à saúde.
A ação da Sagri incentiva o fortalecimento da cadeia produtiva do mel em Dom Eliseu, que produziu 3,5 mil quilos em 2013. Neste ano, a previsão é ampliar a produção para cinco mil quilos e concretizar a venda do produto à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), segundo informou o secretário municipal de Agricultura, Adalio Vitorino.

Texto:
Leni Sampaio


Produção de mel em Dom Eliseu recebe apoio da Sagri
Apicultores do assentamento Alto Bonito, em Dom Eliseu, no sudeste do Estado, vão fornecer mel em sachê para a merenda escolar do município. A embalagem será feita em equipamento entregue neste fim de semana à Cooperativa dos Produtores de Mel de Dom Eliseu e vai facilitar o consumo do alimento na dose certa pelos alunos da rede municipal de ensino.
O recurso de R$ 42 mil foi repassado pela Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) à prefeitura para aquisição da máquina. O equipamento vai complementar a estrutura de beneficiamento do mel já existente na cooperativa de Alto Bonito, localizada a 100 quilômetros da sede do município. O engenheiro florestal da Sagri Altevir Rezende representou o titular da secretaria, Andrei Castro, no ato de entrega.
O recurso liberado pelo governo do Estado permitiu ainda a compra de 100 novas caixas apícolas e 100 quilos de cera aveolada. A presidente da cooperativa, Maria José Santos, informou que “graças ao apoio da Sagri e da prefeitura a apicultura está gerando renda na comunidade”. A apicultura é uma atividade economicamente viável e sustentavelmente correta, informou Altevir Rezende.
O assentamento Alto Bonito tem 40 famílias produzindo mel, das quais 35 são cooperadas e já fornecem para a merenda escolar. Os estudantes tomam o alimento na colher, mas a partir de junho cada um vai receber o sachê junto com a merenda. O mel é um alimento nutritivo que fornece vitaminas, minerais e outras propriedades que fazem bem à saúde.
A ação da Sagri incentiva o fortalecimento da cadeia produtiva do mel em Dom Eliseu, que produziu 3,5 mil quilos em 2013. Neste ano, a previsão é ampliar a produção para cinco mil quilos e concretizar a venda do produto à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), segundo informou o secretário municipal de Agricultura, Adalio Vitorino.

Texto:
Leni Sampaio


Produção de mel em Dom Eliseu recebe apoio da Sagri
Apicultores do assentamento Alto Bonito, em Dom Eliseu, no sudeste do Estado, vão fornecer mel em sachê para a merenda escolar do município. A embalagem será feita em equipamento entregue neste fim de semana à Cooperativa dos Produtores de Mel de Dom Eliseu e vai facilitar o consumo do alimento na dose certa pelos alunos da rede municipal de ensino.
O recurso de R$ 42 mil foi repassado pela Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) à prefeitura para aquisição da máquina. O equipamento vai complementar a estrutura de beneficiamento do mel já existente na cooperativa de Alto Bonito, localizada a 100 quilômetros da sede do município. O engenheiro florestal da Sagri Altevir Rezende representou o titular da secretaria, Andrei Castro, no ato de entrega.
O recurso liberado pelo governo do Estado permitiu ainda a compra de 100 novas caixas apícolas e 100 quilos de cera aveolada. A presidente da cooperativa, Maria José Santos, informou que “graças ao apoio da Sagri e da prefeitura a apicultura está gerando renda na comunidade”. A apicultura é uma atividade economicamente viável e sustentavelmente correta, informou Altevir Rezende.
O assentamento Alto Bonito tem 40 famílias produzindo mel, das quais 35 são cooperadas e já fornecem para a merenda escolar. Os estudantes tomam o alimento na colher, mas a partir de junho cada um vai receber o sachê junto com a merenda. O mel é um alimento nutritivo que fornece vitaminas, minerais e outras propriedades que fazem bem à saúde.
A ação da Sagri incentiva o fortalecimento da cadeia produtiva do mel em Dom Eliseu, que produziu 3,5 mil quilos em 2013. Neste ano, a previsão é ampliar a produção para cinco mil quilos e concretizar a venda do produto à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), segundo informou o secretário municipal de Agricultura, Adalio Vitorino.

Texto:
Leni Sampaio


Fórum de Entidades Empresariais adere ao Pacto pela Educação do Pará
Nesta quarta-feira (21), as 09 h, o governador Simão Jatene e representantes do Fórum Pará de Entidades Empresariais assinam o termo de adesão ao Pacto pela Educação, em cerimônia na sede da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa). As parcerias empresariais em nível estadual reforçam a iniciativa e dão suporte ao Pacto nos próximos cinco anos.
Projetos inovadores, como o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), asseguram, por exemplo, que todas as crianças matriculadas nas redes de ensino público estejam alfabetizadas até os oito anos de idade. Para atingir essa meta, que está incluída no Pacto pela Educação do Pará, o programa oferece material pedagógico, ampliação na formação dos professores e formação para os professores alfabetizadores conhecerem sinais de distúrbios e transtornos de aprendizagem em sala de aula.
A formação dos professores conta com os parceiros do Pacto, como o Instituto Natura, que disponibiliza o material pedagógico pela iniciativa Trilhas, a qual, por meio de um conjunto de materiais, instrumentaliza e apoia o trabalho docente no campo da leitura, escrita e oralidade, com o objetivo de inserir os alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental no universo das letras.
Experiências consolidadas - Já a Fundação Itaú Social apoia a gestão pedagógica da escola na produção de Planos de Gestão Escolar, com dados oficiais das avaliações nacionais, e na formação presencial dos professores, realizada em Instituições Públicas de Ensino Superior, como a Universidade Federal do Pará (UFPA) e a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).
O Instituto Unibanco é mais um parceiro do Pacto. Para melhorar a qualidade da educação, oferece instrumentos de uso pedagógico para estudantes e docentes realizarem a leitura e interpretação dos resultados das avaliações em larga escala. O Projeto Jovem de Futuro (PJF) busca atuar no fortalecimento da gestão e contribuir para o redesenho curricular e, com isso, ampliar o aprendizado de estudantes do Ensino Médio.
A Telefônica Vivo oferece gratuitamente a plataforma Geekie Games, voltada para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A plataforma digital se baseia no diagnóstico de cada aluno, determinando os pontos francos e fortes nas diferentes áreas de conhecimento. Por meio de simulados no Formato Enem, possibilita que todos os estudantes se preparem para a prova com ferramentas inovadoras de diagnóstico e estudo personalizado.
Pacto na Escola – Realizado uma vez em 2013, e previsto para acontecer novamente em agosto deste ano, o evento “Um dia do Pacto na Escola” representa um momento de mobilização para a compreensão e o engajamento de todos no compromisso de melhorar a qualidade da educação. Nesse dia, são organizadas atividades no âmbito de programas e projetos.
O Dia do Pacto na Escola é, também, a oportunidade de trocar conhecimentos e promover campanhas de responsabilidade social dentro do ambiente escolar.
A iniciativa tem um caráter de formação do cidadão, ao estimular o exercício da cidadania, em que a escola se transforma em unidade agregadora, ajudando a sociedade que busca educação de qualidade.
As atividades são marcadas previamente e organizadas pela comunidade escolar, com ações de recuperação de carteiras, paisagismo e grafite; palestras e oficinas; campanhas de doação de livros, roupas e alimentos; incentivo à leitura e à doação de sangue; emissão de documentos; apresentação de talentos escolares em música, dança e esporte, e de poetas e escritores paraenses.
O Pacto pela Educação tem uma série de projetos que apontam para uma mudança nas redes de ensino público paraense. Alunos do Ensino Fundamental contam com cinco projetos voltados para uma educação diferente da atual. "Mais Educação", "Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro", "Bem Conviver", "Saúde na Escola", "Promoção da Igualdade Racial" e "Sala de Leitura" são alguns dos quase 40 projetos que ajudam a consolidar o Pacto pela Educação.
Serviço: Governo do Pará e Fórum Pará de Entidades Empresariais assinam termo de adesão ao Pacto pela Educação nesta quarta-feira (21), as 09 h, no auditório Albano Franco, na sede da Fiepa, localizada na Avenida Quintino Bocaiúva, nº 1588, bairro Nazaré.

Texto:
Jimena Beltrão


Emater participa da Fita 2014
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) estará presente na Feira Internacional de Turismo da Amazônia - Fita 2014, que será realizada de 21 a 23 de maio, na Estação das Docas. Durante o evento, promovido pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur), um estande da empresa irá expor produtos desenvolvidos pelo Centro de Treinamento da Unidade Didática Agroecológica do Nordeste Paraense (UDB) em Bragança, como licores de açaí e de jambu e doces de frutas regionais, dentro do Circuito Gastronômico que faz parte da programação da feira.

Texto:
Paula Portilho


Santa Casa recebe mais de 100 estudantes de enfermagem e medicina
A Gerência de Ensino da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará promoveu o acolhimento dos discentes que iniciaram estágio neste mês no hospital. O evento foi realizado nesta segunda-feira, 19, no auditório da instituição. Foram convocados mais de 100 estudantes de enfermagem e medicina. Servidores da Santa Casa explicaram o funcionamento de diversos setores, como a ala de pediatria e o Controle de Infecção Hospitalar.
O médico Sidney Barbosa foi um dos servidores convocados para dar dicas aos estudantes. “É um ano decisivo para se capacitar e enfrentar o mercado de trabalho. É importante ter comprometimento, dedicação e nunca abandonar os livros”. Heleson Miranda, estudante de enfermagem da Universidade do Estado do Pará, aprovou a iniciativa do acolhimento. “Este evento é fundamental para nos sentirmos dentro da dinâmica da Santa Casa e, assim, fazer parte deste processo”, falou o aluno do 3º ano.
Universidades públicas e particulares são contempladas com o programa de estágio da maior maternidade pública do Pará. Atualmente, 1.850 estagiários de medicina e enfermagem participam da rotina da Santa Casa, com a seguinte distribuição: 350 vagas para Universidade do Estado do Pará, 350 para a Universidade Federal do Pará, 250 para o Centro Universitário do Pará, 250 para a Escola Superior da Amazônia, 250 para Universidade da Amazônia, 200 para a Faculdade Metropolitana da Amazônia, 100 para cursos técnicos integrados e outras 100 para o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial.
A gerente de Ensino da Santa Casa, Claudinira Cysne, reiterou que a instituição formalizou um número específico para cada universidade. O quantitativo de estudantes respeita uma portaria do Ministério da Educação e uma orientação da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), atenta às taxas de infecção pelo aglomerado de graduandos. De acordo com o MEC, para hospitais com o porte da Santa Casa, a proporção é de três estudantes por leito.
A Santa Casa, que é credenciada como Hospital de Ensino e Pesquisa desde 2004, recebe aproximadamente R$ 1,6 milhão do MEC e do Ministério da Saúde para investir nos serviços prestados, relacionados a atividades educacionais. A diretoria de Ensino e Pesquisa da instituição, Lizomar Moia, que participou do acolhimento, lembrou que a Santa Casa vive um processo de recertificação, com a expectativa de visita de uma comitiva do MEC e do Ministério da Saúde no segundo semestre deste ano. “O entendimento do processo de recertificação é fundamental por parte dos estudantes das universidades e instituições de cursos técnicos. O nosso esforço é para que haja uma integração de ensino e serviço”, frisou Lizomar.

Texto:
Nilson Cortinhas


Assessor do Ministério da Saúde aprova atendimento da Santa Casa
O médico obstetra argentino Hugo Sabatino, que é assessor do Ministério da Saúde para assuntos relacionados à Rede Cegonha, esteve em Belém avaliando o atendimento da Santa Casa do Pará. Ele participou de fóruns com servidores, reuniões com a direção da instituição e visitou as instalações da maior maternidade pública do Pará.
Sobre a avaliação do serviço oferecido pela maior maternidade do Pará, o médico se disse impressionado. “Estão de parabéns. O lado humano tem um altíssimo padrão. Do ponto de vista técnico, há um interesse grande em melhorar o que se está fazendo”.
A visita técnica de Hugo foi finalizada na sexta-feira, 16, e um relatório será desenvolvido para análise do Ministério da Saúde. “O Ministério tomará providências no sentido de sugerir, não tem uma atividade impositiva. O Ministério sugere e ajuda em recursos que necessitam para implementar este modelo de humanização”.
O modelo de humanização do parto foi uma das prioridades analisadas por Sabatino. “O Ministério da Saúde está tentando implementar uma série de condutas no momento do nascimento. Como por exemplo, a posição da mulher na hora do parto”, explicou.
O médico se disse satisfeito com a implementação de partos humanizados na Santa Casa. “Não há dúvida alguma disso. O que se precisa para humanizar? Só pintar as paredes? Isso não tem muita repercussão no processo de nascimento. Então, pra poder humanizar, têm que ser cumpridos três pilares: o primeiro é respeitar os processos fisiológicos da gestação, como a posição da mulher na hora do parto; o segundo está conectado à participação multiprofissional, por exemplo, aqui, na maternidade, existem vários profissionais que estão dispostos a atender a mulher; e o terceiro pilar é o componente místico, que é o meio ambiente do nascimento não estranho para a população. E a Santa Casa vem fazendo isso”.
Hugo Sabatino foi professor da Unicamp, em Campinas e atualmente mora em Manaus e faz avaliações constantes de maternidades públicas pelo Brasil.

Texto:
Nilson Cortinhas


Publicado o resultado preliminar de seleção para monitores do Navegapará
Foi publicado nesta segunda-feira (19), o resultado preliminar dos selecionados à concessão de bolsas para monitores dos infocentros do programa Navegapará. Os Infocentros são centros públicos de acesso gratuito à internet, com serviços de capacitação básica em informática, por meio de vários cursos e oficinas.
Esses ciber núcleos fazem parte do programa Navegapará, que tem por finalidade promover a inclusão social com a inserção digital, resultando assim na democratização do acesso à internet por diversas instituições, pela sociedade como um todo e, permitindo a implantação do governo digital e de políticas públicas digitais.
Essa parceria entre a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa), possibilita a ampliação das demandas dos Infocentros, pois, os candidatos selecionados, além de receberem capacitação em várias atividades de aperfeiçoamento (informática básica, cursos de software livre, política de uso e pedagógica na internet) receberão uma bolsa no valor de R$ 300 mensal, durante 12 meses.
Essa habilitação dada aos monitores tem o objetivo de multiplicar o uso das tecnologias da informação e comunicação como instrumentos à emancipação social de comunidades, quando estão no atendimento ao público, nos espaços dos Infocentros.
Confira o nome dos selecionados preliminarmente, clicando aqui.

Texto:
Simone de Campos


Oficinas do Biizu serão ofertadas na XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro
O projeto Biizu, da Diretoria de Comunicação Popular e Comunitária da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), estará presente na XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro, que será realizada entre os dias 30 de maio e 8 de junho, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém. Durante todos os dias da feira serão oferecidas, gratuitamente, oficinas de desenho, fotografia, rádio e fanzine. As aulas irão acontecer em dois turnos (10h30 às 12h30 e 14h às 18h), com a oferta de 20 vagas por turma. As inscrições poderão ser feitas no mesmo dia, no local em que as oficinas serão ministradas.
Este ano, a oficina de fanzine será o diferencial e o destaque do projeto Biizu. “A oficina de fanzine trata-se de um tipo de publicação relacionada às artes, cinema, música, quadrinhos, poesia, literatura, etc.”, diz Rodolfo Moraes, um dos coordenadores do Biizu. Os alunos que participarem desta oficina terão a oportunidade de aprender a confeccionar um projeto de comunicação alternativa, ideal para aqueles que não têm acesso à grande imprensa.
A participação do projeto Biizu na Feira do Livro acontece desde o ano de 2011. Desde então, diversos estudantes passaram pela capacitação oferecida pelo projeto. “Quando fomos convidados para participar da feira pela primeira vez, achamos que seria um desafio, pois, teríamos um tempo menor para ministrar as aulas, porém, graças ao empenho dos nossos monitores, todas as oficinas foram um sucesso e o resultado não poderia ter sido melhor”, conta Rodolfo.
Ao final do curso, todos os alunos que participarem das oficinas receberão certificados. O projeto Biizu, que já percorreu diversos municípios do Estado, tem como objetivo estimular e desenvolver as mídias comunitárias, além de despertar talentos para a comunicação popular. Apenas nos últimos três anos, entre 2011 e 2013, o Biizu já atendeu a mais de 4,5 mil alunos de escolas da rede pública de 32 municípios do Estado.
Biizu na Feira do Livro
Local: Hangar
Data: 2 a 6 de junho
Oficinas ofertadas:
Hora: 10h30 às 12h30 e 14h às 18h
Segunda – Desenho e Fotografia
Terça – Rádio e Fanzine
Quarta – Desenho e Fotografia
Quinta – Rádio e Fanzine
Sexta - Desenho e Fotografia

Texto:
Bruna C.


Uepa participa do Congresso Brasileiro de Extensão Universitária
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) participa, desta segunda-feira (19) até o próximo dia 22 de maio, do 6º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária, no qual apresentará suas experiências na gestão de projetos e programas voltados à relação direta com a comunidade. O evento ocorre na Universidade Federal do Pará (UFPA), integrando professores e alunos de instituições de todo o país.
Na programação, a Uepa apresenta um estande com informações e dados sobre a extensão e participa das discussões. A pró-reitora de extensão da Uepa, professora Maria Marize Duarte, fará parte da mesa Universidade, Extensão e Diversidade, ao lado dos professores Assunção Amaral (UFPA), Marcos Terena (Liderança Indígena da etnia Xané, de Mato Grosso do Sul), Mestre Fumaça (Liderança do Movimento Negro do estado do Tocantins). O debate ocorrerá no dia 22, às 10h30, no Centro de Eventos Benedito Nunes, da UFPA.
Atualmente, a Uepa desenvolve 105 projetos e 16 programas de extensão, oferecendo 324 bolsas extensionistas e 320 bolsas de assistência estudantil.
O Congresso
O CBEU é uma iniciativa conjunta do Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras, do Fórum Nacional de Extensão e Ação Comunitária das Universidades e Instituições de Ensino Superior Comunitárias e Fórum de Extensão das Instituições de Ensino Superior Particulares.
A relevância do evento consiste no debate acerca dos desafios da extensão universitária no Brasil, tematizando a amplitude alcançada por esta, ao misturar o diálogo entre o saber acadêmico e o saber popular, propiciando uma rica síntese da abordagem dos problemas da realidade brasileira tanto quanto da implementação das políticas públicas até as práticas de inovação.
A temática escolhida para o 6º CBEU - Diálogos da Extensão: saberes tradicionais e inovação científica - aponta para a importância de reconhecer a existência de diferentes conhecimentos, sob a perspectiva da ciência e do senso comum. Para que, de fato, os trabalhos de extensão se constituam respostas cada vez mais dinâmicas e propositivas, é necessário um diálogo entre os protagonistas desses conhecimentos.
O 6º CBEU abrangerá trabalhos e discussões aplicáveis em todas as áreas temáticas de extensão e, ao editar os resultados das ações desenvolvidas nestas áreas possibilitará as IES, e aos públicos envolvidos novas formas de planejamento, políticas, diretrizes e indicadores.
Serviço: 6º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária
Data: de 19 a 22 de maio de 2014
Local: Universidade Federal do Pará (UFPA). Rua Augusto Corrêa, 01. Bairro Guamá. Belém.

Com informações da Agência Cidadã UFPA.

Texto:
Janine Bargas


Comunidade acadêmica da Uepa discute educação, mídia e participação social
Devido à influência e à importância da mídia para o cotidiano da sociedade, o Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) realiza, entre os dias 19 e 23 de maio, a XIX Semana Acadêmica com o tema Educação, mídia e participação social.

A Semana Acadêmica integra alunos, professores e a comunidade, que pode participar não só como ouvinte, mas também na apresentação de trabalhos. “É importante esta participação social enquanto acadêmicos, professores e pesquisadores para que possamos refletir. Precisamos estar conectados com os movimentos sociais, em como a sociedade participa ou não destas atividades e se conhece direitos e deveres”, ressalta a professora e coordenadora do evento, Rosilene Quaresma.
A programação conta com diversas atividades, desde apresentações culturais a minicursos e palestras. Segundo a professora, o evento conta com, aproximadamente, 1.900 pessoas envolvidas, entre participantes, ouvintes, professores, alunos e monitores. As inscrições começaram ainda em 2013 e seguiram até o dia 20 de abril deste ano.
Durante o credenciamento, que acontecerá no mesmo dia da abertura do evento, os participantes devem trazer, para doação, um brinquedo educativo ou um livro novo de literatura infantil. Este material será doado para a brinquedoteca da Uepa, utilizada nas atividades dos alunos do curso de Licenciatura em Pedagogia e com a comunidade em geral.
Serviço:
XIX Semana Acadêmica do CCSE. Tema Educação, mídia e participação social. Abertura nesta segunda-feira (19), às 17h, no auditório da Biblioteca Paulo Freire (Travessa Djalma Dutra, s/n – Telégrafo – entre as ruas do Una e Municipalidade)

Texto:
Janine Bargas


Idade Média é tema do projeto “Cinema, Música e História no Vestibular”
Nos dias 21 e 24 de maio ocorre mais uma edição do projeto “Cinema, Música e História do Vestibular” na seção audiovisual da biblioteca Arthur Viana, do Centur. O projeto já acontece há quatro anos e é direcionado a estudantes que estão se preparando para o vestibular. A revisão sobre os assuntos propostos é feita com o auxílio de cinema e música.
Este ano as palestras serão acompanhadas por filmes que tratam sobre assuntos relacionados com a Idade Média. Na quarta-feira, será exibido o filme “Tróia”, e no sábado, “O Gladiador”. A programação inclui ainda diversas músicas que retratam a época medieval, como “Mulheres de Atenas”, de Chico Buarque.
Bruno Magalhães, professor e organizador do projeto, enfatiza que a participação dos estudantes nesse tipo de atividade é uma maneira de aprender sem a pressão do vestibular. “O projeto traz aos alunos uma forma de aprendizado mais divertida e relaxada. Os assuntos ministrados através do cinema e da música permitem que eles aprendam sem o peso da tensão do vestibular”.
Na quarta-feira, 21, a programação começa às 15h; e no sábado, 24, às 9h. “Os alunos se divertem e participam bastante. As palestras começam no horário marcado e só terminam quando todos têm a oportunidade de tirar as dúvidas. As horas passam e ninguém percebe”, ressalta Bruno.
Quem quiser assistir as palestras só precisa comparecer nos dias e horários marcados. “Já estamos neste projeto há quatro anos e ministramos as aulas com entrada franca, para também dar oportunidade àqueles que não podem pagar um cursinho pré-vestibular”, enfatiza Bruno.
O projeto “Cinema, Música e História no vestibular” é uma parceria dos professores Bruno Magalhães e Marcio Viana com a Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (FCPTN/Centur).
Serviço: Projeto “Cinema Música e História no vestibular”
Dias: 21/05 (quarta-feira), às 15h; e 24/05 (sábado), às 9h.
Local: Biblioteca Arthur Vianna – Seção Audiovisual – 3ª andar – Centur
Entrada Franca.

Texto:
Luiz Flávio


Polícia Civil promove ações sociais em benefício da população
A Polícia Civil do Pará tem estreitado cada vez mais o relacionamento com as entidades comunitárias, como associações de moradores e Conselhos Comunitários de Segurança Pública, para promover ações que beneficiem a população. Por meio da Assessoria de Relações Interinstitucionais (ARIN), a corporação  tem promovido diversas atividades, como palestras e ações sociais voltadas à garantia de direitos e da cidadania. Atualmente, mais de 150 associações que representam comunidades na Grande Belém e interior, estão cadastradas na Assessoria, para receberem benefícios. No último sábado, 600 carteiras de identidade foram expedidas em ações de cidadania na Grande Belém pela Diretoria de Identificação 'Enéas Martins", da Polícia Civil, em parceria com a ARIN.
Já, no último dia 14, a ARIN, em parceria com a Diretoria de Polícia Especializada (DPE), promoveu uma palestra sobre violência e drogas na Escola Municipal “Edson Lima”, situada na rua Augusto Corrêa, bairro do Guamá, em Belém. A titular da DPE, delegada Ione Coelho, a socióloga Luciara Moraes e o investigador Hamilton Dias, prestaram diversas orientações a mais de 50 pessoas, entre pais, alunos e professores, no auditório da escola.
A programação, realizada de 19 às 21 horas, contou com a presença da diretora da escola, professora Sandra Parente. Durante duas horas de palestras, foram tratados assuntos diversos, como a prevenção ao tráfico e ao uso das drogas por parte dos jovens, a importância da família na orientação aos filhos sobre a violência e criminalidade, o resgate dos valores morais, entre outros. A delegada Ione Coelho destacou, em sua abordagem, a responsabilidade dos pais em repassar aos filhos a importância dos valores humanos, que estão acima dos valores materiais.
Cidadania - No último sábado, 17, a ARIN e a Diretoria de Identificação “Enéas Martins” promoveram a emissão de 600 documentos de identidade. Em duas comunidades, localizadas no distrito de Icoaraci, e no conjunto Guajará, em Ananindeua, na Grande Belém, cerca de 200 documentos foram expedidos. Na sede do Posto de Identificação Civil, na Delegacia Geral, foram expedidas quase 400 carteiras de identidade. Em Icoaraci, a emissão de carteiras de identidade ocorreu no estádio do Pinheirense. Já no Guajará, a ação social foi realizada em uma igreja evangélica.

Texto:
Walrimar Santos


Polícia Civil promove ações sociais em benefício de comunidades da Grande Belém
A Polícia Civil do Pará tem estreitado cada vez mais o relacionamento com as entidades comunitárias, como associações de moradores e Conselhos Comunitários de Segurança Pública, para promover ações que beneficiem a população. Por meio da Assessoria de Relações Interinstitucionais (ARIN), a corporação  tem promovido diversas atividades, como palestras e ações sociais voltadas à garantia de direitos e da cidadania. Atualmente, mais de 150 associações que representam comunidades na Grande Belém e interior, estão cadastradas na Assessoria, para receberem benefícios. No último sábado, 600 carteiras de identidade foram expedidas em ações de cidadania na Grande Belém pela Diretoria de Identificação 'Enéas Martins", da Polícia Civil, em parceria com a ARIN.
Já, no último dia 14, a ARIN, em parceria com a Diretoria de Polícia Especializada (DPE), promoveu uma palestra sobre violência e drogas na Escola Municipal “Edson Lima”, situada na rua Augusto Corrêa, bairro do Guamá, em Belém. A titular da DPE, delegada Ione Coelho, a socióloga Luciara Moraes e o investigador Hamilton Dias, prestaram diversas orientações a mais de 50 pessoas, entre pais, alunos e professores, no auditório da escola.
A programação, realizada de 19 às 21 horas, contou com a presença da diretora da escola, professora Sandra Parente. Durante duas horas de palestras, foram tratados assuntos diversos, como a prevenção ao tráfico e ao uso das drogas por parte dos jovens, a importância da família na orientação aos filhos sobre a violência e criminalidade, o resgate dos valores morais, entre outros. A delegada Ione Coelho destacou, em sua abordagem, a responsabilidade dos pais em repassar aos filhos a importância dos valores humanos, que estão acima dos valores materiais.
Cidadania - No último sábado, 17, a ARIN e a Diretoria de Identificação “Enéas Martins” promoveram a emissão de 600 documentos de identidade. Em duas comunidades, localizadas no distrito de Icoaraci, e no conjunto Guajará, em Ananindeua, na Grande Belém, cerca de 200 documentos foram expedidos. Na sede do Posto de Identificação Civil, na Delegacia Geral, foram expedidas quase 400 carteiras de identidade. Em Icoaraci, a emissão de carteiras de identidade ocorreu no estádio do Pinheirense. Já no Guajará, a ação social foi realizada em uma igreja evangélica.

Texto:
Walrimar Santos


Mosqueiro recebe Ação Leitura do projeto Livro Solidário
Nesta terça-feira, 20, o projeto Livro Solidário, coordenado pela Imprensa Oficial do Estado (IOE), vai realizar uma Ação Leitura no Centro Comunitário do bairro Maracajá, em Mosqueiro. A iniciativa – que já ocorreu na ilha de Urubuoca e em praças de Belém - envolve, além da leitura, contação de história e teatro de fantoche. As crianças também vão receber kits de livros para colorir. O evento está marcado para começar a partir das 10h, com a presença de alunos, professores e moradores do bairro.
O Espaço de Leitura do Livro Solidário está instalado, desde 2012, na sede da ONG Viva Mosqueiro. O espaço conta com um acervo de 1.400 livros, incluindo enciclopédias, dicionários, literatura infanto-juvenil, livros didáticos do ensino fundamental ao médio, entre outros, beneficiando professores, alunos e outros segmentos sociais. Além do incentivo à leitura, a ONG oferece cursos de capacitação profissional e atividades de geração de renda, como forma de auxiliar moradores da ilha a encontrar alternativas de trabalho.
Um dos principais objetivos do projeto Livro Solidário é transformar a realidade de pessoas em situação de vulnerabilidade social, por meio do incentivo à leitura e à educação. Para Cláudio Rocha, presidente da Imprensa Oficial do Estado (IOE), o trabalho é fundamental para o desenvolvimento da comunidade. “É uma satisfação poder contribuir para o crescimento das pessoas, sobretudo por meio de uma iniciativa de fomento à educação, como o Livro Solidário”, frisou.

Texto:
Ronaldo Quadros


Sepaq entrega 36 mil alevinos para São João da Ponta, Moju e Igarapé-Miri
A Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura (Sepaq) entregou quatro mil alevinos para comunidades de São João da Ponta, 30 mil para Igarapé-Miri e dois mil para Moju. Os peixes serão criados em cativeiro por famílias de pequenos produtores e piscicultores. A entrega foi feita pela secretária adjunta da Sepaq, Lúcia Miranda e pelo diretor de Desenvolvimento de Aquicultura, Romildo Morais.

Texto:
Christian Emanoel


Susipe e ONG Vaga Lume levam estantes produzidas por detentos a comunidades rurais do Pará
A biblioteca da comunidade Guaraná, localizada a 60 quilômetros de Santarém, recebeu uma nova estante produzida por internos do Centro de Recuperação do Coqueiro (CRC). O trabalho é resultado de um convênio firmado entre a Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) e a ONG paulista Vaga Lume.
O espaço de leitura funciona há dois anos na Escola Municipal São Félix, onde fica localizada a comunidade rural. A nova estante é de MDF certificado, feita com fibras de madeira com resina, e possui rodinhas que facilitam a locomoção pelas crianças. Raissa Lima, de 8 anos, é frequentadora assídua da biblioteca e ficou encantada com a nova estante. “Essa estante vai deixar nossa biblioteca ainda mais bonita. Gosto muito de ler e meu livro preferido é o que conta a história do nabo gigante. Queria muito uma estante igual a essa em casa”, disse a garotinha, que contou já ter lido três livros.
Além da entrega da estante, as educadoras da ONG Vaga Lume fizeram também uma dinâmica com as crianças, que aprenderam mais sobre a importância da leitura. Claudia Ferreira é a professora responsável pela biblioteca e ficou surpresa ao saber que a estante foi confeccionada por detentos. “O material é ótimo e que bom que mesmo presos eles podem contribuir para a educação de dezenas de crianças”.
O aluno Jardson Santos, de 12 anos, é um exemplo disso. No ano passado, ele fez o curso de Mediadores de Leitura da Vaga Lume e disse que a relação dele com os livros mudou. “Antes eu não gostava de ler nem estudar. Depois que comecei a frequentar a biblioteca minhas notas melhoraram e decidi ser voluntário para multiplicar o que estou aprendendo”, disse Jardson.
A Vaga Lume surgiu em 2001, a partir de um projeto piloto no Pará. Diferente de expedições de caráter exploratório ou científico, a proposta era a troca de conhecimento com a população rural. Em agradecimento, o grupo deixava uma contribuição para a criação de uma biblioteca: uma estante repleta de livros de literatura. O que antes era apenas uma lembrança, agora é um dos principais projetos da ONG. Atualmente, a Vaga Lume mantém 160 bibliotecas em comunidades de 23 municípios da Amazônia Legal, sendo que 53 delas estão no Pará, distribuídas nas cidades de Belém, Breves, Castanhal, Oriximiná, Portel, Santarém e Soure.
Marina Rodrigues, analista de Desenvolvimento Institucional da Vaga Lume, explica que a parceria com a Susipe é mais uma forma de mostrar que o trabalho desenvolvido pela ONG é fundamental para a transformação de pessoas. “Escolhemos produzir as estantes no presídio, pois é uma oportunidade que os detentos têm de ajudar comunidades na Amazônia, além deles aprenderem um novo ofício. Ou seja, é uma troca e acreditamos que quando as pessoas são transformadas elas se tornam agentes de transformação”, afirma Marina.
As 20 primeiras estantes da ONG foram feitas por internos da Susipe há 12 anos. Durante esse período, quase 400 já foram confeccionadas e a parceria será renovada para 2014. “É uma prazer muito grande renovar essa parceria, na qual eu tive oportunidade de participar em 2001, quando ainda era diretor de uma unidade prisional, em Marituba. Fico feliz, principalmente, pela finalidade social que é dada para as estantes. Muito bom saber que os detentos produzem um material usado por comunidades carentes em toda a Amazônia”, conclui o superintendente da Susipe, André Cunha.

Texto:
Timoteo Lopes


Emater realiza Dia de Campo sobre o Abacaxi em Marabá
Com o objetivo de divulgar informações sobre a cadeia produtiva do abacaxi e orientar agricultores familiares sobre o manejo e produção do fruto, o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), em Marabá, sul do estado, realiza nesta quarta-feira, dia 21, a partir das 9 horas, um Dia de Campo sobre a cultura.
Estão sendo esperadas aproximadamente 160 pessoas – além de produtores locais também participarão acadêmicos e professores ligados à área – na propriedade do agricultor familiar Jovair Soares, no projeto de Assentamento Belo Vale. A coordenação do evento está sob a responsabilidade do engenheiro agrônomo da Emater Weberson Rodrigues.
A ação apresentará ao público as variedades e cultivares do fruto, escolha e preparo de área, plantio, uso correto de agrotóxicos, orientações contra pragas e doenças, manutenção e fertilidade do solo, sistemas de irrigação, beneficiamento e comercialização, crédito rural para financiamento da cultura, entre outras informações. 

Texto:
Paula Portilho


Jatene anuncia investimentos para o nordeste paraense
A comitiva do governo do Estado, liderada pelo governador Simão Jatene, visitou os municípios de Bragança, Tracuateua e Ourém, no nordeste paraense, durante o último final de semana. Da agenda institucional constaram a entrega de Cheques Moradia, assinatura de convênios para obras de infraestrutura.
A visita começou pelo município de Ourém, na sexta-feira, 16, onde o governador Simão Jatene, acompanhado do vice-governador Helenilson Pontes, entregou 48 cheques para os moradores da cidade, somando um investimento de R$ 678,9 mil. Além do programa habitacional, gerenciado pela Companhia de Habitação do Pará (Cohab), Jatene também assinou convênios para a recuperação da rodovia PA-251, que prevêm a construção de uma piscina no centro de apoio aos idosos do município e a reforma das escola Irmã Sancha Augusta e Padre Antônio Vieira.
Em seu pronunciamento, o governador disse que todos os investimentos feitos no município só são possíveis graças ao apoio da população. “Ao longo de uma década, o Cheque Moradia já beneficiou 40 mil famílias. Isso significa que pelo menos 200 mil pessoas já receberam recursos. Isso só foi e é possível graças à contribuição de cada de um de vocês, homens e mulheres de bem que pagam seus impostos e ajudam a construir esse Estado. O governo é apenas a ferramenta e o meio nesse processo, mas quem de fato transforma a sociedade é a própria sociedade”, ressaltou Simão Jatene.
Moradora da comunidade rural de São José, a funcionária pública Antônia Marciana, 49 anos, foi uma das beneficiadas pelo programa. Ela disse que agora planeja um futuro muito mais feliz em um novo lar. “Construir a minha própria casa era um sonho antigo que eu tinha. Agora, com esse benefício, tudo vai mudar. O que era apenas um projeto meu vai se tornar uma realidade e vai transformar a vida da minha família”, afirmou.
Com dez anos de existência, o Cheque Moradia é hoje uma das cinco ações prioritárias da política habitacional desenvolvida pelo governo do Estado, por meio da Cohab. Ao longo desse tempo, o programa que vem se intensificando nos municípios do interior do Estado, tornando-se um importante instrumento de combate ao déficit e inadequação habitacional, assegurando às famílias paraenses a possibilidade de construir, reformar ou ampliar sua habitação, por meio de transferência de renda.
No sábado, 17, pela manhã, o governador esteve em Tracuateua para assinar convênios de cooperação com a prefeitura, anunciar obras de infraestrutura e entregar 43 Cheques Moradia.
Além do programa, foi assinado convênio de R$ 1,5 milhão que será aplicado na construção da Praça de Eventos. “É uma praça completa, com quiosques, área de lazer e de esportes e arquibancadas. Uma obra muito importante para todos nós”, ressaltou o prefeito da cidade, Aluísio Barros.
Outra obra fundamental é a urbanização da Avenida Mário Nogueira que, juntamente com o asfaltamento de diversas vias, já garantido pelo governo do Estado, vai “mudar a cara” de Tracuateua, colaborando para aumentar a autoestima dos moradores. O programa estadual Asfalto na Cidade está sendo levado inclusive à Vila Fátima, localidade na área de expansão do município. O governador aproveitou o encontro com os moradores de Tracuateua para anunciar a instalação de uma cobertura na quadra de esportes da cidade, uma antiga reivindicação local.
Também no sábado, no Museu da Marujada, já em Bragança, foi assinado o convênio para a construção do terminal municipal de cargas e passageiros. Orçada em R$ 2 milhões, a obra é uma das obras mais esperadas na cidade e representa um investimento expressivo em um ambiente representativo da história local: a orla do Rio Caeté.
O projeto prevê – além da construção de áreas destinadas à logística e ao embarque e desembarque de passageiros – a reurbanização de todo o espaço, contíguo à feira, que é um patrimônio cultural do município, por onde se movem a cultura e a economia locais.
Bragança é o maior polo pesqueiro do Pará: cerca de oito mil famílias vivem da pesca no município. A feira, na beira do rio, é o reduto dos pescadores e também um entreposto de venda de frutas e farinha – produto importante na economia bragantina. Daí o caráter referencial de um projeto que revitalize esse ambiente, modernizando-o e aparelhando-o com equipamentos urbanos mais apropriados.
O prefeito de Bragança, Nelson Magalhães (PT), destacou a presença do Estado na região. “É a quarta vez em um ano que o governador visita nosso município, sempre trazendo importantes obras para a coletividade”, ressaltou. Além do terminal, o governo do Estado também trabalha na recuperação da antiga Escola Monsenhor Mânsio, um dos prédios históricos mais importantes de Bragança, que recebeu investimentos de R$ 12 milhões.
O prefeito lembrou ainda a disposição do governador em investir em obras estruturantes, cujo resultado é o estímulo ao turismo, um setor que tem grande peso na economia local. Está na reta final a recuperação da estrada Bragança-Ajuruteua, com a construção de quatro pontes em concreto, e já foi consolidado o asfaltamento do acesso ao Mirante de São Benedito, no Camutá, entregue em julho do ano passado, às vésperas do aniversário de 400 anos da cidade.
À noite o governador participou da II Conferência da União da Mocidade da Assembleia de Deus do Estado do Pará. O evento foi prestigiado pelo governador Simão Jatene, atendendo convite do pastor Gilberto Marques.

Cerca de quatro mil jovens estiveram presentes no ginásio de Bragança. A presença do governador encerrou a série de atividades realizadas pela comitiva do executivo estadual durante dois dias no nordeste do Estado.
 

Texto:
Adna Figueira


Seicom promove Seminário de Agrominerais dia 22 de maio
Em continuidade à execução do Plano de Mineração do Estado do Pará, a Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), promove o Seminário de Agrominerais para o desenvolvimento sustentável do Pará, dia 22 de maio, às 8h, na Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa) com objetivo de aproximar o setor mineral dos agentes de desenvolvimento rural sustentável e dos produtores rurais visando garantir a oferta dos agrominerais, reduzir os preços dos insumos minerais para o setor agropecuário com o foco no calcário, além de difundir e disseminar o manejo sustentável dos solos com o uso dos agrominerais, buscando o aumento da produtividade.
Confira a programação abaixo:
8h – 9h - Seicom - Credenciamento
9h – 9h30 - Seicom - Abertura
Painel 1 -  Agrominerais para o desenvolvimento sustentável do estado do Pará
9h:30 – 9h:40 - Sedip: Macro estratégia e importância dos Agrominerais para o desenvolvimento sustentável do estado do Pará.
9h:40 – 9h:50 - Seicom: PEM 2030 e os Agrominerais para o desenvolvimento sustentável do estado do Pará
9h:50 – 10h10 - Embrapa: Importância dos insumos minerais para o aumento da produtividade agrícola no Estado
10h10 – 10h25 - Mapa: Importância das análises de solos para a recomendação dos agrominerais.
10h25 – 10h35 - Discussões: Rodada de perguntas e respostas
Coffee-break (10min)
Painel 2 - Dinâmica da oferta e demanda de calcário agrícola no estado do Pará
10h45 – 11h30 - Agro Pastoril do Araguaia, Globo Verde Mineração, Comina Empresa de Mineração: Oferta de calcário agrícola para o desenvolvimento sustentável do Agronegócio no Estado.
11h30 – 11h40 - Discussões: Rodada de perguntas e respostas
11h40 – 12h40 - Sagri (Política Pública para Agricultura), Faepa (Projeto Preservar) PMV (restabelecimento de áreas), Incra (Produção Agrícola nos PA e PAE) /Ideflor (produção de mudas florestais, SAF’s), Emater (agricultura familiar). Pará Rural (Projetos): Demanda de insumos minerais para desenvolvimento sustentável do setor agropecuário no Estado.
12h50 – 13h - Discussões: Rodada de perguntas e respostas
Almoço
Painel 3 - Investimentos para produção dos Agrominerais

14h30 – 15h15 - MbAC Fertilizantes: Projeto Santana, Fosfatar,Potássio do Brasil
15h15 – 15h25 - Discussões: Rodada de perguntas e respostas
Painel 4 – Fomento para o desenvolvimento sustentável do setor agropecuário do estado do Pará
15h25 – 16h40 - Banco da Amazônia, Banpará, Banco do Brasil, BNDES, Sudam
16h40 – 16h50 - Discussões: Rodada de perguntas e respostas
Painel 5 – Desafios e perspectivas para o setor de logística para os agrominerais no estado do Pará
16h50 – 18h20 - Logística (Seicom, Seinfra, Dnit, Incra, Cargill, Bunge);
18h20 – 18h30 - Discussões: Rodada de perguntas e respostas
Encaminhamentos e encerramento

Texto:
Juliana Pinheiro


Teatro e música encerram o aniversário da Estação das Docas
Complexo turístico e cultural, a Estação das Docas completou 14 anos de inauguração. E para comemorar, a Organização Social Pará 2000 preparou uma programação especial que encerrou neste domingo, 18, com teatro e música, com a Cia dos Notáveis Clwons, Clave da Lua e Yasmhin Friaça. As apresentações, sempre gratuitas, ocorreram na orla do Armazém 3.
Voltado para o público infantil, os palhaços da Cia dos Notáveis Clwons encenaram o espetáculo "Cada qual no seu barril". Divertida, a história que misturava uma disputa mal sucedida entre vizinhos arrancou risadas do público presente, de crianças a adultos.
As sonoridades do choro e do samba embalaram a programação, com os shows do grupo de Choro Clave da Lua e da cantora Yasmhin Friaça. Com repertório que passeou pelo choro, samba, bossa, baião e músicas de compositores paraenses, o Grupo Clave da Lua encantou os ouvidos mais exigentes. Em seguida, a cantora Yasmhin Friaça levantou a plateia, com direito à canções de Elis Regina, Beth Carvalho e outros compositores do gênero. Ritmo tradicional do Pará, o carimbó não ficou fora da apresentação da cantora, que interpretou várias canções, tais como “Sinhá Pureza”, “Ai, menina” e “Chama Verequete”.
Na plateia, a dona de casa Cezarina Guimarães, 65 anos, era só alegria. “Costumamos vir à Estação sempre que pudemos para apreciar o ventinho da orla e não poderíamos perder essa programação tão bonita e contagiante. A Estação está de parabéns pela festa de aniversário, com muita música boa”, comentou.
A Estação das Docas realiza diariamente programações culturais no complexo turístico. “Neste final de semana, trouxemos para a orla uma mostra dos nossos projetos regulares, Pôr-do-Som (folclore), Pôr-do-Sol (teatro infantil) e o Música no Ar. Desta forma alcançamos nosso objetivo de levar de forma gratuita um pouco da nossa riqueza e produção cultural”, avaliou a presidente da Organização Social Pará 2000, Gabriela Landé.
A programação alusiva ao aniversário da Estação das Docas foi uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), em parceria com a Organização Social Pará 2000, que administra o complexo turístico.

Texto:
Camila Barros


Pará ganha 389 novos policiais civis
O estado do Pará vai ganhar no próximo mês 389 novos policiais civis. Os novos profissionais que estão em fase de conclusão do curso de formação Técnico-Profissional da Academia da Polícia Civil, no Instituto de Ensino de Segurança do Pará (IESP), em Marituba, devem começar a atuar logo após a formatura, programada para o dia 27 de junho. “Ao todo serão formadas 14 turmas, incluindo os cargos de delegados, investigadores, papiloscopista e escrivães, que ao longo de quatro meses passaram por intensas atividades práticas e teóricas de qualificação”, explica a delegada Liane Martins, diretora da Academia da Polícia Civil do IESP.
Aluna do curso de formação para delegados, Rafaela Lacerda, 30 anos, se diz feliz com a decisão profissional e afirma que está pronta para seguir na carreira que sempre sonhou. “Ser delegada era um sonho antigo, que foi adiado por muito tempo, mas agora, graças a Deus, eu consegui realizar. Por isso, a minha expectativa é a melhor possível. Eu me sinto preparada para atuar na profissão não apenas pela minha identificação com a carreira, mas principalmente por conta da formação de excelência que eu tive aqui”, garante a futura policial.
Ex-contador da Polícia Civil, Emerson Menezes, 38 anos, aluno do curso de papiloscopia, também conta as horas para a formatura. “Para mim, ser policial civil é a realização de um sonho. Mesmo trabalhando na instituição, embora em outra área, eu não me sentia completamente satisfeito. Mas agora vai ser diferente. Eu vou seguir a carreira policial de fato, dentro da área da papiloscopia, que é a função que mais me identifico. E com isso passo a honrar cada vez mais o nome da instituição, sempre a serviço da sociedade“, ressalta o formando.
Ao todo serão formados 147 delegados, 132 investigadores, 19 papiloscopistas e 91 escrivães. O curso de formação Técnico-Profissional realizado pela Acadepol é a última etapa do concurso público da Policia Civil, iniciado no ano passado. Com aulas diárias em dois turnos, os novos policiais passaram por capacitações nas áreas de resolução de conflitos; criminologia; armamento, munição e tiro; Direitos Humanos; relações interpessoais; fundamentos de Polícia Comunitária, Atendimento Pré-Hospitalar e Gestão por Resultados, totalizando 680 horas de aula.
Segundo a delegada Liane Martins, essa é a maior turma de policiais civis dos últimos dez anos. A diretora da Acadepol avalia como positivo os resultados do curso de formação e afirma que o sucesso das aulas é graças ao planejamento realizado pela instituição. “A poucos dias da conclusão do curso a nossa sensação é a de dever cumprido. Conseguimos manter o nível de qualificação esperado, oferecendo um corpo docente especializado e uma estrutura técnica dentro das exigências das escolas de segurança pública nacional. Por isso, não tenho dúvida quanto ao preparo desses novos policiais para atuar de forma capacitada”, afirma a delegada.

Texto:
Adison Ferrera








Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...