Total de visualizações de página

sábado, maio 31, 2014

REVISTA MEDIUNIDADE: O PERDÃO DAS OFENSAS




Então Pedro, aproximando-se Dele, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu hei de perdoar? Até sete? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete.
Mateus Cap 18 Vvss 21e22 Devido a pequenez e falta de esclarecimento dos encarnados da terra, todos estão sujeitos a ofender teu próximo.
Como tu te sentes quando ofende teu próximo e ele não te perdoa? Jesus deixou bem explicito a necessidade do perdão, pois que se não perdoar teu ofensor, não terá o perdão de Deus ou da tua própria consciência.
Perdoe, perdoe quantas vezes te for necessário, mas não leve contigo para o além túmulo as pendências que mais cedo ou mais tarde terá de repará-las.
Dissemos da vossa pequenez, não entanto cresça, esclareça-te o quanto antes, pois que amanhã poderá ser tardio.
Se cresceres em espírito e esclareceres, jamais te sentiras ofendido e perdoará quantas vezes te for necessário.
Observe que quando tu ofendes teu próximo, tu sentes mal, angustiado, e triste.
O porquê desses males é porquanto tua alma se contamina, porque entras no processo de causa e efeito.
Se teu ofensor não te perdoar, recorde que o problema será todo dele, e com toda certeza ele carregará em tua alma as conseqüências da falta do perdão.
Lembremos novamente Jesus quando falou a respeito do perdão em Mateus capítulo seis, versículos quatorze e quinze.
Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas.
O perdão é necessário, pois ele é a reconciliação que tanto necessitas para cresceres e chegares a perfeição.
DR. NETO. Pelo médium José Alves de Sousa em 05/11/13







X BAILE DAS DEBUTANTES DO RANCHO HOJE ÁNOITE
Acontece hoje na sede Rancho, o X Baile das Debutantes, promoção da Escola de Samba e organizado pelo Conselho Comunitário do Jurunas. Trinta e três belas jovens da comunidade jurunense de bairros adjacentes estarão recebendo os parabéns de todos que deverão se fazer presente, naquilo que já se tornou um dos eventos principais sociais no Jurunas.

Eis as jovens que estarão debutando hoje:










 
Escolas estaduais expõem projetos na Feira Pan-Amazônica do Livro
Durante a XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro, que começou nesta sexta-feira (30), a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) vai expor projetos, programas e atividades que são desenvolvidas dentro das escolas estaduais de Belém e do interior. As exposições ficarão disponíveis no estande da Seduc em todos os dias de programação da feira e nos turnos da manhã, tarde e noite.
A Escola Estadual Dom Pedro II apresentou neste sábado (31) o projeto Histórias em quadrinhos digitais: atitudes de ética para uma transformação social, coordenado pelas professoras Angélica Grandi e Lúcia Sobreira. Na segunda-feira (2 de junho), o estande terá a exposição sobre o projeto Conexão Escolar, da Escola Estadual Ministro Alcides Carneiro, de 10 às 11h30. A Escola Pedro Amazonas Pedroso leva para a Feira do Livro o projeto Formação de uma Consciência de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural, orientado pela professora Valderina Corrêa e Madalena Pavão, de meio-dia às 13h30, no mesmo dia.
Ainda no dia 2, à tarde, o público poderá conhecer o projeto Sabão Ecológico da Irmã Albertina Leitão, da Unidade Regional de Educação de Santa Izabel do Pará. A Educação de Jovens e Adultos apresenta “Imagens: recepção, percepção e criação de imagens na discussão de relações étnico-raciais nas aulas de arte”, projeto criado pela Escola Estadual Doutor Justo Chermont.
Na quarta-feira, 4 de junho, a Seduc ministra a oficina de Letramento Visual, da Coordenadoria de Educação Profissional, no horário de 14 às 16 horas. Na quinta-feira, 5, a Escola Agroindustrial Juscelino Kubitschek de Oliveira apresenta a narrativa e memória de moradores de áreas atendidas pelos seus projetos. No dia 6, escolas de Paragominas e São Miguel do Guamá apresentam a Cartilha Recicleia, de 14 às 15 horas.
A Escola Maria Gabriela Ramos de Oliveira fará sessão de autógrafos com uma coletânea organizada com os trabalhos dos alunos que receberam destaque nos últimos anos na escola, com o objetivo de valorizar as atividades dos estudantes. Os alunos contaram, ainda, com ajuda do professor Márcio Borges para organizar o livro.

Texto:
Eliane Cardoso



Municípios Verdes discute criação de lista de produtores verdes
O Programa Municípios Verdes (PMV), do Governo do Pará, e o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) iniciaram, nesta semana, os debates para a construção de uma lista dos produtores do desmatamento zero, um ranking municipal dos produtores rurais que cumprem critérios ambientais.
A lista levará em conta critérios como o desmatamento a partir de 2008 – data em que o código florestal estabeleceu uma linha de corte para a regularização ambiental –, a adesão ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) e a porcentagem de reservas florestais existentes nas propriedades rurais, considerando os produtores que têm acima de 50% de floresta.
Segundo o coordenador de Políticas Públicas do Ipam, André Lima, ao se estabelecer uma diferenciação positiva entre os produtores rurais é possível construir uma agenda de incentivos econômicos para a manutenção da floresta em pé e para a sustentabilidade no meio rural. “Ao destacar quem desmatou de quem não desmatou, a gente quer construir com quem tem floresta, com quem está cumprindo a lei e se dispôs a fazer o CAR. Queremos construir essa agenda positiva em conjunto com esses produtores e com o apoio de cada município”, diz.
O processo de construção da lista será realizado de maneira participativa. Para o início do processo, a ser debatido com municípios e produtores, uma versão preliminar foi elaborada a partir dos dados de CAR disponibilizados pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e aplicando os demais critérios citados acima. “A ideia é estabelecer essa lista preliminar, dialogar com os produtores e com o poder político local, refinar tecnicamente e abrir o espaço para a construção com o município. No processo de construção, a gente vai estabelecendo o diálogo para a formulação de propostas voltadas à realidade local”, salienta o secretário de Estado para coordenação do PMV, Justiniano Netto.
Ainda segundo o secretário, a articulação feita pelo programa com os municípios e produtores rurais do Estado pode contribuir significativamente para a elaboração da lista. “Nosso desejo é ver políticas públicas implementadas que favoreçam e estimulem a regularidade ambiental e a produção sustentável nos municípios paraenses”, finaliza.

Texto:
Raphael Pacheco





Homenagens marcam o primeiro dia da XVIII Feira Pan-amazônica do Livro
O primeiro dia de programação da XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro está bem variado e tem como destaque os grandes homenageados desta edição: o país árabe Qatar e o escritor amazonense Milton Hatoum. Na manhã deste sábado (31), começou o seminário “Qatar: uma janela para o mundo árabe” que segue ao longo do dia com um ciclo de palestras no auditório Eneida de Moraes. Quem abriu a programação foi o embaixador do país, Mohamed Al Kayki. Entre os temas abordados estão a influência da cultura árabe na cultura brasileira e traduções do árabe para o português.
O artista plástico, poeta e compositor Bené Fonteles, natural de Bragança, no nordeste do Pará, profere a palestra “Um artista como editor e escritor”, às 18 horas, na sala 3. Às 19 horas, o escritor homenageado deste ano, Milton Hatoum, abre o Encontro Literário. Nascido em Manaus (AM) e filho de libaneses, ele é detentor de diversos vários prêmios de literatura e já teve a obra traduzida em doze línguas e publicada em 14 países.
Milton Hatoum já participou de outras edições da Feira Pan-amazônica do Livro. Em 2006, esteve no evento para lançar “Crônica de duas cidades: Belém e Manaus”, pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult), publicação fruto de parceria com o filósofo e crítico literário Benedito Nunes. Neste sábado, às 20h30, após o Encontro Literário, o escritor segue para o Ponto do Autor, onde autografará seus livros.
Outro paraense que será homenageado neste sábado é o maestro Waldemar Henrique. A obra dele e do cantor e compositor baiano Dorival Caymmi se encontram no show de lançamento do CD “Waldemar Caymmi – A travessia das águas”, da cantora Cissa de Luna. A apresentação será no auditório Benedito Nunes e terá a participação do músico Danilo Caymmi, filho de Dorival. O CD tem o selo Amazônia é Brasil, da Secult, em parceria com a Academia Paraense de Música, e foi organizado especialmente para homenagear o centenário do nascimento de Dorival Caymmi.
Meio Ambiente – Outro evento da Feira do Livro neste sábado é “Literatura e Sustentabilidade”, que reúne grandes nomes da literatura ambiental nacional. Participam do debate o jornalista da Rede Globo André Trigueiro; a jornalista de economia e negócios da Rede Globo e do jornal “O Globo” Miriam Leitão; o jornalista americano, colunista de “O Estado de São Paulo” e atual redator chefe da revista National Geographic Brasil, Matthew Shirts; e o consultor ambiental Tasso Azevedo.
“Literatura & Sustentabilidade” é promovido pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente na Amazônia (Imazon) em parceria com a Hydro, Grupo MB Capital, Skoll Foundation e Sol Informática, com o apoio da Secult. As presenças para o evento podem ser confirmadas pelo e-mail imazon@imazon.org.br ou na página do Imazon no Facebook. O encontro começa às 15 horas, no auditório Dalcídio Jurandir.
PROGRAMAÇÃO SÁBADO (31)
Auditório Benedito Nunes
11 h Espetáculo Infantil "O conto que eu vim contar" - In Bust
17h Espetáculo Infantil "Primavera Árabe” - Cia Circense Fênix
20h30 - Lançamento do CD "Waldemar Caymmi, A travessia das Águas" - Cissa de Luna com participação de Danilo Caymmi
Auditório Eneida de Moraes
15h às 16h - Conferência "A influência da cultura árabe na cultura brasileira" - Assaad Zaidan
16h às 17h Conferência “As traduções do árabe para o português  no Brasil: um roteiro" - Safa Jubran
17h às 18h Conferência "As mil e uma noites: a arte da narrativa entre os árabes" - Mamed Mustafá Jarouche
Auditório Dalcídio Jurandir
Encontro "Literatura e Sustentabilidade"
15h - Bate-Papo André Trigueiro
16h30 - Bate-Papo Tasso Azevedo e Matthew Shirts
17h30 - Bate-Papo Miriam Leitão
Encontro Literário
19h – Encontro Literário Milton Hatoum (AM)
Ponto do Autor
19h – Miriam Leitão, André Trigueiro e Matthew Shirts
19h30 – Bené Fonteles - RJ
20h30 – Milton Hatoum - AM
Sala Marajó
VI Salão Internacional de Humor da Amazônia
19h – Espetáculo de Teatro Chão de Lobos (sobre a obra de Dalcídio Jurandir) – Waldinei do Carmo de Souza, Willi Bolle e Marinilce Coelho. Participantes: alunos e professores da Escola Estadual Celso Malcher
Espaço Educação – Seduc Sala 1
14h às 15h – Oficina “Alimentação Alternativa” – Andréa Pinto e Cristiane Ferreira
15h30 às 16h30 - Oficina “Alimentação Alternativa” – Andréa Pinto e Cristiane Ferreira
17h às 18h30 - Oficina “Lousa Digital: capacitação e aplicabilidade” – Aderilson Parente e Magna Andrade
19h às 20h30 - Oficina “Manutenção de computadores” – Luís Cláudio Ferreira de Souza
Sala 3
18h às 19h – Palestra “Um artista como editor e escritor” – Bené Fonteles
Sala 04
14h às 18h – Turma I: Curso de formação de promotores da leitura / Público geral – Maurício Leite (DF)
Auditório II Cinema
Mostra de Cinema
16h30 - “A cor das oliveiras” (The color of olives) (México/Palestina, 2006, 97 minutos). Direção: Carolina Rivas
18h30 - “Baba Aziz - o príncipe que contemplava a sua alma” (França/ Alemanha/ Tunísia/ Reino Unido, 2006, 96 minutos). Direção: Nacer Khemir
Espaço Infantil
15h - Contação de história: "O conto que te conto - As mil e uma noites" - Vandiléia Foro
16h - Curtas do Festival Decididamente Animados: “Até os patos vão para o paraíso” (França, 2007, 9 minutos) / “Borboleta” (França, 2005, 3 minutos)/ “Entre duas migalhas” (França, 2005, 5 minutos)
17h - Espetáculo de Teatro "Maninho cadê as árvores" - Trupe de Bubuia
18h - Contação de história: "As mil e uma noites com Sherazade e Aladim" - Cleber Cajun e Camila Góes
19h - Espetáculo de Teatro "Mocambo" - Grupo Pião Rodado

Texto:
Sonia Ferro


Paratur recebe voo inaugural Belém-Lisboa com show de carimbó
A partir desta terça-feira (3), a companhia aérea portuguesa TAP começa a operar com voos diretos entre Belém e Lisboa, ligando a capital paraense a diversos destinos da Europa. Essa nova rota, que terá três frequências semanais em um voo triangular Belém-Lisboa-Manaus, já era aguardada há décadas pelos paraenses, que agora, estreitam os lanços com o país guardião das suas origens históricas e culturais.
A Companhia Paraense de Turismo (Paratur), consciente da importância desse momento para o turismo da Amazônia,  preparou um receptivo especial para a chegada dos 268 passageiros que virão a bordo do voo inaugural. “Nossa equipe de marketing vai receber os passageiros com um belíssimo show de carimbó, informações turísticas e outras estratégias inerentes à receptividade dos paraenses, colocando o Pará na preferência dos turistas europeus”, afirma o presidente da Paratur, Marcelo Mendes.
Além de ligar a Amazônia à Europa, os voos vão aumentar o fluxo turístico na capital paraense e também nos demais polos, a exemplo do Tapajós (Santarém e Alter-do-Chão), que, além de receber turistas que partirão da capital paraense, também deve receber fluxo de Manaus (AM), onde o voo da TAP fará escala. O Marajó é outra região que deve atrair esse público, em especial os municípios de Soure e Salvaterra, no maior arquipélago fluvial e marítimo do mundo.
O gerente executivo da TAP em Belém, Douglas Lima, assegura que os benefícios ao Pará com a chegada desse novo voo são muitos. “Nossa equipe de trabalho na TAP Belém, com cerca de 45 profissionais que atuam direta e indiretamente na comercialização e logística do aeroporto, é formada por mão de obra quase exclusivamente de Belém”, diz ele, ao informar que o voo inaugural, na terça-feira, virá com 244 passageiros na classe econômica e 24 na executiva.
“Já foram comercializados mais de dez mil bilhetes para o voo triangular Lisboa, Belém e Manaus”, informa Douglas Lima, ao explicar que as passagens custam entre US$ 799 a US$ 4 mil, dependendo do período da viagem. O voo também chega como opção para o transporte de cargas, incrementando a importação e exportação de produtos entre o Pará e a Europa.
O receptivo para o voo inaugural da TAP começa às 17 horas, no Aeroporto Internacional de Belém. O voo chega a Belém às 17h40 e parte às 19h15. O show de carimbó será por conta do grupo Mistura Regional, que trabalha com a Paratur nos receptivos turísticos de caráter promocional.

Texto:
Benigna Soares


Hemopa promove campanha no clima de Copa do Mundo


“O futebol corre em nossas veias. A generosidade também. Doe sangue”. Esse é o tema da campanha de incentivo à doação voluntária de sangue que a Fundação Hemopa desenvolverá para suprir o estoque estratégico do hemocentro e para dar suporte ao Hemocentro do Amazonas, como determinou o Ministério da Saúde. O apoio a Manaus leva em conta o grande fluxo de turistas que a cidade receberá por ser uma das sedes dos jogos da Copa do Mundo 2014.
No Hemopa, em Belém, a campanha ocorre entre os próximos dias 7 e 14, com a meta de coletar 300 doações diariamente. Atualmente, o hemocentro está com a capacidade de atendimento reduzida em torno de 30%, exatamente o percentual exigido pelo Ministério da Saúde para que os hemocentros elevem a quantidade de doações na rede brasileira, para atender a demanda da Copa do Mundo, numa eventual necessidade de suporte hemoterápico nas doze cidades que serão sede do mundial.
Em Belém, a Gerência de Captação de Doadores do Hemopa elaborou programação comemorativa para receber antigos e novos doadores. A abertura da ação contará com mobilização artística com Jorginho Gomez, Forró do Chefe, Grupo Skema, Sorriso Moleque e Camila Tavares. Durante a ação, haverá distribuição de camisetas, doadas por instituições parceiras, lanche especial e ambiente total decorado com a temática da Copa.
Em Abaetetuba (Henab), nordeste do estado, a campanha será de 9 a 13 deste mês. A mobilização tem a meta de 100 doações. Durante toda a ação, haverá distribuição de camisas, decoração em verde e amarelo, distribuição de bandeiras do Brasil e lance especial com mingau de milho.
Em Capanema, também no nordeste do Estado, a campanha vai de 9 a 20 de junho, com a meta de 100 bolsas coletadas por dia. A ação também vai recrutar novos doadores de medula óssea. Os voluntários serão brindados com camisetas e outros brindes, doados por parcerias. Técnicos repassarão orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), dengue e hábitos saudáveis de vida. A mobilização terá o apoio das secretarias municipais de Saúde de Capanema, Bragança e Tracuateua.
A ação estratégica referente à Copa do Mundo 2014 ocorre conjuntamente nos municípios de Castanhal, Marabá, Santarém, Abaetetuba, Capanema, Redenção, Tucuruí e Altamira.

Texto:
Vera R. Rojas


Estado investe na pavimentação de 21 km em Xinguara
Hoje em dia, quem trafega pelas principais ruas de Xinguara, no sul do Pará, já começa a perceber uma significativa transformação na paisagem urbana, graças ao Programa Asfalto na Cidade, do governo do Estado. Em parceria com a administração municipal, o Estado investe na pavimentação asfáltica de 21 quilômetros de vias na sede da cidade e em três distritos, destinando um aporte de mais de R$ 5 milhões. Os recursos são majoritariamente do Tesouro do Estado. A prefeitura municipal também destina investimentos de cerca de R$ 1 milhão, como contrapartida das obras.
A largada dos trabalhos foi dada no início de maio, no bairro do Itamarati, o mais populoso de Xinguara, onde os trabalhos já estão bem adiantados. Lá, pelo menos dois quilômetros já foram pavimentados. A Rua Seis, por exemplo, está praticamente pronta e, atualmente, recebe apenas as obras de meio-fio e sarjetas, de responsabilidade da prefeitura, bem como os serviços de drenagem e de construção de calçadas (em alguns pontos). As ruas Oito, Nove e Dez também já estão recebendo o asfalto e, assim como a Rua Seis, interligarão aquela região da cidade à Rodovia BR-155, principal via de interligação do município.
Gerente da Terra Santa Construtora e Incorporadora – uma das duas empresas que executam as obras –, Sílvio da Silva explica que os serviços no bairro estão sendo feitos com Tratamento Superficial Triplo, uma espécie de “asfalto frio” que resulta de um processo mais simples e eficaz se comparado às técnicas atuais. “Primeiro, trabalha-se com a preparação de subleitos, sub-bases e bases. Logo em seguida é feita a aplicação de uma capa asfáltica de três camadas, com brita e selante. O resultado é capa bem resistente, que deverá solucionar o problema de ter muita poeira nas ruas e, consequentemente, na casa das pessoas”, explica.
Para o autônomo Edmar Siqueira, de 43 anos, a proposta tem dado certo e atende a expectativa dos moradores. “A cidade já começou a ficar limpa, e isso é benéfico para todos. Desde quando cheguei a Xinguara, há cerca de 16 anos, essa a primeira vez que vejo um trabalho com essa abrangência na cidade, quanto à cobertura asfáltica. Assim como a minha rua, a maioria sempre foi só de terra e, sem dúvida, com esse asfalto vai ficar melhor em todos os sentidos. A expectativa de todos tá grande para que os serviços sejam concluídos logo”, comenta.
Avanço – Na Avenida Hermes Dantas (antiga Amazonas), uma das principais da cidade, localizada no bairro do Centro, a pavimentação está sendo feita em Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ). Os serviços, executados pela CFA Construções, Terraplenagem e Pavimentação Ltda., também estão acelerados. Os trabalhos de base e de preparação do terreno ao longo da avenida já alcançam os 80%, segundo o levantamento da empresa. Após essa etapa, aplicação da camada asfáltica ocorre em seguida, em um processo mais rápido. Ao todo, serão cinco quilômetros pavimentação em CBUQ, para o quais está sendo aplicado mais de R$ 1,6 milhão. 
Além do Itamarati e do Centro, outros três bairros estão sendo contemplados com asfalto, o Nova Xinguara, o Selecta, e o Marajoara 2. Três distritos também recebem as obras: Rio Vermelho e São Francisco, com 1,5 quilômetro de pavimentação em cada, e o distrito de São José do Araguaia, considerado o principal polo turístico do município por abrigar a praia do Pontão. Em São José serão mais dois quilômetros de asfalto, como parte dos 16 quilômetros em TST previstos para serem executados em Xinguara. Destes, inicialmente dez quilômetros foram assegurados. Os outros seis quilômetros estão previstos em aditivo.
Para o prefeito Osvaldinho Assunção, os 21 quilômetros de asfalto irão mudar a cara e a autoestima da população de Xinguara. “Vai ajudar muito a nossa cidade, que é nova – tem 32 anos completados recentemente, em maio – e carece muito de infraestrutura urbana. Além disso, vai dar uma nova aparência à cidade e mais qualidade de vida para a nossa população, porque uma rua asfaltada traz mais conforto e limpeza, além de permitir mais acessibilidade a todos. E tudo isto só é possível graças a essa parceria”, diz.
Detalhamento da obra:
Asfalto na Cidade - Pavimentação de 21 km em Xinguara
Início: maio de 2014
Previsão de término: 150 dias
Andamento: CBUQ – 16%, TST – 30%
Valor global: R$ 5 milhões + contrapartida
CBUQ: R$ 1.619.826,33
TST: 2.129.744,51 + R$ 1.277.847,08
Empresas Responsáveis: Terra Santa Construtora e Incorporadora e CFA Construções, Terraplenagem e Pavimentação Ltda.
Secretaria Responsável: Secretaria de Obras Públicas (Seop)

Texto:
Amanda Engelke


Feira Pan-Amazônica do Livro abre com grande público
O primeiro dia da XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro levou uma multidão ao Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém. Desde o fim da tarde de sexta-feira (30), o público já começava a lotar as dependências do evento, que este ano apresenta o Qatar como país homenageado. No auditório Benedito Nunes, a cerimônia de lançamento reuniu representantes do país árabe e teve a presença da governadora em exercício, desembargadora Luzia Nadja Nascimento, do titular da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), Paulo Chaves, do embaixador do Qatar, Mohamed Al Kayki, e da coordenadora do projeto Qatar Brasil 2014, Rafah Mouafak Barakat.
“Para o Governo do Pará é uma honra homenagear um pais tão importante do mundo árabe e com uma diversidade cultural tão rica como o Qatar. Estamos muito felizes com essa iniciativa da Secretaria de Cultura, pois eventos assim incentivam o intercâmbio cultural entre terras distantes e fazem com que essas diferenças, a priori não entendidas, sejam cada vez mais integradas”, destacou a governadora em exercício, após recepcionar os membros da comitiva do Qatar.
Para o titular da Secult, a inauguração de mais uma Feira Pan-Amazônica é o resultado direto de um projeto que deu certo. “Como começamos a planejar uma feira do livro, inicialmente no Centur, há 18 anos, e não imaginávamos a proporção que ela iria tomar, mas hoje, com esse espaço lotado, com o crescimento de livros e editoras presentes, com a expectativa gerada a cada novo país e novo escritor homenageado e com uma programação cada vez mais diversa, posso dizer sem medo de errar que a Feira Pan-Amazônica já ultrapassou os limites de uma feira do livro há muito tempo e hoje se consagra com a maior feira cultural do Estado”, ressaltou Paulo Chaves.
Após a solenidade de abertura, acompanhada ao som da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) e do Coro Infanto-Juvenil Vale-Música, a governadora em exercício e representantes do país homenageado visitaram as dependências da feira, que este ano conta com 221 estandes. “Fiquei surpreendida com a receptividade dos paraenses e com a estrutura do evento. Não esperava essa grandiosidade toda. Portanto, só tenho a agradecer pela oportunidade e iniciativa do governo em homenagear o meu país”, afirmou Rafah Mouafak Barakat.
Escritor homenageado da XVIII Feira Pan-Amazônica, Milton Hatoum aproveitou o primeiro dia do evento para conhecer de perto a estrutura do espaço, que dispõe de uma área de 24 mil metros quadrados, com estandes de 500 editoras. “Essa não é minha primeira feira do livro em Belém. A  Pan-Amazônica já faz parte do calendário de eventos literários nacionais, portanto, desperta meu interesse estar aqui. A diferença desse ano é essa homenagem, que fico muito feliz e grato em receber, mas sempre deixando claro que a maior homenageada mesmo desse evento é a literatura”, disse o autor.
A XVIII Feira Pan-Amazônica segue até o dia 8 de junho, de 10h às 22h, com uma extensa programação cultural. Toda a agenda do evento pode ser conferida no site www.feiradolivro.pa.gov.br.

Texto:
Adison Ferrera


Cheia dos rios Tapajós e Amazonas atinge marca história
Esta sexta-feira (30, é um dia histórico no oeste paraense. Em 2009, os níveis dos rios Tapajós e Amazonas alcançavam a marca de 8,31 metros, quando ocorreu a maior cheia da história do Baixo Amazonas. Na quinta-feira, a régua da Agência Nacional de Água (ANA), monitorada pela Defesa Civil Estadual, registrou a marca de 8,1 metros e, nesta sexta, a régua cravou 8,08 metros, 23 centímetros abaixo da marca histórica. No período de cheia deste ano, o maior nível alcançado pelo rio Tapajós foi a marca de 8,2 metros.
"Ficamos a onze centímetros da marca de 2009. Hoje, podemos afirmar que Santarém dificilmente decretará estado de emergência. As águas ainda ocupam grande parte da cidade, mas descem com cautela. A Defesa Civil Estadual continua monitorando a região, e em nossa jurisdição temos sete cidades que decretaram estado de emergência, e duas delas já tiveram o reconhecimento federal, que são Aveiro e Alenquer", explica o tenente coronel Luís Claudio Rêgo, coordenador Núcleo Regional da Defesa Civil Estadual em Santarém.
Até o momento, Monte Alegre, Alenquer, Óbidos, Almeirim, Aveiro, Terra Santa e Porto de Moz decretaram estado de emergência. Na enchente deste ano, todas as cidades do oeste ficaram em estado de alerta. A maioria teve suas primeiras ruas alagadas. Segundo a Defesa Civil, cerca de 21 mil famílias foram atingidas pelos impactos da cheia no oeste paraense.
Em Santarém, foi instalada uma sala de gerenciamento de crise. O objetivo é concentrar e gerenciar as informações a respeito da situação da região. O coordenador da Defesa Civil do Pará, coronel José Almeida, que esteve em Santarém para atualizar os planos de contingências locais dos 15 municípios da região, ameaçados pelas enchentes, disse que as ferramentas meteorológicas apontam que as bacias dos rios Tapajós e Amazonas ainda vão aumentar durante os próximos 30 dias.
Planejamento –"Por causa dessas problemáticas, decidimos nos reunir de forma extraordinária com todas as coordenadorias, que envolvem os órgãos parceiros de esfera municipal, estadual e federal para rever os planejamentos que estão sendo desenvolvidos em todo o Estado. A Defesa Civil trabalha nos três níveis de governo. O ponto fundamental é o plano de trabalho e quem vai gerenciar essas ações é o próprio município, que recebe o recurso, ou o Estado, que vai gerenciar de forma abrangente se responsabilizando pela entrega das ajudas humanitárias, disse o coordenador.
Ele garante a presença, na região, dos órgãos que atuam nessa situação de desastre e pós-desastre, como a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), que já está com equipes visitando os municípios afetados. “Existe uma grande preocupação com a baixa das águas devido a surtos de doenças relacionadas à água, e para evitar essa surpresa, já estamos preventivamente trabalhando uma ação antes mesmo dos rios começarem a baixar", explica o José Almeida.
Em relação ao fato de o nível dos rios estar distante dos níveis alcançados em 2009, o coordenador analisa que as afirmações são feitas sobre previsões. "É difícil fazer essa afirmação, porque a ferramenta trabalha com previsão, mas o fato é que estamos idênticos a 2009, com uma diferença: os municípios têm se preparado mais, porque na data de hoje (sexta-feira), no mesmo período em 2009, todos os municípios do Baixo Amazonas já estavam em situação de emergência, e este ano foi diferente, tendo Santarém como grande exemplo de preparação, que está resistindo ao fenômeno da enchente até hoje e não decretou situação de emergência, mas tem suas ações bem planejadas, bem trabalhadas fazendo resistir mais ao impacto", avalia o coronel.
O prefeito de Aveiro, Olinaldo Barbosa, afirma que a cidade está bastante castigada e que já recebeu o reconhecimento federal. "A cheia foi grande. Já estamos amparados, mas até o momento esperamos uma ajuda mais concreta", diz.

Texto:
Alailson Muniz


Governadora em exercício inaugura novo Fórum de Tomé-Açu
A população de Tomé-Açu, no nordeste paraense, ganhou um novo Fórum, que foi entregue nesta sexta-feira (30), pela governadora em exercício, Luzia Nadja Nascimento. O Fórum Dra. Nezilda de Melo Bentes, sede da 2ª região judiciária, oferece aos habitantes do município modernas instalações e total acessibilidade com orientação em braile e piso tátil para portadores de deficiência visual.
A governadora em exercício destacou que os novos fóruns entregues pelo Poder Judiciário têm a preocupação com a acessibilidade. “As novas instalações ajudarão o trabalho que vem sendo desenvolvido pela Comarca com o objetivo de garantir justiça e paz social”, afirmou.
Nadja Nascimento salientou a importância das parcerias entre os poderes e as instituições que compõem o sistema de Justiça: Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública. “Formamos um tripé e cada um contribui com suas atribuições para que a justiça ocorra de forma séria e rápida”. Ela destacou ainda a importância de se garantir o direito dos cidadãos. “Sejamos construtores de um presente que assegure um futuro melhor”, concluiu a desembargadora.
Segundo o juiz substituto da Comarca de Tomé-Açu, David de Paiva Albano, existem atualmente cerca de 3,5 mil processos em trâmite na Vara Única da  Comarca de Tomé-Açu. “Estamos cumprindo as metas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça, que determina que sejam julgados processos em maior número do que os distribuídos no ano corrente”, explicou.
O juiz disse ainda que o novo Fórum segue os padrões previstos pelo Conselho Nacional de Justiça. “Agora temos um salão de júri com 44 lugares, sala para testemunhas, sala de reconhecimento de pessoas, celas, tudo dentro de um alto padrão”, ressaltou.
O presidente em exercício do Tribunal de Justiça do Estado (TJE), desembargador Claudio Montalvão das Neves, também participou da inauguração. Ele elogiou as novas instalações e parabenizou os funcionários do Fórum pelo trabalho que vem sendo realizado na Comarca. “Além de ser um prédio dentro dos padrões de excelência arquitetônica, temos certeza que o atendimento ao público vai melhorar bastante com o conforto oferecido”, disse.

Texto:
Janise Abud


Curso capacita defesas civis de municípios do Baixo Amazonas
Foi encerrado na tarde desta sexta-feira (30), em Santarém, no oeste paraense, o curso de gerenciamento de desastres e riscos. A capacitação, que teve duração de uma semana, foi oferecida às Defesas Civis Municipais, por meio da Defesa Civil Estadual e da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec).
O curso faz parte do planejamento do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e objetiva criar mecanismos de prevenção às catástrofes e aos desastres naturais. "O objetivo é fortalecer a prevenção para evitar ao máximo perdas humanas e danos materiais. O curso é elaborado em etapas e teremos outra após a Copa", explica a instrutora do curso, Ana Maria Escurra.
Ana Schuwz, que também foi instrutora do curso, disse que a metodologia faz com que os municípios compartilhem realidades para elaborarem propostas de soluções. "Soluções para amenizar os efeitos dos desastres naturais da região. Esse compartilhamento de experiências e realidade ajuda bastante", argumenta.
A capacitação ocorre em várias cidades do Brasil. No oeste paraense, Santarém é polo desse treinamento. Para a coordenação do Núcleo Regional da Defesa Civil Estadual, o fato de que todas as cidades estão passando por momentos difíceis devido à cheia ajuda a fortalecer a cultura de prevenção.
"O momento é oportuno porque estamos vivendo uma situação de fato real, que a gente vai poder colocar em prática todo esse conhecimento adquirido. Todas as defesas civis vão poder colocar em prática esses conhecimentos em suas devidas cidades", justifica o tenente coronel Luís Cláudio Rêgo, coordenador Núcleo Regional da Defesa Civil Estadual em Santarém.

Texto:
Alailson Muniz


Projeto 'Por que a gente é assim?' exibe documentário no IAP
Nesta segunda-feira, 2 de junho, o Cineclube Alexandrino Moreira apresenta o projeto “Por que a gente é assim?”, da produtora carioca Matizar Filmes. A série, composta de seis episódios de 26 minutos cada, tem em sua grade o curta “Na Canoa Para Aprender”, dos documentaristas paraenses Danielle Franco e Bruno Assis. A sessão começa às 19 horas, no Teatrinho do Instituto de Artes do Pará (IAP), com entrada franca.
Criado pela produtora Matizar Filmes, com direção geral de Guilherme Coelho, o projeto foi desenvolvido durante o ano de 2010, e em 2011 foi exibido no Canal Futura, com interação entre diretores, produtores e profissionais relacionados aos temas abordados, em debates ao vivo após as exibições. “Por que a gente é assim?” é um projeto com formato em série, que surgiu para indagar acerca dos valores que norteiam as escolhas cotidianas dos brasileiros e estimular a reflexão. Cinco eixos temáticos articulam os debates principais em torno do projeto: educação, autoridade, fé, preconceito, consumo e sexo.
“Mais que discutir, concordar ou discordar, queremos contar, e, a partir daí, estimular a reflexão. ‘Por que a gente é assim?’ nasce da nossa convicção de que as profundas – e positivas – mudanças sociais ocorridas no Brasil nos últimos 20 anos devem nos conduzir a uma reconsideração de nossos valores éticos, mais no campo da política da vida cotidiana do que no da grande política partidária”, explicou. Como resultado, a série incita uma pausa para reflexão e indicará a nação do que se quer ser século XXI adentro.
Único representante do Pará, o documentário em curta-metragem “Na Canoa Para Aprender” foi filmado na Ilha do Combu, em setembro de 2010, e mostra a vida de Joel, 15 anos, e sua relação com a ilha e o vai e vem pelo rio Guamá em cima de rabetas que ele mesmo constrói. O curta integra o tema educação.
“Queremos mostrar como conceitos e valores que formamos, escolhemos e trocamos atravessam todas as nossas decisões cotidianas. Como encaramos a escola? Realmente a valorizamos? Como reagimos ao poder e ao preconceito? Como a fé nos ajuda a seguir? Ou será que não ajuda?”, incita o diretor Guilherme Coelho. Para, ele o principal com o projeto não é responder as perguntas, mas, principalmente, discuti-las, estimulando uma reflexão coletiva.
Serviço: exibição dos episódios do projeto “Por que a gente é assim?” – Matizar Filmes (RJ). Segunda-feira, 2 de junho, às 19h, no Cineclube Alexandrino Moreira – Teatrinho do IAP. Entrada franca.

Texto:
Danielle Franco


Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz abrirá o Festival Internacional de Música
A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) fará a abertura oficial do XXVII Festival Internacional de Música do Pará, neste domingo, 1º de junho, às 20h30. Sob a regência do maestro titular, Miguel Campos Neto, a OSTP vai apresentar um repertório de compositores russos dos séculos XIX e XX. A entrada é franca.
“Será uma noite russa, com compositores russos, que não foi pensada como tal, mas acho que os russos desse período, fim do século XIX e início do século XX, escreveram música altamente opulenta para orquestra, músicas muito boas orquestrais, repertório muito bom de se fazer para orquestra”, diz o maestro sobre o que a OSTP apresentará ao público que for ao teatro na noite de abertura do festival.
Além das composições para orquestra, haverá solos de piano. Para este momento do concerto, a orquestra receberá um convidado especial, o pianista carioca Daniel Burlet, que vive em Petrópolis (RJ), cidade sede de um dos maiores festivais de inverno do país. O músico, que toca piano desde os 6 anos de idade, tem no currículo várias premiações em concursos nacionais e internacionais. Na apresentação com a OSTP, Daniel Burlet irá executar concertos para piano do compositor russo Serguei Rachmaninoff.
O pianista está em Belém pela primeira vez, e fará sua estreia no Festival de Música da Fundação Carlos Gomes. “É a primeira vez em Belém, para participar da abertura do festival. São quatro concertos, e os três primeiros são muito românticos, apesar de ele ser um compositor moderno”, descreve o músico.
O XXVII Festival internacional de Música do Pará é uma promoção do Governo do Pará, por meio da Fundação Carlos Gomes. A programação começa no dia 1º e vai até 8 de junho. Serão mais de 30 concertos e várias atividades pedagógicas, como oficinas, palestras e cursos.
Serviço: concerto de abertura do XXVII Festival Internacional de Música do Pará, com a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, sob a regência de Miguel Campos Neto e solos de piano de Daniel Burlet. A apresentação será neste domingo, 1º de junho, às
20h30, no Theatro da Paz. Entrada franca, com retirada de ingressos na bilheteria do teatro, nos dias do concerto, a partir de 9 horas.

Texto:
Rosa Cardoso


Abaetetuba recebe o projeto Pará Aquático neste sábado
O projeto Pará Aquático, uma iniciativa da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), será lançado no município de Abaetetuba, na região do Baixo Tocantins, neste sábado (31), às 10 horas. O local escolhido para o evento é uma das ilhas do rio Quianduba, que fica próxima à cidade.
A prefeita de Abaetetuba, Francineti Carvalho, confirmou o convênio com a Seel, e o município passa a integrar o projeto, que já está instalado em São Domingos do Capim, na região nordeste do Estado, e Portel e Ponta de Pedras, na ilha do Marajó. Em Abaetetuba, o projeto será coordenado pela Secretaria de Assistência Social e Educação.
O Pará Aquático é executado pela Seel, em parceria com as prefeituras de cada município onde as atividades serão desenvolvidas, e a Federação Paraense de Canoagem. As ações do projeto preveem a doação à comunidade ribeirinha de kits formados por caiaques-escola com capacidade para uma pessoa, remos e coletes salva-vidas, funcionando como uma escolinha.
Os professores serão capacitados com prática e teoria pelos técnicos da Seel e da federação. Eles repassam as técnicas aos alunos, que serão os multiplicadores desses ensinamentos. A ideia é despertar talentos locais e descobrir futuros atletas da canoagem. Em março deste ano, a Seel doou 59 caiaques, seis barcos de grande velocidade e dez canoas olímpicas para a federação de canoagem, o que garantiu a expansão do projeto Pará Aquático a várias regiões do Pará onde predominam ambientes de rios, praias, lagos e igarapés, propícios às práticas aquáticas.

Texto:
Dedé Mesquita


Pacto pela Educação será destaque do estande da Seduc
O Pacto pela Educação do Pará será tema do estande da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) na XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro, que ocorre desta sexta-feira (30) a 8 de junho, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia. O pacto, que conta com recursos de US$ 350 milhões, é um compromisso firmado no Estado pela melhoria na educação, com a meta de aumentar em 30% o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).
O Pacto pela Educação requer parcerias amplas entre instituições do poder público e privado e da sociedade em geral. O estande de 75 metros quadrados – que é adaptado para o acesso de deficientes físicos – foi pensado para uso pleno de professores e estudantes da rede pública de ensino na apresentação de trabalhos e de projetos pedagógicos e culturais desenvolvidos apenas no ambiente escolar e que, agora, terão visibilidade no evento.
Como parte das atividades permanentes do estande da Seduc na Feira do Livro, o visitante contará com mesas de xadrez escolar e jogos ao redor do mundo. Um palco foi montado para receber o grupo do Projeto Rádio Escola, do município de Bragança, no nordeste paraense. A Rádio da Web da Seduc conduz programação ao longo do evento, com apoio da equipe do Núcleo de Tecnologia Educacional de Belém.
Durante a semana, o evento conta também com sala multiuso e espaço de educação com programas e projetos da Secretaria Adjunta de Ensino, onde haverá oficinas, palestras e mesas redondas. Além de estantes com livros do Sistema Estadual de Bibliotecas Escolares, no estande 15 banners apresentam as metas do Pacto pela Educação.

Texto:
silvialeao


Seel apoia o circuito de corrida de rua Belém Night Run
Correr pelas ruas de uma cidade já é uma verdadeira “febre” entre os praticantes desse esporte em todo o mundo. Belém não ficou de fora, e o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), apoia a versão noturna dessas corridas no Circuito Corujão Belém Night Run, neste sábado (31), a partir das 23 horas, no bairro de Batista Campos.
O circuito será disputado em três etapas, ao longo deste ano. A primeira etapa do circuito terá largada deste sábado, quando cerca de 1,5 mil atletas vão percorrer sete quilômetros pelas ruas da capital paraense. Participam do evento atletas profissionais e amadores e simpatizantes das atividades físicas, em especial da corrida, que traz inúmeros benefícios à saúde e a quem procura adotar um estilo de vida mais saudável. Atletas cadeirantes e pessoas com deficiência também marcarão presença.
A marca Belém Night Run é conhecida por promover grandes eventos esportivos na capital paraense e tem duas versões. A primeira – Circuito Corujão –, com nove quilômetros pelas ruas do Centro Histórico de Belém, e a segunda tem 42 quilômetros, com a Supermaratona de Revezamento.
Em junho do ano passado, a corrida pelo Centro Histórico foi disputada por cerca de dois mil corredores e teve o percurso de nove quilômetros. Já a Super Maratona de Revezamento, em fevereiro deste ano, teve recorde de inscrição, com 140 equipes e cerca de mil atletas. Na corrida deste sábado, os atletas vão correr o primeiro circuito da região Norte, que também pretende entrar para o calendário esportivo do Pará, como já ocorre com outras grandes corridas de rua em todo o país.
Percurso – A largada será na praça Batista Campos, ao lado do Colégio Santa Rosa, seguindo pela rua dos Tamoios, avenida Serzedelo Correa, rua dos Mundurucus, avenida José Bonifácio, avenida Conselheiro Furtado, praça Amazonas, avenida Roberto Camelier, rua dos Tamoios e chegada à praça Batista Campos, mesmo lugar da saída.
Postos de hidratação serão instalados a cada dois quilômetros do percurso para garantir o condicionamento físico dos atletas. Ambulâncias e atendimento médico darão o suporte no trajeto dos corredores, que também terão o apoio dos órgãos de segurança, entre eles a Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob), Guarda Municipal, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Cruz Vermelha Brasileira e Secretaria Municipal de Saúde (Sesma). A entrega dos kits dos atletas, que começou na quinta-feira (29), segue até sábado, na loja Leão Suplementos, localizada na avenida Braz de Aguiar, 322, no horário das 9 horas ao meio-dia.
O coordenador geral do circuito, Anatólio Thiers, explica que na segunda etapa, no dia 9 de agosto, a largada será na avenida Visconde de Souza Franco (Doca), e na terceira, no dia 8 de novembro, no Portal da Amazônia. “O Circuito Corujão, além de incentivar a prática ao esporte e intercâmbio cultural, é uma mistura de festa e entretenimento, com os atletas correndo pelas ruas de Belém ao som de DJs contratados. Em cada etapa os corredores receberão medalhas, que juntas, ao fim do circuito, formarão a mandala ‘Coruja’, símbolo do evento”, acrescenta Thiers.
Os três primeiros colocados serão premiados com um total de R$ 3,5 mil, distribuídos nas categorias masculino e feminino. Já os três primeiros atletas das categorias especiais receberão troféus. O Circuito Corujão é promovido pela Seel, Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), Y. Yamada e Herbalife.
Serviço: primeira etapa do Circuito Corujão Belém Night Run. Sábado (31), a partir das 23h, com largada na praça na Batista Campos. Informações: (91) 3088-5842.

Texto:
Dedé Mesquita


Estado tem crescimento de 10% na receita própria no quadrimestre
Pelo quarto ano consecutivo, o Estado do Pará cumpriu as metas estabelecidas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) no primeiro quadrimestre do ano. Os dados dos relatórios fiscal e orçamentário que demonstram o alcance das metas fixadas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) foram apresentados pelo secretário de Estado da Fazenda, José Tostes Neto, e pela secretária de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças, Maria do Céu, na manhã desta sexta-feira (30), durante audiência pública na Assembleia Legislativa (Alepa).
A audiência, presidida pela deputada estadual Ana Cunha, faz parte da previsão legal da LRF e LDO, que preveem a publicação dos Relatórios de Gestão Fiscal e do Relatório Resumido de Execução Orçamentária. O acesso público aos relatórios deve ser amplo, inclusive por meio eletrônico, e a cada quatro meses, o Poder Executivo deve apresentar a avaliação das metas em audiência pública.
Os dados apresentados na audiência mostram que a receita total do Estado no quadrimestre teve um crescimento de 10,43% em relação ao mesmo período do ano passado, sendo que as receitas correntes apresentaram um aumento de 6,86%. A arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), principal tributo estadual, passou de R$ 2,3 bilhões para R$ 2,7 bilhões, crescimento de 8,34%. No Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), por sua vez, o incremento foi de 11,74%, passando de R$ 118 bilhões para R$ 141,8 bilhões em 2014.
“Com esses números, podemos ver que as receitas apresentaram um crescimento real, acima da inflação, mesmo com uma conjuntura econômica adversa no cenário internacional. Isso decorre de várias medidas adotadas pelo Estado, principalmente no tocante ao aumento das receitas próprias, que têm propiciado ao Estado alcançar esse patamar”, afirmou o secretário da Fazenda.
“O Estado vem conseguindo, pelo quarto ano na sua gestão, alcançar as metas e os principais indicadores fiscais, tanto de resultado primário, como em relação ao nível de endividamento, que vem se mantendo abaixo dos limites e das metas projetadas e atendendo aos dispositivos constitucionais de aplicação de recursos na área de saúde e educação”, continuou José Tostes.
Gastos – As despesas totais do Estado cresceram, entre 2013 e 2014, 14,78%, passando de R$ 4,6 bilhões para R$ 5,6 bilhões. As despesas com pessoal e encargos passaram, no mesmo período, de R$ 2.413.175 bilhões para R$ 2.765.649 bilhões, um crescimento de 7,25%. O Estado pagou, em quatro meses, em amortização de dívidas e refinanciamentos, R$ 130.924 milhões. No ano passado, no mesmo período, esse custo foi de R$ 155.242 milhões.
Os investimentos no Estado, por outro lado, saltaram de R$181.013 milhões para R$ 471.173 milhões, com um crescimento percentual de R$ 143,59%. O Fundo de Participação dos Estados (FPE) também teve uma variação positiva, de 7,8%.
“Pela nossa avaliação, até o momento, é provável que o FPE no ano de 2014 possa ser superior aos anos anteriores. Os números vêm demonstrando que, este ano, é possível que possamos reverter essa trajetória decrescente que o FPE vem apresentando, e isto, com certeza, será muito positivo para o Estado do Pará”, finalizou o titular da Sefa. Os relatórios da Lei de Responsabilidade Fiscal do Governo do Pará podem ser acessados no site da Sefa, www.sefa.pa.gov.br, área do Tesouro Estadual.

Texto:
Bruna C.


Hemopa segue com campanhas externas de doação de sangue
O Hemopa contabiliza 1.221 comparecimentos e 235 novos cadastros de doadores de medula óssea, nas 14 campanhas externas de doação de sangue feitas em maio, com o apoio de instituições parceiras, entre públicas e privadas. As ações reforçam o banco de sangue, cujo estoque está em baixa.
O motorista Lúcio Flávio de Moraes, 39, do bairro Pedreira, em Belém, doou sangue pela segunda vez. “Essa doação voluntária vai ajudar muita gente”, disse ele, cujo tipo sanguíneo é O Positivo. “Temos que fazer a diferença. Minha doação é uma gota. Se mais pessoas doarem, criaremos um oceano e não passaremos mais por essas crises”, afirmou.
As campanhas externas de maio tiveram o apoio de vários parceiros, entre eles, o shopping Castanheira, Agência Distrital de Icoaraci, secretarias de Estado de Educação (Seduc) e Meio Ambiente (Sema), Hospital Ophir Loyola, Escola Estadual Benjamim Constant e Colégio Madre Celeste.
Em junho, a programação de ações externas começa na próxima terça (3) e quarta-feira (4), das 8 às 15 horas, na Avenida Presidente Vargas, em frente ao Banco do Brasil – onde a ação se repete no dia 18. Quinta-feira (5), de 8 às 16 horas, a campanha será na Escola Maria Helena Valente, que fica na Avenida Zacarias de Assunção, Passagem Bom Sossego, em Ananindeua, região metropolitana de Belém.
Instituições interessadas em fazer parceria com o Hemopa devem entrar em contato pelo telefone (91) 32245048, de segunda a sexta-feira, de 8 às 18 horas, e aos sábados, até às 17 horas. Podem doar sangue candidatos com boa saúde, de 16 a 69 anos e que pesem mais de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher, a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Pode fazer cadastro de doação de medula óssea o homem ou mulher saudável, na faixa etária de 18 a 55 anos. É necessário portar documento de identidade original com foto. O Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos. Funciona para coleta de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18 horas, e aos sábados, de 7h30 às 17 horas. Mais informações: 0800-2808118.

Texto:
Vera R. Rojas


Hospital Ophir Loyola alerta para os males do tabagismo
Para orientar e esclarecer a população sobre os danos causados à saúde pelo cigarro, o Hospital Ophir Loyola promoveu nesta sexta-feira (30) a programação “Quem não fuma não é obrigado a fumar”, em alusão ao Dia Mundial Sem Tabaco, comemorado neste sábado (31). Mais de 1,1 mil pessoas usufruíram dos serviços de orientação e avaliação feitos pelos profissionais de psicologia e odontologia do hospital, e outras 100 verificaram a pressão arterial e a glicemia.
Quem está disposto a parar de fumar, deve se inscrever no Centro de Referência em Abordagem do Tratamento do Fumante da Secretária de Estado de Saúde Pública (Sespa), que funciona das 7 às 13 horas, na Avenida Presidente Vargas, entre as ruas Aristides Lobo e Oswaldo Cruz, no bairro do Comércio. Atualmente 3.150 pessoas estão em tratamento no local, que atende uma média de 50 a 100 pessoas por dia.
No centro, os interessados passarão por uma avaliação individual com equipe multiprofissional (psiquiatras, pneumologistas e enfermeiros, entre outros) para a identificação do grau de dependência química pela nicotina. O atendimento é gratuito e não há necessidade de ser referenciado por unidade de saúde. Informações também pelo telefone (91)3242-5645. Para demais orientações, o fumante pode procurar dicas pelo 0800-611997.
Males – Cerca de 1,2 bilhão de pessoas no mundo são fumantes, o que corresponde a um terço da população mundial. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima para 2030 mais de oito milhões de mortes por ano relacionadas ao uso do tabaco. Deste total, 80% ocorrerão nos países em desenvolvimento, como o Brasil, onde cerca de 30 milhões de pessoas são fumantes.
O Instituto Nacional do Câncer José Alencar (Inca) estima que, a cada ano, 200 mil brasileiros morram precocemente devido às doenças causadas pelo tabagismo. Ao consumir produtos como charutos, cigarros e cachimbo, a pessoa introduz mais de 4,7 mil substâncias tóxicas no organismo, incluindo a nicotina, que causa dependência. De cada 60 fumantes que usam 25 cigarros por dia, 40 não chegam aos 60 anos, conforme explica o cirurgião torácico Ney Figueira, do Centro de Alta complexidade em Oncologia, Hospital Ophir Loyola, em Belém.
Conforme o cirurgião, o primeiro problema causado pelo fumo é o vício. Em seguida vêm os malefícios causados à estética e à saúde, como o ressecamento da pele, dentes amarelados e mau hálito. “Quanto às doenças, 90% dos pacientes que morrem do câncer de pulmão são tabagistas. Além disso, o fumante tem cinco vezes mais chances de sofrer infarto, bronquite crônica e enfisema pulmonar e apresenta um risco duas vezes maior de sofrer derrame cerebral”, enumera o médico.
Hoje o tabagismo é reconhecido como uma doença crônica, um problema sério de saúde pública e a principal causa de morte evitável no mundo. É também responsável por seis milhões de mortes ao ano, ou seja, mais de dez mil mortes por dia, segundo a OMS. “Quanto mais cedo e por mais tempo se processa a exposição ao fumo, menor a sobrevida do indivíduo. Isso acontece porque o tabagismo causa mais de 50 doenças diferentes, principalmente as cardiovasculares, e está relacionado a todos os tipos de câncer”, explica Ney Figueira.
Segundo o Inca, no país, de cada 100 pacientes que desenvolvem câncer, 30 são fumantes. “As pesquisas apontam que os fumantes, em relação aos não fumantes, apresentam um risco dez vezes maior de adoecer de câncer de pulmão”, destaca o especialista.
Registros – Para 2014, a estimativa do instituto em relação ao câncer de pulmão no Pará revela um aumento da incidência nas mulheres: 160 novos casos no Pará, dos quais 100 somente em Belém, indicando uma prevalência de 5,24% para cada 100 mil mulheres. Entre os homens, a incidência da doença praticamente é a mesma dos anos anteriores: 6,5 para cada 100 mil homens, sendo que podem aparecer 100 casos na capital, além de outros 150 no restante do Estado.
Com base nos dados da Pesquisa Especial de Tabagismo, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a coordenadora do Programa de Controle de Tabagismo da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Raquel dos Anjos, afirma que 17,8% da população acima de 15 anos no Pará são fumantes. Em números absolutos, isso corresponde a 930.344 fumantes em todo o Estado.
Há oito anos, o carpinteiro Misael Silva, 44, deixou de fazer parte dessa estimativa. A impopularidade do cigarro foi a principal motivação para o abandono do vício, assumido ainda na adolescência, aos 17 anos. “Eu sentia muita vergonha dos meus amigos, que reclamavam bastante da fumaça e do cheiro desagradável impregnado na minha roupa. Sempre gostei de jogar futebol, mas mal começava o jogo e me sentia cansado demais, então decidi parar de fumar. Consegui isto sozinho, mas sei que muitas pessoas precisam de ajuda para obter o sucesso”, diz.
Outros locais no Estado onde o fumante pode encontrar tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS):
Abaetetuba: Centro de Saúde Roberto Contente. Rua Barão do Rio Branco, s/n, Centro
Alenquer: Centro de Saúde/ PSF Oscar Guimarães. Travessa Colombiano Marcão, s/n, Planalto
Barcarena: Unidade de Atendimento Especializado. Rua Almeida de Moraes, s/n, esquina com a Rua Zacarias Pinto
Belém: Unidade Municipal de Saúde da Marambaia. Rodovia Augusto Montenegro, KM 1, s/n, Nova Marambaia. Telefone: (91) 3238-0303
Belém 2: Unidade Municipal de Saúde de Icoaraci. Rua Manuel Barata, 480. Telefone: 3227-0270
Belém 3: Unidade Municipal de Saúde do Telégrafo. Rua do Fio, s/n, entre passagens São José e São Pedro. Telefone: (91) 3244-0471
Cametá: Centro Municipal de Saúde de Cametá. Rua Coronel Raimundo Leão, Centro
Castanhal: Unidade Municipal Luiz Charlet. Travessa Pio XII, 72, Centro
Goianésia do Pará: Hospital Municipal de Goianésia. Rua Tiradentes, 64. Telefone: (94) 3779-0223
Juruti: Hospital Municipal F. Rodrigues. Rua Joaquim Gomes do Amaral, 18. Telefone: (93) 3536-1257
Marabá: Unidade de Saúde de Laranjeiras. Rua José Bandeira, s/n, Laranjeiras. Telefone: (94) 3323-2088
Redenção: Centro Municipal Antônia Pinheiro Cavalcante. Avenida Araguaia Setor Alto Paraná, 1.500
Santarém: Unidade de Saúde do Aeroporto Velho
Xinguara: Programa de Saúde da Família Tanaka. Rua Walter Fernandes, s/n, Setor Tanaka

Texto:
Leila Cruz


Uepa comemora 21 anos de história no Ver-o-Peso
O Ver-o-Peso, a maior feira livre da América Latina, receberá neste sábado (31) atividades de comemoração pelos 21 anos da Universidade do Estado do Pará (Uepa). A programação, que parte do projeto de extensão Uepa nas Comunidades, ocorrerá na Praça do Pescador, das 8h30 às 14h, e é aberta ao público. A comunidade contará com orientações sobre educação postural, educação sexual e direito trabalhista, com as atividades da Brinquedoteca Joana D’Arc, além de vacinação, atendimento médico e odontológico e apresentações artísticas.
No projeto de extensão Uepa nas Comunidades são oferecidos serviços essenciais de Saúde, Tecnologia, Educação, Lazer, Informação, Assistência Social e Cidadania, agregando ações de todas as áreas de atuação da universidade.
A Uepa foi criada com a promulgação da Lei Estadual Nº 5.747, de 18 de maio de 1993. A instituição é fruto da união das faculdades estaduais existentes à época. Desde então, a Uepa funciona como uma autarquia do Governo do Estado, com autonomia didático-científica, administrativa, disciplinar e de gestão financeira e patrimonial.
A Uepa possui cinco campi em Belém e outros 15 distribuídos em 10 das 12 regiões de integração do Estado, figurando como uma das universidades mais interiorizadas do país. A instituição abriga mais de 15 mil alunos distribuídos em 25 cursos de graduação, 32 cursos de pós-graduação lato sensu (especializações), 13 programas de residência médica e multiprofissional e 9 cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado).

Texto:
Janine Bargas


Descontos do IPVA para placas 76 a 96 até dia 2 de junho
Até o dia 2 de junho os motoristas podem garantir descontos no pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), válido para veículos com placas final 76 a 96. O licenciamento destes veículos junto ao Detran se estende até o dia 1º de agosto. Os descontos são de 15% do valor do imposto para quem está há dois anos sem multa; 10% para quem não recebeu multas no ano passado e 5% de desconto nas demais situações, e não são cumulativos.
A Sefa oferece três as opções de pagamento do IPVA: antecipação em parcela única, com desconto; parcelamento em até três parcelas antes do vencimento, sem desconto, ou pagamento integral junto com o licenciamento do Detran. Após a data do licenciamento, o pagamento será feito com acréscimo de multas e juros.
O contribuinte poderá acessar o Portal de Serviços na internet (www.sefa.pa.gov.br), item 'IPVA Antecipação', para consultar o valor do imposto e emitir o Documento Estadual de Arrecadação (DAE), para pagamentos em parcela única ou parcelados. O pagamento do DAE é feito na rede bancária autorizada (Banpará, Banco da Amazônia, Bradesco, Banco do Brasil, Itaú e Caixa Econômica Federal) e casas lotéricas. Quando não houver antecipação do recolhimento do imposto, o IPVA poderá ser pago no boleto de licenciamento anual do Detran.
Serviço: Para mais informações acesse o site da Sefa ou entre em contato com o serviço de atendimento telefônico pelo 0800 725 5533.

Texto:
Ana M. Pantoja


Comunidade escolar no Distrito de Mosqueiro recebe programação especial de cidadania
Terminou nesta sexta-feira, 30, mais um mutirão de atendimento para a comunidade da Escola Estadual Honorato Filgueiras, no distrito de Mosqueiro. A programação realizada pelo programa Pro Paz em parceria com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc), por meio do Pacto pela Educação, disponibilizou o serviço de emissão de documentos, com o objetivo de garantir cidadania para a comunidade escolar, principalmente alunos a partir de 14 anos, garantindo a documentação necessária para as inscrições nas provas de vestibulares realizadas no segundo semestre de 2014.
O evento contou com os serviços de emissão de documentos como carteiras de identidade e de trabalho, CPFs e certidões de nascimento, além de realizar oficinas pedagógicas para os alunos com temas como ética, cidadania, cultura de paz e palestra de orientação profissional para os alunos. Todas as atividades foram desenvolvidas por servidores do Pro Paz e Seduc.
Aluna do primeiro ano do Ensino Médio, Camila Pereira de Sales, 14 anos, aproveitou a programação para tirar a segunda via da carteira de identidade e sua primeira carteira de trabalho. Com o documento em mãos, Camila já fazia planos para entrar no mercado de trabalho. “Tinha muito tempo que eu queria tirar novos documentos, o que mais me preocupava era não conseguir trocar o RG, mas com essa atividade aqui na escola não só troquei a identidade como tirei também a minha primeira carteira de trabalho. Agora vou começar a procurar lugares que aceitem jovens aprendizes para ganhar experiência o quanto antes”, disse.
A estudante do terceiro ano do Ensino Médio, Ana Carolina, aproveitou o mutirão para trocar a carteira de identidade, já que ela informou o número de seu RG na inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será realizado nos dias 8 e 9 de novembro. “Estava muito preocupada com o estado da minha carteira de identidade. Ainda bem que teve essa atividade aqui na escola. Agora com a nova carteira de identidade posso ficar mais tranquila na hora de apresentar o documento no dia da prova do Enem”, declarou.
Para o coordenador da programação realizada na Escola Estadual Honorato Filgueiras, Vagno Silva, o objetivo do mutirão foi alcançado, já que a grande maioria dos alunos foi atendida desde o início das atividades realizadas ontem até o último dia nesta sexta-feira. “Conseguimos cumprir com o nosso objetivo, que foi levar as ações do Governo do Estado. Sem dúvida atendemos a todos que estavam sem documentos e não foi apenas os alunos, pais, professores também foram atendidos, reforçando a parceria do Governo com a comunidade escolar”, afirmou.
Além do serviço de emissão de documentos, a escola também recebeu programações pedagógicas para o exercício da ética e cidadania. Foram realizadas também atividades de incentivo à leitura, produção de poesias e orientação profissional, que contaram com grande participação dos alunos.
Para a coordenadora de Ações Educativas Complementares da Seduc, Clarice Pinto, a parceria com a diretoria da Honorato Filgueiras foi fundamental para que os resultados esperados fossem alcançados. “A escola Honorato Filgueiras conta com um projeto chamado ‘Família na Escola’ e por isso percebemos a grande participação, não só de alunos, como também de seus responsáveis. Eles vivenciaram as diversas ações pedagógicas que realizamos aqui, focados na convivência em família”, explicou.
O evento é uma realização do Pro Paz e Secretaria de Estado de Educação (Seduc), por meio do Pacto pela Educação do Pará, em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), Policia Civil, Defensoria Pública do Estado e Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves.

Texto:
Tiago Furtado


Expoflorben é vitrine para floricultores de Benevides
Há quatro anos, a agricultora Joiciane da Silva Gomes, de 28 anos, trabalha com floricultura em sua propriedade, o sítio Vale Verde, na comunidade de Santa Maria, zona rural de Benevides, Região Metropolitana de Belém, tirando em média R$ 800 mensais para compor o orçamento familiar. Para o cultivo de angélicas, amazonitas, wagnerianas, entre outras espécies, a floricultora conta com a orientação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater).
A produtora é uma dos 25 expositores da 3ª Exposição de Flores Tropicais e Plantas Ornamentais de Benevides (Expofloben), realizada pela Emater em parceria com a Associação dos Floricultores do município (Aflorben), prefeitura municipal e Câmara de Vereadores, que inicia nesta sexta-feira, 30, e segue até domingo, 1º de junho.
“O que produzimos na propriedade é comercializado para lojas de vendas de flores, redes de supermercado de Belém e outros municípios. Nossa expectativa com a Expoflorben é divulgar nosso trabalho e conquistar novos clientes”, afirma Joiceane, que participa do evento desde a primeira edição e este ano traz como novidade para os visitantes a flor de banana, que se assemelha com o fruto e por isso recebe este nome.
De acordo com a engenheira agrônoma da Emater, Soraia Araujo, o público de visitantes deve superar o do ano passado, quando cinco mil pessoas prestigiaram a Expoflorben. “Para este ano, a expectativa é que sete mil pessoas passem pelos estandes do evento. São mais de 100 variedades de flores e plantas com preços até 30% mais baratos do que os praticados em feiras e supermercados”, enfatiza Soraia.
A Expoflorben tem abertura oficial às 18 horas desta sexta-feira, na Praça de Alimentação do município, onde funcionava o antigo terminal rodoviário, na Avenida Joaquim Pereira de Queiroz. A entrada é franca.

Texto:
Paula Portilho


Etapa regional do Jep's se encerra neste domingo em Santa Izabel do Pará
Até este domingo, 1° de junho, o município de Santa Isabel do Pará, na Região Metropolitana de Belém (RMB), recebe uma das etapas regionais da 56ª edição dos Jogos Estudantis Paraenses (Jep’s/2014), promovidos pelo Núcleo de Esporte e Lazer (NEL) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em parceria com os municípios que estão sediando as diferentes etapas.
Ao todo, mais de 200 atletas das cidades de Ananindeua, Benevides, Colares, Santa Isabel, Santo Antônio do Tauá, Tomé-Açu e Vigia participaram desta etapa do evento, nas modalidades vôlei, handebol, basquete, futsal, xadrez e tênis de mesa, nas categorias A, de 12 a 14 anos, e B, de 15 a 17 anos.
De acordo com o coordenador de Educação Física de Santa Isabel, Francisco Oliveira, o município já sediou seis edições dos Jep’s, sendo que algumas delas chegaram a reunir mais de 20 cidades diferentes. “Isso, contudo, aconteceu no passado, mas, depois o NEL, acertadamente, decidiu descentralizar cada vez mais e criar novos polos regionais, para facilitar o alojamento e a alimentação dos atletas”, explica.
Para Francisco, os jogos são importantes porque despertam a perspectiva de um futuro esportivo para os estudantes. “O aluno fica naquela expectativa de vencer a etapa regional, depois a estadual, brasileira e, quem sabe, até chegar ao mundial. Temos vários exemplos de atletas que foram dessas competições estudantis para uma carreira profissional, como é o caso da Isabel Brito, que saiu aqui de Santa Isabel e hoje é do circuito profissional de vôlei de areia”, lembra.
É com essa possibilidade que sonham, por exemplo, a aluna da Escola Estadual Marieta Emmi, Denise Amorim, de 16 anos, e o aluno da Escola Estadual Antônio Lemos, Railo Silva, de 17 anos, ambos do município de Santa Isabel. Os dois são estudantes do Ensino Médio e participaram da etapa regional do Jep’s no município, ela, no futsal, e ele, no tênis de mesa.
Denise conta que sempre gostou de futebol e que planeja seguir a carreira profissional, embora saiba que, no Brasil, essa modalidade não é tão apoiada como deveria. “Tenho essa consciência, mas não consigo me ver fazendo outra coisa. Então, vou lutar para conseguir, mesmo que, para isso, tenha que sair do país”, conta.
Já Railo, que também pratica voleibol – além do tênis de mesa – pensa em várias alternativas, todas ligadas ao esporte. “Se eu não conseguir ser um atleta, quero pelo menos tentar ser um técnico. Para isso, quero fazer o curso de Educação Física na universidade”, revela o rapaz, que sabe exatamente o peso do esporte na sua vida: “Se não fosse o esporte, eu não sei o que teria sido de mim. Graças a isso, me tornei também um aluno exemplar”, garante.
O pequenino Rafael Souza, de 14 anos, de Colares, é outro adolescente cujo esporte transformou a vida. Hoje, ele é um dos destaques da equipe de futsal da Escola Estadual Dr. José Malcher, que disputou a etapa regional do Jep’s em Santa Isabel. “Depois que comecei a treinar futebol, me tornei também um aluno melhor, mais disciplinado, menos brigão em casa. Atualmente, além do futsal, também estudo música e vou bem na escola”, orgulha-se.
Ao todo, mais de 100 municípios participam das etapas regionais dos Jep’s, que acontecem nos municípios de Abaetetuba, Castanhal, Ipixuna do Pará, Portel, Marapanim, Maracanã, Região Metropolitana de Belém, Irituia, Santa Isabel e Xinguara. 

Texto:
Elck Oliveira


Sepaq realiza Seminário Regional de Integração em Cametá
A Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura (Sepaq) realizou nesta quinta e sexta-feira (29 e 30 de maio), o I Seminário Regional de Integração e Desenvolvimento da Pesca e Aquicultura do Tocantins.
O evento, que está sendo realizado no auditório principal do campus da UFPA de Cametá reuniu pescadores e aquicultores de vários municípios da região do Baixo-Tocantins.
O objetivo do seminário é promover o desenvolvimento da atividade pesqueira e aquícola nesses municípios e propor políticas públicas que possam impulsionar a produção do pescado, principalmente através da criação de peixes em cativeiro.
O seminário foi presidido pela secretária-adjunta da Sepaq, Lúcia Miranda, e contou com a participação do diretor Regional do Senai, Gerson Peres; do diretor de Pesca da Sepaq, Romildo Morais, e representantes da Emater, Sema, UFPA e Prefeitura de Cametá, além de vários presidentes de Colônias de Pescadores da região.
Entre as palestras ministradas no seminário estão: Estratégias para o Desenvolvimento da Pesca; Cultivo de Peixes em Viveiros Escavados; Licenciamento Ambiental e Treinamento para a obtenção da Declaração de Dispensa de Licenciamento Ambiental de Atividades Aquicolas; Critérios de Acesso ao Financiamento para Pesca e Aquicultura (Pronaf/ Plano Safra) e Integração Institucional para o Desenvolvimento da Aquicultura.
“A ideia da Sepaq é chegar cada vez mais perto do nosso público alvo, ou seja, os pescadores e aquicultores que na sua maioria estão no interior do Estado. Queremos ouvir as dificuldades que eles enfrentam e ajudar a resolver esses problemas do setor”, disse a secretária-adjunta da Sepaq, Lúcia Miranda.
Os seminários regionais de integração, que têm o apoio da Fiepa, devem ser levados para outros municípios polo, como Santarém e Bragança. O primeiro foi realizado na cidade de Breves, na Ilha do Marajó.

Texto:
Christian Emanoel


Detentas do CRF produzem programa de rádio durante oficina do Biizu
Jenifer Quaresma, 29 anos, ficou emocionada ao escutar a própria voz gravada e utilizada em um programa de rádio. Presa há um ano e quatro meses no Centro de Reeducação Feminino (CRF), em Ananindeua, a interna entrou na oficina de rádio por indicação de uma colega. Incentivada pela atividade ela sugeriu fazer um programa gospel e escolheu até o nome: Soldados de Cristo. “Esse programa pode ajudar muita gente que tem problema com vícios e comportamento ruim aqui dentro da penitenciária. Há cinco meses eu mudei completamente de vida depois que larguei as drogas e me transformei em uma mulher diferente”, conta ela.
Jenifer é apenas uma das 15 internas custodiadas no CRF que participaram, nesta semana, da oficina de rádio promovida pelo Biizu, projeto da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom). A programação na unidade prisional é fruto de uma parceria com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe). Durante a oficina, que teve duração de uma semana, as internas puderam conhecer um pouco mais sobre o universo radiofônico - como gravar áudio, técnicas de voz e entonação - além de produzirem o próprio programa. Nesta sexta-feira, 30, elas receberam o certificado da oficina e puderam ouvir o resultado das aulas.
As detentas Kelly Silva e Bernadete Soares fizeram juntas o programa "As Mais Pedidas", que toca as músicas escolhidas pelas detentas do CRF. “A ideia do programa foi da professora e nós gostamos muito. Fizemos uma pesquisa dentro do presídio e perguntamos que músicas nossas colegas gostaria de pedir e se queriam oferecer para alguém. Estou a apenas dois meses presa e sinto muita falta da minha família, que mora no interior e não pode vir me visitar. Quero fazer novos cursos e sair logo daqui”, contou Bernadete.
“Esse é o primeiro curso que faço aqui no CRF, mesmo já estando presa há dois anos. Eu fiquei impressionada, pois mudei muito em apenas uma semana. Antes eu não falava direito com as pessoas, era muito fechada. Além de aprender uma profissão, eu passei a me relacionar melhor. Estou muito empolgada com tudo e pretendo trabalhar em uma rádio quando sair daqui”, contou Kelly.
A instrutora do curso, a jornalista Márcia Lima, ficou emocionada em ver as detentas tão felizes com a oficina. “Eu trato meus alunos todos iguais, independente do que fizeram no passado. Foi muito bom ver elas tão interessadas em aprender e com vontade de mudar de vida. Isso é o mais gratificante para mim”, disse a instrutora. Atualmente, o CRF tem cerca de 200 internas em atividades educacionais. A diretora da unidade anunciou que pretende instalar uma rádio interna dentro do presídio e são as próprias detentas que vão produzir o conteúdo.
Susipe e Biizu já realizaram outros projetos em unidades prisionais. Detentos de Mosqueiro e Abaetetuba também já participaram de oficinas de audiovisual e grafite. "Pra nós, do projeto, é importante a realização das oficinas nos presídios na medida em que ampliamos nosso espectro de atendimento, que já se estende a assentamentos dos MST, centros comunitários, escolas públicas estaduais, municipais e federais, unidades da Fasepa e aterro sanitário do Aurá, entre outros. Nas oficinas os internos podem descobrir habilidades e talentos como forma de reinserção social", explicou Helena Saria Müller, diretora de Comunicação Popular da Secom.
Biizu: O projeto, que já percorreu diversos municípios do Estado, tem como objetivo estimular e desenvolver as mídias comunitárias, além de despertar talentos para a comunicação popular. Em 2011, quando foi criado, foram 19 jornadas com sete oficinas cada – desenho, grafite, fotografia, audiovisual, jornal impresso, web e rádio – e turmas que variaram de 15 a 20 participantes. Nos anos seguintes, o número de oficinas aumentou. Em 2012, foram 28 jornadas, com 196 oficinas. E em 2013 foram atendidos mais de 2,6 mil alunos em 32 ações. Já este ano, até maio foram realizadas 12 jornadas, atendendo cerca de 700 pessoas.

Texto:
Timoteo Lopes


Sisflora 2 mudará sistema comercialização de madeira no Pará
O governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), contratou nesta semana a empresa que irá customizar e desenvolver o novo Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais, intitulado Sisflora 2. Depois de aperfeiçoado, o Sistema irá permitir maior controle no combate à degradação do meio ambiente e proporcionará também melhor domínio da legalidade no processo de comercialização.
A principal funcionalidade do Sisflora 2 baseia-se no georreferenciamento dos planos de manejo, onde cada indivíduo (árvore) terá sua coordenada de localização e será rastreado por chips, tipo RFID, que serão implantados na base das árvores a serem exploradas e nas toras de madeira, que saem da área de manejo autorizadas para exportação, permitindo o controle da exploração dessas áreas através do rastreamento dos microchips. A Sema fará o monitoramento a partir de um número designado para o chip que diz onde a árvore está localizada e a quem pertence a área.
A necessidade da implantação do Sisflora 2 está ligada às exigências do mercado internacional, que pede a comprovação da autorização e da origem legal da madeira, para evitar que se compre produto florestal de área de proteção ambiental, terras indígenas, áreas exploradas ou desmatadas ilegalmente. A empresa contratada pela Sema, TecnoMapas, está verificando qual será a fornecedora dos chips. “O custo é quase insignificante para o investimento do empreendedor, considerando que este irá qualificar e atestar a regularidade na exploração madeireira, e ter mais garantias sobre a origem legal e comprovada da madeira também para fins de exportação. Outra vantagem desse sistema é que ele facilitará a verificação dos planos de manejo para checar se as árvores foram exploradas com base no volume que o empreendedor comercializou com as indústrias”, explica o secretário adjunto de Estado de Meio Ambiente, Hildemberg Cruz.
Hildemberg explica ainda que, atualmente, a Secretaria tem a Guia Florestal (GF) para acompanhar a origem e o destino da madeira, o que a partir de agora será feito por meio do chip. Quando, por exemplo, o técnico for a campo, poderá conferir pelo chip se a árvore autorizada para corte foi fato derrubada e retirada. “Quando ele ler o chip vai poder incluir em seu relatório todas as árvores que visitou em comparação com as que foram exploradas em campo. Também vamos acompanhar o caminho a ser percorrido por essa madeira até chegar ao seu destino na indústria. Vamos continuar a utilizar o crédito nas pastas decorrentes dos volumes autorizados explorados, mas agora vai ter um equipamento que vai rastrear melhor essa madeira para permitir que eu possa ler o chip contido nela a qualquer momento e verificar se a peça que está diante do fiscal na indústria ou em outro lugar é originada de área autorizada pela Sema, de qual árvore veio e de que plano de manejo”, detalhou.
Passo a passo - Quando o interessado fizer um pedido de licenciamento na Sema, deverá apresentar o conjunto de árvores que irá cortar (dentro do contexto de Plano de Manejo), e partir daí, poderá registrar os chips no Sistema da Secretaria, para em seguida serem implantados pelo próprio interessado nas árvores em questão.
O novo sistema vai exigir das empresas que tenham uma certificação de origem que dará essa rastreabilidade do que é explorado e o que é comercializado no estado. Esse processo irá sair das empresas que fazem exportação direta e será exigido também das que fazem importação do mercado nacional e mandam a madeira para o mercado externo.

Texto:
Káthia Oliveira



Programa Navegapará promove oficinas na Feira do Livro
O Programa Navegapará, coordenado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e pela Empresa de Processamento de Dados (Prodepa), realiza uma programação especial na XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro, que inicia nesta sexta-feira (30). Com o apoio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e do Núcleo de Altos Estudos da Amazônia (Naea/UFPA), serão ofertadas 10 oficinas de inclusão digital e uso do ciberespaço, sendo 20 vagas para cada uma. As inscrições já estão abertas.
A programação é bastante variada e pretende atender aos diferentes perfis de público que circulam pela Feira. Os educadores, por exemplo, podem se interessar pelas oficinas sobre o uso educacional do Tablet, leitura no mundo digital e tradução de texto e voz para Libras. Já para os estudantes são indicadas as oficinas “Pesquisa Eficiente na Internet” e “Iniciação à programação de computadores”. Sistema operacional Linux, criação de blogs e gerenciadores de conteúdos web são outros temas abordados nas oficinas.
As inscrições podem ser feitas pelo site oficial da Feira (http://feiradolivro.pa.gov.br/) e só terão direito ao certificado aqueles que participarem de 100% das atividades. Mais informações pelo telefone (91) 4009-2567. Terão prioridade aqueles que não realizaram o curso anteriormente.
Oficinas Navegapará - Sala 2
2/06  – Segunda-feira
10h30 às 12h30 - Iniciação à programação de computadores
Ministrante: Paulo Henrique – Naea – Belém/PA
14h30 às 17h30 - Introdução ao sistema operacional Linux
Ministrante: Luciano Melo e Dilson Aires – Seduc – Belém/PA
3/06 – Terça-feira
10h30 às 12h30 - Pesquisa Eficiente na Internet
Ministrante: Rosistela Oliveira e Ayvânia Pinto – Seduc – Belém/PA
14h30 às 17h30 - Leitura e Hiperleitura no Mundo Digital
Ministrante: Benita Prieto -  RJ
4/06 – Quarta-feira
10h30 às 12h30 - Leitura e Hiperleitura no Mundo Digital
Ministrante: Benita Prieto -  RJ
14h30 às 17h30 - Pesquisa Eficiente na Internet – Seduc
Ministrante: Rosistela  Oliveira e Ayvânia Pinto – Seduc – Belém/PA
5/06 – Quinta-feira
10h30 às 12h30 - O uso Educacional do Tablet
Ministrante: Ronaldo Jorge Souza de Lima e Mônica Nazaré Sanches Figueiredo Viana – Seduc – Belém/PA
14h30 às 17h30 - ProDeaf: software de tradução de texto e voz na Língua Portuguesa para Libras
Instrutor: Rosistela Pereira de Oliveira, Rita de Cássia Almeida Silva e Maria Janete Bastos das Neves – Seduc – Belém/PA
6/06 – Sexta-feira
10h30 às 12h30 - Iniciação a criação de blog
Instrutor: Denis Frank Machado – Seduc – Belém/PA
14h30 às 17h30 - Gerenciadores de Conteúdo Web
Ministrante: Márcio Reis – Naea – Belém/PA

Texto:
Ana C. Pimenta


Belém recebe três oficinas culturais no Instituto de Artes do Pará
No período de 4 a 10 de junho o Instituto de Artes do Pará recebe três oficinas da Rede Motiva, um conjunto de ações voltadas ao desenvolvimento e sustentabilidade do mercado da economia criativa. “Inovação em Projetos Culturais”, “Portrait Photography” e “Direitos Autorais na Produção Fonográfica” são as oficinas apresentadas.
A oficina “Inovação em Projetos Culturais” será ministrada por André Martinez, de 4 a 6 de junho, de 14h às 17h e de 18h às 22. O curso busca preparar gestores e empreendedores para lidar com a complexidade no gerenciamento de projetos culturais, harmonizando princípios como competitividade, produtividade e visão mercadológica às diretrizes das redes emergentes da Economia do Conhecimento, como colaboração, inovação e visão social e sustentável.
André Martinez é pesquisador interdisciplinar independente, conferencista, professor e consultor em design sociocriativo. Criador do curso semestral de Gestão do Empreendimento Cultural e Criativo da Escola São Paulo, é autor do livro “Democracia Audiovisual” (Escrituras 2005) e documentarista. Foi diretor executivo da Fundacine RS, da Brant Associados, coordenador de cultura do Sesc RS, vice-presidente do Instituto Pensarte e presidente do Instituto Vygotskij. Integrou a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura.
Nos dias 5 e 6 de junho, de 14h às 17h, será realizada a oficina “Portrait Photography”, com Julia Rodrigues. Aos 28 anos, Julia tem sido apontada como uma das mais talentosas fotógrafas brasileiras, com trabalhos publicados nas principais revistas de circulação nacional, como Época, VIP, Playboy e Superinteressante, além de publicações internacionais. Formada em Design Gráfico pela Universidade Católica do Rio de Janeiro, Julia diz que o foco de seu trabalho são as pessoas e as interações humanas. Em 2013, foi vencedora do Prêmio Abril de Jornalismo, na categoria Matéria Completa – Comportamento; e acaba de ser contemplada com o SND Award of Excellence, na categoria 15A Photography, sendo ainda finalista do Prêmio Abril de Jornalismo, na categoria Ensaio Fotográfico.
“Direitos Autorais na Produção Fonográfica” é a terceira oficina da Rede Motiva e será ministrada nos dias 9 e 10 de junho, de 14h às 18h, pelo advogado Caio Mariano, fundador da empresa Senna & Mariano Advogados, escritório especializado em Direitos Autorais, Entretenimento e Propriedade Intelectual. Bacharel em Direito pela Universidade Católica de Salvador, Caio Mariano foi pesquisador convidado pela Secretaria de Assuntos Legislativos, do Ministério da Justiça, para o projeto de democratização de informações no processo de elaboração normativa – “Projeto Pensando o Direito”. Caio também é produtor executivo de trilhas sonoras para filmes de longa-metragem, filmes publicitários e programas de TV. 
Serviço:
Oficinas Rede Motiva no Instituto de Artes do Pará (IAP)
Inovação em Projetos Culturais, com André Martinez: de 4 a 6 de junho, de 14h às 17h e de 18h às 22;
Portrait Photography, com Julia Rodrigues: 5 e 6 de junho, de 14h às 17h;
Direitos Autorais na Produção Fonográfica, com Caio Mariano: 9 e 10 de junho, de 14h às 18h.
Inscrições gratuitas até dia 2 de junho através do site http://amplicriativa.com.br.
Informações: 3229-1291 (AmpliCriativa) e 4006-2930 (Pará Criativo).
Patrocínio: Vivo e Governo do Pará através da Lei Semear
Parceria: IAP e Pará Criativo. Gestão e Produção: Amplicriativa.

Texto:
Danielle Franco


Sepaq entrega caminhão baú para Colônia de Pescadores Z-19 de Óbidos
A Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura entregou nesta sexta-feira, 30, um caminhão baú para a Colonia de Pescadores Z-19 de Óbidos, no oeste do Estado. O termo de cessão do veículo foi assinado no gabinete da Sepaq e contou com a presença do presidente da Colônia de Pescadores, Emerson Canto, que já recebeu as chaves. O veículo vai atender os quase três mil pescadores associados à Colônia Z-19. O caminhão será transportado de balsa e deve chegar no município neste sábado, 7, em Óbidos.
Segundo o diretor de Ordenamento e Logística da Sepaq, Helder Aranha, essa emenda parlamentar é de fundamental importância para o desenvolvimento do setor pesqueiro no município de Óbidos. “A colônia poderá ter mais rentabilidade com esse caminhão baú, o que vai beneficiar e muito os pescadores da região”, explica.

Texto:
Christian Emanoel


Fundação Curro Velho participa da Feira do Livro com mostra de artes cênicas
Nesta segunda-feira, 2 de junho, às 19h, os alunos da Fundação Curro Velho participam da Mostra de Artes Cênicas que integra a programação da XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro. Serão apresentados trabalhos cênicos de alunos “Crias” da Fundação Curro Velho premiados na Mostra Cobra Criada Max Martins. Além da participação na Feira do Livro está programado para o dia 7 de junho, uma apresentação especial no Teatro Estação Gasômetro, no Parque da Residência, com espetáculos de teatro.
As mostras foram organizadas pela Gerência de Artes Cênicas da Fundação Curro Velho, como forma de dar continuidade ao estímulo que a instituição vem oferecendo para as “Crias” com os projetos “No Próximo Intervalo” e Prêmio “Cobra Criada”. “Nós temos que colocar os alunos para se apresentar. Quanto mais eles se apresentam mais eles vão aprendendo como é estar em cena, pois uma coisa é você fazer oficina e outra é atuar no palco. E também é uma forma de eles verem que existem muitos públicos e não apenas os outros alunos da Fundação”, relata Danilo Bracchi, técnico em gestão cultural da Fundação Curro Velho.
Serão sete apresentações que estarão na Feira do Livro e oito no teatro Gasômetro, entre números solo e em grupo, de alunos que ganharam o Prêmio “Cobra Criada” e se apresentaram no projeto “No próximo Intervalo”.  Eles foram chamados há dois meses e desde então estão ensaiando seus números na Fundação Curro Velho. “Todos os alunos estão bem ensaiados e preparados para fazer uma bela apresentação”, comemora Danilo Bracchi.
Um dos espetáculos é o monólogo “De pernas para o ar e com os pés no chão” do aluno/ator Thiago Lima. Nele quem conta a história é o clown (palhaço) de nome Pock. Thiago conta que seu clown primeiro conta um pouco da sua história e depois vai se desmontando, enquanto recita um texto de Shakespeare. “O Pock conta três histórias do cotidiano que ele viveu e depois recita ‘O Menestrel’ de William Shakespeare” relata Thiago, sobre sua apresentação.
Serviço:
Mostra de Artes Cênicas do Curro Velho na Feira do Livro
Data: 2.06.2014 (segunda-feira)
Hora: 19h
Local: Hangar Centro de Convenções do Pará
Entrada Franca

Texto:
Andreza Gomes


Livro Solidário reforça doação de livros e gibis na Pan-Amazônica
Durante a programação da XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro a Imprensa Oficial do Estado (IOE) vai reforçar a campanha intitulada "Já leu? Não quer mais?", para incentivar os visitantes do evento a doarem livros usados, em bom estado, que irão ajudar a compor os acervos dos Espaços de Leitura implantados pelo projeto Livro Solidário.
Carmen Palheta, coordenadora do projeto na IOE, ressalta que a campanha deste ano pretende “afunilar as doações”, o que significa que irá priorizar o recebimento de livros nas áreas infanto-juvenil, esporte, saúde e também gibis, que poderão ser entregues no estade do Imprensa Oficial durante o evento.
Durante a Feira também serão lançados dois vídeos institucionais que mostram os resultados das ações do projeto nos três anos de existência, com destaque para o "Carrinhos de Leitura" - que leva livros para instituições como Santa Casa e Hospital Ophir Loyola; e os "Espaços de Leitura" implantados em escolas, centros comunitários e Ongs, entre outros.
Neste ano, o Livro Solidário vai receber o apoio logístico da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado (Secom), que sugeriu a integração de todos os projetos de órgãos estaduais que lidam com a questão do livro para unirem esforços e alcançarem maior número de doações. Os livros arrecadados e doados pela comunidade em geral durante a Feira do Livro serão encaminhados aos órgãos para atender às demandas específicas de suas atividades.

Texto:
Ronaldo Quadros


Ideflor disponibiliza diretrizes para concessão florestal
O Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor) disponibilizou diretrizes técnicas com metodologias para verificar e apurar o desempenho das empresas que assinaram o contrato de concessão florestal, e bonificar em forma de desconto no preço da madeira que é pago para ao Estado. As Diretrizes de Verificação e de Bonificação do Indicador A1 foram desenvolvidas por técnicos da Diretoria de Gestão de Florestas Públicas (Dgflop) e serão utilizadas no Indicador (A1) que trata da redução de danos na floresta remanescente durante a exploração nas Unidades de Manejo Florestal (UMF) sob concessão gerenciadas pelo Ideflor.
As diretrizes técnicas são indicadores de desempenho ambiental estabelecido em contrato de concessão florestal. “A Diretriz de Verificação do Indicador A1 apura e verifica a redução de danos à floresta remanescente pela exploração florestal. Está relacionada à estrutura florestal que permanece após a exploração, necessária para o processo de recuperação e manutenção do ecossistema florestal, que poderá ser reexplorado em um próximo ciclo produtivo, observando o período de 30 anos.
A Diretriz de Bonificação do indicador A1 refere-se à avaliação do critério de bonificação que indica redução de danos à floresta remanescente durante a exploração florestal sob concessão, sendo que a bonificação será concedida após a avaliação do desempenho e verificações necessárias, realizadas pelo Ideflor”, explica Iranilda Moraes, diretora de Gestão de Florestas Públicas em exercício.
Atualmente, nove empresas têm contratos de concessão florestal assinados com o Ideflor e atuam em Unidades de Manejo Florestal no Conjunto de Glebas Mamuru-Arapiuns e na Floresta Estadual do Paru, localizadas na região do Baixo Amazonas. Todas passam pelo monitoramento estabelecido no contrato e a previsão é que ainda esse ano sejam assinado mais três contratos referentes ao segundo lote na Flota Paru.
A concessão florestal é um instrumento previsto na Lei de Gestão de Florestas Públicas (11.284/2006), que viabiliza a oferta de madeira legalizada originária de terras públicas, pela modalidade licitatória concorrência, levando em conta a melhor técnica e maior preço ofertado, gerando arrecadação para o Estado e trazendo benefícios para toda a sociedade.

Texto:
Amanda Cardoso


Seduc terá intensa programação na Feira Pan-Amazônica do Livro
A XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro começa nesta sexta-feira, 30, e a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) organizou uma programação intensa em seu estande, que ficará localizado no salão principal. Dentre as atrações estão os projetos ligados à literatura e ao incentivo à leitura, como o Contação de História, Declamação de Poesias e a Caravana da Leitura.
O grupo Cirandeiros, coordenado pela escritor paraense Juraci Siqueira e Sônia Santos, inicia a feira com sua apresentação cultural nesta sexta, 30, às 19h, e se apresentará ainda no domingo (8) de 16h às 17h. O Movimento de Contadores de História da Amazônia (Mocoham), por sua vez, vai apresentar os seus trabalhados neste sábado, 31, e no domingo, 1º de junho, e também na segunda, sexta, sábado e domingo (8) da próxima semana, no período da tarde.
A Seduc oferecerá, ainda, para os visitantes da feira, o momento de declamação de poesia, no domingo (1º), de 12 às 13h, onde as pessoas que irão visitar o estande escolherão poesias, poemas ou textos em prosa para ler para as pessoas presentes. Os declamadores receberão um brinde literário pela sua participação e pelo incentivo à leitura.
Para Juraci Siqueira, escritor paraense e professor da rede estadual de ensino, essas programações literárias ajudam no incentivo à leitura e no interesse pela literatura. “A peça fundamental para que o ser humano se desenvolva e se destaque na sociedade é a leitura, só por meio dela conseguimos transformar a sociedade”, enfatizou ele.
O projeto Caravana da Leitura, da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (FCPTN) levará para a feira o ônibus-biblioteca, que ficará localizado no estacionamento do Hangar. As pessoas que forem visitar o estande da Seduc terão acesso à biblioteca móvel e poderão ler e fazer suas pesquisas no ônibus da caravana. A biblioteca móvel estará no Hangar no período de 5 a 8 de junho, no horário da tarde.
De acordo com Iva Rothe, técnica em Gestão Cultural da Fundação Tancredo Neves, a biblioteca tem que ser  vista como um centro cultural e deste modo incentivar a leitura. “A Caravana da Leitura é um dos grandes símbolos do Pacto Pela Educação do Pará, pois é uma ferramenta através da qual a educação, por meio da leitura, é levada às fronteira mais distantes do estado”, declarou ela.
      

   

Texto:
Eliane Cardoso


Governo Digital está de cara nova
Nesta sexta-feira, 30, entrou no ar o novo layout do Governo Digital, site que disponibiliza um acesso único a todos os sistemas desenvolvidos pela Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa), utilizando softwares de navegação na internet (Explorer, Mozilla Firefox e Google Chrome). Com design mais clean, o novo Governo Digital não alterou o acesso dos usuários ao sistema. O endereço da aplicação, usuário e senha permanecem os mesmos.
Com o Governo Digital, a Prodepa contribui para a integração entre os órgãos estaduais, que podem incorporar mais serviços e sistemas à plataforma, mesmo aqueles que não sejam desenvolvidos pela empresa, pela facilidade de login único. Pela proposta de serviço, todos os novos sistemas corporativos a serem desenvolvidos em plataforma web agora podem ser incluídos no Governo Digital a partir de sua concepção, de acordo com padrões de integração e homologação propostos pela Prodepa.
O Governo Digital reúne 15 sistemas atendendo a entidades estaduais, além de sistemas de funcionamento interno da Prodepa. Somente o sistema de Protocolo Geral, da Sead atende a 69 órgãos públicos, integrando mais de 3.600 usuários. Hoje, mais de 15 mil usuários de 173 órgãos estaduais são envolvidos pela rede do Governo Digital, o que abre caminho para a modernização das ações de Tecnologia de Informação no Governo do Estado, uma vez que segue a tendência de utilização dos conceitos de Governo Eletrônico (e-GOV), Computação em Nuvem (Cloud Computing) e Serviços Unificados (Sinlge Sign-On).

Texto:
Nátia Machado




 

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...