Total de visualizações de página

quarta-feira, julho 29, 2015

Você sabia que ...



Jogadores de Remo e Paysandu mudam a rotina da Hemodiálise da Santa Casa
Ramilson William Costa, de 16 anos, tem no futebol um dos seus passatempos favoritos. Nesta quarta-feira, 29, o jovem torcedor do Paysandu realizou um sonho ao conhecer um dos atacantes do seu time de coração, durante uma das sessões de hemodiálise que faz na Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. “Ele fez dois gols ontem (terça) e estava nervoso para encontrá-lo e agradecer”, disse o jovem, ao encontrar o atacante Welinton Júnior, protagonista na vitória do Paysandu contra o América-MG, pelo Campeonato Brasileiro da Série B.
Quem também visitou as dependências da Santa Casa foi o atleta do Clube do Remo Ilaílson, que foi recepcionado por servidores da Fundação. Viviane Ferreira era uma delas, que fez questão de vestir a camisa e cantar o hino do Clube do Remo. “É uma satisfação receber um atleta do maior clube do Pará”, disse.
A convite da Santa Casa, os jogadores Welinton Júnior, do Paysandu, e Ilaílson, do Clube do Remo, conheceram o trabalho desenvolvido pelo Centro de Terapia Renal Substitutiva Pediátrica da Santa Casa. Eles participaram de uma gincana, inclusive, com a distribuição de camisas dos dois clubes.
Como as crianças ficam até quatro horas fazendo hemodiálise, três vezes por semana, a equipe do Centro de Hemodiálise se preocupa em ocupar o tempo ocioso por meio de atividades educativas e lúdicas. A visita dos atletas se deu nesse contexto. “A receptividade das crianças foi imensa, além daquilo que esperávamos”, explicou a terapeuta ocupacional Fernanda Lobato.
A equipe da Santa Casa ainda aproveitou para trabalhar questões paralelas. “Quando pensamos no atleta, temos a figura de uma pessoa dedicada, que tem a intenção de vencer. Assim como o atleta não desiste, as crianças também têm esse espírito guerreiro, de buscar seus objetivos. Aqui, as crianças são convocadas para uma partida de quatro horas, três vezes por semana. Os nossos guerreiros são atletas vitoriosos, que lutam a favor da vida, da saúde”, discursou Fernanda.
A assistente social Patrícia Costa falou acerca do sentimento que envolveu a equipe e as crianças. “A ansiedade, a euforia foi das crianças e de toda a equipe. Percebemos que passar quatro horas em uma máquina não é fácil, e tentamos minimizar esse tempo fazendo atividades. E essa visita dos jogadores foi a melhor de todas. Trouxe um benefício enorme para o tratamento dessas crianças”, destacou.
A presidente da Santa Casa, Rosangela Monteiro, fez questão de agradecer pessoalmente os atletas. "As crianças precisam de tratamento diariamente. Então, os jogadores trazem alegria, apoio emocional e afetivo para elas, isso é muito importante. Essa alegria representa um avanço na cura", apontou.
O atacante do Paysandu Welinton Júnior ressaltou que a programação foi especial. “Fiz dois gols ontem, foi ótimo, mas a felicidade maior foi hoje. Estou realizando um sonho. Sempre quis visitar essas crianças. Tive a certeza que eles e elas são fortes, são exemplos. Tenho fé que esse tratamento vai ajudar a vida deles. Vim aqui para poder trazer alegria”. Ilaílson compartilhou o sentimento do companheiro de profissão. “O que vivi aqui foi maravilhoso. Estou saindo daqui fortalecido, revigorado. Às vezes, temos problemas e acabamos achando que é algo grande. Quando nos deparamos com uma situação de uma criança, fazendo hemodiálise, o nosso problema fica muito pequeno. É uma satisfação trazermos alegria e uma palavra de esperança”, disse emocionado o atleta do Clube do Remo.
O Centro de Terapia Renal Substitutiva Pediátrica atende crianças e adolescentes de até 18 anos e tem um serviço amplo de nefrologia pediátrica, hemodiálise pediátrica, ambulatórios, enfermarias e interconsultas. O serviço de hemodiálise foi inaugurado em outubro de 2011. Na Santa Casa, além da realização de hemodiálise, há um total de 200 atendimentos ambulatoriais por semana, com médicos especializados. A equipe é multiprofissional, dispondo de enfermeiros, assistentes sociais, psicólogos, fisioterapeuta e terapeuta ocupacional.
Texto:
Nilson Cortinhas


Seduc incentiva roda de capoeira com alunos cegos na Batista Campos
Data da Pauta:
30/07/2015 09:00:00
Expira em:
30/07/2015 10h00
Local:
Coreto central da Praça Batista Campos
Endereço:
Travessa Padre Eutíquio com Rua dos Mundurucus - Bairro de Batista Campos
Contatos:
Julie Rocha (Ascom Seduc): 9 8747-3401

O Dia do Capoeirista, lembrado no dia 3 de agosto, será comemorado, como não poderia deixar de ser, com uma roda de capoeira formada por alunos da Escola Estadual Gaudêncio Ramos, do bairro do Curuçambá, e do grupo de capoeiristas cegos da Escola Estadual Álvares de Azevedo. Eles se reunirão a partir das 9h em frente ao coreto central da Praça Batista Campos, para mostrar os benefícios e a importância social da prática dessa arte, que mistura luta e dança, principalmente para os jovens que vivem em áreas de risco
A atividade tem apoio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), que através da Coordenação de Promoção da Igualdade Racial, busca disseminar a lei 10.639/2003, que trata da inclusão do ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana em todas as modalidades de ensino. A roda será coordenada pelo professor Waldecir Rodrigues da Silva, conhecido como Chocolate, capoeirista com 25 anos de atuação e grande incentivador da prática do esporte entre jovens das escolas públicas e das comunidades periféricas. O destaque fca com o trabalho que desenvolve há 10 anos junto a alunos cegos na Escola Álvares de Azevedo.
O filho de Waldecir, Wallace Rodrigues, 26 anos, também desenvolve um projeto de capoeira na escola Gaudêncio Ramos, seguindo os passos do pai. Além de orientar os jovens em relação a questões etnico-raciais, o grupo que ele coordena já tem uma trajetória de participações em eventos locais e nacionais, como a última edição da Feira Pan-Americana do Livro. Em 2016, os capoeiristas se preparam para se apresentar na Holanda.
Texto:
Julie Rocha


Famílias vítimas de incêndio na Cremação recebem Cheque Moradia nesta quinta-feira











A Companhia de Habitação do Pará (Cohab) entregará a sete, das treze famílias vitimadas pelo incêndio ocorrido na passsagem Bugarin, bairro da Cremação, no último dia 22, o benefício do Cheque Moradia. O repasse dos recursos acontecerá nesta quinta-feira, 30, a partir das 9h, no auditório do prédio-sede da Cohab. As famílias foram inseridas no programa em razão de terem perdido seus imóveis e pertences durante o sinistro. 
Nesta terça-feira, 28, elas participaram de uma reunião com técnicos da Cohab e da Fundação Papa João XVIII (Funpapa), em que receberam orientações para utilização do benefício.
Morador do bairro há mais de 45 anos, Jonas Jaques, 65, diz que está muito satisfeito com a rapidez com que Estado e Prefeitura de Belém vêm tratando a questão desde o incidente. “É uma ação muito bem vinda, nunca pensei que esse benefício fosse sair tão rápido”, comemorou, ressaltando também a mobilização e os esforços feitos por amigos e vizinhos para arrecadar roupas, utensílios e alimentos para as famílias.
Além do Cheque Moradia, o governo do Estado, por meio do Pro Paz Cidadania, fará uma ação nesta quarta-feira, 29, a partir das 8 horas, na Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) do Guamá, para emissão de segundas vias de documentos como RG, CPF, Carteira de Trabalho e Certidão de Nascimento a todas as pessoas que tiveram seus documentos perdidos no incidente. 
O incêndio ocorrido na passagem Bugarin destruiu nove habitações e deixou 13 famílias (53 pessoas) sem bens e pertences. Os interessados em colaborar com doações, preferencialmente gêneros alimentícios, podem entregá-los no Salão de Eventos Dom Felipe, localizado na Travessa 9 de Janeiro, nº 177.   
Texto:
Rosa Borges


Municípios tem até o dia 31 para aderir ao Programa Estadual de Ordenamento Territorial Urbano
Termina nesta sexta-feira, 31, o prazo de adesão dos municípios paraenses ao Programa Estadual de Ordenamento Territorial Urbano (PROTURB), que tem como objetivo apoiar e capacitar as prefeituras na elaboração ou revisão do Plano Diretor Municipal.
O trabalho é coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), e desde o seu lançamento, no início deste mês, já contou com a adesão de 34 municípios, dentre eles Abaetetuba, Marapanim, Concórdia do Pará, Capanema, Eldorado dos Carajás, Xinguara, Portel, Afuá, Óbidos e São Miguel do Guamá.
“Nosso objetivo é repassar aos representantes das prefeituras todas as informações técnicas necessárias para elaboração ou revisão do Plano Diretor Municipal, como determina a lei federal 10.275/2001, que estipula prazo de 10 anos às administrações municipais para elaboração dos Planos Diretores”, explicou a coordenadora de Planejamento Urbano e Territorial, da Sedop, Semíramis Silva.
O Plano Diretor é um instrumento básico da política de desenvolvimento e expansão urbana e é obrigatório para cidades com mais de 20 mil habitantes. É ele que determina, por exemplo, os limites das áreas rural, urbana, residencial e comercial dos municípios e estabelece as formas de ocupação e uso do solo. O município que não elaborar seu Plano Diretor dentro do prazo estipulado pelo Ministério das Cidades poderá será penalizado com a suspensão de repasses de recursos federal e estadual. E o prefeito pode até ser condenado por improbidade administrativa.
Texto:
Marlicy Bemerguy


Em agosto, Teatrinho do Mangal homenageia pais e folclore paraense
Em agosto, o Projeto Teatrinho do Mangal traz ao Memorial Amazônico da Navegação dois novos espetáculos voltados ao público infantl. As apresentações ocorrem em domingos alternados, nos dias 9 e 23, sempre a partir das 10h30. A entrada é franca. Confira a programação:
09/08 - Cleber Cajun em “Meu Pai sabe voar” - A contação narra a história de Júlio e seu pai, que todas as noites ao chegar do trabalho trazia uma asa de um material diferente para o menino. Logo em seguida, pai e filho subiam no telhado da casa e de lá saíam voando pelo céu. De cima, viam a casa deles, falavam com os pássaros, viam as luzes das estrelas de perto, pousavam na lua e depois, exaustos, aterrissavam em casa e dormiam tranquilamente.
23/08 - Tamilis em “Em busca da Matinta” – O espetáculo conta a história de uma gringa (Miss Lauren) que vem ao Marajó para conhecer o folclore paraense mais de perto, e tentar bater um papo com a Matinta Pereira. Para isso, Miss Lauren contará com a ajuda de Dona Maria, uma senhora sábia e conhecedora da região. Juntas, a caminho da casa da Matinta, iniciarão uma aventura cheia de surpresas. 

Texto:
Mayra Leal


Campanha Julho Amarelo faz mais de 54 mil testes para hepatites
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) concluiu nesta terça-feira(28), em Belém, a campanha “Julho Amarelo”, que em pouco mais de dois meses fez 54.857 testagens em 39 ações entre Belém e o interior do Estado. A 40ª e última mobilização foi no mercado do Ver-o-Peso, em pleno Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais, quando foram ofertados 500 testes.
O trabalho foi feito pela equipe da Coordenação Estadual de Hepatites Virais em parceria com a Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, por meio da Liga Acadêmica de Hepatologia. O objetivo foi combater a subnotificação de casos da doença por meio de estratégias que visam à maior adesão ao teste rápido e, em caso de diagnóstico positivo, ao tratamento disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
“Por ser uma doença silenciosa, nosso foco tem sido a busca ativa por pessoas que não sabem que têm os vírus e precisam logo se tratar para não serem surpreendidas com as consequências de um diagnóstico tardio, como uma cirrose ou câncer de fígado, e também para deixarem de ou transmitir a outras pessoas”, explica a coordenadora estadual do Programa de Hepatites Virais da Sespa, Cisalpina Cantão.
Devido ao progressivo estímulo ao diagnóstico precoce, foi previsível o aumento de casos de hepatite no Pará: entre 2007 e 2014 foram confirmados 2.211 casos do tipo B e outras 871 ocorrências da forma C. Só no ano passado, surgiram 242 casos de hepatite B, além de 91 do tipo C. Este ano, até o início da campanha “Julho Amarelo”, iniciada em 22 de maio, já eram 299 pessoas com hepatites, das quais 148 com o tipo A; 102 com o vírus B e outras 49 para a tipagem C.
Após 60 dias de campanha, foram diagnosticados 30 novos casos de hepatite C e apenas um caso com o vírus B. Há previsão de que mais confirmações aconteçam, na medida em que cheguem à Sespa relatórios enviados sobre as campanhas realizados pelos 13 Centros Regionais de Saúde nos municípios de abrangência.
Por mais que a campanha “Julho Amarelo” chegue ao fim, as testagens continuarão disponíveis para a população normalmente, ou seja, a porta de entrada para quem quiser se proteger das hepatites é a Unidade Básica de Saúde, seja para a vacinação contra o tipo ou para o teste de detecção dos tipos B e C. Em Belém, Caso o usuário do SUS receba a notícia de que é portador de um dos tipos graves da doença, é encaminhado para locais de tratamento que já são referência, como a Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, especialista no diagnóstico e o tratamento de doenças do fígado.
Atendimento – Além da Santa Casa, Belém dispõe de outros locais para o tratamento: Hospital Universitário João de Barros Barreto; Fundação de Hospital de Clínicas Gaspar Viana e Unidade de Referência Especializada em Doenças Infecciosas e Parasitárias Especiais (Uredipe), além do Centro de Universitário do Estado do Pará (Cesupa), no campus da avenida Almirante Barroso, onde funciona o curso de Medicina.
No interior do Estado, o atendimento para testagem e tratamento são disponíveis no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de Santarém; no CTA de Marabá; no CTA de Parauapebas; no Hospital Regional do Araguaia, em Redenção e no Hospital Regional de Tucuruí. Para todos esses locais, é essencial que o cidadão seja encaminhado pela Unidade de Saúde mais próxima de sua residência. “Em três anos, conseguimos aumentar de três para 10 locais em que os usuários do SUS no Pará podem se tratar das hepatites”, explica Cisalpina Cantão.
Exigir material descartável em salões de beleza e na hora de fazer tatuagens e aplicar brincos e piercings, bem como não compartilhar seringa, agulha e objetos cortantes com outras pessoas – incluindo a lâmina de barbear e depilar, a escova de dente e o alicate de unha, além dos preservativos nas relações sexuais –, estão entre as orientações da Sespa transmitidas com o apoio do Ministério da Saúde e em parceria com as coordenações estaduais de Saúde do Homem, de Imunização, Saúde Indígena e de Mobilização Social, além do Laboratório Central do Estado, Instituto Evandro Chagas e integrantes das Organizações da Sociedade Civil, sobretudo as associados ao movimento LGBT.
Pelo menos nos últimos três anos, essa parceria rendeu mais de 40 treinamentos, três seminários e 21 mil testes rápidos feitos inclusive em atividades voltadas aos indígenas, encarcerados, quilombolas, profissionais de salões de beleza e lideranças e seguidores da umbanda e do candomblé, tanto em Belém como no interior do Estado.
Texto:
Mozart Lira


Pontos de venda de baterias automotivas serão fiscalizados em Belém
Entre os dias 27 e 31 de julho, agentes do Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará) percorrerão os estabelecimentos que comercializam baterias de chumbo-ácido novas, remanufaturadas, reformadas e recicladas na capital para para checar se os mesmos ostentam o Selo de Avaliação da Conformidade e as informações obrigatórias exigidas no regulamento. A fiscalização está sendo feita em todo o país por determinação do Instituto Nacional de Metrologia Qualidade e Tecnologia (Inmetro), por meio da “Operação Especial Carro Andando”.
Na ação, também serão examinados o peso da bateria, para comparar se possui o mesmo declarado no memorial descritivo e o apresentado no rótulo do produto. A iniciativa tem como objetivo verificar se o mercado está comercializando apenas produtos certificados. Atualmente, segundo a Associação Brasileira de Baterias Automotivas e Industriais (ABRABAT), há muitos equipamentos que não estão em conformidade com o que estabelece o Inmetro, principalmente com relação ao peso.
De acordo com o gerente de Fiscalização e Avaliação da Conformidade do Inmetropará, Jorge de Figueiredo, a presença do Selo de Identificação da Conformidade indica que os produtos foram submetidos e aprovados em todos os testes. “É importante checar se o produto contém o Selo do Inmetro, pois o mesmo é obrigatório para qualquer tipo de bateria automotiva. Além disso, a compra destes produtos deve ser feita somente no mercado formal para evitar produtos falsificados ou de procedência duvidosa”, destaca.
Os estabelecimentos onde forem encontradas irregularidades terão até dez dias para apresentar defesa ao Instituto e estarão sujeitos às penalidades previstas na lei, com multas que variam de R$ 100,00 a R$ 1,5 milhão. "Os consumidores podem apresentar denúncias por meio da Ouvidoria do Imetropará pelo telefone0800 280 1919 ou pelo e-mail ouvidoria.imetropara@imetropara.pa.gov.br", salienta o presidente do Imetropará, Jorge Rezende.
Dicas na hora de adquirir uma bateria automotiva:
1 - Verificar se o produto possui o Selo de Avaliação da Conformidade;
2 - Avaliar se o peso do produto é o mesmo descrito no rótulo. É admitida uma variação de até ±5%;
3 -Comprar baterias automotivas apenas no mercado formal;
4 - Exigir a nota fiscal e o certificado de garantia.
Texto:
Ana Caroline


Fapespa promove coletiva para divulgar os resultados da balança comercial paraense do primeiro semes
Data da Pauta:
29/07/2015 08:00:00
Expira em:
29/07/2015 11h00
Local:
Sede da Fapespa
Endereço:
Travessa 9 de Janeiro, 1686, esquina da Avenida Gentil Bittencourt
Contatos:
(91) 9 8234-1503 / 9 8115-5855 - Helen Barata

A Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa) divulga nesta quarta-feira, 29, às 9h, em entrevista coletiva na sede da instituição, o Boletim do Comércio Exterior Paraense, que traz o saldo comercial na comparação com os demais estados brasileiros no primeiro semestre deste ano.

Participarão da coletiva o presidente da Fundação, Eduardo Costa, a diretora de Estudos Socioeconômicos e Análise Conjuntural, Geovana Pires, o titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki, e o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa), José Conrado.
BOLETIM
O Boletim do Comércio Exterior Paraense, elaborado pela Fapespa com base nos dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, traz análises sobre o comportamento da balança comercial do Pará, as relações comerciais do estado com outros países, os produtos que se destacam nas exportações e importações paraenses e os municípios que ofertaram e demandaram mais produtos, entre outras abordagens.




Texto:
Helen Barata


Confaz pressiona governo federal para garantir equilíbrio das finanças estaduais
Os estados pressionam o governo federal para garantir um ajuste fiscal que ajude a superar a crise econômica. A questão dominou o 11º Fórum dos Estados da Amazônia Legal, realizado dia 24 em Manaus. Os governadores concordaram que a crise econômica traz reflexos ao setor público, pois compromete a arrecadação, e com ela o equilíbrio das finanças, diminui as transferências federais e afeta os serviços públicos. O assunto deverá ser retomado em reunião marcada para esta semana, convocada pela presidente Dilma Rousseff. A reforma tributária deve ser um dos temas do encontro.   
Segundo o secretário da Fazenda do Pará, Nilo Rendeiro de Noronha, que participou da reunião em Manaus, acompanhando o governador Simão Jatene, o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) vem discutindo uma agenda que visa garantir o equilíbrio das finanças estaduais. Nilo afirma que o Estado defende a reforma do ICMS e tem se posicionado favorável à redução das alíquotas interestaduais, como mecanismo de combate à guerra fiscal entre os Estados. “À medida que as alíquotas interestaduais sejam gradualmente reduzidas, vai se deslocar a tributação do local da origem das mercadorias para o local de destino, e esta mudança deve desestimular a concessão dos benefícios fiscais que levam à guerra fiscal”, explica.
Reivindicações
Os secretários de Fazenda, Tributação e Finanças dos estados brasileiros entregaram no dia 16 de julho, ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy, documento com reivindicações relativas às finanças públicas estaduais, durante reunião do Confaz realizada no Rio de Janeiro. Entre os temas apontados está a questão da Desvinculação de Receitas da União (DRU), que permite ao governo destiná-las para outras finalidades.
Foi enviada ao Congresso uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) elevando a alíquota de desvinculação de 20% para 30%. Os estados temem que a medida impacte negativamente nas finanças estaduais. Também foi citada a regulamentação das operações de crédito previstas na Resolução do Senado Federal nº 02/2015, referentes à compensação de perdas nos exercícios fiscais de 2013 e 2014.
Outros pleitos são a sanção do Projeto de Lei Complementar 37, que altera a Lei Complementar 148/2014, definindo novos critérios de apuração de encargos para a dívida dos estados com a União; a garantia de que não sejam vetados neste projeto os artigos 2º ao 10º, que autorizam a utilização de depósitos judiciais para o pagamento de precatórios judiciais, da dívida pública fundada e a realização de despesas de capital; a regulamentação da Lei Complementar 148/2014 e subseqüente assinatura dos respectivos aditivos contratuais, para viabilizar acordos do Programa de Ajustes Fiscal dos estados e a elaboração das leis orçamentárias anuais para o exercício de 2016. 
Os estados pleiteiam, ainda, a retomada do processo de avaliação e autorização da contratação de operações de crédito, que está paralisada; e a adoção de iniciativas visando adequar a majoração do índice de reajuste do Piso Nacional do Magistério aos índices de inflação, pois muitos estados já estão ultrapassando os limites de gasto de pessoal previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal.
Também requerem a elevação das transferências para manutenção do Sistema Único de Saúde (SUS), em conformidade com o crescimento dos gastos, que atualmente são atrelados ao crescimento nominal do PIB, porém direcionado para novos programas, de modo a evitar que seja transferido a estados e municípios o ônus da expansão dos gastos com a manutenção dos atuais, como vem ocorrendo.
Os secretários solicitaram, ainda, que o governo federal apoie o projeto do Senador Aloísio Nunes, visando a redução à zero da alíquota do PASEP, que não estaria mais cumprindo o seu propósito original, de construção de patrimônio do servidor público, e já onera os estados em aproximadamente 4,5 bilhões de reais por ano; que a União assegure a transferência do Auxílio Financeiro à Exportação aos estados ainda em 2015 e auxilie na construção e aprovação da desvinculação de receitas dos estados, sem impacto sobre as transferências municipais.
Texto:
Ana M. Pantoja


Parceria entre NAC, Ceasa e Emater vai garantir capacitação em floricultura e culinária
A partir do dia 10 de agosto, o Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) e a Central de Abastecimento do Pará (Ceasa), passará a ofertar cursos de capacitação por meio dos projetos “Cultivando Flores e Vidas” e “Cozinha Sustentável” a moradores de comunidades carentes da capital.
Os últimos ajustes na programação dos cursos foram feitos na última semana, durante encontro entre a diretora de Desenvolvimento Comunitário do NAC, Eneida Almeida, e a engenheira agrônoma e coordenadora dos projetos pela Emater, Maria Josefa do Nascimento. “Os cursos são destinados a pessoas que tenham interesse em aprender mais sobre floricultura e o preparo de comidas. Ao final, eles estarão aptos a gerenciar a própria produção, garantindo uma renda extra para reforço do orçamento familiar", ressalta Josefa do Nascimento.
O projeto Cultivando Flores e Vidas tem duração de um mês e as atividades estão focadas na área de floricultura e jardinagem, incluindo noções de empreendedorismo, produção e venda, para facilitar a inserção dessas pessoas no mercado de trabalho. Foram ofertadas 20 vagas por curso e as aulas ocorrerão de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h.
Já o Cozinha Sustentável tem duração de duas semanas, com aulas das 13h às 17h, onde os alunos aprenderão a fazer salgados, doces, beneficiamento de frutas, além de cardápios alternativos, com base no reaproveitamento de partes de frutas e verduras que normalmente são dispensadas. Também foram ofertadas 20 vagas por turma, todas já preenchidas. Os dois cursos serão ministrados na Ceasa.
A primeira turma do "Cultivando Flores e Vidas" teve início em dezembro de 2011 e era formada por internos da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe). Até 2014, quatro turmas foram certificadas, totalizando 90 participantes. No ano anterior, quase 40 moradores do bairro Curió-Utinga, em Belém, participaram do "Cozinha Saudável".
“Até agora temos obtido bons resultados com esses cursos. Muitas dessas pessoas que passaram pela capacitação acabaram por conseguir bons empregos na área de jardinagem ou até mesmo abriram o próprio negócio no ramo da alimentação. A expectativa com essa nova parceria é garantir oportunidade de emprego e renda para outras dezenas de famílias”, explica Daniele Khayat, diretor geral do NAC.
As inscrições para as turmas de agosto já estão encerradas. Quem se interessar pelos cursos e quiser mais informações sobre matrículas para as novas turmas pode entrar em contato pelo número (91) 3248-2588.
Texto:
Erika Torres


Polícia Militar promove reintegração pacífica de terreno na comunidade Pantanal
A 4ª Vara de Fazenda Pública da capital emitiu nova liminar determinando a desocupação de uma área da Comunidade Pantanal, no bairro do Mangueirão, invadida há cerca de nove meses por um grupo de pessoas. O local foi destinado à construção de unidades habitacionais para famílias que vivem em situação precária de moradia, oriundas da mesma comunidade, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
A área foi ocupada por 71 famílias em outubro do ano passado, fato que paralisou o andamento da obra e gerou um processo judicial de reintegração de posse. A ação foi executada no início na manhã nesta quarta-feira, 29, de forma pacífica. Até o final da manhã não houve nenhum registro de resistência por parte dos ocupantes. A previsão é de que a desobstrução da área seja finalizada às 18h.
A primeira tentativa de desocupação do terreno pela Polícia Militar se deu em maio deste ano, mas a Justiça determinou a suspensão da operação. Na ocasião foi constatado que os 60 barracos de madeira erquidos na extensão do terreno ficam praticamente abandonados durante a maior parte do tempo, indicando que não são utilizados de fato como moradias.
Há indícios de que um grupo de ocupantes estaria promovendo uma especulação imobiliária do terreno, comercializando os lotes por valores que chegariam a R$ 4 mil. A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) está dando cumprimento à medida por meio do Grupamento do Corpo de Bombeiros, Centro de Perícias Científicas 'Renato Chaves', Polícias Civil e Militar (Batalhão Tático, Regimento de Polícia Montada e Batalhão de Choque). 
Projeto de urbanização da Comunidade Pantanal
O Projeto Urbanístico da Comunidade Pantanal, que engloba uma área de 299.849m², foi incluído em 2008 no Programa de Aceleração do Crescimento, e deverá ser executado em parceria com o governo do Estado - via Companhia de Habitação do Pará (Cohab) - e Caixa Econômica Federal. O empreendimento vai beneficiar diretamente 1.692 famílias.
O projeto inclui a construção de 300 unidades habitacionais, além de toda a infraestrutura e urbanização tanto da área como do entorno. A área já conta com algumas obras de intervenção executadas e que contemplam pavimentação de vias (34,87%), rede de esgoto sanitário (51,03%), rede de abastecimento de água (40,24%) e drenagem (64,01%).
O governo do Estado disponibilizou terreno para a construção das unidades habitacionais, que migraram do PAC para o Programa Minha Casa Minha Vida, com aprovação do Ministério das Cidades. No segundo semestre de 2014, a emprque garantissem a execução dos serviços necessários à conclusão do projeto, com a realização de novo processo licitatório. Assim que for concluída a nova licitação, os serviços serão retomados.
O processo de regularização fundiária dos terrenos já foi iniciado, todas as famílias receberão o título definitivo de suas moradias. Cada etapa do projeto é acompanhada pela comunidade por meio de uma representação denominada CAO - Comissão de Acompanhamento de Obras, formada por moradores da área, eleitos por votação direta da própria comunidade e que são responsáveis por fiscalizar, junto à Cohab, a execução do empreendimento.
(Com colaboração da Ascom Cohab)
Texto:
Cristiani Sousa

Consumo de álcool é principal vilão nas estradas paraenses nas férias
A três dias do último fim de semana das férias escolares, o número de prisões por alcoolemia já ultrapassou o do mês de julho do ano passado. O balanço parcial da operação Verão Seguro, do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), aponta que 69  pessoas foram flagradas com mais de 0.34 mg/l de álcool no sangue e detidas, conforme previsto no Artigo 165 do Código Brasileiro de Trânsito (CTB). Somente em Salinas, principal balneário do nordeste paraense, foram 52. Outras 280 pessoas foram autuadas administrativamente por embriaguez nas estradas do Estado.
Para o coordenador de operações do Detran, Walmero Costa, que nestas férias coordena as ações em Salinas, o dado é preocupante e serve de alerta para todos os órgãos de segurança que atuam nas estradas. “Muitas vezes, eles acreditam que não vai existir fiscalização e que o consumo de álcool, nem que seja pouco, está liberado, mas não é assim. A fiscalização tem exatamente o sentido de coibir essa prática de combinar álcool e direção. Já observamos que grande parte dos acidentes está ligada justamente a essa tipo de conduta, então a tolerância é zero”, ressalta.
O agente destaca ainda que, além do álcool, a falta de atenção e dos cuidados com a direção na estrada, aliada à pressa, é outro dos principais causadores de acidentes. “Isso acaba resultando em algum tipo de colisão, seja frontal ou traseira. A pressa e a falta de atenção são as que mais trazem problemas. Mesmo em férias, a gente observa muitas ultrapassagens forçadas e em locais proibidos. Esse tipo de conduta também é um risco potencial aos condutores. É preciso ter calma, pois todos vão chegar a seus destinos”, aconselha Walmero Costa.
Outra orientação é quanto ao uso do cinto de passageiros do banco traseiro durante todo o percurso. No primeiro momento, Walmero explica que os agentes estão orientando os condutores, mas ele observa que a infração não é novidade, já que ela está prevista desde a criação do Código de Trânsito. “Existia uma cultura de não se usar, e o assunto acabou ganhando repercussão nacional. Por isso, a importância de trabalharmos ações educativas, mas tudo isso sem esquecermos a fiscalização. Queremos garantir que o condutor chegue de forma segura ao destino, mas é preciso que ele tome os cuidados necessários”, reforça.
Até o terceiro fim de semana de julho, 36 acidentes foram registrados pelo Detran, com seis pessoas feridas. Também foram recolhidos 298 veículos e 88 Carteiras de Habitação. Além disso, o balanço aponta que, do início do mês para cá, foram aplicadas 2.588 notificações nas estradas paraenses. Ainda foram registradas cinco mortes em rodovias estaduais, segundo outro balanço da Polícia Rodoviária Estadual; no ano passado, foram 16. O rigor na fiscalização deve ser mantido até o fim da operação, na segunda-feira, 3 de agosto.
Os sete erros nas estradas
1 – Ultrapassar em local proibido;
2 – Excesso de velocidade;
3 – Falta de atenção;
4 – Usar o celular enquanto dirige;
5 – Trafegar pelo acostamento;
6 – Forçar ultrapassagem;
7 – Pegar a estrada sem fazer a revisão do veículo
As três principais infrações de julho
1 – Dirigir sob o efeito de álcool
Penalidades: Até 0.33 mg/l a infração é considerada gravíssima. Além de receber sete pontos na carteira, o condutor fica suspenso de dirigir por um ano. A multa para este tipo de infração é de R$ 1.915,40. Acima de 0.34 mg/l, além das penalidades administrativas, o condutor é autuado e detido, conforme previsto no Art. 306 do Código Brasileiro de Trânsito;
2 – Conduzir veículo com licenciamento atrasado
Penalidades: Também é considerada infração gravíssima e corresponde a sete pontos na carteira. Além disso, o veículo é levado para o parque no de retenção, até que sejam pagas todas as taxas administrativas e de vistoria. No parque, a diária fica R$ 19,17 para motos e R$ 27,38 para veículos de quatro rodas;
3 – Conduzir veículo sem estar de posse da Carteira Nacional de Habilitação (CNH)
Penalidades: A infração é gravíssima, resultando em sete pontos na carteira (caso o condutor seja registrado). Além disso, o condutor paga multa de R$ 574,62.
Texto:
Amanda Engelke




Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...