Total de visualizações de página

quinta-feira, março 21, 2013

Prefeitura vai recorrer da decisão judicial que reajusta salários





A Prefeitura de Belém vai recorrer da decisão judicial que determinou o pagamento de perdas de mais de 20% aos servidores ativos e inativos do município e da Câmara Municipal. O anúncio foi feito pelo prefeito Zenaldo Coutinho em coletiva de imprensa nesta quarta-feira,20, no Palácio Antônio Lemos. O titular da Secretaria de Assuntos Jurídicos (Semaj),Leonardo Maroja, também esteve presente e ajudou a explicar a decisão.
Na ocasião Zenaldo Coutinho reconheceu que os servidores tiveram perdas salariais ao longo dos anos, mas argumenta que nas últimas gestões houve reajustes e, por isso, o valor reconhecido pela Semaj é residual em relação ao valor fixado pela decisão judicial. “Se houver acordo entre o sindicato e a Semaj nos valores reconhecidos pela secretaria, eu posso fazer um acordo de parcelamento”, declarou o prefeito.
A justificativa é que o valor cobrado pelo Sindicato dos Servidores do Município de Belém (Sisbel), paralisaria o investimento em qualquer outro setor do município. A receita prevista para a administração municipal gira em torno de R$2,4 bilhões. No entanto é preciso considerar as dívidas herdadas das últimas gestões.
Para amenizar este cenário a prefeitura de Belém está tomando medidas de restrição de gastos com contratos, prestação de serviços e cargos em comissão, por exemplo. Segundo o prefeito, essas reduções estão permitindo a garantia de equilíbrio orçamentário do município. “Em síntese, estamos fazendo a redução de custos, qualificação de investimentos e buscando parceria com o governo estadual e federal”, informou Zenaldo Coutinho.
Texto: Dandara de Almeida-NID Comus

Fotos: João Gomes – Comus PMB

Edição: Lene Tavares-NID Comus

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...