Total de visualizações de página

segunda-feira, abril 15, 2013

Proposta do Detran pretende ampliar circulação de mensagens educativas




A Coordenadoria de Planejamento do Departamento de Trânsito do Pará (Detran) apresentou à Prefeitura de Belém a proposta de um projeto de lei que tornam obrigatórias mensagens de educação e prevenção de acidentes no trânsito em todos os equipamentos mobiliários urbanos (abrigos e paradas de ônibus, pontos de táxi, bancas de revistas, placas de identificação de vias, outdoors, busdoors e taxidoor), em Belém e seus distritos, que tenham autorização para exibir publicidade. A proposta foi apresentada na sexta-feira (12), durante reunião na Prefeitura.
De acordo com o coordenador de Planejamento do Detran, Carlos Valente, a proposição, se aprovada em votação na Câmara e sancionada pelo prefeito de Belém, ajudará a reduzir acidentes. “Acreditamos que assim se massificará a educação para o trânsito e as mensagens chamarão a atenção dos usuários das vias”, ressaltou.
Segundo Carlos Valente, o projeto foi motivado pelos resultados de estudos realizados por técnicos do Detran, os quais apontam que o maior número de vítimas fatais em acidentes de trânsito está na faixa etária de 19 a 29 anos. “É uma população jovem, ativa e produtiva. Infelizmente, quando se estuda as causas dos acidentes, se chega à triste conclusão de que mais de 95% desses sinistros decorrem do comportamento inadequado do ser humano enquanto integrante do sistema trânsito”, frisou o coordenador.
Infrações - Estatísticas do Detran mostram que, no período de janeiro a março de 2013, já foram registradas 51.912 infrações, sendo que as principais são avanço do sinal vermelho (9.314); dirigir com fone de ouvido ou usando telefone celular (4.790) e condução de motocicleta sem uso do capacete, como determina o Conselho Nacional de Trânsito (Contran).
Carlos Valente disse que essas infrações estão relacionadas à conduta do usuário, apesar da intensificação na fiscalização e aplicação das penalidades previstas no Código de Trânsito Brasileiro.
Segundo Carlos Valente, o caminho para mudar esse cenário e transformar o comportamento de condutores e pedestres é, obrigatoriamente, a educação. “Talvez seja o caminho mais árduo, porém com certeza a educação para o trânsito é mais eficaz para a transformação da realidade hoje vivida no trânsito. Quando criada a cultura de paz no trânsito, a tendência é a transformação das relações sociais, da cidadania, com o respeito ao espaço de cada um”, afirmou.

Texto:
Edson Matoso-Detran
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...