Total de visualizações de página

segunda-feira, outubro 03, 2016

LEIAM NESTE BLOCO: Sectet abrirá mais de 1400 vagas em cursos de educação profissional





Governo lança voo para Soure em ação para fomentar o turismo estadual

Gepois do lançamento da lancha rápida para o Marajó, em novembro do ano passado, o Governo do Estado dá mais um passo importante para o desenvolvimento do turismo na região do arquipélago. Na manhã desta segunda-feira, 3, aconteceu o voo inaugural para o município de Soure, dentro do programa “Voe Pará”, uma das 17 medidas do programa Pará 2030, anunciado pelo governador Simão Jatene em junho deste ano.
Com o “Voe Pará”, o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Turismo (Setur), quer ampliar a malha aérea regional paraense promovendo a circulação do turista no Estado e assim abrindo novas oportunidades de mercado.
“A partir de agora, teremos uma melhora significativa na acessibilidade em nosso Estado. No caso do Marajó, particularmente, uma das grandes queixas do empresariado era a dificuldade no acesso. Nós já tínhamos implementado a lancha rápida e agora, criamos essa linha aérea, com duas opções de voos por semana”, comemorou o secretário de estado de Turismo, Adenauer Góes.
Os voos na rota Belém-Soure sairão do hangar nas segundas e sextas-feiras, às 11 horas, com chegada às 11:20. No retorno, a decolagem será às 11:40, com pouso às 12 horas. O preço da passagem é 165 reais.
Uma das companhias aéreas participantes do programa Voe Pará é a TWO, empresa responsável por essa linha Belém-Soure. Ela também vai operar voos para os municípios de Breves (às terças e quintas-feiras) e Paragominas (às quartas-feiras). “Com essa crise no Brasil, o turismo é o primeiro a se retrair. Então, o Governo do Estado está dando um passo à frente para viabilizar o turismo na região. Esse casamento, entre o Governo de fazer essa expansão e a nossa empresa aérea em investir, de colocar à disposição os mecanismos para serem oferecidos nesse transporte, é que vai dar essa solução efetiva”, disse Marcos Ferreira, diretor de operações da TWO.
Além da TWO, mais três empresas de aviação estão credenciadas a receber o incentivo fiscal por parte do Governo, com a desoneração de uma parcela significativa do combustível da aviação que é trabalhada através da Secretaria de Fazenda do Estado (Sefa), com o acompanhamento dos planos de trabalho através da Setur.
Os voos para Soure, Breves e Paragominas serão realizados no Cessna Grand Caravan, uma econômica, robusta e segura aeronave monomotor turboélice, com capacidade para nove pessoas.
O secretário de Estado de Transportes, Kleber Menezes, esteve no voo inaugural para Soure. “Essa foi uma iniciativa muito feliz do Governo do Estado para alavancar a economia do Pará. Com a desoneração tributária dessas empresas aéreas, houve o incentivo ao desenvolvimento de um setor que vinha perdendo competitividade que é o setor aéreo. Isso vem junto com outras iniciativas, como a intensificação da infraestrutura aeroportuária depois que o Governo aderiu ao programa de aviação regional”, disse o secretário.
Depois de apenas 20 minutos de voo, o Cessna Caravan pousou em Soure e foi recebido com roda de carimbó e muita expectativa por parte da comunidade local. “Em nome da população, queremos agradecer ao Governo do Estado por esses investimentos, porque nós acreditamos que o turismo é a saída econômica para o nosso município”, disse Otávio Junior, agente de viagens em Soure.
A divulgação das novas linhas aéreas vem sendo estratégica, com mídia indoor veiculada em academias e empresas, na finalização de um plano abrangente de mercado. “Esse trabalho de divulgação dessas linhas aéreas já teve início há mais de seis meses. Inclusive no mercado internacional já estivemos prospectando, através das operadoras e visitas à diversas agências de viagens em Miami”, disse Evandro Bonna, proprietário da empresa que vai comercializar as passagens.
O voo inaugural para Breves acontecerá nesta terça-feira, 4, e o para Paragominas, na quarta-feira, 5. As vendas estão sendo realizadas através do site adm@bonnaviagens.com.br ou pelos fones (91) 32466691, 32469301 e 30863964.

Texto:
Syanne Neno


Polícia registrou mais 160 ocorrências relacionadas a crimes eleitorais
As polícias Civil e Federal efetuaram mais de 160 procedimentos referentes a crimes eleitorais, nos dias 1º e 2 de outubro, em todo Estado, segundo balanço divulgado nesta segunda-feira (3). Do total de registros, foram feitos 38 flagrantes de crimes eleitorais e lavrados 125 termos circunstanciados de ocorrência, em que os crimes eleitorais são de menor potencial ofensivo e não resultam em prisão em flagrante.
O trabalho conjunto da operação Eleições 2016 foi coordenado pela delegada geral adjunta da Polícia Civil, Christiane Ferreira, e pelo delegado da Polícia Federal André Ribeiro. Para a delegada adjunta, o trabalho foi um sucesso. "Essa ação integrada foi a melhor de todas as eleições, visando combater da forma mais eficaz possível os crimes eleitorais em todo Estado", destacou.
Somente a Polícia Civil foi responsável por 156 procedimentos por crimes eleitorais no Pará, no sábado e no domingo. Apenas no domingo (2), em todo Estado, foram lavrados 136 procedimentos, dos quais foram 107 termos de ocorrência, 27 inquéritos por flagrante e um boletim de ocorrência circunstanciado em relação a adolescente apreendido em flagrante. Foi ainda instaurado um inquérito policial para investigar crime eleitoral.
No sábado (1º), a Polícia Civil lavrou 20 procedimentos nas Delegacias de Polícia no Pará, por crimes eleitorais. Foram dez termos de ocorrência e nove flagrantes, e foi instaurado um inquérito policial. A Polícia Federal efetuou oito termos – dois em Belém e seis em Altamira – por crimes eleitorais no Pará e lavrou dois flagrantes, um em Santarém e outro em Belém, por crime eleitoral, no sábado e domingo.
Nos municípios onde a Polícia Federal está presente, a Polícia Civil ficou responsável somente pela lavratura dos termos de ocorrência, enquanto as equipes da PF fizeram a lavratura de prisões em flagrante por crime eleitoral. Já nas cidades em que não havia presença da Polícia Federal, a Polícia Civil ficou responsável por lavrar todos os procedimentos policiais de crimes eleitorais.
Fiscalização – Entre as ações conjuntas está a operação Sarué, em Marabá, no sudeste paraense, na véspera da votação, para combater crimes eleitorais com suposto envolvimento de candidatos e outras pessoas em esquema de compra de votos. O trabalho foi feito em conjunto com o Ministério Público Eleitoral. No total, 28 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Durante a operação, uma pessoa flagrada com posse de três revólveres e munição ilegais. Ela foi autuada em flagrante por porte ilegal de armas de fogo e munição.
Dentre as prisões em flagrante, o crime que mais incidiu no Pará foi oferecer dinheiro para compra de votos. Entre os crimes em que cabe a lavratura de termo de ocorrência, o maior registro foi de casos de boca de urna, que trata de propaganda ilegal no dia da eleição. A maioria dos casos de crimes eleitorais registrados pela Polícia Civil no Pará, no domingo, ocorreu em Belém, por boca de urna.
O segundo maior registro de ocorrência ainda no dia 2 foi na Região Metropolitana de Belém, com oito termos de ocorrência para boca de urna. No interior, a 10ª Região Integrada de Segurança Pública, que compreende os municípios de Redenção, Conceição do Araguaia, Floresta do Araguaia, Pau D'arco, Santa Maria das Barreiras e Santana do Araguaia, foi a que mais registrou ocorrências de crimes eleitorais, com oito casos.
Texto:
Walrimar Santos

Investimentos na malha viária melhoram o transporte de pessoas e fomentam a economia
Integrar o Estado a partir de investimentos em rodovias, pontes e infraestrutura hidroviária para facilitar o escoamento da produção e trânsito de pessoas. Essa é a missão dos investimentos que o Governo do Pará tem feito em toda a malha viária do território paraense. Estes investimentos são estrategicamente previstos pelo programa Pará 2030.
Rodrigo Nassar, coordenador de estudos e pesquisa da Diretoria de Planejamento da Secretaria de Estado de Transportes (Setran), explica que o investimento na malha viária é feito a partir de um mapeamento detalhado do cenário das rodovias estaduais.
O destino dos investimentos é baseado em estudos técnicos desenvolvidos pela Setran e Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan), por meio de audiências públicas do Plano Plurianual (PPA), quando as comunidades elencam suas demandas e as apresentam ao Executivo. As secretarias estaduais participam dessas audiências visando um planejamento conjunto de atendimento para o que é apresentado.
Recursos - Quanto aos investimentos, a Setran fornece anualmente ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) dados sobre o sistema viário paraense, a fim de atualizar as malhas federais e estaduais. Este acompanhamento subsidia a criação de estratégias de ampliação, reforma e conservação da infraestrutura. O Dnit cruza essas informações com o resultado do cálculo da arrecadação da Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico (Cide) para definir quanto o Estado receberá para continuar os investimentos. Quanto mais vias ampliadas, reformadas e conservadas, maior serão os recursos destinados para esses fins.
‘’Os investimentos na malha viária têm a missão de ampliar, reformar e conservar as PA’s, pontes e infraestruturas hidroviárias do Estado, para permitir a integração dos municípios, escoamento da produção e trânsito de pessoas. A melhoria não é singular, é plural, pois beneficia a população que está no seu entorno. Não basta pensar no produto, mas também nas pessoas’’, ressalta Rodrigo Nassar.
No ano passado, 55,5 quilômetros de estradas estaduais foram ampliados, 239,9 km restaurados e 382,4 conservados. Houve obras ainda em 1,805 km de pontes. Em todo o Pará, esse processo está em andamento em 23 PA’s, 58 pontes de madeira e nove de concreto, e em mais cinco obras hidroviárias.
Além disso, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio do Proinveste (Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e Distrito Federal), financia no Pará a restauração de vias estratégicas, como a PA-150, que liga as regiões nordeste e sul , dentre outros investimentos, como a construção do Ginásio Poliesportivo do Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirinho, em Belém.
Pará 2030 - Os investimentos na malha viária paraense estão determinados no programa Pará 2030, lançado em junho deste ano. O programa estabelece um plano para o desenvolvimento socioeconômico do Estado que tem como base a sustentabilidade.
Para isso, foram identificadas 23 oportunidades e eleitas 12 cadeias produtivas prioritárias, entre elas as do açaí, cacau, exploração mineral, turismo e gastronomia, logística, pesca e aquicultura, atividade florestal e pecuária sustentável. O programa se desdobra em 70 iniciativas, 280 ações e 1.400 marcos de implementação, e pretende elevar a renda per capita estadual em 5,3%, a cada ano, até 2030.
Texto:
Sérgio Moraes

Lançamento da campanha Outubro Rosa


Dedicada a mobilizações para a detecção prematura do câncer de mama, a campanha Outubro Rosa será lançada oficialmente no Pará nesta terça-feira (4), às 15h, no Teatro Estação Gasômetro, em Belém. As ações se estendem por todo mês com palestras, rodas de conversa e procedimentos a partir de parceria entre a Coordenadoria do Núcleo de Apoio à Gestão na Atenção à Mulher, da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), e o Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), do governo estadual.
Participam da mobilização outros órgãos públicos e entidades representativas de defesa do público feminino. O objetivo é intensificar as informações sobre acesso aos serviços de diagnóstico e tratamento, visando à redução da mortalidade. Nos últimos dois anos, 1.437 novos casos foram detectados somente no Hospital Ophir Loyola, uma das referências para o tratamento de câncer no Estado, via Sistema Único de Saúde (SUS). Dados do Departamento de Informática (Datasus) do Ministério da Saúde, indicam que entre 1996 e 2014 morreram 2.851 mulheres no Pará vítimas da doenã.
A ocasião servirá também para lembrar que os 144 municípios paraenses têm até o dia 15 de outubro para se inscrever ao prêmio Pará Mulher, que vai reconhecer e premiar as gestões municipais mais empenhadas em ações de prevenção e diagnóstico precoce do câncer do colo de útero e de mama no Estado. O concurso vai selecionar cinco municípios que alcançarem as duas metas dos indicadores de câncer de colo do útero e mama simultaneamente, a partir do que é pactuado com o Ministério da Saúde.
Por meio do Sistema de Acompanhamento e Monitoramento da Execução de Políticas Públicas do Ministério da Saúde (Sispacto), é possível traçar um diagnóstico a partir das regiões de saúde, Estados, municípios e Distrito Federal, além de possibilitar ao gestor desenhar ou redefinir planos e estratégias adequadas às necessidades da população a partir da leitura das estatísticas disponíveis. O período a ser avaliado será entre julho de 2015 e julho de 2016.
Texto:
Mozart Lira

Caratecas paraenses são esperança de medalhas para o Brasil
As caratecas Daniela Tanaka e Iasmin Rodrigues se dedicam com afinco para representar o Pará no Campeonato Mundial de Caratê da World Kickboxing and Karate Association, que vai ser disputado de 25 a 30 deste mês na Itália. Atual tetracampeã do mundo, Daniela Tanaka é uma das grandes esperanças de medalha para o país na competição.
Já Iasmin Rodrigues vai fazer a sua estreia em mundial cercada por grandes expectativas: em sua primeira competição internacional, a faixa preta de 16 anos conquistou duas medalhas de ouro no Campeonato Pan-Americano de Karate, disputado em julho, em Buenos Aires. Além disso, é heptacampeã nacional no kumite. As duas competem com apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).
No Campeonato Brasileiro da Confederação de Cultura e Artes Marciais, realizado entre os dias 16 e 17 de setembro, em Brasília (DF), Iasmin Rodrigues conquistou medalhas de ouro no kumitê e prata no katá. “Conquistei o heptacampeonato brasileiro de kumitê e sou vice-campeã de katá (em 2015, ela foi campeã). Eu me sinto honrada por ter representado o nosso Estado e conseguido o primeiro lugar do pódio”, afirmou Iasmin.
Iasmin garantiu a sua classificação para o Mundial com os títulos conquistados no Pan de Buenos Aires. “Será minha estreia no campeonato mundial de caratê, confio no trabalho do meu treinador Eliezer Kouri, e farei o meu como atleta, me dedicando aos treinamentos árduos, pois não será fácil, mas estarei com toda garra para representar nosso País e também nosso Estado na Itália”, concluiu.
Atual campeã do mundo, Daniela Tanaka não participou da competição nacional em Brasília para poder se recuperar de problemas físicos e para priorizar a sua preparação ao Mundial: “Não fui para o Brasileiro devido visar o Mundial, já que também estava em período de muita dor na coluna e impossibilitada de treinar”, afirma. O Pará vai em busca do bicampeonato, pois Daniela Tanaka vai defender o título conquistado em 2015.
Daniela afirma que pretende mostrar garra e superação no Mundial: “Hoje, estou me recuperando e treinando. A expectativa é que será mais uma missão de mostrar a todos que podemos superar qualquer obstáculo, independente de dores e lesões. É nesse momento que vemos quem realmente está nos apoiando e, graças a Deus, posso contar com uma equipe excelente de médicos e fisioterapeutas, além de todo apoio da família e do meu treinador, Eliezer Kouri. Estamos trabalhando para levar a bandeira do Pará para o pódio no Mundial em busca do pentacampeonato”, garante Daniela.
Brasileiro
Os caratecas paraenses tiveram grande participação no Campeonato Brasileiro da Confederação de Cultura e Artes Marciais, mês passado, em Brasília (DF). O Pará conquistou 53 medalhas, sendo 30 de ouro, 11 de prata e 12 de bronze. “Estou muito feliz, pois de 41 atletas, 36 conseguiram medalhar com excelente resultado. E ainda tivemos a graduação de dois árbitros para o quadro nacional: Adrian Tenório e Kallel Silva. Agora, o trabalho continua com foco no Mundial. Temos grandes chances de ter uma mulher cinco vezes campeã mundial, que é a Daniela Tanaka. Estamos trabalhando muito para alcançar nosso objetivo. E junto com o apoio da Seel e do governo do Estado, conseguiremos esta grande conquista para o esporte paraense”, ressaltou Eliezer Kouri, que é treinador de Iasmin Rodrigues e de Daniela Tanaka e também é presidente da Federação Paraense de Cultura e Artes Marciais (FPCAM), entidade filiada à Confederação Brasileira de Mix e Artes Marciais (CBMA).
Trinta e seis atletas paraenses que conquistaram as primeiras colocações nas categorias Katá, Kumitê no brasileiro, estão classificados para o Pan- Americano 2017, que deve ser realizado no Brasil. Kallel Silva e Matheus Amaral foram outros destaques no Brasileiro. Cada um ganhou duas medalhas de ouro, no kata e kumitê. Matheus conquistou ouro na categoria Juvenil, tornando-se tetracampeão em kumitê, enquanto Kallel venceu no Adulto, também tornando-se tetracampeão no kumitê.
Texto:
Antonio Darwich

Detran certifica turma de mototaxistas e motofretistas em Marabá
O Departamento de Trânsito do Estado (Detran) realizou neste fim de semana o encerrameno do primeiro curso profissional para mototaxistas e motofretistas no município de Marabá, sudeste do Pará, quando cerca de 50 profissionais receberam o certificado de conclusão.
A capacitação atende a Resolução 410 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que disciplina a profissão de mototaxistas e motofretista, condicionando a atuação após a obtenção da concessão dada pelo município e depois de passar pelo curso profissional que é obrigatório. A normativa também determina que o interessado seja maior de 21 anos e seja habilitado na categoria "A", há mais de dois anos.
A grade curricular do treinamento é composta por uma carga horária de 30 horas e aborda disciplinas como Noções de Legislação, Ética, Segurança e Saúde, Risco sobre Duas Rodas e Exame Prático realizado no final da capacitação.
Para a gerente da Escola Pública de Trânsito do Detran, Karla Mangas, que coordena a capacitação em Marabá, o fato de haver uma normativa para disciplinar o exercício profissional em veículo de duas rodas, ajuda a desmistificar o pensamento de muitos de que para exercer a profissão de mototaxista e motofretista, basta ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e uma moto. “Não é bem assim. O profissional precisa conhecer as regras de condução e transporte de passageiros e cargas para sua própria segurança e de seus clientes, mas antes, é preciso ter a autorização do município e passar pelo curso obrigatório”, frisa a coordenadora.
Karla lembra que existe a lei (nº 12.009) que regulamenta e legitima a profissão, além de uma resolução (410) que estabelece a obrigatoriedade da capacitação e o uso dos equipamentos de segurança. “O conhecimento e técnicas ministradas durante o curso tem como objetivo garantir a segurança do profissional, de seus passageiros e acima de tudo garantir a prestação dos serviços com qualidade”, pondera.
Marabá tem a segunda maior frota de motocicletas do Estado, com 42.950 veículos, ficando atrás apenas de Belém, que possui uma frota de 106.885 motocicletas.
Texto:
Aldirene Gama

Segunda turma do Projeto Jovens Protagonistas é certificada pelo Ideflor-bio
Foi formada na sexta-feira (30), a segunda turma do Projeto “Jovens Protagonistas”, por alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental Ruth Passarinho, do bairro do Utinga. A atividade, que incentiva a conscientização ambiental, a importância da preservação do meio ambiente, de seus recursos naturais e apoia o protagonismo da juventude, é de realização do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio).
O projeto, que encerra o cronograma de atividades de 2016, busca novas lideranças e estimula a participação dos jovens na sociedade de forma crítica, além de conscientizá-los sobre a questão ambiental em que o planeta se encontra, para que possam desempenhar papel relevante em busca da melhor alternativa para a comunidade em que estão inseridos. A primeira turma dos “Jovens Protagonistas” foi formada em maio deste ano. A meta é que pelo menos mais três sejam formadas em 2017.
A capacitação, que durou cinco dias, foi realizada no auditório do Instituto, onde a turma assistiu a uma série de vídeos explicativos, abordando assuntos sobre o desenvolvimento sustentável, impactos ambientais, uso dos recursos naturais, questões ambientais, econômicas e sociais, conceitos de natureza e meio ambiente, o que proporcionou um válido bate-papo entre os presentes.
Dentre as atividades da semana, houve a ida ao Parque Estadual do Utinga, onde a turma teve acesso ao Lago Bolonha e à Estação de Tratamento de Água da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa). Durante a visita, os jovens tiveram conhecimento sobre todo o processo de limpeza de água e o trabalho realizado pela Estação.
Outra visita também realizada foi ao aterro de Marituba, onde os jovens foram orientados quanto ao funcionamento do local, o controle de entrada de entulhos, pesagem dos caminhões, descarregamento, processo de triagem, entre outros. Os jovens também foram alertados sobre a importância da reciclagem de lixo, ação que economiza energia, poupa recursos naturais e traz de volta ao ciclo produtivo o que é jogado fora.
Os alunos, que receberam certificados ao final do curso, também foram incentivados a elaborarem projetos para solucionar problemas ambientais no bairro ondem vivem, sendo que cada grupo explanou sua idéia aos presentes.
De acordo com Júlio Meyer, gerente da Região Administrativa de Belém, da Diretoria de Gestão e Monitoramento das Unidades de Conservação, o projeto objetiva conscientizar os jovens da situação ambiental do mundo em que vivem. “Queremos que eles percebam quais são os desafios que o meio ambiente enfrenta e criar neles um sentimento mais crítico sobre o assunto, para que futuramente eles repassem esses conhecimentos adiante, criando novos formadores de opinião”, finalizou.
Texto:
Denise Silva

Governo incentiva a produção de queijo e iogurte artesanal em Vigia
O município de Vigia, localizado no nordeste paraense, conhecido por sua famosa produção de pescado, em breve também ganhará destaque pela produção de laticínios, principalmente de iogurtes e queijos. A Cooperativa Agropecuária do Salgado Paraense (Casp), localizada no km 36 da rodovia PA-140, é a responsável por colocar estes produtos, literalmente na rota do município.
O empreendimento possui o acompanhamento técnico da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e o incentivo da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), que contribuiu para a adequação dos produtos que agora possuem rótulos padronizados e podem ser comercializados em qualquer lugar do Pará.
A Casp existe há mais de cinco anos e sempre esteve focada na produção de frutas e hortaliças, que até hoje representa o maior faturamento da cooperativa. No entanto, em 2013, os cooperados decidiram investir na venda de iogurtes e queijos que eram feitos de maneira artesanal e comercializados na beira da estrada. Eles criaram uma pequena indústria e começaram a produzir a sua própria linha de derivados do leite. No ano passado, a cooperativa, assim como diversos empreendimentos classificados como “artesanais” foram visitados por técnicos da Adepará, que avaliaram e indicaram quais adequações deveriam ser feitas para que estes produtos pudessem ser legalmente comercializados.
“Nós tivemos o primeiro contato com a Casp em 2012 durante o nosso mapeamento de atividades no interior. O resultado deste acompanhamento foi a adequação da produção dos iogurtes, que antes eram feitos de forma rudimentar e hoje estão padronizados conforme a legislação. Hoje, eles são um exemplo dentro desta cadeia produtiva artesanal de laticínios”, explica Patrícia Marinho, responsável pela gerência de produtos artesanais de origem animal da Adepará.
O foco da gerência de produtos artesanais de origem animal é mapear estes empreendimentos e principalmente tirar o pequeno produtor rural da clandestinidade. Quando o produtor se legaliza, diversas oportunidades se abrem, não apenas de comercialização, mas através de financiamentos estaduais e federais, além de linhas de créditos específicas para estas modalidades.  Além disso, a cooperativa pode oferecer uma mercadoria com certificação e segurança alimentar.
O rótulo possui o número de registro do órgão regulador, informações nutricionais, origem, data de validade e outros dados técnicos importantes para o consumidor e empresas. Logo após os iogurtes, a Casp conseguiu, em agosto de 2016, o rótulo e autorização para a comercialização de queijos tipo coalho, ricota e ricota temperada. Luiz Eduardo Villas Boas e Luiz Ciarini, presidente e diretor de produção da cooperativa, respectivamente, comemoram a certificação que garantirá a expansão da produção. Atualmente, a Casp tem 110 cooperados.
Além de expandir a produção, o alimento já está inserido na merenda escolar dos municípios de Vigia, Colares, São Caetano de Odivelas e Castanhal por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Frutas, hortaliças e iogurtes estão no cardápio de fornecimento, e em breve também entrarão os queijos. “Hoje fabricamos uma média de 200 litros de iogurte por dia e 150 quilos de queijo por mês, que agora são embalados a vácuo, seguindo as normas obrigatórias. Temos melhorado a nossa produção com a ajuda de uma consultoria técnica para usarmos cada vez melhor o leite que é produzido aqui mesmo em Vigia. Agora estamos nos preparando para aumentar a fábrica e atender mais municípios aqui na região. Sem dúvidas somos muito gratos por todo acompanhamento que a Emater e a Adepará tem nos dado nesse processo”, explica Luiz Ciarini.
A Emater acompanha a cooperativa desde o seu primeiro formato, quando era voltada apenas para o cultivo e comercialização de frutas e hortaliças, no final dos anos 90. Há cinco anos, a cooperativa mudou de nome e ampliou sua variedade de produtos, quando decidiu investir no leite da própria região. Neste processo, a Emater foi a responsável pela assessoria técnica tanto da produção da hortifruticultura quanto da produção adequada do leite gerando os resultados positivos que podem ser vistos agora.
“A certificação dos derivados de leite da Casp fará com que a cooperativa atraia mais produtores, que serão preparados pela Emater para melhorar e aumentar o círculo de produção de leite. Existem vários pequenos produtores espalhados que representam um grande potencial na região e darão ainda mais força na participação da cooperativa em programa como o PNAE ou mesmo no mercado”, explica Alexandre Galvão, coordenador geral de operações da Emater Central.
Além da sede da cooperativa, localizada no KM 36 da rodovia PA-140, os produtos podem ser encontrados em Belém, durante a feira do produtor rural, que ocorre sempre todo o primeiro sábado do mês na Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa), onde estarão presentes também diversos agricultores familiares com produções de orgânicos assessoradas pela Emater.
Texto:
Diego Andrade

Mais de 100 presos votam em quatro unidades prisionais do Estado
Unidades prisionais de quatro municipios do Estado receberam secções eleitorais este ano, garantindo aos presos provisórios o direito ao voto e à cidadania. A votação foi possível graças a um termo de cooperação técnico assinado entre a Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) e o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE/PA).
Presos provisórios das unidades de Breves, Paragominas, Redenção e Tomé-Açu participaram do pleito municipal, neste domingo (2/10). O voto é assegurado a detentos que cumprem pena em situação de provisório, isto é, não possuem condenação criminal, além de presos que já saíram das unidades prisionais por meio de alvarás da Justiça. Ao todo, 110 presos votaram para vereador e prefeito, em seções eleitorais instaladas dentro das quatros unidades prisionais.
Um dos procedimentos necessários para que a votação ocorresse nas unidades penais, além do número mínimo de pessoas para a votação nas seções, foi a regularização dos documentos dos internos, pois muitas vezes, o encarcerado não possui documentação regularizada, sendo que, alguns deles não possuíam nem certidão de nascimento e nem identidade, antes de serem presos.
É o caso do interno Clebeomar Reis, 30, custodiado no Centro de Recuperação Regional de Tomé-Açu (CRRTA). Antes de ser preso, ele não possuía identidade e nem título de eleitor. Com a realização da votação na unidade penal foi possível regularizar sua situação. “Eu nunca tive uma identidade e nem o título de eleitor, por isso nunca havia votado. Com essa oportunidade pude virar um cidadão e votar para a melhoria da minha cidade”, afirmou.
Já para o preso Rafael Cunha, 23, esse momento foi muito significativo, pois ter a garantia da sua cidadania exercida fez ele vislumbrar a vida fora do cárcere com mais oportunidades. “Quando eu retornar vou poder ter um emprego e estudar para um concurso, agora que já tenho meus documentos completos e pude pela primeira vez votar“, afirmou.
Para o juiz titular da comarca de Tomé-Açu, Jonas da Conceição Silva, que acompanhou a votação, esse direito político garantido aos internos provisórios é um ganho para todos, pois é um direito a cidadania. "Ter seções eleitorais dentro de unidades prisionais é uma conquista muito importante, especialmente para estes presos, sendo que muitos deles nem documentos regularizados possuíam, além de garantir o direito político exercendo a sua cidadania é um dever que devemos cumprir”, afirmou o juiz.
“Pela primeira vez conseguimos trazer uma seção eleitoral para dentro da unidade de Tomé-Açu. Para nós é um momento muito gratificante garantir o voto para os presos que ainda não foram sentenciados e que estejam em condições de exercer a cidadania, além de possibilitá-los a ter seus documentos regularizados, oportunizando um retorno à sociedade, habilitados para uma chance no mercado de trabalho”, disse a diretora do CRRTA, Selma do Nascimento.
Em Tomé-Açu, 32 presos estavam aptos a votar; no balanço final, 24 compareceram a votação. Já em Paragominas, 45 detentos foram esperados para o pleito, mas apenas 33 votaram. Em Breves, 44 detentos tinham o direito ao voto; 35 compareceram ao pleito. No municipio de Redenção, 23 presos foram esperados para a votação; 18 votaram. A votação transcorreu normalmente, sem nenhum problema, em todas as quatro seções instaladas nas unidades prisionais do Estado.
Texto:
Timoteo Lopes

Após voto, governador Simão Jatene reafirma importância das eleições para o Estado
O governador Simão Jatene compareceu, no final da manhã deste domingo (2), ao seu local de votação, o Núcleo de Esporte e Lazer da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em Belém. Após o voto, o governador concedeu entrevista à imprensa e pediu tranquilidade e discernimento na escolha dos candidatos.
"Uma sociedade democrática tem como pilar central o respeito às diferenças e isso sem dúvida é essencial para o equilíbrio. Meu desejo é que as pessoas participem da eleição de forma pacífica e que este clima permaneça por toda a tarde e que tenhamos uma eleição tranquila", afirmou Simão Jatene. Mais de 5,5 milhões de eleitores devem comparecer às urnas para eleger prefeitos e vereadores que representarão a população dos 144 municípios paraenses.
O governador também ressaltou a importância de uma gestão responsável no atual cenário político e econômico do país. "A responsabilidade lhe impõe fazer o que é possível sob pena de terminar se endividando e criando uma situação de instabilidade, como lamentavelmente terminou acontecendo com o Brasil. A União terminou embarcando em uma profunda crise e isso acabou impactando Estados e municípios. Por isso a gestão responsável é fundamental, assim como a escolha dos novos gestores".
Para Simão Jatene, essa é uma chance importante que os cidadãos têm para fazer escolhas certas e reavivar esperanças de melhorias coletivas. "Toda a eleição é importante, mas as municipais têm um valor particular, pois elas afetam muito diretamente a vida das pessoas. Essa eu particularmente repito, de uma importância diferenciada em função do momento que o país está vivendo, não só com a crise fiscal, econômica, mas de valores, ética e política, onde você termina gerando um profundo desencanto das pessoas e até descrença na política", disse.
"Sempre digo que o homem tem duas formas de resolver os seus problemas e enfrentar os seus conflitos: uma é pela guerra e outra pela política. Eu prefiro continuar apostando na política", explicou o governador.
O governador reiterou a importância da união com municípios para o desenvolvimento do Estado. "Não sou hipócrita e ingênuo de dizer que não estou torcendo pelos nossos candidatos, mas sempre tendo o cuidado de respeitar a opinião diversa", acrescentou.
De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), além de Belém, com 1.043.219 votantes, e Ananindeua, com 291.273, também há possibilidade de segundo turno no município de Santarém, no oeste paraense, que hoje conta com 209.484 eleitores. O segundo turno é realizado apenas nos municípios com mais de 200 mil votantes, em que nenhum dos candidatos consiga a maioria absoluta, ou seja 50% dos votos válidos mais um. O novo pleito será no dia 30 de outubro.
O governador chegou à seção eleitoral acompanhado de familiares e correligionários. De lá, seguiu para o distrito de Icoaraci, para acompanhar a primeira-dama, Ana Jatene, no exercício de seu direito ao voto.
Segurança
O esquema de segurança para as Eleições 2016 conta com participação integrada de agentes federais, estaduais e municipais. Os cerca de 15 mil profissionais das três esferas de governo atuam com o objetivo de prevenir e coibir práticas delituosas durante o pleito. A Polícia Militar está com um efetivo de 10 mil agentes, sendo que 1.477 reforçam o policiamento no interior do Estado juntamente com 2 mil homens do Exército Brasileiro.
O Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran) também está presente na operação com 120 agentes de trânsito organizando o fluxo de veículos no entorno dos locais de votação e o Corpo de Bombeiros, com 374 agentes nos atendimentos de socorro e de emergência. A Polícia Civil conta com 240 agentes e está responsável em atender os Termos Circunstanciados de Ocorrência, como os crimes eleitorais de boca de urna. A Polícia Federal está com 350 agentes nas ruas para ocorrências de flagrantes. A ação também conta com 202 agentes da Guarda Municipal.
A operação também conta com a atuação do Gabinete Integrado de Gestão Operacional em Belém, Santarém, Castanhal, Tucuruí, Redenção, Paragominas, Capanema, Altamira, Abaetetuba, Itaituba e Soure, para monitorar as ocorrências e agilizar o atendimento à população.
Texto:
Lidiane Sousa

Polícia Civil ajuda idoso a reencontrar a família após 30 anos desaparecido
Neste sábado, 1º de outubro, quando se celebra o Dia Internacional do Idoso, a equipe da Delegacia de Proteção ao Idoso (DPID), da Polícia Civil do Pará, localizou familiares de um idoso que estava desaparecido há 30 anos sem dar qualquer notícia. Aos 68 anos, seu João de Castro Moura, reencontrou os parentes que moram em Belém, após viver fora do Pará por mais de três décadas.
Com problemas de memória, que lhe causam constantes esquecimentos, seu João conta que viajou do Pará até Oiapoque, no Amapá, para trabalhar em áreas de garimpo. Ali, naquela região do extremo-norte do Brasil, na fronteira com outros países da América Latina, chegou a conhecer a cidade de Caiena, capital da Guiana Francesa.
Após proporcionar o reencontro de seu João com a família, a equipe da DPID, coordenada pela delegada Regina Tavares, e a assistente social Simone Aguiar, estiveram esta semana na casa de dona Marinete, onde seu João passou a morar.
Eles relataram parte da jornada pela qual o idoso passou nos últimos 30 anos distante da família até o reencontro, em Belém. O único momento que seu João não se lembra foi como retornou para Belém, o que, para os familiares, é um mistério.
Cearense de nascimento, assim como toda sua família, seu João deixou o Ceará e passou a morar em Belém há cerca de 50 anos. Após cerca de 20 anos vivendo na capital paraense, ele resolveu viajar para o Amapá, na região de fronteira com a Guiana Francesa, para trabalhar em garimpos.
Assim, o idoso passou três décadas na região e, desde então, ficou sem dar notícias à família, que já estava sem esperanças de reencontrá-lo. Mas, no mês passado, seu João conseguiu retornar para Belém. Perdido e desorientado, o idoso foi ajudado por uma série de pessoas até ser levado à sede do Instituto de Previdência e Assistência do Município de Belém, órgão da Prefeitura, localizado no bairro do Marco, na capital paraense.
Neste local, novamente, seu João foi ajudado por pessoas de bem. Uma funcionária chegou a acolhê-lo na casa de familiares, onde o idoso permaneceu até ser levado à Delegacia de Proteção ao Idoso. Foi então que a equipe da Delegacia tomou conhecimento de que o idoso estava havia 30 anos longe da família e que não lembrava onde os parentes moravam em Belém. Assim, após fazer levantamentos, a DPID conseguiu localizar dois endereços de parentes de seu João, em Belém.
Mediante contato prévio com os familiares, a equipe policial levou o idoso para reencontrá-los. Um dos reencontros mais emocionantes foi com a irmã, Marinete de Castro Gonçalves, 56 anos, moradora no bairro de Canudos. Ao lado do marido, o feirante Raimundo Gonçalves, 63, a dona de casa relatou os anos todos de angústia que passou por não ter qualquer informação sobre o paradeiro do irmão. "Foi muito desesperador passar todo esse tempo sem notícias dele, mas graças a Deus, ele está de volta", comemorou.
Texto:
Walrimar Santos

Uepa tem a primeira aluna surda a defender tese de mestrado
Foi uma defesa de mestrado inédita na Universidade do Estado do Pará (Uepa). Gestos, sinais e expressões foram as ferramentas utilizadas pela mestranda Pamela do Socorro Matos, de 28 anos, primeira aluna surda a defender um mestrado no Pará. Em seu trabalho, ela explorou o universo da contação de história sem o uso da voz. Alunos e professores da Unidade de Ensino Especializado Professora Astério de Campos participaram da pesquisa, que problematizou aspectos da educação dos surdos no Pará.
Com o auxílio de uma intérprete, Pamela defendeu sua dissertação para a banca examinadora, formada pelo professor convidado Thomas Massao Fairchild, que leciona Língua Portuguesa na Universidade Federal do Pará (UFPA); a coordenadora do Mestrado em Educação, Ivanilde Apoluceno; a coordenadora do curso de Letras da Uepa, Socorro Cardoso; e o orientador da pesquisa, professor José de Anchieta.
Durante sua apresentação, Pamela usou principalmente a Língua Brasileira de Sinais (Libras), mas acrescentou também os gestos, um dos temas centrais da dissertação. A pesquisa traz um estudo mais específico sobre a linguagem utilizada pelo surdo ao narrar histórias. Surda desde os seis anos, Pamela percebeu que a Libras ainda é pouco difundida na comunidade surda, pois o acesso a ela ainda é limitado. “Eu só tive meu primeiro contato com a Libras aos 16 anos. Antes disso, utilizava uma comunicação baseada em gestos e mímica, que foi convencionada entre familiares e amigos. Porém, fora daquela comunidade, eu tinha muita dificuldade em me expressar”, contou.
A análise incluiu uma sessão de vídeo onde foi exibido um desenho animado. Após a sessão, Pamela pediu aos presentes que repetissem para ela a história do desenho e filmou as narrativas. Durante a avaliação dos vídeos, ela constatou que, até mesmo em pessoas com conhecimento de Libras, os gestos são parte fundamental – e dominante - da contação de história. Os gestos então foram classificados em grupos, criados por ela, para tentar entender melhor seu papel enquanto linguagem e suas possíveis aplicações na educação dos surdos. A falta de literatura científica sobre a comunicação dos surdos foi um dos percalços observados por ela.
A dissertação foi aprovada com louvor. “O trabalho é inédito não só pela temática, mas também pelas novas qualificações para a educação dos surdos. É uma dissertação que levanta diversos questionamentos, bem como novos caminhos de pesquisa”, resumiu Apoluceno. O professor Fairchild apontou outras questões que podem nortear a tese de doutorado da nova mestra. “Ela trouxe muitos insights interessantes sobre a comunicação das pessoas surdas. Ofereceu outro olhar, baseado na vivência dela. Fiquei bastante instigado”, avaliou.
A coordenadora do curso de Letras comentou o salto que a Uepa deu na questão da acessibilidade. “A Instituição vem trabalhando muito a inclusão. Quando a Pamela surgiu como candidata no mestrado, todos se mobilizaram para encarar esse desafio. Não foi fácil, mas tivemos um aprendizado mútuo. O sucesso dela é uma conquista importante para todos”, disse Cardoso. O orientador também não escondia o orgulho. “A capacidade descritiva dela é impressionante. Orientar a Pamela foi uma experiência fantástica e um aprendizado para mim. Mostra que o nosso Mestrado é aberto e queremos receber mais alunos com deficiência”, convidou Anchieta. Atualmente, há também uma aluna cega cursando o Mestrado em Educação.
Após o anúncio da nota de Pamela pela banca, a mãe dela, Celina Matos, fez questão de agradecer aos professores e aos muitos amigos e familiares presentes. “Assistindo a defesa do trabalho, passou um filme na minha cabeça. Lembrei-me de quando ela recebeu o diagnóstico de surdez, achei que era o fim. Mas recebemos muito apoio na escola que ela estudava. Ela prosseguiu nos estudos e hoje chegou aqui. Um título de mestre. Ela é a caçula de quatro irmãos, nenhum dos outros chegou tão longe. É muito orgulho para mim, que não tive estudo e sempre priorizei a educação dos meus filhos”, contou.
Pamela lembrou que o caminho até o mestrado não foi nada fácil. “Mas a dificuldade é boa, pois ela te motiva, te tira da zona de conforto e te faz descobrir que é possível ir mais longe. Acho que hoje sou uma referência para os surdos. Temos uma linguagem e uma cultura diferentes das dos ouvintes, mas somos capazes. O surdo precisa ser mais valorizado. Se não fosse surda, me pergunto se estaria aqui hoje”, disse ela, que já mostrou interesse em aprofundar sua dissertação em uma futura tese de doutorado. Pamela é a segunda paraense surda a receber o título. Uma professora da UFPA defendeu em 2015 seu mestrado na França.
Texto:
Fernanda Martins

Usuários e colaboradores comemoram 5 anos do Centro Hospitalar Jean Bitar
Data da Pauta:
03/10/2016 09:00:00
Expira em:
03/10/2016 17h00
Local:
Centro Hospitalar Jean Bitar
Endereço:
Rua Cônego Jerônimo Pimentel, Umarizal, em Belém
Contatos:
(91) 3239-3800./ Thalita Garcia: 983397323/ Vera Rojas- 983990599- Zap: 984037081

Nesta segunda-feira, 3, o Centro Hospitalar Jean Bitar (CHJB) comemora aniversário de 5 anos de funcionamento ininterrupto. Unidade estadual pública com serviços gratuitos aos Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), o Jean Bitar mantém o único Laboratório de Habilidades Videolaparoscópicas da região, além de ser referência estadual para endoscopia digestiva, endocrinologia, reumatologia, geriatria, pneumologia e clínica médica.
Os usuários do centro contam com uma equipe de especialistas, estrutura, equipamento e tecnologias de ponta para realização de cirurgias de parede abdominal e gástrica, e ainda para cirurgias nas vias biliares e intestino.
Para festejar a data, o Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) do centro hospitalar promoverá ações de saúde e educação voltadas para colaboradores, usuários e acompanhantes, com foco às pessoas com mais de 60 anos, devido a recente comemoração ao Dia Nacional do Idoso, homenageado dia primeiro de outubro.
Durante todo o dia serão disponibilizados serviços de aferição da pressão arterial e glicemia, mini-palestras nas áreas de recepção do hospital, sobre nutrição e entrega de material educativo aos acompanhantes dos usuários idosos, sobre os cuidados com os pacientes acima de 60 anos, após alta médica. A ação envolverá familiares e cuidadores. No final da tarde, colaboradores, usuários e acompanhantes serão reunidos para os tradicionais parabéns ao hospital.
De maio a agosto deste ano, a equipe multidisciplinar do Jean Bitar viabilizou 5.156 atendimentos prestados aos usuários referenciados das unidades básicas de saúde, sendo que 205 consultas ambulatoriais para pessoas com mais de 60 anos, que serão o alvo das comemorações dos 5 anos da unidade hospitalar, visando o favorecimento da saúde e da segurança, com o objetivo de proporcionar melhor qualidade de vida, atendendo orientação da Organização Mundial de Saúde sobre o que se definiu como “envelhecimento ativo”.
Com assistência de média e alta complexidade o Centro Hospitalar Jean Bitar dispõe de 67 leitos e mantém o único Laboratório de Habilidades Videolaparoscópicas da região, além de ser referência estadual para endoscopia digestiva, endocrinologia, reumatologia, geriatria, pneumologia e clínica médica.
Os usuários do centro contam com uma equipe de especialistas, estrutura, equipamento e tecnologias de ponta para realização de cirurgias de parede abdominal e gástrica, e ainda para cirurgias nas vias biliares e intestino.
Serviço:
O Centro Hospitalar Jean Bitar fica na Rua Cônego Jerônimo Pimentel, Umarizal, em Belém. Mais informações: (91) 3239-3800.
Texto:
Vera Rojas

Sectet abrirá mais de 1400 vagas em cursos de educação profissional
A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) ofertará 50 cursos de educação profissional e tecnológica, sendo 49 na modalidade de qualificação profissional e um técnico de nível pós-médio, em diversos municípios do Estado, com o objetivo de qualificar mão-de-obra para atuar em atividades da indústria regional. Os cursos serão presenciais e ministrados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem (Senai), instituição contratada pela Sectet para ministrar os conteúdos práticos e teóricos.
Os primeiros cursos a serem ofertados pela Sectet serão realizados nos municípios de Ulianópolis, Barcarena, Paragominas e Altamira e terão início neste mês de outubro. Serão 145 vagas ofertadas neste momento para diferentes cursos. As inscrições terão início nesta segunda-feira, 3.
Ao todo, a secretaria prevê a qualificação de mais de 1400 pessoas, entre jovens e adultos, em 21 municípios demandantes das vagas, distribuídos em nove Regiões de Integração do Pará. A definição dos cursos que serão ofertados levou em consideração as necessidades das cadeias produtivas estratégicas de cada região e a realidade socioeconômica das populações envolvidas, levantadas pela equipe da Diretoria de Educação Técnica e Tecnológica da Sectet, durante a realização das oficinas "Cadeias Produtivas e Educação Profissional: ofertas e demandas".
“Nosso objetivo é fazer com que a educação profissional no Pará tenha conteúdos alinhados aos reais interesses do setor produtivo local e, assim, promovermos a criação de novas oportunidades de emprego no Estado”, ressalta o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello.
Texto:
Ana C. Pimenta

Aberta visitação para a mostra Joias de Nazaré 2016
Foi aberta quinta-feira, 29, a exposição “Joias de Nazaré 2016: Lá vem a Santa!”, de joias religiosas do Polo Joalheiro do Pará. Em ouro e prata, com gemas minerais, a inspiração poética para a criação das joias da nova coleção foram as orações e canções para Maria. As 113 peças da mostra foram criadas e produzidas por 13 empresas de joias e gemas, 16 designers, sete produtores informais de joias, cinco designers da categoria estudante, 14 ourives e cravadores e um lapidário do Programa Polo Joalheiro do Pará.
A visitação ao público está aberta até o dia 29 de outubro de 2016, no horário diferenciado do Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, Jurunas) no mês de outubro - de segunda a sábado, das 9h às 18h30, e aos domingos, das 10h às 18h. No domingo, 2 de outubro (eleições municipais), o espaço não abrirá, e no sábado seguinte, 8, em que é realizada a procissão da Trasladação, funcionará das 9h às 15h. No domingo do Círio, dia 9 de outubro, funcionará das 14h às 18h. O espaço não abrirá no dia 24 de outubro (segunda), Recírio e Dia do Comerciário.
Texto:
Luciane Fiuza

Pará forma primeira turma de servidores para avaliação ambiental estratégica do Brasil
A conclusão do workshop “Programa de Formação em Socioeconomia para Gestores Públicos do Governo do Estado”, nesta sexta-feira (30), em Belém, coloca o Estado do Pará como protagonista na formação da primeira turma de servidores públicos capacitados para avaliação ambiental estratégica no Brasil. O programa, contemplado na agenda do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Estado do Pará, tem como objetivo integrar servidores ligados a vários setores do governo para que se apropriem de conceitos, processos e conteúdos relacionados a cenários e inúmeros debates sobre socioeconomia, planejamento e governança.
O workshop, que contou com a participação de representantes de 13 órgãos da administração pública direta e indireta do Estado, totalizou seis encontros desde julho, cinco deles realizados na Escola de Governança do Estado do Pará (EGPA). A iniciativa foi articulada pela Secretaria Extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais (Seeips), com colaboração do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) e contou com a consultoria do Instituto Dialog, organização sem fins lucrativos que tem por finalidade contribuir para o desenvolvimento sustentável de territórios com foco nos aspectos socioeconômicos e inclusão dos grupos mais vulneráveis.
“Quem ganha com a formação desses profissionais é a população, em especial as que moram nas áreas dos grandes projetos. Esse é um problema mundial que o Governo do Pará resolveu enfrentar para mudar essa lógica e avaliar as regiões de forma estratégica antes da implantação desses grandes projetos na nossa região”, declarou o secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Luiz Fernandes Rocha.
O programa é baseado em novas referências que a ONU-Habitat vem construindo junto aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) - a partir de boas práticas nacionais e internacionais – com foco em uma governança compartilhada, atenta ao contexto peculiar do Pará e centrada na qualidade de vida da população local. Uma das metas é alavancar ganhos em saneamento básico, saúde, educação, transporte e atividades produtivas junto a diversas comunidades.
Para Izabela Jatene, titular da Seeips, é preciso compreender que o Governo do Estado já possui um grupo de profissionais capacitados a lidar com a questão do licenciamento a partir de uma sinergia entre as áreas. “Licenciar não é algo que depende somente da questão ambiental, de burocracia, mas é algo que envolve muitas vidas, diretamente ligadas ao bom funcionamento da socioeconomia. A avaliação ambiental estratégica ainda está sendo pautada no país e o Pará sai na frente, qualificando servidores públicos do seu quadro para atuar nessa área”, explicou a gestora.
Como parte das atividades desta sexta-feira, os servidores participaram de quatro dinâmicas de avaliação e dimensionamento de estudos de impactos e cenários que convergem a um eixo transversal - o Fortalecimento da Gestão Pública Local. O grupo analisou itens relacionados a seis temas: diagnóstico ambiental; caracterização socioeconômica; infraestrutura e serviços públicos; mão-de obra e fomento local; povos e comunidades tradicionais e uso e ocupação de solo. Uma discussão e construção sobre os cenários analisados nas dinâmicas encerrou as atividades do encontro.
Além da Semas, colaboraram com o programa representantes de órgãos do setor público relacionados com o Conselho Estadual de Meio Ambiente (Coema) e gestores ligados a diversas secretarias ligadas à implantação de grandes empreendimentos no Pará (entre elas a Fundação Pro Paz, Sedeme, Sedap, Iterpa, Ideflor-bio, Seduc, Sespa, Segup e Sejudh.
O médico Helio Franco, que coordena o Comitê Estadual de Prevenção de Morte Materna e Infantil, da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), foi um dos concluintes do curso nesta sexta-feira. Para ele “a saúde é consequência de qualidade de vida. Por isso é tão importante termos momentos de intersetorialidade. A interação entre os órgãos reflete não somente na forma com que se destina ou se gerencia os recursos públicos, mas principalmente em como eles são convertidos em prol da vida das pessoas”.
O diretor Geral da Escola de Governança do Estado do Pará (EGPA), Ruy Martini, que garantiu a promoção do evento por parte do Governo do Estado, parabenizou os concluintes. “É importante lembrar do esforço que cada servidor fez para conciliar suas atividades nas secretarias onde atuam com os encontros do workshop. Além do mais, é gratificante ver que o nosso Estado passa a ser destaque num setor tão importante como o de desenvolvimento socioeconômico. Estamos fazendo história”, destacou.
Texto:
Nil Muniz

Nosso Lar Socorro Gabriel faz programação em comemoração ao Dia do Idoso
Os idosos moradores do Abrigo Nosso Lar Socorro Gabriel têm muitas diferenças entre si, mas uma coisa em comum: o apoio e o carinho dos funcionários do local, que se desdobram para lhes proporcionar o máximo de conforto. Em celebração ao Dia do Idoso, comemorado neste sábado, 1° de outubro, o abrigo, gerido pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), fez uma programação especial para os 41 moradores.
Uma semana inteira de passeios, jogos, música e dança, entre outras atrações, foi planejada para mostrar o quanto cada idoso é especial. Na última segunda feira (26), o dia começou com uma exposição dos fotógrafos Mara Hermes e Ana Maria Meireles, intitulada “Mundo Invisível”. O evento foi aberto à comunidade, que também viu a apresentação do coral do Hospital Cynthia Charone. Ao final, eles ensaiaram alguns passos de dança com os servidores.
Ainda no dia de abertura da semana dedicada aos idosos, a palestra “Envelhecimento Ativo” foi ministrada pela geriatra Andréia Negrão e pelo professor de Educação Física Adalberto Gomes. Eles falaram acerca da importância de envelhecer com saúde, com hábitos alimentares saudáveis e atividades físicas. Os dias que se seguiram foram preenchidos com atividades como apresentações de dança e música, cinema e até mesmo visitas à Orla de Icoaraci e ao Parque dos Igarapés.
Para a idosa Maria Cesarina Costa, 77 anos, as atividades que ocorrem em datas comemorativas sempre são importantes. “Esses momentos são os melhores, pois sempre fazemos algo diferente e animado”, disse. Raimundo dos Santos, 73, adora participar das atividades lúdicas. “Gosto dessas festas, pois brincamos com todo mundo. Os passeios são sempre divertidos. A gente vive muito bem aqui”, contou.
O diretor de Assistência Social da Seaster, Charles Tuma, destacou a importância da programação para os idosos e servidores que trabalham no abrigo. “Esse é um momento de descontração e interação entre os idosos e os funcionários. É um momento que eles esquecem que estão em uma unidade de acolhimento e aproveitam para brincar, dançar e se distrair com o público de fora”, comentou.
Inaugurado em janeiro deste ano, o Abrigo Nosso Lar Socorro Gabriel é voltado para idosos com grande dependência e que demandam cuidados especiais. Como muitos deles foram abandonados, ações que os integrem à comunidade são de fundamental importância para a manutenção da autoestima e do elo social. “Esses momentos representam, principalmente, integração e socialização. Para eles isso é uma grande festa”, destaca a gerente do abrigo, Inês Teresinha Amaro. “Nosso propósito é propiciar um envelhecimento com qualidade de vida e também facilitar o fortalecimento da convivência comunitária”, complementa a assistente social do local, Erlen Alves.
Texto:
Inara Soares

Auto do Círio revela talentos e oportunidades para jovens atendidos pela Fasepa
Após 30 dias de ensaios e oficinas nas unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), finalmente os adolescentes e demais jovens privados de liberdade por atos infracionais foram às ruas nesta sexta-feira (30), participar do 2º Auto do Círio da Socioeducação. Com o tema “A fé e o Mito”, a encenação levou para a Rua Luiz Cavalcante, em Ananindeua (município da Região Metropolitana de Belém), diversas atividades artísticas e culturais produzidas e encenadas pelos próprios socioeducandos da Fasepa, como parte do trabalho de reinserção social.
Logo cedo, os internos concentraram-se em frente ao Centro Juvenil Masculino (CJM), para os últimos ajustes antes da programação. Um dos participantes tem 18 anos, e cumpre medida socioeducativa no Centro de Internação Jovem Adulto Masculino (Cijam). Natural de Cametá (município do Baixo Tocantins), ele descobriu na música uma forma de mudar de vida, e aproveitou todos os ensinamentos recebidos nas oficinas realizadas na unidade da Fasepa. “Eu estou muito feliz de participar desse Círio. Descobri vários talentos que eu tenho, e acabei descobrindo um dom que antigamente não tinha e aprendi no Cijam, que é tocar flauta. Eu pretendo continuar lá fora essa carreira, e aprender a tocar vários instrumentos também”, disse ele.
Os socioeducandos criaram todas as músicas, danças, figurinos e peças de decoração para o auto, dividido em seis estações, com foco na temática do Círio de Nossa Senhora de Nazaré. O objetivo das oficinas foi buscar sempre o processo de ressocialização, enfatizando que é possível prosseguir com a mesma atividade quando eles estiverem em liberdade.
Outro adolescente, de 17 anos, também interno no Cijam, aproveitou as atividades e o Auto do Círio da Socioeducação para refletir sobre os erros que o levaram para uma unidade da Fasepa. “Estar aqui me ajuda a lembrar da infância que não aproveitei. Nós aprendemos bastante, já que aqui dentro a gente reflete para não cometer os mesmos erros de antes. Hoje eu faço parte do Grupo Talento da Fasepa, e estou tocando surdo (instrumento de percussão) há quatro meses”, contou.
Receptividade - Todas as atividades que resultaram na realização do Auto do Círio da Socioeducação fazem parte do cotidiano dos espaços socioeducativos da Fundação, e que são acompanhadas por arte educadores da instituição. Eduardo Pereira, que diariamente ensina música para os socioeducandos, destacou a evolução e o interesse dos adolescentes em aprender cada vez mais dentro das unidades de internação. “A gente vai para as Uases (unidades socioeducativas), trabalha durante as oficinas um tema, que nesse caso é o Auto do Círio, e através das atividades a gente vai passando essa temática, esse universo que é o Círio de Nazaré. A gente vem com a proposta de levar arte para esses meninos, e fazer com que eles tenham uma nova visão de vida. A receptividade deles é muito boa, com entrega e vontade de aprender, de querer fazer o certo, se deixar conduzir e, com isso, nós temos um produto final e um resultado muito bonito”, ressaltou.
Segundo Eduardo Pereira, o Círio de Nazaré é uma oportunidade de trabalhar com diversas linguagens e descobrir novos talentos, além de contribuir com a mudança de vida de cada um dos meninos e meninas privados de liberdade no Estado. “Os benefícios da arte na vida de qualquer pessoa são maravilhosos. A pessoa passa a ter uma percepção melhor da vida, começa a se concentrar melhor, se conhecer e a respeitar os comandos, o que é muito importante, sobretudo para eles (socioeducandos), que vêm de uma vida bem desregrada. O bom da história é que eles se deixam conduzir, e começam a ter uma nova visão de vida”, completou.
Arte e cultura - Nesta segunda edição do Auto do Círio da Socioeducação, o presidente da Fasepa, Simão Bastos, definiu o evento como uma oportunidade de mostrar para a sociedade que é possível, por meio da arte e cultura, mudar os caminhos de adolescentes e jovens que cometeram algum tipo de ato infracional. “Isso é o resultado de atividades que formam novos artistas, com pessoas que cometeram, em algum momento de suas vidas, um deslize, e que têm a oportunidade, através da arte, de demonstrar um novo caminho. Os adolescentes abraçaram isso de uma forma muito positiva, proporcionando uma grande congregação solidária, social e de desenvolvimento humano”, afirmou.
Simão Bastos frisou a participação, cada vez maior, dos familiares e da sociedade, incentivando os socioeducandos a buscar novos caminhos. “A iniciação e o aperfeiçoamento da medida socioeducativa é realizada através de atividades como o Auto do Círio, que demonstram o acolhimento da medida socioeducativa aos adolescentes, contando com a participação também da família, seja cantando, orando ou trabalhando com os seus filhos, mas, sobretudo, confraternizando. A gente acredita que está no rumo certo do desenvolvimento socioeducativo na sua essência, que é possibilitar formas de crescimento desses adolescentes”, finalizou.
O 2º Auto do Círio da Socioeducação contou com a presença do major Ricardo Varela, comandante da Companhia Independente Especial de Polícia Assistencial (Ciepas), da Polícia Militar, e do tenente Alberto Ferreira, do Corpo de Bombeiros Militar do Pará, que faz parte do Projeto Escola da Vida (PEV).
Texto:
Tiago Furtado

Edição especial da Feira da Agricultura Familiar terá produtos orgânicos para o Círio
Produtos orgânicos, integrantes dos Projetos de Investimento Produtivo (PIP’s), financiados pelo Governo do Pará e o Banco Mundial (Bird), por meio do programa Pará Rural, serão comercializados na próxima quarta-feira (5), em uma edição especial da Feira da Agricultura Familiar, realizada na sede do Núcleo de Gerenciamento do Pará Rural (NGPR), em Belém. Além de fortalecer a agricultura familiar, a feira se integra às ações promovidas durante o período do Círio de Nazaré, festividade de cunho religioso, cultural e turístico.
“Produtos orgânicos, como tucupi, jambu e chicória, serão ofertados ao consumidor por um preço menor do que o mercado apresenta. A feira terá opções diversificadas em hortifruti, laticínios e produtos animais, como o pato. Além disso, os produtores poderão manter contato uns com os outros, pois acreditamos que criar essa rede de contatos é importante para produtores, rede hoteleira e donos de restaurantes’’, explica Frederico Monteiro, gerente executivo do NGPR.
A Feira da Agricultura Familiar já foi promovida em parceria com várias instituições, como Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Universidade do Estado do Pará (Uepa) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap). “Firmar parcerias é fundamental porque criamos um cenário propício para comercializar produtos desse nível, de maneira acessível. Dessa forma, podemos visitar outras cidades para dar oportunidade a outras pessoas. Na edição que ocorreu na Uepa, por exemplo, houve a Feira do Pescado paralelamente, que foi possível a partir de uma parceria com a Sedap’’, informa Frederico Monteiro, acrescentando que o NGPR já está elaborando um calendário fixo para a feira.
O Pará Rural tem o objetivo de reduzir a pobreza, valorizar os produtos da região e incentivar a agricultura familiar, beneficiando trabalhadores autônomos, associações e cooperativas. O programa tem 41 projetos ativos, em 36 municípios.
Serviço: A Feira da Agricultura Familiar será realizada nesta quarta-feira (5), das 7h30 às 12 h, na sede do Núcleo de Gerenciamento do Pará Rural (NGPR), na Travessa Apinagés, n° 270, entre Rua dos Tamoios e Mundurucus.
Texto:
Sérgio Moraes


Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...