Total de visualizações de página

sexta-feira, julho 06, 2012

EDIÇÃO DO CORREIO JURUNENSE JÁ CIRCULANDO. Vendas na Yamada Jurunas



 Feira do Peixe oferece 7
toneladas de pescado
a moradores de Ananindeua
                Moradores do bairro do Coqueiro participaram neste sábado (7) de mais uma edição da Feira do Peixe Popular, uma iniciativa do Governo do Estado, promovida pela Secretaria de Pesca e Aquicultura (Sepaq). Foram ofertadas 7 toneladas de pescado de várias espécies e camarão, a preços bem abaixo dos praticados nos mercados. A feira, que pela terceira vez aconteceu no município de Ananindeua (Região Metropolitana de Belém), foi realizada no Ginásio Almir Gabriel, na Rua Arterial 18, das 8 às 14h.
                Quem foi à feira adquiriu peixes, a preços que variaram de R$ 2,00 a R$ 30,00 o quilo. O aposentado Danilo Pereira, morador do conjunto Cidade Nova VI, acordou cedo e aprovou os preços. Ele levou para casa filés de dourada e pescada amarela. "Os preços estão bem acessíveis, porque é difícil conseguir comprar peixe de qualidade a esses valores", disse Danilo.
                Segundo o coordenador da Feira do Peixe, Mauro Leite, a proposta de descentralizar os locais de venda de peixe é uma forma de oferecer aos moradores de bairros mais distantes, e de outros municípios, a oportunidade de adquirir o produto a preços mais acessíveis. "Além do Centur, a feira já ocorreu em diversos locais, e também no interior do Estado, permitindo o consumo do produto por uma grande parcela da população", ressaltou.
                A Feira do Peixe Popular é resultado da parceria entre o governo, produtores e empresas de pesca. Thiago Pereira, oceanógrado da Sepaq, disse que a feira também deve acontecer em outros municípios, como no período da Semana Santa. Em Ananindeua, segundo ele, "o local facilitou o acesso e evitou as filas".
                Para o morador Raimundo Barata, que foi pela segunda vez à Feira do Peixe, a iniciativa é uma oportunidade, para quem mora distante, de comprar o pescado. "Eu acordei cedo e, como na vez anterior, os preços estão bons. Vai dar para levar pelo menos três quilos", contou.
                Além de oferecer produtos de qualidade à população, a Feira do Peixe Popular também incentiva o consumo desse tipo de alimento, considerado mais saudável pelos nutricionistas.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Fórum debate políticas
de igualdade racial no Marajó
                Identificar as demandas para implementação de políticas voltadas à promoção da igualdade racial no Arquipélago do Marajó foi o objetivo do Fórum Regional de Políticas de Igualdade Racial, realizado no município de Salvaterra neste sábado (7). Promovido pela Coordenadoria de Promoção de Política da Igualdade Racial (Ceppir), da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), em parceria com o Instituto de Artes do Pará (IAP), o evento começou às 8h na Câmara Municipal, e reuniu representantes do poder público e da sociedade civil.
                O compromisso do Estado em abordar o tema foi destacado pelos movimentos sociais do município. "O governo do Estado vem demonstrando preocupação com as minorias e, principalmente, com o combate ao racismo. Antes desse fórum, nós não sabíamos a quem procurar para cobrar os nossos direitos. Agora sabemos", afirmou Pai Toninho, da Nação Nagô.
                A Sejudh promoverá mais 10 fóruns regionais, em preparação à Conferência Estadual da Igualdade Racial. O cronograma já foi definido, e os próximos encontros acontecerão nas regiões do Tocantins, Baixo Amazonas, Arquipélago do Marajó e Metropolitana de Belém. “Nós esperamos reunir as demandas de cada região, assim como estabelecer parcerias. Pretendemos construir, junto com a sociedade, os movimentos afros e as secretarias de governo, políticas públicas, para materializar a promoção da igualdade racial em nosso Estado”, explicou a coordenadora da Ceppir, Raquel Teixeira.

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh

Veranistas aprovam
esquema de segurança
montado na praia do Atalaia
                Tranquilo e seguro. Foi assim que muitos veranistas definiram o segundo final de semana de julho na praia do Atalaia, no município de Salinópolis, no nordeste paraense. “O esquema de segurança montado pelo governo do Estado está de parabéns! É possível encontrar polícia, bombeiro e agente de fiscalização em cada ponto dessa praia. Isto nos dá tranquilidade para curtir as férias sem preocupação”, afirmou o empresário Luís Fernando Pontes, que estava com toda a família na praia na manhã deste sábado (7).
                Nos mais de 20 quilômetros de extensão do Atalaia, policiais militares, agentes do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/PA), Delegacia de Meio Ambiente (Dema) e homens do Corpo de Bombeiros estão trabalhando para garantir a segurança dos veranistas. A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) e viaturas da PM também fazem rondas contínuas no local. O número de ocorrências policiais registradas na praia do Atalaia tem sido pequeno. Segundo o delegado do município, Rafael Cecim, os casos mais comuns são extravio de placas de veículos.
                O Corpo de Bombeiros também está com um posto montado na praia, para orientar os banhistas. “O nosso trabalho está sendo principalmente de caráter preventivo. Até agora não tivemos nenhuma ocorrência grave e nenhum caso de afogamento”, garantiu o major José Carlos Farias. Segundo ele, o caso mais frequente é de crianças perdidas (quatro até hoje). O Corpo de Bombeiros está atuando com 45 homens nas praias do Atalaia, Farol Velho e da Corvina. “A nossa expectativa é que as férias terminem assim como começaram, com muita tranquilidade. As pessoas estão mais conscientes e vindo realmente com o intuito de aproveitar o verão”, afirmou o major.
                À noite, a PRE e o Detran realizarão no município, a partir da meia-noite, a operação “Trânsito sem álcool”, que tem como principal objetivo prevenir acidentes e coibir a condução de veículos por motoristas alcoolizados, responsáveis por uma grande parcela no índice de mortes no trânsito.

Texto:
Bruna Campos-Secom

Estado reforça efetivo da
PM em Salinópolis para
as férias de julho
                O Sistema de Segurança do Estado montou uma intensa fiscalização no município de Salinópolis, no nordeste do Pará, cujas praias estão entre as mais procuradas nas férias de julho. A operação "Verão na paz, a gente é que faz", realizada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), prossegue durante todo o mês de julho em todo o Pará. Somente em Salinópolis, a Polícia Militar conta com um reforço de 40 homens, atuando na área urbana e na orla da sede municipal.
                Desde a Rodovia BR-316 até a PA-324, que dá acesso a Salinópolis, foram montados cinco pontos de fiscalização pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE). Outras três barreiras foram instaladas na PA-444, que leva o veranista à praia do Atalaia, uma das mais frequentadas.
                Segundo o comandante da PRE, major Sidney Profeta, até o final da manhã deste sábado (7) o movimento foi considerado tranquilo. Desde 1° de julho até hoje foram registrados em todas as estradas paraenses 12 acidentes, sendo dois com vítimas fatais - um em Castanhal e outro em Santa Izabel do Pará. Em Salinópolis não foi registrado nenhum acidente com gravidade, e as principais autuações têm sido por ultrapassagem irregular.
                Em média, passam pela barreira montada na entrada do município 32 carros por minuto, número considerado normal pelos agentes da PRE. Motoristas que dirigem sob efeito do álcool também estão sendo alvo dos agentes, que usam o etilômetro (bafômetro) para verificar o estado de embriaguez. Desde o início da operação até hoje (sábado), quatro motoristas foram multados por dirigirem alcoolizados. “A nossa principal orientação é que o motorista tenha muita cautela ao pegar a estrada. Não é proibido beber. O que é proibido é beber e dirigir. A nossa ação está sendo rigorosa e o motorista que cometer imprudência será punido”, enfatizou o major Sidney Profeta.
Ocorrências – A Delegacia de Salinópolis também está com reforço no efetivo em julho. Estão atuando na Seccional cerca de 50 profissionais de vários órgãos. O delegado do munícipio, Rafael Cecim, informou que devido à intensa fiscalização o número de ocorrências policiais caiu 50% em relação ao mesmo período do ano passado. “A polícia está em todas as partes do município, para garantir aos veranistas férias tranquilas e seguras”, afirmou o delegado.
                Na manhã deste sábado, os policiais encontraram uma televisão, um botijão de gás e um aparelho de DVD, furtados de uma residência na última quinta-feira (5). Os equipamentos foram encontrados na casa do homem conhecido por “Mexilhão”, já procurado pela polícia. O acusado ainda não foi preso, mas a polícia recuperou todo o material levado por ele, além de três veículos que haviam sido roubados na semana passada.
                Todas as ações policiais estão sendo realizadas em conjunto com a Delegacia de Meio Ambiente (Dema), Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data), Divisão de Polícia Administrativa (DPA), Conselho Tutelar e Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), cujos fiscais verificam a regularidade de mercadorias destinadas à comercialização.

Texto:
Bruna Campos-Secom

PRE fiscaliza veículos para
garantir segurança
 aos veranistas
                A Polícia Rodoviária Estadual (PRE), em parceria com os demais orgãos do Sistema de Segurança Pública, iniciou nesta sexta feira (06), a Operação Verão, com o objetivo de garantir a segurança dos veranistas nas rodovias estaduais. O efetivo da PRE atua na fiscalização de veículos de passeio e de transporte de cargas. Nos balneários mais procurados na Região Metropolitana de Belém e no interior do Estado, trabalham 29 agentes da PRE, com apoio da Delegacia de Meio Ambiente (Dema) e Polícia Militar.
                O trabalho nas rodovias inclui ainda a verificação de documentos, a fim de coibir o tráfico de drogas, o transporte de madeira de procedência ilegal, o excesso de velocidade e demais ocorrências.
                Na Alça Viária, a via de acesso terrestre à região do Baixo Tocantins, foi registrado um acidente, que deixou danos materiais. Nas abordagens aos automóveis e veículos de transporte de carga não foi constatada nenhuma ilegalidade. A ação também acontece na estrada de acesso ao distrito de Mosqueiro (em Belém) e na rodovia PA-124, que leva ao município de Salinópolis, no nordeste paraense.
                Segundo o comandante da PRE, tenente Nazareno Marinho, os condutores também são orientados a evitar o excesso de velocidade e, principalmente, a ingestão de bebidas alcoólicas. "A orientação tem como objetivo evitar acidentes, pois a maioria deles está relacionada ao excesso de velocidade e embriaguez no trânsito", ressaltou.
                A Operação Verão nas rodovias estaduais será realizada durante todo o mês de julho, em dias alternados e nos fins de semana. Os agentes receberam bafômetros e contam com o apoio de cães da Polícia Militar e integrantes da Ronda Tática Metropolitana (Rotam). Além dos pontos fixos, o policiamento ostensivo nas estradas estaduais conta com viaturas e motocicletas, nos horários de maior o fluxo de saída de Belém.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Estação das Docas leva
o "Trilhas da Amazônia"
ao projeto Por-do-Som
                O Grupo Trilhas da Amazônia abriu na sexta-feira (06) a programação de julho na Estação das Docas, com as atrações do Projeto Por-do-Som. Músicos e dançarinos atraíram a atenção do público na orla do Armazém 3. Um repertório eclético, que incluiu carimbó, lundu e músicas contemporâneas, marcou a apresentação do grupo. Um dos destaques foi a coreografia com a música “Ai, menina”, da cantora Lia Sophia.
                O projeto é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e Organização Social Pará 2000, que administra a Estação das Docas.
                A estudante Marcelly de Paula participou pela primeira vez da programação e disse ter ficado impressionada com o projeto. “É muito bom ver esse projeto de incentivo à cultura que o governo realiza, trazendo atrações folclóricas para os espaços públicos. Assim, a população local e os turistas têm a oportunidade de conhecer a cultura da nossa região, e com acesso gratuito”, destacou Marcelly.
                Para o recepcionista Tadeu Freitas, o "Por-do-Som" já faz parte de sua programação de lazer no fim de semana. “Costumo vir todas as sextas-feiras. Já acompanho o projeto há anos, e a cada semana fico mais interessado em assistir a essas apresentações, que resgatam e valorizam a nossa cultura”, ressaltou.

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000

Diálogo entre Estado e
lideranças Munduruku
restabelece a paz
em Jacareacanga
                A sede do município de Jacareacanga, no sudoeste do Pará, já voltou à normalidade. Na manhã deste sábado (7), a equipe da Polícia Civil, comandada pelo delegado Raimundo Benassuly, retomou as investigações, em um posto provisório da Polícia Civil, sobre vários crimes ocorridos no município, principalmente sobre o assassinato do índio Lelo Akay Munduruku, fato que desencadeou a revolta dos Munduruku na semana passada.
                A tranquilidade foi restabelecida após a reunião, realizada na sexta-feira (06), entre o secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, outras autoridades do Executivo e Judiciário, e lideranças indígenas.
                O posto da Polícia Civil está funcionando na creche Irene Brelaz, no centro da cidade, com seis policiais civis.
                Logo cedo, um parente do indígena assassinado procurou o posto policial e acrescentou novas informações ao inquérito. De acordo com o delegado Raimundo Benassuly, “o parente da vítima, que veio fazer o primeiro depoimento do dia, nos acrescentou informações que não estavam nos autos. A partir dela, pelo menos 13 pessoas serão intimadas a prestar novos esclarecimentos. Primeiro teremos que encontrar essas pessoas. No entanto, o mais importante é a celeridade do processo”.
Integração - O direcionamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) é que o trabalho policial seja integrado. Para isso, estão na cidade de Jacareacanga 30 policiais militares e seis civis.
                Os militares têm a missão de criar um novo modelo de policiamento, que inclua a participação efetiva da comunidade. Eles foram orientados a conhecer melhor a cidade e suas características, a realizar palestras visando sensibilizar a população para a importância do combate ao narcotráfico e à criminalidade em geral. A elaboração de um plano de segurança para o município também faz parte das novas atribuições da PM em Jacareacanga.
                Rainere da Silva Quintino, coordenador técnico local da Fundação Nacional do Índio (Funai), reconheceu que a presença de um representante do Sistema de Segurança Pública do Estado em Jacareacanga garantiu o sucesso nas negociações com as lideranças indígenas. “A vinda do secretário a Jacareacanga foi válida para o povo, porque todos estavam ansiosos esperando este momento. Como o secretário falou, a partir deste momento Jacareacanga viverá melhor e em paz”, afirmou Rainere Quintino.
“Nenhum crime deve ficar impune, por isso vamos apurar minuciosamente a morte de Lelo Munduruku e responsabilizar os culpados por este assassinato. Podem ficar tranquilos, porque vamos dar agilidade a este processo”, garantiu o secretário Luiz Fernandes Rocha na reunião.
Audiência - O secretário também assegurou que o governador Simão Jatene vai receber uma comitiva da etnia Munduruku, em Belém. A data da reunião será anunciada no próximo encontro com os índios, que deverá ocorrer nos próximos 15 dias, na sede municipal. Eles pediram a participação na audiência com o governador de deputados estaduais, juízes, promotores e o procurador da República, Felício Pontes.
“Hoje, estamos trabalhando com foco na prevenção social da violência e da criminalidade. A repressão rigorosa ao tráfico de drogas e a redução da impunidade são prioridades da área de Segurança Pública. Em razão dessa diretriz de gestão, o nosso propósito é trazer também a coordenação do Programa Pro Paz na próxima reunião, aqui em Jacareacanga, para discutir políticas públicas e a inclusão de jovens e crianças nos programas sociais do governo”, destacou o titular da Segup.
Motivo da revolta - Lelo Akay Munduruku, 34 anos, foi assassinado no último dia 22 de junho, a facadas e pauladas. Segundo já foi apurado, o indío portava uma quantidade de pepitas de ouro, retiradas de um garimpo próximo à cidade.
                No dia seguinte (23), quatro pessoas foram presas, acusadas de envolvimento no crime. Mas por falta de provas, dois presos foram liberados. Os indígenas, revoltados, incendiaram o Destacamento da Polícia Militar.
                Para gerenciar a crise e buscar o restabelecimento da ordem pública no município, a Segup enviou um grupo de oficiais do Comando da Polícia Militar para Itaituba, município vizinho a Jacareacanga, onde foi formado um gabinete de gerenciamento de crise, com representantes das esferas municipal, estadual e federal.
                Por meio do gabinete de gerenciamento de crises, o secretário Luiz Fernandes Rocha manteve um canal direto de comunicação com as lideranças indígenas, e tomou conhecimento das principais reivindicações dos Munduruku, antes de seguir para Jacareacanga. Durante a reunião, ele anunciou a construção de uma Unidade Integrada Pro Paz, que garantirá segurança, educação e cidadania à população.
                Na reunião, o secretário esteve acompanhado pelo prefeito de Jacareacanga, Raulien Oliveira de Queiroz (PT); pela promotora de Justiça de Jacareacanga, Maria Raimunda Tavares; pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel Daniel Borges Mendes; pelo subcomandante geral da Polícia Militar, coronel Walci Luiz Travassos de Queiroz; pelo delegado geral adjunto da Polícia Civil, Rilmar Firmino, e pelo superintendente de Polícia Metropolitana da Polícia Civil, delegado Raimundo Benassuly.
Mais fiscalização - A pauta de reinvindicações dos indígenas inclui também a realização de operações policiais de combate intensivo ao tráfico de drogas na região; a instalação de um posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na saída de cidade, às margens da rodovia Transamazônica (BR-230); a instalação de barreiras integradas da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) e Polícia Militar, a fim de reforçar a fiscalização em veículos e coibir o tráfico de entorpecentes na Região do Tapajós.
“Queremos o nosso município livre das drogas e dos traficantes, por isso pedimos que o governo atenda aos nossos pleitos, o mais breve possível, para que a população de Jacareacanga e os povos indígenas possam viver em paz”, frisou o índio Valdenir Borum. Outras lideranças da etnia Munduruku - o cacique Luciano Saw e os índios Lamberto Painhu, Maria Leuza Kabá e Aldo Cardoso Karu - reforçaram o documento, denominado “Carta aberta de reivindicações do povo Munduruku”.
“A pauta de reivindicações é justa e possível de ser viabilizada”, ressaltou o secretário Luiz Fernandes Rocha.
                Jacareacanga tem cerca de 41 mil habitantes, e quase 2,3 milhões de hectares de áreas distribuídas entre três reservas indígenas. A população da etnia Munduruku chega a 12 mil índios. (Com informações da Assessoria de Imprensa da Segup).


Texto:
Cora Coralina-Secom

Setur firma parceria com
CNBB para participação
do Pará na Expocatólica
                Em reunião na tarde deste sábado (7), durante a Expocatólica, que acontece até domingo (8) no Expocenter Norte, em São Paulo (SP), foi formalizado o início de uma parceria destinada à participação do Pará na Expocatólica 2013, evento que servirá de apoio à Jornada Mundial da Juventude (JMJ), marcada para a cidade do Rio de Janeiro (RJ), com a perspectiva de reunir cerca de 2,5 milhões de jovens de todo o planeta.
                Participaram do encontro Adenauer Góes, secretário de Estado de Turismo; Carlos Figueira, gerente de Relações Nacionais da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), representando a presidente da companhia, Socorro Costa; o padre Valdeir Goulart, do Comitê da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para a organização da JMJ, e Fábio Castro, da Promocat, empresa responsável pela organização da Expocatólica.
                Segundo os realizadores do evento, o Pará estará entre os cinco Estados com maior destaque na feira, que acontecerá paralelamente à JMJ, no final de julho de 2013. Todos os Estados da Federação participarão da Expocatólica, no Riocentro e na Cidade do Rock. Fábio Castro apresentou ao secretário Adenauer Góes e a Carlos Figueira o projeto do evento, já aprovado pelo Pontifício Conselho para a Juventude, do Vaticano, responsável pelas Jornadas Mundiais da Juventude.
                Adenauer Góes se comprometeu a trabalhar para que o Pará seja devidamente representado na feira, destacando principalmente o Círio de Nazaré, mas sem esquecer os demais atrativos religiosos do Estado. “O Círio de Nazaré é um momento fantástico de demonstração de fé que o Estado promove há mais de 200 anos no segundo domingo de outubro, pelas ruas de Belém, e nós fazemos questão de divulgar essa devoção”, afirmou o secretário.
“Nós queremos que o Pará esteja presente na 10ª Expocatólica não apenas como um simples expositor em um estande, mas como uma grandiosa atração. Queremos poder dizer que somos parceiros do Pará e que o Círio é um dos maiores atrativos do evento”, enfatizou Fábio Castro.
                A partir de agora, os contatos entre a Secretaria de Turismo, a Paratur, a Promocat e a CNBB devem começar a decidir a forma como o Pará participará da Expocatólica e da JMJ. Uma das possibilidades é que o Estado receba cerca de 20 mil jovens de delegações estrangeiras, uma semana antes da JMJ, para a realização da Semana Missionária.
                A jornada tem como ponto principal o encontro do Papa Bento XVI com jovens de vários países. Realizada a cada dois anos, a Jornada reuniu em sua última edição, em Madri (Espanha), mais de 2 milhões de peregrinos, com delegações oficiais de cerca de 160 países.


Texto:
Benigna Soares-Paratur

Artistas de Cametá abrem
o Festival Cultura de
Verão no interior
O Festival Cultura de Verão já começou a animar as férias na primeira semana de julho, com shows em diversos pontos de Belém, de segunda até quarta-feira. Nos fins de semana, o festival chega ao interior do Estado, passando pelos municípios de Cametá, Brangança, Vigia de Nazaré e Soure. Na noite de sexta-feira (06), o festival estreou em Cametá, na região do Tocantins, com atrações locais. Passaram pelo palco o cantor de música popular Etiênio; a banda de rock Resistência Cabana; o grupo de banguê Cinco de Ouro e a Banda Sociedade Euterpe Cametaense, que ofereceu ao público uma diversidade de ritmos, do tradicional carimbó ao romântico bolero.
                O objetivo do Festival Cultura de Verão é promover a difusão da cultura paraense. As próximas edições contemplarão todas as regiões do Estado, informou a gerente de Marketing da Cultura Rede de Comunicação, Moana Mendes. “A cada ano vamos escolher cidades por onde o festival ainda não passou e priorizar as atrações locais, com o intuito de ser uma janela para o que é produzido culturalmente nos municípios. O mais difícil nessa missão é a logística, pois a estrutura de montagem do festival é grande, mas quando a gente vê a praça cheia, como aqui em Cametá, a gente tem certeza de que o esforço vale a pena”, ressaltou.
                A Prefeitura de Cametá, por meio da Secretaria de Cultura, apoia o evento. Para Dimitri Braga, secretário de Cultura de Cametá, a principal característica do festival é a difusão da cultura local. Para ele, essa ação do governo ajuda tanto na preservação dos movimentos culturais do interior, quanto na elevação da autoestima dos artistas e moradores da cidade, que ganham visibilidade com a divulgação dos shows.
“Ficamos muito felizes em receber o festival na nossa cidade. A gente sabe que os artistas do interior não têm muito espaço para divulgar o trabalho e, o mais bacana do festival é justamente isso, a oportunidade de mostrar a produção local em uma super estrutura, e com tudo transmitido ao vivo. Cametá já é conhecida pelo carnaval, pelo mapará (peixe da culinária local) e, mais recentemente, pelo futebol. Agora também vamos ser reconhecidos pelos nossos atrativos culturais, como o banguê e o samba de cacete”, frisou.
Banda - O músico Gabriel Oliveira, saxofonista da Banda Sociedade Euterpe Cametaense, disse que nunca havia se apresentado em um palco tão grande como o do festival. A banda, formada em 1874, já está na quarta geração, com integrantes como o clarinetista Ribeiro, 96 anos, e o menino João Gabriel, 6 anos, que toca surdo. Apesar de acostumados a tocar nos principais eventos da cidade, o tamanho e a transmissão ao vivo do festival, pela Rádio e TV Cultura, proporcionaram uma experiência inédita aos integrantes da Euterpe.
“Estou achando tudo muito bom. Nós demos diversas entrevistas e fomos chamados ao palco com toda a pompa e circunstância. Estamos nos sentindo grandes estrelas da música do Brasil. É muito bom esse projeto, porque mostra o nosso trabalho e de outros artistas de Cametá. É com muita alegria que nos apresentamos nesse festival”, disse Gabriel Oliveira.
                Na primeira noite, o festival atraiu muitas pessoas à Praça das Mercês, onde o palco está montado. Oziel Gaia e Neilson Oliveira reuniram os amigos para assistir ao espetáculo. Oziel, que trabalha como produtor musical, disse que o festival é um incentivo à profissionalização dos artistas. “Quando os músicos locais têm uma visibilidade como essa, os nossos artistas percebem que podem e devem se estruturar melhor e encarar de frente os desafios da profissão”, disse ele. O músico Neilson concorda com o amigo. “Eu fico observando a parte técnica do show. Vejo o que a gente pode adaptar para cá. Além disso, fico feliz em ver no palco somente artistas da nossa cidade, e vejo que a minha banda, por exemplo, poderá participar de um evento como esse”, declarou.
                Para a comerciante Josefa Sousa, que levou a sogra, Raimunda Pinheiro, para assistir ao show, “a programação é eclética e pra toda a família. Estamos gostando bastante e vamos voltar amanhã, para ver as outras apresentações”. Neste sábado (7), a partir das 21h, as atrações em Cametá são os cantores Dino Sena, Klay Santos e Ivan Cardoso, e os grupos Engole Cobra e Samba de Cacete Dona Iolanda do Pilão.
                O Festival Cultura de Verão é uma iniciativa do Governo do Estado, realizado pela Cultura Rede de Comunicação e Secretaria de Estado de Comunicação (Secom). Em sua sexta edição, o evento reúne mais de 50 atrações ao vivo, entre shows, espetáculos de teatro, exibição de curtas, desfiles de moda, oficinas de rádio, grafite e desenho, e atividades de incentivo à leitura.
Serviço: Programação do Festival Cultura de Verão. Às segundas-feiras, música instrumental na Praça do Carmo, em Belém. Às terças e quartas, atrações no Píer das Onze Janelas e no Teatro Cuíra (Rua Riachuelo, esquina com a 1º de Março, bairro da Campina). Às sextas e sábados, em Cametá (06 e 7), Vigia (13 e 14), Bragança (20 e 21) e Soure (27 e 28).

Texto:
Dani Filgueiras-Secom

Governo anuncia
construção de Unidade
Pro Paz em Jacareacanga
                A construção de uma Unidade Integrada Pro Paz, composta por policiais civis e militares, o aumento do efetivo da PM e total apoio na apuração do assassinato do índio Leo Akay Munduruku são algumas das ações que o governo do Estado fará em Jacareacanga, a fim de restabelecer a ordem e a segurança na sede do município, no sudoeste do Pará. As ações foram garantidas pelo secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, nesta sexta-feira (06), em reunião com lideranças da etnia Munduruku e outras autoridades do Sistema de Segurança Pública do Pará. Segundo o secretário, a construção da Unidade Pro Paz deverá começar dentro de 15 dias, com a presença da coordenadora do programa, Izabela Jatene.
                Além de aumentar o efetivo da Polícia Militar, o secretário disse que também será trocada a guarnição no município. Ele garantiu, ainda, "o apoio necessário para que possam constituir uma comissão para conversar com o governador Simão Jatene, em Belém, além de acelerar os casos que estão parados e intensificar as investigações para instruir o processo referente ao homicídio do indígena Leo Munduruku, com o devido encaminhamento ao Poder Judiciário”. Luiz Fernandes Rocha ressaltou “que não adianta destruir prédios públicos, porque desta maneira quem ganha são os bandidos, e não a população".
                A comitiva do governo do Estado, tendo à frente o titular da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), foi recebida por cerca de 1.600 pessoas, entre indígenas e moradores da sede de Jacareacanga, no início da tarde desta sexta-feira. O encontro entre o secretário e as lideranças Munduruku aconteceu na Praça Cristina Ribeiro. Luiz Fernandes Rocha e as demais autoridades seguiram até o coreto da praça, ladeados pelos índios. Em seguida, as lideranças se apresentaram ao secretário e informaram as reivindicações, já enviadas ao governo federal.
                Segundo o líder Munduruku, Waldeliro Manuari, a revolta dos índios, que resultou na destruição do destacamento da Polícia Militar na sede de Jacareacanga, no último domingo (1º), "fez com que solicitássemos a presença do governador Simão Jatene e do juiz que julgará a sentença do assassino do nosso parente, Leo Akay Munduruku. Acreditamos que o secretário vai atender nossas reivindicações. Ficamos tristes porque algumas imprensas (veículos de comunicação) mentiram sobre nossas ações no município. Uns disseram que estávamos planejando saquear bancos e o comércio local, e ainda que estávamos maltratando as autoridades. Tudo isso é mentira!", disse Waldeliro.
                O secretário Luiz Fernandes Rocha recebeu as reivindicações, conforme havia sido acordado com as lideranças locais. Dos diversos itens apresentados, alguns são de competência do Poder Judiciário, e outros da esfera federal. Segundo o secretário, o que diz respeito ao Executivo, o governo se compromete a atender. Os indígenas pediram a construção imediata de uma delegacia na cidade, mas o secretário informou que o governo já decidira pela construção da Unidade Pro Paz, que além do efetivo policial oferece à população ações nas áreas de educação e cidadania.
Segurança - O reforço do Comando de Missões Especiais da Polícia Militar ficará na cidade, para realizar uma série de ações destinadas ao combate à criminalidade e à restauração da ordem, como a instalação de barreiras, incursões, fiscalizações em bares e locais de festas, combate ao tráfico de entorpecentes.
                De acordo com o subcomandante geral da Polícia Militar, coronel Walcir Queiroz, “todas as ações serão integradas com o grupamento da Polícia Civil, que também permanecerá no município sob o comando do delegado Raimundo Benassuly, por determinação da Segup”. O coronel Walcir esteve à frente das negociações com as lideranças indígenas, gerenciando o gabinete de crise instalado ainda em Itaituba (município que fica a 400 km de Jacareacanga).
                Além do secretário Luiz Fernandes Rocha, integraram a comitiva do governo o comandante geral da Polícia Militar, coronel Daniel Borges Mendes; o secretário geral adjunto da Polícia Civil, delegado Rilmar Firmino, e a promotora pública de Jacareacanga, Maria Raimunda Silva.

Texto:
Cora Coralina-Secom

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...