Total de visualizações de página

terça-feira, julho 17, 2012

TRAGÉDIA: A dor continua...


Hospital Metropolitano realiza
campanha de prevenção
a acidentes na BR
Nesta sexta-feira, 20, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), realiza campanha com o objetivo de conscientizar os motoristas na saída de Belém rumo aos balneários. Os condutores receberão panfletos com orientação sobre a direção consciente, sobre o uso de cadeirinhas e sobre os efeitos do álcool na direção. A ação se concentra em frente ao Hospital Metropolitano, na BR-316, no sentido de saída da cidade. O tema da campanha é “Motorista Consciente, Verão sem Acidente”. Funcionários e médicos do HMUE participarão da campanha.
Em 2011 o Hospital Metropolitano registrou 3024 atendimentos somente a vítimas de acidentes de moto. Em acidentes envolvendo carro, foram 3111 vítimas registradas no HMUE, totalizando 6135 pessoas. O número cresceu quase o dobro em relação a 2010, onde foram registrados 3550 atendimentos a vítimas de acidentes no trânsito. Segundo as estatísticas do Hospital Metropolitano, nos 10 primeiros dias de julho deste ano, foram atendidos 237 pacientes vítimas de acidentes de trânsito, sendo 92 por colisão, 99 por moto, 3 de bicicleta e 43 atropelados. No mesmo período do ano passado, foram 200 pacientes vítimas de acidentes de trânsito, sendo 75 por colisão, 87 por moto e 38 atropelados.
Preocupado com essa estatística, o Instituto de Saúde Santa Maria (Idesma/OSS), responsável pela administração do HMUE, realiza novamente a campanha, assim como fez durante o mês de julho de 2011 e no carnaval de 2012, como forma de prevenir os acidentes, principalmente em decorrência da relação do álcool x direção. Durante a ação será feita uma abordagem especial aos motociclistas, para conscientizá-lo sobre o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s).
A Vigilância de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) realizou uma pesquisa que mostra que o percentual de homens que afirmaram ter dirigido após o consumo abusivo de álcool ainda é superior ao das mulheres – 3% contra 0,2% -, porém o consumo abusivo de bebidas alcoólicas por mulheres vem apresentando tendência de crescimento. Além da associação entre direção e bebida alcoólica, o excesso de velocidade e direção imprudente também são fatores de risco no trânsito. Por isso a parceria do HMUE com a PRF, para tentar diminuir esse tipo de infração.

Sema realiza treinamento de
GPS para brigadistas do PrevFogo
Um treinamento operacional do Sistema de Posicionamento Global (GPS na sigla em inglês) foi realizado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), no município de São Félix do Xingu, sudoeste do Pará, dias 11, 12 e 13 deste mês, destinado a brigadistas do PrevFogo, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Esse sistema nacional de prevenção e combate a incêndios florestais atua em vários municípios e desenvolve programas de monitoramento, prevenção e combate a incêndios florestais através da capacitação de pessoal em técnicas de manejo controlado do fogo, para evitar riscos ambientais, especialmente dentro de áreas protegidas.
Os geógrafos da Sema, Charles Gemaque e Luis Cesar ministraram o treinamento de GPS, para capacitar os integrantes das brigadas nas técnicas de orientação, navegação e processamento de dados por meio do equipamento. Para isso, houve o repasse de noções básicas de aquisição de pontos, criação de trilhas, cálculo de medidas de distância e de área, utilização de bússola e visualização de dados nos softwares específicos.
Cerca de 20 brigadistas do PrevFogo participaram do treinamento, que é a contrapartida da Sema no desenvolvimento do trabalho, pois a maioria das ações de prevenção e monitoramento de incêndios é realizada dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) Triunfo do Xingu, criada em 2006 pelo Governo do Pará. Esta Unidade de Conservação de Uso Sustentável possui uma área de 1.679.280,52 hectares e está localizada nos municípios de Altamira e São Félix do Xingu – onde está a base da brigada. A APA integra o grande corredor de biodiversidade constituído por Unidades de Conservação e Terras Indígenas contíguas, localizadas na bacia do Rio Xingu.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema

Hot site do Terruá Pará reúne
conteúdo exclusivo do evento
O hot site do Terruá Pará (www.terruapara.com.br) que está no ar desde sexta-feira (13) vai ganhar novo layout nesta quinta-feira (19). Promover o evento e os artistas participantes é uma das metas da página. Para tanto foi criado um novo produto este ano; a TV Terruá, que reúne conteúdo sobre a trajetória dos músicos e mostra os bastidores do evento, desde os ensaios até a montagem dos shows, que acontecerão em Belém durante quatro dias: de 31 de julho a 3 de agosto, no Theatro da Paz.
A Diretoria de Comunicação Institucional da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) é responsável pela produção, manutenção e conteúdo do site. Nove profissionais trabalham diretamente no ambiente virtual, que disponibiliza informações sobre locais e datas dos shows, notícias relacionadas ao evento, fotos, identidade visual para download e vídeos. “Desde o final do Terruá, no ano passado, começamos a pensar o conceito para o hot site deste ano, definimos que os vídeos seriam o diferencial, por isso criamos a TV Terruá, que reúne três produtos: Terruá Entrevista; Making of Terruá e Estúdio Terruá. Os internautas poderão acompanhar desde os ensaios até a montagem e bastidores dos shows. Até agora, mais de 50 vídeos foram produzidos em parceria com a TV Cultura”, explicou Antônio Neto, tiular da Diretoria de Comunicação Institucional.
Abordar a história dos 20 artistas paraenses que se apresentarão nos shows do Terruá e conhecer um pouco da relação deles com a música é a ideia central do "Entrevista Terruá". Toda a produção foi feita pela Diretoria de Comunicação Institucional com o apoio da Funtelpa. Foram três meses de trabalho que resultaram em 50 vídeos. As entrevistas reúnem parte da história musical dos artistas que irão se apresentar e dão ao internauta a oportunidade de conhecer melhor os músicos e, a partir disso, compreender o projeto Terruá Pará, que congrega vários estilos da música paraense. “Para realizar o Entrevista Terruá contamos com apoio da TV Cultura e montamos um estúdio, com cenário e iluminação especiais. Todos os artistas participaram. Vale lembrar que nos shows do Theatro da Paz serão produzidos o CD e DVD do projeto, por isso este ano estão reunidos os artistas que se apresentaram na edição de 2006 e 2011 do Terruá Pará. Todo este material já está disponível no hot site e na próxima semana o público terá acesso ao Estúdio Terruá, que apresenta os bastidores dos ensaios”, disse Timóteo Lopes, coordenador do projeto de vídeo.
Para divulgar o Terruá Pará foram lançadas várias estratégias de comunicação para as redes sociais e televisão, dentre elas a veiculação de teasers (vídeos de um minuto) na programação da TV Cultura. “Os teasers mostram um pequeno pedaço da entrevista de um participante e chamam o telespectador para ver o material na íntegra no site. Será apresentado um artista por dia, o teaser vai ao ar às 20h de um dia e sai do ar no mesmo horário no dia seguinte, dando espaço a entrevista do próximo músico. Buscamos atrair o público deste artista para o site e assim agregamos novos públicos ao Terruá. Ainda realizamos ações diárias nas redes sociais, facebook, twitter e instagram, respeitando a linguagem específica de cada meio”,  falou Antônio Neto.
Para entender todo o trabalho necessário na montagem de um grande show foi criado o Making Of Terruá, este produto da TV Terruá vai mostrar os bastidores de tudo que acontecerá no Theatro da Paz, na capital paraense, no Auditório Ibirapuera em São Paulo e no Rio de Janeiro (ainda não foram definidos espaço e data). “Vamos apresentar ao internauta a montagem de palco que começa dia 26, no Theatro da Paz, do cenário, camarins, figurino dos artistas a passagem de som, ou seja, tudo que vai anteceder os shows do Terruá em Belém, São Paulo e Rio de Janeiro”, disse Timóteo Lopes. Na próxima semana começa no site as promoções culturais, os prêmios definidos até agora são ingressos para os shows de Belém.

Texto:
Julia Garcia-Secom

Bragança recebe o 6º
Festival Cultura de Verão
O 6º Festival Cultura de Verão chega ao município de Bragança nesta sexta-feira, 20, e sábado, 21, com shows na Praça São Benedito, na orla da cidade, sempre a partir de 21h. O evento é realizado pela Cultura Rede de Comunicação. Toda a programação tem entrada franca.
A primeira atração de sexta-feira é o grupo de carimbó Raízes da Amazônia, criado pelo Instituto AMA, de Aurimar Monteiro de Araújo, mais conhecido em Bragança como Mestre Ari das Rabecas. O grupo surgiu a partir da escola de música, criada em 2006 e que já beneficiou cerca de 280 pessoas. Em seguida quem se apresenta é a Orquestra de Rabecas de Bragança, mostrando mais um pouco da cultura musical bragantina, através do som do instrumento típico da Marujada – a rabeca. Dayse Addário e Zarabatana Jazz fecham a noite.
Cantora e intérprete paraense, Dayse Addário iniciou sua carreira em 1986. Seu trabalho é voltado para a música popular brasileira, ressaltando a música paraense, mas também há espaço para estilos como blues, jazz, disco e ainda canções portuguesas, italianas, francesas e latinas.
No sábado, 21, quem abre a programação é a Orquestra de Rabecas da Amazônia, que conta com 20 integrantes e faz parte do projeto “Sons do Caeté”, também criado pelo Mestre Ari das Rabecas. Logo depois o grupo Tribo de Mani, também de Bragança, se apresenta com um repertório que une xote, retumbão, mazurca e carimbó. O responsável pelo grupo, Evandro Mesquita, destaca a importância de participar do 6º Festival Cultura de Verão. “Cada manifestação cultural que fazemos e divulgamos é uma imagem que apresentamos da nossa cidade, e é muito bom ter essa oportunidade”.
Para o festival, Evandro adianta que, além das músicas autorais, o grupo vai mostrar ao público uma música composta para homenagear o Clube do Samba e a Rádio Cultura. “Ficamos exultantes com o convite da Funtelpa, principalmente por sabermos que os shows serão transmitidos ao vivo, pois somos carentes de pessoas querendo promover a cidade de Bragança e a nossa cultura. Isso nos faz sentir valorizados”, completa.
A programação de Bragança será encerrada com o show do Arraial do Pavulagem, que fará uma retrospectiva de seus 25 anos de estrada. Júnior Soares, um dos fundadores do grupo, acredita que o Festival Cultura de Verão tem grande valor por também promover shows em outros municípios do Estado. “Mostrar a música paraense pelo interior do Pará é muito importante, e tem a questão da visibilidade, que traz mais gás para nós, músicos. Sem contar que é um prazer tocar em Bragança, que é a minha cidade”, declara.
Serviço:
6º Festival Cultura de Verão em Bragança. Dias 20 e 21 (sexta e Sábado), na Praça São Benedito (orla), com várias atrações. Entrada franca. Realização: Cultura Rede de Comunicação.

Texto:
Márcia Carvalho-Funtelpa

Programações técnicas e culturais
homenageiam o produtor
rural em Igarapé- Açu
Encerram nesta sexta-feira, 20, as programações técnicas realizadas por ocasião do dia do produtor rural, comemorado em 25 de julho, em Igarapé-Açu, no nordeste paraense. Cento e vinte agricultores familiares compuseram seis turmas, que aperfeiçoaram os conhecimentos sobre cooperativismo e associativismo, agricultura orgânica, fruticultura básica, segurança no trabalho, inclusão digital rural e manejadores de ovinos e caprinos. Os cursos, com 40 horas de duração, vão garantir certificação aos participantes.
As comemorações alusivas à data, que incluem ainda programações culturais, são promovidas pelo Fórum de Desenvolvimento Municipal, presidido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater). A festividade, que encerra no próximo domingo, 22, contará com exposição e comercialização de produtos originados da agricultura familiar, como frutas, verduras e pequenos animais.
Durante todo o domingo, em estandes institucionais da Empresa Brasileira de Pesquisas (Embrapa), Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Emater e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o público poderá ter acesso a informações sobre os trabalhos desenvolvidos, entre eles a facilitação do acesso a políticas públicas, elaboração de projetos e financiamentos.
Segundo Leandro Pinheiro, técnico da Emater, os cursos foram escolhidos de acordo com a necessidade, aptidão da comunidade e com o potencial de comercialização da produção, a exemplo da cadeia de ovinos e caprinos, que está se estruturando e que tem mercado muito propício na região. “Além de ajudar na garantia da segurança alimentar, a atividade também traz retorno financeiro”, confirmou Pinheiro. As programações acontecem na Fazenda Escola da UFRA,  distante a um quilômetro da sede do município de Igarapé-Açu.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater

Anexo da Santa Casa será

entregue no final deste ano







As obras do prédio anexo à Santa Casa de Misericórdia do Pará estão caminhando em ritmo acelerado. Mais de 400 homens trabalham diariamente para entregar o novo espaço dentro do prazo determinado pelo governador Simão Jatene, que é dezembro deste ano. A previsão é que em outubro deste ano as novas instalações sejam repassadas à direção da maternidade para possa receber os equipamentos necessários. No início de dezembro, deverá ser concluída a instalação elétrica que atenderá todo o hospital.
O novo prédio possui oito pavimentos, onde serão disponibilizados 332 leitos e mais 64 unidades de berçário. O fiscal de obra da Secretaria de Estado de Obras Públicas do Estado do Pará (Seop), Arnaldo Dopazo, explica que o primeiro pavimento já está praticamente finalizado. Nele, funcionará a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto, com 10 leitos (sendo um isolamento), a obstetrícia com 10 suítes, a UTI Neonatal com 40 leitos (dos quais 4 para isolamento), uma sala cirúrgica e uma sala de curetagem.
Os 4°,5° e 6° pavimentos, cujas obras também já estão bem adiantadas, abrigará um total de 168 leitos destinados para a área de enfermaria. No 7° pavimento irão funcionar as salas cirúrgicas, uma enfermaria com 17 leitos (incluindo um isolamento), uma UTI neonatal com 22 leitos (dos quais dois para isolamento) e uma UTI infantil com 10 leitos (um  para isolamento).
No novo projeto, o número de leitos aumentou em 70 e as instalações elétricas que anteriormente estavam previstas para atender apenas o novo prédio, agora alimentarão toda a a Santa Casa, inclusive o prédio antigo. Também será instalada na nova unidade um reservatório de águas pluviais que abastecerá a maternidade. “Nós tivemos que fazer algumas readaptações nesta obra, mudamos algumas coisas do projeto inicial elaborado pela gestão passada para poder oferecer um atendimento cada vez melhor para a população ”, finaliza o fiscal da obra.

Texto:
Bruna Campos-Secom

Hemopa alerta que volume
de doações continua abaixo do
necessário para manter estoques
A campanha de doação de sangue do veraneio, promovida pela Fundação Hemopa desde o dia primeiro deste mês, continua sem, no entanto, atingir a meta de 250 coletas/dia, mesmo com o apoio de instituições públicas e privadas para reforçar o estoque estratégico. Do início do julho até ontem (18) houve 3.281 comparecimentos, com a média diária de 219 adesões à mobilização. Um dado a se comemorar, no entanto, é que neste veraneio houve aumento de 23% no comparecimento de doadores, em comparação ao mesmo período do ano passado.
Do total de comparecimentos na campanha “Neste verão dê um banho de cidadania. Doe sangue”, 47% são de repetição, 27% de doações esporádicas, 25% de primeira vez, 48% de mulheres e 45% de jovens com faixa etária entre 18/29 anos. A mobilização também ocorre nos municípios de Castanhal, Marabá, Santarém, Altamira, Abaetetuba, Tucuruí, Redenção e Capanema.
Para alcançar a meta de doações, a Gerência de Captação de Doadores (Gecad) intensificou ações em parcerias. Na quarta-feira, 18, houve campanha com agentes do Programa Saúde Família (PSF) do Galo I, com cerca de 30 doações. Outras ações já foram realizadas na primeira quinzena deste mês com as seguintes instituições: Polícia Federal, Igreja de Jesus Cristo dos Últimos Dias, através do projeto “Mãos que Ajudam”; empresa White Martins, 5ª Cia de Guardas do Exército e com a Igreja Adventista do 7º Dia, por meio do projeto “Vidas por Vidas”.
Segundo a titular da Gecad, a assistente social Juciara Farias, o hemocentro incentiva a composição de novas parcerias com a sociedade civil organizada. “A responsabilidade é de todos e o retorno da qualidade do serviço é para a própria sociedade”, observou, apostando no alcance da meta de 250 coletas para assegurar atendimento transfusional da rede hospitalar. “Muitas pessoas estão de férias, mas outras precisam de sangue para sobreviver”, lembrou Juciara Faraias.
Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Peso acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sanguínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Pe. Eutíquio, 2109. Funcionamento para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h, e aos sábados de 7h30 às 17h. Maiores informações pelo fone: 08002808118, de 2ª a sábado, 8h às 18h.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa

Escola de Surf e Amazônia
WakeSurf agitam o final
de semana em Mosqueiro
O Projeto Escola de Surf na Pororoca, fruto de uma parceria entre a Associação Brasileira de Surf na Pororoca (Abraspo) e a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), será levado à ilha de Mosqueiro, neste final de semana, oferecendo uma opção de lazer a mais no veraneio para crianças e adultos. Monitorados por instrutores de surf da Abraspo, os participantes da atividade aprendem noções que vão desde a preparação da prancha até o posicionamento e realização de manobras sobre ela. O projeto tem como finalidade divulgar e incentivar a prática desse esporte, além de estimular principalmente crianças e jovens a introduzir as atividades físicas na programação do recesso escolar.
No ultimo fim de semana, as atividades da Escola de Surf foram levadas à ilha de Algodoal e atraíram mais de cem participantes. A ação, que alia o entretenimento à educação, movimentou a praia da Princesa e promete agitar a praia do Farol neste sábado,21, e domingo, 22, onde também acontece o Amazônia Wakesurf, um super evento de esportes radicais que reúne competições de skate, wakeboard, wakesurf, kitesurf, corrida de jet sky e canoagem. O presidente da Abraspo, Noélio Sobrinho, ressalta que este é o eventomais radical já promovido na região. "É uma grande pedida para quem pretende curtir a ilha de Mosqueiro neste fim de semana, pois dará aos veranistas a oportunidade de acompanhar vários esportes radicais que vem fazendo sucesso principalmente entre o público jovem. E o apoio da Seel foi fundamental para que pudéssemos realizar essa programação", comentou.
O titular da Seel, Marcos Eiró, destaca que o órgão também está presente em varios balneários do Estado levando lazer e esporte à população. Segundo ele, mais de 100 pessoas, entre turistas e moradores das áreas de balneário que recebem as atividades do projeto Escola de Surf, já partiparam das oficinas. A Seel estuda agora a possibilidade de incentivar ainda mais essa prática esportiva com a doação de pranchas. "Temos um projeto de doar 200 pranchas de surf para crianças e jovens que praticam o esporte mas não tem condições de adquirir o equipamento”, explicou. Marcos Eiró também enfatizou que o apoio da Seel ao Amazônia WakeSurf mostra o compromisso do Estado em apoiar as mais diferentes modalidades esportivas e também de garantir o lazer saudável e seguro dos veranistas nas praias paraenses. Prova disso é a ampla programação de atividades físicas que estão sendo promovidas com a orientação de profissionais da área em vários balneários ”.

Texto:
Antenor Filho-Secom

Governo monitora estado
de saúde de jovens
internados no Paraná
O Governo do Pará acompanha a recuperação dos estudantes paraenses que permanecem internados no interior do Paraná depois do acidente de ônibus ocorrido na última segunda-feira, 14, em Piraí do Sul. Quinze feridos recebem tratamento médico em hospitais de três municípios daquele Estado. Ainda nesta quinta (19) e sexta-feira (20) três dos pacientes passarão por cirurgia de reconstrução do úmero. Alguns feridos já foram operados e podem receber alta ainda neste fim de semana.
As informações foram confirmadas pelo oficial do Corpo de Bombeiros, coronel Francisco Cantuária, que foi enviado pelo governo paraense para acompanhar o estado de saúde dos sobreviventes e prestar assistência aos familiares. “Os jovens estão bem e recebem o atendimento necessário em hospitais de três municípios do interior do Paraná. Os médicos aguardam as próximas 48 horas para fazer uma nova avaliação e observar a dinâmica da recuperação. Alguns pacientes que já foram operados podem receber alta ainda neste fim de semana”, afirma Cantuária.
Uma das paciente que deverão receber alta neste fim de semana é Diva Silveira Malato, que está internada no Hospital Ana Fiorillo Manerin, no município de Castro. Ela sofreu uma fratura nos membros inferiores e, segundo o coronel, já passou por cirurgia. “Conforme for a avaliação dos médicos, ela poderá sair do hospital ainda no sábado e poderá voltar para Belém logo”.
Serão operados nesta quinta-feira, 19, Claudio Diego Teixeira de Souza e José Correia da Silva Junior. Ambos estão internados no Hospital Vicentino, em Ponta Grossa, e terão o úmero reconstruído. Passará pelo mesmo procedimento, também em Ponta Grossa, o estudante Fernando Fábio Dias Gama, nesta sexta-feira (20). Na segunda-feira (23), no Hospital São Lucas, em Campo Largo, será a vez de Derick Eduardo Dias Rosa, que será operado por causa de uma fratura nos membros inferiores. Derick viajava com a irmã de 15 anos, que não resistiu ao acidente.
De acordo com o coronel, de todos os pacientes, quem está em estado mais grave é Caroline Tapajós Corrêa Sobral. “Ela sofreu uma perfuração no pulmão e o quadro de saúde dela evoluiu para uma anemia. Ela está recebendo transfusão de sangue e medicamentos. Os médicos aguardam o fim da anemia para operá-la”, diz. Junto com Caroline, que está no hospital de Castro, está a mãe dela, que também viajava no ônibus. Maria Lina Corrêa sofreu uma fratura na tíbia, mas já foi operada e passa bem.
Muitos familiares dos pacientes já estão no Paraná. Francisco informou que já conversou com familiares de seis pacientes, não apenas para levantar a situação dos estudantes como também para prestar toda a assistência necessária. O oficial disse ainda que o governo do Estado já solicitou ao Governo do Paraná todo o apoio aos pacientes paraenses que estão internados. “Todos os pacientes estão acompanhados de seus parentes e esperamos que, até o início da próxima semana, a maioria já tenha recebido alta e tenha sido conduzida ao Pará”.
Veja a lista dos estudantes que continuam internados:
- Hospital Vicentino, em Ponta Grossa: Antônio Marcos Ferreira de Souza, Claudio Diego Teixeira de Souza, Fernando Fábio Dias Gama, José Correia da Silva Junior, Otávio de Paula Albuquerque e Raíssa Lorena Silva da Silva.
- Santa Casa de Ponta Grossa, Frederick Charles Herse Corrêa Garcia.
-Hospital Ana Fiorillo Menarin, em Castro: Barbara Elen Silva de Souza, Antonio André da Cunha Silva, Maria Lina Corrêa Sobrinho, Caroline Tapajós Corrêa Sobral, Daniel Nonato Boga Freire, Diva Silveira Boulhosa Malato e Jerilson Catique Duarte.
-Hospital São Lucas, em Campo Largo: Derick Eduardo Dias Rosa

Texto:
Thiago Melo-Secom

 “Fio do Abismo” reúne obras
premiadas na Casa das 11 Janelas
A Casa das 11 Janelas recebe, até o dia 2 de setembro, a mostra “Fio do Abismo”, exposição que reúne 24 trabalhos de 18 artistas de todo o país, com curadoria de Gabriela Motta (Rio Grande do Sul), Luiza Proença (São Paulo) e Alejandra Muñoz (Salvador). A mostra, realizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), é um recorte da exposição “Convite à Viagem – Rumos Artes Visuais 2011/2013”, que tem curadoria de Agnaldo Farias e reuniu em março deste ano, em São Paulo, o trabalho de todos os artistas selecionados no mais recente edital do Programa Itaú Cultural.
As obras, segundo Alejandra Muñoz, refletem questões relacionadas aos limites, interpretados em diversas linguagens pelos 18 artistas escolhidos para a etapa Belém. Quatorze deles participaram do vernissage realizado na última terça-feira, 17. “Tivemos não apenas sorte, pois a própria cidade de Belém é extremamente convidativa. Alguns deles vieram para cá por exigência da mostragem das obras. Outros, movidos pelo interesse pessoal de conhecer a cidade, que é um cartão de visita da região. O que estamos apresentando aqui, conforme o nosso entendimento, são obras que de alguma maneira lidam com a questão de limites”, ressalta.
O artista plástico paulista Adriano Costa esteve em Belém pela primeira vez e além de mostrar seu trabalho, pode conhecer também um pouco da cidade que ele mesmo define como “um dos melhores lugares para se viver”. Para a mostra “Fio do Abismo”, Adriano Costa apresentou “Tapete e Faqueiro”, esculturas feitas em tapeçaria e tecido, a partir do resgate de uma arte milenar mesclada ao conceito de permeabilidade. “Tapeçaria era uma arte palaciana, hoje não é mais. Então, nessas esculturas que faço o trabalho não deixa a construção de algo fixo, concreto, permanente. É uma arte nati-morta, pois depois que é pisada ela se desfaz. Ou seja: é única e efêmera”, explica o artista.
A edição 2011/2013 Rumos Artes Visuais reúne 45 artistas, selecionados entre 1.770 inscritos. Na exposição eixo foram exibidos 100 trabalhos, entre pinturas, instalações, montagens, esculturas, fotografias e vídeos. Um dos critérios adotados pela curadoria foi o de não apresentar no recorte trazido a Belém, o trabalho das duas paraenses, Berna Reale e Carla Evanovitch, que compõem a grande mostra. “Com isso, daremos a chance para que esses artistas mostrem suas obras em outros recortes, em outros contextos, pois já são conhecidas no Pará”, explica Alejandra Muñoz.
Quem visitou a mostra, como o também artista plástico Emanoel Franco, reconheceu o alto nível das obras. “São obras contemporâneas, de várias vertentes, de vários suportes, de pesquisas reunidas nesta mostra. A mídia contemporânea está presente. O que me chamou a atenção é você estar diante de confluências de propostas, tanto de técnicas mais primitivas, quanto de técnicas mais atuais. Por exemplo, a pintura a óleo, que evidencia a presença desta manifestação artística (pintura), em meio a outras obras como recursos tecnológicos audiovisuais, modernos e contemporâneos”, observa Franco.
Serviço:
Exposição “Fio do Abismo”
Casa das 11 Janelas, de 18 de julho a 2 de setembro, de terça-feira a sexta-feira, das 10h às 18h.
Sábados, domingos e feriados, das 9 às 14h. Ingressos: R$ 2. Informações: 4009-8825

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Imetropará inspeciona
ônibus escolares




O Instituto de Metrologia do Pará (Imetropará) realizou nesta quinta-feira, 19, a inspeção de dois ônibus para transporte escolar. O procedimento é feito em três etapas: na fábrica e na entrega, geralmente feitos pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e no recebimento, feito pelos órgãos delegados. A última inspeção verifica se foi mantido tudo o que foi exigido na primeira. Ambos os veículos foram aprovados.
Após estas três etapas, os veículos podem seguir para uso das prefeituras, no caso desta inspeção, um foi para Macapá (AP) e outro para Garrafão do Norte. O Imetropará emite um relatório de aprovação, necessário para a prestação de contas das prefeituras junto ao Tribunal de Contas da União, já que os veículos são adquiridos através do Programa Caminho da Escola, do governo federal.
Os fiscais fazem a verificação externa, interna e documental do veículo e checam as condições de acesso para portadores de deficiência, além de sistemas elétrico, hidráulico e de refrigeração, os equipamentos de segurança, entre outros itens. Se tudo estiver dentro das condições exigidas pelo Inmetro, é colocado um selo de aprovação no para-brisas. A inspeção ocorre durante o ano todo, de acordo com a demanda das prefeituras. “Esta é mais uma de nossas inúmeras atividades, sempre com foco na proteção da sociedade”, disse Luiziel Guedes, presidente do Imetropará.

Texto:
Adaucto Couto-Imetropará

Prorrogadas inscrições
para curso de especialização
As inscrições para o processo seletivo do I Curso de Especialização em Docência Universitária, com ênfase em Educação, Saúde e Tecnologia nos Campi da Universidade do Estado do Pará (Uepa) de Conceição do Araguaia, Marabá, Moju e São Miguel do Guamá foram prorrogadas até 24 de julho. Os interessados devem se dirigir às secretarias dos campi citados, das 9h às 12h, e das 14h às 17h, para efetuar as inscrições que estão abertas desde 5 de julho.
O Curso será totalmente gratuito, não havendo pagamento de taxa para as inscrições e matrícula. Podem se candidatar à especialização os egressos dos cursos de graduação ofertados pela Uepa em seus campi do interior do Estado. O processo seletivo será composto pela avaliação do Curriculum Vitae e da Carta de Intenção. O curso é multidisciplinar e as disciplinas transcorrerão no período de agosto a dezembro de 2012, em modalidade semi-presencial, com carga horária de 360 horas, distribuídas em  80% de atividades presenciais e 20% na modalidade a distância.
As aulas terão duração de 50 minutos e a frequência na parte presencial de cada disciplina é obrigatória num percentual mínimo de 75%, salvo nos casos previstos em lei. O objetivo do curso é demonstrar a importância de estudos e pesquisas, na área do conhecimento que fundamenta a criação dos cursos, efetivamente vinculados a programas de pós-graduação em que se evidencia a inter-relação dos cursos com as linhas de pesquisas desenvolvidas pelos Centros, bem como a relevância na área e para a região. Mais informações poderão ser obtidas através do fone: (91) 3299-2228

Texto:
Ize Sena-Uepa

Banpará entrega prêmio no
valor de 5 mil reais para cliente
O Banpará entregou nesta quinta-feira, 19, o prêmio do 1º Sorteio do Seguro Banpará, um cheque no valor de 5 mil reais. A premiação aconteceu na matriz do banco em meio a muita alegria tanto por parte dos clientes como dos funcionários. O sorteado, Francisco Marinho, é cliente Banpará há 19 anos e fez o seguro residencial Ace. “O Banpará sempre estabeleceu uma relação segura, que honra seus compromissos. Acompanho o Banpará desde a época da agência postão, hoje Senador Lemos, e sempre me orgulhei de ser cliente desse Banco. Fiquei bastante feliz em ganhar o prêmio, agora minha casa está segura e minhas férias também”, brincou.
O diretor de crédito e fomento, Jorge Antunes, agradeceu o apoio da seguradora Ace e parabenizou os funcionários pelo desempenho. “O seguro Banpará é um produto relativamente novo, e essa premiação serve para motivar tanto os funcionários como os clientes. Mas mesmo com todo o empenho precisamos alavancar ainda mais esse produto”, enfatizou.
A diretora administrativa, Marcia Miranda, ficou feliz em ouvir do cliente que a instituição passa segurança e credibilidade. “Fiquei honrada em saber como anda a imagem do Banco lá fora, não foi à toa que conquistamos o 5° lugar em eficiência na lista das melhores Empresas de 2011, ranking divulgado pelo jornal Brasil Econômico, com a empresa de classificação de risco, a Austin Rating, resultado da competência, do trabalho dos funcionários”, afirmou.

Texto:
Yedda Bevilacqua-Banpará

Projeto de Revitaliza​ção do
Espaço Palmeira é apresentado​

aos trabalhado​res


Os trabalhadores do Espaço Palmeira participaram na tarde desta quarta-feira,18, de uma reunião onde foi apresentado pela Secretaria Municipal de Economia (Secon), o Projeto de Revitalização do espaço, já concluído e aprovado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
O Projeto foi desenvolvido a partir das demandas dos trabalhadores em constantes conversas com a Associação dos Trabalhadores Informais do Centro Histórico de Belém, Sindicato dos Trabalhadores do Mercado Informal de Belém e Comissão de Trabalhadores do Espaço Palmeira. Para Raimundo Heleno, presidente da Associação, “este projeto é uma vitória de todos os trabalhadores”.
 Para melhorar o espaço e reduzir o calor enfrentado no local, o projeto prevê a construção de uma nova cobertura, com uma altura de aproximadamente seis metros, com telhas termoacústicas, que reduzem a absorção de calor e o ruído no interior do espaço. A nova cobertura permitirá ainda maior ventilação e luminosidade no local. Com uma área total de mais de 9 mil m², a cobertura contemplará 90% do espaço.
Os pontos de alagamentos encontrados em algumas áreas, em períodos chuvosos, serão solucionados com a instalação de um novo sistema de escoamento da água da chuva, uma nova rede de drenagem e a impermeabilização do piso. Uma novidade do projeto é a construção de uma Praça de Alimentação, com oito equipamentos totalmente adaptados para a venda de lanches e outras refeições. Cada equipamento terá aproximadamente 7,2 m², com paredes em lajotas brancas, equipados com pia e balcão.
Rosângela Garcia, integrante da comissão e trabalhadora do espaço desde sua inauguração, em maio de 2010, elogiou o projeto. “O projeto está muito bom. Nós que estamos aqui lutamos por isso e queremos fazer dar certo. Os trabalhadores que estão aqui não querem mais voltar para a rua e a nossa única preocupação é o prazo da obra e se poderemos trabalhar neste período”, comentou.
O Diretor Geral da Secon, Luiz Carlos Silva, que acompanhou toda a reunião e tirou dúvidas dos trabalhadores, garantiu que ninguém ficará sem trabalhar. “Assim que o contrato com a empresa executora da obra for assinado, reuniremos com todos os trabalhadores, com o acompanhamento da Associação e do Sindicato, para juntos definirmos todos os critérios para que continuem trabalhando”.
 Texto: Aline Paes -Ascom Secon
Fotos: Aline Paes e Arquivo Comus

Governo do Estado inicia a
construção da Unidade
Pro Paz de Jacareacanga











A comitiva do Governo do Estado chegou nesta quarta-feira, 18, ao município de Jacareacanga, no sudoeste paraense, e seguiu direto para a Praça Cristina Pinto Ribeiro, onde foi recepcionada por cerca de trezentos representantes da etnia Munduruku. Os índios formaram um longo corredor para que as autoridades pudessem se dirigir até o coreto central da praça, onde foi realizada a reunião entre as lideranças indígenas e os representantes das áreas de Segurança Pública, Saúde, Educação, Transportes e Assistência Social do Estado.
O índio Valdelírio Manuhuary Munduruku abriu o encontro destacando que todas as reivindicações da comunidade indígena que foram encaminhadas ao governador Simão Jatene já estão sendo viabilizadas. O secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, disse que a comitiva do governo foi a Jacareacanga “resgatar um compromisso assumido no dia 6 de junho, data em que ocorreu a primeira reunião do governo com os povos Munduruku.
“Conforme prometemos, hoje estamos dando início à construção da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) deste município, que vai reunir vários órgãos do governo estadual, como a Polícia Militar, Polícia Civil e Pro Paz. Teremos ainda um espaço para um Núcleo de Mediação de Conflitos, refeitório, sala de custódia, alojamentos e reserva de armamentos, entre outras instalações”, frisou o titular da área de Segurança Pública.
Luiz Fernandes Rocha também ressaltou que o Governo do Estado já assegurou aos indígenas o reforço do efetivo da Polícia Militar no município e a intensificação das investigações sobre o assassinato do índio Leo Akay Munduruku, 34 anos, além do acompanhamento, junto ao Poder Judiciário, do andamento do processo referente ao homicídio.
Fernandes informou, ainda, que o Governo do Estado encaminhou à Assembléia Legislativa, na manhã desta quarta-feira, 18, o projeto de lei que garante indenização aos familiares de Leo Akay Munduruku, vitimados pela violência. O comandante geral da Polícia Militar, coronel Daniel Borges Mendes, informou que a PM já publicou a portaria autorizando a abertura do procedimento que vai apurar as denúncias feitas à corporação contra os policiais militares que atuavam em Jacareacanga.
O delegado geral adjunto da Polícia Civil, Rilmar Firmino, apresentou a nova equipe do grupo de Pronto-Emprego da PC que vai permanecer em Jacareacanga, à frente das investigações sobre a morte de Leo munduruku. O efetivo substituiu o grupo de policiais civis que estava no município desde o dia 6 de julho, e que se envolveu num acidente na rodovia Transamazônica, no trecho que liga Itaituba a Jacareacanga, no último sábado, 14.
O capitão PM Marcelo Ribeiro, especialista em policiamento comunitário, também foi à Jacareacanga para conversar com as lideranças Munduruku. Ele vai ministrar um curso destinado a multiplicadores de segurança comunitária no município. O treinamento vai contar com a participação de moradores e de lideranças indígenas.
Na manhã desta quarta-feira, 18, o governador em exercício, Helenilson Pontes, assinou o projeto de lei que concede pensão especial à família do índio Leo Akay Munduruku, vítima do homicídio ocorrido em Jacareacanga, no último mês. A decisão se baseia no artigo 104 da Constituição Estadual e atende a uma das reivindicações feitas pelos índios  Munduruku na audiência ocorrida semana passada com o governador Simão Jatene, em Belém.
O projeto de concessão de pensão que beneficiará os três filhos do índio assassinado, Giane Akay Munduruku, Eliabe Akay Munduruku e Renaik Akay Munduruku, e a esposa, Aulinda Saw Munduruku, vai assegurar assistência material aos dependentes. Ainda nesta manhã, o projeto seguiu para apreciação e aprovação da Assembleia Legislativa do Estado.
A secretária de Estado de Assistência Social, Tetê dos Santos, disse que o governo vai manter reuniões com a Secretaria Municipal de Assistência Social de Jacareacanga, a fim de monitorar e orientar as ações de assistência na região. “Algumas ações são imediatas, como as que o governo está implementando na área de Segurança Pública, mas outras necessitam de estudos e de um planejamento maior. Nossa equipe também veio colher informações, junto à comunidade Munduruku, com o objetivo de subsidiar a análise dos parlamentares, na Assembléia Legislativa do Estado, do projeto do governo que vai assegurar uma pensão à família de Leo Akay Munduruku”, afirmou a secretária.
Durante a reunião, a diretora de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Roseana Nobre, informou que o governo vai trabalhar com ações de prevenção à saúde e no combate à doenças como tuberculose, Aids e hanseníase. A diretora para Diversidade, Educação e Cidadania, da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Aldeíze Queiroz, foi ao município conversar com os indígenas sobre o projeto de ensino médio integrado. O Governo do Estado deverá retomar o projeto, a partir de um novo convênio com a Fundação Nacional do Índio (Funai), interrompido em 2008.
“Nós acreditamos nas nossas autoridades e queremos estar presentes no julgamento do nosso irmão Leo Akay Munduruku. Também precisamos de mais escolas e da implantação do Ensino Médio nas diversas comunidades indígenas e pedimos aos parlamentares que  ajudem o governador a sancionar o projeto que vai garantir o benefício para a família do nosso parente que foi assassinado. Estaremos sempre juntos e unidos em defesa de nossos direitos”, disse Gerson Manuhuary Munduruku.
No final da tarde, os índios caminharam pelas ruas de Jacareacanga ao lado dos representantes do governo, e levaram a comitiva para conhecer a Casa do Índio, o prédio da Funai e a área onde está sendo construída a nova UIPP. Com aproximadamente 41 mil habitantes, Jacareacanga possui cerca de dois milhões e trezentos mil hectares de áreas distribuídas entre três reservas indígenas e uma população de 12 mil índios da etnia Munduruku.

Texto:
Lene Alves-SEGUP

Mosqueiro terá dois
dias de Feira do Pescado
A Secretaria de Pesca e Aquicultura do Estado (Sepaq) promoverá, em dois dias - sexta-feira, 20, e sábado, 21 - nova edição da Feira do Pescado, desta feita contemplando moradores e veranistas da Ilha do Mosqueiro, atendendo ao pedido da Agência Distrital da Vila. A feira será realizada na Praça da Vila (calçada do Recanto dos Tamarinos) no horário compreendido das 8 às 14 horas. Uma equipe da Sepaq está em Mosqueiro desde a terça-feira tomando todas as providências a fim de que o evento alcance o sucesso esperado e atenda aos milhares de veranistas que estão na Ilha.

Sesma combate a proliferaç​ao
da dengue no Jurunas




Profissionais do Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) estiveram na Vila Martins,no bairro do Jurunas,no final tarde desta quarta-feira,18, realizando ações de combate à dengue. Apesar das ações preventivas rotineiras realizadas nas imediações, a ação foi motivada pela suspeita do surgimento de novos casos da doença, inclusive de um possível caso de dengue hemorrágica, que ainda aguarda confirmação por parte do Laboratório Central do Estado.
 Com o uso de um carro fumacê e uma mochila motorizada que expele o veneno contra o aedes aegypti, os agentes de saúde da Sesma, entraram em vielas e becos, observando  espaços de possível acúmulo de lixo, na busca de criadouros do mosquito transmissor.“Hoje é o primeiro, de três dias da ação de combate aos focos do mosquito aqui nesta área. Os moradores podem ficar tranquilos, pois o trabalho realizado até a próxima sexta-feira será completo. O raio de alcance da emissão do carro fumacê é de 30 metros e da mochila é de 15 metros, assim podemos cobrir uma área bem extensa e diversificada”, afirmou José Possidônio, agente de saúde da Sesma que organizava a ação na tarde de quarta-feira.
 Moradora da Vila Martins há 15 anos, dona Lena Pantoja diz que a prevenção é necessária. “O trabalho que os agentes de saúde fazem é muito importante, mas é preciso que todos os moradores da área tenham cuidados também. Não adianta nada se eu cuidar da minha casa e o meu vizinho não tiver o mesmo cuidado, para que não surjam novos focos do mosquito”, disse.
 Nos últimos anos, os casos de dengue vêm caindo na capital paraense. De janeiro até o dia 16 de julho de 2012 foram registrados 1367 casos confirmados de dengue clássica, 19 casos de dengue com complicações e apenas 02 casos da forma hemorrágica da doença. 
 Casos confirmados de Dengue nos anos de 2010 e 2011
 2010- Dengue Clássica = 2295 casos confirmados.
- Dengue com Complicações = 177 casos confirmados.
- Dengue Hemorrágica = 91 casos confirmados.

2011- Dengue Clássica = 1929 casos confirmados.
- Dengue com Complicações = 34 casos confirmados.
- Dengue Hemorrágica = 12 casos confirmados.

Texto: Fernando Rodrigo Diniz - Ascom Sesma.

Paraenses criam joias que
levam as “digitais da Amazônia”

Quantas formas, cores e texturas da floresta passam despercebidas aos olhos dos homens, na imensidão da Amazônia? Certamente, muitas. Mas ao olhar atento e eternamente curioso do ourives e pesquisador autodidata Paulo Tavares, os mistérios das árvores, galhos, folhas e frutos se revelam em um dos objetos mais sedutores já criados pelo homem: as joias.
A partir de técnicas inéditas de ourivesaria, Paulo juntou toda a experiência de anos de pesquisas e de trabalho na banca de ourives, ao talento criativo de Mônica Matos, para criar peças exclusivas, que retratam a fauna, a flora e toda a biodiversidade da floresta e da cultura amazônicas.
As gemas vegetais, uma criação de Paulo Tavares a partir de resinas naturais, se harmonizam com o brilho da prata e a textura das fibras naturais para formar uma coleção denominada “Digitais da Amazônia”. São peças que trazem para o mundo da joalheria as nervuras das folhas, o retorcido dos cipós e galhos, as múltiplas formas dos animais que habitam esse universo tão particular, como macacos, borboletas, peixes, serpentes e tartarugas.
O resultado desse trabalho levou dois anos e dois meses para ser concluído, incluindo o período de pesquisa, produção e confecção das 43 peças e das gemas vegetais de diversos pigmentos. Pingentes, colares, brincos e anéis mostram a beleza da matéria prima e também expressam o conceito de sustentabilidade, a principal característica do trabalho de Paulo e Mônica.
As peças refletem ainda o trabalho paralelo desenvolvido pelos dois artistas da joalheria, que inclui um projeto de geração de renda para comunidades do interior do Estado e o mapeamento e distribuição de mudas de Pau Brasil.
A árvore símbolo do país é uma das inspirações de algumas peças, como o anel “Seringa”, que se transforma em pingente (peça inspirada na forma da semente da seringueira e confeccionada com gema vegetal da resina do Pau Brasil), e o conjunto “Pau Brasil”, formado por pingente, colar e anel, reproduzindo a forma das lascas da palmeira, descartadas naturalmente pela natureza.
Técnicas – Paulo Tavares explica que as gemas vegetais, criadas dentro de um projeto de pesquisa apoiado pelo Programa de Desenvolvimento do Setor de Gemas, Joias e Metais Preciosos do Pará, criado pelo Governo do Estado e gerenciado pelo Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), resultam de um processo 100% natural de composição dos pigmentos, em que nada é desperdiçado, como, eventualmente, acontece em outros procedimentos.
“Nosso trabalho começa com zero resíduo e termina com zero resíduo”, frisa Paulo Tavares, acrescentando que, apesar de a aceitação do público ser muito positiva, a comercialização das gemas vegetais ainda não está ocorrendo em grande escala. Produtores do Polo Joalheiro estão começando a utilizar e vender peças feitas com as gemas sustentáveis.
O pigmento que dá cor a cada gema é extraído de cascas, flores, folhas, frutos e raízes descartados pela natureza ou pelo homem. A partir daí, o material é estabilizado na resina, na forma desejada. Segundo Paulo Tavares, as gemas vegetais têm três grandes vantagens: financeira, social e ambiental. Ele lembra que, além das formas e cores mostradas na coleção, já está produzindo gemas em outras formas, como camafeus e em formato de cabochão. E a lapidação facetada também já está sendo testada.
O metal utilizado nas peças da coleção “Digitais da Amazônia” é a Prata 950, manipulada em duas técnicas de modelagem do metal: o cinzel e a fundição artesanal feita em terra, que estão sendo aperfeiçoadas pelos artistas.
Um exemplo de peça manipulada com a técnica do cinzel é o pingente “Folha”, cuja forma foi obtida por meio de pequenas batidas, feitas com um tipo de ponteira de madeira. As batidas dão forma ao metal, também utilizado nas peças “Macaco”, “Louva a Deus” e “Galho”.
No caso da fundição artesanal em terra é criado um molde a partir do formato a ser reproduzido, como um pedaço de graveto seco, que originou o anel “Galho”. “Posso encontrar formas belíssimas e únicas”, enfatiza o pesquisador.
Digitais – Outra técnica usada na coleção, que inspirou o nome, também é uma criação de Paulo Tavares e Mônica Matos, vista na peça “Digitais”, um colar de fibra natural de miriti, tingido com pigmento extraído da casca do mogno, que carrega um pingente em prata, em forma de um pedaço de casca da árvore.
O processo, explica Mônica Matos, consiste em obter, por meio de uma espécie de carimbo preenchido com uma massa maleável especial, o registro em baixo relevo da forma selecionada. O carimbo de um pedaço de casca de árvore cria uma impressão única, uma digital, que pode revelar no metal todos os detalhes. “Chamo isso de caça ao tesouro, pois ainda dá para encontrar outros desenhos, como rostos humanos e animais. Foi assim que surgiu também a ideia de trabalhar com comunidades carentes, de forma a gerar renda a partir da reprodução dessa técnica”, informa Tavares.
Paulo e Mônica, que assinam juntos a primeira coleção de joias, participaram de todo o processo de pesquisa, produção e finalização de cada peça. A produtora Mônica Matos, responsável principalmente pelo design das peças, diz que encontrou inspiração na biodiversidade da Amazônia. A escolha de macacos, tartarugas ou araras como tema de algumas joias, entretanto, não foi proposital, destaca Mônica, que teve como objetivo chamar a atenção das pessoas para a preservação da floresta, para que não deixem extinguir espécies vegetais e animais e ajudem a preservar as que ainda não entraram em perigo de extinção.
A preocupação com a natureza sempre esteve presente na vida de Paulo Tavares, que começou no ramo joalheiro como ourives, aos 16 anos, profissão que hoje é desenvolvida também por outros membros de sua família, para os quais repassou seu conhecimento, como os irmãos Antonio e João Tavares. O trabalho em joalheria é baseado, ainda, nas recordações da infância, passada em Ponta de Pedras, município do Arquipélago do Marajó, onde nasceu. “Cheguei a conviver como os índios, com os costumes deles. Os galhos, as cores e tudo o que eu queria como brinquedo, como barquinhos, eu retirava da natureza”, conta o ourives.
A consciência ecológica, formada ainda na infância, se reflete até na forma de coletar o material. Paulo nunca arranca galhos, frutos e folhas. “Sempre espero pelo processo de descarte natural, para que eu possa fazer a coleta. Com as cascas, também aguardo o período certo para a retirada. E quando recolho frutos ou sementes, deixo vários nos lugares onde caíram, para que possam continuar o ciclo da vida”, relata.
Já os primeiros contatos de Mônica Matos com a joalheria foram em 2003, quando trabalhou no setor de Curadoria do Programa Polo Joalheiro. Mas foi em 2007 que se interessou pelo setor como produtora de joias. Participou, em 2008, do 1º Workshop Internacional de Design e Ourivesaria, promovido pelo Igama, em parceria com o Sebrae-PA, e ministrado pelo designer e professor italiano Stefano Ricci. Mas foi na 3ª edição do workshop, em 2010, que ela teve a inspiração de usar os símbolos da Amazônia para criar a exposição. “O curso treinou o meu olhar para trabalhar estes signos”, ressalta a produtora.          
Stefano Ricci, atualmente professor do Curso de Mestrado "Product Design for Rapid Manufacturing - Wearable Luxuries", da Universidade La Sapienza, de Roma (Itália), afirma que a coleção de joias “Digitais da Amazônia” tem o foco na iconografia da região. “Estou particularmente feliz por constatar na coleção a evolução do tema e da metodologia que eu introduzi. Mônica Matos, com a ajuda do sábio mestre ourives Paulo Tavares, soube infundir na matéria, que dá forma às joias, os valores intangíveis - em especial da poesia - o que torna a coleção elegante e atemporal, adaptada também ao público internacional”, declara Ricci.
A coleção, que já esteve exposta no Espaço São José Liberto, numa promoção do Igama, em parceria com o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), terá continuidade com outras peças, cujos embriões estão guardados na natureza, esperando apenas ser descobertos pela sensibilidade e criatividade de Paulo Tavares e Mônica Matos.

Texto:
Luciane Barros-São José Liberto

Uepa vai propor ações ao Plano
de Desenvolvimento do Xingu
Expandir a graduação em setores de maior interesse da população (como a atenção básica à saúde), investir na capacitação e fixação de mão de obra qualificada na região e fortalecer a criação de um sistema de desenvolvimento regional sustentável, que use a tecnologia e a inovação para melhorar o aproveitamento dos recursos naturais, são algumas das propostas que serão apresentadas pela Universidade do Estado do Pará (Uepa) ao Comitê Gestor do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRS Xingu).
O objetivo é fortalecer o desenvolvimento social na região, durante o período de construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no município de Altamira, no oeste do Pará. Nesta terça-feira (17), o diretor de Planejamento da Uepa, Mário Brasil Xavier, junto com representantes dos centros de Educação (CCSE), Saúde (CCBS) e Tecnologia (CCNT), se reuniram com o coordenador Estadual do Comitê Gestor, Nicias Ribeiro, para apresentar propostas destinadas à região que será afetada pelas obras de Belo Monte.
Os projetos foram elaborados para atender especificamente às necessidades da Região do Xingu, visando oferecer ações que contribuam para o desenvolvimento local. "Todos os centros da Uepa estão articulados e trabalhando juntos para propor projetos nas áreas de Educação, Saúde e Tecnologia, que atendam às condicionantes do empreendimento, alavanquem o desenvolvimento regional e que estejam relacionados à missão institucional da universidade. O nosso objetivo é propor ações que levem ao enraizamento deste desenvolvimento sustentável na região", afirmou Mário Brasil, que coordena na Uepa as propostas relacionadas ao PDRS Xingu.
Dentre os mais de 20 projetos que serão apresentados pela Universidade, no próximo dia 27 de julho, estão a expansão dos cursos de graduação nas áreas de Engenharia e Enfermagem em Altamira; a implantação de cursos de especialização para formar mão de obra qualificada e cursos com carga horária entre 30 e 80h, voltados às áreas de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Logística Reversa, Engenharia de Produção e Gestão do Conhecimento.
Além dos investimentos na formação de mão de obra qualificada, a Uepa prevê também a expansão de projetos em Saúde e Meio Ambiente - áreas que serão mais impactadas pelas obras -, e ações de inclusão social, digital e econômica, por meio da estruturação e do fortalecimentos das cadeias produtivas locais.
Investimento - O PDRS Xingu é um plano concebido pelo Governo Federal - e que será financiado pelo Consórcio Norte Energia, responsável pela construção da hidrelétrica - que tem o objetivo de apresentar propostas que ajudem a reduzir os impactos ambientais, econômicos e sociais na área de entorno da usina. Para os próximos 20 anos estão previstos mais de R$ 500 milhões em investimentos voltados ao desenvolvimento sustentável da Região do Xingu. Os recursos serão administrados por um Comitê Gestor interdisciplinar, que vai orientar programas, projetos e ações federais implantados na região. O prazo para apresentação de projetos neste primeiro edital termina em 31 de agosto.
"Eu vejo com muita alegria esta articulação e disposição da Uepa de propor ações dentro do PDRS Xingu. O Estado precisa ser inteligente para resolver todos os problemas históricos deixados pelo Governo Federal, ao longo dos anos, com aquela região, e esta é a nossa oportunidade de virar este jogo, garantindo o desenvolvimento e a sustentabilidade destes municípios", afirmou Nícias Ribeiro.
Na reunião desta quarta-feira, o assessor de Planejamento da Secretaria Especial de Promoção Social, Augusto Menezes, disse que a Universidade deve ter um assento no Comitê Gestor do PDRS Xingu. Segundo ele, essa participação mais efetiva garantiria ao Pará uma contribuição mais técnica sobre as intervenções propostas nas áreas de Saúde, Educação e Tecnologia.
Mário Brasil lembrou que o campus da Uepa em Altamira tem forte presença na região, realizando ações nas áreas de Saúde, Meio Ambiente, Educação, Cultura e Cidadania. Até março de 2011, a Uepa em Altamira formou na Região do Xingu cerca de 400 profissionais de Educação Física, 250 professores de Matemática, 58 de Enfermagem e 100 em Ciências Naturais.
Esta não é a primeira parceria feita pela Uepa com a Norte Energia, visando investimentos nos municípios do entorno de Belo Monte. No ano passado foi assinado um convênio para implantação de residência médica, no Programa Saúde da Família em Altamira.
Também participaram da reunião o pró-reitor de Pesquisa, Juarez Quaresma, reitor em exercício; a pró-reitora de Extensão, Mariane Franco; o vice-diretor do CCBS, Emanuel Sousa; o vice-diretor do CCSE, José de Ribamar Carvalho; a vice-diretora do CCNT, Eliane Coutinho, e o diretor de Extensão, Osvando Alves.

Texto:
Ize Sena-Uepa

Continua preso em Melgaço
homem que assaltou a própria tia
 Robson Lobato da Costa, 23 anos, foi preso em flagrante após assaltar a própria tia, Elizangela da Silva Lobato Gomes, 34 anos. O crime ocorreu na última sexta-feira (13), no município de Melgaço, na ilha do Marajó. A prisão foi homologada pelo juízo da comarca local. Robson permanece custodiado no cárcere da delegacia da cidade.
Segundo  informações de policiais de Melgaço, o acusado é contumaz em praticar assaltos na cidade. Desta vez, ele não poupou nem mesmo a parente, que foi ameaçada pelo sobrinho com uma faca e forçada a entregar o aparelho celular. O roubo aconteceu na casa da vítima.
Após o delito, a Polícia Civil de Melgaço e  a Polícia Militar saíram em diligência pela cidade em busca do acusado. Ele foi localizado na periferia da cidade, no bairro Tucumã, e preso em flagrante. Robson entregou a faca usada  no assalto e confessou que já teria vendido o celular para uma mulher chamada Suzana, moradora da rua Mario Castor.
Segundo o delegado Márcio Adriano Cavalcante, que fez a prisão de Robson, a compradora se apresentou à polícia e restituiu o celular à vítima. Ela alegou não saber que o aparelho era roubado. Mesmo assim, responderá por receptação no inquérito policial instaurado para apurar o caso.

Texto:
Aycha Nunes-Polícia Civil

Sesma propõe comissão para
concluir Plano de Cargos e
Carreiras dos médicos
Em reunião realizada na tarde desta quarta-feira, 18, com diversas categorias de profissionais médicos, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) propôs a formação de uma comissão para acompanhar e finalizar o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCR) que está sendo elaborado pela secretaria.
  “Estamos finalizando o PCCR para a classe médica do município de Belém e queremos que vocês façam parte acompanhando e opinando a finalização deste Plano”, propôs a secretária municipal de Saúde, Sylvia Santos.
  O momento foi oportuno para a Secretária apresentar os avanços obtidos pela Sesma diante de algumas reivindicações da classe médica. Entre eles, a obtenção de recursos oriundos do Projeto de Formação e Melhoria da Qualidade da Rede de Atenção à Saúde (QualiSUS-Rede) para a reforma de 23 unidades de saúde e casas do Programa Saúde da Família (PSF), aquisição de material e equipamentos, que já estão em processo licitatório.
  Sobre o vale alimentação, a secretária informou que não possui recursos para custear o vale-refeição no valor de R$ 220 para mais de 8 mil servidores, o que geraria um custo mensal de R$ 1,8 milhão. Apenas uma parte destes servidores recebe o beneficio, que são os que cumprem mais de 6h de trabalho, como garante a lei. A secretária Sylvia Santos informou ainda que a verba para a folha de pagamento deste ano,da Sesma, foi aprovada pela Câmara Municipal no ano passado.
 “Conseguimos captar mais de R$ 80 milhões do governo Federal para investir na saúde de Belém. Reconhecemos que há problemas e por isso enfatizo estes avanços”, finalizou a Secretária. Ao final da reunião, os representantes dos sindicatos pediram um prazo para apresentar à Sesma o nome dos integrantes da comissão que vai acompanhar a finalização do PCCR.
 A Sesma precisa encaminhar o Plano à Câmara Municipal de Belém até o mês de setembro, para aprovação. Participaram do encontro representantes do Sindicato dos Médicos (Sindmepa), Enfermeiros (Senpa), Nutricionistas (Sindnutri), Psicólogos (Sindipsipa), Odontologistas (Soepa), Farmacêuticos (Sinfarpa), Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais (Sinfito), Assistentes Sociais (Sinaspa), Técnicos em Radiologia (Sintraban), dos Trabalhadores em Saúde Pública do Pará (Sintesp) e dos Trabalhadores em Saúde no Estado do Pará (Sindisaúde).
  
Texto: Liandro Brito-Ascom Sesma

PM promove curso de polícia
comunitária em Altamira
A Polícia Militar promove em Altamira, sudoeste do Pará, até segunda-feira (23), o curso nacional de promotor de Polícia Comunitária. O treinamento, no auditório da Associação Comercial de Altamira (Aciapa), leva em conta o crescimento populacional no município, em função das obras da usina hidrelétrica de Belo Monte. O objetivo é assegurar o atendimento local de demandas de segurança pública. Ao todo, 40 alunos integram a turma, oriundos da PM, Corpo de Bombeiros, Exército Brasileiro, Conselho Tutelar, Secretaria de Educação, Guarda Municipal, imprensa, Poder Judiciário e comunidade.

Seel entrega cadeira de rodas
especial a paratleta paraense
 O paratleta paraense Rosivaldo Itabereci recebeu do secretário de Estado de Esporte e Lazer, Marcos Eiró, uma cadeira de rodas especial, para a prática esportiva. A medida faz parte da política estadual de inclusão social pelo esporte. O atleta pertence à equipe da Associação dos Deficientes Físicos do Pará (Adfpa). O equipamento é importado e veio dos Estados .Unidos
Marcos Eiró disse que a Seel tem compromisso com o esporte e com todos aqueles que fazem da prática esportiva um instrumento de inclusão social. “A secretaria não mede esforços para fomentar o esporte em todos os níveis”, disse. A cadeira de rodas custou cerca de US$ 10 mil e vai ajudar Rosivaldo Itabereci nas competições de atletismo em cadeira de rodas, tanto em pistas como na rua.
O paratleta já venceu várias corridas em Belém, entre elas a Corrida do Círio, Corrida do Sal e a Segunda Meia Maratona do Sesc. Ficou em terceiro lugar na meia maratona do Rio de Janeiro. Para ele, a cadeira de rodas vai ajudar no desempenho nas próximas competições. A força pessoal será aliada do equipamento para conquistar vitórias.
“Com orgulho, estamos concluindo este projeto com essa cadeira de rodas. Quero agradecer muito ao governo por essa conquista, que me deixa muito emocionado. O povo do Pará pode esperar mais vitórias com esta nova cadeira de rodas”, disse o paratleta, que estreia a nova cadeira de rodas neste sábado (21), na Corrida do Sal, em Salinópolis, nordeste do Estado.
O vice-presidente da Associação dos Deficientes, Rogério Nogueira, disse que o apoio do governo do Estado ajuda a promover a inclusão social dessas pessoas. “O governo está empenhado em ajudar, e a prova é a entrega hoje dessa cadeira para o Itabereci. Novas parcerias devem ser firmadas para o bem dos portadores de deficiência”, frisou.

Texto:
Antenor Filho-Secom

Sefa concede até o dia 20
desconto no IPVA para
finais de placas 48 a 68
 A próxima sexta-feira (20) é o último dia de descontos do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para os donos de carros com finais de placas 48 a 68, embora a data do licenciamento destes veículos, junto ao Departamento de Trânsito do Estado (Detran), seja 21 de setembro. O pagamento integral do IPVA dois meses antes do prazo final do licenciamento para veículos sem multas de trânsito garante o benefício do IPVA Cidadão.
Os descontos são de 15% do valor do imposto para quem está há dois anos sem multa; 10% para quem não recebeu multas ano passado; e 5% de desconto nas demais situações. O benefício não é cumulativo. O dono de veículo tem, ainda, a opção de antecipar o pagamento do IPVA em três parcelas, sem desconto.
Para consultar as datas e valores e optar pelo pagamento integral ou parcelado do imposto, além de emitir o Documento de Arrecadação Estadual (DAE), basta acessar o Portal de Serviços da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), no endereço, www.sefa.pa.gov.br, item IPVA Antecipação. O pagamento do DAE é feito na rede bancária autorizada e casas lotéricas. Quando não há antecipação do recolhimento do imposto, o IPVA é pago junto com o licenciamento anual do Detran.
Quem tem débitos vencidos até 2011 pode parcelar o IPVA em até oito parcelas. Esse limite pode ser estendido até o máximo de 36 mensalidades, após análise econômico-financeira e a critério do titular da Sefa. Basta formalizar o pedido junto à Coordenação Especial de Administração Tributária do IPVA e do ITCD na região metropolitana de Belém. No interior do Estado, as Coordenadorias Regionais de Administração Tributária e Não Tributária (Cerat) dão o suporte.
Para mais informações, o usuário pode telefonar para o call center da Sefa, no telefone 0800-725-5533, ou acessar o site da secretaria, área do Manual de Atendimento.

Texto:
Ana Márcia Pantoja-Sefa

Novo espaço de hidroterapia
será entregue em agosto
A Universidade do Estado do Pará ultima os preparativos para a entrega de um novo espaço à população que necessita de cuidados fisioterapêuticos. O Setor de Hidroterapia da Unidade de Ensino Assistência de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Ueafto) da instituição ganhará uma piscina de 42 m², banheiros adaptados para cadeirantes, casa de bomba, vestuários, exaustores eólicos para renovação do ar, depósito de materiais químicos e limpeza.
O novo espaço será entregue em agosto pela reitora Marília Brasil Xavier. De acordo com a Coordenação de Arquitetura e Engenharia (CAE) da Uepa, responsável pela fiscalização, a construção obedece às normas técnicas de segurança. ‘’As obras começaram há alguns anos. Estamos fiscalizando para que tudo esteja de acordo com os padrões. Toda semana um dos engenheiros faz a vistoria no local’’, diz a técnica em arquitetura, Luz Consuelo.
Nas novas instalações, os professores do Curso de Fisioterapia da Uepa atenderão pacientes encaminhados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e diversos municípios do Estado do Pará. O espaço também servirá para o estágio dos alunos. ‘’A estrutura física é maior e inclui uma sala de avaliação, onde os professores e alunos discutirão sobre os casos assistidos. Vantagem para o aluno e para o paciente’’, diz a coordenadora técnica fisioterapeuta da Ueafto, Regina Gabriela de Moraes.
Ela explica que a nova sala de hidroterapia também vai encurtar distâncias. ‘’Nossa antiga sala de hidroterapia ficava no bloco A, longe das salas de aula. Agora a assistência e o bloco de Fisioterapia estão bem próximos um do outro’’, diz. As novas instalações de assistência de terapia aquática funcionarão de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h e das 13h às 18h, ao lado do Bloco D, no Setor de Fisioterapia do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS).

Texto:
Ize Sena-Uepa

Terra Alta pomove segunda
Festa da Acerola
No próximo domingo, 21, acontece a segunda edição da Festa da Acerola. O evento, apoiado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), é realizado pela Associação dos Produtores de Terra Alta, no nordeste paraense. Duas mil pessoas estão sendo esperadas para o evento que vai apresentar guloseimas produzidas com o fruto, como bolos, tortas, doces e uma grande variedade de biscoitos, além dos produtos tradicionais como sucos, polpas, licores.
Terra Alta é um dos maiores produtores de acerola do Estado, com 17 mil pés do fruto plantados e uma produção média por planta de 70 quilos do fruto/ano, da variedade 54, que tem alto poder produtivo, com frutos de tamanho grande e de coloração vermelha intensa, propícia para o mercado consumidor, especialmente para a comercialização in natura. A produção do município abastece indústrias de sucos da região e o mercado das Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa). “Plantar acerola é rentável. O retorno financeiro  chega a 40%”, disse Marli Magno, presidente da associação de produtores do município.
A programação vai reunir atrações culturais e palestras técnicas voltadas para a cultura da acerola, como boas práticas agrícolas, com a abordagem sobre o uso de agrotóxicos e a importância da produção agroecológica. Dados da Emater revelam que a adoção do bom manejo da cultura, aliado à adubação orgânica, melhora a condição fitotécnica da planta e consequentemente a produtividade.
Um trabalho desenvolvido pela Emater no município capacita os produtores para a produção das próprias mudas, além do incentivo para a produção do fruto em larga escala, a fim de agregar valor. “Também estamos capacitando os agricultores para a produção da muda enxertada, que melhora o padrão da planta”, adiantou Ricardo Dohara, engenheiro agrônomo da Emater.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater

Lei estabelece normas para
comercialização de
produtos artesanais comestíveis
Foi publicado no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira, 16, o decreto que regulamenta a Lei nº 7.565 de 25 de 10 de 2011 que trata das normas para licenciamento, registro e comercialização de produtos artesanais comestíveis de origem animal e vegetal no Estado do Pará. O prazo para a lei entrar em vigor é de 30 dias úteis. O diretor técnico da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), Ivaldo Santana, explica que o decreto vai permitir a comercialização de forma legal de produtos como o queijo do Marajó, farinha de mandioca, tucupi, maniva e outros produtos que fazem parte da cultura paraense em todo o Estado, inclusive nos supermercados. “Esta ação do governo vai permitir que os produtores possam vender seus produtos com qualidade, resguardando a saúde do consumidor”, afirma.
A lei, elaborada em conjunto por técnicos da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) e da Adepará, define os produtos artesanais comestíveis e os tipos de estabelecimentos utilizados para a produção e comercialização deles. Também estabelece critérios como a exigência de que os locais de manipulação dos produtos sejam de alvenaria e obedeçam as rigorosas regras de higiene estabelecidas pelo Ministério da Saúde. “Estamos trabalhando a normatização dos padrões e dos protocolos de produção, dos principais produtos regionais que precisam ter seu trânsito regular dentro do território paraense”, enfatiza o diretor técnico.
Ainda de acordo com ele, os fiscais da Adepará irão fazer uma visita técnica nos próximos dias ao Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), que possui larga experiência no segmento de produtos artesanais. “A intenção é ampliar os conhecimentos para que possamos dar continuidade a essa atividade de grande importância para a agricultura familiar paraense”.
Na área vegetal é a intenção da Adepará trabalhar toda a cadeia produtiva da mandioca. “Já temos o padrão do tucupi. A embalagem deverá manter as características originais do produto e ser resistente ao manuseio do transporte. O rótulo deve ser previamente aprovado pela Adepará e contar com unidade em caracteres visíveis e legíveis o nome do produto, endereço do fabricante entre outras normas”, explica Santana. Estão em fase de elaboração o padrão da maniva cozida e da farinha de tapioca.
A definição do padrão de identidade e qualidade do queijo do Marajó já foi iniciada pelos ficais do Adepará, nos municípios de Soure, Salvaterra e Cachoeira do Arari. Em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), os órgãos estão executando o cadastro e o georreferencimento dos estabelecimentos produtores do queijo, tanto na área rural quanto na área urbana, além das propriedades fornecedoras de matéria-prima. O estabelecimento que não se adequar à nova lei responderá judicialmente pelas consequências à saúde pública, caso se comprove omissão ou negligência na observação dos padrões de higiene e sanitários ou à adição indevida de produtos químicos e biológicos e ao uso indevido de práticas de beneficiamento, estando sujeitos advertência e até o  cancelamento da licença junto a Adepará.

Texto:
Bruna Campos-Secom

Bibliotecas do Centur e da
Uepa não tiram férias em julho
Enquanto alguns paraenses aproveitam o mês de julho para ir à praia ou viajar para outros estados, outros estão desfrutando a calmaria nas bibliotecas públicas do Pará, algumas em pleno funcionamento. As férias escolares permitem um ambiente de pesquisa mais calmo, a oportunidade ideal para se concentrar mais nos estudos e na leitura. As 27 bibliotecas da Universidade Estadual do Pará (Uepa), na capital e no interior, estão abertas para o público interessado em adquirir conhecimento. No Campus I da universidade funciona a Biblioteca Paulo Freire, que reúne 42.355 exemplares, incluindo livros, periódicos, dissertações e teses. Todo este material está disponível para consulta durante a semana (8h às 18h) e aos sábados (8h às 13h).
Na Uepa, durante os meses das férias, funcionam as aulas de licenciatura do Plano Nacional de Formação de Professores (Parfor) e cursos de pós-graduação, por isso, além de não fechar as portas neste período, ainda aumenta o número de funcionários na biblioteca. “Normalmente nas férias os cursos de graduação e pós-graduação intervalar têm aulas intensivas aqui em Belém, de 8h às 18h, todos os cinco dias da semana, além disso atendemos pessoas que estão estudando para concurso, vestibular ou finalizando teses. Este é um período de grande movimento por aqui, por isso contratos por meio de um processo seletivo mais quatro pessoas para atender esta demanda”, explicou Regina Carneiro, bibliotecária e gerente da Biblioteca Paulo Freire.
Além de abrigar estudantes e pesquisadores a Biblioteca Paulo Freire ainda abre as portas para a comunidade do Telégrafo, que fica nas imediações do Campus I da Uepa, onde funciona a unidade. Nas terças e quintas-feiras, a população tem acesso livre à internet dentro do horário de funcionamento da biblioteca, estreitando os laços com a vizinhança e permitindo acesso à informação e aprendizado. “Apenas os professores, alunos e servidores da Uepa podem emprestar livro aqui na biblioteca, no entanto as demais pessoas têm acesso livre para consulta e acesso à internet nos dias programados”, falou Regina Carneiro.
Sarah Magalhães Pereira é estudante do curso de Letras no núcleo da Uepa, que funciona em São Miguel do Guamá. Ela está de férias e aproveitou o tempo livre para vir até Belém reforçar a pesquisa para seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). “Durante as férias é o tempo que eu tenho pra aprofundar minha pesquisa, me informei por meio do site da Uepa e soube que a biblioteca estaria funcionado. Tenho um TCC pra produzir e precisava de algumas referências bibliográficas que não tinham na biblioteca de São Miguel, por isso vim até aqui”.
O movimento na Biblioteca Artur Viana, do Centur, também não deu indícios de diminuir no mês de julho. Desde o começo deste mês mais de 6.800 pessoas já estiveram em uma das 14 seções da biblioteca, a maior do Pará, reunindo mais de um milhão de exemplares. “Nosso funcionamento é normal neste período, trabalhamos de segunda a sexta das 8h30 às 19h.  Nosso principal público são os estudantes de cursinho, concurseiros e pesquisadores que aproveitam a tranquilidade da biblioteca no período das férias escolares para estudar melhor”, disse Ruth Selma dos Santos, bibliotecária e gerente da Biblioteca Artur Viana.
Luiza da Silva Rosa, 22 anos, estudante de direito, estava na Biblioteca Artur Viana estudando para concursos públicos. Ela preferiu aproveitar a biblioteca do que a praia e o plano de férias é estudar ainda mais. “Procurei a biblioteca por dois motivos, o primeiro é que estou estudando para concursos o segundo é por causa da greve na Universidade Federal do Pará (UFPA). Prefiro estudar agora e desfrutar das minhas férias no futuro, acho fundamental que as bibliotecas públicas funcionem neste período”.

Texto:
Julia Garcia-Secom

 “Ciclo de Amizade Folclórica”
é tema do Pôr-do-Som
desta sexta-feira, 20
Nesta sexta-feira, 20, o Projeto Pôr-do-Som celebra a amizade que tem a cultura como pano de fundo. Tudo por conta da apresentação do Grupo Paranativo, que traz a performance “Ciclo de Amizade Folclórica”, a partir das 18h, na orla do Armazém 3, da Estação das Docas.
A programação inicia às 18h15 com um cortejo dos dançarinos e músicos pela Trilha do Sol até o Armazém 3, onde eles apresentam um mix de ritmos, como o carimbó, xote, cantigas marajoaras e lendas amazônicas, que promete não deixar ninguém parado.
De acordo com a coordenadora do grupo, Silvia Reis, a apresentação desta sexta-feira foi pensada a partir de coreografias que serviram de base para outros grupos folclóricos, "simbolizando o nosso respeito e companheirismo por eles”, pontua a coordenadora do grupo.
Fundado há 20 anos no bairro do Bengui, o Grupo Paranativo, quer celebrar a amizade e interagir com o público. “O que queremos é representar esse sentimento puro de amizade a partir de uma coreografia animada, marcada por canções e danças tradicionais da nossa região”, afirma Silvia Reis.

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000

Últimas exibições de
“Um Método Perigoso”
Neste fim de semana, o Cine Estação, da Estação das Docas, exibe as últimas sessões do filme “Um Método Perigoso”, de David Cronemberg. O filme fica em cartaz de quinta a sábado (às 18h e 20h30). No domingo (22) a tradicional sessão matinal às 10h, e as sessões de noturnas de 18h e 20h30. Baseado no livro “Um Método Muito Perigoso” de John Kerr, a história mostra o encontro de dois mestres da psicanálise, Sigmund Freud (Viggo Mortensen) e Carl Jung (MichaelFassbender) e seu envolvimento com a russa Sabina Spielrein (Keira Knightley). Famoso por títulos como “Scanners” (1981), “A Mosca” (1986) e “Gêmeos – Mórbida Semelhança” (1988), o filme “Um Método Perigoso” (2011) marca a nova fase do diretor canadense, iniciada em“Marcas da Violência” (2005) e “Senhores do Crime” (2007).

Família de índio Munduruku
recebe assistência do
Governo do Estado
Na manhã desta quarta-feira, 18, o governador em exercício, Helenilson Pontes, assinou o projeto de lei que concede pensão especial à família do índio Leo Akay Munduruku, vítima de homicídio ocorrido em Jacareacanga no último mês. A decisão se baseia no artigo 104 da Constituição Estadual e atende a uma das reivindicações feitas pelas lideranças Munduruku por ocasião da audiência ocorrida na semana passada com o governador Simão Jatene, em Belém.
O projeto de concessão de pensão que beneficiará os três filhos do índio assassinado, Giane Akay Munduruku, Eliabe Akay Munduruku e Renaik Akay Munduruku, e a esposa, Aulinda Saw Munduruku, vai assegurar assistência material aos dependentes. Ainda nesta manhã o projeto seguiu para apreciação e aprovação da Assembléia Legislativa do Estado.

Texto:
Cintya Simões-Vice-Governadoria

Estado promove campanha
de enfrentamento às drogas,
violência e trabalho infantil
A partir desta quarta-feira (18), o Governo do Estado, por meio das Secretarias de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e de Assistência Social (Seas), iniciam a “Operação Verão: por uma vida sem exageros”. A campanha educativa é realizada das 9h às 20h, de forma simultânea nos municípios de Belém, Marapanim e Salinópolis, e pretende abordar temas como o uso e abuso de drogas, violência sexual e trabalho infantil. A execução do projeto de sensibilização será encerrado no próximo domingo (22).
Em Marapanim, a atividade será realizada no distrito de Marudá, e na capital paraense, o grupo promoverá diversas ações em Mosqueiro. Veranistas que estiverem em Salinas também serão convidados a participar dessa campanha, que envolve distribuição de materiais informativos. A proposta inicial também inclui a execução de oficinas e seminários sobre problemáticas das drogas, violência sexual contra crianças e adolescentes e trabalho infantil.
Em parceria com a Universidade da Amazônia (Unama), os órgãos do estado distribuirão gratuitamente cerca de 10 mil pulseiras de identificação. A medida visa evitar que crianças se dispersem e se percam dos pais nas praias e balneários. O grupo conta com o apoio dos conselhos tutelares dos municípios e atentará, ainda, para a proibição de venda de bebidas a crianças e adolescentes.
Duas coordenadorias da Sejudh estão diretamente envolvidas nessa ação. Além da Assessoria de Políticas Temáticas dos Direitos de Crianças e Adolescentes (APDCA), o projeto conta com a parceria da Coordenadoria Estadual de Prevenção e Redução do Uso de Drogas (Cenpren). “Pretendemos informar sobre atitudes saudáveis neste momento de lazer dos paraenses, assim como, incentivar denúncias de violência contra nossas crianças e adolescentes. Para isso, vamos divulgar os serviços existentes aos motoristas de carros de passeio, veranistas, crianças e adolescentes e técnicos que compõem a rede de atendimento”, explica a titular da APDCA, Leila Silva.

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh

Fundação Amazônia Paraense
confirma reajuste no
valor das bolsas
Mantendo o compromisso firmado com a comunidade acadêmica do Pará, a Fundação Amazônia Paraense anunciou, na última terça-feira (17), o reajuste nos valores das bolsas de iniciação científica, mestrado e doutorado. Os novos valores passaram a valer a partir de 1º de julho e acompanham o aumento já anunciado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A bolsa de mestrado passa, assim, de R$ 1.200 para R$ 1.350 e a bolsa de doutorado de R$ 1.800 para R$ 2.000. A bolsa de iniciação científica, por sua vez, passou de R$ 360 para R$ 400. Os bolsistas da Fundação Amazônia Paraense passam a receber a diferença dos novos valores na folha de pagamento do mês agosto de 2012.

Operação Verão na Paz
garante queda de 27%
no número de crimes
 A primeira quinzena da operação “Verão na Paz, é a gente que faz”, deflagrada pelo governo do Estado desde o último dia 29, registrou uma redução de 27,6% no número de crimes em relação ao mesmo período do ano passado. O balanço foi divulgado na tarde desta terça-feira (17), pelo secretario adjunto de Inteligência e Análise Criminal da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Antônio Farias, durante entrevista coletiva, na Delegacia Geral.
“Nos 79 municípios a que levamos reforço no policiamento, há uma queda na faixa de 48% na criminalidade, se consideramos apenas os fins de semana. Nos 20 municípios e distritos onde há maior movimento de veranistas, como Salinas, Bragança e Mosqueiro, a redução chega a 45,7%”, detalhou Antônio Farias, avaliando positivamente o balanço. “Trabalhamos com a redução da violência, e os números indicam isso de forma muito clara. São expressivos, mas o trabalho continua”, frisou.
Nos principais balneários procurados pelos banhistas durante o veraneio, a redução de crimes foi significativa. Em Salinas, no nordeste paraense, a queda nos 15 primeiros dias do mês foi de 55,14%. Bragança (-34,74%), na mesma região, e os distritos de Mosqueiro (-56,05%) e Outeiro (-42,86), de Belém, também reduziram as ocorrências, assim como Salvaterra (14,29%) e Soure (30%), na ilha do Marajó.
Para reforçar a segurança nos últimos fins de semana do veraneio, a Polícia Militar vai reforçar em 25% o efetivo de Salinas e Mosqueiro, segundo os coronéis Hilton Benigno, do Comando de Policiamento da Capital, e Roberto Campos, do Comando da Região Metropolitana. “Na segunda quinzena de julho há uma migração ainda maior de veranistas para estes locais, sobretudo no último fim de semana do mês”, destacou Hilton Benigno.
Integração – Ao todo, a operação Verão mobiliza mais de 20 mil agentes do Sistema de Segurança Pública do Estado. Para aperfeiçoar o trabalho, a operação é monitorada e avaliada, de forma integrada, por meio do Centro Integrado de Comando e Controle, instalado em Belém, Marudá, Marabá, Castanhal, Tucuruí, Redenção, Salinópolis, Bragança, Abaetetuba e Soure.
Segundo o coordenador de Operações do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Rodolfo Ferreira, o órgão atua com 470 agentes e 47 viaturas. “Nosso principal foco é quanto à orientação e fiscalização dos excessos. Atuamos com várias frentes de trabalho, inclusive visando coibir a poluição sonora. Também montamos em Salinas um posto de atendimento para que as pessoas regularizem pendências no local”, informou.
O Corpo de Bombeiros participa da operação com 790 guarda-vidas e outros 107 homens que atuam nas estradas do Estado, em parceria com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE). Em relação à primeira quinzena do ano passado, os bombeiros registraram uma redução de 8% no número de princípios de afogamentos. Também caiu o número de crianças perdidas e de pessoas feridas. Nenhum afogamento fatal foi registrado.
Participam da operação Verão as polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Detran, Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) e parceiros das esferas municipal e federal. A mobilização também tem apoio do Grupamento Aéreo e Fluvial, Pro Paz e Secretaria de Estado de Comunicação (Secom).

Texto:
Amanda Engelke-Secom

Potencial turístico do Pará
será exposto em convenção
de empresários no Rio
Delegações de empresários do Pará seguiram na tarde desta terça-feira (17) para a cidade do Rio de Janeiro (RJ), onde participarão da 29ª Convenção Nacional da Associação de Homens de Negócios Plenos (Adhonep). O evento acontecerá no Riocentro, de 19 a 21 de julho. Segundo Joacyr Rocha, presidente do Sindicato das Empresas de Turismo do Pará (Sindetur), entidade membro da Adhonep, o objetivo do evento é evangelizador, pois os membros da Associação são evangélicos, mas também é uma oportunidade de promover o Pará, que pretende sediar uma reunião da entidade em dezembro.
Joacyr Rocha afirma que 100 homens de negócios do Pará, incluindo profissionais da capital, Belém, e de municípios como Paragominas, representarão o Estado no evento. Único empresário da área de Turismo na caravana, Joacyr levou material promocional que destaca o Pará como   destino turístico da Amazônia, a fim de fortalecer a meta da Companhia Paraense de Turismo (Paratur) de ampliar a atração de turistas ao Estado.
Socorro Costa, presidente da Paratur, se reuniu em junho com representantes da Associação, com o objetivo de conseguir apoio para a realização do Encontro Estadual da Associação, que acontecerá de 09 a 11 de dezembro, na Estação das Docas, em Belém.
Júlio Barbagelata, diretor regional da Adhonep, informa que o evento pretende reunir cerca de 600 pessoas de todo o Estado e de outros lugares do Brasil. Ainda segundo ele, a Paratur apoiará o evento com a divulgação e recepção dos participantes. A programação completa está no site http://www.adhonep.org.br

Texto:
Benigna Soares-Paratur

Proposta do Banco de Alimentos
será apresentada na
próxima semana ao MDS
Representantes do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) visitaram na manhã desta terça-feira, 17, nas instalações das Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa). Em reunião com o diretor administrativo da Ceasa e representantes da Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), o MDS esclareceu todas as dúvidas referentes à documentação necessária para a implantação do primeiro Banco de Alimentos na Região Metropolitana de Belém.
O encontro, que teve início na Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), esclareceu e orientou os representantes do Estado  a respeito das condições mínimas para concorrer ao edital lançado pelo MDS em maio deste ano, que prevê a implantação de Banco de Alimentos em centrais de abastecimentos de todo Brasil. De acordo com Isis Ferreira, coordenadora geral de Sistemas Agroalimentares Locais do MDS, para alcançar este objetivo o proponente precisa, em primeiro lugar, ser um ente público, e, diante disso, apresentar documentação de onde será implantado o banco de alimentos e cadastrar a proposta na página do Portal de Convênios até o dia 27 deste mês.
“Aqui no Pará a Ceasa conta com a parceira do Governo do Estado, através da Seas, que neste caso será o proponente do contrato. Porém estamos vendo o interesse e o esforço de ambas as partes, tanto da Ceasa que vai ceder o espaço para a implantação do Banco, quanto da Seas, e isso mostra o comprometimento com a implantação do projeto” ressalta Isis.
O Edital tem uma previsão de 7,5 milhões de recursos para contemplar diversas Ceasas do Brasil. Os projetos variam de 450 mil para Ceasas localizadas em municípios do interior, e de 1,5 milhões para Ceasas localizadas em capitais e regiões metropolitanas, como é o caso de Belém. “Existe uma sinalização dentro da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar que nós não vamos medir esforços para financiar todos os projetos que atenderem as exigências mínimas, inclusive comprometendo recursos do orçamento de 2013”, afirma Isis.
O projeto do Banco de Alimentos consiste no recebimento de doações de alimentos considerados impróprios para a comercialização, mas adequados ao consumo. Os alimentos são repassados a instituições da sociedade civil sem fins lucrativos que produzem e distribuem refeições gratuitamente a pessoas em situação de vulnerabilidade alimentar.
Na Ceasa a expectativa é muito grande. “Acredito que a implantação do Banco de Alimentos dentro da Ceasa será de vital importância. Já que atualmente o desperdício de alimentos que ainda podem ser utilizados para o consumo humano é muito grande. Portanto o projeto vem justamente de encontro com o interesse da Ceasa em distribuição alimentos para pessoas carentes e entidades dentro do Estado do Pará” destaca o Diretor Administrativo da Ceasa, Paulo Bezerra.
Para a diretora de Segurança Alimentar da Seas, Nilza Sarmento, a reunião de hoje foi fundamental para finalizar a proposta a ser apresentada ao MDS. “Tenho certeza que a partir de agora podemos fechar a nossa proposta mais confiantes de conseguir a aprovação” diz. E explica que, depois de aprovada a implantação do Banco de Alimentos, a parceria entre Seas e Ceasa será fundamental. “Propomos uma gestão compartilhada, essa condição é imprescindível para que o projeto tenha êxito" afirma.

Texto:
Izabelle de Mesquita-Ceasa

Governo busca qualificação
da mão de obra paraense
Até o fim deste ano cerca de 20 mil trabalhadores deverão ser qualificados pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Trabalho, Emprego e Renda (Seter). O objetivo principal desta qualificação é garantir mão de obra para os novos projetos que estão se instalando no Pará, nos mais diversos segmentos. A expectativa, segundo o titular da Seter, Celso Sabino, é que sejam gerados no setor privado 200 mil novos empregos em território paraense nos próximos cinco anos – totalizando um investimento de R$ 130 bilhões.
“O Pará apresenta índices positivos de crescimento na geração de emprego. No último ano, geramos mais de 50 mil novos postos de trabalho, sendo mais de 60% fora da Região Metropolitana de Belém, no interior do Estado. Este é um movimento que revela onde estão se instalando as empresas e os grandes projetos, dos mais diversos setores da economia, como o de serviços, construção civil, mineração e energia”, ressalta Celso.
A instalação desses novos projetos e empresas no Estado tem sido acompanhada pelo Seter, que conta com a parceria de outros órgãos e institutos, como o Dieese, o Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) e a Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom). “Nós procuramos acompanhar, juntamente com esses órgãos, o processo de atração desses investimentos. Assim, sabemos onde serão instalados, que vagas disponibilizarão e o tipo de mão de obra que será necessária. É de acordo com esses dados que estamos direcionando a formação dos trabalhadores paraenses”.
Segundo Sabino, o desafio do Estado agora é aplicar os recursos públicos nas localidades que receberão projetos e investimentos, para garantir mão de obra qualificada para as empresas e a geração de empregos à população. Até o fim do primeiro semestre, sete mil trabalhadores estavam participando de cursos de qualificação promovidos pelo governo. A expectativa é que até dezembro mais 500 turmas sejam capacitadas em todas as regiões do Estado, qualificando mais 12 mil profissionais para a demanda crescente do mercado de trabalho. “Todos os cursos elaborados e executados seguem os dados que registramos a partir do convênio com os outros órgãos que observam o movimento do mercado, para garantir esse encaminhamento”.
Vagas
Além da qualificação, o Governo do Estado investe na recolocação dos profissionais que não estão no mercado de trabalho. Por meio da Casa do Trabalhador, eles podem disponibilizar seus dados  e, de acordo com o perfil de cada um, ter acesso a vagas de empregos em diversas empresas que estão cadastradas no órgão. O gerente da Casa do Trabalhador, Silvio Santos, conta que no ano passado 22 mil profissionais em todo o Estado foram efetivados por meio das vagas disponibilizadas pelas empresas.
“Nós temos diversas empresas cadastradas que disponibilizam vagas em diversos setores. As que mais buscam profissionais aqui conosco são as do setor de construção civil e de serviços. Tudo depende do perfil do profissional e da sua qualificação”, explica. Os trabalhadores podem se cadastrar na Casa do Trabalhador, que fica na Avenida Magalhães Barata, próxima à travessa 14 de Março, bairro de Nazaré, e nos 48 postos instalados no interior do Estado. Para efetuar o registro na Casa do Trabalhador, o profissional precisa levar até um posto de atendimento os seus documentos pessoais, além de currículo profissional e comprovante de residência.
Quem está buscando o primeiro emprego tem acesso a programas específicos de qualificação profissional, que oferece condições para o candidato concorrer a uma vaga. Entre os programas ofertados pelo Estado por meio da Seter estão o Bolsa Trabalho e o Projovem Pará. O primeiro disponibiliza por um ano uma bolsa de R$ 100 mensal e cursos profissionalizantes. O Projovem, promovido pelo Governo Federal, também capacita o jovem e oferece por seis meses uma bolsa do mesmo valor. O cadastro nesses programas é feito nos postos de atendimento no interior ou, na capital, e no Departamento de Qualificação Profissional da Seter, localizado na Avenida Assis de Vasconcelos, esquina com a Travessa Ó de Almeida, no Comércio.
Serviço: A Seter disponibiliza o telefone (91) 3194-1700 para mais informações sobre as unidades de atendimento da Casa do Trabalhador e sobre os cursos de qualificação na Região Metropolitana e no interior.

Texto:
Thiago Melo-Secom

Diagnóstico identifica realidade
socioeconômica e ambiental de
remanescentes de quilombo
Um diagnóstico rural realizado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) nas comunidades rurais São Judas Tadeu, Sagrada Família e Bom Sucesso, a 40 quilômetros da cidade de Bujaru, no nordeste paraense, identifica e planeja ações para o desenvolvimento local junto às 70 famílias remanescentes quilombolas. A ação conta com a participação ativa da comunidade. A elaboração do documento consta de visitas, oficinas e da aplicação de um questionário fechado, a fim de identificar a realidade social, econômica e ambiental das famílias.
O trabalho técnico já identificou que, apesar das famílias serem remanescentes de quilombo, onde traços culturais são ímpares, não se consegue observar traços culturais relacionados com a cultura afrodescendente. O diagnóstico também mostra a forma de fazer a agricultura com um trabalho apenas para a subsistência, que ainda utiliza para a formação da lavoura o método de derrubada e queima.
Segundo Deise Cristina Sousa, engenheira agrônoma da Emater, do plano de ação que será executado junto às comunidades está a realização de palestras e oficinas de resgate e valorização dos costumes como: tranças africanas e danças folclóricas. Junto às famílias também serão introduzidas novas tecnologias de cultivo, com adoção de sistemas agroecológicos e o trio da produtividade que consta de capina, espaçamento e variedade resistente, neste caso específico, a mandioca, principal atividade financeira das famílias.
A intenção da Emater é, ainda, organizar as comunidades para a comercialização do excedente da produção, sem passar pelo atravessador, como acontece hoje, por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). “O diagnóstico que vai servir de base de atuação a ser seguida pela Emater também identificou situações inerentes à saúde e a educação nas áreas quilombolas e já está sendo utilizado pela Secretaria de Estado de Educação”, disse a engenheira agrônoma.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater
Fone: null / (91) 9168-

Hemopa Marabá abre
campanha com
estoque reforçado
Nesta quarta-feira, 18, o Hemocentro Regional de Marabá inicia a campanha de incentivo à doação de sangue referente ao veraneio, que se estenderá até o dia 20, com o tema "Neste verão dê um banho de cidadania. Doe sangue". A ação já começa com estoque técnico de sangue reforçado. É que em outra campanha realizada entre os dias 9 e 13 deste mês, torcedores do Águia de Marabá compareceram ao Hemocentro e fizeram 117 doações, superando e meta de 100 coletas. Nos três dias da ação de veraneio o Hemopa Marabá  pretende atingir a marca de 150 doações, para garantir atendimento transfusional dos 37 municípios da região.
Segundo a assistente social Sandra Tavares, os doadores do período receberão lanche especial para abrandar o calor do verão, com direito a sorvete e salada de frutas, “Assim como no resto do Brasil, também enfrentamos dificuldades com a redução do comparecimento de doadores neste período do ano. Por isso contamos com o apoio da mídia local para informar e sensibilizar a população da nossa região a aderir à campanha”, esclareceu.
Ela aproveitou a oportunidade para agradecer e parabenizar os doadores torcedores do Águia pelo êxito da campanha encerrada há menos de uma semana. O esforço de captação iniciou no dia 7, com panfletagem no estádio "Zinho Oliveira", em Marabá, durante o jogo contra o Cuiabá. A ação envolveu a diretoria, jogadores e comunidade. No decorrer da campanha, os voluntários ganharam camisa personalizada e, no encerramento da programação, cinco camisas oficiais do time foram sorteadas. A entrega dos brindes está programada para esta quarta-feira, 18, com a presença da diretoria do Águia, na sede do hemocentro.
Outra campanha externa que ajudou a reforçar o estoque técnico do Hemopa Marabá ocorreu nos dias 14 e 15 deste mês, no município de Jacundá (102 km de Marabá), no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), em parceria com a Secretaria de Saúde daquele município, resultando em 276 doações, superando em 26 o número de coletas estimado. “Agradecemos a todos que direta e indiretamente contribuíram para o excelente resultado dessa campanha”.
Quem pode doar sangue: Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e peso acima de 50 quilos é um doador em potencial. O candidato deve estar bem alimentado e apresentar documento oficial original e com foto. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sangüínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três.
Serviço: O Hemopa Marabá espera por você na Rodovia Transamazônica, Quadra 12, s/n, entre as avenidas Hiléia e Amazônia, no bairro Amapá, de 2ª a 6ª, das 8h às 18h, e aos sábados até as 17h. Fone: (94) 3324-1645 / 3324-1810.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa

Inscrição para oficina de
lutheria do Curro Velho
encerra na próxima segunda-feira
As inscrições para a oficina de iniciação à lutheria da Fundação Curro Velho (FCV) serão encerradas no dia 23 de julho. As pessoas interessadas em participar devem ter mais de 18 anos e cumprir alguns requisitos exigidos pelo curso, que abre 15 novas vagas nesta edição. A arte da lutheria, como é comumente chamado o ofício de fabricação, reparo e manutenção de instrumentos de corda, ainda é uma prática pouco realizada no Pará e o mercado está aberto para novos profissionais.
Em setembro do ano passado a primeira turma de lutheria começou a estudar as técnicas desta profissão. Estes alunos começam em agosto deste ano o terceiro módulo de formação. Desde o começo dos trabalhos já foram construídos oito instrumentos e 27 já foram reformados. A FCV ainda lançou uma campanha de doação de violões, guitarras, cavaquinhos, entre outros instrumentos de corda, para abastecer a oficina. Desde o início da ação a Fundação já recebeu 40 violões. “A ideia de realizar esta oficina é antiga, ano passado conseguimos formar a primeira turma de lutheria. O núcleo de prática de ofício e produção da FCV tem o objetivo de formar mão de obra no estado e este curso ainda tem outra função importante: os instrumentos reformados servem aos alunos da oficina de violão, que não têm condições financeiras de ter seu próprio instrumento”, explicou Paulinho Moura, gerente de música da FCV.
Os critérios para admissão servem para selecionar pessoas que já possuem alguma habilidade no trato com instrumentos ou com técnicas de marcenaria. “A formação de um luthier, desde o começo, dura em torno de cinco anos. A oficina do Curro Velho prevê uma formação em dois anos, por isso estamos fazendo esta seleção. É necessário que o candidato tenha mais de 18 anos, pois trabalhamos com máquinas de corte; é fundamental que o aluno tenha alguma intimidade com o violão, ou outro instrumento de corda, pois para esta atividade é preciso conhecer as características sonoras, fundamentais para a construção de um violão, por exemplo; e alguma habilidade de marcenaria”, disse Paulo Mateus, luthier e instrutor da oficina.
Paulo Mateus é formado em lutheria pelas mãos de Nikola Minev, búlgaro, que em 1993 chegou a Belém, trazendo a arte deste ofício para o estado. Ele formou poucos profissionais e Paulo, que estudou cinco anos com o mestre, sente que chegou a sua hora de repassar este legado. “Este curso vai dar a estes jovens uma base para trabalhar com qualquer instrumento de corda dedilhada. Precisamos no Pará de novos profissionais que entendam a profissão e dominem a técnica. Meu professor me pediu para eu dar continuidade a este trabalho, é como uma missão que recebi do Nikola. A lutheria é uma arte, misturada com matemática, engenharia. É uma prática infinita, transformamos um bloco de madeira em som”.
No curso os alunos aprendem desde a reconhecer as melhores madeiras para confecção do instrumento, até organizar as oficinas de fabricação do instrumento, assim como reconhecer a melhor matéria-prima, técnicas de construção, reforma e manutenção dos instrumentos, fabricação das ferramentas de uma lutheria e compreensão do mercado e de negócios relativos ao ofício. “Além das novas vagas que estamos abrindo, ainda estamos oferecendo o terceiro módulo de formação para os alunos que começaram em setembro de 2011. Nós estimulamos o aluno a criar e não só copiar. Os instrumentos criados aqui tem uma característica especial, a ponta da paleta dos nossos violões e cavaquinhos tem a forma da fachada do prédio da FCV, é um diferencial dos nossos instrumentos”, comentou Paulinho Moura.
André Luiz Tenório é músico e sempre se interessou pela profissão de luthier, na época em que a FCV divulgou o curso coincidentemente ele estava procurando uma vaga de aprendiz em oficinas de Belém. “Quando a minha esposa me disse que a FCV ia abrir vagas para uma oficina de lutheria eu não perdi tempo, fui até lá e me inscrevi. Vamos começar agora o terceiro módulo de estudos, é uma experiência fantástica que há muito tempo me chamava atenção, sempre quis saber como se construía um violão, a possibilidade de trabalhar como luthier pra mim é muito importante. Eu e alguns alunos do curso estamos com um projeto de criar uma oficina de lutheria em conjunto, é a oportunidade de uma nova profissão para todos nós”.
As pessoas interessadas em fazer doações de instrumentos ou madeira à FCV devem ligar para os números 3184-9104 ou 8895-1334. Todos os tipos de instrumentos de corda, como violão, guitarra, cavaquinho, guitarra, violoncelos, entre outros podem ser doados. Madeiras como cedro, pinho, marupá, macacaúba e sucupira.

Texto:
Julia Garcia-Secom




Corpos de vítimas de acidentes
chegam a Belém em avião da FAB










Os corpos dos dez estudantes paraenses envolvidos no acidente ocorrido na última segunda-feira, 16, no interior do Paraná, foram entregues às famílias, em Belém, na tarde desta quarta-feira (18). O avião da Força Aérea Brasileira (FAB), solicitado pelo Governo do Estado, pousou na Base Aérea da capital por volta das 14h30. Oficiais do Corpo de Bombeiros ajudaram no desembarque dos caixões e na acomodação de cada um nos carros funerários. Da Base Aérea de Belém, cada caixão seguiu para o local do velório informado pela família. O governo do Estado presta assistência a todos os familiares das vítimas.
O desembarque dos corpos foi facilitado pelo trabalho de identificação de cada vítima, que foi feito ainda no Paraná, com a ajuda da Polícia Civil do Pará, que encaminhou as identidades dos estudantes para o Instituto Médico Legal daquele Estado. O secretário adjunto de Segurança Pública e Defesa Social do Estado, Cláudio Lima, que acompanhou todos os trabalhos na Base Aérea, afirmou que o Governo do Estado está prestando todo o apoio para minimizar a dor das famílias neste momento. Também acompanharam o desembarque dos caixões o comandante do Corpo de Bombeiros, Hilberto Figueiredo, o diretor do CPC Renato Chaves, Orlando Salgado, e o secretário de Saúde Pública, Helio Franco.
“O trabalho de identificação dos corpos foi feito pelo Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Grossa, no Paraná, com a colaboração do IML do Pará. Também foram destacados para Curitiba representantes da Defesa Civil Estadual e do Corpo de Bombeiros, para auxiliar as equipes locais. O governador Simão Jatene também conversou, por telefone, com o governador do Paraná, Beto Richa, que garantiu completa assistência médica e psicológica às vítimas do acidente, a maioria estudantes. Nós enviamos também para o Paraná oficiais do Corpo de Bombeiros para acompanhar o traslado dos corpos, bem como mantivemos contato direto com o IML de lá para garantir agilidade no processo de identificação e liberação dos corpos”, informou Cláudio.
De acordo com Lima, além de prestar assistência na logística de identificação, liberação e traslado dos corpos para o Pará, o Estado providenciou por meio da Secretaria de Estado de Assistências Social (Seas) e da Secretaira de Estado de Saúde (Sespa) todo o apoio necessário para as famílias, como atendimento médico e psicológico. O governo do Estado também colocou à disposição das famílias o auditório da Universidade Estadual do Pará (Uepa), para o velório das vitimas, mas os familiares optaram por cerimônias individuais.
Enquanto aguardavam a chegada da aeronave, familiares e amigos das vítimas recebiam apoio de profissionais de saúde do Hospital Ofir Loyola (HOL) e da Defesa Civil do Estado. Segundo a coordenadora do núcleo de Psicologia do HOL, Rivolnilda Graim, que acompanhou os trabalhos junto às famílias, o apoio psicológico neste momento é importante. “A gente busca confortar as famílias neste momento da perda, fazendo com que compreendam melhor a dor. Cada pessoa precisa aceitar esse acontecimento, apesar das circunstâncias”.
Além de prestar apoio às famílias dos estudantes mortos, em Belém, um grupo formado por dez psicólogos, um médico e dois técnicos de enfermagem do Hospital Ofir Loyola, além de cinco socorristas da Cruz Vermelha, oferece atendimento e suporte aos familiares dos 15 estudantes que continuam internados em hospitais do interior do Paraná.
Na aeronave da FAB veio também um dos sócios da empresa de turismo a qual pertencia o ônibus. O outro responsável pela empresa, Alexsandro Rocha, estava na Base Aérea em contato com as famílias. Segundo ele, a empresa presta todos apoio financeiro e logístico para as famílias realizarem os velórios e enterros e que, partir de agora, serão tomadas as medidas administrativas para garantir o pagamento do seguro viagem e do seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Dpvat).

Texto:
Thiago Melo-Secom



FOTO: CRISTINO MARTINS/AG.PARÁ

Avião da FAB com corpos das
vítimas de acidente chega
às 13h30m desta quarta-feira (18)

A aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) que fará o traslado dos corpos dos estudantes paraenses mortos no acidente ocorrido na última segunda-feira (16), no Paraná, chegará à Base Aérea de Belém às 13h30 desta quarta-feira (18). O avião, cedido por intermédio do governador Simão Jatene, parte de Curitiba às 7h30.
A aeronave será recebida por representantes do Poder Executivo paraense, com o objetivo de prestar solidariedade e assistência às famílias das vítimas. A solicitação do avião foi feita na manhã desta terça-feira (17), pelo governador Simão Jatene, que, preocupado com o transporte dos corpos das vítimas para Belém, entrou em contato com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, José Elito Carvalho Siqueira.
O trabalho de identificação dos corpos foi feito pelo Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Grossa, no Paraná, com a colaboração do IML do Pará. Também foram destacados para Curitiba representantes da Defesa Civil Estadual e do Corpo de Bombeiros, para auxiliar as equipes do Paraná. O governador Simão Jatene também conversou, por telefone, com o governador do Paraná, Beto Richa, que garantiu completa assistência médica e psicológica às vítimas do acidente, a maioria estudantes.
Em Belém, um grupo formado por dez psicólogos, um médico e dois técnicos de enfermagem do Hospital Ofir Loyola, além de cinco socorristas da Cruz Vermelha, está dando todo o atendimento e suporte aos familiares dos estudantes. O governo do Estado colocou à disposição das famílias o auditório da Universidade Estadual do Pará (Uepa), para o velório das vitimas, mas os familiares optaram por cerimônias individuais.

Texto:
Amanda Engelke-Secom

Concurso da Polícia Civil
prorroga inscrições
até 16 de setembro

Foi publicada nesta terça-feira (17), no Diário Oficial do Estado, a nova versão do edital do concurso público da Polícia Civil do Pará. Entre as novidades, está o aumento de vagas para o cargo de delegado, a prorrogação do período de inscrição e a mudança na data da prova, que passa a ser dia 16 de setembro deste ano.
Também foram feitas retificações no conteúdo programático das provas para os cargos de escrivão e investigador. O edital está disponível no endereço eletrônico da Imprensa Oficial do Estado: www.ioepa.com.br. O número de vagas para a classe inicial (classe A) de delegado passou de 100 para 120. Elas serão providas conforme a ordem de classificação e a necessidade do serviço.
As inscrições devem ser feitas exclusivamente no endereço www.msconcursos.com.br. Outra mudança no edital diz respeito aos locais das provas objetivas. A de múltipla escolha, primeira subfase da primeira etapa, será aplicada nas cidades de Belém, Altamira, Marabá e Santarém. Os candidatos que já fizeram a inscrição no certame devem preencher novamente o requerimento eletrônico de inscrição indicando a cidade para fazer a prova objetiva.

Texto:
Aycha Nunes-Polícia Civil


Governador visita obras da
Unacon no Hospital Barros Barreto







O governador Simão Jatene visitou no final da manhã desta terça-feira, 17, a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), do Hospital Universitário João de Barros Barreto. O espaço deverá ser inaugurado no próximo mês e oferecerá os serviços de quimioterapia e radioterapia, atendendo uma média mensal de mil pacientes. “Este é um projeto que já se arrasta há muitos anos e só irá funcionar se houver uma articulação entre o governo federal e o governo do Pará. Hoje nós viemos para conferir o andamento das obras e garantir junto à direção uma data exata para que os serviços comecem a ser oferecidos”, disse o chefe do Executivo Estadual.
As obras físicas do ambulatório de quimioterapia e radioterapia já estão concluídas e a unidade foi totalmente equipada, inclusive com o acelerador linear, que será utilizado para o procedimento de radioterapia. Os recursos humanos, conveniados com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), já foram quase todos lotados no Hospital. “A entrega desta unidade será muito importante, pois vai reduzir a pressão que ocorre principalmente em cima do Hospital Ofyr Loyola. Será um espaço moderno que com certeza irá melhorar a qualidade do atendimento oncológico no Estado”, enfatizou o governador
Através da Unacon, o Hospital Barros Barreto será estruturado para atender cerca de mil pacientes por ano na área oncológica. O Ministério da Saúde (MS), através do Instituto Nacional do Câncer (Inca), repassou ao hospital universitário o acelerador linear, para a radioterapia, o equipamento da braquiterapia e o aparelho de raio-x, totalizando mais de U$ 2 milhões em equipamentos e obras de adequação. Em contrapartida, o governo paraense investiu R$ 4,5 milhões nas obras físicas, por meio da Sespa, que também é parceira com o repasse dos medicamentos quimioterápicos e lotação de 100 servidores para atuar no Barros Barreto.

Texto:
Bruna Campos-Secom


Ministério Público dá parecer
favorável à cobrança
da taxa minerária
A promotora Oirama Brabo, da Promotoria de Justiça de Ações Constitucionais e Fazenda Pública, do Ministério Público do Pará, emitiu parecer favorável à constitucionalidade da cobrança da Taxa de Controle, Acompanhamento e Fiscalização das Atividades de Pesquisa, Lavra, Exploração e Aproveitamento dos Recursos Minerais do Estado (TFRM), criada pelo Governo do Estado em dezembro de 2011.
O parecer, segundo o procurador geral do Estado, Caio de Azevedo Trindade, ratifica a afirmação do governo sobre a constitucionalidade da cobrança da taxa. "É um tributo necessário e fundamental para que o Estado possa exercer o seu dever de fiscalização do setor mineral", explicou o procurador geral, após ter acesso ao parecer do Ministério Público, na tarde desta terça-feira (17).
O parecer foi exarado nos autos do processo do mandado de segurança impetrado pelas empresas Vale S.A., Salobo Metais e Vale Mina do Azul S.A., que se recusam a pagar a taxa, alegando inconstitucionalidade na cobrança. Após a apresentação da defesa do Estado pela Procuradoria Geral, o processo foi encaminhado ao Ministério Público, tendo a promotora Oirama Brabo emitido o parecer, opinando pelo indeferimento do pedido das empresas.
O processo está tramitando na 6ª Vara de Fazenda Pública, em Belém. A juíza Ana Patrícia Nunes Alves já negou o pedido de liminar formulado pelas empresas, assim como o desembargador Constantino Guerreiro, do Tribunal de Justiça do Estado, que, em decisão monocrática, manteve a decisão da 1ª instância, negando a liminar.
Dívida - A primeira parcela da dívida das empresas do grupo Vale gira em torno de R$ 80 milhões, que trazem o valor do tributo devido (a taxa), mais as multas e juros incidentes, uma vez que o tributo não foi pago no prazo legal. Segundo o procurador geral, a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) está concluindo o lançamento do tributo, para inscrevê-lo em dívida ativa do Estado. "Posteriormente, a PGE promoverá a execução fiscal para cobrança da dívida", disse Caio Trindade, reiterando que "o Estado não vai abrir mão de cobrar esses valores, importantíssimos para o Estado e para todo o setor minerário".
Na conclusão de seu parecer, a promotora Oirama Brabo afirmou que, "reconhecendo que o Estado do Pará atuou dentro dos limites constitucionais de sua competência legislativa e de que o tributo preencheu todos os requisitos próprios da sua natureza, sou pela denegação da ordem". Agora, o processo continua tramitando até o julgamento final do mandado de segurança impetrado pelas empresas do grupo Vale S.A. no Estado. "A Procuradoria Geral segue firme, acreditando no êxito processual do Estado nos processos em que se discute a TFRM, pois é, sim, manifestamente constitucional a taxa instituída no Pará", ressaltou Caio Trindade.

Texto:
Selma Amaral-PGE

Concurso da Polícia Civil terá

provas no interior e
mais vagas para delegado
A Secretaria de Estado de Administração (Sead) divulgou no Diário Oficial do Estado (DOE) nesta terça-feira (17) as alterações nos editais dos concursos C-160 e C-161, para o cargo de delegado e as carreiras policiais de investigador e escrivão da Polícia Civil. Serão realizadas provas no interior do Estado e, devido à disponibilidade orçamentária e financeira, foi ampliado o número de vagas para o cargo de delegado, de 100 para 120.
As mudanças ocorreram em função da necessidade de realização de provas em municípios do interior que devem ter um grande número de candidatos inscritos, como Altamira, Marabá e Santarém. Dessa forma, o Estado atende a um dispositivo da Constituição, segundo o qual se o concursado será lotado no interior, parte das provas deve ser realizada fora da capital.
“Foi necessária adequação para que pudéssemos oferecer uma melhor participação aos candidatos das regiões mais distantes da capital, evitando os altos custos para vir a Belém apenas para fazer as provas, e também para ampliarmos o número de vagas de delegados de 100 para 120 vagas”, informou a secretária de Estado de Administração, Alice Viana.
As inscrições ficam prorrogadas até 16 de agosto de 2012, podendo ser feitas exclusivamente pelo site www.msconcursos.com.br. A previsão de realização das provas objetivas é 16 de setembro deste ano.

Texto:
Renan Malato-Sead

Primeira estação do BRT é
instalada na avenida
Almirante Barroso



Quem transita pela Avenida Almirante Barroso já pode ver no cruzamento com a Travessa Perebebuí a primeira estação do Bus Rapid Transit (BRT) instalada. A estrutura que permite embarque e desembarque mede 17,18 metros de cumprimento e 2,5 metros de diâmetro e tem capacidade para abrigar até 75 passageiros.
  Ao todo 23 estações de embarque e desembarque de passageiros estão previstas no projeto. Na próxima semana outra estação será implantada no cruzamento da Almirante Barroso com a Travessa Lomas Valentinas.
  As estações,compostas por duas estruturas metálicas em formato de tubo, revestidas por vidro e com ambiente refrigerado, estão sendo confeccionadas em Curitiba (PR), onde foi implantado um dos mais eficientes e modernos modelos de BRT do Brasil.
  Outro trabalho que avança na Almirante Barroso,e já chegou ao cruzamento com a avenida Júlio Cesar,é o de fresagem e concretagem da via . O trabalho que consiste na retirada de uma camada de asfalto de 10cm de profundidade para dar lugar a uma outra camada com altura de 20cm, mas de concreto rígido,é uma recomendação do Ministério das Cidades em locais onde o BRT é adotado.A metodologia garante uma durabilidade muito superior em comparação à pavimentação asfáltica, que é mais flexível e mais suscetível à necessidade de manutenção.
  O BRT segue o cronograma de obras e tem conclusão prevista para setembro deste ano, com a entrega de toda extensão da Avenida Almirante Barroso.

Texto: Luciana Benício
Fotos: Comus

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...