Total de visualizações de página

domingo, agosto 11, 2013

A Menina e o Dia dos Pais. (conto de Valdemir F.S. Costa)




Véspera do dia dos pais, no meu ponto de vendas, uma menina aparentando uns sete anos de idade, aproxima-se e pergunta:    O que é isso? (Apontando para os livros)
- São livros de poesia, e Xerox delas, que eu vendo.
- Poesias? (Perguntou alegremente surpresa)   Eu quero uma pra dar pro meu pai. Uma que diga assim: Pai te Amo.
- Essas poesias são pessoais e baseadas nos Oráculos Maias e necessitam a data de aniversário da pessoa para que eu possa localizar a sua poesia.
A menina sem dizer nada, saiu correndo e uns 20 segundos depois, retornou com uma jovem senhora.
- Mãe, diz a data de nascimento do papai pro Senhor, pra que ele veja uma poesia pro papai.
Após os cálculos necessários, identificada a poesia, iniciei a leitura e terminava o primeiro quarteto, quando irritada, ela interrompeu:
- Pare, pare... pode parar! Não foi isso que combinamos. Eu disse, uma poesia pro papai e não ouvi o Sr. dizer “Pai , te Amo.”
Rindo surpreso com aquela veemente interrupção, disse:
- Sabe que você tem razão, Isso porque essas poesias mostram o perfil, o quadrante de harmonização , o ponto fraco e dá um conselho pra melhorar a vida da pessoa. Mas não falam – Pai, te Amo.
- Então faça uma agora, pra mim. Eu espero.
- Olha, não é bem assim, eu não sou repentista... posso demorar um dia ou mais pra fazer a sua poesia. Você pode vir amanhã?  Quem sabe?  Estará pronta...
- Não sei se poderei vir amanhã, pois é dia dos Pais... ( E com um ar tristonho...) Tchau.
Três e meia da madrugada e aquela cobrança martelava-me a cabeça... Pai, te Amo.
Depois de muitos rabiscos...  Um Acróstico. Sim, é isso... Vou fazer um Acróstico.
O que ela quer que a poesia diga : (Pai, te Amo)
Escrevi na vertical e agora vou preencher estas iniciais com pensamentos  do que ela diria para o seu pai.
Assim :

Porque será que te amo tanto?..
A inda em teu colo, de ti, já gostava.
I ntenso era o amor que à mim dedicavas.

T antas vezes me amparastes sorrindo,
E ras como o Sol pra mim, se abrindo.

A qui nestes versos, eu proclamo:
M ereces que hoje te homenageie.
O ntem, hoje e sempre,  Pai, te Amo.

-Menina, onde estás?..  Tua poesia está pronta.

Conto de Valdemir F. S. Costa, existente no "valamorifer.blogspot.com"  que pode ser  enviada para todos os seus  amigos.
Para os amigos,
um Grande Abraço.


Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...