Total de visualizações de página

domingo, agosto 25, 2013

Bairros com maior índice de criminalidade em Belém são alvo de operação da PM






Nova Santa Casa amplia serviços e garante a inclusão de especialidades materno-infantis
O governo do Estado entrega no próximo dia 30 de agosto a nova Santa Casa de Misericórdia do Pará. O prédio possui sete andares, onde serão atendidas diversas especialidades na área materno-infantil, em que a Fundação é referência na região Norte. Além dos novos serviços, a população do Pará ganha também com os novos leitos - serão 406, distribuídos nas alas de Pediatria, Neonatologia, UTI Pediátrica, UTI Materna, maternidade, Unidade de Cuidados Intermediários, Ala Canguru e Acolhimento Obstétrico -, que ajudarão a reduzir o deficit por internação.
A nova Santa Casa é dotada de um Centro de Parto Normal Intra-hospitalar voltado para pacientes em trabalho de parto. "A ideia é reduzir o número de cirurgias cesarianas", explica a médica pediatra Mary Maia Fiúza de Melo, diretora assistencial da Santa Casa. Mas o avanços contemplam também os cuidados com mãe e bebê na etapa que antecede o parto, com a implementação do serviço de medicina fetal, que contará com ecocardiografia fetal. A especialidade permitirá avaliar se o coração do feto está se desenvolvendo de forma adequada. Além disto, serão disponibilizados exames de ultrassonografia morfológica para gestantes de risco que fazem o seu pré-natal na Santa Casa.
Da mesma forma, o pós-parto também ganhará em qualidade com a implantação da Unidade Materno Infantil Dr. Almir Gabriel. "Estamos trabalhando com a aquisição de equipamentos de primeira linha, como novos berços para tratamento de icterícia neonatal", frisou Mary, explicando que os bebês acometidos da doença poderão fazer o tratamento de fototerapia em berços especiais que mantém o recém-nascido aquecido e que também permitem aferir o peso sem necessidade de colocá-lo em balanças. O uso de gás oxido nítrico, usado em pacientes pediátricos e neonatais com patologia pulmonares graves, é outra novidade da assistência pós-parto.
Leitos – A nova Unidade Materno Infantil vai oferecer 406 leitos, que estarão distribuídos em oito alas. O setor de maternidade passa a oferecer 122 leitos, em vez dos 110 existentes. Já os leitos de Unidades de Tratamento Intensivo passam de 70 para 100, sendo 10 adulto/materno, 10 pediátricos e 10 neonatais. Na ala pediátrica serão abertas oito novas vagas para pacientes clínicos e 14 para pacientes cirúrgicos, totalizando 62 leitos pediátricos, que atenderão várias especialidades, entre as quais a nefrologia. O ganho em leitos também envolverá a pediatria cirúrgica, incluindo a neurocirurgia, que é o atendimento das crianças portadoras de hidrocefalia e outras alterações do sistema nervoso central.
Outros 16 leitos estarão reservados para patologias ginecológicas, distribuídos em uma enfermaria específica. Neste setor, as mulheres poderão realizar, inclusive, procedimentos videolaparoscópicos em novas salas de cirurgias. "Temos um bom nível de atendimento e queremos avançar ainda mais, para garantir a excelência do nosso maior produto, que é o nascimento", destaca Eunice Begot, presidente da Fundação Santa Casa. "Teremos a maior maternidade do Brasil e a nossa unidade neonatal será uma das maiores do mundo. Isso gera orgulho em todos os servidores, afinal, também nos realizamos quanto ajudamos a cuidar de outro ser humano", pondera.

Texto:
Nilson Cortinhas-Santa Casa


Etapa Ananindeua do Circuito OAB reúne mais de 600 atletas
Com um percurso de oito quilômetros de corrida e quatro de caminhada, a Etapa Ananindeua do 3º Circuito de Corrida e Caminhadas da OAB reuniu mais de 600 atletas na manhã deste domingo, 25. A largada dos corredores aconteceu em frente ao ginásio “Abacatão”. Em seguida largaram os atletas da caminhada. O evento contou com apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).
O vencedor da Etapa Belém de corrida, Rosivaldo Moreira da Silva, 35, repetiu o feito em Ananaindeua e cruzou a linha de chegada com o tempo de 23'30". “Estou muito feliz por vencer mais uma etapa do circuito. Costumo correr uma base de três minutos por quilômetro, por isso acho que foi um tempo muito bom”, completou.
Repeteco também na categoria feminina, que teve como vencedora a campeã da Etapa Belém, Elivane Oliveira dos Santos, com tempo de 26'45". “Foi uma prova muito disputada, mas independente de com quem eu esteja competindo, quero muito baixar meu tempo e completar esse circuito. Pra mim vale muito à pena participar desse circuito”, finalizou.
Na categoria “Advogados”, Juraci Sousa Cordovil fez o tempo de 31'20" e venceu, pela terceira vez, a Etapa Ananindeua. Entre as advogadas, Lucileia Rodrigues Fayal foi a campeã, com tempo de 35'22". Após concluir o percurso, o presidente em exercício da OAB e um dos coordenadores do Circuito de Corrida e Caminhadas, Alberto Campos, fez uma avaliação positiva da etapa de Ananindeua. “Considero esse evento um sucesso. Este ano conseguimos mais do que dobrar o número de participantes”, afirmou.
Para o secretário de Esporte e Lazer do Pará, Vitor Miranda, o 3º Circuito de Corrida e Caminhadas da OAB cumpre a missão de fomentar a prática esportiva pela grande quantidade de atletas que consegue cooptar. “Com mais de 600 atletas o Circuito da OAB já conseguiu conquistar o respeito do público e dos praticantes do esporte. Queremos ampliar a parceria com OAB e por isso estamos participando de todas as etapas”, comentou.

Texto:
Liandro Brito-Seel



Raiz de Cafezal e Charme Caboclo encerram Festival do Folclore da Estação
Neste fim de semana o folclore paraense esteve em evidência na programação cultural da Estação das Docas. Desde a última quinta-feira, 22, vários grupos passaram pela Orla do Armazém 3, que recebeu o "Festival do Folclore 2013", organizado para celebrar o Dia do Folclore. No sábado, 24, os grupos Raiz de Cafezal e Charme Caboclo encerraram as apresentações, que apesar da chuva que caiu em todos os fins de tarde, atraiu dezenas de visitantes e turistas ao complexo.

O dia-a-dia do pescador foi traduzido nos batuques que dão ritmo à dança que símbolo da cultura parauara, durante o espetáculo “Carimbó praiano”, do Raiz de Cafezal. O grupo de Marapanim, que tem Mestre Zitoca e Mestre Ladainha como instrumentistas, contou, através da música, a evolução cronológica do ritmo mais tradicional do estado.

Em seguida, o grupo Charme Caboclo entrou em cena. A apresentação começou com uma homenagem ao Círio de Nazaré. No roteiro, o grupo mostrou, ainda, a invernada marajoara, o lundu, a vaquejada e muitos outros ritmos. Para dialogar ainda mais com as danças, os integrantes do Charme Caboclo enfeitaram a Orla do Armazém 3 da Estação das Docas com remos, barcos e peneiras de miriti.

Para quem acompanhava a programação, além da boa música e da performance dos dançarinos, o melhor foi ver o espaço que o folclore paraense tem garantido na Estação das Docas. “A apresentação foi muito rica em detalhes, mas o que realmente me conforta é saber que as manifestações culturais do Pará estão, cada vez mais, próximas do nosso olhar. A programação deixa claro que precisamos valorizar o que é nosso", opinou o mecânico Alexandre Tavares, 45 anos.

De acordo com o encarregado cultural da Estação das Docas, Regis Falcão, o festival congregou pessoas de todas as idades. “O público prestigiou a programação do início ao fim. Nesses três dias, vimos muitas crianças, idosos, adultos, famílias inteiras dançando o carimbó e conferindo de perto essa mostra da nossa cultura”, frisou.

Texto:
Camila Barros-Pará 2000


Polícia Civil prende envolvido em roubos a ônibus e casas em Abaetetuba
A Polícia Civil, por meio da Superintendência Regional do Baixo Tocantins, autuou em flagrante, pelo crime de roubo qualificado e corrupção de menor, Osmar de Jesus Sousa Júnior, de apelido “JR”. O crime ocorreu no último dia 20, por volta das 23 horas, quando o acusado e um adolescente tomaram de assalto um ônibus de transporte de passageiros que trafegava no ramal do maranhão, zona rural de Abaetetuba, nordeste paraense. Após a lavratura da prisão em flagrante, “JR” foi reconhecido como integrante de uma quadrilha que praticou roubos a residências no município.

Contra ele, há um mandado de prisão preventiva por envolvimento no roubo à residência de uma professora. Ele é ainda acusado de ser o autor de outro roubo ocorrido na casa de um empresário, de onde foram subtraídas diversas joias, notebook e celulares. A Polícia Civil vai representar pela custódia preventiva do acusado e já está investigando os crimes para prender o restante do bando. 

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil


Primeiro dia da Caravana Pro Paz em Soure resulta em mais de 2 mil atendimentos
Mais de dois mil atendimentos foram realizados no primeiro dia da Caravana Pro Paz, que está em Soure, na Ilha do Marajó. As ações de saúde e cidadania estão sendo execuatadas no barco do projeto, ancorado no trapiche municipal, e também na escola Dom Alonso, onde foi montado um posto para emissão de documentos e assistência jurídica. A equipe da Caravana permancerá no município até a segunda-feira, 25, e depois seguirá para Salvaterra.
O casal de pescadores Tatiana e Jeferson Marinho, moradores do bairro Matinha, pedalaram durante vinte minutos carregando os filhos Vitor, 4 anos, e Carlos Eduardo, 6 anos, na garupa da bicicleta, para chegar ao trapiche e tentar um atendimento médico. A família necessitava de consultas nas áreas de Pediatria, Ginecologia, Clínica Geral e Cardiologia. “Essa era uma oportunidade que a gente não podia perder”, afirmou Tatiana Marinho, para quem a caravana é sinônimo de bom atendimento.
“Quando a gente sabe que o Pro Paz está na cidade, todo mundo corre para ver a sua saúde, traz logo toda a família porque é a única oportunidade que a gente tem de se consultar com especialistas e garantir exames que não tem como fazer se tiver que pagar por eles. O pessoal que trabalha na caravana sempre recebe todo mundo bem e a gente agradece quando esses serviços vêm pra cá”, reiterou Tatiana Marinho.
Para Célia Brito, a chegada da caravana é a garantia de acesso a consultas e exames especializados que ela só teria condições de fazer em Belém. Por causa de uma deficiência nos membros inferiores, ela tem dificuldades de locomoção, o que torna o deslocamento para a capital um transtorno, comprometendo muitas vezes a própria saúde. “É muito difícil ir pra Belém, porque não posso ir sozinha, tenho sempre que ter alguém pra me ajudar. Essa ideia de trazer os médicos pra cá é muito boa porque consigo fazer meus exames todos aqui mesmo”.
O prefeito de Soure, João Luiz Melo, disse que a Caravana Pro Paz tem uma importância muito grande para o povo marajoara e lembrou que as outras edições do projeto que passaram pela cidade impactaram positivamente na vida da população, diminuindo a demanda do município para atendimentos em média e alta complexidade, como no caso da Caravana Oftalmológica, realizada pela primeira vez este ano. “Mais de mil pessoas que não teriam condições de ter atendimento em outro lugar foram beneficiadas pela Caravana Oftalmológica quando ela esteve em Soure, há alguns meses. As cirurgias feitas foram de alta qualidade, com equipamentos moderníssimos, o que torna indescritíveis os benefícios dessa ação para a nossa população”.
O gestor municipal agradeceu o governo do Estado por retornar à cidade, onde estão sendo ofertandos atendimentos em Clínica Geral e Pediatria, consultas especializadas com ginecologista, neurologista, cardiologista, urologista, dermatologista, endocrinologista e reumatologista; além de exames laboratoriais, eletrocardiograma, ultrassom, exame preventivo ginecológico e testes rápidos de Hepatite e HIV.
“Estamos muito satisfeitos com essa ação do Governo do Pará, que tem uma importância muito grande porque nós não temos como oferecer essas especialidades aqui no município. Quem ganha com esse trabalho importante e de qualidade realizado pela equipe do Pro Paz é o povo”, reiterou João Luiz Melo, prefeito de Soure.
A Caravana Pro Paz também integra ações de arte e cidadania com a exibição de cinema itinerante do Instituto de Artes do Pará (IAP), atendimento jurídico e emissão de carteira de Identidade, CPF, Carteira de Trabalho e Certidão de Nascimento, por meio da Defensoria Pública e Polícia Civil. Esta edição terá duração de 44 dias e percorrerá 11 municípios. No total 130 profissionais, entre servidores estaduais e terceirizados, integram a ação.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom


Caravana Pro Paz leva saúde e cidadania para Soure na Ilha do Marajó
Há mais de dois anos, dona Maria Iracema Ferreira, que mora em Soure, na Ilha do Marajó, aguardava atendimento com um especialista que pudesse tratar as dores, causadas pela osteoporose, em suas pernas. A tão esperada consulta com o reumatologista aconteceu na manhã deste domingo, 25, graças à chegada da Caravana Pro Paz no município, onde serão ofertadas ações de saúde e cidadania, como consultas médicas e emissão de documentos.
Após a consulta, dona Maria Ferreira voltou pra casa, satisfeita com o atendimento recebido. “O atendimento é muito bom e é bem rápido. Aqui em Soure não tem como a gente ter esse tipo de recurso. Mesmo saindo de casa de madrugada pra pegar uma ficha, às vezes a gente não pega, mas aqui nem foi preciso chegar tão cedo. Gostei muito do trabalho dessa caravana”.
Prestar serviços com qualidade e rapidez é uma das metas da Caravana Pro Paz. Para isso, foi implantado um sistema informatizado para o cadastramento dos pacientes, que agora recebem uma carteirinha do Pro Paz. Nesse cadastro ficam registrados todos os dados do atendimento, que são lançados no sistema para que o médico tenha acesso a informações como peso e medidas do paciente assim que este chega ao consultório. As informações sobre a consulta também são lançadas no sistema, criando um banco de dados completo de cada usuário.
As carteiras possuem número de série, número do registro no SUS, nome do paciente, foto e QRCode, um sistema moderno de código, semelhante ao de barras, onde é possível decodificar as informações do atendimento. A coordenadora da Caravana Pro Paz, Cláudia Vinagre, informa que a carteirinha do Pro Paz permite, além do acompanhamento do paciente, o mapeamento do histórico de saúde dos municípios por onde a caravana passar.
“Hoje foi a primeira experiência de emissão das carteirinhas do programa. Com a migração do sistema manual para o tecnológico encontramos algumas dificuldades iniciais, mas já fizemos os ajustes necessários e os atendimentos foram rápidos. Com a informatização nós podemos acompanhar o nosso paciente e ter um controle maior, inclusive da medicação liberada pra ele”, explicou.
Os atendimentos médicos e laboratoriais estão acontecendo no barco do Pro Paz, ancorado no trapiche municipal. Estão sendo oferecidas consultas de Clínica Geral, Pediatria, Neurologia, Cardiologia, Urologia, Dermatologia, Endocrinologia e Reumatologia, além de exames laboratoriais, eletrocardiograma, ultrassom e exame preventivo ginecológico. Para ser atendido, basta que o paciente apresente a carteira de identidade e a carteira do SUS.
A Caravana Pro Paz também integra ações cidadania com a emissão de Carteira de Identidade, CPF, Carteira de Trabalho, Certidão de Nascimento e atendimento jurídico, por meio da Polícia Civil e da Defensoria Pública, que estão atendendo na Escola Municipal de Ensino Fundamental Dom Alonso, em Soure.
Seu Jorge Medeiros de Azevedo, 81 anos, aproveitou a caravana para tirar a segunda via da Carteira de Identidade. A primeira via tem mais de 35 anos e já estava sendo recusada pelo banco onde o pescador recebe a aposentadoria. Sem recursos para custear o novo documento, seu Jorge Azevedo estava preocupado com a possibilidade de não mais poder receber o benefício por conta desse problema.
“O banco me disse que a minha identidade não estava valendo mais e que não iriam mais aceitar. Mas eu não tinha dinheiro para tirar o documento. Essa caravana trouxe justamente o que eu estava precisando. É uma coisa muito boa essa que o governo está fazendo pela gente”, reiterou o prescador.
A Caravana Propaz é uma realização do Governo do Estado por intermédio do Pro Paz, Sespa, Seas, Defensoria Pública, IAP, Polícia Civil e Polícia Militar. O atendimento em Soure encerra nesta segunda-feira, 26.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom


Comitiva do setor produtivo do governo visita municípios do sul do Pará
Uma caravana composta por secretários e técnicos do Governo do Pará, e liderada pelo secretário especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa, parte nesta segunda-feira, 26, para uma incursão pelos municípios de Tucumã, São Félix do Xingu, Ourilândia do Norte, Água Azul do Norte, Rio Maria, Xinguara, Sapucaia, Eldorado dos Carajás e Marabá. 
A equipe de gestores e técnicos da área do setor produtivo cumprirá uma agenda que inclui a inauguração de escritórios da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará); a instalação do sistema eletrônico de emissão de Guias de Trânsito Animal (GTA) e divulgação da recente liberação do Estado como área livre de febre aftosa pelo governo federal.
A comitiva contará, ainda, com a participação do diretor geral da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), Mário Moreira; do secretário estadual de Pesca e Aquicultura, André Pontes; o secretário extraodinário e coordenador do Programa Municípios Verdes, Justiniano Neto; o diretor do programa Pará Rural, Antonio Carlos, além de diretores e técnicos da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).
O roteiro inclui reunião com produtores e sindicatos rurais nos municípios por onde a comitiva passará, lançamento da Guia de Trânsito Animal (GTA) eletrônica,; visita a frigoríficos, visita a obras de escritórios da Emater, difusão de informações acerca da certificação do “Pará Livre de Aftosa”, entrega de equipamentos e veículos agrícolas (trator e colheitadeira), visitação à estrutura do projeto “Trilha do Leite”, inauguração do escritório da Adepará em Eldorado, visita a unidades da Ceplac e entrega de Cheques Moradia pela Cohab, no município de Sapucaia.
Entre os objetivos da comitiva, está o levantamento de demandas que agreguem melhorias para o setor produtivo do estado. Segundo Sidney Rosa, o momento é para ouvir os produtores, mas também para levantar demandas referentes a outros setores como educação, saúde, segurança pública, habitação e regulamentação fundiária.
Para Mário Moreira, o setor produtivo vivencia um momento de destaque, em especial pela certificação emitida pelo Ministério de Agricultura e Pecuária (Mapa), que confirma que o Pará está 100% livre da febre aftosa. O diretor da Adepará ressalta que essa comitiva apresenta programas que ainda estão em fase de implantação, como da Guia de Trânsito Animal eletrônica e o 'Trilha do Leite', que contribui para o beneficiamento do leite na própria região onde é produzido.
Acompanhe a programação da Comitiva da Produção pelo sul do Pará:
Tucumã (26/08)
Lançamento do programa GTA eletrônica e Trilha do Leite 
Divulgação do programa Pará Livre de Aftosa
Visita ao frigorífico JBS e à Ceplac

São Félix do Xingu (27/08)
Reunião com produtores rurais
Exposição do Programa Municípios Verdes
Lançamento do programa GTA eletrônica e Pará Livre de Aftosa
Visita a frigorífico
Entrega de equipamentos e veículos (colheitadeira)

Ourilândia (28/08)
Visita ao projeto Onça Puma e às obras do escritório da Emater
Reunião com produtores rurais
Lançamento do programa GTA eletrônica e do Programa Pará Livre de Aftosa

Água Azul do Norte (28/08)
Reunião com Produtores
Lançamento do programa GTA eletrônica e do Programa Pará Livre de Aftosa
Entrega de veículos (trator)
Visita a frigorífico
Apresentação do Trilha do Leite

Rio Maria (29/08)
Reunião com produtores rurais
Inauguração escritório da Emater
Lançamento do programa GTA eletrônica e Programa Pará Livre de Aftosa

Xinguara (29/08)
Reunião com produtores rurais
Inauguração do escritório local da Emater
Lançamento do programa GTA eletrônica e do Programa Pará Livre de Aftosa
Visita ao frigorífico Mafripar
Apresentação do programa Trilha do Leite

Sapucaia (30/08)
Reunião com produtores rurais
Entrega de Cheques Moradia (Cohab)
Lançamento do programa GTA eletrônica e Programa Pará Livre de Aftosa 

Eldorado (30/08)
Reunião com produtores rurais
Inauguração do escritório local da Adepará
Lançamento do programa GTA eletrônica e Programa Pará Livre de Aftosa 

Marabá (31/08)
Reunião com sindicatos rurais da região
Lançamento do programa GTA eletrônica e Programa Pará Livre de Aftosa

Texto:
Christina Hayne-Adepara


Detentos do projeto “Acordes Livres” mostram o seu talento na Pará Negócios
Os músicos que compõem o projeto “Acordes Livres”, desenvolvido pelo Núcleo de Reinserção Social da Superintendência do Sistema Penitenciário do  Estado (Susipe), contagiaram a plateia durante uma apresentação ocorrida neste sábado, 24, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, durante a programação da Pará Negócios 2013. No repertório, o grupo, formado por internos custodiados pelo Estado, mostrou toda a sua versatilidade na execução de músicas regionais e nacionais. O "Acordes Livres" foi criado em 2012 e reúne internos do Centro de Recuperação do Coqueiro (CRC). O objetivo é promover a descoberta de novos talentos e incentivar a reinserção social por meio da música.
Regina Alencar fez questão de ir ao Hangar assistir o marido Joecir dos Santos. Ela conta que essa foi a primeira vez que teve oportunidade de prestigiar uma apresentação em público. “Tenho certeza que ao sair da prisão ele vai mudar de vida e a música tem toda importância nesse processo de transformação que aconteceu com meu marido”, garante.
De acordo com a coordenadora pedagógica do CRC, Maria Iraneide da Silva Pereira, o projeto já é um sucesso e conquistou os presos, que são absolutamente aplicados às aulas e a cada dia se descobrem mais encantados com a música. “A prova da eficiência do projeto é que não houve nenhuma desistência até hoje e os alunos se mantém sempre interessados”, comentou. Já o professor de música Elieser Barbosa conta que durante as aulas o aprendizado é mútuo e que a responsabilidade dos alunos surpreendeu a todos. “Eles respiram música e me dizem que a melhor coisa que fazem no cárcere é tocar. Quando a aula termina, já ficam ansiosos pela próxima, e isso é muito gratificante”, acrescentou.
O interno Junior Faial está no projeto há três meses, mas já tinha contato com a música antes da prisão. “Cantar e tocar resgata as pessoas e isso já está acontecendo na minha vida e na dos meus companheiros”, afirma. “É uma forma de entretenimento para nós, que estamos presos. Quando tocamos sentimos o gosto da liberdade”, diz o detento Cesio Flávio Caldas. Para o superintendente da Susipe, André Cunha, o projeto é uma forma dos presos descobrirem outras possibilidades de vida a partir da música. “A maioria dos alunos têm o primeiro contato com a música na prisão e iniciam uma transformação de conduta e de vida”, diz.
A Susipe participa da Pará Negócios 2013, no estande do Projeto Articulação e Cidadania, do Governo do Estado, com a exposição de móveis artesanais fabricados pelos próprios detentos. No evento também estão sendo comercializados vasos de plantas decorativas produzidos no projeto "Cultivando Flores e Vidas", que oferece aos internos aulas técnicas sobre jardinagem e paisagismo, com o objetivo de investir na qualificação profissional, geração de renda e principalmente no processo de reinserção social. A ação é uma parceria da Casa Civil da Governadoria do Estado, Susipe, Ceasa e Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater).

Texto:
Timoteo Lopes-Susipe


Detentos do projeto “Acordes Livres”da Susipe se apresentam na Pará Negócios
Os músicos que compõem o projeto “Acordes Livres”, desenvolvido pelo Núcleo de Reinserção Social da Superintendência do Sistema Penitenciário do  Estado (Susipe), contagiaram a plateia durante uma apresentação ocorrida neste sábado, 24, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, durante a programação da Pará Negócios 2013. No repertório, o grupo, formado por internos custodiados pelo Estado, mostrou toda a sua versatilidade na execução de músicas regionais e nacionais. O "Acordes Livres" foi criado em 2012 e reúne internos do Centro de Recuperação do Coqueiro (CRC). O objetivo é promover a descoberta de novos talentos e incentivar a reinserção social por meio da música.
Regina Alencar fez questão de ir ao Hangar assistir o marido Joecir dos Santos. Ela conta que essa foi a primeira vez que teve oportunidade de prestigiar uma apresentação em público. “Tenho certeza que ao sair da prisão ele vai mudar de vida e a música tem toda importância nesse processo de transformação que aconteceu com meu marido”, garante.
De acordo com a coordenadora pedagógica do CRC, Maria Iraneide da Silva Pereira, o projeto já é um sucesso e conquistou os presos, que são absolutamente aplicados às aulas e a cada dia se descobrem mais encantados com a música. “A prova da eficiência do projeto é que não houve nenhuma desistência até hoje e os alunos se mantém sempre interessados”, comentou. Já o professor de música Elieser Barbosa conta que durante as aulas o aprendizado é mútuo e que a responsabilidade dos alunos surpreendeu a todos. “Eles respiram música e me dizem que a melhor coisa que fazem no cárcere é tocar. Quando a aula termina, já ficam ansiosos pela próxima, e isso é muito gratificante”, acrescentou.
O interno Junior Faial está no projeto há três meses, mas já tinha contato com a música antes da prisão. “Cantar e tocar resgata as pessoas e isso já está acontecendo na minha vida e na dos meus companheiros”, afirma. “É uma forma de entretenimento para nós, que estamos presos. Quando tocamos sentimos o gosto da liberdade”, diz o detento Cesio Flávio Caldas. Para o superintendente da Susipe, André Cunha, o projeto é uma forma dos presos descobrirem outras possibilidades de vida a partir da música. “A maioria dos alunos têm o primeiro contato com a música na prisão e iniciam uma transformação de conduta e de vida”, diz.
A Susipe participa da Pará Negócios 2013, no estande do Projeto Articulação e Cidadania, do Governo do Estado, com a exposição de móveis artesanais fabricados pelos próprios detentos. No evento também estão sendo comercializados vasos de plantas decorativas produzidos no projeto "Cultivando Flores e Vidas", que oferece aos internos aulas técnicas sobre jardinagem e paisagismo, com o objetivo de investir na qualificação profissional, geração de renda e principalmente no processo de reinserção social. A ação é uma parceria da Casa Civil da Governadoria do Estado, Susipe, Ceasa e Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater).

Texto:
Timoteo Lopes-Susipe


Investimentos garantem qualidade do açaí produzido no Pará
Desde 2011, o governo paraense vem retomando as atividades do Programa Estadual de Qualidade do Açaí (PEQA), com importantes investimentos principalmente na aquisição de equipamentos que garantam o manuseio adequado do fruto e a qualidade do produto final, que tem reconhecida importância cultural e econômica para o estado, além dos benefícios nutricionais. Os recursos aplicados por meio do programa chegam a R$ 300 mil. Mas os incentivos à cadeia produtiva se estendem também a pesquisas de melhoramento genético de sementes para o aumento da produção no estado.
Segundo o gerente de Fruticultura da Sagri, Geraldo Tavares, o programa consiste em atacar os principais problemas que afetam a cadeia produtiva do fruto, que vão desde o transporte e armazenamento, até as práticas que ainda comprometem a etapa de processamento do açaí e que dizem respeito ao manuseio por parte dos batedores. “O programa é coordenado pela Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) e inclui ações de vigilância sanitária - a cargo da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sespa) - e de grupos de trabalho multi-institucionais - que reúnem 14 instituições, de natureza pública e privada - junto aos batedores", explica
O controle no processamento do fruto in natura é feito com o apoio da Associação dos Vendedores Artesanais de Açaí de Belém (Avabel), prefeituras municipais, Sespa, Sagri, Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), Ministério da Agricultura e Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), entre outros parceiros.
Ele destaca que em julho deste ano, o governador Simão Jatene assinou termos de compromissos que asseguram, entre outras coisas, a aquisição de recursos estimados em R$ 220 mil para a compra de 100 Tanques de Branqueamento por meio das Secretarias de Estado de Agricultura e de Saúde Pública. O equipamento ajuda a eliminar até 90% dos microorganismos e impurezas que podem contaminar o açaí por meio da imersão do fruto em água aquecida a 80°C por dez segundos, e imediata transferência para água fria, de forma a produzir um choque térmico. Além dos tanques, também serão distribuídos entre os batedores cadastrados na Avabel 100 filtros de dupla filtragem de água, objeto de outro termo assinado também pelo prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, no valor de R$ 70 mil. 
“Cem produtores serão selecionados em um termo de concessão para receber do Estado o maquinário completo e iniciar o processo de utilização dos equipamentos nas atividades diárias” explica Geraldo, ressaltando que, inicialmente, parte dessa produção será utilizada em um projeto piloto que busca inserir o açaí no cardápio da merenda escolar distribuída na rede pública de ensino. “O Ministério Público só não indica a introdução do açaí na merenda escolar justamente devido a esses riscos que o manuseio inadequado podem acarretar ao organismo humano. Por isso estamos investindo na melhoria dos processos e da qualidade do produto para mostrar que o açaí é, sim, uma alternativa viável, segura e econômica”.
Geraldo ressalta, ainda, que a meta da Sagri é ampliar o alcance do projeto e incentivar outros batedores a se capacitar para utilizar os equipamentos. Desde março, a Secretaria vem promovendo cursos onde os batedores aprendem a manusear corretamente o fruto e produzir um açaí de qualidade. “Somente na capital existem cerca três mil batedores, a maioria deles ainda não tem essa preocupação com a higiene. Quando se manuseia o fruto do açaí com a mão suja, inevitavelmente os microorganismos, bactérias ou fungos presentes no ambiente são transferidos para o suco. Nos treinamentos que realizamos não só na capital, mas também no interior do estado, procuramos mostrar ao produtor e ao batedor que existem formas de se fazer esse trabalho com segurança e facilidade, utilizando a tecnologia”.
Qualificação – Para incentivar o uso dos equipamentos necessários à produção da polpa e suco de açaí, principalmente em relação ao uso do “branqueador”, a Sagri, em parceria com a Avabel e demais parceiros, põe em atividade o curso das Boas Práticas de Manipulação e Processamento do Açaí, que tem como meta capacitar cerca de mil batedores, anualmente. Segundo Geraldo, no primeiro semestre foram capacitados 550 deles, somente na capital, mas adianta que os serviços serão disponibilizados também para os municípios do interior do estado, onde, estima-se, existam mais de cinco mil batedores, segundo o cadastro de estabelecimentos da Sespa de 2012.
Para atender a demanda as atividades continuam neste semestre, com intuito de capacitar, até o final do ano, mais 500 batedores. Desde o início de agosto, aproximadamente 25 associados à Avabel participaram desta qualificação, com encontros todas as terças e quintas-feiras, a partir das 15h, na Sede da Sagri, localizada na Travessa do Chaco, 2232, bairro do Marco.
O batedor artesanal, Heron Rocha, trabalha há 18 anos no setor e já participou de diversos cursos de capacitação. Hoje ele é dono de um ponto comercial na feira do bairro da Pedreira, equipado com todos os maquinários necessários. E diz que já começou a ver o lucro dos investimentos. “As vendas só melhoram porque pessoas que vem aqui percebem que, apesar de estarmos dentro de uma feira, o ponto tem uma estrutura que permite às pessoas acompanharem o processo de branqueamento. Isso traz mais segurança para o consumidor, que veio por meio da informação que outro freguês passou, afirmando que o produto é seguro e garantido”, revela.
Heron aprova as medidas adotadas pelo governo estadual para assegurar a qualidade do fruto que é a marca registrada do Pará, entre eles o Decreto nº 326, de 20/01/2012, que estabeleceu normas sobre o processamento artesanal do açaí, assim como a exigência do cadastramento semestral dos pontos de manipulação e venda de açaí, para maior controle da qualidade higiênica nos estabelecimentos. Por isso, buscou, com recursos próprios, adquirir todo o maquinário.
“Eu utilizo todos os equipamentos necessários a um batedor artesanal, como peneira, tanques de primeira e segunda lavagem, de branqueamento e resfriamento, congelador, espaço para armazenamento, filtro com água de boa qualidade, uma máquina toda em inox sem emendas, pias acionada no joelho para evitar contaminação das mãos e máquina para selar a embalagem”, conta Heron, ressaltando que muito batedores artesanais e vendedores buscam financiamentos inclusos no Programa Estadual de Qualidade do Açaí, como forma de se adequar às exigências.
O financiamento é objeto do terceiro convênio, assinado pelo governo do Estado junto ao Banco Amazônia, que garante condições especiais aos batedores, com taxas de juros mais atrativas que vão de 4,12% a 6,74% ao ano, dependendo do financiamento efetivado.
Economia - O Pará é o maior produtor nacional de açaí. Segundo dados Sagri, a cadeia produtiva do estado envolve mais de 200 mil pessoas e movimenta quase R$ 2 bilhões anualmente, tendo como principais produtores os municípios Igaparé-Miri e Abaetetuba, na região do Baixo Tocantins, que juntos colhem mais de 850 mil toneladas de fruto anualmente. O Pará detém 90% da produção mundial do fruto.
Em 2012 foram exportadas mais de 100 mil toneladas de açaí para os Estados Unidos (que recebe uma média 77% de toda a produção destinada à exportação), Europa (8,5%), Japão (6%) e outros países (7,8%). Mesmo assim, a maior parte da produção é consumida no Pará, uma faixa de 300 mil toneladas por ano. Os demais estados brasileiros consomem cerca de 40 mil toneladas, segundo dados levantados pela Sagri.

Texto:
Pablo Almeida-Secom


Pará Negócios 2013 abre espaço para projetos institucionais do Estado
A Pará Negócios 2013, que encerra neste domingo, 25, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, é considerada hoje o maior evento multisetorial da região Norte não apenas por agregar os vários segmentos da economia regional, como também por constituir-se em uma vitrine para projetos institucionais. A segunda edição da feira abriu novamente espaço para que o Governo do Pará pudesse expor, em dois estandes, algumas iniciativas desenvolvidas com sucesso no estado.

O programa Terra Viva, da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), que reúne trabalhos de marcenaria e cultivo de plantas feitos por detentos do Sistema Penitenciário do Pará; a linha de produção da Fábrica Esperança, que também utiliza a mão de obra egressa na confecção de vestuário e na panificação; os múltiplos itens feitos artesanalmente nas classes de ofícios da Fundação Curro Velho (FCV) e o projeto Livro Solidário, da Imprensa Oficial do Estado, ganharam destaque durante o evento.

A socioeducadora do eixo profissional do Programa Terra Viva, Rose Clair, comprova o que o fluxo de visitantes no estande do Programa Articulação e Cidadania já indica: "O que mais chamou a atenção das pessoas que passaram por aqui foram os projetos 'Pneus Moveis' e 'Paletes em madeira e arte décor', que levou à Pará Negócios o mobiliário que é confeccionado a partir da reutilização de pneus, aros de caminhão e materiais recicláveis.

Os móveis são fabricados por um grupo de 14 adolescentes que cumprem medidas socioeducativas na Fasepa. “Além de servir como uma terapia, esse trabalho ajuda a capacitá-los a atuar em um segmento que vem crescendo no país, que é o da customização, e também gera renda para eles e para a manutenção do projeto. Os intens são produzidos nas unidades de Benevides e Ananindeua e são comercializados a R$ 100,00 cada composição", explica.

O adolescente E.D.L, de 16 anos, se dedica a aprender um pouco de cada ofício dentro do programa, 

pois acredita que por meio dos projetos poderá garantir um fonte de renda que o ajudará a se manter quando sair da unidade e evitará que reincida na criminalidade. “Eu acho ótimo poder participar do projeto. Isso é mais um ensino, é uma oportunidade que estamos tendo de deixar aquela vida que estava levando antes de vir pra cá. Eu sei que posso fazer esse trabalho quando sair, pois não é complicado. Só vou gastar comprando pregos e ferramentas. Além disso ainda posso ensinar o que aprendi aqui também”, conta o jovem, que cumpre medida socieducativa  há um ano oito meses. 

Nas unidades da Fasepa os educandos ainda podem participar de outros projetos que incentivam a profissionalização, como as oficinas de cultivo de hortifrutis, mudas e jardinagens.

Internos – Os principais trabalhos desenvolvidos pela Susipe são os voltados para a reinserção social e capacitação profissional dos detentos, como destaca Rita Pantoja, integrante da Divisão de Trabalho e Produção da Superintendência. “No momento que eles entram para o cárcere a vida deles muda, então quando recebem uma motivação psicológica e um auxílio profissional, isso ajuda a minimizar o impacto desse rompimento com o mundo aqui fora, além de capacitá-los para que tenham uma chance de reinserção no mercado quando saírem” argumenta.

Os projetos de capacitação desenvolvidos dentro das unidades prisionais do Estado incluem trabalhos de marcenaria, cultivo plantas, criação de palmípedes (patos), suínos, horta, alimentação, cozinha e produção de vassouras. “Nós temos vários projetos sendo desenvolvidos dentro das penitenciárias e dentro desse novo mundo eles são os protagonistas. Eles passam por uma triagem para que possamos identificar em quais serviços cada um deles se encaixa”. No estande do programa Articulação e Cidadania estão expostos alguns dos móveis e objetos de decoração confeccionados nas unidades prisionais.

A reinserção social de jovens e adultos egressos do sistema penitenciário é também a principal missão da Fábrica Esperança, que investe na capacitação profissional dessa mão de obra e ajuda a garantir trabalho, emprego e renda para quem precisa recomeçar a vida fora do cárcere. Na Fábrica eles desenvolvem trabalhos de serigrafia, vestuário - como camisas, uniformes e roupas hospitalares fornecidos para instituições públicas e privadas em todo o estado - e panificação.

O analista de negócios da Fábrica Esperança, Carlos Erasto, ressalta que a participação na Pará Negócios 2013 permite apresentar os trabalhos desenvolvidos na unidade não só para o público em geral como para os potenciais contratantes desse tipo de produção ou da mao de obra formada na Fábrica, habilitada a desenvolver atividades de jardinagem, agentes de portaria, administrativo, financeiro e auxiliares.

Dentro da feira também estão sendo comercializados pães, doces e salgados feitos na oficinas de panificação, além de bolsas confeccionadas artesanalmente pelo egressos. “Com o lucro obtido na venda desses objetos podemos investir na melhoria da capacitação dos próprios egressos dentro do programa”, destaca Erasto, que avalia como positiva a receptividade do público da Pará Negócios. "O que cahama a atenção deles é o caráter social do trabalho. Muita gente aprecia essas iniciativas, mas poucos têm a oportunidade de ver de perto como isso acontece na prática” revela Carlos, ressaltando que atualmente cerca de 210 pessoas são atendidas pela Fabrica Esperança, entre egressos e familiares destes.

Utensílios - A técnica de Artes Visuais da Fundação Curro Velho, Cláudia Barros, explica que todos os produtos comercializados na Pará Negócios 2013, são resultados de oficinas ministradas na sede do órgão, como de cerâmica, cestaria, encadernação, cartonagem e tecelagem. “Temos peças dos mais variados tipo e preços, mas todas tem a marca dos nossos alunos e mostram que mais do que promover arte e cultura, a Fundação promove a cidadania e a formação desses jovens.

Livro – O projeto Livro Solidário, chancelado pela Imprensa Oficial do Estado do Pará, também integra o estande institucional do Governo do Estado, junto às atividades de outros órgãos, como as Secretarias de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom) e Emprego e Renda (Seter), Companhia Paraense de Turismo (Paratur) e Programa Municípios Verdes.

Monitora do projeto, Lena Arruda explica que o objetivo é criar espaços de leituras em comunidades carentes, por meio de doações de livros. “Esses espaços são direcionados para pessoas que geralmente não tem acesso à leitura. Já implantamos seis espaços em Belém e região metropolitana, como em Mosqueiro e Benevides, e também nos bairros do Benguí, Coqueiro e São Brás”, conta, ressaltando que o projeto atualmente está na fase de arrecadação de literaturas infanto-juvenis e revistas em quadrinhos.

Os interessados em colaborar podem entrar em contato com a IOEPA, pelo telefone 4009-4847, ou pelo e-mail livrosolidário@ioe.pa.gov.br. O prédio da Imprensa Oficial fica localizado na Travessa do Chaco, 2271, em Belém.

Texto:
Pablo Almeida-Secom




Posted: 24 Aug 2013 06:24 PM PDT

https://mail.google.com/mail/u/0/?shva=1#inbox/140b5dae7a882310


Eu prefiro ser tratado por médicos brasileiros, embora 54,5%  dos 2400 formandos que fizeram a prova do Conselho Regional de Medicina de SP não atingiram a nota mínima. O pior é que os erros se concentraram em áreas básicas. Mesmo assim vão poder exercer a profissão e atender aos infelizes que caírem em suas reprovadas mãos. Mas eu não moro em São Paulo.

Prefiro médicos brasileiros, porque eles são coisa nossa. Por exemplo, a gente liga pra marcar consulta e a telefonista do doutor pergunta: - é particular ou plano? Se for plano, empurram sua consulta lá pra frente. Particular, eles dão um jeitinho. Coisa nossa.

Prefiro médicos brasileiros, porque quando chego ao consultório, fico esperando mais de uma hora pra ser atendido. É porque eles são bonzinhos, gostam de atender a todo mundo, e sabem que ali, no calor apertado da sala de espera, sempre pode rolar uma conversa agradável sobre sintomas e padecimentos com outros médicos. E a socialização é muito importante. Sem contar que podemos adquirir informação, com a leitura daquela Veja em que Airton Senna e Adriane Galisteu ainda estão namorando. Ah, tempo bom! É coisa nossa.
Prefiro médicos brasileiros, porque quando a consulta é particular, eles fazem questão de não dar recibo, ou então a recepcionista pergunta se vou querer a nota fiscal, porque aí o preço é diferente. Não é sonegação, claro que não. É porque eles têm vergonha de espalhar quanto cobram pela consulta. Coisa nossa.

Prefiro médicos brasileiros, porque eles vivem chorando miséria, mas, mesmo assim, no estacionamento dos médicos nos hospitais só tem carrão importado. Parece até pátio de delegacia de polícia. Coisa nossa.

Prefiro médicos brasileiros, porque você faz todo o acompanhamento de sua doença com o doutor do seu plano de saúde, mas na hora da cirurgia, embora ela seja coberta pelo plano, o doutor sempre pede um por fora, pra ele e equipe. Inclusive o anestesista, aquele médico que não é médico, não tem plano, não obedece a sindicatos nem nada. É sempre por fora. É coisa nossa.

Prefiro médicos brasileiros, porque várias vezes você chega ao posto de saúde, a uma emergência ou ao hospital e ele simplesmente não foi trabalhar, e usa de sua criatividade, inventando até dedinhos de silicone, para receber aquele salário que eles dizem que é uma merreca. Mas, isso é mentira, na verdade eles não vão trabalhar porque os hospitais, ambulatórios, as emergências e postos de saúde não dão condições. Eles só não largam o emprego porque têm pena dos pacientes que vão deixar na mão - embora não trabalhem. Pelo menos é o que dizem. Coisa nossa.

Só escrevo este texto, porque tenho vários amigos médicos e, infelizmente, não vejo nenhum deles se levantar contra esse hediondo corporativismo, contra essa maluquice generalizada de que seus colegas cubanos (que trabalham no mundo inteiro) são despreparados e, pior, vão espalhar a ideologia comunista pelo Brasil. Esses médicos que acham que municípios sem médicos têm que continuar assim, enquanto não tiverem infraestrutura, como naquela história da época da ditadura, de que era preciso primeiramente fazer crescer o bolo para depois dividi-lo.

Se os médicos estivessem defendendo seu mercado de trabalho... Mas, não, os médicos estrangeiros só estão vindo ocupar vagas que foram recusadas por seus colegas brasileiros, que não querem trabalhar e também não querem que outros trabalhem. O paciente... ah, o paciente. Ele não é mais paciente, agora é cliente.

Claro que temos ótimos médicos. E muitos deles já se declararam a favor da vinda de seus colegas do exterior.

Temos ótimos médicos, repito. Vários deles trabalhando em condições precárias. Temos muito o que melhorar, e a presidenta Dilma reconheceu o problema em seu pronunciamento na TV:
Quero propor aos senhores e às senhoras acelerar os investimentos já contratados em hospitais, UPAs e unidades básicas de saúde. Por exemplo, ampliar também a adesão dos hospitais filantrópicos ao programa que troca dívidas por mais atendimento e incentivar a ida de médicos para as cidades que mais precisam e as regiões que mais precisam. Quando não houver a disponibilidade de médicos brasileiros, contrataremos profissionais estrangeiros para trabalhar com exclusividade no Sistema Único de Saúde.
Neste último aspecto, sei que vamos enfrentar um bom debate democrático. De início, gostaria de dizer à classe médica brasileira que não se trata, nem de longe, de uma medida hostil ou desrespeitosa aos nossos profissionais. Trata-se de uma ação emergencial, localizada, tendo em vista a grande dificuldade que estamos enfrentando para encontrar médicos, em número suficiente ou com disposição para trabalhar nas áreas mais remotas do país ou nas zonas mais pobres das nossas grandes cidades.
Sempre ofereceremos primeiro aos médicos brasileiros as vagas a serem preenchidas. Só depois chamaremos médicos estrangeiros. Mas é preciso ficar claro que a saúde do cidadão deve prevalecer sobre quaisquer outros interesses. O Brasil continua sendo um dos países do mundo que menos emprega médicos estrangeiros. Por exemplo, 37% dos médicos que trabalham na Inglaterra se graduaram no exterior. Nos Estados Unidos, são 25%. Na Austrália, 22%. Aqui no Brasil, temos apenas 1,79% de médicos estrangeiros. Enquanto isso, temos hoje regiões em nosso país em que a população não tem atendimento médico. Isso não pode continuar. Sabemos mais que ninguém que não vamos melhorar a saúde pública apenas com a contratação de médicos, brasileiros e estrangeiros. Por isso, vamos tomar, juntamente com os senhores, uma série de medidas para melhorar as condições físicas da rede de atendimento e todo o ambiente de trabalho dos atuais e futuros profissionais.
Ao mesmo tempo, estamos tocando o maior programa da história de ampliação das vagas em cursos de Medicina e formação de especialistas. Isso vai significar, entre outras coisas, a criação de 11 mil e 447 novas vagas de graduação e 12 mil e 376 novas vagas de residência para estudantes brasileiros até 2017.  [Fonte]

Mas, o que estamos vendo é que existe um grupo de médicos para quem os cidadãos brasileiros de municípios sem médicos devem sofrer calados ou pegar um ônibus, barca, trem, o que seja, para procurar uma cidade onde um senhoríssimo doutor (brasileiro) o atenda, quando der. A esses lembro que Deus é ironia, e eles podem amanhã ou depois sofrer um acidente, numa pequena cidade, um pequeno município daqueles que ninguém jamais ouviu falar, eu gostaria de saber o que sentiriam ao ouvir alguém lhe falar assim:

- Necesita de ayuda, señor?

(Sugiro a leitura deste texto de Luciano Martins Costa, publicado no Observatório da Imprensa)




Belém sedia Conferência Regional de Promoção de Igualdade Racial
Após a realização de plenárias regionais e municipais, a capital paraense sedia, nesta segunda-feira, 26, a Conferência Regional de Promoção de Igualdade Racial. O evento acontece no Instituto Federal do Pará (IFPA) e aborda o tema “Democracia e desenvolvimento por um Pará sem racismo”. Promovido pela Coordenação de Promoção da Igualdade Racial, ligada à Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), o encontro contará com a presença da coordenadora de Promoção de Igualdade Racial, Byany Sanches; do Professor Mestre em Ciências Políticas e vice-coordenador do grupo de estudos Afro-amazônicos da Universidade Federal do Pará, Raimundo Jorge, além de representantes de entidades que defendem os direitos dos povos tradicionais - movimento negro e comunidade tradicional de matriz africana, quilombolas, indígenas, juventude negra e cigana.
A Conferência se propõe a analisar as políticas públicas desenvolvidas nos últimos dez anos no Pará, apresentando os avanços e os novos desafios na luta contra as desigualdades étnicas e raciais, preparando os participantes para a III Conferência Estadual de Promoção de Igualdade Racial, que acontecerá na quarta, 28, e quinta-feira, 29, no Parque dos Igarapés.
Salvaterra receberá o projeto no sábado, 24, às 8 horas, com atividades programadas para o Salão Paroquial. No dia 26, Bragança também sediará a Conferência Regional, no Teatro Museu da Marujada, localizado à Travesa Cônego Miguel, s/n, a partir das 8 horas. O credenciamento para as palestras deverá ser feito no dia do evento, com uma hora de antecedência.
Serviço: Conferência de Igualdade Racial de Belém. Dia 26 (segunda-feira), a partir das 8 horas, no auditório do Instituto Federal do Pará (IFPA), localizado na Av. Almirante Barroso, nº 1155.

Texto:
Leba Peixoto-Sejudh


Torneio de Judô reune mais de 150 atletas mirins
O Torneiro de Judô “I Copa Campos” reuniu mais de 150 atletas na manhã deste sábado, 24, no Ginásio do Polo Pro Paz Sacramenta, localizado na praça Dorothy Stang. O evento é apoiado pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) e faz parte do calendário da Federação Paraense de Judô.
“A ideia era priorizar as crianças de baixa renda e reunir suas famílias. É uma forma de mobilizar esses meninos e meninas para que adotem a prática esportiva como um instrumento de inclusão e crescimento pessoal", comentou Alcindo Campos, professor da Associação Campos Judô. As competições não são ranqueadas para a federação de judô. “Isso é a motivação para que alunos carentes participem das atividades esportivas e posteriormente entrem para federação”, completou.
A 1ª Copa Campos 2013 é um evento aberto, voltado para crianças e adolescentes entre 5 e 14 anos, de ambos os sexos, inclusive atletas portadores de deficiência visual. Mais de 700 pessoas assistiram as competições das categorias chupetinha, mirim, infantil, sub-13 e sub-15.
“Os recursos da Seel são um apoio a mais um evento deste porte. São mais de 50 pessoas trabalhando”, destacou o titular da Seel, Vitor Miranda, para quem o apoio governamental é fundamental para garantir aos talentos precoces do esporte a oportunidade de desenvolverem a prática esportiva. “É fundamental incentivarmos nossas crianças para termos grandes atletas paraenses no futuro. Quem sabe um dia elas até venham representar o nosso estado nas Olímpiadas”, finalizou.

Texto:
Liandro Brito-Seel


Jucepa formaliza mais de três mil empresas no segundo trimestre de 2013
A Junta Comercial do Estado do Pará formalizou 3.229 constituições de empresas no segundo trimestre deste ano, somando os processos concluídos tanto na sede como nas unidades da Jucepa no interior do estado. Considerando todos os processos formalizados na Jucepa, já são mais de 6.100 as empresas abertas nos primeiros seis meses de 2013. Na análise dos números do exercício atual em relação a 2012, quando 5.457 empresas foram constituídas, os resultados são bastante positivos.

Maria Pereira Ryan é uma das empreendedoras que fazem parte dessa lista. Ela abriu uma loja de roupas infantis e acessórios femininos. "Foi tudo tranquilo para abrir a empresa, o trâmite da papelada para a formalização correu rápido na Junta e eu fiquei bastante satisfeita. Já trabalho com vendas, tenho clientela, vi que era uma área promissora e aposto neste mercado em nosso estado". Para Maria Ryan, quem é empreendedor precisa se movimentar e acreditar que pode realizar o sonho de ter seu próprio negócio. E  mesmo depois disso, deve buscar informação permanentemente e acompanhar de perto o empreendimento.

De acordo com dados da Diretoria de Registro Mercantil da Jucepa, entre as atividades mais constituídas neste período estão, em ordem de ocorrência, o comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios; comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios - minimercados, mercearias e armazéns; cabeleireiros; comércio varejista de bebidas; comércio varejista de artigos de armarinho; restaurantes e similares; comércio varejista de materiais de construção em geral; lanchonetes, casas de chá, sucos e similares; comércio varejista de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal; comércio a varejo de peças e acessórios para motocicletas.

Ainda que a economia nacional esteja em retração, os números do Registro Mercantil apresentam-se como um parâmetro para indicar a tendência de parte importante da economia do estado, pois a criação de novas empresas e sua continuidade movimenta toda a cadeia de empregos formais e fomenta ainda o mercado informal, bem como a oferta de novos produtos ou serviços.

O tipo jurídico Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli), implementado no ano de 2012, teve 557 constituições na Jucepa durante todo o primeiro semestre deste ano. E já demonstra um salto de quase 100% em relação ao exercício de 2012, indicando que a nova modalidade está sendo bem aceita pelo setor empresarial.

Outro segmento que também mantém o mercado aquecido é o MEI, que registrou no trimestre, via Portal do Empreendedor, 6.428 formalizações. Em relação aos Microempreendedores Individuais (MEI), no primeiro trimestre foram registrados mais de 7 mil (sempre via portal do empreendedor), que somados às constituições registradas na Junta Comercial do Pará totalizam quase 10 mil novos empreendimentos no Pará nos primeiro trimestre de 2013. Ampliando esse mesmo cálculo para os primeiros seis meses do ano, chega-se a cerca de 20 mil novos empreendimentos no estado.

Os dados do Registro Mercantil apontam, ainda, o crescimento das modalidades Sociedade Anônima e Cooperativa, que pelas suas atividades econômicas (Transporte, Agricultura Familiar, Agronegócio e Extração Mineral) estão ligadas aos fomentos dos governo Federal e estaduais. Destacam-se também os Consórcios, que geralmente estão ligados à área da construção civil de grande porte, como as quatros constituídas neste período: ginásio esportivo, pavimentação de estradas, hospitais e melhorias em sistema de abastecimento de água. Até junho de 2013, o número total de empresas ativas registradas na Junta Comercial do Estado era de 260.197 empresas.

Texto:
Diane Maués-Jucepa


Vice-governador prestigia posse da desembargadora Maria Filomena de Almeida
O vice-governador Helenilson Pontes participou da cerimônia de posse da nova desembargadora do judiciário paraense, Maria Filomena de Almeida Buarque, ocorrida na sede do Tribunal de Justiça do Pará, na noite da última sexta-feira, 23. Ela ascendeu ao desembargo pelo critério de merecimento, no lugar da desembargadora Maria do Carmo Araújo e Silva, que se aposentou em 2012, após 42 anos no exercício da Magistratura.
Além da presidente do Tribunal de Justiça do Pará, compuseram a mesa de abertura o vice-governador do Estado, Helenilson Pontes; o vice-presidente em exercício do TJE-PA e decano da Corte, desembargador Milton Nobre; a presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, desembargadora Odete Alves; o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Leonardo Tavares; o prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro; e o presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Pará (Amepa), juiz Heyder Tavares.
A presidente do TJE-PA, desembargadora Luzia Nadja Guimarães Nascimento, conduziu a solenidade de posse. Graduada em Direito em 1979, Maria Filomena de Almeida Buarque começou a carreira no Poder Judiciário em 1988, quando foi lotada na 10ª Região Judiciária, na Comarca de Moju. Em 1989, foi removida para a Comarca de Moju e, em 1991, foi promovida à 2ª Vara de Altamira. Chegou à 4ª Vara de Marabá em 1993, ano em que também foi nomeada diretora do Fórum local. Em 1994, foi transferida para a 4ª Vara de Ananindeua e promovida, em 2001, para 28ª Vara Cível de Belém. Atualmente está lotada na 13ª Vara Cível.
Também tem experiência na advocacia, foi docente em faculdades particulares de Belém e prestou assistência jurídica em órgãos públicos. Atualmente, Maria Filomena cursa doutorado em Direito Civil, na Universidad de Buenos Aires, na Argentina. Em seu discurso a nova desembargadora prometeu se empenhar por uma Corte de Justiça sempre dinâmica e voltada para os interesses sociais.

Texto:
Marcio Flexa-Vice-Governadoria


Famílias de São Caetano de Odivelas recebem Cheque Moradia
Cinquenta e oito famílias do município de São Caetano de Odivelas, no nordeste do Estado, foram beneficiadas neste sábado, 24, com o Cheque Moradia, programa habitacional  do Governo do Estado, coordenado pela Companhia de Habitação do Pará (Cohab). Destas, 44 receberam a primeira parcela do cheque. Para essa entrega foram disponibilizados pelo Governo do Estado R$ 558.200,00. Outras 14 famílias receberam a segunda e última parcela do benefício, totalizando um valor de R$ 182.100,00, que lhes permitirá fazer melhorias, ampliar ou construir moradias. Os cheques foram entregues pelo vice-governador do Estado, Helenilson Pontes, no Centro Cultural da cidade.
A concessão do benefício habitacional, que propicia a compra de material de construção, é resultado da adesão do município ao programa, ocorrida em maio deste ano. Naquela oportunidade, 14 famílias receberam a primeira etapa do Cheque Moradia. Entre os beneficiados deste sábado, 11 são portadores de deficiência. O Cheque Moradia vai garantir que essas famílias possam adaptar suas residências às necessidades dessas pessoas.
Para Helenilson Pontes, o Cheque Moradia é uma ferramenta de combate à desigualdade e à pobreza que, nesses 10 anos de existência, vem modificando a vida de muitas famílias em todas as regiões do estado. “Eu ando por todo o Pará e vejo que o Cheque Moradia vem transformando a vida de muita gente”, comentou o vice-governador, lembrando que mais de 35 mil famílias já foram beneficiadas desde a criação do programa, o que representa um investimento de cerca de R$ 191 milhões.
A presidente da Cohab, Noêmia Jacob, anunciou que para comemorar os 10 anos de criação, a instituição vai entregar, até o final de setembro, cerca de mil cheques moradias em vários municípios paraenses. Os próximos serão Santarém, no oeste do Pará, no dia 28 de agosto, e Sapucaia, na região sudeste, dia 30. “A melhor maneira de comemorarmos é entregando cheques e ajudando a transformar a vida dessas pessoas”, explica a presidente.
Noêmia Jacob lembra que o programa foi criado na primeira gestão do governador Simão Jatene, inicialmente direcionado para os funcionários públicos estaduais, sendo expandido depois para famílias vítimas de sinistros e com renda de até três salários mínimos. Por último, o benefício foi estendido a pessoas com deficiências. “O Cheque Moradia é um programa de transferência de renda. Os valores não são reembolsados pelos beneficiários. Assim, eles podem construir, ampliar ou adaptar suas casas de acordo com a necessidade e com o tamanho do seus sonhos”, comenta a presidente da Cohab.
Vidas transformadas – O cadeirante Arlen Jckson Souza, 23 anos, foi um dos beneficiados em São Caetano de Odivelas. com o auxílio da mãe, a dona de casa Maria Darcilene Souza, 47 anos, ele recebeu o cheque das mãos do vice-governador Helenilson Pontes. Emocionada, dona Maria comentou que esperava muito por este momento e que agora, finalmente, poderá reformar a casa para que o filho possa ter acesso a todos os cômodos. “Agradeço a Deus porque depois de muito esperar estou realizando este sonho”, agradeceu.
Já a agente administrativa Sueli da Silva Favacho, 29 anos, conta que há quatro anos vinha esperando para receber uma casa do Programa Minha Casa Minha Vida, que, todavia, não chegou. Ela tem quatro filhas e mora com eles na casa da mãe, que é aposentada. Em maio, Sueli recebeu a primeira parcela do benefício e deu início às obras da casa própria. “Agora vou poder morar em uma casa minha, isso parece um sonho” comentou.
A dona de casa Raiane Lorena Figueiredo, 23 anos, tem dois filhos e há tempos vinha buscando meios de construir uma casa para sua família. Ela pegou uma parte do terreno da casa de seu pai e foi atrás do benefício. Neste sábado, ela recebeu a primeira parcela. “Vou começar a construção já, não quero perder tempo”, ressaltou.
Serviço: Consulte mais informações sobre o Cheque Moradia no site da Cohab (http://www.cohab.pa.gov.br).

Texto:
Marcio Flexa-Vice-Governadoria


NOTÍCIAS DO PSDB


 
GG1_6518Mais de mil lideranças e militantes tucanos reuniram-se neste sábado, em Barretos (SP), com o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, no segundo dia de encontros promovidos pelo partido em São Paulo.
O presidente nacional foi recebido por representantes de mais de 100 municípios do interior do Estado, entre prefeitos, vices, ex-prefeitos, vereadores, gestores, militantes e demais lideranças. Acompanharam o senador, o presidente do PSDB-SP, deputado federal Duarte Nogueira, os líderes do PSDB no Senado, senador Aloysio Nunes, e na Câmara, deputado federal Carlos Sampaio, o secretário estadual de Energia, José Aníbal, e o prefeito de Barretos, Guilherme Ávila, entre outros presentes no encontro realizado para convidados em um dos ranchos do Parque do Peão, em Barretos.
Aécio Neves afirmou que o objetivo das reuniões em Ribeirão Preto, nessa sexta-feira, e deste sábado, em Barretos, foi plenamente alcançado pelo partido.
“É uma agenda de estímulo ao PSDB, de início da construção de um projeto para o Brasil. Começamos por São Paulo e estou imensamente feliz com o grande número de companheiros de toda a região aqui presente. Esse era o objetivo e ele está sendo alcançado muito além das nossas melhores expectativas”.
Queima do Alho
Em seguida, o senador caminhou pelo Parque do Peão, que também abriga o tradicional festival gastronômico “Queima do Alho”, e, atendendo a convite da direção do clube “Os Independentes”, organizador do evento, conversou com tropeiros participantes. O festival é realizado no Rancho Ponto de Pouso e premia o melhor feijão tropeiro.
“Os homens do interior, e me permitam dizer que também me considero um, gostam do convívio, da confraternização. Tem gente, tem governo, que diz que mudou o Brasil. Mas quem está mudando o Brasil é o trabalho dessas pessoas do campo, assim como de todos os trabalhadores do país”, observou Aécio.






Senador Aecio Neves durante visita ao Hospital do Cancer de Barretos SP Foto George GianniO presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), participou, neste sábado  (24) de visita ao Hospital de Câncer de Barretos (SP), onde conheceu esse importante centro médico do país.
Acompanhado pelo prefeito municipal, Guilherme Ávila (PSDB), pelo presidente do Diretório de São Paulo, deputado federal Duarte Nogueira, pelo secretário estadual de Energia, José Aníbal, e pelo deputado estadual Pedro Tobias, conheceu o centro de robótica, parte da ala infantil e demais instalações do hospital filantrópico pertencente à Fundação Pio XII.
Em 2011, o complexo hospitalar ganhou um instituto de treinamento em cirurgia robótica custeado pelo governo de São Paulo.
“É algo absolutamente extraordinário, que mostra que quando há determinação, quando os objetivos são traçados e há uma união de esforços, as coisas acontecem. O que temos aqui é uma referência não apenas nacional, é uma referência internacional do ponto de vista tecnológico, mas, mais do que isso, uma característica, que é essa que deve ser ressaltada, com 100% de atendimentos SUS. Portanto, é um projeto que deve inspirar outros projetos dessa qualidade. É a demonstração de que o Brasil pode ter, sim, investimentos bem orientados e tecnologia de ponta como essa. É algo que reflete o Brasil que queremos ver construído, o Brasil que queremos ver funcionando”, disse o senador durante a visita.
Médicos cubanos
Em entrevista, o presidente nacional do PSDB disse que falta transparência no acordo firmado entre o governo federal e o regime de Cuba para remuneração dos médicos contratados para prestar atendimento no Brasil.
“É um assunto que não pode ser tratado de forma ideológica, tem que ser tratado com muita seriedade. O que me parece extremamente grave, e isso sim tem que ser discutido com extrema profundidade, é o governo brasileiro remunerar um governo autoritário, e não os médicos. Não se sabe sequer quanto esses médicos ganharão. É claro que há um déficit hoje, crônico, de médicos no Brasil. Também por ausência nos últimos anos de uma política de estímulos e de valorização das boas universidades, mas a grande realidade é que estamos hoje sem saber que tipo de trabalho ou que tipo de serviços esses médicos vão prestar. Essa questão tem de ficar mais clara e transparente para que possamos fazer algo que atenda ao interesse da população, principalmente, dos municípios desassistidos por médicos”, afirmou Aécio Neves.





GG1_6500O presidente do diretório estadual do PSDB em São Paulo, deputado federal Duarte Nogueira, defendeu neste sábado (24) a união do partido em torno de um projeto alternativo para o Brasil.
O tucano esteve hoje em Barretos com o presidente nacional da legenda, senador Aécio Neves (MG). O encontro reuniu lideranças de mais de 100 municípios do interior paulista.
“Todos nós, independentemente do nosso local de nascimento e de moradia, somos brasileiros. E temos como responsabilidade unir todas as nossas forças e energias para fazer o melhor por nosso país. Não é hora de a gente escolher território. É hora de pensar o Brasil como um todo. É hora de união”, disse Duarte Nogueira.



GG1_6514O líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes (SP), fez neste sábado (24) um discurso em defesa da união do partido para a construção de um novo projeto para o Brasil. O discurso ocorreu durante o encontro regional com mais de 1000 lideranças, em Barretos (SP).
Aloysio esteve na cidade ao lado do presidente nacional da legenda, o senador mineiro Aécio Neves.
E destacou: “Esse encontro evidencia a busca de uma alternativa de mudança de governo, com outra cara e estilo. Esse é o trabalho que o senador Aécio como presidente do partido começa a fazer para preparar o partido para enfrentar a eleição de 2014. E esse é um começo muito promissor.”
Assim como demais líderes presentes, o senador tucano fez questão de ressaltar a união do PSDB: “O partido hoje quer a mudança, quer ser o polo arregimentador de todas as forças políticas e sociais que querem encerrar o ciclo do PT no governo e abrir caminho para uma nova etapa em nossa história”, disse.







prefeito botucatuO prefeito de Botucatu (SP), João Cury, afirmou, neste sábado (24), em Barretos, que a visita do presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), renova a energia do partido no interior de São Paulo.
“A visita permite ao presidente do PSDB conhecer as lideranças regionais. O partido cresce à medida em que escuta sua militância. Quem ouve mais erra menos. E o senador Aécio tem esse compromisso de dialogar com a sociedade. A presença dele nos estimula e faz crer que teremos um partido mais oxigenado e mais próximo da realidade da população brasileira.”


PSDB - Comissão Nacional - Avenida L2 Sul, quadra 607,
Edifício Metrópolis, cobertura 2 - CEP 70200-670 - Brasília-DF
Fone: (0xx61) 3424-0500 - Fax: (0xx61) 3424-0515 - tucano@psdb.org.br


Caravana Pro Paz chega à Ilha do Marajó
A Caravana Pro Paz chegou à Ilha do Marajó na tarde deste sábado, 24. Por conta de problemas técnicos, a embarcação que leva a equipe do projeto não pode aportar em Salvaterra, conforme o planejado, e teve que seguir para o município de Soure, onde ficará ancorada durante os quatro dias de ação destinados a essas duas localidades. Diante do imprevisto, a agenda de atividades da Caravana, que previa ação nos dias 24 e 25 em Salvaterra, e 27 e 28 em Soure, teve que ser reprogramada, o que, todavia, não causará nenhum prejuízo à população.
Hoje o dia será destinado para a organização da infraestrutura. O atendimento à população começa inicialmente pelo município de Soure, nos dias 25 e 26. Nos dias 27 e 28, as ações são destinadas aos moradores de Salvaterra, que terão transporte cedido pela prefeitura local para levá-los ao município vizinho, onde a embarcação do Pro Paz está aportada.
Uma grande estrutura foi montada para a realização desta edição da Caravana. O atendimento médico será realizado no primeiro andar da mesma embarcação que está transportando os profissionais envolvidos nesse trabalho. A gerente do Pro Paz, Cláudia Vinagre, explica que foram montados 15 consultórios individuais e climatizados e cinco salas para a realização de exames. A área de espera também é climatizada, proporcionando mais conforto para os pacientes e colaboradores.
“Nossa intenção com essa mudança de estrutura foi garantir mais conforto tanto para o usuário como para o servidor que trabalha embarcado. Em condições mais apropriadas, os servidores que estão conosco terão uma estadia mais agradável, o que fará com ele tenha ainda mais prazer em levar saúde, cidadania e arte para a população”, destacou Cláudia Vinagre, coordenadora da Caravana Pro paz.
O técnico de informática da Defensoria Pública, Fábio Machado, participou de todas as edições da Caravana Pro Paz em 2012. Para ele a nova estrutura preparada para as viagens demonstra a preocupação da coordenação do projeto com a valorização do servidor público e reflete diretamente no serviço prestado à população. “É muito boa a estrutura que ofereceram pra gente esse ano. A gente tem mais conforto e isso é essencial pra que consigamos prestar um serviço de qualidade. Agora sim, eu digo que a caravana está no ponto”.
Para Fábio, trabalhar na caravana é uma experiência única e engrandecedora, que faz com que todos que compartilham dela mudam a maneira como enxergam a vida. “Quando a gente embarca numa missão dessas não tem jeito, a gente volta uma outra pessoa, porque vemos de perto a necessidade desse povo que enfrenta tantas dificuldades para garantir coisas simples, como atendimento básico de saúde e documentos. Eu gosto muito desse trabalho e faço questão de participar”.
A Caravana Pro Paz vai oferecer consultas em Clínica Geral, Pediatria, Neurologia, Cardiologia, Urologia, Dermatologia, Endocrinologia e Reumatologia. Também serão oferecidos exames laboratoriais, eletrocardiograma, ultrassom e exame preventivo ginecológico. A Caravana Pro Paz também integra ações de arte e cidadania, com a exibição de cinema itinerante do Instituto de Artes do Pará (IAP), apresentados em espaços públicos, e emissão de documentos como carteiras de Identidade e Trabalho, CPF e certidões de nascimento, por meio da Polícia Civil e da Defensoria Pública, que ainda oferece atendimento jurídico. As ações de cidadania serão realizadas em prédios escolares nas sedes municipais.
Até o dia 02 de outubro a Caravana irá percorrer 11 municípios. Depois da Ilha do Marajó, a equipe segue para o Baixo Amazonas.  Isabela Jatene, integrante do Comitê Gestor do Pro Paz, explica que “assim que todas as unidades ficarem prontas, uma caravana rodoviária será montada para percorrer as outras regiões”. A intenção é levar atendimento para todo o Estado.
“A Caravana Pro Paz é uma política pública, não é uma coisa sazonal, com atendimento esporádico. Esta edição da Caravana, inclusive, complementa todos os serviços já realizados na incursão que fizemos no ano passado pela Ilha do Marajó. Além disso, vamos continuar com a Caravana Oftalmológica Pro Paz, que nos próximos dias fará atendimentos na Região do Caeté”, reiterou. 
A Caravana Propaz é uma realização do Governo do Estado, por intermédio do Pro Paz, Sespa, Seas, Defensoria Pública, IAP e Polícias Civil e Militar.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom


Governo, prefeitura e centrais sindicais fazem primeira reunião de trabalho
Representantes do governo do Estado, da prefeitura de Belém e das centrais sindicais se encontram na próxima segunda-feira, 26, para dar início às reuniões de trabalho que vão analisar a pauta de reivindicações dos movimentos sindicais no Pará. Nesta primeira reunião, os secretários de Estado Sérgio Leão (Proteção e Desenvolvimento Social), Alice Viana (Administração)  e José Tostes (Fazenda) vão apresentar um "Panorama Fiscal e Financeiro do Estado". A partir daí, seis grupos de trabalho, divididos por área temática, terão trinta dias para apresentar propostas que serão entregues diretamente ao governador Simão Jatene.


Seduc promove IV Jornada de Oficinas e Palestras em parceria com a Caruanas do Marajó
A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) promove, no município marajoara de Soure, a VI Jornada de Oficinas e Palestras, que tem como tema “Mãos Caruanas...Mão que Fazem”. O evento, realizado em parceria com a Instituição Caruanas do Marajó, tem como objetivo promover ações que auxiliem os jovens a descobrirem suas aptidões e interesses profissionais, para que tenham condições de saber que atividades pretendem desenvolver no mercado de trabalho.
Trata-se de uma programação em que a aprendizagem pode ser realizada de forma instigadora, lúdica, fomentando a reflexão e dando subsídios para que os jovens façam suas escolhas de maneira consciente, para uma efetiva inclusão social. Também, estimula crianças e adolescentes a darem continuidade aos seus estudos e, consequentemente, a escolherem com consciência suas profissões futuras.
Durante os cinco dias do evento, a Seduc promoverá, juntamente com a Instituição Caruanas, mais de 50 palestras e oficinas sobre os seguintes temas: cultura de paz, reciclagem de papel, origami, curso básico de eletrecidade, curso de secretariado, processamento de produtos de origem vegetal, como elaborar um bom curriculum e curso de bijuterias. Além disso, a Secretaria de Educação capacitará representantes de turma das escolas estaduais do município de Soure por meio do projeto desenvolvido pela Assessoria Política da instituição (Aspol).


Encontro Temático da Juventude chega ao último dia de debates
Termina neste sábado, 24, o Encontro Temático da Juventude, evento preparatório para a organização e criação dos Conselhos Municipais de Juventude nos municípios da Região Metropolitana de Belém. Neste último dia, os jovens debateram temas e propuseram políticas públicas que possam garantir o protagonismo juvenil em suas cidades. O encontro, que começou na sexta-feira, 23, está sendo realizado no Hotel Gold Mar, em Belém.
Os jovens que participam da programação debatem qual a melhor atuação dos Conselhos de Juventude no que diz respeito à criação e fiscalização de leis e também à garantia de direitos do segmento. Para Ari Figueiredo, de Santa Izabel, a participação do público jovem é fundamental para que se possa questionar e garantir a aplicação de recursos para projetos sociais voltados para essa faixa. “Precisamos garantir recursos que realmente beneficiem a juventude. Esse encontro tem sido bastante proveitoso para que possamos dizer o que queremos em termos de políticas públicas nas áreas da cultura e educação, além de dar um primeiro passo para a criação do Conselho de Juventude em Santa Izabel”, declarou.
O gerente de Planejamento do Pro Paz, Simão Bastos, ressaltou que os Encontros Temáticos da Juventude promovidos pelo Governo do Estado estimulam o protagonismo juvenil e a articulação política para o fortalecimento da cidadania por meio da discussão de temas nas mais diversas áreas, como educação, esporte, lazer e segurança”, afirmou.
A mediadora do Encontro Temático da Juventude, Lorena Moreira, disse que o Encontro permite aos gestores e profissionais que atuam na defesa dos direitos e promoção do bem-estar dos jovens ouvir os problemas que atingem esse segmento na Região Metropolitana de Belém. “O foco principal é a criação dos Conselhos Municipais, mas também é nosso papel identificar os problemas e suas necessidades, em parceria com os própios jovens, para que possamos combater os principais problemas que afetam essa parcela da população”, pontuou.
Para Pablo Alves, de Marituba, o saldo do encontro é bastante positivo, já que permitiu aos representantes de vários municípios apresentarem os problemas de sua cidade e, junto com outros jovens, buscar soluções para essas demandas. “Essa é a oportunidade de criar uma voz para que possamos ser ouvidos pelas prefeituras e pelo governo estadual. Acredito que ao sair daqui vamos ter melhores oportunidade de criar os conselhos municipais e fazer valer os nossos direitos. Em Marituba, por exemplo, temos uma carência na área de lazer e também um sério problema com as drogas e mau desempenho escolar dos jovens. Ao sair daqui posso debater, com maior conhecimento, políticas públicas para essas áreas”, disse.
Está prevista para o segundo semestre a realização de Encontros Temáticos da Juventude nas cidades de Redenção, Altamira, Itaituba, Castanhal, Abaetetuba e Salvaterra. O Encontro Temático da Juventude é uma iniciativa do Programa Pro Paz, em parceria com a Coordenadoria de Promoção dos Direitos da Juventude da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

Texto:
Brena Moreira-Pro Paz


Presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves,
visita Hospital de Câncer, em Barretos 
 São Paulo -  24 de agosto de 2013

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG) participou hoje (24) de visita ao Hospital de Câncer de Barretos (SP), onde conheceu esse importante centro médico do país. Acompanhado pelo prefeito municipal, Guilherme Ávila (PSDB),  pelo presidente do Diretório de São Paulo, deputado federal Duarte Nogueira, pelo secretário estadual de Energia, José Aníbal, e pelo deputado estadual Pedro Tobias, conheceu o centro de robótica, parte da ala infantil e demais instalações do hospital filantrópico pertencente à Fundação Pio XII. Em 2011, o complexo hospitalar ganhou um instituto de treinamento em cirurgia robótica custeado pelo governo de São Paulo.  

"É algo absolutamente extraordinário, que mostra que quando há determinação, quando os objetivos são traçados e há uma união de esforços, as coisas acontecem. O que temos aqui é uma referência não apenas nacional, é uma referência internacional do ponto de vista tecnológico, mas, mais do que isso, uma característica, que é essa que deve ser ressaltada, com 100% de atendimentos SUS. Portanto, é um projeto que deve inspirar outros projetos dessa qualidade. É a demonstração de que o Brasil pode ter, sim, investimentos bem orientados e tecnologia de ponta como essa. É algo que reflete o Brasil que queremos ver construído, o Brasil que queremos ver funcionando", disse o senador durante a visita. 

Médicos cubanos

Em entrevista, o presidente nacional do PSDB disse que falta transparência no acordo firmado entre o governo federal e o regime de Cuba para remuneração dos médicos contratados para prestar atendimento no Brasil.

"É um assunto que não pode ser tratado de forma ideológica, tem que ser tratado com muita seriedade. O que me parece extremamente grave, e isso sim tem que ser discutido com extrema profundidade, é o governo brasileiro remunerar um governo autoritário, e não os médicos. Não se sabe sequer quanto esses médicos ganharão. É claro que há um déficit hoje, crônico, de médicos no Brasil. Também por ausência nos últimos anos de uma política de estímulos e de valorização das boas universidades, mas a grande realidade é que estamos hoje sem saber que tipo de trabalho ou que tipo de serviços esses médicos vão prestar. Essa questão tem de ficar mais clara e transparente para que possamos fazer algo que atenda ao interesse da população, principalmente, dos municípios desassistidos por médicos", afirmou Aécio Neves.


Sespa cria aplicativo sobre manejo clínico de acidentes com animais peçonhentos
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e o Centro de Informações Toxicológicas (CIT-Belém) vão lançar, nesta segunda-feira 26, às 10h, no auditório do Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB), o Aplicativo Móvel para smartphone sobre Manejo Clínico de Acidentes por Animais Peçonhentos.
O programa foi desenvolvido pela equipe do Núcleo de Tecnologia da Informação e Informática em Saúde (NTIIS) da Sespa e tem o objetivo de facilitar o acesso dos profissionais de saúde às orientações para o atendimento adequado e imediato às vítimas em casos de acidentes com animais peçonhentos, uma vez que o conteúdo completo pode ser baixado para o celular e ficar sempre disponível ao profissional em qualquer parte do mundo.
O CIT-Belém funciona no 5º andar do Hospital Barros Barreto, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, e tem a finalidade de prestar informações e orientações aos profissionais da área de saúde e ao público em geral, 24 horas, via telefone, para o atendimento de pessoas ou animais intoxicados por plantas, drogas, produtos químicos ou animais de peçonha.
O projeto de criação do aplicativo foi apresentado pelo coordenador do CIT-Belém, Pedro Pardal, ao secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, a quem pediu patrocínio da Sespa para viabilizar a iniciativa. A consolidação do sistema exigia um investimento de R$ 18 mil, que só poderia ser adqurido junto a uma empresa de tecnologia. O titular da Sespa decidiu, então, encaminhar o projeto ao NTIIS, cuja equipe concluiu que os próprios profissionais do Núcleo poderiam realizar o trabalho sem nenhum ônus financeiro para a Sespa.
Segundo o coordenador do Núcleo, Marcos Oliveira Silva, o aplicativo foi desenvolvido pelos analistas de sistema Ivo César Alencar e Luiz Fernando Covre, que, utilizando tecnologia de codificação web, adaptaram o conteúdo sobre Manejo Clínico de Acidentes por Animais Peçonhentos para a linguagem de internet, permitindo que ele possa ser baixado para smartphones e acessado em qualquer lugar do mundo. Por enquanto, o aplicativo está disponível no site da Sespa e só pode ser baixado do Google Play para smartphones que dispõem de sistema Android. No entanto, conforme Marcos, a Sespa  já está solicitando licença para que o aplicativo também possa ser baixado para Iphones.
A partir dessa experiência, o NTIIS deu imediato andamento a outros aplicativos importantes e já está concluindo um sobre DST/Aids, Dengue e Sífilis, e mais adiante um sobre leishmaniose.
Epidemiologia – Os acidentes por animais peçonhentos são um problema de saúde pública e o atendimento imediato é fundamental para a sobrevivência das vítimas e redução de possíveis sequelas. De acordo com o coordenador estadual de Zoonoses, Reynaldo Lima, em 2012 foram notificados 7.404 acidentes por animais peçonhentos no Pará, sendo 4.839 (65,36%) por serpentes, 1,821 (24,59%) por escorpiões, 342 (4,62%) por aranhas, 83 (1,12%) por abelhas, 24 (0,32%) por lagartas e 238 (3,21%) por outros animais.
Já em 2013, até o momento foram notificados 4.119 acidentes por animais peçonhentos, sendo 2.889 (70,14%) por serpentes, 867 (21,05% ) por escorpiões, 175 (4,25%) por aranhas, 66 (1,60%) por abelhas, 15 (0,36%) por lagartas e 81 (1,97%) por outros animais peçonhentos. Conforme Reynaldo, devido à disposição geográfica do Pará, os acidentes provocados por animais peçonhentos ocorrem em todo território paraense, porém com maior frequência na região do Marajó e oeste do Estado.
Ele informou, ainda, que a maior dificuldade enfrentada pelos profissionais para fazer o atendimento ainda é a identificação dos animais responsáveis pelos acidentes, já que os soros estão disponíveis em todos os seus hospitais municipais e unidades de saúde do estado. Por isso, em caso de acidente a principal orientação é procurar a unidade de saúde mais próxima e procurar dar o profissional de saúde a identificação exata do animal.
Sobre o aplicativo, Reynaldo disse que com certeza ele vai facilitar aos profissionais de saúde o acesso às informações gerais sobre manejo clínico de pacientes acometidos por esse tipo de acidente. “A parceria com a Sespa é muito importante para o CIT-Belém porque quanto mais informação chegar aos profissionais de saúde, melhor será o atendimento e, consequentemente, melhores serão os resultados”.
Serviço: O CIT funciona 24h e atende pelos fones 0800 722 6001 / 324-96370 / 3259-3748 ou pelo site http://citpabelem.webnode.com/. O aplicativo pode ser baixado do site da Sespa (www.saude.pa.gov.br) ou pelo Google Play.

Texto:
Roberta Vilanova-Sespa


Projeto da Fundação Curro Velho destaca a técnica da gravura
O Projeto Seiva – Conversações sobre Arte e Ofício, da Fundação Curro Velho, comemora neste mês de agosto um ano de atividades e, para marcar a data, estão programadas para a semana que se inicia diversas atividades como cursos, palestras, worshops e bate papos com artistas paraenses.
A técnica da Gravura será o tema principal de um bate-papo que acontece na terça-feira, 27, a partir da 9h, na sede do Curro Velho, e terá como convidados os artistas Ronaldo Moraes Rêgo (PA) e Saulo di Tarso (SP). O objetivo é traçar um panorama da produção da gravura no estado do Pará, destacando o papel da Fundação Curro Velho nesse contexto, e também no Brasil. O artista visual e técnico da FCV responsável pelo Laboratório de Gravura, Pablo Mufarrej ,será o mediador do encontro.
Como parte da programação do Seiva, foi aberta na última sexta-feira, 23, durante a programação da Feira da Beira, uma grande mostra de Gravura montada na nave (hall de entrada) da sede do Curro Velho, abrindo parte do acervo de Gravura e apresentando uma variedade de técnicas, procedimentos e experimentações, características do tipo de produção desenvolvido nas oficinas, cursos e ateliês, no decorrer desses 22 anos de atividades da Fundação Curro Velho.
A programação do Seiva também chegará à Casa da Linguagem com uma mostra individual do convidado Saulo di Tarso, apresentando duas séries de desenhos, pinturas e gravuras inéditas no espaço da Galeria.
Ao longo de um ano de atividades, o projeto Seiva – Conversações sobre Arte e Ofício trouxe artistas renomados para o encontro na sede do Curro Velho, entre eles Berna Reale (sobre Cerâmica), Nadam Guerra e Nando Lima (sobre Perfomance), Martón Maués, Virginia Abastos e Antonio Marcos (sobre Arte Circense), Paulo Nunes e Paulo Vieira (Literatura), Almires Guarani, Márcio Kambeba, Mestre Chico Tembém (Culturas Indígenas), Nacho Duran e Ramiro Quaresma (Artes Digitais).
A programação é realizada sempre na última terça-feira de cada mês, a partir de 9h, com entrada franca, no teatro da Fundação Curro Velho, no bairro do Telégrafo.
Programação – Saulo di Tarso é artista visual de São Paulo, desenhista, litógrafo, performer, ambientalista, organizador cultural, ensaísta, curador independente, pesquisador de estética comparada das artes visuais e da música, e ainda arte-educador. O artista volta à capital paraense depois de quatro anos e afirma que Belém e Recife são cidades referências nas Artes Visuais pela criatividade dos artistas locais.
Durante o período em que fica na capital paraense, Saulo di Tarso irá ministrar o workshop prático “A Gravura Expandida”, de 28 a 30 de agosto, das 9h às 12h, na sede da Fundação Curro Velho. Serão ofertadas 20 vagas, para alunos com idade a partir dos 16 anos e que tenham experiência prévia com técnicas de gravura.
A programação do Seiva ganhou um novo parceiro nesta edição: o Instituto de Artes do Pará. Dois eventos serão realizados no auditório do IAP, entre eles o painel Leitura e Construção de Portfólio Digital, com Saulo di Tarso, que tem como objetivo contemplar as necessidades de socialização do trabalho artístico nas esferas institucional, educacional e criativa. O curso se dirige a artistas, críticos, curadores, coletivos e todos aqueles que operem a linguagem visual e necessitem interagir em suas rotinas profissionais - seja para apresentar projetos ou participar de outras atividades - através da apresentação de um portfólio.
Durante os três dias de atividades, que acontecem no horário de 14h as 20h, no IAP, Saulo di Tarso, falará sobre leitura e construção do portfólio digital; abordagem dos conceitos de autobiografia, biografia e cronologia como instrumentos de organização do trabalho e sua circulação em projetos, coletivos, instituições e apontamentos individuais; as origens e aplicações do texto para portfólios: currículo, análises, críticas e o texto como obra e, Análise do portfólio construído pelo grupo.
No dia 29 está programado um encontro aberto sobre o tema “Curadoria como fundamento do trabalho artístico”, a partir das 19h, com entrada franca, no auditório do IAP.

Texto:
Andreza Gomes-FCV


Secretarias de Estado apoiam fórum sobre gestão ambiental em saúde
Nos dias 19 e 20 de setembro, o Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH) promoverá, em Belém, o “I Fórum de Gestão Ambiental em Saúde da América Latina”, com o tema central: “Recurso Água”. O evento vai reunir especialistas renomados do Brasil e América Latina para o debate de questões como o impacto ambiental causado pelos serviços de saúde, os processos operacionais que permitem o gerenciamento dos recursos naturais e a importância da gestão ambiental nesses serviços.
O evento tem o apoio do Governo do Estado, por meio das secretarias de Saúde Pública (Sespa), Meio Ambiente (Sema) e de Integração Regional, Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Seidurb), tendo em vista que o INDHS é a organização social que administra o Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), e o Hospital Geral de Tailândia (HGT), que recentemente receberam o selo prata do Centro de Estudos em Sustentabilidade, da Fundação Getúlio Vargas, destinado às empresas e instituições que divulgam inventários de emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE).
Sob a administração do Instituto Nacional estão, ainda, os hospitais “Dr. Eugênio Gomes de Carvalho”, na cidade de Pedro Leopoldo (MG), e o Regional de Sorriso, no Mato Grosso, que fazem parte de uma lista seleta, só integrada por instituições como Sírio-Libanês e Albert Einstein, em São Paulo. “Esse relatório é o primeiro e importante passo para gestão, mapeamento e controle de emissão de gases de Efeito Estufa, além de uma demonstração de transparência gerencial e ética nos serviços”, ressaltou a coordenadora do fórum, e gerenteambiental e de projetos do INDSH, Márcia Mariani.
Sobre a temática do evento científico, ela explicou que a água está presente em praticamente todos os processos operacionais ou produtivos da área de saúde e hospitalar, seja de forma direta ou indireta. No caso de hospitais, a água está presente nos serviços de processamento de roupas, na higienização de materiais, equipamentos e instalações, no preparo dos alimentos e em procedimentos delicados, como a hemodiálise. “A inserção da gestão ambiental nos serviços de saúde pode ser considerada uma clara expressão do desenvolvimento da própria gestão em saúde no Brasil”, afirmou.
Os interessados em participar do fórum sobre sustentabilidade devem acessar o site www.forumdegestaoambientalemsaude.com. O evento acontecerá no Hotel Radisson, destinado a todos os profissionais de saúde, e outros que, embora sejam de outras áreas, também atuam nesse segmento, como engenheiros, arquitetos, ecologistas e autoridades da área de saúde e meio ambiente.
Entre os temas que estarão em debate durante a programação científica, destacam-se o Inventário de gases de efeito estufa na saúde; Licenciamento em Instituições Hospitalares; Política Nacional de Resíduos Sólidos de Saúde; ISSO 14001 em Instituições Hospitalares e de Saúde; Saneamento Ambiental; Gestão Ambiental em Instituições Hospitalares e de Saúde.

Texto:
Vera Rojas-HRB


Dona Onete e grupo Choro do Pará contagiam o público da Feira da Beira
“Esse rio é o encanto da minha vida”. Assim que Ionete da Silveira Gama, mais conhecida como dona Onete, definiu o show que apresentou na Feira da Beira, organizada pela Fundação Curro Velho, na noite desta sexta-feira, 23. Acompanha de sua banda, ela encantou o público com o seu carimbó xamegado, que ganhou fama em todo o Brasil com as músicas Jamburana e Lua Namoradeira.
As irmãs Carmen Leão e Elizabeth Carvalho aproveitaram a programação, que uniu lazer e música de qualidade. “Eu gosto muito de assistir shows e aqui o espaço é muito bom, bem familiar. Já frequentei bastante a Feira da Beira e hoje vim prestigiar a apresentação da Dona Onete,” contou Carmen.
O grupo Choro do Pará, composto por mais de 20 alunos da oficina de Percussão e Cavaquinho da FCV, abriu a programação da Feira da Beira, junto com o Trio Chamote. A noite teve, ainda, a mostra dos curtas de animação produzidos nas oficinas, e o espetáculo “Uma linda história de amor”, com a Companhia de Circo Fênix, que reuniu um público diversificado hall de entrada da Fundação.
Além de reunir professores, alunos, familiares e a comunidade do entorno,  Feira da Beira promoveu também um grande encontro de músicos, como Paulo Moura, Felipe e Manoel Cordeiro, Pio Lobato e Yuri Guedelha, entre outros. A superintendente da Fundação Curro Velho, Dina Oliveira, ressalta que a programação busca mostrar ao público em geral o trabalho de inclusão e formação artística que é feito na instituição com as crianças e jovens.
“Esta noite trouxemos para o público o que é produzido de melhor nas nossas oficinas de animação, circo e teatro. Uma das atrações deste ano, inclusive, também é fruto de um projeto desenvolvido pela Fundação, que é o grupo Choro do Pará. E a Feira da Beira é um programa bonito, feito com cuidado e afeto para a comunidade, realizado de uma forma acessível porque o espaço é o do povo, e é pra essas pessoas que procuramos elaborar uma programação de qualidade e familiar”, conclui.
A Feira da Beira é um espaço de lazer, cultura e arte que tem como cenário a Baía do Guajará. Em outubro, a Fundação Curro Velho planeja outra edição, com novas atrações locais e mostra de resultados de oficinas artísticas.

Texto:
Andreza Gomes-FCV


Bairros com maior índice de criminalidade em Belém são alvo de operação da PM
A Polícia Militar do Estado do Pará colocou em prática, nos dias 21 e 22, a Operação Carrossel, que visa aumentar a ação ostensiva nas áreas do Comando de Policiamento da Capital (CPC) que registram os maiores índices de homicídio, furtos e roubos, como forma de reduzir essas ocorrências por meio das ações Barreira, Saturação, Hypnos e Pegasus.
A operação mobilizou quase 100 agentes da área de segurança pública, entre o efetivo que garantiu o suporte das ações - composto por integrantes do do Corpo de Bombeiros, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Guarda Municipal de Belém, Vigilância Sanitária, Conselho Tutelar e Secretaria Municipal de Economia (Secon) - e o grupo operacional, formado por homens do 1°, 2°, 10° e 20° Batalhões. 
Na quinta-feira, 21, primeiro dia da Operação Carrossel, o efetivo de cada unidade da PM atuou simultaneamente nos bairros do Benguí, Mangueirão, Cabanagem, Una, Parque Verde e Coqueiro, enquanto que no segundo dia o foco das incursões foi voltado aos bairros do Telégrafo, Barreiro, Sacramenta e Vila da Barca. No total, 50 motos e 15 viaturas foram utilizadas nas diferentes abordagens.
O comandante da operação, capitão Rodrigo Aleixo, explica que os bairros do Una, Parque Verde, Coqueiro, Telégrafo, Sacramenta, Barreiro e Vila Barca, que apresentam altos índices de criminalidade, foram selecionados para receber a ação Saturação, de combate ostensivo, feito por homens da Ronda Tática Metropolitana (Rotam). Já o efetivo utilizado na ação Pegasus forneceu apoio a cada Batalhão nas operações Saturação e Barreira, com o serviço de moto-patrulhamento da PM.
“Essa operação já estava sendo planejada com intuito de diminuir os índices de criminalidade nas áreas consideradas mais críticas no que diz respeito à segurança. Ela se assemelha à Operação Eirene, mas foi criada para ampliar as ações da PM e reprimir a prática delituosa por meio de ações ostensivas. Esta foi a primeira vez que utilizamos esse tipo de estratégia operacional, mas o nosso objetivo é estender a operação em novas edições até que possamos comprovar, por meio de um levantamento estatístico, a redução desses números”, revelou o capitão Aleixo.
A operação Barreira, que contou com o apoio de agentes do Detran, ocorreu em oito pontos da capital, entre eles os cruzamentos das avenidas Independência e Transmangueirão, Pedro Álvares Cabral com Doca de Souza Franco e Fernando Guilhon com Roberto Camelier que, segundo o Capitão Aleixo, são pontos que mais registram índices de infrações de trânsito, principalmente durantes os fins de semana.
Detran – O agente David Cleiton, do Detran, explica que as ações de Barreira são desenvolvidas permanentemente na capital e que, especificamente dentro do cronograma da Operação Carrosel, buscou fiscalizar a situação dos condutores e também dos veículos, desde a documentação até as condições mecânicas e de segurança. “Cada barreira contou com a atuação de seis agentes de trânsito. Durante a operação as principais infrações detectadas foram a ausência de documentação por parte de motociclistas e o não uso dos equipamentos de segurança”. revela.
O mototaxista Cristiano Souza passou pela fiscalização do Detran e aprovou o trabalho que estava sendo feito. Os agentes constataram que todos o documentos da moto estavam e que ele utilizava os acessórios necessários de segurança, como capacete e colete com faixas refletivas. “Eu trabalho há quatro anos como mototaxista e sempre busquei me adaptar às normas para ter a garantia do meu emprego. Se eu cometer alguma infração ou levar alguma multa sei que é o meu trabalho que vai ficar prejudicado”, ponderou.

Texto:
Pablo Almeida-Secom


Tenoné recebe oficinas culturais do Projeto Circuito das Artes
Fábio Graf é grafiteiro desde 2006, já ministrou oficinas em diversas escolas onde teve contato com estudantes de quase todas as faixas etárias. Em comum, esses jovens tinham o interesse por conhecer um pouco mais sobre a arte da grafitagem. Dessa vez o novo desafio do professor é despertar a curiosidade da garotada atendida pela Associação de Moradores Bela Manoela (Asbema), no bairro do Tenoné, que sedia desde o início de agosto a programação do projeto Circuito das Artes, da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves.
Segundo o instrutor, a faixa etária dos alunos é abrangente. Vai desde os jovens de 15, passando por adultos na faixa dos 30, até idosos, que aparecem vez em quando para observar ou parabenizar a iniciativa. Nas aulas, Fábio leva para as pessoas da comunidade um pouco da história do grafite, estudos de coloração, técnicas de desenho e pintura. “A comunidade não tinha contato com cultura e arte, o Circuito ajudou a efervescer essa relação e aguçar a curiosidade por esse novo mundo”, conta Fábio.
Já Moisés Araújo é instrutor de Fotografia Artesanal Pinlux e participa do projeto ministrando aulas na Escola Tenoné e na Associação dos Moradores Almir Gabriel. Nas aulas, os alunos aprendem sobre a história da fotografia e como construir sua própria máquina usando uma caixa de fósforos. “A tecnologia é muito boa, mas a criança ou mesmo o fotógrafo está tão interado com ela que esquece de pensar no registro que vai fazer e tudo vira apenas um clique”, explica Moisés, que como Fábio também vê no Circuito das Artes uma ferramenta de aproximação entre a comunidade e a cultura.
Essas são apenas duas das dez oficinas que estão acontecendo no bairro do Tenoné e que prosseguem até o final deste mês com uma mostra de resultados e um show do grupo Gang do Eletro, que promete agitar o bairro. O projeto oferece, ainda, aulas de reciclagem pet, dança regional, iniciação à fotografia, audiovisual e dança de rua. Os próximos a receber as ações do projeto serão os bairros da Terra Firme e Beco do Carmo.
O Circuito
A Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, através da Lei Rouanet, com o patrocínio da Vale e Banpará, iniciou o projeto “Circuito das Artes” em março deste ano e já atendeu os bairros do Jurunas, Guamá, Pratinha I, Pratinha II e Marambaia. Somando as atividades realizadas nos cinco bairros, já foram 28 as oficinas minitradas envolvendo diversas linguagens artísticas, como artes plásticas, fotografia, dança, grafitagem e audiovisual, e 451 pessoas atendidas em onze escolas e cinco centros comunitários. O projeto mobiliza 28 profissionais de diferentes habilidades artísticas.
No final do ciclo de oficinas em cada bairro aconteceram as mostras de resultados, com a realização de fotovarais, projeções audiovisuais e fotográficas, danças regionais e urbanas, teatro de fantoches, teatro de rua, apresentações de grupos folclóricos das escolas e shows musicais. Além disso, o Circuito das Artes promoveu a limpeza e revisão da iluminação de quatro praças, do entorno e da quadra de esportes da Escola Eunice Weaver, e, por meio da oficina de grafitagem, garantiu melhorias na praça Iza Marques, do bairro da Pratinha I.

Texto:
Luiz Flávio-FCPTN


Campanha para atualização de carteira de vacinação começa no Estado
Mãe de Elis Rebeca, de sete meses, a estudante Rafaela da Silva, de 19 anos, foi uma das primeiras usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS) a procurar a Unidade Municipal de Saúde do Tapanã, em Belém, a fim de obter informações sobre quais vacinas a filha ainda precisa tomar. Munida da carteira de vacinação da pequena Elis, ela testemunhou o lançamento do Dia D de Mobilização, que marcou neste sábado, em todo o Pará, o início da campanha nacional para atualizar a caderneta de vacinação das crianças menores de cinco anos. Só para este sábado, foram abertos 2.822 postos de vacinação em todo o estado, sendo 422 volantes.
Assim como outros tantos pais e responsáveis que estavam na Unidade, Rafaela estava empenhada em proteger a filha de pelo menos 19 doenças que podem evitadas pelas vacinas que compõem o calendário básico infantil, objetivo principal dessa campanha que prossegue até sexta-feira, 30. “Aproveitei o meu dia de folga porque não terei tempo de vir durante a semana. Acho que muita gente vai ter essa mesma iniciativa”, disse.
O secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, afirma que mesmo após esse prazo, as vacinas continuarão disponíveis. “É uma semana em que todos os profissionais de saúde que estiveram na Atenção Primária terão que reforçar essa abordagem junto os pais das crianças menores de cinco anos”, ressaltou, durante o lançamento da campanha, ocorrida na UMS do Tapanã, numa parceria com a Secretaria de Saúde de Belém (Sesma).
Na oportunidade, a coordenadora estadual do Programa de Imunizações da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Jaira Ataíde, complementou que, ao levar as crianças aos postos de saúde, é importante que os pais estejam com a caderneta de vacinação em mãos. Porém, mesmo que não tenham o documento, os responsáveis não devem deixar de participar da campanha. “Caso não haja no posto um registro de quando a criança recebeu a última vacina, serão seguidos os protocolos de atualização de acordo com a faixa etária”, explicou.
Para a campanha estão sendo ofertadas todas as vacinas do calendário básico infantil: BCG, hepatite B, penta, inativada poliomielite (VIP), oral poliomielite (VOP), rotavírus, pneumocócica 10 valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e DTP (difteria, tétano e coqueluche). As doses oferecidas são as mesmas da rotina.
A coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesma, Orliuda Bezerra, pede que a população tire todas as suas dúvidas quando for levar suas crianças ao posto de vacinação. “Só com o esquema completo para cada uma das vacinas, a criança estará devidamente protegida. Por isso, a população deve explorar ao máximo o profissional de saúde, que está treinado a responder sobre o assunto”, afirma.
Com 2.400 postos fixos funcionando nas Unidades Básicas de Saúde e nas salas do Programa de Saúde da Família (PSF), que estarão a serviço da campanha, a vacinação no Pará não tem uma meta ou quantidade de crianças a serem atingidas. Para Roseana Nobre, coordenadora de Vigilância em Saúde da Sespa, o diferencial agora é a estratégia de examinar o histórico vacinal da criança. “Não se trata de um trabalho para formar uma barreira de imunização para uma única doença, e sim para atualizar a proteção geral que toda criança menor de cinco anos deve ter”, explica.
Por meio de slides, o Ministério da Saúde disponibilizou um link para que o público em geral entenda, inclusive com infográficos, os objetivos da campanha de atualização das vacinas. Para acessá-lo basta que o usuário consulte o endereço http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/arquivos/pdf/2013/Ago/15/apresentacao_atualizacao_caderneta_1508.pdf.

Texto:
Mozart Lira-Sespa


I Seminário Estadual sobre População em Situação de Rua
A Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) promove quarta-feira (28), no auditório da Computer Hall, o I Seminário Estadual sobre População em Situação de Rua. O evento será destinado aos trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e a técnicos e gestores das áreas de assistência social, saúde, justiça, segurança pública e promoção social.
Programação:
8h – Credenciamento
9h – Abertura
9h30 – Painel: Contextualizando o fenômeno
A Complexidade do fenômeno e os desafios para as políticas públicas
Pessoas em situação de rua: da intolerância à inclusão social
10h30 – Debate
11h30 – Mesa redonda: propostas de intervenção das políticas de assistência social e saúde para a população em situação de rua
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome
Ministério da Saúde
12h10 – Debate
12h30 – 14h – Almoço
14h – Protocolo de ações integradas e fluxo de atendimento à população em situação de rua em Belém (Seas, Funpapa, Sespa, Sesma, Defensoria Pública)
15h15 – Debate
15h45 – Aspectos da inclusão das pessoas em situação de rua: cadastro único, pesquisa sobre esta população em Belém, serviço de abordagem, relato de experiência
17h30 – Encerramento





Contatos: Inara Soares/ Marina Pedroso (Ascom Seas): 8895-6758


Com terceirização, Susipe melhora qualidade da alimentação dos detentos
Com o objetivo de melhorar a qualidade da alimentação servida a detentos, a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) está terceirizando o fornecimento em todas as 42 Unidades Prisionais do Estado. O novo modelo prevê que as empresas vencedoras da licitação sejam responsáveis pela adequação (com reformas) das cozinhas dos centros de detenção, de acordo com as normas da vigilância sanitária, e também empreguem, no mínimo, 30% da mão de obra carcerária. Anteriormente, a alimentação era fornecida pela Susipe, que adquiria os alimentos e distribuía para as Unidades Prisionais. A comida era preparada nas cozinhas das unidades, pelos próprios detentos.
Segundo o titular da Susipe, André Cunha, “o novo modelo prevê o melhor aproveitamento e adequação funcional das cozinhas de todas as unidades prisionais. A adoção desse modelo resulta, primeiramente, da deterioração encontrada nesses espaços quando assumimos a gestão, uma vez que quase todas as cozinhas foram reprovadas pela vigilância sanitária. Com essa medida, além de melhorarmos a qualidade da alimentação dos presos, também garantimos a qualificação profissional. Com a terceirização vamos melhorar, ainda, a segurança da Unidade, evitando que utensílios, como facas e outros objetos cortantes, possam ser levados pelos presos para as celas", explicou o superintendente.
Para a implementação da terceirização, as unidades prisionais do Estado foram divididas em quatro grandes áreas para licitação, das quais três já estão com as empresas prestando serviços. “A última empresa, responsável pela região oeste, já assinou o contrato e deverá assumir em menos de 30 dias. As outras três regiões estão no processo de reforma e adequação das cozinhas. Em algumas Unidades Prisionais será necessária a construção de novos espaços”, informou André Cunha.
Reforma - O Centro de Recuperação Regional de Tucuruí, localizado no sudeste do Estado, foi o primeiro a adotar o novo modelo. A cozinha da unidade foi reformada, seguindo todas as exigências técnicas da vigilância sanitária. O local foi equipado com fogão industrial, cinco freezers (cada um armazena um tipo de alimento, evitando a contaminação), chapa a gás, panelas industriais, mesas e suportes, onde são colocados grãos e outros alimentos não perecíveis, facilitando a estocagem e a limpeza do local.
De acordo com Ricardo Araújo, gerente-administrativo da empresa que atua na cozinha do Centro de Tucuruí, diariamente são servidas aos internos três refeições - café da manhã (cerca de 300), almoço e jantar (600 por dia). Na cozinha trabalham oito funcionários, sendo três internos da própria Unidade Prisional (dois auxiliares de cozinha e um de serviços gerais). Todos usam toucas, aventais e botas. Os equipamentos são trocados a cada três meses, para evitar contaminação.
A equipe é composta por um gerente administrativo, dois cozinheiros, dois auxiliares de cozinha, dois de serviços gerais (para limpeza periódica da cozinha) e um nutricionista, que elabora o cardápio e supervisiona a preparação dos alimentos e a higiene do local.
Capacitação - Os internos que trabalham na cozinha do Centro de Tucuruí também recebem capacitação profissional. Segundo o nutricionista Carlos Monteiro, os internos estão tendo aulas de manipulação e microbiologia dos alimentos. “Eles estão aprendendo os procedimentos corretos para armazenar alimentos, higiene pessoal, higienização do ambiente e utensílios, além da orientação para preparação de diversos pratos. Nós seguimos todas as recomendações da vigilância sanitária nos procedimentos. Não é porque são presos que vamos nos preocupar menos com a qualidade da alimentação”, completou Carlos Monteiro.
O detento Francisco Teixeira, que está preso há sete anos no Centro de Tucuruí, trabalha na cozinha da Unidade Prisional desde a readequação do espaço. “É uma experiência muito boa. Sou tratado muito bem por todos da equipe. Também estamos tendo a oportunidade de conseguir um emprego, com qualificação profissional. Pretendo ser cozinheiro quando sair da prisão”, disse ele.
Os internos que trabalham na cozinha apresentam histórico de bom comportamento e passaram por uma seleção psicossocial, realizada por uma equipe multidisciplinar e de segurança da Unidade Prisional, e são acompanhados por um agente prisional no local de trabalho.
Para o diretor do Centro de Tucuruí, Gilmar de Melo, a terceirização foi positiva. “Houve considerável melhoria na qualidade e na quantidade dos alimentos, além da correta utilização, pois a empresa contratada mantém um estoque suficiente para suprir todas as necessidades no preparo das refeições. Hoje, nós não precisamos mais nos preocupar com demandas administrativas e de logística para o transporte dos alimentos', concluiu.

Texto:
Timoteo Lopes-Susipe


Hospital Ophir Loyola faz programação alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Fumo
A Divisão de Educação Continuada e Prevenção do Câncer do Hospital Ophir Loyola promove uma ação de saúde alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado na próxima quinta-feira (29). A programação objetiva informar a sociedade sobre os danos causados pelo tabaco à saúde e ao meio ambiente. A data será celebrada quarta-feira (28), de 8 às 16 horas, com a distribuição de folders sobre prevenção de doenças crônico-degenerativas, verificação de pressão arterial, orientação sobre alimentação saudável, avaliação e orientação da fonoaudiologia.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera o tabagismo a principal causa de morte evitável em todo o mundo. O hábito de fumar é responsável por 200 mil óbitos por ano no Brasil, 90% dos casos de câncer no pulmão, 85% das mortes causadas por bronquite crônica e enfisema pulmonar e 45% das mortes por infarto agudo do miocárdio na faixa etária abaixo de 65 anos, entre outros males, segundo o Ministério da Saúde.
Além dos danos à saúde, o cigarro polui o ambiente por produzir na fumaça substâncias tóxicas e cancerígenas, corantes e agrotóxicos em altas concentrações. Os filtros estão carregados de materiais tóxicos que demoram mais de cinco anos para se decompor, contaminado o solo e bloqueando sistemas de água e esgoto. Além disso, cerca de 25% dos incêndios rurais são causados por pontas de cigarro.
O Dia Nacional de combate ao Fumo foi criado em 1986 pela Lei Federal nº 7.488, e tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população brasileira para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco.
Programação
Data: 28/08/13
Hora: 8h30 às 16h
Local: avenida Magalhães Barata, em frente ao hospital
Serviços: distribuição de folders informáticos à população (enfermagem), verificação de pressão arterial, orientação sobre alimentação saudável (nutrição) e avaliação e orientação com a fonoaudiologia
8h às 17h - Campanha do Hemopa para captação de sangue e cadastro de medula óssea
Data: 29/08/13
Hora: 9h (programação interna)
Local: Auditório Luiz Geolás
Apresentação das atividades educativas de combate ao fumo pelos alunos do Prosseguir
8h às 17h - Campanha do Hemopa para captação de sangue e cadastro de medula óssea



Sai lista do 3º lote de projetos aprovados no edital de eventos da Fapespa
A Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa) divulgou nesta sexta-feira (23) mais uma lista dos projetos aprovados no Edital Apoio à Realização de Eventos Científicos, Tecnológicos e de Inovação – Fluxo Contínuo (n° 006/2013). O edital incentiva projetos de eventos técnicos e científicos, nas modalidades Congressos, Simpósios, Workshops, Seminários e similares, de caráter local, regional, nacional e internacional, dentro do Estado do Pará. A Fundação vai repassar mais de R$ 500 mil, de recursos oriundos exclusivamente do Programa de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Sustentável, da Fapespa, inserido no Plano Plurianual do Pará.
A lista completa do terceiro lote de propostas aprovadas está disponível em http://www.sig.fapespa.pa.gov.br/diversos/file/EDITAL_2013/Eventos-2013/III_LOTE_DE_EVENTOS.pdf


Mangal das Garças revitaliza espaços para receber o público
Inaugurado em 2005, o Mangal das Garças recebe diariamente um grande público local e de turistas. Além dos cuidados diários, a organização social Pará 2000, que administra o parque, faz, desde o início deste semestre, diversas ações de melhoria, visando à recepção de visitantes na temporada do Círio de Nazaré, em outubro.
Em julho, os lagos do Cavername e da Ponta, que servem de moradia para aves, marrecas, quelônios e diversas espécies de peixes, receberam uma limpeza total, para garantir a saúde dos animais. A equipe do parque também trabalhou na reforma do piso do Borboletário. Além disso, todos os pisos de madeira do espaço também passaram por revitalização, com a troca dos madeirames danificados pelo tempo.
Outra ação foi a revitalização no telhado do restaurante Manjar das Garças, com a troca da palha que cobre o espaço e o Memorial Amazônico da Navegação. O processo de troca foi iniciado em agosto e deve terminar em setembro. “Estamos ainda recolocando as pedras portuguesas que fazem parte do paisagismo do Mangal, que, em função do nosso clima, acabam descolando”, diz o diretor do Mangal, Igor Seligmann, revelando que, até outubro, todas as paredes serão pintadas.
“Estamos prontos para receber todos os que desejam conhecer e passear no Mangal das Garças. Além da demanda do Círio, estamos esperando também os visitantes da temporada de cruzeiros. Nossa expectativa é que mais de 50 mil pessoas circulem pelo parque no mês de outubro”, conclui o diretor.

Texto:
Fernanda Scaramuzzini-Pará 2000


Detran leva serviços de habilitação a municípios do interior do Pará
O Departamento de Trânsito do Pará (Detran) estará sábado (24) e domingo (25) em São Miguel do Guamá, Capitão Poço e Igarapé-Açu, no nordeste paraense, e em Ponta de Pedras, no Marajó, com atendimento de habilitação, no projeto Detran Itinerante, que leva serviços a municípios que ainda não têm Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) ou mesmo a localidades que já têm agência do Detran, mas precisam de apoio no atendimento.
Os moradores de São Miguel do Guamá, Capitão Poço e Igarapé-Açu recebem a chamada segunda etapa, que abrange a prova teórica de legislação. Serão atendidos, portanto, os candidatos que já tenham passado pela etapa anterior. Ponta de Pedras recebe a primeira fase, com o início do processo de habilitação, que são os exames médico e psicotécnico.
A logística montada para as chamadas itinerantes do Detran conta com diversos profissionais. São médicos, psicólogos, assistentes e auxiliares administrativos, atendentes, técnicos de informática e examinadores, além do coordenador de equipe. Os atendimentos começam às 8 horas.

Texto:
Edson Matoso-Detran


Rodovia Everaldo Martins passará por manutenção para receber visitantes do Sairé
A partir do próximo dia 26, a rodovia estadual Everaldo Martins (PA-370), que liga o município de Santarém ao balneário de Alter do Chão, começa a receber serviços de recuperação e conservação da pista e de sinalização. Os serviços são feitos todos os anos, para garantir a trafegabilidade dos veículos durante a realização da festa do Sairé, evento tradicional no Baixo Amazonas e que este ano acontece no período de 19 a 23 de setembro.
Durante a festa do Sairé, o fluxo de veículos pela rodovia aumenta de forma considerável. A estrada possui muitas curvas e pontes e é o único acesso terrestre à vila de Alter do Chão. “Por isso realizamos esse trabalho, para facilitar ainda mais a vida do motorista. Algumas imperfeições que surgem na pista em virtude do período de chuva e do tráfego de caminhões serão sanadas, deixando a pista e a sinalização da rodovia em perfeito estado de trafegabilidade”, explica Carlos Merabet, diretor do Núcleo Regional da Secretaria de Estado de Transportes (Setran) de Santarém.
Do trevo com a rodovia Fernando Guilhon até Alter do Chão, a PA-370 possui 29 quilômetros de extensão, que receberão serviços de limpeza na lateral da pista, recuperação do acostamento, capina e podagem de árvores, além da reposição de borrachudos nas bordas. Três pontos da rodovia receberão serviço de recapeamento. Cerca de 80% da sinalização vertical será trocada e toda a sinalização horizontal será revitalizada. “Pedimos que os motoristas tenham atenção à sinalização para evitar acidentes e evitem dirigir quando estiverem consumindo bebidas alcoólicas. Obedecendo à sinalização não há risco de acidentes”, garante Merabet.
Além de Alter do Chão, dezenas de comunidades rurais estão localizadas à margem da rodovia Everaldo Martins e dela dependem para chegar ao centro de Santarém e assegurar o escoamento da produção agrícola. A comunidade de Cucurunã, por exemplo, é uma das maiores produtoras de farinha de mandioca do município.

Texto:
Alailson Muniz-Secom


Governo do Estado entrega novo helicóptero para o Grupamento Aéreo de Segurança
O governo do Estado entregou um novo helicóptero para o Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), com o objetivo de potencializar o policiamento na Região Metropolitana de Belém e áreas litorâneas do Pará. O diretor do Graesp, tenente coronel Josilei Gonçalves de Freitas, disse que a aeronave vai garantir importante apoio às ações de patrulhamento aéreo, por meio vôos preventivos, repreensivos, de investigação e operações de Defesa Civil. “O equipamento é moderno e fácil de operar e isso nos assegura a possibilidade de ampliar o atendimento à população paraense, na capital e interior, além de oferecer um serviço de melhor qualidade”, frisou o oficial. Ele informou que as equipes do grupamento vão realizar vôos no período da manhã, à tarde e à noite, inclusive aos sábados e feriados.
A tripulação do Graesp, que reúne um efetivo de bombeiros militares, policiais militares e civis, passou por uma fase de treinamento devido às novas configurações que a aeronave possui. As ações de patrulhamento já começaram e prevêem o atendimento às diversas ocorrências da área de segurança pública, como resgate, roubo em geral, sequestro, investigação criminal, assalto a banco e transporte de veículos. A aeronave AS 350 B, modelo Esquilo, possui sistema de transmissão de imagens online (o mesmo utilizado pelas polícias da Inglaterra e nos Jogos Olímpicos de Londres), que possibilita visualização instantânea das gravações no Centro de Comando, gancho de resgate para o salvamento de vítimas de acidentes no mar e no rio, câmera infravermelha, permitindo visão noturna, gancho de carga para o combate a incêndios florestais, kit aeromédico para o atendimento imediato de vítimas e farol de busca para operações noturnas.
Descentralização - Por meio da reestruturação do Sistema Estadual de Segurança Pública (Sieds), foi criado o Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), o que possibilitou uma nova estrutura para a aviação de segurança do Estado do Pará. Atualmente, o Graesp passa por um processo de descentralização, a fim de garantir a celeridade necessária para dar conta de situações e ocorrências policiais de maior complexidade, e ainda a integração e otimização dos meios aéreos disponíveis.
Além da estrutura existente em Belém, também foram instaladas três bases do grupamento em pontos estratégicos do Estado: Marabá, Santarém e Altamira (todas funcionam em regime de plantão 24 horas). Para fazer frente às novas demandas, cinco helicópteros e uma aeronave de asa fixa foram distribuídos na sede de Belém (que tem dois helicópteros, sendo um exclusivo para atividades de resgate do Corpo de Bombeiros) e nas bases do interior. Todas as aeronaves já estão realizando operações de patrulhamento e salvamento aéreo, em todo o Estado.

Texto:
Lene Alves-SEGUP


Governador inaugura escolas e inspeciona obras em hospital e rodovia em Abaetetuba
Novas escolas e obras de pavimentação de rodovia e reforma de hospital são os mais recentes investimentos do governo do Estado no município de Abaetetuba, na Região do Baixo Tocantins. Nesta sexta-feira (23), o governador Simão Jatene inaugurou duas escolas e visitou obras em andamento. A agenda de trabalho do governador no município começou com uma visita às obras na Rodovia PA-403, que liga a sede municipal à Vila e à Praia de Beja. A via está recebendo serviços de recuperação da base e nova pavimentação asfáltica, além da construção de duas pontes em concreto, para substituir as antigas pontes de madeira sobre o Igarapé do Arapiranga, com 28 metros, e sobre o Rio Guajará de Beja, com 17 m. Ambas devem ser entregues em outubro deste ano.
Em seguida, o governador inaugurou a Escola Estadual do Campo Professora Benedita Lima de Araújo, na localidade de Murutinga, zona rural de Abaetetuba. A escola tem 12 salas, área de recreio, blocos de laboratórios (informática e multidisciplinar) e biblioteca. Com um investimento de R$ 2.201.564,56, o prédio atende ao padrão das escolas que estão sendo construídas pelo Estado.
Na comunidade de Urubuéua Fátima, uma das 72 comunidades existentes em ilhas de Abaetetuba, Simão Jatene entregou a Escola Nossa Senhora de Fátima, que passou por reforma completa e ampliação, tendo agora seis salas de aulas para abrigar alunos do Ensino Médio. A obra é fruto de um convênio, no valor de R$ 250.417,29, firmado entre a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e a Prefeitura Municipal de Abaetetuba.
Ao falar com a comunidade, Simão Jatene agradeceu o carinho com que foi recebido em Abaetetuba. “É um lugar que me deixa sempre muito feliz, pela forma carinhosa com que as pessoas me tratam”, e frisou que as obras no município representam o cumprimento de compromissos de campanha.
“É uma alegria poder resgatar esses compromissos. Agradeço a cada um dos paraenses, porque quem faz as obras é a população. O que nós, gestores, fazemos é administrar os recursos gerados pela própria população. É uma satisfação ver esses impostos serem transformados em obras e serviços, que melhoram a vida de todos”, reiterou o governador.
Momento histórico - “Não estamos ganhando uma escola. Estamos ganhando um diamante, que prometemos lapidar e cuidar”, afirmou Alessandra Dias Rocha, diretora da Escola Municipal e Estadual de Ensino Fundamental e Médio Nossa Senhora de Fátima, em seu pronunciamento na solenidade de inauguração. Ela lembrou que Simão Jatene, quando candidato ao governo, visitou a comunidade em junho de 2010 para ouvir os moradores, e prometeu levar o Ensino Médio para a localidade. Para ela, a entrega da obra é um momento histórico.
“Essa é a primeira vez que um governador vem até a nossa comunidade. Assim como foi histórica a primeira vez que um candidato ao governo veio ouvir nossos anseios, e histórico o dia em que o governador veio, pessoalmente, inspecionar as obras deste prédio. Nós estamos muito felizes e honrados de ver essa promessa cumprida e o nosso sonho realizado”, reiterou Alessandra Rocha.
Segundo a prefeita de Abaetetuba, Francineti Carvalho, esta é a segunda escola inaugurada pelo Governo Simão Jatene nas ilhas de Abaetetuba. A primeira foi entregue no ano passado, na comunidade do Rio Furo Grande. A prefeita agradeceu ao governador pela escola de Urubuéua Fátima, e ressaltou que a maior importância das escolas nas ilhas é a democratização do ensino.
“Essa é um das obras mais importantes, porque vai democratizar o acesso à educação. Muitos dos alunos do Ensino Médio tinham que ir para a sede do município ou para outras comunidades, dar continuidade aos estudos. O Ensino Médio oferecido nas ilhas permite que os alunos ribeirinhos possam estudar na sua própria comunidade. Fortalece a comunidade e melhora a qualidade de vida da população ribeirinha”, afirmou a prefeita.
A lavradora Sônia Maria Marques, que tem dois filhos estudando na “Nossa Senhora de Fátima”, ressaltou a importância da escola e da chegada do Ensino Médio à comunidade. “Nunca tinha acontecido uma obra dessas na nossa comunidade. É uma coisa muito importante, porque meus filhos mais velhos não fizeram o 2º grau porque a gente não tinha como mandá-los pra cidade. Mas agora tenho fé que esses dois vão conseguir completar os estudos”, disse Sônia Marques, se referindo aos filhos Elizane, 11 anos, e Erielso, 4 anos.
A aluna do 5º ano, Raqueline Rocha, 11 anos, também aprovou o novo prédio. Na escola antiga, ela se sentia triste, porque o prédio estava deteriorado, e era escuro e quente. “Está muito melhor agora. Tem ventilador, sala de computação, espaço para o recreio e móveis novos. Estou muito feliz porque essa é a realização de um sonho. Nunca imaginei que a nossa escola ficaria bonita desse jeito”, declarou.
Hospital - Após retornar da comunidade Urubuéua Fátima, o governador Simão Jatene visitou as obras do Hospital de Abaetetuba, que está sendo reformado e ampliado, a fim de dobrar a capacidade de leitos para quase 120. O Hospital de Abaetetuba está recebendo investimentos de R$ 5,3 milhões. Para que a obra fosse realizada, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) remanejou os pacientes para outros hospitais em Abaetetuba.
Marcelo Nagano, secretário adjunto de Estado de Obras Públicas, informou que a reforma é equivalente à construção de um novo hospital, “porque muito pouco foi aproveitado da obra anterior. Há todo um trabalho para reforçar a estrutura existente, ampliar o espaço e desocupar as áreas que estavam ocupadas”. Ele informou ainda que a obra deverá ser entregue nos próximos seis meses. “Teremos mais três salas cirúrgicas e salas para isolamento. Após a entrega do prédio, a Sespa começará o trabalho de formulação dos equipamentos”, finalizou.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom




Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...