Total de visualizações de página

segunda-feira, abril 16, 2012

AS QUENTES DESTA SEGUNDA-FEIRA, DIA 16 DE ABRIL


Bombeiros vistoriam
prédios no centro
comercial de Belém




O Corpo de Bombeiros do Pará iniciou nesta segunda-feira (16) uma grande operação de vistoria nos bairros da Campina, Comércio e Cidade Velha, que integram o centro comercial de Belém. O objetivo da vistoria, que prossegue até quarta-feira (18), é garantir a adequação dos estabelecimentos comerciais localizados nos três bairros às normas de segurança determinadas pelo Corpo de Bombeiros, como forma de prevenção e combate a incêndios. Cerca de 70 militares integram a operação.
Segundo o diretor do Departamento de Serviços Físicos do Corpo de Bombeiros Militar do Pará, tenente coronel Francisco de Assis Monteiro, a aglomeração de prédios antigos em um espaço com intensa movimentação de pessoas é um dos fatores responsáveis pela escolha do centro comercial como alvo da operação. “As estatísticas apontam que essa área é onde temos o maior risco de incêndio. Com a fiscalização na grande maioria desses prédios, queremos alterar situações desse tipo”, ressaltou o diretor.
Pela manhã, os bombeiros percorreram diversos pontos comerciais, entre lojas e restaurantes, das ruas João Alfredo, Santo Antônio, 15 de Novembro e Manoel Barata, dando início à série de inspeções. Os itens verificados são a existência do sistema de hidrante, do extintor de incêndio e da sinalização e iluminação de emergência, itens obrigatórios para o Auto de Vistoria, documento emitido pela corporação atestando a regularização do estabelecimento.
De acordo com o tenente coronel Assis, a falta de adequação às normas de segurança ainda é grande. “Na maioria das vezes os incêndios no centro comercial são causados por curto circuito, em prédios antigos e sem manutenção, ou seja, com a instalação elétrica já bem deteriorada”, informou ele, destacando que os proprietários desses estabelecimentos têm um papel fundamental na prevenção. “O comerciante consciente não espera operações desse tipo, ou algum tipo de emergência ocorrer. Ele mesmo solicita a vistoria desses itens de segurança e da situação do local”, ressaltou.
A vistoria no centro comercial de Belém é realizada anualmente pelo Corpo de Bombeiros, sempre em áreas consideradas estratégicas para a atuação dos militares. O percentual previsto por lei é a vistoria em pelo menos 10% dos pontos comerciais de uma cidade, destacou o tenente coronel Francisco de Assis.
A população também pode informar sobre prédios e outros estabelecimentos comerciais que não estejam adequados às normas de combate a incêndios. “Nós recebemos muitas denúncias. A população tem sido parceira nesse sentido”, disse o tenente coronel Assis.
Serviço: As denúncias e as solicitações para fiscalização pelo Corpo de Bombeiros em estabelecimentos comerciais podem ser feitas diretamente no Centro de Atividades Técnicas do Corpo de Bombeiros (CAT), localizado na Rodovia BR-316, KM-0, no Entroncamento; pelos telefones (91) 3231-0737/0717, ou ainda no Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar, localizado na Avenida Júlio César, nº 3000, bairro de Val de Cans, telefones: (91) 4006-8396/4006-8352.

Texto:
Amanda Engelke-Secom

Adepará faz treinamento
para o inquérito
soroepidemiológico

Gerentes regionais e médicos veterinários da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) receberam nesta segunda-feira (16), na sala VIP da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faepa), treinamento para o inquérito do soroepidemiológico que será feito em maio deste ano. Trata-se da segunda parte do estudo, que é a coleta do material, pois a primeira são as visitas prévias, já a partir desta segunda quinzena de abril.
Representantes das sete regionais, envolvendo Oriximiná, Castanhal, Paragominas, São Geraldo do Araguaia, Soure e São Felix do Xingu, juntamente com os veterinários, foram treinados pela médica veterinária Natércia Caporali e a ex- gerente de Defesa Animal da Adepará, a também veterinária Eliana Déa, ambas do Ministério da Agricultura, com a presença do diretor operacional da Adepará, Sálvio Freire.
A importância do estudo é preparar os profissionais para essa etapa “tão fundamental que vamos atravessar agora, por ser o ponto decisivo para que o Pará efetivamente passe para área livre da febre aftosa com vacinação”, diz a gerente regional de Soure, Tatiana Assis. Representantes do Laboratório Nacional Agropecuário no Pará (Lanagro) também participam do treinamento.

Texto:
Andréa Ferreira-Adepara

Ações de controle da
tuberculose no Pará
serão avaliadas em reunião

Representantes dos Comitês Metropolitanos de Controle da Tuberculose de todo o país estarão nesta quinta e sexta-feira (19 e 20) em uma assembleia da Rede de Monitoramento e Avaliação dos Comitês Metropolitanos de Controle da Tuberculose. O encontro em Brasília visa avaliar as ações do programa Fundo Global, que encerra seu período de vigência dia 30 deste mês. O fundo é uma entidade internacional que apoia países com maior incidência de doenças como a aids, malária e tuberculose. No Brasil, 57 municípios foram contemplados com os investimentos.
O Comitê Metropolitano de Controle da Tuberculose é uma instância colegiada mista, formada por instituições públicas e não governamentais, organizações da sociedade civil e conselhos de saúde. Entre os parceiros no Pará estão a instituição Grupo de Prevenção às DSTss/ HIV/ Aids e Drogas (Grupajus), Centro Nova Vida, Rede de Pessoas Vivendo com HIV/ Aids, Cidadãos Positivos, Pastoral Carcerária e Coordenação Estadual de Controle da Tuberculose.
Segundo o coordenador do comitê, Antonio Ernandes Costa, Ananindeua e Belém recebem, desde 2007, incentivos em forma de capacitações, equipamentos e insumos que apoiam os programas municipais de controle da doença. As atividades executadas com recursos repassados pelo Fundo Global incluem oficinas de sensibilização para profissionais de saúde e seminários de mobilização social alusivos ao Dia Mundial de Combate à tuberculose.
O projeto se encerrará no Estado, mas o comitê continuará suas ações, pois ficará a infraestrutura para dar suporte ao trabalho. “Encerraremos nossas atividades este mês, mas o comitê deixará importantes contribuições que ajudaram a alicerçar novos pilares de apoio às ações do programa. Temos os equipamentos da exposição itinerante que foram doados ao Estado, além da exposição portátil, que são elementos que colaborarão com a mobilização social e comunitária”, explicou o coordenador.
O Pará ocupa o terceiro lugar em incidência de tuberculose no Brasil, com uma taxa de 47,9 casos por 100 mil habitantes. Em 2011, foram 3.637 novos registros da doença, que por sua vez vem mantendo ao longo dos últimos anos uma média de cura de 73% e abandono de tratamento em torno de 10%. Os municípios prioritários para o controle da tuberculose pelo Ministério da Saúde são Abaetetuba, Ananindeua, Belém, Bragança, Castanhal, Marituba e Santarém.
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio do Programa de Controle da Tuberculose, e o Comitê Metropolitano de Controle da Tuberculose atuam na descoberta de casos para tratá-los corretamente, eliminando as fontes de infecção e quebrando a cadeia de transmissão. O Estado hoje descobre cerca de 70% dos casos programados para cada ano, segundo o que preconiza o programa nacional, e os esforços despendidos têm sido voltados para o alcance das metas de cura de no mínimo 85% e abandono a menos de 5%.
Segundo a coordenadora estadual do Programa de Controle da Tuberculose, Lúcia Monteiro, a região metropolitana é onde se apresenta a maior incidência da doença, por isso, com o apoio do 1º Centro Regional de Saúde, serão intensificados o monitoramento e a avaliação das ações dos municípios que abrangem a região. “Nosso papel é discutir e encontrar junto com os municípios estratégias para as ações. Também ajudamos para corrigir distorções encontradas”, conclui.

Texto:
Edna Sidou-Sespa




Prodepa capacita
profissionais de saúde
para uso do Telessaúde Pará

O projeto piloto do Telessaúde Pará será lançado nesta terça-feira (17) no auditório da Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa). Profissionais de saúde dos municípios de Belém, Salvaterra, Benevides, Igarapé-Miri, Irituia, São Domingos do Capim, Castanhal, Nova Timboteua e Marabá participarão da primeira turma de formação de profissionais de saúde para uso dessa nova ferramenta.
O Telessaúde é um programa que oferece às equipes de Atenção Básica consultoria a distância, utilizando tecnologias de informação e comunicação. O programa permite que profissionais de saúde troquem informações sem sair dos postos de atendimento, por meio de videoconferências e internet.
Até a próxima quinta-feira (19) profissionais de saúde dos municípios atendidos na primeira turma receberão orientações para utilizar a ferramenta, que integra regiões mais distantes aos grandes centros de pesquisa e referência, além de permitir uma segunda opinião médica.
Do lançamento devem participar o secretário de Estado de Saúde Pública, Hélio Franco, e a diretora de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, da Sespa, Sônia Bahia.

Prodepa transmite Fórum
de Inovação e
Tecnologia via WebTV

Durante três dias Belém será sede do VI Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Tranferência de Tecnologia (Fortec), que acontece entre quarta e quinta-feira (19), no hotel Hilton, com a participação da Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa). O objetivo é discutir questões relativas à sustentabilidade ambiental com possibilidade de gerar negócios sustentáveis, que não destruam o meio ambiente e construam um caminho em que ciência, inovação e natureza avancem na geração de benefícios econômicos e sociais.
A Prodepa é uma das parceiras do Fortec 2012 e será responsável por prover o sinal de internet em todo o evento e pela transmissão online do fórum, via WebTV (http://www.webtv.pa.gov.br). O público vai poder acompanhar, em tempo real, em qualquer parte do mundo, as mesas temáticas, palestras e sessões paralelas que vão acontecer durante o evento.
Os visitantes que estiverem no estande da Prodepa vão conhecer os serviços oferecidos pela empresa, não só no âmbito do governo, mas também na iniciativa privada. Além do programa Navega Pará, quem estiver no espaço também vai poder conhecer o trabalho desenvolvido por outros órgão do governo, como Idesp, Fapespa, Seicom, Secti e Emater.
Com o tema “Economia verde – negócios sustentáveis”, o Fortec 2012 terá a participação de gestores e representantes de Núcleos de Inovação Tecnológica, representantes de órgãos governamentais e gestores de inovação atuando no setor empresarial, além de especialistas nacionais e internacionais que vão compartilhar experiências e discutir a sustentabilidade.
“Começamos a trabalhar de forma diferente. Procuramos desenvolver projetos e trabalhos de acordo com a prática da tecnologia da informação verde, visando à sustentabilidade dos recursos naturais”, afirma a diretora de Relações Institucionais da Prodepa, Ana Valéria Almeida. Além de só trabalhar com fornecedores ambientalmente responsáveis, todo o papel recolhido na empresa é encaminhado para reciclagem.

Texto:
Natia Ney-Prodepa

Hansenianos que recebem
benefício do Estado
começam a ser recadastrados

A Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) iniciou nesta segunda-feira (16) em Igarapé-Açu, município do nordeste paraense, a atualização cadastral dos beneficiários do Bepah (Benefício estadual para pessoas acometidas pela hanseníase). A ação acontecerá no município até sexta-feira (20), das 8 às 17h. Os beneficiários devem apresentar originais e cópias da Carteira de Identidade, CPF e comprovante de residência. A Seas conta com a parceria das secretarias municipais de Assistência Social e de Saúde. Quem não participar da atualização cadastral terá o benefício bloqueado temporariamente.
Dados da Diretoria de Renda e Cidadania da Seas mostram que 124 pessoas tiveram o benefício bloqueado a partir de março deste ano. Esses beneficiários têm até 90 dias para regularizar a situação, caso contrário o benefício será cancelado. Dúvidas referentes ao bloqueio temporário do benefício podem ser esclarecidas com a equipe técnica da Seas.
Aqueles que receberam a visita técnica da Seas em 2010, ou que já participaram da ação em 2011, estão com seus cadastros atualizados. Quem perder o prazo da ação no município pode comparecer à sede da Seas, em Belém, ou à Secretaria de Assistência de seu município, para fazer o recadastramento.
Segundo a gerente do Bepah, Waldeni Farias, a ação objetiva aumentar a cobertura de beneficiários no Pará, com dados cadastrais completos e atualizados. "Só em 2011 já atualizamos mais de 1.500 cadastros, o que nos possibilitou identificar beneficiários que já faleceram ou que mudaram de endereço", informou.
A ação é realizada em cumprimento à Lei 05/90, e objetiva também promover a inserção dos beneficiários nas políticas sociais existentes no município.
O benefício é um auxílio estadual mensal concedido ao hanseniano reconhecidamente pobre, incapaz para o trabalho, que não recebe ajuda financeira de nenhuma instituição, com renda mensal de até cinco salários mínimos e que reside no Pará há pelo menos um ano. A lei estabelece revisão anual do benefício, com a comprovação de tratamento de saúde.
Os interessados podem obter mais informações na Seas, pelo número (91) 3244-9742.
Municípios e períodos de realização do recadastramento
Igarapé-Açu – 16 a 20/04
São Caetano de Odivelas - 24 a 27/04
Barcarena – 8 a 11/05
Igarapé-Miri - 14 a 16/05
Abaetetuba - 16 a 19/05
Tomé-Açu - 21 a 23/05
Bujaru - 23 a 25/05
Benevides - 11 a 13/06
Santa Bárbara do Pará - 13 a 15/06
Goianésia do Pará - 19 a 22/05
Breu Branco - 25 a 27/05

Texto:
Inara Soares-Seas

Fundação Curro Velho
prorroga inscrições
para oficinas

Começam nesta terça-feira (17) as aulas do segundo módulo de oficinas da Fundação Curro Velho, mas ainda há vagas disponíveis para os alunos de escolas públicas, para teatro de máscaras, teatro de bonecos, percussão e caligrafia artística. As inscrições foram prorrogadas até sexta-feira, 20, em função do início do ano letivo da rede pública de ensino.
O objetivo da prorrogação do prazo é atender os estudantes, que compõem grande parte dos participantes das atividades, segundo o diretor de Oficinas da Fundação Curro Velho, Raimundo Calandrino Júnior. A maioria dos cursos começa mesmo terça-feira. “As oficinas que são os carros chefes da instituição. Independente de as escolas estarem de férias ou não, sempre lotam”, reforça.
As oficinas de linguagem cênica esperam formar turmas em teatro de máscaras, teatro de bonecos e danças folclóricas. No núcleo musical, apenas percussão aguarda alunos. Linguagem verbal, uma novidade na Fundação Curro Velho, tem vagas para caligrafia artística, para alunos que buscam melhorar sua grafia, e leitura e produção de texto. Ambas são no turno da tarde.
Linguagem visual oferece vagas em dança, para crianças a partir de 7 anos, laboratório de desenho e pintura, escultura em miriti, para quem pretende ganhar uma renda extra na época do Círio, papietagem (técnica que usa papel, cola e uma estrutura que dá firmeza ao boneco) e do barro à forma, oficina de cerâmica que vai ensinar técnicas de uso e modelagem do barro para confeccionar objetos decorativos.
As inscrições são gratuitas para alunos da rede pública e podem ser feitas na Fundação Curro Velho (rua Professor Nelson Ribeiro, 287). Os demais interessados pagam taxa de R$ 20. Informações: 3184-9100.

Texto:
Andreza Gomes-FCV

Caravana Pro Paz Cidadania
inicia atendimento em Chaves







A Caravana Pro Paz Cidadania começou a atender nesta segunda-feira (16) no município de Chaves, na ilha do Marajó, oferecendo consultas médicas, exames, atividades educativas e culturais e emissões de documentos. O último município visitado foi Afuá, onde foram feitos 40 mil atendimentos, em três dias de ação. As irmãs Jane e Jaely Silva aproveitaram para retirar os documentos pessoais, como CPF, carteira de trabalho e carteira de identidade.
“Apesar de ser menor de idade resolvi tirar o RG. É muito demorado conseguir esse documento aqui no município, mas na caravana o meu saiu no mesmo dia, e até as fotos tirei aqui. Agora posso dizer que sou cidadã”, disse Jaely. “Essa ação é muito boa para todo o povo afuaense. Temos muita dificuldade em conseguir esses documentos. Vou voltar para casa com a minha carteira de trabalho e o CPF e já posso procurar um emprego”, afirmou Jane.
A dona de casa Leicivana Nascimento estava há quase dois anos sem a carteira de identidade, que foi molhada durante uma viagem de barco. Sem os R$ 30 para pagar pela segunda via, a caravana foi a saída. “Apesar de parecer pouco dinheiro, R$ 30 para a gente é um valor alto. Essa caravana foi uma bênção para mim, porque é muito difícil ficar sem identificação, mas agora não vou ter mais problemas com isso, pois o meu RG está garantido”, disse.
A Polícia Civil do Pará, que emite o documento, tem uma equipe de 15 pessoas trabalhando na caravana, em parceria com a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), que providencia as fotos 3x4. As carteiras saem no mesmo dia porque a equipe tem acesso direto ao sistema pela internet. Normalmente, a espera é de 30 a 60 dias, pois a requisição é enviada para Belém, para confecção do RG.
Balanço – Em Afuá a Polícia Civil emitiu 566 carteiras de identidade; a Sejudh tirou 379 fotos e 490 carteiras de trabalho; a Defensoria Pública emitiu 1.018 CPF e fez 252 atendimentos jurídicos; e a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) encamihou 451 certidões de nascimento. A Ação Social Integrada do Palácio do Governo (Asipag) entregou 29 cadeiras de rodas e 230 cadastros para óculos de grau especial a serem fabricados em Belém.
A caravana fez mais. A Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data) deu palestras para 77 pessoas da rede de proteção de crianças e adolescentes; a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) recebeu 175 pessoas nas palestras de combate às drogas e violência; e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), em parceria com a Defesa Civil, fez palestras e oficinas de reciclagem para 188 pessoas.
O Instituto de Artes do Pará (IAP) cadastrou 90 artistas locais e recebeu 600 telespectadores nas exibições de cinema itinerante. A Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves recebeu 505 crianças nas atividades de leitura, contação de histórias e teatro de fantoches. Além, disso, em parceria com a Prefeitura de Afuá, que convidou quatro cabeleireiros para embarcarem na caravana, foram feitos 866 cortes de cabelo.
O cabeleireiro Silas Chermont disse que, ao saber dos serviços oferecidos pelo governo, aceitou na hora o convite para participar da ação. “É uma maneira de sermos solidários com a população da nossa terra. Nunca pensei que a Caravana Pro Paz Cidadania fosse uma ação tão grande e abrangente como essa. Estou feliz em ser parte disso tudo”, disse. O estudante Huanderson Souza gostou de renovar o visual. “Gostei muito. Cortei o cabelo antes de tirar as fotos para o meu documento”, contou.
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) fez 3.084 consultas. Foram 5.589 exames e 398 vacinas aplicadas. Na odontologia o atendimento alcançou 3.405 procedimentos, e na oftalmologia foram 4.449 procedimentos, com 441 óculos entregues. Ainda foram ministradas 30 palestras de nutrição e distribuídos gratuitamente 24.032 medicamentos, mediante a apresentação da receita médica.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom

Projeto da Emater propõe
recuperação do Rio Peixe-Boi

O Rio Peixe-Boi, que corta vários municípios do nordeste paraense, está recebendo atenção especial da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), de parceiros e comunidades rurais de seis municípios da região. O rio, que é fonte de sobrevivência para inúmeras famílias em Bonito, Peixe-Boi, Nova Timboteua, Capanema, Primavera e Santarém Novo, corre risco de desaparecer.
Antes navegável e piscoso, o Peixe-Boi está sendo assoreado por conta do desmatamento da mata ciliar e das nascentes. Para reverter esse quadro, a Emater pretende incentivar nas Áreas de Proteção Permanente (APPs) o extrativismo vegetal de valor econômico adaptado para a região, com espécies como açaí e andiroba, e áreas agricultáveis, com culturas alimentares, fruticultura, essências florestais e a criação de pequenos animais.
O projeto original prevê a recuperação de 30 mil hectares. Na primeira etapa do projeto serão envolvidas nas ações 60 famílias dos municípios de Bonito e Peixe-Boi. Segundo o engenheiro agrônomo da Emater, Jairo Eiras, um dos coordenadores do projeto, os dois municípios sofreram graves prejuízos ambientais - em alguns locais a perda das nascentes foi total. “O assoreamento do rio também fez desaparecer algumas espécies da fauna e da flora”, acrescentou Jairo Eiras.
A primeira etapa do projeto deve estar concluída no final de 2013, e prevê o aumento dos volumes de água e de pescado no rio, a preservação do meio ambiente e a melhoria econômica, ambiental e social das famílias envolvidas. “Pretendemos que o projeto sirva de modelo e promova a melhoria da qualidade de vida de outras comunidades”, ressaltou o engenheiro agrônomo.
Aos agricultores também será proporcionada a regularização ambiental, por meio da adesão ao Cadastramento Ambiental Rural (CAR).

Texto:
Iolanda Lopes-Emater

EGPA leva qualificação
profissional a servidores
de Belém e do interior

Com o programa de municipalização, a Escola de Governo do Pará (EGPA) descentraliza da capital a oferta de cursos voltados para o aperfeiçoamento dos servidores públicos estaduais. O projeto existe deste o surgimento da EGPA, com a premissa de oferecer as mesmas oportunidades de qualificação profissional para quem está em Belém ou em qualquer outro município paraense.
Na primeira quinzena deste mês, o programa chegou aos municípios de Breves, na ilha do Marajó, e Salinópolis, no nordeste do Pará. De 23 a 27 deste mês, os servidores de Viseu também vão receber os cursos da EGPA. As ações este ano começaram em março, com cursos em Soure, Parauapebas, Paragominas e Cametá, além do retorno para a continuidade do programa em Santarém. Atendendo tanto servidores estaduais quanto municipais e federais, ao todo foram 985 qualificações. A novidade foi abertura de turmas no turno da noite.
A municipalização é feita em parceria com as prefeituras, de forma que a EGPA fica responsável por todo o suporte acadêmico, como a formatação dos cursos, instrutores e certificação dos alunos. A prefeitura participante assume o apoio logístico e estrutural, organizando o processo de inscrições e fornecendo espaço para as aulas.
Cidades – O programa de municipalização esteve no Marajó na semana de 5 a 9 de março e certificou, ao todo, 100 servidores de Soure e Salvaterra, que participaram das qualificações profissionais em básico de secretariado na administração pública, convênios na administração pública, gestão estratégica de pessoas, qualidade no atendimento ao público e relações interpessoais no trabalho. Os cursos com carga horária de 20 horas foram distribuídos em dez turmas nos turnos manhã e noite.
A cerimônia de certificação aconteceu no auditório da escola Professor Gasparino, com a presença de concluintes e seus familiares, instrutores dos cursos e autoridades. A presença dos cursos da EGPA no interior soma-se às ações que o governo do Estado vem desenvolvendo desde fevereiro no Marajó, por meio da Caravana Pro Paz Cidadania, projeto que tem visitado os municípios do arquipélago, levando diversos serviços e atividades à população local, com a colaboração de órgãos estaduais de todas as áreas.
O sudeste paraense recebeu a EGPA entre os dias 12 e 16 de março, com a oferta de capacitações aos servidores do município de Parauapebas, com os cursos de coaching no serviço público, segurança no trabalho e primeiros socorros, elaboração de projetos e captação de recursos, convênios na administração pública e redação oficial e gramática aplicada.
Foram 383 servidores certificados. As aulas ocorreram no Centro Universitário de Parauapebas (CUP), de manhã e à tarde. A cerimônia de certificação ocorreu na Câmara Municipal, com a participação de autoridades locais.
Ainda em março, o programa desenvolveu cursos de 20 horas em dois municípios do nordeste paraense. De 12 a 16 de março, os servidores de Paragominas receberam atualização de conhecimentos nas áreas de qualidade no atendimento ao público e relações internacionais. Outros cinco cursos foram ofertados em Cametá, no período de 19 a 30 de março, resultando em 327 servidores qualificados. Os cursos foram: convênios na administração pública, gestão estratégica de pessoas, Lei de Responsabilidade Fiscal, relações interpessoais no trabalho e técnicas de redação.
Desde o ano passado a EGPA vem desenvolvendo uma proposta de ações continuadas nos municípios visitados, com o objetivo de estabelecer periodicidade e presença constante da capacitação. Como exemplo do bom funcionamento desta iniciativa, pela terceira vez o programa de municipalização esteve em Santarém, desta vez com duas turmas para o curso de técnicas de arquivo e protocolo, que qualificou 102 servidores entre os dias 19 e 23 de março. Os demais municípios que estão recebendo as ações do programa em 2012 também vão contar com a qualificação continuada. O retorno dos cursos deve ser agendado dentro dos próximos meses.
Serviço: prefeituras de municípios paraenses interessadas em integrar as ações de municipalização podem entrar em contato pelo telefone (91) 3214-6802, ramal 6892.

Texto:
Daniele Brabo-EGPA

Sema define termos de
compensação
ambiental no Estado

O licenciamento ambiental a empreendimentos que, na avaliação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), têm significativo impacto ambiental só pode ser concedido se o empreendedor apoiar a implantação e manutenção de Unidade de Conservação (UC) de Proteção Integral. É o que diz o Termo de Referência para a Gradação do Impacto Ambiental para fins de Cálculo da Compensação Ambiental, que tem o objetivo de estabelecer o grau do impacto ambiental e a definição do percentual financeiro da compensação destinado às UCs.
O termo leva em consideração o artigo 36 da Lei Federal nº 9.985, de 18 de julho de 2000, que institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (Snuc). A Câmara de Compensação Ambiental do Pará (CCA), com estrutura organizacional definida e vinculada à Sema, tem atribuições para analisar e propor a aplicação da compensação ambiental em UCs existentes ou a serem criadas, e ainda decidir sobre procedimentos administrativos financeiros.
Entre as diretrizes no regimento interno da CCA, que determina em seu artigo 9° que “somente receberão recursos da compensação ambiental as unidades de conservação inscritas no Cadastro Nacional de Unidades de Conservação (Cnuc)”, estão ainda a apresentação de propostas à normatização e a indicação de prioridades a serem atendidas.
“Todo empreendimento que provoca grande impacto ambiental sem que haja condições de ações mitigadoras totais – alagamento de grandes áreas, por exemplo –exige apresentação de estudos mais complexos e fórmulas matemáticas definidas para o cálculo da compensação ambiental, incluído em Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto de Meio Ambiente (EIA-Rima), para o licenciamento ambiental da atividade”, diz a diretora de Licenciamento Ambiental da Sema, Lúcia Porpino.
A compensação ambiental é determinada em moeda corrente, obedecendo percentuais estabelecidos em lei e considerando o valor total do empreendimento, sem contabilizar os investimentos referentes à produção do EIA-Rima, encargos sobre financiamentos e outros custos. Os estudos levam em consideração a propagação dos efeitos negativos para além do local de instalação do projeto, no solo, na atmosfera e nos recursos hídricos, à extensão temporal dos danos causados (imediata, curta, longa) e a perda da biodiversidade ou distúrbios nos processos ecológicos.
Os estudos devem apontar também o comprometimento da paisagem, espécies ameaçadas da fauna e da flora e outros detalhes ambientais. Os recursos obtidos em dinheiro através da compensação ambiental são totalmente destinados para a criação e gestão das UCs.
“O empreendedor que solicita a Licença Prévia recebe o Termo de Referência para o cálculo do grau de impacto ambiental para fins de compensação e formulário declaratório (identificação e descrição do empreendimento, impactos diretos e indiretos e outras informações), que deve ser protocolado na Sema, em meio digital e impresso”, orienta a técnica Nívea Pereira, da Diretoria de Áreas Protegidas.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema

Ano letivo de 2012 da rede
pública é aberto em
escola de tempo integral







Cerca de 600 mil estudantes da rede pública estadual de ensino iniciaram suas atividades escolares de 2012 na manhã desta segunda-feira (16). Várias escolas realizaram uma programação especial para dar as boas vindas aos alunos. Este ano, a Escola Ruy Paranatinga Barata, localizada no Conjunto Divina Providência (CDP), foi escolhida para sediar a aula inaugural do ano letivo, que contou com a presença do secretário de Estado de Educação, Cláudio Cavalcanti Ribeiro.
À comunidade escolar, o secretário ressaltou a importância da educação e da participação efetiva de todos nas ações desenvolvidas no ambiente escolar, e disse estar satisfeito com projetos e ações realizados atualmente nas escolas da rede estadual. “Estou muito satisfeito com o que estou vendo aqui. Uma escola para ter alma tem que ter a participação da comunidade. E tudo de bom que é feito é porque a comunidade merece”, enfatizou.
Cláudio Ribeiro aproveitou para agradecer às diretorias e coordenações da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), que trabalham diretamente para a melhoria das ações realizadas nas escolas. “Quero agradecer a todos os que trabalham cotidianamente na Seduc para a realização de importantes projetos. Quero agradecer à Secretaria de Ensino (Saen) e à Diretoria de Ensino Infantil e Fundamental (Deinf), assim como a vários setores. Unidos, vamos levantar o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) das escolas do Pará”, afirmou o secretário.
Após a abertura oficial do calendário letivo, os alunos assistiram a apresentações culturais produzidas por grupos de dança, capoeira e teatro, formados por alunos da própria escola. Também houve exibição de cães adestrados da Polícia Militar.
As amigas Elizane, Victória e Andrya, do 4º ano do ensino fundamental, não esconderam a alegria em voltar às aulas. “Estava com muita vontade de voltar a estudar, escrever, ver minhas amigas e a minha escola”, disse Elizane.
Dentro da apresentação cultural, os personagens “Mãe Natureza” e “Curupira” foram à escola conversar com os alunos sobre a importância da preservação e dos cuidados com o meio ambiente. Eles entregaram ao secretário de Educação e aos gestores mudas de árvores, que foram plantadas no jardim da escola.
A Escola Ruy Paranatinga Barata faz parte do grupo das 10 escolas estaduais contempladas com o projeto Escola de Tempo Integral, do Programa “Mais Saber”, implantado pelo governo do Estado. A escola atenderá cerca de 1.000 alunos do ensino fundamental, que participarão de projetos didático-pedagógicos que compõe o programa.

Texto:
Fabiana Batista-Seduc






Emater já atende quase
19 mil famílias em
assentamentos no Estado

A Emater é um dos órgãos do Estado de maior alcance. Sua estrutura administrativa conta com um escritório central – localizado em Marituba - 12 escritórios regionais e 143 locais. A Empresa é o órgão oficial de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) estadual e trabalha, desde 2011, com 18.766 famílias assentadas de projetos federais. Os recursos são provenientes do Instituto Nacional de colonização e Reforma Agrária (Incra) e do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), conseguidos através de Chamadas Públicas.
Mas para que todo este trabalho fosse desenvolvido, os assentados contaram com a participação direta do Governo do Pará, já que o modo de liberação de recursos das chamadas públicas se dá a partir das execuções das ações nas regiões atendidas, ou seja, primeiro se executa o trabalho e depois se recebe a verba federal, como explica Paulo Lobato, coordenador técnico da Emater. “Antigamente os convênios que firmávamos com o MDA disponibilizavam os recursos antes da execução das atividades, no entanto, através das chamadas públicas esta lógica se inverteu. É necessário que o estado disponibilize a verba para podermos começar a trabalhar. Se o governador não tivesse adiantado esta verba não conseguiríamos recursos para contratação de técnicos e para custeio das atividades no campo e tudo seria perdido”. O valor do investimento é de mais de R$ 27 milhões, que devem ser utilizados até o final de 2012.
Novidade
A grande novidade no trabalho da Emater para 2012 é a proposição de uma Lei de Ater estadual. Essa iniciativa permitirá que a empresa trabalhe também em assentamentos estaduais. “Para realizarmos nosso trabalho é necessário uma legislação específica, a Lei de Ater. Para podermos atuar também nos assentamentos estaduais a Emater escreveu a minuta de uma Lei de Ater estadual, que é baseada na Lei Federal, no entanto respeitando e adaptando seu conteúdo à realidade local. Desta forma vamos ampliar muito nossa área de atuação, beneficiando outros produtores”, afirma Paulo Lobato.
A nova lei já foi aprovada pelo Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável e passou por uma avaliação na Conferência Estadual de Ater, que aconteceu em março em Belém e ainda este semestre deve ser encaminhada à Assembleia Legislativa. “Existem apenas mais duas Leis de Ater estaduais, na Bahia e Acre. Esta ação é importantíssima para o Pará, que tem características culturais e geográficas muito específicas”, diz Paulo Lobato.
A ação mais ampla está acontecendo por meio da Chamada Pública “Operação Arco Verde”, uma resposta do Governo Federal a ação Arco de Fogo, que aconteceu no Pará em 2008 em combate à extração e venda clandestina de madeira na Amazônia. Conforme explica Paulo Lobato, esta é uma ação pioneira no sistema de assistência técnica da Emater, que atende um público pré-selecionado pelo Governo Federal em 7 municípios do Estado. “É difícil trabalhar em áreas que não tínhamos conhecimento, mas é muito prazeroso. As famílias estão recebendo apoio do governo pela primeira vez. Estão em áreas remotas, demoramos até três dias de barco pra chegar a algumas comunidades”.
Estas ações são fundamentais para os assentamentos atendidos e para a população paraense em geral. Hoje, 70% da produção agropecuária do Estado do Pará é consumida no mercado interno, sendo que 100% desta produção provém da agricultura familiar, público alvo das ações da Emater. “A comida na mesa do povo vem da agricultura familiar. Nossas atividades fortalecem a produção dessas famílias e da sociedade como um todo, pois garantem o fornecimento dos produtos e a segurança alimentar e de renda de todos”, diz Paulo Lobato.
A Emater ainda dá subsídio técnico aos pequenos produtores no que se refere ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que compra a produção de pequenos produtores rurais a preço de mercado e doa para instituições de assistência social e ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), que determina que pelo menos 30% dos recursos utilizados por prefeituras municipais devem ser para a agricultura familiar. O município de Santa Izabel já está inserido neste contexto e os agricultores locais se beneficiam destas ações.

Texto:
Julia Garcia-Secom



Pesquisa sobre comunidades
indígenas do Tapajós é
tema de programa de TV

Pesquisas desenvolvidas pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur) em áreas indígenas do polo turístico do Tapajós, através do Programa de Desenvolvimento do Turismo do Pará - Prodetur, serão o tema do programa Diálogo Aberto, exibido pela TV Nazaré. As gravações do programa, apresentado pelo jornalista Eduardo Sobral, aconteceram na tarde da última sexta-feira, 13, e vão ao ar nesta segunda, 16, tendo como entrevistado o pesquisador e antropólogo Antônio Maria Santos, do Museu Paraense Emílio Goeldi.
As pesquisas resultam de levantamento do Prodetur, executado no Estado pela Paratur, e incluíram visitação e levantamento de dados feitos no período de 26 de março a 2 de abril, em comunidades indígenas de Santarém (Aritapera, Alter-do-Chão e Cururunã), Belterra (Marituba, Bragança e Itacoara) e Oriximiná (Mapuera e Quilombola). "Os dados vão subsidiar ações de fortalecimento do turismo do Tapajós a partir de investimentos do Prodetur, que prevê recursos que somam US$ 44 milhões a serem aplicados nos polos Tapajós, Marajó e Belém", explica Márcia Bastos, coordenadora do Prodetur Pará.
Durante a entrevista, que pode ser acompanhada ao vivo pelo portal www.fundacaonazare.com.br, Antônio Maria vai explicar a importância dessas pesquisas não só para o turismo, já que as comunidades vão ser preparadas para a visitação de turistas, beneficiadas assim com a geração de trabalho e renda, mas também para o resgate, manutenção e preservação da identidade cultural desses povos, tendo a cultura tapajônica como principal referência.
Pesquisador das áreas de saúde e de línguas indígenas, colaborador da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e do Fundo das Nações Unidas para Infância e Adolescência (Unicef), Antônio Maria fala também na entrevista sobre o seu vasto conhecimento na área da Antropologia, os trabalhos publicados e da sua contribuição enquanto pesquisador por intermédio do Museu Goeldi, tendo atuado como professor em diversos níveis de ensino.
Na oportunidade, o pesquisador, que integra a equipe de pesquisa do Prodetur representando o Museu Paraense Emílio Goeldi, à convite da Paratur, convida para o XIII Curso “A Importância do Museu Goeldi nos Diversos Níveis de Ensino: Povos Indígenas, Ação Política, Conflitos e Conquistas”. O evento acontece de 17 a 23 deste mês, com mesas redondas, oficinas, mostra de filmes etnográficos, no auditório Alexandre Ferreira, no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi.

Texto:
Benigna Soares-Paratur



Trabalho da Ciptur é elogiado

Equipe de jornalistas da Amazon Sat que ficou uma semana no Pará produzindo cinco programas de gastronomia à convite da Paratur não poupou elogios ao trabalho da Companhia Independente de Policiamento Turístico (Ciptur). Além de monitorar os roteiros por onde a equipe passou nas madrugadas em que filmaram no Ver-o-Peso os policiais prestaram importantes informações turísticas sobre a cidade. Preparados pela Paratur para falar, inclusive outros idiomas, fazem parte de uma estrutura que inclui 20 viaturas turísticas distribuídas nos principais municípios do Pará.


Operação da PM resulta em
prisões em Capitão Poço

Um adolescente e dois adultos, apontados como integrantes de um grupo acusado de roubo e tentativa de homicídio nos municípios de Ourém e Capitão Poço, região nordeste do Estado, foram presos por homens da 10ª Companhia Independente da PM. Os policiais, que realizam a Operação Saturação na cidade, iniciaram as buscas aos envolvidos, quando o sargento PM Melo e os cabos PM Almeida e Freitas informaram ter capturado o trio criminoso que ainda estava em Ourém. Reconhecidos pelas vítimas como autores do delito, os jovens foram abordados e conduzidos até a delegacia local. Com os mesmos foram apreendidas: uma arma do tipo escopeta calibre 12 e munições intactas.
Ainda pela Operação, a guarnição comandada pelo major PM Dantas e tenente PM Antunes, juntamente com soldados PM Altobelle e Júnior, conseguiu prender um homem acusado de efetuar vários disparos de arma de fogo contra um desafeto seu. Com o infrator foi apreendido um revólver calibre 38, com três munições.
Também em Ourém, dois conhecidos criminosos do tráfico de drogas na região foram presos por policiais da 10ª CIPM. Desta vez, o sargento PM Melo e o soldado PM Soares, realizavam rondas ostensivas na rodovia PA-124, quando observaram dois homens em uma motocicleta em alta velocidade. A guarnição solicitou a parada do veículo, mas o motociclista ignorou a ordem policial e seguiu viagem, sendo acompanhado de perto pela PM até a entrada da cidade de Ourém, quando teve de parar, sendo reconhecido pelos militares, bem como seu carona, por envolvimentos anteriores com o comércio de drogas.
Abordados, com ambos foram encontradas petecas de droga que seriam destinadas à venda. A dupla foi então encaminhada à delegacia local onde foi confirmada a passagem de ambos pela polícia por tráfico. Em desespero, os criminosos ainda ofereceram cerca de R$ 10 mil para que o flagrante não fosse adiante, mas acabaram por também ter de responder por mais esta ação.
Santarém

Policiais Militares do 3º Batalhão PM, sediado em Santarém, prenderam mais um traficante de drogas quando este vendia o material ilícito nas dependências de uma pousada, localizada à avenida Cuiabá, próximo ao viaduto da cidade. Com o acusado, os policiais apreenderam 22 "trouxas" de pasta de cocaína, dinheiro em espécie e um telefone celular, equipamento básico usado no tráfico, pois há muitas “encomendas” entregues em domicílio.
O acusado tem 29 anos e era residente do bairro “caranazal”, em Santarém. Ele foi autuado em flagrante na 16ª Seccional Urbana e posteriormente transferido para a Penitenciária “Silvio Hall de Moura”. Para os comandantes do 3º BPM, Tenente Coronel PM Anthenor Nascimento e do Comando de Policiamento Regional Coronel PM Eraldo Paulino, o trabalho é resultado do empenho, tanto do policiamento ostensivo quanto da inteligência PM, ambos orientadas para, em todos os municípios que estão sob a circunscrição do CPR-I, atuar intensamente contra o tráfico, principalmente por meio de operações que visam reprimir a ação de criminosos.

Texto:
Leno Carmo-Polícia Militar

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Paratur assina convênio
que garante publicação
do guia gastronômico do Tapajós

Foi assinado na manhã desta segunda-feira, 16, convênio entre a Companhia Paraense de Turismo (Paratur) e a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) que vai garantir a publicação de um guia gastronômico do polo turístico do Tapajós, tendo como principal destaque os municípios de Santarém, Belterra e Oriximiná. A assinatura foi formalizada por Adenauer Góes, presidente da Paratur, e Sandro Mota, presidente da Abrasel Tapajós, com participação de Marco Antônio, diretor da Abrasel Pará.
Adenauer Góes explica por que o Governo do Estado e a Paratur apóiam a iniciativa de lançar o Guia Gastronômico Abrasel Tapajós. “Pelo sentido de organização do setor gastronômico que ele representa. De acordo com o Plano Estratégico de Turismo do Pará, a gastronomia é um produto extremamente importante, considerado um produto estrela. A medida que a Abrasel de Santarém parte para dar um profissionalismo à gastronomia do oeste do Pará, a Paratur se sente à vontade para realizar esse apoio. Estamos em busca desse profissionalismo e num futuro bem próximo lançaremos roteiros gastronômicos contemplando Belém e Tapajós”, diz Adenauer.
Marco Antônio Antunes D'Angelo, diretor da Abrasel Pará, fala que o Guia Gastronômico Abrasel Tapajós faz parte de estratégias de regionalização da entidade.  “A Abrasel tapajós deu um primeiro passo pra essa regionalização. Há dois anos Sandro Mota vem desenvolvendo um trabalho com a população e o lançamento do guia é mais um passo para a regionalização naquela região”, explica D´angelo, ao lembrar que o trabalho é elogiável especialmente “pelo interesse dos empresários locais de organizar o setor”.
Sandro Mota, idealizador do Guia Gastronômico Abrasel Tapajós, explica que o guia terá a impressão de 20 mil exemplares, será produzido em português e inglês e terá referências do artesanato, meios de hospedagem, produtos e serviços, até o momento de 32 dos 41 restaurantes associados de Santarém, contendo indicação do que há de melhor na gastronomia local. Virá também com referências dos principais roteiros turísticos do polo Tapajós.
Estudioso da gastronomia brasileira, com pesquisas feitas em outros países e um forte trabalho de divulgação, Sandro tem o papel de resgate da gastronomia enquanto parte da cultura. Vencedor de festivais como o Brasil Sabor, é defensor da proteção da culinária e seus aspectos regionais, a exemplo do piaracuí, aviu e outros tipicamente do Pará. Ele destaca no Tapajós a gastronomia de Santarém, Óbidos, Monte Alegre, Oriximiná e Belterra como as mais fortes. “É muito importante o apoio da Paratur para garantirmos esse resgate”, afirma Sandro.

Texto:
Benigna Soares-Paratur



Secti elabora política para
o controle do acesso
à biodiversidade do Estado

Rico em biodiversidade e conhecimentos populares, ao longo dos anos o Pará consolidou o papel de exportador de matéria-prima. Entretanto, o Estado não possui um marco regulatório para a exploração e apropriação desses recursos e saberes. Para discutir o assunto, nesta terça-feira, 17, representantes de diversas organizações estarão reunidos no fórum que visa criar um ambiente de discussão entre diversas organizações para elaboração de uma política estadual de controle do acesso ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional associado.
O evento é organizado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e será o primeiro encontro dos sete que estão planejados para acontecer até o mês de novembro deste ano. “A ideia primordial desta política é obter maior conhecimento das pesquisas científicas, desenvolvimentos tecnológicos ou bioprospecções que estão sendo realizadas no Estado e ainda resgatar e valorizar o conhecimento tradicional associado dos povos e comunidades tradicionais presentes no Pará”, esclarece Magáli Coelho, coordenadora de Tecnologia Industrial Básica da Secti.
A política a ser elaborada durante os Fóruns vai atender qualquer pessoa física ou jurídica, que venha a ter acesso, no território paraense, a diversidade biológica e ao conhecimento tradicional associado, visando a sua aplicação industrial ou de outra natureza. Por exemplo, a obtenção de uma amostra do patrimônio genético, informação ou prática de comunidades indígena ou local para fins de pesquisa científica, desenvolvimento tecnológico ou bioprospecção, passará a ser regulamentada.
De acordo com Magáli Coelho, a proposta é criar um Fundo Estadual da Biodiversidade para financiar projetos, pesquisas e tecnologias que visem o desenvolvimento sustentável e, também, a implementação de ações voltadas ao controle, fiscalização, defesa e recuperação dos ecossistemas do território paraense. “No Brasil, somente os estados do Acre e do Amapá possuem legislações similares à que será elaborada. O Pará está sendo precursor na criação do Fundo, que representa um avanço muito grande dentro das políticas dessa natureza existentes no país”, destaca a coordenadora.
Na última reunião do Fórum, será apresentada a versão final da minuta da política estadual de controle do acesso ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional associado, que posteriormente será encaminhada pelo titular da Secti, Alex Fiúza, para a Assembleia Legislativa do Estado do Pará.
Fortec - O primeiro Fórum é parte integrante da programação do VI Encontro Nacional do Fórum de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec), que acontece entre os dias 17 e 19 de abril. É a primeira vez que o evento, cujo objetivo é fomentar a transferência de tecnologia no Brasil e acompanhar a gestão da tecnologia e da inovação nas universidades e nas empresas, acontece na Amazônia.

Serviço: Fórum de Acesso a Biodiversidade e ao Conhecimento Tradicional
Data: 17/04/2012
Horário: 8:00h às 12h
Local: Hotel Hilton – Av. Presidente Vargas, 882.

Texto:
Raphael Freire-Secti



Iterpa começa a entregar
títulos do programa de
gestão territorial em 2012





O Instituto de Terras do Pará (Iterpa) comemora os resultados dos programas desenvolvidos a partir de 2011. Através do Programa Gestão Ambiental e Territorial, o instituto começou o processo de regularização de propriedades de 2.248 famílias, em todo o Pará, englobando um total de 42 municípios. Estes produtores devem receber o título definitivo de suas terras ainda este ano. Além disso, áreas de assentamento estadual também foram envolvidas pelo trabalho. Foram concedidos 185 títulos de terra, beneficiando 2.300 famílias em pequenas propriedades e comunidades tradicionais. As comunidades quilombolas de três regiões do Pará devem receber seus títulos de terra em 2012. Uma área equivalente a 15 mil hectares já foi regularizada, englobando 320 famílias.
Estas ações aconteceram prioritariamente em áreas rurais de atuação do Programa Municípios Verdes. Além dos processos de regularização, foram entregues 151 certidões de terra, que atestam a regularidade de títulos expedidos no passado pelo Estado. Carlos Lamarão, presidente do Iterpa, avalia a importância deste trabalho: “reconhecer o direito da pessoa pela terra é conceder o direito de uso. Com esta documentação em mãos, o pequeno produtor é capaz de ter créditos rurais do governo, licenças ambientais, de trabalhar na legalidade e a partir disso ter melhoria de vida e incremento em sua produção”.
O trabalho do Iterpa é baseado em três princípios inicialmente: arrecadação de terras do Estado, cadastro e regularização. “É necessário que saibamos, em primeiro lugar, qual a origem da terra onde a família está instalada. A partir desta identificação, fazemos os estudos que determinam a área em questão e com todas estas informações em mãos podemos dar início ao processo de titulação da terra”, explica Daniel Lopes, titular da Diretoria de Desenvolvimento Agrário e Fundiário (Deaf).
Investimentos
Em 2012 estas ações devem aumentar, o Iterpa abriu processo licitatório para contratação de empresas de georreferenciamento para ampliar a capacidade de atendimento aos produtores. “Determinar o tamanho da área avaliada é um dos procedimentos mais demorados. A partir destas contratações o tempo do processo de regularização diminui bastante, dando celeridade à ação e respondendo com maior eficácia à população envolvida”, diz Daniel Lopes.
Outra mudança nas ações do Iterpa este ano é estreitar e priorizar a parceria com as prefeituras municipais e atuar em áreas urbanas. Uma das metas de 2012 é demarcar e regulamentar 40 áreas urbanas municipais e a partir disso determinar áreas de expansão ao redor das cidades. “O iterpa atua em várias regiões organizando a situação fundiária. Nós fazemos um mapeamento nas áreas que podem ser regularizadas no entorno dos municípios, isto é importante, pois freia o crescimento desordenado”.
A regularização fundiária, conforme explicou Carlos Lamarão, é o instrumento que garante aos produtores acesso a projetos e créditos. O Iterpa realiza essas ações em integração com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater), Secretaria de Agricultura do Estado do Pará (Sagri) e Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor).

Texto:
Julia Garcia-Secom



Especializações na área
da Educação têm
inscrições prorrogadas

O Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) prorrogou até a próxima sexta-feira, 20, as inscrições para três cursos de especialização. São eles: “Educação a distância”, “Educação inclusiva e o Ensino de Matemática” e “Fundamentos da Matemática Elementar”. As vagas ofertadas são destinadas à Belém e ao município de São Miguel do Guamá.
 Os interessados devem fazer a inscrição pelo site da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa - Fadesp (www.fadesp.org.br). A seleção dos candidatos acontece no período de 23 a 26 de abril, com a análise do currículo.

Confira abaixo os detalhes de cada seleção e mais informações:
1) Educação a distância
Edital anterior: 42/2011-UEPA
Período de inscrição prorrogada: 08/03/2012  a  20/04/2012;
A seleção dos candidatos ocorrerá no período de:
1ª Etapa (análise dos currículos): 23 a  26/04/2012.
Resultado da 1ª etapa e divulgação do calendário de entrevistas: 27/04/2012, às 18h.
2ª Etapa (entrevista): 02 a 04/05/12 das 8h às 12h e das 14h às 18h.
Resultado final da seleção: 07/05/2012 às 18h.
 Período de Matrícula: 8 a 11/05/2012
Inicio das Aulas: maio/2012

2) Educação inclusiva e o Ensino de Matemática - Belém
Edital anterior: 43/2011-UEPA
 Período de inscrição prorrogada: 08/03/2012 a 20/04/2012;
A seleção dos candidatos ocorrerá no período de:
1ª Etapa (análise dos currículos): 23 a 26/04/2012.
Resultado da 1ª etapa e divulgação do calendário de entrevistas: 27/04/2012, às 18h.
2ª Etapa (entrevista): 02 a 04/05/12 das 8h às 12h e das 14h às 18h.
Resultado final da seleção: 07/05/2012 às 18h.
Período de Matrícula: 8 a 11/05/2012
Inicio das Aulas: maio/2012

3) Educação inclusiva e o Ensino de Matemática – São Miguel
Edital anterior: 44/2011-UEPA
Período de inscrição prorrogada: 08/03/2012 a 20/04/2012;
A seleção dos candidatos ocorrerá no período de:
 1ª Etapa (análise dos currículos): 23 a 26/04/2012.
Resultado da 1ª etapa e divulgação do calendário de entrevistas: 27/04/2012, às 18h.
2ª Etapa (entrevista): 02 a 05/05/12 das 8h às 12h e das 14h às 18h.
Resultado final da seleção: 07/05/2012 às 18h.
Período de Matrícula: 8 a 11/05/2012
Inicio das Aulas: julho/2012

5) Fundamentos da Matemática Elementar - Belém
Edital anterior: 47/2011-UEPA
Período de inscrição prorrogada: 08/03/2012 a 20/04/2012;
A seleção dos candidatos ocorrerá no período de:
1ª Etapa (análise dos currículos): 23 a  26/04/2012.
Resultado da 1ª etapa e divulgação do calendário de entrevistas: 27/04/2012, às 18h.
 2ª Etapa (entrevista): 02 a 05/05/12 das 8h às 12h e das 14h às 18h.
Resultado final da seleção: 07/05/2012 às 18h.
 Período de Matrícula: 8 a 11/05/2012
Inicio das Aulas: maio/2012

6) Fundamentos da Matemática Elementar – São Miguel do Guamá
Edital anterior: 49/2011-UEPA
Período de inscrição prorrogada: 08/03/2012 a 20/04/2012;
A seleção dos candidatos ocorrerá no período de:
1ª Etapa (análise dos currículos): 23 a 26/04/2012.
Resultado da 1ª etapa e divulgação do calendário de entrevistas: 27/04/2012, às 18h.
2ª Etapa (entrevista): 02 a 05/05/12 das 8h às 12h e das 14h às 18h.
Resultado final da seleção: 07/05/2012 às 18h.
Período de Matrícula: 8 a 11/05/2012
Inicio das Aulas: julho/2012

Para obter mais informações, os interessados devem acessar no paginas.uepa.br/coad_ccse/. As inscrições podem ser feitas no site da Fadesp (www.fadesp.org.br)

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS À INSCRIÇÃO DOS CANDIDATOS:
- fotocópia da Carteira de Identidade e CPF;
- duas foto ¾ recente;
- Curriculum Lattes, em 03 vias, sendo uma comprovada;
- cópias autenticadas do Diploma e Histórico da graduação;
- pré-projeto de pesquisa (03 vias);
- comprovante do pagamento da taxa de inscrição:  R$ 50,00 (cinquenta) reais com a emissão do boleto bancário através do site www.fadesp.org.br ;
- fotocópia do comprovante de residência.

LOCAL DE  ENTREGA DA DOCUMENTAÇÃO:
Centro de Ciências Sociais e Educação /UEPA
PÓS-GRADUAÇÃO / CCSE - Bloco III - Térreo
Trav. Djalma Dutra, s/nº - Telégrafo
Email: coad_ccse@uepa.br
Fones -  3233-9355 / 4009-9550

Texto:
Ize Sena-Uepa

Extrativistas de açaí em
Gurupá recebem
Pronaf Floresta

Nesta terça-feira, 17, um grupo de 85 ribeirinhos de Gurupá, no Marajó, atendidos pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), assinarão contratos da linha Floresta do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) com o Banco da Amazônia. Cada família receberá quase R$ 10 mil para aplicar em projetos de manejo de açaizais de várzea, a partir de limpeza de área, distanciamento padrão entre toiceiras e plantio consorciado de cupuaçu e cacau.
Os agricultores fazem parte de dez comunidades localizadas às margens dos rios Moju e Baquiá. Atendidos pela Emater há mais de cinco anos, eles vivem do extrativismo de açaí e da pesca artesanal (peixe e camarão). Só de açaizais nativos, há mais de 250 hectares trabalhados. A proposta, de acordo com a orientação da Emater, é inserir pelo menos 50 mil pés de cupuaçu e 50 mil pés de cacau, entre cerca de 150 mil palmeiras de açaí. “O consorciamento do açaí com cupuaçu e cacau, além de garantir a manutenção de mais espécies na floresta, propicia diversificação de atividades, segurança alimentar das próprias famílias e complementação de renda”, diz o engenheiro florestal Ted Fonseca, chefe do escritório local da Emater.
Essa é a segunda remessa de Pronaf Floresta no município. A primeira se deu ano passado, também com o Banco da Amazônia, que liberou um valor total aproximado de R$ 400 mil para 21 agricultores atendidos pela Emater investirem em sistemas agroflorestais (Safs).

Texto:
Aline Miranda-Emater



Arcon discute com
cooperativas melhoria
no transporte no
sul e sudeste do Pará

A Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará (Arcon) realizou no último fim de semana, no município de Marabá, no sudeste do Estado, uma reunião com dirigentes das Cooperativas de Transporte Complementar do Sul e Sudeste, com o objetivo de ouvir as demandas do setor e conhecer a realidade do sistema de transporte nas duas regiões. Encontro semelhante já foi realizado, em Santarém, no oeste, com os representantes dos setores rodoviário e hidroviário do Baixo Amazonas. Em breve, as reuniões também serão realizadas em outras regiões.
Em Marabá, o encontro ocorreu na sede da Secretaria Municipal de Agricultura, e contou com a participação de cooperados de grande parte dos municípios do sul e sudeste. O diretor geral da Arcon, Antônio Bentes de Figueiredo Neto, ressaltou a importância do trabalho organizado das cooperativas e repassou algumas diretrizes que devem ser seguidas pelos cooperados, a fim de assegurar a oferta de um serviço de qualidade na área de transporte à população.
Uma das reivindicações dos cooperados foi uma fiscalização permanente da Agência Reguladora na região, para coibir a ação de transportes clandestinos nos municípios. Hoje, a fiscalização da Arcon no sul e sudeste é feita com equipes volantes.
O diretor informou que está sendo encaminhada à Secretaria de Estado de Administração (Sead) a minuta de um projeto de lei, que entre outros temas trata da criação de gerências regionais da Arcon em polos estratégicos do Estado, com o objetivo de aproximar ainda mais o órgão da população e de suas demandas.
O documento será analisado pela Sead e depois encaminhado à Secretaria Especial de Infraestrutura (Seinfra) para, posteriormente, ser apreciado pelo governador Simão Jatene. “Com certeza, o governo verá com bons olhos a necessidade de a Arcon estar estruturada em outras regiões, o que facilitará a vida dos cooperados e da população, que não terão mais que se deslocar até Belém para resolver assuntos de seus interesses”, disse Antônio Neto.
Em Marabá, o dirigente da Arcon, juntamente com a equipe técnica, se reuniu também com o representante do Ministério Público Estadual e com o prefeito municipal, Maurino Magalhães, buscando parcerias entre os órgãos.

Texto:
Leiliane Souza-Arcon

Seter e INABRA abrem
capacitação para
trabalhadores
da construção civil

Começam nesta terça-feira, 17, as aulas das dezessete turmas de qualificação profissional que a Secretaria de Trabalho Emprego e Renda do Pará (Seter) promove junto ao Instituto Náutico Brasileiro (INABRA). Seis cursos foram ofertados e os 675 inscritos serão capacitados - e certificados - para o mercado de trabalho. Com a crecente demanda do setor da Construção Civil, e sendo o Pará responsável pela maior parte da geração de empregos nessa área nos últimos meses, a Secretaria decidiu priorizar o atendimento desse público. Em três meses, o Estado terá mais de 400 trabalhadores capacitados, entre mestres de obras, pedreiros de acabamento e de estrutura, operadores de betoneira e eletricistas prediais.
A aula inaugural aconteceu hoje no auditório do Centro Integrado de Inclusão e Cidadania (CIIC) e contou com a presença do secretário de Trabalho Emprego e Renda do Estado, Celso Sabino; da presidente do INABRA, Márcia Rocha, e do presidente da Rede Inabra, Washington Rocha. Grande parte dos inscritos também compareceu ao evento para receber as primeiras instruções sobre os cursos. Além das aulas para o setor da Construção Civil, um curso de informática também será ministrado para sanar uma demanda que é constante.
De acordo com Celso Sabino, a necessidade do mercado paraense por alguns profissionais tende a crescer e é preciso estar preparado. “Nos próximos cinco anos serão investidos mais de R$ 130 bilhões no Estado, principalmente em razão dos grandes projetos de infraestrutura que estão previstos ou já estão em andamento na região. Com isso,  mais empreendimentos vão surgir e, com eles, as vagas de emprego. Quem tiver disposição e boa vontade vai deixar de ser servente e virar mestre de obras, e nós estaremos aqui para ajudar vocês a se capacitar e alcançar seus objetivos”, revela.
Os participantes dos cursos têm em comum a perspectiva de um futuro melhor. Flávio Renato vai fazer o curso de pedreiro estrutural e já pensa nas próximas capacitações. “Vou fazendo um atrás do outro até chegar lá em cima. Felizmente temos o governo para nos garantir a qualificação, porque as empresas, em geral, não promovem isso”, argumenta. Juscelino Brasil, que também integrou a última turma do curso de pedreiro estrutural e, com o conhecimento adquirido, conseguiu construir a própria casa. “Eu fui aplicando o que eu aprendi na minha casa, agora vou aprender a fazer a parte do acabamento e em breve espero conseguir um trabalho”, conta.
Já para quem ministra as aulas, o prazer de compartilhar conhecimento é a grande motivação. Paulo Silva é eletricista com mais de 25 anos de experiência. “Dou aula há muito tempo e procuro dar o máximo para que a minha turma aprenda tudo o que eu tenho para ensinar”, afirma.
Apesar da Construção Civil parecer uma área tipicamente masculina, o número de mulheres inscritas para capacitação no setor é bastante significativo. Keila Marques confessa que gosta da atividade. “Vou fazer o curso de eletricista porque me identifico com essa área”, garante. Para Darcilene de Carvalho, o curso servirá como aprimoramento. “Já trabalhei um pouco com acabamento, mas quero aprender mais”, diz. A presidente do INABRA lembra aos interessados que ainda é possível ingressar nas turmas desse módulo. “Às vezes temos desistências e por isso criamos um cadastro de reserva”. Que quiser obter mais informações sobre os cursos ofertados pode entrar em contato pelo telefone (91) 3229-1042 ou procurar a sede do INABRA, na Avenida Magalhães Barata, nº 935.

Texto:
Gabriela Azevedo-Seter



Sejudh apoia programação
da Pré-Semana dos
Povos Indígenas

A partir desta segunda-feira (16), Belém é a sede da “Pré-Semana dos Povos Indígenas”. A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos, por meio da Coordenadoria Estadual de Proteção dos Direitos dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais (Ceppita), apoia a I Jornada dos Povos Indígenas - que será realizada até a próxima sexta-feira (20), nas dependências da Faculdade Estácio do Pará FAP, situada na rua Municipalidade, 839, bairro do Umarizal.
Palestras, oficinas, apresentação de documentários e mesas de debates são alguns dos atrativos oferecidos pela instituição de ensino superior e pelo órgão público, que promovem uma programação extensa, voltada para a promoção de povos indígenas do estado. Além de homenagear os indígenas universitários, o evento pretende promover uma mesa redonda sobre terras indígenas. Temas como “Aspectos da etnicidade e das culturas indígenas”, “Cinema Indígena como ferramenta de preservação cultural”, “Mitologia Parakanã”, “A Selva Digital e os Índios Online” e “Novas formas de Desenvolvimento para Sociedades Indígenas e Tradicionais”, também serão explanados durante a Semana.
“O fato é que a população da Amazônia conhece muito pouco dos povos e populações tradicionais. Então, essa aproximação dos acadêmicos com a cultura indígena é muito importante, pois só amamos o que conhecemos. Aliás, a questão indígena é apaixonante“, explica a organizadora do evento e coordenadora do curso de Publicidade e Propaganda, Viviane Barreto.
Semana Estadual dos Povos Indígenas
A V Semana dos Povos Indígenas do Pará será realizada de 21 a 25 deste mês, com a programação concentrada no Parque dos Igarapés. Organizada pelo Comitê Intersetorial de Política Indigenista do Pará, que por sua vez é coordenado pela Sejudh, a quinta edição da Semana pretende fortalecer o diálogo intercultural e divulgar os direitos e as políticas públicas existentes voltadas para a esses povos.
Denominado “Estado, Políticas Públicas e Cidadania Indígena no Pará”, o evento promove ainda a valorização dos saberes tradicionais com a recepção de cerca de 80 lideranças indígenas, membros do Fórum dos Povos Indígenas do Pará, dentre outros. A Semana é considerada uma forma eficaz de diálogo entre as ações do Governo do Estado com os movimentos indígenas do Pará. O evento estadual promove debates que resultam no direcionamento de ações para atender demandas específicas dos povos indígenas.
Dados do Fórum dos Povos Indígenas do Pará e da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) apontam que cerca de 50 mil paraenses são indígenas, e que estes ocupam aproximadamente 25% do território do estado. Tal estatística coloca o Pará entre os cinco estados brasileiros com maior população indígena do país.
Distribuídos em 52 municípios, os 57 povos existentes contribuem para fortalecer a diversidade sociocultural do estado. Para o representante regional da Fundação Nacional do Índio (Funai), Juscelino Bessa, os debates que serão promovidos durante o evento são de fundamental importância para a população indígena do estado. Essa ideia também é compartilhada pela representante da Ceppita, Silvina Macedo. “O evento tradicionalmente tem foco nas demandas tidas como prioritárias pelos indígenas e, neste ano, busca consolidar a proposta de minuta de projeto de Lei Indigenista do Pará. Nesse documento, é pontuado o respeito, a autonomia dos indígenas e a valorização dos saberes tradicionais”, explica.

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh



Hemopa participa de
reunião do GesPública

A titular do Núcleo da Qualidade da Fundação Hemopa, socióloga Ligia Garcia, participará  da “II Reunião Ordinária do Núcleo de Excelência Pública no Pará – GesPública”, no dia 19 deste mês, no Prédio da Receita Federal, na rua Gaspar Viana de 14h30 às 17h30. O evento será aberto por Iane Marques, que é dirigente da Organização Âncora. Entre os assuntos abordados, Lígia Garcia vai falar sobre “Apresentação do Plano Anual de Trabalho – ciclo 2012” e “Definição de ações para o Seminário  GesPública – Região Norte”.
Os participantes do encontro também assistirão palestras sobre “A importância do Método Coaching para a Qualidade de Vida Pessoal e Profissional”, “ Pactuação de Responsabilidades do  Comitê Gestor  x Plano Anual de Trabalho”, “ Apresentação da reestruturação da Secretaria Executiva do Núcleo Estadual do Pará”.

Arquivo Público do Pará
completa 111 anos com
portas abertas para o público








Em 16 de abril de 1901, há exatos 111 anos, era fundada a Biblioteca e Arquivo Público do Estado do Pará. Durante este mais de um século de existência, muita coisa aconteceu com o Arquivo. A biblioteca foi separada e seu acervo foi transferido para o prédio da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, o histórico prédio da Travessa Campos Sales sofreu inúmeras adaptações para comportar o aumento do acervo e o Apep transformou-se em referência em pesquisa histórica em todo o Brasil.
Para comemorar essa trajetória, as portas do Arquivo Público foram abertas nesta segunda-feira, 16, para a população, com programação para crianças, adolescentes e o público em geral. As atividades iniciaram às 9 horas da manhã com a apresentação do grupo de contadores de história “Cirandeiros da Palavra”. Com uma mistura de música, narrativa e poesia, os contadores Andrea Cozzi e Rodrigo Grilo apresentaram histórias que prenderam a atenção dos alunos da terceira série do Ensino Fundamental da Escola Municipal Honorato Filgueiras.
A visita dos alunos foi a segunda parte de uma atividade integrada entre o Apep e a escola, que iniciou na última terça-feira. Os servidores do Arquivo Público apresentaram as atividades do Apep para as crianças. Para a coordenadora pedagógica da Escola Honorato Filgueiras, Keila Ramos, a visita foi uma experiência única para as crianças. “É a primeira vez que elas visitam um prédio histórico e esse acesso à cultura faz parte da linha de trabalho da escola, que é formar cidadãos através da leitura”, completou. A intenção agora é fazer com que o grupo de alunos que visitou o Apep transmita para outras turmas um pouco do que viram, através de atividades dentro da escola.
Depois, a programação teve como convidado o mestre das histórias da Amazônia, Walcyr Monteiro. Ele falou um pouco sobre o seu trabalho de catador de lendas da floresta, como apresenta o seu mais conhecido trabalho “Visagens e Assombrações de Belém”. O público presente viu um breve documentário sobre o escritor e, como não podia deixar de ser, ele contou uma de suas conhecidas lendas com uma pitada de sobrenatural.
Ainda durante a manhã, o público que visitou o Arquivo Público viu um pouco do trabalho de alguns dos membros do Grupo Coletivo de Animadores de Caixa. Acostumados a intervenções em locais públicos abertos, os artistas Mariléia Aguiar com a performance “A Saudade do Sonho” e Aníbal Pacha com a performance “Yael”, adentraram o salão do Apep com suas caixas fechadas e despertaram a curiosidade de quem estava presente. Acompanhados das melodias dos instrumentos de sopro de Duga Borges, os artistas cativaram com as simples e inventivas apresentações, todas realizadas dentro de uma caixa e apresentadas individualmente.
Além disso, estão expostas no salão do Apep para o público que visita a instituição fotos produzidas durante a oficina de fotografia ministrada por Bob Menezes na última sexta-feira, dia 13 de abril. A oficina percorreu os espaços do prédio do Arquivo Público e produziu uma série de imagens que revelam detalhes do Apep, muitos deles que escapam do público que visita o Arquivo regularmente, como detalhes dos laboratórios de preservação e documentação permanente.
Também estão expostos no salão do Arquivo Público originais de documentos raros que fazem parte do acervo, como cartas régias e provisões dos séculos XVII e XVIII, termos e homenagens do governo, datadas de 1808, além de algumas das iconografias como plantas de povoados e desenhos da flora amazônica feitas no século XVIII e XIX. O destaque dessa exposição é uma parte da obra “Descripção de todo o marítimo da Terra de Sta. Crus, chamado vulgarmente O Brazil”.
A programação de aniversário do Apep segue durante toda a tarde com a visita dos alunos da Escola Bosque e a apresentação de Eliana Barriga, no salão da instituição. Ainda como parte das comemorações do aniversário do Arquivo Público, será lançado às 18h o Catálogo de Documentos Manuscritos do Período Colonial (1649-1823), produto final do projeto “Preservação e Acesso: Digitalização da Documentação da Colônia”, realizado pela Associação dos Amigos do Arquivo Público do Estado do Pará, com patrocínio do Edital Caixa Cultural.

Texto:
Antonio Pacheco Neto-Secult

Mostra Cultura estreia
nesta terça-feira no Olympia

Uma série de documentários paraenses chega à tela do Cinema Olympia integrando as comemorações pelos 100 anos da sala exibidora. Realizada pela Rede Cultura de Comunicação, a Mostra Cultura será aberta nesta terça-feira, 17, e segue até dia 21, com sessões gratuitas, sempre às 18h30. Em maio, a programação retorna ao cinema, com uma nova grade de documentários, entre os dias 22 e 27, no mesmo horário.
O filme “Miguel Miguel”, de Roger Elarrat, abre a programação. A produção de 2010, exibida originalmente como minissérie, com seis episódios, ganha agora o formato de longa-metragem, com 80 minutos de duração. “Trata-se de uma versão inédita, com 15 minutos a mais em relação ao formato original”, explica Roger Elarrat, curador da Mostra Cultura, acrescentando que “Miguel Miguel”, uma adaptação da obra de Haroldo Maranhão, é a única ficção da programação.
Na quarta-feira, 18, segundo dia da mostra, será exibido o documentário “Pau & Corda”, recentemente lançado pela TV Cultura, que mostra a história de diversos grupos de carimbó do interior do Pará. Dia 19, entra em cena a homenagem preparada pela TV Cultura ao filósofo Benedito Nunes com o documentário “Mora na Filosofia”, dirigido por Júnior Braga. O filme reúne depoimentos de amigos, familiares e acadêmicos sobre a vida e a obra do pensador paraense. Completam a Mostra Cultura em abril os documentários “Saudade da Minha Terra”, de Nélio Palheta e Aladim Júnior, que será exibido no dia 20, e “Camisa de 11 Varas”, de Walério Duarte, exibido no dia 21.
Enquanto a programação de abril reúne documentários produzidos recentemente, em maio serão exibidas produções mais antigas, do período de 1987 até 2007. “Alguns filmes são verdadeiras raridades, pois foram exibidos uma única vez na TV Cultura”, explica Roger Elarrat, que buscou no arquivo da emissora produções com perfil mais documental, sem deixar de lado o padrão jornalístico.
O público terá oportunidade de ver nomes como Walter Bandeira e Cláudio Barradas ainda jovens, além de conhecer um pouco mais sobre a história do audiovisual paraense. Segundo Elarrat, o acervo da TV Cultura reúne cerca de 13 mil horas de gravações, sendo portanto o maior acervo da tevê paraense. “A TV Cultura faz parte dessa história, por isso é tão importante participar das comemorações pelo nosso cinema centenário”.
ESTÍMULO
Criada em 1987, a TV Cultura do Pará especializou-se em programas jornalísticos e documentários – inicialmente com recursos próprios e, nos últimos anos, em co-produções. Ao longo dos anos, o estímulo à produção audiovisual tem sido prioridade, com o fortalecimento de parcerias com associações voltadas ao segmento, como a Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas do Pará (ABDeC/Pará), e a formação do polo do Programa de Fomento à Produção e Teledifusão do Documentário Brasileiro (DOCTV). E para incrementar esse apoio, no próximo dia 20 a Rede Cultura faz o lançamento oficial do CulturAnimação, primeiro concurso de curtas-metragens de animação para interprogramas da TV Cultura. O edital já está disponível no Portal Cultura.
PROGRAMAÇÃO:
ABRIL
 Dia 17/4: “Miguel Miguel” (80 min, 2010): Adaptação da novela de Haroldo Maranhão. Ficção. Direção: Roger Elarrat.
 Dia 18/4: “Pau & Corda” (52 min, 2012): Histórias e estilos diversos de Carimbó em várias localidades do Pará. Documentário. Direção: Robson Fonseca.
 Dia 19/4: “Mora na Filosofia” (52 min, 2011): Vida e obra do filósofo Benedito Nunes. Documentário. Direção: Junior Braga.
 Dia 20/4: “Saudade da minha Terra” (52 min, 2009): A história de duas bandas centenárias do município de Vigia. Direção: Nélio Palheta e Aladim Júnior.
 Dia 21/4: “Camisa de 11 Varas” (52 min, 2009): A fuga de 16 homens de trabalho escravo em São João da Ponta, em 1974 . Documentário. Direção: Walério Duarte.

MAIO
Dia 22/5: “Waldemar Henrique” (54 min, 1989) : Maestro relembra sua trajetória no Pará e no mundo. Documentário jornalístico. Direção: Marlicy Bemerguy.
 Dia 23/5: “Pavulagem do meu coração” (32 min, 2007): A origem do grupo musical até o seu arrastão popular em Belém. Documentário. Direção: Guaracy Junior.
 “Magalhães Barata: 100 anos depois” (26 min, 1989): A trajetória de Magalhães Barata com imagens históricas do político. Documentário jornalístico. Direção: Afonso Klautau.
 Dia 24/5: “Saias, Laços e Ligas” (33 min, 1990): A presença da mulher na política no início do século 20. Documentário jornalístico. Direção: Risoleta Miranda.
 “Encomendação das Almas (18 min, 1989): Velórios e enterros acompanhados por encomendadores de almas em Oriximiná. Documentário jornalístico.
 Dia 25/5: “Haroldo Maranhão” (34 min, 2007): Bate-papo com o escritor paraense, seus amigos, admiradores e críticos. Documentário. Direção: Junior Braga.
 “Parceiros do Mar” (29 min, 1991): Histórias de barqueiros e construtores de barcos. Documentário jornalístico. Direção: Mauro Bonna.
 Dia 26/5: “Wayana – Apalai” (26 min, 1988): A história de remanescentes das duas tribos indígenas. Documentário jornalístico. Direção: Lilia Afonso.
 “Guajá” (28 min, 1992): A história dos índios Guajá, em uma reserva na divisa dos estados do Pará e Maranhão. Documentário jornalístico. Direção: Mauro Bonna.
 Dia 27/5: “Maria das Dores” (50 min, 1987): Depoimentos e discussão sobre a violência contra a mulher no Pará. Documentário jornalístico. Direção: Lúcia Leão.
Serviço: Mostra Cultura. Exibição de documentários da TV Cultura no Cine Olympia. Abertura nesta terça-feira, 17, às 18h30, com exibição do longa-metragem “Miguel Miguel”, de Roger Elarrat. A programação segue até dia 21 de abril e retorna entre os dias 22 e 27 de maio, sempre às 18h30. Entrada franca. Mais informações:www.portalcultura.com.br.

Texto:
Márcia Carvalho-Funtelpa

Sespa esclarece sobre
nomeação de concursados

Uma comissão formada por 12 profissionais aprovados nos concursos C-131 e C-153 da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e o presidente da Associação dos Concursados do Pará (Asconpa), José Emílio Almeida, foram recebidos em audiência nesta segunda-feira, 15, pelo secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco. O objetivo do encontro foi saber como a Sespa procederá na nomeação dos que foram aprovados nos dois certames.
A diretora de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (DGTES) da Sespa, Sônia Bahia, esclareceu que a Secretaria vem nomeando concursados de acordo com a necessidade de profissionais, dentro do prazo de validade do certame, mas sempre obedecendo ao limite orçamentário e financeiro do órgão. “Essa condição é essencial porque leva em consideração um equilíbrio vital entre as condições financeiras do Estado e os prazos de chamada”.
Sônia ressalta que o prazo final do concurso C-131 expira em junho deste ano. Até lá, serão nomeados 500 profissionais, sendo 84 de nível fundamental, 312 de nível médio e 104 de nível superior. Já para o concurso C-153 os aprovados terão que aguardar as necessidades da Secretaria, visto que a validade do certame foi prorrogada por mais dois anos.
Durante a reunião, o presidente da Asconpa recebeu da DGTES da Sespa uma planilha detalhada dos concursos, prazos de validade e número de concursados que serão chamados. No dia 27 de março, a Secretaria de Estado de Administração (Sead) divulgou um cronograma de nomeações dos aprovados nos 17 concursos cujos prazos de validade expiram ainda este ano, incluindo o concurso C-131 da Sespa.
O cronograma está disponível no seguinte link:
http://www.agenciapara.com.br/sgn.net/anexos/CRONOGRAMA_DE_NOMEA%C3%87%C3%95ES_EM_2012.pdf.

Texto:
Mozart Lira-Sespa

Governo beneficia a população
de 10 municípios com
obras de saneamento

A população do Pará ganhará mais qualidade de vida com as obras de saneamento que o Governo do Estado irá realizar a partir deste ano em vários municípios da Região Metropolitana de Belém e no interior do Estado. O governador Simão Jatene assinou nesta segunda-feira, 16, convênios e um contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal, garantindo recursos na ordem de R$ 360 milhões, provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 e do próprio tesouro estadual. Os recursos serão gerenciados pela Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), que será a responsável pelas obras.
A assinatura aconteceu no Centro de Convenções e Feiras da Amazônia - Hangar, em Belém, na presença de prefeitos e representantes de municípios de todas as regiões paraenses, além de secretários e outras autoridades do governo estadual. Durante o evento, Jatene ressaltou que os investimentos garantidos nesta segunda, somados aos que o Estado já está aplicando por meio do PAC 1 e dos próprios recursos, chegam a um valor de quase R$ 1 bilhão.
“É a maior intervenção em saneamento que já aconteceu neste Estado. Estamos recuperando um déficit de anos. Apesar dos investimentos, muito ainda precisa ser feito”, afirmou o governador, que estima que pelo menos mais R$ 1,7 bilhão precisam ser investidos para que o Pará alcance a média nacional.
O governador assinou primeiro os convênios para as obras de saneamento nos municípios de Santarém, Ananindeua, Marituba, Breves, Marabá e Monte Alegre, totalizando recursos no valor de R$ 113,2 milhões. Em seguida, firmou contrato de financiamento entre o Governo do Estado, que investe R$ 41,7 milhões, e o Governo Federal, com R$ 202,9 milhões, para obras em Belém e Região Metropolitana, Castanhal, Alenquer e Moju.
“Esses convênios que firmamos hoje fazem parte de um conjunto de investimentos que o Governo do Pará está fazendo para melhorar a qualidade de vida de toda a população. A partir dessas obras serão construídos mais 500 quilômetros de rede de abastecimento de água, além de modernizarmos a estrutura da Cosanpa. É um esforço muito grande o que estamos fazendo para atingir as nossas metas e vamos continuar assim, para chegarmos ao final do governo em um patamar muito melhor”, disse Jatene.
Obras
O presidente da Cosanpa, Antônio Braga, ressaltou que as obras que estão sendo executadas já com o PAC 1 e outras que serão realizadas a partir dos investimentos desta segunda-feira permitirão a recuperação e a ampliação do serviço em diversos municípios. Na capital, por exemplo, Antônio contou que será realizada a recuperação e a modernização da Estação de Tratamento do Bolonha, que abastece toda a capital e Região Metropolitana. “As obras garantirão imediata recuperação e ampliação dos serviços na Região Metropolitana. Será possível também construir uma unidade de reserva, que permitirá que façamos outras melhorias em breve sem que seja preciso suspender o serviço para a população”, explicou Braga, que destacou que com as obras o volume de água gerado pelo Bolonha passará de 4,8 m³ para 6,4 m³ por segundo.
Além das obras em Belém, entre outras, o presidente destacou a ampliação e a melhoria no serviço dos outros municípios. Em Marituba, por exemplo, haverá a construção de uma adutora de 9.500 metros, aumentando a capacidade de abastecimento em 300%. Segundo Antônio, com as obras do PAC 1 que já ocorrem naquele município, será possível atender com água de qualidade quase 38 mil famílias. Em outras cidades paraenses as obras também vão beneficiar muita gente. Nas cidades de Marabá, no sudeste, e Santarém, no oeste, 100% da população será atendida com a rede de abastecimento de água tratada do Estado.
Para o superintendente da Caixa Econômica Federal no Pará, Evandro Lima, os investimentos que o Governo do Estado está fazendo simbolizam o desenvolvimento e a ampliação de um direito básico de todos os cidadãos. “Com certeza são obras de grande importância, que estão consolidando o desenvolvimento do Estado do Pará. Significa qualidade de vida para a população. Muita gente será beneficiada nos municípios. Nós fazemos parte desta melhoria e vamos continuar apoiando o Estado nestes investimentos”, afirmou Lima.
Qualidade de vida nos municípios
Os prefeitos e representantes dos municípios presentes no Hangar comemoraram os recursos que serão aplicados nas cidades. O prefeito de Alenquer, no oeste paraense, João Damaceno, disse que este é um investimento que ele nunca viu acontecer naquela cidade. “É uma coisa que nós esperamos há um bom tempo. Representa saúde e vida para a nossa população. Eu sempre acreditei que o maior problema do Estado fosse a falta de saneamento, mas com esses investimentos o Governo está reduzindo este entrave”, disse João, que receberá em Alenquer recursos na ordem de R$ 15 milhões, que garantirão quase 100% do abastecimento.
O prefeito de Castanhal, no nordeste paraense, Hélio Leite, ressaltou a parceria que o Governo do Estado está firmando com o Governo Federal e os municípios para consolidar o desenvolvimento em todo o Pará. “É muito importante que aconteça essa parceria para que nós lutemos juntos pelo desenvolvimento do Estado e dos nossos municípios. Com certeza estas obras darão mais qualidade de vida para a nossa população. É um benefício que atenderá pelo menos 90% das pessoas que vivem em Castanhal”, concluiu.

Texto:
Thiago Melo-Secom

Defensoria Agrária participa
de audiências
públicas em Redenção

A Defensoria Pública do Estado participou, entre os dias 10 e 13 de abril, de uma série de audiências públicas realizadas no Fórum de Redenção, promovidas pela Comissão Nacional de Combate à Violência no Campo. O encontro abriu espaço para o debate de vários assuntos relacionados aos conflitos agrários, como a desapropriação de imóveis rurais, despejos decorrentes de reintegrações de posse, retomada de lotes de assentamentos rurais, remanejamento de famílias, apuração de homicídios contra trabalhadores rurais e requerimento de proteção a ameaçados de morte, entre outros.
A participação da Defensoria Agrária em eventos como este atende a uma das missão priomordiais do órgão, que é a de garantir ao cidadão que não possui meios de custear um defensor, o direito à ampla defesa. E sendo o campo um setor ainda marcado por conflitos motivados pela posse da terra,  assegura a assistência jurídica necessária aos trabalhadores rurais tanto para assegurar o acesso destes à terra como, junto aos órgãos fundiários e órgãos do sistema de justiça e de segurança pública, evitar a violência no campo.

Hemopa oferece curso de
primeiros socorros para servidores

A Fundação Hemopa, por meio de sua Assessoria de Gestão de Pessoas (Agesp), promoverá curso de “Primeiros Socorros”, nos períodos de 7 a 11 de maio, de 14h às 18h; e de 14 a 18 de maio, de 8h às 12h, para servidores da instituição. Serão 40 vagas para área Técnica, 30 para a Administrativa e 10 para as assessorias. O curso atende os Programas de Controle Médico e saúde ocupacional (PCMSO) e de Prevenção e Riscos Ambientais (PPRA).

São Félix do Xingu espera
4 mil índios para a Semana
dos Povos Indígenas




 A cidade de São Félix do Xingu, localizada na região do sul do Pará, vive a expectativa da quarta edição da Semana dos Povos Indígenas, que será realizada no período de 17 a 19 de abril no município. Para o evento, são esperados quatro mil índios de 15 aldeias, todos da etnia Kayapó. Durante três dias serão realizadas diversas atividades culturais, esportivas e de cidadania em comemoração ao Dia do Índio.
O Governo do Pará estará presente no município executando ações de cidadania por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), que pretende emitir 500 carteiras de identidade e 300 carteiras de trabalho para os índios. A Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), simultaneamente à programação, realizará o projeto de Oficinas de Mídia Popular "Biizu", de web, audiovisual, fotografia, rádio, desenho e grafite para a comunidade local e integrantes das aldeias.
A abertura oficial do evento será nesta terça-feira, 17, às 19h, na quadra de Esportes do Centro, com a apresentação cultural e um show do cantor indígena Pykakwatire e banda. Durante o dia, os índios participarão de provas de arco e flexa, futebol masculino, futsal feminino, vôlei masculino, dama, sinuca e cabo de guerra. A novidade deste ano da Semana Indígena é que as crianças participarão do evento. As atividades lúdicas serão proporcionadas por um grupo de animação, com apresentação de palhaços e mágicos.
As mulheres também serão agraciadas com oficinas de escultura, balões e brindes. “A cada edição a Semana dos Povos Indígenas tem tido uma dimensão maior. No início eram só os homens que participavam das provas, depois, envolvemos as mulheres e agora as crianças. Também estamos com atividades voltadas para os moradores de São Félix e da Zona Rural do município. Ou seja, a semana já não é voltada só para o povo indígena, mas também para o homem branco. É uma oportunidade onde o homem branco pode interagir, aprender e trocar experiência com o índio e vice-versa”, disse Viviane Cunha, secretária de educação do município.
A chegada dos índios de aldeias próximas ao Rio Xingu e Rio Fresco – distantes cerca de 10 horas de barco da cidade - está prevista para as 16 horas desta segunda-feira, 16, em frente à Câmara Municipal. Duas balsas, 20 voadeiras e 18 barcos trarão os índios até a cidade.

Texto:
Bruna Campos-Secom

Audiência pública debate a
criação de reserva
extrativista marinha

Nesta quarta-feira (18), o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em São João de Pirabas, na região do Salgado, promoverá, em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), mais uma audiência pública com pescadores artesanais e setores da sociedade civil sobre a criação da maior reserva extrativista marinha do nordeste paraense e que, se constituída, abrigará a faixa litorânea de quatro municípios: além de Pirabas, serão incluídas as vizinhas Primavera, Quatipuru e Salinópolis.
A audiência pública, que será realizada às 19h na Escola Guajarina Menezes, tem o objetivo de apresentar aos moradores de Pirabas, sobretudo aos agricultores familiares cujas principais atividades se baseiam nos recursos naturais oceânicos, como se dá a criação de uma reserva extrativista e os impactos de legislação e preservação ambientais decorrentes.
“Os pescadores já sentem os efeitos da degradação dos mangues, por exemplo, por causa da diminuição dos peixes. Nossa proposta, além de detalhar os trâmites da criação da reserva e afirmar que o processo só se efetiva se a comunidade concordar, é mobilizar empresariado, políticos e cidadãos comuns para a discussão”, explica o chefe do escritório local da Emater em Pirabas, o técnico em pesca e aquicultura e gestor empresarial José Jorge Raposo.
A Audiência Pública gerará um documento com assinaturas, que será encaminhado ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia do Ministério do Meio Ambiente (MMA). De acordo com estimativas da Emater, a partir das consultas às comunidades diretamente interessadas e estudos científicos, a criação da reserva extrativista da região pelo governo federal deve ser definida até o fim de maio.

Texto:
Aline Miranda-Emater

Período de inscrição para
Escolas Tecnológicas é
prorrogado até o dia 18

O prazo para se inscrever no processo seletivo das Escolas Estaduais de Educação Tecnológica e Profissional foi prorrogado. Os candidatos podem fazer a inscrição até às 22h59 da próxima quarta-feira (18), no site da Exatus (www.exatuspr.com.br), empresa responsável pela realização do processo seletivo. A seleção é para o preenchimento de 5.270 vagas para cursos técnicos, de nível médio, nas modalidades Integrado, Integrado em Tempo Integral, e Subsequente. Cerca de 18 mil candidatos já se inscreveram.
A prorrogação não alterará o calendário previsto no edital do certame. No ato da inscrição, o candidato poderá fazer duas opções de curso. Todas as informações prestadas deverão ser comprovadas durante a efetivação da matrícula. A confirmação da inscrição estará disponível no dia 24 de abril, no mesmo site. No cartão de confirmação, constarão os dados pessoais do candidto, a escola, o curso, o turno de 1ª e 2ª opção escolhidos, e o dia, a hora, o local e a sala de realização da prova.
A prova será realizada no dia 29 de abril, das 9 às 13 horas, em escolas estaduais localizadas naqueles municípios. O resultado com a lista dos aprovados será divulgado no dia 8 de maio no site da Secretaria de Estado de Educação (www.seduc.pa.gov.br). Na prova para as modalidades Integrado e Integrado em Tempo Integral serão 20 questões objetivas, sendo 10 de Língua Portuguesa e 10 de Matemática. Para a modalidade Subsequente, a prova apresentará 30 questões, sendo 10 de Língua Portuguesa, 10 de Matemática e outras 10 de conhecimentos gerais.
Qualificação
As formações visam o ingresso do jovem no mercado de trabalho e são nas mais diferentes áreas, como os cursos técnicos em Enfermagem, Design, Mecânica, Arte Dramática, Podologia, Rede de Computadores, Mineração, Segurança do Trabalho, Aquicultura, Guia de Turismo, entre outros.
Os cursos técnicos de nível médio na modalidade Integrado são destinados a candidatos com idade a partir de 17 anos e 11 meses completos até o ato da matrícula e que já concluíram o Ensino Fundamental. A formação dura, no mínimo, quatro anos, conforme o projeto escolar e o plano de curso de cada escola. Na modalidade Subsequente, os cursos técnicos são específicos para quem já concluiu o Ensino Médio e tem, aproximadamente, duração de dois anos, conforme o projeto escolar.
As formações são ofertadas em 14 escolas da Região Metropolitana de Belém (RMB) e de outros oito municípios. Em Belém, os alunos frequentam as aulas nas Escolas Técnicas Francisco das Chagas, Magalhães Barata, Colégio Integrado Francisco da Silva Nunes, Anísio Teixeira e Deodoro de Mendoça. Em Cametá, no Centro Integrado de Educação do Baixo Tocantins. Na Escola Irmã Albertina Leitão, em Santa Izabel. Em Marituba, nas Escolas Agroindustrial Juscelino Kubitscheck e ERC Centro de Educação Profissional “Dom Aristides Pirovano” ; além das EETEPAs de Tailândia, Monte Alegre, Itaituba, Paragominas e Salvaterra.

Texto:
Mari Chiba-Seduc

Cohab promove Audiência
Pública para
comunidade Taboquinha

A Cohab promove nesta segunda-feira, 16, a partir das 19 horas, uma audiência pública para moradores da comunidade Taboquinha, em Icoaraci, uma das beneficiadas com os projetos de habitação do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). A ação visa dar transparência ao trabalho de retomada das obras, paralisadas desde 2010, além de garantir um canal de comunicação com as comunidades onde o programa foi instalado. A audiência pública, que acontece na Igreja da Matriz de Icoaraci, será uma oportunidade para que a comunidade discuta com a presidência e técnicos da Cohab a retomada dos serviços e a previsão de conclusão das obas. Na próxima segunda-feira, 23, será a vez da comunidade do Riacho Doce, no Guamá.

Hemopa comemora Dia
Mundial da Hemofilia

Nesta terça-feira, 17, a Fundação Hemopa fará uma programação especial para lembrar o Dia Internacional da Hemofilia, instituído com a finalidade de divulgar informações sobre a doença, as formas de tratamento e os hábitos de vida que o portador deve adotar para garantir o seu controle. O Brasil ocupa a terceira posição mundial em relação ao número de pacientes com hemofilia. Estima-se que mais de 10 mil brasileiros convivam com a doença. No Pará, dos 32.199 pacientes hematológicos cadastrados, 620 são pessoas com hemofilia que recebem tratamento especializado por uma equipe multidisciplinar.
A programação, que vai de 8h as 12h, conta com um ciclo de palestras e ações recreativas voltada para pacientes e familiares. Entre os temas abordados nas palestras estão a Fisioterapia, pela Dra. Nelma Salim; Odontologia, pelo dr. Eduardo Pádua; e clínica, pela médica Iêda Pinto. Já a programação recreativa, de 10h30 às 11h30, terá a participação do grupo de teatro de “bonecos do Laboratório Beneficente de Belém”, sorteio de brindes e distribuição de lanche.
Segundo a gerente do Serviço Social de pacientes (Geses), Cristina Socorro Mendes dos Santos, o tratamento especializado garante maior qualidade de vida ao portador da doença. “O Hemopa oferece atendimento que envolve, inclusive, aconselhamento para familiares”, comentou, ressaltando que atualmente o hemocentro atende 620 pacientes com hemofilia, sendo 355 com tipo de Hemofilia A, 77 do tipo B e 188 de outros tipos.
Portadora de um dos casos mais raros no Brasil, Jéssica dos Anjos, 20 anos, tem muito a comemorar nesta data. A doença se manifestou porque o pai, já falecido, era hemofílico, mas só depois do nascimento da filha, descobriu que a mãe, Jane Cibele dos Anjos, também era portadora. A combinação do material genético dos pais fez com que ela manifestasse desde cedo os sintomas. Há 19 anos Jéssica recebe atendimento no Hemopa. Hoje, ela está casada e é mãe de uma menina saudável de um ano de três meses.
O que é Hemofilia
A Hemofilia é um distúrbio hereditário que se origina de um defeito da coagulação sangüínea, provocando sangramento. Toda lesão depende da coagulação do sangue para que o sangramento seja contido. A coagulação normal previne as equimoses (manchas roxas) e o sangramento dentro dos músculos e articulações, que poderiam ser o resultado de pequenas lesões em consequência das atividades da vida diária. Isso depende de elementos do sangue chamados fatores de coagulação. Se um desses fatores não estiver presente em quantidade suficiente, pode acontecer um sangramento excessivo. Uma pessoa com hemofilia possui menor quantidade ou ausência de alguns fatores da coagulação.
Os dois tipos mais comuns da doença são: o tipo A (mais comum), conhecida como Clássica devido à deficiência do Fator VIII (FVIII), e a Hemofilia B, conhecida como Fator Christmas, que ocorre em função de uma deficiência do Fator IX (FIX). A doença afeta quase exclusivamente os homens e atinge todas as populações. É transmitida por mulheres que normalmente não possuem problemas de sangramento. Das desordens genéticas, a Hemofilia tem a maior taxa de mutações com aproximadamente 1/3 de novos casos em famílias sem registro anterior. A ocorrência é de um caso em cada 10 mil habitantes.
Embora incurável, a Hemofilia é controlável desde que se administre a transfusão do Fator de coagulação do sangue faltante e que o paciente seja acompanhado por equipe multidisciplinar especificamente treinada.O hemofílico bem atendido pode e deve ter uma vida normal. Pela especificidade das características da Hemofilia como patologia e com o  propósito de buscar melhores condições de tratamento aos portadores, foi criada a Federação Mundial de Hemofilia. No Brasil, esses pacientes são representados pela Federação Brasileira de Hemofilia (www.hemofiliabrasil.org.br).
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Padre Eutíquio, 2109. O hemocentro disponibiliza atendimento médico hematológico de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h. Mais informações: (91) 3242-9100 / 0800 280 8118.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa

Hemopa comemora um
ano de funcionamento do
banco de sangue de
cordão umbilical

Nesta quarta-feira, 18, a Fundação Hemopa comemora o primeiro ano de funcionamento de seu Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário, único na região Norte. A comemoração se dará às 11h, no auditório da Fundação Hospital de Santa Casa de Misericórdia do Pará, onde o hemocentro coleta bolsas de sangue de cordão umbilical de bebês nascidos naquela maternidade. Os dados dos materiais já fazem parte da lista nacional da Rede Brasilcord, que foi criada pelo Ministério da Saúde para ampliar esse serviço no país e aumentar as chances de quem precisa encontrar doador de medula compatível.
Segundo a responsável técnica pelo banco, dra. Ana Luísa Meireles, a comemoração se dará no auditório da Santa Casa de Misercórdia do Pará, de 9h às 11h, congregando os técnicos das duas instituições parceiras. “Agradecemos e parabenizamos todos os servidores envolvidos no sucesso do procedimento da coleta, que atendeu ao período de validação e hoje o congelamento das unidades coletadas”, ressaltou a médica, destacando o empenho e a parceria da equipe da Santa Casa.
O serviço possui equipamento (bioarquivo) com capacidade de armazenamento para 3.600 amostras de sangue de cordão umbilical. “Atualmente estamos com 22 bolsas armazenadas para atendimento. A primeira unidade coletada foi do cordão umbilical de um bebê cuja mãe é de São Domingos do Capim”, revelou a médica, apostando na maior adesão ao programa a partir deste ano.
Atualmente há 10 bancos do gênero espalhados pelo país, além do Hemopa. Os outros estão implantados em Fortaleza (CE), Recife (PE), Brasília (DR), Lagoa Santa (MG), Centro (RJ), Ribeirão Preto (SP), Campinas (SP), Curitiba (PR), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS). No dia 1º de junho será inaugurada a unidade de Brasília e no dia 8, de Fortaleza.
A Rede Nacional BrasilCord tem o objetivo de coletar sangue umbilical com a maior diversidade possível, além de aumentar de 35% para 90% as chances de uma pessoa encontrar doador compatível. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), a chance de um brasileiro localizar doador em território nacional é 30 vezes maior em relação à possibilidade de encontrá-lo no exterior, por conta das características genéticas.
Além disso, o doador ideal (irmão compatível) só está disponível em cerca de 30% das famílias brasileiras – para 70% dos pacientes é necessário identificar um doador alternativo a partir dos registros de doadores em bancos públicos de sangue de cordão umbilical. Com a ampliação da Rede, as chances de transplante para pacientes que não possuem um doador aparentado aumentam consideravelmente, bem como o número de transplantes a serem realizados, salvando ainda mais vidas.
O Ministério da Saúde informa também que em cinco anos toda a diversidade étnica brasileira deverá ser coberta com 20 mil amostras. Desse total, 70% serão coletadas nas regiões Sudeste e Sul. O Norte, Nordeste e Centro-Oeste contribuirão com os 30% restantes. A demanda por transplantes de medula óssea no país é de três mil pacientes por ano. Desses, 1.100 transplantes são realizados anualmente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No Pará, são cerca de 150 pessoas que esperam na fila.
Quem pode participar do programa: gestantes com idade acima de 18 anos e que tenham, no mínimo, duas consultas pré-natais documentadas; idade gestacional igual ou superior a 35 semanas; bolsa rota (rompida) há menos de 18 horas; trabalho de parto sem anormalidades e ausência de processo infeccioso e ou doença durante a gestação que possa interferir na vitalidade placentária.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa

Hangar vai sediar novamente
a feira Pará Negócios em 2013

O presidente da Associação Comercial do Estado do Pará (ACP), Sérgio Bitar, anunciou neste domingo, 15, que o Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia vai sediar a segunda edição da feira multisetorial Pará Negócios. O evento ocorrerá novamente de 22 a 25 de agosto de 2013, no Pavilhão de Feiras. “A primeira edição da Pará Negócios superou as nossas expectativas tanto em número de expositores que foram 150, como de visitantes que tivemos uma média nos quatro dias de 25 mil pessoas, e ainda na rodada de negócios com 60 empresas participando”, destacou Bitar.
Quatro estandes da Pará Negócios foram premiados na noite de encerramento do evento. O estande “Articulação e Cidadania” que coordena as ações dos projetos sociais do Governo do Pará recebeu a premiação no quesito originalidade e inovação. “É a primeira vez que participamos de uma feira e só temos a agradecer a parceria do Governo do Estado, empresários, as organizações, juntos na transformação da sociedade. Sem esta parceria não iremos adiante. Isso é um passo para nos unirmos em prol de uma sociedade melhor”, ressaltou Ana Jatene, primeira dama do Estado.

Emater orienta pecuaristas
sobre controle de
praga de pastos

O escritório regional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Conceição do Araguaia promoverá, nesta segunda, 16, e terça-feira, 17, em quatro municípios, um ciclo de palestras sobre a cigarrinha-das-pastagens, praga que vem assolando as áreas de pasto do sul e sudeste do estado e prejudicando a principal atividade da região: a pecuária.
 A ação, de cunho educativo e que tem à frente o engenheiro agrônomo e Doutor em Entomologia José Eduardo Marcondes, do Instituto Biológico de Campinas, visa a atingir pelo menos 200 agricultores de Redenção, Rio Maria, Xinguara e são Félix do Xingu. O cientista Marcondes apresentará alternativas de controle biológico da contaminação, como o uso de fungos que neutralizam o efeito parasita das cigarrinhas.
 A primeira palestra acontece às 9h de hoje em Redenção, na sede do Sindicato Rural. Outras três estão previstas para o período da tarde, em Rio Maria. Nesta terça, 17, as palestras acontecem em Xinguara e São Félix, respectivamente.
 De acordo com o supervisor regional da Emater em Conceição, o engenheiro agrônomo Luís Flávio Cavalcanti, a infestação pela praga, que é crônica no Pará mas tem se agravado nos últimos anos, resseca o capim braquiário e esvazia nutricionalmente, pela perda da seiva, aquele que é a principal fonte de alimentação dos rebanhos. “O dano maior é que o gado demora muito mais para se desenvolver, o que repercute num tempo estendido para o abate e, no caso das vacas, na diminuição da produção de leite”, diz.
 Como apoio aos bovinocultores, Emater e IB devem assinar, até o fim do ano, um termo de cooperação técnica, que propicie intercâmbio de experiência e acompanhamento da intervenção sanitarista nos pastos da região.

Texto:
Aline Miranda-Emater

Pará apresenta projeto de
economia verde
em fórum nacional

Esta semana, entre os dias 17 e 19, o Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) participará do VI Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec 2012), que será realizado em Belém, apresentando os resultados do projeto “Cadeias de Comercialização de Produtos Florestais Não Madeireiros (PFMN)”, que teve financiamento do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor).
O Fórum tem como tema “Economia Verde – Negócios Sustentáveis”, no qual o projeto do Instituto se encaixa, já que este identificou e caracterizou as cadeias de comercialização de produtos nativos da flora amazônica, extraídos de florestas ou áreas cultivadas, além de descrever e quantificar a participação dos setores da economia regional e seus transbordamentos.
Para tanto, foram realizadas entrevistas com produtores, intermediários, empresas beneficiadoras e comerciantes de feiras, bairros comerciais, associações, cooperativas e sindicatos de produtores rurais localizados em cinco Regiões de Integração do Pará: Baixo amazonas, Guamá, Marajó, Rio Caeté, Tocantins e Xingu.
No total, o projeto, iniciado em 2008, percorreu 81 municípios paraenses, pesquisando frutos, sementes, óleos, fibras, resinas, plantas medicinais, artefatos e utensílios artesanais, produtos derivados da madeira como carvão e lenha e derivados animais como mel de abelhas nativas e introduzidas, importantes para a renda de famílias locais (da agricultura familiar, ribeirinhas, quilombolas, indígenas, entre outras), a manutenção da floresta em pé e a circulação de renda.
O estudo serve como subsídio para políticas públicas voltadas ao fortalecimento e a verticalização das cadeias de produtos não madeireiros, além de provocar a identificação de determinados produtos ignorados pelas estatísticas oficiais e o aperfeiçoamento do Produto Interno Bruto (PIB) do Pará, a partir da conclusão de que as economias geradas pelas cadeias dos 98 produtos identificados e analisados foram expressivas para o Estado.
Serviço:
O Fortec 2012 ocorrerá de 17 a 19 de abril, a partir das 8h, no Hilton Hotel

Texto:
Fernanda Graim-Idesp

Governador Simão Jatene
 assina contrato com
a Caixa Econômica


O governador do Estado do Pará, Simão Jatene, assina contrato com a Caixa Econômica na manhã desta segunda-feira, 16, as 9 horas no Hangar Centro de Convenções. A assinatura do contrato celebra a parceria entre o governo e a Caixa que objetiva a execução de obras e serviços da COSANPA nos municípios de Belém,Castanhal,Alenquer e Moju, no âmbito do Programa Saneamento Para Todos.
Na ocasião será assinado também um termo de compromisso com os recursos do Orçamento Geral da União. Esses recursos visa a execução de serviços para a ampliação dos sistemas de abstecimento de água da COSANPA nos muicípios de Marituba, Breves, Santarém, Marabá, Ananindeua e Monte Alegre que fazem parte do Programa de Serviços Urbanos de Àgua e Esgoto. O montante de recursos utilizados para essas obras é de aproximadamente R$ 357 milhões.

Projetos sociais foram
destaque na Feira
Pará Negócios

O Governo do Estado, por meio do Núcleo Articulação e Cidadania (NAC), apresentou nos últimos dias, durante a 12ª Feira Pará Negócios, no Hangar, em Belém, uma série de projetos sociais desenvolvidos pelos órgãos estaduais. Neste domingo, 15, com o encerramento do evento, a primeira-dama do Estado, Ana Jatene, coordenadora do NAC, fez um balanço da participação do Governo no evento e destacou a importância de se criar parcerias com o empresariado paraense.
“Nosso objetivo maior na Feira foi estabelecer parcerias entre o Governo do Estado, ONGs e o empresariado. Queremos incluir neste meio a responsabilidade social. Precisamos unir forças com a sociedade civil e os empresários para o desenvolvimento e a melhoria de vida da população”, disse Ana Jatene. Esta última parceria, segundo a primeira-dama, já começou a ser alinhavada com iniciativas como a da participação na Feira Pará Negócios.
“O fato de trazemos os projetos sociais executados e apoiados pelo Governo mostra que esta parceira já está se estabelecendo. Queremos que os empresários e a sociedade conheçam esse trabalho para que possam praticar a responsabilidade social junto conosco. É um investimento para toda a sociedade”, enfatizou a primeira-dama.
Projetos
Em um amplo espaço na área de exposições da Feira, o Estado apresentou os diversos projetos, entre eles o Livro Solidário, que visa arrecadar livros e distribuí-los em espaços de leitura nas comunidades carentes. A meta do programa é implantar esses espaços em bairros com maior vulnerabilidade social da Região Metropolitana de Belém, a fim de contribuir para o exercício da cidadania e garantia do direito de acesso ao conhecimento.
Outro projeto apresentado foi o da Fábrica Esperança, que tem a missão de promover a reinserção social através da educação, da capacitação profissional e da geração de emprego e renda aos egressos do Sistema Penal. Na unidade são produzidos uniformes e produtos de panificação, entre outros, que podem ser fornecidos para empresas e indústrias.
O projeto Cultivando Flores e Vidas, fruto de uma parceria entre Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), Casa Civil, Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) e Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa), promove a inclusão de egressos, qualificando-os a trabalhar com o cultivo de plantas ornamentais.
O professor universitário Rafael Patrício conheceu os projetos no espaço do NAC e ficou admirado com os resultados apresentados. “Eu já conhecia alguns desses projetos, mas agora estou vendo o que eles geram, e os resultados são muito bons. Acho muito válida esta divulgação, pois também é uma oportunidade para os empresários conhecerem e apoiarem. É uma via de mão dupla: aqui a sociedade pode conhecer o que está melhorando a vida de muita gente e os empresários podem investir para que esses projetos continuem”, afirmou o professor.
Durante a feira, os visitantes puderam conhecer também o projeto de reciclagem de materiais feito pela Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa). Utilizando pneus como matéria-prima, os jovens atendidos pela Fundação produzem móveis bastante criativos, que chamaram a atenção de quem passou pelo estande do Governo do Estado no Hangar. A dentista Yana Vaughan ficou impressionada com o que viu e já pensa em procurar a Fasepa para encomendar um conjunto desses móveis. “É sensacional poder conhecer esses projetos. Melhor ainda é saber que podemos ajudar a desenvolver trabalhos como este, que ajudam muita gente”, destacou.

Texto:
Thiago Melo-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...