Total de visualizações de página

domingo, abril 22, 2012

CORREIO JURUNENSE E AS QUENTES DESTA TERÇA-FEIRA, DIA 24 DE ABRIL


Café da Manhã na Delegacia
do Jurunas com a comunidade

O encontro que acontece às 8:30h com líderes comunitários e autoridades da Unidade de Polícia do Jurunas, marca na manhã desta quarta-feira, o início de vários trabalhos sociais em prol da comunidade pela Polícia Civil, através do Pro Paz e demais ações sociais, através do departamento comunitário da PC.
O CORREIO JURUNENSE estará representado pelo seu diretor Jorge Mesquita, que recebeu convite do delegado titular da UP do Jurunas, Newton Nogueira e do chefe de operações, Rafa. A reunião estará sendo comandada pela delegada Wal, da Delegacia Geral.
Dentre as novidades que acontecerão no Jurunas com a comunidade, são cursos dentre os quais, de Primeiros Socorros, como aconteceu recentemente na UIPP da Terra Firme. As atividades que irão acontecer no início de maio, na sede da Escola de Samba, Rancho Não Posso Me Amofiná.



Metropolitano presta
atendimento a vítimas
de acidente na Alça Viária

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência informa que está prestando atendimento às vítimas do acidente da Alça Viária, ocorrido no fim da tarde desta terça-feira (24). No total, 17 vítimas deram entrada no hospital, uma delas fatal - uma criança de 11 anos. Do total de pacientes, três estão em estado grave. Dos atendidos, cinco são menores, com idade entre 4 e 12 anos. Segue abaixo a lista com os nomes das pessoas já identificadas:

Carlos Otávio Tavares da Silva
Esmael Gonçalves Pereira
Eva dos Santos Bento
Daniel Barbosa Barbalho
Eunice Tavares da Silva
Danila Mendonça Barbalho
Pedro Meireles Teixeira
Desconhecida da Alça Viária
Elismar de Souza Chaves
Francisco de Assis Araujo da Silva
Eliana Slongo
Antonia Linhares

Ascom Hospital Metropolitano





Perito do IML dá palestra
em encontro de
corregedores da Polícia Civil

A palestra do perito médico legista Hinton Barros Cardoso Junior, do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, foi o destaque do encontro do Colegiado de Corregedores do Sistema Integrado de Segurança Pública nesta terça-feira (24). O evento aconteceu no plenário do Conselho Superior da Polícia Civil (Consup), na Delegacia Geral, em Belém.
Gerente de Sexologia Forense do Instituto Médico Legal (IML), o perito falou aos corregedores sobre o trabalho de perícias de lesão corporal e de sexologia forense e a influência do horário dos exames nos resultados. Participaram do encontro os técnicos da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), que vieram ao Pará para aplicar pesquisa de campo sobre índices de criminalidade, com destaque para casos de homicídios dolosos.
O assessor de Planejamento e Projetos Especiais, Gilson Pereira Campos dos Santos, e o assessor de Gestão e Avaliação da Informação, Marcelo Berdet, acompanhados do delegado geral da Polícia Civil, Nilton Atayde, e do diretor de Polícia do Interior, Sílvio Maués, falaram aos corregedores sobre os motivos da visita e sobre uma avaliação preliminar da estada em Belém.
Integrantes do Departamento de Política, Programas e Projetos (Depro), da Senasp, os técnicos que, desde o ano passado, deram início a um trabalho visando buscar soluções para os índices de crimes em todo país. Sobre o Pará, os assessores avaliaram positivamente a organização do governo do Estado. “Vemos que se trata de uma gestão de resultados, com atuação integrada dos órgãos. Isso é muito importante, pois mostra que há planejamento, que foram traçadas metas e que há um caminho a seguir”, disse Gilson Santos.
A reunião prosseguiu com a palavra do perito médico legista, que detalhou sobre o atendimento prestado pelo IML com foco nas perícias de sexologia forense, destacando os avanços e dificuldades encontradas para a prestação dos serviços. Além dos corregedores do Sistema de Segurança Pública, o Colegiado de Corregedores tem as presenças dos corregedores da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) e da Guarda Municipal de Belém, como convidados, e da Ouvidoria do Sistema de Segurança Pública.
A delegada Nilma Lima, corregedora geral da Polícia Civil e presidente do Colegiado de Corregedores, destacou o intercâmbio feito com outras Corregedorias de Polícia do Brasil. Ao lado do corregedor geral da Polícia Militar, Roliam Silva, a delegada já fez visitas a três Estados brasileiros (Ceará, São Paulo e Minas Gerais), para conhecer a estrutura dos órgãos correicionais.
Os corregedores das Polícias do Pará visitaram Belo Horizonte (MG) dias 3 e 4 deste mês, onde foram recepcionados pelo gerente da Qualidade de Atuação do Sistema de Defesa Social, José Francisco da Silva, e pelo chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, Cylton Brandão da Matta. Ainda na capital mineira, Nilma Lima e Roliam Silva participaram da reunião do colegiado de corregedores do Estado de Minas Gerais, presidida pelo secretário de Defesa Social, Rômulo de Carvalho Ferraz, na sede dministrativa da Secretaria de Segurança Pública.
Na reunião, estiveram presentes os corregedores do Sistema de Segurança Pública e de Defesa Social do Estado, membros do Ministério Público, Poder Judiciário e Guarda Municipal. “Houve trocas de informações e a apresentação das atividades das Corregedorias de Minas Gerais em 2011”, detalhou Nilma Lima. No Ceará, os corregedores das Polícias Civil e Militar reuniram-se, em 10 de janeiro deste ano, com o controlador geral do Estado, Servilho Silva de Paiva, com quem trataram sobre os mecanismos de disciplina adotados pelos órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário.
Na ocasião, ele fez a apresentação do modelo disciplinar do Sistema de Segurança Pública do Ceará, instituído em 13 de junho de 2011, por meio da Lei Complementar nº 98, que cria a Controladoria Geral. Em São Paulo, Nilma Lima e Roliam Silva foram recebidos pelo corregedor geral da Polícia Civil do Estado, Délio Marcos Montresor, que mostrou o funcionamento do órgão correicional regido pelo Decreto-Lei 47, de 18 de outubro de 2002. A lei reorganizou a estrutura da Corregedoria da Polícia Civil. Montresor também apresentou o Decreto 54.710, de 25 de agosto de 2009, que transfere para o gabinete do Secretário de Segurança Pública a Corregedoria Geral da Polícia Civil.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil



Mapa das Artes descobre
em Santa Cruz talentos
da música e do artesanato







Com apenas 11 anos, Natali Melry Gama Beltrão já demonstra seu talento musical no município de Santa Cruz do Arari, no Arquipélago do Marajó. Ela mora com a família na Vila de Jenipapo do Arari, e além de fazer parte da Fundação Amazônica de Música, tocando flauta transversal, compõe música, principalmente no ritmo brega.
Natali foi uma das artistas cadastradas no Mapa das Artes, uma iniciativa do governo do Estado, por meio do Instituto de Artes do Pará (IAP), que está percorrendo vários municípios do Marajó na Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva.
O objetivo, segundo o técnico da Gerência de Artes Visuais e Musicais do IAP, Felipe Alves, é identificar os artistas da região, cadastrá-los e incluí-los no mapa, que poderá ser acessado por qualquer pessoa no site do IAP. A partir do cadastro, o artista fica responsável pelo abastecimento do seu perfil.
A ação cultural conta com a parceria das secretarias Municipais de Cultura, que ficam responsáveis por mobilizar a classe artística local. Em Santa Cruz do Arari, mais de 50 artistas já se cadastraram. Na manhã desta terça-feira (24), a atividade se deslocou para a Vila de Jenipapo, comunidade ribeirinha de Santa Cruz, onde vários artistas aproveitaram a presença dos técnicos do IAP e fizeram seus perfis.
Membros da Associação Musical de Santa Cruz do Arari, com sede na vila, receberam os técnicos e mostraram o que aprenderam em pouco mais de um ano de projeto. Segundo Luiz Wilker Beltrão, um dos coordenadores da Escola de Música da Vila de Jenipapo, cerca de 180 alunos têm aulas de musicalização. Alguns já passaram da flauta doce para instrumentos mais elaborados, como trombone, sax, clarinete e flauta transversal. “Essa mobilização e divulgação do perfil dos artistas regionais faz com que conheçam o excelente trabalho que é feito com esses jovens em Santa Cruz e em outros municípios do Marajó”, ressaltou Luiz Beltrão.
Artesanato - O artista plástico Dinick Loureiro, 35 anos, nasceu e mora na Vila de Jenipapo. Ainda na infância descobriu aptidão para as artes plásticas. Com isso, confecciona peças de artesanato usando matéria prima regional, como cuias, sementes e fibras. Seu trabalho percorre o Pará e já foi exposto em algumas feiras de artesanato. “Meu maior sonho é viver de arte, e trabalhar com outras escolas, como o Modernismo”, disse ele.
Além do cadastro, o IAP está divulgando suas ações, como as capacitações e o incentivo ao artista por meio de bolsas de pesquisa e experimentação artística, utilização dos equipamentos do Núcleo de Produção Digital, oficinas, cursos e workshops.
Durante a caravana são esclarecidas as ações do Sistema Nacional de Cultura (SNC), o qual pretende criar, a partir de uma lei específica, sistemas de cultura municipais, considerados importantes para a consolidação das ações nacionais. O objetivo é fomentar a discussão local da política cultural, que servirá de base para a construção de uma política nacional de cultura.
As ações do IAP no município de Santa Cruz do Arari também incluem a montagem do cineclube, com a “Mostra Pará”, reunindo várias produções do Estado, algumas premiadas, além dos resultados das bolsas de experimentação audiovisual. As sessões acontecem no auditório da Escola de Ensino Fundamental e Médio João Apolinário Batista, sempre às 19h.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom



Pará Rural apresenta mapeamento
da agricultura
familiar em Abaetetuba

Um mapa da agricultura familiar em Abaetetuba, município do nordeste paraense, foi traçado pelo programa Pará Rural. As principais atividades que servem de subsídio às famílias do município são oriundas do açaí, mandioca, farinha e cupuaçu, além da pesca. O diagnóstico foi apresentado à população do município na última sexta-feira (20), no auditório do Fórum de Justiça de Abaetetuba, com a participação de diversas autoridades estaduais e municipais, entre elas o secretário especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa.
O “Diagnostico socioeconômico e ambiental da agricultura familiar em Abaetetuba” foi apresentado pelo gerente de Desenvolvimento Municipal do Programa Pará Rural, Paulo Rêgo Gomes. O objetivo é que o mapa auxilie órgãos e instituições que atuam no desenvolvimento da agricultura no município a definir prioridades de atuação. O estudo foi elaborado por técnicos do programa, com o apoio dos escritórios locais da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), da regional da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) e da Prefeitura de Abaetetuba.
Outras atividades foram destacadas pelo diagnóstico, entre elas a produção de artesanato de miriti, que, segundo a avaliação feita pelos técnicos, apresenta bons resultados e já contribui para identidade cultural do município. O município apresenta ainda grande potencial para aquicultura (criação de peixes e camarão), em função da existência dos 101 rios do entorno.
Sobre a questão ambiental foram detectados problemas em função do manejo incorreto do açaí e da mandioca, pois ambas as culturas estão sendo praticadas na forma de monocultura e com a ocupação das “áreas de proteção permanentes” (APPs), que são as margens de rios e igarapés.
Diversas autoridades estaduais participaram do evento, entre elas o gerente executivo do programa Pará Rural, Antônio Carlos Rocha, e o superintendente regional adjunto da Emater, Glauber Florêncio. Entre as representações municipais participaram o prefeito de Abaetetuba, Francineti Carvalho, o presidente da Câmara dos Vereadores do município, Fernandes Anselmo, e os secretários municipais de Agricultura, Sergio Maués, e de Meio Ambiente, Moises Bendayan.
Também estiveram presentes representantes do programa Municípios Verdes, Banco do Brasil, Banco da Amazônia, Agência de Apoio ao Empreendedor e Pequeno Empresário (Sebrae), Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Colônia de Pescadores Z-14, Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Abaetetuba, Associações de Quilombolas e de Artesãos e associações da agricultores familiares.

Texto:
Amanda Engelke-Secom



Estado recebe recursos do
PAC para prolongar
Avenida João Paulo II



O governo do Pará investirá R$ 214 milhões, dos quais R$ 80 milhões em recursos da União, para concluir o prolongamento da Avenida João Paulo II até a Rodovia Mário Covas. O repasse foi anunciado nesta terça-feira (24) pela presidenta Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, durante a cerimônia de anúncio dos 51 municípios, em 18 Estados, contemplados com os investimentos de R$ 32 bilhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade Grandes Cidades.
Segundo o governador Simão Jatene, que participou da cerimônia, o investimento é importante para solucionar o estrangulamento do tráfego de veículos no acesso a Belém. Jatene lembrou os investimentos na área de infraestrutura urbana, decorrentes da parceria firmada com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), que garantirá um empréstimo no valor de R$ 320 milhões para a implantação do corredor de BRT (Bus Rapid Transit), do município de Marituba até o Entroncamento, na Região Metropolitana. O convênio foi firmado entre representantes da Agência e o governador Simão Jatene, na Embaixada do Japão, no Distrito Federal.
"Esses são passos importantes na equação dos problemas que estão postos hoje, sobretudo para a população de baixa renda, que utiliza com muito mais intensidade e frequência o transporte coletivo. Se nós agregarmos a isso outras ações que o governo do Estado está programando fazer, no sentido, inclusive, de criar uma plataforma no Rio Guamá, que vai retirar a entrada de carretas na cidade, não por uma imposição, mas por um trabalho natural de tornar muito mais fácil, acessível e barato para os próprios transportadores, então eu tenho certeza que a gente deve dar um passo muito importante para equacionar as questões da mobilidade e do transporte urbano em Belém", reiterou o governador.
Recursos - Jatene fez questão de ressaltar a origem dos recursos que serão investidos. "O PAC Mobilidade, da forma como está sendo construído, tem três fontes distintas. A construção da continuação da João Paulo II, a ser executado pelo governo do Estado, terá um investimento de R$ 214 milhões, dos quais o Orçamento Geral da União (OGU) põe R$ 80 milhões, o Estado põe, com operações de crédito, R$ 104 milhões, e entra ainda mais com sua contrapartida, que são R$ 30 milhões. Com isso, fechamos os R$ 214 que compõem a João Paulo. Agora, como o nosso debate sempre foi em torno do projeto Ação Metrópole como um todo, o Estado continua negociando, e praticamente está tudo fechado com a Jica para a liberação de R$ 320 milhões destinados ao trecho que vai de Marituba até o Entrocamento. Já o trecho interno a Belém ficou sob a responsabilidade da Prefeitura, que deve receber uns R$ 418 milhões para fazer isso", explicou o governador.
O secretário Especial de Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento Sustentável, Sérgio Leão, também ressaltou a importância dos recursos do PAC para a concretização do "Ação Metrópole". "É muito importante em função de ser um recurso que só Estado e município não teriam condições de dispor para o enfrentamento de um assunto tão grave, como é a mobilidade do trânsito. Esses recursos são bem sólidos. Serão mais de R$ 400 milhões para investimentos pela Prefeitura, e mais R$ 214 milhões pelo governo do Estado. Se a gente colocar o trecho que será feito com o dinheiro da Jica na Independência, serão investimentos de R$ 1 bilhão só na Região Metropolitana", destacou o secretário.
Ação Metrópole - A primeira etapa do Projeto Ação Metrópole foi finalizada com a construção da Avenida Centenário Assembleia de Deus e do elevado Gunnar Vingren. A segunda fase contempla a implantação do prolongamento da Avenida João Paulo II, no trecho compreendido entre a Passagem Mariano e a Rodovia Mário Covas, numa extensão de 3.800 metros, que servirá como rota opcional de entrada e saída da capital paraense.
Hoje, Belém conta com um único corredor viário para absorver esse fluxo: a Rodovia BR-316. A terceira fase do projeto contemplará a implantação do Sistema BRT (Bus Rapid Transit), no perímetro que vai da BR-316, município de Marituba, até o Entroncamento.
O PAC Mobilidade Urbana Grande Cidades investirá R$ 22 bilhões em 51 municípios brasileiros, valor que somado à contrapartida dos Estados atingirá o montante de R$ 32 bilhões, segundo o Ministério das Cidades. Esses recursos destinam-se à construção de linhas de metrô, Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e corredores de ônibus em cidades com mais de 700 mil habitantes, visto que o foco do projeto é o transporte de média e de alta capacidade.



Coletiva para anunciar as
obras de conclusão da
avenida João Paulo II


O diretor-geral do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), César Meira concederá entrevista coletiva nesta quarta-feira (25) para falar sobre os trabalhos de conclusão do prolongamento da avenida João Paulo II.  O governo estadual investirá um total de R$ 214 milhões - sendo R$ 80 milhões oriundos da União -  para a finalização da obra que visa, entre outros itens, acabar com os constantes congestionamentos na entrada e saída de Belém.
A nova João Paulo II terá duas pistas, com três faixas por sentido, ciclovia e calçadas em ambos os lados e a implantação de duas pontes, uma a 60 metros da passagem Mariano, transpondo a ponta do lago Bolonha, e outra a 200 metros da rua da Pedreirinha, transpondo a ponta do lago Água Preta. A interligação da avenida com a rodovia BR-316 se dará com a construção da quarta pétala do elevado Mário Covas, uma obra de 200 metros. A diretora-executiva do NGTM, Marilena Mácola, também estará participando da entrevista coletiva.



Médicos da Santa Casa falam
sobre cuidados
pediátricos em congresso

Médicos pediatras e neonatologistas da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará foram destaque na tarde desta terça-feira (24) no 16º Congresso Médico Amazônico, que acontece no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. Com a sala lotada de profissionais e acadêmicos de medicina e outras áreas da saúde, os profissionais da instituição falaram sobre vários tratamentos e cuidados pediátricos e neonatais.
A aluna do quarto semestre de medicina da Universidade federal do Pará (UFPA) Patrícia Monteiro destacou a importância do congresso para a comunidade acadêmica. “Estou com um grupo de amigos, nos dividimos e eu escolhi participar das palestras sobre pediatria. Sempre gostei de crianças e me identifico com a especialidade. É uma oportunidade de estarmos em sintonia com os cuidados desenvolvidos nos hospitais, principalmente na Santa Casa, que é referência para nós que pensamos em pediatria”, disse.
A mesa redonda coordenada pela pediatra da Santa Casa Mary Lucy Fiúza de Melo discutiu o “Reconhecimento e atendimento inicial no choque séptico pediátrico”. Nesta quarta-feira (25), último dia do congresso, o público poderá ver palestas dos médicos Karen Nery de Souza, Bruno Palhares Sequeira e Rômulo Muller dos Santos Melo, que falarão sobre o tratamento da prenhez ectópica e tratamento clínico e laparatômico, dentre outros temas.

Texto:
Alessandro Borges-Santa Casa




Estudantes participam do
projeto Pôr-do-Som
nesta sexta-feira (27)

A apresentação desta sexta-feira (27) do Grupo de Atividades Culturais Paranativo dentro do projeto Pôr-do-Som, da Estação das Docas, terá a participação especial dos alunos da escola Stélio Maroja, a partir das 18 horas. Os estudantes farão uma vivência experimental da cultura popular dançando carimbó e as toadas nos intervalos das danças que serão apresentadas. A entrada é franca.
Segundo a coordenadora de relações públicas do grupo, Silvia Reis, as coreografias incluem marambiré, xote, obaluaê, pretinhas de Angola, ciranda, toada, boto e carimbó. “Focaremos nas variações das toadas, o boi-bumbá, que versa a história de uma referência agrícola contada pela arte. Sua estima por este animal é de apego, mas durante a sátira surgem índios, pajés e fazendeiros, entre outros personagens”, antecipa.

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000



Comunidade ribeirinha
recebe serviços da
Caravana Pro Paz







A vila Jenipapo, comunidade ribeirinha localizada a cerca de 15 minutos da sede do município de Santa Cruz do Arari, na ilha do Marajó, recebeu nesta terça-feira (24) as equipes da Caravana Pro Paz Presença Viva. Foram ofertadas consultas medicas (pediatria, ginecologia e clínica geral), além dos serviços de verificação da pressão e dosagem glicêmica e exame Preventivo do Câncer de Colo de Útero (PCCU).
O atendimento aconteceu simultaneamente aos serviços oferecidos na sede do município, concentrados na Escola Municipal de Ensino Médio e Fundamental João Apolinário Batista Pamplona e no Hospital Municipal de Santa Cruz de Arari. Oneiza Costa dos Reis, 36 anos, aproveitou a caravana para levar a neta e as duas filhas mais novas para a consulta com o pediatra. Segundo ela, o posto médico da vila não tem estrutura para atender a população local. “Muitas vezes temos que ir para Santa Cruz ou até mesmo para Belém para receber atendimento medico”, disse. As crianças receberam o diagnóstico e a medicação prescrita pelo medico foi obtida na farmácia da caravana.
Uma das ocorrências mais frequentes na vila é de pacientes hipertensos. Segundo a médica Carla Lourenço, a maior queixa da população é referente à falta de medicação adequada. “O atendimento consiste na observação da PA e também na alteração da medicação, já que estes pacientes não têm acesso fácil a um especialista. Orientamos que sempre procurem o posto médico para medir a pressão arterial. Caso ela continue alta, é preciso ir até a capital para fazer um tratamento melhor direcionado”, explica.
A servente Zilma Maria da Cruz da Silva, 50 anos, é paciente cardíaca, tem três pontes de safena e é hipertensa. Ela procurou atendimento na caravana se queixando de tonturas e outros sintomas típicos da hipertensão. Além da pressão alta, o colesterol também estava alterado. Ela foi imediatamente medicada e encaminhada para acompanhamento medico na capital, pois seu caso merece cuidados específicos.
Ivanilda Pereira, 50 anos, também procurou os serviços da caravana, com dores abdominais e enxaqueca. Por conta da menopausa, a dona de casa sofre alguns incômodos e a falta de médicos na vila impede um tratamento especializado. “Contei à médica sobre os meus sintomas e ela me passou algumas medicações. Também me orientou a procurar atendimento para fazer o acompanhamento da menopausa”, disse.
A ação na vila Jenipapo durou o dia todo, e nesta quarta feira (25) as equipes retornam ao vilarejo para atender o restante da demanda. As pessoas que precisam emitir documentos foram orientadas a comparecer na sede do município, onde estão concentrados os serviços de identificação. O atendimento começa às 8 horas, na Escola Infantil São Giovanni Ilarione no Posto Medico da vila.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom



Olimpíada de Língua Portuguesa
abre inscrições no Pará

O lançamento regional da terceira edição da Olimpíada de Língua Portuguesa “Escrevendo o Futuro” aconteceu nesta terça-feira (24), no auditório do hotel Crowne Plaza, em Belém. O evento reuniu educadores, técnicos e dirigentes da educação básica de toda região Norte do país, dando início às atividades que têm como objetivo a melhoria da leitura e da escrita de estudantes da quinta série do ensino fundamental ao terceiro ano do ensino médio das redes públicas de todo Brasil.
A Olimpíada de Língua Portuguesa é uma iniciativa da Fundação Itaú Social e do Ministério da Educação (MEC), com a coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), e parceria do Canal Futura, Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Movimento Todos pela Educação e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).
A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) já fez a adesão para a olimpíada. A inscrição é gratuita e pode ser feita até o dia 25 de maio, no site www.escrevendoofuturo.org. Podem se inscrever professores de quinta à nona série do ensino fundamental e dos três anos do ensino médio. Ao fazer a inscrição, o professor garante a participação de todas as suas turmas, nas seguintes categorias: poema, memórias literárias, crônica e artigo de opinião.
Após as inscrições, a Olimpíada de Língua Portuguesa acontece durante o ano inteiro, dividida em etapas. As atividades começam com as oficinas nas escolas e a seleção de um texto por categoria em cada uma delas, e seguem pelas fases de seleção municipal, estadual e regional, até chegar à última etapa, em dezembro, com a seleção e a premiação nacional dos 20 textos vencedores, cinco por categoria.
A gerente da Fundação Itaú Social, Isabel Santana, disse que a olimpíada é, também, uma importante estratégia de mobilização da comunidade educacional e de formação de professores para garantir o direito de aprendizado aos alunos. “Quem se inscreve é o professor, tão importante para mudar os resultados educacionais. Ele recebe um material e tem de trabalhar com toda a classe e o que vai ser premiado é o resultado desse trabalho”, explicou.
A diretora de Ensino Infantil e Fundamental da Seduc, Ana Cláudia Hage, representou o Consed durante o lançamento da olimpíada. Para ela, a formação dos professores, que ocorre no início e ao longo das atividades, “é uma ação importante que, a cada edição, vai se configurando como formação continuada dos professores de língua portuguesa. A olimpíada tornou-se uma referência não só pelo resultado de premiação, mas principalmente pela formação dos professores.

Texto:
Mari Chiba-Seduc



Encontro faz debate sobre o
desenvolvimento de Barcarena

Barcarena é um município logisticamente estratégico, segundo avaliação do governo do Estado, e por esse motivo precisa de uma ordenação urbana que consequentemente trará uma reorganização socioeconômica. Essa visão será tema, nesta quarta-feira (25), às 9h, de reunião em Barcarena, que terá a presença do titular da Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo a Produção, Shydney Rosa, de representantes da Companhia de Desenvolvimento Industrial e de lideres comunitários. A representante da Superintendência do Patrimônio da União, Maria Aparecida, falará sobre a regularização fundiária de Vila dos Cabanos.



I Fórum de RH na Gestão Pública

A Secretaria Especial de Estado de Gestão (Seges) e a Secretaria de Estado de Administração (Sead), em parceria com a seção regional da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), promovem dia 25 de maio, no hotel Hilton, em Belém, o I Fórum de RH na Gestão Pública. O objetivo do encontro é contribuir para a profissionalização da gestão de recursos humanos do Estado.Entre os temas a serem descobertos, estão meritocracia; gestão por competência e educação e desenvolvimento contínuo.




Palestra sobre o Programa
Estadual de Segurança Viária

Conferência sobre o Programa Estadual de Segurança Viária, pelo psicólogo Carlos Valente, coordenador da Unidade Central de Planejamento (UCP) do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). A prevenção de acidentes de trânsito é um dos temas do XVI Congresso Médico Amazônico.



Floricultura e jardinagem
são meios de
ressocialização de detentos

O campo prático do projeto “Cultivando flores e vidas”, situado nas dependências das Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa), está recebendo os últimos ajustes para o início das aulas práticas, previsto para semana que vem. Na manhã desta terça-feira (24), o local recebeu a visita da primeira-dama do Estado, Ana Jatene, com o objetivo de verificar de perto o andamento das obras, que já estão em fase de conclusão.
O local está sendo revitalizado para receber os 30 egressos e albergados da Superintendência do Sistema Penal (Susipe) para por em práticas os ensinamentos teóricos sobre manejo e mercado de flores. O projeto tem como objetivo proporcionar a ressocialização, por meio da oportunidade do aprendizado de técnicas de floricultura, paisagismo e jardinagem – além de empreendedorismo, produção e venda.
Os alunos já estão no quarto módulo do curso, que trabalhará a produção de envasados. As aulas deste módulo começaram dia 23, com visitas técnicas a unidades de produção de flores. A partir de quinta-feira (26), os alunos participam de dois dias de aulas teóricas no auditório da Ceasa, para que na semana que vem já possam por em prática os ensinamentos.
Participaram da visita o diretor presidente da Ceasa, Marco Raposo, e a secretária em exercício da Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof), Ana Azevedo. Coordenam o projeto a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), Ceasa, Susipe e Casa Civil da Governadoria.

Texto:
Marcio Flexa-Secom



Projeto oferece atendimentos
a servidores da Polícia Civil

A equipe da Diretoria de Atendimento ao Servidor da Polícia Civil iniciou nesta terça-feira (24) mais uma ação de serviços do projeto "DAS Itinerante". Desta vez, a Seccional Urbana da Cidade Nova, em Ananindeua, região metropolitana de Belém, foi palco de diversos serviços prestados aos servidores da unidade policial, como atendimento psicossocial, medição de glicemia, verificação de pressão arterial, atendimento odontológico, fisioterapia, farmácia e enfermagem.
Os servidores da seccional, policiais e administrativos, além de policiais militares e agentes prisionais que atuam na unidade, puderam receber orientações e atendimentos para prevenção de doenças. A assistente social Consuelo Santos explicou que o atendimento continua quarta e quinta-feira (25 e 26), de 8 às 13 horas.
No caso do atendimento fisioterápico, os servidores da seccional receberam orientações no local de trabalho da fisioterapeuta Thaís Nobre, que percorreu cada uma das salas do setor de atendimento ao público. Ela orientou os servidores, principalmente, quanto à postura no local de trabalho, visando à melhoria do desempenho do servidor. O chefe de Operações da seccional, Carlos Moreira, foi um dos atendidos.
Ele aproveitou a oportunidade para verificar a pressão arterial, fazer o controle do diabetes e ainda receber atendimento odontológico. Para o policial civil, o serviço itinerante é muito importante. "Para mim, que entro às 8 horas e saio às 20, o atendimento foi muito bom. Estava precisando", salientou. Segundo a assistente social, os serviços prosseguem na próxima semana, na Seccional da Cidade Nova, quando serão ministradas vacinas aos servidores contra febre amarela, tétano e hepatite C, por profissionais da Secretaria Municipal de Saúde.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil



Emater habilita produtores
para remanejamento
de açaizais nativos

Um levantamento da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), feito pelo escritório local de São Domingos do Capim, no nordeste paraense, visa habilitar agricultores familiares a acessar recursos financeiros do Programa  Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), da linha Floresta. O financiamento, que totaliza R$ 10 mil, vai contemplar agricultores familiares com até 2,5 hectares de área. O recurso será aplicado diretamente no remanejamento dos açaizais nativos.
Em sete comunidades rurais, 60 famílias de agricultores respondem às questões do levantamento, que destacam a potencialidade local e a aptidão familiar. O objetivo da Emater é aumentar a produtividade dos açaizais, preservar espécies florestais e trabalhar com os recursos naturais disponíveis em cada local.
Segundo o técnico em Agropecuária da empresa, Edney Lago, o manejo correto das plantas, o controle, a limpeza e a densidade vão garantir um acréscimo de pelo menos 50% aos frutos. “Queremos incentivar o agricultor a desenvolver as técnicas corretamente, o que vai influenciar na comercialização do produto”, enfatizou Lago.
A Emater também trabalha visando a preservação permanente dos açaizais e a redução na extração em excesso do açaí para a fabricação do palmito, prática que classifica “como pouco rentável e até ilusória”.
Para cada peça de palmito, é necessário sacrificar uma palmeira, com quilo comercializado ente R$ 0,70 e R$ 1,00. Enquanto cada touceira de açaí, que corresponde a três ou quatro árvores, rende pelo menos 15 quilos de açaí por ano, comercializados a R$ 30,00. A palmeira do açaí produz entre nove e dez anos.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater



Nutricionistas da Santa
Casa dão palestra
em congresso médico

No terceiro dia do Congresso Médico Amazônico, que acontece no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, profissionais da Fundação Santa Casa participaram de conferência, palestra e mesa redonda que trataram sobre a questão nutricional. A abordagem inicial feita pela nutricionista Cynara Souza mostrou a importância do protocolo nutricional em neonatologia, que é aplicado na maior maternidade do Norte do País graças ao trabalho de profissionais de diversas categorias.
Cynara Souza destacou que a terapia nutricional é um conjunto de procedimentos terapêuticos que é aplicado na área de neonatologia para fortalecer o crescimento do recém-nascido internado no berçário. Ela destacou que o crescimento da criança precisa da presença da mãe durante o período em que estiver internada. “O contato pele a pele, lado a lado, faz com que a criança aumente sua resistência, principalmente ao receber o leite materno. Este é um desafio constante no hospital: o de manter a mãe próximo ao filho”, disse.
Outra palestra tratou sobre a “Terapia nutricional de pacientes vítimas de escalpelamento”, proferida pela nutricionista Martha Rodrigues, que expôs a importância do trabalho da equipe multiprofissional no tratamento do problema, que ocorre principalmente na região amazônica. Ela destacou o trabalho dos profissionais em três etapas (inflamatória, proliferativa e maturação) e disse que é fundamental acompanhar a evolução da cicatrização dos pacientes, por meio do processo nutricional.
“A boa administração nutricional desses pacientes reduz o tempo de permanência no hospital, que é de mais de um mês. É fundamental que o profissional envolvido neste trabalho acompanhe a suplementação nutricional do paciente”, destacou Martha Rodrigues. Para o estudante de nutrição Gilson Albuquerque Jr., as palestras são fundamentais para o aprendizado. “Dá para ver a integração das equipes de medicina, nutrição, bioquímica e enfermaria na busca de bons resultados em benefício dos pacientes”, disse.
Na tarde desta quarta-feira (25), quando termina o Congresso Médico Amazônico, os profissionais da Santa Casa vão expor sobre “tratamento da prenhez ectópica – tratamento clínico e laparatômico e por videolaparoscopia”. O evento ocorre na Sala Doutor Amanajás Filho, a partir das 16h20.

Texto:
Samuel Mota-Santa Casa



Ideflor e Imetropará
acompanharão auditorias
em áreas de floresta pública

O Instituto de Metrologia do Estado do Pará (Imetropará) e o Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor) vão formalizar, até o final de maio, um termo de cooperação que permitirá o assessoramento de auditorias a serem realizadas nas áreas de concessão de florestas públicas estaduais.
O Estado já concedeu três áreas para a exploração sustentável de madeira nos municípios de Santarém, Juruti e Aveiro, que totalizam 150 mil hectares de florestas. A legislação sobre concessões determina que, a cada três anos, seja feita auditoria independente. Essa auditoria é prevista no Programa Brasileiro de Certificação Florestal (Ceflor), que é gerenciado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).
Por ser o órgão delegado do Inmetro no Estado, caberá ao Imetropará, após a assinatura do termo, informar ao Ideflor se a empresa que fará a auditoria independente – com os custos a cargo do concessionário -, está qualificada para fazer o serviço, conforme as exigências do Inmetro.
Nos próximos dias, as procuradorias jurídicas do Ideflor e do Imetropará ajustarão o termo de cooperação e analisarão a necessidade de uma portaria estadual sobre concessões florestais. Outro ponto que também será analisado é o acompanhamento da auditoria independente por técnicos de ambos os órgãos.

Texto:
Adaucto Couto-Imetropará



Secretaria de Assistência Social
investe na qualificação do servidor

A Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) promoveu nesta terça-feira (24) oficina sobre gestão do trabalho e plano estadual de capacitação, para apresentar a Política Nacional de Capacitação e sistematizar as demandas da educação continuada para o plano estadual. O encontro reuniu 70 pessoas, entre gestores, conselheiros e demais atores do Sistema Único de Assistência Social (Suas).
Na ocasião também foi criado o novo Plano Estadual de Capacitação, que objetiva revisar a situação atual e fazer mudanças no cronograma de ações, quadro de investimentos financeiros e metas. O novo plano será pactuado com a Comissão Intergestora Bipartite, para então ser aprovado pelo Conselho Estadual de Assistência Social (Ceas).
A secretária adjunta da Seas, Meive Piacesi, participou da abertura do evento e ressaltou a importância do encontro para os profissionais da assistência social. “O propósito é preparar as equipes técnicas e os gestores para a prestação de serviços e a estruturação do sistema, num processo de formação continuada. Estamos fazendo essas capacitações em função da necessidade primária de diálogo com os trabalhadores do Suas”, informou.
Segundo a diretora de Assistência Social da Seas, Rosiane Souza, "esse é o momento de dialogar com os trabalhadores da assistência social de modo a fortalecer a construção do Suas no Pará". Ainda segundo ela, o Estado chamou os municípios para participar da criação do novo plano, pontuando as necessidades encontradas nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras).

Texto:
Inara Soares-Seas



Seminário destaca novas
tecnologias contra
DSTs e Aids no Pará

Por mais que os medicamentos tenham melhorado a qualidade e aumentado a expectativa de vida de pessoas que vivem com HIV/ Aids, o índice de mortalidade por HIV no Pará ainda é motivo de preocupação para os profissionais e pesquisadores envolvidos no assunto. O Seminário Estadual de Políticas de Saúde em DST/ Aids e Hepatites Virais, ocorrido nesta terça-feira (24), pôs em debate essa realidade, que pode ter outros rumos com a aplicação de novas tecnologias ao tratamento dos pacientes.
As discussões aconteceram durante o 16º Congresso Médico Amazônico, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. Aberto pela secretária adjunta de Estado de Saúde, Rosemary Góes, o seminário partiu do princípio de que o melhor remédio para a doença ainda é a prevenção, ainda que sejam essenciais os debates para a multiplicação do conhecimento a fim de encarar os dilemas da epidemia.
Entre essas ações, a secretária destacou os rumos da telemedicina em emergência cardiológica, projeto retomado pela Sespa ano passado que aos poucos tem favorecido a velocidade no diagnóstico e a redução de custos, por conta do redirecionamento adequado de acordo com o grau de complexidade de cada paciente.
“Já são 40 municípios atuando no projeto. Em 2011, tivemos cerca de oito mil diagnósticos, dos quais 70% não demandaram atendimento emergencial, mas outros 12% apresentaram sintomatologias agudas que indicaram transferências de pacientes para tratamento em hospitais de referência. Posso afirmar que o projeto continua em andamento, ainda que em constante avaliação, para termos condições de viabilizar outro projeto, o de teleradiologia, específico para os hospitais regionais”, expôs Rosemary Góes.
Avanços – As novas tecnologias também foram assunto da coordenadora estadual de DST/ Aids, Déborah Crespo, que apresentou o projeto Echo, implantado no Brasil de forma pioneira no Pará, contra as doenças sexualmente transmissíveis, AIDS e hepatites, integrando os centros de referência da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, com 15 municípios cujos serviços ambulatoriais especializados já estão ligados por internet, com alimentação de sistemas de informação online, como o Sistema de Controle Logístico de Medicamentos Antirretrovirais (Siclom), do Departamento Nacional de DST/ Aids do Ministério da Saúde.
Segundo Déborah Crespo, a iniciativa de se implantar o Echo no Pará surgiu em março deste ano, por ocasião da visita do criador do sistema, Sanjeev Arora, da Universidade do Novo México (EUA), que esteve durante três dias em Belém para viabilizar, junto à Sespa, a execução do serviço, já aplicado nos Estados Unidos e em parte da Índia. “O Pará foi selecionado por suas características territoriais e grandes distâncias entre os municípios. A ideia é que seja usado em todo o país”, sugeriu.
Médicos clínicos estão sendo treinados para diagnosticar e atender pacientes no munícipio de origem e onde o sistema estiver disponível, no intuito de avaliá-los para a ocorrência ou não de transferência para a capital. Esse acolhimento tem a mesma qualidade dos cuidados que poderiam receber nos demais centros de referência. “O projeto poderá também ser usado por toda a equipe multiprofissional, além do médico. As capacitações virão para orientar o grupo inteiro”, esclareceu Déborah Crespo.
Na ocasião, a médica fez uma demonstração do projeto em uma videoconferência, que interligou o próprio professor Sanjeev Arora, nos Estados Unidos, e servidores dos Departamentos de DST/ Aids de Marabá e Parauapebas, já interligados ao sistema.  As cerca de 250 pessoas que estavam na plateia puderam conferir a novidade, que será uma aliada na rotina dos 60 centros de testagem e aconselhamento e dos 18 serviços de assistência especializada existentes no Pará.
A iniciativa também servirá para amenizar o cenário das DSTs e Aids no Estado e combater a subnotificação, uma vez que 13 municípios não registram um só caso desde 2006. No Pará, atualmente 4.690 pessoas soropositivas estão em tratamento, das quais 121 são crianças e 121 começaram a se tratar este ano. Os números também revelam que existem 67 gestantes infectadas pelo HIV no Estado, 155 parturientes e 154 recém-nascidos. A faixa etária com mais casos está entre os 20 e 49 anos, o que, para os especialistas, confere o diagnóstico tardio. Outro problema é a carência de profissionais no mercado paraense. Ao todo, são apenas 500 hepatologistas e um pouco mais de mil infectologistas para dar conta dessa demanda. Após o lançamento do Echo, Déborah Crespo, mediou uma mesa redonda que discutiu as políticas de saúde em torno das DSTs e Aids.

Texto:
Mozart Lira-Sespa





Hoje é dia de novena em louvor
 a Nossa Senhora do Perpétuo
 Socorro: Santa Luzia e 
Santa Teresinha, no
 Jurunas estão à sua espera








Pará garante recursos para
obras no sistema viário da RMB





Luiza Gomide, diretora de Mobilidade Urbana da
Secretaria Nacional de Transporte de Mobilidade Urbana



O Pará foi um dos 18 estados incluídos no programa PAC Mobilidade Urbana Grande Cidades, anunciado na manhã desta terça-feira, 24, em Brasília, pela presidenta Dilma Rousseff, durante cerimônia no Palácio do Planalto. Pelo projeto, o governo paraense será contemplado com R$ 217 milhões em recursos da União para a conclusão do prolongamento da Avenida João Paulo II. Outro impulso à área de infraestrutura urbana virá com a parceria firmada com a Agência de Cooperação Internacional do Japão - JICA, que garantirá um empréstimo no valor de R$ 320 milhões, para a implantação do corredor de BRT (Bus Rapid Transit), do município de Marituba até o Entroncamento. O convênio foi selado entre representantes da Agência e o governador Simão Jatene na Embaixada do Japão, no Distrito Federal.
Programa - No total, o programa PAC Mobilidade Urbana Grande Cidades investirá R$ 22 bilhões em 51 municípios brasileiros, valor que somado à contrapartida dos estados atingirá o montante de R$ 32 bilhões, segundo o Ministério das Cidades. Esses recursos destinam-se à construção de linhas de metrô, Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e corredores de ônibus em cidades com mais de 700 mil habitantes, visto que o foco do projeto é o transporte de média e de alta capacidade.
Está prevista a construção de 600 quilômetros de corredores de ônibus, 380 estações e terminais, 200 quilômetros de linhas de metrô e a compra de mais de mil veículos sobre trilhos. Os empreendimentos vão beneficiar 53 milhões de pessoas em todo o país.


JOÃO PAULO II



Ação Metrópole - A primeira etapa do Projeto Ação Metrópole foi finalizada com a construção da Avenida Centenário Assembleia de Deus e do elevado Daniel Berg. A segunda fase contempla a implantação do prolongamento da Avenida João Paulo II, no trecho compreendido entre a passagem Mariano e a Rodovia Mário Covas, numa extensão de 3.800 metros, que servirá como rota opcional de entrada e saída da capital paraense. Hoje, Belém conta com um único corredor viário que garante esse fluxo: a rodovia BR-316.  A terceira fase do projeto contempla a implantação do Sistema BRT (Bus Rapid Transit), no perímetro que vai da BR-316 até o Entroncamento.

Texto:
Manuela Viana-Ação Metrópole



A eficiência e efetividade das
políticas públicas
em debate no Idesp

O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) promoveu, na manhã desta terça-feira, 24, mais uma edição da série de seminários “Diálogos sobre Desenvolvimento” com enfoque na “Avaliação de políticas públicas e programas governamentais: as experiências do Governo do Estado do Pará”. Durante o evento foram expostos os contextos de formulação, monitoramento e avaliação dos Planos Plurianuais (PPAs) 2008-2011 e 2012-2015, além das experiências de gestão e planejamento da Defensoria Pública do Estado e a busca pelo aprimoramento do seu serviço através do projeto “Redescobrindo o Assistido”, realizado em parceria com o Idesp.
A assessora da Secretaria Especial de Estado de Proteção e Desenvolvimento Social, Auriléa Gomes, reforçou a importância do papel do Instituto de Desenvolvimento e da pesquisa como instrumento de monitoramento e avaliação de ações, políticas e programas governamentais. “No momento em que o Estado discute a sua forma de gestão, não há como fazer isso sem o conhecimento dos indicadores, da realidade de cada setor, a fim de sabermos onde atuar”.
De acordo com a gerente de Programas Sociais da Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof), Brenda Maradei, a avaliação de políticas públicas vem se constituindo em uma das principais ferramentas gerenciais para o aperfeiçoamento das ações do governo. Segundo ela, “a avaliação dá subsídios constantes à melhoria, determina se a ação alcançou ou não ao seu propósito e indica o que deve ser feito para chegar ao resultado pretendido”.
O assessor de planejamento da Defensoria Pública, Sílvio Darley, destacou a preocupação do órgão em desenvolver uma boa gestão e, por conta disso, ter aceito uma avaliação externa do Idesp através do projeto “Redescobrindo o Assistido”, que avalia o serviço, a estrutura, o sistema, o perfil de servidores, defensores e a população atendida nos diversos núcleos do órgão. Segundo ele, a pesquisa rendeu à Defensoria Pública do Pará um retorno muito positivo, tornando-a um modelo para as Defensorias de todo o país.
Para o professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), Dr. Carlos Maciel, manter práticas sociais que tentam preservar boas ações é muito importante, mas ainda é necessário promover uma agregação maior dos setores. “Cada um se preocupa apenas com a sua área; é preciso superar isso. O cidadão não é um fragmento, ele é inteiro, e acredito que estamos caminhando para melhorar esse processo”, concluiu.

Texto:
Fernanda Graim-Idesp



Pais que entregaram filha de
10 anos a homem são
indiciados em Breves

O delegado Márcio Cavalcante, da Superintendência Regional das Ilhas do Marajó, em Breves, indiciou por crime de favorecimento à exploração sexual os pais de uma menina de 10 anos. A criança foi dada pelos pais para viver maritalmente com um homem, na região ribeirinha do município. O agricultor Pedro Cardoso, de 32 anos, de apelido "Tenente", que convivia com a criança, permanece preso na sede da unidade policial em Breves à disposição da Justiça, por estupro de vulnerável.
Exames de sexologia forense realizados na menina comprovaram que a vítima sofreu diversos abusos sexuais por parte do acusado. O inquérito sobre o caso foi concluído e já está no Fórum Judiciário de Breves. A informação foi divulgada nesta terça-feira, 24. O policial civil relatou que o crime foi constatado durante investigações realizadas em conjunto pela Polícia Civil, Polícia Militar e Conselho Tutelar de Breves.
As equipes foram até a região ribeirinha, conhecida por comunidade Rio Piranha, na zona rural do município, para apurar denúncia de que uma menina teria sido entregue pelos pais a um homem para viver como "mulher" dele. No local, os agentes encontraram a criança na casa do acusado. Em seguida, localizaram os pais dela, Raimundo Ferreira, de 41 anos, e Luziane Cardoso, 36.
Em depoimento, os pais confirmaram que haviam entregue a filha ao agricultor em troca de ajuda financeira, segundo informações apuradas pelo conselheiro tutelar Clodoaldo Souza. A criança foi imediatamente conduzida pela Polícia Civil para realização de exame de sexologia forense no Hospital Municipal de Breves. "O exame comprovou vestígios de conjunção carnal recente", detalhou o delegado. No depoimento prestado na superintendência, a menina declarou que sentia muitas dores por conta das relações sexuais a que era submetida pelo acusado. “Tenente” foi preso em flagrante delito por estupro de vulnerável de acordo com o artigo 217-A, do Código Penal Brasileiro.
A Comarca de Breves já homologou a prisão de Pedro Cardoso. Na mesma ocasião, os pais da criança foram indiciados pela entrega da filha a terceiro mediante paga ou recompensa. O crime é previsto no artigo 238, do ECA. O delegado, ao detalhar os fatos, disse ter ficado abismado com a situação. "Trata-se de uma criança franzina, que foi abusada diversas vezes pelo acusado", enfatizou. A criança foi encaminhada pelo Conselho Tutelar de Breves ao abrigo da Casa de Passagem daquele município, onde recebe acompanhamento de psicólogos e assistentes sociais. O delegado ressaltou que a prática de entregar filhos pequenos a adultos em troca de ajuda financeira é crime e deve ser combatida. 

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil



Ophir Loyola é uma das
referências do Congresso
Médico Amazônico

Profissionais e estudantes de medicina que se dirigirem ao Hangar – Centro de Convenções da Amazônia, para participar do XVI Congresso Médico Amazônico, poderão visitar o estande do Hospital Ophir Loyola, que traz vídeos esclarecedores sobre os diversos tipos de neoplasias e sobre a importância da prevenção da doença e trabalhos científicos. Durante o Congresso, os profissionais de diversas especialidades estão à disposição para tirar dúvidas sobre o funcionamento, procedimentos e serviços de um Centro de Alta Complexidade em Oncologia, bem como políticas assistenciais, tal como a Política Nacional de Humanização e Atenção a Saúde (Humaniza).
Por também ser certificado como Hospital de Ensino e Pesquisa pelos Ministérios da Saúde e Educação, o Ophir Loyola também participa com a exposição de trabalhos científicos e com a promoção de importantes eventos, como o IV Simpósio de Cardiologia realizado na manhã desta terça- feira (24) que teve como tema “Prevenção da Morte Súbita Cardíaca”, para trazer uma abordagem atual sobre o diagnóstico e tratamento das doenças do coração. Outro importante evento foi o Simpósio Amazônico de Neurocirurgia, com participação da equipe de neurocirurgia pediátrica do HOL, que trouxe a renomada professora Nelci Zanon Collange, que é a presidente eleita da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia Pediátrica.



Denúncia resulta em flagrante
de posse ilegal de
munição em Marabá

Policiais civis da 21ª Seccional Urbana de Nova Marabá, sob comando do delegado Francisco Bismarck Filho, divulgaram nesta terça-feira, 24, a prisão em flagrante de Laydswaldo Pereira Pinto, 26 anos, conhecido pelo apelido de “Leidim”, sob acusação de posse ilegal de munição.
O flagrante se registrou após a equipe receber determinação da direção da unidade policial para apurar informações recebidas pelo serviço Disque-Denúncia de Marabá sobre tráfico de drogas na casa do acusado, morador na Folha 28, Quadra 15, Lote 17, em Nova Marabá. Durante busca no imóvel, os agentes encontraram no quarto de “Leidim” três munições de calibre .28.
O acusado chegou a negar a propriedade da munição. Nenhuma droga foi encontrada no local. “Leidim” foi autuado em flagrante com base no artigo 12 da Lei 10.826/03, por posse ilegal de munição de uso permitido. "A prisão dele é prova de que a Polícia Civil está atenta a qualquer prática criminosa que venha a ocorrer em Marabá. As ações policiais continuarão com o intuito de reprimir qualquer ilícito penal em atendimento à determinação do delegado-geral, Nilton Atayde, e do diretor de Polícia do Interior, delegado Silvio Maués", explicou Francisco Bismarck.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil



Técnicas da Sespa são
palestrantes em Curso
Básico de Imunizações





A coordenadora estadual de Imunização, Jaíra Ataíde, e a coordenadora municipal de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde de Belém, Rosa Helena Monteiro, foram ministrantes do Curso Básico de Imunizações, promovido pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM), no dia 22 de abril, como programação do XVI Congresso Médico Amazônico, no Hangar. O evento teve como idealizador o presidente da Sbim-PA, Newton Bellesi e coordenador o médico da Sbim, Renato de Ávila Kfouri, de São Paulo. O curso foi destinado a 150 profissionais que atuam em salas de vacinação tanto da rede pública como privada.
Rosa Helena falou sobre “Rede de Frio e Transporte de Vacinas”, mostrando todos os itens que devem ser observados no transporte e acondicionamento das vacinas antes da aplicação nos usuários. Ela exibiu imagens dos equipamentos e materiais adequados, ressaltando, porém, que ainda não é a realidade do Estado. Também mostrou exemplos de como as vacinas devem ser arrumadas nas prateleiras das câmaras frigoríficas e os cuidados que os profissionais têm que ter para assegurar a conservação e eficácia dos produtos até a sua utilização.
Jaíra Ataíde abordou o tema “Técnicas de Aplicação de Vacinas”, dando todas as orientações necessárias aos profissionais que atuam em salas de vacinação, para evitar complicações nos usuários, tais como cuidados no manuseio dos imunobiológicos, formas corretas de aplicação de injetáveis e tamanhos adequados de agulhas para cada tipo de vacina.
O curso contou, ainda, com palestras sobre “Bases Imunológicas da Imunização”, proferida por Edmilson Migowski, do Rio de Janeiro; “Vacinas Pneumocócicas”; “Vacinas Meningocócicas” e “Vacina contra Influenza”, por Renato Kfouri de São Paulo; e Vacinas contra Rotavírus”, “Vacinas contra HPV”, Vacinas contra Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela”, por Mônica Levi, de São Paulo.

Texto:
Roberta Vilanova-Sespa



Procon divulga relatório de
fiscalização em agências
bancárias de Belém

A Diretoria de Proteção e Defesa do Direito do Consumidor (Procon), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), divulgou na manhã desta terça-feira (24) o relatório de ações realizadas em agências bancárias de Belém, no período de 28 de março a 23 de abril. Com seis agentes fiscais mobilizados para a operação, o Procon percorreu bairros da capital e constatou algumas irregularidades.
O órgão orientou 13 fornecedores e realizou sete autos de infração. Dentre as irregularidades constatadas, o não cumprimento do tempo máximo de espera dos consumidores nas filas e a não exposição do Código Nacional de Defesa do Consumidor (CDC). Apesar do grande número de reclamações quanto a demora no atendimento, o órgão registrou apenas uma denúncia formalizada. Para o diretor de fiscalização do Procon, Leandro Pina, isso ocorre por que muitas pessoas desconhecem seus direitos ou não denunciam.
“Para os dias considerados normais, o tempo máximo para que o cliente seja atendido é de 30 minutos. Já aqueles dias considerados ‘especiais’, ou seja, feriados ou dias que fazem parte do calendário de pagamento, o tempo de espera não pode ultrapassar 45 minutos. Muitas das vezes, o consumidor lesado não procura o Procon para formalizar a reclamação, e esse comportamento é prejudicial, pois a agência fica impune”, explica Leandro.
A agência bancária que exceder o prazo máximo de espera pode receber multas no valor de R$ 600 a R$ 1.200,00, em caso de reincidência. Para entrar em contato com o Procon e denunciar situações que violam direitos do consumidor, basta ligar para o fone: (91) 3073-2805, ou então, dirigir-se ao prédio do órgão, localizado na travessa Castelo Branco, 1029, bairro do São Braz, em Belém. Seja por telefone, ou visita presencial à diretoria, é recomendável que o consumidor denuncie agências que não respeitam os direitos previstos no CDC, e dessa forma, evitar futuros transtornos. “Para denunciar, basta apresentar os comprovantes do momento em que entrou na agência e o do horário em que foi atendido“, explica Pina.

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh



Helio Franco fala de Gestão
em Saúde no XVI Congresso
Médico Amazônico

Cooperação e criatividade foi o que o secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, sugeriu aos profissionais de saúde da área pública, ao proferir conferência sobre “Gestão em Saúde”, nesta segunda-feira (23), no XVI Congresso Médico Amazônico, que acontece no Hangar. A mesa foi presidida pelo médico e vereador da Câmara Municipal de Belém, Raimundo Castro.
De acordo com Helio Franco, para haver cooperação, no entanto, é preciso haver afinidade e isso não é fácil de conseguir. Daí a importância de exercer a democracia, começando por ouvir o que as pessoas com quem se trabalha têm a dizer. “E é a cooperação que estimula a criatividade na busca de soluções e melhores caminhos para que as coisas andem”, afirmou.
Helio Franco disse que também é importante ouvir a população, porque ela sabe quais são os seus problemas, tem o diagnóstico da situação, mas são os técnicos que devem resolvê-los com o que for melhor para os usuários. Para o secretário, o gestor precisa ter capacidade de formar equipe e não apenas grupo de pessoas, porque a equipe trabalha de forma integrada, com o mesmo objetivo. É necessário, ainda, formação e capacitação, não apenas de caráter acadêmico, mas também no dia a dia do serviço.
Na oportunidade, Helio Franco criticou a questão do financiamento da Saúde no Brasil, que ainda não é justa, destacando que o Pará continua a receber a menor receita per capita do Brasil, com R$ 101,00 por habitante por ano. Helio Franco considera injusto os Estados da região amazônica receberem proporcionalmente os mesmos valores dos Estados das regiões Sul e Sudeste, já que lá 80% da população tem plano de saúde, enquanto que aqui apenas 4%, ou seja, os recursos do SUS que vêm para o Pará são destinados a 96% da população, enquanto os de lá para apenas 20% dos habitantes.
Ele ressaltou, ainda, que também deveria ser considerado o aspecto geográfico do Estado, “em que as distâncias são medidas por dias de barco e horas de avião, o custo amazônico é muito alto”, disse o secretário. Conforme Helio Franco, o Ministério da Saúde alega que o financiamento per capita permanece baixo porque o Estado não tem estrutura de serviços montada, o que não é verdade. Houve, sem dúvida, uma ampliação de serviços de média e alta complexidade no Estado, mas o Pará continua a não receber pelos serviços prestados, porque as portarias do Ministério da Saúde não condizem com a realidade da região.
Como exemplo, ele citou os serviços de neurocirurgia que funcionam nos hospitais regionais, mas que não recebem financiamento porque a portaria exige a presença de três neurocirurgiões. “Nós fazemos o serviço e recebemos menor valor, quem sustenta os serviços é o governo do Estado com recursos próprios”, explicou. “O Ministério da Saúde trata os desiguais de forma igual”, acrescentou.
Na opinião de Helio Franco, a Saúde tem uma ligação direta com a Educação, pois a situação de saúde é pior entre as pessoas com menos instrução. Por isso, ele defende a integração das ações entre as áreas da Saúde e Educação, no sentido, principalmente, de moldar o comportamento das crianças, para que se tornem adultos mais saudáveis.
Como não podia esquecer a Atenção Primária, Helio Franco mais uma vez defendeu que nessa área o importante é fazer os programas de controle do diabetes e hipertensão arterial e da área materno-infantil funcionarem adequadamente, para evitar as complicações. “Uma estratégia fundamental é o convencimento, convencer as pessoas de que elas precisam tomar o remédio, mesmo não sentindo nada e adotar hábitos mais saudáveis. Entre saber e convencer há muita distância”, disse o secretário.
“Infelizmente, as pessoas têm dificuldade com a simplicidade, às vezes a gestante faz cinco ultrassonografias, mas ninguém mede a sua pressão, permitindo com que possa haver uma complicação durante o parto”, alertou. Por fim, Helio Franco disse que “a boa gestão é aquela que independe da presença do gestor. É preciso trabalhar tudo isso para a saúde melhorar”.

Texto:
Roberta Vilanova-Sespa



Brigada reforça prevenção
a incêndios florestais
no Parque Serra das Andorinhas

Pelo terceiro ano consecutivo, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) fazem parceria para formação da Brigada do Prevfogo (Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais) em São Geraldo do Araguaia. São 29 brigadistas que têm o objetivo de prevenir e combater incêndios florestais no Parque Serra das Andorinhas (Pesam), na Área de Preservação Ambiental (APA) Araguaia, na Terra Indígena Suruí Sororó e demais áreas protegidas no município. Todos vão trabalhar de julho a novembro, com possibilidades de estender o período, de acordo com os fatores climáticos.
Além do trabalho de combate ao fogo em campo, a brigada deve atuar junto à comunidade da região do Parque Serra das Andorinhas orientando as pessoas da APA Araguaia sobre a utilização correta do fogo e estimular a recuperação de áreas degradadas, bem como a produção de mudas de essências nativas da região, em viveiro construído em conjunto com a Sema.
De acordo com o coordenador regional do Prevfogo, Diego Sousa, este ano, 97 candidatos inscreveram-se ao processo seletivo que é dividido em três etapas. Testes classificatórios e eliminatórios de aptidão física, habilidades e uso de ferramentas agrícolas são comandados pelo coordenador e pelo analista ambiental do Ibama Anderson Carvalho, que destacaram a participação dos índios no processo seletivo. “Este ano tivemos a participação de índios na seleção e muitos deles foram classificados para o curso”, ressaltou Diego, acrescentando que os indígenas já sofreram incêndios descontrolados na aldeia, em anos anteriores.
Para o gerente do Pesam, Abel Pojo, a parceria com o Ibama para a contratação dos que combaterão incêndios florestais no Parque e na APA Araguaia demonstra o empenho da gerência do Parque com a Unidade de Conservação. “Os anos anteriores provam que o trabalho desenvolvido pelos brigadistas é de grande relevância para proteção do Parque Serra das Andorinhas e da APA Araguaia”, destacou Abel, reforçando que os brigadistas foram “heróis” ao combater grandes incêndios florestais nas duas Unidades de Conservação.
A primeira etapa da seleção dos candidatos consiste na avaliação de currículo (exclusivo para os cargos de chefia); e em seguida os candidatos são avaliados pelas suas habilidades com ferramentas agrícolas e aptidão física. Na última etapa, os candidatos participam de curso de formação de brigadistas, também eliminatório. A capacitação tem 40 horas de duração. Os alunos aprovados no curso por ordem de classificação e atendendo critérios estipulados no edital do processo seletivo, são contratados para desempenhar as atividades de combate ao fogo.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema



Estação das Docas inspira
Porto Novo de Recife

A Estação das Docas, um dos pontos turísticos mais importantes de Belém e modelo nacional em recuperação do patrimônio histórico, agora serve também como referência para a reforma do Porto de Recife, em Pernambuco. O projeto tem o objetivo de transformar uma extensão de 1,5 km do ancoradouro da cidade, que abriga nove armazéns, em um grande polo de turismo, serviço e lazer na capital pernambucana. A obra deve estar pronta antes da realização da Copa do Mundo de 2014.
O Porto Novo do Recife, como será chamado, prevê a reforma de oito antigos armazéns onde serão desenvolvidos os mais variados tipos de serviços e atividades, desde escritórios comerciais, hotel, bares, restaurantes, pontos comerciais e espaços de entretenimento, exposições e eventos, entre outros.
A idéia é que parte do investimento para realização do projeto denominado Porto Novo, que prevê a reforma e construção de dois dos armazéns que abrigarão o Centro de Artesanato de Pernambuco e Cais do Sertão Luiz Gonzaga, venha dos cofres dos governoa de Pernambuco e Federal, através do Ministério da Cultura (Minc). O restante, sete antigos galpões, serão arrendados para iniciativa privada. Ao todo, estão sendo investidos R$ 25.767.937,30 milhões na obra, que abrigará ainda um Terminal Marítimo de Passageiros.
A informação de que o Porto Novo do Recife tem inspiração na Estação das Docas, cujo projeto é assinado pelo arquiteto e atual secretário de Cultura do Pará, Paulo Chaves Fernandes, foi repassada pelo Governo de Pernambuco a cerca de 40 jornalistas ligados à Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (Abrajet), durante reunião do conselho da entidade, no início deste mês, em Gravatá, Pernambuco. Na ocasião o secretário de Turismo do Estado, Alberto Feitosa, citou a Estação das Docas como um projeto exemplar para o turismo. Os jornalistas, que já conhecem a Estação das Docas e a importância que tem para o turismo brasileiro, elogiaram a iniciativa.
Estação das Docas - Resultado de um investimento de R$ 19 milhões do governo estadual, a Estação das Docas foi a primeira 'janela para o rio', concebida para valorizar as belezas naturais da capital paraense, fortalecendo a relação com os visitantes e também com os ribeirinhos, barqueiros e outros segmentos que fazem do rio as suas ruas. O espaço, que já chegou a receber, diariamente, cerca de duas mil pessoas, gera 600 empregos diretos e 1.800 indiretos.
Com fortes características amazônicas, o complexo turístico e cultural é composto por 500 metros de orla fluvial do antigo porto de Belém, cuja construção foi iniciada pelo engenheiro e advogado norte-americano Percival Farqhuar, em 1906. São 32 mil metros quadrados divididos em três armazéns e um terminal de passageiros. O Armazém 1 foi batizado de Boulevard das Artes. O Armazém 2 passou a ser o Boulevard da Gastronomia. O Armazém 3 é conhecido como Boulevard das Feiras e Exposições.
O complexo possui, ainda, o Teatro Maria Silvia Nunes, com capacidade para 428 lugares, e o anfiteatro do Forte de São Pedro Nolasco. Todos passaram por um criterioso processo de restauração, realizado pelo arquiteto Paulo Chaves, secretário de Cultura à época da implantação do projeto, que assina outras obras importantes de revitalização do patrimônio paraense - como o antigo presídio São José Liberto (hoje Pólo Joalheiro), o Complexo Feliz Lusitânia (que resulta de um conjunto de obras na Cidade Velha, primeiro bairro de Belém) e o Mangal das Garças, entre outros.
Os três galpões que deram lugar à Estação das Docas, são em ferro inglês, um exemplo da arquitetura característica da segunda metade do século XIX. Já os guindastes externos, marcas registradas da Estação, foram fabricados nos Estados Unidos, no começo do século 20. Também desperta atenção uma máquina a vapor de meados de 1800, que antes fornecia energia para os equipamentos do porto.
As ruínas do Forte de São Pedro Nolasco, onde foi construído um Anfiteatro, foram originalmente construídas para a defesa da orla em 1665. O espaço foi destruído após o Movimento da Cabanagem, em 1825, e revitalizado para a inauguração da Estação.
Promoção - A Estação das Docas é hoje um dos produtos turísticos prioritários levados a feiras e eventos pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur), em cumprimento a sua missão de promover e divulgar o turismo do Pará. Em julho de 2011, por exemplo, foi tema do estande que marcou a participação do Pará no 60º. Salão do Turismo – Roteiros do Brasil, realizado em São Paulo pelo Ministério do Turismo. Uma réplica da Estação encantou os visitantes da feira, que contou com a visitação de aproximadamente 100 mil visitantes.
Paixão de Cristo -  Um outro projeto turístico do Pará está relacionado diretamente ao Estado de Pernambuco. Trata-se da 'Paixão de Cristo, Paixão do Povo', realizada no mês de abril em Barcarena, inspirada no espetáculo Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, que acontece na Fazenda Nova, vila do distrito Brejo da Madre de Deus, em Pernambuco. A intenção de Arildo Poça, idealizador do espetáculo que realiza em Barcarena com apoio da Paratur, é fortalecer o turismo daquele município, da mesma forma que ocorreu em nova Jerusalém, que este ano viveu sua 45ª edição e contou com um público de cerca de 100 mil pessoas.

Texto:
Benigna Soares-Paratur



Emater faz diagnóstico de
propriedades quilombolas
em Concórdia do Pará

Um trabalho realizado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) vai possibilitar a remanescentes quilombolas em Concórdia do Pará, nordeste do estado, o acesso a recursos de auxílio-moradia, através do programa federal 'Minha Casa, Minha Vida', estimados em 25 mil reais por família. Nesse primeiro momento, o projeto vai beneficiar 41 famílias em quatro comunidades rurais.
A Emater realiza junto às comunidades um diagnóstico para a emissão de Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). O documento é utilizado como instrumento de identificação do agricultor familiar para acessar políticas públicas.
Segundo a engenheira agronoma da Emater, Patrícia Surama, o trabalho técnico já identificou a produção agrícola das áreas desenvolvidas com bases agroecológicas e a aptidão das comunidades para o turismo rural, especialmente às margens do Rio Bujaru, que tem seus recursos naturais preservados em quase sua totalidade. “As áreas alteradas se concentram apenas onde estão localizadas as residências”, disse a agrônoma.
Um dos objetivos da Emater é preservar e fortalecer a identidade cultural quilombola, muito forte ainda em Concórdia do Pará. As comunidades também realizam as tradicionais ladainhas e conservam o costume de utilizar tramas afro nos cabelos.
De acordo com o presidente da Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos Nova Esperança, Jose Francisco Maciel, a meta é contemplar, ao todo, 150 famílias com o benefício - que chega pela primeira vez aos remanescentes. A população quilombola no município é reconhecida pela Fundação Cultural Palmares do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e tem também a titularidade das terras.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater



Emater representa o Pará
em Conferência Nacional
de Assistência Técnica

A presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), Cleide Amorim, e mais cinco técnicos do órgão participaram, na manhã desta terça-feira (24), da abertura da 1ª Conferência Nacional sobre Assistência Técnica e Extensão na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária (Cnater), que o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) promove em Brasília, no Distrito Federal, até quinta (26), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf) e com o Comitê Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Cnater).
“A representação do Pará na Conferência reforça, mais uma vez, a importância do estado no cenário nacional, ainda mais agora, quando sediaremos a primeira Feira da Agricultura Familiar da Amazônia Legal, programada para o período de 25 a 27 de maio deste ano”, comemorou Amorim.
Além de encaminhar debates, os conferencistas do país inteiro (extensionistas, agentes governamentais do setor, gestores institucionais, agricultores familiares, movimentos sociais e jornalistas) também estão tendo a oportunidade de conhecer melhor, por meio de material de divulgação e apresentação de ideias em um estande, a concepção e realização da Agrifal, que a Emater promoverá em Belém, com presença dos outros oito estados da Amazônia Legal.
O principal objetivo da Cnater é definir propostas que constituirão as estratégias, diretrizes e prioridades para o Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Pronater). Algumas dessas propostas têm à frente a Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer), da qual a Emater faz parte, sendo Cleide Amorim a diretora da região Norte. O consenso entre as empresas do país foi estabelecido a partir dos indicativos reconhecidos por Conferências Estaduais. A do Pará foi realizada em 14 e 15 de março, na capital.
“Queremos fortalecer a Ater como ferramenta e caminho para a qualidade de vida do agricultor familiar”, resumiu o presidente da Asbraer, Júlio Zoé, durante a solenidade de abertura da Conferência. Uma das principais sugestões da Asbraer, de acordo com ele, é a convergência e organização de recursos públicos para a Ater. “Existem cerca de dois bilhões de reais de verbas públicas federais pulverizados. É imprescindível a criação de um sistema que organize, condense esse investimento”, disse.

Texto:
Aline Miranda-Emater



Governo investe na estruturação
das unidades de polícia no interior

O sudeste do Pará ganha nesta quinta-feira, 25, mais uma delegacia de Polícia. Desta vez é o município de Cumaru do Norte, a 90 quilômetros de Redenção, que passa a contar com uma nova unidade, das 40 previstas para serem construidas e outras 100 que serão reformadas até o final desta gestão, dentro do que prevê a Agenda Mínima do Governo para a área de segurança pública. Além de garantir novas e melhores instalações físicas, a reestruturação das polícias inclui a aquisição de equipamentos mais modernos, novas viaturas, capacitação e contração de novos servidores. Esta é a 13ª delegacia entregue pelo Estado, que até o final do ano deverá colocar em funcionamento mais 25 unidades na capital e no interior.
O diretor de Polícia do Interior, delegado Silvio Maués, da Polícia Civil, afirma que várias obras estão em andamento e devem ser entregues ainda este ano. Há outras em processo de licitação com previsão de serem concluídas até 2013. “É um investimento que está acompanhando a meta estabelecida pelo Governo”.
Estruturação
A unidade que será inaugurada nesta quinta-feira em Cumaru do Norte está toda equipada, conta com salas climatizadas e ambientes adaptados aos portadores de necessidades especiais, de forma a garantir o melhor atendimento à população. A unidade conta, ainda, com uma viatura para atender as ocorrências, que até então eram encaminhadas para a delegacia de polícia de Redenção.
Além de Cumaru, também devem ser inauguradas até o final do ano 25 delegacias localizadas na Região Metropolitana de Belém e interior do Estado. Destas, cinco já estão com obras licitadas - Ourilândia do Norte, na região sudeste; Cachoeira do Arari, no Arquipélago do Marajó, e Cabanagem, Atalaia e Aurá, na RMB. Estão em construção as delegacias de Alter do Chão, em Santarém; Delegacia da Mulher, em Santarém (no oeste), onde também funcionará o Programa Pro Paz Integrado; Mojuí dos Campos (oeste), a Delegacia de Benevides (RMB); Delegacia do Benguí e Seccionais Urbanas da Marambaia e Icoaraci, em Belém; Delegacias da Guanabara, Jaderlândia e Júlia Seffer, em Ananindeua (RMB) e Delegacia de Decouville, em Marituba (RMB).
No ano passado, nove unidades policiais foram reformadas ou construídas. Entre as obras já concluídas estão as do Arquivo Central da Polícia Civil e das delegacias dos municípios de Santa Bárbara do Pará (RMB), Porto de Moz (região do Xingu), Viseu (nordeste) e da Divisão de Homicídios, além da Unidade Integrada Pro Paz no bairro da Terra Firme, em Belém.
Faz parte da estruturação, além da implantação de delegacias especiais, como a da Mulher, a criação de unidades integradas de Polícia. Estas unidades, onde as polícias Civil e Militar trabalham juntas prestando serviços à população, de acordo com o titular da DPI, será implantado em cidades que ainda não têm delegacia e que possuem poucos habitantes. Dez municípios já foram escolhidos para receber as unidades integradas. O primeiro, que será contemplado até maio, será São Sebastião da Boa Vista, no Arquipélago do Marajó.
Para o delegado, a estruturação implementada pelo Estado reflete no melhor atendimento prestado à população. “Todos esses investimentos em infraestrutura, novas viaturas, equipamentos e servidores vão garantir que a população seja melhor atendida e assistida. É possível dar uma resposta mais ágil à sociedade, que precisa da Segurança Pública”, destacou Maués, que informou que o Estado irá contratar ainda este ano 600 novos servidores para trabalhar nas novas unidades.

Texto:
Thiago Melo-Secom



Presos prestam serviços em
escolas públicas da
RMB para diminuir pena

Na próxima quinta-feira (26), cerca de 180 presos de nove unidades prisionais do estado irão participar de uma ação simultânea em nove escolas da Região Metropolitana de Belém e interior.  O projeto denominado “Conquistando a Liberdade” tem o objetivo de prestar serviços à sociedade, além de proporcionar trabalho aos internos, o que favorece a remissão de pena, já que, a cada três dias trabalhados o detento diminui um dia de pena.
As escolas públicas irão preparar solenidade de acolhimento para o grupo carcerário, com apresentação de dança, música, feira cultural e exposições. Em média serão 20 detentos por estabelecimento de ensino, todos passaram por uma seleção psicossocial e treinamento, e sairão das unidades mediante escolta policial. Quinze vão realizar trabalhos de serviços gerais para a recuperação dos prédios; e cinco irão participar do "Papo di rocha", uma conversa franca entre presos e jovens para alertar sobre o mundo das drogas e as incidências criminais.
Os nove municípios escolhidos, Marituba, Santa Izabel, Abaetetuba, Tomé-Açu, Salinópolis, Paragominas, Mocajuba, Marabá e Capanema tiveram o apoio dos juízes das Comarcas que concederam autorização judicial para a saída dos presos envolvidos no projeto. Os juízes irão acompanhar todas as atividades de perto.
O projeto “Conquistando a liberdade” terá ação contínua mensal realizada até dezembro deste ano. A partir do próximo mês, os internos também irão desenvolver outros tipos de serviços, como pintura, jardinagem, orientações sobre educação ambiental, manutenção das partes elétrica e hidráulica das instituições de ensino. Espera-se que a partir desta primeira ação, juízes das demais comarcas do estado também se mobilizem para ajudar a implantar o projeto em outros municípios.
O “Conquistando a liberdade” começou em Abaetetuba por meio da iniciativa do Juiz Titular da 3ª Vara Penal, Deomar Alexandre de Pinho Barroso e do diretor de Centro de Recuperação Regional de Abaetetuba, capitão Melo. Agora, o projeto está sendo ampliado por meio da parceria entre a Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe), Pro Paz, Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e Poder Judiciário, por meio dos Juízes das comarcas dos municípios participantes.

Texto:
Nara Pessoa-Susipe



Projeto apresenta nova geração
do chorinho paraense
na Fonoteca do Centur

No mês do aniversário de Pixinguinha, quando é comemorado o Dia Nacional do Choro, a Fonoteca Pública Satyro de Mello apresenta o grupo “Choramingando” como atração do Projeto “Quarta às Quatro”. O espetáculo será realizado nesta quarta-feira (25), às 16h, na Fonoteca (4º andar do Centur) e tem entrada franca.
O “Choramingando” é especializado em chorinho e mistura Música Popular Brasileira com os ritmos do Pará. No show desta quarta-feira, os músicos irão apresentar um repertório com clássicos de grandes compositores como Pixinguinha, Jacob do bandolim e Adamor do bandolim.
O grupo foi formado há dois anos, por uma nova geração de “chorões”: Éder dos Anjos, Albert Cordeiro, Edmar Augusto, Fernando Bahia e Robson Rafael são os músicos que compõem a banda. Nesse tempo, o quinteto já se apresentou em diversos tipos de comemorações, como na Casa de Samba “Oásis”, Assembleia Paraense, Ver-o-Rio e no Projeto “Música para todos”, que acontece aos domingos na Praça da República.
O próprio nome “Choramingando” é uma referência ao sentimento dos músicos do grupo em relação aos tradicionais nomes do choro como Paulinho Moura, Mauro Ricardo, Diogo Leite e outros: para eles, enquanto esses mestres virtuosos “choram”, o grupo ainda “choraminga”.
Serviço:
Nesta quarta feira, 25 de Abril, às 16h, o “Grupo Choramingando” se apresentará no Projeto “Quarta às Quatro”na Fonoteca Pública Satyro de Mello, no 4º andar da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (prédio do Centur). A entrada é franca.

Texto:
Hélio Granado-FCPTN



Paysandu faz último treino
em Belém antes de
enfrentar o Coritiba

O Paysandu fez o último treino na manhã desta terça-feira, 24, no Estádio Olímpico do Pará, antes da viagem para Curitiba, onde disputará as oitavas de final da Copa do Brasil contra o Coritiba, no dia 26. No último coletivo em solo paraense, o técnico Lecheva testou várias opções na equipe titular, mas só definirá a equipe minutos antes da partida.
O único desfalque da equipe bicolor será o meio campo Leandrinho, que sofreu uma torção no joelho. No coletivo de hoje, muitas dúvidas sobre a escalação, mas o Paysandu deve ir a campo com: Paulo Rafael, Yago Pikachu, Thiago Costa, Douglas, Pablo (Jairinho), Billy, Vanderson, Thiago Potiguar, Harison (Kariri), Heliton (Adriano Magrão) e Rafael Oliveira.
No plantel paranaense, o técnico Marcelo Oliveira ainda não sabe se poderá contar com o meia Rafinha, que sofreu uma torção no tornozelo direito, na partida do último domingo,  22, na vitória por 4 a 2 sobre o Atlético Paranaense, que deu o título do segundo turno do campeonato paranaense ao Coxa.
Esta será a 15º vez que Paysandu e Coritiba se enfrentam. São sete vitórias do Coxa, duas vitórias Bicolores e sete empates. A última vez que as duas equipes se enfrentaram foi em 2006 pela Série B do campeonato brasileiro, em que o Coritiba venceu por 3 a 1, em Belém.
O Paysandu viaja na nesta terça-feira, às 15h30, e amanhã, pela parte da tarde, o time bicolor fará um treino de reconhecimento do gramado do estádio Couto Pereira. O jogo entre Paysandu e Coritiba será às 19h30, com transmissão pela TV em canal fechado.

Texto:
Bernardo Tommaso-Seel



Banpará divulga os primeiros
sorteados na Campanha
Poupança Premiada 2012

A campanha Poupança Premiada Banpará 2012 já tem os primeiros vencedores. O primeiro sorteio foi realizado na última quarta-feira (18), pela Loteria Federal e a apuração dos resultados na quinta-feira (19). Concorreram aos prêmios deste sorteio todos os que realizaram depósitos no período de 19 de dezembro de 2011 a 18 de março de 2012.
Segundo o superintendente da Suafi, Evandro Nogueira, a campanha vem atingindo excelente resultado.  “Tomando como base o início da campanha, até março de 2012, o número de contas abertas, somente de pessoas físicas, foi de 11.757. Comparado ao mesmo período do ano anterior houve um crescimento de 279%. Além disso, ainda neste primeiro período, o saldo passou de R$ 352 milhões para mais de R$ 405 milhões, equivalente a um aumento de cerca de três vezes em comparação a 2010/2011. Para se ter uma ideia da grandeza desses números, de uma forma global, o resultado de captação em poupança no primeiro trimestre de 2012 já representa 39% de toda a captação do ano anterior”, afirma Evandro.
Foram sorteados os seguintes prêmios: 10 vales-compra no valor de R$ 1.000,00 e dois no valor de R$ 5.000,00, cada um; 1 notebook 14 polegadas; 1 televisão de plasma 42”; 1 motocicleta Honda e 1 automóvel Fiat Uno 0 km, totalizando cerca de R$ 60 mil em prêmios. Os contemplados com os principais prêmios, motocicleta e automóvel, são clientes das agências Rondon do Pará e Senador Lemos, respectivamente.
Para Eliene Martins, gerente geral da agência Senador Lemos, a premiação de um de seus clientes significa também uma recompensa ao esforço da equipe. “Foi com grande alegria que recebemos a notícia de que uma de nossas clientes foi a grande contemplada com o carro na Poupança Premiada Banpará. É um momento ímpar, pois além de termos cumprido a nossa missão institucional, a nossa equipe está de parabéns pela maneira como se empenhou na campanha. Parabenizamos a ganhadora, ao mesmo tempo em que agradecemos a sua contribuição para o engrandecimento do nosso Banco”.
Para a gerente geral da agência Rondon do Pará, Sandra Cardoso, ter um de seus clientes entre os vencedores é uma grande satisfação: “Estou muito contente de um cliente da agência Rondon ter sido contemplado no primeiro sorteio. Com isso, aumentamos ainda mais a credibilidade do Banco e a possibilidade de conquistarmos novos clientes, uma vez que a agência já deu sorte também em sorteios anteriores”, afirma a gerente, que fará grande divulgação do resultado na TV local e por meio de faixa na agência. A entrega simbólica dos prêmios ocorrerá no próximo dia 26, em local a ser definido pela Diretoria do Banco.

Texto:
Yedda Bevilacqua-Banpará



Hospital Jean Bitar promove
Curso sobre "Cuidando do
Cuidador de Saúde"

O cuidador é a pessoa responsável pelo auxílio do enfermo em suas necessidades físicas e emocionais, mas ele também necessita de cuidados. É pensando nisso que o Centro Hospitalar Jean Bitar pormove nos dias 23, 24 e 25 de abril, o curso "Cuidando do Cuidador de Saúde". A programação visa alertar para a importância da proteção dos trabalhadores contra todo o risco à saúde e que possa resultar do trabalho, bem como promover condições laborais que garantam qualidade de vida e o bem-estar físico, mental e social dos servidores.



Cosanpa - Nota de utilidade pública

A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) informa que será necessário interromper o abastecimento de água nas áreas atendidas pelo 3º Setor, nesta terça-feira, 24 de abril, das 15h às 18h, para manutenção preventiva da subestação elétrica do referido setor. Orientamos os moradores para que reservem água preventivamente, para facilitar as atividades rotineiras. As equipes de manutenção da Cosanpa estão mobliizadas para executar o serviço no menor tempo possível. Os bairros afetados com a interrupção serão Nazaré, Umarizal, parte do Reduto e do Telégrafo.
Ascom Cosanpa




“Dr. Bactéria” dá palestra no
Congresso Médico Amazônico


O biomédico Roberto Figueiredo, que ficou conhecido como “Dr. Bactéria”, apresentou palestra nesta segunda-feira (23) dentro do 16º Congresso Médico Amazônico, que acontece no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. O especialista disse que informação é a palavra-chave para evitar doenças.
“Infecção por salmonela e botulismo, entre outras doenças e problemas de saúde, podem ser facilmente combatidos e evitados com pequenas e simples mudanças de hábitos, mas é preciso saber o que fazer. Nada melhor do que transmitir nossos conhecimentos para ajudar a mudar o mundo”, afirmou.
Após a movimentada palestra, que teve ainda brincadeiras e sorteios de livros, o “Dr. Bactéria” recebeu o convite da presidente da organização social Pará 2000, Lúcia Penedo, para visitar a cozinha industrial do Hangar. “Conheço Belém há dez anos e a capital paraense realmente precisava de um centro de convenções como o Hangar. A cozinha é belíssima, com tudo de mais moderno e da melhor qualidade”, elogiou.

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000



Estação das Docas antecipa
horário de abertura

A direção da organização social Pará 2000 informa que a partir desta segunda-feira (23) a Estação das Docas abre todos os seus espaços ao público em geral a partir das 10 horas, e não mais ao meio-dia. O horário de abertura aos domingos, às 9 horas, não será alterado, bem como os horários de fechamento. “A mudança ocorreu em consequência de pesquisa de opinião que aplicamos no site da Estação e pelos formulários deixados em nossas dependências. Levou em conta também que ultimamente há uma grande demanda de navios com turistas estrangeiros, que têm atracado no porto de Belém”, explica a presidente da Pará 2000, Lúcia Penedo. Segundo ela, a medida também vai contribuir para o crescimento dos lojistas, da população e do turismo no Pará. “Queremos que o público que deseja vir à Estação mais cedo possa desfrutar deste espaço que é referência no turismo de nosso Estado”, frisou.



Caravana Pro Paz chega a Santa Cruz do Arari



A população do município de Santa Cruz do Arari, na ilha do Marajó, começou a usufruir nesta segunda-feira (23) dos serviços oferecidos pela Caravana Pro Paz Presença Viva. No total, são mais de 50 atendimentos nas áreas de saúde, cidadania e cultura. Além da sede do município, aos serviços também serão levados, terça-feira (24), para a vila de Genipapu, comunidade ribeirinha localizada a cerca de uma hora de distância da sede do município.
Segundo a coordenadora do programa em Santa Cruz do Arari, Alice Grujal, a comunidade de Genipapu será beneficiada com atendimento de clínica geral, ginecologia e pediatria, além de medição de pressão arterial. A coordenação prevê uma média de 70 atendimentos por especialidade. “Os pacientes passarão por uma triagem e, após o atendimento médico, serão encaminhados para o setor de farmácia, onde poderão adquirir o medicamento prescrito pelo médico”, explica.
No primeiro dia de atendimento em Santa Cruz do Arari, a demanda maior, a exemplo das demais cidades, foi pelo atendimento oftalmológico. Foram feitas 400 consultas e a entrega de cerca de 200 óculos. Segundo a médica oftalmologista Milena Chibana, os principais problemas identificados nos pacientes foi a baixa visão, glaucoma e catarata. “A grande parte da população que tem baixa visão sabia que precisava de óculos, mas infelizmente não tinha acesso por razões econômicas mesmo”, ressaltou.
Foi o caso do pescador Manoel Raimundo Pamplona, 61 anos, que também procurou atendimento no oftalmologista. Há mais de três anos sem se consultar com um especialista, ele sabia que estava precisando de um óculos adequado, mas não tinha dinheiro para suprir a necessidade. “Eu tinha óculos, mas não dava mais para enxergar nada. Como tive essa oportunidade, resolvi me consultar. O atendimento foi muito bom”, afirmou.
José Leal dos Santos, 62 anos, nunca havia se consultado com um especialista. Há alguns o aposentado começou a sofrer com dores de cabeça e dificuldade para enxergar de perto. O diagnóstico indicou a necessidade de óculos para a leitura. “Valeu a pena esperar. Há muito tempo estava precisando de uma consulta e agora já estou voltando para casa com o óculos”, disse. Os casos que necessitam de cirurgia foram encaminhados para as equipes de referência da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e posterior atendimento especializado na capital.
Além de oftalmologia, foram feitos nesta segunda-feira 30 atendimentos odontológicos, 140 consultas na clínica médica, 140 atendimentos na ginecologia e 140 na pediatria. A população de Santa Cruz do Arari também procurou o atendimento de vigilância à saúde da Sespa, que fez durante o dia 108 testes de HIV e 92 de hepatites (B e C), além de 50 Preventivos de Câncer de Colo de Útero (PCCU). Na área de nutrição foram feitos 114 atendimentos com avaliação e orientação nutricional.
Os serviços de emissão de documentos estão concentrados na Escola Municipal de Ensino Médio e Fundamental João Apolinário Batista Pamplona e os de saúde, no Hospital Municipal de Santa Cruz de Arari. O atendimento começa às 8 horas e segue até as 17 horas, com distribuição das fichas às 6h30.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom



Policiais civis participam de
curso de operações e investigação

A Academia da Polícia Civil (Acadepol) iniciou nesta segunda-feira (23), simultaneamente em Belém e Conceição do Araguaia, sul do Pará, as duas turmas de policiais civis que participam do treinamento básico em operações policiais civis e investigação policial. Ao todo, 50 policiais civis, entre delegados, investigadores e escrivães, ficarão durante duas semanas à disposição da Acadepol para a capacitação.
Segundo o diretor da Acadepol, Adonai Mota, desde o ano passado, quando o treinamento foi iniciado, 290 policiais – 281 civis e nove militares – foram capacitados. A meta da Delegacia Geral é capacitar em operações policiais civis e investigação policial, até 2014, no mínimo, 80% do efetivo da Polícia Civil, o que representa cerca de dois mil servidores policiais.
Durante o treinamento, os policiais civis terão atividades teóricas e práticas, com aulas sobre direitos humanos, relações interpessoais, investigação policial moderna, uso de sistemas operacionais, inteligência policial, tiro ao alvo e defesa pessoal, entre outras disciplinas. A partir de terça-feira (24), as aulas teóricas e práticas serão aplicadas no Instituto de Ensino de Segurança do Pará (Iesp), em Marituba, na Região Metropolitana de Belém, onde está fica a Acadepol.
Iniciado ano passado, quando foram formadas seis turmas de policiais, o treinamento é uma das diretrizes da administração da Polícia Civil do Pará, visando a valorização do servidor e melhoria da qualidade profissional. A meta é capacitar, em média, a cada mês, em torno de 30 policiais civis. Até o fim do ano, pelo projeto do curso, serão capacitados 330 policiais civis em operações e investigações policiais. Eles vão passar por avaliações psicológica e física antes de iniciarem as atividades práticas do curso.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil



POESIAS

DESCOBRINDO


Hoje acordei e me deparei
com um mundo diferente e desumano.
Procurei pelas crianças
e não as vi mais, brincando nas praças.
Procurei pelos jovens
e os achei perdidos, dominados pelas drogas.
Procurei pelos velhos
e os achei esquecidos, dentro de asilos solitários.
Procurei pelos pássaros
e os vi tristes sem cantar, empalhados em gaiolas douradas.
Procurei pelo verde
e só encontrei a crescente devastação, trocando o verde por espigões.
Procurei respirar
e só encontrei no ar, o cheiro da poluição nuclear.
Procurei pela paz
e só vi os homens se matando, por motivos banais.
Procurei pelo amor
e só encontrei ódio e rancor, dentro dos corações.
Então procurei por DEUS
e o achei chorando, chorando com pena,
deste mundo, que não é mais o seu.


Daniel Brandão



Presos prestarão serviços em escolas públicas

Na próxima quinta-feira (26), das 8 às 16h, cerca de 180 presos de nove unidades prisionais do Estado participarão de uma ação simultânea, em nove escolas da Região Metropolitana de Belém e do interior. O projeto “Conquistando a Liberdade” tem o objetivo de prestar serviços à sociedade, além de proporcionar trabalho aos internos, favorecer a remição de pena (a cada três dias trabalhados diminui um dia na prisão) e contribuir para a conduta do preso como cidadão.
As escolas públicas farão um acolhimento ao grupo, com apresentação de dança, música, feira cultural e exposições. Em média serão 20 detentos, por cada estabelecimento de ensino, dos quais 15  realizarão serviços gerais para a recuperação dos prédios, e cinco participarão de uma conversa com grupos de jovens, para alertar sobre o perigo das drogas e do crime.
Todos passaram por uma seleção psicossocial e treinamento. Os nove municípios escolhidos - Marituba, Santa Izabel do Pará, Abaetetuba, Tomé-Açu, Salinópolis, Paragominas, Mocajuba, Marabá e Capanema - contam com apoio dos juízes das Comarcas, que autorizaram a saída dos presos envolvidos no projeto. Os juízes acompanharão todas as atividades.
O projeto “Conquistando a Liberdade” terá ações mensais até dezembro deste ano. A partir do próximo mês, os internos também desenvolverão atividades como pintura e jardinagem, e receberão orientações sobre educação ambiental e manutenção das redes elétrica e hidráulica das instituições de ensino. O projeto está sendo ampliado por meio da parceria entre a Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), Programa Pro Paz, Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e Poder Judiciário.
Abaixo, os municípios, as unidades prisionais e as escolas envolvidas no projeto:
1. Marituba - Presídio Estadual Metropolitano I – Escola Santa Tereza D’Ávila
2. Vila de Americano - Município de Santa Izabel doPará - Colônia Agrícola Heleno Fragoso - Escola Magalhães Barata
3. Tomé-Açu - Centro de Recuperação Regional de Tomé-Açu – Escola Estadual de Ensino Médio Antonio Brasil
4. Abaetetuba - Centro de Recuperação Regional de Abaetetuba – Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Leônidas Montes
5. Marabá - Centro de Recuperação Mariano Antunes - Escola “Liberdade” Marabá
6. Capanema - Centro de Recuperação Regional de Capanema – Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio João Santos
7. Salinópolis - Centro de Recuperação Regional de Salinópolis – Escola Estadual Aracy Marques
8. Mocajuba - Centro de Recuperação Regional de Mocajuba – Escola de Ensino Médio Profª. Isaura Baia
9. Paragominas - Centro de Recuperação Regional de Paragominas – Escola de Estadual Ensino Médio Guilherme Gabriel



Importância da água doce para
a saúde e a natureza é
debatida em Santarém

Técnicos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) participaram do X Encontro de Estudos e Debates sobre Águas Doces do Baixo Amazonas: Água, Saúde e Ambiente, no município de Santarém, oeste do Pará. O evento foi realizado pelo Fórum de Pesquisadores das Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa de Santarém (Fopiess), em parceria com o Governo do Pará, Universidades Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e do Estado do Pará (Uepa), Faculdades Integradas do Tapajós (FIT), Instituto Esperança de Ensino Superior (Iespes), Centro Universitário Luterano de Santarém (Ceuls/Ulbra) e Jornal das Águas.
O oceanógrafo Igor Charles Alves, da Sema, participou da mesa redonda “Ocupação das Áreas de Preservação Permanentes (APPs) e a Proteção das Águas Superficiais”, e orientou o público, formado principalmente por universitários, a conceituar e a diferenciar Unidades de Conservação das APPs.
O técnico também enfatizou a importância da preservação das matas ciliares - vegetação das margens dos rios. “A discussão foi importante e contribuiu para fortalecer o evento, além de transmitir conhecimentos aos futuros pesquisadores da Amazônia. Espero que a iniciativa sirva de exemplo para outros municípios”, frisou Igor Alves.
Durante a palestra, foram distribuídas para mais de 300 participantes cartilhas sobre matas ciliares, elaboradas pelos técnicos da Sema Benjamin Carlos Ferreira e Raimundo Jorge Raiol. O material excedente foi destinado ao acervo da biblioteca Centro Universitário Luterano, de Santarém.
A participação coletiva, o engajamento das universidades e da comunidade local em busca de ações e soluções sustentáveis (em especial nos períodos de enchentes), para proteção dos recursos hídricos e busca de uma melhor qualidade de vida foram destaques no debate com o pesquisador Diego Ramos Pimentel, sobre o tema “Comitê em defesa do Igarapé do Urumari”, que apresentou as diversas ações de educação ambiental na bacia desse igarapé.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema
Fone: (91) 3184-3332 / (91) 8119-



Sespa promove oficina de
inspeção em indústrias de palmito

Para ampliar o conhecimento das ações de vigilância sanitária voltadas para inspeção em indústrias de beneficiamento de palmito em conserva, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio do Departamento Estadual de Vigilância Sanitária, promove, de terça a quinta-feira (26), a oficina sobre inspeção em indústrias de beneficiamento de palmito em conserva, no Laboratório Central do Estado (Lacen).
A técnica da Divisão de Controle de Qualidade dos Alimentos, Suely Ribeiro da Silva, informa que a oficina “abrangerá todas as etapas do processo com identificação de riscos que possibilitem interferência na qualidade sanitária do produto ofertado à população, integrando conhecimentos das vigilâncias sanitárias regionais e municipais como forma de buscar ação conjunta para as fiscalizações com objetivo de sensibilizar, efetivar e fortalecer a descentralização das ações de Vigilância Sanitária”.
No contéudo programático da atividade, destacam-se o processo de industrialização do palmito em conserva, desde a colheita da matéria-prima até a expedição do produto pronto.; o fluxograma do processamento, curva de acidificação, preparo da salmoura, higienização dos toletes, envase e aditivos ou coadjuvantes usados; tratamento térmico de conservas: parâmetros da pasteurização e esterilização comercial, equipamentos usados, controles e registros de operação, recravação de latas, controle da recravadeira, fechamento de vidros e teste de fechamento.
A oficina também abordará leis e portarias pertinentes ao assunto, de forma a defender a saúde do consumidor, evitando que os produtos de origem animal e vegetal possam sofrer contaminação por microorganismos prejudiciais a saúde humana. Mais informações sobre inscrições para a oficina podem ser solicitadas pelo pelo telefone 4006-4283.

Texto:
Mozart Lira-Sespa



Alunos do curso de pedagogia
visitam sede da Fundação Curro Velho

Cerca de 25 alunos do curso de pedagogia da Universidade do Estado do Pará (Uepa) visitaram a sede da Fundação Curro Velho na tarde desta segunda-feira (23). A professora Cristina Carvalho, que acompanhous os estudantes, disse que é importante que os universitários conheçam outros espaços de educação. “Aqui na Fundação Curro Velho eles conhecem a linguagem da arte. O objetivo da disciplina é este. Quando a gente trabalha com ludicidade, com o brincar, a arte é uma atividade lúdica, e hoje os alunos vão conhecer todas as atividades desenvolvidas no Curro Velho”, concluiu.



Fórum Paraense de Educação no Campo

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) instala nesta quinta-feira (26), no auditório da Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa), o grupo permanente de trabalho em educação do campo do Estado, instituído em portaria de janeiro deste ano, para subsidiar a divulgação e implementação das diretrizes e políticas públicas em educação no campo no Estado. Está confirmada a presença do representante da coordenação geral da educação do campo da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação (MEC), que na ocasião fará a apresentação do Programa Nacional de Educação do Campo (Pronacampo), lançado dia 20 de março deste ano. O evento também fará a apresentação da proposta do I Seminário da Licenciatura em Educação do Campo do Pará e do Amapá e do III Encontro de Pesquisa da Educação do Campo do Estado, eventos previstos para o período de 29 a 31 de agosto deste ano, no Instituto Federal de Ciências Jurídicas do Pará.



3ª Edição da Olimpíada de Língua Portuguesa

O Ministério da Educação (MEC), a Fundação Itaú Social, o Centro de Cultura e Estudo de Pesquisa em Educação (Cenpec) e a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) lançam, nesta terça-feira (24), a etapa regional da terceira edição da Olimpíada da Língua Portuguesa - Escrevendo o Futuro. O secretário de Educação, Cláudio Ribeiro, participa da solenidade. A olimpíada desenvolve ações de formação de professores com o objetivo de contribuir para a melhoria do ensino da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras. É bienal e, em anos pares, promove um concurso de produção de textos que premia as melhores produções de alunos de escolas públicas de todo o país. Nesta edição, participam professores e alunos do quinto ano do ensino fFundamental ao terceiro ano do ensino médio, nas categorias: poema, no quinto e sexto anos; memórias, no sétimo e oitavo anos; crônica, no nono ano e primeiro do ensino médio; e artigo de opinião, no segundo e terceiro anos do ensino médio. Nos anos ímpares, acontecem ações de formação presencial e a distância, estudos e pesquisas e a elaboração e produção de recursos e materiais educativos.



Egressos e albergados são
qualificados para a produção de flores

Começa nesta terça- feira (23) o quarto módulo da primeira turma do projeto governamental “Cultivando Flores e Vidas”, destinado a qualificar egressos e albergados do sistema penal, para produção e comercialização de flores ornamentais. O módulo, que trabalhará a produção de envasados, começa com três visitas técnicas a unidades de produção de flores, sendo duas particulares e outra na Granja Modelo, no município de Benevides (Região Metropolitana de Belém).
Coordenam o projeto a Empresa de Assistência e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), as Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa), a Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) e a Casa Civil da Governadoria. A proposta inicial é oferecer a egressos e albergados a oportunidade de aprender técnicas de floricultura, paisagismo e jardinagem – além de empreendedorismo, produção e venda -, para facilitar a inserção no mercado de trabalho.
Durante as visitas será demonstrado o funcionamento de uma unidade de produção de flores, oferecendo conhecimentos teóricos e práticos para a produção de envasados, além da compreensão da qualificação profissional como um direito do cidadão. Os 30 participantes do curso aprenderão técnicas de jardinagem, compostagem de solo e o passo a passo da produção.
Segundo o engenheiro agrônomo da Emater, Celso Gibson, a unidade, que terá duração de seis meses, oferecerá conhecimento técnico e prático sobre as ações que serão realizadas ao longo do ano. “Os alunos estão sendo qualificados para o mercado de flores, que tem grande potencial no Estado, porém com uma produção ainda insuficiente para atender a demanda”, disse Gibson.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater



Ministério Público discute a
padronização de alimentos na Sagri

A padronização dos produtos artesanais foi o tema de reunião ocorrida nesta segunda-feira (23) na Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), com o objetivo de garantir alimentos de qualidade à população paraense. O Ministério Público Estadual pediu a colaboração do governo para o trabalho que vem fazendo em busca da adequação de comerciantes e produtores às boas práticas de manutenção e higiene de suas instalações.
O promotor de Defesa do Consumidor, Marco Aurélio do Nascimento, falou das visitas que fez aos centros produtores de farinha de mandioca e tucupi, na Região Metropolitana de Belém e no interior, e da necessidade de adequar a produção a um padrão de qualidade e higiene. Citou o exemplo da carne, setor em que 50% dos comerciantes já estão adquirindo os balcões frigoríficos e reformando suas instalações para a venda do produto. “Falta a assinatura de um termo de ajustamento de conduta para garantir as boas práticas de higiene na manipulação da carne”, informou.
O secretário de Agricultura, Hildegardo Nunes, considera um grande desafio monitorar a sanidade dos matadouros em todo o Estado e manifestou preocupação quanto ao abastecimento, especialmente no interior. “Uma ação mais positiva seria contra o abate clandestino que dá cobertura ao roubo de gado e pode prejudicar o Pará, que está em vias de alcançar o status de área livre da febre aftosa”, sugeriu o secretário.
Padronização–  Quanto aos produtos derivados da mandioca, o técnico da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), Ivaldo Santana, informou que o tucupi já tem o seu padrão de identidade e qualidade. Em dois meses, as análises laboratoriais para estabelecer o padrão de qualidade da maniva estarão concluídas. Jeferson Oliveira, também da Adepará, informou que o regulamento que permite a venda da massa de caranguejo já está pronto para aprovação. “Já existe tecnologia para extrair a carne do caranguejo por meio de sucção, mas a máquina custa caro, em torno de R$ 50 mil”, informou.
A farinha já tem o padrão nacional que contempla a produção do Pará, mas o centro de classificação mais próximo fica em Fortaleza, no Ceará, o que inviabiliza a certificação da farinha paraense. Para se obter um padrão regional são necessários equipamentos e instalações adequados nas agroindústrias.
O estudo de padronização da produção regional, será realizado por um grupo de trabalho que será criado por meio de portaria editada pelo secretário Hildegardo Nunes ainda nesta semana. Formarão o grupo de trabalho a Sagri, Sespa, Adepará, Emater, MPE e Delegacia Federal de Agricultura, que deverão se reunir após a indicação dos representantes.

Texto:
Leni Sampaio-Sagri



Governo do Estado promove
o I Fórum de RH na Gestão Pública


A Secretaria Especial de Estado de Gestão (Seges) e a Secretaria de Estado de Administração (Sead), em parceria com a seção regional da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), promove, em 25 de maio, no hotel Hilton, em Belém, o I Fórum de RH na Gestão Pública. O objetivo do encontro é contribuir para a profissionalização da gestão de recursos humanos do Estado.
Entre os temas a serem descobertos, estão meritocracia; gestão por competência e educação e desenvolvimento contínuo. Os palestrantesestá o engenheiro de produção Rogério Leme, que tem MBA em gestão de pessoas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e é autor da “Metodologia do inventário comportamental para mapeamento de competências”. Também dará palestra no fórum a coordenadora-geral de Desenvolvimento de Pessoas da Secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, do Distrito Federal, Maria Júlia Pantoja.
Mais informações sobre o encontro podem ser obtidas pelo telefone (91) 3246-7800, pelo e-mailsecretaria@abrh-pa.com.br e pelo site: www.abrh-pa.com.br.

Texto:
Renan Malato-Sead



Provas de seleção para escolas
técnicas será aplicada domingo (29)

Os cerca de 27 mil inscritos no processo seletivo para o preenchimento das 5.270 vagas ofertadas pela rede estadual de escolas tecnológicas farão prova na tarde de domingo (29), em em escolas estaduais da Região Metropolitana de Belém (RMB) e do interior do Estado. O cartão de confirmação do candidato poderá ser impresso pelo candiddato a partir de terça-feira (24), no site da empresa responsável pela seleção (www.exatuspr.com.br).
Do total de 26.908 inscritos, 19.274 são para a modalidade subsequente e 7.634 para integrado. Os cursos técnicos de nível médio na modalidade integrado são para candidatos com idade abaixo de 17 anos e onze meses completos até o ato da matrícula e que já concluíram o ensino fundamental. A formação dura, no mínimo, quatro anos, conforme o projeto escolar e o plano de curso de cada escola. Na modalidade subsequente, os cursos técnicos, específicos para quem já concluiu o ensino médio, têm cerca de dois anos de duração, conforme o projeto escolar.
O cartão de confirmação estará disponível até o dia da prova. Constarão nele os dados pessoais do candidato, escola, curso, turno de primeira e segunda opção escolhidos, dia, hora, local e sala da prova, que começa às 15 horas e prossegue até as 19 horas. O resultado com a lista dos aprovados será divulgado dia 8 de maio, no site da Secretaria de Estado de Educação (www.seduc.pa.gov.br).
A coordenadora de Educação Profissional da Seduc, Márcia Aguiar, orienta os estudantes que cheguem com uma hora de antecedência, por volta de 14 horas. “É importante o candidato chegar antes do horário da prova. Além disso, será fundamental que ele leve seu documento original e oficial de identificação, que podem ser as carteiras de identidade civil ou militar, de trabalho, de habilitação ou de conselho profissional”, alerta.
Mais da metade dos candidatos, cerca de 17 mil, fará prova em Belém. Na prova para as modalidades ontegrado haverá 20 questões objetivas, das quais dez de língua portuguesa e dez de matemática. Para a modalidade subsequente, são 30 questões, dez de língua portuguesa, dez de matemática e dez de conhecimentos gerais.
As formações são ofertadas em 14 escolas da RMB e de outros oito municípios. Em Belém, as escolas são: Francisco das Chagas, Magalhães Barata, Colégio Integrado Francisco da Silva Nunes, Anísio Teixeira e Deodoro de Mendonça. Em Cametá, no Centro Integrado de Educação do Baixo Tocantins.
Em Santa Izabel do Pará, os cursos são ministrados na Escola Irmã Albertina Leitão e, em Marituba, nas escolas Agroindustrial Juscelino Kubitscheck e em regime de convênio Centro de Educação Profissional “Dom Aristides Pirovano”. Também acontecem aulas nas escolas técnicas de Tailândia, Monte Alegre, Itaituba, Paragominas e Salvaterra.

Texto:
Mari Chiba-Seduc



Congresso Médico Amazônico
debate situação das hepatites no Pará


Mais de 200 pessoas, entre profissionais e acadêmicos da área de saúde, se reuniram nesta segunda-feira (23) para o I Encontro Amazônico de Hepatites Virais, que acontece na sala Sulpício Bentes, como parte da programação do XVI Congresso Médico Amazônico. Realizado no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém, o evento é promovido pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio da Coordenação Estadual de Hepatites Virais, e tem o objetivo de sensibilizar os envolvidos e estudantes, para prevenção, diagnóstico e controle das hepatites.
De acordo com a coordenadora Estadual de Hepatites Virais, Cisalpina Cantão, o Encontro também pretende socializar as experiências dos profissionais que há muito tempo estudam a doença, a fim de traçar novos planos para melhorar a prevenção, a identificação e o atendimento no Estado. As temáticas referentes ao encontro foram debatidas por representantes de entidades públicas, que expuseram dados e desafios sobre o assunto.
Silenciosa e com alto poder de contágio, a hepatite se desenvolve por meio de um processo infeccioso, que pode comprometer a capacidade de funcionamento do fígado. Os cinco principais tipos são A, B, C, D e E. As mais frequentes são as hepatites virais do tipo A e B, que geralmente não apresentam sintomas e, quando aparecem, podem provocar cansaço, tontura e ânsia de vômito. A pele e os olhos também ficam amarelados, a urina escura e as fezes mais claras.
A doença já infecta atualmente cerca de 2 bilhões de pessoas, aproximadamente um terço da população do planeta, levando à morte mais de um milhão todos os anos, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).
Quanto às hepatites virais, o Pará registrou 250 casos de hepatite B em 2011, e 23 casos até agora, em 2012; 79 casos de hepatite C em 2011 e dois casos, até o momento, em 2012. Apenas a do tipo B pode ser prevenida com vacina. Para o tipo C há tratamento.
Alerta - Durante o encontro, muitas informações e pesquisas sobre a doença foram repassadas à plateia. Ao lado do coordenador Estadual de Endemias da Sespa, Bernardo Cardoso, uma das pioneiras no estudo sobre as hepatites na Amazônia, a pesquisadora Gilberta Bensabath, disse ter ficado surpresa com o interesse acadêmico em torno do assunto. “Há muitos estudantes aqui. Isso é muito bom, pois os casos de hepatite na nossa região estão silenciosos, e é preciso alertar muito a população sobre isso, porque existem vacinas e outros métodos de prevenção”, afirmou.
Pela Sespa, atuaram como palestrantes a coordenadora Estadual de Imunizações, Jaira Ataíde, que abordou as estratégias de vacinação contra a hepatite na Amazônia; a hepatologista Márcia Iasi, que forneceu informações sobre as propostas do recém-criado Programa de Hepatoproteção, a ser implantado, em princípio, na região sul do Pará, e Cisalpina Cantão, que expôs os atuais desafios para a política de hepatites virais na região.
Destacaram-se também as exposições dos técnicos do setor de Hepatologia do Instituto Evandro Chagas. Alex Júnior falou sobre hepatite E; Esther Miranda sobre a epidemiologia das hepatites na Amazônia, e Heloisa Nunes abordou as estratégias de diagnóstico em comunidades indígenas.
O médico Fábio Tozzi expôs as experiências clínicas em populações ribeirinhas, com base na vivência como coordenador da ONG Projeto Saúde e Alegria (PSA), que desenvolve desde 2006 ações de saúde na região do Baixo Amazonas. A ONG tem o apoio do barco Abaré, qualificado como a primeira Unidade de Saúde da Família Fluvial (USFF) do Brasil, integrada ao Sistema Único de Saúde (SUS).
A programação do XVI Congresso Médico Amazônico voltará a debater as hepatites virais nesta terça-feira (24), na abertura do Seminário Estadual de Políticas de Saúde em DST/Aids e Hepatites Virais, a partir das 09h, na sala Joaquim Rosado, com a participação do secretário Helio Franco, da coordenadora Estadual de DST/Aids, Deborah Crespo, e de outros estudiosos do assunto.


Texto:
Mozart Lira-Sespa


Polícia Civil inaugura mais
uma delegacia no Estado

O Pará ganha mais uma delegacia de polícia nesta quarta-feira, 11. A nova unidade será inaugurada no município de Cumaru do Norte, sudeste paraense, pelo delegado geral da Polícia Civil, Nilton Atayde, e pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel Daniel Borges Mendes, e terá como titular a delegada Gláucia Nícia de Oliveira Cristo.
O prédio foi todo equipado, conta com salas climatizadas e ambientes adaptados aos portadores de necessidades especiais, de forma a garantir o melhor atendimento à comunidade. A unidade conta, ainda, com uma viatura para atender as ocorrências, que até então eram encaminhadas para a delegacia de polícia de Redenção, cidade localizada a 90 quilômetros de Cumaru do Norte.
A delegacia de Cumaru do Norte será a 13ª entregue pela Polícia Civil. Até o final deste ano está prevista a reforma de 25 delegacias localizadas na Região Metropolitana de Belém e interior do Estado. Destas, cinco já estão com obras licitadas - Ourilândia do Norte, na região sudeste; Cachoeira do Arari, no Arquipélago do Marajó, e Cabanagem, Atalaia e Aurá, na RMB. A meta está prevista no projeto de reformas de unidades policiais da Diretoria de Administração da Polícia Civil. Outras duas delegacias – de Ourém, no nordeste, e Anajás, no Marajó – aguardam recursos, mas já estão com as obras aprovadas. As demais unidades estão com projetos em desenvolvimento ou aguardando aprovação.
No ano passado, nove unidades policiais foram reformadas ou construídas. Entre as obras já concluídas estão as do Arquivo Central da Polícia Civil e das delegacias dos municípios de Santa Bárbara do Pará (RMB), Porto de Moz (região do Xingu), Viseu (nordeste) e da Divisão de Homicídios, além da Unidade Integrada Pro Paz no bairro da Terra Firme, em Belém.
A Delegacia do bairro do Marco, onde está sediada a Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), também passou por reforma e adaptações. O município de Tucuruí, no sudeste do Pará, recebeu o novo prédio do Programa Pro Paz Integrado (PPI), para atender casos de violência sexual contra crianças e adolescentes. Já os servidores da Polícia Civil passaram a contar com as novas instalações da Diretoria de Atendimento ao Servidor (DAS) que, entre outras inovações, ganhou o Laboratório do Setor de Fisioterapia.
De acordo com informações da Diretoria de Administração da Polícia Civil, para este ano também está prevista a conclusão da obra de reforma do prédio do Centro Estratégico Integrado (CEI), na Travessa 3 de Maio, bairro de São Brás, na capital. Outras obras de reforma iniciadas em 2011 ainda estão em andamento, com previsão de conclusão neste ano - a Delegacia de Benevides (RMB); Delegacia da Mulher em Santarém (no oeste), onde também funcionará o Programa Pro Paz Integrado; delegacia de São Sebastião da Boa Vista (no Marajó); Delegacia do Benguí e Seccionais Urbanas da Marambaia e Icoaraci, em Belém; Delegacias da Guanabara, Jaderlândia e Júlia Seffer, em Ananindeua (RMB) e Delegacia de Decouville, em Marituba (RMB).
As obras atendem a demandas da Agenda Mínima do Governo do Estado, que prevê, em quatro anos, a reforma de 100 Delegacias e a construção de 40 unidades integradas de polícia em todo o Pará.

Texto:
Aycha Nunes-Polícia Civil



Polícia Civil apreende mais
de meia tonelada de
pescado em Almeirim


A Polícia Civil divulgou nesta segunda-feira (23) a apreensão de mais de 500 quilos de pescado, da espécie tamuatá, em Almeirim, município do oeste do Estado. A carga foi encontrada sem os Selos de Certificação Estadual (SIE) ou Federal (SIF), e sem passar por nenhum processamento, contrariando as legislações estadual e federal de defesa e inspeção de produtos de origem animal.
O pescado estava "in natura", em oito isopores de 160 litros. Tudo seria embarcado para transporte sem qualquer fiscalização sanitária com destino a Belém, onde seria vendido diretamente à população. A apreensão foi realizada pela equipe de policiais civis da Delegacia de Almeirim, sob a coordenação da delegada Adriana Magno, titular da Delegacia, e uma guarnição da Polícia Militar, do Destacamento de Almeirim, em conjunto com a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará).
A delegada Adriana Magno, titular da Delegacia de Almeirim, explicou que a comercialização e o transporte de produtos animais são regidos, no âmbito estadual, pela Lei nº 6.679, de 10 de agosto de 2004. A legislação estabelece as normas de proteção e defesa do consumidor e outras instituições afins, no sentido de buscar a formalização dos estabelecimentos industriais de produtos de origem animal e, assim, proporcionar a adequação dos estabelecimentos às condições sanitárias. "A quantidade de pescado apreendido descaracteriza consumo e se enquadra em comércio, que só se permite em estabelecimento regularizado e cadastrado nos órgãos públicos, o que não foi observado pelo condutor e proprietário do pescado apreendido", informou.
Ela ressaltou ainda que a quantidade de pescado chamou a atenção pelo volume a ser embarcado em transporte inadequado, sem nota fiscal, responsável técnico e as medidas básicas de conservação e boas práticas, entre outras irregularidades. "A norma estabelece as medidas e padroniza o processamento de pescado para transporte e comercialização, e ainda determina outras sanções. Já a legislação sanitária prevê multa e apreensão do produto, como foi realizado na ação", acrescentou Adriana Magno.
Devido às irregularidades, a equipe de fiscais da Adepará autuou o responsável pela carga. A Polícia Civil lavrou o auto de apreensão e, posteriormente, doou todo o produto, por ser altamente perecível, à população carente dos bairros do Palhal e Buritizal.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil



TV Cultura inaugura repetidora
em Garrafão do Norte

A Rede Cultura de Comunicação já inaugurou sua repetidora no município de Garrafão do Norte, município do nordeste paraense. A partir de agora, a programação da TV Cultura será transmitida à população local, na íntegra, todos os dias. Com a inauguração, a TV Cultura passa a contar com 67 repetidoras, alcançando 107 municípios do Pará.
Além de contribuir para a integração do Estado, a iniciativa garante à população acesso a uma programação de qualidade, já que a TV Cultura é uma emissora pública, de caráter educativo, sem fins comerciais. Antes da inauguração, somente moradores que possuíam antena parabólica podiam ter acesso a mais de um canal de tevê.
“Estamos operando no canal 5, com um sinal de ótima qualidade, alcançando até 10 km da sede do município”, informou o diretor da TV Cultura, Tim Penner, que esteve em Garrafão do Norte na última sexta-feira (20), ao lado do diretor técnico Abílio Martins, para a cerimônia de inauguração, que contou com a presença do prefeito Francisco Chaves Franco. A iniciativa tem apoio da prefeitura local.
Tim Penner explicou que, com a chegada da TV Cultura a Garrafão do Norte, a comunidade se mostrou interessada em divulgar sua própria cultura. “Artistas e artesãos querem mostrar seus trabalhos, e vamos trabalhar em parceria para garantir essa divulgação. Tanto que a partir de maio vamos gravar videoclipes musicais, mostrando a cultura da cidade”, antecipou.
Em maio, a TV Cultura vai inaugurar mais uma repetidora, desta vez no município de Primavera, também no nordeste do Pará.

Texto:
Márcia Carvalho-Funtelpa



A literatura de Xinguara na
Fundação Tancredo Neves

As crônicas amazônicas da região de Xinguara, do sudeste do Pará, são o ambiente e a inspiração para o escritor Renato Gomes Soares, que estará em Belém nesta terça-feira, 24 de abril, na Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, para lançar os livros “Crônicas Xinguaras – Histórias para rir e chorar” e “Histórias e segredos dos povos da floresta”. O evento acontece no Hall Benedicto Monteiro (andar térreo do Centur), às 19h, e é aberto ao público.
O livro “Crônicas Xinguaras – Histórias para rir e chorar” foi publicado de maneira independente e apresenta uma coletânea de 30 crônicas escolhidas entre as muitas escritas nos últimos anos pelo autor. Já “Histórias e Segredos dos Povos da Floresta” é uma obra com 15 crônicas que seguem a mesma linha temática de contar para o leitor um pouco da cultura da região.
Em breve o escritor de Xinguara lançará o terceiro livro, "Conversando com Araguaia", uma coletânea de 200 poemas escritos ao longo dos últimos vinte anos. Além dos livros de Renato Gomes, o evento ainda terá os lançamentos de obras dos autores xinguarenses Ismael Borba, Wilton Borges e Joilson de Castro, todos membros fundadores da Academia Xinguarense de Letras.
Serviço:
Nesta terça-feira, 24 de abril, às 19h, no Hall Benedicto Monteiro da Fundação Tancredo Neves (Centur), acontece o lançamento dos livros: “Crônicas Xinguaras – Histórias para rir e chorar” e “Histórias e Segredos dos Povos da Floresta” do autor Renato Gomes Soares. Mais informações: 3202 - 4376

Texto:
Hélio Granado-FCPTN



Igreja de Santo Alexandre
recebe I Colóquio de
Ciências da Religião

Seria impossível tentar entender a Amazônia sem tentar entender as suas religiões. Essa foi a frase que abriu oficialmente, nesta segunda-feira, 23, o I Colóquio de Ciências da Religião, realizado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa), e que se estende até esta terça-feira, 24, com todas as atividades acontecendo na Igreja de Santo Alexandre, no bairro da Cidade Velha.
Os participantes do evento foram recebidos com um café da manhã na área do Museu de Arte Sacra (MAS), e em seguida, foi composta, dentro da própria Igreja, a mesa de abertura, que contou com a diretora de Pós-Graduação da Uepa, Fabíola Oliveira - representando a reitora, profa. Dra. Marília Brasil Xavier, e o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp), prof. Dr. Juarez Quaresma - e com os coordenadores do mestrado e da graduação em Ciências da Religião, Douglas Conceição e Rosilene Quaresma, respectivamente.
Fabíola Oliveira agradeceu a presença de todos e disse reconhecer os esforços dos envolvidos na realização do primeiro colóquio sobre o tema em toda a região Norte. "O evento de hoje representa um marco para a área de Ciências da Religião em nosso Estado. Fico muito feliz de estar aqui como gestora, como membro da universidade, e parabenizo o professor Douglas Conceição e toda a grande equipe que ele conseguiu montar, e que foi capaz de tornar real esse colóquio", declarou.
Douglas, por sua vez, fez uma breve fala e aproveitou o momento para agradecer a vinda de docentes de fora do Estado para o evento. "A gente sabe da dificuldade que é para que professores doutores engajados em programas de pós-graduação saiam de outras regiões do país para vir ao extremo Norte, então eu só tenho a agredecer aos que podem estar aqui nesses dois dias", anunciou.
Rosilene Quaresma lembrou que os estudiosos do campo da Ciência da Religião enfrentaram muitas dificuldades, mas que hoje o cenário se modifica cada vez mais para melhor. "Não conseguíamos reconhecimento local, hoje somos reconhecidos nacionalmente, e constantemente convidados a integrar os mais diferentes eventos. Nossa área é extremamente frutífera, e fico feliz em perceber que esse entendimento chega cada vez mais longe", comemorou.
Desfeita a mesa de abertura, o prof. Dr. Antônio Magalhães, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), iniciou a mesa redonda "Religião e Literatura", coordenada por Douglas Conceição.  "É preciso problematizar a Religião, o conflito entre textos sobre o sagrado, sobre a religião, é mais proveitoso que a harmonia entre eles", analisou o professor convidado. "É possível dizer que os deuses devem muito à Literatura, que media praticamente todas as relações entre o sagrado e o humano, visto que todas elas são relatadas em livros. Os livros são as moradas prediletas dos deuses", afirmou o coordenador do mestrado e Ciências da Religião da Uepa.
Confira a programação do evento:
23/04, segunda-feira
15h30 Mesa - Protestantismos, pentecostalismos e neo-pentecostalismos: convergências e enfrentamentos
* Prof. Dr. Edin Sued Abumanssur - PUC-SP
* Prof. Dr. Lyndon de Araújo Santos - UFMA
* Prof. Dr. Saulo de Tarso Baptista - Uepa (coordenador da sessão)
17h Café
17h30 Mesa - Protestantismos, pentecostalismos e neo-pentecostalismos: convergências e enfrentamentos
* Prof. Dr. Saulo de Tarso Cerqueira Baptista - Uepa
* Prof. Dr. Lyndon de Araújo Santos - UFMA (coordenador da sessão)
18h30 Encerramento
19h Concerto Musical
* Madrigal da Uepa apresenta o repertório religioso ensaiado para o período da Semana Santa
24/04, terça-feira
9h Mesa - Movimentos Sociais, Política e Religião
* Prof. Dr. Raymundo Heraldo Maués - UFPA
* Prof. Dr. Henry William da Silva - Uepa
* Prof. Dra. Maria Marize Duarte - Uepa (coordenadora da sessão)
10h30  Café
11h Mesa - Movimentos Sociais, Política e Religião
* Prof. Dr. Eliete de Jesusu Bararuá Solano - Uepa
* Prof. Dra. Maria Marize Duarte - Uepa
* Prof. Dr. Henry William da Silva - Uepa (coordenadora da sessão)
12h30 Encerramento
15h30 Mesa - O Tambor de Mina entre Maranhão e Pará: Fluxos migratórios e reconstrução ritual
* Prof. Dr. Mundicarmo Ferretti - UFMA
* Prof. Dra. Daniela Cordovil - Uepa
* Prof. Ms. Anaíza Vergolino - UFPA
* Profa. Dra. Taissa Tavernard - Uepa (coordenadora da sessão)
17h15 Mesa - O Tambor de Mina entre Maranhão e Pará: Fluxos migratórios e reconstrução ritual
* Prof. Dr. Sérgio Ferretti - UFMA
* Profa. Dra. Taissa Tavernard - Uepa
* Prof. Dra. Daniela Cordovil - Uepa (coordenadora da sessão)
18h30 Encerramento do evento
Serviço: A Igreja de Santo Alexandre fica na Rua Pe. Champagnat, s/n, Praça Frei Caetano Brandão, ao lado da Catedral da Sé. Informações: 3299-2262 – ppgreligião@gmail.com.

Texto:
Carolina Menezes-Uepa



Ciências Sem Fronteiras tem
editais abertos para sete países

O Programa Ciências Sem Fronteiras, dos ministérios da Educação (MEC) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), está com editais abertos para quem deseja realizar "graduações sanduíche" e estudar na Austrália, na Bélgica, no Canadá, na Coreia do Sul, na Espanha, na Holanda e em Portugal. As inscrições vão até 30 de abril no site do programa, mediante o preenchimento do “Formulário de Inscrições do Programa Ciência Sem Fronteiras”.
Os alunos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) interessados em participar da seleção devem primeiramente preencher esse formulário e no período de 23 de abril até às 14h do dia 2 de maio apresentar a documentação indicada no item 5b do edital, no Protocolo Centralda Uepa, localizado no prédio da Reitoria.
Os estudantes lotados fora dos campi da capital devem enviar a documentação via malote da coordenação do campus ou via Sedex para o seguinte endereço: Programa Ciência sem Fronteiras/UEPA - Protocolo Central – Prédio da Reitoria da Universidade do Estado do Pará. Rua do Una, 156 – Telégrafo. CEP: 66050-540. Belém, PA. A documentação enviada por correio pelos candidatos dos campi do interior deve ter um comprovante de envio emitido pelo protocolo do campus, ou carimbo dos Correios, com data não posterior a 02 de maio de 2012.
O Programa Ciências Sem Fronteiras conta com apoio de duas instituições de fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O objetivo é propiciar, nas áreas prioritárias, a formação de recursos humanos altamente qualificados nas melhores universidades e instituições de pesquisa estrangeiras, a fim de promover a internacionalização da Ciência e Tecnologia nacional, estimulando estudos e pesquisas de brasileiros no exterior, inclusive com a expansão significativa do intercâmbio e da mobilidade de graduandos.
Dentre outros requisitos, o candidato deve estar matriculado em curso de nível superior nas áreas e temas do programa; ter nacionalidade brasileira; ter cursado no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto para seu curso e se comprometer a permanecer no Brasil pelo dobro de tempo que permanecer no exterior para a realização da graduação sanduíche. É importante também observar os testes de proficiência exigidos em cada país.
Para estas chamadas, o programa conta com o apoio do G8 Universities; LatinoAustralia; Conseil Interuniversitaire de la Communauté Française de Belgique (CIUF); De Vlaamse Interuniversitaire Raad (VLIR); Consórcio das Universidades de Alberta, Laval, Dalhousie e Ottawa (CALDO); Canadian Bureau for International Education (CBIE); Korea Foundation for the Promotion of Private School (KFPP); universidades da Coreia do Sul; Ministério da Educação, Cultura e Esporte da Espanha; Organização Neerlandesa para Cooperação Internacional em Educação Superior (Nuffic); e Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP).

Confira os documentos necessários: (de acordo com o Edital Nº 039)

1. Via assinada da Ficha de Pré-Candidatura, conforme modelo do disponível no sítio da Uepa (http://paginas.uepa.br/csf/);
2. Ficha de Contato com dados atualizados para contatos no Brasil e no país de destino, disponível no sitio do PCsF-Uepa (http://paginas.uepa.br/csf/). Caso ainda não estejam disponíveis os dados sobre o país de destino, estes deverão ser enviados ao PCsF-Uepa até 15 dias antes de seu embarque ao país de destino;
3. Histórico Escolar da Graduação, atualizado. Caso o candidato não apresente a via original deste documento, deverá apresentar cópia autenticada;
4. Comprovante de agendamento de teste de proficiência ou comprovante de realização do teste de proficiência em língua estrangeira, conforme exigido na correspondente Chamada Pública da CAPES. Este documento pode não ser apresentado quando a Chamada Pública da CAPES não o exigir;
5. inscrição no PCsF CAPES/CNPq – imprimir a página de inscrição feita online.
Calendário
a. Até 30 de abril de 2012: Inscrição dos estudantes no sítio do Programa Ciência sem Fronteiras mediante o preenchimento do “Formulário de Inscrições do Programa Ciência Sem Fronteiras”.
b. De 23 de abril a 2 de maio de 2012, às 14 horas, prazo para apresentação da documentação indicada no item 5b do presente edital, via protocolo central da UEPA, localizado no prédio da Reitoria.
c. De 2 a 8 de maio de 2012, prazo para a UEPA homologar as candidaturas pré-selecionadas.
d. Até 21 de maio de 2012, prazo final para envio, exclusivamente via eletrônica, do resultado do teste de proficiência do idioma, por meio do Portal do Programa Ciência sem Fronteiras.
e. Demais prazos, conforme Chamada Pública específica da CAPES.
f. A definição e cumprimento do calendário acima é de responsabilidade do PCsF/Capes/CNPq.
Mais informações podem ser obtidas junto à Coordenação de Relações Internacionais da Uepa, que fica no prédio da Reitoria (Rua do Una, 156 - Telégrafo) e ainda pelo telefone (91) 3299-2281, das 09 às 13 horasl Home Page: http://paginas.uepa.br/csf/l E-mail: cienciasemfronteira.uepa@gmail.com.
Dúvidas: Eventuais dúvidas acerca do PCsF devem ser encaminhadas e exclusivamente pelo endereço eletrônico faleconosco@cienciasemfronteiras.gov.br. O atendimento a proponentes com dificuldades no acesso ao Formulário de Propostas online será feito pelo endereço suporte@cienciasemfronteiras.gov.br ou pelo telefone 0800-619697, de segunda a sexta-feira, no horário de 8h30 as 18h30.

Texto:
Carolina Menezes-Uepa



Terças Musicais na Sala Ettore Bósio

O programa das Terças Musicais apresentará nesta terça-feira (24) alunos de piano, violino, flauta transversal e violão clássico, que apresentarão obras de Seitz, Riedin, Mozart, Carulli, Henrique Pinto e Albeniz, escolhidas de forma a mostrar as potencialidades de cada instrumento e a técnica aprendida por cada aluno participante. Será na Sala Ettore Bósio do Conservatório Carlos Gomes, às 18h. Entrada Franca.



Fundação Carlos Gomes
oferece workshop sobre Tango

A Fundação Carlos Gomes oferece workshop sobre Tango, com Sergio Ábalos, nos dias 2 e 3 de maio, em horários diferentes a cada dia. Na quarta-feira (2) será de 9 às 12h, e na quinta-feira (3) das 18 às 21h, na Sala Ettore Bósio com taxa única de R$ 15,00. O curso terá aulas teórico-práticas, ouvindo e observando aspectos técnicos de versões originais, com exposições sobre o contexto histórico e social em que foram criadas, apresentando um roteiro com a evolução do tango, seus principais compositores e obras do repertório, e tem por objetivo criar uma proximidade com a linguagem do tango e seus recursos expressivos, além de oferecer ferramentas para sua interpretação. O curso é aberto a músicos e interessados e as vagas são limitadas.




PM apreende armas e drogas
em Capanema e Novo Progresso

As ações ostensivas da Polícia Militar nos municípios do interior continuam, com ênfase no combate ao tráfico de drogas e desarmamento. Em ronda pelo bairro São Cristovão, município de Capanema, uma guarnição da PM abordou um homem com o qual foi encontrado um revólver calibre 32. O acusado estava em uma bicicleta, acompanhado de outro indivíduo, que também foi abordado. Os dois foram encaminhados para a Depol local.
Ainda em Capanema, desta vez, no bairro de Aparecida, uma denúncia anônima motivou uma investigação sobre a venda de drogas em uma residência. No local, foram encontradas duas embalagens plásticas contendo pasta de cocaína. Diante do flagrante, o proprietário do imóvel foi apresentado, juntamente com a droga apreendida, na Depol. Em outra abordagem, um homem foi detido com 19 “petecas” plásticas, três “cabeças” médias e uma sacola contendo pasta de cocaína, além de outros objetos e um revólver  sem registro. O material que foi todo encaminhado à autoridade para as providências legais, juntamente com o homem preso.
Em Novo Progresso, policiais militares prenderam traficantes de drogas na Vila Isol, com o apoio do serviço de Inteligência do Comando de Policiamento Regional X. Na “rua do Peixotinho”, outros dois outros envolvidos com o tráfico foram pegos enquanto preparavam drogas para a venda no varejo. Todos os acusados foram apresentados na delegacia de Novo Progresso e estão à disposição da Justiça.

Texto:
Leno Carmo-Polícia Militar



Polícia Civil capacita servidores
sobre doenças da melhor idade

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada no Atendimento ao Idoso (Deai), promove no próximo dia 26, no auditório da Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe), em Belém, uma capacitação voltada aos servidores da unidade policial. O tema será o processo de envelhecimento da pessoa humana, que será ministrado pela professora Graça Nascimento, presidente da Regional Pará da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz). A meta é capacitar os servidores da Divisão a entender o processo de envelhecimento para capacitá-los com objetivo de que possam prestar um atendimento cada vez melhor ao público idoso.
Entre os assuntos a serem abordados na capacitação estão as chamadas doenças da melhor idade, como o Mal de Alzheimer, que é o processo irreversível de comprometimento da memória, raciocínio e linguagem, impossibilitando as atividades diárias. "Às vezes, não sabemos como lidar com o idoso nessa situação", explica a delegada Soranda Nascimento, titular da Deai. Segundo ela, a meta é que essa capacitação se torne um evento mais amplo com foco na área de Segurança Pública, no mês de setembro, quando será celebrado o Dia Nacional do Idoso.



Operação resulta em 31
autuações por crime
de poluição sonora

A Polícia Civil divulgou nesta segunda-feira, 23, os resultados finais da operação “Angerona”, de combate à poluição sonora, realizada no último fim de semana na Região Metropolitana de Belém. A ação - que reuniu policiais civis, da Divisão Especializada em Meio Ambiente (Dema), e militares, do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) - percorreu  mais de dez bairros, como Guamá, Jurunas, Terra Firme, Marambaia, os distritos de Icoaraci e Outeiro, e o município de Ananindeua, resultando em 31 autuações de proprietários de estabelecimentos, aparelhagens sonoras e veículos particulares. Os procedimentos foram encaminhados para a Dema, onde foram lavrados TCOs (Termos Circunstanciados de Ocorrência).
Na noite de sábado, 21, a equipe comandada pela delegada Virgínia Nascimento fez 18 autuações, em bares, residências e veículos que apresentavam som ambiente acima do permitido por lei. Os policiais flagraram o condutor de um carro particular equipado com som automotivo em alto volume, estacionado em frente a uma loja de conveniência, no conjunto residencial Maguary, em Ananindeua. Os policiais apreenderam a máscara do equipamento de som do carro. Já, no domingo, durante a tarde e noite, 13 intimações foram emitidas nos distritos de Outeiro e Icoaraci. De acordo com o delegado Waldir Freire, da Dema, responsável pela coordenação da operação no domingo, os principais problemas verificados quanto à poluição sonora ocorreram em Outeiro.
Conforme o delegado, um dos problemas verificados foi o tráfego de motos, principalmente de condutores de mototáxis, no calçadão destinado aos banhistas. Para o delegado, será necessário realizar ações mais frequentes no local para disciplinar o tráfego de veículos no local. Ainda durante a operação, na área da orla de Icoaraci, o proprietário de um restaurante foi autuado por poluição sonora. Uma banda contratada para tocar ao vivo fazia um show ao ar livre e estava incomodando a vizinhança. O proprietário alegou que não sabia que era preciso obter licença (alvará) para esse tipo de apresentação. A operação vai prosseguir em outras áreas da região metropolitana com objetivo de reprimir a incidência desse tipo de crime. O nome "Angerona", que denomina a operação, é uma referência à deusa romana do silêncio.

Texto:



Polícia indicia acusados de
exploração ilegal de
madeira em Juruti











A Polícia do Pará já indiciou os quatro acusados de comandar a exploração ilegal de madeira na região do Rio Mamuru, no município de Juruti, oeste do Estado. O inquérito policial que acusa os envolvidos por crime ambiental é resultado da operação Mamuru II, que ocorreu durante os meses de março e abril naquela localidade. Se condenados, os quatro homens podem ficar detidos por até três anos na prisão e pagar multa, que será estipulada pela Justiça.
O delegado da Divisão Especializada em Meio Ambiente (Dema) da Polícia Civil, Marcos Lemos, explica que a partir da operação no entorno do rio Mamuru, em Juruti, foram constatados diversos crimes ambientais na região em que o Estado está criando concessões para a exploração sustentável de madeira. “A partir das investigações chegamos aos cabeças da exploração, que comandavam todo o esquema de derrubada, retirada e venda da madeira. Agora eles estão sendo indiciados por crime ambiental”.
Segundo o delegado da Dema, os crimes identificados no local da operação foram a destruição de florestas em área de preservação, destruição de mata nativa e atividade madeireira sem licença ambiental ou autorização do Estado. “Já indiciados, eles vão responder por esses crimes na Justiça, que decidirá se eles são acusados ou não”, explicou Lemos, que encaminhou à Justiça perícias do Centro de Perícia Científicas (CPC) Renato Chaves, comprovando a exploração ilegal comandada pelos acusados.  
Exploração desarticulada
A operação Mamuru II contra o desmatamento e a exploração ilegal de madeira desarticulou duas estruturas madeireiras. As investigações apontaram que ambas eram comandadas pelos quatro indiciados. Segundo a investigação, a madeira era retirada de comunidades do rio Mamuru, ao sul de Juruti, e levada para Parintins (AM) e Belém.
Entre os acusados está Claudecy Pereira, que reside em Paritins, e José Osvalmir dos Santos, conhecido como “Mica”, de Santarém (PA). De acordo com os depoimentos colhidos pela Dema, eles trabalhavam para a GC Madeiras, que teria como donos dois homens chamados Ciro e Tiago, pai e filho, de Belém, que também foram indiciados. Estes seriam os principais exploradores da região, e faziam acordos financeiros e materiais com as comunidades para garantir a extração.
A operação Mamuru II identificou as duas principais áreas de onde a GC Madeiras retirava madeira. Entre as áreas exploradas está uma próxima a comunidade Mirizal, no rio Mamuru. Uma delas ficava na área denominada Mocambo, localizada às margens do rio Mamuru. O local mostrava a ousadia e ao mesmo tempo a infraestrutura que os madeireiros aplicavam na exploração ilegal. Na beira do rio, uma pista de pouso feita de brita, material resistente, medindo mais de 800 metros. Próximo a pista, dois portos para o embarque da madeira derrubada ilegalmente. Os três pontos de embarque e desembarque eram ligados por uma estrada principal, com vários ramais. O caminho levava ao ponto de extração, a 20 km do começo da estrada.
Neste ponto, localizado na área onde o Estado irá realizar a concessão para a extração legal, um acampamento bem estruturado, com gerador de energia, eletrodomésticos, televisão, antena parabólica e até mantimentos foi encontrado pelos agentes da Mamuru II.
Com a investigação e a identificação dos principais exploradores, a Polícia acredita ter desarticulado a exploração ilegal na região. A partir da criação das concessões, com as quais empresas especializadas estarão autorizadas para explorar de forma sustentável as áreas, empregando as famílias das comunidades, guaritas de segurança serão montadas para garantir a segurança do local.

Texto:
Thiago Melo-Secom



Fundação Carlos Gomes
oferece workshop sobre Tango

A Fundação Carlos Gomes oferece workshop sobre Tango, com Sergio Ábalos, nos dias 2 e 3 de maio, em horários diferentes a cada dia. Na quarta-feira (2) será de 9 às 12h, e na quinta-feira (3) das 18 às 21h, na Sala Ettore Bósio com taxa única de R$ 15,00. O curso terá aulas teórico-práticas, ouvindo e observando aspectos técnicos de versões originais, com exposições sobre o contexto histórico e social em que foram criadas, apresentando um roteiro com a evolução do tango, seus principais compositores e obras do repertório, e tem por objetivo criar uma proximidade com a linguagem do tango e seus recursos expressivos, além de oferecer ferramentas para sua interpretação. O curso é aberto a músicos e interessados e as vagas são limitadas.



PM apreende armas e drogas
em Capanema e Novo Progresso

As ações ostensivas da Polícia Militar nos municípios do interior continuam, com ênfase no combate ao tráfico de drogas e desarmamento. Em ronda pelo bairro São Cristovão, município de Capanema, uma guarnição da PM abordou um homem com o qual foi encontrado um revólver calibre 32. O acusado estava em uma bicicleta, acompanhado de outro indivíduo, que também foi abordado. Os dois foram encaminhados para a Depol local.
Ainda em Capanema, desta vez, no bairro de Aparecida, uma denúncia anônima motivou uma investigação sobre a venda de drogas em uma residência. No local, foram encontradas duas embalagens plásticas contendo pasta de cocaína. Diante do flagrante, o proprietário do imóvel foi apresentado, juntamente com a droga apreendida, na Depol. Em outra abordagem, um homem foi detido com 19 “petecas” plásticas, três “cabeças” médias e uma sacola contendo pasta de cocaína, além de outros objetos e um revólver  sem registro. O material que foi todo encaminhado à autoridade para as providências legais, juntamente com o homem preso.
Em Novo Progresso, policiais militares prenderam traficantes de drogas na Vila Isol, com o apoio do serviço de Inteligência do Comando de Policiamento Regional X. Na “rua do Peixotinho”, outros dois outros envolvidos com o tráfico foram pegos enquanto preparavam drogas para a venda no varejo. Todos os acusados foram apresentados na delegacia de Novo Progresso e estão à disposição da Justiça.

Texto:
Leno Carmo-Polícia Militar



Titular da Seop vai a Marabá
abrir licitações para asfalto

O secretário Joaquim Passarinho, titular da Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop), vai estar em Marabá nos dias 25, 26 e 27 de abril, para abrir 10 licitações para o Programa Asfalto na Cidade. A abertura acontecerá, às 9 horas, do dia 25, no Centro Integrado de Governo – Folha 32, quadra 7, lote 6, Nova Marabá.
A parceria firmada entre o Governo do Estado, por meio da Seop e a Associação dos Municípios do Araguaia, Tocantis e Carajás (Amat) permitiu as licitações para recuperação e pavimentação de vias urbanas com TST – Tratamento Superficial Triplo – dos municípios Cumaru do Norte, Sapucaia, Banach, Santana do Araguaia, Breu Branco, São Geraldo do Araguaia, Água Azul do Norte, Abel Figueiredo, Brejo Grande do Araguaia, Rio Maria, e Alenquer. O valor dessas licitações chega a cerca de RS 10 milhões, com previsão para asfaltamento de 61 quilômetros de vias.
Criado no primeiro governo de Simão Jatene, o programa “Asfalto na Cidade” visa à pavimentação de ruas dos municípios do interior do Pará. Por meio desse programa, o governo municipaliza o desenvolvimento, beneficiando diretamente os municípios e seus moradores.
Centro de Triagem
Joaquim Passarinho aproveita a ida a Marabá para visitar as obras do Centro de Triagem de Marabá, de responsabilidade da Seop, que está sendo construído na rodovia Transamazônica, orçado em mais de R$ 3,2 milhões. O prédio será um estabelecimento penal destinado à triagem de presos que ingressam no Sistema Penitenciário do Estado, onde serão feitas avaliações técnicas e entrevistas nas áreas social, psicológica, de saúde e jurídica, com sistema de identificação digital.
O secretário também visitará as obras do Asfalto na Cidade que estão sendo feitas em Palestina do Pará (5 km) e Rondon do Pará (10 km), que totalizam mais de R$ 2 milhões.

Texto:
Clara Costa-Seop



Segup divulga balanço da Operação
Trânsito sem Alcool e
divulga nova campanha

A Operação Trânsito sem Álcool, organizada pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado (Segup), que aconteceu na madrugada do sábado e domingo em vários pontos da Região Metropolitana de Belém, fez 11 autuações de crimes de trânsito relacionados ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Foram realizados mais de 30 testes de etilômetro, conhecido popularmente como “bafômetro”
Setenta agentes das Polícias Civil e Militar, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Companhia de Transportes de Belém (Ctbel), Guarda Municipal, Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Estadual (PRE) trabalharam nesta ação que teve como meta diminuir acidentes relacionados ao consumo de bebida alcoólica.
Durante a operação, 11 motoristas foram autuados em flagrante, com taxa superior a 0,6 gramas de álcool por litro de sangue, e encaminhados à Seccional de São Brás para responder por crime de alcoolemia. Estes motoristas tiveram sua carteira de habilitação apreendida e além de não poderem renová-la por um ano, receberam multa superior a 900 reais e irão responder a processo criminal. “Alguns motoristas não conseguiam sequer soprar o etilômetro. É uma irresponsabilidade enorme dirigir alcoolizado. Esta operação é um alerta à sociedade, nosso principal objetivo não é a punição e sim a educação no trânsito. Os condutores precisam compreender e adotar uma postura consciente em relação à sociedade. Além de perigoso, é crime dirigir alcoolizado”, diz o delegado Marco Antônio Duarte, diretor da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos Automotivos e responsável pelo comando da operação.
Doze condutores geraram infrações de trânsito também relacionadas ao consumo de álcool, no entanto o volume da substância no sangue destes motoristas era inferior a 0,2gramas por litro, o que não caracteriza crime, as sanções são apenas administrativas. Durante o trabalho ainda houve uma autuação por porte ilegal de arma. “Esta operação faz parte de uma campanha maior, que pretende educar e conscientizar os condutores de veículos do estado sobre os perigos deste tipo de prática, que é a principal causadora de mortes no trânsito”, explica o delegado Duarte.
A operação Trânsito Sem Álcool será estendida a todo o Pará, com ações que devem acontecer nas principais cidades de cada região do Estado. As blitz deste final de semana aconteceram no Km 1 da BR-316; Doca de Souza Franco; avenidas Nazaré, João Paulo II, Pedro Alvares Cabral e Augusto Montenegro, além de Icoaraci.
Campanha Educativa
O Governo do Estado está formatando uma campanha de conscientização inédita no país. O objetivo é identificar cerca de 12 atores sociais de trânsito, entre pedestres e condutores, e através de pesquisas qualitativas determinar quais as motivações de cada tipo de grupo para infringir as leis de trânsito.
O secretário de Comunicação do Estado, Ney Messias Jr. explica. “Nosso objetivo é a criação de uma campanha sistemática e extensiva, que envolva crianças, ciclistas, motoristas de ônibus, num total de 12 atores do trânsito. Com o resultado das pesquisas qualitativas em mãos serão desenvolvidas campanhas específicas para cada grupo, veiculadas mensalmente, num período de um ano”.

Texto:
Julia Garcia-Secom



Aberta licitação para gestão
integrada de resíduos sólidos

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) realizará licitação na modalidade Pregão Eletrônico, tipo Menor Preço Global, com objetivo de contratação de pessoa jurídica para realização do estudo de regionalização da gestão integrada de resíduos sólidos do Pará, elaboração do plano estadual de gestão integrada de resíduos sólidos e apoio técnico para implementação de um consórcio público.
O edital e outras informações podem ser obtidos no site da Sema www.sema.pa.gov.br/licitações/Pregãoeletrônico  e no www.compraspara.pa.gov.br ou ainda no www.comprasnet.gov.br. Os encaminhamentos das propostas comerciais podem ser feitos até a data da sessão de abertura, dia 3 de maio (quinta-feira), a partir de 9h, no site  www.comprasnet.gov.br.



Unama recebe palestra
sobre a missão da Jucepa

A Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa) promoverá uma palestra sobre a importância das atividades da Junta para o desenvolvimento econômico do Estado, nesta segunda-feira, 23, às 19h, no campus BR da Universidade da Amazônia. O convite foi feito pela Empresa Júnior da Unama.  A palestra é gratuita e aberta ao público. Antes da palestra haverá plenária dos vogais para tratar de assuntos entre a instituição e as empresas. A Jucepa é o órgão responsável pelo registro de atividades ligadas a sociedades empresariais e o Colégio de Vogais da Junta atua como órgão deliberativo superior responsável pelas decisões da instituição, formado por representantes de entidades civis.



Começa nesta terça-feira a
7ª edição da Copa Ouro
de Futsal em Itaituba

Foi realizada neste final de semana a abertura da 7ª edição da Copa Ouro de Futsal, no Ginásio Poliesportivo de Itaituba, no sudoeste do Pará. A competição, que tem o apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), é considerado um dos maiores eventos de futsal do Norte do país, tendo como objetivo desenvolver na prática esportiva ações de integração e inclusão social, entretenimento e promoção da cultura da paz.
Uma grande festa marcou a abertura do evento, com direito a Hino Nacional e escolha da Garota Copa Ouro, que teve como vencendora a representante da equipe Climafrio, Ingrid Arlene Grilo. A Copa Ouro terá a participação de oito equipes: América/Joias 18K; Cálculos Contábeis/Posto Campo Verde; Climafrio; Fundação Genasc; Hay Fay; Itafrigo/Gato Preto; Madeireira Angelim/Oficina Pereira e 53 Bis/D'gold. Rômulo Bittencourt e Ruan Felipe Fernandes, ambos atletas da Faculdade Esmac, que vão disputar a Copa Ouro pela equipe Cálculos Contábeis/Posto Campo Verde, fazem parte do projeto “Bolsa Talento” da Seel.
O torneio, que começa nesta terça-feira, dia 24, é disputado em forma de eliminatória simples, com três rodadas por semana, com jogos realizados terça, quinta e sábado. O tempo de cada jogo é de 15 minutos corridos, na fase classificatória, e na fase final tempo de 10 minutos cada. Caso haja empate, a partida será definida em cobranças de penalidades alternadas, até que se conheça o vencedor. A final da competição está programada para o dia 2 de junho, sábado, às 20h30, Ginásio Poliesportivo de Itaituba.

Texto:
Bernardo Tommaso-Seel



Ação itinerante atenderá casos
de violência contra
crianças em Barcarena

A equipe da Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data), do Programa Pró-Paz Integrado, em parceria com o Centro de Perícias Científicas (CPC) "Renato Chaves", realizará, no período de 25 a 27 deste mês, a segunda etapa da ação itinerante para atendimento de casos de violência contra crianças e adolescentes em Barcarena, região do Baixo-Tocantins, nordeste do Estado. Com apoio de duas delegacias móveis, a ação acontecerá, nos três dias, sempre das 8 às 14 horas, na Praça Matriz do município, onde haverá equipes de policiais, assistente social e perito. O trabalho é a continuidade do atendimento itinerante iniciado no último dia 29 de março, quando a equipe da Data, sob o comando da delegada Simone Edoron, apurou denúncias de crimes sexuais contra crianças na cidade.
O trabalho foi resultado de uma articulação entre os policiais e os integrantes da rede de proteção de crianças e adolescentes que atuam no município. Em atendimento à determinação da delegada Christiane Lobato, diretora da Data, a equipe apurou quatros denúncias. Duas delas, uma de violência sexual e outra de violência doméstica (maus-tratos no lar), foram comprovadas. As vítimas receberam atendimento pericial e psicossocial, além de encaminhamento para atendimento médico no município.
De acordo com a delegada Simone Edoron, na ocasião houve uma reunião com os membros da rede de articulação para proteção de crianças e adolescentes no município, com a participação de 100 pessoas, na sede da Secretaria Municipal de Assistência Social. "Tivemos as presenças de representantes da Defensoria Pública, Poder Judiciário, Secretarias Municipais de Saúde, Educação e Assistência Social, do Conselho Tutelar, do Conselho Municipal dos Direitos das Crianças, Centros de Referência Especializada em Assistência Social (Creas), médicos, professores, delegados de Polícia, policiais militares, integrantes de organizações não governamentais e representantes de entidades da sociedade civil", detalhou.
A delegada avaliou o último encontro como bastante produtivo e revelou que, desta vez, a meta será atender um maior número de casos no município. Para tanto, ela conclama às pessoas que tenham conhecimento ou sejam testemunhas de casos de violência contra crianças e adolescentes, no município, que procurem as Delegacias Móveis na Praça Matriz, para formular as denúncias. No mesmo local, as vítimas receberão atendimento psicossocial e pericial.

Texto:
Aycha Nunes-Polícia Civil



Acará Fest destaca produção
de mandioca do Estado

Maior produtor de raiz de mandioca do país, o município de Acará, no nordeste do Estado, comemorou 137 anos com uma grande programação que teve por tema principal aquele que é o produto de maior importância para a economia local. Com o apoio do Governo do Estado, por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), o Acará Fest congregou o XVII Festival da Mandioca e a XII Feira Agrícola. Cerca de 10 mil pessoas prestigiaram o evento.
 A programação teve início com o aniversário da cidade, no último dia 19, e foi toda realizada na praça central Herminia Rocha. O ponto alto da programação aconteceu na manhã de domingo, 22, com a tradicional “farinhada”, uma competição que reúne os produtores locais para ver quem produz a melhor farinha. Este ano concorreram produtores rurais de quatro comunidades assistidas pela Emater: São Raimundo, Nossa Senhora das Graças, Papaquara e a Associação do Cravo, cada equipe formada por quatro produtores.
 A equipe vencedora deste ano foi a comunidade São Raimundo, que levou um motor “catitu”, uma prensa hidráulica e dois fornos. A avaliação foi feita com base em cinco critérios: higiene na produção, aparência, qualidade, granulometria e paladar. Cerca de 300 quilos de mandioca foram utilizados pelos produtores. Ao final da competição, foram produzidas mais de 60 kg de farinha, parte utilizada na degustação e outra comercializada.
 A XII Feira Agrícola trouxe 16 estandes montados para a exposição e venda dos produtos rurais de 18 comunidades do município. Foram apresentadas produções de biojoias; artesanatos em sabão de tucupi, patchouli e em tecidos; artigos de higiene e limpeza, panificação, cestos de guarumã, comidas típicas, subprodutos do açaí; hortaliças, mel, além de doces e compotas.
 Produção - De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Emater, a produção anual de mandioca em Acará é, em média, de cerca de 400 mil toneladas, sendo considerado o principal município produtor do país. Ainda segundo os mesmos dados, o Pará é o maior Estado produtor brasileiro, com uma produção anual de 5,2 milhões de toneladas de raiz de mandioca.
 "A produção da mandioca é responsável por aproximadamente 45% da economia de Acará, município com mais de 53 mil habitantes", informou o secretário de Agricultura, Ciência e Tecnologia de Acará, Motonori Yamamoto. Segundo ele, cerca de 30 mil pessoas, mais da metade da população, trabalham com a produção de mandioca no município. “Hoje, a agricultura local já tem outros cultivos, como a fruticultura, a produção de cacau, a pimenta do reino e o açaí, mas o forte ainda é a mandioca”, afirma.
 De acordo com coordenadora local da Emater, Helenice César, a empresa chega atender 1.200 famílias agricultoras em todo o município. “Acompanhamos o dia-a-dia dos produtores, garantindo às comunidades toda a assistência técnica. Hoje trabalhamos com uma economia simples, que é o Trio da Produtividade, incentivada pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), além de mecanização e orientações com relação ao espaçamento e à qualidade do material selecionado pelo produtor para a alta produtividade”, explica a engenheira agrônoma.
 Desenvolvimento - O secretário especial de Promoção Social, Nilson Pinto, prestigiou o evento e entregou uma motocicleta à sede municipal da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará). Acompanhado pela deputada estadual Silene Couto e pela prefeita Francisca Martins, o secretário ainda participou da inauguração do complexo de urgência e emergência do Hospital Municipal de Acará, que recebeu também dois veículos para auxílio no transporte de pacientes.
 “Esse é um evento importante que valoriza a produção agrícola de Acará, que é essencialmente familiar”, afirmou o secretário, ressaltando os investimentos que o Estado tem feito para incentivar o desenvolvimento do município. Nilson Pinto destacou, como exemplo, as obras para a recuperação da malha viária, o que facilita o escoamento da produção, já que grande parte do mercado consumidor está na capital e Região Metropolitana.
 A rodovia Perna Sul, que está praticamente pronta, liga a Alça Viária à PA-252, facilitando o acesso entre a Região Metropolitana de Belém e os municípios de Acará, Concórdia do Pará, Bujaru e Tomé-Açu. O governo investiu R$ 42 milhões na construção da nova rodovia, que substituirá a antiga estrada vicinal e reduzirá em cinco quilômetros a viagem até Acará.
 O Acará Fest, que é promovido pela prefeitura do município, também contou com o apoio da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Agência de Apoio ao Empreendedor e Pequeno Empresário (Sebrae), Comissão Executiva Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e Superintendência Federal de Agricultura no Pará.

Texto:
Amanda Engelke-Secom



Secretário de Trabalho visita Altamira

O secretário estadual de Trabalho Emprego e Renda, Celso Sabino, está em Altamira. Ele visitará o posto do Sistema Nacional de Emprego (Sine) na cidade, além de se reunir com os sindicatos dos trabalhadores locais e empreendedores. Uma reunião com a prefeita Odileida Maria Sampaio também será realizada. Com essa visita, a Seter começa a mapear as demandas que servirão como norte para criação da grade de capacitações para os trabalhadores da região.
A Secretaria de Trabalho Emprego e Renda do Pará (Seter) está instalando um Núcleo de Monitoramento e Informação de Pesquisa Quantitativa, Qualitativa e de Mercado nos municípios que receberão investimentos por conta da instalação da Hidrelétrica de Belo Monte e outros empreendimentos na região. O objetivo é identificar quais as vagas que irão surgir e quais as capacitações necessárias para que os paraenses ocupem cada uma delas.




Procuradoria-Geral realiza curso
sobre convênios públicos

O Centro de Estudos da Procuradoria Geral do Estado (PGE) promove no próximo dia 27 o curso sobre convênios públicos com o professor Jorge Ulisses Jacoby Fernandes, que é mestre em Direito Público, professor de Direito Administrativo, escritor, conferencista e palestrante. O curso é destinado aos procuradores de Estado, técnicos em Direito e servidores da Procuradoria. A palestra será ministrada no horário de 8h30 as 12h30 e de 14h as 18h, no auditório da Procuradoria, no bairro de Batista Campos, em Belém.
Segundo o procurador Gustavo Salgado, coordenador do Centro de Estudos, a palestra abre uma nova etapa no processo de qualificação dos servidores, além da atualização da temática de convênios, bastante necessária ao funcionamento do serviço público. "Esse curso vai possibilitar o aprimoramento da PGE na área consultiva, sobretudo nesse contexto do convênios públicos para o qual existe uma demanda muito grande em todo o funcionalismo público", explica o procurador.
Para o procurador-geral do Estado, Caio de Azevedo Trindade, o curso representa a materialização do projeto que busca a excelência acadêmica no quadro da Procuradoria. "O professor Jacoby é uma das maiores autoridades na área do Direito Administrativo. Temos certeza que ele vai trazer uma grande contribuição para todos nós, da PGE, que por sua vez tem uma demanda muito grande na área consultiva", explicou o procurador-geral.
Currículo - Em sua carreira no serviço público, Jorge Ulisses Jacoby Fernandes ocupou vários cargos de relevância técnica como procurador-geral do Ministério Público junto ao TCDF, entre outros. Na área da literatura jurídica é autor de vários livros com destaque para Vade-Mécum de Licitações e Contratos Administrativos (5ª edição 2011); Sistema de Registro de Preço e Pregão (4ª edição 2011); Tribunais de Contas do Brasil ? Jurisdição e Competência - 2ª edição 2099); Contratação Direta sem Licitação (9ª edição).

Texto:
Selma Amaral-PGE



Congresso discute desafios da
Saúde Pública na Amazônia

Os desafios e os paradigmas da Saúde na Região Norte estão sendo debatidos no Hangar, em Belém, até esta quarta-feira, 25, durante o XVI Congresso Médico Amazônico. Cerca de 4 mil profissionais de toda a região participam do evento, que tem como apoiador o Governo do Pará. O secretário de Saúde do Estado, Hélio Franco, além do secretário nacional de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, participaram da abertura do congresso na noite deste domingo, 22, e falaram sobre as contribuições que o encontro deve trazer para toda a sociedade.
“O tema central do congresso é ‘Gestão em Saúde – Um desafio Amazônico’ e sugere a discussão de vários subtemas que podem ser trabalhados a partir do gerenciamento da saúde em âmbito municipal, estadual e federal. A ideia é que a partir destas discussões a gente consiga desenvolver novos paradigmas para a saúde pública, por meio de novas políticas e programas”, observou o secretário de Saúde do Pará.
Segundo Hélio Franco, a participação do governo no evento também é efetiva na apresentação dos diversos programas que o Estado desenvolve na área, como os de combate a doenças endêmicas. Além disso, o secretário afirmou que serão apresentados dados sobre acidentes de trânsito e de doenças como a hipertensão e diabetes – as causas da maioria das mortes no Pará.
“Problema de saúde não se resolve apenas com médico, mas é preciso uma gestão de toda a saúde pública, com políticas integradas. O caso de acidentes de trânsito é preocupante. Ano passado o Hospital Metropolitano registrou cerca de 2 mil acidentados em motos, fora os registros dos hospitais regionais do interior. São acidentes que geram sequelas graves e lotam os hospitais. Tem também a hipertensão e a diabetes, que são as doenças que mais matam no Estado. É preciso um trabalho de educação, de mudança alimentar, que envolve várias políticas”, explicou Franco.
O secretário Nacional de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, esteve na abertura do evento representando o ministro da Saúde. Para ele, o congresso com profissionais da saúde de toda a região Norte será uma oportunidade de discutir os programas nacionais de saúde sobre a ótica amazônica. “Vamos discutir questões como a malária, a dengue, o mal de chagas. Aproveitar esse momento para conhecer mais as dificuldades e debater melhorias para o Governo Federal melhor atender a esta população”, ressaltou.
Os desafios na Região Norte, de acordo com a médica infectologista Cléa Bichara, presidente da Sociedade Médico-Cirúrgica do Pará (SMCP) e coordenadora do congresso, são muitos e precisam ser debatidos entre os profissionais. “Precisamos desenvolver propostas para melhorar a gestão da saúde na nossa região, a partir das novas ferramentas. Precisamos lidar com longas distâncias, realidades diferentes, falta de profissionais em determinados locais. E é muito importante a participação do Governo do Estado nesta discussão, pois mostra a disposição em investir ainda mais na saúde pública”, disse Cléa.
O evento, que começou no último sábado, 21, vai ocorrer até o dia 25. O principal patrocinador do evento é o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). O Congresso é promovido pela SMCP, com a participação das instituições que representam as 14 profissões da área de Saúde, como Medicina, Fisioterapia, Nutrição, Terapia Ocupacional, Enfermagem e Odontologia.

Texto:
Thiago Melo-Secom



“O Curupira” atraiu muitas
crianças no Por do Sol da Estação

O resgate e a valorização da cultura regional através do teatro voltado para o público infantil é a proposta do Projeto Por do Sol, da Estação das Docas, que acontece em domingos alternados. Neste domingo, 22, não foi diferente, com uma plateia fiel e de novatos, mais de 200 crianças e familiares lotaram o Terminal Fluvial para assistirem o espetáculo “Curupira”.
O Grupo In Bust encenou por mais de 30 minutos a lenda do “Curupira” através de danças, cantos e muitos assovios, que contaram a importância de preservar a floresta. “Ator e boneco fazem esta interação, estamos há mais de 14 anos mostrando a nossa cultura através das histórias regionais”, destacou a atriz Adriana Cruz.
Na apresentação, “O Curupira” era um menino de olhos vermelhos e pés voltados para trás que deu uma lição no seu Jovino, que caçava, derrubava árvores e sujava a floresta. Os assovios do “Curupira” deixaram seu Jovino nervoso e ele percebeu que quem vai entrar na mata deve ter respeito. Se não, o “Curupira” entra em ação.
Roberta Gravina, que pela primeira vez levou o filho Bruno para prestigiar o projeto Por do Sol da Estação, gostou da experiênca. “Achei ótimo, gosto de apresentações com temas que valorizam a cultura local e ainda fazem um ensinamento às crianças”. O filho Bruno Gravina, de 5 anos acompanhado de uma amiguinha, também aprovou. “Gostei muito de tudo”, disse. Natalino Santos, acompanhado dos filhos Gabriel, de 11 anos e Natália, de 5 anos, ressaltou o acerto da programaçã. “Muito boa esta apresentação porque está divulgando a cultura através dos bonecos. É uma oportunidade que a Estação está dando para vermos”.

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000



Transplante e doação de órgãos
é tema de curso no
Congresso Médico Amazônico

Acadêmicos e profissionais da área da saúde participaram neste domingo (22) do curso de Formação Educacional em Doação e Transplante de Órgãos. O evento faz parte da programação do XVI Congresso Médico Amazônico, que acontece até quarta-feira (25), no Centro de Convenções e Feiras da Amazônia (Hangar). O curso foi ministrado pelo coordenador da Central de Transplante da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), André Rodrigues, pelo chefe do serviço de neurorradiologia do Hospital Ophir Loyola, Eric Paschoal, e pela médica Márcia Iasi, assessora técnica da coordenação estadual de Hepatites Virais e integrante do Projeto Amazônia Transplante.
Os participantes conheceram um pouco da história dos transplantes, seus aspectos e os tipos de doadores. Eles ainda esclareceram dúvidas sobre as normas da legislação, a fisiopatologia e diagnóstico de morte encefálica. Segundo Márcia Iasi, o curso é mais uma ferramenta para que estes profissionais se tornem formadores de opinião e propaguem a importância do transplante e doação de órgãos. “Além do conhecimento, é fundamental conscientizar a população, principalmente os profissionais de saúde, sobre a importância da doação e do transplante de órgãos em nosso meio”, afirmou.
No Pará, são feitos os transplantes de córnea e rim. Neste ano já foram realizados 76 transplantes, dos quais 60 foram de córnea e 16 de rim. Ano passado foram realizados no Estado 55 transplantes de rim, sendo que o Pará se tornou o 14º Estado no País que mais realizou o procedimento. Segundo o coordenador estadual da Central de Transplante, André Rodrigues, o objetivo é estar entre os 10 para esse gênero. “Neste ano, nosso intuito é realizar 75 procedimentos para que subamos para o 10º lugar neste ranking”, destacou.
Mês passado o Hospital Regional Público do Araguaia (HRPA), em Redenção, realizou o primeiro transplante renal do interior da Amazônia e Centro-Oeste brasileiro. O hospital é referência em nefrologia e desenvolve o programa de proteção renal e de tratamento. De acordo com André Rodrigues, este é um marco na história da saúde pública do Estado, pois além de descentralizar os serviços de transplantes, ele também possibilita o acesso da população a estes procedimentos. “Com certeza este é momento de muita importância para nossa região. É mais uma garantia de atendimento para a população que estava desassistida”, observou.
André Rodrigues ressaltou que o serviço de transplante é uma das prioridades da atual gestão, por isso a meta é implantar polos nos hospitais do interior do Pará que tenham infraestrutura para assistir o paciente em sua própria cidade. “Isso é interesse do governo do Estado em dar oportunidade para todos os pacientes realizarem seu tratamento sem que se desloquem de suas cidades. Valorizar a sociedade que precisa ser tratada ao lado de sua família sem ter necessidade de se deslocar para outra cidade”, conclui. 

Texto:
Edna Sidou-Sespa



Orquestra Choro do Pará
movimenta Praça Batista Campos










Quem passou na manhã deste domingo, 22, pela praça Batista Campos, em Belém, pode ouvir o melhor do Chorinho. Cerca de 40 alunos do projeto Choro do Pará, desenvolvido pela Fundação Curro Velho, realizaram um ensaio aberto no coreto central da praça. O evento foi uma prévia do show que está marcado para o próximo sábado, 28 de abril, no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas.
A Orquestra do Choro apresentou um repertório com músicas de Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Adamor Ribeiro, Luiz Pardal. O show do dia 28 é uma homenagem ao Dia Nacional do Choro, celebrado nesta segunda-feira, 23 de abril. No ensaio aberto, o Choro do Pará contou com a participação especial do Coral adulto da Casa da Linguagem. A aposentada Edna França, moradora do bairro do Marco, saiu de casa para fugir da rotina e aprovou a atração cultural. “Eu gosto muito de domingo e quando tem os concertos é melhor ainda, às vezes as pessoas não dão nem valor, não assistem, mas é interessante”.
A universitária Lélia Oliveira afirma que o espaço na praça é importante para socializar o gênero Chorinho com a sociedade. “Eu acho importante porque tudo socializa o ritmo tão interessante como é choro”.
A próxima apresentação da Orquestra Choro do Pará da Fundação Curro Velho terá entrada franca no sábado, 28 de abril, às 20h, no Teatro Maria Sylvia Nunes na Estação das Docas. Participam da programação o grupo de Percussão Nova Geração da Fundação Curro Velho em parceria com o Pro Paz nos Bairros do Guamá.

Texto:
Andreza Gomes-FCV



Denúncias levam à prisão em
flagrante de casal de
traficantes em Salinópolis

O casal Samuel Ferreira de Melo, 21 anos, e Nair Brito de Jesus, 44, acabaram presos em flagrante por tráfico de drogas e posse irregular de arma de fogo, após ação em conjunto das Polícias Civil e Militar, em Salinópolis, nordeste do Estado. Os dois vendiam entorpecentes em uma casa na rua da Piçarreira, bairro Bom Jesus. O flagrante se registrou após denúncia recebida pela guarnição da Polícia Militar formada pelos cabos PM Ruberval; Benedito Queiroz e Alex Barros. As informações foram divulgadas neste domingo, 22.
A guarnição recebeu denúncia de que Samuel estava armado e fazendo ameaças às pessoas, no bairro Bom Jesus. Ainda, de acordo com a denúncia, ele seria traficante de drogas com atuação naquela área. A guarnição militar solicitou, então, apoio de outras viaturas da PM para fazer a abordagem no imóvel. Na chegada dos policiais, Samuel se apossou de uma espingarda calibre 36 ameaçando disparar contra os policiais militares.
No entanto, Samuel acabou imobilizado pelos policiais. A companheira dele, Nair de Jesus, que se identificou inicialmente pelo nome de Naiane, correu em direção à cozinha da casa para tentar esconder drogas. Mas acabou surpreendida por um dos militares e detida. Na revista à casa, 76 "petecas" de pasta de cocaína no formato conhecido por "nóia". O casal foi apresentado ao delegado Saullo Patrício Andrade, que lavrou um auto de prisão em flagrante. A droga foi encaminhada para o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves para perícia.
O flagrante foi comunicado ao juiz da Comarca, Eduardo Rodrigues de Mendonça Freire, que já manteve o flagrante. A mulher foi recolhida no Centro de Recuperação Feminino em Ananindeua, enquanto Samuel está no Presídio Regional de Salinópolis. A ação conjunta da Polícia Civil e Polícia Militar conta o com o apoio do major Paulo Sérgio, comandante da 1ª Companhia Independente da Polícia Militar, e delegado Ailton Benone, superintendente regional da Polícia Civil na Zona Bragantina, sediada em Capanema.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil






SALVLE, JORGE! Hoje, amanhã e sempre


Salve Guerreiro Jorge, santo de luta, garra e fidelidade. Que Ele continue dando sua proteção a todo mundo, que necessita viver em paz. Pela sua semana que Deus continue o iluminando, para mostrar aos seus fiéis seguidores, o que se deve realmente ser neste mundo que já foi de provas e expiações e hoje iniciamos o mundo de regeneração.




Sespa lança cartilha sobre
quilombolas no Congresso
Médico Amazônico

No intuito de expor as peculiaridades de 133 comunidades quilombolas de 33 municípios paraenses através de pesquisa realizada pela equipe da Coordenação Estadual de Saúde Indígena e Populações Tradicionais (Cesipt), a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) lançou neste sábado (21) a Cartilha sobre as Condições de Vulnerabilidade das Comunidades Remanescentes de Quilombos.
A solenidade de lançamento aconteceu no primeiro dia do XVI Congresso Médico Amazônico, promovido pela Sociedade Médico Cirúrgica do Pará, com apoio da Sespa e outras instituições. O evento acontece até quarta-feira (25) no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém.
A publicação é produto do convênio 1.683/2008, celebrado com o Ministério da Saúde (MS), para viabilizar a construção de políticas públicas que atendam às necessidades dessas populações, que escendem de escravos fugitivos que migraram de várias partes do país ainda no século XIX e se alojaram em áreas rurais geralmente de difícil acesso, formando as Comunidades Quilombolas, onde mantiveram suas tradições e culturas.
“Foram escolhidos os lugares que concentravam o maior número de comunidades e que melhor representassem o perfil desse segmento no Estado”, explica a socióloga Tamar Monteiro, coordenadora estadual de Saúde Indígena e Populações Tradicionais, ao lembrar que o Pará é um dos quatro Estados brasileiros com maior quantidade de comunidades quilombolas, junto com Bahia, Maranhão e Minas Gerais.
Os municípios envolvidos na pesquisa foram Abaetetuba, Acará, Alenquer, Almeirim, Augusto Corrêa, Bagre, Baião, Belém - Distrito de Mosqueiro, Bragança, Bonito, Cachoeira do Piriá, Cametá, Colares, Concórdia do Pará, Gurupá, Igarapé-Miri, Inhangapi, Irituia, Mocajuba, Moju, Monte Alegre, Muaná, Óbidos, Oeiras do Pará, Oriximiná, Ourém, Porto de Moz, Salvaterra, Santarém, São Miguel do Guamá, Santa Luzia do Pará, Santa Izabel do Pará e Viseu.
Da celebração do convênio até novembro de 2011, agentes de saúde foram os responsáveis pelas entrevistas, seguindo orientações da Cesipt. Foram entrevistadas lideranças das comunidades, moradores de ambos os sexos e nas faixas etárias jovens, adultos e idosos, além de outros profissionais com atuação direta naqueles locais, como os professores de ensino básico e os próprios agentes comunitários de saúde.
Segundo Tamar Monteiro, o instrumento de pesquisa utilizado foi um formulário estruturado que continha um questionário com cerca de 240 perguntas alusivas à qualidade de vida, dados epidemiológicos, religião, condições de acesso às unidades de saúde e ao gestor municipal, saneamento básico e infraestrutura, perfil socioeconômico e cultural e políticas públicas.
A pesquisa revelou que 63% das comunidades pesquisadas têm acesso regular. “Mas o território paraense muito abrangente, cheio de peculiaridades, associado às chuvas do primeiro semestre de cada ano, podem dificultar muito o deslocamento”, relembra Tamar, dando um aperitivo sobre o arsenal de informações contidas nas 100 páginas da cartilha.
Para o secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, a cartilha será um instrumento precioso na busca de ações articuladas com outros órgãos estaduais, como a a Secretaria de Estado de Justiça e de Direitos Humanos (Sejudh) e a Companhia de Habitação do Pará (Cohab), no intuito de garantir melhor qualidade de vida e resgatar a auto-estima e cidadania das comunidades quilombolas.
“Em se tratando de saúde, a pesquisa deixa claro que doenças como hipertensão arterial, diabetes e agravos decorrentes de ataques de animais peçonhentos são as mais comuns nessas áreas, além da desnutrição infantil. Dessa forma, a Sespa está disposta a viabilizar, com mais agilidade, o fornecimento de recursos e serviços essenciais que visem mudar esse quadro, mesmo que a longo prazo”, ressaltou o secretário.
Além do lançamento da cartilha, houve apresentação da conferência “Saúde Integral da População Negra” pela bióloga Fernanda Lopes, do Ministério da Saúde, seguida da mesa redonda “Saúde quilombola”, com os debatedores  Jane Neves, diretora de Atenção à Saúde da Sespa; Maysa Almeida, diretora de  Cidadania e Direitos Humanos da Sejudh; engenheiro Amaro Klautau, da Cohab; Carlos Rogério Pinto, do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e Nilma Bentes, do Centro de Estudos e Defesa do Negro no Pará (Cedenpa).

Texto:
Mozart Lira-Sespa





Policiais evitam assalto a van
em Santa Izabel do Pará

Policiais militares evitaram o assalto a um veículo de transporte de passageiros em Santa Izabel do Pará, nordeste do Estado. Após serem informados sobre a presença de três suspeitos no interior da van, a guarnição militar efetuou uma revista no interior do veículo e flagrou o trio com duas armas de fogo. Na 17ª Seccional Urbana de Santa Izabel do Pará, os três homens foram identificados como Walison Batista Silva, 23 anos; Izaias Monteiro da Silva Júnior, 22, e Ricardo Hage Natividade, 25, que foram enquadrados por crime de porte ilegal de arma de fogo. O trio apanhou a van no município de Castanhal e seguia no interior do coletivo com destino à capital do Estado. As informações foram divulgadas neste sábado, 21.
No caminho, já no município de Santa Izabel do Pará, o condutor da van viu que os três estavam agindo de modo suspeito. "O motorista estranhou a maneira como eles se comportavam dentro da van e, disfarçadamente, avisou uma guarnição da Polícia Militar", apurou a delegada Hildenê Falqueto, responsável pelo procedimento flagrancial lavrado contra os acusados. Em revista aos passageiros, o trio foi identificado e preso. As duas armas apreendidas foram um revólver de calibre 38 com duas munições e outro revólver de calibre 32 com quatro munições intactas.
A delegada determinou a lavratura do procedimento flagrancial, que ficou a cargo da escrivã Silvia. Após consulta aprofundada sobre a vida pregressa dos acusados, a delegada apurou que eles já foram presos anteriormente e respondem na Justiça por outros crimes. O delegado Carlos Magalhães, diretor da Seccional de Santa Izabel do Pará, disse que o trio com certeza iria assaltar a van logo depois que o veículo ultrapassasse os limites do município, porém foram interceptados rapidamente pela Polícia Militar. Cientificados dos seus direitos constitucionais, os presos estão devidamente encarcerados na unidade policial no aguardo de uma decisão da Justiça local.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil



A PEDIDA DE HOJE, CONCORDAM?



Combate à poluição sonora leva
à apreensão de moto-propaganda
em Rurópolis

Será que só tinha ou tem
esse veículo de propaganda
por lá? Covardia!
O combate à poluição sonora gerada por veículos automotores tem sido intenso no município de Rurópolis, sudoeste do Pará. Neste sábado, 21, a Polícia Civil divulgou a apreensão de uma motocicleta modelo Yamaha, ano 2002, que estava com Andreno Alves Neto. O rapaz usava o veículo com aparelhagem de som acoplada à moto e ligada em volume acima do suportado.
O veículo era usado para propaganda de eventos festivos nas ruas da cidade, causando transtornos à população. De acordo com os policiais, ele costumava passar com o veículo na rua onde ficam a delegacia e uma escola, em frente à unidade policial, perturbando as pessoas. O delegado Ariosnaldo da Silva Vital Filho informou que não é a primeira vez que esse tipo de veículos automotor causa transtorno às pessoas atendidas no local e aos vizinhos próximos.
"Já notamos que há outros veículos na cidade de Rurópolis que passam em frente a hospitais e escolas ultrapassando os limites toleráveis do bom senso e da falta de educação, causando transtornos ao atendimento ali realizado, bem como aos pacientes dos hospitais que necessitam de repouso para sua recuperação e ao alunos e professores que precisam de silêncio e concentração para transmitir e receber conhecimentos e saber, fato este reafirmado por denúncias anônimas", afirmou o delegado.
Ariosnaldo Filho ressaltou que já havia sido aberto um procedimento policial para apurar a conduta do infrator, que em tese, cometeu perturbação do trabalho ou do sossego alheios pelo abuso de instrumentos sonoros ou sinais acústicos, e desobediência, pois antes da aparelhagem ser apreendida o delegado já havia solicitado ao condutor do veículo que reduzisse o volume do som, porém a ordem não foi atendida.
O policial civil salientou que, após apreendidos, os objetos serão encaminhados ao fórum local, caso não seja comprovada a origem por documento que os legitimem. O delegado afirmou que está tomando providências para notificar e adverter os infratores do som e, em caso de reincidência, eles responderão a procedimento policial. “O combate a poluição sonora será intensificado no município de Rurópolis, bem como a fiscalização das autorizações expedidas pela Polícia Civil para propaganda volante”, frisou o delegado.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil







Espetáculo “João e Maria”
neste domingo na Estação

A Companhia de Teatro Luzes apresenta o clássico “João e Maria” neste domingo, 22, no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas. O espetáculo conta a história de um dos clássicos mais conhecidos da literatura infantil, que pretende manter viva no imaginário da criança a bela história que foi contada pelos pais e avós através de livros.
O clássico “João e Maria” narra a história de duas crianças que são irmãos e após a morte da mãe se deparam com uma nova realidade: a madrasta. O espetáculo mostra a trajetória desta família que mora em uma casa à beira do rio, onde o pai é lenhador e a madrasta quer de alguma forma livrar-se das crianças para ficar morando apenas com o marido. Com mistério e ação, somente quem comparecer ficará sabendo se a madrasta vai conseguir ou não afastar as crianças do pai.
A peça que está em cartaz há 9 anos contém cenas com bonecos, que é a marca registrada da companhia e que agrada bastante ao público infantil. No cenário, uma casa de chocolate que chega a mais de cinco metros e os adereços que certamente irão chamar atenção do público presente.
Serviço:
Teatro Infantil “João e Maria”
Data: 22 de Abril de 2012
Sessões: 17h e 19h
Local: Teatro Maria Sylvia Nunes
Ingresso: R$ 20,00 Inteira e R$ 10,00 Meia
Informações: 8064-1735

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000


E À TARDE, ESSA DELÍCIA: O TACACÁ




Polícia Civil descobre esquema de
receptação de veículos
roubados em Jacundá

Um esquema de roubo de caminhão no Maranhão e receptação do veículo roubado na região sudeste do Pará foi descoberto pela Polícia Civil em Jacundá. Sob o comando do delegado Marcos Augusto Cruz, os policiais civis Antonio Edson e Paulo Lisboa flagraram Raimundo Nonato de Sousa Araújo enquanto conduzia o caminhão modelo 1620, placa JFQ-0678, ano/modelo 2005, pela estrada da Moran Madeira, na zona rural de Jacundá.
O veículo foi roubado no último dia 18, na rodovia BR-222, no povoado Buritizinho, interior do município de Bom Jesus das Selvas, no Maranhão, conforme dados contidos em Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia de Buriticupu (MA). As informações foram divulgadas neste sábado, 21. No momento em que o veículo foi roubado, a vítima do crime, Valdenir Goes Nascimento, conduzia o veículo, de acordo com informações existentes no B.O.

O motorista informou ter sido abordado por dois homens armados com armas de fogo que anunciaram o roubo e levaram o veículo. No dia seguinte ao roubo, a Polícia Civil do Estado do Maranhão entrou em contato com a Delegacia de Jacundá para informar que o veículo poderia estar na região da estrada da Moran Madeira. "Fizemos investigações no sentido de localizar o veículo. O trabalho foi iniciado por volta de 9 horas da manhã do dia 19 e concluído com sucesso por volta de 16h30 do mesmo dia", detalhou o delegado. Segundo Marcos Cruz, as investigações continuarão para levantar outros possíveis envolvidos no esquema de roubo de veículos na região. Raimundo Nonato foi autuado pela receptação dolosa do veículo e permanece recolhido à disposição da Justiça.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil






Caravana Pro Paz Cidadania
encerra a primeira
etapa da ação no Marajó

A Caravana Pro Paz Cidadania percorreu 13 municípios da Ilha do Marajó, durante a primeira etapa do projeto no arquipélago. Chaves foi o último município a receber a ação, que chegou aos lugares mais distantes da ilha, através de uma equipe que era destacada da caravana para atender no interior.
A comunidade Arapixi, que fica a 10 horas de barco da cidade de Chaves, pela primeira vez recebeu médicos especialistas, beneficiando não só os moradores do vilarejo, mas outras oito comunidades próximas. Noemi da Silva, da comunidade Cururu, disse que não acreditava na ida dos médicos pra Arapixi, mas sem possibilidades de ir para a sede municipal, foi tentar a consulta na data marcada e não se arrependeu.
“Nunca pensei que vinha tudo isso pra cá, mas fiquei muito feliz por ser verdade. A gente, mesmo precisando muito, não tem condições de ir pra cidade se consultar. Essa ação ajuda todas as comunidades vizinhas como a minha, o que é muito bom pra a nossa gente”, afirmas a estudante. Dona Jacira dos Santos destaca que além do atendimento, os acessos gratuitos aos medicamentos e aos óculos são muito importantes para a população.
“Além de a gente conseguir a consulta, ainda consegue os remédios e até os óculos, como foi meu caso. Isso é muito bom, porque o governo esta se lembrando do povo do Marajó. A gente precisa de tudo aqui e a saúde o governo está mandando”. Seu Lucivaldo Santos, morador da Vila São Joaquim, também se consultou com oftalmologista e descobriu que precisa usar óculos. Por ser tratar de um grau especial, os óculos serão fabricados em Belém e o pescador vai esperar cerca de 30 dias para receber-los em casa.
“Agora é só esperar chegar. Mas assim como prometeram a vinda dos médicos e eles chegaram, eu tenho certeza que meus óculos também vão vir. É muito bom isso que o governador está fazendo, de mandar melhorias pra nossa saúde, pra nossa vida”, opinou. Seu Xavier dos Santos, 78 anos, não precisa mais esperar. A cadeira de rodas novinha chegou com a caravana. O aposentado perdeu a perna esquerda depois de um acidente de trabalho há três anos e raramente saía de casa por causa da dificuldade de locomoção, mas agora comemora a mudança de vida.
“Eu estou muito satisfeito. Pra eu andar tinha que ser carregado e agora não vai ser mais preciso. Nunca teria condições de comprar uma cadeira de rodas, mas agora ganhei essa que vai melhorar muito a minha vida”. Na área da saúde, a Secretaria de Estado e Saúde Pública (Sespa), realizou em Chaves 3.757 procedimentos oftalmológicos e entregou 378 óculos.
Balanço
Na Odontologia foram 504 procedimentos realizados. As ações no escovódromo bateram recorde no município, com 13.020 pessoas atendidas. Foram realizados 4.403 exames e 3.299 consultas, destas, 990 foram de oftalmologia. Ainda foram ministradas 21 palestras de nutrição e administradas 293 vacinas. Os medicamentos distribuídos gratuitamente mediante a apresentação da receita médica totalizaram 24.015. Através da Ação Social Integrada do Palácio do Governo (Asipag) foram realizados 213 cadastros para óculos de grau especial a serem fabricados em Belém e entregues 23 cadeiras de rodas.
Antônio Viana viajou durante 11 horas até a sede de Chaves para registrar o filho Abraão Viana, que aos 10 anos, ainda não tinha registro de nascimento. Apesar de saber da importância do documento, o agricultor explica que a dificuldade da viagem foi o motivo principal para adiar a certidão do filho e que a quantidade de serviços oferecidos pela caravana encorajou toda a família a ir pra Chaves.
“Apesar da distância valeu a pena ter vindo pra cá com toda a nossa família. É um presente de Deus essa caravana, porque a gente conseguiu fazer tudo o que estávamos precisando, desde o documento do meu filho, até as consultas médicas e que todos estavam precisando. Estou muito feliz com tudo isso”, disse Antônio.
A Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) emitiu 816 Certidões de Nascimento; a Polícia Civil entregou 680 Carteiras de Identidade;  a  Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) tirou 1.145 fotos para documentação e 725 Carteiras de Trabalho;  a Defensoria Pública do Estado realizou 218 atendimentos jurídicos e 986 emissões de CPF.
O Instituto de Artes do Pará (IAP) cadastrou 77 artistas locais e recebeu 800 telespectadores nas exibições de cinema itinerante. A Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves recebeu 352 crianças nas atividades de leitura, contação de histórias e teatro de fantoches. Ainda na área de arte e educação a Divisão de Atendimento ao Adolescente realizou palestras para 52 pessoas da rede de proteção de crianças e adolescentes; o Sistema de Segurança Pública do Pará recebeu 180 pessoas nas palestras de combate às drogas e violência; a Secretaria de Meio Ambiente, em parceria com a Defesa Civil, desenvolveu palestras e oficinas de reciclagem para 391 pessoas.
Selma Ferreira, coordenadora do Presença Viva, disse que a primeira etapa do projeto no Marajó superou as expectativas, tanto na quantidade de atendimento, quanto na receptividade do público. A dedicação das equipes das secretarias envolvidas também foram um ponto positivo no projeto. “Foi excepcional. Superou as expectativas em todos os sentidos. Foi muito gratificante ver as pessoas trabalhando, mesmo as que não tinham experiência nesse tipo de atendimento, conseguiram se identificar com o trabalho e a gente percebia a dedicação de todos. Agora tem um dia de descanso antes do embarque para a segunda etapa do projeto”.
O barco da Caravana Pro Paz Cidadania aportou em Belém na noite desta sexta-feira (20) e retorna para o Marajó na madrugada deste domingo (22), para cumprir a segunda etapa do projeto onde serão atendidos os municípios de Santa Cruz do Arari, Cachoeira do Arari, Soure e Salvaterra.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom






Operação policial resulta nas
apreensões de 16 armas
de fogo em Almeirim

Operação da Polícia Civil resultou na apreensão de 16 armas de fogo em Almeirim, noroeste do Estado, nesta sexta-feira, 20. O armamento, formado por espingardas de diversos calibres, foi apreendido pela equipe de policiais civis da delegacia local. Além das armas de fogo, foram encontradas munições com Eliel Oliveira Costa. Ao ser preso, ele confessou que era o responsável por guardar as armas e alegou que é contratado rotineiramente pelos donos dos armas, que seriam moradores da região de Almeirim para fazer reparos, consertos e fabricação do armamento. Eliel alega que, após ser pago pelo serviço, ele devolvia a arma ao dono. Quanto à munição, o acusado alega que também atuava na fabricação delas.
Inquirido pela delegada Adriana Magno, titular da Delegacia, Eliel disse ainda que não sabia que o "serviço" era crime. A ação policial foi realizada pela equipe formada pelos investigadores Max Tente e Carlos Eduardo e escrivão João Sousa, sob coordenação da delegada Adriana Magno. Segundo a delegada, Eliel trabalhava na própria residência, onde mora com dois filhos pequenos. Ele foi preso em flagrante e conduzido até a delegacia de Almeirim. Após a apresentação do armamento e dos procedimentos policiais, em que o acusado foi enquadrado no artigo 17 da lei 10.826/2003, que trata do comércio ilegal de arma de fogo, ele foi custodiado para ficar recolhido à disposição da Justiça.
O flagrante foi resultado da operação "Ambiente Limpo" que visa desarmar a população, dificultar a aquisição de armamento e coibir a violência na região. "Dessa forma, poderá ser oferecido um ambiente mais seguro e tranquilo à população", salienta a delegada. O trabalho atende as determinações do superintendente do Baixo e Médio Amazonas, delegado Gilberto Aguiar, por orientação do diretor de Polícia do Interior, delegado Silvio Maués.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil






Caravana da Vontade
Popular leva cidadania a
17 comunidades de Abaetetuba

Aos 41 anos, a dona de casa Maria Inês Carvalho, moradora da comunidade de Jarumã, no município de Abaetetuba, nordeste do Estado, teve acesso à emissão de sua primeira carteira de trabalho na manhã deste sábado (21). “Agora sim terei acesso aos meus direitos de cidadã trabalhadora”, declarou Maria, uma das inúmeras pessoas beneficiadas pela Caravana da Vontade Popular, que acontece no município até este domingo (22).
A ação está sendo realizada no ramal Maranhão, localizado a 5 km da estrada de Beja, onde mais de 40 tipos de serviços estão sendo ofertados às 17 comunidades rurais do município. Entre eles está a emissão dos documentos de identificação, serviços de saúde, como consultas médicas, exames, vacinação, testes de pressão arterial e glicemia, além de orientação jurídica, palestras educativas e de atividades de cultura e lazer.
A jovem Gretiane de Jesus Monteiro, de 15 anos, também aproveitou para tirar sua carteira de identidade. “Já tinha vontade de tirar. Essa foi uma grande oportunidade que apareceu”, declarou a adolescente, moradora da comunidade de Guajará de Beja, enquanto aguardava para receber o documento em um dos cinco pontos de atendimento ao longo do ramal. Após receber a carteira de identidade, Gretiane ainda iria retirar sua carteira de trabalho.
Esta é a 8ª ação da caravana, somente neste ano, voltada às populações das ilhas e do centro do município. O projeto de cidadania é promovido pela prefeitura de Abaetetuba, com o apoio do Governo do Estado, por meio da iniciativa de Articulação e Cidadania do Executivo paraense. A expectativa da organização é atender, até domingo, cerca de sete mil pessoas.
“Essa ação é uma grande mobilização de cidadania promovida pelo município e pelo Estado para levar dignidade às comunidades mais distantes. Faz parte de uma política de incentivo à cidadania e o momento em que nós nos deslocamos para perto da comunidade. Aqui no ramal do Maranhão conseguimos congregar outras 16 comunidades rurais, garantindo inclusive o acesso dessas pessoas aos locais, com ônibus para trazer e deixar”, informou o secretário municipal de Educação, Jeferson Filgueiras, responsável pela coordenação geral desta ação.
A assessora técnica da Casa Civil da Governadoria do Estado, Elen Guedes, explica que, para a ação, vários órgãos estaduais foram mobilizados, entre eles o Programa Pro Paz, Secretaria de Estado de Saúde Pública, o Corpo de Bombeiros, a Defensoria Pública, a Polícia Militar, que destacou uma equipe para fazer a segurança do evento, e a Fundação Cultural Tancredo Neves, que levou seu ônibus biblioteca e fez a alegria das crianças com contação de histórias, teatro de bonecos, brincadeiras e oficinas, durante o dia de ação.

Texto:
Amanda Engelke-Secom






Operação "Trânsito sem Álcool"
fiscaliza condutores
neste final de semana

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado deflagrou na madrugada deste sábado (21) mais uma grande operação pela Região Metropolitana de Belém, que prossegue até a madrugada de segunda-feira (23), em pontos estratégicos da cidade. Com o apoio de vários órgãos do Sistema de Segurança, a Operação Trânsito Sem Álcool tem como objetivo prevenir acidentes de trânsito e coibir a direção de condutores sob o efeito de álcool, responsável por uma grande parcela do índice de mortes no trânsito.
Sob o comando do delegado Marco Antônio Duarte, diretor da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores, a operação teve início às 23 horas. Cerca de 70 policiais e agentes de segurança – efetivo destacado por noite para compor a operação - se concentraram, incialmente, em quatro pontos da cidade: na rodovia BR-316, próximo a um Shopping Center; ao longo da avenida João Paulo II; na avenida Nazaré, no centro de Belém, e também na avenida Doca de Souza Franco.
Durante a operação, que se estendeu até às 6 horas, os policiais abordaram todos os tipos de veículos, entre motocicletas, carros particulares e de remuneração. Pelo menos 10 aparelhos etilômetros, conhecidos popularmente como “bafômetros”, foram utilizados para a fiscalização dos condutores. Além do aparelho, a equipe de policiais ainda utilizou a coleta sanguínea, também para detectar qualquer tipo de alteração na dosagem etílica.
A Lei 11.705, que altera o Código de Trânsito Brasileiro, proíbe o consumo de praticamente qualquer quantidade de bebida alcoólica por condutores de veículos. A taxa máxima de alcoolemia permitida é de 0,10 minigrama de álcool por litro de sangue. Ao exceder essa taxa, o condutor automaticamente já comete uma infração e pode ser enquadrado nas autuações previstas em Lei. Até 0,33 mg, o condutor é autuado pelo órgão responsável pela via com multa e está sujeito a perder a carteira de motorista por um ano e ainda ter o carro apreendido. Detectado o índice de 0,34 mg de álcool por litro de sangue, que corresponde a 6 decigramas por litro de sangue no bafômetro, a infração é considerada crime, informa Alexandre Ferreira, do Centro de Perícias Renato Chaves, órgão que também integra a operação.
De acordo com o delegado Marco Antônio Duarte, apesar do principal objetivo de atuação ser voltado para alcoolemia, outras infrações judicias e administrativas que forem detectadas durante a operação também serão coibidas. Como apoio, duas delegacias da cidade também receberam efetivo extra durante a operação. No primeiro dia de ação, as seccionais foram as dos bairros do Comércio e da Marambaia.
"A operação abrange todos os aspectos, desde as infrações de trânsito, questões administrativas de atraso de documentos, falta de equipamentos obrigatórios no trânsito, e também abrange a questões dos crimes de trânsito, principalmente a alcoolemia, responsável por uma grande parte dos homicídios no trânsito, seja de modo ativo ou passivo. Ou seja, o próprio motorista, ou as pessoas que ele conduz e as que ele venha a atropelar”, informou delegado Duarte.
Segundo o coronel Mário Solano, secretário adjunto operacional da Segup, a operação Trânsito Sem Álcool, iniciada neste sábado, terá carácter contínuo e também deverá ser levada para o interior do Estado. Em 2011 foram realizadas três ações da operação. O efetivo é composto pelas das Policiais Civil e Militar, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Polícia Rodoviária Federal e Estadual, Companhia de Trânsito de Belém (Ctbel), Centro de Perícias Renato Chaves e da Guarda Municipal de Belém.      

Texto:
Amanda Engelke-Secom







IAP e Pro Paz recebem
comitiva da
Embaixada Americana

O Instituto de Artes do Pará (IAP) e o programa Pro Paz receberam nesta sexta-feira (20) a comitiva da Embaixada Americana no Brasil, formada por Angelina Smid e Justin Thomas, que foram conhecer o programa cultural desenvolvido pelo Pro Paz em parceria com os orgãos de cultura do Estado. Durante o encontro, alunos dos quatro polos do programa fizeram apresentações na sala de dança do IAP.
Os adidos culturais da embaixada anunciaram a vinda ao Pará do Battery Dance Company, de Nova Iorque, para um intercâmbio cultural com os alunos do projeto. São 100 alunos, que terão a oportunidade de aprender as técnicas mais modernas do balé mundial, por intermédio de uma das mais renomadas companhias de dança do mundo.
Participaram da reunião a coordenadora do Pro Paz, Izabela Jatene, e o presidente do IAP, Heitor Pinheiro. Justin Thomas ressaltou que o programa prevê oficinas durante cinco dias, culminando com um espetáculo no Theatro da Paz. Os ensaios serão de 7 a 11 de maio.

Texto:
Jeferson Medeiros-IAP






Juízes que fizeram curso de
manuseio de armas
recebem certificados

O delegado-geral da Polícia Civil, Nilton Atayde, entregou nesta sexta-feira (20) os certificados de conclusão do treinamento teórico e prático para manuseio de armas de fogo curtas ministrado por policiais civis do Grupo de Pronto-Emprego (GPE) aos juízes Rogério Cavalcanti, Wagner Soares, Adriano Farias e Haila Haase, do Tribunal de Justiça do Estado (TJE).
Durante uma semana, os magistrados estiveram na base do GPE, no Complexo da Polícia Civil, e no Estande de Tiros do Instituto de Ensino de Segurança do Pará (Iesp), em Marituba, onde receberam as instruções da equipe formada pelos investigadores Ivander Martins, Eric Cavalcante, Pery Ubiratan e Marcos Sena. Os juízes Rogério, Wagner e Adriano integram a Vara de Combate ao Crime Organizado e Entorpecentes, do TJE; Haila Haase atua na Vara Distrital de Mosqueiro. A entrega dos certificados teve a presença do delegado-geral adjunto, Rilmar Firmino de Sousa.
Após o recebimento do certificado, no gabinete do delegado-geral, o juiz Wagner Soares agradeceu à Polícia Civil pelo treinamento e pelo repasse dos conhecimentos. Ele se colocou à disposição para participar de outros cursos e promover o intercâmbio de conhecimentos. Ressaltou ainda que vai multiplicar o aprendizado entre outros juízes do TJE e repassar os resultados do treinamento à presidência do tribunal.
O juiz Rogério Cavancanti elogiou a qualidade dos profissionais da instituição. “A Polícia Civil me surpreendeu porque eu não sabia que havia profissionais desse nível”, enfatizou, ao se referir aos policiais civis do GPE. O delegado-geral enfatizou a parceria entre o Poder Judiciário e a instituição policial. Para ele, a promoção de um curso voltado aos integrantes da Justiça é importante para se criar uma confiabilidade cada vez maior entre os policiais e os juízes.
O investigador Eric Cavalcante, do GPE, avaliou como positivo o treinamento e salientou existir uma pretensão de se estender o mesmo treinamento para um número maior de membros do Poder Judiciário. Os juízes receberam orientações sobre manuseio e manutenção do armamento em primeiro escalão (manutenção básica), e noções teóricas e práticas sobre saque, empunhadeira e tiro ao alvo.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil






Tecnologia vai impulsionar
ensino a distância no Pará

O acordo de cooperação técnico-científico destinado à criação do Serviço Estadual para o Uso de Tecnologias no Ensino a Distância (Seuted) foi assinado nesta sexta-feira (20), por representantes da Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa), Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Universidade do Estado do Pará (Uepa), Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e Escola de Governo do Pará (EGPA).
Ao apresentar o projeto, o presidente da Prodepa, Theo Pires, destacou a importância da convergência de ações, alinhada ao novo modelo de gestão para resultados, implantado na última quinta-feira (19) pelo governo do Estado, para otimizar gastos e ampliar o atendimento à sociedade. “O portal busca consolidar e veicular iniciativas numa mesma plataforma de trabalho, ampliando a capacidade de ensino do Estado e reduzindo os custos de telecomunicação. O projeto deve impulsionar a qualidade de vida da população, com a capacitação do ensino a distância, de acordo com as necessidades de cada município”, afirmou.
O portal utilizará a plataforma moodle, por ser de fácil adaptação, sem custos, usada pela maioria das instituições de ensino, públicas e privadas, e com recursos pedagógicos essenciais para a educação a distância. Já estão disponíveis dois cursos livres do Programa NavegaPará - o de Sistema Operacional Ubuntu e Desvendando a Informática.
Durante o evento também foi lançado o ProTV (www.protv.pa.gov.br), repositório de áudio e vídeo que armazenará todo o conteúdo audiovisual do Estado. De acordo com Anderson Góes, o objetivo do ProTV é disseminar informações, auxiliar na transparência administrativa e possibilitar a integração de conteúdo do Estado. “Totalmente integrado ao Seuted, o Protv disponibilizará todas as nossas videoaulas para o ensino a distância”, ressaltou ele. Entre as vantagens da ferramenta estão o tráfego de dados pela rede do NavegaPará, a portabilidade, o controle de conteúdo e a divisão por categorias.
“A expectativa é muito grande para que o Estado tenha uma política de educação a distância, e esta iniciativa é o primeiro passo nesse sentido”, disse Ruy Martini Santos Filho, diretor geral da EGPA.
Para Marília Brasil Xavier, reitora da Uepa, a nova ferramenta facilitará o acesso à informação, ao conhecimento, à educação, principalmente por sua característica integradora. “O NavegaPará deu um diferencial para a Uepa, que já utiliza videoconferência nos campi espalhados pelo Estado. E a possibilidade de contribuir com conteúdo e experiência em capacitação é maravilhosa. A importância do uso das tecnologias de informação e comunicação na educação é irreversível. Outras etapas virão e precisaremos expandir ainda mais essa utilização”, frisou.

Texto:
Natia Ney-Prodepa




Feriado de Tiradentes não
interrompe os principais
serviços do Estado

O feriado de Tiradentes, neste sábado (21), não afeta o funcionamento de órgãos e serviços públicos, em razão de ocorrer durante o fim de semana. Apenas o serviço de emissão de documentos feito pelo Departamento de Identificação de Policia Civil não estará disponível sábado. O Mangal das Garças funciona normalmente, no seu horário normal de atendimento ao publico, que é das 9 às 18 horas. Na Estação das Docas, o horário de funcionamento permanece o mesmo (das 10 às 3 horas), com uma programação musical especial nos palcos deslizantes.
Na área de segurança pública funcionam normalmente as onze seccionais de polícia da capital, com o registro das ocorrências policiais, além da Unidade Pro Paz Terra Firme. As situações em flagrante serão encaminhadas às duas centrais de flagrante de Belém, localizadas nos bairros de São Bras e Cidade Nova.
A população também conta com os números do Centro Integrado de Operações (Ciop) 190 e com o Disque Denuncia 181. Ocorrências envolvendo poluição sonora podem ser denunciadas para o Disque Silêncio, nos telefones da Delegacia do Meio Ambiente: 9987-9712 e 3238-3132.
As unidades de emergência à saúde da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) no bairro da Pedreira e no Hospital Abelardo Santos, em Icoaraci, estarão atendendo normalmente. A Fundação Hemopa também abre as portas no feriado e espera que cerca de 200 voluntários doem sangue. O funcionamento será normal, de 7h30 às 17 horas.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom






Termo prevê plano para
desenvolvimento
sustentável em Portel

O projeto de Desenvolvimento Local de Portel, na ilha d Marajó, avançou mais uma etapa. Os institutos de Desenvolvimento Florestal (Ideflor) e de Terras do Pará (Iterpa), a Prefeitura de Portel e o Sindicado dos Trabalhadores Rurais do município assinaram um termo de compromisso para a implantação do plano de uso dos recursos naturais nas comunidades de Jacaré Puru, Acangatá, Alto Camapari e Acutipereira.
São cerca de 260 mil hectares de terras devolutas, degradadas pela indústria madeireira e onde o Estado pretende fazer o ordenamento fundiário e ambiental para o fortalecimento da organização comunitária das duas mil famílias que lá moram. A primeira etapa desse processo foi o Diagnostico Rural Participativo, com levantamento das comunidades locais.
Além da organização do uso dos recursos naturais, o Iterpa está regularizando as áreas, com a discriminação e a arrecadação fundiária. Após o georreferenciamento e o levantamento cartorial, os quatro territórios serão transformados em glebas públicas para projetos de assentamento. O projeto também prevê a potencialização do uso econômico das áreas envolvidas, com planos de negócio.
Segundo o técnico em gestão ambiental do Ideflor, Daniel Frances, as terras em questão foram bastante exploradas pela indústria madeireira, sem qualquer retorno para a comunidade local. “Serão desenvolvidos projetos de geração de renda para as familiais que dependem da floresta”, explica.
Daniel Frances diz que mesmo com a exploração desordenada, a terra ainda é rica em recursos naturais, como a madeira, sementes e oleaginosas. “A madeira pode ser usada na movelaria no artesanato. Também podemos trabalhar a produção essenciais e óleos, como andiroba e outros”, destaca.
O trabalho voltado para o cooperativismo também é uma das metas do projeto, que prevê a adoção de praticas sustentáveis dos recursos naturais, restauração das florestas em áreas alteradas processamento e comercialização de produtos e serviços florestais e agroflorestais em escala comercial de produção com enfoque agroecológico.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom






Arrecadação do Pará cresce
11.6% entre janeiro
e março de 2012


A receita própria do Pará cresceu 11,6%, em termos reais, e 18,7% em termos nominais entre janeiro e março de 2012, em comparação ao mesmo período do ano passado. Os principais segmentos responsáveis pelo crescimento foram combustíveis, telecomunicações, comércio atacadista e bebidas. A  receita transferida somou R$ 1,1 bilhão, representando 36% da receita total do Estado no primeiro  trimestre  de 2012. A receita total no mesmo período chegou a R$ 2,8 bilhões, informou nesta sexta-feira (20) o titular da Secretaria de Estado da Fazenda, José Tostes Neto.
O Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de  Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de  Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), principal tributo estadual, somou  R$ 1,5 bilhão, e teve um crescimento real de 11,9%, e nominal de 19%, em relação ao primeiro trimestre de 2011.
O Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) arrecadou R$ 67,3 milhões, num crescimento real de 9,7%, e nominal de 16,5%, em comparação a 2011, enquanto o
Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doações (ITCD) arrecadou R$ 4,2 milhões. Este foi o único imposto em que não houve crescimento, em decorrência da arrecadação atípica no valor de R$ 4,9 milhões em março de 2011. No ano passado, a Sefa realizou uma operação de cobrança de valores relativos ao ITCD atrasados, com base em informações fornecidas pela Receita Federal sobre o Imposto de Renda, em relação a doações.
Considerando dados divulgados pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) sobre a arrecadação de ICMS em 24 Estados, até fevereiro deste ano, o Pará ocupa a 7ª posição do ranking de crescimento em 2012, em relação ao mesmo período do ano anterior, sendo o Estado com maior volume de arrecadação da Região Norte em 2012.
Tecnologia - O secretário de Estado da Fazenda, José Tostes Neto, avaliou os resultados do primeiro trimestre como positivos, e lembrou que as administrações tributárias se beneficiam dos instrumentos tecnológicos, como a Nota Fiscal Eletrônica (NFe) e o Sistema Público de Escrituração Fiscal Digital (Sped). “Os números indicam bons resultados, especialmente do ICMS", disse ele.
O secretário informou, ainda, que a Sefa vem realizando ações de fiscalização e controle sobre o uso do Emissor de Cupom Fiscal (ECF), que é obrigatório para o comércio varejista, com faturamento superior a R$ 120 mil ao ano.
As perspectivas para a arrecadação deste ano são boas porque, segundo o secretário, há uma expectativa de crescimento na economia nacional. A previsão é de que arrecadação própria do Estado cresça 8% em termos reais, em relação ao ano passado.
Além do secretário José Tostes Neto, participaram da divulgação dos dados o subsecretário de Administração Tributária, Nilo Rendeiro de Noronha, e a diretora de Arrecadação e Informações Fazendárias, Edna Farage.

Texto:
Ana Márcia Pantoja-Sefa






Novo modelo de gestão
pública investe no
turismo sustentável

O titular da Secretaria de Estado de Turismo do Pará (Setur), Adenauer Góes, e a presidente da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), Socorro Costa, assinaram na tarde da última quinta-feira (19) termo de compromisso com o Modelo de Gestão para Resultados, lançado na ocasião pelo governador Simão Jatene. O novo modelo, que envolve praticamente todas as áreas da gestão pública, foi lançado durante cerimônia no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia.
Na área do turismo o novo modelo permitirá a tabulação permanente de dados quantitativos e qualitativos sobre os programas, projetos, ações e serviços desenvolvidos a partir do Sistema Estadual de Gestão do Turismo (Segetur), que inclui a Setur, Paratur e Fomentur (Fórum de Desenvolvimento Turístico do Pará), seguindo as diretrizes do “Ver-o-Pará”, que é o Plano Estratégico de Turismo do Pará.
O Plano Estratégico do Turismo Paraense, lançado em 11 de novembro do ano passado, aborda desenvolvimento e marketing e aponta dois eixos prioritários de investimento: a promoção do turismo paraense nos mercados prioritários – tanto regional, como nacional e internacional –, usando ferramentas de inteligência de mercado, missão da Paratur e o desenvolvimento e fomento de novos produtos turísticos, além do fortalecimento das políticas públicas de turismo, missão da Setur.
Fazem parte do plano, elaborado com apoio e consultoria da empresa espanhola Chias Marketing, nove macroprogramas que vão direcionar os novos rumos do turismo paraense, com 42 projetos de desenvolvimento turístico e 26 projetos voltados para ações de marketing. A execução do Plano contempla também as metas estabelecidas para o setor do turismo pelo governador Simão Jatene, a partir do lançamento do novo Modelo de Gestão para Resultados.
Entre as metas estabelecidas pelo governo do Estado, visando o desenvolvimento do turismo sustentável como garantia de geração de emprego e renda e melhor qualidade de vida à população, por meio do programa Turismo na Amazônia e das ações de acessibilidade e logística de transporte para o Marajó, estão: a implantação de projetos do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur); produção do inventário turístico do Pará; e a promoção e divulgação do Pará.
Também estão previstos: a construção de centros de convenções; fomento à diversificação do turismo e da pesca esportiva como atrativo turístico, e a implantação de banco de dados do turismo. Também são metas o cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor do turismo, além de qualificação de profissionais do turismo, fortalecimento da comunicação pública governamental, com implementação de ações de publicidade aplicada ao turismo nacional e internacional.
A revitalização e preservação da memória e identidade cultural, ações de pesquisa e inventário do patrimônio cultural, pacto pelos direitos humanos por meio do combate ao abuso de crianças e adolescentes no turismo também estão no acordo assinado pelos dirigentes da área do turismo, dentro do novo Modelo de Gestão para Resultados, lançado pelo governador Simão Jatene. As metas visam melhorar a presença do destino Pará e dos seus produtos turísticos nos mercados nacionais e internacionais.
O lançamento do Modelo de Gestão para Resultados e a parceria entre os gestores da Paratur e da Setur foram temas também de uma primeira reunião com os servidores da Paratur, na manhã desta sexta-feira (20), na sede da companhia. Na ocasião, Adenauer Góes e Socorro Costa assumiram o compromisso juntos aos profissionais que atuam na linha de frente do turismo paraense de continuidade e fortalecimento do Plano Estratégico do Turismo do Pará, visando bons resultados ao setor, que garantiu em 2011 a visitação de mais de 700 mil turistas.

Texto:
Benigna Soares-Paratur








Lançamento da Cartilha sobre
Condições das
Comunidades Quilombolas

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio da Coordenação Estadual de Saúde Indígena e Populações Tradicionais, lança neste sábado (21), às 8h30, no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, a Cartilha sobre as Condições de Vulnerabilidade das Comunidades Remanescentes de Quilombos. A Cartilha é produto do Convênio 1.683/2008/MS, que teve o objetivo de pesquisar 135 comunidades quilombolas, em 33 municípios do Pará, visando a construção de políticas públicas que atendam às necessidades dessas populações.
O evento faz parte da programação do XVI Congresso Médico Amazônico, promovido pela Sociedade Médico Cirúrgica do Pará, com apoio da Sespa e outras instituições.
Municípios envolvidos: Abaetetuba, Acará, Alenquer, Almeirim, Augusto Corrêa, Bagre, Baião, Belém (Distrito de Mosqueiro), Bragança, Bonito, Cachoeira do Piriá, Cametá, Colares, Concórdia do Pará, Gurupá, Igarapé-Miri, Inhangapi, Irituia, Mocajuba, Moju, Monte Alegre, Muaná, Óbidos, Oeiras do Pará, Oriximiná, Ourém, Porto de Moz, Salvaterra, Santarém, São Miguel do Guamá, Santa Luzia do Pará, Santa Izabel do Pará e Viseu.



Estado auxilia municípios
atingidos pelas cheias
no oeste paraense

Até o início de maio, o nível dos rios Amazonas e Tapajós, no oeste paraense, deverá atingir 8 metros, ultrapassando cerca de 50 centímetros da cota de alerta. A previsão é da Defesa Civil do Estado, que monitora diariamente a situação em todos os municípios do Pará durante o período chuvoso na região. O órgão auxilia cinco cidades que já declararam situação de emergência por causa da cheia dos rios. Equipes verificam as necessidades de cada município, para encaminhar recursos do Estado e solicitar ajuda ao Ministério da Integração, por meio da Secretaria Nacional de Defesa Civil.
De acordo com o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel José Almeida, do Corpo de Bombeiros, o órgão enviou técnicos para auxiliar a Defesa Civil dos 14 municípios, que estão sofrendo com as cheias no oeste. Desse total, somente cinco declararam, até agora, situação de emergência. “Porto de Moz, Almeirim, Alenquer, Monte Alegre e Óbidos são os municípios em situação de emergência, e por isso estão recebendo maior atenção. Os nossos técnicos estão dando apoio às cidades, verificando a infraestrutura necessária para atender a população”, informou.
O coronel José Almeida explicou que a partir deste levantamento, feito nas cidades em situação de emergência, o Estado destinará recursos, e solicitará apoio ao Ministério da Integração, para atender a população. “Os municípios que declararam situação de emergência já esgotaram a capacidade de atender a população, por isso estamos prestando este auxílio. O apoio do governo federal deverá vir assim que o Ministério reconhecer o estado de emergência nessas cidades”, acrescentou o coronel.
O trabalho de monitoramento da Defesa Civil, além de mostrar que o nível do Tapajós e do Amazonas ainda deve subir, verificou que as cheias dos rios ameaçam também cidades que estão próximas à região do Baixo Amazonas, como Aveiro. Outra verificação, segundo o coordenador da Defesa Civil no Estado, é a redução do nível dos rios Xingu e Tocantins, nas regiões sudoeste e sudeste do Pará, respectivamente. O coronel disse que as cidades que estão à margem desses rios estão saindo da situação de alerta.

Texto:
Thiago Melo-Secom








Mostra de Ciência e Cultura
chega ao município de Terra Alta

A quarta parada da Mostra Camillo Vianna de Ciência e Cultura será no município de Terra Alta, nordeste paraense, a 101 quilômetros de Belém. O evento pretende levar atividades voltadas à educação ambiental e experimentos físicos, por meio de exposições, palestras, oficinas e atividades lúdicas. A organização espera receber, também, visitantes de municípios próximos, como Castanhal, Curuçá, São João da Ponta, Marapanim e Marudá, num total de quatro mil estudantes de 15 escolas municipais e estaduais.
Como parte da programação, o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) apresentará o “Programa Natureza”, uma atividade similar a um programa de auditório interativo, comandado pelo personagem “Macaco Ximbica”. O objetivo é sensibilizar os estudantes quanto aos problemas relativos ao meio ambiente e como suas atitudes podem ajudar a preservá-lo. O roteiro do programa conta com alguns quadros, como encenação de peça teatral, hora do conto amazônico, gincana, dinamização de jogos e kits educativos e distribuição de brindes.
Outra atividade do museu é a exposição “Fauna e Flora em Lendas”, em que algumas lendas amazônicas são contadas com por meio de elementos que ajudam na ambientação do público, como animais taxidermizados, açazeiros, pés de mandioca, tabaco e outros. A programação ainda inclui a apresentação de teatro de bonecos, palestra sobre a história da aviação, oficina de origami e seminário sobre a evolução da comunicação, além de outras atividades.
A Mostra Camillo Vianna de Ciência e Cultura é um evento que antecede a Semana Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, que acontece em todo o Brasil. Este ano, o evento acontece em outubro, com o tema "Economia verde, sustentabilidade e erradicação da pobreza”. No Pará, o evento será comemorado com a V Feira Estadual de Ciência e Tecnologia.
Serviço: Mostra Camilo Vianna de Ciência e Cultura. De 26 e 27 deste mês, das 8h30 às 17h30, na Escola Inácio Passarinho (travessa São Francisco, 247, Terra Alta). Mais informações: 4009-2514/ 8146-6642.

Texto:
Raphael Freire-Secti








Levantamento permitirá à Cohab
atender famílias na
Comunidade Acampamento

Após uma reunião com representantes da Comunidade do Acampamento, no bairro do Guamá, em Belém, a Companhia de Habitação do Pará (Cohab) realizou esta semana um levantamento dos ocupantes da área, para fazer o controle de famílias ali instaladas. "O objetivo é atualizar as informações relativas às famílias que estavam ocupando o local, para saber exatamente o número de construções existentes", informou a assistente social da Companhia, Sinara Rabelo, responsável pelo trabalho.
O levantamento foi necessário, pois há cerca de 30 dias vem aumentando o número de ocupações. Pessoas estão invadindo o terreno, onde a Secretaria de Integração Regional, Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Seidurb) realiza intervenções para garantir o saneamento do Canal do Tucunduba, dentro do Projeto Tucunduba.
Já foi firmado um acordo entre a Cohab e o Ministério Público, em 2009, garantindo a moradia e a entrega de apartamentos no Residencial Liberdade para 63 famílias da comunidade. Lideranças comunitárias solicitaram à Cohab que mais 36 famílias fossem incluídas nessa entrega de unidades habitacionais, mas a direção da Companhia está preocupada com o aumento do número de invasores.
"Com o processamento das informações coletadas, vamos cruzar com os dados de 2008, relativos às 63 famílias, assim como os outros processos que deram entrada na Companhia depois disso. A partir daí, vamos elaborar um relatório para deliberar sobre o assunto", informou Sinara Rabelo.
Para a presidente da Cohab, Noêmia Jacob, somente de posse desse levantamento é que será definido o destino das famílias que ocuparam o terreno após o acordo feito com o Ministério Público."Precisamos levantar a condição dessas moradias e a situação social de cada família, por isso esse levantamento se faz necessário para tomarmos uma decisão", declarou a presidente.
Segundo  levantamento feito na última terça-feira (17), 102 casas estão ocupadas por famílias, e 64 são casas que ainda estão em construção.

Texto:
Rosa Borges-Cohab








Idesp promove seminário
de avaliação de políticas públicas

O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) promove terça-feira (24) a série de debates “Diálogos sobre desenvolvimento”, com o tema central “Avaliação de políticas públicas e programas governamentais: as experiências do Governo do Pará”. O debate acontece no momento em que é lançado um novo modelo de gestão da administração pública paraense, denominado Gestão para Resultados.
O modelo permitirá o monitoramento das ações e investimentos feitos pelo Estado, tornando a administração mais eficiente e transparente, a fim de garantir resultados mais concretos. O objetivo é uma prestação eficiente de serviços à população com o cumprimento dos programas previstos no Plano Plurianual (PPA) 2012-2015 e na Agenda Mínima.
O contexto do PPA, inclusive, será um dos temas do primeiro painel do seminário, com a presença de representantes da Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof), que ressaltarão o relatório de avaliação do PPA 2008-201, além das diretrizes e avaliações prévias do plano atual. Na mesma mesa, a Defensoria Pública do Estado destacará suas experiências de planejamento e avaliação de ações, usando procedimentos da pesquisa do Idesp intitulada “Redescobrindo o assistido”.
A segunda mesa terá a presença do coordenador do projeto Redescobrindo o assistido, Josep Pont Vidal, que apresentará os resultados do primeiro ano da pesquisa, a qual avaliou atendimento, infraestrutura e tecnologia entre outras características internas e externas dos núcleos da Defensoria Pública instalados na Região Metropolitana de Belém (RMB).
Serviço: o seminário acontece terça-feira (24), às 9 horas, no auditório do Idesp (rua Municipalidade, 1.461, esquina com a travessa Dom Pedro I). As inscrições podem ser feitas gratuitamente pelo sitewww.idesp.pa.gov.br.

Texto:
Fernanda Graim-Idesp






Sespa combate a subnotificação
dos casos de Chagas no Estado

Com objetivo de reduzir a ocorrência de casos e combater a subnotificação de Chagas no Pará, a coordenação estadual de Controle da Doença de Chagas da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) alerta os municípios sobre a atualização dos registros para o diagnóstico precoce. A intenção é que pacientes com casos positivos sejam tratados antes de evoluírem para a fase crônica.
Segundo a coordenadora estadual de Controle da Doença de Chagas, Elenild Góes, é de fundamental importância que os municípios prestem atenção para as notificações. Ela destacou a necessidade do comprometimento do 1°, 6°, 7º e 8° Centros Regionais de Saúde que abrangem os municípios onde se concentram 80% dos casos de Chagas no Estado. “Devemos aumentar a sensibilidade para a notificação, pois com o caso notificado diminuímos a possibilidade de óbito, além de possibilitar a detecção de outros casos. Com isso, o paciente é encaminhado imediatamente para as referências de atendimento  do Estado”, afirmou.
No Pará, 86 municípios são considerados prioritários para a doença, segundo o Plano de Intensificação de Controle da doença de Chagas. Em parceria com o Departamento de Vigilância Epidemiológica, Vigilância Laboratorial, Atenção Básica, Atenção de Média e Alta Complexidade, Vigilância Sanitária, Vigilância Ambiental e Entomológica e Educação em Saúde, o plano desenvolve ações estratégicas que visam à capacitação de equipes técnicas para garantir atendimento na capital e em todos os municípios, além de assegurar medicação especifica, o diagnóstico, tratamento e acompanhamento ao paciente. As ações previstas têm como objetivo a redução da ocorrência de casos e a diminuição da exposição ao risco para transmissão vetorial e oral por alimentos e ainda a redução da mortalidade pela doença.
O trabalho também envolve a investigação da presença de barbeiros nas áreas onde os casos são detectados, uso de armadilhas para captar barbeiros, orientação às comunidades sobre os cuidados com a presença do inseto e a identificação dos mesmos nos municípios de risco.
Elenild Góes alerta a população para a safra do açaí que começa em junho, período em que ocorre o aumento de número de casos. Ela ressaltou que os cuidados devem ser redobrados com a manipulação do fruto, que deve ser lavado com água tratada e ficar pelo menos vinte minutos de molho em uma mistura de 80 ml de hipoclorito. “O branqueamento pelo qual passa o fruto de  80º por 10 segundos, continua sendo o processo mais seguro para eliminar  o Trypanosoma cruzi, responsável pelo surgimento da doença de Chagas. Por meio de capacitações de batedores de açaí em boas práticas de manipulação de alimentos, contribuímos para a diminuição do risco de transmissão oral por alimentos”, observou.
No Pará, a doença de Chagas vem se destacando pelo número de casos agudos, sendo que muitos ocorrem por transmissão oral. De acordo com a Coordenação Estadual de Doenças de Chagas, neste ano foram registrados 15 casos confirmados da doença. Oeiras do Pará e Abaetetuba são as cidades que estão no topo nos números de incidência. Na capital os bairros de Jurunas, Pedreira e Guamá são onde se tem mais casos da doença.
O diagnóstico parasitológico que detecta a presença do parasita no sangue de pacientes suspeitos é feito nos municípios pelos mesmos técnicos do controle da malária. O diagnóstico sorológico é feito no Laboratório Central do Estado (Lacen), referência e certificado neste mês pela Fundação Ezequiel Dias (Funed) para a doença de Chagas.
Os hospitais Barros Barreto, Hospital de Clínicas e Hospital Regional do Marajó são referência para a realização do seguimento clínico. Segundo Elenild a idéia é capacitar todos os hospitais Regionais para se tornarem referência em doença de Chagas no Estado. O paciente de Chagas tem que tomar o benzonidazol por dois meses e fazer o seguimento clínico por cinco anos. Eles devem fazer regularmente exames como Eletrocardiograma, Raio X de tórax, Ecocardiograma entre outros.

Texto:
Edna Sidou-Sespa






Dioe e Conselho Regional de
Odontologia desarticulam
exercício ilegal da profissão

Um equipamento completo e instrumentos para procedimentos odontológicos, além de próteses e produtos químicos, como resinas acrílicas e até pasta profilática vencida desde 2004. Tudo foi apreendido na casa de Agripino Bastos, de 64 anos, no bairro do Tapanã, em Belém, nesta sexta-feira, 20, durante operação da Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe), da Polícia Civil, em parceria com o Conselho Regional de Odontologia (CRO) do Pará.
Em frente ao imóvel, situado na rua do Ranário, perto da feira do bairro, havia duas placas que indicavam que no local eram feitas próteses dentárias. No entanto, até procedimentos odontológicos, como extração, eram realizados em um pequeno compartimento anexo à sala da casa, transformada em uma espécie de consultório. Nesse compartimento, a equipe de policiais civis, sob comando da delegada Rosamalena Abreu, titular da Delegacia do Consumidor (Decon), vinculada à Dioe, encontrou um aparelho chamado equipo-odontológico, datado da década de 1980, enferrujado, que era usado no atendimento aos clientes.
Também foram apreendidos um refletor odontológico, cuspideira e estufa, tudo em precárias condições, além de instrumentos cirúrgicos, como buticão e pinças, entre outros materiais. De acordo com o delegado Neyvaldo Silva, diretor da Dioe, a operação foi articulada mediante denúncias recebidas pelo CRO sobre locais em que era praticado o exercício ilegal da Odontologia.
Diante das informações, a equipe da Dioe fez um levantamentos nos endereços. Nesta sexta-feira, o presidente do CRO, Roberto Pires, e o fiscal do Conselho, Bruno Dias, estiveram na Dioe, pela manhã, para acompanhar a operação policial. No auditório da Divisão, o delegado e os representantes do Conselho definiram dois endereços, um no bairro do Tapanã, na rua do Ranário, e o outro na Rua Nova, bairro da Pedreira. Duas equipes saíram da Dioe com destino aos pontos indicados. Na Pedreira, o local estava fechado. Já, no Tapanã, a delegada Rosamalena Abreu e equipe flagrou o crime. De imediato, todos os equipamentos, instrumentos e materiais usados em preparo de próteses dentárias foram apreendidos.
Aos policiais, Agripino Bastos admitiu que não tem registro para exercer a atividade, por não ser formado em Odontologia. Ele tentou se justificar alegando que não sabia da obrigatoriedade de ter registro no CRO para exercer a atividade odontológica. E afirmou, ainda, que os equipamentos pertenciam ao seu pai, que era dentista, e que já trabalha dessa forma há vinte anos. “No meu tempo, os protéticos passavam de um para o outro a prática”, justifica.
Ele chegava a cobrar de R$ 30 até R$ 50 por consulta. De acordo com o presidente do CRO, o uso de produtos químicos fora do prazo de validade para preparo de próteses dentárias pode causar sérios danos à saúde dos clientes. “As pessoas correm risco de adquirir desde vírus HPV, HIV e diversos tipos de contaminação na boca”, explica.
Ainda, segundo ele, só o fato do senhor Agripino colocar anúncio de serviço de prótese dentária em frente à sua casa já se institui em ilegalidade, pois é proibido por lei o anúncio de oferta de prótese odontológica. Conforme Pires, em média, o CRO recebe 15 denúncias por mês de exercício ilegal da Odontologia. Os casos são comunicados às autoridades para investigação. O delegado Neyvaldo Silva enfatiza que a Dioe tem uma parceria com o Conselho no sentido de apurar as denúncias. Agripino foi enquadrado em flagrante por exercício ilegal da Odontologia e por induzir o consumidor a erro, crimes que só podem ser afiançados na Justiça. O material ficará apreendido na Dioe à disposição da Justiça.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil









São José Liberto leva artesanato
do Pará à feira
internacional na Itália




O artesanato paraense exposto e comercializado no Espaço São José Liberto será uma das atrações da 76ª Feira Internacional de Artesanato, que acontecerá de 21 a 29 de abril na Fortezza da Basso, uma fortificação do século XVI localizada na cidade de Florença, na Itália. O convite para integrar a mostra foi feito ao Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (igama), instituição gerenciadora do São José Liberto, pela Embaixada do Brasil em Roma.
A diversidade dos produtos artesanais do Pará vai compor o estande institucional do Brasil, com 60 metros quadrados, onde também estará a produção de pequenas empresas e de artesãos do Estado do Amazonas. O público que visitar a feira, voltada à divulgação de produtos de vários países e oportunidades de negócios, verá no estande do Brasil, sob a responsabilidade do Setor de Promoção Comercial e Investimentos da Embaixada do Brasil em Roma, 42 peças representativas de tradicionais tipologias do artesanato paraense.
O Igama participa da mostra com cerâmica tapajônica (ídolos e vasos), miniaturas em balata, cuias pintadas e grifadas, sachês de patchouli e folhas da árvore do cupuaçu (criados pela empresa Ornatos), bolsas feitas com a fibra tururi e adornos, com destaque para um colar confeccionado em madrepérola de rio, couro e casca de pupunheira, de autoria da designer de joias Lídia Abrahim.
Encauchados
Outro produto inovador que representa o Pará na Feira de Florença é o encauchado, produto originário do látex da seringueira, desenvolvido dentro do Projeto Encauchados de Vegetais da Amazônia, criado pelo professor Francisco Samonek, mestre em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais, e já presente em quase 50 comunidades, espalhadas por quatro Estados da Amazônia – Pará, Amazonas, Acre e Rondônia.
O projeto conta com o apoio do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (Naea), da Universidade Federal do Pará (UFPA), e da Universidade Federal do Acre (Ufac), além do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Comunidades extrativistas, ribeirinhos e quilombolas produzem objetos utilitários com a técnica do encauchado, que integram a variedade de produtos encontrada na Casa do Artesão, no São José Liberto.
“Também vamos divulgar na Feira o Espaço São José Liberto, como local de criação, produção e comercialização de joias e artesanato do Pará, e ainda como atração turística e representação do patrimônio arquitetônico da região”, destaca Thiago de Albuquerque Gama, coordenador do setor comercial do Igama, que participará da mostra, dando continuidade à diretriz do Instituto de incentivo e valorização do artesanato paraense, no Brasil e no exterior.
A 76ª Feira Internacional de Artesanato é organizada pela Firenze Fiera e patrocinada pela Região da Toscana, Província de Florença e Câmara Municipal de Florença. O evento conta com a parceria da CNA (Confederação Nacional Italiana para o Setor de Artesanato e das Pequenas e Médias Empresas); Confederação de Artesanato Italiano; Confederação Italiana de Comércio; Confederação Italiana dos Operadores de Comércio e Turismo; do Centro de Apoio ao Artesanato Artístico e Tradicional da Toscana; da Fundação de Apoio ao Artesanato Artístico de Florença e do Departamento de Arquitetura da Universidade de Florença.







Adepará muda data de vacinação
para realizar estudo
sobre aftosa no Estado

O Pará se prepara para ficar 100% livre da febre aftosa. Este é o objetivo do Estudo Epidemiológico que está sendo realizado nas áreas de vigilância da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) nas regiões do Baixo Amazonas e Arquipélago do Marajó (Área 3) e Nordeste (Área 2).
“Para uma área ser considerada livre de aftosa é obrigatório passar por esta pesquisa”, confirma André Reale, gerente de aftosa da Adepará. O estudo é feito em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Governo do Pará pretende conquistar o certificado internacional fornecido pela Organização Internacional de Epizootias (OIE) a entidade internacional da saúde animal. O Pará já possui este certificado na região produtora do Sul e Sudeste (Área 1). Esta área reúne a maior porcentagem do rebanho bovídeo do Pará, quase 77% do gado e búfalos criados no território do Estado, e está oficialmente livre de aftosa desde 2007.
A análise epidemiológica é dividida em três etapas. A primeira etapa do estudo é a qualificação do serviço veterinário de vigilância permanente realizada pela Adepará pelo Mapa. A Agência precisa de excelência neste quesito para passar para a segunda fase do processo. “A Adepará teve uma avaliação positiva com nota acima de 80% em auditoria feita pelo Mapa em fevereiro deste ano. Isso nos permitiu o passaporte para a segunda fase do estudo, que é o inquérito soroepidemiológico, ou seja a coleta e exame do sangue dos animais”, diz Reale.
Mudança
Para verificar se há a circulação do vírus da febre aftosa nas áreas 2 e 3 a Adepará montou um esquema de trabalho que começa com a mudança no calendário de vacinação das regiões que receberão os técnicos da agência. A imunização dos animais acontece geralmente no mês de maio, mas para que a pesquisa fosse feita ela teve de ser adiada. “A mudança da data de vacinação aconteceu apenas nas regiões do Baixo Amazonas e nordeste. Elas devem acontecer em junho deste ano. Os rebanhos do Arquipélago do Marajó serão vacinados na data prevista, que também é em junho. A mudança é fundamental para o estudo, pois se eu vacinar e depois fizer a análise, posso obter um resultado falso positivo devido a reação da vacina”, explica André Reale.
“No começo da segunda fase, além da mudança de data, nós fazemos o sorteio das propriedades que participarão do Estudo, que é feito por amostragem. Estes locais recebem a visita dos técnicos da Adepará, que realizam um trabalho de conscientização e explicação", complementa.
A coleta acontecerá em junho. Os locais selecionados não devem vacinar seu rebanho até a próxima etapa que acontece em novembro, com exceção do gado que faz trânsito interestadual e animais que irão participar de aglomerações, como feiras e exposições. Os técnicos da Adepará determinam quais serão os bovídeos pré-selecionados para o estudo e só podem participar os que tiverem entre 6 e 24 meses de idade. Os exemplares que serão testados são selecionados pelo Mapa.
Depois que o resultado das amostras for divulgado e caso sejam negativos para aftosa, as áreas 2 e 3 recebem o certificado nacional de região livre de aftosa dado pelo Mapa. Com este diagnóstico em mãos o governo federal encaminha uma solicitação à OIE, que avalia o caso em maio de 2013. “Se nós conseguirmos a certificação, nossa exportação poderá aumentar, pois aumenta o mercado consumidor que exige este certificado para compra de bovídeos, e por consequência aquece a economia local”, torce André Reale.

Texto:
Julia Garcia-Secom








Eduepa divulga inscrições homologadas

A Editora da Universidade do Estado do Pará (Eduepa) divulga as inscrições homologadas ao processo seletivo relacionado às apresentações de originais visando à publicação de livros de natureza técnico-científica. Para isso, foram lançados dois editais - um voltado para trabalhos criados por grupos de pesquisa da Uepa e outro voltado somente para trabalhos criados por professores dos programas de pós-graduação stricto sensu (mestrado) em funcionamento na instituição. O resultado final deve ser divulgado em 25 de maio. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (91) 3222-5600 e (91) 3222-5624.






Coleta seletiva de sangue é
tema de congresso médico

A Fundação Hemopa estará presente no XVI Congresso Médico Amazônico”, que será realizado de 21 a 25 de abril, no Hangar, em Belém. O hemocentro participará de uma mesa redonda na tarde do dia 23, que abordará os temas “Plasmaférese terapêutica” e “Plaquetaférese transfusional”, tendo como palestrantes as médicas Silvia Teixeira. Iê Regina Bentes e a enfermeira Nelma Chaves.
O atendimento de Plaquetaférese do hemocentro ficou mais ágil com a aquisição de mais uma máquina. O procedimento coleta sangue total e o separa em componentes. Com isso, a máquina de Aférese retém as plaquetas e devolve simultaneamente ao doador, as hemácias, leucócitos e plasma. Em outras palavras: o doador só retira o componente do sangue que o paciente vai precisar.
O procedimento é indicado, principalmente, em pacientes com risco de hemorragias. Além de não oferecer riscos de contaminação de doenças ao doador, a Plaquetaférese oferece a vantagem de um único doador retirar 10 unidades de produto mais concentrado, diminuindo a possibilidade de reação adversa no paciente, uma vez que a coleta convencional de sangue utiliza vários doadores para retirar o quantitativo que a Aférese retira de um único indivíduo.
Atualmente, o Hemopa possui 94 doadores cadastrados, entre servidores e voluntários externos. Segundo Nelma Chaves, no ano passado foram realizadas 89 coletas, e até março deste ano foram efetivadas 26 doações desse tipo. “O processo assegura menor exposição para receptor e manutenção do estoque”, destacou, convidando doadores de coleta convencional para experimentar o procedimento que beneficia diretamente aqueles que precisam de transfusão para sobreviver.
Os critérios para doação por plaquetaférese são os mesmos para doação de sangue convencional, acrescido de hemograma para pré-contagem de plaquetas.
Serviço: O Hemopa espera por você na Tv. Padre Eutíquio, 2109. O horário de coleta por aférese é de 8h as 13h, de segunda a sexta-feira. Mais informações: 0800 280 8118. 

Texto:
Vera Rojas-Hemopa









Primeira sala de amamentação do
Estado será inaugurada em Belém

O Hospital da Ordem Terceira, instituição privada que atende pacientes conveniados aos Sistema Único de Saúde (SUS), será o primeiro estabelecimento do Estado a inaugurar uma sala estruturada para que as funcionárias lactantes possam amamentar, retirar, armazenar e até doar leite materno. A área terá equipamento de esterilização de materiais, geladeiras em temperatura adequada, poltronas para o aleitamento e adequação a todas as normas fitossanitárias estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A solenidade de inauguração será realizada no próprio hospital, na próxima segunda-feira, 23, às 10 horas.
“Acreditamos nos benefícios da amamentação, não só relacionada à nutrição da criança, mas também à saúde psicológica do bebê, trazendo segurança para a vida toda e estímulo ao vínculo materno”, destaca a nutricionista da Coordenação Estadual de Saúde da Criança, Luísa Margareth, uma das envolvidas no processo de criação da sala, junto com sua coordenadora, médica pediatra Ana Cristina Guzzo, e o diretor do hospital, Ernan Fernandez.
O espaço no hospital Ordem Terceira foi projetado a partir das exigências técnicas para a instalação das salas de apoio à amamentação em empresas públicas ou privadas, que foram definidas pelo Ministério da Saúde e Anvisa na Nota Técnica Conjunta nº1, publicada no Diário Oficial da União, em 24 de fevereiro de 2010, por meio da Portaria 193. A iniciativa partiu do próprio hospital.
Para ajudar no processo, a equipe da Coordenação de Saúde da Criança da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) realizou, ainda em março, um treinamento teórico e prático para os funcionários do hospital sobre a melhor maneira de utilizar a nova sala. O lançamento da proposta de criação da sala surgiu durante um treinamento oferecido aos funcionários do hospital, que incluiu a palestra “Mãe trabalhadora”, ministrada pelo médico Antônio de Pádua Silveira, a exibição do filme “Amamentação”, comentado pela nutricionista Luísa Margareth, e o depoimento da coordenadora do projeto 'Bombeiros da Vida', tenente coronel Sílvia Cruz. Todos, inclusive, estarão presentes na inauguração do novo espaço.
A expectativa da Sespa, nos próximos meses, é que outras empresas, públicas e privadas, tenham a mesma iniciativa de criar um ambiente que facilite o acesso das mães a um local onde possam receber orientações adequadas para continuar amamentando exclusivamente no peito até os seis primeiros meses de vida do bebê e manter complementação do aleitamento até os dois anos de idade ou mais. "Importante também ressaltar que, na maioria das vezes, a mulher com a mama cheia de leite não dispõe de lugar ou privacidade para esvaziá-la. Com a sala de apoio na empresa, a mãe poderá trabalhar com a segurança de que seu bebê continuará sendo amamentado", explica a médica Ana Cristina Guzzo.
As empresas interessadas em ter sua sala de amamentação devem procurar a equipe da Coordenação Estadual de Saúde da Criança, que procederá aos encaminhamentos junto ao Ministério da Saúde, bem como na assessoria necessária em relação a treinamentos e outras orientações. Os contatos podem ser feitos pelo endereço da Coordenação, situada no Nível Central da Sespa, travessa Presidente Pernambuco, 489, entre as avenidas Gentil e Conselheiro; pelo telefone 4006-4305 e pelo e-mail dagp_crianca@yahoo.com.br.

Texto:
Mozart Lira-Sespa







Iasep lança programa de
prevenção durante
Congresso Médico Amazônico

O Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) lança em 24 de abril o “Programa de Gerenciamento de Fatores de Risco e Doenças Crônicas”. Na tarde de palestras, a programação do instituto inclui ainda abordagens sobre “Epidemiologia em Plano de Saúde” e “Medicina baseada em evidências”.
Apresentado pelo geriatra Vasco Vieira, o Programa promove ações de prevenção em saúde aos idosos. Aliado a uma ampla ação de recadastramento, o programa é uma das medidas a serem adotadas visando a retomada da inclusão de genitores no plano de assistência do Iasep. Especialista em Saúde pública e administração hospitalar, o médico José Raimundo da Silva Árias vai abordar questões atuais da epidemiologia em plano de saúde, sob a visão do Iasep.  “Medicina baseada em evidências” será o tema da palestra da médica Claudia Hanna Piqueira Diniz, especialista em auditoria e perícia.
Programação
24/04/2012, terça-feira, Sala Dr. João Fecury
14h/15h10
Epidemiologia em plano de saúde
Questões atuais da epidemiologia abordadas sob a visão do Plano de Assistência dos Servidores Públicos do Estado
Palestrante: Dr. José Raimundo da Silva Árias
15h10/16h20
Medicina baseada em evidências
Palestrante: Dra Claudia Hanna Piqueira Diniz,
16h40/18h
Programa de gerenciamento de fatores de risco e doenças crônicas
Uma introdução às estratégias de promoção e prevenção em saúde adotadas pelo Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado - Iasep.
Palestrante: Dr. Vasco Fernando Menezes Vieira







Remo prepara a artilharia para
a final do campeonato paraense

Após a desclassificação na Copa do Brasil, diante do Bahia, o Leão volta a focar a decisão do segundo turno do Campeonato Paraense. A primeira partida da final será realizada em Marabá, neste domingo, dia 22, às 16h, no estádio Zinho de Oliveira, contra o Águia.
Para o confronto diante do Águia, os azulinos terão a volta do volante André, peça importante na marcação da equipe e que ficou de fora da partida válida pela Copa do Brasil. André cumpriu suspensão na competição nacional e tem retorno assegurado para o primeiro desafio da grande final do segundo turno do campeonato estadual. Além de André, o técnico Flávio Lopes terá Cassiano em melhores condições. O jogador foi poupado da partida em Salvador e é uma das opções para a equipe titular.
O Águia de Marabá não teve a mesma sorte do Clube do Remo e vai para o primeiro jogo da final com o desfalque de Marquinhos, jogador importante no esquema tático do técnico João Galvão. Após o treinamento coletivo realizado na última quinta-feira, 19, no palco do jogo, tudo indica que Diego Biro deve ser o substituto, tendo o restante da equipe a mesma formação que eliminou o Paysandu na fase semifinal.
A segunda partida entre Remo e Águia está marcada para o próximo domingo, dia 29, no Estádio Baenão, em Belém.

Texto:
Bernardo Tommaso-Seel








Terruá Pará Prime terá apresentações
em São Paulo e no Rio de Janeiro

O Terruá Pará está de volta. O show, que deu enorme visibilidade à música paraense, sendo indicado ao Prêmio Bravo! de Cultura, terá uma versão especial em 2012, reunindo artistas das duas edições anteriores. O Terruá Pará Prime será apresentado em São Paulo e no Rio de Janeiro, entre o final de junho e o início de julho, e terá ainda uma edição internacional, em outubro, na Espanha.
O anúncio foi feito na tarde de quinta-feira, dia 19, pelo secretário de Comunicação do Estado, Ney Messias Jr., idealizador do projeto, e pela presidente da Rede Cultura de Comunicação, Adelaide Oliveira. Estão no Terruá Pará Prime artistas como Felipe Cordeiro, Lia Sophia, Toni Soares, Mestre Vieira, Dona Onete, Fafá de Belém, Nilson Chaves, Gang do Eletro e Gaby Amarantos, entre muitos outros.
Em São Paulo o Terruá Pará Prime será apresentado nos dias 22, 23 e 24 de junho, no Ginásio do Ibirapuera, mesmo local que recebeu as duas edições anteriores. No Rio de Janeiro, o show faz sua estreia no dia 30 de junho, com reprise dia 1° de julho, no Circo Voador. E em outubro os artistas paraenses vão marcar presença no festival “Tem Samba”, com apresentações em Madri e Barcelona.
O Terruá Pará Prime integra a política pública de circulação da música paraense, como observa o secretário de Comunicação Ney Messias Jr. “Iniciamos este projeto em 2003, mas houve uma interrupção, e ele foi retomado no ano passado. A atual projeção da música paraense no cenário nacional mostra que estamos na direção certa”.
Adelaide Oliveira ressalta que o Terruá contribuiu para essa projeção. “Um show com excelência na produção, artistas de altíssimo nível e de várias sonoridades, levando parte do que é produzido aqui. Isso encanta qualquer plateia, não importa que seja um crítico ou só um apaixonado por música”, diz ela. “Nossa intenção é celebrar essa música brasileira feita no Pará, uma música que não fica devendo nada a lugar nenhum. O Terruá faz a música paraense circular e atrai cada vez mais olhares pra nós”.
A presidente da Funtelpa acrescenta ainda que o Terruá Pará Prime chega numa versão ainda maior, com shows em duas cidades, e o lançamento de produtos importantes, como o CD e o DVD das duas primeiras edições. “O público vai encontrar um pouco do primeiro e do segundo show, e ao mesmo tempo se surpreender com um espetáculo repaginado. E quem não viu as outras edições vai poder conferir uma mistura do que já foi apresentado”.
Para o diretor artístico do show, o produtor musical Carlos Eduardo Miranda, a música paraense vive um momento especial. “Temos Gaby Amarantos e Lia Sophia em trilha de novela, Felipe Cordeiro na mídia nacional. Esse Terruá vai ser a cereja do bolo”, afirma, acrescentando que é fundamental que os artistas aproveitem este bom momento para lançar seus discos e consolidar suas carreiras. Os ensaios para o Terruá Pará Prime começam no próximo mês de maio.
Quem participa
Carimbó, guitarrada, tecnobrega, eletromelody, lambada, merengue. O leque de ritmos do Terruá Pará Prime reúne o que há de mais original e dançante na cultura musical amazônica. Participam do show Sebastião Tapajós, Trio Manari, Orquestra de Violoncelistas da Amazônia, Paulo André Barata, Pio Lobato, Mestre Vieira, Dona Onete, Toni Soares, Luê Soares, Almirzinho Gabriel, Felipe Cordeiro, Manoel Cordeiro, Nilson Chaves, Lia Sophia, Mestre Solano, Mestre Curica, Manezinho do Sax, Pantoja, Aldo Sena, Gang do Eletro, Mestre Laurentino, Edilson Moreno, Gaby Amarantos e Fafá de Belém.

Texto:
Márcia Carvalho-Funtelpa









“Mãos de Fada” reúne joias e
acessórios de moda
no São José Liberto



Acessórios de moda confeccionados a partir de uma técnica especial de pintura em tecido e joias integram a exposição “Mãos de Fada”, que pode ser visitada até este domingo, 22, no Espaço São José Liberto, com entrada franca. A mostra é resultado do trabalho de microempresárias que atuam no Polo Joalheiro do Pará e são alunas do curso de Design de Moda da Faculdade Estácio de Sá (FAP), em Belém.
Com o apoio do Governo do Estado, por meio do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) e supervisão de Felícia Maia, coordenadora do Curso de Design de Moda da instituição, a exposição reúne peças criadas e confeccionadas por Helena Bezerra, da empresa HS Criações; Michelle Rodrigues, da Brilho da Amazônia; Rai Oliveira, da Ourama, e Waldirene Ferreira, da Bezzola.
Compõem a mostra echarpes e lenços (feitos com a técnica de pintura em seda no microondas), prendedores de lenços e peças de joalheria. A técnica inovadora foi repassada às microempresárias durante uma oficina ministrada por Celeste Heitmann, artista plástica e design de joias e de bolsas, comercializadas em outros Estados e no exterior.
Para a diretora executiva do Igama, Rosa Helena Neves, a exposição “Mãos de Fada” consolida uma parceria do Instituto com a Faculdade Estácio de Sá/FAP, iniciada com o V Fórum de Moda da Amazônia, promovido nos dias 13 e 14 de abril no Espaço São José Liberto. “Apoiamos o Fórum, que discutiu principalmente a sustentabilidade na moda e no design, que é uma das marcas dos produtos criados e comercializados pelos profissionais vinculados ao São José Liberto. Agora, estamos ao lado das microempresárias da exposição ‘Mãos de Fada’, apoiando um trabalho com a marca do empreendedorismo, que também é uma diretriz fomentada pelo Igama”, ressaltou Rosa Neves.
Serviço: Exposição “Mãos de Fada” – joias e acessórios de moda. Visitação até domingo, 22, na Casa do Artesão, no Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, bairro Jurunas). O horário para visitação no sábado vai das 09 às 19h, e no domingo, das 10 às 19h. Entrada franca.






Reunião extraordinária da
Câmara Setorial de Biocombustível

A Câmara Setorial de Biocombustível se reunirá para discutir os seguintes assuntos: Missão comercial do Estado do Pará para a Malásia, chefiada pelo governador Simão Jatene; Eleição do presidente da Câmara Setorial; Aprovação do calendário anual de reuniões ordinárias; Alteração do nome da Câmara; Relatório da reunião do dia 12/04/2012 sobre a regularização ambiental da cadeira produtiva do óelo de palma; e o que ocorrer.






Orquestra Choro do Pará
promove ensaio aberto
neste domingo

Neste domingo, 22, a partir das 10h, no coreto central da praça Batista Campos, haverá apresentação da Orquestra Choro do Pará, que reúne cerca de 50 músicos, entre profissionais, amadores e estudantes do curso de música. A orquestra integra o projeto Choro do Pará, que existe há sete anos em Belém e agora faz parte das atividades da gerência de música da Fundação Curro Velho, com oficinas de cavaquinho, bandolim, violão de seis e sete cordas, entre outras. As oficinas são realizadas na Casa da Linguagem.
Segundo o gerente de música e um dos coordenadores do projeto Choro do Pará, Paulo Moura, a apresentação deste domingo na Praça Batista Campos é uma prévia do show programado para o dia 28 de abril, no Teatro Maria Sylvia Nunes. “Esse concerto do Choro do Pará a gente costuma fazer no primeiro semestre, justamente para celebrar o Dia Nacional do Choro, 23 abril, aniversário do Alfredo da Rocha Viana Filho, o Pixinguinha”.
Paulo Moura acrescenta que no repertório, além de composições de Pixinguinha, haverá homenagem aos compositores paraenses. “Nós preparamos nesse repertório do Choro do Pará, música de Pixinguinha, mas teremos Jacob do Bandolim, Adamor Ribeiro, chorão paraense, Luiz Pardal, também chorão paraense e Valdir Azevedo”.
Homenagem a Pixinguinha - A Secretaria Especial de Promoção Social, por intermédio da Fundação Curro Velho, promove no próximo sábado, dia 28 de abril, no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas, um show com a Orquestra Choro do Pará. O evento vai celebrar o Dia Nacional do Choro, comemorado no dia 23 de abril, e vai reunir chorões paraenses e jovens instrumentistas que integram o projeto Choro do Pará. O show do dia 28 de abril inicia às 20h e terá entrada franca e mais de uma hora de músicas do gênero chorinho para os amantes e chorões de Belém.

Texto:
Andreza Gomes-FCV






Descontos de IPVA para finais
de placas 05 a 35 vão até dia 23

Dia 23 de abril  é o último dia de descontos do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para os proprietários de carros com finais de placas 05 a 35, embora a data do licenciamento destes veículos, junto ao Detran, seja 22 de junho. O pagamento integral do IPVA, dois meses antes do prazo final do licenciamento, para  veículos que não tem multas de trânsito, garante o benefício do IPVA Cidadão.
Os descontos são de 15% do valor do imposto para quem está há dois anos sem multa; 10% para quem não recebeu multas no ano passado e 5% de desconto nas demais situações. O desconto não é cumulativo. O proprietário de veículo tem, ainda, a opção de antecipar o pagamento do IPVA em três parcelas, sem desconto. No site da Secretaria da Fazenda (Sefa) o proprietário pode consultar os prazos, valores, optar pelo pagamento integral ou parcelado, e emitir o Documento de Arrecadação Estadual (DAE), acessando o Portal de Serviços (www.sefa.pa.gov.br).
O pagamento do DAE  é feito na rede bancária autorizada (Banpará, Banco da Amazônia, Bradesco, Banco do Brasil, CEF) e casas lotéricas. Quando não há antecipação do recolhimento do imposto, o IPVA é pago junto com o licenciamento anual do Detran.
Parcelamento - Quem tem débitos vencidos até 2011 poderá parcelar o IPVA em até 8 parcelas. Esse limite poderá ser estendido até o máximo de 36 parcelas, após análise do pedido. O parcelamento pode ser feito na Coordenação Especial de Administração Tributária do IPVA e do ITCD na Região Metropolitana de Belém e, no interior do Estado, nas Coordenadorias Regionais de Administração Tributária e Não Tributária (Cerat).
Serviço: Maiores informações pelo Alô Sefa, 0800-725-5533 ou através do site da Secretaria da Fazenda (www.sefa.pa.gov.br).

Texto:
Ana Márcia Pantoja-Sefa







Projeto “Diálogos com o
Patrimônio" terá novos debates

Nesta segunda, 23 de abril, acontece a segunda edição do projeto “Diálogos com o Patrimônio: Valorizando Memórias e Construindo a Cidadania Cultural”, uma iniciativa do Departamento de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural da Secretaria de Estado de Cultura (Secult). Com o tema “Novas Dimensões da Educação Patrimonial: Experiências Amazônicas”, serão discutidos os padrões de conduta e prática da educação do Norte do país, sobretudo no Pará.







Projeto "Diálogos com o Patrimônio"
terá segunda edição no dia 23

Na próxima segunda-feira, 23 de abril, será realizada a segunda edição do projeto “Diálogos com o Patrimônio: Valorizando Memórias e Construindo a Cidadania Cultural”, uma iniciativa do Departamento de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (Dphac) da Secretaria de Estado de Cultura (Secult). O projeto acontece no momento em que o patrimônio histórico voltou a ocupar espaço nas discussões sobre preservação e cidadania e será realizado no Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP),  das 15 às 17 horas. A entrada é gratuita.
Com o tema “Novas Dimensões da Educação Patrimonial: Experiências Amazônicas”, serão discutidos os padrões de conduta e prática da educação do Norte do país, sobretudo no Pará. No programa, novas maneiras, estratégias metodológicas e técnicas que possam se adequar a realidade da região para aprimorar a educação patrimonial e assim, garantir maior valorização e proteção da cultura paraense.
Como o projeto discute o patrimônio cultural do Estado, irá abranger não apenas Belém, mas também os municípios que fazem parte do Programa de Aceleração de Crescimento - PAC das Cidades Históricas, tendo como convidados representantes das cidades de Afuá, Aveiro, Belterra, Bragança, Cametá, Óbidos, Santarém e Vigia. Na pauta do diálogo, a abordagem do tema sob vários aspectos e pontos de vista diferentes, com o intuito de conseguir, por meio da prática do debate, que o público reflita e expanda sua visão sobre a importância da valorização do patrimônio cultural.
Ao todo participarão cinco expositores, cada um de uma área de conhecimento: Sabrina Campos Costa, da área de Turismo e Marketing, é especialista em Arqueologia, tendo experiência no ramo do web jornalismo; Lilian Panachuk, formada em Ciências Sociais e mestra na área de Arqueologia; Zenaide Pereira, graduada em Educação Artística com habilitação em Desenho, tem experiência como educadora no Programa de Educação Patrimonial. Já Michel Pinho é historiador formado pela Universidade Federal do Pará (UFPa), mestre em Arte e Cultura e com vasta experiência na área da fotografia artística e histórica, tendo vencido  o Grande Prêmio Salão da Vida. E por último, a física Janice Lima, mestre em Educação e Políticas Públicas, com pesquisa no curso de Artes Visuais da UFPa.
São especialistas e mestres de áreas diferentes, porém, todos têm em comum experiências com a arte, comunicação ou arqueologia. Pontos de vista diferenciados que proporcionam um debate enriquecido, com profissionais aptos para responder todos os tipos de perguntas vindas do público. Um mediador irá coordenar o tempo das respostas e a ordem das perguntas, garantindo que o debate ocorra da forma mais organizada possível.
O projeto é destinado aos representantes das instituições de governo, de ensino e instituições de pesquisa, como também profissionais que façam parte das secretarias municipais de educação, cultura, turismo e meio ambiente, e agentes culturais que trabalham em centros históricos. No mais, todos aqueles que tenham interesse na cultura paraense e o seu futuro.
Serviço: Diálogos com o Patrimônio, “Novas Dimensões da Educação Patrimonial: Experiências Amazônicas”. Nesta segunda, 23 de abril, das 15 às 17 horas. No Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP) – Palácio Lauro Sodré, Praça D. Pedro II, s/n, Cidade Velha. Entrada gratuita.

Texto:
Jose Pacheco-Secult







Efetivos da Uepa podem se
inscrever no programa
Cheque Moradia

A Diretoria de Gestão de Pessoas (DGP) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) informa que estão abertas as inscrições para o Programa Cheque Moradia 2012. Podem se inscrever servidores efetivos da instituição residentes em Belém e na Região Metropolitana, para isso bastando procurar o setor de Benefícios Sociais da DGP/Uepa, no prédio da Reitoria, entre 8h e 12h30, somente até 8 de maio (prazo que não será prorrogado), onde o interessado poderá preencher a ficha-cadastro, bem como se informar sobre a documentação a ser apresentada posteriormente.
O servidor que quiser participar do programa precisa atender a alguns pré-requisitos, como possuir renda familiar bruta de até três salários mínimos, possuir imóvel próprio ou autorização para construção e/ou melhoria e não ter sido contemplado anteriormente com nenhum benefício voltado para a área de habitação do Governo do Estado, principalmente com o Cheque Moradia, entre outros. Para mais informações: O DGP/Uepa fica no prédio da Reitoria (Rua do Una, 156 - Telégrafo) e o telefone de contato é o (91) 3299-2267.








Paysandu já treina visando
o jogo da Copa do Brasil

Na manhã desta sexta-feira, 20, o Paysandu treinou no Estádio Olímpico do Pará, Mangueirão. Eliminado do campeonato Paraense, o time bicolor agora volta as suas atenções para a partida da próxima quinta-feira, dia 26, às 19h30, pelas das oitavas de final da Copa do Brasil, contra o Coritiba, no Estádio Couto Pereira, em Curitiba. O Paysandu já se prepara também, para a estreia no Campeonato Brasileiro da Série C, que será dia 27 de maio, contra o Luverdense, na Curuzu.
Após avançar para as oitavas do torneio nacional, o time paraense não quer parar por aí e pensa em seguir adiante na competição, para isso jogando a primeira partida fora de casa contra o Coritiba, atual campeão invicto do campeonato paranaense e que disputa a primeira divisão do futebol nacional, o Paysandu quer segurar a pressão e decidir a sorte no jogo de volta no Mangueirão, em Belém.
Mesmo tendo vencido com propriedade as duas partidas contra o Sport Recife pela segunda fase da Copa do Brasil, o Paysandu é considerado zebra pelas mídias de outros estados. Mas para o meio campo Leandrinho, considerar o time paraense como zebra é um grande engano. “Estamos pensando como time grande, chegar à final da Copa do Brasil para ser campeão. A gente está com os pés no chão e com humildade e deixa eles pensarem que a gente é zebra”, declarou.
Caso consiga se classificar diante do Coritiba, o Paysandu encara o vencedor do confronto entre São Paulo, que eliminou o Independente, outro representante paraense no torneio, na primeira fase, ou a Ponte Preta, nas quartas de final. O jogo da volta em Belém está marcado para o dia 3 de maio, quinta-feira, às 19h30, no Estádio Olímpico do Pará, Mangueirão.

Texto:
Bernardo Tommaso-Seel







Polícia Civil prende falso
dentista que agia no Tapanã

Uma operação da Polícia Civil destinada a coibir a prática irregular da Odontologia, em Belém, resultou na prisão de um idoso que atuava como dentista há quase 20 anos, no bairro do Tapanã. O falso dentista foi conduzido no final da manhã desta sexta-feira, 20, à Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE), onde a ocorrência será registrada.
Agripino Bastos, que cobrava entre 30 e 50 reais por consulta, alegou que desconhecia a necessidade de uma autorização para realizar atendimentos e cirurgias odontológicas.
O local usado como consultório por Agripino Bastos ficava na rua Ranário. Na fachada do imóvel, uma placa anunciava a confecção de próteses dentárias, no entanto, no interior da casa, os policiais encontraram móveis e materiais que caracterizavam o exercício ilegal da Odontologia. Além da mesa de instrumentos e cadeira odontológica, havia materiais usados em procedimentos cirúrgicos. Todo o material foi apreendido.
A operação contou com a parceria do Conselho Regional de Odontologia. Foi a própria entidade que encaminhou à DIOE uma relação com locais onde há a suspeita da prática ilegal da profissão. No início da manhã de hoje, o presidente do CRO, Roberto Pires, e o diretor da Divisão de Investigações e Operações Especiais da Polícia Civil, Neyvaldo Silva, definiram juntos o planejamento da operação, que prossegue com a averiguação de outros casos denunciados.

Texto:
Aycha Nunes-Polícia Civil







Sefa divulga balanço da
arrecadação trimestral 2012

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) divulga nesta sexta-feira (20) o  balanço das ações de fiscalização feitas este ano e da arrecadação do primeiro trimestre de 2012. O titular da Sefa, José Barroso Tostes Neto, vai detalhar os valores da arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e demais impostos estaduais que ingressaram no Tesouro do Estado.






Estudantes de Bragança participam
de palestra sobre atividade pesqueira

Uma delegação de 31 estudantes do Instituto Federal de Educação Tecnológica do campus de Bragança esteve em visita à Secretaria de Pesca e Aquicultura do Estado (Sepaq), nesta sexta-feira, 20, participando de palestras sobre atividade pesqueira no Estado. O secretário Henrique Sawaki deu as boas vindas aos estudantes agradecendo a presença deles e colocando a Sepaq à disposição da classe. Ele explicou, ainda, sobre as diversas parcerias que a secretaria empreende, notadamente com a Secretaria do Meio Ambiente, por ser o órgão emissor das licenças ambientais. Destacou também a parceria com o Ibama, cujo analista ambiental Antonio Melo foi um dos palestrantes, ao lado dos técnicos da secretaria Tiago Oliveira e Edna Cristina, que mostraram as ações e planos da Sepaq no setor pesqueiro do Estado.







Fapespa lança edital para apoio
à realização de eventos científicos

Na última quinta-feira, 19, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará (Fapespa) lança edital para Apoio à Realização de Eventos Científicos, Tecnológicos e de Inovação. O edital objetiva apoiar a realização de congressos, simpósios, workshops, seminários, ciclos de conferências e outros eventos similares de curta duração (no máximo 7 dias) e que sejam relacionados à ciência, tecnologia ou inovação no Estado. Os eventos apoiados deverão ser realizados no período de 15 de junho a 15 de dezembro de 2012.
 Os recursos estimados para esse certame somam R$ 500 mil, oriundos do Programa Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Sustentável da Fapespa, previsto no Plano Plurianual do Governo do Estado do Pará. O pesquisador-proponente e dirigentes de associação e sociedades técnico-científicas devem estar vinculados à alguma Instituição de pesquisa ou ensino superior sediada no Estado do Pará e estar cadastrado no sistema de Currículo Lattes do CNPq. As propostas devem ser submetidas exclusivamente por meio de formulário eletrônico disponibilizado no site da Fapespa.
 O prazo para a submissão das propostas encerra no dia 28 de setembro de 2012. As que forem aprovadas no edital serão publicadas no Diário Oficial do Estado e divulgadas no site da Fapespa. Maiores informações poderão ser obtidas na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará, localizada à Travessa Nove de Janeiro, nº 1686, entre Avenidas Gentil Bittencourt e Conselheiro Furtado (esquina com Gentil), bairro de São Brás, pelo fone (91) 3323-2564 ou pelo e-mail dicet@fapespa.pa.gov.br.

Texto:
Simone Campos-FAPESPA







Atividades da Jucepa contribuem para o
desenvolvimento econômico do Estado

A Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa), hoje entre as três melhores Juntas Comerciais do Brasil, passou recentemente por profundas mudanças. Digitalização do Acervo Mercantil, concurso para tradutor juramentado e intérprete comercial que não acontecia há mais de 30 anos e finalmente a revitalização de sua sede na capital. A entrega da obra deverá ser efetuada pelo governador do Estado, Simão Jatene, à população paraense no próximo mês de maio.
A Jucepa vem realizando todos os seus maiores projetos e, por meio dos mecanismos disponíveis a favor do usuário, atesta a importância das atividades da Junta para o desenvolvimento econômico do Estado. O ano de 2011 foi encerrado com mais de 11 mil novas empresas constituídas e o resultado da última pequisa de satisfação realizada junto aos usuários atingiu o índice de 77% de aprovação, ultrapassando a meta da instituição, que é de 70%. Para a servidora Auxiliadora Pojo, este é o resultado do investimento em várias áreas da Jucepa, no desenvolvimento contínuo frente às necessidades do cidadão "com melhorias tanto na estrutura física, tecnológica, qualificação e valorização do servidor".
O setor é o termômetro de uma instituição bem sucedida, e o resultado da pesquisa de opinião junto ao usuário externo é uma resposta altamente positiva que aponta a busca permanente pela excelência do trabalho desenvolvido na Junta, considerada uma das mais modernas do Brasil. Para Artur Tourinho, Presidente da Junta Comercial, se a instituição mantiver a mesma velocidade de crescimento, prestando serviços com agilidade e eficiência, logo irá alcançar o topo das Juntas brasileiras.
Hoje, além da sede, já são 15 as unidades administrativas, chamadas de Unidades Desconcentradas (UD's) nos principais polos de integração do Pará, tendo a interiorização como uma de suas marcas, pois com a Junta mais próxima do usuário, diminui-se o mercado informal e eleva-se também potencialmente a geração de emprego e renda no Estado, fazendo com que informações e serviços do registro público de empresas mercantis cheguem a diversos municípios, resultando num maior crescimento da economia do interior do Estado.
Marabá está entre as maiores Unidades Desconcentradas da Junta. As demais estão em Santarém, Ananindeua, Paragominas e Parauapebas. As UD's atualmente contribuem com 53% da receita arrecadada pelo órgão e representam 67% do total de empresas registradas na Jucepa. Com 11.832 mil novas empresas em 2011, comparado ao mesmo período de 2010, têm-se um aumento de 108% no movimento de constituição de empresas no Pará, acima do crescimento da economia estadual prevista para crescer 3,5% no ano de 2011. A meta da Jucepa é, num primeiro momento, aumentar em mais cinco o número de Unidades Desconcentradas e o investimento se justifica pelo significativo crescimento na implantação de novas empresas no interior paraense.

Texto:
Diane Maués-Jucepa






Restaurantes pedem apoio para
organizar produção regional

Empresarios do setor de alimentação querem o apoio do Governo do Estado para organizar a produção regional e garantir a qualidade dos alimentos servidos nos restaurantes paraenses. O assunto foi discutido em reunião realizada nesta quinta-feira, 19, na sede da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), em Belém. A iniciativa surgiu durante o maior festival gastronômico da Região Norte, o Ver-o-Peso da Cozinha Paraense, realizado de 11 a 15 de abril no Hangar, e reflete a preocupação dos chefs paraenses com a regularidade da oferta e a qualidade dos ingredientes que fazem a diferença nos pratos da culinária regional.
As empresarias Tânia e Joanna Martins, da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança, responsável pela realização do festival, apresentaram a proposta de parceria do governo na organização dos pequenos produtores de mandioca e hortaliças. Os principais produtos a serem trabalhados são o tucupi, jambu, a farinha e a pimenta. A melhoria da estrutura e higiene dos locais de produção constituem exigência do Ministério Público, que fiscaliza e proíbe a venda de determinados produtos e procedimentos ao consumidor, como nos casos da massa de caranguejo e dos batedores de açaí.
A diretora adjunta da Sagri, Eliana Zacca, informou que já está sendo trabalhada uma legislação específica para a produção artesanal, como  queijo do Marajó, que terá o SIF não industrial. A gerente de Floricultura e Olericultura, Dulcimar Melo, falou sobre o trabalho de controle do uso de agrotóxicos nas hortaliças em 10 municípios, em conjunto com os supermercados que recebem a produção.
Joanna Martins lembrou que a gastronomia é também uma atividade turística e que a Companhia Paraense de Turismo (Paratur) deverá ser envolvida nessa parceria. “O turista, além de provar as comidas, também quer conhecer as cadeias produtivas para saber, por exemplo, como se extrai o tucupi da mandioca”, explicou. “A capacitação deverá ser o primeiro passo dessa parceria, para levar o conhecimento e a conscientização dos agricultores nos locais de produção”, informou Alexandre Galvão, gerente de Produção Vegetal da Sagri. Para isso deverá ser escolhido um centro produtor mais próximo de Belém para implementar as medidas sanitárias básicas com acompanhamento sistemático.
A pesquisa também é importante nesse trabalho, para saber com quais variedades de mandioca se faz o melhor tucupi ou porque o jambu não produz mais aquele efeito anestésico na boca, lembrou o gerente de Estudos de Agronegócios, Sergio Menezes. Para isso os órgãos de pesquisa como a Embrapa e as universidades, serão contactadas para participar da próxima reunião a ser marcada.

Texto:
Leni Sampaio-Sagri







Ophir Loyola inscreve para
palestra sobre Ética no
Serviço de Enfermagem

O Hospital Ophir Loyola está com inscrições abertas para a palestra “Ética no Serviço de Enfermagem”. O evento destinado a enfermeiros, residentes e estudantes de Enfermagem será dirigido por profissionais do Conselho Regional de Enfermagem do Pará, e tem como objetivo promover uma nova postura ética para conduzir todas as atividades dos profissionais da área e processos de trabalhos institucionais para salvar vidas.
As inscrições são gratuitas e serão realizadas de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h, na Divisão de Educação Continuada do HOL, em dias úteis e no horário de 8h às17h, localizada na Av. Magalhães Barata nº 992 (São Brás). Mais informações pelo telefone (91) 3342-1322.





Primeira capacitação para o Programa
Telessaúde encerra com sucesso

Representantes dos municípios de Benevides, Castanhal, Igarapé Miri, Irituia, Marabá e São Domingos do Capim, participaram da capacitação para a implantação do Programa Telessaúde. Durante três dias, agentes de saúde, enfermeiros e coordenadores receberam treinamento para exercerem o domínio da ferramenta, que auxiliará no atendimento da rede de saúde do Estado.
O evento, promovido pela Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa), contou com o apoio da Empresa de Processamento de Dados de Estado do Pará (Prodepa), que forneceu a infraestrutura para a realização da oficina, e da Universidade Estadual do Pará (Uepa), que forneceu o material didático.
No último dia da capacitação, dois módulos foram trabalhados. Um voltado para o Programa Segunda Opinião (Prodepa e Uepa) e outro para Software de Webconferência, Open Meeting (NTIIS). O primeiro compreende a possibilidade de consulta a um médico especialista em casos de dificuldade na hora de diagnosticar uma doença. Desta forma, para que haja a solicitação de uma segunda opinião especializada, será necessário o preenchimento de formulário com o levantamento dos dados do paciente, para que seja indicado o tipo de tratamento e exames a serem solicitados. O segundo módulo refere-se a utilização do software de webconferência, que permite a comunicação entre vários médicos e agentes de saúde, para o agendamento de encontros virtuais, consultas, cursos e eventos.
Para a coordenadora de Educação Permanente em Saúde de Marabá, Erenildes Santos, a utilização do Telessaúde vai facilitar o atendimento aos pacientes do interior do Estado. "O paciente vai ter um meio prático de atendimento. Em menos de setenta e duas horas ele terá o seu diagnóstico. Isso vai dimunuir os tratamentos fora do domicílio, que encaminham as pessoas para Belém", afirma.
De acordo com a enfermeira Herlandia Silva, que também é coordenadora das equipes de Saúde da Família de Castanhal, o sistema promoverá uma troca de informação profissional. "O telessaúde vai ser mais uma ferramenta de capacitação dos profissionais da saúde, além de proporcionar a troca de experiência entre eles. Também servirá de suporte à equipe do Núcleo de Apoio a Saúde da Família", comemora.
A Sespa acredita que realizar este evento de capacitação é contribuir para que o Estado dê um grande salto através da utilização da Tecnologia da Informação em questões ligadas à saúde, pois vai ajudar a diminuir as distâncias e as dificuldades de deslocamento entre municípios na hora do atendimento. "Essa é uma ferramenta que vai permitir um apoio ao diagnóstico, a formação de equipes através de cursos e palestras. Isto é muito bom para um Estado como o nosso, que possui dificuladade no deslocamento, e utilizar Tecnologia da Informação para chegar aos municípios, quer dizer que estamos dando um passo muito grande, por isso queremos ampliar o telessaude em todo o Estado", afirma Nilton Silva, gerente de Educação Permanente da Sespa.

Texto:
Natia Ney-Prodepa






Polícia Civil caça falsos dentistas

A Polícia Civil realiza na manhã desta sexta-feira, 20, uma operação para impedir o exercício ilegal da odontologia. Em parceria com o Conselho Regional de Odontologia, a Polícia Civil irá fechar consultórios de falsos dentistas que atuam em Belém. A concentração será às 9 horas, na sede da Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe). A operação será comandada pelo delegado Neyvaldo Silva.






Pará está em primeiro lugar no ranking
nacional de denúncia de
crimes dolosos à Justiça

O Pará é o primeiro no ranking nacional de oferecimento de denúncia de homicídios dolosos registrados de 2000 a 2007, de acordo com o mapa de resolutividade da Enasp (Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública) traçado para acompanhar a solução de inquéritos que ainda estavam em fase de tramitação.
Formada pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Ministério da Justiça, a Enasp aponta que o Estado está, atualmente, com 86% de oferecimento de denúncia. O dado é bastante expressivo, posto que o Piauí, em segundo lugar no mapa, está com 60% de resolutividade no mesmo período, com denúncia já oferecida pelo MPE desse Estado. Em terceiro lugar aparece o Estado de Minas Gerais com 58%. Os dados podem ser conferidos no site do CNMP (www.cnmp.gov.br), na sessão chamada de “Inqueritômetro”, medidor que mostra o andamento da apuração dos homicídios dolosos em todo o país no período.
O trabalho faz parte da chamada “Meta 2” da Enasp, que visa colocar em dia os inquéritos policiais de homicídios dolosos, inclusive os crimes caracterizados como tentativa de homicídio, que estavam em fase de tramitação entre a Polícia Judiciária e MPE desde janeiro de 2000 até 31 de dezembro de 2007.
O início da inclusão dos dados no “Inqueritômetro” aconteceu em abril de 2011, com o levantamento dos dados constantes nos inquéritos policiais, por meio de pesquisas realizadas em parceria pelas Polícias Civis ou Judiciárias e Ministérios Públicos Estaduais de todo o Brasil. A Enasp se constitui de quatro metas: a “Meta 2” visa a conclusão dos inquéritos de homicídio instaurados naquele período visando elucidá-los.
Com o trabalho, o objetivo é saber quantos dos casos de homicídios dolosos ocorridos entre 2000 e 2007, em todo país, foram investigados em inquérito policial; quantos desses inquéritos viraram processos na Justiça e quantos estão com resolutividade, ou seja, foram concluídos em cada Estado. O Pará, no quesito elucidação de crimes, chegou ao índice de 65% do total dos procedimentos apresentados como inconclusos entre 2000 e 2007, estando, no ranking nacional, em 10º lugar no cumprimento da “Meta 2”, com encerramento no próximo dia 30 de abril.
Destes 65% apresentados até o momento, 86% já geraram oferecimento de denúncia pelo Ministério Público Estadual. “Apesar dos 65%, o Estado do Pará busca não só o alcance de quantidade, mas principalmente, o alcance qualitativo da meta, ou seja, a elucidação dos casos apresentados”, explica a delegada Nilma Lima, corregedora-geral da Polícia Civil. Segundo ela, a criação, no ano passado, da Comissão Provisória de Execução de Diligências (CTED), formada por equipes de delegados e escrivães designados pela Corregedoria-Geral, contribuiu para o andamento dos inquéritos que estavam inconclusos. A Comissão foi instituída após aprovação do Consup (Conselho Superior da Polícia Civil do Pará).
Esse dado demonstra o trabalho eficaz do Sistema Integrado de Segurança Pública, por meio de investigações policiais qualificadas e perícias científicas de alta qualidade, fundamentais para o esclarecimento completo dos homicídios. Deve-se também ao trabalho integrado da Corregedoria-Geral da Polícia Civil e o Centro de Apoio Operacional Criminal (CAO Criminal), do Ministério Público do Estado, que deram andamento à pesquisa dos inquéritos ainda não concluídos.
A promotora de Justiça Ivelise Pinto, titular do CAO Criminal, que assumiu há cerca de dois meses a coordenação do programa no Pará, após a aposentadoria do promotor Licurgo Margalho, que deu início ao levantamento dos dados, explica que após a finalização na Polícia Civil, o inquérito pode gerar três situações: o oferecimento da denúncia; retorno à Polícia para novas investigações ou arquivamento do processo. Para a delegada Nilma Lima, o resgate dos inquéritos que estavam sem conclusão representa uma resposta à sociedade, pois afasta a chamada sensação de impunidade.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil



Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...