Total de visualizações de página

domingo, abril 01, 2012

AS ÚLTIMAS DO CORREIO JURUNENSE...


Ufa! Finalmente obras ao redor
da Unidade Básica de Saúde
do Jurunas e na Apinagés,
no Jurunas e Batista Campos

Pelo amor de Deus, mas que demora por parte da Prefeitura de Belém em realizar obras de melhoramento na pista de rolamento da Av. Engenheiro Fernando Guilhon, principalmente em frente a Unidade Básica de Saúde do Jurunas, que basta São Pedro dá um espirro lá em cima, e com os pingos do espirro, aquele trecho fica alagado.
Essa semana pelo menos a PMB deu sinal de ação e começou a trabalhar para mudar pra melhor aquele trecho. Tomara que não que pela metade.

Outro local que também vem recebendo obras é na Apinagés entre Timbiras e a Fernando Guilhon, em Batista Campos. Começaram obras naquele local para acabar com o alagamento. As obras paralisaram ficando ali buracos que nem tatu queria morar e aí virou um caos danado para pedestres e utilitários de veículos e um prato cheio para assaltantes.

As obras foram retomadas. Mas por favor, Excelência, prefeito de Belém, não deixe paralisar as mesmas.



Bllogger do CORREIO JURUNENSE
ultrapassa a casa dos
227 mil acessos

Eis os números fornecidos pelo rastreamento da própria ferramenta do blogger.

Acesso Geral:

Brasil: 190.058; Estados Unidos: 15.490: Alemanha: 3.929; Portugal: 3.339; Rússia: 1.475; França: 536; Reino Unido: 209: México: 181; Japão: 178; Holanda: 145.

Acesso Mensal:
Brasil: 13.354; Estados Unidos: 2.116; Alemanha: 268; Portugal: 215; Rússia: 169; Bósnia-Herzegovina: 65; França: 49; Turquia: 49; Reino Unido: 46; México: 44.

Acesso Semanal:

Brasil: 3.125; Estados Unidos: 434; Portugal: 46; Rússia: 46; Alemanha: 28; Colômbia: 8; França: 8; Holanda: 7; Índia: 5; México: 5.

Obrigado!

IAP apoia Mutirão de Grafitti 3
Neste sábado, 31,foi realizado o 3º Mutirão de Graffiti com o Coletivo Cosp Tinta. Na programação consta Oficinas de Tranças-Afro, Graffiti, Batalha de Mc's (com discotecagem da música negra).

Ted Max completou 04 anos de
sua Passagem ao Mundo Celestial


A foto acima é o ídolo paraense Ted Max ao lado de sua eterna amada, a jovem Betty Max, foto publicada no seu Facebook no último dia 30 de março, quando o seu maridão, o amigo Ted Max completava 04 anos de sua passagem ao mundo celestial. Inúmeros comentários foram postados no comentário de Betty, inclusive o CORREIO JURUNENSE, através do seu diretor Jorge Mesquita, com teve a oportunidade de estar presente por várias vezes, quando o casal ainda morava em Belém, ali às proximidades da Igreja da Santíssima Trindade, no bairro do Reduto.
No comentário da sra Betty ela dizia: “Hoje, completa 04 anos que Teddy Max partiu para outro plano. Muita luz onde estiver Teddy Max. Saudades”. Ela postava o comentário quando saia para o cemitério em Osasco, em São Paulo, onde descansa o seu corpo. Complementou Betty: “Beijos a todos os fãs!”.

Caminhada marca início
das comemorações
pelo Dia do Autismo






Nesta segunda-feira (2) é o Dia Mundial do Autismo, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU). Para comemorar a data, o Núcleo de Atendimento Educacional Especializado aos Estudantes com Espectro Autista (NATEE) da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) realizou uma caminhada com professores, alunos e pais de alunos com o tema “Tudo Azul com Autismo” iniciando assim uma série de eventos que têm o objetivo de conscientizar a população sobre o autismo. A caminhada saiu do NATEE, que fica localizado na travessa Perebebuí, anexo à Escola Estadual Jarbas Passarinho, e passou por várias ruas do bairro do Marco.
Segundo a coordenadora do NATEE, Conceição Souto, o Núcleo atende por ano cerca de 1500 crianças autistas. “As pessoas têm que compreender o trabalho que é realizado no atendimento ao estudante autista”, ressalta. A professora explica que a criança autista apresenta dificuldades em três principais áreas, na interação social, na comunicação e no uso da imaginação. Se não tiverem auxílio elas podem apresentar dificuldades na integração em uma escola regular. É neste ponto que os profissionais do NATEE entram em ação.
No Pará, o NATEE é vinculado à Coordenação de Educação Especial (Coees) e se tornou referência no Estado ao oferecer atendimento psicopedagógico para cerca de 50 alunos autistas, matriculados na rede pública estadual. A expectativa é ampliar a cobertura desse atendimento. As famílias também participam de atividades semanais e encontros mensais, para que melhorem a interatividades com as crianças. Para isso, o NATEE conta com uma equipe multidisciplinar, composta por profissionais capacitados e especializados, como pedagogos, psicólogos, fonoaudiólogos e professores.
O professor de Educação Física e músico, Reginaldo Cruz, 54 anos, é pai do jovem Reginaldo Cruz Junior, 18 anos, que é atendido pelo Núcleo, e que estuda no ensino regular na Escola Doutor Freitas. Ele fala com orgulho dos avanços que seu filho teve depois que passou a ser atendido pelo NATEE. “Hoje meu filho pratica vôlei, toca piano e fala inglês”, disse Reginaldo. Ele descobriu a síndrome ainda nos primeiros anos de vida e procurou o atendimento especializado logo no início. “Todos os pais devem ter esta preocupação e não deixar a criança que apresenta os sintomas dentro de casa” comenta. Reginaldo Cruz comenta que seu filho é o chamado autista clássico e tem apresentado melhoras significativas trazidas pela interação dentro de uma escola regular. “Ele também toca e quer ser músico como o pai. As pessoas têm que compreender que ter um filho autista é uma benção de Deus”, comenta.
A programação em comemoração ao Dia Mundial do Autismo continua até terça-feira. Nesta segunda (2), às 8 horas, no Núcleo de Esporte e Lazer, localizado na Rua Dom Romualdo de Seixas, 1215 (entre Oliveira Belo e Diogo Móia) haverá palestras, fóruns, mesas redondas e exposições. Na terça-feira (3), no NATEE (Perebebuí, entre Duque e 25 de setembro, anexo a Escola Estadual Jarbas Passarinho)  terá exposição dos trabalhos artísticos realizados pelos alunos autistas.

Texto:
Marcio Flexa-Secom

Grande ação do Pro Paz
encerra aniversário pelos
385 anos do Ver-o-Peso








Os feirantes do Ver-o-Peso receberam, na manhã deste domingo (1), a maior ação de cidadania, cultura e saúde de sua história. Foi a Ação do Pro Paz Cidadania Presença Viva, que encerrou com chave de ouro as comemorações pelos 385 anos da maior feira da América Latina. A coordenadora do Pro Paz Cidadania, Izabela Jatene, esteve presente na ação, que foi realizada em conjunto com a Associação dos Feirantes do Ver-o-Peso.
Consultas com medicos oftalmologistas, odontólogos, clínico geral, ginecologistas, pediatras e dermatologistas, além de vacinas, testes de glicemia, pressão arterial, degustação da produção de produtores rurais atendidos pela Emater e orientação jurídica dada pelos profissionais da Defensoria Pública do Estado foram apenas alguns dos serviços oferecidos na grande ação comemorativa para quem faz o dia a dia da feira. Além dos serviços médicos e jurídicos, a ação levou também documentação, oficinas culturais e shows de artistas da terra à população.
O presidente da Associação dos Feirantes, Manoel Rendeiro, comentou que esta foi a primeira vez que uma grande ação de saúde e cidadania foi realizada objetivando atender os feirantes do Ver-o-Peso. Ele comenta que a associação possui cerca de 1800 associados e que foram todos convidados a participar da programação. “O feirante passa o dia todo na feira, quase não tem tempo para resolver seus problemas de saúde e quando essa ação vem até nós é muito mais fácil”, comenta. Manoel Rendeiro explica também que um dos grandes problemas das pessoas que circulam na feira do Ver-o-Peso é a falta de documentação. “Muitos deles não possuem nem a certidão de nascimento” explica.
Por essa razão que um dos serviços oferecidos durante a grande ação foi a emissão de certidão de nascimento, carteira de identidade, CPF, Carteira de trabalho e fotografias para esses documentos. Os feirantes puderam contar também com orientação oferecida pelos profissionais da Secretaria de Estado de Serviço Social (Seas), que além de identificar esses feirantes sem registro ainda orientavam estas pessoas para que elas fossem atendidas pelo Sistema Único de Assistência Social e pelas ações de cidadania.
Quem compareceu às atividades do aniversário do Ver-o-Peso pôde ainda realizar vários tipos de exames, cuidar da beleza, ou aprender técnicas de utilização do miriti para fazer vários objetos. A oficina de técnicas de utilização do miriti foi dada pelo instrutor da Fundação Curro Velho e professor da UFPA, Bruce Macedo, que junto com sua equipe atendeu feirantes e familiares em uma oficina que teve grande aceitação por parte do público.
Cuidar da beleza dos profissionais do cartão postal da capital foi o objetivo dos 20 profissionais do Instituto Embeleze. Entre os serviços oferecidos estava o diagnóstico capilar ou raio-x capilar, que identifica problemas tanto nos fios de cabelo do cliente quanto no couro cabeludo. Assim que fosse identificado qualquer problema no couro cabeludo, o cliente era encaminhado para o médico dermatologista.
O coordenador do Pro Paz Cidadania, Jorge Bittencourt, comentou que a Ação comemorativa pelo aniversário da feira reuniu cerca de 180 funcionários públicos estaduais e voluntários para levar saúde, cultura e cidadania aos que fazem o dia a dia da principal feira ao ar livre de Belém. Ele explica que somado aos cerca de 250 servidores que estão em Breves na Caravana Itinerante do Pro Paz Cidadania Presença Viva, “se forma assim um grande contingente de servidores em prol da saúde e cidadania da população paraense”. O coordenador comenta que na Ação deste domingo, pôde ser atendido tanto o feirante quanto o produtor que veio das ilhas próximas de Belém.
A erveira Miraci Alexandre, de 47 anos, estava em sua barraca de ervas trabalhando na manhã de domingo. Ela explica que em 35 anos que trabalha no Ver-o-Peso nunca abandonou em nenhum momento seu trabalho. “Eu não vou ser atendida, mas minha família e amigos estão todos lá sendo atendidos e eu estou feliz por isso. “Este é um grande presente à feira que eu tanto amo”, comenta. O Ação Pro paz Cidadania funcionou até às 14 horas, encerrou com show de artistas paraenses e ainda contou com um concurso de maior tomador de açaí do Ver-o-Peso e a escolha do feirante mais mentiroso da feira. Um bolo gigante foi cortado e servido ao público.       

Texto:
Marcio Flexa-Secom


Detentos de Breves recebem
atendimento da Caravana
Pro Paz Presença Viva

Os presos da Superintendência Regional das Ilhas, em Breves, tiveram um domingo diferente. Eles foram atendidos pelo Programa Pro Paz Presença Viva, que desde o dia (29) está no município oferecendo mais de 50 serviços de saúde, cidadania e cultura para a população. Os 70 detentos passaram por consulta médica, aferimento de pressão, dosagem glicêmica, mas uma das principais necessidades que o Pro Paz conseguiu atender foi a emissão de carteira de identidade. No total, 38 presos conseguiram obter o documento.
Natanael da Conceição Gomes, de 18 anos, cumpre pena por tráfico de drogas e foi um dos primeiros a solicitar o serviço de identificação. Ele também foi consultado e medicado. “É muito importante lembrarem que a gente está aqui, também necessitando de atenção. Eu agradeço pelo atendimento e estou satisfeito, pois agora já tenho minha identidade”, disse.
Ana Cléa Mougo Mendonça, de 29 anos, chegou cedo à sede da superintendência para levar os documentos do marido, que cumpre sentença na unidade prisional e também precisava da carteira de identidade. Ela foi informada no sábado (31), durante a visita familiar, que a ação seria realizada. “Eu só não trouxe as fotos, mas eles vão tirar aqui também. Isso é muito para quem se encontra nessa condição”, ressaltou a mulher.
O atendimento médico foi realizado em uma das salas da Delegacia de Polícia Civil de Breves, para onde os detentos foram encaminhados após os exames de pressão arterial e glicemia. Segundo o clínico geral Luís Eduardo, as principais queixas da população carcerária em relação a saúde foram dor de cabeça, coceira na pele e cansaço, além das verminoses. “São doenças relacionadas ao ambiente insalubre da carceragem e são facilmente tratadas com medicação para verme, vitaminas, além da medicina preventiva, que evita uma nova contaminação”. Os policiais também foram orientados como proceder com as medicações, adquiridas na farmácia que acompanha a Caravana.
A ação do Pro Paz junto aos presos do Sistema Penal foi bastante elogiada pelo superintendente da regional das ilhas, delegado Jarson Silva. Segundo ele, a grande dificuldade para o atendimento de saúde aos detentos é a logística de transporte deles. “Temos um efetivo reduzido para o transporte dos presos, que necessita de uma infraestrutura de segurança, seja para o atendimento no Hospital Regional de Breves ou até mesmo em Belém”, explica o delegado.

Pro Paz Integrado

Até dezembro será implantado em Breves uma unidade do Pro Paz Integrado. A unidade integrada, que funcionará nas dependências da Superintendência Regional das Ilhas, em Breves, irá oferecer à região atendimento especializado no combate à violência contra a criança, o adolescente e mulher, com serviços médicos, psicossocial, perícia e de defesa social.
No Pro Paz Integrado serão oferecidos os serviços de acolhimento psicossocial especializado, que garantem os direitos básicos relacionados à saúde física, emocional, mental e reprodutiva. Também haverá a prevenção de DST’s/Aids e gravidez decorrente de estupro, através de medidas profiláticas, nos casos detectados até 72 horas; ou nos casos de violência sexual, conforme a legislação. Para as mulheres vítimas de violência, o Pro Paz Mulher terá também atendimento integral, sendo que o psicossocial será direcionado para os Centros de Referência.
O Pro Paz Integrado já atende a região do Baixo Amazonas, com sede no município de Santarém e, além de Breves, o programa será implantado também em Castanhal. Segundo o coordenador da Caravana Pro Paz Presença Viva Marajó, Jorge Bitencourt, o processo de implantação da unidade na região está em fase de análise técnica, mas a previsão é que, concluídas as obras da primeira unidade prisional da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará, tenham início as obras e adaptações estruturais para a implantação do programa. “Assim que os presos forem transferidos daremos início a implantação do Pro Paz Integrado em Breves”, ressalta Jorge Bitencourt. A unidade prisional de Breves já está com mais de 70% das etapas concluídas. A penitenciária abrirá 128 vagas e irá receber os detentos de toda a região do Marajó.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Polícia Civil promove palestra
sobre o perigo das
drogas em Tailândia


Um projeto da Polícia Civil, que teve início no município de Mocajuba, leva agora às escolas de Tailândia, sudeste do Estado, orientações sobre os possíveis sinais de uso de entorpecentes dentro do meio familiar. Idealizada pelo investigador Arley Carneiro, sob supervisão dos delegados Herbert Renan Souza, superintendente do Lago de Tucuruí; Valério Alvarenga, titular da Delegacia de Tailândia, e Ricardo do Rosário, titular de Novo Repartimento, a ação educativa foi levada aos pais de alunos na escola municipal de ensino fundamental "Socorro Ricarte".
Além das informações sobre os perigos referentes ao uso de entorpecentes, foi reforçada a importância da colaboração da população através do "Disque-Denúncia" para informar pontos de venda de drogas, as chamadas "bocas de fumo". Segundo o idealizador do projeto, Arley Carneiro, não basta apenas reprimir o tráfico de drogas e o Poder Judiciário aplicar as penas aos criminosos.
"Temos de evitar que novos usuários sejam vítimas dos traficantes", ressaltou. As palestras servirão como mais um instrumento para fortificar as relações familiares e evitar o recrutamento de novos dependentes. O objetivo é levar inicialmente as palestras aos municípios da região do Lago de Tucuruí, no sudeste do Pará. Após isso, a meta será expandi-las para outras regiões onde exista a necessidade de palestras. ”Nossa meta em Tailândia é alcançar todas as escolas, associações, cooperativas ou qualquer outra entidade que a Polícia Civil possa ajudar a prevenir o uso de entorpecentes”, asseverou o investigador.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Diário Oficial do Estado
tem certificação digital

A versão online do Diário Oficial do Estado (DOE) agora é certificada digitalmente. A certificação digital garante que o documento acessado é uma versão original e que não sofreu nenhum tipo de alteração. Para ter a garantia da autenticidade da edição, o usuário deve acessar a página de interesse no DOE e abrir a versão em PDF, em seguida clicar no botão "Painel de Assinaturas", que fica no canto superior direito da página, uma janela irá abrir ao lado esquerdo publicação com a descrição da certificação e validade da assinatura.
A certificação digital do Diário Oficial do Pará está funcionando em fase experimental desde janeiro deste ano. Em maio, a ferramenta passa a funcionar oficialmente, disponibilizando a assinatura digital da Imprensa Oficial do Estado (IOE) nas páginas do Diário Oficial. O Certificado Digital também garante a confiabilidade de documentos na tramitação digital, a Presidência da República e os Ministérios já utilizam a certificação para os documentos oficiais que são publicados no Diário Oficial da União. Um sistema controla automaticamente o
fluxo de documentos desde a origem até a publicação e arquivamento dos mesmos. Brevemente esse tipo de sistema deverá se utilizado pelo Governo do Pará.
"Vamos começar uma nova fase tecnológica na IOE. Vamos ter Autoridade de Registro, que nos permite prestar o serviço de certificação de documentos digitais para pessoa jurídica e física, além da identidade digital. A tendência é a eliminação gradativa dos documentos em papel, como já vem acontecendo com a Receita Federal, por exemplo, e para isso é preciso ter segurança com os dados digitais”, explicou o presidente da Imprensa Oficial do Estado, Cláudio Rocha.
O próximo passo é disponibilizar uma autenticação digital do Diário Oficial, que será uma forma de código protocolar, como já acontece com a autenticação de pagamento bancário, que identifica através de uma série numérica a autenticidade e confiabilidade do documento. Esse também será um serviço prestado pela IOE que estará habilitada a implantar o sistema em empresas públicas e privadas.
As mudanças nas documentações devem extrapolar, em pouco tempo, os limites das organizações empresariais. Os documentos pessoais também deverão convergir para uma fonte online. As carteiras de identidade deverão funcionar com um chip onde estarão guardados digitalmente todos os dados do usuário. O que parece algo distante, na verdade já
faz parte do dia a dia da população que utiliza cartões de crédito, os chips dos cartões guardam os dados bancários do titular e é nesse mesmo sistema que irá funcionar o novo modelo de registro de geral de identificação pessoal.
Quem não quiser esperar a mudança da carteira de identidade para ter os dados pessoais digitalizados, poderá adquirir o serviço na própria IOE. A diferença é que o acesso aos dados também poderá ser feito através de um token, uma espécie de pen drive, que possui as informações criptografadas garantindo a autenticidade, confidencialidade e integridade das informações eletrônicas. “A transferência da legalidade dos documentos tende a passar do papel para o documento digital. Portugal já aprovou uma lei passando a legalidade oficial para o que está online em detrimento do que está no papel. O mundo todo deverá funcionar desta maneira. O cidadão ganha agilidade no acesso a diversos serviços além da redução nos custos”, afirma Cláudio Rocha.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom

Policia Militar faz palestras
educativas durante
Caravana em Breves



AS AÇÕES DA POLÍCIA NO PRO PAZ SUPERA AS
EXPECTATIVAS DOS MILITARES QUE DÃO TUDO
DE SI PARA AJUDAR AS PESSOAS. ESSA FOTO
FOI NOTA 10 E PUBLICADA EM NOSSA EDIÇÃO
IMPRESSA DO CORREIO JURUNENSE. PARABÉNS
AO AUTOR DA MESMA QUE FAZ PARTE DA SECRETARIA
DE COMUNICAÇÃO DO GOVERNO DO ESTADO

A Policia Militar também está presente na Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva no Marajó. Além da segurança dos mais de 200 servidores que fazem a caravana, a PM realiza uma programação de palestras, levando à população marajoara a filosofia da polícia comunitária, que tem como principal argumento a parceria entre comunidade e polícia na prevenção da violência.
A Caravana Pro Paz Cidadania reúne 10 policias militares das Companhias Fluvial, Especializada em Trabalhos com Crianças e Adolescentes (Cepas) e das Zonas de Policiamento da Capital (Zpol). Em Breves as ações educativas da PM foram concentradas na Escola Santo Agostinho. Segundo o tenente Antonio Nonato, coordenador das ações da PM na Caravana e sub-comandante da 1ª  Zona de Policiamento da Capital, as palestras enfocam a importância da educação na prevenção da violência e como a família tem papel determinante nesse processo. “Tentamos repassar alguns valores primordiais para a prevenção da violência, como a importância da educação na família e na escola. O aluno que está fora da sala de aula está mais vulnerável à criminalidade”, ressalta.
Outro tema abordado durante as palestras é a prevenção do consumo de drogas. Eliane Alberto Santos, de 14 anos, é aluna da Escola Miguel Bitar e assistiu a palestra da PM enquanto a mãe aguardava atendimento na clínica odontológica. “Eu acho importante a própria polícia falar do mal que a droga causa e como nós jovens devemos nos comportar em relação a elas”. Violência doméstica e bullying também foram temas apresentados em Breves.
Em Breves, a Policia Militar recebeu apoio de 20 homens do Exército, que auxiliam na organização das filas de atendimento, além de reforçarem a segurança geral da Caravana e das pessoas que procuram por atendimento. A PM também realiza a segurança dos servidores que estão lotados no “Ana Beatriz III”, embarcação que faz o transporte dos servidores da Caravana.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Oficinas de mídias populares
revelam talentos em Breves

Edwilson Vaz da Silva, de 40 anos, é portador de necessidades especiais, mas a falta da audição e da fala não foi impedimento para ele cursar pedagogia e se especializar no curso de libras. Ele foi um dos 80 alunos que participaram das oficinas de mídias populares do projeto Biizu em Breves, uma iniciativa da Secretaria de Estado de Comunicação, que tem como objetivo fomentar e difundir a comunicação popular em todos os municípios do Pará.
De professor, Edwilson passou a aluno, com uma missão muito especial, levar a linguagem do desenho para seus alunos do ensino fundamental. Em Breves, cerca de 30 estudantes são portadores de necessidades especiais e Edwilson é o único profissional capacitado no município para lidar com esse tipo de público. “Busquei a oficina de desenho por ser uma linguagem de arte visual. Mesmo sem um material didático adaptado consegui aprender técnicas de desenho e com certeza vou repassá-las aos meus alunos”, ressaltou o professor.
A turma de desenho teve outro aluno especial. Marcos Jeová tem 13 anos e seu talento para o desenho surgiu ainda na infância. Ele não fala e não ouve, mas entendeu muito bem as técnicas e traços repassadas pelo professor Edson Redivan, ministrante da oficina de desenho. “Eu nunca havia ministrado uma oficina para alunos especiais. O Jeová me surpreendeu por que, mesmo com pouca idade e com suas limitações, se destacou entre os demais alunos apresentando traços apurados. Ele tem talento”, elogiou.
Além da oficina de desenho, o Biizu levou para Breves oficinas de grafite, rádio e fotografia. Maria Raimunda do Amaral tem 61 anos. Sua profissão é de cozinheira marítima, mas a paixão pela fotografia vem desde a juventude. A oficina em Breves foi a oportunidade de aprender as técnicas fotográficas. “Sempre gostei de fazer fotos. Agora aprendi como fazer uma boa foto. Além do que, posso até trabalhar na área se quiser”. O projeto Biizu acompanha a Caravana Pro Paz Presença Viva no Marajó realizando uma programação de oficinas nos municípios de Portel, Melgaço, Breves e Anajás. Cada curso tem duração de 20 horas, e ao final das aulas os alunos recebem certificados de capacitação.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Estado leva educação ambiental
para comunidades
do oeste paraense

A operação Mamuru II, desenvolvida pelo Governo do Estado, por meio dos seus órgãos de Segurança Pública e Meio Ambiente, promoveu nos últimos 15 dias a conscientização ambiental nas comunidades ao longo do rio Mamuru, no interior do município de Juruti, no oeste do Pará. O objetivo da ação, que fiscalizou vários pontos que eram alvos de madeireiros ilegais, foi combater o desmatamento e orientar a população sobre a preservação da natureza e as concessões florestais que o Estado está autorizando na área.
A ação começou de barco no município de Santarém e percorreu o rio Amazonas até o rio Mamuru, que é seu afluente. Neste braço do Amazonas, durante 15 dias, mais de 10 comunidades foram visitadas pelos órgãos estaduais. A cada parada, além do trabalho de fiscalização na mata, a equipe buscou formar parceiros para a preservação das florestas desta região paraense.
O trabalho foi de levar informação sobre a manutenção da fauna e da flora, além de orientação sobre as leis ambientais vigentes no país e no Estado, de acordo com o cotidiano das comunidades. Durante as conversas, muitas dúvidas foram sanadas, como sobre o uso da motosserra, que é permitido pelo Estado desde que o equipamento esteja legalizado e não seja utilizado para a derrubada de árvores, e sobre a caça de animais silvestres, que não é considerada crime ambiental se for para a subsistência.
O subtenente do Batalhão de Polícia Ambiental da Polícia Militar, José Boaventura, foi quem coordenou as reuniões com as comunidades. Acompanhado de representantes da Polícia Civil e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, ele falou sobre o trabalho que o Estado está realizando para a preservação das florestas no oeste e deixou a mensagem de educação ambiental para as famílias.
“As forças se unem. É função nossa levar esse esclarecimento para essas pessoas, além da fiscalização. Isso é prevenção. Estamos orientando as comunidades para que sejam parceiras no nosso trabalho. A cada comunidade que passamos, deixamos fontes de informação para a nossa fiscalização”, afirmou o subtenente, que repassou às comunidades os contatos da Polícia, pelos quais as famílias podem fazer denúncias de crimes ambientais.
Em uma das comunidades que a operação passou, a Vila Sabina, onde moram cerca de 200 pessoas, estudantes jovens e adultos assistiram a palestra da Mamuru II. Para a aluna da 8ª série da Educação para Jovens e Adultos (EJA), Maria Erlieze, de 29 anos, a conversa sobre educação ambiental foi uma nova experiência. “Aprendi muita coisa. Foi uma experiência que eu nunca tive. A gente sabe muito sobre a preservação da natureza, mas, eu pelo menos, tinha dúvidas se o que eu fazia era certo ou errado. Depois dessa conversa eu tenho consciência de que nós somos os primeiros fiscais dessas florestas e que precisamos ser parceiros do Estado na proteção dessa área”, afirmou a jovem, que participa, na Vila Sabina, do projeto Pé de Pincha, que, por meio da criação em berçários, devolverá este ano à natureza pelo menos 1.500 quelônios.
Em outra comunidade, a Vila Mocambo, o trabalho de conscientização se concentrou nos cuidados com o lixo doméstico. A Mocambo é uma das maiores vilas do rio Mamuru, possui comércio e o consumo de produtos industrializados é grande. O descarte de embalagens plásticas, latas e garrafas é um desafio para os moradores. A equipe estadual apresentou alternativas para as famílias destinarem esses materiais, como a reciclagem.
O professor Alcinei Cidade, de 31 anos, organizou a comunidade para assistir a palestra. Para ele, a mensagem de conscientização preencheu a falta de informação que a comunidade possuía. “Depois da palestra fica o conhecimento de coisas novas, como a reciclagem. Facilita até o nosso trabalho na escola com as crianças. É muito importante a mensagem de preservação. O que não falta hoje aqui, pode faltar no futuro se não soubermos cuidar”, contou Alcinei, que dá aula há um ano no Mocambo.
Operação
A Mamuru II é coordenada pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor), em parceria com a Delegacia Estadual de Meio Ambiente (Dema), Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), Polícia Civil e Instituto de Perícias Científicas Renato Chaves. A ação contra o desmatamento e a exploração ilegal de madeira já desarticulou duas madeireiras ilegais que agiam na região do Mamuru. Uma investigação iniciada pela Dema deve identificar os responsáveis pela exploração das florestas.
Segundo depoimentos, a madeira era retirada de comunidades do Mamuru e levada para Parintins (AM) e Belém. A Polícia investiga ainda um suposto acordo para repasse financeiro que teria sido feito em 2010 entre a Associação dos Produtores Rurais do Rio Mamuru (Aprim) e os madeireiros, com o aval da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).
Ainda de acordo com os depoimentos já apurados pela Dema, dois homens, Claudecy Pereira, que reside em Paritins (AM), e “Mica”, de Santarém (PA), trabalhavam para a GC Madeiras, que teria como donos dois homens chamados Ciro e Tiago, pai e filho, de Belém. Estes seriam os principais exploradores da região, e faziam acordos financeiros e materiais com as comunidades para garantir a extração. A Polícia Civil do Pará solicitou apoio da Polícia do Amazonas, que já identificou Claudecy e deverá ouvi-lo nos próximos dias. A polícia paraense ainda ouvirá em Santarém o homem conhecido como “Mica”. Conforme o rumo das investigações, e os próximos depoimentos, a Polícia Civil do Pará poderá indiciar os culpados pela exploração.

Texto:
Thiago Melo-Secom

Pro Paz, Santa Casa e IAP
realizam Páscoa das crianças

O núcleo Pro Paz da Santa Casa realizou, no último dia 29 de março, uma manhã comemorativa da Páscoa. As 50 crianças atendidas pelo programa tiveram a oportunidade de interagir com a Companhia de Teatro Luzes, de Fernando Rassy. O grupo apresentou o espetáculo "A lenda da espada de prata". A expectativa do público era grande quando um malvado bruxo começou a provocar grandes gargalhadas com suas trapaças. Ao final, tendo o bem vencido o mal, a criançada recebeu ovos de páscoa de presente, além de livros editados pelo Instituto de Artes do Pará e falaram sobre o encatamento que a arte provoca em quem está aberto para novas experiências. Lucas, de nove anos, aluno do 3º ano, sabia que a peça falaria sobre a Páscoa, "gosto de teatro e nunca tive a oportunidade de participar. Quero que a minha escola ofereça esta oportunidade". O IAP, através de seu apoio ao programa Pro Paz, realizará, durante todo o ano, uma programação de teatro, cinema e música para as crianças da Santa Casa.

Jornada pedagógica em
Castanhal reúne quase
mil professores e técnicos

Desde o dia 27, as 65 escolas que integram a 8ª Unidade Regional de Educação (URE) de Castanhal, iniciaram com o corpo técnico a discussão sobre o tema “Do Saber à Construção do Conhecimento Científico”, que norteou o encontro de aproximadamente mil professores e gestores no salão de eventos do Parque de Exposição “Pedro Mota”, em Castanhal.
O evento aconteceu na manhã desta sexta-feira (30) sendo a culminância dos debates realizados em todas as escolas visando o planejamento das ações do ano letivo de 2012. Ao mesmo tempo, é a oportunidade de entrega dos relatórios construídos durante o processo de discussão nas escolas à URE. O objetivo pedagógico do encontro, explica a gestora Norma Moura, é trabalhar a mesma linguagem nas 65 escolas dos nove municípios; proporcionar espaço dialógico e reflexivo para a reconstrução do conhecimento comum aliado ao científico, promovendo dessa forma, a integração educacional.
“A dificuldade de uma escola é a mesma da outra escola em outro município”, ressalta a gestora. Para aproximar e conhecer a realidade de cada escola jurisdicionada à Unidade de Castanhal foi criado o programa “A URE Caminhando com Você”. A metodologia consiste em levar toda a estrutura que funciona na sede para outros municípios. A iniciativa apresentou resultados positivos, entre os quais, o resgate da credibilidade da URE junto à comunidade, frisa a gestora.
A grande participação no encontro foi destacada pelo diretor de Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), professor José Roberto Silva, reforçando que as mudanças na área da educação só serão possíveis com a participação de todos. "Ao realizar o evento, congregando os atores da educação, a URE reconhece  e estabelece diretrizes pedagógicas entre a Unidade e os municípios, facilitando a troca de experiências e insatisfações, além de casos de sucesso", completou o diretor de ensino médio.
O representante da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Altimar Alves, ressaltou os investimentos do Governo do Estado em todos os municípios, garantindo qualidade de vida da população por meio da educação. Ele destacou a implantação dos programas pedagógicos como o “Mais Saber e Jovem de Futuro”. Acessar novas informações da área da educação e a troca de informações  foi a expectativa da coordenadora pedagógica da escola de ensino fundamental e médio “Augusto Ramos”, de Terra Alta, Marisa Vasconcelos. Ela integra o grupo de professores que se deslocaram até Castanhal para o ciclo de palestras e oficinas.

Escolas reformadas

O cronograma de obras da Seduc contemplou escolas de Castanhal, Inhangapi e São Miguel do Guamá. O convênio assinado entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Castanhal vai garantir serviços em três escolas: a de Ensino Fundamental e Médio Dr. Laureno Melo; Rotary Clube e Maria Deuzarina. O edital de licitação para início das obras na escola “Dr. Laureno Melo” está em fase de conclusão pela Prefeitura de Castanhal. A Seduc, por intermédio do assessor politico Altimár Alves reuniu na tarde desta sexta com representantes da Universidade do Estado do Pará (Uepa) para tratar do remanejamento dos 1.500 alunos no período de obras na escola.
Em São Miguel do Guamá, as escolas “Irmã Carla Gilsani" e "Frei Miguel de Bulhões”, receberão as obras de reforma após lançamento do edital de licitação. Em Inhangapi, no próximo dia 15 de abril será entregue aos alunos a escola de ensino fundamental “Aristides Santa Rosa”. Já a escola de ensino fundamental e Médio “Livramento” vai passar por serviços de reformas.

Texto:
Izabel Cunha-Seduc

Fapespa realiza oficinas
de prestação de contas
para projetos que
recebem financiamento

Até esta sexta-feira, 29, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará (Fapespa), realizou oficinas de prestação de contas financeiras para os coordenadores dos projetos selecionados no edital 001/2010 Fapemig/Fapesp/Fapes/Vale. A capacitação, ministrada pelo coordenador de Prestação de Contas da Fapespa, Raphael de Paiva Barbosa, está focada nas instruções para utilização e prestação de contas dos recursos financeiros repassados por meio de instrumento de concessão e aceitação de apoio financeiro.
A oficina proporcionou aos participantes conhecimentos sobre as atividades de análise contábil e financeira de convênios nas suas fases de celebração, execução, prestação de contas e tomada de contas especial, visando determinar a correta e regular aplicação dos recursos públicos ou recebidos.
Raphael de Paiva explica que o objetivo do curso é manter os pesquisadores atualizados sobre os procedimentos de prestação de contas de convênios dentro das normas e legislações existentes no edital. "Consequentemente, fazer com que os processos melhorem”. Será apresentado o manual de prestação de contas da Fundação com as delimitações e especificidades descritas no edital, “promoveremos dinâmicas de problematização para que todos possam esclarecer suas dúvidas”, destaca Raphael.
A assessora da presidência da Fapespa, Sibele Bitar Caetano, ressalta, que “essa é uma ação proativa da Fapespa para dar celeridade às demandas dos pesquisadores, com vistas à boa utilização dos recursos e para evitar problemas quanto à execução financeira dos projetos, para ambas as partes”. O pesquisador José Augusto Barreiros comenta a participação no curso. “A oficina está ajudando a esclarecer muitas dúvidas sobre como devemos agir na hora de prestar contas com a Fapespa”.

Texto:
Simone Campos-FAPESPA

Estudantes de Conceição
do Araguaia conhecem
o trabalho da Adepará

O Instituto Federal do Pará, campus de Conceição do Araguaia, abriu espaço para a realização da palestra 'O papel da defesa vegetal no desenvolvimento rural de Conceição do Araguaia e região', que tem por objetivo mostrar o trabalho que vem sendo desenvolvido pela Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) no município. Os estudantes do IFPA tiveram a oportunidade de conhecer a sistemática das ações na área vegetal, desde a fiscalização de sementes e mudas, revendas de agrotóxicos, até o controle de trânsito vegetal e educação sanitária.
Segundo o engenheiro agrônomo da Adepará, Jorge Luiz Carvalho, é missão da defesa vegetal assegurar a fitossanidade das culturas, para que verduras e legumes estejam em perfeitas condições de comercialização. As ações são feitas para controlar pragas e doenças que possam causar prejuízos e interferir na queda da produtividade. “A prevenção e a vigilância fitossanitária são fundamentais para minimizar os riscos de introdução de pragas e doenças que possam causar prejuízos ao agronegócio paraense. Entretanto, é preciso fazer um trabalho permanente de educação sanitária por meio de palestras, para que produtores e a população em geral compreendam a importância dessas medidas”, explicou o fiscal.
Jorge Carvalho procurou esclarecer todas as dúvidas dos estudantes e, na ocasião, adiantou que em breve a Adepará passará a emitir também a Guia de Trânsito Vegetal (GTV),  documento onde constam a origem do produto, seu trânsito, garantindo a rastreabilidade total da produção agrícola do estado. O processo de rastreabilidade é uma exigência do mercado nacional e internacional e assegura a qualidade e, consequentemente, a comercialização de itens importantes da cadeia produtiva paraense.


Fapespa inicia fase de análise
das propostas do 'Pará
Faz Ciência na Escola'

Fomentar a participação de professores e alunos do Ensino Médio e da educação profissionalizante em projetos de pesquisa que resultem na melhoria da qualidade da educação no Pará. Este foi o principal critério pautado para a análise das propostas submetidas ao edital do 'Pará Faz Ciência na Escola' (PPCE), nos dia 28 e 29 de março, na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará (Fapespa). Após passar por uma readequação no aporte financeiro, o Edital nº 013/2010 PPCE segue o seu novo cronograma, com a fase de avaliação presencial dos projetos.
Um grupo de 10 consultores Ad hoc, distribuídos em cinco áreas de conhecimento, iniciaram a apreciação das propostas com base em cinco critérios objetivos e subjetivos, pré-definidos tecnicamente, e que, finalizarão em uma pré-classificação. Isso possibilitará a contratação de aproximadamente 35 projetos e 105 bolsistas do ensino básico. “A participação de professores e estudantes de escolas públicas do Estado deve contribuir, de forma efetiva, para a melhoria da qualidade de ensino”, destaca o diretor científico da Fapespa, Moacir Macambira.
Segundo Moacir, o programa pretende estimular os professores a elaborarem e desenvolverem projetos de pesquisa nas diferentes áreas do conhecimento, “que tenham como reflexo novas práticas pedagógicas, beneficiando a aplicação no dia-a-dia em sala de aula”. A próxima etapa é a homologação do comitê de avaliação e, seguidamente, a publicação do resultado final, previsto para o dia 21 de maio.

Texto:
Simone Campos-FAPESPA

Pesquisa de satisfação com
usuários da Jucepa supera
meta e atinge índice de 77%

A Ouvidoria da Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa) existe desde outubro de 1997, promovendo um canal de comunicação com os usuários e atendendo também clientes internos. O resultado da última pequisa de satisfação realizada junto aos usuários atingiu o índice de 77% de aprovação, ultrapassando a meta da instituição, que é de 70%. O objetivo da pesquisa, realizada anualmente, é o de obter dados referentes à expectativa dos usuários do registro mercantil frente à prestação de serviços da Jucepa.
Foram ouvidos usuários que se encontravam no térreo do prédio sede da Jucepa, recebendo algum serviço prestado pela instituição, e parceiros. Também foram disponibilizados aos usuários que utilizam a Internet (www.jucepa.com) questionários com encaminhamento via on line para a Ouvidoria.
Para Auxiliadora Pojo, ouvidora da Jucepa, o setor é o termômetro de uma instituição bem sucedida e o resultado da pesquisa de opinião junto ao usuário externo é uma resposta altamente positiva que aponta a busca permanente pela excelência do trabalho desenvolvido na Junta, considerada uma das mais modernas do Brasil. "Uma demonstração do sucesso do investimento em várias áreas do órgão, como estrutura física, tecnológica, qualificação e valorização do servidor, visando o crescimento contínuo frente às necessidades do cidadão".
De acordo com o resultado, 77% do universo pesquisado qualificaram os serviços prestados pela Jucepa como "ótimo para bom". Em 2009 e 2010, o índice manteve-se em 71%. Houve um crescimento de seis pontos percentuais de satisfação do usuário com os serviços prestados pela Jucepa, se comparado aos anos de 2009 e 2010. "Como Ouvidora, estou satisfeita com o resultado obtido. Percebemos que estamos fazendo um bom trabalho. Os gestores e a alta administração vêm desenvolvendo ações permamentes para a melhoria dos serviços prestados ao usuário. Ficamos extremamente satisfeitos quando percebemos que o resultado do trabalho desenvolvido foi reconhecido pelo usuário", comemora Auxiliadora Pojo.
Em relação aos aspectos do ambiente físico, como a comodidade das instalações, o índice de satisfação entre ótimo/bom foi de 84% e sobre a acessibilidade do órgão, a aprovação foi de 74%. Quanto aos serviços como Ouvidoria, o índice de satisfação ótimo/bom foi de 74%; sobre a funcionalidade do website foi de 86% e o atendimento pelos servidores ficou em 80%. A pesquisa da Ouvidoria constitui-se em mais um instrumento que amplia o controle de qualidade da Jucepa ao buscar transparência nos serviços prestados e auxiliar no planejamento e direcionamento das ações da instituição.
Como importante instrumento de transformação institucional, que visa dar voz aos usuários e possibilitar melhorias baseadas nas necessidades, este canal de comunicação com os usuários atende demandas, reclamações, elogios e sugestões que podem ser feitas pela Internet, caixa de sugestões, por telefone ou presencial. As demandas do interior do Estado chegam mais pela Internet. Em Belém, o usuário busca mais o atendimento presencial.
Em todo o ano de 2012, foram efetuados 1800 atendimentos informais pela Ouvidoria, com soluções imediatas e 131 formalizados e respondidos no prazo máximo de três dias pelas unidades responsáveis. "Atualmente já percebemos que o usuário valoriza o trabalho da Ouvidoria. Isto é um avanço muito grande. Ele percebe que possui um canal de comunicação eficiente para sua utilização e obtenção de respostas rápidas. Percebemos esta valorização através do aumento de pessoas que procuram a Ouvidoria", explica Auxiliadora.
Usuário da Junta, o contador Heitor Figueiredo comprova isso. "Há 10 anos venho até a Jucepa prestando serviços para diversas empresas. Vejo que melhorou muito o atendimento, está mais prático e próximo do contador, algo que já desejávamos há bastante tempo. E sempre que precisei do serviço da Ouvidoria fui atendido e meus questionamentos foram resolvidos com rapidez. No primeiro contato por meio da caixa de sugestões, até expressei que achava que nada seria resolvido e realmente me surpreendi positivamente. A Ouvidoria de fato auxilia todos os usuários, o canal é muito bom. A Jucepa deu um salto muito grande em todas as suas áreas, isto é visível, falo isso como usuário do serviço", disse.
Visita
E a Ouvidoria da Jucepa já serve de modelo para outras instituições. Recentemente, a equipe da Jucepa recebeu servidores da Secretaria de Administração do Estado (Sead) para uma reunião. Criada em 2006, a ouvidoria da Sead foi trocar ideias e experiências sobre o funcionamento da Ouvidoria da Junta Comercial. Participaram da reunião a coordenadora do Programa de Qualidade da Sead e consultora do Programa de Qualidade na Gestão Pública, Silvia Abnader; a ouvidora da Sead, Rosemary Torres e o técnico da Ouvidoria, Luiz Listo. Pela Jucepa, estiveram presentes a ouvidora Maria Auxiliadora Pojo, o técnico Enock Santos e a psicóloga Ana Lucia Corrêa.
Auxiliadora Pojo explicou como é o funcionamento da Ouvidoria, a realização de pesquisa junto ao usuário e ainda todo o sistema informatizado, que permite consultas via Internet por meio de soluções tecnológicas desenvolvidas pela Jucepa, onde o usuário pode visualizar as ocorrências encaminhadas à Ouvidoria. Outra importante informação repassada é quanto ao tempo da resposta para o usuário, que na Jucepa não passa de três dias.
De acordo com Rosemary torres, a Sead está reestruturando sua Ouvidoria e desta forma a reunião foi muito positiva por realizar esta troca de ideias e fazer também o chamado benchmarking, que possibilitará que determinadas experiências, por exemplo, também possam ser aplicadas na Sead, especialmente na pesquisa de satisfação do usuário. O Benchmarking é um conceito utilizado em administração, que consiste no conhecimento dos processos de uma empresa e na comparação entre serviços do mesmo setor em outras empresas. É utilizado para identificar as melhores práticas e, posteriormente, adequá-las à realidade de cada instituição. As informações obtidas através deste processo são tidas como extremamente valiosas, pois trata-se de aprendizado com o outro, sendo possível analisar e identificar as estratégias dos procedimentos adotados.

Texto:
Diane Maués-Jucepa


Defensoria Pública oferece
palestra sobre sexualidade
para adolescentes

Com a finalidade de fornecer informações e esclarecimentos sobre a sexualidade a 25 adolescentes assistidos pelo Núcleo de Atendimento Especializado da Criança e do Adolescente (Naeca), a Defensoria Pública do Estado do Pará realizou, na manhã desta quinta-feira (29), o 1º Momento Psicossociopedagógico da 4ª turma de adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas de prestação de serviços à comunidade. O evento teve como parceira a Casa da Mulher e abordou o tema “Dialogando sobre Planejamento Familiar, DST’S e Aids”, no auditório do prédio-sede da Defensoria.
Coordenado respectivamente pela assistente social e pela psicóloga do Naeca, Ana Cristina Furtado e Carla Lakiss, o objetivo da oficina foi oportunizar o acesso à informação e à educação a estes adolescentes que desenvolvem medidas no Núcleo. De acordo com Ana Cristina Furtado, a proposta e o desafio da equipe interdisciplinar do Naeca é levar a educação para estes assistidos com estas temáticas.
“Isto é de suma importância para a Defensoria Pública do Pará, pois promove sempre a inclusão e o acesso à informação. É este acesso à informação que favorece o exercício de cidadania. Uma pessoa informada vai estar com mais condições de ser incluída na rede de serviços. Estes adolescentes são pessoas em desenvolvimento que necessitam de informações sobre estes assuntos”, declarou a assistente social, Ana Cristina Furtado.
Segundo a enfermeira da Casa da Mulher, Cristina Saldanha, que falou sobre Planejamento Familiar, este é um tema que está muito presente não só na fase adulta, como também na adolescência. Portanto, é preciso fazer com que os adolescentes se sintam informados, cultuando a responsabilidade na relação sexual. “É necessário que se tenha planejamento. Existe uma lei de 1996 pelo Ministério da Saúde decretando que todos os métodos contraceptivos estejam disponíveis na rede básica de saúde. É de suma responsabilidade do Governo fornecer não só as informações, assim como os materiais contraceptivos para esses adolescentes que são o nosso público alvo a ser atingido aqui neste evento”, ressaltou Cristina Saldanha.
A assistente social do Psicossocial da Defensoria Pública do Pará, que trabalha no Programa de Família do órgão e é treinada pelo Ministério da Saúde em DST’S e Aids, Marilda de Paula Tavares, participou também do evento abordando um pouco sobre a prevenção das DST’S, da Aids e da testagem do HIV. “É imprescindível que eles tenham o conhecimento de como se prevenir usando a camisinha masculina ou feminina, sobre os sintomas das DST’S, o número de parceiros que possuem e como é a seleção dos mesmos. A Aids está aí, porém não aparece na testa quem a tem ou não. Vim fazer este trabalho com os adolescentes, fazendo distribuição da camisinha e oferecendo a testagem do HIV para quem quiser”, frisou Marilda.
Para Tavares, como estes adolescentes são assistidos pelo Naeca, esta também é uma oportunidade para que eles realizem a prevenção na área da saúde, porque são iniciantes na vida sexual e podem viver uma gravidez precoce. “Todas essas informações são necessárias, devido a esse início de educação sexual, ao mesmo tempo em que pode evitar uma gravidez indesejada, uma DST ou a própria Aids”, esclareceu a assistente social Marilda Tavares.
O adolescente assistido pelo Naeca, A. H., afirmou que este tipo de informação é algo muito bom, pois dessa forma os adolescentes podem aprender mais sobre a relação sexual. “A iniciativa da Defensoria do Estado é muito boa e essencial para que possamos ter mais conhecimento sobre sexualidade e como se prevenir das DST’S com o uso da camisinha para evitar a contaminação dessas doenças”, finalizou.

Texto:
Gilla Aguiar-Defensoria Pública

Liga incentiva a formação de
hematologistas e
hemoterapeutas no Estado

Um grupo de estudantes do curso de Medicina da Universidade Estadual do Pará (Uepa) escreveu um novo capítulo na história da saúde no Estado com a criação da Liga de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Lahhepa), em parceria com a Fundação Hemopa. O convênio para implantação foi assinado na noite desta quinta-feira, 29, na sede do hemocentro. O evento contou com a presença do secretário de Estado de Saúde, Hélio Franco, que parabenizou os universitários pela iniciativa e fez uma breve explanação sobre a situação da saúde pública no Estado.
Presidida pelo acadêmico de Medicina João Carlos Pina Saraiva Filho, a liga tem a finalidade de fomentar o conhecimento entre os estudantes do curso em todas as instituições de Ensino Superior do Pará, por meio de palestras, aulas e conferências proferidas por profissionais renomados na área de hematologia, e sempre abordando temas de interesse e relevância no diagnóstico e tratamento clínico de doenças do sangue. Os encontros se darão toda as primeiras e terceiras quintas-feiras de cada mês. “A Liga também incentivará a formação de hematologistas e hemoterapeutas no Estado, que atualmente possui cerca de 30 profissionais da área”, explicou João Carlos.
Para Luciana Maradei, o grupo de acadêmicos construiu um novo espaço para o conhecimento. “Vocês estão de parabéns.Temos um novo grupo que vai fomentar o ensino e a pesquisa para aperfeiçoar os conhecimentos nessa área. Vocês serão agentes transformadores e não esquecer de atuar nas comunidades”, ressaltou, desejando sucesso aos futuros médicos. Em seguida, a presidente do Hemopa e o presidente da Lahhepa assinaram convênio consolidando a parceria entre as duas instituições.
Os participantes assistiram a uma palestra sobre “Hematopoese”, ministrada pelo Professor Doutor João Alexandre Lemos, que é pesquisador convidado do Hemopa, professor associado da Universidade Federal do Pará e coordenador do módulo “Sistema Hematopoético”, do curso de Medicina da UFPA. A diretora técnica do Hemopa, Socorro Ferreira, fez uma breve abordagem sobre a evolução da hemoterapia e hematologia no Brasil e no Pará.
Também participaram da cerimônia de criação do Lahhepa a presidente da Sociedade Médico Cirúrgica do Pará, dra. Cléa Bichara; Alberto Ferreira, que representou o Hospital “Ophir Loyola”; o médico David Bichara; a diretora do Hemocentro Regional de Castanhal, Sandra Lobato; a responsável técnica pelo Núcleo de Ensino e Pesquisa (Nepes) do Hemopa, Socorro Cardoso; além de outros gerentes, assessores, estudantes da Uepa e representantes instituições parceiras.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa

Comunidades do oeste
apoiam operação contra
o desmatamento em Juruti

O desmatamento das florestas do oeste do Pará está sendo combatido pela operação Mamuru II, realizada pelos órgãos de Segurança Pública e de Meio Ambiente do Estado. Nos últimos 15 dias, a ação percorreu várias comunidades na extensão do rio Mamuru, afluente do rio Amazonas, ao sul do município de Juruti, a fim de desarticular a exploração ilegal feita por madeireiras. A cada parada, a esperança da comunidade em ver a floresta preservada.
A professora Auxiliadora da Silva mora em Manaus (AM), mas passa a maior parte do mês na Vila Sabina, primeira comunidade do rio Mamuru, na divisa entre o Pará e o Amazonas, onde leciona Ciências na escola municipal. Ela, assim como toda a comunidade, presencia de forma passiva o movimento da exploração. “É triste ver as florestas indo para o chão. Os madeireiros destroem as árvores, colocam nas balsas e levam embora daqui”, conta a professora, que diz observar da vila as embarcações carregadas de toras passarem no rio.
“Eu acho ótimo que esteja acontecendo essa operação, pois assim a gente se sente mais seguro e sabe que o Estado está protegendo o que é de toda a população paraense”, afirma Auxiliadora. Assim como a professora, a agente de saúde Erlita Lopes, da Vila Sabina, tem esperança de que a operação combata a exploração ilegal de madeira e mantenha em pé a floresta desta área do oeste paraense.
“A gente sente esperança nessas pessoas que fazem a operação, de nos ajudar a salvar as nossas florestas. Daqui a alguns anos, se a exploração continuasse, a gente não mostraria mais para os nossos filhos a natureza exuberante que nós temos”, acredita Erlita, que ficou surpresa em saber que as florestas são monitoradas via satélite pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor). “Eu fico mais segura sabendo que tem esse acompanhamento, mesmo de Belém”.
Em outra comunidade, a Vila Mocambo, uma das maiores do rio Mamuru, o agricultor Jorge Trindade afirma que a operação afasta da região a ação das madeireiras ilegais. “Toda fiscalização amedronta os madeireiros. O desmatamento que já aconteceu está no passado, o que importa é que a floresta seja mantida do jeito que ela está. Eles (os fazendeiros) levam o nosso ‘ouro’ e a gente fica com o vazio. Que todos esses que fazem isso sejam penalizados”, deseja o agricultor.
Investigação
A operação Mamuru II, contra o desmatamento e a exploração ilegal de madeira, desarticulou duas madeireiras ilegais que agiam na região. A Polícia Civil, por meio da Divisão Especializada em Meio Ambiente (Dema), iniciou investigação para chegar até os responsáveis pela exploração das florestas. Segundo depoimentos, a madeira era retirada de comunidades do Mamuru e levada para Parintins (AM) e Belém. A Polícia investiga ainda um suposto acordo para repasse financeiro que teria sido feito em 2010 entre a Associação dos Produtores Rurais do Rio Mamuru (Aprim) e os madeireiros, com o aval da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).
Ainda de acordo com os depoimentos já apurados pela Dema, dois homens, Claudecy Pereira, que reside em Paritins (AM), e “Mica”, de Santarém (PA), trabalhavam para a GC Madeiras, que teria como donos dois homens chamados Ciro e Tiago, pai e filho, de Belém. Estes seriam os principais exploradores da região, e faziam acordos financeiros e materiais com as comunidades para garantir a extração.
A Polícia Civil do Pará solicitou apoio da Polícia do Amazonas, que já identificou Claudecy e deverá ouví-lo nos próximos dias. A polícia paraense ainda ouvirá em Santarém o homem conhecido como “Mica”. Conforme o rumo das investigações, e os próximos depoimentos, a Polícia Civil do Pará poderá indiciar os culpados pela exploração.

Texto:
Thiago Melo-Secom

HOL vai realizar 
Simpósio de Cardiologia

A Clínica de Cardiologia do Hospital Ophir Loyola promove no dia 24 de abril, às 9 horas, o IV Simpósio de Cardiologia do HOL. O evento que será realizado durante o XVI Congresso Médico Amazônico, terá  como tema "Morte Súbita Cardíaca"  e abordará questões importantes como: "Quais pacientes se beneficiam do implante cardiodesfibrilador?" , "Como cardiologista deve conduzir as investigações das síncopes" entre outros.

Perícia do Pará recebe novo
equipamento para
armazenar armas

O setor de Balística do Centro de Perícias Científicas (CPC) Renato Chaves, acaba de receber um novo equipamento para armazenamento de armas de fogo periciadas no Instituto de Criminalística (IC), em Belém. O armário deslizante, que possui formato de um cofre, com senha programada e travas de segurança para a abertura, garante mais segurança e melhores condições de armazenamento das peças, fundamentais para a elucidação de crimes.
Só na Região Metropolitana de Belém (RMB), os peritos do IC realizam cerca de 500 perícias em armas de fogo, incluindo também análises de projeteis, geralmente realizados nas perícias de comparação com as armas. O setor de balística do Centro de Perícias em Belém funciona com 14 servidores, sendo nove peritos criminais, três auxiliares técnicos de perícia e dois auxiliares administrativos. A área utiliza tecnologia de ponta na execução do trabalho pericial. Atualmente são utilizados três equipamentos de microcomparação balística, um estereoscópio, uma balança analítica e uma maleta CSI, fundamentais para a busca de vestígios de crimes envolvendo armas de fogo.
O investigador de Polícia Civil (PC), Rubens Ferreira, lotado na Seccional da Cidade Nova, falou da importância do setor para a elucidação de crimes. “Esse setor é fundamental para que as nossas investigações sejam melhor executadas. A gente ganha tempo e mais segurança na hora de finalizar um inquérito policial. Em relação ao cofre, acredito que os peritos criminais vão trabalhar com mais segurança, pois antes as armas eram armazenadas numa sala pequena, de forma desorganizada. A utilização do equipamento reorganiza o serviço e isso também reflete no nosso trabalho”, expõe.
A aquisição faz parte das obras de melhorias realizadas no Centro de Perícias desde o início de 2011, quando o laboratório foi remanejado para uma sala totalmente nova. Antes da reforma, o laboratório funcionava em um espaço pequeno, e as armas eram guardadas em uma sala isolada. Agora, o armário será utilizado não somente para guardar o armamento da Região Metropolitana de Belém, mas também das unidades regionais que dão suporte ao CPC no interior do Estado.
“Além de modernizar nosso serviço, a utilização do armário também representa melhor organização e controle no fluxo de entrada e saída dos armamentos. Ele possui uma senha digital, acessada somente pelo gerente do setor. A tendência é levarmos esse equipamento para regiões com grande fluxo de entrada e saída de armas, a exemplo de Marabá”, explica o diretor geral do CPC, Orlando Salgado.

Laboratório

O próximo passo das melhorias da perícia paraense é a inauguração do Laboratório Forense do Centro. O novo setor já está em fase de obras e segue um cronograma de entrega previsto para o final deste semestre. Nele, funcionará toda a parte de análises físicas, químicas e biológicas, com novos equipamentos e um moderno laboratório de DNA, que promete um dos melhores do país. Segundo o diretor geral, Orlando Salgado, o novo laboratório de DNA foi projetado para ser o melhor do Norte-Nordeste.
“Além do novo espaço físico, instalaremos outros modernos equipamentos. Temos uma equipe de peritos formada por especialistas em Genética Forense, que já desempenha um papel fundamental nas investigações criminais no Estado do Pará. Um exemplo disto é o resultado recorde nas perícias que envolvem acidentes aéreos, recentemente ocorridos na nossa região, com a identificação dos corpos no menor tempo possível, sempre priorizando uma rápida liberação dos cadáveres para as famílias. O novo setor laboratorial do CPC não deixará nada a desejar em relação a outros polos importantes de perícia do país”, conclui.

Texto:
Nil Muniz-CPC

Banda Sinfônica da Escola
Lauro Sodré completa 140 anos

A Banda Sinfônica da Escola Estadual Lauro Sodré, tradicional nos desfiles escolares da capital paraense, completa 140 anos nesta sexta-feira, 30. Fundada no ano de 1857, como banda do Instituto de Educandos Artífice, antigo Instituto Lauro Sodré, atualmente é formada por alunos da rede pública estadual de ensino através do Projeto “Educando através da Música”, criado em 2003, com objetivo de estimular nos alunos o gosto pela música.
O projeto, que é mantido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), tem em sua coordenação o maestro Silas Borges e a professora Kelly Mesquita, que defendem, que a maior conquista do projeto foi “tornar possível o acesso à música para centenas de crianças e adolescentes da comunidade escolar de Belém e da Região Metropolitana no desenvolvimento de suas aptidões musicais”.
Entre seus títulos mais recentes está o pentacampeonato no Concurso Nacional de Banda e Fanfarras na cidade de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, e o título de tricampeã na V Copa Enviro Chemie da Cidade de Santa Fé, no Paraná, na categoria Banda Musical de Apresentação Sênior, o que contribuiu para a elevação do Estado do Pará, como grande colaborador da cultura musical. A banda é composta por 110 integrantes, sendo 16 componentes no pavilhão nacional, três nas balizas, um mor, 70 músicos e 20 componentes na comissão de frente.

Texto:
Fabiana Batista-Seduc

Inscrições para Escolas
Tecnológicas abrem
no dia 3 de abril

O período de incrições para o processo seletivo das Escolas Estaduais de Educação Tecnológica e Profissional será aberto na próxima terça-feira, dia 3. A seleção é para o preenchimento de 5.270 vagas para cursos técnicos, de nível médio, nas modalidades Integrado, Integrado em Tempo Integral, e Subsequente. O edital referente ao certame foi publicado na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira, 30.
As inscrições devem ser feitas no site da Extatus (www.exatuspr.com.br), empresa responsável pela realização do processo seletivo, até o dia 15 de abril. No ato da inscrição, o candidato poderá fazer duas opções de curso para sua concorrência. Todas as informações prestadas deverão ser comprovadas durante a efetivação da matrícula. A confirmação da inscrição estará disponível no dia 24 de abril, no mesmo site. No cartão de confirmação, constarão os dados pessoais do candidto, a escola, o curso, o turno de 1ª e 2ª opção escolhidos, e o dia, a hora, o local e a sala de realização da prova.
Os cursos são ofertados em 14 escolas da Região Metropolitana de Belém e de outros oito municípios. Em Belém, os estabelecimentos são Escola Técnicas Francisco das Chagas, Magalhães Barata, Colégio Integrado Francisco da Silva Nunes, Anísio Teixeira e Deodoro de Mendoça. Em Cametá, acontecem no Centro Integrado de Educação do Baixo Tocantins. Em Santa Izabel são ministrados na Escola Irmã Albertina Leitão; em Marituba, nas Escolas Agroindustrial Juscelino Kubitscheck e ERC Centro de Educação Profissional “Dom Aristides Pirovano”. Já nos municípos de Tailândia, Monte Alegre, Itaituba, Paragominas e Salvaterra os cursos são oferecidos nas EETEPAs.
A prova será realizada no dia 29 de abril, das 9 às 13 horas, em escolas estaduais localizadas naqueles municípios. O resultado com a lista dos aprovados será divulgado no dia 8 de maio, no site da Secretaria de Estado de Educação (www.seduc.pa.gov.br). As formações visam o ingresso do jovem no mercado de trabalho e são das mais diferentes áreas. Entre eles estão os cursos técnicos em Enfermagem, Design, Mecânica, Arte Dramática, Podologia, Rede de Computadores, Mineração, Segurança do Trabalho, Aquicultura e Guia de Turismo, entre outros.
Os cursos técnicos de nível médio na modalidade Integrado são destinados a candidatos com idade a partir de 17 anos e 11 meses completos até o ato da matrícula e que já concluiram o Ensino Fundamental. A formação dura, no mínimo, quatro anos, conforme o projeto escolar e o plano de curso de cada escola. Na modalidade Subsequente, os cursos técnicos são específicos para quem já concluiu o Ensino Médio e tem, aproximadamente, duração de dois anos, conforme o projeto escolar.
Os cursos dessa modalidade também serão ofertados na forma de Tempo Integral, na Escola Agroindustrial Juscelino Kubitschek. Serão 120 vagas para os cursos de Agroindustria, Floresta e Informática. A formação em Tempo Integral tem duração de três anos, em atividades curriculares nos turnos da manhã e tarde, das 7h30 às 17h. A Escola de Tempo Integral compõe o programa Mais Saber e é uma novidade para o novo ano letivo.

Texto:
Mari Chiba-Seduc

Emater firmará parceria técnica
com governo do Suriname

Na manhã desta sexta-feira (30), a presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), Cleide Amorim, se reuniu com o embaixador do Suriname no Brasil, Marlon Mohamed-Hoesein, para negociar parcerias, no sentido de intercâmbio técnico, entre o país fronteiriço e o governo do Estado do Pará. Será a primeira vez em que o Suriname, cujos limites se ligam ao território paraense no Parque Indígena do Tumucumaque, e um estado da Amazônia Legal se relacionarão oficialmente no âmbito da agricultura familiar.
A reunião aconteceu no escritório central da Emater, em Marituba, na Região Metropolitana de Belém, e contou com a presença do diretor técnico da empresa, Humberto Reale. “Nosso interesse é trocar conhecimento acerca de iniciativas governamentais, transferência de tecnologia e diversificação da produção”, resumiu o embaixador Hoesein.
A proposta inicial é de assinatura conjunta de um termo de cooperação técnica – que poderá se abrigar no Programa de Cooperação Técnica Descentralizada Sul-Sul, lançado este ano pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE), por meio da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), e pela Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, por meio da subchefia de Assuntos Federativos (SAF), com o objetivo de fomentar projetos de cooperação internacional entre o Brasil e países em desenvolvimento.
O Termo de Cooperação encabeçado pela Emater deve incluir missões diplomáticas, comitivas de cientistas em visita técnica e cursos. De acordo com o embaixador, como o Suriname está iniciando um zoneamento da produção agrícola, a capacitação a partir de experiências estrangeiras, de nações com clima e solo assemelhados aos de lá, enriquecerá as avaliações e as diretrizes do estudo. “Queremos conhecer projetos de “arroz sequeiro” [cultivo de arroz em terra seca], de mandioca e de hortaliças, por exemplo”, disse, mencionando que as principais atividades da agricultura familiar do Suriname são hoje banana-prata e arroz, com mão de obra rural essencialmente feminina.
O diretor técnico da Emater, Humberto Reale, reforçou o trabalho da Emater com feijão-caupi e fruticultura, apontando essas cadeias como reveladoras no processo de transformação tecnológica, profissionalização e geração de trabalho e renda que se efetiva no Pará.
Para a presidente da Emater, Cleide Amorim, a manifestação do governo surinamês comprova, mais uma vez, o reconhecimento das ações e políticas da Emater, que em janeiro realizou seu primeiro curso internacional, a capacitação em Metodologias de Assistência Técnica e Extensão Rural (Training em Methodologies for Technical Assistance and Rural Extension), e em maio promoverá a Feira da Agricultura Familiar da Amazônia Legal (Agrifal), agregando produção e produtores dos nove estados da região.
“A gente tem que ver o mundo como um todo. Conhecimento, experiência e tecnologia não são imutáveis ou rígidos – para sua própria manutenção e evolução, dependem de troca, de revisão, de inclusão de novas ideias e histórias. A Emater se encontra plenamente disponível para oferecer seus acervos, suas conquistas, seu quadro técnico de excelência a todos os países que quiserem ensinar e aprender conosco”, afirmou.

Texto:
Aline Miranda-Emater

Titular da Seel participa de
evento da FIFA no 
Espírito Santo

O secretário de Estado de Esporte e Lazer, Marcos Eiró, e o diretor do Estádio Olímpico do Pará, Saulo Aflalo, participam nesta sexta-feira, 30, do Seminário Geral de Centros de Treinamento de Seleções (CTS), que acontece no Centro de Convenções de Vitória, no Espírito Santo. O evento é realizado pelo Comitê Organizador da Copa do Mundo da FIFA/Brasil 2014. Durante o encontro, membros do Comitê Organizador Local (COL), do Escritório de Acomodações da FIFA (FAO) e da própria Federação Internacional de Futebol vão mostrar como anda o processo de seleção das cidades, qual a documentação necessária e os requerimentos básicos para se tornar um Centro de Treinamento, além de discutir sobre as possibilidades geradas por todos os municípios candidatos.
O encontro reúne representantes de hotéis e campos de futebol que se inscreveram para sediar centros de treinamento na Copa de 2014. O Pará já recebeu o comitê de inspeção da FIFA, que esteve na capital paraense e no município de Santarém, região oeste do Estado, durante o mês de fevereiro. As cidades paraenses candidatas tem boas chances de servir como base para as seleções que vão disputar o mundial no Brasil.
“Nossa expectativa é muito grande. Belém e Santarém foram muito bem vistas pela FIFA quando foram vistoriadas, desde os hotéis até os Estádios Olímpico do Pará (Mangueirão) e Colosso do Tapajós. O objetivo do governo paraense é transformar esses dois espaços em centros de treinamento. Não mediremos esforços para atingir nosso ideal”, reforçou o titular da Seel.
Marcos Eiró também destacou a importância de atrair eventos que possam projetar o Pará em nível internacional. “Essa possibilidade de trazer um Centro de Treinamento de Seleções para o Estado levanta a autoestima não só da população de Belém e Santarém, mas de todos os cantos do Pará. Tenho a certeza de que conseguiremos nosso objetivo. Vamos continuar trabalhando para mostrar à FIFA e aos países participantes da Copa do Mundo que o Estado pode, sim, receber grandes eventos esportivos, pois temos em nosso favor, além de belezas naturais únicas, um povo hospitaleiro e que é apaixonado por futebol e uma excelente infraestrutura hoteleira e turística”.

Texto:
Bruna Carvalho-Seel

Redenção sedia workshop
sobre demandas tecnológicas

A cidade de Redenção, localizada na região sul do Pará, recebeu nesta quinta-feira (29) o segundo evento do ciclo de workshops sobre demandas tecnológicas, promovido pelo Governo do Estado. O II Workshop de Prospecção de Demandas Tecnológicas do Estado do Pará foi realizado no Salão do Atrium Hotel.
A exemplo do que ocorreu no primeiro evento, realizado na cidade de Marabá, o tema foi a cadeia de corte e de leite. Representantes de grandes grupos empresariais de laticínios, como a LBR Lácteos (dona de grandes marcas nacionais como a Parmalat e Poços de Caldas) e de frigoríficos de grande porte como o Mafripar, debateram o assunto junto com representantes da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), Sebrae, Sindicato Rural de Redenção, Adepara, Emater, Embrapa, bancos, prestadoras de serviços e produtores rurais.
O workshop foi dirigido pelo chefe de transferência de tecnologia da Embrapa Amazônia Oriental, Michell Costa, e pelos pesquisadores Jair Carvalho dos Santos, Ana Laura Sena e Roni Azevedo, que forneceram dados importantes para o Setor de Gestão da Prospecção e Avaliação Tecnológica (SPAT) da Embrapa Amazônia Oriental. Esses dados serão traduzidos e repassados aos especialistas da unidade para subsidiar novas propostas de pesquisas relacionadas às cadeias produtivas citadas.
“As discussões permitem conhecer a situação atual e futura e levantar sistematicamente informações do ambiente”, relatou a pesquisadora Ana Laura Sena, supervisora do SPAT da Embrapa Amazônia Oriental. Estão previstos mais três workshops para os próximos dois meses. A cidade de Altamira receberá o evento na última semana de abril, enquanto Santarém e Belém serão sedes durante o mês de maio.
Os membros da Embrapa Amazônia Oriental presentes nesse II Workshop foram os pesquisadores Jair Santos, José Aderito Filho, Ana Laura Sena (supervisora do SPAT) e Roni Azevedo (supervisor do NAPT Sudeste do Pará), os analistas Fabrício Ferreira (NAPT Sudeste do Pará), João Paulo Both, Rosana Cavalcante, Tiago Rolim, Vinícius Kuromoto e Vladmir Bonfim (Supervisor SIPT), além do chefe de transferência de tecnologia, Michell Costa. A Sagri foi representada pelo gerente Regional de Redenção, João Paulo Novaes Rezende.

Texto:
Raimundo Sena-Sagri

Procon inicia “Operação
Semana Santa” no dia 2 de abril

A Diretoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/Pa), vinculada à Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), inicia no próximo dia 2 de abril a “Operação Semana Santa”. Seis municípios do interior serão fiscalizados pelo órgão até o dia 7. Além de orientar a população de cada cidade, o Procon aplicará autos de infração e de constatação aos fornecedores que violarem direitos dos consumidores. O principal objetivo deste trabalho simultâneo é ordenar relações de consumo, que em datas comemorativas ficam mais fragilizadas. O Procon estadual verificará, também, se os estabelecimentos estão respeitando as normas previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC). Para isso, diversos produtos e serviços serão fiscalizados.

O Procon Móvel – veículo informatizado que leva atendimentos a várias localidades do Estado - será instalado em Bragança, na Praça da Bandeira, em frente ao Instituto Santa Terezinha. Já os municípios de Capanema, Salinópolis, São João de Pirabas, Soure e Salvaterra receberão equipes da Diretoria, que farão o atendimento ao público, repassando orientações que podem evitar prejuizos ao bolso do consumidor. Já a população de Belém e dos municípios da Região Metropolitana pode buscar orientações presenciais - na sede do órgão de defesa do consumidor, localizada à TV. Castelo Branco, 1029, bairro de São Brás - ou por telefone - através do número(91) 3073-2824 ou pelo “Disque Procon” 151.

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh

Ribeirinhos de Breves
conquistam a cidadania
com a Caravana Pro Paz


















Maria Malheiros, de 24 anos, saiu há 10 dias da comunidade do Mapuá, distante cerca de um dia de viagem da sede do município de Breves, para dar a luz ao seu quarto filho no Hospital Regional da cidade polo. Com recém-nascido no colo e os outros três menores, ela procurou atendimento nesta sexta-feira (30) na Caravana Pro Paz Presença Viva, que até segunda-feira (2) vai realizar mais de 30 mil atendimentos entre saúde, cidadania e cultura. O objetivo foi emitir seu próprio registro de nascimento e das crianças. O marido também estava no grupo e, mesmo aos 27 anos, não possuía nenhum documento de identificação.
Ela, o marido, os filhos e outras 150 pessoas tiraram pela primeira vez o registro civil de nascimento, um direito do cidadão, mas que no Marajó acaba ficando em segundo plano. A observação é da assistente social Soraia Reis, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Assistência Social (Seas). “Nós estamos atendendo famílias inteiras, a maioria moradores da zona rural que não existiam enquanto cidadãos, pois não possuíam nenhum documento de identificação, nem o registro de nascimento”, explica.
Maria Ferreira, 55 anos, e o marido Samuel de Souza Lobato, 41 anos, levaram os sete filhos, cinco sobrinhos, a nora e o cunhado até o serviço de emissão de registro de nascimento, para retirar a primeira via do documento. A família saiu da comunidade do Jaburu às 18h de quinta-feira e chegou ao local de atendimento às 6 horas desta sexta-feira. A viagem durante toda a madrugada valeu a pena. Além do registro civil e demais documentos como o RG, CPF e a Carteira de Trabalho (para os adultos) a família também foi incluída no Cadastro Único para Programas Sociais (Cadúnico), garantindo assim o acesso aos programas sociais do Governo, como o Bolsa Família.  “Nós escutamos na rádio e pedimos dinheiro emprestado na igreja para poder pagar o barco até aqui. Eu estou muito feliz com essa ação que está ajudando as pessoas mais carentes do Marajó”, disse o pai de família.
Além da demanda na Escola Santo Agostinho, onde estão concentrados os serviços de identificação, as assistentes sociais da Seas também estão fazendo a abordagem nos barcos que atracam no Porto do município. Famílias inteiras, de diversas comunidades ribeirinhas, estão se deslocando para a sede do município em busca do atendimento. “A nossa meta é atender as pessoas que vêm procurar o serviço, mas principalmente aquelas que nem tem conhecimento da importância do registro de nascimento”, afirma Soraia Reis.
Foi o caso da lavradora Lúcia Monteiro Pinheiro, 41 anos, que soube da emissão de documentos em uma dessas abordagens. Ela e os oito filhos menores chegaram em Breves durante a noite, dormiram no barco e pela manhã procuraram o atendimento de saúde. A mãe e os filhos vão retornar para casa medicados e com os documentos básicos na bolsa. “Eu vim preparada para ficar pelo menos três dias por aqui, não pensei que ia ser tão fácil e rápido. Eu agradeço muito por essa ação”, disse enquanto aguardava ansiosa pela sua certidão e dos filhos.
Além do registro civil, a Caravana Pro Paz também está levando à população de Breves o registro de identidade, CPF e carteira de trabalho. No primeiro dia de ação, pelo menos 1500 documentos foram emitidos, uma parceria entre Polícia Civil, Defensoria Pública e Seas.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Hospital da Ordem Terceira
terá Sala de Apoio
à Amamentação

O Hospital da Ordem Terceira, instituição privada que atende pacientes conveniados aos Sistema Único de Saúde (SUS), será o primeiro em Belém a criar uma sala estruturada para que as funcionárias lactantes possam amamentar, retirar, armazenar e até doar leite materno. A área terá equipamento de esterilização de materiais, geladeiras em temperatura adequada, poltronas para o aleitamento e adequação a todas as normas fitossanitárias estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
O lançamento da proposta de criação da sala surgiu durante um treinamento oferecido aos funcionários do hospital, que incluiu a palestra “Mãe trabalhadora”, ministrada pelo médico Antônio de Pádua Silveira, e a exibição do filme “Amamentação”, comentado pela nutricionista Luísa Margareth Carneiro Silva, integrante da Coordenação Estadual de Saúde da Criança, da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).
A atividade no Hospital da Ordem Terceira é parte das diversas estratégias que a Área Técnica de Saúde da Criança e Aleitamento Materno, do Ministério da Saúde, vem desenvolvendo no País para apoiar a mulher trabalhadora na manutenção da prática do aleitamento. No Estado, essas orientações ficam a cargo da Sespa.
Para o diretor da Ordem Terceira, Hernan Fernandez, a criação da sala de amamentação é, antes de tudo, um investimento na saúde das trabalhadoras. "Faz parte de uma estratégia do Ministério da Saúde, que vem adotando medidas para garantir mais segurança e conforto a essas mães. Espero também que isso sirva de estímulo para que outras empresas adotem ambientes adequados para suas colaboradoras”, afirmou.
Do ponto de vista da coordenadora do Banco de Leite Humano da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, Cinara Souza, o ambiente a ser preparado pelo hospital pode ainda melhorar o rendimento das mães trabalhadoras. "Não é fácil conciliar o retorno do trabalho após a licença-maternidade. Mas nós acreditamos nessa proposta e estamos à inteira disposição para todas as orientações possíveis", apontou.
O momento de treinamento também contou com a participação da coordenadora do projeto 'Bombeiros da Vida', tenente coronel Sílvia Cruz, que mencionou o atendimento do Disk Leite, em que são feitos cadastros para que as mães possam receber, semanalmente, visitas da equipe da coleta de leite, que entregam às doadoras um kit com luvas, vidros e material de higiene. A equipe também orienta sobre a importância do leite materno e dá instruções sobre como deve ser feita a coleta.
A Sala de Apoio à Amamentação é um espaço dentro da empresa ou local de trabalho destinado à retirada e estocagem de leite humano durante a jornada de trabalho da mulher que está amamentando e retornou às atividades após o período de licença remunerada. O objetivo é que estas mulheres possam, durante o expediente, esvaziar as mamas e armazenar o leite materno que será oferecido ao filho nos momentos em que elas não estiverem em casa. É uma maneira de manter a lactação e a amamentação.
As exigências técnicas para a instalação das Salas de Apoio à Amamentação em empresas públicas ou privadas foram definidas pelo Ministério da Saúde e Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) na Nota Técnica Conjunta nº1, publicada no Diário Oficial da União, em 24 de fevereiro de 2010, por meio da Portaria 193. A Sespa, por meio da Coordenação Estadual de Saúde da Criança, está à disposição das empresas, autarquias e instituições para repassar orientações que auxiliem na instalação de Salas de Amamentação.
Serviço: Mais informações sobre a criação das Salas de Apoio à Amamentação pelo fone (91) 4006-4305.

Texto:
Mozart Lira-Sespa

Governador em exercício
prestigia passagem
de comando da Aeronáutica







O brigadeiro Carlos Eurico Peclat assumiu na manhã desta sexta-feira (30) o 1º Comando Aéreo Regional da Aeronáutica (I Comar) e a presidência da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica. Aos 53 anos, Peclat substitui o major brigadeiro Odil Martuchelli Ferreira, que esteve à frente do I Comar por dois anos. A cerimônia de passagem de comando foi realizada às 10 horas, na sede força armada, em Belém, e contou com a presença do governador em exercício, Helenilson Pontes.
O convite para que o chefe do Executivo do Pará participasse da solenidade foi feito pelo então comandante do 1º Comar, brigadeiro Martuchelli, em audiência com o governador Simão Jatene, no dia 6 deste mês. O comandante geral de Operações Aéreas da Aeronáutica, tenente brigadeiro Gilberto Saboya Burnier conduziu a cerimônia de passagem de comando, que além do Pará, também inclui os estados do Amapá e Maranhão, sob responsabilidade do 1º Comar.
Natural do Rio de Janeiro, o brigadeiro Carlos Peclat exercia o comando da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR). Na Amazônia, o comandante já esteve à frente do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Trafego Aéreo (CINDACTA IV), com sede em Manaus. “Tenho certeza que a acolhida que terei do povo do Pará será a mesma que teve o brigadeiro Odil em seus dois anos de serviço aqui. Quero trabalhar muito e da melhor forma que puder”, afirmou o novo comandante.
Odil Martuchelli, de 57 anos, deixa o cargo e segue para reserva da Aeronáutica, após 42 deles dedicados à força. Durante a solenidade, ele recebeu do tenente brigadeiro Burnier uma placa em agradecimento aos serviços prestados na Amazônia. “Deixo um abraço aos amigos paraenses e desde já, minhas saudades. Foram seis anos aqui, dois entre os anos de 1991 e 1992, outros dois em 1999 e 2000 e agora em 2010 e 2011. Levo muitas alegrias e certeza do trabalho feito”, declarou o brigadeiro Odil.
Diversas autoridades prestigiaram a cerimônia, entre elas o secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha; o comandante geral da Polícia Militar do Pará, coronel Daniel Borges Mendes; o comandante da 8ª Região Militar e 8ª Divisão de Exército, general Carlos Roberto Peixoto; o vice-almirante da Marinha, Ademir Sobrinho; o desembargador Milton Nobre, do Tribunal de Justiça do Estado; Odair Corrêa, Superintendente Regional do Trabalho e Emprego no Pará; Leonardo Sirotheau, procurador chefe da União no Pará, e o vereador José Scaff, representando a Câmara Municipal de Belém.

Texto:
Amanda Engelke-Secom

Copa Oeste de Futebol
movimenta equipes em Santarém

A cidade de Santarém ganha destaque no cenário do futebol com a realização da Copa Oeste de Futebol, evento que conta com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel). Seis seleções de municípios da região se enfrentam no Estádio Colosso do Tapajós, até a próxima terça-feira, 3.
O público que admira o esporte está marcando presença durante as partidas. Segundo o presidente da Liga Esportiva de Santarém, Silvestre Campinas, o movimento tem sido grande e as torcidas bem participativas. “O público recebeu muito bem a copa oeste, apesar de ser de futebol amador. Todo dia a presença é intensa no Estádio. Esperamos um número maior no jogo da final, na terça-feira”, comentou.
A Copa Oeste acontece desde 2001, mas essa é a primeira vez que é realizada em Santarém. Cerca de 300 atletas de futebol amador, com faixa etária de 17 a 40 anos, integram as seleções de Alenquer, Monte Alegre, Santarém, Itaituba, Belterra e Altamira. “O apoio da Seel foi fundamental para realização da copa neste ano. A liga não tinha condições de alojar todos esses atletas, mas com o apoio do Governo do Pará pudemos organizar todas as delegações em hotéis na cidade e as refeições diárias. Sem essa ajuda não teria sido possível e isso demonstra o incentivo que o governador Simão Jatene tem com o esporte e o futebol amador”, concluiu Campinas.
O secretário de Esporte e Lazer, Marcos Eiró, voltou a enfatizar a importância de investir nos novos atletas. “Esse é um evento onde pudemos revelar novos atletas, novos jogadores de futebol, que estão pelo interior do Estado. Iremos continuar com o fomento ao esporte, não só pela capital, mas pelos quatro cantos do Pará e incentivar e proporcionar apoio a eventos esportivos”, finalizou.
O campeonato prossegue até a próxima terça-feira, 3. Os jogos acontecem no Estádio Colosso do Tapajós. O ingresso custa 3 reais. A renda será dividida entre o campeão e o vice-campeão. Nesta sexta-feira, a partir das 16h30, o time de Santarém enfrenta a seleção de Belterra. Neste sábado é a vez da equipe de Itaituba jogar contra o município de Alenquer, às 15h30.
Programação:
5ª Rodada
30/03 (sexta)
16h30- Belterra x Santarém
31/03 (Sábado)
15h30 – Itaituba x Alenquer
02/04 (Segunda-feira)
Jogos da Semi-Final às 16 e 18 horas
03/04 (Terça-Feira)
Jogo da Final

Texto:
Bruna Carvalho-Seel

Descontos de IPVA para
finais de placas 44
a 64 até 02 de abril

Dia 2 de abril é o prazo final para descontos do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) aos proprietários de carros com finais de placas 44 a 64, embora a data do licenciamento destes veículos junto ao Detran seja 1º de junho. Até a segunda-feira será possível recolher o valor do Imposto com desconto. O pagamento integral do IPVA, dois meses antes do prazo final do licenciamento, para veículos que não tem multas de trânsito, garante o benefício do IPVA Cidadão.
Os descontos são de 15% do valor do imposto para quem está a dois anos sem multa; 10% para quem não recebeu multas no ano passado e 5% nas demais situações; além disso não é cumulativo. O proprietário de veículo tem, ainda, a opção de antecipar o pagamento do IPVA em três parcelas, sem desconto. No site da Secretaria da Fazenda (Sefa) o proprietário pode consultar os prazos, valores, optar pelo pagamento integral ou parcelado, e emitir o Documento de Arrecadação Estadual (DAE), acessando o Portal de Serviços (www.sefa.pa.gov.br).
O pagamento do DAE é feito na rede bancária autorizada (Banpará, Banco da Amazônia, Bradesco, Banco do Brasil, CEF) e casas lotéricas. Quando não há antecipação do recolhimento do imposto, o IPVA é pago junto com o licenciamento anual do Detran.
Parcelamento - Quem tem débitos vencidos até 2011 poderá parcelar o IPVA em até 8 vezes. Esse limite poderá ser estendido até o máximo de 36 parcelas, após análise do pedido. O pedido pode ser feito na Coordenação Especial de Administração Tributária do IPVA e do ITCD na Região Metropolitana de Belém. No interior do Estado, o contribuinte deve procurar as Coordenadorias Regionais de Administração Tributária e Não Tributária (Cerat). Para maiores informações, entre em contato com o Alô Sefa (0800-725-5533) ou acesse o site da Secretaria.

Texto:
Ana Márcia Pantoja-Sefa

Emater promove inclusão
social de crianças
e adolescentes


O escritório da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Terra Santa, no Baixo Amazonas, está capacitando crianças e adolescentes em situação de risco por meio do projeto "Fazendo Arte", que promove oficinas de artes em geral. O objetivo é garantir renda aos participantes com o resultado das oficinas ministradas.
 A primeira atividade, uma oficina de crochê, ministrada aos finais de semana, está sendo aplicada na comunidade Guadalupe, no bairro Cidade Nova. Vinte e uma crianças têm o acompanhamento de cinco monitoras - que também são mães de algumas das alunas.
 O projeto tem duração de um ano e outras sete oficinas programadas: bordado, pintura em tecido, pintura em vidro, customização de sandálias, reaproveitamento de resíduos sólidos, biojóias e reaproveitamento de recursos naturais. A idéia é capacitar aproximadamente 120 crianças, além de gerar uma pequena renda com o trabalho de monitoria e apoio das 40 mães da comunidade, que atuam nesse módulo.
 A divulgação dos trabalhos será feita através de duas feiras, uma a ser realizada em julho e a outra em dezembro. “As crianças estão empolgadas como as habilidades adquiridas; o projeto trouxe uma oportunidade de ocupação, de fonte de renda e de alegria, que predomina nas atividades que acontecem todos os sábados no barracão da Comunidade Guadalupe”, disse Márcia Picanço, socióloga da Emater.


Texto:
Iolanda Lopes-Emater


Biólogo mostra importância
da preservação dos
anfíbios para o meio ambiente




Os anfíbios, cuja preservação é fundamental para o equilíbrio do ecossistema, foram o tema da palestra proferida pelo biólogo Sérgio Rangel, na tarde desta sexta-feira (30), dentro da programação do 36° Congresso da Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil.
Na palestra intitulada “Anfíbios: manejo em cativeiro e estratégias utilizadas para uma melhor manutenção e reprodução das espécies criadas no Brasil”, o biólogo mostrou aos estudantes e profissionais a importância da criação e reprodução dessas espécies para o meio ambiente. Utilizando fotografias, o biólogo mostrou entre 60 e 70 espécies existentes no planeta. “A intenção é estimular a criação e reprodução dessas espécies. Eu dei alguns truques para eles (congressistas), porque os anfíbios são fundamentais para a natureza”, declarou Sérgio Rangel.
A estudante de Biologia da Universidade Federal do Pará, Maynara Pimenta, disse que não tinha muito conhecimento sobre essas espécies, por isso se interessou pela palestra. “Como eu não conhecia muito, mas me interesso pelo tema e resolvi participar desse debate. O legal é que ele trouxe imagens variadas de animais dessa espécie”, contou a estudante.

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000

EGPA oferta em abril 30
cursos de qualificação
para servidor público

Servidores públicos estaduais já podem se inscrever aos cursos da programação de abril da Escola de Governo do Estado do Pará (EGPA). São oferecidas 30 qualificações, em diversas áreas, durante três semanas de aulas na sede da instituição, em Belém.
A nova grade de cursos foi apresentada esta semana aos Agentes de Desenvolvimento e Capacitação, em reunião realizada no auditório da EGPA. As aulas acontecerão entre os dias 09 e 27 de abril, dando prosseguimento ao objetivo de qualificar o servidor público e melhorar o funcionamento da administração estadual.
A programação traz o curso novo de Gestão da Informação no Serviço Público, que abortará a utilização dos sistemas de armazenamento de dados nas repartições. Já o curso de Introdução à Gestão Ambiental será oferecido novamente, após a grande procura pela primeira turma, ofertada no final do ano passado.
Os demais cursos nas áreas administrativas e humanas são: Treinamento em Sispat-Web, Clima Organizacional, Análise e Melhoria de Processos Administrativos, Sindicância e Processo Administrativo Disciplinar, Básico de Libras, Estatística Aplicada ao Serviço Público, Planejamento Estratégico (módulos I e II), Controle Interno na Administração Pública, Cerimonial em Eventos Institucionais, Elaboração de Projetos e Captação de Recursos (Módulo I), Sistema E- Protocolo,  Negociação e Administração de Conflitos, Elaboração de Projetos na Área da Saúde, Técnicas de Elaboração de Relatórios no Processo Administrativo Disciplinar,  Introdução à Gestão Ambiental, Direção Defensiva e Primeiros Socorros, Licitação e Contratos na Administração Pública, Contabilidade Pública Básica, Gestão da Informação no Serviço Público, Controle do Estresse no Ambiente de Trabalho, Noções de Direito Previdenciário, Gestão Estratégica de Pessoas, Elaboração de Indicadores de Desempenho Institucional, Gestão de Convênios na Administração Pública, Auditoria Pública Avançada, Oratória: Técnicas para se Comunicar em Público, Formação de Pregoeiros: Presencial e Eletrônico  e Siafem Operacional.
A EGPA, por meio da Diretoria de Desenvolvimento e Valorização de Pessoas, já realizou mais de mil qualificações nos primeiros meses deste ano, somando todas as ações executadas tanto na capital, pelo Programa Regular, quanto no interior do Estado, pelo Programa de Municipalização, promovido nos municípios de Soure, Parauapebas, Cametá e Santarém.
A Escola de Governo é uma instituição de ensino que oferece aos servidores condições para que desenvolvam suas potencialidades individuais, capacitando-os em conhecimentos técnicos ao exercício eficiente de suas funções.
Inscrições: Para se inscrever, servidores efetivos do Estado devem procurar os Agentes de Desenvolvimento e Capacitação (ADCs) nos seus respectivos órgãos de atuação. Excepcionalmente, os servidores que estiverem de Licença Prêmio e/ou de Férias e desejarem se inscrever nos cursos devem se dirigir à EGPA, levando  cópia do último contracheque e RG.
A Ficha de Inscrição será entregue à EGPA, assinada pela chefia imediata e pelo ADC. O material dos cursos é distribuído em sala de aula. Mais informações sobre a programação podem ser obtidas no sitewww.egpa.pa.gov.br
Mais informações sobre cursos e inscrições podem ser fornecidas pela Coordenadoria de Cursos/Qualificação (CDHP), pelo telefone 3214-6842, e Fax 3214-6813. O e-mail para contato é: egpa.qualificacao@gmail.com.

Texto:
Daniele Brabo-EGPA

Representante da União
conhece projeto Ação
Metrópole e o percurso do BRT








O percurso onde será implantado o sistema BRT (Bus Rapid Transit) na capital paraense foi avaliado pela diretora de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, Luiza Gomide, na manhã desta sexta-feira (30). A representante do governo federal conheceu todo o percurso, junto com as equipes do governo do Estado e da Prefeitura de Belém, nos trajetos do Ver-o-Peso até o município de Marituba, onde será implantado o Terminal de Integração, e a Rodovia Augusto Montenegro até a orla de Icoaraci, onde será construído o Terminal Intermodal.
“Estamos em Belém para avaliar o projeto de mobilidade urbana da capital e definir a participação deste no PAC Mobilidade, o Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal”, informou Luiza Gomide, ressaltando que a lista das cidades escolhidas para receber os recursos do PAC será divulgada em abril. Ela explicou que o próximo passo será o encaminhamento dos projetos do Estado e da Prefeitura para o Ministério das Cidades, já com os ajustes acordados entre as partes. Segundo Luiza Gomide, foi “muito positiva a integração dos dois projetos”.
“O governador Simão Jatene frisou que não importa quem execute a obra, pois o importante é que o sistema de mobilidade seja implantado e beneficie a população da Região Metropolitana de Belém. Dessa maneira, firmamos um acordo que integrará os projetos e contemplará 40 quilômetros de vias interligando a Região Metropolitana”, explicou César Meira, presidente do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM). Segundo ele, este é um projeto “que trará qualidade de vida para a população, que hoje em dia leva cerca de 2horas para fazer um percurso de Marituba até o centro da cidade”.
Ajustes - No acordo firmado entre Estado e Prefeitura ficou definido que o governo será responsável pela construção do BRT, no trecho do Entroncamento até o município de Marituba, e pelas obras de prolongamento da Avenida João Paulo II. A Prefeitura executará as obras do corredor da Rodovia Augusto Montenegro até Icoaraci, estendendo até a orla, com a construção de um Terminal Intermodal, e do corredor da Avenida Almirante Barroso até o Ver- o Peso.
Para a integração serão ajustados os seguintes pontos: Extensão dos percursos até o centro de Belém e orla de Icoaraci com faixas preferenciais, conforme itinerário definido no projeto Ação Metrópole; Terminal Intermodal em Icoaraci; Revisão das Estações de Integração da Rodovia Augusto Montenegro; Observância dos pontos de parada de acordo com os polos geradores de tráfego; Soluções geométricas de ultrapassagem nos pontos de parada dos corredores, sem comprometimento da capacidade da via (pista e faixas de tráfego) para tráfego geral; Soluções de embarque e desembarque de passageiros em nível nos pontos de parada, com pagamento antecipado da tarifa, incluindo os trechos do centro de Belém e de Icoaraci; Padronização dos ônibus com as mesmas especificações técnicas, previstas no  Ação Metrópole (O NGTM propõe a utilização de veículos articulados e não biarticulados); Supressão dos terminais de integração previstos para o Entroncamento e São Braz, e a Manutenção da ciclovia no canteiro central da Avenida Almirante Barroso.
Após as adequações sugeridas pela equipe do “Ação Metrópole”, que considera as propostas fundamentais do ponto de vista técnico, a Prefeitura apresentará seu projeto, em reunião marcada para o próximo dia 4 (quarta-feira), quando também será assinado o Termo de Compromisso entre Estado e Prefeitura.
Luiza Gomide elogiou o projeto Ação Metrópole e ressaltou que o processo de discussão faz parte da democracia, e que a solução para a execução das obras mostra a maturidade do poder público local.
Além de se candidatar ao PAC Mobilidade, o governo do Estado já conta com os recursos da Jica (agência japonesa de cooperação internacional), informou a diretora executiva do NGTM, Marilena Mácola Marques.
A primeira etapa do projeto Ação Metrópole foi finalizada com a construção da Avenida Centenário Assembleia de Deus. A segunda fase contempla o prolongamento da Avenida João Paulo II, no trecho entre a Passagem Mariano e a Rodovia Mário Covas, uma obra de cerca de 3.800 metros, que será uma segunda opção de entrada e saída da capital paraense.

Texto:
Manuela Viana-Ação Metrópole

Caravana da Produção
fortalece diálogo com
setor produtivo na
região de Carajás

O diálogo estabelecido com lideranças do setor produtivo e Prefeituras, visando discutir alternativas que agreguem valor econômico à cadeia produtiva e gerem empregos e renda, está entre os resultados da Caravana da Produção, coordenada pela Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom).
O balanço da caravana foi apresentado pela equipe multidisciplinar da Seicom, Secretaria Extraordinária do Programa Municípios Verdes e Companhia de Desenvolvimento Industrial do Pará (CDI). A Caravana da Produção percorreu, entre os dias 18 e 23 de março, os municípios de Parauapebas, Curionópolis e Marabá, na Região de Integração Carajás.
Os territórios visitados, além da vocação mineral, estão sendo preparados para receber grandes investimentos em modernos parques siderúrgicos. Só o empreendimento da empresa Aços Laminados do Pará (Alpa/Vale) está estimado em US$ 3,7 bilhões, além da planta combinada com a siderúrgica empresa Aline/Sinobras, que produzirá bobinas especiais com o aço oriundo da Alpa.
Ouro – O relatório destaca o início das negociações com a Colossus Minerals Inc., que poderá oferecer, em contrato de comodato, ouro para a fabricação de joias no Polo Joalheiro do Pará. A empresa canadense, instalada em Curionópolis, faz um investimento inicial superior a R$ 320 milhões, na extração mecânica do ouro de Serra Pelada, considerado nos anos 1980 o maior garimpo a céu aberto do mundo.
A sugestão do comodato partiu do secretário de Indústria, Comércio e Mineração, Davi Leal, que pediu aos representantes locais da empresa que analisem a viabilidade da doação de uma cota de 20 kg de ouro ao Polo Joalheiro, iniciativa já encaminhada à direção da mineradora. 
Outro ponto negociado com os executivos da Colossus, durante a visita da caravana, foi a possibilidade de a mineradora estudar a instalação de uma planta industrial, na mesma área, para beneficiar platina e paládio, subprodutos do ouro, mas com alto valor econômico no mercado, visando a geração de empregos e renda aos moradores de Curionópolis.
Movelaria – Em Parauapebas, um dos compromissos da caravana foi conhecer o Polo Moveleiro da cidade, onde atualmente trabalham proprietários de pequenas fábricas de móveis, em 79 lotes. O polo, que já gerou 1.300 empregos diretos, atualmente tem apenas 410 pessoas trabalhando, informou um dos marceneiros. A redução na oferta de trabalho é atribuída, também, à falta de madeira legalizada para atender ao grande número de encomendas.
Os moveleiros explicaram que há mil metros cúbicos de madeira já retirada por meio da supressão florestal (corte de árvores) da área de exploração do minério de ferro, doada por uma mineradora, mas falta a emissão da Licença de Operação (LO) para o transporte até o polo.
David Leal se comprometeu a tratar sobre o assunto com o secretário de Estado de Meio Ambiente, José Alberto Colares. Enquanto a madeira não chega, os marceneiros já instalaram na área o protótipo de uma minisserraria, que aproveita a “galhada” - resíduo de árvores descartado no processo industrial da madeira -, “mas que serve para fabricar móveis em estilo rústico, com boa aceitação no mercado local”, informou o gaúcho Ari Júlio Ostermann, proprietário do empreendimento.
As informações colhidas nas visitas da caravana foram repassadas e discutidas com os empresários da Associação Comercial e Industrial de Parauapebas, que solicitaram ao governo do Estado melhorias nos sistemas de comunicação, nas rodovias (principalmente a PA-150) e no fornecimento de energia elétrica (este a cargo da concessionária Celpa).
O secretário David Leal explicou o posicionamento do governo estadual diante dos problemas financeiros da concessionária de energia, que é defender os interesses da população. Ao final, os empresários entregaram um documento com várias demandas ao governo do Estado.
A caravana também percorreu os distritos industriais de Parauapebas e Marabá, onde constatou a necessidade de melhoria nas pistas de acesso e áreas internas.
O secretário David Leal destacou a determinação do governo de ir aos municípios, ver os diferentes cenários, conversar e encontrar soluções conjuntas, visando atrair novos negócios, que possibilitem agregação de valor econômico às cadeias produtivas, e mais emprego e renda aos paraenses.

Texto:
Douglas Dinelly-Seicom

Fasepa retoma o projeto
"Rolando a Bola
na Socioeducação"

Na tarde desta quinta-feira, (29), foi realizada uma grande programação no Apoena, em Ananindeua, um espaço de esporte, cultura e lazer da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), no retorno do projeto "Rolando a Bola na Socioeducação". O objetivo principal é integrar e socializar, por meio do esporte, adolescentes atendidos pela Fasepa.
Com o slogan “Contra a redução da maioridade penal, nosso time é de paz”, o projeto é uma iniciativa do Núcleo de Gestão de Pessoas (NGP), em conjunto com a Diretoria de Assistência Social (DAS) e o Apoena. A presidente da Fasepa em exercício, Rosidéa Cantuária, chama a atenção para a importância e a necessidade de retomar esse projeto, e investir cada vez mais na socioeducação. Ela avalia que “o importante é unir esforços, integrar servidores adolescentes e seus familiares na promoção da socioeducação”.
A grande novidade do projeto é a inclusão de uma nova categoria: a participação das mulheres, com o futebol feminino, pelas jovens do Centro Socioeducativo Feminino (Cesef) e as servidoras das unidades socioeducativas (Uases), além da participação da comunidade local. De acordo com um dos coordenadores do projeto, e que compõe a equipe do Núcleo de Gestão de Pessoas (NGP), da Fasepa, Josué Araújo, o intuito da inclusão das mulheres é fortalecer e integrar ainda mais a relação da comunidade da instituição por meio das práticas esportivas.
“O projeto está ganhando outros contornos, com alguns novos elementos. A nossa intenção é que outras modalidades esportivas e recreativas passem a fazer parte, como vôlei, basquete, o handebol e a queimada. E também, associar o projeto a outras linguagens artísticas que a fundação já desenvolve e buscar parcerias para engrandecer ainda mais essas ações”, conclui Josué.
Inclusão pelo esporte
Uma tarde em que a socioeducação “entrou em quadra” para marcar um grande gol de placa. O retorno do “Rolando a Bola” mostrou que o esporte pode ser também uma excelente ferramenta no processo de ressocialização de adolescentes e jovens que cumprem medidas socioeducativas.
Antes dos jogos que marcaram o retorno do projeto, o show ficou por conta de alguns grupos artísticos da Fasepa, a Capoeira, o Hip-hop e o grupo de percussão. Os jogos de ontem foram válidos pela 15ª rodada. O Cesef venceu o time da comunidade local, nas cobranças de pênaltis, e o Centro Juvenil Masculino (CJM) venceu a sede administrativa por 6 x 4.
Para a diretora de Assistência Social (DAS) da Fasepa, Eliana Penedo, o momento é de celebração. “É um momento de culminância, em que nós estamos sendo agraciados pela convergência das diversas expressões artísticas que estão presentes aqui. Agora com a inclusão do futsal feminino no projeto, com certeza isso é um ganho muito grande para a instituição e para as socioeducandas e servidoras dessa Instituição”, enfatiza a diretora.
De acordo com a adolescente que cumpre medida socioeducativa no Cesef, há sete meses, as meninas também se interessam e gostam de jogar futebol. “Antes, só os meninos que participavam desses jogos, agora é a nossa vez de participar também. Hoje, nós temos uma presidente da República mulher, a da Fasepa também é mulher, prefeitas, e em várias outras profissões”, finaliza a jovem, comparando o direto de igualdade entre homens e mulheres.
A Fasepa planeja e efetiva seus projetos e ações baseando-se nos princípios do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), para fortalecer e proporcionar um atendimento socioeducativo com qualidade.

Texto:
Alberto Passos-Fasepa

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...