Total de visualizações de página

quarta-feira, abril 18, 2012

NOTICIAS IMPORTANTES






Índios Kayapó disputam
torneio de futebol
em São Félix do Xingu

“Não temos muita técnica. O que interessa é chutar a bola e acertar o gol”. Assim resumiu o trabalho do time o técnico Takai Kayapó, da aldeia Gorotire, equipe campeã do campeonato de futebol masculino promovido nesta quarta-feira (18) durante a Semana dos Povos Indígenas, no estádio municipal de São Félix do Xingu, no sudeste do Estado.
Índios de onze aldeias da etnia Kayapó disputaram várias partidas durante o dia inteiro. Os jogos começaram às 8 horas e só terminaram no fim da tarde. A preparação dos jogadores é feita com meses de antecedência, de uma forma bem peculiar à sua cultura, pois eles treinam em suas aldeias com a caça e a corrida na floresta.
Nos pés dos índios um verdadeiro festival de “chuteiras” coloridas, em verde, amarelo e laranja. “O futebol é um dos nossos esportes favoritos. Jogamos quase todos os dias, por isso quase todas as aldeias fizeram questão de participar deste campeonato”, disse Mydsere Kayapó, um dos organizadores do evento. Ao entrar no campo, os índios apresentam suas danças e em seguida fazem uma oração. A cada gol marcado, a mesma dança é repetida.
Nas arquibancadas, mulheres e filhos dos jogadores acompanham todos os lances da partida. Elas gritam, comemoram e ficam nervosas quando o time dos seus maridos não vai bem. Quando o resultado é anunciado, as índias não se contêm e invadem o gramado para comemorar com os maridos. “A comemoração não para por ai. Quando chegarmos à aldeia teremos uma grande festa com tudo a que temos direito. Esse troféu é muito importante para a gente”, contou Takai Kayapó.
A programação da Semana dos Povos Indígenas continua nesta quinta-feira (19), quando se comemora o Dia do Índio. Para lembrar a data, os indígenas farão uma caminhada pelas ruas de São Félix do Xingu, às 17 horas. Durante a manhã, eles participam de atividades esportivas, como vôlei, dama, sinuca, arco e flexa e cabo de guerra. À noite, acontece o encerramento do evento, com a grande apresentação final das danças indígenas, na quadra de esportes da cidade.

Texto:
Bruna Campos-Secom




Polícia Civil promove ciclo
de palestras sobre
crimes ambientais


O projeto "Sala verde: ambiente seguro", da Polícia Civil, promoveu nesta quarta-feira (18) o início de mais um ciclo de palestras sobre crimes ambientais e coleta seletiva do lixo a pessoas sentenciadas pelo Juizado Especial Criminal do Meio Ambiente, do Tribunal de Justiça do Estado (TJE), por poluição sonora. A medida faz parte da pena alternativa determinada pela Justiça. Cerca de 100 pessoas estiveram no auditório da Divisão Especializada em Meio Ambiente (Dema), da Polícia Civil, para o primeiro dia de palestras, que seguem até sexta-feira (20).
No primeiro dia, as pessoas assistiram à palestra da delegada Teresa Macedo, coordenadora do Projeto, sobre os crimes ambientais, os diversos tipos de poluição (atmosférica, do solo, dos rios, visual e do solo) e maus tratos de animais. O ciclo de palestras prossegue na tarde desta quinta-feira (19), a partir de 15 horas, com a palestra sobre poluição sonora ministrada pela delegada Wildenyra Lima, da Dema.
O evento termina sexta-feira também à tarde com a palestra sobre coletiva seletiva do lixo doméstico ministrada pela Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan). Durante a palestra desta quarta-feira, a delegada Teresa Macedo prestou informações sobre os crimes contra a fauna e sobre animais silvestres. Explicou ainda aos presentes o que caracteriza maus tratos de animais. “Não é apenas agredir o animal, maus tratos também acontecem quando alguém deixa de alimentar, deixa na chuva ou ao sol, por exemplo, o animal”, detalhou.
A delegada contou casos ocorridos no dia-a-dia das atividades da Dema no combate aos crimes ambientais e arrancou muitas risadas das pessoas ao falar sobre situações curiosas. As penalidades aplicadas aos infratores do meio-ambiente determinadas pela Justiça podem variar desde o pagamento de pena pecuniária, prestação de serviços gratuitos à comunidade e assistir a palestras educativas sobre crimes ambientais.
No ano passado, o serviço Disque-Silêncio da Dema registrou 10.657 denúncias sobre poluição sonora na Região Metropolitana de Belém e, durante feriados prolongados e períodos de férias, em municípios do interior como Salinópolis e no distrito de Mosqueiro em Belém. As residências foram responsáveis por 43,6% do total das denúncias, seguidas por bares, com 18,2%, e outros, como carros, lojas, casas de show e templos religiosos, com 12,3% das chamadas recebidas.
Para aproximar mais a sociedade de palestras sobre crimes ambientais, a delegada tem a meta de reunir com professores do ensino fundamental e médio para esclarecê-los sobre o assunto para que possam repassar as informações aos alunos. Outra atividade que deverá ser realizada, em parceria com a Secretaria Municipal de Economia, é o combate à poluição visual gerada por faixas de anúncios de shows espalhados pelas vias públicas da cidade.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil




Executivo apresenta Lei de
Diretrizes Orçamentárias
para 2013 na Alepa

A Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof) realizou nesta quarta-feira (18) uma audiência pública para apresentar o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2013. O projeto, que resulta da articulação entre Executivo, Legislativo e Judiciário, foi apresentado a representantes de órgãos do governo e segmentos sociais. A audiência aconteceu no auditório João Batista, da Alepa, tendo à frente o presidente da Casa, deputado Manoel Pioneiro.
A LDO é o instrumento que norteia a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA), ao determinar para cada exercício as prioridades e metas da administração pública, a estrutura e a organização dos orçamentos, as diretrizes para a elaboração e execução do orçamento e suas alterações, as despesas com pessoal e encargos sociais, alterações sobre a legislação tributária e a política de fomento.
Com 71 artigos, o projeto da LDO foi apresentado pelo titular da Sepof, Sérgio Bacury. Entre as prioridades está a redução da pobreza e da desigualdade social, com ações direcionadas ao desenvolvimento sustentável. O projeto contempla ainda a promoção e a produção sustentável, a inclusão social, a agregação de valor à produção por meio do conhecimento, o fortalecimento da gestão e governança com transparência, a articulação política e constitucional e a descentralização do governo.
Segundo Sérgio Bacury, a audiência é uma forma de dar transparência ao processo de elaboração da lei que define as metas, as quais devem estar de acordo com o Plano Plurianual (PPA) 2012-2015.  O projeto da LDO para 2013 incorpora as mudanças aprovadas em 2012. “Entendemos que o que foi aprovado em 2012 vale para os anos seguintes”, ressaltou o titular da Sepof.
Receitas - O secretário de Estado da Fazenda, José Tostes Neto, destacou na audiência que a previsão das receitas está de acordo com as normas técnicas e legais, considerando os efeitos das alterações na legislação, a variação dos índices de preços, o crescimento e outros fatores relevantes. A previsão tem um demonstrativo de sua evolução nos últimos três anos, além da projeção para os dois anos seguintes. Para 2013, a projeção de receita chega a R$ 7.650.528.405,00.
O líder do Governo na Alepa, deputado Márcio Miranda (DEM), destacou a importância de o projeto ser discutido na Casa, com a presença dos secretários de Planejamento e da Fazenda. “É uma forma de trazer transparência ao processo e demonstrar o respeito do Executivo ao Legislativo”, ressaltou.
O presidente da Alepa, Manoel Pioneiro, também destacou a importância da audiência e agradeceu a presença dos representantes do governo e da sociedade. “É um processo importante e, com certeza, teremos o maior empenho em discutir e aprovar a LDO nesta Casa”, afirmou.
Até sexta-feira (20), o projeto da LDO receberá os últimos ajustes, e na próxima semana será encaminhado ao governador Simão Jatene para aprovação, seguindo para a Assembleia Legislativa até 30 de abril.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom




Governo cria a Diretoria de
Atendimento a Grupos
de Vulneráveis

A portaria que formaliza a criação da Diretoria de Atendimento a Grupos de Vulneráveis (DAV), da Polícia Civil do Pará, foi publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (18). O objetivo da nova diretoria, que deverá funcionar no início do segundo semestre, é promover ações de prevenção e repressão aos crimes discriminatórios de injúria racial, crimes contra crianças e adolescentes, idosos, mulher, portadores de necessidades especiais, moradores de rua e comunidade de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBTT), além do combate ao tráfico de pessoas.
A delegada Cristiane Lobato, atual titular da Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data), ficará à frente da diretoria, informou o delegado geral de Polícia Civil, Nilton Atayde, durante a solenidade comemorativa ao Dia do Policial Civil, no auditório principal da Delegacia Geral, no último dia 10. A nova diretoria será integrada por 163 servidores: 37 delegados, 35 escrivães, 75 investigadores, 11 motoristas e cinco auxiliares técnicos.
A delegada Cristiane Lobato disse que a DAV será a consolidação do enfrentamento à violência, à criminalidade e à discriminação de credo, faixa etária, gênero, raça e orientação sexual. Segundo ela, com a atuação da nova diretoria, a repressão a esses crimes será intensificada no Estado. A prevenção e o atendimento às vítimas serão o diferencial da nova estrutura.
“Não vamos trabalhar só com o papel de polícia repressora. Vamos trabalhar a partir de três eixos: da repressão, com as investigações; da prevenção, com orientação, palestras e divulgação do problema para que a sociedade passe a denunciar, e do atendimento à vítima, por meio de um núcleo psicossocial. Nossa finalidade é reprimir e também prevenir novos crimes”, reiterou a delegada.
Serão subordinados à nova diretoria o Núcleo de Atendimento Psicossocial (Naps), a Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), a Divisão Especializada no Combate ao Crime Discriminatório (DECD), a Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data) e a Divisão de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e seus respectivos órgãos. A estrutura física da Diretoria de Atendimento a Vulneráveis deverá abrigar todas as suas unidades subordinadas, com exceção da Data, que continuará funcionando no bairro do Jurunas.
Entre as atribuições da DAV está o planejamento, a coordenação, a orientação e a fiscalização das atividades operacionais e administrativas das divisões especiais e delegacias especializadas. Ela também será responsável pela coleta, registro e análise das informações técnicas relativas às atividades desempenhadas pelas divisões e delegacias especializadas, além de coordenar as operações preventivas e repressivas no âmbito das divisões especializadas.
A Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis será coordenada pelo delegado geral adjunto, Rilmar Firmino, e também contará com o apoio logístico da Diretoria de Administração (DA), da Corregedoria Geral da Polícia Civil (Corregepol) e da Divisão de Polícia Especializada (DPE), durante o período de transição.

Texto:
Amanda Engelke-Secom




Sespa divulga novo informe
sobre a situação da
dengue no Estado

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) divulgou nesta quarta-feira (18) o 14° Informe Epidemiológico sobre a situação da dengue no Pará. Até agora, foram notificados 13.345 casos suspeitos de dengue de todos os tipos, dos quais 4.444 foram confirmados com a seguinte classificação final: 4.416 casos de dengue clássica, 21 de dengue com complicação, seis de febre hemorrágica da dengue e um caso de síndrome do choque da dengue.
Os municípios com maior número de casos notificados da doença são: Belém (2.274), Parauapebas (1.997), Marabá (1.117), Ananindeua (714), Altamira (690), Santarém (509) e Marituba (445). Até o momento, há confirmação de dois óbitos por dengue no Estado, um em Parauapebas e outro em Altamira. Segundo a coordenadora estadual do Programa de Controle da Dengue, Aline Carneiro, o Estado está monitorando os registros da doença nos municípios, principalmente os considerados prioritários. Ela orienta que todos informem imediatamente a ocorrência de casos suspeitos.
O Departamento de Controle de Endemias da Sespa alerta a população sobre os cuidados para evitar a proliferação do mosquito da dengue. Aline Carneiro lembra que no período de chuvas o risco de infestação da dengue aumenta, por isso desenvolve-se um conjunto de estratégias para o combate à doença em todos os municípios. Equipes da Sespa trabalham em conjunto com os municípios para manter a doença sob controle.
As principais ações que vêm sendo desenvolvidas são bloqueio imediato da transmissão nas localidades ou bairros que notificam casos; atividades de educação e comunicação, visando à sensibilização da população para o problema; articulação com órgãos municipais de saneamento e limpeza urbana para melhoria da coleta e destinação adequada do lixo; e manutenção das atividades de rotina no combate ao mosquito transmissor (Aedes aegypti).
Ao longo do ano, a coordenação estadual faz supervisões aos programas municipais de controle da dengue nos municípios, treina técnicos dos Centros Regionais de Saúde que abrangem os municípios, para o uso do método em levantamento de índice rápido para Aedes aegypti (Liraa), que permite resultados rápidos possibilitando levantamento para um trabalho direcionado. Também estão sendo feitas atividades de mobilização e avaliação do Plano de Contingência em 56 municípios do Estado.
Serviço: para informações sobre dengue entrar em contato com as Secretarias Municipais de Saúde de Ananindeua (91) 3073-2220; Marabá (94) 3324-4904; Marituba (91) 3256-8395; Santarém (94) 3524-3555 e Tucuruí (94) 3778-8378. Em Belém, além do fone (91) 3277-2485, estão disponíveis os telefones dos Distritos Administrativos: Daben (3297-3275), Daent (3276-6371), Dagua (3274-1691), Daico (3297-7059), Damos (3771-3344), Daout (3267-2859), Dasac (3244-0271) e Dabel (3277-2485).

Texto:
Edna Sidou-Sespa




Paratur apoia roteiro em
homenagem aos
100 anos do Olympia

A Companhia Paraense de Turismo (Paratur) convida interessados em participar nesta quinta-feira (19) da mesa redonda de lançamento do projeto de extensão da Universidade Federal do Pará (UFPA) de roteiro geo-turístico da Belle Époque em Belém. Será no auditório Setorial Básico, às 17 horas, com entrada gratuita. Professores, mestres e doutores darão palestra no encontro, que integra a programação do  roteiro geo-turístico “Percorrendo e revelando paisagens da Belle Èpoque na cidade de Belém do Pará”, que acontece em 24 deste mês, em homenagem aos 100 anos do Cinema Olympia, com visitação aos principais pontos turísticos do entorno do cinema.



Transporte alternativo é tema
de encontro na Estação das Docas

O Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas, sediará de quinta-feira (19) até sábado (21) o 13º Encontro Nacional do Transporte Alternativo (Enatral), que promoverá um amplo debate sobre a regulamentação do serviço em todo o território nacional. O evento tem como tema “O Transporte Alternativo é Legal e Sustentável” e será aberto oficialmente nesta quinta-feira (19), às 19h.




In Bust apresenta a lenda do
Curupira domingo (22) na Estação

O projeto Pôr-do-Sol, da Estação das Docas, recebe domingo (22), espetáculo do grupo In Bust de Teatro de Bonecos sobre “O Curupira. A lenda do menino que os olhos vermelhos e os pés virados para trás faz parte do folclore regional. A atriz e manipuladora de bonecos Adriana Cruz destaca que a apresentação é a mesma que surgiu em 1999, no primeiro episódio do programa “Catalendas”, da TV Cultura.
“O convite nos deu ânimo para reconstruir o cenário do espetáculo, que foi parcialmente destruído. Estamos muito empolgados”, adiantou, revelando que o grupo vai contar sobre o caçador “Seu Jovino”, que caça e pesca além do que precisa, e o Curupira, que protege a floresta contra aqueles que desmatam por mera ganância. Sumano, Suprimo e Dona Menina fazem parte do trio que vai encantar o público no espetáculo.
“A Estação das Docas é um espaço que motiva tanto os grupos de teatro quanto a abertura de outros espaços. Aqui encontramos uma plateia já consolidada, que busca todo domingo um pouco de cultura, de forma gratuita e muito divertida”, disse Adriana Cruz. A entrada é franca.

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000





Oficinas do Biizu integram
a Semana dos Povos Indígenas

O jovem indígena Kaktire Bepkadjônhti, 25 anos, disse que quer ajudar os parentes a aprender a usar o computador e a internet. Ele é um dos atendidos pela oficina de web ministrada pela Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) durante a quarta Semana dos Povos Indígenas que acontece em São Felix do Xingu, sudeste paraense.
Atento a todas as orientações, Kaktire falou sobre seu interesse pela comunicação virtual. “Quero aprender a internet para poder pesquisar mais sobre a nossa cultura”, disse o jovem, na esperança de manter suas tradições. Filho da tribo Kôkraxmôro, localizada a oito horas da sede do município, Kaktire é um dos 500 membros da comunidade. Ele saiu da aldeia com objetivo de estudar e aproveitou as oficinas para se aperfeiçoar.
O instrutor, Bruno Reis, explicou que o objetivo é ensinar noções básicas de internet e de rede de computadores, além da criação individual de páginas. “Ao criarem sua página virtual, os moradores da região poderão escrever sobre sua cultura para o mundo inteiro”, disse Bruno, lembrando que o interesse pela oficina vem de professores, universitários, crianças e adolescentes.
Desenho – Ministrada pelo instrutor Fábio Jansen, quadrinista reconhecido internacionalmente, a oficina de desenho foi a mais procurada entre os cursos ofertados pelo Biizu. Com 42 participantes, a atenção de Fábio precisou ser muito bem dividida entre os pequenos. “A procura partiu de crianças entre 8 e 14 anos, além dos idosos. O que os atrai é a ludicidade da forma como trabalhamos e o material que usamos, como tesoura, papel e lápis em diversas cores”, explicou.
Segundo ele, é pelos desenhos que se reconhece a realidade das crianças. “Quando vemos desenhos coloridos e grandes, sabemos que as crianças que os desenharam são alegres e felizes em suas famílias, do contrário, vemos desenhos pequenos e em preto e branco”, analisou.
“Esta é a segunda vez que o projeto chega a São Felix do Xingu, porém desta vez tivemos duas grandes surpresas. Uma foi a grande procura pelas oficinas ofertadas e a outra foi a participação de doze crianças que moram em abrigo. Ficamos muito felizes pelo sucesso das atividades e pelo aproveitamento dos participantes”, afirmou a coordenadora do Biizu, Helena Müller.
As etapas da oficina de desenho são divididas em conteúdos que ensinam a iniciação à tecnica, perfis de rostos humanos, luz e sombra. Fábio Jansen é um dos onze paraenses a atuar no mercado internacional. Produz histórias em quadrinhos para os mercados europeus e norte-americano. Ele acumula a experiência de ter trabalhado com Joe Bennett, o primeiro paraense a produzir quadrinhos nos Estados Unidos.
As oficinas do Biizu seguem até quinta-feira (19), oferecendo para a comunidade cursos de rádio, web, desenho, grafite, fotografia e audiovisual.

Texto:
Cora Coralina-Secom



Uepa celebra o Dia do Índio
com programação especial





A Universidade do Estado do Pará (Uepa) abriu nesta quarta-feira (18) programação especial pelo Dia do Índio - que se comemora quinta-feira (19) -, organizada pelo Núcleo de Formação Indígena, que reúne professores, acadêmicos, índios e alunos de escolas públicas. A pró-reitora de Graduação, Ionara Terra, lembrou que os bons frutos que a Uepa colhe hoje ligados a esse campo de conhecimento, como a oferta da licenciatura intercultural indígena, são resultado de um trabalho coletivo.
"A Uepa se sente orgulhosa nesse momento, à frente dessa programação. É impossível não concluir que chegamos até aqui após trilhar um caminho longo, que nos permitiu chegar aonde chegamos, ofertando um curso que não é simplesmente resultado de um termo de ajuste de conduta feito pela Uepa e pelo Estado, mas sim de um grande trabalho feito por todos na universidade para levar o ensino superior a todas as camadas da sociedade", disse.
O coordenador do Núcleo de Arte e Cultura da Uepa, Valmir Bispo, disse que os índios que moram no Pará vivem um momento histórico com a implantação do curso. "É a primeira vez que um curso de graduação é criado a partir das demandas desses povos, das solicitações feitas por eles. Essa aproximação entre universidade e cultura indígena é muito boa para todos os lados. O curso eleva o nível de formação dos índios sem deixar de levar em consideração sua cultura e costumes ", resumiu.
A programação foi iniciada com uma mesa redonda sobre educação escolar indígena composta por representantes indígenas e com uma oficina que se repete também nesta quinta-feira (19), ministrada pela atriz e diretora mato-grossense Célia Maracajá, sobre documentários feitos por indígenas a partir de suas próprias visões de mundo. Na quinta, será lançado o projeto Tainá na Escola, com a exibição dos filmes "Tainá - Uma aventura na Amazônia" e "Tainá 2 - A aventura continua".
Daiene Souza Tembé, 23 anos, é índia do povo Tembé, está no magistério indígena, dá aulas dentro da aldeira para o ensino fundamental e concorre a uma vaga para a licenciatura cultural indígena. Participando da programação de abertura, ela falou sobre a importância de estar na ambiência de uma universidade.
"Todo e qualquer conhecimento a mais que temos, levamos para nossos parentes dentro da aldeia. Fiz as provas para o curso de licenciatura e já estou muito ansiosa, assim como as outras professoras de lá que também fizeram. Seremos as primeiras da tribo a fazer faculdade e tenho certeza de que nós todas nos empenharemos muito nos estudos", garantiu.

Texto:
Ize Sena-Uepa



Emissão de documentos
integra programação da
Semana dos Povos Indígenas

Indígenas e moradores de municípios vizinhos a São Félix do Xingu estão tendo acesso a Carteiras de Identidade (RG) e de Trabalho (CTPS) durante a Semana dos Povos Indígenas. O serviço é oferecido pela Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), que começou a emitir documentos na manhã desta quarta-feira (18) e prosseguirá até esta quinta-feira (19).
A secretaria pretende emitir 300 carteiras de identidade e 300 carteiras de trabalho. A procura pelo serviço foi grande durante todo o dia, principalmente pelos indígenas. “Muitos índios não têm nenhum documento, possuindo apenas a declaração de nascido vivo entregue pela Funai (Fundação Nacional do Índio). Por isso, eles aproveitam esta oportunidade”, informou Reinaldo Lemos, coordenador da equipe da Sejudh. Reinaldo disse ainda que as índias são as que mais procuram o serviço, pois os homens geralmente já possuem documentos.
Com 16 anos, Irenor Kayapó tirou a Carteira de Identidade. “A minha filha precisa tirar a identidade porque eu quero que ela estude e comece a trabalhar. Eu sei que ela não vai ficar na aldeia para sempre, por isso é preciso ela se preparar”, disse Becuimuruti Kayapó, pai de Irenor.
Os moradores de São Félix Xingu também aproveitaram a oportunidade para obter os documentos. “Eu estava precisando muito da identidade e da carteira de trabalho, porque estou atrás de emprego. Ainda bem que estou tendo essa chance de tirar os dois documentos em um dia só”, disse o estudante José Aparecido.

Texto:
Bruna Campos-Secom



Titular da Susipe participa
de sessão na
Assembleia Legislativa

O titular do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), André Cunha, participou terça-feira (17) de uma seção ordinária deliberativa na Assembleia Legislativa para apresentar o andamento da gestão da Susipe aos deputados estaduais e garantir a aprovação para a ocupação do cargo. Entre os dados apresentados, o da criação de mais de cinco mil novas vagas prisionais até 2014.
André Cunha explicou as dificuldades do sistema penitenciário paraense, como o número elevado da população carcerária em relação ao déficit de vagas. Segundo ele, são cerca de doze mil presos para 6.712 vagas em todo o Pará. As novas unidades prisionais com as obras previstas e as que estão em andamento criarão 5.044 vagas.
O titular da Susipe disse ainda que o Estado não pode apenas construir vagas prisionais porque essa é uma solução cara, já que cada vaga, para ser gerada, demanda um custo médio de R$ 45 mil. “É preciso investir em políticas públicas para que os jovens não cheguem à prisão, pois 57% dos internos têm entre 18 e 29 anos”, informou, destacando também o papel da família na prevenção do crime. “A família precisa resgatar a capacidade de atenção ao comportamento das crianças e adolescentes e ensinar valores e princípios sólidos”, observou.
Outro ponto destacado pelo superintendente foi a quantidade de presos provisórios, que são 65% no Pará. “Isso demanda uma forte articulação entre o Poder Executivo e o Judiciário, com o importante papel da Defensoria Pública, o que agilizaria os processos que mantêm muitos presos dentro das prisões”, disse, parabenizando a força-tarefa do juíz Cláudio Rendeiro, que concedeu 65 liberdades condicionais em apenas quatro dias como titular da 1ª Vara de Execução Penal.
Após a apresentação do superintendente, os deputados estaduais fizeram perguntas e deram sugestões de como a Susipe pode diminuir os problemas. A AL vai votar, ainda sem data definida, para decidir se André Cunha está apto a gerir a Susipe.

Texto:
Nara Pessoa-Susipe



EGPA inscreve servidores
para a 13a Feira de
Talentos até sexta-feira

Continuam abertas até sexta-feira (20) as inscrições para a 13ª Feira de Talentos, promovida pela Escola de Governo do Pará (EGPA) para promover a exposição e venda de peças artesanais produzidas por servidores. O público poderá ver e adquirir peças como acessórios, pinturas, porta-joias, objetos de decoração, brinquedos, artigos e bombons regionais, dentre outras.
Para se inscrever, o servidor deve procurar a Coordenadoria de Valorização da Cidandania da EGPA, nos horários de 9 horas ao meio-dia e das 14 às 17 horas. Além da amostra de cada um dos trabalhos a serem expostos, o interessado deve levar cópias do último contracheque e da carteira de identidade. Segundo a EGPA, a feira também tem como objetivo incentivar o empreendedorismo e a criatividade, oportunizando uma experiência de socialização e reconhecimento das aptidões artísticas do servidor público estadual.
Nesta ação, a EGPA fornece todos os recursos, incluindo camisas, espaço físico e a infraestrutura necessária à montagem de barracas individuais para a comercialização dos produtos, que são ainda oportunidade de o servidor gerar uma renda extra. Os primeiros 94 inscritos têm garantidas as barracas para expor na feira. Quem chegar depois, entrará na lista de espera e poderá ser convocado em caso de desistência de algum participante.  O servidor terá direito a levar uma pessoa para apoio.
A data e o local da 13ª Feira de Talentos estão em fase de definição e serão divulgados até o fim. Ano passado, quando foi retomada, a exposição recebeu mais de cinco mil visitantes e expositores de 29 órgãos do Estado. A EGPA fica na avenida Almirante Barroso, 4.314, no bairro Souza, em Belém. Mais Informações: (91) 3214-6835ou cvc1.egpa@gmail.com.

Texto:
Daniele Brabo-EGPA



Moradores recepcionam
ambientalistas na Vila
Santa Cruz dos Martírios

Alunos, professores e moradores da Vila Santa Cruz dos Martírios, localizada na Área de Preservação Ambiental (APA) Araguaia, no município de São Geraldo do Araguaia, recepcionaram cerca de 120 ambientalistas que singraram o rio Araguaia, com atividades de educação ambiental. Os ecologistas partiram da cidade de Pau D’arco rumo a Araguatins (TO) e no percurso ancoraram em todas as cidades e vilas ribeirinhas promovendo ações ambientais.
A expedição composta por 30 embarcações divididas em lanchas, motos aquáticas e voadeiras contava com profissionais de várias áreas. Técnicos do Departamento de Educação Ambiental do Parque Estadual Serra das Andorinhas, juntamente com o gerente da unidade de conservação, Abel Pojo, auxiliaram os professores na recepção e organização das atividades apresentadas aos ambientalistas, nas dependências da Escola Pedro Gomes da Silva.
Os educadores deram palestrara sobre o histórico da Vila Santa Cruz dos Martírios e apresentaram as atividades de educação ambiental promovidas na escola, com a parceria da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). O professor Valdemir Ribeiro discorreu sobre a formação do povoado, as riquezas arqueológicas e a beleza paisagística da região.
“A vila Santa Cruz surgiu em meados do século XIX. Nos dias de hoje, o acesso é por meio fluvial e terrestre. Antes era feito somente por água. A partir de 2004, foi construída uma estrada ligando a vila a São Geraldo do Araguaia, que é o meio de acesso mais usado agora”, explicou o historiador.
Valdemir ainda abordou sobre um dos maiores sítios arqueológicos a céu aberto do mundo. “A ilha dos Martírios tem grande quantidade de gravuras rupestres no rochedo que evidencia ter sido registrada por um povo que habitou o local antes da chegada dos portugueses”, apresentou o professor com fotos projetadas durante a palestra.
A professora Maria Neide Paz Rodrigues destacou, com imagens, os projetos ambientais desenvolvidos na vila com o apoio da Sema. “Por meio de parceria com a Sema, estamos em sintonia com o meio ambiente. Nossas ações na escola sempre levam em consideração o espaço onde moramos. Já fizemos atividades de limpeza da Vila, plantio de mudas, campanha contra dengue e desmatamento e incentivo à medicina alternativa, dentre outras”, enfatizou.
Durante a recepção, Abel Pojo falou sobre o parque Serra das Andorinhas e a APA Araguaia. Durante a explanação, o gerente explicou os objetivos das duas unidades, bem como as ações da gerência das unidades de conservação da natureza. Os ambientalistas são membros da organização não-governamental (ONG) Amigos do Araguaia.
O secretário de Comunicação da ONG, Eduardo Paraíba, informou que o objetivo da ação é despertar nas pessoas sobre a importância de manter preservado o rio Araguaia. “Este é o nosso 12º passeio. Em todas as comunidades ribeirinhas conscientizamos as pessoas que desfrutam do rio Araguaia para usar com responsabilidade esse manancial de água doce”, disse.
Segundo Eduardo Paraíba, durante as palestras de sensibilização são distribuídas cartilhas educativas sobre meio ambiente, e o lixo recolhido durante o trajeto é depositado nos portos das cidades por onde passam. “Contatamos o departamento responsável pela limpeza pública em cada cidade para dar destinação final ao lixo que recolhemos durante o percurso”, informou. Nas despedidas, os ecologistas agradeceram pela hospitalidade que receberam da população local.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema




POESIA

LAMENTOS

Quero,
o que quero?
Não sei o que quero.
Vejo,
não vejo  
olhar não quero.
Penso,
não penso,
já não sei pensar.
Corro em busca
mas em busca do que ?
Vivo cansado,  
sento e descanso,
mas descanso do que?
Reclamo de tudo: “ poxa, que mundo “,
nada esta certo
ou sou eu que estou todo errado.
Medo que sinto
de saber a verdade,
verdade que fere,
ferida marcante
neste nosso corpo,
feito apenas de mentiras.
Nojo que sinto,
pobre mendigo,
morto de fome,
eu como,
não como,
estrago, não guardo,
se guardo, não dou.
Vida, não vivo
mas morto não estou.
Já não sei o que faço.
Já não sei o que sou.
Já não tenho nada,
Já não tenho amor.

Daniel Brandão




  "NUNCA SE DEVE DESPREZAR UMA OPORTUNIDADE,
 JÁ QUE A VIDA É CURTA, E A MORTE, INEVITÁVEL" - Freud




Vamos pensar antes...!!!!!....

SOBRE A MORAL:


Um coelhinho felpudo estava fazendo suas necessidades
matinais quando olha para o lado, e vê um enorme urso
fazendo o mesmo.
O urso se vira para ele e diz: - Hei, coelhinho, você
solta pêlos?
O coelhinho, vaidoso e indignado, respondeu:
- De jeito nenhum, venho de uma linhagem muito boa...
Então o urso pegou o coelhinho e limpou o bumbum com ele.

MORAL DA HISTÓRIA:


CUIDADO COM AS RESPOSTAS PRECIPITADAS PENSE BEM NAS
POSSÍVEIS CONSEQÜÊNCIAS ANTES DE RESPONDER !
No dia seguinte, o leão, ao passar pelo urso diz:
- Aí,hein, seu urso! Com toda essa pinta de bravo, fortão,
bombado! Te vi ontem, dando o r... prum coelhinho
felpudo. Já contei pra todo mundo !!!

MORAL DA MORAL:


VOCÊ PODE ATÉ SACANEAR ALGUÉM, MAS LEMBRE-SE QUE SEMPRE
EXISTE ALGUÉM MAIS ‘F. DA P’ QUE VOCÊ !
O problema do Brasil é que, quem elege os governantes
não é o pessoal que lê jornal, mas quem leva o jornal para o WC para fazer aquilo!





Núcleo de Inteligência
Policial ganha destaque
com a prisão de Dote




A prisão de Jocicley Braga de Moura, de 28 anos, conhecido por “Dote”, considerado o maior traficante de drogas das regiões Norte e Nordeste do Brasil, no último dia 14, foi resultado de um trabalho contínuo do Núcleo de Inteligência Policial da Polícia Civil que, somente no ano de 2011, conseguiu tirar de circulação 533 acusados de crimes graves cometidos contra a sociedade paraense. Aliado ao trabalho de inteligência está a investigação e a dedicação da equipe de um dos veteranos da Polícia Civil no Pará, delegado Eder Mauro.
"Inteligência policial pode ser considerada o conjunto de ações que empregam técnicas especiais de investigação, as quais têm por objetivo confirmar evidências, obter conhecimento sobre atuação criminosa e propiciar a identificação das organizações que atuam de forma delituosa", explica o diretor do Núcleo de Inteligência da Polícia Civil no Pará, delegado Cláudio Galeno.
São métodos e doutrinas específicas aplicadas à investigação na polícia judiciária, que se diferenciam da investigação comum principalmente no que diz respeito às metodologias e tecnologias aplicadas. Algumas dessas técnicas, como a interceptação de ligações telefônicas e localização de aparelhos telefônicos por via satélite, podem ser utilizadas “se autorizadas pela Justiça”, afirma o delegado.
Soma-se a estas tecnologias a utilização de câmeras de vigilância e a investigação minuciosa realizada pelos policiais envolvidos no caso. Outros métodos de inteligência envolvem a vigilância policial, a coleta de dados sobre um determinado investigado e até a utilização de disfarces. Muitas destas técnicas não podem ser reveladas, pois fazem parte do sigilo necessário ao bom andamento da inteligência policial, explica Cláudio Galeno.
Para a prisão do megatraficante “Dote”, por exemplo, toda uma gama de técnicas de inteligência policial foi intensificada há mais ou menos um ano, mobilizando cerca de 20 policiais civis e militares do Sistema de Segurança Pública do Pará, sob a liderança de Eder Mauro, que atualmente é diretor da Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), e de policiais militares da Ronda Tática Metropolitana (Rotam).
Cláudio Galeno explica que o resultado alcançado pelo Núcleo de Inteligência da Polícia Civil só foi possível graças aos investimentos feitos pelo Governo do Estado. Um dos principais investimentos, explica Galeno, está sendo feito na qualificação dos policiais que realizam este tipo de trabalho. A equipe participa de treinamentos e intercâmbios de experiências com as várias agências de inteligência policial em todas as esferas do poder público e privado, como Forças Armadas, Polícia Federal e inteligência policial de outros Estados e até de outros países.
Uma das grandes fontes de informação utilizada pelo Núcleo de Inteligência Policial é o banco de dados do Disque Denúncia, que reúne informações repassadas pela população através do número 181. “Todo o trabalho realizado pela inteligência é feito em extrema harmonia com todos os órgãos do Sistema de Segurança Pública e até de fora dele”, explica.
Dedicação
Segundo o delegado Eder Mauro, não existe um fato isolado na chegada da polícia até o megatraficante “Dote”, no último dia 14. A saga da polícia em busca do bandido começou em 2007, quando "Dote" foi preso com drogas e sob uma forte vigilância de seguranças armados. Ele foi sentenciado, mas conseguiu a liberdade por causa de um alvará liberado pela Justiça. Logo após ele foi considerado foragido. Desde então as investigações não pararam. “Continuamos incessantemente investigando os passos de Dote”, explica Eder Mauro.
Eder Mauro reitera que as investigações eram realizadas com a ajuda de informantes, que repassavam informações que eram cruzadas com outros dados obtidos através da investigação realizada pela Polícia Civil. Foi neste momento que entrou em campo a investigação mais tecnológica realizada pelo Núcleo de Inteligência. Inserida nesta parte tecnológica está a interceptação de ligações telefônicas e análise de relações do acusado através das redes sociais como o Facebook e Orkut.
O trabalho de investigação foi contínuo e difícil, pois o traficante nunca ficava com um número de telefone fixo. A polícia passou então a investigar pessoas de seu convívio. “É como montar um quebra-cabeça”, explica Eder Mauro. E foi montando este quebra-cabeça que a polícia chegou até uma rede de convívio que incluía amantes e filhos em mais de um bairro de Belém. Os passos, mensagens e telefonemas destes convivas foram sendo investigados. Há dois meses a polícia recebeu a informação que “Dote” teria passado pelos Lençóis Maranhenses. Alem do Pará, as investigações também estavam sendo realizadas no Amazonas, Maranhão e Ceará.
Durante o período em que estava foragido e sendo investigado pelos policiais, “Dote” nunca deixou de alimentar os pontos de tráfico com as pedras de oxi. Foi então que a Polícia conseguiu chegar até o traficante em uma festa realizada no condomínio de luxo em Fortaleza onde ele mantinha uma base.
Guerra ao tráfico de drogas
O embate contra o tráfico de drogas, segundo Eder Mauro, passa por uma questão de honra, explica o delegado. “Quando vejo todo o desgaste que a droga provoca em jovens e adolescentes destruindo toda uma estrutura familiar é o que me dá forças para que eu me dedique a esta guerra ao tráfico” declara Eder Mauro.
Para encarar esta guerra, comenta Eder Mauro, é necessário gostar muito  do que se faz. “Se você faz seu trabalho com dedicação você consegue alcançar os objetivos”, comenta. Apesar das dificuldades, o delegado explica que esta é uma guerra que não termina com a prisão de “Dote”.  O próximo passo  contra o tráfico de entorpecentes, comenta o diretor da DRFR é combater o médio e pequeno traficante e o chamado “boqueiro de ponta” que disseminam a droga e contribuem diretamente com o aumento da violência na sociedade.

Texto:
Marcio Flexa-Secom




Metais e percussão no
concerto da Sinfônica
na Igreja de Santo Alexandre

Os músicos da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) fazem o segundo concerto da sua “Série de Câmara”, na Igreja de Santo Alexandre, com a programação dando destaque para obras escritas para instrumentos de metal e percussão. A entrada é gratuita. O público terá uma boa oportunidade de ouvir obras pouco executadas e instrumentos como tuba e trombone no papel de solistas. O regente Miguel Campos Neto destaca que os músicos das famílias de Metal e Percussão estão entre os grupos mais antigos dentro das formações orquestrais.
Os músicos participantes deste segundo concerto são: Ana Maria Adade e Humberto Azulay (piano), Fábio Moraes (tuba), Benedito Junior e Manassés Malcher (trombone), Joabe Nunes (trompete), Leonete Navegantes, Paulo Castro, Helden Sávio (trompas) e Ricardo Aquino, Magno Morais, Ruth Saldanha e Cláudio Costa (percussão).
O maestro Miguel Campos Neto assume o piano nas peças “Romanza Appassionata”, de C. M. von Weber, e “Vocalise op. 34, nº 14”, de Rachmaninoff. O programa continua com “Caprice”, de J. Turrin; “Czardas”, de V. Monti; “Choros nº 4”, de Villa-Lobos; “Concerto nº 1 para trombone baixo”, de Alexej Lebedjew, e “Marimba Spiritual”, de Minoru Miki.




Emater capacita agricultores
do nordeste paraense para
a produção de curauá

Uma experiência inovadora diversifica a produção e oferece uma alternativa de renda para agricultores familiares de Aurora do Pará, no nordeste paraense. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) está difundido uma tecnologia para o plantio do curauá. A bromélia característica da Amazônia paraense tem a fibra extraída da folha muito resistente, macia, leve e reciclável, permitindo composições para diversos usos na indústria.
O curauá, que tolera solos de alta acidez e com baixa fertilidade, chega como proposta de uso desses solos com a introdução de uma cultura rentável e com baixo investimento, totalmente dentro da realidade do agricultor familiar. O projeto embrionário, consorciado com outras culturas na região, envolve 10 famílias de agricultores distribuídas em quatro comunidades.
A produção mensal das famílias chega a 800 quilos de fibra por hectare. Com comércio garantido, o quilo é comercializado a seis reais. Só no mês de março a produção em Aurora do Pará atingiu 2600 quilos de fibra, número ainda insuficiente para atender a demanda vendida quase que em sua totalidade para empresas do setor automobilístico. O curauá substitui a fibra de vidro em peças automobilísticas e serve como composto de vigas resistentes a terremotos.
Segundo Antonio Correa, técnico agropecuário da Emater, apesar do curauá ter colheita durante todo o ano, a planta não tem floração uniforme, o que acaba limitando a produção. Diante disso, a empresa desenvolve, através da técnica de carbureto, a indução floral da bromélia a fim de programar a produção. A intenção da Emater é fazer com que o agricultor produza a sua própria muda, o que acarretaria numa redução de custos de cerca de 70% só com a produção e o transporte. O objetivo é atender a grande demanda pelo produto. “Fomos contatados por uma montadora de veículos de São Paulo para fornecer a fibra, mas nossa produção ainda é insuficiente”, Frisou o técnico.
A Emater trabalha na expansão das áreas cultivadas, que chegam a acrescentar na renda das famílias, mensalmente, cerca de um salário mínimo por cada três hectares plantados.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater



Estudantes de Soure
participaram de
atividades do
Pro Paz Educação

Os alunos da Escola de Ensino Fundamental e Médio “Gasparino Batista da Silva”, no município de Soure, participaram na manhã desta quarta-feira, 18, das atividades extra-classe promovida pelo Pro Paz Educação. A equipe responsável pela programação - composta por representantes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e das Coordenações de Meio Ambiente e Igualdade Racial da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) - iniciou cedo as atividades em três classes do Ensino Fundamental.
A expectativa pela aula era visível entre os alunos, que participaram de atividades dinâmicas antes da mostra de vídeo que precede as palestras, e causou agitação até entre os alunos das outras turmas, que lotaram o acesso às salas para acompanhar de perto a exibição. O Coronel Costa Júnior, da Polícia Militar, detalhou a um público bastante atento o funcionamento e as ações do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd). O vídeo, que retrata os efeitos do álcool no organismo humano e traz depoimentos de dependentes, levou muitos deles a refletirem sobre o problema, como os alunos Maiara Silva Souza, de 12 anos, e Lucas Fernandes, 14, que ficaram impressionados com o vídeo.
Conviver com as diferenças, exercitar a tolerância e o respeito foram os principais ensinamentos destacados durante a exibição do vídeo “Vista a minha pele”, que aborda conflitos raciais, apresentado pela Coordenação Para Promoção da Igualdade Racial (Copir). O tema também provocou reações nos estudantes e a admiração do técnico responsável pela apresentação, Tony Vilhena. “ Estou surpreso pela postura dos alunos. Alguns deles certamente devem estar se vendo em várias cenas, porque o silêncio é total”, comentou.
Os jovens receberam também noções de Educação Ambiental, repassada durante a oficina de reaproveitamento de papel, onde os estudantes aprenderam a confeccionar piões feitos de jornal. A produção da peça acabou por originar outra atividade: um concurso do pião que rodasse por mais tempo. Os professores Luís Brito e Teresa Gonzaga, confirmaram que os alunos tiveram participação ativa.
O Corpo de Bombeiros deu demonstrações de como os estudantes deveriam proceder em casos de vazamento de gás e na realização de primeiros socorros em acidentes domésticos. A palestra, ministrada pelocoronel Nahum Fernandes da Silva, assessor técnico do CBM, ressaltou os cuidados que pais e responsáveis devem ter com fósforos e velas.
A Escola de Ensino Fundamental e Médio “Gasparino Batista da Silva” também sediou, na terça, 17, um encontro com técnicos de educação e professores da rede de ensino, visando a criação da cultura de paz por intermédio do protagonismo juvenil.

Texto:
Izabel Cunha-Seduc



Educadores participam
de encontro pedagógico

Com o objetivo de incentivar o diálogo e as discussões sobre temas recorrentes nas escolas, como: Projeto Político Pedagógico, Educação Inclusiva e Orientações sobre Políticas Públicas de Prevenção, a 8ª Unidade “Seduc na Escola” (USE) realizará nos dias 19 e 20 de abril, o 1º Encontro Pedagógico de 2012 para as 18 escolas que integram a 8ª USE, que este ano traz como tema: “Direitos Humanos da Educação”, que busca mecanismos para melhorar a qualidade do trabalho desenvolvido com a Comunidade discente e docente, permitindo a reflexão das ações a serem implementadas no cotidiano escolar para o ano letivo de 2012.



Condenados por crime
ambiental cumprem pena
alternativa na Dema

Começa nesta quarta-feira, 18, às 15 horas, no auditório da Divisão Especializada em meio Ambiente (Dema) da Polícia Civil, o projeto Educação Ambiental como Medida Educativa que consiste em um ciclo de palestras cujo público-alvo é encaminhado pelo Juizado Especial, após transação penal proposta em audiência de conciliação. Participam do projeto, em sua maioria, pessoas condenadas na justiça por crime ambiental. Participar do ciclo de palestras, portanto, seria o cumprimento de uma pena alternativa. Aproximadamente 100 pessoas estarão presentes na série de palestras que inicia hoje e segue até a próxima sexta-feira, em Belém.
Desenvolvido em parceria com o Juizado Especial Criminal do Meio Ambiente, o projeto tem como meta viabilizar a participação do infrator, em atividades capazes de estimular a responsabilidade individual e coletiva, a percepção da interdependência dos ciclos vitais e construir novos hábitos e condutas compatíveis com a sustentabilidade e a preservação dos recursos naturais, através de um ciclo de palestras e amostras de vídeos.
O objetivo é fazer com que o infrator perceba as consequências de suas atitudes e adote valores de responsabilidade social e comprometimento com o meio ambiente. Hoje o tema debatido será a atuação da polícia judiciária na proteção do meio ambiente do Estado. Falará sobre ele a delegada Teresa Macedo, coordenadora do projeto Sala Verde. Amanhã o assunto será a poluição sonora e na sexta-feira a discussão será sobre a posse responsável de animais de companhia (cães e gatos). Todas as palestras iniciarão às 15 horas e terão três horas de duração. Elas ocorrerão no auditório da Dema, localizada na rodovia Augusto Montenegro, 155, no bairro da Marambaia, em Belém.



Servidores da Susipe
participam de curso de
especialização em
gestão penitenciária

Quarenta servidores da área de Segurança Pública do Pará e Justiça Criminal, iniciaram nesta quarta-feira (18) o 4º módulo da pós-graduação em Gestão Penitenciária, com a disciplina Teorias Criminológicas, ministrada pelo doutor em criminologia clínica e professor da Universidade de São Paulo (USP), Alvino Augusto de Sá. Este módulo encerra na sexta-feira (20)
Com produção técnica de grande destaque, Alvino de Sá é palestrante ativo em todo o Brasil, considerado uma das maiores autoridades nacionais quando o assunto é Criminologia. É professor de Criminologia da USP, membro da Diretoria Consultiva do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP), e da Comissão de Política Criminal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SP). É autor dos livros “Reincidência Criminal”, “Criminologia e os problemas da atualidade”, “Criminologia clínica e Execução Penal”, dentre outros.
O curso é resultado de convênio entre o Ministério da Justiça, por meio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe). A Faculdade Estácio/ FAP é a responsável pelo conteúdo acadêmico do curso, que tem a duração de 12 meses, carga horária total de 378 horas e 23 disciplinas, divididas em cinco eixos: temáticas de criminalidade, ordenamento jurídico, gestão prisional, pesquisa científica e políticas de assistência, todas de acordo com o padrão da matriz curricular orientada pelo Depen.



Gestores penitenciários
concluem curso
de qualificação

Despertar nos gestores a necessidade de práticas efetivas na gestão penitenciária que ampliem a qualidade dos serviços oferecidos. Este é o objetivo da quarta edição do curso de qualificação “Gestão Estratégica: um desafio constante”, que reuniu cerca de 180 gestores da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe). A quarta turma conclui suas atividades nesta quinta-feira (19), na Escola de Administração Penitenciária (EAP), localizada no Instituto de Ensino de Segurança Pública do Pará (Iesp), em Marituba, município da Região Metropolitana de Belém.
Diretores, vice-diretores, chefes de segurança e coordenadores das unidades prisionais de Belém e demais municípios da Região Metropolitana participaram do curso, que iniciou sua primeira turma no dia 20 de março. O curso teve carga horária total de 20horas/aulas e três disciplinas: Comportamento humano em instituições carcerárias, Procedimento de custódia e Gestão penitenciária com foco sistêmico. Também foram ministradas palestras pelos gerentes de Recursos Humanos e da Divisão de Assistência ao Servidor da Susipe.
Na próxima segunda-feira (23), a EAP iniciará mais dois cursos: a primeira turma de “Dinâmicas Administrativas - Rotinas das Unidades Penais”, que tem como público alvo agentes penitenciários que exercem função administrativa e demais profissionais que atuam nas unidades prisionais da região metropolitana de Belém e o curso de informática básica e avançada, destinado aos servidores da Susipe e familiares.



Acará Fest destaca a
produção de
mandioca do Estado

A cidade de Acará, localizada no nordeste do Estado, completa 137 anos no dia 19 e tem muito que comemorar: o município é o maior produtor de mandioca do Brasil. Pela importância deste produto agrícola na economia local os acaraenses preparam o Acará Fest, além da XVII Festival da Mandioca e XII Feira Agrícola, no período de 19 a 22 deste mês.
O ponto alto desta programação é a “farinhada”, com início às 9 horas, do dia 22. Uma competição em plena praça central do município mostrará o campeão na produção de farinha. Este ano concorrem produtores rurais de quatro comunidades assistidas pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater). Em todo município a empresa chega a atender 1200 famílias agricultoras.
Durante o evento Acará Fest ainda acontece a XII Feira Agrícola. Dezesseis estandes serão montados na praça para a exposição e venda dos produtos rurais acaraenses de 18 comunidades. Serão apresentadas produções de biojoias; artesanatos em sabão de tucupi, patchouli e em tecidos; artigos de higiene e limpeza; panificação; cestos de guarumã; comidas típicas; subprodutos do açaí; hortaliças; mel; além de doces e compotas. A Emater, que é uma das promotoras do evento, terá seu estande em parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura.




Quase 250 toneladas de
peixe foram comercializadas
na Semana Santa

Levantamento preliminar feito pela Secretaria de Pesca e Aquicultura do Pará (Sepaq) sobre os resultados da Feira do Peixe Pra Valer, promovida pelo Governo do Estado durante a Semana Santa, revela que foram comercializados 248.865,20 quilos de pescado em Belém e mais 38 municipios paraenses. De acordo com a diretora de Pesca da Sepaq, Jossandra Pinheiro, o balanço geral só será apresentado na primeira semana de maio. Abaixo, os números do balanço parcial:
Belém - Dos 19 pontos de venda instalados, 10 foram destinados à Feira do Peixe Popular, 5 à Feira do Peixe Vivo, 2 à venda de ostras e 2 de caranguejo. No total, foram comercializados 66.427,80 kg de pescado.
Ananindeua - Dos 8 pontos de venda estruturados, 8 foram de peixe popular, 1 de peixe congelado, 1 de peixe vivo, 2 de caranguejo e 1 de ostra. Total comercializado: 23.021,00 kg de pescado.
Doações - Este ano, o Sindicato da Pesca no Pará (Sinpesca) destinou dois mil quilos de pescado à Sepaq para que fossem doados a instituições sociais. As entidades beneficiadas com a entrega foram: Obras Sociais da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, Comunidade São Francisco Xavier, Comunidade São Francisco de Assis, Associação dos Músicos e Compositores de Marituba e Associação de Mulheres da Pesca da Baia do Sol (de Mosqueiro).

Texto:
Sérgio Noronha-Sepaq



São Félix do Xingu se torna
o centro da cultura Kayapó

O circo fez a alegria do público que prestigiou, na noite desta terça-feira, 17, a abertura oficial da Semana dos Povos Indígenas, no ginásio de esportes do município de São Félix do Xingu. Mais de 4 mil índios de 15 aldeias, todos da etnia Kayapó, participaram do evento.
O resultado do encontro foi surpreendente. Os índios interagiram com palhaços, mágicos e malabaristas que fizeram uma apresentação especial para os indígenas. Crianças, jovens e até os caciques das tribos se envolveram com o espetáculo. “Nós estamos gostando muito de tudo que estamos vendo. Nunca tínhamos visto nada assim. Eles são engraçados e fazem coisas diferentes”, disse Bepdja Kayapó, índio da aldeia Gorotire.
Durante a abertura, os índios também apresentaram suas tradicionais danças e músicas. De mãos dadas, eles entraram no ginásio e encantaram o público presente. “Nunca tinha visto nada assim. Eles são muito unidos e demonstram o tempo inteiro o valor que dão para manter sempre viva a cultura deles”, disse a comerciante Márcia Souza, que mora no município de São Félix do Xingu há três meses.
Para o cacique Mundico, representante da aldeia Laskasa, a Semana dos Povos Indígenas representa muito mais do que diversão. “Esta festa é muito importante para nós porque é um momento que temos para encontrar os nossos parentes, mostrar para o homem branco a nossa cultura e também para discutir assuntos de nosso interesse como a preservação na Amazônia”, disse o cacique, que falou em nome de todas as tribos.
As atividades seguem até quinta-feira,19, quando se comemora o Dia do Índio. Durante o dia, os índios participam de atividades esportivas e culturais. A Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) e a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) estão presentes na Semana dos Povos Indígenas oferecendo serviços de cidadania e educação para os moradores de São Félix e integrantes das aldeias indígenas.

Texto:
Bruna Campos-Secom



Hepatites Virais estarão em
pauta no Congresso
Médico Amazônico

Profissionais de saúde inscritos no XVI Congresso Médico Amazônico poderão participar, nesta segunda-feira, 23, na sala Sulpício Bentes, do Hangar, do I Encontro Amazônico de Hepatites Virais, evento organizado pela Amazônia Transplantes e coordenado pela Coordenação Estadual de Hepatites Virais, Instituto Evandro Chagas, Universidade do Estado do Pará (Uepa) e Universidade Federal do Pará (UFPA). Segundo a coordenadora estadual de Hepatites Virais, Cisalpina Cantão, na oportunidade serão discutidos os desafios da gestão, prevenção, diagnóstico e tratamento das Hepatites virais em todos os níveis em nosso estado.
Um renomado grupo de palestrantes locais e de outros Estados, estarão presentes na programação do encontro, a exemplo de Jorge Reyes, responsável pelo programa de transplante hepático da Universidade de Washington, dos Estados Unidos, e de Fábio Tozzi, coordenador do projeto “Saúde e Alegria”, que vem realizando prevenção do agravo em questão junto a atenção primária no oeste do Estado do Pará. Confira a programação no seguinte link: http://www.congressomedicoamazonico.com.br/eventos/HEPATOLOGIA.pdf



Fundação Carlos Gomes
realiza a IV Festa do Ritmo

De 25 a 28 de abril a Fundação Carlos Gomes realiza a IV Festa do Ritmo promovendo shows e workshops. Participarão do evento a percussionista paulista Nath Calan e o italiano Carlo Seminara, que além das performances musicais ministrarão as oficinas de "Percussão Cênica" e "Tambores e ritmos sulamericanos" respectivamente.
Outras oficinas: "Steel Drums" com Waldinei Machado; "Samba, Silêncio e Acentuação" com Luís Cioci; "Múltipla Percussão" com Marcos Matos; “sons e sensações, a arte de ouvir” com Waldinei Machado e Paulinho Assunção.
Atrações dos shows: Grupo de Percussão da FCG, BachPará, Trio Manari, Grupo de Percussão da Fundação Amazônica de Música, Banda de Percussão Lauro Sodré, Grupo de Percussão do Emaús. O encerramento fica por conta do grupo de carimbó formado só por mulheres, as Sereias do Mar - de Marapanin. Tudo na Sala Ettore Bósio com entrada franca. Inscrições abertas para os workshops a partir desta quinta-feira (19) na Secretaria do Conservatório Carlos Gomes.



Fasepa e ONG No Olhar
promovem oficina
para socioeducandos

Reciclagem e preservação ambiental começam a fazer parte da rotina de nove socioeducandos da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), por meio de oficina realizada pela Organização Não Governamental (ONG) No Olhar. As aulas tiveram início na tarde desta terça-feira, 17, na Unidade de Atendimento Socioeducativo (Uase) de Benevides com a presença de representantes das duas instituições e funcionários da unidade.
A parceria tem como objetivo despertar nos socioeducandos consciência ambiental, promoção da cidadania e o trabalho em equipe, por meio da produção de móveis de garrafas pet como “puffs”, linhas de produtos feitas de cestarias e objetos de decoração natalina. A titular da Diretoria de Assistência Social (DAS) da Fasepa, Eliana Penedo, descreve a parceria como uma nova possibilidade na vida dos socioeducandos.
“Quando nós vemos os meninos dentro do alojamento, a gente não acredita que estamos fazendo socioeducação, e sim em momentos como este. Então essa possibilidade que a ONG No Olhar veio mostrar é muito importante, tanto que quando chegamos vimos no olhar dos meninos um descrédito. Mas agora no final, em menos de uma hora, estavam todos embevecidos. O olhar deles já era diferente”, descreve motivada a diretora.
Cidadania e Meio ambiente
O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), no Capítulo IV, garante que todo menino ou menina deve receber um aprendizado que envolva o preparo para a cidadania, sendo essa uma das características da parceria entre Fasepa e a ONG No Olhar. Para o coordenador da ONG, Marcos Wilson, o mais valoroso desta atividade é proporcionar aos socioeducandos novas possibilidades na vida fora da internação.
“A nossa expectativa é muito grande quanto a esta parceria com a Fasepa. A gente acredita muito no projeto e neste formato de interação e continuidade, mostrando para esse jovem que o trabalho pode continuar lá fora. Se nós plantarmos algo na vida desse jovem quanto a vida lá fora, pra gente será maravilhoso”, comenta Wilson.
Para colaborar com materiais para a produção dos objetos, a Fasepa realiza uma gincana ambiental que recolhe materiais recicláveis, enviados para Benevides. Um dos colaboradores é a Companhia Independente Especial de Polícia Assistencial (Ciepas) que doou para a oficina garrafas PET. Para o coronel do Ciepas, Eder Ribeiro, colaborar com este projeto da Fasepa e da ONG No Olhar “é uma forma da gente participar sob dois aspectos: primeiro, porque a nossa unidade possui um Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), em segundo lugar, por se tratar de um ato de cidadania e civilidade; já que hoje observamos tanta violência e degradação ao meio ambiente”.
As oficinas de produção de produtos com materiais recicláveis serão desenvolvidas em três módulos, com rodízio entre os adolescentes, com término previsto para o próximo mês de outubro. Quem quiser doar materiais recicláveis, como garrafas pet, tecidos, lonas, banners, basta procurar a DAS pelo telefone 32040208.

Texto:
Luciana Kellen-Fasepa



Orquestra do Theatro da
Paz faz concerto para
metais e percussão

Os músicos da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) fazem o segundo concerto da “Série de Câmara”, na Igreja de Santo Alexandre, nesta quarta-feira, 18, às 20h, com uma programação que dá destaque para obras escritas para instrumentos de metal e percussão. A entrada é gratuita.
A ideia da “Série de Câmara” é diversificar as atividades da OSTP, oferecendo aos músicos, acostumados com a massa sonora de uma formação de orquestra sinfônica, a oportunidade de se exercitar em performances solo e em pequenos grupos, nas minúcias e no refinamento que a música de câmara exige. O maestro Miguel Campos Neto, regente titular da OSTP, acompanha ao piano duas peças do programa, e acredita que esse trabalho terá um impacto positivo na sonoridade da Orquestra.
Já o público terá uma boa oportunidade de ouvir obras pouco executadas e instrumentos como tuba e trombone no papel de solistas. Miguel Campos Neto destaca que os músicos das famílias de Metal e Percussão estão entre os grupos mais antigos dentro das formações orquestrais. “Desde os primórdios, o repertório sinfônico já apresentava partes para trompetes e trompas. Com o desenvolvimento na construção desses instrumentos, os compositores foram inovando cada vez mais, e hoje os instrumentos de metal ocupam o lugar de virtuosismo que lhes cabe dentro do caleidoscópio orquestral”, explicou o maestro.
O maestro mostra que a percussão tem origem ainda mais remota, já que foi uma das primeiras maneiras que o ser humano encontrou para fazer música. “A percussão possui essa dualidade: primitivo e refinado, direto, mas complexo. É, inclusive, a percussão de martelos que serve de mecanismo principal para a construção do piano, instrumento que também recebe destaque neste concerto”, ensina. Para Campos Neto, a música de câmara serve ainda a mais um propósito, que é o de aproximar o entendimento musical entre maestro e instrumentista. “É quando há a quebra de uma barreira que o pódio impõe ao maestro”, diz.
Repertório – Os músicos participantes deste segundo concerto são Ana Maria Adade e Humberto Azulay (piano), Fábio Moraes (tuba), Benedito Junior e Manassés Malcher (trombone), Joabe Nunes (trompete), Leonete Navegantes, Paulo Castro, Helden Sávio (trompas) e Ricardo Aquino, Magno Morais, Ruth Saldanha e Cláudio Costa (percussão).
O maestro Miguel Campos Neto assume o piano nas peças “Romanza Appassionata”, de C. M. von Weber, e “Vocalise op. 34, nº 14”, de Rachmaninoff. O programa continua com “Caprice”, de J. Turrin; “Czardas”, de V. Monti; “Choros nº 4”, de Villa-Lobos; “Concerto nº 1 para trombone baixo”, de Alexej Lebedjew, e “Marimba Spiritual”, de Minoru Miki.
Serviço: Concerto “Série de Câmara”, com a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz. Hoje, 18, às 20h, na igreja de Santo Alexandre (praça Frei Caetano Brandão, Cidade Velha). Entrada gratuita.

Texto:
Jose Pacheco-Secult



Seminário destacará
vulnerabilidades ao
HIV/Aids e às hepatites virais

Com o objetivo de contribuir para o aperfeiçoamento do cuidado oferecido pelos serviços de saúde e ampliar o conhecimento sobre o perfil de tendências epidemiológicas da Aids, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio da Coordenação Estadual de DST/Aids, realizará na próxima terça-feira, 24, o Seminário Estadual de Políticas em Saúde em DST/Aids e Hepatites Virais.
O evento acontecerá durante o XVI Congresso Médico Amazônico, no Hangar, na sala Joaquim Rosado, a partir das 14 horas, com sequência no dia 25, quarta-feira. Nas ocasiões estarão reunidos profissionais que atuam diretamente com as populações prioritárias para discutir as questões relacionadas à vulnerabilidade ao HIV/Aids e as hepatites. Confira a programação completa do seminário no seguinte link: http://www.congressomedicoamazonico.com.br/eventos/DST-AIDS-HEPATITES.pdf



Jatene implanta modelo
de Gestão para
Resultados no Pará

O governador do Pará, Simão Jatene, inaugura na tarde desta quinta-feira, 19, no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém, o novo modelo de gestão da administração pública paraense, conhecido como Gestão para Resultados. A partir de uma tecnologia pioneira, será possível ao governador e aos demais gestores estaduais acompanhar o andamento de todas as ações e investimentos realizados pelo Estado, tornando a administração mais eficiente e transparente, garantindo resultados mais concretos para a população. Durante a apresentação, será demonstrado como funcionará o novo modelo.
Com a Gestão para Resultados o Pará é governado a partir de cinco diretrizes, como a inclusão social e a produção sustentável, que envolvem 26 objetivos centrais, que incluem a redução do déficit habitacional, a ampliação da infraestrutura de saúde e o fortalecimento o ensino profissionalizante. Tudo isto é contemplado pelos mais de 60 projetos e programas que o Estado está executando, ou que ainda irá desenvolver.  
O novo modelo de gestão paraense conta com a parceria do Movimento Brasil Competitivo – MBC. Com esta pareceria, o Governo incorporou novos conceitos de planejamento e gestão, além de parâmetros, que vêm sendo adotados em outros Estados com significativos ganhos na qualidade de serviços públicos oferecidos à população.



Sespa lançará cartilha
sobre saúde dos quilombolas

A Secretaria de Estado de Saúde Pública, por meio da Coordenação Estadual de Saúde Indígena e Populações Tradicionais, fará o lançamento da Cartilha sobre as Condições de Vulnerabilidade nas Comunidades de Remanescentes de Quilombo, neste sábado, 21, durante a abertura do Congresso Médico Amazônico, na sala Guaraciaba Gama, do Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia.
Segundo a coordenadora estadual de Saúde Indígena e Populações Tradicionais, Tamar Monteiro, a Cartilha é produto de pesquisa que ocorreu no período de 2009 a 2011, com recursos do Ministério da Saúde, através da Portaria Nº 2588 - 2008. Os dados coletados servirão de subsídios para a proposição de Políticas Públicas visando à efetivação de ações e serviços para atender as demandas apresentadas.

Confira a programação de lançamento:

08h00 às 08h30 - Mesa de Abertura
Composição da Mesa: Hélio Franco - secretário de Saúde do Estado.
Dione Cunha - diretora de Políticas de Atenção Integral à Saúde/Sespa
José Acreano Brasil - secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos.
Fábio Atanásio - coordenador do UNICEF Belém.
Carlos Lamarão - presidente do Instituto de Terras do Pará.
Tamar Monteiro - coordenadora Estadual de Saúde Indígena e Populações Tradicionais.

08h30 às 09h20 - Conferência: Saúde Integral da População Negra, com Fernanda Lopes, consultora do Ministério da Saúde Referente a Saúde da População Negra

09h20 às 09h35 - Intervalo

09h35 às 10h35 - Mesa redonda: Cosems, Cedenpa, Atenção Básica e Vigilância em Saúde/Sespa, com a participação de Florivaldo Martins, superintendente da Funasa no Pará.

10h35 às 11h35- Lançamento da Cartilha sobre as Condições de Vulnerabilidade das Comunidades de Remanescentes de Quilombo

11h35 às 12h – Debate

12h: Encerramento

Texto:
Mozart Lira-Sespa



Agroindústria de laticínio
no sul do Pará vira
exemplo nacional

A primeira agroindústria familiar de laticínios do sul do Pará, localizada em Conceição do Araguaia, se tornou exemplo de boas práticas na fabricação de alimentos no País. Em junho próximo, o programa Dia de Campo na TV, do Canal Rural, apresentará a experiência, que teve o acompanhamento da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater).
A equipe do programa está, esta semana, captando as imagens da primeira agroindústria familiar legalizada, localizada na comunidade de Canarana e inaugurada no final de agosto passado, com o apoio da Emater, sob o nome fantasia de Queijos Maely. A empresa pertence ao assentado Neurivan Bezerra e produz, por dia, cerca de 120 quilos de muçarela e mais de mil litros de leite.
Tanto o proprietário quanto 15 técnicos do escritório regional de Conceição do Araguaia da Emater participaram de um curso nacional sobre boas práticas de fabricação de alimentos em agroindústrias familiares, promovido pela Embrapa e pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), objetivando formar multiplicadores do conhecimento acerca dos padrões sanitários, estruturais e operacionais exigidos por lei para o beneficiamento dos produtos dos agricultores familiares.
Segundo o jornalista João Eugênio Dias Rocha, que coordena a equipe de filmagem, a escolha pelo empreendimento rural “Queijos Maely”, em Conceição do Araguaia, se deu pelo trabalho que lá é desenvolvido e pela receptividade dos técnicos, além do aproveitamento do conteúdo programático ministrado durante o curso. “Escolhemos esta agroindústria também por retratar bem a realidade da agricultura familiar de diversas regiões do país”, ressaltou.
Queijos Maely
Neurivan contou que no ano de 2007 recebeu a visita do tecnólogo de alimentos da Emater, Flávio Pedro Barros, que prestou toda a assistência e as informações necessárias para ser colocado em prática o beneficiamento do leite na região. “Hoje os meninos da Emater fazem parte da minha família. Nos ensinaram a produzir, a conseguir crédito, montaram conosco a arquitetura da agroindústria, além de nos ensinar a administrar nosso empreendimento”.
A agroindústria “Queijos Maely” produz, por dia, 120 kg de queijo muçarela e 1,2 mil litros de leite, por meio da compra da produção leiteira de outras 35 famílias também moradoras de assentamentos. Os produtos são comercializados no mercado local (principalmente supermercados e padarias), e a partir da agroindústria serão os primeiros da agricultura familiar do município a portar o selo do Sistema de Inspeção Municipal (SIM), instituído no ano passado. “Receberemos a documentação oficial do SIM daqui a poucos dias, mas já pensamos em uma certificação estadual de qualidade para que possamos vender nossa produção para outros municípios além das fronteiras de Conceição do Araguaia”, afirmou o agricultor familiar e empreendedor, Neurivan Bezerra.

Texto:
Kenny Teixeira-Emater



Belterra terá última
audiência pública da Cargill

A 43º Reunião do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Coema) teve como pauta a resolução nº 94, que trata das audiências públicas do processo de licenciamento do terminal graneleiro de responsabilidade da empresa Cargill S.A. O Coema decidiu, com base nas audiências públicas já realizadas, que fará apenas mais uma audiência no município de Belterra, área de influência direta no empreendimento.
“Já foram realizadas três audiências públicas e a última, em Alenquer, não se mostrou produtiva”, esclareceu o secretário adjunto Rubens Sampaio, que presidiu a mesa. A Diretora de Licenciamento Ambiental da Sema, Lúcia Porpino, endossou : “Por conta do resultado das audiências anteriores, o assunto foi levado em pauta e os conselheiros deliberaram sobre o assunto e decidiram que quatro audiências são suficientes”, explicou.
A audiência está marcada para o dia 26 de maio. A decisão irá acelerar o processo de análise do pedido de expansão da empresa, que já opera em Santarém. Também foi acordada uma reunião extraordinária para tratar do processo de licenciamento da Estação de Transbordo de Cargas no distrito de Miritituba, município de Itaituba, agendada para o dia 8 de maio.
Concessão – O Conselho também concedeu, na reunião, licença pra a criação de uma fábrica de cimento no município de Primavera. O empreendimento, da empresa Votorantim Cimentos Norte e Nordeste S.A, foi considerado sustentável do ponto de vista ambiental e com potencial para desenvolvimento econômico da região. Segundo o secretário de Agricultura do Pará, Hildegardo Nunes, essa decisão reforça a importância de se incentivar o insumo do calcário agrícola na produção paraense, em especial no nordeste do Estado, que possui solo exaurido, pois é uma área bastante antropizada.


Texto:
Káthia Oliveira-Sema



Pará  lidera a geração de
empregos na Região
Norte nos últimos 12 meses

O Pará foi o Estado da Região Norte que registrou o maior saldo na geração de empregos nos últimos doze meses (de abril de 2011 a março de 2012), com a criação de 48.932 postos de trabalho formais, sendo também o responsável por mais de 40% (4.507 postos) das novas vagas no acumulado do ano de 2012, mesmo com uma redução de 146 postos durante o mês de março. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), sistematizados pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp), que destacou também o comportamento do mercado de trabalho paraense por setores e por municípios em março deste ano.
De acordo com o Caged, a Construção Civil teve o melhor desempenho com a geração de 1.074 postos de trabalho, motivada em grande parte pelas obras da construção da usina hidrelétrica de Belo Monte. O setor Serviços obteve o segundo melhor resultado, com 390 novos empregos formais. Extrativa Mineral e Administração pública também registraram saldos positivos, com a criação de 221 e 15 postos, respectivamente.
Na contramão, o saldo negativo do mês deveu-se a redução de postos de trabalho na Indústria de Transformação (-772 postos), no Comércio (-697), no setor Serviços industriais de utilidade pública (-190) e na Agropecuária (-187). Vale ressaltar, no entanto, com relação a este último setor, que apesar do desempenho negativo, o Pará foi responsável por cerca de 50% dos postos de trabalho gerados em toda a Região Norte. Nos últimos 12 meses foram gerados no Estado 1.809 novos empregos na área agrícola, enquanto a região gerou 3.589.
Dentre os dez municípios que mais se destacaram na geração de empregos estão Altamira (1.508), Parauapebas (515), Canaã dos Carajás (245), Breu Branco (108), Oriximiná (81), Moju (78), Tomé-Açu (49), Santa Maria das Barreiras (39) Rondon do Pará (39) e Abaetetuba (32). Aqueles que tiveram os maiores números de desligamentos foram Belém (-947), Almeirim (-334), Ananindeua (-326), Tailândia (-288), Marabá (-164), Barcarena (-151), Castanhal (-124), Jacundá (-99), Tucuruí (-85) e Itaituba (-74).
Empregos formais
O mês de março, porém, registrou pela primeira vez este ano saldo negativo na geração de empregos formais. Foram feitas no período, em todo o Estado, 28.199 admissões contra 28.345 desligamentos, o que revela uma queda de 0,02% no numero de postos de trabalhos em relação ao mês de fevereiro. Em março de 2011, o Pará também apresentou queda na geração de empregos formais, mas com índice bem maior que o deste ano.

Texto:
Fernanda Graim-Idesp



Público prestigia Mostra Cultura

O documentário “Pau & Corda”, recentemente lançado pela TV Cultura e que mostra diversos grupos de carimbó do interior do Pará, é a atração nesta quarta-feira, 18, na Mostra Cultura, que reúne uma série de documentários paraenses no Cinema Olympia. Dirigido por Robson Fonseca, “Pau e Corda: Histórias de Carimbó” mostra grupos de carimbó consagrados como Sancari, Quentes da Madrugada, O Uirapuru e Sabiá. “Filmamos com cada grupo de carimbó para mostrar suas diferentes formas de tocar. Participamos também da vida deles, para mostrar o seu cotidiano”, diz o diretor.

A programação, que integra as comemorações pelos 100 anos da sala exibidora, foi aberta na terça-feira, 17, com o longa-metragem “Miguel Miguel”, de Roger Elarrat, e segue até dia 21, retornando em maio, com uma nova série de documentários.

A gestora ambiental Gabriela Salgado, 23, esteve presente na abertura da mostra. Para ela, a programação é uma oportunidade de conferir documentários relevantes, mas ainda pouco conhecidos do público. “É importante comparecer e prestigiar a produção local”, destacou ela, que ficou impressionada com a narrativa de “Miguel Miguel”, única ficção da mostra. “É um filme muito alucinante, parece que está todo mundo morto. Se era essa a intenção, o Roger acertou em cheio”, disse Gabriela, elogiando também a sonoplastia da produção.

Realizada pela Rede Cultura de Comunicação, a Mostra Cultura segue até dia 21, com sessões gratuitas, sempre às 18h30. Na quinta-feira, dia 19, entra em cena a homenagem preparada pela TV Cultura ao filósofo Benedito Nunes com o documentário “Mora na Filosofia”, dirigido por Júnior Braga. O filme reúne depoimentos de amigos, familiares e acadêmicos sobre a vida e a obra do pensador paraense. Completam a programação de abril os documentários “Saudade da Minha Terra”, de Nélio Palheta e Aladim Júnior, que será exibido no dia 20, e “Camisa de 11 Varas”, de Walério Duarte, exibido no dia 21.

Em maio, a programação retorna ao cinema, com uma nova grade de documentários, entre os dias 22 e 27, no mesmo horário. Roger Elarrat, curador da mostra, destaca a importância do acervo da TV Cultura para o audiovisual paraense. “É um arquivo muito vasto, com 30 anos de produção, e que vale a pena ser visto”, ressalta.

PROGRAMAÇÃO:

ABRIL

Dia 18/4: “Pau & Corda” (52 min, 2012): Histórias e estilos diversos de Carimbó em várias localidades do Pará. Documentário. Direção: Robson Fonseca.

Dia 19/4: “Mora na Filosofia” (52 min, 2011): Vida e obra do filósofo Benedito Nunes. Documentário. Direção: Junior Braga.

Dia 20/4: “Saudade da minha Terra” (52 min, 2009): A história de duas bandas centenárias do município de Vigia. Direção: Nélio Palheta e Aladim Júnior.

Dia 21/4: “Camisa de 11 Varas” (52 min, 2009): A fuga de 16 homens de trabalho escravo em São João da Ponta, em 1974 . Documentário. Direção: Walério Duarte.

MAIO

Dia 22/5: “Waldemar Henrique” (54 min, 1989) : Maestro relembra sua trajetória no Pará e no mundo. Documentário jornalístico. Direção: Marlicy Bemerguy.

Dia 23/5: “Pavulagem do meu coração” (32 min, 2007): A origem do grupo musical até o seu arrastão popular em Belém. Documentário. Direção: Guaracy Junior.

“Magalhães Barata: 100 anos depois” (26 min, 1989): A trajetória de Magalhães Barata com imagens históricas do político. Documentário jornalístico. Direção: Afonso Klautau.

Dia 24/5: “Saias, Laços e Ligas” (33 min, 1990): A presença da mulher na política no início do século 20. Documentário jornalístico. Direção: Risoleta Miranda.

“Encomendação das Almas (18 min, 1989): Velórios e enterros acompanhados por encomendadores de almas em Oriximiná. Documentário jornalístico.

Dia 25/5: “Haroldo Maranhão” (34 min, 2007): Bate-papo com o escritor paraense, seus amigos, admiradores e críticos. Documentário. Direção: Junior Braga.

“Parceiros do Mar” (29 min, 1991): Histórias de barqueiros e construtores de barcos. Documentário jornalístico. Direção: Mauro Bonna.

Dia 26/5: “Wayana – Apalai” (26 min, 1988): A história de remanescentes das duas tribos indígenas. Documentário jornalístico. Direção: Lilia Afonso.

“Guajá” (28 min, 1992): A história dos índios Guajá, em uma reserva na divisa dos estados do Pará e Maranhão. Documentário jornalístico. Direção: Mauro Bonna.

Dia 27/5: “Maria das Dores” (50 min, 1987): Depoimentos e discussão sobre a violência contra a mulher no Pará. Documentário jornalístico. Direção: Lúcia Leão.

Serviço: Mostra Cultura. Exibição de documentários da TV Cultura no Cine Olympia. A programação segue até dia 21 de abril e retorna entre os dias 22 e 27 de maio, sempre às 18h30. Entrada franca. Mais informações:www.portalcultura.com.br.

Texto:
Márcia Carvalho-Funtelpa



Prodepa promove primeira
capacitação para o
Programa Telessaúde

O Pará deu o pontapé inicial para a implantação do Telessaúde Brasil – Redes na Atenção Básica de Saúde, programa do Ministério da Saúde que tem como objetivo desenvolver ações de apoio à atenção à saúde e de educação permanente das equipes de atenção básica, na perspectiva da melhoria da qualidade do atendimento, da ampliação do escopo de ações ofertadas por essas equipes, da mudança das práticas de atenção e da organização do processo de trabalho. O primeiro passo para a instalação e informatização do programa no Pará -  etapa que demandará investimentos na ordem de R$ 3 milhões - foi dado na última terça-feira, 17, com uma oficina realizada na Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa), em Belém, para a capacitação dos profissionais das Unidade Básica de Saúde e Estratégia de Saúde da Família.
Está prevista a instalação de 561 pontos do programa no Estado, abrangendo todos os municípios paraenses. A capital será núcleo de 30 desses municípios. Com isso, segundo a diretora de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde da Sespa, Sônia Bahia, que coordena o programa em nível regional, o Telessaúde vai produzir uma resposta bem mais rápida, o que contribui para a descentralização dos serviços da Região Metropolitana de Belém. "O Telessaúde vai propiciar o aporte de conhecimento e capacitação dos profissionais de saúde através de teleconferências para consulta de diagnósticos, possibilitando que eles busquem uma segunda opinião para os casos analisados. Além de conferências, também serão realizados aulas e cursos, ministrados por meio da utilização das mesmas tecnologias de informação e comunicação. Mas para que isso seja viabilizado, a parceria com a Prodepa e com a Secti vai ser fundamental”, ressaltou a coordenadora.
No primeiro dia de treinamento, participaram da oficina profissionais das áreas de Saúde, Tecnologia da Informação e Comunicação dos municípios de Belém, Benevides, Castanhal, Igarapé-Miri, Irituia e Marabá. Além do treinamento, os participantes puderam conhecer melhor o Programa NavegaPará, principal suporte do Telessaúde. De acordo com Nilton Silva, gerente de Educação Permanente da Sespa, essas estratégias possibilitam a educação permanente dos profissionais da área. “Essa ferramenta vai ser fundamental para o fortalecimento do Programa Saúde da Família, pois dará suporte tanto na qualificação profissional quanto na qualidade do diagnóstico”, afirmou Nilton. Para Yuri Borges, enfermeiro de Irituia, com a implantação do Telessáude os profissionais vão saber a melhor maneira de viabilizar o material e capacitar as equipes de cada município. “Estamos ansiosos por essa implantação, pois com isso teremos qualificação continuada”, comemora.

Texto:
Natia Ney-Prodepa



Emater vai retomar Plano de
Gestão Territorial das
Terras Indígenas em maio

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) promove, de 9 a 12 de maio, mais uma oficina para 17 aldeias localizadas em Jacareacanga, dando continuidade ao processo de construção do Plano de Gestão Territorial das Terras indígenas no município, iniciado em novembro de 2011. O Plano tem como objetivo dar autonomia aos indígenas para administrar suas terras, com a parceria inicial da Fundação Nacional do Índio e da Prefeitura de Jacareacanga. Além destas instituições, a Emater também firmou parceria com a Secretaria de Estado e Meio Ambiente (Sema) e com o Museu Paraense Emílio Goeldi, que garantem apoio à iniciativa, e já tem confirmadas as participações de representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).
Segundo Maria da Graça Amaral, socióloga da Emater, a oficina que será ministrada em maio, na aldeia das Missões Franciscanas, destina-se a debater o conceito de gestão ambiental e territorial, e propor alternativas, levantadas pelos próprios índios, juntamente com técnicos da Emater, para a implantação do Plano, que contemplará primeiramente 17 aldeias, de um total de 112. “As discussões geradas na oficina fazem parte do Diagnóstico Indígena Participativo e vão subsidiar os programas e projetos que, na percepção dos indígenas, são importantes para a sobrevivência e sustentabilidade do povo Mundurucu”, destacou.
A oficina, contará com a participação de um facilitador, o sociólogo indigenista Camilo Caropreso, e terá apoio de 20 técnicos, sendo 10 deles da Emater e outros 10 vinculados à Funai e Prefeitura Municipal de Jacareacanga. O cronograma das atividades contempla, primeiramente, o retrospecto da oficina anterior e, em seguida, o diagnóstico indígena, o etnomapeamento e o etnozoneamento, que consistem basicamente em orientações sobre práticas de utilização de GPS e metodologias participativas que possibilitem aos indígenas autonomia para fazerem o levantamento da vegetação, da botânica, de sua cultura, tradições e artesanato.
Ao final, será elaborado um calendário de novas oficinas e estudos da realidade indígena. No dia 13 acontecem as comemorações pelos 100 anos de existência das missões de Padres Franciscanos na região amazônica.

Texto:
Kenny Teixeira-Emater



Recomeça em maio Plano
de Gestão Territorial
das Terras Indígenas

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) promove, de 9 a 12 de maio, mais uma oficina para 17 aldeias localizadas em Jacareacanga, dando continuidade ao processo de construção do Plano de Gestão Territorial das Terras indígenas no município, iniciado em novembro de 2011. O Plano tem como objetivo dar autonomia aos indígenas para administrar suas terras, com a parceria inicial da Fundação Nacional do Índio e da Prefeitura de Jacareacanga. Além destas instituições, a Emater também firmou parceria com a Secretaria de Estado e Meio Ambiente (Sema) e com o Museu Paraense Emílio Goeldi, que garantem apoio à iniciativa, e já tem confirmadas as participações de representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).
Segundo Maria da Graça Amaral, socióloga da Emater, a oficina que será ministrada em maio, na aldeia das Missões Franciscanas, destina-se a debater o conceito de gestão ambiental e territorial, e propor alternativas, levantadas pelos próprios índios, juntamente com técnicos da Emater, para a implantação do Plano, que contemplará primeiramente 17 aldeias, de um total de 112. “As discussões geradas na oficina fazem parte do Diagnóstico Indígena Participativo e vão subsidiar os programas e projetos que, na percepção dos indígenas, são importantes para a sobrevivência e sustentabilidade do povo Mundurucu”, destacou.
A oficina, contará com a participação de um facilitador, o sociólogo indigenista Camilo Caropreso, e terá apoio de 20 técnicos, sendo 10 deles da Emater e outros 10 vinculados à Funai e Prefeitura Municipal de Jacareacanga. O cronograma das atividades contempla, primeiramente, o retrospecto da oficina anterior e, em seguida, o diagnóstico indígena, o etnomapeamento e o etnozoneamento, que consistem basicamente em orientações sobre práticas de utilização de GPS e metodologias participativas que possibilitem aos indígenas autonomia para fazerem o levantamento da vegetação, da botânica, de sua cultura, tradições e artesanato.
Ao final, será elaborado um calendário de novas oficinas e estudos da realidade indígena. No dia 13 acontecem as comemorações pelos 100 anos de existência das missões de Padres Franciscanos na região amazônica.

Texto:
Kenny Teixeira-Emater



Homem que organizava
jogos de azar é
preso em Marabá

Fleury Lourenço Borges, proprietário do bar “O Eskinão”, localizado na avenida Manaus, no município de Marabá, foi preso ontem por uma equipe de policiais civis 21ª Seccional Urbana de Nova Marabá. Fleury, que se declarou pré-candidato a vereador municipal, promovia no bar jogos de azar, na modalidade caça-níquel.
No local, também foram encontradas munições de calibre 38 e grande quantidade de medicamento do tipo amostra grátis que, segundo Fleury Borges, seriam distribuídos à população carente do bairro. Os policiais se deslocaram até o imóvel comercial e lá constataram a veracidade das informações que chegaram à Polícia por meio do Disque Denúncia.
Segundo o delegado, Francisco Bismarck Borges Filho, “o proprietário do bar, Fleury Lourenço Borges, confessou a prática delituosa bem como relatou que já havia sido preso pela Polícia Federal no ano de 2011, pelo mesmo delito”, afirmou. O delegado revelou que a possível pré-candidatura de Fleury Borges ainda está sendo investigada pelos policiais, assim como a proveniência dos medicamentos encontrados com o acusado.

Texto:
Aycha Nunes-Polícia Civil



Secretarias de Fazenda do
Norte debatem incentivos
fiscais em Belém

Secretários estaduais de Fazenda da região Norte reuniram-se nesta terça-feira (17) na sede da Secretaria da Fazenda do Pará (Sefa), em Belém, para discutir uma proposta comum sobre remissão e extinção de créditos tributários relativos a incentivos e benefícios fiscais e financeiros vinculados ao Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS).
O assunto está em discussão no Conselho Nacional de Política Fazendária, o Confaz. O Pará vai representar a região no encontro que acontece nesta quarta-feira, 18, em Brasília. O objetivo da conversa foi buscar uma proposta comum do Norte para ser apresentada na reunião nacional.
No ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou inconstitucionais 23 dispositivos estaduais que concediam  incentivos. Há outras ações idênticas tramitando no Judiciário. O Confaz quer se antecipar na regularização definitiva do
tema. Na reunião do Confaz em Cuiabá, este ano, foi iniciada a discussão de uma proposta de convênio para  resolver as pendências sobre o tema.
Participaram do encontro em Belém a secretária da Fazenda do Amapá, Jucinete Carvalho de Alencar; o secretário do Amazonas,  Isper Ibrahim Lima; o secretário da Fazenda em exercício do Acre,  Joaquim Manoel Mansur Macedo e a assessora de política fiscal da Secretaria da Fazenda do Tocantins, Marcia Montalvani. Pelo Pará estiveram presentes, além do secretário José Tostes Neto, o  adjunto de receitas, Nilo Rendeiro de Noronha, e a diretora de Tributação, Roseli  Naves.

Texto:
Ana Márcia Pantoja-Sefa



Escritório da Emater de
Gurupá ganha nova sede

O escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Gurupá, no Marajó, desde o final de março está funcionando em um espaço três vezes maior. A mudança de sede representou, também, a conquista de uma área exclusiva para a Emater no centro da cidade, já que, até então, o escritório funcionava em uma sala no prédio da Secretaria Municipal de Agricultura (Semagri).
“De uma sala pequena, passamos para uma casa de oito cômodos e mais quintal com pomar. O conforto que agora podemos oferecer ao agricultor é incomparável”, diz o chefe do escritório da Emater, o engenheiro florestal Ted Fonseca. Oficializada no município há mais de 10 anos, a Emater atende hoje mais de 500 famílias, que vivem principalmente do extrativismo de açaí e da pesca artesanal. São três especialistas atuando: um engenheiro florestal, uma engenheira agrônoma e um técnico em agropecuária. O escritório fica aberto das 8h às 12h e das 14h às 17h. O novo endereço é rua Santo Antônio, s/n, bairro Centro. O telefone é 3692-1312.



Reunião em Vitória do Xingu
debate licenciamento do
Porto de Belo Monte

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) comunica a realização de reunião pública, dia 9 de maio, no município de Vitória do Xingu, para discutir o licenciamento ambiental do Porto de Belo Monte. A reunião pretende dar conhecimento e esclarecer a população local sobre o projeto de construção da obra.
A construção do porto vai possibilitar a chegada das turbinas, outros equipamentos e materiais de construção civil necessários ao canteiro de obras da Usina Hidrelétrica (UHE) de Belo Monte. Para debater o assunto, estão convidadas autoridades municipais, estaduais, federais e todos os interessados a comparecerem no dia 9 de maio, às 19h, na quadra de esportes da Escola do Evangelho, na rodovia Transamazônica (BR-230), Km 60.




NavegaPará lança edital
para implantação
de infocentros

O Programa de Inclusão Digital Navegapará, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com a Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa), lança edital inédito de Seleção Pública de Propostas para Apoio à Inclusão Digital no Estado do Pará, na Modalidade 1 (Link de internet). A partir do dia 18 de abril, órgãos públicos e instituições do terceiro setor sem fins lucrativos, em condições de firmar parceria com contrapartidas materiais, poderão submeter propostas para a implantação de infocentros em seus municípios.
O lançamento do edital inaugura uma nova forma de gerir o Navegapará, com o objetivo de multiplicar as modalidades de concessão dos infocentros e ampliar parcerias com prefeituras e com a sociedade civil. “Queremos ampliar o número de infocentros disponíveis em todo o estado e dar conteúdo a esse uso, com programas sociais de interesse público acoplados aos novos acordos que serão firmados. Isso dará mais sustentabilidade administrativa e abrangência social ao Programa”, destaca o titular da Secti, Alex Fiúza de Mello.
Três tipos ou modalidades de parcerias compõem o novo modelo de gestão: a) Modalidade 1 (Link de internet); b) Modalidade 2 (Link de internet e computadores); c) Modalidade 3 (Link de internet, computadores e bolsistas monitores). As modalidades 2 e 3 vigoram, atualmente, contemplando 186 infocentros já implantados. “A modalidade 1 vem para atender às inúmeras demandas por link de internet que recebemos de diferentes instituições, sediadas nos municípios já assistidos pelo Programa Navegapará”, explica Mônica Braga, coordenadora do Programa.
Pela modalidade 1, o Estado, por meio da Secti, compromete-se a conceder link gratuito de internet, material didático para cursos de informática básica e treinamento aos monitores indicados pelas entidades para atendimento e capacitação dos usuários. Municípios do interior do estado sem provedor, onde o acesso à internet é ainda muito lento e caro, terão a oportunidade de solicitar uma conexão mais rápida e mais barata que a ofertada pelas empresas de telefonia e de rádio. Em Conceição do Araguaia, por exemplo, o acesso à internet pode chegar a custar R$ 16 mil por mês.
Outro benefício do edital é a garantia de democratização do processo de instalação de novos infocentros em todo o Estado. “Havia a necessidade de promover uma seleção transparente e lícita para a criação destes espaços. O edital torna pública a seleção e evita favorecimentos pessoais e a improbidade administrativa”, ressalta Ademir da Silveira Jr., coordenador jurídico da Secti.
De acordo com Mônica Braga, ao tornar públicos os critérios de seleção para a implantação de infocentros e convidar parceiros a aderirem ao Programa, o Edital se constituirá num importante instrumento de apoio à inclusão digital no Estado do Pará.

Texto:
Ana Carolina Pimenta-Secti



Mangal celebra Dia do
Índio com palestra educativa

Despertar o interesse do público infantil para a cultura indígena é o tema central da palestra “Universo Amazônico dos Caruanas” que será apresentada nesta quinta-feira, 19, a partir das 9 horas, nas instalações do Mangal das Garças. Na data em que é comemorado o Dia do Índio, o professor Leonardo Verçosa oferece palestra para crianças de escolas localizadas nas proximidades do Mangal, com brincadeiras sobre a lenda dos caruanas, através de uma linguagem lúdica.
Segundo ele, a motivação em trazer o evento para o Mangal das Garças deu-se pelo fato de ser apaixonado pelo espaço, que é referência nacional. “Sou morador da Cidade Velha, valorizo o Mangal por ser um lugar lindo. O Mangal é tudo, mostra para todos a nossa exuberante natureza amazônica”, destaca.





PARAVIDA inicia projeto
“Cidadãs Positivas
Filiação Negativa”







Apresentação do Projeto.

     O projeto “Cidadãs Positivas Filiação Negativa” pretende contribuir para a redução da incidência das DST/AIDS junto às Mulheres com plena capacidade de fertilização que são acompanhadas pelo Grupo Paravidda, abordando questões relacionadas à sexualidade, vulnerabilidade feminina, gravidez e suas possíveis implicações no quadro clínico da mesma, objetivando proporcionar conhecimentos para que esta mulher possa decidir, de maneira consciente, pela opção de ser ou não mãe e que esta possa ser sujeito consciente neste processo de conscientização das demais Mulheres como multiplicadoras de ações preventivas que garantam a redução da infecção neonatal.

Objetivo do Projeto.

     O principal objetivo do projeto é ampliar a percepção de 30 Mulheres na faixa etária de 14 aos 45 anos com plena capacidade de fertilização familiares das pessoas vivendo com AIDS acompanhadas pelo Grupo Paravidda, na perspectiva de contribuir com esclarecimentos que possibilitem uma troca de informações e outros conhecimentos no que se refere à gravidez e maternidade e seus desdobramentos, de forma a garantir a redução da contaminação Vertical.

                Ações que serão realizadas:

                Curso de capacitação como agentes multiplicadoras de prevenção em DST/HIV/AIDS e orientação para o acompanhamento pré natal para 30 mulheres associadas da instituição com entrega de materiais educativos de prevenção.

HISTÓRICO
                O GRUPO PARAVIDDA (Grupo para Valorização, Integração e Dignificação do Doente de AIDS) foi fundado em 27 de janeiro de 1992, em decorrência do crescimento da pandemia da AIDS em Belém.
                Trata-se de uma entidade não governamental (ONG), com fins não econômicos, de utilidades públicas, que dá apoio e assistência a pessoas que vivem com o Vírus HIV (portadores) e doentes de AIDS.  O grupo tem sua base de apoio nas doações da sociedade, de órgãos governamentais ou não em gêneros alimentícios perecíveis e não perecíveis roupas, brinquedos novos e outros.    
                Hoje, estão registrados na entidade aproximadamente cerca de 1.500 associados (portadores), em números crescentes, entre homens, mulheres e crianças, possui albergue com16 leitos e uma creche que atende 25 crianças diariamente (filhos e filhas de portadores). Dos associados, cerca de 500 recebem uma cesta básica mensal.
O albergue acolhe pessoas oriundas do interior do Estado para tratamento e consultas médicas, exames laboratoriais e pessoas que estejam em fase de recuperação, O grupo trabalha, sobretudo a auto-estima de cada paciente, incentivando-os a recuperar o prazer pela vida, visando sempre a reinclusão social.
São fornecidas refeições diárias, e tem como meta o atendimento psicológico de terapêutico ocupacional, assessoria jurídica quando necessário e serviço social. Todo o serviço técnico e de coordenação é feito de forma inteiramente voluntária.
O Grupo Paravidda trabalha em defesa dos direitos humanos e sua principal meta é dignificar e integrar o portador (a) na família e na sociedade que muitas vezes o rejeitam. Também tem por objetivo fazer cursos de capacitação de agentes multiplicadores em prevenção das DST/HIV/AIDS, palestras informativas em escolas, empresas e na comunidade como um todo incluindo o interior do Estado.
A diretoria da entidade é composta por 05 (cinco) membros, eleitos através de Assembléia Geral, realizada de quatro em quatro anos em regime de votação. Os atuais representantes legais são: Antonio Ozair Nunes dos Santos (Presidente), Antonino de Lima Gomes (Vice-Presidente), Suely de Fátima Mendes Pereira (1ª Secretaria), Antônio Azevedo (2º Secretário) Maria Helena Medina Maia (Tesoureira) e 02 (dois), Suplentes: Antônio Carlos Viana (1º Suplente), Wanessa Maria da Silva Reis (2º Suplente) Esta diretoria foi eleita no dia 29 de Janeiro de 2012, para o quadriênio 2012/2016.





Alice Viana fala sobre
concurso público
em programa de TV


A secretária de Estado de Administração, Alice Viana, participou nesta terça-feira (17) do programa “Bom dia, Pará”. Na ocasião respondeu perguntas sobre concurso público, convocação dos novos servidores e o desligamento de temporários. Ao todo, 14 concursos estão com prazo de validade expirando este ano. Somente para a área de educação, por exemplo, já foram nomeados 1.753  novos concursados, entre janeiro de 2011 a de abril de 2012; deste total, cerca de 1,4 mil concursados são professores da rede pública de ensino. Até novembro deste ano serão chamados 2.787 mil concursados. A secretária explicou que à medida que o prazo dos concursos expira, os candidatos são nomeados, com alguns dias de antecedência. Sobre o desligamento dos temporários, Alice Viana informou que gradativamente eles serão substituídos pelos concursados. A relação dos 14 concursos que expiram este ano é: Defensoria Pública (C-119), Susipe (C-122), Detran (C-123), Hemopa (C-124), Seduc (C-125, C-126 e C-130), Ideflor (C-127), Sejudh (C-128), Sedect (C-129), Sespa (C-131), Seel (C-132), Sepac (C-133) e Jucepa (C-144).


IPC mostra queda na
inflação em março na
Região Metropolitana
Em março de 2012, a inflação recuou 0,66 pontos percentuais e atingiu uma taxa de 0,75% na Região Metropolitana de Belém, considerando as variações de preços dos bens e serviços que compõem o orçamento das famílias com rendimentos entre um e oito salários mínimos, aponta o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculado pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp).
Entre as causas dessa redução está a desvalorização do dólar, que estabilizou os preços das importações e encareceu as exportações brasileiras, aumentando a oferta no mercado interno e estabilizando a maioria dos preços. Apesar desse recuo no índice, dos nove grupos pesquisados, três apresentaram taxa acima da média geral: Transporte (1,30%), Vestuário (1,13%) e Alimentação e Bebidas (1,10%).
Com exceção do grupo Comunicação, que se manteve no mesmo patamar do mês anterior, os demais grupos ficaram abaixo do índice geral: Despesas e Serviços Pessoais (0,72%); Educação, Leitura e Papelaria (0,32%); Saúde e Cuidados Pessoais (0,26%); Habitação (0,18%), e Moveis e Equipamentos Domésticos (0,06%).
No grupo Transporte (1,30%), a maior contribuição foi do item “serviços”, com destaque para os subitens: outras peças e acessórios (18,36%) e conserto de auto (10,52%). O grupo Vestuário (1,13%) teve nos itens calçados masculinos (6,18%), calçados femininos (5,11%) e bijuteria (5,48%) os que mais contribuíram para a majoração.
Já no grupo Alimentação e Bebidas (1,10%) foi observada uma alta principalmente nos itens procurados para a Semana Santa, pertencentes ao item Peixes e Crustáceos (8,63%), com destaque para os preços da piramutaba (13,41%), camarão fresco regional (10,35%), filhote (18,38%), dourada (6,87%) e pescada amarela (5,75%). Outros aumentos significativos foram do feijão rajado (5,11%), do feijão preto (3,19%) e do feijão jalo (3,15%), pertencentes ao item dos Cereais, Leguminosas e Oleaginosas (1,37%).
Açaí e farinha - Entre os Hortifrutigranjeiros tiveram destaque as variações nos preços do cheiro verde (5,50%) e do ovo de galinha (1,99%). Produtos de relevância para o paraense também tiveram aumento de preços, como o açaí (9,03%) e a farinha de mandioca (8,70%). Para adquirir a cesta básica, o trabalhador da RMB precisou desembolsar 33,05% do salário mínimo vigente, o equivalente a R$ 205,54.
No grupo Despesas e Serviços Pessoais (0,72%), os principais responsáveis pelo aumento foram Serviço Pessoal (0,37%) – sapateiro (17,64) e barbeiro (1,26%); Serviço e Artigo de Recreação (1,41%); acessório e instrumento musical (12,56%), CD (1,10%) e locação de DVD (0,72%).
No grupo Educação, Leitura e Papelaria (0,32%) a taxa foi pressionada pelos itens cadernos (3,01%), livros não didáticos (2,81%) e outros artigos de papelaria (2,54%). Em Saúde e Cuidados Pessoais (0,26%) o item de maior contribuição foi medicamentos, com uma taxa de 1,52%, e seguindo a mesma tendência o item armação de óculos (13,68%). No grupo Habitação (0,18%), o reajuste médio foi influenciado pelo item aluguel (1,82%).
No grupo Móveis e Equipamentos Domésticos (0,06%), a menor variação no mês pode ser explicada, em grande parte, pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), concedido pelo governo federal para os bens classificados como linha branca (fogões, geladeiras etc.) e para os móveis. Mesmo assim, o item Mobiliário registrou aumento médio de 3,60% com destaque para armário de copa e cozinha (11,01%) e sala de jantar (8,07%). Os Eletrodomésticos e Equipamento registraram redução em seus preços médios em -3,69%. Por fim, o grupo Comunicação não registrou variação.
A íntegra do boletim do IPC referente a março de 2012 pode ser obtida no site www.idesp.pa.gov.br

Texto:
Fernanda Graim-Idesp


II Seminário do Programa
de Proteção a Crianças e
Adolescentes Ameaçadas de Morte
A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), em parceria com o Cedeca/ Emaús, promove nesta quinta-feira (19), Centro de Integrado de Inclusão e Cidadania (Ciic), o II Seminário do Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçadas de Morte, com o objetivo de identificar estratégias de enfrentamento ao problema, bem como subsidiar na formulação das bases para a construção de uma política nacional de redução da violência letal. O evento começa às 9 horas e terá a presença de uma equipe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da Republica.


IAP promove a oficina
"A videodança –
A co-presença de linguagens"
O curso tem como objetivo uma abordagem da videodança via semiótica. Para isso, inicialmente, serão conceituadas as diversas linguagens presentes neste discurso. Em seguida, será feita uma introdução aos princípios básicos da videodança e os efeitos estéticos por ela produzidos. Podem participar o público em geral interessado em aprofundar-se no conhecimento da arte como linguagem e enquanto fenômeno estético.
A ministrante será a professora Mariana Trotta, do Departamento de Arte Corporal da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que é doutora em letras e fez mestrado na Universidade de São Paulo, em semiótica. A oficina começa dia 23 e prossegue até 27 de abril, no horário das 14 às 18 horas. São 25 vagas. As inscrições podem ser feitas na Gerência de Artes Cênicas e Musicais do IAP, de segunda a sexta-feira, das 9 às 16 horas. Mais informações: (91) 4006-2913/ 2920/ 2915.


Polícia Comunitária reduz
índices de criminalidade
na periferia de Belém
Há dez anos transitar pela Vila da Barca, área de periferia do bairro do Telegrafo, era uma atividade bastante arriscada. O local já foi uma das comunidades mais violentas de Belém. Hoje a realidade é outra. Policiais Militares da 1ª Zona de Policiamento (Zpol) da capital fazem há seis anos o policiamento comunitário, uma filosofia desenvolvida pela Policia Militar do Pará com o principal argumento de que a parceria entre comunidade e polícia é importante na prevenção da violência.
A parceria tem dado certo nas áreas de abrangência da Seccional da Sacramenta, onde atua a 1ª Zpol, responsável pelo policiamento ostensivo nos bairros do Telegrafo, Sacramenta, Barreiro e Val de Cães. Em reuniões mensais, os policiais militares e as lideranças comunitárias trocam informações sobre como melhorar a segurança pública nos bairros. “É a comunidade que pode nos falar onde é preciso maior atuação dos policiais”, explica o comandante da 1ª Zpol, Elton Medeiros.
Os números confirmam a eficiência da colaboração comunitária. Os registros de furto, roubo e latrocínio, segundo dados da 1ª Zpol, caíram 43%. Além das operações repressivas, a PM também desenvolve atividades preventivas, como palestras nos centros comunitários, escolas e creches. Um dos temas mais trabalhados é o consumo de drogas. Segundo o sub-comandante da 1ª Zpol, Antônio Nonato, o jovem é orientado sobre o perigo das substancias tóxicas para organismo e para a sociedade.
“A droga incentiva o crime, e nas nossas palestras repassamos às crianças e jovens a importância de se manter longe delas”, ressalta o oficial. O combate ao trafico de drogas é um dos principais trabalhos desenvolvidos pela polícia comunitária. A retirada dos traficantes das ruas e o trabalho social junto aos dependentes químicos têm mudado a realidade de centenas de famílias que moram no Barreiro.
Há três anos, o projeto "Gênesis", uma iniciativa do Instituto Popular Juventude Socialista, oferece cursos profissionalizantes e de qualificação para jovens e adultos, muitos deles ex-usuários de drogas. As aulas acontecem Escola Comandante Klautau e recebe apoio dos policiais da 1ª Zpol, com palestras educativas. O projeto é mantido pela entidade comunitária que foi criada em 2007 e é mantida pelos próprios moradores.
“O Barreiro é um bairro muito carente de tudo, mas com o apoio da própria comunidade e da PM estamos conseguindo algumas vitorias”, ressalta o líder comunitário João Maria Lopez. Uma das conquistas é abrigar a primeira das dez escolas em tempo integral, uma das ações do programa "Mais Saber", desenvolvido pelo governo do Estado e coordenado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). A Escola Ruy Paranatinga Barata fez a aula inaugural segunda feira (16).
O diálogo entre polícia e comunidade também tem resultados positivos no bairro de Val de Cães. Segundo o líder comunitário Antonio Correa Damasceno, antes da parceria as famílias sequer sentavam na porta de casa. Hoje é possível até fazer atividades físicas nas ruas do bairro. “Às 7 da noite todo mundo já estava recolhido dentro de suas casas. Os vizinhos nem conversavam mais. Hoje já é possível sair às ruas com mais segurança”, comemora.



Caravana leva atendimento
às zonas urbana
e rural de Chaves
Chaves é o 13º município do Arquipélago do Marajó a receber a Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva. Devido ao volume de água do Rio Amazonas, a balsa com os consultórios móveis não conseguiu atracar no trapiche da sede municipal, o que não afetou o atendimento à população. Os equipamentos foram levados no barco com os profissionais que atuam na caravana.
Os serviços oferecidos atraíram pessoas de várias localidades do município, como Neli Amaral, moradora da comunidade Mandubé. Quando soube da chegada da caravana em Chaves, a doméstica enfrentou uma viagem de 10 horas até a sede municipal para consultar o filho, Nivaldo, de cinco meses, que nasceu em casa e nunca havia sido examinado por um médico e nem recebido as vacinas obrigatórias.
“A gente mora muito distante de tudo. Eu só vim porque aqui podia consultar meu filho e dar a vacina, que é importante para a saúde dele. Se não fosse esse serviço eu não sei quando ia poder levar ele ao médico, e nem quando ele seria vacinado”, contou Neli.
Maria de Sena, 62 anos, conseguiu consultas com oftalmologista e clínico geral, e também procurou o posto de vacinação. “É muito importante tomar a vacina. As pessoas se preocupam mais com as crianças, mas os idosos têm que se proteger também”, disse Maria.
A vacina é importante para manter o controle de doenças como febre amarela, difteria e tétano. Leonardo Barbosa, técnico em Enfermagem responsável pelo posto de vacinação na caravana, explica que apesar de os municípios terem postos de vacinação, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) decidiu incluir um núcleo de vacinação na caravana que percorre os municípios do Marajó, com o objetivo de ampliar o número de pessoas vacinadas.
“A quantidade de serviços oferecidos na caravana atrai muita gente e as pessoas acabam aproveitando a oportunidade e atualizam a carteira de vacinação. Essa é a nossa estratégia para garantir a imunização da maioria das pessoas que procuram a caravana. A receptividade das pessoas tem sido muito boa”, informa Leonardo.
Atendimento simultâneo - O município de Chaves tem cerca de 20 mil habitantes, dos quais 90% vivem na zona rural. Por isso, o atendimento da caravana em Chaves aconteceu simultaneamente nas zonas urbana e rural. Nesta, o atendimento foi programado para os dias 16 e 17 na Vila Arapixi, e no dia 18 na comunidade Ganhoão. Na área urbana a população recebe atendimento em todos os dias de permanência da caravana.
Para conseguir levar às localidades as especialidades médicas, as consultas oftalmológicas foram realizadas em um dia em cada local. Mas como a procura pela especialidade foi muito grande no primeiro dia de atendimento na cidade, a organização da caravana decidiu ficar mais um dia na sede, sem prejudicar as localidades do interior.
“Devido à grande demanda na sede, decidimos ficar mais um dia aqui. Agora vamos levar a programação até quinta-feira (19). Na quarta-feira (18), o atendimento oftalmológico vai acontecer no Arapixi e na quinta-feira no Ganhoão. Assim conseguimos honrar o nosso compromisso com a população”, disse Selma Ferreira, coordenadora do programa Presença Viva.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom


Presos no Pará eram
foragidos de outros
Estados brasileiros
Dois dos cinco homens presos no último fim de semana, pelas Polícias Civil e Militar, em Barcarena, mesorregião de Belém, acusados de integrar uma quadrilha de assaltantes de banco, são foragidos da Justiça e usavam nomes falsos. A informação foi divulgada nesta terça-feira (17), pela equipe da Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos, da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). Com o bando, os policiais apreenderam quatro armas de fogo – três metralhadoras Ina e um revólver calibre 38 –, uma roupa camuflada e telefones celulares que seriam usados em assaltos a banco no sudeste do Estado.
Um dos presos, que se identificou na Delegacia como Leonardo Pereira Martins, 32 anos, natural de Teresina (PI), na verdade, chama-se Lindoandro Visgueira Martins, de apelido “Cuia”. Ele responde a processos criminais nos Estados do Pará, Bahia, Mato Grosso e São Paulo. O outro preso é Jonas Barbosa Ribeiro, 27 anos, maranhense de Zé Doca. Ao ser preso, ele se identificou com o nome falso de Silas Ferreira Lopes. Ele é comparsa de “Cuia” em crimes cometidos nos quatro Estados.
Ambos fugiram juntos de um presídio na cidade de Sinop, a 500 quilômetros de Cuiabá, capital de Mato Grosso. “Cuia” chegou a fugir três vezes da prisão, duas delas em Sinop (MT) e em outra ocasião na Bahia. Em Mato Grosso, Lindoandro Martins é condenado pela Justiça a doze anos de reclusão por crime de homicídio qualificado pela morte de um policial rodoviário federal.
O delegado André Costa explica que chegou aos nomes reais dos criminosos após fazer pesquisas e entrar em contato com as Polícias de outros Estados brasileiros. Ao apurar as informações sobre os bandidos, o delegado passou a interrogá-los e assim obteve a confissão dos dois sobre seus verdadeiros nomes. Em São Paulo e na Bahia, “Cuia” é processado por envolvimento em arrombamentos a caixas eletrônicos de banco com uso de maçarico.
Por esse crime, ele chegou a ser preso em flagrante em Salvador, capital da Bahia, com outro nome falso – Leandro Visgueira Martins. Contudo, conseguiu fugir de um presídio nesse Estado no final da década passada. Após a fuga, o criminoso migrou para São Paulo, onde passou outra vez a praticar arrombamentos em caixas eletrônicos de bancos.
No segundo semestre de 2010, Lindoandro Martins fugiu para o Pará, onde passou a residir na região sudeste do Estado, passando a cometer assaltos em residências de empresários em Parauapebas e em Marabá. “Ele rendia as vítimas na entrada de suas casas e as mandava entrar. Em seguida, passava a saquear objetos de valor, como joias, e dinheiro”, explicou o delegado. O bandido também é suspeito de ter participado de assalto a banco no ano passado, em Dom Eliseu, nordeste do Pará.
Ele também é investigado por roubos a bancos registrados nos anos de 2010 e 2011 na região sudeste do Pará. Nesses roubos a bancos, o criminoso era o responsável em cooptar e bancar a estadia de bandidos vindos de Estados da região nordeste do Brasil para praticar os crimes no Pará. “Os roubos a bancos eram, em sua maioria, praticados na modalidade conhecida por 'vapor', mas também eram praticados pelo bando arrombamentos em caixas eletrônicos de bancos”, detalha André Costa.
Jonas Ribeiro é foragido do presídio de Sinop, em Mato Grosso, onde cumpria pena pelo latrocínio (roubo seguido de morte), cuja vítima é Cleisson Pereira da Silva. Após fugir do presídio, junto com “Cuia”, em 2010, Jonas acompanhou o comparsa na Bahia e em São Paulo, de onde os dois vieram morar em Parauapebas no Pará. Na época, Jonas chegou a ser preso em flagrante, em Parauapebas, por policiais do município, após participar de uma tentativa de assalto contra uma ótica.
Ele foi transferido para o Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes, em Marabá, de onde conseguiu fugir. Já o comparsa dele, “Cuia”, com a prisão de Jonas, fugiu para o Estado da Bahia. Com a descoberta dos verdadeiros nomes, os presos também irão responder por falsidade ideológica e pela receptação dolosa do revólver calibre 38. Segundo o delegado, a arma de fogo foi roubada de um segurança durante assalto a banco na Bahia. Os nomes dos criminosos foram informados ao Poder Judiciários do Estados de onde são foragidos para envio das ordens de prisão de cada bandido. Por ser condenado em Mato Grosso, Lindoandro Martins deverá ser recambiado àquele Estado para continuar a cumprir a pena pelo homicídio.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil


Secretários visitam nova
sede da Secretaria
de Administração
A secretária de Estado de Administração, Alice Viana, e o secretário de Obras Públicas, Joaquim Passarinho, visitaram nesta terça-feira (17) as obras das novas instalações da Sead, que ficarão em local amplo e moderno, oferecendo melhores condições de trabalho e com capacidade para abrigar todos os servidores dos cinco prédios que a secretaria ocupa hoje.
Segundo Joaquim Passarinho, 70% dos trabalhos já estão concluídos, restando apenas o acabamento e pintura do novo prédio. “Os banheiros e a fiação elétrica estão concluídos. Falta mesmo a parte visual. Trata-se de uma obra complexa, um prédio totalmente restaurado, com gerador de energia, uma estrutura moderna, espaçosa e com elevador para portadores de necessidades especiais”, destacou.
Para Alice Viana, a nova sede representa a concretização de um sonho de 37 anos dos servidores da Sead, que terão uma estrutura integrada, ampla e com melhores condições de trabalho. “Estou muito feliz com os resultados, principalmente com a integração de todos os servidores da secretaria, que hoje estão instalados em cinco prédios. Com certeza vamos prestar serviços de melhor qualidade, pela valorização da prestação de serviços e pela melhoria das condições de trabalho”, disse.
O novo prédio da Sead fica na avenida Almirante Barroso, esquina com a travessa Chaco, no bairro do Marco, no prédio do antigo Comando Geral da Polícia Militar.

Texto:
Ellen Freitas-Sead


Governo do Estado apoia
produção de arroz
na ilha do Marajó
A região do Marajó aos poucos vai se tornando mais um polo de plantação de arroz irrigado no Estado, com grandes perspectivas de crescimento. Com dois mil hectares plantados, que já produzem uma média de 112 sacas por hectare, a prospecção do secretário especial de Estado de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa é, em pouco tempo, alcançar uma produção aproximada à do Rio Grande do Sul, com até 140 sacas por hectare.
A conclusão foi tirada após visita à Cachoeira do Arari, quando o secretário participou da solenidade de inauguração da primeira sede própria do Sindicato de Produtores Rurais do município e visitou algumas áreas de plantio e empresas da região. Hoje, pelo menos duas mil pessoas já trabalham, direta e indiretamente, em função do arroz.
A região busca apoio dos governos estadual e federal para o investimento, nos próximos anos, de um polo com de cerca de 300 mil hectares na plantação de arroz no Marajó, o que seria uma alternativa para a solução do problema da pobreza na região, que passaria a ser o segundo maior produtor brasileiro de arroz.
Segundo Sidney Rosa, a região já concentra toda a atenção do governo do Estado para que se possam melhorar os índices de vida no Marajó. “É preciso levar atividades econômicas que possam representar oportunidade de emprego e renda pro Marajó. Não tenho dúvida que o arroz irrigado é uma delas”, diz. “É uma prioridade levar ao Marajó aquilo que pudermos chamar de politicas econômicas sustentáveis”, completa o secretário.

Texto:
Andréa Amazonas-SEDIP


Matrículas para o Projovem
Urbano podem ser
feitas até o dia 30
Prossegue até 30 deste mês o período de matrícula para o Programa Nacional de Inclusão de Jovens - Projovem Urbano em 20 municípios do interior do Estado. São quatro mil vagas para jovens com idade de 18 a 29 anos, que saibam ler e escrever e que não tenham concluído o ensino fundamental. O programa tem como objetivo a elevação da escolaridade, visando a conclusão do ensino fundamental, a qualificação para o trabalho e o desenvolvimento de ações comunitárias com exercício da cidadania.
A matrícula pode ser feita nas escolas participantes. O curso tem duração de cerca de um ano e meio. As aulas começam em 7 de maio e terminam em novembro de 2013. Para se matricular, o aluno deve ter idade entre 18 a 29 anos, saber ler e escrever, histórico escolar e apresentar RG, CPF e comprovante de residência. Ao término do curso, o jovem recebe certificado equivalente ao ensino fundamental, ficando apto a cursar o ensino médio.
As vagas são distribuídas em escolas de 20 municípios: 21 de Abril, em Palestina do Pará; Joselina Moreira de Oliveira, em Rondon do Pará; Samuel Nava, em Tucumã; Cristo Trabalhador, em Abaetetuba; Deusalina da Cunha e Souza, em Acará; ETEPA, em Tailândia; Santo Antônio, em Alenquer; Soraya Marques Chaib, Curuá; Professora Flora Teixeira, em Faro; Almir Gabriel, em Oriximiná; Antonio Candido Machado, em Terra Santa; Isaac Newton, em Itaituba; Everaldo Martins, em Trairão; Maria Elizete Fona Nunes, em Breves; Marcílio Dias, em Gurupá; Tancredo de Almeida Neves,em Melgaço; Oliveira Brito, em Capanema; Inocêncio Soares, em Primavera; José Rodrigues Viana, em Cachoeira do Arari; Frei Miguel de Bulhões e Irmã Carla Giussani, em São Miguel do Guamá.

Texto:
Mari Chiba-Seduc


Criminologista da USP
ministra curso de
pós-graduação da Susipe
Servidores da área de Segurança Pública do Pará dão nesta quarta-feira (18) continuidade ao quarto módulo da pós-graduação em gestão penitenciária, com a disciplina teorias criminológicas, que será ministrada pelo professor da Universidade de São Paulo (USP) Alvino Augusto de Sá. O curso é resultado de convênio entre o Ministério da Justiça, por meio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), e a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe).
Com uma produção técnica de grande destaque, Alvino Augusto de Sá é considerado uma das maiores autoridades nacionais em criminologia. É doutor em psicologia clínica, professor de criminologia da USP, membro da Diretoria Consultiva do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária e da Comissão de Política Criminal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Paulo.
É autor dos livros “Reincidência criminal”, “Criminologia e os problemas da atualidade” e “Criminologia clínica e execução penal”, dentre outros. Esta etapa da especialização reúne 40 servidores da Susipe, Justiça Criminal e outros órgãos da segurança pública.
A Faculdade Estácio/ FAP é a responsável pelo conteúdo acadêmico do curso, que tem a duração de doze meses, carga horária total de 378 horas e 23 disciplinas, divididas em cinco eixos: temáticas de criminalidade, ordenamento jurídico, gestão prisional, pesquisa científica e políticas de assistência, todas de acordo com o padrão da matriz curricular orientada pelo Depen.

Texto:
Nara Pessoa-Susipe


Professores de Soure
conhecem ações do
Pro Paz Educação
Os órgãos parceiros que desenvolvem as ações do programa Pro Paz Educação estão no município de Soure, na ilha do Marajó, com a proposta de levar a cultura de paz por meio do protagonismo juvenil às escolas das redes estadual e municipal de ensino. Na tarde desta terça-feira (17), diretores e técnicos em educação do município estiveram no auditório da escola de ensino fundamental e médio “Gasparino Batista da Silva” para conhecer a metodologia aplicada pelo Pro Paz. A ação é conjunta com parceiros como a Secretaria de Estado de Educação (Seduc).
O Pro Paz Educação tem também apoio da Polícia Militar, por meio do Programa de Combate as Drogas (Proerd), presente em 29 municípios paraenses. As ações, foco, pesquisas e os resultados do Proerd foram apresentados aos diretores e técnicos pelo coordenador do programa, Costa Júnior.
O programa tem ainda as atividades do projeto “Escola da Vida”, desenvolvido pelo Corpo de Bombeiros, que atende crianças em situação de risco em torno dos quartéis. A proposta foi apresentada pelo coordenador de projetos sociais, Nahun Fernandes.
Ao fazer o acolhimento dos participantes, a diretora da escola, Juvaneide Júlia de Oliveira, destacou a importância de receber as atividades do programa, reunindo professores e técnicos da rede de ensino com o objetivo principal, que é o de educar.
A cultura de paz do programa está apresentando resultados positivos, informa a coordenadora de educação, Mônica Altman. Dados do Pro Paz revelam que após a implantação na escola “Brigadeiro Fontenelle”, houve diminuição de 70% do nível de ocorrências, segundo o serviço de orientação da unidade de ensino. Atualmente, o Pro Paz Educação está presente em dez escolas dos bairros da Terra Firme e Guamá, em Belém, além das dez escolas de tempo integral.
Após a fase de apresentação das propostas dos parceiros que somam com o Pro Paz, será a vez de trabalhar nas salas de aulas, tarefa que será executada nesta quarta-feira (18), pelos integrantes da equipe. A metodologia consiste no acolhimento, atividades reflexivas e relaxantes, apresentação dos subgrupos e avaliação.
As escolas vão receber a proposta de intervenção, uma espécie de diagnóstico. Nesse momento, segundo Mônica Altman, “é que a escola diz o que quer”, e desta forma, o Pro Paz Educação dá suporte para a criação da cultura de paz.

Texto:
Izabel Cunha-Seduc


Paratur promove ações em
Vigia e São Caetano de Odivelas
A Companhia Paraense de Turismo de Turismo (Paratur) está, desde segunda-feira (16), nos municípios de Vigia de Nazaré e São Caetano de Odivelas, promovendo ações para fortalecer a gestão e fazer o inventário da oferta turística. A ideia é mostrar às autoridades ligadas à atividade o novo modelo de gestão pública do turismo e adequar o roteiro dos municípios de acordo com os critérios para a classificação turística. A ação prossegue até sexta-feira (20).
Segundo a técnica da Diretoria de Fomento da Paratur Silmara Resque, a ação começou pelo município de Vigia e agora segue para São Caetano de Odivelas. Reuniões com secretários do município serão feitas no sentido de dar maior assessoramento na gestão da atividade turística local. Além disso, será apresentado um novo modelo de gestão, baseado no que prevê o Plano Estratégico de Turismo “Ver-o-Pará” e o levantamento dos dados para o inventário da oferta turística.
Este ano a ação já aconteceu nos municípios de Altamira, Salinópolis e Marapanim, e os próximos municípios serão Bragança, Tracuateua e Curuçá, entre os dias 23 a 27 deste mês. A meta é atender 21 municípios em todo o Estado. As ações de fortalecimento da gestão municipal de turismo são determinantes para que se atinjam os resultados planejados, previstos no Plano Estratégico de Turismo “Ver-o-Pará”, além de promover o desenvolvimento sustentável da atividade turística.
A Paratur também está fazendo o mapeamento de propriedades para desenvolver o segmento do turismo rural nos municípios de Soure e Salvaterra, na ilha do Marajó. A ação é fruto de termo de cooperação técnica assinado entre a Paratur e Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa) em outubro do ano passado, durante o Frutal Amazônia e Flor Pará. A proposta é desenvolver o turismo rural como um novo nicho da economia do Estado.

Texto:
Benigna Soares-Paratur


Cohab faz audiência pública
na comunidade
Taboquinha, em Icoaraci
A Companhia de Habitação do Pará (Cohab) fez segunda-feira (16) a audiência pública dos moradores do Taboquinha, em Icoaraci, dando prosseguimento ao cronograma estabelecido para manter um canal de comunicação com as comunidades das áreas do Programa de Aceleração do Crescimento(PAC), sobre a retomada de obras. O encontro ocorreu no salão paroquial da igreja matriz e teve a participação de quase 700 pessoas .
Durante quase duas horas e meia, a Cohab tirou dúvidas sobre os serviços que serão retomados na área a partir da próxima semana. A previsão de conclusão da obra, paralisada desde 2010, é para julho de 2013. Segundo a presidente da companhia, Noêmia Jacob, o trabalho social e de regularização fundiária deve ser encerrado somente em dezembro do próximo ano, pois são etapas posteriores às obras físicas.
"Tem muita coisa para ser construída e o projeto precisa ser ajustado", informou ela aos presentes, destacando ainda que, apesar de apenas 37% da obra estarem concluídos, a Cohab fará tudo para entregar, até julho do ano que vem, as 581 unidades habitacionais e 100 melhorias restantes previstas no projeto.
Uma outra questão em debate é a necessidade de fazer um encontro para discutir os problemas com a atual Comissão de Fiscalização de Obras (Cofis), eleita ano passado e que não estaria atuando corretamente, segundo denúncias dos próprios moradores. "Vamos ter um momento específico para discutir essa questão da Cofis. Aqui, nesse momento,vamos nos deter a falar sobre o projeto em si e levantar as necessidades e alterações que precisam ser feitas", informou a dirigente da Cohab.
Levantamento – Alguns moradores descreveram os problemas de alagamentos de algumas vias, como a Quinze de Agosto (Quinta rua) e a Dois de Dezembro (Sétima rua), que ficam intransitáveis após as fortes chuvas. O diretor de Urbanização e Construção da Cohab, Eduardo Loureiro, revelou que nos próximos dias uma equipe social e técnica da companhia começa a levantar a situação desses locais. "As equipes farão visita em conjunto à área, já na próxima semana, a fim de fazer esse levantamento", garantiu.
Esse trabalho, segundo Noêmia Jacob, vai garantir que famílias que ficaram de fora do cadastro social anterior também sejam beneficiadas. Ela também fez referência a um terreno no bairro do Tenoné, que poderia ser usado para o remanejamento de famílias que ocupam a área alagada do Cubatão. Isso estaria sujeito à apreciação posterior.
"Ninguém será obrigado a mudar se não for de sua vontade. Claro que o projeto prevê que os moradores permaneçam na sua comunidade, mas temos limitações e não poderemos construir todas as unidades na mesma área hoje ocupada. Vamos estudar a possibilidade de construir em outras áreas, mas o remanejamento para o Tenoné não será obrigatório", garantiu.
A audiência pública ocorre segunda-feira (23) na comunidade Riacho Doce, a partir das 19 horas. O local será a escola de ensino fundamental Edson Luiz, localizada na avenida Barão de Igarapé-Miri, 1.415, no bairro do Guamá.

Texto:
Rosa Borges-Cohab


Governadores debatem
ampliação da capacidade
de investimentos públicos
O governador do Pará, Simão Jatene, e outros sete governadores do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), se reuniram na manhã desta terça-feira (17), no Palácio Iguaçu, sede do governo do Paraná, para discutir a criação da Desvinculação das Receitas dos Estados (DRE). A proposta apresentada pelo governador Beto Richa, do Paraná, aos governadores de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Alagoas, Roraima, Pará e Tocantins, prevê a aplicação mínima de 10% das receitas estaduais em novos investimentos, a partir da redução dos encargos da administração estadual com pagamentos de dívidas à União.
Durante o encontro em Curitiba, os governadores manifestaram a preocupação com a redução do poder de investimentos dos Estados e discutiram alternativas para aumentar a capacidade de gestão. O objetivo é retomar no Congresso Nacional a discussão sobre um mecanismo que ajude a aumentar a capacidade de investimentos públicos estaduais.
O governo federal dispõe de um mecanismo semelhante: a Desvinculação das Receitas da União (DRU), válido desde 1994, e prorrogado pelo Congresso Nacional até 2015. O instrumento, no âmbito federal, possibilita reenquadrar até 20% dos recursos orçamentários, que podem ser usados pelo governo nas despesas que considerar prioritárias, além de permitir a geração de superávit nas contas federais.
Simão Jatene avaliou positivamente o encontro e destacou as perdas que os Estados vêm sofrendo com o pacto federativo. “Quando falamos muito na falência do pacto federativo parece uma abstração, mas não é. É uma perda da capacidade dos Estados em responder às demandas da população, e isso é uma questão nacional hoje. Restaurar a federação significa restaurar a capacidade de investir em educação, em segurança e saúde. Esta foi nossa preocupação central”, afirmou o governador paraense.
Desafios - Para Simão Jatene, a reunião significou “uma enorme disposição e boa vontade dos governadores de ter, primeiro, a humildade e coragem para ousar, no sentido de buscar pontos de convergência que nos aproximem e que permitam enfrentar, sobretudo, o desafio concreto de ter uma saúde de qualidade no Brasil, ter uma educação de qualidade e uma segurança que, de fato, responda aos anseios da população”.
Jatene ressaltou ainda a importância do apoio do governo federal no enfrentamento desses desafios. “É claro que, para isso, é fundamental que estejamos unidos, e que a própria União volte a financiar ou ser cofinanciadora, a ser parceria no enfrentamento desse desafio”, reiterou.
Foram também debatidos pelos governadores a renegociação das dívidas estaduais; mudanças na política fiscal, com a unificação das alíquotas de importação; novas obrigações impostas aos Estados, sem contrapartidas federais, e a agenda ambiental do país, como a implantação do novo Código Florestal e a Conferência das Nações Unidas (Rio+20), além de temas como a distribuição dos royalties de petróleo e as compensações financeiras decorrentes das perdas com a Lei Kandir.
Além dos governadores Simão Jatene, do Pará e Beto Richa, do Paraná, participaram do encontro os governadores Geraldo Alckmin, de São Paulo; Antonio Anastasia, de Minas Gerais; Marconi Perillo, de Goiás; Teotônio Vilella Filho, de Alagoas; José de Anchieta Júnior, de Roraima, e Siqueira Campos, do Tocantins.

Texto:
Amanda Engelke-Secom


Amazônia Jazz Band e
Nilson Chaves se
apresentam na Estação
A Amazônia Jazz Band, sob a regência do maestro Nelson Neves, se apresenta nesta terça-feira (17), às 20 horas, no teatro Maria Sylvia Nunes, da Estação das Docas. Além de clássicos do jazz na leitura de consagrados arranjadores do gênero, o cantor paraense Nilson Chaves faz participação especial interpretando algumas de suas criações mais populares, como “Tô que tô saudade”, “Flor do Destino”, “Olho de Boto” e “Sabor Açaí”. A entrada é gratuita.
O maestro Nelson Neves é paraense e voltou a Belém a convite da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), após ter morado durante onze anos nos Estados Unidos, onde atuou em vários concertos e tocou ao lado de músicos como John Fedchock, Fred Hemke e Pat LaBarbera. Nilson Chaves – que preside atualmente a Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves – é um dos artistas paraenses mais conhecidos e tem 16 discos gravados.
A Amazônia Jazz Band foi criada em 1989 como big band da Fundação Carlos Gomes. O primeiro regente foi Renaldo Ferreira. Em 1995, a orquestra começou vasta pesquisa para executar obras dos grandes compositores do século XX. Em 2000, quem assumiu a liderança da banda foi o trompetista americano Barry Ford. Hoje, a orquestra tem mais de 20 músicos, que já fizeram concertos em várias cidades brasileiras e no exterior.
Nesta segunda apresentação do ano da banda, músicos vão interpretar sucessos nacionais e internacionais, como “Wave”, de Tom Jobim (com arranjo de Pelicarto), e clássicos “A few good men”, de Gordon Goodwin; “Funky Cha-Cha”, de Arturo Sandoval (com arranjo de Louis Lemay); “Take Five”, de Paul Desmond (arranjada por Tito Puente); “Straight no chaser”, de Thelonious Monk, além de “Amassando açaí”, do compositor paraense Tynnôko Costa.
A Amaônia Jazz Band receberá como convidados os clarinetistas Claudionor Amaral e Márcio Carvalho, os percussionistas Mário Cruz e Joelson Silva, e o flautista Lenildo Araújo. As músicas “Tô que tô saudade”, “Flor do Destino”, “Olho de Boto”, de Nilson Chaves, ganharam arranjos especiais de Josiel Saldanha e Rafael Oliva. “Sabor Açaí” recebeu arranjo de Tynnôko Costa, e as quatro serão interpretadas por Nilson.
O maestro Nelson Neves diz que o repertório já estava escolhido. A apresentação, adianta ele, será “vibrante e muito para cima”. “Começamos com um swing e passamos pelo funk, para centrar esforços nas músicas latinas. Este será o diferencial do concerto, que será muito alegre”, afirma. “O repertório da banda tem a característica dos arranjos excelentes, o que traz um resultado incrível”, aposta o maestro.
Não é a primeira que Nilson Chaves canta acompanhado de uma orquestra, mas é a primeira vez com a Amazônia Jazz Band. Ele já gravou um CD com a Orquestra Jovem Carlos Gomes. Para o cantor, é um ótimo estímulo ver novos arranjos para músicas que ele canta há 20 anos. “É um outro ambiente musical, uma sonoridade que vem diferente e isso é estimulante para a própria música”, avalia.
Serviço
Concerto da Amazônia Jazz Band, com participação especial de Nilson Chaves. Terça-feira (17), às 20 horas, no teatro Maria Sylvia Nunes, da Estação das Docas. Entrada franca.

Texto:
Jose Pacheco-Secult


Seduc abre inscrições para os
Jogos Estudantis Paraenses (JEPs)
Está aberto o período de inscrição para os Jogos Estudantis Paraenses (JEPs). As inscrições podem ser feitas por estudantes da rede pública ou privada até 4 de maio, para os participantes da categoria A (com idade de 12 a 14 anos), e até o dia 25 de maio para os da categoria B (15 aos 17 anos). Os interessados residentes na Região Metropolitana de Belém (RMB) podem se inscrever no site da Secretaria de Estado de Educação (www.seduc.pa.gov.br) e os de escolas estaduais do interior, na Unidade Regional de Ensino (URE).
Este ano os jogos terão como tema “Educação e esporte caminhando pela paz”. As inscrições são para as modalidades individuais e coletivas: atletismo, basquetebol, badminton, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, natação, tênis de mesa, voleibol, xadrez, e taekwondo. Os regulamentos geral e específicos de cada modalidade estão disponíveis na página dos JEPs no site da Seduc.
A primeira fase será regional e ocorrerá de 23 de maio a 24 de junho em seis municípios: Abaetetuba, Breves, Cametá, Castanhal, Mãe do Rio, e Marabá. Os vencedores da fase regional disputarão vagas para as Olimpíadas Escolas Brasileiras com as escolas da RMB, em agosto e setembro deste ano. Os vitoriosos da categoria A representarão o Pará na fase nacional, em Poços de Caldas (MG), em setembro, e os da categoria B, em Cuiabá (MT), em novembro e dezembro.
As atividades esportivas estudantis deste ano serão uma preparação para 2013, quando Belém será sede das Olimpíadas Escolares Brasileiras, que reunirá quase cinco mil atletas estudantes, com idades entre 15 e 17 anos, de todo o país. O evento, além de atrair investimentos para a capital, será um estimulo a mais para a comunidade escolar revelar seus talentos no esporte.

Texto:
Mari Chiba-Seduc


Emater promove capacitação
profissional sobre
uso de agrotóxico
Engenheiros agrônomos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) e outros profissionais estão sendo capacitados para a emissão do Receituário Agronômico e de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), que tratam sobre a o uso correto de agrotóxicos nas lavouras.
Os dois instrumentos de regularização foram instituídos, respectivamente, pelo Decreto Federal 4074/02, artigo 66, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e pela Lei nº 6.4977, determinando que somente o profissional de Agronomia pode administrar a quantidade e a necessidade da aplicação de agrotóxicos.
Ministram o curso, promovido pela Emater, profissionais especializados na área, do Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia (Crea), Associação dos Engenheiros Agrônomos do Pará (Aepa), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra).
A capacitação, que contempla profissionais de 29 municípios do nordeste paraense, é o primeiro, de um total de cinco cursos, programados para todo o Estado. De acordo com a direção da Emater, há uma grande cobrança do Ministério Público do Estado e da sociedade sobre a qualidade dos alimentos comercializados em feiras e supermercados.
O diretor técnico da Emater, Humberto Reale, informou já foi identificado o uso excessivo de agrotóxico, principalmente nas hortaliças, atribuído à falta de orientação do agricultor na manipulação dos defensivos.
O treinamento das equipes resultará em um conjunto de ações educativas, promovidas pela Empresa de Assistência Técnica, e também na fiscalização das ações de campo, que serão realizadas pela Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará).
Entre as propostas da Emater está a adoção de defensivos agrícolas preventivos ecologicamente corretos, como o tucupi - líquido amarelo, extraído da mandioca, que além de agir como inseticida é um adubo foliar, que ajuda no desenvolvimento da planta.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater


Fundação Curro Velho inicia
oficinas para público
de todas as idades
Começaram nesta terça-feira (17) as aulas do segundo módulo de oficinas da Fundação Curro Velho, que integram crianças, adolescentes e adultos, público que procura uma ocupação para o dia a dia e uma maneira de descobrir uma profissão, um novo ofício. A aposentada Zima Marreiro começou a participar das atividades no primeiro módulo e agora está matriculada nas aulas de iniciação ao violão.
A aposentada afirma que há muito tempo tinha interesse em aprender a tocar o instrumento, mas só agora teve a chance de participar da oficina. “Sempre tive vontade de tocar violão, mas só agora chegou a oportunidade de fazer essa oficina”, disse ela, que mora no bairro da Pedreira e, apesar de seus 65 anos, não tem vergonha de aprender.
As crianças Jesuá Ami, Wallace Pantoja e Pedro Henrique participam da oficina de desenho animado. Com idades de 12 a 13 anos, eles veem na oficina uma ajuda para o futuro. Jesuá Ami sonha em ser arquiteto e vê na atividade um impulso para a carreira. “É primeira vez que faço oficina na Fundação Curro Velho. Estou achando bem legal. Quero ser arquiteto e aqui estou aprendendo”, disse o estudante do quinto ano.
Wallace Pantoja, 12 anos, se interessa por gibis, e por isso quer ter a oportunidade de fazer desenho em quadrinhos. “Quero arrumar um emprego de desenhista, então aqui no Curro Velho está sendo muito legal”, disse o pequeno, que desenha desde os 6 anos de idade. Pedro Henrique, o mais velho da turma, com 13 anos, participa das atividades da Fundação Curro Velho pela primeira e pretende estar nos próximos módulos também. “Quero seguir carreira de desenhista”, disse.
O instrutor Cléber Oliveira, da oficina de desenho, pintura e colagem, já foi uma cria da fundação e hoje é oficineiro da instituição. “Comecei aqui na Fundação Curro Velho fazendo teatro, depois fiz claws, participando como aluno, e hoje ministro aula”, contou, informando que a oficina de desenho ajuda as crianças a enfrentar a timidez.

Texto:
Andreza Gomes-FCV


Seel e Sejudh discutem sobre
a criação do Espaço
da Diversidade LGBT
Reunião entre representantes das secretarias de Estado de Esporte e Lazer (See) e de Justiça e Direitos Humanos e do Conselho Estadual da Diversidade Sexual discutiu, nesta terça-feira (17), a construção de um espaço de esporte e lazer para atender à comunidade de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais (LGBT). O objetivo é promover a integração do segmento por meio da prática esportiva, reduzindo o preconceito.
Participaram da reunião os titulares da Seel e Sejudh, Marcos Eiró e José Acreano, respectivamente, e o coordenador do Conselho da Diversidade Sexual, Samuel Sardinha. “Todas as classes têm direito à prática esportiva, e o esporte é a maneira com a qual podemos unir classes com base na política dos direitos humanos e acabar com a homofobia e o preconceito, garantindo o exercício da cidadania”, disse Marcos Eiró.
José Acreano lembrou que o projeto é inovador e pioneiro no Brasil. A meta é atender mil pessoas e promover os I Jogos da Diversidade, reunindo toda a comunidade LGBT, que deve ter diversas modalidades esportivas, como queimada, vôlei e futebol feminino. A reunião na Seel também teve a presença dos conselheiras do Conselho Estadual da Diversidade Sexual Symmy Larrat e Janaina Oliveira.


Fórum quer regulamentar
acesso à biodiversidade
e aos saberes tradicionais
Representantes de diversas instituições com atuação no Pará se reuniram nesta terça-feira (17), no Fórum Estadual de Acesso ao Patrimônio Genético e ao Conhecimento Tradicional, para iniciar as discussões sobre a regulamentação das ações voltadas ao uso da biodiversidade e saberes tradicionais do Estado. Este foi o primeiro encontro, dos sete que estão planejados para acontecer até novembro deste ano.
O Fórum pretende debater e aprovar uma minuta de lei complementar à lei federal voltada ao controle e fiscalização do acesso aos recursos naturais e ao conhecimento tradicional associado do Pará. “Conquistar o objetivo desse Fórum é um grande desafio, pois nossa economia deve estar baseada na biodiversidade, para que os nossos conhecimentos não sejam refeitos de outra maneira no exterior e o rico banco genético da Amazônia seja preservado”, ressaltou Alex Fiúza, titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti).
Durante a reunião, o regimento interno do Fórum foi discutido e avaliado. O documento, no entanto, não foi aprovado porque alguns representantes questionaram a ausência de membros de comunidades tradicionais, como os indígenas, quilombolas e seringueiros. Após algumas sugestões ficou definido que representantes dessas comunidades serão convidados a participar do Fórum, para que possam discutir e aprovar conjuntamente o regimento interno e a minuta de lei complementar.
O Fórum também pretende criar um Fundo Estadual da Biodiversidade para financiar projetos, pesquisas e tecnologias que visem o desenvolvimento sustentável e a realização de ações voltadas ao controle, à fiscalização, à defesa e à recuperação dos ecossistemas do território paraense. “A aprovação dessa minuta de lei agilizará as ações nessa área, no âmbito estadual. Dessa forma, pesquisadores, comunidades e, por consequência, empresas, são os que mais ganham”, informou Antônio Pinheiro, membro do Núcleo de Inovação Tecnológica do Museu Paraense Emílio Goeldi (NIT/MPEG).
O próximo encontro do Fórum Estadual de Acesso ao Patrimônio Genético e ao Conhecimento Tradicional está marcado para 17 de maio.

Texto:
Raphael Freire-Secti


IAP seleciona artistas Paraenses
No período de 23 a 30 de abril, o Instituto de Artes do Pará fará inscrições de atores, cantores, músicos e bailarinos. As audições serão nos dias 2 e 3 de maio de 2012. Os interessados deverão ser profissionais com experiência. O Instituto fará a contratação dos selecionados para formação de elenco com o objetivo de fazer experimentação com pássaros (manifestação folclórica). O Projeto Experimental Pássaro Junino tem como finalidade incentivar a pesquisa e a experimentação por meio da integração de técnicas universais com formas contemporâneas no cenário amazônico, especificamente o Pássaro Junino, utilizando para tal as várias linguagens artísticas, tendo como resultado um espetáculo a ser apresentado em temporada no período de 20 a 24.06.12.
Inscrições: 23 a 30/04/12
Local: Gerência de Artes Cênicas e Musicais do IAP
Horário: 09h às 16h
Audição: 02 e 03 de maio
Cliente: Profissionais atores, bailarinos, músicos, da literatura, do áudio visual e das artes plásticas.
Temporada: 20 a 24.06.12 em local a definir.



Recital de alunos do Curso
de Bacharelado em Música
O Projeto “Entre Nós”, que reúne alunos do Curso de Bacharelado em Música da FCG/Uepa, realiza seu primeiro recital do ano de 2012 nesta quarta-feira, 18, na Sala Ettore Bósio, a partir das 18h. O programa contém obras de vários momentos da cronologia musical e tem um diferencial: apresenta algumas peças dos próprios alunos do curso. Jacinto Kahwage, Ariel Lima, Esdras de Souza, Marcelo Fernandes e Almir Gabriel cursam Composição e Arranjo e são músicos conhecidos, com larga trajetória e participações em grupos locais e eventos de reconhecida abrangência. Atenção para “Desanuviar”, “Prelúdio no. 3”, “Tribos”, “Lundu”, “Mingau do Alcides” e “Perna do Vento”, composições recentes. Participam ainda do recital Baboo, JF Cowboy, Augusto Meireles, Bianca Menezes, Silene Trópico, Romeu Amorim, Anderson Nobre, Odília Santana, João Paulo Pinheiro, Fábio Moraes e Ruben Marques. O evento tem entrada franca.


II Seminário do Programa
de Proteção a Crianças
e Adolescentes Ameaçadas
A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, em parceria do Cedeca/Emaús, promove nesta quinta-feira, 19, o II Seminário do Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçadas de Morte, com o objetivo de identificar estratégias de enfrentamento ao problema, bem como subsidiar na formulação das bases para a construção de uma política nacional de redução da violência letal. A programação começa às 9h e contará com a presença de uma equipe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da Republica.


Uepa participa do VI Fortec
Entre os dias 17 e 19 de abril, Belém sedia o VI Encontro Nacional do Fórum de Gestores de Inovação e Tecnologia (Fortec). A programação é realizada pela Rede de Núcleos de Inovação Tecnológica da Amazônia Oriental (Rede Namor) - que inclui a Universidade do Estado do Pará (Uepa), através de seu Centro de Ciências Naturais e Tecnologia (CCNT) - e acontece no Hilton Hotel. Cerca de 700 profissionais, dentre gestores e representantes de Núcleos de Inovação Tecnológica, representantes de órgãos governamentais e do setor empresarial, além de especialistas nacionais e internacioais que compartilharão suas experiências e abrirão espaços de discussão em torno do tema "Economia Verde – Negócios Sustentáveis", são esperados no evento.


Prazo para entrega da
Declaração do Simples é
prorrogado até 20 de abril
O Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) prorrogou até a próxima sexta-feira (20) o prazo final para entrega da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN), obrigatória para todos os contribuintes microempreendedores individuais (MEI) e Empresas de Pequeno Porte (EPP), que tenham participado do Simples Nacional em 2011, mesmo que por apenas um mês.
O prazo inicial terminou na segunda-feira (16), mas foi prorrogado para permitir que um maior número de contribuintes possa ficar em dia com as obrigações tributárias.
Esse prazo é válido inclusive para os contribuintes que tiveram  prorrogação de prazo devido a problemas climáticos em 2011. A Resolução CGSN nº 99 foi encaminhada para publicação no Diário Oficial da União (DOU).
Em 2011, mais de 110 mil contribuintes participaram, no Pará, do Simples Nacional, na condição de ME ou EPP. Destes, cerca de 51 mil foram obrigados a apurar o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual, Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), dentro do Simples Nacional.
Segundo o Comitê Gestor, foram emitidas multas por atraso na entrega, mas com a prorrogação do prazo elas serão canceladas.
O novo prazo não se aplica ao Microempreendedor Individual (MEI), que deve entregar até o próximo 31 de maio a DASN-SIMEI (Sistema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos abrangidos pelo Simples Nacional).


Crianças do Programa
Prosseguir do HOL visitam
o Parque Ambiental do Utinga
A classe Hospitalar do Programa Prosseguir do Hospital Ophir Loyola participou, nesta terça-feira, 17, de uma aula-passeio no Parque de Preservação Ambiental de Belém, no bairro do Utinga. Cerca de dez crianças e quinze profissionais, entre professores, médicos, instrutores e técnicos de Enfermagem, integraram o grupo.
Maria Helena Meireles, 29, que acompanha a filha, Ana Beatriz, em tratamento há um ano e quatro meses no HOL contra um linfoma, aprovou a atividade. "É muito importante ter um momento para que as crianças saiam da rotina do Hospital, que é muito difícil. Aprender ao mesmo tempo em que se divertem é muito interessante", afirma.
O parque é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, criada para a preservação e conservação dos recursos naturais e, principalmente, para proteger os mananciais dos Lagos Bolonha e Água Preta, que são responsáveis pelo abastecimento de mais de 60% da população da Região Metropolitana de Belém. A aula teve como objetivo proporcionar para os alunos da classe uma abordagem multidisciplinar sobre a questão ambiental. Aspectos como recursos naturais esgotáveis, poluição, saneamento básico, fauna, flora, noções de espaço foram abordados pelos professores e instrutores durante o passeio.
Segundo a coordenadora do Programa Prosseguir no HOL, Angela Barbosa, esta ação traz uma proposta de interdisciplinaridade. "É importante mostrar que o mesmo tema tem vários aspectos, que serão abordados de forma diferente pelos professores de cada uma das disciplinas reunidas aqui. O que queremos é observar a relação dos alunos com elas", explica.
O Programa Prosseguir foi criado no Hospital Ophir Loyola em 2003, em parceria com a Secretaria Executiva de Educação (Seduc), e em 2009 se estendeu para outros hospitais de Belém, tendo como objetivo assegurar às crianças e adolescentes em tratamento clínico e cirúrgico o direito à educação, continuidade do processo ensino-aprendizagem e reintegração ao grupo escolar. Ele proporciona condições para o resgate da autoestima das crianças e adolescentes, minimiza suas perdas sociais, psicológicas e cognitivas e integra paciente, família e escola.

Texto:
Livia Soares-Ofir Loyola



Pará investe na produção
de biodiesel e do óleo de palma
Nos próximos 10 anos o Pará será um dos maiores produtores de biodiesel e óleo de palma de todo o mundo, com um milhão de hectares plantados. É a meta que o Governo do Estado pretende alcançar e, pra isso, está investido na estruturação de toda esta cadeia produtiva para a implantação do Polo de Palma, que instalará diversas indústrias nas regiões do Baixo Tocantins e nordeste paraense, beneficiando, ao mesmo tempo, a agricultura familiar. Também faz parte do trabalho de estruturação para o polo a capacitação e assistência técnica dos agricultores para o cultivo da palma.
Segundo o secretário especial de Incentivo à Produção, Sidney Rosa, o Estado está buscando empresas interessadas em plantar a palma e fazer parte do polo produtivo. “A intenção é implantar o polo de palma desde Cametá, no Baixo Tocantins, até Garrafão do Norte, no nordeste do Estado. Com toda esta extensão nós vamos exigir uma grande mão de obra, gerando centenas de empregos nessas regiões”, explica Sidney.
Além da geração de empregos, o polo de palma, de acordo com o secretário, é um investimento que viabiliza duas finalidades lucrativas: a produção do óleo da palma, muito utilizado na indústria de alimentos, e a produção do biodiesel. “Com a implantação do polo teremos condições de suprir a indústria brasileira de alimentos, que hoje em dia importa da Ásia metade do óleo que utiliza. Com o biodiesel vamos poder atender vários países, principalmente os da Europa. Alguns desses países já assinaram um acordo que determina que até 2020 todos utilizem pelo menos 20% de biodiesel”, assegura.
“Este investimento que está sendo feito pelo Governo tem segurança de mercado, pois tudo que será produzido tem destino certo. O melhor de tudo isso é que não vamos precisar desmatar para fazer a plantação, pois serão utilizadas áreas de pastagem, que atualmente estão subutilizadas”, acrescenta Rosa. A implantação polo de palma paraense, destaca, demandará 32 mil hectares dessas áreas.
Agricultura Familiar
As famílias agricultoras do Pará serão um dos segmentos beneficiados pela indústria da palma. Por isso, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) do Pará está capacitando técnicos para prestar auxílio aos trabalhadores interessados em fazer parte do projeto. A partir do polo, cada empresa terá que absorver pelo menos 20% da produção familiar e, adianta Sidney Rosa, para ganhar o selo de social, a empresa ainda precisará empregar na agricultura familiar a mesma tecnologia que utiliza na sua plantação.
A Emater, além de capacitar os técnicos, está agora emitindo as Declarações de Aptidão do Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que garantirão recursos para as famílias, com taxas de juros subsidiadas pelo Governo, a serem pagas quatro anos após o empréstimo – período em que a plantação da palma renderá colheita.

Texto:
Thiago Melo-Secom


Recital de Formatura no
Conservatório Carlos Gomes
O percussionista Joelson Joca Silva realizou seu recital de formatura do Curso Técnico em Percussão na noite de segunda-feira, 16, na Sala Ettore Bósio, mostrando muito talento e criatividade ao transitar por vários instrumentos e demonstrando apuro técnico neste final de curso, que teve como professor orientador o também percussionista Ricardo Aquino.
O público acompanhou com atenção cada performance do músico, que demonstrou ao longo das apresentações, individuais ou em grupo, sua habilidade e ritmo, compreensão e interpretação das peças, escolhidas de forma a possibilitar, inclusive, melhor avaliação das possibilidades e desenvoltura do formando, que já é aluno do curso de percussão do Bacharelado em Música, que a Fundação Carlos Gomes mantém em parceria com a Uepa.
Participaram como acompanhantes os músicos Ricardo Aquino (vibrafone), Mário Cruz (bateria), Lorena Brabo (percussão múltipla) e Rodolfo Santana (piano), destacando obras pontuais para instrumentos percussivos, como Katamiya (Emmanuel Sejourne), The Connecticut Half Line (W. Ludwig), Etude for four kettle dreams (Paula Culp) e Nayack (David Friedman). A Dois, de Tim Rescala, para dois percussionistas, foi o ponto alto do recital, executada em parceria com Lorena Brabo: a peça utiliza recursos cênicos e a fala é expressa concomitante ao som do instrumento, e retrata a discussão de um casal que quer assistir programas diferentes na TV ao mesmo tempo. Momento impagável, demonstrando o talento do jovem músico.
O concerto foi encerrado com a execução primorosa de Rag Dol Rag, de Harry Breuer, com acompanhamento de piano e bateria, e solo de marimba de Joca Silva. O Ragtime, de ritmo marcante, contagiou os presentes, e a música fechou com chave de ouro a formatura de mais um talento produzido no Conservatório Carlos Gomes.

Texto:
Maria Christina-FCG


Uepa celebra o Dia do Índio
O Dia do Índio, comemorado em abril, será lembrado com uma programação de dois dias realizada pela Universidade do Estado do Pará (Uepa). Nos dias 18 e 19, em vários ambientes do Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE), acontece a programação que tem como tema "Educação, Saúde e Territorialidade Indígena". As atividades são abertas ao público em geral - com exceção de alguns momentos restritos à formação docente. Sete integrantes do povo Tembé estão em Belém desde a terça-feira, 17, por conta do evento, e indígenas de outras quatro tribos localizadas próximo de Marabá devem chegar para o encontro. A pró-reitora de Graduação, professora Ionara Terra, representará a reitora Marília Brasil Xavier na solenidade de abertura, marcada para as 8h do dia 18, no auditório do CCSE.



Emater de Gurupá elabora
mais 50 planos de manejo
de madeira em várzea
Depois de elaborar 11 planos de planejo que resultaram, ao fim do ano passado, nas primeiras aprovações ambientais para exploração em áreas de várzea de Gurupá, no Marajó, o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) está desenvolvendo mais 50 estudos similares para extrativismo de madeira na comunidade ribeirinha Santa Luzia, onde a produção de açaí e a piscicultura sustentáveis, às margens dos rios Moju e Mararu, ainda convivem com dezenas de serrarias familiares ilegais.
“Os planos de manejo organizarão, em termos preservacionistas e de produtividade, os sistemas de extração da madeira. Também ajudarão na legalização das serrarias. Até porque a extração de madeira não é por si só uma atividade criminosa, nem necessariamente predatória. É plenamente possível retirar e comercializar madeira mantendo a floresta em pé, e até reflorestando”, explica o engenheiro florestal Ted Fonseca, chefe do escritório local da Emater.
Pelo menos 20 dessa segunda leva de planos devem ser concluídos ainda este semestre. Os outros 30 estão em fase de inventariado, no qual os técnicos da Emater realizam um levantamento florístico, identificando as espécies existentes – na maior parte, andiroba, macacaúba, pracaúba e virola. Até o final do ano, a Emater apresentará os documentos completos à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), que deve emitir autorizações de exploração florestal. Segundo Fonseca, se aprovados os planos de manejo, as famílias agregarão valor à madeira, qualificando e ampliando o mercado formal, que só absorve produtos certificados



Pará comemora Dia da Hemofilia
Uma intensa programação educacional e recreativa marcou a manhã desta terça-feira, 17, na Fundação Hemopa. As comemorações pelo Dia Mundial da Hemofilia no hemocentro contou com palestras, apresentação do grupo de teatro de “bonecos do Laboratório Beneficente de Belém” e sorteio de brindes entre os mais de 80 pacientes e familiares. O objetivo da atividade foi divulgar informações sobre a doença, as formas de tratamento e as recomendações para que o portador tenha melhor qualidade de vida.
Comemorada em mais de 100 países, a data foi instituída em homenagem a Frank Schnabel, fundador da Federação Mundial de Hemofilia, que nasceu nesse dia. No Brasil, aproximadamente 12 mil pessoas são portadoras de hemofilia, para quem o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece avanços no diagnóstico e tratamento da doença, como a profilaxia primária e imunotelerância. No Pará, os 620 pacientes diagnosticados com a doença recebem atendimento especializado com equipe multidisciplinar composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, odontólogos, fisiatras, fisioterapeutas e pedagogos.
Segundo a presidente da Federação Brasileira de Hemofilia (FBH), Tânia Maria Onze Petrobel, a entidade tem atuado em capacitações de profissionais de todos os Centros de Tratamento DCE Hemofilia (CTH) do Brasil, promovendo simpósios para as diversas especialidades, bem como na estruturação dos comitês técnicos das várias especialidades, para que estejam alinhados com os objetivos da entidade nacional, das associações, e para que proporcionem o melhor tratamento aos pacientes.
Dada a importância da informação no incentivo à busca pelo tratamento ideal e de direito, a FBH distribui materiais educativos para associações, portadores de hemofilia, familiares e profissionais da saúde de todo o País. “Outra ferramenta de grande valia e muito utilizado é o 'Fale Conosco', disponível no site da FBH, que, além de ser um caminho de informação e comunicação, também nos traz o diagnóstico do tratamento no País”, ressaltou, destacando que paralelamente a essas atividades, a FBH tem incentivado a formação de associações nos Estados.
Há cerca de um ano, a FBH lançou o “Hemofilia no Tom da Vida', desenvolvido especialmente para os líderes das Associações Estaduais de Hemofilia de todo o Brasil, com a finalidade de treinar e capacitar as associações para um melhor atendimento aos pacientes e tratadores; assegurar que todos tenham informação adequada; identificar as necessidades dos pacientes hemofílicos; conscientizar o paciente e o familiar da importância da aderência ao tratamento e fortalecer a comunidade hemofílica frente às três esferas do Governo (Municipal, Estadual e Federal), entre outros objetivos.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa



Agricultores da região do
Capim receberão 12
toneladas de sementes de feijão Caupi
Agricultores de sete municípios da região do Capim, no entorno de Paragominas, vão receber do Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Agricultura (Sagri), 12 toneladas de sementes de feijão caupi. A entrega está prevista para o final deste mês. Segundo o gerente regional da Sagri em Paragominas, José Jacó Barroso, trata-se da variedade BR3 Tracuateua, produzida no Estado.
A distribuição de sementes selecionadas vem dando bons resultados para os agricultores familiares da região. Na semana passada, Jacó Barroso visitou a colônia Progresso, localizada no quilômetro 16 da BR-222, à altura do município de Dom Eliseu, onde 12 agricultores receberam 740 quilos de arroz, no início do ano, e já estão se preparando para a colheita. Ele foi acompanhado pela engenheira agrônoma da Secretaria Municipal de Agricultura (Semagri) de Dom Eliseu, Renata Bittencourt Pereira, e pelo agricultor Darci Batista dos Santos, conhecido por eu 'Zico'.
O objetivo da visita foi acompanhar a produção de arroz da variedade Sertaneja, plantada numa área de 12 hectares. A expectativa é de uma produção de aproximadamente 36 toneladas de arroz, que além de abastecer a merenda escolar do município, também vai servir para a produção de novas sementes. Seu Zico, da Associação de Pequenos Produtores Rurais Progresso, diz que as doações tem ajudado a melhorar a qualidade da produção local e também a vida dos agricultores . Além de sementes, os agricultores já receberam máquinas e equipamentos com o apoio do governo federal. No total, quatro mil quilos de sementes básica de arroz da variedade Sertaneja já foram entregues pela Regional da Sagri em Paragominas à Semagri de Dom Eliseu.

Texto:
Raimundo Sena-Sagri



Peritos criminais de Santarém
participam de
reprodução simulada de crime
Peritos criminais da unidade regional do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves em Santarém participam, nesta quarta-feira, 18, de uma reprodução simulada do crime que envolveu um casal de empresários do município - Domingos Paulo Rodrigues (acusado) e Cleidimar Silva (vítima) - ocorrido em 2011. O marido teria assassinado a esposa durante uma briga doméstica.
A reconstituição será acompanhada por sete peritos criminais, o delegado de polícia civil de Santarém, além de advogados do réu, promotor e juiz de direito da cidade, testemunhas e acusado. Uma equipe de policiais civis e militares fará o isolamento do local da ação, que partirá da residência do casal, primeira cena de crime, até o local onde o corpo da vítima foi encontrado, no ramal conhecido como Saubal, seguindo a dinâmica dos depoimentos do acusado e das testemunhas do caso.
Parte dos peritos envolvidos foi designada a acompanhar o caso por ter concluído o curso de “Isolamento e preservação de local de crime” e os demais por possuírem experiência em fotografia e filmagem de cenas de crime com morte violenta, parte fundamental em perícias deste tipo.
A perícia - As reproduções simuladas são realizadas em investigações criminais deste tipo, cujo objetivo final é a emissão de um laudo completo, com imagens filmagens e detalhamento da dinâmica do crime, com base no relato de pessoas atreladas ao caso. Elas são de fundamental importância para esclarecer fatos que acabam gerando dúvidas, já que são embasados em vários depoimentos, com inúmeras versões. O objetivo desta perícia é confrontar as versões de suspeitos e testemunhas com as provas coletadas na cena do crime, apontando, por exemplo, quem são os autores, coautores e participantes de um caso, sendo possível evitar falsas confissões.

Texto:
Nil Muniz-CPC



DECA Marabá comemora
índice zero de homicídios
no primeiro trimestre de 2012
 No dia em que muitos movimentos sociais lembram as mortes de 19 trabalhadores rurais em Eldorado dos Carajás, sudeste do Pará, em episódio que ficou conhecido nacionalmente como o Massacre de Eldorado, há 16 anos, a Delegacia de Conflitos Agrários (Deca), sediada em Marabá, comemora um saldo positivo e há muito não registrado na região: índice zero de homicídios relacionados a disputa de terras em todo o primeiro trimestre de 2012.
 Desde dezembro do ano passado até a primeira quinzena de abril deste ano, nenhuma morte associada a esse tipo de conflito foi registrada nas regiões sudeste e sudoeste do Estado - onde estão localizados municípios como Marabá, Parauapebas, Curionópolis, Altamira, Anapu e Pacajá - que ficaram marcados pela violência agrária. De acordo com o  titular da Deca, delegado Victor Leal, o relatório é resultado de um trabalho de conscientização social e de prevenção de conflitos no campo desenvolvido pela Polícia Civil na região.
 Para o delegado, também foi fundamental para esse resultado o trabalho desempenhado por instituições parceiras da Deca, como a Polícia Militar, Exército Brasileiro, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Poder Judiciário e Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). “Todas fazem parte da junção de forças para redução dos índices de conflitos agrários no Estado”, destaca.
 O último homicídio relacionado à violência no campo ocorreu em novembro do ano passado, em Parauapebas. O saldo é positivo também na comparação com o mesmo período de 2011, quando foram registrados três homicídios nas regiões de atuação da Deca.“A Deca vem implementando uma política de pacificação no campo por meio de operações rotineiras junto aos movimentos sociais, bem como dos empresários rurais”, explica Leal. Ainda, de acordo com o delegado, cada caso sob risco de conflito agrário é submetido a um estudo para se chegar a soluções imediatas. “Mantemos uma relação estreita com o Incra no que diz respeito ao apoio no deslocamento das missões, de forma que os representantes do órgão possam ter acesso à dimensão da situação nas áreas rurais dessas regiões”, assevera.
 Em outubro do ano passado, uma equipe da Deca de Marabá realizou uma série de operações na zona rural do sudeste e sudoeste do Estado, com objetivo de prevenir os conflitos agrários. Uma dessas ações ocorreu na área da fazenda Bela, zona rural de Breu Branco, sudeste do Pará. No local foram apreendidas duas armas de fogo. A abordagem à propriedade atendeu às diretrizes da política de prevenção implementada pela Deca na região, já que no local está situado o acampamento Perpétuo do Socorro, onde estão 48 famílias assentadas.
 Na ocasião, o delegado apurou que estaria ocorrendo um conflito interno entre os integrantes, em função da disputa pela liderança do acampamento. Além das armas, foram encontrados estojos de munições já deflagradas com os assentados. A equipe da Deca reuniu com as lideranças do acampamento na sede da Delegacia de Breu Branco, em audiência, para resolver o impasse entre as partes. Para titular da Deca, graças à iniciativa foi possível chegar a um entendimento entre os líderes, que se comprometeram em evitar conflitos armados. Em outra operação, realizada em fevereiro deste ano, a equipe da Deca apurou denúncias de disparos de armas de fogo no interior da fazenda Mutamba, a 25 quilômetros de Marabá. Na época, os policiais constataram os fatos relatados e prenderam em flagrante dois homens que portavam armas ilegais.
 "É uma diretriz de pronta resposta da Deca àqueles que optam por transgredir a lei na área rural, para reduzir o sentimento de impunidade e provar que a Polícia pode se fazer presente até nos locais de accesso mais dificil", ressaltou Victor Leal, lembrando que a Delegacia de Conflitos Agrários atua em todos os municípios da região sudeste e sudoeste, mesmo nas localidades distantes da sede, em Marabá. “O que nos importa não é a distância a ser percorrida, mas a imediata e satisfatória resolução do conflito agrário, esteja onde estiver”, salientou o delegado.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil



Governo do Estado nomeia
81 novos servidores para
a Defensoria Pública
O governador Simão Jatene nomeou, no último dia 13 de abril, 81 servidores aprovados no Concurso Público C-119 da Defensoria Pública do Estado. Eles proverão cargos de nível médio e fundamental, distribuídos nas funções de assistentes administrativos (65) e auxiliares operacionais (16). As nomeações atendem ao limite das vagas disponibilizadas no edital do concurso, respeitando, ainda, eventuais reposições por pedidos de exonerações de outros servidores nomeados anteriormente.
Para o sub-defensor geral Luís Carlos Portela, a nomeação pode ser considerada histórica. "A Defensoria Pública do Estado nunca teve tantas pessoas nomeadas em um único ato administrativo. Com isso, encerramos mais um ciclo na gestão interna do órgão, resgatando o compromisso de empossar todos os aprovados no certame."
De acordo com o Defensor Público Geral do Estado, Antônio Roberto Cardoso, com essas nomeações a instituição passa a contar com um número maior de servidores, o que tornará mais ágil o atendimento aos assistidos, e cumpre mais uma meta contida no Planejamento Estratégico Institucional, que já tem mais de 90% do seu cronograma interno executado.
“Recebemos os novos servidores com braços abertos e esperamos que eles possam desenvolver suas funções com prazer, pois um bom trabalho só pode ser realizado quando é feito com dedicação, e que tenham sempre como prioridade o acolhimento aos nossos assistidos, que são a verdadeira razão da nossa existência”, finalizou Cardoso. A íntegra do Decreto pode ser acessada nos sites da Imprensa Oficial do Estado (http://www.ioepa.com.br/2012) e da Defensoria Pública (www.defensoria.pa.gov.br).

Texto:
Gilla Aguiar-Defensoria Pública



CURSO DE CAPELANIA



A ABECAS tem a grata satisfação de anunciar que no próximo dia 21.04.12 (sábado) estará realizando mais um curso de capelania, desta feita em parceria com a CGEMEB - CONVENÇÃO GERAL DE MINISTROS E MINISTÉRIOS EVANGÉLICOS NO BRASIL. (anúncio em anexo)
Temos vagas limitadas no valor de R$ 150,00 (podendo a inscrição ser paga com CARTÃO DE CRÉDITO ou DÉBITO)
Solicitamos aos nossos associados a divulgação do curso.

Att. Pr. Janildo Monteiro
Pres. ABECAS

OBS: Maiores informações entrar em contato direto com os organizadores. Leiam anúncio anexo com os respectivos telefones.


Semana dos Povos Indígenas
inicia com campeonato
de futsal feminino e masculino
Os nomes dos times confundiriam facilmente mesmo um experiente narrador de jogo de futebol. Apexti, Moxkarakô, Pyaararakc, Kwatine, Gorotiqe, Laskasa e Krikrejum. Essas foram as tribos que disputaram na manhã desta terça-feira, 17, as partidas de futsal feminino e masculino na programação da Semana dos Povos Indígenas, que acontece rem São Félix do Xingu.
As índias foram as primeiras a jogar. Vestidas com bermuda jeans, a blusa de seus times, descalças e com seus tradicionais acessórios indígenas, elas apresentaram um verdadeiro espetáculo na quadra esportiva do município. “Nós gostamos muito de futebol. Primeiro foram os homens que aprenderam a jogar com os brancos e depois nós ensinamos para as nossas mulheres. Tem índia que joga muito melhor do que muito homem por aí”, brincou Aneadsa Kayapó, um dos organizadores do campeonato de futsal.
Enquanto a partida se desenrolava na quadra, nas arquibancadas centenas de índios torciam, gritavam e dançavam a cada gol marcado. “Nós somos acostumados a jogar cada um em sua aldeia, no meio do mato, sem muita gente para torcer. Aqui estamos tendo a oportunidade de reunir as aldeias e torcer todos juntos pela nossa etnia. Afinal, podemos ser de aldeias diferentes, mas somos todos Kayapós”, enfatizou Aneadsa.
Bastidores – Do lado de fora da quadra de esportes, era possível encontrar índios por toda a parte. Eles aproveitam o momento para reencontrar parentes e amigos que não viam há algum tempo. As mulheres, por sua natureza mais sensível, são as que mais se emocionam ao rever pessoas queridas. “Apesar de cada um viver em uma tribo, nós somos  muito unidos e lutamos juntos pela preservação das nossas tradições, Nós, Kayapós, somos a etnia mais unida do país”, explica o líder da nação Kayapó no Brasil, Akiaboro Kaiapó.
Os índios também aproveitam os intervalos das partidas de futsal para mostrarem uma de suas artes tradicionais, que é a pintura corporal. Eles oferecem ao público que acompanha o evento diversas opções de desenhos corporais. “É muito bom ter uma oportunidade como essa de poder conhecer e chegar mais perto da cultura indígena”, disse a comerciante Mara Soares, moradora do município de Xinguara.
Programação – A abertura oficial da Semana dos Povos Indígenas acontecerá na noite desta terça-feira, 17, às 20h, no ginásio de esportes da cidade. Na manhã de quarta-feira, as competições esportivas continuam com as modalidades de arco e flexa, vôlei masculino, dama, sinuca e cabo de guerra. À noite, serão realizadas as atividades culturais com a apresentação de cantores indígenas e o concurso para a escolha da Miss Kayapó 2012.
Nos dias 18 e 19, o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), disponibilizará o serviço de emissão de documentos de identidade e carteiras de trabalho. A Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) está presente na programação, oferecendo à comunidade local e aos indígenas que participam da Semana o projeto de Mídia Popular "Biizu", que promove oficinas de web, audiovisual, fotografia, rádio, desenho e grafite.

Texto:
Bruna Campos-Secom



Fundação Curro Velho
inicia capacitação de
instrutores em arte
 Até próxima sexta-feira, 20, cerca de 15 arte educadores participam da oficina Fundamentos de Arte e História da Arte, ministrada na Fundação Curro Velho. O objetivo é capacitar instrutores que tenham interesse nas artes. Segundo Ednaldo Britto, que ministra a oficina, o público principal são pessoas que buscam ampliar o aprendizado teórica nessa área. “Esse curso tem como propósito ampliar os referenciais e fundamentos teóricos dessas pessoas. Alguns já são estudantes de Arte, outros são profissionais liberais, artistas ou  instrutores - que ainda estão ou já passaram pela Fundação”, destacou.
 Dentro do programa de ensino serão trabalhados os fundamentos de Arte e História da Arte, a partir de uma metodologia que vai destacar movimentos sociológicos dessa, a visão do artista e sua produção dentro do contexto social. O profissional liberal Silvio Pinto, que pela primeira vez tem contato com o trabalho da Fundação Curro Velho, é um autodidata. Ele pinta e desenha desde criança e pretende aperfeioçar o que já sabe nas oficinas. "Já fui instrutor antes, mas não aqui. Com essa oficina, pretendo deixar minha proposta para a direção da casa", adianta o artista.
 A oficina Fundamentos da Arte e História da Arte tem duração de uma semana. A Fundação Curro Velho pretende prosseguir com essas ações, capacitando novos instrutores para a Instituição.


Texto:
Andreza Gomes-FCV



Catadores de caranguejo de
Santarém Novo são
oficializados como extrativistas
Na última segunda-feira, 16, em reunião no Escritório Regional de Santarém Novo, município do nordeste paraense, 298 famílias catadoras de caranguejo da comunidade Santo Antônio de Trombetas foram oficializadas como “extrativistas” da reserva Chocoaré-Mato Grosso, criada em 2002. O processo de cadastro e qualificação de cada agricultor familiar desse grupo – com pesquisa socioeconômica, georreferenciamento das propriedades e confirmação de perfil produtor – foi iniciado em novembro do ano passado, com a participação do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e deliberação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio).
A partir do estatus legitimado de “extrativistas” ante o poder público, as famílias passam a ter benefícios específicos, como ampliação das linhas de crédito rural pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e apoio à habitação pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). As famílias agora indicadas vivem, além do extrativismo de caranguejo, da pesca artesanal e de roças de mandioca.
A reserva do Chocoaré–Mato Grosso está localizada no entorno do rio Maracanã, representando uma área considerável de manguezal e reunindo, em quase três mil hectares, mais de 2.500 ribeirinhos, de 17 comunidades. Mais de 50% deles já foram reconhecidos como “extrativistas”. De acordo com a socióloga Ângela Ruth Sulaiman, chefe do escritório local da Emater, com essa condição os agricultores podem ser contemplados com Pronafs de até R$ 20 mil, principalmente para projetos de beneficiamento de mandioca. “Nossa assistência continuada é justamente no sentido de profissionalização, geração de renda, educação ambiental e diversificação das atividades”, explica.

Texto:
Aline Miranda-Emater



Arquivo Público do Pará
lança catálogo de acervo raro
Como parte das comemorações pelos seus 111 anos, o Arquivo Público do Estado do Pará lançou, na última segunda-feira, 16, o Catálogo de Documentos Manuscritos do Período Colonial (1649-1823). O documento é o produto final do projeto “Preservação e Acesso: Digitalização da Documentação da Colônia”, realizado pela Associação dos Amigos do Arquivo Público do Estado do Pará (Arqpep) e com patrocínio do Edital Caixa Cultural.
Durante a vigência do projeto, de 12 meses, foi possível equipar e modernizar o Arquivo Público para promover a preservação, conservação e a digitalização do Fundo Secretaria da Capitania, a mais antiga documentação do acervo da instituição e que foi reconhecida pela Unesco com o selo “Memory of the World – MoW” devido ao seu inestimável valor histórico e cultural.
O lançamento contou com a presença do diretor do Arquivo Público do Estado do Pará, Eduardo Pinheiro; do presidente da Associação dos Amigos do Arquivo Público do Estado do Pará, Fernando Arthur, e do presidente da Imprensa Oficial do Estado do Pará (Ioepa), Luís Cláudio Rocha. Eduardo Pinheiro falou sobre o encerramento do Projeto da Arqpep com a Caixa, que proporcionou uma modernização do Arquivo com equipamentos de ponta para este e futuros projetos de digitalização. Ele ressaltou também a parceria com a Imprensa Oficial, que editou o Catálogo e firmou parcerias com o Arquivo Público do Estado, e mencionou futuros projetos do Arquivo, como o edital de publicação de artigos científicos e o concurso de redação para alunos do ensino público.
Fernando Arthur ressaltou a importância da Arqpep para a modernização do Arquivo Público e capacitação dos funcionários, porém frisou a necessidade de expandir as ações para fora da área de atuação. “É importante que os projetos desenvolvidos não fiquem só com historiadores e arquivistas, mas também com a sociedade em geral”, afirmou.
Já o presidente da Ioepa ressaltou a parceria com o Arquivo Público, que está assessorando o órgão na preservação de parte do seu arquivo. Em sua fala, Cláudio Rocha ainda traçou um paralelo entre as duas instituições. "O Arquivo Público guarda uma parte importante da memória do nosso estado e a Ioepa, que edita há mais de um século o Diário Oficial, também registra essa memória".
O catálogo apresenta os 768 códices e 11 séries de documentos avulsos que fazem parte do Fundo Secretaria da Capitania, apresentando os nomes das séries, seus respectivos números, períodos e os códigos para a consulta de cada um deles. Desta vasta documentação, mais de 10 mil imagens já estão disponíveis para consulta digital no Prédio do Arquivo Público. Parece muito, mas esse número representa menos de cinco por cento da totalidade dos documentos do Fundo. No futuro, pretende-se digitalizar todo o acervo do APEP, acabando a com a realização de pesquisa através do meio papel e, assim, preservando os originais.
Os catálogos serão distribuídos para todos os Arquivos Públicos nacionais. O pesquisador que estiver interessado em adquirir uma cópia gratuita do documento pode retirá-la na sede do Arquivo Público do Pará, localizada à Travessa Campos Sales, 273, bairro da Campina.

Texto:
Antonio Pacheco Neto-Secult



Policiais do GPE treinam
juízes para manuseio de armas
Quatro juízes do Poder Judiciário do Estado do Pará iniciaram, nesta segunda-feira, 16, um treinamento teórico e prático para manuseio de armas de fogo curtas, como revólver e pistola, na sede da Polícia Civil. O curso é ministrado pelos investigadores Ivander Martins, Pery Ubiratan Vasconcelos e Marcos Sena, do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), da Polícia Civil.
Os juízes Rogério Cavalcante, Wagner Soares e Adriano Farias, da Vara de Combate ao Crime Organizado e Entorpecentes, e Haila Haase, da Vara do Distrito de Mosqueiro, passarão uma semana em treinamento, onde receberão orientações sobre manuseio e manutenção do armamento em primeiro escalão (manutenção básica), e noções teóricas e práticas sobre saque, empunhadeira e tiro ao alvo. Recém ingressos na magistratura, por meio do último concurso, realizado em 2009, os juízes terão também aulas práticas. Nestas quinta e sexta-feiras, eles participarão de treinamento em estande de tiros.
De acordo com o juiz Rogério Cavalcante, o treinamento atende solicitação do Judiciário feita diretamente ao delegado-geral da Polícia Civil, Nilton Atayde, e com a intermediação do delegado Cláudio Galeno, titular do Núcleo de Inteligência Policial, para que passassem pelo treinamento para manuseio de armas de fogo.



Policiais Civis recebem
técnicas de primeiros-socorros
A Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros do Pará promovem nos dias 25, 26 e 27 deste mês um curso intensivo de primeiros-socorros voltado especificamente para policiais civis da área operacional. Serão ofertadas, ao todo, 40 vagas para os servidores. A promoção é da Assessoria de Relações Interinstitucionais (Arin), da Polícia Civil, e do Comando Geral do Corpo de Bombeiros. O curso, que terá aulas tanto teóricas quanto práticas, será ministrada pelos bombeiros militares, sargento Edmilson Lima e major Quaresma, no auditório principal da Delegacia-Geral, na Avenida Magalhães Barata, em Nazaré.




Eduepa funciona em
novo endereço
A Universidade do Estado do Pará (Uepa) informa que sua editora universitária, a Eduepa, está funcionando provisoriamente na rua Dom Romualdo Coelho, 810, entre Jerônimo Pimentel e Bernal do Couto, no bairro do Umarizal, enquanto que seu prédio-sede passa por reformas, e ainda que lá está disponível para venda a obra "Primeira Manhã", do escritor paraense Dalcídio Jurandir, que é leitura obrigatória dos Processos Seletivos 2013 da instituição (Prosel e Prise).



Carteiras Intermunicipais já
estão disponíveis na DCA/Uepa
A Diretoria de Controle Acadêmico (DCA) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) informa que as carteiras de meia-passagem intermunicipais, gerenciadas pela Agência de Regulação de Serviço Público do Estado do Pará (Arcon), estão disponíveis a todos os alunos de graduação e pós-graduação que solicitaram a identificação. Para retirar a carteira, basta comparecer à Diretoria, localizada no prédio da Reitoria, no bairro do Telégrafo, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, munidos da Carteira de Identidade. Quem tiver dúvida sobre a retirada do documento pode conferir a relação dos beneficiados, anexada em frente à DCA, ou entrar em contato pelo fone (91) 3244-8176.




DOE traz nomeação do
primeiro secretário
estadual de turismo do Pará
Foi publicada na edição desta terça-feira, 17, no Diário Oficial Estado (DOE) decreto do governador Simão Jatene que nomeia o médico e gestor público Adenauer de Oliveira Góes, o primeiro secretário de Turismo do Pará. A nomeação esta de acordo com o artigo 135 da Constituição Estadual, seguindo a Lei nº 7.593, de 28 de dezembro de 2011. O governador formalizou na manhã da última quinta-feira, 12, no Palácio dos Despachos, convite oficial para que Adenauer Góes assumisse o cargo de secretário de Estado de Turismo do Pará. Na oportunidade também houve a formalização de que Socorro Costa, administradora e especialista em gestão pública, assumirá a presidência da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), em substituição a Adenauer.
A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) foi oficialmente criada em 29 de dezembro de 2011, com a publicação, no Diário Oficial do Estado do Pará  da Lei Nº 7.593, de 28 de dezembro de 2011, através da qual o governador Simão Jatene criou o Sistema Estadual de Gestão do Turismo (Segetur), ao qual está ligada a referida secretaria. O projeto de lei foi aprovado em primeiro turno na Assembleia Legislativa do Pará, no dia 15 de dezembro, e veio atender demanda do trade turístico e de toda a sociedade do Pará, que sempre ansiou por uma secretaria capaz de impulsionar políticas públicas de investimento no setor.
O Segetur tem por missão institucional promover o desenvolvimento turístico no Estado do Pará, de forma integrada e articulada, com os órgãos que o compõem: Fórum de Desenvolvimento Turístico do Estado do Pará (Fomentur); Companhia Paraense de Turismo (Paratur) e Secretaria de Estado de Turismo (Setur). Através dos órgãos que o compõem, o Segetur tem por missão propor a política estadual de desenvolvimento do turismo; promover e divulgar o turismo do Estado do Pará no país e no exterior; estimular as iniciativas públicas e privadas de incentivo às atividades turísticas; planejar, coordenar, supervisionar e avaliar os planos e programas de incentivo ao turismo.
A Secretaria de Estado de Turismo (Setur), órgão da administração direta, vinculada à Secretaria Especial de Estado de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção (Sedip), é também o órgão central do Sistema Estadual de Gestão de Turismo, cuja atuação está voltada para a observância e o cumprimento de sua finalidade institucional e das funções desenvolvidas pelos órgãos integrantes do sistema.  Surge com a finalidade de planejar, coordenar e gerenciar a política de desenvolvimento turístico no Estado do Pará.
Fomentur
Atualmente presidido pelo gestor da Companhia Paraense de Turismo, Adenauer Góes, o Fomentur tem por finalidade auxiliar o Secretário de Estado de Turismo na proposição da Política Estadual de Turismo e na execução de ações estratégicas de turismo do Estado do Pará, bem como dos programas, projetos e atividades deles derivados. É formado por mais de 40 entidades de classe e representativas do poder público, imprensa, setor empresarial e organizações não governamentais, que através de reuniões ordinárias e extraordinárias garantem o aconselhamento do gestor quanto as ações, programas, projetos, ações, serviços e outros que beneficiam o setor.
A Companhia Paraense de Turismo (Paratur), criada em 1971 ainda como uma loja de comercialização de produtos artesanais e que posteriormente evoluiu internamente para a missão de promover, fomentar, divulgar, articular e dar outras providências quanto ao turismo do Pará, a partir da criação do Segetur, tem como finalidade estimular e promover o desenvolvimento da cadeia produtiva de turismo, desenvolver o marketing turístico e as estratégias de comunicação do Pará, no Brasil e no exterior, assim como organizar produtos e destinos orientados ao mercado.
Tanto a Paratur, Fomentur quanto a recém criada Setur devem somar esforços para garantir a execução do Plano Estratégico do Turismo do Pará, “Ver-o-Pará”, também lançado no final de 2011, que representa o resultado de um pacto da gestão pública, do empresariado, da sociedade em geral pelo turismo. O Plano, como explica Adenauer Góes, criado com apoio da consultoria da empresa espanhola Chias Marketing, contempla nove macroprogramas que vão direcionar os novos rumos do turismo paraense, com 42 projetos de desenvolvimento turístico e 26 projetos voltados para ações de marketing. A estrutura da  Secretaria de Estado de Turismo (Setur) envolve 64 cargos comissionados, entre secretário, assessores, gerentes, diretores e técnicos.  Os recursos previstos para funcionamento inicial da Setur somam R$ 3.487.870,00.

Texto:
Benigna Soares-Paratur



Gestores da Segup fazem
visita técnica ao Centro
de Perícias Científicas
Uma comissão liderada pelo secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, e composta por todos os gestores de órgãos que integram a Segup fazem, nesta terça-feira, 17, uma visita técnica ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, com o objetivo de acompanhar as obras de melhorias na infraestrutura que vem sendo executadas no prédio-sede do órgão, em Belém. Desde o início deste ano as reuniões passaram a ser itinerantes, ocorrendo cada mês em uma instituição diferente.
Recepcionada pelo diretor geral do Centro de Perícias Renato Chaves, o perito criminal Orlando Salgado, a comitiva - integrada por representantes das Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) e Departamento de Trânsito do Pará (Detran) - percorreu todas as instalações da unidade. O Laboratório Forense do CPC foi o local que despertou mais interesse dos gestores. O novo setor já está em fase de obras e sua inauguração está prevista para o final de maio. Nele, serão realizados todos os procedimentos de perícias físicas, químicas e biológicas, com o suporte de equipamentos de alta tecnologia e um moderno laboratório de DNA, planejado para ser um dos melhores do Norte e Nordeste do país.
Além do prédio-sede lcoalizado na capital, as Unidades Regionais (UR) também estão recebendo melhorias. O CPC de Santarém, que há anos não recebia investimentos, passou por uma reforma total, assim como as unidades de Marabá e Castanhal, que vão ganhar novos espaços. A UR de Castanhal contará com uma nova sala de necrópsia, uma ala específica para alojar cadáveres em decomposição, laboratório de Raio-x e um setor de balística forense. O prédio passará por uma revitalização externa e a recepção será ampliada e climatizada. Outra UR que nunca havia passado por reforma desde a sua implantação é a de Marabá, que já está em obras para recuperação das partes externa e interna, além da construção de uma Sala de Balística.

Texto:
Nil Muniz-CPC



Hemopa comemora
um ano do BSCUP
Nesta quarta-feira, 18, a Fundação Hemopa vai comemorar o primeiro ano de funcionamento de seu Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário (BSCUP), único na Região Norte. A comemoração acontece de 9h as 11h, no auditório da Fundação Hospital de Santa Casa de Misericórdia do Pará (FHSCMP), onde o hemocentro coleta bolsas de sangue de cordão umbilical de bebês nascidos naquela maternidade. Os dados dos materiais já fazem parte da lista nacional da Rede Brasilcord, que foi criada pelo Ministério da (MS) para ampliar esse serviço no país e aumentar as chances de quem precisa encontra doador compatível.
Segundo a responsável técnica pelo BSCUP, Dra. Ana Luísa Langanke Meireles, a comemoração reunirá os técnicos das duas instituições parceiras, aos quais a Fundação Hemopa e a Santa Casa de Misericórdia parabenizam pelo sucesso do procedimento da coleta, que atendeu ao período de validação e o congelamento das unidades coletadas. O hemocentro serviço possui equipamento (bioarquivo) com capacidade de armazenamento para 3.600 amostras de sangue de cordão umbilical. Atualmente, ele reserva 22 bolsas armazenadas para atendimento. A primeira unidade coletada foi de um bebê cuja mãe é de São Domingos do Capim.
Atualmente há 11 Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentários espalhados pelo país. Além do Hemopa, há unidades implantadas em Fortaleza (CE), Recife (PE), Brasília (DR), Lagoa Santa (MG), Centro (RJ), Ribeirão Preto (SP), Campinas (SP), Curitiba (PR), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS). No dia 1º de junho será inaugurado mais um banco, em Brasília (DF), e no dia 8 do mesmo mês, outro em Fortaleza (CE). A Rede Nacional BrasilCord tem o objetivo de coletar sangue umbilical com a maior diversidade possível, para aumentar cada vez mais as chances de encontrar doadores para pacientes que precisam de transplantes de medula óssea, além de aumentar de 35% para 90% as chances de encontrar doador compatível.
Quem pode participar do programa: gestantes com idade acima de 18 anos e que tenham, no mínimo, duas consultas pré-natais documentadas; idade gestacional igual ou superior a 35 semanas; bolsa rota (rompida) há menos de 18 horas; trabalho de parto sem anormalidades; e ausência de processo infeccioso e ou doença durante a gestação que possa interferir na vitalidade placentária.




Banpará reduz taxa de juros
para empréstimo consignado
O Banco do Estado do Pará (Banpará) reduziu as taxas de juros. Desde a segunda-feira, 16, as tarifas de empréstimos consignados, que antes variavam entre 1,5% e 1,8%, com prazo de 60 meses para servidores públicos, passaram a vigorar de 0,83% e 1,79% ao mês. O presidente da instituição, Augusto Sérgio Amorim Costa, explica que o banco pratica taxas competitivas em relação às demais instituições financeiras e, em alguns casos, atua até mesmo abaixo das praticadas pela concorrência. Uma das modalidades que sofreram reduções nas taxas de juros foi o empréstimo consignado.
Ainda de acordo com o presidente, outra novidade do Banpará é na modalidade CDB pós-fixado, que é um investimento de baixo risco. O banco passou a utilizar uma ferramenta que permite ao gerente de agência fazer uma simulação de rendimentos no ato da contratação, informando aos clientes a rentabilidade do investimento, de forma prática e rápida. O Banpará também será o primeiro no Brasil a implementar o terminal Cash-less. Sistema de pagamento portátil, o equipamento servirá para estimular o uso do Internet Banking.  Outra novidade é que, já em maio, estará disponível um aplicativo para acesso ao Internet Banking Banpará por meio de tablets (Apple e Android).
Em busca de mais segurança para seus clientes, o Banpará também vai alterar esta semana a senha alfa, ou seja, a senha alfabética que é solicitada em operações no caixa eletrônico. A alfa passará a ser uma senha silábica, o que dará mais opções ao cliente e aumentará a segurança nas operações feitas em terminais cash. Todas essas ações ocorrem, segundo o presidente, simultaneamente ao plano de expansão do banco estadual. “Pretendemos expandir nosso campo de atuação, levando nosso atendimento para mais 28 municípios em que ainda não estamos presentes, contribuindo, desta forma, para inclusão bancária da população do Estado e democratizando o crédito”, diz Amorim.
O presidente do Banpará lembra que, em parceria com a TecBan, o Banpará já oferece 42 mil pontos de atendimento em todo o Brasil por meio do Banco 24 horas e da Rede Compartilhada com o SantanderReal, HSBC, Banestes, Banco da Amazônia, Banco Mercantil do Brasil, Itaú, Citibank, Safra e Sicred.

Texto:
Yedda Bevilacqua-Banpará



Remo define a sorte na Copa
do Brasil 2012 nesta quinta
O Remo está classificado para a final do segundo turno, onde joga contra o Águia, no domingo, 22, em Marabá. Mas antes disso, na quinta, 19, o time azulino faz a segunda partida da Copa do Brasil contra o Bahia. Na semana passada, em Belém, o clube paraense venceu por 2 a 1 e agora joga pelo empate, em Salvador. Com o time completo para esta partida, o técnico Flávio Lopes tem apenas uma dúvida: se vai ou não poder contar com atacante Joãozinho, que no jogo de ida, em Belém, saiu machucado de campo e também não atuou no domingo contra o São Francisco.
Pelo lado do Bahia, que também está classificado para as semifinais do campeonato baiano, o técnico Falcão prefere esquecer o Vitória da Conquista, adversário do próximo domingo, e voltar as atenção para a Copa do Brasil. E faz um apelo a torcida tricolor. "Às 21h30 da próxima quinta-feira eu falo do Vitória da Conquista. Até lá, o foco é o Remo e a classificação na Copa do Brasil. Vamos começar o trabalho já na manhã desta terça e contamos com a presença do nosso torcedor para lotar o Pituaçu na quinta-feira. No jogo em Belém a torcida deles fez a diferença; espero que nosso torcedor faça o mesmo", disse.
O jogo contra o Bahia começa às 19h30, no estádio de Pituaçu, em Salvador. O árbitro da partida será o carioca/FIFA Marcelo de Lima Henrique.

Texto:
Bernardo Tommaso-Seel



Carta da Amazônia será
discutida em consultas
públicas no Pará
Já está disponível no site da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) a versão preliminar Carta da Amazônia, um documento elaborado pelo povo da própria região, que vai mostrar ao mundo os reconhecimentos, compromissos e as demandas da sociedade amazônica. A Carta será apresentada na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20, em junho deste ano. A versão preliminar, elaborada pelo Pará e os outros oito Estados que compõe a Amazônia Legal, será discutida em consulta pública, de forma democrática, para garantir a inclusão popular.
O Estado do Pará, por meio da Sema e da Secretaria Extraordinária do Programa Municípios Verdes (PMV), realizará quatro Consultas Públicas, nos municípios de Santarém, Marabá, Altamira e Belém, a fim de que os mais diferentes segmentos sociais possam participar e contribuir ativamente com a proposta do Estado para a Carta, que será finalizada em um grande evento em Manaus, dias antes da Rio+20.
Podem participar das consultas os trabalhadores; sindicatos; mulheres, crianças e jovens; povos nativos; agricultores; comunidade científica e tecnológica; autoridades locais; pessoas que atuam em negócios e indústria; e organizações não governamentais. Os locais das consultas e as datas ainda serão definidos.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema



Biopalma pede parceria do
governo do Estado para
projeto de Biodiesel
O governo do Estado e a Biopalma da Amazônia iniciaram negociação de parceria para aumentar a produção de biodiesel a partir do óleo de palma. O projeto da empresa, controlada pela Vale, é incluir maior número de agricultores familiares no processo de produção do dendê. O assunto foi discutido nesta segunda-feira, 16, na Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri).
O gerente de Meio Ambiente e Agricultura Familiar da Biopalma, Eduardo Leão, informou que pretende incentivar o cooperativismo como forma de organizar os agricultores e facilitar a inclusão das famílias no processo industrial da cultura. A meta da empresa para este ano é incluir 500 produtores, dos quais 300 já estão cadastrados nos municípios de Moju e Abaetetuba. Até março de 2013 serão duas mil famílias produzindo em 80 mil hectares.
A diretora adjunta da Sagri, Eliana Zacca, que presidiu a reunião, incentivou a diversificação do plantio com a inclusão de outras espécies como fruteiras, para aumentar a renda dos produtores e fixar o homem no campo. “O agricultor passará a ser um empreendedor e para isso receberá novos conhecimentos por meio da capacitação”, explicou Eliana Zacca.
Alexandre Galvão, gerente de Produção Vegetal da Sagri, propôs a assinatura de um Termo de Cooperação Técnica para definir as atribuições da Biopalma e dos órgãos do governo que serão envolvidos na parceria. “O termo permitirá a expansão do projeto para outras atividades com a absorção dos produtos pela Biopalma”, acrescentou Galvão.
Participaram também da reunião o gerente de Estudos do Agronegócio da Sagri, Sergio Menezes, e a coordenadora de Envolvimento Social da Biopalma, Juliana Magalhães. Uma nova reunião será marcada para definir os novos passos da parceria entre o governo do Estado e a Biopalma na produção do biodiesel no Pará.

Texto:
Leni Sampaio-Sagri



Programação no Hemopa
lembra o Dia
Internacional da Hemofilia
Foram os hematomas pelo corpo que levaram a dona de casa Jane Cibele dos Anjos a desconfiar que a filha, de apenas 8 meses, tivesse algum problema de saúde. Os exames confirmaram a suspeita. Jéssica dos Anjos, hoje com 19 anos, é portadora de hemofilia, doença que atinge dez mil brasileiros e mais de 600 pacientes somente no Pará.
A descoberta da doença ainda na infância possibilitou o tratamento e a administração da medicação lhe rendeu uma vida normal. A maior vitória, segundo ela, foi a maternidade, um sonho que até então parecia impossível. “Os médicos diziam que se eu viesse a menstruar, poderia morrer. Tive uma filha de parto cesárea, que hoje tem 1 ano, e aqui estou, viva e feliz”, comemora.
No Pará, dos 32.199 pacientes hematológicos cadastrados na Fundação Hemopa, 620 são pessoas com hemofilia que recebem tratamento especializado por uma equipe multidisciplinar. Nesta terça-feira (17), uma programação especial vai comemorar o Dia Internacional da Hemofilia, instituído com a finalidade de divulgar informações sobre a doença, tratamento e forma de vida saudável que todo portador pode ter se seguir todas as orientações médicas. O Brasil ocupa a terceira posição no ranking mundial da patologia.
A programação do Hemopa inclui ciclo de palestras e ações recreativas de 8 horas ao meio-dia, voltada para pacientes e familiares. Às 8h30, haverá credenciamento e distribuição de pastas e materiais educativos. Em seguida, acontece a programação recreativa, de 10h30 às 11h30, com grupo de teatro de bonecos do laboratório Beneficente de Belém, e sorteio de brindes, além de lanche especial aos participantes.
Doença – A hemofilia é um distúrbio hereditário que se origina de um defeito da coagulação sanguínea, provocando sangramento. O corpo depois de uma lesão depende da coagulação do sangue para parar o sangramento. A coagulação normal previne as equimoses (manchas roxas) e o sangramento dentro dos músculos e articulações, que poderiam ser o resultado de pequenas lesões em consequência das atividades da vida diária.
Isso depende de elementos do sangue que são chamados fatores de coagulação. Se um desses fatores não estiver presente em quantidade suficiente, pode acontecer um sangramento excessivo. Uma pessoa com hemofilia tem menor quantidade ou ausência de alguns fatores da coagulação.
A doença tem dois tipos mais comuns: o A, conhecido como clássico, devido à deficiência Fator VIII (FVIII), e a Hemofilia B, conhecida como Fator Christmas, que ocorre em função de uma deficiência do Fator IX (FIX). A doença afeta quase exclusivamente os homens e atinge todas as populações. É transmitida por mulheres que normalmente não têm problemas de sangramento.
Por ser uma doença hereditária relacionada ao cromossomo X, a hemofilia é transmitida por um homem hemofílico ou por uma mulher portadora do gene com essa informação, aos seus descendentes. A ocorrência no Brasil é de um caso em cada dez mil habitantes.
Os primeiros sintomas hemorrágicos da hemofilia podem ser percebidos desde a infância. Um pequeno traumatismo pode desencadear dor intensa, hematomas, episódios hemorrágicos nos músculos e articulações. Segundo a hematologista e pediatra do Hemopa Saide Maria Sarmento, até mesmo no teste do pezinho é possível identificar a doença.
“No teste do pezinho, muitas vezes o sangramento não para. Isso é um sinal. Os pais também podem observar nos primeiros meses de vida, quando a criança começa a tentar a andar e a cair, e daí se formam hematomas, aumento das articulações. É hora de procurar um especialista”, orienta. O tratamento para hemofilia é oferecido gratuitamente pelo Ministério da Saúde e envolve transfusões de plasma para a reposição do fator da coagulação deficiente.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom


Etnia Kayapó está na Semana
dos Povos Indígenas com
quase 4 mil representantes
Duas balsas, 15 barcos e 20 lanchas (voadeiras), conduzindo índios de 15 aldeias da etnia Kayapó, ancoraram no trapiche da sede municipal de São Félix do Xingu, no sul do Pará, no final da tarde desta segunda-feira (16). Cerca de 4 mil índios estão no município para participar da quarta edição da Semana dos Povos Indígenas, evento que será aberto nesta terça-feira (17). Os participantes são oriundos de aldeias próximas aos rios Xingu e Fresco, distantes cerca de 10 horas de barco da cidade.
Moradores, turistas e jornalistas, da imprensa nacional e internacional, acompanharam a chegada dos índios. Ao descerem das embarcações, os representantes de cada aldeia apresentaram seus rituais, com danças e cantos. Enfileirados e de mãos dadas, os índios entraram na cidade sempre com o cacique da tribo à frente. Mulheres e crianças vieram em seguida, e por último os homens. “Cada aldeia tem a sua dança e a sua própria música. A dança logo na chegada da cidade é uma forma de apresentar para a população uma prévia do que será mostrado durante a semana indígena”, explica Mydjere Kayapó, um dos organizadores do evento.
Após a apresentação das danças, os índios retornaram às embarcações para retirar as bagagens. As mulheres, mesmo segurando os filhos no colo, carregam os objetos mais pesados. “Os homens devem sempre ficar com as mãos desocupadas por uma questão de proteção. Eles geralmente carregam as armas, como arco e flecha, para proteger a mulher e os filhos no caso de algum perigo”, esclarece o líder na Nação Kayapó, Akiaboro Kayapó.
Valorização - Para ele, a Semana dos Povos Indígenas tem como principal objetivo preservar e divulgar as tradições e os costumes dos Kayapó. “Não podemos perder o nosso costume e deixar que a nossa tradição seja esquecida. Os índios têm uma importância imensa para o mundo, e isto precisa ser valorizado", enfatiza.
Todos os índios trazem no corpo pinturas em linhas geométricas. Para fazer a tintura, eles utilizam o miolo da fruta jenipapo, água e carvão. A pintura pode durar entre 8 e 10 dias, e a aplicação é feita com um estilete, feito de nervura de palmeira ou bambu. “Geralmente os desenhos são peixes, aves, jabutis, antas e outros elementos da natureza”, ressalta Mydjere.
Além de ser uma expressão da arte indígena, a pintura é utilizada para comemorar alguma festividade ou quando nasce o primeiro filho. As mulheres Kayapó devem pintar as crianças ainda nos primeiros 15 dias de vida.
Programação – As atividades esportivas e culturais iniciam na manhã desta terça-feira (17) e prosseguem até quinta-feira (19), quando é comemorado o Dia do Índio. Pela manhã, os atletas participarão de competições, nas modalidades futebol masculino, futsal feminino e vôlei masculino, além de arco e flecha, dama, sinuca e cabo de guerra. À noite serão realizadas as atividades culturais, com a apresentação de cantores indígenas e o concurso para a escolha da Miss Kayapó 2012.
Nos dias 18 e 19, o governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), emitirá documentos de identidade e carteiras de trabalho. A Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) também participará do evento, promovendo para a comunidade local e moradores das aldeias o projeto de Oficinas de Mídia Popular "Biizu", com oficinas de web, audiovisual, fotografia, rádio, desenho e grafite.

Texto:
Bruna Campos-Secom

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...