Total de visualizações de página

quinta-feira, novembro 29, 2012

Joelmir Beting morre aos 75 anos em São Paulo




Jornalista estava internado no Hospital Albert Einstein desde outubro

O jornalista Joelmir Beting morreu na madrugada desta quinta-feira (29) em São Paulo. Ele, que tinha 75 anos, estava internado desde outubro no Hospital Albert Einstein para o tratamento de uma doença autoimune.

No último domingo (25), ele sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Desde então, Beting permanecia internado em uma UTI do hospital. O jornalista estava sedado e respirava com auxílio de aparelhos.

Beting nasceu na cidade de Tambaú, no interior de São Paulo, no dia 21 de dezembro de 1936. Ele tinha 55 anos de carreira. Inicialmente ele trabalhou como na cobertura da área de esportes para os  jornais O Esporte e Diário Popular e também para a rádio Panamericana.
Torcedor do Palmeiras, Beting trocou o jornalismo esportivo pelo econômico em 1962. Ele foi contratado em 1968 como editor de economia da Folha de S. Paulo. Beting também trabalhou no jornal O Estado de S. Paulo, nas rádios Bandeirantes, Jovem Pan, CBN e Gazeta, e nas TVs Bandeirantes, Record, Globo e Gazeta.
Atualmente Beting era comentarista de economia no Jornal da Band, da TV Bandeirantes, e nas rádios BandNews FM e Bandeirantes.
O jornalista era casado desde 1963 com Lucila Zioni Beting e deixou dois filhos: o publicitário e webmaster Gianfranco Beting e o jornalista Mauro Beting.
Boletim médico
Duas horas depois da morte do jornalista Joelmir Beting, o Hospital Albert Einstein divulgou o seguinte boletim médico:
O Hospital Albert Einstein comunica, com pesar, o falecimento do jornalista Joelmir Beting, em decorrência de acidente vascular encefálico (AVE) hemorrágico à 1h00 desta manhã.
Médico Responsável
Dr. Oscar Pavão
Diretor de Prática Médica


Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...