Total de visualizações de página

sábado, fevereiro 04, 2012

Escola pública estadual é celeiro de talentos que ganham o mundo

                Além de caderno e caneta, talento e dedicação. Esses têm sido os dois itens a mais na mochila de alguns jovens paraenses da rede pública de ensino, que mesmo em meio às adversidades, têm alcançado várias conquistas pelo país e até mesmo pelo mundo com o bom desempenho. Seja na área da educação, da cultura ou dos desportos, os estudantes paraenses são exemplos daqueles que conseguem se destacar pelo ensino público do Estado.

                Um deles é Deyvison do Rosário Barbosa, 12 anos, estudante da Escola Madre Zarife Sales, no bairro do Guamá, que este ano concorre com estudantes de todo o país aos R$ 100 mil ofertados pelo “Soletrando”, concurso promovido desde 2007 pelo programa “Caldeirão do Huck”, da Rede Globo. Para ser o representante do Pará no certame, ele venceu 17 concorrentes de todo o Estado durante as seletivas de 2011.

                A competição começa em março e, para faturar o prêmio, a dedicação aos estudos é intensa, mesmo durante as férias escolares. São cerca de quatro horas diárias de estudo em casa. Além das aulas regulares, Deyvison ainda recebe reforço específico do professores da escola duas vezes por semana. “Gosto muito de estudar, ler e conhecer palavras novas”, comenta.

                Tímido, Deyvison guarda as palavras para serem pronunciadas – ou melhor, soletradas – durante a competição. “Ele sempre foi de falar pouco, mas muito inteligente”, comenta, orgulhosa, a mãe do garoto, Telma do Rosário, relatando que o filho sempre teve vontade estudar na escola Madre Zarife Sales. Com ajuda de um vizinho, que é professor na unidade, ela soube da possibilidade de transferência em regime convênio com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Vitória – Outra demonstração de que talentos estão sendo descobertos no ensino público vem da Escola Estadual General Gurjão, na Cidade Velha. A língua portuguesa também é o ponto forte de Melissa Costa do Nascimento, 13 anos, que venceu o concurso de redação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A estudante foi a primeira colocada na categoria de 12 a 15 anos, cujo tema foi “Consciência política, cultura e cidadania: um futuro em nossas mãos”.

“Nem esperava e quando soube fiquei muito feliz. Não conhecia direito a estrutura de uma redação, então minha prima, que já é formada, me ajudou com a ordem que eu tinha que obedecer ao escrever. Costumamos escrever nas aulas de português, mas o tema era bem mais profundo, então tive que pesquisar bastante. Esse foi o primeiro concurso de que participei e, com certeza, é um grande incentivo para me dedicar mais aos estudos”, afirma Melissa, que mora no bairro do Jurunas e pretende cursar medicina.

 Novas fronteiras

                A estudante Joice Rodrigues Amorim, que concluiu o terceiro ano do ensino médio na Escola Estadual Albanizia de Oliveira Lima, no bairro do Marco, é a representante do Pará no programa Jovens Embaixadores 2012, promovido pela embaixada norte-americana em parceria com a escola de idiomas Centro Cultural Brasil Estados Unidos (CCBEU). Aos 17 anos, a jovem fará sua primeira viagem ao país, onde passará três semanas participando de uma extensa programação.

                No roteiro, além da visita à sede do governo americano, a Casa Branca, onde os jovens serão recebidos pela primeira-dama, Michelle Obama, há ainda paradas em escolas e projetos sociais. Os estudantes ficarão hospedados em casas de famílias locais. Para integrar o programa, além do excelente desempenho nos estudos, Joice teve que preencher uma séria de requisitos, entre eles, estudar em escolas públicas, falar inglês, comprovar baixa renda e atuar como voluntária em projetos sociais.

                "Essa é uma oportunidade incrível na minha vida, na qual poderei levar um pouco da cultura do nosso Estado para fora do país. Quero muito me aprofundar no conhecimento da língua, aprender sobre a cultura inglesa”, afirma, entusiasmada, a jovem, que embarcou no último dia 4 de fevereiro para o Rio Janeiro. De lá, dia 7, ela segue, junto com os demais representantes de outros Estados brasileiros, para os Estados Unidos.

                A atleta Jéssica de Fátima Rodrigues Alves, 20 anos, da seleção brasileira de goalball, também já está com as malas prontas para viajar. No próximo dia 21 ela embarca para o Rio de Janeiro, onde se junta com outras atletas para dar início aos treinos para as Olimpíadas de Londres 2012. Jéssica também foi uma das representantes paraenses nos jogos Para Panamericanos 2011, em Guadalajara, no México, onde conquistou a medalha de prata.

                Estudante da Escola Estadual Augusto Meira, em São Brás, Jéssica também é atendida na Unidade Especializada Álvares de Azevedo, específica para alunos cegos ou com baixa visão. “Sempre tive muito incentivo da minha escola e dos meus professores. Como tenho de viajar bastante, eles me ajudam enviando o conteúdo para que eu possa estar sempre estudando e para não me prejudicar nas provas. Esse apoio e o da minha treinadora têm sido essencial”, afirma.

                Jéssica conta que o goalbool veio por acaso. “Sempre competia na escola no atletismo, mas tinha medo de algumas coisas, de não me adaptar. Aí uma vez retiraram a modalidade que eu disputava e fiquei sem outra para competir. Foi quando a minha treinadora sugeriu que começasse no goalbol”, conta a jovem, que coleciona medalhas e troféus do esporte pelo país, entre elas de melhor jogadora e atleta revelação.

Destaque nas artes

                Outro destaque paraense vem da ponta dos pés de Bianca Palheta, 15 anos, estudante do Instituto Bom Pastor, onde concluiu a oitava série. No próximo dia 18 ela viaja para a cidade de Joinville, em Santa Catarina, onde passará a morar para estudar balé contemporâneo em uma das mais renomadas escolas dança e arte do mundo, a Escola de Teatro Bolshoi. Ela participou da audição em Santa Catarina, em julho do ano passado, concorrendo com mais de 400 candidatos do Brasil e do exterior. Apenas ela e outros oito candidatos foram selecionados.

“Estudo balé desde os 7 anos, mas sempre na linha clássica. Somente em 2010 comecei a praticar o contemporâneo. A identificação com o estilo foi imediata. Acho que foi por isso que acabei sendo aprovada para o curso. Faço aulas todos os dias e lá não vai ser diferente. Vou me esforçar bastante porque é uma oportunidade incrível e única. É uma das melhores escolas, muita gente queria poder estudar lá”, comenta a jovem, que também destacou o incentivo de sua professora Edith Marques para a conquista.

                Da música, a tradição de revelar talentos vem sido mantida pela Banda Sinfônica Lauro Sodré. Em 2004, sob a coordenação de Kelly Mesquita e do maestro Silas Borges, que está há 27 anos à frente dos músicos, o grupo desenvolve o projeto “Educando através da música”, que atualmente atende mais de 1,2 mil jovens de escolas da rede estadual de ensino.

                Este ano, a banda Lauro Sodré completa 140 anos de história, com muitas conquistas no currículo, entre elas o pentacampeonato no Concurso Nacional de Bandas e Fanfarras, ocorrido na cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Entre os mais de 100 troféus estaduais e nacionais, o mais recente é a conquista da IV Copa de Bandas e Fanfarras Enviro-Chemie, na cidade de Santa Fé, no Paraná.

Incentivo – Em meio a tantos destaques e exemplos de superação, o governador Simão Jatene sancionou dia 29 de dezembro de 2011 a Lei n°7.583, que instituiu o Prêmio Jovem Talento Paraense para as escolas da rede pública estadual, que contempla os alunos que se destacarem com notável desempenho, em âmbito nacional e internacional, nas áreas de educação, cultura ou desportos.

“A Seduc, na própria proposta pedagógica de oferecer a educação enquanto bem social, busca contribuir para desenvolvimento desses talentos. O próprio cotidiano de uma escola pública de mais liberdade e flexibilidade também contribui para que se construa um ambiente favorável ao desenvolvimento desses talentos, sobretudo nossos alunos mais carentes, já que eles, muitas vezes, não têm outro espaço para desenvolver suas habilidades”, explica o diretor de Educação de Ensino Infantil e Fundamental da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Luiz Miguel Queiroz.

                A indicação para o prêmio será proposta ao governador por um comitê integrado por titulares das secretarias de Educação (Seduc), Cultura (Secult) e Esporte e Lazer (Seel). O prêmio consistirá em diploma, medalha distintiva e bolsa integral por um ano, no valor de um salário mínimo, desde que o aluno permaneça matriculado em escola pública.

  

Texto:

Luiz Carlos-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...