Total de visualizações de página

domingo, fevereiro 05, 2012

Mercados também terão de dar opção à sacola paga

Consumidores da Capital reclamaram e Procon
obrigou que se passe a oferecer alternativa grátis
 
Aline Pagnan
 Um termo de compromisso  firmado nesta sexta-feira (03) entre  Procon-SP e a Apas (Associação Paulista de Supermercados) obriga que os mercados “ofereçam embalagens gratuitas adequadas e compatíveis com os produtos adquiridos, visando o acondicionamento e transporte das mercadorias por mais 60 dias”.
 Em Jundiaí, a medida também entrará em vigor e, a partir da próxima segunda-feira, os estabelecimentos serão orientados pelo Procon local a cumprir o acordo, mesmo com mais de um ano de diferença para as demais cidades paulistas nesse projeto.
 “Devem ser disponibilizadas embalagens, não necessariamente  sacolas. Por isso, os estabelecimentos serão orientados a distribuir gratuitamente as caixas de papelão que acondicionavam alimentos para os consumidores levarem suas compras para casa. Alguma opção  terão de oferecer”, disse o coordenador do Procon de Jundiaí, Antonio Augusto Giaretta, ao ser questionado pelo BOM DIA.
Lembre-se: só use papelão de alimentos, pois os demais são impróprios, segundo a Vigilância Sanitária comunicou ao BOM DIA na época do fim das sacolas plástica gratuitas aqui. Caixas de produtos de limpeza, por exemplo, são proibidas para que não haja o risco de contaminação de alimentos.
 Parcial /Em Jundiaí o acordo não será cumprido integralmente, diz Giaretta. “Os supermercados da cidade não precisarão informar mais os consumidores do custo das sacolas descartáveis porque a cidade já se adaptou.”
 Entre os outros itens definidos para todo o Estado estão ainda a venda de uma sacola reutilizável com preço de até R$ 0,59, além de uma promoção prevista para o dia 15 de março – Dia do Consumidor, quando haverá distribuição gratuita de uma sacola reutilizável para quem adquirir pelo menos cinco itens nos supermercados.
 “Esta sacola reutilizável que será comercializada é bem menor do que as vendidas atualmente. Além disso, é preciso um tempo para que os estabelecimentos adquiram essas sacolas para poderem comercializá-las”, defende Giaretta. Ele acha que “Jundiaí já está bem à frente de todo o Estado porque  há 15 meses não usa as sacolas plásticas no mercado.”
 Direitos
Quem ainda se sentir lesado com o fim das sacolinhas gratuitas e cobrança de novas nos mercados de Jundiaí poderá recorrer ao Procon.
Outra esfera
Entrou em vigor no dia 25 de janeiro a medida que livra os supermercados do custo de distribuição de  sacolas plásticas dentro de um plano de ajudar a defender o meio ambiente. Mas, ao contrário de Jundiaí, houve grande resistência e polêmica, assim o Procon-SP se viu obrigado a buscar acordo.
Aqui é mais caro
Pesquisa do BOM DIA divulgada nesta sexta-feira mostrou que Jundiaí cobra mais caro do que Sorocaba, Bauru e Rio Preto, cidades do mesmo porte, por 30 itens de uma cesta familiar.
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...