Total de visualizações de página

quinta-feira, março 29, 2012

Governo e prefeitura ajustam pontos técnicos para implantação de BRT na capital



Nesta quinta-feira, 29, a proposta final do grande projeto de mobilidade urbana que será implantado pelo Governo do Estado e prefeitura de Belém na capital paraense será apresentada para os representantes do Ministério das Cidades e Ministério do Planejamento, em Belém. A reunião está prevista para ser realizada às 15h, no Centro Integrado de Governo (CIG) e terá continuidade na sexta-feira (30).
Nesses encontros também serão definidos os repasses de verbas para a implantação dos projetos no Pará, através do PAC Mobilidade, o Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal. “O Governo do Estado já conta com a disponibilização dos recursos da Jica (agência japonesa de cooperação internacional)”, informou a diretora executiva do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), Marilena Mácola Marques.
O acordo que pôs fim ao impasse entre os projetos Ação Metrópole e Bus Rapid Transit (BRT) tocados pelo Governo do Pará e Prefeitura de Belém na capital paraense, respectivamente, foi selado durante reunião na tarde desta quarta-feira (28), entre as equipes técnicas dos governos municipal e estadual para ajustar pontos técnicos relativos aos projetos. A reunião foi realizada no Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), ligado à Secretaria Especial de Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento Sustentável (Seinfra), responsável pela implementação do Ação Metrópole.
Ficou acordado entre as equipes técnicas que a melhor solução para a Região Metropolitana de Belém (RMB) será a execução integrada dos projetos, ficando sob responsabilidade do Governo do Estado o trecho da Rodovia BR-316, da saída do município de Marituba até o Entroncamento. A execução das obras na avenida Augusto Montenegro, desde o centro de Icoaraci, passando pela Almirante Barroso até o Ver-o-Peso, será de responsabilidade da prefeitura. Este acordo será selado através de um Termo de Compromisso, que será firmado entre Governo e prefeitura, para consolidar o que foi negociado nas reuniões.
“Após o acordo firmado entre o governador e o prefeito nós estamos analisando o projeto para que este possua todas as características de implantação e um Sistema BRT, um projeto de infraestrutura que contempla canaletas, faixas preferenciais, pontos de paradas, permissão de ultrapassagem dos ônibus nas canaletas, localização das estações de integração no interior das canaletas, entre outros detalhes para que o projeto tenha todas as características de um Sistema BRT. Assim, hoje analisamos essas compatibilidades”, informou Marilena Mácola Marques.
Ela explica que o Ação Metrópole possui todas as características e princípios necessários a um Sistema BRT, que contempla um estudo detalhado e minucioso da localização dos terminais de integração, da localização das estações de integração, de pontos de parada, permissão de ultrapassagem dentro das canaletas, embarque em nível dos passageiros, entre outros que compõem o sistema de Bus Rapid Transit, pois se não houver todas as características, pondera Marilena, o sistema não pode ser considerado um BRT.
No último dia 26, o governador Simão Jatene e o prefeito Duciomar Costa reuniram-se para solucionar o impasse em torno dos projetos, que convergiam em uma sobreposição no trecho da avenida Almirante Barroso, quando fecharam parceria para a implantação do sistema de BRT. O diretor geral do NGTM, César Meira, disse que essa foi a solução encontrada passar resolver a questão em torno do impasse. “Governo e prefeitura estão empenhados em para implantar o melhor projeto não apenas para a população de Belém, mas da região metropolitana. É nessa linha que estamos trabalhando para que possamos apresentar a melhor solução e a que deve ser implantada”, concluiu Meira. Também participaram da reunião Paulo Ribeiro, diretor de Planejamento; Cláudio Conde, diretor de Obras e pela prefeitura Sueli Pinheiro.
A primeira etapa do Projeto Ação Metrópole foi finalizada com a construção da avenida Centenário Assembleia de Deus e do elevado Daniel Berg. A segunda fase contempla a implantação do prolongamento da avenida João Paulo II, no trecho compreendido entre a passagem Mariano e a rodovia Mário Covas, uma obra de cerca de 3.800 metros e que também será uma segunda opção de entrada e saída da capital paraense, que hoje conta apenas com a rodovia BR-316 e a implantação do Sistema BRT (Bus Rapid Transit).

Texto:
Manuela Viana-Ação Metrópole
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...