Total de visualizações de página

quinta-feira, março 29, 2012

Paciente que recebeu o primeiro transplante no interior do Estado passa bem



O quadro clínico do homem que recebeu o primeiro transplante de rim no interior da Amazônia e Centro Oeste brasileiro, Anival Simão Ângelo, assim como do doador, Clécio de Jesus Borges, cunhado do paciente, é estável.
A diretora geral do Hospital Regional do Araguaia (HRPA), Dagmar Dutra, informou que ambos passam bem e o quadro clínico permanece dentro do esperado. “Um dia depois do transplante, os pacientes se encontram ótimos e estamos muito felizes pelo resultado, graças a Deus foi um sucesso”, disse Dagmar, ressaltando ainda a importância que tem a instituição para a região.
“O HRPA é um hospital de referência na nefrologia e aqui trabalhamos com todo um programa de proteção renal e de tratamento. Temos hepato-proteção, hemodiálise e agora estamos disponibilizando para nossos usuários o serviço de transplante. Hoje o usuário tem que vir três vezes por semana e passar quatro horas na máquina. Com o transplante, ele vai trocar a máquina por comprimidos e ganhará uma qualidade de vida muito melhor, vai ter liberdade de ir e vir e conseguirá se integrar à sociedade novamente”, comemorou a diretora do HRPA.
Desenvolvimento
Considerado um marco na história da saúde pública da região amazônica, a cirurgia realizada no Pará permite a descentralização e regionalização dos transplantes, tornando este tratamento de alta complexidade acessível à população paraense. O Sistema Único de Saúde (SUS) orienta que os hospitais fortaleçam a universalidade e a acessibilidade dos pacientes em qualquer região do país e o Pará vem trabalhando para isso. Segundo o coordenador da Central de Transplante da Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa), André Rodrigues, “este momento é de suma importância para nossa região, pois dá acesso aos pacientes que estavam desassistidos no interior da Amazônia”.
A coordenação de transplante adianta que o próximo passo é atender aos pacientes da região oeste do Estado. Como reitera André Rodrigues: “vamos montar um serviço de transplante de rim em Santarém, para privilegiarmos nossos irmãos que moram no oeste do Pará, dessa maneira todo o Estado será beneficiado com este tipo de tratamento de alta complexidade. Isso é interesse do Governo do estado em dar oportunidade para todos os pacientes realizarem seu tratamento sem que se desloquem de suas regiões”.
A perspectiva da equipe de Redenção, no sul do Pará, é de realizar um transplante por mês e com o tempo, um por semana. Ano passado foram realizados no estado 55 procedimentos do gênero, sendo que o Pará se tornou o 14º estado no País que mais realizou o procedimento no país. Ainda de acordo com André Rodrigues, a “perspectiva é que subamos para o 10º lugar neste ranking, realizando mais de 75 procedimentos este ano”.
O Hospital Regional do Araguaia foi habilitado pelo Ministério da Saúde para realizar transplante renal e retirada de múltiplos órgãos pela Portaria SAS/MS, nº 278/2011. O transplante de órgãos em hospitais do interior da Amazônia brasileira e Centro-Oeste é um fato novo, e o HRPA foi o primeiro a realizar o procedimento. Ele é uma unidade do Governo do Pará, gerenciado pelo Instituto de Saúde Santa Maria (Idesma/OSS). O hospital realiza atendimento hospitalar e ambulatorial de média e alta complexidade, exclusivo para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com atendimento 100% regulado pela Central de Regulação do 12º Centro Regional de Saúde.

Texto:
Cora Coralina-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...