Total de visualizações de página

segunda-feira, março 12, 2012

Profissionais de saúde vão conhecer a experiência do Projeto Echo



O Pará recebe, a partir desta segunda-feira (12), a visita do médico hepatologista e professor da Universidade do Novo México, Sanjeev Arora, diretor do Projeto Echo (Extensão dos resultados em saúde para toda a comunidade), que tem a missão de capacitar profissionais de forma segura e eficaz para o tratamento de doenças crônicas, comuns e complexas nas áreas rurais e carentes e acompanhar os resultados desse tratamento.
Arora apresentará o projeto por meio da palestra “Novas Tecnologias de Saúde em DST/Aids e HV no Estado do Pará’, a ser realizada nesta terça-feira (13), às 19h30, no auditório da Unimed Belém. O evento é destinado a profissionais de saúde, gestores públicos e contará também com a presença de Carlos Varaldo, presidente do Grupo Otimismo de Apoio ao Portador de Hepatite, maior entidade de portadores de hepatites virais do Brasil.
Segundo Arora, ao produzir o que chama de "efeito multiplicador" é possível disseminar as melhores práticas médicas e os conhecimentos dos especialistas para todos os médicos interessados em participar do programa, independentemente do local onde se encontre ou das condições de infraestrutura. “Esse modelo permite que médicos de atenção primária possam prestar serviços especializados de alta qualidade em nível local, e é uma estratégia para mudar drasticamente a prática clínica e da educação médica no país", garante o professor.
A iniciativa de trazer Arora a Belém foi da Coordenação Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Hepatologia na Amazônia (Nepha) do Grupo Otimismo de Apoio ao Portador de Hepatite, com apoio do governo do Estado, Laboratório MSD e Unimed Belém. De acordo com a coordenadora de DST/Aids, Deborah Crespo, o sucesso do sistema pode ser creditado a sua simplicidade, “um verdadeiro ovo de Colombo, motivo pelo qual hoje está sendo empregado para uma série de doenças e situações como diabetes, risco cardiovascular, insuficiência cardíaca, gravidez de alto risco, cuidados paliativos, obesidade pediátrica, Nutrição Pediátrica, Reumatologia, asma e cuidados pulmonares, dor crônica, adolescente, criança, família, demência e Psiquiatria Comunitária, sendo replicado em outras regiões dos Estados Unidos e até no exterior”, informou.
Segundo Deborah, a finalidade é mostrar o funcionamento do projeto visando à adaptação para uma primeira implementação no tratamento das DSTs, da Aids e das hepatites virais no Estado do Pará, servindo como piloto para futura expansão a outras doenças em todo o território brasileiro. “Acreditamos que com tal iniciativa estamos dando o pontapé inicial para fortalecer a Telessaúde no Pará, já que o sistema é a forma mais prática e rápida para aumentar a capacidade de atendimento e infraestrutura, oferecendo a verdadeira universalização no atendimento a toda população, independentemente de morar numa grande cidade ou num pequeno povoado do interior”, acrescentou.
Conforme Deborah, atualmente, a rede pública de serviços em DST/Aids dispõe de 60 Centros de Testagem e Aconselhamento e 18 Serviços de Assistência Especializada e o governo do Estado tem o intuito de apoiar os municípios na implantação e implementação da rede existente, disponibilizando por meio da Telessaúde, a ferramenta necessária em educação permanente e especializada, para assistência aos portadores de DST/Aids e hepatites Virais.
Na opinião de Carlos Varaldo, o Projeto Echo “é uma forma completamente nova de atendimento primário da saúde por médicos não especializados no tratamento da hepatite C em populações do interior, presídios, periferias pobres das cidades, conseguindo excelentes resultados, idênticos aos que são encontrados nos centros médicos universitários considerados de referencia no atendimento”.
Os resultados mostram claramente que é perfeitamente possível cuidar dos infectados de hepatites em qualquer lugar ou região, ampliando assim a capacidade de tratar pacientes, utilizando troca de informações eletrônicas e capacitação por vídeo conferencia, duas tecnologias hoje acessíveis gratuitamente desde qualquer computador conectado a internet.
Agenda
Nesta segunda-feira (12) às 15h, o professor Arora participará de reunião com o secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, diretoras de Vigilância à Saúde, Políticas Atenção Integral à Saúde, e coordenadores de DST/Aids, Hepatites Virais, Tuberculose, Educação Permanente, Telesaúde/Telemedicina e Tecnologia de Informação e Informática em Saúde.
No dia 13, antes da palestra, terá reunião com a secretária adjunta da Sespa, Rosemary Góes  sobre o tema da Telemedicina, que será abordado no XVI Congresso Médico Amazônico e visitará o Hospital de Clínicas Gaspar Vianna e o Hospital Universitário João de Barros Barreto.  Finalmente, no dia 14, às 9h, terá reunião com agentes comunitários de saúde e equipes da Estratégia Saúde da Família, no Auditório da Faculdade de Medicina do Cesupa.
Serviço:
O auditório da Unimed Belém fica na Rua Manoel Barata esquina com Travessa Rui Barbosa. A entrada é franca.

Texto:
Roberta Vilanova-Sespa
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...