Total de visualizações de página

segunda-feira, março 12, 2012

Secti e Sespa criam projeto de produção de medicamentos para o SUS


A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) estabeleceram uma parceria para implantarem, no Estado do Pará, uma unidade para produção de medicamentos de interesse do Ministério da Saúde. Secti e Sespa criarão um comitê de trabalho para que o Laboratório Central do Estado do Pará (Lacen) se converta numa empresa estatal destinada a atender às demandas farmoquímicas do Sistema Único de Saúde (SUS).

“A instalação de uma unidade produtora de medicamentos no Estado abre perspectivas para a realização de contratos de alto valor com empresas farmacêuticas nacionais e multinacionais, para geração de emprego e transferência de tecnologia de alto nível”, ressalta Arruda. O Lacen é responsável pela prestação de serviços, tais como diagnósticos laboratoriais, controle de qualidade e análises técnicas. Com a ampliação, ele passaria a funcionar nos moldes do Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco (Lafepe) e do Bahiafarma, referências em laboratórios públicos que atendem à população com medicamentos de qualidade e produzidos a um baixo custo.

“Estes laboratórios já estão consolidados em seus estados como modelos no desenvolvimento, produção e comercialização de medicamentos destinados às necessidades das políticas de saúde pública e, portanto, são a nossa inspiração”, destaca Alberto Arruda. Para consolidar o projeto, a Secti já recebeu o apoio do Ministério da Saúde e estuda a formação de parcerias público-privadas. O próximo passo é a definição, junto ao Ministério da Saúde, de quais serão os primeiros medicamentos a serem produzidos no estado.

Texto:
Ana Carolina Pimenta-Secti
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...