Total de visualizações de página

terça-feira, junho 26, 2012

Centro comercial de Belém é alvo de fiscalização dos Bombeiros

                O Corpo de Bombeiros Militar do Pará deve vistoriar pelo menos 60 estabelecimentos do centro comercial de Belém até o fim desta semana. O trabalho, que dá continuidade a outra fiscalização realizada em abril, pretende combater o risco de incêndios nesta área da capital. Nesta terça-feira, 26, a fiscalização iniciou nas lojas das travessas João Alfredo e 15 de Novembro. Os técnicos verificaram se os locais estão licenciados e se cumprem todas as medidas de segurança.
                O tenente Carlos Nichida, que coordenou as vistorias hoje, disse que dos 365 estabelecimentos fiscalizados em abril, apenas 25 estavam com todos os quesitos de segurança em dia. “Nós identificamos que muitos desses estabelecimentos não possuíam os equipamentos de segurança necessários contra incêndio, como os extintores, placas foto-sensíveis com indicação da saída de emergência e luminárias de emergência. Eles foram notificados em abril para se regularizarem e agora verificaremos a situação desses locais. Se não estiverem de acordo com as normas, poderão ser multados ou até ter o espaço fechado, se mesmo depois da multa não realizarem as alterações necessárias”, explicou.
                De acordo com Nichida, os quesitos de segurança dependem do tamanho e do tipo de estabelecimento comercial. Na maioria dos casos, o equipamento essencial, segundo o tenente, é o extintor. “São muito importantes esses equipamentos. Se o local for muito grande e tiver a saída de emergência distante, é exigida a instalação de chuveiros automáticos. Tudo isto para aumentar o tempo de deslocamento das pessoas em caso de incêndio”. Além dos equipamentos, os técnicos dos Bombeiros verificam se a loja está com o Auto de Vistoria emitido pela corporação atualizado, e o termo de responsabilidade técnica, que é dado por um profissional de engenharia elétrica.
                Prevenção
“A nossa intenção é prevenir o centro comercial de um incêndio. Nesta área há muitos prédios antigos, com as instalações elétricas deterioradas, além de armazenarem muitos materiais inflamáveis. E como agravante para um acidente desta natureza, os prédios do comércio não possuem um isolamento de risco, ou seja, as construções são juntas uma na outra, o que pode aumentar a proporção de um incêndio. Para evitar esses acidentes e resguardar a vida dos trabalhadores e dos clientes fazemos essa prevenção”, ressaltou o tenente Carlos.
                Em uma das lojas vistoriadas nesta terça, o gerente Augusto Levy afirmou que o estabelecimento está adequando a sua estrutura elétrica e renovando os equipamentos e a sinalização de segurança, conforme foi solicitado pelos Bombeiros em abril. Por isso, a loja ganhou um prazo de sete dias para apresentar à corporação as adequações. “É muito importante este trabalho, pois se não houver essa fiscalização a gente nem atenta para esses cuidados e acaba colocando em risco a nossa vida e a dos clientes”.
Outra loja estava com todos os quesitos em dia. A gerente Ana Araújo afirmou aos Bombeiros que, além de manter todos os equipamentos necessários, a loja ainda capacitou todos os funcionários para agirem em caso de incêndio. “A gente aprendeu o tipo correto de extintor a ser utilizado de acordo com o incêndio, se o extintor de água ou pó químico. E também aprendemos a orientar para a saída, durante uma emergência, os clientes que estejam na loja”, informou a funcionária. Até sexta, os Bombeiros pretendem verificar a situação de pelo menos 60 estabelecimentos. As demais lojas vistoriadas há dois meses serão fiscalizadas nos próximos dias.

Texto:
Thiago Melo-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...