Total de visualizações de página

terça-feira, junho 05, 2012

NOTÍCIAS DO DIA 05 DE JUNHO



MEI AMBIENTE

Degradação de florestas cai
e gestão ambiental se
aprimora no Estado
                Às vésperas do Dia Mundial do Meio Ambiente, que se comemora nesta terça-feira (5), o Pará comemora a diminuição dos índices de degradação de áreas de floresta no Estado. Com as metas de reduzir o desmatamento e queimadas no território paraense e promover a descentralização da gestão ambiental, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) tem como aliado o Programa Municípios Verdes.
                O Instituto Homem e Meio Ambiente na Amazônia (Imazon) divulgou em maio deste ano o último boletim do desmatamento feito na Amazônia Legal. O estudo, que faz o monitoramento dos usos do solo na Amazônia, indicou que o Pará foi responsável por  apenas 6% da degradação das florestas na região no mês de abril. Mato Grosso, em primeiro lugar, degradou o equivalente a 71% da área avaliada.
“A partir do Cadastro Ambiental Rural (CAR), pudemos fazer um monitoramento intensivo das propriedades rurais. É possível checar mensalmente as atividades de desmatamento e queimadas nas propriedades cadastradas, o que possibilita adotar medidas quase imediatas de controle e correção destas atividades criminosas”, explica o secretário adjunto da Sema, Rubens Sampaio.
                O Municípios Verdes é protagonista neste processo. Mais de 90 municípios já aderiram ao programa, que pretende alcançar o índice de desmatamento zero no Estado até 2020. O CAR é o instrumento que deverá dar suporte à redução da degradação florestal. Atualmente, 43% da área cadastrável no Pará já são monitorados, um total de 70 mil propriedades.
“Este monitoramento é feito em parceria com a gestão municipal e organizações não-governamentais (ONGs). A pretensão é ampliar a capacidade de gestão ambiental dos municípios, coibindo os crimes ambientais de forma mais eficaz”, diz o coordenador de Gestão Compartilhada do Programa Municípios Verdes, Kléber Ramos.
Gestão – Envolver as prefeituras no processo de monitoramento faz parte do planejamento de descentralização e regionalização da Sema. Atualmente o governo do Estado é responsável por quase todos os processos de licenciamento ambiental rural e fiscalização. Um dos eixos estratégicos do Programa Municípios Verdes é a gestão ambiental compartilhada, promovendo a estruturação dos municípios para a gestão ambiental.
                Casa prefeitura deve ser responsável pelo monitoramento das atividades dos imóveis rurais. “O licenciamento é obrigatório para o funcionamento das propriedades rurais. Estamos reestruturando a Sema, ampliando a estrutura física da secretaria e nossa área de atuação. Temos hoje quatro polos distribuídos no Estado; até o fim de 2014, serão doze, funcionando em cada mesorregião do Pará”, explica Rubens Sampaio.
Resultados – Em 2008, Paragominas, no nordeste paraense, lançou o projeto Municípios Verdes e tornou-se o primeiro do Brasil a sair da lista de embargo do Ministério do Meio Ambiente, que indicava e punia as cidades que mais degradavam o meio ambiente no país. O governo do Estado percebeu o potencial da iniciativa e, em março de 2011, lançou o Programa Municípios Verdes, ampliando para todo o Pará os benefícios da proposta, que já rendeu uma nova vitória ao Estado. Em maio deste ano, o município de Santana do Araguaia, no sudeste paraense, também saiu da lista negra do governo federal.
                O Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), com sede no parque ambiental do Utinga, em Belém tem como missão cuidar das áreas preservadas na Região Metropolitana de Belém (RMB). O batalhão é responsável pela segurança das áreas preservadas do parque e do Refúgio da Vida Silvestre, em Marituba, além de atender as demandas de poluição sonora e captura e resgate de animais silvestres.

Texto:
Julia Garcia-Secom

Dia Nacional do Meio
Ambiente mobiliza
escolas estaduais
                A programação das escolas da Rede Pública Estadual de Ensino será intensa em torno do Dia Nacional do Meio Ambiente. As unidades de ensino preparam atividades que serão realizadas ao longo desta semana, com caminhadas, palestras, oficinas, organização de hortas, plantio de mudas e lançamento de novos projetos que unem família e escola.
                Nesta terça-feira (5), os alunos da Escola Estadual “Profª Esther Bandeira Gomes”, localizada no bairro da Sacramenta, assistirão a uma apresentação musical da Turma da Mônica, que abordará o tema ecologia. Em seguida, apresentarão danças regionais, com o tema “xote ecológico”. Mudas de plantas serão plantadas na área verde da escola, que já é arborizada. “Queremos com esta iniciativa, incentivar os alunos para a questão da importância da preservação ambiental. A escola já é bastante arborizada e estas mudas irão somar com o paisagismo já existente”, garante a diretora Juliana Souza.
                Também no dia 5, a programação da Escola Estadual Maroja Neto, no bairro da Pedreira, será diferente. Por meio do projeto “Sala de Leitura e Biblioteca”, estudantes dos Ensinos Médio e Fundamental farão uma “viagem” por Belém, com o objetivo de conhecer a cidade em que vivem do ponto de vista ambiental. A atividade denominada “Pelas ruas de Belém: uma leitura ambiental da cidade” inclui visita ao mercado do “Ver-o-Peso”; Estação das Docas; Forte do Castelo; Portal da Amazônia e a mais nova área em expansão de Belém, a rodovia Augusto Montenegro.
                Na quarta-feira (6), a Escola Estadual São Pedro, localizada no Paracuri, em Icoaraci, vai comemorar o Dia Nacional do Meio Ambiente em família. A programação nomeada de “Manhã Alegre” contará com o lançamento do projeto “Lição de vida: escola e família aprendendo juntas” e a apresentação da obra literária “Pedrinho e o Peixe Azul” do artista plástico Marciste Costa.
                O “Lição de Vida” é um projeto piloto da Coordenação de Ações Educativas Complementares (CAEC) da Rede Estadual de Ensino. Por meio dele, serão realizados encontros semanais com as famílias e a comunidade escolar, oficinas e terapias comunitárias com as famílias, além de orientações e atividades desenvolvidas nas salas de aula com os alunos. Entre os temas que serão abordados pelo projeto ao longo deste ano letivo estão a saúde, a violência, a justiça, a cooperação, a motivação, o empreendedorismo, a organização social, e a mediação de conflitos.
                Ainda na quarta-feira, cerca de 500 estudantes, professores e pais de alunos participam, da 1ª “Caminhada Verde ” da Escola Estadual Regina Coeli, localizada no bairro do Paar. A programação começará às 10h, partindo da unidade de ensino rumo ao canteiro central do bairro. A atividade integra a Semana do Meio Ambiente e Cultura de Paz nas Escolas, que começou na última sexta-feira (1º), e faz referência ao Dia Nacional de Educação Ambiental, celebrado no dia 3 de junho.
                A caminhada vai mobilizar estudante de outras escolas do bairro. A ideia, de acordo com a direção da escola, é chamar atenção da comunidade em que a unidade de ensino está inserida para os cuidados relativos à destinação do lixo e educação ambiental. Entre as atividades desenvolvidas na Semana, estudantes participam de oficinas e palestras, com a realização de pintura e pneus e a confecção de telhas com plástico de garrafas “PETs”, para o projeto Telhado Verde.
IV Encontro Internacio​nal
de Ecomuseus e
Museus Comunitári​os
A Fundação Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira (Funbosque), por meio do Ecomuseu da Amazônia, sediará de 12 a 16 de junho o IV Encontro Internacional de Ecomuseus e Museus Comunitários - EIEMC.
Representantes de 17 Estados brasileiros e de países da Europa e América estão confirmados no evento. A conferência de abertura, “A Sustentabilidade e a Responsabilidade do Homem com a Preservação do Patrimônio”, será feita pelo teólogo, filósofo, escritor, professor e ecologista Leonardo Boff.
Nesta terça-feira, dia 5, como parte das comemorações pelo Dia do Meio Ambiente, a Funbosque promoverá um encontro para apresentar os preparativos para o IV EIEMC, bem como os espaços onde este evento será realizado.
O Ecomuseu da Amazônia busca a preservação e a recuperação do patrimônio cultural e natural na Amazônia, especificamente na região de Outeiro, Mosqueiro e Icoaraci.
O resultado esperado é a melhoria na qualidade de vida das populações a partir da gestão participativa, da valorização da memória coletiva e da criatividade dos processos culturais regionais.
Entre as atividades do Ecomuseu estão  a criação de trilhas ecoturísticas, o mapeamento sócio-econômico ambiental das áreas envolvidas e o plantio de mudas nativas, além da geração de renda por meio do artesanato e processos semelhantes trabalhados na comunidade.
O IV EIEMC é uma realização da Prefeitura Municipal de Belém por meio da Secretaria Municipal de Educação e Funbosque/ Ecomuseu da Amazônia;Associação Brasileira de Ecomuseus e Museus Comunitários (Abremc) e Núcleo de Orientação e Pesquisa Histórica de Santa Cruz (RJ). Conta com o apoio da Embrapa, Universidade Federal do Pará e Instituto Brasileiro de Museus.

INTERIOR
DO ESTADO

Projeto da Emater recupera
seringais nativos em
ilha do Rio Xingu
                Seringais nativos da Ilha Grande do Itapuama, localizada à margem esquerda do Rio Xingu, no oeste do Pará, estão sendo recuperados graças a um projeto desenvolvido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), por meio do escritório local de Altamira, na Rodovia BR-230 (Transamazônica).
                O trabalho atende a 80 famílias ribeirinhas, que passam por um processo de organização e capacitação, visando a elaboração de projetos de custeio. Com os projetos, elas terão acesso a vários benefícios, como crédito, por meio do Programa Nacional de Apoio à Agricultura Familiar (Pronaf).
                Localizada em uma área pouco explorada, a Ilha Grande concentra seringueiras centenárias, preservadas pelas famílias há várias gerações. Por serem nativas, as árvores são resistentes a pragas, se tornando um excelente material para pesquisas.
                São cerca de 300 mil árvores, com produção estimada de 1 quilo de borracha por seringueira, comercializado a R$ 2,40 o kg. O látex extraído em Altamira, após beneficiado, abastece indústrias dos Estados do Maranhão e de São Paulo.
                O Pará é o terceiro maior produtor de borracha do Brasil, e a Emater deverá inserir nas áreas já abertas no Itapuama novos clones de seringueiras. As sementes serão fornecidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).
                Segundo Joabe Santos, técnico da Emater e um dos coordenadores do projeto, entre as orientações repassadas aos seringueiros está o manejo adequado das árvores. O objetivo é aumentar em pelo menos 30% a produção de látex. “O manejo garante o acesso às seringueiras. Por serem nativas, não há controle de espaçamento entre as árvores, o que dificulta a retirada do produto”, informou o técnico.
                Como a produção de borracha se concentra entre junho e janeiro, a Emater capacita os ribeirinhos para o período de entressafra, já que eles também trabalham com a pesca artesanal. “A meta é criar uma cooperativa de pescadores, a fim de comercializar o produto direto com o consumidor, eliminando a figura do atravessador e capitalizando as famílias”, disse Joabe Santos.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater

Hemopa Abaetetuba quer
ampliar participação dos
usuários na ouvidoria do órgão
                Melhorar cada vez mais o atendimento aos usuários e potencializar informações sobre o Serviço de Ouvidoria da Fundação Hemopa na hemorrede do Estado. São alguns dos objetivos da visita que será feita ao Hemonúcleo de Abaetetuba, nesta terça e quarta-feira, de 9h às 13h, realizado pela ouvidora da instituição Silvânia Assunção, que vai enfatizar a importância da atividade para a melhoria e agilidade dos processos interno e externo da unidade.
                Segundo a responsável pelo serviço no hemocentro, a socióloga Silvânia Assunção, a atividade vai proporcionar condições de acompanhamento, monitoramento e avaliação pela sociedade, das ações, desdobramentos e impactos das políticas públicas desenvolvidas institucionalmente, ao disponibilizar espaços abertos para opiniões, sugestões, denúncias, elogios, questionamentos, esclarecimento de eventuais dúvidas, entre outros.
                De acordo com a estatística do setor, em 2011, por exemplo, das 1.138 demandas, 89% foi do Hemocentro coordenador em Belém, 1.58% do Hemocentro Regional de Marabá, 1.58% do Hemocentro Regional de Castanhal, 0.87% do Hemocentro Regional de Santarém, 1.31% do Hemonúcleo de Altamira, 0.17% do  Hemonúcle Abaetetuba, 0.43% do Hemonúcleo de Redenção, 1.05% do Hemonúcleo de Tucuruí e 0.53% do Hemonúcleo de Capanema.
                Para Silvância Assunção, o serviço vem sofrendo melhorias constantes, contribuindo dessa forma para a democratização e transparência das ações e agilidade nas respostas aos anseios da sociedade. “Queremos ouvir os usuários para saber se estamos atendendo satisfatoriamente as suas demandas”, ressaltou, explicando que o Serviço de Ouvidoria, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, não é só para reclamar. São várias as considerações: elogios, sugestões, reclamações e esclarecimento de dúvida etc.
                São vários os canais de comunicação que o Hemopa disponibiliza a população usuária dos serviços de hemoterapia e hematologia, entre eles, o presencial, por formulário, on line, email e 08002808118.De acordo com ela, o Hemopa é o único órgão do Estado que possui esse serviço on line, por meio de seu site que proporciona contato em tempo em real com o usuário. Se a demanda for encaminhada para resolução de processos, o interessado receberá o número do registro que possibilita o acompanhamento da consideração.
                A ouvidora do Hemopa não esconde a impressão de que as demandas da hemorrede estão muito baixas. A programação começou com visita técnica mo Hemocentro Regional de Castanhal, nos dias 23 e 24/05; no Hemonúcleo de Capanema, nos dias 29 e 30/05.
                Dos atendimentos efetuados este ano, 739 foram por meio do 0800; 36 por email; e 221 on line; 41 de forma presencial e 38 por formulários, somando um total de 1.075 considerações. Ela classifica que as  intervenções em Abaetetuba ainda é bem tímida. De janeiro a maio foram apenas 12 considerações feitas pelos usuários daquela localidade, o que reflete claramente o desconhecimento do serviço.
                De uma forma geral, Silvânia Assunção destacou a necessidade de divulgação do acesso on line. “É uma manifestação em tempo real que oferece também número de protocolo para acompanhamento. É uma forma de contato semelhante ao mundialmente conhecimento MSN”, comentou. A próxima visita será no Hemocentro Regional de Marabá, dias 13 e 14/06.
                Serviço: O Hemopa Abaetetuba espera por você Av. Santos Dumont, S/N.
                Fone: (91) 37511394/4031Hemonúcleo de Abaetetuba, Fone: 3751-4458.Serviço de Ouvidoria:08002808118.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa

Emater capacita agricultores
de Juruti para
receberem crédito rural
                Desde janeiro deste ano, mais de mil agricultores de cerca de 100 comunidades de áreas de planalto em Juruti, no oeste paraense, estão sendo capacitados pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) para receber crédito rural. As ações se baseiam em reuniões e palestras educativas acerca da adoção de Boas Práticas Agrícolas (BPF) e sobre o acesso a políticas públicas específicas, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).
“A Emater não intermedeia a liberação de crédito sem critérios. Tem que haver planejamento e estratégia, senão o agricultor recebe o dinheiro e não consegue estruturar a produção a ponto de conseguir renda suficiente para pagar o financiamento”, explica o técnico em agropecuária da Emater ,Helder Freitas, chefe do escritório local.
                Há pelo menos três anos nenhum contrato novo do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) era aprovado em Juruti, por conta de um histórico grave de inadimplência. A situação começou a mudar em 2011, quando a Emater se reaproximou do Banco da Amazônia e facilitou a renegociação de dívidas dos agricultores. “Em um ano, foi liberado cerca de R$ 1 milhão”, comemora Freitas.
                As principais atividades das famílias em foco são o cultivo e beneficiamento de mandioca, a pesca artesanal e a pecuária de corte. Algumas das Boas Práticas Agrícolas orientadas são o abandono da tradição da “roça no toco”, em que se usa o fogo para limpeza da área, por uso de maquinário, e a substituição do método de “arrastão” na pesca por tarrafas e malhadeiras.

Texto:
Aline Miranda-Emater


TRÂNSITO

CTBel sugere rotas opcionais
para facilitar o trânsito
na área das obras do BRT
Nesta segunda-feira (04), novas intervenções no trânsito foram adotadas pela Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel) para garantir com segurança  a construção do elevado no entroncamento e tentar minimizar os transtornos no trânsito em função de obras de grande porte como é  a obra do BRT.
A principal mudança ocorrida é quanto ao acesso à BR-316.Quem vem da Avenida Augusto Montenegro ou Pedro Álvares Cabral, ou ainda, quem vem da BR 316 no sentido Ananindeua / Belém,com a intenção de retornar para a BR no sentido contrário , não vai mais poder utilizar a rotatória do complexo do Entroncamento para pegar a BR sentido Belém/Ananindeua, tendo o condutor que fazer o trajeto Av. Pedro Álvares Cabral, Av. Tavares Bastos,Av. Almirante Barroso/BR 316 ou utilizar rotas alternativas.
A CTBel sugere aos motoristas de veículos particulares (passeio), que até em função das obras  na Av. Almirante Barroso, onde houve o estreitamento das pistas de ambos os lados da via, que procurem utilizar rotas alternativas. A CTBel acha importante que durante este período das obras seja priorizado a circulação do transporte coletivo, que já tem um itinerário traçado pelo órgão  e que deve ser cumprido pelos motoristas de ônibus,  uma vez que este tipo de veículo  transporta dia uma média  de um milhão e cem  mil passageiros dia, 
Rotas alternativas: Aos moradores de Icoaraci  que desejam se  deslocar para o centro de Belém principalmente no horário de pico,a CTBEl orienta que passem a utilizar as seguintes vias : Arthur Bernardes/Pedro Álvares Cabral a destino ou Av. Augusto Montenegro/Centenário/Júlio César/Pedro Álvares Cabral a destino.
Já quem reside na Av. Augusto Montenegro antes ou as proximidades da Av. Centenário, tem como rota alternativa a Av. Centenário ou Rua da Marinha, e os que se encontram na BR 316 sentido Ananindeua / Belém que desejam retornar para Ananindeua devem seguir Av. Augusto Montenegro/Av. Independência ou Rodovia do 40 horas  ou ainda  Av. Mario Covas a destino.
A Ctbel recomenda ainda aos moradores da Região Metropolitana (Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa. Bárbara) que passem também a utilizar a Av. Independência ou Mario Covas, seguindo pela Centenário a destino.Outra rota alternativa para quem reside nos bairros que direta ou indiretamente são atingidos pela obra do BRT, (Marambaia,Castanheira, Guanabara etc..) é que utilizem  Av. Pedro Álvares Cabral/Tavares Bastos/Av. João Paulo II a destino.

 Texto:Ascom CTBel
PREFEITURA
DE BELÉM
Sesma avança nas
negociaçõe​s com o SindSaúde
Na última sexta, 01 de junho a Secretária Municipal de Saúde , Sylvia Santos e representantes do Núcleo Setorial de Assuntos Jurídicos e do Departamento de Gestão e Regulação do Trabalho, reuniram com os servidores Samuel Júnior, Ricardo Barreto e Édson Santos, vinculados ao Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Pará (SindSaúde), para dar prosseguimento às negociações por melhoria das condições de trabalho e outros assuntos referentes aos servidores da área da saúde.
Durante a reunião ficou acordado entre a Sesma e o SindSaúde, a complementação no valor de R$ 220,00 para os trabalhadores que se alimentam nos hospitais vinculados à Secretaria e a reintegração retroativa do desconto previdenciário do Hospital de Pronto Socorro Municipal a partir do mês de junho.
Em relação ao retorno do adicional de turno, também uma das reivindicações do SindSaúde, a Sesma explicou que está agendada para o próximo dia 11, uma nova reunião para que as Secretarias Municipais de Administração (Semad) e Assuntos Jurídicos (Semaj) se manifestem sobre o assunto. 
Texto: Anaíza Pontes - Ascom Sesma
AÇÕES DO GOVERNO
DO ESTADO DO PARÁ

Walter Pena é o novo
diretor do Detran
                Tomou posse na manhã desta segunda-feira, 4, o novo diretor-geral do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran/PA), Walter Wanderley de Paula Pena, 46 anos, que assume o posto com a promessa de uma administração transparente e voltada para a melhoria dos serviços à população do Estado. A nomeação de Walter Pena foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial do Estado (DOE).
                Bacharel em Direito, com formação superior também em Filosofia e Teologia, Walter Pena exercia a função de cartorário antes de receber o convite para dirigir o Detran. Na apresentação informal aos servidores, no auditório principal do Detran, ele assumiu o compromisso de fazer uma administração voltada para a população e de portas abertas para os colaboradores.
“Hoje, o usuário diz que vir ao Detran significa perder o dia todo. Queremos encontrar meios de mudar isso, para melhor servir à população. Também queremos o nosso colaborador motivado e pronto para servir dentro de princípios éticos”, disse Walter Pena.
                Casado, pai de um menino de oito anos, Walter Pena é natural de Salvaterra, estudou no Colégio Salesiano do Carmo e mora fora do Pará há 24 anos, tendo residido na Espanha, Argentina e Colômbia.

Texto:
Orlando Cardoso-Detran
Servidor da Paratur recebe
homenagem na Câmara
Municipal de Ananindeua
                O assistente de gestão em turismo da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), Newton Rodrigues, que dedicou parte de sua vida a coordenação de projetos sociais, receberá às 10h desta terça-feira, dia 5, homenagem na sessão especial da Câmara Municipal de Ananindeua (CMA) por ter sido classificado entre os três melhores trabalhos sociais em 2012 no munícipio.
                A homenagem ao curuçaense Newton Rodriguese é fruto do Troféu Romulo Maiorana, recebido no dia 15 de maio, na categoria “Esporte Responsa” com o projeto “Bom de Escola, Bom de Bola”. Socorro Costa, presidente da Paratur, fez questão de parabenizar o servidor por se destacar tanto na Paratur, onde já foi diretor de esporte da Associação dos Funcionários da Paratur (ASFPAR), quanto nas comunidades que atua. O “Bom de Escola, Bom de Bola” é um projeto de cunho social voltado para crianças, jovens e adultos em situação de risco em suas comunidades (Jaderlandia, Águas Lindas, etc). O projeto, idealizado pelo já falecido empresário Antonio Danúbio, tem 20 anos.
Estado implantará centro de
reabilitação para deficientes
em terminal hidroviário
                O governo do Estado pretende implantar um centro de reabilitação para portadores de necessidade especiais no local onde hoje está o Terminal Hidroviário Luiz Rebelo. O terminal, inaugurado em dezembro de 2010, na rodovia Arthur Bernardes, em Belém, pela então governadora Ana Júlia Carepa (PT), encontra-se inativo em função de diversas irregularidades técnicas e operacionais, segundo aponta relatório que está sendo concluído por órgãos estaduais.
                A Secretaria Especial de Estado de Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento Sustentável (Seinfra), que coordena a comissão técnica designada pelo próprio governador Simão Jatene, informa que o projeto do terminal não levou em consideração aspectos técnicos navais e urbanos para a instalação do porto de passageiros no local e, por isso, encontra-se inativo. Além disso, há pendências na prestação de contas com a Caixa Econômica Federal, responsável pelo financiamento da obra.
                O secretário de Infraestrutura do Estado, Sérgio Leão, explica que, na avaliação técnica que o governo realizou, o terminal hidroviário localizado na rodovia Arthur Bernardes é completamente inviável para o propósito que foi elaborado. “Este projeto foi concebido totalmente deslocado do ponto de vista urbano. Não há linhas de ônibus e nem vias alternativas que pudessem servir de logística para os passageiros e usuários do terminal, que deveria ser de integração ao sistema viário. A duplicação da rodovia também se torna quase impraticável, o que deixa o fluxo daquele lugar ainda mais intenso. Colocar em funcionamento este porto sem levar em consideração estes aspectos é causar um problema de mobilidade para os moradores de Belém e, claro, para os passageiros”, esclarece.
                Sérgio Leão ressalta ainda que, além de não ter levado em consideração os aspectos da infraestrutura e logística urbana, o terminal hidroviário foi construído e inaugurado na gestão passada sem nenhuma licença ou avaliação operacional de órgãos municipais ou federais. “O terminal foi inaugurado sem sequer ter sido licenciado pela Prefeitura de Belém ou pela Agência Nacional de Transportes e muito menos pela Capitania dos Portos, que, aliás, condena a implantação deste terminal naquele local”.
Utilização
                Em relação a questões operacionais, do ponto de vista do tráfego naval, o secretário diz que o terminal está completamente comprometido, devido a duas embarcações que estão naufragadas nas proximidades do porto. Uma delas, inclusive, depende de um leilão para ser retirada do rio, pois é patrimônio da União. Essas embarcações prejudicam os canais de navegação e colocam em risco outras embarcações.
                Por causa de todas as questões que inviabilizam o funcionamento do terminal, o governo do Estado desenvolve agora um novo projeto para aproveitar o espaço sem comprometer a infraestrutura urbana. De acordo com Leão, o Estado está articulando com a Caixa Econômica Federal de que forma poderá instalar no espaço um Centro Integrado de Reabilitação para Portadores de Necessidades Especiais, além de um local de lazer para a população aproveitar a orla da capital.
“Estamos conversando com a Caixa Econômica Federal e com o Ministério do Turismo, que foram os responsáveis pelo financiamento do projeto do terminal. A nossa ideia é desenvolver o centro de reabilitação, fazendo as adaptações necessárias para atender a esta finalidade. Com isso, o Governo do Estado deverá devolver à União o recurso de R$ 2 milhões designados para a implantação do terminal naquela área”, explica o secretário de Infraestrutura do Estado.
                Sítio histórico
                Além da Seinfra, quem também participa da comissão designada pelo governador Jatene é a Secretaria de Estado de Cultura (Secult). O secretário de cultura do Estado, Paulo Chaves, alerta para o risco à integridade dos monumentos históricos e possíveis relíquias no terreno onde foi construído o terminal. Segundo Paulo, há muitos anos o local era a antiga Fazenda Val de Cans, pertencente aos mercedários. Atualmente, ainda se vê as ruínas de algumas construções da fazenda, bem como uma capelinha da congregação dos Capuchos, frades franciscanos.
“Na primeira gestão do governador Jatene nós já havíamos estudado a possibilidade de instalar o terminal hidroviário neste local, mas nos deparamos com diversas questões, como os monumentos que fazem parte da história da capital. Este local é um sítio arqueológico e, assim como na Estação das Docas, que durante as obras fizemos escavações e encontramos relíquias, aqui deve haver muitos vestígios importantes do passado”, acrescenta Chaves.
                O secretário também faz críticas quanto à execução do projeto, que, de acordo com ele, apresenta diversos erros arquitetônicos. “Que Belém precisa de um terminal hidroviário isto já se sabe, mas que seja pensando de forma ampla e que consiga atender as necessidades da população”, ressalta. Além do sítio arqueológico, Chaves apresenta outro problema, que do ponto de vista social, inviabiliza também o terminal na Arthur Bernardes. De acordo com ele, a população ribeirinha “condena esse porto, pois fica distante do centro comercial e do Ver-o-Peso, além de o local apresentar sérios problemas em relação a mobilidade urbana”.
O relatório técnico desenvolvido pelo Governo do Estado deverá ser encaminhado ao Ministério Público Federal (MPF), que fez recomendações ao Estado em relação ao projeto. Segundo Sérgio Leão, “o Governo encaminhará o relatório assim que for notificado oficialmente pelo MPF ou pela Justiça”.

Texto:
Thiago Melo-Secom
Estado destinará R$ 40 milhões
para realização de
cirurgias de catarata
                É cada vez maior no Pará o número de pessoas que sofrem com problemas de baixa visão, decorrentes tanto de fatores congênitos como adquiridos. Entre as patologias mais comuns que ocasionam essa perda da acuidade visual estão o glaucoma, a catarata e o piterigio (popularmente conhecido como 'carne no olho'). O grande número de atendimentos oftalmológicos feitos pelas equipes da Sespa na caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva confirma o alto índice de perda visual principalmente entre a população de baixa renda, que tem menos acesso a consultas e tratamentos na área.
                Informado sobre esses índices e atento à questão, o governador Simão Jatene, autorizou a liberação de recursos que somam R$ 40 milhões para a realização de cirurgias de catarata em pacientes que sofrem com a doença e não tem condições de arcar com as despesas desse procedimento. As intervenções cirúrgicas serão realizadas em número de cinco mil ao mês e começam já em agosto deste ano. Os recursos para este fim serão incluídos no orçamento anual do Estado, que será revisto para assegurar que as cirurgias possam ser realizadas por cinco anos seguidos.
“O Plano Plurianual do Estado (PPA) já está sendo revisto pelo governo, pois este recurso deverá ter caráter prioritário dentro do orçamento anual”, destacou a secretária adjunta da Sespa, Helena Guimarães. Ainda de acordo com a gestora, uma das principais causas para a grande incidência desse diagnóstico é a falta de proteção ocular. "Vivemos praticamente na linha do Equador e na nossa região a incidência dos raios solares é alta. O que pode ajudar a retardar essa perda visual e evitar a catarata precoce é a utilização dos óculos“, destacou.
                O recurso que será liberado para a Sespa é a contrapartida do governo estadual, através do programa “Veja Bem”, para reforço das ações do projeto “Olhar Brasil”, executado pelo governo federal e gerenciado pelo Ministério da Saúde. A iniciativa prevê assistência a 44 milhões de pessoas em todo o país e pretende identificar, em princípio, problemas visuais em alunos matriculados na rede pública de Ensino Fundamental no programa “Brasil Alfabetizado”, e também junto à população com mais de 60 anos.
Diagnóstico
                Durante as incursões da Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva na região do Marajó, que duraram 73 dias, as equipes médicas observaram que a procura maior entre os serviços de saúde foi pelo atendimento oftalmológico. Este cenário preocupou a coordenação do programa, que já tinha em mãos estatísticas e estudos epidemiológicos feito pelo governo nos municípios que integram o arquipélago.
                No Baixo Amazonas essa realidade não é diferente. Em Santarém, quinto município visitado na região pela Caravana, as consultas oftalmológicas estão entre as mais demandadas. Levado pela avó ao prédio do Sesi, onde os atendimentos médicos estão sendo realizados, Daniel Pinheiro Costa, de apenas 11 anos, queixava-se de dores de cabeça principalmente ao fazer esforço para ler os livros da escola. "A minha vista fica sempre embaçada”, contou o menino ao médico, que recebeu o diagnóstico de hipermetropia. Após a consulta, ele recebeu gratuitamente os óculos que o ajudarão a ter uma rotina mais tranquila.
                Em apenas dois dias de atendimento no município de Santarém a Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva já realizou mais de 30 mil procedimentos de saúde. Destes, cerca de quatro mil foram na área de Oftalmologia. Por meio da assistência nessa área foi possível garantir o encaminhamento de 149 avaliações e cirurgias oftálmicas, além do fornecimento de quase 600 óculos.

Texto:
Cora Coralina-Secom


CONFERÊNCIAS
& PALESTRAS

Estande do Pará na Rio + 20 será
feito de compensado de miriti
                O compensado de miriti, uma tecnologia desenvolvida há seis anos por um artesão paraense com o apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), será o principal material utilizado na estruturação do espaço reservado ao Pará no estande Amazônia, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que acontecerá no Rio de Janeiro de 13 a 22 de junho.
                O mobiliário feito a partir da fibra do buritizeiro é uma alternativa ecológica ao compensado tradicional, de madeira, além de representar um dos artesanatos mais tradicionais do Pará. “Como empreendedor social, quis criar uma solução sustentável que conjugasse funcionalidade e aproveitamento de uma matéria-prima regional, cuja extração não demandasse desmatamento ou qualquer outro dano ambiental. O miriti é obtido naturalmente, com o manejo das árvores”, explica o artesão Joel Silva, de Abaetetuba, no nordeste do Estado, atendido pelo escritório local da Emater há mais de 20 anos.
                De acordo com Silva, o compensado de miriti tem a mesma durabilidade, aparência mais rústica, manipulação e corte mais fáceis e textura mais porosa e macia do que o de madeira. Um dos diferenciais, ainda, é a capacidade de manutenção térmica e isolamento acústico. No mais, a composição, por se valer de bases recicladas, tem potencial para se tornar significativamente mais barata, desde que haja investimento em maquinário. “Porque, hoje em dia, 80% dos meus custos são com mão-de-obra”, diz Silva.
                Segundo a presidente da Emater, Cleide Amorim, a projeção 'além fronteiras' de um resultado prático do trabalho que o Governo do Pará vem promovendo em prol do desenvolvimento sustentável amazônico prova que é possível produzir no meio rural com lucro e preservação. “A preocupação da Emater é não só melhorar as cadeias produtivas, mas incentivar a expressão cultural e as tradições das populações. A valorização do miriti agora tem várias frentes”, aponta.
                Estande
                O espaço do Pará no estande Amazônia, que abrigará também núcleos dos outros oito estados da região, será de 25 m². O estande funcionará no Parque dos Atletas, na Barra da Tijuca, com acesso livre e gratuito, de 13 a 20 de junho.

Texto:
Aline Miranda-Emater

CURSOS & CONCURSOS
Secti oferta cursos gratuitos
voltados à acreditação
de laboratórios
                A Secretaria de Ciência Tecnologia e Inovação (Secti) abre inscrições gratuitas para cursos de capacitação em gestão da qualidade em laboratórios de ensaio e calibração para o alcance de acreditação de processos. Os cursos “Sistema de gestão para laboratórios de ensaios e calibração NBR ISO/IEC 17025:2005”, “Elaboração de documentos do sistema de gestão” e “Auditoria interna segundo a norma NBR ISO/IEC 19011” serão ofertados de 18 a 22 de junho e as inscrições vão de 04 a 14 deste mês.
                Em linhas gerais, a acreditação é um processo voluntário para o reconhecimento formal da competência de um laboratório ou organismo para desenvolver as tarefas de avaliação da conformidade, segundo requisitos estabelecidos, visando a garantia da qualidade e confiança dos serviços prestados pelo laboratório.
                Segundo consta no Plano Diretor da Secti, o apoio à acreditação de laboratórios é fundamental para criar no Pará as condições necessárias para certificar a qualidade dos produtos originados da biodiversidade estadual. Isso representa uma drástica redução de custos, uma vez que, atualmente, estas análises são, quase em sua totalidade, realizadas no Sudeste do país.
                 A realização dos cursos conta com o apoio da Agência de Inovação Tecnológica da Universidade Federal do Pará (Universitec), que sediará os eventos. Podem se inscrever técnicos, docentes, pesquisadores e outros profissionais atuantes em laboratórios de calibração e/ou ensaios. Os interessados podem participar dos três cursos, desde que preencham e enviem as fichas de inscrição correspondentes, disponíveis abaixo. Após o preenchimento, as fichas devem ser encaminhadas ao e-mail nicelma.oliveira@secti.pa.gov.br. Para maiores informações: (91) 4009-2531/07.
                 Serão ofertadas 25 vagas por curso e as inscrições serão encerradas assim que forem preenchidas. A inscrição somente será efetuada mediante recebimento de confirmação de inscrição via e-mail do endereço nicelma.oliveira@secti.pa.gov.br.
                 Calendário dos cursos:
- Sistema de gestão para laboratórios de ensaios e calibração NBR ISO/IEC 17025:2005
                Data: 18 e 19 de junho de 2012
                Hora: 08h às 17h
                Pré-requisito: não possui
                Clique aqui para baixar a ficha de inscrição.
- Elaboração de documentos do sistema de gestão
                Data: 20 de junho de 2012
                Hora: 08h às 17h
                Pré-requisito: não possui
                Clique aqui para baixar a ficha de inscrição.
  - Auditoria interna segundo a norma NBR ISO/IEC 19011
                Data: 21 e 22 de junho de 2012
                Hora: 08h às 17h
                Pré-requisito: solicitar inscrição ou ter participado do curso Sistema de gestão para laboratórios de ensaios e calibração NBR ISO/IEC 17025:2005.
                Clique aqui para baixar a ficha de inscrição.

Texto:
Ana Carolina Pimenta-Secti

EDUCAÇÃO
Obras do novo prédio da Escola
Celso Malcher começam
no segundo semestre
                Começa no segundo semestre deste ano a construção do novo prédio da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Celso Malcher, no bairro da Terra Firme. O projeto inclui 12 blocos de salas de aula, cada uma com capacidade para 49 alunos. A nova escola, que poderá atender 1.764 estudantes, contará também com área de recreação coberta, quadra esportiva coberta com vestiários, laboratórios de informática, administração, auditório para 200 pessoas e uma guarita, totalizando um investimento de R$ 5,5 milhões.
                O processo para o início das obras começou em janeiro e, nesta segunda-feira (4), o governador Simão Jatene reafirmou o compromisso com os moradores da Terra Firme, anunciando o começo das obras para o segundo semestre. A resposta foi dada a um morador do bairro, durante o programa “Prestando Contas”, transmitido diariamente pelas rádios. “É um projeto grande e a Seduc (Secretaria de Estado de Educação) está finalizando os procedimentos legais para que tenham início as obras”, afirmou o governador.
                O anúncio da nova escola já havia sido feito pelo secretário de Estado de Educação, Cláudio Ribeiro, durante a inauguração da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP), em dezembro do ano passado, no prédio onde funcionou a escola. Após apresentar problemas na infraestrutura, os alunos foram remanejados para um prédio alugado da Paróquia São Domingos de Gusmão, e desde então aguardavam pelas novas instalações.
                A área onde será reconstruída a escola, localizada na Avenida Perimetral, foi doada pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e fica próxima ao antigo prédio. A Seduc já realizou os estudos necessários no terreno e o levantamento topográfico da área.
                O projeto arquitetônico também já foi concluído. “Até o final deste semestre daremos início ao processo de licitação e, no próximo semestre, começam as obras”, reafirmou o secretário adjunto de Logística Escolar, José Croelhas.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Oficina desperta o interesse
pela Língua Brasileira de Sinais
                A técnica de segurança do trabalho, Elisângela Carvalho, procurou a Casa da Linguagem com o intuito de aprender a Língua Brasileira de Sinais. “Eu percebi que atuando como técnica de segurança do trabalho dentro de uma empresa vou encontrar colaboradores surdos, por isso tenho que desenvolver uma prática para aperfeiçoar o meu trabalho”, explica a aluna da oficina de Libras oferecida pela Fundação Curro Velho.
                A promotora de vendas Thie Alves é outra aluna de Libras que pretende desenvolver um trabalho na igreja que frequenta. “Eu desde pequena tinha vontade de aprender Libras. Na Igreja Videira trabalhamos com muitos surdos e lá pretendo ser intérprete”. Já a graduanda em História, Wanda Araújo, tem um primo que é surdo e conta que tinha dificuldades para conversar com ele. "Por isso resolvi fazer a oficina. Aprender Libras também vai ajudar na minha formação”.
A instrutora Cyntia França conta que durante a oficina realizada na Casa da Linguagem, os participantes discutem a importância da inclusão na educação. “Eu ensino Libras, mas dentro desse processo da prática, eu discuto com os alunos a inclusão do surdo; a importância de Libras para o surdo; Por que a gente tem que aprender Libras? Por que que é importante?”, comenta a instrutora.
                O público que procurou a oficina na Casa da Linguagem é diversificado. “Temos aqui universitários, alunos do ensino médio e fundamental, pessoas com atividades em igreja, profissionais que querem se aprofundar no assunto”, explica Cyntia França. Para que os participantes pratiquem a Língua Brasileira de Sinais diariamente durante as atividades, o professor Arlindo de Paula, que é surdo, também vai ministrar a oficina. “Ele é professor, é surdo, oraliza e articula bem as palavras e usa muito bem a Língua de Sinais. Expliquei para os alunos que eu saio de cena e eles vão fazer na prática a Libras. Na sala de aula, sem Língua de Sinais não há educação para o surdo”, conclui a instrutora.
                A oficina de Libras será realizada até o dia 20 de junho na Casa da Linguagem, na avenida Nazaré, nº31. Em julho, a Fundação Curro Velho por meio da Casa da Linguagem vai promover uma Formação Continuada de Professores que terá como tema Libras e Direitos Humanos.

Texto:
Andreza Gomes-FCV

SAÚDE
Nota Sesma-Trat​amento
Fora de Domicílio
A Secretaria Municipal de Saúde - Sesma informa que o programa de Tratamento Fora de Domicílio - TFD foi regularizado na última sexta-feira, 1, e todos os pacientes que utilizam o serviço já estão sendo comunicados para receberem suas passagens.

Campanha de Captação de
Doadores de Sangue
da Santa Casa
                A IX Campanha de Captação de Doadores de Sangue do Hospital Santa Casa acontece quarta-feira (6), das 8 às 18 horas, no Espaço Moara. A Gerência da Agência Transfusional da Santa Casa reforça que a colaboração dos doadores é fundamental, pois o hospital faz cerca de 650 transfusões de sangue por mês. Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos, portando documento de identidade, pode ser um doador. Com a doação são feitos exames para diversas doenças, como aids, sífilis, doença de Chagas, hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sanguínea. Haverá distribuição de lanches aos doadores. Para doar sangue a pessoa deve estar bem alimentada. A Santa Casa fica na avenida Generalíssimo Deodoro, 395, no Umarizal.

Médicos e enfermeiros
são capacitados em
emergências obstétricas

                Com a finalidade de capacitar médicos e enfermeiros para enfrentar emergências obstétricas e reduzir a mortalidade materna na hora do parto, o Ministério da Saúde, com apoio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa),  promoveu no fim de semana, no Hotel Beira Rio, o Curso de Suporte Avançado de Vida em Obstetrícia (Also), alçando 40 profissionais, 30 do Pará e dez do Amapá.
                O curso tem como responsável técnico o médico obstetra Milber Fernandes Guedes Júnior, que ministra o conteúdo juntamente com mais seis obstetras e uma neonatologista. Milber disse que a intenção do Ministério da Saúde é fortalecer as ações da Rede Cegonha e reduzir a mortalidade materna, que ainda é alta no Brasil, apesar da queda de 21% divulgada recentemente pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha.
“Estamos com uma taxa de 68 óbitos maternos para cada 100 mil nascidos vivos e a meta do milênio, assumida pelo Brasil juntamente com outros países, é reduzir para 35 mortes por 100 mil nascimentos”, explicou. “Outro objetivo é fazer o mínimo de partos cesarianos e incentivar os partos normais, por oferecerem menos risco de infecção à mulher”, acrescentou.
                Milber Guedes informou que as principais emergências obstétricas na hora do parto no Brasil são motivadas por hemorragia pós-parto, doenças hipertensivas e infecções, situações que são trabalhadas no curso Also. Conforme dados de 2010, no Pará, a hipertensão lidera a causa de morte entre as gestantes, com 29,5%, seguida de hemorragia (9%), infecções pós-parto (5,1%), doenças do aparelho circulatório complicadas pela gravidez pelo parto ou pelo pós-parto (3,8%) e aborto (2,6%).
                Segundo o médico, o Also é um curso com método internacional, que padroniza os procedimentos na hora de uma emergência obstétrica. Os participantes são divididos em grupos, que passam por sete estações de trabalho: vigilância fetal intraparto, casos clínicos, distócia de ombro, reanimação materna, hemorragia pós-parto, parto vaginal assistido e reanimação neonatal. Em todas as estações são usados manequins representando mulheres em trabalho de parto.
                Segundo a representante da Coordenação Estadual de Saúde da Mulher, Conceição Oliveira, o Ministério da Saúde oferece as vagas, enquanto Estados e Municípios indicam os participantes, responsabilizando-se pelo transporte, alimentação e hospedagem.
                Do Pará, participaram profissionais dos Hospitais Municipais de Breves, Paragominas, Barcarena,  Tucuruí, Abaetetuba e Oeiras do Pará, Hospital Materno Infantil de Marabá, Hospital Regional Abelardo Santos, Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, Hospital Divina Providência (Marituba) e Santa Casa de Misericórdia.

Texto:
Roberta Vilanova-Sespa

Mutirão medirá nível de
monóxido de carbono
o sangue de fumantes
                O Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) e sua rede credenciada fazem mutirão nesta quarta-feira (06), para medir o monóxido de carbono (CO) no sangue de fumantes. Dirigida aos segurados do plano de assistência aos servidores estaduais, a ação será complementada por indicação imediata ao tratamento a laser contra o tabagismo. O evento acontecerá das 8 às 15h, na Central de Segurados (Avenida João Paulo II, 277).
 “No mutirão, o segurado fará a medição do nível de comprometimento dos pulmões e terá um médico para autorizar o início do tratamento. A iniciativa é um incentivo a mais para que o segurado abandone o vício de fumar”, informou o presidente do Iasep, Kleber Miranda. Segundo ele, o tratamento a laser tem registrado 80% de resultados positivos no combate ao tabagismo.
                Na semana passada, o Iasep liberou até o final do ano a cota especial de procedimentos para a realização do tratamento. “Mesmo com esse incentivo, a exigência de indicação médica tem servido como justificativa para o segurado adiar o início do tratamento. No mutirão, vamos eliminar qualquer barreira para o segurado, e ele sairá de lá pronto para iniciar as sessões”, disse Miranda.
                A medição do monóxido de carbono no sangue e no pulmão dos fumantes será feita com o uso de um monoxímetro, aparelho também conhecido por fumômetro. O aparelho funciona como um bafômetro - o paciente assopra em um tubo descartável para ver o nível de comprometimento do organismo pelo uso do tabaco.
                O monóxido de carbono é uma das mais de 4.720 substâncias contidas no cigarro. Gás tóxico, sem odor, ser cor e sem gosto, o CO é muito prejudicial à saúde, exercendo um papel importantíssimo no desenvolvimento da arteriosclerose, nas complicações da gravidez (prematuridade e morte perinatal), nas intoxicações agudas e na morte súbita por infarto do miocárdio. O monóxido de carbono é também um dos principais responsáveis pela falta de fôlego ou cansaço relatado pelos fumantes.

Texto:
Ettiene Angelin-IASEP

Santa Casa faz campanha de
captação de doadores de sangue
                A IX Campanha de Captação de Doadores de Sangue do Hospital Santa Casa será realizada nesta quarta-feira, 6, das 8h às 18h, no Espaço Moara. A Gerência da Agência Transfusional da Santa Casa reforça que a colaboração dos doadores é fundamental, pois o hospital realiza cerca de 650 transfusões de sangue por mês. Qualquer pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos, portando documento de identidade, pode ser um doador. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, como Aids, sífilis, doença de Chagas, hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sanguínea. Haverá distribuição de lanches aos doadores. Para doar sangue a pessoa deve estar bem alimentada. A Santa Casa fica na av. Generalíssimo Deodoro, 395, entre Bernaldo Couto

Oficina associa cardápio
regional com
prevenção do câncer
                No intuito de mostrar como os bons hábitos na alimentação podem ajudar na diminuição dos casos de câncer, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio da Coordenação Estadual de Nutrição, em parceria com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), ministra uma Oficina de Culinária nesta terça e quarta-feira, 5 e 6, na Faculdade de Nutrição da Universidade Federal do Pará (UFPA). A atividade contempla nutricionistas que desenvolvem suas atividades nos 13 Centros Regionais de Saúde da Sespa e nos Núcleos de Atenção a Saúde da Família (Nasf) a fim de que sejam multiplicadores dessas estratégias.
                No ano passado, foi realizada uma primeira oficina em setembro, quando o Pará foi o primeiro Estado do Brasil a adotar esse tipo de treinamento. O foco maior da capacitação é a prevenção do câncer por meio do cardápio regional, segundo informa a nutricionista e coordenadora estadual de Nutrição, Rahilda Tuma.
                A capacitação terá dois momentos: o teórico, que acontecerá durante toda esta terça-feira, 5, e o prático, no dia 6, ambos na faculdade de Nutrição. O programa obedece à publicação "Políticas e Ações para Prevenção do Câncer no Brasil: Alimentação, Nutrição e Atividade Física", sumário executivo baseado no Relatório de Alimentação e Câncer, do Fundo Mundial de Pesquisa Contra o Câncer, contendo uma série de propostas a serem adotadas no país para reduzir a incidência da doença.
                A publicação informa que, no Brasil, a combinação de alimentação saudável com atividade física é capaz de prevenir 63% dos casos de câncer de boca, faringe e laringe; 60% dos tumores de esôfago e 52% dos casos em que a doença atinge o útero. "Os hábitos sedentários associados à ingestão de alimentos processados e ricos em sal, gorduras e açúcares tem contribuído para o aumento de peso e a disseminação de doenças crônicas, como o câncer, até mesmo em crianças e adolescentes", informa um dos trechos da publicação.
                Em meio a dinâmicas de grupo, troca de experiências, exposições e apresentações de trabalho, a capacitação aborda os riscos de se desenvolver câncer, seja em nível populacional ou individual, levando-se em conta vários fatores, entre os quais a alimentação, atividade física, composição corporal e aleitamento materno.
                Serviço:
                A oficina culinária voltada para a prevenção do câncer acontecerá nos dias 5 e 6 de junho na faculdade de Nutrição da UFPA, em frente ao Hospital Bettina Ferro. Informações pelo telefone 4006-4291.

Texto:
Mozart Lira-Sespa


POLÍCIA
Carro do Hemopa que
Pegou fogo na BR-316
passará por perícia
                A Fundação Hemopa vai aguardar resultado de perícia para saber o que provocou o incêndio no carro funcional da instituição, na manhã desta segunda-feira (4), no quilômetro 8 da rodovia BR-316. O veículo se dirigia ao núcleo do Hemopa de Capanema, no nordeste do Pará, com cinco funcionários que fariam visita de rotina à unidade. Não houve vítimas, apenas perda patrimonial.
                O fogo começou no painel do carro. Ao perceber a situação, o motorista parou o veículo no acostamento da BR, para que os colegas descessem imediatamente. Ele tentou apagar o incêndio com o extintor, mas as chamas consumiram o carro muito rápido. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) acionou o Corpo de Bombeiros, mas a perda do veículo foi total. Assim como a frota de carros do Hemopa, o veículo incendiado estava no seguro.
                O gerente de Transportes do Hemopa, Mauro Freitas, disse que todas as providências estão sendo tomadas para que o laudo técnico da perícia aponte as causas do incêndio. Após o susto, ele comemorou o fato de não ter havido vítimas. “O motorista agiu com calma e segurança. Isso foi determinante para que os colegas saíssem ilesos do acidente”, comentou.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa

Diretor da Apae em Ourilândia
do Norte é presa
por abuso de menores
                Está preso em Ourilândia do Norte, sudeste do Pará, sob acusação de abuso sexual de oito crianças e adolescentes menores de 14 anos, Adevair Nogueira de Jesus, 45 anos. Ele, que ocupa o cargo de diretor da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do município, foi preso na manhã de sábado, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva decretado pela Comarca Judiciária local, em resposta à denúncia feita por alunas da entidade à Polícia Civil.
                Segundo as denunciantes, ele vinha praticando atos libidinosos com várias crianças. Ouvido em depoimento, na Delegacia de Ourilândia, o acusado negou os crimes e alegou que estaria sendo vítima de perseguição política. Todavia, ele deverá permanecer recolhido na unidade policial, onde aguardará manifestação da Justiça.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Policiais civis e militares
capturam latrocidas
em Mãe do Rio
                Estão presos em Mãe do Rio, nordeste do Pará, Clebson de Jesus, 20 anos, e Robson Carlos Barreto Porto, 18, autores do crime de latrocínio que teve como vítima o comerciante Antônio Waldomiro da Silva Gomes. Eles foram presos durante buscas realizadas por policiais civis e militares no município. O crime foi registrado por volta das 22h30 do último dia 31. As informações foram divulgadas neste domingo, 3. De acordo com o delegado Alexandre Calvinho, as investigações iniciaram logo após o crime.
                Uma informação recebida pelo delegado às primeiras horas do dia seguinte levou o investigador Ismael Troitinho, da Delegacia de Mãe do Rio, até as casas onde estavam escondidos os criminosos. Foi a primeira morte violenta registrada em 2012 em Mãe do Rio. Após o crime, o delegado solicitou exame de necropsia e perícia de local de crime ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves. Segundo o investigador Ismael, que estava de serviço na unidade policial, no momento do crime uma testemunha informou à Delegacia que os latrocidas estavam escondidos em uma comunidade conhecida como Zona do Brega.  Clebson, um dos acusados, foi preso durante uma abordagem à casa onde morava. Ele ainda estava com as mesmas roupas que vestia no momento do crime.
                Ouvido, o acusado admitiu participação no latrocínio e afirmou que o comparsa – Robson – era quem teria desferido os golpes que mataram a vítima. O segundo envolvido foi localizado em seguida, em um sítio, e confessou ter sido o autor das facadas contra o comerciante. Em depoimento, Robson alegou ter esfaqueado Antônio Waldomiro porque ele reagiu no momento do assalto. Ambos foram autuados em flagrante por latrocínio e permanecerão recolhidos à disposição da Justiça.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

CULTURA
Quartenaglia ministra
masterclass no Festival
Internacional de Musica


                O grupo Quartenaglia, formado pelos violonistas Chrytian Dozza, Fábio Ramazzina, Thiago Abdalla e Sidney Molina, abriu a programação de masterclass do 25º Festival Internacional de Música do Pará, nesta segunda-feira (4). O violão foi o instrumento abordado pelo grupo durante a atividade, que reuniu cerca de 50 pessoas, no auditório do Instituto de Artes do Pará (IAP).
                Diferente de um curso comum, a atividade teve como objetivo o aprimoramento dos estudantes. “As pessoas tocam músicas do seu repertório, nos mais diversos estilos, e ao invés de ter uma aula individual, o aluno tem uma aula pública. Todos os aspectos de técnicas, interpretação, estilo, ritmo e todas as questões que envolvem uma boa execução musical são trabalhados pelos professores com o aluno e os outros participam anotando coisas, fazendo perguntas. É feito um rodízio de apresentações”, explicou o instrutor, Sidnei Molina.
                A estudante de música Juçara Dantas, 19 anos, apresentou aos instrutores e ao público o Estudo nº 11, do compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos. Para ela, a atividade significou um grande aprendizado. “É uma experiência e uma oportunidade únicas para termos contato e pegar dicas com músicos de grande referencia. São apenas três dias, mas o aprendizado nós levamos para sempre”, afirmou a jovem, que cursa o quanto semestre de música na Universidade Federal do Pará (UFPA).
                Durante a atividade, Juçara recebeu algumas orientações dos músicos, que lhe apresentaram outra forma de apresentar a mesma peça. “Estava acostumada a tocá-la de uma maneira, não que estivesse fazendo de forma errada, mas eles me mostraram uma nova concepção e que existem várias formas de fazer a mesma peça. Eles me apontaram detalhes, coisas que podem melhorar minha técnica e a minha postura”, comentou a estudante.
                A atividade também teve participação de iniciantes do instrumento e de interessados em começar os aprendizados no violão, como os amigos Renan Rosário e Max Paulo, ambos de 19 anos. Renan, que estuda violão há um ano, aprovou os ensinamentos repassados. “Os instrutores são muito bons”, disse ele, que cursa o terceiro ano do ensino médio e pretende prestar vestibular para música. Para Max, a atividade serviu como estímulo para aprender a tocar. “Ainda não tive oportunidade, mas tenho vontade”, afirmou.
                O masterclass de violão com o grupo Quartenaglia – que dá direito a certificado – prossegue terça (5) e quarta-feira (6), sempre das 15 às 18 horas, no auditório do IAP. Os interessados em participar da atividade podem se inscrever até terça-feira. Para isto, devem chegar antes da atividade e fazer a inscrição no local.
                O Quartenaglia também se apresenta no festival, no Theatro da Paz, na noite de sábado (9). O grupo apresentará “Gismontiana”, um concerto especialmente escrito pelo cubano Leo Brouwer para quarto violões e orquestra. A apresentação será regida pelo maestro cubano, que fará em Belém sua segunda apresentação no país, tendo se apresentado apenas em São Paulo. A programação completa do festival pode ser conferida em www.fimupa.com.br.

Texto:
Amanda Engelke-Secom

XXV Festival Internacional
de Musica da Amazônia
apresenta banda
centenaria de São
Caetano de Odivelas
                Foi há mais de 130 anos, em São Caetano de Odivelas, que foi fundada a banda Rodrigues dos Santos, programação desta terça feira (5) do XXV Festival Internacional de Musica da Amazônia. A apresentação acontece às 18 horas, no anfiteatro São Pedro Nolasco, na Estação das Docas. A entrada é franca. Com 60 integrantes, a maioria deles adolescentes, a “Rodrigues dos Santos” promete ao público um repertório bastante diversificado, que vai do rock ao carimbó.
                A banda Rodrigues do Santos foi fundada em 24 de fevereiro de 1881, pelo musico Cesarino das Chagas, e por muitos anos levou o nome do seu idealizador. Foi num momento de dificuldades financeiras que o então intendente da cidade, José Rodrigues dos Santos, decidiu ajudar os músicos, desde que a banda fosse rebatizada com seu nome. Hoje a Escola de Música Rodrigues dos Santos oferece aulas a cerca de 300 jovens, com idade entre 09 e 18 anos, no município de São Caetano de Odivelas, além de exportar músicos para bandas militares e até para a Orquestra Sinfônica da Fundação Carlos Gomes.
                A banda é a segunda atração do interior que se apresenta no festival. A programação começou domingo (3), na praça Batista Campos, e terá ainda outros cinco grupos também do interior. Na quarta feira (6) se apresentam os músicos da Associação Musical Antonio Malato, do município de Ponta de Pedras; quinta (7) é a vez da banda de Limoeiro do Ajuru; e sexta (8) a apresentação fica por conta da banda Diego Cotes de Moraes, de Uruará. Todas as apresentações acontecem no anfiteatro São Pedro Nolasco, na Estação das Docas, sempre às 18 horas, com entrada franca.

Estação e Mangal funcionam
normalmente no
feriado Corpus Christi
                A direção da Organização Social Pará 2000 informa que na próxima quinta-feira, 7 de junho, feriado Corpus Christi, os espaços Estação das Docas e Mangal das Garças abrirão normalmente para receber o público. A Estação das Docas abrirá os portões às 9 horas e fechará à meia noite. Já no Mangal das Garças funcionará no horário das 9 horas às 18 horas. “Com a abertura dos espaços estamos dando opção de lazer e cultura para o público que permanece na cidade durante o feriado”, destaca a presidente da OS Pará 2000, Gabriela Landé.




Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...