Total de visualizações de página

sábado, junho 16, 2012

Governador apresenta o programa Municipios Verdes na Rio +20



Pará vai receber parte
dos R$ 20 bilhões
anunciados pelo
governo federal
                O Pará vai receber parte dos R$ 20 bilhões liberados como empréstimos para o desenvolvimento dos Estados, e anunciados nesta sexta-feira (15) pela presidente Dilma Rousseff, durante reunião com governadores de todos os Estados e do Distrito Federal, no Palácio do Planalto, em Brasília. Os recursos chegarão ao Pará num curto espaço de tempo, já que o Estado tem projetos prontos à espera de investimentos.
                Os recursos, que poderão ser obtidos no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), somam R$ 20 bilhões, e os juros cobrados serão balizados pela TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo), atualmente em 6% ao ano, mais 1,1% ao ano (com aval da União) a 2,1% ao ano.
                "Estamos criando uma linha especial de crédito para os Estados, o Pró-Investe. Essa linha de crédito vai ter o valor de R$ 20 bilhões. Acho que é a maior linha de crédito já criada para os Estados brasileiros. Poderá ser tomada por qualquer uma das 27 unidades da Federação. A taxa de juros vai de 7,1% a 8,1% ao ano, uma taxa bastante baixa para esses investimentos", afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega.
                O ministro pediu aos governadores que "participem mais do esforço de investimento governamental". "Eles terão uma linha de crédito de fácil acesso para financiar seus programas de investimento, metrô, mobilidade urbana, saneamento, aquilo que eles acharem prioritário para os Estados", ressaltou o ministro.
                A oferta de crédito aos Estados faz parte do esforço do governo em aumentar o Produto Interno Bruto (PIB) do país. No começo do mês, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou que a economia brasileira cresceu apenas 0,2% no primeiro trimestre (de janeiro a março) de 2012, em relação aos três últimos meses de 2011.
Projetos prontos - O governador Simão Jatene avaliou a reunião como muito positiva para a economia, principalmente dos Estados. Segundo ele, o governo brasileiro está consciente da crise econômica mundial, gerada a partir da crise europeia, e sabe que precisa tomar medidas urgentes para que o Brasil não seja afetado pela crise. "Essa linha de crédito anunciada hoje é uma dessas medidas", completou o governador.
                Jatene disse ainda que o Pará deve obter um valor considerável desses R$ 20 bilhões oferecidos pelo governo federal. “Além de estarmos liberados para contrair empréstimos, visto que colocamos a casa em ordem do ponto de vista fiscal, temos projetos prontos, esperando apenas recursos para colocá-los em prática”, afirmou o governador.
                Segundo ele, alguns desses projetos são prioritários para o Estado, como o de infraestrutura viária, que vai melhorar a situação das estradas estaduais, havendo ainda a possibilidade de abertura de novas estradas, e a viabilização de projetos nas áreas de saúde e saneamento. “A iniciativa privada, que aposta no Pará, está à espera da concretização desses projetos para investir no Estado, gerando trabalho e renda para a população”, ressaltou Simão Jatene.
                Também participaram da reunião o vice-presidente da República, Michel Temer; os ministros de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, José Pimentel, e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho.


Texto:
Pascoal Gemaque-Secom

Desenvolvimento
sustentável é tema
de debates na Rio +20
                Negociadores de mais de 190 países se reuniram na tarde deste sábado (16), no pavilhão 5, do Riocentro, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio +20, para discutir os debates intitulados “Diálogos para o desenvolvimento sustentável”. Essa é a segunda etapa das negociações, que antecedem a reunião de cúpula dos chefes de Estado e de Governo, dias 20 a 22.
                Os painéis de debate se concentram nas discussões sobre desemprego, trabalho decente e migrações e o desenvolvimento sustentável como resposta às crises econômica e financeira. A ideia é buscar a convergência em três dimensões: social, ambiental e econômica.
“A instabilidade financeira gera inúmeras incertezas que acabam desencorajando determinadas ações. Precisamos de uma reforma geral do sistema financeiro internacional. As discussões na Rio +20 podem ser fundamentais para que seja feita uma força-tarefa intergovernamental criada pelas Nações Unidas para trazer mudanças fundamentais que apoiem o desenvolvimento sustentável”, disse o economista chefe das conferências das Nações Unidas Sobre Comércio e Convênio, Eike Iaos.
                Para o executivo e atualmente presidente do grupo Abril, Fábio Barbosa, um dos caminhos mais fáceis para o desenvolvimento sustentável é a economia verde integrada com as novas tecnologias. “A economia verde é uma questão de inspiração para novos negócios e novas oportunidades. Os consumidores estão cada vez mais exigentes e cobrando cada vez mais. Apostar nisso pode não ser o caminho mais curto, mas sem dúvida é o caminho mais sustentável”, concluiu.
                Domingo (17), os debates sobre o desenvolvimento sustentável continuam. Temas como a erradicação da pobreza e o combate à fome estarão em pauta. Para debater o assunto estarão no grupo a ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Márcia Lopes e a presidenta da Federação Nacional de Mulheres Rurais Trabalhadoras do Peru, Lourdes Huanca Atencio. O ciclo de debates acaba terça-feira (19).

Texto:
Bruna Campos-Secom

Sagri faz debate sobre
a agricultura de baixo
carbono na Rio +20
                As secretarias de Estado de Agricultura (Sagri) e Meio Ambiente (Sema) promoveram, no fim da manhã deste sábado (16), um painel de debate sobre a “Agricultura de baixo carbono na Amazônia”, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio +20. O evento aconteceu no auditório do estande da Amazônia Brasileira, onde fica o estande do Pará.
                O secretário de Agricultura, Hildegardo Nunes, falou sobre a importância da agricultura de baixo carbono no Brasil, que, segundo ele, tem como objetivo incentivar a adoção de técnicas agrícolas sustentáveis que contribuam para a redução das emissões de gases de efeito estufa e ajudem na preservação dos recursos naturais. Trata-se do principio que gerou um programa nacional capitaneado pelo Ministério da Agricultura, ao qual o Pará foi um dos primeiros Estados a aderir. "Instalamos o Comitê Estadual do Programa ABC (agricultura de baixo carbono) e já tivemos um primeiro seminário que nos trouxe experiências muito positivas”, ressaltou.
                Hildegardo disse também que nos próximos 15 dias a Sagri vai promover um fórum em que abordará um conjunto de ações e um plano estadual, que permitirá o acesso a linhas de crédito diferenciadas para atividades que buscam reduzir as agressões de carbono e dos gases de efeito estufa. A degradação de áreas de pastagens e os sistemas de integração de lavoura pecuária e floresta também foram temas debatidos durante o evento. “Intensificar as atividades produtivas nas áreas que já foram abertas evita a pressão sobre a floresta”, ressaltou o secretário.
                Na opinião dele, o painel de debates sobre a agricultura de baixo carbono tem um significado especial na Rio+20. “É uma oportunidade que temos para mostrar que no Pará temos uma política agrícola que não descuida e se preocupa com o aspecto ambiental. O Pará é hoje um Estado que produz e preserva, porque temos 71% das nossas áreas com florestas nativas. Isto é uma comprovação de que temos conseguido aliar cada vez mais essa capacidade de produzir e preservar dentro da concepção que o próprio governador tem colocado”, finalizou o titular da Sagri.
                Durante o debate, foi apresentado ao público presente o amplo e diferenciado leque de oportunidades do setor agropecuário do Pará. “O Estado tem condições necessárias que podem impulsionar um processo de desenvolvimento duradouro e sustentável, fundado em novos paradigmas de produção que combinem eficiência econômica, inclusão social e preservação ambiental, orientados para uma economia verde”, concluiu Hildegardo.

Texto:
Bruna Campos-Secom

População de Curuá
tem acesso a serviços
de saúde e cidadania 
                Uma das principais metas da Caravana Pro Paz Presença Viva no Baixo Amazonas é a erradicação do sub-registro de nascimento. O documento, sinônimo de cidadania e garantia de direitos, é um dos 50 serviços ofertados pela ação no município de Curuá. Em três dias de atendimento, cerca de 250 pessoas emitiram a certidão de nascimento, e a maior demanda foi pela segunda via. Na maioria dos casos, o motivo da solicitação são as informações erradas e rasuras, que invalidam o documento.
                O Programa Estadual de Erradicação do Sub-Registro Civil foi lançado em 2004, uma parceria entre a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), Pro Paz e Defensoria Pública do Estado. Segundo a assistente social da Seas Soraia Reis, além de ofertar o documento, as equipes também estão incentivando a criação de planos municipais de erradicação do sub-registro de nascimento, com envolvimento das secretarias municipais, cartórios e entidades governamentais.
“A maior dificuldade que encontramos em Curuá foi a ausência dos livros nos cartórios. Por isso é preciso fortalecer essa rede em prol da erradicação do sub-registro”, ressalta. A dona de casa Maria Jacileide dos Santos, 35 anos, acordou cedo e procurou o serviço para registrar a filha, de apenas 4 meses. Segundo ela, o atraso na emissão do documento se deu em razão da dificuldade do cartório local em prestar o serviço. “Aqui era muita burocracia. Eu e meu marido já havíamos procurado o cartório, mas sempre tinha um impedimento. Aqui eu consegui”, comemora.
                As equipes da Seas também estão inscrevendo as famílias no Cadastro Único para Programas Sociais (Cadúnico), garantindo assim o acesso aos programas sociais do governo federal, como o Bolsa Família. Além do registro civil, a Caravana Pro Paz também levou à população de Curuá o registro de identidade e o Cadastro de Pessoa Fisica (CPF). Em três dias de ação, o serviço de Identificação da Polícia Civil emitiu cerca de 850 carteiras de identidade.
                Uma delas foi a do agricultor Rosinaldo Fernandes, 48 anos, que perdeu o documento quando ainda era jovem e nunca mais teve acesso ao serviço. Não tirou mais o documento porque mora longe, na comunidade Buim, distrito de Santarém. “Lá a gente não tem muita coisa e toda vez que eu ia atrás, não conseguia, por isso desisti e fazia muito tempo que eu estava sem documento. Tenho uma irmã que mora aqui que me avisou que estariam tirando o RG, por isso vim e dessa vez eu consegui”, conta.
Saúde – Em três dias de ação em Curuá, a demanda maior dos moradores foi pelos serviços de cardiologia e clínica médica, que somaram quase duas mil consultas. Na odontologia, especialidade que também teve bastante procura, foram cerca de três mil atendimentos, entre consultas e procedimentos.
                Em Curuá os atendimentos de saúde foram concentrados no Centro de Referência e Assistência Social (Cras). A caravana ofereceu ainda vacinas (tríplice viral, contra pólio, hepatite e febre amarela), exames laboratoriais, teste rápido para HIV e hepatites, PCCU e PSA, aferimento de pressão arterial, teste de glicemia e orientação nutricional.
                A ação Pro Paz Presença Viva em Curuá terminou na tarde deste sábado (16). A caravana segue na madrugada de domingo (17) para o município de Óbidos, a próxima cidade beneficiada pela ação. Os atendimentos acontecem de segunda (18) a quarta-feira (20), na Escola Estadual de Ensino Médio São José.


Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Empresários de Curuá
fazem debate sobre
meio ambiente
                Produtores rurais, pescadores, donos de postos de combustível e donos de olarias do município de Curuá, no oeste do Pará, e comunidades próximas participaram nesta sexta feira (15) de uma reunião com técnicos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). O encontro aconteceu na Câmara Municipal com o objetivo de esclarecer a importância da participação do trabalhador no processo de preservação ambiental e desenvolvimento sustentável.
                No primeiro momento, a técnica ambiental Argemira Araújo falou um pouco da história da Amazônia, do processo de colonização e da estruturação econômica da região. Segundo ela, a discussão sobre o meio ambiente é recente, porém com alguns avanços significativos como os planos de manejo. “Hoje o plano de manejo é uma das formas de minimizar os problemas relacionados com o meio ambiente. Não é a solução, mas contribui para mudar essa realidade”, destacou.
                Outro ponto abordado pela especialista foi a necessidade da integração entre poder público e agricultores na elaboração de políticas que contribuam para a preservação do meio ambiente. “É preciso discutir educação ambiental e sustentabilidade de forma integrada, para que as ações tenham de fato consequências positivas”, destacou.
                Felizberto Pedro Marinho foi um dos 40 agricultores que participaram do encontro. Há 15 anos ele trabalha com a exploração de seixo em uma propriedade particular. Ele reconhece que o processo, que tem a licença ambiental concedida pelos órgãos competentes, danifica o meio ambiente e por conta disso já deu início ao processo de recuperação da área degradada. “Estamos recuperando de pouco a pouco porque não é uma atividade lucrativa, o rendimento é baixo. Dentro do possível vamos recuperar toda a área” garantiu.
                Outra demanda ambiental em Curuá é a denominação de uma área de proteção ambiental, criada com base no Código Municipal de Meio Ambiente. O processo começou quando o município ainda fazia parte de Alenquer, mas com o desmembramento, em 1995, a área – rica em variedades de espécies da fauna amazônica, como quelônios e aves – passou a pertencer ao território de Curuá.
                O município quer agora o ordenamento da área de acordo com o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (Snuc). “Temos o apoio técnico da Sema para que esse processo se conclua e o Estado ganhe mais uma área de preservação ambiental”, incentivou o secretario de meio ambiente do município, Carmine Tancredi.
                Sobre o assunto, a equipe da Sema também pontuou a importância do Snuc e como funciona essa lei que consolidou o ordenamento das áreas protegidas. Ainda no encontro, os participantes também conheceram um pouco do funcionamento da Sema, suas atribuições e como ter acesso aos serviços e orientações técnicas oferecidos pela secretaria.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Hemopa inicia campanha
de doação de sangue
na época junina
                Até às 13 horas deste sábado (16), mais de 800 doadores compareceram na Fundação Hemopa no primeiro dia da campanha junina “13 é Santo Antônio. 24 é São João. 29 é São Pedro. E todo dia é do doador. Doe sangue”. Desse total, 700 coletas foram efetivadas. Neste sábado, a campanha teve a parceria com a TV Liberal. A meta do dia é de 800 coletas. Nos demais dias da campanha, que se estende até sábado (23), a meta será de 300 doações.
                A campanha quer bater recorde de doações de sangue num único dia. Por isso, o Hemopa dispõe, neste sábado, de mais três pontos de coletas de sangue para proporcionar maior comodidade e agilidade no atendimento aos doadores. Isso significa 32 cadeiras de coletas distribuídas entre a sala de doações, ambulatório e espaço de fisioterapia, do prédio em anexo.
                Parte da avenida Serzedelo Corrêa foi interditada para a instalação do palco onde aconteceu um show com artistas da terra, que participam voluntariamente da corrente pela solidariedade sem cobrança de cachê. O público presente já assistiu ao espetáculo “A lenda da Espada de Prata, do teatro Luzes; ao Amazon Bboys, com dança de rua; a Rominho Braga, com “Stand up comedy”; e ao cantor Jorginho Gomez e Banda, entre outros.
                A presidente do Hemopa, Luciana Maradei, agradece pela parceria e ressalta a importância dos meios de comunicação para estimular ações de responsabilidade social, como a doação de sangue e cadastro de doadores de medula óssea. “Ninguém trabalha sozinho. A Fundação Hemopa tem a responsabilidade de garantir sangue de qualidade, mas para isso contamos com a solidariedade da população potencialmente doadora de sangue que nos atende em todos os momentos de necessidade e campanhas. A vida agradece”, ressaltou.
                O secretário de Estado de Saúde Pública, Hélio Franco, enfatizou a importância da parceria com a rede hospitalar. “É fundamental que o médico, o corpo clínico de uma forma em geral incentive a doação de sangue junto aos familiares de pacientes para garantir a reposição do sangue hospitalar para ajudar a manter estoque de sangue do hemocentro”, observou.
                A campanha também acontece em Castanhal, Marabá, Santarém, Abaetetuba, Altamira, Tucuruí, Redenção e Capanema, mas as datas são distintas e de acordo com a realidade de unidade. A diretora técnica do Hemopa, Socorro Ferreira, diz que o sucesso da campanha depende diretamente da adesão da sociedade, que é a beneficiada com os serviços oferecidos.
                Durante todo o período da campanha, os doadores serão brindados com camiseta, panfleto com orientações sobre doação de sangue e lanche especial com culinária da época.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa

Campanha contra
paralisia infantil é
lançada na Terra Firme
A abertura da campanha nacional de vacinação contra poliomielite aconteceu oficialmente neste sábado (16), na paróquia São Domingos de Gusmão, no bairro Terra Firme, em Belém. A data foi escolhida para ser o dia D da campanha, quando 3.730 mil postos estiveram funcionando no Estado. Até 6 de julho, de segunda a sexta-feira, a população deve ir aos postos de saúde municipais e salas de vacinação do Programa Saúde da Família (PSF) para imunizar as crianças.
                O alvo da campanha é imunizar 95% do total de 736.683 crianças menores de 5 anos de idade no Pará. As que estiverem com doenças graves, infecções ou febre superior a 38 graus devem antes ser avaliadas por um médico. "Desde o recém-nascido, as crianças que têm a carteira de vacinação em dia, aquelas que tomaram a vacina no último ano, todas devem ser vacinadas novamente", reiterou o secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, durante cerimônia que abriu oficialmente a campanha no Pará.
                Diante do próprio Zé Gotinha e de dezenas de pais, responsáveis e crianças que já chegavam ao espaço cedido pela paróquia para a aplicação das vacinas, Helio Franco explicou que é essencial o empenho da família em prevenir as crianças da paralisia infantil, já que o vírus da doença ainda circula em 16 países, e em três a situação é endêmica: Afeganistão, Paquistão e Nigéria.
“Com a globalização e com tantas promoções de passagens aéreas, as pessoas se tornam suscetíveis a várias doenças. Por isso é que o Brasil deve estar sempre com altas coberturas, acima de 95% do total das crianças, para não corrermos o risco de novos casos no país, o que não acontece desde 1989", afirmou o secretário de Saúde.
                Foi distribuída um milhão de doses da vacina oral para todas as secretarias de saúde dos 143 municípios paraenses. No total, 22.380 mil pessoas estão envolvidas na campanha, com o uso de 822 carros, 31 barcos, 25 bicicletas, 22 voadeiras, 18 motocicletas, três cavalos e dois búfalos. As crianças que foram vacinadas na paróquia São Domingos de Gusmão ganharam camisas estilizadas com o slogan da campanha, “Um mundo sem poliomielite depende de nós: vacine as crianças menores de 5 anos”.
A poliomielite é uma doença infectocontagiosa causada pelo poliovírus, que leva à paralisia dos músculos das pernas e, em casos graves, à morte. No Brasil, a doença está erradicada há 23 anos, e o objetivo da campanha é manter o vírus fora de circulação no país. Por mais que a campanha prossiga até 6 de julho, a coordenadora estadual de Imunizações, Jaíra Ataíde, pede o empenho das famílias. "A vacina é de gotinha. Não causa dor e nem incômodo para a criança. É bom lembrar também que este ano teremos apenas esta campanha contra a polio", explicou.
                A partir de agosto, a forma injetável da vacina começará a ser implantada nas duas primeiras doses, aos 2 e 4 meses. As outras duas doses, aos 6 e 15 meses, serão na forma atual da vacina, com a “gotinha”. O pároco de São Domingos de Gusmão, padre Bruno Sechi, elogiou o empenho do Estado pela campanha de vacinação.
“Iniciativas como essas reforçam os compromissos da Campanha da Fraternidade de 2012, cujo lema ‘Que a saúde se difunda sobre a terra’, abraça a concepção de uma saúde com acesso a todos”, comentou, ao lembrar que o Brasil é o único país com mais de 100 milhões de habitantes que encarou o desafio de ter um sistema universal público e gratuito como é o Sistema Único de Saúde (SUS).

Texto:
Mozart Lira-Sespa

Caminhada pela Paz
encerra a Semana
Estadual do Bebê
                O professor Ronaldo Lobato, 55 anos, descobriu aos oito meses de gestação da esposa que o filho nasceria com Síndrome de Down, em uma das consultas do pré-natal. Hoje com três anos de vida, o menino Lucas e o pai caminharam juntos pela Paz e não à Violência, na manhã deste sábado (16), com várias outras crianças, no encerramento da I Semana Estadual do Bebê.
                A caminhada saiu às 9 horas da escadinha do Cais do Porto rumo à praça da República, no centro de Belém, e teve como principal objetivo alertar a sociedade em relação aos direitos e à saúde física e mental das crianças, sobretudo de 0 a 6 anos. “É preciso cuidar das nossas crianças, desde a gestação até a primeira infância, para que possamos ter meninos e meninas mais saudáveis e mais felizes”, frisou a coordenadora da Semana do Bebê em Belém, Adriana Fernandes.
                Promovido pelo governo do Estado e pelo Fundo das Nações Unidas da Infância (Unicef), o evento congregou uma série de serviços que foram ofertados à população entre o dias 10 e 15 deste mês. Os municípios de Altamira, Belém, Marabá, Santarém e Soure receberam o mutirão de registro civil, a imunização para crianças, oficinas, palestras, mostra de vídeos e atividades culturais.
                Somente em Belém foram feitos, em média, cerca de três mil atendimentos por dia – bem acima dos mil esperados. “A iniciativa de colocar a criança no foco das políticas públicas tem uma resposta bastante significativa, seja dos profissionais que foram envolvidos da saúde, da educação e da assistência social, seja dos gestores municipais, ou ainda da comunidade geral”, avaliou Adriana.
                Para o representante do Unicef no Pará, Fábio Atanásio, a avaliação também é positiva. “Sabíamos que seria extremante desafiador fazer uma semana desse porte e em um Estado de dimensões continentais como o Pará, com a articulação sendo feita em vários polos. Foi uma experiência muito positiva, até mesmo no sentido de aprendermos ao longo do processo, que apenas começou este ano, mas prossegue nos próximos”, ressaltou.
                Como resultado prático, o representante do Unicef destacou a média diária de 50 emissões de registros civis, em cada município. No fim da caminhada, uma programação cultural encerrou a atividade, em frente ao Theatro da Paz, envolvendo os profissionais envolvidos na semana, as crianças atendidas pelos polos do Pro Paz da Universidade Federal do Pará (UFPA), da Universidade Rural do Pará (Ufra) e do Mangueirão, e a comunidade em geral.

Texto:
Amanda Engelke-Secom

Concerto ao ar livre
encerra o 25º Festival
Internacional de Música
                O Theatro da Paz foi o cenário, na noite desta sexta-feira (15), para um concerto ao ar livre que marcou o encerramento do 25ª Festival Internacional de Música do Pará, promovido pelo governo do Estado. Por dez dias, o público pôde conferir 70 concertos, recitais e shows, que aconteceram em 15 espaços diferentes, entre teatros, salas, museus, praças e igrejas – tudo de graça.
                No encerramento, uma apresentação da Orquestra Sinfônica do Festival, que reúne integrantes de grupos camerísticos locais, nacionais e internacionais que integraram a programação deste ano. Ao todo, mais de 100 músicos - entre brasileiros, holandeses, americanos, romenos, alemães, búlgaros, russos e irlandeses - executaram trechos de grandes obras, sob regência do maestro holandês Jacob Slagter.
                Para o superintendente da Fundação Carlos Gomes, Paulo José Campos de Melo, esta edição entra para a história do festival. “Foi um dos festivais mais bem-sucedidos, tanto em termos de público quanto de organização. Hoje pudemos conferir uma das melhores orquestras que já formamos na história. O maestro Jacob Slagter é um dos grandes achados deste festival”, disse.
                Antes do concerto, Paulo José Campos de Melo, também coordenador geral do festival, entregou uma homenagem da Fundação Carlos Gomes a 25 personalidades que contribuíram de forma marcante para o evento, entre elas o governador Simão Jatene e o secretário de Estado de Cultura, Paulo Chaves Fernandes, que também recebeu a homenagem em nome de Jatene.
Qualidade – Mesmo com a chuva que caiu no local, muita gente prestigiou a apresentação, que começou pouco depois das 20 horas. A estudante de letras Gleice Cardoso, 20 anos, ficou feliz com a oportunidade. “Gosto bastante de música e quando tempos uma chance como esta, de presenciar músicos de alto nível, vale a pena se esconder da chuva e esperar mais um pouco”, comentou.
                Além da qualidade, a variedade da programação deste ano foi outro ponto que agradou o público. A mescla entre o erudito, o popular e o folclórico reuniu músicos já conhecidos do público e também artistas que se apresentaram pela primeira vez no evento. Além das apresentações musicais, houve palestras, workshops e masterclass. No total, foram quase 40 atividades de cunho pedagógico ministradas por músicos convidados do festival com acompanhamento de um professor da Fundação Carlos Gomes.
                Entre os destaques desta edição está a formação da Banda Sinfônica do Festival, que reuniu jovens de 22 municípios paraenses. “Foi um festival de pontos altos e algumas experiências com resultados muito bons. A criação da Banda Sinfônica é uma realidade. Tenho certeza que ano que vem vamos conseguir ampliar este número de municípios pelo menos o dobro, ou até o triplo para que tenhamos representantes de todos os municípios do Estado”, destacou Paulo José Campos de Melo.
                De olho na próxima edição, a Fundação Carlos Gomes já começa a esquematizar o festival para 2013. “A próxima edição já está alinhavada. Será o ano da Alemanha no Brasil, então o repertório será dedicada aos compositores alemães, mas a diversidade de músicos será a mesma. Vamos trazer músicos de todo o mundo novamente para integrar a programação e a orquestra do festival”, adiantou o coordenador geral do festival.

Texto:
Amanda Engelke-Secom

São José Liberto e Art
Doce Hall se despedem
do Festival de Música do Pará
                A programação do XXV Festival Internacional de Música do Pará (Fimupa) no Espaço São José Liberto e no Art Doce Hall foi encerrada na tarde desta sexta-feira (15) com as  apresentações do Quinteto de Metais da Fundação Carlos Gomes (FCG), do Trio Raízes e do Duo Canto e Piano. Música para todos os gostos e plateias, que aproveitaram o evento promovido pelo governo do Estado e a Fundação Carlos Gomes.
                O Espaço São Liberto, que reuniu 12 concertos durante o festival, recebeu o Quinteto de Metais da FCG e o Trio Raízes. Ambos são formados por professores do Conservatório Carlos Gomes, mas as diferenças de estilos marcam o trabalho dos dois grupos. O Quinteto mistura música erudita, composições norte americanas e clássicos da Música Popular Brasileira, como Aquarela do Brasil, de Ary Barroso. “É difícil ter composições de música popular para esta formação de músicos. É necessário criar arranjos especiais que adaptem a melodia original aos metais. O reperrtório que apresentamos hoje já é experimentado. Inclusive Aquarela do Brasil, que executamos. foi arranjada pelo Quinteto Brassil, da Paraíba, um dos convidados do festival”, explicou Kelson Ribeiro, trombonista e coordenador do grupo.
                Sobre a 25ª edição do Festival de Música, Kelson não poupou elogios. Ele se apresentou em seis concertos, e ainda teve fôlego para ir ao Theatro da Paz. O trombonista é um dos integrantes da Orquestra Sinfônica do Festival, que fez um concerto no palco do TP, e nesta sexta-feira se apresenta novamente, ao ar livre, em frente ao teatro. “Este festival é muito importante. A integração com os músicos de fora é uma oportunidade única de aprendermos novas coisas, mostrar que produzimos música de qualidade. A apresentação com a Orquestra do Festival foi um momento muito especial. Alguns dos músicos de fora que integram a Sinfônica são os principais nas orquestras das quais fazem parte. Esta troca é muito benéfica para todos”, afirmou Kelson.
                O público aprovou o show do Quinteto. O carioca André Silva e a paraense Ana Paula Brauna, de Tucuruí, estão em Belém a passeio e souberam do festival pelo facebook. Eles estavam no São José Liberto e assistiram às duas apresentações deste último dia de festival. “Viemos aqui para o São José Liberto especialmente para ver os concertos. Achei a apresentação do Quinteto muito bonita, bem divertida”, disse Ana Paula. André ficou surpreso com a variedade do repertório dos grupos. “A programação é muito diversificada. Já ouvimos jazz, música erudita, música brasileira. Eu acho muito produtiva esta mistura de estilos. Serve para integrar mais, apresentar novas possibilidades musicais”, declarou.
Privilégio - O Trio Raízes subiu ao palco da Capela do São José Liberto diante de uma plateia que lotou o espaço. O repertório do grupo, que participou pela primeira vez do festival, foi composto de samba, choro, baião e bossa nova. “O grupo existe desde 2009, mas esta é a primeira vez que participamos juntos do festival. É um privilégio muito grande. É ímpar esta sensação, uma oportunidade incrível”, afirmou Joca Silva, percussionista e coordenador do grupo.
                Joca ficou completamente envolvido com o XXV Fimupa. Além de participar de seis apresentações, ele trabalhou na produção do evento durante a segunda semana da programação. “Esta é um experiência fundamental para mim. Convivi nestes 12 dias com alguns dos maiores músicos do Brasil e do exterior. Eu criei uma frase para comemorar o atual momento do Festival: `XXV Fimupa, de volta aos velhos tempos dos melhores festivais`. Esta edição foi maravilhosa, do tamanho que os músicos e o público paraense merecem”, garantiu.
Homenagens - No Art Doce Hall, o Duo Canto e Piano, com o pianista paraense David Martins e a cantora brasiliense, radicada em Belém, Luciana Tavares, fizeram uma apresentação impecável. O timbre de voz de Luciana é raro. Ela é uma cantora soprano lírica, premiada internacionalmente. Ambos são professores da Fundação Carlos Gomes e mostraram um repertório em homenagem a grandes compositores brasileiros, como Heitor Villa-Lobos e Waldemar Henrique.
“A primeira parte do recital foi dedicada a composições nacionais. Invertemos a lógica das apresentações, que costumam situar os brasileiros no segundo ato, dando mais destaque ao repertório nacional”, explicou David. Luciana vibrou com a apresentação desta sexta-feira, e com o encontro de músicos promovido pelo festival. “É muito gratificante rever os amigos, participar de concertos. É muito boa esta movimentação promovida pelo festival, esse número enorme de concertos, esta efervescência. Quando acabarmos aqui vamos correndo para o Theatro da Paz. Não dá para perder o encerramento”, assegurou a cantora.

Texto:
Julia Garcia-Secom

Campeonato de surfe
anima a manhã de
domingo na orla da Estação
                A orla da Estação das Docas vai ficar movimentada neste domingo (17), a partir das 8 horas, com o Amazônia WakeSurf, que acontece pela primeira vez na região. O evento é promovido pela Associação Brasileira de Surf na Pororoca (Abraspo) juntamente com as federações e associações. Serão disputadas quatro modalidades: wake surf, wakeboard, kite surf, sky surf e jet ski.
                Segundo o presidente da Abraspo, Noélio Sobrinho, são esperados mais de 30 atletas, paraenses e de outros Estados, além da imprensa nacional, como o canal a cabo Sport TV. O evento tem ainda o objetivo de suscitar no público uma conscientização ecológica. A competição tem apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) e Pará 2000. A entrada é franca.

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000

Luís Carlos Portela vence
eleição para defensor
público geral do Estado
                O defensor público Luís Carlos de Aguiar Portela venceu as eleições para escolher o novo defensor geral do Estado para mandato no biênio 2012-2014. Atualmente o subdefensor, ele concorria com José Adaumir Arruda, que hoje ocupa o cargo de coordenador da Central de Execução Penal. A eleição ocorreu nesta sexta-feira (15), com 155 votos válidos computados para o vencedor.
                O resultado da votação foi encaminhado pela comissão eleitoral com os nomes dos candidatos mais votados ao Conselho Superior da Defensoria Pública, que homologou o processo e encaminhou a documentação ao defensor geral atual, Antônio Cardoso. A lista com os nomes será encaminhada ao governador Simão Jatene, a quem cabe a nomeação do futuro defensor público geral do Estado.
                Luís Carlos Portela manifestou sua satisfação pela eleição na Defensoria. “Estou muito feliz com o resultado e com a confiança que a maioria dos defensores depositou em mim. Agora vamos esperar a decisão do governador do Estado, para que enfim possamos continuar o trabalho que já vem sendo executado e ao qual pretendemos dar continuidade”, disse. José Adaumir Arruda agradeceu pelos 124 votos válidos que recebeu.

Texto:
Gilla Aguiar-Defensoria Pública

Sespa promove curso
para avaliar programa
de controle da tuberculose
                A Coordenação Estadual do Programa de Controle da Tuberculose, da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), inicia nesta segunda-feira (18), no Gold Mar Hotel, o curso de monitoramento e avaliação das ações de controle da tuberculose, destinado a técnicos responsáveis pelo programa nos 13 Centros Regionais de Saúde do Pará. A capacitação prosseguirá até sexta-feira (22). Durante o evento, haverá uma reunião com os participantes para discutir a melhoria da operacionalização do programa e o planejamento das atividades prioritárias.
                O curso visa capacitar os profissionais de saúde que trabalham diretamente na gestão das ações de controle da tuberculose. Segundo a coordenadora do programa, Lúcia Monteiro, a ideia é aprimorar as atividades e formar multiplicadores, para ampliar o número de treinamentos pelo Estado.
                Atualmente, o Brasil está entre os 22 países que concentram 82% da carga mundial de casos da doença. De acordo com o Ministério da Saúde, o Pará é considerado uma área endêmica, apresentando sete municípios prioritários para o agravo da tuberculose. O Estado ocupa o terceiro lugar em incidência no Brasil, com uma taxa de 47,9 casos por 100 mil habitantes. Os municípios prioritários para o controle da tuberculose são Abaetetuba, Ananindeua, Belém, Bragança, Castanhal, Marituba e Santarém.
                Lúcia Monteiro ressaltou que a Região Metropolitana de Belém apresenta a maior incidência da doença. Por isso, com o apoio do 1º Centro Regional de Saúde, ao longo do ano são intensificadas as atividades para o monitoramento e a avaliação das ações dos municípios que integram a região. “Nosso papel é discutir e encontrar, junto com os municípios, estratégias para as ações. Também ajudamos a corrigir distorções encontradas”, concluiu.
                Além de representantes das localidades prioritárias, também participarão técnicos dos municípios de Tucuruí, Altamira, Breves, Redenção, Itaituba, Paragominas e Marabá.

Texto:
Edna Sidou-Sespa

Sead e EGPA entregam
certificados de
curso a servidores
                A Secretaria de Estado de Administração (Sead) e a Escola de Governo do Pará (EGPA) entregou, na manhã desta sexta-feira (15), os certificados do curso Operacionalização do Sistema Integrado de Materiais e Serviços (Simas). Uma turma de 20 servidores participou do treinamento, ministrado no período de 11 a 15 deste mês, com aulas teóricas e práticas.
                O curso teve por finalidade capacitar os servidores a usar o sistema como uma ferramenta importante no controle de entrada e saída de matérias nos almoxarifados. Segundo o coordenador do Sistema de Material e Serviços da Sead, Walter Garcia Montalvão, a capacitação é essencial para fazer uma boa compra, por exemplo. “É uma oportunidade de atualização em termos de conhecimento para que os profissionais possam atender, de forma satisfatória e com qualidade, a demanda de seus órgãos”, disse.
                Durante o encerramento do curso foram apresentadas duas novas rotinas, como o Banco de Doação – que tem por objetivo colocar no sistema materiais sem uso, com data de validade a vencer e com grande volume no estoque – e o Banco de Preço Referencial, criado para subsidiar o usuário na hora da aquisição da compra de material e prestação de serviços. “As duas rotinas geram uma economia muito grande para o Estado”, destacou Montalvão.
                Para o servidor Washington Santos, do Instituto de Metrologia do Pará (Imetropará), o curso veio na hora certa para o aperfeiçoamento da vida profissional. “É muito importante essa capacitação que o governo está nos proporcionando, pois o aprimoramento profissional gera o desenvolvimento dos trabalhos nos diversos órgãos da administração pública”, destacou.

Texto:
Ellen Freitas-Sead

Pará recebe o Campeonato
Brasileiro de Capoeira em 2013
                O Pará será sede de mais um grande evento nacional em 2013, o Campeonato Brasileiro de Capoeira. A confirmação do evento no Estado foi feita nesta quinta-feira (14), durante encontro entre o secretário de Estado de Esporte e Lazer, Marcos Eiró, o presidente da Confederação Brasileira de Capoeira, Gersonilton Soares, o presidente da Federação Paraense de Capoeira, Luís Nunes Santana, e representantes de organizações ligadas ao esporte.
                Marcos Eiró disse que o governo cumpre a meta de receber mais um evento esportivo nacional, resgatando um compromisso com a população. “Ganhamos com o campeonato o destaque nacional, o fomento ao turismo, a geração de emprego e renda e o legado que um evento deste porte deixa para nosso povo”, frisou.
                O presidente da Federação Paraense de Capoeira, Luís Nunes Santana da Silva, afirmou que a notícia valorizou o esporte no Estado e emocionou os atletas paraenses. “Em 2010 a Federação Paraense de Capoeira trouxe ao Pará o título brasileiro, o que nos incentivou, ainda mais, a trazer o evento para cá, mas não podíamos fazer isso sem antes firmar parceria com o governo”, considerou.
                Em 2010, o governo federal reconheceu a capoeira como desporto de criação nacional em todas as suas manifestações, seja como esporte, luta, dança ou música, garantindo à capoeira o livre exercício em todo o território nacional. A Lei de Igualdade Racial (12.288/ 10) permite ainda às instituições públicas e privadas o ensino da capoeira pelos seus praticantes e mestres tradicionais, os quais podem gozar de reconhecimento público e formal.
                O campeonato é dividido em categorias juvenil, adulto e aspirantes e subdividido em pesos leve, médio, meio pesado e pesado, designados pela Confederação Nacional de Capoeira. No Pará, existem mais de três mil atletas capoeiristas e 1.385 filiados e registrados à federação, pela qual mais de 56 profissionais atuam em dezenas de escolas públicas municipais e estaduais levando a filosofia da capoeira aos alunos paraenses.
                Este projeto, segundo Luís Nunes, visa, sobretudo, levar educação e ressocialização aos jovens. Para se tornar um mestre, é preciso ser graduado em 16 níveis, que duram um ano cada, e ser aprovado por uma equipe avaliadora de mestres que questionarão nomes de movimentos, musicalidades, percussão e instrumentos. Dedicação é a palavra-chave para este esporte, concluiu.

Texto:
Cora Coralina-Secom

Sejudh apresenta Plano
e Política Estadual de
Enfrentamento
ao Tráfico Humano
                A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) participou na última quinta-feira (14) do “Seminário Estadual de Enfrentamento ao Tráfico Humano”, promovido pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura o tráfico de pessoas no Pará. Durante o evento, realizado no Plenário João Batista, da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), a diretora de Cidadania e Direitos Humanos da Sejudh, Maysa Almeida, apresentou o Plano e a Política Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Também participou dos debates o coordenador Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Trabalho Escravo, Murilo Sales.
                Foi debatido o tema “Basta: tráfico humano é ato desumano”. Além de elaborar um diagnóstico sobre o problema no Estado, com informações obtidas pela CPI, o seminário buscou fortalecer as ações dos órgãos e entidades que atuam nesse enfrentamento.
                Em maio deste ano, o Decreto Estadual n° 423 instituiu a Política e o Plano Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. No documento, o governador Simão Jatene aprova uma série de medidas para a erradicação do problema no Pará, como a atuação efetiva na prevenção, no atendimento às vítimas, na repressão e na responsabilização dos envolvidos neste tipo de crime. Com o decreto, de 22 de maio, o Estado firma uma política que compreende a complexidade do problema e pretende desenvolver ações de enfrentamento com a cooperação de diversos órgãos do governo.
Serviço: Para denunciar casos de tráfico humano, sem precisar se identificar, basta entrar em contato com o Disk Denúncia da CPI - fone: (91) 3182-8471, ou utilizar o e-mail: (traficohumano@alepa.pa.gov.br) e o Disk 181.

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh

3º Festival Junino no
Espaço São José Liberto
                A terceira edição do Festival Junino, promovido no Espaço São José Liberto, prossegue neste sábado (16) e no domindo (17), a partir das 18h, no Coliseu das Artes, arena cultural do Espaço São José Liberto, com a tradicional apresentação de quadrilhas mirins e adultas de vários bairros de Belém. Realizada pelo Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) e Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), a programação tem entrada franca.
                A programação junina acontecerá até 30 de junho, sempre nos fins de semana. Neste sábado e domingo, as atrações são as quadrilhas dos bairros do Jurunas, da Cremação, Terra Firme e Pedreira.
                No sábado, se apresentarão as seguintes quadrilhas: às 18h, Quadrilha Mirim Cheiro do Pará, do Jurunas; às 18h30, Grupo Junino Cabanos Mirim, da Cremação, e às 19h a Quadrilha Junina Roceiros da Fuxico, da Vila Fuxico, no bairro da Terra Firme.
                No domingo, as atrações, a partir das 18h, são a Quadrilha Sapecas na Roça (infantil, do bairro do Jurunas), a Encantos da Terra Firme (adulta), seguida pela Roceiros da Terra Firme (adulta).

                O toque especial do festival fica por conta da decoração criada pelo artista plástico Emanuel Franco para o Festival Junino do São José Liberto. A inspiração para a decoração é o tradicional Boi de Máscaras, festa da cultura popular do município de São Caetano de Odivelas, no nordeste do Estado, representada no Boi Faceiro e no Boi Tinga.
PROGRAMAÇÃO
                Dia 16 (sábado)
                18h – Quadrilha Mirim Cheiro do Pará - Jurunas
                18h30 – Grupo Junino Cabanos Mirim - Cremação
                19h – Quadrilha Junina Roceiros da Fuxico (adulta) - da Vila Fuxico da Terra Firme
                Dia 17 (domingo)
                18h – Sapecas na Roça Terra Firme (infantil) - Jurunas
                18h – Encantos da Terra Firme (infantil) – Terra Firme
                18h30 – Roceiros da Terra Firme (adulta) – Terra Firme
Data da pauta: 16/06/2012 18:00:00
Data de expiração: 17/06/2012 18:30:00
Local: Coliseu das Artes, no Espaço São José Liberto
Endereço: Praça Amazonas, s/n, bairro Jurunas, Belém
Contatos: (91) 3344-3517 e (91) 9310-6189 (Eventos - Carmem Macedo); (91) 8300-3961 (Ascom - Luciane Barros) e (91) 8255-3011 (Socorro Costa)

Projeto da Emater
promove a educação
ambiental em Inhangapi
                Com o tema “Rio +20 é aqui em Inhangapi”, o município, que fica no nordeste do Pará, levantou, nesta quinta (14) e sexta-feira (15), a bandeira na discussão da preservação ambiental com o envolvimento ativo das escolas. Cerca de duas mil pessoas participaram do VI Festival Pró-Ambiente de Inhangapi, como parte do Projeto em Defesa da Amazônia (Pró-Pirá), no centro cultural do município.
                As atividades ambientais foram organizadas pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater). Segundo o técnico, o Pró-Pirá tem a participação de 100% das escolas municipais e estaduais, inclusive de Castanhal e Santa Izabel do Pará. “Cerca de 80% da população de Inhangapi vivem na zona rural do município, por isso fazemos um trabalho contínuo. Este conhecimento repassado ainda na escola com certeza vai formar cidadãos preocupados com o meio ambiente, principalmente do nosso município”, diz o médico veterinário Kenji Oikawa, que coordena a ação.
                A pequena Kezia Oliveira, 5 anos, aluna do primeiro ano da Escola Municipal Aristides Santa Rosa, deixou seu recado no estande de desenhos da Escola Municipal Orlando Piedade. Em uma folha de papel, uma árvore, um sol e um arco-íris retrataram o sentido de natureza para ela, que no futuro quer ser médica veterinária. “Se tudo isso se acabar a gente não vai mais existir”, refletiu.
                O Pró-Pirá foi concebido em 2003 pelo governo do Estado e executado pela Emater, com o objetivo de restabelecer a fauna aquática das microbacias hidrográficas do Estado. Em 2005, em virtude do trabalho de desenvolvimento sustentável da Amazônia, a Agencia de Cooperação Internacional do Japão (Jica) firmou acordo de cooperação técnica de três anos com o governo. Em 2007 foi criado o I Festival Pró-Ambiente de Inhangapi.
                Segundo Kenji Oikawa, o ponto alto do projeto é o festival, que começou com o apoio da Jica e há cinco edições é de organização da sociedade. “É com o envolvimento de todos os setores que o sucesso da ação é garantido. Hoje o trabalho da Emater junto com a prefeitura municipal e outros parceiros é o que transformou nosso sonho em realidade”, afirma.

Texto:
Kenny Teixeira-Emater

Prefeitura apresenta
projeto para construção
de área de lazer na Doca
O projeto para construção de uma praça e de um centro de esporte e lazer no canal da Doca Visconde de Souza Franco foi apresentado para a imprensa, em coletiva, na tarde desta sexta-feira, 15, pelo secretário municipal de saneamento Ivan Santos.
A obra da Prefeitura Municipal de Belém (PMB) está em processo de edital para tomadas de preços, o que definirá a empresa que executará as melhorias na área.
A interferência no canal prevê a implantação de lajes de concreto pré-fabricadas, sobre as quais serão construídas interferências paisagísticas que darão à população um novo espaço de convivência, como explica o secretário. Com as modificações, o local contará com bancos, chalés e academias de ginástica.
O titular da Sesan acrescenta, ainda, que o projeto contempla 650m da avenida, no trecho que vai da rua Boaventura da Silva até a Jerônimo Pimentel. No entanto, a primeira fase de implantação deste complexo compreende 245m, até a rua Tiradentes.
“Todas essas modificações serão de fácil aplicação por se tratar de blocos pré-armados, e que não modificarão a estrutura do canal, nem o sistema de drenagem. Grande parte da interferência será na superfície para implantação das melhorias que logo estarão disponíveis para toda a população”, declarou.
A ideia, ainda de acordo com o secretário, nasceu dos resultados satisfatórios obtidos em outra importante obra da PMB. “O progresso conquistado com a implantação da macrodrenagem da Bacia da Estrada Nova, nos deu a certeza de que estamos no caminho certo, e que as vantagens urbanísticas dessas novas áreas de convivência dão a Belém elementos de modernidade”, garante.
Ivan Santos fundamenta sua afirmativa lembrando que o país está às vésperas da Copa do Mundo de Futebol, e que os turistas internacionais procuram cidades que ofereçam mobilidade e estruturas paisagísticas modernas. “Neste aspecto, não podemos parar no tempo. Precisamos investir nessas melhorias como já começamos a fazer com o BRT, com a Nova Orla de Belém, e com este novo projeto que estamos apresentando agora”.
A obra será realizada com recursos próprios da prefeitura. A previsão é de que o custo fique em torno de 850 mil reais. A primeira etapa será concluída em até 120 dias, e o inicio das obras aguarda liberação dos procedimentos legais que já foram apresentados e que compõem o projeto.

Texto: Lauro Lima

Combate à violência
contra o idoso é tema
de audiência na AL
                O Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa (Cedpi) promoveu uma audiência pública, nesta sexta-feira (15), no auditório da Assembleia Legislativa do Estado, em alusão ao Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. Durante a sessão solene, os órgãos expuseram dados e ações que garantem os direitos do segmento. O evento teve a participação de representantes de entidades governamentais e não-governamentais (ONGs), profissionais que atuam na rede de atenção ao idoso e a comunidade em geral.
                Segundo o promotor Waldir Macieira, dados do Disque Denúncia 100 mostram que, de junho de 2011 a junho deste ano, foram mais de 500 denúncias de violência contra o idoso, a maioria por omissão ou negligência. “Dados levantados pelo Ministério Público mostram que 90% dos casos de violência ocorrem dentro do domicílio, e em 60% dos registros os filhos são os principais agressores”, disse.
                Para a delegada Soranda Nascimento, a Delegacia Especializada de Atendimento ao Idoso (Deai) veio para somar esforços e fortalecer a rede de atendimento ao idoso. “As denúncias recebidas são apuradas, os acusados indiciados e, se necessário, encaminhamos os casos para outros órgãos relacionados”, ressaltou.
                O Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa é uma entidade de direito, vinculada à Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas). Tem como principal missão garantir que os direitos das pessoas idosas sejam cumpridos e respeitados, de acordo com o Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/ 2003), e como finalidades articular, mobilizar, estimular, apoiar e deliberar sobre questões relativas à Política Estadual do Idoso em todas as suas instâncias e em consonância com a Política Nacional do Idoso.
                A Delegacia Especializada no Atendimento ao Idoso funciona de segunda a sexta-feira, em horário comercial, na rua Avertano Rocha, 417, entre as travessas São Pedro e Padre Eutíquio, no bairro da Cidade Velha. O telefone é (91) 3212-3626. Pelo Disque Denúncia 100 ou 181, o cidadão pode fornecer dados sobre os tipos de crime e formas de violência, com total garantia do sigilo e com o anonimato do denunciante. A ligação é gratuita. O atendimento está disponível 24 horas, em todos os dias da semana.

Texto:
Inara Soares-Seas

Ideias sustentáveis
estão presentes nos
espaços da Rio+20
                Andar pelo Parque dos Atletas - local que concentra exposições de vários países, instituições e Estados brasileiros, na Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20 – e se deparar com ideias sustentáveis é mais comum do que se imagina. Em cada parte do espaço, com mais de 125 mil metros quadrados, há uma iniciativa ecologicamente correta.
                 Se der sede, o problema é resolvido em segundos e sem nenhum custo. Água gelada, produzida pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) do Rio de Janeiro, é distribuída aos visitantes em copos feitos de papel reciclado. Para dar uma volta pelo parque, o veículo mais indicado é o ônibus híbrido a hidrogênio, produzido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (Uerj), com emissão zero de poluentes.
                Quando se trata de alimentação, a sugestão é mais do que saudável. Mais de 30 frutas brasileiras estão sendo expostas em uma Feira da Sociobiodiversidade. O feirante Gilson Santana oferece aos visitantes uma diversidade de sabores. “Trabalho como feirante desde pequeno. Nunca imaginei que um dia teria essa oportunidade de falar das frutas brasileiras para pessoas de vários países”, disse o vendedor.
Produto paraense – Outro exemplo de sustentabilidade que desperta o interesse de visitantes do Parque dos Atletas é o carro biocombustível, produzido por uma das mais importantes fábricas de automóveis. Além de poluir menos o meio ambiente, o banco do carro foi confeccionado com fibra de coco, oriunda do município de Ananindeua, no Pará.
“O Pará é muito rico em produtos sustentáveis, por isso importamos de lá matéria prima para a confecção de nossos veículos”, explicou Toshizaemon Noce, engenheiro de produtos inovadores da Fiat.

Texto:

Espaços de Leitura do
Livro Solidário serão
entregues na Região
Metropolitana
                Até setembro deste ano, pelo menos três Espaços de Leitura do projeto Livro Solidário serão inaugurados na Região Metropolitana de Belém. A notícia foi dada na manhã desta sexta-feira (15) pelo presidente da Imprensa Oficial do Estado (IOE), Cláudio Rocha, durante assinatura do Termo de Cooperação Técnica firmado com a Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop). Conforme o documento, a secretaria vai promover a revitalização e padronização dos espaços. Os seis primeiros atenderão a um público de cerca de 15 mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos. Ao todo, até o final de 2014, o projeto deverá implantar 10 espaços do mesmo gênero, em áreas com maior índice de vulnerabilidade social.
                A formalização da parceria foi realizada na sede da IOE e contou com a participação de membros do "Articulação e Cidadania", que representaram a primeira-dama do Estado, Ana Jatene. Também estiveram presentes o secretário de Estado de Obras Públicas, Joaquim Passarinho; o secretário adjunto, Pedro Abílio do Carmo, engenheiros e demais servidores da Seop, do Livro Solidário e diretores da Imprensa Oficial.
                Para Cláudio Rocha, a inauguração das unidades significará uma importante mudança na realidade das localidades beneficiadas. “Investir em educação é fundamental para o desenvolvimento pleno de uma sociedade, e a biblioteca, mesmo que modesta, tem o potencial de provocar grandes mudanças na vida das pessoas e, consequentemente, nas comunidades onde estão inseridas”, ressaltou.
                O secretário Joaquim Passarinho destacou que “o governo também é feito de pequenas obras que, apesar de não serem grandes física e financeiramente, são importantes para a sociedade, sobretudo por estarem mais próximas do cidadão”. Para ele, participar do Livro Solidário é também uma maneira de colaborar para a valorização da cidadania e uma oportunidade para promover a inclusão social. “A leitura e o conhecimento são ferramentas que temos e devemos apoiar sempre, pois não vamos mudar a realidade do nosso país ou do nosso Estado se não levarmos o conhecimento às pessoas”, ratificou.
Acervo - O Projeto Livro Solidário começou em 2004, idealizado por Ana Jatene. Em 2011, o projeto foi retomado pela Imprensa Oficial e faz parte do "Articulação e Cidadania", do Governo do Pará. Atualmente, já foram arrecadadas aproximadamente 15 mil publicações. Parte dos livros que irão compor o acervo dos Espaços de Leitura já está catalogada. A estimativa é que, para atendê-los, sejam necessários 8 mil livros e revistas.
                A revitalização e implantação dos Espaços de Leitura fazem parte da terceira etapa do projeto. O início foi marcado pela campanha de arrecadação de livros, revistas e gibis, e segunda etapa pela seleção, higienização e organização do acervo, arrecadado por uma equipe de bibliotecários cedida pela Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof).

Texto:
Carmen Palheta-IOE

PMB prepara Mosqueiro
para o Verão 2012
As obras de recuperação da ponte da Variante, uma das principais vias de acesso a Mosqueiro, serão concluídas antes de julho, período de maior movimento na ilha, que chega a receber em média cem mil  visitantes aos finais de semana. Segundo o arquiteto Paulo Brígido, responsável técnico pela obra, até o próximo dia 22, as obras de recuperação da ponte ficarão prontas. “Serão liberados o tráfego de veículos nos dois sentidos e também será refeita toda a sinalização da área tanto vertical quanto horizontal”, disse.
A ponte sofreu avaria em um dos lados após a passagem de um caminhão carregado de areia acima da capacidade  de 4,5 toneladas permitida e cedeu cerca de 50 centímetros em relação ao nível da rua.
A avenida Variante é uma das mais movimentadas de Mosqueiro. Ela fica no bairro do Murubira, sobre o igarapé Murubira e interliga aquele bairro à praia do Chapéu Virado, próximo à avenida 16 de Novembro, que leva até a Vila.
A Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan) também reforçou as equipes de limpeza da ilha. 60 novos garis estão sendo deslocados para atuar na coleta de lixo domiciliar. A Operação Tapa-Buraco iniciou nesta sexta-feira, 15, os trabalhos de recuperação da malha viária.
Novo muro de arrimo- As obras continuam no novo muro de arrimo da Baía do Sol, que durante vinte anos  sofreu  constante erosão. Segundo o agente Distrital do Mosqueiro, Ivan Santos,  o muro de contenção vai impedir o avanço das forças das águas que destruíram grande parte da praia. “O novo muro  terá a extensão de 100 metros, mas toda a área do entorno será revitalizada. Serão executadas obras de calçamento, paisagismo, inclusive o coreto do local será restaurado em todos seus traços originais”, adiantou.

Texto: Kátia Aguiar - Ascom Sesan

Estação Cidadania
Guamá entra em reforma
                Visando a melhoria da qualidade de prestação de serviços à população, informamos que a unidade da Estação Cidadania Guamá, localizada na avenida José Bonifácio, nº 2308, está em reforma para revitalização e ordenamento dos espaços. Portanto, os cidadãos que precisarem dos serviços prestados na Estação Cidadania, podem se dirigir a unidade do Jurunas, localizada na Rua São Silvestre, nº 1300, esquina com a Travessa Tupinambás. O telefone da unidade é (91) 3224-3790.

Cidadãos aprovam canal
de diálogo com o
governador Simão Jatene
Desde a instalação do canal gratuito de comunicação da população com o governador Simão Jatene, o telefone 0800 721 0880, no dia 20 de maio, centenas de paraenses já deixaram suas perguntas através da Central de Atendimento do Governo do Estado. O cidadão pode esclarecer dúvidas ou dar sugestões sobre os programas e serviços do Governo. Algumas perguntas são respondidas pessoalmente pelo governador Simão Jatene durante o programa “Prestando Contas”, transmitido de segunda a sexta-feira, nas rádios do Pará.
Quem já deixou a sua pergunta gravada na Central e ouviu a resposta do governador se diz satisfeito com o canal de diálogo aberto. A servidora pública estadual Raimunda Ribeiro, de 63 anos, de Belém, há algum tempo queria questionar o Estado sobre o pagamento do auxílio alimentação para os servidores licenciados do serviço público por problemas de saúde. “Depois que eu fiquei sabendo desse 0800 fiz questão de ligar e deixar o meu questionamento”, diz.
Afastada do serviço por conta de um tratamento de saúde, a servidora está sem receber o auxílio alimentação, mas crê que deveria continuar recebendo o benefício. “Questionei o governador sobre isto e o informei da necessidade de nós, que estamos de licença médica, recebermos o vale alimentação”, conta Raimunda. Ela afirma que a resposta dada pelo governador Jatene a tranquilizou. “Ele foi bastante compreensivo e disse que já encaminhou para a secretaria de Administração um projeto para restituir aos servidores de licença médica”.
Quem também buscou o 0800 do Governo do Estado foi o estudante Bruno Santos, de 18 anos. Morador da Terra Firme, em Belém e aluno da 8ª série da Escola Estadual Celso Malcher, ele queria saber quando o governo irá construir o novo prédio da escola, naquele bairro. “Era uma dúvida que todos da escola tinham. Inclusive a gente já tinha tentado saber, mas não sabíamos com quem procurar esta informação. Com o 0800 foi bem mais fácil e rápido. Agora a gente espera o processo licitatório da obra acontecer, assim como informou o Jatene na rádio”, diz.
De acordo com o estudante, o canal de contato com o governador é muito importante para toda a sociedade, pois além de esclarecer dúvidas de serviços e direitos, também apresenta para a população o que é desenvolvido pelo Estado. “O nome do programa traduz muito bem isto, a prestação de contas”.
Para participar do diálogo com o governador, qualquer cidadão paraense pode ligar para o 0800 721 0880, identificar-se e fazer a sua pergunta, que poderá ser respondida por Jatene ao longo do “Prestando Contas”. Além da central de atendimento, a população conta ainda com outro canal de diálogo com o Governo, por meio do “Pará Responde”, uma ferramenta desenvolvida pela Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) que só em 2011 esclareceu 1.400 questionamentos. Pela página http://pararesponde.pa.gov.br, na internet, o cidadão pode fazer perguntas que logo serão respondidas pelas secretariais responsáveis por determinado assunto. A resposta é publicada em vídeo ou texto no blog, o que permite o compartilhamento com outros internautas.
Texto:
Thiago Melo - Secom

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...