Total de visualizações de página

quinta-feira, junho 28, 2012

NOTÍCIAS DO DIA 28 DE JUNHO DE 2012

Estado faz o primeiro
casamento civil
comunitário gay do país

OBS: Essa matéria será publicada inclusive com as fotos, na edição do Jornal CORREIO JURUNENSE, em homenagens aos ilustres casais. A edição irá à Revistaria da Yamada Jurunas, na próxima quarta-feira, dia 04 de julho). Informações: 3083-7760 - 8860-7670 - 8189-3305 - 8483-2808, caso os noivos queiram um exemplar exclusivo.













                Dezoito casais foram protagonistas, nesta quinta-feira (28), do primeiro casamento civil comunitário homoafetivo do Brasil. Promovido pela Defensoria Pública do Estado, em parceria com a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e Prefeitura Municipal de Marituba, o evento ocorreu no edifício Metropolitan Tower, em Belém.
                A comunidade de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais apoiou a iniciativa do Estado, que também foi alusiva ao Dia Mundial do Orgulho Gay, comemorado em 28 de junho. A união dos casais habilitados foi oficializada pelo juiz de Direito José Antônio Ferreira.
                Antes, a união homoafetiva era firmada apenas por um contrato estável, mas com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de maio de 2011, os casamentos civis de casais do mesmo sexo passam a não só entregar certidões, como também a garantir direitos – isto é, com o reconhecimento e benefícios assegurados.
“Considero este casamento uma grande conquista para a comunidade LBGT do Pará, pois o movimento luta há anos por essa causa. Agora sim, esses casais terão todos os direitos garantidos, direitos estes que antes estavam restritos a casais heterossexuais”, disse o coordenador estadual de Proteção à Livre Orientação Sexual, Samuel Sardinha.
                A defensora pública Rossana Parente observou que a iniciativa partiu do Centro de Referencia e Combate à Homofobia, da Defensoria, que há dois anos tem formação voltada para oficialização das relações homoafetivas. “Durante muito tempo, os direitos que são assegurados a qualquer ser humano foram negados a essas pessoas”, completou o defensor público Sérgio Lima.
                Cristiane e Marjonie Freire têm uma relação estável há oito anos. Para elas, o casamento comunitário entre pessoas do mesmo sexo é um marco na história da população LGBT do Pará. “É um momento único nas nossas vidas. Essa cerimônia nos torna igual perante a lei, com todos os direitos que os casais heterossexuais têm. Agora, construiremos uma família e teremos a certeza de que os nossos direitos estão garantidos”, afirmou Cristiane Freire. “Hoje eu me sinto igual, pois estou consolidado o amor que sinto por ela. É uma conquista para todos nós que sonhamos com o casamento igualitário”, completou Marjonie.
                Outro casal que oficializou a relação foi Jairo e Elvis Santos. Para Jairo, a relação de quase uma década reforçou o sentimento de ambos. “O casamento reafirma a relação. A questão da legalidade não se resume a casar e fazer com que as pessoas notem nosso amor, mas que todos entendam que temos direitos”, asseverou. Com a grande procura da comunidade LGBT do Estado, o Governo do Pará pretende fazer outro casamento comunitário homoafetivo ainda este ano.

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh
Jatene anuncia R$ 6 bilhões
de investimentos da
Votorantim no Pará
                O grupo multinacional brasileiro Votorantim investirá cerca de R$ 6 bilhões no Estado nos próximos 10 anos. Os recursos serão aplicados na implantação de uma refinaria integrada de alumina e lavra de bauxita no município de Rondon do Pará, no sudeste paraense. O anúncio foi feito pelo governador Simão Jatene no programa “Prestando Contas” desta quinta-feira (28). O grupo, que já investiu cerca de R$ 60 milhões no projeto, deverá aplicar mais R$ 100 milhões em 2012, e dar início às obras físicas da refinaria em 2013.
                Em audiência com o governador no Comando Geral da Polícia Militar, na quarta-feira (27), o presidente da Votorantim, João Bosco Silva; o diretor de Exploração Mineral, Jonas Belther; e o gerente geral de Relações Governamentais, Lucélio de Moraes; apresentaram o projeto a Simão Jatene, ao vice-governador Helenilson Pontes e ao secretaário Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa.
                O empreendimento deve começar a funcionar em 2016 e se expandir ainda mais em 2020. Na primeira fase (2016), a refinaria terá capacidade de extrair 7,7 milhões de toneladas de bauxita e verticalizar a produção em 3 milhões de toneladas de alunima por ano. Com a expansão, a “Alumina Rondon” passará ser a segunda maior refinaria do mundo, duplicando sua capacidade para seis milhões de toneladas/ano.
“Os empreendimentos que vêm para o Estado com grande dimensão, mas, sobretudo, com a perspectiva de agregar valor aos nossos recursos naturais, de verticalizar a produção e transformar cada vez mais as nossas riquezas aqui mesmo, precisam ser festejados. A cada dia mais eu me convenço que o caminho para enfrentarmos a pobreza e a desigualdade é através do aumento da produção, do emprego e da geração de renda”, destacou Simão Jatene.
                João Bosco Silva ressaltou que a escolha do Pará se deu pelo ambiente favorável apresentado pelo Estado. “Este é um projeto muito importante para o nosso grupo. O Pará é muito rico, a reserva de minério está aqui e as possibilidades são muitas”, afirmou, destacando também que o grupo já está em processo de implantação de uma fábrica de cimento no município de Primavera, no nordeste paraense.
                O grupo estima a geração de cerca de 6 mil empregos na construção da refinaria e de mais de 1.500 empregos diretos na fase de operação. Atualmente, o projeto está em processo de licenciamento na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), que deverá ser concluído em meados de julho do próximo ano, para que as obras sejam iniciadas.

Texto:
Amanda Engelke-Secom

Tecnologia a serviço do
Judiciário é tema de
seminário da Polícia Civil
                O juiz Valderley Silva abriu a jornada da tarde do Seminário de Segurança Corporativa e Atualização Jurídica, promovido pela Polícia Civil. Ele falou sobre "A aplicação da tecnologia em prol da celeridade e eficiência do sistema de Justiça”. Membro da 6ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado (TJE), o magistrado traçou um panorama sobre o mundo tecnológico dos dias atuais e a importância do uso dessas ferramentas para o avanço do Judiciário, visando, principalmente, a desburocratização da gestão.
                Entre os assuntos abordados estiveram a busca da transparência das informações; o combate à morosidade do Sistema Judiciário; a eliminação de papel; a marcação automática de audiências; o uso de assinaturas digitais criptografadas como medidas para a redução do serviço burocrático e a modernização do Sistema Judiciário.
                O evento prossegue nesta sexta-feira (29), com as palestras sobre os temas “Concurso material de crimes e o arbitramento de fiança pela autoridade policial”, que será apresentada pelo juiz Homero Lamarão Neto, durante a manhã; sobre “Ato infracional”, ministrada pela delegada Christiane Lobato, diretora da Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data); e “Inteligência policial e segurança corporativa”, pelo secretário adjunto de Inteligência e Análise Criminal da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Antônio Cláudio Farias.
                O juiz André Luiz Filocreão da Fonseca falará ainda sobre “A atuação da autoridade policial em delitos de alcoolemia ao volante”. O seminário tem como objetivo de qualificar e atualizar os servidores da instituição policial por meio de palestras de especialistas em legislações penais e processuais e segurança corporativa, entre outros temas.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Abaetetuba recebe oficinas,
palestras e minicursos com
a Mostra Camillo Vianna
                A oitava Mostra Camillo Vianna de Ciência e Cultura foi aberta nesta quinta-feira (28), no município de Abaetetuba, na região do Baixo Tocantins, oferecendo aos visitantes a oportunidade de conhecer diversas atividades e saber como a ciência e a tecnologia estão presentes no seu dia a dia. O evento continua até esta sexta-feira (29), na Escola Bernardino Pereira de Barros.
                No primeiro dia do evento, a programação foi direcionada aos mais diferentes públicos. Os visitantes participaram de uma oficina, na qual aprenderam a produzir experimentos físicos de baixo custo e verificar como a ciência se aplica no cotidiano. “Foi muito bacana ver que com uma simples lata, parafuso, elástico, vela e outras coisas a gente aprende física. Quando estudo nos livros, eu nem aprendo direito, parece que é mais difícil. Desse jeito, não”, disse Tamires Coelho, estudante do 1º ano do ensino médio da Escola Basílio de Carvalho.
                Um dos grandes problemas sociais que os jovens de Abaetetuba enfrentam é o grande consumo de entorpecentes, seja nas ruas ou nas escolas. Por isso, a Mostra realiza no município uma série de palestras sobre prevenção ao uso de drogas, voltadas ao público infanto-juvenil. As atividades visam conscientizar esses jovens quanto aos riscos e às consequências do uso de drogas para a saúde, a família, o rendimento escolar e as relações cotidianas. “Eu tinha alguns amigos que abandonaram ou foram expulsos da escola por causa das drogas. Seria muito bom eles estarem aqui. Eu já sabia que as drogas não são nada boas, mas agora vi que não fazem mal só para as pessoas que usam, mas também pros pais, amigos, no namoro”, ressaltou Marcos Pereira, aluno do terceiro ano do ensino médio da Escola Terezinha de Jesus Ferreira.
                A reciclagem e a preocupação com o meio ambiente também são incentivadas na Mostra. Nesta sexta será ministrada uma oficina sobre a produção de imãs de geladeira com sementes de guaraná, girassol, coentro e grãos. Os participantes terão a oportunidade de aprender a importância da apropriação consciente dos recursos naturais. “Nosso objetivo é mostrar aos alunos que materiais que aparentemente não têm muita utilidade, podem ser reaproveitados na confecção de objetos de decoração, bijuteria e outros acessórios”, explicou Elesandra Araújo, membro da Associação Agroecológica Iara.
                Além de palestras, oficinas e minicursos, a Mostra Camillo Vianna expõe em diversos estandes, informações sobre física mecânica, eletromagnetismo, era espacial, educação ambiental, animais peçonhentos, astronomia e outros áreas de conhecimento.

Balanço - Desde o mês de março, a Mostra Camillo Vianna vem percorrendo diferentes cidades no Pará. O evento já passou pelos municípios de Marabá, Conceição do Araguaia, Soure, Terra Alta, Capanema, Paragominas e Moju, apresentando dezenas de atividades científicas e culturais de importantes instituições de ensino e pesquisa da Amazônia Oriental.
                Para Geraldo Narciso, diretor de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), este ano as expectativas foram superadas, e o balanço do primeiro semestre é positivo, principalmente em relação aos visitantes. “O público total das oito Mostras realizadas até agora foi de mais de 35 mil pessoas. Esses números são interessantes, porque mostram que existe uma necessidade muito forte de ações no interior do Estado e que muitos municípios paraenses têm todo o interesse em receber projetos de difusão e popularização da ciência”, destacou.
                Durante as férias escolares, a Mostra será suspensa, retornando no segundo semestre, quando dará continuidade às ações de difusão da ciência pelo  Estado.

Texto:
Raphael Freire-Secti

Programa Escola da Vida
estará nos balneários
paraenses em julho
                O Corpo de Bombeiros promove, durante todo o mês de julho, a I Campanha de Verão do Programa Escola da Vida. O trabalho ocorre paralelamente à Operação Verão na Paz, do governo do Estado. Oficinas de prevenção à violência e criminalidade e sobre o uso de drogas lícitas e ilícitas fazem parte da programação.
                De 1º a 5 de julho, a campanha estará no distrito de Outeiro; de 6 a 11, em Mosqueiro; de 12 a 17, em Abaetetuba, e de 18 a 31 de julho, em Salinópolis. As crianças e jovens participantes do programa Escola da Vida terão ainda a oportunidade de saber mais sobre o bullying nas escolas e também sobre o meio ambiente. Será feita também a distribuição de pulseirinhas de identificação para as crianças nas praias.
                Segundo a coordenadora executiva dos projetos sociais do Corpo de Bombeiros, Gabriela Contente, o objetivo principal da campanha é tirar as crianças da ociosidade. “Diferente de muitas crianças, que nas férias têm para onde ir e como se divertir, as participantes do projeto ficam dentro de casa ou então são direcionadas para o trabalho infantil. Essa é uma forma de evitar isso e também de promover o lazer com aprendizado”, afirma.
                Os cuidados que se deve ter nos locais de praia, em relação a animais marinhos, afogamentos e outras ocorrências comuns nesse período também serão esclarecidos durante a campanha. São parceiros do Corpo de Bombeiros na ação a Casa Civil (por meio do Programa de Articulação e Cidadania), Pro Paz, Polícia Militar, Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e as empresas Chamatec, Belém Importados, Sociedade Bíblica do Brasil e Carmem Academia.

Texto:
Janise Abud-Casa Civil

Programa Escola da Vida
stará nos balneários
paraenses em julho
                O Corpo de Bombeiros promove, durante todo o mês de julho, a I Campanha de Verão do Programa Escola da Vida. O trabalho ocorre paralelamente à Operação Verão na Paz, do governo do Estado. Oficinas de prevenção à violência e criminalidade e sobre o uso de drogas lícitas e ilícitas fazem parte da programação.
                De 1º a 5 de julho, a campanha estará no distrito de Outeiro; de 6 a 11, em Mosqueiro; de 12 a 17, em Abaetetuba, e de 18 a 31 de julho, em Salinópolis. As crianças e jovens participantes do programa Escola da Vida terão ainda a oportunidade de saber mais sobre o bullying nas escolas e também sobre o meio ambiente. Será feita também a distribuição de pulseirinhas de identificação para as crianças nas praias.
                Segundo a coordenadora executiva dos projetos sociais do Corpo de Bombeiros, Gabriela Contente, o objetivo principal da campanha é tirar as crianças da ociosidade. “Diferente de muitas crianças, que nas férias têm para onde ir e como se divertir, as participantes do projeto ficam dentro de casa ou então são direcionadas para o trabalho infantil. Essa é uma forma de evitar isso e também de promover o lazer com aprendizado”, afirma.
                Os cuidados que se deve ter nos locais de praia, em relação a animais marinhos, afogamentos e outras ocorrências comuns nesse período também serão esclarecidos durante a campanha. São parceiros do Corpo de Bombeiros na ação a Casa Civil (por meio do Programa de Articulação e Cidadania), Pro Paz, Polícia Militar, Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e as empresas Chamatec, Belém Importados, Sociedade Bíblica do Brasil e Carmem Academia.

Texto:
Janise Abud-Casa Civil

Internos da Susipe
revitalizam mais nove
escolas no interior
                Mais nove escolas  públicas da Região Metropolitana de Belém (RMB) e interior do Estado receberam nesta quinta-feira (28) a terceira edição do projeto “Conquistando a Liberdade”, que tem por objetivo levar às unidades de ensino prestação de serviços gerais e manutenção predial. A mão de obra é diferenciada: 154 detentos dos regimes fechado e semiaberto das unidades prisionais dos municípios de Abaetetuba, Tomé-Açu, Capanema, Marabá, Mocajuba, Salinas, Marituba, Santa Izabel do Pará e Paragominas.
                Em Salinópolis, nordeste do Pará, a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio “Teodato de Rezende” iniciou as atividades com uma cerimônia de acolhimento aos detentos. A banda marcial Gerônimo Alves Dias e os alunos entoaram o Hino Nacional e, com aplausos, receberam a comunidade carcerária. Os estudantes participam ainda do “Papo di Rocha”, no qual um grupo de detentos relata sua experiência no cárcere.
                Com depoimentos, perguntas e respostas os presos alertam os estudantes sobre o perigo das drogas e as armadilhas do crime. Tudo numa perspectiva de traduzir em exemplos o quanto é prejudicial e destrutivo o caminho fora da lei. A dinâmica tem como mediador um técnico da unidade prisional onde o interno cumpre pena.
                Um dos palestrantes, o detento José Vandson da Silva Rodrigues, 23 anos, preso por roubo, cumpre pena há cinco anos no Centro de Recuperação Regional de Salinópolis. Ele disse que foram as más companhias que o levaram ao crime. “Fui desobediente aos meus pais e não ouvi os conselhos. Quem está preso perde oportunidades. Quero conquistar minha família e recuperar o que perdi”, afirmou.
                O interno Reginaldo Martins Borges, 29, ressaltou a importância de obedecer aos pais. “Tive tudo e não aproveitei”, resumiu, lembrando que, enquanto estava foragido, fez um curso online de eletrônica e conseguiu um emprego. “A parte presencial do curso seria no Estado de São Paulo. Para viajar precisei apresentar antecedentes criminais. Foi quando foi descoberto que eu estava impedido judicialmente. Posteriormente resolvi me entregar espontaneamente. Com o conhecimento que adquiri estou consertando os equipamentos da escola, sendo útil. Não há nada que pague isso”, relatou.
                A experiência dos detentos na vida da criminalidade fez a estudante Núbia Cristina Fernandes, 14 anos, refletir sobre o cárcere. “Não temos com quem conversar sobre drogas e crimes. Os presos mostraram tudo o que pode nos acontecer se escolhermos os caminhos errados. Fiquei contente de ver que eles querem mudar”, disse.
                O projeto contribui para a resignificação da conduta do preso enquanto cidadão, tornando-o agente de transformações positivas. Ainda proporciona remissão de pena, pois cada três dias trabalhados representa um dia a menos na prisão. A ação ocorre mensalmente, até dezembro deste ano, atendendo cerca de 60 escolas públicas estaduais e municipais.
                O projeto é executado pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), Tribunal de Justiça do Estado (TJE), Ministério Público, Defensoria Pública, Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Pro Paz e Polícia Militar.

Texto:
Nara Pessoa-Susipe

Defensoria Pública em
Santarém ganha sede
nova e amplia serviços
                A nova sede da Defensoria Pública em Santarém foi inaugurada nesta quinta-feira (28), para atender a população local e de mais 14 municípios da região do Baixo Amazonas. O prédio ocupa uma área de 642 m², no centro da cidade, facilitando o acesso para quem mora na área urbana e na zona rural. A unidade é a maior das 11 regionais implantadas no Estado, e oferece um atendimento especializado, com mais comodidade e rapidez. O vice-governador Helenilson Pontes e outras autoridades participaram da cerimônia de inauguração.
                Além das causas cíveis e penais, a Regional Santarém da Defensoria abrigará o Núcleo de Atendimento Especializado da Criança e do Adolescente (Naeca). De acordo com a coordenadora do Núcleo, Jeane Lima, o atendimento já era oferecido à população, em uma estrutura menor e sem as especificidades necessárias ao público infanto-juvenil.
                Com a nova estrutura, o atendimento jurídico terá o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar. “As demandas da infância são espontâneas e necessitam de um tratamento diferenciado em todas as etapas. Com essa estrutura, além do espaço, os profissionais também oferecerão atendimento especializado”, ressaltou.
                As causas ligadas à posse de terras também terão um espaço exclusivo, com o Núcleo das Defensorias Públicas Agrárias. Para o defensor público geral do Estado, Luiz Carlos Portela, além de atender a demanda jurídica, a Defensoria Pública em Santarém passa a oferecer um melhor atendimento à população. “Além da demanda mensal, a Defensoria oferece de forma mais integrada atendimento à infância e extra judicial, como nas questões agrárias”, destacou.
Demanda - A Regional Santarém atende por mês cerca de 300 pessoas na área cível e 100 na área criminal, incluindo o atendimento à população carcerária, por meio das itinerâncias e visitas às unidades do Sistema Penitenciário, e como órgão de execução penal. As demandas mais frequentes são relativas a pensões alimentícias, divórcios litigiosos, adoções, investigações de paternidade, curatelas, ações possessórias, retificações de registro civil, alvarás judiciais e orientações jurídicas. Na área criminal, a maioria das ações se refere a pedidos de liberdade provisória, relaxamento de prisões, atuações no Tribunal do Júri, impetração de habeas corpus, interposição de recursos, atuação no Juizado Especial Criminal e demais audiências.
                A unidade é a maior das 11 regionais do Estado, ressaltou o vice-governador Helenilson Pontes, para quem a nova sede oferece o acesso à Justiça, promove a cidadania e reafirma o compromisso do Estado com o resgate dos direitos básicos e a justiça social.
                A nova Regional oferecerá ainda o atendimento pelo Disk Defensoria 129, que funcionará das 8 às 14h, de segunda até sexta-feira. Com esse serviço, o assistido receberá informações e orientações sobre o andamento de processos que tramitam na Defensoria e os documentos necessários para propor ações judiciais, e também poderá marcar a data para o atendimento pelo defensor público, entre outros serviços. A nova sede funcionará na Avenida Presidente Vargas, nº 2027, no Bairro de Aparecida.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Mostra de produções de
oficinas e serviços de
cidadania na Funbosque
Acontece neste sábado, 30, a I Mostra de Produções dos Projetos Sociais da Fundação Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira. As 19 oficinas oferecidas à comunidade tiveram início dia 28 de abril.  A conclusão desta etapa acontecerá em meio a uma programação onde serão ofertados serviços de cidadania como emissão de cédulas de identidade, CPF, Carteira de Trabalho, do SUS, cadastro de medula óssea e bolsa família, além de serviços de vacinação e verificação de pressão arterial e triglicérides.
As oficinas promovidas pela Funbosque por meio dos projetos “Capacitação, Promoção, Ocupação e Renda” e “Escola Aberta” aconteceram aos sábados, a partir de pesquisa e cadastro feitos na comunidade. Trabalhos manuais, manutenção de computador, conserto de celular, dança, capoeira, tênis de mesa, culinária, arte de moldura em papel e manicure  foram as atividades desenvolvidas.

Feira expõe talento dos
servidores estaduais
na Escola de Governo
                A 13ª Feira de Talentos, que reúne produtos de artesanato dos mais variados tipos e utilidades, feitos por servidores estaduais, acontecerá neste sábado (30 de junho) e no domingo (1º de julho), das 8 às 18h, na sede da Escola de Governo do Estado do Pará (EGPA), em Belém.
                Este ano, a programação inclui um conjunto de ações dos programas Pro Paz Cidadania e Presença Viva. Serão montadas 84 barracas para a comercialização dos produtos, que mostram as habilidades artísticas de funcionários do serviço público, ativos e inativos. A renda gerada com a comercialização dos objetos é totalmente repassada ao expositor.
                Nos dois dias da feira o público poderá contar, também, com as ações do Pro Paz Cidadania Presença Viva, que reunirá vários órgãos do governo do Estado. A sede da EGPA vai abrigar uma série de serviços de saúde e cidadania, oferecidos gratuitamente à população, entre os quais atendimento oftalmológico, ginecológico e teste rápido de HIV, assistência jurídica e emissão de documentos.
                A programação cultural inclui shows de Viviane Batidão, Banda Forró Sacana, Banda Quero Mais, Théo Pérola Negra e Pedrinho Cavallero. A ação cidadã é uma realização do Pro Paz, em parceria com a EGPA. A entrada é franca.
Programação musical
Sábado - 30 de junho
                10 às 12h -  Pedrinho Cavallero
                16 às 18h - Banda Quero Mais
Domingo - 1º de julho
                09 às 10h  - Théo Pérola Negra
                10h30 às 12h - Banda Forró Do Bacana
                16 às 18h - Viviane Batidão

Texto:
Daniele Brabo-EGPA

Estudo da Emater mostra
ue o nordeste paraense
pode produzir cebola
                O nordeste do Pará reúne condições para se tornar uma região produtora de cebola, garante o estudo técnico desenvolvido por meio de uma Unidade de Observação em Paragominas, município da região, realizado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater). A viabilidade da cultura contraria estudos anteriores, segundo os quais o Estado não tinha condições de produzir a hortaliça. O Pará importa 100% da cebola consumida no Estado.
                Para a experiência, inédita no Pará, um espaço inferior a um hectare recebeu sementes de cebola da variedade IPA11. O resultado atingiu uma produtividade de 32 toneladas por hectare, superando a média nacional em quase 60% - 20 toneladas por hectare. O solo e o clima da região, que tem duas estações definidas (inverno e verão), são ideais para o cultivo da cebola. O clima também influencia no momento da colheita, quando não pode haver umidade para evitar o apodrecimento do produto.
                A cultura também oferece retorno financeiro. Enquanto importar a hortaliça da região Nordeste do país, por exemplo, representa pagar por quilo, em média, no atacado, R$ 1,50, produzir a cebola em Paragominas e comercializar a R$ 0,90 o kg representa lucro superior a 50%, segundo dados da Emater.
                O engenheiro agrônomo da empresa, Roberto Vieira, coordenador do projeto, disse que o objetivo da Emater é mostrar ao agricultor outra alternativa de geração de emprego e renda, além da garantia de segurança alimentar para as famílias que se dedicam tradicionalmente à criação de bovinos.
                A partir de julho, a Emater começa a implantar Unidades Demonstrativas no projeto de assentamento Paragonorte, envolvendo 20 famílias de agricultores. Os municípios de Ulianópolis e Dom Eliseu, próximos a Paragominas, também terão Unidades de Observação para o cultivo de cebola.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater

PSM Guamá inaugura
novo espaço de acolhimento
de Urgência e Emergência
Os 11 anos de fundação do Hospital de Pronto Socorro Municipal Humberto Maradei Pereira (Guamá) serão comemorados nesta sexta-feira,11, com um ato ecumênico  e a inauguração do novo espaço de acolhimento de Urgência e Emergência com a implantação do Protocolo de Manchester.
O sistema começa a funcionar imediatamente após a inauguração do novo espaço. Com a implantação do Protocolo de Manchester no hospital, os resultados esperados são a prioridade do atendimento pela gravidade e não pela ordem de chegada, qualificação dos profissionais de saúde, melhoria no controle do fluxo dos pacientes, redução do tempo de espera pelo atendimento  e principalmente a satisfação do usuário do Sistema Único de Saúde (SUS).
O Protocolo de Manchester adota critérios para estabelecer a prioridade de atendimento de cada paciente. Pelo Protocolo, os casos são classificados obedecendo a uma escala entre o mais e o menos urgente. Assim que chega ao hospital, o paciente é encaminhado para um setor de triagem, onde é submetido a uma rápida avaliação. São identificados sinais que permitem atribuir um grau de prioridade clínica no atendimento e o tempo recomendado.
A gravidade dos casos é identificada por um sistema de cores. A cor vermelha (emergente) tem atendimento imediato; o laranja (muito urgente) prevê atendimento em dez minutos; o amarelo (urgente), 60 minutos; o verde (pouco urgente), 120 minutos e o azul (não urgente), 240 minutos. A organização da rede possibilita encaminhar corretamente o paciente ao ponto de atenção certo, para a assistência mais eficaz e no menor tempo possível.
Com mais de 10 mil pacientes atendidos por mês e quase 700 servidores, o HPSM do Guamá, completa 11 anos de história atendendo  de 300 a 350 pessoas por dia. Atualmente 68 leitos são disponíveis  no hospital entre clínica médica adulto, cirúrgico, pediátrico, Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Unidade de Reanimação e Isolamento. Em 2005, apenas 55 leitos eram disponíveis no PSM do Guamá.
O hospital já recebeu reformas, revitalizações e pinturas em alguns espaços, como a sala de injetáveis que foi toda reformada, adequada e climatizada; e o novo refeitório para os funcionários,climatizado e equipado com televisão, bebedouro e lavabo. .



Houve também a terceirização do serviço de rouparia e refeição no hospital e há três meses os servidores passaram a receber o vale-alimentação, que recentemente teve um acréscimo, passando de R$ 160,00 para R$220,00.
Secretaria Municipal de Saúde (Sesma)

PSM Guamá inaugura novo
espaço de Urgência e Emergência
O Hospital de Pronto Socorro Municipal Humberto Maradei Pereira (Guamá), comemora  11 anos de história em atendimento humanizado nesta sexta-feira,29. Para celebrar o aniversário o hospital realiza um ato ecumênico e a inauguração do novo espaço de acolhimento de Urgência e Emergência, com a implantação do Protocolo de Manchester.
A equipe multiprofissional que vai atender no novo espaço do acolhimento de urgência e emergência do hospital foi capacitada e treinada por técnicos da área de Saúde. O sistema começa a funcionar a partir das 13h de sexta-feira. Com a implantação da metodologia, os resultados esperados no atendimento do hospital são a prioridade do atendimento pela gravidade e não pela ordem de chegada, a qualificação dos profissionais de saúde, melhoria no controle do fluxo dos pacientes, redução do tempo de espera pelo atendimento e, claro,  a satisfação do usuário do Sistema Único de Saúde (SUS).
O Protocolo de Manchester adota critérios para estabelecer a prioridade de atendimento de cada paciente. Para o novo acolhimento, o setor de classificação de risco (entrada) do hospital foi totalmente reformado e ampliado. O novo espaço conta agora com recepção, identificação do paciente, sala de espera, área de classificação de risco e área de encaminhamento dos pacientes para o atendimento.
Pelo Protocolo, os casos são classificados obedecendo a uma escala entre o mais e o menos urgente. Assim que chega ao hospital, o paciente é encaminhado para um setor de triagem, onde é submetido a uma rápida avaliação. Nessa avaliação são identificados sinais que permitem atribuir um grau de prioridade clínica no atendimento e o tempo recomendado para o atendimento.
O sistema estabelece a identificação dos pacientes por meio de cores, de acordo com a gravidade do caso. Assim, a cor vermelha (emergente) tem atendimento imediato; o laranja (muito urgente) prevê atendimento em dez minutos; o amarelo (urgente), 60 minutos; o verde (pouco urgente), 120 minutos e o azul (não urgente), 240 minutos. A organização da rede possibilita encaminhar corretamente o paciente ao ponto de atenção certo, para a assistência mais eficaz e no menor tempo possível.
Ganhos do hospital em 11 anos de história
Com mais de 10 mil pacientes atendidos por mês e quase 700 servidores, o HPSM do Guamá, completa 11 anos de história. Por dia, o hospital registra cerca de 300 a 350 atendimentos. Atualmente o hospital disponibiliza 68 leitos distribuídos entre clínica médica adulto, cirúrgico, pediátrico, Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Unidade de Reanimação e Isolamento. Em 2005, apenas 55 leitos eram disponíveis no PSM do Guamá.
O hospital já recebeu reformas, revitalizações e pinturas em alguns espaços. Os funcionários agora têm novo refeitório com 24 lugares, climatizado e equipado com televisão, bebedouro e lavabo. A sala de injetáveis foi toda reformada, adequada e climatizada.
Houve também a terceirização do serviço de rouparia e refeição no hospital e há três meses,os servidores passaram a receber  vale-alimentação, que recentemente teve um acréscimo,passando  de R$ 160,00 para R$ 220,00.
Todas essas mudanças realizadas na gestão do prefeito Duciomar Costa vieram para beneficiar  servidores e pacientes que necessitam de atendimento humanizado, como  preconiza o Ministério da Saúde.

Texto: Anaíza Nobre Pontes -Ascom Sesma

Preservação do meio
ambiente marca último
dia da Caravana em Juruti
                Uma manhã de atividades voltadas à preservação do meio ambiente marcou o último dia da Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva no município de Juruti, no oeste do Pará. A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) fez o plantio de mudas de Ipê em escolas estaduais do município. O dia marcou também a certificação dos alunos que participaram nestes três dias do curso de reciclagem ofertado pela Sema na Escola Professora Zelina de Souza Guimarães, onde os serviços da Caravana foram ofertados.
                As atividades começaram cedo, às 7 horas da manhã, alunos da escola estadual Emanuel Salgado e alunos da Escola Municipal Zenilda Guimarães, junto com os técnicos da Sema, cavaram as covas e plantaram as mudas. Os alunos assumiram o compromisso de cuidar das árvores até o total crescimento das mesmas. Segundo a coordenadora de Educação Ambiental da Sema, Graciete Nogueira, o objetivo é deixar marcado no município os três dias de atividades e criar nos alunos a consciência sobre a importância de preservação do meio ambiente.
                Henrique Cativo, 12 anos, que cursa a 7ª série na escola Emanuel Salgado, comentou que esta foi a primeira vez que ele plantou uma árvore em sua vida. Ele prometeu cuidar da planta todos os dias em que for para suas aulas. “Quero que ela cresça e dê muitas flores e frutas, então vou dizer para todo mundo que fui em quem plantou a árvore”, comentou. A aluna da 7ª série Laize Farias explicou que a partir de hoje terá um compromisso maior com o futuro “para que todos tenham um mundo cheio de árvores mais sadio e mais limpo”, explicou.
                A Sema certificou também na manhã desta quinta-feira (27) os professores e alunos da rede estadual de ensino que participaram nestes três últimos dias das oficinas de Consumo Sustentável e Geração de Renda, que visam formar multiplicadores para educação ambiental. As oficinas também são voltadas para a geração de renda a partir da fabricação de objetos utilitários feitos com material reciclado.
Coleta Seletiva
                A Sema também fechou parceria com a Cooperativa de Serviços de Coleta Seletiva de Lixo em Juruti (Coopservice) para a realização de campanhas educativas sobre a necessidade da reciclagem do lixo. A Coopservice reúne 42 famílias que coletam, reciclam lixo e fabricam objetos utilitários a partir de garrafas pets como pufs decorativos, telas de proteção para janelas e flutuadores para currais de pesca.
                A Coopservice mantém uma parceria com o Programa de Redução da Pobreza e Gestão dos Recursos Naturais do Estado do Pará (Pará Rural) para a construção de uma usina de produção de adubos a partir de lixo orgânico coletado pelos cooperados. “O mais importante é que as pessoas tenham a consciência da importância da coleta seletiva e da preservação do meio ambiente”, explicou Gecivaldo Amaral, direto da Coopservice.
                A Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva parte nesta sexta-feira, 29, para o município de Terra Santa, também no oeste do Pará. No sábado, a população do município pode se dirigir até a Caravana para ser atendida nos 26 tipos de serviços oferecidos pela Caravana, como retirada de documentos, especialidades médicas, orientação jurídica, educação ambiental e cultura. Terra Santa será o 13º município visitado pela Caravana, restando apenas Faro. Depois a ação encerra as atividades em 2012, por conta do período eleitoral, recomeçando em fevereiro de 2013 pela ilha do Marajó.

Texto:
Marcio Flexa-Secom

Procon inicia “Operação
verão” na próxima segunda-feira
                Com o intuito de garantir os direitos do consumidor no período das férias, a Diretoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/Pa) promoverá no mês de julho uma série de fiscalizações nos municípios considerados como os principais destinos dos paraenses. As ações já iniciam na próxima segunda-feira (2) e inspecionarão diversos estabelecimentos comerciais dos municípios de Bragança, Marapanim, Salinópolis, Santarém e Soure.
                A programação de fiscalização no veraneio deste ano conta com a parceria da Vigilância Sanitária local (Visa). As ações são direcionadas principalmente aos bancos, açougues, supermercados da cidade, mas também verificam pendências nos comércios em geral. O coordenador de Fiscalização do Procon/Pa explica que “nos bancos, a diretoria verificará a afixação da lei estadual 7.255/09 e da lei 12.291/10, que regulamenta o tempo máximo de permanência nas filas dos caixas de pagamento e que exige um exemplar do código de defesa do consumidor nos estabelecimentos comerciais para livre consulta em todo o estado, respectivamente”.
Nos supermercados, o Procon vistoria condições como a precificação, validade e procedência dos produtos que são postos a venda. A verificação é necessária, já que muitos estabelecimentos descumprem o decreto 5.903/06, que trata de formas de afixação de preços e exige a disponibilidade de um leitor ótico para consulta de preços. Já nos açougues, a diretoria, junto à Visa, analisa não só a disponibilidade dos preços nos produtos, como o cumprimento da legislação básica de saúde. Tal ação verifica, por exemplo, se os alimentos estão sendo manipulados corretamente pelos funcionários. Por fim, constatará se todos os estabelecimentos disponibilizam um exemplar do Código de Defesa do Consumidor (CDC) para eventual consulta.
                Vale ressaltar que o consumidor pode efetuar denúncias e/ou reclamações pelo Disque “151” ou pelo fone: 3073-2824. Já o atendimento presencial na sede do Procon é realizado de segunda a sexta-feira, de 8h às 14h, na Trav. Castelo Branco, 1.029.
                A “Operação Verão” seguirá o roteiro abaixo:
                De 2 a 6 de Julho - Bragança
                9 a 13 de Julho - Soure e Salvaterra
                16 a 20 de Julho – Marapanim
                23 a 27 de Julho - Salinópolis

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh

Seminário discute
educação especial inclusiva
                A educação especial inclusiva para alunos com deficiência é o tema do 1º Seminário voltado para gestores, diretores e técnicos, que reúne cerca de 500 profissionais da Rede Estadual de Educação até a próxima sexta-feira, 29. no auditório do Hotel Gold Mar, em Belém. O evento foi aberto na manhã de hoje, 28. Atualmente, a Rede Estadual conta com aproximadamente 12 mil estudantes portadores das cinco deficiências previstas: auditiva, visual, intelectual, física, e múltipla.
                Desde 1994, a Política Nacional de Educação Especial prevê o acesso de alunos com deficiência ao ensino regular. Até então, crianças e adolescentes com deficiência recebiam escolarização em unidade de ensino específicas. Com as novas diretrizes nacionais e internacionais sobre o assunto, passou a ser exigido que estudantes com deficiência sejam incluídos e matriculados em escolas de ensino regular e, no contra-turno, matriculados em unidades de atendimento especializado ou em salas de recursos multifuncionais de suas escolas.
                Para o atendimento específico nas diversas deficiências, a Rede Estadual conta com oito unidades técnicas especializadas, três núcleos e dois centros de apoio. Além disso, mais de 500 escolas possuem Salas de Recursos Multifuncionais utilizadas no apoio ao estudante com deficiência no ensino regular. Outras 330 estão em fase de implantação e até o final de 2014 a expectativa é de que as cerca 1.100 escolas estaduais tenham o espaço em funcionamento.
                As Salas de Recursos Multifuncionais contam com materiais pedagógicos e de acessibilidade para que os estudantes com deficiência façam atividades no contra-turno. “É justamente a qualificação dos profissionais que atuam nessas salas o foco deste seminário, explicou a coordenadora de Educação Especial da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), professora Heloísa Helena Brito, ao informar que a formaçãoo abre uma sequencia de atividades de para aqueles que atuam na educação especial.
                Na abertura do evento, o psicólogo e técnico da Coees, Edmilson Lima, apresentou a palestra “Políticas Públicas de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva”. Para ele, a presença do aluno na escola e garantia do atendimento no contra-turno são fundamentais. “O Plano Nacional requer mudanças ligadas à concepção de escola para todos. Ainda é preciso derrubar mitos e adquirirmos novas práticas pedagógicas na divisão social do trabalho na escola”, afirmou.
                A programação do seminário segue até as 14h desta sexta-feira com a mesa-redonda sobre o Atendimento Educacional Especializado (AEE); oficinas sobre práticas pedagógicas; organização de grupos de trabalho para discutir a concepção, os princípios e o currículo, entre outros temas; além da conferência sobre Gestão Compartilhada da Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, que será apresentada pelo professor da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Antônio Carlos do Nascimento Osório.

Texto:
Mari Chiba-Seduc

Emater e Marinha são
parceiros no atendimento
de crianças em situação de risco
                A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e a Estação Radiogoniométrica da Marinha em Belém (ERMBe) tornaram-se parceiros no “Programa Forças no Esporte”, desenvolvido pelo Ministério da Defesa, com apoio dos Ministérios do Esporte e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e Forças Armadas. O Programa Forças no Esporte tem o propósito de promover, através da prática de atividades físicas, esportivas, lazer e aulas de reforço escolar, a integração social, a prevenção à marginalidade e à violência e a valorização da cidadania como um processo social de desenvolvimento.
                A iniciativa atende atualmente mais de 12 mil estudantes em situação de risco em todo o Brasil. O núcleo do programa estabelecido na estação da Marinha atende 100 crianças de 8 a 12 anos da Grande Belém das Escolas Estaduais Almirante Tamandaré Padre Orione, localizadas próximas a Estação, e oferece prática esportiva, oficinas de dança, música, letramento e educação ambiental.
                Para a integração, a Emater firma o compromisso de manutenção e desenvolvimento de uma pequena horta que a Marinha já trabalha na estação com as crianças, além de propor a transformação desse espaço no Programa Agroecológico Integrado e Sustentável, que vai garantir além da hortaliça, a criação de aves, produção de ovos e carne, feijão caupi e frutíferas. Segundo Gustavo Pazinato, comandante da Estação, a ideia da Marinha é oferecer uma alternativa a mais para o atendimento das crianças.  “Nossa horta estava fadada a morrer e a parceria com a Emater vai possibilitar o olhar e o atendimento profissional ao espaço”, disse.
                Dilma Bentes, coordenadora de educação da Escola Almirante Tamandaré, disse que o projeto funciona como um elemento motivador na vida das crianças. “Eles melhoraram muito o comportamento na escola, nas notas, e os pais dizem que em casa também tem sido observada grande melhora”, afirmou Dilma. Parte da produção da horta, que tem cheiro verde, pimentão, cenoura, couve, macaxeira, já ajuda no abastecimento do almoço da garotada, uma das duas refeições diárias que os alunos recebem.
                Os estudantes participam do projeto duas vezes por semana, segunda-feira e quinta-feira. A cada três faltas ele é substituído, obedecendo um critério da escola e da própria Marinha, a fim de oportunizar a participação de outros alunos. Anualmente as escolas também renovam a clientela do projeto. Guilherme Saldanha, engenheiro agrônomo da Emater, lembrou que a empresa, que tem como público alvo agricultores familiares, ultrapassa barreiras para atender alunos na zona urbana da cidade com um cunho social em um projeto que forma cidadãos e deve gerar visão de empreendedorismo para as crianças. “É de suma importância realizar esse trabalho que acaba sendo preventivo”.

Texto:
Iolanda Lopes-Emater

Sítios arqueológicos do
Parque de Monte Alegre
ganharão status de museu
                Uma equipe multidisciplinar formada por gestores do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), da Universidade Federal do Pará (UFPA) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) apresentou, nesta quinta-feira, 28, na sede do órgão estadual em Belém, o Projeto de Musealização de dois sítios arqueológicos do Parque Estadual de Monte Alegre (Pema).
                O pesquisador da UFPA, Silvio Figueiredo; a engenheira civil da Sema, Evandra Vilacoert, e Patrícia Messias, gerente do Pema e da Área de Proteção Ambiental (APA) Paytuna, onde se localiza o Parque, fizeram a apresentação do projeto ao secretário de Estado de Meio Ambiente, José Alberto Colares, aos gerentes e coordenadores da Diretoria de Áreas Protegidas da Sema, e aos demais servidores dos órgãos envolvidos no processo. Estiveram presentes, também, a deputada paraense Josefina Carmo e o prefeito de Monte Alegre, Jardel Vasconcelos.
                O projeto intitulado “Socialização dos Sítios Arqueológicos da Amazônia”, coordenado pela Sema e desenvolvido pelo Iphan, em parceria com a UFPA e Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), vai beneficiar os sítios arqueológicos Serra da Lua e Pedra do Mirante. “Vamos disponibilizar o que está preservado para conhecimento do turismo e facilitar também a visita científica e outras modalidades”, explicou Silvio Figueiredo, da Universidade Federal.
                De acordo com Patrícia Messias, a importância desse projeto é a preservação da cultura local e a garantia da sustentabilidade das comunidades tradicionais que habitam a área ambiental. Juntos nesse trabalho, a União participa com R$ 1,6 milhão, o Estado com R$ 700 mil e o município fica a cargo das obras de infraestrutura na estrada de acesso aos sítios arqueológicos. “A idéia é fomentar o turismo ao mesmo tempo em que promovemos segurança e a conscientização das comunidades para preservarem o local”, disse Messias.
                A musealização prevê instalação de estruturas para visitação desses dois sítios, que estão no Parque, a exemplo de um Centro de Visitantes com banheiros, guarda-volumes, lanchonete, auditório, sala multiuso e plataformas de acesso, inclusive para deficientes físicos. A engenheira civil da Sema, Evandra Vilacoert, explica que atualmente, apesar de muitos visitantes, a área ainda não está adequada para receber turistas. “Por não dispor de toda a estrutura necessária, esse tipo de turismo acaba se tornando alternativo, por ainda apresentar algumas áreas de risco. O nosso objetivo é facilitar o acesso e proporcionar condições adequadas ao praticante do ecoturismo, que poderá ter acesso antecipado e detalhado ao seu roteiro, escolhendo o caminho que irá percorrer, sempre acompanhado por um guia”, detalhou Vilacoert.
                Com essa estrutura pronta, o ecossistema será preservado beneficiando o turismo e as comunidades locais, que estão recebendo instruções da Sema sobre preservação da área em que vivem. Nessa primeira fase de implantação do projeto, será preciso fazer um processo licitatório para que a obra seja executada com transparência, agilidade e segurança.
APA Paytuna - A Área de Proteção Ambiental (APA) Paytuna, onde está localizado o Parque Estadual de Monte Alegre, foi criada pela Lei 6.426, de 17 de dezembro de 2001, com o principal objetivo de amenizar impactos causadores de danos ambientais. As comunidades do Maxirá, Maxirazinho, Ererê, Paytuna e Santana, estão localizadas no entorno do Parque Estadual Monte Alegre, duas delas próximas das serras do Ererê e Paytuna. A comunidade de Lages está no interior do Parque. O acesso à APA é feito a partir da cidade de Santarém, de onde o visitante segue de lancha – por cerca de duas horas - até a cidade de Monte Alegre e, de lá, via rodoviária, por mais 20 minutos até o Parque. Os atrativos da APA Paytuna são, entre outros, as pinturas rupestres.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema

Mototaxistas participam
de simulação de acidente
de trânsito em Icoaraci
                Um grupo de mototaxistas sentiu na pele as dificuldades e colocou em prática as técnicas para salvamento e resgate de vítimas de acidente de trânsito. A simulação fez parte do treinamento de primeiros-socorros promovido em parceria pela Polícia Civil do Pará e Corpo de Bombeiros Militar, na sede do Clube Big Ben, na Rodovia do Tapanã, distrito de Icoaraci, em Belém. Sob instrução do soldado Erick, do Corpo de Bombeiros Militar, os mototaxistas foram instruídos quanto ao uso correto dos equipamentos de atendimento pré-hospitalar. A meta do curso é deixar os profissionais aptos a agir sempre que alguma situação exigir, como desmaios, paradas cardíacas e acidentes.
                Por meio de aulas teóricas e práticas, o treinamento é uma exigência das Associações da categoria para emissão do registro profissional. Ao todo, 86 mototaxistas e 60 pessoas da comunidade participam das aulas na sede do clube. Outros 416 mototaxistas da capital participam do curso no auditório da concessionária de veículos "Mônaco", na Rodovia Augusto Montenegro. Além do soldado Erick, as instruções são repassadas pelo sargento Edimilson Lima, do Corpo de Bombeiros Militar.
                E nesta quinta-feira, às 17 horas, haverá a formatura de mais de 500 mototaxistas, no curso de primeiros-socorros. A solenidade acontecerá no auditório da concessionária de veículos. Atualmente, três cursos de primeiros-socorros estão em andamento, em Belém, nos distritos de Icoaraci e Mosqueiro, para capacitar a categoria para exercer a atividade profissional.
                De acordo com a assessora de Relações Interinstitucionais da Polícia Civil, Waldenize Braga, o treinamento, voltado especificamente a condutores de mototáxi, atende a uma solicitação da Frente de União para Regulamentação da profissão de Mototaxista, do Sindicato dos Mototaxistas de Belém, que abrange 12 associações da categoria, na capital. Segundo Socorro Ferreira, presidente da Frente, o treinamento é uma condição exigida para o registro e habilitação de pilotos de motos para exercer, de forma regular, a atividade de mototáxi. O treinamento também é realizado na ilha de Mosqueiro para 40 mototaxistas que assistem às aulas, aos finais de semana, na sede da Associação da categoria, situada na praia do Carananduba, naquela localidade.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Policiais prendem acusado
de estuprar crianças em Almeirim
                A Polícia Civil de Almeirim, noroeste do Pará, divulgou, nesta quinta-feira, 28, o resultado de mais uma ação de combate à pedofilia no interior do Estado. Benedito Machado de Medeiros, de 52 anos, de apelido "Bena", foi preso em flagrante por crime de estupro contra duas crianças de 7 e 8 anos. A prisão do acusado foi efetuada pela equipe policial coordenada pela delegada Adriana Magno, titular da Delegacia local. Segundo a avó das vítimas, o acusado é seu companheiro, com quem viveu em união estável por seis anos. À delegada, ela relatou que, no último dia 26, por volta de 21 horas, estava em casa, onde afirma ter flagrado Benedito sentado em uma cadeira, enrolado em uma toalha de banho, com as vítimas sentadas em sua perna. 
                O caso foi denunciado à Polícia Civil para início das investigações. A delegada ouviu os depoimentos das crianças - dois meninos - que confirmaram, na presença de conselheiros tutelares do município, os crimes. As vítmas contaram que os abusos já aconteciam há cerca de 4 anos. "A criança de sete anos disse que era abusada desde os 3 anos", apurou Adriana Barbosa. As crianças revelaram que eram ameaçadas de agressões físicas e até de morte pelo acusado se recusassem a praticar o ato sexual. "Muitas vezes, os episódios de abusos tinham a participação de conhecidos de 'Bena'. Os abusos aconteciam quando a avó das crianças não estava em casa", detalhou a delegada.
                O acusado foi preso, logo em seguida, durante uma ação conjunta das Polícias Civil e Militar do município, após a denúncia. Os familiares dos meninos foram ouvidos em depoimento em que unanimemente afirmaram que não sabiam dos abusos sofridos pelas crianças. "Eles se mostraram surpresos e revoltados com o fato", asseverou a policial civil. Fizeram parte da operação policial os investigadores Carlos Matos e Max Lins e o escrivão João de Sousa.
                A delegada Adriana Magno encaminhou as vítimas para exame sexológico, cujo laudo confirmou os abusos sexuais. Ela repudiou o ato criminoso. "Esse tipo de crime é ultrajante e corroi, de forma avassaladora, a estrutura familiar. A ação policial visa reprimir com prioridade essas condutas criminosas na região", disse. Benedito está preso na ala carcerária da delegacia, à disposição da Justiça para responder pelo crime de estupro de vulnerável, conforme o artigo 217-A, do Código Penal. O procedimento atende as determinações da Diretoria de Polícia do Interior, por meio da Superintendência Regional do Médio e Baixo Amazonas.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Sejudh integra evento sobre
Direitos Humanos e
Resgate da Cidadania
                Representando o governador do estado, Simão Jatene, o titular da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), José Acreano Brasil Júnior, participa na manhã desta sexta-feira, 29, do seminário “Ações da Eletronorte sobre Direitos Humanos e Resgate a Cidadania”. Proposto pela Eletronorte - Centrais Elétricas do Norte do Brasil (ELN), a programação será realizada a partir das 9h, no auditório Jorge Palmeira, no Centro de Tecnologia da Eletronorte, e contará com a presença da Ministra da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes.
                O evento inicia com a mesa de debates “Um Novo Caminho de Direitos Humanos na Eletrobras Eletronorte”, e segue com a palestra “Empresas e Direitos Humanos na Perspectiva do Trabalho Decente”. Na oportunidade, o presidente da ELN, Josias Matos, apresentará as ações voltadas para a promoção dos Direitos Humanos e do resgate da Cidadania na instituição. A programação conta, ainda, com a assinatura do Termo de Compromisso e Plano de Ação entre a Eletrobras Eletronorte e a Organização Internacional do Trabalho. Outro documento firmará compromisso entre a ELN e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Trata-se de ações voltadas para o enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes, e será assinado por Josias Matos e a Ministra Maria do Rosário.

Emater em Abaetetuba
regulariza documentação
de quilombolas
                O escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Abaetetuba está realizando visitas técnicas e entrevistas estruturadas na comunidade quilombola Piratuba, para a emissão de Declarações de Aptidão ao Programa Nacional de Financiamento da Agricultura Familiar (Pronaf), a DAP, no período de 27 de junho a 10 de julho. A solicitação partiu da Associação dos Remanescentes de Quilombo do Ramal do Piratuba (Arquituba). A DAP é item básico para a participação em projeto de casas populares do governo federal, como o “Minha Casa, Minha Vida”, da Caixa Econômica Federal, bem como a aquisição de linhas de crédito, via Pronaf.

Fundação Curro Velho é
parceira na Colônia de
Férias do Pro Paz
na Terra Firme
                Durante o mês de julho, a Fundação Curro Velho vai participar das atividades da Colônia de Férias da Unidade Integrada Pro Paz no bairro da Terra Firme. Durante a programação serão desenvolvidas oficina de teatro, dança e confecção de pipas. A programação da Colônia de Férias tem como objetivo combater a ociosidade de crianças e jovens no período das férias escolares com oficinas de arte e cultura. As oficinas serão realizadas no período de 9 a 27 de julho, no horário de 9h às 11h e de 14h às 16h. Os professores Flávio Negrão, Luiz Carlos Camargo e Francelino Mesquita vão ministrar oficina de dança, teatro e confecção de pipas, respectivamente.

Pacientes da clínica
hematológica do Ophir
Loyola já estão em
novas instalações
                A reforma e revitalização da clínica de hematologia, localizada no terceiro andar do Hospital Ophir Loyola (HOL), mudou a condição de tratamento de mais de 30 pessoas. A entrega do espaço, com capacidade para 34 leitos, aconteceu na terça-feira (26) e nesta quinta-feira (28) todos os pacientes já estavam instalados nas novas acomodações, que oferecem melhor condição de trabalho e conforto para os acompanhantes.
                Além da clínica de hematologia foi transferida para o terceiro andar, temporariamente, a clínica de cirurgia oncológica. A iniciativa faz parte do planejamento de recuperação de outras alas do hospital, realizado pelo Governo do Estado. “Depois que a reforma foi concluída foram transferidas as duas clínicas para o terceiro andar. A de cirurgia oncológica fica instalada aqui até o final das obras do segundo andar, que começam nesta segunda-feira (2/07) e devem ser concluídas em seis meses. Temos 15 pacientes de hematologia e 14 de cirurgia oncológica dividindo este espaço. É um esforço conjunto para um bem maior. As condições de trabalho melhoraram demais, no entanto a grande mudança foi para os pacientes e seus acompanhantes”, explica Priscila Vasconcelos, chefe do departamento de enfermagem do HOL.
                Lúcia Melo acompanha o neto, Daniel Souza, 17 anos, paciente da hematologia. Desde que começou o tratamento, o rapaz já esteve internado por mais de quatro meses seguidos no HOL, a antiga enfermaria não deixou saudades. “Eu achei muito boa esta mudança, novas camas, armários, mesa para fazer as refeições e conforto para os acompanhantes, que é muito importante. A gente passa muito tempo internado, dias e dias na enfermaria, é muito bom pra recuperação ficar num lugar bonito, novo e organizado”, diz Daniel.
                O HOL trata de patologias hematológicas oncológicas, como leucemia e linfomas, que na maioria dos casos demandam tratamentos longos e com tempo de internação que se estende até seis meses em alguns casos, por isso a necessidade de acomodações confortáveis não apenas para os pacientes, mas também para os acompanhantes. “Os pacientes da hematologia ficam meses internados, antes não tínhamos condições de abrigá-los, agora temos e com conforto e qualidade. Nosso objetivo é que todos os envolvidos neste tratamento sejam bem assistidos”, fala Priscila Vasconcelos.
“Nós viemos de Rondon do Pará pra fazer o tratamento do Daniel, eu não tenho condições de ficar hospedada em outro local, nem que eu tivesse, sempre fiquei ao lado do meu neto. No HOL sempre fomos bem atendidos, mesmo na antiga enfermaria, que tinha deficiências, meu neto e eu sempre fomos muito bem tratados, nunca faltou alimentação e atenção da equipe de médicos e enfermeiros. A nova enfermaria é uma melhora de 100% para os pacientes e seus acompanhantes”, comemora Lucia Melo.

Texto:
Julia Garcia-Secom

Estado mobilizará 21 mil
agentes para
operação Verão na Paz
                O Sistema de Segurança Pública do Estado do Pará mobilizará 21 mil servidores a partir desta sexta-feira, 29, até 1º de agosto, para trabalhar na operação “Verão na Paz, é a gente que faz” em todo o território paraense. Deste efetivo, 2.900 serão deslocados para reforçar o atendimento à população nas 79 localidades que mais recebem veranistas no Estado durante este período. As informações foram anunciadas nesta quinta-feira, 28, pelo secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes, e os demais dirigentes dos órgãos do setor, durante coletiva de imprensa, na sede da Segup, em Belém.
“O objetivo principal é preservar vidas. Por isso vamos trabalhar de forma integrada, como no ano passado. Esta operação foi pensada a partir dos dados que colhemos no verão de 2011, para minimizar os problemas mais frequentes do período. Estaremos atentos e trabalhando em todas as regiões, em especial nos balneários mais visitados. Na capital trabalharemos também com ações especiais”, informou Luiz.
                Todo o trabalho da operação “Verão de Paz, é a gente que faz” será monitorado e avaliado por meio de Centro Integrados de Comando e Controle que a Segup está instalando em Belém e nos municípios de Marabá, Marudá, Castanhal, Tucuruí, Redenção, Salinópolis, Bragança, Abaetetuba e Soure. O objetivo é avaliar, semanalmente, todas as ações em curso e definir novas estratégias de atuação operacional de forma integrada.
Planejamento
                Participam da "Operação Verão" todos os órgãos de Segurança Pública do Estado (Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros/Defesa Civil, Departamento de Trânsito, Centro de Perícias Científicas Renatos Chaves e Superintendência do Sistema Penitenciário), além de parceiros das esferas municipal e federal. A mobilização também contará com o apoio do Grupamento Aéreo e Fluvial, que será reforçado em várias localidades, do Pro Paz e da Secretaria de Comunicação do Estado, que realizarão campanhas educativas em Salinópolis, Mosqueiro e Outeiro.
                A Polícia Militar reforçará as ações de policiamento ostensivo e preventivo em todo território paraense. Serão 1.600 homens deslocados da capital e das sedes do interior para os balneários – 35% a mais que no mesmo período do ano passado. A segurança será realizada por meio de diversas modalidades de policiamento: a pé, motorizado, com cães e cavalaria, fluvial, tático (Rotam), assistencial, turístico e ambiental, aéreo e rodoviário.
                Um trabalho especial será realizado em municípios que promoverão eventos nesta época, como Juruti, onde acontece o Festival das Tribos; Marabá, que sediará a Feira Agropecuária; Capanema, com o Festival do Caranguejo, e a Festividade de Santana e Marajó Folia, no arquipélago do Marajó. Em Belém e Região Metropolitana o policiamento ostensivo será mantido com rondas e operações especiais nos bairros.
                A Polícia Civil contará com o reforço de 150 policiais civis em 24 municípios. O trabalho será desenvolvido pelas equipes da Divisão Especializada em Meio Ambiente (Dema), que combaterá a poluição sonora nos principais balneários; Divisão de Atendimento ao Adolescente (Data), que verificará a presença de menores em situação de risco; e Divisão de Polícia Administrativa, que fiscalizará e licenciará o funcionamento de bares, restaurantes e casas de show nos balneários localizados em Salinópolis, Mosqueiro, Outeiro e Cotijuba.
Detran alerta motoristas
para os excessos com
a bebida alcoólica
                A operação verão contará ainda com o reforço do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), que mobilizará 48 agentes nas regionais e terá o reforço de outros 150 nos principais destinos do veraneio paraense. Além da fiscalização de rotina nas estradas estaduais, com abordagem e fiscalização dos veículos, os agentes combaterão o consumo de bebida alcoólica entre os condutores. Este trabalho de fiscalização visa a redução no número de acidentes no trânsito e a preservação da vida. Pelo menos 110 etilômetros serão utilizados nessas ações.
                Assim como o Detran, o Corpo de Bombeiros Militar do Pará também reforçará o combate ao consumo de bebida alcoólica. No verão de 2011, pelo menos 400 casos de crianças perdidas e 270 afogamentos foram registrados nos balneários, boa parte deles por conta dos excessos com relação à bebida. O comandante geral dos Bombeiros, coronel Hilberto Figueiredo, afirmou que a corporação trabalhará em conjunto com outros órgãos do Estado para coibir estas situações.
“Especialmente em Outeiro, Salinas e Mosqueiro, onde registramos a maioria desses casos, vamos atuar em parceira com a Polícia Civil e o Pro Paz na prevenção e repressão desse e de outros tipos de ocorrências. Para garantir a segurança das crianças nos balneários, vamos entregar 50 mil pulseiras de identificação durante o verão. Em determinados casos, principalmente se estiverem alcoolizados, os pais poderão ser responsabilizados e responder inquérito na Polícia Civil”, alertou o comandante.
                O trabalho dos bombeiros acontecerá, mais intensivamente, em 67 balneários de mar e rio, com serviços de prevenção e proteção. O planejamento deste ano oferece uma cobertura 40% maior em relação ao ano passado. O efetivo que será utilizado será de 790 homens, que contam com apoio logístico de embarcações e de materiais e equipamentos, como postos de guarda-vidas, boias de sinalização, pulseiras de identificação de crianças e material informativo. Também faz parte da ação do Corpo de Bombeiros o atendimento pré-hospitalar em postos avançados, orientação sobre os horários de marés e apoio aéreo. Serão utilizados 107 socorristas nos balneários e estradas.
Perícias
                Outro órgão integrado à operação “Verão na Paz, é a gente que faz” é o Centro de Perícias Científicas (CPC) Renato Chaves. Além dos centros regionais e da sede, na capital, a população contará ainda com uma base em Salinópolis, com os serviços do Instituto de Criminalística e Instituto Médico Legal. Uma unidade móvel de perícia também fará o trabalho itinerante, disponibilizando perícias sexológicas, de lesão corporal, constatação de drogas e local de crime. O acionamento da perícia é feito somente pelas autoridades policiais ou judiciárias. Portanto, se o veranista precisar, deverá primeiramente entrar em contato com o Centro Integrado de Operações (Ciop), pelo telefone 190.
                Os principais órgãos de segurança pública poderão ser contatados pelos seguintes números:
                Ciop (Emergências) – 190
                Disque Silêncio
- Belém: 190
- Salinópolis: (91) 34231050
- Mosqueiro: (91) 37711414
                Polícia Rodoviária Federal (Acidentes em BR): 191
                Marinha (Disque Segurança da Navegação): 08002807200

Texto:
Thiago Melo-Secom

Apuração Festival Junino
Outros Municípios
Belém irá conhecer nesta sexta-feira, 29, as cinco melhores quadrilhas do interior do Estado do Pará, que participaram do Festival de Quadrilhas Juninas Outros Municípios 2012, da Prefeitura Municipal de Belém. A apuração do concurso acontecerá a partir das 8h, no Piano Palco da Praça Waldemar Henrique.
Este ano 61 quadrilhas juninas de diversos municípios do Pará se inscreveram no festival do Arraial de Belém que teve suas apresentações de 24 a 27 de junho,O concurso é realizado em fase única, de onde serão escolhidas pelos jurados “As Cinco Melhores Quadrilhas de Outros Municípios do Arraial de Belém”. Os quesitos julgados foram conjunto, marcação, traje junino, coreografia junina e evolução.
A Festa de Premiação das Melhores Quadrilhas Juninas de Belém e Outros Municípios acontece no próximo domingo, 1º de julho, a partir das 19h, também no Piano Palco da Praça Waldemar Henrique.

PR/Belém realiza
convenção nesta sexta, 29
O Partido da República – PR- realiza nesta sexta-feira, 29, a convenção que irá homologar a candidatura de Anivaldo Vale ao cargo de prefeito de Belém em aliança com pelo menos mais três partidos: PTB, PDT e PRTB. Pela manhã, o evento será realizado na sede do PR,quando os convencionais irão referendar o nome do candidato.
À tarde, a convenção ocorre no ginásio Altino Pimenta, na rua Visconde de Souza Franco, quando estarão reunidos lideranças, filiados, militantes e simpatizantes de todos os partidos que integram a coligação, entre eles, o prefeito de Belém, Duciomar Costa (PTB), principal articulador da candidatura de Vale. Além do cargo majoritário, a convenção também irá homologar os nomes dos candidatos que irão concorrer ao cargo de vereador.
PERFIL - Atual vice-prefeito da capital e presidente estadual do Partido da República, Anivaldo Vale, 67 anos, tem vasta experiência em cargos tanto do executivo como do legislativo, destacando-se por ser um homem de diálogo, de fácil relacionamento e de bom trânsito político em todas as esferas de governo: federal, estadual e municipal,
Em cerca de 40 anos de vidapública, foi superintendente do Banco do Brasil; presidente do Banco da Amazônia e exerceu três mandatos como deputado federal. Em todos os cargos, deixou as marcas do trabalho,  do zelo e da responsabilidade com a coisa pública, além de uma característica que lhe é inconfundível: o bom trato com as pessoas e o gostar de gente.
No Banco do Brasil graças a sua visão de futuro e capacidade de gestão, cresceu e chegou ao mais alto cargo da instituição. No parlamento federal, foi autor de projetos importantes em defesa do Pará e da Amazônia. Destaca-se entre eles, acriação da Comissão da Amazônia, importante fórum de debate de assuntos de interesse da região. Vale também foi o autor do projeto que criou a Universida de Federal Rural da Amazônia (UFRA).
Por seu bom relacionamento com o governo federal, tanto na gestão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, como da presidente Dilma Roussef, tem sido um fundamental elo na busca de recursos para garantir obras essenciais para o Estado e para Belém.
Como vice-prefeito, tem conseguido, junto aos Ministérios e outros órgãos, assegurar a liberação de verbas para muitos dos projetos que têm ajudado a capital paraense a mudar para melhor. São obras que há anos Belém precisava, mas que somente na atual gestão estão se transformando em realidade. Projetos que, aliás, tem sido alvo de elogios não somente por parte da presidente Dilma, mas principalmente da população, que começa a sentir melhorias na qualidade de vida da cidade e a ver Belém ser preparada à chegada dos seus 400 anos.

FONTE: ASCOM/PR

Programação da “Sejudh
na roça” anima servidores
                Servidores da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) participaram na manhã desta quinta-feira (28) da festa junina “Sejudh na roça”. Realizada nas dependências do órgão, a programação trouxe concursos de danças como: carimbó, forró e xote. A apresentação cultural contou ainda com quadrilhas juninas, composta pelos próprios servidores. Por fim, os servidores elegeram o Mister e a Miss juninos.
                Para a organização do evento, programações como essa integram os servidores e incentivam o trabalho em equipe. No ano passado, a programação da festa junina dos servidores da Sejudh ocorreu na Companhia de Turismo do Pará (Paratur).

Santa Casa promove festa
junina a vítimas
de escalpelamento
                O Espaço Acolher, da Fundação Santa Casa, em parceria com a Escola de Teatro e Dança da Universidade Federal do Pará (Etdufpa), Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e organização não governamental (ONG) Ribeirinhos Vítimas de Acidentes de Motor (Orvam), fez na última terça-feira uma festa junina. O Espaço Acolher assiste pessoas do interior do Estado que sofreram escalpelamento e que precisam fazer tratamento no hospital, mas não têm lugar para ficar em Belém.
                Josenéia da Silva Correa, 23 anos, do município de Oeiras do Pará, oeste do Estado, está há um mês em tratamento na Santa Casa. A coordenadora do Espaço Acolher, Luzia Matos, destacou a participação de parceiros no evento. “A parceria com as outras instituições só engrandece o evento. Queremos trazer diversão e lazer a essas meninas, para que esqueçam um pouco os problemas causados pelo acidente com o motor do barco”, disse.
                No Pará, há registros de mais de 250 vítimas de escalpelamento, desde 1982. A Fundação Santa Casa, desde 2001, é referência estadual na assistência, por meio do Programa de Assistência Integral a Vítimas de Escalpelamento, que visa prestar assistência humanizada e multidisciplinar às vítimas e seus acompanhantes.

Texto:
Alessandro Borges-Santa Casa

Meta de crianças vacinadas
contra a pólio beira
os 70% no Pará
                Mais de 500 mil crianças menores de cinco anos já estiveram nos postos de saúde no Pará desde que a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite foi lançada, no dia 16 deste mês. Os dados são do Vacinômetro, sistema do Ministério da Saúde que faz com que gestores, imprensa e população acompanhem os dados preliminares pela internet, que são alimentados continuamente pelos municípios.
                A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) alerta que até o dia 6 de julho as vacinas estarão disponíveis somente de segunda a sexta-feira, nas Unidades Básicas de Saúde e nas Unidades do Programa Saúde da Família (PSF). A recomendação é que os postos de saúde, que são administrados pelas prefeituras e não pelo Governo do Estado, funcionem em horário integral, ou seja, de 8 às 18 horas. Mas essa carga horária fica a critério das gestões municipais. Até às 11 horas desta quinta-feira, 28, segundo levantamento do Vacinômetro, 514.053 crianças foram vacinadas em todo o Estado, o que corresponde a 69,81% do público alvo, formado por 736.683 pessoas da faixa etária indicada. A meta é chegar aos 95%.
                Quem acessar o sistema, poderá também acompanhar o desempenho de cada município paraense no ranking. Até o momento, a capital do Estado, Belém, atingiu o percentual de 74,14% da quantidade de aptos para serem imunizadas, ou seja, do universo de 106.148, foram vacinadas 78.711 crianças abaixo de 5 anos. Já São Sebastião da Boa Vista é o município paraense que está mais distante de atingir a meta, pois até agora só vacinou 782 crianças de um total 2.631, correspondendo a apenas 29,72%.
                Os dados do Vacinômetro também mostram dados curiosos: dois municípios já ultrapassaram os 100% de crianças vacinadas. Quatipuru, por exemplo, tinha a meta de vacinar 1.091 crianças, mas já imunizou 1.127, representando uma variação positiva de 103%. O outro caso é de Bannach, com o percentual de 108,92%, que imunizou 28 crianças a mais do que as 314 já aptas.
                Antes da campanha de vacinação começar, a Sespa distribuiu 1 milhão de doses da vacina oral para todos os 144 municípios paraenses. A campanha deste primeiro semestre é feita com a vacina oral, com duas gotinhas, mas daqui a dois meses, por ocasião da campanha de multivacinação, haverá a introdução da pentavalente e reforço das outras vacinas no calendário básico. “A partir de agosto, as crianças que nunca foram imunizadas contra a paralisia infantil irão tomar a primeira dose aos dois meses e a segunda aos quatro meses, com a vacina poliomielite inativada, de forma injetável. Já a terceira dose (aos seis meses), a quarta dose (aos 15 meses) e os reforços continuam com a vacina oral, ou seja, as duas gotinhas”, informa a coordenadora estadual de Imunizações, Jaíra Ataíde.
                A vacina contra a pólio é segura e as crianças devem ser vacinadas mesmo que estejam com tosse, gripe, coriza e rinite. A respeito da ocorrência de doenças graves, febre acima de 38 graus Celsius ou com alguma infecção, recomenda-se a consulta com profissionais nos postos de saúde para as crianças sejam avaliadas por médicos se devem ou não tomar a vacina.
                Apesar de não haver registro de casos de pólio há 23 anos, tanto no Brasil, como no Pará – o último aconteceu no município de Santa Izabel – a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) considera essencial a manutenção de coberturas anuais, pois o vírus que causa a doença ainda circula no mundo, sobretudo em três países considerados endêmicos: Afeganistão, Nigéria e Paquistão. Não há tratamento para a pólio e a única solução para evitá-la ainda é a vacina.
                A respeito do sistema Vacinômetro, vale ressaltar que a velocidade das informações está relacionada com a estrutura da rede de informática disponível principalmente nos municípios do interior do Estado, visto que o sistema vai sendo alimentado ao longo da campanha, de acordo com as condições operacionais de cada Secretaria Municipal de Saúde. Por isso, o percentual de vacinados mostrado pelo serviço indica a capacidade dos gestores de agregar e repassar as informações. O vacinômetro pode ser acessado pelo link


Texto:
Mozart Lira-Sespa

Terruá Pará estreia dia 31
de julho no Theatro da Paz
                O público paraense será o primeiro a prestigiar o Terruá Pará em 2012. O show, que vai reunir artistas que participaram das duas edições anteriores, fará sua grande estreia em Belém, no palco do Theatro da Paz, no próximo dia 31 de julho. A temporada segue até dia 3 de agosto, com entrada franca e retirada de ingressos na bilheteria do teatro. Em seguida acontecem as apresentações fora do Estado, para o público de São Paulo – entre os dias 05 e 07 de outubro, no Auditório Ibirapuera – e do Rio de Janeiro, em data e local ainda a serem divulgados.
                Realizado pelo Governo do Estado, por meio da Cultura Rede de Comunicação e da Secretaria de Estado de Comunicação, o Terruá Pará integra a política pública de difusão e circulação da música paraense. A edição deste ano marca o lançamento dos CDs e DVDs das edições anteriores, realizadas em 2006 e 2011, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. O show tem direção geral artística e musical de Carlos Eduardo Miranda e Cyz Zamorano.
                As duas primeiras edições do Terruá Pará reuniram 99 artistas de diversos gêneros musicais, da lambada ao carimbó, da guitarrada ao eletromelody, numa fusão de ritmos originais e dançantes. “Nesta edição o público vai encontrar um pouco do primeiro e do segundo show, e ao mesmo tempo se surpreender com um espetáculo repaginado. E quem não viu as outras edições vai poder conferir uma mistura do que já foi apresentado”, explica Adelaide Oliveira, presidente da Cultura Rede de Comunicação.
                As apresentações no eixo Rio/São Paulo estavam previstas para o período entre o final de junho e o início de julho, mas foi necessário mudar o calendário em função do prazo necessário para a fabricação e montagem dos produtos. Mesmo com a mudança de datas, os ensaios continuam a todo vapor no Estúdio Edgar Proença, da Rádio Cultura. No início de julho será lançado o novo site do Terruá Pará, com todas as informações sobre a edição deste ano.
                Criado em 2006 e retomado em 2011, o Terruá Pará deu enorme visibilidade à música paraense, sendo indicado ao 7° Prêmio Bravo! Bradesco Prime, um dos mais importantes da cultura brasileira. A atual projeção da música paraense no cenário nacional mostra que o projeto está no caminho certo. “Um show com excelência na produção, artistas de altíssimo nível e de várias sonoridades, levando parte do que é produzido aqui. Isso encanta qualquer plateia, não importa que seja um crítico ou só um apaixonado por música”, observa Adelaide. “Nossa intenção é celebrar essa música brasileira feita no Pará, uma música que não fica devendo nada a lugar nenhum. O Terruá faz a música paraense circular e atrai cada vez mais olhares pra nós”.
Quem participa
                Carimbó, guitarrada, tecnobrega, eletromelody, lambada, merengue, música erudita. O leque de ritmos do Terruá Pará exibe a riqueza de sonoridades que só se encontra no Pará. Participam do show Sebastião Tapajós, Trio Manari, Orquestra de Violoncelistas da Amazônia, Paulo André Barata, Pio Lobato, Mestre Vieira, Mestre Curica, Aldo Sena, Dona Onete, Toni Soares, Luê Soares, Almirzinho Gabriel, Felipe Cordeiro, Manoel Cordeiro, Nilson Chaves, Lia Sophia, Mestre Solano, Gang do Eletro, Mestre Laurentino, Edilson Morenno, Gaby Amarantos e Metaleiras da Amazônia, formada pelos músicos Manezinho do Sax, Pantoja e Pipira do Trombone.
                Eles são acompanhados por uma banda base, formada por alguns dos melhores instrumentistas paraenses: Luiz Félix Robatto e Pio Lobato (guitarra), Adriano Sousa, Vovô e Edvaldo Cavalcante (bateria), MG Calibre (baixo), Esdras Souza (saxofone e flauta transversal), Jade Guilhon (violino e bandolim), Edgar Matos (teclado) e Trio Manari (percussão).
Serviço: Terruá Pará 2012. Show com 22 atrações e lançamento dos CDs e DVDs das edições anteriores. Estreia dia 31 de julho, no Theatro da Paz. Temporada até dia 03 de agosto. Entrada franca, com retirada antecipada de ingressos na bilheteria do teatro. Em São Paulo: dias 05, 06 e 07 de outubro, no Auditório Ibirapuera.

Texto:
Márcia Carvalho-Funtelpa

Vatapá e pizza feitos com
tapioca são novidade em
festival gastronômico
de Americano
Quem participou da abertura do 19º Festival Cultural da Tapioca, na noite dessa quarta-feira, 27, no Distrito de Americano, em Santa Izabel, Região Metropolitana de Belém, pode degustar um coquetel diferente, regado a quitutes como vatapá e pizza feitos com tapioca. O cardápio é resultado de uma oficina culinária promovida nos dias 26 e 27 de junho, pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), como programação prévia do Festival. Quem assina a receita são 15 alunas moradoras do município.
                A capacitação - antecedida por outra oficina, de boas práticas de manipulação de alimentos, ministrada na semana anterior – aconteceu na sede comunitária da Vila de Americano, voltada para agricultoras das seis comunidades do Distrito (Vila de Americano, Ferreira Pena, Manoel Sebastião, São Luís, Km 60 e 21 de abril). As aulas foram coordenadas pelo tecnólogo em alimentos Marcelo Costa e pela pedagoga Lindalva Cunha, da Emater. À frente das receitas, estava a cozinheira profissional Maria Cleide Leite, que colaborou voluntariamente para a oficina. Para ela, a utilização da farinha de tapioca como base para algumas receitas barateia os custos e deixa tudo mais gostoso. “A proposta é explorar a ampliação do uso da farinha de tapioca como ingrediente. Por mais que aqui quase todo mundo produza esse igrediente, o seu consumo é restrito à mistura com o açaí e café com leite...Queremos mostrar o potencial do alimento, tanto para enriquecer as refeições dentro de casa, quanto para gerar renda extra”, explicou Cunha.
                De acordo com Marcelo Costa, a incorporação da farinha de tapioca aumenta o valor nutricional da comida, oferece textura e sabor diferenciados e valoriza regionalmente os preparos. A aluna Eunice Silva, que mora na Vila de Americano há 20 anos e até já compôs um carimbó em homenagem à tapioca, contou que jamais imaginou ser possível substituir a farinha de trigo na maior parte das receitas. “Fiquei surpresa com o sabor do pão-de-queijo de tapioca!”. A oficina, segundo ela, a inspirou a usar do empreendedorismo para abrir uma lanchonete especializada em iguarias feitas com a tapioca. “Ainda é um sonho sem alicerces, mas pelo menos a idéia já existe”, pontuou.
                Cultura
                No Distrito de Americano, lugar onde há mais de um século a produção da farinha de tapioca é a principal atividade econômica, a iguaria não é só a fonte de renda de quase todas as 700 famílias das seis comunidades, nem um dos alimentos principais do dia-a-dia, mas uma bandeira cultural, uma raiz coletiva e um movimento que une gerações. “A Dança da Tapioca, por exemplo, reúne tradição e modernidade, onde jovens e idosos dançam de mãos dadas”, comenta o coreógrafo Leonardo Verçosa, que ministrou uma oficina de dança para adolescentes de Americano que se apresentarão no Festival. “Aqui todo mundo sabe a Dança da Tapioca. É uma criação nossa. Não interessa a idade - qualquer morador do Distrito reconhece a importância dessa manifestação”, explica a estudante Elnara Aguiar, 18 anos, que faz parte do grupo que se apresentou.
Serviço: O Festival Cultural da Tapioca prossegue até domingo, 1º de julho, das 18h às 22h, na Vila de Americano. A programação é gratuita.

Texto:
Aline Miranda-Emater

Hemopa Tucuruí inicia
campanha do veraneio
                Na próxima segunda-feira (2), o Hemonúcleo de Tucuruí (Hentu) inicia sua campanha de doação voluntária de sangue do veraneio, que se estenderá até o dia 6, com a finalidade de reforçar o estoque técnico para suprir a demanda transfusional, que deve aumentar em função da realização do Carnaval fora de época do município, que será promovido nos dias 13, 14 e 15 de julho. A meta será de 60 coletas.
“Neste verão ajude a salvar vidas. Doe Sangue”, é o tema da mobilização que vai acontecer em toda a hemorrede do Estado, envolvendo os seguintes municípios: Belém, Santarém, Marabá, Castanhal, Abaetetuba, Altamira, Redenção e Capanema. O doador Braz Moreira de Sousa, 40 anos, representante de vendas, antecipou sua doação de sangue na manhã desta quinta-feira (28). “Sou doador há três anos. Hoje fiz a doação para alguém que não conheço. Amanhã alguém da minha família pode precisar. Me sinto muito bem salvando vidas com esse gesto simples”, comentou.
“Antes de sair da cidade para outros locais, passem na unidade para doar sangue e salvar vidas”, estimulou a assistente social do Hentu, Maria das Graças de Sousa, que agradeceu a participação do voluntariado que colaborou com a campanha junina, realizada no período de 11 a 15 de junho, resultando no excelente saldo de 48 comparecimentos.
                O Hentu tem a responsabilidade de atender as solicitações transfusionais da rede hospitalar do município e outras localidades, entre elas, Breu Branco, Novo Repartimento, Goianésia, Pacajá, Jacundá, Maracajá e Tailândia. “Nossa responsabilidade é muito grande e temos que dividir com a população doadora de sangue para garantir atendimento para centenas de pacientes que precisam de transfusão, diariamente”, enfatizou Graça Sousa, informando que durante a campanha do veraneio haverá distribuição de camisetas e sorteio de abadás para o Carnaval fora de época do município.
                Quem pode doar sangue: candidatos com boa saúde; idade entre 16 anos completos e 67 anos. Menor de 18 anos com autorização dos pais ou responsáveis; pesar acima de 50 kg. Necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum. Com a doação são realizados exames para diversas doenças, entre elas: Aids, Sífilis, Doença de Chagas, Hepatites, HTLV I e II, além de tipagem sanguínea. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher a cada três meses. O doador deve estar bem alimentado.
                Serviço: O Hemopa Tucuruí funciona na avenida Raimundo Veridiano Cardoso, S/N, bairro Santa Mônica. Horário para coleta: de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 12h. Maiores informações pelo fone: (94) 37874444 ou 08002808118, de segunda a sexta-feira, de 8h às 18h, e aos sábados até às 17h.

Texto:
Vera Rojas-Hemopa

Workshop Prodetur chega
às comunidades indígenas
mundurucu no Tapajós
                Populações indígenas da etnia Mundurucu que habitam a Floresta Nacional do Tapajós (Flona) receberam, na manhã desta quarta-feira, 27, a equipe executora do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), executado no Pará pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur), com apoio da Secretaria de Turismo do Pará (Setur). O objetivo da visita, que envolveu as comunidades Marituba, Bragança e Taquara, foi a realização do workshop Prodetur, que visa apresentar as matrizes operacional e de investimentos do programa no Tapajós. O programa, ligado ao Ministério do Turismo, prevê investimentos de US$ 44 milhões nas regiões turísticos de Belém, Marajó e Tapajós, com investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento e contrapartida do Governo do Estado, a partir deste ano.
                Márcia Bastos, coordenadora do Prodetur Pará, informou esclareceu aos moradores das três comunidades que o objetivo do Governo do Estado é apresentar, por meio do workshop - que também vem ocorrendo no Marajó e em Belém - os investimentos que vem sendo feitos pelo Governo do Estado e pelo Prodetur, bem como os inventários e mapeamento cultural de diversas comunidades indígenas, quilombolas e de ribeirinhos, visando a elaboração de roteiros turísticos de vivência comunitária, de ecoturismo e de turismo cultural.
“Já iniciamos o inventário turístico aqui no Tapajós, em parceria com o Museu Paraense Emílio Goeldi. No próximo ano daremos início aos cursos de qualificação profissional para as comunidades”, informou Márcia à comunidade de Marituba, no município de Belterra. A coordenadora explica que as ações do Prodetur são extensivas aos municípios de Santarém (comunidades de Alter do Chão, Aritapera e Curunã, entre outras) e aldeias da etnia Way Way, em Oriximiná, além de áreas quilombolas no Tapajós.
“Esperamos que os turistas venham ver de perto essa riqueza ambiental que temos aqui, para entender a importância de se conservar e valorizar as Flonas sob o risco de, no futuro, nossos filhos não terem essa mesma oportunidade”, disse o cacique da comunidade de Marituba, Fortunato Rocha Mundurucu. Ele vê com bons olhos a entrada de turistas na Flona, onde segundo Fábio Carvalho, coordenador do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (CMBIO), ligado ao Ministério do Meio Ambiente, que já recebe a visita de cerca de 10 mil turistas por ano. A entrada dessas pessoas só ocorre mediante autorização e pagamento de uma taxa de R$ 5,50 , somando uma receita para a União de R$ 55 mil ao ano somente com a visitação.
                Mas a meta do Governo do Estado, por meio da Paratur e da Setur, é ir além desse levantamento. “Nossa meta, com o mapeamento cultural, os investimentos em qualificação das comunidades e o inventário, é avançar na estruturação dos roteiros, com a compreensão da atividade turística como fator de desenvolvimento  econômico, de geração de trabalho, renda e qualidade de vida para essas famílias”, afirma o secretário de Turismo do Estado do Pará, Adenauer Góes.
                A equipe da Paratur e Setur, juntamente com técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo de Belterra, também visitaram a comunidade de Bragança, onde vivem cerca de 12 famílias e aproximadamente 180 indígenas. A visita foi acompanhada pelo cacique Domingos dos Santos Corrêa Mundurucu.
                Na manhã desta quinta-feira, 28, o workshop Prodetur será apresentado no centro comunitário da Vila de Alter do Chão. À tarde, a programação se repete na sede do Sebrae em Santarém, a partir das 15 horas. Na ocasião será lançado o livro "Aritapera: Terra, Água, Mulheres e Cuias", resultado do mapeamento cultural feito na comunidade de Aritapera, que na sexta, 29, também sediará o workhop. De 1 a 4 de agosto o Prodetur vai desenvolver ações em sete aldeias da etnia Way Way, em Oriximiná.

Texto:
Benigna Soares-Paratur

Seop abre licitação para
construção de ginásio
poliesportivo em Santarém
                Será aberta nesta sexta-feira (29), a licitação na modalidade Concorrência Pública para a construção do ginásio poliesportivo para 5 mil pessoas, em Santarém. O processo licitatório será de cerca de R$ 10 milhões. A obra, que integra a Agenda Mínima do governo do Estado, terá cerca de 5.200 metros quadrados e será erguida em terreno de 15.420 m2.
                De acordo com a Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop), responsável pela execução dos serviços, o ginásio terá capacidade para 5.100 pessoas com assentos individuais. “O governador Simão Jatene e o vice-governador Helenilson Pontes estiveram em Santarém, no início do ano, quando se comprometeram com a construção desse ginásio. É uma solicitação da comunidade e vai contribuir para alavancar mais o turismo na região”, disse Joaquim Passarinho, titular da Seop, que estará presente à abertura da licitação.
                De acordo com o projeto arquitetônico elaborado pelo corpo técnico da Seop, o projeto foi feito dentro dos padrões da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e seguindo as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). O ginásio terá, além de vestiários, setor administrativo com salas de uso múltiplo, palco para eventos, dois bares e duas lanchonetes. Além disso, para cada lado de arquibancadas, haverá sanitários adaptados para o público, quadra com piso de madeira, cobertura em telhas termoacústicas, arquibancada em concreto armado e ventilação e iluminação zenitais (feitas por cima).

Texto:
Clara Costa-Seop

Santarém ganha nova
sede da Defensoria Pública
                O Governo do Estado inaugura nesta quinta-feira, 28, a nova sede da Defensoria Pública de Santarém - Regional do Baixo Amazonas, onde funcionará também o Núcleo de Atendimento Especializado da Criança e do Adolescente – NAECA. A unidade é a maior das onze regionais existentes no Estado e abrange os municípios de Santarém, Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Juruti, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Prainha, Terra Santa, Placas, Mojuí dos Campos e Rurópolis. A cerimônia acontece às 10h e contará com a presença de autoridades e representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.
                A 9ª Regional da Defensoria Pública ocupa uma área total de 642 m², com localização privilegiada (ao lado do Fórum do município), o que facilita o acesso do cidadão. O prédio, totalmente climatizado, conta com espaço para triagem, seis salas para atendimentos cíveis e quatro para as demandas penais. O NAECA funcionará em duas salas, com a prestação de um atendimento especial e integrado às crianças e aos adolescentes que se encontram em situação de vulnerabilidade social, familiar e nos casos de conflito com a Lei. O núcleo contará com uma equipe interdisciplinar formada por defensores públicos e técnicos da área social.
                A nova sede também irá oferecer atendimento às pessoas envolvidas em conflitos agrários, por meio do Núcleo das Defensorias Públicas Agrárias. Nele serão realizadas  conciliações entre produtores e trabalhadores rurais, movimentos sociais, povos indígenas, comunidades remanescentes de quilombolas, atingidos por barragens, seringueiros e população ribeirinha, de modo a mediar situações de conflitos no campo e garantir os direitos desses segmentos.
                Demanda - A Regional Santarém atende mensalmente cerca 300 pessoas na área cível e 100 na área criminal, incluindo o atendimento da população carcerária por meio das itinerâncias e visitas a unidades do sistema penitenciário, e também enquanto órgão de execução penal. As demandas mais freqüentes são relativas a pensões alimentícias, divórcios litigiosos, adoções, investigações de paternidade, curatelas, ações possessóriass retificações de registro civil, alvarás judiciais e orientações jurídicas. Na área criminal, a maioria das ações se refere a pedidos de liberdade provisória, relaxamento de prisões, atuações no tribunal do Júri;,impetração de habeas corpus, interposição de recursos, atuação no Juizado Especial Criminal e audiências de modo geral.
                Com a instalação da nova Regional a população contará também com o atendimento on line, através do Disk Defensoria 129, que funcionará no horário de 8h00 as 14h00, de segunda a sexta-feira. Por meio desse serviço, o assistido receberá informações e orientações sobre o andamento de processos que tramitam na Instituição, os documentos necessários para propor ações judiciais e agendamento de data para o atendimento pelo defensor público, dentre outros. A nova sede funcionará na Avenida Presidente Vargas, nº 2027, no Bairro de Aparecida.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Mostra IAP Marajó 2012
                No período de 25 de junho a 6 de Julho será realizado, no Instituto de Artes do Pará (IAP), a Mostra IAP Marajó, uma programação com debates, mostra de filmes e exposição de obras de artistas marajoaras cadastrados durante o Mapa das Artes no Marajó, dentre eles, Necy Pereira e Tadeu Ferreira, ambos de Breves, no Marajó, e que foram selecionados para o evento. Para o artista Tadeu Ferreira é gratificante receber o reconhecimento do Estado no âmbito cultural. Segundo ele, participar deste evento é uma oportunidade rara que abrirá as portas para o reconhecimento da cultura do seu município. Da programação consta ainda a mesa redonda “Memórias e trajetórias do Boi Estrela", de Melgaço e exibição do filme "Deu a Louca no Bagula", de Anajás.
                Serviço:

                Mesa Redonda: Memórias e trajetórias do Boi Estrela, de Melgaço, dia 27/06 às 17h
                Cinema: Deu a Louca no Bagula – Anajás
                Mais informações: iap.alcantara.net.br

Trabalhadores do Shopping
João Alfredo participam de
palestra sobre
Empreendedorismo e Marketing
Nesta sexta-feira,29,os 142 trabalhadores informais que vão ocupar boxes no Shopping João Alfredo participam de palestra sobre “Empreendedorismo” e “Marketing Pessoal e Comercial”. O objetivo é levar a estes trabalhadores informações importantes que os auxiliem na melhoria do trabalho que desenvolvem, tendo em vista que estão saindo da informalidade para se tornarem microempreendedores.
A partir de segunda-feira,02, os trabalhadores não ocuparão mais a Rua João Alfredo e serão instalados em seu novo local de trabalho. O Shopping, localizado na Rua João Alfredo com entrada também pela Travessa Campos Sales, oferece toda a estrutura necessária para o melhor atendimento ao público. O espaço possui dois pavimentos totalmente refrigerados, com boxes em alvenaria e portas de vidro e é totalmente adaptado a cadeirantes.
Como atrativo ao público, além dos produtos oferecidos aos clientes, o Shopping terá farmácia, ótica, salão de beleza, cyber, caixas eletrônicos, oficina de calçados e bolsas e restaurante. A inauguração do novo espaço ocorrerá na próxima quarta-feira,04/07, ao meio-dia, com todos os trabalhadores já instalados e mostrando seus produtos.

Grupo Frutos do Pará mostra
danças do folclore regional
no São José Liberto
                Uma apresentação do Grupo Parafolclórico Frutos do Pará marcará neste domingo (1º de julho), a partir das 18 horas, a volta do Projeto Ritmos do Pará, que abre o Coliseu das Artes, no Espaço São José Liberto, para grupos folclóricos, sempre no primeiro e no último fim de semana do mês. Com entrada gratuita, o projeto Ritmos do Pará foi criado e desenvolvido pelo Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), instituição gerenciadora do Espaço São José Liberto, via Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom)/Governo do Pará.
                Criado há três anos, o projeto tem o objetivo de ampliar o espaço para divulgação do trabalho de grupos folclóricos paraenses. Segundo Carmem Macedo, gerente de Eventos do Espaço São José Liberto, o projeto é uma forma de valorizar o artista paraense, disponibilizando espaço e estrutura para divulgar as músicas e as danças folclóricas do Pará.
                Coordenado por Iracema Oliveira, o Grupo Parafolclórico Frutos do Pará comemora 20 anos no próximo dia 5 de julho. Segundo Nazaré Azevedo, coreógrafa do grupo, a apresentação no Coliseu das Artes faz parte das comemorações alusivas à data. Entre dançarinos e músicos, 35 artistas, além da equipe técnica e de produção, participarão do espetáculo.
                Do vasto repertório do grupo, conta a coreógrafa, no próximo domingo serão mostradas, na primeira parte, coreografias de “Amazônia Lendária”, que traz lendas como a do Boto, da Cobra Grande e da Matinta Perera. Na segunda parte, em homenagem ao encerramento da quadra junina, o "Frutos do Pará" mostrará uma “ciranda”, apresentação que inclui diversos ritmos, como as cantigas de roda, xote, valsa e músicas juninas.
Trajetória – Com 20 anos de trabalho, o Grupo Folclórico Frutos do Pará acumula prêmios e reconhecimento nos festivais e eventos em que participa. Os integrantes encerraram recentemente uma série de apresentações em um projeto do Serviço Social do Comércio (Sesc-PA), e já estão com a agenda lotada para julho, além de apresentações marcadas para o segundo semestre. A partir de janeiro de 2013, o grupo se apresentará em diversas cidades do Sul e do Sudeste do Brasil.
“Acho ótimo esse projeto (Ritmos do Pará) do São José Liberto, porque dá oportunidade ao público de assistir ao nosso trabalho e ver o que é nosso, da terra. Por outro lado, também ajuda a gente a divulgar e conseguir patrocínio”, explicou a coreógrafa Nazaré Azevedo, acrescentando que já participou duas vezes do projeto.
Histórico – Criado com o objetivo de preservar e divulgar a cultura paraense por meio das danças típicas, o Grupo Parafolclórico Frutos do Pará se apresenta dentro e fora do Estado, e ainda fomenta a prática dessa vivência no ambiente escolar.
                Com o lema “O Amor pela Cultura acima de tudo”, o "Frutos do Pará" foi fundado em junho de 1992 pela radialista Iracema Jesus de Oliveira e por alguns brincantes de um grupo junino do bairro do Telégrafo, onde fez sua primeira apresentação no festival da Igreja de São Raimundo Nonato.
                Desde então, o grupo já se apresentou em diversos eventos e espaços culturais, como o Theatro da Paz e o Museu Paraense Emílio Goeldi (em Belém); o Festival do Açaí (no Marajó); Festa do Sairé (em Santarém); Festival do Caranguejo (em Maracanã); Festival de Carimbó (em Irituia); Mostra da Cultura, no Estado do Paraná; Festivais em Olimpia, Bauru e Guarujá, em São Paulo; Festival em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, e na cidade de Anápolis, em Goiás.
Serviço: Apresentação do Grupo Parafolclórico Frutos do Pará. Domingo (1º), às 18h, no Coliseu das Artes, no Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, bairro Jurunas). Entrada franca. Mais informações pelos fones: (91) 3344-3517 e (91) 9310-6189 (Carmem Macedo).

Texto:
Luciane Barros-São José Liberto

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...